Page 1


Olhe mais uma vez o gráfico e veja o que a InterMaster pode fazer pela sua empresa.

B3 Comunicações


Em algum momento a sua empresa pode apresentar um desempenho igual a este. Com 18 anos de experiência e mais de 100 clientes atendidos, a InterMaster Consultores oferece inteligência e metodologia às empresas que querem rentabilidade, qualidade e controle da gestão de seus negócios. A InterMaster Consultores torna a empresa mais competitiva, aprimorando estratégia, processos, gestão, gente e informações gerenciais que visam a geração de lucro e perenidade dos negócios. Seus projetos têm uma forte relação de Investimento x Retorno, pois buscam o "payback" no prazo máximo de 24 meses após o início das implantações. Isso é possível devido a um grande diferencial: além de desenvolver os projetos de reestruturação, a InterMaster Consultores é co-responsável pelas implantações. A confiabilidade e credibilidade da InterMaster Consultores são reflexos da competência de sua equipe de consultores formada por um grupo de profissionais altamente qualificados. Se você está disposto a reverter a curva da sua empresa, basta uma ligação: (11) 4799-5355.


Nesta Edição Editorial....................................................7 Entrevista.................................................8

>>>>>>

Entrevista

Capa.......................................................12 Recursos Humanos.................................20 Rodada de Negócios...............................22 Case de Sucesso......................................24 Ponto de Vista........................................26 EPI’s......................................................27

Itamar Rodrigues Cruz

Exper News............................................28 De bem com a vida.................................30

08

Capa

Escola SENAI “Nami Jafet” 67 anos de história

12

Exper News

Para expressar sua opinião, dar sugestões, enviar releases e fazer contato com a nossa redação, escreva para: redacao@revistaexper.com.br e siga-nos nas redes sociais:

6 - Revista Exper

CIESP Alto Tietê promove encontro em Guararema

28


Editorial

>>>>>>

Educação Profissional Foto Divulgação

Há um momento na vida na qual o indivíduo inicia a sua formação profissional, visando à inserção no mercado de trabalho com objetivo de ser um empregado ou um empregador de sucesso. Tendo ele uma formação básica sólida, munido principalmente dos conhecimentos de um ensino fundamental feito com dedicação ao aprender, principalmente do raciocínio lógico e da comunicação, os seus estudos técnicos serão mais focados ao conhecimento das tecnologias e das habilidades inerentes da profissão escolhida. A formação profissional passou

como iniciativa, criatividade, saber ouvir,

cursos técnicos e tecnológicos. As suas es-

por uma grande mudança nos últimos tem-

saber falar, resolver problemas, que fazem

colas estão equipadas com laboratórios e

pos com o avanço das tecnologias. As má-

do indivíduo uma pessoa altamente prepa-

oficinas de aprendizagem modernas e com

quinas automatizadas exigem menos ha-

rada e admirada para qualquer situação de

metodologias de ensino para que o aluno

bilidades dos trabalhadores e mais e mais

trabalho.

aprenda a teoria e a prática, propiciando

conhecimentos para operar os sistemas

O mercado competitivo está à

o diferencial do aprender pelo fazer. Tem

complexos, resultando daí um dos motivos

procura de trabalhadores que se atualizem,

como objetivo a formação não só de um

do desemprego para aqueles que não estão

profissionais que buscam cursos de aper-

profissional atualizado para o mercado de

se mantendo atualizados e grandes oportu-

feiçoamento ou especialização profissio-

trabalho, mas sim de um cidadão educado

nidades de crescimento profissional para

nal.

para a vida.

aqueles que estão investindo em educação.

Para a formação deste profissio-

Mesmo com a obtenção da forma-

Outro fator predominante para a empre-

nal destaca-se a instituição SENAI que se

ção pontual é necessária a formação conti-

gabilidade, que se recebe dos pais e seus

dedica, a mais de setenta anos, na forma-

nuada para sempre atualizar seus conheci-

educadores, refere-se ao comportamento.

ção de jovens, a partir de quatorze anos de

mentos em sua prática profissional, mesmo

É através do comportamento, demonstrado

idade, através do curso de aprendizagem

para aqueles que estão empregados. O in-

nas relações do trabalho através de atitudes

industrial, assim como posteriormente em

vestimento na educação não tem mais fim,

Expediente Publisher: Márcio Junior MTB 59904-SP, Conselho Editorial: CIESP Alto Tietê, Editoração: Offmktweb, Colunistas: Epaminondas Nogueira, Ligia Rhoden Antonio Carlos Palomares, e João Capozzoli, Publicidade: 11 2819-4457 ou 11 99472-8104 / publicidade@revistaexper.com.br, Foto Capa: Arquivo SENAI, Fotógrafo: Diego Barbieri A revista é uma publicação da Editora OFF e distribuída aos associados do CIESP Alto Tietê, SESI, SENAI, UMC, UNISUZ, ACMC, ACE SUZANO, ACIDI, ACIFV, ACIP, Sebrae, Secretarias de Indústria e Comércio, Centros e Prédios Comerciais e algumas bancas. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios e as opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade dos autores.

diferente como se fazia no passado que ao obter-se uma profissão, não precisava mais retornar aos bancos da escola até a aposentadoria. Seja persistente em uma formação profissional de qualidade. Silvério G. Fernandes Jr. Diretor da Escola SENAI “Luis Eulálio de Bueno Vidigal Filho” - Suzano Revista Exper - 7


Entrevista

>>>>>>

Itamar Rodrigues Cruz Exper - Para que nossos leitores possam conhecê-lo, conte-nos um pouco sobre sua trajetória profissional? Itamar Rodrigues - Assim que comecei a

Atuou como Docente de Práticas Profissionais, Coordenador Pedagógico e em 2007 foi promovido ao cargo de Diretor atuando nas Escolas SENAI de Bragança Paulista, Campinas e atualmente Mogi das Cruzes. Exper - De que maneira os alunos são

profissional como Torneiro Ferramenteiro

preparados para o mercado de trabalho?

Aprendiz na empresa Estamparia Cara-

Itamar Rodrigues - Todas as ações edu-

Exper - Qual o diferencial do SENAI Mogi

vellas S.A. onde permaneci durante 7 anos

cacionais do SENAI objetivam a forma-

das Cruzes, em relação às outras unidades?

até me tornar Torneiro Ferramenteiro Ple-

ção do aluno para o mundo do trabalho,

Itamar Rodrigues - A Escola SENAI de

no. Aos 21 anos (em 1986) iniciei minha

para as práticas sociais e, principal-

Mogi das Cruzes caracteriza-se pela di-

carreira no SENAI e durante 11 anos atuei

mente, para a sua autorrealização, ha-

versidade de oferta de cursos profissiona-

como Docente de Práticas Profissionais.

bilitando-os a enfrentar as numerosas

lizantes e pela total sintonia com as ativi-

Em 1997 fui promovido ao cargo de Co-

exigências da vida (aprender a fazer).

dades econômicas da nossa região. Por

ordenador Pedagógico da Escola SENAI

A Escola assume, também, o comprome-

isso, além de inúmeros cursos destinados

de Jacareí onde atuei até 2003. Retornei

timento ético em desenvolver em nossos

aos interesses de nossas indústrias, a Es-

ao SENAI de Mogi das Cruzes como Co-

alunos, as bases do saber, a iniciativa, o

cola SENAI de Mogi das Cruzes oferece

ordenador Pedagógico e em 2007 fui pro-

espírito de trabalho em equipe, a autossu-

cursos para as áreas Administrativas, Ges-

movido ao cargo de Diretor atuando nas

ficiência (sem perder de vista a interdepen-

tão, Saúde e Segurança, Logística, Trans-

Escolas SENAI de Bragança Paulista,

dência), o perfil empreendedor, o apreço à

porte Industrial, Qualidade, Tecnologia da

Campinas e, atualmente, Mogi das Cruzes.

tolerância, à solidariedade e à igualdade

Informação, Vestuário e Construção Civil.

Fotos: Divulgação

estudar no SENAI, iniciei minha carreira

de oportunidade entre homens e mulheres.

Exper e

-

ações

Quais previstas

são

as

para

novidades o

futuro?

Itamar Rodrigues - A grande novidade é a implantação de um Curso Técnico inédito na região. Trata-se do Curso Técnico em Processos de Fabricação Mecânica em que o aluno se habilitará a participar do planejamento e controle dos processos de usinagem em equipes multifuncionais, programar, preparar e operar máquinas ferramentas a CNC, preparar e operar máquinas ferramentas convencionais, determinando as condições de usinagem, aplicando normas técnicas, ambientais, de qualidade, de saúde e segurança do trabalho. O curso é totalmente gratuito, tem duração de 2 anos e é oferecido no período noturno. 8 - Revista Exper


Revista Exper - 9


Entrevista Para

um

futuro

>>>>>> próximo

a

Dire-

o processo de qualificação das pessoas.

(aprender a ser). Na verdade, todas as

ção da Escola prevê a ampliação da

Essa aliança entre escolas e empresas é

empresas prezam e querem ter em seus

oferta de cursos técnicos gratuitos.

uma saída essencialmente de curto prazo.

quadros funcionais pessoas competentes e ser competente é ser capaz de mobili-

Exper - Qual é o processo de atualização e

Exper - Antigamente as indústrias con-

zar conhecimentos, habilidades, atitudes,

reciclagem do corpo docente do SENAI?

tratavam e treinavam sua mão de obra,

valores e as experiências da própria vida.

Itamar Rodrigues - O corpo docente do

hoje as grandes corporações exigem

SENAI passa por constante processo de

uma alta qualificação para seus car-

Exper - Qual o cenário da educação

atualização e reciclagem. O SENAI-SP

gos. Ao que se deve este acontecimento?

especializada e técnica para o futuro?

tem um plano de desenvolvimento de pes-

Itamar Rodrigues - O fato é que o mun-

Itamar Rodrigues - Considerando to-

soal que prevê a participação dos docentes

do passa por mudanças com velocidade

das as afirmações que fiz nas perguntas

em cursos, visitas técnicas, estágios, semi-

jamais vista. Por isso qualificar pessoas

anteriores, eu acredito que a educação

nários durante os períodos de recessos

é muito mais que prepará-las para a rea-

profissional só terá sucesso se um gran-

escolares. Existem muitos casos em que o

lização de uma tarefa (aprender a fazer).

de investimento na educação geral for

docente participa de cursos de atualização

É preciso prepará-las para as mudanças,

realizado. Paralelo a isto, somente a

durante o semestre letivo e, neste caso, o

para a inovação (aprender a aprender),

educação profissional com base em com-

docente é momentaneamente substituído

pois o que era novo há um ano, hoje pode

petências viabilizará uma aproximação

para que o desenvolvimento das aulas não

estar obsoleto. Outra característica im-

mais estreita entre formação e as neces-

seja prejudicado. O SENAI-SP tem tam-

portante que empresas esperam de seus

sidades do setor produtivo. Isto requer

bém um programa de concessão de bolsas

colaboradores é a capacidade de traba-

o uso de metodologias apropriadas e

de estudos para funcionários participarem

lhar em equipe, de agir proativamente,

uma definição de perfis profissionais de

de cursos de graduação e pós-graduação.

de se comprometer com valores da em-

conclusão coerente com as competên-

presa e de respeitar o meio em que vive

cias demandadas pelo mundo produtivo.

Exper - A premissa “falta de mão de obra especializada na região”, é verdadeira? Itamar Rodrigues - Penso que ficar reclamando única e exclusivamente da falta de mão de obra especializada não nos levará a nada. É necessário pensar na melhoria da educação plena do indivíduo, ou seja, na educação geral combinada com a educação profissional. “Todos vão à escola porque um dia pretendem ingressar no mercado de trabalho”. Contudo, o SENAI está à disposição dos seguimentos industriais para discutir estratégias para ações de curto prazo. Não adianta apenas ampliar a oferta de vagas e de cursos. A solução é a Escola participar da estratégia da empresa para se antecipar às restrições para que, em conjunto, conduzam 10 - Revista Exper


Revista Exper - 11


Capa

>>>>>>

Escola SENAI “Nami Jafet” 67 anos de história

A

Foto: Divulgação

Escola SENAI surgiu em Mogi das Cruzes através de um convênio com a Fundação religiosa “Ana de Moura”. Essa Fundação tinha como objetivo oferecer formação

profissional às crianças carentes da cidade. Como a Fundação não tinha condições de oferecer os cursos, seus diretores recorreram ao SENAI-SP, e propuseram uma parceria onde a Fundação disponibilizaria o prédio situado na Rua Senador Dantas, nº.326 e o SENAI proporcionaria a formação daquelas crianças. Assim, em 09 de maio de 1945, foram iniciados oficialmente os trabalhos com uma oficina de tornearia, uma de ajustagem e outra de carpintaria.

Foto: Divulgação

Escola Profissional Fundação Ana Moura, na Rua Senador Dantas, 326

Rua Otto Unger, antiga Rua Nova (do Cemitério). No alto a esquerda, o prédio do Serviço de Águas (hoje SEMAE) e a direita ao alto o Cemitério 12 - Revista Exper


A iniciativa do empresário Rober-

gunda Guerra Mundial, por meio de um

mento Regional do SENAI, instalado em

to Simonsen, possibilitou um ineditismo

consenso entre o governo federal e empre-

um estado da Federação, adequar e adaptar

que até hoje serve de modelo para outros

sários liderados por Roberto Simonsen, en-

seus objetivos em forma de ação às de-

países. Criado em 1942, pelo Decreto Lei

tão presidente da Federação das Indústrias

mandas das indústrias e às características

4048/42, com o propósito de promover o

do Estado de São Paulo - FIESP e Euvaldo

econômicas e culturais da sociedade local.

desenvolvimento econômico a partir da

Lodi, da Confederação Nacional da Indús-

Depois de sua criação, SENAI-

qualificação de novos profissionais, forma-

tria (CNI) com o propósito de promover o

SP vem adaptando, continuamente, os seus

ção continuada dos trabalhadores e apoio

desenvolvimento econômico por meio da

ambientes de ensino, seus métodos e suas

ao desenvolvimento de pesquisas tecnoló-

qualificação de novos profissionais.

práticas às transformações do contexto

gicas de interesse para a indústria e ativi-

O SENAI desde então é organiza-

econômico e social no qual ele intervém

do e administrado pela Confederação Na-

para realizar a sua missão. Sabe-se bem a

O Serviço Nacional de Aprendi-

cional e Federações Estaduais da Indústria

que ponto a evolução tecnológica, os mo-

zagem Industrial - SENAI se transformou

e recebe contribuições previstas em lei, o

dos de organização do trabalho, a natureza

num dos maiores orgulhos do meio em-

que lhe garante continuamente recursos

e o nível do emprego afetaram esse contex-

presarial brasileiro. Durante esses 70 anos

para sua ação e, ao mesmo tempo, a base

to no curso das últimas décadas.

de atividades, comemorado este ano, seu

institucional flexível para que, ao longo

Valendo-se de uma maleável es-

modelo serviu de exemplo aos países da

do tempo, responda adequadamente às de-

trutura legal, pôde o SENAI-SP dedicar-se

América Latina, que criaram escolas pro-

mandas da indústria, a cada nova etapa do

à concretização dos fins principais a que se

fissionalizantes sob a orientação de seus

desenvolvimento nacional.

ordena: ministrar cursos de aprendizagem

representantes.

Sobre essa base comum, há de se consi-

industrial a interessados na faixa de 14 a

derar, também, que cabe a cada Departa-

24 anos e ensino de continuação, aperfei-

dades assemelhadas.

Foto: Divulgação

O SENAI surgiu durante a Se-

Escola SENAI NAMI JAFET, na Rua Otto Unger com a Rua Candido Alvarenga, década de 60 Revista Exper - 13


Capa

>>>>>>

Fotos: Arquivo SENAI

profissional, a adaptação da sua oferta à evolução e à demanda do seu ambiente implica redefinir de maneira permanente as suas ações de educação profissional e seus objetivos, repensar os seus conteúdos, precisando os objetivos que eles concretizam, elaborar métodos e formas de organização que permitam ter em conta os requerimentos da indústria e as necessidades individuais das pessoas que devem ser formadas e, finalmente, ser capaz de pôr em prática esses programas, esses métodos e essas organizações. Reconhecido pela sociedade em Oficina Mecânica na década de 60

geral e pela indústria paulista em particular, o SENAI-SP oferece às empresas industriais e à comunidade serviços profissionais diversificados, posicionando-se como um provedor de soluções educacionais e tecnológicas em apoio às políticas que objetivam incrementar a competitividade da indústria brasileira. Neste sentido, o SENAI-SP envida inúmeros esforços desenvolvendo seus recursos humanos, atualizando seus equipamentos, buscando modernas tecnologias e novas técnicas de gestão e de marketing, estabelecendo convênios com instituições nacionais e internacionais, visando, em última análise, dar ao seu cliente o melhor. Para corresponder à demanda no campo da

Oficina Mecânica na década de 70

educação profissional, o SENAI-SP atua nas seguintes modalidades:

çoamento e especialização ao trabalhador

ceu necessária essa atuação, em face do

Cursos de Aprendizagem Industrial;

adulto, e cooperar no desenvolvimento

aperfeiçoamento de técnicas de produção.

Cursos Técnicos;

tecnológico da indústria brasileira.

Assim, atento às novas e urgentes

Curso Superior de Tecnologia;

Mesmo que assim estivesse vo-

demandas surgidas no contexto de cres-

Formação Inicial Continuada (Escola e

cacionado, o SENAI-SP não encontrou

cimento econômico e rápido desenvolvi-

Empresa/Entidade);

dificuldade para atuar em nível médio, mi-

mento industrial, o SENAI-SP, ao longo da

Educação de Jovens e Adultos – Novo Te-

nistrando o ensino técnico e, mais recen-

sua história, consolidou-se, expandiu-se e

lecurso, além de inúmeros Serviços Labo-

temente, o ensino superior de tecnologia,

diversificou-se.

ratoriais e Certificação de Produtos.

quando o empresariado industrial reconhe14 - Revista Exper

Para um organismo de formação

A Escola SENAI “Nami Jafet”


foi inicialmente denominada como Escola SENAI Zona C (Central), prefixo C-21 e iniciou suas atividades em 09 de maio de 1945, na Rua Senador Dantas, 326 - no centro da cidade, em prédio cedido pela fundação religiosa “Ana de Moura” que, segundo seus estatutos, era destinada à formação profissional de meninos e meninas pobres da cidade. Nessa época, a média de matrículas variava entre sessenta e setenta alunos e os cursos disponíveis eram Torneiro Me-

Entrada principal da Escola na década de 80

cânico, Ajustador Mecânico e Marceneiro, além de um Curso Vocacional destinado a jovens de 12 a 14 anos (até 1953) com o objetivo de auxiliá-los na escolha profissional, o qual foi incorporado mais tarde pelo sistema de ensino da rede oficial do Estado. A unidade permaneceu nesse local até 1962, quando suas instalações foram transferidas para o novo prédio, construído em terreno próprio cedido pela Prefeitura, localizado na Rua Otto Unger 390, em uma área de 8.544 m², sendo 4.423m² de área construída. Nela foram instaladas as oficinas, salas

Entrada principal da Escola na década de 90

de aula, além dos setores administrativos, enfermaria, biblioteca, pavilhão social, cantina, copa, quadra de esportes e outras dependências de apoio e manutenção. A Escola recebeu em 1964 sua atual denominação de Escola SENAI “Nami Jafet”, em homenagem ao empresário proprietário da Mineração Geral do Brasil Ltda., posteriormente Companhia Siderúrgica de Mogi das Cruzes S/A - COSIM, que contribuiu para a instalação da Escola SENAI, na região. A Escola SENAI “Nami Jafet” atende os municípios de Mogi das Cruzes, Salesópolis e Biritiba Mirim.

Entrada principal da Escola no final da década de 90 Revista Exper - 15


Capa

>>>>>>

Atualmente a Escola oferece o

A unidade vem, ano a ano, am-

chegando a mais de oito mil por ano e os

Curso de Aprendizagem Industrial nas

pliando e diversificando suas formas de

horários tiveram que ser otimizados para

qualificações de Mecânico de Usinagem,

atendimento às indústrias e à comunida-

atender toda a demanda (o expediente da

Ferramenteiro de Corte, Dobra e Repuxo,

de desenvolvendo, além de seus cursos

unidade é das 7h às 22h, de segundas-fei-

Ferramenteiro de Moldes para Plásticos e

regulares, outros programas de educação

ras a sábado).

Eletricista de Manutenção, além dos Cur-

profissional que possam satisfazer as ne-

Dentro dessa perspectiva, a Escola SENAI

sos Técnicos em Eletroeletrônica e em

cessidades diagnosticadas através das in-

“Nami Jafet” vem passando por constante

Processos de Fabricação Mecânica e inú-

formações fornecidas pelas empresas.

modernização resultante de crescentes in-

meros Cursos de Formação Inicial e Continuada.

Com esse foco, o número de ma-

vestimentos recebidos, sejam em máqui-

trículas nos últimos cinco anos dobrou,

nas e equipamentos, como em recursos de

Fotos: Arquivo SENAI

infraestrutura física e recursos humanos para atender às demandas da evolução do mercado. Foram recebidas Máquinas de Usinagem a CNC adicionais, com diferentes linguagens de programação, Máquinas de Eletro-erosão (a fio e por penetração), Máquina Injetora para Moldes Plásticos a CNC, Máquina de Controle Dimensional Programável e Tornos especiais (Tormax -30) mais apropriados para aprendizagem. Um laboratório de Instrumentação Industrial com equipamentos de última geração foi instalado para atender às demandas da região e outros laboratórios, em especial Solenidade de hasteamento da Bandeira na década de 70

de Hidráulica, Pneumática e Metrologia, foram modernizados. O sucesso da indústria nacional na formação de mão de obra tem em comum o fato de seus colaboradores serem capacitados para ensinar com competências. Isso faz com que o pioneirismo de seus fundadores continue presente. Com o Know-how desenvolvido nesses anos, o SENAI prepara as gerações para enfrentar os desafios de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Convênios internacionais estão permitindo que o SENAI receba e transfira tecnologias mais avançadas, dispondo assim de laboratórios de última geração.

Solenidade de hasteamento da Bandeira na década de 90 16 - Revista Exper

Mogi das Cruzes é um dos pólos


Oficina Mecânica na década de 70

Oficina Mecânica na década de 80

Oficina Mecânica na década de 90

Oficina Mecânica em 2012

Open House – Demonstração dos alunos na década de 70

Laboratório de Eletricidade na década de 90

Laboratório de Pneumática em 2012

Laboratório de Eletricidade em 2012 Revista Exper - 17


Capa

>>>>>>

mais importantes do Brasil no desenvolvimento de tecnologias, produção industrial e prestação de serviços. O setor produtivo passa por mudanças em seus processos os quais influenciam nos perfis profissionais demandados pelo mercado de trabalho. Cada vez mais técnicos que atuam na área mecânica encontram maior complexidade nos equipamentos utilizados. Com o Parque Industrial do Taboão, Mogi das Cruzes ingressa em uma nova fase de seu processo de desenvolvimento industrial e econômico. O distrito mogiano é o principal núcleo empresarial

Oficina Mecânica Máquina Ferramenta a CNC

da Grande São Paulo, atraindo com sua lo-

Outro aspecto importante obser-

SENAI ofertava o curso técnico em “Fa-

gística, empreendedores dispostos a inves-

vado foi que, na cidade de Mogi das Cru-

bricação Mecânica”. A crescente evolução

tir e gerar empregos no município.

zes e circunvizinhança, nenhuma escola

e o crescimento do mercado industrial ge-

18 - Revista Exper


Fotos: Arquivo SENAI

go serão abertas para os futuros alunos do Curso Técnico em Fabricação Mecânica. Mais uma vez a Escola SENAI “Nami Jafet”, se antecipa às necessidades do parque fabril na região, preparando mão de obra especializada. Esse novo profissional estará habilitado para participar do planejamento e controle dos processos de usinagem em equipes multifuncionais, programar, preparar e operar máquinas ferramentas a CNC, preparar e operar máquinas ferramentas convencionais, determinando as Fachada atual da Escola SENAI - Nami Jafet

condições de usinagem, aplicando técnicas de otimização durante os processos de

rou a necessidade de ampliação de profis-

busca de mão de obra qualificada em diver-

acordo com normas técnicas, ambientais,

sionais para atuarem nessa área.

sos níveis, face aos resultados de expansão

de qualidade, de saúde e segurança do tra-

do mercado. As oportunidades de empre-

balho.

Há uma preocupação do setor na

Revista Exper - 19


Recursos Humanos

>>>>>>

Apagão Profissional Antônio Carlos Palomares Profissional da Área de Recursos Humanos há mais de 30 anos, consultor, palestrante e ministra treinamentos no CIESP - Alto Tietê, ACMC e ACE Suzano.

E

stive presente na comemoração

Para quem acabava de sair de

zer, é que para a preservação de qualquer

do 30º Aniversário do SENAI -

uma escola com esse padrão, seria um

coisa, seja lá o que ou quem for precisa-

Suzano, escola onde há algum

contra senso lembrar a matéria. Seria se

remos, necessariamente, de profissionais

tempo, tive a honra e orgulho de paranin-

não fosse verdade, pois vivo diariamente

que também estão em plena “extinção”, e

far a 40ª Turma de Formandos do Curso

essa realidade.

o que é feito por isso? NADA!

de Aprendizagem Industrial (2003).

Como consultor vivo intensa-

Tenho um enorme carinho, res-

do e comentado, sempre que posso, no

mente o problema, constato a dificuldade

peito e admiração pelo SENAI e SESI.

“Apagão Profissional”, costumo fazer

para contratar profissionais qualificados,

Sou incansável divulgador dos trabalhos

uma comparação, na realidade, uma brin-

dificuldade para qualificar pessoas, por

realizados nessas instituições, elas nos

cadeira sobre o tema. Muito se fala na ex-

conta de uma série de motivo, certamente

dão a certeza de que é possível, nesse País,

tinção do mico leão dourado, macaco pre-

um deles, a formação inadequada. Como

apresentar aos nossos jovens, escolas de

go, arara azul, baleia branca, etc... É claro

palestrante e facilitador de treinamentos,

nível inconfundível, excelentes instala-

que esses animais têm a sua importância

verifico o despreparo, falta de interesse e

ções, equipamentos modernos, docentes

no eco sistema e obviamente, precisam

sintonia, distância entre o conhecimento e

de primeiríssima qualidade, profissionais

ser preservados. O paralelo que tento fa-

o tema pautado e, claro por diversos mo-

engajados e o mais importante, ensino de muita, muita qualidade, que busca não só a formação profissional, mas, principalmente a formação de cidadãos. Saindo da solenidade, lembreime de uma matéria que há pouquíssimos

Fotos: Arquivo SENAI

Há algum tempo tenho observa-

tivos, mas certamente um deles, formação inadequada. Cabe aí um questionamento, se temos a receita que dá certo, porque não usá-la? O Estado não se inspira nos modelos SENAI e SESI de ensino e nem tenta praticá-los.

dias havia lido intitulado “Apagão de

Diante de qualquer argumenta-

profissionais” – Uma crise silenciosa que

ção, um fato é óbvio e URGENTE, se a

se aproxima (Marcelo Herculano, 2012).

sociedade não cobrar das autoridades um

Nela, o autor, ressalta que por conta da

sistema eficiente de educação, ensino e

falta de uma clara política nacional à

formação, se nada fizerem contra a “ex-

educação corporativa, estão começando a

tinção do profissional”, em curtíssimo

faltar profissionais dos mais diversos seg-

prazo, assistiremos um APAGÃO PRO-

mentos no mercado de trabalho.

FISSIONAL.

20 - Revista Exper


QUALIDADE EM SERVIÇOS E VIAGENS CORPORATIVAS A Catamarã é uma Agência de Turismo que vai além do emitir bilhetes de passagens e reservar hotéis para seus clientes. Busca alternativas para que as empresas façam seus negócios de forma mais econômica e eficaz. Proporcionando aos seus clientes mais viagens com tarifas menores. Isso com a aplicação de uma política de roteiro bem elaborada, atrelada à cultura e à realidade da empresa, além de uma gestão dedicada em buscar negociações que promovam a satisfação e a qualidade do serviço prestado. ALGUNS SERVIÇOS Relatórios Gerenciais . Emissão Full Fare (Comparativo de Gastos) . Emissão por Centro de Custos, Projetos, Fornecedor, Destino e Relatórios por Solicitante

Documentação . Vistos . Passaportes . Carteira de Habilitação Internacional

Assistência / Atendimento . Assistência nos Aeroportos . Reservas On-line . Atendimento 24 horas

Eventos empresariais . Lançamentos de Produtos . Exposições, Convenções e Simpósios . Treinamentos e Reuniões diversas

Rua Santana, 238, centro, Mogi das Cruzes - São Paulo TEL.

55 (11)

4738 4478

www.catamaratur.com.br

Revista Exper - 21


Rodada de Negócios

>>>>>>

Rodada de Negócios do Alto Tietê

A

Fotos: Evandro Maia

primeira Rodada de Negócios do Alto Tietê, promovida pelo Centro das Indústrias do Estado

de São Paulo (Ciesp), contabilizou, numa única tarde, 1,3 mil reuniões entre 23 empresas âncoras e 110 fornecedoras, em negociações estimadas em R$ 2 milhões. “O número de inscritos nos surpreendeu. Pretendemos manter as rodadas anuais nas quatro regionais que compõem a Macrorregião-9 do Ciesp (Alto Tietê, Jacareí, Taubaté e São José), de forma que conseguiremos fortalecer o comércio entre empresas de nossa região com as demais do Vale do Paraíba”, salientou o diretor do Rissoni, acrescentou que a Rodada de Ne-

com mais relações comerciais realizadas

A grande vantagem da Rodada de

gócios deve se tornar um hábito, para que

dentro do próprio município. “Tem gen-

Negócios, segundo o diretor, é otimizar a

seja sempre estreitado o laço entre com-

te comprando de outros estados, mas se

logística entre fornecedores e comprado-

prador e vendedor. “Às vezes é difícil criar

comprarem de cidades vizinhas, este pro-

res. “Atendendo de perto, é possível ga-

este canal. As pessoas estão perto, mas não

cesso pode sair mais barato, rápido e efi-

rantir maior qualidade”, apontou.

mantêm relações comerciais”, afirmou.

ciente”, disse. O mesmo vale, na visão de

Ciesp Alto Tietê, Werner Stripecke.

O diretor de Indústria e Comércio

Segundo ele, as novas parce-

Rissoni, para os empresários fornecedo-

da Prefeitura de Mogi das Cruzes, Renato

rias fortalecem a economia mogiana,

res: “As pessoas ainda estão pensando em

22 - Revista Exper


tem 1,3 mil reuniões

atender a demanda de fora. Mas podem

tista Munhoz, encarregado de Compras

novos fornecedores pode trazer benefícios

enxergar o potencial de consumo daqui”,

da Nachi Brasil. Segundo ele, pelo menos

como a queda nos valores, produtos de

disse.

30% dos encontros têm condições de re-

maior qualidade ou até substituição de ma-

sultar em negócios. “Para nós - conhecer

teriais”, afirmou.

Para Cleiton Moraes Galindo, ge-

rente de compras da Valtra do Brasil, o encontro serviu para abrir oportunidades para os pequenos fornecedores. “As empresas menores às vezes não têm como fazer contato para fornecer para as maiores. Então essa é a chance de eles se divulgarem”, avaliou. O gerente de compras da Suzano Papel e Celulose, Jefferson Barbosa de Oliveira, também ressaltou a formação de novas parcerias. “Não conhecia 90% das empresas que recebi. Essa iniciativa foi boa para difundir o mercado local”, disse, ao ressaltar que a Suzano apresentou uma demanda diversificada de materiais e serviços, que ia desde itens para usinagem até serviço de limpeza e vigilância. “Saindo daqui, vamos avaliar as possibilidades de negócios. Acho que dá para fecharmos boas parcerias”, apontou.

O mesmo acredita Edivaldo BaRevista Exper - 23


Case de Sucesso

>>>>>>

30 ANOS SENAI SUZANO

A

Escola Senai “Luis Eulalio de Bueno Vidigal Filho”, de Suzano, completou ontem 30 anos de

atividades. No evento comemorativo, o diretor da escola, Silvério Gallo Fernandes Junior, comentou sobre a importância da data, os novos cursos e da possível instalação de uma faculdade de tecnologia. “Estamos analisando, para um futuro próximo, a instalação de uma faculdade de tecnologia em nossa unidade”, explicou. Umas das atrações das comemorações foram às visitas a todos os ambientes da escola. O objetivo era que os presentes conhecessem os investimentos realizados na instituição. Após a visitação, o diretor da unidade trouxe uma apresentação da evolução da escola nos últimos anos. A seguir o gerente de Marketing e Treinamento da indústria Mitutoyo, Ricardo Victor Bustamante González, ministrou uma palestra com o tema - “Por que algumas empresas chegam a excelência de forma sólida e duradoura e outras não?”.

24 - Revista Exper


Fotos: Divulgação

Revista Exper - 25


Ponto de Vista

>>>>>>

A rescisão por “Justa Causa” Dr. Epaminondas Nogueira Mogi das Cruzes - Av. Narciso Yague Guimarães, 664, Centro Cívico – Tel: (11) 4799-1510 São Paulo – Barra Funda

em que os donos ou patrões convivem com

Rua do Bosque, 1589 – Ed. Capitolium, Bl. II,

os empregados é necessário não se deixar

Conj. 1207 - Tel: (11) 3392-3229

levar pelas emoções. Já nas médias e grandes empresas os cuidados não devem ser menores. De qualquer forma deve se ter sempre em conta que não é admissível ad-

A

Constituição Federal de 18 de se-

vertir ou suspender ou despedir o trabalhasaúde e sem receber o seguro desemprego.

dor mais de uma vez pela mesma falta. A

tembro de 1946 no seu art. 145,

Os motivos passíveis de enseja-

parágrafo único já dizia: “o tra-

rem a rescisão estão enumerados no art. 482

balho é obrigação social” todos devem tra-

da CLT e são 12 (doze), não cabendo ao

Se após a aplicação da sanção

balhar e a vadiagem é contravenção penal,

empregador alegar, criar ou inventar mais

qualquer que seja à conclusão, o mais

capitulada no art. 59 da lei correspondente

nenhum outro porque a relação é exaustiva,

correto ou conveniente seria a demissão,

com a pena de prisão simples de 15 dias a

vale dizer restritiva e as restrições se inter-

obviamente, esta terá que ficar para outra

3 meses. Sendo a forma mais eficaz de se

pretam restritivamente.

oportunidade, eis que o poder disciplinar se

cada falta prática pelo empregado só pode corresponder uma sanção.

trabalhar até hoje conhecida, a organização

Deve o poder disciplinar do em-

empresarial a consolidação das leis do tra-

pregador, notadamente, o de demitir sem

balho ao atribuir ao empresário a direção

justa causa ser manejado com inteligência,

O Poder Judiciário pode conde-

da atividade econômica, necessariamente, o

justiça e sabedoria. O descaso patronal nes-

nar o empregador a indenizar o empregado

municiou com o poder disciplinar.

se manejo pode acarretar sérios prejuízos

quando entender que as sanções foram apli-

Tal poder de natureza institucional

patrimoniais a empresa como o pagamento

cadas de modo arbitrário e sem justificativa.

compreende a faculdade de repreender, ad-

da multa de 40% (quarenta por cento) sobre

Relevante notar que a sociedade como um

vertir, suspender ou demitir o empregado. A

o FGTS, reparações por danos morais, in-

todo tem real interesse em que o emprega-

repreensão e a advertência são sanções mo-

denizações pelo não recebimento de benefí-

do resista a ordens ilegais ou notoriamente

rais por não terem reflexos sobre os direitos

cios do INSS do seguro desemprego quan-

injustas, pois, o poder delegado ao patrão

patrimoniais ou contratuais do empregado

do obstativos do gozo desses direitos, pelos

é de natureza institucional, não meramente

já a suspensão de um até o máximo de 30

danos decorrentes da perda de convênios

contratual, e o objeto de tal delegação é a

dias, efetivamente, repercute sobre a situa-

de assistência médica, odontológica, finan-

instauração de uma ordem econômica pro-

ção econômica do trabalhador.

ciamentos sociais de casas, da interrupção

dutiva e da paz social.

exauriu na aplicação da pena que se veio, tardiamente, considerar insuficiente.

A sanção de maior peso ou gravi-

de cursos e treinamentos e até mesmo pela

Como os doutrinadores ensina-

dade, todavia, é a rescisão por justa causa

superveniência de doenças de natureza psí-

ram de Montesquieu a João Barbalho e ou-

do contrato de trabalho que deixa o empre-

quica como estresse, depressão, pânico, etc.

tros continuam: só o poder limita o poder.

gado, completamente, desamparado sem

Tudo isso além dos custos ditos in-

O direito de exercer o poder não dispensa

poder levantar seu fundo de garantia, sem

diretos que decorrem da substituição abrup-

ninguém do dever da sabedoria e este exer-

completar o tempo de serviço necessário ao

ta do empregado despedido.

cício para ser justo precisa ser, criteriosa-

gozo de benefícios e carências de planos de 26 - Revista Exper

Nas micro e pequenas empresas

mente, dosado.


EPI’s

>>>>>>

Equipamentos de Segurança Ligia Rhoden Empresária no setor de Equipamentos de Segurança do Trabalho. Sócia-diretora da empresa RS EPI - Equipamentos e Serviços. www.rsepi.com.br ou (11) 4799-2970

E

quipamentos de Proteção Individual ou EPI’s são quaisquer

Não basta simplesmente usar qualquer equipamento de proteção

primeiro momento e, havendo reincidências, sofrer punições mais severas como a

meios ou dispositivos destinados

Um equipamento ruim pode ser

a ser utilizados por uma pessoa contra

o mesmo que não usar equipamento al-

Para a Justiça do Trabalho o fato

possíveis riscos ameaçadores da sua saú-

gum. Por exemplo, se os capacetes dos

de comprovar que o empregado recebeu

de ou segurança durante o exercício de

trabalhadores não forem adequados para

o equipamento (por meio de ficha de en-

uma determinada atividade.

a atividade desempenhada, qualquer aci-

trega de EPI), por exemplo, não exime o

Houve um tempo em que era

dente que possa por a prova a qualidade

empregador do pagamento de uma even-

muito comum passarmos em frente a

do equipamento de segurança pode ensi-

tual indenização, pois a norma estabelece

construções civis e observarmos trabalha-

nar a famosa lição de que o barato pode

que o empregador deva garantir o seu uso,

dores em suas funções sem qualquer tipo

sair caro, e quem pagará o preço será a

o que se faz através de fiscalização e de

de proteção. Esse tempo não existe mais e

saúde do trabalhador.

medidas coercitivas, se for o caso.

demissão por justa causa.

não voltará. Hoje em dia os trabalhadores

Entretanto, é importante ressal-

Você sabia que 30% dos aciden-

e empregadores já possuem a cultura do

tar que não basta o fornecimento do EPI

tes de trabalho atingem mãos, dedos e

uso de equipamentos de proteção, e seus

ao empregado por parte do empregador,

punhos. Caso tenha dúvidas sobre quais

motivos são grandes.

pois é obrigação deste fiscalizar o empre-

equipamentos de proteção são adequados

gado de modo a garantir que o equipa-

para sua empresa e atividade, consulte-

mento esteja sendo utilizado.

nos. A RS Equipamentos de Segurança

Proteger a integridade física dos trabalhadores não previne acidentes, mas reduz ou até elimina os riscos à saúde

São muitos os casos de empre-

através de um atendimento personaliza-

dos trabalhadores. Utilizar equipamentos

gados que, com desculpas de que não se

do, oferece a você as melhores opções em

de proteção pode significar prevenção de

acostumam ou que o EPI o incomoda no

EPI’s.

graves lesões aos trabalhadores e muita

exercício da função, deixam de utilizá-lo

A RS oferece uma experiência de

dor de cabeça para os empregadores. Sem

e consequentemente, passam a sofrer as

compra diferenciada e conveniente, com

o uso de equipamentos de proteção ade-

consequências de um ambiente de traba-

segurança plena e um atendimento sem

quados o trabalhador pode obter ferimen-

lho insalubre.

igual. Temos como objetivo aproximar

tos graves que podem afastá-lo de suas

Nestes casos o empregador deve

o cliente aos nossos produtos, inovar no

funções, o que pode exigir a contratação

utilizar-se de seu poder diretivo e obrigar

universo de comércio e oferecer a melhor

de outro funcionário para manter a produ-

o empregado a utilizar o equipamento,

experiência possível em compras de equi-

tividade do setor.

sob pena de advertência e suspensão num

pamentos de proteção individual. Revista Exper - 27


Exper News

>>>>>>

ACMC e CIESP promovem sabatinas com candidatos a prefeito A Associação Comercial de

possam conhecer as propostas dos candi-

Marco Soares (PT) e Mário Berti Filho

Mogi das Cruzes (ACMC) e a Diretoria

datos e também questioná-los sobre even-

(PCB). Todos eles estão sendo convida-

Regional do Centro das Indústrias do Es-

tuais demandas. Os encontros serão aber-

dos pela ACMC e o CIESP para as saba-

tado de São Paulo (CIESP) vão promover

tos à imprensa.

tinas. Os candidatos deverão confirmar

uma rodada de sabatinas com os candida-

“Antes de escolher quem será

a participação até a próxima sexta-feira

tos a prefeito de Mogi das Cruzes. O ob-

o candidato para governar a Cidade nos

(27) para que, logo depois, seja agenda-

jetivo da parceria entre as duas entidades

próximos quatro anos, é fundamental que

do o sorteio que definirá o dia destinado

é possibilitar que os empresários saibam

tenhamos a oportunidade de saber quais

para que cada concorrente seja sabatina-

quais são as propostas dos prefeituráveis

são as propostas que cada concorrente tem

do.

para o desenvolvimento dos segmentos

a nos apresentar”, argumenta Tânia Fuku-

do comércio e da indústria na maior cida-

sen, presidente da ACMC.

de do Alto Tietê.

Para o diretor do CIESP Alto Tietê, Werner Stripecke, as sabatinas serão

A eleição municipal está marca-

fundamentais para que os representantes

As sabatinas estão previstas para

da para 7 de outubro e Mogi das Cruzes

do comércio e da indústria saibam o que

acontecer no período de 13 a 20 de agos-

tem seis candidatos na disputa pela Pre-

pensam e o que propõem os candidatos e,

to, no auditório da ACMC (Rua Barão de

feitura: Edgar Luís de Oliveira Passos

posteriormente, possam cobrar os compro-

Jaceguai, 674), sempre à noite, para possi-

(PSTU), Fernando Muniz (PPS), Jorge

missos daquele que for eleito para gover-

bilitar que os comerciantes e empresários

Paz (PSOL), Marco Bertaiolli (PSD),

nar a Cidade nos próximos quatro anos.

CIESP Alto Tietê promove encontro A Diretoria do CIESP Alto Tietê participou de um encontro com representantes de indústrias de Guararema, pro-

Controle remoto e computador nas mãos

movido pela Secretaria Municipal de In-

A televisão e a internet se tor-

dústria, Comércio, Turismo e Agricultura,

naram, de fato, mídias complementares.

com o objetivo de discutir ações para for-

Uma nova pesquisa do Ibope Nielsen

talecer o setor, que hoje conta com cerca

Online comprovou a veracidade de um

de 80 empresas, de micros a multinacio-

hábito possível de ser percebido por meio

nais de grande porte, e dar início a elabo-

de uma rápida olhada nas principais redes

ração de um Plano de Desenvolvimento.

cional é uma das prioridades de Guararema

sociais: as pessoas assistem TV enquanto

Uma das metas da cidade é a instalação

para vencer o déficit de mão de obra, não

navegam na internet e, em muitos casos,

de uma escola do SESI, o que vai requerer

só na indústria, mas também nos setores de

para comentar e compartilhar opiniões

um diagnóstico atualizado do parque in-

agricultura, comércio e turismo, que com-

sobre, justamente, aquilo que estão as-

dustrial. Guararema possui uma das locali-

põem a economia local. Enquanto aguarda

sistindo na telinha. De acordo com a pes-

zações mais estratégicas do Alto Tietê, em

uma escola do SESI, a cidade investe na

quisa, 43% das pessoas ouvidas garan-

função da conexão com importantes rodo-

escola profissionalizante criada em 2006 e

tem que assistem TV enquanto navegam

vias, e dispõe de uma capacidade de ex-

que deverá chegar ao final deste ano com a

ou fazem qualquer atividade na internet,

pansão de 3,5 milhões de metros quadra-

oferta de 57 cursos, muitos deles desenvol-

sendo que 59% admitem que fazem isso

dos em Zona de Uso Predominantemente

vidos em parceria com o SENAI.

diariamente. As atrações preferidas des-

Industrial (Zupi 1) na região do Lambari,

No encontro participaram dire-

ses chamados consumidores simultâneos

nas margens da Rodovia Presidente Dutra.

tores do SESI e do SENAI de Mogi das

são novelas, jogos e eventos esportivos,

Cruzes, Suzano e Jacareí.

filmes e noticiários.

O investimento no setor educa28 - Revista Exper


Net fica proibida de cobrar ponto extra A Vara Empresarial da Cidade do Rio de Janeiro determinou que a operadora

Impostômetro

ocasião em que a Anatel proibiu a cobrança pelas extensões dos serviços de TV.

O Impostômetro estará em um caminhão que percorrerá as principais

Net fica proibida de efetuar qualquer co-

Procurada, a Net informou, por

brança de mensalidade pelos pontos extras

meio de um comunicado, que ainda não

O caminhão chegará às 9 horas e

de TV instalados nas residências. A resolu-

foi notificada da sentença da ação proposta

percorrerá as principais avenidas da cida-

ção, na verdade, confirma o que a Anatel já

pelo Ministério Público. No mesmo tex-

de. Às 11 horas será estacionado no Largo

tinha decidido anteriormente. A operadora,

to, porém, a operadora já alega que, pelo

do Rosário, para que a população possa

porém, havia recorrido da decisão e man-

fato de a decisão da Vara Empresarial não

visitar o Feirão do Imposto em seu inte-

tinha uma cláusula contratual que previa a

ser definitiva, irá recorrer judicialmente.

rior. Neste feirão estarão expostos vários

cobrança dos pontos extras. A Justiça, ago-

Além disso, a Net garante já atender to-

produtos com a indicação dos impostos

ra, anulou tal cláusula e ainda determinou

das as condições das Resoluções 488/07

embutidos em seus preços. A partir das 14

que a programadora devolva aos seus assi-

e 528/09, “estando seu modelo de negócio

horas o caminhão voltará a circular pelas

nantes os valores pagos pela utilização dos

plenamente de acordo com as normas le-

ruas de Mogi das Cruzes e às 18 horas se-

pontos extras feitos desde março de 2010,

gais e regulamentares aplicáveis”.

guirá para Santos.

ruas de Mogi das Cruzes.

Nielsen avalia uso de tablet e smartphone 36% dos consumidores com acesso à in-

O interessante é que as pessoas

que no mundo multitela em que vivemos

ternet disseram ter smartphone, o que re-

ainda são conservadoras para efetuar paga-

haverá espaço especial para celulares in-

presenta aumento de 15 pontos percentuais

mentos via celular. A América Latina, com

teligentes e tablets. Na avaliação global,

sobre 2010. Na América Latina, 26% já

17%, teve o maior índice dos que disseram

possuem esse tipo de aparelho e 12% dis-

que “definitivamente usaria” o smartphone

seram que “definitivamente comprarei nos

para efetuar pagamentos em lojas e restau-

próximos 12 meses”, número que também

rantes, considerando as outras regiões do

se repetiu no Brasil.

mundo avaliadas – A média global é de

Fotos: Divulgação

Novo estudo da Nielsen confirma

Já quanto aos tablets, 5% dos

11%; Ásia-Pacífico, 12%; Europa, 8%;

latino-americanos possuem o equipamen-

Oriente Médio/África, 15%; e América do

to, 12% “definitivamente” comprarão nos

Norte, 8%. Com 14%, ao lado dos perua-

próximos 12 meses e 10% “provavelmen-

nos, os brasileiros são os que menos res-

te” comprarão. No Brasil, 6% já têm ta-

ponderam “definitivamente usaria” o apa-

blet, 11% “definitivamente” comprarão e

relho para esse fim; 33% responderam que

15% “provavelmente”, comprarão.

“provavelmente usaria”.

Motos: Venda e produção caem no 1° semestre A Associação Brasileira dos Fa-

primeiros seis meses deste ano, também

bricantes de Motocicletas, Ciclomotores,

registrou queda, de 10,3%, em compara-

Motonetas, Bicicletas e Similares (Abra-

ção ao primeiro semestre de 2011, quando

ciclo) divulgou que no primeiro semestre

1,079 milhão foram fabricados. Em junho,

deste ano a venda do setor de motocicle-

o número de motocicletas vendidas chegou

tas no mercado interno caiu 13,2%. Entre

a 138.835 unidades, um recuo de 8,2% em

janeiro e junho de 2012, foram vendidas

relação a maio.

897.252 unidades. No mesmo período do

Os dados mostram que houve

ano passado, o número de unidades comer-

uma queda de 17,9% na produção de mo-

cializadas chegou a 1,033 milhão. A pro-

tocicletas do mês de maio, quando foram

dução, que totalizou 967.901 unidades nos

produzidas 140.920 motocicletas. Revista Exper - 29


De bem com a vida

>>>>>>

A felicidade de Sócrates João Capozzoli Empresário no setor educacional, diretor do Instituto Capozzoli de Cultura e Educação, com sede em Suzano e pólo em Arujá. Formação médica, neurocientífica, psicanalítica e filosófica. Palestrante e educador, ministra cursos sobre conhecimento cerebral e programação cognitiva. Autor do livro “As Três Faces de Eva”

D

entre as muitas histórias que

sa felicidade só a nós compete escolher,

vivenciar. Deixe-se transformar por cada

compõem a história da filoso-

compete empregar – só nós, determinan-

encontro. Cresça sempre mais para dentro

fia, existe aquela que nos fala

do os constituintes básicos e fundamen-

de sua própria e única forma, através de

sobre a propalada felicidade de Sócrates.

tais da construção deste nosso bem maior,

cada ser humano que cruza o seu cami-

Segundo a lenda, ou realidade, nunca seus

e só assim poderemos bem identificar a

nho, mas, prossiga em meio a isso tudo, o

companheiros teriam visto, ou percebido,

felicidade, bem usufruí-la, bem nos satis-

seu próprio caminho. Divise a sua própria

o filósofo triste em qualquer momento

fazermos e bem nos locupletarmos dela...

estrela. Seja atento. Desenvolva uma boa

de convivência com ele. Mesmo diante

Assim, não há que comparar-se

sensibilidade em relação à própria iden-

a morte, condenado a tomar cicuta por

à felicidade do outro, ou cobrar-se da de-

tidade – seja atento àquilo que, de forma

mal formar a juventude ateniense, soube

sigualdade distributiva de risos entre nós

bem pessoal.

portar-se não somente com extrema digni-

e nossos semelhantes. Não há que se pro-

Você é único e singular. Delimi-

dade, mas até mesmo risonho na vivência

curar a felicidade senão em torno e, mais

te-se muito bem, antes que perca a si mes-

de seus últimos instantes de vida.

ainda, dentro de nós mesmos; acredite

mo. Defina um limite quando sua energia

Qual o segredo de Sócrates?

que ela está lá, pronta para ser encontra-

flui. Pare quando seus contornos ameaça-

Como atingir tão desejável felicidade?

da, trazida à realidade de nossos momen-

rem desaparecer – Sinta para dentro de

Como fazia o filósofo para manter-se

tos, de nossos dias... Ela está pronta para

você. Perceba aquilo que não é adequa-

diariamente feliz, quer chovesse ou fizes-

ser vivenciada por todos que forem a seu

do. Você irá reconhecê-lo quando estiver

se sol, quer fosse digno de júbilos ou de

encontro e souberem reconhecê-la como

em uníssono com você mesmo. Quando

aborrecidas contendas com o governo ate-

um direito vivencial só seu.

sentir uma paz profunda. Você o sentirá

niense?

Apossemo-nos dos sábios en-

quando a vida fluir em você. É difícil?

A resposta é mais simples e pal-

sinamentos de Anselm Grün, o grande

Nem um pouco... Faça de seus grandes,

pável do que pode parecer: Sócrates era

pensador católico: “Seja aberto a tudo em

pequenos e singulares momentos relicá-

feliz à maneira de Sócrates, ao modo de

sua vida, mas siga a sua própria estrela.

rios de felicidade; reconheça e agradeça

Sócrates, do jeito de Sócrates...

Deixe-se estimular por tudo o que vem

sempre a presença dela seja na singulari-

A felicidade não é algo impesso-

ao seu encontro. Penetre no mistério do

dade do abanar da cauda de um cão ou no

al como muitos pensam... Ao contrário,

viver. Procure com todos os seus senti-

júbilo de conquistas maiores. Mas, acima

nada é mais pessoal do que ser feliz. A re-

dos. Procure perscrutar os altos e baixos

de tudo, lembre-se sempre que o segredo

ceita, os alicerces, o material empregado

da vida. Sobretudo, seja aberto para mui-

da felicidade de Sócrates é que só a Só-

para a construção personalíssima de nos-

tos encontros, que diariamente você pode

crates ela pertencia.

30 - Revista Exper


Revista Exper - 31


REVISTA EXPER  
REVISTA EXPER  

Edição Número 19

Advertisement