Page 1

Revista Expans達o

Setembro/2011

1


Rua Joaquim Pedro Soares, 560/1001 // Novo Hamburgo/RS Fone/Fax 51 3066.7988 // www.mosmann.com.br

2

Revista Expansão

Setembro/2011

Av. Dr. Maurício Cardoso, 1776 // Novo Hamburgo/RS Fone/Fax 51 3066.7989 // www.mosmann.com.br


Singular como seus sonhos

Revista Expans達o

Setembro/2011

3


OBRAS AVANÇADAS – NOVO HAMBURGO

Pensando na sua independência, a Rossi desenvolveu um projeto para você conquistar algo grandioso: o seu espaço.

2 e 3 dorms. COM SUÍTE

Brinquedoteca • Quadra esportiva • Lan house Sala de cinema • Salão de festas • Espaço gourmet Muro de escalada • Sala de jogos • Playground Spa • Churrasqueira com pergolado

Fale com nossos corretores on-line: www.rossiresidencial.com.br. Acesse mais informações via celular: www.rossiresidencial.com.br/mobile.

4

VISITE O DECORADO NO LOCAL. Rua São Jerônimo, 100 – Mauá – Novo Hamburgo Horário: das 9h às 19h.

Imagens ilustrativas. Weekend r.1/93.753. Arquiteto: Sergio Koren, Crea RS 078146. Paisagista: Guilherme Takeda, Crea RS 53799.

Revista Expansão

Setembro/2011


Piscinas

Quadra esportiva

Cinema

Realização:

3273-9973 rossiweekend.com.br Ivete Sangalo

Revista Expansão

Setembro/2011

5


6

Revista Expans達o

Setembro/2011


Revista Expans達o

Setembro/2011

7


ÍNDICE

16 Entrevista

NA CAPA

Hugo Pinto Ribeiro fala sobre o mercado automotivo no Brasil

46 Cinema

26 Nossa Capa Comlines Tramontina, criatividade e sucesso escritos por pai e filho

Fernanda Montenegro recebe homenagem no Festival de Gramado

78 Confraria Expansão Quarta edição contou com um prato inédito feito por Zapelão e Fedrizzi

30 Sustentabilidade O futuro do planeta e da humanidade em pauta

80 Gastronomia O requinte milenar da alta culinária peruana

92 Esporte

52 Reportagem Especial Epilepsia não é bicho de sete cabeças

Atleta da Feevale é um dos dez melhores no ranking brasileiro de decatlo

96 Perfil Maria Elena Johannpeter é o exemplo máximo de voluntariado organizado

60 Educação Está aberta a discussão sobre o fim da repetência nas escolas

98 Inovação Cirurgiões-dentistas do Estado divulgam técnicas pioneiras odontológicas

100

Sem Fronteiras

SEÇÕES

Relatos de Nova Iorque pelo olhar de uma jornalista hamburguense

106 Rodamundo O encanto da vida constante na estrada a bordo de motorhomes e trailers

122 Empreendedor Emecelle, malharia hamburguense que conquistou o mundo

10 12 14 24 38 40 42 70 76 84 86 88 104 116 118 122 124 130 132 136 138 140 162

Carta ao Leitor Cartas Frases De Brasília - Edgar Lisboa No Provador - Silvana Homrich Sapatos & Cia Estilo & Atitude - Maggda Rammé Mombach Zita Pereira Flash Casa & Estilo - Jaqueline Fischer Zapelini Multimídia Lado B da Publicidade Golfe Classic - Luis Carlos Baumgarten Crônica - Osvino Toillier Comportamento - Cris Manfro Pensando Bem - César A. C. da Silva Vida Segura - Adriano Fleck Cada Vez Melhor - Daniel Müller Assuntos Notariais - José Flávio Bueno Fischer Departamento Jurídico - Adalberto Alexandre Snel Sobre Nós e Outras Coisas - César A. Pessin Ponto de Vista - Paulo Nascimento Em Cena - Vitória Fischer Schilling

142 144 148 150 151 152 153 155 156 157 158

Cidades Porto Alegre - Edith Auler e Letícia de Souza São Leopoldo - Letícia de Oliveira Estância Velha - Marcos Antonio Kroeff Encosta da Serra - Sandra Hess Campo Bom - Juraci Reichert Sapiranga - Aline Schneiders Paranhana - Lidiani Lehnen Nova Petrópolis - Fabiane Sehnem Vale do Caí - Édio Otto Trein Santa Cruz do Sul - Ana C. dos Santos e Sandro Viana

CIDADES

8

Revista Expansão

Setembro/2011


Revista Expans達o

Setembro/2011

9


carta AO LEITOR

Sustentabilidade

A

sustentabilidade aborda muitos conceitos. Na nossa seção Sustentabilidade trazemos vários deles para que você, leitor, possa se situar sobre a reflexão que se gera em torno deste tema que abrange toda a sociedade nesta discussão sobre o futuro do planeta e da humanidade. A Revista Expansão se insere neste mundo com a série especial de seis reportagens focadas na sustentabilidade, e que publicará, cada uma delas, a partir desta edição, até fevereiro de 2012. A “nossa parte” estaremos fazendo no nosso dia-a-dia, com o cuidado com a água, com os materiais usados no nosso trabalho, como papéis e canetas, além de estimular você a refletir sobre o assunto, trazendo, em cada página da série, uma palavra destacada, voltada para a prática do sustentável. E o conceito deste sustentável está em voga, está na moda. Muitos empresários, entidades de classe, e a sociedade, já realizam ações. E falando em empresários, a Nossa Capa publica a história do empreendedor Valcir Klein e de seu filho Diovano, com o sucesso que hoje é a Comlines Tramontina. Uma loja showroom, em Novo Hamburgo (RS), que traz mais de 17 mil itens para diversos ambientes familiares e corporativos. E o simples fato de saber gerenciar uma loja e obter dela o sucesso de uma gestão lincamos à matéria Educação, onde a habilidade de como educar nossos filhos faz a diferença

no sucesso de sua vida. A série Educação aborda nesta edição o terror da repetência e a novidade da resolução 7, do Conselho Nacional de Educação, que vai permitir que o aluno reprovado das séries iniciais não sofra o atraso no Ensino Fundamental e tenha uma atenção especial pela escola. A Reportagem Especial mostra os privilegiados que conseguiram a “bendita” cirurgia para a cura da epilepsia e a polêmica em torno dos “escassos” subsídios destinados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) aos procedimentos cirúrgicos. E a nossa Entrevista trata do segmento automobilístico, onde o anúncio do governo federal sobre a redução de IPI não vai ser a curto prazo, nem para o ano que vem. Apresenta também os demais entraves que a “falta de apoio” da União está provocando no setor, que afirma “não ter mais condições de segurar a inflação”. Todas as reportagens antecipadas nesta carta ao leitor mostram exemplos de se tornar uma sociedade talvez economicamente viável, talvez ecologicamente correta e, infelizmente, ainda não “socialmente justa”. Os três princípios básicos da sustentabilidade, grifados, estão aí para você decidir que futuro você quer para a sua vida! Boa leitura

Secretária de Redação

Fotos: Divulgação

NOSSA CAPA

Capa: Valcir e Diovano Klein (Comlines Tramontina) | Foto: Fábio Winter (51) 3594-1400 - www.fabiowinter. com.br | Direção de Fotografia: Marcelo Foletto Revista Expansão | Direção de Arte: Alexandre Bitello - Revista Expansão | Make up: Vida Beauty Estúdio de Beleza - (51) 3239-1403 - wwww.vidabeauty.com.br | Tratamento de imagem: Fábio Winter

10

Revista Expansão

Setembro/2011


Revista Expans達o

Setembro/2011

11


cartas Cumprimentos justos e merecidos à Expansão Ana Pacheco: estou vivamente entusiasmado com a revista que vocês estão fazendo. Tudo aquilo que a princípio parecia ser mais uma experiência de jornalismo de “brilho”, ou seja, voltado mais aos “novos ricos do Vale” e suas vaidades, transformou-se num veículo respeitável e quase único no mercado editorial do Rio Grande do Sul. Mesmo as matérias, com fundo promocional, nos trazem informações preciosas e servem de pauta aos veículos diários, como exemplo o rádio. Costumo usar e citar pautas obtidas a partir da Expansão. Fico ainda mais feliz e gratificado por ver que aquele sonho inicial do Sérgio, que é quem conheço de outros “carnavais”, tornou-se realidade. Parabéns pela luta diária de matar um leão e a cada edição um tigre. Sei que o mercado editorial é desumano para os novos, mas vocês estão consolidados e vejo nos anúncios a credibilidade conquistada. Gostaria de não ser prolixo, mas sou sincero. Obrigado pelo envio da revista, gosto muito e valorizo. Um abraço, muito sucesso a toda equipe. E que seja os anos vindouros de expansão verdadeira. Com afeto especial ao Sérgio Jost. João Garcia Jornalista, radialista e apresentador da TV Bandeirantes Porto Alegre

Nado sincronizado

Indicação Querida Aline. Parabéns pela qualidade da Revista Expansão que você ajuda a construir com seu precioso trabalho. Sou muito grata pela sua indicação, pela precisão das palavras de Vera Fernandes e pelo destaque ao meu trabalho, em seu texto veiculado na edição de julho/2011. Quando precisar, conte sempre conosco. Um grande abraço à equipe da Revista Expansão, que a cada edição está melhor. Marilda Romero Consultora em Feng Shui e geobiologia Novo Hamburgo

Fotos: Divulgação

Fiquei muito feliz em saber que a equipe de nado sincronizado do Colégio Santa Catarina tenha feito parte da última edição da revista, pois o trabalho realizado é muito bom e merece ser reconhecido. O que lamento é que faltou o nome de uma das meninas na foto. Sílvia Koller Novo Hamburgo

Profissionalismo Agradeço, lisonjeado, à jornalista Vera Fernandes e à Revista Expansão, pela matéria sobre minha pessoa, que causou grande repercussão entre meus amigos e profissionais que atuam na Justiça do Trabalho.  A jornalista conseguiu, com talento, mostrar um pouco da minha história entre o rádio e a justiça. Parabéns a todos os profissionais da Expansão, pelo sucesso que cada vez mais se expande. Gerson Antonio Pavinato Juiz do Trabalho da 4ª Vara Estância Velha

Nota da redação Infelizmente, não foi publicado o nome da aluna Júlia Fernanda Koller, 13 anos, que está na foto da matéria intitulada Beleza, força e disciplina, da página 90, da edição 141, e treina com a equipe, mas não competiu em Curitiba.

Errata Diferente do publicado na legenda da foto da matéria, intitulada Heitor Müller quer economia de resultados, na página 105, da edição 141, quem está na tribuna é o ex-presidente da Fiergs, Paulo Tigre, que transmitiu o cargo a Heitor Müller. Ao lado, a foto dos empresários Müller e Tigre.

EXPEDIENTE Execução Editorial

Rua Quintino Bocaiuva, 99 - Centro Novo Hamburgo - RS - CEP 93510-270 Fones: (51) 3065-6380, 3036-6380 ou 3036-6381 revistaexpansao@revistaexpansao.com.br www.revistaexpansao.com.br

Diretora Geral Ana Maribel Pacheco ana@revistaexpansao.com.br Diretor Comercial Sérgio Luiz Jost sergio@revistaexpansao.com.br Gerente de Projetos Especiais Marcelo Foletto marcelo@revistaexpansao.com.br Gerente de Circulação Jucelene da Silva jucelene@revistaexpansao.com.br Conselho Consultivo Ana Maribel Pacheco, Marcelo Foletto, Sérgio Luiz Jost e Zita Pereira

12

Coordenadora de Redação Aline de Melo Pires - MTb 15.462 aline@revistaexpansao.com.br

Porto Alegre Representante: Starter Vitrine de Mídia, Avenida Cristóvão Colombo, 2834/602, bairro Higienópolis. Telefone (51) 3072-2801

Secretária de Redação Graziela Dannenhauer - MTb 12.338 graziela@revistaexpansao.com.br

Sucursal: Edith Auler e Letícia Souza leed@leedcomunicacao.com.br Telefone (51) 3028-8590

Vera Fernandes - MTb 10.394 vera@revistaexpansao.com.br

Circulação circulacao@revistaexpansao.com.br

Editor de Arte Alexandre Bitello alexandre@revistaexpansao.com.br

Comercial comercial@revistaexpansao.com.br

Redação redacao@revistaexpansao.com.br

Assinaturas assinaturas@revistaexpansao.com.br

Vendas vendas@revistaexpansao.com.br Impressão Gráfica e Editora Pallotti Cidades de Circulação Grande Porto Alegre, Vale do Sinos, Vale do Paranhana, Região das Hortênsias, Vale do Caí e Vale do Rio Pardo

Auxiliares Administrativos Ana Cristina Pires cristina@revistaexpansao.com.br e Diogo Rodrigo de Oliveira

Colaboradores - Adalberto Alexandre Snel, Adriano Fleck, Aline Schneiders, Ana Cristina dos Santos, César A. Pessin, César Silva, Cris Manfro, Daniel Müller, Édio Trein, Edith Auler, Edgar Lisboa, Fabiane Sehnem, Flávio Fischer, Jaqueline Zapelini, Juraci Reichert, Letícia de Oliveira, Letícia Souza, Lidiani Lehnen, Luis Carlos Baumgarten, Maggda Mombach, Marcos Kroeff, Osvino Toillier, Sandra Hess, Sandro Viana, Silvana Homrich e Zita Pereira

Atendimento ao Cliente Karina da Silva atendimento@revistaexpansao.com.br

Os artigos assinados não representam, necessariamente, o pensamento da revista. Não é permitida a reprodução parcial ou total dos artigos publicados na revista sem prévia autorização do editor.

Revista Expansão

Setembro/2011

Encontre a Expansão nas bancas de Bom Princípio, Campo Bom, Canela, Dois Irmãos, Estância Velha, Feliz, Gramado, Ivoti, Montenegro, Morro Reuter, Nova Petrópolis, Novo Hamburgo, Picada Café, Portão, Porto Alegre, Santa Cruz do Sul, São Leopoldo, São Sebastião do Caí, Sapiranga e Taquara


Revista Expans達o

Setembro/2011

13


Frases

Eu não sou golpista José Luiz Datena, no site Uol, após ler que Edir Macedo estaria investigando se a saída do jornalista da Record foi um golpe

O sexo agora é infinitamente melhor Erasmo Carlos, em entrevista à Revista Contigo!, para a qual falou sobre sua vida sexual

Estou pronto para a luta Fotos: Divulgação

Reinaldo Gianecchini, em declaração oficial pela Rede Globo, no site da emissora, sobre sua doença, linfoma, detectada em agosto

Se eu disser que já li dez livros é muito Carlos Alberto de Nóbrega durante o programa De Frente com Gabi, apresentado por Marília Gabriela, em junho

14

Revista Expansão

Setembro/2011


Revista Expans達o

Setembro/2011

15


ENTREVISTA

Os números não tão bons de

Hugo

Pinto Ribeiro

Por Graziela Dannenhauer | Foto: Graziela Dannenhauer/Especial

O presidente do Sindicato Intermunicipal dos Concessionários e Revendedores de Veículos e da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores do Rio Grande do Sul (Sincodiv/Fenabrave), Hugo Pinto Ribeiro, anunciou que as revendedoras coreanas e chinesas estão absorvendo as vendas do mercado automobilístico brasileiro e que o setor não vai mais “segurar” a inflação do País se a União não tomar medidas que estimulem o crescimento das vendas, impedindo que haja redução de mão-de-obra e fechamento de unidades de produção.

O

anúncio foi feito em coletiva de imprensa, no mês passado, na sede da entidade, em Porto Alegre e, na ocasião, os vice-presidentes Fernando Sbroglio e Luis Carlos Paraguassú também fortaleceram as afirmações feitas por Ribeiro, reiterando a situação da comercialização de motocicletas e caminhões apresentados em balanços do primeiro semestre deste ano, assim como a análise para os veículos leves. Na ocasião, os índices de vendas no Brasil e no Rio Grande do Sul foram divulgados e analisados pelos dirigentes. Além disso, Ribeiro também se manifestou sobre o Programa de Redução de IPI, anunciado no mês passado pelo governo federal, mas que ainda falta ser regulamentado e ter alguns itens importantes definidos, principalmente, a taxa de redução de IPI que vai ser oferecida e quais os subsídios que serão exigidos nos próximos dois meses. “O programa é espetacular porque vai valorizar as empresas brasileiras que utilizam as peças nacionais na fabricação. Estimamos que deva ser solicitado um índice de 60% do produto de origem brasileira para que a

16

Revista Expansão

Setembro/2011

montadora ou revendedora se beneficie da redução de IPI e possa assim alavancar suas vendas”, explica Ribeiro. Dessa maneira, o mercado automobilístico terá um aquecimento proporcional às vendas dos veículos. Entretanto, Ribeiro destaca que o resultado do programa é em longo prazo e que o setor necessita de medidas imediatas. “As lojas estão vazias neste mês de agosto”, afirma o presidente. Além disso, o consumidor não está comprando porque espera a redução de IPI por parte do governo. “Isso não vai acontecer. Quem está esperando, vai esperar por muito tempo”, frisa Ribeiro. O consumidor também deixou de comprar, segundo o presidente, por causa dos aumentos na taxa Selic, de 9,75 para 12,30 e por causa das taxas de juros dos bancos que tiveram aumento em seus compulsórios, prejudicando os financiamentos automobilísticos, desde dezembro de 2010, porque se elevou os valores totais dos parcelamentos. “Desta maneira, não teremos como nos permitir viver no prejuízo e teremos que começar a praticar aquele exercício da redução”, alerta Ribeiro. Sobre o mercado automobilístico, o Programa de Redução de IPI e o balanço comercial, Ribeiro concedeu a seguinte entrevista:


HUGO PINTO RIBEIRO

Revista Expans達o

Setembro/2011

17


ENTREVISTA (...) não estamos aqui para criticar isso daí, estamos aqui para constatar e divulgar. O que nós queremos dizer, resumindo, é que esses números não refletiram para 90% das revendas do Brasil, não estão com um ano melhor que no ano passado, embora os números gerais apareçam.

Qual a repercussão para o setor sobre o que foi anunciado pelo governo federal a respeito da redução de IPI ? O que foi oferecido em julho não tem nada a ver com a redução de IPI de 2008. Nas revendas, clientes chegam dizendo que vão esperar a redução de IPI. E vão esperar muito tempo e não vai acontecer nada. O governo está fazendo um plano industrial de médio prazo para todos os segmentos, não apenas para veículos automotores, que oferece uma redução de IPI a longo prazo. A contrapartida será em duas áreas – uma é tecnológica, em que as fábricas terão que apresentar planos de avanços tecnológicos, nas áreas ambiental, de segurança e várias outras; e a segunda é o maior índice de nacionalização dos produtos. Ao que me consta, os veículos importados não sofrerão essa redução. E os veículos brasileiros que não tiverem um índice de nacionalização elevado também não sofrerão. As empresas terão que apresentar, aos poucos, os planos de nacionalização até 2016. A redução não vai ser transferida para o mercado. É uma medida excepcional, um plano espetacular. Temos um parque com condições de fazer, daqui, 5, 6 anos, 5 milhões de automóveis. Fazemos 3. Talvez o mercado brasileiro não absorva isso, mas temos capacidade de exportação. Qual o entrave atual com a exportação? Um dos entraves para a exportação do veículo brasileiro é exatamente o imposto interno. Caso o governo acene esta possibilidade teremos uma indústria automobilística brasileira muito melhor em qualidade e quantidade. Isso vai refletir tranquilamente na vida e no bolso do consumidor. Porque em 3, 4 anos, se as montadoras aproveitarem isso, vão produzir 50% a mais. E com economia de escala, daí, talvez, o carro possa ficar mais barato. Mas isso é um projeto a longo prazo. No passado já tivemos situações de proteção à industria, mediante a contenção das importações. Isso não deve acontecer de novo. Essa medida visa a incentivar a indústria nacional para que ela tenha melhores condições de concorrência com o veículo importado. Olharmos para a China com bons olhos, do ponto de vista concorrencial, é o estímulo nacional com as reduções que o governo agora dá. Os mais antigos lembram que no Brasil, na década de 60, havia um programa chamado Geipot, que se instalou para estimular a implantação de indústrias aqui. De lá até cá, do ponto de vista do estímulo, este é o primeiro grande programa. O senhor, como concessionária (Ribeiro é proprietário da Guaíba Car/Wolkswagen), sentiu alguma retração do mercado com o vazamento desta informação? Sentimos alguns clientes assim, que estavam em processo de negociação, coisas pontuais, como: “eu vi que vai ter uma redução de IPI”, e o vendedor naquele momento não estava treinado para isso. Pelo menos na minha empresa, divulgamos para todos os vendedores terem argumento, e sentimos alguns clientes protelarem as suas compras em função disso, mas foram convencidos. Essa redução está sendo uma resposta do governo federal à invasão de empresas chinesas e coreanas no mercado brasileiro? Já ouvi isso, mas é uma leitura simplificada da coisa. É evidente

18

Revista Expansão

Setembro/2011

HUGO PINTO RIBEIRO

que o mundo inteiro está preocupado com a invasão, não do automóvel chinês, mas dos produtos chineses, e que todas as empresas e os governos estão preocupados, mas não cabe a nós, como revendedores, criticar. O senhor acha que o governo errou ao fazer o anúncio e não disponibilizar a redução imediatamente ao consumidor? Neste sentido, sim. Sabemos perfeitamente que quando se anuncia a redução do preço do carro, ela tem que ser feita no dia seguinte. Se for feito o anúncio em dez dias, são dez dias que o mercado paralisa. E este esforço que fazemos aqui é exatamente para isso, para conscientizarmos o mercado de que não vai haver redução nenhuma. Qual a avaliação que o senhor faz do crescimento de emplacamentos registrado no primeiro semestre deste ano (de janeiro a julho de 2011 em relação ao mesmo período acumulado de 2010) para os veículos leves? A variação do acumulado de janeiro a julho de 2011 tem 1.926.020 veículos vendidos neste ano contra os 1.780.924, do ano passado. Um crescimento de 8,15%. É um crescimento muito significativo, muito bom. E o Rio Grande do Sul emplacou 116.688 veículos leves contra os 104.472 de 2010. Um crescimento de 11,69%. Esse número é superior a 8,15%. O que significa que o Rio Grande do Sul voltou a crescer mais que a média brasileira. Isso é muito bom para a economia gaúcha. Então, as notícias são boas se a gente olhar sob o número final. Agora, vou permitir em demonstrar uma certa preocupação. Não basta a gente ler esses números, o Brasil está crescendo 8 e o Rio Grande do Sul 11. Esse crescimento não é uniforme. O que está acontecendo? Temos basicamente no mercado de automóvel dois mercados. Um é o de pessoal, o de pessoa física que chamamos de PF e o outro de pessoa jurídica, o PJ. O PF é o nosso, que temos nosso salário, nosso negócio, compramos automóvel e o financiamos no banco. E o PJ é aquele que compra um automóvel utilitário para transportar pães, o outro que tem uma locadora de veículos em expansão e compra carros, o outro tem uma fábrica e distribui no mercado com carros leves os seus produtos, que é o mercado de pessoa jurídica. E os vetores de direcionamento do mercado de PF e o do PJ são completamente diferentes. A PF se mobiliza a comprar um automóvel em função do preço, da taxa de juros e dos financiamentos bancários. É evidente de sua vida pessoal, do seu emprego e salário. O que os motivam são o preço e as condições de financiamento. Já a PJ, o principal vetor, não é o preço nem as condições de financiamento, é a necessidade de uso dele, é ter trabalho para o veículo, é a locadora ter para quem locar, é a indústria ter mercadoria para transportar de um lugar para o outro para comprar um carro e isso reflete também no mercado de caminhões. Então são vetores completamente distintos. A PF é mobilizada por preço e condições de financiamento e a PJ é pelo movimento da economia. O que cresceu realmente foi o mercado de PJ. O mercado de PJ cresceu 30% e o mercado de PF praticamente diminuiu. E aí que vem o pior. As revendas são remuneradas principalmente pela lucratividade da venda à PF.

Posteriormente, de janeiro a julho, quantas vezes a taxa Selic foi aumentada, saiu de 9,75 para 12,30, é um crescimento de 30% na taxa de juros base do Brasil. Foram muitas medidas em cima dos financiamentos bancários de modo a inibir a pessoa física de comprar o carro.


Revista Expans達o

Setembro/2011

19


ENTREVISTA A venda feita à PJ é feita diretamente de fábrica em que recebemos uma comissão muito pequena para intermediar o negócio. O que movimenta a nossa lucratividade é a venda de varejo. E sabemos perfeitamente que as condições do financiamento bancário foram muito apertadas pelo governo federal. Então, a nossa vida de revendedores não está com um céu azul. A retração foi na mesma proporção? Eu não tenho esses números. A PF não cresceu. A minha revenda registrou 4% abaixo no varejo e 27% na PJ. E no caso do mercado não temos. Nós temos emplacamentos e o Detran não dá os dados divididos.

HUGO PINTO RIBEIRO

O que o senhor espera para o segundo semestre? Há dois movimentos. Um sazonal normal, com as mesmas condições no segundo semestre e o segundo, sempre melhor que o primeiro. Por outro lado, temos uma nuvem negra pela frente que é essa crise mundial, esse problema nos Estados Unidos, que pode inverter a coisa no fim, e o segundo semestre pode ser até pior que o primeiro. Agora o nosso segmento está muito preocupado com a situação, está vendendo pouco. O negócio foi bom para poucos e mal para muitos. Mas escorregou bastante agora? Completamente, a PF está inibida em comprar um automóvel em função das medidas de ... (pausa) ... o que o governo fez este ano, vamos recuperar um pouquinho.

Qual a relação dos números com as marcas entrantes, principalmente, as chinesas e coreanas? Esse crescimento de 8% também não foi dividido economicamente entre as montadoras e revendas. Um número pequeno de montadoras teve um crescimento superior Nosso segmento está pagando a 20% e puxou o mercado como um muito caro para segurar todo, enquanto as grandes montadoras, GM, Ford, Fiat e Volkswagen não a inflação. O setor que mais cresceram neste ano. Quem cresceu contribuiu para segurar a foram exatamente as entrantes, as inflação no Brasil é o marcas chinesas algumas coreanas, segmento automobilístico. eu diria que houve dez montadoras que cresceram acima de 10%, 12%. E E eu acho que está conta isso aí puxou o número todo para ciestá pesada demais e nós ma. Mas as grandes montadoras, que esperaríamos que o governo, têm o maior número de concessionáalém da medida a longo prazo rias, não cresceram desta forma. Esta distribuição de crescimento também do IPI, a União poderia tomar foi diferenciada. Algumas montadouma medida a curto prazo ras menores cresceram muito e as para fortalecer o mercado montadoras maiores diminuíram.

É uma soma de fatores? Sim. Em dezembro do ano passado, o governo aumentou os compulsórios dos bancos, que significa que para financiarem 100, os bancos precisam deixar guardados 47, ao invés de 20. Então ficou mais caro emprestar dinheiro e isso aumenta os juros. Posteriormente, de janeiro a julho, a taxa Selic foi aumentada, saiu de 9,75 para 12,30, é um crescimento de 30% na taxa de juros base do Brasil. Foram muitas medidas em cima dos financiamentos bancários de modo a inibir a pessoa física de comprar o carro. Para a pessoa jurídica também está caro o dinheiro emprestado, mas ela está precisando do carro, é uma ferramenta de trabalho, ela precisa e compra. E tem mais a soma pessoa física, que é o mercado do IPI, a volta do IPI pleno. Nosso Esse crescimento das enque muito nos preocupa. segmento está pagando muito catrantes é devido à atuação no merro para segurar a inflação. O setor cado mais popular e a retração de que mais contribui para segurar a crédito também atingiu isso? inflação é o segmento automobiÉ verdade, mas não é só isso. É lístico. E eu acho que está conta esa própria instalação. Temos fábricas tá pesada demais e nós esperaríaque recém montaram suas redes de mos que o governo, além da meconcessionárias. A JAC montou em março uma rede de 60 revendas no dida a longo prazo do IPI, a União poderia tomar uma medida a curto Brasil. Há um ano não tinha. Então, começou a vender. O crescimento é prazo para fortalecer o mercado e estimular a compra pela pessoa físidessas entrantes. Todas as marcas chinesas registraram mais de 15% a ca, que é o mercado que muito nos preocupa. 20%, eu diria 20%. Não estamos reclamando, mas informando. É natural que entrem e cresçam mais do que os que já estão aqui há mais de 50 anos. Por que há uma tendência forte em manter a Argentina coMas os chineses não têm nenhum compromisso, por enquanto, com os empregos e a estrutura industrial? Mas estão no mercado, estão falando em produzir, nós respeitamos, não estamos aqui para criticar isso daí, estamos aqui para constatar e divulgar. O que nós queremos dizer, resumindo, é que esses números não refletiram para 90% das revendas no Brasil, que não estão com um ano melhor que no ano passado, embora os números gerais apareçam. Porque esse crescimento está muito em cima de novas marcas e porque este número está muito em cima da pessoa jurídica que não é um negócio tão rentável para nós, as montadoras fazem o faturamento direto. Não estamos aqui com uma notícia tão positiva do nosso setor. Pode ser que as indústrias automobilísticas, contando com a exportação e importação, tenham números positivos. Agora o nosso segmento não apresenta uma saúde tão grande, ninguém está tendo prejuízos, não é isso, mas nós não estamos com a mesma lucratividade que o ano passado e estamos preocupados com isso.

20

Revista Expansão

Setembro/2011

mo produtora forte das fábricas instaladas no Brasil? A parte laboral lá tem um encargo muito menor, os impostos são extremamente menores, e o produto comercializado é comercializado a preço Brasil com uma produção de custo menor. Então, há uma tendência, realmente, de se alimentar essa produção dentro da Argentina, isso é normal. Com todos os meios de acordo do Mercosul, vendese esse produto com o mesmo preço do produto teoricamente produzido aqui. É uma tendência perigosa inclusive. O setor está preparado para enfrentar uma possível crise? Nós sabemos que a gente vai crescendo, crescendo e crescendo, e, quando tudo parece uma maravilha, de repente, o mercado cai e somos pegos de surpresa. Temos que fixar muito bem que a redução é um processo muito mais lento que o crescimento que registramos. E certamente teremos que fazer muitas reduções para incorporar um novo número na balança comercial, caso aconteça uma crise no Brasil que afete diretamente o setor. É, vai ser um exercício doloroso.


Revista Expans達o

Setembro/2011

21


ENTREVISTA

HUGO PINTO RIBEIRO

Os mais antigos lembram, que no Brasil, na década de 60, havia um programa chamado Geipot, que se instalou para estimular a implantação de indústrias aqui, a automobilística. De lá até cá, do ponto de vista do estímulo, este é o primeiro grande programa.

E qual a avaliação para o mercado de motocicletas? Ele apresentou um crescimento no Brasil de 10,14% e um crescimento menor de 3,22% no acumulado no RS. Consideramos estes números ridículos até porque o mercado de moto caiu 60% em 2009. O mercado de caminhões caiu isso, mas se recuperou. O mercado de moto está crescendo muito pouco em relação ao que deveria para recuperar a perda, a despencada que ele deu em 2009, em função da crise. Sabemos perfeitamente que os bancos não querem mais negociar motocicletas, pelo menos, em 80% dos interessados, que são o perfil de motoboy e quem ganha até 500 reais por mês. Esses números são irrisórios. As revendas de motos mudaram de patamar no Brasil, a qualidade das revendas, as instalações e os estoques diminuíram, é um mercado que está completamente deprimido e o governo há três anos que não faz nada. Os investimentos do segmento em revendas e em fábricas foram feitos e estão ociosos. As fábricas de motos estão produzindo 30% de sua capacidade e as revendas também. A queda é em função dos bancos não financiarem? Sim. O que alavancou as vendas não foi a venda de motocicletas de 250 cilindradas, mas as de 125 cilindradas. É exatamente esta de 125 que está inibida de ser financiada pelos bancos por causa da inadimplência. Qual a relação da queda da credibilidade econômica dos EUA em relação à economia brasileira e a contenção da inflação? Estamos preocupados com o segundo semestre, com essa nuvem negra, que está se aproximando da economia mundial, sabemos que o governo brasileiro já fez a lição de casa e que tem ferramentas para enfrentar uma nova crise mundial, mas estamos preocupados. Estas medidas estão demorando um pouco. O governo já deveria ter implementando algumas ações no sentido de reaquecer o mercado, que caiu um pouco. O governo federal precisa, então, criar incentivos, como na “marolinha”, da crise anterior, para poder “segurar” a economia brasileira? A PF deveria ter um incentivo, principalmente, talvez em redução de IPI para redução do preço do carro, ou melhorias dos financiamentos bancários, taxas de juros, algumas coisa neste sentido, de modo a reaquecer o mercado na PF. Mas estamos fazendo a nossa parte, conseguindo criar condições interessantes para os clientes comprarem carros, mediante um esforço muito grande. Que condições seriam essas? Bônus de fábrica, preços de custo, feirões, superavaliação do carro usado, taxas de juros subsidiadas, é um cartel de medidas que cada montadora e cada revenda exercitam. O esforço é grande para o mercado responder. Então, para o setor enfrentar essa nuvem negra que está chegando e esse quadro que se apresenta na economia norte-americana, seria uma questão de vontade política? Sim. Um pouquinho de sensibilidade de interpretação dos números. Eu acho que o governo precisa entender. E isso nós precisamos enfrentar.

22

Revista Expansão

Setembro/2011

E essa questão de que o setor está “segurando” a inflação no Brasil, o que o senhor pode falar a respeito? Estamos verificando que desde dezembro o governo tomou várias medidas acertadas, sob o ponto de vista da macroeconomia. Se a gente considerar estas medidas, a economia como um todo, são acertadas, só que elas refeletem demais no nosso segmento, que está muito prejudicado com isso. Então, imaginamos que, talvez, o nosso segmento merecesse outro tratamento do governo, exatamente, por que ele foi muito prejudicado por essas medidas. E o que vai ser feito em relação a isso? É uma boa pergunta (riso irônico). Se eu soubesse, estaria tudo solucionado. Eu estou esperando uma sensibilidade por parte do governo para ajudar um pouco mais o nosso segmento. Novamente, mais uma questão de vontade política? Vontade política e sensibilidade.

Nas revendas, clientes chegam dizendo que vão esperar a redução de IPI. E vão esperar muito tempo e não vai acontecer nada.


Revista Expans達o

Setembro/2011

23


DE BRASÍLIA Por Edgar Lisboa Jornalista edgarlisboa@uol.com.br www.egdarlisboa.com.br

Copa 2014

Foto: Divulgação

Reforma política A

Vai sair do papel

A Câmara dos Deputados tenta, mais uma vez, tratar de um assunto espinhoso e polêmico, que divide os deputados. Mas parece que agora a reforma política vai sair do papel, só não se sabe quanto tempo vai demorar sua tramitação. O deputado federal Marco Maia (PT-RS), presidente da Câmara, prometeu colocar a reforma política em votação ainda este ano. O tema já está em discussão na Comissão Especial da Reforma Política, onde está sendo analisado o anteprojeto de reforma, apresentado pelo relator, o deputado Henrique Fontana (PT-RS). Ele propôs, entre outros pontos, o financiamento público de campanha e um novo sistema de votação para as eleições proporcionais, a partir de 2014.

Mudanças de texto

A Copa do Mundo de 2014 deve gerar 930 oportunidades de negócios para micro e pequenas empresas nas 12 cidades-sede. É o que mostra estudo do Serviço Brasileiro de Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), feito em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV). “É preciso preparar as empresas, micro empresas e também os empreendedores individuais para que possam realizar negócios e, principalmente, desenvolver seus empreendimentos, seus processos de gestão e ser mais inovadores”, disse o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto. O mapeamento é uma das ações previstas no Programa Sebrae 2014, que receberá, até 2013, investimentos de R$ 80 milhões.

Turistas para 2014

O Brasil pode receber até 600 mil turistas estrangeiros na Copa do Mundo de 2014. Mais que o dobro dos que foram assistir a Copa de 2010 na África do Sul, além de ser um número maior que quase todas as Copas do Mundo desde 1994. É uma chance e tanto para exportar a imagem do Brasil como um País de natureza diversa, cultura rica, moderno, competente e sustentável. É o que o Ministério do Turismo quer. E, entre os desafios, está o de receber bem o turista e também encantá-lo. Segundo a secretária nacional de Políticas de Turismo Ana Isabel Mesquita de Oliveira (foto), esse encantamento é o que vai trazer o turista de volta e vai ser um dos maiores legados da Copa. Uma das estratégias é fazer roteiros. Um exemplo é a Rota do Pão e Vinho, no Rio Grande do Sul. Luiz Xavier/Divulgação

Logo depois da apresentação do anteprojeto, diversos deputados avisaram que vão apresentar sugestões de mudanças no texto. O prazo para emendas vai até 9 de setembro e o relator quer apresentar seu parecer final em 14 de setembro. Não há consenso sobre diversos temas, muito menos sobre voto em lista ou voto distrital. “Mas, da forma como está, não é mais possível. No Brasil, há influência do poder econômico nas eleições. E o estilo eleitoral não é democrático, precisa de revisão. A reforma é necessária, mas teremos enormes dificuldades em aprovar qualquer alteração”, disse o deputado federal José Stédile (PSB-RS).

Copa do Mundo e microempresas

presidente dilma

Saúde, o maior problema O pior desempenho setorial da administração Dilma Rousseff é a saúde, com um saldo negativo que subiu de 12% em março para 41%. No mês de julho, com apenas 28% de aprovação é o que mostra a pesquisa CNBI/Ibop, revelando assim o ponto mais fraco do governo hoje. O Brasil é o país que gasta o menor percentual do Produto Interno Bruto, 3,6% com o Sistema Único de Saúde, o menor percentual entre países que tem sistemas universais, segundo afirma o presidente da Frente Parlamentar da Saúde, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS). Ele diz que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é menos do que a média dos países africanos que destinam 9% da arrecadação à assistência médico-hospitalar.

24

Revista Expansão

Setembro/2011

Aeroportos

Concessão Ao participar de evento sobre o legado da Copa do Mundo e das Olimpíadas, no Tribunal de Contas da União (TCU), o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Wagner Bittencourt, afirmou que “a participação da iniciativa privada em 51% dos investimentos nos aeroportos não vai reduzir a importância da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que será responsável pela gestão dos aeroportos”. De acordo com a proposta do governo, a Infraero terá controle acionário de 49%. É justamente este percentual de 51%, destinado às empresas, que vem sendo criticado pelo Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina) e pela Central Única dos Trabalhadores (CUT). O governo planeja investir, nos próximos anos, R$ 7,2 bilhões nos aeroportos administrados pela Infraero. Para este ano, já conta investimentos de cerca de R$ 172 milhões.


www.carhouse.com.br Revista Expans達o

Setembro/2011

25


NOSSA CAPA Fábio Winter/Especial

Pai e filho no

comando da

Comlines A

história de Valcir Klein, agricultor familiar de Caibaté, na região missioneira do Rio Grande do Sul, começa quando ele viu a oportunidade de representar de forma exclusiva uma marca como a Tramontina, em um momento em que este modelo de negócios não existia no mercado. Ele criou a primeira loja exclusiva da marca no Brasil. E se destacou mais ainda ao transferir o seu empreendimento para as margens da BR-116, em Novo Hamburgo (RS), próximo à capital, no caminho da Serra Gaúcha, em ponto com fluxo de mais de 45 mil veículos por dia, tendo a loja como uma grande vitrine. Klein é casado com Judite Rohden e pai de Diovano, sócio e braço direito de Klein há dois anos na operação da Comlines Tramontina, e Mateus, que hoje ensaia seus primeiros passos na empresa, auxiliando no estoque do estabelecimento. A organização do negócio, o planejamento estratégico, os controles, o comando das equipes e as frentes de trabalho são pontos de destaque que Klein implantou em seu negócio desde 1998. Neste mês, a empresa comemora 13 anos de atendimento e dedicação ao cliente, que procura por qualidade e sofisticação em produtos, com um amplo mix de opções. Para este aniversário, foi lançada a campanha Apaixonados por Tramontina, onde a Comlines declara todo seu amor à Tramontina, e convida seus clientes a responderem a pergunta e participarem da promoção que irá dar 13 prêmios. Ao longo do mês, além da participação da Festa Nacional do Calçado, os clientes serão brindados com atividades como a Etiqueta Zero, Semana Farroupilha, as gravações do Bistrô Anonymus Gourmet e um fim de semana especial, entre 23 e 26 de setembro. “Haverá muitas promoções ao longo do mês”, antecipa Valcir.

26

Revista Expansão

Setembro/2011

Família Klein se destaca no varejo com o maior showroom da Tramontina no Brasil

Aniversário e centenário A Comlines comercializa produtos de qualidade, com excelência de atendimento, grande variedade e o melhor preço. “Aliada à Tramontina, uma marca de credibilidade e consagrada no mundo todo, proporcionamos aos consumidores da Região Metropolitana adquirir toda a linha da marca em um único lugar”, explica Valcir. Para isto, se criou este modelo de negócios, junto à Tramontina. “O sucesso do empreendimento fortaleceu nossa estrutura e a expansão foi necessária”, constata. A Tramontina completa em 2011 cem anos e lança no mercado uma linha de produtos para comemorar com seus clientes este belo centenário, como as facas em aço damasco e o conjunto de panelas Intense. “Ela chega a esta idade, exportando para mais de 150 países, com filiais em vários países e grandes escritórios em outros tantos mais”, destaca Valcir. “A Tramontina é uma empresa 100% brasileira e faz parte da vida de milhões de brasileiros, assim como a Comlines, que valoriza muito a relação com seus clientes”, acrescenta Valcir.

Conceito Green e potencial turístico A Comlines contemplou, no projeto da nova loja às margens da BR-116, o conceito Green, com cisternas para captação da água da chuva e muito vidro, priorizando a iluminação solar. A valorização da copa de uma figueira, que dá o recorte interno, é um detalhe à parte. “A figueira é avistada em qualquer ponto da loja”, explica Valcir. A forma como as ideias da empresa foram compreendidas pela comunidade deixa-o satisfeito. “O prefeito de Novo Hamburgo (Tarcísio Zimmermann) nos saudou, destacando o empreendimento como um ‘testemunho de fé no potencial da cidade’ com um projeto como esse que qualifica o comércio e o turismo, trazendo tanta gente para cá”, completa Valcir.


Fábio Winter/Especial

Funcionamento e público-alvo

Um mix de qualidade Artigos para churrasco, assadeiras, formas, baixelas, produtos para servir chá e café, chaleiras, facas, canivetes, faqueiros, lixeiras, panelas e frigideiras de inox ou antiaderentes, panelas de pressão, rechauds, aparelhos de fondue, tábuas e pranchas, talheres, tesouras, vários utensílios e acessórios, aspiradores de pó, ferramentas agrícolas, ferramentas elétricas, ferramentas industriais e automotivas, produtos de jardinagem, kits e ferramentas diversas para casa ou para profissionais de hidráulica ou de elétrica, por exemplo, materiais elétricos como tomadas, canaletas, interruptores, cubas, pias, coifas, cooktops, fornos elétricos, tanques, mesas, cadeiras e poltronas em plástico e madeira para sala de jantar, escritórios, jardins, e piscina fazem parte desse amplo mix constituído por mais de 17 mil itens, com um produto novo lançado a cada 3 dias.

Letras e números

A loja funciona diariamente, das 9 às 19 horas, e recebe turistas da região, do Estado e estrangeiros, que se deslocam para a Serra Gaúcha, principalmente Gramado, que é um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil. De acordo com Valcir, só nos primeiros seis meses de operação no novo endereço, o estabelecimento recebeu a visita de brasileiros de quase todos os Estados.

Mais de 17 mil itens em uma só loja É um mix com mais de 17 mil itens, entre utilidades domésticas, para cozinhar e para servir, ferramentas e jardinagem e materiais elétricos. Além disso, apresenta a linha Tramontina Kids, voltada para crianças, com brinquedos, móveis e utilidades domésticas, como talheres, por exemplo, desenhados para a criançada, além da linha Tramontina Design Collection, com traços sempre muito arrojados e inovadores para os clientes mais exigentes, que valorizam a elegância e o estilo tanto na cozinha quanto no momento de servir. A inovação promovida pela nova loja fez com que a Comlines constituísse, com um grupo de empresas de Novo Hamburgo, um roteiro turístico de compras, denominado Hamburgo Outlet, já que a operação, além de contar com lançamentos de fábrica e preços exclusivos, possui amplo mix considerado outlet, com preços e condições especiais.

Investimento de R$ 2,6 milhões Área construída de 2.000 metros quadrados Duplicação do quadro de funcionários Há quatro anos vende para todo o Brasil através da Internet e do Atendimento ao Cliente Comlines

Nasa Wecker/Especial

13 anos de operação

Mais de 17 mil itens fabricados pela Tramontina Maior showroom Tramontina e maior quantidade de itens em exposição no Brasil e no mundo Excelentes preços com descontos que variam de 20% a 50% de desconto, em relação ao mercado e ao próprio varejo da Tramontina 100 anos de história, conhecimento e tecnologia

Revista Expansão

Setembro/2011

27


NOSSA CAPA Nasa Wecker/Especial

Negócios personalizados A Comlines Tramontina trabalha em algumas linhas de ação para atender aos clientes de forma diferenciada. Desde fevereiro deste ano, possui a maior loja Tramontina do Brasil, uma loja virtual, a Lista de Noivas, o setor de brindes e produtos promocionais, designado Comlines Gift, e o atendimento corporativo.

Loja virtual De acordo com Valcir, ao fazer suas compras pela Internet, por meio do comércio eletrônico, o cliente usufrui de vantagens imperdíveis com total segurança e comodidade. “Primeiro, ele escolhe seus produtos de forma personalizada, com ampla variedade de condições e facilidades de pagamento. Depois, ele recebe sua encomenda com todo o cuidado e o carinho que dedicamos aos nossos clientes. É sempre muito fácil e rápido”, destaca Valcir. “Hoje, a Comlines leva produtos da Tramontina para todo o Brasil por meio de nossa loja virtual”, acrescenta o filho Diovano.

Presença na Internet Pioneira em vendas pela Internet, desde março de 2008, a Comlines tem um novo site, repaginado, modernizado em sua estrutura e com a ampliação do mix de produtos Tramontina. “Além disso, ainda facilitamos as possibilidades de compra a partir da ampliação das opções de pagamento”, frisa o empreendedor. Segundo Valcir, as condições de venda pela compra virtual consistem em parcelamentos com todos os cartões de crédito ou à vista, por meio de boleto bancário ou débito em conta nos bancos Bradesco, Itaú, Unibanco e Banco do Brasil. Além do site, a Comlines lançou um blog. “Ele é bastante acessado, onde passamos a ter um ponto de encontro com o nosso cliente, com muitas dicas de culinária, bem-estar, meio ambiente, decoração, jardinagem e, claro, muitas informações sobre novidades, uso e a conservação dos produtos Tramontina.” E também está presente em outras redes sociais, criando e desenvolvendo relacionamento com o mercado e seus clientes, por meio dos canais web no Twitter, Facebook, Orkut, YouTube, Flickr, um chat para atendimento on-line além do atendimento pelo MSN. “Hoje contamos com mais de 55 mil visitas por mês em nosso site, fazendo da internet um importante vetor de lucratividade do nosso negócio e trazendo muitos clientes à loja”, destaca Diovano.

28

Revista Expansão

Setembro/2011

Comlines Gift brindes e produtos promocionais Um brinde é muito mais do que um “agrado”. Segundo o empresário, o brinde carrega em si um importante papel conceitual. “Os brindes personalizados da Comlines compõem uma ampla linha, aliando a marca da sua empresa à Tramontina e levando consigo um presente para ocasiões e pessoas especiais.” Ainda segundo Valcir, toda a linha de produtos da Tramontina pode ser utilizada como brinde ou como produto promocional. Diversas marcas utilizam mesas e cadeiras em plástico e madeira como ações de merchandising. A parte de tábuas, facas e trinchantes, garrafas térmicas, kits de mecânica, talheres e utensílios, conjuntos de panelas e baixelas são utilizadas tanto em ações promocionais de relacionamento e fidelização de clientes quanto em ações de endomarketing. Cada vez mais empresas usam a parte de jardinagem em ações de responsabilidade ambiental.


Fotos: Divulgação

Nasa Wecker/Especial

Atendimento ao cliente empresarial A empresa também apresenta atendimento diferenciado para clientes do segmento empresarial como o direto com marmoristas e empresas do setor moveleiro. “A loja é a maior vendedora de cubas e pias de encaixe da Tramontina em todo o Brasil”, afirma Valcir. As vantagens são imperdíveis e os seus clientes empresariais podem atender as necessidades de suas empresas nas linhas de cozinha, ferramentas, jardinagem, materiais elétricos, cubas, pias e móveis. Além destes produtos, segue Valcir, o cliente encontra uma linha completa de produtos para servir em escritórios, bares, restaurantes e hotéis. “Ao fazer as compras aqui, o cliente empresarial usufrui de bons descontos, e tem ao seu dispor nosso atendimento personalizado e uma grande variedade de condições e facilidades de pagamento em mais de 17 mil itens fabricados pela Tramontina”, explica Valcir.

Um espaço privilegiado para confraternizar Um ambiente diferenciado no novo estabelecimento é o Espaço Gourmet, formado por uma cozinha funcional, com design da parceira WoodForm e mesas e cadeiras da linha Summa da Tramontina. Este local pode ser reservado para festas e eventos corporativos onde o cliente usufrui da experiência dos melhores produtos à sua disposição, desde pratos da linha Ultraporcelana à cuba, forno elétrico, coifa e cooktop, passando pelas panelas e utilidades. A agenda é bastante concorrida, já que a utilização tem sido intensa. “Temos semanas com eventos todas as noites, de grupos de amigos a lançamentos imobiliários”, destaca Diovano. “Pedimos que as pessoas programem seus eventos de fim de ano com bastante antecedência, garantindo a agenda.”

Serviço A Comlines Tramontina atende de segunda-feira a domingo, das 9 às 19 horas BR-116, 4.751 | Novo Hamburgo (51) 3582-0035 | www.comlines.com.br

Lista de Noivas A Comlines oferece condições especiais para os noivos neste momento único das suas vidas. Além de descontos e entrega gratuita, a empresa oferece um bônus especial relativo ao valor total dos produtos adquiridos por seus convidados, para retirar em mercadorias. Conforme Valcir, o cliente encontra ótima qualidade em uma lista de produtos sempre atualizada com os lançamentos de fábrica. “Nós costumamos dizer que na Comlines, o cliente não monta uma Lista de Noivas, ele constrói uma Lista de Sonhos”, completa.

Parcerias de empresas “Criamos um espaço de noivas também no site, onde os convidados podem comprar seu presente por meio da lista, com conforto e nossa especial atenção, sem precisar sair de casa. Lançamos, recentemente, o Programa de Alianças Comlines, onde diversos parceiros nossos oferecem condições muito especiais para os noivos e seus convidados, aproximando os clientes de excelentes opções, como desconto no chá de lingerie, uma estadia em hotel, para que os noivos possam indicar aos seus convidados, por exemplo, entre outros parceiros.” Na loja, já foram realizados desfiles de vestidos de noivas e encontro de recém-casadas, movimentando grande público de Porto Alegre e região.

Novidades refinadas A Comlines dedica sempre um grande espaço aos lançamentos da marca Tramontina, com uma seleção completa de produtos que valorizam a beleza, a tecnologia e seguem as últimas tendências. E para quem vai se casar, o melhor é estar antecipado nas linhas mais refinadas dos produtos. “Fica o convite para uma visita, um café e para conhecer a loja. Com certeza, os visitantes ficarão surpresos”, finaliza Diovano.

Revista Expansão

Setembro/2011

29


Responsabilizar

SUSTENTABILIDADE

Afinal, que bicho é esse? A Revista Expansão dá início a uma série de seis grandes reportagens sobre este tema, elemento importante quando a questão é o futuro do planeta e da humanidade

U

Por Vera Fernandes m bicho de sete cabeças. É mais ou menos isso que a grande maioria das pessoas pensa ser a tal sustentabilidade. Para chegar a um conceito simples, pode-se tentar responder à questão levantada pelo teólogo Leonardo Boff, em um dos seus artigos: “quanto aguenta a Terra, em sua generosidade, ao nos fornecer todas as condições para que possamos viver, nos reproduzir e coevoluir”.

Criação ou surgimento O termo sustentabilidade teria sido delineado no começo do século 18, a partir de questionamentos feitos depois de uma crise na exploração da madeira, e estaria vinculado apenas à questão ecológica. A palavra sustentabilidade (originalmente, em alemão, nachhaltigkeit) foi empregada pela primeira vez pelo silvicultor (pessoa que cuida do desenvolvimento florestal) e cientista alemão Hans Carl Von Carlowitz, no livro Silvicultura Econômica, em 1713. Ela foi o resultado da reflexão sobre o desflorestamento da Europa para fins diversos, desde escavação de minas de prata, até o uso da madeira para abastecer com lenha a produção industrial. No livro, o cientista sugeriu um manejo florestal sustentável para garantir o estoque futuro. Este conceito de sustentabilidade é classificado como ecológico. Cerca de 250 anos depois, surgiu o desenvolvimento sustentável, definido como “o desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem suas próprias necessidades”. Neste conceito mais recente, teriam sido incorporadas às necessidades econômicas e sociais. A partir daí, formaram-se os requisitos de um sistema, para ser considerado sustentável, premissa básica de ser economicamente viável, ecologicamente correto, e socialmente justo.

30

Revista Expansão

Setembro/2011

A partir desta edição, a Revista Expansão apresenta o selo Sustentabilidade, na sua série de reportagens que trata do mesmo tema. As matérias serão produzidas até fevereiro de 2012 e ao todo serão 50 páginas, que trarão esclarecimentos sobre esse bicho aí (a sustentabilidade). A proposta da Expansão é lincar estas 50 páginas, com 50 ações, que podem ser praticadas por você e garantir o seu acesso ao mundo da sustentabilidade. Em cada página, você poderá encontrar uma palavra destacada em verde para que reflita sobre a relação dela com o tema.

Definições e interpretações Ainda em busca de conceitos, em 1994, o pesquisador John Holmberg, vice-presidente da Universidade de Tecnologia Chalmers (Suécia), fez um levantamento com mais de 80 diferentes definições e interpretações sobre sustentabilidade. Por conta disso, um de nossos entrevistados desta reportagem, o biólogo e mestre em Desenvolvimento Sustentável, Rafael Morais Chiaravalloti, arriscou-se a dizer que, hoje, este número de conceitos já teria dobrado. Então, o conceito sustentabilidade, em um primeiro momento, parece ser algo simples, porém, ao aprofundar-se no assunto, percebe-se, que é um tema muito amplo. E complexo e como defini-lo? Como explicar a sustentabilidade? Como entender, como medir, onde aplicar? O que é que eu tenho a ver com isso? É para responder estas e outras questões que a Revista Expansão apresenta esta série de seis reportagens especiais.


A partir de 1968, começou-se a discutir a sustentabilidade em um contexto econômico mundial, com a reunião de cientistas, industriais, diplomatas e economistas, que se juntaram para discutir a relação entre recursos naturais e desenvolvimento. O encontro foi em Roma, na Itália, e fez com que o grupo ficasse conhecido como o Clube de Roma. Em 72, eles divulgaram um relatório advertindo sobre os riscos do progresso baseado no uso irracional dos recursos naturais. Em 79, durante Assembleia Geral das Nações Unidas, o sustentável voltava à discussão, mas antecedido pelo termo “desenvolvimento”, e a visão se expandia, incluía a política, a economia e a sociedade, e juntava com a ecologia. Foi aí que se iniciou um debate, concluído somente em 87. Nosso Futuro Comum Neste ano, sob a coordenação da primeira-ministra da Noruega, Gro Harlem Brundtland, foi elaborado e publicado, pela Comissão Mundial de Ambiente e Desenvolvimento, criada em 83, o relatório Brundtland, intitulado Our Commun Future, em português, Nosso Futuro Comum. No documento, desenvolvimento sustentável aparece sob nova definição: “sustentável é o desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de atender suas próprias necessidades”. É o conceito político. Divulgação

Brundtland Neste relatório, a comissão aponta sugestões para a promoção do desenvolvimento sustentável. Entre elas, a limitação do crescimento populacional; garantia de recursos básicos (água, alimentos, energia) a longo prazo; preservação da biodiversidade e dos ecossistemas; diminuição do consumo de energia e desenvolvimento de tecnologias com uso de fontes energéticas renováveis; controle da urbanização desordenada; adoção da estratégia de desenvolvimento sustentável pelos órgãos e instituições internacionais de financiamento; proteção dos ecossistemas supra-nacionais como a Antártica, oceanos, entre outros. E o relatório também aponta a necessidade de implantação de um programa de desenvolvimento sustentável, específico, pela Organização das Nações Unidas (ONU). Já para a implantação de programas minimamente adequado de desenvolvimento sustentável, conforme o relatório, em um contexto geral, é necessário que se adote medidas como o uso de novos materiais na construção; ou a reestruturação da distribuição de zonas residenciais e industriais; ou o aproveitamento e consumo de fontes alternativas de energia, como solar, eólica e geotérmica; ou a reciclagem de materiais reaproveitáveis; ou o consumo racional de água e de alimentos; ou a redução do uso de produtos químicos prejudiciais à saúde na produção de alimentos.

Cuidar

Conceito político

APOIO

Revista Expansão

Setembro/2011

31


SUSTENTABILIDADE

Trade-off - a troca polêmica

Fotos: Divulgação

Ajudar

Dentro da sustentabilidade ainda existe um ponto polêmico: o trade-off, que se traduz como troca. Se, por um lado, admite-se como sustentável um sistema que seja, economicamente viável, ecologicamente correto e socialmente justo, por outro, o trade-off sacrifica um, para compensação de outro. É a “sustentabilidade fraca”, como chamam os pesquisadores. “Com os três princípios se está no paraíso”, argumenta a pesquisadora Cláudia Viegas, especializada em Jornalismo Ambiental, mestre em Administração e doutora em Engenharia e Gestão do Conhecimento. “Se você for um ecologista radical, ou um economista da linha da “sustentabilidade forte”, no momento em que se perdeu um dos princípios, perdeu-se todo o conceito. Mas isso também depende do julgamento das pessoas, que do seu ponto de vista possam ter uma visão diferente”, acrescenta. Já Chiaravalloti considera que escolhas sempre implicam em abrir mão de alguma coisa. “Com escolhas sustentáveis não é diferente. Sempre existirá um trade-off ao aplicar o princípio de sustentabilidade. Mas haverá ganhos imediatos ou futuros”, defende. Ele concorda que de alguma forma o trade-off possa significar uma “desculpa” para ceder de algum lado, mas argumenta que é preciso então mudar o modo de pensar da sociedade. “Muitos acreditam que sustentabilidade não é compatível com desenvolvimento econômico. Acontece que as instituições de ensino trabalham com uma linha de pensamento que torna esse modelo incompatível. É preciso pensar, por exemplo, em desenvolvimento econômico ao invés de crescimento econômico, que podemos conservar a natureza, melhorar a qualidade de vida das pessoas e ter lucro, tudo ao mesmo tempo. Só que para isso, é necessária uma mudança de mentalidade”, afirma.

32

Revista Expansão

Setembro/2011

Créditos de Carbono Uma moeda que não se vê. Assim é o crédito de carbono. E talvez seja o exemplo mais claro de uma prática sustentável e também de trade-off. Em outras palavras, é uma medida que permite às indústrias e nações reduzirem seus índices de emissão de gases do efeito estufa por um sistema de compensação. Funciona assim: conforme o Protocolo de Kyoto, as nações industrializadas devem reduzir suas emissões de gases do efeito estufa, desde 2008 até 2012, em 5,2% em relação aos níveis de 1990. Os governos calculam quanto precisam diminuir e repassam essa informação às indústrias do país, estabelecendo uma cota para cada uma. Essas empresas podem adotar medidas de eficiência energéticas para atingir suas metas ou ir ao mercado e comprar créditos de carbono (um crédito de carbono equivale a 1 tonelada de dióxido de carbono). Daí a compensação: já que a empresa não vai conseguir reduzir suas emissões, ela compra esse “bônus” de terceiros. Para que uma empresa tenha direito a vender créditos de carbono, precisa contribuir para o desenvolvimento sustentável e adicionar alguma vantagem ao ambiente. Isso pode ser feito pela absorção de dióxido de carbono (por exemplo, com o plantio de árvores), ou evitando o lançamento de gases do efeito estufa na atmosfera - a quantidade de CO2 que ela retirar ou deixar de despejar na atmosfera é que pode ser convertida em créditos de carbono. Do total desses créditos disponíveis para venda no mercado, 15% vem do Brasil.


Um olhar ecológico

Vera Fernandes/Especial

“Sustentabilidade é um sistema complexo, com partes interdependentes, que faz trocas com o meio e se autorregula”. Esta é a ideia chave, ecológica da sustentabilidade, sob a visão da jornalista Cláudia Viegas (foto). Segundo ela, esta sustentabilidade propõe uma visão do que ela chama de “ecocêntrica”, que é a proteção ao meio ambiente independente dos benefícios diretos que traga ao homem. Já o desenvolvimento sustentável seria uma visão antropocêntrica, focada no ser humano. “Para que uma empresa seja sustentável, tem que manter o equilíbrio de forma dinâmica, manter o capital econômico e o ecológico. O que ela capta tem que estar em equilíbrio com o que gera de problemas para o meio”, esclarece. “E como a população vai ter certeza de que aquela declaração é realmente correspondente a um conceito que vem da ecologia, da economia, e que passa pela administração por meio da teoria do sistema, que compara uma empresa a um organismo vivo”, questiona a pesquisadora. Para Cláudia, o termo sustentabilidade tem sido usado de uma forma que ela chama de “prostituta”. “A palavra acabou prostituída, o que a propaganda mostra que é sustentável nem sempre é sustentável em si, mas uma imagem vendida pra atender um desejo de sustentabilidade que é criado pela própria propaganda”, avalia.

Revista Expansão

Economizar

Sustentabilidade no currículo A pesquisadora acredita que, para incorporar a sustentabilidade a uma realidade social, envolvendo a sociedade como um todo, é necessário sua inclusão como disciplina de base. “A sustentabilidade está em todas as áreas. Nosso currículo é que tem que mudar, tem que incorporar isso desde o início. Tem coisas que a nossa realidade nos impõe e faltam na nossa base escolar”, defende Cláudia. Segundo ela, é preciso que as pessoas compreendam o que é um sistema complexo adaptativo, como é o seu funcionamento e qual é a base que está por trás disso tudo. Cláudia - que integra o Grupo de Pesquisa em Gestão do Conhecimento da Sustentabilidade, do Programa de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) -, diz que a sustentabilidade é caminho, e não resultado final. Segundo ela, porque todo equilíbrio dinâmico, que dependa de balanceamento de variáveis para existir, é difícil de se realizar e de ser percebido. “Sustentabilidade só se realiza na sua integridade, respeitando requisitos importantes como adaptabilidade perante pressões (resiliência), capacidade de sustentação e mudança, além de diversidade”, avalia. “Acredito que a sustentabilidade pura, se é que assim podemos chamá-la, poderia ser detectada quando sistemas complexos adaptativos manifestam equilíbrio entre fatores que o sustentam. Não é o caso quando a lógica econômica do capital excedente é imposta. Nestes casos, o que se impõe são os trade-offs. Isto torna a ideia de sustentabilidade mais difícil de se realizar, pois à medida que os julgamentos e opiniões humanos se sobrepõem à lógica dos sistemas ecológicos, entra-se no terreno das decisões, que nem sempre são racionais, justas e equitativas”, finaliza a jornalista.

Setembro/2011

33


Fotos: Divulgação

SUSTENTABILIDADE

Onde se pode aplicar o conceito

Mudar

A sustentabilidade pode ser aplicada em todas as áreas, em todas as especialidades, profissões, disciplinas, em casa, no trabalho. É possível praticar ações sustentáveis durante todo o dia, de várias formas, e até mesmo o tempo todo. Atualmente, até em função das campanhas de marketing, são as ações corporativas as mais conhecidas. Para se ter uma ideia desta diversidade, seguem cinco exemplos, de práticas relacionadas à sustentabilidade.

Graziela Dannenhauer/Especial

Campanha de coleta de resíduos Passa de cem, o número de municípios gaúchos que aderiram à Campanha de Recolhimento de Resíduos Eletrônicos e Telefonia PósConsumo. A iniciativa, do Sistema Fecomércio-RS, vai até o final de setembro e tem a meta de eliminar do meio ambiente cem toneladas de lixo eletrônico e 20 mil celulares e baterias obsoletos, além de telefones de mesa, cabos, PCs e monitores. Os municípios que aderiram à campanha disponibilizaram pontos de coleta dos resíduos como forma de estimular a sociedade a descartar corretamente os equipamentos obsoletos. Em Novo Hamburgo (RS), o lançamento oficial da campanha foi em 3 de agosto, na sede social do Sindilojas. No município, o lançamento foi feito pelo presidente do Sindilojas, Gerson Müller, a gerente do Sesc-NH, Miriam Maciel da Rosa Plentz, e a diretora do Senac, Carla Cassel – todos de Novo Hamburgo. Prefeitura, entidades - como a Universidade Feevale -, e empresas são parceiras no recolhimento do material e já tem seus pontos de coletas estabelecidos. A lista das cidades e os postos de recolhimento estão disponíveis no site www.fecomercio-rs.org.br.

Müller, Miriam e Carla e exemplos de aparelhos que podem ser recolhidos

34

Revista Expansão

Setembro/2011

A carona solidária Além de fugir do trânsito sem abrir mão do conforto, a carona solidária é uma prática sustentável na medida em que retira de circulação veículos, grandes responsáveis pela emissão de CO2 na atmosfera. Esta alternativa tem uma adesão muito boa entre universitários, mas também está se tornando comum nas empresas – com a chamada carona corporativa -, onde reúne pessoas que trabalham em uma mesma organização. Para facilitar, há uma série de sites que oferecem o serviço de cruzar informações de rotas entre motoristas e potenciais caroneiros, na maioria das vezes gratuitamente. Um deles, o Carona Brasil, levantou que só com as iniciativas organizadas pelo site deixase de ser lançadas 872,91 toneladas de CO2 na atmosfera por mês. Além disso, gera-se uma economia mensal de R$ 1.605.722,55 em combustível para seus usuários. O Carona Brasil pode ser acessado em www.caronabrasil.com.br.


O simples ato de fechar a torneira, enquanto se escova os dentes, economiza em média 11 litros de água. Isso é uma prática sustentável. Na hora das compras, evitar aerosois com clorofluorocarboneto (CFC) - composto baseado em carbono que contém cloro e flúor, responsável pelo buraco na camada de ozônio -, também é. Outras dicas, sugeridas pela pesquisadora Cláudia Viegas, mostram o quanto a sustentabilidade está na mão de todos. São ações sustentáveis, conforme Cláudia, buscar uma alimentação com menor conteúdo de industrializados, uma vez que a maioria das indústrias alimentícias têm eliminação excessiva de gás carbônico e dispersão inadequada de dejetos e poluentes. “Nas práticas domésticas, a reutilização da água da lavagem de roupas para descarga em privada e a reutilização de papeis, sacolas e embalagens representam a consciência sustentável da sociedade.” Para ela, viver com menos objetos evita o desperdício, o consumo exagerado e a produção excessiva de lixo. Na vida profissional, Cláudia sugere o uso da escada ao invés do elevador, que resulta em economia de energia e o uso de skype ao invés de ligações telefônicas comuns, viagens aéreas ou deslocamentos de grande distância, o que representa economia e menos emissão de carbono no ar por veículos de transporte.

Alternativas para obras A construção civil é outra área onde a sustentabilidade está sendo aplicada. São tijolos ecológicos, que secam ao sol ao invés de fornos de secagem; cimento com teor reduzido de calcário, componente que causa uma grande emissão de CO2 na atmosfera, durante o processo de produção; telhas 100% recicláveis, feitas com resíduo da fabricação de creme dental; telhas translúcidas que aumentam a luminosidade e economizam a energia. O uso de aquecimento solar também é outra prática apropriada, assim como incorporação de cisternas à construção, que permitem a captação e armazenamento da água da chuva para uso, por exemplo, no tanque e no sanitário.

Plantar

Práticas sustentáveis na vida pessoal

Equilíbrio na Amazônia Segundo Chiaravalloti, existem modelos que conseguem se enquadrar nos três quesitos – economicamente viável, ecologicamente correto, e socialmente justo. Um exemplo seria o Programa Fundação Amazônia Sustentável. Nele são oferecidas bolsas-floresta para que famílias da região amazônica melhorem as condições de vida e protejam a floresta. O dinheiro para isso vem, em parte, de algumas doações, mas também parte do crédito de carbono que a área protegida por essas comunidades conseguiu conservar e que foi vendido no mercado americano e europeu. Para ele, é uma retro-alimentação, é equilíbrio.

Revista Expansão

Setembro/2011

35


SUSTENTABILIDADE

Uma visão mais positiva

Fotos: Divulgação

Reciclar

Rafael Morais Chiaravalloti é co-autor do livro Escolhas Sustentáveis. Em entrevista exclusiva à Revista Expansão, ele afirma que o conceito de sustentabilidade se aproxima da definição dada por Elkington no livro Canibais com Garfo e Faca. Conforme Chiaravalloti, o autor a teria definido como triplebottomline, ou, na tradução para o português, o “tripé da sustentabilidade”, com o equilíbrio entre as esferas ambiental, social e econômica. “Sua aplicabilidade, no mundo ideal, deveria ser em todas as esferas da sociedade, e na íntegra”, avalia. Para ele, na literatura, em encontros ou congressos, aparecem modelos sustentáveis mais focados na questão social. “Por isso, teoricamente, acredito que os modelos sociais sejam mais fáceis de executrar, porque o foco da organização está nas pessoas, que podem gerar força de trabalho, e, consequentemente, lucro”. Por outro lado, segundo ele, quando as organizações estão focadas na questão ambiental, esse link entre o objeto de estudo e a produção de lucro é bem mais difícil. “Até por que vale lembrar que animais e árvores não trabalham”, avalia. Mas hoje, conta, existem vários mecanismos de valorização do meio ambiente que podem sanar essa dificuldade. “Um exemplo seria a empresa Biofílica, que preserva florestas na Amazônia e vende essa proteção no mercado europeu e americano como crédito de carbono. Eles têm lucro e preservam o meio ambiente”, revela. Acompanhe a entrevista, na próxima página, com o biólogo e mestre em Desenvolvimento Sustentável.

36

Revista Expansão

Setembro/2011


Por que este boom em relação a esta palavra? Primeiramente, a ideia “ser sustentável” está ligada à busca por melhor qualidade de vida. Por outro lado, estamos na era do conhecimento, tendendo a satisfazer nossas ânsias intelectuais por conta de invenções tecnológicas. Essas duas questões juntas, que também estão ligadas uma com a outra, nos fazem pensar mais nas gerações futuras, na proteção da biodiversidade e em outras coisas que podem ser traduzidas na forma da sustentabilidade. É possível medir a sustentabilidade? Existem inúmeras maneiras de medir sustentabilidade. Os primeiros modelos surgiram com a pesca nas décadas de 40/50. Media-se o quanto se tinha pescado e o quanto os peixes tinham se reproduzido. Se o segundo era maior que o primeiro a pesca era sustentável. Com os modelos de sustentabilidade relacionados aos recursos naturais é mais ou menos a mesma coisa. Mede-se quanto se usou e o quanto a natureza produziu no mesmo espaço de tempo, se usamos mais do que a taxa de reposição o modelo é insustentável. O ponto principal é entender que somos dependentes dos recursos naturais. E é certo dizer que reciclagem é sustentabilidade? Não deixar a torneira aberta no período em que se está escovando os dentes ou reciclar o lixo ultrapassa o grau da individualidade. A ação torna-se um ato de reflexão dentro da rede social e pode ter um efeito replicador. Os atos isolados podem tornar-se importantes movimentos sociais que juntos trarão consequências para a conservação da natureza e para o bem-estar humano. Por isso, apenas reciclar não é sustentável, mas é uma ação que em rede pode ser muito importante. Quando organizações citam a sustentabilidade nas campanhas de marketing, sabem de quê estão falando? Muitas não sabem. Uma pesquisa feita pela United National Global Compact com 760 CEOs (sigla que designa diretor-executivo ou diretor-geral de uma empresa) em todo mundo e apresentada no relatório A New Era of Sustainability mostrou que 81% deles acreditam que já incorporaram sustentabilidade em suas empresas. Se compararmos com outros relatórios que mostram os atuais problemas sociais e ambientais no mundo como o Progresson Sanitationand Drinking-Water ou mesmo o The Economics of Ecosystems & Biodiversity (TEEB), fica fácil perceber que grande parte desses 81% não tem a mínima ideia do que estão falando.

Qual o melhor caminho para preparar as próximas gerações para a aplicação correta dos princípios da sustentabilidade? O conhecimento. É muito importante esclarecer quais são as ideias, conceitos e princípios para todos, e tornar a ciência na área de sustentabilidade mais acessível. Com maior entendimento sobre o assunto, será mais fácil cobrar ações de empresas, governos ou outros tipos de organizações. E existem muitas mudanças que precisam ser feitas nas escolas ainda. Pois muitas oferecem um modelo antigo com ações sustentáveis. A ideia é ser transversal e não departamentalizada. Como fazer isso? Ainda há um longo caminho pela frente. A sustentabilidade não seria apenas um termo da moda, que pode perder a força de uma hora para outra? Existe sempre esse perigo de algo ser sobreutilizado e cansar as pessoas. No entanto, estamos nos deparando com barreiras sócio-ambientais físicas. Por exemplo, a biodiversidade que nos fornece bilhões de serviços ambientais está desaparecendo – como supri-los? Seremos 9,5 bilhões de pessoas no mundo, como ter qualidade de vida para todos? Questões como essas estarão cada vez mais presentes, e se continuarmos seguindo o modelo de desenvolvimento vigente, tendem a só piorar. Por isso, se chamarmos de soluções de sustentabilidade ou “prato”, tanto faz, mas que teremos que discuti-las teremos.

Educar

Como a sociedade pode saber se a empresa está mesmo sendo sustentável? O público atualmente tem poderosas ferramentas para a fiscalização dos modelos sustentáveis: a Internet e suas redes sociais. Através de grupos de discussão, blogs e comunidades virtuais, a sociedade consegue expor e compartilhar a distância entre o que as empresas fazem o que dizem. A partir do momento em que o impacto ambiental de algum produto, mercadoria ou serviço é identificado por um grupo de pessoas, essa informação poderá ser compartilhada e espalhada rapidamente.

Você acredita que a sustentabilidade é viável no mundo contemporneo, por quê? Os desafios ambientais e sociais são enormes. Mas acredito que vivemos em uma época de mudanças. Hoje o mundo é rápido e as transformações mais ainda. Mas temos um grande aliado a nosso favor: as redes sociais. Há uma busca crescente por um consumo mais consciente. Soma-se a isso tudo, a história que vivemos nessa nova era chamada “era do conhecimento” e que dizem, irá trazer mudanças profundas no modelo mental. Por isso, acredito que esses fatores, combinados com a velocidade das mudanças, atualmente podem ser a chave para um modelo mais sustentável. Assim, ainda sou otimista, até porque, moro no sétimo andar de um prédio, em uma zona urbana. No dia em que mudar para o térreo, em uma casa, talvez troque de opinião.

Revista Expansão

Setembro/2011

37


NO PROVADOR Por Silvana Homrich Consultora de Moda silhomrich@gmail.com Fotos: Agência Fotosite

Primavera

tro pi cal

Triton

38

Revista Expansão

Setembro/2011

Cavalera

A

doro setembro! Sempre é bom ver o colorido das flores nas ruas e a temperatura mais amena. Melhor ainda será o guarda-roupa para a estação quente. Para celebrar a primavera, selecionei as estampas tropicais como uma das tendências apresentadas nas passarelas. Aposte naquelas que mostram flores, frutas, tucanos, araras e muitas folhagens. Podem vir em peças inteiras, calças, camisas, vestidos, shorts, e com uma boa dose de bom senso misturar as estampas entre si. Uma camiseta básica com uma flor, por exemplo, pode ter um casaco com estampa de folhagem por cima. O bacana desta tendência é que ela veio em várias formas, super coloridas, em tons pastéis, estilizadas, enormes, minúsculas ou em recortes que lembram flores. A democracia e o gosto pessoal é que saem ganhando, pois você pode - e deve - usar essas estampas como quiser e da maneira que mais valoriza seu tipo físico. A única restrição quando estiver com um look tropical é com os acessórios. Seria melhor usar brincos menores, ou pulseiras de uma única cor. Assim o visual não fica pesado.


Pedro Lourenço

Iódice

Maria Bonita Extra

Animale

NOVO HAMBURGO (BOURBON SHOPPING) Av. Nações Unidas, nº 2001 - Bourbon Shopping - Loja 2105, 2° piso - Fone: 51 3527.6667 NOVO HAMBURGO Rua Joaquim Nabuco, nº 247 - Rio Branco - Fone: 51 3036.6444 Dois Irmãos 51 2123.0444 - Portão 51 3562.5139 - Torres 51 3664.4400

De mais lojas acesse www.malhasdaiane.com.br

Revista Expansão

Setembro/2011

39


2

Por Aline de Melo Pires

3

E tempo de l

frescor! 1 Frio já é coisa do passado e nos pés das mais antenadas a ordem é frescor, bom gosto e, claro, conforto. É tempo de colocar os dedinhos de fora e as coleções da temporada primavera-verão 2011/2012 oferecem opções para todos os estilos, seja para o cotidiano, para o trabalho, balada ou aventura. Aposte nas cores fortes que chegam com tudo nas estações quentes. E, se cansar ou quiser variar, a segurança dos tons neutros e crus pode salvar em qualquer situação.

1- Stéphanie Classic 2 - Zeket 3 - Via Marte 4 – Suzana Santos 5 - Contramão 6 – Bull Terrier

6 40

Revista Expansão

Setembro/2011

5

Primavera-verão 2011/2012

sapatos & cia

4 4


Revista Expans達o

Setembro/2011

41


ESTILO & ATITUDE Por Maggda Mombach Executiva de Negócios em Moda E-mail e msn: maggdamombach@hotmail.com

“Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada.” (Clarice Lispector)

Magna Killing Sperb Livro: Clarice, de Benjamin Moser

Perfume: L’eau Ambrée (Prada)

Mal necessário: Relógio

Não vivo sem: Arte e cultura

Novo amor: Fotografia

Porto seguro: Família

Estilo & Atitude by Magna: Família, amor, arte e cultura 42

Revista Expansão

Setembro/2011

Denise Wichmann/Divulgação

Fotos: Graziela Dannenhauer/Especial

Paixão: Criar

Nasceu em uma família alegre e descontraída, em 27 de setembro, em Novo Hamburgo (RS), e a cultura e a arte sempre estiveram presentes em sua história. Casada com Edison Sperb, é mãe da Adriana, 31 anos, e do Gabriel, 26. Sua família é seu porto seguro e seu ponto de equilíbrio. É formada em Artes Plásticas; pós-graduada em Artes Visuais e em Poéticas Visuais e Processos Híbridos, todas pela Universidade Feevale. Nos anos 90, em parceria com Sonja Bender, montou uma empresa de Assessoria em Estudos de Cor e Pinturas Especiais, a qual foi responsável por mais de 1.500 projetos para arquitetos e decoradores. A partir de 2002, passou a desenvolver um trabalho mais autoral de pintura sobre tela, com forte influência pop. Possui trabalhos nas mais renomadas galerias e participa de salões e exposições de arte no âmbito nacional. Fez várias exposições individuais com as séries Objetos de Desejo, (Des)Encontros e Metamorfose, tendo a sociedade de consumo como tema principal. Esta última, aliás, muito instigante e comentada, por sua atitude em trabalhar com baratas. São muitas as paixões que movem sua vida: a família, a arte, a cultura, os amigos. Com um constante e contagiante sorriso estampado em seu rosto, sua presença ilumina, por si só, qualquer ambiente em que esteja. Ter estilo é: acreditar nas suas escolhas e respeitar seu jeito único de ser  Um defeito: autocrítica excessiva  Um grande homem: meu pai, Celestino (pela força de vontade)  Uma grande mulher: minha mãe, Hertha (pela alegria de viver)

Sinônimo de alegria: Flores


Revista Expans達o

Setembro/2011

43


beleza

Machado O segredo é viverum dia de cada vez

Priscila Por Aline de Melo Pires | Foto: Divulgação

A Miss Brasil 2011 é gaúcha e concorre ao título máximo da beleza mundial, o Miss Universo, que é este ano no Brasil

P

ela primeira vez, em 60 anos de concurso, a escolha da Miss Universo será no Brasil. E, novamente, uma gaúcha pode ser escolhida a mulher mais bela do mundo, durante o evento em São Paulo, em 12 de setembro. Representar este sonho está nas mãos da canoense Priscila Machado, 25 anos, eleita pela cidade de Farroupilha. A Miss Rio Grande do Sul 2011 conquistou o título máximo da beleza no País e realizou um sonho pessoal, mas sabe que representa também o sentimento, a emoção e o orgulho de toda uma nação. Por conta do título nacional, ela precisou mudar-se para o Rio de Janeiro, onde se preparou para o Miss Universo. Conversamos com a Miss no dia em que veio à capital gaúcha para rever amigos, familiares e cumprir a agenda que a posição exige.

44

Revista Expansão

Setembro/2011

História Antes de Iêda Maria Vargas, que se sagrou Miss Universo em 1963, outra gaúcha já havia conquistado o título máximo da beleza mundial. Embora não reconhecida oficialmente pela Miss Universe Organization, a escolha da pelotense Yolanda Pereira, em 1930, já demonstrava a tradição de belas mulheres que o Estado tem. As eleitas para o Miss Universo de 1926 a 1935 não são reconhecidos pela Miss Universe Organization.


Pedro Martinez/Divulgação

Tricolor de coração E entre os seus inúmeros compromissos, a paixão clubística foi um feliz encontro com as tarefas. Priscila nos recebeu no quarto, onde ficou hospedada no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre, antes de sair rumo ao estádio Olímpico, para ver o Grêmio - seu time do coração. Naquela noite, o Grêmio jogou com o Atlético Mineiro, no Campeonato Brasileiro, e empatou por 2x2. Da pista atlética, acenou para os torcedores e onde conversou com a imprensa. Ainda no hotel, Priscila nos falou da realização de um sonho pelo qual esperou por quatro anos. Desde 2007, ela participava do concurso estadual e só agora conseguiu atingir o objetivo. Priscila diz que cada tentativa serviu como um grande e importante aprendizado. Ela aprendeu a aceitar e digerir as críticas. No entanto, estar ciente de seu potencial e cercada de pessoas sinceras e especiais, como os familiares, ajudou a deixar o caminho mais fácil. “Esta (edição do Miss 2011) era minha última chance, por causa da idade, se não desse agora, jamais eu poderia ser Miss Brasil”, conta a bela mulher. Sonho e poder Ser Miss sempre foi um sonho de Priscila. Já na infância, admirava as mulheres que apareciam na televisão ostentando coroas e cedros, personificando não somente a beleza, mas também o poder. “E eu queria aquilo para mim.” Assim, depois de uma carreira sólida como modelo, que dura dez anos, ela mergulhou de cabeça no projeto Miss Brasil. Ao lado do irmão, o beauty artist e hair designer Thiago Costa, preparou-se para a nova empreitada. É ele quem cuida, desde o início de sua carreira, do visual da beldade, cabelos e maquiagem são entregues, sem hesitação, ao parceiro fiel. “Quando foi eleita Miss Brasil, era eu quem estava na plateia com a bandeira do Grêmio que ela segurou depois”, conta o orgulhoso irmão. Apesar da dedicação ao Miss Universo, a atuação como modelo não está de lado. Atualmente, ela é garotapropaganda de uma marca de roupas fitness gaúcha. Entretanto, Priscila faz questão de ressaltar o quanto é essencial cuidar também do aspecto psicológico e não somente do corpo. “Pouco adianta ter um corpo bonito, medidas certas, se a sua mente não está bem. E a preparação para os concursos incluiu muita terapia”, conta ela, que mudou o foco das sessões com a psicóloga quando decidiu ser Miss. Mas Priscila não indica a terapia somente para quem busca desafios como os seus. “O auto-conhecimento é importante para todo mundo. A terapia ajuda a conhecer seus limites e potencial”, pontua. Um País fortalecido Como representante do Brasil – e grande amante do futebol – torce para que o País saia fortalecido da Copa de 2014 não somente porque sediará o mundial, mas sobretudo para que o mundo conheça mais sobre o povo brasileiro. “É injusto que sejamos conhecidos apenas como a terra das mulatas e do futebol. Temos outros potenciais que promovem nossa cultura, nosso desenvolvimento”, considera. Estudante de Jornalismo, a Miss Brasil não faz planos, ou pelo menos prefere não falar, está focada no concurso mundial. “Quero viver um dia de cada vez, agradecer a Deus pelas 24 horas que vivo, não tenho do que reclamar”, diz do alto de seu um metro e oitenta.

Revista Expansão

Setembro/2011

45


Cinema

Uma Longa Viagem é o melhor Por Aline de Melo Pires | Fotos: PressPhoto/Divulgação

Longa-metragem de Lúcia Murat também deu prêmio de Melhor Ator a Caio Blat

F

oram nove dias de muito glamour e desfile de grandes estrelas na Serra Gaúcha. A 39ª edição do Festival de Cinema de Gramado levou amantes da sétima arte, estudiosos do cinema e, como não poderia deixar de ser, tietes, muitas tietes às ruas de uma das cidades mais charmosas do Estado. Nesta edição, concorreram 50 produções e o grande vencedor entre os longametragens nacionais foi Uma Longa Viagem, da cineasta Lúcia Murat. A produção retrata a relação entre dois irmãos, sendo um deles a própria Lúcia – que depois da morte do terceiro, decide contar a vida dos três. A diretora foi uma presa política, por lutar contra a ditadura militar. O outro irmão foi mandado para o exterior em 1969 e o terceiro – o homenageado – virou médico. Blat, acima, levouo prêmio de Melhor Ator e Karine Telles, foi o destaque como Melhor Atriz nesta edição do Festival

Karine Telles é a Melhor Atriz O Kikito de Melhor Ator foi também para o longa premiado e o ator Caio Blat levou o troféu. O prêmio de Melhor Diretor ficou para Gustavo Pizzi, pelo filme Riscado, que também teve a melhor atriz do festival, Karine Telles. Já a premiação para os longas-metragens estrangeiros, o Melhor Filme foi Medianeira Buenos Aires na Era do Amor Virtual, de Gustavo Taretto que, por sua vez, levou o prêmio de Melhor Diretor, ao lado de Sebastián Hiriart, pelo longa A Tiro de Piedra. Gabino Rodríguez levou o prêmio de Melhor Ator, também pelo A Tiro de Piedra. A atriz premiada foi Margarida Rosa de Francisco, pelo filme Garcia.

46

Revista Expansão

Setembro/2011


As demais premiações para longa-metragem nacional foram: Roteiro: Gustavo Pizzi e Karine Telles, pelo filme Riscado Fotografia: Roberto Henkin, pelo filme O Carteiro Montagem: Leonardo Sette, pelo filme As Hiper Mulheres Trilha Musical: Lucas Vasconcellos, Letícia Vasconcellos, Letícia Novaes e Iky Castilho, pelo filme Riscado Direção de Arte: Mônica Costa e Júlia Murat, pelo filme Uma Longa Viagem Prêmio Especial do Júri: As Hiper Mulheres, de Carlos Fausto, Leonardo Sette, Takumã Kuiukuro Prêmio da Crítica: Riscado, de Gustavo Pizzi Prêmio do Júri Popular e Prêmio Estudantil: Uma Longa Viagem, de Lúcia Murat.

Domingos de Oliveira foi representado por Maria do Rosário Caetano

Os homenageados do 39º Festival de Gramado Troféu Oscarito Este ano o tradicional Troféu Oscarito foi dedicado a uma das maiores estrelas da dramaturgia brasileira. A atriz Fernanda Montenegro foi agraciada com a homenagem (leia mais nas páginas seguintes) Troféu Eduardo Abelin Domingos de Oliveira, um dos maiores diretores brasileiros, foi o homenageado de 2011 com o Troféu Eduardo Abelin. Ele fez relevantes obras para a cinematografia nacional como Todas as Mulheres do Mundo, As Deliciosas Traições do Amor, Separações, Feminices, Carreiras e Juventude. O diretor, que não compareceu por problemas de saúde, foi representado pelos jornalistas Maria do Rosário Caetano e Luiz Zanin. Homenagem Especial Selton Mello foi o homenageado especial desta edição do Festival de Gramado, um dos maiores talentos da nova geração. Além de sua atuação em longas nacionais Selton Mello vem ocupando a cadeira de diretor em filmes como Feliz Natal e O Palhaço, filme que abriu o Festival este ano.

Revista Expansão

Setembro/2011

47


Cinema

A grande diva

da arte Por Aline de Melo Pires | Foto: Aline de Melo Pires/Especial

Fernanda Montenegro tem seis décadas de dramaturgia e analisa os áureos tempos do teatro e as efêmeras atuações televisivas

F

azer teatro é para corajosos e se houver alguma dúvida, desista. A afirmação, em um primeiro momento pode desmentir um pouco o título desta seção da revista, afinal, estamos falando de cinema. No entanto, ao se tratar de Fernanda Montenegro, todas as licenças são possíveis. A grande dama da dramaturgia brasileira, título que ela conquistou ao longo de mais de seis décadas de atuação, sem nenhuma pretensão, pode discorrer com maestria sobre o assunto. Para ela, o teatro é a essência do ator e o talento da arte de representar em um palco pode, e deve, se repetir no cinema ou na televisão. “Quando eu faço cinema ou televisão, estou fazendo teatro”, comenta. Ela foi a grande homenageada do 39º Festival de Cinema de Gramado com o Troféu Oscarito e, para falar desta distinção e de sua carreira, recebeu a imprensa na tarde de 9 de agosto. O local não poderia ser mais emblemático: o foyer do Theatro São Pedro, em Porto Alegre, onde também esteve em temporada com a peça Viver em Tempos Mortos ­– inspirada na obra de Simone de Beauvoir. A anfitriã, da mesma forma, foi mais do que especial, Fernanda foi recebida por ninguém menos que dona Eva Sopher, a presidente do teatro. Serenidade Aos 81 anos, Fernanda tem a serenidade que chega com a passagem dos anos e fala com propriedade sobre uma carreira que hoje em dia atrai especialmente os jovens pelo glamour e pela vida cheia de agitos. “O espaço do teatro é mais importante que a própria função do ator. Então, é preciso questionar-se: terei mesmo vocação para isso?”, diz, ao ressaltar que a opção pela arte de representar é vista, nos tempos de hoje, muitas vezes como uma forma de revolta ou rebeldia. “Teatro é um espaço vocacional, como o sacerdócio ou a medicina, se não for para você, você vai para o inferno e ainda leva outros junto”, ensina a dama da dramaturgia que jamais frequentou uma escola de teatro e tem Gianni Ratto (dramaturgo italiano que chegou ao Brasil em 1954 e faleceu em 2005) como seu grande mestre. Questionada

48

Revista Expansão

Setembro/2011


sobre o motivo da solidez de sua carreira, Fernanda devolve ao apontar o próprio teatro como uma base sólida para a carreira do ator. Mãe da atriz Fernanda Torres e do diretor Cláudio Torres, ela conta que não chegou a temer pelo futuro dos filhos que enveredaram por uma área tão delicada, segundo ela própria. Visão cultural As dificuldades em fazer teatro na atualidade, de acordo com a atriz, passam, inevitavelmente, pelos entraves financeiros. Há 30 anos, lembra, existiam grandes companhias de teatro no Brasil, havia plateia e mais disponibilidade, as temporadas duravam dois meses, como aconteceu na década de 60, em Porto Alegre. Mas, continua, hoje o que se tem é outra visão cultural. “Não vou me debruçar sobre as causas deste cenário, pois não sou analista social. O que sabemos é que a cultura está afunilada nas mãos do governo, toda a cultura do Brasil sai de verbas do governo, logo estas decisões são políticas, ideológicas ou por simpatia. Antigamente, vivíamos da bilheteria”, comenta. A indústria da televisão A grande estrela de telenovelas no Brasil avalia a TV como uma grande indústria de celebridades. Pois o que, na sua visão, era feito no passado com mais dedicação e responsabilidade, hoje é feito, em muitas situações, por uma vontade explícita de apenas aparecer na mídia. “Ouvi, certa vez, que a televisão não é para se fazer bem (a interpretação), mas rápido; se for bem, melhor”, compara. No entanto, não condena a televisão como espaço para exercitar a dramaturgia, mas defende sua utilização de forma mais profissional e apaixonada.

A veia filosófica Fernanda teve o primeiro contato com a obra da pensadora francesa Simone aos 19 anos. A leitura de O Segundo Sexo foi impactante e decisiva em toda a sua formação. A proposta é que, especialmente, a geração jovem conheça a obra da companheira de Jean Paul Sartre, com mais profundidade. Escritora, pensadora e ensaísta francesa, Simone revolucionou a visão do universo feminino. Oscar e Oscarito Fernanda é a única atriz brasileira a concorrer ao Oscar, o prêmio máximo do cinema mundial. Foi por sua atuação em Central do Brasil (1998) que ela disputou a estatueta de Melhor Atriz ao lado de outras grandes estrelas e o título acabou sendo concedido à Gwyneth Paltrow, por Shakespeare Apaixonado. A indicação de Fernanda rendeu-lhe convites para atuações em produções norte-americanas. Todas foram recusadas. Houve propostas para viver colombianas, argentinas e chilenas. “Eu sempre respondi dizendo que com certeza a Colômbia, o Chile e a Argentina teriam atrizes que interpretariam estes papéis muito melhor que eu. Somos vistos como coadjuvantes sempre, os latinos são sempre secundários, têm papéis socialmente menores. Mas, aquele foi um grande momento para mim, sentei na primeira fila, ao lado dos meus grandes ídolos e perdi junto com a Meryl Streep”, diz, entre risos. Já em solo brasileiro, o reconhecimento chega com muita alegria. Grande fã do trabalho de Oscarito, na época das chanchadas, receber um troféu com seu nome é uma imensa honraria. “Se ele tivesse nascido em um país de primeiro mundo, certamente teria sido um dos maiores comediantes do seu tempo não somente no Brasil”, considera.

Revista Expansão

Setembro/2011

49


cinema

7

a

Um grande passo para a sétima arte Por Aline de Melo Pires | Foto: Aline de Melo Pires

Ao comemorar 25 anos, o Iecine abre edital para finalização de longas metragens gaúchos

O

39º Festival de Cinema de Gramado deixou pontos bastante específicos e importantes para a produção audiovisual no Rio Grande do Sul. Um dos principais foi o lançamento do edital de finalização para longas-metragens, uma iniciativa que vai estimular ainda mais a produção de filmes gaúchos. O diretor do Instituto Estadual do Cinema (Iecine), órgão ligado à Secretaria Estadual da Cultura, Luiz Alberto Cassol, falou com entusiasmo sobre esta iniciativa, apresentada durante a mostra de cinema na Serra e, a partir daí, acredita na continuidade do crescimento do cinema gaúcho. O edital tem um valor total de R$ 1,5 milhão, sendo que cada projeto poderá solicitar no máximo R$ 150 mil para finalização. Cassol também lembra que o prêmio chega em um momento importante para a instituição, já que o Iecine está completando 25 anos e foi criado justamente para fomentar políticas públicas e pensar estratégias para o desenvolvimento do setor. Projetos estacionados Um dos maiores problemas nas produções cinematográficas é justamente a fase da finalização, segundo Cassol, e a falta de recursos deixa os projetos estacionados. O anúncio do edital, desta forma, atende a uma reivindicação dos cineastas gaúchos e das entidades que os representam, pois pelo menos dez filmes no Estado estão há muito tempo em fase de finalização, faltando muito pouco para chegarem às telas dos cinemas. “O desenvolvimento do audiovisual gaúcho é um assunto que entusiasma o governador Tarso Genro, tanto que isso sempre fez parte do seu plano de governo”, afirma o diretor do instituto. Para Cassol, o edital faz parte de uma visão sistêmica para o desenvolvimento do setor. Com estes filmes prontos, acrescenta, o Estado voltará a ocupar um lugar importante no cenário da produção nacional e internacional. Entre as contrapartidas solicitadas pelo governo do Estado, o filme deverá ser inscrito em festivais brasileiros e também em competições internacionais de pelo menos cinco países diferentes, além de estar disponível em cópias DVD com legendas em inglês e espanhol. As inscrições já estão abertas e o edital está disponível no site da secretaria www.cultura.gov.br.

50

Revista Expansão

Setembro/2011

Cassol comemora a a possibilidade de finalizações para produções gaúchas

Mostra do Mercosul Outro assunto importante para a produção audiovisual discutida durante o 39º Festival de Cinema de Gramado foi a parceria que vai resultar na primeira Mostra de Filmes Contemportâneos Uruguaios e do primeiro Seminário de Produção e Cooperação Cinematográfica do Mercosul. As duas atividades ocorrem de 8 a 13 de setembro na Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre. Foram confirmadas as participações de convidados da Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil no seminário, que será realizado nos dois primeiros dias do encontro – 8 e 9 de setembro – e vai incluir uma mesa sobre TV Digital. Os dois diretores também acertaram que Iecine e o Instituto del Cine y Audiovisual del Uruguay (Icau)assinarão um termo de cooperação de integração audiovisual entre o Rio Grande do Sul e Uruguai. A mostra de filmes terá pelo menos seis longas-metragens uruguaios.


Revista Expans達o

Setembro/2011

51


Reportagem especial

Epilepsia uma descarga de conhecimento Por Vera Fernandes | Fotos: Divulgação

Saiba mais sobre este mal que acomete 1,8 milhão da população brasileira e que já pode ser curado pela cirurgia, mas há demanda muito reprimida

M

ilhares de anos se passaram desde os primeiros registros da epilepsia. De lá para cá, a medicina evoluiu e traz esperança, por meio da cirurgia, para milhares de pessoas que ainda sofrem deste mal. Chamada de doença sagrada pelos gregos, na antiguidade; e atribuída à entidades maléficas que se apoderavam do corpo das pessoas, na concepção dos antigos egípcios, a epilepsia, também associada por muitos à genialidade, já foi o estigma de grandes nomes da humanidade, como Isaac Newton, o pintor Vincent Van Gogh, os escritores Fiodor Dostoievski e Machado de Assis, o filósofo Sócrates, o imperador Júlio César, Maomé e Napoleão Bonaparte. No Brasil, estima-se que a epilepsia atinja 1% da população, ou seja, cerca de 1,8 milhão de pessoas. Deste total, 30% são passíveis de cirurgia, realizada com o custeio do Sistema Único de Saúde (SUS) em centros credenciados pelo Ministério da Saúde. Em contraste às evoluções registradas pela medicina, a epilepsia carrega ainda hoje algumas mazelas de preconceito, em geral em função da desinformação. Por outro lado, traz a esperança de cura para pacientes que se submetem à cirurgia. No Hospital São Lucas, da Pontifícia Universidade Católica (PUC/RS), em Porto Alegre (RS), uma equipe de médicos e profissionais da saúde é o retrato desta esperança. A casa de saúde é uma referência no Brasil. Lá, são realizadas entre 90 e 110 cirurgias por ano, em pacientes oriundos do Estado e do resto do País. Por outro lado, médicos e entidades que buscam a cura da epilepsia ainda lutam pela conquista de um apoio governamental que consideram justo para alcançarem o sucesso desta causa. As conquistas dos subsídios para a cirurgia pelo governo federal, comemoradas em 1994, hoje estão só na lembrança das equipes médicas, que voltaram a lutar por remunerações justas. Da Esplanada dos Ministérios, o governo anuncia grandes investimentos, mas não se manifesta sobre a reclamação dos médicos. Um passeio pelo Hospital São Lucas retrata a esperança não só dos pacientes, mas de seus familiares e da própria equipe médica, que investe todo seu conhecimento, há 20 anos, pela cura da epilepsia. Um destes pacientes, Marcelo do Amaral, 30 anos, comemorou no início de julho, de uma forma muito especial, dez anos sem crises. Ele se aventurou em uma ultramaratona, percorrendo 82 quilômetros na Serra Catarinense. É o exemplo de superação e a certeza de que vale a pena ter esperança.

52

Revista Expansão

Setembro/2011


Não é doença, é sintoma

O neurocirurgião Eliseu Paglioli, que integra a equipe de profissionais do Programa de Cirurgia da Epilepsia do Hospital São Lucas, da PUC/RS, e que foi o responsável pela cirurgia do ultramaratonista Amaral, explica que a epilepsia não é uma doença, mas um sintoma. “Assim como uma febre, pode ser sintoma de várias doenças, e cada uma tem curso independente. O que dificulta ou facilita a possibilidade de cura é o tipo de patologia que causa a epilepsia, a localização do foco, e a idade do paciente”, explica. Entre elas, diz o especialista, estão problemas circulatórios (vasculares) cerebrais, tumorais, traumáticos, congênitos, genéticos (que não são os casos cirúrgicos) e algumas de causa ainda desconhecida. Para entender a crise epiléptica, o diretor-científico do programa, neurologista André Palmini, explica o que acontece durante uma crise. “Nosso cérebro funciona eletricamente. Cada célula (neurônio) produz sua eletricidade dentro de um nível específico, nem mais, nem menos, mas o suficiente para funcionar.” Sempre que tiver algum insulto ao cérebro, continua o neurologista, que desorganize este controle elétrico da célula, a eletricidade que ela produz pode aumentar muito e provocar uma crise epiléptica, então qualquer coisa que afetar o funcionamento dos neurônios cerebrais vai poder ter como manifestação a epilepsia. “Basta haver um insulto para aquela região do cérebro se tornar um foco epiléptico”, explica.

Como socorrer em uma crise Os sintomas da epilepsia podem incluir confusão temporária, ausência, movimentos musculares descoordenados, completa perda da consciência, dificuldades para falar, mudanças nas emoções ou em questões sensoriais, como paladar, olfato, visão e audição e ainda vertigens. Para socorrer um paciente com uma crise, é preciso protegê-lo de quedas, retirando objetos perigosos de sua passagem; abrindo gravatas e colarinho. Quem for auxiliar não deve tentar segurar ou imobilizar o paciente, nem tentar fazer com que recobre a consciência gritando ou chacoalhando. É importante colocar a pessoa de lado, para que não se engasgue com a própria língua, e fundamental afastar curiosos, para evitar constrangimentos do paciente quando recobrar a consciência. É importante também nunca colocar objetos (toalhas, guardanapos) na boca da pessoa com uma crise, para evitar sufocamento.

Revista Expansão

Setembro/2011

53


Reportagem especial

Do que depende o sucesso de uma cirurgia O que torna a cirurgia possível e eficaz é a localização do foco da epilepsia. Conforme Palmini, para operar um paciente, é preciso saber de onde se originam as crises no cérebro. “É avaliar um paciente que tem epilepsias graves, que não controlam com a medicação e colocá-los ao longo de um leque de possibilidades”, explica. Neste contexto, segundo ele, existem situações em que se localiza com facilidade um foco, que uma cirurgia relativamente simples pode vir a resolver, e outras, onde há maior dificuldade, onde é impossível localizar, e até situações em que não existe um foco específico. “O importante é interpretar adequadamente estes dados para saber se o paciente pode ser ou não operado e que chances ele vai ter, e isso envolve um trabalho multidisciplinar”, afirma. De acordo com Palmini, as pesquisas que vêm sendo desenvolvidas em cirurgia da epilepsia estão mais centradas em aperfeiçoar tecnologias justamente para esta investigação, que vai proporcionar a precisão do procedimento. Só depois de localizar o foco da epilepsia é feita a cirurgia. Este trabalho de rastreamento é feito através de um monitoramento do paciente por eletroencefalograma (EEG), com eletrodos aplicados ao couro cabeludo, em que o paciente fica hospitalizado, pelo tempo que for necessário, até que

tenha uma crise. Ela precisa acontecer para que os médicos façam a identificação do foco no cérebro e isso pode durar dias, semanas, ou até mais. Só depois é encaminhada a cirurgia. No procedimento, é retirada uma parte do cérebro. “Se essa parte é doente, ela já não está tendo função nenhuma. Mas, por outro lado, se é uma parte em funcionamento, pode ficar alguma sequela”, revela Paglioli. Nestes casos, é feita uma avaliação de custo-benefício. “Cada caso é discutido com a família e com o paciente, porque para ter um benefício, sempre vai haver um risco”, conta Palmini. Segundo o neurocirurgião, os riscos de complicações em uma cirurgia da epilepsia giram em torno de 0,5%. Já os percentuais de sucesso do procedimento cirúrgico dependem do local de onde vêm as crises e da doença causadora do sintoma. “Temos melhor resultado nas epilepsias do lobo temporal, que por sorte são as mais comuns, e que tem a chance de cura entre 70% e 80%”, informa. Nestas situações, se enquadram doenças como a esclerose do hipocampo, a má-formação vascular e as lesões pós-traumáticas. Os mais complicados, segundo ele, com menor percentual de chance de cura são as displasias ou lesões congênitas, ou quando é preciso tirar um lado inteiro do cérebro.

Foto: Vera Fernandes/Especial

A equipe do Programa de Cirurgia de Epilepsia do Hospital São Lucas, de Porto Alegre

O importante é interpretar adequadamente estes dados para saber se o paciente pode ser ou não operado e que chances ele vai ter, e isso envolve um trabalho multidisciplinar.

54

Revista Expansão

Setembro/2011

Uma fila de 48 anos Um estudo do neurocirurgião Ney Artur Azambuja também integrante da equipe Programa de Cirurgia da Epilepsia do Hospital da PUC/RS -, apontou que, considerando o percentual de 1% dos brasileiros com epilepsia, e destes, 30% passíveis de cirurgia, utilizando-se os centros que existem no Brasil atualmente, seriam necessários 48 anos para operar todos os pacientes. “Isso trabalhando todos os dias da semana, inclusive sábados e domingos”, destaca.


A primeira cirurgia foi em 1991 O Programa de Cirurgia da Epilepsia do Hospital da PUC/ RS, em Porto Alegre, fez a primeira cirurgia em janeiro de 1991. Desde então, cerca de 1,7 mil pacientes já foram operados, e não só gaúchos, mas residentes em todo o Brasil. Este procedimento é feito via programa Tratamento Fora do Domicílio (TFD), do SUS, com o deslocamento subsidiado pelo Ministério da Saúde. Segundo o diretor-científico do programa, o neurologista André Palmini, no caso de pacientes de outros Estados, as avaliações são feitas por uma central em Ribeirão Preto (SP). A agenda do programa TFD está lotada até o final de 2012. De fora do Estado, são cerca de quatro cirurgias por mês. Dos pacientes do RS, são mais de 200 na lista de espera.

Crise na tabela do SUS Cerca de 90% das cirurgias realizadas pela equipe de Palmini são via SUS. Segundo o nerocirurgião Eliseu Paglioli, integrante da equipe, nos primeiros três anos em que se realizaram cirurgias na PUC não havia subsídios pelo SUS. Ele conta que em 1994, a partir de uma grande luta da Liga Brasileira de Epilepsia (LBE), o governo federal criou uma tabela especial para o pagamento do tratamento da cirurgia, nos mesmos moldes da tabela dos transplantes. “Às vezes o doente fica internado aqui um mês, porque temos que captar uma crise e isso não é fácil. Temos que ficar registrando pelo eletroencefalograma até pegar a crise, ela tem que acontecer, e isso custa caro”, argumenta o neurocirurgião. Esta tabela, criada pelo governo em 94, registrou uma remuneração que o médico considerou justa. “Nada de mais, mas adequada”, considerou. Conforme Paglioli, naquele período foram criados aproximadamente oito centros de cirurgia de epilepsia no País.

Às vezes o doente fica internado aqui um mês, porque temos que captar uma crise e isso não é fácil. Temos que ficar registrando pelo eletroencefalograma até pegar a crise, ela tem que acontecer, e isso custa caro.

A redução nos subsídios A tabela de remuneração citada por Paglioli vigorou até novembro de 2007, quando o governo federal publicou a Portaria 2.848/07. Conforme o médico, a mudança reduziu substancialmente os valores pagos pelo SUS, especialmente no que diz respeito ao diagnóstico. “Até 2007, existiam dois códigos de remuneração via Autorização de Internação Hospitalar (AIH). Um código era para a Exploração Diagnóstica da Epilepsia, referindo-se a todo o trabalho de investigação realizado pelos neurologistas; e o outro era para Tratamento Cirúrgico da Epilepsia, referindo-se aos honorários dos profissionais neurocirurgiões que faziam os procedimentos. “Depois da portaria, o código de Exploração Diagnóstica da Epilepsia foi substituído pelo código de Exploração Diagnóstica pelo Vídeo-eletroencefalograma com ou sem uso de eletrodo de profundidade, com uma redução de valores de honorários de aproximadamente 70%”, explica. Segundo ele, nesta portaria não foram discriminados os diversos tipos e dificuldades na investigação dos pacientes epilépticos. “Eles nivelaram por baixo, pelos casos mais simples”, argumenta Paglioli, afirmando que agora, poucos centros querem atender estes pacientes, e acabam encaminhando para a PUC pacientes do Piauí, Ceará e Pará, por exemplo.

Revista Expansão

Setembro/2011

55


Reportagem especial DIREITO O pedido de socorro De acordo com o nerocirurgião Eliseu Paglioli, os códigos de cirurgias também foram atualizados, e por sua sugestão ao ministério, foram subdivididos em nove outros códigos, cada um representando um tipo específico de cirurgia. Assim não ocorreram reduções nos honorários cirúrgicos. Ainda em 2007, diversos centros e entidades representativas enviaram ao então ministro da Saúde José Gomes Temporão, um documento solicitando sua reflexão sobre uma série de questões, entre elas, a redução do subsídio citada por Paglioli e a falta de rigor no credenciamento de novos centros pelo País. Conforme o médico, desde o encaminhamento do documento, em 2007, nada foi feito para resolver estas questões. O documento ainda revela dados como a demanda anual de cirurgias, que chega a 4 mil pacientes por ano. Destes, os centros credenciados pelo Ministério da Saúde davam conta, juntos, de cerca de 600 cirurgias

por ano, número que foi reduzido depois da portaria. “O interesse do médico é tratar o doente, a gente estuda e se dedica totalmente a isso, mas tem que ter uma remuneração que justifique este esforço”, explica. Sem respostas para as dúvidas O Ministério da Saúde foi procurado há dois meses. Todos os dados das reclamações dos médicos foram repassados ao órgão, inclusive com cópia do documento elaborado pelos centros de tratamento da epilepsia e entidades e encaminhado ao então ministro Temporão. O retorno foi dado pela assessoria de imprensa, que repassou valores investidos nos procedimentos e aumentos nos números de cirurgias. Sobre a redução nos subsídios para a exploração diagnóstica da epilepsia nada foi declarado, apesar dos vários contatos feitos após o recebimento do material. Segundo o ministério, hoje são 29 unidades habilitadas para atender estes pacientes pelo SUS. Ainda conforme informações recebidas do órgão, em 2010, foram repassados R$ 2,6 milhões para a realização de 496 cirurgias de epilepsia.

Os casos dos pacientes

Silva e Fabiane têm planos para o futuro

56

Revista Expansão

Setembro/2011

Fotos: Vera Fernandes/Especial

A entrevista com a equipe técnica do Hospital da PUC sobre a epilepsia foi feita em 19 de julho. Na ocasião, foi possível entrevistar pacientes e saber um pouco de suas histórias, o caso de cada um, o que eles passam e enfrentam, quais seus medos e suas angústias. Fabiane Ádila de Andrade Silva é de Caxias do Sul (RS), tem 26 anos, é casada e tem um filho de cinco anos. Ela estava internada há quatro dias em monitoramento, na data da entrevista. “Comecei a ter crises com cinco anos, agora, tenho em um ou dois dias por semana, mas quando acontece, fico o dia inteiro em crise”, relata. O marido, Gustavo da Silva, ao seu lado, demonstra esperança e força. “Temos planos para o futuro”, disse ele. “Quero sair daqui curada e seguir em frente, começar do zero, com minha família”, acrescentou Fabiane. Oito dias depois ela realizou a cirurgia. Ao todo, foram 18 dias no hospital até a alta hospitalar.


Zago, Greice, Azambuja, Igor e Clarissa

Ainda na UTI Pediátrica, Igor Borsai Zago, de 10 anos, se recuperava da cirurgia feita no dia anterior. A visita do neurocirurgião responsável pela operação, Ney Artur Azambuja trouxe sorrisos aos lábios do garoto. O médico estava acompanhado pela residente Clarissa Vanacor e pela pediatra Greice Birck. O pai, Valdir Jacinto Zago, agricultor de Carlos Barbosa, disse que as crises começaram a ser observadas em Igor em seus três anos. “Algumas semanas ele não tinha crise, em outras, tinha todos os dias. Quando surgiu a possibilidade de operar, largamos tudo e viemos para cá”, conta o pai, que diz agora esperar apenas que o único filho melhore para voltarem logo para casa. Segundo o médico, a cirurgia de Igor, que foi internado em 21 de junho e ficou 40 dias no hospital, durou cerca de seis horas e suas chances de cura são altas. A mãe do menino, Odete Borsai Zago, conta que foram 12 meses de espera até a cirurgia. O casal, contatado novamente em 23 de agosto, diz que Igor se recupera bem, e que as esperanças de cura estão cada vez maiores.

A jovem Patrícia Lopes de Oliveira, 15 anos, moradora de Venâncio Aires, é paciente do neurocirurgião Eliseu Paglioli. Com sua simpatia, conquistou toda a equipe. A cirurgia havia sido feita há sete dias da reportagem realizada em julho deste ano. Prestes a receber alta, a menina contou que está na 8ª-série, e que perdeu um ano em função das crises, que começaram aos 5 anos. “Nos últimos tempos é que piorou, passou a ser todo dia”, conta a menina, que quer ser massagista no futuro. Segundo ela, quando surgiu a possibilidade de realizar a cirurgia, só pensou “vou me livrar disso”. Ainda assim, conta, tive medo de morrer. “Não contei para minha mãe, senão ela ia chorar, eu sei. Mas tive fé em Deus, confiança nos médicos, e coragem”, diz. “Fiquei chocada, mas pensei: se é para o bem dela, vamos fazer. E ela não se importou nem com os cabelos compridos que perdeu. A coragem dela me deu coragem também”, conta a mãe, Celoni Lopes de Oliveira.

Celoni e Patrícia: fé em Deus e nos médicos

Revista Expansão

Setembro/2011

57


Reportagem especial

Vinte anos de crises, e dez de cura

Para um paciente de epilepsia, muitas vezes, o mais difícil é ser paciente. Afinal, é preciso lidar também com o preconceito e as limitações. Talvez por isso dez anos sem crise mereçam uma comemoração especial. Foi assim para o profissional de comunicação hamburguense radicado em São Paulo, Marcelo do Amaral, 30 anos, que sofreu com uma epilepsia de difícil controle até os 20. Em 2001, ele passou por uma cirurgia no Hospital São Lucas, da PUC/ RS. Em julho, comemorou, correndo, dez anos sem crise, e cinco sem medicação.

O bulling e as estratégias contra o preconceito Segundo Amaral, na escola, compartilhava a explicação médica, de que tinha uma lesão do tamanho de uma bola de pingue-pongue no cérebro. “Eu repicava essa informação para explicar as crises que tinha durante as aulas. Meu apelido ficou ‘bolinha de pinguepongue’, e só era utilizado para me rebaixar”, recorda. “Enquanto alguns familiares acreditavam que eu era incapaz de fazer muitas coisas por conta da epilepsia, meus pais sempre afirmaram que eu era normal e poderia fazer tudo”, revela. Para Amaral, a noção da importância disso ele teve quando chegou ao hospital para a cirurgia. “Os outros pacientes não haviam feito metade das coisas que fiz”, lembra.

Vida normal e a ultramaratona Amaral sempre praticou tênis, futebol, basquete, vôlei, capoeira, surfe, natação. “A ultramaratona, corrida com mais de 50 quilômetros, foi despertada depois de assistir a uma reportagem sobre Valmir Nunes, considerado o maior ultramaratonista do País. Descobrir que uma pessoa é capaz de correr 100 quilômetros ou mais foi inspirador”, conta o jornalista. Ele também revela que a epilepsia não interferiu em nada em sua formação. “No caso da minha formação em Jornalismo, não fez diferença nenhuma, uma vez que prestei vestibular seis meses depois da cirurgia, quando as crises já haviam cessado completamente”, diz.

A virada e a cura Antes da cirurgia, Amaral consumia 2.200 miligramas de medicação diária. Ele conta que tinha crises quando estava cansado, quando vinha de uma sequência de noites de sono desregrado ou não tomava a medicação no horário correto. Sua história começou a mudar depois que exames feitos na PUC, vieram com uma avaliação do neurocirurgião Eliseu Paglioli, sugerindo extrair a lesão com cirurgia. “Foi um alívio e ao mesmo tempo uma surpresa. Cheguei em casa, coloquei uma música em um volume absurdo e comecei a pular dentro do quarto, soltando toda uma raiva que eu sentia sei lá pelo quê. A proximidade da solução fez eu ter ciência de que fiquei 20 anos brigando com algo que eu jamais conseguiria controlar. Era operar ou manter as coisas como estavam. Não havia meio termo”, completa.

O relato da ultramaratona Por Marcelo do Amaral

58

Revista Expansão

Setembro/2011

Nesse momento, eu havia percorrido 80 quilômetros. Já estava completamente escuro, a chuva persistia e o Paulinho, um dos amigos de apoio e conhecedor dos Aparados, informou que ali havia pumas, e eles, em habitat natural, podem atacar pessoas, o que tornaria a corrida perigosa tanto para o meu apoio, como para mim. Percebi que ele falou sério. Então, questionei: estou aqui com a minha família e meus amigos, já percorri mais de 80 quilômetros por um caminho que jamais alguém fez correndo e tenho toda a certeza do mundo de que, um dia, com mais segurança, posso retornar aqui e completar esse caminho. Pensei: ‘vou parar, ir para a pousada e comemorar com todos’. Quando entrei no carro e pedi que fôssemos para a pousada, percebi que o principal objetivo desse desafio foi fazer as pazes com o meu passado, e entender que nunca precisei e nem preciso provar nada para ninguém. Foram necessários apenas 82 quilômetros, correndo sozinho, e não 150, para aceitar que o que aconteceu comigo foi uma simples cura. Ainda tenho um longo caminho pela frente para criar minha obra prima definitiva, sem pressa e sem a necessidade de recuperar aquilo que eu pensava, por muito tempo, ser um período nebuloso da minha vida.”

Divulgação

A corrida pelos Aparados da Serra catarinense foi uma comemoração. Diferente das provas que das quais participo, com pódio, vencedores, medalhas e prêmios, essa era para celebrar dez anos da cirurgia que havia, digamos, resolvido meu maior problema. Fui de coração aberto. Além das minhas pernas e roupas apropriadas para encarar o frio da serra, me acompanharam em um carro de apoio, dois amigos e meu irmão. Iniciei a corrida às 5h30min em São João do Sul, solo catarinense. Os primeiros 15 quilômetros passaram rápido. Na Serra do Faxinal, porta de entrada dos Aparados, comecei a sentir o que seria o restante. Uma subida ininterrupta de 15 quilômetros, que levei quase 2h30min para concluir e em seguida, subidas e descidas por coxilhas até cumprir o primeiro terço do desafio: Cambará do Sul. Ao chegar a Cambará, havia percorrido mais de 50 quilômetros, em sete horas. Então a chuva começou a apertar, com frio e neblina. A visibilidade estava baixa e as estradas de chão batido, tomadas de barro. Ainda em Cambará, troquei de tênis, pois os pés estavam inchados e completamente embarrados. Já eram três horas da tarde e eu havia feito 70 quilômetros. O sol começou a cair. Eram 17h30min e praticamente noite. Nesse momento, minha ideia daquela corrida começou a mudar. Bastante diferente das demais corridas, em que há uma disputa, ali eu estava completamente desencanado de buscar um resultado. A medalha eu havia ganhado há dez anos. Correr para comemorar foi a forma que encontrei para não perder de vista meu passado, de como ele influenciou as minhas escolhas e ajudou a compor o presente.

Amaral percorreu 82 quilômetros na ultramaratona


tudo pelo social

Ajudar faz muito

bem

Estudantes do Sinodal da Paz, de Novo Hamburgo (RS), participam de ações voluntárias nas entidades sociais

Fotos: Divulgação

P

elo segundo ano, os alunos do ensino médio do Colégio Sinodal da Paz, do bairro Industrial, e, Novo Hamburgo (RS), estão dando bons exemplos de solidariedade. São 20 estudantes que participam por vontade própria do Projeto Voluntários da Paz, atuando na Associação dos Lesados Medulares do RS (Leme), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Lar de Idosos Pereira Born, Lar de Idosos Anjos da Vida, Escola de Educação Infantil da Paz e Ação Encontro. A Associação Beneficente Evangélica da Floresta Imperial (Abefi) é mantenedora do colégio. De acordo com o professor Darci Feijó Neto, coordenador do projeto e educador do Sinodal da Paz, e conhecido como Xico, os alunos voluntários se envolvem muito com as pessoas nas entidades em que atuam, não apenas com os atendidos, mas com outros voluntários, funcionários e com os que frequentam as instituições. “Eles realizam qualquer atividade necessária. Auxiliam na parte das secretarias, limpeza, organização de biblioteca, em atividades esportivas e recreativas. Também conversam, ouvem e contam histórias, principalmente no Lar dos Idosos”, diz Xico.

Boa sensação Mariane Kerber, 15 anos, conta que a sensação de estar ajudando o próximo é muito boa. No ano passado, ela trabalhou tocando violão, cantando, servindo refeições e brincando com as crianças da Escola de Educação Infantil da Paz. “Neste ano, trabalho na campanha para a arrecadação de materiais para o lar de idosos. O trabalho voluntário mudou minha visão sobre o mundo e as pessoas. Cada segundo valeu a pena e me senti bem por ajudar e fazer parte da vida e do crescimento daquelas crianças”, diz ela. O coordenador do projeto explica que tudo iniciou com um seminário, que ocorreu em maio, no colégio, onde representantes das entidades palestram sobre o trabalho que cada uma realiza. “Assim despertaram nos alunos a vontade de ser um voluntário e ajudar sem ganhar nada em troca. E a experiência é muito boa para eles”, destaca Xico. “Desperta a sensibilidade e o respeito pelas pessoas”, complementa o professor. No final do ano, os voluntários receberão um certificado de reconhecimento pelos trabalho prestados voluntariamente realizados uma vez por semana nas entidades sociais participantes do projeto.

Revista Expansão

Setembro/2011

59


Educação

Reprovar,

para quê? Por Aline de Melo Pires

Está aberta a discussão sobre a resolução 7, do Conselho Nacional de Educação, que propõe acabar com a repetência nas séries iniciais do Ensino Fundamental

U

m assunto tem sido cada vez mais recorrente nas rodas das comunidades escolares, pelo menos, no Estado. A resolução número 7 do Conselho Nacional de Educação tem provocado reflexão e inspira uma postura ainda mais consistente do professor em sala de aula. A proposta é diminuir a incidência de um dos mais tristes e traumáticos problemas quando o assunto é a educação: a reprovação e a repetência. E é com esta reflexão que damos início à série Educação deste ano. Até dezembro, você vai conferir trabalhos com a temática que propõem um amplo debate sobre um dos mais importantes suportes de nossa sociedade: a educação.

60

Revista Expansão

Setembro/2011

Com base na resolução número 7, as crianças que entrarem no Ensino Fundamental, a partir do primeiro ano, até o terceiro, não serão reprovadas. De acordo com a coordenadora adjunta da Coordenação de Gestão de Aprendizagem da Secretaria Estadual da Educação, Maria de Guadalupe Lima, a medida, chamada de progressão continuada, objetiva garantir o aprendizado e o conhecimento, sem a questão da reprovação como fator de baixa da autoestima e da credibilidade em si próprio por parte do estudante. Ainda como uma proposta, a progressão continuada deverá funcionar em todos os sistemas de educação até 2013, até lá, a discussão está aberta. Confira o que vem sendo feito para que este debate seja o mais justo e adequado possível, em todos os sistemas de ensino.


Conscientização Segundo Guadalupe, esta é uma proposta que já vem sendo aplicada de maneira informal nas escolas da rede estadual de ensino e um forte trabalho de conscientização que está sendo desenvolvido junto a todos os professores gaúchos. No ano passado, diz ela, 74 mil crianças, em todo o País, foram reprovadas no primeiro ano do Ensino Fundamental. “Reprovação é um golpe na autoestima. Escola é para ensinar e não para reprovar”, diz. De acordo com Guadalupe, a partir do momento em que se combater a reprovação e a repetência nas três séries iniciais, haverá uma espécie de efeito cascata, e a ocorrência tende a diminuir no restante do currículo escolar.

Conhecimento Entretanto, as três redes de ensino – além da estadual, a privada e as municipais – já têm conhecimento desta resolução e, ainda que de forma incipiente, buscam a melhor aplicação. “Até por que se trata de um assunto que deve ser amplamente discutido pela sociedade”, completa Guadalupe, com base no relatório organizado pelo Conselho Estadual de Educação em resposta aos questionamentos encaminhados a partir da resolução número 7. “Este conselho entende que seria precipitada qualquer determinação ao sistema para o início do próximo ano letivo, dadas as circunstâncias de férias de alunos e professores e a possibilidade de planejamento já elaborado para 2011, além da necessidade de um estudo mais aprofundado das diretrizes, pelo colegiado, bem como a discussão com a comunidade escolar e a sociedade”, aponta o relatório, elaborado no início deste ano. Para a professora e doutora em Educação Ivany Souza Avila, é importante ressaltar que o projeto é de que os três anos iniciais devem assegurar e garantir a alfabetização; letramento – o pleno conhecimento das letras – ; o desenvolvimento das múltiplas formas de expressão, incluindo diferentes linguagens, dentre estas, a música, há muito abandonada nas escolas, e a inclusão de outras áreas do conhecimento, que já fizeram parte dos currículos.

Anseios dos educadores Ela destaca ainda, a importância da continuidade da aprendizagem e os prejuízos que a repetência pode causar em toda vida escolar. “Penso que o proposto nas diretrizes nacionais representa o que há muito, nós, educadores, temos defendido, tanto em produções acadêmicas individuais, quanto nas diferentes instâncias de representação educacional no País”, complementa Ivany, que é professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e consultora do Programa Mais Educação do Ministério da Educação. A pergunta, segue Ivany é: reprovar pra quê? O questionamento dela está embasado no ciclo de aprendizagem. Do ponto em que o aluno é reprovado, no ano seguinte ele voltará a aprender do ponto em que parou ou volta ao começo? A reflexão de Ivany leva a entender que a partir da primeira repetência tem-se início um ciclo no qual o aluno pouco aprende e tende a ser reprovado mais vezes no decorrer de sua vida escolar.

Divulgação

Revista Expansão

Setembro/2011

61


Educação

Promoção automática

Tempo e continuidade

De acordo com Ivany, a ideia de ciclo, de bloco de alfabetização e de letramento, a progressão continuada, enfim, não pode ser confundida com promoção automática, ou seja, de passar o aluno adiante sem saber se ele aprendeu ou não, mas com a possibilidade de o aluno continuar, de que se possam promover avanços, considerando os diferentes momentos de aprendizagem em que se encontra cada estudante ou grupo de alunos. “A ideia mestra aqui é continuidade, como se não houvesse um ano letivo que termina e um outro que começa. Muda-se o olhar, transforma-se o conceito de tempo, os espaços e os tempos são de ensinar e de aprender, avançar, progredir em um movimento crescente”, destaca a doutora, ao propor a mudança de conduta. A professora e coordenadora de Pesquisa do Grupo de Pesquisas Sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação (Geempa), Esther Pillar Grossi, defende outra forma de acabar com reprovação. Claramente contra a resolução número 7, ela diz que é inadmissível que o aluno leve três anos para ser alfabetizado. Há alternativas, diz, para a aprovação e acima de tudo para a alfabetização já no primeiro ano, com o mesmo empenho e dedicação do professor. No entendimento de Esther, contar com três anos para alfabetização é algo que só vai beneficiar os filhos de famílias com boas condições financeiras, que já chegam à escola com alguma noção de leitura e conhecimento, pois têm acesso aos mais diversos e modernos meios de comunicação.

Ivany, por sua vez, rebate ao afirmar na importância do entendimento de que todos os profissionais são responsáveis pela alfabetização das crianças e que estas, na sua maioria, têm condições de alfabetizar-se em um ano letivo. No entanto, algumas destas crianças, prossegue, precisarão de mais tempo e esse tempo será o da continuidade do segundo ano, enquanto os outros estarão também avançando em seus conhecimentos e “intercambiando” saberes. A integração com outros estudantes, de acordo com a doutora, servirá também para intensificar o acesso à aprendizagem. Desta forma, colegas e professores, também participam do processo de quem outrora apresentou dificuldade em aprender. Neste ponto, a educadora da Ufrgs faz uma referência aos trabalhos de estudiosos como Emília Ferreiro e Ana Teberosky que, de acordo com ela, apresentam importante contribuição para que se entenda o processo de construção da escrita pelas crianças, demonstrando que elas são facilmente alfabetizáveis. “Entendo como necessário que esses estudos sejam retomados pelas escolas e que os professores sejam permanentemente investigadores do processo de construção de conhecimento e produção de saberes de seus alunos, entendendo avaliação como processo de investigação constante que direciona e orienta o planejamento”, observa Ivany, ao salientar que a avaliação deve estar a serviço da aprendizagem e não de categorizações que levam à reprovação, repetência e exclusão da escola, como o sistema de notas, por exemplo.

m u é o ã ç a Reprov a. m i t s e o t u a golpe na ar e n i s n e a r a Escola é p ovar. r p e r a r a nãoaluppe) (Guad

62

Revista Expansão

Setembro/2011


Mecanismo da retenção Oficialmente, diz a coordenadora adjunta, o Estado ainda utiliza o mecanismo da retenção, ou seja, o aluno que não alcança a média necessária para sua aprovação, está condicionado à repetência no ano seguinte, como sempre foi. “Mas a gente percebe, de uma forma bem discreta, mas não menos comprometida, a proposta do professor de fazer com que o aluno em sala de aula realmente aprenda o conteúdo e não seja reprovado”, sinaliza Guadalupe. Uma das maiores preocupações, segundo ela, é justamente a de não fazer parecer que o aluno será aprovado para o ano seguinte sem ter aprendido o que foi proposto em sala de aula. “A retenção não produz aprendizado, produz exclusão”, afirma Guadalupe.

Otimistas O grupo formado por coordenadoras pedagógicas e direção da Escola Municipal Ayrton Senna, de Sapiranga (RS), se mostra aberto e otimista a esta nova possibilidade. Entretanto, ao mesmo tempo, eles se dizem muito preocupados com o comprometimento do professor em sala de aula. “Vemos isso tudo com bons olhos, mas é fundamental que não se fique somente na teoria, é importante, é básico, que os professores passem por uma reformulação de métodos e conscientização para realmente garantir o aprendizado do aluno que vai passar de ano”, considera a coordenadora pedagógica das séries iniciais, de primeiro ao quinto ano do Ensino Fundamental da Ayrton Senna, Adriana Matiazzi. “Esperamos que com isso o aluno saia destas três primeiras séries, do primeiro ao

Assessoria de Comunicação e Marketing IENH

Estatísticas Por meio do parecer 194/2011 do Conselho Estadual de Educação, há liberdade de escolha às mantenedoras, no que se refere à rede particular de ensino. “Aprendi com os americanos que a escola não esta aí para dar bomba nos seus alunos. Isso quer dizer, a reprovação é sempre assunto doloroso e indesejável, especialmente nas séries iniciais”, observa o presidente do Sindicato do Ensino Particular do Rio Grande do Sul (Sinepe/RS), Osvino Toillier. “Há, porém, diferença em determinar isto e envidar todos os esforços pedagógicos para que isto não aconteça. Temo que novamente estejamos empenhados em estatísticas, e as crianças na verdade não sejam preocupação de melhor aprendizagem. É sempre assim: de um extremo, com alta reprovação, salta-se para o outro extremo: nenhuma reprovação”, completa o professor. Ele destaca, com satisfação, a abertura dada pelo Conselho Estadual de Educação. Admitir ou não a reprovação, salienta o presidente, ao reiterar: “fora disso, é interferência inaceitável!”

o

açã

ulg

Div

terceiro ano, realmente com o domínio da leitura e da escrita”, completa a coordenadora pedagógica do quinto ao oitavo ano, Isabel Cristina Kaufmann. Por outro lado, a vice-diretora da escola, Luísa Regina Haag, destaca a importância da supervisão ao trabalho do professor.

IENH: 180 anos à frente do seu tempo! A tradição de 180 anos da IENH em educação é marcada pela inovação e pioneirismo. Cada passo é dado com o objetivo de promover um ensino que permaneça para a vida toda e perpasse gerações.

1832

Primeira escola de Novo Hamburgo

Única Instituição da região com Currículo Bilíngue Primeira Instituição da região com Currículo de Tempo Integral

Novas tecnologias como inovação nas práticas pedagógicas

2012

Você na IENH! Intercâmbios nacionais e internacionais

Currículo por Projetos

Alunos, da esquerda para direita: Martina Daudt, Gabriela Lampert e Alan Dietrichkeit

www.ienh.com.br/educacaobasica - ienh@ienh.com.br - 51 3594 3022

MATRÍCULAS ABERTAS!

Educação Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio

!

a heç Con bém tam

e icos Técne IENH s o s Cur culdad a Fa

siga | adicione | compartilhe

Revista Expansão

Setembro/2011

63

ienh.com.br/redessociais


Foto: Aline de Melo Pires

Educação

Isabel, Adriana, Luisa e Otacílio, grupo unido para combater o fantasma da reprovação

Preparação A coordenadora adjunta, Guadalupe, da Secretaria Estadual da Educação, ressalta que entre 24 de maio e 13 de julho, vários seminários foram promovidos em todo o Estado como forma de preparar o professor para esta nova proposta de ensino. “A resolução parte do princípio de que se há problemas de aprendizagem, também existem problemas no processo de ‘ensinagem’, e é nesta questão que precisamos atuar com muita força”, completa Guadalupe. E, de acordo com ela, esta discussão vai continuar, com foco na figura do professor. Este mês, na semana do dia 12, haverá o 1º Encontro de Formação, em Porto Alegre, que será uma imersão a todo o conteúdo, com módulos de formação, explica ela, composto por 40 horas de treinamento, visando pesquisa para desenvolver a alfabetização. Este treinamento visa a atingir cerca de 20 mil professores em todo o Rio Grande do Sul. Mais de 6 mil professores tiveram acesso a estas orientações nos semináros. Depois do encontro, elas serão aprofundadas e multiplicadas em suas respectivas comunidades escolares. Segundo Guadalupe, a metodologia vai partir da realidade de cada comunidade escolar, a criança, conhecendo “sua aldeia” estará apta a aprender mais. Para que isso seja possível, diz ela, cada professor deverá realizar uma pesquisa sócio-antropológica da área em que leciona. “A partir daí, terá ainda mais comprometimento em repassar o conhecimento e não somente o conteúdo, que é a cultura do decorar”, afirma Guadalupe. Conforme a coordenadora adjunta da Secretaria Es-

64

Revista Expansão

Setembro/2011

tadual de Educação, a coleta de informações para esta pesquisa contemplará não somente o aprendizado da linguagem, mas as ciências naturais e exatas. Lembrando que estas orientações quanto à pesquisa são métodos que já deverão ser aplicados pelo professor que trabalhar de acordo com a resolução número 7 em suas salas de aula.

Aprender e assimilar Este treinamento e pesquisa vão preparar o aluno para que, durante todo o ano seja capaz de aprender e assimilar todas as atividades propostas em sala de aula. Cabe ao professor, segundo Guadalupe, ao longo do ano letivo, identificar e sanar os problemas de aprendizagem que o estudante vier a apresentar. Para o presidente do Sinepe, a aprendizagem do aluno é compromisso da escola, a partir do projeto pedagógico, de sua identidade. “O sucesso da aprendizagem do aluno é, sim, sempre resultado do valor que se dê a isso pela escola e pela família e, particularmente, professor e aluno, a partir da capacidade de encantamento. É impossível não aprender com um professor irresistível. E cada um de nós se lembra do professor assim, cuja magia envolvia os alunos, e a gente ficava encantado ao ouvi-lo”, completa o presidente da entidade que representa escolas particulares . No que tange ao ensino privado, segundo ele, as escolas particulares estão atentas para proporcionar qualidade na suas ações como, por exemplo, proporcionando espaços de formação continuada a seus professores.


Divulgação

Participação da família No processo de educação, a participação da família é fundamental. Pouco adianta os esforços nas instituições de ensino se os responsáveis não se comprometerem em acompanhar seus filhos e conhecer mais da rotina da qual participam. “Temos atividades aqui que trazem os pais, literalmente, para a sala de aula, durante as quais têm acesso a tudo o que seus filhos aprendem. Isso faz com que em casa seja naturalmente cobrado dos estudantes, estimulados com a presença dos pais na escola. O aprendizado flui melhor e a consequência é a aprovação. Até as dificuldades podem ser trabalhadas junto com os responsáveis”, afirma o diretor da Escola sapiranguense Ayrton Senna, Otacílio Delmar Steigleder. Exemplos deste trabalho são os alunos Maique Willian Kolodzey de Oliveira e Tcharles Luan de Oliveira Pedroso, ambos com 14 anos, alunos da sétima série e repetentes. Para os dois, a distância entre eles e o professor foi um dos principais problemas que os levaram a não assimilar o conteúdo. Também concordam que a falta de atenção deles foi fator que colaborou para a repetência.

Cobrança de resultados Entretanto, os dois, cujas notas melhoraram este ano, atribuem à presença de suas mães na escola o sucesso que estão alcançando. “Minha mãe hoje sabe o que faço, em casa me cobra os resultados”, diz Oliveira. Eles cursam uma das séries que mais apresentam reprovação no Ensino Fundamental, de acordo com as coordenadoras. A dificuldade se concentra no segundo ano – que é o período da consolidação do letramento – e o quinto e o sétimo, que têm a adolescência como agravante dos quadros de rebeldia. “Ao final dos três anos iniciais, é possível, que as crianças tenham avançado em leitura, escrita, dentre outras linguagens e áreas do saber e que possa constatar-se que se tornaram leitoras e produtoras de textos”, pondera Ivany.

Revista Expansão

Setembro/2011

65


tradição

Ostradicionalistas heróis Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Divulgação

Os festejos da Semana Farroupilha farão analogia aos 50 Anos da Legalidade, comemorados em agosto deste ano

A

s comemorações farroupilhas, neste ano, terão o foco nos heróis de cada região tradicionalista de nosso querido e amado Rio Grande. O tema Nossas Raízes, proposto para os desfiles gaúchos, pela Comissão Estadual e pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), exploram os heróis de cada região e fazem analogia aos 50 Anos da Legalidade. Este último tópico trata de quando o então governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, lutou pela legalidade do direito do vice-presidente João Goulart, assumir a presidência da República, quando o presidente Jânio Quadros renunciou, em 1961. Na ocasião, os ministros militares em Brasília, no Distrito Federal, ameaçaram não permitir a posse do vice-presidente e aqui, no Rio Grande do Sul, sob o comando de Brizola, iniciou-se um movimento armado para defender a legalidade constitucional da posse do vice-presidente eleito. Temas farroupilhas De acordo com o 1º vice-presidente da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, Manoelito Carlos Savaris, a proposta é bastante abrangente e tem como objetivo explorar a história do Rio Grande do Sul e buscar, em alguns episódios e períodos, indicadores da identidade do povo

66

Revista Expansão

Setembro/2011

gaúcho. Segundo ele, rebuscar a história e retirar dela os aspectos que melhor retratem a formação sócio-cultural do nosso Estado é tarefa que não se esgota nesse ano de 2011, mas haverá de nos ajudar a entender um pouco mais a nossa identidade cultural regional. Por isso, os temas foram divididos em Os Jesuítas no Território Gaúcho, A Terra de Ninguém, Fundação da Província, Os Açorianos e a Fundação de Porto Alegre, Época das Charqueadas (1780 – 1840), A Organização Administrativa da Província, Colonização (Primeira e Segunda Fase), Revolução Farroupilha, Na Defesa Nacional, Revolução Federalista, e Gauchismo: Culto e Prática. Atividades já começaram em agosto Os festejos tradicionalistas já começaram no mês passado. Em 21 de agosto, ocorreu o acendimento da Chama Crioula Estadual, no lançamento dos Festejos Farroupilhas 2011, em Taquara (RS). Na ocasião, houve a entrega de títulos de Embaixador e Cônsul Honorário para líderes tradicionalistas em atuação fora do Estado. Até 13 de setembro, serão realizadas as cavalgadas, transportando a Chama Crioula para todos os municípios do Estado. Também em 21 de agosto, começou a montagem do Acampamento Farroupilha no Parque da Harmonia, em Porto Alegre (RS).


A rede da Legalidade “Quando o presidente Jânio Quadros renunciou, em 1961, ministros militares em Brasília ameaçaram não permitir a posse do vice-presidente João Goulart. Aqui no Rio Grande do Sul, sob o comando do governador Leonel Brizola, iniciouse um movimento armado para defender a legalidade constitucional da posse do vice-presidente eleito. No dia 27 de agosto de 1961, Brizola requisitou os transmissores da rádio Guaíba de Porto Alegre, e através das ondas médias e curtas do rádio fazia pronunciamentos a todo País, conclamando o povo a defender a legalidade. Em seguida, as demais emissoras de Porto Alegre e as emissores do interior do Estado, uniram-se à Guaíba, formando a grande Rede da Legalidade. A Rede Radiofônica da Legalidade funcionava 24 horas por dia, nos porões do Palácio Piratini, sede do governo estadual e onde estava montada a Cidadela da Legalidade. Contava com a participação de jornalistas, radialistas e técnicos de todas as emissoras. O alcance foi tanto que em determinados momentos ela tinha 100% de audiência no Estado. Com o aumento da abrangência, chegou a ter 104 emissoras em cadeia no Brasil e nos países vizinhos, foram transmitidos boletins noticiosos em diversos idiomas, como inglês, espanhol e alemão.” Fonte: texto extraído do http://legalidade50anos.blogspot.com/

“Estávamos ao lado da ordem, da lei da Constituição e da moral, dos direitos mais sagrados de nosso povo e da dignidade da própria Nação. O Rio Grande encontravase, já então, completamente bloqueado, sem nenhuma comunicação com o País.” (Leonel Brizola)

Principais pontos da programação 7 de setembro 17 horas – Extinção do fogo Simbólico da Pátria e retirada de uma centelha para compor a Chama Crioula 2011 – Parque Farroupilha, em Porto Alegre 18 horas – Chegada da Chama Crioula no Parque da Harmonia, em Porto Alegre, e abertura oficial do Acampamento Farroupilha da capital, no Parque Harmonia

11 de setembro 15 horas – Reinauguração do Museu Farroupilha, com a presença do governador do Estado e Secretaria Estadual da Cultura, entrega do Acervo Farroupilha e exposição sobre os Negros da Revolução Farroupilha, de Piratini

14 de setembro A partir das 10 horas – Acendimento da Chama Crioula no Palácio Piratini, no Palácio Farroupilha - Assembleia Legislativa, no Paço Municipal, no Monumento a Bento

Gonçalves na Avenida João Pessoa, na Grande Loja Maçônica na Avenida Praia de Belas e na Câmara de Vereadores da capital

19 de setembro 21 horas – Desfile Temático Nossas Raízes, na Avenida Edvaldo Pereira Paiva, na capital

20 de setembro 8h30min – Desfile Farroupilha de Porto Alegre, na Avenida Edvaldo Pereira Paiva, Revista da Tropa pelo governador A partir das 17 horas – Extinção da Chama Crioula no Palácio Piratini, no Palácio Farroupilha - Assembleia Legislativa, no Paço Municipal, no Monumento a Bento Gonçalves na Avenida João Pessoa, na Grande Loja Maçonica na Avenida Praia de Belas e na Câmara de Vereadores da capital 19h30min - Extinção da Chama Crioula no Acampamento Farroupilha e encerramento dos Festejos Farroupilhas 2011

Revista Expansão

Setembro/2011

67


Negócios

Expoagas registrou

R$ 274 mi Fotos: Divulgação

A

edição comemorativa de 30 anos da Convenção Gaúcha de Supermercados e Expoagas 2011, Feira de Produtos, Equipamentos e Serviços para Supermercados, encerrou em 25 de agosto, na Fiergs, em Porto Alegre (RS), com um crescimento de 7,7% nos negócios realizados em relação à edição passada. O total movimentado nos três dias foi de R$ 274,6 milhões, uma venda média de R$ 822,2 mil por empresa expositora. O balanço, divulgado pelo presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, é resultado da ampliação de segmentos varejistas visitantes na feira e dos investimentos da indústria em lançamentos e atrativos aos compradores. “Mesmo em um momento de incertezas no cenário econômico, os 334 expositores investiram em seus estandes e principalmente na qualificação e no lançamento de produtos, o que demonstra a força da indústria gaúcha, de participação majoritária na Expoagas”, pontua Longo. O aumento das vendas no evento supera as expectativas do setor supermercadista gaúcho para este ano, que espera um crescimento de 4% a 6% em relação a 2010.

68

Revista Expansão

Setembro/2011

A 30ª edição da feira encerra com R$ 274,6 milhões em negócios e crescimento de 7,7% Superação Ao todo, 4322 empresas varejistas visitaram a Expoagas, número 14,07% superior ao ano passado. Os representantes destas empresas somam 83,8% do total de 38,3 mil pessoas que circularam na feira nestes três dias. Os demais visitantes são fornecedores, órgãos de imprensa e membros de entidades, entre outros. Além das ações de venda promocionais dos expositores, a Agas sorteou um automóvel Celta zeroquilômetro, entre os visitantes que tiverem efetuados pedidos de no mínimo R$ 1.000 junto aos estandes. Durante os dois primeiros dias de evento, o Instituto Segmento Pesquisas ouviu os expositores para saber o grau de satisfação com a Expoagas 2011. O levantamento revela que, para 92,3% deles, a participação no evento teve como principal objetivo aumentar os negócios, contatar clientes e vender. Segundo os dados, 69% dos expositores efetuaram negócios com outros segmentos além de supermercados. Participação de outros Estados O mercado gaúcho foi o principal alvo das vendas dos expositores. Do total negociado na feira, 77,36% das transações foram realizadas junto a varejistas do Estado, 13,3% a empresas de outros estados brasileiros, e 9,17% a companhias de outros países. Ainda de acordo com o Instituto Segmento Pesquisas, somente 1,1% dos expositores apontam que não alcançaram seus objetivos na Feira. Para 90,4% deles, a Expoagas 2011 está igual ou melhor à edição passada. A Agas já tem data marcada para a feira de 2012: será de 21 a 23 de agosto de 2012, na Fiergs, em Porto Alegre. O lançamento comercial da feira ocorrerá no próximo dia 12 de setembro, às 19 horas, no Hotel Deville, também na capital. Convenção Paralelamente à feira de negócios, a Agas realizou as palestras e seminários da 30ª Convenção Gaúcha de Supermercados. A grande novidade da programação foi o Fórum sobre as sacolas plásticas, que reuniu especialistas, supermercadistas, fornecedores e autoridades para debater soluções para o acondicionamento das mercadorias adquiridas pelos consumidores em supermercados. “É imprescindível que incluamos o poder público no debate, já que são necessários investimentos na ampliação da coleta seletiva, na criação de usinas de reciclagem e no fomento às cooperativas de catadores”, lembra Longo.


Lançamentos na Expoagas

Os produtos lançados na feira, no mês passado, pelos fabricantes que abastecem, principalmente, o mercado gaúcho, trazem novidades, principalmente, na linha de produtos com embalagens sustentáveis ou que aderem a onda dos alimentos funcionais. Dos itens lançados na feira podemos destacar:

Cooperativa Piá A Cooperativa Piá, responsável pela marca Essence, lança quatro novos sabores do Iogurte Essence, o Creme de Leite UHT e o sabor Original do Piá Vitta, bebida a base de soja. Na ocasião, foram apresentadas também, novas embalagens para a tradicional linha Piá Gurt. Os lançamentos estão voltados para a alimentação saudável, DNA da marca Piá. Em todos os novos itens que serão apresentados, a marca traz o conceito de produtos saudáveis, nutritivos e gostosos, com sabores, cremosidade e embalagens especiais. As inovações, que incluem Essence Pedaços 300g Morango, Essence Pedaços 300g Pêssego, Essence Pedaços 300g Mirtilo, Essence Garrafa 800g Sabor Aveia, Creme de Leite UHT 200g, Bebida a base de Soja Piá Vitta sabor original 1L, estarão nas gôndolas dos supermercados a partir de setembro em todo o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Estes lançamentos ampliam a linha dos produtos da Piá em 10%. O novo iogurte é exclusividade no mercado por ser o único probiótico que contém pedaços de frutas. Fruki Vencedora do Troféu Ouro do Prêmio Qualidade RS, promovido pelo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), a empresa de Lajeado/RS, lançou durante a feira o mais novo integrante da linha Frukito: o sabor uva, disponível nas embalagens de 500 militros e 2 litros. Este ano, a empresa comemora 40 anos da marca Fruki e uma década da marca Água da Pedra. SLC Alimentos A SLC Alimentos, que entre o seu amplo mix de produtos, possui a marca de arroz e feijão Namorado, mostrará aos consumidores as novas embalagens da linha. Com um design mais moderno e arrojado, a marca busca a diferenciação no ponto de venda, além da aproximação com o público mais jovem e apreciador da boa gastronomia. Kunzler A tradicional fabricante de queijos Kunzler, apresentou mais uma aquisição e seus produtos lançados como a massa fettuccine, o merengue, a batata palha, as roscas de polvilho. Nesta 30ª edição da feira, o grupo reapresenta ao mercado os produtos da marca Rio Bonito, com uma ampla linha de queijos finos e derivados. A unidade da Rio Bonito esteve inativa por dois anos, até ser comprada pelo grupo em 2010. Desde então, a empresa está fazendo grandes investimentos para adequação da planta nas normas internacionais de qualidade, buscando atender o mercado internacional de queijos finos.

PanFácil No segmento de farinhas, o Moinho Estrela, responsável pela marca PanFácil, levou aos visitantes os produtos diferenciados, como: a PanFácil Premium, elaborada a partir de uma seleção especial de grãos; e a linha Chef, composta por farinhas desenvolvidas especialmente para pizzas e pastéis. Mosmann A Mosmann Alimentos, de Parobé (RS), lançou sua nova embalagem produto Macarrão Grano Duro. Elaborado a partir de um trigo especial chamado trigo durum, o macarrão do tipo Grano Duro fica naturalmente al dente, ou seja, soltinho, porém consistente e ideal para a boa mastigação. Indicado para quem não abre mão de comer bem, principalmente quando está em casa. Sucos Petry A empresa traz a novidade da embalagem familiar de 2,5 litros para o mercado. De acordo com o diretor comercial da Petry, Luiz Alberto Anschau, a embalagem é 100% reciclável e traz uma economia de 10% ao produto. “Ao invés de levar dois sucos de 1 litro, leva um só com 2,5 litros. É mais vantajoso para o consumidor”, salienta Anschau, destacando a embalagem na linha da sustentabilidade. Ritter A mistura de grãos que fez sucesso nos pães agora está disponível nas barras de cereais. A Ritter apresenta a nova linha 7 grãos, compostas por soja, linhaça, centeio, girassol, trigo e aveia. As barras serão comercializadas, inicialmente, em três sabores: Creme de Avelã com Cacau, Castanha, Avelã e Nozes; e Morango e Iogurte. Aderindo a linha de produtos funcionais.

Revista Expansão

Setembro/2011

69


COLUNA SOCIAL Por Zita Pereira Colunista social zitapereira@revistaexpansao.com.br

Aquele que quer chamar a atenção só pela beleza é tão chato quanto o que só quer se mostrar superinteligente, ou rico, ou engraçado. Tudo o que é demais cansa. (Autor desconhecido)

Aline de Melo Pires/Especial

Caixinha de surpresa

Cristina Germann, a Tuti, 54 anos, é casada com o agente de exportação Nelson Germann, tem dois filhos, Marcelo e Clarissa, e dois netos, Eduardo e Arthur. Estilista de sapatos, assina desde 93 a grife Morenatom, só comercializada no mercado americano. Mas o desejo de trazer a marca para cá é latente. “Eu crio e adoro contar histórias. Uma das coisas de que mais gosto de fazer na vida é inventar, e o que me impulsiona na criação é a família. A formada por mim e a de meus pais e avós. Tudo o que eu faço tem que ter uma história, uma motivação. E o aproveitamento de material é essencial”, diz com a convicção de quem é ecologicamente correta. Como sempre viajou muito, diz: “talvez eu fique mais dentro da bolsa, onde carrego a chave do meu carro, que possibilita me conduzir e a chegar nos meus projetos, nas pessoas. Levo também, um monte de papeizinhos, bilhetes, bilhetinhos, cartões... Minha bolsa é desorganizada. Toda vez que a abro é uma surpresa. Não tem lugar fixo para as coisas. O celular nunca boto no mesmo lugar.” Vivendo em Porto Alegre, tem casa em Canela, onde se refugia aos finais de semana, esta hamburguense não tem definição dela própria. Superativa e criativa, tem ainda a marca de bolsas que leva seu nome. Cristina Germann também está impresso em carteiras, cadeiras, almofadas e outra infinidade de objetos, grande parte feita com material reaproveitado. “Faço como hobby. Faço qualquer coisa com as mãos, gosto é de criar e adoro cor.” Irreverente, gosta de combinar o que parece ‘descombinável’. Mas dentro desta mente sempre em ebulição está em primeiro lugar a família. “Eu sou de uma família colorida, família quente, de origem italiana por parte do meu pai, Nestor de Conto, e alemã por parte da minha mãe, Leda.” Com cursos de Psicologia e Arquitetura inacabados, morou por quase uma década fora do Brasil. Simples, se define como uma low profile. Fragmentos dá nome à nova coleção feita em lona, couro sintético e bordados e tudo o mais que vê pela frente e possa ser aproveitado. Mas o que essencialmente leva na bolsa? “Carrego minhas histórias e minhas lembranças.” Diz com a objetividade de quem vê a vida através de outras lentes. Ela é rara.

Foto: Divulgação

Daiane, novo conceito

Recém-inaugurada, a loja conceito da Malhas Daiane, no Bourbon NovoShopping, tem como proposta demonstrar a força da marca. Com arquitetura de vanguarda e design que remete ao bom gosto, o espaço se mostra moderno e funcional. A loja, a primeira no gênero, marca um novo momento da grife que é sinônimo de contemporaneidade. Esta é a primeira loja conceito da marca, que já confirmou a abertura de mais uma unidade nestes moldes na capital gaúcha. Um preview da coleção primavera-verão 2011/2012 já está nas vitrines apresentando looks com referências navy, animal print, florais românticos e o glamour dos anos 70, compostos ainda por estampas de listras, bichos, flores e por uma cartela de cores intensas.

Novo foco: Romaico e Joice, Sérgio e Márcia e Sâmia e Milton Petry, o clã reunido em torno do novo empreendimento

70

Revista Expansão

Setembro/2011


Arte em tatuagem A tatuadora Tita Herberts e o marido e administrador da Red House, Sandro Pacheco receberam no Restaurante Panorâmico da Fenac, o Troféu Top de Marcas 2011 como estúdio de tatuagem mais lembrado pela qualidade e atendimento. O reconhecimento foi mais que merecido. Profissionais qualificados, Tita e Sandro, cada qual em sua função, dão o seu melhor e estão em constante atualização, adequação e modernização para transformar o estúdio no número 1 da cidade. Passaram a segunda semana do mês de agosto toda em São Paulo, ela, em cursos de atualização em micro pigmentação de sobrancelhas e, ele, buscando novidades em laserterapia, com cursos para tratamento de remoção de tatuagem e em como bem comandar uma empresa em plena ascensão.

Sandro e Tita com os troféus que os colocou entre os melhores em seu segmento

Tecnologia e excelência

Fotos: Divulgação

Representada por seu diretor, o médico e vanguardista Clayton Andrade, a Sinoscom Ressonância Magnética e Tomografia Computadorizada recebeu homenagem da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI-NH) pelos 20 anos de trabalhos prestados aos hamburguenses e região. O troféu foi entregue pela presidente da ACI, a arquiteta Fatima Daudt, durante almoço que reuniu as demais lideranças da entidade para reverenciarem o pioneirismo da Sinoscom e de seus responsáveis, que trouxeram tecnologia de última geração para o Vale e com isso, mais precisão em relação à saúde de seus habitantes. Com duas unidades em Novo Hamburgo , uma na Bento Gonçalves e outra no Hospital da Unimed, o atendimento é altamente qualificado. E a honrosa menção às duas décadas de excelência, mais que merecida.

Clayton recebeu o troféu junto com a filha Roberta e Fatima Daudt que, elegantemente, fez as honras da casa

Revista Expansão

Setembro/2011

71


Café com estilo As famílias Manfro e Silva, repletas de profissionais bem cotados, se voltaram, também, à outra área e abriram o Café Passion, em frente a Unimed, inaugurado há mais de um ano pela psicóloga Mirela Manfro da Silva e pelo marido, o empresário Tiago Oliveira da Silva, ambos com cursos de baristas. A investida deu tão certo que eles resolveram estender o sucesso e abriram o Petit Passion, bem no começo da Maurício Cardoso. Nesta nova empreitada têm a parceria do pai dela, o médico oncologista Andrey Manfro, e da mulher dele, a psicóloga Cristina Manfro. Com cardápio supervariado, servem comidas rápidas, petiscos, espetinhos acompanhados de molhos exóticos como de mostarda e mel ou de amoras, além dos cafés de inverno e de verão, vasta carta de vinhos, espumantes e cervejas importados. Os ambientes remetem ao clima dos barzinhos de garagem europeus e, igualmente, lembram os de Búzios e os argentinos com aquecedores externos a gás e mantinhas para manter as pernas longe do frio em tempos de termômetros em baixa. Agora estão prestes a apresentar espaço interno maior no Petit Passion para tornar os dias e as noites dos frequentadores ainda mais charmosos. A ideia é inovadora e veio em boa hora.

Poderosa e solidária Angelina Jolie é a nova estrela da campanha publicitária daquela marca francesa das letrinhas e como ela tudo pode, posou com a sua própria numa onírica paisagem do Camboja, país onde adotou o primeiro filho, Maddox. Parte do cachê de 10 milhões de dólares foi, humanitariamente, doada às vítimas dos tornados no Missouri. Ela usa seu poder a serviço da solidariedade. Com ela, beleza, sucesso e atitude andam de mãos dadas. A legítima estrela solidária.

Aliás... ...quem anda desfilando com uma originalíssima - vamos combinar, muitas por aí andam com versões made in China ou by camelô e pensam que todo mundo acha que é uma LV- é Rose Bondan. Sempre chiquetérrima, a advogada que passa suas férias viajando ou pela Europa ou pelos States trouxe de uma de suas temporadas internacionais uma bem carimbada com a grife que é sinômino de sonho de consumo de todas nós. Noite dessas ela recebeu com o charme e elegância peculiares para festejar seu aniversário. Poucos e bons marcaram presença na vip comemoração regada a espumante.

Lei da atração

72

Revista Expansão

Setembro/2011

Noite de brindes à CDL Remi Carasai e Deise Homem formam novo e charmoso par. Em noite recente, o elegante e participativo presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Novo Hamburgo e a bela namorada ergueram brindes aos 49 anos da entidade comandada por ele. Representando a CDL, Remi, atuante, é presença confirmada e sempre notada nos eventos da cidade. O encontro comemorativo reuniu integrantes da Câmara junto a lideranças e gente de renome da cidade.

Fotos: Divulgação

É um efeito tão inebriante que virou moda fazer perfumes com feromônio, já que é considerado a principal substância responsável pela atração entre homens, mulheres e afins. Todo ser vivo tem e capta o feromônio do outro. É uma espécie de lei da atração. Então eis a formula mágica para quem está a procura de sua cara metade... é só usar o perfume a base de feromônio e... olhar para todos os lados... Invista na solução. Ela pode render um grande amor.

Tim-tim: Remi e Deise erguem brindes ao comércio local e a eles próprios


Fotos: Divulgação

Fim dos tempos Há quem afirme que os Maias previram o final dos tempos para 21 de dezembro de 2012. O medo do desconhecido leva a uma busca incessante por respostas e para aquilo que a ciência não tem como responder, surgem os profetas, com suas previsões apocalípticas e amedrontadoras. Assunto corrente em todas as rodas, principalmente as masculinas, o tema gera acirradas discussões e muita polêmica. Aliás, os homens adoram polemizar. Já entre as mulheres o assunto gera é medo...muuuito medo...ai que medo! Ana Paula Lenz/Divulgação

Uma família do Direito Rômulo Scheva é o mais novo bacharel em Direito da família liderada por Joel Sani Scheva e Clarice Scheva. Aos 22 anos, o bonitão, o mais jovem do clã, formou-se pela Unisinos, aplaudido pelos pais e pelos irmãos, Diego e Vinícius, também advogados. Os três herdeiros de Joel e da bela e escultural Clarice adentraram na carreira seguindo os passos do pai, juiz aposentado, que já foi titular das varas da Infância e Juventude, de Falências, e ex-diretor do Fórum. Agora, os quatro advogam juntos e fazem jus ao dito de que família que trabalha unida, vence, unida. Orgulhosos, Joel e Clarice receberam no salão social da Aliança para festejar com tudo a que teve direito o recém-advogado. Jantar, assinado por Alexandre Pilatti, finas bebidas e música de primeira, marcaram a noite e a categoria da família formada ainda pela neta Larissa, pelas noras Lana Borba e Bianca Boeni, que bela e participativa assessorou a sogra durante toda a festa, e pela avó materna, Celita dos Santos. Foi noite festiva marcada pela elegância dos Scheva e de seus convidados. Missão plenamente cumprida por Clarice e Joel, que fizeram da formatura de Rômulo um grandioso acontecimento.

Chegada: o formando cruza a linha do futuro de canudo em punho

Os advogados Diego, Joel, Rômulo e Vinícius com, Clarice, a balança que representa o equilíbrio da família

Revista Expansão

Setembro/2011

73


Luxo e bem viver

Coisa fofa! Bem assessorada pela bonita e tranquila mãe, Maria Helena Beck, e pela irmã, Bruna Beck Jung, Fernanda Beck recebeu para o chá de bebê da Cecília. Grupo de amigas foi paparicar a grávida, que nem de longe lembrava uma, de tão magrinha, e tiveram tarde das mais animadas regada a chá acompanhado de finas iguarias e muito bate papo. Não sem tempo foi organizado o encontro, já que a menina deu o ar de sua graça antes da hora. Passado o susto, a guriazinha cresce firme e forte entre o carinho da família liderada pela dedicada avó e pelo avô, Claudir, e em meio aos cães da casa. Com a mãe, veterinária, e verdadeiramente apaixonada pela profissão e por seus cães, a fofa e linda Cecília Beck Pires está se criando – e bem – entre eles. A pet de Fernanda, a Animal Mania, é ponto de referência para a pequena que aos dois meses já demonstra ser “cachorreira” como toda a família, o que confirma que boa índole é, sim – também- uma questão de genética.

O feijão da vida A Feijoada da Liga em sua 17ª edição novamente resultou em sucesso. Um dos mais disputados acontecimentos da agenda de atividades da entidade, é ponto de encontro de quem aprecia o prato e igualmente gosta de fazer o bem. É a união da boa mesa e da boa ação e o resultado desta dupla dinâmica é recebido pelos pacientes assistidos pela Liga Feminina de Combate ao Câncer, dinamicamente comandada por Traude Schneider, que deixou de lado suas dores pela perda do marido e fiel companheiro de décadas, para cuidar das dores dos outros. A feijoada é sempre um grande encontro do bem, onde fica em evidência o trabalho dessas que militam incansavelmente pela causa e de Leandro Huf, cozinheiro oficial do evento, que assumiu o lugar deixado pelo pai, um ativista da LFCC. O Restaurante dos Espelhos, da Sociedade Ginástica, foi o cenário da reunião que alia gastronomia e benemerência. É um generoso encontro de nomes bem cotados na cidade.

74

Revista Expansão

Setembro/2011

A loja Noblesse Brasil Brokrs, empresa com foco e atuação no mercado de intermediação e consultoria imobiliária, elaborou dois eventos para apresentar os lançamentos da Mosmann Incorporações aos seletos clientes escolhidos por eles. Petit comitês foram recebidos pelas lideranças da Noblesse que contou com a participação da diretora comercial da Mosmann, Nalia dos Santos - além da competência é detentora de belo sorriso -, que circulou por entre os grupos para expor todos os luxos e diferenciais que caracterizam os empreendimentos que levam a marca deles. O M, de Mosmann, tem peso.

Idelli chega a Novo Hamburgo Em breve, Novo Hamburgo ganha mais um espaço destinado ao bom gosto e a quem tem estilo e é exigente. Uma franquia da Idelli Ambientes, de móveis planejados e decoração, chega aos altos do bairro Hamburgo Velho, na charmosa Avenida Maurício Cardoso, 1544. Para saber mais, acesse www.idelli.com.br

Ela não vai, não vai

Não deu certo a investida de Roberto Medina para Rita Lee tocar na abertura do Rock in Rio, dia 23 de setembro. A roqueira recusou o convite sob argumento que as atrações nacionais têm tratamento diferente das estrangeiras. A alegação de sua não participação no evento é por que a área de shows para os brasileiros abriga público de 25 mil pessoas, já nas dos gringos cabem 60 mil e isto ela achou um desaforo. E ela está coberta de razão.


Revista Expans達o

Setembro/2011

75


flash Ana Pasqualina/Divulgação

Divulgação

Debutante

A bela Amanda Spengler Kuntzler, de Dois Irmãos (RS), comemorou seus 15 anos, em 17 de junho, com seus familiares. Ela é filha de Marcia Spengler e Luiz Fernando Kuntzler. A jovem escolheu como presente uma viagem para Porto Seguro e um book fotográfico.

Festa em dobro

As gêmeas Nathália e Yasmin Pereira comemoraram três anos em 10 de julho, no Espaço Festas & Eventos, de Estância Velha (RS). Os pais, Andréia e Jefrey Pereira foram os anfitriões da festa, juntamente com as aniversariantes. A família é de Novo Hamburgo.

Inesquecível Daniel Martins/Divulgação

Uma festa de realeza foi o que teve Isadora Moraes, filha de Ana Alice Dalarosa e Josué Moraes, ao completar 15 anos de vida. A comemoração foi no Espaço Tao, em Novo Hamburgo (RS), e teve decoração em tons pink, apresentação do Grupo Tholl, pista de led, cascata de chocolate, barmans e DJ Daniel. A aniversariante usou um vestido Inês Eternity, no evento organizado por Gigi Martins, com Buffet Via Lacerda. Everton Rosa/Divulgação

Felizes para sempre

Gabriela Santos e Marcelo Cunha casaram-se em 14 de maio na Igreja Nossa Senhora da Piedade, em Novo Hamburgo (RS). Ela, filha de Zenira e Pedro Neri dos Santos; e ele, filho de Maria Waleska e Atualpa Pansardi da Cunha (já falecidos), tiveram a lua de mel na Itália. Eles fizeram um tour por Milão, Veneza, Cortina D’Ampezzo, Cinque Terre, Pisa, Firenze, Costiera Amalfitana e Roma. A recepção aos convidados da festa foi no salão social da Sociedade Ginástica, decorado com flores brancas e toalhas com detalhes em dourado. A festa teve animação da Banda Dublê e o DJ Chaleco.

76

Revista Expansão

Setembro/2011


Nei Bernardes/Beth Esquinatti Fotografia/Divulgação

Confraria dos garçons

A União dos Garçons de Novo Hamburgo (RS) realizou, em agosto, na Churrascaria Ases do Espeto, a primeira reunião da Confraria dos Garçons, com mais de 300 pessoas, entre profissionais da área e comunidade. Os encontros devem acontecer uma vez por mês, agora só com a participação da classe. A necessidade de aperfeiçoamento e confraternização são as justificativas para a criação da confraria. O evento foi realizado pelos garçons, na sequencia da foto, Ramir Schneider, Vanderlei Becker, Sinésio Schneider, José Osvaldo Henk, Paulo Borges de Medeiros, Leandro Amaro Becker e Pedrinho Otávio Arnold. Sérgio Jost/Especial

Simpatia

Letícia Zan de Moura comemorou 15 anos em 9 de julho. A festa foi na Sociedade 10 de Novembro, em Igrejinha (RS). O evento teve a decoração de Di Lara Eventos e cobertura fotográfica e filmagem de Beth Esquinatti Fotografia.

Fábio Winter/Lu Freitas/Divulgação

Formatura

Os formandos no curso Gestão para Inovação e Liderança, da Unisinos, foram estrelas de badalada comemoração no Salão da Ginástica de Novo Hamburgo (RS), em 13 de agosto. Convidados e familiares foram recebidos com requinte e alto estilo. A sobremesa foi servida ao som de uma banda de blues e, logo em seguida, quem comandou a entrada dos formandos no salão foi a banda Display.

Revista Expansão

Setembro/2011

77


CONFRARIA

Sabor de

novidade Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Nasa Wecker/Rafaela Fotografias/Divulgação

Empresários Edgar Fedrizzi Filho e Gustavo Zarpelão criaram um prato especial para o evento que reuniu cerca de 70 pessoas na Todeschini

A

quarta edição da Confraria Expansão, promovida pela Revista Expansão, em 18 de setembro, na Todeschini, em Novo Hamburgo (RS), teve um gostinho muito especial. Os convidados puderam saborear uma nova iguaria. Os empresários Edgar Fedrizzi Filho, da Tudo Imobiliária e presidente da Fundação Semear, e Luis Gustavo Bins Zarpelão, diretor da Savarauto, foram os chefs da noite e criaram o Ratatchê, uma adaptação do Ratatouille, da culinária francesa. O prato foi feito com legumes e verduras refogadas com carne típica gaúcha, o charque, além do toque da linguiça, acompanhado de arroz. Tudo a base de temperos refinados e deliciosos. A proposta, segundo a dupla de chefs, foi apresentar uma comida leve e que trouxesse uma novidade ao cardápio da Confraria Expansão. “Nas últimas edições, vimos que foram feito muitos pratos a base de frutos do mar e tivemos este desafio de preparar algo diferente. Pois bem, criamos um prato específico”, comentou Fedrizzi, quando explicou aos convidados o que seria servido para a janta. Antes dos chefs serem anunciados aos convidados, ainda na cozinha experimental, eles “brincaram” entre si, dizendo que teriam que falar a verdade sobre a escolha do prato. “Oh, Gustavo, vamos falar a verdade”, disse Fedrizzi. “Vamos, não temos nada para esconder”, respondeu Zarpelão. A verdade que tanto diziam era a criação do prato Ratatchê.

78

Revista Expansão

Setembro/2011

O presidente da Confraria Expansão, Luiz Alberto Anschau, da Sucos Petry, e o vice-presidente Afonso Cardoso, da RBA, de Novo Hamburgo (RS), que aprovaram e parabenizaram os chefs pela excelente combinação de verduras, legumes e carnes.

Aroma de negócios Em meio às conversas e as relações de trocas de informações sobre o mercado gaúcho, muitos negócios foram se firmando. Enquanto os convidados iam conhecendo a loja da Todeschini, o aroma dos temperos de alho, cebola e outras iguarias tomavam contam do paladar. A preparação do cardápio foi acompanhada por todos na cozinha experimental da lo-

ja, que aprovaram o menu inédito da noite. A promoção é da Revista Expansão, com o patrocínio da Comlines Tramontina, da Todeschini Novo Hamburgo e da Cooperativa Piá, e apoio da Savarauto e da Porto Madero. A quarta edição contou com o apoio da Vinhos, Vinhedos e Pousada Don Giovanni, de Pinto Bandeira, que ofereceu vinhos e espumantes para degustação durante a noite. A próxima edição da Confraria Expansão ocorre na Comlines Tramontina, em Novo Hamburgo. O vídeo da quarta edição da Confraria Expansão foi produzido por Rafa Vídeo Maker, e as fotos por Nasa Wecker, da Rafaela Fotografias, estão publicadas na galeria de fotos no site www.revistaexpansao.com.br.


Veja +

http://www.youtube.com/watch?v=480y7zlxcfw

Revista Expans達o

Setembro/2011

79


gastronomia

As delícias da

terra dos

Incas A

Rica, diversificada e saborosa, a gastronomia peruana desceu a cordilheira e ganhou o mundo

Por Vera Fernandes | Fotos: Vera Fernandes/Especial

alta gastronomia do Peru, considerada uma das mais variadas e deliciosas do mundo, começa a despontar e tem ocupado mesas requintadas, especialmente na Europa, depois de cair no gosto dos exigentes apreciadores da boa mesa. E de 11 a 13 de agosto, ela foi a atração principal no Bistrô Porto Alegre, do Sheraton Hotel, na capital gaúcha, que promoveu o Festival Gastronômico Peruano. O cardápio incluiu almoços e jantares completos, em estilo bufê, com pratos frios, quentes e sobremesas típicas da nação. No comando da cozinha, o chef do Sheraton Lima (Peru), Navas Bohorquez Santos, falou à Revista Expansão em entrevista exclusiva, sobre esta ascensão da alta gastronomia do país andino. Segundo Santos, a culinária peruana passou a ser conhecida no mundo depois que os profissionais do Peru foram para a Europa se aperfeiçoar. “Nossa culinária é muito antiga, vem do tempo dos Incas. E quando nossos chefs foram se especializar fora do país, além de levarem as nossas receitas, trouxeram de lá técnicas - como cortes dos peixes, por exemplo -, que passaram a ser aplicadas nos pratos, o que realçou ainda mais nossas iguarias”, relata. Os frutos do mar e os peixes, aliás, são os grandes destaques da cozinha peruana, acompanhados pelas pimentas (o principal tempero, e de todos os tipos), o milho (de todas as cores), as batatas e raízes. “O milho e a pimenta são nosso patrimônio cultural”, reforça o chef.

Um legado milenar A gastronomia peruana, conforme Santos, tem um legado de milhares de anos, é fácil de preparar, mas é nos temperos a parte trabalhosa, como o demorado e meticuloso processamento das pimentas. Ele destaca ainda como diferencial o colorido e a diversificação. “No Peru, há diversidade grande de culturas. Cada tribo indígena que formou o país possuía seus próprios costumes, por isso a cozinha é tão diversificada”, explica. Além disso, a geografia de cada local, as correntes oceânicas de cada região, tudo isso influenciou nessa diversificação e peculiarizou a gastronomia de cada parte do Peru. Santos trouxe para Porto Alegre a riqueza da culinária peruana

80

Revista Expansão

Setembro/2011

O que tem de bom Alguns pratos não podem faltar à mesa quando o assunto é culinária peruana, entre eles estão os tiraditos (entrada), o Ají de Gallina (prato principal) e o Turron de Doña Pepa (sobremesa), que você pode preparar a partir das receitas que o chef escolheu, exclusivamente, para a Revista Expansão.


Tiraditos de Corvina Preparado à base de pescado, limão, sal, pimenta e azeite, é um prato frio, não depende de cozimento, prático e perfeito para dias quentes. “Um prato refrescante”, como define o chef. Rendimento: 2 pessoas Ingredientes 200 gramas de corvina fresca pimenta de cheiro a gosto sal a gosto suco de um limão 1 colher de sopa de coentro picado Preparo Lamine a corvina e disponha em um prato. Separe. Em um recipiente, coloque o suco de limão, a pimenta de cheiro, sal e o coentro. Misture bem e regue sobre as lâminas, que podem estar dispostas no prato em formato circular, como na foto.

Ají de Gallina Prato típico, um dos mais pedidos nos festivais de alta gastronomia e um dos mais conhecidos. Segundo Santos, não pode faltar na mesa peruana. É feito com pimenta (aji), frango, queijo e castanhas, e é ótimo quando servido com arroz. Rendimento: 2 pessoas Ingredientes 1 xícara de arroz 300 gramas de frango 1 xícara de leite ½ xícara de creme de leite polpa de meio pimentão amarelo sem pele 1 colher de caldo de galinha 4 ovos de codorna 1 colher de sopa de azeitonas picadas 1 colher de sopa de cebolinha e manjericão 2 colheres de sopa de queijo minas ralado 50 gramas de cebola roxa fatiada 1 dente de alho picado 1 fio de azeite vegetal batata palha a gosto pimenta a gosto sal a gosto Preparo Corte o frango em pedaços e cozinhe em água fervente com sal, até ficar macio. Escorra, tire a pele e os ossos. Corte a carne em tiras de 2 centímetros. Separe. Em outra panela, refogue o azeite, o alho, e a cebola roxa. Logo após, coloque a polpa de pimentão amarelo e o queijo minas ralado. Uma vez dourado, acrescente o caldo de galinha, o creme de leite e o leite. Abafe a panela e deixe no fogo lento por 20 minutos. Após cozido, adicione as castanhas, ovos de codorna, azeitonas e a batata palha. Cozinhe o arroz e sirva separadamente. A sugestão é que se monte o prato conforme a foto.

Pachamanca é uma receita Inca Entre todas as referências gastronômicas do Peru, a Pachamanca, ou “panela de terra”, é uma das mais tradicionais, pela maneira peculiar de se preparar o prato ainda nos dias atuais. A serra andina é constituída basicamente por pedras e os povos da região aproveitaram esse recurso da natureza. O chef explica que é feita inicialmente com o aquecimento de pedras (por cerca de três horas sobre o fogo). Estas, bem limpas e ainda bem quentes, servem de revestimento para um buraco na terra. Sobre elas, ervas aromáticas, carnes, milho, favas (leguminosas com sementes), batatas (a doce e a que chamamos no Brasil de “inglesa”) e outras raízes, mais pedras e nova camada dos ingredientes. Ao final, são cobertas com um manto e terra, por aproximadamente 45 minutos. E está pronta a Pachamanca.

Revista Expansão

Setembro/2011

81


gastronomia Turron de Doña Pepa Esta sobremesa é culturalmente consumida no mês de outubro, no Peru. Conforme o chef, seu consumo está ligado às procissões do Senhor dos Milagres. “Em outubro, todos no Peru sentem vontade de comer Turron de Doña Pepa”, lembra. É feita com mel e caramelos coloridos. Rendimento: até 4 pessoas Ingredientes para a massa 4 taças e ½ de farinha de trigo 2 taças de manteiga vegetal 1 colher de chá de sal 5 ovos ligeiramente batidos 3 colheres de sopa de açúcar 2 colheres de anis tostado e moído Preparo da massa Sobre uma superfície, coloque farinha de trigo e sal e abra um espaço no centro. Agregue os ovos, o açúcar, a manteiga e o anis. Misture todos os ingredientes até formar uma pasta suave. Divida a massa em pequenas porções e forme palitos de 30 centímetros de comprimento. Coloque os palitos em uma forma, deixando espaço de 1 centímetro. Em seguida, leve ao forno e deixe assar entre 10 a 15 minutos, até ficarem dourados. Retire do forno e deixe esfriar. Ingredientes para a cobertura 500 gramas de pêssego fresco 100 gramas de figo seco ½ maçã 1 banana ½ abacaxi pequeno 1 colher de açúcar

82

Revista Expansão

Setembro/2011

Preparo do recheio Lave bem as frutas, descasque e corte em pedaços grandes. Coloque em uma panela com bastante água, até cobri-las totalmente. Leve ao fogo baixo e deixe ferver, reduzindo até a metade. Retire do fogo e deixe esfriar por 20 minutos, até que vire uma polpa. Como montar Coloque em uma forma os palitos e entre eles recheie com a polpa de frutas. Faça quatro camadas de palitos, com polpa, e cubra com diferentes tipos de confeitos.


Revista Expans達o

Setembro/2011

83


CASA & ESTILO Só é duradoura a arquitetura que se renova

Por Jaqueline Fischer Zapelini Arquiteta jaque@zapelini.com.br

(autor desconhecido)

Casa Brasil 2011 Uma grande mostra levou novidades à Serra Gaúcha para o setor de arquitetura e decoração

C

onhecida como a terra da uva e do vinho e um dos principais polos moveleiros da América Latina, Bento Gonçalves (RS) sediou, em agosto de 2011, a terceira edição da Casa Brasil. Realizada pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), a Casa Brasil é um evento de design e negócios com exposição de produtos contemporâneos para arquitetura e decoração com destaque para móveis de alto padrão. Além de empresas do setor mobiliário, participaram da feira as principais marcas no segmento de iluminação, decoração e complementos para ambientes residenciais e corporativos. Neste ano, a mostra contou com 180 expositores e 20,5 mil visitantes de 14 países e incremento de 13% em relação à edição anterior.

Destaques A poltrona Recorte, da Faro, é inspirada em uma bola de futebol. O móvel ergonômico foi pensado para acomodar o pescoço e os braços. A estrutura é feita em barras chatas de aço 20mm/3mm soldadas entre si. Por fora, o revestimento é de couro e a “concha” acomoda almofadas.

A Mesa Mosquito, da Faro, feita com módulos de chapa de aço dobrado, aparafusados entre si e unidos por uma chapa de acrílico transparente que não interfere na forma do móvel. O conjunto é rígido e, segundo a designer Ilse Lang, suporta cargas elevadas.

Fotos: Divulgação

O mineiro Domingos Tótora criou para a Casa Brasil o banco Vereda. O móvel é feito de uma massa de papelão prensada e transformado em hastes, posteriormente, coladas. Ecologicamente correto.

84

Revista Expansão

Setembro/2011


A italiana Magis apresenta a cadeira Spun, com design de Thomas Heatherwick. O móvel é feito de polietileno moldado.

Fotos: Divulgação

Luminária de pé com aparador e mesa de centro oval, com vaso embutido e pés torneados, da série Entrelinhas, assinada por José Marton.

Projeto Banco de Ideias aproxima do mundo do design O Projeto Banco de Ideias tem o objetivo de aproximar a população do mundo do design. A casa Brasil convidou 40 designers, artistas plásticos e arquitetos de diferentes lugares do Brasil para transformar os tradicionais bancos de festas populares dos imigrantes italianos, os quais foram distribuídos pela cidade. Além de ser uma divulgação interativa da feira, a iniciativa tem o objetivo de oportunizar a comunidade da região o contato com o universo criativo que foi vivenciado na Casa Brasil 2011.

Errata A matéria intitulada Cantos Para Relaxar e Selvagem, nas páginas 76 e 77, da edição 141, tem os projetos e as fotos assinadas pelo arquiteto Álvaro Scholles.

Revista Expansão

Setembro/2011

85


MULTIMÍDIA LIVRO

DICAS DA REDAÇÃO

O alinhamento da gestão através do Mapas Estratégicos, de Robert Kaplan e David Norton, trata da construção da estratégia de uma organização como forma de criação de um diferencial competitivo no mercado. A obra ensina que somente uma organização, com colaboradores motivados, bem treinados e qualificados, realiza suas rotinas e processos de forma adequada e proporciona aos clientes experiências diferenciadas e positivas. O alinhamento das ações assegura o desempenho superior e uma estratégia vencedora. Fernando Andreatta Torelly Superintendente do Hospital Moinhos de Vento Porto Alegre

FILME

Falando de amor O cantor lírico britânico Willian Shimell estreia no cinema, ao lado de Juliette Binoche. Eles formam um casal cuja verdadeira natureza da relação é uma das chaves da história, cheia de camadas, climas e evocações. Filmado em belíssimos cenários na Toscana, a produção tem latente o discurso amoroso, movido pelas chamas da maturidade. Ele é um escritor, ela dona de uma galeria de arte. São estranhos que podem ou não querer se conhecer. Filme: Cópia Fiel Ano: Agosto de 2011 Diretor: Abbas Kiarostami

LIVRO

Identidade

Livro: A Caixinha de Pan Dora Autora: Drica Pinotti Editora: Rocco

86

Revista Expansão

Setembro/2011

Livro: Mapas Estratégicos Autor: Kaplan e Norton Editora: Campus

CD

Riffs de guitarras e batidas marcantes Sempre ouvi comentários, mas não conhecia os caras da Pata de Elefante. Som instrumental de muita qualidade e originalidade. Lembra muito o rock gaúcho que costumávamos ouvir nos anos 90, com muitos riffs de guitarra e batidas marcantes. O estilo instrumental da banda lembra o soul, o blues e muito rock é claro, sem ficar muito preso em um só estilo. Para quem gosta de música instrumental é uma excelente pedida. Alberto Torralba Empresário Estância Velha CD: Pata de Elefante Gravadora: Trama

FILME

Um retrato da vida boêmia e cultural

Fotos: Divulgação

N a m i to l o gi a grega, Pandora, ao abrir uma caixa enviada como presente, espalhou todas as desgraças sobre a humanidade, restando dentro dela somente a ilusória esperança. A Caixinha de Pan Dora, que inaugura a série Pandora, de Drica Pinotti, retoma a mensagem de que o homem depende de sua própria inteligência para não ficar nas mãos do destino e de outras pessoas. Um aprendizado para toda a vida, contado a partir de uma descoberta adolescente, nessa instigante fase da busca pela identidade.

Diferencial competitivo no mercado

Não há lugar melhor que uma livraria. E entre tantas opções que se pode encontrar em uma, acompanhado sempre de um bom café, claro, o livro Chega de Saudade é uma boa pedida. É reconstituição da Bossa Nova e da vida boêmia e cultural carioca da época - boate por boate, história por história. Uma narrativa que se lê como um romance baseado em fatos reais, repleta de paixões e traições, amores e desamores, lances cômicos e trágicos. Zé Victor Castiel Ator Porto Alegre Livro: Chega de Saudade Autor: Ruy Castro Editora: Companhia das Letras


Redes Sociais

Um blog para iralém

Por Vera Fernandes | Fotos: Vera Fernandes/Especial

Jovens são incentivados a criticar e fazer depoimentos de leituras, postado-os na web

C

riar uma ferramenta que oportunizasse a continuidade da viagem proporcionada pela leitura de um livro. Este era o desafio que fomentou a criação do blog http://clubedolivrocvr.blogspot.com, a partir da fundação do Clube do Livro, no Centro de Vivência Redentora (CVR) - programa socioeducativo da Fundação Semear, que funciona no bairro São José, em Novo Hamburgo (RS). O blog foi criado pelo professor de Inclusão Digital Fladimir Pinheiro Porto. O Clube do Livro do CVR teve sua primeira reunião no começo de agosto. Ele surgiu depois da aquisição de mais de 60 títulos para a biblioteca da instituição, que agora conta com um acervo de cerca de 2 mil livros. As novas aquisições para a biblioteca trouxeram títulos escolhidos ‘a dedo’, como a coleção de Harry Potter, Garfield e Crepúsculo. Tudo a partir da opinião dos próprios jovens, tanto frequentadores do CVR, como jovens aprendizes do Projeto Vencer, que acontece na mesma sede. O feito motivou ainda a reinauguração da biblioteca, em 5 de julho. Além de incentivar a leitura, o blog serve como meio de comunicação, onde os próprios leitores postam suas impressões sobre as obras.

Porto idealizou o blog para incentivar a leitura

A primeira crítica de Josiane Josiane Reis da Silva, 16 anos, é uma das integrantes do Clube do Livro e a primeira jovem a postar críticas literárias. A adolescente aprendiz integra o Projeto Vencer, que prepara jovens para o mercado de trabalho, com cursos profissionalizantes. Josiane escreveu sobre quatro, dos sete livros da série Diário do Vampiro. “Postar a crítica às obras foi muito bom. Por meio do blog pude me expressar, e não tive dificuldade, já que conheço os exemplares de ‘cabo a rabo’”, disse a menina, que afirma passar muito tempo lendo. Segundo ela, quando concluir a leitura da série, com certeza deve postar mais críticas. Ficou curioso para ler a crítica de Josiane? Entre no blog do Clube do Livro e saiba muito mais sobre literatura.

Interatividade com o mundo “Todos os integrantes do Clube do Livro podem fazer postagens com críticas e dicas de leitura, e também avaliar comentários a respeito delas”, explica o professor. “Cada livro tem sua história, sua moral, seus valores, as crianças vão fazer críticas e este é um bom exercício até para a escrita”, avalia. O blog ainda traz notícias do clube, curiosidades sobre a literatura e enquetes. “O objetivo principal é que ele possa incentivar este hábito entre os jovens”, explica. O blog, conforme o educador, é uma ferramenta a mais também para noticiar ações do CVR e do Clube do Livro. Ele ainda possui links, onde o visitante pode acessar outras redes sociais das quais a entidade participa, como comunidades do Orkut e vídeos do You Tube. Qualquer aluno pode fazer parte do Clube do Livro, que tem encontros quinzenais, com bate-papos sobre os livros lidos por eles. O grupo também discute obras que deram origem a produções cinematográficas ou vice-versa. O encontro também pode servir de pauta para uma boa postagem no blog. O Centro de Vivência Redentora atende 160 crianças no contra-turno, em idades que variam de 6 a 16 anos.

Josiane é apaixonada por leitura

Revista Expansão

Setembro/2011

87


Lado b da Publicidade

Por Aline de Melo Pires E-mail aline@revistaexpansao.com.br

Pré-teste de campanha

A marca de móveis planejados Bartzen, dirigida por Afonso Bartzen, é a mais recente conta a integrar a carteira de clientes da Pro>Target, de Novo Hamburgo (RS). A nova parceira foi recebida na agência com muito trabalho. Um catálogo de design contemporâneo já foi impresso apresentando as novas linhas, bem como a parceira com Caíque Niemeyer, bisneto do ícone da arquitetura brasileira Oscar Niemeyer. Na foto, Bartzen e Niemeyer. Fotos: Divulgação

Recentemente, a Brand It!, a empresa de inteligência mercadológica do Grupo MTCom, apresentou à Unidade de Proteção de Cultivos da Basf, o resultado da pesquisa de préteste ligada a uma nova campanha publicitária, com lançamento previsto para os próximos meses. O trabalho avaliou a aceitação dos produtores rurais em relação às três linhas criativas desenvolvidas pela agência do Grupo, a e21, de Porto Alegre. Foram visitadas sete cidades dos Estados do RS, PR e MG, nos quais foram realizados dezenas de entrevistas individuais e dois grupos focais. A equipe, formada por dez profissionais, analisou a receptividade do grupo de estudo quanto ao conteúdo è a forma das peças de comunicação propostas.

Bartzen e Niemeyer na cartela da Pro>Target

Versão digital do Postais RS A DCS desenvolveu a campanha sobre a versão digital do Postais Rio Grande do Sul. O livro - lançado no começo do ano em formato pocket - contém informações, curiosidades e revelações sobre os hábitos e costumes do povo gaúcho. A campanha veiculou até o final de agosto em rádios AM e FM, mídia externa (outdoors, busdoor, bus TV, bancas de revista, painéis eletrônicos) e na Internet. Comandada pelo Departamento de Pesquisa e Planejamento da DCS – com execução da Segmento Pesquisas de Marketing –, o Postais RS entrevistou 1,2 mil gaúchos em 20 cidades chaves, abrangendo todas as regiões do Estado. O conteúdo na íntegra está no site http://www.dcsnet. com.br/sitedcs/site2011/.

Contra o vandalismo A H Mídia lançou, no mês passado, em Porto Alegre, uma campanha para conscientizar a população da importância de se manter os espaços públicos e seu mobiliário intactos. “Cidade vandalizada é cidade suja”, afirma o diretor da empresa João Pedro Nunes. Esta ação, criada pela agência Penso, de Porto Alegre, apresenta uma mensagem direta, com linguagem compreensível a todos e um visual impactante, mostrando que o vandalismo deixa a cidade mais feia. Nunes ressalta que este material é o primeiro de uma série de outras ações que serão realizadas ao longo do ano.

As nove afirmações de... ...Jennifer Forell, 25 anos, de Campo Bom e acadêmica de Design da Universidade Feevale, de Novo Hamburgo, é diretora do Estúdio Paradigma.Pdg, espaço criado há um ano. A agência atende nos Vales dos Paranhana e Sinos, Serra Gaúcha e Grande Porto Alegre, com projetos em design e publicidade, mas com forte referência no desing. Ela já trabalhou como freelancer em agências de publicidade. Sua empresa está em processo de disposição na Incubadora da Feevale, Parque da Valetec, em Campo Bom, e até lá, por enquanto, o contato é feito pelo e-mail pontopdg@gmail.com, www.pontopdg.blogspot.com e pelo telefone (51) 8154-9396.

88

Revista Expansão

Setembro/2011

1) Publicitário é: Uma fábrica de ideias 2) Viver a profissão é: Ver nos olhos do cliente a satisfação de um trabalho bem feito 3) Ética e criatividade são: Indispensáveis em qualquer projeto 4) As redes sociais são: O microfone digital, de pensamentos, dessa geração 5) Uma marca: Coca–Cola  6) Boa publicidade é: Aquela que consegue envolver 7) Seu momento inesquecível: O sentimento na conclusão de cada projeto 8) Cliente bom é: Aquele que confia no nosso trabalho 9) Principais clientes: Calçados Capotacco, MRJ Injetados, Domus Estúdio de Dança, Vip Escritório Virtual, Dannus Inside IT,  Móveis Rizzon, Cataventos Feiras Negócios e Eventos


book

Homenagem à Novo livro de Luiz Coronel remete à cidade de Bagé e já é adaptado ao cinema

Divulgação

O

lançamento do mais recente trabalho do gaúcho poeta, compositor e publicitário Luiz Coronel encheu de amigos, imprensa e conterrâneos o Teatro Renascença, em Porto Alegre (RS), no fim de agosto. O livro Filé de Borboleta, o Don Juan de Bagé foi escrito em homenagem aos 200 anos de fundação da cidade, a capital gaúcha da infância do autor. O evento para apresentar a nova obra foi pontuado por um talk show no qual marcaram presença nomes expressivos do cenário cultural gaúcho como André Damasceno, Paixão Côrtes, Elton Saldanha, Bebeto Alves, Fernanda Carvalho Leite, Jair Kobe, Jerônimo Jardim, Renato Borghetti, Airton dos Anjos, Neto e Ernesto Fagundes, Sérgio Rojas, Vitor Culanys, Lucia Helena, entre outros.

infância

Primoroso cuidado O livro, dividido em sete capítulos, tem como base 31 causos permeados por bem-humoradas lembranças interioranas marcadas pela irreverência, surpresas e, como não poderia deixar de ser, um leve toque de poesia. A obra recebeu um primoroso cuidado no que tange ao estilo literário e produção gráfica. A introdução posiciona o autor, diante de seu trabalho, fiel ao espírito peculiar do livro, sem abdicar de um toque de erudição. A imagem da capa é do pintor Velcy Soutier e as ilustrações do mestre Otelo Ribeiro, produção gráfica da TAB Marketing Editorial e publicação da Mecenas Editora e Projetos Culturais Ltda. O livro recém chegou as livrarias e já está sendo roteirizado para o cinema através do cineasta Tabajara Ruas. Filé de Borboleta, o Don Juan de Bagé integra o quarto volume do Quinteto à Comédia Gaúcha. O exemplar custa 25 reais. Sequencialmente, foram lançados O Cavalo Verde, em 2002; O Cachorro Azul, em 2003, e O Gato Escarlate, em 2005. O quinto título da série está em fase de elaboração e conclui a coleção.

CN @

d

Telefone 3594 0571

a

parlamentar

Revista Expansão

Setembro/2011

89


book

Do cotidiano aos

bastidores do

poder Por Aline de Melo Pires | Foto: Aline de Melo Pires/Especial

Livro do procurador regional da República Manoel Pastana terá terceira edição lançada em outubro

A

terceira edição do livro De Faxineiro a Procurador da República (Editora Pastana), escrito por Manoel Pastana, chega às livrarias de todo o País em outubro. Mais que uma autobiografia, o livro, que nesta versão terá 607 páginas – a primeira tinha 400 –, tem o propósito de ser uma ferramenta de crescimento para quem deseja alcançar o sucesso pessoal e profissional. Pastana é procurador regional da área criminal, da Procuradoria Regional da República da 4ª Região, com sede em Porto Alegre. A obra também vai além, em tom de denúncia, fala do que se chama de bastidores do poder. Pastana comenta na publicação casos que atingem a opinião pública, como o esquema do mensalão, por exemplo. Em maio deste ano, o procurador encaminhou uma representação à Procuradoria Geral da República em que pede que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva seja responsabilizado criminalmente pelo mensalão, mas a denúncia não foi aceita. Situações como esta lhe renderam ameaças à integridade física e de morte . Atuação em vários Estados Para falar desta trajetória, ele nos recebeu em seu gabinete no Ministério Público Federal, no Centro da capital gaúcha. Natural de Ilha do Marajó (PA), atua desde 2004 na 4ª Região, que tem jurisdição sobre Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, mas também já atuou em vários Estados brasileiros. No Amapá, teve forte atuação na queda do presidente da Assembleia Legislativa. “Imagine só, caiu o presidente da casa, que era do PMDB do Sarney (presidente do Senado, José Sarney)”, explica. Este foi um dos fatores

90

Revista Expansão

Setembro/2011


que motivaram sua transferência para o RS. “Mas foi algo que eu quis, não saí ‘corrido’ de lá como muitos disseram”, diz, entre risos.

Divulgação

Raciocínio e concentração De origem humilde, foi faxineiro e vendedor de salgados feitos pela mãe. “Quem não me conhece acha que sou gênio, mas o segredo é estudar muito e saber trabalhar o cérebro, tudo é questão de estratégia”, diz. Ele sempre alcançou posições em sua carreira profissional por meio de concursos públicos e, em seu livro, apresenta estratégias para desenvolver mecanismos de raciocínio e concentração, essenciais para quem deseja aprovação no difícil mundo de concursos no Brasil. “Mas as minhas orientações não se limitam a quem estuda Direito. Elas são abertas a quem quiser atuar em qualquer área”, explica o procurador. Por conta de sua história de vida, Pastana recebeu, em 2009, o Troféu Superação concedido pelo programa Mais Você, da Rede Globo, apresentado por Ana Maria Braga. Foi nesta época que saiu a primeira edição do livro e com o qual Pastana ganhou projeção nacional. O procurador regional desenvolveu o que ele chama de estratégia para conquistar e prender o leitor. Usou como modelo sua própria experiência com a leitura. “Eu busquei escrever de forma que atraia o leitor, pois a gente sabe o quanto o cérebro humano é preguiçoso, por que você acha que as pessoas preferem ver novela ou ler um livro?”, questiona.

seu desempenho depois de conhecerem as minhas orientações. Isso é algo que não tem como medir”, comenta. O site colocado no ar há pouco mais de um mês (www.manoelpastana.com.br) também é outro caminho encontrado por ele para fazer considerações acerca do que observa. Notícias de interesse geral, dicas de estudo e análise de situações do cotidiano. O espaço é mantido e atualizado por sua esposa, que estuda Engenharia da Computação. Mais sobre a sua vida familiar, ele se limita a falar. Pai de três filhos, que moram em Brasília, com a primeira esposa, o procurador diz que hoje vive ao lado de alguém muito especial, com quem divide momentos felizes e de grandes decisões. “Ela é uma mulher forte, de fibra, inteligente e companheira de todas as horas”, define.

Retorno dos leitores Depois da primeira edição, Pastana passou a ter um retorno muito positivo dos leitores. Por meio de e-mails recebeu elogios e agradecimentos desde estudantes e profissionais do Direito a pessoas de outras áreas. Um destes e-mails, de um bacharel em Direito foi publicado na abertura da segunda edição e outros já estarão na terceira. “Recebi relatos inclusive de pessoas que afirmam ter desenvolvido o gosto pela leitura a partir do meu livro. Estudantes dizem que melhoraram

Revista Expansão

Setembro/2011

91


Esporte

Um dos melhores

decatletas Por Vera Fernandes | Fotos: Vera Fernandes/Especial

O estanciense Lucas Ferraz de Abreu foi descoberto em uma olimpíada escolar e hoje está entre os dez melhores que praticam o decatlo no Brasil

H

á quatro anos Lucas Ferraz de Abreu participou pela primeira vez de uma competição de atletismo. Na ocasião, representando a Escola Estadual 8 de Setembro, de Estância Velha (RS), em uma olimpíada escolar, não fazia ideia do futuro que o esperava. Hoje, aos 18 anos, o jovem representa a Universidade Feevale, de Novo Hamburgo (RS), - onde tem uma Bolsa Atleta e cursa Educação Física -, e está entre os dez melhores no ranking brasileiro de decatlo (competição com dez provas de atletismo). A posição foi conquistada em julho, durante o Campeonato Estadual de Atletismo Sub-23, na Sociedade Ginástica de Porto Alegre (Sogipa), deu a ele a medalha de ouro e o índice para participar dos Jogos Universitários Brasileiros, em novembro, em Campinas (SP). Além do decatlo, o atleta, que mora em Estância Velha, conquistou o segundo lugar em lançamento de disco, pela Feevale, e terceiro no revezamento 4x100, pela equipe municipal de Ivoti (RS), cidade vizinha do esportista. Antes dos jogos universitários ele participa do Campeonato Brasileiro Juvenil de Atletismo – para atletas até 19 anos - do qual ele é o 3º no ranking nacional. A competição ocorre no começo de setembro, ainda sem local definido. O objetivo é ficar entre os dois primeiros, o que representa o passaporte para o SulAmericano de Atletismo Juvenil, que ocorre na Colômbia, no final de setembro. Para isso, os treinos são intensos, três horas diárias, na pista do Instituto de Educação Ivoti (IEI). O começo foi por acaso Na olimpíada escolar de quatro anos atrás, as provas de atletismo foram feitas no IEI. E foi lá que o garoto de 14 anos ficou na mira do treinador André Schilling, que convidou-o para integrar a equipe municipal de atletismo de Ivoti. No primeiro ano, ficou entre os dez melhores no Brasil em salto com varas. “Nunca havia participado de uma competição de atletismo, tudo que eu sabia sobre o esporte, era pelo que eu via na TV”, recorda. Um ano depois, ele recebeu uma bolsa de estudos do IEI. Hoje, aos 18 anos, estuda na Feevale. Entre os títulos que acumula está o de campeão sul-americano de menores, do ano passado, na categoria octatlo (competição com oito modalidades). E quando o assunto é Olimpíadas, o jovem atleta desconversa. “Tento focar as coisas para o ano. Todo atleta pensa nas competições de 2016, no Brasil, e trabalho forte para quem sabe competir pelo meu País, mas agora, o mais importante é o que tenho pela frente este ano”, argumenta.

Saiba quais são as provas realizadas Decatlo tem dez provas (110 metros rasos, salto em distância, arremesso de peso, salto em altura, 400 metros rasos, 110 metros com barreira, lançamento de disco, salto com vara, lançamento de dardo e 1.500 metros rasos). O vencedor é considerado o atleta mais completo do mundo. O equivalente feminino é o heptatlo, com sete provas.

92

Revista Expansão

Setembro/2011

Abreu treina três horas diárias no IEI, com foco no sul-americano


Revista Expans達o

Setembro/2011

93


Esporte

Buscando

mulheres em Nóia

Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Divulgação

Time de Rugby abre seleção para formar grupos esportivos de várias faixas etárias, com foco principal no feminino adulto

O

Novo Hamburgo Rugby Clube (NHRC) está selecionando vários jogadores para competir por Novo Hamburgo (RS). O esporte está ganhando cada vez mais adeptos e se transformou em um fenômeno esportivo brasileiro. O foco principal do clube está na busca por mulheres para constituir um time feminino adulto. Neste ano, com a trajetória de sucesso que o time vem tendo, conforme o tesoureiro Lucas Toniazzo, a instituição optou por se aproximar mais da comunidade e abriu seleções, além da Escolinha de Rugby. “Mas para formarmos o time feminino precisamos descobrir onde estão essas mulheres e falar a elas que para jogar rugby não é necessário ter uma preparação desde a adolescência. Você só precisa querer”, esclarece Toniazzo. Além disso, como se busca também outras categorias, o capitão da equipe Jardel Vettorato explica que gostaria de ter descoberto este esporte maravilhoso mais cedo. E para a criação da escolinha ele afirma. “Queremos contribuir com a comunidade, ensinando os valores do esporte às crianças e formando cidadãos melhores para o futuro.” A Escolinha de Rugby está programada para iniciar já na primeira semana de setembro e está aceitando inscrições de crianças e adolescentes dos 7 aos 14 anos. O clube também busca atletas para suas categorias de base de 14 a 18 anos. Interessados, com idade superior a 18 anos, devem buscar a equipe formativa ou sênior. “Não é preciso ter experiência”, destaca Toniazzo, que esteve em visita à Revista Expansão para divulgar as ações do clube. Interessados em participar deste esporte podem contatar o clube pelo e-mail contato@nhrc.com.br ou pelos telefones (51) 9159-1813 ou 8436-7355. Mais informações em www.nhrc.com.br.

94

Revista Expansão

Setembro/2011


História do NHRC Desde 6 de outubro de 2007, motivados pela prática do esporte em um time de Canoas, um grupo de amigos - Ronaldo Kebach, Israel Sperb, Luis Felipe Ramos, Ibrahim Fragoso e Juliano Marques – criaram o primeiro time masculino de Rugby de Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. E já participam de campeonatos gaúchos, nacionais e internacionais e ainda estão em busca de mais patrocinadores. O técnico da equipe é Werner Trieloff, que traz sua experiência com as crianças e o rugby da África do Sul. Ele praticou o esporte dos 7 aos 19 anos, no país sul-africano. “É um esporte que ajuda muito no desenvolvimento físico e psicológico das pessoas, você aprende a superar obstáculos e respeitar as pessoas no gramado e na vida, em especial as crianças que ainda estão formando sua personalidade e seus valores”, destaca. Entenda o esporte O rugby é um esporte de equipe, com intenso contato físico, que une força, velocidade e raciocino rápido. O objetivo é chegar com a bola na linha de gol dos adversários e colocá-la no chão. Para isso, os jogadores devem passar a bola com as mãos, para trás e para os lados, nunca para frente. Ao mesmo tempo em que a equipe adversária tenta derrubar ou bloquear o jogador, de forma a não deixar passar. Graziela Dannenhauer/Especial

Toniazzo destaca que para a prática deste esporte basta ter vontade de jogar

Revista Expansão

Setembro/2011

95


Perfil

A visionária gestora do voluntariado Por Aline de Melo Pires | Foto: Aline de Melo Pires/Especial

Maria Elena Johannpeter é esposa de Jorge Gerdau e o sucesso da Parceiros Voluntários é devido à sua gestão administrativa

A

culpa pode ter sido de dona Rosalina Ouriques Pereira, que inspirou a vida da filha Maria Elena Pereira Johannpeter, pautada pela vontade e disposição em ajudar ao próximo. Foi com a visão de construir um Rio Grande do Sul voluntário e organizado que Maria Elena fundou, há dez anos, a Parceiros Voluntários - uma das maiores instituições focada nesta qualidade. A gaúcha, natural de Gravataí e que escolheu Porto Alegre para viver, é presidente desta Organização NãoGovernamental (ONG), sem fins lucrativos e apartidária, que capacita e encaminha voluntários às demais organizações sociais gaúchas para auxiliá-las na formatação de seus projetos e captação de recursos. Vocação Foi na sede da ONG, em Porto Alegre, que ela nos recebeu para falar de sua paixão e vocação à realização de ações sem interesse financeiro e que ficou clara já no início da conversa. Mas, para alcançar este sucesso, a receita foi e continua sendo única: a boa administração. Uma organização social, diz ela, precisa ser administrada exatamente como uma empresa. “Como tudo na vida da gente, nossa casa é assim, tem que ser administrada desta forma, por isso as organizações sociais só dão certo quando há gestão”, completa. Sem dificuldades Ao lado de um dos homens mais poderosos da economia brasileira, Maria Elena afirma que o espírito de voluntariado sempre esteve arraigado no seio de sua família. Com o marido, Jorge Gerdau, naturalmente viu crescer entre a família este perfil. “Somos exemplo, principalmente, para os nossos filhos, e os exemplos falam sempre muito mais que palavras”, observa Maria Elena. Tendo isso dentro de casa, não ficou difícil para ela fundar uma organização bem organizada como a do tamanho da Parceiros Voluntários.

96

Revista Expansão

Setembro/2011


Conhecimento de viagens De fala doce e comedida, Maria Elena lembra de como foi criada a Parceiros. O conhecimento que ela adquiriu a partir de viagens a vários países, onde conheceu de perto a cultura do voluntariado organizado, foi o impulso para sugerir a criação da instituição ao grupo de empresários da Federasul. Logo, de um departamento, a Parceiros passou a ONG. “Foi uma proposta bem recebida, entendida e abraçada, acima de tudo”, complementa. “Há países que já têm esta cultura participativa do cidadão, ele faz parte deste contexto, está inserido na sua comunidade. Aqui no Brasil, depois da Eco Rio 92, isso ficou bem mais saliente, o envolvimento da sociedade civil nas causas, partindo de um princípio de organização”, acrescenta. Ser solidário O brasileiro, continua, especialmente o gaúcho, sabe ser muito solidário. “Agora, ir da solidariedade para o voluntariado organizado, tem um passo, tem uma decisão a se tomar. Porque solidário pode-se ser com qualquer causa, com qualquer ideia. Aquela causa me é agradável, posso até contribuir financeiramente com ela, mas não quer dizer que eu esteja envolvida trabalhando por ela”, comenta. Amor próprio Uma das ferramentas aplicadas por Maria Elena em seu cotidiano, e que ela procura passar a cada um de seus conhecidos, colaboradores, amigos ou familiares para a prática do voluntariado, é a Responsabilidade Social Individual (RSI). Ou seja, é preciso desenvolver o que ela chama de as quatro inteligências: física, intelectual, emocional e espiritual. Segundo ela, uma iniciativa precisa fazer a diferença na vida do indivíduo para que ele desenvolva e coloque em prática o voluntariado. É necessário, antes de mais nada, destaca, que o voluntário tenha a capacidade de admiração e respeito por si mesmo.

Revista Expansão

Setembro/2011

97


Inovação

Pioneirismo na

Odontologia Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Divulgação

Estado tem cirurgiões-dentistas que criaram técnicas inovadoras nas áreas de prótese e implante que estão ganhando o mundo

É

aqui no Brasil, do Rio Grande do Sul, em Novo Hamburgo e Caxias do Sul, que estão os criadores de duas técnicas cirúrgicas e protéticas em dentes. Elas foram criadas por cirurgiõesdentistas, especialistas em Prótese Dentária e Implantodontia, do Centro Especializado de Odontologia (CEO), de Novo Hamburgo, e da clínica Rosa Odontologia, de Caxias do Sul. Estes profissionais estão sendo convidados a difundir seu trabalho pelo Brasil e pelo mundo. Além de participarem de congressos, seminários e eventos na área de Odontologia no Brasil, divulgando seus conhecimentos, eles também receberam convites para apresentarem o seu pioneirismo no exterior. Em outubro, eles estarão na Bolívia e, em março, no EUA. Grupos de profissionais “Para melhor divulgação da técnica cirúrgica, grupos de 25 profissionais estão sendo fechados à apresentação de um detalhamento da técnica e para assistir, ao vivo, em Caxias do Sul, cirurgias demonstrativas”, antecipa o diretor do CEO, o cirurgião-dentista Darcymar Martins da Rosa, que concedeu-nos entrevista exclusiva à Revista Expansão sobre o assunto. Convites à equipe De acordo com ele, a sucessão de convites aconteceu a partir de junho deste ano, quando, juntamente com os colegas de Caxias do Sul, o seu irmão José Carlos Martins da Rosa e Marcos Fadaneli, apresentaram a técnica cirúrgica no Congresso Internacional de Implantodontia IN 2011, em São Paulo, com mais de 4 mil inscritos.

98

Revista Expansão

Setembro/2011

As bibliografias e as técnicas Em 2003, o diretor e sua esposa e também dentista Carla Mônica Zardo, com o apoio da equipe, lançaram o livro Odontologia Estética e a Prótese Fixa Dentogengival, que descreve uma técnica inovadora na área da Prótese Dentária, desenvolvida no CEO e hoje conhecida mundialmente. O diretor explica que esta técnica de prótese fixa pode ser instalada sobre dentes ou implantes e visa restaurar, além dos dentes, as estruturas ósseas e gengivais que os envolvem, através do acréscimo de porcelana gengival, restabelecendo a função e a estética, sem a necessidade de realizar cirurgias. O livro apresenta planejamentos e procedimentos clínicos e laboratoriais, proporcionando tanto ao cirurgião-dentista, quanto ao técnico em prótese dentária, um detalhamento de técnicas cirúrgicas e protéticas que podem ser aplicadas em seus clientes. Os autores tiveram a honra de ter como prefaciador do livro um ícone da prótese no Brasil, o professor e doutor Waldir Janson. Língua espanhola Hoje, o livro pode ser encontrado na língua portuguesa e espanhola e, em 2012, terá uma nova edição. “Sinto orgulho de acompanhar pacientes que já se beneficiam da técnica há mais de 14 anos, com o restabelecimento da função mastigatória e da estética, melhorando sua qualidade de vida”, comenta o diretor.


Os irmãos Martins da Rosa: Darcymar e José Carlos

E os irmãos Zardo: Carla, Fabiano André e Alexandre

Implantodontia Em 2010, o diretor e Carla, juntamente com outros colegas, foram co-autores do livro Restauração Dentoalveolar Imediata (RDI), de autoria do doutor José Carlos Martins da Rosa, que descreve uma técnica inovadora na área da Implantodontia. O livro, prefaciado pelo professor sueco, o doutor Per-Ingvar Branemark, descobridor dos implantes em titânio, aborda a técnica do restabelecimento imediato, em um único procedimento, de dentes comprometidos e das estruturas ósseas que os envolvem. Conforme o diretor, a grande vantagem desta técnica cirúrgica em relação a outras é minimizar os traumas cirúrgicos de enxertos ósseos mais invasivos e reduzir significativamente o tempo de tratamento. “Na mesma sessão são realizados os procedimentos de extração dentária, instalação do implante, enxertia óssea e instalação do dente provisório, proporcionando conforto e o restabelecimento funcional e estético imediato”, explica.

Sinto orgulho de acompanhar pacientes que já se beneficiam da técnica há mais de 14 anos, com o restabelecimento da função mastigatória e da estética, melhorando a sua qualidade de vida

A clínica CEO A CEO completa, em 7 de novembro, 17 anos de atendimento odontológico especializado e multidisciplinar em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. Além do diretor e Carla, integram a equipe os dentistas Alexandre Elias Zardo e Fabiano André Zardo, irmãos de Carla.

Revista Expansão

Setembro/2011

99


SEM FRONTEIRAS

Nova Iorque

40 graus Por Vitória Fischer Schilling | Fotos: Vitória Fischer Schilling/Divulgação

A cidade do consumismo e dos turistas mostra que não é por acaso que é conhecida como a capital do mundo

S

e eu tivesse que escolher uma só palavra para descrever Nova Iorque (EUA), ela provavelmente seria em inglês: overwhelming. Traduções para ela são as mais diversas e todas parecem combinar com a impressão que tive: esmagadora, intensa, irresistível, impressionante. Tudo na cidade é demais, tudo é cheio, tudo é sedutor. O local das compras maravilhosas, dos cenários de filme, da cultura instigante é também o local dos turistas que param nas calçadas e trancam o caminho, das longas filas, das temperaturas extremas. Mas tudo se combina em uma linda sintonia de cores, luzes, sons, cheiros que fazem de Nova Iorque exatamente aquele lugar que a gente imagina e espera encontrar. Estive lá em julho de 2011 e, no meu primeiro dia em Nova Iorque, cheguei à estação de trem pouco antes das 8 horas. Era uma manhã ensolarada e quente, e ao caminhar algumas quadras ao longo da Park Avenue, percebi que era uma turista solitária em meio a uma multidão de ternos e gravatas. Saltos-altos batiam decididamente no chão ao meu redor, pessoas no celular, todos com olhares preocupados, determinados e com pressa. Eu sentia vergonha de tirar meu mapa e máquina fotográfica da bolsa – parecia que era a única perdida por ali. Todos conheciam tudo, sabiam para onde estavam indo, pessoas importantes do mundo dos negócios, donas de suas vidas.

As belas casas coloridas em Curaçao

100

Revista Expansão

Setembro/2011


Ao lado, a famosa EstĂĄtua da Liberdade, acima e abaixo, a Times Square, um dos locais mais movimentados de Nova Iorque

Revista ExpansĂŁo

Setembro/2011

101


SEM FRONTEIRAS

Acima, Vitória durante pôr-do- sol no topo do Rockefeller Center, ao lado cenários típicos como os estandes de cachorro-quente e pretzels e, na página ao lado o Bryant Park e a vista para o Central Park

Ruas cheias Caminhando sem rumo, aos poucos comecei a perceber que à minha volta as ruas ficavam cheias de pessoas de boné e tênis, sacolas de compras e passo desacelerado. Enfim turistas, que, percebi mais tarde, a partir das 10 horas preenchem cada espaço das ruas e locais famosos em Nova Iorque. Passeei sozinha por lá durante quase duas semanas. Em meio a um mar de pessoas, porém, nunca me senti tão solitária. A primeira dica para visitar a cidade que nunca dorme, portanto, é: escolha bem sua companhia. Viajar com a família e crianças pequenas pode fazer você descobrir uma Nova Iorque diferente, com a loja da Disney – que traduz em cenários e brinquedos todas aquelas ilusões dos filmes infantis - e a FAO Schwarz, loja de brinquedos fascinante, dona daquele piano gigante que Tom Hanks toca com os pés no filme Quero ser Grande. Com as amigas, o foco pode ser nas compras: recomendo levar malas vazias, porque as roupas lá são lindas, diferentes e muito mais baratas que no Brasil. Um casal pode curtir passeios pelo Southstreet Seaport, com vista para a Brooklyn Bridge, e o lindo pôr-do-sol no topo do Rockfeller Center (ou quem sabe patinar no gelo no Central Park, caso a visita seja no inverno). Dicas maravilhosas Já para mim, os companheiros foram o guia Lonely Planet, com dicas maravilhosas e mapas indispensáveis, e meus fones de ouvido, que ajudavam a me distanciar um pouco da multidão ao meu redor, em todas as atrações turísticas. Afinal, Nova Iorque tem milhares de locais lindos para conhecer, mas não se pode deixar de ir aos “clássicos”, aqueles conhecidos por todos e que fazem, no nosso imaginário, a cidade ser o que ela é. Must-sees No coração de Nova Iorque, os outdoors iluminados formariam uma poluição visual – não fosse o fato de, na verdade, serem um dos cartões postais da cidade, a Times Square. Lotada de turistas e com todas as cores e lojas que se pode imaginar, a Times Square fica nas proximidades dos muitos teatros da Broadway, cujos espetáculos de-

102

Revista Expansão

Setembro/2011

vem ser assistidos e aplaudidos. Tive a chance de assistir ao Fantasma da Ópera e Mamma Mia. As músicas são tocadas por uma orquestra e cantadas ao vivo e as performances causam arrepios e muitos sorrisos. Lindo, lindo! Outra atração que deve ser visitada é, obviamente, a Estátua da Liberdade. É possível fazer passeios que param na ilha, onde ela fica, em que se conhece a história dos imigrantes que chegaram aos Estados Unidos. Eu optei por pegar uma balsa – gratuita, por sinal – até Staten Island, em que durante o percurso se tem uma visão da estátua, porém de longe. Só observe Na Grand Central Terminal, considerada a maior estação ferroviária do mundo, uma experiência válida é ficar por um tempo no saguão principal, só observando centenas de apressados correrem para pegar seus trens e os turistas admirando a bela arquitetura ao seu redor. Sugiro, ainda, subir ao topo do Empire State Building ou do Rockefeller Center. A vista da cidade é maravilhosa. Escolhi subir no segundo, o que se chama de Top of the Rock, pois tem menos filas e inclui poder ver, de lá, o próprio Empire State. No verão, o legal é subir às 18 horas, em que se vê o sol ainda brilhando, e ficar por lá até que o sol se ponha e as luzes da cidade comecem a acender. Calor O calor em Nova Iorque, enquanto eu estive lá, chegou a 104 graus Fahrenheit. Alguém sabe o que é isso? Tive que aprender, assim como a conversão para pounds, miles, inches, tamanhos de roupa e de sapato. É isso, Nova Iorque 40 graus, que se salva pelas lojas e ambientes com ar condicionado. Para fugir das altas temperaturas, o legal também é aproveitar para sentar em um dos muitos parques, como o Bryant Park, ao lado da biblioteca pública, que deve ser incluída no passeio. O famoso Central Park tem sempre muita gente, mas é uma experiência única: deitar-se na grama (muitas pessoas fazem isso usando roupas de banho), jogar frisbee, comer um sorvete, tudo em meio à natureza cercada de prédios. Refrescante, ainda, é saborear um frappuccino da famosa cafeteria Starbucks, que está quase a cada esquina.


A primeira de muitas Ao final da minha curta visita, percebi que Nova Iorque não é para ser visitada somente uma vez. Ela vai muito além das famosas compras ou de olhar e fotografar pontos conhecidos. Nova Iorque é para sentir, conhecer, entender, aprender. É largar o mapa, perder a noção do tempo, não seguir multidões. É visitar locais inusitados, esquecer o preconceito e aproveitar a visita, que, imagino, será apenas a primeira de outras que virão.

Transportamos Sonhos

Vencemos distâncias com agilidade, comprometimento e segurança, para oferecer a nossos clientes atenção contínua com eficiência e dedicação. Tudo para

transformar seus sonhos em realidade, todos os dias!

www.transduarte.com Revista Expansão

Setembro/2011

103


GOLFE CLASSIC Fotos: Divulgação

Por Luis Carlos Baumgarten Empresário e vice-presidente da Confederação Brasileira de Golfe royal.golfe@terra.com.br

Duplas disputam no Rosário Golf Club O torneio Aberto Duplas de Rosário reuniu 46 integrantes no Rosário Golf Club, que ocorreu em 6 e 7 de agosto. Os grandes campeões foram Glauco Righi  e  Eduardo Torres, ambos local players. Parabéns!

O campo de nove buracos recebeu 23 duplas

Golfe no Patrola O programa Patrola, da RBSTV, gravou, em junho, uma entrevista com o golfista Matheus Balestrin, pelas ruas de Porto Alegre. A ideia do apresentador Luciano Potter foi fazer uma crítica à falta de manutenção das vias municipais da capital gaúcha. Com muita descontração, eles simularam uma partida de golfe nos buracos do asfalto. O programa vai ao ar nas próximas semanas. Não perca!

O golfista juvenil Balestrin passa orientações ao repórter Potter

A golfista Lúcia Reinert, de Caxias do Sul, conversa e recebe dicas do golfista profissional Vinícius Muller, de Porto Alegre, durante torneio no Porto Alegre Country Club, em maio

Os golfistas André Medina e Greg Ownen, que moram nos Estados Unidos, receberam o presidente da Federação Riograndense de Golfe, Norton Fernandes (no centro da foto), para uma partida entre amigos no West Palm Beach, na Flórida

Um grupo de apaixonados pelo esporte reuniuse no Royal Alberdin, na Escócia - país do Golfe, para disputar os 18 buracos do tradicional campo. Na foto, Gordon Mason, Petter Belli, Roger Macdonals, James Cleary, Petter Divine, John Buchanan, Luis Carlos e Volnei Coelho

104

Revista Expansão

Setembro/2011


Cultura

Invasão azul

Por Aline de Melo Pires | Fotos: Divulgação

Os Smurfs, pequenos personagens que povoaram o imaginário infantil nos anos 80, voltam em grande estilo

D

Smurfette, no editorial de moda da Harper´s Bazaar, e, ao lado, a cantora Katy Perry, que dublou a pequena estrela no cinema

epois da onda azul que atingiu os cinemas do mundo inteiro com as aventuras dos Smurfs nas telas de cinema, quem quiser um registro impresso e matar as saudades das criaturinhas cerúleas pode se deliciar com os lançamentos da gaúcha L&PM Editores. A editora acaba de lançar dois títulos com histórias das simpáticas miniaturas. Também é possível conhecer um pouco mais sobre o verdadeiro pai dos Smurfs. O ilustrador belga Pierre Culliford (1928-1992), conhecido como Peyo, criou outros personagens ao longo de sua carreira, mas o sucesso dos Smurfs foi tamanho, que ele passou a dedicar-se somente a eles. Nas livrarias podem ser encontrados dois títulos bem divertidos, O Smurf Repórter e O Bebê Smurf. Uma geração inteira se divertiu em frente à televisão, atraída pelas aventuras destes personagens inesque-

cíveis nos anos 80 e a produção da Columbia Pictures, Os Smurfs – O Filme resgata toda esta magia, com os azuizinhos inseridos no mundo real, mais precisamente em Nova Iorque (EUA), e é aí que a história está centrada. Eles precisam de ajuda para voltar à sua aldeia, antes que o malvadão da vez os ache, o vilão Gargamel e seu inseparável cúmplice, o gato Cruel. Estrela da moda A pequena musa da aldeia dos Smurfs, a Smurfette, dublada no filme pela cantora Katy Perry, merece um capítulo à parte em todo este contexto de resgate adolescente. Smurfette foi estrela de um editorial de moda da revista americana Haper´s Bazaar. No editorial, ela usa acessórios como bolsas, sapatos, chapéus e joias de marcas como Dolce&Gabana, Marc Jacobs e Louis Vuitton. Os pequeninos também estão em uma coleção limitada de relógios para a marca Colette.

Revista Expansão

Setembro/2011

105


rodamundo

Avida como uma

grande viagem Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Graziela Dannenhauer/Especial

Rancho Móvel reúne os apaixonados por motorhomes e trailers, na 12ª olimpíada no Parque da Okrober, em Santa Cruz do Sul (RS)

T

odo o conforto e segurança de uma casa cabe em um motorhome ou em um trailer. E a vida pode ser uma diversão com muita comodidade e luxo. Viajar por lugares exóticos ou participar de um encontro de amigos. Ir quando der vontade e parar quando quiser. Esta é a vida de quem gosta de viajar de motorhome ou de trailer pelas estradas. E foi na 12ª Olimpíada Rancho Móvel, no Parque da Oktoberfest, em Santa Cruz do Sul (RS), no mês passado, que encontramos casais que curtem fazer da vida uma bela viagem. As olimpíadas são promovidas pela Associação Gaúcha dos Proprietários de Veículos de Recreação (Rancho Móvel) que traz em seu modo de viver o lema Estrada, Natureza, Turismo e Amizade. De acordo com o presidente da associação, João Cláudio Ferreira da Silva, 66 anos, este evento em Santa Cruz foi mais um dos que são promovidos durante o ano, que somam doze encontros. Os viajantes já passaram por Barra do Ribeiro, Arapey (Uruguai), Guaporé, Flores da Cunha, Encantado e Lajeado. O próximo, que ocorre em outubro, será em Machadinho; em novembro, Arroio do Sal, e em dezembro, São Lourenço do Sul. Em todas as edições ocorrem campeonatos organizados para uma média de 250 pessoas, com seis modalidades – futsal, bocha, canastra, pingue-pongue e sinuca. Confraternização e casamento A proposta, segundo o presidente, é fazer turismo, confraternizar por até cinco dias, conversar, comprar, conhecer novos lugares, fazer novos amigos e sempre se divertir com a companheira. “Se você for comprar um motorhome e a esposa não sabe, quando ela souber e gostar da ideia, você está feito. Agora, se ela não gostar, ou você vende o motorhome ou troca de esposa”, brinca Silva. Mas a brincadeira tem um fundo de verdade. Ele explica que é preciso que o casal goste de fazer essas viagens juntos, gostem de estarem juntos, porque se passa muito tempo junto. “E é preciso saber dividir as tarefas, ser companheiro e ter muita, mas muita cumplicidade”, destaca Silva. Para ele, a pessoa tem ser despojada e ter iniciativa para praticar uma vida assim.

106

Revista Expansão

Setembro/2011


Por isso, ele e sua esposa, a professora aposentada Gilca Therezinha da Silva, 64, casados há 45 anos, estão em viagem para o Equador, passando pelo Acre, e retorno pelas Cordilheiras dos Andes, até chegar em Buenos Aires (Argentina) e depois o solo gaúcho, novamente, até a cidade onde moram, Lajeado. Eles gostam muito de ir para o Nordeste, gostam de viajar e, depois, da sensação de voltar para casa. “Adoramos viajar de manhã, com um chimarrão e assistindo ao nascer do sol, uma musiquinha gaúcha e bastante estrada”, diz Gilca. Excursões longas Um veículo de tamanho médio já é ideal para o casal fazer excursões mais longas, como garante Silva. Sua viagem vai demorar cerca de 45 dias. Ele é advogado e aposentado do Tesouro do Estado e há onze anos está neste lida de se divertir pelas estradas da América Latina. “E não se preocupe com os faróis, à noite você já estaciona para o jantar e descansar. Então não vai precisar deles nunca”, frisa Ferreira. O mercado de motorhomes e trailers está em franca expansão, de acordo com Ferreira. Apesar disso, a maioria das cidades, diz, não está preparada para comportar os encontros promovidos pelo Rancho Móvel.

Os casais apaixonados pela vida e por si: Silva e Gilca (acima), de Lajeado, e Liquinho, Astred, Lilian e Pedrinho (abaixo), dos Vales do Sinos e Paranhana

Os cuidados e lugares O presidente do Rancho Móvel faz uma afirmação sobre a estrutura de campings pelo Estado. “Por exemplo, a capital gaúcha não tem campings para receber os gaúchos e estrangeiros que vão querer participar da Copa de 2014. Não tem campings em Porto Alegre (RS) para o alojamento. Há alguns, mas sem a infraestrutura necessária. Há quantidade, mas falta qualidade”, frisa Ferreira.

Revista Expansão

Setembro/2011

107


rodamundo Casais apaixonados por motorhomes Em meio aos casais que participavam do evento, encontramos com um casal de Igrejinha (RS). Todos muito simpáticos. Este motorhome era um dos mais sofisticados no local. O veículo é de tamanho grande e pertence a Pedro Fleck, o Pedrinho, 71, e sua esposa Lilian, 67. Eles são figuras permanentes aos encontros, assim como o casal vizinho deles no local, Luís Antônio Hahn, o Liquinho, 52, e Astred Hahn, 52, de Taquara. Para Pedrinho, o seu motorhome é equipado com novidades e equipamentos construídos pelo eletricista e amigo Liquinho. “Eu invento as coisas e ele executa”, brinca o empresário aposentado. Em seu veículo de recreação encontra-se luz de LED na lona de proteção, máquina de lavar roupa acoplada ao veículo na parte externa, assim como um fogão e TV de LED, além de gerador próprio e uma bela ampliação de sua sala (ele aciona um botão e a sala aumenta cerca de dois metros para fora de seu motorhome). Ambos os casais já começaram suas histórias de viajar pelo mundo porque já gostavam de acampar quando jovens. “Aí você comprar seu primeiro trailer, que é puxado pelo seu carro; depois comprar um motorhome que você dirige e tem vida própria. Depois você só quer luxo e diversão”, destaca Pedrinho. Apaixonados, ele e Lilian formam um casal divertidíssimo e acolhedor.

Pedrinho (acima) mostra umas das invenções em seu veículo. Ao lado, o motorhome com a sala ampliada. Abaixo, Lilian na sala, com suas pinturas que tanto ama

Interior do veículo Eles convidaram para conhecer o interior do seu veículo. A sala tem um sofá-cama, uma cozinha, armários, duas televisões, geladeira, ar condicionado, tudo com detalhes e acabamentos em madeira, além dos quadros pintados por Lilian. Na parte da pilotagem, além de outra televisão, há som, dois rádios transmissores e um GPS. Já o quarto, tem uma ampla cama, televisão e armários. E ainda há um banheiro pequeno, com vaso e box. “Tudo que é necessário para o nosso conforto”, frisa Lilian, que está casada há 47 anos com Pedrinho. “Eu aturo ele e ele me atura. Assim a gente vive”, ironiza Lilian. As tarefas são divididas da seguinte forma: ele fica com as tarefas de fora do motorhome e ela fica com as de dentro. Eles até agora já foram até Foz do Iguaçu (PR). “Queria ter 30 anos a menos e saber o que sei hoje. Isto aqui é uma vida pura, é uma amizade pura, é uma confraternização e você sempre encontra um conhecido em algum lugar”, diz Pedrinho.

Astred e Liquinho

108

Revista Expansão

Setembro/2011

O professor pardal Liquinho é um “professor pardal” da turma. Ele cria as coisas e depois deixa à disposição para instalar também para demais interessados. A sua última novidade é um motor elétrico, com mais potência, econômico, de baixo consumo, que faz a suspensão e gera uma força muito intensa. E o seu motorhome é cheio de suas invenções. “Ele, ao dar a volta ou fazer a força maior, tranca e não quebra a válvula. Não existe modelo importado”, destaca. O toldo é elétrico, com luz de LED a escadinha de acesso ao interior do veículo é suspensa, onde Liquinho usa o motor que inventou. “A lona é de injetáveis. Eu vou e vejo com as pessoas se elas podem me ajudar a resolver o que estou procurando fazer e quase sempre tenho a solução”, diz o eletricista. A televisão e a cozinha, que são acopladas ao motorhome, também são acionadas para a parte externa do veículo pelo motor que inventou, usado também nas peças externas de Pedrinho. Sobre a diversão de viver na estrada, ele diz que é de se apaixonar. “E depois que você faz amigos, então, é mais difícil largar. Você não consegue”, diz. O casal gosta mais é de viajar e ir com o veículo para a praia de Garopaba (SC). “A gente tira um mês de férias e deixamos os filhos cuidando da nossa elétrica”, brinca Astred. Ela e Liquinho se divertem com seus passeios já há muito tempo. Eles estão há 30 anos casados.

Liquinho e o motor elétrico


Tranquilidade E o hamburguense João Narcísio Ferreira Neto, o Bangunça, 75, e a esposa Ilasy Becker Ferreira, 69, são mais um exemplo de que a vida a dois sobre rodas pode ser bem divertida. “a gente faz almoços e jantares com os amigos aqui nos encontros e vive assim por todos os lugares”, diz Ilasy. É nítida a alegria de quem participa desses encontros do Rancho Móvel. Todos sorrindo, participando ativamente da olimpíada e a tranquilidade impera em todos os ambientes. Não existe pressa! E nem precisa. Desde 2005, o casal de Novo Hamburgo (RS) participa do Rancho Móvel. “Nós temos essa amizade, essa confraternização que é muito legal e não tem preço. É maravilhoso”, diz Bagunça. O seu motorhome é tamanho médio e necessário para ele e a esposa. Tem suíte com banheiro, box para chuveiro, mais um banheiro social, sala e cozinha, prateleira embutida. Dependendo do que quiser colocar ou instalar no veículo, os valores deles podem variar bastante. Segundo Bagunça, alguns veículos custam entre R$ 100 mil a R$ 700 mil reais, e outros bem mais dependendo das exigências do cliente. “Mas, nós aqui temos o conforto que precisamos para sermos felizes”, conclui Bagunça.

Bagunça e Ilasy no aconchego de seu motorhome. O casal hamburguense adora viajar

Revista Expansão

Setembro/2011

109


lazer e cia

Além da

imaginação Por Vera Fernandes | Fotos: Vera Fernandes/Especial

Chairs surpreende com a gastronomia como prato principal, o entretenimento e diversão como sobremesa e um espaço para happy hour como entrada

I

magine um lugar onde se possa realizar uma reunião de negócios durante um almoço executivo com gastronomia de primeira, encontrar amigos para uma happy hour no final da tarde, aproveitar um jantar à la carte à noite, e, nas sextas-feiras e sábados à noite, ainda ficar para a balada com os melhores DJs do Brasil. Tudo isso curtindo o charme da zona sul da capital gaúcha. Chairs Resto Lounge é o nome desta nova tendência, espaço de gente exigente, e eclética, desde os jovens que vêm para a balada, profissionais liberais no almoço executivo, casais e seus jantares românticos, até os apreciadores da boa mesa, que reúnem a família para um almoço no final de semana. E a partir deste mês, a casa ainda vai agregar e agradar um outro tipo de público: o da happy hour. Tem de tudo para todos os gostos A Chairs está localizada no bairro Tristeza, zona sul de Porto Alegre (RS), em um prédio cinquentenário. Já na entrada, o cliente passa pelo deck frontal, que vai abrigar um dos mais aconchegantes espaços da casa. Segundo o proprietário, o advogado Márcio Burin, agora, os clientes poderão aproveitar todas as benesses do happy hour Chairs no deck. Ali os frequentadores terão, na área externa, fechada e clima-

110

Revista Expansão

Setembro/2011

tizada, um cardápio especial de petiscos e som ao vivo, pelo menos, uma vez por semana. O próximo espaço é o do restaurante, com capacidade para 150 pessoas. A gastronomia, aliás, é o carro-chefe da casa. Ao meio-dia, o público predominante é formado por profissionais liberais. Segundo Burin, a Chairs é considerada a grande mesa de negócios para abrir outros empreendimentos, na zona sul. À noite, o jantar é à la carte, e ainda tem a gastronomia específica para as festas e happy hour. O ambiente é requintado e aconchegante. Nas paredes, a decoração, desde que a casa abriu, é feita com exposições artísticas. Seguindo um pouco mais, chega-se ao terraço, espaço também do restaurante, um pouco mais isolado, ideal para a realização de eventos. Dali o acesso ao lounge também pode ser feito. A singularidade está até nos lavatórios dos toaletes, uma obra de arte, decorados com mosaicos. No lounge, a capacidade de público é para 450 pessoas e os camarotes são temáticos. O acesso se dá tanto pelo mezanino, que liga ao restaurante, quanto pela entrada independente, um acesso direto da rua.


Uma jogada de risco A Chairs foi projetada em 2006, por três amigos, um advogado, um contador e um administrador de empresas, que resolveram abrir a casa como hobby. Eles acreditaram, na época, que poderiam ser proprietários e não se envolver na administração. Mas isso não foi possível, e o advogado Márcio Burin acabou abandonando sua carreira jurídica de oito anos para abraçar a causa do entretenimento e da gastronomia. Hoje ele é o único proprietário e se dedica integralmente à Chairs. Conforme Burin, instalar-se na zona sul foi um risco. Na época, em 2007, quando a casa foi inaugurada, os comentários eram de que “iria durar no máximo seis meses”. Segundo ele, a zona sul é uma cidade à parte, uma cidadezinha do interior, a densidade demográfica é baixa, é residencial, todos se conhecem. “O fluxo de pessoas sempre foi contrário, saíam daqui em direção ao Moinhos de Vento, onde se concentra um grande número de restaurantes e casas noturnas. Mas nós invertemos o fluxo. Muita gente hoje conhece a zona sul por causa da Chairs”, revela. De acordo com Burin, a inauguração do BarraShoppingSul foi uma das pistas de que a zona sul iria crescer. “Nós acreditamos”, completa.

A gastronomia é o carro-chefe A variedade na gastronomia da Chairs leva a assinatura do chef Felipe Melo (foto) e combina com o público que frequenta a casa: é versátil e variada. A cada nova estação, o cardápio é adaptado, como em setembro, por exemplo, com pratos mais leves, sem deixar de servir os tradicionais e os mais pedidos, à base de filés, peixes e massas. Uma vez por mês, sempre na primeira quinta-feira do calendário, Melo recebe a visita de um chef de fora, em um projeto gastronômico que deve ser ampliado a partir do ano que vem, para seis dias consecutivos a cada mês. O menu da Chairs tem os pratos prediletos do público, como o filé chairs, feito com fondue de queijo, acompanhado por fettuccini com funghi shitake ao vinho do Porto. Linguado com passas e castanhas é outra preferência. “Fazemos o cardápio o mais variado possível, para buscar a satisfação de todos os frequentadores, e isso inclui desde os pratos leves, que servimos nas festas, até os menus do gosto das famílias que predominam no final de semana. O desafio é grande”, explica o chef. Melo está na profissão desde 1994. Neste tempo, passou pelo Dado Bier e depois o Dado Pub. “Foi muito bom, mas não era a minha cara. Quando fui convidado para fazer parte da Chairs foi um desafio, mas consegui montar aqui um cardápio que tem a minha identidade”, conta.

Revista Expansão

Setembro/2011

111


lazer e cia

Onde a festa continua No lounge, já fizeram a festa DJs do mundo inteiro. Nomes como Guru Josh, Misca Daniels, Alex Gaudino, Michel Saad, Memê, Mary Olivetti, Paco, Fabrício Peçanha e Henrique Fernandes. Nas duas noites nas quais funciona, a música é temática. Na sexta, Hip Hop, última tendência nas casas noturnas do Brasil. Conforme Burin, este estilo musical, que domina as festas de sexta há cerca de dois meses, está tendo uma ótima aceitação. No sábado, quem impera é a house music. Tanto pelo restaurante, quanto pelo lounge, também já passaram celebridades e autoridades, como a presidente Dilma Roussef, que enquanto candidata almoçava na Chairs pelo menos uma vez por semana. Além dela, as celebridades Karina Bacchi, Mariana Weickert, Guga, Werner Schünemann, Dunga, Amauri Jr., Roberto Justus, o jogador Tinga e os goleiros Vítor, do Grêmio, e Lauro, do Inter. A Chairs Resto Lounge fica na Rua Doutor Barcelos, 431, e funciona de segunda a sexta-feira, com almoço executivo das 11h30min às 14h30min. Aos sábados e domingos, das 11h30min às 15 horas. O jantar é servido de terça a sexta-feira, das 19h30min às 24 horas, e aos sábados, das 19h30min à 1 hora. O lounge funciona nas sextas-feiras e sábados.

112

Revista Expansão

Setembro/2011


Revista Expans達o

Setembro/2011

113


EMPRESAS & PRODUTOS Nova identidade

Moda animal

Jet Imobiliária chega ao mercado leopoldense

Mon Tricot lança edição especial para bichinhos Fotos: Divulgação

Até os animais sentem frio no inverno. Foi pensando nisso, que a Mon Tricot lançou uma edição especial com receitas de peças em tricô só para os mascotes. A Mon Tricot Pet traz uma coletânea de blusas e pulls, com lições fáceis que explicam o passo-a-passo de como fazer as peças com os fios Pingouin. Além das roupas, a Mon Tricot Pet ensina como tricotar acessórios. São coleiras, guias, gravatas e cachecol que vão garantir estilo na hora do passeio. A revista também traz mantas e almofadas de tricô.

A Jet Imobiliária já nasce com mais de cinco anos de experiência em São Leopoldo (RS), dando continuidade aos serviços da Tudo Imobiliária na cidade. A empresa adotou uma nova identidade corporativa mais moderna e alinhada com as demandas do setor imobiliário. O objetivo é fortalecer a relação com os clientes na busca pelo imóvel e negociação perfeita para realização dos seus projetos de vida. A Jet atua nos segmentos de locação, gestão de condomínios e venda, e conta com a liderança da corretora Tânia Figueiró. A empresa se mantém no mesmo endereço e telefone: Rua 1º de Março, 191, Centro de São Leopoldo. Mais informações no site www.jetimobiliaria.com.br

Aline de Melo Pires/Especial

Rivera

Hotel Casino é inaugurado em setembro A partir de setembro, os turistas que forem a Rivera, no Uruguai, terão mais uma alternativa para o descanso e entretenimento. O anúncio da inauguração do Rivera Casino & Resort foi feito no início de agosto, durante almoço oferecido à imprensa no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. O diretor de Marketing do hotel, Raúl Sarasola (foto), explicou, na ocasião, que o cassino será a grande âncora do empreendimento. “De cada U$ 100 gastos, em Rivera, somente U$ 30 vão para as compras”, argumentou. Segundo ele, o hotel conta com 60 apartamentos e destes, seis são VIPs, um teatro e centro de eventos, este último com capacidade para 340 pessoas. Para atender os turistas, foi montada uma equipe de 300 colaboradores. O novo empreendimento custou aos investidores – Grupo Bold, da Argentina, e Grupo ICM, do Uruguai –, U$ 32 milhões, entre reforma e ampliação do prédio. Mais informações em www.hotelcasinorivera.com.

Revitalização

Sinosserra moderniza site

Divulgação

114

Revista Expansão

Setembro/2011

A empresa caxiense de softwares Ebis foi a responsável pela remodelação das novas plataformas de website, intranet e extranet da Sinosserra Consórcios, que lançou a novidade em julho, no endereço www.sinosserra.com.br (foto). O objetivo foi modernizar e agilizar o acesso dos internautas. A intranet é voltada a toda equipe interna, funcionários e colaboradores. Já a extranet atende os representantes da Sinosserra. O novo site possui mais conteúdos, é mais dinâmico. Com a implantação destes novos recursos, o número de acessos ao site aumentou, atingindo aproximadamente 8 mil visitas em julho.


Fotos: Divulgação

Novidade

Movitel apresenta o Vivo Direto A Movitel, representante da Vivo no Vale do Sinos, realizou um café da manhã (foto) com clientes, em julho, para apresentar o Vivo Direto, no Hotel Locanda, em Novo Hamburgo (RS). O novo produto vai proporcionar ligações por rádio com a tecnologia Push to Talk (PTT). Similar ao rádio em sua forma de comunicar e com conexão ilimitada entre os assinantes, o novo produto é uma forma econômica de comunicação em todo o País, lançado no início de julho. Outra vantagem é que o cliente utiliza o mesmo número do seu telefone celular nas chamadas PTT. Durante o encontro, o gerente de Inteligência Comercial da Vivo, Fabiano Machado Correa, e o diretor comercial da Movitel, Rubens Tomm, esclareceram dúvidas.

Carreira

PRO+ vai formar consultores Terá início a partir de 24 de setembro, em Novo Hamburgo (RS), o Programa de Formação de Consultores da PRO+ Escola de Consultores. O objetivo é possibilitar o acesso à carreira de consultoria para uma gama diversa de profissionais em diferentes estágios, a partir de pesquisas que identificaram esta lacuna no mercado. O programa de formação de consultores ocorrerá em encontros aos sábados, em Novo Hamburgo (RS). Mais informações pelo site www.promaisescoladeconsultores.com.br ou pelo telefone (51) 3037-1619.

Revista Expansão

Setembro/2011

115


CRÔNICA

ECONOMIA & NEGÓCIOS

Por Osvino Toillier Professor, escritor e presidente do Sinepe/RS osvino@sinepe-rs.org.br

Alternativa de existência

Expansão

Centro Clínico Gaúcho inaugura centrais A ampliação da estrutura física e capacidade de atendimento foi o foco do Centro Clínico Gaúcho no primeiro semestre de 2011. Ao completar 20 anos, a empresa comemora a inauguração de duas novas centrais de atendimento, uma em São Leopoldo (RS), em abril, e outra em Viamão (RS), em junho. As novas instalações permitiram o aumento em pelo menos 40% no atendimento. Estas ações integram um planejamento idealizado em 2009, que já concretizou empreendimentos em Canoas, Gravataí e Porto Alegre, além de ampliações e reformas. “A meta é expandir e melhorar ainda mais nossos padrões”, destaca o superintendente da operadora, Carlos Eduardo Ruschel. O Centro Clínico Gaúcho possui 260 mil usuários, 5 mil empresas clientes, 1,8 mil colaboradores e 24 unidades de atendimento, abrangendo Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Esteio, Guaíba, Gravataí, Porto Alegre, São Leopoldo e Viamão. Divulgação

D

e certa forma, a sociedade atual exalta o sucesso como única alternativa de existência, deixando todas as demais no limbo. Na impossibilidade de lutarmos contra nossas fraquezas, resta-nos a baixeza maior: se alegrar com a derrota alheia.” Esta inspiradíssima passagem é da crônica de Martha Medeiros, no Caderno Donna de Zero Hora. Fantástica reflexão, que me levou a pensar sobre a exaltação de sucesso que se pretende imprimir em todos os aspectos da atividade humana. A essência da vida não está na dimensão de ser vencedor ou perdedor apenas, mas na capacidade de tirar lições de todas as experiências que acabamos tendo em nossa vida. A dimensão do sucesso se transformou em neurose, que faz com que percamos a oportunidade de nos deliciarmos com tanta coisa bonita da vida e que, aparentemente, não está nesta frequência. É apenas mais uma experiência de vida. Parece que nos tornamos reféns de uma visão utilitária de vida: serve, me trará alguma vantagem, ganho alguma coisa com isso e assim por diante. E isto é muito perigoso, porque coloca as pessoas numa esteira de produção. Imagina: de que serve plantar uma árvore? Arrumar o jardim, regar um canteiro de flores? Brincar com uma criança ou cuidar de um velho? A poesia e o encantamento não cabem nesta fórmula. Esta dimensão utilitária empobrece a vida, elimina o que ela tem de mais belo e mágico. Precisamos recuperar a utopia da felicidade para superar as vicissitudes da vida. É claro que é muito bom poder celebrar bons resultados de um empreendimento, o lucro de uma operação, mas nem tudo é mensurável a régua e compasso, que fatalmente nos levam a olhar para o lado e ver a medida do outro. E aí a cronista conclui magistralmente: “a diferença entre ser um vencedor e um perdedor nunca esteve relacionada nem ao sucesso, nem ao fracasso”. Jardineiro da alma e das flores, eis uma boa proposta.

Unidade São Leopoldo foi inaugurada em abril

Impostos

Projeto quer mais clareza nas notas fiscais O deputado estadual João Fischer, o Fixinha, protocolou na Assembleia Legislativa do Estado, em 18 de agosto, projeto de lei para tornar mais claro ao consumidor gaúcho o custo dos impostos embutidos nas mercadorias e serviços. Pela proposta, documentos fiscais ficam obrigados a ter discriminados todos os tributos federais, estaduais e municipais. Conforme o texto, a apuração do valor dos tributos incidentes será feita em percentuais sobre o preço a ser pago, ou em valores monetários, quando forem alíquotas específicas. O projeto prevê a discriminação de impostos como ISS, IPI, IOF, IR, PIS-Pasep/Importação, Cofins/Importação, entre outros.

Incorporadora

A Inpar agora é Viver

116

Revista Expansão

Setembro/2011

Vera Fernandes/Especial

Empresa de destaque no mercado de incorporação imobiliária há cerca de 20 anos, a Inpar agora tem um novo nome: Viver. E foi para divulgar esta nova marca, que o diretor da região sul, Rodrigo Chade, esteve em visita à Revista Expansão, em julho. A oportunidade também foi de lançamento de novos investimentos, em São Leopoldo e Porto Alegre (RS); e São José Chade em divulgação da nova marca dos Pinhais (PR). A nova marca, segundo ele, vem para coroar a fase da consolidação da entrada da Paladin Realty Partners no controle acionário da Inpar, o que ocorreu há cerca de dois anos. Com a mudança da marca, o slogan passou a ser Sua Vida Move a Nossa.


feira

Celebração de uma

paixão Tradicionais espaços Além da ampla praça de alimentação, os visitantes poderão contar com áreas de recreação e brinquedos infláveis, salão de artes e aquele já tradicional espaço para os maridos aguardarem suas mulheres realizarem as compras, o maridódromo. Ali, os homens podem

Divulgação

Sapatos são paixões eternas. Além do conforto e da segurança, conferem beleza e deixam qualquer mulher com a autoestima elevada e a maioria dos homens, ainda que muitos não admitam, mais estilosos. E é para celebrar esta condição que uma festa deve atrair as apaixonadas e os apaixonados por sapatos neste mês para a Fenac, em Novo Hamburgo (RS). De 2 a 11 de setembro, a Festa Nacional do Calçado vai oferecer produtos com até 70%, ou mais, de descontos. Mas os visitantes não encontrarão somente calçados, bolsas e acessórios na festa. A direção prepara ainda mais atrativos que devem levar famílias inteiras aos pavilhões da Fenac. Estandes com artigos como peças de vestuário, bijuterias, tapetes, confecções diversas, utensílios domésticos, produtos coloniais, automóveis e motos zero-quilômetro, artesanato local e regional, estarão à disposição do público, que pode comparecer em famílias inteiras.

Festa Nacional do Calçado é a grande atração para quem não abre mão do bom preço

esperar com todo o conforto, desfrutando de algumas atrações programadas. Segundo o diretor-presidente da Fenac, Elivir Desiam, a proposta é conferir o máximo de comodidade e segurança ao público, com ambientes totalmente climatizados. Ingressos e estacionamento O ingresso custa 5 reais para adultos e R$ 2,50 para estudantes e pessoas acima de 60 anos. O estacionamento interno custa 10 reais. A realização da Festa Nacional do Calça-

do é da Fenac e da prefeitura de Novo Hamburgo, com apoio da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI), CDL Novo Hamburgo e Sindilojas Novo Hamburgo. Mais informações podem ser obtidas pelos sites www.fenac.com.br e www.festanacionaldocalcado.com.br. Os estandes começaram a ser montados em 22 de agosto, quando dezenas de profissionais estiveram elaborando um cenário especial para receber consumidores de todos os Estados.

Revista Expansão

Setembro/2011

117


COMPORTAMENTO

ECONOMIA & NEGÓCIOS

Por Cris Manfro Psicóloga clínica, terapeuta de família e mediadora familiar acmanfro@terra.com.br

Reincidentes

Q

Revista Expansão

Setembro/2011

Um armazém de secos e molhados ao lado da Catedral Diocesana de Caxias do Sul (RS) dava início, em 1915, a uma das mais tradicionais lojas daquela cidade. Hoje, ao completar 96 anos, a loja conta com sete departamentos e mais de 6 mil itens, distribuídos em mais de 4 mil metros quadrados de área. A equipe de funcionários chega a 80 colaboradores. O exemplo de empreendedorismo de Raymundo Magna­bosco foi repassado para seus 12 filhos, e continua espelhado nas gerações atuais. A loja está situada no mesmo endereço de sempre, Rua Sinimbu, 1.824 (foto), e continua sendo ponto de referência até os dias atuais. Ali são comercializados desde a linha de aviamen­tos e miudezas até moda e artigos para decoração.

Posse

Banrisul Consórcios tem nova diretoria A nova diretoria da Banrisul Consórcios tomou posse em 8 de agosto, na sede da instituição, em Porto Alegre. Assumiu como diretor-presidente da empresa, Alvaro Rogério Alencar Silva, e como diretores, Luiz Edson da Motta e Luis Fernando Alves de Godói. Em seu discurso, Silva destacou a solidez da Banrisul Consórcios, que possui mais de 24 mil cotas ativas e patrimônio líquido de R$ 130 milhões. “A instituição tem um enorme potencial de crescimento diante de um mercado que apresenta indicadores de ascensão”, salientou. A empresa é integrante do Grupo Banrisul e comercializa planos de consórcio de imóveis, automóveis e motos, que podem ser adquiridos na rede de agências do banco.

Tecnologia

Feevale inaugura Sala Conectada A Universidade Feevale reuniu jornalistas, em 22 de agosto, para a inauguração da Sala Conectada, no campus I, que traz um novo conceito em aula interativa no Estado. Na ocasião, o doutor em Comunicação Dado Schneider realizou a palestra Estamos Todos Conectados. Segundo Dado, as novas ferramentas, como a Sala Conectada, farão com que os professores fomentem nos alunos o interesse por novos conhecimentos. “A nova geração não vai se adequar Schneider palestrou ao modelo de aulas vigente. Por isso, os professores têm de se adequar aos novos equipamentos e ambientes, estimulando os alunos a irem mais fundo no conhecimento, e interagindo com eles”, afirmou Schneider. A Sala Conectada foi projetada especificamente para incentivar a interatividade, a construção coletiva do conhecimento e o trabalho colaborativo entre alunos e professores. O espaço comporta todo o suporte tecnológico para que as aulas de qualquer disciplina sejam mais atraentes e instigantes para alunos. Entre as novidades que o espaço oferece estão uma lousa interativa, votadores, pads e netbooks.

Leonardo Rosa/Divulgação

118

Magnabosco comemora 96 anos

Divulgação

uem não conhece um casal energético, daqueles que acabam um relacionamento e voltam, acabam e voltam, numa sequência de idas e vindas sem fim? Digo quem não conhece porque, é claro, que isso não aconteceria com você. Ver-se numa situação assim, para muitos casais é bastante constrangedor. Além da difícil situação de ir e vir, ainda por cima o casal precisa lidar com o sentimento de vergonha, muito mais em função da avaliação dos outros do que por sua própria avaliação. “O que vão falar de nós? Eu aqui, vivendo uma situação dessas? Onde já se viu? Dessa vez não volto mais. Prometo, é a última vez... De tantas outras”. Ser reincidente em finais de relação muitas vezes faz com que a perda não seja levada tanto a sério. As frases que alardeiam o término da relação são vistas como ameaças vazias, da qual nem um dos dois acredita numa possibilidade real de perda.O término parece algo impossível, mas ao mesmo tempo, ficar juntos também parece impossível. O casal acaba vivendo um quase. Não investe na relação e nem a finaliza. Não tem espaço para o luto porque sempre se pode voltar e, não tem espaço para o investimento, afinal, ninguém garante que vocês possam ficar juntos com tantas despedidas já vividas. Falo em casal energético, porque a energia gasta em términos e recomeços sem fim é enorme. Idas e vindas cansam, desgastam e com o tempo deprimem. Muitos fatores podem dificultar uma tomada de decisão. Quando um casal tem uma grande sequência de finais e recomeços acaba não se fortalecendo, mesmo demonstrando que o amor não é frágil por suportar tantas coisas, uma vez que cada final é marcado por muitas brigas e um enorme desgaste. O problema é que cada vez que o círculo do termina e volta se repete, o casal se sente mais enfraquecido e desvalorizado. A desvalorização não é somente sentida no relacionamento, mas cada indivíduo se cobra por estar nessa situação. O processo de viver reincidentes finais também faz com que as pessoas à sua volta acabem por desvalorizar a sua dor. Dessa forma nem sempre você vai se sentir apoiado. As pessoas podem até querer ajudar, mas com o tempo aquilo parece uma ladainha que não merece mais ser levada a sério. Esquecemos que a dor é sempre séria. E a mágoa também. Os ressentimentos surgidos a cada término nem sempre conseguem ser supridos pelas voltas, o que faz com que um novo ciclo de final iminente se reinicie. Então, busquem ajuda! Isto não significa se separar de quem você quer bem, mas se separar de um tipo de funcionamento que além de enterrar pouco a pouco a sua relação, acaba enterrando você junto.

Aniversário


Fotos: Divulgação

Feira

Moda e sustentabilidade na Courovisão

Scherer Neto e Seger contentes com a premiação

Meio Ambiente

Reverse foi premiada com Mérito Ambiental Única empresa do Sul do País a trabalhar com resíduos tecnológicos e certificada com ISO 14001, a Reverse, de Novo Hamburgo (RS), recebeu, em 9 de agosto, o prêmio Mérito Ambiental Henrique Luiz Roessler, da Revista Ecologia e Meio Ambiente RS. O prêmio é entregue em parceria com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam) e Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs). O troféu, que foi recebido pelo diretor da empresa, André Seger, agracia organizações que estabelecem condutas ambientalmente responsáveis em suas gestões e, acima de tudo, as colocam em prática. A Reverse foi a única empresa do Vale do Sinos a receber o reconhecimento. Também participou da solenidade, que ocorreu no Clube Farrapos, em Porto Alegre, o diretor comercial da Reverse, Érico Pedro Scherer Neto. Além da Reverse, receberam o mérito empresas como Braskem, Banrisul, Randon, Borrachas Vipal, Sulgás, entre outras.

UnionCom.

A relação entre moda e sustentabilidade será uma das atrações paralelas da Feira Internacional de Componentes, Couros, Produtos Químicos, Equipamentos e Acessórios para Calçados e Artefatos (Courovisão) 2011, que ocorre em Novo Hamburgo (RS), nos pavilhões da Fenac, nos dias 27, 28 e 29 de setembro. A consultora de moda e stylist Chiara Gadaleta, criadora do Instituto Ser Sustentável com Estilo, esteve em Novo Hamburgo, no começo de agosto, onde reuniu-se com a diretoria da Fenac (foto), na sede da autarquia, e acertou os detalhes de sua participação na feira. Estiveram na reunião o diretor-presidente da Fenac, Elivir Desiam, o diretor de marketing Cláudio Fufa Azevedo e o diretorexecutivo Raul Hanauer. Mais informações sobre o Ser Sustentável com Estilo podem ser encontradas no site sersustentavelcomestilo.com.br

Revista Expansão

Setembro/2011

119


ECONOMIA & NEGÓCIOS

TRANSPORTE

Obras complementares para o trem até Novo Hamburgo avançam

Paranhana

O Grupo Bebecê foi reconhecido como destaque industrial de Três Coroas, pela Câmara da Indústria, Comércio, Serviços e Agropecuária do Vale do Paranhana (Cics/VP). O anúncio ocorreu durante o jantar de comemoração dos 80 anos da Cics/VP, em 23 de agosto. A escolha foi realizada com foco nas empresas com o maior valor adicionado em Igrejinha, Parobé, Riozinho, Rolante, Taquara e Três Coroas, nos segmentos de indústria, comércio e serviços. Com mais de 25 anos no mercado, a empresa tem produção de 15 mil pares ao dia.

Negócios

Abrameq comemora resultados da Fetecc As 25 empresas afiliadas à Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas para os Setores do Couro, Calçado e Afins (Abrameq), que participaram da Feira de Tecnologia e Calçados do Ceará (Fetecc), realizada de 17 a 19 de agosto, comemoraram o resultado do evento. Juntas, elas somaram R$ 396.450,00 em negócios, em três dias, fruto venda de 35 máquinas para indústrias da Paraíba, Sergipe, Ceará, Rio Grande do Sul, Bahia e Pernambuco. A Fetecc foi realizada em Juazeiro do Norte.

120

Revista Expansão

Setembro/2011

Unifácil

Unidade de atendimento é inaugurada em SL São Leopoldo foi a cidade escolhida para receber mais um Núcleo Unifácil, para atendimento a clientes da Unimed Porto Alegre. A nova unidade marca uma parceria entre a Cooperativa Médica de Porto Alegre e a Unimed Vale do Sinos, que será responsável pelo atendimento no local. O espaço, localizado na Rua Bento Gonçalves, 1382, foi inaugurado em 25 de agosto. A estrutura terá atendimento de segunda à sexta-feira, das 8 horas às 19 horas, nas especialidades de clínica médica, pediatria, ortopedia/traumatologia e ginecologia/obstetrícia. No Núcleo também serão realizadas autorizações de consultas e procedimentos. Mais informações pelo telefone 0800.642.4949.

Fotos: Divulgação

Bebecê é destaque industrial de Três Coroas

Robson Nunes/Divulgação

As obras complementares do Trensurb em Novo Hamburgo foram confirmadas em agosto pelo governo federal. A notícia foi recebida com entusiasmo pela prefeitura, que reuniu a imprensa no gabinete do prefeito Tarcísio Zimmermann, para falar do assunto. O Ministério das Cidades confirmou obras complementares para a extensão da Linha 1 do metrô, que deve estar concluída em setembro de 2012, beneficiando diretamente os hamZimmermann recebeu, em seu gabinete, autoridades e representantes da Trensurb burguenses. Com isso, a cidade ganha mais uma estação, no bairro Industrial, possibilitando mais usu- Grande do Sul. Com os aditivos, as obras terão um incremento de R$ 102,8 ários ao meio de transporte coletivo. Além disso, duas estações previstas, milhões. O investimento total chega aos R$ 752,17 milhões. Conforme TarFenac e Centro (agora chamada de Novo Hamburgo), serão concebidas císio, a nova possibilidade faz com que o novo transporte público chegue de forma mais moderna, e a calha do Arroio Luiz Rau será aumentada pa- ao Município da melhor forma. “São obras importantes e onerosas que, ra evitar alagamentos, principalmente nas proximidades da Estação Ro- com muito trabalho, conseguimos incluir no projeto. Assim, haverá ecodoviária Normélio Stabel. O prefeito esteve acompanhado da direção da nomia e agilidade com as novas melhorias”, afirmou. Durante a apresenEmpresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A. (Trensurb), que auxiliou tação, o presidente da Trensurb, Humberto Kasper, também destacou o no detalhamento das obras. Com as obras complementares oficializadas, trabalho articulado. “Foram solicitações pesadas, e, o prefeito conseguiu a extensão do metrô é o maior investimento do governo federal no Rio que todas fossem atendidas pelo governo”, disse.

Campanhas

DEZ Comunicação vence Prêmio Profissionais do Ano A campanha Leve a Vida na Esportiva, criada para a Paquetá Esportes, foi a grande vencedora da categoria Campanha, do 33º Prêmio Profissionais do Ano – Região Sul, da Rede Globo. A propaganda conquistou o troféu disputado por 116 comerciais dos três Estados do Sul do Brasil. A distinção foi entregue em 25 de agosto. O conjunto de comerciais e ações criadas pela DEZ para a Paquetá Esportes convidam o consumidor para uma prática de esportes que não fique restrita ao resultado da performance, ao atleta profissional. “Na trajetória da DEZ, o Profissionais do Ano é uma premiação muito marcante, que já conquistamos com campanhas para Angeloni, Universitário, Massey Ferguson – realmente alguns dos trabalhos mais marcantes de nossa história”, diz Mauro Dorfman, presidente da DEZ Comunicação. A cerimônia de entrega dos troféus ocorre em 10 de novembro, em São Paulo.


Fotos: Divulgação

Lojistas

CDL recebe gerente regional do Sebrae O encontro mensal da Câmara de Dirigentes Lojistas de Novo Hamburgo (CDL/NH) reuniu, em agosto, associados, políticos e lideranças, na sede da entidade, para uma palestra com o gerente regional do Sebrae, Marco Aurélio Copetti. O palestrante falou sobre Competências Essenciais para lideranças eficazes. Segundo Copetti, os desafios do século 21 exigem um processo de mudança pessoal. Ele também destacou as mudanças no consumo ocorridas com o passar dos anos. “As pessoas compravam os móveis para durar, casavam para não separar, entravam em um emprego para ficar a vida toda, hoje é ao contrário”, analisou. A troca de experiências dos palestrantes e do público foi destacada pelo presidente da CDL, Remi Carasai.

Copetti falou para lojistas e lideranças da cidade

Indústria calçadista

Autoridades em ergonomia lançam cartilha O 15º Seminário Nacional da Indústria de Calçados (SNIC), realizado em 28 de julho, pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), na Universidade Feevale, em Novo Hamburgo (RS), foi considerado um marco para a saúde dos trabalhadores. O evento culminou com o lançamento da Cartilha de Ergonomia na Indústria Calçadista – Diretrizes para a Segurança e Saúde do Trabalhador. A publicação, de 96 páginas, norteará as práticas ergonômicas das fábricas que já entram em prática. Ela foi elaborada pela Comissão Tripartite Paritária de Ergonomia, composta por representantes da Abicalçados; do Ministério do Trabalho e Emprego, e dos trabalhadores.

Revista Expansão

Setembro/2011

121


PENSANDO BEM Por César Silva Empresário cesarcor@terra.com.br

Nádegas

P

ois é! O título é pra chamar a atenção mesmo! A educação não nos permite um chamativo mais enfático! A provocação maior é em relação a um fato ocorrido em uma das palestras que proferi: num momento da explanação, deixei passar, num lapso de tempo, a palavra bunda! Eu me referia à importância que se dá as palavras sem a mesma intensidade ou atenção para a intenção do seu uso. A plateia ficou chocada, em função do local em que eu estava: um local religioso. Rapidamente, por experiência, arrematei: desculpe pessoal, mas eu estava falando das nádegas e não da bunda! É que nádega é um nome científico e bunda o seu apelido, talvez. Continuei a brincadeira e disse que são poucas as coisas na vida que todos temos, e a bunda é uma delas, assim como o nariz, as orelhas e a boca. A questão não está na palavra e sim na conotação negativa na cabeça das pessoas, que choca pela forma como é usada. O ser humano é interessante: não se acha incomum alguém famoso trair, usar drogas, beber ao máximo e machucar pessoas, torna-se até ídolo de gerações! Mas falar bunda é pecado! Torcemos por times de futebol que ganham fortunas e aqueles que salvam vidas, os médicos, os enfermeiros, os ajudantes, nem são lembrados. Mas falar bunda não pode! O sexo desenfreado tomou conta e a traição virou artigo de supermercado e até uma normalidade para o conjunto de anormais que é fiel. A bunda virou objeto de desejo assim como a normalidade em olhar para todas que passam, independentemente de quem esteja ao nosso lado. Mas falar nisso é proibido! Pagamos fortunas de impostos, duas vezes, e temos pequenas reações de cobrança sobre o seu retorno, sua aplicação e seu uso. Contratamos escola, saúde, segurança e até ajudamos na infraestrutura da nossa rua ou bairro e tudo é normal, quando a função do estado é prover a todos serviços de qualidade pelo alto valor arrecadado, cada vez mais recorde. Acompanhamos os casos de corrupção, aceitando que eles fazem parte da natureza humana. E falar bunda não pode! Vivemos num País em desenvolvimento pensando em ser de primeiro mundo e temos atitudes de trigésimo mundo, sem falar no descaso e no desleixo com o que é tratado o coletivo, demonstrado através das depredações e dos maus-tratos ao patrimônio público. E a bunda? Não pode falar? A realidade é que em nosso País muitos animais de estimação vivem melhor do que muitas pessoas necessitadas de alimentação, de carinho e de um lar. É muito bom amar os bichos. Mas não podemos esquecer as pessoas! E b... não pode falar! O puritanismo excessivo dá lugar à superficialidade de uma sociedade que esquece o que é essencial: a vida. Se a sua valorização fosse o foco, nossa realidade seria completamente diferente. O culto aos detalhes faz com que esqueçamos o conjunto da obra. Será que a intenção é mais importante do que a forma ou viceversa? Haja nádegas para explicar às bundas a discriminação em ser o apelido de algo tão necessário à nossa vida orgânica.

122

Revista Expansão

Setembro/2011

Empreendedor

Tecendo o

sucesso Por Aline de Melo Pires | Foto: Aline de Melo Pires/Especial

Malharia de Novo Hamburgo, a Emecelle estreia nas passarelas da grande semana de moda do Brasil

M

ovida pela persistência, a história de Themis Wittmann Carasai (foto) é um exemplo de que a vida pode devolver em forma de sucesso, o empenho, a dedicação e a criatividade aplicados em 17 anos de muito trabalho. Embora admita que não teve, pelo menos conscientemente, este foco de gestão administrativa, em um primeiro momento, a mulher que assumiu a malharia da mãe Maria Ceni aos 19 anos, hoje, aos 36, comemora o êxito profissional. Produzindo para grandes marcas brasileiras de reconhecimento internacional, a empresária conta como conquistou estilistas de renome e respeitados no mercado mundial, a partir de uma empresa modesta, que recebe, frequentemente, figuras importantes no mundo da moda, como Lucas Nascimento. A trajetória da Emecelle, de Novo Hamburgo (RS), no Vale do Sinos, é capaz de encher de orgulho os gaúchos que veem seu Estado, representado em grande estilo nas passarelas. Fomos até a sede da empresa, às margens da BR-116, para conhecer um pouco mais da vida desta mulher que admite não ser muito vaidosa e passou a ler e pesquisar sobre moda para ter condições de tocar seu negócio. Hoje, vibra com o fato de ter nas capas de uma das principais revistas especializadas do País peças produzidas em sua fábrica. Os modelos de capa A revista Vogue deste ano publicou três capas com malhas da Emecelle. As modelos que usaram as roupas foram ninguém menos que as gaúchas Gisele Bündchen e Raquel Zimmermann. A última estrelou em desfiles na São Paulo Fashion Week (SPFW), para Animale, uma das principais clientes da Emecelle, em que foi responsável pela abertura e o fechamento do desfile da marca. Já Gisele se destacou na capa e em um dos editoriais da edição de julho, vestindo um casaco verde-musgo, da Mara Mac e uma calcinha da New Order, marcas atendidas pela empresa hamburguense. “Estar na primeira fila e ver uma peça sua abrir e outra fechar o desfile no corpo de uma top model, é uma emoção sem tamanho”, explica a empresária, ao se referir ao desfile da Animale.


Primeiro desafio Quando assumiu a empresa da mãe, que optou por abrir uma confecção de jeans em Ivoti (RS), Themis passou pelo primeiro grande desafio. Por conta da forte importação da China, no início dos anos 90, o mercado interno começou a sofrer declínio e a saída foi fechar a loja própria. A fábrica se manteve produzindo para marcas já consolidadas em Porto Alegre. “Não foi uma questão de percepção minha, as marcas passaram a solicitar o serviço e fui tocando. Talvez outra pessoa tivesse desistido neste momento, pois o mercado malheiro é muito difícil. Já para a loja, eu não tinha matéria-prima, não tinha crédito e não vi alternativa”, conta Themis. Há cerca de três anos, ela lembra, que uma de suas vendedoras, hoje consultora, apresentou-a a donos de grandes grifes do centro do País. E foi então que tudo começou a mudar. Além das marcas já citadas, a Emecelle produz para outras grifes fortes como Osklen, Carmin, Bob Store, Maria Filó, entre um número que varia de 12 a 16 nomes. São peças inteiras, como blusões ou vestidos e ainda acessórios para o mercado de bolsas e sapatos. Produção Atualmente, a Emecelle produz 2,5 mil peças por mês, tem 20 colaboradores e o setor de tecelagem funciona 24 horas por dia. A ideia de Themis é investir ainda mais em maquinário mas, acima de tudo, na qualificação da mão-de-obra que, de acordo com ela, está cada vez mais difícil de encontrar. “Tenho uma vaga para costureira em aberto desde novembro do ano passado”, destaca. Formada em Administração de Empresas, ela conta que o sucesso se obtém com foco, comprometimento e muito trabalho. “Para mim, a moda não é atraente pela beleza ou glamour. Gosto da moda porque é com ela que ganho dinheiro.”

Revista Expansão

Setembro/2011

123


Vida segura Por Adriano Fleck Consultor de segurança adrianofleck@revistaexpansao.com.br

S

Faça as suas perguntas por email que na edição seguinte vamos compartilhar com os leitores.

124

Revista Expansão

Setembro/2011

Caxias do Sul se prepara para Mercopar Empresas da África do Sul, Argentina, Colômbia e China já confirmaram presença na 20ª edição da Mercopar - Feira de Subcontratação e Inovação Industrial. O evento ocorre em Caxias do Sul (RS), no Centro de Feiras e Eventos da Festa da Uva, entre 18 e 21 de outubro. A promoção é do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul (Sebrae/RS) e Hannover Fairs Sulamerica, empresa do Grupo Deutsche Messe AG. A Mercopar congrega empresas dos setores de automação industrial, eletroeletrônico, energia e meio ambiente, metalmecânico, serviços industriais, entre outros, focando segmentos como o naval, petrolífero e de gás. Mais informações pelo site www.mercopar.com.br.

Política industrial

Plano Brasil Maior é aprovado A nova política industrial anunciada pelo governo federal no início de agosto teve reações positivas no setor moveleiro e coureiro-calçadista. O Plano Brasil Maior foi avaliado pelo deputado federal Renato Molling, presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Setores Coureiro-Calçadista e Moveleiro, como positivo. Segundo ele, só com a desoneração da folha de pagamento nas contribuições previdenciárias, a economia pode chegar a 35%. “Isso permite à indústria retomar o crescimento e gerar mais empregos”, disse. Também positiva foi a avaliação do presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Milton Cardoso. Para ele, a economia pode chegar a 40%. Entre as principais medidas para o setor, estão a desoneração tributária e a devolução de créditos do PIS/Confins em até 3% do valor das exportações de manufaturados acumulados na cadeia produtiva.

Saúde

Moinhos inaugura centros de especialidades Cristiano Sant’Anna/Divulgação

ão registrados a todo o momento, de norte a sul do País, novos casos de ataques a condomínios. Dois casos interessantes para analisar, um no interior de São Paulo e outro na região metropolitana. No primeiro caso, assaltantes renderam moradores e funcionários de um condomínio de luxo, levaram eletroeletrônicos e objetos de valor. O porteiro do edifício informou que os equipamentos responsáveis pela segurança do prédio são antigos. No segundo, câmeras de segurança da Guarda Civil Metropolitana registraram a ação de bandidos que entraram em um apartamento. Estes dois casos levantam uma importante questão: os condomínios estão preparados para conter a ação de criminosos ou os sistemas de segurança ultrapassados e o treinamento não adequado dos funcionários ainda é recorrente e facilitam os roubos e furtos? As quadrilhas que invadem hoje condomínios, especialmente os de classe média alta e os de luxo, miram nos pontos vulneráveis do local, da segurança e da movimentação dos moradores. Procuram falhas nos arredores do prédio ou no acesso ao condomínio tanto de pedestres quanto de veículos. Muitos prédios têm uma segurança apenas aparente e por isso os condomínios devem investir no elemento humano, ou seja, nos funcionários, que precisam saber manusear e usar os equipamentos de segurança com eficácia para barrar os intrusos. Segundo dados estatísticos, em quase todas as invasões em condomínios o alvo dos ladrões são os vigilantes e suas armas, ou seja, a guarita. Em 30% dos casos, os marginais pularam muros; 80,5% dos condomínios possuíam equipamentos de segurança; em 33,7% dos casos, mais de uma unidade foi evadida; em 66,4% a abordagem foi violenta, estão entre os itens mais roubados dinheiro, celulares e joias. São os dados em casos registrados boletins de ocorrências. É na guarita que o condomínio deve ter seu maior foco de segurança, onde o porteiro ou vigilante deve estar seguro e sem contato físico com quem chega ou sai. Um bom equipamento de vigilância, como câmeras e botão de pânico também são recomendados. Equipamentos de segurança são indispensáveis para a prevenção de invasão de condomínios, porém a mudança de comportamento dos moradores é fundamental para que o esquema montado dê resultados. É importante mudar a cultura das pessoas com relação à prevenção. Estatisticamente, 90% da segurança estão vinculados a prevenção, 5% sorte e 5% reação. Cuide de sua casa e família

Inovação Dudu Leal/Mercopar/Divulgação

Condomínios: sensação ou segurança

ECONOMIA & NEGÓCIOS

Lopes, Oppermann e Telöken durante a solenidade

O Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS), inaugurou, em 15 de agosto, o Centro de Ortopedia e Traumatologia e o Centro de Neurologia e Neurocirurgia com uma solenidade no hospital, na presença de médicos e autoridades. Os novos ambientes ocupam o 11º andar do hospital, e devem oferecer mais conforto e agilidade aos pacientes, com atenção integral em marcação de consultas, diagnóstico, realização de exames laboratoriais, tratamento e reabilitação. O Centro de Neurologia e Neurocirurgia é chefiado pelo médico Nilo Lopes e dispõe de uma equipe multidisciplinar de especialistas para o tratamento e acompanhamento de doenças como o Acidente Vascular Cerebral (AVC). O Centro de Ortopedia e Traumatologia é coordenado pelo médico Marco Aurélio Telöken, e o Conselho de Administração é presidido pelo médico José Adroaldo Oppermann.


Ingrid Spier/Divulgação

Mais de 200 pessoas participaram do evento

Lançamento

Plano Safra foi lançado na Sicredi Pioneira Contribuir com o desenvolvimento dos produtores rurais da região, disponibilizando recursos financeiros e conhecimento. Com esse objetivo, a Sicredi Pioneira RS promoveu, em 9 de agosto, o lançamento do Plano Safra 2011/2012, que deve liberar R$ 50 milhões em recursos para custeio e investimento em mais de mil operações. O plenarinho da Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis (Acinp) foi sede do evento, que registrou a presença de mais de 200 pessoas, entre autoridades, produtores rurais, parceiros do agronegócio, representantes da Emater e Sicredi. Na oportunidade, os presentes ainda assistiram à palestra Perspectiva do Agronegócio no Brasil, ministrada pelo economista Antônio Newton Corrêa da Luz, graduado em Economia pela Ufrgs, pós-graduado em Marketing em Agrobusiness, pela I-UMA, e mestrando em Economia Aplicada, pela Ufrgs.

Internacional

Fati participa de feira na Alemanha

Fotos: Divulgação

A Fati Ferramentas, de Novo Hamburgo (RS), marcou presença na 12ª Feira Internacional de Fundição (Gifa), em Düsseldorf, na Alemanha. A empresa foi representada pelo técnico Leandro Erni Quadros (foto), que atendeu os visitan- Quadros (à esquerda) conversou e explicou os produtos da empresa tes no estande da empresa. O evento, principal no mundo no setor de fundição, ocorreu no final de junho e recebeu mais de 800 expositores e 50 mil visitantes. Segundo o diretor da Fati, Mauro Junker, além de buscar novidades no setor durante a feira, Quadros aproveitou a viagem e realizou treinamento sobre abrasivos na sede mundial da Pferd VSM, em Hannover. “A participação da Fati na Gifa 2011 está alinhada com nosso planejamento, nossa estratégia de crescimento e nosso programa de treinamento e desenvolvimento contínuo, na busca da excelência no atendimento aos clientes”, argumenta Junker.

Tecnologia

Associados da Valetec terão Portal

Promoções

CDL São Leopoldo entrega prêmios Dirigentes da Câmara de Dirigentes Lojistas de São Leopoldo (CDL/SL) entregaram os certificados e camisetas para associados e vendedores, que se destacaram na segunda fase do Projeto Cliente Oculto. A entrega ocorreu em 11 de agosto, na sede da entidade. A atividade é dirigida pelo consultor Rogério Martins, da Faro Brand Coaching, e promovida pela CDL/SL. A ideia é contribuir para a qualificação do atendimento nas empresas associadas e foram premiados dez vendedores e dez lojas (foto). Também foram entregues os certificados e troféus do concurso A Mais Bela Vitrine da Imigração Alemã para a loja Bya Modas (1ª colocada), Ferragem Feldmann (2ª colocada) e Extreme (3ª colocada).

A diretoria da Associação de Desenvolvimento Tecnológico do Vale (Valetec), localizada em Campo Bom (RS), validou no mês passado a estrutura e as funcionalidades do novo software de pesquisa que está sendo desenvolvido para a entidade. O novo programa funcionará por intermédio do Portal de Inovação. Criado exclusivamente para dar suporte ao novo software, o portal será uma ferramenta de busca, voltada aos setores de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) das empresas associadas à Valetec. A próxima etapa inclui reuniões para a realização de testes com a novidade. O projeto se inspira no programa Connect & Develop, da Procter & Gamble, que reúne pesquisadores e a empresa em um site, promovendo a interação entre diferentes perfis de público para troca de ideias, experiências e conhecimentos na geração de inovações ao mercado.

1ano

SCALA BOURBON SHOPPING NOVO HAMBURGO 2º piso - loja 2080 (51) 3066-0293

Comemore com descontos incríveis!

COLEÇÃO PRIMAVERA VERÃO 2011_2012

scalasemcostura.com.br

Revista Expansão

Setembro/2011

125


ECONOMIA & NEGÓCIOS

Saúde

Palestra

Cia do Dente na classe popular Aline de Melo Pires/Especial

Com o objetivo de proporcionar atendimento a um público de classe popular, desenvolvendo implantes e serviços na área da ortodontia, com preço acessível, a Cia do Dente, de Novo Hamburgo, atua há 5 anos no mercado e está praticando preços mais acessíveis. “Praticamos preços até 50% menores do que o mercado, colocamos o profissional mais próximo do cliente, e isso faz toda a diferença”, destaca o diretor da empresa Josué Pereira Garcia (foto), que atua ao lado do sócio Evandro Alves. Em visita à Revista Expansão, no mês passado, Garcia explicou o processo em sua clínica, destacando o serviço desenvolvido em laboratório próprio. Isso, segundo ele, otimiza os custos.

Valetec

Seis empresas já concorrem aos espaços disponíveis Leonardo Rosa/Divulgação

Hamburgtec está situada em Hamburgo Velho

Seis empresas já concorrem aos espaços disponibilizados pela Hamburgtec (Unidade do Parque Tecnológico do Vale do Sinos), um dos braços da Valetec. Ainda em processo de estruturação física, a entidade conta com 17 vagas para empresas de Tecnologia da Informação e da Comunicação (TICs) e da área da criatividade (agências de design, comunicação e criação digital). Para participar da seleção, as empresas interessadas devem acessar o edital no link http://www.valetec.org.br/downloads. php ou solicitá-lo pelo e-mail valetec@valetec.org.br. Além de benefícios e vantagens, os participantes terão acesso aos serviços agregados ao Parque Tecnológico do Vale. O prédio, com 969 metros quadrados, está situado na Avenida Victor Hugo Kunz, 1.743, em Hamburgo Velho.

Prodanov fala aos associados da AICSul O secretário de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Estado, Cleber Prodanov, falou sobre o setor coureiro-calçadista aos integrantes da Associação das Indústrias de Curtume do Rio Grande do Sul (AICSul). O bate-papo ocorreu em reunião-almoço realizada em 9 de agosto, no salão de Convenções da entidade, no Centro de Novo Hamburgo (RS). O secretário sugeriu aos empresários que investissem mais em pesquisas e colocou o governo do Estado como parceiro para ações que resultem em desenvolvimento social e econômico do setor. Prodanov enfatizou que os setores do couro, calçados e afins, estão entre os prioritários para o governo gaúcho.

Aniversário

Pcom completa três anos de casa A Pcom – Comunicação e Marketing completou três anos de existência em 20 de agosto. E motivos para comemorar não faltam, pois a agência já coleciona conquistas e o reconhecimento do mercado. Atendendo a empresas de diferentes portes, de atuação local a mundial, como Malhas Daiane, Bombas Geremia/ Weatherford, Grupo Seta e Pandolfo Ferramentas, a Pcom destaca-se pelo crescimento de seus clientes. Nestes três anos, os sócios Cássio Medeiros (jornalista), Fabio Machado e Fabricio Magayevski (ambos publicitários), buscaram criar uma personalidade própria para a Pcom. As características e qualidades das ações da empresa estão expressas nos detalhes desse caráter. Tanto os clientes quanto a equipe se identificam com isso, o que resulta no êxito dos trabalhos e faz com que a agência se diferencie da concorrência.

Mostra

Dona Loka é sucesso em Sapiranga

Zero Grau

Adesão do mercado supera expectativas

126

Revista Expansão

Setembro/2011

Fotos: Divulgação

A menos de três meses da realização da primeira edição do Zero Grau – Salão de Tendências em Calçados e em Acessórios, em Gramado, os espaços disponibilizados para os expositores já estão praticamente lotados. A informação é de Frederico Pletsch (foto), diretor da Merkator Feiras e Eventos, empresa promotora do Salão. O evento, que vai lançar no mercado o melhor de calçados e acessórios para a temporada fria, tanto para o mercado brasileiro como para países da América Latina, ocorre de 21 a 23 de novembro, das 10 às 19 horas, no Centro de Exposição da Expogramado. “O Zero Grau antecipa novidades outono-inverno, propondo uma inovação às tradicionais datas do calendário de feiras”, explica Pletsch. Para ele, esta antecipação está tendo uma aceitação positiva da indústria, e com aval do varejo.

A marca de calçados Dona Loka, localizada em Novo Hamburgo (RS), participou da 4ª Mostra de Sapiranga, realizada em Sapiranga(RS). A feira ocorreu de 9 a 11 de agosto. Segundo Bruna Costa, foram apresentados na feira os produtos Dona Loka, que utilizam o plástico como matéria-prima e sua tecnologia é voltada ao conforto e bem-estar da consumidora. A marca tem distribuição nacional, principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro, como também, em outros países, como Turquia, Estados Unidos, Finlândia, Japão, Alemanha, Itália e Porto Rico. A campanha primavera verão 2012 da Dona Loka foi lançada na feira, com o mote Caminhe + Relaxe + Viva +.


Revista Expans達o

Setembro/2011

127


ECONOMIA & NEGÓCIOS Jorge Nascimento/Divulgação

De sócio para sócio

Afonso Celso Cardoso conta sua trajetória O empresário Afonso Celso Cardoso, sócio-fundador da RBA Publicidade, foi o convidado da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI), em mais uma edição do De Sócio Para Sócio, evento promovido pela ACI, em 25 de agosto. O empresário contou que começou a trabalhar cedo, em Caxias do Sul (RS), cortando e trançando vime artesanalmente. Aos 17 anos, em Osório (RS), conquistou uma vaga como locutor de uma rádio, onde, segundo ele, aprendeu a redigir e improvisar, o que aperfeiçoou depois, no curso de Relações Públicas, na Feevale. Em Novo Hamburgo (RS) foi contato publicitário e colaborador de uma agência antes de fundar a RBA. Relatou detalhes da trajetória da empresa ao longo dos 35 anos de existência, e finalizou com uma avaliação do momento atual da comunicação. “As dificuldades nos trazem experiência. A gente só aprende errando. Vivemos um novo momento de comunicação, tudo é muito rápido e temos que ter criatividade”, avalia.

Calçadistas

Fenac promove encontros nos polos brasileiros Cerca de 300 empresários participaram dos três encontros promovidos pela Fenac nos principais polos calçadistas de São Paulo. Franca, Birigüi e Jaú foram cidades-sede das reuniões. O objetivo foi fortalecer o relacionamento com as empresas destas regiões e divulgar os eventos realizados em Novo Hamburgo, especialmente a Courovisão e a Fimec. As reuniões foram realizadas em 22, 23 e 24 de agosto e contaram com a parceria do Sindicato da Indústria de Calçados de Franca, Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigüi e Sindicato da Indústria de Calçados de Jaú. O polo de São João Batista, em Santa Catarina, também recebeu o encontro da Fenac no dia 16 de agosto.

Lentes

Hahn participa de lançamentos

Infraestrutura

Governo estadual deve investir R$ 2,5 bi até 2014 O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística (Seinfra), Beto Albuquerque, foi o convidado do Tá na Mesa, da Federasul, em 24 de agosto. Investimentos em infraestrutura e o futuro dos pedágios gaúchos foram os assuntos principais do encontro. Ele ainda anunciou investimentos no valor de R$ 2,5 bilhões, em pavimentação de rodovias e na Rodovia do Parque, a partir de 2012 até 2014. A verba, segundo ele, faz parte de recursos do Estado, do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) e do Banco Mundial. Albuquerque informou ainda que o governo do Estado deve apresentar, em 60 dias, um inventário da malha rodoviária estadual. Outro anúncio do secretário diz respeito aos pedágios, para os quais o novo modelo de concessão deverá ser definido até o final do ano.

128

Revista Expansão

Setembro/2011

Superloja

Novo endereço A Novotintas – Espaço Suvinil mudou de endereço. A nova loja está localizada na Rua José do Patrocínio, 883, Bairro Rio Branco, em Novo Hamburgo (RS). A proposta do novo espaço é oferecer aos clientes uma superloja de tintas, planejada para oferecer os melhores produtos e serviços. A Novotintas do novo endereço tem aproximadamente 300 m² de loja, mais estacionamento próprio e atendimento especializado.

Em 5 de agosto, a equipe da Óptica Hahn participou do lançamento das lentes Xperio, evento promovido pela Varilux, no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. A Xperio é uma marca de lentes polarizadas, que oferece uma melhor lente solar para quem é usuário de óculos com grau, proporcionando conforto e desempenho visual, em uma ampla disponibilidade de lentes. Além deste evento, a equipe da Hahn esteve também, no lançamento das lentes Smartlens da Rodenstock, novidade no segmento. Este evento ocorreu em 16 de agosto, na Maison Blanc em Porto alegre. Com a participação em eventos e feiras do setor, a equipe da Hahn está sempre atualizando e capacitando sua equipe em vendas e buscando novas tendências e tecnologias para o mercado de óptica, relógios e joias.


Revista Expans達o

Setembro/2011

129


CADA VEZ MELHOR Por Daniel Müller Palestrante motivacional daniel@dalecarnegiers.com.br

MIX Exposição

Arte de Ariadne Decker no Aliança Fotos: Divulgação

Valentina Vitória

L

Anelise e o filho Marcelo levaram flores para Ariadne

embro do dia em que minha irmã Lorena me deu a tão esperada notícia: Dani, estou grávida. Tu vai ser titio. Como fiquei feliz nesse dia! Algum tempo depois, já sabíamos que seria menina e que se chamaria Valentina. Desde então tudo mudou em nossa família. Parecia que estávamos todos “grávidos”! Tudo transcorria normalmente até o dia em que Lorena precisou se internar por causa de uma pequena anomalia. Para surpresa de todos, na madrugada do dia 28 de julho, nascia Valentina Vitória, com apenas 25 semanas de gestação, de parto normal e pesando 670 gramas. Após 11 dias de luta pela vida, Valentina deixou seu frágil e pequenino corpo e subiu novamente aos céus, como um anjinho. Em tão pouco tempo, ela foi capaz de nos ensinar lições de vida inesquecíveis. Aprendi a conhecer melhor a minha irmã, uma mãe de um amor incondicional, que esteve ao lado de sua filha em todos os momentos. Uma mulher forte, paciente e que viveu intensamente tudo o que aconteceu. Sentiu a dor e a liberou, sem guardar mágoas, medos e nem culpas. O principal sentimento foi o amor. Aprendi a admirar o homem que é Evandro, meu cunhado, que foi o melhor pai do mundo e um grande companheiro, pois esteve ao lado de Lorena em todos os momentos. Aprendi a rezar, novamente. Há muito tempo que eu não rezava tanto. A oração é capaz de acalmar o coração, de trazer paz e fortalece a nossa fé. Aprendi muito mais. Mas, o eu que faço questão de lhes dizer é que precisamos valorizar mais a vida. Como disse Lorena: existe um milagre no simples ato de poder respirar, de poder tomar um copo de água ou de poder ir ao banheiro. Se você não acredita, pergunte a quem infelizmente não pode. Precisamos voltar o nosso olhar para o “ser”, mais do que para o “ter”. Valorize a vida! Valorize cada pessoa que você encontra. Valorize tudo que lhe acontece, independente se parecer bom ou não. Valorize tudo que começa e valorize tudo que termina. Valorize a vida e você terá uma vida cada vez melhor.

Os apreciadores do talento da artista plástica Ariadne Decker têm até 16 de setembro para visitar sua exposição na Sociedade Aliança, de Novo Hamburgo (RS). São 15 telas de trabalhos antigos e novos projetos, como a coleção concertos musicais. A vernissage ocorreu em 23 de agosto e reuniu cerca de 110 pessoas. Entre elas, Anelise Schmidt e o filho Marcelo. Uma das atrações da noite foi a participação especial do Coro Julio Kunz. A exposição está aberta ao público e a visitação pode ser feita de segunda-feira a sábado, das 9 horas às 11h30min e das 13h30min às 18 horas. Ariadne Decker é a terceira artista a participar do projeto Hall da Arte 2011, uma realização da Sociedade Aliança com apoio do Buffet Martins e Restaurante Quadra 9.

Ação ambiental

Projeto Verde é Vida completa 20 anos A Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) comemorou, em 8 de agosto, os 20 anos do Projeto Verde é Vida, Levando a Natureza a Sério. Criado em 1991, como um programa permanente de educação ambiental, o Verde é Vida leva às comunidades informações, conceitos e práticas de preservação. Junto com o projeto também nasceu o Afubrinha, o mascote do Verde é Vida, que representa uma muda de árvore. A partir de janeiro de 2012, o projeto entrará em uma fase mais focada na Educação Ambiental Rural, que será adotada até 2016. Os 20 anos também são marcados pelo uso de um novo logotipo, que traz o Projeto Verde é Vida sobre uma folha estilizada com as cores que representam os quatro elementos: o ar pelo azul do céu; o fogo pelo laranja do sol; a terra pelo vermelho, e a água pelo azul do mar; no campo central, o Verde é Vida é representado pela cor verde, nas florestas e une todos os elementos.

Economia solidária

Feevale lança livro Organizado pelas professoras do Projeto Incubadora de Economia Solidária, da Universidade Feevale, Margarete Panerai Araujo e Neusa Maria Bongiovanni Ribeiro, o livro Economia Solidária: experiências na extensão universitária foi lançado em 9 de agosto com uma sessão de autógrafos na Feevale, em Novo Hamburgo (RS). A publicação reúne artigos de autores, tanto da Feevale como de outras instituições, como a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs); a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos); e Centro Universitário La Salle (Unilasalle). Os textos são baseados nas experiências dos projetos desenvolvidos no Vale dos Sinos e apresentam resultados de estudos, assessoramentos e incubação de pequenos empreendimentos. Mais informações pelo e-mail neusaribeiro@feevale.br.

130

Revista Expansão

Setembro/2011


MIX Fundação Semear Solidariedade

Jantar Tributo ocorre dia 29

Outubro Solidário Subway está de volta

A Fundação Semear promove em 29 de setembro, o 9º Jantar Tributo à Cidadania Empresarial, no Restaurante Panorâmico da Fenac, em Novo Hamburgo (RS). O evento é promovido anualmente para reconhecer os que investem em ações de responsabilidade social. No jantar, os mantenedores receberão certificados e aqueles que, em 2011, completam cinco, dez e quinze anos de contribuição, serão homenageados com troféus. O Tributo à Cidadania Empresarial também é realizado para comemorar o aniversário da Semear, que completa 15 anos em outubro. No evento, as 33 empresas e empresários, que instituíram a Semear, receberão troféus. Os convites podem ser solicitados, ao preço de 50 reais, na Fundação Semear. Mais informações pelo telefone (51) 2108-2108 ou pelo e-mail semear@fundacaosemear.org.br.

Vera Fernandes/Especial

A Liga Feminina de Combate ao Câncer (LFCC) de Novo Hamburgo (RS) e as duas lojas de fast-food Subway, também da cidade, trazem de volta a promoção Outubro Solidário Subway. Em sua segunda edição, a Liga expande a campanha, que agora passa a ocorrer durante todo o mês de outubro. O projeto prevê a venda de vale-lanches no valor de 10 reais pela LFCC, que podem ser trocados por um sanduíche de 15 centímetros de qualquer saSilvana e Jessica estão divulgando o evento na cidade bor. Do valor arrecadado com a venda dos vales, 50% será destinado à instituição. A meta é vender 3 mil tíquetes. Segundo as voluntárias da Liga Silvana Rihl e Jessica Benetti de Oliveira, os vales começam a ser comercializados a partir de 15 de setembro nas duas sedes da LFCC (junto ao Hospital Regina e na Rua Tupi, 758, sala 1); na Libby Moda Íntima (Rua Bento Gonçalves, 2.299) e na sede da Revista Expansão (Rua Quintino Bocaiúva, 99). Mais informações pelo telefone (51) 3036-1590, com a LFCC.

Projeto de lei Kerb

Lucas pede mais transparência do Estado

O segundo domingo de agosto é dia de kerb para os descendentes de Emilio e Rosina Kauspenhar Hillebrand. Todos os anos, eles se encontram para confraternizar, recordar o passado e se deliciar com as cantorias e a gastronomia. Em 2011, a comemoração foi realizada no dia 14, e reuniu 65 pessoas, oriundas de várias cidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O encontro ocorreu no Museu e Moinho Hillebrand, em Linha Brasil, em Nova Petrópolis (RS). As famílias Hillebrand/Krauspenhar são originárias da Boêmia, na Alemanha.

O deputado estadual Lucas Redecker protocolou em 12 de agosto, projeto de lei na Assembleia Legislativa do Estado, que propõe aumento da transparência das informações da movimentação dos recursos do caixa único do Estado. Historicamente, diz o parlamentar, o governo do Estado tem efetuado saques e deixado os órgãos a que estes recursos são vinculados sem poder de ação para investimentos, até mesmo para honrar os compromissos de custeio. Com o projeto, Redecker quer permitir o acesso da sociedade a essas informações, que deverão ser publicadas no Portal Transparência.

Divulgação

Família Hillebrand se reúne em Nova Petrópolis

Revista Expansão

Setembro/2011

131


ASSUNTOS NOTARIAIS Por José Flávio Bueno Fischer (*) Tabelião (*)

Cônjuge herdeiro necessário e concorrente

MIX

Artes cênicas

ParaNóia grava no Rio A ParaNóia Produções Artísticas esteve no Rio de Janeiro, em julho, para figurações no Projac, da Rede Globo. Atores do Núcleo de Artes Cênicas ParaNóia gravaram para novelas Cordel Encantado e Fina Estampa, e ainda para o programa Zorra Total. Os alunos que foram ao Rio são Maicon Freimuth, Ayres Pereira, Amanda Lindner, Magda Schneider, Luis Fernando César, Vera Amaral, Loreno Dreyer, Maria Hattge, Bernardo Guedes, Marilene dos Santos, Dieines Fróis, Rodrigo Teixeira, Francisco Teixeira e Júlia Klein, acompanhados do diretor da ParaNóia, Luis Fernando Rodembuch. Fotos: Divulgação

A

tualmente, o cônjuge ocupa lugar de destaque no direito sucessório, o que não acontecia outrora em nossa legislação. No Código Civil vigente ele aparece como herdeiro necessário, em terceiro lugar na ordem de vocação hereditária, acompanhando os descendentes e os ascendentes do falecido. Assim, no caso de falecimento de uma pessoa casada, a herança por ela deixada transmite-se aos herdeiros legítimos na seguinte ordem: em primeiro lugar figuram os seus descendentes (filhos, netos, bisnetos, etc.), seguidos de seus ascendentes (avós, bisavós, etc.), sem limitação de grau. Na falta deles, o cônjuge está como herdeiro necessário. Herdeiros necessários são aqueles em cujo proveito a lei reserva uma certa parte da herança, limitando o poder de disposição do indivíduo em vida, que poderá dispor apenas de uma fração de seu patrimônio, denominada parte disponível. A parte reservada aos herdeiros necessários é denominada legítima, que é constituída pela metade dos bens da herança. Na prática, se a pessoa falecer e não deixar filhos, netos ou outros descendentes, nem algum dos pais, avós ou bisavós vivos, o cônjuge receberá integralmente a herança, ou, no mínimo a metade indisponível que a lei lhe reserva. Nos termos da legislação anterior, o titular da herança poderia dispor da totalidade de seu patrimônio caso não tivesse descendentes ou ascendentes, cabendo ao cônjuge sobrevivente tão somente a meação, quando houvesse patrimônio e de acordo com o regime de bens do casamento. Além de ocupar o terceiro lugar na ordem de vocação e compor a classe dos herdeiros necessários, o cônjuge ainda poderá concorrer com os demais herdeiros das duas outras classes em determinadas circunstâncias. Essa concorrência não se confunde com a meação, que pertence ao cônjuge e que existe conforme for o regime de bens do casamento e se houver patrimônio. A concorrência ou não do cônjuge com os descendentes do falecido dependerá do regime de bens do casamento e do patrimônio deixado. Quando o falecido não deixar descendentes, mas a herança é transmitida aos ascendentes, o cônjuge concorrerá na herança independentemente do regime de bens do casamento.

(*) Tabelião do Primeiro Tabelionato de Notas e Protestos de Novo Hamburgo – Tabelionato Fischer. Acesse www.fischer.not.br.

132

Revista Expansão

Setembro/2011

Pereira, Dreyer, Magda e Rodembuch como figurantes em Cordel Encantado

Festuris

Operadoras firmam parceria Em parceria com a agência Classic Viagens e Turismo, de Gramado (RS), na Região das Hortênsias, a Pinto Lopes Viagens, de Portugal, confirmou presença no 23° Festival do Turismo de Gramado (Festuris). Além de divulgar a parceria no festival, a Classic quer apresentar na feira novos projetos da empresa, como a criação da Confraria de Viagens, onde os roteiros turísticos são discutidos durante meses com os viajantes. Em visita ao escritório Marta Rossi & Silvia Zorzanello Feiras e Empreendimentos, organizador do evento, o diretor da Classic, Luís Heitor Cunha, esteve reunido com a assessora do Departamento Comercial, Rose Ott, para formalizar a participação no 23° Festuris, que ocorrerá de 17 a 20 de novembro, no Serra Park. Mais informações sobre o Festuris no site www.festivalturismogramado.com.br.

Degustação

Cine Facsom Gourmet em mais uma edição O filme O Turista, foi a atração da noite de 25 de agosto, durante o Cine Facsom Gourmet, que ocorreu na sede da Facsom, em Novo Hamburgo (RS). Para completar a sessão de cinema, os 20 casais de convidados puderam degustar o cardápio preparado pelo chef Legrandt, do LocanPletsch e Laux da Hotel, com pratos selecionados rigorosamente com as cenas do filme. De quebra, os convidados ainda tiveram uma mostra das melhores tecnologias em automação de ambientes e recursos de áudio e vídeo da Facsom, através dos aparelhos espalhados nos cinco ambientes da loja, onde os convidados foram acolhidos pelos sócios Cláudio Pletsch e Marcelo Luiz Laux.


Gestantes

Infraestrutura

Vilas Palmeiras e Kippling serão regularizadas Vera Fernandes/Especial

A prefeitura de Novo Hamburgo (RS) comemorou em agosto, junto com as cerca de 850 famílias da Vila Kippling, do bairro Canudos, a formalização da permuta daquela área de terras em troca da dívida de impostos da proprietária do terreno, a JFC Terraplenagem. O secretário de Habitação do município, Juarez Kaiser, esteve em visita à Revista Expansão, acompanhado do vereador Ricardo Ritter, o Ica, e anunciou também a regularização da Vila Palmeiras, na Santo Afonso, cuja licitação das obras está prestes a acontecer. Segundo Kaiser, na Kippling, será encaminhada agora a regularização física, com instalação de água, esgoto, calçamento, abertura de ruas. Em um segundo momento serão construídas 550 casas, em substituição às moradias precárias, através do Programa Minha Casa, Minha Vida. O investimento será de R$ 32,5 milhões. Conforme o secretário, antes disso, deve iniciar o processo de licitação para a infraestrutura na Vila Palmeiras, na Santo Afonso, com 900 famílias. Ali serão construídas 336 casas do Minha Casa, Minha Vida. O investimento na Palmeiras é de cerca de R$ 19 milhões.

NAP realiza encontro de mães O Núcleo de Atendimento Psicológico (NAP), em parceria com Banco de Cordão Umbilical do Brasil (BCU) e Loja Olá Bebê, realizou, em 1º de setembro, um encontro de futuras mamães. Na oportunidade, teve palestra informativa gratuita, intitulada A Chegada do Novo Membro na Família. O evento contou com a presença da psicóloga Gisele Kunst e da enfermeira Janaína Lima, responsáveis pelo grupo de gestantes do NAP, que abordaram questões sobre o trabalho de atenção personalizada, prestaram esclarecimentos e realizaram atividades práticas. O representante do BCU Frederico Klein explicou a importância e como é feito o procedimento de coleta de células tronco do cordão umbilical.

Lançamento

Reação em Cadeia tem novo CD Os fãs da banda Reação em Cadeia podem ir se preparando para a festa de lançamento do CD Enfim Dezembro. O evento será no Teatro do Bourbon Country, emPorto Alegre (RS), em 28 de outubro, às 21 horas. A promoção é da Rádio Atlântida e a realização é da Hits Entretenimento. Os ingressos, que custam entre 25 e 70 reais podem ser adquiridos na My Ticket (Rua dos Andradas, 1.425, loja 69, em Porto Alegre), pelo site www.ingressorapido.com.br, ou pelo telefone 4003-1212.

Divulgação

Cooperativismo

Professores vão à Argentina Mais de 40 professores dos nove municípios pertencentes ao programa A União Faz a Vida, da área de ação da Sicredi Pioneira RS, visitaram, no começo de agosto, o município de Sunchales, na Argentina, cidade-irmã de Nova Petrópolis (RS). O objetivo foi conhecer a metodologia das cooperativas escolares, comuns naquela cidade. Em cada uma, é fabricado um produto diferente para comercialização. Participaram da comitiva professores de Nova Petrópolis, Picada Café, Morro Reuter, São José do Hortêncio, Feliz, Vale Real, Alto Feliz, Linha Nova e Santa Maria do Herval e do Instituto Superior de Educação Ivoti, além da coordenadora do programa, Cristiane Lamb Ludvig; do gerente do Sicredi Nova Petrópolis, Jorge Dinnebier, e da representante da Fundação Sicredi, Marina Bordin.

Grupo também conheceu a Praça Nova Petrópolis, em Sunchales

Revista Expansão

Setembro/2011

133


MIX Divulgação

RS-115

Rodovia em meia pista a partir de 15 de setembro O trecho interditado da RS-115, no quilômetro 28, em Gramado, na Região das Hortências, foi avaliado pelo secretário de Infraestrutura e Logística do Estado, Beto Albuquerque, pela diretoria do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) e responsáveis da empresa Brita Rodovias. Após reunião na pasta, em Porto Alegre, em 22 de agosto, ficou descartada a possibilidade da construção de um desvio no local. Assim a principal estrada, que interliga o Vale do Paranhana com a Região das Hortências, fica interrompida até a conclusão das obras no local, que deverão durar cerca de três meses. As obras estão orçadas entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões. O trecho está interditado desde 11 de agosto e a partir de 15 de setembro funcionará em meia pista. No mesmo dia, uma comitiva de Igrejinha, constituída pelos vereadores Joel Wilhelm e Vladimir Volkart e o contador Leandro Hörlle, e acompanhada pelo deputado estadual João Fischer, o Fixinha, reuniu-se com o presidente da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs), Edmundo Fernandes da Silva, na sede da Agergs, em Porto Alegre, para solicitar medidas urgentes para a situação.

Taille palestrou para pais e professores

Educação

IENH promove seminário

Japoneses

Carlos Gomes presta homenagem oriental Jorge Fuentes/Divulgação

As Associações de Pais e Professores (Apps) da Instituição Evangélica Novo Hamburgo (IENH) promoveu em 3 de agosto o 14º Educação em Pauta, tradicional seminários de pais e professores da instituição, reunindo a comunidade geral das escolas Pindorama, Oswaldo Cruz e Fundação Evangélica. O evento ocorreu no auditório da Fundação Evangélica e teve como palestrante o psicólogo especializado em desenvolvimento moral e professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP) Yve de La Taille, que tratou do tema Educação, ética e pósmodernidade: do tédio ao respeito de si.

Campanha do Agasalho

Sindigrejinha sorteia prêmio A primeira etapa da Campanha do Agasalho 2011, organizada pelo Sindicato das Indústrias de Calçados de Igrejinha (Sindigrejinha), premiou o funcionário Gilmar Antônio de Castro, da Pégasus Bordados, com uma secadora de roupas. A empresa se destacou por arrecadar a maior quantidade de donativos para a campanha, e o sorteio do prêmio foi realizado entre seus colaboradores. Ao todo, já foram doados 130 quilos de roupas ao Lar Padilha, de Taquara (RS). Mais informações sobre a campanha pelo site www.caminhosustentavel.org.br.

Gomes e Maria de Lourdes, com os homenageados

Centenas de pessoas prestigiaram, em 20 de agosto, a cerimônia de entrega da Medalha da 53ª Legislatura aos primeiros imigrantes japoneses que pisaram o solo gaúcho (foto). A homenagem, proposta pelo deputado estadual Carlos Gomes, foi feita durante o Festival da Cultura Japonesa, realizado em Gravataí, que celebrou os 55 anos de imigração no Rio Grande do Sul. A láurea foi entregue aos japoneses Takayuki Kurihara, Masanori Iwakura, Mitsuhiro Takagi, Toshihiko Kubo, Mitsuya Harada, Rikio Tokunaga, Kuniharu Orita, Kenkichi Niho e Toshihiro Hioki. Em 1956, eles estiveram entre os 26 imigrantes que desembarcaram do navio Brasil-Maru no porto de Rio Grande. O evento teve a participação da prefeita de Ivoti, Maria de Lourdes Bauermann, entre outras autoridades

Saúde

IPE é obrigado a oferecer hemodiálise contínua

Farroupilha

Parceria propõe manifestações pela tradição

134

Revista Expansão

Setembro/2011

Vera Fenandes/Especial

Uma parceria entre Lions Club Industrial e a Associação de Preservação do Patrimônio Histórico de Novo Hamburgo (Assocult) vai envolver a comunidade em manifestações de civismo e preservação da cultura histórica gaúcha. O Projeto Farroupilha – 20 de Setembro, orgulho dos gaúchos sugere ações, no mês de setembro, que lembrem a saga histórica da Revolução Farroupilha. Em visita à Revista Expansão, para divulgação do projeto, a coordenadora da Comissão de Civismo e Cidadania do Lions, Liene Schütz, e a vice-presidente da Assocult, Anelise Konrath, explicaram que serão sugeridas ações como o hasteamento permanente da bandeira do Estado na rede empresarial e educacional, decoração de vitrines com motivos tradicionalistas, e participação da comunidade no concurso de redação Quem é o Gaúcho, afinal?. Vitrines e textos terão certificados e os melhores serão premiados. Na foto, Liene e Anelise. Informações edahfis@ig.com.br ou assocult.nh.rs.br@gmail.com, mesmos endereços para onde as redações devem ser enviadas.

Por decisão do juiz Federal Gabriel Menna Barreto Von Gehlen, em resposta a ação do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers), o Instituto de Previdência do Estado (IPERGS) será obrigado a incluir a hemodiálise contínua (hemolenta) em sua tabela de procedimentos. A decisão foi proferida em 24 de agosto. Segundo o presidente do Cremers, Fernando Weber Matos, a iniciativa da entidade foi para favorecer os usuários do IPERGS e também resguardar o profissional médico, que, além de utilizar a melhor técnica, busca os recursos existentes em benefício do paciente. De acordo com a sentença, a autarquia tem prazo de 15 dias para implantar a medida. O Instituto terá, ainda, de receber, no prazo de 72 horas a partir da decisão judicial, os pedidos em favor dos beneficiários de hemodiálise contínua “a qualquer momento”, por meio eletrônico ou outro qualquer.


Fotos: Divulgação

Equipamento

Estação meteorológica para uso acadêmico Neste semestre, a Estação Meteorológica da Universidade Feevale, instalada no prédio Verde do Câmpus 2, começou a ser utilizada por alunos de Engenharia Química, Design, Ciências Biológicas e Tecnologia em Gestão Ambiental. De acordo com a coordenadora da estação, professora Daniela Montanari Migliavacca Osório, os alunos de Meteorologia e Climatologia, do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental, serão os maiores beneficiados. A estação possui medidores de precipitação pluviométrica, de temperatura interna e externa, de umidade relativa do ar, um anemômetro (velocidade do vento), de direção do vento, de temperatura aparente do vento (Wind chill - sensação térmica), de ponto de orvalho (dew point) e de pressão barométrica. O software permite a quantificação dos dados coletados e a sua rápida compreensão.

Oswaldo Cruz

Repórter da RBS TV conversa com alunos Alunos dos terceiros anos da Unidade Oswaldo Cruz, da Instituição Evangélica Novo Hamburgo, receberam, em 8 de agosto, a visita do repórter da RBS TV Maurício Gonçalves para um bate-papo sobre o trabalho do jornalista. Eles abordaram os assuntos do que é importante, as dificuldades, como elaborar uma notícia, diferenças entre televisão e jornal e, principalmente, os aspectos essenciais de uma notícias e fizeram questionamentos. As professoras responsáveis Cristiane Ely Lemke, Letícia Luciane de Almeida, Rosani Maria Lunkes Ramm e Leila Duarte Reis, comentaram que o convite foi um incentivo para os alunos, que leem veículos de comunicação semanalmente na escola.

Posse

Governador do Rotary Club anuncia metas

Fischer participa de debate sobre direito Notarial O tabelião José Flávio Bueno Fischer, do Tabelionato Fischer, de Novo Hamburgo (RS), participou, entre 15 e 17 de agosto, em Buenos Aires, na Argentina, do Curso de Direito Notarial Aprofundado. A atividade contou com palestrantes de Cuba, Argentina, Colômbia, Guatemala, México, Costa Rica, Paraguai, Peru, Espanha, Equador e Brasil. As palestras abordaram, principalmente, os temas Documento Notarial, Análises de Documentos, Gestão, Responsabilidades Notariais, Direito Imobiliário, entre outros. Além de assistir às palestras, Fischer foi um dos debatedores do Painel Internacional. Mais informações no site www.universidadnotarial.edu.ar.

Calendário

RPDois recebe prêmio de excelência Divulgação

Direito Notarial

Graziela Dannenhauer/Especial

O governador do Distrito 4670 do Rotary Internacional, José Antonio Gonçalves Dias, e a esposa Meg Dias, estiveram no mês passado em visita à Revista Expansão. Na ocasião, o dirigente, pertencente ao Rotary Club de São Leopoldo, falou de seus projetos e metas durante a sua gestão. O primeiro ano será focado na família, o segundo na continuidade dos trabalhos e o terceiro nas mudanças necessárias para que os projetos atinjam mais as comunidades. O presidente João Haubert e o vicepresidente Márcio de Negri, ambos do Rotary Club de Novo Hamburgo, acompanharam a visita.

Pelo terceiro ano consecutivo, o calendário de mesa desenvolvido pela RPDois Fotografia foi contemplado com o Prêmio de Excelência Gráfica, promovido pela Associação da Indústria Gráfica do RS (Abigraf/ RS). O título foi recebido pela Contgraf, de Eldorado do Sul (RS), que imprimiu e inscreveu a peça, na categoria Calendário de Mesa. Os quesitos para a premiação foram qualidade de impressão e acabamento, além da criação das peças inscritas. Depois desta conquista, o calendário da RPDois poderá concorrer ao prêmio Fernando Pini, considerado o mais importante da indústria gráfica nacional.

Revista Expansão

Setembro/2011

135


DEPARTAMENTO JURÍDICO

Adalberto Alexandre Snel Advogado

Licenciamento de marca e a franquia

C

Confeitaria

Ação Encontro do Lions forma alunas A formatura de alunas do Curso de Confeitaria, promovido pelo Projeto Ação Encontro e Lions Clube Novo Hamburgo Terceiro Milênio, ocorreu em 18 de agosto na sede do projeto, na Vila Palmeira, na Santo Afonso. Na ocasião, ocorreu a solenidade de entrega dos certificados e a degustação de doces e salgados feitos pelas nove formandas. O curso foi administrado pela integrante do Lions e confeiteira Clari Zarth desde 7 de abril, contabilizando 60 horas-aulas, realizadas uma vez por semana. De acordo com Clari, esta é a segunda edição do curso e que continuará ocorrendo no ano que vem. As mães que participaram do curso destacaram que aprenderam a fazer vários doces, salgados e tortas para os aniversários e comemorações. Uma delas economizou 70 reais para o Dia dos Pais em uma torta de moranguinhos. As formandas são Janete Napiwoski, Geneci Oliveira, Joelma Miranda, Rosane Oliveira, Olívia Martini, Teresinha dos Santos, Marizete Oliveira, Seloni de Sá e a colega leonina Cladis Martins. Foto: Graziela Dannenhauer/Especial

Cidadão

Presidente da ARI recebe título de POA O presidente da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), Ercy Pereira Torma, foi agraciado com o Título de Cidadão de Porto Alegre em 23 de agosto, em sessão solene, realizada no Plenário Otávio Rocha da Câmara de Vereadores de Porto Alegre (RS). Entregue em forma de medalha com o Brasão de Porto Alegre e diploma, a concessão do título foi proposta pelo vereador Airto Ferronato (PSB) e aprovada por unanimidade. Ferronato disse que a homenagem a Torma destaca também a contribuição da ARI, da imprensa e dos jornalistas. Lembrou que a entidade está e sempre esteve em todos os grandes momentos da cidade. Torma agradeceu o título, lembrando que escolheu viver em Porto Alegre, em 1968, para conseguir desenvolver-se no que mais gostava de trabalhar: a imprensa. A solenidade foi presidida pelo vereador Adeli Sell (PT). Além de Torma compuseram a mesa representantes do governo do Estado, da prefeitura da capital, do Foro da Comarca de Porto Alegre, do Ministério Público Estadual, do Tribunal de Contas do Estado, do Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS, da OAB-RS e do Conselho dos Cidadãos Honorários de Porto Alegre. Divulgação

onsiderando o contrato de franquia em si ele é autônomo e bilateral. Trata-se de um contrato misto, do tipo complexo. O franqueador está incumbido não só de conceder licença para o uso da marca ao franqueado, mas também de prestar uma série de obrigações, que, apesar de serem de natureza diversa, são conjugadas em uma unidade contratual. O franqueado não presta serviços ao franqueador ou vice-versa. Franquia não é serviço, é cessão de direitos. A supervisão de rede, orientação, treinamento do franqueado e de seus funcionários, bem como a escolha de pontos são obrigações de meio para a realização da franquia e não serviços que aguardam entre si certa relação. Trata-se de uma situação bem diversa de outras jurídicas estabelecidas contratualmente. É, por isso, oportuno asseverar que no contrato de licenciamento de marca, o licenciador tem apenas que ceder o uso da marca e não existem obrigações como as encontradas no contrato de franquia. Não há transferência de tecnologia, mas sim a obrigação de permitir que o licenciado utilize sua marca, o que deve estar protegido pelo direito de propriedade intelectual. Cabe salientar outras situações, que passaremos a referir. O licenciamento é um processo amparado por lei, pelo qual o detentor de uma marca autoriza ou cede o direito de seu uso, durante um determinado período de tempo, recebendo um pagamento definido entre as partes, os chamados royalties. A marca cedida deve estar registrada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INOI) e o contrato de licenciamento tem de estar averbado no mesmo órgão, sob risco de causar sérios problemas à marca licenciada (a averbação no INPI autoriza a dedutibilidade fiscal das importâncias pagas a título de royalties pelos direitos de propriedade industrial). Há, pois, clara diferença entre o sistema de franchising e o licenciamento de marcas. Segundo a legislação, as formas de uso por terceiros de marcas são classificados em: licenciamento de uso de marca ou cessão de direito de uso de marca, licenciamento de exploração de patentes ou contrato de cessão de exploração de patentes ou contrato de cessão de exploração de patente, fornecimento de tecnologia ou de transferência de tecnologia e de assistência técnica, e, ainda, os contratos de franquia. Constata-se assim que o contrato de franquia estabelece uma série de direitos e obrigações entre as partes. O franqueador, por exemplo, deve entregar ao franqueado um negócio formatado e que pode ser distribuído na forma de rede ou sistema de negócios. No contrato de franquia são obrigatórias as transferências de tecnologia e know how sobre produção, comercialização e distribuição de produtos ou serviços, assim, como, assistência técnica exercida pela franqueadora ao franqueador. É obrigação da franqueadora supervisionar e dar orientação e treinamento, auxiliar na análise e escolha do ponto onde será instalada a unidade, além de outros detalhes essenciais para a atividade, analisando cada situação para assegurar o sucesso do franqueador. O licenciamento de marca obedece a situações contratuais distintas, conforme o pretendido pelas partes. Todas elas inconfundíveis. Consigna-se que a franquia tem suas características definidas claramente.

MIX

Torma (d) com os vereadores Ferronato e Adeli

136

Revista Expansão

Setembro/2011


Recorde

Ciclista apaixonado em NH

Obras

Prefeitura realiza vistoria no Hospital Municipal Robson Nunes/Divulgação

Aline de Melo Pires/Especial

Com o objetivo de acompanhar a construção da nova Emergência e de mais 60 leitos do Hospital Municipal de Novo Hamburgo (HMNH), o prefeito da cidade, Tarcísio Zimmermann, juntamente com o secretário de Obras Públicas e Serviços Urbanos, Luiz Fernando Farias, vereadores e a equipe da empreiteira responsável pela construção, realizou uma visita técnica ao local (foto). As obras de ampliação da casa de saúde foram retomadas no dia 5 de julho, após interrupção por problemas estruturais constatados no prédio, muitos em desconformidade com normas técnicas de órgãos de vigilância sanitária. Esses mesmos problemas levaram a uma nova licitação, onde a mesma empresa venceu o processo e foi contratada para continuar os procedimentos. A visita ocorreu em 22 de agosto e marcou o último dia das demolições. Agora, até o final de fevereiro, a empreiteira terá que trabalhar para conclui-la. O investimento total para o restante da obra é de mais de R$ 2 milhões.

O ciclista Carlos Henrique Ribeiro passou pela Revista Expansão, em agosto, e foi recepcionado na cidade pelos diretores da Wizard NH, Reinaldo e Cíntia Igari. Ele está atravessando o País recolhendo bandeiras das cidades por onde passa para forrar o gramado do estádio Maracanã na abertura da Copa 2014. Recordista mundial de pedaladas, ele acredita que já deve ter ultrapassado os cem mil quilômetros e visitado mais de duas mil cidades. Ex-pedreiro, o ciclista iniciou a jornada para enfrentar um desafio de vida, que para ele até então não oferecia muitas perspectivas. “A única coisa que tinha era a bicicleta. Mal sabia ler. Então resolvi mudar radicalmente e estou descobrindo o Brasil nessa aventura”, conta. Conhecido como “Ciclista Apaixonado da Wizard”, Carlos redefiniu o recorde mundial de pedaladas em 2005, quando percorreu, em dez meses, mais de 20 Estados, do Oiapoque ao Chuí e pedalou 38 mil quilômetros em 10 meses.

Saúde

OAB/RS em parceria com Oncotrata A Caixa de Assistência da OAB/RS (CAA/RS) firmou, em julho, um convênio com a Oncotrata Tratamentos Oncológicos, para atendimento de seus mais de 80 mil associados. Especializada em atendimento oncológico, desde a prevenção e diagnóstico precoce, até tratamento em quimioterapia e reabilitação integral do paciente, a clínica é uma das mais modernas no Estado. Localizada na Rua Germano Petersen Júnior, 629, 3º e 4º andares, em Porto Alegre (RS), a Oncotrata possui equipe médica especializada em hematologia, mama, urologia, colo-proctologia, aparelho digestivo, entre outras áreas de atuação.

www.fabiowinter.com.br

F: 51 3594-1400 l 9305-5838

O ciclista foi recebido na cidade pelos diretores da Wizard, Igari e Cintia

Revista Expansão

Setembro/2011

137


SOBRE NÓS E OUTRAS COISAS

MIX Vinícius Reis/Divulgação

Por César A. Pessin Administrador de empresas cesar.pessin@hotmail.com

Vila Brenner

P

ercorro os olhos sobre o mapa da cidade com profunda atenção. Com os dedos, vou seguindo por ruas estreitas e desconhecidas, atravessando vilas e bairros e retorno sem encontrar o que procuro. Retomo a busca algum tempo depois, sigo por outros caminhos, novos lugares, porém nada encontro senão incertezas. Tem sido assim ao longo dos anos e, ao que parece, será assim através deles. Trago, então, o mapa para perto dos olhos, tão próximo ao ponto da indiscrição, porém não busco janelas semi-abertas, nem cortinas transparentes, mas um lugar que simplesmente desapareceu. Resignado, recosto a cabeça no espaldar da cadeira e viajo no tempo, ainda a tempo de me ver saindo de casa com os meus irmãos em direção a um lugar de ventos fortes, campo aberto intercalado por pequenos morros. Tenho cinco anos, seis ou sete, talvez. Não mais. Pandorga na mão, disparo pelo campo, atravessando os montes, cortando o vento, até que ela, ainda que serpenteando, encontra o caminho do céu, para o fascínio dos meus olhos infantis. Nesse lugar sempre há vento, o dia é sempre luminoso e a tarde interminável. Tenho sempre a mesma idade e corro da mesma maneira, com a mesma alegria. Tudo permanece inalterado, imutável. Fragmentos de vida perdidos no tempo e transformados em peças de um mosaico. Acordo como se tivesse sonhado, porém o mapa sobre a mesa desvanece a dúvida. Talvez eu não queira aceitar, mas as coisas se transformam e sepultam os caminhos por onde extravasamos nossa meninice. Mas será que um lugar inteiro desaparece? Não poderia distar tanto assim se podia ser vencido por um par de pernas tão frágeis. Nenhuma referência, mesmo que tênue, sobreviveu para que eu pudesse voltar e me despedir? Estranho, mas só agora percebo que estrada alguma me levava até lá e tampouco outra me trazia. Eu apenas corria solto em um lugar sem fronteiras. Olho o mapa uma última vez, à distância. Não há caminhos por onde não andei nesta busca inútil. A Vila Brenner desapareceu como se jamais, na verdade, tivesse existido. Decido não procurá-la mais. Pode ter sido impiedosamente soterrada pelo progresso e seus campos cingidos por aço, concreto e asfalto. Pois, que permaneça viva apenas na minha lembrança, eternamente fresca e iluminada, sem jamais privar os meus olhos do fascínio de ver a pandorga subir. Onde fica a Vila Brenner? Nas artérias daquele coração infantil.

CÂncer

Caminhada das Vitoriosas do Imama Uma grande festa com recorde de público! Assim pode ser resumida a oitava edição da Caminhada das Vitoriosas do Instituto da Mama do RS (Imama), que reuniu em 21 de agosto, cerca de duas mil pessoas que caminharam do Parcão à Redenção cantando, dançando e interagindo com os moradores por onde a marcha passava, em Porto Alegre (RS). “Estamos aqui para celebrar a vida de vitoriosas e vitoriosos de qualquer tipo de câncer, pois vencer essa doença é, sem dúvida alguma, uma vitória”, salientou a presidente do Imama, Maira Caleffi, ao discursar ao lado de personalidades como o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, que superou um câncer há 28 anos.

Legalidade

Marco da história gaúcha no calendário O aniversário de 50 anos do Movimento da Legalidade teve muitas comemorações em agosto. A Semana da Legalidade passou a integrar as comemorações oficiais do Rio Grande do Sul. O projeto de lei, sancionado pelo governador Tarso Genro, é de autoria da deputada Juliana Brizola, e foi aprovado por unanimidade em 9 de agosto. Pelo texto do projeto, também fica estabelecido o dia 28 de agosto como o Dia da Legalidade. Em Novo Hamburgo (RS), o movimento foi lembrado em uma solenidade especial, em 25 de agosto, na Câmara de Vereadores. A iniciativa foi dos vereadores Alex Rönnau, Gilberto Koch, Carmen Ries, Matias Martins e Ricardo Ritter, o Ica.

Acessibilidade

Câmara adere ao Legislativo Acessível O presidente da Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo (RS), Leonardo Hoff, assinou, em 26 de agosto, termo de adesão ao Programa Legislativo Acessível, da Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas Portadoras de Deficiência e de Altas Habilidades no Rio Grande do Sul (Faders). O programa integra a Campanha Gaúcha da Acessibilidade, e tem como foco as 12 cidades-sede da Copa de 2014. O próximo passo é fazer um diagnóstico dessa acessibilidade.

União homossexual

Debate discute os aspectos jurídicos A segunda edição do Ciclo de Debates Direito e Política, com o Painel Aspectos Jurídicos da União Homossexual, promovido pela Procuradoria-Geral do Estado e Escola Superior da Advocacia Pública, em 8 de agosto, lotou o auditório do Centro Administrativo Fernando Ferrari, em Porto Alegre (RS). Os palestrantes foram o juiz federal Roger Raupp Rios, o procurador do Estado Luis Carlos Hagemann e o advogado da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Hugo Oliveira. Rios apresentou dados para compreender e colocar em prática a decisão do Supremo Tribunal Federal, de 5 de maio de 2011. “A tensão da decisão gira em torno de dizer se a união homossexual é igual a uma união estável ou é um outro tipo de união familiar”, disse Rios. Já Oliveira, vindo de Brasília para o evento, afirmou que “esta postura casuística é perigosa”.

138

Revista Expansão

Setembro/2011


Fotos: Divulgação

Aniversário

Ecoviv comemora 20 anos Em 21 de agosto, o Ecoviv – programa de Educação Ambiental que funciona junto à Escola Bom Pastor -, em Nova Petrópolis (RS), comemorou 20 anos de atividades. A data foi marcada com confraternização entre atuais e ex-integrantes da equipe, e homenagem à fundadora, Ilse Evers Gans. A comemoração também incluiu o relançamento das trilhas da fantasia, sucesso no ano 2000. “São teatros infantis que usam a natureza como cenário e interagem com as crianças”, expliVerônica e Ilse ca Verônica Schaeffer, atual coordenadora. Segundo ela, ao longo das duas décadas, foram mais de 71 mil participantes, desde crianças até integrantes da terceira idade. Um dia no Ecoviv inclui trilhas orientadas e lazer no Sito do Riacho, com pescaria, passeio de barquinho, trator, teleférico, carrinho de lomba e ponte suspensa. Agendamentos e informações pelo site www.ecoviv.com.br ou pelo telefone (54)3298-8066, com Verônica.

Projeto Social

Cultura

Assiste Bem no seu Bairro no Pátria Nova

Teatro Feevale abre as portas em setembro

A Pista de Eventos José Eli Teles da Silveira, na Avenida 1º de Março, no bairro Pátria Nova, será sede, em 10 de setembro, de mais uma edição do Assiste Bem no seu Bairro, programa do Grupo Krause, que beneficia a comunidade por meio de atividades de bem-estar social. Entre os serviços que serão prestados estão avaliações odontológicas, cardiologicas, triagem auditiva, nutricionista, acupuntura, massagem, prevenção laboratorial e enfermagem. Em caso de chuva o evento será transferido para o sábado seguinte.

O tenor espanhol José Carreras vai inaugurar, em 20 de setembro, o palco do Teatro Feevale. O espaço, localizado no Câmpus 2, em Novo Hamburgo, será administrado em parceria com a Opus Promoções, é o maior do Estado, e vai comportar apresentações artísticas e acadêmicas. O período de inauguração segue com o espetáculo Disney Live! As Mágicas do Mickey, que fica em cartaz de 13 a 16 de outubro. Em 21 de outubro tem o espetáculo Labutaria, do comediante Marco Luque. O teatro comporta até 1.826 espectadores.

Contemplação

JCI cresce na ONU e recebe título de General No final do mês de julho, após aprovação pelo Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas (ONU), a Junior Chamber International (JCI), associação mundial de pessoas entre dezoito a quarenta anos de idade, recebeu a classificação de General. O status é o mais alto concedido pela ONU, e só podem ser contempladas ONGs cuja área de trabalho abrange a maioria dos temas da organização. O critério para a contemplação foi o crescimento da atuação da JCI nos temas trabalhados pela ONU. Ela congrega mais de 200 mil jovens em 110 países e territórios.

Intercâmbio

Delegação de deputados alemães em Brasília O deputado federal Renato Molling, presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Alemanha, recebeu, em 24 de agosto, na Câmara Federal, uma comitiva de parlamentares alemães. Eles participaram de vários eventos, como a reunião com a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da casa, o encontro com grupos de movimentos sociais; e visita ao Ministério da Agricultura, onde foram recebidos pelo ministro Mendes Ribeiro Filho. A delegação alemã é composta pelos deputados Alois Gerig, Dr. Egon Jüttner, Wolfgang Zöller, Klaus Brandner, Manfred Helmut Zöllmer, Niema Movassat e Dorothea Steiner. No dia 25, durante almoço na Câmara - com a presença do presidente Marco Maia – foi realizada solenidade de instalação oficial do Grupo Parlamentar Brasil-Alemanha.

Revista Expansão

Setembro/2011

139


ponto de vista Divulgação

Com a Lei do Audiovisual, os produtores de cinema podem conseguir mais recursos financeiros para as suas produções. A burocracia diminuiu e a responsabilidade maior para ela ficou por conta da própria produtora e assim a cultura brasileira passa a ter uma forte aliada na sua qualidade. A empresa passa a declarar ao Leão o valor investido e este é abatido 100% no imposto de renda. Então com esta lei de incentivo ficou mais fácil ou difícil angariar recursos para produzir um filme? Como está esta realidade para o mercado gaúcho e qual a análise que pode ser feita referente a este tema? As empresas estão aceitando bem esta proposta estabelecida na lei?

Investirem

cinema é fácil

Paulo Nascimento - Cineasta gaúcho pauloaccorde@terra.com.br

N

e dá retorno

o ano passado, durante a apresentação do meu filme Em Teu Nome, no Festival de Chicago, participei do já tradicional “Q&A” (questions and answers) em que o diretor fica lá na frente sendo “dissecado” pela plateia após a sessão do filme. As perguntas normalmente giram em função dos atores, a história, etc, mas uma colocação me surpreendeu: uma estudante de cinema fez um preâmbulo sobre as dificuldades de conseguir dinheiro para fazer filmes independentes nos Estados Unidos até dizer que havia estudado os mecanismos de produção no Brasil e que, com a Lei do Audiovisual, certamente, as empresas viviam procurando os produtores para investir em filmes. Questionou-me como era isso. Um tanto surpreso com aquela colocação, recuperei o prumo e parti para a resposta, esta sim, causou a maior surpresa da noite. Eu disse que temos uma dificuldade imensa de levantar dinheiro para nossos filmes também. Ela perguntou se havia errado na sua pesquisa. A Lei do Audiovisual não permitia que as empresas apoiassem um filme sem gastar nada? Não se abate 100% do imposto de renda ao valor aplicado? Eu disse que a pesquisa estava certa, talvez quem não estivesse fôssemos nós, os produtores, apoiadores, enfim, os brasileiros. Faço esta colocação, pois fica realmente difícil de explicar a dificuldade em levantar dinheiro para uma produção cinematográfica com 100% do valor investido sendo deduzido no imposto de renda. É um marketing, uma ação, uma exposição de marca “de graça”. Onde está o furo? What´s the problem? Dizia nossa amiga de Chicago, achando que havia lido errado as informações, ou que eu era um grandissíssimo mentiroso. A verdade é que talvez sejam muitas as explicações, mas a básica delas é a desinformação. Houve um tempo em que investir pela Lei do Audiovisual era o próprio inferno. A empresa tinha que abrir sua contabilidade,

140

Revista Expansão

Setembro/2011

enviar documentos para a CVM, bolsa, corretoras, etc, etc. Pois bem, tudo mudou, mas e adiantou? Não, mas tenho a modesta intenção de ajudar de alguma forma na elucidação deste enigma clareando um pouco como funciona o processo. Pois vamos ao básico: hoje, para um filme estar apto a receber incentivo, a produtora envia um projeto para a Ancine (Agência Nacional de Cinema) que é o órgão regulador do setor e passa uma média de três meses complementando, explicando, apresentando planilhas, toda uma burocracia para provar que é uma empresa idônea e pode fazer o tal filme. Existe também um sistema de pontuação. Uma produtora iniciante pode pedir a liberação para captar um valor até R$ 1 milhão, quem já tem um longa metragem no currículo pode mais e assim por diante. Isso dá uma segurança de que não haverá “aventura” no processo. É um negócio muito sério. Na prática, hoje, uma empresa pode investir 4% do imposto devido. Deposita em uma conta específica no Banco do Brasil em nome do projeto. Recebe um recibo de Mecenato (de uma página) e, na hora do acerto de contas com o Leão apresenta o recibo e o comprovante de depósito, abatendo totalmente o valor investido. O benefício institucional (marca, etc.) vai depender de acordo entre a empresa apoiadora e o produtor do filme. É importantíssimo conhecer o histórico do produtor para ter a certeza de que o filme será rodado no prazo combinado, lançado, etc. Não há nada pior do que por grana em um filme que não sai, mas isso é fácil de identificar hoje em dia, é só fazer uma breve pesquisa no histórico do pretendente ao apoio. A exemplo de nosso novo projeto A Oeste do Fim do Mundo, um longa que será rodado em janeiro do próximo ano, já tem distribuição garantida em dez capitais brasileiras, mais lançamento na Argentina, Uruguai, Chile, Colômbia, Equador, Espanha, França e Inglaterra. Precisa ser um grande investimento? Não. O Frigorífico Silva de Santa Maria está depositando em torno de R$ 10 mil a R$ 15 mil por trimestre (o imposto deles é trimestral) e terá sua marca no filme. Tudo é “conversável” para chegar ao melhor resultado para o filme e para a empresa apoiadora. A verdade é que se todos pararem para analisar com calma, talvez eu não tenha que ficar embasbacado em frente da jovem de Chicago e possa responder: “claro, as empresas nos procuram para investir, é de graça”.


Porto Alegre Bourbon Contry apresenta Buena Vista Social Club em único espetáculo

Foto: Divulgação

(145)

Campo Bom

Nova Petrópolis

São Leopoldo

História da trajetória do calçado na cidade vira livro (152)

Festival do Folclore teve público superior a 30 mil pessoas (156)

Museu Histórico Visconde de São Leopoldo será ampliado (148)

Encosta da Serra

Novo Hamburgo

São Sebastião do Caí

Fim de Tarde na Matriz terá concerto homenagem ao aniversário de Dois Irmãos (151)

Estância Velha

Desfiles cívico e farroupilha serão realizados em 20 de setembro (150)

Linha Nova

Prefeitura realiza entrega de caminhão adquirido por emenda do deputado federal Renato Molling (142)

Comusa dá início à segunda fase das obras de substituição de redes de água (142)

Paranhana

Beira Rio coloca colaboradoras na vitrine como estrelas da campanha primavera-verão 2012 (155)

Santa Cruz do Sul

Confirmado show de Ivete Sangalo na Oktoberfest 2011 (158)

Comemorações farroupilhas serão realizadas de 11 a 20 de setembro (143)

Sapiranga

Cidade será contemplada com Escola Técnica de programa da União (153)

Vale do Caí

Kerbfest de São Vendelino foi lançada com baile no Salão O Imigrante (157)

Revista Expansão

Setembro/2011

141


CIDADES Fotos: Divulgação

Campo Bom

Borges de Medeiros recebe prêmio nacional A Escola Municipal Borges de Medeiros, de Campo Bom (RS), faturou, em 3 de agosto, o primeiro lugar no Prêmio Microsoft Educadores Inovadores Brasil 2011, na categoria Inovação em Colaboração, com o projeto CBB Web TV. A escola agora vai representar o Brasil na sétima edição do Fórum Mundial de Educação Inovadora, em novembro, em Washington, nos Estados Unidos. O projeto premiado é um blog (http://borgescb.wordpress.com), feito pelos estudantes do 9º ano, onde são publicadas enquetes, trabalhos escolares entre outros conteúdos. Em 9 de agosto, o vice-presidente da Regional ACI Campo Bom, César Ramos, durante o Prato Principal, parabenizou a conquista entregando uma homenagem à secretária de Educação, Eliane dos Reis, e à diretoria da Borges, Morgana Rodrigues da Silva.

Ramos, Eliane e Morgana no evento Prato Principal

São Leopoldo

ISL 2024 comemora um ano No dia 29 de agosto, os voluntários do Instituto São Leopoldo 2024 comemoraram um ano da oficialização da organização. O evento foi no auditório da antiga sede da Unisinos e serviu para uma abordagem sobre o cenário leopoldense na atualidade. O primeiro a falar foi o superintendente do Instituto, o professor Aloysio Bohnen. Posteriormente, junto com Bohnen, Mário Gusmão, Marcus Coester, Anton Karl Biedermann e Gustavo Grisa abordaram assuntos como o projeto do Aeroporto Internacional 20 de Setembro; a visão do governo do Estado para o desenvolvimento da região; a importância da sociedade articular-se e atuar para apresentar projetos que façam a atividade pública funcionar melhor. Além disso, ainda foi apresentada a Agenda 2016, trabalho que será desenvolvido pelo ISL 2024 nos próximos meses.

Zimmermann e Dietrich no lançamento das obras

Novo Hamburgo

Comusa inicia troca de mais 8,6 quilômetros de redes Com investimento de cerca de R$ 700 mil, se iniciou em 17 de agosto, na Rua Almirante Barroso, esquina com Domingos de Almeida, no Centro de Novo Hamburgo, a segunda etapa da troca de redes de água, que integra o Programa de Substituição de Redes. Ao todo, serão beneficiadas 5 mil pessoas e instalados 8,6 quilômetros de tubos em 18 ruas. O prefeito Tarcísio Zimmermann, e o diretor geral da Comusa – Serviços de Água e Esgoto, Mozar Dietrich, verificaram o início das obras. Agentes comunitários do Programa de Substituição de Redes de Água estão fazendo visita de orientações aos moradores beneficiados.

Linha nova

Prefeitura recebe caminhão O deputado federal Renato Molling participou, em 15 de agosto, da entrega oficial de um caminhão caçamba para a prefeitura de Linha Nova, no Vale do Caí. Ele foi adquirido através de uma emenda do deputado, no valor de R$ 100 mil, destinada em 2009. Entre as autoridades que participaram da entrega do caminhão, estavam o prefeito Nicolau Haas e as vereadoras Adriana Alves Vargas e Angela Beck Gauer.

142

Revista Expansão

Setembro/2011


São Sebastião do Caí

Município comemora a Semana Farroupilha A cidade de São Sebastião do Caí (RS), localizada no Vale do Caí, promove de 11 a 20 de setembro, os Festejos Farroupilha, no Parque Centenário. O lançamento ocorreu em 16 de agosto, no CTG Lauro Rodrigues, com a apresentação da comissão do evento, organizado pela prefeitura e entidades tradicionalistas, em um jantar de confraternização. Flávio Belmonte Rodrigues da Silva vai presidir a comissão. O prefeito Darci José Lauermann aproveitou a oportunidade para anunciar a volta do rodeio, previsto para o próximo ano na cidade. A programação terá shows, concurso de declamação e gastronomia típica gaúcha, acampamentos, torneios, palestras, gincana cultural, entre as atividades. Estiveram ainda presentes no evento, a primeira-dama Zoraia Lauermann e a secretária municipal de Educação e Cultura, Ingrid Borchardt.

Educação é destaque no ranking de investimentos A cidade de Harmonia (RS), no Vale do Caí, foi o município que mais investiu na Educação entre 2006 e 2010. A constatação faz parte de relatório divulgado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/RS). O ranking abrange os 496 municípios gaúchos e é liderado por Bento Gonçalves que, nos cinco anos, aplicou em média 36,27% de sua receita no setor. Harmonia figura em 13º lugar na lista do Estado, com 33,37% de aplicação da arrecadação entre 2006 e 2010. A rede municipal conta com uma Escola de Educação Infantil (Emei) e três escolas de Ensino Fundamental (Emefs), que atendem cerca de 270 alunos. A secretária de Educação, Adriane Colling Kinzel (foto), destacou, entre os investimentos, melhorias nas escolas e qualificação de professores.

Revista Expansão

Setembro/2011

Castor Becker Júnior/Divulgação

Aline Assmann\Divulgação

Zoraia, Lauermann, Ingrid e Silva no lançamento do evento

Harmonia

143


PORTO ALEGRE Por Edith Auler e Letícia Souza Leed Comunicação leed@leedcomunicacao.com.br

  Em 1989 Sérgio Maia pisava pela primeira vez em Porto Alegre, cidade que mais tarde o acolheria de forma definitiva. “Em Porto Alegre não falta nada”, explica o sóciodiretor da Trust & CO Investimentos (www.trustco.com. br) que conquistou os gaúchos de uma forma muito peculiar, com seu carisma e trabalho impecáveis. A vinda definitiva deste angolano para a capital começou a se desenhar ainda em 2002 e se consolidou em janeiro de 2003 quando Maia assumiu a presidência da Sonae Distribuição Brasil. Na época, a empresa era responsável por grandes marcas do Varejo como Big e Nacional.

Você chegou ao Rio Grande do Sul e causou uma verdadeira revolução no varejo. Como você vê este processo? A empresa tinha uma cultura de desenvolver processos internos e, por necessidade, se você busca a qualificação de uma rede, precisa que o grupo que está em volta interaja, para que a partir daí possa se gerar um processo de consolidação e sustentabilidade. E precisávamos convidar os gaúchos e porto-alegrenses a revisitar as nossas lojas. Então eu tive que acabar dando um pouco a cara para dar credibilidade ao processo. O segundo ponto é que as redes de supermercado estão demasiado viciadas no processo promocional. Então acabam gastando muito dinheiro anunciando a promoção do dia. E esse é um investimento que me pareceu na época e, hoje cada vez mais, me parece muito redutor. Você pode usar este dinheiro com mais inteligência fazendo trabalhos segmentados junto a públicos bem definidos. E aí apareceram projetos que visavam esse link com estes formadores de opinião, como o Paradouro de Gramado ou o Paradouro de Atlântida, por exemplo.

Todas as ações e investimentos tinham um forte caráter cultural. Por quê? A gente identificou, aqui no RS, uma carência de oportunidades e de acesso, do cidadão comum e até mesmo do cidadão erudito, a certos eventos que estavam confinados ao eixo Rio-São Paulo-Minas. Fizemos um trabalho no sentido de trazer essas oportunidades para o Rio Grande do Sul e com isso buscar uma notoriedade.

Hoje o Estado, e a capital gaúcha, fazem parte do calendário de grandes eventos e shows. Você se considera responsável por este movimento? Sinto-me um pouco culpado. Na hora em que nós trouxemos Norah Jones, por exemplo, Celine Dion ou George Benson, e por aí vai, parecia uma coisa fora do esperado. E acabamos capitalizando isso porque a nossa grife assinou os eventos. Acabamos conquistando o reconhecimento.

144

Revista Expansão

Setembro/2011

O que + gosto na cidade Um parque: Parcão Um bairro: Moinhos de Vento Um restaurante: Koo Pee Pee (Rua Schiller, 83 - Moinhos de Vento), especializado em comida tailandesa Nos dias de folga: pegar um barco e sair pra passear com a família

Um reconhecimento que ficou personificado. A figura do executivo Sérgio Maia, em muitos momentos, ficou mais em evidência que a própria empresa. Qual a sua opinião sobre o assunto? Eu diria que foi inevitável. Foi a maneira mais crível para chegar aos públicos e dizer que nós estávamos mudando. Alguém tinha que dar a cara e explicitar que havia uma revolução ocorrendo numa certa rede de supermercados e que nós estávamos buscando uma qualificação. Até porque tínhamos um adversário extremamente forte, extremamente competente, que é a Rede Zaffari. Então a qualificação da mensagem demandou a minha intervenção. E eu acabei ficando, se queira ou não, rotulado. Mas era um trabalho que tinha que ser feito.

E a Trust&CO Investimentos? Nós atuamos em diversos setores, como Identificação de Oportunidades para alavancagem de valor, operações de estruturação financeira ou operações de join-ventures, fusões e aquisições. Entre os últimos trabalhos, a Trust&CO assessorou a Manitowoc no projeto de investimento da nova unidade industrial de Passo Fundo e a Vonpar na estruturação financeira decorrente do processo de aquisição de 100% dos ativos da Neugebauer – Divisão da Florestal Alimentos S/A.

Divulgação

Sérgio Maia


Luiz Meurer

Um chef em sua casa Nicola Musella, diretor da Portiere, juntamente com os chefs Gérard Durand, do Lê Bateau Ivre; Carlos Kristensen, do Hashi Art Cusine; Mauro Sousa, do Sheraton, e Mamadou Sène, do Senac, participaram do lançamento da campanha Um Chef Em Sua Casa em evento na capital. Durante o período da promoção, que segue até este mês, os clientes que comprarem móveis da grife ganham jantar para dez pessoas, preparado especialmente por um dos mais renomados chefs de Porto Alegre.

Souza, Musella, Durand, Kristensen e Sène: juntos em nome da boa mesa

Divulgação

Kuyven passa a atender também em Novo Hamburgo

Cirurgião amplia atendimento Com clínica em Porto Alegre, na João Obino, 345, o cirurgião plástico Carlos Renato Kuyven agora está atendendo também em Novo Hamburgo, nos altos da Avenida Maurício Cardoso, 931, sala 16.  Kuyven atende há dois meses no local. Informações no site www.clinicakuyven.com.br.

Buena Vista Social Club, para dançar muito! Esta dica é para dançar e muito! Clássicos contagiantes e dos melhores, apresentados pela Orquesta Buena Vista Social Club Featuring Omara Portuondo. Eles farão único espetáculo em 21 de outubro, no Teatro do Bourbon Country. Os ingressos podem ser adquiridos direto na Ingresso Show, pelos telefones 8401-0555 ou 3299-0800 (segunda a sexta das 9 às 19 horas), ou na bilheteria do Teatro do Bourbon Country (segunda a sábado das 14 às 22 horas e domingo das 14 às 20 horas). Orquestra traz à capital os melhores e mais contagiantes clássicos

Revista Expansão

Setembro/2011

145


PORTO ALEGRE Fórum do Biodiesel O biodiesel como fomento para produção de alimentos, inclusão social e combate à pobreza foi o tema central do evento que reuniu as maiores autoridades deste segmento do País no final de agosto. O Fórum do Biodiesel integrou as programações da Expointer 2011, no parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). De acordo com os organizadores, o tema proposto foi um dos destaques desta edição em virtude da grande abrangência e, sobretudo, pela necessidade de aplicação e desenvolvimento destas políticas no Brasil. Quem esteve à frente da ação foi Odacir Klein, presidente executivo da União Brasileira do Biodiesel (Ubrabio). O evento foi organizado pela unidade da Klein & Associados na capital. O casal Spichler com Bruno (à esquerda), que também organizou o 3º Brasil em Dança

Emoção, beleza e muita dança O 3º Festival Brasil em Dança Porto Alegre que aconteceu em agosto, em Porto Alegre, foi um sucesso! Durante os cinco dias do evento mais de dois mil bailarinos passaram pelo Teatro Ciee, levando ao palco todos os ritmos, desde o balé, passando pelo hip-hop, jazz, contemporâneo, sapateado, danças de salão e orientais, entre outros. “O festival tem como característica primordial avaliar cada gênero com profissionais especializados. Mas o principal foi poder ver novamente toda a beleza e a multiplicidade da dança, reunidos em um só local”, afirmou a diretora do espetáculo, Taís Spichler, que contou com o professor de dança, que veio de São Paulo, Sérgio Bruno, na organização do evento. Além de incentivar o turismo na capital dos gaúchos, o evento, que teve ainda a força de Fernando Spichler ao lado de Taís, fomentou o intercâmbio cultural e social. Sim, social! A emoção tomou conta de um grupo de crianças do Abrigo Residencial Oito, amparadas pela Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), que foram convidadas pela Adanac Eventos, organizadora do Festival, para prestigiar os espetáculos. Os pequenos tiveram a oportunidade de conhecer os bastidores, entraram nos camarins, conversaram com os bailarinos e acompanharam os preparativos que antecedem as apresentações. E olha a boa notícia: ano que vem, tem mais!

Klein coordenou e evento que reuniu as maiores autoridades do biodiesel brasileiro

Assoprando as velinhas Edith Auler/Especial

Três damas do vinho de diferentes gerações e regiões estiveram reunidas num bate-papo para lá de descontraído no Le Monde Villa Lina, em Porto Alegre. Na liderança de seus negócios, Hortência Ayub, da vinícola Campos de Cima, Beatriz Giovannini, da Don Giovanni e Taline de Hortência (à esquerda) e Beatriz em bate-papo Nardi, da Santa Augusta, ficaram encantadas com as delícias preparadas pelo chef Floriano Spiess, que elaborou um cardápio totalmente harmonizado para vinhos e espumantes. Durante o encontro, o principal tema da conversa foi justamente a qualidade e valorização do vinho nacional.

A rede de lojas Linna, que iniciou suas atividades há 20 anos na capital, comemora o sucesso de suas unidades em outros municípios. Até o final de setembro, os clientes da loja de São Leopoldo (RS), que está de aniversário e comemora um ano, vão ganhar um super desconto. Com instalações diferenciadas e um mix de produtos no segmento de festas e artesanato, a unidade conta também com o Ateliê Linna, que traz itens para lá de criativos. Fotos: Divulgação

Damas do Vinho

Maquintex 2011e lançamento da Femicc Nordeste Entre 9 e 12 de agosto, o Nordeste recebeu um dos maiores eventos do calendário têxtil brasileiro, a Maquintex 2011, promovido pelo grupo gaúcho FCEM, cuja matriz fica em Porto Alegre (RS). A mostra aconteceu no Centro de Convenções do Ceará, em Fortaleza, e recebeu mais de 20 mil visitantes. O sucesso foi tanto, que o grupo gaúcho aproveitou a oportunidade e lançou uma nova mostra no Ceará, a Feira de Máquinas para a Indústria Coureiro Calçadista (Femicc), que já tem data marcada: entre 20 e 23 de agosto de 2013, também no novo Expoceará. Para saber mais, acesse www.femiccnordeste.com.br.

146

Revista Expansão

Setembro/2011

Itens de artesanato e para festas são os destaques do Ateliê Linna


Giselle Siebel/Divulgação

Gaúcho na Áustria O médico oftalmologista gaúcho Marco Antonio Hermann Kroeff (foto) participa entre os dias 17 e 21 de setembro, em Viena, na Áustria, do 29º Escrs-European Society of Cataract and Refractive Surgeons, um dos principais congressos de oftalmologia do mundo. Especialista em cirurgia de catarata e cirurgia refrativa (astigmatismo, miopia e hipermetropia), Kroeff também domina o assunto Ceratocone, doença que é uma das principais causas de transplante de córneas. Divulgação

Débora comemorou a inauguração da Daniel Store, em Fortaleza

Empreendedorismo gaúcho avança no Ceará Quem inaugurou nova loja em Fortaleza, em agosto, foi a Metalúrgica Daniel, com a Daniel Store. Com sede em Novo Hamburgo (RS) e mais de 300 colaboradores diretos, a empresa também foi expositora da Maquintex 2011. A Daniel possui hoje duas unidades de produção, uma voltada para moda e outra para peças técnicas. Além dos estados do Rio Grande do Sul e do Ceará, a empresa também tem lojas em Nova Serrana (MG) e Franca (SP). Segundo Débora Giacomet, diretora superintendente da empresa, o mix de produtos oferecidos chega a quatro mil itens, produzindo milhões de peças e acessórios/mês.

PMPA/Divulgação

Cerimônia marca lançamento do início das obras do Aeromóvel Uma cerimônia bastante prestigiada, que aconteceu no canteiro da principal rotatória do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em agosto, marcou o início das obras do aeromóvel na capital. O projeto visa à atender as demandas da Copa do Mundo de 2014 e prevê a ligação da Estação Aeroporto da Trensurb ao terminal 1 do Aeroporto. Estão previstos dois veículos, com 150 e 300 lugares, com ar-condicionado, acessibilidade universal, entre outros itens. Segundo a prefeitura, a operação inicia-se no primeiro semestre de 2012, percorrendo trajeto de 998 metros em 90 segundos.

Revista Expansão

Setembro/2011

147


SÃO LEOPOLDO Por Letícia de Oliveira Divulgação

Relações públicas Conrerp 2494 - RS/SC leticia@revistaexpansao.com.br

Museu será ampliado

Gabriel, Bello, Evandro e Nardi unem tecnologia para gerar negócios

Tecnologia para mais negócios Jovens empreendedores uniram todos os seus conhecimentos e montaram uma parceria entre seleção de sistemas e desenvolvimento de sites. Helbert Bello, Felipe Nardi, Evandro de Oliveira e Gabriel de Oliveira mantêm a sede de suas empresas em São Leopoldo, mas a abrangência do trabalho destes profissionais envolve o Brasil inteiro. Segundo eles, a tecnologia está em evidência e na pauta de todas as empresas, porém, pouquíssimas sabem usá-la para gerar mais resultados para o seu negócio. Pesquisas de mercado apontam que apenas 32% dos projetos de implantação de tecnologia alcançam os resultados esperados. E, segundo eles, dois casos que podem ser citados a respeito da geração de mais negócios pela tecnologia, são sistemas de gestão e o site como ferramenta de vendas.

Soluções e necessidades

Bello e Nardi, diretores do Grupo Menthor, salientam algumas questões importantes na área de gestão tecnológica. Para Bello, que é também vice-presidente da Assepro-RS/VS, selecionar tecnologias é uma decisão de negócios para a garantia do investimento. O trabalho tem gerado resultados positivos e economizado tempo e dinheiro para os clientes.

Gabriel de Oliveira e Evandro de Oliveira, diretores da SiriusPrime, destacam a importância do site como mais uma forma de vendas. Segundo Gabriel, “os sites atualmente não geram negócios, porque não comunicam as soluções da empresa a partir das necessidades e demandas do mercado”.

Além dos sistemas

Visão para potencializar

Para Nardi, palestrante sobre o assunto e professor de MBA na Unisinos, o envolvimento das pessoas no processo é importante. “A tecnologia vai muito além de sistemas e computadores, pois quando reunimos pessoas comprometidas com processos bem definidos, geramos a sinergia necessária para alcançar os resultados”.

Estas duas empresas estão juntas por acreditarem que a tecnologia pode agregar mais valor aos negócios, Evandro reforça que “não se trata de uma fusão, mas sim de um compartilhamento de valores e visão para potencializar os resultados das empresas, que continuarão a atuar de forma independente no mercado”.

Registro O fotógrafo leopoldense Xiru Sander Scherer tem feito belíssimas fotos registrando as paisagens do inverno. A Serra e Lomba Grande foram o cenário dos últimos registros.

O açude em Lomba Grande reflete bem o frio da estação

148

Revista Expansão

Setembro/2011

Grindrock A Embaixada do Rock foi palco da primeira edição do projeto cultural Grindrock. A iniciativa, que pretende divulgar a produção artística e cultural da Região Metropolitana contou com a presença de mais de cem pessoas, que assistiram Viana Moog e Damn Laser Vampires. A segunda edição do projeto será em 9 de setembro, na Embaixada do Rock, com as bandas Transmission (Porto Alegre) e Mavka (Sorocaba), que fará sua estreia nos palcos gaúchos. Xiru Sander Scherer/Divulgação

Gestão e decisão

Após 27 anos da inauguração do prédio atual do Museu Histórico Visconde de São Leopoldo, foi anunciada sua ampliação. A obra prevê aumento do espaço para exposições, cursos, uma cafeteria, salas para restauro de acervo e reserva técnica. Além do museu, atualmente funcionam neste local o Museu de Imprensa, o Instituto Histórico e a Orquestra Sonarte.

Bandas de rock da Região Metropolitana se reúnem em projeto cultural

Bom pra ir Em mês de Semana Farroupilha tem novidade na cidade. Inaugurou recentemente o Pub do Gaúcho em plena Independência. Mais uma opção de lazer com shows nativistas de músicos renomados da região.

Miniempresa Alunos da Unisinos conheceram de perto o trabalho do Programa Miniempresa da Junior Achievement desenvolvido pela Associação Comercial, Industrial e de Serviços de São Leopoldo (Acis-SL). Os alunos das miniempresas Multibag S.A./E (Colégio Concórdia), Reciclarte S.A./E (Escola Caic Madezatti), Dibijú S.A./E (Colégio Divino Mestre), Eco Wallet S.A./E (Escola Polisinos) e Bolseria S.A./E (Colégio Sinodal), aproveitaram o local para divulgar e vender os seus produtos. Quem passou por lá conferiu de perto pulseiras, porta objetos, porta canetas e bolsas ecológicas.


PALLOTTI | COMGPS

PALLOTTI. UMA GRÁFICA GAÚCHA COM SOTAQUE NACIONAL.

Neste 7º Prêmio Gaúcho de Excelência Gráfica da ABIGRAF-RS a Pallotti levou para casa dez troféus.

pallotti@pallotti.com.br www.facebook.com/graficapallotti www.graficapallotti.com.br

GRÁFICA EDITORA

imprimindo inovação Revista Expansão

Setembro/2011

149


ESTÂNCIA vELHA Flávia Rodrigues/Decom-EV/Divulgação

Por Marcos Antonio Kroeff Colunista kroeffecia@ig.com.br

Desfile único para o civismo Os desfiles cívico e farroupilha de Estância Velha serão realizados todos em apenas um cortejo. Com o tema A Educação Fortalecendo Estância Velha Através dos Seus 52 Anos de História, a Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec) prepara para o dia 20 de setembro, a partir das 8h30min, o desfile cívico cultural pela Rua Presidente Lucena (trecho entre as Ruas Hugo Metz e Eça de Queiroz), com a participação de toda a rede de ensino – municipal, estadual e particular. A Brigada Militar, a Guarda Municipal, o Corpo de Bombeiros, as entidades sociais, esportivas e de serviços, os grupos de terceira idade e os Centros de Tradições Gaúchas da cidade também se farão presentes no cortejo. No caso de chuva, o evento é adiado para o dia 24, no mesmo local e hora. De 1º a 8 de setembro, serão realizadas horas cívicas na Praça 1º de Maio, junto ao Fogo Simbólico. Centelhas seram levadas aos bairros para hora cívica nas Escolas Municipais Pedro de Quadros Bittencourt (Rincão dos Ilhéus), Walter Bauermann (Nova Estância) e Anita Garibaldi (Campo Grande).

Desfile Cívico de 2010 no Centro da cidade

Caren Kroeff/Divulgação

Fotos: Divulgação

Moraes Jr., Silveira e Kroeff

Confraria dos fiéis colorados O segundo Jantar das Taças está sendo organizado pelo Consulado Colorado e Confraria dos Fiéis de Estância Velha. A atividade ocorre em 8 de novembro no CTG Serigote. Os colorados estancienses Gilberto Moraes Junior (Giba), Luciano André Rodrigues Kroeff e Paulo Daniel da Silveira estão na organização e recebem apoio dos conselheiros Pedro Affatato e Luis Charles Mentz. Os simpatizantes, na ocasião, poderão confraternizar com alguns atletas e posar junto com os significativos troféus conquistados nos últimos cinco anos, pelo Sport Club Internacional.

Registros:

Os ex-vereadores Ciro Domingos Ferreto e Pedro Nicolau Konzen foram agraciados com o título de Cidadão Estanciense, durante Sessão Solene, na Câmara de Vereadores, em 30 de agosto. A 3ª Expo Estância ocorre de 2 a 6 de novembro. A grande novidade da terceira edição é a temática, que trata da Sustentabilidade. A chegada oficial da chama crioula no CTG Estância do Campo Grande será em 10 de setembro.

150

Revista Expansão

Setembro/2011

O 3º Baile da Primavera ocorre em 24 de setembro, na Sociedade de Canto União, com a animação da banda Show Made in Brazil. O bufê será servido e preparado pela equipe Mais Sabor, sob o comando de Maxmiliano Eccel. No dia 25 de julho, no restaurante Panela de Fogo, o Leo Clube empossou sua nova diretoria, Thiago Vargas recebeu o cargo de presidente de Ariene Fellmann Ferraz.

Beate e Ângela, parceria amplia os serviços

Fisiohaus conta com Pilates A Fisiohaus Clínica de Fisioterapia (Rua Adolfo Mattes, 350) passou a contar com mais um espaço que visa oferecer bem-estar e melhoria da qualidade de vida às pessoas. A fisioterapeuta Beate Dietrich inaugurou seu estúdio de pilates em 22 de julho deste ano e vem complementar os serviços já prestados pela clinica, que atua há 14 anos, em Estância Velha, sob a administração de Ângela Maria Henrich Marmitt.


ENCOSTA DA SERRA

Dois Irmãos | Ivoti | Lindolfo Color | Morro Reuter | Picada Café | Presidente Lucena | Santa Maria do Herval

Por Sandra Hess Jornalista sandrahess2003@yahoo.com.br Foto Dois Irmãos/Divulgação

Em julho, ocorreu o Concerto de Canto Coral da Associação Cultural Cantares, na Sociedade Santa Cecília, em Dois Irmãos. A noite contou com a apresentação do Coro Infanto-Juvenil e Adulto Cantares (foto) com participação especial do Coro Juvenil Adulto de Picada Café

Divulgação

Ivoti ganha academia para terceira idade O Rotary Club e a prefeitura de Ivoti inauguraram, em julho, a Academia da Terceira Idade na Praça Concórdia. Dez equipamentos foram disponibilizados à população para a prática de exercícios, direcionados para a Terceira Idade. O Rotary, em comemoração aos seus 31 anos, doou R$ 16,5 mil na compra dos equipamentos e a prefeitura ficou responsável pelo frete e a instalação. José Carlos Zimmermann e a esposa Líris praticam exercícios no simulador de caminhada, durante o sábado de inauguração.

Reconhecimento A prefeitura de Ivoti foi laureada com o troféu Onda Verde, no 18º Prêmio Expressão de Ecologia, na categoria Turismo e Qualidade de Vida, por meio do Programa Ivoti Cidade das Flores. Trata-se da maior premiação ambiental da Região Sul do País. O evento ocorreu em 5 de agosto, na Fiesc, em Florianópolis, Santa Catarina.

Registros A Secretaria de Educação e Sandra Hess/Divulgação

Cultura de Morro Reuter realiza Cardona, gaúcho que reside em Portugal, se apresenta no programa

Harpa e Canto na Antiga Matriz No dia 11 de setembro, ocorre a 6ª edição do Programa Fim de Tarde na Matriz com o Concerto de Harpa e Canto em homenagem ao aniversário de Dois Irmãos, apresentando o harpista gaúcho Leandro Cardona e a mezzo-soprano Angela Diel, com performance em diversos países como Alemanha e Bélgica. O encontro começa às 18 horas, no Espaço Cultural Antiga Matriz São Miguel, na Avenida São Miguel, com entrada franca. A Associação de Amigos do Patrimônio Histórico e Cultural realiza o evento em parceria com o Departamento de Cultura, com recursos do Fundo Municipal de Cultura.

Zimmermann e Líris

o 6º Concurso de Narrativas As aventuras de uma viagem inesquecível. Aberto para todas as idades e públicos, a atividade é dividida em diferentes categorias. As inscrições encerram no dia 12 de setembro. Mais informações pelo telefone (51) 3569-2458. A Secretaria de Agricultura, Indústria, Comércio e Turismo de Dois Irmãos e a CDL estão mobilizando o comércio para enfeitar a cidade a partir de novembro por meio de árvores que serão ornamentadas de acordo com o ramo de atividade do participante. A ação é preparatória para o Natal dos Anjos.

CDL Dois Irmãos completa 34 anos A Câmara de Dirigentes Lojistas de Dois Irmãos comemorou 34 anos de fundação, em 25 de agosto, quando ocorreu jantar na Sociedade 7 de Setembro para marcar a data e homenagear ex-presidentes e associados jubilados. O primeiro presidente foi o alfaiate Aury Finck, entre 1977 e 1981, e hoje é o comerciante de joias, óculos e relógios Adair Lairson Heilmann. A entidade possui cerca de 160 integrantes e adquiriu área de 4.500 metros quadrados para construção da sede.

O 17º Jantar-baile do Instituto de Educação Ivoti (IEI), em 16 de julho, foi sucesso de público e animação com a Banda Brilho. O sorteio de brindes e o sopão na madrugada arremataram a festa.

Revista Expansão

Setembro/2011

151


CAMPO BOM 5º Festival de Música Sertaneja

Por Juraci Reichert Colunista juraci_tr@yahoo.com.br

Fotos: Divulgação

Dia 3 de setembro, a música sertaneja de raiz tomou conta da cidade. Ocorreu a segunda etapa classificatória do 5º Festival de Música Sertaneja – Trofeu Tangará, no Ginásio da Escola 25 de Julho. Nesta etapa, se classificaram oito duplas, que somadas as sete já selecionadas na primeira etapa, concorrerão na grande final que ocorre em 17 dezembro, no Largo Irmãos Vetter. Como atração especial à classificatória de setembro, a dupla paulista Juliana Andrade e Jucimara (foto), autoras da música Pássaro Sem Ninho, um de seus sucessos mais conhecidos do mundo sertanejo, animaram o público.

Pesquisa resgata a trajetória do calçado

França, Cris, o chef Juchem, Manfro, Lilian e Juchem

Inaugurado espaço de gastronomia

Uma parceria, entre a Fundação Cultural e a Associação Pró-Memória, para comemorar os 50 anos da primeira festa do calçado no município resultou no livro A história do Sapato nos Passos de Campo Bom. O exemplar relata a história do sapato da cidade e tem tiragem de 3 mil exemplares. Ele foi feito por voluntários e custeado por doações. Já está sendo distribuído nas escolas e repartições públicas campo-bonenses. Também estão à venda nas livrarias Giz de Cera, Na Graça, Express Cópias e Livraria Scholl, ao custo de 25 reais. Em 25 de agosto, o presidente da associação, Remy Eloy Schmidt, acompanhado da presidente da fundação, Débora Maria Kehl Trierweiler, estiveram na Revista Expansão, onde entregaram à diretora geral, Ana Maribel Pacheco, um exemplar da obra.

O chef Tomás Juchem (foto) inaugurou, em 4 de agosto, um ambiente especialmente elaborado para colocar em prática sua vasta experiência em gastronomia. O Espaço Buono Cheff, localizado na Avenida Gustavo Vetter, 224, bairro Celeste, oferece cursos de gastronomia e também realiza eventos com sugestão e elaboração de excelentes cardápios assinados pelo chef. Carlos Eduardo França, Cris Manfro, Lilian Mello, Andrei Manfro e Cursio Juchem, dentre muitos convidados, prestigiaram Tomás e puderam conferir a que veio o chef.

Vera Fernandes/Especial

Schmidt, Ana Maribel e Débora

A Moinho Danceteria promove em 11 de outubro, véspera de feriado de Nossa Senhora Aparecida e do Dia das Crianças, a maior e melhor festa à fantasia da região, a Fantasy Party. Presença confirmada d’Os Formigos (foto) e convidados, sorteio de brindes e muita animação com os DJs residentes, que garantirão o sucesso da noite. A promoção também será de benemerência , pois mediante doação de brinquedos, haverá desconto de R$ 5,00 na compra de ingressos antecipados. Os brinquedos arrecadados serão distribuídos à crianças de instituições sociais da cidade.

Seminário de Educação destaca talentos

Joice da Silva/Divulgação

152

Moinho promove festa à fantasia beneficente

Durante o 22º Seminário de Educação, que ocorreu em 28 e 29 de julho, no Teatro Marlise Saueressig do Centro de Educação Integrada (CEI), a Secretaria Municipal de Educação apresentou alguns talentos locais para a plateia. Alunos da Escola de Arte-Educação, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef ) CEI e a Emef Rui Barbosa mostraram que a educação em Campo Bom vai além do quadro negro e dos cadernos. A apresentação do musical Acústico Pop, a Camerata, as canções utilizando a Língua Brasileira dos Sinais e o espetáculo musical O Fantasma da Ópera (foto) foram aplaudidos de pé por pais, professores e funcionário. Parabéns!

Revista Expansão

Setembro/2011


SAPIRANGA Fotos: Divulgação

Por Aline Schneiders Colunista aschneiders@gmail.com

Style Lenita e Associação dos Skatistas doam agasalhos A loja Style Lenita representada por seu proprietário, José Antônio Stroher, e a Associação de Skate de Sapiranga (ASKTS) através de seu presidente, Marlon de Souza, fizeram a doação de agasalhos e mantimentos para a Secretaria Municipal de Assistência Social. Os agasalhos foram arrecadados durante o Dia Mundial do Skate, comemorado em 21 de junho . “Nós, skatistas, sabemos da dificuldade que o rigoroso inverno do sul impõe às pessoas. Portanto, buscamos através desse ato, promover a solidariedade com quem mais necessita”, frisa o presidente da ASKTS. Participaram da entrega o secretário da Assistência Social de Sapiranga, Vilmar Gomes, a primeira-dama Ederlei Anderatta e ainda o diretor de Esportes Olímpicos Radicais do município, Charles Müller.

Gomes, Müller, Souza, Stroher e Ederlei em ato de solidariedade

Escola técnica federal Sapiranga foi confirmada como um dos municípios gaúchos que receberá novas escolas técnicas pelo Programa de Expansão da Rede Federal de Educação Superior Profissional e Tecnológica. Ainda não foram apresentados detalhes como a relação dos cursos que serão ministrados e qual será o investimento do governo para a sua construção. Esta é a segunda grande notícia para a educação da cidade, já que há poucos dias, o Tribunal de Contas do Estado divulgou que o município é o que mais investe em educação infantil. Modelos apresentaram o que estará em alta durante a temporada quente

Mostra de Sapiranga supera expectativas

Pontos turísticos como a Cruz de Jacobina passou por melhorias e ganhou novo acesso garantindo mais segurança

A 4ª Mostra de Sapiranga, que ocorreu de 9 a 11 de agosto, no Parque do Imigrante, confirmou a expectativa ao bater em números, o recorde de comercialização dos produtos das edições anteriores. Foram vendidos 419 mil produtos entre pares de calçados, bolsas e acessórios - um aumento de 34% em relação à edição do ano passado, quando foram comercializados 311 mil pares de calçados. O faturamento foi de R$ 18 milhões. Em três dias de evento, participaram 61 expositores e mais de 500 lojistas nacionais e internacionais. O evento desse ano teve a participação do conceituado designer Fernando Pires, considerado o arquiteto dos pés. Ana Maria Braga, Cláudia Raia e a atriz americana Julianne Moore são algumas das famosas que calçam suas criações. O ponto alto da programação da mostra foi o desfile com as tendências para o verão 2012.

Massas Italiany conquista Destaque Gaúcho 2011 A empresa Massas Italiany, de Sapiranga, comandada pelos irmãos Cléia, Alessandro e Paulo Taschetto, foi a única empresa de massas do Rio Grande do Sul a conquistar o Prêmio Destaque Gaúcho 2011, concedido pelo programa Destaque Gaúcho, que vai ao ar pela Rede Bandeirantes. A empresa atende 70% do Estado e produz cerca de 120 mil quilos por mês. “Foi com grande alegria que recebemos este prêmio e queremos dividir essa conquista com a nossa comunidade”, conta Cléia. Na noite da premiação, estiveram presentes a Miss Brasil 2011 e gaúcha Priscila Machado, a Miss RS 2010 Bruna Jaroceski e o prefeito de Gramado, Nestor Tissot.

Priscila, Taschetto, Tissot, Cléia, Taschetto e Bruna durante entrega da distinção

Revista Expansão

Setembro/2011

153


154

Revista Expans達o

Setembro/2011


PARANHANA

Taquara | Rolante | Igrejinha | Três Coroas | Parobé

Sesi/Divulgação

Por Lidiani Lehnen Colunista lidilehnen@gmail.com

Incríveis mulheres Beira Rio A Beira Rio sempre desenvolveu e criou calçados para mulheres reais. Aquelas que vivem conquistas e desafios diariamente e querem estar lindas, na moda, cheias de charme. Para a campanha primavera-verão 2012, as estrelas são as funcionárias da própria empresa Sheila Rauber e Tassiane Martim (foto). Elas representam o time que trabalha diariamente para produzir os sapatos da marca e a graça e força da mulher brasileira. As jovens fazem com que cada sapato da Beira Rio seja uma homenagem a todas as mulheres.

Figura ilustrativa do projeto que oferecerá literatura e inclusão digital aos parobeenses

Parobé terá Indústria do Conhecimento Cláudio Meneghetti/Divulgação

Em meados de 2012, deve estar aberto à população de Parobé um novo espaço de leitura e inclusão digital. Por meio do Rotary Club de Parobé e da empresa de calçados infantis Bibi, uma parceria, entre a administração municipal e o Serviço Social da Indústria (Sesi), vai garantir uma das unidades do Projeto Indústria do Conhecimento. O espaço será construído em uma área central do município e contará com biblioteca, com mais de dois mil títulos, disponíveis para empréstimo mediante cadastro, e computadores com acesso à Internet.

Alemão Ronaldo no Sarau com Café Marisabel Lehn/Divulgação

Rota do Sapato Foi fundada no início de agosto, a Rota do Sapato, associação sem fins lucrativos que visa fortalecer o potencial turístico das cidades envolvidas. Na diretoria, o prefeito de Igrejinha, Jackson Schmidt, assumiu como vice-presidente, e a prefeita de Parobé, Gilda Kirsch, como secretária. O projeto busca potencializar o turismo local e a preparação dos municípios para grandes eventos futuros, como a Copa de 2014.

Músico agitou a noite e deu charme especial para a comemoração

Alegria, diversão, lazer, cultura, história e música da melhor qualidade. Assim foi a comemoração de aniversário de oito anos do Sarau com Café, que teve a participação especial do músico Alemão Ronaldo. Os organizadores Roseli Santos, Anna Amélia Fleck, Ilana Lehn Fernandes, Chico Paz e Adolfo Silva apostaram em uma proposta de atividade cultural, envolvendo música e poesia e hoje levam o Vale do Paranhana para diversos lugares, participando de eventos em vários municípios do Estado.

Revista Expansão

Setembro/2011

155


NOVA PETRÓPOLIS Por Fabiane Sehnem Fotos: Marco Dieter/Divulgação

Autoridades acompanharam cônsul em visita ao Parque Aldeia do Imigrante

Cônsul alemão elogia a preservação da cultura “Os senhores deveriam ir à Alemanha para mostrar como se faz para preservar a nossa cultura germânica.” Essa foi a frase do cônsul geral da Alemanha no Rio Grande do Sul, Hans Josef Over (foto ao lado), durante visita oficial a cidade, em 10 de agosto. Hans, do alto da experiência de ter trabalhado em vários países, ressaltou que foi no Rio Grande do Sul que se sentiu melhor acolhido. Sobre Nova Petrópolis, destacou que é uma cidade dinâmica e feliz. Além disso, desejou que o intercâmbio com a Alemanha continue, fomentando a preservação dos costumes e o crescimento da cidade. O prefeito Luiz Irineu Schenkel lembrou da importante influência econômica dos alemães no desenvolvimento e citou a Cooperativa Piá, implementada pelo governo alemão, como um exemplo disso.

Divulgação

Dentro das comemorações de seus 25 anos de fundação, a Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis (Acinp) inova e lança quatro promoções de aniversário para associados e novos sócios, distribuindo vantagens, facilidades e muitos prêmios. As ações são Novo Sócio é Isento da 1ª Mensalidade, Quem Indica Premiado É, Sócio que Participa Transforma R$ 25,00 em Cupom e Sócio que é Sócio Merece Prêmios. A entidade irá sortear celulares, máquinas fotográficas, pen drives, entre outros prêmios. Os quatro sorteios serão realizados em 2012 e as datas e locais ainda não foram definidos. Regulamento e detalhes pelo site www. acinp.com.br.

156

Revista Expansão

Setembro/2011

Lançada oficialmente o Frühlingsfest Nova Petrópolis prepara uma festa digna do seu título de Jardim da Serra Gaúcha com o relançamento do Frühlingsfest, o Festival da Primavera. O evento que já acontecia na cidade na década de 90, agora ressurge para estimular a comunidade a fazer da cidade um jardim em qualquer época do ano. De 7 a 16 de outubro, visitantes poderão conferir o que há de melhor na área de flores e paisagismo, atividades que tanto eram valorizadas pelos imigrantes alemães que colonizaram a cidade. Durante os dez dias do evento, a Rua Coberta, o Parque Aldeia do Imigrante e o Centro de Eventos serão palco de exposições, vendas de flores e serviços de paisagismo, workshops, concurso de fotografia e de jardins, visitação a jardins urbanos e rurais, gastronomia com flores comestíveis e apresentações culturais.

Bate-papo com o Turismo dá voz à comunidade Em 11 de agosto, o Fundo de Turismo de Nova Petrópolis realizou nova ação para integrar empresários do município e comunidade às suas ações: o Bate Papo com o Turismo. O encontro foi no Restaurante Opa’s e reuniu cerca de 12 pessoas em quase duas horas de discussão informal sobre os rumos do turismo na cidade. O bate-papo teve participação ativa dos presentes e os assuntos abordados foram os mais diversos: o que é e como funciona o Fundo de Turismo, divulgação e promoção da cidade, segurança pública, Copa do Mundo, motivação, qualificação dos setores, ornamentações, meio ambiente e infraestrutura. Ainda foram apresentadas as ações do Fundo de Turismo para este ano e os planejamentos para 2012. A próxima edição será em 15 de setembro, às 19 horas, no mesmo local.

Em nome da diversidade O maior evento cultural de Nova Petrópolis, o Festival do Folclore, deixou saudades. O festival registrou um público superior a 30 mil pessoas e foi marcado pela alegria, beleza do folclore, diferentes culturas e visitantes dos mais variados países e regiões do Brasil, que mostram a sua preservação cultural por meio da dança, música e artesanato. O evento foi realizado em parceria entre a prefeitura, a Associação dos Grupos de Danças Folclóricas Alemãs e a Associação Tannenwald e com o apoio da Organização Internacional de Folclore e Artes Populares (IOV). Financiado pela Lei de Incentivo à Cultura Estadual e Federal, também teve o patrocínio da Dakota, Cooperativa Piá, Empresas Randon, Corsan, Coopershoes e Liquigás.

Fotos: Mauro Stoffel/Divulgação

Acinp lança promoções

Colunista fabiane@evidencyeventos.com.br


VALE DO CAÍ Por Édio Otto Trein Camila Fritzen\Divulgação

Colunista ediotrein@terra.com.br

Show nativista Harmonia, no Vale do Caí, promoverá dia 9 de setembro, show de Porca Veia e Grupo Cordiona, no CTG Recanto Nativo. De acordo com o prefeito Sílvio André Specht (foto), é uma promoção desta entidade e da prefeitura. O início está marcado para às 22 horas e o valor do ingresso é 10 reais por pessoa, os quais poderão ser adquiridos com os membros da Associação dos Estudantes Universitários de Harmonia (AEUH), na prefeitura ou no próprio CTG Recanto Nativo, no centro de Harmonia. Castor BeckerJúnior\Divulgação

As soberanas do evento Camila, Ana Paola e Renata

Kerbfest é lançada em baile no O Imigrante São Vendelino, no Vale do Caí, lançou a 12ª Kerbfest, em 5 de agosto, em um baile realizado no salão O Imigrante, promovido pela prefeitura e o Grupo de Danças Folclóricas Alemãs Sankt Wendel. Na ocasião, foi apresentada à comissão organizadora, presidida por Paulo José Schaefer, e a realeza da 12ª Kerbfest, composta pela rainha Ana Paola Fritzen e princesas Camila Scariot e Renata Cristiane Henkel. Ana saudou o público e falou sobre a criação dos vestidos. Os trajes foram desenhados pela estilista Cláudia Simone Kerber, homenageada da noite. A prefeita Marlí Weissheimer destacou a importância deste evento para o município, que terá exposição comercial e industrial e ocorre em 14, 15, 16, 20, 21, 22 e 23 de outubro, no Pavilhão O Imigrante. Interessados em expor seus produtos e serviços contatar pelo telefone (51) 3639-1122.

Everton Pereira/Divulgação

Rápidas Cafeteria Bistrô é o novo point na Terra da Bergamota (São Sebastião do Caí), desde junho, junto ao Centro de Cultura, no Centro. Café expresso, capuccino, mocaccino, chocolate quente, salgados e doces são algumas das opções. O atendimento é das segundas as sextas-feiras, das 7h30min às 19 horas, e aos sábados pela manhã. Vale a pena conferir essa novidade! O município de Feliz prepara sua 5ª Feira do Livro para os dias 11 a 14 de outubro, no Parque de Eventos, e terá o secretário municipal da Administração, Marcelo Sauthier, como patrono. Ele é o idealizador da feira do livro na cidade. A prefeitura de São Sebastião do Caí, juntamente com a Comissão Organizadora do 2° Acampamento Farroupilha, lançou a Semana Farroupilha 2011 no município, em 16 de agosto, com um jantar no CTG Lauro Rodrigues.

Dias e Steffen (em pé) durante a solenidade de posse

Rotary Clube tem novo conselho diretor O Rotary Clube de Bom Princípio empossou seu novo conselho diretor para 2011 e 2012, em 11 de julho, no CTG Porteira Aberta, de Bom Princípio. Marcelo Barket passou a presidência para Alex Steffen. Na vice-presidência está Dárcio Antônio Schneider; como secretário, Gaspar Rauber; tesoureiro, Oscar Chies, e protocolo, Paulo Roberto Fagan Vieceli. A solenidade contou com a presença do governador distrital José Antônio Dias, sua domadora Meg Dias, companheiros rotarianos e convidados. Este ano, o Rotary Clube completa dez anos de fundação. De acordo com o presidente Steffen, os recursos para este ano estão focados na área cultural e assistencial da comunidade da Terra do Moranguinho.

Revista Expansão

Setembro/2011

157


SANTA CRUZ DO SUL Por Sandro Viana e

Ana C. dos Santos

Four Comunicação assessoria@fourcomunicacao.com.br

Alegria e elegância vão marcar a Oktoberfest Os shows da 27ª Oktoberfest e Feirasul – que ocorre de 5 a 16 de outubro – vão ficar marcados na história dos eventos e da cidade. Depois de muita espera e muitos pedidos, uma das apresentações mais requisitadas pelos visitantes será atendida, em 7 de outubro, às 23 horas. Nesta data, o furacão baiano Ivete Sangalo aterrissa na cidade, diretamente no campo do Estádio Municipal, junto ao Parque da Oktoberfest, para fazer a “Festa” no show que integra a turnê Madison Square Garden. Para completar as atrações desta edição, sobem ao palco do Ginásio Poliesportivo a Banda Restart (dia 9), Michel Teló (dia 11), Exaltasamba (dia 13) e Charlie Brown Jr. (dia 15).

Além de Ivete Sangalo, Exaltasamba e Restart são atrações da festa

Fotos: Divulgação

Em agosto, foram apresentados os trajes oficiais das soberanas da 27ª Oktoberfest e Feirasul, a rainha Emily Dockhorn e as princesas Paula Fengler e Bruna Jeanine Molz. Os vestidos, em tons de lilás e branco, desenhados e confeccionados pela Casa da Noiva, de Ivone Tolotti, fazem recordar os contos de fadas. A criação dos modelos é alusiva ao tema da Festa da Alegria deste ano, Contando Histórias: Era Uma Vez... Em visita à sede da Expansão, (foto) em agosto, a corte falou dos preparativos para a grande festa. O vice-presidente Ênio Wermuth; a rainha Emily Dockhorn; a princesa Bruna Molz, e o casal de divulgação do evento Valéria e Zeno Assmann, foram recebidos pelo diretor da Revista Expansão, Sérgio Jost.

Ler é uma arte! Na noite de 16 de agosto, na Casa das Artes Regina Simonis, foi lançada oficialmente a 24ª Feira do Livro. O evento, que ocorre de 27 de agosto a 4 de setembro, na Praça Getúlio Vargas, e traz o tema Ler é Uma Arte. O patrono foi Thiago de Mello e a escritora homenageada Moina Fairon Rech. A programação envolveu diversas atividades como exposição fotográfica, apresentações teatrais, shows musicais, lançamentos de obras, encontros com autores, oficinas de desenho e entre outras. Lauri Pretzel/Divulgação

Grupos comemoram Jubileu O Centro Cultural 25 de Julho e a Sociedade Cultural e Folclórica Oktobertanz, principais entidades de preservação da cultura e do folclore alemão, comemoraram com belíssimas festas seus 25 anos. O 25 de Julho festejou o Jubileu de Prata em 23 de julho, com um jantar baile na sede social do Esporte Clube Avenida. Mais de 700 pessoas prestigiaram o evento. Já o Oktobertanz comemorou a data em 6 de agosto, com um grande evento em Linha Santa Cruz. Na ocasião, animada pela Super Banda Choppão, mais de 30 grupos de dança do Estado se fizeram presentes.

158

Revista Expansão

Sérgio Jost/Especial

Trajes de contos de fadas

Setembro/2011

Cultura e benemerência Receitas Requintadas Para Causas Nobres é o título do livro (foto) lançado pela Liga Feminina de Combate ao Câncer, em mais um projeto audacioso para viabilizar a busca da entidade por recursos para manutenção. A publicação, que apresenta receitas de 25 cozinheiros profissionais e amadores, custa 60 reais e tem sua renda revertida para os projetos da entidade. A Liga realizou seu tradicional Jantar dos Cozinheiros, em 6 de agosto, com a participação de parte dos chefs que integram o livro. Neste ano, o evento recebeu o reconhecimento de Destaque em Ação Comunitária, do Rotary Club Oeste.


Revista Expans達o

Setembro/2011

159


Shopping Expansão

Cinto de segurança salva vidas

Shopping Expansão

VENHA FAZER A SUA PROPOSTA!

www.comauto-vw.com.br

160

Revista Expansão

Setembro/2011

f: (51)

3883 0000

Estr. Maurício Cardoso, 2400 - Montenegro-RS seg. a sab. das 7h45 às 11h45 e 13h30 às 18h


Shopping Expans達o Shopping Expans達o

Revista Expans達o

Setembro/2011

161


A solidão é o preço que temos de pagar por termos nascido neste período moderno, tão cheio de liberdade, de independência e do nosso próprio egoísmo. (Soseki Natsume)

162

Revista Expansão

Setembro/2011

Vitória Fischer Schilling/Divulgação | Registro de um turista no topo do Rockefeller Center com o Empire State Building ao fundo, em Nova Iorque (EUA), durante julho de 2011.

EM CENA


Plantão no local aos sábados

das 10h às 17h

Piscina térmica

Estar do salão de festas com lareira

Garagem com piso cerâmico e forro rebaixado

Sala de estar, jantar, lareira e churrasqueira

Salão de festas com espaço gourmet

Quiosque e piscina aquecida

A PARTIR DE R$

326 MIL

Referente ao apartamento 401 – Boxes 09 e 10

AGENDE UMA VISITA

Revista Expansão

Setembro/2011

163


Revista Expans達o

Setembro/2011

164

Expansão 142  

Revista Expansão Setembro/2011 1 Av. Dr. Maurício Cardoso, 1776 // Novo Hamburgo/RS Fone/Fax 51 3066.7989 // www.mosmann.com.br Revista Expa...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you