Issuu on Google+

Revista Expans達o

Dezembro/2011

1


No mergulho na piscina,

a sensação de paz e tranquilidade.

Rua Joaquim Pedro Soares, 560/1001 // Novo Hamburgo/RS Fone/Fax 51 3066.7988 // www.mosmann.com.br

2

Revista Expansão

Dezembro/2011

Av. Dr. Maurício Cardoso, 1776 // Novo Hamburgo/RS Fone/Fax 51 3066.7989 // www.mosmann.com.br


Singular como seus sonhos Revista Expans達o

Dezembro/2011

3


Programação 4/12 - (domingo)

19h30 - Espetáculo teatral Show da Herta

20h30

Show com Os Formigos

7/12 - (quarta-feira)

20h - Espetáculo com a Escola

de Dança Maria Bailarina

21h - Espetáculo Teatral Natal da Herta

8/12 - (quinta-feira)

20h - Grande Coro da Rede

1/12 - (quinta-feira)

19h30 - Show com Mauro Harff 20h30 - Show com Orquestra de Sopros de Picada Café

2/12 - (sexta-feira)

Municipal de Ensino e Grupo de Professores Sopro Novo 21h - Espetáculo de Dança ‘‘Em busca da Fábrica Encantada’’

9/12 - (sexta-feira) 20h Show Andanças com Renato Borghetti

20h

Show com Tchê Guri - 20 anos

3/12 - (sábado)

Das 10h às 13h - Natal na Praça 20h30 Show com Chico César

4

Revista Expansão

Dezembro/2011

10/12 - (sábado) Das 10h às 13h - Natal na Praça 18h

Festão de Natal Shows com San Marino, GDO do Forró e Lucas & Felipe

21h30 - Desfile de Natal no Centro


Dezembro 11/12 - (domingo)

18/12 - (domingo) 20h

20h30

Show com o Grupo Delicatessen

Show regional gaúcho com Shana Müller

21h - Desfile de Natal no

21h30 - Desfile de Natal no Bairro

14/12 - (quarta-feira)

20h30 - Espetáculo de Dança

Bairro Santo Afonso

20h30 - Natal in Country com show de Kid Cegonha & Banda Crazy Country

15/12 - (quinta-feira)

Canudos

20/12 - (terça-feira)

Uma Noite Surpreendente de Natal

21/12 - (quarta-feira)

19h30 - Coral Municipal Infanto Juvenil

20h - Espetáculo musical

20h30

21h - Espetáculo teatral

22/12 - (quinta-feira)

‘‘Brincando de Natal’’ Teatro Luz & Cena ‘‘Natal na Colônia’’ Curto Arte

16/12 - (sexta-feira)

19h30 - Coral Cantalomba 20h30

Show com Délcio Tavares

Espetáculo teatral ‘‘A missão do Filho de Deus’’ Teatro Luz & Cena

20h30

Show com Cristina Sorrentino

23/12 - (sexta-feira)

20h - Festa Legal da 88.7 Banda Festerê

21h - Show com Tchê Garotos

24/12 - (sábado) 17/12 - (sábado)

10h30 às 14h - Natal na Praça 20h

Show com Oswaldo Montenegro

21h30 - Desfile de Natal no Centro

Das 10h às 13h - Natal na Praça

30/12 - (sexta-feira)

19h - Musical Champion 20h30

PréReveillon com Banda Dublê

Revista Expansão

Dezembro/2011

5


ÍNDICE NA CAPA 30 Nossa Capa Studio Mix, uma mistura de moda, atitude e estilo

CIDADES

18

Especial Natal Personalidades entrevistadas e sugestões de decorações de mesas

24 Entrevista Cesar Paim fala sobre a ética e a moral no mercado publicitário

34 Reportagem Especial

142 144 148 150 151 152 153 155 156 157 158

Cidades Porto Alegre - Edith Auler e Letícia de Souza São Leopoldo - Letícia de Oliveira Estância Velha - Marcos Antonio Kroeff Encosta da Serra - Sandra Hess Campo Bom - Juraci Reichert Sapiranga - Aline Schneiders Paranhana - Lidiani Lehnen Nova Petrópolis - Fabiane Sehnem Vale do Caí - Édio Otto Trein Santa Cruz do Sul - Ana C. dos Santos e Sandro Viana

8 10 12 14 54 56 70 74 80 94 95 102 110 114 120 124 126 128 130 132 134 136 138 140 162

Carta ao Leitor Cartas Frases De Brasília - Edgar Lisboa Sapatos & Cia No Provador - Silvana Homrich Estilo & Atitude - Maggda Rammé Mombach Zita Pereira Flash Multimídia Lado B da Publicidade Shows & Espetáculos Golfe Classic - Luis Carlos Baumgarten Casa & Estilo - Jaqueline Fischer Zapelini Empresas & Produtos Crônica - Osvino Toillier Comportamento - Cris Manfro Pensando Bem - César A. C. da Silva Vida Segura - Adriano Fleck Sobre Nós e Outras Coisas - César A. Pessin Cada Vez Melhor - Daniel Müller Assuntos Notariais - Lauro de Assis Barreto Departamento Jurídico - Adalberto Alexandre Snel Informe Tributário - Paulo Nicolau Justen Em Cena

O que é e como vem sendo tratada a síndrome da alienação parental

42 Sustentabilidade Construções sustentáveis ganham cada vez mais a simpatia em geral

50 Conexão Expansão Paulo Gregoraci, da WMcCann, destaca o poder do consumidor

58 Educação A Robótica estimula o aprendizado e pode definir futuro profissional

64 Vida & Saúde Qual a diferença entre a prótese masculina e a feminina

66 Esporte Mobilização em prol das Apaes reúne deputados federais, senador e amigos

68 Estética & Beleza Os cuidados necessários para a remoção de pelos a laser

82 Confraria Zoka Neves é a primeira mulher a cozinhar no evento gastronômico

86 Hobby Apaixonados por cervejas mostram o que fazem em suas horas de lazer

90 Entretenimento Universo Alegria leva 50 mil pessoas ao delírio sertanejo em Esteio

98 Dança Maria Pia Finócchio fala sobre os rumos da dança no Brasil

Rosângela Prusch se inspira no ambiente para criar a obra de arte

109 Empreendedor Tinta&Cor completa 20 anos em 2012 e amplia o segmento

112 Tudo pelo Social Projeto de combate ao trabalho infanto-juvenil nas lavouras de tabaco

117 Conceito A comodidade dos mobiliados da Goldsztein Cyrela

6

Revista Expansão

Dezembro/2011

Divulgação

100 Arte

SEÇÕES


Não são necessárias reservas.

Av. Dr. Maurício Cardoso, 1810 - Novo Hamburgo Fone: (51) 3066.0232

Experiência Gastronômica Revista Expansão

Dezembro/2011

7


carta AO LEITOR

Mostre

o seu

É

final de ano, é momento de reflexão, é hora de pensar em tudo que se ganhou e se perdeu, é hora de se fazer um balanço, de se pensar nas coisas boas e nas faltas praticadas, além das omissões que se cometeram e as maldades permitidas, achando que não temos nossa parcela de responsabilidade naquilo que vemos em nossa frente. Por isso, neste momento de Natal, de fim e começo de ano, é hora da renovação, de uma vida regrada de amor e equilíbrio, de valorização. E para termos isso é preciso que o primeiro passo seja dado por nós para que os outros percebam o valor que nós temos. Por isso, ame-se para mostrar o seu valor e ser feliz. E é nesta linha que a Revista Expansão segue produzindo suas reportagens, editorias e projetos especiais, com a pretensão apenas de fazer você sentir-se bem, sentir-se feliz, sentir-se valorizado. A equipe de reportagem, comercial, administrativa, fotográfica e de colaboradores se empenha a cada mês para que a leitura seja sempre gostosa e o projeto gráfico seja gratificante aos olhos. Neste raciocínio, a Nossa Capa deste mês ousa com modelos em hair, make up e looks, produzidos pelos proprietários do Studio Mix, Clau Eloi e Ismael Vargas, que definem o empreendimento como um mix de moda, atitude e estilo. Como resultado do trabalho deles, refinado e vanguardista, a capa é única e traz tendências em moda e beleza, onde eles mostram o seu valor e o seu talento. E talento é o que não vai faltar para o projeto Conexão Expansão, que teve a sua 1ª edição em novembro deste ano, com o publicitário e vicechairmann e COO da WMcCann, Paulo Gregoraci. Na editoria Conexão Expansão, ele aborda sobre Mídia e Futuro para cerca de 250 pessoas em Novo Hamburgo (RS) e destaca o valor de uma grande ideia publicitária. Com a parceria da ESPM e apoio de demais veículos e empresas, o Conexão Expansão ocorre a cada três meses e vai mostrar o valor

8

Revista Expansão

Dezembro/2011

valor

que tem a informação correta, no momento certo e a sua utilização na hora correta. O mesmo acontece com a série especial Sustentabilidade, que aborda o tema construção civil e o valor que o material usado, para e posteriormente, tem para cada representante na sociedade. Tentar mostrar esse valor para a sociedade e fazer com que muitos comprem essa ideia é uma dificuldade muito grande, mesmo que se tenha o conhecimento, ou a informação sobre o assunto. Acontece que a maioria das pessoas ignora os fatos. Enquanto outras já “arregaçam as mangas”. Como acontece com a Educação, no seu caráter em geral, as escolas particulares são consideradas as melhores por terem mais condições financeiras de aplicar investimentos, tanto tecnológicos, quanto mais saudáveis; enquanto a maioria dos educandários estaduais e municipais está em situação precária ou básica de manutenção, onde não há um computador, em plena era da Internet, para a direção escolar. Na editoria Educação, finalizando a série de quatro reportagens especiais, levanta-se a questão de muitos terem condições e opções de quererem ou não aprender mais sobre inovação tecnológica na área da robótica, enquanto outros não têm nem computador para usar em sala de aula ou em casa. Daí questiona-se como essas crianças terão a chance de mostrar o seu valor perante um mundo que as discriminam inconscientemente. Se conseguires responder positivamente a esta pergunta é porque você deu o primeiro passo, e também está valorizando essas crianças por meio de projetos sociais ou especiais. Um feliz Natal e próspero ano-novo para você e toda a família.

Secretária de Redação

NOSSA CAPA

Capa: Clau Eloi e Ismael Vargas (Studio Mix) e modelos Rodrigo Klein, Diandra Severo, Tatiane Kessler, Kellyn Klein e Karen Eloi | Foto: Fábio Winter (51) 3594-1400 - www.fabiowinter.com.br | Direção de Fotografia: Graziela Dannenhauer e Marcelo Foletto - Revista Expansão | Direção de Arte: Alexandre Bitello | Make up: Carol Machado | Hair: Equipe Studio Mix


@bourbonshopping

www.facebook.com/bourbonshopping www.bourbonshopping.com.br

Cada um tem o seu.

Revista Expans達o

Dezembro/2011

9


cartas

expediente Execução Editorial

Conexão Expansão Amigos da Revista Expansão, parabéns pelo projeto e iniciativa do Conexão Expansão. Abriram com chave de ouro, ter como palestrante o publicitário Paulo Gregoraci foi show. Um profissional que sempre admirei e admiro muito e que tem uma grande experiência, cases de sucesso, além de fazer a diferença no mercado publicitário. Conteúdo, relevante, motivador e instigador. Agradeço a oportunidade, o convite e sucesso para vocês! Maria Helena Fleck Executiva de Atendimento da Ativa Multicanal Novo Hamburgo (RS) Prezados Sérgio, Ana, Marcelo e equipe Expansão: queremos parabenizá-los pela iniciativa do evento Conexão Expansão. Uma ideia muito criativa e que promove a Revista Expansão e a educação da nossa comunidade. Estava tudo muito bem organizado, com estilo e qualidade. Excelente! Que venham as próximas! Parabéns pela ideia, pela organização, pela iniciativa. Daniel Müller Palestrante motivacional Novo Hamburgo (RS)

Promoção de aniversário Edith Auler, gostaria de deixar as minhas considerações com relação aos prêmios que tive a honra de receber por ter sido a vencedora da promoção da Coluna Poa da Revista Expansão. Fiquei muito contente ao saber que minha foto havia sido a vencedora, pois estou começando a estudar fotografia e esta premiação com certeza será um grande incentivo. Tive o prazer de desfrutar um jantar maravilhoso no Le Monde Villa Lina, ao qual só tenho elogios e que me proporcionou uma experiência gastronômica única. Além disso, recebi duas espumantes Don Giovanni, que dispensa comentários. Enfim, só tenho a agradecer à Revista Expansão, ao Restaurante Villa Lina e à Cantina Don Giovanni pela premiação e parabenizar todos vocês pela iniciativa. Morgana Secco Bancária Porto Alegre (RS)

Meu prezado amigo Sérgio Luiz Jost, dos bons tempos de Santa Cruz do Sul (RS). Hoje estou fazendo algo, que já deveria ter feito há várias semanas, quando recebi, através de meu amigo João Paiva, um exemplar da Revista Expansão. Esta oferta nos causou uma dupla satisfação. Primeiro, por ficar sabendo notícias do amigo e, em segundo lugar, por tomar conhecimento de que está bem profissionalmente. Meus sinceros cumprimentos, apreciei muito essa publicação, é uma revista da melhor qualidade técnica, pela variedade e importância das matérias abordadas, pelo alto nível gráfico, enfim, comprovando aquilo que nós pudemos sentir durante a nossa convivência no Jornal Riovale, você é um profissional de alto gabarito, empreendedor e com larga visão jornalística e comercial. Só nos resta desejar que continue tendo sucesso neste empreendimento. Abraços. Ademar Campos Bindé Jornalista Ijuí (RS)

Colaboradores

Colecionador de canetas O e-mail rolfnelci@sinos.net da matéria do colecionador de canetas de Novo Hamburgo Rolf Schneider foi publicado com hifenização, na edição 144, do mês de novembro. E o correto é o email sem o hífen. Interessados em doar canetas também podem contatar pelo telefone (51) 9999-4366.

Errata Diferente do publicado na editoria Multimídia, da página 84, da edição 144, do mês de novembro, da Revista Expansão, o cargo profissional correto de Daiana Borba é gerente de marketing.

10

Revista Expansão

Dezembro/2011

Diretora Geral Ana Maribel Pacheco ana@revistaexpansao.com.br

Conselho Consultivo Ana Maribel Pacheco, Marcelo Foletto, Sérgio Luiz Jost e Zita Pereira

Diretor Comercial Sérgio Luiz Jost sergio@revistaexpansao.com.br

Auxiliares Administrativos Ana Cristina Pires cristina@revistaexpansao.com.br e Diogo Rodrigo de Oliveira

Gerente de Projetos Especiais Marcelo Foletto marcelo@revistaexpansao.com.br

Atendimento ao Cliente Karina da Silva atendimento@revistaexpansao.com.br

Gerente de Circulação Jucelene da Silva jucelene@revistaexpansao.com.br

Coordenadora de Redação Aline de Melo Pires - MTb 15.462 aline@revistaexpansao.com.br Secretária de Redação Graziela Dannenhauer - MTb 12.338 graziela@revistaexpansao.com.br Vera Fernandes - MTb 10.394 reporter@revistaexpansao.com.br Editor de Arte Alexandre Bitello alexandre@revistaexpansao.com.br

Dos bons tempos

Parabéns ao amigo Sérgio Jost e sua esposa Ana Maribel Pacheco pela bela Revista Expansão. Uma leitura agradável, com seus artigos, que atraem seus leitores. Gostei do arranjo visual, ela tem informação para todas as áreas e isto eleva ainda mais o seu padrão. Trasmitam meus cumprimentos para todos os seus colaboradores por este trabalho que enaltece a comunidade. Abraços. Mery Conceição Dreher Assessora administrativa da Afix Corretora de Seguros Novo Hamburgo (RS)

Rua Quintino Bocaiuva, 99 - Centro Novo Hamburgo - RS - CEP 93510-270 Fones: (51) 3065-6380, 3036-6380 ou 3036-6381 revistaexpansao@revistaexpansao.com.br www.revistaexpansao.com.br

Fotografia Fábio Winter Fotografia contato@fabiowinter.com.br Redação redacao@revistaexpansao.com.br Colaboradores - Adriano Fleck, Aline Schneiders, Ana Cristina dos Santos, César A. Pessin, César Silva, Cris Manfro, Daniel Müller, Édio Trein, Edith Auler, Edgar Lisboa, Estevão Trentz, Fabiane Sehnem, Flávio Bueno Fischer, Jaqueline Zapelini, Juraci Reichert, Letícia de Oliveira, Letícia Souza, Lidiani Lehnen, Luis Carlos Baumgarten, Maggda Mombach, Marcos Kroeff, Osvino Toillier, Sandra Hess, Sandro Viana, Silvana Homrich e Zita Pereira

Porto Alegre Representante: Starter Soluções em Mídia, Rua Quintino Bocaiúva, 554, Conjunto 501. Bairro Moinhos de Vento Telefone (51) 3021.7103 Sucursal: Edith Auler revistaexpansaopoa@hotmail.com Telefone (51) 3028-8590 Circulação circulacao@revistaexpansao.com.br Assinaturas assinaturas@revistaexpansao.com.br Comercial comercial@revistaexpansao.com.br Vendas vendas@revistaexpansao.com.br Impressão Gráfica e Editora Pallotti Cidades de Circulação Grande Porto Alegre, Vale do Sinos, Vale do Paranhana, Região das Hortênsias, Vale do Caí e Vale do Rio Pardo Encontre a Expansão nas bancas de Bom Princípio, Campo Bom, Canela, Dois Irmãos, Estância Velha, Feliz, Gramado, Ivoti, Montenegro, Morro Reuter, Nova Petrópolis, Novo Hamburgo, Picada Café, Portão, Porto Alegre, Santa Cruz do Sul, São Leopoldo, São Sebastião do Caí, Sapiranga e Taquara

Os artigos assinados não representam, necessariamente, o pensamento da revista. Não é permitida a reprodução parcial ou total dos artigos publicados na revista sem prévia autorização do editor.


Revista Expans達o

Dezembro/2011

11


Frases

Perto da Narcisa, eu sou uma santa.

Val Marchiori, sobre a socialite Narcisa Tamborindeguy, no site Uol, com quem contracenou nas gravações do reality show Mulheres Ricas, que estreia na Band, em janeiro de 2012.

O segundo filme de O Poderoso Chefão foi um erro. Francis Ford Coppola, cineasta, autor da trilogia sobre a máfia italiana, no site do Uol.

O André Marques é muito mais magro ao vivo. A câmera engorda três quilos. São cinco câmeras, então, dá uma diferença. Jô Soares, alfinetando Marques, publicado no site Uol, após exibir um vídeo com o apresentador.

12

Revista Expansão

Dezembro/2011

Esse negócio de parar de fumar e não engordar dá trabalho. Fernanda Paes Leme, atriz, em entrevista ao Uol, que está tentando largar o vício.


Revista Expans達o

Dezembro/2011

13


DE BRASÍLIA Por Edgar Lisboa Jornalista edgarlisboa@uol.com.br www.egdarlisboa.com.br

balanço 

Sem reforma ministerial em janeiro O líder de governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vacarezza (PT-SP), fez um balanço positivo do governo Dilma Rousseff, defendeu o ministro do Trabalho Carlos Lupi e afirmou que não haverá reforma ministerial em janeiro. Disse que Fernando Haddad deveria sair logo, pois será o candidato do PT à prefeitura de São Paulo. Vacarezza acha que o governo deva continuar com o que o presidente Lula começou e criticou o governo tucano. Ele disse que o PSDB não tinha projeto para transformar o Brasil em uma potência mundial. O líder de governo ainda destacou que se depender dele o PT terá aliança com o PSD, de Kassab. Revelou que o PT, em seu último Congresso Nacional  aprovou possibilidades de alianças amplas. Ele também anunciou que já convidou o líder do PSD, Guilherme Campos, para participar das reuniões de segunda-feira, ao meio-dia, junto com o governo, mas que o líder não aceitou o convite. Vacarezza ainda diverge do senador Pedro Simon (PMDB-RS) de que a omissão do Congresso Nacional faça com que o Supremo Tribunal Federal intervenha nos assuntos do Legislativo. Acha que a Câmara votou projetos importantes este ano como a Lei Geral da Copa, o Código Florestal, os Tablets, o trem bala e a inclusão digital. Ele acentuou que quando o PT assumiu o governo, o Brasil estava quebrado, com uma inflação chegando aos 12% e a moeda valendo 25% de um dólar. O parlamentar petista acrescentou que nunca houve promessa de aprovar a PEC 330 que trata dos salários dos policiais. É um assunto que deve ser tratado com os governadores, são funcionários dos Estados.

sucateamento 

Forças Armadas O Palácio do Planalto examina com preocupação os investimentos das forças armadas. Pela primeira vez, um documento  sigiloso sobre a real situação da defesa nacional foi encaminhado à presidente Dilma e mostra o sucateamento dos equipamentos das três forças. Com essa realidade, mesmo as pretensões do Brasil de conquistar uma cadeira permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas vão para o espaço. O deputado Henrique Fontana (PT-RS), titular da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, argumenta que “é uma política do governo aumentar o uso de produtos nacionais na defesa, mas admite certo abandono”. O professor de Políticas Públicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e doutorando da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Vitelio Brustolin, acha que o mais grave é que o equipamento de defesa hoje é importado.

agilidade

Caixa ajudará municípios A Caixa Econômica Federal inaugura, em Novo Hamburgo (RS), no próximo dia 21, representação da Gerência de Desenvolvimento Urbano (Redur). A notícia foi comemorada pelo deputado Renato Molling (PP-RS). Atualmente, todos os projetos de obras nos municípios dos Vales do Sinos, Paranhana, Caí e Taquari passam por uma análise técnica da Gerência de Desenvolvimento Urbano-Engenharia (Gidur), em Porto Alegre (RS). “Era uma reivindicação antiga da região. Já fui prefeito e sei da importância da boa aplicação do dinheiro público. As obras nos municípios poderão ser executadas com mais rapidez”, disse Molling.

14

Revista Expansão

Dezembro/2011

MULHERES 

No comando

No Brasil, a presidente Dilma Roussef comanda, com pulso firme, um ministério difícil e  um congresso com uma base aliada rebelde. Em meio às denúncias contra seus ministros, ela não esconde  a sujeira em baixo do tapete, não manda recado e com coragem, muda logo quem tem que mudar. Com isso, o País conquista uma posição de destaque no cenário político e também econômico mundial. Ela fecha o ano com um balanço positivo, com o Brasil ocupando um novo lugar na geopolítica internacional. É a sétima potência com expectativas de passar a Inglaterra e transformar-se na sexta potência mundial. Tudo isso, segundo lideranças do governo, sem romper com os Estados Unidos, mas sem ser aquela nação que era apenas área de influência norte-americana como em outros governos, comemoram os parlamentares governistas.

No exterior

legislação 

Em defesa dos animais A pretensão da primeira-dama de Porto Alegre, Regina Becker, de uma legislação mais rígida, em defesa dos animais, no Congresso Nacional, deve ficar para o próximo ano. Ela prepara detalhado planejamento de ação em apoio aos parlamentares que atuam na defesa dos animais já para o primeiro trimestre de 2012.

recursos 

Bacia do Rio Uruguai Uma proposta de emenda constitucional que prevê a destinação de recursos ao Fundo de Desenvolvimento da Bacia do Rio Uruguai foi apresentada pelo deputado Osmar Terra (PMDB-RS). Caso a medida seja aprovada, 373 municípios do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina serão beneficiados.

Já nos Estados Unidos, no comando da diplomacia norte-americana, a ex-primeiradama Hillary Rodham Clinton mudou a política externa e trouxe outra realidade às relações internacionais, com dinamismo e habilidades diplomáticas. Na Argentina, Cristina Kirchner foi reeleita presidente, em 23 de outubro, e venceu em primeiro turno, assumindo o segundo mandato por mais quatro anos, em 10 de dezembro. Depois de uma crise, dá a volta por cima e chega a quase 60% de aceitação dos argentinos. Angela Merkel, na Alemanha, é outra liderança forte nos destinos econômicos da União Européia e dos Estados que a integram. Desde as crises financeiras e econômicas de 2008, ela apresentou uma proposta de maior rigidez  para o Fundo de Resgate Europeu: financeira, fiscal e social.

No tradicionalismo E a capacidade feminina vem derrubando tabus em todos os aspectos. Que pena que os “machistas” não se deram conta antes da força da mulher. Certamente, viveríamos em países bem melhores hoje. Temos que falar também na mudança da cultura do Rio Grande do Sul, onde pela primeira vez na história, uma mulher assume como patroa do CTG 35, Centro de Tradições Gaúchas, cargo sempre ocupado por homens e símbolo do machismo gaúcho. A façanha é da professora de história, Márcia Borges da Silva que também é integrante da Brigada Militar. São os novos tempos.


Novo Iogurte Probiótico com pedaços de fruta. Descubra também os sabores Pêssego e Mirtilo.

www.piaessence.com.br Revista Expansão

Dezembro/2011

15


16

Revista Expans達o

Dezembro/2011


Revista Expans達o

Dezembro/2011

17


Especial de Natal

Desejos

natalin s

Por Marcelo Foletto

A Revista Expansão convidou, no mês em que completa 12 anos de aniversário, 12 personalidades, para falarem o que pensam sobre a data religiosa

Tânia Meinerz/Divulgação

As perguntas 1 - O que eu mais gosto no Natal? 2 - O que significa o Natal para mim? 3 - Qual o melhor presente de Natal que se pode ganhar? 4- Se você fosse Papai Noel, o que mudaria no mundo? 5 - A quem você daria o melhor presente de Natal neste ano?

Daniel Santoro Presidente da Associação dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil (ADVB/RS)

1- É a época que as pessoas mostram o melhor de si, como amor, compaixão e solidariedade. 2- Reflexão e renovação. É um momento de pensarmos em como estamos vivendo e, a partir daí, nos renovarmos, escolhendo o que queremos conservar e o que queremos mudar. 3-A saúde é sempre o melhor presente que podemos ganhar. Com saúde física, mental, emocional e espiritual, podemos lutar pelos nossos sonhos. 4- Mudaria a intolerância com o diferente. O ser humano tem uma grande capacidade de amar, de realizar gestos comoventes, de total desprendimento, mas, ao mesmo tempo, tem dificuldade de lidar com as diferenças, de aceitar o outro com suas opiniões, suas crenças, seu jeito, o que gera sofrimento, e, nas últimas consequências, as guerras que vemos espalhadas pelo mundo. Aceitar o outro, mesmo que as escolhas deles sejam diferentes das nossas. 5- Valéria, minha esposa e parceira de todos os momentos.

18

Revista Expansão

Dezembro/2011

Carlos Konrat Diretor da Opus Promoções

1- Natal é uma data mágica que propõe reavaliações e mudanças. O fato de poder reunir a família e amigos queridos, que, muitas vezes, não temos a oportunidade de estar em contato com a frequência que gostaríamos, é sempre muito importante. 2- Natal é um momento de muita reflexão. Avalio com cuidado tudo o que passou, acho fundamental um balanço, uma revisão dos passos dados, e planejo ações para o novo ano que se inicia. Nosso trabalho na Opus Promoções é contínuo, estamos sempre produzindo, pensando em como fazer ainda mais e melhor. Nosso compromisso é com o público que frequenta os teatros que administramos, que nos prestigia a cada novo show que ocorre nas cidades em que atuamos. Neste período do ano, as pessoas ficam ainda mais emotivas e próximas e é com este espírito que tento manter minhas equipes motivadas para os nossos novos desafios.

3- A saúde de quem se ama e a paz de espírito são dois presentes fundamentais na vida de qualquer um. Peço estas duas coisas, é tudo que sempre desejo. 4- Como todo pai que sempre quer o melhor para o filho – tenho três, um deles ainda pequeno – se fosse Papai Noel ajudaria a todas as crianças, daria um lar digno, uma família unida e formação. Pensar e planejar o futuro são fundamentais. 5- Em primeiro lugar, para minha esposa e filhos, que estão sempre ao meu lado, me dando suporte para enfrentar as adversidades. Desejo também presentear o público com espetáculos e artistas inesquecíveis. Quero continuar promovendo cultura e entretenimento de qualidade.

Lucas Cunha/Opus/Divulgação

E

xistem várias formas, estilos e diferentes concepções acerca do Natal. Um tempo de fraternidade e de renovação de sonhos e esperanças. Para nós, da Revista Expansão, ao completar 12 anos no próximo dia 20, o período também é o momento de reforçar, ao longo de cada edição, o nosso compromisso de ser a revista de variedades do Rio Grande do Sul, respeitando nosso público leitor. De fato, esta experiência do Natal, de amor e união familiar, está presente em todos nós. Foi neste sentido que escolhemos 12 pessoas que representam os anos de trajetória e consolidação da Editora Pacheco, responsável pela publicação da Expansão, e cada um conta o que significa o Natal para si. E se é tempo de renovação, salve Cristo, salve a esperança e os desejos de expandir cada vez mais para um mundo melhor – é a Expansão 12 anos.


1- A família reunida. 2- Um momento especial do ano onde os

Ivo Nesralla

Médico e doutor em cardiologia, e presidente do Instituto de Cardiologia do RS

Patrícia Angeletti

Presidente do Grupo de Mídia do RS

sentimentos afloram com intensidade. 3- Ganhar paz de espírito e oferecer solidariedade. 4- Penso que o Papai Noel deva continuar simbolizando a alegria da solidariedade. Não o vejo como um super herói. Para mudar o mundo é preciso que as pessoas o respeitem. 5- O melhor presente de Natal que posso oferecer é aquele que dou a quem mais necessita. No meu caso, estas pessoas estão na Fundação Semear, na Apae e nas cartinhas do correio.

1- Reunião familiar. 2- Nascimento de Cristo. 3- Carinho dos familiares. 4- Sentimento com o próximo. 5- À Ospa, enfim uma casa nova.

Fábio Winter/Especial

Fábio Winter/Divulgação

Fotos: Divulgação

Fatima Daudt

Presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Estância Velha e Campo Bom (ACI)

1- A alegria e felicidade estampada no rosto de todos. 2- Família. 3- A família reunida. 4- Tanta coisa... 5- Aos meus pais!

Talitha Dietrich Hass Patinadora

Alessandro Souza

1- Toda família reunida. 2- Um tempo de analisar o

Diretor do Curso de Graduação em Publicidade e Propaganda ESPM Sul

Luiz Alves/Agência Senado/Divulgação

que passou, recarregar as energias e compartilhar paz, amor e solidariedade com todos. 3- Ter as pessoas que se gosta ao nosso lado. 4- Acabaria com a fome e a guerra no mundo. Levaria um sorriso para todos. 5- Aos meus pais, que sempre me apoiam em todas as minhas escolhas.

Prefeito de Novo Hamburgo (RS)

Senadora

1- O espírito de fraternidade. 2- Momento de reflexão para a vida e para ações pessoais e da convivência com familiares e amigos.

3- Para uma mãe e um pai é o abraço de um filho; pa-

1- A simbologia do Natal. 2- Família. 3- Saúde. 4- Paz para todo mundo. 5- A toda a minha família e aos meus amigos.

Presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs/Ciergs)

Fábio Winter/Especial

Vice Chairman e COO da WMcCann

Heitor José Müller

1- Espírito de fraternidade, fé, solidariedade e desejos de paz.

2- Momento de reflexão com uma visão mais profunda de humanidade.

3- O abraço dos familiares e amigos. 4- Acabaria com a fome, a violência e as desigualdades. 5- A todos que buscam um mundo mais justo e humano.

Dudu Leal/Divulgação

ra o esposo (a) ou namorado (a), o abraço do amado (a); e também o abraço do amigo de todo as horas. 4- Acabaria com injustiça social, com a corrupção e com a pobreza. 5- A saúde, para enfrentar os desafios de um mandato que me foi concedido por 3,4 milhões de eleitores gaúchos.

1- O Natal era o momento mais mágico da minha infância. Esta lembrança me emociona até hoje. 2- Paz, vida, família, alegria. A generosa ingenuidade da infância. Uma mensagem de que sempre podemos renascer, recomeçar, independente das derrotas e das tristezas que tenhamos enfrentado. 3- Carinho, beijos e abraços. 4- Daria mais sentido humano às pessoas. 5- À minha família e a toda a comunidade de Novo Hamburgo.

Graziela Dannenhauer/Especial

1- Sem dúvida o “espírito” fraternal, que traz contornos mais humanísticos à sociedade. Ou seja, o refinamento/aquecimento das relações humanas independente de campos religiosos é uma das grandezas deste período. 2- A valorização dos relacionamentos, o que deve ser perseguido em todos os dias e todos os  momentos de nossas vidas. 3- Um abraço e um sorriso são fundamentais. Os demais presentes, independente de valores, também são bem-vindos, logicamente. 4- A desigualdade social. Inclusão é minha palavra favorita em economia e mercado. Penso que fraternidade, saúde e segurança são consequências, em geral, da inclusão mercadológica. 5- A ciência/educação como um todo. Quanto mais pensamos, mais chances temos de melhorar nossas vidas.

Ana Amélia Lemos

Paulo Gregoraci

Tarcísio Zimmermann

Leonardo Hoff

Presidente da Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo (RS)

1- O espírito de fraternidade e solidariedade que desperta e a união em família. 2- Um momento de reflexão do ano que passou com o fortalecimento da espiritualidade e qual o verdadeiro significado do nascimento de Cristo. 3- Chegar ao final de ano e contabilizar as conquistas e realizações junto a amigos e familiares. 4- Eu daria mais amor e fraternidade, menos guerra e menos violência. 5- Eu daria a todas as 12 mil pessoas, que dependem do Bolsa Família, em nossa comunidade, um trabalho digno para terem condições de buscar o seu próprio sustento. Revista Expansão

Dezembro/2011

19


Especial de Natal

Mesas

natalinas Por Vera Fernandes e Marcelo Foletto | Fotos: Fábio Winter/Especial

Comlines e Casaria colocam os clientes na roda para decorar as mesas natalinas das lojas, e realizam programação intensa no mês das festas de final de ano

M

ais que pensar em como decorar uma mesa é ter opções. E mais que isso é ver essas opções expostas. Pensando em estimular ainda mais o comércio local, além de garantir uma bela cerimônia natalina, com artigos e objetos de decoração, duas lojas de Novo Hamburgo (RS) – Casaria e Comlines Tramontina – realizaram novamente, com a participação de representantes da sociedade hamburguense, suas promoções de Natal. Na Casaria, seis opções de mesas decorativas para o Natal foram criadas com produtos da loja e elas estarão expostas até a proximidade da data para os interessados e os clientes apreciarem. O mesmo ocorre na Comlines que tem 12 mesas disponíveis também para apreciação. Cada um deu seu toque pessoal e definiu seu tema específico, alguns seguindo tendências, outros apenas intuição, outros sugestões.

Casaria Ao completar dez anos, a Casaria de Novo Hamburgo realiza a 6 ª mostra de Mesas Natalinas Casaria. O evento, que já é tradicional no município a cada ano, procura inovar, sistematizando os produtos da loja para decorar as mesas na grande noite e oferecer opções de decorações para o Natal gaúcho. A mostra foi aberta em 18 de novembro, com um coquetel na loja, situada no BourbonShopping, em que recebeu os criadores das mesas e representantes da comunidade que vieram prestigiar o momento. A exposição segue até 4 de dezembro. Diversas personalidades da comunidade participam ativamente trazendo a criatividade de cada um, somada ao espírito de emoção que torna o Natal ainda mais encantador. “As mesas tornam uma maneira de expressar o que almejamos durante o ano e é claro reforçar os laços de união e fraternidade que envolve as festividades”, reforça a proprietária da Casaria, Vera de Conto. Segundo ela, a tendência deste Natal é usar bastante o azul, sem esquecer do tradicional vermelho. “Apenas quando a ocasião não exige como é no caso de casais que ainda não tem filhos. Porque quando há crianças a decoração precisa ser vermelha para incentivar o pequeno ao espírito natalino”, completa a empresária.

20

Revista Expansão

Dezembro/2011


O ruim de guardar as informações importantes em papel é que quando a gente mais precisa, elas podem estar voando por aí. Finding. Definitivo em gestão documental.

Revista Expansão

Dezembro/2011

21


Especial de Natal

Comlines Tramontina Na Comlines, situada às margens da BR-116, no bairro Vila Rosa, a apresentação ao público foi realizada em 8 de novembro. A solenidade de abertura da visitação ocorreu com a presença de cerca de 150 pessoas, entre decoradores e convidados. De acordo com o diretor da Comlines, Diovano Klein, o projeto Mesas Natalinas é do Programa Arte e Cozinha, apresentado por Heda Seffrin, no canal 20, da NET Novo Hamburgo, em parceria com a Vídeo Arte Produções. Na Comlines, o Mesas Natalinas integra um projeto maior, o Brilho de Natal, este de iniciativa da Comlines. “É o primeiro Natal da loja na casa nova, e o espaço permite este tipo de projeto, por isso a programação natalina será intensa”, explica Klein. No dia 8, além das mesas decoradas, que foram apresentadas, em um coquetel, também ocorreu o acendimento das luzes de 600 metros de mangueira luminosa que revestiu o tronco da figueira, que integra o jardim da Comlines. Com a iluminação natalina, uma apresentação cultural completou a programação da noite. Em dezembro, segundo Klein, a programação de Natal deve ficar ainda mais intensa, com um momento ecumênico, apresentações artísticas e eventos gastronômicos. Os interessados em participar das ações deverão se inscrever para receber os convites pelo e-mail comlines@comlines.com.br.

22

Revista Expansão

Dezembro/2011


Revista Expans達o

Dezembro/2011

23


ENTREVISTA

A ética e o valor na visão de

Paim Por Graziela Dannenhauer e Marcelo Foletto | Fotos: Graziela Dannenhauer/Especial

Em uma sociedade, em constante transformação, valores como a ética e moral se tornam indispensáveis para o desenvolvimento do mercado e, em especial, ao meio publicitário e dos veículos de comunicação. O que é certo ou errado neste mundo? Como é ser ético no Brasil, um País em franco desenvolvimento econômico, com inúmeras leis que engessam o crescimento? Estas reflexões são mais instigantes quando depara-se com um olhar crítico ao mercado publicitário. E para se chegar ao sucesso, não basta apenas ter ideias criativas, é preciso ter como lei a ética e a moral, valores primordiais para o crescimento como um todo.

À

frente da Paim Comunicação, de Porto Alegre (RS), uma das agências de propaganda mais respeitadas do Sul do Brasil, o presidente Cesar Augusto Ferreira Paim, concedeu entrevista exclusiva à Revista Expansão, sobre ética e valor. Em uma manhã de sol, fomos surpreendidos com a própria personificação deo modelo ético de pessoa que aplica o princípio em seu cotidiano. Paim, como gosta de ser chamado, acumula prêmios como publicitário do ano promovido pela Associação Riograndense de Propaganda (ARP), no Salão da Propaganda, entre outros ao longo de sua carreira. Mais do que um homem de negócios, ele participa ativamente como membro da Federação Nacional das Agências de Propaganda (Fenapro), como diretor de assuntos técnicos, além de membro da Diretoria Executiva e do Conselho de Ética do Conselho Executivo das Normas Padrão (Cenp). Comportamento do indivíduo Ética e moral são princípios distintos e que muitas pessoas confundem. São termos tão antigos que os mais célebres filósofos como Platão e Aristóteles, já haviam tido conotações a respeito. A ética está diretamente relacionada ao padrão de comportamento do indivíduo, dos profissionais e também do político. O ser humano elaborou leis pa-

24

Revista Expansão

Dezembro/2011

ra orientar seu comportamento frente às necessidades (direitos e obrigações) e em relação ao meio social. Como é citado por Aristóteles, “ter ética não é uma condição possível, mas o ser ético. A diferença entre ser e ter determina a existência da ética na educação”. De acordo com Aristóteles, a ética então é a própria essência humana, a educação não se ocupa apenas de um conceito fragmentário do homem, mas do desenvolvimento de todas as suas capacidades físicas, morais e intelectuais. Complexidade E o que é percebido por Paim, é que hoje, de maneira geral, na sociedade, como um todo, é que se fala muito pouco sobre a ética. Portanto, para ele, as pessoas não refletem sobre o assunto, elas também não são estimuladas a pensá-lo. “E isso, é um ciclo de retroalimentação porque se a gente falar pouco sobre ética, pensar pouco sobre ela, irá normalmente praticá-la menos.” O publicitário explica que isso acontece porque o tema é complexo e, na maioria das vezes, ele não está claro para pessoas em função de que elas não pararam para refletir a respeito dele. “E muitas vezes, vão mudando até o seu padrão de conduta e aceitando as coisas absolutamente como naturais e normais, quando na verdade, elas não as deveriam aceitá-las e se questionar, se tais atitudes, princípios e conceitos, que estão aplicando em sua vida, são absolutamente naturais e normais”, lamenta.


Cesar Augusto Ferreira Paim

Revista Expans達o

Dezembro/2011

25


ENTREVISTA Como mudar este paradigma? O que a sociedade como um todo precisa é falar e pensar constantemente sobre a ética para poder melhorar o padrão médio das condutas. As pessoas confundem ética, moral e lei e o que é legal e o que não é legal. As coisas não estão diretamente relacionadas. Esta afirmação faz um questionamento de que um país, que possui bastante legislação, seria um país bastante preocupado com a ética. Isso não é verdade. No caso especificamente brasileiro, temos milhões de leis e que, em sua maioria, não são respeitadas e cumpridas. Se olharmos para algumas sociedades, mercados e países mais evoluídos podemos verificar um número menor de leis, começando pela própria constituição, onde efetivamente se praticam valores e conduta ética acima da média. O padrão ético tem a ver com o desenvolvimento da sociedade como um todo. As sociedades intelectualmente e socialmente mais desenvolvidas tendem a discutir e refletir mais a respeito da ética.

Cesar Augusto Ferreira Paim

portamento das pessoas, melhorando o padrão ético pela consciência, pelo acesso a informação, tida principalmente pela Internet, como inclusão social; d) A consciência do consumidor em função das mudanças na hora de comprar; está mais exigente e amparado pelas leis e por órgãos como o Procon, e) E a preocupação de empresas com o cliente e consumidor no que tange a oferta e demanda de produtos. E como ficam as empresas diante deste cenário? As empresas, a partir dessa conjuntura de rupturas ao longo dos anos, de revolução de comunicação e de comportamento do consumidor, foram obrigadas, por uma questão de necessidade, a rever seus negócios, suas estratégias, inclusive, as de comunicação, para atender ao consumidor. Não é somente uma propaganda bonitinha que vai impactá-lo. Há, por trás, um conjunto de ações e métricas que devem ser pensadas. E é, neste contexto, que as empresas começaram a acelerar a concorrência em função da disponibilidade de produtos e substitutos existentes no mercado e pela capacidade e direito de escolha do consumidor.

Como se da a conduta da ética na publicidade brasileira? Por ser a publicidade uma atividade que lida com a comunicação, tende a estar mais exposta. A tendência é estar mais suscetível ao erro e alguns questionamentos. Se olharmos na essência, a ética é Qual o papel dos órgãos de defesa do consumidor existenum conjunto de valores e princípios e podem verificar que a publicites em função da ética? dade esta preocupada com o bemPromover a defesa, a fiscalizaestar das pessoas e da sociedade ção de uma boa conduta de emprecomo um todo. E, se olharmos nessas e sua relação com os consumite aspecto, a publicidade está em dores, garantindo, assim, um padrão constante questionamento das pesde ética para produtos e serviços. soas, e em muitos casos, é tida como Não é somente uma vilã em determinados momentos. propaganda bonitinha Existe algum aspecto, de Mas, na verdade, ela acaba tendo que vai impactá-lo. Há, maneira geral, que lhe preocupa um papel relevante para o desenpor de trás, um conjunto diante desta evolução ética? volvimento das sociedades, em esSim, existe, um exemplo pecial a do Brasil, com diversas code ações e métricas que disso, é quando nos deparamos, notações, sendo uma delas como devem ser pensadas junto ao Congresso Nacional, com papel educativo. Por exemplo, no inúmeros processos que tramitam Estado do Nordeste, ela ajudava a por lá. Algo em torno de mais de usar as escovas de dente por meio 300 projetos em andamento, que de uma propaganda. A publicidade cerceiam a liberdade de expressão e comercial. E algumas coisas dita regras, melhora o comportamento das pessoas e contribui para já até passaram neste sentido. E isso para mim, não é um avanço, a geração do emprego e para manter uma sociedade mais livre. E a é um retrocesso. Porque são algumas pessoas que se acham acihistória nos permite avalizar tudo isso. A presença dela na vida das ma da sociedade, como um todo, com o direito de poder fazer alpessoas, como um objeto educativo, regulador, contribuindo para guns julgamentos que estão completamente equivocadas. Na meuma imprensa isenta e livre, pois se não tivesse a publicidade não dida em que existe este crescimento de alicerçamento de liberdaexistiria este modelo de imprensa livre. Ela é também provocativa de é um grande retrocesso. Quando comecei a trabalhar com pue estimula determinados comportamentos das pessoas e corroboblicidade, há mais de 30 anos, vivíamos neste País uma censura de ra para a massificação social. De forma geral, por assumir estas inúimprensa e de publicidade. A gente não colocava no ar comerciais meras funções, evidentemente, há distorções, há erros de conduta, a serem veiculados sem possuir o carimbo da censura. E o que a como em qualquer outra atividade, que precisa estar atenta a seus gente ganhou com isso? Absolutamente nada. Só andamos para erros e corrigí-los; e contrapondo-se a isso, a uma sociedade mais traz. Uma sociedade evoluída e com opções de escolhas terá uma consciente que cobra de maneira mais efetiva por soluções dentro capacidade maior de julgar as coisas e não precisa deste alicerçado padrão de conduta aceitável como ético. mento, desta falta de proteção do Estado. Pode citar alguns exemplos de conduta ética em que a puPode citar um exemplo atual de publicidade que fora veiblicidade colaborou na história brasileira? culado e que houve algum tipo de censura? Sim, vou elencar alguns aspectos que estão relacionados a uma O caso recente da publicidade é o comercial da Gisele nova visão sobre a ética em todas as atividades: Bündchen, para a marca Hope, onde se faz um comercial de roupa a) No governo Collor, em que as pessoas saíram às ruas e pediíntima e que teve a intervenção. A Secretaria de Políticas para as ram a saída dele. Ele foi um exemplo de ruptura de processos na hisMulheres (SPM), da Presidência da República, enviou um ofício ao tória da política, fazendo com que as pessoas mudassem o seu comConselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) portamento de visão sobre a ética, tendo o direito de escolha; pedindo a suspensão do vídeo, por acreditar estar indo contra aos b) O acesso a telefonia celular às diversas camadas da população bons costumes. Mas, na história da propaganda existem inúmeros hoje é uma realidade, pois na década de 80, era tida como uma dificulcasos de intervenção que podemos relatar, mas também existem dade de conseguir uma linha telefônica, pela questão governamental por outro lado, pessoas oportunistas para criticar tais trabalhos, vie de privatização das empresas de telefonia da época; sando a exposição junto as mídias. c) A revolução dos meios de comunicação, refletindo no com-

26

Revista Expansão

Dezembro/2011


Revista Expans達o

Dezembro/2011

27


ENTREVISTA Uma sociedade evoluída e com opções de escolhas terá uma capacidade maior de julgar as coisas e não precisa deste alicerçamento, desta falta de proteção do Estado Em relação ao parar e pensar a ética, existe muitos profissionais que escolhem a publicidade como meio profissional sem ter feito uma faculdade. Qual a sua opinião a respeito disso? Eu acredito que não seja uma faculdade de comunicação que fará o profissional ser ético ou não na sua conduta. Mas o curso, independente de formação, o fará pensar a respeito. A comunicação é uma atividade empiríca, recente, que evoluiu com o conhecimento, com erros e acertos. E mais recentemente, de alguns anos para cá, se valer de outras áreas: como o Direito, a Psicologia, a Sociologia, a Arquitetura, a Administração, entre tantas outras, visando agregar mais cientificidade à sua área. A conduta na atividade não era ética por desconhecimento ou por falta de conhecimento. No momento, a comunicação busca o conhecimento na neurociência, visando comprovar e derrubar teses e aperfeiçoando novos conhecimentos. É o que chamamos de neuromarketing. De que maneira se para para refletir sobre ética em um mundo contemporâneo? Eu acredito que determinadas coisas da vida e no mundo vão para um lado exagerado e depois as pessoas tendem a buscar o equilíbrio. Se a gente olhar a sociedade como um todo, muitos dos instrumentos que vieram para melhorar a qualidade de vida das pessoas, às vezes, estão se tornando meio que um inferno. Celular, e-mail, computador, entre outros nas quais estamos nos tornando reféns. Precisamos, às vezes, desplugar disso, em determinados momentos e ir em direção a outras coisas. Qual o meio propício para promover a ética? O meio acadêmico é o meio extremamente propício para difundir a ética e as entidades do setor deveriam se preocupar mais a respeito e, principalmente, provocar mais a respeito do tema. E, na minha opinião, o instrumento fantástico para se usar é a Internet, como o meio de propagação, para difundir a ética, na medida que as pessoas tomam consciência de sua existência e acessibilidade. Com a variedade de mídias existentes como se dá o processo de conduta ética na Internet e nas redes sociais? De novo voltamos a consciência da sociedade. Na minha opinião, a Internet o mundo online e offline é o mesmo mundo, são as mesmas pessoas. Porque o comportamento é o mesmo. O que a Internet faz é ampliar e dar uma velocidade a instantanêidade muito maior do que seria. A informação de um minuto atras é considerado uma informação velha. O fato das pessoas falarem mal, copiarem alguma coisa, fofocarem, comentarem, isso já existia; porém, de uma forma mais lenta. E o que é pior é que as pessoas acabaram aceitando isso com naturalidade. É muito comum, a gente ouvir pessoas criticarem sob o ponto de vista ético. Mas, se verificarem, ele mesmo possui softwares pirateados em seu computador, dentro de casa, ou em seu trabalho, e acha isso é normal. Ah! Custa caro e por isso eu. Percebemos que as pessoas com um certo nível acadêmico, com condições financeiras, acabam por comprar ou piratear jogos de computadores e adquirirem coisas sem nota. Sonegação de impostos é outro exemplo. E isso é ético? Não, porque a pessoa tem consciência de que não é, mas acaba por não fazê-lo de forma correta. Claro, que existem pessoas que possuem um caráter errado e que, mesmo sabendo que isso é incorreto, acabam por praticar determinada ação de forma ilegal. A sociedade precisa repudiar isso, não aceitando.

28

Revista Expansão

Dezembro/2011

Cesar Augusto Ferreira Paim

O que pode ser feito para mudar este contexto? Precisamos mudar, e a Internet pode proporcionar isso. Hoje se discute muito o papel social das empresas, e a ética é um dos pressupostos, e, a medida que essa geração nova possui o conhecimento necessário, consegue cobrar de maneira mais efetiva a conduta ética. Não é estar preocupado com as questões do Planeta que estou sendo ético. As empresas precisam praticar e desenvolver o marketing social e os resultados a partir de sua aplicabilidade, serem reconhecidos pela sociedade. De uma forma geral, o processo de mudança em prol da ética e da boa conduta deve acontecer de forma coletiva e não como uma ação individual. O Rio Grande do Sul pode ser considerado um Estado que pratica uma publicidade com ética? Se olharmos sob o ponto de vista da relação do anunciante com o consumidor final, sim, eu acho que o mercado de uma maneira geral está evoluindo. E muito mais em função da preocupação da competitividade, da concorrência; e o poder de escolha do consumidor que permitiu mudar o ambiente. De que forma os publicitários, ao desenvolverem campanhas, tendem a criar mensagens dentro de padrões éticos? O que eventualmente levamos em consideração é o aspecto cultural. Porque em qualquer região, estado ou país, os padrões éticos devem prevalecer. Também outro fator levado em consideração, é o aspecto da moral e a religiosidade que em alguns casos, deve ser respeitados. O que é considerado moral ou não, em um determinado país, não necessariamente é em outro. Qual o papel das entidades e orgãos reguladores da ética como Conar, Procon, entre outras, em função da ética e da boa conduta? Na minha opinião, estas entidades têm um papel fundamental para exercer um padrão ético e de boa conduta. O Conar é um excelente exemplo e possui mais de 30 anos. Claro, que existem aspectos complexos a serem discutidos e que precisam evoluir, aspectos que podem coibir e inibir eventuais abusos de alguns agentes e empresas. Mas é o setor que conhece, efetivamente, como um todo e tem o papel de exercer uma vigilância de uma ação governamental ilegal. O Conar é considerado, até fora do Brasil, uma referência. E o Procon segue a mesma importância. Uma coisa é cliente e outra é consumidor. A ética deve ser a mesma aplicada para estas duas figuras? Sim, ela deve prevalecer nestes dois campos; pois é a mesma. Qual empresa que pode ser considerada um exemplo de conduta e de ética no Brasil? É muito difícil dizer isso, mas existem algumas que caminham para isso. Porém, é mais fácil dizer as que não são. Até porque é muito difícil analisarmos todos os aspectos inerentes à ética, dentro da conjuntura de negócios, e isso vai depender do setor, ramo de atividade e os fatores inerentes a cada um deles.

Não é estar preocupado com as questões do Planeta que estou sendo ético. As empresas precisam praticar e desenvolver o marketing social e os resultados a partir de sua aplicabilidade, serem reconhecidos pela sociedade


Revista Expans達o

Dezembro/2011

29


NOSSA CAPA

D

esde a badalada inauguração em 23 de setembro deste ano, quando abriu as portas de sua filial em Novo Hamburgo (RS), os profissionais do Studio Mix têm feito a cabeça de muitos hamburguenses e moradores da região do Vale do Sinos. De acordo com o empresário Clau Eloi, trata-se de uma proposta totalmente inovadora. “Em um mesmo ambiente, se concentra o salão, a loja e um café! Tudo no Studio Mix é arrojado e inédito”, explica. A matriz em Sapiranga (RS), onde tudo começou há oito anos, foi o primeiro espaço a unir secadores e araras. Hoje, as lojas de roupas Becca Multimarcas, além de estar nos salões de beleza, também se encontram nos Centros de Sapiranga e Campo Bom (RS), com seus empreendimentos próprios. Mas, segundo Eloi, o Studio Mix de Novo Hamburgo, o novo empreendimento, é o que mais impressiona. A sala tem pé direito altíssimo, com 800 metros quadrados e se distribui em três níveis, com dois mezaninos. No primeiro, está o salão. No segundo nível, está a Becca Multimarcas feminina e masculina, com peças que vão do jeans, da Iódice, a vestidos de festa glamourosos, de Carlos Miele. Na Becca, há peças super exclusivas da Animale, e as consagradas etiquetas cariocas: Sacada, Cantão, Espaço Fashion. E a ala masculina com Redley, Mandi e Squad e as famosas Lacoste Live, Calvin Klein e Forum. “Para os que não abrem mão das marcas conceituadíssimas”, afirma o empresário.

Um conceito

inovador Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Fábio Winter/Divulgação

Empresário é vanguardista na arte de lançar tendências

30

Revista Expansão

Dezembro/2011


O Mix Café No terceiro e último nível, ficam as salas de estética, com uma especial para O dia da Noiva. De acordo com Eloi, com décor exclusivo, com flores e uma bela banheira cheia de pétalas de rosas no dia em questão. Neste último, ainda encontra-se o Mix Café, que serve delícias de bistrô, desde folhados com saladas a sobremesas, como o Parfait, com calda de frutas vermelhas. “Todos os pratos levam a assinatura da chef Catiani Arteiro. Há vários tipos de cafés e bebidinhas, inclusive champagne francês. O lounge é o espaço ideal para um almoço, ou uma animada happy hour, já que música boa não pára de tocar nunca no salão”, frisa o empresário.

O idealizador E toda esta vanguarda foi idealizada pelo empresário, personalidade no mundo da moda, estilista de formação e trendsetter nato. Mesmo antes de se formar na Universidade de Caxias do Sul, Eloi já causava frisson e atraía os holofotes da mídia local e nacional por suas criações nada convencionais. “Desde a época da faculdade, eu já polemizava e lançava tendências, mas com muita competência e credibilidade. Sem estar formado minhas atitudes já foram motivo de entrevistas para jornais locais e nacionais.” Referindo-se ao seu período de graduação no Curso de Moda. Ele credita os anos passados fora do País ao desenvolvimento de seu talento visionário. Retornando ao Brasil, buscou formação acadêmica em Caxias do Sul e o resultado não poderia ser outro: Eloi chocou os colegas e professores já no seu desfile de formatura. “Eu adoro desenhar e criar peças únicas. Lembro-me quando quiseram me entrevistar, depois do desfile de formatura, em que coloquei modelos que se despiam de roupas confeccionadas em papel e ficavam apenas com um CD como tapa sexo, que eu não tinha atelier para mostrar aos repórteres onde fazia os desenhos. Eu os fazia no meu quarto, sobre a cama. Não interessava o local, mas o criar, inventar, ousar.”

Em Novo Hamburgo, o Studio conta com uma sala com três níveis, que acolhe o salão, a Becca Multimarcas e o Mix Café, que podem ser conferidos em cada foto desta página

Revista Expansão

Dezembro/2011

31


NOSSA CAPA O surgimento do salão O local veio, mas em forma de salão. A arte e a criatividade se deram através de cabelos e makes ousados. Os sonhos do estilista começaram a tomar forma a partir da sociedade entre ele e Ismael Vargas em 2004. De acordo com o empresário, Vargas é um consagrado cabelereiro, responsável pelo salão de Novo Hamburgo, e possui um mailing de clientes fiéis. “A equipe de profissionais é altamente qualificada, coleciona prêmios em seu portifólio, por seus desempenhos em concursos nacionais. O que torna o salão ainda mais diferenciado”, destaca o vanguardista. Os profissionais estão em constante atualização, especializando-se com novas técnicas por meio de cursos, viagens e muito treinamento. “O que vale também para todos os atendentes das lojas, que são consultores de moda, e estão sempre buscando informação para se aperfeiçoar”, complementa. Acima, o Studio Mix em Sapiranga. Abaixo, a estrutura interna e a fachada da Becca em Campo Bom

Clean, imponente e moderno Conforme o vanguardista, quem entra no Studio Mix sente a diferença na atmosfera; sente-se parte de algo novo, pela decoração clean, porém moderna e imponente. “Sente que o glamour pode estar associado a linhas simples, cores neutras. O diferencial está em poder relaxar, se produzir, se vestir e ainda ser atendido com atenção e dedicação. Porque ainda que glamouroso, a diferença também é percebida nas pessoas simples e preparadas. Velhos ingredientes que somados a inovação resultam em uma receita de sucesso”, conclui o visionário.

32

Revista Expansão

Dezembro/2011


Studio Mix Sapiranga (RS)

Campo Bom (RS) Becca Multimarcas Avenida Brasil, 3.255, Centro

Studio Mix Becca Multimarcas Rua Tiradentes, 388, Centro

(51) 3559-1112/ 9992-4666 Becca Multimarcas Avenida 20 de Setembro, 3.748, sala 11, Edifício Sulina, Centro

(51) 3559-1111

(51) 3038-1120

Novo Hamburgo (RS) Studio Mix Becca Multimarcas e Mix Café Rua Mariano de Mattos, 124, sala 1, Centro

(51) 3556-1110 | (51) 3556-1116 www.salaostudiomix.com.br Revista Expansão

Dezembro/2011

33


Reportagem Especial

Por Vera Fernandes

Os olhos de juristas e especialistas se voltam cada vez mais para a proteção da integridade dos filhos de pais separados

Entre duas É

na guerra das separações entre casais que surge, inspirado no desejo de vingança contra o ex-cônjuge, a alienação parental. De um lado, a mãe. Do outro, o pai. Vítima do ódio e na mira dos dois extremos entre eles está a criança. É quando ela deixa de ser o fruto do amor que um dia existiu, para transformar-se em uma arma poderosa de vingança. A Síndrome da Alienação Parental (SAP) foi assim conceituada pelo psiquiatra americano Richard Gardner, em 1985. Segundo o pesquisador, é uma campanha para denegrir um dos pais, por meio de lavagem cerebral, para que a criança passe a odiá-lo. O assunto ganhou tanta relevância que foi parar na Justiça. Depois de trabalhar em uma série de processos onde havia alegação de que um dos pais dificultava a relação do outro com o filho, a então desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Maria Berenice Dias, resolveu estudar melhor a matéria e chegou à pesquisa de Gardner. Foi ela quem levou o assunto ao meio jurídico, no final da década de 90. Nesta época, já se discutia a alteração do Código Civil, que instituiu, em 2008, a opção da guarda compartilhada, sistema que prevê a responsabilização conjunta e o exercício de direitos e deveres iguais, do pai e da mãe, que não vivem sob o mesmo teto. Com o debate da guarda compartilhada, se intensificou a discussão sobre a SAP e, em 26 de agosto de 2010, o então presidente Luís Inácio Lula da Silva sancionou a lei 12.318, conhecida como Lei da Alienação Parental, que não só conceitua, como exemplifica condutas que a caracterizam, além de rever responsabilização e atribuir condutas jurídicas em caso de denúncia. Mas, o que mudou depois de um ano e quatro meses após sancionada esta lei e como está sua aplicabilidade? Como estão as lutas, os processos, e como estão os pais, avós e jovens que já foram vítimas da alienação parental? Qual é o perfil do alienador e qual o resultado dessa violência para crianças? É o que você vai ver nesta reportagem produzida pela Revista Expansão.

34

Revista Expansão

Dezembro/2011


Estamos tratando do risco de grave prejuízo à formação psíquica de crianças e adolescentes, de dano que pode ser devastador e irreparável.

trincheiras Fotos: Divulgação

A batalha pela aprovação da lei

A proposta que deu origem à Lei da Alienação Parental partiu, voluntariamente, do juiz trabalhista Elízio Luiz Perez (foto), do 2º TRT de São Paulo, que teve apoio de organizações de pais vítimas da SAP e de profissionais como a psicóloga clínica e jurídica de São Paul o Denise Maria Perissini da Silva; e da ex-desembargadora gaúcha Maria Berenice Dias, que foi quem trouxe a discussão das pesquisas de Gardner para o campo jurídico no Brasil. Segundo Perez, foi motivada pela necessidade de proteção à criança e pela indução à maior aplicação da guarda compartilhada. Na avaliação de Perez, ainda é cedo para se ter uma visão panorâmica da aplicação da lei. “O pouco que vi, no entanto, é no melhor sentido. As decisões têm se pautado pela cautela e cuidado com a criança ou adolescente envolvidos, o que, de certa forma, significa que um dos objetivos está sendo alcançado”, revela. Para ele, a matéria gerou debate e isso serviu para chamar a atenção para a gravidade e consequências da alienação. “Há um efeito preventivo, invisível, não-mensurável, e é o melhor que poderia se esperar da lei e dos debates”, avalia. O traço preponderante da lei é educativo, segundo afirma o juiz. “Por isso, a rigor, não é correto que se fale em punições, mas em medidas de proteção, que vão desde a advertência até a suspensão da autoridade parental, essa última para hipóteses gravíssimas”, explica. O objetivo, segundo ele, é que o processo abusivo seja revertido com a medida menos drástica possível. Segundo Perez, a alienação parental, por ser invisível, muitas vezes é ignorada ou tem sua importância reduzida. “Estamos tratando do risco de grave prejuízo à formação psíquica de crianças e adolescentes, de dano que pode ser devastador e irreparável”, finaliza.

Revista Expansão

Dezembro/2011

35


Reportagem Especial

Perez adverte, entretanto, que ainda há muito a avançar. “O Judiciário precisa investir na qualificação de profissionais”, opina o juiz. Ele recomenda avaliação mais profunda, sobretudo em questões mais complexas, do que está previsto na lei, quando detectado indício de alienação. Além do pedido de perícia psicológica ou psicossocial, a norma orienta tramitação prioritária do processo. Mesmo assim, a morosidade é uma das reclamações mais frequentes das vítimas. “Uma coisa é a lei determinar, outra é a justiça conseguir fazer”, considera Maria Berenice, que também é vice-presidente nacional do Instituto Brasileiro de Direito de Família (Ibdfam). Ela concorda que é preciso especialização para agilizar os processos. “Há pouco conhecimento tanto de juízes como de profissionais da área psicossocial. É preciso criar mecanismos para flagrar a realidade com mais eficiência, porque a de- Berenice trouxe a SAP para mora tem um efeito perverso. Não tem outro jeito, discussão no meio jurídico eles vão ter que se preparar”, avalia. De acordo com a advogada e professora de Direito de Família na Universidade Feevale, de Novo Hamburgo (RS), Cláudia Maria Petry de Faria, é necessária uma ação conjunta entre operadores do Direito e da Psicologia e uma formação específica em alienação parental. Ela revela ainda que já é possível ouvir a criança desde a mais tenra idade por meio de um projeto do Tribunal de Justiça intitulado Depoimento sem Dano. Nestes casos, segue Cláudia, a criança fica em uma sala especial, monitorada por uma câmera e com uma psicóloga ou assistente social. Em outra sala fica o juiz, promotor e advogado, que vão fazendo perguntas por esta terceira pessoa, sem que a criança se sinta inquirida. “Novo Hamburgo já usa este procedimento”, afirma. Para a ex-desembargadora Maria Berenice este é um projeto fantástico e sua aplicação, que anteriormente era usada somente para casos de abuso sexual, funciona muito bem também nas demais questões de alienação parental. Para a psicóloga Denise, há a necessidade de especialização de psicólogos em SAP, para fundamentar com precisão os laudos que integram os processos. Ela, que é professora de Psicologia Jurídica aplicada ao Direito de Família pela  Escola Superior de Advocacia (ESA), em Santo Amaro (SP), já publicou obras sobre o tema, como o livro Guarda Compartilhada e Síndrome de Alienação Parental: O Que é Isso?, que está em sua segunda edição.

O reconhecimento da alienação A mestre em Psicologia Social e da Personalidade e professora de Psicologia Jurídica da Universidade Feevale, de Novo Hamburgo, Cynthia Schwarcz Berlim, diz que é importante diferenciar o que é resquício de uma dor frente ao final da união conjugal, de um quadro de alienação parental. “Minha preocupação é que os profissionais, tanto da área da Psicologia quanto do Direito, incluindo os magistrados, possam diferenciar uma verbalização, uma crítica ao ex-cônjuge, de uma ‘lavagem cerebral’ no filho, buscando, em última instância, extinguir da vida emocional da criança a figura ‘completa’ do pai ou da mãe”, afirma. A maior dificuldade para detectar a alienação parental, segundo ela, está nos riscos de se deixar levar pelos conflitos de

36

Revista Expansão

Dezembro/2011

uma dissolução litigiosa. “É reconhecer verdadeiramente as características para o reconhecimento deste quadro tanto no alienador quanto na criança. É necessário um entendimento frente a todo o sistema familiar com seus atores e contextos”, avalia. Mais importante do que o diagnóstico da SAP, segundo ela, é atentar para a forma de organização familiar que se apresenta nestes casos, e identificar, de forma séria e comprometida com a ciência psicológica, os indícios de sofrimento que podem prejudicar o desenvolvimento biopsicossocial das crianças e adolescentes envolvidos nos litígios conjugais, além dos comportamentos das figuras parentais que favoreçam ou prejudiquem este desenvolvimento.

Luiz Fernando Pereira da Rocha/Divulgação

Avanços necessários


Revista Expans達o

Dezembro/2011

37


Reportagem Especial

É em instituições como a Associação Brasileira Criança Feliz (ABCF) e a ONG Pais Por Justiça (PPJ), participantes ativos do processo que culminou na aprovação da Lei da Alienação Parental, que pais que sofrem os efeitos deste mal encontram amparo. A ABCF, fundada em Ivoti (RS) em 2008, é presidida por Sérgio de Moura Rodrigues e teve como primeira bandeira a luta pela guarda compartilhada. Na entidade, são oferecidas orientações básicas, supervisionadas por advogados e psicólogos voluntários. “Também há apoio às vítimas através dos Grupos Vivência, ativos no RS e RJ, e em estudo em outras regiões”, conta. Rodrigues lembra que estatísticas mostram que 80% dos filhos de pais divorciados já sofreram algum tipo de alienação e estima-se que mais de 20 milhões de crianças já sofrem esse tipo de violência no Brasil. “A aprovação da lei tornou-se apenas um novo marco: o início da divulgação da realidade. Antes lutávamos pelo reconhecimento do fato, agora temos o compromisso de divulgá-lo e combatê-lo.”

Vera Fernandes/Especial

A união faz a força

Rodrigues é fundador da ABCF

O presidente do Conselho Fiscal da ABCF e diretor da ONG Pais Por Justiça-RS (PPJ), Augusto Caminha, chegou às entidades depois de ter sofrido uma ação de alienação que ele classificou como “devastadora”. “Resolvi transformar dor e sofrimento em luta, estudei tudo sobre SAP, aspectos jurídicos, psicológicos; por isso, fui convidado para um cargo diretivo na PPJ. Na ABCF, sou um dos sócios-fundadores”, conta. Segundo ele, uma das maiores dificuldades hoje é a aplicabilidade da Lei da Alienação Parental. “Uma lei tem que formar cultura judicial, e por ser nova, poucos operadores do Direito e da Psicologia a entendem”, afirma. A questão da morosidade do judiciário, segundo ele, é a maior reclamação dos pais que procuram a entidade. “A morosidade é aliada, ou melhor, é a arma mais eficaz dos alienadores”, acrescenta.

Divulgação

Abuso sexual inventado

38

Revista Expansão

Dezembro/2011

Entre os atos praticados pelo alienador, um dos considerados mais cruéis é a denúncia de abuso sexual inventado. Conforme Denise, acontecem, em geral, quando se esgotam todas as tentativas anteriores do alienador de impedir mais contatos, sobretudo o pernoite, da criança com o pai. “Há casos em que o pai reivindica mais convivência, até a guarda compartilhada, mas seu pedido é negado porque a mãe denuncia abuso sexual, e quer extinção do poder familiar e até sanções penais”, explica. Ela também afirma que, em alguns momentos a criança passa a acreditar que foi realmente abusada. “Chega mesmo a manifestar sintomas físicos e psicológicos semelhantes aos de uma criança abusada”, descreve. Sobre o assunto, uma obra coletiva, coordenada pela exdesembargadora Maria Berenice, reúne a visão de vários especialistas. Intitulado Incesto e Alienação Parental: Realidades Que a Justiça Insiste em Não Ver, o livro, lançado em 2006, dá um tratamento multidisciplinar para os temas e sua discussão para o Direito, além da conscientização sobre sua incidência e gravidade. A ideia é trazer subsídios para alguns procedimentos delicados, como a inquirição de crianças e a operacionalização das visitas. “É uma obra de referência, a primeira escrita no Brasil sobre o tema”, explica a ex-desembargadora. Para a magistrada, a agilidade no diagnóstico é imprescindível. “É bem mais fácil detectar no início. E, neste caso, o judiciário tem que saber escutar e ser bastante rápido”, argumenta Maria Berenice. “Se o abuso tem um efeito horroroso, se der conta de que não aconteceu é duplamente perverso, e quando a criança se dá conta disso, se sente traída, e sente pena daquele que foi injustiçado”, completa.


VOCÊ JÁ VIU ALGUÉM SE DESTACAR POR SER IGUAL A TODO MUNDO?

CHEGOU Aproveite. Venha na Sinoscar, conheça o Chevrolet CHEVROLET mais vendido do mundo e faça um test drive inesquecível. CRUZE. A CHEVROLET FAZENDO O NOVO, DE NOVO.

Novo Hamburgo: Av. Pedro Adams Filho, 3790 - Fone: (51) 3584.1414 Porto Alegre • São Lopoldo • Dois Irmãos • Esteio • Sapiranga • Montenegro • Canela

www.sinoscar.com.br • Faça revisões em seu veículo regularmente.

Revista Expansão

Dezembro/2011

39


Reportagem Especial

Existem características comuns aos alienadores, mas não há consenso acerca de se ele sabe ou não o que está fazendo. “Há alienadores que, impulsivamente, ‘em cinco minutos’, resolvem ir à delegacia e fazer acusação de abuso sexual contra o outro; outros planejam, guardam documentos, registram, cercam-se de aliados, vão ‘construindo’ e, quando o pai ou mãe alienado percebe, já está enredado na armadilha”, avalia a psicóloga Denise (foto). De acordo com ela, no Brasil, entre 95% a 98% dos casos, a guarda da criança é da mãe, que na maior parte das situações, também é a alienadora. “Por estar mais tempo com os filhos, ter ressentimentos pelo fracasso conjugal, ela mistura raiva e acaba transmitindo-a aos filhos”, explica. É a síndrome de Medéia, continua Denise, que, para se vingar do fato de seu companheiro Jasão ter se casado com outra, esfaqueou os filhos que teve com ele e fugiu. “Comparativamente, o alienador, para atingir moralmente o outro, atinge fisicamente os filhos.” Outras características, segundo ela, são: a necessidade de fazer “papel de vítima” frente aos profissionais que acompanham o caso, frente ao Judiciário e aos amigos; o perfil esquizo-paranoide, quando o alienador faz uma divisão rígida das pessoas em ‘boas’, para as que estão a seu favor, e ‘más’, para as que estão contra ele, colocando-se como perseguido, injustiçado e indefeso; e o perfil psico-

Fotos: Divulgação

Um perfil doentio

pata, com a falta de culpa ou remorso pelos seus atos, ou consideração pelo sofrimento alheio, mesmo dos filhos; e a falta de respeito a leis, sentenças e regras. Denise ressalta também que nem sempre a alienação ocorre somente após a separação do casal. “Os atos de alienação podem ocorrer ainda durante a convivência marital, quando um começa a desqualificar, desmoralizar ou desautorizar o outro na frente dos filhos”, lembra.

Aí passa a sentir ódio pelo alienador por ter sido enganada. Isso pode se expressar por uso de álcool e drogas, dificuldades sexuais - a ‘falsa memória’ de achar que foi molestada -, dificuldades de relacionamentos futuros, e pode até chegar ao suicídio.

O exemplo para vida toda Instigada pelo alienador, conforme Denise, a criança aprende a mentir e expressar emoções falsas, a rejeitar e odiar o pai ou mãe, a manipular sentimentos, a distorcer informações conforme suas próprias conveniências, a não tolerar frustrações e a ser intolerante. “Podem também ocorrer dificuldades de identificação social e sexual. Por exemplo, se a mãe diz ao filho ‘seu pai não presta’ ou ‘todo homem não presta’, quando ele se tornar um homem adulto, o que ele acha que a mãe vai esperar dele?”, questiona. A profissional adverte, entretanto, que no momento em que a criança percebe ou descobre que tudo foi uma farsa, um interesse do alienador, pode sentir culpa e remorso por ter odiado o pai ou a mãe alienado sem motivo. “Aí passa a sentir ódio pelo alienador por ter sido enganada. Isso pode se expressar por uso de álcool e drogas, dificuldades sexuais - a ‘falsa memória’ de achar que foi molestada -, dificuldades de relacionamentos futuros, e pode até chegar ao suicídio”, avalia.

40

Revista Expansão

Dezembro/2011


Divulgação

Cada caso parece o mesmo caso “Nosso filho tinha oito anos, quando nos separamos. No começo, minha ex-mulher provocava brigas e discussões na frente dele, que começou a ficar com medo dela. Nesse período, expliquei o que estava acontecendo e que teríamos de enfrentar aquela realidade juntos. Ele me disse que gostaria de ficar comigo, mas que tinha receio de dizer isso a sua mãe, pois tinha medo que ela batesse nele. Depois da separação, que foi litigiosa, ela começou a tentar comprá-lo com regalias, presentes, agrados, concessões. Marcava festas com colegas de aula ou idas a shoppings para que ele não quisesse ficar comigo nos meus finais de semana de direito. Tudo por causa dos bens móveis, imóveis e pensão. Meu filho demonstra uma duplicidade de personalidade. Quando está comigo, age de uma forma, na presença da mãe, age de outra para não desagradá-la. Meu maior medo é que ele faça parte das estatísticas que mostram os danos irreparáveis que a alienação pode causar. Neste contexto, a Justiça acaba sendo um dos piores entraves na vida de nossos desamparados filhos. Quando foram falar com meu filho, já tinham se passado pelo menos seis meses com a guarda materna. Quando começou a alienação, após o período de férias escolares, fui totalmente isolado do contato com meu filho. Ele disse que nunca mais queria ficar comigo porque a escola estava atrasada por mais de um ano. Só que eu pago pensão, religiosamente em dia, e neste caso a obrigação de pagar a escola é da mãe, que tem a guarda. Passei um ano letivo inteiro indo todos os dias na escola para vê-lo, mas apenas vê-lo, sem poder chegar perto. A pior coisa pela qual passei foi ouvir meu filho, cansado de toda esta situação, dizer que queria morrer se nós nos separássemos. Não existe ex-pai, ex-mãe, e sim ex-marido e ex-mulher. Pai e mãe são para sempre e ambos devem cumprir com seus papéis e suas responsabilidades por terem colocado no mundo os filhos que geraram.” (Canoas/RS) “Temos um neto de cinco anos, que tinha apenas dois quando meu filho se separou da mãe dele, que ficou com a guarda. Ela sempre dificultou nossos encontros com nosso neto, mesmo a contragosto da criança. Diz que ele ‘não tem querer’. Estamos aguardando ele atingir uma idade pouco maior, quando poderá se manifestar perante o juiz e dizer com quem quer permanecer. Nossas expectativas, com relação à Justiça, não são nada boas, pois ela é lenta e burocrática, embora acreditemos que, nestes casos, deveria ser rápida, pois depende da Justiça a felicidade e crescimento emocional da criança. Nos três anos, desde a separação, pouca coisa foi definida. Como a Justiça ainda não determinou os horários de visitação, cumprimos com o estipulado pela mãe da criança, com receio de que ela, a qualquer momento, corte-as com o pretexto de esperar pela decisão judicial. Estamos sempre com uma lança sobre nossas cabeças. Vemos o sofrimento de nosso filho, temos medo de o tempo passar e não conseguir ver nosso neto ser feliz como deveria. Sempre que estivemos juntos e traçamos planos para o futuro, ele nos dizia que quer trabalhar com o papai e conosco. Em seus desenhos sempre nos inclui (vô, vó, papai). Só peço a Deus que ilumine a nossa Justiça brasileira, e, em especial, estes julgadores que têm em mãos casos como o de meu filho.” (Osório/RS) “Tenho uma neta de quase dois anos de idade. A guarda é da mãe, minha ex-nora, com quem meu filho, foi casado por um ano. Quando ela tinha cerca de seis meses, os dois se separaram. Foi feita divisão de bens e ficou acordado que a criança estaria livre para que o pai a visse quando quisesse. No dia seguinte, porém, a mãe entrou com processo de pensão alimentícia e passou a proibi-lo de ver a filha. Finalizado o processo, a juíza estipulou as visitas, em princípio, somente aos domingos. Uma vez por semana, eu ainda podia ir até a casa da avó materna para brincar com ela. Em janeiro deste ano, meu filho se casou novamente e parece que minha ex-nora enlouqueceu. 

Desde então, me proíbe de ter qualquer contato com a menina. Ligo e não me atende, mando e-mail e não responde. Cada vez que eu ia até lá, minha neta ficava chorando e me chamando. Tentei todo tipo de diálogo, mas nada adiantou. Implorei e pedi que estipulasse dias, horas, mas isso não adiantou. Meu marido também sofre muito com isso. Não aguento não poder ver o meu anjinho crescer. Isso doi demais.” (Bom Retiro do Sul/RS) “A separação de meus pais foi no início dos anos 80. Eu tinha dez anos. Embora eu não quisesse morar com meu pai, sentia falta dele. Mas minha mãe não permitia o contato, contava que ele era um homem mau e que não cuidava da família. Ele tentava contato, mas ela não deixava. Era estranho ser filha de pais separados, e eu, às vezes, ficava constrangida de responder quando me perguntavam sobre ele. Minha mãe falava para eu dizer que não tinha pai. No começo, eu concordava, mas depois, ouvindo as histórias dos parentes sobre o relacionamento dos dois, entendi que aquilo não estava certo, eu já tinha uns 14 anos. No começo, deixei de gostar do meu pai, porque achava que minha mãe falava a verdade. O pior foi o período em que acreditei que meu pai não me queria, que não gostava de mim, porque a mãe dizia que por isso ele tinha sumido. Passei a ver a realidade quando comecei a me encontrar com ele em casa de parentes. Ele contou uma história diferente daquela contada pela minha mãe e sempre falava que os problemas deles não tinham nada a ver com os filhos, diferentemente da minha mãe, que misturava tudo numa coisa só.” (São Paulo/SP) ”Eu tinha quase nove anos quando meus pais se separaram. Fiquei morando com meu pai, porque minha mãe dizia que ele tinha mais condições do que ela. Eu achei certo, porque sabia que ela não podia me dar conforto, então estava pensando mais em mim do que nela, embora eu quisesse muito ficar com minha mãe. Eles optaram pela guarda compartilhada, para que eu pudesse ver os dois todos os dias. Isso me ajudou muito, porque me dava opção de ver quem eu quisesse quando eu quisesse, apesar de tudo. Era bem melhor poder escolher do que ser obrigado a ver um ou outro num tempo contado e certo. Mas mesmo assim, foi muito difícil. O pior de tudo era a chantagem emocional. Meu pai dizia que ela era egoísta, chorava na minha frente, dizia que nunca tinha sofrido tanto, e insinuava que ela tinha o traído. Eu não acreditava, porque, minha mãe sempre me falou a verdade, me explicou o motivo pelo qual saiu de casa e tudo mais, então eu confiava só nela. Sei que ela escondeu muita coisa de mim para me proteger. Eu também percebia o sofrimento dela, e sentia culpa por não poder fazer nada para ajudá-la a resolver as coisas. Ele também tentava me comprar, mas eu sempre preferi amor do que dinheiro. Isso para uma criança é bem mais importante (amor), eu me divertia mais com ela, pois sabia que não tinha segundas intenções. Ele também ameaçava ela na minha frente, outras vezes, me proibia de vê-la. Uma vez, foi me levar para passar o final de semana com ela e me puxou para dentro do carro, quando viu que o namorado dela estava lá. Eu implorava para vê-la, e ele me obrigou a ir para casa. Como resultado, tenho hoje uma relação muito frágil com ele, porque sei que ele tentou me usar pra magoá-la e isso ainda está engasgado. Meu pai foi o único culpado por me fazer sofrer e eu sempre soube disso, por isso acho que nossa convivência não é tão amigável. Acho que nunca vou esquecer isso.” (São Leopoldo/RS)

Revista Expansão

Dezembro/2011

41


SUSTENTABILIDADE

Construindo o sustentável idealizar

Por Vera Fernandes

Da matéria-prima ao projeto executado, passando pela pesquisa, as regulamentações e o consumo, a sustentabilidade vai ganhando espaço também na construção civil

P

arede de tijolos ecológicos, pisos de ecomosaicos, telhado verde, lâmpadas de led e energia solar, ventilação natural, refrigeração e calefação sem uso de energia elétrica e paisagismo produtivo são apenas alguns dos itens que estão cada vez mais integrando as planilhas de engenheiros e arquitetos nos projetos da construção civil. E, para mostrar que realmente estão empenhados no propósito, os empreendimentos agora estão se certificando, inclusive os da Copa de 2014. Aliás, nunca se falou tanto em sustentabilidade neste segmento como agora. Na carona e na velocidade do marketing, os setores de construção vão se preparando, os consumidores querendo fazer a sua parte e o Poder Público regulamentando. Mas os passos são lentos, segundo a opinião unânime dos “ecoprofissionais” e “ecopesquisadores”. Lentos demais para a rapidez da destruição causada pela poluição gerada para e pela construção civil.

42

Revista Expansão

Dezembro/2011

Chegamos à quarta edição da série de seis grande reportagens sobre sustentabilidade. Nestas próximas oito páginas, vamos mostrar um novo universo em termos de construção civil - segmento de grande crescimento no País, mas cuja produção dos materiais gera uma grande quantidade de resíduos. Ao mesmo tempo, a ecologia vai sendo integrada às edificações, e as pessoas começam a se adaptar à vida harmoniosa com a natureza. Na via contrária dos poluentes, um grupo cada vez maior de profissionais da arquitetura e engenharia, estudantes, empresas e universidades vão buscando soluções sustentáveis para amenizar esta agressão. E os resultados são surpreendentes.


O setor em movimento  Um dos maiores ponteiros de crescimento e um dos piores vilões do meio ambiente é a construção civil. Quando se fala em desenvolvimento, lá está ela, na ponta do ranking de geração de emprego, consumo de mercado, e, é claro, de poluição, geração de resíduos, consumo de energia. Para o vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Rio Grande do Sul (Sinduscon), engenheiro Rafael Lonzetti (foto), o construtor já está se preparando para erguer edificações mais sustentáveis. O que falta ainda, segundo ele, além de maior apoio do Poder Público, é o despertar dos consumidores para a ecologia e, sobretudo, dos fornecedores, para investir em inovações sustentáveis. Conforme o engenheiro, os clientes da construção civil embora aos poucos, estão procurando as soluções sustentáveis, mas os fornecedores, que têm que ter lá na ponta uma boa demanda para produzir, ainda estão muito devagar. “Para se ter uma ideia, no Brasil, apenas 400 edificações estão buscando a certificação de sustentabilidade”, avalia. Lonzetti sugere que, se o Poder Público incentivar, o processo pode se agilizar. “Se o construtor ganha incentivo para construir um prédio sustentável, passa o benefício para o cliente, que usa como marketing, e aí a prática sustentável se amplia.”

O interesse dos corporativos

Fotos: Divulgação

A preocupação do construtor A dificuldade do descarte dos resíduos é uma das principais preocupações do construtor, junto com o custo do processo. Lonzetti afirma que em função disso se investe muito em inovação. Grandes obras, segundo ele, já têm plano para dar destino final aos resíduos. “O grande problema é que 70% do que é gerado pela construção civil vêm da informalidade, do pequeno gerador, tutelado pela prefeitura. E agora, o volume das obras cresceu muito, para se ter uma ideia, no Rio Grande do Sul, aumenta cerca de 2 milhões de metros cúbicos de resíduos com as obras da Copa. E a estrutura da área de descarte e a fiscalização são as mesmas”, alerta. Lonzetti alega que é preciso investir em tecnologias para reduzir as perdas, reutilizar e reciclar. “Isso é o que as construtoras estão tentando fazer”, argumenta. Esta é, segue o engenheiro, uma das metas do Sinduscon. “Subsidiamos os associados para buscar alternativas por meio de seminários, dispomos de profissionais para práticas de suporte, também cumprimos um papel político, na busca de incentivos tributários, linhas de crédito para buscar inovação tecnológica, entre outros.”

refletir

“A busca pela construção de uma edificação sustentável é maior por empresas”, diz o engenheiro. “Há interesse quando o prédio é corporativo, porque existe uma concepção de ganho, pelo marketing, mas quando se fala em prédio residencial este interesse não desperta”, avalia. Para Lonzetti, a questão é cultural, e só a divulgação incessante da sustentabilidade vai mudar o quadro. “Tanto o construtor, quanto o consumidor, tem que ter uma cultura ecológica. Isso se debate muito nos Sindicatos da Indústria da Construção Civil do Brasil inteiro”, revela. De acordo com o engenheiro, a diferença de custo entre uma construção convencional e uma sustentável pode variar entre 2% a 7%. “Não chega a 10% a mais, tudo depende do equipamento que vai usar. Mas as construtoras estão investindo em redução de energia e outros elementos, só que não buscam a certificação”, alega.

APOIO

Revista Expansão

Dezembro/2011

43


Fotos: Divulgação

SUSTENTABILIDADE

O Leadership in Energy and Environmental Design Para receber o selo Leed, segundo Casado, o empreendimento deve atender requisitos em sete categorias: esEmpreendedores brasileiros já buscam, desde 2007, cerpaço sustentável, que envolve a escolha do terreno e a retificar suas construções sustentáveis. O selo Leadership in Enerdução do efeito ilha de calor, com a aplicação de coberturas gy and Environmental Design (Leed) é concedido pela Green Builclaras ou telhados verdes; uso racional de água, com adoding Council (GBC), uma Organização Não Governamental (ONG) ção de equipamentos inteligentes, visando à redução do que visa fomentar a indústria de construção sustentável no Braconsumo de água, utilização de água não potável, aproveisil, com atuação junto ao governo e à sociedade civil, com capacitamento da água de chuva entre outros; eficiência energétação técnica de profissionais, disseminação de informações, prática, com a redução ao máximo do consumo e também utiticas e conhecimentos e promoção dos processos de certificação. lizando fontes renováveis de energia; qualidade ambiental Conforme o gerente técnico do GBC Brasil, Marcos Casado, o GBC interna, com aproveitamento da luminosidade natural; não Brasil tem um suporte de quase 500 empresas membros, entre elas, Alutilização de compostos orgânicos voláteis (COVs) e renovacoa, Amanco, Cushman&WakeField, JHSF, Rossi Residencial, Walmart, ção e controle da qualidade do ar; materiais e recursos de Petrobrás Distribuidora, Votorantin e Gerdau. Todas apoiam atividades conteúdo reciclável, gestão de resíduos, materiais regionais, da organização por estarem engajadas no mercado da construção suse inovações tecnológicas e créditos regionais. tentável, seja por meio da adoção de práticas de Entre as vantagens de ter green building em suas instalações, ou ofertana certificação, Casado lembrou a O Estádio de Brasília está do materiais e serviços eficientes e responsáveis redução dos custos operacionais do ponto de vista sócio ambiental.  pleiteando a certificação em toda a vida útil da edificação, estimados entre 8% e 9% com Leed Platinum, maior nível economia de água, energia e mado sistema. Se cumprir as nutenção; melhora da qualidade Brasil é o recomendações e conseguir ambiental interna, com o aumenquarto no ranking o selo, o estádio será o mais to da luminosidade, diminuição Em 2007, o selo recebeu o primeiro pedido uso do ar condicionado; redudo de um empreendimento brasileiro, que foi sustentável do mundo. ção dos impactos ambientais; vatambém o primeiro da América Latina. Hoje, o lorização do imóvel entre 10% e País é o quarto no ranking mundial de constru20%, além do reconhecimento ções verdes, com 38 prédios certificados e 384 da organização na aplicação em processo de certificação, atrás apenas dos dos conceitos relacionados à sustentabilidade, que é Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos e China. “Os GBCs estão preum grande diferencial de marketing. sentes em mais de 80 países e o braço brasileiro é um dos mais atuan O custo de construir de forma sustentável, setes e referência pelos avanços conquistados no País. O GBC Brasil é um gundo ele, varia de 2% a 7%. “Mas esse investimento dos 20 membros do World Green Buildind Council, entidade supranainicial mais alto é rapidamente recuperado com a ecocional que regula e incentiva a criação de Conselhos Nacionais”, revela. nomia durante a operação: o consumo de energia é em A maioria dos empreendimentos registrados e certificados são média 30% menor; o consumo de água sofre rede alto padrão. A expectativa do GBC Brasil, conforme o gerente, é fedução de até 50%. Na hora da revenchar o ano com 400 registros e 45 empreendimentos certificados. “Se da, o imóvel tem uma valorização de esses números forem cumpridos, teremos um crescimento de 100% 10% a 20% do seu valor original.” em relação a 2010”, explica o engenheiro.

harmonizar

Em busca da certificação

A Copa Verde Com a proximidade dos eventos esportivos que o Brasil irá sediar, explica Casado, o GBC Brasil sentiu a necessidade de atuar para que os impactos ambientais dessas grandes construções fossem minimizados. “Por isso, a convite do Comitê Olímpico Brasileiro elaborou os critérios de sustentabilidade que guiarão as obras feitas para os Jogos Olímpicos e também está assessorando o BNDES nos processos para certificação dos estádios da Copa de 2014” revela. O gerente informou que nove, dos 12 estádios, que serão sede da Copa, já estão registrados, buscando o selo Leed. A busca de um selo sustentável foi uma exigência do BNDES. “O Estádio de Brasília está pleiteando a certificação Leed Platinum, maior nível do sistema. Se cumprir as recomendações e conseguir o selo, o estádio será o mais sustentável do mundo.”

44

Revista Expansão

Dezembro/2011


Fotos: Divulgação

A casa totalmente sustentável é viável?

Na área de pesquisas em sustentabilidade na construção civil, o Por outro lado, o professor não acredita na possibilidaNúcleo Orientado para Inovação de Edificação (Norie), da Universidade de de uma casa totalmente sustentável. “O máximo que poFederal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), é referência. As pesquisas na unideremos buscar são avanços em direção à sustentabilidade. dade são realizadas há mais de dez anos. O foco são projetos com apliIsso é feito gradualmente. Sempre iremos explorar recursos cação de técnicas sustentáveis especialmente para a implementação de naturais e gerar resíduos nas construções, tanto na fase de habitações populares. Um destes projetos foi feito em Nova Hartz (RS), construção, como de uso”, revela. no Vale do Sinos, com a construção de oito casas, em um conjunto denoPara ele, o que se pode almejar é aumentar a eficiência minado Centro Experimental de Tecnologias Habitacionais Sustentáveis no momento da obra para gerar menos impacto ao ambiente. (CETHS). Na coordenação do projeto – financiado pela Fundação de En“Podemos projetar edificações que consumam menos enersino e Pesquisa (Finep) e Caixa Econômica Federal –, finalizado em 2003, gia e utilizem fontes renováveis, mesmo assim estaremos utiestava o engenheiro civil e agrônomo, professor lizando recursos e energia para a produe pesquisador do Norie, Miguel Aloysio Sattler. ção dos equipamentos que a viabilizem. Sempre iremos explorar Ele garante que há a possibilidade de apliPodemos captar água da chuva e utilizácar princípios sustentáveis à construção de habirecursos naturais e la para vários fins ao longo da obra, minitações populares. Sobre o assunto, publicou, em mizar resíduos, transformar resíduos em gerar resíduos nas 2007, o livro Habitações de Baixo Custo Mais Susrecursos”, explica. Em várias ações desta construções, tanto na tentáveis, que pode ser acessado no site da Habinatureza, segue o professor, as alternatifase de construção, tare (www.habitare.org.br). Além da experiência vas podem ser competitivas, em termos do CETHS, a obra apresenta detalhes sobre a Cacomo de uso. de preço, com as opções convencionais. sa Alvorada, outra iniciativa do Norie para pesqui“O seu custo inicial poderá, em muitos sas sobre o assunto. A proposta do centro expecasos ser superior, mas, em longo prazo, rimental, segundo relata o livro, se utiliza de ecotécnicas como ventio investimento terá um retorno. E, cada vez mais, tais investilação natural, paisagismo produtivo, fogão à lenha para aquecimentos serão viáveis, na medida em que passarmos a contabimento no inverno, plantio de ervas aromáticas no interior e ao lizar os custos ambientais de nossas intervenções no ambiente, redor das edificações, uso de energia solar, reciclagem de reou seja, quando contabilizarmos, também, as externalidades.” síduos e reutilização da água. A maior dificuldade, segundo ele, para aplicação dos No livro, o professor admite que o projeto embrião não princípios sustentáveis à construção civil é a falta de conhecifoi implementado na sua totalidade, mas argumenta que ainmento, tanto do público, como dos profissionais, sobre o teda assim têm servido de referência para estudantes e grupos ma. Ele avalia ainda que existem indústrias preparadas para de profissionais do Brasil e do Exterior, que visitam estes locais, atender à demanda do mercado por produtos sustentáveis. buscando a capacitação na área de construções sustentáveis. “Mas são em número reduzido.”

unir

Mais de uma década de pesquisas

A sustentabilidade na universidade O interesse crescente por estudantes nas questões das construções sustentáveis existe, segundo Sattler. “O tema vem sendo veiculado pela mídia e com isto os jovens tomam conhecimento do assunto e são sensibilizados ou identificam oportunidades de atuação futura, sobretudo porque há uma demanda crescente pela sociedade”, afirma. Para o professor, a sustentabilidade está sendo agregada aos currículos das universidades recentemente. “E cada uma se aprofunda nas áreas onde já possui especialização”, revela. Sattler defende a multidisciplinaridade para a conquista dos objetivos da sustentabilidade, entretanto, conforme ele, a formação acontece dentro dos cursos de engenharia civil e arquitetura, que são os principais formadores profissionais para o setor da construção civil. “Não se pode identificar ainda nenhum curso que forme profissionais somente com o enfoque na sustentabilidade, onde o curso esteja todo apoiado em disciplinas com este foco, embora alguns cursos já estejam pretendendo fazer assim.”

Revista Expansão

Dezembro/2011

45


SUSTENTABILIDADE Um manto verde por todos os lados Ecopavimento, ecodreno, ecotelhado. A ecologia respinga para dentro de cada casa, no telhado, nas paredes, no pátio. “Não há mais como voltar atrás”, afirma o engenheiro civil Paulo Renato Machado Guimarães (foto), que, em parceria com o engenheiro agrônomo João Manoel Feijó, colocou no mercado gaúcho, em 2004, alternativas verdes não só para dar um visual estético a residências, indústrias e grandes empreendimentos, mas para instituir na sociedade, a consciência do dever cumprido para com o meio ambiente. Os dois são sócios da empresa Ecotelhado, de Porto Alegre, pioneira no Estado com a criação de telhados verdes e jardins de parede com a substituição da terra pelo substrato (casca de árvores trituradas, por exemplo), ou no sistema de hidroponia (onde só a água mantém as plantas). O sistema deu tão certo, que atualmente, segundo Guimarães, 70 mil metros quadrados de ecotelhado se espalharam pelo Brasil e destes, 90% foram para indústrias e grandes empreendimentos.

O processo do ecotelhado

conservar

Fotos: Divulgação

Uma questão cultural Cultura e política, conforme relata Guimarães, são as bases para a expansão destes processos sustentáveis prediais. “Há uma resistência cultural e política, mas acredito que lentamente todos vão acabar fazendo a sua parte”, diz o engenheiro. Segundo ele, Porto Alegre já regulamentou a obrigatoriedade dos novos empreendimentos, da destinação de percentuais obrigatórios de áreas permeáveis nas obras. “É uma maneira de responsabilizar o empreendedor pelas suas ações.” Ele afirma que o telhado verde, a ecopavimentação e o ecodreno são exemplos que podem ser aplicados para o cumprimento da legislação. “As questões de sustentabilidade estão aí e não é por acaso. A poluição, o aquecimento global e as inundações são exemplos de uma reação em cadeia que cada vez aumenta mais. Não há como controlar o desenvolvimento populacional, mas é possível regulamentar”, defende. Para ele, incentivos como o IPTU verde são alternativas.“Na Alemanha e na Cidade do México é possível ter uma redução do imposto predial como benefício pela instalação de sistemas sustentáveis nos prédios. O Poder Público precisa se manifestar em favor da sustentabilidade, e a sociedade também.”

46

Revista Expansão

Dezembro/2011

Diferente dos modelos convencionais de telhado verde, que precisam de uma estrutura bem mais resistente, já que utilizam a terra para manter as plantas, o ecotelhado pode ser aplicado em qualquer cobertura convencional. “Desde que esteja na perfeita condição de impermeabilidade e em condições estruturais para receber os módulos”, explica Guimarães. Cada módulo, segundo ele, pesa cerca de 60 quilos por metro quadrado. O sistema é vantajoso, segue o engenheiro, tanto pequenas construções, como grandes áreas, planas ou inclinadas. E quando se fala em vantagens, a lista é grande. Para começar, a facilidade da colocação, ou retirada, em caso de eventual manutenção, sem perda das plantas. E segue pela drenagem da água da chuva; o isolamento térmico e acústico; o processo da fotossíntese, que dissipa o acúmulo de calor, que seria transferido para dentro do prédio por meio de um telhado convencional; não reflete a irradiação solar para os prédios vizinhos; tem 16 opções de vegetação, e tanto os módulos quanto o substrato são feitos com 95% de material reciclado. Para o meio ambiente, proporcionam o aumento da biodiversidade, a redução da velocidade de escoamento da água da chuva no telhado, aumento da retenção da água da chuva na drenagem urbana, reduzindo alagamentos, e a limpeza de água pluvial. Além disso, reduzem a emissão de carbono. O custo varia de acordo com o tipo, entre R$ 50 e R$ 120 por metro quadrado. “O benefício também vem na ponta do lápis, em valores, mas o maior benefício é poder dizer: no final das contas estou contribuindo com o meio ambiente. É a responsabilidade social de cada um”, afirma o engenheiro.

Ecopavimento e jardim de parede Do telhado para o chão, as tecnologias sustentáveis trazem alternativas para quem quer se cercar de um manto verde. Segundo o engenheiro, no ecopavimento são colocados módulos com preenchimentos de brita ou grama, nas áreas que antes eram permeáveis e que precisam de pavimentação para uso. A grande vantagem é a drenagem da água da chuva. “Quando utilizado em conjunto com o ecodreno, tem abaixo da superfície um reservatório para captação da água da chuva. É um aquífero particular, feito de plástico reciclado, cuja água acumulada pode ser usada para irrigação”, explica. No jardim de parede, o sistema usado é o da hidroponia. São cangurus colocados na parede e interligados por um sistema com ponto de água para abastecimento. “É altamente sustentável. O ciclo da água não permite o desperdício e proporciona a umidificação do ar no ambiente. Qualquer planta se adapta a este sistema.”


É preciso “biologizar” a humanidade

As casas ecológicas

Laboratório “Uma Ecoovila é um laboratório de interdependência de arquitetura e biologia; economia e finanças; e ética e cultura”, revela. Mas, segundo ele, o maior obstáculo é a falta de preparação. “A competição é a maior inimiga da sustentabilidade. Por mais que se trabalhe a economia, biologia e cultura, a secularidade da competição aparece sempre em níveis indesejáveis.” O arquiteto acredita que é possível aplicar a sustentabilidade na construção de conjuntos habitacionais para comunidades de baixa renda, mas ele adverte que deve haver coletividade no empreendimento. “Sustentabilidade é coletivização de processos”, diz. “Quando se coletiviza e gera diversidade com equidade e cooperativismo, neste momento é possível a sustentabilidade, e tudo tem que começar na escola, com uma maior sensibilidade para conectar a educação, a arte e a cultura.”

Revista Expansão

Dezembro/2011

relacionar

Você já ouviu falar em permacultura? Pois é, na Ecoovilas, conforme Urquiza, se pratica a permacultura urbana, ou seja, ambientes humanos e sustentáveis em harmonia com a natureza. O projeto das casas inclui localização privilegiada para otimização da luz e calor do sol; as escadas internas funcionam como ar condicionado, sugam ar de tubos ligados a uma espiral de ervas que aromatizam as casas. Ventos são aproveitados, a água é reutilizada. Não há lâmpadas, mas sensores de presença. Conforme o arquiteto, o paisagismo é produtivo, o abrigo dos carros é coberto com parreiras de uvas, nos jardins há árvores frutíferas. Cercas de kiwis. Nos telhados, ou aquacultura (uma laje, que forma um lago de aproximadamente 25 centímetros de água em constante movimento, com culturas de peixes e vegetação aquática), ou telhados verdes. Nas casas não há espera para chuveiro elétrico nem aparelho de ar condicionado. Ali é feito uso de energia solar concomitante com gás. A calefação é feita por meio de sistema que junta lareira, forno e fogão.

Carlos Stein/Divulgação

“Não adianta só preservar a natureza, é preciso gerar biologia”. A afirmação é do arquiteto, permacultor e cooperativista Otávio Urquiza (foto), idealizador da Ecoovilas, localizada em Porto Alegre (RS). “É preciso construir um prédio que traga borboletas, pássaros, uma edificação que aproveite as energias do vento, do sol, da água e a biológica”, defende o arquiteto, ganhador do prêmio Ecologista do Ano, em 2006. Para ele, o grande ponto de mudança para a sustentabilidade é quando houver a transformação de sociedade de competição em sociedade de cooperação. “Defendo que vivemos num período civilizatório, onde a competição chegou ao seu limite e a destruição é o resultado disso. Hoje a nossa arquitetura reflete a competição, e é através da arquitetura que a abordagem da sustentabilidade acontece.” Foi acreditando nestes princípios, que em 2000, Urquiza começou a executar o projeto da Ecoovilas 1, hoje com 20 casas construídas em sistema de cooperativa e finalizadas em 2006. “Minha experiência é a de resistência”, diz o arquiteto, ao contar a história da Ecoovilas. “Estou satisfeito com o resultado do projeto, é uma experiência que valeu. Faria tudo outra vez”, avalia, lamentando que não tenha conseguido implementar alguns pontos importantes do projeto, como os filtros biológicos, por exemplo, que não foram aprovados pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto de Porto Alegre (Dmae). Mesmo assim, ele já anuncia para o futuro o projeto da Ecoovilas 2, que deverá comportar 56 casas.

47


SUSTENTABILIDADE

configurar

Fotos: Divulgação

Brasil é o quarto maior produtor de cimento do mundo No ranking dos produtores de cimento, o Brasil é o 4º do mundo. A produção, em 2010, foi de 59,2 milhões de toneladas. A informação é do geólogo e especialista em cimento da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), Arnaldo Battagin (foto). “O aumento crescente da demanda levou a indústria a investimentos para garantir o fornecimento. Estima-se que até 2016, ano dos jogos olímpicos, o Brasil terá capacidade para produzir mais de 110 milhões de toneladas de cimento por ano”, relata. Segundo ele, ao mesmo tempo, a indústria brasileira investe na redução das emissões dos gases do efeito estufa no processo de fabricação. Apesar de ser um desafio, Battagin avisa que o Brasil está fazendo a lição de casa. Segundo ele, no País, o cimento é responsável por apenas 1,4 % do volume total de emissões de CO2, segundo o Inventário Nacional dos Gases de Efeito Estufa do Ministério da Ciência e Tecnologia, divulgado em 2010, contra 5% da média mundial. E para reduzir ainda mais as emissões, a indústria vem trabalhando em quatro frentes: eficiência energética; combustíveis alternativos; adições ativas ao cimento, e captura e armazenamento de carbono.

A evolução brasileira pelo meio ambiente Hoje o setor cimenteiro no Brasil opera com 99% dos fornos em sistemas de via seca, diminuindo o uso de combustíveis em até 50% em relação aos demais. Multiqueimadores para queima de combustíveis alternativos e convencionais, sistemas de filtro de alto desempenho, monitoramento online de gases para controle ambiental, entre outras tecnologias, segundo ele, vêm colocando o Brasil como referência mundial nas emissões especificas de CO2 por tonelada de cimento, com taxas abaixo de 600 quilos por toneladas. “De fato, o setor brasileiro de cimento vem adotando voluntariamente medidas para melhorar o desempenho quanto à emissão de gases de efeito estufa”, explica Battagin. Assim, segue o geólogo, aderiu há muito à Iniciativa de Sustentabilidade do Cimento (em inglês CSI), em parceria com o WBCSD (sigla em inglês do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável). Esse movimento, cria-

Transformando resíduos Com a inauguração da Indústria de Tratamento e Valorização de Resíduos, em 9 de novembro, em São Leopoldo (RS), administrada pela Revita – Engenharia Sustentável – Grupo Solvi, empresa que tem a concessão da administração municipal para gestão de resíduos sólidos, o antigo aterro sanitário foi destinado para um novo projeto: a Central de Processamento de Resíduos da Construção Civil. Segundo o biólogo Joel Garcia Dias, técnico da Secretaria Municipal de Limpeza Pública de São Leopoldo e responsável pelo local para onde serão levados os resíduos da construção civil, a administração teve que se adequar em função da legislação, como a Lei 11.445, de 2007, que traça as Diretrizes Nacionais para o Saneamento Básico; mas, sobretudo, em função da Resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) número 307, de 2002, que estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da cons-

48

Revista Expansão

Dezembro/2011

do em 1999, pelas dez maiores companhias de cimento do mundo, forma, atualmente, um grupo para promover o desenvolvimento sustentável da indústria cimenteira. Em 2010, conforme o geólogo, cerca de 70% da produção brasileira de cimento pertenceu ao universo auditado pela CSI. “O início da CSI se caracterizou por uma agenda de metas e compromissos de adesão voluntária para compensar e mitigar os impactos da indústria ao meio ambiente, tendo como base o ano de 1990.”

Resíduos viram cimento A utilização dos fornos da indústria cimenteira para eliminação de resíduos industriais já é realidade. “Para isso vem fazendo investimentos para adaptar o processo produtivo ao uso dos resíduos como combustível alternativo ou substituto de matéria-prima”, informa. O coprocessamento, segue Battagin, representa a integração ambientalmente segura dos resíduos industriais com o processo de elaboração do cimento e é regulamentado pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). “É uma alternativa economicamente competitiva com relação à disposição em aterros e incineração, e, ao contrário desses, se caracteriza pela destruição total de grandes volumes sem geração de novos passivos”, explica. No Brasil, segundo ele, os resíduos coprocessados alcançaram 870 mil toneladas em 2010, dos quais 670 mil foram usados como insumos energéticos e 200 mil como matérias-primas. “Mas a capacidade potencial é de 2,5 milhões de toneladas/ano. São pneus inservíveis, resíduos de tintas, borras, lamas contaminadas, resíduos plásticos, lamas de esgoto, grãos de validade vencida, óleos usados, que ao invés de disposição em aterros acabam por se transformar em cimento”, revela. Conforme Battagin, várias ações vêm sendo desenvolvidas no Brasil para coprocessar o lixo urbano tratado, iniciativa que poderá constituir em excelente solução para os grandes centros urbanos, onde grande parte dos aterros já está esgotada.

trução civil. “A lei é muito boa, mas faltou estrutura e capacitação nos municípios para funcionar, tanto que 90% dos municípios não fizeram a lição de casa”, avalia. A Central de Processamento de Resíduos da Construção Civil de São Leopoldo vai atender 24 municípios do Consórcio Pró-Sinos. A capacidade é de absorção de resíduos é de 700 toneladas por dia. “São Leopoldo gera, atualmente, 110 toneladas diárias.” De acordo com Dias, o projeto está calcado em quatro pilares: a não geração de resíduos; o reaproveitamento; a redução, e a reciclagem. O grande desafio, segundo ele é reaproveitar. “A central de britagem vai triturar os resíduos e os resultados serão três produtos: areia regeneradora e dois tipos de brita, um maior e outro menor”, revela. O projeto da central inclui para o ano que vem a instalação de uma unidade de processamento deste material para construção de blocos de concreto. O material resultante da trituração dos resíduos - areia e brita -, é reaproveitado na própria construção civil, principalmente nas obras públicas da cidade.


Vera Fernandes/Especial

O social

Autoridades de várias cidades do Estado estiveram na inauguração

Educação ambiental no novo aterro sanitário O novo aterro de São Leopoldo, ou a Indústria de Tratamento e Valorização de Resíduos, tem 135 hectares e, destes, 60 hectares serão utilizados para disposição de resíduos urbanos e o restante será mantido como área de preservação ambiental. De imediato, segundo a empresa, será construído um Centro de Educação Ambiental para atividades com escolas da região e posteriormente uma nova Unidade de Triagem. Um complexo de edificações de administração e apoio irá dar suporte à unidade. Ele será composto de instalações administrativas, de apoio técnico e de fiscalização, educação ambiental, almoxarifado, oficina, refeitório e vestiários. O empreendimento está licenciado para receber inicialmente 500 toneladas por dia, mas esta capacidade poderá ser ampliada caso a demanda regional assim exigir. O empreendimento possui capacidade total de 5 milhões de metros cúbicos e vida útil de 20 anos. Ao todo serão investidos R$ 20 milhões no local.

Revista Expansão

Dezembro/2011

preencher xxxxxxxxx

A proposta determina que o município fica responsável pela destinação dos resíduos de obras como limpeza de terreno e pequenas reformas. Segundo Dias, os moradores entregam os resíduos nos cinco postos de coleta espalhados pela cidade, onde é realizada a primeira separação de acordo com o tipo. De lá, são encaminhados para a central de triagem, onde uma cooperativa de trabalhadores realiza uma nova separação, antes da trituração. Os grandes geradores de resíduos não terão a gratuidade dos moradores que realizam pequenas obras ou limpezas. No caso deles, a primeira separação deve ser feita na própria obra e os resíduos não vão para os postos de coleta, mas diretamente para a central e com o transporte por conta do gerador. Eles pagarão R$ 34,20 por descarga até 5 metros cúbicos de resíduos. “Depois de descarregados os resíduos, ainda há a possibilidade de sair com uma carga de material já triturado a baixo custo.”

49


Conexão Expansão

O poderdo

consumidor

Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Fábio Winter e Lu Freitas/Especial

O publicitário Paulo Gregoraci veio a Novo Hamburgo para falar sobre Mídia e Futuro durante evento promovido pela Revista Expansão e ESPM

E

m um mundo de constantes transformações, onde as informações - tanto a privilegiada é sinônimo de sucesso, como a positiva é garantia de continuidade nos negócios -, é imprescindível o conhecimento, o saber e, principalmente, a rede de relações, de contatos, de QIs (quem indica). Atualmente, no ambiente em que vivemos, em meio às redes sociais que explodiram com o advento do Orkut e do Facebook, a publicidade passou a ter outro tipo de conotação e de base de trabalho, chamado de plataformas, para administrar a imagem do seu cliente. A questão é que o consumidor passou a ter um poder que antes não tinha, se considerarmos uma linha do tempo de dez anos atrás, o de influenciar a imagem da empresa que lhe vende o produto por meio das redes sociais. É nesta linha de pensamento que seguimos com a entrevista, exclusiva, produzida com o publicitário Paulo Gregoraci, vice-chairmann e COO da WMcCann, em 21 de novembro, momentos antes dele ministrar a palestra Mídia e Futuro, que ocorreu no Swan Tower Flat Residence, em Novo Hamburgo (RS). Gregoraci foi o palestrante da primeira edição do Conexão Expansão, promovido pela Revista Expansão e a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), com apoio do Grupo Sulbra, Swan Hotels, Unimed Vale do Sinos, Grupo de Mídia do Rio Grande do Sul e Rádios Gaúcha e Itapema FM. O projeto especial Conexão Expansão vai ocorrer a cada três meses e é uma iniciativa que vem ao encontro dos anseios do mercado em captar cada vez mais o seu universo de informações. Por meio de talk show, uma personalidade do mundo corporativo de renome estadual ou nacional abordará temas pertinentes do mercado em todos os seus segmentos. O foco está na informação que vai ser abordada no Conexão Expansão e em saber da importância que ela tem no mundo contemporâneo. A 1ª edição é alusiva às comemorações dos 12 anos da Revista Expansão – a revista de variedades do Rio Grande do Sul –comemorados neste mês.

50

Revista Expansão

Dezembro/2011


Transformações Gregoraci destacou que para o consumidor chegar ao poder que lhe confere atualmente, o mundo passou por transformações. Por exemplo, houve a fragmentação da audiência.“O consumidor hoje consome mais de muitas coisas e, antigamente, consumia mais de poucas coisas”, frisou o publicitário. Muito carismático e humilde, ele explicou sem termos técnicos, ou melhor “midiáticos”, que o hábito do consumidor mudou devido à transformação dos meios de comunicação dos tradicionais para o contemporâneo. E com isso, segundo ele, a mídia também passou a ter mais opções de publicidade, ou seja, mais opções para aplicar a propaganda do seu cliente. Com a facilidade de criar veículos de comunicação nesta década, o número de espaços midiáticos cresceu desenfreadamente e, além dos veículos âncoras – que são os grandes grupos de comunicação, considerados veículos multimídias, com jornais, televisão, revista, rádio, sites, blogs, facebook, twitter, etc. –, existem mais de 15 mil opções de espaços publicitários em veículos de comunicação no Brasil para se divulgar uma marca. “O que antes era apenas mil”, compara Gregoraci. Por isso, a disputa pela atenção do consumidor na mídia é acirrada e vence quem tiver a melhor ideia. O vice-chairmann destaca que a ideia é o ponto chave da comunicação. “A grande ideia fica para sempre, se ela chega na cultura popular então ela permanece por muitos anos, como é o caso do nosso case do primeiro sutiã que a gente nunca esquece. Quem assistiu a essa propaganda na década de 80, nunca a esqueceu”, exemplifica Gregoraci.

Plataformas Além dessas, mais de 15 mil opções de espaços midiáticos, o publicitário frisa que existem outras formas, ou seja, outras plataformas, de também atrair a atenção do consumidor para o seu produto. “Com o avanço da tecnologia, a publicidade está preguiçosa, às vezes, se vê um comercial muito bem produzido tecnicamente, mas com uma ideia muito fraca no conceito, que não se fixa”, alerta. E para que isso não ocorra, ele orienta que se analise bem o tipo de plataforma que se vai trabalhar o produto para depois aplicá-lo da melhor forma, não necessariamente na Internet ou em veículos de comunicação. Para ele, pode-se trabalhar com as ideias por meio de ações, campanhas, concursos, outdoors, o que for mais conveniente e tiver mais retorno para o cliente. E ao buscar esse retorno, essa audiência pelo consumidor, que as agências de publicidade estão tendo que ter um cuidado muito maior nesta temporalidade com o consumidor. “Antigamente, o produto era ‘enfiado goela abaixo’ e pronto, o consumidor o comprava e ficava calado, caso não tivesse aprovado. Hoje isso não acontece. Se o produto não é bom e a propaganda é enganosa, ele vai para a rede social, cria a comunidade eu sou contra tal empresa ou produto, ou faz uma postagem com um comentário negativo, ou seja, ele dá a sua opinião, ele cria conteúdo que todo mundo acessa, e pode levar uma empresa à falência”, explica Gregoraci. O consumidor então passou a ser produtor do conteúdo que antigamente era feito apenas pela publicidade. “Hoje ainda a demanda é a grande ideia, o conteúdo é o futuro. Cada vez mais devemos pensar em conteúdo, em toda a área de negócios e a mudança do hábito do consumidor.” Gregoraci pontuou alguns tópicos desta entrevista em sua palestra, onde apresentou números da mídia no Brasil e seus cases de sucesso para cerca de 250 pessoas, no auditório do Swan Tower. Após o talk show, os mediadores Felipe Schmitt Fleischer, Alessandro Souza e Annie Piagetti Müller fizeram suas considerações e questionamentos. E o público também pode fazer questionamentos ao publicitário.

Revista Expansão

Dezembro/2011

51


Conexão Expansão

O perfil dos integrantes da

1ª edição O palestrante Paulo Gregoraci Publicitário há 38 anos, Paulo Gregoraci é atual vice -chairmann e COO da WMcCann. Ex-W/Brasil, agência onde atuava desde 2005, sendo os três últimos como presidente. Trabalhou em algumas das principais agências de propaganda, como Mauro Salles, Young Rubicam, Ogilvy, Leo Burnett, Talent e Fallon. Atuou como diretor-executivo de Marketing e Publicidade da Editora Globo por três anos. Foi diretor de várias entidades como: Conar, Cenp, APP e IVC. E foi presidente do Grupo de Mídia de São Paulo, entre 96 e 98, e há mais de 20 anos é diretor-executivo do Grupo. Também faz parte da diretoria da ABP. Participou de vários seminários nacionais e internacionais de publicidade, entre eles, o Programa de Gestão Avançada (PGA) – Insead, em Fontainebleau, na França. Gregoraci, recebeu vários prêmios significantes, três Caborés (2010/melhor profissional de mídia, 1996/melhor profissional de mídia, e 1993/melhor profissional de atendimento e planejamento); recebeu o prêmio de Mídia Estadão (2009/homenageado como Personalidade de Mídia); Prêmio Anatec (2009/Profissional de Mídia), e APP (1998/Contribuição Profissional como profissional de mídia). No final de novembro, ele recebeu o Prêmio de Destaque Profissional de Comunicação 2011, na categoria Executivo de Agência pela ABP.

Mediadores Felipe Schmitt Fleischer Administrador pela Ufrgs com ênfase em Marketing, pós-graduação em Gestão Empresarial pela FGV e especialização em Branding pela ESPM. Possui dez anos de experiência em planejamento e implementação estratégica, estudos estratégicos de marcas, avaliação de concorrência em nível nacional e internacional e posicionamento sustentável de marcas e negócios. Entre os clientes já atendidos estão Keko, Piccadilly, Converse All Star, Paquetá e Ortopé. Atualmente é sócio da Valorem Consultoria, diretor da SPR Brand e professor do MBA em Branding e Comunicação Estratégica e de cursos de extensão em Marketing e Branding da Universidade Feevale.

Alessandro Souza Diretor do curso de Publicidade e Propaganda e que transita bem pelas questões digitais. Doutorando em Comunicação e Informação pela Ufrgs, é publicitário graduado pela mesma universidade; possui MBA em Marketing pela ESPM-Sul e é mestre em Comunicação pela Unisinos. Transita nas áreas de Marketing de Relacionamento, Comunicação Integrada e Comunicação Digital, tanto na academia quanto no mercado. Atuou em agências de propaganda, na NET Sul/Grupo RBS e na GoDigital Marketing de Precisão. Foi, ainda, diretor de Marketing do S.C. Internacional de 2006 a 2008. Professor da ESPM desde 2006, Souza leciona nos cursos de Graduação em Publicidade e Propaganda, e Pós-Graduação. Atualmente é diretor do Curso de Publicidade e Propaganda da ESPM e assessor de Comunicação do Sport Club Internacional (trabalho voluntário).

Annie Piagetti Müller

Fleischer, Gregoraci, Annie e Souza

52

Revista Expansão

Dezembro/2011

Publicitária e escritora, é graduada em Publicidade e Propaganda pela ESPM/RS e pós-graduada em Marketing Estratégico pela London School of Marketing. Atua no planejamento da Pro>Target, de Novo Hamburgo (RS), em que participa no desenvolvimento de estratégias para clientes de atuação nacional, como Mississipi (grupo Dakota), calçados Pegada e Altero. Enquanto planejadora da Pronexo, o braço digital da Pro>Target, foi recentemente premiada pela Associação Riograndense de Propaganda (ARP) pela ação de marketing promocional para a rede de idiomas Yázigi. Durante o período que passou em Londres, Annie trabalhou para a Tangerine Design. Premiada duas vezes pela ESPM/RS, como Melhor Roteiro para Campanha Eletrônica e Redatora do Ano. Ela tem três obras publicadas para o público teen, a série A Turma do Meet. Assina um blog sobre comportamento jovem – www.anniemuller.com.


Em Novo Hamburgo:

Boutique Majea

Bourbon Novo Shopping I Loja 2085 (51) 3594-1356 www.reservanatural.com.br

Revista Expans達o

Dezembro/2011

53


sapatos & cia

Por Graziela Dannenhauer E-mail graziela@revistaexpansao.com.br

No topo

“listra”

da

A moda está nas tendências das listras. No topo da lista, as cores extravagantes e vivas entrelaçadas, que fazem a cabeça, principalmente, das mulheres, assim como seus pés. Detalhes com strass ou metal, dão um ar de glamour que estiliza ainda mais o produto. Bolsas, ankle boots, saltos altos, sapatilhas, peep-toes, cintos e demais acessórios combinam e trazem o diferencial para a moda que tem como tendência o descombinar.

1

3

2

4

Fotos: Divulgação

6

5 54

Revista Expansão

Dezembro/2011

1 – Werner 2 – Smartbag 3 – Esdra 4 - UZA 5 – Flor da Pele 6 – Smartbag


Revista Expans達o

Dezembro/2011

55


NO PROVADOR Por Silvana Homrich Consultora de Moda silhomrich@gmail.com

Festa democrática

56

Revista Expansão

Dezembro/2011

Iodice

Coven

Colcci

H

ouve um tempo em que as mulheres caprichavam na produção para sair à noite. Qualquer evento noturno era motivo para “roupa de festa”. Hoje em dia, com as happy hours e saídas não programadas, o estilo casual tomou conta das noites. Está certo que se cobrir de brilho dos pés à cabeça é desnecessário, mas programas especiais merecem um pouco mais do que jeans e camiseta. Com a chegada do fim de ano, são praticamente diárias as comemorações, seja o amigo-secreto, a festinha do trabalho ou Natal e réveillon. O ideal é estar sempre preparada, e isso não é tão difícil. Alguns looks são adequados tanto para o trabalho quanto para festas. Se você é do tipo que prefere uma combinação mais discreta durante o dia, tecidos nobres podem enriquecer o visual. Uma boa dica é levar alguma peça de roupa, como uma blusa para trocar e aproveitar a mesma calça, ou um colete para sobrepor. Alguns acessórios também podem fazer toda a diferença e são mais fáceis de carregar na bolsa. Invistam em anéis e maxi colares. Se ainda houver dúvidas de como incrementar o visual de maneira fácil e prática, tenha sempre um batom vermelho em mãos. Os tons mais abertos já são hit e dão um up em qualquer visual, seja para o dia ou para a noite. Além de acessórios, quando tiver tempo para se arrumar, uma peça em paetê é ideal. Aliada a uma minissaia, pantalona ou jeans arrasam em qualquer tipo de evento.


Fotos: Agência Fotosite/Divulgação

Animale

Blue Man

Mario Queiroz

Cori

Revista Expansão

Dezembro/2011

57


Educação

Eu,Robô Por Aline de Melo Pires | Fotos: Fábio Winter e Lu Freitas/Especial

Como a robótica estimula o desempenho e o aprendizado em sala de aula e insere no mercado de trabalho

É Divulgação

cada vez mais difícil compreender, e aceitar o mundo, sem a presença constante de tecnologias e inovações. Tudo acontece muito rápido e, com a mesma rapidez, muda. O advento da informática foi decisivo neste processo de instalação da velocidade e da chegada de soluções para questões em praticamente todas as áreas da existência humana. Desta forma, é praticamente inaceitável ou inconcebível pensar nos processos educacionais, de aprendizagem dentro e fora da sala de aula, sem o uso de ferramentas tecnológicas e da criatividade aliada a softwares cada vez mais avançados. A Robótica é uma destas ferramentas e consiste em uma tecnologia capaz de reunir conceitos de mecânica, elétrica, eletrônica e programação e é responsável por todo o mecanismo que seres humanos não conseguem realizar. “É toda possibilidade de dar inteligência a um sistema”, completa o instrutor do Laboratório de Robótica Educacional do Colégio Marista Pio XII, de Novo Hamburgo (RS), Filipe Ghesla. Esta proposta vem conquistando alunos em todas as esferas do ensino e deixa, ainda que aos poucos, de ser possibilidade e alternativa apenas para estudantes das redes privadas de ensino. Na última reportagem da série Educação deste ano, apresentamos histórias de sucesso a partir do uso da Robótica para mostrar o quão decisiva esta prática pode ser na vida dos estudantes, desde os primeiros anos escolares até a difícil e complexa decisão de escolher a carreira no final do Ensino Médio.

58

Revista Expansão

Dezembro/2011


Hoje, as redes particulares de ensino estão consolidando este aprendizado em suas unidades. Competições estimulam a participação dos estudantes e cada vez mais cresce o interesse por esta área. A afirmação é da presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Márcia Adriana de Carvalho. Mas, se por um lado comemora-se o crescimento nesta área, por outro, é preciso um pouco mais de atenção e reflexão sobre o motivo pelo qual esta tecnologia não beneficia um número maior de estudantes gaúchos. Hoje, de acordo com Márcia, somente a rede pública municipal de Porto Alegre conta com a ferramenta da Robótica na complementação curricular. “É uma realidade em praticamente toda a rede particular de ensino, mas nas escolas públicas este processo se torna carente de um investimento relativamente alto que, muitas vezes, as administrações municipais alegam não dispor”, relata a presidente da Undime. Estivemos em algumas escolas particulares da região e conversamos com professores e alunos das escolas públicas municipais da capital, onde a Robótica é aplicada. Sem dúvida, o que se pode verificar é uma grande satisfação e resultados por parte de professores e alunos, especialmente diante de depoimentos de profissionais que hoje estão no mercado de trabalho no qual chegaram a partir da prática da Robótica em sala de aula.

Pioneirismo A Robótica Educacional proporciona a interação completa entre teoria e prática. O que os alunos aprendem na sala de aula, pode ser conferido nos laboratórios de Robótica. Exemplo disso são as aulas de Física e Matemática. “Depois que aprendem na teoria como se dá o processo de engrenagem, conceitos de mecânica e programação, os estudantes podem vir para o laboratório e, na prática, ver como tudo isso funciona e, mais que isso, podem ser os responsáveis pela elaboração dos projetos, podem criar seus próprios robôs”, explica Ghesla. No Pio XII, em Novo Hamburgo, a frequência ao Laboratório de Robótica não é obrigatória e não faz parte do currículo. Entretanto, a prática tem atraído constantemente estudantes de vários níveis, mas especialmente os do Ensino Médio. “Caso optem por seguir carreira em áreas como a Engenharia, por exemplo, saem da escola com significativo conhecimento”, comenta Ghesla. De acordo com o instrutor, a proposta é estimular o desenvolvimento, o raciocínio lógico e as aptidões de cada aluno.

Lu Freitas/Especial

Atenção e reflexão

Protótipo e Programação Na Instituição Evangélica de Novo Hamburgo (IENH), que compreende três escolas – Pindorama, Oswaldo Cruz e Fundação Evangélica –, as atividades desenvolvidas na Robótica envolvem os conceitos tecnológicos, a programação e sempre estão ligadas aos projetos que as turmas desenvolvem no decorrer do semestre. A professora de Robótica Carolina Müller explica como as ações são aplicadas na IENH. “Por exemplo, no projeto sobre Mitologia, os alunos montaram um protótipo de um plotter e programaram seus robôs para percorrer o labirinto do Minotauro. Outro exemplo foi o projeto sobre Gastronomia, no qual os estudantes montaram e testaram balanças para pesar alimentos”, afirma Carolina, ao ressaltar que, com este trabalho das balanças, os alunos também estudaram as equações de primeiro grau nas aulas de Matemática.

Revista Expansão

Dezembro/2011

59


Ao encontro do futuro A afinidade com a ciência e com a tecnologia, diz Ghesla, pode ser estimulada desde cedo. “Queremos incitar os alunos para que eles encontrem seu futuro”, observa Ghesla, ex-aluno do Pio XII e atualmente estudante de Engenharia de Controle e Automação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Os mecanismos construídos no laboratório são robôs que desenvolvem de funções básicas, como andar, ou complexas, como colocar uma bola dentro de uma cesta, funções estas denominadas de missões. “Mas nem sempre os robôs são humanoides, ou seja, com características humanas, na maioria das vezes são bem diferentes”, comenta, ao ressaltar que, geralmente, quando ouvem falar em robótica são remetidos à imagem do lendário R2-D2, da saga Guerra nas Estrelas. A questão da Robótica é levada tão a sério que muitos alunos abrem mão das férias de verão para passar cerca de 40 dias envolvidos em projetos que posteriormente serão levados a competições internacionais, como o desafio mundial anual nos Estados Unidos. Há dez anos alunos do Pio XII participam desta atividade. Também já passaram por competições na PUCRS, em Porto Alegre.

Fotos: Fábio Winter

Educação

Comprometimento que faz a diferença E é este comprometimento que faz a diferença na vida de estudantes, como Guilherme Yugi Sato, 15 anos. Aluno do primeiro ano do Ensino Médio, ele frequenta o Laboratório de Robótica Educacional desde o início de 2010. Sua afinidade com o mundo da informática e da mecânica, diz ele, se dá desde a infância. “Sempre gostei muito de brincar com lego, de criar coisas. Assim quando vi meus amigos começando a trabalhar com Robótica, também descobri meu interessa”, diz o garoto. Quando sair da escola, ele pretende cursar Engenharia Mecânica e afirma que a base para sua escolha foi traçada quando conheceu a Robótica. Assim como Guilherme, Bruno Nunes Toso, também de 15 anos, foi influenciado por outros colegas. Ele conta que percebeu a diferença nas atividades a partir dos resultados gerados nas aulas de Robótica, e decidiu fazer parte do grupo. “O mais interessante é ver o quanto a Robótica está inserida em nosso dia-a-dia, nas mais diferentes áreas, em tudo é possível ver alguma coisa a respeito. As aulas de Física ou Matemática, por exemplo, ficam muito mais claras depois que a gente consegue fazer a associação com as práticas no laboratório”, analisa Bruno.

Ghesla: afinidade com a ciência e tecnologia

60

Revista Expansão

Dezembro/2011

Possibilidades e competições Estas vastas possibilidades que a Robótica oferece podem ser ainda mais aprofundadas e estimuladas em competições e torneios como o First Lego League (FLL), um dos mais importantes campeonatos juvenis de Robótica do mundo. Realizado há 12 anos em todos os continentes, a competição busca envolver jovens e crianças no mundo da ciência e da tecnologia, por meio da Robótica. No Brasil, este torneio é promovido pelo Instituto Aprender Fazendo (IAF), com sede em São Paulo, representante da First no País e apoiado pela Zoom, distribuidora exclusiva da Lego Education, cujas peças foram usadas nos robôs criados pelos quase 200 estudantes que participaram do torneio no mês passado, que este ano foi realizado em Novo Hamburgo, nos pavilhões da Fenac e reuniu estudantes de escolas gaúchas públicas municipais de Porto Alegre e privadas. Todos os anos, o Torneio FLL lança um tema para que os estudantes possam investigá-lo e resolver problemas relacionados a ele. Para esta temporada, os times tiveram o desafio denominado Body Forward, relativo ao mundo da Engenharia Biomédica, em que as 28 equipes inscritas na etapa de Novo Hamburgo se colocaram no papel de engenheiros, cientistas e médicos e propuseram maneiras inovadoras para o tratamento ou a cura de lesões, doenças e deficiências. Foram três grandes desafios: Projeto de Pesquisa, Projeto do Robô e o Desafio de Missões, como explica Paquisa Mazzola, coordenadora da atividade, junto ao IAF. “Incentivamos o desenvolvimento da ciência e da tecnologia estimulando as pesquisas e as reflexões acerca do mundo real dos alunos”, explica Paquisa, ao ressaltar que os participantes deste torneio têm de trazer problemas e suas respectivas soluções a partir das suas próprias comunidades, da realidade em que vivem. Solução esta, afirma Paquisa, viável.


A ideia, prossegue a coordenadora, é fazer com que estes estudantes, de alguma forma, façam a diferença. Os alunos receberam um kit da Lego e tiveram oito semanas para elaborar seus projetos para o torneio. Os grupos têm de quatro a dez integrantes e cada um explora suas habilidades mais latentes. E o trabalho em equipe, bem como a integração e a harmonia entre os membros são um dos pontos avaliados no torneio. “É interessante ver que destas competições resultam em projetos que são patenteados por empresas grandes. Empresários vêm até estes torneios, apostam nos jovens e muitas vezes os estudantes já têm emprego garantido”, comenta Paquisa. O Colégio Sinodal, de São Leopoldo (RS) levou uma equipe ao FLL, comandada pelo professor de Robótica Jorge Jardim, 19 anos. Ela desenvolveu seu projeto com base nos hábitos dos japoneses. Os estudantes observaram a longevidade daquele povo a partir da prática constante, diária, de exercícios de alongamento. “Isso significa, de acordo com nossa pesquisa, que eles podem viver até dez anos mais que os brasileiros”, afirma o professor. Como a ordem é descobrir problemas e apontar soluções viáveis e exequíveis, a turma do Sinodal estimulou o alongamento diário de colegas por duas semanas. O resultado foi mais disposição e flexibilidade. Esta iniciativa, particularmente, não tem uma relação direta com a Robótica, no entanto, faz parte da proposta do torneio a apresentação de programas específicos. Já a missão do robô é a mesma para todos os grupos. Ele precisa percorrer um circuito e desenvolver atividades ligadas à área da Medicina, como ser capaz de pegar comprimidos, manusear instrumentos cirúrgicos, entre outros movimentos.

Fotos: Lu Freitas/Especial

Fazer a diferença

Ampliação de imagens A professora Cristiane Pelisolli Cabral, mentora da equipe de Robótica da Escola Municipal Heitor Villa Lobos, de Porto Alegre (RS), comemora a participação, cada vez maior dos alunos nos projetos de Robótica que naquela escola ocorre em duas tardes para alunos no contraturno do currículo. O trabalho apresentado pela Villa Lobos no FLL consistiu na construção de um dispositivo de ampliação de imagens para auxiliar deficientes visuais. A ideia surgiu a partir da situação de um colega de sala de aula, que apresenta baixa visão e, consequentemente, uma grande dificuldade em ler textos impressos. Uma microcâmera foi acoplada em um pote plástico (do tipo para margarina), o dispositivo é colocado sobre o texto que é reproduzido em tamanho maior em uma tela de computador, facilitando a leitura do deficiente visual. Outro projeto apresentado na Fenac foi o desenvolvido pela turma da Escola Municipal José Mariano Beck, também de Porto Alegre. Depois de verificar o prejuízo à saúde a partir da produção excessiva de papel, bem como seu uso, os alunos do grupo liderado pela estudante Carina Souza Soares, 15, sugeriu a transferência de provas classificatórias para a Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) e outros tipos de trabalho para o mundo virtual. “Não conseguimos fazer isso com todas as atividades, claro, mas usamos o mínimo possível de papel. Quando vamos revisar conteúdo e estudar temos por costuma usar muito papel, com esta proposta a tendência é que se diminua a quantidade usada e consequentemente, a produção”, esclarece Carina.

Revista Expansão

Dezembro/2011

61


Fotos: Fábio Winter

Educação

Propósitos e conhecimento

Alternativas e projetos A presidente da Undime afirma ter noção da importância do ensino da Robótica diante de todas as vantagens já descritas. Entretanto, considera que seja fundamental sua aplicação nas séries finais, como no Ensino Médio, já que estes determinam muitas vezes, o destino profissional do aluno. “As escolas municipais são responsáveis por proporcionar até o Ensino Fundamental, mas entendo que seja difícil para os municípios aplicarem estes projetos principalmente por questões financeiras, pois é preciso um alto investimento na aquisição de kits que são fornecidos pela Lego”, diz Márcia Adriana. Além disso, sustenta a presidente, é preciso qualificar os laboratórios de informática, não apenas mantê-los, sem falar nos professores que vão coordenar as atividades, que têm de passar por treinamentos específicos. “Infelizmente, ainda é uma atividade com custo elevado para a maioria das escolas”, reitera Carolina Müller, professora da IENH No entanto, dificuldades financeiras em qualificar espaços e professores não precisam ter limitações para a implantação de projetos educacionais, sejam eles na área da Robótica ou em qualquer outra. Quem afirma é a própria presidente da Undime. De acordo com Márcia Adriana, os administradores municipais podem elaborar projetos e encaminhá-los à União para que esta articule o repasse de verbas. “As demandas podem ser apresentadas à Undime para que sejam encaixadas em projetos desenvolvidos pelo governo federal, pelo Ministério da Educação. Todas as alternativas são estudadas para que possamos viabilizar a chegada de verbas aos municípios”, completa Márcia Adriana.

62

Revista Expansão

Dezembro/2011

Lu Freitas/Especial

Como se vê os projetos de pesquisa não estão necessariamente ligados à Robótica, eles podem ser aplicados a partir de qualquer proposta de melhoria na vida das pessoas. Com isso, explica Paquisa, outros conceitos se desenvolvem, como liderança e disciplina. “Mesmo que não sigam alguma profissão ligada à Ciência ou à Tecnologia, o aprendizado em ações como estas aqui deixam marcas positivas para o resto da vida”, avalia a coordenadora do FLL no Brasil. Além disso, a prática e os conhecimentos em Robótica auxiliam e estimulam o desenvolvimento no aprendizado de disciplinas do currículo escolar todo. Por isso, no Colégio Marista Pio XII estudantes desde a primeira série do Ensino Fundamental têm noções de Robótica. Primeiro com as peças de Lego e nas séries seguintes já são capazes de entender e trabalhar com dispositivos mecânicos ou eletrônicos, até partirem para propostas mais avançadas, como no Ensino Médio. “Os pequenos conseguem ter noções de aspectos mais básicos como noções de velocidade, por exemplo. É a construção de um conhecimento do qual eles jamais irão se desfazer”, completa o instrutor Bruno José Goldberg. Para a coordenadora pedagógica Katia Antoniolli, a Robótica pode estar intrinsecamente ligada ao sucesso na aprendizagem dentro da sala de aula. O contato com a lógica das engrenagens, por exemplo, diz ela, desenvolve e estimula o raciocínio. Carolina Müller define a Robótica como prática para que o aluno se torne agente de sua própria aprendizagem. “Esta prática trabalha diversas competências que se refletem nos demais componentes curriculares. Além dos conceitos tecnológicos e da atividade prática para compreender certos fenômenos científicos, a Robótica também desenvolve o raciocínio lógico, a liderança, o trabalho em equipe, a capacidade de resolução de problemas”, completa a professora da IENH.


Experiências que rendem frutos Daniel Hanauer, 24, está na fase final do curso de Engenharia Elétrica, na Unisinos, em São Leopoldo. Ex-aluno do Pio XII, Hanauer explica o quanto a frequência intensa no programa de Robótica do colégio foi importante. “Minha graduação sempre teve como foco a automação industrial e a robótica, tanto que meu trabalho de conclusão é um braço robótico para uso em automação”, diz Hanauer que hoje atua em uma empresa localizada no Pólo de Informática de São Leopoldo, que desenvolve equipamentos e soluções para automação industrial, inclusive na automação de plataformas de petróleo do pré-sal. “O que mais me atraiu, enquanto estudante, foi a oportunidade de conhecer melhor como tudo funciona.  Eu sempre quis saber como o mundo funcionava, mas sempre tive especial curiosidade pelo seu aspecto tecnológico. Desde pequeno, sempre desmontei cada brinquedo que eu ganhei para tentar entender o que fazia ele se mover, piscar, etc., e aquilo era praticamente a mesma coisa, só que com orientação de quem entende”, completa Hanauer. Da mesma forma, Francisco Estivallet, viu na Robótica muito mais do que esperava. Ele conta que aprendeu não só a trabalhar com software e hardware, mas, segundo ele, mais importante que isso, a lidar com pessoas, prazos, recursos limitados, e todos os outros problemas enfrentados no dia-a-dia, independente da área de atuação. “Essa experiência com certeza trouxe grandes vantagens na hora de entrar no mercado de trabalho”, completa Estivallet, que também participou de atividades de Robótica quando cursou o Ensino Médio.

Revista Expansão

Dezembro/2011

63


Vida & saúde

Eu quero

mais peito Por Graziela Dannenhauer | Foto: Divulgação

Cresce o número de colocação de prótese de silicone peitoral por homens no Brasil e qual a diferença da prótese feminina

A

(...) a prótese masculina é colocada para simular o efeito da musculação no peitoral masculino e a prótese é diferente e específica para este caso. 64

Revista Expansão

Dezembro/2011

procura por prótese de silicone para aumento peitoral por homens aumentou nos últimos cinco anos em mais de 30%. A afirmação é do cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Sociedade Brasileira de Laser, doutor David Di Sessa, que considera o fato como uma quebra de tabu. “Os homens deixaram de ter preconceito com a cirurgia plástica e estão tomando a iniciativa de colocar prótese para aumentar o peitoral por questão de estética”, justifica. A estabilidade econômica também permitiu o acesso a este tipo de cirurgia, segundo o doutor, e é mais um fator do resultado do aumento. Os homens também estão buscando muito a lipoaspiração. De acordo com o doutor, é preciso salientar que o tipo de prótese utilizada, neste caso, é diferente do implante colocado nas mulheres, visto que o objetivo a ser alcançado é diferente no caso dos homens. “Enquanto nas mulheres almeja-se um aumento mamário de forma que se assemelhe ao máximo a uma mama feminina, no homem o aumento se assemelha ao músculo peitoral hipertrofiando, ou seja, a prótese masculina é colocada para simular o efeito da musculação no peitoral e a prótese é diferente e específica para este caso”, explica. Assim, a prótese masculina é mais plana e tem um formato mais retangular, quando comparado ao implante feminino, que apresenta a forma redonda e tem uma projeção maior. “É importante salientar que o uso da prótese masculina deve ser criterioso para não se cometer excessos”, alerta Di Sessa. A colocação da prótese também é diferente de homem para mulher. Segundo o cirurgião, no caso masculino, a orientação é colocar pela axila, atrás do músculo peitoral, que em muitos casos os homens não têm e não se resolve com musculação, e no caso feminino, é colocado atrás da glândula mamária. “Pode ser colocado atrás do músculo feminino peitoral, mas isso é apenas para as situações em que a mulher não tem quase nada de glândula mamária, ou seja, quase nada de seios”, esclarece o doutor.

Os homens deixaram de ter preconceito com a cirurgia plástica e estão tomando a iniciativa de colocar prótese para aumentar o peitoral por questão de estética.


Câncer de mama Di Sessa deixou bem esclarecido que a colocação de prótese de silicone não tem relação com o câncer de mama e que acomete tanto homens quanto mulheres. A incidência maior é em mulheres, mas os cuidados também devem ser tomados pelos homens. Para saber mais sobre este assunto, entrevistamos o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, o doutor Carlos Alberto Ruiz, que nos concedeu a seguinte entrevista exclusiva: O que é um câncer de mama? O câncer é uma alteração da proliferação celular, duplicações anômalas sem controle que podem acontecer em qualquer tecido do organismo, inclusive na mama. Por que é importante diagnosticar? É importante identificá-la porque a curabilidade do câncer de mama está intimamente relacionada ao diagnóstico precoce. Quanto mais precoce o diagnóstico, menos mutilo, mais eu curo. Qual a proporção dela para o coeficiente brasileiro feminino? Ela abrange qual percentual da população feminina? No Brasil, são estimados cerca de 50 mil casos por ano, com mortalidade próxima de 12 mil. Existe o câncer de mama masculino? Qual o percentual de homens afligidos por esta doença? E como se detecta a doença nos homens?

Sim. A proporção é de 1:100, ou seja, de cada 100 casos 1 ocorre entre os homens. Mais frequentemente ela é identificada no exame clínico. O tipo de exame feminino é o mesmo que o masculino? Se for negativa a resposta, qual a diferença e como o homem e a mulher podem diagnosticar o câncer? O melhor exame para detecção precoce é a mamografia, também realizado para o homem, só que para o homem não se faz a mamografia para detecção precoce porque o homem não tem mama normalmente. Por isso, quando aparece no homem, rapidamente chama a atenção. Por que o foco das campanhas é, em sua maioria, para as mulheres? Em decorrência da maior frequência dos casos serem registrados no sexo feminino. O fato de dar tanta importância midiática ao câncer de mama, mais que se dá para outras doenças, como o AVC, ou o aneurisma, ou câncer de pele, está interligado a questão estética feminina, na busca pelo eu “exterior perfeito”, como a colocação de próteses de silicone para deixar os seios grandes e sexys? Não. Na verdade, a importância midiática é em decorrência da grande incidência e da grande mortalidade que esta doença apresenta. Além disso, há a possibilidade da grande curabilidade que ela tem quando diagnosticada precocemente.

A prótese de silicone é a principal causa do câncer de mama? Se negativa, qual a principal causa e como evitá-la? A prótese de silicone não é causa do câncer de mama. O câncer de mama é um câncer hormônio dependente e o estrogênio parece ser o grande vilão. Quanto maior e mais prolongada for sua ação na mama, maiores serão os riscos. A forma de evitá-la é diminuir este tipo de ação, por exemplo: gravidez e amamentação antes dos 25 anos. Por que se realizam tantas campanhas de âmbito nacional para promover a prevenção? O câncer de mama é a neoplasia que mais mata as mulheres, este já é o motivo suficiente para a realização das campanhas. O diagnóstico precoce pode diminuir em até 35% a mortalidade pelo câncer de mama. Qual a relação do câncer de mama com o aleitamento materno? Quem tem câncer de mama pode amamentar? A mama se desenvolve até os 25 anos em média. Tudo que atuar nesta mama, neste período de desenvolvimento, reverbera em mais ou menos risco. Por exemplo, a gravidez e a amamentação até os 25 anos protege mais do que aquela mais tardia. A Internet e as redes sociais têm facilitado o acesso sobre as informações do câncer? Certamente, elas são hoje estratégias fundamentais na divulgação do conhecimento.

Revista Expansão

Dezembro/2011

65


esporte

Política da solidariedade Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Lu Freitas/Especial

Deputados federais e um senador se mobilizaram para arrecadar recursos para Apaes do Rio Grande do Sul, iniciativa ganhará cronograma em 2012

D

66

Revista Expansão

Dezembro/2011

Samuel Bizachi/Divulgação

eputados federais, um senador e amigos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de São Leopoldo e Canoas mobilizaram a região metropolitana de Porto Alegre em prol da solidariedade. O atrativo principal foi a presença do Baixinho, o tetracampeão mundial de futebol Romário Nazário, também deputado federal e defensor da causa das Apaes, em virtude de ser pai de Ivy, 6 anos, portadora de Síndrome de Down. Em um final de semana de muito calor, em 5 e 6 de novembro, os deputados e amigos das Apaes, entre representantes das comunidades, participaram ativamente dos jogos e fizeram “bonito” para um público, que somando nos dois jogos, chegou a mais de dez mil pessoas e as desavenças partidárias, se existem, foram deixadas de lado em prol da solidariedade. Toda a venda dos ingressos foi revertida para as Apaes de cada município. O deputado federal Alexandre Roso, de São Leopoldo, idealizador da proposta, destacou que para 2012, será elaborado um cronograma para que se beneficie outras Apaes no restante do Brasil. “É o que podemos fazer depois dos escândalos que aconteceram e estamos mostrando que podemos fazer algo pela nossa comunidade”, disse Roso. Segundo o deputado federal Júlio Delgado, o time dos deputados esportistas tem 17 convites para atuar em campos de todo o Brasil e levar a solidariedade às pessoas que necessitam. “A política faz com que possamos criar momentos como esse, de solidariedade e alegria”, ressaltou Roso, durante a coletiva com Delgado e Acelino Popó.


Aimoré No Estádio Cristo Rei, o Aimoré, em São Leopoldo, o movimento do público foi grande. Romário foi muito aplaudido e jogou apenas no primeiro tempo, se despedindo da plateia de quase 8 mil pessoas e se dirigindo ao aeroporto. O jogo resultou em 5 a 3 para o time da casa. “Quero dizer que essa torcida é também uma maneira de abraçar a causa das pessoas especiais”, afirmou o craque. Entre as personalidades, estavam o ex-goleiro Danrlei, o ex-pugilista Popó, bem como os ex-jogadores Fernandão e Christian. Popó disse que esta atitude dele (de estar ali) era pequena, mas que representava muito para a comunidade leopoldense, “então, isso vale a pena”. Os deputados federais da região Ronaldo Zülke e Renato Molling também jogaram no time dos deputados. A Apae leopoldense fez uma apresentação musical no intervalo do jogo e uma homenagem aos deputados esportistas pela iniciativa. Ela completou 50 anos em agosto deste ano e é a primeira entidade fundada no Rio Grande do Sul.

Revista Expansão

Dezembro/2011

67


estética & beleza

Os cuidados e as orientações Fotos: Divulgação

A remoção de pelos a laser é um técnica muito procurada, mas que depende de vários fatores para manter a durabilidade

P

êlos indesejáveis são um problema comum. Os métodos tradicionais de remoção de pelos incluem raspagem, clareamento, depilação e eletrólise. Esses métodos são limitados pela inconveniência da dor e, na maioria das vezes, não apresentam resultados definitivos. De acordo com a médica e doutora Eliandre Costa Palermo, secretária da Sociedade Brasileira de Dermatologia, recentemente, vários lasers e aparelhos de luz pulsada têm sido desenvolvidos especificamente para remoção de pelos, mas o grau e duração da redução dos pêlos dependem de vários fatores como: coloração e espessura dos pelos, localização, cor da pele, alterações hormonais e bronzeamento da pele. Os principais aparelhos de lasers utilizados para remoção de pelos são laser de diodo, rubi, alexandrite, neodymium, YAG, bem como das lâmpadas de luz pulsada. Esses aparelhos oferecem um potencial para um tratamento rápido e eficaz na redução permanente de pelos. Vejas as orientações da doutora abaixo:

Terminologia Remoção de pelos é um conceito que deve ser bem entendido. A redução de pêlo pode ser parcial ou total, temporária ou permanente. A redução temporária geralmente dura de 1 a 3 meses, dependendo da duração do ciclo do pelo e da área tratada. Ela ocorre sempre após o tratamento com laser, mas não é permanente por isso, deve-se repetir o procedimento outras vezes. A redução permanente é definida como uma redução significativa no número de pelos, estável por pelo menos 6 meses pós-tratamento. A depilação é feita em sessões para que o folículo piloso tenha tempo para se recuperar da lesão provocada pelo laser e reinicie um ciclo de crescimento normal, recebendo nova aplicação do laser e ficando cada vez mais fraco. É preciso fazer a distinção entre a redução permanente e a redução total de pelos. A remoção de pelos completa refere-se à ausência total de pelos, o que é muito difícil de conseguir com o laser. O mais habitual após um tratamento é uma redução grande dos pelos, geralmente seguida por uma repilação parcial, ou seja, é uma redução, porém não é ausência de pelos. Os pelos grossos e escuros são substituídos por lanugem (pelos finos, mais claros e que não crescem, como os encontrados em crianças). A remoção completa e permanente, não é facilmente atingida, e geralmente exigiria a realização de múltiplas sessões. Lembre-se de que os pelos claros e/ou finos não serão atingidos pelo laser.

68

Revista Expansão

Dezembro/2011


Guia de tratamento * Os pacientes não devem estar bronzeados antes do tratamento. A exposição ao sol após a sessão de laser deverá ser liberada pelo médico após o primeiro retorno. Lembrar que, como o tratamento é longo, é recomendável evitar exposição solar excessiva, sempre utilizando bloqueadores solares (FPS 30 ou maior). O uso prévio de filtros solares permite uma remoção mais eficiente e menos dolorosa a cada sessão. O uso prévio de substâncias descolorantes como a hidroquinona associada ao ácido retinóico pode ajudar a diminuir o bronzeamento e evitar complicações. Entre quatro a seis semanas antes do tratamento o paciente deve parar de depilar ou arrancar os pelos com pinça na área a ser tratada. A presença do pêlo no interior do folículo piloso no momento da exposição ao laser aumenta a eficácia do tratamento. A raspagem, o clareamento dos pelos e os cremes depilatórios são permitidos. Uso de soluções tópicas autobronzeadores ou bronzeamento artificial também deve ser descontinuado nesse período. Doenças como herpes simples perioral ou genital devem ser relatadas ao médico, para que ele introduza tratamento profilático. Pacientes com vitiligo, líquen ou psoríase, podem notar lesões nas áreas tratadas com aplicação do laser. Quelóide ou cicatriz hipertrófica não são contra-indicações absolutas ao tratamento, mas exigem um tratamento menos agressivo. Pacientes em uso de isotretinoína oral devem esperar seis meses após o término do tratamento para iniciar as aplicações do laser. As alterações hormonais não excluem a possibilidade de tratamento. Quando detectada alguma alteração hormonal que justifique a hipertricose (excesso de pelos), o laser pode ser iniciado, mesmo antes do tratamento hormonal para que se atinja o maior número de folículos possíveis. Se a alteração não for controlada, ela pode comprometer os resultados em longo prazo. É fundamental nesse caso que o paciente seja alertado sobre a possibilidade de nascimento de novos pelos. Este tratamento não deve ser realizado em gestantes.

Dia do tratamento A área a ser tratada será fotografada para facilitar o acompanhamento do tratamento; No caso de depilação de pernas e virilha seria ideal que o paciente já viesse de casa com os pelos previamente raspados, com um ou dois milímetros (raspar no sentido do pelo).

Demais áreas não devem ser raspadas para facilitar a visualização e evitar áreas de escape. A cor da pele e o tipo do pelo são indicativos de maior sucesso no tratamento. Em geral, os resultados tendem a ser melhores quanto mais clara for a pele e mais escuro e grosso o pelo. Tatuagem, maquiagem definitiva, efélides e nevus podem ser clareados ou distorcidos após o tratamento com o laser no local.

Técnica O tratamento de remoção não costuma ser muito doloroso. Normalmente, uma bolsa de gelo após o tratamento costuma ser suficiente. Para os pacientes com maior concentração de pêlos, ou no tratamento de áreas mais sensíveis, uma substância anestésica tópica pode ser aplicada. O uso de anestésico injetável normalmente não é necessário. Maquiagem e cremes devem ser removidos da área a ser tratada. Os pelos da área a ser tratada devem ter apenas alguns milímetros, o suficiente para que sejam visíveis, evitando assim que haja áreas sem tratamento. A presença de pelos longos, além de não aumentar em nada a eficácia do tratamento, aumenta a dor e as chances de efeitos colaterais. No caso da área apresentar uma concentração muito grande de pêlos como axila ou barba masculina, os pelos podem ser completamente raspados, pois toda a superfície deve ser tratada. A resposta ideal imediatamente após a aplicação do laser é a presença de eritema e edema perifolicular, e em alguns casos carbonização dos pelos (pontos negros visíveis), mais acentuada nos pacientes com o pelo mais escuro, e mais seletiva nos pacientes de pele mais clara. Nos pacientes de pele mais escura é normal certo grau de eritema na pele entre os folículos pilosos, porém nenhum grau de lesão epidérmica, como bolhas, deve ocorrer. O próximo tratamento deve ser realizado após a repilação completa, pois é importante que o pelo esteja presente. Não há qualquer indício de que tratamentos precoces antes da repilação sejam benéficos. A fluência do tratamento subsequente deve ser aumentada ou diminuída de acordo com os resultados e a presença de efeitos colaterais. A porcentagem de perda de pelo é maior com o uso de fluências mais altas, porém aumenta o risco de efeitos colaterais e queimaduras, por isso sempre iniciamos com energias baixas e vamos aumentando. Por motivo de segurança e garantia, todo paciente deve assinar um termo de consentimento, confirmando que foi devidamente esclarecido pelos profissionais responsáveis, pelos procedimentos quanto ao tratamento, número de sessões e expectativas de cada tratamento.

Revista Expansão

Dezembro/2011

69


ESTILO & ATITUDE Por Maggda Mombach

“O que me preocupa não é nem o grito dos violentos, dos sem caráter, dos sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.”

Executiva de Negócios em Moda E-mail e msn: maggdamombach@hotmail.com

(Martin Luther King)

Nascida em 19 de maio, Catarina Kayser é mãe - coruja do Marco Gregório, 27 anos, do Luis Paulo, 23, do Fernando Henrique, 20, e do Carlos Vinicius, 18. Casada com Carlos Kayser, formam um dos casais de empresários mais queridos, atuantes e bem sucedidos da nossa região. Filha de Reinwald e Hulda Schnorr, ela nasceu em Campo Bom e adotou Novo Hamburgo como cidade para viver. Cursou Administração de Empresas na Feevale. Autodidata, em 1987, inaugurou a primeira das nove lojas físicas Katy Calçados, além de contar atualmente com uma loja virtual. Sempre focada na satisfação dos clientes - internos e externos - investe constantemente no aperfeiçoamento de sua equipe, cujos resultados se refletem no comprometimento de seus colaboradores, e nas premiações recebidas, entre elas, a distinção em Marcas que Marcam. Katy destaca-se, no meio empresarial, por ser uma mulher de atitudes pró-ativas, que, além do envolvimento comercial, norteia seus princípios, em prol do auxílio dos menos favorecidos, engajando-se em nobres causas sociais. Um grande homem: meu esposo, Carlos Kayser  Uma grande mulher: minha mãe, Hulda Schnorr Essencial para sua vida: minha família Ter estilo é: ser eu mesma, sempre

CD: John Lehnon

Livro de cabeceira: Vendedor de Sonhos (Augusto Cury)

Bebida: Café com leite

Perfume: Presence Mont Blanc

Não vivo sem: Sapatos e bolsas

Amuleto: Terço e crucifixo, benzidos pelo Papa com os Paixão: (foto

filhos)

Estilo & Atitude by Katy: Família, fé, amor e trabalho em equipe

70

Revista Expansão

Dezembro/2011

Fotos: Fábio Winter/Especial

Katy Kayser


Revista Expans達o

Dezembro/2011

71


cobertura

Joalheria Coliseu inaugura loja com lançamento de coleção A noite de 22 de novembro foi especial no Bourbon Shopping, em Novo Hamburgo (RS), pela abertura oficial e lançamento da coleção Nature Verão 2012, em joias, relógios e óculos solares da Joalheria Coliseu. O evento contou com inúmeros vips hamburguenses e de demais cidades da região. Muita espumante e iguarias finamente preparadas pela equipe de Neca Thoen e o bem receber de Luiz Bernardo Spunberg e sua equipe, abrilhantaram o encontro de sofisticação e requinte. Contando com a assessoria de Zita Pereira, os convidados foram encaminhados para o melhor da recepção: o desfile dos maravilhosos produtos da Nature Verão.

72

Revista Expansão

Dezembro/2011


Revista Expans達o

Dezembro/2011

73


COLUNA SOCIAL Por Zita Pereira Colunista social zitapereira@revistaexpansao.com.br

Que o Senhor derrame as suas preciosas bênçãos durante o Natal e o Ano Novo!

Caixinha de Surpresa Natal Cada ano é diferente Ano fácil ou difícil Ano de alegrias ou ano de desafios Todo o ano é diferente. A gente erra e acerta, Nasce e morre Perde e resgata, Esquece, lembra, ri e chora, Sonha, sofre, perdoa, enfrenta. Todo o ano é diferente... Mas uma coisa, porém é sempre igual: A gente sempre sonha em construir um mundo melhor Com paz, amor, prosperidade e saúde para todos. Que neste Natal e no próximo ano a vida seja repleta de afetos e saúde... que, literalmente, seja uma caixinha de muitas, boas e grandes surpresas!

Espaço de luxo

Assim como mudam as estações, o Espaço Liziane Richter também mudou. Mudou de endereço, mudou o layout, mudou de tamanho, mudou para melhor. Para exibir a nova casa, na Onze de Junho, no mesmo bairro Vila Rosa do endereço anterior, recebeu em duas etapas. Convidou a imprensa para encontro seleto durante café da manhã e na noite seguinte novamente abriu as portas da maison, que está um luxo, ampla e chique, para centenas de convidados. Flores e elogios não faltaram para as estilistas e diretoras da grife que fez fama no País e no mundo e a circulação foi intensa, tudo ao som do repertório do DJ Rubinho, the best, o bamba, o maioral no comando das carrapetas – o melhor da música com as melhores da moda em couro. Liziane e a bela filha Camila – um mulherão - assinam a quatro mãos a coleção verão 2012 que está super fashion e multicor. São shorts, jaquetinhas, bolsas, carteiras, vestidos, sandálias, rasteirinhas, acessórios e otras cositas más que complementam o visual e o guarda-roupas feminino. Tudo em couro. Nobre, diga-se.

Aquele cheirinho de roupa no varal, casa limpinha, comida gostosa! Aquele abraço quente que aquece por dias, meses. Tomara que este espírito de Natal nos acompanhe por todo o Ano Novo!

Neste Natal Viva Víva o milagre dentro de você: A PAZ • NOVO HAMBURGO • CAMPO BOM • SÃO LEOPOLDO • SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ

74

Revista Expansão

Dezembro/2011

Central 24h 3594.6350

� ��ame �a�orat�rio dese�a a todos �m �eli� Natal e �m ��celente 2�12


Enquanto repaginava o atual espaço, Liziane e o marido, Ruben Berlitz, deram uma esticada ao Nordeste para dias de far niente à beira-mar e ver as tendências brasileiras de moda praia. De volta do rápido roteiro, foi a vez de Camila, que é formada em Moda, voar para circuito rápido pelos Estados Unidos em férias com o namorado, Luís Paulo Kayser. Nova Iorque foi o foco principal, onde ela, com sua visão peculiar captou o estilo street dos americanos. Na volta, mãe e filha foram à Itália, junto a grupo de empresários gaúchos ligados ao setor coureiro, visitar a Mican, famosa feira de Milão, que mobiliza tendências. De lá, seguiram para Espanha e França para pesquisa de moda. Em seguida da apresentação da Maison, Camila, que herdou cem por cento o talento da mãe, foi quem, novamente, viajou para o berço da moda em missão de prospecção de negócios para o Vale do Sinos, a convite do Sebrae, representando o setor de vestuário e artefatos de couro. Multifacetadas, movimentam o setor aqui na cidade e estão em ligação direta com o que é in no Brasil e no mundo. Fazem toda a diferença.

Melissa Machado/Divulgação

Circuito de moda e negócios

Atmosfera parisiense

A Paris de Isabela: noite inspirada no luxo da capital francesa

A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida...

Para anotar

Um toque de classe a mais na reinauguração do Espaço Liziane Richter: blocos de anotações em couro, nas cores da moda, em caixas personalizadas, foram presentadas à imprensa. Apenas um pequeno luxo... Na festa noturna, o mimo para as convidadas que estivessem vestindo a marca delas foram espelhinhos forrados com couro pelos pequenos atendidos pelo Núcleo Amigos da Criança, oficina de trabalhos manuais do Santo Afonso. Atitude, elegância e boa ação ao alcance dos olhos e das mãos.

A atmosfera parisiense tomou conta do Espaço Tao, com direito a petit café ambientado tal os da capital francesa, Torre Eiffel e outros muitos detalhes que remetiam à Cidade Luz. Na entrada, uma réplica do icônico ponto turístico francês, com nove metros de altura, dava acesso ao salão. Luzes, muitas luzes, lembravam a cintilante cidade tema dos 15 anos da toda linda Isabela Brandão da Silva. Na composição do dècor, obra-prima de Soely Jancenowski, torres de diversos tamanhos e materiais, mobiliário e tapetes inspirados no luxo parisiense completaram o clima. Com gosto e personalidade definidos, Isabela fez de sua festa uma grandiosa noite e tudo levou a cenas de clássicos filmes. Lígia e Clódio com sua elegância e finesse únicos, debutaram sua caçula esplendorosamente, colocando a ocasião entre as mais nobres dos últimos tempos. Para dar início à festa, pai e filha dançaram magistralmente Waldteuufel Ange d’amour valse. Bailarina nata, a aniversariante dançou a Valsa do Imperador com o bailarino e coreógrafo Everton de Nunes – também professor de jazz e dança contemporânea no Domus, onde ela é aluna das mais aplicadas e promissoras -, com sapatilha de ponta, mais uma vez, o glamour e classe se sobressaíram. Foi um dos grandes momentos da noite de muitas facetas. Sempre elegantes no vestir e no agir, Lígia e Clódio receberam os convidados junto da filha mais velha, Isadora, especialmente bela em curto vermelho. Família harmoniosa e perfeita, esteve impecável. Com seus respectivos trajes – a mãe em longo em tons verde e dourado, Isadora de vermelho, Isabela de dourado e o pai de terno escuro -,só reforçaram, no visual, o luxo de suas atitudes. A chegada de Isabela ao Tao mais uma vez lembrou a chique Paris, bem como as lembrancinhas, fragrância Dolce&Gabanna Light Blue em vidros e embalagens personalizadas com cristais, que também aromatizou o Espaço. O clã chegou em dois carros antigos, um deles conversível, ambos da numerosa coleção do anfitrião. Clódio e Lígia encerraram o ciclo de apresentação de suas herdeiras com a marca registrada deles: classe e finesse! A festa de Isabela foi única e incomparável: o luxo do luxo, assim como a eterna Paris.

Revista Expansão

Dezembro/2011

75


Rute Arcari/Divulgação

Três em um

Betinho Finotti reuniu grupo de amigos para festejar aniversário, quando a trupe aproveitou para desejar felicidades a ele e a Roberta Gomes de Oliveira pelo casório. Os cumprimentos foram tipo três em um. O Parabéns foi cantado também para Juliana Scherer, que igualmente esteve de aniversário e foi anfitriã junto com a dupla récem-casada. Felizes, eles redecoraram a casa para ficar com o perfil de ambos. A noite foi de brindes e muuuito bate-papo que, literalmente ecoou pelo salão de festas do prédio onde o casal de bonitos mora – pelo barulhão, deve ter ecoado pela cidade toda. Reunião de amigos de longa data, foi encontro de bacanas, que só reforçou que quem tem amigo, tem tudo.

Ria alto, fale bobagens, grite na janela, dance na chuva, sonhe grande faça 1000 desejos, tome coragem.... Seja Feliz!

Prova de competência

Este ano que se encerra foi de glórias e coroação para o desempenho de Gladis Sarquiz como comandante da Pingo de Gente. Com agenda lotada, ela comemorou bem a seu jeito - intenso - os 35 anos da maternal que já formou pais e filhos e fazem da Pingo a extensão de suas casas. É assim que todos se sentem na escola que é o reflexo dela. A Pingo de Gente é regida pela competência, entusiasmo e alegria de sua mentora. Isto e muito mais é o que se encontra na escola de Educação Infantil e quem lá chega não sai mais, o vínculo é permanente, para vida toda. Todos, pais, alunos, amigos e quem mais tem acesso à super completa, bem dirigida e estruturada escola são eternamente Pingos de Gente.

76

Revista Expansão

Dezembro/2011

Cenas de revista O casamento de Carolina Nascimento e Gustavo Leal foi da maneira que ela, viajada e antenada, idealizou. A Vinícola Laurentia foi templo do sim, que teve cerimônia comandada pelo celebrante Maurício Ehrlich entre os parreirais, ao som de duo de violinos. Encerrado o ritual, os convidados foram conduzidos ao coquetel sob figueira centenária, onde os pais Sinara e Paulo Roberto Nascimento e Tânia Maria e Aldo Leal os recepcionaram , quando os temas foram embalados pela música do trio liderado pelo cantor Samuca. O jantar foi no salão principal, que teve exclusiva decoração em branco, quebrada por pinceladas de azul em sutis estampas e listras, castiçais de prata e uma árvore iluminada a laser, montada artesanalmente, lembrando um pessegueiro florido. Tudo o que cercou o casamento deles foi ímpar, incluindo as lembrancinhas trazidas pela noiva de Nova Iorque – caixinhas em ratan contendo corações de papel, que ao contato com a água se transformam em sementes e estas em amor-perfeito. Com mil e um detalhes, contou ainda com cachaçaria, a música do DJ Chaleco, mesa de águas aromatizadas, com copos e jarras em cristais antigos em várias nuances, e muita sofisticação. Linda como nunca, Carolina foi ao encontro de seu amor com vestido de corte impecável assinado pela estilista americana, com ascendência chinesa,Vera Wang. O dentista Paulo Roberto do Nascimento, elegante, entregou a herdeira ao genro, que foi recebida com emoção por ele, igualmente impecável, bem como seus pais, que deram show de classe ao vestir e receber – Sinara esteve especialmente bela em longo prata. Com despedida de solteira no Rio de Janeiro, várias viagens à Nova Iorque para compras e provas do vestido, a ortodontista teve o casamento dos sonhos. Foram cenas de revista. Da escolha das músicas ao eclético, chique e moderno dècor, com misturas bem estruturadas de materiais. Foi festa para ilustrar editoriais de decoração. Os elogios repercutem e colocam a boda no topo da lista dos acontecimentos do ano.

Mil vezes sim: Carolina e Gustavo, feitos um para o outro


A odontopediatra e ortodontista Letícia Beilke e o representante comercial Luiz Felipe Schneider casaram na Igreja Nossa Senhora da Piedade, em Hamburgo Velho, cercados por elegante assistência. A filha do pediatra Mauro Beilke e da professora Maria Tereza e o herdeiro dos representantes comercial Rolf e Nelci Schneider disseram o esperado Sim um ao outro diante de cerca de trezentos convidados que, após a benção religiosa, foram recebidos no Restaurante Panorâmico da Fenac, onde a refinada festa se estendeu em cumprimentos e danças. Na decoração, em vários detalhes notou-se o toque da habilidosa mãe da noiva, que fez os porta-guardanapos: rosas em organza em dois tons de cor-de-rosa, com material que pertenceu à bisavó de Letícia, que mostrou que herdou a arte das matriarcas de sua família, auxiliando na execução dos suportes para os guardanapos. Os bem-casados, feitos pelas duas mães, tiveram o toque final da noiva. A seis mãos eles embalaram com requinte os finos doces. Personalizada, a festa contou com uma grande imagem de um Santo Antônio. Em vez do buquê, a noiva jogou um sapo-príncipe e todas as solteiras ganharam uma medalhinha do santo casamenteiro. Com o perfil romântico e clássico da linda noiva, predominou a cor rosa - a preferida da linda jovem senhora Luiz Felipe, que não trocou seu sobrenome. A boda, que contou com a música de Pheijão na recepção, foi regida pela trilha de diversos temas que marcaram época, bem ao estilo conservador de Letícia, que entrou na igreja ao som da Marcha Nupcial. Ao invés da valsa, abriu a pista com Chuva de Prata, na voz de Gal Costa, e quer para seu casamento as mesmas bases que marcam a união de seus pais e sogros: amor, respeito e cumplicidade.

Seleta lista

Vinte gaúchos de fino trato e dinheiro no banco receberam convite para a inauguração da loja Hugo Boss, no Iguatemi, em Porto Alegre. Nada de anormal. Só que o convite destes privilegiados veio acompanhado de uma Möet Chandon personalizada por um artesão que veio de São Paulo para colocar cristais, um a um, e customizar em Swaroviski os nomes dos seletos clientes. As garrafas deveriam ser entregues somente a homens, mas uma exceção foi feita e apenas uma mulher fez parte da exclusiva lista. O motivo? As muitas e constantes compras feitas por ela para o marido. Eu queria – e sei que todas gostariam de saber quem é a exclusiva madame.

Fotos: Divulgação

O clássico sim de Letícia e Luiz Felipe

Letícia e Luiz Felipe: “como nossos pais”

Presentes, festas, comemoração, alegria, diversão... Mais do que isso é o fato de sabermos que a magia da vida continuará e que essa energia contagie cada momento desse ano novo que vem por aí.

Caveiras

Marca registrada de Alexandre Herchcovitch, as caveiras voltaram com tudo e fazem look eclético de céticos e modernosos. Em colares, pulseiras, camisetas, vestidos, lenços e até em meias, as nada assustadoras imagens se tornaram as estampas fofas da hora. Quem quiser estar na onda tem que ter, pelo menos, uma caveira no guarda-roupas. A pecinha básica da foto, em ouro amarelo e ouro rosa, é cravejada de pedras preciosas. O mimo pode ser conferido todas as noites na mãozinha da piriguete Teodora, interpretada pela toda bonitinha Carolina Dieckmann em Fina Estampa. O anel da designer Julia Monteiro de Carvalho, já entrou pra nossa lista de desejos!

Revista Expansão

Dezembro/2011

77


Eles são campeões, de novo!

Que a essência do Natal possa renovar em nossos corações os mais belos sonhos.Que o encanto desta época seja o renascer da esperança na busca de uma vida repleta de realizações.

Com o marido sempre viajando mundo, a linda engenheira química Letícia Velho, resolveu fazer circuito cultural pela Europa. Inglaterra, Paris e Amsterdã fizeram parte do programa da temporada de estudos e aperfeiçoamento da língua inglesa. Com viagem de trabalho para a China, antes do destino, o maridão Cristiano Velho, químico e campeão de punhobol, fez pit stop em Amsterdã para encontrar a amada. Juntinho, o casal de bonitos fez tour pela romântica capital da Holanda em segunda lua-de-mel. Depois, cada qual seguiu seu roteiro. De volta pra casa, retomaram a rotina de trabalho, os encontros com os amigos e o bate-ponto na Ginástica. Dupla de queridos: perfeita e afinada.

Fotos: Divulgação

O time masculino adulto de punhobol da Sociedade Ginástica, atual campeão brasileiro, acaba de conquistar o título de campeão Sulamericano em território chileno. Implacáveis em campo, em Llanquihue, os jogadores, o suíço Cyrill Schreiber, Marcelo Schmidt, os irmãos Bruno e Mateus Lammel, Luís Henrique Poersch, Francisco Schmidt, Rodrigo Velho, Daniel Becker e Leandro Fleck, comandados pelo técnico Marco Antônio Schmidt, venceram com força total e mostraram o poder do punhobol ginasticano. O timão, também campeão mundial, trouxe o troféu e o próximo mundial para Novo Hamburgo. Ano que vem, a Sociedade Ginástica será palco do maior acontecimento esportivo do gênero, o que é mais um ponto no placar da cidade. O time adulto feminino também voltou do Chile com honraria. O grupo formado por Janaína Ferraz, Silvia Lachnit, Cristiane Bohn, Mariana Schmidt, Cecília Schmidt e Mariana Süffert, trouxe a medalha de prata que, para nós, vale ouro!

Encontro na Holanda

Juntinhos e felizes: clima de romance em Amsterdã

Em fase de produção

Um privilégio para poucos

A direção da Mosmann recebeu, com coquetel, os moradores do Privilège Residence, mais uma suntuosa obra da Construtora, erguida no metro quadrado mais caro e cobiçado da cidade: a Avenida Maurício Cardoso. O Privilège é apenas um dos muitos empreendimentos da incorporadora da grife Mosmann, que mês passado completou 88 anos de solidez edificando memoráveis monumentos da elitizada construção civil.

Trio à frente de grandes negócios: Henrique Mosmann Júnior, Nalia dos Santos e Júlio César Schaeffer na noite de entrega de prédio de luxo na avenida mais nobre da cidade

78

Revista Expansão

Dezembro/2011

Evandra Zandavalli chegou na cidade, se instalou na Lima e Silva com sua loja e ficou. Há oitos anos, ela faz moda por aqui e o maior sucesso com sua Drops de Menta. Repleta de cores para o verão, a loja, totalmente repaginada, exibe todo o bom gosto de sua dona nas escolhas das coleções que ocupam as araras, prateleiras e a grande vitrine que emoldura a boutique e diz com todas as letras e cores o que tem no interior do prédio: moda da mais pura qualidade, estilos diversos e gosto eclético e elitizado. Recentemente, Evandra reuniu um monte de gente bonita, dentro e fora da loja, para todo mundo ver de perto o que ela elegeu que vai ser o quente para a alta temporada urbana e marítima. De maneira bem peculiar, mostrou suas escolhas. Ela é chique no tratar e vestir. PS: Na mais recente produção dela, o marido, Márcio, também leva os méritos. No sétimo mês de gestação, Evandra, linda, espera seu menino para janeiro. Pietro, um aquariano dos bons vem aí.


Composto por suaves lâminas de tecido suspensas entre telas transparentes, que garantem charme e estilo ao seu ambiente. Combinação perfeita entre a elegância do tecido e a funcionalidade da persiana.

Revenda Talent Centurion Novo Hamburgo: ART WINDOWS (51) 3582.8899 Revendas Exclusivas Novo Hamburgo: AMBIENTAL (51) 3594-4092 São Leopoldo: ESPAÇO E COR (51) 3592-9089 Montenegro: PANO & CIA (51)3057-4511Sapiranga: CRIATIVA (51) 3599-2301 Revista Expansão

Dezembro/2011

79


flash Fotos: Divulgação

A advogada Aline Biasuz Suarez Karow e a estudante de direito Bianca Ligia Ferrigno Pecoella (BSK Advogados) estiveram, em novembro, no maior congresso de Direito de Família do mundo, promovido pelo Instituto Brasileiro de Direito de Família (Ibdfam), em Belo Horizonte (MG), onde aproximadamente 1.000 congressistas e acadêmicos estiveram debatendo as recentes alterações do direito de família brasileiro. Na oportunidade, a advogada fez contatos para publicação de sua dissertação de mestrado bem como aprimoraram seus conhecimentos e novas técnicas para oferecerem aos seus clientes. Estiveram palestrando o ministro do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio de Noronha; o presidente do Ibdfam, o advogado Rodrigo Pereira da Cunha, e a ex-desembargadora e vice-presidente do instituto, Maria Berenice Dias. Na foto, Aline, Maria Berenice, Cunha e Bianca.

80

Revista Expansão

Dezembro/2011

Everton Rosa/Equipe Staff/Divulgação

Direito

Rock in Rio

Gilson Thoen com os amigos no Rock in Rio, no Rio de Janeiro (RJ). Emoção que presenciou também em 1985, quando ocorreu a primeira edição do evento.

União matrimonial

Tanísia Böhm e Jean Hehn se uniram em matrimônio, em 5 de novembro, na Igreja Matriz São Pedro de Gramado, e a recepção foi na Sociedade Recreio Gramadense, em Gramado (RS).


Fabrício Barreto/Divulgação

Anos

Villa Antonietta

Localizado em São Leopoldo (RS), o espaço conta com uma bela construção em estilo campestre e amplo jardim, proporcionando ambientes que podem ser usados de forma integrada ou separadamente - salas grandes e pequenas. Comporta 140 pessoas na área interna da casa e, utilizando-se a parte externa, tem capacidade de acomodação de até 280 pessoas sentadas, com possibilidade de aumento. Possui estacionamento próprio e segurança. Pelo site www.villaantonietta.com.br, é possível visualizar os cenários do espaço. Na foto, os filhos Francisco, Flávia e Filipe com os pais Lúcia e Marco Antonio Paixão, na inauguração, que ocorreu em 1º de novembro deste ano.

hões c l o C | x o B Conjuntos Colchas | a m a C e Roupas d tores r e b o C | s Edredon beceiras a C | s o r i e Travess

Novo conceito de beleza

Fábio Winter e Lu Freitas/Divulgação

Imagens ilustrativas

Luiz Chaves/Divulgação

Com o objetivo de atender as necessidades de quem zela pela beleza, conforto e bem-estar, a empresária Ângela Maria Pippi inaugurou o SPA Angel’s, em 21 de novembro, em Caxias do Sul (RS). A Angel’s dispõe de espaço tranquilo e acolhedor reservado para a prática dos tratamentos físicos e astrais, como o pilates, manthus, bambuterapia e a massoterapia, além de outros que seguem a linha zen. Assinada pela arquiteta Sandra Pergher, a ambientação da estrutura de 700 metros quadrados ganha evidência com o mármore, o quartzo e a madeira, que sustentam a identidade da antiga construção caxiense. Na foto, o casal hamburguense Maico e Édina Steffen, ele responsável pela publicidade da empresa.

Casamento

Kaefer e Maicon Júnior Pinheiro casaramse em 12 de novembro, na Igreja da Nossa Senhora da Piedade, em Hamburgo Velho, em Novo Hamburgo (RS), e a recepção aos amigos e familiares ocorreu no Espaço Aplauso, em Campo Bom (RS).

A fotógrafa hamburguense Joana Birck, em momento único, com o doutor Robert Rey, conhecido como doutor Hollywood, por seu programa que leva o mesmo nome, onde mostra as cirurgias plásticas nos Estados Unidos. Ela registrou o momento que denomina de “relíquia”, em 20 de novembro, na Faro Bar, em Porto Alegre (RS), quando o cirurgião passou pelo Estado.

Divulgação

Doutor Hollywood

Pague com

Av. Pedro Adams Filho, 5010 | Centro | Novo Hamburgo Fone: (51)Revista 3581.2526 | www.adamssleep.com.br Expansão Dezembro/2011 81


CONFRARIA

Prata da Casa Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Fábio Winter/Especial

Primeira mulher a ser convidada para ser a chef da noite, é Zoka Neves, empresária do ramo gastronômico na região metropolitana

A

chef Zoka Neves foi a convidada especial para a sétima edição da Confraria Expansão, que ocorreu em 17 de novembro, na Todeschini, em Novo Hamburgo (RS). Isso porque Zoka é a primeira mulher a ser convidada para preparar um cardápio ao público seleto da confraria. Há mais de 14 anos atuando na região metropolitana de Porto Alegre, Zoka começou a sua vida no ramo gastronômico em Novo Hamburgo, onde é muito requisitada e admirada. Os cerca de 40 convidados foram presenteados por ela, com um Rizoto de Pêras com Gorgonzola, acompanhado de saladas verdes, que ela fez questão de servir. Um menu à altura do evento, apreciado e aprovado por todos. Vinte e cinco profissionais fazem parte de sua equipe, cuja empresária administra com muita destreza. E não “puxando o saco”, Zoka sempre surpreende seus clientes, pois em seu atendimento a surpresa nunca lhe é inesperada. Ela sempre está preparada para enfrentar as “saias justas” dos eventos que atende, principalmente, quando surge uma necessidade de aumentar a quantidade do menu solicitado. E faz isso com muita simpatia e paciência, qualidades que consagram o Zoka Buffet como um dos melhores serviços de gastronomia da região.

Parabéns à Todeschini Durante o evento, na noite de quinta-feira, ela surpreendeu a todos servindo alguns convidados na mesa. Alguns prestigiaram o cardápio à moda buffet. Em meio ao jantar, todos trocaram ideias, informações e ainda realizaram bons negócios. Antes disso, uma pequena cerimônia foi realizada no interior da Todeschini. A loja completou 12 anos em novembro e um Parabéns a Você!, com direito a brinde de champagne, foi realsizado. O casal proprietário da Todeschini, Remi e Beatriz Dupont, agradeceu a presença de todos e a parceria com a Revista Expansão, além de fazer uma analogia do seu empreendimento com um adolescente, que neste momento, passa a atingir uma idade com uma pitada de rebeldia e que precisa ser melhor e mais orientado. “Estamos atingindo um sucesso, com novidades de empreendimentos que estão surgindo e que precisamos avaliar se queremos tomar este caminho. Então, temos que, às vezes, dar uma freada, como se faz em um adolescente de 12 anos, para saber para onde investir melhor”, explicou Dupont. O presidente da Confraria Expansão, Luiz Alberto Anschau, parabenizou a loja e também lembrou que a Zoka é parceira dos chefs que assumem a tarefa de cozinhar na confraria. O Zoka Buffet é responsável

82

Revista Expansão

Dezembro/2011

pelo atendimento (garçons, bebidas e salgadinhos) e auxílio aos chefs nas edições da confraria. “Ela é imprescindível para deixar-nos mais tranquilos, porque na hora a gente fica nervoso, e não tem quem não fica, ao cozinhar para cerca de 70 pessoas (média de convidados da confraria)”, disse Anschau. O diretor comercial da Expansão, Sérgio Jost, também agradeceu a todos pela presença e destacou a primeira mulher a cozinhar no evento. Zoka agradeceu a todos pelo carinho.


Veja +

http://www.youtube.com/watch?v=YieS5f9J_rE

Revista Expans達o

Dezembro/2011

83


Lazer & cia

À moda italiana Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Graziela Dannenhauer/Especial

Piatto di Nonno Ristorante traz a tradição e a típica comida colonial em um ambiente moderno e sofisticado

B

om gosto e comida de qualidade são alguns dos quesitos básicos apresentados pelo Piatto di Nonno Ristorante, localizado em São Leopoldo (RS), no Vale do Sinos. Ao entrar na casa que acolhe a cozinha e as mesas de atendimento, objetos de decoração italiana compõem o ambiente que apresenta de antemão um cenário de personalidade forte, refletido nas cores da estrutura – vermelho, verde e branco. São peças únicas, como fotos antigas de família, peças de louças, armários e cristaleiras que decoram as salas. Demais artigos foram obtidos em antiquários para contemplar o ar italiano, mas com muito requinte e sofisticação. Os proprietários desse restaurante são o casal Paulo Roberto Taufer e Sônia Maria Braga e as irmãs Raquel Braga e Anita Braga. O quarteto prima pela qualidade no atendimento. “A comida é toda artesanal, nada é industrializado. A massa é produzida por nós, o capeletti também, tudo com aquele “segredinho” de nonna (avó em italiano)”, conta Taufer. São oito tipos de massas, rondelli, tortei, lasanhas, canelones, polentas fritas e brustoladas, sopa de capeletti, queijo, ga-

84

Revista Expansão

Dezembro/2011

leto ao primo canto, costela de porco, calabresa, bife de gado e frango e coração de galinha. E com opções de menus diferenciados - executivo, econômico e rodízio.

Tradição A história do empreendimento gastronômico é tradição de família. O pai de Sônia, há 40 anos, abriu um restaurante em Rondinha, perto de Passo Fundo, no Planalto Médio. “E desde então a família toda seguiu o mesmo destino. Tenho um irmão que também tem um restaurante, mas em Novo Hamburgo”, conta Sônia. E como os negócios estão na veia familiar, desde o mês passado, foi inaugurado um deck para a realização de happy hours, na área externa, para o empreendimento que funciona desde março deste ano. Com tele-entrega e uma vasta carta de vinhos (chileno, argentino, uruguaio, italiano, francês, português), o restaurante funciona ao meio-dia, de terça a sábado, e à noite, de terça a domingo, na Avenida Mário Sperb, 1.173, no bairro Jardim América. Informações www.piattodinonno.com.br.


BR 116, 4751 | RincĂŁo | Novo Hamburgo Aberto de segunda a domingo, das 9h Ă s 19h 51 3582.0035 | comlines.com.br

/comlines.tramontina | @comlines | #brilhodenatalcomlines | #abertoaosdomingos | #maiorlojatramontinadobrasil Revista ExpansĂŁo

Dezembro/2011

85


hobby

Alquimia

artesanal caseira Por Vera Fernandes | Fotos: Vera Fernandes/Especial

A fabricação caseira e artesanal de cerveja apaixona gente de todas as profissões, e se torna um passatempo que reúne cada vez mais adeptos

A

dvogados, contadores, músicos, designers, publicitários, analistas de sistemas, corretores de seguros, todos reunidos para apreciar e apresentar sua criação. Para degustar, outra leva de gente, de profissões diversas, mas com uma paixão em comum: a cerveja artesanal. Para ficar atrás dos balcões improvisados no 6º Encontro Aberto para degustação, promovido pela Associação dos Cervejeiros Artesanais do Rio Grande do Sul (Acerva), em 23 de outubro, no Centro de Eventos Casa do Gaúcho, no Parque Harmonia, em Porto Alegre (RS), havia apenas uma exigência: o produto tinha que ser, obrigatoriamente, artesanal, e principalmente caseiro, feito por gente que só produz, quando não tem nada para fazer, e para atender a demanda de amigos e da família. Nas filas dos barris, cerca de 1,1 mil pessoas foram contabilizadas pelos organizadores do encontro. Naquele espaço, água era encontrada por toda parte, mas somente para lavar os copos, entre uma degustação e outra, dos 2,6 mil litros de cerveja, trazidos pelos cerca de 50 expositores. “Foi o maior de todos os encontros”, explica o presidente da Acerva, o engenheiro eletrônico Paulo Dalla Santa. Segundo ele, assim como o público cresce a cada evento, também aumentam os adeptos deste hobby. “São dois encontros por ano, desde 2008, o primeiro teve cem participantes e três expositores. Hoje os ingressos sempre se esgotam antes e a demanda é sempre maior do que a cerveja disponível”, explica.

Dalla Santa afirma que cresce o público a cada ano

86

Revista Expansão

Dezembro/2011

Carin e Biermann se conheceram no segundo Encontro Aberto

O encontro que uniu duas paixões “Nossa história se mistura com a da fabricação da cerveja”, diz Carin Horst, junto do marido, Sandro Biermann, que conheceu no 2º Encontro Aberto, em 2008. “Não sei se ele se apaixonou por mim, ou pela cerveja”, conta. Na casa dos dois, que são analistas de sistemas, no bairro Tristeza, em Porto Alegre, a lavanderia foi transformada em cervejaria, onde são produzidos 140 litros de cerveja Horst & Biermann semanalmente. Já para Ronaldo e Ellionor Nast, ele corretor de seguros, e ela, desenhista, os encontros são uma festa. Os dois são fundadores da Acerva e idealizadores da Kom Bier, um veículo estilizado que passeia nos eventos, levando a arte feita pelos cervejeiros caseiros. “Somos apaixonados por cerveja, desde sempre”, contam. O biólogo Pedro Joel Silva da Silva Filho teve sua bebida aclamada pelo público. A fila para degustar a Double Weizen (uma cerveja em estilo inglês com lúpulo e malte equilibrados) era grande. “Qualidade e variedade a gente encontra na artesanal”, explica o artesão da bebida. Kássia Letícia Andrades, de 25 anos, detestava cerveja, e foi com o namorado apaixonado pela bebida, André Farina, 32, que aprendeu a gostar. Ele é tão aficionado, que usa até na gastronomia, com receitas de pizza e risoto, onde um dos ingredientes é a cerveja. O casal não estava expondo no encontro, mas também fabrica sua própria bebida.


Afinal, qual é a melhor?

Nast e Ellionor foram fundadores da Acerva

A Acerva foi criada para congregar produtores de cerveja artesanal, que o fazem como hobby. Nesta edição, a entidade promoveu o primeiro concurso estadual de cerveja artesanal caseira. Foram 72 inscritos e uma banca com 20 juízes, entre mestres cervejeiros, sommeliers de cerveja e profissionais certificados por ógãos internacionais. Vencedores do concurso, a dupla Jesael Eckert e o músico gaúcho Wander Wildner falaram sobre sua experiência. “Montei a fórmula há algum tempo, não para o concurso, mas para fazer uma boa cerveja, e aí convidei o Wander para produzir”, explica Eckert. Segundo ele, a fórmula foi inspirada no estilo irlandês. “Eu faço o trabalho sujo, a higienização”, brinca Wildner, afirmando que o mestre é Eckert. Para o cantor, o processo artesanal é folclórico. “Não interessa como vai ‘sair’ a cerveja, importa é que é um encontro cultural.” O segundo lugar no concurso das melhores do Estado ficou com Guenther Sehn, de Porto Alegre. Em terceiro, o grupo Zoé, composto por Tiago Cunha Rosa da Silva e Melissa Ramires Goulart; também de Porto Alegre; em quarto, Carlos Eduardo dos Santos, de São Leopoldo; e em quinto, João Marcelo Medina Ketzer, também da capital.

Wildner e Eckert: vencedores do concurso da melhor cerveja do Estado

Kássia e Farina usam cerveja até na comida

A curtição do processo produtivo

Silva teve a sua criação aclamada pelo público

O publicitário Cristiano Feltes, o modelista de solados Jurandir Grade Flor, e o professor de música Jean Marcell de Lima também estavam no Encontro Aberto para degustação, mas foi no Porão da Baita Bier, no bairro Pátria Nova, em Novo Hamburgo (RS), que foi feita a entrevista, durante as etapas de fabricação. Junto estava a auxiliar administrativa Janaína Flor , noiva de Lima e irmã de Grade. É ela que faz o marketing da Baita Bier, nos encontros, e para os amigos. “É preciso ter paciência, vontade, cuidado, e o principal é a limpeza. Higiene é fundamental, pois qualquer coisa pode estragar uma safra inteira”, explica Feltes, que detalha a fabricação da cerveja como um legítimo cervejeiro. Cada etapa da primeira fase da produção - que dura entre cinco e oito horas e inclui a mistura do malte moído na água quente, a brassagem (cozimento do malte para extrair os açúcares necessários à fermentação), a filtragem, o acréscimo do lúpulo e mais fervura em altas temperaturas -, é feita com um carinho especial. O restante do processo inclui a fermentação e a maturação e pode durar mais de duas semanas. No total, o trio produz em média 300 litros por mês de cerveja. Há cerca de dois anos, os três começaram a pesquisar o processo, que começou experimentando a cerveja artesanal. Depois disso, vieram as estruturações (todas também artesanais), ajustando o que tinham disponível com as necessidades. Isso incluiu panelões com acessos para mangueiras, por onde passa o líquido de um para outro através de bombas. Tudo inventado por Grade. É ele também o es-

pecialista das temperaturas, e são vários termômetros espalhados pelo local. Outra “enjambração” é a câmara fria (feita a partir de um baú refrigerado desativado, extraído de um caminhão e que agora tem um ar condicionado acoplado). “Se mantivermos o produto gelado, pode durar até quatro meses”, explica. Para todos eles, tomar cerveja não-artesanal é mais complicado agora. “Todo mundo que faz sempre vai achar que a sua cerveja é a melhor”, fala Feltes. Para Lima, tanto produzir com consumir a bebida é curtição. “Reuniões para jogos de futebol, depois dos ensaios das bandas, nas festas de aniversário dos amigos, para o consumo do dia-a-dia. Tudo é motivo para uma reunião no Porão da Baita Bier”, finaliza.

Grade, Feltes e Lima

Revista Expansão

Dezembro/2011

87


mercado

Sobre quatro

rodas

Ritmo entra no mercado de camionetas com a Fremont e destaca lançamento do Fiat 500

A

Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Fábio Winter e Graziela Dannenhauer/Especial

lista de espera está enorme e o mercado está favorecido para a Ritmo Veículos de Novo Hamburgo (RS), que tem filiais espalhadas em outras cidades dos Vales do Sinos, Caí e Paranhana e região metropolitana de Porto Alegre. De acordo com a diretora comercial da Ritmo Veículos, Janaína Backes Veit, o Fiat 500 foi lançado em setembro deste ano em Miami (EUA) e o Fremont teve suas vendas iniciadas Test-drive também no mesmo mês. “Contamos apenas com a mídia espontânea Os interessados em testar os novos veículos pelas ruas da e temos uma média de mais de 20 interessados para cada veículo. As cidade devem agendar um test-drive em uma das unidapessoas não se importam em esperar, mas elas querem as novidades”, destaca Janaína. des situadas em sua cidade mais próxima. A Ritmo tem O Fiat 500 está sendo comercializado em torno dos R$ 39 mil e o Fremont, a partir de R$ matriz em Novo Hamburgo e filiais em Taquara, Sapiranga, 85 mil. “O Fremont é tecnologia americana, mas com preço nacional. A partir do momenMontenegro, São Leopoldo e Esteio, e um ponto de venda to que a Fiat comprou a Chrysler, temos nossa planta industrial no México, mas comerem Dois Irmãos. Todas as unidades, segundo a diretora, cializamos com preços brasileiros. A revisão e as peças são com valores nacionais”, frisa garantem uma média de 60 carros vendidos por semana. Janaína. Com isso, o modelo Fremont é o primeiro da Fiat na linha de camionetas. A Fremont tem a vantagem, segundo a diretora comercial, de ser um modelo top, com preço mais acessível, com valores Fiat. No momento, o prazo de entrega do novo modelo camioneta está em torno de 90 dias a partir do pedido de encomenda. De acordo com Janaína, a equipe da Ritmo Veículos está bem orientada para informar aos seus clientes as novidades no mercado de camionetas.

88

Revista Expansão

Dezembro/2011


pesadas

Nova loja Desde 9 de setembro deste ano, a Ritmo está com uma nova loja, depois de fundar a sua primeira em 22 de agosto de 1980, em Montenegro, no Vale do Caí. A estrutura está situada na RS-240, 1.816, no quilômetro 33, ao lado do Posto da Polícia Rodoviária Estadual, e conta com oficina, setor de venda para frontista e produtor rural, Espaço Adventure, cerca de 2,5 mil metros quadrados de área construída e estoque mínimo de 60 carros a pronta entrega, além de uma equipe especializada para o atendimento. Informações em www.ritmoveiculos.com.br.

Balanço Janaína (abaixo) explica as vantagens de se adquirir um Fiat 500 (ao lado) e um Fremont (na página anterior)

Sobre um balanço de final de ano, Janaína destaca que as vendas tiveram uma grande demanda no início do ano com a queda do dólar, mas que ela está tendo um incremento gradativo neste segundo semestre. A partir de julho, a comercialização se estagnou um pouco devido às especulações do mercado e aos anúncios do governo federal sobre o aumento na taxa Selic e ao programa nacional de redução de IPI. O mercado teve um retrocesso nas vendas e a Fiat conseguiu se manter com os valores de seus veículos, destaca Janaína, ainda no mesmo patamar. “Como nossas plantas industriais são estrangeiras e a Fiat é 90% nacional, conseguimos nos manter no mercado durante esse impacto econômico sem recebermos o encargo do imposto de importação sobre nossos veículos, os que comercializamos”, frisa Janaína.

Revista Expansão

Dezembro/2011

89


Entretenimento

Universo Alegria Tempo bom e bela organização garantiram sucesso ao evento que contou com um público aproximado de 50 mil pessoas Por Graziela Dannenhauer | Fotos: Fábio Winter e Lu Freitas/Divulgação

C

omo sempre e em todas as edições, o Universo Alegria surpreende em organização, aperfeiçoada a cada evento, e novidades que abrilhantam a noite. A festa só acabou quando Fernando & Sorocaba deixaram o palco e uma plateia embebecida de hits sertanejos que ficam na memória de qualquer um que escute. O maior evento sertanejo universitário do País ocorreu em 26 de novembro, no Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), e trouxe as melhores duplas sertanejas para fazer a alegria dos gaúchos, catarinenses, cariocas, paranaenses, pessoas de todo o Brasil, que vieram assistir. Luan Santana foi mais que um “meteoro” quando disse que as mulheres mais bonitas do Brasil se encontram, aqui, no Rio Grande do Sul. E de relance cantou um trecho de Querência Amada, que ecoou por todo o parque que abriga a maior feira de agronegócio da América Latina, a Expointer. Ele começou e o público, encantado, continuou e finalizou a letra tradicionalista.

90

Revista Expansão

Dezembro/2011

O diretor da Rádio Alegria, Beto Ody, considerou um sucesso, o evento já consolidado no Sul do País e antecipa que para 2012, o Universo Alegria ocorre em 1º de dezembro. A casa recebeu aproximadamente 50 mil pessoas. “O evento foi maravilhoso e cresceu mais que a nossa expectativa. A cada ano, se solidifica mais e para o ano que vem vamos criar mais espaços e surpreender o público sempre”, afirmou Ody. Em 2012, Ody manté o Onstage Lounge, ambiente mais vip que o Backstage – já considerado uma maravilha – e com vista panorâmica para o palco e parque. “Vamos continuar crescendo”, destaca o diretor. Luan Santana, Lucas & Felipe, Fernando & Sorocaba, Bruno & Marrone, Humberto & Ronaldo, Jorge & Mateus, Michel Teló e Henrique & Diego garantiram as quase 13 horas de evento, que começou às 16 horas de sábado e foi parar só às 5 horas da madrugada de domingo. O Universo Alegria 2011 foi promovido pela Rádio Alegria em parceria com a Coca-Cola e Supper Rissul, com patrocínio da Kaiser e D’itália Móveis, e apoio da Gol, Radan, Farmácias Mais Econômica e Cup Noodles.


Revista Expans達o

Dezembro/2011

91


book

Sarau Elétrico,o livro

saraue létrico

sa raue lé tr ico

s apresentaM Ministério da Cultura e eletrobra

ores. is es de mesa,

alá nem nha. ente. ma ico.

21h,

ura

ção a da ra dar que se dessa

edo

ação

Q

uatro leitores. Doze anos. Centenas de escritores. Milhares de livros. Milhões de linhas. Incontáveis leitoresouvintes eletrizados. Zilhões de sinapses e insights. Todos os gêneros literários. Autores de quaisquer nacionalidades. E música de sobremesa, de alfa a ômega, de rap a Bach. O bar Ocidente, em Porto Alegre (RS), abriga, toda terça-feira, o Sarau Elétrico. Fenômeno que a capital gaúcha inventou e acolheu. Uma hora semanal de leitura, comentários e humor (às vezes mau, para dar tempero ao dominante bom), mas uma hora que se repete há 12 anos. Para festejar esta data, foi lançado o livro Sarau Elétrico, que mostra, em fotos e textos, um tanto dessa trajetória, um tanto desse mistério. O evento ocorreu em 8 de novembro, durante um Sarau.

92

Revista Expansão

Dezembro/2011

Por Angélica Seguí/Divulgação | Fotos: Cynthia Vanzella/Divulgação e Vilmar Carvalho/Divulgação

Oito mãos O livro, escrito a oito mãos pelo time do Sarau – os professores Luís Augusto Fischer e Cláudio Moreno, a escritora Claudia Tajes e a comunicadora Katia Suman – reproduz a dinâmica dos encontros no Ocidente: são dez capítulos, cada qual sobre um tema, com comentários e citações e, vez ou outra, uma abobrinha para dar um tempero. E ainda, depoimentos de Humberto Gessinger, Lya Luft, Cláudia Laitano, Paulo Neves, Chacal e Cardoso, entre outros. Com fotografias incríveis de Cynthia Vanzella, Sarau Elétrico, o livro, conta um pouco da história do sarau, em edição caprichada, com design da Elemento Design Gráfico, capa dura e 160 páginas. O livro é patrocinado pela Eletrobrás, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, e terá distribuição gratuita para as bibliotecas públicas do Estado.

Agradecimento Para Katia, que representa todos os escritores, a concretização do Sarau Elétrico em livro é um grande sonho de toda a turma que participa ativamente e com grande atuação do momento cultural que estimula o interesse pela Literatura. “O evento é pequeno, mas está incluso no calendário da cidade devido a sua importância e se materializou-se com o livro, que atesta o surgimento de uma solidificação desse nosso momento”, frisa Kátia. Conforme a comunicadora, espera-se que com o livro outros grupos criem iniciativas como a do Sarau Elétrico. “Queremos muito também agradecer ao público, que ama Literatura, e que nos enaltece com sua presença no sarau, porque sem eles não teríamos o sucesso que temos hoje”, conclui Kátia.


Revista Expans達o

Dezembro/2011

93


MULTIMÍDIA LIVRO

DICAS DA REDAÇÃO

A indústria da informática perde seu gênio Recentemente li A cabeça de Steve Jobs, escrito por Leander Kahney, e aprendi mais do que lições empresariais. O livro é uma lição de vida, pois fala sobre como ele alcançou seus objetivos. Infelizmente, perdemos esse grande gênio que revolucionou a indústria da informática, o cinema da animação e a música digital. Esse livro é uma ótima oportunidade de conhecer um pouco mais desse grande empreendedor, co-fundador e presidente da Apple, que nos deixou grandes lições. Sidinei Quadros de Borba Diretor da Escola de Educação Profissional Olimpio Novo Hamburgo (RS)

LIVRO

Entre dois mundos Além de grande compositor, Chico Buarque se confirmou como um dos maiores ficcionistas do Brasil. Budapeste ganhou, entre outros, o Prêmio Jabuti de melhor livro em 2004 e foi adaptado para o cinema. Agora, este sucesso é reeditado em edição econômica, contando a história de um escritor dividido entre dois mundos, exaurido por seu próprio talento. Mais uma oportunidade de conferir um dos melhores textos da literatura brasileira, depois corra para a locadora e confira a adaptação para as telas.

Livro: A cabeça de Steve Jobs Autor: Leander Kahney Editora: Agir

filme

História surpreendente Assisti, no mês passado, ao filme 127 horas. Após inúmeros comentários de que as cenas eram fortes, acho que foi uma ótima escolha tê-lo assistido. Uma história verídica e surpreendente, capaz de causar uma reflexão frente aos desafios e superação de limites. A vida é cheia disso, tudo depende de como visualizamos as coisas e agimos perante elas. Vale à pena assistir, fica a dica! Samanta Vasques Relações Públicas do Alpen Park Canela (RS)

Livro: Budapeste Autor: Chico Buarque Editora: Companhia das Letras

FILME

O melhor de todos

Filme: Top Gun – Ases Indomáveis Ano: 1986 Direção: Tony Scott Gênero: Aventura

94

Revista Expansão

Dezembro/2011

Filme: 127 Horas Gênero: Drama Direção: Danny Boyle Ano: 2010

LIVRO

O que está faltando aos brasileiros?

Fotos: Divulgação

Tom Cruise tornou-se um astro de Hollywood após estrelar Top Gun – Ases Indomáveis. O galã deu vida a Maverick Mitchell, um dos mais promissores jovens pilotos da escola de aviação de caças da Marinha Norte-Americana. O longa virou um dos ícones da década de 80 e, em 2011, completa 25 anos. Para comemorar a data, o filme, que tem ainda Kelly McGillis e Meg Ryan, no início de sua carreira, está sendo relançado em DVD, em uma edição de aniversário. A trilha sonora, que também marcou época, sendo executada até hoje, também recebeu prêmios.

A Riqueza do Mundo, de Lya Luft, é imperdível. Na primeira leitura me entusiasmou muito porque a Lya exercita uma coisa que a meu ver está faltando aos brasileiros: indignação. E mesmo que sua ira contra as injustiças, com os políticos, com a desigualdade e com a falta de educação básica e saúde, seja o mote principal da escrita, ela acha que o País ainda tem jeito... E a leitura fica positiva. Ronald Radde Diretor da Cia Teatro Novo Porto Alegre (RS) Livro: A Riqueza do Mundo Autor: Lya Luft Editora: Record


Por Graziela Dannenhauer E-mail graziela@revistaexpansao.com.br

DM9Sul anuncia conquista do Shopping Iguatemi

Lado b da Publicidade

DCS no Festival El Ojo

Aniversário de 22 anos da DM9 nascem a DM9Rio e a DM9Sul A DM9 completou 22 anos em setembro e para celebrar a expansão da marca foi inaugurada a DM9Rio (Rio de Janeiro/RJ) e DM9 Sul (Porto Alegre/RS), agências que trarão em seu DNA o estilo DM9 de construir marcas com gestão focada em convergência, no trabalho integrado, no desenvolvimento de talentos, no treinamento sistemático, no compromisso com resultado e na paixão incondicional pela propaganda. Cada uma das agências, inclusive a DM9DDB, em São Paulo, anuncia também a conquista de grandes contas.

A DCS Comunicações é única agência gaúcha finalista no 14º Festival Internacional El Ojo de Iberoamerica 2011. A agência foi indicada na categoria Cine/TV e a campanha vencedora foi a série de quatro filmes Corte Rápido, criado para a linha de facas profissionais da marca Tramontina -  cliente DCS. A entrega dos prêmios ocorreu durante o festival, em 7 a 9 de novembro, em Buenos Aires, na Argentina. Fotos: Divulgação

A DM9Sul anuncia a conquista de mais uma empresa para a sua carteira de clientes: o Shopping Iguatemi, de Porto Alegre, passará a ser atendido pela agência a partir de 1º de janeiro de 2012, quando a equipe da agência que está sendo construída pelos mais talentosos profissionais do mercado gaúcho estará completa. A conquista do Shopping Iguatemi reforça o compromisso dessa nova agência com o desenvolvimento da economia local e com o fortalecimento de marcas brasileiras comprometidas com a região e com o País. O shopping junta-se à carteira de clientes que já é composta pelas marcas fundadoras da agência Olympikus, Azaleia, Dijean, Opanka e Vulcabras|azaleia, holding que engloba as marcas Olympikus, Reebok, Azaleia, Dijean e Opanka.

DEZ Comunicação é uma das melhores agências A tradicional Great Place to Work, em conjunto com a Associação Brasileira de Propaganda,  indicaram a DEZ Comunicação como uma das 20 melhores agências para se trabalhar no Brasil. Única representante das agências gaúchas entre as 110 participantes, a avaliação da Great Place to Work está ancorada em um longo questionário respondido pelas equipes sobre o clima organizacional e realidade da empresa, de forma voluntária e anônima, e um outro  respondido pela própria agência, onde ela detalha as suas melhores práticas e benefícios para a excelência do ambiente de trabalho. Há também auditorias realizadas por consultores da empresa. “Desde o início, a empresa teve um ambiente de descontração e liberdade. Isso aconteceu espontaneamente, sem que fosse uma estratégia planejada. O bom humor sempre foi uma marca dos sócios-fundadores que ainda hoje influencia tanto a produção da agência quanto o ambiente de trabalho”, diz o presidente da DEZ Comunicação, Mauro  Dorfman.

As dez afirmações de... ... Juliana Duarte, é publicitária formada em Publicidade e Propaganda, com ênfase em Marketing, pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), de Porto Alegre (RS). Atua na área de mídia desde 2005 e já trabalhou nas agências Danke, Pública, Paim e São Jorge, e também no RSBC Ativa e QUEB - Qual é a boa?. Atualmente, é executiva de mídia, há um ano, na Dez Comunicação, na capital gaúcha.

1. Publicitário é: Quem vende sonhos com responsabilidade 2. Viver a profissão é: Trabalhar com o que se gosta e aprender sempre mais todos os dias 3. Ética e criatividade são: A base do sucesso e o caminho que vai te levar a ele 4. O Pelé da criação é: Como executiva de mídia vou responder pela minha área, o grande Pelé das mídias de massa é Silvio Santos 5. As redes sociais são: Mais um canal de comunicação com o consumidor final se usado de maneira correta 6. Uma marca: A do cliente, sempre 7. Boa publicidade é: Aquela que faz bem para quem anuncia e compra 8. Seu momento inesquecível:  Um trabalho bem executado 9. Cliente bom é: Que aceita desafios e não tem medo de arriscar em novas soluções de mídia 10. Principais clientes: Fiat, Massey Ferguson, Kepler Weber, Feevale, Vinicola Aurora, RBS on line e Bienal do Mercosul

Revista Expansão

Dezembro/2011

95


Foto: Divulgação

arp

O elo da

criatividade Por Marcelo Foletto

|

Foto: Divulgação

A Semana da Comunicação da ARP de 2011 se consolida como um evento que orgulha os gaúchos

C

onsagração é a palavra que resume a Semana da Associação Riograndense de Propaganda (ARP) e o 37º Salão da Propaganda ocorrido entre 7 a 10 de novembro, no Sheraton Hotel, no bairro Moinhos, em Porto Alegre (RS). A indústria criativa e a conexão da tecnologia com o conhecimento, visando o desenvolvimento sustentável da indústria foi a essência do que o público pode conferir durante toda a programação da Semana da Comunicação. O evento oficial teve como marca a participação acentuada de estudantes e profissionais do meio, e contou com a qualidade de palestrantes que souberam de forma singular expressar suas opiniões a cerca do tema Criatividade. Outros fatos importantes foram as apresentações de cases de sucesso e os exemplos que fazem parte do ambiente publicitário e da indústria criativa, fazendo uma profunda reflexão sobre os temas. A assinatura de um protocolo de intenções para a instalação da Indústria Criativa na capital foi um dos pontos altos, resultantes da Semana da ARP, em parceria com a prefeitura de Porto Alegre e a ESPM/ Sul. O encerramento da Semana da Comunicação esteve por conta do tradicional jantar, conduzido pelo chef Felipe Bronze, que de forma criativa surpreendeu aos cerca de 800 presentes com um cardápio exclusivo, no BarraShoppingSul, para confraternizar e conferir as premiações dos profissionais da propaganda gaúcha.

Balanço final Para o presidente da ARP, Daniel Skowronsky, ao fazer um balanço final do evento, destacou que o tema Indústria Criativa “deu vida ao evento” e o público superou as expectativas da entidade. “Estou muito feliz com o resultado”, comemorou. Skowronsky também frisou que o objetivo de mostrar o conceito de indústria criativa foi atingido. “Conseguimos apresentar a cadeia que engloba este setor.” Outro as-

96

Revista Expansão

Dezembro/2011

pecto registrado pelo presidente foi a possibilidade de demonstrar às autoridades da prefeitura de Porto Alegre e do governo do Estado a importância de investir nesta área. Contudo, a conjuntura tecnológica e de mudanças profundas no mercado (oferta e demanda) requer profissionais talentosos que pensem hoje como será o dia de amanhã. E isso, reforça a afirmação do lobista norte-americano Philiph Kotler, considerado um dos “papas do marketing”, de que “as organizações precisam de criatividade para encontrar parceiros que possam complementar suas forças e compensar suas fraquezas”.

Pensamentos e ideias Esta realidade é evidenciada também pelas ideias dos palestrantes que abrilhantaram a semana da propaganda. Entre eles, a publicitária Fernanda Romano, que disse que “tudo o que você faz está automaticamente disponível na Internet. E que o mundo mudou é pouco: absolutamente tudo mudou”. E o vice-presidente global de Marketing Estratégico e de Comunicação Criativa da Coca-Cola, frisou que a criação de histórias poderá ser criada a partir de conexões; o que ele chama de conteúdo líquido um conceito que flui por qualquer meio e que faz parte das estratégias da empresa. Ele sustenta a ideia de que a criatividade é uma variável crucial no processo de transformar conhecimento em valor.

Encerramento O encerramento da Semana da Comunicação do Rio Grande do Sul também foi consagrado pela divulgação dos profissionais destaques do Ano de 2011 e do 37º Salão da Propaganda do RS, além da entrega de troféus de agência, publicitário e veículos de comunicação do ano. A lista completa dos grandes vencedores da ARP e do 37º Salão pode ser conferida no site www.arpnet.com.br.


Revista Expans達o

Dezembro/2011

97


dança

Eterna primeira

bailarina Por Edith Auler | Foto: Divulgação

Maria Pia Finócchio esteve em Porto Alegre e concedeu entrevista exclusiva à Revista Expansão sobre os rumos da dança no Brasil

E

la faz do seu dia-a-dia uma constante celebração à dança, especialmente, ao ballet. Ela é capaz de fazer, quando ainda atua profissionalmente, 32 vezes o fouetté - passo giratório feito geralmente em série, onde a perna que se está trabalhando é jogada para o lado, enquanto o dançarino gira sobre a perna base -, considerada ainda hoje uma marca virtuosa. Primeira bailarina do Teatro Municipal de São Paulo, gaúcha nascida em Gaurama, Noroeste do Estado, Maria Pia Finócchio é um exemplo de como chegar, sair na hora certa e se manter no cenário da dança, com elegância, atitude e, sobretudo, perseverança. Casada por duas vezes com o mesmo marido, o engenheiro Airton Dalvellos de Almeida, ela também já foi embaixatriz do Turismo do Brasil no exterior, cargo posteriormente assumido por Pelé. Presidindo o Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado de São Paulo (Sinddança), Maria Pia falou com exclusividade à Expansão, em entrevista realizada durante o 3º Brasil em Dança Porto Alegre, sobre o crescimento e as dificuldades enfrentadas pela dança no Brasil e acerca de seu trabalho na Dança dos Famosos, na rede Globo.

Como a senhora avalia hoje a dança no Brasil? Está indo muito bem, evoluindo bastante. Especialmente os grupos contemporâneos, no País todo, porque o contemporâneo é mais fácil de manter. As verbas para estes projetos de maneira geral são menores, normalmente, envolvem duplas e trios e isso facilita. Já o ballet clássico requer cenários, figurinos, coreógrafos, professores e logicamente mais verbas. E quais são as dificuldades da dança hoje em nosso País? Nas grandes capitais, existem mais verbas, isso pesa muito. Nas cidades e Estados menores, a coisa complica mais. Então, eu acho que nós temos que lutar sempre para que a dança se equipare ao teatro, em termos de verbas e patrocínios. E acredito que temos que ter cuidado, pois estamos sentindo queda de patrocínio no próximo ano. Grupos profissionais já estão se lamentando que não estão fechando contratos costumeiros, pois os patrocinadores estão preferindo investir nos jogos olímpicos e na Copa do Mundo. Estamos preocupados com isso.

98

Revista Expansão

Dezembro/2011


Renato Hatsushi

Qual sua avaliação acerca da qualidade dos bailarinos profissionais brasileiros? Durante o Encontro Nacional da Dança (Enda), que fez 30 anos em 2011, nós trouxemos bailarinos que saíram do País e que conquistaram seu espaço no exterior. Na verdade, o que sentimos é que os maravilhosos bailarinos, que temos aqui, acabam, na maioria das vezes, trabalhando fora. O Brasil ainda não tem estrutura para abraçá-los, especialmente os clássicos, que aqui despontam. E o que continua acontecendo é que eles migram para fora do Brasil. Durante o Enda, bailarinos deficientes visuais ganharam destaque nas apresentações, como foi? Um encontro muito marcante, lindo. Foram os 30 anos do Enda, que foi realizado em julho. Também comemoramos, este ano, a reabertura do Teatro Municipal de São Paulo, que permaneceu fechado por três anos, sendo restaurado. Fizemos lindos espetáculos. Esta participação das bailarinas deficientes visuais foi comovente, muita gente chorou. É indescritível, elas dançam na ponta! Saíram super emocionadas e nos disseram que realizaram um sonho. Também há um movimento grande envolvendo cadeirantes, mesclando a coreografia entre eles e os bailarinos que direcionam os cadeirantes em cena e os carregam em posições de balé. Esta interação é ótima, muito bonita.

E o trabalho como jurada no quadro Dança dos Famosos, no Domingão do Faustão? Na Globo, eles tomam muito cuidado para que a gente não tenha nenhuma relação com os concorrentes. Os jurados chegam ao estúdio e são direcionados para um camarim. Os participantes vão para outro lado, em um outro. Não se pode conversar com eles. Também não há interferência nenhuma por parte da produção do programa. A gente dá a nota que quer e a opinião que deseja. Fazendo uma ligação entre a dança e o cinema atual - um filme que repercutiu muito sobre a vida de bailarina foi o Cisne Negro, em que Natalie Portman ganhou Oscar de melhor atriz. A vida de bailarina e tão sacrificante quanto no cinema? Acho que o filme não ajudou muito a dança. As escolas sentiram, repercutiu muito na relação dos pais com as academias de dança. Lá em São Paulo, por exemplo, pais de alunos ligavam para as escolas, procuravam os professores e perguntavam: será que a minha filha vai ter o pé deformado? Será que não vai arrancar as unhas? Acredito que passou uma imagem muito exagerada do que é uma aula de dança, do dia-a-dia de uma bailarina. Nunca arranquei unha e não tenho os pés deformados!

Revista Expansão

Dezembro/2011

99


arte

Influenciada pelo Por Graziela Dannenhauer Fotos: Fábio Winter/Especial

Artista plástica hamburguense cria obras a partir do ambiente que conhece e garante sucesso no mundo das artes

U

exterior

ma arte induzida. Desta maneira que se pode melhor tentar explicar o que faz a artista plástica Rosângela Prusch, 46 anos. Ela primeiro conhece o contexto, o ambiente, a energia do local, e depois pinta um quadro para aquele espaço. Cria as peças com imagens abstratas, algumas com tinta a óleo, outras apenas em metais, outras com pedrarias e demais objetos que achar necessário. Reutilizando pequenos materiais, ela cria sua obra, conforme o cliente desejar. Em algumas utiliza apenas os pincéis e as tintas convencionais, sem nenhum outro tipo de material, mas sempre com muita harmonia e leveza. Mas não é tão fácil assim, como parece ser, fazer este tipo de trabalho. De acordo com Rô, como é conhecida, é preciso saber o que o cliente quer. “E isso requer muita compreensão e entendimento”, destaca a artista. Ela precisa descobrir, por meio de entrevistas e conversas com o cliente o que exatamente ele quer. “E para se chegar a isso é preciso muitos encontros. Eu às vezes demoro bastante para descobrir e para depois fazer o quadro”, explica Rô, que tem todo um jeito delicado, sensível e envolvente. Ela é uma pessoa simpática, culta, observadora, ques-

100

Revista Expansão

Dezembro/2011

tionadora, delicada e compreensiva, claro que muito querida e uma ótima anfitriã. Quando estivemos em sua casa para fotografar as obras, Rô nos acolheu com uma bela recepção e mostrou como sabe fazer uma pessoa sentir-se bem ao seu lado.

A arte diz o indizível; exprime o inexprimível; traduz o intraduzível. (Leonardo da Vinci)

Sentir-se bem e situações inusitadas E é esse sentir-se bem que Rô procura para descobrir o que a pessoa quer e então fazer a obra de arte. Ela vai até a casa do cliente, conhece o ambiente que ele quer colocar a obra e depois começa a montá-lo em sua cabeça. “Eu faço muitas ideias, vou dando passos pequenos para saber por onde ir e assim saber finalizar o que o cliente quer. É difícil saber o que as pessoas querem hoje em dia”, destaca Rô. Suas obras podem ser requisitadas de qualquer tamanho e de qualquer material. Ela já trabalhou com pedrarias e já buscou materiais em joalherias. Também já passou por situações inusitadas de pedidos absurdos, mas que não revela. E já teve uns três clientes até agora em que ela viu que eles não gostaram do quadro finalizado. “Na hora, recolhi e refiz até ver nos olhos deles a satisfação. E é assim que eu trabalho. Vendo nos olhos a satisfação”, diz Rosângela.


Exposições e carreira Desde novembro de 2002, ela começou a sua exposição de quadros na agência Carlos Gomes, da Caixa Econômica Federal de Porto Alegre (RS) e não parou mais. As exposições não estão em alta, mas a vida virtual está “bombando”. Em seu blog (www.roprusch.com) ela mostra suas viagens e suas obras. “Gosto muito de viajar e em todos os lugares que vou busco sempre conhecer mais e mais a cultura do local”, destaca. Ela viajou muito já com o seu marido, Júlio Prusch, com quem conheceu várias culturas do Brasil e do exterior. A história da pintura começou em um momento de sua vida em que sentia vontade de fazer algo para se ocu-

par. “Eu era mãe de duas crianças e moravámos em Gravataí. Gostei e sempre admirei muito as artes e sempre tive bom gosto com elas. E um dia resolvi fazer um curso”, lembra Rô. Há 23 anos morando no Rio Grande do Sul, Rosângela não sabe dizer exatamente quando passou a ser artista plástica, mas que sua ascensão profissional começou em 2002. Desde lá, já atendeu a muitos clientes no Estado e os pedidos são grandes. Ela não tem um atelier em casa, mas sempre utiliza uma parte dela, ou sala, ou garagem, ou jardim, conforme a sua vontade, para fazer os pedidos. “É que dependem o estilo e o tamanho”, diz a artista que mora há cinco anos em Novo Hamburgo.

Todos discutem minha arte e fingem compreender, como se fosse necessário compreendêla , quando é simplesmente necessário amar.

(Claude Monet)

Revista Expansão

Dezembro/2011

101


Shows & espetátulos Vera Fernandes/Especial

Edahfis comemora 25 anos com o espetáculo Revista A primeira escola de artes hamburguense comemora 25 anos com o espetáculo Revista. Idealizada em 19 de dezembro de 1986 por Lica Schamann, Nícias Dória Sauer e Liene Martins Schütz, a Escola de Artes e Habilidades Físicas (Edahfis) carrega ainda outras marcas de pioneirismo em Novo Hamburgo (RS). Foi ali que surgiu a primeira Companhia de Danças profissional da cidade, a Sêmea, que foi a escola que também teve os primeiros bailarinos homens no município. A comemoração do aniversário espetáculo Revista apresenta uma retrospectiva do trabalho realizado ao longo dos 25 anos. “É um resgate da caminhada da Edahfis”, explica Lica. O espetáculo foi feito em roteiros individuais que incluem coreografias, vídeos, entre outros. Tudo com a participação de mais de 100 bailarinos. A estreia do espetáculo está agendada para os dias 14 e 15 de dezembro, no Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno, em Novo Hamburgo. Lá estão expostos mais de 30 painéis fotográficos históricos dos projetos culturais da escola.

PROGRAMAÇÃO DE DEZEMBRO

PAULA FERNANDES Dia 8 de dezembro, 21 horas, no Gigantinho (Porto Alegre) Ingressos - Pista/ Arquibancada: R$ 55,00 (1º lote), Cadeiras: R$ 95,00, Pista VIP: R$ 140,00 (1º lote), Camarote: R$ 500,00, e crianças a partir de três anos pagam ingressos Informações - (51) 33315511 ou www.hte.com.br

NEI LISBOA - Vapor da Estação Dia 3 de dezembro, às 21 horas, e dia 4 de dezembro, às 20 horas, no Theatro São Pedro. Ingressos - Plateia: R$60,00, Camarote Central e Cadeiras Extras: R$50,00, Camarote Lateral: R$30,00, Galerias Centrais: R$20,00 e Galerias Laterais: R$15,00 NENHUM DE NÓS - Contos Acústicos de Água e Fogo Dias 8, 9 e 10 de dezembro, sempre às 21 horas, e dia 11 de dezembro, às 18 horas, no Theatro São Pedro. Ingressos - Plateia: R$50,00, Camarote Central e Cadeiras Extras: R$40,00, Camarote Lateral: R$30,00, Galerias Centrais: R$20,00 e Galerias Laterais: R$15,00 CANÇÕES AOS PARES - Luiz Carlos Borges e Liliana Herrero Dia 15 de dezembro, às 21 horas, no Theatro São Pedro. ENTRADA FRANCA A NOITE DO REI - Rafael Malenotti Dia 16 de dezembro, às 21 horas, no Theatro São Pedro. Foi o único artista a se apresentar no navio da turnê de Roberto Carlos e fará a mesma homenagem ao Rei no palco do Theatro São Pedro. Com estilo próprio, interpretará versões de grandes sucessos, como Se Você Pensa, É Proibido Fumar, As Curvas da Estrada de Santos, É Preciso Saber Viver e muitas outras.

102

Revista Expansão

Dezembro/2011

Concerto de Natal Teatro Feevale A Feevale e a Opus Promoções realizam, em 7 de dezembro, o Concerto de Natal. O evento ocorre às 20h30min, no Teatro Feevale, em Novo Hamburgo (RS). O ingresso consiste da doação de 1 quilo de alimento não-perecível, e pode ser retirado na Secretaria Catedral São Luiz Gonzaga (Rua Cidade Atlântida, 34), no Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno (Rua Engenheiro Inácio Cristiano Plangg, 66, 3º andar) e no Atendimento Feevale do Câmpus 1 (Avenida Doutor Maurício Cardoso, 510), todos em Novo Hamburgo. Os alimentos serão repassados ao Banco de Alimentos de Novo Hamburgo. O Concerto de Natal terá a participação da Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo; dos Coros Feevale, Unicanto Feevale, Canto e Vida Feevale, Amigos da Câmara de NH e Municipal de NH; dos Meninos Cantores da Catedral São Luiz Gonzaga e do Vocal Sol Marista do Colégio Pio XII; e das solistas Ana Claudia Specht e Líris Neumann. O evento tem o apoio da prefeitura de Novo Hamburgo e Aprata.

Espetáculos e Shows da Um Cultural (Informações (51) 3066-6229 e www.umcultural.com.br)

Natal da Herta - Dia 3 de dezembro, às 20h30min, em Três Coroas; 6 de dezembro, às 14 horas, em Dois Irmãos; 6, 7, 8, 13, 14 e 15 de dezembro, às 18 horas, em Campo Bom; 7 de dezembro, às 21 horas, e 10 de dezembro, às 18 horas, em Novo Hamburgo, e 14 de dezembro, às 20 horas, em Vale Real. Auto de Natal - Dia 10 de dezembro, às 21 horas, no Largo Felipe Segger Sobrinho, em Dois Irmãos. Delicatessen de Natal - Dia 11 de dezembro, às 20h30min, na Praça do Imigrante, em Novo Hamburgo. O Choro é Livre - Dia 11 de dezembro, às 20 horas, na Praça do Imigrante, em Dois Irmãos. Nenhum de Nós Canta Beatles - Dia 18 de dezembro, às 21 horas, no Natal das Rosas, em Sapiranga. Tholl Exotique - Dia 22 de dezembro, às 21 horas, no Largo Felipe Segger Sobrinho, em Dois Irmãos.


vinhos

Espumantes nacionais A qualidade do produto foi debatida no Circuito Brasileiro de Degustação na capital

Q

  Por Edith Auler  

uando entramos em restaurantes, bares e hotéis em todo o País é possível ver com frequência - e sem que isso cause estranheza - pessoas consumindo espumantes, independentemente da data, temperatura e horário. O produto, que de maneira geral era apreciado apenas em ocasiões especiais, tem cada vez mais conquistado espaço junto aos brasileiros. Segundo informações de entidades e publicações especializadas no segmento, os produtos verde-amarelos – neste caso considerando-se vinhos e espumantes – têm recebido reconhecimento no mercado internacional e têm acumulado prêmios e títulos em competições de grande envergadura em países europeus, asiáticos, da América do Norte e do Sul. De acordo com o diretor-executivo do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Carlos Raimundo Paviani, a bebida nacional está a cada dia mais presente em novos e exigentes paladares. A estatística do Ibravin é que a cada dez espumantes consumidos no país, oito são nacionais. “Nossos espumantes têm cada vez mais conquistado reconhecimento no Brasil e no mundo”, afirma Paviani.   O instituto, em parceria com a Vinhos do Brasil, o Sebrae e executivos estaduais promoveram o Circuito Brasileiro de Degustação. Três capitais brasileiras receberam o evento – Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. No RS, o encontro ocorreu na cripta da Catedral Metropolitana. Disputadíssimo, o evento reuniu no final de outubro centenas de amantes do vinho, enólogos, sommeliers e profissionais da área comercial. Participam 25 vinícolas de todo o País. Como o resultado foi considerado positivo pelos organizadores, o Ibravin deve dobrar o número de cidades que receberão o circuito no próximo ano, com a inclusão do Nordeste, chegando a Recife e Salvador, e depois Belo Horizonte (MG). “Em 2013, um ano antes da Copa do Mundo, queremos levar o evento às 12 cidades-sede da maior competição de futebol do mundo”, adianta Paviani.

Degustação Uma das novidades desta edição do Circuito foi a realização de palestras com degustações temáticas, tendo como condutores os principais jornalistas e críticos de vinhos do Brasil. Um dos pontos altos foi a mesa que reuniu jornalistas gaúchos, convidados para fazer abordagem sobre espumantes nacionais. Os jornalistas Danilo Ucha, Irineu Guarnier Filho, Affonso Ritter, Andreia Debon e Marcela Duarte foram os debatedores e o mediador foi o jornalista Maurício Roloff. Todos concordaram que nos últimos dez anos houve uma rápida evolução na qualidade dos produtos nacionais.  Falou-se também sobre o espumante da preferência de cada um.

Revista Expansão

Dezembro/2011

103


SEM FRONTEIRAS

Porcaminhos Por Márcia Astolfi | Fotos: Arquivo Pessoal/Divulgação

Casal hamburguense aventura-se na Itália, por roteiros não estabelecidos por agências de turismo

R

ealizar nossos sonhos é mais do que uma meta, é um dever! É com esse objetivo que em julho deste ano, eu (Márcia Astolfi), 46 anos, e o meu marido, o advogado Hiram Pagano, 62, de Novo Hamburgo (RS), percorremos vários recantos da Itália, na Europa. Fizemos uma viagem sem a pressa e a correria que os pacotes turísticos impõem. Nada de ficar atrelado a roteiros pré estabelecidos, que visitam lugares diversos. Queríamos algo a mais; desejávamos sentir um pouco como é viver nos locais por onde viajaríamos. Realizar este sonho envolveu um planejamento antecipado. Foram vários meses de pesquisa em sites, resolvendo questões práticas como reservas de hotéis e entradas para alguns museus, compra de passagens, bem como o low cost (passagem) Roma-Paris. A viagem ocorreu de 20 de julho a 11 de agosto deste ano e começou nos arredores de Milão, em Caronno Pertusella, onde, por alguns dias hospedados na casa de parentes, tivemos a oportunidade de realmente conhecer o genuíno modo

104

Revista Expansão

Dezembro/2011

de acolher visitas de um milanês. Chamou em especial a nossa atenção o fato de as refeições serem compostas por primo piatto (sopas, arroz ou massa), secondo piatto (carnes), o contorno (batata frita, ou saladas) e o dessert (sobremesa, geralmente uma fruta). Para cada prato, troca-se a louça, resultando em uma grande profusão de pratos sujos.

O ato de comer obedece a ritual A comida é preparada na hora de servir, de ir à mesa. Cada prato já vem montado com a comida para a mesa. O anfitrião reparte a comida elaborada nos pratos conforme a quantidade de pessoas, não havendo repetição e assim acontece sucessivamente até o contorno. Logo, a pessoa que está fazendo a comida passa mais tempo “funcionando” nas panelas do que propriamente participando à mesa. Portanto para o italiano, o ato de comer obedece a um ritual, tornando-se um momento demorado que favorece muito a digestão e evitando o equívoco de se comer mais do que o necessário. Tudo geralmente regado por um bom vinho “nacional”.


peculiares Vista interna do Coliseu, mostrando seu subterrâneo

Sabores inimagináveis Em Milão, centro da moda europeia, existe muitos roteiros legais para se fazer. Importante salientar que para andar de carro no Centro é necessário pagar uma taxa que varia de acordo com o ano do veículo. Estacionar é absurdamente caro e difícil por conta da falta de lugares. Mas é fácil se locomover de metrô; a cidade conta com três linhas. Foi um belo passeio conhecer o Castello Sforzesco, edificação construída no século 15, por Francesco Sforza. Este espaço abriga diversos museus. Muito imponente e bela é o Duomo (Cattedrale di Santa Maria Nascente), maior catedral gótica da Itália. É imperdível o sorvete da Gelateria bem em frente à catedral. Tem sabores inimagináveis e o paladar é indescritivelmente maravilhoso! Próximo ao Duomo fica a Galleria Vittorio Emanuelle II, onde não se pode esquecer de pisar no “culhão” do touro para manter a sorte. Trata-se de um shopping com diversas lojas de grife. Próximo a essa galeria, descobrimos uma loja da Ferrari, onde alugamos, entre alguns modelos, a que mais nos agradou, e fizemos um passeio inesquecível pelas ruas de Milão. Legal também foi passear pelo quarteirão da moda. Ali estão algumas das grifes mais caras do mundo. Desembarcamos na estação Montenapoleone e nos deleitamos nas vias.

Visita com hora marcada Como apreciamos obras de arte, fundamental foi comprar via Internet (adquirimos com bastante antecedência, pois costuma estar lotado), ingresso para o Il Cenacolo Vinciano, ou seja, a obra A Última Ceia, de Leonardo Da Vinci. Este famoso afresco foi pintado na parede do refeitório do convento de Santa Maria delle Grazie. É fascinante! A visita é com hora marcada, entram 25 pessoas e só se fica 15 minutos na sala da pintura. O custo da entrada foi de oito euros por pessoa. Outra opção interessante foi jantar no Tram Ristorante ATMosfera (bondinho), que faz um giro pelos principais pontos turísticos de Milão, enquanto se degusta um ótimo cardápio a base de carne ou peixe. O passeio durou cerca de duas horas. Muito bonito também foi visitar, junto de minha filha Bárbara e meu genro, o Lago Maggiore - beleza exuberante, contrastando com a placidez do grande lago, cujas margens alternam entre lindas casas, bosques, jardins floridos e penhascos desafiadores. Nas margens deste lago, existe um lugar incrível para se conhecer que é a Chiesa Dell’Eremo di S. Caterina Del Sasso. Trata-se de uma capela encravada no penhasco que foi construída por um ermitão. A vista deste lugar é incrível!

Revista Expansão

Dezembro/2011

105


SEM FRONTEIRAS

Exterior do Coliseu Famoso detalhe da pintura do teto da Capela Sistina

Como, Veneza, Mestre e Verona Ao final da tarde seguimos para a cidade de Como, onde nos encantamos com um passeio a um lago, rodeado por lindas mansões que se mesclam na paisagem das montanhas em seu entorno. À noite, desfrutamos de um lauto jantar a beira do lago . E imperdível, foi nosso passeio à Veneza. Lugar de uma beleza diferenciada com seus canais e construções milenares. Visitamos o centro histórico, conhecemos a Ponte dei Sospiri, Piazza San Marco, Basilica di San Marco, Palazzo Ducale, a Ponte Rialto e lógico, passeamos de gôndola. Maravilhoso apreciar os cristais de Murano e as máscaras de carnaval, exemplos típicos da arte veneziana. Conhecemos também a cidade vizinha de Mestre, onde almoçamos em um pequeno restaurante de especialidades. E como estávamos de carro, na estrada de retorno para Milão, aproveitamos para visitar Verona, cidade de Romeu e Julieta, além de monumentos como Arena de Verona (anfiteatro romano) e Palazzo Barbieri.

Pisa e a sua famosa torre Saindo de Milão, fomos em direção a Pisa, para conhecer sua famosa torre. Foi um programa de no máximo quatro horas, pois além da torre - que para subir, a gente não sabia, deveríamos ter comprado os ingressos antecipadamente, sendo as visitas com hora marcada -, há apenas o batistério, Il Duomo e o museu para visitar, além de pequenas barracas de lembranças.

Entrada do Castelo Sant’Angelo

Firenze, a capital da Toscana De Pisa, no fim da tarde tomamos um trem para Firenze, a capital de Toscana. Agradável surpresa, uma grande e bela cidade! Ao amanhecer caminhamos pela Piazza della Signoria, local onde ocorrem os principais eventos da cidade. Este espaço encontra-se cercado por maravilhosas esculturas. É para se andar sem pressa, olhando em todas as direções, pois estamos em um dos berços culturais da história da humanidade. Muito do que se fala nos livros de arte está ali na nossa frente ou foi criado por pessoas que frequentaram este mesmo lugar. É de arrepiar! Foi incrível conhecer a Ponte Vechio, construída em 1345, sobre o Rio Arno, sendo a única ponte da cidade que escapou da destruição durante a Segunda Grande Guerra. Visitamos a Cattedrale di Santa Maria del Fiore (Duomo) revestida com diversas cores de mármore. Na Galleria degli Uffizi, apreciamos as obras de Giotto, Botticelli, Leonardo da Vinci e Rafael. O comércio é bastante diversificado oferecendo aos turistas infinitas oportunidades de boas compras. O prédio do Mercado Central foi o lugar ideal para comprar artigos típicos em lã e couro, uma das especialidades da cidade.

106

Revista Expansão

Dezembro/2011

Marcia, em Termas di Caracala, local de grandes shows ao ar livre


Monumento a Vittorio Emanuelle II

Pagano e Marcia: grandes pedidos na Fontana di Trevi

Siena e Assis, seguindo nosso roteiro A partir de Firenze nos dirigimos de trem a Siena. Ao chegar à estação fomos até a cidade por um conjunto de escadas rolantes que sobem aproximadamente 300 metros até uma das entradas muradas do lugar. Esta cidade medieval é muito interessante, pois se localiza no topo de um monte, sendo toda cercada por um alto muro. No seu interior, encontramos uma abundância de pequenos castelos e no centro, o famoso Palio de Siena. Seguindo o nosso roteiro, a próxima parada foi Assis. A principal característica dela é que foi construída em cima da montanha, existindo inúmeras escadarias ligando suas estreitas ruas, nas quais prolifera grande quantidade de comércio de produtos artesanais de muita qualidade e bom gosto. Esta região é grande produtora de oliveiras. É um passeio místico. Após, seguimos de trem para o mega terminal ferroviário Roma Termini; em Roma.

Roma e uma surpresa a cada esquina Em Roma, alugamos por 500 euros um apartamento (dois quartos, ambos com TV de plasma 42’, cozinha, banheiro, ar condicionado e máquina de

lavar roupa) por uma semana, próximo ao Coliseu. Nesta cidade, cada esquina reserva uma surpresa. Os pontos turísticos são todos próximos, então, fizemos muita coisa a pé. Uma boa pedida foi fazer alguns lanches durante o dia, saboreando a pizza Rústica ou à Taglio, que são pedaços de pizzas vendidos como se fossem sanduíches. Aproveitamos que no último domingo do mês alguns museus não cobram ingresso e visitamos o Museu do Vaticano; depois conhecemos a Piazza San Pietro e Basilica di San Pietro. A Basílica é imensa e majestosa. Lá admiramos a famosa Pietà, de Michelangelo. Também pudemos rezar junto ao túmulo de João Paulo II. Passeamos pelos principais monumentos e praças como Coliseu, Palatino, Piazza Navona, Piazza Venezia, Il Pantheon, Il Foro Romano, L’Arco di Costantino, Fontana di Trevi, Termas di Caracala, onde ao lado fica a milenar Via Ápia. Muito bonito também foi caminhar nos jardins da Villa Borghese, imenso parque repleto de árvores, jardins, lago, fontes, bosques e museus. É tão grande que para visitar seu interior foi necessário alugar uma bicicleta de quatro rodas. Viajar para a Itália é Davvero!

Transportamos Sonhos

Vencemos distâncias com agilidade, comprometimento e segurança, para oferecer a nossos clientes atenção contínua com eficiência e dedicação. Tudo para

transformar seus sonhos em realidade, todos os dias!

www.transduarte.com Revista Expansão

Dezembro/2011

107


turismo

Festival

fecha com balanço Diretora do evento anuncia a criação do Salão da Acessibilidade

N

positivo Por Eduardo Saueressig/Divulgação | Foto: Fábio Winter/Especial

a coletiva de imprensa dos diretores do Festival do Turismo de Gramado (Festuris), Eduardo Zorzanello, Marta Rossi e Marcus Vinícius Rossi, foram expostos os números do evento em 2011. O Festuris neste ano teve um aumento de 14,37% no número de visitantes e 12,85% na metragem comercializada, onde estavam expostos mais de 360 estandes, com um número superior a 1,8 mil marcas. Marta anunciou, para a 24ª edição, a criação do Salão da Acessibilidade, que trará as novas tecnologias, além de novos destinos internacionais na feira. Logo no início da coletiva, houve muita emoção com o cortejo de Nossa Senhora de Nazaré, que abriu a atividade e foi carregada pela diretora, para dar uma bênção final ao evento. Entre as autoridades presentes, estava o presidente da Câmara de Vereadores de Gramado (RS), Giovani Colório, que elogiou o festival e falou sobre a entrega do Troféu Silvia Zorzanello. “Esta premiação foi criada para homenagear uma das maiores personalidades da cidade, e será destinada todos os anos para as pessoas ligadas ao turismo da região”, ressaltou o presidente. A secretária de Turismo de Gramado, Rosa Helena Volk, se disse honrada pela amizade com os diretores do festival, que tanto acrescentam a Gramado. “A minha real sensação com este evento é de honra, pois, o município só tem a agradecer ao Festuris pelas portas que a feira abriu para o Brasil e ao mundo todo. Através do festival, os olhos de todos estão voltados para Gramado”, disse Rosa Helena.

108

Revista Expansão

Dezembro/2011

Renovação O primeiro diretor a fazer sua explanação foi Zorzanello, que reiterou a nova filosofia do evento, agora sem sua mãe, Silvia, com a entrada dele e do Rossi, filho de Marta. “Chegamos ao final desta feira com a sensação de alma lavada, com a certeza de que fizemos o nosso melhor, e que conseguimos unir as novas ideias da juventude, da tecnologia, à experiência da Marta e da Silvia.” Ele ainda lembrou que apesar do crescimento em visitação e metragem, o que realmente vale é a qualidade do evento, o que, para os diretores, está impecável. Logo após, Rossi passou os números finais do evento, e mostrou total satisfação com o resultado. “A internacionalização da feira e o crescimento de visitação e estandes mostram o sucesso, e após várias conversas com amigos e parceiros, percebemos que, apesar da eficiência nos serviços, o que faz tudo dar tão certo é o tratamento dado a cada um com carinho e amizade. Este clima faz com que todos fiquem mais tranquilos e os negócios e ações possam fluir com mais desenvoltura.” Marta frisou que o festival continuará apostando em novos projetos e ideias. “Neste ano, será divulgado o levantamento médio de negócios realizados na feira, algo inédito em relação aos outros anos.” Ela confirmou que a organização obteve lucro com o evento, acompanhado pela própria demanda. “Mas o que mais nos realiza é a qualidade do festival e os elogios que recebemos. Ainda temos muito para crescer, e a internacionalização da feira mostra isso”, ressaltou a diretora e uma das fundadoras do Festuris, juntamente com Silvia.


empreendedor

Tinta&Cor

completa 20 anos

Tradição em tintas, empresa amplia mercado para o ramo de piso e cor e destaca expansão na comercialização Por Graziela Dannenhauer | Foto: Fábio Winter/Especial

H

á mais de 20 anos atuando no mercado do Vale do Sinos e região, a Tinta&Cor, com matriz em Novo Hamburgo (RS) e filiais em São Leopoldo (RS) e Gramado (RS), ampliou em março deste ano o seu mercado de tintas para o segmento de piso e cor. A nova unidade no bairro Canudos, que funciona desde o início deste ano, vem de encontro aos anseios dos sócios, Leonardo Hauschild da Silveira e Renato Dewes, que querem expandir os negócios maximizando as potencialidades de suas lojas, ou seja, a comercialização dos produtos. A matriz completou 20 anos de fundação em 18 de outubro deste ano, Dia do Pintor. De acordo com Silveira, neste dia de celebração é feito homenagens e evento com os pintores e clientes da loja, além de jantar com atrações e prêmios. A fachada da loja recebeu uma pintura, assim como a interna e os tapumes (situados em um terreno do outro lado da rua da matriz) foram grafitados pelos grupos Icel e Quinta Galaxia, com uma linguagem mais criativa. “Buscamos sempre valorizar nossos colaboradores e por meio da fidelização buscamos cativar e encantar nossos clientes. Se tivermos que perder uma venda para sermos justos, a gente perde, mas não perdemos jamais a credibilidade com o consumidor”, destaca Silveira. Tanto é enfatizado esta orientação para a equipe de funcionários, que chega a somar quase 40 integrantes no quadro funcional, que Silveira lembra que no início da loja hamburguense, o sistema de atendimento já começou diferenciado dos demais. “E somos referências em novidades na região para as demais lojas”, brinca o proprietário fundador da Tinta&Cor. A matriz começou a operar com o sistema de mesas e cadeiras para atender aos clientes, ao contrário dos demais concorrentes que atendiam diretamente em balcões. “Muita gente disse que o negócio não iria dar certo por que teríamos que atender com balcões, mas do nosso jeito e maneira, personalizamos e qualificamos o atendimento e garantimos mais comodidade, além de pronta entrega e um estoque invejável de produtos, aos nossos clientes”, lembra Silveira.

Multiprodutos A loja na Rua Ícaro, no bairro Canudos, foi aberta exatamente com a finalidade de atender ao mercado de piso e cor, um estabelecimento com multiprodutos e também com um estoque e pronta entrega invejável. “A ideia é expandir o portfólio com produtos para piso, como revestimento e cimento. Nossa expectativa é ampliar nossos negócios em até 40% em dois anos de operação apenas para este segmento, as tintas ficam para as demais lojas”, estima Silveira. A empresa registrou uma média de crescimento anual de 10% a 15%. A Tinta&Cor nasceu com o DNA, segundo ele, de trabalhar com tintas de qualidade – é uma loja de multimarcas como Suvenil, Sherwin Williams, Eucatex, Killing e Montana – e atendimento diferenciado, com sistemas de informática sempre atualizados e pioneiros em tecnologias – foram os primeiros a terem a máquina de Tintometria na região em 1992. Além disso, o proprietário fundador sempre esteve envolvido em causas sociais da comunidade, integrando grupos de representatividade em Novo Hamburgo, como a Câmara de Dirigentes Lojistas, o Grupo Pensando Novo Hamburgo e a Ação 21. Informações em www.tintaecor.com.br.

Revista Expansão

Dezembro/2011

109


GOLFE CLASSIC Por Luis Carlos Baumgarten Empresário e vice-presidente da Confederação Brasileira de Golfe royal.golfe@terra.com.br

Confraternização Em 4 de novembro, foi realizada, no Belém Novo Golf Club, a 2ª Copa Medina de Golf, em homenagem ao diretor da Federação Riograndense de Golfe, André Medina Leite (centro), que reside em Miami e anualmente vem ao Brasil rever os amigos e atuar em prol do golfe no Estado. Os grandes campeões da competição realizada em caráter de confraternização foram os golfistas Aldo Carboni (esquerda) e Agnaldo Paniz (direita).

Os campeões do torneio

Torneio Golf Channel

Fotos: Divulgação

A terceira e última etapa gaúcha do Campeonato Latino-americano foi realizada em 29 e 30 de outubro, no Belém Novo Golf Club, em Porto Alegre (RS). As duas primeiras ocorreram no Green Village Golf Club, em Xangri-lá (RS) e no Santa Cruz Country Club. Mais de 80 golfistas entraram em campo e acompanharam a cobertura completa da Golf Channel (canal 26 da Sky). O jovem Matheus Balestrin foi o grande campeão do torneio que recebeu o patrocínio de Air Liquide e Dark Dog.

Leonardo com o troféu, ao lado de seu pai e filho

Aberto de Livramento A última etapa do Tour Gaúcho por Categoria 2011, realizada em 11, 12 e 13 de novembro, no Clube Campestre de Livramento, reuniu jogadores de alto rendimento do Estado, além de atletas argentinos e uruguaios, que mostraram sua tradição em campo. Importantes patrocinadores contribuíram para a realização do evento, atendendo aos participantes e oferecendo excelentes serviços e produtos. O golfe gaúcho agradece o importante apoio das empresas Duty Free América, Rivera Casino Resort  e Posto Mello. A local player Elizângela Fagundes, de apenas 15 anos e integrante do projeto social Novos Talentos, surpreendeu e venceu o campeonato. Apesar da pouca idade, Elizângela já acumula  títulos em três abertos, mas confessa que vencer em casa tem um sabor diferente. Entre os cavalheiros, Leonardo Conrado manteve a liderança e venceu o torneio. Na premiação, o golfista recebeu o troféu ao lado de seu pai, também golfista Ricardo Conrado, e do filho, terceira geração da família unida pelo esporte.

Elizângela Fagundes, campeã aos 15 anos

110

Revista Expansão

Dezembro/2011


Revista Expans達o

Dezembro/2011

111


Tudo pelo social

Crianças saem da lavoura e caem na brincadeira

Um novo

despertar

Por Vera Fernandes | Fotos: Junio Nunes/Divulgação

Projeto une organizações públicas e privadas para manter estudantes mais tempo na escola e longe das lavouras de tabaco no Vale do Rio Pardo

C

ombater o trabalho infanto-juvenil nas lavouras de tabaco. Este foi o objetivo de um programa desenvolvido em Vera Cruz (RS), no Vale do Rio Pardo, resultado da parceria entre Alliance One Brasil e Fundação Altadis, pertencente ao grupo Imperial Tobacco. Todo o processo de implantação do Projeto Despertar - que teve o apoio da prefeitura de Vera Cruz, do Círculo de Pais e Mestres (CPM) da Emef Jacob Blész e do Programa Crescer Legal, do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) -, envolveu os alunos da escola, localizada em Linha Henrique D’Ávila, a comunidade, os professores e a própria indústria. O projeto foi lançado oficialmente em 1º de novembro, seis meses depois de iniciadas as ações, que incluíram levantamentos e diagnósticos e cujos resultados foram comemorados no lançamento.

112

Revista Expansão

Dezembro/2011

As ações e resultados O projeto previne e combate o trabalho infanto-juvenil nas lavouras com educação, cultura, lazer e esporte. São atendidos 175 estudantes da 6ª a 8ª-série, no turno inverso à aula. “Precisamos desenvolver projetos de educação, cultura, qualidade de vida e meio ambiente”, enfatiza o diretor regional da América do Sul da Alliance, Alexandre Strohschoen. De acordo com a coordenadora de Comunicação e Responsabilidade Social da Alliance One, Deise Kanitz, a proposta é oferecer atividades que estimulem os alunos a ficarem mais tempo na escola. As oficinas são de música, teatro, artesanato, danças diversas, acompanhamento escolar, esporte (futebol, voleibol, basquete e handebol), jogos de mesa, atletismo, educação ambiental (hortas e flores) e informática -, envolvendo 130 alunos. Todas as ações são acompanhadas e avaliadas periodicamente. Deise destaca que o lançamento oficial aconteceu depois de já iniciadas as ações porque esta é a política da Alliance. “A empresa acredita que os primeiros resultados são o estímulo para a continuidade e uma forma de sensibilizar os envolvidos”, explica. O evento teve apresentações das oficinas de Dança e Música, e, segundo a diretora da escola Adriana Predebom, eles se prepararam com dedicação para mostrar o que estão aprendendo. “Estamos bem satisfeitos, pois as oficinas têm uma frequência de 95%, demonstrando que os alunos estão gostando das atividades”, enfatiza a coordenadora do projeto, Carina Wild.


Diagnóstico com pais e alunos O projeto teve início com um diagnóstico realizado junto à comunidade escolar em 2010, onde foram elencadas as demandas, principalmente, relacionadas a problemas de vulnerabilidade social e familiar e ao baixo rendimento escolar. Com base no resultado obtido, foram definidas as estratégias e parcerias para sua implantação. As prioridades apontadas pelos pais foram saúde, educação, segurança, creches, saneamento básico, transporte, escolas, emprego, atividades culturais, assistência social, habitação, drogadição, gravidez na adolescência, doenças sexualmente transmissíveis e preservação ambiental. Já os filhos optaram, na pesquisa para o diagnóstico, pelo esporte - futebol, atletismo, basquete, vôlei, xadrez, handebol e natação -, informática, artes - artesanato, teatro, violão, guitarra, técnica vocal e teclado-, dança, língua estrangeira, meio ambiente e palestras.  

Alunos escolheram as oficinas conforme seus desejos

O trabalho infanto-juvenil nas lavouras de tabaco O Decreto Presidencial 6.481, de 12 de junho de 2008, proíbe o trabalho de menores de 18 anos. Entre as atividades descritas na lista de proibições estão a direção e operação de tratores, máquinas agrícolas; no processo produtivo do fumo; no beneficiamento do fumo; na pulverização, manuseio e aplicação de agrotóxicos, adjuvantes, e produtos afins, incluindo limpeza de equipamentos, descontaminação, disposição e retorno de recipientes vazios. “Nós temos que cumprir a legislação. Além disso, entendemos que crianças e adolescentes devem investir o seu tempo exclusivamente em sua educação e em horas de lazer, sob pena de perderem esta fase de sua vida que é tão importante, prejudicando o pleno desenvolvimento”, explica Deise. Segundo ela, as maiores dificuldades quando se trata do envolvimento de crianças e adolescentes em atividades laborais, está em oferecer oportunidades de outras atividades, concernentes com sua faixa etária e desenvolvimento físico e psicológico e que sejam atraentes para eles. “Além disso, é preciso conquistar a confiança dos pais, para que eles estimulem a participação dos filhos em atividades extraclasse”, diz. Este também foi, segue a coordenadora, um dos objetivos do evento de apresentação oficial, trazer os pais até a escola e mostrar-lhes que manter seus filhos no projeto traz benefícios para toda a família. “Sabemos que ainda existem situações em que os adolescentes, principalmente os maiores de 12 anos, estão envolvidos em atividades na cultura do tabaco”, conta Deise. Ela explica que não só a Alliance One, mas todo o setor fumageiro monitora, através de orientadores agrícolas, de maneira preventiva, o trabalho de crianças e adolescentes na cultura do fumo. “Se evidenciada qualquer situação, ações são desenvolvidas. Caso não haja a correção, pode ocorrer denúncia da situação ao Conselho Tutelar e Ministério Público”, avisa Deise.

Revista Expansão

Dezembro/2011

113


CASA & ESTILO Por Jaqueline Fischer Zapelini Arquiteta jaque@zapelini.com.br

A decoração é uma espécie de alta costura da casa e deve, como foco, projetar o lugar onde a pessoa quer morar e sentir-se bem.

Decore a sua casa Quem não gosta da sensação que transmite uma casa bonita, com objetos de bom gosto decorando cada ambiente? Embora não se possa dizer que isso ou aquilo não se usa mais, já que tudo depende do gosto do dono da casa, é importante que na hora de decorar haja harmonia. Hoje a tendência é bem eclética, sendo possível misturar o clássico com o moderno e nada pode ser exagerado. As peças coloridas conquistaram destaque nos últimos tempos, mas muitos ainda preferem os tradicionais dourado e prata, optando apenas por uma peça de cor para dar um diferencial. Na decoração, uma gama de materiais compõem os produtos, como cristais e a prata, que voltaram com tudo. As flores permanentes (não artificiais, como chamávamos há algum tempo) também enfeitam a casa e complementam os ambientes.

Um dos itens que não pode faltar Há modelos mais clássicos e peças mais atuais, onde há o cristal, como o design moderno. O lustre, hoje em dia, passou a ser uma peça decorativa, não sendo usada somente para iluminar o ambiente. Para quem procura um objeto decorativo para a sala, inicialmente, deve-se levar em conta a harmonia. É preciso sentir que aquele objeto que, estamos colocando em determinado lugar, foi feito para estar ali, combinando com o local e o cliente.

114

Revista Expansão

Dezembro/2011


Fotos: Divulgação

Compostas por adornos Para o banheiro, usam-se as bandejas compostas por adornos, como difusores de cheiro, além das velas aromatizadas e de pequenos vasos com flores permanentes, dão vida ao ambiente.

Uma mesa bonita convida todos a se sentirem bem A sala de jantar, em muitas casas, só é usada nos finais de semana ou em festas quando se recebem visitas, vale a pena valorizar este espaço com belas peças e lustres. No dia-a-dia, você também merece peças que combinem com seu ambiente e tragam o prazer de sentar-se à mesa. Os copos, por exemplo, não precisam ser todos de uma mesma cor, mas devem ter sintonia com a louça. Ao decorar uma mesa, você demonstra carinho e atenção ao receber seus convidados. Cada detalhe, cada momento, cada peça, compõe um cenário para situações incríveis. Com simplicidade, criatividade, pouca técnica e boa vontade é possível tornarse um expert na arte de recepcionar.

Revista Expansão

Dezembro/2011

115


cinquentenário

Um passo para os próximos

50 anos Por Aline de Melo Pires | Foto: Fábio Winter/Especial

Aniversário da Fenac é marcado pelo anúncio de um grande investimento e transformação no maior centro de eventos da América Latina

A

comemoração de meio século de história e tradição da Fenac foi em grande estilo na noite de 21 de novembro, no NH Hall, em Novo Hamburgo (RS). Expresidentes, conselheiros, membros de entidades de classe e autoridades participaram do lançamento do projeto Master Plan – também denominado de Fenac do Futuro –, cuja proposta é transformar os pavilhões da Fenac em um dos maiores e mais modernos centros de eventos da América Latina. Este projeto marca o que deve ser uma nova era para a região do Vale do Sinos e para o Estado. Além disso, o passado foi valorizado com a homenagem aos fundadores e aos ex-presidentes e o presente ressaltado com o reconhecimento às entidades e personalidades que jamais mediram esforços para fazer sua parte no crescimento regional. Em seu discurso, o diretor-presidente da Fenac, Elivir Desiam, destacou o empenho, o esforço e a ousadia dos fundadores visionários e empreendedores. “Além das entidades do setor, que são fundamentais para os grandes resultados dos eventos realizados nos nossos pavilhões, à equipe de trabalho da Fenac, que demonstra grande profissionalismo e capacidade de superação de desafios, e a todas as pessoas que fizeram e fazem parte desta história de sucesso”, acrescentou Desiam.

O empreendimento  O Master Plan consiste em 180 mil metros quadrados de área construída, sendo aproximadamente 70 mil metros quadrados de pavilhões, revitalização completa dos 18 hectares da sede da Fenac, construção de novos pavilhões, hotéis, auditórios,

116

Revista Expansão

Dezembro/2011

torre empresarial, entre outros espaços. O novo Centro de Feiras e Eventos foi projetado para equiparar a Fenac aos grandes centros existentes em países da Europa e Oriente Médio. O valor dos investimentos depende de vários fatores e de parcerias a serem buscadas junto a órgãos públicos, iniciativa privada e instituições financeiras. A estimativa preliminar é de R$ 170 milhões para a execução do projeto. Estes recursos poderão ser viabilizados por meio de Parcerias Público Privadas (PPPs).  A direção da Fenac já tem garantido o apoio do Banrisul e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. “O governo federal tem um compromisso muito forte com o setor do calçado e seremos parceiros, porque acreditamos no potencial da região. Tenho certeza de que não faltarão recursos para consolidar este plano”, disse Alessandro Teixeira, ministro interino do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Durante a festa também foi apresentada a nova logomarca da Fenac.

Retrospectiva Uma retrospectiva dos 50 anos da Fenac foi mostrada em vídeo, por meio do qual foi possível relacionar a história do calçado brasileiro com o desenvolvimento da região e do próprio setor coureirocalçadista brasileiro. “Vivemos num contexto em que terão oportunidades aqueles que ousarem, mas sempre respeitando os interesses das éticas e do público. A Fenac continuará sendo uma ferramenta de desenvolvimento do município e do setor”, complementou o prefeito de Novo Hamburgo, Tarcísio Zimmermann. O empresário Mário Gusmão falou em nome dos homenageados.


conceito

Goldsztein lança novas

Empresa do ramo imobiliário do Estado comercializa imóveis mobiliados para clientes que querem comodidade

vendas Por Graziela Dannenhauer | Foto: Fábio Winter/Especial

U

m novo conceito em comercializar imóveis foi adotado pela Goldsztein Cyrella. Desde o mês passado, foi aberta a venda de 15 apartamentos no Edifício Absoluto, no bairro Pátria Nova, em Novo Hamburgo (RS), mobiliados, e, a partir daí, se a proposta piloto for consolidada, ela deverá ser implantada em seus demais empreendimentos gradualmente, onde for favorável. A forma como esse novo conceito é aplicado foi explanada pelo diretor de Vendas da Regional Sul da Goldsztein, Ricardo Genro Jornada, em seu escritório, em Porto Alegre (RS), onde atendeu, exclusivamente, a equipe de reportagem da Revista Expansão. Ele vai, De acordo com Jornada, a ideia é oferecer ao praticamente, cliente uma comodidade ao adquirir o seu imóvel. comprar o imóvel “Ele vai, praticamente, comprar o imóvel e vai poder morar na residência já mobiliada, com a praticidade e vai poder morar de não precisar ainda colocar a mobília essencial pana residência já ra sua nova casa”, explica. Com isso, as camas, os armobiliada, com mários, as bancadas e a cozinha já estarão internaa praticidade de mente instaladas em sua nova moradia antes mesmo de fechar o negócio. “O cliente vai poder trazer não precisar ainda seus objetos pessoais e instalar-se com muito mais colocar a mobília tranquilidade e praticidade”, frisa Jornada. essencial para sua Se houver alguma declinação em relação à nova casa. mobília, explica o diretor, é possível trocá-la. A parceria foi firmada com a Todeschini e o cliente combina um dia para ir à loja e definir o que quer em seu novo imóvel. “Toda a qualidade e atendimento Goldsztein com a mesma qualidade e atendimento da Todeschini”, compara Jornada.

meiras. Cada um está sendo comercializado no valor de R$ 279 mil, mobiliado. Há apartamentos duplex, com 4 dormitórios, de 153 metros quadrados de área privativa; de dois, com 61 metros quadrados, e de três, com 77 metros privativos. As condições de pagamento variam de R$ 45 mil de entrada, mais parcelado, ao crédito habitacional com parcelas de 300 meses. Ao todo, o Absoluto, que foi construído antes do prazo final, com padrão invejável pela Mossmann Incorporadora, de Novo Hamburgo (RS), tem 30 unidades das 120 existentes à venda, em uma única torre, com seis apartamentos em seus 23 andares. São unidades, conforme Jornada, de dois a quatro dormitórios, direcionados à casais jovens ou solteiros, de classe A e B, que buscam comodidade e qualidade de vida e lazer.

Infraestrutura Os apartamentos estão localizados em uma área nobre e privilegiada e disponibilizam ainda de infraestrutura com playgrounds, fonte, lounge gourmet, salão de festas com espaço gourmet, hall social, cineminha, cantinho dos artistas, fitness center, copa e vestiário para os funcionários, apartamento para zelador, quadra de esportes, fitness ao ar livre, solarium, psicinas infantil e adulto, porte cochère, guarita, decks molhado e de madeira, pergolado da piscina, edifício garagem e caminho das pal-

Revista Expansão

Dezembro/2011

117


sounds

Ana e Jefe Casal de Novo Hamburgo encanta com hits de suas composições e gravam CD para março de 2012 Por Graziela Dannenhauer | Foto: Divulgação

O

carteiro Jéferson Amaral, 28 anos, e a dona de casa Ana Lisboa, 22, se conheceram no grupo de amigos da igreja católica do bairro Canudos, em Novo Hamburgo (RS), quando eram adolescentes. Ambos tinham seus talentos e Jéferson, conhecido como Jefe, tentou formar uma banda, depois de um tempo que conheceu Ana, mas não tinha um baixista. Ana toca violão desde os 9 anos e tem uma voz linda para cantar. No sonho adolescente, Amaral tentou formar a banda, mas não conseguiu. Somente depois de convidar Ana que a banda deslanchou. “Tínhamos 17 para 18 anos, quando fizemos nossa primeira apresentação e deixamos a Ana cantar, ela já cantava também na igreja, e depois disso não paramos mais”, lembra Amaral. Eles estão casados há sete anos e têm dois filhos – Matheus, 3 anos, e Maria Clara, 5. Ana conta que a banda se dispersou logo em seguida da formação, mas que a dupla se manteve cantando em bares e bistrôs. “O Jefe sempre gostou de escrever e compor poesias. Ele que é responsável pelas letras”, destaca Ana. E com o passar dos anos, o público foi pedindo mais instrumentos, mais agito nas apresentações. “Foi aí que vimos que tínhamos que aumentar a equipe”, diz Amaral, ele que divide a sua vida profissional de carteiro dos Correios durante o dia com as ondas do violão à noite. “É complicado, mas não deixo interferir em nada, eu preciso de uma estabilidade para meus filhos”, afirma o músico carteiro.

Primeiro CD Há quatro anos, Vilson Macedo (bateria), Gabriel Pepe (baixo), Lenny Arnold (teclados) e Maikon Alves (percussão) integram a banda que está fazendo apresentações pela região, na Velfarre, em Novo Hamburgo (RS), e Factory, em São Leopoldo (RS), e abrindo shows pela região metropolitana de Porto Alegre, como o de Claus e Vanessa, em Morro Reuter (RS), em novembro. Para março de 2012, o primeiro CD deve ser lançado, com 16 músicas, com duas de autoria própria da dupla Ana e Jefe - Me Beija e Se é Amor. As músicas estão postadas e disponibilizadas nas redes sociais (@anaejefe) da dupla e podem ser baixadas gratuitamente. As músicas que têm um estilo pop rock, groove e samba rock, segundo o casal, que tem uma sintonia perfeita, traz emoções para sentir-se bem. “Nós somos felizes e expressamos a nossa felicidade nas letras que compomos. Claro que temos dificuldades, como todo casal, mas sabemos lidar com isso”, frisa Amaral. Em dezembro, quem quiser acompanhar a dupla é só se programar: dia 9 (Dutx/Novo Hamburgo), dias 10 e 16 (Factory/São Leopoldo), dias 11 e 18 (Heinzbier/ São Leopoldo), dia 17 (Velfarre/Novo Hamburgo) e dia 23 (La Commune/Feliz).

118

Revista Expansão

Dezembro/2011


sounds

Emoções a

florda pele Pearl Jeam canta grandes sucessos e arrasa em show histórico e Lenine encanta com seus hits de sucessos

U

Por Edith Auler e Graziela Dannenhauer

 

Graziela Dannenhauer/Especial

Hits/Divulgação

m dia sabático – 11 de novembro de 2011. A noite prometia. Com pouco mais de 15 minutos de atraso, entra no palco do Estádio Zequinha, em Porto Alegre, uma das bandas de maior sucesso dos anos 90: Pearl Jam. Entoando gritos de emoção, mais de 20 mil pessoas reuniram-se numa noite de clima bastante agradável, celebrando o rock. Em grande forma, o vocalista Eddie Vedder (foto) mostrou-se bastante ativo durante todo o show,  interpretando inúmeros sucessos. Na maioria das vezes, ele dirigiu-se à plateia, falando em português. Em um desses momentos, disse que “o brasileiro é o melhor público do mundo”, deixando todos enlouquecidos. A banda manteve-se durante todo o espetáculo em total sintonia com os fãs, emendando clássicos como Why Go, Even Flow, Jeremy e Black. Um dos pontos altos, que emocionou muita gente foi quando o Pearl Jam entoou o clássico Last Kiss. Todos em um só refrão, em uma só voz! Épico. Quando a música terminou, muitas pessoas tinham se emocionado. Foi um espetáculo especial. A banda mostrou porque continua sendo uma das lendas do rock no mundo! Destaque também para a excelente qualidade técnica do som e luz no show.

Lenine no Opinião O compositor pernambucano Lenine lotou o Opinião, em 17 de novembro, em Porto Alegre. Com uma maravilhosa presença de palco e uma performance invejável, ele cantou seus hits que fizeram a plateia não ficar parada. Quem esperou por ouvir Paciência e Hoje quero sair só quase não ouviu porque quem cantou foi os fãs, que entoaram suas magníficas letras. Lenine abriu seu espetáculo de quase uma hora e meia de pura música brasileira, dizendo que “fazia um tempo que não vinha a Porto Alegre. E que eu não tocava assim tão de pertinho. É bom, rola uma troca de umidades.” O Dia em Que Faremos Contato, Na Pressão, Falange Canibal, Lenine.doc, Labiata, Homem dos Olhos de Raio-X, Aquilo Que Dá no Coração, Magra, Lavadeira, Paciência, Jack Soul Brasileiro, Dois Olhos Negros, Martelo Bigorna, entre muitas outras encantaram o público, que pediu bis e ganhou Chão, música de seu novo CD que foi lançado recentemente, e Alzira e Torre.

Revista Expansão

Dezembro/2011

119


EMPRESAS & PRODUTOS Fotos: Divulgação

Aniversário

Schmitão faz 45 anos A Schmitão Auto Center, em Novo Hamburgo (RS), festejou seus 45 anos na noite de 17 de novembro, com um grande evento, em alto estilo de comemoração, com familiares, amigos, clientes, corretores e representantes de seguradoras. Todos foram recepcionados por André Schmitz e sua esposa Patrícia. Na ocasião, foram realizados um cerimonial de recordações com homenagens aos funcionários mais antigos e apresentadas as novas propostas de trabalho. A principal homenagem foi feita a Victor Schmitz, o fundador e precursor da empresa hamburguense.

Design

Peças produzidas com exclusividade A Danish Design, com showroom em São Paulo (SP), não para de inovar e trouxe a linha de acessórios da ArchitectMade para compor seu acervo. A marca, como não poderia deixar de ser, é feita pelos mais renomados designers da Dinamarca, o que confere às peças o melhor e a personalidade do design escandinavo. Entre as novidades, encontra-se o castiçal Gemini concebido em 1965, em aço polido inoxidável e com 11,5 centímetros de altura e 11 de largura, por Peter Karpf’s. O castiçal Gemini é uma excelente escolha para o indivíduo moderno, que gosta de relaxar em um ambiente agradável, atmosfera equilibrada após um dia estressante ou simplesmente querer criar uma atmosfera harmoniosa para qualquer ocasião. Mais informações em www.danishdesign.com.br.

120

Revista Expansão

Dezembro/2011


Língua estrangeira

Bairro Canudos será contemplado com Wizard Divulgação

Este ano, os irmãos Reinaldo e Cyntia Igari, completam dez anos de administração da Wizard hamburguense, que hoje, conta com operações no Centro e Hamburgo Velho. Com o objetivo de consolidar a posição de liderança do setor, a Wizard hamburguense inaugura mais uma unidade, dessa vez, no bairro Canudos, no modelo Express, atendendo aos moradores daquela região. A Wizard Express é um modelo de operação simplificado, ou seja, de menor porte. Esta será a terceira unidade da escola em Novo Hamburgo (RS) e contará com uma estrutura administrativa compacta. A inauguração está prevista para a primeira quinzena de dezembro, na Rua Bartolomeu de Gusmão, 121.

Empreendimento

Nova Petrópolis tem cervejaria Edelbrau Os jovens empreendedores Samuel Zang e Fernando Maldaner lançaram, em 25 de novembro, a Cervejaria Edelbrau, em Nova Petrópolis (RS). Inicialmente, a empresa estará comercializando o chope pilsen, para, em 2012, ampliar a sua gama de produtos, como também proporcionar a degustação no mesmo local da fábrica. O sócio Samuel esteve com o prefeito Luiz Irineu Schenkel e com o vice-prefeito Ricardo Lawrenz para agradecer todo o apoio que o Poder Público tem dado para concretizar o empreendimento. Zang reiterou que o investimento foi alto, mas que ele e seu sócio estão acreditando no potencial de Nova Petrópolis para crescer. O prefeito elogiou a iniciativa dos jovens e destacou que “estava faltando uma empresa como esta para fortalecer a manutenção das tradições germânicas em chope e cervejas.” Zang presenteou o prefeito e vice com uma garrafa de Edelbrau. A fábrica está localizada no quilômetro 4, da RS-235. Mais informações em www.edelbrau.com.br. Marco Dieder/Divulgação

Zang, Schenkel e Lawrenz

Revista Expansão

Dezembro/2011

121


ECONOMIA & NEGÓCIOS feira

Sucesso de preview

P

ara aqueles que achavam ser mais uma feira regional no calendário brasileiro, se enganaram. A Zero Grau – Salão de Tendências em Calçados e Acessórios, que ocorreu na Expogramado, em novembro, em Gramado (RS), chegou e se consolidou na sua primeira edição. A feira, que surpreendeu a muitos nos primeiros dias, rendeu bons negócios aos expositores, lojistas e importadores, com bons atendimentos em todos os segmentos, e registrou mais de 10 mil visitantes de todo o Brasil. Os lojistas que estiveram presentes já saíram com negócios fechados e pedidos feitos para a próxima estação. Para os expositores, foi ótimo; pois, assim conseguiram alinhavar suas coleções e tirar um parâmetro do que deve ser lançado ou não para as consumidoras finais. Para Frederico Pletsch, diretor da Merkator Feiras e Eventos, promotora da Zero Grau, a feira cumpriu seu papel. “O fabricantes estão seguros e com suas produções programadas para o início do próximo ano.” Convicto, o empresário divulga a data da próxima edição. “Já definimos que será de 26 a 28 de novembro de 2012, no mesmo local deste ano”, anunciou Pletsch. Lacuna na entressafra O diretor ainda revela que o evento era uma necessidade latente no mercado de calçados e acessórios. A Merkator trabalhou durante três anos para criar a feira. “A Zero Grau surgiu para preencher uma lacuna de entressafra existente no setor calçadista. O resultado foi surpreendente. Superamos todas as expectativas e nos consagramos como lançadores de moda e como plataforma de vendas”, comemora Pletsch. O Projeto Comprador Regional (PCR), da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), contou com a presença de cinco compradores do Peru, Guatemala, Equador, Canadá e Nicarágua. O projeto da Abicalçados teve a parceria da Apex-Brasil.

122

Revista Expansão

Dezembro/2011

Zero Grau se consagra como evento que antecipa as coleções de inverno 2012 já em sua primeira edição em Gramado Por Rosa Lemes/Mídia Help/Divulgação | Fotos: Fábio Winter/Especial e Divulgação

Lançamentos Todos os estilos se encontram no inverno da Via Marte O Outono-Inverno 2012 promete ser a estação das texturas. Se no verão foram as cores que ditaram a moda, na temporada fria são as diferentes superfícies que parecem tentar se sobressair uma às outras. Com muito brilho, glitter, peles e pelos, nobuck, animal print e efeitos metalizados, a coleção da Via Marte desperta com ousadia, modernidade e sofisticação para o outono-inverno. Moda contemporânea no outono-inverno da Zeket - Foi buscar inspiração em diferentes épocas da moda para compor uma coleção eclética e cheia de atitude. Focado no universo fashion europeu, o outono-inverno 2012 da marca de calçados femininos revisita tendências e traz um portifólio de sapatos fechados, peep-toes, sandálias, botas, escarpins e ankle boots.


Revista Expans達o

Dezembro/2011

123


CRÔNICA

ECONOMIA & NEGÓCIOS Lu Freitas/Especial

Por Osvino Toillier Professor, escritor e presidente do Sinepe/RS osvino@sinepe-rs.org.br

Arrumando as malas

“À

Prodanov (E) e Zimmermann (D) no descerramento da placa no novo espaço

Tecnologia

Hamburgtec é inaugurada Um passo importante na busca pela excelência em desenvolvimento tecnológico e economia criativa. Estas são as prerrogativas que marcaram a inauguração da Hamburgtec, em Novo Hamburgo (RS), em 24 de novembro. Com sede em Hamburgo Velho, a entidade já abriga três empresas e outras duas estão em fase de instalação. Ainda há espaço para mais dez. Na inauguração, autoridades e representantes de entidades e instituições de ensino prestigiaram o novo espaço. Entre eles, o prefeito Tarcísio Zimmermann; o secretário Estadual da Ciência Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, Cleber Prodanov; o reitor da Universidade Feevale, Ramon Fernando da Cunha, e o presidente da Valetec – da qual a Hamburgtec faz parte – , Olivério Ferreira. O investimento para a instalação da Hamburgtec foi de mais de R$ 200 mil e a previsão é de que o condomínio empresarial seja beneficiado com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia, do governo do Estado - por meio do Programa Gaúcho de Parques Científicos e Tecnológicos (Pgtec) -, e da prefeitura, em cerca de R$ 4 milhões. O telefone de contato é (51) 3239-0158.

Vera Fernandes/Especial

s vésperas de não partir nunca, ao menos não é preciso arrumar as malas.” Arrumar as malas para viajar é sempre um desafio emocionante, porque é preciso previsão, planejamento e organização. Não dá para levar meia mudança, ainda mais quando se trata de viagem de avião, quando o peso é limitado rigorosamente. Aliás, arrumar mala tem técnica, e especialistas dão preciosos conselhos. A tendência é levar mais do que se precisa. E carregar peso em viagem é sempre cansativo e desagradável. A necessidade de arrumar a mala deveria levar a examinar tudo que acabamos juntando em casa e de que temos certamente dificuldade de separar-nos. Temos a tendência de agarrar-nos àquilo que é nosso, que nos acompanha ao longo da vida e que faz história com a gente. Li certa vez que deveríamos aprender a separar-nos de nossos pertences, libertar-nos dos pesos. Cada vez mais me convenço de que isto é um interessante exercício, para a gente ficar mais leve. Não estou pregando jogar fora nossas relíquias, que fazem parte da história pessoal e memória. Um exercício interessante é mudar-se para moradia menor, apartamento, por exemplo. Pessoalmente, passei por esta experiência de vida. Anos vinha guardando materiais, que tive de descartar e, principalmente, doar livros, que enriqueceram a biblioteca de uma escola do interior, cujos alunos puderam deliciar-se com verdadeiras relíquias. Arrumar as malas para viagem, por menor que seja, sempre implica não esquecer nada; rearrumar tudo que se tem dentro de casa é outra viagem, porque exige capacidade de renúncia e separação. O que muitas vezes rouba lugar em casa pode servir para alguém viver melhor e, quem sabe, mergulhar no maravilhoso mundo dos livros, onde se conta a caminhada da humanidade. E aí a gente concorda com Fernando Pessoa, cujo pensamento abre esta crônica.

Copetti, Kamelmann, Schreiber, Goerlich, Ansuj e De Toni

Projetos

Abrameq faz investimentos para o setor A Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para os Setores do Couro, Calçados e Afins (Abrameq) apresentou em café da manhã no Salão de Convenções da ACI, em 26 de outubro, três novos projetos para a segurança no trabalho, tecnologia e promoção comercial. O Programa de Segurança no Trabalho tem parceria da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (Abdi). Em parceria com o Sebrae, o Programa de Inovação Tecnológica na Indústria Calçadista visa evitar desperdícios, acidentes e reduzir o tempo de ciclo de produção. O Projeto Internacional de Promoção da Indústria Gaúcha de Máquinas tem parceria com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento e Produção Industrial (Sdpi). A meta é ampliar as vendas nos polos. O presidente da Abrameq, Heitor Schreiber; o diretor do Sebrae, Marco Copetti; o presidente da Abqtic, Roberto Kamelmann; o presidente do Cicb, Wolfgang Goerlich; o diretor da Sdpi, Somchai Ansuj; e o gerente de planejamento da Abdi, Jackson De Toni, estiveram no evento.

124

Revista Expansão

Dezembro/2011


Ampliação

Sicredi tem nova unidade Por Vera Fernandes | Foto: Vera Fernandes/Especial

Inauguração está prevista para o próximo dia 20 e deve acolher, em um ano, cerca de 800 novos associados “Estávamos devendo isso para a comunidade estanciense, que vinha pedindo tanto por meio de nossos associados que moram no Centro e têm conta no bairro, e precisavam de uma unidade mais próxima, quanto pelas entidades empresariais, que também pediam”, explica. Segundo ele, a expectativa é de que, em um ano, a nova unidade já tenha 800 novos associados.

Unidade na área central

O

Stapassola explicou como vai funcionar o novo estabelecimento

superintendente da Sicredi Pioneira, Solon Stapassola Stahl, anunciou, durante entrevista coletiva, realizada em 27 de outubro, na unidade Sicredi do bairro Rincão dos Ilhéus, em Estância Velha (RS), um presente de Natal para a cidade. O pacote será desembrulhado em 20 de dezembro, com a inauguração de uma nova unidade do banco na cidade, desta vez no Centro. A nova Sicredi será na Avenida 7 de Setembro, esquina com a Rua Eça de Queiroz, em uma estrutura com 500 metros quadrados de área construída.

Conforme o gerente da unidade do Rincão dos Ilhéus, Leonardo Vanoni Borges – que deve assumir a gerência no Centro – ao todo, a unidade conta com 3 mil associados e destes, cerca de 200 são moradores da área central do município. “Já começamos a trabalhar imediatamente no mapeamento da cidade e na divulgação da nova unidade. Quem quiser abrir a sua conta, pode fazê-lo na unidade do Rincão dos Ilhéus, e assim que for inaugurada a Sicredi do Centro, a conta, sem alteração de número, é transferida automaticamente”, explica. Com esta, a Sicredi Pioneira será a única instituição com dois pontos de atendimento em Estância Velha. Ao todo, estará com 33 unidades na região, entre São Leopoldo e Caxias do Sul. A previsão, segundo Stapassola, é que até 2015 sejam 45 unidades nesta área de abrangência.

Revista Expansão

Dezembro/2011

125


COMPORTAMENTO

ECONOMIA & NEGÓCIOS

Por Cris Manfro Psicóloga clínica, terapeuta de família e mediadora familiar acmanfro@terra.com.br

A

126

Revista Expansão

Dezembro/2011

A tecnologia do armazenamento de documentos e informações surge como uma solução para empresas que querem e precisam se organizar na sua história. Para isso, o espaço de mercado para empresas como o Centro Logístico de Arquivos Empresariais (Clae) cresce cada vez mais. Tanto que há seis meses, a empresa precisou mudar de endereço.  Localizado na Rua Miranda, 863, no bairro Liberdade, em Novo Hamburgo (RS), o centro agora está instalado em um prédio com 1,5 mil metros quadrados, ampliando sua capacidade em 50%. O Clae oferece um sistema de guarda de documentação e de informações, assim como a digitalização e gravação de imagens de documentos com equipamentos de alta tecnologia. A terceirização e a guarda total dos arquivos são realizadas por pessoas habilitadas para fazer o manuseio das caixas. “O armazenamento desordenado e sem critério de papéis ocasiona acúmulo de poeira e proliferação de insetos e bactérias em ambientes de trabalho, dando-lhes um aspecto de desorganização e pouca beleza”, destaca o diretor-administrativo do Clae, Alfredo Jorge Sieczka (foto). O objetivo principal do empreendimento, segundo ele, é a organização da informação documental de pequenas, médias e grandes empresas. “Com a organização e classificação dos documentos, aumenta a eficiência na recuperação, quando necessário, diminuindo o risco de perda e o desperdício de tempo por não encontrá-los”, esclareceu Sieczka.

Joias

Maja agora em Novo Hamburgo Em 24 de novembro, as empresárias Luciane Boufleuher e Patricia Wittmann (foto)foram as anfitriãs na abertura do mais novo espaço de joias e acessórios em Novo Hamburgo (RS). Há mais de dez anos no mercado, a Maja - Joias e Acessórios inaugurou, nos altos da Rua Joaquim Nabuco, 1.691, loja 3, no Edifício Sunset Executive, uma loja exclusiva e personalizada, com peças em prata, ouro e pedras preciosas, cujo design também pode ser sugerido pelo cliente. Divulgação

menos que você possua algum dom especial de prever o futuro (nunca conheci ninguém com esse dom, mas caso você tenha venha trabalhar comigo), você está proibido de fazer achometria. O que é achometria? É a mania de achar! Achar e pensar pelos outros, construindo histórias. Achar que o outro pensa, que você pensa que ele está pensando. É a mania de pensar que ele deve estar sentindo isso ou aquilo porque é óbvio que... e assim construindo realidades e verdades que, na maioria das vezes, são pura fantasia e devaneios mentais. Pare! Ninguém é feliz imaginando e criando coisas. Nem quem sofre de achometria nem quem suporta o achômetro do outro. Um casal que vive em achometria é pior ainda! O casal fica condenado a viver sob angústia, raivas, temores, desconfianças muitas vezes fruto da imaginação. Certa vez um senhor comprou um carro novo. Quando chegou em casa percebeu que o carro não tinha macaco para trocar pneu. Como iria fazer uma viagem curta resolver pedir emprestado o macaco ao vizinho. Foi então, que ele começou com a fazer achometria. Começou a pensar: “eu não devia pedir o macaco para o vizinho, porque ele deve ficar pensando que eu compro carro novo e não sou capaz de providenciar um macaco. Onde se viu, o que custa emprestar? Mas, para esse alemão grosso, no mínimo, vai ser difícil e depois vai sair contanto para o bairro inteiro, que eu não tenho vergonha na cara, e que fico pedindo as coisas. Ora, eu nunca pedi nada, como ele pode falar isso de mim? Pior! Ele pode ficar pensando que eu estou pedindo o macaco emprestado só para me aparecer com o carro novo, olha se sou homem disso”. Assim, ele foi construindo uma história na cabeça. Até que possuído de raiva, apertou a campainha na casa do vizinho. Quando o vizinho abriu a porta o homem falou: “Pega o teu macaco e enfia onde quiser. Eu é que não quero o seu macaco, fica com ele e seja feliz”. O vizinho está até hoje tentando entender o que houve. Macaco? Enfiar? Que conversa foi aquela? Mas, achou melhor não dizer nada e se manter afastado do vizinho para sempre, pois bem da cabeça ele não devia ser. Você pode estar rindo, mas pense se não é o que você faz, com seu amigo, com seu filho e com o seu amor. Pense se você e sua parceira não sofrem de achometria e assim vivem a atazanar a vida um do outro, cada um pensando, perguntando e respondendo pela própria cabeça um pelo outro. Presta atenção se a partir de qualquer palavra ou gesto do outro, você não fica imaginando milhões de coisas e cobrando depois, como na história do macaco. Não tire conclusões da sua cabeça. Você corre o risco de por muita coisa a perder, por fazer achometria. Sempre que pensar coisas dê ao outro a oportunidade de responder, ou seja, pergunte a sua dúvida, ou incomodado fale do seu pensamento e deixe que o outro diga se seu pensamento e sentimento procedem ou não. Achometria serve para uma coisa: para quem quer escrever novelas. Esses, sim, perguntam, respondem, colocam sentimentos e cenários e ficam ricos. Mas, caso você não seja “novelerio” e nem queira ficar rico inventando histórias já sabe: pare! Você só vai irritar a si e ao outro e minar a relação. Porém, caso a partir desse artigo, com o tema da achometria, você resolva ser escritor de novelas e ficar rico, não esqueça da minha parte.

Clae está instalada em novo prédio Divulgação

Achometria Irresistível

Arquivos


Supermercado

Vendas positivas Por Marcelo Foletto | Foto: Divulgação

Expectativa de ótimos resultados para o varejo gaúcho no final de 2011

O

presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesar Longo, divulgou, em coletiva de imprensa, os resultados de uma pesquisa encomendada pela entidade sobre as perspectivas de venda dos supermercadistas gaúchos deste final de ano, que é animadora para o setor. A coletiva ocorreu no mês passado, na sede da Agas, em Porto Alegre (RS). Para o presidente, o final de 2011 projeta um crescimento de 8,4% em faturamento para os supermercados comparado aos últimos anos. “Este incremento é decorrente da estimativa de compras dos consumidores pesquisados que apontam suas preferências de consumo e gastos em produtos disponíveis nos supermercados. Será um fim de ano muito bom”, ressalta Longo. “A expectativa é de que a cada três produtos comprados para o final do ano, dois serão oriundos de supermercados. Será um ano de resultados promissores para o nosso segmento”, acrescenta.

Décimo terceiro salário Outro dado apontado pelo presidente e que contribuirá para o aquecimento do setor é a injeção de R$ 7,5 bilhões, provenientes do 13º salário na economia gaúcha. Este número é mais atraente se comparado à projeção de gastos pelos consumidores. De acordo com Longo, estima-se que 20% deste valor será gasto nos supermercados, ou seja, em torno de R$ 1,5 bilhão. O valor médio consumido pelos gaúchos nos supermercados para a ceia de Natal vai subir de R$ 269,00 no ano passado para R$ 282,34, em 2011.

Os líderes em vendas Os produtos que deverão puxar o crescimento das vendas deste fim de ano, na expectativa dos supermercadistas, em relação às vendas de fim de ano de 2010, estão listados na tabela abaixo:

Produto

Expectativa de volume de vendas

Roupas Cervejas Refrigerantes Panetones Eletroeletrônicos

+13,3% +9,9% +8,3% +8,2% +8,0%

Carnes Champanhe/Espumantes

+8,0% +7,6%

Produtos Alimentícios

+7,4%

Peru/Chester/Pernil

+6,6%

Presentes e resultados Quase a totalidade dos consumidores ouvidos (98%) pretende dar algum presente neste Natal, principalmente para os familiares. Do total de presentes adquiridos, 27% serão comprados em supermercados, ao valor médio de R$ 134,00. Segundo o presidente, o gasto médio em presentes adquiridos em supermercados é um terço menor do que o valor médio despendido em presentes a serem comprados em outros locais (R$ 397,00). “Mostra o otimismo dos supermercadistas com a chegada das festas, melhor período de vendas para o setor. Se as estimativas forem confirmadas, os supermercados gaúchos terão registrado, neste fim de ano, um faturamento 43,5% maior do que no mesmo período de 2007 - quatro anos atrás”, prevê o presidente.

Os destaques A Agas projeta a criação de 3,2 mil vagas temporárias de emprego para o período do Natal, ano-novo e veraneio”, adianta o presidente. O setor supermercadista gaúcho poderá fechar o ano, segundo Longo, com um crescimento na casa dos dois dígitos em relação a 2010. Os empresários gaúchos projetam um crescimento de 10,6% na comparação com o ano passado. O setor deverá finalizar 2011 com um faturamento de R$ 20,2 bilhões, com mais de 4 mil lojas, mais de 86,9 mil empregados e com uma projeção para 2012 de 70% de ampliação, reforma ou construção de lojas.

Revista Expansão

Dezembro/2011

127


PENSANDO BEM

ECONOMIA & NEGÓCIOS Eduardo Quadros/ALRS/Divulgação

Por César Silva Empresário cesarcor@terra.com.br

A diferença do Natal

A

128

Revista Expansão

Dezembro/2011

Seminário

Parceria entre estados e municípios Estratégias de Desenvolvimento para a Economia da Cooperação foi o tema do seminário promovido pelo governo do Rio Grande do Sul, em parceria com a Assembleia Legislativa do Estado e Câmara dos Deputados, em 4 de novembro. O evento ocorreu no Plenário 20 de Setembro, no Parlamento gaúcho, em Porto Alegre (RS). Um dos principais convidados, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho (foto), falou sobre estratégias para fomento da economia da cooperação. “O Brasil tem capacidade de crescer de maneira qualitativamente superior aos padrões históricos”, disse o presidente, destacando a perspectiva de desenvolvimento da economia brasileira e a importância das parcerias com Estados e municípios neste processo. Coutinho explicou as estratégias traçadas, com foco na inclusão social e modelos baseados na sustentabilidade.

Carlos Nyland/Divulgação

repetição anual desse evento tem várias facetas: pessoal, comercial e espiritual. Nada mais engraçado que essas três correntes separadas, defendendo suas posições. A época é de integração, de perdão, de amizade e de amor. Será mesmo? Apesar de todas tentativas, nosso País ainda tem mais homicídios por habitantes que a África, tem mais analfabetismo que o Suriname, tem uma saúde pública em evolução, mas muito aquém do ideal, tem uma segurança pública deficiente, apesar dos esforços dedicados, e tem uma infraestrutura deficitária, que melhora com o evento da Copa, que serve de foco de atuação e promoção de nosso País. Cada um tem uma representação pessoal do Natal: para uns é o momento dos presentes, para outros o encontro da família e dos amigos, para outros uma data como qualquer outra. Comercialmente, é uma das melhores épocas do ano em vendas e promoções com a injeção de um volume significativo de dinheiro na economia que potencializa negócios e oportunidades, gerando emprego, renda e dignidade. Em termos espirituais é a potencialização e a lembrança de Deus, de Jesus, da grandiosidade da vida, do amor, da espiritualidade, da certeza de um mundo melhor. Ou seja, o Natal não é somente uma única faceta de interpretação. Citei três, mas há milhares... O contraponto de tudo isso se resume a uma pergunta: por que não é Natal todo dia? Não é somente nessa época que precisamos nos lembrar da família, dos presentes e de Deus! É engraçado comparar: é como um motorzinho parado que liga nessa época e desliga o restante do ano! É um contrassenso pensar que somos tão racionais ao ponto de determinarmos nossos sentimentos por épocas do ano. Sentimento é algo inerente ao ser humano e não tem botão de liga-desliga. Racionalmente até podemos focar nossa atenção em outras prioridades. E o vazio existencial? E as questões que envolvem a razões de estarmos aqui, nessa cidade, com essas pessoas e com a família que temos, que necessitamos, e, que, talvez, não merecemos? Será que estamos cumprindo nosso papel na sociedade, auxiliando ao próximo como uma mínima participação no conjunto da obra ou vivemos exclusivamente a nosso bel prazer, esquecendo que somos todos interdependentes? Será que tudo o que conseguimos até hoje foi somente obra nossa ou de um conjunto de pessoas que contribuíram para isso? Mesmo que a vida tenha nos pregado peças, não há ninguém que nasceu sozinho. E quando nascemos, somente tínhamos o que Deus nos proporcionou: nosso corpo e nossa família! A família, esse instituição, tem sofrido mudanças profundas nos últimos anos no seu formato e representação. Mas no meu entender a maior mudança é a falta, em grande quantidade, da educação moral da criatura humana. Muitos afirmam que depois que a mulher foi para o mercado de trabalho, não houve mais tempo para cuidar da família como é desejado. De que adianta tempo se não há qualidade nesse tempo! Conhecemos inúmeras famílias que apesar do casal trabalhar muito, também dedicam muito tempo com qualidade na educação basilar da vida de seus filhos. Qualidade no Natal todo dia é qualidade na vida! É verdade que a população mundial alcançou as 7 bilhões de pessoas e os problemas se potencializaram em função disso, mas também é verdade que apesar disso nunca houve tanto amor no mundo, tantas iniciativas sociais, tantos incentivos para melhorar a qualidade de vida das pessoas. As notícias fazem parecer o contrário, já que o fatalismo é bem mais assistido que a ação no bem. A velocidade da informação era muito mais lenta e por isso nem sempre chegava a todos com o mesmo impacto, diferentemente de hoje, que, em função da Internet, bela ferramenta, em menos de cinco minutos já estamos informados. Então, feliz Natal todos os dias!

SindiTabaco

Roteiro para colheita segura Com a aproximação do período de colheita do tabaco no Rio Grande do Sul, o Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) distribuiu em cartilha, aos produtores, um roteiro com orientações para a safra. As dicas são do vice-presidente de Produção e Qualidade de Tabaco do Sindicato, Claudimir Rodrigues. As orientações vão desde a apuração da maturidade das folhas, passam pela colheita, transporte, cura e armazenagem. Ele ressaltou campanhas de conscientização, como a Tabaco Limpo, além de pesquisas sobre novas tecnologias para produção, como atividades constantes das empresas. “Os cuidados para evitar material estranho no tabaco começam já na colheita. Este programa complementa ações já desenvolvidas junto aos produtores”, revela. Mais informações no site www.sinditabaco.com.br.


Graziela Dannenhauer/Especial

Cadastro

Sindilojas firma parceria com o Boa Vista Serviços O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), maior banco de dados de pessoa física da América Latina, representado no Rio Grande do Sul pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre, a CDL Porto Alegre, que é sócia da Boa Vista Serviços, passará a ser oferecido, em Novo Hamburgo, Campo Bom e Sapiranga, pelo Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) de Novo Hamburgo (RS). A parceria foi assinada em 23 de novembro entre os presidentes das duas entidades: Vilson Noer, da CDL Porto Alegre, e Gerson Jacques Müller, do Sindilojas-NH (foto). O contrato entre as duas entidades terá validade a partir do dia 15 de dezembro. Para o lojista, a única mudança em relação ao serviço hoje prestado será a associação ao Sindilojas-NH. Para o consumidor, mudará o endereço para buscar negativas. O atendimento do SPC será na Rua Lima e Silva, 123, Centro de Novo Hamburgo. Para Müller, a parceria vem atender a uma necessidade do comércio varejista, que terá disponível um banco de dados que representa 80% do cadastro nacional de clientes.

saúde mental

Carrinho Agas

CentroClínico tem nova ala na capital

Anunciados os ganhadores

Reformulando seu sistema de serviços e especialidades de saúde mental, o Centro Clínico Gaúcho está redirecionando todo o atendimento de psicologia e psiquiatria para uma unidade específica, situada na Avenida Pinto Bandeira, 368, 3º andar, Centro de Porto Alegre (RS). Até então, o atendimento era prestado em outras duas unidades da operadora, também na capital. A mudança, segundo a empresa, segue o objetivo de otimizar e tornar mais ágeis e eficientes os atendimentos, para gerar mais conforto ao usuário e uma dinâmica inteligente de trabalho aos profissionais da operadora.

Trinta empresas e personalidades de maior destaque no fornecimento de produtos, equipamentos e serviços para o setor supermercadista gaúcho foram premiadas em 28 de novembro, no Grêmio Náutico União, em Porto Alegre (RS), com o troféu Carrinho Agas 2011. A premiação, entregue anualmente desde 1984 pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), chega à 28ª edição. O anúncio dos escolhidos foi feito em 24 de novembro pelo presidente da entidade, Antônio Cesar Longo. O processo de seleção foi feito pelo instituto de pesquisas Nielsen Brasil. Confira a lista completa dos agraciados no site www.agas.com.br.

Divulgação

Investimento

Multinacional anuncia R$ 520 milhões para o Estado A alemã Stihl, com unidade fabricante de cilindros para motores em São Leopoldo (RS), anunciou em 27 de outubro, no Palácio Piratini, em Porto Alegre (RS), investimento de R$ 518,5 milhões, para a ampliação da planta industrial leopoldense. Um protocolo de intenções foi assinado entre o presidente da Stihl no Brasil, Cláudio Guenther, e o governador do Estado, Tarso Genro. No documento, a multinacional se compromete a manter uma média de 1.640 empregos mensais, até 2014 e gerar 645 empregos adicionais, com preferência à mão-deobra local. O Estado libera, em contrapartida, a transferência de saldos credores acumulados na exportação, para uso na importação de matéria-prima e aquisição de máquinas e equipamentos de fornecedores gaúchos. “O incentivo se justifica pela quantidade e qualidade dos empregos que serão criados”, avaliou Tarso. “A escolha pela empresa brasileira – que responde por 10% do faturamento do grupo, estimado em mais de 2,5 bilhões de euros –, está relacionada à excelência e alta qualificação da mão-de-obra gaúcha”, afirmou Guenther.

Protocolo de intenções foi assinado pelo governador Tarso

Revista Expansão

Dezembro/2011

129


Vida segura Por Adriano Fleck Consultor de segurança adrianofleck@revistaexpansao.com.br | asi@sinos.net

Falsas seguradoras

A

pirataria no mercado segurador brasileiro chega a mais de 100 empresas que estão operando à margem da lei, enganando e causando prejuízos superiores a R$ 3 bilhões por ano aos consumidores. Essas companhias - se podem ser chamadas assim - vendem seguros falsos, sobretudo de automóveis, e serviços de auxílio funeral. Apenas entre janeiro de 2010 e maio deste ano, foram aplicados R$ 110 milhões em multas a 29 firmas. Outras 44 respondem a inquérito na Susep, órgão responsável por regular e fiscalizar o setor. Riscos da descrença O setor de Seguros é considerado estratégico pelo governo por ser uma das principais fontes de formação de poupança do País. Um dinheiro que irá financiar obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Pode ser usado ainda para impulsionar o crédito imobiliário. O maior temor da Fazenda é de que a pirataria acabe com a credibilidade das empresas sérias e o brasileiro deixe de usar o serviço por receio de cair em armadilhas.

Máfia do caixão Funerárias em todo o Brasil têm operado como seguradoras. Sem regulamentação ou contrato, vende o auxílio funeral ou planos mútuos, uma espécie de seguro que cobre os gastos do velório e do enterro. Entretanto, são inúmeros os casos de empresas que se negam a atender as famílias do cliente quando surge a necessidade dos serviços. Algumas, principalmente em cidades do interior do País, deixam de existir depois de arrecadar um valor considerável dos consumidores. Em todo o Brasil são mais de 25 milhões de pessoas que usam o serviço. Em vez de formarem poupança para entregar o que prometem muitos empresários compram carros ou casas e dão sucessivos golpes. Faça as suas perguntas por e-mail que na edição seguinte vamos compartilhar com os leitores.

130

Revista Expansão

Dezembro/2011

Páscoa

Gramado já se prepara para Chocofest O evento ocorre durante 18 dias, de 22 de março a 8 de abril de 2012, quando Gramado (RS), na Região das Hortênsias, se rende ao doce sabor do chocolate. No próximo ano, a festa chega à sua 17ª edição. Os cenários lúdicos do evento foram apresentados ao público durante o Festival de Turismo de Gramado (Festuris), entre 17 e 20 de novembro. Entre as atrações da Chocofest, os visitantes já podem ir se preparando para o desfile que terá coelhos, crianças, carros alegóricos e personagens do mundo das histórias infantis. Outro desfile, desta vez de moda, vai apresentar peças com detalhes feitos com guloseimas. Dos cenários, haverá O Mundo Encantado da Páscoa – Aventura e Magia; Parada do Conde Guloseima; Fogão Mágico da Vovó Coelha; exposição e leilão de ovos decorados e ovos gigantes, e Vila de Páscoa.

Comemoração

Attualità completa sete anos Em 8 de novembro, Pitula Strassburger (foto) e sua equipe comemoraram sete anos da Attualità, uma das mais tradicionais lojas de objetos, móveis e decoração de Novo Hamburgo (RS). Segundo a proprietária, o empreendimento que iniciou pequeno, logo diversificou para atender a demanda do mercado diferenciado. “Os clientes estão entre o público que prima pela qualidade, exclusividade e originalidade”, declara. Atualmente, segundo ela, tem parceria com mais de cem fornecedores, do Brasil e do exterior. Para festejar a data, foi servido um coquetel na loja, para clientes, arquitetos, decoradores e amigos, entre eles, a irmã Vitória Strassburger. O cardápio foi elaborado pela Zoka Gourmet, as bebidas servidas eram da Adega Trentin, e o som ficou a encargo do DJ Rubinho. A loja aniversariante fica na Avenida Pedro Adams Filho, 4.576, no Centro.

Reconhecimento

Sicredi Pioneira conquista cada vez mais A Sicredi Pioneira conquistou, nos dois últimos meses, dois importantes reconhecimentos. No primeiro, em outubro, ficou em primeiro lugar no ranking estadual do Sistema Sicredi no consórcio de imóveis, atingindo R$ 20 milhões na carteira de crédito. O segundo veio em 10 de novembro, com o prêmio Top de Marketing da ADVB/RS, recebido pelo presidente Márcio Port (foto). O Sistema Sicredi recebeu o Oscar do Marketing na categoria Segmento de Mercado: Bancos/Instituições Financeiras. Esta é a terceira vez que recebe a distinção. Em 7 de novembro, a Sicredi teve aprovado o pedido de associação à Aliança Cooperativa Internacional (ACI), com sede em Genebra, na Suíça. A ACI tem o papel de unir, representar e servir as cooperativas de todos os ramos em nível mundial e é responsável pela estruturação e divulgação das ações que ocorrerão em 2012.

Divulgação

Uma história norte-americana Um advogado, de São Paulo, defendeu uma cliente lesada por uma corretora norte-americana, que atuava que forma irregular no mercado brasileiro. Depois de um ano e meio, a causa foi vencida na Justiça dos Estados Unidos. A consumidora recebeu indenização de US$ 300 mil referente a um seguro de vida. “Essa corretora atuava ilegalmente no Brasil e continua atuando. Os corretores são brasileiros e vendem Seguros de empresas de outros países. Quem procura um seguro é mal informado e precisa ser alertado sobre esse tipo de situação”, afirmou o profissional, que optou por não revelar os nomes da cliente e da corretora. Atualmente, segundo estimativa da Susep, as estrangeiras ilegais faturam R$ 60 milhões por ano no País.

ECONOMIA & NEGÓCIOS


Ecofibra

Grupo Artecola com nova unidade A Artecola Laminados Especiais, com sede em Tatuí (SP), é a nova unidade do Grupo Artecola, com matriz em Campo Bom (RS). A nova empresa se origina da Artegor, até então mantida por uma joint venture (associação de empresas sem que nenhuma perca a personalidade jurídica) de 11 anos, com a italiana GOR, que acaba de ser extinta. “Com a integralização do capital, temos metas de tornar a empresa cada vez mais presente no segmento automotivo”, diz o diretor de Adesivos e Laminados do Grupo, Evandro Kunst. Com linhas para variadas aplicações, a nova unidade tem como principal desenvolvimento o conceito Ecofibra, que reúne materiais inovadores e ecoeficientes, com fibras vegetais na formulação. O Grupo Artecola mantém operações industriais no Brasil, Chile, Argentina, Peru, Colômbia e México, em setores como moveleiro, calçadista, papel e embalagem, automotivo e construção civil. Mais informações www.artecola.com.br.

Premiado

Reis recebe prêmio Economista do Ano O diretor do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da PUC/RS, Carlos Nelson dos Reis, receberá em 7 de dezembro, no Salão de Eventos do Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre (RS), o prêmio Economista do Ano, concedido pelo Conselho Regional de Economia (Corecon-RS). Formado na PUC/RS desde 1977, ele é também professor do Departamento de Economia da Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia da Universidade (Face) desde 1985. O prêmio é uma iniciativa do Corecon e busca reconhecer profissionais da área que se destacaram em suas atividades.

O Banrisul alcançou lucro líquido de R$ 677,7 milhões no acumulado dos nove primeiros meses do ano, aumento de 32,5% sobre o valor registrado no mesmo período de 2010. O resultado, no terceiro trimestre de 2011, atingiu R$ 239,2 milhões, 15,9% acima, em relação ao terceiro trimestre do ano passado. O desempenho do banco apresentou, de janeiro a setembro de 2011, trajetória ascendente de crescimento no crédito. A carteira de crédito totalizou R$ 19,6 bilhões em setembro de 2011, saldo que ultrapassa em 21% a posição alcançada no mesmo mês de 2010. O crédito comercial pessoa física registrou, em setembro de 2011, saldo de R$ 8,3 milhões, com crescimento de 15,4% em 12 meses. Já o crédito comercial de pessoa jurídica alcançou R$ 6,6 bilhões no final de setembro de 2011, com expansão de 24,2% em 12 meses.

Novo guia em circulação O novo Guia Abrasel de Bares e Restaurantes, edição 2011/12, já está em circulação em Porto Alegre (RS). Desenvolvido pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes seccional Rio Grande do Sul (Abrasel/RS), o material está sendo distribuído gatuitamente em mais de cem locais da cidade, entre eles, os 46 restaurantes participantes, pontos de informação turísticas, Sebrae, Convention Bureau, hotéis e táxis, em português, inglês e espanhol. Também é da Abrasel a promoção Festival Bar em Bar 2011 – É 10, que ocorreu de novembro a 4 de dezembro, na capital, oferecendo petiscos especiais ao preço unitário de 10 reais.

Hering em Porto Alegre Em 1º de dezembro, a Cia.Hering inaugurou mais uma Loja Hering Store, em Porto Alegre (RS). O ponto escolhido foi o Bourbon Shopping Assis Brasil. O novo espaço, de 90 metros quadrados, abre suas portas com a campanha de Alto Verão 2011, e a campanha de Natal, que traz como modelos o comediante Marcelo Adnet e a cantora Cláudia Leite.

Especialização

Em uma parceria entre Unisinos e ACI-NH/CB/EV, estão abertas as inscrições para o curso MBA em Gestão Empresarial, que será realizado de 6 de março a 24 de junho de 2012, na sede da ACI, em Novo Hamburgo (RS). Coordenado pelo professor Maurício Tagliari, é destinado a profissionais com curso superior, preferencialmente graduados em Administração de Empresas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Direito, Comunicação Social e Engenharias. O curso desenvolverá competências e habilidades gerenciais de organizações públicas, privadas, não-governamentais, de pequeno ou grande porte. As inscrições vão até 25 de fevereiro. Informações eventos@acinh.com.br ou cristinar@unisinos.br ou (51) 3591-1200.

Banrisul cresce mais de 32% até setembro

Gastronomia

Nova loja

ACI e Unisinos promovem MBA em Gestão Empresarial

Lucro

Palestra

Oncologia Centenário comemora dez anos O Centro de Tratamento de Câncer Oncologia Centenário, junto ao Hospital Centenário, em São Leopoldo (RS), comemorou dez anos, em 25 de novembro, com palestra da jornalista Laura Dalla Zen, especialista em Gestão Cultural, pela Universidade Carlos III (Madrid), e mestre em Educação pela Ufrgs, que falou sobre o tema O Museu ao Longo dos Tempos. O evento, que ocorreu no auditório da instituição, foi aberto à classe médica e empresarial e convidados. Inaugurado em 2001, o centro é um dos mais modernos do País, e já atendeu cerca de 97,8 mil pacientes.

MáQUINAS

Anpic gera expectativa de US$ 1,1 milhão em negócios Fabricantes brasileiros de máquinas para o setor coureiro-calçadista voltaram ao Brasil animados com os resultados da Anpic – feira setorial que ocorreu de 3 a 6 de novembro, na cidade de León, México. Foram fechados negócios na ordem de US$ 160 mil, a partir de 238 contatos realizados com compradores do México, El Salvador, Equador, Colômbia e Guatemala. A perspectiva para os próximos 12 meses é atingir US$ 1,1 milhão em vendas. Dez empresas brasileiras participaram sob a bandeira do Máquinas by Brasil – programa de estímulo às exportações, da Abrameq, em parceria com a Apex-Brasil.

Revista Expansão

Dezembro/2011

131


SOBRE NÓS E OUTRAS COISAS Por César A. Pessin Administrador de empresas cesar.pessin@hotmail.com

D

132

Revista Expansão

Dezembro/2011

Bombas Beto busca inovação na Europa Buscando inovações tecnológicas em sistemas e tratamento de efluentes, representantes da Indústria e Comércio de Bombas D’Água Beto, de Portão (RS), com filial em Novo Hamburgo, viajaram em 25 de novembro para a Europa. O diretor Paulo Roberto Jacobsen (foto), o engenheiro bioquímico Alexandre Kuhn e o engenheiro agrônomo Michel David Gerber tem visitas agendadas em empresas espanholas, que aplicam sistemas de tratamento de efluentes, e posteriormente participaram da Pollutec 2011 - uma das maiores feiras de Meio Ambiente do mundo, que ocorreu de 29 de novembro a 2 de dezembro -, em Paris, na França. “A ideia é estabelecer um intercâmbio com as empresas catalãs e firmar parcerias com as indústrias tecnológicas de lá”, frisou Jacobsen, que retorna ao Brasil, com os colegas, dia 4 de dezembro.

Aniversário

DaRissi Imóveis completa um ano Em dezembro, a DaRissi Imóveis comemora um ano de aniversário. A loja está localizada no Shopping Portal da Serra, em Dois Irmãos (RS). Com atuação em todo o mercado das regiões do Vale do Sinos, litoral e Serra Gaúcha, os empresários Daniel Kuhn e André Rissi acreditam no fortalecimento ainda maior do mercado e da empresa para 2012. “As linhas de crédito para financiamentos imobiliários expandiram o mercado”, comenta Kuhn. Para Rissi, a procura por empreendimentos como sítios está crescendo, sobretudo na região de Ivoti. Informações em www.darissi.com.br.

Os empresários Kuhn e Rissi comemoram a data

Comemoração

Todeschini faz 12 anos com qualidade A Todeschini de Novo Hamburgo (RS) completou 12 anos de fundação em novembro deste ano. E neste mesmo mês, no dia 10, a empresa recebeu um dos mais importantes prêmios do segmento: o Top of Mind, da revista Casa & Mercado, na categoria Dormitórios Planejados. De acordo com o casal proprietário da loja, Remi e Beatriz Dupont (foto), é uma conquista que ressalta o compromisso com a qualidade dos produtos e serviços por todo o País. Afinal, a revista entrevistou mais de 300 arquitetos, designers e decoradores do Brasil inteiro, o que torna essa conquista ainda mais importante para a nossa marca.

Fábio Winter/Especial

ominica corria solta nos arredores da casa onde morava, na localidade de Passo de São Simão, no interior de uma cidadezinha esquecida pela humanidade. Nenhuma cartografia arriscava indicar sua existência e muito menos mensurar quantos por ali viviam. A estradinha de chão batido há muito deixara de existir, subjugada pelo mato, que a transformara numa trilha imprecisa. A casinha de madeira era minúscula, mas suficiente para as suas necessidades e de seus três irmãozinhos. Em torno na casa, cachorros, galinhas e porcos viviam em harmonia e era entre eles que Dominica circulava. Pouco se percebia da beleza de seus olhos e das madeixas profundamente louras, pois invariavelmente estavam encobertos pela sujeira e pela lama. Era feliz, porquanto desconhecia existir outro lugar além daquele. Certa noite, porém, acordou sobressaltada por um barulho que vinha da estrada. O som era contínuo e parecia se aproximar rapidamente. Assustada, olhou para a mãe, que dormia em frente, e para seus irmãozinhos, que dividiam com ela o outro colchão, mas ninguém havia acordado. O coração acelerou e, mesmo paralisada pelo medo, permaneceu quieta, com as mãos postas, tentando rezar ao Papai do Céu, mas a aflição a fizera esquecer-se das palavras. Só daí percebeu que o barulho cessara e o silêncio tomou conta novamente da noite. Por alguns instantes sentiu-se aliviada e quando se preparava para agradecer, as galinhas se agitaram e um ruído forte fez-se ouvir na outra peça da casa. Mesmo em pânico, deu três passos por sobre os colchões e espiou por uma generosa fresta na parede de madeira, quando viu um vulto vermelho movendo-se de um lado a outro. A porta estava aberta, até porque não havia razões para fechá-la naquele lugar. Bambi, Pituca e Anastácio, seus cachorros, não latiram - deviam estar mortos, pensou! -, e até as galinhas tinham se aquietado novamente. Apavorada, e num pulo só, escondeu-se debaixo do lençol e cobriu o rosto com as mãos, esperando pelo pior. No entanto, os minutos passaram e nada mais ouviu e a noite mergulhou em um silêncio profundo. Logo ao amanhecer, contudo, foi bruscamente acordada com gritos estridentes vindos da peça ao lado, numa algazarra sem par. Sua mãe, esfuziante, chamou Dominica com os olhos brilhando. De mãos dadas com a mãe, ela viu brinquedos espalhados por todo lado; doces de todos os tipos, bolas, carrinhos e bonecas multicoloridas como jamais havia visto até então. Ninguém sabia o que tinha acontecido, só Dominica, que olhou para o céu e agradeceu. Teria sido o Papai Noel?

tecnologia ambiental Fotos: Divulgação

Dominica

ECONOMIA & NEGÓCIOS


Rosi Boninsegna/Divulgação

Tânia Meinerz/Divulgação

Economia

Indústria gaúcha tem produção em queda

Empresas e personalidades foram homenageadas em cerimônia no Teatro Bourbon Country

vencedores

ADVB entrega prêmio Top de Marketing a 16 vencedores Cerca de 800 convidados assistiram a cerimônia de entrega do 29º Prêmio Top de Marketing, da ADVB/ RS, em 24 de novembro, no Teatro Bourbon Country, em Porto Alegre (RS). Foram 16 vencedores nas categorias Segmento de Mercado, dez vencedores do Top Responsabilidade Social, e a Top Inovação em Práticas de Vendas. Além disso, teve destaque para Prêmio Peter Drucker, concedido, ao Sicredi; o Prêmio Personalidade de Marketing, entregue à empresária Carmen Ferrão, superintendente de Marketing e Vendas das Lojas Pompéia; e o Prêmio Agência Top, que ficou com a Competence. Na ocasião, também foi apresentado o novo presidente da ADVB/RS, Telmo Costa, sócio-fundador de um dos principais grupos de TI do País, a Meta. Ele tomará posse em 1º de janeiro, substituindo o atual presidente, Daniel Santoro. Confira a lista dos página da entidade, no site www.advb.com.br. An_COMABE_meia_pg.pdf 1 premiados 27/10/11 na12:18

Produção e encomendas no setor industrial gaúcho estão menores nos últimos meses do ano. A informação foi do presidente da Fiergs, Heitor José Müller (foto), durante o Tá na Mesa, da Federasul, no último dia 23. Ele admitiu apreensão da indústria em relação ao próximo ano, mas disse acreditar que o governo federal tomará alguma medida se a situação se agravar. Müller espera um plano de controle contra a desindustrialização. Para ele, a entrada desenfreada de produtos importados, os altos tributos e as elevadas taxas de juros criam uma competição desigual para a indústria brasileira, assim como a infraestrutura é um dos problemas mais graves para o desenvolvimento da indústria gaúcha. Müller citou também a educação. “Defendemos educação de qualidade, com reciclagem de professores, sistema de bolsas no exterior e muita atenção ao ensino básico”, finalizou.

As impressoras e multifuncionais KYOCERA MITA reúnem tudo que sua empresa precisa para ir além. São máquinas rápidas e econômicas que reduzem despesas, preservam o meio ambiente e aumentam a produtividade de sua equipe, acelerando o crescimento dos seus negócios. Transforme o futuro com o melhor da tecnologia. Mude com as soluções inovadoras da KYOCERA MITA. • Cilindros e componentes de longa duração • Alta performance em todas as funções • Qualidade de impressão superior • Design arrojado • Facilidade de uso • Baixo consumo de energia, de acordo com normas internacionais • Baixo índice de manutenção • Programa de reciclagem de toners.

VENDA E LOCAÇÃO Bento Gonçalves - (54) 2621-2300 | Porto Alegre - (51) 3084-2303 Novo Hamburgo - (51) 3396-2300 | Caxias do Sul - (54) 2108-2300 www.comabe.com.br

Revista Expansão

Dezembro/2011

133


CADA VEZ MELHOR Por Daniel Müller Palestrante motivacional daniel@cadavezmelhor.com.br

Tempo para Você

Câncer

Femama lança hotsite para campanha Em 27 de novembro foi comemorado o Dia Nacional de Combate ao Câncer. Por este motivo, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) chamou a atenção das mulheres de todo o País, convocando seus amigos, colegas, maridos, namorados, filhos e/ou parentes para gravarem no hotsite da entidade (www.mamografiapormim.com.br), mensagens personalizadas que visam lembrá-las sobre a importância de realizarem sua mamografia. As frases incentivadoras foram enviadas para as mulheres. A ideia é que essas mensagens de incentivo possam ser repicadas nas redes sociais. O hotsite foi criado especialmente para essa data, seguindo o slogan e os moldes da campanha nacional Faça por Mim, lançada durante o Outubro Rosa. Tanto a campanha quanto o hotsite foram desenvolvidos voluntariamente pela agência G2 Brasil. A campanha fica no ar por tempo indeterminado.

Anprotec

Jorge Audy é eleito vice-presidente O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da PUC/RS, Jorge Audy(foto), foi eleito vice-presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), em Assembleia Geral da instituição, em 26 de outubro, durante o 21º Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas. O mandato corresponde ao biênio 2012-2013. Francilene Procópio Gardia, da Fundação Parque Tecnológico da Paraíba, será a nova Posse será em 1º de dezembro presidente da instituição. A posse será em 1º de janeiro de 2012. “Acredito que minha experiência na construção do Tecnopuc irá ajudar a criar outros empreendimentos, em diferentes locais do Brasil.” Ele também é membro titular do Conselho Superior Deliberativo do CNPq e do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

inscrições

Feevale oferece cursos de verão A Universidade Feevale está com inscrições abertas para cursos de verão, programados para o período de férias, que ocorrerão em janeiro e fevereiro de 2012. São cursos rápidos, em diversas áreas do conhecimento, para atualização e aperfeiçoamento de competências individuais, profissionais e corporativas. As inscrições podem ser realizadas no Setor de Atendimento da Feevale no Câmpus 1 (Avenida Doutor Maurício Cardoso, 510), no térreo do prédio Lilás, no Câmpus 2 (RS-239, 2.755) ou pelo site www.feevale.br/cursosverao. Há, ainda, possibilidades de descontos: 5% na segunda inscrição; 10% na terceira; e 15% a partir da quarta. Os descontos são cumulativos com outros já existentes, como o de aluno e graduado Feevale, sendo exclusivos para pessoa física. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3586-8822.

Nova dirigente

Abrameq tem nova diretora-executiva A Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para os Setores do Couro, Calçados e Afins (Abrameq), com sede em Novo Hamburgo (RS), conta, desde o dia 1º de novembro, com nova diretora-executiva. Rosângela Arruda Flesch é a nova dirigente, e substitui Isabel Aguiar, que agora atua na área de consultoria. Rosângela é graduada em Comunicação Social, pós-graduada em Gestão e Liderança Estratégica (ambos pela ESPM) e formada em Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching. Possui mais de dez anos de experiência na área de gestão comercial e administrativa, em  atividades nas áreas de Planejamento Comercial, Desenvolvimento de Mercado e Novas Estratégias.

134

Revista Expansão

Dezembro/2011

Ramon Fernandes/Divulgação

C

onta a lenda que o anjo da sombra desceu à terra para falar com os seus discípulos. Disse a eles que estavam agindo de forma errada ao quererem impedir os seres humanos de buscar a luz dentro de si e a luz de Deus. Recomendou que os deixassem agir como quisessem. No entanto, ele ordenou que criassem para os homens tantas atividades, tantas distrações, tantas tarefas na terra, de modo a mantê-los tão ocupados que não tivessem tempo algum para buscar a luz dentro de si e a luz de Deus. E você? O que você tem feito com o seu tempo? Passamos os dias correndo, de um lado para o outro. É família, trabalho, e-mail, Twitter, Facebook, televisão, compromissos sociais, cachorro, papagaio, periquito... Quanto desse precioso tempo você dedicou exclusivamente para você? Afinal, quem é a pessoa mais importante de sua vida? Seu filho, sua filha, seus pais? Eles certamente são importantes. Mas, a pessoa mais importante para você deve ser você. Não podemos oferecer luz se não estivermos na luz. Como dar amor a alguém se não temos amor por nós mesmos? Tempo é uma questão de “prioridades”. Se você me diz que não tem tempo para cuidar de você, então está me dizendo que você não é prioridade. Mas, se sua vida não é prioridade, então o que é prioridade em sua vida? Esta reflexão me foi proposta pelo meu amigo e mestre Donizete, para que utilizemos melhor o nosso tempo. Dedique alguns minutos para espreguiçar-se ao acordar. Olhe-se no espelho, sorria e, com alegria, diga sete vezes a si mesmo: booom diiiaaa!!! Abrase-se, beije-se, elogie-se, ame-se, dê gargalhadas. Dedique tempo para alimentar-se corretamente, para descansar, para ler, para conversar com o seu eu interior. Natal é tempo de renascimento. Ano-novo é tempo de vida nova. Renasça para uma nova vida e dedique tempo para você. Garanto que, em 2012, você será uma pessoa CADA VEZ MELHOR!

MIX


Maíra Kiefer/Divulgação

Caroline Biocchi/Palácio Piratini/Divulgação

Wladimir Herzog Wu recebeu o prêmio em cerimônia que ocorreu em São Paulo

Destaque

Gabinete Digital recebe prêmio nacional O Gabinete Digital do governo do Estado foi um dos agraciados durante o 5º Prêmio ARede, de Inclusão Digital. A cerimônia de entrega dos prêmios foi realizada em 31 de outubro, em São Paulo, quando o chefe de gabinete e coordenador do Gabinete Digital, Vinícius Wu, recebeu a premiação. Reunindo os melhores projetos do terceiro setor, inciativa privada e setor público, anualmente a revista ARede premia as melhores iniciativas em diversas categorias como conteúdo, inovação e educação. O Gabinete Digital foi premiado na categoria Inovação na Gestão Pública. Em setembro, a iniciativa do governo gaúcho foi agraciada com o E-gov, de excelência em governo eletrônico, concedido pela Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa (Abep). O Gabinete Digital funciona com o estabelecimento de canais de diálogo e colaboração com a sociedade a partir do uso das ferramentas digitais.

Valdir Henn e Adevis recebem o prêmio Em 27 de outubro, a Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo (RS) entregou a Valdir Henn e à Associação dos Deficientes Visuais de Novo Hamburgo (Adevis-NH), o Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos. Durante a solenidade, o coral Amigos da Câmara fez uma apresentação. O vereador Gerson Peteffi, que presidiu a solenidade, salientou a importância de pessoas e entidades que realizam trabalhos sociais. “Os agraciados trazem valores como cultura de paz e o bem-estar social”, frisou o vereador. Valdir Henn é coordenador do Projeto Vencer (Fundação Semear) em parceria com a Igreja Bíblica Unidos do Senhor desde 2006, e ensina mecânica automotiva para aqueles que desejam seguir essa profissão. A Adevis/NH foi fundada em 25 de junho de 1988 para suprir a necessidade de pessoas com deficiência da região e seus familiares. “Falamos muito em ressocialização, o que significa voltar para a sociedade. Mas muitos jovens nunca conheceram a sociedade digna. Nosso trabalho é mostrar que ela existe”, disse Henn. O presidente da Adevis, Ricardo Seewald, agradeceu a iniciativa. “Nós nos sentimos realizados, mas com a responsabilidade redobrada na continuidade de nossos serviços.”

Revista Expansão

Dezembro/2011

135


ASSUNTOS NOTARIAIS

MIX Divulgação

Por Lauro Assis Machado Barreto (*) Tabelião (*)

Divulgação

Limites do testamento Saneamento

Comusa já gastou R$ 12 milhões na cidade

O

(*) Tabelião do 2º Tabelionato de Notas de Novo Hamburgo – Tabelionato Barreto e  especialista em Direito Notarial e Registral. Acesse www.barreto.com.br.

136

Revista Expansão

Dezembro/2011

Compra Solidária

Klin deixa o Natal mais alegre Neste final de ano, a Klin está com um projeto social para alegrar ainda mais as crianças carentes de todo o País. Até o dia 20 de dezembro, a cada par de calçados vendidos na loja virtual da marca de calçados infantis (www.lojaklin.com.br), a empresa irá doar outro para uma instituição de caridade. A meta é entregar 6 mil pares de calçados para meninos e meninas. Até o momento estão participando a Fundação Xuxa Meneghel (RJ), a Fundação Cafu (SP), a ONG Florescer (SP) e o Projeto Axé (BA).  Os calçados arrecadados serão distribuídos igualmente entre as instituições parceiras. As informações sobre a campanha Compra Solidária estão disponíveis em www.klin.com.br/comprasolidaria.

Treinamento

Desenvolvimento de líderes em janeiro Três dias em um hotel, vivenciando alegria, tristeza, medo e raiva, e tirando um aproveitamento positivo destas emoções para, com isso, conquistar objetivos. Tudo baseado na Programação Neurolinguística. Esta é a metodologia do treinamento de Desenvolvimento e Liderança, programa que o Instituto Nacional de Excelência Humana (Inexh), tem planejado para janeiro, no Bianca, Zanetti e Michelle Hotel Vila Ventura, em Viamão (RS). Os ministrantes, Sérgio Garcia Souza, Jarilson Zanetti e a psicóloga Michelle Pajak, informaram que só falta definir a data para a realização do evento, que já tem as inscrições abertas. “Os resultados são para a vida toda”, explica Zanetti, que esteve em visita à Revista Expansão, acompanhado da psicóloga Michelle e de Bianca Pajak. “Nosso foco é o controle emocional, a eliminação da crença limitante, e trabalhar a motivação, auto-estima e confiança”, explica Michelle. Inscrições e informações pelos telefones (51) 9223-4463 ou 9334-2100 ou pelo e-mail biancapajak@gmail.com.

Vera Fernandes/Especial

testamento é um instrumento pelo qual podemos deixar expressa nossa vontade para depois da nossa morte. Nele, podemos dispor de nossos bens ou fazer declarações de importância, como por exemplo, o reconhecimento de um filho. Uma característica fundamental do testamento é a de que pode ser mudado ou revogado a qualquer tempo, dando ao testador a segurança de que suas disposições somente terão efeito após sua morte, se ele assim o desejar. Embora se diga que o testamento expressa a vontade do testador, temos de esclarecer que a lei impõe limites às disposições. A primeira restrição diz respeito àquelas pessoas que tenham herdeiros necessários (descendentes ou, na falta desses, ascendentes e cônjuge). Aos herdeiros necessários é assegurada a legítima, que corresponde à metade do patrimônio do testador, a qual não poderá ser incluída no testamento. Portanto, se um pai que tem dois filhos desejar beneficiar um deles, poderá deixar para ele até 50%, restando os outros 50% para serem divididos entre os dois. Nessa hipótese, o filho beneficiado ficaria com 75% e o outro com 25%. Pela lei atual, somente será permitida a imposição das cláusulas de incomunicabilidade, impenhorabilidade e inalienabilidade dos bens que compõem a legítima se houver justo motivo expresso no testamento. O testador não pode beneficiar alguém sob a condição de que essa pessoa também o beneficie em testamento. O testamento não poderá se referir a pessoa incerta, valendo, porém, a disposição em favor de membros de uma determinada família, como, por exemplo, aos filhos vivos de uma determinada pessoa. Vale lembrar que, ao contrário do que muitos imaginam, mesmo tendo testamento deverá ser feito o inventário. O inventário será precedido do registro do testamento, quando o juiz analisará a validade do testamento para determinar seu cumprimento.

O programa de substituição de redes da Comusa - Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo (RS) já gastou da autarquia, desde 2009, cerca de R$ 12 milhões. A informação é da assessoria de imprensa da Comusa. Segundo ela, o objetivo do programa é lançar 120 quilômetros de redes até 2012. Além disso, continua a assessoria, dos locais substituídos, entre 2009 e 2011, foram desativados mais de 88 mil metros de sistemas obsoletos, causadores de rompimentos e desperdício de água tratada. A assessoria destaca que a maior obra dentro do programa é a implantação da adutora Santo Afonso/Canudos, que melhorará o sistema de abastecimento e distribuição de água potável para 190 mil moradores da cidade. Para instalar os oito quilômetros de novas redes e dois de adutora, segundo ela, estão sendo aplicados mais de R$ 3,4 milhões. Esta obra será entregue à população ainda este ano.


Empreendedorismo

Confraternização

Unimed Vale do Sinos é destacada pela Federação Em visita à Unimed Vale do Sinos, em 1º de novembro, o presidente da Federação Unimed/RS, Nilson May, conheceu de perto projetos e elogiou a estrutura e o trabalho da cooperativa. “Entre as Unimeds do Estado, a Vale do Sinos tem se destacado pelas inovações e empreendedorismo de proporcionar cada vez mais novos serviços não só aos seus clientes, como à toda comunidade”, destacou ele, no Hospital Unimed, em Novo Hamburgo (RS). “Esse hospital é um exemplo, pois vai crescer ainda mais com a obra projetada”, observou May, referindo-se à construção de uma torre de 13 andares que deve começar a ser construída no ano que vem. O presidente da Unimed Melo e May, em visita ao Hospital Unimed VS, Luis Carlos Melo, expôs os planos de expansão em outras unidades, em especial os Hospitais-Dia de Novo Hamburgo e São Leopoldo, com obras em andamento. “É uma honra receber a liderança estadual do nosso sistema, que promove a união das Unimeds em prol da saúde dos gaúchos”, salientou Melo.

Medalhista

Lucas Ferraz é ouro nas Olimpíadas Universitárias O atleta mais completo do atletismo nas Olimpíadas Universitárias JUBs 2011 é o estanciense Lucas Ferraz Conceição, da Universidade Feevale, de Novo Hamburgo (RS). O aluno do curso de Educação Física foi vencedor do Decatlo – competição do atletismo composta por dez provas -, disputado em 7 de novembro, no Centro de Alto Rendimento (Cear), em Campinas (SP). Ele somou 6.229 pontos nas provas. Outra atleta da Feevale, Sandra Fabiane Leonhardt obteve a medalha de bronze no Lançamento de Martelo, sua principal prova, com a marca de 46,25 metros. As Olimpíadas Universitárias, que reúnem atletas, entre 18 e 24 anos, são o maior evento de esporte universitário do País. Mais informações no site www.cob.org.br.

Um encontro de conhecimento e integração, priorizando a gestão pela qualidade. Este foi o objetivo do 2º Encontro de Fornecedores do Restaurante O Bifão, de Novo Hamburgo (RS), que ocorreu em 7 de novembro, no Salão de Convenções da ACINH. Contando com a presença de fornecedores e prestadores de serviço do restaurante, o evento reuniu empresas da região do Vale do Sinos, Paranhana, Caí e Porto Alegre. Foi o segundo ano consecutivo em que o evento foi realizado. O encontro contou com a presença e pronunciamentos de representantes do Comitê Regional da Qualidade do Vale do Sinos, da Sedetur de Novo Hamburgo, além do presidente do SindGastrhô, César Silva, que palestrou sobre os Cenários e Perspectivas Econômicas para o Brasil na Copa do Mundo de 2014.

CORAÇÃO DE LEÃO

Clubes de Lions entregam troféus

Programação

O Papai Noel do Natal em Cores visita a Expansão Graziela Dannenhauer/Especial

A diretora de Educação para o Turismo da Secretaria Municipal de Educação de Nova Petrópolis, Magdalena Hillebrand, e o Papai Noel do Natal em Cores (foto) visitaram a Revista Expansão no mês passado para divulgarem a programação natalina da cidade que começou em 17 de novembro e ocorre até 31 de dezembro, com o réveillon. A cidade já está decorada com árvores natalinas e enfeites da data religiosa que podem ser visitadas durante todos os dias, mas os grandes espetáculos ocorrem apenas aos finais de semana. Informações em www.novapetropolis.com.br.

Bifão realiza Encontro de Fornecedores

No dia 9 de novembro, os cinco clubes de Lions de Novo Hamburgo (RS), entregaram, em reunião festiva conjunta, o Prêmio Lions 2011. O evento foi realizado na Sociedade Ginástica de Novo Hamburgo, com a presença dos integrantes dos Lions Centro, Industrial, Courocap, Pérola do Vale e Terceiro Milênio, convidados e autoridades. As homenagens foram a pessoas que se destacaram na comunidade, como a professora Luisa Friedrich, Prêmio Lions Educação; Raul Cassel, Prêmio Lions Saúde; Hugo Springer, Prêmio Lions Meio Ambiente e Telmo da Silva Rodrigues, Prêmio Lions Segurança. Eles receberam o troféu Coração de Leão, assinado pelo artista plástico hamburguense Marciano Schmitz.

Exposição Mudança

Desde o mês de novembro, o escritório da Almeida & Saraiva Advogados se encontra em novo endereço. Conforme o advogado Fauston Gustavo Saraiva, a empresa está situada na Rua Joaquim Pedro Soares, 500, sala 85, no Edifício Cosmos, no centro de Novo Hamburgo (RS). A equipe já é referência no meio jurídico regional e tem as áreas de atuação focadas no Direito Empresarial e Direito Civil.

Para finalizar a série de exposições intitulada Hall das Artes, realizada pela Sociedade Aliança de Novo Hamburgo (RS), Marciano Schmitz (foto) apresenta a mostra Locação. A visitação, que começou em 1º de dezembro, pode ser feita até o dia 9. Ao longo do ano, o Hall das Artes, da Sociedade Aliança já expôs obras de artistas reconhecidos de Novo Hamburgo, como Ariadne Decker e Simone Blauth. A exposição de Schmitz trará mais de 20 obras. São telas com imagens de Lomba Grande e paisagens. A mostra permanece aberta ao público, gratuitamente, de segunda a sábado, das 9 horas às 11h30min e das 13h30min às 18 horas. O trabalho do artista ainda pode ser conferido no site www. marcianoschmitz.com.br.

Lourival Ribeiro/Divulgação

Almeida & Saraiva em novo endereço

Obras de Marciano Schmitz no Hall das Artes da Aliança

Revista Expansão

Dezembro/2011

137


MIX

DEPARTAMENTO JURÍDICO

Divulgação

Adalberto Alexandre Snel Advogado

A transparência na família empresária Integração Divulgação

T

138

Revista Expansão

Dezembro/2011

Uma pré-festa de final de ano foi o que a Câmara de Dirigentes Lojistas de Novo Hamburgo (CDL/NH) promoveu em 8 de novembro, na sua sede. Associados, autoridades, amigos e familiares participaram da integração que teve bandinha, cuca, linguiça e um típico jantar alemão durante a noite. A festa substituiu a reunião mensal da casa, que realiza palestras  para os associados. “É uma forma de inovar. Em vez de fazer reunião mensal, com palestrante, fizemos essa festa já com espírito de final de ano, para descontrair”, afirma o presidente da CDL, Remi Carasai. A atividade deve se tornar corriqueira no próximo ano e a equipe da casa fará uma vez a cada dois meses uma festa para os associados.

Fórum Social

Sustentabilidade Urbana é destaque A prefeitura de Novo Hamburgo (RS) lançou em 17 de novembro, no Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno, o Fórum Social Temático (FST) 2012 e a peça de teatro Comusa Atuando na Cidade. O fórum tem como tema Sustentabilidade Urbana, e é integrado ao Fórum Social Mundial (FSM), que ocorrerá em janeiro em Porto Alegre (RS) e região metropolitana. As cerca de 300 pessoas que foram ao evento assistiram a peça, produzida pelo Teatro Luz & Cena, que tem como objetivo levar informações de forma lúdica à população sobre as obras de saneamento do Arroio Luiz Rau.

Serviço

LD2 do Lions Club tem novo governador A direção da Revista Expansão recebeu, em outubro, visita do casal governador do Distrito LD2 do Lions Club. Luiz e Lúcia Wagner estiveram acompanhados de representantes dos cinco clubes de Novo Hamburgo (Centro, Industrial, Courocap, Pérola do Vale e Terceiro Milênio). Para o novo governador, a troca de liderança é uma continuidade de um trabalho que vem sendo construído em plena sintonia com a sociedade. Ele destacou as ações do Lions Club, especialmente nas áreas da saúde, bem como as campanhas de cunho social. “Contamos com os veículos de comunicação como parceiros para divulgar nossas ações, também estamos focados em estratégias de aumento de nosso quadro”, disse Wagner. O LD2 compreende 50 clubes distribuídos em 32 municípios da região.

Aline de Melo Pires/Especial

rabalhar em família nem sempre é fácil. A maior dificuldade está em separar o papel de familiares, gestores e sócios. As famílias empresárias se caracterizam por possuírem três sistemas em constante interação: a família, o patrimônio e a empresa. A evolução em cada um dos sistemas e o planejamento da sucessão de maneira integrada levará à continuidade da empresa. Um dos passos mais importantes para garantir a continuidade é registrar a história da família empresária, preservando o legado dos fundadores, o que é determinante para a coesão e a identidade familiar. Para isso é indispensável uma eficiente comunicação. A ausência de um canal estruturado e formal de comunicação pode acabar interferindo na gestão, como acontece em grande parte das empresas. Além disso, não muitas formalizam algum acordo ou protocolo societário que regule as relações entre família e empresa, o que pode ser foco de divergências entre sócios e familiares. Em relação à empresa, é preciso deixar claro que a transparência nas informações reforça a confiança, o comprometimento e a legitimidade dos gestores. É preciso atentar também para o fato de que o modelo de sociedade utilizado na primeira geração nem sempre se transfere para a segunda e deve ser discutido até que se chegue ao formato ideal. Um dos principais desafios para as empresas familiares é mudar um processo decisório individual – em que o dono toma a maioria das decisões sozinho – para um novo modelo que considere os interesses coletivos. Valorizar o indivíduo, envolver as pessoas na cultura da empresa e prezar pela transparência são características cada vez mais valorizadas nos ambientes corporativos. Por isso, planejar sua sucessão e continuidade é muito mais do que cuidar só da empresa. O segredo está em considerar as necessidades e anseios de cada membro da família empresária e trabalhar de forma conjunta, preservando o patrimônio e deixando um verdadeiro legado para as gerações seguintes. Pode-se resumir que o sucesso das famílias empresárias têm como pressuposto: cuidar do capital humano da família empresária, sua formação e desenvolvimento; promover a cultura de família empresária, estudar e planejar a sucessão na perspectiva dos três sistemas antes aludidos (família, patrimônio e empresa) e pensar e agir como se fosse uma empresa de capital aberto, com responsabilidade e transparência.

CDL Fest é considerada um sucesso


C

PERATIVISMO EM EVIDÊNCIA

Prêmio

Cooperativismo e Sicredi Pioneira RS: faça parte dessa força!

Fundação Semear é premiada pelo Legislativo gaúcho A Fundação Semear é a vencedora do Prêmio de Responsabilidade Social 2011, promovido pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, na categoria Entidades sem fins lucrativos. O resultado foi divulgado em 11 de novembro e os vencedores nas onze categorias receberam troféus em 23 de novembro, no Teatro Dante Barone, no Palácio Farroupilha, em Porto Alegre (RS). A Fundação Semear já havia recebido o Certificado de Responsabilidade Social RS, em 2004, 2005, 2008, 2009 e 2010. Em 1º de novembro, a entidade foi homenageada com uma placa comemorativa no Legislativo hamburguense pela passagem dos seus 15 anos de atuação. A proposta foi do vereador Raul Cassel. Helena Thomé, gestora social da Fundação Semear, destacou o trabalho em conjunto dos três setores da sociedade, governo, empresas e ONGs. Miguel Schmitz, membro do Conselho Curador da Fundação Semear, também falou aos presentes, ressaltando a importância dos programas BIS e Padrinho Legal. Marcos Eifler/Agência ALRS/Divulgação

Os agraciados com o prêmio Responsabilidade Social

Acordo

Governo e consórcio espanhol revitalizam Cais Mauá Depois de dez meses de negociação com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), o governo do Estado chegou a um acordo com a União sobre o contrato firmado com o Consórcio Porto Cais Mauá do Brasil no final do ano passado. O governador Tarso Genro apresentou aos empreendedores, em 9 de novembro, o termo aditivo proposto pela Antaq, que revê o valor de arrendamento da área. Pelas novas regras, foi fixado o valor de R$ 3 milhões por ano para o uso da área do Porto Mauá, em Porto Alegre (RS), R$ 500 mil a mais do que o contrato firmado pelo governo anterior. Também ficou acertado que o recurso será repassado integralmente à Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH) do Estado para ser aplicado em benfeitorias portuárias. O presidente do Conselho de Administração da Porto Cais Mauá do Brasil S/A, Jose Munné, informou que agora só faltam as liberações das licenças para começar as obras, o que deve acontecer em breve.

Juros mais baixos

Legislativo

Von Reisswitz recebe título de cidadão hamburguense Maíra Kiefer/Divulgação

O título de Cidadão de Novo Hamburgo foi concedido a Reinaldo von Reisswitz em 25 de outubro. O presidente da Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo (RS), Leonardo Hoff, e o primeiro-secretário Ricardo Ritter, o Ica, foram os autores do decreto legislativo que inclui a foto de von Reisswitz na galeria dos cidadãos no Legislativo. A solenidade de reconhecimento aos serviços prestados ao município faz parte da Semana da Câmara/2011. Familiares, amigos e autoridades estiveram presentes.

A cada ano que passa, o cooperativismo de crédito tem apresentado percentuais de crescimento acima do mercado financeiro, beirando os 40%. As cooperativas de crédito fazem parte do sistema nacional e, como qualquer outro banco, são sujeitas à regulação e supervisão do Banco Central. No Brasil, elas existem há mais de um século, com o pioneirismo da Caixa Rural, em Nova Petrópolis, atual Sicredi Pioneira RS. Porém, de cinco anos para cá, as cooperativas quase dobraram de tamanho e, no final do ano passado, fizeram negócios equivalentes a 2,2% do PIB. A meta das cooperativas é uma participação de 10% no mercado bancário do Brasil em dez anos. Mas por que as cooperativas crescem tanto e querem crescer ainda mais? Pelo seu ideal, por serem convictas de que o sistema cooperativo é uma das melhores soluções para o crédito, tendo em vista que o associado é mais do que cliente, mais do que um número: ele é o dono da cooperativa em que é associado, junto aos demais associados. E, como donos, no fim de cada ano os associados recebem parte das sobras (lucros) da cooperativa, de acordo com a sua movimentação financeira neste período. A Sicredi Pioneira RS distribuiu 71% de seu resultado (R$ 15,4 milhões) em 2010. Quanto mais o associado investir em sua cooperativa e indicar novos associados, mais ela crescerá e, conseqüentemente, refletirá em resultados que serão distribuídos entre todos.

As cooperativas de crédito contam com o argumento real de juros mais baixos do mercado (15% a 20% menores) e o diferencial de ter um atendimento personalizado, por se concentrarem em pequenas regiões, fazendo com que os gestores conheçam a comunidade na qual atua. Os recursos das cooperativas são mantidos na região, evitando a migração do capital para outras praças, como é o caso dos bancos privados que captam dinheiro numa região e enviam mais de 70% deste dinheiro para a região sudeste.

Crescimento constante

A Sicredi Pioneira RS completará 110 anos em 2012, declarado pela ONU como o ano internacional das cooperativas. Assim como todo o sistema cooperativista, a Pioneira está crescendo cada vez mais. Atualmente conta com mais de 68 mil associados e a expectativa é grande para saber de qual cidade será o associado 70 mil. Visite uma unidade do Sicredi para saber mais como ser dono desta força! Quem sabe pode ser você o associado 70 mil!

Ica, Reisswitz e Hoff no plenário da Casa Legislativa Gente que coopera cresce.

Revista Expansão

Dezembro/2011

139


Por Paulo Nicolau Justen Contador justen@justen-heberle.com.br

Você é o maior contribuinte de impostos! No País dos impostos, se perguntarmos ao cidadão quantos e quais impostos ele paga obteremos a seguinte resposta: - Pago o Imposto de Renda e o INSS, que já vem descontado em folha, e pago IPTU e IPVA. A resposta acima, apesar de ser verdade, é apenas parcialmente verdadeira! Hoje em uma compra de supermercado, pagamos, indiretamente, o ICMS, o PIS e a Cofins, que vêm embutido no preço. Quando se pagam serviços, o prestador repassa o ISS devido, o  PIS, Cofins, INSS (sobre a folha de pagamento) e as taxas de fiscalização sobre sua profissão. Já o prestador de serviços, ao adquirir produtos para executar seu trabalho, acaba pagando (indiretamente, no preço) ICMS, PIS, Cofins, IPI, etc. sobre os materiais, e repassa (obviamente) tais custos ao consumidor. O absurdo é que os tributos e tarifas públicas incidem cumulativamente, ou seja, várias vezes sobre determinado produto, serviço. Por exemplo, qualquer um de nós paga até quatro vezes para circular numa rodovia: O pedágio; A Cide (inserido no preço dos combustíveis); O ICMS sobre mercadorias e fretes (embutido nos preços de cada um dos produtos adquiridos e nos combustíveis); O IPVA (pago sobre a propriedade do veículo). Você acha confuso, mas este é o sistema tributário brasileiro que hoje contém mais de 70 tributos, com legislação complexa, confusa, contraditória e com alta incidência sobre o consumo. As empresas são meras repassadoras de tributos, cobram do contribuinte real (que somos nós), incluindo no preço tais incidências fiscais, e depois recolhem aos cofres públicos as somas apuradas. A população brasileira deveria exigir dos governantes, respeito ao dinheiro público, já que somos todos nós, e não o governo ou as empresas, que arcamos com os custos tributários! A Justen & Heberle Assessoria Empresarial deseja a todos clientes, parceiros e amigos um Feliz Natal e um próspero 2012, repleto de alegrias e realizações.

Revista Expansão

Dezembro/2011

MIX Captação de amigos

A Abefi promove ações de fim de ano A Associação Beneficente EvangéCarin, Bock, Márcia e Lídia lica da Floresta Imperial (Abefi) lançou em novembro a campanha Anjos da Abefi que tem dois focos - um é o reconhecimento e a valorização dos mantenedores e parceiros e o outro é a sensibilização para a conquista de novos investidores. A captadora de Recursos da Abefi, Lídia Raymundo, o pastor e diretor da Abefi, Carlos Bock, e Carin Gerber Kupske e Márcia Porcher, ambas da USE – Imagem e Relacionamento, todos de Novo Hamburgo (RS), estiveram em visita à Revista Expansão para divulgar as ações. De acordo com Lídia, o nome foi escolhido pelo seu significado e simbolismo. “A campanha para mobilização de recursos envolve a ação Doce Natal, por meio de doações que podem ser realizadas pelo site http://lets.bt/, onde a cada contribuição, em uma típica tradição do natal, o doador será presenteado com um pacote de biscoitos, com rótulo personalizado”, explica Lídia. E também, com o tema Amigos são Anjos, está se intensificando a divulgação para doação via boleto ou depósito bancário de doação. Para promover a campanha, a instituição distribuirá anjos pela cidade, em lugares públicos e em empresas, para decorar e chamar a atenção das pessoas sobre a instituição. Para participar das campanhas, acesse http://www.abefi.org.br ou envie um e-mail para recursos.abefi@gmail.com.

Literatura

Cris Manfro lança Feito pra Você

A articulista da Revista Expansão, Cris Manfro, lançou, na 57ª Feira do Livro de Porto Alegre, a obra Feito pra você. A sessão de autógrafos foi em 29 de outubro. O livro conta com 79 crônicas que ajudam no desvelamento humano para melhor entender-se e entender o mundo. Feito pra você, publicado pela editora Alcance, mostra diretamente a luz no horizonte do encontro possível. Cristina Manfro é psicoterapeuta, psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar. Divide o seu trabalho entre o Centro de Terapia da Família, onde trabalha com psicoterapia individual, com casais e famílias. Também é autora do livro Conectados na Alma. História de Dores e Amores. Em Novo Hamburgo, o lançamento será em 12 de dezembro, a partir das 18 horas, no Café Petit Passion, na Avenida Maurício Cardoso, 2.108.

Cooperação

Pró-reitor da Dinamarca visita Feevale Com o objetivo de avaliar as potencialidades de cooperação interinstitucional entre a universidade VIA University College, da Dinamarca, e a Universidade Feevale, de Novo Hamburgo (RS), o professor Juan Uwe Wolff, pró-reitor de Ensino da instituição dinamarquesa, esteve no Vale do Sinos, no último dia 16 de novembro. Acompanhado do reitor da universidade hamburguense, Ramon Fernando da Cunha, o professor Wolff se encontrou com docentes do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA) e do Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas (Icet), além de professores da pró-reitoria de Ensino e da Diretoria de Relações Internacionais da Feevale, como Paula Cundari, diretora de relações internacionais. Com oito campi, a VIA University é uma das maiores universidades dinamarquesas. Seu principal câmpus fica na cidade de Horsens. A instituição possui mais de 17 mil alunos e 50 programas de estudos, distribuídos entre cursos de graduação e pós-graduação em quatro áreas: Design, Animação, Mídia e Negócios. Cunha e Wolff discutiram sobre os projetos e cursos

Fotos: Divulgação

140

Graziela Dannenhauer/Especial

INFORME TRIBUTÁRIO


Moacir Chaves Jr./Divulgação

Bom Princípio

Município do Vale do Caí tem a segunda UPA do Estado (157)

Porto Alegre Laura Medina fala sobre a vida de atriz e jornalista

(144)

Campo Bom Empreendedores são homeageados pelo CDL (152)

Estância Velha

Natal da Estância Encantada vai até dia 18 (150)

Lajeado

Setcergs inaugura Delegacia Sindical (143)

Nova Petrópolis Cidade comemora o Natal até 31 de dezembro (156)

Picada Café

Memorial e Caminho da Fé inaugurados na Encosta da Serra (151)

Santa Cruz do Sul Equipe Junio Nunes inaugura novo estúdio (158)

São Leopoldo

Secretaria de Cultura divulga selecionados para Festival de Esquetes (148)

Sapiranga

Campanha vai sortear dois caminhões de prêmios (153)

Três Coroas

Atletas do País se encontraram para o Desafios da Natureza (155)

Revista Expansão

Dezembro/2011

141


CIDADES Marco Dieder/Divulgação

Marco Pecker/Trensurb/Divulgação

Visitantes receberam quadros com imagens de Nova Petrópolis

Nova Petrópolis

Senadores tchecos visitam cidade serrana São Leopoldo

Museu do Trem comemora 35 anos

Angelo Flesch/Divulgação

O espaço cultural, localizado junto à Estação São Leopoldo da Trensurb, acolheu uma festa em comemoração aos 35 anos de preservação da história da ferrovia no Estado, completados em 26 de novembro, quando ocorreu a comemoração. A festa ocorreu no sítio museológico, reunindo autoridades e representantes da sociedade que fazem parte da história. O evento contou com diversas atrações, como exposição de obras de artistas plásticos do Grupo Arte 15 e a presença do Coral Municipal. O museu abriga, desde 1976, objetos, documentos, mobiliário, mapas e fotografias dos Departamentos da Viação Férrea do Rio Grande do Sul e da Rede Ferroviária Federal S.A. O acervo histórico é referente a um período compreendido desde a inauguração da primeira ferrovia gaúcha – que ligava Porto Alegre a São Leopoldo –, em 1874, até os dias atuais.

142

Com cerca de 3 mil descendentes da República Tcheca, a cidade de Nova Petrópolis (RS) foi visitada em 3 de novembro, por um grupo de senadores daquele país. Acompanhado pelo cônsul Geral da República Tcheca no Brasil, Pavel Procházka, o grupo foi recepcionado pelo prefeito Luiz Irineu Schenckel, visitou pontos turísticos e assistiu apresentações culturais. No Parque Aldeia do Imigrante, foi descerrada uma placa que marcou a passagem dos senadores pela cidade. Na oportunidade, ainda ouviram de Adéia Hillebrand, representante dos descendentes tchecos no Brasil, uma solicitação para a criação da lei de dupla cidadania naquele país da Europa Central. O pedido foi acolhido com a promessa de defesa da demanda. De Nova Petrópolis, os tchecos seguiram para Bento Gonçalves (RS), onde visitaram vinícolas.

Taquara

Natal Mágico ocorre até dia 18 O Natal Mágico de Taquara (RS) teve sua programação oficial anunciada em coletiva de imprensa realizada no Gabinete da vice-prefeita Michelle Franck Sápiras, em 22 de novembro. O evento começou em 25 de novembro, com a Caminhada Iluminada, tendo a sua saída em frente às igrejas católica e evangélica; com a chegada do Papai Noel, e show pirotécnico. A programação ocorre ainda em 2, 9 e 16 de dezembro, na Praça Central. O encerramento ocorre em 18 de dezembro, no Parque do Trabalhador, às 20 horas, com a apresentação do Espetáculo teatral Um Conto de Natal e com o Papai Noel. A promoção é da prefeitura pelo Gabinete da Vice-Prefeita e pelo Departamento de Turismo, da Secretaria de Desenvolvimento, e das Voluntárias do Natal, com apoio do CDL, Sindilojas e CICS.

Revista Expansão

Dezembro/2011


Carla Wendt/Divulgação

Imbé

Novo empreendimento gera empregos na cidade O diretor do Departamento de Indústria e Comércio da prefeitura de Imbé, Lemoel Silveira, prestigiou a inauguração do mais novo empreendimento comercial da cidade em 10 de novembro. A loja Todo Dia, localizada na Avenida Paraguassú, em frente ao Banrisul, no Centro de Imbé (RS), oferece aos moradores, turistas e veranistas uma variedade de artigos nacionais, importados, decoração, bazar, utilidades para o lar, brinquedos, entre outros. Na oportunidade, Lemoel parabenizou o empresário pela iniciativa, destacando que a cidade está crescendo e que a empresa certamente será um sucesso, contribuindo para o desenvolvimento comercial e social do município. O proprietário da empresa, Alexandre Martins, é o pioneiro no ramo em Tramandaí, e vê em Imbé, um grande potencial econômico para este segmento. Divulgação

Gramado

Inaugurada sede da Associação Várzea Grande Os moradores do bairro Várzea Grande, em Gramado (RS), comemoraram, em 23 de novembro, a inauguração da sede da Associação de bairro, que agora, está localizada junto à Subprefeitura da Várzea Grande (Avenida do Trabalhador, 357). O prefeito de Gramado, Nestor Tissot, juntamente com o secretário municipal de Cidadania e Assistência Social, Ilton Gomes, entregou a chave para o presidente da associação, Antônio Dachari. Na ocasião, foram discutidos assuntos de interesse da comunidade.

Emerson Fraga/Divulgação

Novo Hamburgo

Orquestra de Sopros realizou pré-lançamento de CD Divulgação

Foi realizado em 22 de novembro, o pré-lançamento do primeiro álbum da Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo (OSNH). O disco, Sopros que Encantam, foi apresentado a jornalistas e demais profissionais da comunicação em uma coletiva de imprensa promovida no Espaço Cultural Albano Hartz, em Novo Hamburgo (RS). O evento contou com a exibição de um filme com depoimentos de personalidades hamburguenses sobre a OSNH e teve o apoio da prefeitura de Novo Hamburgo, por meio da Secretaria de Cultura (Secult). O lançamento oficial ocorreu em 27 de novembro, na Sociedade Ginástica de Novo Hamburgo, com uma bela apresentação, com participações especiais. Os álbuns estão sendo vendidos pela orquestra no valor de 20 reais.

Lajeado

Três Coroas

Um estudo realizado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) revelou que Três Coroas (RS) ficou entre as 500 cidades brasileiras com melhores índices de desenvolvimento. Entre os gaúchos, o município ficou na 64ª posição, sendo a melhor colocada da região, enquanto que no ranking brasileiro ficou na 185ª colocação. A pesquisa se baseia em dados relacionados a emprego, renda, educação e saúde. O resultado é um reflexo da qualidade da gestão da prefeitura e serve para nortear as ações e investimentos públicos.

Setcergs inaugura Delegacia Sindical Leonardo Girelli/Divulgação

Entre as melhores cidades brasileiras

O Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Estado do Rio Grande do Sul (Setcergs) inaugurou em 17 de novembro, a sua Delegacia Sindical de Lajeado. O evento, que ocorreu no auditório da Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil), reuniu mais de cem convidados, representantes de 31 empresas da região. Na abertura do encontro, o transportador Valmor Scapini, presidente da Acil e também diretor do Setcergs, assumiu o compromisso de ser o porta-voz do sindicato na região. “É um momento histórico, um divisor de águas para os transportadores de Lajeado e do Vale do Taquari: juntos seremos mais fortes” declarou Scapini. Em ato simbólico, o presidente do sindicato, José Carlos Silvano, entregou para Scapini a placa de identificação da sede da Delegacia Sindical (foto).

Revista Expansão

Dezembro/2011

143


PORTO ALEGRE Por Edith Auler e Letícia Souza

Divulgação

Carismática e determinada! Assim poderíamos definir a atriz e jornalista Laura Medina, que estreou, no último mês, na capital dos gaúchos, a peça Mulheres Pessegueiro. Com texto e direção de Patsy Cecato, o espetáculo está tendo uma excelente repercussão da crítica e do público. Laura, que na peça interpreta a personagem Maria Lúcia, se formou em jornalismo pela PUC/RS e, em 1989, começou a trabalhar na equipe de jornalismo da TVE, como produtora e repórter. Ainda na emissora, onde trabalhou por 11 anos, atuou como atriz e manipuladora de bonecos no infantil Pandorga. Em 1990, passou a integrar a equipe do Jornal do Almoço, da RBS TV. Em 2001, ingressou no Patrola. Em 2003, assumiu, na mesma emissora, a apresentação do programa Vida e Saúde, do qual hoje é editora-chefe. Casada com Léo Nunez e mãe do Rodrigo, de 15 anos, Laura é visivelmente apaixonada pela família. “O almoço de domingo é sempre uma curtição”, diz. E ela não esquece dos sogros: “eles são meus queridões”.

A peça Mulheres Pessegueiro, onde você interpreta a personagem Maria Lúcia, obteve grande sucesso de público já na estréia aqui na capital. A que você atribui isso? O texto da Patsy Cecato é uma comédia dramática que reúne quatro mulheres dentro de um apartamento. Todas são pensionistas do exército e vivem seus conflitos pessoais, muitos deles oriundos do autoritarismo do coronel Virgílio Pessegueiro. Acredito que a temática feminina, urbana, contemporânea, muito bem escrita e dirigida por Cecato, tem chamado a atenção do público. Como foi a composição da sua personagem? E como é a interação com as colegas em cena? A nossa relação é ótima. Estamos numa sintonia perfeita! A Patsy me “embretou”, não tinha como escapar. Aí, eu me fechei na construção do personagem, sem desperdiçar muita energia e a Maria Lúcia surgiu naturalmente.   O espetáculo volta em 2012 aos palcos gaúchos? Sim. Já está confirmado na programação do Porto Verão Alegre, nos dias 28 e 29 de janeiro de 2012. O que pesa mais na sua carreira profissional: a atriz ou a jornalista? As duas profissões são muito importantes na minha vida. Elas estão bem divididas dentro de mim e nenhuma é um peso, mas uma alegria. O processo, às vezes, pode ser um pouco doloroso, mas o resultado é sempre muito gratificante. Adoro o Vida e Saúde! E a carreira de atriz está numa fase que só quero ver crescer, ou melhor, fazer muito para que ela cresça cada vez mais.   Na sua opinião, o interesse pelo tema saúde tem crescido? Sim. A gente percebe que o público quer saber mais sobre prevenção de doenças e quer melhorar a sua qualidade de vida. Nos últimos anos, aumentou o número de pessoas com estresse e ampliou-se também a expectativa de vida dos brasileiros. E ninguém gosta de ficar doente! Mas para se viver bem é preciso ter um estilo de vida mais saudável e é isso que a gente mostra no programa.

144

Revista Expansão

Dezembro/2011

Moacir Chaves Jr./Divulgação

Laura MEDINA

Jornalistas revistaexpansaopoa@hotmail.com

O que + gosto na cidade Um bom lugar para namorar: Jardim Botânico Um restaurante: Daimu Cozinha Japonesa, no Moinhos de Vento Um teatro: o São Pedro Uma rua: a Dinarte Ribeiro, é linda Um local para caminhar: o Parque Marinha do Brasil, para correr e caminhar, é ótimo!

Como é o retorno dos telespectadores e o trabalho nos bastidores? O nosso telespectador é super participativo. Recebemos muitos e-mails, principalmente no final de semana e na segunda-feira. As pessoas gostam de assistir ao Vida e Saúde, mandam sugestões e a gente lê tudo. Nem sempre conseguimos responder tudo, mas anotamos os pedidos dos telespectadores e ao longo do ano vamos produzindo reportagens e entrevistas sugeridas pelo público. O nosso trabalho é diário: pensamos nas pautas, produzidos, gravamos e editamos. É uma equipe enxuta formada por mim, pela Isabel Ferrari e pela Flávia Marroni. Atrás das câmeras têm muita gente bacana e competente também. Na captação das imagens e do áudio temos o Paulo Vitor e o Paulo Sérgio, a edição fica por conta do Gerson Cordeiro, a finalização do programa está nas mãos de Márcio Riffel, a sonorização é de Iraci Lopes e as ilustrações são realizadas pelo Gabriel Oliveira.   Frente a tantas atividades, como fazes para administrar seu tempo? Planejamento e foco.


Comunicação/Usina do Gasômetro/Divulgação

Natal e réveillon com espetáculos gratuitos A capital está toda iluminada! Pois é, mais um ano se finda. E passou tão rápido! Opções de lazer não faltam, especialmente, neste período do ano. O terraço da Usina do Gasômetro, que foi totalmente reformado, será reaberto à comunidade em 11 de dezembro, com show gratuito da banda porto-alegrense PertuRbadores (foto). Começa às 18horas.

Domingo Mágico e queima de fogos Já para as crianças – grandes e pequenas - a boa pedida é o Domingo Mágico, show de mágica e ilusionismo, promovido pela Associação dos Mágicos do RS, também na Usina do Gasômetro. Marque na agenda: 18 de dezembro, às 18 horas, com entrada franca. E no último dia do ano, está confirmado, a tradicional queima de fogos da Usina. Gente de todo Estado vem para Porto Alegre para conferir, é realmente encantador!

Opus/Divulgação

Jornalista Flávio Pereira é homenageado

Elson Pedroso/CMPA/Divulgação

Com longa atuação na vida jornalística, colunista de política do jornal O Sul, Flávio Pereira (foto) recebeu da Câmara Municipal de Porto Alegre, a Comenda Porto do Sol. Concedida em forma de medalha e diploma, a homenagem é uma distinção dada para personalidades e instituições que se sobressaem em suas áreas de atuação.

Concertos Comunitários de Natal

Mariana Fontoura/CMPA/Divulgação

E em 11 de dezembro de 2011, domingo, às 20 horas, no Parque Moinhos de Vento, ocorre novamente o concerto comunitário - edição especial de Natal. Sempre linda e cuidadosamente preparada a apresentação. Aberta ao público.

Campanha Doe Um Livro

Grupo de vereadores, em plenário, comemora o lançamento

Arrecadar livros infanto-juvenis e gibis para serem doados aos adolescentes internados, nas seis unidades da Fundação de Assistência Socioeducativa (Fase). Esta é a ideia central da campanha lançada na Câmara Municipal de Porto Alegre - Doe Um Livro, Mude Uma História. As doações podem ser feitas a partir de 15 de dezembro, no Legislativo municipal, situado na Avenida Loureiro da Silva, 255. A data de entrega dos livros está prevista para a segunda quinzena do próximo mês.

Revista Expansão

Dezembro/2011

145


PORTO ALEGRE Dieter Weiss/Divulgação

E para as gurias detalhes indispensáveis Artesanatos e coisinhas de por dentro da bolsa, que a gente tanto ama! Praticamente indispensáveis! A consultora Pat Pacheco produz, juntamente com seus colegas, na capital, lindas carteiras para por absorventes e muito fofas! Super acessíveis! Mais em patpachecoartepop.blogspot.com

Mimos de natal para todos os bolsos e gostos! Super criativo e ecologicamente corretos! Imitando barris de madeira, a equipe da Weiss tem comercializado itens diferenciados para decoração. Entre os produtos mais vendidos estão os relógios. Um dos modelos curiosos e divertidos produzidos pela empresa é o relógio anti-horário, também conhecido como Relógio de Bêbado. Outro produto que é boa pedida para presentes masculinos, são os quadros réplicas de armas antigas. Encomendas pelo site lembreideti.com.br.

Fotos: Divulgação

Presentes para estimular as crianças durante todo o ano Um presente bacana na linha kids, são os jogos educativos, desenvolvidos pela pedagoga porto-alegrense Roberta Paz.  Diversão e aprendizado juntos, belo presente para a gurizada! Outras dicas em www.panaredo.blogspot.com.

146

Revista Expansão

Dezembro/2011

Dê preferência para brindar com produtos nacionais Finalizando as dicas, nada melhor para brindar o final de ano com amigos, família e colegas de trabalho do que um bom espumante. Nossa sugestão: dê preferência aos produtos nacionais, que estão muito bons, tanto em qualidade quanto em aroma! Experimentem e comprovem! E um feliz Natal e ano-novo a todos os nossos leitores!


Luis Gonçalves/PressDigital/Divulgação

Maria Spiess/Divulgação

Equipe brasileira foi a grande vencedora e brilhou no Veleiros do Sul

Velejadores de diversos países durante o Porto Alegre Match Cup A disputa foi grande e a final teve no pódio o Brasil. O Porto Alegre Match Cup – 3º O Ibero-Americano de Match Race – que reuniu grandes equipes da vela mundial na capital e teve como finalista a equipe de Samuel Albrecht, na divisão Open (masculino e feminino). A vitória brasileira foi bastante comemorada. Participaram das regatas equipes femininas e masculinas vindas do Perú, Argentina, Brasil e México. O evento foi realizado pelo clube náutico Veleiros do Sul, na zona sul. O Porto Alegre Match Cup teve o apoio da Federação Internacional de Vela (Isaf ), Federação Ibero-americana de Vela (Fivela) e Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM).

As transformações ocorridas entre pais, alunos e educadores, a partir da proposta de ensino pioneira, promovida pela escola Amigo do Verde, originaram a abordagem central do livro lançado recentemente Escola Amigos do Verde: Resiliência, Amorosidade e Ciência para a Sustentabilidade. A obra é assinada pela escritora e diretora da instituição, Sílvia Lignon Carneiro. Editora Armazém Digital, 152 páginas. Preço sugerido de 30 reais.

Coca-Cola está de olho na Copa de 2014 A Coca-Cola está bastante atenta com a proximidade da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Prova disso foi a presença do vice-presidente de Marketing Global Estratégico e Comunicação Criativa da empresa, Jonathan Mildenhall, na capital, recentemente. Entre as abordagens apresentadas durante a coletiva de imprensa, Mildenhall falou sobre o fortalecimento da marca com o cliente, por meio da sustentabilidade e da valorização das características regionais brasileiras.

Fotos: Divulgação

Amigos do Verde em livro

Mildenhall abordou sobre como a empresa vai interagir nos próximos anos para atingir suas metas

Revista Expansão

Dezembro/2011

147


SÃO LEOPOLDO Por Letícia de Oliveira Fotos Divulgação

Relações públicas Conrerp 2494 - RS/SC leticia@revistaexpansao.com.br

Doçura Viajar pela Internet não costuma ser uma prática muito frequente para quem não tem tempo ou não trabalha no ramo. Por isso, as dicas de endereços interessantes são sempre bem-vindas. Tem uma dupla na cidade que está fazendo e acontecendo com um cardápio mega variado de brigadeiros. Além dos negrinhos tradicionais, tem cupcakes, tortas e lembrancinhas. Passe pelo flordeacucar.com. Um doce de site e uma delícia de doce.

Passeio em família Em 19 de novembro, ocorreu o Dia da Família Sinodal, uma das atividades comemorativas aos 75 anos do Colégio Sinodal. Além do passeio ciclístico, também teve o meio-frango preparado pelos pais e pelo CPP do colégio.

Meiri e seu trabalho para o futuro de crianças e adolescentes

Amor pela causa e tudo que ela envolve Meiri Refosco Bottezini é vice-diretora do Centro Medianeira (organização social). Formada em Letras pela Unisinos, tem especialização em Administração Escolar pela UniLaSalle, de Canoas. Iniciou seu trabalho no Centro Medianeira em 1983. Passou a trabalhar no programa do semi internato que funcionava no centro da cidade junto ao Colégio São Luis. Em 1987, quando o Medianeira estendeu suas atividades para a periferia, atingindo um público bem mais vulnerável, atuou como educadora social e professora alfabetizadora, iniciando seu trabalho nos núcleos nas Vilas Campina, Vicentina, Duque e Progresso. Foi quando se apaixonou pelo trabalho social e pela educação popular.

Participação em Movimento

Liderança na instituição

Durante sua trajetória conheceu a Congregação Pavoniana, o Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, e a Pastoral do Menor, movimento no qual se engajou com muito entusiasmo. Participou de importantes espaços e discussões, em nível nacional, sobre a garantia de direitos das crianças e adolescentes, inclusive durante a construção do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que foi uma conquista importantíssima para o País. “Este trabalho nos mostra claramente as diferenças sociais e culturais, e nos faz interagir com estas realidades, repensando muitos conceitos. Porém, nos provoca a lutar pela dignidade e valorização do ser humano na sua essência e a transformar o cenário sócio político da sociedade em que vivemos.”

Desde 2000, Meiri assumiu a vice-direção do Medianeira, liderando uma equipe de 30 profissionais, além dos voluntários. Com mais de 50 anos, a instituição continua com a missão de promover a educação e a cidadania, para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Ao todo, são atendidas 340 crianças e adolescentes a cada ano. O trabalho ocorre em quatro núcleos: Parque do Trabalhador, Vila Vicentina, Vila Progresso e Vila Campina. Em todos eles, são acolhidas crianças e adolescentes no contra turno escolar, com atividades planejadas que permitem criar e fortalecer vínculos com a família, com a instituição, com a cidade, em espaços de escuta, de convívio harmonioso e de oportunidades.

Referência na região O mais novo projeto é de ampliação das atividades na Vila Campina, onde está sendo construído um amplo espaço para ser referência naquela região. “Trabalhar com pessoas, com a vulnerabilidade social, lutar pela garantia de direitos das crianças e dos adolescentes, através de uma organização social, significa acreditar na pessoa e no cidadão, independente do que ele tem ou do que ele sabe. Significa alimentar o sonho de um mundo menos violento, mais justo e digno para todos.”

148

Revista Expansão

Dezembro/2011

Kaká tem novo endereço Que as mudanças sempre trazem coisas novas, todo mundo já sabe, mas o bom mesmo é quando traz muitas coisas novas e diferentes. A Kaká decorações e presentes está em espaço novo e muito mais amplo, lá encontramos desde móveis, objetos de decoração e ainda enfeites de Natal. A nova loja está na Avenida Independência, 1.520, esquina com a Rua Frederico Wolfenbüttel.

Uma loja com charme e muitas opções de presentes

Registro cultural A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) divulgou a lista dos selecionados para o 3º Festival de Esquetes e a 1ª Mostra Estudantil de Teatro de São Leopoldo. Ao todo, 16 esquetes foram indicados, com grupos do RS, RJ e SP, e onze espetáculos estudantis, de escolas da cidade e região. A 1ª Mostra Estudantil, sem fins competitivos, ocorreu em 21 e 22 de novembro, no teatro municipal da cidade. Já o Festival de Esquetes ocorreu no mesmo local, entre os dias 23 e 27. O evento contou com a participação do Núcleo de Pesquisa Teatral da SMC, que subiu ao palco pela primeira vez desde sua criação, no início de 2011. O núcleo, coordenado pela agente cultural Fernanda Fernandes, apresentou a peça Companheiros, adaptada da obra do escritor Caio Fernando Abreu. O grupo Curto Arte, de Dois Irmãos, vencedor da 2ª edição, encerrou a programação com o esquete Show da Herta.


Revista Expans達o

Dezembro/2011

149


ESTÂNCIA vELHA

Caren Kroeff/Divulgação

Por Marcos Antonio Kroeff Colunista kroeffecia@ig.com.br

Tecendo Memórias ganha certificado Em 13 de novembro, dez mulheres receberam certificado de participação no curso de bordado, desenvolvido pelo Instituto de Educação Ivoti, em parceria com a paróquia evangélica Apóstolo Paulo de Estância Velha. Este curso faz parte do projeto social Tecendo Memórias, que contribui na preservação cultural do Wandschoner (pano de parede bordado, contendo no centro, uma mensagem escrita em alemão ou português). As aulas ocorreram em encontros semanais, de maio a novembro, na Oase, que completaram 80 horas de curso.

Centro comunitário se transforma Após um ano de reformas, que suspenderam as celebrações religiosas no Centro Comunitário, a comunidade católica do bairro Floresta vê seu centro comunitário transformado em Capela Sagrada Família, que pertence à Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Em 13 de novembro, as celebrações foram retomadas e a missa foi presidida pelo padre Jacó André Kunrath.

Luis Antonio Kroeff/Divulgação

Novo presbitério da Capela Sagrada Família

Natal da Estância Encantada A programação de Natal de Estância Velha prossegue até 18 de dezembro. A temática deste ano é Sustentabilidade, adotada desde a confecção de enfeites natalinos com os usos de garrafas PETs. Nesta edição, ocorre um concurso de confecção de árvores natalinas para estudantes da rede municipal de ensino. As mesmas serão colocadas ao longo da Avenida Presidente Vargas e na Praça 1º de Maio.

Lions Clube de Estância Velha realizou, em 18 de outubro, no Restaurante Mais Sabor (Sociedade de Canto União), reunião festiva e outorgou prêmio Lions Saúde e Bem-Estar 2011 à fisioterapeuta Márcia Baptista. A homenageada Márcia Baptista, proprietária do Centro de Fisioterapia e Enfermagem Therapeutik, reparte sua distinção com sua equipe, que além de atuarem no hospital local (Getulio Vargas), também atuam nos hospitais Regina e Unimed de Novo Hamburgo (RS). Os serviços da Therapeutik vão desde o atendimento hospitalar ao domiciliar, até atendimento em clínica. Nestes 20 anos de atuação, tornaramse referência em Estância Velha.

150

Revista Expansão

Dezembro/2011

Claudia Utzig/Divulgação

Saúde e bem-estar

A equipe da Therapeutik com a proprietária Márcia (à esquerda)


ENCOSTA DA SERRA

Dois Irmãos | Ivoti | Lindolfo Color | Morro Reuter | Picada Café | Presidente Lucena | Santa Maria do Herval

Picada Café inaugura Memorial e Caminho da Fé Robison Kunz/Divulgação

Por Sandra Hess Jornalista sandrahess2003@yahoo.com.br

Uma cervejaria em Dois Irmãos Os empresários Mauri Reis e Miguel Engelmann abriram a cervejaria Hunsrück em Dois Irmãos. O projeto é idealizado há dois anos e foi oficializado em setembro, durante as festividades do Kerb. A Hunsrück é produzida em prédio junto à localidade Travessão Rübenich e é a primeira empresa do ramo no município. A produção está sendo adequada ao volume de vendas, mas tem capacidade para até 500 litros por dia. Os barris comercializados variam de dez a 50 litros.

Solenidade reuniu autoridades e as comunidades de Picada

LFCC realiza diferentes ações João Vogel/Divulgação

A fachada da Capela Nossa Senhora da Visitação

Pousada Robinson tem restaurante junto à piscina

Fotos: Divulgação

A Liga Feminina de Combate ao Câncer (LFCC) de Ivoti movimenta o município com diferentes ações a cada mês. O calendário incluiu pedágio, campanhas preventivas de câncer de próstata e de pele, café colonial, palestras em escolas e empresas e apresentações musicais. “A cada ano os eventos melhoram porque as voluntárias querem fazer o melhor pelas famílias beneficiadas”, destaca a presidente Lívia Scheffler. O Festival de Tortas (foto), no Instituto de Educação Ivoti, e uma caminhada marcaram outubro. Agora, o grupo planeja a mobilização para os desafios de 2012.

Em 11 de novembro, foi inaugurado o Memorial da Fé, junto à Capela Nossa Senhora da Visitação, no Bairro Picada Holanda, em Picada Café. A solenidade contou com a presença de inúmeras autoridades, dentre elas, o bispo da Diocese de Novo Hamburgo, dom Zeno Hastenteufel e o pastor sinodal do Sínodo Nordeste Gaúcho, Altemir Labes. O local testemunha a fé trazida pelos primeiros imigrantes alemães, no Vale do Rio Cadeia, a partir de 1844, fé que ainda se mantém viva e anima a vida religiosa das comunidades. O trabalho da Secretaria de Educação, Cultura, Desporto e Turismo mobilizou diferentes grupos: alunos, professores, pais e amigos das escolas, que têm participado de oficinas desde 2004 sobre limpeza e conservação dos objetos, além de registro em fichas dos objetos e documentos históricos que estão expostos no memorial. Durante a cerimônia, o prefeito Luciano Klein fez o lançamento do roteiro Caminho da Fé, que passa pela Igreja Matriz Santa Joana Francisca de Chantal (Joaneta), Capela Sagrado Coração de Jesus (Jammerthal), Capela Nossa Senhora da Visitação (Picada Holanda), Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Centro) e Igreja São João (São João), todas construídas entre 1881 e 1957. O agendamento para visitação pode ser feito pelo telefone (54) 3285-2161.

A partir deste mês, Ivoti (RS) conta com uma nova opção gastronômica. A Pousada Robinson, de Ivoti, firmou parceria com restaurante da região, passa a oferecer almoço ao público, aos sábados e domingos. No verão, os cardápios serão servidos no espaço da piscina da pousada, com ambiente climatizado e com a opção ao ar livre, desfrutando da bela paisagem do local. A Pousada fica na VRS-865, quilômetro 12, na Rota Romântica.

Cidade das Flores conquista Prêmio Ivoti é detentora do 10º Prêmio Gestor Público, do NovoSindifisco e Afisvec, em cerimônia ocorrida no auditório Dante Barone, da Assembleia Legislativa, no último mês, em Porto Alegre (RS). A distinção foi destinada para o Programa Ivoti Cidade das Flores e recebida pela equipe da prefeitura. O programa justifica que morar na Cidade das Flores significa viver em uma comunidade que respeita o meio ambiente, quer sua cidade bonita e limpa e ainda que acredita em negócios e serviços relacionados à temática. Este é o quarto prêmio obtido com o programa.

Revista Expansão

Dezembro/2011

151


CAMPO BOM

Clic Fotografias/Divulgação

Por Juraci Reichert Colunista juraci_tr@yahoo.com.br

CDL faz homenagem aos empreendedores A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Campo Bom, juntamente com a patrocinadora Escola Olímpio e as empresas apoiadoras - Jornal A Gazeta e Faccat -, promoveu uma noite de homenagens e agradecimentos às 20 melhores empresas da cidade, apontadas através de uma pesquisa realizada com os associados da CDL. As indicadas receberam o troféu Destaque Empreendedor 2011, durante solenidade em 17 de novembro, no Clube 15 de Novembro. Na ocasião, foram homenageadas (foto) as empresas Ativa Turismo; Awalon Calçados; Box Print; Casa Paludo; Clean Jet; Construtora Modelo; Elétrica Pioner; Gabi Acessórios; Imobiliária Dreger; Livraria Prisma; Lojas Taqi; Mandacaru; Moda Nápoles; Multimídia; Ótica Carmo; Pankecas da Vovó; Piccolo Tintas; Posto 15 de Novembro; Quinjalmo, e Super Haag. A secretária de Educação e Cultura de Campo Bom, Eliane dos Reis; o deputado federal Renato Molling, o Departamento de Futebol do Clube 15 de Novembro pelo seu centenário também foram homenageados.

Festa do Sapato 2013 tem novo presidente

Fotos: Divulgação

CEI recebeu grandes espetáculos Inúmeros espetáculos brilharam no Teatro Marlise Saueressing no Complexo Cultural CEI em novembro. Destaque para o elenco da Maria Bailarina Centro de Dança, com o espetáculo E assim passou 2011. E o 13º Festival de Meninas Cantoras do Rio Grande do Sul (foto), o Coral das Meninas Cantoras do Colégio Santa Catarina, as Meninas Cantoras da Serra Gaúcha e as Meninas Cantoras de Bom Princípio.

Bárbara Paz visita Campo Bom Em sua passagem pela cidade, Bárbara Paz (foto) fez questão de conhecer o Complexo Cultural – CEI onde uma das salas de cinema tem seu nome. A atriz ficou encantada com a estrutura do complexo e disse que gostaria muito de trazer sua peça teatral “Hell” que está em cartaz em São Paulo, para o Teatro Marlise Sauerssing. Falou com os alunos de cinema e teatro da Escola de Arte e Educação, dando uma verdadeira aula, deixando os alunos encantados.

152

Revista Expansão

Dezembro/2011

A Festa do Sapato dá sinais de grandes trabalhos e muita inovação. O grupo, liderado agora por Christoph Schmeling (foto), encontra-se planejando as ideias principais do próximo evento, que tem data oficializada junto à prefeitura: de 30 de maio a 3 de junho de 2013. Schmeling, escolhido entre o grupo de gestores em outubro de 2011, terá ao seu lado um seleto time de gestores: Helena Bauer, Solandir Oliveira, Alexandre Braum, Henrique Scholz e Eduardo Schuck.


SAPIRANGA

Fotos: Divulgação

Por Aline Schneiders Colunista aschneiders@gmail.com

Daiby comemora quatro anos de atividades A loja da Daiby comemorou, em outubro, quatro anos de atividades no município das Rosas. Para marcar a data especial, durante uma semana, a loja promoveu diversas ações destinadas às suas clientes. Compras com descontos, sorteio de brindes, consultoria de moda e ainda workshop de automaquiagem e cabelo foram as promoções oferecidas. Campanha premiará vencedores com dois caminhões recheados de prêmios

Mais uma opção para as noivas Sapiranga e o Vale do Sinos agora tem mais uma opção de loja para as noivas que procuram por vestidos para o seu tão sonhado dia, é a Noiva.Com. Além de vestidos para noivas, a loja inaugurada em final de setembro, trabalha também com alugueis de trajes masculinos, dama de honra, pajem, vestido de festa e vestido para debutantes. A loja é comandada por Andreia e Nivaldo Bamberg.

CDL lança a Temporada Premiada 2011  A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Sapiranga lançou, no início de novembro, a Temporada Premiada 2011, que tem o slogan Dois Caminhões de Motivos para Comprar em Sapiranga. A campanha busca aquecer as vendas no comércio da cidade e serão contemplados dois consumidores que realizarem suas compras em lojas associadas à CDL do município até 23 de dezembro. Cada um dos sortudos receberá em sua residência um caminhão cheio de prêmios, como ar condicionado split, cama box casal, TV LCD, notebook, fogão, geladeira e muitos outros. “O objetivo é fomentar o comércio local neste final de ano e proporcionar a chance dos consumidores concorrerem a grandes prêmios”, destaca o presidente Fabrício Werb. O sorteio ocorre em 23 de dezembro, às 21 horas, na Praça da Bandeira, com um show surpresa.

1o de Maio é campeã no futebol feminino A equipe feminina de futebol de campo da Escola Municipal 1º de Maio sagrou-se campeã dos Jogos Escolares do Rio Grande do Sul (Jergs) em 12 de novembro, em Alegrete (RS). O time de Sapiranga venceu na final a cidade de Capitão, por 1 a 0. Foram cinco jogos, com cinco vitórias. Oito equipes de diferentes cidades do Estado disputaram a competição. As alunas campeãs são das turmas da 7ª e 8ª-séries do Ensino Fundamental: Jennifer, Rafaela, Ana Beatriz, Ana Paula, Evelin, Luisa, Pamela, Amanda Daniela, Amanda Urnau, Eduarda, Daniela, Eva e Emelin. Os professores que comandaram o time são Flávio Bressan, Cristiane Dal Piva e Fernanda Jung (foto).

City tour da Festa das Rosas

Turistas no Sítio da Família Lima, um dos pontos visitados

Uma das ações, realizadas durante a Festa das Rosas, foi o city tour que promoveu passeios ecoturísticos e culturais por caminhos encantadores, possibilitando aos turistas conhecer a história cultural do município. Dentre os pontos visitados, o Museu Municipal Adolfo Evaldo Lindenmeyer, Praça das Rosas e o Cemitério do Amaral Ribeiro, onde há o túmulo de quatro sapiranguenses mortos pelos Mucker, durante o conflito com as tropas do Império. Ainda no roteiro a Cruz de Jacobina, onde foi morta e enterrada pelas tropas do coronel Genuíno Sampaio; a Pedra Branca, que foi parte do cenário da batalha dos Mucker, e o campo de decolagem e pouso de voo livre, no Morro Ferrabraz. Os turistas conheceram também o Sítio da Família Lima, onde se localiza uma das cascatas mais belas da região, destacando as belas paisagens naturais da cidade.

Revista Expansão

Dezembro/2011

153


PALLOTTI | COMGPS

CHEGAR NA FRENTE NA CORRIDA DA QUALIDADE E DO PRAZO É O NOSSO ESPORTE.

Categorias Premiadas:

Jornais de Circulação Não-Diária Revistas Periódicas de Caráter Variado com Recursos Gráficos Especiais

www.graficapallotti.com.br pallotti@pallotti.com.br www.facebook.com/graficapallotti

154

Revista Expansão

Dezembro/2011


PARANHANA

Taquara | Rolante | Igrejinha | Três Coroas | Parobé

Diego Land/Divulgação

Por Lidiani Lehnen Colunista lidilehnen@gmail.com

Campeão de kart O piloto igrejinhense Gabriel Matzenbacher conquistou um título inédito para Igrejinha (RS). Ele tornou-se campeão do Circuito de Kart 2011, na categoria 125 cilindradas 2 tempos, com uma rodada de antecedência. A prova foi realizada em Gramado (RS), em 16 de outubro, e contou com “a volta da comemoração” de Matzenbacher. Após perceber a vitória, ele diminuiu o ritmo para comemorá-la com os amigos ainda dentro da pista.

Cordas Vivas traz música e solidariedade Dia 20 de dezembro ocorre mais uma edição do Projeto Cordas Vivas. O evento é promovido pelo professor de música Álvaro Vicente, que reúne amigos e alunos para um espetáculo de final de ano. Será na Sociedade 5 de maio, às 20 horas, em Taquara (RS). O lucro do evento é destinado a tornar o natal das famílias do município mais alegre. Os ingressos estão seno vendidos no valor de R$ 10,00 com os participantes do projeto Cordas Vivas.

Competidores de canoagem enfrentaram a correnteza do Rio Paranhana

Desafios da Natureza reúne atletas e curiosos Atletas de todo o País se encontraram em Três Coroas (RS), em 4, 5 e 6 de novembro, para disputar os jogos da 3ª edição do Desafios da Natureza. O importante evento de esportes de aventura do Estado atraiu um público de mais de 4,5 mil pessoas e contou com a participação de 650 competidores. As provas ocorreram no Parque das Laranjeiras e no Centro do município. Foram realizadas competições de mountain bike e rafting, e a terceira etapa da Copa Brasil de Canoagem Slalom. Os filhos do Rio Paranhana ficaram em primeiro lugar em seis categorias da canoagem e um no rafting. Já nas bikes, os competidores de Três Coroas conquistaram três terceiros lugares.

Divulgação

Roda do Rock reúne talentos Os roqueiros do Vale, sejam eles músicos ou apaixonados pelo gênero musical, certamente aprovaram a iniciativa da Fundação Cultural de Igrejinha e da Confraria Rock. O festival Roda do Rock, realizado no Parque da Oktoberfest, começou durante a tarde e seguiu noite adentro mostrando os talentos locais, em covers e composições próprias. Algumas das novas bandas da região, Marlucy e Banda, Banda Baby Lemonade, Voice of Degeneration, RS 115, Stática, Motivo Doze, Quartamarelo, Carboicício, Pata de Bode, dividiram o palco com os convidados Chico Paz, Renato Velho e Fluxo Piro Clástico, e Desvio Padrão. Djony Silveira/Divulgação

Heidrich e Mônica comemoram o sucesso da empresa

Heidrich completa 18 anos de segurança A Heidrich Monitoramento Eletrônico atua há 18 anos com sistemas eletrônicos de segurança 24 horas, no Vale do Paranhana e na Região das Hortênsias. A campanha comemorativa teve como modelos clientes da empresa. A empresa taquarense comemorou a maioridade em outubro e segue fazendo planos para o futuro. A meta dos diretores Mônica e James Heidrich é manter a qualidade do serviço que é oferecido durante todos estes anos, baseado no comprometimento e na inovação tecnológica. Mais de 700 pessoas participaram da promoção que sorteou uma viagem para Buenos Aires com acompanhante, que teve como vencedor Ronaldo Luiz Wagner, e um iPad2, sorteado para Juliana Garcia.

A Motivo Doze é formada por cinco igrejinhenses e foi uma das 12 bandas que se apresentou no festival

Eletrotec comemora 33 anos de qualidade de serviços no Vale Para comemorar os 33 anos de existência da Eletrotec, completados dia 25 de outubro, foi lançada uma nova logomarca e um novo site, www.eletrotec.com.br. Ambos mais arrojados e modernos sem perder a identidade tradicional de quem atuam há mais de três décadas. A empresa desenvolve serviços na área de energia elétrica e serviços complementares à construção civil, como instalações hidráulicas, serviços de prevenção contra incêndio, montagem de painéis de comando, sistemas de proteção a descargas atmosféricas e comercialização de geradores. Com uma equipe qualificada, o objetivo da empresa igrejinhense é seguir expandindo e realizando bem todas as suas atividades.

Revista Expansão

Dezembro/2011

155


NOVA PETRÓPOLIS Por Fabiane Sehnem Colunista fabiane@evidencyeventos.com.br Fotos: Divulgação

Jardim da Serra Gaúcha por lei estadual Piá recebe Carrinho Agas 2011 A Cooperativa Piá está de parabéns! O ranking da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) apontou a Piá, de Nova Petrópolis (RS), como vencedora do prêmio Carrinho Agas 2011 em duas categorias Melhor Fornecedor de Alimentos Refrigerados e Lançamento de Produto do Ano – Setor Perecíveis. O último para a nova linha de iogurtes Piá Essence: Essence Pedaços. O processo de seleção para o Carrinho Agas 2011 foi feito pelo Instituto Nielsen Brasil, líder mundial em pesquisa, junto aos 327 maiores supermercadistas do ranking Agas. A entrega do prêmio ocorreu em 28 de novembro, com coquetel e jantar para convidados no Grêmio Náutico União, em Porto Alegre (RS).

Grupo se manteve unido e sempre otimista

Jogos de Integração dos Idosos Ocorreu em Tramandaí (RS), em novembro, o 13º Jogos de Integração dos Idosos do Rio Grande do Sul, promovido pela Fundergs. Nova Petrópolis esteve representada pela equipe que participou das atividades propostas; dentre elas câmbio, handebol, basquete relógio, atividades aquáticas, jogos de mesa, ioga e oficinas de cidadania. O município participa deste evento há vários anos, contando com o apoio da prefeitura.

O governador Tarso Genro sancionou, no mês passado, o projeto de lei, de autoria do deputado estadual Heitor Schuch e aprovado pela Assembleia Legislativa, que denomina Nova Petrópolis como Jardim da Serra Gaúcha. A lei municipal existe desde julho de 2011, sancionada pelo prefeito Luiz Irineu Schenkel, por iniciativa do parlamentar municipal Jorge Darlei Wolf.

Eventos para o Natal em Cores

Em 2011, o Natal em Cores de Nova Petrópolis entra para a sua sétima edição com caminhada das lanternas, mensagens religiosas nos domingos de advento, chegada do Papai Noel, espetáculos musicais, de dança e teatrais e encontro com os livros para abrilhantar as noites de sexta-feira, sábado e domingo, até 31 de dezembro, na Rua Coberta. O evento é organizado pela Associação de Bandas e Conjuntos Musicais de Nova Petrópolis e pela prefeitura e começou em 17 de novembro. O Natal em Cores é financiado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet) e possui o apoio da LPR. Mais informações no site www.novapetropolis.com.br.

Marco Dieder/Divulgação

Meninas Cantoras representam a cidade na Faurgs Em 5 de novembro, ocorreu a segunda edição do Encontro Cultural da Associação dos Municípios da Serra, dessa vez em Gramado (RS), na sede da Faurgs. Nova Petrópolis representou sua cultura através das belas Meninas Cantoras da cidade. O público elogiou a apresentação. Após os espetáculos, o secretário de Cultura de Gramado, Daniel Bertolucci, e o diretor cultural Paulo Pontes fizeram a entrega de mimos para os representantes de cada município. Ao final, os grupos confraternizaram no CTG Manotaço, onde degustaram de um delicioso jantar.

156

Revista Expansão

Dezembro/2011


VALE DO CAÍ

Aniversário da Rádio Vale Feliz A Rádio Vale Feliz, de Feliz (RS), festejou seu 16° aniversário em 4 de dezembro, no Parque Municipal de Feliz. As festividades começou às 13 horas e terminou às 23 horas, com entrada franca. Segundo o gerente administrativo da rádio, o comunicador Sérgio Luiz Graeben, a proposta foi promover a aproximação da emissora com os ouvintes. Banda Passarela, Banda Brilha Som, Banda Porto do Som, GDÓ do Fórro, Dinamite Joe e Lucas e Felipe agitaram a festa.

Segunda UPA do Estado inaugurada

Jornal Primeira Hora\Divulgação

Por Édio Otto Trein Colunista ediotrein@terra.com.br

Rápidas Autoridades descerraram a fita de inauguração da UPA de Bom Princípio

Castor Becker Júnior\Divulgação

A empresa SGS Polimeros Ltda., de São Sebasitão do Caí (RS), fabricante de plastificantes renováveis para os mercados de PVC, borrachas e tintas flexográficas, completou 25 anos de atividades em 30 de outubro.

A segunda Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Estado foi inaugurada em 5 de novembro, em Bom Princípio (RS). O investimento foi de R$ 3,4 milhões, sendo R$ 1,4 milhão do governo federal e R$ 2 milhões da prefeitura de Bom Princípio. O atendimento beneficiará moradores de Bom Princípio, São Vendelino e Tupandi e, em uma segunda etapa, será ampliado para outros municípios desta região. Nesta UPA, serão atendidas vítimas de acidentes, casos clínicos e pequenas cirurgias de emergência, durante 24 horas por dia. As obras começaram em julho de 2010, em um terreno de 12,8 metros quadrados, adquirido pela prefeitura em 2009. Segundo o prefeito Nestor Seibel, a previsão de manutenção mensal é de R$ 250 mil, oriundos R$ 100 mil do governo federal, R$ 50 mil do Estado e o restante do município. O representante do Ministério da Saúde Helvécio Magalhães Júnior; o secretário Estadual de Saúde, Ciro Simoni; o deputado federal Osmar Terra; Seibel, e outras autoridades e moradores do Vale do Caí participaram da solenidade de inauguração.

O título de Cidadão Honorário de Tupandi foi conferido a Heitor José Müller. Ele é natural da cidade e presidente da Fiergs. A solenidade ocorreu em 9 de novembro, no Centro de Eventos de Tupandi. Müller recebeu o título pela sua contribuição do desenvolvimento do município e para a região do Vale do Caí. A prefeitura de São Vendelino concluirá o asfalto da estrada geral Vale Suíço, de 1,1 quilômetros, até final deste mês. Serão gastos R$ 587 mil com a pavimentação e os proprietários arcarão com 8% dos gastos após a conclusão da obra, de responsabilidade da empresa Tonilo&Busnello. O Lions Clube de Feliz comemorou 40 anos de fundação em 5 de novembro, na Sociedade Recreativa e Esportiva Feliz (Socef). Os ex-presidentes foram lembrados e homenageados. Liceu Paulo Caye e Francisco Albano ten Cate são os únicos vivos da entidade.

Obras na Rua Jacó Fink devem ficar prontas neste mês

Harmonia terá mais uma rua asfaltada As obras de asfaltamento e alargamento da Rua Jacó Fink Norte, que liga o Centro ao Morro Azul, no município de Harmonia (RS), deverão estar concluídas no final deste mês. As obras iniciaram em agosto deste ano, em uma extensão de 1,2 metros. Já estão concluídos os trabalhos da rede de esgoto, colocação de meios fios e a preparação da base para o passeio público. O projeto está orçado em R$ 500 mil. Segundo o prefeito de Harmonia, Sílvio Specht, R$ 295,5 mil são provenientes do governo federal, por meio do Ministério das Cidades, e o restante dos R$ 207,5 mil são da prefeitura. A empreiteira responsável pela obra é a empresa Encopav e beneficiará diretamente os moradores do Morro Azul devido ao intenso trânsito registrado no local.

Revista Expansão

Dezembro/2011

157


SANTA CRUZ DO SUL Por Sandro Viana e Simone Marques Pereira/Divulgação

Ana C. dos Santos

Four Comunicação assessoria@fourcomunicacao.com.br

Inaugurado Studio Junio Nunes O mais novo empreendimento do ramo fotográfico para atender Santa Cruz do Sul (RS) e região foi inaugurado em 16 de novembro. Resultado da parceria entre os fotógrafos Junio Nunes, Fabiana  de Figueiredo, Katia Dresch e Nildete de Araújo, o Studio Junio Nunes vai atuar na cobertura de eventos sociais, empresariais, aniversários, casamentos, formaturas e books. Com 248 metros quadrados, o estúdio foi projetado pela arquiteta Juliana Duré, que buscou conceitos, tendências e observou as necessidades nas melhores estruturas profissionais. O novo complexo fotográfico está localizado na Rua Assis Brasil, 141, e conta com três estúdios, sala de tratamento e manipulação de imagens, lounge, recepção, vestiário com fraldário, sala de utensílios rápidos, sala de atendimento e estacionamento para clientes. “É um investimento que a comunidade de Santa Cruz merece”, destaca o fotógrafo Nunes, que tem 18 anos de experiência no ramo.

Nunes, Fabiana, Katia e Nildete integram o Studio

Haeser Seguros comemora Jubileu de Prata Francisco Frantz/Divulgação

A Haeser Seguros completou, em novembro, 25 anos de atuação no mercado santa-cruzense e regional. Atualmente, a Haeser Seguros conta com mais de 15 mil segurados e mais de 30 consultores em seguro, bem como uma grande equipe de colaboradores. A empresa conta com os mais diversos seguros para pessoa física e jurídica. Para comemorar o Jubileu de Prata foi realizado, em 4 de novembro, um Jantar Baile na sede campestre do Clube Aliança Santa Cruz. Na ocasião, o diretor Clóvis Haeser, acompanhado da família, recepcionou dezenas de convidados, entre eles, colaboradores, clientes mais antigos e representantes.

Família Haeser: Gustavo, Carolina, Lizete, Clóvis e Janaína

Christkindfest movimenta cidade Divulgação

As atividades da Christkindfest 2011 – evento que mobiliza o comércio de Santa Cruz do Sul durante o final de ano - iniciaram em 1º de dezembro e se estendem até a véspera do Natal, em 24 de dezembro, quando ocorre o sorteio de um carro zero-quilômetro. Dentro da programação da festa estão previstas, além da chegada do Papai Noel, apresentações musicais, show pirotécnico, desfiles de carros alegóricos, concursos culturais, cinema de rua, Dia Beatle, Dia da Bíblia, 1º Concerto de Fim de Ano e muitas outras atrações. A Christkindfest é uma promoção da Associação de Entidades Empresariais (Assemp), prefeitura e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Santa Cruz do Sul.

158

Revista Expansão

Dezembro/2011


Alvaro Pegoraro/Divulgação

Fenachim elege soberanas Em 1º de novembro, foram eleitas as soberanas da 12ª Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim), que ocorre de 3 a 13 de maio de 2012, em Venâncio Aires (RS). Concorreram ao título 20 belas candidatas, onde a coroada foi Letícia Wacholz, 21 anos, representante da Associação Tradicionalista de Venâncio Aires (Atva) e Salão Pé, Mão & Cia. As princesas eleitas foram Juliana Böhm e Litchele Jaeger.

Litchele, Letícia e Juliana são as belezas da festa do chimarrão

Ricardo Bampi/Divulgação

Seminário reúne orientadores Com o objetivo de atualizar os conhecimentos sobre reflorestamento e abordar temas relacionados à sustentabilidade da produção de tabaco, a Japan Tobacco International (JTI) promoveu dois seminários de conscientização dirigidos a sua equipe de campo, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, em outubro. “Toda a nossa equipe, formada por 93 orientadores agrícolas, participou dos eventos, qualificando-se para o atendimento às demandas de nossos 10 mil produtores integrados na Região Sul”, destaca o diretor de Produção de Tabaco, Agronomia e Adet, Mauro Greco.

Revista Expansão

Dezembro/2011

159


Shopping Expans達o Shopping Expans達o

160

Revista Expans達o

Dezembro/2011


Revista Expans達o

Dezembro/2011

161


Daiane Albernaz/Divulgação Graziela Dannenhauer/Especial

Vera Fernandes/Especial Néia Dutra/Divulgação

Dezembro/2011

Graziela Dannenhauer/Especial

Luis Félix/Divulgação

Uma homenagem a todos que neste ano contribuíram com esta editoria, disponibilizando suas fotos para a seção. Fotos publicadas entre os meses de janeiro e novembro de 2011.

Revista Expansão

Graziela Hansen/Divulgação

(Luís Fernando Veríssimo)

162

Gisele Sauer/Divulgação

A verdade é que a gente não faz filhos. Só faz o layout. Eles mesmos fazem a arte-final.

Tomás Linch/Divulgação

Graziela Dannenhauer/Especial

Vitória Fischer Schilling

EM CENA


UM VISITANTE ILUSTRE ESTÁ CHEGANDO. ber Abra as portas de casa e do coração para rece s. o Natal com muito amor, sonhos e realizaçõe Boas Festas!

Incorporação e Construção

Financiamento O VERDADEIRO CONCEITO DE BEM-ESTAR

• 3 suítes (uma master) • 3 ou 4 vagas na garagem • 159m² de área privativa

Vendas Planejamento e Vendas

• 3.730m² de infraestrutura com piscina aquecida com borda infinita, pista de caminhada e muito mais.

Centro Executivo Torre Prata - Rua Júlio de Castilhos, 679 -

(51) 3593.9300 - terramar.com.br

Revista Expansão

Dezembro/2011

CRECI 911J

Rua Quintino Bocaiúva, 400 – Bairro Centro - Novo Hamburgo 163


obras aVaNÇaDas – NoVo HaMbUrGo

Pensando na sua independência, a Rossi desenvolveu um projeto para você conquistar algo grandioso: o seu espaço.

Cinema

2 e 3 dorms. com suíte Brinquedoteca • Quadra esportiva • Playground Spa • Salão de festas com espaço gourmet Muro de escalada • Sala de jogos com lan house Sala de cinema • Churrasqueira com pergolado

Procure as imobiliárias locais e visite o decorado na rua são Jerônimo, 100 – Mauá – Novo Hamburgo, das 9h às 19h.

Fale com nossos corretores on-line: www.rossiresidencial.com.br. Acesse mais informações via celular: www.rossiresidencial.com.br/mobile.

3273-9973 | rossiweekend.com.br Imagens ilustrativas. Weekend r.1/93.753. Arquiteto: Sergio Koren, Crea RS 078146. Paisagista: Guilherme Takeda, Crea RS 53799.

Realização:

Ivete Sangalo

Revista Expansão

Dezembro/2011

164


Expansão 145