Page 1

Edição 297 ano 26 - Janeiro 2018

www.revistaecoturismo.com.br

Carnaval no Brasil: História e diversão para os turistas!


C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Para mais informações acesse:

w w w.fa dc.org.br 2

/FundacaoAbrinq

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

/fundabrinq


Edição 297– Ano 26 – Janeiro 2017

SUMÁRIO

5

18

FESTEJADO ROMANCISTA EQUATORIANO PARTICIPARÁ DO 2018 THE AMAZON RAINFOREST

Educadora dá exemplo de vida, lições de fé e honestidade para seus alunos

24

Maior porto da américa Latina comemora 126 anos com inauguração de reforma

25

PROGRAMA DO PRÉ CANDIDATO A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BASEADO NO ECOTURISMO, MEIO AMBIENTE E CIDADANIA

Carnaval no Brasil: História e diversão para os turistas!

22

2ª edição do Ebulição Instantânea by Rafa Prado reuniu os palestrantes mais influentes do mundo do empreendedorismo para um público com 2.500 pessoas

26

Nova modalidade de Esportes iniciando no Brasil

Capitais e cidades brasileiras oferecem generosas programações que garantem muita farra e diversão para os foliões neste carnaval 6

Revista Ecoturismo Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

3


EDITORIAL

Carnaval no Brasil une história e diversão O carnaval é uma das datas mais cobiçadas do ano que atrai milhares de pessoas para desbravar novos destinos em lugares surpreendentes. Para quem quer aproveitar o feriado prolongado em cenários ainda desconhecidos, diferentes regiões enchem os olhos ainda mais durante o Carnaval. Seja na folia, no meio do agito ou aproveitando os dias de folga em um lugar diferente, ficar em casa não é a opção da maioria dos brasileiros e estrangeiros que aproveitam com muito entusiasmo, os bloquinhos e desfiles que ocorrem massivamente em todo o país. Nesta edição a Revista Ecoturismo mostra as cidades que unem diversão e história para os turistas. O 8º Fórum Mundial da Água, também é destaque em nossas páginas. O evento será realizado pela primeira vez no Hemisfério Sul e abrigará 110 países, em Brasília, entre os dias 18 e 23 de março. São esperados participantes de cerca de 150 nacionalidades para as mais de 250 sessões de debates programadas. O Fórum Mundial da Água é o maior evento do planeta sobre o tema e deverá receber mais de dez chefes de Estado e de governo, além dos maiores especialistas internacionais. Esperamos que os assuntos desta edição sejam de seu interesse e agrade sua leitura!

Edição 297 ano 26 - Janeiro 2018 Hércules Góes – MTB 15.973 Editor Chefe Jacira Gonçalves - Editora Assistente Adriana Piva D’Antonio- Jornalista Assistente Paulo Corrêa - Diretor Adjunto André Vinícius Góes - Diretor Comercial Hércules Magnus Góes - Editor Assistente e Mídias Eletrônicas. Olinda Marinho - Diretora Executiva Dóris e Jens Ruschmann - Conselho Editorial Maurício Baltazar de Lima - Consultor Jurídico Luciana Hasse Góes - Assistente de Comunicação Martin Augusto Góes - Marketing e Eventos Willian Silva - Assistente Comercial e Marketing James de Castro - Designer Gráfico

Uma publicação de EDITORA ECOTURISMO LTDA - ME Correspondentes nacionais e estrangeiros: Robinson Barroso e Washington Costa - Correspondentes Sergipe e Bahia Remi Moraes - Correspondente Maranhão Viviane Farina - Correspondente Ceará José Barbosa Leite Neto - Correspondente São Paulo – Capital Randolph Scooth - Correspondente no Amapá Dárius Vaquer e Fernando Barbosa - Correspondentes em Rondônia Artur Hugen - Correspondente em Brasília Léo Madeira - Diretor Internacional EUA e Canadá Wagner Santiago - Correspondente em Nova Iorque Rafael Ayres - Correspondente em Los Angeles e São Francisco Redação: Nacionais • Av. Pedro Lessa, 2721, sala 21, Embaré CEP: 11025-003 Santos/ SP Fones: (13) 3223-9650 (13) 3261.3761 Correspondência: Av Conselheiro Nébias, 756 cj. 1715 CEP:11045-002 Santos/SP www. revistaecoturismo.com.br comercial@revistaecoturismo.com.br

Internacionais • Santa Monica, Venice e California Simone Alexandrino tel: 626 2642992, monealexandrino@hotmail.com • Los Angeles South withmer street 503 tel: 213 2800651 • Los Angeles (USA) - Magnus Góes ( 415, S.Berendo, ST 309, zip cod 900-20) • MERCOSUL – Verônica Calmucci (Rosales 268, piso 8, depto 1, CP 1704, Ramos Mesia, tel. 0054.11.4661.6817, veracalmucci@hotmail.com) • Buenos Aires (Argentina)- Mirta F. Ramos (Las Heras, 3892, piso 9, tel. 0054.11.4806.5163, ramos.mirta@hotmail.com) • Portugal – Jefferson Martiniano (Apartado 82, CP 4610, Felgueiras, tel. 0021.351.255482.611 / 963.609736, pastor.jeferson@hotmail.com)

QR Capture o QR Code e visualize a nossa revista on line


FESTEJADO ROMANCISTA EQUATORIANO PARTICIPARÁ DO 2018 THE AMAZON RAINFOREST

L

uis Zúñiga (Quito, 1955) é um roman“Manuela” é o resultado de uma cista e poeta. Na narrativa, ele é o au- investigação exaustiva de seu autor, tor de cinco novelas: Manuela, Prêmio Luis Zúñiga, que em suas investigaNacional Joaquín Gallegos Lara para a no- ções poderiam saber, revelar mais vela (1991), tem quinze edições nacionais tarde, a intimidade desta mulher e internacionais (Equador, Colômbia, Cuba, vigorosa, dotada de um espírito rePeru e Venezuela). Rayo (1997), Primeira volucionário, uma paixão apaixonada Menção do Júri da Bienal Novela Equato- e um alto ideal político como o de riana; Extasia (2007) Menção do Júri do seu amor: Simón Bolívar. Prêmio Nacional Joaquín Gallegos Lara; Um Ace (2010) e Karaoke (2015). Ele publicou três poemas: Intercostal Noises (1982), Do bairro à cidade (1985) e Versions (1996). Além da literatura, como antropóloga, trabalhou em direitos econômicos, sociais, culturais e ambientais em cinco países da região andina e trabalhou no trabalho diplomático e cultural. Atualmente é assessor do Ministério da Educação do Equador, no Plano Nacional de Leitura. MANUELA (resumo) Novela histórica de estilo vivo e fecundo, que nos capta e cativa das suas primeiras páginas. “Manuela” é o resultado de uma investigação exaustiva de seu autor, Luis Zúñiga, que em suas investigações poderiam saber, revelar mais tarde, a intimidade desta mulher vigorosa, dotada de um espírito revolucionário, uma paixão apaixonada e um alto ideal político como o de seu amor: Simón Bolívar. Vítima de censura mordaz em seu tempo e ignorada hoje por muitos, Manuela Sáenz -patriote de Quito ligada ao processo de independência sul-americana - é um personagem que resiste a toda a força que a caracterizou na vida para, no passado, propor uma reflexão sobre o papel das mulheres na sociedade, um tema inserido na luta universal dos seres humanos pela dignidade e igualdade. Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

5


CARNAVAL

Carnaval no Brasil: História e diversão para os turistas! Capitais e cidades brasileiras oferecem generosas programações que garantem muita farra e diversão para os foliões neste carnaval

O

carnaval é uma das datas mais cobiçadas do ano que atrai milhares de pessoas para desbravar novos destinos em lugares surpreendentes. Para quem quer aproveitar o feriado prolongado em cenários ainda desconhecidos, diferentes regiões enchem os olhos ainda mais durante o Carnaval. Seja na folia, no meio do agito ou aproveitando os dias de folga em um lugar diferente, ficar em casa não é a opção da maioria dos brasileiros e estrangeiros que aproveitam com muito entusiasmo, os bloquinhos e desfiles que ocorrem massivamente em todo o país. Para quem busca agito, as principais capitais brasileiras oferecem generosas programações que garantem muita farra e diversão para os foliões. Algumas com grande evidência na mídia, como os bloquinhos mais tradicionais mineiros e cariocas, disputando espaço com as comemorações nordestinas em diferentes estados, como

6

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

no Ceará com os blocos de rua de Fortaleza, e em Pernambuco, muito conhecido pelas festas de Olinda. Opções não faltam para os foliões de todas as idades nessa época do ano. Separamos nessa matéria alguns destinos para viajar no Carnaval. Confira a lista: Pirinópolis (GO) Pequena cidade do interior de Goiás, tombada como Patrimônio Nacional, que conserva seu aspecto antigo e bucólico, cercada de morros e cachoeiras. Um retrato vivo da história goiana, onde um povo hospitaleiro, alegre e festivo, convive com um ambiente de extrema beleza . Todos os anos, Pirenópolis vive seu tradicional carnaval de marchinhas. A música é animada pela centenária Banda Phoenix, que alegra os foliões na Rua Direita, criando um ambiente divertido para toda a família. A festa é marcada pela participação popular e pela intensa presença de visitantes que

sempre buscam, na cidade, curtir um carnaval animado, tranquilo e com um gostinho das velhas tradições. Como sempre, o trânsito recebe modificações, com restrições de tráfego de automóveis em algumas vias do Centro Histórico para garantir o conforto e a segurança dos moradores e turistas, no local da folia. Durante o período, é proibido o porte de garrafas e copos de vidro nas ruas e o uso de som automotivo no perímetro urbano. É realizado ainda o já tradicional Concurso de Fantasias, organizado pela equipe da Secretaria Municipal de Turismo, que durante todo o evento está à disposição dos visitantes de Pirenópolis para dar o apoio necessário. O CAT – Centro de Apoio ao Turista tem um posto receptivo no Portal de Entrada da cidade e na Rua do Bonfim, próximo à ponte de pedra. São Luiz do Paraitinga é um reduto nos qua-


tro dias de festa e tudo acontece ao redor da Igreja Nossa Senhora do Rosário. São Luiz do Paraitinga (SP) O município é um importante destino turístico da região do Vale do Paraíba, em particular, devido ao seu Centro Histórico, tombado como Patrimônio Cultural Nacional, e suas tradições caipiras, incluindo a Folia do Divino e o Carnaval de Marchinhas. Vale lembrar que as marchinhas de São Luiz do Paraitinga são próprias, por lá, não rola “Olha a cabeleira do Zezé” e sim muita cultura e identidade regional. A cidade de pouco mais de 11 mil habitantes fica pequena para tantos foliões nos quatro dias de folia, e que fazem questão de se vestir à caráter, com roupas e acessórios feitos de “chita” e remenda de retalhos . As marchinhas ficam famosas com suas rimas curtas e criativas, composta pelos próprios moradores da cidade (180 mil em 2014). Confira os blocos importantes do local: Bloco Pai do Troço Para quem busca irreverência, o bloco Pai do Troço (sai geralmente às segundas-feiras) é com certeza uma excelente opção. Surgindo como uma crítica política direcionada ao prefeito da cidade há mais de trinta anos atrás que exercia o mandato de forma insatisfatória para a população. Aqui, não precisa se preocupar com a fantasia: passe pela despensa e pegue um rolo de papel higiênico, enrole pelo corpo e pronto, você está perfeito para subir e descer as ruas da cidade ao som do bloco. Bloco do Juca Teles O mais tradicional e conhecido bloco de São Luiz do Paraitinga é uma homenagem a o motorista Benedito Campos, mais conhecido como Juca Teles. Todos os anos o público sai da praça central e percorre a pequena cidade ao som da marchinha que é chiclete para as mais de trinta mil pessoas que costumam acompanhar a folia atrás do trio. Bloco da Maricota Marchinhas e blocos arrastam multidões para São Luiz do Paraitinga Prestes a completar 28 anos no carnaval de São Luiz, o bloco da Maricota e sua inconfundível “É a Maricota com a direita - é a Maricota com a canhota” arrasta uma multidão todos os anos pelo trajeto de aproximadamente 600 metros, mas se engana

quem pensa que o trajeto é curto, a diversão rola por mais de uma hora seguida de marchinha. Fantasia? Aqui vale tudo, e a cada ano o público surpreende, com críticas políticas, personagens de desenho animado, memes e filmes do ano, é só soltar a criatividade e se preparar para as fotos. Banda Estrambelhados A Banda Estrambelhados, fundada há doze anos tem uma missão: renovar a tradição do carnaval de São Luiz do Paraitinga, sem abrir mão da identidade carnavalesca, que a população tanto luta para manter viva. O figurino da banda inspira os foliões, que capricham nas roupas feitas com tecidos floridos. Faça chuva, faça sol, lá está uma multidão, vale lembrar que o empurra-empurra faz parte da festa, e os camarotes não existem por lá. Nesses blocos não são exigidos abadás para acompanhar as bandas e blocos. Diversão, sem violência e com muita tradição são a marca registrada desta pequena cidade que recebe os turistas foliões com tanto carinho em fevereiro. Prepare sua roupa, sem muitos esmeros, e caia na festa com a gente. Uma coisa é certa: quem conhece o carnaval de São Luiz do Paraitinga não quer mais saber de outro! Ouro Preto (MG) O título de Patrimônio Histórico da Humanidade não foi concedido por acaso a Ouro Preto. A cidade abriga o maior conjunto arquitetônico do barroco brasileiro, preservando jóias como as igrejas de São Francisco de Assis, considerada o ícone do estilo no país e obra-prima de Aleijadinho; e de Nossa Senhora do Pilar, ornamentada com mais de 400 quilos de ouro. Mas a cidade não é conhecida apenas por este motivo, o Carnaval no local também atrai turistas do país todo. A Liga dos Blocos de Carnaval de Ouro Preto trará algumas na festa deste ano alguns destaques comoe Pabllo Vittar, Mc Livinho, Mc Kevinho, Nego do Borel, Molejo, Tuca Fernandes, Alexandre Peixe e Felguk. Criada em 2005, pela união dos Blocos do Caixão, Cabrobró, da Praia e Chapado, a Liga dos Blocos de Carnaval de Ouro Preto vem, desde então, promovendo o carnaval no Espaço Folia, com atrações de nome nacional.

Há diversas possibilidades para curtir o carnaval em Ouro Preto, que incluem pacotes fechados para pista e camarote, o que permite a experiência de liberdade e de identidade de cada um de seus blocos formadores, mas também a possibilidade de viver festas diferentes. O folião pode escolher a pista ou o camarote, cada um deles com um tipo de benefícios, além das atrações garantidas por cada bloco, segurança privada e toda a infraestrutura necessária para uma festa memorável estão garantidas. Florianópolis (SC) O título de Ilha da Magia atribuído à Florianópolis faz cada vez mais sentido. Capaz de reunir natureza e patrimônio histórico preservados com infraestrutura de cidade grande, a capital enfeitiça tanto os turistas que muitos acabam voltando para ficar. Uma das épocas que mais atrai turistas é no Carnaval Magia, como é conhecido o carnaval de Florianópolis, é uma das festas mais completas do ano .Quem for curtir a festa de Momo em Floripa vai poder aproveitar desfiles de escolas de samba, blocos de rua, além, é claro, dos shows com artistas nacionais. Toda a programação de carnaval é gratuita e diversos moradores e visitantes de diferentes idades aproveitam o período para curtir o tão aguardado Carnaval. As festas particulares também são bem procuradas pelos turistas. Elas acontecem em locais menores ou em casas de shows. Neste ano as atrações na Arena Central são: Jeito Moleque, Araketu, Valesca, Timbalada e Terra Samba, além dos concursos Músicas de Carnaval e Pop Gay. Para quem gosta de curtir com um pouco mais de conforto na multidão, uma opção é aproveitar os camarotes, de onde será possível ver os desfiles de blocos e shows musicais com serviços de bar e open bar de algumas bebidas. O histórico bloco Berbigão do Boca levará vários foliões às ruas do Centro (concentração entre o Largo da Alfândega e o Mercado Público) no dia 02 de fevereiro. O tradicional desfile das escolas de samba do Carnaval de Florianópolis também é um dos atrativos do carnaval. Neste ano desfilam: Consulado, Dascuia, Unidos da Coloninha, Nação Guarani, Embaixada Copa Lord e Os Protegidos da Princesa. Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

7


Brasília sediará o 8º Fórum Mundial da Água em março Realizado pela primeira vez no Hemisfério Sul, evento reúne os principais especialistas sobre o tema

A

menos de 50 dias do evento, interessados de 110 países diferentes já garantiram inscrição para o 8º Fórum Mundial da Água, que acontecerá em Brasília, entre os dias 18 e 23 de março. São esperados participantes de cerca de 150 nacionalidades para as mais de 250 sessões de debates programadas. O 8º Fórum Mundial da Água é o maior evento do planeta sobre o tema e deverá receber mais de dez chefes de Estado e de governo, além dos maiores especialistas internacionais. “Compartilhar a água” é o tema central da oitava edição do evento, que

8

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

reúne representantes de governos, academia, sociedade civil, empresas públicas e privadas e organizações não governamentais de todo o mundo. Sediado pela primeira vez no Hemisfério Sul, o Fórum Mundial da Água é um espaço de diálogo e intercâmbio de experiências e boas práticas relacionadas ao uso da água, considerada pela ONU (Organização das Nações Unidas) um direito fundamental da humanidade. O foco na sustentabilidade alinha o Fórum com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para água potável e saneamento (ODS-¬ 6), agenda definida pela

ONU, que propõe metas a serem atingidas globalmente até 2030. A novidade da edição brasileira será a Vila Cidadã, um espaço gratuito e aberto a toda população, que contará com arena de debates, exposições, palestras, cinema, artesanato, talk shows e espaço gourmet. A Vila será montada no Estádio Nacional Mané Garrincha, próxima ao local dos debates, o Centro de Convenções Ulysses Guimarães. São esperados 40 mil visitantes durante o período do evento. O Fórum Mundial da Água acontece a cada três anos e é uma iniciativa do Conselho Mundial da Água,


uma organização internacional com sede em Marselha, França, composta por representantes de governos, academia, sociedade civil, empresas e organizações não governamentais, formando um significativo espectro de instituições relacionadas com o tema água. De acordo com o diretor executivo do 8º Fórum, Ricardo Andrade, que é governador do Conselho Mundial da Água, o evento é uma oportunidade única de mostrar ao mundo o que o Brasil tem feito em relação ao tema. “O assunto central do evento, ‘Compartilhando Águas’, significa trocar experiências entre países, boas práticas e soluções adequadas. Pretendemos mostrar como nosso país faz gestão de recursos Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis 9 8 o FÓRUM MUNDIAL

DA ÁGUA | BRASÍLIA - BRASIL, 18 A 23 DE MARÇO DE 2018 www. worldwaterforum8.org | secretariat@ worldwaterforum8.org 2 hídricos e como podemos fornecer alternativas capazes de garantir a segurança hídrica em outras regiões”, afirma. Andrade ressalta que um dos objetivos do Fórum é promover o engajamento da sociedade, dos gestores e do poder público. “Temos uma parcela da população que não participa desse processo e que precisa estar envolvida nele. O evento, acima de tudo, traz educação e consciência ambiental”, pontua. O fórum é organizado pelo Conselho Mundial da Água (WWC), pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), representado pela Agência Nacional das Águas (ANA), e pelo Governo do Distrito Federal, representado pela Agência Reguladora de Águas,

Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa). A Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) é integrante do Comitê Organizador Nacional (CON). As sete edições anteriores do evento foram realizadas em Marrakesh (Marrocos, 1997), Haia (Holanda, 2000), Kyoto (Japão, 2003), Cidade do México (México, 2006), Istambul (Turquia, 2009), Marselha (França, 2012) e Gyeongju e Daegu (Coréia do Sul, 2015). As inscrições continuam abertas e o segundo lote de ingressos, com valores diferenciados, está disponível até 28 de fevereiro. Para acompanhar de perto as notícias, siga o 8º Fórum nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn

híd em

And soc par edu

O f Am do   San Ind

As Hai (Tu

As dife

Par Fac  

Bra

Deb

Vil

Imp dan

    fla  

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

9


10

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renovรกveis


Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renovรกveis

11


SEMINÁRIO

XVI SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, LOGÍSTICA, AGROPECUÁRIA, TECNOLOGIA E TURISMO SUSTENTÁVEL Desenvolvimento sustentável de comunidade quilombola na região do cone sul do estado de Rondônia: Implantação de criação de sistema de criação de frango caipira

Maria Geralda entregando o Prêmio Ecoturismo 2017 para Dra. Rosangela Cipriano, reitora da FAMA. Profa. Dra. Rosangela Cipriano dos Santos Profa. Ma. Marcela Irian Angélica Machado Marinho

Breve histórico da instituição... A Faculdade da Amazônia surgiu de um sonho: o de criar em Vilhena e região uma instituição de ensino superior que incluísse os milhares de jovens e adultos que não dispunham da possibilidade e de tempo para se deslocarem até outras localidades para realizarem um tão sonhado curso superior. A partir da coragem de uma professora, Dra. Rosangela Cipriano dos Santos, surge a ideia de se criar uma instituição que atendesse a esta demanda, e que atuasse de forma inclusiva no sentido mais profundo da

12

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

palavra em ralação à educação superior. Após uma pesquisa sobre os possíveis cursos seriam mais interessantes para população definiu-se os cursos que poderiam ser oferecidos, tendo em vista o contexto histórico, econômico, social e cultural de nossa região. Ao instalar-se em Vilhena, a Faculdade da Amazônia assumiu o compromisso de “buscar permanentemente a qualidade nos programas que oferece à região”. Para tanto, desenvolveu um projeto pedagógico em sintonia com as demandas e potencialidades detectadas na cidade de Vilhena e em toda a sua área de influência, escolhendo assim os cursos

que julgou mais relevantes à formação de quadros profissionais cuja chegada ao mercado de trabalho se convertesse em forte impulso ao desenvolvimento socioeconômico regional. A Faculdade, desde sua idealização e criação, tem como missão investir em um processo de ensino e aprendizagem que capacite os seus egressos a atenderem às necessidades e expectativas do mercado de trabalho e da sociedade, com competência para formular, sistematizar e socializar conhecimentos em suas áreas atuação. Para alcançar esse objetivo, a Instituição promove a educação superior integrando ensino e a extensão, visando à formação de sujeitos empreendedores e comprometidos com o autoconhecimento, a transformação social, cultural, política e econômica do Estado e da região. Seu dever é orientar e desenvolver iniciativas que aumentem a qualidade do Ensino e com ela a formação de sujeitos responsáveis, comprometidos com o seu auto desenvolvimento e com o progresso da sociedade. Para tanto, partilha dessa responsabilidade com os ingressos, os egressos e com as organizações locais, e é com este esteio inspirador que desenvolveu o Projeto de Implantação de criação de frango caipira no município de Pimenteiras do Oeste, visando o desenvolvimento sustentável de uma comunidade quilombola na região do conesul do estado de Rondônia. Breve histórico do projeto O projeto foi idealizado e construído por diversos docentes e discentes da instituição, que atuam nos quatro cursos ofertados pela IEs, sendo eles Agronomia, Zootecnia, Serviço Social e Psicologia. O projeto foi implantado


em comunidade quilombola do município de Pimenteiras do Oeste/RO, no intuito de possibilitar a comunidade outras formas de sustentabilidade, que não fossem apenas a pesca e turismo, atividades estas que tem sido as mais influentes na região e que da sustento as famílias. Neste sentido os profissionais das ciências agrárias elencaram a avicultura, pois dentro da comunidade é um sistema de fácil aplicação, necessita de pouca mão de obra, tem um retorno financeiro rápido e funciona como uma fonte de alimento para as famílias quilombolas. Diagnóstico local O Município de Pimenteiras do Oeste está localizado no Vale do Guaporé em Rondônia e se apresenta como um mosaico de espacialidades vivenciadas ou vividas. Os estudos desenvolvidos a respeito deste município estão voltados para o sentido econômico, político-administrativo, porém se faz necessário estudos dedicados às vivências, experiências de homens e mulheres, neste espaço-tempo. Existem nesta localidade, pessoas que se autodenominam Remanescentes Quilombolas, além de outras designações étnicas. Cabe aqui nos debruçarmos sobre a comunidade Quilombola, tendo em vista os objetivos do projeto, geral e específicos. Esse município faz parte do chamado “cone sul” do Estado de Rondônia, que faz limite ao norte com os municípios de Cerejeiras e Parecis, ao sul pelo município boliviano de Remanso; ao leste pelo município de Cabixi e ao oeste pelo município de Alto Alegre dos Parecis. A formação deste município, no sentido territorial, em sentido de povoamento e exploração, se deu em dois momentos: o primeiro com a colonização iniciada sob a coroa portuguesa (século XVIII) a partir de Vila Bela, no Mato Grosso, em que a presença negra foi marcante nos trabalhos mais pesados: na mineração e na construção de Fortes de Fronteiras. O segundo (século XX, década 1970) com a colonização planejada do Instituto de Colonização e Reforma Agrária – INCRA. O projeto que deu início a uma nova configuração espacial do oeste de Rondônia, que inclui Pimenteiras do Oeste, é o Projeto Integrado de Colonização Paulo Assis Ribeiro – PICPAR. Implantado a partir da Portaria nº 1.480 de 04/10/1973, sendo a área bem afastada da BR-364, cuja sede deste Projeto

foi a cidade de Vilhena. Dentre os cinco municípios que foram criados a partir do PICPAR, estava a cidade de Pimenteiras do Oeste, porém seu povoamento foi dado pelo lado do rio Guaporé é antigo. Pimenteiras do Oeste foi conectada com a BR-364 somente recentemente (década de 1980) pela rodovia RO-399, ficando distante da capital do estado, Porto Velho, 880 km. Os moradores que ali residem precisavam sempre se reportar a outros municípios para resolver problemas dos mais diversos. A localidade mais próxima é Cerejeiras, que fica a 52 km, utilizada para suprir seus serviços básicos tanto de saúde quanto de abastecimentos alimentícios, conforme relatos dos próprios moradores, especialmente dos Quilombolas. A maior parte da população do estado de Rondônia é de migrantes, que incluem

a Instituição promove a educação superior integrando ensino e a extensão, visando à formação de sujeitos empreendedores e comprometidos com o autoconhecimento, a transformação social, cultural, política e econômica do Estado e da região. nordestinos e sulistas, excetuando-se a população indígena, que também fez suas diversificadas migrações para fugir das investigadas dos conquistadores portugueses, tanto no interior quanto no litoral. A ocupação em Rondônia, do contingente negro, se deu por meio da migração vinda do antigo estado do Mato Grosso, por isso, não é por acaso a presença negra nessa região. A ocupação populacional negra em Rondônia é corolário da ocupação colonial no Vale do Guaporé. Rondônia pertencia ao estado do Mato Grosso desde o século XVIII, como é apontada por alguns autores que trabalham com a descrição regional. Esta ocupação teve em sua base, estrutura, o trabalho negro e indígena, além de homens livres que por conta própria adentraram a região a procura de riquezas e drogas do sertão. A ocupação populacional em Pimenteiras do

Oeste foi marcada pelo primeiro “ciclo” da borracha a partir do ano de 1877, mas, a presença de negros já era constatada em todo o Vale do Guaporé, tanto do lado brasileiro quanto boliviano, pois ambos tinham como forma de força de trabalho o braço negro, desde o início da colonização. A ocupação recente de Pimenteiras, enquanto primeira ocupação efetiva, deu-se a partir do século XX, sob orientação de Joaquim Estevão, negro egresso de Vila Bela. Parte dos antigos moradores do município trabalhava com a extração do látex, logo, eram seringueiros, que tiveram de abandonar esse trabalho devido ao fim da demanda pelo produto em nível internacional, surgindo como alternativa, a pesca, no Rio Guaporé. Não houve um planejamento estatal para a formação do Município, pois a formação populacional deu-se de maneira aleatório. Posteriormente o povoamento se organizou a partir da criação do Território Federal do Guaporé, em 1943. Somente o espaço deixou de ser Território Federal, emancipando-se para estado, em 1981 (nota 85), que o governo resolveu criar a rodovia RO-399, ligando Vilhena à cidade de Colorado do Oeste. O município de Pimenteiras do Oeste não tinha acesso por via terrestre, sobrando somente a via fluvial como elemento de integração. Em 24 de outubro de 1980, o governo militar do território, na figura do Governador Jorge Teixeira de Oliveira, inaugurou o primeiro acesso da BR-364 ao Vale do Guaporé, chegando a estrada até Pimenteiras do Oeste. Foi neste período que os moradores quilombolas foram removidos do seu antigo seringal, a atual fazenda Santa Cruz, com o objetivo de promover o “progresso” da região, o que de certa forma “é” verdade, e de sua melhoria material para as famílias deslocadas. Porém, isso não deve ter se “dado” totalmente, já que os quilombolas ainda reivindicam o antigo espaço de vivência. Após o deslocamento dos antigos moradores de Santa Cruz e, ainda, como consequência do declínio do “ciclo” da borracha, iniciou-se uma nova atividade para suprir aquela que era feita pela extração de produtos da floresta. Houve assim, a formação da Colônia de Pescadores chamada de Z-3, a fim de legalizar a atividade para a sobrevivência da comunidade, com isso a cidade passou a retirar seu meio de sobrevivência para contrabalançar as perdas de atividaRevista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

13


des anteriormente suplantadas. Diante de toda essa reorganização territorial e emancipação política, podemos perguntar: “Por que o espaço físico da cidade de Pimenteiras é tido como estranho aos sujeitos quilombolas? Por que esses atualmente procuram voltar à antiga terra da Fazenda Santa Cruz que ocupavam? Sugerimos que seja porque esse ‘voltar’ ao antigo espaço seja uma ‘pretexto-volta’, isto é, um voltar para com o intuito de ir para frente, para a modernidade anunciada. Retornar é também, uma espécie de conquista material e sentimental . Algumas possibilidades de respostas a estas problemáticas podem ser evidenciadas. Os moradores, especialmente os membros da comunidade Quilombola, de Pimenteiras do Oeste, são sujeitos históricos que têm uma experiência com a água e a floresta presente na vasta região Amazônia, portanto, se inserem como seres existenciais munidos de desejos, esperanças, crenças, necessidades básicas, num espaço de experiência e consequentemente horizontes de expectativas. O espaço-tempo de Pimenteiras do Oeste é composto a partir desses seres humanos que almejam de alguma maneira se sentirem reconhecidos e, por conseguinte sobreviverem às intempéries da modernidade que os assola. Esses sujeitos começaram a se autodenominar quilombolas bem recentemente, ao se organizarem em 19 de outubro de 2010, como membros legais de uma entidade: a Associação de Remanescentes de Quilombos de Pimenteiras do Oeste. Através desta associação se iniciou a luta pelo reconhecimento desses sujeitos enquanto remanescentes legais e seus respectivos direitos, à saúde, esporte, lazer, educação, alimentação. O Projeto e suas consequências... O projeto proposto vem de encontro aos anseios destes seres humanos, cheio de experiências históricas, e que almejam melhores condições de vida, sobrevivência. As comunidades quilombolas são grupos com identidade cultural própria e se formaram por meio de um processo histórico que começou nos tempos da escravidão no Brasil. Elas simbolizam a resistência a diferentes formas de dominação. Essas comunidades mantêm forte ligação com sua his-

14

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

tória e trajetória, preservando costumes e cultura trazidos por seus antepassados. Mas o desenvolvimento social é necessário, de modo que as famílias e cada indivíduo tenham capacidade e oportunidade de viver com dignidade que é de direito do ser humano. Para isso, a possibilidade de desenvolver atividades que gerem renda e meios de subsistência é necessária, e é nesse ponto que a produção de frangos tipo caipira apresenta potencial. O frango caipira tem demonstrado enorme potencial para atender a uma demanda crescente do mercado: consumidores interessados em alimentos que, durante sua produção, contemplem conceitos como sustentabilidade e bem-estar animal. Desse modo, diversas comunidades utilizam dessa técnica para aumentar sua fonte de renda e melhorar a sua qualidade de vida, sendo considerado um sistema fácil de aplicar, uma vez que necessita de pouca mão-de-obra, tem um retorno financeiro relativamente rápido, devido ao ciclo de vida das aves, e funciona como uma fonte de alimento para a família. No campo das ciências agrárias, Zootecnia e Agronomia, o projeto vislumbrou a implantação de galpão para as aves com capacidade total para 400 frangos de corte. Para implantação dos piquetes para a formação da área de pastejo será realizado análise de solo e se necessário corrigido e adubado, o que permitirá crescimento do pasto grama-estrela (Cynodon nlemfuensis). A ração balanceada deverá ser fornecida em comedouros instalados no interior do galinheiro e no piquete, com média de 70–120g dia por ave. Alimentos alternativos, disponíveis na região (milheto, raízes e as folhas de mandioca, leguminosas como feijão-guandu e a leucena, etc.), serão utilizados para complementação da alimentação. A idade de abate ou venda do animal vivo ocorre a partir de 90 dias, podendo chegar a 120 dias. Esperando-se aumento na renda familiar e melhoria na qualidade de vida das comunidades quilombolas. Além da implantação da criação de frango caipira também vem sendo realizado a implantação de horta orgânica. A cama de aviário é um resíduo da criação de aves, constituído de restos de ração, fezes, urina, penas e substrato absorvente usado para forrar o chão das granjas, tais como palha de arroz, sabugo de milho, bagaço de cana e outros. Trata-se

de material rico em nutrientes, podendo ser aproveitado como adubo na agricultura. Em um cenário no qual a conservação ambiental assume importância crescente frente aos impactos causados pela ação do homem na agricultura, torna-se necessário o conhecimento, a seleção e a adoção de boas práticas de gestão ambiental (VALARINI & RESENDE, 2007), entre estas práticas, pode-se citar a agricultura orgânica, a qual compreende todos os sistemas agrícolas que promovem a produção sustentável de alimentos, fibras e outros produtos não alimentos (cosméticos, óleos essenciais, etc.) de modo ambiental, social e economicamente responsável. Tem por objetivo maior, otimizar a qualidade em todos os aspectos da agricultura, do ambiente e da sua interação com a humanidade por meio do respeito à capacidade natural das plantas, animais e ambientes (FONSECA et al., 2010). No campo das ciências humanas e sociais aplicadas, foram desenvolvidas atividades complementares, que serviram e apoio ao desenvolvimento da comunidade, levando em consideração a identidade e a subjetividade da Comunidade Quilombola, por meio da prática social através da intervenção da Psicologia. Como sabemos, a cultura nos faz e nos torna o que somos ao desenvolvermos em um determinado ambiente. A afirmação em conjunto a muitos estudos sobre esse temática é a de que cada cultura consiste em um universo simbólico em si mesmo, de cada povo, organizado socialmente de maneira coerente e limitada. (Mathews, 2002). A cultura deve ser percebida como extensão simbólica, possibilitando aos sujeitos um conjunto de relações sociais capaz de significações por meio de signos, práticas e valores. Nesse cenário, a população passa a se conceber a partir de sua particularidade e sustentação específicas. A cultura é entendida, como um complexo sistema de códigos que transmite o sentido das regras com a finalidade de orientar as interlaço sociais. A subjetividade é definida de modo que busca explicar como o indivíduo produz e organiza sentidos e significados subjetivos, que atua no padrão social. Busca-se compreender os parâmetros a partir de uma perspectiva sistêmica e articulada com a realidade em seus diversos níveis, tanto individual como social. Os sujeitos , quando fazem parte de um grupo e configura


Professora Marcela Irian Angélica Machado Marinho

– se nele, mesmo sendo variado entre si e carregando um ligação de singularidade que os constitui subjetivamente, compartilham uma identidade com outros indivíduos, o que revela uma teia de intricada complexidade (Deschamps & Molinhe, 2009). Nesse segmento, podemos interpretar os conceitos de identidade, subjetividade e cultura atrelados aos de diversidade, em que características de indivíduos ou grupos inerentes se determinam em diversidade aos que não possuem tais características (Cassab, 2004). A construção da identidade se dá por uma reunião de indivíduos ao compartilharem significados e objetos simbólicos como língua, história, religião, interesses, gostos e cultura, em oposição aos que não distribui e se colocam, portanto, no lugar de alteridade. O costume quilombola, por ser um espaço de compartilhamento de conhecimentos simbólico e afetivo, e por se dar ligação em um quadro social e político específico, ressalta as particularidades dos indivíduos que compõem. Preservar princípios culturais carregados de um transcorrido histórico e social e que propicia um posicionamento subjetivo do individuo ao aceitar nesse

passado. E contrapartida, as áreas políticas devem ser cuidadosas para não engessar as possibilidades indenitárias quilombolas, seja por as fixarem a um passado ou por lhes traçar um futuro. É de suma importância que a psicologia, tão interessada em questões relativas à identidade e à subjetividade, de ênfase também para o estudo de processos de subjetivação não hegemônicos, como é o caso dos quilombolas hegemônicos. A Teoria Humanista de Rogers (19021987) considera o indivíduo como um todo: mente e corpo, sentimento e intelecto são partes integrantes do mesmo ser e são inseparáveis. Assim, quando se fala em indivíduos em formação é importante fazer uma reflexão sobre as mudanças necessárias e que devem ser buscadas, tanto dentro como fora do contexto, “o único homem que se educa é aquele que aprendeu como aprender: que aprendeu como se adaptar e mudar; que se capacitou de que nenhum conhecimento é seguro, que nenhum processo de buscar conhecimento oferece uma base de segurança”. (ROGERS, 1997) . A aprendizagem centrada na pessoa

é revolucionária e transformadora por aproveitar o desejo natural do todo de participar e interferir em seu próprio processo. Rogers defende a ideia de mudança de comportamento através da aprendizagem significativa, pois sua experiência no consultório como terapeuta lhe mostra que um aprendizado centrado no cliente provoca a transformação interna do homem. ROGERS (1997) afirma que: “Por aprendizagem significativa entendo aquela que provoca uma modificação, quer seja no comportamento do indivíduo, na orientação da ação futura que escolhe ou nas suas atitudes e na sua personalidade”. Os psicólogos humanistas preferem o estudo do homem em seu potencial mais positivo e a abordar a Psicologia a partir do prisma da saúde e do crescimento psicológico. É com embasamento nessas afirmativas que a utilização da psicologia e áreas afins, se torna um instrumento que propicia ao indivíduo reflexão, interatividade e aprendizado significativo através de vivências de si mesmo, resgatando a importância do autoconhecimento e dos processos de aprendizagem. Visa atender um onde poderá ser realizados Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

15


Rosangela Lazarin e Professora Marcela Irian Angélica Machado Marinho

orientação e aconselhamento por meio de grupos terapêuticos, palestras, minicursos e orientações. Dando grande importância conhecimento de si mesmo, desenvolvendo um maior interesse por si e pelo mundo externo. A comunidade quilombola contemplada no projeto recebeu atenção multidisciplinar, quando equipe de professores e alunos ligados aos cursos de serviço social e psicologia, além dos de agronomia e zootecnia, iniciarão suas atividades, formando pequenos grupos, a partir dos quais se iniciará o levantamento do perfil sócio-econômico-cultural de cada família, com o objetivo de retratar fielmente e a partir de coleta de dados, o modo e a qualidade de vida de cada unidade familiar. Atividades de cunho educativo foram realizadas na comunidade quilombola de Pimenteiras do Oeste-RO, após o levantamento do perfil sócio-econômico-cultural de cada família, objetivando com isso, estabelecer uma conexão de auto reconhecimento de cada sujeito, como forma de reafirmar suas origens histórico-culturais e incutir em cada qual o apoderamento dessas origens, no afã de por em relevo e prestigiar a dignidade da pessoa humana, enquanto vetor identitário. Com a prática de terapias específicas, cada sujeito quilombola reafirmará o seu modo de ser, aprendendo a reconhecer-se enquanto pessoa humana, portadora de dignidade, adquirindo com isso, maior sustentação de apoderamento identitário e com isso, fortalecendo-se para inserir-se no meio em que vive, de modo igualitário.

16

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

No campo do Serviço Social, também desenvolvemos atividades por meio do A aprendizagem centrada Projeto institucional NIMFA, Núcleo de Inserção da Mulher na Faculdade na pessoa é revolucionária e da Amazônia. O projeto NIMFA tem por transformadora aproveitar objetivo valorizar a por mulher enquanto cidadã participativa de sua própria o desejo natural do todo de realidade social, levando-a a uma consciparticipar e interferir em ência política, integrando-a numseu status próprio processo. emocional de saúde e vivência humana incluindo-a na FAMA. Nessa concepção de um Instituição social, a IES inicia este projeto com proposta de ampliação a partir dos interesses e necessidades destas mulheres e suas famílias, firmando laços comunitários e de responsabilidade social de seus alunos e docentes. O câncer do colo do útero é uma doença progressiva com transformações celulares que ao longo de 10 a 20 anos podem evoluir para um processo cancerígeno e de mortalidade alta (Ministério da Saúde, 2006). De acordo com acometimento das células do útero há uma classificação da doença inflamatória em: 1-Neoplasia Intra-epitelial Cervical Grau I – NIC I, considerada baixo grau; 2- Neoplasia Intra-epitelial Cervical Grau II – NIC II, ALTO GRAU; 3 - Neoplasia Intra-epitelial Cervical Grau III – NIC III, as de alto grau (Souza, 1998). O diagnóstico do HPV pode ser realizado clinicamente por inspeção das lesões com lentes de aumento e aplicação de reagentes (ácido acético), também por meio de coleta de secreção vaginal, e

por biopsia; levando-se em consideração os locais de assistência de baixa, média e alta complexidade (BRASIL, 2002). O Papilomavírus humano (HPV) é um DNA-vírus do grupo papovavírus, com mais d 100 tipos, e alguns podem desenvolver câncer do colo do útero, da vulva, da vagina e da região anal. É de transmissão frequente sexual, podendo formar lesões como condiloma acuminado, verruga genital ou crista de galo, porém podem ser assintomáticos (MARTINIANO, 2004). É tarefa dos órgãos públicos a assistência integral à mulher, disponibilizando a rede básica de saúde, para entre outros serviços, o controle e prevenção do câncer de colo uterino, porém, é notória a deficiência deste serviço na qualidade como na quantidade dos atendimentos. Os fatores mais importantes para o desenvolvimento de câncer do colo do útero são: infecção pelo HPV (principal fator de risco); início precoce da atividade sexual; múltiplos parceiros; tabagismo (relacionado a quantidade de cigarros fumados); baixa condição socioeconômica, imunossupressão; uso prolongado de contraceptivos orais, e higiene insatisfatória (BRASIL, 2006). É fundamental considerar as especificidades da população feminina e a realidade social em que a mesma está inserida. Etiologicamente o câncer ocorre devido a fatores predisponentes que associados a agentes desencadeadores químicos, físicos e biológicos tornam-se relevantes na carciogênese, que é a transformação de uma célula sadia em cancerosa (BRASIL, 2002). O atendimento foi realizado por um (a) médico (a) ginecologista com a realização de trinta a cinquenta exames preventivos de câncer do colo do útero e tratamento de casos diagnosticados. Os alunos do Curso de Serviço Social realizaram o cadastro e agendamento das mulheres para o atendimento, priorizando o acolhimento adequado da população assistida. Algumas considerações sobre a sustentabilidade do projeto e continuidade das ações A comunidade quilombola é capaz de apresentar sustentabilidade no processo, viabilizando a implantação de práticas de manejo agroecológicas, além de possibilitar o aproveitamento de resíduos, ou coprodutos, de culturas agrícolas no manejo nutricional das aves, sejam esses resí-


REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Dra. Rosângela Cipriano, reitora da FAMA.

duos produzidos na própria comunidade ou na região, reduzindo custos. Assim, a adoção das práticas de envolvimento familiar em comunidades quilombola permite abranger a participação efetiva dos beneficiados. O projeto vem sendo desenvolvido à dois anos, desde de o ano de 2015. No que se refere às políticas universais de segurança alimentar e nutricional, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) estabeleceu metas de atendimento aos quilombolas no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), no Programa Cisternas e no Programa de Fomento as Atividade Produtivas Rurais, através das chamadas Publicas de Ater (Assistência Técnica e Extensão Rural) Quilombolas. No âmbito do Programa Fomento, a meta é atingir 15.000 famílias quilombolas nos Estados de Minas Gerais, Pernambuco, Maranhão, Bahia, Alagoas, Pará, Piauí, Goiás, Amapá e Mato Grosso, porém o estado de Rondônia não será beneficiado, desse modo, a implantação desse projeto, será de extrema valia, para melhoria na qualidade de vida dessa comunidade. Este projeto foi reconhecido como único e inovador dentro do cenário nacional, podendo ser implantado em todas as comunidades quilombolas do Brasil, com suas adequações, aumentando assim a renda familiar dessas comunidades, possibilitando o desenvolvimento humano destes grupos familiares o que resultou na premiação do Premio Santander Universidade Solidária, em 2015.

AQUINO, A. M. de. Integrando Compostagem e Vermicompostagem na Reciclagem de Resíduos Orgânicos Domésticos. Seropédica: Embrapa, 2005. 4p. (Circular Técnica, n. 12). BENITES, V. Como fazer compostagem de cama-de-frango para uso em pastagem. 2013. Disponível em: http://www.diadecampo.com.br/zpublisher/materias/Materia.asp?id=23054&secao=Artig os%20Especiais>. Acesso em: outubro de 2015. BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do câncer. Viva Mulher – Programa Nacional de Controle do câncer do colo do útero. Rio de Janeiro. 2002. Disponível em: http://www.inca. gov.br/ prevenção/ programas/ viva mulher Acesso em: outubro de 2015. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de atenção básica. Controle dos cânceres do colo de útero e de mama. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de atenção básica: Brasília, 2006. 124 p. DESCHAMPS J.C & Molinhe P. A identidade em psicologia Social – Editora Vozes, 2009. LIMA, J.; REZENDE, F. A.; COSTA, C. R.; NEWPORT, A. M. Rede de cooperação no êxito de iniciativas voltadas para a utilização de composto orgânico na produção de hortaliças por pequenos agricultores em Camaçari-Ba. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 3, n.3, p. 47-52, 2008. FONSECA, M. F. de A. C.; COLNAGO, N. F.; SILVA, G. R. R. da; FONSECA, P. T. Agricultura orgânica: regulamentos técnicos da produção animal e vegetal. Brasília: Niterói: Programa Rio Rural, 2010. 25p. (Programa Rio Rural. Manual Técnico, 29). MARTIANO, CLÁUDIA SANTOS. Expectativas Frente ao Exame Preventivo do Câncer do Colo do Útero. Revista brasileira de ciências da saúde, vol. 10, n. 2, p. 159 – 170, 2004. MATHEWS, Gordon. Cultura global e identidade individual. Bauru: EDUSC, 2002. PESQUISA NACIONAL DE DEMOGRAFIA E DE SAÚDE, Ministério da Saúde, 2006 < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/pnds> acesso em: outubro de 2015. PINHEIRO, Zairo Carlos da Silva. O IMAGINÁRIO NAS ESPACIALIDADES: Quilombolas do Vale do Guaporé/Rondônia. 2014. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2014, p. 150. RESENDE, F. V.; SAMINÊZ, T. C. O.; VIDAL, M. C.; SOUZA, R. B. de; CLEMENTE, F. M. V. Cultivo de alface em sistema orgânico de produção. Brasília: Embrapa Hortaliça, 2007. 16p. (Circular Técnica, 56). 34 SILVA, F. C.; COSTA, F. O.; ZUTIN, R.; RODRIGUES, L. H.; BERTON, R. S.; SILVA, A.E.A. Sistema especialista para aplicação do composto de lixo urbano na agricultura. Campinas: Embrapa Informática Agropecuária, 2002. 40 p.: il. (Documentos/ Embrapa Informática, 22). VALARINI, P. J.; RESENDE, F. V. Sustentabilidade do manejo orgânico e convencional na produção de hortaliças do Distrito Federal. Brasília: Embrapa Hortaliças, 2007. 12p. (Circular Técnica, 49) Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

17


HISTÓRIA

Educadora dá exemplo de vida, lições de fé e honestidade para seus alunos

Este é um país que vai para frente! Slogan dos aureos tempos do militarismo em RO e no Brasil.

N

atalina Ferreira Hubner, procedente de uma família simples de cinco irmãos, seu pai servidor público federal no Ministério da Agricultura e sua mãe sempre do lar, dedicada exclusivamente a família, nasceu na cidade de Fordlândia, atualmente chamada de Aveiro no estado do Pará, em 25 de dezembro de 1942. Membra da igreja Luterana do Brasil há 35 anos, Natalina, desde criança, era apaixonada pela arte de ensinar. Na sua adolescência já lecionava para crianças carentes em sua humilde cidade. Seus pais acreditaram e juntos contribuíram para que seus sonhos fossem realmente concretizados. Aos 15 anos, a professora foi contem-

18

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

plada com uma bolsa estudantil destinada ao Instituto Maria Matias (escola salesiana), na cidade de Altamira Pará, onde deu continuidade aos seus estudos e trabalhando como voluntária ministrando aulas no convento, fato que contribuiu para o desenvolvimento cultural da instituição. Concluiu sua formação pedagógica no Colégio Normal Carmela Dutra, em Porto Velho - RO. Sua formação acadêmica foi realizada na Universidade do Rio Grande do Sul (núcleo Rondônia) e na Universidade do Pará (núcleo Rondônia), em Letras e Pedagogia, respectivamente. É habilitada para ministrar aulas de Sociologia da Educação, Psicologia da Educação e em didática. Fez ainda cursos de es-

pecialização em sistemas escolares na USP- São Paulo. A professora Natalina, que está aposentada desde 1994, vem desenvolvendo um trabalho sócio-político educacional há várias décadas, quando se entregou de corpo e alma à profissão de professora, o que a fez uma educadora que sempre buscou fazer de seu trabalho um exemplo de vida, dando a seus alunos lições de fé e honestidade. Como professora, atuou em todas as esferas pedagógicas, desde as classes de alfabetização até a direção de várias instituições de ensino conquistando assim o valioso título de professora Natalina. Sempre trabalhando em prol da educa-


Como professora, atuou em todas as esferas pedagógicas, desde as classes de alfabetização até a direção de várias instituições de ensino conquistando assim o valioso título de professora Natalina. Sempre trabalhando em prol da educação do estado de Rondônia foi nomeada coordenadora estadual do MOBRAL. Com muito dinamismo desenvolveu vários programas dentro do processo de alfabetização de adultos e trabalhos comunitários em todo o estado por uma década. O primeiro Prefeito Eleito de Ji-Paraná, Jotão recebendo Hubner, o governador Angelin e o secretário Cruz da segurança pública Rondoniense.

ção do estado de Rondônia foi nomeada coordenadora estadual do MOBRAL. Com muito dinamismo desenvolveu vários programas dentro do processo de alfabetização de adultos e trabalhos comunitários em todo o estado por uma década. • Implantou curso de educação integrada em 1972. • Implantou o projeto LOGOS I; • Implantou o projeto de Ação Comunitária; • Implantou o programa cultural através de feira de ciências, feira de doces caseiros, feira de artesanatos, teatro e outros. Chegando por mérito pessoal a uma Secretaria de Estado. Exerceu este cargo e desenvolveu, com muito dinamismo suas funções na Secretaria de Promoção Social - SETRAPS; ali implantou vários programas, deixando um grande marco de luta e trabalho em benefício da população tais como: • Assistência ao Menor Carente; • Frente Nacional em Defesa à criança Carente;

Secretário de Estadual Expedito Júnior que viria a ser Deputado Federal mais jovem de Rondônia e senador da república.

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

19


Hubner com Governador e Prefeito Luiz Gonzaga de Porto Velho.

• Programa Menino de Rua; • Programa de Artesanato ao Menor Carente; • Cursos profissionalizantes para unidades; • Cursos profissionalizantes para unidades permanentes; • Programa seguro desemprego e outros. Funções: • Coordenadora Geral do Grupo de treinamento de professores de classe multigraduadas; • Secretária do Colégio Estadual Castelo Branco; • Coordenadora do Curso de Promoção de Taxa, em Vilhena; • Professora de psicologia no curso de férias para professores leigos; • Professora de Língua portuguesa nas sextas séries do 1º grau; • Assessora especial do conselho estadual de educação de Rondônia • Secretária de Estado da educação; • Coordenadora administrativa da Casa Civil. Quando diretora do Departamento de

20

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

assuntos culturais, estruturou a Secretaria Ao longo de sua trajetória profissional recebeu várias homenagens: Alguns Diplomas e Moções Diploma de AMIGO DA EDUCAÇÃO por haver contribuído para agilização e desenvolvimento do processo educacional de Rondônia. Diploma de Honra ao mérito da comissão municipal em Ji-Paraná como reconhecimentos aos relevantes serviços prestados ao município. Diploma de destaque comunitário oferecido pelo movimento comunitário do estado de Rondônia –FRAB- CUMPSFEBALFEC- FEMUR. Diploma de sócio Benemérito, oferecido pela associação de moradores e amigos do bairro Novo Estado. Da prefeitura Municipal de Guajará Mirim – RO – órgão SEMCET: Amigo da cultura. Do governador do Estado professor Ângelo Angelin, pelos relevantes serviços prestados como Secretária de Trabalho e Promoção Social, pelo reconhecimen-

to eterno e profícuo trabalho realizado no ano 1986- 1987. A professora abriu seu coração, quando recebeu a homenagem pelos 13 anos de MOBRAL em Rondônia. “O amor é a força que move o mundo e venci as batalhas da vida. Juntos venceremos mais um ano de luta em benefício do povo de Rondônia sempre com a nossa dedicação”. Além dessa, Natalina recebeu homenagens do MOBRAL em todos os municípios do Estado. Como Coordenadora estadual durante mais de uma década; a professora recebeu muitas homenagens, entre elas: Recebeu homenagem de eterno reconhecimento dedicado aos SINE\DETRAB ANO DE 1987. Foi homenageada pela ADESG (associação de escolar superior de guerra) Rondônia, pelos relevantes serviços prestados. Recebeu homenagens da Academia Rondoniense de Educação como acadêmica cadeira número 20. Teve o reconhecimento do Governador Osvaldo Piana por trabalhos realizados com dedicação. Recebeu homenagem de gratidão da Escola Jose Otino de Freitas .1992. Foi homenageada pela diretoria executiva do SINDSEF –RO gestão 2011-2014, por sua história de lutas e conquistas. Foi reconhecida através de uma homenagem pelos 40 anos da Educação Superior em Porto Velho e também da XVII convenção distrital do Lins Clube em Ji-Paraná 2015. Pelo Pioneirismo dedicação e Legado” SINDSEF-RO. 2016, no IV Encontro dos servidores do ex-Território de Rondônia, a professora teve seu reconhecimento. Sem sessar a buscar do conhecimento a professora atualmente cursa o oitavo período de direito na faculdade ULBRA-RO Professora Natalina reúne um portilófio composto de mais de 104 certificados (treinamentos, encontros, simpósios, seminários e outras modalidades de capacitações)


Lideranças dos deficientes físicos Rondonienses com o médico Luiz Augusto e Natalina Hubner.

Natalina Hubner Prêmio Ecoturismo em total protagonismo com comando governamental

Natalina e ex-governador de Rondônia e secretários Estaduais

Natalina Hubner Secretaria de Estado em comando com governador João Mader de Rondônia.

Deputada Estadual Joselita Araújo de Ouro Preto do Oeste e Hubner.

Ayres do Amaral, chefe da casa civil acompanha pronunciamento da secretária Hubner Prêmio Ecoturismo 2017 Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

21


EVENTO

2ª edição do Ebulição Instantânea reuniu os palestrantes mais influentes do mundo do empreendedorismo O final de semana contou com as tendências de empreendedorismo para 2018 e mais de 5 Start Ups participaram da rodada de investimento de 1 milhão de reais Palestrantes participantes: • Ricardo Amorim – Comentarista da Globonews e presidente da Ricam Consultoria, prestadora de serviços na área de negócios e economia global, em forma de palestras e consultoria. Único brasileiro incluído na lista dos mais importantes e melhores palestrantes mundiais do Speakers Corner, Ricardo Amorim profere, há anos, palestras sobre economia e tendências no Brasil e exterior.

2

Kevin Harrington, Randi Zuckerberg e Rafa Prado (Foto João Passos)

ª edição do Ebulição Instantânea by Rafa Prado, considerado um dos maiores eventos de empreendedorismo do Brasil, reuniu os melhores palestrantes para um público com mais de 2.500 pessoas. O final de semana contou com as tendências de empreendedorismo para 2018 e mais de 5 Start Ups participaram da rodada de investimento de 1 milhão de reais. O Golden Hall Sheraton WTC foi o palco para os palestrantes mais influentes do mundo apresentarem as principais tendências 2018 de negócios, gestão e liderança para ter sucesso na nova eco-

22

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

nomia para mais 2.500 pessoas. Apenas os participantes que adquiriram o ingresso VIP puderam participar de uma rodada de investimento chamada de Pitch The Sharks, que segue o estilo “Shark Tank”. Enquanto alguns dos empreendedores selecionados receberam aportes, que poderia totalizar cerca de 1 milhão de reais, outros, sugestões de como conseguir o aporte em uma outra oportunidade. Ao lado de Rafa Prado na rodada estavam os headliners: Kevin Harrington (Shark Tank original da série de televisão nos EUA), Cris Arcangeli (Shark Tank Brasil), Christian Barbosa e Lima Santos (investidores anjo).

• Janguiê Diniz – Passou de engraxate a dono do maior grupo de educação do Nordeste, o grupo SER Educacional. Hoje o grupo conta com mais de 1.160 cursos em 46 unidades, além de mais de 400 polos de ensino a distância. • Paulo Vieira – É presidente da Febracis, considerado o maior coach do Brasil e também o criador da revolucionária metodologia do Coaching Integral Sistêmico, que já impactou mais de 250 mil pessoas ao redor do mundo. PhD em Coaching, atua há quase 20 anos na área de desenvolvimento humano, acumulando mais de 10.700 horas em sessões de coaching individual. • Ricardo Bellino – Empreendedor Serial, foi sócio do empresário, hoje presidente dos EUA Donald Trump e também trouxe a Elite Models para o Brasil. • George Ross – É vice-presidente executivo da Trump Organization e bra-


cios. Autor best-seller, capacita CEOs, diretores e executivos. • Kane Minkus e Alessia Minkus – São considerados os treinadores número 1 em negócios da atualidade na Europa. Já treinaram mais de 100 mil pessoas pelo mundo. • Rodada de Investimento com Cris Arcangeli (uma das maiores representantes do empreendedorismo feminino, Shark Tank Brasil), Kevin Harrington, Christian Barbosa e Rafa Prado

Rafa Prado e Miguel Falabella.

O final de semana contou com as tendências de empreendedorismo para 2018 e mais de 5 Start Ups participaram da rodada de investimento de 1 milhão de reais ço direito de Donald Trump em “The Apprentice”. • Robinson Shiba – Dono das redes de fast-food China in Box e Gendai com mais de 150 franquias espalhadas por todo o Brasil. Pioneiro no serviço de delivery. • Perry Belcher – Co-fundador da Digital Marketer, é conhecido como mestre dos textos matadores e vendedores. Estrategista de vendas especializado em marketing de autoridade. • Carlos Wizard Martins – Fundador da maior rede de ensino de idiomas do Brasil que em 2013 foi adquirida por um grupo britânico no maior negócio do setor de educação já realizado no país. Hoje Wizard é um investidor em novos negócios e empreendedor serial. • Everton Rosa – É o primeiro fotógrafo a ter seu próprio programa de TV no Brasil, em 2006 já era pauta em telejornais nacionais, por ter criado produtos de alto valor agregado, foi o único a construir produtos e serviços derivados da fotografia por até 220 mil reais.

• Kevin Harrington – Empresário, faturou 5 bilhões de dólares com o lançamento de mais de 500 produtos e fez mais de 20 negócios atingirem 100 Milhões de dólares em vendas. • Guga Stocco – Co-criador do Banco Original, um dos maiores especialistas do mercado Fintech no Brasil. Conta com um fundo com mais de 100 milhões para investimentos em startups. • Randi Zuckerberg – Ela é a CEO da Zuckerberg Media e Former Head de Expansão e Novos Negócios do Facebook, ao lado de seu Irmão Mark Zuckerberg. • Jonathas Freitas – é o CEO do Gerenciagram, eleita a melhor plataforma de marketing digital de 2017 pelo prêmio Digital Awards BR, Eleito Empreendedor do ano pelo Prêmio Jovem Brasileiro (PJB2017), Investidor de startups como iTrainner e Empresa Inovadora, Facilitador da Fundação Estudar onde ensina liderança e protagonismo para jovens. • Fernando Garcia – Maior especialista em psicodinâmica aplicada aos negó-

• Edu Lyra – Viveu a infância numa favela em Guarulhos, SP e se tornou jornalista, autor do livro Jovens Falcões, um dos roteiristas do filme “Na Quebrada” e fundador do Instituto Gerando Falcões, que em 3 anos, já inspirou quase 300 mil jovens de periferia através da arte, da música e da literatura. Saiu na lista da revista Forbes como um dos 30 jovens mais influentes do Brasil, com menos de 30 anos e foi eleito Paulistano Nota 10 pela revista Veja. • Elton Oshiro – De infância humilde, o ex-carteiro, ex-analista judiciário e campeão de skate, encontrou uma chance para mudar de vida, se dedicou de corpo e alma e atingiu todos os seus objetivos. “Quando você põe a mão nos resultados, você esquece das dificuldades”, enfatiza Oshiro, um dos maiores nomes do marketing de rede no Brasil. • Christian Barbosa – Maior especialista em Produtividade do Brasil e fundador da Triad Productivity Solutions. Sobre Rafa Prado

Rafa Prado é fundador e presidente da BCY e movimenta anualmente mais de 20 milhões de reais com a criação de produtos digitais, eventos e imersões no Brasil e exterior com personalidades e grandes empresários. Rafa é também autor do best seller “100 Graus, O Ponto de Ebulição do Sucesso”, lançado pela Editora Gente no segundo semestre de 2016, e realizador do evento Ebulição Instantânea, um divisor de águas no cenário nacional.

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

23


AMÉRICA

Maior porto da América Latina comemora 126 anos com inauguração de reforma Mais de R$ 229 milhões em recursos do Agora, é Avançar foram aplicados para recuperar o cais Com a inauguração, iniciou-se, também, uma nova fase para a vida da cidade, pois os velhos trapiches e pontes fincados em terrenos lodosos foram sendo substituídos por aterros e muralhas de pedra. Em 12 de julho de 1888, pelo Decreto nº 9.979, após concorrência pública, o grupo liderado por Cândido Gaffrée e Eduardo Guinle foi autorizado a construir e explorar, por 39 anos, depois ampliado para 90 anos, o Porto de Santos, com base em projeto do engenheiro Sabóia e Silva. Com o objetivo de construir o porto, os concessionários constituíram a empresa Gaffrée, Guinle & Cia., com sede no Rio de Janeiro, mais tarde transformada em Empresa de Melhoramentos do Porto de Santos e, em seguida, em Companhia Docas de Santos.

P

ara comemorar 126 anos do Porto de Santos (SP), o Ministério do Transportes, Portos e Aviação Civil inaugurou, no dia 2 de fevereiro, a obra de recuperação e reforço estrutural de um dos cais do terminal com 1,7 mil metros de extensão. A estrutura é parte do programa Agora, é Avançar e recebeu investimentos federais no valor de R$ 229 milhões. O trabalho realizou reforço nas estruturas, com injeção de concreto na base do cais e perfis metálicos, além da recuperação de estacas e lajes eventualmente avariadas. O porto tem 16 quilômetros de cais e

24

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

Foto: Agência Brasil porto de santos

7,8 milhões de área útil. No ano passado, 130 milhões de toneladas de carga passaram pelo terminal. Pela unidade passa 25% das movimentações que impactam a balança comercial do País.

História O marco oficial da inauguração do Porto de Santos é 2 de fevereiro de 1892, quando a então Companhia Docas de Santos - CDS, entregou à navegação mundial os primeiros 260 m de cais, na área, até hoje denominada, do Valongo. Naquela data, atracou no novo e moderno cais, o vapor “Nasmith”, de bandeira inglesa.

Inaugurado em 1892, o porto não parou de se expandir, atravessando todos os ciclos de crescimento econômico do país, até chegar ao período atual de amplo uso dos contêineres. Açúcar, café, laranja, algodão, adubo, carvão, trigo, sucos cítricos, soja, veículos têm feito o cotidiano do porto, que já movimentou mais de l (um) bilhão de toneladas de cargas diversas, desde 1892, até hoje. Em 1980, com o término do período legal de concessão da exploração do porto pela Companhia Docas de Santos, o Governo Federal criou a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). Fontes: Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil e diário do Litoral


POLÍTICA

PROGRAMA DO PRÉ CANDIDATO A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BASEADO NO ECOTURISMO, MEIO AMBIENTE E CIDADANIA PROFESSOR JOSÉ BARBOSA LEITE, RESPONSÁVEL PELA FORMAÇÃO DO PROGRAMA DE GOVERNO É extremamente angustiante e doloroso contemplar-se o panorama brasileiro neste momento planetário difícil, obscuro e único: os espíritos em completo desajuste, estão desagregados e separados, quando deveriam estar, mais do que nunca, unidos para a grande obra do soerguimento moral nacional,

O

programa de governo do pré-candidato a presidência da república é baseada e definida pela mais nova ciência social e ideologia política da humanidade, denominada o comunitarismo cristão baseada no livro o comunitarismo cristão escrito pelo professor josé barbosa leite, no ano de 2.002. sendo assim, a colocamos como nossa única doutrina, filosofia e ideologia partidária em termos planetários. introdução – nossa visão do brasil da sociedade brasileira, nosso papel no brasil e no mundo, nossa essência, nosso espírito, quem somos, a que viemos, porque viemos, nossos valores, nossa ideologia, nossa missão e nossa proposta fundamental de política planetária. É extremamente angustiante e doloroso contemplar-se o panorama brasileiro neste momento planetário difícil, obscuro e único: os espíritos em completo desajuste, estão desagregados e separados, quando deveriam estar, mais do que nunca, unidos para a grande obra do soerguimento moral nacional, e

todas as necessárias e já tardias reformas de base, principalmente as reformas, relativas aos relevantes temas pautados a seguir, sem as quais nosso amado brasil, jamais será uma nação forte e organizada, para com a honra a ele devida, vir a cumprir um dia o seu “desideratum” de ser destacadamente no contexto mundial dos países, “o coração do mundo, a pátria do evangelho!”são estes os princípios básicos do ecoturismo como partido político combativo e organizado: defesa inconteste da ecologia; defesa da amazônia; preservação do meio ambiente; luta contra o aquecimento global; preservação da natureza; recuperação dos nossos lagos, represas e rios; descontaminação dos nossos mares; luta pela utilização de energias alternativas; práticas de agricultura orgânica; recuperação das pastagens degradadas; recuperação das nascentes; recuperação da moral e da ética na política, há muito tempo perdida; segurança pública dos cidadãos; respeito à familia brasileira; preservação da bela língua brasileira. Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

25


ESPORTES RADICAIS

Nova modalidade de Esportes iniciando no Brasil A trekking and fly é a primeira equipe organizada de longas caminhadas com um guia de montanha e pilotos de parapente (voo livre) do Brasil.

New sports modality starting in Brazil

Da direita para esquerda Ken Surrite, Júnior Zamariolli e Alexandre Romagnollo

Laila Galetti

O

esporte é muito praticado na Europa, aqui no Brasil não existe uma equipe oficial homologada no esporte de aventura extreme, alem disso voaremos em lugares jamais sonhados e em montanhas onde nenhum homem ou mulher já subiu. A novidade também é que seremos guiados por uma mulher, sim nossa guia é especializada em alta montanha, Laila tem uma paixão por esportes de aventura e é muito competente. Nossa equipe é formada pelos pilotos Alexandre Romagnolo e Julio Molonha, pelo montanhista e piloto Junior Zamariolli e para fechar com chave de ouro nossa guia e mentora das expedições Laila Galetti. Além de subir montanhas mágicas e decolar delas para voar entre as nuvens nós levamos uma causa maior ainda no coração a Waterislife.

26

Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis

Da direita para esquerda Júnior Zamariolli, Júlio Molonha e Alexandre Romagnolo

Waterislife é uma organização americana sem fins lucrativos que leva pequenos filtros portáteis as comunidades mais remotas e carentes do mundo, nossa missão será a cada capitulo da nossa jornada de séries (episódios) pelo mundo, levar os filtros as crianças e entregar a elas através dos canudos de água potável. O fundador da Org. é o Sr Ken Surrite, que esteve no Brasil em outubro de 2017 na Adventure Fair (Feira de Aventura) e ficou muito impressionado com nosso potencial e como estamos com dificuldades de gerir as necessidades básicas de nossas crianças. Atualmente estima se que mais de 5 mil crianças morrem de sede somente na áfrica, nós queremos ajudar a melhorar o mundo diz a equipe, não somos aventureiros, nós somos a Trekking and fly com muito carinho e comprometimento por um mundo melhor.

The trekking and fly is the first organized team of long walks with a guide of mountain and paragliding pilots (free flight) of Brazil. The sport is very practiced in Europe, here in Brazil there is no official team approved in extreme adventure sport, we will fly in places never dreamed and in mountains where no man or woman has ever risen. The novelty is also that we will be guided by a woman, yes our guide is specialized in high mountain, Laila has a passion for adventure sports and is very competent. Our team is formed by the pilots Alexandre Romagnolo and Julio Molonha, by the mountaineer and pilot Junior Zamariolli and to close with gold key our guide and mentor of the expeditions Laila Galetti. In addition to climbing magical mountains and taking off from them to fly among the clouds we take a bigger cause still in the heart to Waterislife. Waterislife is an American nonprofit organization that takes small portable filters to the most remote and needy communities in the world, our mission will be to each chapter of our series series (episodes) around the world, to take the filters to the children and to deliver them through potable water straws. The founder of Org is Mr. Ken Surrite, who was in Brazil in October 2017 at the Adventure Fair and was very impressed with our potential and how difficult we are to manage the basic needs of our children. Nowadays, it is estimated that more than 5,000 children die of thirst only in Africa, we want to help improve the world, the team says, we are not adventurous, we are trekking and fly with a lot of affection and commitment for a better world.


Conheça a BlueFit. Um novo conceito de academia perto de você. Uma rede em expansão com diversas academias modernas e amplas, com musculação e grande variedade de aulas por um preço que não pesa no seu bolso. Matricule-se!

jump circuito

MENSALIDADE

zumba

79 A PARTIR DE

R$

muay thai jiu jitsu

com tudo incluso!

pilates

bluefitacademia.com.br

27 SÃO PAULO • SÃO VICENTE • SANTOS • SÃO BERNARDO • SANTO ANDRÉ • JOINVILLE • CURITIBA Revista Ecoturismo - Turismo & Energias Renováveis


RESISTIR E AVANÇAR JUNTOS Em 2018, a Enfermagem brasileira se fará ouvir. Somos

brasileira, também está sob ameaça, com a autorização

uma nação de 2 milhões de profissionais, contribuindo

para que vacinas sejam administradas em farmácias

diariamente para concretizar o sonho de um Sistema

e drogarias, sem a presença de profissionais de

Único de Saúde público, universal e de qualidade.

Enfermagem habilitados para identificar possíveis

Continuaremos nossa luta por um SUS fortalecido,

contraindicações, intervir em casos de reação e garantir

pela qualidade da formação, pelo pleno respeito

o correto armazenamento e manuseio dos insumos.

às prerrogativas profissionais da Enfermagem e por Em tempos de retrocesso, resistimos. A regulamentação

condições dignas de vida e trabalho.

da jornada, engavetada pelo Congresso Nacional, avança A suspensão da liminar que impedia enfermeiros

nos estados e municípios. Mais de cem municípios e

de requisitar exames no SUS foi uma importante

dez estados brasileiros já estabeleceram a jornada de

vitória da Enfermagem e da população, com ampla

30h para profissionais de Enfermagem.

mobilização social. Não recuaremos. Continuaremos a luta até a última instância. Defenderemos ainda

Lutamos pela garantia do Descanso Digno durante

a

e

os plantões, pela Aposentadoria Especial para os

Dermatológica, também objeto de ação judicial do

profissionais de Enfermagem e pelo Piso Salarial

Conselho Federal da Medicina.

nacional. Sabemos que o avanço destes projetos

regulamentação

da

Enfermagem

Estética

dependerá Encerramos o ano com duro golpe contra a formação

da

representatividade

política

da

Enfermagem e da nossa capacidade de mobilização.

em Enfermagem. O MEC revogou o decreto 8.754/2016, facilitando a abertura de cursos a distância, com

Pelo sonho é que vamos. E nosso sonho é uma

precária fiscalização. Na Saúde Mental, enfrentamos

Enfermagem capacitada e valorizada, atuando de

um desmonte da Reforma Psiquiátrica. A estratégia

forma interdisciplinar, para assegurar o direito à Saúde

vacinação, orgulho da população e da Enfermagem

da população brasileira.

Manoel Neri, presidente do Cofen

Revista 297 janeiro 2018  
Revista 297 janeiro 2018  
Advertisement