Page 36

1

ENCARTE ESPECIAL (I)

João UM TAL DOUTOR

Eugênio Goulart

redacao@revistaecologico.com.br

J

oão Guimarães Rosa abandonou a Medicina após Samuel Libânio; e registro da formatura, em 21 de debreves anos de profissão, mas ela jamais se sepa- zembro de 1930. rou dele. Ficou entremeada em seus textos, semAté então, Rosa tinha escrito alguns pequenos pre correndo em sua veia artística. Desde suas primei- contos e poemas, porém ainda manietado por forte ras experiências com contos e estrofes, até nos seus influência dos escritores franceses, que já tinha lido últimos escritos, pouco antes de morrer prematura- vorazmente. Ele mesmo comentou que nessa épomente, aos 59 anos, com muita constância o médico ca escrevia friamente, sem paixão, preso a modelos Rosa sobreviveu na obra do escritor Rosa. alheios. Quatro desses contos foram publicados em De sua epiderme literária, ou seja, da forma como 1929 e 1930 na revista “O Cruzeiro”, de circulação escolhia e agrupava as palavras, à sua carótida poé- nacional, e Guimarães Rosa recebeu 100 mil réis tica, ou seja, suas essências e suas crenças, o viés do por cada um deles. Provavelmente em função desse olhar médico ficou incrustado no cerne da mensagem sucesso, foi escolhido pelos colegas como orador da que deixou para a posteridade. turma da formatura. Seu pendor pelo jogo com as palavras, escolhenNo seu discurso, há um relato que vale a pena ser cido sempre as mais adequadas, mesmo que inusi- tado: “De distinto médico patrício contam que, achantadas, ficou registrado desde a morte de um colega do-se moribundo, gostava que os companheiros o abavitimado pela febre amarela, quando nassem. E a um deles, que se oferecera cursava o segundo ano do curso métrazer-lhe moderníssimo ventilador “As pessoas dico. Proferiu então a frase que ficou elétrico, capaz de renovar-lhe continão morrem, registrada para sempre: “As pessoas não nuamente o ar do aposento, responde, morrem, ficam encantadas”. ficam encantadas.” admirável, no esoterismo profissional e Essa fala, quase um cochicho, foi presublime na intuição de curador. ‘- Obrisenciada pelos colegas Alysson de Abreu gado; o que me alivia e conforta, não é e Ismael de Faria; e João Rosa, como era conhecido o melhor arejamento do quarto, mas sim a solícita solientre os amigos de então, voltaria a usá-la no discurso dariedade dos meus amigos...’.” de posse da Academia Brasileira de Letras, em 1967, Assim que se graduou, e casado há pouco com sua portanto, 40 anos depois. jovem vizinha Lygia Cabral Penna, partiu para ItaguaDepois de sua passagem pela Faculdade de Medi- ra, situada a cerca de 100 quilômetros de Belo Horizoncina, que durante seu curso de graduação passaria a te, onde clinicou até 1932. A vida pacata em Itaguara, se chamar, em 1927, Faculdade de Medicina da Uni- então distrito de Itaúna, na época com no máximo 700 versidade de Minas Gerais, ficaram os seguintes do- habitantes, onde nem sequer havia eletricidade e até cumentos, hoje criteriosamente guardados no Centro então não havia residido um médico, deu-lhe tempo de Memória da Medicina de Minas Gerais, que fun- para coletar mentalmente dezenas de histórias para o ciona no mesmo local: comprovante de inscrição ao livro “Sagarana”. exame vestibular; provas escritas do exame vestibuNo período de não mais que dezoito meses na relar; provas escritas do curso médico; fotos com cole- gião, observou personagens típicos e guardou de megas; reprodução do quadro de formatura; discurso de mória casos antigos e novos, verídicos, improváveis ou orador da turma; discurso de paraninfo, o professor fantasiosos, histórias de crimes e de feitiçarias, e deta-

36  ECOLÓGICO | MARÇO DE 2018

Revista Ecológico - Edição 105  

Confira a Revista Ecológico Ed. 105 > O Grande Sertão: Médico de Guimarães Rosa > Ecológico nas Escolas: Veja por que o Brasil é o campeão m...

Revista Ecológico - Edição 105  

Confira a Revista Ecológico Ed. 105 > O Grande Sertão: Médico de Guimarães Rosa > Ecológico nas Escolas: Veja por que o Brasil é o campeão m...

Advertisement