Page 1

mostra de cinema

AMBIENTAL

Ecofalante Environmental Film Festival 2012


Ecofalante Environmental Film Festival 15 a 22 . MARÇO . 2012

1


É

com grande satisfação que a AES Eletropaulo faz parte da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, um projeto cultural e educativo que proporcionará reflexão sobre a responsabilidade de cada indivíduo na conservação dos recursos naturais e o seu papel na busca de soluções e alternativas para o desenvolvimento sustentável.

O debate sobre as condições socioambientais do planeta Terra é muito importante para que adultos, jovens e crianças entendam que, com atitudes simples no dia a dia, podemos transformar o mundo e preservar a vida. AES ELETROPAULO

It is with great pleasure that AES Eletropaulo is part of the Ecofalante Environmental Film Festival, a cultural and educational project that will provide a reflection regarding the responsibility of each individual in the conservation of natural resources and its role in finding solutions and alternatives for sustainable development. The debate about social and environmental conditions on planet Earth is very important for adults, children and young people to understand that with simple daily actions, we can transform the world and preserve life. AES ELETROPAULO

O

Programa de Cultura do Instituto Votorantim possui o papel de estimular projetos que promovam a democratização cultural em suas diferentes manifestações artísticas. A Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é uma parceria de destaque do Instituto Votorantim, pois permite o acesso às questões socioambientais por meio de filmes, exposições e debates. Criar espaços em que jovens e adultos possam aprender mais sobre o meio ambiente é contribuir para que o mundo evolua rumo à sustentabilidade. INSTITUTO VOTORANTIM

The Culture Program of the Votorantim Institute has a role to play in encouraging projects for promoting cultural democratization in their different artistic expressions. The Ecofalante Environmental Film Festival is an important partnership with the Votorantim Institute, as it allows access to social and environmental issues through movies, exhibitions and debates. Creating spaces where young people and adults can learn more about the environment is to help the world to evolve towards sustainability. VOTORANTIM INSTITUTE

3


sobre a mostra about the festival A Ecofalante, organização não governamental sem fins lucrativos, foi criada em 2003 pela ação de um grupo de educadores, comunicadores, cineastas e profissionais de diversas áreas do conhecimento com o objetivo de desenvolver projetos que contribuíssem para a educação e para a divulgação de alternativas para o desenvolvimento sustentável. Dentro dessa proposta, esteve envolvida desde seu nascimento na realização de diversos projetos audiovisuais, que foram exibidos em instituições de ensino, festivais e televisões educativas.

Ao longo dos anos, observou-se uma crescente necessidade, na cidade de São Paulo, de uma plataforma ampla e forte para a exibição e difusão de produções audiovisuais com temáticas socioambientais. Importantes filmes, de cineastas reconhecidos e premiados em todo mundo, não eram exibidos no Brasil, sequer nos festivais já existentes.

Ecofalante, a Non Governmental Organization, was established in 2003 through the action of a group of educators, communicators, filmmakers and professionals from several areas of knowledge in order to develop projects that Nasceu, assim, a proposta de criar a Mostra Ecofalante contribute to education and de Cinema Ambiental, que pretende chamar a aten- information about alternatives for ção da população paulista para questões ambientais, de sustainable development. Within sustentabilidade, cidadania, governança, participação e this proposal, it has been involved políticas públicas. Com filmes de inegável qualidade, pro- in the implementation of several porcionará debates enriquecedores sobre questões que audiovisual projects since its interessam a toda população.  foundation, which were displayed Esta primeira edição da Mostra Ecofalante de in festivals, educational institutions Cinema Ambiental foi possível graças ao patrocínio da and television. AES – Eletropaulo, do Instituto Votorantim e da White Over the years, there has Martins, que investiram recursos através do Programa been observed a growing need de Apoio à Cultura – ProAC do Governo do Estado São in Sao Paulo of a broad and Paulo. Apoiaram ainda a iniciativa a Livraria Cultura, strong platform for viewing and a Sabesp, o Museu da Imagem e do Som - MIS, o distributing audiovisual products Instituto Akatu e  o Programa de Pós-Graduação em with social and environmental Ciência Ambiental - PROCAM  da USP. theme. Important movies from recognized and rewarded filmmakers throughout the world, were not displayed in Brazil, even in the already existing festivals. So it was born the proposal to create the Ecofalante Environmental Film Festival, that intends to call the attention of São Paulo´s population for environmental, sustainability, citizenship, governance, participation and public policy issues. With movies of undeniable quality, it will launch a lively debate on issues that matters to all people. This first edition of the Ecofalante Environmental Film Festival was made possible by the sponsorship of the AES - Eletropaulo, the Votorantim Institute and White Martins, which have invested resources through the ProAC - Program for Support of Culture from the Sao Paulo State Government. It also supported the initiative: Livraria Cultura, Sabesp, MIS - Museum of Image and Sound, Akatu Institute and the PROCAM USP Graduate Program in Environmental Science.

5


os filmes the films A Comissão de Seleção e a Curadoria da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental avaliaram aproximadamente 120 filmes, nacionais e estrangeiros, documentários e ficções, de curta, média e longa-metragem. Os filmes analisados vieram em sua maioria já com o aval de importantes festivais internacionais, como Sundance Film Festival (EUA),  International Film Festival Rotterdam (Holanda), International Documentary Film Festival Amsterdam (Holanda) e Toronto International Film Festival (Canadá); além dos principais festivais de temática ambiental do mundo, como Washington DC Film Festival (EUA), Cinema Planeta (México), Planet in Focus (Canadá) e  Cinemambiente (Turim). Os 27 filmes contemporâneos selecionados pela comissão e curadoria, que vão de obras consagradas pelo Oscar a cineastas em início de carreira, foram organizados em seis eixos temáticos: Ativismo, Povos e Lugares, Consumo, Energia, Água e Mudanças Climáticas, de modo a destacar as principais questões ambientais que vêm sendo tratadas pelo cinema contempoarâneo e permitir um diálogo enriquecedor entre esses filmes. Representando 15 países espalhados em todos os continentes do mundo, as produções permitirão um olhar multifacetado sobre tais questões, permitindo uma diversidade de olhares que contribuirá para a formação e o debate ambiental do público brasileiro. Já o Panorama Histórico mostrará como as questões ambientais vêm sendo tratadas pelo cinema ao longo das últimas décadas. Nesta primeira edição, optamos por concentrar esse

The Selection Committee and the Artistic Direction of the Ecofalante Environmental Film Festival analyzed approximately 120 movies, national and foreign, documentary and fiction, short, medium and feature length movies. The majority of the analyzed movies had already the endorsement of major international film festivals such as the Sundance Film Festival (USA), International Film Festival Rotterdam (Netherlands), International Documentary Film Festival Amsterdam (Netherlands) and Toronto International Film Festival (Canada), as well from the major festivals of the world on environmental theme, such as Washington DC Film Festival (USA), Cinema Planeta (Mexico), Planet in Focus (Canada) and Cinemambiente (Turin). The 27 contemporary films selected by the committee and the artistic direction, ranging from established works accredited by Oscar, to filmmakers beginning their careers, were organized into six themes: Activism, People and Places, Consumer, Energy, Water and Climate Changes, in order to highlight the main environmental issues which are being showed by the contemporary movies and to allow an enriching dialogue with regard to them. Representing 15 countries, spread across all continents of the world, the productions will allow a multi-faceted view on these issues, allowing a diversity of views that contribute to the training and awareness of the Brazilian public The Historical Panorama will show how environmental issues are being addressed by the cinema over the past decades. In this first edition, we chose to focus on the national scene – with the exception of the French movie The Gleaners & I, by

panorama na produção nacional – à exceção do francês Os Catadores e Eu, de Agnès Varda. Entre os títulos programados estão Ecologia, de Leon Hirzsman, um dos primeiros documentários brasileiro a tratar do tema ambiental, além de obras de cineastas consagrados como Joaquim Pedro de Andrade, Jorge Furtado, Sérgio Bianchi, Francisco Ramalho Jr. e Reinaldo Volpato. Completam o panorama dois clássicos da cinematografia nacional: Iracema, Uma Transa Amazônica, de Jorge Bodanzky e Orlando Senna, e Serras da Desordem, de Andrea Tonacci. O homenageado dessa primeira edição será Adrian Cowell, o maior documentarista da Amazônia, que ao longo de décadas realizou um levantamento histórico e inestimável da destruição da Floresta Amazônica; e que faleceu em 2011. Nascido na China, em 1934, começou a filmar no Brasil ainda nos anos 50, tendo sido companheiro dos irmãos Villas Bôas, Apoena Meirelles e Chico Mendes. Como homenagem a esse importante pioneiro do cinema ambiental no Brasil, a mostra exibirá seu último filme, Batida na Floresta. Por fim, apostando na importância da percepção crítica das novas gerações, quatro títulos infantis completam a seleção. Com essa ampla programação de 40 títulos, que será acompanhada por um ciclo de debates com cineastas e pesquisadores nacionais e internacionais, a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental acredita estar contribuindo não apenas para a difusão de importantes obras cinematográficas, mas também para o enriquecimento das discussões, inevitáveis e inadiáveis, sobre sustentabilidade e meio ambiente no Brasil.

Agnès Varda. Among the titles scheduled we can see Ecologia, from Leon Hirzsman, one of the first Brazilian documentaries dealing with the environmental theme, and works of established filmmakers such as Joaquim Pedro de Andrade, Jorge Furtado, Sergio Bianchi, Francisco Ramalho Jr. and Reinaldo Volpato. Completing the panorama, two classics from Brazil’s cinematography: Iracema, Uma Transa Amazônica, from Jorge Bodansky and Orlando Senna, and Serras da Desordem, from Andrea Tonacci. This first edition will pay homage to Adrian Cowell, the greatest Amazon documentarist, that for decades conducted a priceless and historical survey about the Amazon destruction and died in 2011. Born in China in 1934, he began filming in Brazil in the 50s and was a companion of Villas Boas brothers, Apoena Meirelles and Chico Mendes. As a tribute to this important environmental movie pioneer in Brazil, the festival will display his last movie, Batida na Floresta. Finally, focusing on the importance of environmental awareness for the new generations, four titles for children complete the selection. With this broad lineup of 40 titles that will be followed by a series of debates with local and international filmmakers and researchers, the Ecofalante Environmental Film Festival believes to be contributing not only to the dissemination of important cinematic works, but also to enrich the inevitable and unavoidable discussions regarding sustainability and environment in Brazil.

7


índice index

11 ativismo activism 23 povos e lugares people and places 35 consumo consumption 47 energia energy 59 água water 69 mudanças climáticas climate changes 79 homenagem tribute 87 panorama histórico historical panorama 97 mostra infantil children’s festival 103 programação programming 107 debatedores debaters

9


Cinema e Ativismo Claudio Yosida

Quais os limites para ações de protesto? Existem causas tão justas que ações em seu nome devam ser mais toleradas? Ações de protesto em defesa do meio ambiente e outras causas ecológicas são comuns nos noticiários há um bom tempo. Quem não se lembra dos barcos do Greenpeace interceptando navios que caçavam baleias, ou então dos manifestantes que jogavam tinta nas pessoas que usavam casacos de pele? Ações como essas, mais do que um resultado prático de impedir a caça daquelas baleias ou estragar aquela roupa, serviam para chamar a atenção sobre o absurdo dessas atividades e despertar a consciência das pessoas para os problemas ligados ao meio ambiente e a preserCinema and Activism vação das espécies. Desse primeiro momento até hoje em dia – Claudio Yosida em que os movimentos se multiplicaram, suas causas se transformaram e seus métodos se aperfeiçoaram – o mundo passou por muitas What are the limits for protest ac- transformações. Graças às novas tecnologias, as tions? Are there such fair causes so informações estão cada vez mais democratizathat actions on their behalf should das, e isso permite maior participação popular, be more tolerated? maior engajamento e uma nova consciência Protest actions in defense of the sobre os temas. Dentro desse novo contexto, environment and other ecological ganha força um personagem que tem inúmecauses are common in the news ras faces e causas, o ativista ambiental, e a sua for a long time. Who does not versão radical, o ecoterrorista. remember the Greenpeace ships Para os dois, a atual crise do planeta não perintercepting ships hunting whales, mite mais uma transição lenta e gradual dos or the protesters throwing paint on padrões de consumo e exploração dos recurpeople wearing fur coats? Actions sos naturais. Somente agindo de forma rápida such as these, more than a practical e decisiva é que se conseguirá uma mudança de outcome to stop whales hunting or padrão: da insustentabilidade do atual modelo spoil those clothes, served to draw econômico e do nosso modo de vida à emergênattention to the absurdity of these cia de uma sociedade sustentável. activities and raise people awareMas enquanto o ativismo compreende a ness to the problems of environformulação e execução de estratégias de ação ment and preservation of species. política com vistas à mudança social por meio

ativismo activism

The Cove

ativismo activism

11


From that first moment until today, when the movements have increased, its causes have changed and its methods have become refined - the world has gone through many transformations. Thanks to new technology, information is becoming more democratized, and this allows for greater participation, greater engagement and a new awareness on these issues. Within this new context, a character who has many faces and causes has gaining strength, the environmental activist, and its radical version, the eco-terrorist. For both, the current Quando o filme de maior bilheteria de crisis on the planet no todos os tempos carrega dentro de si longer allows a slow and gradual transition of elementos que justificam e enaltecem consumption standards o ativismo ambiental e o ecoterrorismo, and exploitation of natural resources. Only isso mostra que o cinema entra firme by acting quickly and nessa discussão e que o assunto e a decisively is that it is possible to get a change abordagem tocam de alguma forma o in the pattern: from grande público. unsustainability of the current economic model and our de um conjunto de técnicas de comunicação, way of life to the emergency need of mobilização e intervenção direta não violenta – a sustainable society. o ecoterrorismo adota práticas contra governos e empresas que prejudicam o meio ambiente. But while the activism includes the Exemplos disso são as sabotagens de equipa- formulation and implementation of mentos e os bloqueios de operações de empresas strategies of political action aimed que cultivam transgênicos ou os ataques de gru- at social change through a set of pos de proteção dos direitos dos animais a lojas communication techniques, mobilique vendem roupas de pele e a laboratórios que zation and non-violent direct action - the eco terrorism adopts practices usam animais em seus experimentos. Em meio ao sucesso do filme Avatar, a against governments and comparevista Entertainment Weekly perguntou ao nies that harm the environment. diretor James Cameron se o filme poderia ser Examples of this are equipment usado como uma ferramenta para recrutar sabotage and blocking operation of ecoterroristas. Cameron considerou essa uma companies that grow GM crops or boa leitura do filme e sentenciou: “Eu acredito the attacks of groups protecting the rights of animals against stores that no ecoterrorismo”. sell fur and to laboratories that use Quando o filme de maior bilheteria de todos animals in their experiments. os tempos carrega dentro de si elementos que

justificam e enaltecem o ativismo ambiental e o Amid the success of the movie ecoterrorismo, isso mostra que o cinema entra Avatar, the Entertainment Weekly firme nessa discussão e que o assunto e a abor- magazine asked the director James dagem tocam de alguma forma o grande público. Cameron if the movie could be used Os filmes que serão apresentados durante a as a tool to recruit eco-terrorists. Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental pos- Cameron considered this a good suem essa capacidade de levantar questões e reading of the movie and declared: usar o poder do cinema documental para reve- “I believe in eco terrorism”. lar o que somente poucos conhecem. When the highest grossing Em If a Tree Falls: A Story of the Earth movie of all time carries in itself Liberation Front, os diretores Sam Cullman elements that justify and praise e Marshall Curry contam a história de como the eco terrorism and environDaniel McGowan, um jovem de classe média mental activism, this movie shows como tantos outros, se juntou à Earth Liberation that the cinema enters firmly in Front (ELF) e cometeu vários atos contra empre- this discussion and the subject sas e corporações que exploravam a natureza. A approaches and touches in some grande questão é se os atos cometidos por ele way the general public. podem ser considerados de ecoterrorismo ou se The movies that will be presented são crimes comuns. Para jogar uma luz sobre at the Ecofalante Environmental isso o filme conta várias ações nas quais Daniel Film Festival are able to raise quesparticipou e entretions and use the vista outros ativistas da When the highest grossing power of documenEarth Liberation Front. movie to reveal movie of all time carries in tary Já em Blood in the what only few people Mobile, incomodado itself elements that justify know. com a descoberta que In the movie If a and praise the eco terror- Tree seu telefone celular Falls On: The pode conter minérios ism and environmental Story of the Earth que financiam e aliFront, the activism, this movie shows Liberation mentam uma sangrenta directors Marshall guerra civil na República that the cinema enters Curry and Sam Democrática do Congo, Cullman tell the firmly in this discussion o documentarista Frank story of how Daniel Piasecki Poulsen resolve and the subject approach- McGowan, a middle class young man like es and touches in some many others, joined way the general public. the Earth Liberation Front (ELF) and made several actions against companies and corporations that exploited nature. The big question is whether the acts committed by him can be considered eco terrorism or are common crimes. In order to shed light on this, the movie tells the various actions that Daniel participated in and interviews other

ativismo activism

13


ir até a sede da empresa para esclarecer isso. Como não consegue respostas, ele decide ir à República Democrática do Congo para conferir se as denúncias sobre o minério são verdadeiras. Richard O’Barry foi o homem responsável pelo treinamento dos golfinhos da série de tevê Flipper (1964). Graças à popularidade da série, golfinhos se tornaram as estrelas de inúmeros shows aquáticos pelo mundo. Mas, quando O’Barry viu um dos golfinhos da série se suicidar na sua frente, ele decidiu lutar pela libertação dos animais no mundo todo. The Cove mostra a ação que ele e a equipe do filme The Warriors of Qiugang realizaram para expôr uma captura em massa de golfinhos que acontece anualmente no Japão. Em The Warriors of Qiugang, acompanha- activists from the Earth Liberation mos os moradores de uma pequena cidade no Front. interior da China que se revoltam contra uma In Blood in the Mobile, bothered indústria química que contamina a água e o ar by the discovery that his mobile da região. Eles se organizam e tentam resol- phone can contain minerals that ver a questão com a indústria, mas diante do feed and finance a bloody civil descaso com que são tratados, eles partem em war in the Democratic Republic of busca de outras soluções. Congo, the documentarist Frank PiPor fim, Biùtiful cauntri apresenta a asecki Poulsen decides to go to the denúncia de um promotor que revela os company headquarters to clarify mecanismos de uma atividade violenta this. Because he could not find que está causando answers, he decides to mais mortes, pouco go to the Democratic The movies that will be Republic a pouco, que qualof Congo to quer outro fenômeno presented at the Ecosee if the allegations criminal. Por trás about the minerals are falante Environmental disso, usando camitrue. nhões e escavadoras Film Festival are able to Richard O’Barry was em vez de pistolas, the man responsible raise questions and use for training the dolestá uma Camorra de colarinho branco, the power of documenphins in the TV series desviando atividades Flipper (1964). Thanks tary movie to reveal what to the popularity of the empresariais e instituições coniventes. only few people know. series, dolphins have become the star of many aquatic shows in the world. But when O’Barry saw one of the dolphins from the series committing suicide in front of him, he decided to fight for the liberation of animals worldwide. The Cove shows the action that he and the

Os filmes que serão apresentados durante a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental possuem essa capacidade de levantar questões e usar o poder do cinema documental para revelar o que somente poucos conhecem. Os documentários selecionados para a temática de ativismo apresentam visões distintas e até contraditórias sobre essa questão. São filmes que trabalham assuntos bastante diversos entre si, mas que são tratados com igual paixão. Pode-se gostar ou não gostar dos personagens e suas atitudes, pode-se também concordar ou discordar do que eles defendem, mas com certeza não se pode ignorar a perícia com que os filmes trabalham os seus assuntos, seja o extermínio de golfinhos no Japão, a exploração da indústria de eletrônicos na África ou as ações de ecoterroristas nos Estados Unidos.

movie team carried out to expose a mass capture of dolphins that is held annually in Japan In The Warriors of Qiugang, we follow the residents of a small town in the interior of China, who rebel against a chemical industry that contaminates water and air in the region. They organize themselves and try to solve the issue with the industry, but as they are neglected and treated with indifference, they go in search of other solutions. Finally, Biùtiful cauntri shows a complaint of a promoter that reveals the mechanisms of a violent activity that is causing more deaths, little by little, than any other criminal action. Behind this phenomenon, using trucks and excavators instead of guns, there is a white collar Camorra, deviating business activities and complicit institutions. The documentaries selected for the theme of activism have different and even contradictory views on this issue. They are movies that work with several subjects that are treated with equal passion. You can like or dislike the characters and their attitudes, you can also agree or disagree with what they stand for, but surely no one can ignore the skill with which the movies works those issues, whether they are the killing of dolphins in Japan, the exploitation of the electronics industry in Africa or the actions of eco-terrorists in the United States.

Claudio Yosida é roteirista e crítico de cinema, Claudio Yosida is a screenwriter and formado em cinema pela ECA-USP.

movie critic graduated in the ECA-USP

ativismo activism

15


Blood in the Mobile Dinamarca / Denmark, 2010, 82’

direção director

Frank Piasecki Poulsen fotografia cinematographer

Adam Wallensten, Lars Skree, Frank Piasecki Poulsen edição editor

Mikael Kloster Ebbesen

Amamos nossos celulares e a possibilidade de escolher diferentes modelos nunca foi tão grande. Mas sua produção tem um lado sombrio e sangrento. Ao comprar os chamados “minerais de sangue” necessários para sua confecção, as fábricas de aparelhos celulares estão indiretamente financiando a guerra civil da República Democrática do Congo – que segundo organizações de direitos humanos tem sido o conflito mais sangrento desde a 2ª Guerra Mundial. A indústria mineradora ilegal é controlada por grupos armados. A guerra continuará enquanto estes grupos conseguirem financiar sua vida militar com a venda destes minerais que acabam em nossos celulares. We love our cell phones and the selection between different models has never been bigger. But the production of phones has a dark, bloody side. By buying so-called conflict minerals the phone companies are financing the civil war in DR Congo that, according to human rights organizations, has been the bloodiest conflict since World War II. The illegal mine industry is controlled by armed groups. The war will continue as long as armed groups can finance their warfare by selling minerals that end up in our phones.

Blood in the Moblie

ativismo activism

17


If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front

Biùtiful Cauntri

EUA, Inglaterra / USA, England, 2011, 85’

Itália / Italy, 2008, 79’

Pastores que veem suas ovelhas morrerem contaminadas com dioxina. Um professor ambientalista que luta contra crimes ambientais. Agricultores que cultivam terras poluídas por depósitos de lixo existentes nas cercanias. Histórias, relatos e testemunhos do massacre de uma terra. Estamos na Itália, na região da Campania, onde existem 1200 depósitos de lixo tóxico não autorizados. Por trás disso, usando caminhões e escavadoras em vez de pistolas, está uma Camorra de colarinho branco, que se desviou para atividades empresariais e cooptou instituições. Denúncia feita por um juiz, que revela os mecanismos de uma atividade violenta que está causando mais mortes, aos poucos, do que qualquer outro fenômeno criminal. Sheep breeders who see their sheep die from dioxin. An environmental teacher who fights against environmental crimes. Farmers who cultivate land polluted by the nearby dumps. Stories, reports and testimony of the massacre of a land. We are in Italy, in the Campania region where there are 1200 unauthorised toxic waste dumps. In the background, the Camorra business that uses lorries and mechanical diggers instead of pistols. A Camorra with white collars, deviated entrepreneurial activity and colluded institutions, told by a judge who reveals the mechanisms of a violent activity that is causing more deaths, slow in time, than any other criminal phenomenon.

Direção Director

Esmeralda Calabria, Andrea D’ambrosio Roteiro Writer

Esmeralda Calabria, Andrea D’ambrosio, Peppe Ruggiero Fotografia Cinematographer

Alessandro Abate Edição Editor

Esmeralda Calabria

Direção Director

Marshall Curry, Sam Cullman Roteiro Writer

Marshall Curry, Matthew Hamachek Fotografia Cinematographer

Sam Cullman Edição Editor

Marshall Curry, Matthew Hamachek

Em dezembro de 2005, Daniel McGowan é preso por agentes federais em uma varredura nacional em busca de ambientalistas radicais envolvidos com o Earth Liberation Front – grupo que o FBI chamou de “ameaça número um de terrorismo doméstico dos EUA”. O filme explora o período tumultuado entre 1995 e 2001, quando ambientalistas estavam em confronto com madeireiras e a palavra “terrorismo” ainda não tinha o peso provocado pelo 11 de setembro. Parte uma fábula de uma nova era, parte um thriller de polícia e ladrão, o filme entrelaça a vida de Daniel em prisão domiciliar, esperando sua pena de prisão perpétua, com uma dramática retrospectiva dos eventos que levaram ao seu envolvimento com o grupo. No decorrer do filme são levantadas sérias questões sobre ambientalismo, ativismo e a maneira pela qual definimos terrorismo. In December 2005, Daniel McGowan was arrested by Federal agents in a nationwide sweep of radical environmentalists involved with the Earth Liberation Front-- a group the FBI has called America’s “number one domestic terrorism threat”. If a Tree Falls explores the tumultuous period from 1995 until early 2001 when environmentalists were clashing with timber companies and the word “terrorism” had not yet been altered by 9/11. Part comingof-age tale, part cops-and-robbers thriller, the film interweaves a vérité chronicle of Daniel on house arrest as he faces life in prison, with a dramatic recounting of the events that led to his involvement with the group. And along the way it asks hard questions about environmentalism, activism, and the way we define terrorism. ativismo activism

19


The Warriors of Qiugang

The Cove EUA / USA, 2009, 92’

EUA / USA, 2010, 39’

Nos anos 60, Richard O’Barry era a autoridade máxima mundial em treinamento de golfinhos, trabalhando no set do popular seriado de televisão Flipper. Dia após dia, O’Barry mantinha os golfinhos trabalhando e a audiência sorrindo. Até que um dia tudo aquilo se tornou uma tragédia. Esta é a incrível história de como o diretor Psihoyos, O’Barry e uma elite de ativistas, cineastas e mergulhadores embarcaram em uma missão secreta para entrar em uma enseada escondida no Japão, trazendo à tona um segredo sombrio e mortal. Os mistérios que eles desvendaram eram somente a ponta do iceberg. In the 1960’s, Richard O’Barry was the world’s leading authority on dolphin training, working on the set of the popular television program Flipper. Day in and day out, O’Barry kept the dolphins working and television audiences smiling. But one day, that all came to a tragic end. The film ells the amazing true story of how the film director Psihoyos, O’Barry and an elite team of activists, filmmakers and freedivers embarked on a covert mission to penetrate a hidden cove in Japan, shining light on a dark and deadly secret. The mysteries they uncovered were only the tip of the iceberg.

Direção Director

Louie Psihoyos Roteiro Writer

Mark Monroe Fotografia Cinematographer

Brooke Aitken Edição Editor

Geoffrey Richman

Direção Director

Ruby Yang Roteiro Writer

Thomas Lennon Fotografia Cinematographer

Guan Xin Edição Editor

Ruby Yang

Em 2004, uma antiga fábrica de pesticidas e corantes próxima à vila de Qiugang, na China central, foi privatizada. Ao reiniciar sua produção, uma água negra escorreu das plantas e inundou os campos da pequena vila: peixes e plantações morreram, e os moradores ficaram alarmados pelo grande número de pessoas atingidas pelo câncer entre eles. Por cinco anos essa população lutou para transformar seu meio ambiente e, ao fazê-lo, percebeu que também estava se transformando. In 2004, private chemical companies took over an old state-owned enterprise that had long produced pesticides and dyes in the village of Qiugang, in central China. As production ramped up, black waters disgorged from the plants and flooded the fields of Qiugang. Fish died, crops failed, and villagers grew alarmed by the large numbers of their own succumbing to cancer. For five years the villagers fight to transform their environment and as they do, they find themselves transformed as well.

ativismo activism

21


Globalização para quem? Ladislau Dowbor

povos e lugares people and places

Corumbiara

Quando meu pai nasceu, em 1900, éramos 1,5 bilhão de pessoas no planeta. Não faz tanto tempo assim. Hoje somos 7 bilhões, e a cada ano que passa mais 80 milhões, todos querendo consumir o máximo possível. Venderam-nos até a ideia de que consumir o máximo possível é bom para nós, e bom para a economia em geral. O simpático comentário, de pensar que podemos aumentar o consumo sem limites neste planeta de dimensões bem limitadas, só pode ter sido pensado por um idiota, ou por um economista. O bom-senso está chegando.

Somos uma espécie vitoriosa. Conseguimos colocar todas as espécies a nosso serviço. As tecnologias nos permitem extrair e transformar o petróleo, o ferro, o carvão, os recursos florestais. Nenhum peixe nos oceanos nos escapa. Nem as águas profundas nos lençóis freáticos nos escapam. Estamos conseguindo extrair tudo com grande rapidez e em volumes estonteantes. Como nós, espécie humana, estamos conseGlobalization for whom? guindo transtornar a vida do planeta, o clima, a própria geologia, a nossa era moderna – basiLadislau Dowbor camente nos últimos 250 anos – já é chamada de antropoceno, a era do domínio do antropos, homo sapiens, cuja sobrevivência hoje depende When my father was born in de sua capacidade de se tornar homo consciens. 1900 we were 1.5 billion people O bom-senso chegou quando começamos a on the planet. Not so long ago. fazer as contas. Alertas do Clube de Roma, tão Today we are 7 billion and every refutadas e no entanto tão presentes; o balanço year 80 million more, all wanting to consume as much as possible. da Agenda 21 em 1992; o balanço demográfico no Cairo em 1994; o balanço social mundial em There was an idea sold to us that Copenhague em 1996 e as Metas do Milênio consuming as much as possible

povos e lugares people and places

23


em 2001. A fronteira estatística se fechou, hoje is good for us and good for the sabemos o que se passa no planeta. Os Estados economy in general. The nice Unidos, por exemplo, têm um sistema com- comment of thinking that we can plexo de acompanhamento do esgotamento increase consumption without de matérias-primas, que permite ver quantas limits on this planet of very reservas existem no país e em que ano cada limited dimensions can only have recurso estará esgotado, assim como a quanti- been created by an idiot, or an ficação de reservas em outros países para saber economist. Common sense is onde precisarão buscar. Outros países segu- coming. ramente estão fazendo cálculos semelhantes. We are a successful species. We Poucos estão pensando o óbvio: os recursos são put all the species on our service. finitos e a humanidade precisa sobreviver milê- Technology allow us to extract and nios para o futuro – retardar a sustentabilidade transform oil, iron, coal, forest não é apenas absurdo, é criminoso. resources. No fish in the oceans A destruição do planeta está ocorrendo para escapes us. Neither the deepest satisfazer o consumo de minorias. Segundo groundwater escapes. We are able o relatório de 2005 das Nações Unidas, “os to extract everything with great 20% mais ricos se apropriam de três quar- speed and dazzling volumes. The tos da renda do mundo”. O resultado prático, way we, human specimen, are na expressão elegante do Banco Mundial, é able to disrupt life on the planet, que quatro bilhões de pessoas “não têm acesso climate, geology itself, our modern aos benefícios da globalização”. Pela ótica da era - roughly the last 250 years - is FAO, temos um bilhão de pessoas que passam already called the Anthropocene, fome. Destas, segundo a Unicef, 180 milhões the era of the anthropos, homo são crianças desnutridas, das quais entre 10 e sapiens, domination, whose survival 11 milhões morrem anualmente por não terem today depends on its ability to acesso a um copo de leite, a um pouco de água become homo consciens. limpa. A realidade é que geramos no planeta Common sense has come when uma situação trágica e explosiva. Não são ape- we started doing the math. Alerts nas os árabes que querem uma primavera. from the Club of Rome, so refuted Os dois icebergs na rota do nosso Titanic pla- and yet so present; the balance of netário são, portanto, Agenda 21 in 1992; a destruição ambiendemographic A destruição do planeta the tal e a desigualdade. E balance in Cairo a humanidade, como está ocorrendo para in 1994; the Social o Titanic, tem um proBalance in satisfazer o consumo de World blema grande, que é Copenhagen in 1996; a inércia: em 1859 foi minorias. and the Millennium Development Goals in 2001. The statistical frontier is closed, we now know what is happening on the planet. The United States, for example, have a complex system of monitoring the depletion of raw materials, which allows one to view how many reservations are in the country

and what year each resource will be exhausted, as well as the quantification of reserves in other countries so that the know where they as supposed to look for it. Other countries certainly are making similar calculations. Few people are thinking the obvious: resources are finite and humanity has to survive millennia into the future - slow sustainability is not only absurd, it is criminal. The destruction of the planet is going to satisfy the consumption of minorities. According to the 2005 report of the United Nations, “the richest 20% get hold of three-quarters of world income.” The practical result, in the elegant descoberto e comproexpression of the The destruction of the vado cientificamente, World Bank, is that na Inglaterra, o efeito planet is going to satisfy four billion people estufa gerado pela con“do not have access the consumption of centração de dióxido de to the benefits of carbono na atmosfera. minorities. globalization.” From Foi preciso esperar até the perspective of 1972, em Estocolmo, para convencer o mundo FAO, we have a billion hungry científico; até 1992, no Rio, para elaborar uma people. Of these, according agenda do clima; e agora esperamos que em to UNICEF, 180 million are 2015 se decidam medidas a serem aplicadas a malnourished children, of whom partir de 2020. Extrair petróleo e vender auto- between 10 and 11 million die each móveis é rentável em curto prazo, e os agentes year because they lack access to a econômicos se organizam e se multiplicam glass of milk, a little clean water. rapidamente. Adotar medidas óbvias que nos The reality is that we generate on protejam exige muito mais capacidade de the planet a tragic and explosive organização e, sobretudo, um poder capaz de situation. Not only are the Arabians influenciar os agentes econômicos. A gover- who want a spring. nança, o processo decisório concreto sobre o The two icebergs on the route of uso dos nossos recursos, está no centro dos our planetary Titanic are, therefore, desafios. inequality and environmental O poder planetário se deslocou claramente, destruction. And humanity, like nas últimas décadas, das mãos dos gover- the Titanic, has a big problem, nos para as grandes corporações. Um balanço which is inertia: in 1859 it was recente do prestigiado ETH de Zurich concluiu discovered and scientifically proven que 80% do controle do mundo corporativo in Englandthe greenhouse effect planetário está nas mãos de 737 corporações, generated by the concentration of

povos e lugares people and places

25


e que neste grupo retrito 147 corporações densamente estruturadas (tightly-knit) controlam 40% do total. Destas, três quartos são grupos de intermediação financeira. Não é preciso recorrer a nenhuma teoria conspiratória para entender as raízes da crise financeira mundial, a facilidade com que foi sendo desmontado o marco jurídico que assegurava a estabilidade, a generalização das reduções de impostos sobre as grandes fortunas, e, em particular sobre o sistema financeiro, a fragilidade dos financiamentos efetivamente úteis. Se juntarmos o fato de que estamos destruindo o planeta, de que o fazemos para manter privilégios de minorias, e de que os nossos recursos financeiros, em vez de servirem para enfrentar os desafios sociais e ambientais, são apropriados por especuladores, temos a dimensão da mudança de rumos que se impõe. Alternativas? São claras e amplamente conhecidas e divulgadas, por exemplo no Plano B 4.0 de Lester Brown, em manifestos políticos como de Stéphane Hessel, em inúmeros relatórios científicos. Temos os recursos, temos os conhecimentos, temos as tecnologias, sabemos organizar políticas sociais e ambientais, temos inclusive uma rede mundial de organizações da sociedade civil que já mostraram como as

O poder planetário se deslocou claramente, nas últimas décadas, das mãos dos governos para as grandes corporações.

carbon dioxide in the atmosphere. It took until 1972, in Stockholm, to convince the scientific world; until 1992, in Rio, to prepare an agenda of climate; and now, in 2015, we expect to decide measures to be implemented from 2020. Extracting oil and selling cars is profitable in the short term, and economic agents organize themselves and multiply rapidly. Adopting measures to protect us obvious requires far more capacity of organization and, above all, a power capable of influencing economic agents. Governance, the concrete process of decision making on the use of our resources is at the heart of the challenges. The planetary power clearly shifted in recent decades, from the hands of governments to large corporations. A recent assessment of the prestigious ETH Zurich found that 80% of global corporate world are in the hands of 737 corporations, and that a restrict group of 147 heavily structured corporations (tightlyknit) control 40% of the total. Of these, three quarters are groups of financial intermediation. No need to use any conspiracy theory to understand the roots of the global financial crisis, the ease with which it was dismantled the legal framework that ensured stability, the generalization of reductions in taxes on large fortunes, and in particular about the financial system, the fragility of funding actually useful. If we add the fact that we are destroying the planet, that we do that in order to maintain the privileges of minorities, and that our financial resources, rather

The planetary power clearly shifted in recent decades, from the hands of governments to large corporations. políticas inovadoras podem ser aplicadas. Um número crescente de empresas está ultrapassando o greenwashing e começando a mudar o comportamento. Inúmeras cidades neste mundo cada vez mais urbano estão aplicando políticas inovadoras, tanto em termos ambientais como sociais, criando bancos de desenvolvimento comunitário para escapar das corporações financeiras, sem esperar que os governos centrais renovem as suas políticas. O que está surgindo, na realidade, é um conjunto de novas formas de governança – política, urbana, empresarial, territorial – que apresenta um denominador comum: a reorientação das nossas capacidades humanas para criar um mundo decente. Ou como dizia Paulo Freire, “uma sociedade menos malvada”.

Ladislau Dowbor é professor de economia e administração na pós-graduação da PUC-SP. Para uma visão ampliada do tema aqui tratado, ver “Crises e Oportunidades em Tempos de Mudança”, http:// dowbor.org/09fsmt7portuguespositionpaperldfinal(2). doc - site http://dowbor.org

than serving to address the social and environmental challenges, are being appropriated by speculators, we can have the dimension of the change of direction that is needed. Alternatives? They are clear and widely known and disclosed, for example, in Plan B 4.0, by Lester Brown, in political manifestos as Stéphane Hessel’s one, in numerous scientific reports. We have the resources, we have the knowledge, we have the technology, we know how to organize social and environmental policies, and we have even a worldwide network of civil society organizations that have already shown how innovative policies can be applied. A growing number of companies are bypassing the greenwashing and starting to change behavior. Many cities in the world are increasingly urban and are applying innovative policies, both environmentally and socially, creating community development banks to escape financial corporations, without waiting for central governments to renew their policies. What is emerging, is actually a set of new forms of governance – political, urban, business, territorial – that presents a common denominator: the reorientation of our human capacity to create a decent world. Or as Paulo Freire said, “a less evil society”. Ladislaus Dowbor is economics and business administration professor for graduate school at PUC-SP. For an enlarged view of the subject treated here, see “Crises and Opportunities in Times of Change”, http://dowbor.org/09fsmt7por tuguespositionpaperldfinal (2). Doc - site http://dowbor.org

povos e lugares people and places

27


All for the Good of the World and Nosovice

Corumbiara Brasil / Brazil, 2009, 117’

Direção Director

Vincent Carelli Direção Director

República Tcheca / Czech Republic, 2010, 82’ Vít Klusák Roteiro Writer

Retrato de uma vila tcheca onde, segundo os Vít Klusák próprios moradores, um OVNI em forma de uma quilométrica fábrica brilhante pousou: a Jakub Halousek coreana Hyundai. A vila, que era famosa por Edição Editor Janka Vlcková seu chucrute e sua cerveja Radegast, de repente se transforma em uma zona industrial: o maior investimento em terras verdes da história tcheca. Os cineastas retornam dois anos após a dramática compra de terras, quando a fábrica havia iniciado a produção de carros populares. Divertido e assustador, este filme, absurdo e politicamente engajado, é sobre um campo que produz carros.

Fotografia Cinematographer

Roteiro Writer

Vincent Carelli Fotografia Cinematographer

Vincent Carelli Edição Editor

Mari Corrêa

Em 1985, o indigenista Marcelo Santos denuncia um massacre de índios na Gleba Corumbiara (RO), e Vincent Carelli filma o que resta das evidências. Bárbaro demais, o caso passa por fantasia, e cai no esquecimento. Marcelo e sua equipe levam anos para encontrar os sobreviventes. Duas décadas depois, o filme revela o resultado dessa busca e a versão dos índios... In 1985, a daring worker of the Bureau of Indian Affairs in Brazil denounced a massacre in the lawless region of Corumbiara. The investigations turned to a series of Indian genocides in the area. Spanning 20 years, the film shows the search for proof and the version of the survivors, when they were finally found, hiding in the forest, terrified of white men...

The film is a portrayal of a Czech village where – as the locals put it – an UFO has landed in the form of a kilometer-long shiny factory: a Korean Hyundai automobile plant. The village famous mostly for its sauerkraut and the Radegast beer, was thus turned into an industrial zone – the largest greenfield investment project in Czech history. The filmmakers return to Nosovice two years after the dramatic property buyouts, at the time when the factory has started churning out cheap cars. Both playful and chilling, this is a politically engaged absurd flick about a field that yields cars.

povos e lugares people and places

29


Tamboro

Tchernobyl: une histoire naturelle?

Brasil / Brazil, 2009, 90’

França / France, 2010, 90’

Direção Director

Em 26 de abril de 1986 o reator nº 4 na Luc Riolon usina Lenin, em Chernobyl, saiu de controle, Roteiro Writer causando o que todos nós sabemos: uma Antoine Bamas, contaminação radioativa, criando uma zona Luc Riolon de exclusão de 30 km de raio em torno da estação de energia. Nesta zona proibida, a fauna e flora foram deixadas à própria sorte. O que aconteceu com essa vida selvagem livre da pressão humana, mas imersa no “inferno” radioativo de Chernobyl? Para os cientistas, a zona proibida de Chernobyl tornou-se um laboratório ao ar livre tragicamente imprevisível, mas um grande laboratório. É uma estranha terra sem humanos, onde geoquímicos, zoólogos e radioecologistas estão fazendo descobertas desconcertantes. On April 26th 1986, reactor # 4 at the Lenin power station in Chernobyl went out of control, leading to the consequences we all know: radioactive fallouts contaminating huge pieces of land, the creation of a 30-km-radius exclusion zone around the power station. In this now forbidden zone, the wild fauna and flora were left to their fate. What happened to this wildlife, freed from human pressure but immersed in the Chernobyl radioactive “hell”? For scientists, the Chernobyl forbidden zone has become an open air laboratory, a tragically unforeseen but huge laboratory. This is a strange no man’s land where geochemists, zoologists and radioecologists are making disconcerting discoveries.

Documentário que aborda as principais questões sociais e ambientais do Brasil. O desmatamento da Floresta Amazônica, a luta pelas terras no campo, a favelização e a Direção Director criminalidade nos grandes centros urbanos Sergio Bernardes são projetadas, formando um Roteiro Writer panorama quase muralista de nossa civiSergio Bernardes lização. Do Monte Roraima aos Aparados Fotografia Cinematographer da Serra, o filme percorre todo o Brasil nos Lula Araújo revelando imagens surpreendentes Edição Editor de nosso país. Sergio Bernardes, Joaquim Castro, Ana Costa, Renato Martins, Documentary that covers the major social and Alexandre Gwaz environmental issues of Brazil. Deforestation

of the Amazon rainforest, the struggle for land in the countryside, the transformation into shantytowns and the criminalizing in major urban centers are projected, forming a panorama almost muralist of our civilization. From Mount Roraima to Aparados da Serra, the film travels throughout Brazil revealing amazing images of our country.

povos e lugares people and places

31


Overdrive: Istanbul in the New Millennium Direção Director

EUA / USA, 2011, 64’

Aslihan Unaldi Roteiro Writer

A história da luta de Istambul para lidar com

Aslihan Unaldi o crescimento populacional acelerado e de Fotografia Cinematographer

sua política centrada em carros, que tem do-

Daniel Vecchione, minado o seu desenvolvimento nas últimas Kathryn Westergaard

cinco décadas – questões que desafiam as megacidades em todo o mundo. Um poema Etienne Kallos, Lesya Kalynska, Nicolas Martin de amor e uma investigação crítica, o filme explora o impacto das tendências globais em uma cidade com uma história única e complexa. Uma vez capital de um antigo império, agora uma movimentada megalópole moderna, irá Istambul renovar-se mais uma vez ou irá sucumbir a motorização descontrolada e ao crescimento urbano? Edição Editor

The story of Istanbul’s struggle to come to terms with accelerated population growth and car-centric policies that have dominated its development in the last five decades – issues that are challenging megacities around the world. Both a love poem and a critical investigation, the film explores the impact of global trends on a city with a unique and complex history. Once an ancient imperial capital, now a bustling modern megalopolis, will Istanbul renew itself once again, or succumb to uncontrolled motorization and urban growth?

Overdrive: Istanbul in the New Millennium

povos e lugares people and places

33


Cinema e sustentabilidade: provocações para o consumidor consciente Helio Mattar

consumo consumption

Bag It!

Segundo o relatório “Estado do Mundo2010”, do Worldwatch Institute, publicado em português pelo Instituto Akatu, apenas uma pequena minoria de 16% da humanidade é responsável por 78% do total do consumo no mundo. Isso significa que pouco mais de um bilhão dos sete bilhões de habitantes do planeta se apropriam de quase quatro quintos do total do consumo, enquanto que os restantes seis bilhões de pessoas se apropriam de apenas um quinto deste total.

Além de social e economicamente injusto, esse quadro aponta que, se toda a população do planeta adotasse o padrão de produção e consumo daquela minoria de 16% da humanidade, precisaríamos de cerca de cinco planetas para Cinema and Sustainability: provocations for the conscious suprir essa demanda. Não é preciso dizer que isso é uma impossibilidade prática, pois só consumer temos um planeta!!! Para que uma mudança significativa no padrão de consumo seja posHelio Mattar sível, é preciso que as pessoas tenham maior consciência sobre os impactos de seu consumo individual e coletivamente. According to the report “State Quatro filmes da Mostra Ecofalante de of the World - 2010,” from the Cinema Ambiental contribuem para a ampliaWorldwatch Institute, published ção de consciência das pessoas sobre os in Portuguese by the Akatu impactos de seu consumo. Institute, only a small minority of O filme The Light Bulb Conspiracy (2009), 16% of humanity is responsible de Cosima Dannoritzer, aborda a questão da for 78% of total consumption in obsolescência programada, ou seja, de como os the world. That means little more produtos muitas vezes são feitos para durarem than a billion of the seven billion pouco ou para rapidamente serem substituídos inhabitants of planet appropriate por um novo com uma pequena inovação. Trata nearly four fifths of the total de uma reflexão sobre as práticas empresariais consumption, while the other six

consumo consumption

35


na sociedade capitalista contemporânea. Mas, mais importante que isso, traz uma discussão extremamente relevante sobre as práticas cotidianas de consumo, apontando a necessidade de uma mudança no modelo de consumo, buscando substituir produtos de obsolescência rápida por produtos duráveis. Itens duráveis são utilizados muitas vezes e, ao longo da sua vida útil, são consertados, reformados, recebem upgrades tecnológicos, sempre buscando preservar uma boa parte do produto para uso pelo maior período de tempo possível. Com isso, diluem-se, ao longo do tempo, os impactos causados em seu processo de produção e distribuição. E, naturalmente, reduzem a necessidade de extração de recursos naturais e uso de energia e de água para atender à mesma necessidade ou função. Nesse processo de aumento da durabilidade, é possível modernizar o produto de forma a suprir a sua função da maneira mais eficiente possível, seja do ponto de vista do bem-estar do consumidor, seja do ponto de vista do uso de recursos naturais.

billion people appropriate only a fifth of this total. Besides being socially and economically unfair, this picture shows that, if the entire population of the planet adopts the pattern of production and consumption of that minority of 16% of humanity, we would need about five planets to supply that demand. It is not necessary to say that this is impossible to put into practice, because we only have one planet! For being possible a relevant change in the consumption standard, it is necessary that people have greater awareness of the impacts of their consumption individually and collectively. Four movies from the Ecofalante Environmental Film Festival contribute to the expansion of people’s consciousness about the impacts of their consumption. The movie The Os produtos muitas Light Bulb Conspiracy vezes são feitos para (2009), from Cosima Dannoritzer, addresses durarem pouco ou the programmed para rapidamente obsolescence, ie the products are often made serem substituídos por to last a little bit and to replaced by a new one um novo com uma be with a small innovation. pequena inovação. It is a reflection on the business practices in contemporary capitalist society. But more importantly, it brings a highly relevant discussion on the daily consumption practices, indicating it is necessary a change in consumption standard, trying to replace products of rapid obsolescence with durable goods. Durable items are used often and throughout their life; they are repaired, refurbished, receive

technological upgrades, always seeking to preserve a good part of the product to use for the longest period of time. Thus, it dilutes over the time the impact caused in its process of production and distribution. And, of course, it reduces the need for natural resource extraction and use of energy and water to meet the same need or function. In the process of increasing the The Light Bulb Conspiracy durability, it is possible to upgrade the product so as to Products are often made fulfill its function as to last a little bit and to efficiently as possible, whether under point be replaced by a new one of view of consumer with a small innovation. well-being or under the point of view of the É essencial neste processo o foco no bem- natural resources usage. -estar obtido pelo desempenho do produto, It is essential in this process the gerando uma maior satisfação do consumidor focus on the welfare obtained by com aquilo que já tem e reduzindo a ansiedade the performance of the product, em comprar um produto novo. Desta forma, generating greater consumer dá-se ao produto o status de instrumento de satisfaction with what we already bem-estar e evita-se que o consumo se torne have and reducing anxiety in um fim em si mesmo. Como benefício adicio- buying a new product. Thus, it nal, evita-se o descarte excessivo de lixo, que é gives the product the status of an especialmente importante, dada a dificuldade instrument of welfare, and avoids de acomodar um volume de resíduos que não the consumption becomes an para de crescer. end in itself. As an added benefit, Os problemas ligados à cultura do descartá- it avoids the excessive disposal vel também aparecem no filme Bag It! (2009), of garbage, which is especially de Suzan Beraza, que traz à tona a discussão important given the difficulty of sobre as sacolas plásticas e a dificuldade em accommodating a volume of waste aboli-las de nossas vidas. Mais do que apenas that does not stop growing. discutir alternativas às sacolinhas, tão debatidas The problems connected with ultimamente, o filme vai atrás da sua história – the culture of disposable material como são produzidas, utilizadas e descartadas also appear in the movie Bag –, mostrando o que de fato pode auxiliar uma It! (2009), from Suzan Beraza, escolha mais consciente: conhecer, nos produ- which brings up the discussion tos que consumimos, os impactos causados ao about the plastic bags and the indivíduo, à sociedade, à economia e ao meio difficulties in abolishing them from ambiente ao longo de suas histórias. Ao conhe- our lives. More than just discuss cer tais impactos, criam-se melhores condições alternatives to the little plastic para escolhas mais informadas na compra, no bags, so frequently discussed

consumo consumption

37


uso e no descarte dos produtos, levando a esco- nowadays, the movie goes behind lhas com base na diminuição dos impactos its story - how they are produced, negativos e aumento dos impactos positivos. used and discarded - showing O filme Food, Inc. (2008), de Robert Kenner, what can actually help to get a vai atrás justamente da história dos alimentos more conscious choice: to know, industrializados consumidos pelos norte-ame- in the products we consume, the ricanos, buscando relacioná-la a alguns dos impacts caused to the individual, principais problemas de saúde pública vivi- society, economy and environment dos pelos Estados Unidos atualmente. O filme throughout their history. By denuncia os impactos negativos dos processos understanding these impacts, it produtivos e a omissão das agências regulado- creates better conditions for more ras em relação a alguns desses impactos. informed choices in the purchase, Aponta também para outra discussão: como use and disposal of products, o consumidor se relaciona com a sua comida? leading to choices based on the Ele conhece a origem dos alimentos? Leva reduction of negative impacts and este atributo em consideração nas suas esco- increasing positive impacts. lhas cotidianas? A sociedade certamente seria The movie Food, Inc. (2008), mais sustentável se os from Robert Kenner, consumidores conhe- Como o consumidor just look for the story cessem a origem dos se relaciona com a sua of foods consumed by alimentos, seus proAmericans, trying to cessos produtivos, os comida? Ele conhece a relate it to some of the impactos destes proorigem dos alimentos? major public health cessos e fizessem suas problems experienced by escolhas com base nes- Leva este atributo em the United States today. tes impactos. consideração nas suas The movie exposes the O filme identifica negative impacts of alguns dos impactos escolhas cotidianas? production processes mais graves, inclusive sobre a saúde do consumidor. Faz pensar se aqueles que têm conhecimento de tais impactos – como é o caso dos executivos e funcionários das empresas produtoras – consomem os próprios produtos e os oferecem a seus filhos e netos... Já o filme O Veneno Está na Mesa (2011), de Silvio Tendler, que também discute a produção de alimentos, concentra-se no caso brasileiro. Aborda a questão dos agrotóxicos e, com ela, traz a complexidade da escolha que um consumidor mais consciente tem que fazer nos dias atuais. Certamente um modelo de consumo mais sustentável é um modelo de consumo baseado na utilização de matérias-primas e insumos não tóxicos ao invés de matérias-primas e insumos tóxicos. Mas, no caso dos agrotóxicos, quem julga a toxicidade e como garantir que este julgamento seja isento? E como garantir

a produção e distribuição de alimentos na escala necessária para toda a população do mundo, hoje em sete bilhões, sem o uso de defensivos agrícolas? Não se pode esquecer que mesmo os produtos orgânicos, se tiverem uma produção mal manejada, poderão causar problemas sérios à saúde do consumidor, como ocorreu recentemente na Europa. Além disso, existem dúvidas se existe a possibilidade de produção orgânica em escala suficiente para alimentar toda a humanidade, embora já existam algumas indicações de que isso é possível. De outro lado, as empresas de produtos químicos vêm também fazendo esforços para reduzir o impacto tóxico de seus artigos, além de preocuparem-se em garantir um manejo correto dos mesmos, de modo a não causarem um excesso de impactos negativos à saúde do consumidor e do trabalhador no campo. A provocação colocada pelos quatro filmes é quanto ao papel das pessoas comuns, consumidoras, na transformação destas realidades. O consumidor consciente pode How is the relation of mais reavaliar seus hábiconsumers with their tos cotidianos e suas de confood? Does he know the necessidades sumo alterando a origins of the food? compra, o uso e o descarte dos produtos

and the failure of regulators toward some of these impacts. It also points to another discussion: how is the relation of consumers with their food? Does he know the origins of the food? Do they take into account their attributes in their daily choices? Society would certainly be more sustainable if consumers knew the origin of food, its production processes, the impacts of these processes and make their choices based on these impacts. The movie identifies some of the most serious impacts, including on consumer health. It makes you wonder if those who have knowledge of such impacts – as it is the case of officers and employees of manufacturing companies - consume their own products and offer them to their children and grandchildren. The movie O Veneno Está na Mesa (2011), from Silvio Tendler, also discusses food production, focused on the Brazilian case. It addresses the issue of pesticides and raises the complexity of the choice that a consumer has to make more conscious these days. Certainly a more sustainable standard of consumption is a consumer model based on the use of non-toxic raw materials rather than toxic ones. But in the case of pesticides, who is supposed to judge the toxicity and how to ensure that this judgment is really exempt? And how to ensure the production and distribution of food on the scale needed for the entire world’s population, currently at seven billion, without the use of pesticides?

Food, Inc.

consumo consumption

39


O consumidor mais consciente pode reavaliar seus hábitos cotidianos e suas necessidades de consumo alterando a compra, o uso e o descarte dos produtos adquiridos. adquiridos. Os quatro filmes aqui mencionados têm um papel da maior importância ao denunciar problemas, alguns deles da maior gravidade, em relação aos alimentos e embalagens. Que sirvam de mobilização para que as empresas mudem as suas práticas; para que os governos atuem mais fortemente na regulamentação e fiscalização, no desenvolvimento de políticas públicas e aprimoramento da legislação; para que as organizações sociais pressionem os governos nessa direção e, ao mesmo tempo, colaborem na conscientização do consumidor e na transparência das informações disponíveis para que as escolhas de consumo possam ser as melhores possíveis; e para que o consumidor tome consciência da complexa realidade e se envolva, diretamente, para pressionar empresas e governos a trabalhar com as organizações da sociedade civil na direção de uma transparência crescente quanto aos impactos individuais, sociais e ambientais dos produtos disponibilizados no mercado. Finalmente, mas não menos importante, que as escolas utilizem esses filmes para provocar o debate dos temas neles contidos, incorporando

We cannot forget that even organic products, if they have a badly managed production, can cause serious problems for the consumer health, as occurred recently in Europe. In addition, there are doubts whether there is the possibility of organic production on a scale sufficient to feed all of humanity, though there are some indications that this is possible. On the other hand, the chemical companies are also making efforts to reduce the toxic impact of their products, and are concerned to ensure a proper handling of them, in order not to cause excessive negative impacts on consumer’s health and workers in the field. The provocation raised by these four films is about the role of ordinary people, consumers, with regard to the changes of these realities. The more conscious consumers may reevaluate their daily habits and needs of consumption changing the purchase, use and disposal of products. The four movies mentioned here have a major role in denouncing problems, some of them of greatest severity, in relation to food and packing. It should serve for companies mobilization to change their practices; to governments to act more strongly in the regulations and inspection as well as in public policy development and improvement of legislation; to social organizations to press the governments in this direction and at the same time collaborate on consumer awareness and transparency of available information in order

O Veneno Está na Mesa

The more conscious consumers may reevaluate their daily habits and needs of consumption changing the purchase, use and disposal of products. nas diversas matérias do currículo escolar, especialmente no ensino fundamental II e no ensino médio, os elementos de consumo consciente e de sustentabilidade que transformem o estudante de hoje no consumidor consciente do futuro.

Helio Mattar é doutor em Engenharia Industrial pela Universidade de Stanford (EUA), idealizador, cofundador e diretor-presidente do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente. Foi cofundador do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, e atualmente é membro do conselho da organização.

that the consumer choices may be the best possible and the consumer can be aware of the complex reality and engage directly to pressure companies and governments working with civil society organizations towards increased transparency with regard to individual, social and environmental impact of the products available on the market. Last but not least it is important to assure that schools use these movies to feed discussion of the issues contained therein, incorporating in the various areas of the curriculum, especially in elementary school and high school, the elements of conscious consumption and sustainability to transform today´s student in the conscious consumer of the future. Helio Mattar holds a PhD in Industrial Engineering from Stanford University (USA), creator, founder and CEO of the Akatu Institute for Conscious Consumption. He was co-founder of the Ethos Institute for Business and Social Responsibility, and is currently a board member of this organization.

consumo consumption

41


Bag It!

Food, Inc.

EUA / USA, 2010, 74’

EUA / USA, 2008, 94’

O quanto nós realmente sabemos sobre a comida que compramos nos supermercados e servimos para nossas famílias? Robert Kenner nos leva em uma visita pelo interior da indústria alimentícia dos Estados Unidos, expondo todos os arriscados processos industriais que são escondidos do consumidor norte-americano com o consentimento do governo. O documentário revela verdades chocantes sobre a comida norte-americana e como ela é processada, os custos à saúde e como esta onda de mudanças está se espalhando pela indústria alimentícia global. How much do we really know about the food we buy at our local supermarkets and serve to our families? Robert Kenner lifts the veil on the food industry, exposing the highly mechanized underbelly that’s been hidden from the consumer with the consent of the government. The documentary reveals surprising – and often shocking truths – about what we eat and how it’s produced, what the cost to our health is, and how this wave of change is sweeping across the global food industry.

Direção Director

Direção Director

Robert Kenner

Suzan Beraza

Roteiro Writer

Robert Kenner, Elise Pearlstein, Kim Roberts Fotografia Cinematographer

Richard Pearce Edição Editor

Kim Roberts

Roteiro Writer

Michelle Curry Wright Fotografia Cinematographer

Leigh Reagan Edição Editor

Casey Nay, Suzan Beraza

Tente viver um dia sem plástico. O plástico está em todos os lugares e invade nossas vidas de maneiras inimagináveis e assustadoras. Neste descontraído e ao mesmo tempo tocante documentário, seguimos um homem comum, Jeb Berrier, embarcando em uma turnê global para desmascarar as complexidades do nosso mundo plastificado. O que começa como um filme sobre sacolas plásticas se torna uma investigação sobre os efeitos do plástico em nossos rios, oceanos e até em nossos corpos. Vemos como nosso mundo “louco por plástico” nos capturou, e o que podemos fazer em relação a isso. Hoje. Agora. Try going a day without plastic. Plastic is everywhere and infiltrates our lives in unimaginable and frightening ways. In this touching and often flat-out-funny film, we follow “everyman” Jeb Berrier, who is admittedly not a tree hugger, as he embarks on a global tour to unravel the complexities of our plastic world. What starts as a film about plastic bags evolves into a wholesale investigation into plastic and its effect on our waterways, oceans, and even our own bodies. We see how our crazyfor-plastic world has finally caught up to us and what we can do about it. Today. Right now.

consumo consumption

43


The Light Bulb Conspiracy

O Veneno Está na Mesa

Uma lâmpada que dura para sempre realmente existe? Como um chip pode “matar” um produto? Por que milhões de computadores são enviados pelo mundo para depois acabarem sendo jogados no lixo em vez de consertados? A obsolescência programada é um mecanismo que provoca o encurtamento da vida de um produto para garantir uma demanda contínua, está no âmago da sociedade de consumo e ameaça inundar o planeta com uma crescente onda de desperdício. O filme investiga se a economia moderna conseguiria se sustentar sem a obsolescência programada e como uma nova geração de empresários está tentando fazer a própria obsolescência ser obsoleta, para salvar a economia – e o planeta.

O Brasil é, desde 2008, o país que mais consome agrotóxicos no planeta! Muitos desses herbicidas, fungicidas e pesticidas que utilizamos estão proibidos em quase todo o mundo pelo risco que representam à saúde humana e ambiental. O perigo é tanto para os trabalhadores que manipulam os venenos quanto para a população do campo e das cidades que consomem os produtos agrícolas com agrotóxicos. Só quem lucra com isso são as transnacionais fabricantes dos venenos. A ideia do filme é mostrar como estamos nos alimentando mal por conta de um modelo agrário perverso, baseado no agronegócio. É tempo de mudar!

Brasil / Brazil, 2011, 49’

Espanha, França / Spain, France, 2009, 75’

Does the ever-lasting light bulb really exist? How can a computer chip ‘kill’ a product? Why are millions of computers being shipped round the world to be dumped rather than repaired? Planned Obsolescence is a mechanism that deliberates the shortening of product life to guarantee consumer demand, it is at the heart of the modern consumer society and threatening to drown the planet in an everincreasing flood of waste. The film investigates if the modern economy can sustain itself without Planned Obsolescence and how a new generation of businessmen is trying to make Planned Obsolescence itself obsolete, to save the economy – and the planet.

Direção Director

Cosima Dannoritzer Roteiro Writer

Cosima Dannoritzer Fotografia Cinematographer

Marc Martínez Sarrado Edição Editor

Georgia Wyss

Direção Director

Silvio Tendler Roteiro Writer

Silvio Tendler Fotografia Cinematographer

Aline Sasahara Edição Editor

Paulo Sacramento e Kaio Almeida

Brazil is, since 2008, the biggest pesticide consumer country on the planet! Many of these herbicides, fungicides and pesticides we consume are prohibited almost everywhere in the world for the risk they poison human health and the environment. The danger is for the workers, who handle the poisons, and for the entire population of the countryside and cities, which consume agricultural products with pesticides. Only those who profit from this are the transnational manufacturers of poisons. The idea of the film is to show how we are eating poorly due to a perverse agricultural model, based on agribusiness. It is time for change!

consumo consumption

45


Energia, Sustentabilidade e Democracia Oswaldo Lucon

energia energy Energy, Sustainability and Democracy Oswaldo Lucon

Crude

Getting power with quality and reliability is one of the major challenges that humanity has always faced historically. We need energy to have food, to move ourselves, to communicate to each other, to get light, to heat, to produce goods and services we need. The energy, however, is not always available. Consumption standards vary considerably depending on local, economical, social and cultural conditions. Natural resources are not evenly distributed and there is much waste in the entire chain of production and consumption. Over 80% of world energy production is based on fossil fuels – coal, oil and gas – which are unclean and located in geopolitically unstable

Obter energia de qualidade e com confiabilidade é um dos grandes desafios que a humanidade sempre enfrentou historicamente. Precisamos de energia para obter alimentos, deslocarmo-nos, comunicamo-nos iluminar, aquecer, produzirmos os bens e serviços que necessitamos. A energia, contudo, nem sempre está disponível. Padrões de consumo variam consideravelmente segundo condições locais, econômicas, sociais e culturais. Os recursos naturais não estão igualmente distribuídos e há muito desperdício em toda a cadeia produtiva e de consumo. Mais de 80% da produção de energia mundial se baseia em combustíveis fósseis – carvão, petróleo e gás – que são poluentes e localizados em zonas geopoliticamente instáveis. Cerca de 6% da energia primária vem de usinas nucleares, cuja segurança contra acidentes é bastante questionável, cujos rejeitos precisam ser estocados por centenas de anos e cuja tecnologia pode levar à proliferação de armamentos. Outros 2% vêm de usinas hidrelétricas, que produzem energia de forma renovável, porém em muitos casos localizam-se em áreas sensíveis em termos de patrimônio ambiental, cultural, arqueológico e social. A globalização da economia, a expansão da comunicação e a evolução dos arranjos legais e institucionais alertam para as questões de equidade e de sustentabilidade. No primeiro caso, para a área de energia temos desafios como a

energia energy

47


universalização do acesso e o direito de todos a um nível mínimo de consumo de energia de qualidade. No segundo, a minimização dos impactos ambientais e sociais em todo o ciclo de vida energético: comissionamento do sistema produtivo (usinas, por exemplo), produção, transmissão, distribuição, uso final, gerenciamento de rejeitos e descomissionamento. Em ambos, trata-se de um direito também de todas as gerações que estão por vir, conforme bem enunciado no relatório “Nosso Futuro Comum”, de 1987. Além dos conflitos baseados em questões de segurança no suprimento de energia, outros problemas presentes nos dias de hoje têm origem nos diversos limites planetários para suprir a crescente demanda: aquecimento global, capacidade de suportar a poluição, escassez de água doce, perda de biodiversidade. A busca por esses recursos induz à exploração de regiões ecologicamente sensíveis, ao deslocamento e extinção de populações tradicionais, à migrações forçadas por questões extremas como conflito e clima. Em meio a esse debate, certamente cabe considerar alternativas – mais democráticas e hoje já bastante competitivas: a eficiência energética e o desenvolvimento acelerado de novas fontes renováveis, como eólica, solar, pequenas hidros e biomassa. Os filmes aqui brevemente analisados se inserem nesse contexto, particularmente através da visão dos diretamente atingidos por grandes projetos de energia. São importantes questionamento para o Brasil, cujo projeto de

A busca por recursos induz à exploração de regiões ecologicamente sensíveis, ao deslocamento e extinção de populações tradicionais, à migrações forçadas por questões extremas como conflito e clima.

areas. About 6% of primary energy comes from nuclear power plants whose safety is highly questionable, whose waste must be stored for hundreds of years and whose technology could lead to weapons proliferation. Another 2% comes from hydroelectric plants, which produce energy from renewable form, but in many cases are located in sensitive areas in terms of environmental, cultural, archaeological and social heritage. The economy globalization, the expansion of communication and the evolution of legal and institutional arrangements warn on the equity issues and sustainability. In the first case, in the ​​energy field, we have challenges such as universal access and the right of everyone to a minimum level of consumption of energy with quality. In the second case, the minimization of environmental and social impacts throughout the energy life cycle: commissioning of the production system (power plants, for example), production, transmission, distribution, end use, waste management and decommissioning. In both, it is also a right of all generations to come, as well enunciated in the report “Our Common Future”, 1987. In addition to the conflict based on security of energy supply issues, other problems present today have their origins in different planetary limits to meet the growing demand: global warming, ability to withstand pollution, freshwater shortages and loss of biodiversity. The search for these resources leads to the exploitation of ecologically sensitive regions, the displacement and extinction

futuro parece não ir além da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. Into Eternity, dirigido por Michael Madsen, trata da questão nuclear de uma forma bastante franca. A dificuldade que existe em se tratarem e estocarem os rejeitos é um problema que afeta também o Brasil, que recentemente concedeu licença ambiental à Usina de Angra III, exigindo como condicionante o estabelecimento de um depósito definitivo de rejeitos, algo que não existe ainda em lugar nenhum do mundo. Na Finlândia, o primeiro depósito permanente do mundo está sendo cavado em uma rocha sólida – um gigantesco sistema de túneis subterrâneos – que precisará ter a durabilidade de 100 mil anos, pois este é o tempo que os resíduos permanecem perigosos. Em seguida, temos Crude, de Joe Berlinger. O filme exemplifica um conflito ocorrido na Floresta Amazônica equatoriana entre 30 mil indígenas e a gigante petrolífera Chevron. O caso, conhecido como a Chernobyl Amazônica, trata do despejo de 18 bilhões de galões de

The search for resources leads to the exploitation of ecologically sensitive regions, the displacement and extinction of traditional populations, the forced migration related to extreme issues such as conflicts and weather.

of traditional populations, the forced migration related to extreme issues such as conflicts and weather. Amidst this debate, one must consider alternatives - more democratic and now very competitive: energy efficiency and accelerated development of new renewable sources like wind, solar, small hydro and biomass. The movies briefly analyzed here fall within that context, particularly through the vision of those directly affected by large energy projects. These are important questions for Brazil, whose project for the future does not seem to go beyond the World Cup and Olympic Games. Into Eternity, directed by Michael Madsen, looks into the nuclear issue in a very sincere way. The difficulty to treat and to stock the waste is a problem that also affects Brazil, which recently granted environmental allowance to the Plant of Angra III, requiring as a condition statement establishment of a final disposal of waste, something that does not exists anywhere in the world. In Finland, the first permanent deposit in the world is being dug in a solid rock – a huge underground tunnel system – which must have the durability of 100,000 years, since this is the time that waste remains hazardous. Then, there is Crude, from Joe Berlinger. The movie exemplifies a conflict occurred in the Ecuadorian Amazon rainforest between 30.000 Indian and the oil giant Chevron. The case, known as the Amazonian Chernobyl, is about the dumping of 18 billion gallons of toxic oil waste. The movie led to a legal battle between the company and Berlinger, who respectively claimed defamation

energia energy

49


detritos tóxicos de petróleo. O filme levou a uma batalha legal entre a empresa e Berlinger, que alegaram respectivamente difamação e liberdade de expressão. Muito além do petróleo e muito além do Equador, o caso exposto em Crude questiona a transparência nas informações e o ativismo da sociedade civil, hoje bastante carente de jovens lideranças. O filme lembra até certo ponto o recente caso do enxofre no óleo diesel brasileiro e os recentes vazamentos de petróleo na região do pré-sal, que mostraram como falta informação à sociedade sobre os impactos desse custoso empreendimento. Ainda na linha das fontes fósseis, Gasland, de Josh Fox, trata de um assunto bastante atual: a extração de gás natural de forma não convencional, através do bombeamento subterrâneo de água com produtos químicos tóxicos. O canto da sereia da segurança energética e dos pagamentos a proprietários de terras logo se torna um pesadelo, quando os impactos sobre a saúde e o ambiente se evidenciam. A produção doméstica de gás com a tecnologia fracking é frequentemente anunciada na mídia norte-americana como a solução para os problemas de segurança energética do país. Tendo como uma das cenas mais polêmicas a água de uma torneira pegando fogo, o filme foi questionado pelas autoridades ambientais do estado do Colorado. Uma reflexão para o contexto brasileiro está na proteção de nossas águas subterrâneas, ainda abundantes porém bastante vulneráveis a contaminações.

and freedom of expression. Far beyond oil and beyond Ecuador, the case exposed in Crude raises questions about the information transparency and activism of civil society, now quite devoid of young leadership. The movie resembles to some extent the recent case of sulfur in diesel fuel in Brazil and the recent oil spills in the region of the pre-salt, which showed that there is a lack of information to society about the impact of this costly venture. Also about fossil fuels, Gasland, from Josh Fox, is a very current topic: the extraction of natural gas through unconventional ways, by pumping underground water with toxic chemicals. The energy security and landowners payment mermaid song soon becomes a nightmare when the impacts on health and the environment are evident. The domestic production of gas with fracking technology is often advertised in the American media as the solution to the problems of energetic security of the country. Having a very controversial scene – a water tap on fire –, the movie was questioned by the environmental authorities of the state of Colorado. A reflection for the Brazilian context is the protection of our groundwater, which is still abundant but very vulnerable to contamination Renewable sources are also worth questioning. The awarded movie Up the Yangtze, from Yung Chang, shows the frightening transformation of China by a farewell trip at the legendary Yellow River. The Three Gorges Dam symbolizes the country’s economic miracle, which took away

As fontes renováveis também merecem questionamento. O premiado filme Up the Yangtze, de Yung Chang, mostra a assustadora transformação da China através de uma viagem de despedida no mítico Rio Amarelo. A Barragem das Três Gargantas simboliza o milagre econômico do país, que levou consigo paisagens, povoados e tradições. Rico em detalhes sobre estilos de vida e aspirações, Up the Yangtze fornece uma dimensão humana às esmagadoras mudanças que ocorrem não só em uma China cada vez mais globalizada, mas ao choque de realidade presente em todos os países do mundo em desenvolvimento. Finalmente, À Margem do Xingu –Vozes Não Consideradas, de Damià Puig, trata do polêmico projeto da hidrelétrica de Belo Monte. Pautado por relatos de locais e especialistas, o filme mostra um quebra-cabeça complexo, no qual pairam dúvidas se a energia hidrelétrica é sempre sustentável e necessária.

Oswaldo Lucon é assessor técnico do Secretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, na CETESB, desde 1992. Pesquisador do CENBIO (Centro Nacional de Referência em Biomassa, USP). Professor visitante na Universidade do Texas (EUA) e no Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP. Professor no Instituto Mauá de Tecnologia e Faculdades Armando Álvares Penteado. Doutor em Energia (USP), Mestre em Tecnologias Limpas (University of Newcastle, Reino Unido), Engenheiro Civil (Poli-USP), Bacharel em Direito (USP) e Advogado. Autor-membro do IPCC, Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas desde 1998. Autor de vários artigos científicos e do livro “Energia, Meio Ambiente e Desenvolvimento”, com o Prof. José Goldemberg. Um dos autores da Política Estadual sobre Mudanças Climáticas, São Paulo (Lei n. 13.798, 09/11/2009).

with itself landscapes, villages and traditions. Rich in details about lifestyles and aspirations, Up the Yangtze provides a human dimension to the overwhelming changes that occur not only in an increasingly globalized China, but the shock of reality in all countries of the developing world. Finally, À Margem do Xingu – Vozes Não Consideradas, from Damià Puig, deals with the controversial project of Belo Monte Hydroelectric Plant. Guided by local experts and reports, the movie shows a complex puzzle, in which there are doubts whether hydroelectricity is always sustainable and necessary. Oswaldo Lucon is the technical advisor for the State of São Paulo Environment Secretary, in CETESB, since 1992. Researcher for CENBIO (National Reference Center on Biomass, USP). Visiting professor at the University of Texas (USA) and the Institute of Electrical and Energy of USP. Professor at Maua Technology Institute and Armando Alvares Penteado Colleges. Doctor of Energy (USP), Master in Clean Technologies (Universityof Newcastle, UK), Civil Engineer (Poli-USP), LL.B. (USP) and Lawyer. Member-Author at the IPCC, Intergovernmental Panel on Climate Change since 1998. He is the Author of numerous scientific articles and the book “Energy, Environment and Development” with Prof. José Goldemberg, one of the responsible for developing the State Policy on Climate Change, Sao Paulo.

energia energy

51


Gasland

À Margem do Xingu Vozes Não Consideradas

EUA / USA, 2010, 107’

Direção Director

Josh Fox Roteiro Writer

Josh Fox

Brasil, Espanha / Brazil, Spain, 2011, 90’ Direção Director

Em viagem pelo rio Xingu encontramos inúmeras pessoas, moradores de toda uma vida,que serão atingidos pela possível construção da hidrelétrica de Belo Monte. Relatos de ribeirinhos, indígenas, agricultores e habitantes da região de Altamira na Amazônia, assim como os de especialistas da área, compõem parte deste complexo quebra-cabeça. São reflexões sobre o passado obscuro deste polêmico projeto e que elucidam o futuro incerto da região e destas pessoas às margens do Xingu. In Xingu river trip we found many people, residents of a lifetime, which will be affected by the possibility of the Belo Monte Hydroelectric construction. Reports of riparian, indigenous people, farmers, inhabitants of Altamira in the Amazon region, as well as experts in the field compose part of this complex puzzle. They are reflections on the dark past of this controversial project and clarify the uncertain future of the region and these people on the banks of the Xingu.

Damià Puig Roteiro Writer

Damià Puig Fotografia Cinematographer

Bruno Assis

Fotografia Cinematographer

Josh Fox Edição Editor

Matthew Sanchez

Está acontecendo em todo o território dos EUA – donos de terras rurais acordam com uma oferta lucrativa de alguma companhia de energia para arrendar suas terras. A razão? A companhia espera explorar um reservatório chamado “Arábia Saudita do Gás”. A Halliburton desenvolveu um método de extrair gás do solo – um processo de perfuração hidráulico chamado “fracking” – e de repente os EUA se encontram prestes a se tornar uma superpotência em energia.

Edição Editor

Helios Veja, Cauê Nunes

It is happening all across America - rural landowners wake up one day to find a lucrative offer from an energy company wanting to lease their property. What is the reason? The company hopes to tap into a reservoir dubbed the “Saudi Arabia of natural gas”. Halliburton developed a way to get the gas out of the ground - a hydraulic drilling process called “fracking” - and suddenly America finds itself on the precipice of becoming an energy superpower.

energia energy

53


Up the Yangtze

Canadá / Canada, 2007, 93’ Direção Director

Yung Chang Um cruzeiro luxuoso sobe o rio Yangtze, Produção Producer

navegando nas míticas águas conhecidas

National Film Board of na China simplesmente como “O Rio”. O Canada

Yangtze está prestes a ser transformado pela maior usina hidrelétrica da história. A barraYung Chang gem das Três Gargantas – símbolo contestaFotografia Cinematographer do do milagre econômico chinês – fornece o Wang Shi Qing cenário épico para este premiado filme sobre Edição Editor Hannele Halm uma família sendo realocada por causa de uma mudança radical no meio ambiente e na economia. Um documentário sobre o drama da vida na China moderna. Roteiro Writer

A luxury cruise boat motors up the Yangtze — navigating the mythic waterway known in China simply as “The River”. The Yangtze is about to be transformed by the biggest hydroelectric dam in history. The Three Gorges Dam – contested symbol of the Chinese economic miracle – provides the epic backdrop for this award-winning film about a family displaced by radical environmental and economic change. A dramatic feature documentary film on life inside modern China.

Up the Yangtze

energia energy

55


Into Eternity

Crude

Dinamarca, Suécia, Finlândia, Itália / Denmark, Sweden, Finland, Italy, 2010, 75’

EUA / USA, 2009, 105’

O filme revela a história épica de um dos processos judiciais mais controversos do planeta. Um olhar nos bastidores do infame caso “Amazon Chernobyl”, que envoveu 27 bilhões Direção Director de dólares, mostrando um drama real de alto Joe Berlinger risco envolvendo movimentos ambientais, Fotografia Cinematographer políticas globais, ativismo de celebridades, Juan Diego Pérez defesa dos direitos humanos, a mídia, o poder Edição Editor Alyse Ardell Spiegel das multinacionais e o rápido desaparecimento de culturas indígenas. Apresentando uma situação complexa a partir de múltiplos pontos de vista, o filme subverte as convenções do cinema de questões judiciais ao examinar uma situação complicada de todos os ângulos, ao mesmo tempo que coloca em foco uma importante história de perigo ambiental e de sofrimento humano. The film reveals the epic story of one of the largest and most controversial legal cases on the planet. An inside look at the infamous $27 billion “Amazon Chernobyl” case. It is a real-life high stakes legal drama set against a backdrop of the environmental movement, global politics, celebrity activism, human rights advocacy, the media, multinational corporate power, and rapidly-disappearing indigenous cultures. Presenting a complex situation from multiple viewpoints, the film subverts the conventions of advocacy filmmaking as it examines a complicated situation from all angles while bringing an important story of environmental peril and human suffering into focus.

Direção Director

Todos os dias, em todo o mundo, grandes

Michael Madsen quantidades de resíduos altamente radioRoteiro Writer

ativos, produzidos por usinas de energia

Michael Madsen, Jasper nuclear, são colocados em depósitos proviBergmann

sórios, vulneráveis aos desastres naturais, às catástrofes provocadas pelo homem e às Heikki Färm mudanças da sociedade. Na Finlândia, o priEdição Editor meiro depósito permanente do mundo está Daniel Dencik, Stefan Sundlöf sendo cavado em uma rocha – um gigantesco sistema de túneis subterrâneos – que precisará ter a durabilidade de 100 mil anos, pois este é o tempo que os resíduos permanecem perigosos.

Fotografia Cinematographer

Every day, worldwide, large quantities of highly radioactive waste produced by nuclear power plants are placed in temporary dumps, vulnerable to natural disasters, to man-made disasters and society changes. In Finland, the first permanent deposit in the world is being dug in a rock - a huge underground tunnel system - which must have the durability of 100,000 years, since this is the time that waste remains hazardous.

energia energy

57


Água: experiências que ensinam e mobilizam Pedro Roberto Jacobi

água water Water: experiences that teach and mobilize

Esta sessão, que tem como foco a água em diversas realidades e contextos sociopolíticos, nos apresenta quatro casos que nos falam da vida de populações em quatro países – Brasil, Chile, Etiópia e China – e sua relação com a escassez do líquido, a perversidade da lógica privatizante, a resistência à ação governamental, a organização social e a capacidade de comunidades criarem laços cooperativos e fortalecerem o capital social na escala local e regional.

Sertão Progresso, de Cristian Cancino, aborda a obra de transposição do Rio São Francisco e as contradições que levanta. Introduz o espectador a todos os aspectos que estão em jogo, atores This session, which focuses on que têm papel relevante no processo, tanto na water in different realities and socio- defesa quanto no questionamento. Mostra de political contexts, presents four cases forma direta as dificuldades de lidar com a seca talking about people´s life in four nordestina, e introduz através de imagens o countries - Brazil, Chile, Ethiopia processo histórico e a forma como o discurso and China - and its relation to the desenvolvimentista que sustenta o projeto water shortage, the privatization está permeado por contradições. De um lado a perversity logic, the resistance to defesa na sua forma mais explícita, seja através the Government action, the social das palavras do presidente Lula sobre a incluorganization and communities são social, seja na voz de ministros que falam capacity to create cooperative ties do progresso que será levado aos sertões. De and strengthen social capital in local outro, a resistência, o questionamento sobre o and regional scale. alcance e reais benefícios à população que vive Sertão Progresso, from Cristian de forma dispersa na região. Sem tomar parCancino, discusses the transposition tido de nenhum dos lados, o filme deixa para o work of São Francisco River and espectador a tarefa de criar sua própria verdade the contradictions it raises. It a partir dos fatos e depoimentos apresentados. introduces the viewer to all aspects Waking the Green Tiger, de Gary Marcuse, that are at stake, players who have a mostra a recente emergência do movimento Pedro Roberto Jacobi

The Well

água water

59


ambientalista na China. Através do olhar de ativistas, agricultores, jornalistas e técnicos do governo apresenta a mobilização que toma conta da província de Yunnan contra a construção de diversas barragens. A campanha contra a construção das barragens no alto Yangtze, no sudoeste do país, revela um fato novo na China: a mobilização pública que questiona os relevant role in the process, both procedimentos que prevaleciam no país desde in defense and in the questioning. o período maoísta, em nome do progresso, do It shows directly the difficulties of desenvolvimento e da “guerra contra a natu- dealing with the dry Northeast, reza”. Décadas de destruição ambiental e a and introduces through images construção de inúmeras barragens afetaram a the historical process and how vida de milhares de pessoas. O filme mostra a the development discourse that importância da organização, da cooperação e a sustains the project is permeated recuperação do direito de expressão para poder by contradictions. On the one influenciar políticas públicas. A narrativa do hand the defense in its most filme também é feita através da voz dos atores, explicit, either through the words of e mostra como o movimento ambientalista se President Lula on social inclusion, fortalece quando uma lei ambiental é aprovada; or even the voice of ministers e pela primeira vez na China os cidadãos têm o who talk about the progress that direito de se expressar e contestar decisões do will be taken to the backlands. On governo para salvar um rio. O filme traz uma the other side - the resistance mensagem otimista e informativa sobre uma questions about the scope and real experiência que muito tem a ensinar sobre benefits to the population that lives a importância da sociedade se organizar na in a dispersed manner in the region. defesa de um rio que conta a história do país e Without taking sides on either side, tem um valor identitário essencial para a popu- the movie shows the viewer the task lação local. of creating their own truth from The Well: Water Voices from Ethiopia, de facts and testimony presented. Paolo Barbieri e Riccardo Russo, retrata um Waking the Tiger Green, from caso muito particular de organização social e Gary Marcuse, shows the recent cooperação de uma comunidade – Borana A campanha contra a construção – com uma populadas barragens no alto Yangtze, ção seminômade no sul da Etiópia que no sudoeste do país, revela tem de lutar permaum fato novo na China: a nentemente pela sua sobrevivência. Cada mobilização pública

ano, quando chega o período de estiagem em Oromia, a região é afetada por longos períodos de escassez de água, e o filme mostra como a vida da população se organiza a partir da preservação dos “poços cantantes”, que garantem que a vida da população local continue. Estabelece-se uma dinâmica que perdura há muito tempo, estruturada a partir de uma lógica de funcionamento e divisão do trabalho, que tem de seguir uma organização rigorosa baseada em cooperação e respeito aos pares para garantir água para a população e os animais, sua fonte de sobrevivência econômica numa das regiões mais secas do planeta. O filme mostra o delicado equilíbrio na relação entre o ser humano e a natureza que governa o cotidiano, e a importância vital de um sistema de gestão caracterizado pela sua originalidade no enfrentamento de uma realidade cada vez mais afetada pelos impactos da mudança climática global. Life for Sale, de Yorgos Avgeropoulos, retrata a realidade de uma região no Norte do Chile, no deserto do Atacama, na qual se explicita a dimensão perversa do país que tem o maior mercado privado de água do planeta. A situação descrita mostra uma situação na qual a população se confronta com uma lógica na qual a palavra-chave é concentração de poder econômico, na medida em que os recursos hídricos

The campaign against the construction of dams on the height of the Yangtze River in the southwest of the country reveals a new fact in China: the mobilization of public

emergence of the environmental movement in China. Through the eyes of activists, farmers, journalists and government officials it presents the mobilization that takes care of Yunnan province against the construction of several dams. The campaign against the construction of dams on the height of the Yangtze River in the southwest of the country reveals a new fact in China: the mobilization of public questioning procedures prevailing in the country since the Maoist period, in the name of progress, of the development and of the “war against nature.” Decades of environmental destruction and the construction of numerous dams affected the lives of thousands of people. The movie shows the importance of organization, cooperation and the restoration of freedom of expression in order to influence public policy. The movie’s narrative is also done by the actor´s voices, and shows how the environmental movement is strengthened when an environmental law is approved, and for the first time in China citizens have the right to express themselves and to challenge government decisions to save a River. The movie has an upbeat message and information about an experience that has much to teach about the importance of an organized society in defense of a river which has the country’s history and an essential identity value to the local population. The Well: Water Voices from Ethiopia, from Paolo Barbieri and Riccardo Russo, portrays a very

água water

61


não são do Estado, mas de proprietários priva- special case of social organization dos, que a converteram em mercadoria sujeita and cooperation of a community a toda forma de especulação. A lógica neolibe- - Borana - with a semi-nomadic ral e a fórmula privatizante que determinam as people in southern Ethiopia that políticas nacionais desde o período da ditadura, has to constantly fight for their e que apesar de uma sucessão de governos survival. Each year, when it comes democráticos não se modifica o status quo. to drought in Oromia, the region Nesta região, considerada como a mais seca do is affected by long periods of water planeta, as companhias mineradoras – as pro- scarcity, and the movie shows how prietárias do rio mais longo do Chile, o rio Loa people’s lives are organized from – utilizam grandes the preservation of quantidades de água The Well: Water Voices “singing wells”, which em sua produção, conensure that the life from Ethiopia shows denando comunidades of local population indígenas e peque- the delicate balance in continues. It nos agricultores a um a dynamic the relationship between establishes cotidiano sem água that lasts a long time, e pobreza. O filme humans and nature that structured from a logic mostra o lado mais operation and division governs the daily life brutal na relação ser of labor, which must humano/natureza, no qual a vida das pessoas é follow a rigorous organization afetada por uma lógica na qual a propriedade de based on cooperation and respect um recurso natural escasso se torna mercadoria for peers in order to assure water e objeto de transações. O filme mostra a indig- for people and animals, their nação da população e sua falta de perspectiva no source of economic survival in curto prazo, e a convicção de que devem ocorrer one of the driest regions on the planet. The movie shows the delicate balance in the relationship between humans and nature that governs the daily life and the vital importance of a management system characterized by its originality in the face of a reality increasingly affected by the impacts of global climate change. Life for Sale, from Yorgos Avgeropoulos, portrays the reality of a region in northern Chile in the Atacama Desert, in which he explains the perverse dimension of the country that has the largest market of private water on the planet. The situation described above shows a situation in which the population is confronted with a logic in which the keyword is the concentration of economic power, The Well: Water Voices from Ethiopia

to the extent that water resources are not from the state but owned by private ones, which converted it into a commodity subject to all forms of speculation. The logic of neoliberal privatization and the formula that determines national policies since the period of dictatorship, and that despite a succession of democratic governments do not change the status quo. In this region, considered the driest area in the world, mining companies the owners of Chile’s longest river, the river Loa – use water in large quantities in their production, condemning indigenous communities and small farmers to a routine without water and poverty. The movie shows the most brutal hand in the human/nature relationship, in which people’s lives O filme The Well: is affected by a logic in which the ownership of a rare natural resource Water Voices from becomes a commodity and object Ethiopia mostra o of transactions. The movie shows the indignation of the population delicado equilíbrio and their lack of perspective in na relação entre o ser the short term, and the conviction that a change must occur before humano e a natureza serious conflicts happen in the que governa o cotidiano struggle for water. It is always worth bearing in mind what happened in mudanças antes que aconteçam sérios conflitos Cochabamba, Bolivia in 2000, to na luta por água. Sempre é bom ter em mente avoid it to repeat. o que ocorreu em Cochabamba na Bolívia em Pedro Roberto Jacobi is a Sociolo2000, e evitar que se repita. gist, Master in Urban Planning, PhD in

Pedro Roberto Jacobi é Sociólogo, Mestre em Sociology and Professor of Education. He Planejamento Urbano, Doutor em Sociologia e Livre Docente em Educação. Professor Titular da Faculdade de Educação e do Programa de Pós- Graduação em Ciência Ambiental da Universidade de São Paulo (PROCAM-USP). Coordenador do PROCAM USP 2010-2012. Coordenador do Laboratório de Governança Ambiental da USP- GovAmb USP. Editor da revista Ambiente e Sociedade.

is also a Professor at the Education School and the Post Graduate Program in Environmental Science from University of Sao Paulo (PROCAM-USP). Coordinator of the PROCAM USP 2010-2012. Coordinator of the Environmental Governance Laboratory at USP, USP-GovAmb, and Journal Environment and Society editor.

água water

63


Waking the Green Tiger

Sertão Progresso

China, Canadá / China, Canada, 2011, 78’

Declarando que a natureza deve ser conquistada em nome do progresso, o Presidente Mao introduz uma era de destruição ambiental na China. Agora, ativistas entusiastas lutam para preservar suas maravilhas naturais, educar seus compatriotas e encorajar o debate público. Este documentário vigoroso celebra as almas corajosas à frente da nova revolução chinesa. By declaring that nature must be conquered in the name of progress, Chairman Mao ushered in an era of environmental degradation for China. Now, passionate activists strive to preserve their natural wonders, educate their compatriots and encourage public debate. Gary Marcuse’s stirring documentary celebrates the brave souls at the forefront of China’s new revolution.

Brasil / Brazil, 2010, 72’

Direção Director

Direção Director

Gary Marcuse

Cristian Cancino

Roteiro Writer

Gary Marcuse Fotografia Cinematographer

Rolf Cutts Edição Editor

Stuart De Jong

Roteiro Writer

Rodrigo Savastano, Cristian Cancino Fotografia Cinematographer

Fernando Marron Edição Editor

A transposição de águas do Rio São Francisco e os interesses econômicos e políticos que, desde a época do Império, definem a utilização da terra e da água no sertão nordestino. Documentário gravado em dez estados brasileiros sobre a obra mais ambiciosa do governo Lula, que promete levar água de beber a 12 milhões de habitantes do semiárido.

Rodrigo Savastano, Cristian Cancino The transfer of water from the São Francisco

River and the economic and political interests that, since the time of the Empire, defines the use of land and water in the Northeast hinterland. Documentary recorded in ten different Brazilian States on the most ambitious work of the Lula government, which promises to bring drinking water to 12 million inhabitants of the semi-arid.

água water

65


Life for Sale

The Well: Water Voices from Ethiopia

Grécia / Greece, 2010, 65’

Itália / Italy, 2011, 54’

Todos os anos, quando a estação da seca chega em Oromia (Sul da Etiópia), os pastores Borana, depois de dias de caminhada, se reúnem com seus animais em torno de um dos tradicionais poços “cantantes”. O filme segue este povo durante um período inteiro de seca, revelando o sistema tradicional de gestão da água que permite distribuir o pouco que há disponível de acordo com as necessidades e direito de todos, sem nenhuma troca dinheiro. Each year, when the dry season arrives in Oromia (South of Ethiopia), the Borana herders gather with their livestock, after days and days of walk, around their ancient “singing” wells. The film follows their life for a whole drought, showing a unique traditional water management system that permits to manage the little available water as the property and right of everyone, without any money been exchanged.

Direção Director

Paolo Barberi, Riccardo Russo Roteiro Writer

Paolo Barberi, Mario Michelini, Riccardo Russo Fotografia Cinematographer

Riccardo Russo, Paolo Barberi Edição Editor

Andrea Ciacci, Federico Schiavi

Você pode imaginar um mercado de água? Como seria a vida no planeta se todos os recursos hídricos, superficiais e subterrâneos, Direção Director a água dos rios, lagos e geleiras, pertencesse Yorgos Avgeropoulos ao setor privado? O filme examina o maior Roteiro Writer mercado de água do mundo: no Chile. Onde Yorgos Avgeropoulos a água do país não pertence ao Estado mas Fotografia Cinematographer sim à iniciativa privada, e onde uma empresa Yiannis Avgeropoulos pode ser dona de um rio inteiro e possuir uma Edição Editor quantidade de água do tamanho da Bélgica. Yiannis Biliris, Anna Prokou

Can you imagine a water market? What would life be like if all of the planet’s water resources, superficial or subterranean, the waters of rivers, lakes and glaciers, belonged to the private sector? Life For Sale examines the biggest water market in the world, set up in Chile. Where the country’s water resources do not belong to the state but to private individuals and one company can own an entire river and possess a quantity of water as big as Belgium.

água water

67


O Antropoceno e o cinema Fabio Feldmann

mudanças climáticas climate changes

A Terra da Lua Partida

Desde o último relatório do IPCC – Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas – de 2007, a humanidade está diante de desafios sérios no que tange ao aumento da temperatura média do planeta até o fim do século, sendo que, na Conferência das Partes de Copenhague (COP 15), houve a decisão de que o limite aceitável desse aumento de temperatura seria de, no máximo, 2°C.

Às vésperas da Rio + 20 – a Conferência das Nações Unidas cujo objeto de discussão é economia verde e erradicação da pobreza, bem como a governança para o desenvolvimento sustentável – é inevitável deixar de fazer um The Anthropocene balanço sobre esses últimos vinte anos, uma and the cinema vez que essa reunião é um marco importante na agenda do século XXI, sinalizando a necessiFabio Feldmann dade de que a humanidade compreenda o senso de urgência em relação aos impactos que ela mesma está causando no planeta. Since the last report of the IPCC Muitos cientistas acreditam que será pra- Intergovernmental Panel on ticamente impossível atender ao que foi Climate Change - 2007, mankind determinado em Copenhague, de modo que is facing serious challenges with teríamos que nos preparar para cenários regard to the increase in global extremamente graves, com consequências draaverage temperature by the end of máticas. Devo assinalar que o trabalho científico the century, and, in the Copenhagen mais interessante sobre esse assunto foi publiConference of Parties (COP 15), cado na revista Nature (Vol. 461 – 24/9/2009). there was the decision that the Seus autores, dentre eles o Diretor Executivo acceptable range of temperature do Stockholm Environment Institute, Johan rise would be at most 2° C. Rockström, tentam colocar os limites que a On the eve of the Rio + 20 – the humanidade enfrenta em relação ao planeta. United Nations Conference whose Assim, os responsáveis pelo estudo, ao object of discussion is the green realizarem uma ampla análise dos proceseconomy and poverty eradication sos existentes no sistema da Terra, cada um

mudanças climáticas climate changes

69


associado ao seu respectivo limiar que, se and governance for sustainable cruzado, pode gerar alterações ambientais ina- development – it is unavoidable ceitáveis, identificaram nove processos para to make a balance on these last os quais é preciso definir limites planetários twenty years, since this meeting (planetary boundaries). São eles: mudança do is an important milestone on the clima, ozônio estratosférico, mudança de uso agenda of the twenty-first century, do solo, uso de água doce, diversidade biológica, signaling the need for humanity to acidificação dos oceanos, uso de aerossol, polui- understand the sense of urgency ção química e liberação de nitrogênio e fósforo regarding the impact it is causing on the planet. na biosfera e oceanos. Uma das principais conclusões do estudo é Many scientists believe that it justamente sobre um dos temas mais relevan- will be almost impossible to meet tes, a mudança do clima, que já teve seu limite the Copenhagen criteria, and so we will have to be prepared to very transgredido. Existe hoje a ideia de que a humani- serious scenarios, with dramatic dade alcançou uma força geológica, de modo consequences. I must note that que estamos em uma nova era denominada the most interesting scientific Antropoceno. Este termo, cunhado pelo geo- work on this subject was published químico Paul Crutzen, que recebeu o Prêmio in the Nature magazine (vol Nobel de Química em 1995, refere-se às mudan- 461 – 2009/4/29). The authors, ças no planeta ocasionadas pelo homem a partir including the Director of the Stockholm Environment Institute, da Revolução Industrial. Nesse sentido, os cientistas indicam que as Johan Rockstrom, try to introduce mudanças climáticas, a erosão dos solos, as the limits that mankind is facing ameaças à biodiversidade, a acidificação dos regarding the planet. oceanos, dentre outros, são reflexos da ação da Thus, the responsible for humanidade, o que faz com que essa nova era Muitos cientistas acreditam que geológica esteja sendo será praticamente impossível moldada pelo ser humano. Este assunto atender ao que foi determinado foi capa da prestigiada em Copenhague, de modo que revista The Economist, em 2011 (28/05/2011 teríamos que nos preparar para – 03/06/2011). cenários extremamente graves O mais surpreendente é que estes estudos vêm a confirmar o que tem sido publicado pela mídia fartamente nas últimas décadas, valendo chamar a atenção para o fato de que a revista Time dedicou o “Planeta do Ano” à Terra, em 1989. De lá para cá, são incontáveis as matérias que tratam do mesmo assunto. Para preparar meu livro recém lançado Sustentabilidade planetária, onde eu entro nisso?, fiz uma busca intensa em material de meu próprio escritório e realmente é assustador se

constatar que grande parte das matérias de the study, in performing a vinte anos atrás podem ser publicadas hoje exa- comprehensive analysis of existing tamente no mesmo tom, sem tirar nem pôr. processes in the Earth system, O desafio está em como mobilizar a socie- each one associated with its dade para as mudanças necessárias. Em outras respective threshold that if crossed, palavras, há que se reconhecer que houve avan- could generate unacceptable ços importantes e que o patamar de consciência environmental changes, identified hoje é muito diferente do de anos atrás. Mas nine cases for which we must ainda estamos longe da possibilidade de rever- define planetary boundaries. They termos as tendências apontadas pelos cientistas, are: climate changes, stratospheric das quais surge a grande questão: como mobili- ozone, change of land usage, zar efetivamente as pessoas? freshwater usage, biological Esta resposta é complexa e tem sido tema diversity, ocean acidification, use importante do movimento ambientalista, da of aerosol, chemical pollution and comunidade científica e da mídia especializada. release of nitrogen and phosphorus De um lado, os relatórios científicos reforça- in the biosphere and oceans. dos pelos fenômenos climáticos, tais como One of the main conclusions of enchentes, inundações, secas, enfim, tudo que the study is just about one of the o noticiário diário tem coberto. Do outro lado, most important issues, climate a inércia dos governos changes, which has had Many scientists believe que resistem a ter uma transgressed its limits. agenda de mais longo that it will be almost Today there is the prazo, consagrando idea that humanity has impossible to meet the a aversão a qualquer reached a geological tipo de risco político Copenhagen criteria, force, so we’re in eleitoral. era called and so we will have to be athenew Certamente, uma Anthropocene. das estratégias mais prepared to very serious This term, coined eficazes de mobilizageochemist Paul scenarios, with dramatic by ção passa pelo papel Crutzen, who won que o cinema tem consequences. the Nobel Prize in Chemistry in 1995, refers to changes in the earth caused by man since the Industrial Revolution. In this sense, the scientists suggest that climate change, soil erosion, threats to biodiversity, ocean acidification, among others, are reflections of the human kind action, which makes this new geological era being shaped by human being. This issue was cover of the prestigious magazine The Economist in 2011 (05/28/2011 06/03/2011).

mudanças climáticas climate changes

71


exercido como elemento de motivação e convencimento da sociedade. São inúmeros os exemplos em que fez toda a diferença, marcando várias gerações. Desde o cinema mudo com Charles Chaplin, cujos filmes até hoje permanecem atuais, passando por Easy Rider na década de 70, sem falar da contribuição do cinema novo no Brasil. Mais recentemente o filme Uma Verdade Inconveniente de Al Gore, com direção de Davis Guggenheim, sobre o aquecimento global teve um papel muito relevante, garantindo ao ex-Vice-Presidente americano o Prêmio Nobel da Paz, além do Oscar de Melhor Documentário em 2007. As novas tecnologias que nos transformam em “documentaristas e produtores” podem ser utilizadas para mobilizar a sociedade. Nesse sentido, a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental exerce um papel importante na medida em que divulga o que está sendo produzido no mundo e se transforma certamente em uma importante fonte de inspiração.

Fabio Feldmann é militante do movimento ambientalista e foi fundador de diversas entidades não governamentais. Em 1986, foi o primeiro parlamentar brasileiro eleito a defender o meio ambiente. Participou da criação da Fundação S.O.S. Mata Atlântica, da qual foi o primeiro presidente, e da Associação de Defesa da Jureia. Deputado federal eleito para três mandatos, foi também secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Ao longo dos últimos anos, tem atuado como consultor em temas relacionados ao meio ambiente e sustentabilidade, e participa de inúmeros seminários e conferências sobre os temas, tanto no Brasil como fora do país.

The most surprising is that these studies are confirming what has been published widely in the media in recent decades; it is worth drawing attention to the fact that Time magazine dedicated “Planet of the Year” to Earth in 1989. Since then, countless are the materials that address the same subject. To prepare my recent book, Planetary Sustainability, were do I go on it?, I have made a wide research in material from my own office and it is really scary to see that lots of articles and reports from twenty years ago can be published today in the same tone, neither more nor less. The challenge is how to mobilize society for the necessary changes. In other words we have to recognize there were important advances and the awareness level today is very different from years ago. However we are very far from the possibility of reversing the trends pointed by scientists who raise the big question: how to effectively mobilize people? This answer is complex and has been an important theme of the environmental movement, the scientific community and specialized media. On the one hand, the scientific reports reinforced by climatic phenomena such as floods, droughts, ie all that the daily news has covered. On the other hand, the inertia of governments that resists to have a longer-term agenda, stating the aversion to political risks for election. Certainly one of the most effective strategies of mobilization is the role that cinema has had as an element of motivation and

As novas tecnologias que nos transformam em “documentaristas e produtores” podem ser utilizadas para mobilizar a sociedade. The new technologies that leads us to be “documentaries producers” can be used to call the attention of the the society. Accordingly to it, Ecofalante Environmental Film Festival has an important role in presenting what is being produced in the world and certainly becomes an important source of inspiration.

persuasion of society. There are countless examples that made all the difference, scoring several generations. Since the silent movies with Charlie Chaplin, whose films up to now remains current, through Easy Rider in the 70s, not to mention the contribution of the Cinema Novo in Brazil. More recently Al Gore’s An Inconvenient Truth, directed by Davis Guggenheim, about global warming, played a very important role, ensuring the former U.S. Vice President a Nobel Peace Prize, and the Oscar for Best Documentary in 2007. The new technologies that leads us to be “documentaries producers” can be used to call the attention of the the society. Accordingly to it, Ecofalante Environmental Film Festival has an important role in presenting what is being produced in the world and certainly becomes an important source of inspiration. Fabio Feldmann is an activist in the environmental movement and was a founder of several non-governmental entities. In 1986, he was the first parliament elected in Brazil to defend the environment. He took part in the creation of the S.O.S. Atlantic Forest Foundation, of which he was the first president, and the Jureia Defense Association. Congressman elected for three terms, he was also Secretary of the Environment of the State of Sao Paulo. Over the past year, he has acted as a consultant on issues related to environment and sustainability and participates in numerous seminars and conferences on the themes, both in Brazil and abroad.

mudanças climáticas climate changes

73


Cool It

A Terra da Lua Partida

EUA / USA, 2010, 87’

O filme é baseado no livro homônimo de Bjorn Lomborg, autor do controverso The Skeptical Environmentalist (O Ambientalista Cético). Lomborg é fundador e diretor do Copenhagen Consensus Center, um globalmente respeitado grupo de reflexão, que reúne os principais economistas do mundo para priorizar grandes problemas globais – como a malária, a falta de água potável e a AIDS –, analisando o custo-benefício das possíveis soluções. Em meio às opiniões fortes e polarizadas no debate sobre o aquecimento global, o filme segue Lomborg em sua missão para encontrar a melhor solução para as mudanças climáticas, poluição ambiental e outros grandes problemas do planeta. The film is based upon the book of the same name by Bjorn Lomborg, the controversial author of The Skeptical Environmentalist. Lomborg is the founder and director of the Copenhagen Consensus Center, a globally respected think tank that brings together the world’s leading economists to prioritize major global problems – among them malaria, the lack of potable water and HIV – based upon a cost/ benefit analysis of available solutions. Amidst the strong and polarized opinions within the global warming debate, the film follows Lomborg on his mission to bring the smartest solutions to climate change, environmental pollution, and other major problems in the world.

Brasil / Brazil, 2010, 52’ Direção Director

Ondi Timoner Roteiro Writer

Terry Botwick, Sarah Gibson, Bjorn Lomborg, Ondi Timoner Fotografia Cinematographer

Nasar Abich Jr. Edição Editor

Debra Light, Brian Singbiel, David Timoner

Direção Director

No coração do Himalaia, Sonam, um velho

Marcos Negrão, André nômade, vive com sua tribo em uma das Rangel mais adversas e isoladas regiões do mundo,

mas uma repentina mudança no clima está secando a maioria dos rios e transformando Fotografia Cinematographer muitos dos vales em desertos. Incapaz de Marcos Negrão sobreviver da forma tradicional e testemuEdição Editor nhando o colapso do seu povo, Sonam inicia André Rangel uma desesperada busca por respostas e soluções para mudar o destino de sua tribo. Uma história de fé e sacrifício de um povo que já está sentindo diretamente os impactos das mudanças climáticas e dos atuais percursos da humanidade. Roteiro Writer

Marcos Negrão

At the heart of the Himalayas, Sonam, an old nomad, lives with his tribe in one of the most adverse and isolated regions of the world, but a sudden change in climate is drying most of the rivers and turning many of the valleys into deserts. Unable to survive in the traditional way and witnessing the collapse of its people, Sonam starts a desperate search for answers and solutions to change the destiny of his tribe. A faith and sacrifice story of people who are already feeling, directly, the impacts of climate change and the current course of humanity.

mudanças climáticas climate changes

75


There Once Was an Island

Recife Frio Brasil / Brazil, 2009, 24’

Estranha mudança climática faz Recife, na região Nordeste do Brasil, passar a ser uma cidade fria. O documentário de uma TV estrangeira examina os efeitos da Direção Director mudança em toda uma cultu- Kleber Mendonça Filho ra que sempre viveu em clima Roteiro Writer quente. Kleber Mendonça Filho Fotografia Cinematographer

A strange climate change makes Kleber Mendonça Filho Recife, in northeastern Brazil, turn Edição Editor Emilie Lesclauz, Kleber into a cold city. The documentary Mendonça Filho of a foreign TV examines the effects of change in an entire culture that has always lived in warm weather.

Nova Zelândia / New Zealand, 2010, 80’ Direção Director

Três pessoas em uma ilha única do Pacífi-

Briar March co enfrentam os efeitos devastadores das Fotografia Cinematographer

mudanças climáticas. Quando uma enorme

Briar March enchente ameaça engolir seu paraíso, quem Edição Editor

vai decidir fugir e deixar para sempre sua

Prisca Bouchet, Briar cultura? E quem irá ficar, apenas esperanMarch

do que Deus os salve? Um épico, retrato universal do verdadeiro custo das mudanças climáticas. “Porque se você perde algo pequeno no mundo, você perde muito”. Three people on a unique Pacific Island face the devastating effects of climate change. As an enormous flood threatens to engulf their paradise, who will decide to flee and leave their culture behind forever? And who will stay, hoping only that God will save them? An epic, universal portrait of the very real cost of climate change. “Because if you lose something small in the world you lose a lot.”

mudanças climáticas climate changes

77


homenagem tribute The forest spirit

Batida na Floresta

What moves Adrian Cowell´s work is his feeling for the forest, his look at it, and how this feeling has matured into a young man who began his career as a 23 years old filmmaker, and until the end of his life continued filming and acting against the deforestation of Amazonia and in favor of carbon credits to keep the forest standing. “During the seven months of my first trip to Xingu (1958), I´ve been in many Indian villages for days or weeks, and although many of its leaders pass hours and hours talking to me, explaining their problems and their lives, I always felt odd, looking at a culture of which I was not part of. So it was no surprise when the path I followed was of a hunter. Hunting is like a life breath for the Indians. Even going unnoticed in the course of daily existence, hunting is only interrupted in times of war or disease. So, hunting should be the first dimension to approach the Indian. Most part of his life, and in fact the hardest

O espírito da floresta O que movimenta o trabalho de Adrian Cowell é seu sentimento pela floresta, seu olhar para ela; e a maneira como esse sentimento amadureceu em um jovem que começou a carreira de diretor aos 23 anos e até o final da vida continuou filmando e atuando contra o desmatamento da Amazônia e a favor dos créditos de carbono para manter a floresta em pé. “Durante os sete meses da minha primeira viagem ao Xingu (1958), fiquei em muitas aldeias indígenas por dias ou semanas e, embora muitos dos seus líderes passassem horas a fio falando comigo, explicando seus problemas e suas vidas, eu sempre me senti um estranho, olhando uma cultura da qual eu não fazia parte. Então não foi surpresa quando o caminho que eu segui foi o do caçador. Caçar é o sopro de vida do índio. Mesmo passando desapercebida no curso da existência diária, a caça só se interrompe em períodos de guerra ou de doença. A caça deveria então ser a primeira dimensão para se aproximar do índio. A maior parte da sua vida, e a mais dura, ele passa na realidade da floresta. E, mais que tudo,

homenagem tribute

79


“The fight to save the tribe of Panará and the Xingu Indigenous Park was the first great war against the destruction of Amazonia”. é a sua adaptação à vida na floresta que o faz tão diferente do civilizado. Kaluana poderia de um momento para o outro iniciar uma marcha de 2000 km para a Venezuela ou para outro lugar, completamente autossuficiente na vastidão da floresta. Sabe fazer uma canoa, um arco, seu sentido de direção não precisa de bússola. Sabe caçar ratos, tartarugas e cobras. Porém, se a floresta refinou os meus sentidos, por outro lado, reduziu o meu questionamento. No início eu tinha o desejo de compreender, com o tempo, este propósito desapareceu”. Quando volta ao Brasil em 1967, a convite de Orlando e Cláudio Villas Bôas, para filmar o contato com os perigosos índios isolados Panará (então conhecidos por Kreen-Akrore), Adrian passa dois anos no Parque Nacional do Xingu acompanhando e documentando este processo. O filme A Tribo que Se Esconde do Homem (1970), no comentário de Claudio Villas Bôas, fala deste contato com a floresta e do primeiro contato com o homem desconhecido. “Enquanto eu o observo, observo também minha própria responsabilidade. Eu os atraio do isolamento, porque nossa ajuda é a única chance que eles têm. Mas essa oportunidade conduz (...) a todos os conflitos da civilização. Eu só tenho que me afastar para ver no seu rosto todos os outros que morreram.” “Um diamante foi encontrado, imediatamente chegaram 2.000 garimpeiros. Este é o ritmo do ataque. Estes são os representantes da nossa civilização para o índio desconhecido... Estes homens são os embaixadores da nossa civilização. Esse é o rosto que mostramos ao índio”.

part, is in the forest. And most of all, it is its adaptation to life in the forest that makes it so different from the life in the civilized world. Kaluana could at a moment’s notice start a 2000 km march to Venezuela or elsewhere, completely self-sufficient in the vastness of the forest. He knows how to make a canoe, a bow; his sense of direction does not need a compass. He knows how to hunt rats, turtles and snakes. However, if the forest refined my sense, on the other hand, it reduced my questioning. At first I had the desire to understand, over time, this purpose has gone”. When he returned to Brazil in 1967, invited by Orlando and Claudio Villas Boas, in order to film the dangerous contact with the isolated Indians Panará (then known as Kreen-Akrore), Adrian spent two years in Xingu National Park monitoring and documenting this process. The film A Tribo que Se Esconde do Homem (1970), according to Claudio Villas Boas´ comments, highlights this contact with the forest and the first contact with the unknown man. “While I watch, I can also see my own responsibility. I attract them from the isolation, because our help is the only chance they have. But that opportunity leads (...) to every civilization conflict. I just have to stand back to see at his face all the others who died”. “A diamond was found, immediately 2000 miners arrived. This is the rhythm of the attack. These are the representatives of our civilization

A vivência no Xingu, a amizade com Claudio e Orlando Villas Bôas e o processo de contato com os Panará foram o aprendizado de Adrian para que todo o seu trabalho no Brasil se concentrasse na defesa da Floresta Amazônica: “A luta para salvar a tribo dos Panará e o Parque Indígena do Xingu foi a primeira grande guerra contra a destruição da Floresta Amazônica”. Provavelmente o grande terror na memória da maior parte das tribos foram as epidemias que vieram com o contato com o homem civilizado. De alguma forma, o matar e o salvar estavam juntos. Este era o impasse ideológico: como salvar sem destruir. Durante a década de 1980, o cineasta filma a série A Década da Destruição. Muitas histórias foram iniciadas, muitas situações filmadas, algumas resultando em filmes, outras não. Além disso, muitos assuntos filmados nessa década seriam, mais tarde, utilizados para outros filmes. Ao filmar, durante 10 anos, o processo de desmatamento da Floresta Amazônica (identificando interlocutores e personagens, acompanhando seus dramas e as contradições do desenvolvimento na região), Adrian se envolveu profundamente nessa luta, e seus filmes nesse período mostram a trajetória de personagens emblemáticos da história recente da Amazônia. Os acontecimentos que Adrian filmava nas décadas de 1950 e 1960 tinham um enfoque mais reflexivo. Já nos anos 1980, ele ia de um

“A luta para salvar a tribo dos Panará e o Parque Indígena do Xingu foi a primeira grande guerra contra a destruição da Floresta Amazônica”.

to the unknown Indian ... These men are our civilization ambassadors. This is the face we show to the Indian. “ Living in Xingu, the friendship with Claudio and Orlando Villas Boas and the process of contacting the Panará made Adrian learn and so that all his work in Brazil is concentrated on the defense of the Amazon Forest: “The fight to save the tribe of Panará and the Xingu Indigenous Park was the first great war against the destruction of Amazonia”. Probably the greatest terror in the memory of most tribes was the epidemics that came as a result of the contact with civilized man. Somehow, the act of killing and saving were together. This was the ideological impasse: how to save without destroying. During the 1980s, the director films the series A Década da Destruição. Many stories were started, many situations were recorded, some of them resulting in films, some not. In addition, many subjects were filmed in this decade and later used for films. When filming, over 10 years, the process of deforestation of the Amazon rainforest (identifying interlocutors and characters, following up their dramas and the region development contradictions), Adrian became deeply involved in this fight, and his films during this period showed the emblematic characters trajectory of the Amazon’s recent history. The events recorded by Adrian in the 1950s and 1960s had a more reflective approach. Already in the 1980s, he went from one place to another, in Rondonia,

homenagem tribute

81


lugar para outro, em Rondônia, tentando desesperadamente acompanhar o desenvolvimento acelerado; não era tão fácil entender o que estava filmando. Alguma coisa na fronteira lhe parecia muito errada. O mais difícil era saber o quê. Adrian compreendeu que a Amazônia vivia um momento totalmente diferente: o governo e a sociedade estavam ocupando a floresta numa obsessão desenfreada, com migrações em massa. “Parecia que chegáramos ao limite de uma fronteira, onde a floresta espelhava o absurdo da sociedade que a confrontava. Neste sentido, a partir de 1981, comecei a ampliar o foco do que eu filmava, procurando diferentes ângulos e outras opiniões sobre o que estava acontecendo.” A trilogia Os Últimos Isolados é sobre a evolução da política do primeiro contato, ao longo do séculos XX e XXI, de índios com a sociedade brasileira. Com imagens do primeiro contato dos Panará e dos Uru-Eu-Wau-Wau, e também da tentativa de contato com um grupo Avá-Canoeiro, Cowell realiza três filmes, atualizando em um relato de 30 anos a luta dramática dessas diferentes tribos amazônicas, à beira da extinção, se defendendo da implacável invasão do homem civilizado. Apresenta o desenrolar dos eventos e suas consequências para esses povos, em suas tentativas de ajustarem-se à nova condição. “Durante o contato com os Kreen-Akrore / Panará adquiri uma consciência mais profunda da floresta. Essa dimensão da floresta a que me refiro só pôde ser experimentada conhecendo-se a técnica de aproximação com

“To me this is the true gold of the forest - a fragment of humanity buried since the beginning of time.”

desperately trying to keep up with the fast development; it was not so easy to understand what he was filming. Something on the borderland seemed very wrong. The hardest part was to understand what was wrong. Adrian realized that Amazonia was in a totally different moment now: the government and the society were occupying the forest in a wild obsession, with mass migrations. “It seemed we were in a borderland limit, where the forest had mirrored the absurdity of society that confronted him. In this sense, since 1981, I began to broaden the focus of what I was filming, trying different angles and other opinions about what was happening. “ The trilogy Os Últimos Isolados talks about the development of the first contact policy, throughout the XX and XXI centuries, from Indians with the Brazilian society. With images of the first contact with Panará and Uru-Eu-Wau-Wau, and also from an attempt to have a contact with the Ava-Canoeiro group, Cowell carries out three movies, updating a 30 years documentation of dramatical struggle of these different Amazonian tribes, on the brink of extinction, protecting themselves from the civilized man relentless invasion. He shows the progress of the events and their consequences to these people, in their attempts to adjust to new conditions. “During the contact with the Kreen-Akrore / Panará I have acquired a deeper awareness of the forest. This dimension of the forest to which I refer can only be experienced by knowing

“Isto para mim é o verdadeiro ouro da floresta – um fragmento da humanidade enterrado desde o princípio dos tempos” tribos desconhecidas, primeiramente iniciada com Rondon e passada por seus oficiais para os irmãos Villas Bôas e deles para a geração de Apoena Meirelles e Sydney Possuelo. Essa tradição é uma técnica de contatar pessoas com quem você não pode falar, que nunca vê na bruma da floresta, e que, quase na sua totalidade, são de grupos que matam simplesmente ao avistar um civilizado.” Há mil anos, uma grande parte da raça humana era formada de tribos de caçadores e nômades. Hoje, há evidências de algumas poucas tribos desconhecidas que ainda se escondem do resto da humanidade. Essa trilogia de Adrian Cowell nos remete a Claudio Villas Bôas: “Isto para mim é o verdadeiro ouro da floresta – um fragmento da humanidade enterrado desde o princípio dos tempos”. O olhar solidário de Adrian Cowell nos desvenda os aspectos humanos e o cotidiano dessas vidas afetadas e destruídas por esse processo “civilizatório”. Seus documentários contribuirão imensamente para o debate político e cultural que envolve a Amazônia e trará à luz novos aspectos de sua história recente. À medida que Adrian e sua equipe filmavam os exploradores, os índios e os seringueiros, buscando soluções para seus problemas, estavam também observando um processo de evolução hesitante, que, há 20 anos, se firmou no movimento dos seringueiros pelas Reservas Extrativistas.

the approximation method for unknown tribes. This was firstly initiated by Rondon and passed by his officers to the Villas Boas brothers and from them to Apoena Meirelles and Sydney Possuelo generation. This tradition is a technique of contacting people with whom you cannot talk; you can never see in the haze of the forest, and, almost in its entirety, are groups that simply kill when they merely see a civilized. “ A thousand years ago, a large part of the human race was formed by hunters and nomads tribes. Today, there are evidences of a few unknown tribes that still hide from the rest of humanity. This Adrian Cowell´s trilogy reminds us of Claudio Villas Boas: “To me this is the true gold of the forest - a fragment of humanity buried since the beginning of time.” The sympathetic look of Adrian Cowell reveals the human aspects and the everyday lives of those people affected and destroyed by this “civilizing” process. His documentaries will contribute immensely to the political and cultural debate that surrounds Amazonia and bring to light new aspects of its recent history. As Adrian and his team filmed the explorers, the Indians and the rubber tappers, seeking solutions to their problems, they were also looking at a tentative process of evolution, which for 20 years established itself in the movement of extractive reserves for rubber tappers This movement started in the 1980s, enabled the gathering of Chico Mendes with Adrian Cowell. They had both lost their children and what would be a

homenagem tribute

83


Esse movimento, iniciado na década de 1980, possibilitou o encontro de Chico Mendes com Adrian Cowell. Os dois haviam perdido seus filhos e o que seria uma permanente lembrança transformou-se numa amizade. “Posso apenas pensar no Chico como um homem que foi especialmente gentil comigo no pior momento de minha vida.” Foi um golpe do destino, pois, no início do trabalho de Adrian com Chico Mendes, este e sua esposa Ilza haviam recentemente perdido um dos filhos gêmeos que acabara de nascer. Lentamente e com muita tenacidade, Chico tornou-se o líder que encaminhou a proposta política do Conselho Nacional dos Seringueiros em 1985. No ano seguinte, a Aliança dos Povos da Floresta surge como uma alternativa inovadora contra o desmatamento e pela sobrevivência econômica do homem na floresta. A participação das Reservas Extrativistas e Terras Indígenas nas políticas para os créditos de carbono é uma forma eficiente de preservar a floresta e criar oportunidades aos que lutam para mantê-la em pé, visando a soluções e avançando em direção ao que era impossível conceber 50 anos atrás. Hoje, apesar da devastação, há novas perspectivas. Portanto, existe esperança.

constant reminder turned into a friendship. “I can only think of Chico as a man who was especially kind to me at the worst moment of my life.” It was a stroke of fate, because in the beginning of Adrian´s work together with Chico Mendes, Chico and his wife Ilza had recently lost one of the twins who had just been born. Slowly and with great tenacity, Chico became the leader who followed the policy proposal from the National Council of Rubber Tappers in 1985. The following year, the Forest People Alliance emerges as an innovative alternative against deforestation and in favor of man´s economic survival in the forest. The extractive reserves and indigenous lands actions related to the policies for carbon credits is an efficient way to preserve the forest and create opportunities for those who fight to keep it standing, aiming at solutions and advancing toward what was inconceivable 50 years ago. Today, Citações de Adrian Cowell tiradas do livro The Decade despite the devastation, there are of Destruction, Headway-Hodder & Stonghton, new prospects. So, there is hope. Londres, 1990.  

Batida na Floresta Brasil / Brazil, 2005, 59’ Direção Director

A luta de Walmir de Jesus, o gerente do

Adrian Cowell IBAMA em Ji-Paraná, para conter o desFotografia Cinematographer

matamento desenfreado da Amazônia no

Vicente Rios estado de Rondônia. O filme mostra Walmir Edição Editor

Rod Hutson

combatendo a extração e a venda ilegal de madeira, corrupção na política e no funcionalismo público local, desemprego e invasões em áreas de Parques Nacionais e de índios isolados. The struggle of Walmir de Jesus, manager of IBAMA in Ji-Parana, to contain the rampant deforestation in the Amazon Forest located at Rondonia State. The film shows Walmir fighting against the extraction and illegal timber sales, against corruption in politics and local civil service, unemployment and invasions in National Parks and isolated Indians areas.

Adrian Cowell Quotes from the book

Stella Oswaldo Cruz Penido é graduada em The Decade of Destruction, HeadwaySociologia e Ciência Política pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é pesquisadora adjunta da Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ. É também coordenadora do Setor de Imagem em Movimento do Departamento de Arquivo e Documentação da Casa de Oswaldo Cruz/ DAD-COC.

Hodder & Stonghton, Londres, 1990. Stella Oswaldo Cruz Penido has a degree in Sociology and Political Science from Catholic University of Rio de Janeiro with a Master in Communication and Culture at the Federal University of Rio de Janeiro. She is currently an associated researcher of  Oswaldo Cruz - FIOCRUZ. She is also coordinator of the Motion Picture Department of Archives and Documentation of the Casa de Oswaldo Cruz / DAD-COC.

homenagem tribute

85


panorama histórico historical panorama If sustainability and environmental issues only got the headlines in recent years, cinema has been addressing these issues for decades. The idea of this historical panorama is to show a small sample of how the environmental issue attracted over the years the interest and creativity of important filmmakers from Brazil and from the world such as Agnès Varda (The Gleaners & I), Jorge Bodansky and Orlando Senna (Iracema, Uma Transa Amazônica), Andrea Tonacci (Serras da Desordem), Leon Hirzsman (Ecologia), Sergio Bianchi (Mato Eles?) Jorge Furtado (Ilha das Flores), Joaquim Pedro de Andrade (Brasília: Contradições de Uma Cidade Nova) and Francisco Ramalho Jr. and Reinaldo Volpato (Tietê, Um Rio que Morre na Grande Cidade).

Se a sustentabilidade e as questões ambientais só tomaram as primeiras páginas dos jornais nos últimos anos, o cinema tem se debruçado sobre tais questões há décadas. A ideia deste panorama histórico é exibir uma pequena amostra de como a questão ambiental despertou ao longo dos anos o interesse e a criatividade de importantes cineastas do Brasil e do mundo, como Agnès Varda (Os Catadores e Eu), Jorge Bodanzky e Orlando Senna (Iracema, uma Transa Amazônica), Andrea Tonacci (Serras da Desordem), Leon Hirzsman (Ecologia), Sérgio Bianchi (Mato Eles?), Jorge Furtado (Ilha das Flores), Joaquim Pedro de Andrade (Brasília: Contradições de Uma Cidade Nova) e Francisco Ramalho Jr. e Reinaldo Volpato (Tietê, Um Rio que Morre na Grande Cidade).

Ilha da Flores

panorama histórico historical panorama

87


Tietê, Um Rio que Morre na Grande Cidade Brasil / Brazil, 1976, 10’

Francisco Ramalho Jr., Reinaldo Volpato

França / France, 2000, 82’

Roteiro Writer

João Batista de Andrade Fotografia Cinematographer

Adilson Ruiz, Lúcio Kodato

De Salesópolis, onde nasce, até Mogi das Edição Editor Cruzes, o rio Tietê ainda mantém suas ca- Reinaldo Volpato racterísticas e funções naturais. A partir daí, no trecho que atravessa a Região Metropolitana, transforma-se em rede de despejo de esgotos domésticos e resíduos industriais. Suas águas cumprem, ainda, as funções de abastecimento de água e fornecimento de energia elétrica. Com auxílio de representação gráfica, o vídeo explica o sistema fluvial de São Paulo – Tietê, afluentes e barragens –, as modificações introduzidas pelo homem – como a reversão do curso do rio Pinheiros – e a represa Billings, com a dinâmica de seu funcionamento. From Salesópolis, where it was born until Mogi das Cruzes, the Tiete River still retains its natural characteristics and functions. Next, the stretch that runs through the metropolitan area, it becomes a network of dump sewage and industrial waste. Its waters meet even the functions of water supply and electricity supply. With the aid of graphical representation, the video explains the river system of São Paulo Tietê tributaries and dams - the changes made by man - as the course reversal of the River Pines - and the Billings dam with the dynamics of its operation.

Os Catadores e Eu

Direção Director

Direção Director

Em diversos lugares da França, Agnès, a

Agnès Varda diretora do filme, se depara com respigadoRoteiro Writer

res, extrativistas, vasculhadores e catadores.

Agnès Varda Por necessidade, puramente por acaso ou Fotografia Cinematographer

por escolha, estas pessoas coletam os itens

Stéphane Krausz, Didier deixados para trás, descartados por outros. Rouget, Didier Doussin, Pascal Sautelet, Agnès Seu mundo é surpreendente. É distante Varda do mundo dos antigos catadores, como as Edição Editor

camponesas que vasculhavam restos de trigo

Agnès Varda, Laurent deixados após a colheita. Batatas, maçãs, Pineau alimentos descartados, coisas sem donos,

relógios sem ponteiros são o que atraem os catadores de hoje. Mas a própria Agnès é uma catadora, e seu documentário é subjetivo. Não há idade limite para a curiosidade. O próprio ato de filmar é um ato de catar. Here and there in France, Agnès has come across gleaners, foragers, rummagers and scavengers.Through necessity, purely by chance or out of choice, these people pick up leftover items discarded by others. Their world is a surprising one. It is a far from the world of yesterday gleaners, peasant women who rummaged for bits of wheat left after the harvest. Potatoes, apples, discarded foodstuffs, things without owners, clocks without hands are the fare of today’s gleaners. But Agnès herself is just as much a gleaner, and her documentary is subjective. There’s no age limit to curiosity. Filming itself is gleaning.

panorama histórico historical panorama

89


Brasília: Contradições de uma Cidade Nova

Ilha das Flores Brasil / Brazil, 1989, 13’

Brasil / Brazil, 1967, 23’ Roteiro Writer

Imagens de Brasília em seu sexto ano e entrevistas com diferentes categorias de habitantes da capital. Uma pergunta estrutura o documentário: uma cidade inteiramente planejada, criada em nome do desenvolvimento nacional e da democratização da sociedade, poderia reproduzir as desigualdades e a opressão existentes em outras regiões do país?

Joaquim Pedro de Andrade, Luís Saia e Jean-Claude Bernardet Fotografia Cinematographer

Affonso Beato Edição Editor

Bárbara Riedel Filme sob a guarda do Arquivo Nacional Film under the custody of the National Archives

Um tomate é plantado, colhido, transportado e vendido em um supermercado, mas apodrece e acaba no lixo. Acaba? Não. O filme segue seu percurso até seu verdadeiro final, Direção Director Jorge Furtado entre animais, lixo, mulheres e crianças. E Roteiro Writer então fica clara a diferença que existe entre Jorge Furtado tomates, porcos e seres humanos. Fotografia Cinematographer

Roberto Henkin, Sérgio A tomato is planted, harvested, transported and Amon sold in a supermarket, but it rots and ends up in Edição Editor

the trash. End? No. Flower Island follows it up

Giba Assis Brasil to its true end between animals, trash, women

and children. And then it becomes clear the difference that exists between tomatoes, pigs and humans.

Images of Brasilia in its sixth year and interviews with differents categories of the capital´s inhabitants. One question structures the documentary: could a completely planned city, created in the name of national development and democratization of society, reproduce existing inequalities and oppression in other parts of the country?

panorama histórico historical panorama

91


Iracema, Uma Transa Amazônica

Serras da Desordem

Brasil / Brazil, 2006, 135’

Brasil / Brazil, 1974, 90’

Carapirú é um índio nômade, que após escapar do massacre de seu grupo familiar em 1977, perambula sozinho pelas serras do Brasil central até ser capturado dez anos depois a 2000 Km de distância de seu ponto de partida. Levado para Brasília pelo sertanista Sydney Possuelo, torna-se manchete nacional e centro da polêmica criada por antropólogos e linguistas quanto à sua origem e identidade. Carapirú is a nomad indian who, after escaping the massacre of his family group in 1977, wanders alone through the mountains of central Brazil until he was captured 10 years later, 2000 km away from its starting point. Brought to Brasilia by Sydney Possuelo he becomes national headlines and center of a controversy created by anthropologists and linguists with regard to his origin and identity.

Direção Director

Andrea Tonacci Roteiro Writer

Andrea Tonacci Fotografia Cinematographer

Aloysio Raulino, Alziro Barbosa, Fernando Coster Edição Editor

Cristina Amaral

Direção Director

Em 1970, um motorista de caminhão sulista

Jorge Bodanzky, Orlando Senna conhece Iracema, uma jovem índia prostiRoteiro Writer

tuída, durante as festas do Círio de Nazaré

Orlando Senna em Belém do Pará. Dá uma carona para Fotografia Cinematographer

ela, a deixando em um lugarejo no meio da

Jorge Bodanzky estrada. A viagem, como todo o filme, serve Edição Editor

Jorge Bodanzky, Eva Grundman

como pretexto para que sejam mostrados os problemas da região – desmatamento, más condições de trabalho e saúde, venda de camponeses em confronto com a fantasiosa propaganda institucional. In 1970, a truck driver from the southern, in Belém, during the festivities of the Candle of Nazareth, knew Iracema, a young Indian prostitute. He gives her a ride, leaving her in a village in the middle of the road. The trip, like all the film serves as an excuse to show the region’s problems - deforestation, poor work and health conditions, peasants sales in confrontation with the fanciful institutional advertising.

panorama histórico historical panorama

93


Mato Eles?

Ecologia

Brasil / Brazil, 1983, 33’

A Funai é um órgão de proteção indígena ou uma indústria de extração de madeira? O último índio da tribo Xetá deve ser tombado pelo patrimônio histórico? Você é a favor de que o extermínio indígena no Brasil seja imediato (vala comum) ou gradativo? É melhor negócio comprar a terra indígena e retirar a madeira ou denunciar quem faz isso? O filme mostra os últimos índios da reserva de Mangueirinha, a sudoeste do Estado do Paraná, que estão sendo suavemente exterminados com a conivência daqueles que deveriam protegê-los. Is Funai an Indian protection agency or a logging industry? The last Xetá´s tribe indian must be registered or listed at the National Heritage? Are you in favor the extermination of indigenous people in Brazil be immediate (mass grave) or gradual? It’s better business to buy Indian land and remove the timber, or denounce those who do it? The film shows the last of the Indian reserve of Mangueirinha (Mangalore), in the southwest of Paraná State, being gently wiped out with the connivance of those who should protect them.

Brasil / Brazil, 1973, 10’ Direção Director

Sérgio Bianchi Roteiro Writer

Jacob César Piccoli, Sérigo Bianchi Fotografia Cinematographer

Pedro Farkas Edição Editor

Eduardo Albuquerque, Sérgio Bianchi

Direção Director

Leon Hirszman Roteiro Writer

Mauro Fernandes Argento, Jorge Soares Marques Fotografia Cinematographer

Luiz Carlos Saldanha Edição Editor

Nello Melli

Um dos primeiros documentários brasileiros a tratar diretamente do tema, realizado no início da década de 70, denuncia os efeitos nefastos do crescimento industrial descontrolado sobre o meio ambiente. É uma vigorosa denúncia contra a exploração desenfreada dos recursos naturais e clama pela revisão dos padrões de comportamento para evitar que o mundo físico, doente, venha a perecer. One of the first Brazilian documentaries to address directly the theme, held in the early 70s, Ecology denounces the harmful effects of uncontrolled industrial growth on the environment. It is a vigorous denunciation against the unbridled exploitation of natural resources and calls for revision of behavior standards to prevent the physical ill world from perishing.

panorama histórico historical panorama

95


mostra infantil children’s festival Os Sem Floresta

It is important not only to act in the current time, but also to think about the future and about the new generations - and how we are preparing our children to understand the challenges they will have on environmental preservation. The four animations programmed in this section show how different countries and filmmakers try to pass those lessons to their younger generations, whether in France (Kiriku and the Sorceress), Germany (Konferenz der Tiere) or U.S. (Wall-E and Over the Hedge).

É importante não apenas agirmos no presente, mas pensarmos também no futuro e nas novas gerações – e como conscientizarmos nossas crianças sobre os desafios que terão na preservação ambiental. As quatro animações programadas nesta seção mostram como diferentes países e cineastas tentam passar esses ensinamentos para suas novas gerações, seja na França (Kiriku e a Feiticeira), Alemanha (Animais Unidos Jamais Serão Vencidos) ou EUA (Wall-E e Os Sem-Floresta).

Wall-e

mostra infantil children’s festival

97


Kiriku e a Feiticeira

França, Bélgica, Luxemburgo / France, Belgium, Luxembourg, 1998, 74’

Em uma pequena vila da África, nasce um Direção Director menino chamado Kiriku. Mas ele não é um Michel Ocelot menino comum, pois sabe muito bem o que Roteiro Writer quer. Além disso, ele já sabe andar e falar. Michel Ocelot Sua mãe lhe conta como uma feiticeira má Edição Editor secou a primavera e devorou todos os ho- Dominique Lefèvre mens da vila exceto um. Por isso o pequeno Kiriku decide acompanhar o último guerreiro até a feiticeira. Devido à sua coragem ele pode ser a última esperança da vila. In a little village somewhere in Africa, a boy named Kirikou is born. But he’s not a normal boy, because he knows what he wants very well. Also he already can speak and walk. His mother tells him how an evil sorceress has dried up their spring and devoured all males of the village except of one. Hence little Kirikou decides he will accompany the last warrior to the sorceress. Due to his intrepidity he may be the last hope of the village.

Direção Director

Animais Unidos Jamais Serão Vencidos

Reinhard Klooss, Alemanha / Germany, 2010, 93’ Holger Tappe Roteiro Writer

Quando uma enorme barragem e um resort

Oliver Huzly, Reinhard bloqueiam o abastecimento de água da Klooss, Klaus Richter, planície africana, os animais – muitos deles Sven Severin Edição Editor

inimigos implacáveis – se unem para fazer as

Alexander Dittner coisas voltarem ao normal.

When a massive dam and resort complex blocks off the water supply to the African plain the animals – many of them implacable enemies – come together to put things right.

mostra infantil children’s festival

99


Wall-E

Os SemFloresta

EUA / USA, 2008, 98’

Em um futuro distante, um pequeno robô coletor de lixo embarca em uma jornada espacial que decidirá o destino Direção Director da humanidade. Andrew Stanton Roteiro Writer

In the distant future, a Andrew Stanton small waste collecting robot Edição Editor inadvertently embarks on a space Stephen Schaffer journey that will ultimately decide the fate of mankind.

EUA / USA, 2006, 83’

Um esperto guaxinim convence uma família de animais da floresta a ajudá-lo a pagar uma dívida de comida, invadindo o novo Direção Director bairro suburbano que surgiu enquanto eles Tim Johnson, Karey hibernavam... E aprende uma lição sobre o Kirkpatrick que pode ser uma família. Roteiro Writer

Len Blum, Lorne A scheming raccoon fools a mismatched family Cameron, David Hoselton, Karey of forest creatures into helping him repay a debt Kirkpatrick of food, by invading the new suburban sprawl Edição Editor

that popped up while they were hibernating...

John K. Carr and learns a lesson about family himself.

mostra infantil children’s festival

101


Cine Livraria Cultura 16.mar sexta-feira

19.mar segunda-feira

14h30 The Warriors of Qiugang

14h30 All for the Good of the

(39min)

Biutiful Cauntri (79min) 16h45 Blood in the Mobile (82min) 18h30 If a Tree Falls: A Story

of the Earth Liberation Front** (85min) 20h30 Debate Ativismo Sam Cullman, Sergio Leitão, Maria Zulmira, Marcelo Cardoso

World and Nosovice* (82min) 16h30 Tchernobyl, une

Histoire Naturelle? (90min) 18h30 Overdrive: Istanbul

in the New Millennium* (80min)

20h30 Debate Povos e Lugares

Aslihan Unaldi, José Eli da Veiga, Ladislau Dowbor

17.mar sábado

20.mar terça-feira

14h30 Recife Frio* (24min)

14h30 The Cove* (92min) 16h30 Bag It! (74min) 18h30 Gasland (107min) 20h30 Crude (105min)

A Terra da Lua Partida** (52min)

16h30 There Once Was

an Island** (80min) 18h30 Debate Mudanças Climáticas

21.mar quarta-feira

Briar March, Marcos Negrão

18.mar domingo

14h30 Into Eternity (75min) 16h30 Up the Yangtze (93min) 18h30 À Margem do Xingu – Vozes não

14h30 O Veneno Está na Mesa

20h30 Debate Energia

20h30 Cool It (87min)

* exibição em 35mm / 35m projectiom ** sessão com a presença do diretor / session attended by the film director

(49min)

programação programming

16h30 The Light Bulb

Conspiracy** (75min) 18h30 Debate Consumo

Cosima Dannoritzer, Helio Mattar, Lisa Gunn 20h30 Food, Inc. (94min)

Consideradas (90min) Gary Marcuse, André D’Elia, Celio Bermann

22.mar quinta-feira 14h30 The Well – Water

Voices from Ethiopia (54min) 15h45 Life for Sale (65min) 17h15 Waking the Green

Tiger** (78min) 19h00 Sertão Progresso** (72min) 20h30 Debate Água

Cristian Cancino, Pedro Jacobi, Yvonilde Medeiros,Humberto Caldeira Cinque

103103


MIS . Museu da Imagem e do Som

Cine Sabesp 16.mar sexta-feira

19.mar segunda-feira

15.mar quinta-feira

20.mar terça-feira

15h00 À Margem do Xingu – Vozes não

16h00 Up the Yangtze (93min) 18h00 Into Eternity (75min) 20h00 Corumbiara (117min) )

09h00 Wall-E (98min) 14h00 Wall-E (98min)

09h00 Kiriku e a Feiticeira (74min) 14h00 Animais Unidos Jamais

16.mar sexta-feira

16h30 Corumbiara (117min) 19h00 Batida na Floresta (59min) 20h00 Debate Homenagem

Consideradas (90min) 16h45 O Veneno Está na Mesa (49min)

18h00 Food, Inc. (94min) 20h00 The Light Bulb

Conspiracy** (75min) 22h00 Waking the Green

Tiger (78min)

17.mar sábado 16h00 All for the Good of the

World and Nosovice* (82min) 18h00 Overdrive: Istanbul in the New Millennium (80min)

20h00 Tamboro (90min) 22h00 Tchernobyl, une

Histoire Naturelle? (90min)

20.mar terça-feira 16h00 À Margem do Xingu – Vozes não

Consideradas (90min) 18h00 Sertão Progresso (72min) 19h30 Life for Sale (65min) 21h00 The Well – Water Voices from Ethiopia (54min)

21.mar quarta-feira 16h00 Corumbiara (117min) 18h15 Blood in the Mobile (82min) 20h00 The Warriors of Qiugang

(39min)

Biutiful Cauntri (79min)

18.mar domingo

22.mar quinta-feira

14h00 Crude (105min) 16h00 Gasland (107min) 18h00 Bag It! (74min) 20h00 The Cove* (92min) 22h00 If a Tree Falls: A Story

16h00 Cool It (87min) 18h00 There Once Was

of the Earth Liberation Front (85min)

an Island (80min) 20h00 Recife Frio* (24min) A Terra da Lua Partida (52min)

09h00 Os Sem Floresta (83min) 14h00 Os Sem Floresta (83min)

17.mar sábado 16h00 Sessão Curtas

Ecologia (13min); Tietê, Um Rio Que Morre na Grande Cidade (10min); Ilha das Flores (12min); Mato Eles? (39min); Brasília, Contradições de Uma Cidade Nova* (23min) 18h00 Os Catadores e Eu* (82min) 20h00 Iracema, uma Transa Amazônica* (90min)

18.mar domingo 18h00 Tamboro (90min) 20h00 Sessão Curtas Ecologia (13min); Tietê, Um Rio Que Morre na Grande Cidade (10min); Ilha das Flores (12min); Mato Eles? (39min); Brasília, Contradições

Serão Vencidos (93min)

Felipe Milanez, Vicente Rios, Stella Oswaldo Cruz Penido, Daniel Santiago

21.mar quarta-feira 17h30 Iracema, uma

Transa Amazônica* (90min) 19h30 Serras da Desordem* (135min)

22.mar quinta-feira 09h00 Animais Unidos Jamais

Serão Vencidos (93min) 14h00 Kiriku e a Feiticeira (74min) 17h30 Serras da Desordem* (135min) 20h00 Os Catadores e Eu* (82min)

de Uma Cidade Nova* (23min)

105105


ATIVISMO activism Sam Cullman

Sam Cullman é fotógrafo, produtor e diretor de documentário com mais de uma década de experiência. Trabalhou em cenários dos mais diversos – de campanhas presidenciais, salas de parto e campos de refugiados a estúdios de Bollywood, presídios e zonas pós-desastre. Graduado pela Brown University, onde se formou em Estudos Urbanos e Artes Visuais, Sam vive e trabalha no Brooklin. Diretor de If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front Sam Cullman is a cinematographer, producer and director of documentaries with over a decade of experience. Sam has worked in a wide range of settings - from presidential campaign trails, delivery rooms and refugee camps, to Bollywood soundstages, prisons and post-disaster zones. A graduate of Brown University, where he majored in Urban Studies and the Visual Arts, Sam lives and works in Brooklyn, New York. Director of If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front. Sergio Leitão

debatedores debaters

Sergio Leitão é advogado, especializado em direito ambiental, trabalha para o movimento social e ambiental desde a década de 80 e atualmente atua na diretoria de campanhas do Greenpeace Brasil. Sergio Leitão is a lawyer specialized in environmental law, he works for social and environmental movements since the 80’s and currently serves on the board of campaigns for Greenpeace Brazil. Maria Zulmira

Maria Zulmira é uma das pioneiras em comunicação sustentável no Brasil e na América Latina, sendo reconhecida por

seu trabalho no Repórter Eco, EcoPrático e Sustentáculos. Atualmente, é diretora da Planetária Soluções Sustentáveis, empresa especializada em comunicar sustentabilidade, na qual é responsável pela Gestão de Comunicação do Corredor Ecológico do Vale do Paraíba, além de ser coordenadora geral da primeira plataforma de ativismo ambiental do Brasil, a Revela. Maria Zulmira is a pioneer in sustainable communication in Brazil and Latin America, being known for her work at Eco Reporter, Eco Prático and Sustentáculos. She is currently director of Planetária Soluções Sustentáveis, an enterprise specialized in communicating sustainability, in which she is responsible for the Communication Management of the Ecological Corridor of the Paraíba Valley, and is general coordinator of the first platform of environmental activism in Brazil, the Revela. Marcelo Cardoso

Marcelo Cardoso é advogado, especializado em políticas públicas, gestão ambiental, direito ambiental e geotecnologias em gestão ambiental. Atua em organizações socioambientais desde 1998, entre as quais ISA, Vitae Civilis, ANAP, ABDL, CDHEP e SEAE, na promoção de políticas públicas, mobilização da sociedade na conservação de mananciais metropolitanos, planejamento do uso do solo, gestão ambiental e na proteção de comunidades vulneráveis. Colabora com a gestão e execução de vários projetos do Vitae Civilis relativos à conservação de mananciais, mudanças de clima, e políticas para desenvolvimento sustentável. Marcelo Cardoso is a lawyer, specialized in public policy, environmental management, environmental law and geotechnologies in environmental management. He works for social and environmental organizations

107


since 1998, including ISA, Vitae Civilis, ANAP, ABDL, CDHEP and SEAE, in the promotion of public policies, mobilization of society in the conservation of metropolitan wellsprings, land use planning, environmental management and in the protection of vulnerable communities. He collaborates with management and implementation of several projects of Vitae Civilis concerning the conservation of water sources, climate change, and policies for sustainable development.

MUDANÇAS CLIMÁTICAS climate changes Briar March

Briar é documentarista. Envolvida em questões ambientais e de direitos humanos, seus filmes são diferentes em estilo, mas  sempre  baseados em  um desejo apaixonado  de se comunicar.  Diretora de There Once was an Island.

CONSUMO consumption

POVOS E LUGARES people and places

Cosima Dannoritzer Aslihan Unaldi

Documentarista especializada em história, ciência e ecologia. Diretora de The Light Bulb Conspiracy. Documentary filmmaker specialized in history, science and ecology. Director of The Light Bulb Conspiracy. Helio Mattar

Helio Mattar é doutor em Engenharia Industrial pela Universidade de Stanford (EUA), idealizador, cofundador e diretor-presidente do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente. Foi cofundador do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, e atualmente é membro do conselho da organização.

Briar is a documentary filmmaker. Angered by environmental and human rights issues, her films are diverse in style, but consistently grounded in a passionate desire to communicate. Director of There Once was an Island.

Helio Mattar holds a PhD in Industrial Engineering from Stanford University (USA), creator, founder and CEO of the Akatu Institute for Conscious Consumption. He was co-founder of the Ethos Institute for Business and Social Responsibility, and is currently a board member of this organization.

Marcos Negrão

Lisa Gunn

Aslihan Unaldi  é roteirista, diretora e produtora, nascida e criada  em Istambul.  Graduou-se em  Relações Internacionais  e  em Fotografia  pela Universidade de Yale e é Mestre em Cinema  pela Tisch  School of Arts da Universidade de Nova Iorque.  Seu  premiado  curta-metragem  Razan  estreou no Festival de Cinema de Rotterdam em 2006  e passou a  percorrer o  circuito de festivais internacionais.  Overdrive: Istanbul in the New Millennium é  seu primeiro documentário  de longa-metragem. Aslihan Unaldi is a writer-director-producer, born and raised in Istanbul. She received her BA in International Relations and in Photography from Yale University. She received her MFA in film from New York University’s Tisch School of Arts. Her award winning short film Razan premiered at the Rotterdam Film Festival in 2006 and went on to travel the international festival circuit. Overdrive: Istanbul in the New Millennium is Unaldi’s first feature documentary. José Eli da Veiga

Dirigiu, produziu e fotografou os documentários Urubus Têm Asas e Birmânia – Dragão Adormecido, exibido no programa Fantástico da Rede Globo. A Terra da Lua Partida é seu primeiro longa-metragem como diretor. Directed, produced and photographed the documentaries Urubus Têm Asas and Birmânia – Dragão Adormecido, shown at program Fantástico from Rede Globo. A Terra da Lua Partida is his first feature film as a director

Lisa Gunn, socióloga graduada pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp e mestre em ciência ambiental na USP, é coordenadora executiva do Idec. Organizou a primeira edição da publicação “Consumo sustentável: manual de educação”. Lisa Gunn, a sociologist graduated at the Institute of Philosophy and Human Sciences at Unicamp and with a master’s degree in Environmental Science from USP, is executive coordinator of Idec. She organized the first edition of the publication «Sustainable consumption: education manual.»

José Eli da Veiga é professor dos programas de pós-graduação do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo e do Instituto de Pesquisas Ecológicas. Publicou 20 livros e é colaborador permanente das colunas de opinião do jornal Valor e da revista Página22. José Eli da Veiga is a professor of post-graduate programs at the Institute of International Relations from University of Sao Paulo and at the Institute for Ecological Research. He published 20 books and is a permanent collaborator of the opinion columns of the newspaper Valor and the magazine Página22.

Ladislau Dowbor

Ladislau Dowbor é professor de economia e administração na pós-graduação da PUC-SP. Ladislau Dowbor is economics and business administration professor for graduate school at PUC-SP.

HOMENAGEM tribute Felipe Milanez

Felipe Milanez é jornalista e advogado, mestre em ciência política pela Universidade de Toulouse, França. Foi editor das revistas Brasil Indígena e National Geographic Brasil, trabalhos nos quais se especializou em admirar e respeitar o Brasil profundo e multiétnico. Felipe Milanez is a journalist and lawyer, with master’s degree in political science at the University of Toulouse, France. He was editor of the magazines Brasil Indígena and National Geographic Brazil, works in which he specialized in admire and respect the deep and multiethnic Brazil. Vicente Rios

Vicente Rios é cinegrafista, fotógrafo e co-produtor do filmes do Adrian Cowell. Vinculado à Universidade Católica de Goiás, trabalhou com o diretor por mais de 30 anos. Vicente Rios is a cameraman, photographer and co-producer of the films of Adrian Cowell. Linked to the Catholic University of Goiás, he worked with the director for more than 30 years. Stella Oswaldo Cruz Penido

Stella Oswaldo Cruz Penido é graduada em Sociologia e Ciência Política pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e mestre em Comunicação e

109109


Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é pesquisadora adjunta da Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ. É também coordenadora do Setor de Imagem em Movimento do Departamento de Arquivo e Documentação da Casa de Oswaldo Cruz/ DAD-COC.

unidade BC do Sindicato dos Roteiristas do Canadá.  De 2004 a 2008  ele foi executivo de programação  para a televisão  CBC.  É diretor  de  Waking The Green Tiger.

Gary is a writer, director and producer of documentaries. He is the past president of the Documentary Organization Stella Oswaldo Cruz Penido has a de- of Canada and past president and nationgree in Sociology and Political Science from al representative of the BC chapter of the Catholic University of Rio de Janeiro with a Writer’s Guild of Canada. From 2004 to Master in Communication and Culture at 2008 he was a Programming Executive the Federal University of Rio de Janeiro. She for CBC television. He is the director of is currently an associated researcher of  Waking The Green Tiger. Oswaldo Cruz - FIOCRUZ. She is also coordinator of the Motion Picture Department of André D’Elia Archives and Documentation of the Casa de André D’Elia é cineasta, diretor do Oswaldo Cruz / DAD-COC. Daniel Santiago

Autodidata, o produtor e documentarista Daniel S. Santiago possui uma larga experiência na área audiovisual, desde produções de vídeos internos, institucionais, publicitários até a produção de filmes de longas-metragens, tais como Eles não usam Black-Tie, Pixote, Carandiru e The Emerald Forest, entre outros. The self-taught producer and documentary filmmaker Daniel S. Santiago has an extensive experience in the audiovisual field, from institutionals and advertising to the production of feature films such as Eles não usam Black-Tie, Pixote, Carandiru and The Emerald Forest, among others.

ENERGIA energy Gary Marcuse

Gary é roteirista, diretor e produtor  de documentários. Ele é o  ex-presidente da  Organização  de Documentários  do Canadá  e ex-presidente  e representante nacional  da

documentário A Margem do Xingu – Vozes Não Consideradas. André D’Elia is a filmmaker, director of the documentary A Margem do Xingu – Vozes Não Consideradas. Celio Bermann

Celio Bermann é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela USP, mestrado em Planejamento Urbano e Regional pela UFRJ e doutorado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela Unicamp. Atualmente é Professor Associado no Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP. É autor de diversas publicações, entre as quais o livro “Energia no Brasil: Para quê? Para quem? - Crise e alternativas para um país sustentável”. Celio Bermann is graduated in Architecture and Urbanism from USP, has a master degree in Urban and Regional Planning from UFRJ and Ph.D. in Energy Systems Planning at Unicamp. He is currently Associate Professor at the Institute of Electrical and Energy of USP. He is the author of several publications, including the book “Energy in Brazil: Why and for whom? - Crisis and  alternatives to a sustainable country”.

ÁGUA water

Yvonilde Medeiros

Cristian Cancino

Yvonilde Medeiros possui doutorado em Hidrologia pela University of Newcastle Upon Tyne-UK, mestrado em Hidráulica e Saneamento pela USP e graduação em Engenharia Civil pela UFBA. É professora da UFBA nos cursos de mestrado de Engenharia Ambiental e Urbana e Meio Ambiente, Águas e Saneamento. Coordenao projeto de pesquisa Rede de Pesquisa Ecovazão Estudo do Regime de Vazões Ecológicas para o Baixo Curso do Rio São Francisco: Uma Abordagem Multicriterial.

Cristian Cancino é jornalista formado pela PUC-SP. É diretor de documentários desde 1999, quando realizou A Soltura do Louco. Desde então, se dedica a projetos audiovisuais como diretor, roteirista e diretor de fotografia. É diretor do filme Sertão Progresso. Cristian Cancino is a journalist  graduated at PUC-SP. He is a documentary filmmaker since 1999, when he directed A Soltura do Louco. Since then, he dedicates himself to audiovisual projects as a director, screenwriter and cinematographer. He is the director of Sertão Progresso. Pedro Jacobi

Pedro Jacobi é Sociólogo, Mestre em Planejamento Urbano, Doutor em Sociologia e Livre Docente em Educação. Professor Titular da Faculdade de Educação e do Programa de PósGraduação em Ciência Ambiental da Universidade de São Paulo (PROCAMUSP). Coordenador do PROCAM USP 2010-2012. Coordenador do Laboratório de Governança Ambiental da USP- GovAmb USP. Editor da revista Ambiente e Sociedade. Pedro Jacobi is a Sociologist, Master in Urban Planning, PhD in Sociology and Professor of Education. He is also a Professor at the Education School and the Post Graduate Program in Environmental Science from  University of Sao Paulo (PROCAM-USP). Coordinator of the PROCAM USP 2010-2012. Coordinator of the Environmental Governance Laboratory at USP, USP-GovAmb, and Journal Environment and Society editor.

Yvonilde Medeiros has a Ph.D. in Hydrology from the University of Newcastle Upon Tyne, UK, MSc in Hydraulics and Sanitation from USP and a degree in Civil Engineering from UFBA. She is a professor of UFBA’s master›s courses in Environmental and Urban Engineering and Environment, Water and Sanitation. She coordinates the research project Research Network Ecovazão - Study of the Ecologic al Flows Regime for Lower São Francisco River Course: A Multicriteria Approach. Umberto Caldeira Cinque

Umberto Caldeira Cinque é Engenheiro Químico com MBA em Gestão Empresarial e Pós-graduação em Engenharia de Controle Ambiental. É atualmente Gerente Geral de Meio Ambiente da Fibria, empresa de celulose do Grupo Votorantim. Umberto Caldeira Cinque is a chemical engineer with a Master in Business Administration and post-graduated in Environmental Control Engineering. He is currently Environment General Manager on Fibria, a Votorantim Group’s company.

111111


I Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental I Ecofalante Environmental Film Festival 15 a 22 de março de 2012

patrocínio . sponsorship AES Eletropaulo Instituto Votorantim White Martins apoio . support Instituto Akatu KMComex Livraria Cultura Mobz Museu da Imagem e do Som – MIS Pix AV PROCAM-USP PUC Goiás/IGPA Sabesp Viena Projeto realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Programa de Ação Cultural 2011 realização . realization Ecofalante curadoria . artist director Francisco César Filho comissão de seleção selection committee Alex Andrade Aloysio Raulino Cândida Guariba Chico Guariba Cláudio Yosida direção geral . director Chico Guariba produção executiva . executive producer Daniela Guariba coordenação de produção production coordinator Alex Andrade Leonardo Mecchi assistente de produção production assistant Cândida Guariba pesquisa de filmes . film’s research Alex Andrade Cândida Guariba Carolina Freitas da Cunha receptivo . receptive Erika Fromm monitoria . monitoring Fabiana Amorim assessoria de imprensa . press office Foco Jornalístico

concepção visual, projeto gráfico e site visual and graphic design and website amatraca desenho gráfico revisão de textos . proofreading Rachel Ades tradução de textos . translation Partners Idiomas vinheta . vignette Mova Filmes tradução e legendagem eletrônica dos filmes translation and electronic subtitling of films 4estações tradução simultânea dos debates simultaneous translation of debates Green Sound Produções LB Tradução e Interpretação captação de recursos . fund raising Mona Cultural Patrolink agradecimentos . thanks Arquivo Nacional Cinemateca Brasileira Metropolitano Secretaria Estadual do Meio Ambiente Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente Adhemar Oliveira, Adriano Stringhini, Alice de Andrade, Andrea Santoro Silveira, André D’Elia, André Sturm, André Takahashi, Arthur Sens, Aslihan Unaldi, Bianca Alves Costa, Briar March, Caio Magri, Carlos Nobre, Carolina Wernechi, Celio Bermann, Cristian Cancino, Cosima Dannoritzer, Daniel Santiago, Diogo da Silva Quitério, Eduardo Jorge, Elsa Maglio, Fabiana Macedo de Holanda, Fábio Luiz Vasconcelos, Fábio Feldman, Felipe Milanes, Gary Marcuse, Hélio Mattar, José Eli da Veiga, José Roberto Sadek, Ladislau Dowbor, Liliana Sobron, Lisa Gunn, Lis Kogan, Lucas Bonini, Luciana Quadros Canassa, Marcos Martins, Maria Hirszman, João Pedro Hirszman, Marcelo Cardoso, Marcos Negrão, Maria Zumira, Mariana Menna, Marília Marton, Mário Mantovani, Myrna Baumann, Mônica Ribeiro, Mônica Nunes, Munir Soares, Oswaldo Lucon, Paulo Henrique Martinez, Pedro Herz, Pedro Jacobi, Priscila Cavichioli, Raquel Bidderman, Reginaldo Forti, Rodrigo Mathias, Sam Cullman, Sérgio Leitão, Sérgio Moriconi, Sibele Aparecida Viana, Stella Oswaldo Cruz Penido, Thiago André, Ulysses Telles Guariba Netto, Vicente Rios, Yvonilde Medeiros E todos os diretores, produtores e distribuidores que nos ajudaram a trazer os filmes para a Mostra.


apresentação

patrocínio

apoio

Projeto realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Programa de Ação Cultural 2011 apoio logístico

realização

mostra

de cinema

AMBIENTAL

Ecofalante  

A primeira edição da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, pretende chamar a atenção da população paulista para questões ambientais, de sus...

Ecofalante  

A primeira edição da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, pretende chamar a atenção da população paulista para questões ambientais, de sus...

Advertisement