Page 1

PUBLICAÇÃO

Ano 19 Nº113 Nov/Dez 2013

ISSN 2318-8162

R$12,00

O VERAO CHEGOU.

E O AUMENTO

NAS VENDAS TAMBEM!

Conheça as estratégias adotadas pela DISTRIBUIDORA JC, e veja como ela se prepara para essa temporada.

Tenha tempo para suas paixões Por Christian Barbosa

Segundo estudo, mercado global caminha para escassez de vinhos

Veja a opinião do IBRAVIN sobre o assunto

5ª Expobev/Confrebras 2013

O maior evento de bebidas nacionais do país apresentou grandes novidades


EDITORIAL

Palavra

ADIBE

Retrospectiva 2013 Como sempre, tivemos um ano difícil, mas que serviu de desafio e resultou em vitórias. Registramos avanços, novas conquistas, inovações, muita criatividade e mudanças velozes, que deram estímulos aos empresários e empreendedores de vários setores. Embora tenhamos tido várias manifestações de rua, parece que elas serviram de motivação para todos nós (povo, empresários, políticos), para refletirmos sobre um novo e geral posicionamento, em todos os níveis da sociedade. Esses movimentos mexeram com a alma das pessoas que gostam de desafios e, em razão disso, o mercado reagiu e deu início a uma nova etapa, que parece mais inovadora, agressiva, honesta, mercadológica e profissional. Esses empresários e empreendedores, independentemente das situações de ‘crise’, sentiram-se desafiados e então lutaram com seus conhecimentos, habilidades e atitudes (competência), ajudando na solidificação da economia do país. O mundo mudou muito nas últimas décadas. Ficou mais complexo e o consumidor muito mais inteligente, consciente e exigente (até demais!). Com isso, as empresas inovadoras e que respeitam sua verdadeira missão que é: “atender plenamente as necessidades do seu mercado”, se esmeraram em aprimorar e buscar seus resultados através da Tecnologia da Informação, e chegaram à conclusão que

2

revistadosedupla.com.br

“sempre haverá uma necessidade de vender”, como já preconizava o ‘guru’ Peter Drucker. É preciso melhorar o gerenciamento da informação. Passamos por várias incertezas em 2013, porém, conseguimos administrar e chegar aos resultados planejados. Para tanto, fomos ambiciosos sem ser gananciosos, sem buscar o lucro de qualquer forma. Senhores empresários e empreendedores, um novo cliente já se faz presente no mercado consumidor. Como a sua empresa está se preparando para atendê-lo? O treinamento de pessoal é de vital importância, assim como a consagração da marca, confiabilidade e presteza na prestação de serviços, além de cumprir com o que foi prometido (mostrando o caráter da empresa), e respeitando de fato o seu cliente. As expectativas para 2014 são extremamente positivas, não só pelas oportunidades geradas pela Copa do Mundo, mas também pelo mercado que se mostra promissor. Avance, crie, inove, gerencie, estimule seu pessoal, monitore sempre todas as ações e depois nos conte qual foi o resultado. Queremos saber do seu Sucesso!

Mário Ferreira Diretor Executivo


Sucesso.

É a melhor palavra para descrever a nova Revista da ADIBE . Você não pode ficar de fora. Se você gosta de grandes retornos, anuncie, as pessoas que buscam seus produtos e serviços estão folheando esta revista. Caso você ainda não seja um associado, associe-se e aproveite todas as vantagens que a ADIBE preparou para você e sua empresa.

W W W. R E V I S T A D O S E D U P L A . C O M . B R

bighead.com.br

PUBLICAÇÃO


w w w . revista d ose d u p l a . co m . br

DIRETORIA

Associação das Distribuidoras de Bebidas do Brasil

Diretor Executivo Mário Ferreira São Paulo / Zona Norte (Sede ADIBE) Conselho de Gestão Michael Alexander Abdalla Diniz Presidente - AMA Arujá Dist. de Produtos Alimentícios Ltda, Arujá (SP) Marcelo Fruet Vice-Presidente - Dobel Com. de Bebs. Ltda, Itu (SP) Brauner Caetano Pereira Tesoureiro - Com. de Bebs. e Doces Viena Ltda, São Paulo (SP) André Perlatti Secretário de Redação - Distribuidora de Bebidas JC, Jundiaí (SP) Leila Aiach Fonseca Secretário de Protocolo - Dist. de Bebs. Pirituba Ltda, São Paulo(SP) Conselho Consultivo Odair Morelli Mauá (SP) Gilberto Milanésio Osasco (SP) Anderson Minaré Barretos (SP) Jonas Bertucci Bilac (SP) Administrativo / Financeiro Rita de Cássia Feijó São Paulo / Zona Norte (Sede ADIBE) Credibesp José Eduardo O. de Freitas Gerente Financeiro (Sede ADIBE) Suellen Tragueta Xavier Rodrigues Auxiliar Administrativo (Sede ADIBE) Contato ADIBE Rua Alfredo Guedes, n° 72 - 1° Andar Cj. 12/13 - São Paulo - CEP 02034-010 Telefone: 55 (11) 2221-7343 E-mail: adibe@adibe.com.br Site: www.adibe.com.br

Publicada desde 1995 a revista Dose Dupla é o veículo de informação e consulta destinada aos empresários, executivos e profissionais do setor de bebidas. Com foco editorial para empresas distribuidoras e atacadistas de bebidas, varejistas, adegas, prestadoras de serviço, indústria, fornecedoras de insumos, tecnologia e equipamentos a Revista Dose Dupla se apresenta como uma excelente ferramenta para quem quer se comunicar e gerar negócios com essa importante vertente da economia nacional, seja por meio de publicidade, matérias, artigos, releases e informes publicitários. A Revista Dose Dupla conta com apoio permanente da ADIBE – ASSOCIAÇÃO DOS DISTRIBUIDORES DE BEBIDAS DO BRASIL que é uma das principais entidades do setor de bebidas no país, dirigida por um Conselho de Gestão, que congrega os interesses das mais conceituadas indústrias, empresas de distribuição, comércio e fabricantes de insumos em todo território nacional. Edição nº113 / Ano 19 - Novembro / Dezembro 2013 Editora e Agência de Comunicação BigHead Brand Creativity Conselho Editorial Mário Ferreira, Rita de Cássia Feijó, José Eduardo O. de Freitas, Henrique Favery e Daniela Oliveira Diretor Editorial Henrique Favery Jornalista Responsável Humberto Kaoru Kinjô MTB0198 Redatora Responsável Daniela Oliveira Edição Daniela Oliveira Assistente de Redação Gilberto Damante Assistente de Arte Fabrizio Ravanelli Revisora Responsável Fernanda Santos Ilustrações BigHead Brand Creativity Publicidade - Inforamo Serviços e Marketing Raul Urritia - (11) 9 8131-3685 / comercial@adibe.com.br Marketing e Relacionamento Rogério Oliva - (11) 9 7138-1709 / marketing@adibe.com.br Fale com a Dose Dupla (11) 2221-7343 / 2223-7373 / marketing@adibe.com.br Participe das Edições Envie sugestões de pautas ou novidades para redacao@revistadosedupla.com.br Tiragem / Circulação 2.100 Exemplares / Nacional Distribuição ADIBE em parceria com os Correios

Projeto Editorial Comunicação Projeto Gráfico Comercialização

Qualidade de Impressão

4

revistadosedupla.com.br

.br

om ad.c

w

.bighe ww


ÍNDICE

02 EDITORIAL 09 NEWS 15 ADIBE EM AÇÃO 18 TENHA TEMPO PARA

VIVER SUAS PAIXÕES POR CHRISTIAN BARBOSA

20 5ª EXPOBEV/CONFREBRAS 2013

CONFIRA AS NOVIDADES DO MAIOR EVENTO DE BEBIDAS NACIONAIS DO PAÍS

21 SEGUNDO estudo, mercado

global caminha para escassez de vinhos veja a opinião dO ibravin sobre o assunto

CAPA

24 O VERÃO CHEGOU.

E O AUMENTO NAS VENDAS TAMBÉM!

VEJA COMO A DISTRIBUIDORA JC SE PREPARA PARA ESTA TEMPORADA

27 CONSCIÊNCIA SEM MODERAÇÃO

RECICLAGEM: PEQUENAS ATITUDES GERAM GRANDES RESULTADOS

30 SAIA DA ROTINA

O TOUR DOS SONHOS: CONHEÇA A FÁBRICA DA BADEN BADEN EM CAMPOS DO JORDÃO

31 CURTA SEU MOMENTO

A CAIPIRINHA VILLE PREPAROU UM DRINK DELICIOSO E MUITO PRÁTICO PARA VOCÊ

6

revistadosedupla.com.br


NEWS

VINHOS BRASILEIROS SÃO APRESENTADOS A PÚBLICO ESPECIALIZADO NOS ESTADOS UNIDOS Apresentar as características dos vinhos brasileiros para um público especializado do maior mercado consumidor mundial do produto. Com este objetivo, foram realizadas duas Master Classes nos Estados Unidos, com o master sommelier Evan Goldstein (proprietário do restaurante Square One, em São Francisco). A primeira ocorreu em Washington, Distrito de Colúmbia (D.C), no dia 12 de novembro, no restaurante brasileiro Fogo do Chão. Já no dia 14 do mesmo mês, foi a vez de San Francisco receber a aula sobre os vinhos, na Churrascaria Espetus. As apresentações de 15 rótulos, de nove vinícolas brasileiras, são direcionadas a profissionais do mundo do vinho, incluindo sommeliers e donos de restaurantes. Participaram as vinícolas Casa Valduga, Don Guerino, Lidio Carraro, Miolo, Pizzato, Aurora, Geisse, Perini e Salton. A promoção é do Instituto Brasileiro do Vinho – Ibravin, por meio do Wines of Brasil, projeto de promoção do vinho brasileiro no exterior, realizado em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A gerente de promoção Comercial do Wines of Brasil, Roberta Baggio, ressalta a realização de eventos e de aulas direcionadas nos Estados Unidos para aumentar ainda mais a visibilidade do vinho brasileiro no mercado norte americano. Em outubro, a invasão brasileira em Nova York se deu através de dois eventos de grande porte, o Wine and Food Festival e Be Brasil, com profissionais e consumidores na cidade mais populosa do país. “Os Estados Unidos estão entre os nossos mercados mais importantes, portanto, promover aulas sobre os vinhos brasileiros é parte de nossa estratégia para aumentar a percepção e a identidade do Brasil como produtor de vinhos finos de excelente qualidade na mente de formadores de opinião neste mercado”, afirma Roberta. Em Nova York, o estande do Brasil teve presenças ilustres. Enquanto que no Be Brasil as vinícolas nacionais

receberam o chef brasileiro Alex Atala, no NY Wine & Food Festival os rótulos brasileiros foram degustados pela atriz Whoopy Goldberg.

O mercado americano

O país é o principal mercado consumidor de vinhos do mundo. Em 2012, foram comercializados 3,2 bilhões de litros, que representa 13% do consumo de vinhos no mundo. Outros dados que chamam a atenção é o consumo por habitante, que supera 10 litros por ano, e a preferência pelo produto por mais da metade (52%) dos adultos que consomem bebidas alcoólicas. No primeiro semestre deste ano, os Estados Unidos foram os maiores compradores de vinhos brasileiros.

“90% DOS CONSUMIDORES AFIRMAM JÁ TER TIDO EXPERIÊNCIAS RUINS COM ATENDIMENTO”, DIZ eCRM 123 Cerca de 90% dos consumidores brasileiros afirmam já ter vivenciado experiências de consumo desagradáveis no que tange o atendimento recebido na hora da realizar suas compras ou contratar serviços, incluindo o comércio tradicional e online. Isso é o que se pode concluir do estudo “Qualidade do Atendimento ao Consumidor no Brasil”, divulgado pela eCRM 123, empresa que atua no desenvolvimento de soluções para o gerenciamento do relacionamento do consumidor nas redes sociais. O estudo, que ouviu em profundidade 70 diferentes perfis de consumidores em todo o país, ressalta ainda que, do universo pesquisado, 81% se negariam a fazer negócios novamente com a empresa contratada e 88% não a indicariam para seus amigos e familiares. “A insatisfação geral com o atendimento ao consumidor pode trazer vantagens para as empresas que, de fato, estiverem dispostas a virar o jogo, mostrando competência e atenção com os consumidores”, afirma José Jarbas, CEO da eCRM 123, responsável pelo levantamento. revistadosedupla.com.br

9


NEWS

MERCADO DA CACHAÇA E AS OPORTUNIDADES DA COPA DO MUNDO 2014 Poucas coisas fazem parte da cultura e história brasileiras há tanto tempo e com a mesma intensidade quanto a cachaça. O principal ingrediente da caipirinha leva o nome, os sabores e os aromas do nosso país mundo afora. O produto nunca esteve tão em alta. Hoje, a bebida é saboreada no Brasil e no mundo por pessoas de diferentes classes sociais e poder aquisitivo.

CHUVA DE PRATA GLITZ EM KIT PARA PRESENTE Sugestão de presente da Cereser.

O setor de cachaça movimenta cerca de R$ 7 bilhões por ano, nas estimativas do Centro Brasileiro de Referência da Cachaça - CRBC. No entanto, alguns velhos hábitos estão sendo mudados com o tempo. Enquanto a indústria de cerveja investe R$ 600 milhões em marketing, a cachaça investe R$ 25 milhões. Deste valor, 90% é da cachaça industrial, segundo dados do CRBC. Os produtores esperam que a Copa do Mundo de 2014 represente o mesmo que a edição de 1986 foi para o México. O Mundial marcou o reconhecimento internacional da tequila como bebida tipicamente mexicana. É pensando neste novo panorama que o Clube do Alambique viaja pelo Brasil e seleciona, por meio de pesquisa e avaliação, cachaças de excelência de diversos produtores. Entre as iniciativas de promoção da bebida brasileira, o Clube faz parcerias com bares, restaurantes e empórios, promovendo a troca de informações, experiências e sensações relacionadas à cachaça. Oferece ainda dicas sobre harmonização da bebida com diferentes tipos de pratos, os elementos da análise sensorial da cachaça e seu uso na culinária e em drinques.

Informações e números sobre a cachaça:

• Estima-se que existam cerca de 40.000 produtores, com uma média de 4000 marcas de cachaça no país, que, juntos, exportam para um mercado que engloba entre 50 e 60 países. O principal deles é o europeu, com destaque para a Alemanha. • Segundo dados do Instituto Brasileiro da Cachaça - Ibrac, a indústria produz cerca de 1,2 bilhão de litros desta bebida por ano. Em 2012, 8 milhões de litros foram exportados, o equivalente a 0,66% do total.

10

revistadosedupla.com.br

Uma bebida de qualidade sempre é um bom presente. Pensando nos consumidores que procuram uma lembrança útil e apropriada para as festas de fim de ano, a Cereser, tradicional fabricante brasileira de bebidas, preparou duas opções de kits em embalagens especiais. O lançamento é o kit presente composto por uma garrafa de Chuva de Prata Glitz e um par de taças. Há ainda o jogo com uma Chuva de Prata Branca e duas taças em embalagem renovada. Os produtos podem ser encontrados nas gôndolas dos principais supermercados do país.


Caipirinha Ville apresenta kits de preparo para amantes da bebida tipicamente brasileira

a a receit Confira da pela sugeri a Ville h Caipirin ina 31 g á na p

Para atrair novos consumidores, empresa investe em comércio além do virtual Nada melhor que reunir os amigos e apreciar uma boa caipirinha seja ela a tradicional, feita com limão, açúcar, gelo e a cachaça, ou as variações com frutas da época. A bebida está entre os dez drinks mais importantes do mundo. É justamente para que esses momentos se tornem ainda mais especiais que a empresa nacional Caipirinha Ville desenvolveu uma linha diversificada de kits para o preparo da iguaria, com alta qualidade em todos os itens. Há opções para atender diferentes gostos, contendo cachaça prata ou ouro (branca ou envelhecida), copos de acrílico, misturadores, açúcar orgânico, macerador e avental em brim com estampa estilizada, tudo para facilitar a experiência. Tem ainda a possibilidade de personalização de acordo com o perfil do cliente.

Criado por Mario Caterina - empresário e diretor da Caipirinha Ville - o exclusivo, patenteado e inovador Fatiador de Frutas - ZAAZ está presente em todos os conjuntos. Trata-se de um utensílio desenvolvido para cortar as frutas em seis fatias iguais removendo o miolo de maneira ágil e prática de frutas como: limão, laranja, maçã, pera, goiaba, caqui, lima da pérsia, entre outras. Já conquistou prêmio internacional de inovação e não há nada igual no mercado. Inicialmente com disponibilidade apenas na própria loja virtual, agora Mario Caterina amplia para oferta em espaços físicos. De olho no público estrangeiro que adora a bebida típica brasileira e na maior força de vendas com os apreciadores. “Sabemos do potencial do nosso produto para fazer drinks. Queremos atingir mais consumidores. Por exemplo, se entrarmos nos free shops, certamente teremos um grande apelo de vendas para quem entra e sai do País”, destaca. No site www.caipirinhaville.com, é possível encontrar receitas, curiosidades sobre a cachaça e origem da caipirinha, além de vídeos explicativos sobre o uso do Fatiador de Frutas – ZAAZ. Os Kits poderão ser adquiridos na loja virtual: www.kitcaipirinhaville.com.br.


NEWS

CERVEJA É A BEBIDA ALCOÓLICA MAIS CONSUMIDA PELOS BRASILEIROS, AFIRMA PESQUISA

Segundo pesquisa online realizada pelo Conecta, plataforma web do IBOPE, a cerveja é a bebida alcoólica mais consumida entre os 1,2 mil internautas que responderam ao questionário. O levantamento mostrou que, nos últimos 30 dias, 68% das pessoas beberam cerveja, 42% beberam vinho, 24% tomaram vodka, 20%, uísque e 19% consumiram bebidas do tipo “ice”. O consumo da cerveja cresceu mais de 3,85% só este ano, de acordo com outra pesquisa, dessa vez realizada pela Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Acreditando na alta do mercado, empresários do ramo estão investindo em promoções e kits especiais para as festas de fim de ano. Duda Simonsen, sommelier de cerveja e sócia do site Beershop, que vende cervejas nacionais e importadas pela internet, observa que é esperado um aumento de 20% nas vendas de Natal deste ano em relação à 2012. A empresa preparou um kit para venda composto de três cervejas produzidas especialmente para o Natal, as belgas Delirium Christmas (330 ml), Gouden Carolus Christmas (330 ml) e St. Feuillien Cuvée de Noël (330 ml).

12

revistadosedupla.com.br

AdeS LANÇA EDIÇÃO ESPECIAL SABOR LIMONADA Atendendo a pedidos de seus consumidores, a AdeS lança edição limitada sabor Limonada, que estará disponível no mercado até julho de 2014. A embalagem especial foi inspirada nas cores verde e amarelo para refrescar os fãs da marca durante o verão, além de acompanhá-los na torcida pelo Brasil. “O sabor limonada já foi lançado em 2009 e depois de sua retirada do mercado, recebemos inúmeros pedidos de consumidores que estavam órfãos do sabor. Como ouvimos os consumidores em nossas redes sociais, sua opinião é nossa primeira fonte de inspiração ao lançarmos novos sabores”, diz Leandro Teixeira, gerente de marketing de AdeS. Disponível nas versões de 1 litro e de 200 ml, o sabor Limonada contém em sua fórmula, o Soy Force, mix único de proteína da soja, vitaminas e minerais. AdeS Limonada é uma combinação da proteína da soja com suco de limão natural, que ajuda a nutrir e fortalecer o corpo todos os dias. É 0% colesterol e 0% lactose, sem conservantes e fonte de ferro, zinco e vitaminas C, B2, B3, B6, B12 e ácido fólico.


GRUPO PETRÓPOLIS INAUGURA FÁBRICA COM ALTO PADRÃO DE TECNOLOGIA NA BAHIA Unidade de Alagoinhas, com capacidade para 6 milhões de hectolitros por ano, começa a operar e gera mais de 3600 postos de trabalho.

O Grupo Petrópolis, a segunda maior cervejaria do Brasil e a única grande empresa com capital 100% nacional do setor, intensifica sua presença no território brasileiro com a inauguração de sua primeira fábrica no Nordeste, em Alagoinhas, a 108 km de Salvador. Com capacidade de produção de 6 milhões de hectolitros por ano, a empresa investe aproximadamente R$ 600 milhões para o desenvolvimento da unidade fabril no período de 5 anos, podendo chegar até R$ 1,1 bilhão com o negócio de distribuição. Um dos destaques da nova unidade é a tecnologia, a mais moderna da América Latina, adquirida da empresa alemã Krones AG, que possibilita atingir a meta de 3,3 litros de água para cada litro de cerveja, proporção só alcançada por fábricas internacionais de ponta do setor.

A entrada na região Nordeste vem acontecendo progressivamente desde 2012, quando foi anunciada a construção da fábrica. Além da unidade de Alagoinhas, está sendo construída a unidade de Itapissuma, a 45 km de Recife (PE), para atender outros estados nordestinos. As duas fábricas aumentarão em 48% a capacidade de produção do Grupo. “O Nordeste é estratégico para uma empresa 100% brasileira”, afirma o Diretor de Mercado do Grupo Petrópolis, Douglas Costa.

Antes mesmo da inauguração, os produtos do Grupo Petrópolis já registraram boa aceitação do consumidor nordestino. Em cerca de 60 dias, com distribuição ainda parcial, nos meses de setembro e outubro, foram consumidos mais de 200 mil hectolitros de cerveja, em garrafas de 600 ml e latas de 350 ml de Itaipava. revistadosedupla.com.br

13


NEWS

IMPOSTÔMETRO MARCA

R$ 1,4 TRILHÃO

Pelo portal www.impostometro.com.br, é possível levantar os valores que as populações de cada estado e município brasileiro pagaram em tributos – neste ano e em períodos específicos.

Levantamento da Associação Comercial de São Paulo mostra carga tributária nos preços de bebidas alcoólicas. Os brasileiros já pagaram R$ 1,4 trilhão em impostos para a União, estados e municípios em 2013. Esse foi o valor marcado pelo Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), no dia 16/11, mais precisamente às 20h40. No ano passado, a marca foi atingida no dia 7/12 (18 dias depois na comparação com 2013) – o que revela um aumento da carga tributária.

SUFRESH LANÇA LINHA ESPECIAL DE NÉCTAR EM NOVA EMBALAGEM DA TETRA PAK®

“A maior parte dos brasileiros não sabe o quanto paga em impostos porque o sistema tributário não é transparente no país. Com a divulgação, esperamos que os cidadãos passem a se preocupar mais com a questão tributária e a exigir a contrapartida em serviços públicos de qualidade”, afirma Rogério Amato, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo Facesp. Veja a seguir, a carga tributária praticada no país em relação às bebidas, segundo levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP):

Carga tributária nos preços das bebidas Cachaça Caipirinha Cerveja (lata) Cerveja (garrafa) Champanhe Chope Espumante Vinho Vodca Uísque 14

revistadosedupla.com.br

81,87% 76,66% 55,60% 55,06% 59,49% 62,02% 59,49% 54,73% 81,52% 61,22%

A Sufresh, linha de néctares da WOW!Nutrition, lançou no mercado a nova linha Sufresh Néctar “+Fruta +Sabor”. Em embalagem Tetra Gemina® Aseptic Crystal, a primeira no Brasil, a novidade inaugura a categoria de néctar premium, já que oferece maior concentração de polpa de fruta (cerca de 60%), quase o dobro dos néctares existentes no mercado. Nos sabores uva e laranja, as novas bebidas apresentam um design atrativo e funcionalidade, já que a geometria inclinada do topo facilita o ato de servir. Além disso, a tampa HeliCap 27 tem uma abertura maior, melhorando em 30% o desempenho do fluxo da bebida. O design rígido e a altura da tampa também facilitam a pegada, reduzindo em até 60% a força necessária para abertura.


ADIBE EM AÇÃO

ADIBE RECEBE DELEGAÇÃO ANGOLANA EM SUA SEDE

por Daniela Oliveira

Visitantes vieram em busca de informação e conhecimento sobre o mercado de bebidas

brasileiro.

No dia 4 de novembro, a equipe da ADIBE recebeu em sua sede uma delegação angolana, composta por diretores e distribuidores da Refriango, empresa líder no setor de bebidas em Angola e em outros países africanos. O objetivo dos visitantes foi conhecer o funcionamento da distribuição de bebidas no Brasil, para que possam implantar uma política parecida em seu país de origem. No encontro, o diretor executivo da ADIBE, Sr. Mario Ferreira, apresentou detalhes do mercado distribuidor de bebidas no Brasil, e em São Paulo, mais especificamente, além de orientações sobre vendas, logística e suas particularidades. Delegação Angolana na Sede da ADIBE em São Paulo

revistadosedupla.com.br

15


ADIBE EM AÇÃO

Rapidinhas

ADIBE

Especial Verão: Cuide de sua saúde!

• Durante o período de verão, também ocorrem as férias e, na maioria das vezes, as viagens. Nesse período é comum surgir hábitos alimentares inadequados, portanto, é importante não descuidar da alimentação, optando sempre por alimentos de baixas calorias e evitando os gordurosos, como orienta a nutricionista Ellen Carolina, da Santa Casa de Mauá. Algumas ações podem salvar a dieta, como consumir carboidrato em 60% das refeições do dia; fazer entre cinco e seis refeições de pequeno volume; beber no mínimo dois litros de água e evitar o consumo excessivo de açúcar, carnes gordas, queijos gordurosos, molhos à base de creme de leite, maionese e frituras.

• A agitação da vida diária faz com que muitas vezes nossa memória comece a falhar. Quantas vezes nos pegamos esquecendo de coisas simples como o nome de algum conhecido ou onde deixamos as chaves? O estilo de vida é essencial para garantir a saúde do corpo e também a dos neurônios. Uma boa noite de sono para poder assimilar o que foi visto ao longo do dia, uma boa alimentação para nutrir todas as células e a prática de atividade física para ajudar o corpo a liberar enzimas de bem-estar são atitudes que colaboram para um cérebro saudável e uma memória em dia.

• Olhos também precisam de proteção contra os RAIOS UV. Especialistas alertam que a exposição prolongada ao sol sem proteção pode ser tão prejudicial aos olhos quanto à pele. A exposição ocular frequente à radiação UV ao longo dos anos pode causar sérios danos como a catarata, o câncer e outras doenças. Para prevenir os problemas provenientes do sol, é recomendado o uso de chapéu de abas largas e óculos escuros com filtro UV.

16

revistadosedupla.com.br


LOGGIA

Estes s達o os votos da Diretoria e Conselheiros Fiscais.


ARTIGO


Quando foi a última vez que você saiu do trabalho com energia total, disposição e vontade de estudar, fazer um exercício, ler um livro, brincar com seus filhos ou fazer algo diferente? Muitas pessoas não se lembram da última vez que conseguiram sair do trabalho com disposição para, literalmente, fazerem algo por suas vidas. Aliás, existem pessoas que trocam horas de descanso por trabalho. Uma pesquisa feita recentemente pela Regus, empresa que oferece soluções para flexibilizar ambientes corporativos, constatou que 27% dos profissionais brasileiros sacrificam o sono para dar conta dos compromissos diários. Entre os principais motivos para que isso aconteça estão os projetos de trabalho, que obrigam as pessoas a acordarem mais cedo ou passarem noites em claro. Estamos vivendo tão freneticamente que não percebemos que estamos deixando de lado as coisas que realmente precisam ser vividas. Os anos passam, mas não conseguimos sair desse círculo vicioso da pressa, do urgente, do “pra ontem”. O problema é que nesse turbilhão de coisas, a maioria das pessoas não consegue alcançar aquilo que querem de verdade. O problema raiz é que elas não alcançam seus desejos, pois não sabem de verdade o que querem. A falta de clareza gera uma série de opções e de decisões erradas. Roda-se em círculos, fica-se paralisado e nunca consegue usar todo seu potencial na busca daquilo que você realmente deseja. É duro pensar nisso, mas é uma realidade. Você já parou para pensar quais são as coisas que você realmente gosta, que é apaixonado? Experimente fazer uma lista com as dez paixões que gostaria de estar vivendo. Mesmo que não tenha, mentalize algo que gostaria de ter. Pode ser, por exemplo: passar mais tempo com sua família (filhos, pais, etc.), viver uma vida de forma abundante e próspera financeiramente, ser reconhecido pela sua competência e talentos na sua profissão, viajar e se divertir com seus amigos.

Da sua lista de dez coisas que ama fazer ou que gostaria de estar fazendo, organize o ranking das três mais desejadas. Se for viável, pense em alguma atividade que possa entrar na sua agenda nas próximas duas semanas e programe-se para fazer algo por essas prioridades. Sua lista de paixões dá um sinal e ajuda a complementar a pergunta essencial do que você deve fazer a si próprio para ter mais tempo: “O que é realmente importante na minha vida e como posso viver por isso nos próximos dias?”. Se você só ficar correndo, nunca vai conseguir parar e entender as coisas que realmente gosta, e vai sempre reclamar que o tempo passa rápido demais. Nesse caso, lembre-se que o tempo físico não mudou quase nada nos últimos séculos, mas que talvez você seja um “atleta do tempo” e nem percebeu.

Pare, ande e pense como viver pelas suas verdadeiras paixões.

Christian Barbosa - Maior especialista no Brasil em administração de tempo e produtividade. É CEO da Triad PS, empresa multinacional especializada em programas e consultoria na área de produtividade, colaboração e administração do tempo. Ministra treinamentos e palestras para as maiores empresas do país e da Fortune 100. Autor dos livros “A Tríade do Tempo”, “Você, Dona do Seu Tempo” e “Estou em Reunião”; e coautor do “Mais Tempo, Mais Dinheiro”. Sua mais nova obra é: “Equilíbrio e resultado – Por que as pessoas não fazem o que deveriam fazer?”. www.triadps.com.br e www.maistempo.com.br

revistadosedupla.com.br

19


MERCADO

5ª EXPOBEV/CONFREBRAS 2013

O maior evento de bebidas nacionais do país apresentou grandes novidades.

Dois fatos marcaram a 5ª Expobev/Confrebras 2013, que ocorreu em outubro, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. O primeiro deles foi o lançamento da Associação Brasileira de Microcervejarias, que nasceu para lutar pelas ações que promovam o desenvolvimento do setor. A segunda novidade foi o convênio assinado entre representantes do Senai-RJ e do Instituto Brasileiro de Cachaça – IBRAC, voltado à capacitação dos empreendedores de cachaça de todo o Brasil. Ficou estabelecido que a Associação Brasileira de Microcervejarias será presidida por Marcelo Carneiro da Rocha, da Cervejaria Colorado, que se comprometeu a defender uma tributação mais adequada para o segmento, de maneira que possa ter condições de ampliar sua posição no mercado, hoje predominantemente dominado pelas grandes corporações. “Atualmente, os 300 microcervejeiros existente no país têm uma participação de menos de 1% do mercado. Somos pequenos, mas somos brasileiros e o governo precisa nos ajudar a crescer.” No caso da parceria entre o Senai-RJ e o IBRAC, pequenos produtores de cachaça de todo o Brasil terão acesso a programas de formação e qualificação profissional, ensaios e análises nos laboratórios do Senai, bem como projetos estratégicos nas áreas de qualidade, segurança de alimentos e de informação, saúde ocupacional, sustentabilidade, responsabilidade social, entre outros. “Serão oferecidos aos produtores de cachaça, sobretudo os de pequeno porte, treinamentos de capacitação para melhorar e ampliar todo o universo da cachaça nacional. Nossa meta é estudar e desenvolver o trabalho dos empreendedores da bebida que já foi estritamente ligada à história da escravidão e acompanhou a formação de nossa nacionalidade, cumprindo um importante papel na economia colonial”, afirma o presidente do IBRAC, Vicente Bastos Ribeiro, que assinou o acordo. Por parte do Senai-RJ, o convênio foi assinado pelo gerente executivo do Centro de Tecnologia de Alimentos e Bebidas do órgão, Antonio Tavares, que relatou que o Senai-RJ reunirá recursos e expertise necessários para valorizar a cachaça nacional. 20

revistadosedupla.com.br

Futuro da indústria brasileira de bebidas Na cerimônia de abertura da 5ª Expobev/Confrebras 2013, os congressistas debateram questões como a alta tributação das pequenas e médias empresas de bebidas nacionais, a concorrência desleal, bem como o ingresso das pequenas e médias indústrias de bebidas frias no Simples Nacional, no painel setorial “O Futuro da Indústria Brasileira de Bebidas”, organizado pela Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil – Afrebras. De acordo com o presidente da Afrebras, Fernando Rodrigues de Barros, é imprescindível que o futuro das empresas de bebidas regionais seja amplamente debatido, visto que o setor está diminuindo e, por outro lado, nota-se uma concentração de mercado. “Hoje, grande parcela do setor de refrigerantes está dominado por poucas empresas, as gigantes do mercado, que registram um faturamento acima de 90%”, analisa o líder setorial. “Em 1990, atuavam no mercado brasileiro 850 empresas, as quais produziam nove milhões de litros de bebidas. Hoje são apenas 180 pequenas e médias indústrias em todo o Brasil. Contudo, a produção aumentou: anualmente, são produzidos 16 milhões de litros de refrigerantes. Se a situação não mudar, mais empresas fecharão suas portas, gerando ainda mais desemprego”. Durante o painel, o presidente da Afrebras levantou a seguinte questão: “Por que não podemos comercializar nossos produtos no Aeroporto de Congonhas ou Guarulhos, por exemplo? É desnecessário fazer esforços para compreender que somos impedidos de vender nossas mercadorias nesse tipo de local”, desabafa. continua...

...continue lendo esta matéria na nossa página do Facebook FACEBOOK.COM/REVISTADOSEDUPLA *Você precisa estar conectado à sua conta do Facebook.


ESPECIAL VINHOS

SEGUNDO ESTUDO, MERCADO GLOBAL CAMINHA PARA ESCASSEZ DE VINHOS Pesquisa indica que a produção de vinhos não está acompanhando a demanda global. Veja o que o IBRAVIN, uma das autoridades do assunto no país, pensa disso. O mundo está enfrentando uma escassez de vinhos devido ao aumento na demanda e a uma queda na produção global. Essa é a conclusão de um estudo conduzido pelo departamento de pesquisa do banco Morgan Stanley. Para se ter uma ideia, 300 milhões de caixas de vinho deveriam ter sido produzidas a mais no ano passado a fim de atender a demanda global. Este é o maior déficit registrado nos 40 anos em que são feitas as medições.

Segundo os autores do estudo, Tom Kierath e Crystal Wang, a queda na produção está acontecendo principalmente pelas condições climáticas desfavoráveis na Europa e também pela ‘arrachage’ (como é chamada em francês a prática em destruir parte das vinícolas para evitar a superprodução e o achatamento dos preços). De acordo com a pesquisa, a produção de vinhos na Europa caiu cerca de 10% no ano passado e 25% desde o pico de 2004. Ao mesmo tempo, a produção de vinho no chamado “novo mundo” do setor – Estados Unidos, Austrália, Argentina, Chile, África do Sul, Nova Zelândia e Brasil – vem crescendo continuamente. “Com o cenário de aperto na Europa, os maiores exportadores do ‘novo mundo’ devem se beneficiar com a demanda crescente dos mercados de exportação”, afirmam os pesquisadores. Demanda e preços altos Em 2012, a produção de vinho também caiu a seu menor nível, em mais de quatro décadas. A produção global da bebida vem declinando desde que atingiu um pico em 2004, quando a oferta superou a demanda em 600 milhões de caixas. Produção de vinhos na Europa caiu 10% no ano passado Ao mesmo tempo, o consumo vem aumentando desde 1996. Atualmente, são consumidas 3 bilhões de caixas de vinho por ano, produzidas por mais de um milhão de produtores em todo o mundo. Os autores preveem que o atual cenário resultará em um aumento significativo da demanda de exportação e no aumento dos preços. Ainda segundo o estudo, os franceses se mantêm no topo da lista dos maiores consumidores de vinho (12% da produção total), com uma pequena margem de diferença em relação aos americanos (também de 12%). O estudo diz ainda que os Estados Unidos, juntamente com a China (5º maior mercado de vinhos do mundo), são vistos como os países que mais impulsionam o consumo da bebida globalmente.


ESPECIAL VINHOS

países consumidores. O Brasil pode se enquadrar nestes mercados com capacidade de expansão no consumo, já que temos ainda um número muito baixo de consumo anual de litros por habitante.

A equipe da Revista Dose Dupla conversou com Andreia Gentilini Milan, diretora de Promoção do IBRAVIN – Instituto Brasileiro do Vinho sobre esse estudo. Veja abaixo!

Dose Dupla: Andreia, essa conclusão da pesquisa tem um tom sensacionalista ou poderá realmente diminuir a produção global de vinhos? Andreia Gentilini: Com base nos dados oficiais da Organização Internacional do Vinho - OIV (entidade que acompanha, entre outros dados, o desempenho do consumo mundial), é possível dizer que o que ocorreu foi a diminuição entre a oferta e a demanda de vinhos no mundo, mas nenhum relatório oficial afirma que faltará vinho. Com base nisto, não temos subsídios para concluir e acreditar que isto possa acontecer. Em relação ao Brasil, nosso país não será afetado, porque temos um mercado em expansão: de janeiro a outubro registramos um crescimento de 10,7% nas vendas no mercado interno. A venda de vinhos finos brasileiros cresceu mais de 7%, com a comercialização de 16,8 milhões de litros, e os vinhos de mesa também cresceram, com a venda de mais de 187 milhões de litros. É justamente o vinho de mesa que sempre registra estoques excedentes, e este crescimento nas vendas pode beneficiar estes produtores. Dose Dupla: O que o IBRAVIN pensa a respeito dessa pesquisa? Andreia Gentilini: Acredito que houve um equívoco na interpretação dos números sobre consumo e produção de vinhos no mundo. A OIV aponta que em 2013 o mundo teria produzido 281 milhões de hectares de vinhedos. Sabemos que o setor vitivinícola mundial, assim como outros setores da economia, não tiveram uma recuperação significativa a partir da crise econômica de 2008. Alguns países também registraram uma safra não tão boa em 2012, o que resultou em problemas de abastecimento em mercados de massa. Mas as estimativas do consumo global de vinho sugere uma consolidação de demanda graças à expansão geográfica dos mercados para novos 22

revistadosedupla.com.br

Dose Dupla: Esse déficit na produção de vinhos na Europa contribuirá para um aumento dos chamados ‘vinhos do novo mundo’. Será uma oportunidade para o mercado brasileiro investir ainda mais na exportação de seus vinhos? Andreia Gentilini: Os países da União Europeia registram uma alta na produção de vinhos em relação ao ano de 2012. Este é o caso da Espanha, que registrou um aumento de 23% da sua produção para mais de 40 milhões de hectolitros. França e Portugal produziram 7% a mais em relação a 2012. Fora da União Europeia, todos os países registraram um aumento significativo na produção de vinho. É claro que se houver uma queda significativa na produção europeia (o que ainda não ocorre), poderá ser uma oportunidade para que vinhos de países do “novo mundo” entrem em novos mercados. Mas ainda há um espaço muito grande para crescimento no mercado interno, que deve ser considerado. Dose Dupla: Em quais regiões do mundo vêm crescendo o consumo do vinho? Andreia Gentilini: Os Estados Unidos é um dos países que registra maior crescimento no consumo, sendo hoje, o maior mercado consumidor mundial de vinhos. Para se ter uma ideia, o consumo por habitante supera os 10 litros por ano. De olho neste mercado em efervescência, o IBRAVIN tem desenvolvido uma série de eventos de promoção dos vinhos brasileiros nos Estados Unidos. No primeiro semestre deste ano, os americanos foram os maiores compradores de vinhos brasileiros.

O QUE DIZ A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO VINHO – OIV “Em 2013, a colheita global tem sido considerável, também devido ao aumento da produtividade das vinhas”, diz o diretor-geral da Organização Internacional do Vinho – OIV, Federico Castellucci, que apresentou em outubro, em Paris (sede da organização), os dados disponíveis nesta época do ano. Trata-se de um balanço provisório que representa o ano de 2013 em termos de superfície de vinha, produção de vinho, consumo, e o comércio internacional.


A produção mundial de vinho cresce significativamente Com 300 mil hectares de vinhedos a menos (em relação a 2006), a colheita em 2013 tem sido bastante importante. Graças à produtividade, continua a aumentar, apesar da queda acentuada que as condições meteorológicas adversas causaram em 2012”, disse o diretor-geral da OIV. Segundo as previsões, em 2013 o mundo teria produzido 281 milhões de hectolitros de vinho. Na União Europeia, “o nível de produção de vinho – 164 Mhl (significa milhões de hectolitros) – também pode ser classifica do como relativamente alto”, disse Castellucci. As previsões dos principais países de vinhos europeus relatam um aumento, que em alguns casos, é muito relevante em relação ao ano anterior. Este é o caso da Espanha, que registrou um aumento na produção de 23% para mais de 40 milhões de hectolitros. Na França e em Portugal, o aumento é de 7% em relação a 2012.

Fora da União Europeia, os países registraram um crescimento líquido na produção de vinho. Assim, os Estados Unidos produziram 22 Mhl e a América do Sul está em ascensão: Chile alcançou um novo recorde de 12,8 Mhl. Consolidação da demanda A estimativa da evolução do consumo durante esta época do ano não é uma projeção, porque os últimos três meses de campanha, principalmente de dezembro (que pode representar até 40% do total das vendas de alguns produtos), representam um peso considerável no balanço anual. A indústria do vinho ainda não tem experimentado uma recuperação significativa após a crise econômica de 2008. Os efeitos da má colheita de 2012, que resultaram em problemas de alimentação (principalmente no mercado a granel), foram sentidos ainda este ano. No entanto, as estimativas de consumo de vinho no mundo consolidam o indício da demanda devido a dispersão geográfica dos mercados para novos países consumidores.

A figura abaixo mostra que a diferença entre a produção (oferta) e o consumo (demanda) está estimada pela OIV em 35,7 milhões de hectolitros, ou seja, 3,57 bilhões de litros. É o equivalente a 3 safras anuais do Chile sobrando nos estoques mundiais. Ou seja, o vinho no mercado global não vai acabar.

diferença entre produção e consumo de vinho mundial*

Demanda de utilização industrial do vinho (conhaque, vinagre e vermute)

35,7Mhl

isã Pr ev

*Deve-se lembrar que esta diferença não é igual à sobra, quando levamos em conta a demanda industrial.

o

Fonte: OIV

Pr ov isó rio

Mhl

Acompanhe na próxima edição, mais uma matéria do ‘Especial Vinhos’, em que o tema abordado será o crescimento do setor vitivinícola no Brasil. Até lá!

revistadosedupla.com.br

23


CAPA

O VERAO CHEGOU.

E O AUMENTO

NAS VENDAS TAMBEM!

Redação: Daniela Oliveira

conheça as estratégias adotadas pela distribuidora jc, e veja como ela se prepara para essa temporada O verão está chegando, e com ele, há um grande aumento no consumo de bebidas refrescantes, como a água mineral, sucos, refrigerantes, cervejas, chás gelados, água de coco, bebidas mistas e energéticas, dentre outros. É chegado o tempo de maior lucratividade nas empresas de bebidas (Ufa!). Mas sua empresa está realmente preparada para ‘arrebentar nas vendas’? Veja como a empresa Distribuidora JC se prepara no decorrer do ano para a tão esperada época: Verão, Natal, Réveillon, Carnaval. Sim, porque para ter lucratividade, as empresas precisam se organizar para todas essas ocasiões que estão batendo à porta. André Perlatti, da Distribuidora JC, conta todas as estratégias usadas pela empresa para atingir as metas e garantir resultados satisfatórios nesta etapa do ano. 24

revistadosedupla.com.br


Dose Dupla: André, o verão está chegando, e com ele, as altas temperaturas. Nesse período, há um aumento considerável de vendas de bebidas refrescantes, como água, sucos, refrigerantes, cerveja, água de coco, chás gelados e bebidas energéticas? André Perlatti: Sim. Aqui na Distribuidora JC, alguns destes produtos chegam a ter um crescimento de 400% nesta época do ano. É o caso da água, cerveja e água de coco. Os outros possuem um crescimento médio em torno de 100%. Dose Dupla: Como a empresa se prepara ao longo do ano para essa temporada? (Em relação à vendas, logística e etc.) André Perlatti: Em outubro, começamos a conversar a respeito com os fornecedores destes produtos. Tentamos montar em parceria, alguma campanha de incentivo para a equipe de vendas: premiação por caixa vendida ou prêmio para o vendedor com maior volume vendido/positivado. Tentamos também estender esta premiação aos clientes, com sorteio de algum prêmio cedido pelo fornecedor para as empresas que comprarem acima de uma quantidade X, além da entrega de brindes, como: chaveiros, aventais, porta-garrafas, mesas, e etc. Ainda sobre o departamento de vendas, a equipe é direcionada a auxiliar o cliente a efetuar suas compras com antecedência para evitar gargalos. Na parte de logística, tentamos negociar uma entrega antecipada, para que não haja ruptura de produto justamente no período de maior volume de vendas. O departamento responsável pelo estoque deve ser comunicado sobre a chegada de uma quantidade maior de produtos e se preparar com espaço suficiente para tanto.

Dose Dupla: Qual é a expectativa de vendas para o verão? André Perlatti: As expectativas são de um crescimento de 7% nas vendas em comparação ao mesmo período do ano passado. Particularmente, no caso da Distribuidora JC, este índice está sendo principalmente alavancado pelas vendas destes produtos ‘refrescantes’. Graças a um trabalho de parceria firmado com nosso fornecedor de cerveja desde o começo deste ano, agora estamos colhendo os frutos de todas as campanhas e ações implementadas ao longo deste período. Dose Dupla: Há alguma preparação com a equipe comercial para a temporada? André Perlatti: Além das já citadas campanhas de incentivo, efetuamos treinamentos e reuniões com a equipe a fim de tentarmos minimizar as surpresas desagradáveis desta época, como rupturas ou estoques sem giro. Desde julho, tentamos alinhar os objetivos e necessidades da empresa para atender corretamente nosso cliente no fim do ano. A equipe de vendas, por estar em contato direto com nosso público-alvo, detém de informações vitais sobre as tendências do mercado no último trimestre. Um exemplo prático que posso citar é referente às cidras. Já faz algum tempo que as vendas em São Paulo, mesmo com aumento natural da época, vem caindo ano a ano, devido a uma preferência crescente dos consumidores da classe C por produtos de melhor qualidade. Sem esta informação passada pelos vendedores, poderíamos ter efetuado uma compra acima do que realmente necessitamos, ficando com estoque parado na distribuidora.

revistadosedupla.com.br

25


CAPA

Dose Dupla: Esse aumento nas vendas começa em qual mês e se estende até quando? André Perlatti: Começa em outubro e termina no natal. A última semana do ano tem uma redução drástica nas vendas por muitas pessoas, incluindo clientes e consumidores finais, por já começarem a se deslocar ao local que irão passar o Réveillon. Dose Dupla: Quais são os produtos mais vendidos no verão? (Em relação à bebidas) André Perlatti: Cerveja, cidras, refrigerantes, vinhos e coquetéis. Não é o caso específico da empresa, mas o mercado de bebidas nesta época é fomentado também por ices, energéticos, frisantes e espumantes. Dose Dupla: A Distribuidora JC prepara ações diferenciadas de marketing e comunicação nesta época? André Perlatti: Sim. Tradicionalmente, damos a 70% de nossos clientes um calendário com o logotipo da empresa. Neste ano de 2013, estamos também com uma campanha inédita de incentivo às vendas, onde o prêmio ao cliente vencedor será uma TV de 29 polegadas. Dose Dupla: Como foram as vendas do verão passado? Houve aumento em relação à 2011? (Ano anterior) André Perlatti: Tivemos um aumento de 8,73% nas vendas do último trimestre de 2012 comparado ao mesmo período de 2011. Dose Dupla: No decorrer do ano, o volume de vendas permanece estável? Como é? André Perlatti: No caso da JC, possui uma variação considerável. O 1º trimestre do ano é o mais fraco, correspondendo a 22% das vendas anuais. No meio do ano, junho e julho, temos crescimento nas vendas devido ao clima mais frio (aumento da venda de bebidas quentes). O 2º semestre é marcado pelo último trimestre, o de maior vendas. Este corresponde a 27% das vendas anuais. Dose Dupla: A Distribuidora JC comercializa seus produtos em quais locais do estado de São Paulo? Atua em outros estados também? André Perlatti: A Distribuidora JC possui um raio de atuação de 50 km, que compreende 23 cidades. Atualmente, atendemos clientes apenas no estado de São Paulo. Dose Dupla: A empresa existe há quanto tempo? André Perlatti: Há 42 anos.

26

revistadosedupla.com.br

Distribuidora jc Proprietário: José Carlos Perlatti End.: Rua Kenkite Simomoto, 30 Cidade: Jundiaí Estado: SP Tel.: (11) 4526-1391 www.facebook.com/jcdistribuidora


consciência sem moderação

PEQUENAS ATITUDES GERAM GRANDES RESULTADOS

Conheça o Glass is Good®, projeto da DIAGEO que já reciclou 2034 toneladas de vidro até o momento. Seria o equivalente a 4.203.016 garrafas de Smirnoff 21.

No Brasil, segundo o Cempre – Compromisso Empresarial para Reciclagem, são produzidas anualmente 980 mil toneladas de vidro, porém somente 40% desse material é reaproveitado.

Essencial ao segmento de bebidas, para armazenar refrigerantes, cervejas, sucos, cachaças, etc., o vidro pode ser 100% reciclado, infinitamente, sem perder suas propriedades.

O que muitas pessoas não sabem é que mesmo não reagindo quimicamente com solos e rios, o vidro leva 4 mil anos para se decompor na natureza.

Você deve se perguntar: “Mas se o vidro demora tanto tempo para se decompor, por que a indústria de bebidas ainda o utiliza para armazenar seus produtos?”

revistadosedupla.com.br

27


consciência sem moderação

As respostas são várias: • As bebidas não sofrem alterações de sabor ou

qualidade; • O vidro mantém a bebida mais fresca; • A embalagem não é afetada por mudanças de temperatura ou umidade; • O conteúdo fica protegido por mais tempo; • O vidro é a única embalagem amiga da natureza, pois não reage quimicamente com o solo e com os rios; • O vidro pode ser reaproveitado. Garrafas e embalagens estão enchendo os aterros sanitários e os lixões e, além disso, poluem o meio ambiente por muito tempo. Pensando nessa realidade, a DIAGEO® líder mundial no segmento de bebidas alcoólicas premium, criou em 2010 o Glass is Good®, que já encaminhou para a reciclagem mais de 1,3 mil toneladas de vidro. Trata-se de um programa socioambiental de logística reversa desenvolvido pela própria Diageo, que tem como objetivo dar um destino adequado ao vidro. Nada melhor para uma empresa que utiliza tantas embalagens com esse material, não é mesmo? O programa é realizado em parceria com fabricantes de embalagens de vidro, cooperativa de catadores de materiais recicláveis, bares, restaurantes, casas noturnas e distribuidores de bebidas, e se dá pela seguinte dinâmica: as garrafas vazias são armazenadas pelos estabelecimentos participantes, ficando a cargo de uma parceira do programa a coleta destas garrafas - no caso, a Cooperativa Vira Lata, que separa o vidro e o tritura em máquinas fornecidas pela Diageo. O vidro triturado segue para outra parceira do projeto, a Owens-Illinois (maior fabricante de embalagens de vidro do mundo), que compra os cacos de vidro das cooperativas e os utiliza como matéria-prima de novas embalagens, reaproveitando assim, todo o material. No final do processo, a indústria também sai satisfeita. Os 28

revistadosedupla.com.br

cacos de vidro que chegam são fundidos e derretidos com outras matérias-primas para a fabricação de novos vidros, completando o ciclo da reciclagem responsável. O programa gera muitos benefícios ao meio ambiente, e mais ainda, gera benefícios sociais, pois a renda obtida com a comercialização dos cacos fica para os cooperados catadores de materiais recicláveis, que sustentam suas famílias com essa renda. A DIAGEO® e seus parceiros trabalham também para o desenvolvimento dessas cooperativas de catadores, contribuindo com novas tecnologias para o processo de reciclagem do vidro e com a inclusão social e econômica dos profissionais dessas cooperativas. “Além dos benefícios ambientais que o processo de reciclagem gera, como redução de emissão de poluentes e economia de energia e água, o programa envolve toda a cadeia produtiva do vidro, trazendo melhorias para a sociedade por investir também no aspecto social e econômico das cooperativas parceiras”, diz Valéria Quaglio, da 3for1 - Associação Caminho Suave Sócio Ambiental e coordenadora geral do programa Glass is Good®. Com o Glass is Good®, a Diageo ajuda seus clientes a darem um destino final às embalagens de vidro após o consumo, assim também atende as exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 2305/2010), que determina o fim dos lixões no Brasil até 2014 e programas de logística reversa implantados por fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes. Hoje, o projeto coleta vidro e outros recicláveis em mais de 60 bares e casas noturnas da Grande São Paulo e também em 15 casas do Recife. Em breve, o programa também estará ativo em Fortaleza. Resultado de seu trabalho, o programa Glass is Good® já conquistou os prêmios FIBOPS 20122 - Prêmio ECOCham (Câmara Americana em 2012), na modalidade Práticas de Sustentabilidade, na categoria ‘Processos’.


Benefícios da reciclagem do vidro para o meio ambiente: • Conservação de matéria-prima (retirando menos areia do meio ambiente); • Redução do consumo de energia, de água e da emissão de CO2 na produção de novas garrafas; • Redução do volume de resíduos enviado aos aterros, aumentando sua vida útil.

Uma garrafa parece pouco, mas com a mudança de atitude conseguiremos construir um futuro sustentável. Vamos reciclar! Para saber mais sobre o projeto, acesse o site:

www.glassisgood.com.br

Entenda o ciclo das garrafas de vidro

Educação: Gargalo para a reciclagem

O vidro leva 4 mil anos para se decompor.

Na suécia, 95% do vidro produzido é reciclado.

As embalagens de vidro correspondem a 1,5% de todo resíduo sólido urbano em SP.

No brasil, apenas 47% do vidro produzido é reciclado

Só em São Paulo, são recicladas 224 toneladas de vidro/mês.

revistadosedupla.com.br

29


SAIA DA ROTINA

por Daniela Oliveira

O TOUR DOS

SONHOS

Foto: Kire

Para os amantes de uma boa cerveja: conheça a fábrica da Baden Baden, em Campos do Jordão.

Que tal fazer um passeio por um local diferente? A Brasil Kirin possui um programa de visitação à fábrica onde são produzidas todas as cervejas da linha Baden Baden, em Campos do Jordão. O Tour Brasil Kirin (como é chamado) funciona desde 2009 e é considerado ponto turístico da cidade. Por meio do programa, os visitantes vivenciam uma experiência única, em que conhecem o processo de fabricação de uma cerveja artesanal, degustam as linhas dos chopes Cristal e Bock (apenas os adultos) e, de quebra, ainda recebem dicas de harmonização. Dentro da fábrica há também uma loja onde vários produtos e souvenires podem ser adquiridos. Mais de 130 mil pessoas já passaram pelo Tour de Campos do Jordão, que funciona desde 2009. As visitações também acontecem nas unidades das fábricas de Itu (SP), Alagoinhas (BA) e Cachoeiras de Macacu (RJ).

Em Campos, as visitas acontecem todos os dias da semana, incluindo sábados e domingos, das 10h às 17h, com intervalos de uma hora. A entrada custa R$ 15,00. Menores de 18 anos não pagam, não podem degustar a cerveja e devem estar acompanhados dos responsáveis. Para agendar o Tour Brasil Kirin, basta enviar um e-mail para o endereço badenbadentour@brasilkirin.com.br ou entrar em contato pelo telefone: (12) 3664-2004.

Tour Brasil Kirin – Campos do Jordão

End.: Av. Matheus Costa Pinto, 1653 - Vila Santa Cruz - Campos do Jordão/ SP. Agende sua visita através do tel.: (12) 3664-2004 ou e-mail badenbadentour@brasilkirin.com.br Horário de Funcionamento: As visitas acontecem todos os dias da semana, incluindo sábados e domingos, das 10h às 17h, com intervalos de uma hora. Valor: A entrada custa R$15. Observação: Menores de 18 anos não pagam, não podem degustar a cerveja e devem estar acompanhados dos responsáveis.

30

revistadosedupla.com.br


Foto: Nathalia Frensch

CURTA SEU MOMENTO

Redação: Daniela Oliveira

Caipirinha ville Dupla de limão Por caipirinha ville Ingredientes

O verão chegou com tudo e nada melhor do que uma deliciosa caipirinha para refrescar a época mais quente do ano. A Caipirinha Ville preparou para vocês esta receita especial utilizando o seu fatiador de frutas ZAAZ, indicado para o uso gourmet e preparo de drinks. Muito prático, de uma vez corta a fruta em 06 fatias além de extrair seu miolo. Nada melhor para finalizar o ano de muito trabalho. Saúde!

• 1/2 Limão Siciliano; • 1/2 Limão Taiti; • 1 ou 2 saches de açúcar orgânico Native;

3º Acrescentar o açúcar;

• Gelo.

Modo de preparo:

4º Socar, delicadamente, com o macerador, a fim de liberar o sumo, porém sem soltar os gominhos das fatias dos limões;

1º Cortar o limão Siciliano, no Fatiador de Frutas - ZAAZ, dispensar o miolo e dispor 3 fatias com as cascas contra a parede do copo;

5º Encher o copo com cubos de gelo quebrados com o auxílio do macerador;

2º Cortar o limão Taiti, no Fatiador de Frutas - ZAAZ, dispensar o miolo e dispor 3 fatias com as cascas contra a parede do copo;

6º Adicionar a cachaça medida no copo (dose a gosto): 50, 60 ou 70 ml, e servir com o mexedor para que o apreciador misture à vontade. revistadosedupla.com.br

31


Revista Dose Dupla 113  

Edição nº 113 - Nov/ Dez 2013 by BigHead Brand Creativity

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you