Issuu on Google+

PUBLICAÇÃO

Ano 19 Nº111 Jul/Ago

CERVEJA

ARTESANAL A busca por produtos diferenciados quadriplica o crescimento anual do segmento em relação ao mercado das cervejas tradicionais

Especial Brasil Brau

XXI Feira Internacional de Tecnologia em Cerveja

Treinamento: custo ou investimento? Necessidade ou obrigação? Sebastião Nelson Freitas

Lançamento do Programa ADIBE de Vendas Saiba mais sobre os treinamentos, benefícios, parcerias e muito mais


EDITORIAL

Palavra

ADIBE

PLANEJAMENTO EM TEMPO DE INCERTEZA Algum tempo atrás, o mundo andava bem devagar. Nós conseguíamos ver o alvo lá na frente, parado, e era só prepararmos ou fazer um planejamento para atingi-lo. Esse tempo não existe mais.

Nos tempos atuais, se você colocar em prática o seu planejamento tradicional, quando as etapas forem cumpridas, o alvo que queremos atingir já terá mudado de lugar há muito tempo e aí vamos errar. No mundo em que tudo está mudando rapidamente, a única saída que temos é mudar com ele. Se o alvo a ser atingido está se mexendo, a estratégia tem que se mexer junto, em tempo rápido e real. Hoje em dia não basta mudar a estratégia da empresa, a estrutura também tem que mudar. A nova regra é transformar ao máximo os custos fixos em custos variáveis. No mundo dos negócios não temos algo que indique o caminho, não temos fórmulas, regras ou receitas para o sucesso, pois vivemos num mundo de incertezas e apostas. Na realidade, num ambiente complexo, ninguém sabe antecipadamente qual o caminho a ser seguido. Terá sucesso e vencerá aquele que conseguir com rapidez e risco baixo, realizar o processo de tentar e errar. Toda empresa deverá estar preparada para passar por crises que mais cedo ou mais tarde chegam. Se a sua empresa não estiver preparada, comece a pensar, pois o maior gargalo de qualquer empresa, em sua maioria é o “custo fixo”. Quanto menor, mais fácil vencerá a crise. Inovar é preciso e a inovação sugere erros. O sucesso vem não para quem acertar sempre, mas para aquele que elimina mais rápido o que não funcionava. Precisamos tomar cuidado com os recursos que colocamos no aumento da produtividade de um determinado lugar, sem que seja eliminado o gargalo de outro. Vai acabando em gerar investimentos e despesas operacionais, sem acrescentar nada para o aumento do lucro de sua empresa. Assim acaba sendo desperdício a curto e prejuízo a longo prazo. Portanto, se você tem dúvidas, vamos procurar uma consultoria que possa ver aquilo que está aos seus pés. A ADIBE tem como ajudá-lo a encontrar um consultor especializado para garantir o sucesso de seus negócios. “Mais erra quem faz, do que quem deixa de fazer”.

Mário Ferreira Diretor Executivo 2

revistadosedupla.com.br

FAÇA COMO AS GRANDES, ANUNCIE NA DOSE DUPLA.


SERVIÇO

World Wine Televendas : (11) 3383-7477 www.worldwine.com.br

O nosso “muito obrigado” a todas as pessoas e empresas que colaboraram gentilmente para a realização das matérias desta edição.

Victor Tedesco Bertin Bebidas Tel.: (15) 3238-7000 www.bertinbebidas.com.br Welinton Mota Confirp Consultoria Contábil Tel.: (11) 5078-3000 www.confirp.com.br Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES www.bndes.gov.br

Odair Maria de Vechi Moreli Missiato Tel.: (19) 3582-1815 www.missiato.com.br Henrique Oliveira, Hélcio Drumond e Sebastião Nelson Freitas agape_freitas@uol.com.br Central Nacional Unimed www.centralnacionalunimed.com.br Célia Regina Justi JC Distribuidora de Bebidas Tel.: (11) 4816-3163 Baden Baden Tel.: 0800 771 2344 www.badenbaden.com.br

Ministério da Agricultura www.agricultura.gov.br IBOPE www.ibope.com.br Paulo Bettiol Dama Bier Tel.: (19) 3411-7006/ (19) 3401-1766 www.damabier.com.br Andrea Nunes Companhia de Engenharia de Tráfego – CET www.cetsp.com.br Cláudio Garcia Velho Barreiro Tel.: (11) 3674-1300 www.velhobarreirodiamonds.com.br

Cervejaria Mestre das Poções Tel.: (11) 9 9689-2269 www.mestredaspocoes.com.br Cervejaria 2Cabeças Tel.: (21) 8114-9699 www.2cabecas.com.br Seleta Tel.: (38) 3841-1254/3841-3008 www.cachacaseleta.com.br Museu da Cachaça de Salinas Tel.: (38) 3841-4778 www.facebook.com/museu.cachaca

4

revistadosedupla.com.br

Dedicamos esta edição à memória de Mario Juncal, sócio fundador da empresa Celta Comercial de Bebidas Ltda., que faleceu no dia 29/06. A ADIBE presta solidariedade aos familiares.


DIRETORIA w w w . r evista d o sed u pla . c o m . b r Associação das Distribuidoras de Bebidas do Brasil

Diretor Executivo Mário Ferreira São Paulo / Zona Norte (Sede ADIBE) Conselho de Gestão Michael Alexander Abdalla Diniz Presidente - AMA Arujá Dist. de Produtos Alimentícios Ltda, Arujá (SP) Marcelo Fruet Vice-Presidente - Dobel Com. de Bebs. Ltda, Itu (SP) Brauner Caetano Pereira Tesoureiro - Com. de Bebs. e Doces Viena Ltda, São Paulo (SP) André Perlatti Secretário de Redação - Distribuidora de Bebidas JC, Jundiaí (SP) Leila Aiach Fonseca Secretário de Protocolo - Dist. de Bebs. Pirituba Ltda, São Paulo(SP) Conselho Consultivo Odair Morelli Mauá (SP) Gilberto Milanésio Osasco (SP) Anderson Minaré Barretos (SP) Jonas Bertucci Bilac (SP) Administrativo / Financeiro Rita de Cássia Feijó São Paulo / Zona Norte (Sede ADIBE) Credibesp José Eduardo O. de Freitas Gerente Financeiro (Sede ADIBE) Suellen Tragueta Xavier Rodrigues Auxiliar Administrativo (Sede ADIBE) Contato ADIBE Rua Alfredo Guedes, n° 72 - 1° Andar Cj. 12/13 - São Paulo - CEP 02034-010 Telefone: 55 (11) 2221-7343 E-mail: adibe@adibe.com.br Site: www.adibe.com.br

Edição nº111 / Ano 19 - Julho / Agosto Editora e Agência de Comunicação BigHead Brand Creativity Conselho Editorial Mário Ferreira, André Perlatti, José Eduardo O. de Freitas, Henrique Favery e Daniela Oliveira Diretor Editorial Henrique Favery Jornalista Responsável Humberto Kaoru Kinjô MTB0198 Redatora Responsável Daniela Oliveira Edição Daniela Oliveira Assistente de Redação Gilberto Damante Assistente de Arte Fabrizio Ravanelli Revisora Responsável Fernanda Santos Ilustrações BigHead Brand Creativity Comercial Rita de Cássia Feijó - rita@adibe.com.br Participe da DoseDupla Envie sugestões de pautas ou novidades para redacao@revistadosedupla.com.br Tiragem 2.200 Exemplares Distribuição ADIBE em parceria com os Correios

Projeto Editorial Projeto Gráfico Comunicação Qualidade de Impressão

w

br om.

ad.c

ighe

.b ww


ÍNDICE

02 EDITORIAL 04 SERVIÇO 09 NEWS 14 TREINAMENTO: CUSTO

OU INVESTIMENTO? NECESSIDADE OU OBRIGAÇÃO? SEBASTIÃO NELSON FREITAS

16 ESPECIAL BRASIL BRAU

XII FEIRA INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA EM CERVEJA

20 AGRADECIMENTO

SICOOB CREDIBESP - COOPERATIVA DE CRÉDITO

22 ADIBE EM AÇÃO

NOVIDADE: LANÇAMENTO DO PROGRAMA ADIBE DE VENDAS

CAPA

24 CERVEJA ARTESANAL

A BUSCA POR PRODUTOS DIFERENCIADOS QUADRIPLICA O CRESCIMENTO ANUAL DO SEGMENTO EM RELAÇÃO AO MERCADO DAS CERVEJAS TRADICIONAIS

27 SAIA DA ROTINA

MUSEU DA CACHAÇA DE SALINAS/MG

28 CONSCIÊNCIA SEM MODERAÇÃO

DIREÇÃO DEFENSIVA - PRATIQUE ESSA IDEIA

31 CURTA SEU MOMENTO

CHOCOLATE QUENTE COM CACHAÇA: DRINK SUGERIDO PELA SELETA

6

revistadosedupla.com.br


NÃO FAZ PARTE DO ANÚNCIO

OBSERVAÇÃO Esta é apenas a simulação da página sendo dobrada pelo leitor. O anúncio impresso original mostra sobre esta poluição visual, uma linha pontilhada onde está escrito: “DOBRE AQUI”.


NEWS

MUDANÇA NO LUCRO PRESUMIDO REFORÇA NECESSIDADE DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

Uma grande notícia para milhares de empresas nacionais é que no final de maio foi publicada a Lei nº 12.814/2013, que aumenta o limite de faturamento das empresas do lucro presumido para setenta e oito milhões de reais e que começa a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2014. Até o fim deste ano, esse limite continua sendo de quarenta e oito milhões de reais, que já está em vigor desde 2003. “É um importante ajuste do governo, sendo que este valor estava bastante defasado, será muito grande o número de empresas beneficiadas”, explica Welinton Mota, diretor tributário da Confirp Consultoria Contábil. Assim, poderá optar pelo lucro presumido a pessoa jurídica com receita bruta total, no ano-calendário anterior, igual ou inferior a setenta e oito milhões, ou seja, seis milhões e meio de reais por mês. “É importante frisar que o governo já tinha aumentado este valor neste ano, sendo que em abril foi publicada a Medida Provisória, que aumentava o valor para setenta e dois milhões de reais”. Planejamento Tributário Esta mudança reforçará a necessidade de as empresas realizarem o planejamento tributário para 2014. Mas, afinal, o que é o planejamento tributário? Segundo Welinton Mota, “é o gerenciamento de tributos realizados por especialistas que estruturam as corporações, resultando na saúde financeira da empresa. Sabe-se que em média 33% do faturamento das empresas é para pagamento de impostos. Com a alta tributação no Brasil, além de terem de enfrentar empresas que vivem na informalidade, várias empresas quebram com elevadas dívidas fiscais. Assim, é bom dizer que é legal a elisão fiscal, ou seja, o planejamento tributário”.

Os principais tipos de tributação são três: Simples, Presumido ou Real. O diretor da Confirp explica que “a opção pelo tipo de tributação que a empresa utilizará em 2014 pode ser feita até o início do próximo ano, mas as análises devem ser realizadas com antecedência para que se tenha certeza da opção, diminuindo as chances de erros”. Outro ponto que Mota ressalta é que cada caso deve ser analisado individualmente, evidenciando que não existe um modelo exato para a realização de um planejamento. “Apesar de muitos pensarem que o melhor tipo de tributação é o Simples, existem até mesmo casos que esse tipo de tributação não é o mais interessante, mesmo que a companhia se enquadre em todas as especificações”. “De forma simplificada, num planejamento tributário se faz a análise e a aplicação de um conjunto de ações referentes aos negócios, atos jurídicos ou situações materiais que representam uma carga tributária menor e, portanto, um resultado econômico maior, normalmente aplicado por pessoa jurídica, visando reduzir a carga tributária”, conta o diretor da Confirp. Por fim, a valorização dos contadores e dos advogados das empresas é fundamental para a realização de um planejamento adequado, principalmente por serem eles as pessoas que tem um contato mais próximo com a realidade da empresa e com as questões judiciais, podendo repassar essas informações para a empresa com maior correção.

revistadosedupla.com.br

9


NEWS

BRASIL BEER – O GUIA DE CERVEJAS BRASILEIRAS Dica de livro para os amantes da bebida. A cerveja é a bebida alcoólica mais consumida no país e, atualmente, tratada como alta gastronomia quando harmonizada com alimentos. As diversas marcas, estilos e tipos, bem como a devida localização dos fabricantes, empreendedores e cervejeiros estão catalogados no livro Brasil Beer – O guia de cervejas brasileiras, lançamento da Editora Gutenberg, em que os experts Henrique Oliveira e Hélcio Drumond reúnem informações detalhadas sobre mais de 450 cervejas e 120 cervejarias, microcervejarias e associações de cervejeiros artesanais atualmente existentes no país. Além de resgatar a história da cerveja no Brasil, este guia transita por informações básicas, como a Lei da Pureza Alemã e dicas para aguçar os sentidos e degustar a bebida. Passa por questões mais técnicas, como as matérias-primas empregadas, o processo de fabricação e a classificação das cervejas (Lager, Ale, Ale de Trigo, entre outras), além de desvendar a atividade home brew (cervejarias caseiras) e sua organização. Chega, por fim, a traçar a rota da cerveja regional no Brasil e endereços úteis de cervejarias nos quatro cantos do país. Um livro para ser apreciado “sem moderação”, tanto para quem apenas gosta de um bom copo de cerveja, como para aqueles que querem produzi-la com qualidade. Sobre os autores - Henrique Oliveira é gestor de riscos e pós-graduado em controladoria e finanças. Especialista em cervejas, fundou e presidiu a Associação de Cervejeiros Artesanais de Minas Gerais (ACervA Mineira). Faz palestras sobre o mercado de cervejas no Brasil e atualmente realiza consultoria financeira em cervejarias. É proprietário da Cervejaria Ave Cesar. Hélcio Drumond é engenheiro metalurgista com pós-graduação em metalurgia de fundição de metais no Japão. Atualmente é um exímio pesquisador do segmento de cervejas, gastronomia e turismo em geral.

10

revistadosedupla.com.br

Título: Brasil Beer – O guia de cervejas brasileiras Autores: Henrique Oliveira e Hélcio Drumond Número de páginas: 304 Preço: R$ 45,00 Disponível nas livrarias e no site da editora: www.grupoautentica.com.br

SUCO DE UVA CONTRA AS COMPLICAÇÕES DA HIPERTENSÃO Bem Estar

“O suco de uva pode ajudar a combater complicações provocadas pela hipertensão arterial”, diz Sérgio Telerman, cardiologista credenciado da Central Nacional Unimed e coordenador da área de Teste Ergométrico e Eletrocardiograma da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. “Além de saborosa, é uma bebida funcional que traz benefícios à saúde”, explica Evelyn Lorca Rivera, nutricionista dos colaboradores da Central Nacional Unimed. Sylene Nunes, consultora de Medicina Preventiva da CNU, explica: “Pesquisas apontam que o suco de uva ou a ingestão da própria fruta pode colaborar com a redução do LDL colesterol e com risco do aparecimento de trombos que ocluem as artérias causando acidentes vasculares cerebrais ou infartos. A presença de antioxidantes e fibras (quando a casca é utilizada) potencializam os benefícios”. Para ajudá-lo a afastar a doença ou mantê-la controlada, a Central Nacional Unimed recomenda, além de uma dose diária de suco de uva, algumas atitudes que podem fazer a diferença. Veja:


1. Tenha uma alimentação equilibrada, procure sempre

fazer pratos coloridos e com diferentes grupos de alimentos;

2. Coloque pouco sal na comida, não se esqueça de que ele deve apenas realçar o sabor natural dos alimentos; 3. Consuma menos gorduras e bebidas alcoólicas, isto

ajuda a manter seu fígado saudável e os vasos sanguíneos bem permeáveis;

4. Evite o estresse. Uma boa dica é tentar estabelecer um limite entre sua integridade e as pressões do dia a dia, por isso, se for “explodir”, afaste-se por 10 minutos e tome um copo de água. O caminho entre o bebedouro e o seu posto de trabalho pode ajudá-lo a restabelecer o bem estar; 5. Controle seu peso. Coma de tudo, mas evite exageros; 6. Pratique exercícios físicos. Caminhe, brinque, alongue-

se, dance, espreguice;

7. Faça exames médicos periodicamente. O médico é um parceiro e deve ser procurado para auxiliá-lo a manter sua saúde e não apenas para tratar doenças.

O CASAL ANGELINA JOLIE E BRAD PITT LANÇA SEU VINHO NO BRASIL Angelina Jolie e Brad Pitt entraram para o hall de celebridades produtoras de vinho com o lançamento do seu primeiro rótulo, Miraval, que tem sua produção

na antiga Vila de Correns (a primeira aldeia orgânica na França), em um terreno com 500 hectares de terra, no coração da Provence. Atualmente, a Miraval é a residência de verão de Brad Pitt e Angelina Jolie. Desde 2012, o casal firmou uma parceria com a Família Perrin, que se encarrega da viticultura, vinificação e distribuição dos vinhos. Uma das principais famílias produtoras de vinhos na França, os Perrin são experientes na produção de vinhos de alta classe. Lá, as videiras são cultivadas em terraços e a produção é 100% orgânica, sem o uso de herbicidas, pesticidas ou produtos químicos que podem afetar a evolução da fruta e do vinho. Com investimentos nas mais recentes tecnologias de vinificação e uma paixão pela excelência em todas as fases de produção, Miraval se dedica a distribuir vinhos de altíssima qualidade para a demanda internacional. Em março, o casal colocou à venda pela internet seis mil garrafas do Miraval e em cinco horas todas foram vendidas! E não só por ser o vinho do casal Jolie-Pitt, mas o vinho também agradou os críticos: o site especializado Wine Spectator publicou a sua avaliação – em uma degustação às cegas com outros vinhos rosés da Provence, o Miraval ganhou 90 pontos em uma escala que vai até 100. No Brasil, o vinho Miraval é importado e distribuído com exclusividade pela World Wine e tem o preço sugerido de R$ 150,00. Onde encontrar: www.worldwine.com.br Televendas: (11) 3383-7477

FAÇA COMO AS GRANDES, ANUNCIE NA DOSE DUPLA.


NEWS

GUIA PARA MICRO E PEQUENOS EMPRESÁRIOS: ONDE CONSEGUIR CRÉDITO E ONDE INVESTIR Um levantamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apontou que o crédito para micro, pequenas e médias empresas cresceu 50% este ano, o que aumenta as chances de quem planeja ser o dono do próprio negócio. Segundo estudo da Endeavor, o Brasil é o país com maior número de potenciais empreendedores, perdendo apenas para a Turquia. 76% dos brasileiros pretendem ter uma empresa própria. Mas entre pretender e colocar o sonho em prática há uma grande distância. Estudar o mercado e buscar crédito é apenas o início deste processo. Onde conseguir crédito barato As linhas de microcrédito estão entre as que mais crescem. Em comum, elas têm a prática de juros mais baixos e facilidades de pagamento em comum, permitindo créditos de até R$ 15 mil. O Programa de Microcrédito mantido pelo BNDES é uma das fontes de recursos para empreendedores, concedendo microcréditos de até R$ 15 mil, a partir

12

revistadosedupla.com.br

de parcerias com diversas instituições financeiras, que podem ser consultadas no portal do BNDES. Os recursos para este tipo de modalidade tem juros de até 4% a.m. Além do BNDES, outras instituições financeiras mantêm linhas de crédito exclusivas ao pequeno empreendedor. A Caixa Econômica, o Banco do Brasil, o Banco do Nordeste e o Banco da Amazônia, por exemplo, possuem o Microcrédito Produtivo Orientado, cobrando juros de 8% a.a, além de TAC (taxa de abertura de crédito) de 1,0%. Em todos os casos, o crédito deve ser utilizado na compra de equipamentos, matéria-prima, melhoria de infraestrutura ou capital de giro. Segundo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o desembolso de crédito para micro, pequenas e médias empresas somaram R$ 15,1 bilhões no primeiro trimestre de 2013, o que equivale a um aumento de 50% em relação ao mesmo período do ano passado.


MISSIATO LANÇA DOIS NOVOS PRODUTOS Skarloff Caipiroska Frutas Vermelhas e Skarloff Caipiroska Green Apple são as novidades.

A Missiato, fabricante de bebidas que existe há mais de 50 anos, está localizada em Santa Rita do Passa Quatro, interior paulista. A qualidade e inovação são questões fundamentais para a empresa, que sempre lança novos produtos e os distribui em todo o território nacional, além de exportar para outros países. Neste mês, a empresa apresenta seus dois lançamentos: Skarloff Caipiroska Frutas Vermelhas e Skarloff Caipiroska Green Apple. “Nossa empresa sempre teve a filosofia de inovar, buscando identificar as oportunidades no mercado que possam atender aos nossos clientes, e as Caipiroskas Skarloff agregam ainda mais em qualquer portfólio de bebidas”, diz o diretor superintendente da empresa, Sr. Paulo Cesar Missiato. As Caipiroskas Skarloff são uma extensão da linha já existente Vodka Skarloff Seven, preparadas com vodka sete vezes filtrada e três vezes destilada, seguindo o mesmo padrão de seleção de ingredientes e qualidade e, dessa forma, proporcionando o equilíbrio perfeito em sabor e suavidade. “O Brasil vem mudando muito nas últimas décadas, e

temos um mercado consumidor amplo, principalmente o da chamada nova classe média. Os brasileiros têm hoje mais condições de adquirir produtos, e buscam alternativas versáteis, de qualidade e preço justo. O consumo de bebidas alcoólicas prontas para beber tem aumentado no país, e as opções de Caipiroskas que oferecemos com a marca Skarloff serão bem aceitas pelos consumidores”, ressaltou Paulo Missiato. A Skarloff Caipiroska Frutas Vermelhas é uma combinação de vodka Skarloff com aromas naturais de morango, framboesa, amora e cereja, e a Skarloff Caipiroska Green Apple é preparada com suco de maçã verde e aromas. Pela baixa graduação alcoólica (apenas 13,5 GL), os novos produtos podem ser consumidos puros ou com gelo. Além da linha de vodkas Skarloff, a Missiato fabrica várias marcas em diferentes categorias: Cachaça Corote, Cachaça 61, Blended Whisky Lord’s Land, Conhaque Seresteiro, Skarloff Ice (nos sabores Limão, Laranja, Frutas Vermelhas e Kiwi), Catuaba Felina e o Energético Bolt. A Missiato trabalha para formar parcerias e tornar suas marcas mais fortes, gerando assim, valor aos clientes.

revistadosedupla.com.br

13


ARTIGO

TREINAMENTO: CUSTO OU INVESTIMENTO? NECESSIDADE OU OBRIGAÇÃO? Sebastião Nelson Freitas

Consultor empresarial, especialista em treinamento, conferencista nacional e internacional, articulista para jornais e revistas do país, autor de vários livros e consultor da ADIBE há 20 anos. Contato: agape_freitas@uol.com.br

Durante muitos anos, uma inquietação me acompanhou tanto na vida pessoal quanto profissional. Sou educador há muito tempo e aprendi com os cursos, treinamentos, palestras, seminários e leitura de livros dos mais renomados educadores do mundo, que treinamento é a saída e a mais poderosa estratégia empresarial. Porém, há um desencanto quando notamos a pouca receptividade dessa vital atividade por parte dos empresários, gerentes, supervisores, enfim, líderes em geral. No Brasil, tivemos um forte estímulo em treinamento na década de 80, com a Lei 6.297, do Conselho Federal de Mão de Obra, que beneficiava as empresas que investiam em treinamento, dando-lhes incentivos fiscais e desobrigando-as do imposto de renda. Todavia, essa situação prevaleceu somente por alguns poucos anos, e depois, essa lei foi extinta. E aí se foi também o estímulo ao treinamento. Será que precisamos de um decreto federal para formar pessoas? A maior missão de um líder é formar pessoas. É preparar substitutos!


E não é por falta de entidades, institutos, associações e sindicatos que vendem treinamento. A falta de um estímulo maior para preparar gente vem dos próprios empresários, gerentes, supervisores e chefes que ou não acreditam na força do treinamento, ou então não tem coragem de negociar com a direção um programa efetivo de treinamento e desenvolvimento de pessoal. O mercado mudou. Novas e rápidas mudanças estão chegando e as empresas estão perdendo participação de mercado, clientes, e em consequência, uma queda brutal em seus lucros.

Alegações imaturas são expressas por alguns comandantes de equipes, como por exemplo:

Quanto às perguntas iniciais desse artigo: ‘Treinamento: Custo ou Investimento? Necessidade ou Obrigação?’, creio que treinamento é sem dúvida investimento. Em relação à segunda pergunta, a resposta é: necessidade e também obrigação! Portanto, senhores proprietários das distribuidoras de bebidas do estado de São Paulo, vocês têm uma associação muito competente (ADIBE) e que já demonstrou ao longo desses mais de vinte anos, sua capacidade de atender plenamente as necessidades dos seus associados, e que em breve estará divulgando uma extensa programação de cursos, palestras e treinamentos para atendê-los numa atividade vital, sistemática, contínua e permanente para os seus negócios, que é o TREINAMENTO! Sucesso a todos!

“Eu não vou treinar o meu pessoal, pois eles poderão ir para o concorrente”; “Eu não vou gastar meu dinheiro com o treinamento, pois ele é caro”; “Eu não vou dar treinamento, pois quem é já nasce feito”; “Depois que eu dei treinamento na minha empresa, alguns colaboradores pediram demissão”; E assim, outras alegações infantis e nada profissionais aparecem.

revistadosedupla.com.br

15


MERCADO

ESPECIAL BRASIL BRAU XII FEIRA INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA EM CERVEJA

por Daniela Oliveira

Foto: Daniel Cruz

A equipe da Revista Dose Dupla esteve na feira e mostra os principais destaques para você.

A mais completa feira do segmento de cervejas especiais, a Brasil Brau, foi realizada em junho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. O evento, considerado o principal e mais abrangente do setor realizado no país, incorpora toda a cadeia produtiva, contando com a participação de representantes da indústria e do mercado cervejeiro. O formato, idealizado há onze edições, atrai produtores de matérias-primas e equipamentos, prestadores de serviços, mestres cervejeiros e uma grande variedade de rótulos nacionais e importados, além de compradores e consumidores. Neste ano, uma grande notícia: os números aumentaram, confirmando a força e o crescimento do mercado cervejeiro: expositores e público cresceram 60% em relação à última edição, em 2011. Os três dias de evento atraíram oito mil pessoas. Na Brasil Brau, ocorreram vários eventos e atrações, dentre eles a Feira Internacional de Tecnologia em Cerveja, em que foram apresentados equipamentos, novas tecnologias, matérias-primas e consultoria para o setor. Outro ponto de destaque foi o lançamento do 1º Prêmio Brasil Brau de Gestão de Negócios em Cerveja, dividido

16

revistadosedupla.com.br

em quatro categorias: Design de Rótulos, Comunicação da Cultura Cervejeira, Sustentabilidade e Responsabilidade Social. A premiação foi idealizada pela presidente do Cobracem, Cilene Saorin. “Não é só o líquido que é importante, mas também o rastro que ele deixa”, justifica sobre a criação das categorias em design, comunicação e cultura cervejeira, responsabilidade social e sustentabilidade, que contaram com 14 inscritos no total. O Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia Cervejeira também foi sucesso, com salas cheias e plateia interessada em tecnologia, ciência, ingredientes, insumos e gastronomia. Degustação Aberto ao consumidor pelo segundo ano, o Degusta Beer reuniu 50 cervejarias e microcervejarias, que apresentaram 400 rótulos para degustação, a preços a partir de R$ 1,00 a dose (50 ml e 100 ml). “O Degusta Beer foi espetacular. Fiquei surpreso com a quantidade e a qualidade do público. Três dias lotados de pessoas que entendem do mercado. Com certeza estaremos aqui de novo em 2015.” – João Carlos Gonçalves, sócio diretor da Cervejaria Premium Paulista.


CONFIRA ALGUNS DESTAQUES DA BRASIL BRAU:

CERVEJA DE CHOCOLATE (BADEN BADEN CHOCOLATE BEER)

A Baden Baden (linha de cerveja da Brasil Kirin) estava presente na feira com seu produto recém-lançado, a Baden Baden Chocolate Beer. Como o próprio nome diz, a cerveja de chocolate possui aroma de notas adocicadas de baunilha e chocolate. O produto realmente impressiona e esconde seu verdadeiro caráter. Ao sentir o aroma da cerveja, o apreciador irá ansiar pelo doce, mas na boca os amargores característicos de maltes tostados e do lúpulo especiais irão surpreender, fazendo com que se sinta mais prazer em degustar o próximo gole. A Baden Baden Chocolate Beer possui teor alcoólico de 6,0% e é ideal para ser consumida em uma temperatura entre 6° e 8°C. Harmoniza bem com sobremesas de chocolate, como brownie, petit gâteau, sobremesas de frutas, sorvete de creme e tiramisù. Em edição especial e limitada, está disponível no mercado e pode ser encontrada em restaurantes e casas especiais das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Diferencial: aroma e sabor muito originais. Baden Baden Chocolate Beer Características: Espuma cremosa e persistente Visual: Coloração escura Aroma: Notas adocicadas de baunilha e chocolate Sabor: Amargor perceptível e levemente seco Sensação na boca: Cerveja encorpada; teor alcoólico de 6,0% Temperatura ideal para consumo: de 6° a 8°C.

ESPUMANCIA

(INTERPRETAÇÃO POR MEIO DA ESPUMA DA CERVEJA - CERVEJARIA MESTRE DAS POÇÕES)

Um dos estandes bastante procurados pelos visitantes era o da cervejaria Mestre das Poções, que tem uma proposta inusitada e diferente. Trata-se de uma cervejaria mística, que estuda os impactos que os astros e diferentes insumos tem sobre a cerveja, encontrando o perfeito equilíbrio entre os ingredientes e especiarias e os efeitos desejados. O objetivo é trazer uma experiência única na fabricação de cervejas e refletir essa intensidade energética no produto final. Todas as cervejas são fabricadas de acordo com as fases da lua, zodíacos e elementos, e cada uma destas receitas é concebida para absorver ao máximo a energia de cada zodíaco e fase lunar. “Não só fazemos cervejas, estudamos como este produto pode ser utilizado em rituais mágicos e divinatórios”, diz André Balparda, mestre cervejeiro e espumancista. Esta pesquisa é o grande foco da empresa Mestre das Poções. Além da produção da bebida, a cervejaria trabalha com a Espumancia, arte divinatória que usa a espuma da cerveja como canal de clarividência. Funciona da seguinte forma: o espumancista pede para que a pessoa beba a cerveja. Por meio do rastro da espuma deixada no copo é feita a interpretação. Essa arte divinatória é muito complexa, devido à constante mudança do rastro da espuma deixada no copo e pode até ser capaz de contar uma história. A Espumancia é uma adaptação da Cafeomancia e utiliza a espuma da cerveja no lugar da borra de café.

Diferencial: muito interessante, a Espumancia impressiona e mostra um direcionamento para a vida. A cerveja é muito leve e tem um aroma suave, perfeito para a proposta do projeto. revistadosedupla.com.br

17


MERCADO

CERVEJA HI5 IPA

(CERVEJARIA 2 CABEÇAS)

SOBRE A HI5:

A primeiro momento, uma cerveja maravilhosa (visualmente falando). Os rótulos da Cervejaria 2 Cabeças merecem destaque e chamam atenção, pois são totalmente fora do padrão, modernos e descolados. As receitas provocam uma explosão de aromas e sabores. No portfólio constam produtos à base de maracujá e outros ingredientes naturais.

A cerveja, medalha de prata no Concurso Brasileiro de Cervejas, tem 6,2% de álcool e é uma fusão dos estilos American IPA com Stout, tendo um amargor pronunciado e potente aroma que combina o cítrico do lúpulo com o torrado do malte. É uma cerveja escura, porém, surpreende pela facilidade de ser bebida e pelo seu marcante amargor, que deixa a boca seca esperando o próximo gole.

O único compromisso que a cervejaria tem é com a qualidade e inovação, prova disso são as garrafas da Hi5 e Maracujipa. E o resultado de todo esse trabalho é o 1º lugar na categoria ‘Design de Rótulos’ da 1ª edição do Prêmio Brasil Brau de Gestão de Negócios em Cerveja, ocorrido durante a Brasil Brau pela cerveja Hi5. “Queremos fugir do convencional, não para oferecer algo apenas diferente para o consumidor, mas para oferecer o que entendemos como melhor”, afirma Bernardo Couto, um dos sócios da empresa. A 2cabeças surgiu no final de 2011 formada por dois cervejeiros caseiros cariocas que decidiram arriscar e levar uma fórmula da panela para se transformar em case para a indústria. Assim, sem tantas pretensões, nasceu o primeiro lote da Hi5 Black IPA. Porém, o lançamento da cerveja tomou uma proporção muito além da esperada, com destaque em mídias especializadas. Assim, Salo Maldonado e Bernardo Couto decidiram investir no mercado. Tempos depois, eles ganharam o reforço da cervejeira Maíra Kimura.

18

revistadosedupla.com.br

O rótulo foi desenvolvido pelo designer paulista Bruno Couto, apostando num visual moderno e fora do padrão do mercado nacional. “A gente gosta de dizer que a Hi5 dá um tapa na cara dos sentidos do consumidor, pois ela foge muito do que as pessoas entendem como cerveja escura. O rótulo representou isto muito bem, pois a mão está ali, basta servir para levar o tapa do aroma”, afirma Bernardo Couto, um dos sócios da 2cabeças.

FICHA TÉCNICA:

Hi-5 Black IPA Estilo: Black IPA IBU: 62 ABV: 6,2% Temperatura de serviço: de 6° a 8°. Diferencial: a comunicação da empresa é jovem e original e as garrafas são lindas e muito modernas.


N� �������� ���� ������

V�������� E���������!

No você capitaliza mensalmente. Durante o tempo de contribuição será formada uma reserva individual, corrigida com juros de até 100% da Taxa Selic ao ano, que poderá ser resgatada conforme Estatuto Social.

Informações:

Rua Alfredo Guedes, 72 - 1º andar - Cj. 12/13 - Carandirú - São Paulo/SP

Ouvidoria: revistadosedupla.com.br

19


SICOOB CREDIBESP

AGRADECIMENTO

SICOOB CREDIBESP - Cooperativa de Crédito

Nos meus quatro anos de mandato (de 2010 a 2013), demos continuidade no trabalho realizado pelo idealizador e fundador do Sicoob Credibesp – Cooperativa de Crédito Mútuo dos Distribuidores de Bebidas do Estado de São Paulo, José Norberto Paino, com todas as dificuldades ocorridas no setor de bebidas. Hoje, a nossa cooperativa de crédito é uma realidade, autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil, com a oportunidade de menores taxas de juros nas operações de empréstimo, maior rendimento nas aplicações financeiras, possibilidade de os cooperados se beneficiarem de sobras ou excedentes, além de outros benefícios para os distribuidores cooperados, por meio de parcerias com empresas como a Fast Shop, Brastemp/Consul, CVC Turismo – Loja Voluntários da Pátria e o nosso Cartão de Crédito Mastercard, com taxas abaixo do mercado. Eu, Odair Maria de Vechi Moreli, sinto que tenho o dever cumprido, deixando um saldo bastante positivo de realizações, com muito orgulho em deixar para a ADIBE e para os distribuidores de bebidas uma cooperativa de crédito consolidada no nosso setor de bebidas. Devo tudo isso aos diretores e aos conselheiros fiscais que me acompanharam nesta gestão e, sobretudo, aos nossos colaboradores Eduardo e Suellen, verdadeiros pilares da nossa cooperativa. Confesso que poderia ser reeleito, mas deixo o cargo muito feliz, pois teremos uma diretoria com muito comprometimento, dedicação e novas ideias para contribuir com o crescimento da nossa cooperativa.

Quero desejar um caloroso voto de boas-vindas e êxito ao novo Presidente da Sicoob Credibesp, o Sr. Marcelo Fruet e seus diretores Mário Ferreira, Armando da Silva Afonso, José Norberto Paino, Jonas Bertucci e Eduardo Galdino da Silva. Sei que a nossa cooperativa estará em boas mãos, em conjunto com os conselheiros fiscais Élcio Fidalgo Gouvêa, Edivandro Cássio Langoni Costa, Analida Guedes Segalla e Brauner Caetano Pereira. Agradeço o privilégio de ter oferecido ao segmento de bebidas o melhor da minha inteligência e esforço pessoal a esta causa nobre chamada “Sicoob Credibesp”. Expresso aqui, mais uma vez, a minha sincera admiração, respeito e reconhecimento pelo valor dos colaboradores desta cooperativa e pela sua singular cultura organizacional. A dedicação ao serviço, o atendimento aos cooperados e a consciência social formam um patrimônio valioso, essencial à sobrevivência e ao sucesso desta instituição financeira.

Odair Maria de Vechi Moreli Membros Estatutários da Cooperativa A Diretoria da Cooperativa, homologada pelo Banco Central do Brasil em 11 de junho de 2013, cujo mandato se estenderá até a Assembléia Geral Ordinária de 2017 são: Diretoria Executiva Diretor Presidente: Marcelo Fruet (Dobel Comércio de Bebidas Ltda) Diretor Operacional: Armando da Silva Afonso (Arbor) Diretor Administrativo: Mário Ferreira (ADIBE) Diretoria Adjunta José Norberto Paino (Diserb Dist de Alimentos e Bebidas Ltda) Jonas Bertucci - (Ventucci Dist de Bebs) Eduardo Galdino da Silva (Parracho Com. Doces e Alimentos Ltda) Conselho Fiscal Efetivo Èlcio Fidalgo Gouvêa (Fidalgo e Gouveia) Edivandro Cássio Langoni Costa (Tico e Teco Dist. de Bebs.) Analida Guedes Segalla (Com de Bebs Guedes e Guedes) Conselho Fiscal Suplente Brauner Caetano Pereira (Com de Doces e Bebs Viena) Ouvidoria Diretor Responsável: Armando da Silva Afonso Gerente Financeiro: José Eduardo O. de Freitas Auxiliar Administrativo: Suellen Tragueta Xavier Rodrigues OUVIDORIA SICOOB: 0800-725-0996

20

revistadosedupla.com.br


revistadosedupla.com.br

21


ADIBE EM AÇÃO

por Rita de Cássia

NOVIDADE: LANÇAMENTO DO PROGRAMA ADIBE DE VENDAS

Treinamentos, benefícios, parcerias. Saiba um pouco mais sobre tudo o que a ADIBE oferece para a sua empresa.

Atualmente, o desenvolvimento de competências técnicas e comportamentais da equipe comercial é um fator decisivo na obtenção de resultados rentáveis para as empresas. Ótimos produtos e preços competitivos de nada adiantarão se não houver uma força de vendas comprometida com os objetivos estratégicos e capacitada tecnicamente. Pensando nisso, e em como contribuir para os negócios das empresas associadas, a ADIBE lançará, em agosto, o Programa ADIBE de Vendas, uma grande novidade que promete ajudar muito no desenvolvimento pessoal e profissional das equipes comerciais. O Programa ADIBE de Vendas, como o próprio nome diz, consiste em um treinamento de vendas destinado aos profissionais da área comercial, desenvolvido com base em estudos do cenário de atuação dos vendedores/representantes, que sofrem com a falta de tempo e a enorme pressão em alcançar resultados. Por meio de uma combinação de técnicas, estratégias, comportamento, criatividade e organização, o programa é direcionado à solução de problemas e, claro, ministrado de acordo com a necessidade de cada organização. Com este treinamento, a ADIBE tem como objetivo oferecer subsídios para que sua empresa cresça e obtenha cada vez mais sucesso em vendas, nos negócios e na vida pessoal de cada colaborador e gestor. Conheça um pouco mais sobre essa novidade!

22

revistadosedupla.com.br

Benefícios do Programa ADIBE de Vendas • Desenvolver competências técnicas e comportamentais específicas em vendas; • Identificar e superar limites e adversidades que impedem de obter os objetivos desejados e um nível superior de resultados em vendas; • Aumentar a persistência, a autoestima, a coragem e a determinação, fatores fundamentais para o sucesso em vendas. Programação O treinamento de vendas tem duração de três horas e é ministrado por consultores altamente qualificados e com grande conhecimento do mercado onde atuam nossos associados. Veja os temas: • Técnicas de Vendas; • Excelência no Atendimento a Clientes; • Desenvolvimento do Potencial Humano. Inscrições O número de vagas é limitado e a participação das empresas associadas é totalmente gratuita. Os interessados devem se inscrever através do e-mail: rita@adibe.com.br, enviando os dados completos, como nome dos colaboradores/gestores e empresa. Não perca a oportunidade de aprimorar o conhecimento de seus colaboradores. Seus negócios irão agradecer. Participe!


TREINAMENTO IN LOCO A ADIBE realiza, há bastante tempo, o treinamento dentro da própria empresa associada que deseja trabalhar suas equipes. Também totalmente gratuito, este serviço é desenvolvido por consultores de alta qualificação e o conteúdo é de acordo com o perfil e a necessidade de cada empresa. Muitos colaboradores, diretores, gerentes e proprietários de indústrias e distribuidoras de bebidas já foram beneficiados com os Treinamentos In Loco da ADIBE, ou seja, no próprio local de trabalho. Se sua empresa tem esta necessidade, entre em contato com a equipe ADIBE e solicite um treinamento para seus colaboradores nas áreas: Administrativa, Vendas, Recursos Humanos, Liderança, entre outros. Veja abaixo, o depoimento de duas empresas que receberam os consultores da ADIBE para um Treinamento In Loco. No dia 08/05/2013, o consultor Mario Rodrigues ministrou o treinamento ‘Motivação de trabalho em grupo’ na Bertin Bebidas: “Foi uma das melhores palestras motivacionais que já assisti em companhia da nossa equipe de vendas. Já estávamos receosos com o mercado de vendas de bebidas abalado com a Lei Seca, o alvará de funcionamento de casas noturnas, entre outros obstáculos para este ramo de negócio. Porém, o consultor Mario Rodrigues nos fez enxergar que devemos ir à luta, não desanimar com as dificuldades que temos no dia a dia, ser persistentes e ter paciência, pois assim, vamos conseguir o sucesso de nosso negócio!” Victor Tedesco Sub-Gerente de Vendas Bertin Bebidas Em 15/06/2013, foi a vez da empresa JC Distribuidora de Bebidas receber o consultor Eduardo Congentino: “Agradecemos a Adibe pela oportunidade de levar à nossa equipe de vendas um conhecimento maior a respeito do trabalho, motivando, ensinando e deixando claro que apesar das dificuldades no mercado atual, somos completamente dotados de criatividade, paciência e inteligência para superar, crescer e se manter no mercado de bebidas, que está cada vez mais concorrido. Com certeza, o treinamento é a maneira que temos para desenvolver um trabalho melhor a cada dia. Obrigada ao Sr. Eduardo Congentino, palestrante de grande experiência, que conseguiu deixar bem claro à equipe que, por meio da filosofia, conseguimos grandes feitos para a vida profissional e pessoal.” Célia Regina Justi Gerente de Vendas JC Distribuidora de Bebidas

CENTRAL DE PARCERIAS Mais um benefício: na ADIBE há um departamento responsável por formar parcerias com empresas de diversos setores para favorecer os associados em suas negociações. Os parceiros da associação são empresas idôneas, interessadas em oferecer benefícios especiais (preço diferenciado, prazo de pagamento, atendimento diferenciado), e por meio de um acordo de comercialização, garantem excelentes negócios. Prestigie os fornecedores cadastrados, eles oferecem aos associados ADIBE as melhores condições do mercado. FRT AUTOMAÇÃO Tel.: (43) 3532-8050 / www.frtautomacao.com.br DIVEPE CAMINHÕES FORD Tel.: (11) 3594-9608 / www.divepesp.com.br EASY TECNO INFORMÁTICA Tel.: (11) 4584-3866 / www.easy-tecno.com.br JR & MARTO SEGUROS Tel.: (11) 3977-7595 / www.segurosjrmarto.com.br DESCONTOS EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA A ADIBE também possui parceria com a empresa Patriani Eventos, que realiza cursos de capacitação voltados para a educação corporativa. Em junho, o tema foi ‘Vendas 3.0 – Como vender na nova era da comunicação utilizando a internet, telefone, e-mail e redes sociais’. Na ocasião, associados ADIBE tiveram mais de 30% de desconto no valor do curso. Mais informações pelo telefone: (11) 5575-7314 ou pelo site www.patrianieducacao.com.br revistadosedupla.com.br

23


CAPA

CERVEJA

ARTESANAL Redação: Daniela Oliveira

A busca por produtos diferenciados quadriplica o crescimento anual do segmento em relação ao mercado das cervejas tradicionais. Muito tem se falado da cerveja artesanal, produto que cada vez mais desperta o interesse dos brasileiros. Mas, afinal, o que seria esse produto? É chamada assim toda cerveja produzida de forma ‘caseira’, utilizando ingredientes ou método de fabricação diferenciado. As cervejas artesanais, especiais e até a ‘Premium’ são todas enquadradas no mesmo grupo, pois fogem ao método tradicional das grandes cervejarias. Fato é que o brasileiro está descobrindo esse fantástico mundo. Segundo dados do Ministério da Agricultura, o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de cerveja, com uma produção de 12,4 bilhões de litros produzidos em 2011. As microcervejarias correspondem a 200 empresas e respondem por 5% do faturamento total do segmento, estimado em R$ 39,6 bilhões, em 2012. Com crescimento anual quatro vezes superior ao do mercado de cervejas

24

revistadosedupla.com.br

tradicionais, as cervejas especiais almejam conquistar 10% do mercado já este ano e 20% da preferência até 2015. Segundo o IBOPE, os brasileiros devem gastar R$ 6 bilhões em cervejas em 2013, projeção 10% maior do que a do ano passado, sendo a região Sudeste a principal responsável por este aumento, seguida das regiões Sul e Nordeste. Apesar das boas estimativas, vale dizer que o Brasil ainda caminha a passos lentos se comparado com países como Estados Unidos e Alemanha, que têm a cerveja artesanal difundida e consolidada há bastante tempo. Isso acontece porque, apesar do crescimento do setor, o produto muitas vezes não chega ao público de massa, falta apoio da mídia para a disseminação da cultura da cerveja especial e também incentivos fiscais por parte do governo. São muitos os desafios a serem enfrentados pelo produtor artesanal, ou seja, há muito trabalho pela frente.


A cervejaria Dama Bier, da cidade de Piracicaba, é uma empresa relativamente nova, mas que já possui uma ampla experiência. Fundada em janeiro de 2010, a empresa avalia que o mercado está em franca expansão: “É um mercado que cresce cada vez mais, pois devido ao aumento do poder aquisitivo do brasileiro, tem-se procurado por melhores produtos, que proporcionem melhores experiências”, diz o Bier Sommeliere e Gerente Comercial da Dama Bier, Paulo Bettiol. Perguntado sobre os desafios de uma cervejaria artesanal, Paulo diz que a pequena cervejaria tem grandes ‘lutas diárias’, que começam no próprio processo de distribuição, já que a demanda aumenta todos os dias. Um entrave para o crescimento do setor é, segundo Paulo, a política de tributação praticada no país e aplicada às cervejarias artesanais: “O percentual de imposto é maior para uma pequena cervejaria, ao contrário de uma cervejaria industrial, em que o percentual de tributação é menor”. Perguntado sobre a falta de apoio por parte do governo em incentivar a produção da cerveja artesanal no Brasil, o sommeliere diz que o mercado ainda é imaturo e que falta um grupo de representatividade para se unir e exigir, junto aos políticos, uma melhor política tributária. “Não é tão simples, mas obviamente um grupo teria uma repre-

sentatividade maior, só que por enquanto, isso ainda não existe, embora já esteja sendo articulada uma pressão no governo por parte das cervejarias”. A Dama Bier, de propriedade de Carlos e Renato Bazzo, começou suas atividades depois que os proprietários – pai e filho – viajaram ao redor do mundo para encontrar o que há de melhor em produção de cerveja. Eles gostaram tanto que decidiram apostar no mercado brasileiro. Atualmente, a fábrica está situada em uma área de 1900 m², com capacidade instalada de 60.000 litros/mês, mas com produção ainda em torno de 50.000 litros/mês. No portfólio da Dama Bier constam cinco cervejas: Pilsen, Weiss, München, Stout e India Pale Ale (IPA). Sua distribuição se concentra nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Rio Grande do Norte e Bahia. A cervejaria, que já é premiada, busca agora fortalecer o mercado nacional por meio de novas parcerias com distribuidores. Só neste ano, a Dama Bier conseguiu 13 medalhas no 1º Concurso Brasileiro de Cerveja, em Blumenau, em março. Em abril, a cerveja Weiss faturou medalha de bronze no Australian International Beer Awards na Austrália e a München ganhou a medalha de bronze no South Beer Cup.

revistadosedupla.com.br

25


CAPA

CERVEJA INDUSTRIAL X ARTESANAL O processo de produção e os ingredientes é o que diferencia a cerveja tradicional da artesanal. “Dentro de uma cervejaria artesanal temos liberdade para propor mais experiências de cor e sabor”, diz o sommeliere da Dama Bier. Enquanto a cerveja artesanal prima pelo sabor do produto, com muito malte e lúpulo, a cervejaria industrial trabalha para diminuir o amargor. Nesse sentido, o objetivo da Dama Bier é produzir uma cerveja que tenha mais aroma, sabor e originalidade. Essa é a preocupação da empresa, que além do sommeliere Paulo Bettiol, também conta com a experiência de 35 anos do mestre cervejeiro Ilceu Dimer. Por tudo isso, não é difícil crescer em um mercado dominado

pela grande indústria, pois não existe concorrência entre a cerveja industrial e artesanal. Isso acontece porque a cerveja industrial é totalmente diferente da cerveja artesanal. Além disso, o público que aprecia uma cerveja artesanal também é diferente, que degusta a cerveja e é fiel ao seu paladar. Para satisfazer o consumidor que, em seu caráter, é cada vez mais exigente, a Dama Bier pretende lançar mais quatro rótulos esse ano, com perfis totalmente diferenciados, rótulos trabalhados e posicionamento de marca dos produtos. As mídias sociais são ferramentas de comunicação muito usadas pela cervejaria, que sempre posta informações relevantes sobre seus produtos na rede.

Planos Futuros

A Dama Bier tem como objetivo crescer ainda mais. Faz parte do planejamento da empresa aumentar a representatividade no Brasil e fortalecê-la, atender mais redes de distribuição e gerar uma demanda maior para a capacidade produtiva da fábrica, além de lançar produtos novos – na linha sazonal ou com produção única, e sempre trazer exclusividade para os clientes fiéis aos produtos da empresa.

Paulo Bettiol, sommeliere da DamaBier. 26

revistadosedupla.com.br


Foto: Wellington Pedro

SAIA DA ROTINA

MUSEU DA CACHAÇA DE SALINAS/MG

por Daniela Oliveira

Fotos: Junia Mortimer

Um convite para os apreciadores da bebida verde e amarela.

A cidade mineira, que já é conhecida como uma das principais produtoras de cachaça do país, agora tem um espaço para contar a história da bebida. Inaugurado em dezembro de 2012, o Museu da Cachaça ajuda a valorizar ainda mais o trabalho dos produtores da cachaça de alambique. Atualmente, são produzidos cerca de cinco milhões de litros por safra e mais de 50 rótulos são comercializados, sendo uma das principais bases econômicas do município. O Museu da Cachaça está localizado no antigo aeroporto da cidade, unindo, em seus espaços, o rústico e o tecnológico. Temas como a história da cachaça em Salinas, a plantação, a colheita e a moagem da cana, a sociedade do açúcar e os engenhos antigos e atuais têm exposições abrigadas em nove salas, além de um ambiente para reunião da comunidade, loja, biblioteca, brinquedoteca e áreas de interação. As salas expositivas reúnem painéis fotográficos, áudios, vídeos, equipamentos utilizados nos alambiques e uma

enorme instalação com garrafas de cachaça produzidas em Salinas (cerca de 2.200 garrafas em uma instalação de 9 metros de altura). Na Sala do Aroma, há nichos disponíveis para a experiência sensorial das características da bebida, que percorre calhas e pode ser distinguida pelo seu cheiro. Destacam-se ainda neste ambiente um alambique de cobre (um dos primeiros da região, doado pela Fazenda Havana) e um parol – a peça era utilizada para armazenar cachaça no século XIX. Há também imagens de Debret e Post, que ajudam a contar a história da introdução da cana de açúcar no Brasil. O Museu da Cachaça foi projetado para ser um diferencial no Norte de Minas Gerais e no Brasil. No que diz respeito à geração de emprego e renda, será um instrumento não apenas cultural, mas de difusão e comercialização de um precioso bem da cultura e economia de Minas Gerais e do Brasil. Porque falar da história da cachaça é fundir-se com a história do nosso país.

Museu da Cachaça de Salinas

Endereço: Avenida Antônio Carlos, 1250 Telefone: (38) 3841-4778 Horário de Funcionamento: de quarta a sexta-feira (das 16h às 20h30), sábado (das 13h às 17h30), domingo (das 8h às 12h). Entrada franca Onde se hospedar: Hotel Tamburil Rodovia BR 251, Km 311- Salinas/MG. Informações e reservas: (38) 3841-3974 www.hoteltamburil.com.br

revistadosedupla.com.br

27


CONSCIÊNCIA SEM MODERAÇÃO

A V I FENS

E D . O ideia ÇÃ a

DIRPEratique ess por Daniela

Parte de sua equipe provavelmente passa boa (ou grande) parte do tempo nas ruas, exposta a vários tipos de risco. Ameaças como a falta de segurança, o trânsito cada vez mais inseguro e outros fatores podem afetar o bom andamento do trabalho e a produtividade, caso aconteçam. Por isso, é importante que alguns desses fatores de risco sejam evitados. A direção segura é uma delas, pois, se praticada, os profissionais de sua empresa estarão mais preparados para lidar com possíveis ocorrências. Segundo Andrea Nunes, Instrutora do Departamento de Educação de Condutores da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET, a direção defensiva é o conjunto de informações fundamentais para que o condutor tenha condições de se proteger e proteger quem está na via pública. Ainda de acordo com a instrutora, o motorista defensivo é aquele que conhece e respeita a regra prevista no Código de Trânsito Brasileiro. Por meio da direção defensiva é possível evitar 99% dos acidentes, pois o motorista consegue fazer uma previsão do que pode acontecer no momento em que está dirigindo. “Ele domina a forma de reação a imprevistos que podem ocorrer e a partir daí pode tomar a decisão sobre o que fazer, mas para isso é preciso que ele tenha controle das próprias emoções, ter calma”, diz Andrea Nunes. 28

revistadosedupla.com.br

Oliveira

São atos da direção defensiva: • Sempre manter velocidade reduzida, quesito básico

de segurança. Se a via oferece algum risco, o primeiro passo é diminuir a velocidade; • Focar a atenção no que está acontecendo no caminho; • Estar em boas condições de saúde e ter disposição. Um motorista que dirige por muito tempo, alcoolizado ou doente terá sua atenção prejudicada e precisará de mais esforço para se concentrar no trânsito; • Manter o veículo em condições de segurança sempre.

O ‘probleminha’ pode ser a causa de um acidente; • Conhecer as regras de trânsito para não entrar em uma

situação de risco.


Os números fatais A CET divulgou o Relatório Anual – Acidentes de Trânsito Fatais, em que mostra os dados relacionados aos acidentes de trânsito fatais ocorridos no município de São Paulo no ano de 2012 e suas vítimas. De acordo com essa pesquisa, houve um total de 1.231 mortes em acidentes de trânsito, sendo que 54% desse número correspondem aos pedestres, 35,6% aos motociclistas, 16,3% aos motoristas e passageiros, e 4,2% está relacionado à morte de ciclistas. Conforme se vê nos números, há hoje uma nítida tendência na diminuição das mortes de motoristas/passageiros e ciclistas no trânsito. A taxa de morte de motociclistas, ao contrário, está aumentando. Andréa Nunes, instrutora do CET, diz que a presença de motocicletas cresceu bastante por causa da necessidade. Quanto mais congestionamento a cidade tiver, proporcional será o número de motos, já que o veículo oferece mais agilidade. Porém, isso não quer dizer que é necessário o uso da velocidade. “A moto é um veículo adequado, porém não pode ser usado com tanta agilidade. É preciso ter responsabilidade, o motociclista não precisa correr, o veículo já é ágil por si só”.

Veja abaixo, a entrevista com Cláudio Garcia, gerente de Marketing e Produto da empresa Velho Barreiro, sobre a segurança das equipes que trabalham em campo (nas ruas). Dose Dupla: Cláudio, a equipe que está nas ruas é composta por quantas pessoas? Cláudio Garcia: No estado de São Paulo são em torno de vinte pessoas, entre promotores, vendedores e gerentes. A Velho Barreiro não faz entrega e logística de transporte, é o distribuidor quem retira a mercadoria na nossa fábrica, por isso somente esse pessoal fica em campo. Dose Dupla: Já houve envolvimento de profissionais da Velho Barreiro em acidentes de trânsito? Cláudio Garcia: Sim, regularmente, desde os mais simples até os mais graves. Na verdade, o que acontece é que normalmente os acidentes são provocados por imprudência de terceiros: manobra invasiva na contramão, ultrapassagem do sinal vermelho, etc. O caso de acidente de trânsito mais grave envolvendo um funcionário da Velho Barreiro aconteceu no ano passado e, inclusive, foi até veiculado nos jornais. Um promotor novo na função estava indo para uma reunião matinal na distribuidora e quando foi fazer uma ultrapassagem, um caminhão o fechou. Ele estava em uma velocidade relativa, por isso saiu da cabine do carro, para se ter uma ideia da gravidade do acidente. O que houve não foi imprudência, e sim, inexperiência do profissional que tentou fazer uma ultrapassagem de um veículo longo com um carro motor mil e o caminhão o fechou. Se ele não estivesse usando cinto de segurança, provavelmente teria sido atingido na cabeça e, possivelmente,

teria um sério comprometimento. Felizmente, nosso funcionário não teve nenhum dano físico, mas o carro teve perda total. Dose Dupla: A equipe já fez o curso de Direção Defensiva? Cláudio Garcia: Não, estávamos pleiteando o curso junto ao senhor Mário. A ADIBE nos orientou a entrar em contato com a CET, que realiza os cursos, mas ainda não deu para fazer. Vamos orientar todos os gerentes e promotores a fazerem o curso de Direção Defensiva, que é realizado dentro do próprio CET, agora no segundo semestre. Dose Dupla: O que a empresa faz para garantir a segurança dos profissionais na rua? Cláudio Garcia: Hoje fazemos reuniões periódicas, acompanhamos os promotores, alertando-os sobre os perigos do trânsito, a questão da velocidade e da distração. Verificamos também o número de multas e infrações. É um trabalho no sentido de orientar nossos profissionais através das reuniões. Nós sabemos da necessidade do curso de Direção Defensiva, é uma das metas para o segundo semestre. Fora isso, trabalhamos com rastreamento dos veículos para avaliar a localização do promotor e saber se ele está em uma situação suspeita, isso o ajuda no sentido da segurança. São pequenas medidas que a Velho Barreiro faz no sentido de proteger a integridade do pessoal que faz o trabalho de campo, que está sempre nas ruas. revistadosedupla.com.br

29


CONSCIÊNCIA SEM MODERAÇÃO

Atualize sua equipe com os cursos de Segurança no Trânsito da CET

guro, e um trânsito mais se br so s oa ss pe as r iza nscient Educação de Com o objetivo de co o Defensiva: Área de çã ire ‘D s: rso cu os e iclistas) e a CET (SP) oferec Segura’ (para motoc em tag ilo ‘P ’, ra gu Se ncia é Trânsito’, ‘Direção gratuitos e a única exigê o sã s do To ). tas lis cic ’ (para ‘Pedalar com Segurança litada. bi ha que a pessoa seja Defensiva’, no no curso de ‘Direção s da da or ab o sã ito itar que, no As regras de trâns a legislação, para ev ca áti pr a rm fo de e ec evitar qual o condutor conh aspectos sobre como s do da or ab o Sã . es fraçõ os outros usuários futuro, ele cometa in otegem o condutor e pr e qu s ca cífi pe es nto também acidentes, regras s veículos. Outro assu tro ou de tas ris oto m e ista deve da via como pedestres ção e como o motor re di da s rsa ve ad es ndiçõ rrapar trabalhado são as co plo, o veículo pode de em ex r po a, uv ch de caso uando os pneus agir nessa condição. Em em aquaplanagem (q tre en ou e ad cid lo ve caso esteja em alta de água). sta devido ao excesso pi a m co ato nt co o perdem que dispõe de óprio prédio da CET, pr no s da ra ist in m o Segura’ e Aulas práticas sã te os cursos ‘Pilotagem ran du m ina tre s no alu uma ciclovia em que os nça’. ‘Pedalar com Segura ra’ e cursos ‘Pilotagem Segu os te, en alm sso pe er mparec Para quem não pode co ia, pela internet. m ser feitos à distânc de po ’ ra gu Se o çã ire ‘D almente. ece os cursos seman er of e qu T, CE a m ia co trar no site www. A ADIBE tem parcer r suas equipes deve en ve re sc in em da sa es A empresa inter @cetsp.com.br. um e-mail para dco2 ar vi rra Funda en ou r .b m .co cetsp São Vicente, 2154 – Ba de s uê arq M . Av na os Os cursos são realizad – São Paulo.

mpartilhada rte: A via pública é co ve ad a pl Du se Do ciclistas. A Revista istas, motociclistas e or ot m , es str de pe – s por todo se compartilhamento nsito mais seguro, es trâ um ja ha e qu ra em as regras, Pa ico. Se todos respeitar ôn rm ha e lo ui nq tra r ontecem. precisa se e menos acidentes ac o trânsito flui melhor Direção Defensiva. Ao dirigir, pratique a

30

revistadosedupla.com.br


CURTA SEU MOMENTO

Ingredientes 200 ml. de leite; 40 ml. de cachaça Seleta; 5 colheres (sobremesa) de chocolate em pó; 1 colher (sobremesa) de açúcar mascavo; Canela em pó (a gosto); Chocolate ao leite ou meio-amargo picado.

Como fazer Em uma panela separadamente, aqueça bem o leite com o chocolate em pó e o açúcar, misturando os três ingredientes delicadamente. Reserve. Coloque no fundo de uma xícara um pedaço de chocolate, e adicione a dose de cachaça. Em seguida, acrescente o chocolate quente. Por fim, polvilhe a canela em pó sobre a bebida.

Rendimento 2 porções.

CHOCOLATE QUENTE COM CACHAÇA

Redação: Daniela Oliveira

O inverno está aí, e com ele, as baixas temperaturas. Por isso, nada melhor que uma bebida à base de chocolate, não é mesmo? E se a bebida é quente e ainda leva cachaça, torna-se mais perfeita ainda. Pensando nisso, a Cachaça Seleta elaborou justamente uma receita que une esses dois ingredientes: o chocolate e a cachaça. Teste essa receita e faça seu dia ou noite mais prazeroso. Mãos à obra!

Aqueça suas noites frias com o drink sugerido pela Seleta.

revistadosedupla.com.br

31


32

revistadosedupla.com.br


Revista Dose Dupla 111