Distinção - Edição 74

Page 1

Mala Direta Básica

®

22.863.212/0001-35 TRIBUNA SC EIRELI

SILVA PACKER ENTREGA NOVO EDIFÍCIO EM BALNEÁRIO CAMBORIÚ: SOLAR DI SIENA PÁGINA 4

PARANÁ AGORA TEM O BANCO DO AGRICULTOR PÁGINA 2

Foto: Gilson Abreu / AEN

FERROESTE: TRILHOS VÃO LIGAR O PARANÁ AO MATO GROSSO DO SUL

Foto: Gilson Abreu / AEN

DISTINÇÃO 074

A B R I L - 2 0 2 1 - E D I Ç Ã O 7 4 - PA R A N Á E S A N TA C ATA R I N A


APOIO

Governo lança o Banco do Agricultor Paranaense Foto: Jonathan Campos / AEN

Os primeiros contratos de financiamento ocorreram já durante o lançamento do Banco. Joice Kasiano, de Candói, viabilizou empréstimo de 28 mil para melhorar o rendimento de sua pequena propriedade leiteira.

O agricultor paranaense passa a contar desde o dia 27 de abril com um programa de crédito exclusivo com juros subsidiados pelo Governo do Estado. A operação é garantida pelo Banco do Agricultor Paranaense, lançado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior no Palácio Iguaçu. O alcance é estimado em R$ 500 milhões. A proposta é alavancar investimentos por meio da equalização de taxa de juros em diversas atividades agropecuárias, além de promover inovação tecnológica, sustentabilidade, geração de emprego e melhoria da competitividade do produto paranaense. Para isso, o Estado vai compensar o agricultor, por meio da Fomento Paraná, com o reembolso de até 3 pontos porcentuais do juro contratado junto às instituições financeiras que trabalham com crédito rural – neste primeiro momento estão credenciados o Banco do Brasil, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e cooperativas de crédito. Ou seja, dependendo do en-

2

quadramento dentro do programa e das condições do empréstimo, o financiamento será a juro zero para o agricultor, com os encargos ficando sob responsabilidade do Governo. Há, ainda, carência mínima para o pagamento da primeira prestação, variável de acordo com cada linha de crédito. “Qualquer lugar do mundo só vira uma potência quando descobre o que faz de melhor. No Paraná o que sabemos fazer de melhor é produzir alimentos. Hoje, exportamos comida para centenas de países e o agronegócio é responsável por cerca de um terço do Produto Interno Bruto (PIB) do nosso Estado. Então, o Governo tem responsabilidade de incentivar a criação de um ambiente de negócios que favoreça o setor”, destacou Ratinho Junior. “O Banco do Agricultor Paranaense é inédito no País”. De acordo com a lei aprovada pela Assembleia Legislativa, a subvenção está autorizada para cooperativas e associações de produção, comercialização e reciclagem, e a agroindústrias familiares, além de projetos que utilizem fontes renováveis de ge-

ração de energia e ou destinados à irrigação, entre outros. O financiamento será operado no âmbito do Programa Paraná Mais Empregos. “O Estado propõe uma política bastante agressiva no sentido de o dinheiro ser barato para o produtor. O agro é o setor que pode liderar a retomada da economia depois da pandemia e estamos trabalhando todos os dias para isso”, disse o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. IRRIGAÇÃO E COOPERATIVAS – Uma das linhas oferecidas é para projetos de irrigação, com subvenção para financiamento de até R$ 850 mil. Nesse caso, os agricultores familiares, de forma geral, e os médios e grandes produtores da região do Arenito Caiuá (Noroeste) poderão equalizar até 3% de taxas de juros ao ano. Para médios e grandes produtores até 2%. Serão beneficiados projetos para a produção de grãos, pastagens, forragens, mandioca, café, frutícolas, flores e olerícolas.

Na linha destinada ao aumen-


| tribunasc.com/distincao to de produção, inovação e aprimoramento dos processos de cooperativas da agricultura familiar há possibilidade de subvenção para obras civis, aquisição e instalação de máquinas e equipamentos e para projetos e prestação de serviços de assistência técnica. A equalização é para valores de até R$ 1 milhão por CNPJ. Já para aquelas que tiverem faturamento anual no limite de R$ 4,8 milhões, a compensação pode chegar a 3% em investimentos produtivos e integralização de cotas-partes. Projetos de inovação e investimentos produtivos das cooperativas com faturamento entre R$ 4,8 milhões e R$ 16 milhões podem equalizar até 2% anuais. AGROINDÚSTRIAS E LEITE – Projetos de implantação, expansão, modernização e adequações para atendimento a exigências sanitárias em agroindústrias também estão previstos na lei. As operações podem ter equalização de juros de até 3% ao ano se a agroindústria se localizar em município com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo da média estadual ou o faturamento estiver no limite de R$ 4,8 milhões. No caso dos demais municípios ou o faturamento se posicionar até R$ 16 milhões, a subvenção será de 2%. A compensação, no entanto, fica restrita ao valor financiado que não superar R$ 165 mil por CPF ou R$ 300 mil por CNPJ. Em projetos de pecuária leiteira, o decreto também prevê a equalização para valor financiado que não exceda R$ 165 mil por CPF, destinado à compra de matrizes, instalações, equipamentos e implementos que melhorem a produtividade, qualidade, adequação sanitária e renovação genética do rebanho. A subvenção é de 3% para os agricultores familiares com declaração de aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e propriedade em município com IDH abaixo da média estadual. Para outras cidades, de 2%. ÁGUA, PINHÃO E ERVA-MATE – O decreto privilegia, ainda, projetos capazes de viabilizar a produção de água, com aumento de vazão de minas, córregos e riachos, e a captação ou represamento de águas pluviais. O investimento não pode exceder R$ 50 mil e deve se destinar à aquisição de materiais, equipamentos e serviços para adequação de microbacia, proteção de nascentes e construção ou impermeabilização de reservatórios e cisternas.

nicípios. A compensação será de 3% ao ano independentemente da localização da propriedade. Ou seja, se a operação for contratada com taxa inferior, o proprietário poderá abater 100% dos juros. A produção de mudas, plantio, replantio e manutenção de florestas com pinheiro e erva-mate que tiver financiamento de até R$ 165 mil por CPF também está integrada ao pacote. Para agricultores familiares do Pronaf, em municípios com IDH abaixo da média estadual, a equalização será de até 3%. Os demais de 2%. PISCICULTURA E ORGÂNICOS – A mesma compensação da taxa de juros em 3% se dá para agricultores do Pronaf em municípios com IDH baixo e de 2% nos demais municípios para ações voltados para a piscicultura. O financiamento, contudo, não deve ultrapassar R$ 165 mil. O decreto estabelece as mesmas condições para diversos projetos relacionados a outras cadeias produtivas, como da seda, café, olerícolas, floricultura e fruticultura, além de sistemas de produção orgânica ou agroecológica. Se a linha de crédito tiver taxa de juros inferior a 3%, a equalização será de até 100%. ENERGIA RENOVÁVEL – O Banco do Agricultor Paranaense prevê também subvenção para operações em obras civis, aquisição de materiais e equipamentos e na elaboração de projetos de geração de energia a partir de fontes renováveis. Se enquadram ações do modelo solar fotovoltaica e biomassa, com prioridade para projetos relacionados à Geração Distribuída ou Geração Isolada. Serão passíveis do benefício valores financiados de até R$ 500 mil para energia solar fotovoltaica e de até R$ 1,5 milhão em biomassa. A equalização é de 3%. O decreto estipula que, de forma excepcional, programas de apoio à irrigação e de fomento ao uso de fontes de energia alternativas no âmbito do Banco do Agricultor Paranaense terão equalização integral das taxas de juros em contratações efetivadas até 31 de dezembro de 2022.

Podem se credenciar agricultores familiares com declaração de aptidão ao Pronaf em todos os mu-

3


DESTAQUE

SILVA PACKER ENTREGA A BALNEÁRIO CAMBORIÚ O SOLAR DI SIENA ◤

Balneário Camboriú está ganhando mais um moderno edifício, o Solar di Siena Residence, obra da Silva Packer Construtora e Incorporadora. Localizado na rua 2.550, 600, em pleno centro urbano, o imóvel está também próximo da praia central. De linhas clássicas, com um projeto de arquitetura requintada, passa a ser um dos mais bonitos prédios da cidade. O empreendimento tem mais de 9 mil m2 e oferece diversão e lazer nas piscinas adulto e infantil, churrasqueira, playground, jogos, festas, fitness , Espaço Gourmet, brinquedoteca, sauna. Os apartamentos tem área privativa de 138 m2 e 179 m2, com 4 dormitórios (duas suítes), sala de estar/jantar, cozinha/ lavabo, 4 vagas de garagem, medidor individual de água, tubulação para água quente, tubulação para ar condicionado tipo split.

4

Divulgação


| tribunasc.com/distincao

FENNER FECHADURAS PARABENIZA A SILVA PACKER CONSTRUTORA

PELOS SEUS

21 ANOS

IDEAL PARA BOX DE PRAIA, BOX DE GARAGEM, PORTA DO GÁS, RESIDÊNCIAS, CONDOMÍNIOS E INDÚSTRIAS.

Imagens: divulgação

Piscinas do Solar di Siena

Academia no Solar di Siena

O 135 Jardins

5


DESTAQUE

21 anos Empresa aberta no dia 27 de junho de 2000 – portanto há 21 anos - foi em 2001 que a Silva Packer entregou o seu primeiro empreendimento à cidade, o Residencial Solar das Acácias na rua 3.618, 55. Atualmente, ela trabalha com obras de médio e alto padrão, tendo entregue já 16 edifícios, totalizando mais de 100.000 m2 de área construída. A construtora foi formada em 2001 por Carlos Humberto Metzner Silva e João Paulo Packer Silva, contando com a experiência de seu responsável técnico, o engenheiro civil Carlos Humberto Silva e com a dedicação de Gina Carles Packer Silva (em memória). Atualmente, além da entrega do Solar di Siena, a Silva Packer tem outros 2 lançamentos, que são o Tesla Residencial na rua 1.201, 280 e o 135 Jardins na Avenida Brasil. Este último, em frente ao Passeio San Miguel, já tem o projeto arquitetônico premiado internacionalmente com o Prêmio Property Awards, categoria edifícios de grande altura. O edifício terá uma altura de 135 metros, 40 andares e o máximo de sofisticação e funcionalidade. Só para se ter uma idéia de sua grandiosidade, serão 2 andares só para áreas de lazer (áreas I e

6

II) com parque aquático, piscinas adulto e infantil, prainha, bar molhado, quiosque, deck, Espaço Gourmet / Churrasco, salão de festa principal, bar/ lounge, sala de jogos / Pub, Espaço Garden, brinquedoteca/Playground, quadra de esportes, Espaço Adega / charutaria, academia, Espaço Saúde / Beleza, sauna úmida, Spa/ descanso.

Divulgação

A empresa também tem um Pré-Lançamento, que é o Hannover, com previsão de entrega para 2024. Com arquitetura neoclássica, será um dos edifícios mais elegantes da cidade, uma torre de 15 pavimentos e infraestrutura completa para atender a um público exigente. Já da parte da nova empresa do grupo, a JFC Construtora, está em fase de conclusão o Scariot Residence, na rua 2.300, 575, com 15 pavimentos, 20 apartamentos, 2 apartamentos por andar e em início de obras o Opera Tower, que terá 41 pavimentos, 69 apartamentos, 2 apartamentos por andar com 4 dormitórios, 3 vagas de garagem. Localizado na rua 3.100, entre a Avenida Brasil e a 3ª. Avenida e previsão de entrega para 2025.

Opera Tower


| tribunasc.com/distincao

Silva Packer ORGULHA-NOS TER PARTICIPADO DAS OBRAS DO SOLAR DI SIENA!

E parabéns pelos 21 anos de realizações! • Elétrica • Telecomunicações • Preventivo Contra Incêndio

Imagens: divulgação

Scariot Residence

Endereço O Grupo Silva Packer tem sede na

O Tesla Residence

rua 3300, 341, sala 14 em Balneário Camboriú. O telefone para contato (47) 3361-8714, o email é

Pré-Lançamento: Hannover

contato@silvapacker.com.br, site www.silvapacker.com.br.

7


INVESTIMENTOS

GOVERNO ASSINA CONVÊNIO DE ADMINISTRAÇÃO DOS TERMINAIS PARA PASSAGEIROS DA ILHA DO MEL (AE Notícias) ◤ O Governo do Paraná firmou o convênio que formaliza a parceria entre o Estado e as prefeituras de Pontal do Paraná e de Paranaguá para a oferta de serviço no transporte aquaviário aos usuários e turistas que visitam a Ilha do Mel. O objetivo é melhorar o atendimento à população. O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, assinou o convênio. “É um passo importante, em respeito às pessoas que trabalham e vivem na ilha. Além de ser fundamental para o desenvolvimento do turismo no litoral paranaense. A Ilha do Mel é o segundo maior destino turístico do Estado e recebe mais de meio milhão de visitantes por ano e esse número deve crescer ainda mais no pós-pandemia.

Por isso temos investido em novos trapiches, investimentos em infraestrutura, ampliação de capacidade de rodovias e aeroportos”, destacou. As prefeituras farão a gestão dos recursos da tarifa de embarque paga pelos usuários. Uma empresa especializada deverá ser contratada para modernizar o sistema de bilhetagem dos terminais, disponibilizando vendas em totens e pela internet, além de investir em sistema de fiscalização, segurança, limpeza e conservação. “Nós precisávamos de um plano aquaviário, um projeto bem estruturado que pudesse regularizar esse transporte com segurança para os usuários e com respeito àqueles que construíram sua história aqui. Foi um trabalho da Infraestrutura, com o IAT, com lideran-

®

ças do setor aquaviário e com as prefeituras de Paranaguá e Pontal do Paraná”, explicou Sandro Alex. Assinaram o convênio o prefeito de Pontal do Paraná, Rudisney Gimenes Filho (Rudão); o prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque; o diretor de Políticas Ambientais da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo e diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto; o responsável por projetos ligados ao Litoral do Paraná na Casa Civil, Renato Adur; e demais lideranças do setor.

Secretário e prefeitos na assinatura do convênio

ENDEREÇOS: Al. Augusto Stellfeld, 873, Ap. 202. Cond. Agostinho França do Nascimento, Ed. Bigorrilho — Curitiba, PR Rua 300, 130, Conj. 502 — Balneário Camboriú, SC

8

DISTINÇÃO PR e SC tribunasc.com/distincao issuu.com/revistadistincao facebook.com/GrupoTribunaSC

EDITOR E JORNALISTA RESPONSÁVEL: Victor Grein Neto victorjornal@yahoo.com.br — (41) 99191-3296

CNPJ 22.863.212/0001-35 Tribuna SC Eireli ME

PROJETO GRÁFICO E DESIGN: Ulidh Motion — CNPJ 31.180.791/0001-02 Luiz Paulo Pietsiaki Moraes — (41) 98814-8436

IMPRESSÃO: GRAFINORTE (Apucarana - Paraná)

O secretário Sandro Alex


| tribunasc.com/distincao

Novos trapiches Depois de 20 anos, os antigos – e perigosos – trapiches em Nova Brasília e Encantadas, na Ilha do Mel, estão sendo substituídos. As obras, pela empresa Portos do Paraná, fazem parte de medida compensatória de licenciamento ambiental da dragagem de aprofundamento do Porto de Paranaguá, conforme orientação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA. Na verdade, a importante atração turística paranaense está ganhando toda uma nova estrutura para atender bem os turistas. Ambos os trapiches recebem uma área

flutuante, que dará acessibilidade e conforto aos usuários no embarque e desembarque de passageiros. Outras intervenções que irão valorizar bastante a Ilha do Mel são as novas coberturas, novos guarda-corpos, iluminação, piso (no trapiche da Encantadas), substituição de escadas de acesso às embarcações, novas defensas para preservação da superestrutura e cabeços de amarração para as embarcações, execução de novo quebra-ondas (no trapiche de Encantadas), mobiliário. E também um píer constituído por 3 flutuantes e estacas de fixação, rampa articulada de acesso, flutuantes inter-

mediários e estacas de fixação, acessórios de atracação e amarração, placas de sinalização turísticas e de segurança e iluminação em LED.

Foto: Rogério Theodoro

Os investimentos, pela Portos do Paraná, são de cerca de 9,5 milhões de reais. A autorização para o início das obras aconteceu no dia 27 de fevereiro de 2020, estando presentes o Governador Ratinho Junior e o Ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas. A empresa responsável pelas obras é a Construtora AJM Eireli, vencedora da licitação. Ela tem sede em Jaraguá do Sul (SC).

9


INVESTIMENTOS Foto: Rogério Theodoro

Foto: Rogério Theodoro

Novos e modernos trapiches para estimular o turismo na Ilha do Mel

40 ANOS AO PARANÁ A Ilha do Mel, composta por aproximadamente 95 por cento de sua área por ecossistemas de restinga e Floresta Atlântica, teve sua categoria elevada à Estação Ecológica em 1982. Em março de 2002 foi criado o Parque Estadual da Ilha do Mel com uma área de 337,84 hectares. Seus principais atrativos são o Farol das Conchas, a Fortaleza Nossa Senhora dos Prazeres e a Gruta das Encantadas. Dos seus 2700 hectares, apenas 200 têm permissão de uso – o restante é reserva ecológica, a qual foi tombada pelo Patrimônio Histórico em 1975, é administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná desde 1982. O turista dispõe de pousadas e pequenos

10

restaurantes. A ilha tem cinco vilarejos: Fortaleza, Nova Brasília ou Brasília, Farol, Praia Grande e Encantadas. Em 15 de abril de 1982, a Ilha do Mel, por aforamento, foi transferida da União para o Estado do Paraná. A Fortaleza, o Farol e a Rádio Farol permaneceram sob o domínio da União. Em 1985, chegou a água tratada. Em 21 de setembro de 1988, foi criada a Estação Ecológica da Ilha do Mel. Também em 1988 chegou a energia elétrica, através de gerador a diesel, que funcionava das 7 h da manhã até às 2 h da madrugada. Em 1998, através de cabo submarino, a luz elétrica passou a ser fornecida do continente, vinte e quatro horas por dia, seguindo também, para a Ilha das Peças e para a Ilha de Superagui.


| tribunasc.com/distincao A Ilha do Mel e suas diversas paisagens

11


INFORMAÇÃO

TIROL CRESCE ACIMA DO MERCADO EM 2020 COM AUMENTO DA DEMANDA E DA CAPACIDADE PRODUTIVA (da Redação) ◤ Com reflexos da pandemia e a alimentação voltada para dentro do lar impulsionaram a demanda por laticínios em 2020 e a Tirol rapidamente ajustou investimento para aumento de sua capacidade produtiva. Estes fatores, assim como os trabalhos de consolidação e fortalecimento da Marca, contribuíram para que a empresa fechasse 2020 com um crescimento acima do mercado. Entre alguns destaques a linha de Leite Condensado Tirol, que atingiu um crescimento de 55% no volume comercializado. O leite em pó fracionado também registrou resultado expressivo, de

48%. Os achocolatados também tiveram uma crescente de 33%. Já o queijo fatiado, obteve aumento de 16%. Todas as categorias tiveram ampliação da distribuição numérica e ponderada. “O ano de 2020 foi muito desafiador, pois ao mesmo tempo que tivemos que aumentar a nossa capacidade produtiva para atender a demanda, tivemos que nos reinventar para superar as dificuldades com a mão-de-obra, as oscilações nos preços das matérias-primas e os cuidados sanitários para prevenção do Covid”, disse o diretor comercial da Tirol, Jossemar Olivo. Entre as estratégias adotadas,

estão a flexibilidade para atendimento da demanda do mercado, o remanejamento entre linhas e fábricas, investimentos e ações de prevenção. No decorrer do ano passado, a Tirol investiu na ampliação de linhas novas de condensados, UHT, iogurtes e bebidas lácteas. Em andamento, está a nova fábrica de Ipiranga, que já está em fase de conclusão, e novos projetos para queijos e leite em pó. Para 2021, a empresa projeta crescimento em diversas linhas, a consolidação de novas unidades produtivas e a ampliação da distribuição nacional e internacional. /pioneiragrupo

47 3263 3400 47 99631 0540

CONTABILIDADE

EMPREENDIMENTOS

CONSULTORIA

DESDE 1991 CUIDANDO DO SEU PATRIMÔNIO. O diretor Jossemar Olivo

Rua 904, 958 - Centro - Balneário Camboriú - SC PIONEIRA.CNT.BR

12


LAZER

| tribunasc.com/distincao

Palladium Shopping de Umuarama será inaugurado dia 29 de abril Divulgação

(da Redação, com informes do Grupo Tacla) ◤ Na fase final de obras, o primeiro shopping center de Umuarama já tem data para ser inaugurado: 29 de abril de 2021. Com administração do Grupo Tacla Shopping, conglomerado com mais de 80 anos de tradição, que possui empreendimentos nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo, o Palladium Shopping Center Umuarama possui mais de 66 mil m² de área construída e 25 mil m² de Área Bruta Locável (ABL). Localizado em uma das principais vias de Umuarama (PR), o shopping prevê gerar 2.500 empregos diretos na abertura. O diretor do Grupo, Anibal Tacla, afirma que as obras nas lojas já foram liberadas e que o ritmo dos projetos está intenso. “O Palladium chega para deixar Umuarama e região ainda mais completas, oferecendo um mix de lojas, lazer, entretenimento e comodidade. Teremos mais de 112 lojas satélites e dez lojas âncoras e megalojas, que já começaram as obras para inaugurarmos o shopping em abril. Essa vai ser a primeira entrega do Grupo Tacla no ano, e o Palladium Umuarama já inaugura sendo referência em sustentabilidade, inovação e bem-estar”, completa. Entre as lojas confirmadas, estão: Renner, Riachuelo, C&A, Centauro, Mc Donald’s, Burger King, Cine Laser, Léo Cosméticos, Studio Z, Sicredi, Unimed, Giraffas, Griletto, Saka Sushi, O Boticário, Big Ben e Capodarte. Além de lojas, gastronomia,

O templo de compras umuaramense

lazer e serviços, o Palladium Shopping Center terá um centro médico. O Hospital Cemil, já reconhecido na cidade, terá duas operações no shopping: um centro médico com mais de 400 m² e uma escola de enfermagem com 200 m². O primeiro oferecerá atendimento em mais de dez especialidades, entre elas: pediatria, pneumologia, cardiologia, além de laboratório de análises clínicas e diagnóstico de imagens. “Ter um centro médico dentro do shopping faz com que os clientes possam resolver muitas questões num só lugar. O Hospital Cemil já é uma empresa importante para a cidade e oferecer serviços de saúde e ter este serviço entre o mix de lojas faz com o que Palladium Umuarama fique ainda mais completo”, ressalta Tacla.

Sobre o shopping Considerado um dos maiores centros de compras do Noroeste do Paraná, o empreendimento deve se tornar referência em paisagismo e bem-estar com mais de 600 árvores e 55 espécies de plantas diferentes. O projeto de paisagismo foi criado por Renata Tilli, que tem no currículo centenas de

projetos implementados em shoppings centers de todo País. Outro projeto sustentável do shopping é o de energia solar, no qual o empreendimento investiu mais de R$ 5.2 milhões em energia solar, que deve abastecer 100% das áreas comuns. Com mais de 3.200 módulos, este é um um dos maiores sistemas de placas fotovoltaicas do setor de varejo no País.

Grupo Tacla Shopping Conglomerado com mais de 80 anos de tradição, experiência no varejo e referência no setor em todo país, o Grupo Tacla possui oito empreendimentos nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo, sendo eles: Catuaí Palladium Foz do Iguaçu (PR), Jockey Plaza Curitiba (PR), Palladium Curitiba (PR), Palladium Ponta Grossa (PR), Ventura Shopping Curitiba (PR), Itajaí Shopping (SC), Porto Belo Outlet Premium (SC) e Shopping Cidade Sorocaba (SP). Outras duas operações estão em fase de construção no Paraná: City Center Outlet, em Campo Largo, Palladium Umuarama e Plaza Campos Gerais, em Ponta Grossa. Mais informações em: www.taclashopping.com.br

13


INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA

Ferrovia que vai transformar o Paraná será verde e sustentável Fotos: Gilson Abreu / AEN

(AE Notícias) ◤ A vocação da Nova Ferroeste vai além de unir por trilhos Paraná e Mato Grosso do Sul, dois dos principais polos exportadores do agronegócio brasileiro, e se transformar no segundo maior corredor de transporte de grãos e contêineres do País, perdendo em capacidade apenas para a malha paulista. A ferrovia quer nascer verde e sustentável. Todo o projeto foi desenvolvido para ter o mínimo possível de impacto socioambiental. O desenho preliminar do traçado de 1.285 quilômetros entre Maracaju (MS) e o Porto de Paranaguá, por exemplo, não prevê nenhuma interceptação em comunidades indígenas, quilombolas ou em Unidades de Proteção Integral. Os técnicos responsáveis pela proposta alinharam o traçado a um distanciamento mínimo de cinco quilômetros dessas coletividades ou pontos de conservação. Já no final do percurso, toda a estrutura da nova ferrovia que vai cortar a Serra do Mar foi ali-

14

nhada com o Plano Sustentável do Litoral, concebido em 2019. “A sustentabilidade tem um peso muito importante em todo o projeto. Buscamos mitigar o máximo possível questões ambientais para que a Nova Ferroeste seja de fato uma ferrovia verde, que se preocupa com o desenvolvimento sustentável do País”, disse o coordenador do Grupo de Trabalho Ferroviário do Estado do Paraná, Luiz Henrique Fagundes. Outra preocupação, destacou o coordenador, é com a redução dos conflitos urbanos. A orientação é para que os trechos da ferrovia evitem cruzar as cidades. Em Curitiba, por exemplo, os trilhos serão todos desviados, sem a passagem de trens por cruzamentos que podem gerar acidentes. “É, sem dúvida, uma iniciativa que vai deixar a capital paranaense muito mais segura, seja para motoristas ou pedestres”, afirmou Fagundes. NAS ESTRADAS – A instalação do modal terá impacto também na melhoria da qualidade do ar. A

conta simples prevê que um trem com 100 vagões substitui 357 caminhões, ambos com capacidade aproximada de 100 toneladas de carregamento. “É uma redução significativa na emissão de gases do efeito estufa. Não existe dúvida de que o trem é melhor ambientalmente do que um motor a combustão”, ressaltou o coordenador. Ele lembra também que com menos caminhões trafegando, as estradas tendem a ser mais seguras de uma maneira geral. “É um pedido dos próprios caminhoneiros para que o trabalho deles fique concentrado em trechos menores, com distâncias mais curtas e possibilidade de fazer uma quantidade maior de fretes”, disse Fagundes. AUTORIZAÇÃO – Outro ponto importante é que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) concedeu no início deste ano a Autorização de Captura, Coleta e Transporte de Material Biológico (Abio) para o projeto da Nova Ferroeste. É mais uma eta-


| tribunasc.com/distincao pa no processo de licenciamento ambiental da proposta, que foi qualificada no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), do governo federal. A Abio permitiu o início dos trabalhos de campo para o diagnóstico ambiental da fauna na área do projeto da Nova Ferroeste. Essa etapa é balizada por um plano de trabalho, analisado e aprovado pelo Ibama, no qual são indicados os pontos de amostragem e a metodologia a ser aplicada. Os dados a serem coletados em campo são essenciais para a avaliação de impactos ambientais da ferrovia, que será debatida com a sociedade após a conclusão dos estudos. ESTUDOS – A Ferroeste foi qualificada em meados de 2020 no âmbito do PPI, o que acelera o seu processo de desestatização. O pedido foi feito pelo Governo do Paraná e significa que a União vai ajudar o Estado com apoio

técnico regulatório necessário em diversas áreas, da modelagem e meio ambiente à atração de investidores. O Governo do Paraná firmou um acordo de cooperação técnica com o Mato Grosso do Sul em 2020 para acelerar projeto. A empresa TPF Engenharia, contratada pelo Governo do Estado, está realizando os Estudos de Viabilidade Técnico-Operacional, Econômico-Financeira, Ambiental e Jurídica (EVTEA). O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) são coordenados pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP). FERROVIA – O projeto busca implementar o segundo maior corredor de transporte de grãos e contêineres do País. A área de influência indireta abrange 925

municípios de três países. São 773 do Brasil, 114 do Paraguai e 38 da Argentina. No Brasil, impacta diretamente 425 cidades do Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina, totalizando cerca de 9 milhões de pessoas. A área representa 3% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. A expectativa, de acordo com os técnicos, é que pela Nova Ferroeste seja possível o transporte de 54 milhões de toneladas por ano – ou aproximadamente 2/3 da produção da região. 74% seriam de cargas destinadas para a exportação. A previsão é que os estudos de viabilidade sejam finalizados em setembro e os estudos de impacto ambiental em novembro. A intenção é colocar a ferrovia em leilão na Bolsa de Valores do Brasil (B3), com sede em São Paulo, logo na sequência. O consórcio que vencer a concorrência será também responsável pelas obras.

15


LANÇAMENTO

47 3056-2323 47 99902-0255

CONTATO@ERSEMPREENDIMENTOS.COM.BR WWW.ERSEMPREENDIMENTOS.COM.BR

ERS CENTRAL RAL DE NE N NEGÓC EGÓC EGÓC GÓCIOS OS: AV OS AVENIDA A VENIDA BRASIL, 2707 2 07 - SALA 02 CENTRO O - BALNEÁRIO CAMBORIÚ / SC