Distinção - Edição 75

Page 1

Mala Direta Básica

®

22.863.212/0001-35 TRIBUNA SC EIRELI

DISTINÇÃO 075

M A I O - 2 0 2 1 - E D I Ç Ã O 7 5 - PA R A N Á E S A N TA C ATA R I N A

KLABIN INVESTE MAIS 2,6 BILHÕES EM ORTIGUEIRA PÁGINA 5

Rafael Chuí

TIROL, O MAIOR EMPREENDIMENTO DE TODA A HISTÓRIA DE IPIRANGA

ROLÂNDIA TERÁ A MAIOR FÁBRICA DE SALSICHAS E EMPANADOS DO MUNDO PÁGINA 2


INVESTIMENTOS

Rolândia terá a maior fábrica de empanados e salsichas do mundo Ari Dias / AEN

Governador Ratinho Junior em visita à empresa

(AE Notícias) ◤ A JBS, uma das maiores empresas do ramo agroindustrial do Brasil, anunciou investimento de R$ 1,8 bilhão na unidade de Rolândia para a construção da maior fábrica de empanados e salsichas do mundo. O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou da cerimônia de anúncio na planta instalada no município do Norte do Estado. A nova unidade, que já está em fase inicial de construção, fica anexa à atual. Também será feita a expansão de turno e modernização da unidade de aves da Seara na cidade.

2

Jonathan Campos / AEN

As obras já começaram

lionário, atesta que o Paraná está no caminho certo. Isso vai ser muito importante na retomada da economia paranaense e na geração de emprego e renda”, acrescentou. Segundo o governador, a gestão estadual tem foco na viabilização de novos negócios e na valorização da modernização do setor agropecuário no Estado. Essa agenda tem influenciado nos números positivos da geração de empregos e do crescimento da produção industrial.

Ratinho Junior destacou a importância de um anúncio tão robusto no Paraná mesmo em um momento de crise causada pela pandemia do novo coronavírus. “O Paraná tem vocação para produzir alimentos e alimentar o mundo, e agora abrigará com muito orgulho a maior fábrica de empanados e salsichas do planeta”, disse o governador.

“Temos reduzido a burocracia, o que atrai mais investimentos e acelera o crescimento da economia. Mas vamos além, tendo um foco especial para a infraestrutura que vai escoar toda essa produção do agronegócio. Estradas de qualidade, ferrovias, um porto moderno, tudo isso influencia diretamente na competitividade do empresário que está no Paraná, e isso chega na ponta, na gôndola, para o consumidor final”, afirmou.

“Quando uma empresa consolidada e de porte internacional decide por um investimento bi-

INVESTIMENTO – Com o investimento na unidade, que terá bandeira da Seara, serão gerados

cerca de 2,6 mil novos empregos diretos, e também 150 novas parcerias com integrados. Atualmente, a unidade de Rolândia emprega 3.700 colaboradores diretos, além de 390 integrados. A obra de expansão já está sendo realizada, e a expectativa é de conclusão no final de 2022. A expectativa é de alcançar mil toneladas de produção por dia. Segundo o secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, o anúncio representa um marco para o agronegócio paranaense. “O impacto é gigantesco para os produtores de proteína animal do Paraná”, ressaltou. “É desafiador ampliar investimentos, principalmente no atual cenário. Mas o Paraná tem capacidade e potencial competitivo, tem selo de qualidade de sanidade animal e um cuidado para garantir que os negócios se desenvolvam de forma sustentável, desde o pequeno produtor até a grande indústria”. Darlan José Carvalho, diretor de negócios da companhia e responsável pela unidade de Rolândia, disse que o Paraná representa um polo muito importante para


| tribunasc.com/distincao a JBS. Ele ressaltou a segurança sanitária da carne produzida no Estado, que tem qualidade reconhecida internacionalmente. “O Paraná tem uma série de qualidades, com DNA de produção agrícola, referência na produção de grãos e de frango, além de uma excelente mão de obra e logística. Tudo isso faz a diferença na hora de decidirmos onde fazer investimentos”, explicou o diretor. “Pesa também o cuidado do Estado com a sanidade animal, que é um item importante para acessar mercados internacionais”. Para o prefeito de Rolândia, Ailton Maistro, a expansão da JBS representa um grande ganho para a região. “Somos um município que tem carências na geração de emprego, isso afeta a cidade como um todo, e um empreendimento desse tamanho gera mais do que postos de trabalho, mas movimenta a economia como um todo, a arrecadação de impostos, atrai outros investimentos”, destacou. “Para nós é uma alegria muito grande, e ter uma gestão estadual comprometida com o avanço produtivo do Estado com certeza ajuda Rolândia a se desenvolver também”. SANIDADE – Em março de 2021, o Paraná recebeu o parecer favorável do comitê técnico da Organização Mundial de Saúde Ani-

mal (OIE) e deu mais um passo para o reconhecimento internacional como área livre de febre aftosa sem vacinação. Essa foi a penúltima etapa de um processo de controle sanitário iniciado há 50 anos e que permitirá um salto na produção e comercialização da cadeia de carnes. A expectativa é que o último passo seja dado neste mês, com o reconhecimento definitivo. Além disso, o Paraná conquistou a chancela técnica da OIE como zona livre de peste suína clássica independente. Essa classificação retira o Estado de um grupo formado por 14 outros estados e garante vantagens sanitárias aos produtores locais no mercado internacional. Ambas as chancelas técnicas abrem as portas de mercados internacionais para as carnes produzidas no Paraná. “O Paraná buscava essa qualificação há 50 anos, meio século de luta. É um trabalho de muitos técnicos e do setor como um todo. Cerca de 65% do mundo não compra carne do Paraná pela ausência desse reconhecimento. Ou seja, alguns bilhões de dólares entrarão na nossa economia, gerando milhares de novos empregos”, ressaltou Ratinho Junior. DOAÇÕES – Durante o anúncio dos investimentos, o governador também agradeceu as doações

Rolândia, capital dos embutidos Rolândia tem um título, graças a projeto de lei do deputado Tercílio Turini: é a “Capital dos Embutidos”. No distrito de São Martinho estão concentradas algumas empresas fabricantes de embutidos e defumados, atraindo compradores de toda a região e até de outros Estados. O distrito está localizado na Estrada São Rafael, que é atração turística regional, com seus campos verdes, restaurante rural, pesque-pagues, SPA, pou-

realizadas pela JBS ao Paraná durante a pandemia, como parte do programa Fazer o Bem Faz Bem. Foram doze cidades atendidas com R$ 21 milhões, recurso que possibilitou a aquisição de 858 mil Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), 365 respiradores, 497 equipamentos hospitalares e 28 mil cestas básicas para populações mais vulneráveis. JBS NO PARANÁ – Atualmente, a JBS mantém plantas em Santo Inácio, Jaguapitã, Santa Fé, Jacarezinho, Rolândia, Campo Mourão, Carambeí e Lapa. Somando os Centros de Distribuição, incubatórios e fábricas de ração, a companhia está presente em 14 municípios paranaenses. São 14,2 mil colaboradores e 2 mil produtores integrados no Estado. Com a atuação da companhia também são gerados cerca de 42 mil empregos indiretos no Estado. PRESENÇAS – Acompanharam a solenidade de anúncio de investimentos os secretários de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, e do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, João Carlos Ortega; o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin; os deputados estaduais Cobra Repórter e Do Carmo; além de secretários municipais e outras autoridades locais e regionais.

sada, a capelinha de São Rafael, o cemitério alemão (de 1930), além dos embutidos. A cidade, colonizada por imigrantes de descendência alemã, promove anualmente a Oktoberfest norte-paranaense, sedia o Museu da Imigração Japonesa e a maior empresa fornecedora de alevinos e juvenis de tilápias do Brasil. Tem como atração a estátua de Roland (presente da cidade alemã de Brêmen) e foi origem (através do saudoso pioneiro Herbert Bartz) do sistema de plantio direto no Brasil.

3


INVESTIMENTOS

MINISTRO DO TURISMO VEIO CONHECER AS OBRAS DA FAIXA DE AREIA DA PRAIA CENTRAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ (Prefeitura de Balneário Camboriú) ◤ O prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, recepcionou o Ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, em visita à cidade. O Ministro veio a Balneário Camboriú a convite do prefeito para conhecer uma das obras mais importantes sendo feitas em Santa Catarina atualmente, a recuperação da faixa de areia da Praia Central. O Ministro conheceu também o projeto conceitual da reurbanização da Praia Central, projeto este que está sendo desenvolvido pelo escritório Índio da Costa, do Rio de Janeiro, e que será apresentado à sociedade tão logo fique pronto. A apresentação foi feita pelo arquiteto Luís Augusto Costa. “Mostramos para o Ministro Gilson que Balneário Camboriú está se preparando, mesmo em meio a uma pandemia, para a retomada econômica. Que estamos tomando todas as medidas no enfrentamento da pandemia, mas também investindo em infraestrutura, especialmente numa obra desejada há décadas pelos moradores de nossa cidade, que é a obra de recuperação da faixa de areia da Praia Central. Que ficará pronta antes da temporada e será seguida por uma reurbanização que destacará Balneário Camboriú nacional e internacionalmente. Uma reurbanização que trará o verde para a orla, que irá criar espaços de lazer para nossas famílias e, também, para

4

quem nos visita. Acredito que o Ministro tenha saído daqui muito bem impressionado e sabedor do que estamos fazendo em prol do turismo brasileiro com projetos inovadores e muito trabalho”, pontuou o prefeito Fabrício Oliveira. “Balneário Camboriú é um dos melhores locais para turismo da América Latina. A gente vai colocar definitivamente a cidade no mapa mundial do turismo. O projeto de urbanização da orla é formidável, será um diferencial da cidade”, destacou o Ministro Gilson Machado. Durante o encontro houve também uma homenagem póstuma ao empresário Júlio Tedesco, por sua visão e espírito empreendedor que tanto contribuíram para o turismo de Balneário Camboriú. Uma placa em homenagem ao empresário foi entregue pelo prefeito e pelo ministro à Juliana Tedesco, filha do Sr. Júlio, e atualmente a frente do Grupo Tedesco.

Acompanhou o Ministro do Turismo na visita a Balneário Camboriú, o Secretário da Pesca, Jorge Seif Júnior. Presentes no encontro promovido pelo prefeito Fabrício Oliveira com o ministro e o trade turístico da cidade, o senador Jorginho Mello, os deputados federais Daniel Freitas, Rogério Peninha Mendonça e Rodrigo Coelho, a vice-governadora Daniela Reinehr, os deputados estaduais Ivan Naatz, Ana Paula da Silva, Maurício Skudlark, Ana Caroline Campagnolo e Sérgio Motta, o presidente da Santur, Leandro Mané Ferrari, o presidente do Instituto + BC, Nivaldo Pinheiro, além de prefeitos da região, vereadores, secretários municipais, e convidados. Após o encontro com o trade turístico, foi procedida visita técnica ao Centro de Eventos de Balneário Camboriú, onde o Ministro Gilson Machado Neto concedeu entrevista coletiva à imprensa regional.


| tribunasc.com/distincao

Klabin anuncia investimento adicional de R$ 2,6 bilhões no Paraná (AE Notícias) ◤ A Klabin anunciou em comunicado ao mercado que investirá R$ 2,6 bilhões adicionais no projeto Puma II, em Ortigueira, nos Campos Gerais. Os recursos serão usados para a instalação de uma máquina de papel cartão e se somam ao aporte anunciado em 2019, resultando em R$ 12,9 bilhões de investimentos no Estado em cinco anos (2019-2023). “O Paraná recebe com muito entusiasmo essa notícia. A Klabin é uma parceira histórica do Estado, emprega mais de 10 mil pessoas direta e indiretamente.

Rafael Chuí

Mesmo com o cenário de pandemia, a empresa renovou seu compromisso de investimento, o que garante um ciclo de prosperidade e desenvolvimento social para os Campos Gerais e diversos outros municípios”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior. Ele conversou com o CEO da empresa, Cristiano Teixeira, depois do anúncio oficial. “Temos muito orgulho de representar o Estado do Paraná, que tem a região mais competitiva do mundo na fabricação desse cartão”, relatou o executivo.

O investimento é fruto de uma

mudança de direção do projeto Puma II, que contempla a expansão de capacidade no segmento de papéis para embalagem, por meio da construção de duas máquinas de papel com produção de celulose integrada, na unidade industrial Puma em Ortigueira.

OBRA DO TECNOCENTRO DE LONDRINA ENTRA NA RETA FINAL (AE Notícias) ◤ As obras do Tecnocentro de Londrina, localizado no Parque Tecnológico Francisco Sciarra, entraram na última fase, após a retomada das atividades em dezembro de 2019. Com previsão de entrega para os próximos meses, a conclusão foi possível com a liberação de R$ 2,9 milhões do Governo do Estado, via Secretaria do Desenvolvimento e de Obras Públicas. “É uma obra esperada há quase 20 anos”, lembra o secretário João Carlos Ortega. “Empresas que dominam tecnologias inovadoras sempre ficarão à frente das demais, do seu segmento, e trazem benefícios de médio e longo prazos para as regiões onde estão instaladas. Esse é mais um bom projeto que trará modernidade e melhorias para a população de Londrina e municípios do entorno”. O Tecnocentro de Londrina começou a ser construído em 2002, mas teve várias interrupções até que, em 2015, as obras pararam totalmente. O re-

Gilson Abreu / AEN

torno das atividades só aconteceu em dezembro de 2019, com a liberação dos recursos. O projeto prevê estrutura completa para abrigar empresas de diversos portes e segmentos. Na área total de 3.144,93 metros quadrados, em dois pavimentos, haverá espaço para um grande laboratório e módulos para empreendimentos de menor porte; recepção, auditório, sanitários e copa; sala de reuniões e sanitários.

5


DESTAQUE

GLP CENTRAL INAUGURA LOJA DE PEÇAS E EQUIPAMENTOS DE CENTRAIS DE GLP E GN ◤

Depois de 30 anos como maior referência em instalações de gás no Estado de Santa Catarina, a GLP CENTRAL, sob o comando do engenheiro Henrique Cesar Salvador, está ativando uma loja própria em seu tradicional endereço em Balneário Camboriú: rua 3208, 282, centro. Ampla e moderna, a loja passa a atender no atacado e no varejo, oferecendo peças, materiais e equipamentos de centrais de GLP e GN. Nas prateleiras podem ser encontrados quaisquer materiais. Estão ali tubos de aço carbono, cobre, PEAD e multi-camadas, além de medidores de gás, reguladores de pressão, registro de fecho rápido, válvulas esfera, mangueiras, etc.

6


| tribunasc.com/distincao

“Tem de tudo, de A a Z”, diz Henrique Salvador. “Queremos atender bem nossos clientes”. O novo empreendimento é voltado ao fornecimento para construtoras de acordo com seu cronograma físico e financeiro, independente de quem ou qual empresa seja responsável pela montagem de

central de gás. Além das construtoras, o público-alvo são os condomínios, empresas comerciais, indústrias e empresas instaladoras de gás. Todo o material da nova loja é normatizado de acordo com ABNT – NBR 15526.

7


INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA

GOVERNADOR ASSINA CONCESSÃO DA ÁREA PARA MOVIMENTAÇÃO DE VEÍCULOS NO PORTO DE PARANAGUÁ (AE Notícias) ◤ O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou em Brasília (DF) ao lado do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o contrato de concessão da área destinada à movimentação de veículos no Porto de Paranaguá. A empresa Ascensus Gestão e Participações passa a administrar o terminal pelos próximos 25 anos. Estão previstos R$ 22 milhões de investimentos, com a geração de emprego e renda no litoral paranaense. A solenidade ocorreu no Ministério da Infraestrutura. A área foi arrematada por R$ 25 milhões, em dezembro de 2020, em pregão na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Foi o primeiro leilão realizado pelo Paraná, primeiro estado do País a receber autonomia para administrar os contratos de exploração de áreas, em agosto de 2019. “É um momento de muito orgulho para todos do Paraná a assinatura deste contrato. O leilão foi um sucesso, com ágio acima do esperado pelo mercado. Vai permitir que o Porto de Paranaguá siga avançando, ampliando a capacidade de exportação”, destacou Ratinho Junior. “Desenvolvimento do terminal que só vem ocorrendo graças ao apoio integral do Ministério da Infraestrutura”. O governador lembrou que o planejamento do complexo portuário prevê investimentos de mais de R$ 920 milhões nos

8

próximos anos. O principal deles, citou, é o chamado Moegão Leste. O projeto prevê unificar a recepção de cargas ferroviárias. Em vez de precisar desmembrar a composição e descarregar em dez terminais diferentes (1 público e 9 privados) como é feito atualmente, todo o material será deixado em um ponto fixo. De lá, por esteiras transportadoras, será encaminhado ao respectivo terminal. O investimento é de R$ 450 milhões, com recursos do Governo do Estado. A previsão é que a licitação do projeto ocorra no segundo semestre deste ano. Ratinho Junior também destacou que está em execução o projeto básico da remodelação do Corredor de Exportação (Correx), com um novo sistema integrado. “Projetos que vão ampliar consideravelmente a capacidade de carga e descarga, transformando o Porto de Paranaguá no maior corredor de exportação de grãos do mundo”, disse. ESTRUTURA – A concessão contempla o terminal PAR12, como é chamada a área greenfield (ou seja, limpa, sem qualquer construção), localizado na retaguarda do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), em área adjacente ao terminal arrendado à Volkswagen. São 74,1 mil metros quadrados de área e capacidade estática para 4 mil veículos e armazenagem anual de 120 mil veículos. Para atender as montadoras instaladas no Paraná e também em outros pontos do País, a As-

census vai investir em implantação de equipamentos e edificações a serem utilizados na movimentação e armazenagem de cargas Roll-on/Roll-off (automóveis de passeio, veículos comerciais leves, utilitários, caminhões, ônibus, tratores e outras cargas). Ao fim dos 25 anos de contrato, o que foi investido ficará com o Porto de Paranaguá. As cargas Roll-on/Roll-of são caracterizadas por embarcar e desembarcar nos navios pelos seus próprios meios, sem necessitar de equipamentos para carregamento. Nesta modalidade, a demanda estimada em Paranaguá vai de 287 mil a 461 mil veículos/ano entre 2021 e 2045. “O Porto de Paranaguá está cada vez maior e mais importante para o Paraná e o País, à altura da potência e relevância do Estado, que merece e terá uma grande logística e infraestrutura”, afirmou o ministro da Infraestrutura. NOVOS LEILÕES – No ano passado, além do leilão da PAR12, o contrato de concessão da área PAR01 (localizada no cais do Porto de Paranaguá) foi assinado com a Klabin, que vai investir cerca de R$ 130 milhões em um terminal para movimentação de celulose, na área primária. Outras cinco áreas ainda estão disponíveis para novos arrendamentos no porto paranaense. Duas delas, um terminal de líquidos (PAR50) e um de carga geral (PAR32) já tiveram as audiências públicas realizadas e devem ser


| tribunasc.com/distincao leiloados ainda este ano. As outras três áreas – PAR09, PAR14 e PAR15 – destinadas à movimentação de granéis sólidos de exportação já estão em estudo, com expectativa de abertura da consulta no segundo semestre deste ano. Com os novos arrendamentos, a expectativa é ultrapassar R$ 1,3 bilhão em investimentos privados e aumentar ainda mais a competitividade e a movimentação dos Portos do Paraná. “O Porto de Paranaguá está na vanguarda na busca por soluções, graças a um trabalho exemplar de todos

do Governo do Estado”, disse o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Eduardo Nery. PRESENÇAS – Participaram da solenidade os secretários Sandro Alex (Infraestrutura e Logística) e Norberto Ortigara (Agricultura e Abastecimento); o diretor-presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia; o diretor-presidente da Ferroeste, André Gonçalves; o coordenador do Grupo de Trabalho Ferroviário do Estado do Paraná, Luiz Henrique Fagundes; o assessor especial

do Ministério da Infraestrutura, Marcos Felix; o chefe da Assessoria de Assuntos Parlamentares, Elias Brito; a secretária de Fomento, Planejamento e Parcerias do Ministério da Infraestrutura, Natália Marcassa; a secretária Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier; a secretária de Apoio ao Licenciamento Ambiental e à Desapropriação, Rose Hofmann; e o secretário de Parcerias em Transportes, Thiago Caldeira.

Fotos: Jonathan Campos/AEN

/pioneiragrupo

47 3263 3400 47 99631 0540

CONTABILIDADE

EMPREENDIMENTOS

CONSULTORIA

DESDE 1991 CUIDANDO DO SEU PATRIMÔNIO. Rua 904, 958 - Centro - Balneário Camboriú - SC PIONEIRA.CNT.BR

9


PARANÁ

Tirol ativa sua nova fábrica em Ipiranga ◤

O município de Ipiranga, no Paraná, está recebendo a primeira unidade industrial da Laticínios Tirol no Estado, um dos maiores mercados de lácteos da empresa. A fábrica recebeu investimentos da ordem de R$ 152 milhões. A planta dispõe de 33,1 mil m2 de área construída em terreno com 222 mil m2 e deve gerar 160 empregos diretos no primeiro momento, além de outras centenas de vagas indiretas criadas por conta do fornecimento de matéria-prima.

A nova fábrica da Tirol

A capacidade inicial de produção da unidade, com foco em leite longa vida (UHT) será de 600 mil litros diários, com potencial de expansão para até 1,2 milhão de litros a partir de futuras ampliações, além de possibilitar a inclusão de outros produtos lácteos no mix de atividades.

APOIO DO GOVERNO DO PARANÁ A confirmação da instalação da Tirol Alimentos em Ipiranga, concretizando-se o maior investimento da história do município, ocorreu no dia 11 de setembro de 2019. O anúncio foi feito durante reunião de executivos da empresa com o Governador Carlos Massa Ratinho Junior no Palácio Iguaçu em Curitiba. O investimento total da fábrica de laticínios, de R$ 152 milhões, tem o apoio do Governo do Estado do Paraná por meio do

programa Paraná Competitivo. O terreno está localizado às margens da BR-373 e tem 222 mil metros quadrados. A área construída é de 22,6 mil metros quadrados, com possibilidade de expansão. Na ocasião, Ratinho Junior destacou que a nova planta contribuirá para movimentar toda a cadeia leiteira do Estado, já que a empresa estima produzir 600 mil litros de leite por dia na primeira fase. A capacidade total da estrutura industrial pode chegar a até

®

2 milhões de litros de leite/dia. “Mais uma conquista para o Estado do Paraná, trazendo para cá outra grande empresa do País. Isso gera emprego, industrialização de alimentos para uma região que precisa e fortalece nossa bacia leiteira”, destacou o governador. PRODUÇÃO – O governador lembrou ainda que o Paraná é um dos maiores produtores de leite do Brasil, com cerca de 13%

ENDEREÇOS: Al. Augusto Stellfeld, 873, Ap. 202. Cond. Agostinho França do Nascimento, Ed. Bigorrilho — Curitiba, PR Rua 300, 130, Conj. 502 — Balneário Camboriú, SC

10

DISTINÇÃO PR e SC tribunasc.com/distincao issuu.com/revistadistincao facebook.com/GrupoTribunaSC

EDITOR E JORNALISTA RESPONSÁVEL: Victor Grein Neto victorjornal@yahoo.com.br — (41) 99191-3296

CNPJ 22.863.212/0001-35 Tribuna SC Eireli ME

PROJETO GRÁFICO E DESIGN: Ulidh Motion — CNPJ 31.180.791/0001-02 Luiz Paulo Pietsiaki Moraes — (41) 98814-8436

IMPRESSÃO: GRAFINORTE (Apucarana - Paraná)


| tribunasc.com/distincao Arnaldo Alves / AEN

do mercado nacional. A cadeia leiteira estadual engloba aproximadamente 90 mil pecuaristas no Estado. Em 2018, a produção de leite rendeu R$ 5,8 bilhões no Valor Bruto da Produção Agropecuária do Estado, segundo dados preliminares do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, valor menor que as produções de frango, soja e milho. “Anúncios como esse consolidam o Paraná como uma grande bacia leiteira do País”, disse Ratinho Junior. COMPETITIVIDADE - O geren-

te de Projetos da Tirol, Maicon Spada, explicou na oportunidade que a opção por investir no Paraná se deu pelas facilidades logísticas ofertadas, além de o Estado ser o segundo principal mercado da empresa no País, perdendo apenas para Santa Catarina, sede da indústria. “O Paraná é um Estado muito interessante, estratégico para investimentos, ampliando a competitividade da empresa”, afirmou. “Em um primeiro momento, a produção será focada no leite longa vida, com aplicação da mais alta tecnologia. Não existe no País uma planta com tamanha tecnologia aplicada”, completou.

Tirol nos 125 anos de Ipiranga Mesmo não estando instalada ainda em Ipiranga, a Laticínios Tirol foi convidada a prestigiar as comemorações dos 125 anos do município realizadas em dezembro de 2019. A marca esteve presente no desfile cívico ocorrido no dia 7, onde foi feita a distribuição de produtos (Fibrallis e Tirolzinho) e a veiculação do vídeo institucional da empresa, que comemorou 45 anos naquele mesmo ano. Foi uma excelente oportunidade de apresentação da Tirol ao município, que recebe o maior investimento de sua história, a nova unidade industrial da empresa oriunda de Treze Tílias, SC. O evento foi acompanhado por autoridades municipais – entre elas o então prefeito Luiz Carlos Blum -, estaduais e pelo gerente de produção da Lacticínios Tirol em Ipiranga, Maicon Spada.“Foi muito importante comemorarmos o aniversário desta cidade que recebeu a Tirol de braços abertos e que sediará a primeira unidade da marca instalada no Paraná, um dos maiores mercados de lácteos da Tirol no Brasil”, disse Spada na ocasião.

11


PARANÁ

Tirol: 46 anos de muitas conquistas A Tirol foi fundada em Treze Tílias, Santa Catarina, em 1974. A produção e a industrialização de leite aconteceu no dia 26 de setembro de 1974, sendo a captação de 200 litros diários. Em 1977 a empresa conquistou o Selo de Inspeção Federal (SIF), seu primeiro certificado de qualidade. Em 1979 foi adquirida a primeira balança mecânica para a unidade produtiva de Treze Tílias. Em 1984 foi construído o primeiro posto de resfriamento em Peritiba, SC. No mesmo ano, adquiriu-se o primeiro caminhão-tanque. Em 1994 foi adquirida a unidade produtiva de Chapecó/SC. Também em 1994 teve início a produção de Leite Longa Vida (UHT).Em 2004 foi inaugurada a unidade produtiva de Linha Caçador, em Treze Tílias. A planta teve ampliada a capacidade produtiva e a área de atuação. Em 2014, aos 40 anos, a Tirol pôde afirmar:

“somos a marca de leite mais vendida do Brasil e uma das 50 marcas mais presentes nos lares das famílias brasileiras”. Em 2016, pelo segundo ano consecutivo, a empresa foi reconhecida como Marca Destaque na Região Sul, pelo prêmio Top of Mind do jornal Folha de São Paulo. Em 2016 foram iniciadas as obras de terraplanagem para a construção da nova unidade produtiva em Ipiranga. Nesse mesmo ano, no dia 30 de dezembro, foi inaugurada a primeira fase da nova unidade produtiva em Pinhalzinho/SC. Em 2017 a Tirol consolidou-se entre os líderes no mercado de Leite Longa Vida (UHT) como uma das marcas mais vendidas no Brasil, de acordo com a Nielsen. Em 2018 a empresa passou por um projeto de rebranding, sendo renovadas a marca e

Fábrica em Treze Tílias/SC

todas as embalagens. O projeto foi reconhecido pela ADVB/SC. Em junho de 2018 foi inaugurada a segunda fase da unidade produtiva de Pinhalzinho/ SC, com o início da produção própria de Leite Condensado. Em 2019 a empresa foi reconhecida como a marca de leite mais lembrada em Santa Catarina, pelo 18º ano consecutivo no prêmio Top of Mind e 2º ano no Top Ímpar. E, agora, em Maio de 2021, acontece a ativação – start – das modernas instalações em Ipiranga. Os diretores da Tirol gostam de afirmar que

“temos o compromisso de desenvolver produtos com qualidade e segurança alimentar. Tudo isso vem da confiança no leite, amor às pessoas e do desejo de estar cada vez mais presente nos lares das famílias brasileiras”. A empresa trabalha diariamente para garantir extrema qualidade na produção do seu mix de mais de 170 produtos. Por isso, conta com uma ampla equipe de profissionais que acompanha de forma criteriosa as práticas de produção, desde a captação do leite até a industrialização e distribuição no ponto de venda, tornando a empresa um dos principais laticínios do Brasil com distribuição em todos os estados.

Tirol cresce acima do Mercado em 2020 com aumento da demanda e da capacidade produtiva Com reflexos da pandemia e a alimentação voltada para dentro do lar impulsionaram a demanda por laticínios em 2020 e a Tirol rapidamente ajustou investimen-

12

to para aumento de sua capacidade produtiva. Estes fatores, assim como os trabalhos de consolidação e fortalecimento da Marca, contribuíram para que a empre-

sa fechasse 2020 com um crescimento acima do mercado. Entre alguns destaques a linha de Leite Condensado Tirol, que


| tribunasc.com/distincao

atingiu um crescimento de 55% no volume comercializado. O leite em pó fracionado também registrou resultado expressivo, de 48%. Os achocolatados também tiveram uma crescente de 33%. Já o queijo fatiado, obteve aumento de 16%. Todas as categorias tiveram ampliação da distribuição numérica e ponderada. “O ano de 2020 foi

muito desafiador, pois ao mesmo tempo que tivemos que aumentar a nossa capacidade produtiva para atender a demanda, tivemos que nos reinventar para superar as dificuldades com a mão-de-obra, as oscilações nos preços das matérias-primas e os cuidados sanitários para prevenção do Covid”, disse o diretor comercial da Tirol, Jossemar Olivo.

Entre as estratégias adotadas, estão a flexibilidade para atendimento da demanda do mercado, o remanejamento entre linhas e fábricas, investimentos e ações de prevenção. No decorrer do ano passado, a Tirol investiu na ampliação de linhas novas de condensados, UHT, iogurtes e bebidas lácteas. Em andamento, está a nova fábrica

de Ipiranga (PR), que já está em fase de conclusão, e novos projetos para queijos e leite em pó. Para 2021, a empresa projeta crescimento em diversas linhas, a consolidação de novas unidades produtivas e a ampliação da distribuição nacional e internacional.

Parabéns a TIROL pelo empreendimento da nova fábrica em Ipiranga – PR, que revela sua história de sucesso e liderança no setor lácteo do Brasil.

A 9 Projetos sente-se honrada e grata a Tirol por ter realizado mais este importante Projeto Industrial!

www.a9projetos.com.br contato@a9projetos.com.br 51 3714-7045

13


PARANÁ

Ipiranga, 127 anos de município, 171 anos de muitas histórias (Câmara Municipal de Ipiranga) Por volta de 1850, uma expedição composta por Valeriano Antônio da Silva, Bento da Silva Leiria, Henrique José Fernandes, Manoel Antunes Ribeiro, Generoso Pinto Leal Taques, Floriano Paes de Almeida, Ponciano da Rocha e José dos Santos Martins, guiados pelo indígena Joaquim, atingiu o território onde hoje se situa o Município de Ipiranga, na região dos Campos Gerais, com seus integrantes instalando-se naquele local, construindo casas e cultivando as terras. Nessa ocasião, deram ao lugarejo a denominação de Guarda Velha.

Primórdios da cidade

xeira Duarte lançou os fundamentos da povoação foi doado por Francisco da Silva Leiria, Emídio Martins Padilha, Manoel Pinto de Oliveira e Dona Maria Joaquina de Andrade.

poloneses, alemães e holandeses que chegou a Ipiranga, era composta de aproximadamente 519 pessoas, as quais fundaram, na região, as colônias Taió, Ivaí e Bom Jardim.

Em 1866, o português Joaquim Teixeira Duarte chegou à localidade, onde encontrou um bom número de moradores, ali fixando residência e iniciando a fundação propriamente dita do povoado, que recebeu a denominação de Ipiranga como homenagem ao local onde foi proclamada a Independência do Brasil.

Em 1867, Teixeira Duarte providenciou a vinda para Ipiranga, do Padre Antônio Pina o qual rezou a primeira missa em louvor a Nossa Senhora Imaculada Conceição, a qual foi denominada padroeira de Ipiranga (data comemorativa 08 de dezembro), ocasião em que teve início a construção da primeira Capela dedicada à padroeira.

Em 7 de abril de 1890, foi criado um Distrito Policial, com a denominação de Ipiranga, no Termo de Ponta Grossa.

O terreno onde Joaquim Tei-

A primeira leva de imigrantes

Ipiranga foi elevado à categoria de Vila e Município, em 7 de dezembro de 1894, pela lei nº 115, com área desmembrada do Município de Ponta Grossa, sendo nomeado primeiro prefeito o Sr. Ernesto Martinho Bahls. Allisson Zarpelon

Uma atração em Ipiranga: um local para competições de velocross ou offroad Pena que a pandemia está paralizando as atividades, mas um dos locais que atraem muito público em Ipiranga, quando há competições, é o Jeep Clube de Ipiranga, com as curvas das trilhas. Ali são realizadas competições de velocross, como a Super Copa Integração Pro Tork,

14

de jipes (offroad) como os Encontros Offroad ou Enduros. A Associação Off Road de Ipiranga é bastante ativa, mas aguarda o fim do coronavírus para voltar a empreender seus espetáculos. A foto foi feita através de drone por Allisson Zarpelon, da Drones Zarpelon, de Irati.


| tribunasc.com/distincao

IPIRANGA PRODUZ MUITA SOJA, FUMO, TRIGO, FEIJÃO, MILHO, CEVADA Conforme dados do Ipardes, na área territorial de 926,138 km2, a 787 metros de altitude, Ipiranga produz soja em 25.150 hectares, fumo em 4.900, trigo em 4.000, feijão em 3.450, milho em 3.050, cevada em 2.073. Como cultura permanente, destaca-se a uva. As maiores criações são de galináceos, suínos e bovinos. A produção de leite é expressiva, 8.500 mil litros, mas, com certeza, com a Tirol, esse número crescerá muito. A produção de mel de abelhas

também é importante: 5.500 quilos.

Culinária Além de cuca alemã, pirogue, macarrão caseiro, da culinária trazida pelos imigrantes colonizadores, Ipiranga tem como prato típico o carneiro no sal fino. A cidade tem atualmente cerca de 16 mil habitantes.

Soja na região de Lustosa

O atual prefeito chama-se Douglas Davi Cruz, que tem como vice-prefeita Ivonete Gobel Costa.

Cortado por 3 BRs Ipiranga tem o município cortado por 3 BRs, que são a BR-373 (ligação com Ponta Grossa), a BR-153, a conhecida Transbrasiliana, e a BR-487, a Estrada da Boiadeira, ligando com o Mato Grosso do Sul.

Igreja Matriz

Rua XV de Novembro

15


LANÇAMENTO

47 3056-2323 47 99902-0255

CONTATO@ERSEMPREENDIMENTOS.COM.BR WWW.ERSEMPREENDIMENTOS.COM.BR

ERS CENTRAL RAL DE NE N NEGÓC EGÓC EGÓC GÓCIOS OS: AV OS AVENIDA A VENIDA BRASIL, 2707 2 07 - SALA 02 CENTRO O - BALNEÁRIO CAMBORIÚ / SC