Issuu on Google+

Direto ao Ponto |1


Direto

ao

Ponto

A Revista de quem trabalha no Correio

Expediente: Direto ao ponto é uma publicação trimestral, institucional do Correio do Povo. Projeto, coordenação e aprovação: Departamento de Marketing Correio do Povo. Conselho Editorial e Gráfico: Luciana Maizonave, Iaci Rocha e Caroline Garcia. Projeto gráfico e diagramação: Francke Comunicação Integrada.

2 | Direto ao Ponto

Sumário Direto ao topo Conheça o Correio Dia da mulher Meu talento Um toque de sabor Expodireto Sua imagem Você conhece Páscoa do Correio Nova mamãe

4 6 8 12 14 18 22 24 26 30


Coluna da Presidência

Veríssimo de Jesus Presidente do Correio do Povo

Imagine que você é um jogador de futebol, e está diante da goleira. Vai cobrar um pênalti. Antes de chutar, escuta a torcida. E sabe que existem vozes vindas dos dois lados: os que torcem pela sua vitória, e os que torcem pela sua derrota. Pensar que alguém torça pela sua derrota é algo massacrante. Suas pernas tremem. Então olha para os lados. E ali está o restante do time. Seus colegas, seus companheiros, olhando com expectativa para seus pés. Um deles olha para você e expressa num olhar toda a confiança que tem no seu trabalho. Faz um gesto com a cabeça que quer dizer: “Vá! Estou aqui torcendo por você”! E é dali que você tira forças para acertar seu incrível gol. Não é apenas em estádios que a equipe é importante. Essa situação acontece diariamente. Em nossos lares, nossa família é nossa fortaleza. Entre nossos amigos, a confiança deles é nossa fortaleza. Em nosso local de trabalho, nossa fortaleza são nossos colegas. E não podemos negar em ser a fortaleza uns dos outros, pois um dia, podemos ser aquele que está olhando; no outro dia, podemos ser aquele que

precisa desse olhar. É dessa troca de confiança e zelo pelo outro que nosso trabalho vive. A cada dia que passa, podemos observar o crescimento de nossa empresa e ao mesmo tempo, o crescimento profissional de nossos colaboradores. Muitas vezes existem dificuldades, mas vamos a mais uma metáfora: é fácil chegar ao topo de uma montanha? Não. Mas a visão que deslumbramos lá de cima é extasiante. E se houver uma equipe que segure as cordas que você está usando em sua escalada, com certeza, sua chegada será mais fácil. E então... É sua vez de segurar a corda para que o outro colega suba! E isto é gratificante. Lembre-se sempre disto. Poderia comparar nosso grupo de colaboradores a andorinhas que voam juntas, a tijolos que constroem um arranha céu, talvez até a famosa Tropa de Elite. Porém não farei isso. Somos únicos, capazes, fortes, admiráveis e corajosos. O que estamos construindo não é apenas uma empresa. Estamos aqui, fortalecendo nossas carreiras, nossas experiências como seres humanos e inteligentes. E estamos juntos nesta construção. Nós somos, os colaboradores do Correio do Povo.

Direto ao Ponto |3


Direto ao Topo

Desafios embalam sonhos de Januário Jr. “Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida”. A frase dita pelo filósofo ateniense Sócrates tem impulsionado a carreira do supervisor de Venda Externa do Correio do Povo, Januário Oliveira dos Santos Jr., 40 anos. Funcionário do CP há 11 anos, mas amante do jornal há mais de três décadas, ele festeja os resultados obtidos no primeiro trimestre com a campanha CP Vantagens, pela qual novos assinantes recebem desconto nas três primeiras mensalidades,

4 | Direto ao Ponto

totalizando economia de R$ 21,30. A promoção é válida no Rio Grande do Sul. A meta estabelecida é de comercialização diária de 18 assinaturas do CP. Em janeiro, ela foi ultrapassada, totalizando 101%. Já em fevereiro, chegou a 117% e, em março, a 159%. “Gosto de desafios e trabalhamos para superar os resultados do mês passado em abril”, confidencia Jr., que se declara “apaixonado pelo Correio do Povo”. Lembra que o


amor pelo jornal foi herdado do pai, Januário Oliveira dos Santos. Herança que já passou para o filho Bruno Silva dos Santos, 16 anos, que neste ano, conclui o Ensino Médio, e para a mulher, operadora de caixa, Zisabel Silva dos Santos, 37 anos. “Cultura em nossa casa é ler o CP”, diz. Com experiência de 15 anos em vendas, ele é o braço direito do coordenador de Venda Externa e Avulsa, Diego Salazar. E aponta os agentes – Airton Guedes, Anderson Carneiro, Gisa Guerra, Marcelo Motta, Dionatas Freitas,

Sérgio Belomo, Rudinei Ricardo e Valquíria Neves – como responsáveis pela superação das metas. Além de atuarem na Capital, os agentes também realizam blitze nos demais municípios do Estado, quando requisitados pelos cerca de 500 distribuidores. Jr. ressalta que todas as vendas são auditadas e conferidas, sempre na busca da “venda com qualidade”. Os agentes que mais captam leitores concorrem a prêmios. Em abril, o campeão de vendas ganhará uma máquina fotográfica digital. Foto: Luciana Maizonave

Da esq. para dir.: Rudinei Ricardo Andreoli, Dionatas de Freitas Spolaor, Alexsandro Pinta da Luz, Airton Guedes Filho, Sergio Luís Belomo, Januário de Oliveira dos Santos Júnior. Direto ao Ponto |5


Filial Correio do Povo

CONHEÇA um pouco mais

sobre o

Filial de

CORREIO Crédito fotos: Carlos Luis Dummel

Carazinho 6 | Direto ao Ponto


Muitos não sabem, mas a filial do Correio do Povo de Carazinho produz 22 jornais para terceiros que vão para Norte do RS e Oeste de Santa Catarina. Além de um caderno diário, chamado Cidades Alto Jacuí e Planalto, e mais o editorial que vai para Norte, Oeste e fronteira a Argentina do Estado. A unidade foi ampliada há três anos, quando aumentou a sua capacidade de produção. Atualmente, a máquina tem capacidade para 64 páginas coloridas, impressão de 50 mil exemplares por hora atendendo a 289 comunidades. A equipe de Carazinho é muito unida. Ao entrar na sede, sentimos um clima familiar gostoso. Os funcionários são muito esportistas. Há mais de dez anos, se reúnem para concorrer aos campeonatos de futebol e bocha da região, ficando sempre na liderança. Na região se produz o único caderno do Correio do Povo, que não é feito na sede administrativa, o Cidades Alto Jacuí e Planalto, que completou um ano no dia 06 de março. O caderno, que é muito bem aceito na região, é editado pela jornalista Simone Ramos, que produz materiais locais e regionais das principais cidades da região: Carazinho, Passo Fundo, Cruz Alta e mais 22 municípios. A coluna “Você no Correio”, em que a população se vê no jornal, é a mais querida pela comunidade.

Direto ao Ponto |7


08 de Março

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Foto: Daniela de Cássia

Março foi especial para as mulheres do Correio do Povo A empresa preparou alguns mimos para abrilhantar o mês das mulheres. Começando pelo dia quatro de março, com a colocação de um banner com atributos de cada mulher, na entrada da sede administrativa do jornal. Dando extensão as qualidades expostas, foram espalhadas diversas borboletas, de vários tamanhos e cores por todos os andares do prédio. As borboletas também foram oferecidas a cada mulher do jornal, cada uma representando suas essências e a feminilidade, trazendo a clara demonstração da relevância que

8 | Direto ao Ponto

a mulher faz no ambiente de trabalho, assim como, a importância de cada uma para o Correio do Povo. A proposta foi bem simples e fez a diferença. As borboletas escolhidas foram coladas no ambiente de trabalho de cada colaboradora. O prédio ficou muito mais colorido e bonito. “A campanha revelou a importância das mulheres para o Correio do Povo. Nada como um toque feminino para fazer a diferença no ambiente de trabalho”. Descreve a assistente administrativa da Redação do CP, Vanessa Alves.


Fotos: Daniela de Cรกssia e Iaci Rocha

Direto ao Ponto |9


Minha busca é por aprendizado, realização humana, profissional e resultados, tentando deixar algo de valor.

Carlos Luis Dummel Há 16 anos, gerente da filial de Carazinho do jornal Correio do Povo.

10 | Direto ao Ponto


Direto ao Ponto |11


Talentos do Correio

Poucos sabem que o Correio do Povo abriga uma versão humana do Professor Pardal – galo antropomorfo criado em 1952 por Carl Barks para a Walt Disney Company, que surgiu originalmente nos quadrinhos como um amigo de Pato Donald e Tio Patinhas. Trata-se do repórter fotográfico Paulo Nunes, 56 anos - mas com aparência de 40 –, que trabalha há 36 anos na Editoria de Fotografia do CP. Mais conhecido como Urso pelos colegas e ami-

gos, ele está sempre inventando moda. Criativo, interpreta personagens engraçados, como o Azambuja – um fanho que costuma arrancar boas risadas. Nas horas de folga, além de atuar como eletrotécnico, conserta equipamentos e cria engenhocas bem úteis para uso próprio, é músico e artesão. Mas sua marca registrada é a versatilidade. O resultado pode ser conferido no site http://woodlegal.blogspot.com.br.

MEU TALENTO Entrevista e texto: Luciamem Winck

Direto ao Ponto: Por que és conhecido pelo apelido de Professor Pardal? Mas também te chamam de Urso? Que confusão é essa? Paulo Nunes: Desde pequeno eu sempre gostei de inventar coisas e já me chamavam de Pardal. O apelido Urso veio na década de 70, por conta do desenho animado “O Urso do Cabelo Duro”. Eu tinha uma melena que já se foi com o tempo, mas ficou o apelido. Direto ao Ponto: Além da fotografia, trabalhaste paralelamente como eletrotécnico e músico. Quando o artesanato entrou na tua vida? Paulo Nunes: Sou formado em Mecânica Automotiva. Trabalhei regulando carros. Também trabalhei na Bosch, onde consertava furadeiras e serras. Fiquei um tempo tocando na noite ou em festas particulares. O artesanato agora é a mania do momento. Faz cinco anos que faço artesanato, pois adoro trabalhar com madeira. A madeira tem vida. Direto ao Ponto: Comercializas teus produtos ou é apenas uma terapia? Paulo Nunes: Comercializo meus produtos para uma loja e bares de Porto Alegre. Também tenho clientes no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Curitiba. Direto ao Ponto: És colecionador de discos de vinil. Compras ou ganhas? Paulo Nunes: Tenho aproximadamente 2 mil vinis em casa. Antigamente comprava! Agora, sempre que digitalizo um vinil para alguém, ganho o disco de presente. Direto ao Ponto: Qual será a próxima invenção? Paulo Nunes: Ainda não sei qual será minha nova mania, mas estou pensando em escrever em metais por meio da eletrólise. Fiz uns testes e deu certo.

12 | Direto ao Ponto


Direto ao Ponto: E a música? Paulo Nunes: Investi em equipamento e parei de tocar, mas volta e meia sai um som no bar com amigos. Direto ao Ponto: É verdade que enganaste um taxista se fazendo passar por Paulo Nunes, na época, atacante do Grêmio? Paulo Nunes: Foi no 21º Festival de Gramado, na noite principal da entrega dos Kikitos. Eu estava no hotel, de banho tomado, esperando as vans que faziam o deslocamento para o festival, e não tinha jeito de aparecer a tal da van. A recepcionista do hotel ligava, e nada. Os motoristas só queriam levar os artistas para garantir fotos e autógrafos. Foi quando tive a ideia de, ao invés de dizer que era o fotógrafo do CP, apenas informar o nome completo do passageiro. Não deu dois minutos e o motorista entrou no hotel, com caneta e papel na mão, procurando o Paulo Nunes. Ele pensava que eu era o jogador do Grêmio. Logo apareci com o crachá do jornal, onde estava escrito Paulo Nunes. O motorista ficou mudo. Depois fiquei sabendo que ele passou na frente dos colegas para ir ao hotel porque era fã do atacante.

Paulo Nunes, o artista da Editoria de Fotografia Crédito Foto: Vinícius Roratto/CP

Direto ao Ponto |13


Culinária

Um toque de sabor A deliciosa receita dessa edição, encaminhada pelo chef Cristiano, é a Cuca de Nata. É fácil, rápida e econômica e pode ser servida em todas as ocasiões.

14 | Direto ao Ponto

Foto: Ricardo Giusti


Chef Cristiano Paiva

Cuca de Nata

(rendimento: 24 fatias)

Foto: Iaci Rocha

Massa:

1kg de farinha de trigo; 150ml de leite morno; ½ colher rasa de sal; 200g de nata; 300g de açúcar; 4 ovos; 2 colheres de sopa de fermento biológico; Raspas de limão.

Farofa:

4 colheres de sopa de farinha de trigo; 2 colheres de sopa de manteiga ou margarina; 5 colheres de sopa de açúcar; ½ colher de sopa de canela em pó.

Modo de preparo: Cuca:

Misture a farinha de trigo, o fermento, raspas de limão e o sal, e reserve. Bata as claras em neve e coloque as gemas uma a uma, o açúcar e, por último, a nata e o leite. Misture as duas etapas e bata bem a massa até ficar lisa e com bolhas. Farofa: Misture todos os ingredientes até obter uma farofa grossa e irregular.

Finalização:

Coloque na forma e pique a goiabada ou fruta de sua preferência (uva, morango, banana, maçã) por cima e em seguida polvilhe com a farofa. Deixe dobrar de volume e coloque para assar no forno preaquecido por 30 minutos ou até dourar a farofa. Direto ao Ponto |15


Foto: Shaiane Farias

A melhor maneira de ser feliz é contribuir para a felicidade dos outros. (Confúcio)

16 | Direto ao Ponto

Vera Lúcia Tavares Auxiliar de Serviços Gerais Há 17 anos na empresa


5

ANOS

10

Felipe Rigon Dorneles

JUBILADOS

15

DE ABRIL Tantos anos de dedicação merecem nosso reconhecimento

ANOS

ANOS

Anelise Salvador João Luis Santos Oliveira

Francisco Ficagna Luciano César Wildner

Aniversariantes de JUNHO 1/6 1/6 1/6 1/6 2/6 3/6 3/6 3/6 4/6 4/6 5/6 5/6 6/6 7/6 8/6 8/6 8/6 8/6 9/6 9/6 10/6 10/6 10/6 10/6 10/6 11/6 11/6 11/6 12/6 12/6 13/6 13/6 13/6 13/6 13/6 14/6 14/6 14/6 14/6 14/6 14/6 15/6 15/6

Paulo Gerhardt Matschinske Darlene Ianzer Claudia Silveira Rodrigues Sergio Alberto Martins Klock Graciele Soares De Oliveira Jaques Ricardo Da Silva Clovis Luis Da Silva Guilherme Padilha De Melo Matheus De Freitas Lima Nelson Ademir Fildler Andre Luiz Da Silva Moraes Anelise Salvador Solange Aparecida Flores Jose Dinarte Dos Santos Cavalheiro Carlos Raphael Athayde Madrid Luis Carlos Pinheiro Inacio Maria Celuir Lopes Capella Da Silva Luciano Bernardes De Bernardes Mauricio Renan Moreira Da Luz Joao Pedro Ferreira Ribeiro Antonio Carlos Paz Bitencourt Jose Alfredo Possas Nilza Teresinha Paz Da Silveira Cleia Maria Vieira Magalhaes Marquardt Denise De Souza Jose Alencar Dias Borba Gimenez Ana Rita Santanna Marini Patriciane Silvano Thozeski Carla Fernanda Da Rosa Castro Braulio Ludigerio Cabral Gomes Saul Andre Dos Santos Daniela Antunes Maciel Genecy Tereza Pereira Marcia Rossane De Barros Marcia Rossane De Barros Rayana Ribeiro Maciel William De Menezes Thoen Luiz Alexandre Mena Barreto Conceição Pablo Raguzzoni Schmidt Monica Coutinho Barbosa Celso Costa Paulo Cesar Fraga Nunes Robson Dos Santos Homero

15/6 16/6 16/6 17/6 17/6 17/6 17/6 17/6 17/6 18/6 18/6 19/6 19/6 19/6 20/6 20/6 20/6 21/6 22/6 22/6 22/6 22/6 22/6 22/6 23/6 23/6 23/6 23/6 24/6 24/6 24/6 25/6 26/6 27/6 27/6 28/6 28/6 29/6 29/6 30/6 30/6 30/6

Rudinei Ricardo Andreoli Lidiane Alves Mendes Stephany Endres Sander Fernanda Nunes Dos Santos Sirlei Ribeiro Pastore Carlos Augusto Machado Hiltor Paulo Mombach Vera Lucia Cardoso Cunha Hiltor Paulo Mombach Ana Paula Silva Da Silva Fabiano Nunes Ramos Eugenio Benjamin Bortolon Rosiglei Vieira Pinto Maria Cristina Garcia Da Silva Francine Dias Correa Josiane Silva Da Silva Joao Ricardo Testa De Giusti Gilmar Luiz Tatsch Elivelton Steimetz Da Silva Paredes Flavio Redi De Souza Nascente Rodrigo Gouvea De Sena Jose Laerte Pacheco De Souza Jurema Josefa Da Silva Morgana Cecilia Da Luz Rocha Xavier Lucas Veronez Sidney Da Silva Laira De Souza Sampaio Marcio Oliveira De Souza Paula Michelle Silva De Souza Luis Cleiton Da Silva Fagundes Nelson Veiga Nunes Airton Guedes Filho Antonio Paulo Dias Escobar Zelia Trombetta Eduardo Bernhard Thais Salvagni Luan Matheus Sparremberger Dimer Ivania Da Silva Camargo Douglas Daniel Ramos Pedro Rogerio Da Silva Flavia Miranda De Britto Anderson Da Rosa D'avila Wagner Machado Da Silva

Direto ao Ponto |17


Feira É UMA FEIRA PARA ALEMÃO NENHUM BOTAR DEFEITO

Criada no ano de 2000, em Não-Me-Toque, a Expodireto Cotrijal se transformou na maior feira de tecnologia agrícola do país. É um evento de negócios, sem parquinho de diversão, nem bebida de álcool, nem churrascada. É para vender e comprar. É para exibir tecnologia de ponta, máquinas agrícolas que são robôs que operam por programação remetida via satélite e que já dispensam o operador humano. No surgimento da Expodireto, a Cooperativa Cotrijal im-

18 | Direto ao Ponto

plantou o plantio direto, uma técnica agrícola, então revolucionária, que diminuía o manejo do solo na hora do plantio, trazendo, entre outras vantagens, a retenção da umidade, menor agressão ao meio ambiente e maior produtividade. Resultados disso, em sua 14ª edição, realizada este ano, atraiu um público de 223.400 pessoas, 74 países visitantes e concretizou um volume de negócios que chegou aos impressionantes R$ 2.521.148.000,00.


O sucesso do Correio na Feira A presença do Correio do Povo e da Rádio Guaíba na 14ª Expodireto teve uma fantástica jogada de marketing, que aliada ao jornalismo, deu um susto em toda a concorrência. Voltando na história, o CP está presente na Expodireto desde seu início. Afinal, o ex-proprietário Renato Ribeiro tinha uma das sedes de seus negócios em Carazinho, onde funcionava a Incobrasa. Investir na Feira foi uma coisa lógica e inteligente. A casa do Correio, desde então, está situada em um local privilegiado, ao lado da administração, e é a primeira a ser vista para quem entra na Expodireto. Porém a logística de território cairia por terra se a casa fosse só bonitinha. Não podemos esquecer que as pessoas julgam pelo que podem ver. A beleza plástica é pouco quando se tem ao lado toda a concorrência. Assim é que, num parque com 481 expositores, 74 países visitantes e um público de 223.400 pessoas, o Correio tinha obrigação de dar um lance de mestre, e o fez. O Departamento Comercial, junto com o marketing e a editora de Rural criaram um ciclo de debates na casa, com o título “Correio Rural Debate”. Foi um xeque-mate na concorrência. Enquanto todo mundo fazia o “feijão com arroz” da cobertura, o Correio do Povo e a Rádio Guaíba, com uma hora de diária de transmissão ao vivo, trazia em

seu estande, os maiores especialistas para debater a logística da safra que afeta a competitividade da agricultura no país, o desenvolvimento do setor de Máquinas e Tecnologia e os avanços dos projetos de irrigação e energia. O retorno do sucesso da ideia foi sentido, já no dia seguinte, pela procura enlouquecida dos exemplares do jornal que eram oferecidos na casa. O marketing, usando como ferramenta o jornalismo, mostrou o poder de fogo do Correio, principalmente no ramo do agronegócio.

CORREIO DO POVO, 117 ANOS DE INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE, EVOLUINDO SEMPRE. Símbolo utilizado de 1979 a 2007

Símbolo utilizado de 2007 a 2012

Novo símbolo

Direto ao Ponto |19


OS BASTIDORES DA FEIRA mais organizada do ESTADO

Para nós jornalistas não é novidade passarmos “poucas e boas” durante coberturas jornalísticas. Ao longo de 36 anos de jornalismo, tenho um armário cheio de causos. Mas provocado pela querida colega Shaiane, do markerting, vou contar “um causo” ocorrido durante a cobertura da Expodireto Cotrijal 2013. Nossa equipe jornalística contava, além deste veterano repórter, com o colega da Rural do Correio do Povo, o Glauco Menegheti, mais o fotógrafo Fabiano e é claro o motorista. Também integrava o grupo, o técnico de som da rádio, Leandro Teles, que nada tem a ver com o veterano defensor do patrimônio histórico e seu homônimo. O grande feito desta cobertura foi contrariar a lei da física que diz: “dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo”. Uma caminhonete Paraty, o veículo que usamos na cobertura, tem capacidade para o motorista, quatro passageiros e mais carga. Agora, quando um passageiro tem mais de 100 quilos, no caso eu, outro anda bem pertinho disto, o Menegheti, e o motorista e o fotógrafo não ficam muito atrás, o conceito de volume é bem diferente. Além disso, iríamos passar uma semana, num local que sabíamos que era uma sucursal do Senegal: um calor infernal. Então muita roupa, pois caminhando pelo parque, certamente suaríamos muito, o que nos obrigaria a trocas frequentes de roupa. Então, equipe e malas e mais malas geram o quê? Gera gente confortavelmente espremida durante cinco horas. O motorista, no seu posto, o fotógrafo no banco da frente como ditam os usos e costumes do jornalismo... então quem vai no banco de trás, divide o espaço com malas e

20 | Direto ao Ponto

Por Roberto Tavares

equipamentos, ainda mais, quando os passageiros são dois gigantes. De tempos em tempos, jogávamos nossos corpos para frente, dando chance para puxar ar. E, assim fomos. Sorte nossa, a providencial parceria do marketing e comercial que conseguiram uma belíssima caminhonete Fiat, que nos permitiu dividir a carga durante os deslocamentos de Carazinho até o parque da Expodireto em Não-Me-Toque. Quando achamos que tudo estava resolvido tivemos uma grande surpresa: descobrimos que levávamos um “ET” na equipe. Certa noite, resolvemos sair do sério, e descansar um pouco, afinal a jornada de trabalho era puxada. Resolvemos ir a Vitor Graeff, cidade vizinha a Não-Me-Toque, onde ocorria a Festa da Cuca com Linguiça. Mesmo estando bastante cansado, fui junto. Mas o cansaço e os primeiros sintomas de gripe me venceram. Fiquei no carro dormindo, enquanto os colegas foram forrar o estômago com cuca. Tudo bem... quer dizer, quase tudo: na volta o ET se revelou: O Menegheti pediu uma parada estratégica. Acreditamos que a bebida que acompanha a cuca e a linguiça estivesse fazendo efeito: ledo engano. Desceu do carro e ficou olhando para as estrelas... balbuciava algo que custamos a entender: “ET go home – ET go home”. Somente quando perdi as estribeiras e o avisei que ele poderia escolher sob que pé de soja ele iria dormir, porque estávamos partindo, é que retornou ao carro, mas reclamando que não tínhamos poesia para olhar as estrelas...É! Estrelas ele iria ver a noite toda, se não tivesse entrado no carro... É! Causos do jornalismo.


ParABÉNS ÀS mÃES COM OS SUPERPODERES MAIS INCRÍVEIS. Karina Martins Superpoder: Analgesia. O toque que tudo cura, olhar da previsão. Sou Analgesia Mader, meu toque cura todas as dores, minha visão da previsão mostra aonde terei que tocar para que toda a dor amenize até que desapareça.

Laira de Souza

Meu poder é a visão além do alcance. Porque tenho que ver os amigos imaginários da Manu que estão sempre presentes em nossas brincadeiras.

Caroline Garcia Superpoder: Força Para aguentar o período de cinco anos em que estive muito ausente em casa, colocando balinhas embaixo dos travesseiros para ser lembrada diariamente; e depois aguentar a emoção de abraçar meus filhos, chorando junto comigo em minha formatura.

REALIZAÇÃO

APOIO

Estética Facial e Corporal Neuza Dalla Costa Direto ao Ponto |21


Moda

Em busca do

SAPATO PERFEITO

Apesar dos mais variados saltos, cores e estilos, é preciso ficar atenta na hora de escolher o calçado correto para ir trabalhar. Aquele salto alto, que você não tira do pé ou daquela sapatilha baixinha, nota zero no quesito amortecimento, são responsáveis por diversas doenças dos pés, pernas e coluna. Aqui você ficará por dentro do que é o melhor para você! O sapato ideal para o dia a dia do adulto depende do tipo de trabalho que ele executa. Quem fica muito tempo em pé ou tem que se deslocar por longas distâncias, o indicado é que o calçado tenha algum tipo de amortecimento. O calçado certo evita a incidência de dores no joelho, no arco anterior dos pés, joanetes, calos, tendinites, unhas encravadas e danos à coluna. Portanto, não sacrifique os pés em favor da estética.

> Sapatilha Mesmo eleita como um dos sapatos mais confortáveis, a sapatilha também tem as suas restrições. Ela não tem sistema de amortecimento, o que aumenta o impacto ao caminhar. Usar sapatilhas muito baixinhas por tempo prolongado força as articulações e musculaturas do pé, o que causa dor e desconforto. Porém, se você não abre mão da sapatilha, tente usar uma palmilha de silicone ou espuma.

> Rasteirinha Apesar de também ser confortável, esse calçado é baixo demais e enfrenta problemas similares à sapatilha: pode levar ao desgaste de cartilagens de quadril, joelho, coluna e tornozelo se usadas em excesso. “A rasteirinha também aumenta a incidência de quedas, já que se prende facilmente em qualquer irregularidade do chão. Para aliviar os problemas, a solução é a mesma da sapatilha: procurar um sapato com salto pequeno ou com mais amortecimento. Se salto faz mal à saúde, não é seu extremo oposto que vai ser canonizado. Rasteirinhas e sapatilhas de solado fino demais também são desconfortáveis, porque forçam a parte da frente da perna.

22 | Direto ao Ponto


> Salto alto demais Resistir à sua elegância é difícil, mas o salto alto demais, traz muitos prejuízos ao corpo. Segundo a médica do trabalho Virginia Fedrizzi, esse tipo de calçado, pode causar graves problemas de coluna, joelhos e pés. O uso prolongado do salto alto, obriga a mulher a ficar na ponta dos pés e isso joga todo o peso do corpo para frente, o que pode causar dor nas articulações dos dedos, além de dores articulares no joelho. A solução para as amantes de salto é simples: diminuir o tamanho. “Deve-se evitar usar salto muito alto, em muitos dias da semana, já que, quanto mais se usa, maior será a incidência dos problemas”.

> Sapatos de bico fino O scarpin de bico fino é chique, mas seus pés podem sofrer com essa elegância. Esse sapato não deixa espaço para os dedos e pressiona-os demais, causando deformidades, tais como calosidades, bolhas e o famoso joanete. O ideal é que sejam substituídos por aqueles de bico mais alargado, principalmente se a pessoa tiver tendência a desenvolver joanete.

Salto plataforma < O salto plataforma é um dos piores: acumula os prejuízos de ser alto demais - lesões na coluna, joelho e tornozelo -, e é muito instável, já que eleva tanto a parte da frente quanto a parte de trás do pé e aumenta o risco de torções. “Essas torções costumam ser bem graves, já que, com esse tipo de sapato, o pé costuma ficar muito acima do chão”,

Salto fino demais < Toda mulher vira uma equilibrista quando calça um sapato com salto fino demais, o que é um grande problema, já que a caminhada fica instável e o corpo, desequilibrado. A única solução é aumentar a largura desse salto, para que o caminhar fique mais estável: Quanto mais fino, mais instabilidade para caminhar a pessoa terá.

Direto ao Ponto |23


Ideal:

Uma sugestão é ter sempre um sapato confortável por perto para o descanso dos pés entre um compromisso e outro. “No deslocamento até o trabalho, o ideal é usar sapato mais confortável como tênis ou sandália de caminhada”, avisa o ortopedista Vitor Miranda. Calçado adequado – Vitor explica que o sapato adequado é aquele que deixa a planta do pé totalmente apoiada e confortável no chão, de preferência, com algum tipo de amortecimento para proteger o pé. “Não adianta usar somente o sapato baixo. Ele não dá nenhuma proteção contra impacto repetido.” A folga ideal na frente é de no máximo um centímetro entre o dedão e a ponta do sapato, permitindo a movimentação dos dedos. Solados de borracha com ranhuras são mais recomendados por evitar escorregões. Por fim, alerta o especialista, calçados com amortecedores ajuda a absorver o impacto do peso do corpo em movimento sobre os pés, aliviando a carga que as articulações dos pés e dos joelhos recebem. Dessa forma, este tipo de calçado ajuda a evitar problemas como fratura por estresse ou mesmo artrose na região entre a coluna vertebral e a bacia. O sapato mais confortável do mundo tem o formato do seu pé, um saltinho entre dois e três centímetros e solado meio grossinho.

Sapatos ideais para homens Deve se ter muito cuidado ao escolher o sapato ideal para o dia a dia. Eles devem estar absolutamente confortáveis, deve se deixar uma polpa digital de folga entre o último dedo e a ponta do calçado, pois os dedos necessitam desse espaço para a movimentação durante o dia.

> Bico Fino A doutora Virginia Fedrizzi, salienta o cuidado com os sapatos de bico muito fino, pois eles são os maiores vilões do aparecimento de joanetes, calos e até mesmo de frieiras. Sapatos muito fechados e com o vão estreito para os dedos, acabam criando também muitos fungos. Estudos indicam que após os 20 anos de idade, 90% dos homens aumentam até dois pontos o número do calçado. Por isso devemos medir mensurar os pés frequentemente, e assim, evitar doenças ocasionadas pelos sapatos apertados e, ou, muito fechados.

> Sapato Ideal O indicado são os clássicos sociais, um sapato confortável, macio e de muito bom gosto. Os sapatos ideias sempre serão aqueles que melhor confortam o pé, deixando a sensação de bem estar.

24 | Direto ao Ponto


Não pense nos momentos difíceis como o fim do mundo, e sim como mais um obstáculo a ser superado, pois é dos momentos difíceis que se cresce.

Rosângela Oliveira Operador de Sistema - Parque Gráfico de São Sepé Há 7 anos na empresa

Direto ao Ponto |25


?

VOCÊ

CONHECE? Fotos: Luciana Maizonave

Você já ouviu falar de Pedro Viana Dias? Não? Que tal tentar “Pedrinho da gráfica”? Há 40 anos, fazendo parte do grupo de colaboradores do Correio do Povo, Pedrinho tem muita história para contar. Sentado diante do material e das máquinas de trabalho, onde “nascem” os materiais de expediente do jornal, como faturas, boletos, blocos de anotação timbrados e outros fizeram da tarde, em que o visitamos, uma viagem no tempo. Ex-aluno do Senai, o Correio do Povo foi seu primeiro emprego, e assistiu à mudança do jornal do formato standart para tablóide. “Vi toda a mudança da impressão em placas de chumbo para off-set e depois digital”, conta. “A diagramação era medida com paicas, e todo o texto era gravado em formas que transformavam chumbo quente em

26 | Direto ao Ponto


?

placas parecidas com carimbos fixados em cilindros, que depois gravavam as páginas do jornal. Fazíamos todo o processo, desde derreter o chumbo até o corte e a dobra do papel.” Pedrinho também diz que as fotografias eram gravadas de forma negativa em clichês e, após gravadas, eram expostas à luz para que fixassem. Depois, ainda recebiam um “banho” de ácido: a corrosão era responsável por dar forma à imagem. Chefe da gráfica, ele lembra quando o parque industrial, o arquivo de jornais e a gráfica eram no prédio do Banco do Brasil, entre as ruas Siqueira Campos e a Sete de Setembro, no Centro da Capital. Segundo Pedrinho, os colegas que trabalhavam à noite, diziam que o “fantasma” do fundador Caldas Júnior vinha mexer nas rotativas. “Diziam que ouviam barulhos, depois que todo mundo que trabalhava na impressão, havia ido embora. Até os vizinhos reclamavam

da mesma coisa... pode não ser verdade, mas é divertido.” Também lembra que o material que mais gostou de ajudar a produzir foi o “Almanaque do Correio do Povo”, uma publicação anual que trazia dicas de saúde, domésticas, de plantio e variedades. “O material começava a ser produzido em outubro, para ser entregue aos assinantes e leitores em dezembro.” Pedrinho conheceu e trabalhou bem próximo à “Dona Xica”, praticamente uma lenda entre os colegas, e participou do movimento para salvar o jornal durante os anos de 1985 e 1986, ocasião em que o jornal fechou por fatores econômicos. “Foi um movimento muito forte”, ele descreve. “Além de gostar de trabalhar no jornal, tínhamos consciência de que o sustento de nossas famílias dependia de a empresa estar aberta. Levávamos faixas, até mesmo para estádios de futebol, com os dizeres ‘salvem o Correio’. Deu certo, o jornal reabriu e não fechou mais.” Estar, mesmo que seja por pouco tempo, ao lado dele pode ser garantia de emoção certa, tendo a sensação de que fazemos parte de uma longa história que não vai acabar tão cedo.

?

? Direto ao Ponto |27


Páscoa

Páscoa de chocolate Correio do Povo e Cacau Show

A Páscoa é uma data propícia para refletirmos sobre a vida, em que a temos oportunidade para ressuscitar sonhos, ideias e planos. Foi isto que fizemos também no jornal Correio do Povo. O Departamento de Marketing, em parceria com a Cacau Show, realizou uma ação de Endomarketing envolvendo todos os funcionários do jornal no concurso cultural “O que é a Páscoa para você?”. A ação consistia em desafiar a criatividade e adequação da frase à questão tema do concurso. Cada concorrente podia participar com quantas frases julgasse necessário. Foram 50 frases encaminhadas para o e-mail do Endomarketing. Após a escolha pela comissão julgadora formada por integrantes do Marketing do jornal Correio do Povo, as mais criativas foram divulgadas. Os autores das três melhores frases levaram para casa um presente da Cacau Show, sendo para o primeiro lugar, um ovo de 800g, o segundo e o terceiro levaram um cubo de chocolate.

28 | Direto ao Ponto

Parabéns a todos os envolvidos e principalmente aos vencedores da ação e ao Correio do Povo e a Cacau Show. A ação foi um sucesso!


Parabéns aos ganhadores : Fotos: Shaiane Farias

1° lugar Cláudia Budó Moritz - jornalista Apesar de todos os apelos comerciais e gastronômicos, a Páscoa continua sendo uma chance de recomeço, época de ressuscitar nossos planos de ter sempre uma vida digna e de cultivar relacionamentos humanos mais éticos e verdadeiros. A Páscoa é a oportunidade do “entendimento entre todos”... como desejava Jesus ao morrer...

2° lugar Luciamen Winck - jornalista A Páscoa é um momento de reflexão ideal para projetarmos novos caminhos, sermos solidários, exercermos a paciência e a tolerância e esquecermos desavenças e mágoas. É especial também para renovarmos nossas virtudes, nossos projetos de vida e, principalmente,”renascermos” mais justos e sem ressentimentos.

3° lugar Maria Cristina Garcia da Silva Telemarketing É um momento doce de reflexão, transformação e mudança de vida.

Direto ao Ponto |29


S O V N O

S I PA “Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo ! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo”. José Saramago 30 | Direto ao Ponto


s e 達 m a m s a v o n s a a r fi n o C : a s e r p m e a e papais d a san s u L iana a c u :L ost 13) M達e airo C 24/04/ ( J Pai: : Artur o Filh

M達e: Joelm dos S a Ma gdal anto ena s Filho : Hen rique (06/0 2/13)

Pai: Eduardo Guedes Filho: Vinicius Eduardo (19/09/12)

Direto ao Ponto |31


5

15

Marina Ângela Gregolin Murilo Rocha Dos Santos Dulci Naara Emerim

Cornelio João Sausen

ANOS

ANOS

JUBILADOS DE MAIO

Tantos anos de dedicação merecem nosso reconhecimento

20 ANOS

25 ANOS

Reinaldo Euclides Teixeira

Paulo Roberto De Bitencourt

Aniversariantes de JULHO 1/7 2/7 2/7 2/7 3/7 3/7 3/7 4/7 4/7 4/7 5/7 5/7 5/7 6/7 6/7 6/7 7/7 8/7 8/7 8/7 8/7 8/7 8/7 8/7 8/7 9/7 9/7 9/7 9/7 9/7 9/7 10/7 10/7 10/7 10/7 10/7 11/7 11/7 12/7 12/7 12/7 12/7 13/7 13/7 13/7 13/7 14/7 14/7 14/7 15/7

32 | Direto ao Ponto

Alexandre Mocelin Emerson Ayres Trindade Jacinto Alves Da Silva Flavio Schaefer Fiorin Luiza Fernanda De Oliveira Felipe Barreto Sena Patricia Meira Cardoso Isaias Martins Glicetti Marcelo Felix Otto Honório Silveira Bede Fabricio Santos Da Silva Marcino Orlando Souza Da Rosa Luciano Nagel De Mello Claudia Juda Dos Santos Cloves Nunes Luiz Dircelen Rodrigues Da Luz Guimaraes Gilson Alves De Moraes Jairo Moacir Steimetz Costa Daiana Lopes Pinto Helena Anflor De Oliveira Joao Ataides Goncalves De Medeiros Joao Luis Xavier Luiz Rangel Oliveira Nelson Antonio Medeiros Bello Mario Antonio Barbosa Fengler Pedro Guilherme Dreher Carlos Daniel Fiore Aquino Luiz Fernando Brum Farias Fabiana Pereira Salvaterra Cristina Ilibio Moro Andrea Caroline De Moura Martins Gustavo Martins De Almeida Deoli Graff Marcelo Gonçalves Dos Santos Claudiomiro De Mello Ricardo Moreira Alexandre Leandro Jose Frantz Aline Ferreira Pereira Eduardo Henrique Crespo Fabiano Rodrigues Machado Ieda Cristina Martelete De Martinez Risco Ieda Cristina Martelete De Martinez Risco Daniel Martins Machado Jeferson Luis De Almeida Cordeiro Luciano Falcão Pacheco Junior Claudio Antonio Mocelin Paulo Roberto De Bitencourt Sergio Andrigo Pereira Wladimir Lorandi De Oliveira Roberto Carlos Trezzi

15/7 15/7 16/7 16/7 16/7 16/7 17/7 17/7 17/7 18/7 19/7 19/7 19/7 19/7 19/7 19/7 20/7 20/7 20/7 21/7 21/7 21/7 21/7 23/7 24/7 24/7 24/7 24/7 24/7 24/7 24/7 24/7 25/7 25/7 25/7 26/7 27/7 27/7 28/7 28/7 28/7 28/7 30/7 30/7 31/7 31/7 31/7 31/7 31/7

Fabiani Basson Ferraz Luis Filipe Rosa Rodrigo Dos Reis Araujo Monica Isabel Rachele Lovera Rafael Araujo Iracet Jose Moacir Bitencourt Pereira Luciana Poeta Klink Olimpio Alves Matias Felipe Sifuente Da Costa Edson Silva Coelho Liege De Moraes Cascaes Tiago Da Rosa Toniello Tarsila Oliveira Pereira Flavio Tadeu Wolff Alexandre Kittler Pereira Igor Alexandre Kahl Póvoa Yohann Sebastian De Carvalho Savoff Sergio Renato Silva De Oliveira Francisco Rogerio De Jesus Espinosa Claudio Roberto Santos Da Silva Elder Bassoaldo Junior Jocelene Cristina Da Silva Daniel Fabiano Zucco Dallazen Francisco Ficagna Dieniffer Santos Da Silva Vanessa Maria Boeno Cavalheiro Acacio Da Silva Ivonir Rodrigues Mario Altino Gomes Da Luz Paulo Rodrigues Vitor Hugo Pacheco Luciano Madeira Acacio Da Silva Patrick De Oliveira Luiz Antonio Mendes Da Silva Adriana Ferreira Xavier Andre Luis De Freitas Correa Caio Nascimento Souza Adao Rodrigo Mello Dos Santos Vanderlei Da Silva Avila Rosaura Maria De Marchi Luiz Carlos Sanches Teixeira Juliane Azambuja De Paula Ortiz Jose Luis Teixeira Luciane Rosa Dos Santos Jairo De Witt Renato Luiz Do Amaral Silva Jair Kuskodan Jose Carlos Da Silva Prates Marco Aurelio Torbes Dos Santos


RevistaDiretoaoPonto