Page 1


128


SUMÁRIO

TRAÇO

22

30 42 58 76 88 100 120

126

Alexandre Milhomem

40

André Lenza

PEFIL

Sérgio Parada Parada obrigatória para um mestre

40

JÓIAS DO MERCADO Rede Imobiliária

EARQ Encontro de Arquitetura

48

ESPECIAL Milão

Salão Internacional do Móvel

NA CASA DE Andrea Tormin

64

CASA COR GOIÁS 2010

86

ANTIQUÁRIO

94

JOGOS DE JANTAR

Mais Feliz e Mais Sustentável

MORAR MAIS 2010 O chique que cabe no bolso

Família Real

BRASÍLIA Patrimônio da Nação

Jogos de jantar como decoração

LIVING Integração Total

108

ESCRITÓRIO Mais que um office

ESPAÇO DI FESTA Villa Flor

DI CASA VIP Tocantins

Por Andréia Bittencourt

124

DI CASA VIP Goiânia

Por Ricardo Lima


Editorial Mais uma vez a revista Di Casa chega à frente na cobertura de notícias e na divulgação de informações dos segmentos a que se propõe. Nesta 10ª edição, trazemos os maiores eventos de decoração do Estado e do mundo. Eu e o diretor comercial da revista, Israel Braga, fomos pela primeira vez à Itália para visitar o maior evento de decoração do mundo: o Salão Internacional do Móvel de Milão. Após vivenciarmos essa incrível experiência, trouxemos aos nossos leitores o melhor daquilo que foi apresentado na semana do design mundial. Apresentamos ainda, em primeira mão, as novidades da Casa Cor Goiás 2010, que está em sua 14ª edição. Com o tema “Sua casa, sua vida: mais sustentável e feliz”, a mostra revoluciona com projetos altamente selecionados e preocupados com o meio ambiente. E ainda: os melhores espaços da Morar Mais 2010, que trouxeram inovações e tecnologias sustentáveis. A Di Casa ainda apresenta outras duas novidades: o “Top Design” e o “Na Casa De”, confiram.”! Além de todas essas novidades a Revista e o Programa Di Casa realizará nos dias 19 e 20 de Maio o primeiro Encontro de Arquitetura de Goiás,onde traremos dois grandes nomes da arquitetura nacional e internacional ,Arthur Casas e Sidônio Porto,em um evento único para profissionais exclusivos! Espero que desfrutem de tudo que preparamos para vocês, nossos leitores. Afinal, você é “Di Casa”.

Dayanne Lorenzetti

Expediente Realização Di Comunicação Ltda. CNPJ: 095.830.79/0001-03

Diretora Geral Dayanne Lorenzetti Diretor Comercial Israel Braga Representante Comercial - TO Mônica Avelino Fone: (63) 3215-1811

Projeto Gráfico e Diagramação Guilherme Almeida Fone: (62) 8505-4765

Jornalista Responsável Kamilla Freire DRT: GO 2325/JP

Departamento Jurídico Batista Coelho & Paro Advogados Associados S/S Rick Le Senechal Braga Fotógrafo Ricardo Lima Fone: (62) 8135-4424

Design Eletrônico 4 Mãos

Contato Di Casa 62 3088-0133 63 3215-1811 contato@revistadicasa.com.br

Colaboradores Andréia Bittencourt - Colunista - TO Revisão de Texto Marjorie Avelar DRT: GO17532/JP

Fotolito e Impressão Gráfica Talento A revista Di Casa não se responsabiliza pelos conceitos emitidos em artigos assinados, bem como a arte em campo publicitário. A revista Di Casa é uma revista de distribuição gratuita, não possuindo vínculo empregatício com seus colaboradores. Proibida a reprodução sem autorização prévia escrita. Ninguém está autorizado a solicitar produtos ou verbas em nome desta revista. Tiragem estimada: 10.000 exemplares.

Receba a Di Casa, ligue (62) 3607-3433, ou acesse www.revistadicasa.com.br


HOMENAGEM

LÚCIO

“A ÚNICA COISA DO PLANEJAMENTO É QUE AS COISAS NUNCA OCORREM COMO FORAM PLANEJADAS” Lúcio Costa

COSTA Por Kamilla Freire

Arquiteto e urbanista pioneiro da arquitetura modernista no País, Lúcio Marçal Ferreira Ribeiro Lima Costa ficou mundialmente conhecido pelo projeto do Plano Piloto de Brasília, no Distrito Federal. Sua presença contribuiu decisivamente para que a arquitetura brasileira, entre os anos 30 e 60, fosse uma das expressões mais vivas e respeitadas de nossa cultura. Lúcio Costa nasceu em Toulon, França, em fevereiro de 1902. Por causa das atividades oficiais do pai, morou em diversos países, o que lhe rendeu uma formação pluralista. Já no Brasil, formouse arquiteto na Escola Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro, em 1924 – uma instituição educacional que ainda aplicava um programa neoclássico de ensino. No início de sua carreira, projetava a arquitetura eclética da época, o que lhe proporcionou ser o arquiteto mais prestigiado do movimento neocolonial. Cinco anos mais tarde, Lúcio passou a receber influências da obra do arquiteto franco-suíço Le Corbusier. Em parceria com o arquiteto Gregori Warchavchik, construiu a primeira residência considerada moderna no Brasil. Sua atuação lúcida e contínua, ao longo do século 20, determinou novos rumos e estabeleceu critérios, estruturando o movimento moderno no País.

Em 1930, foi incumbido pelo governo Vargas a dirigir a Escola Nacional de Belas Artes e renovar o ensino das artes plásticas, implantando um curso de arquitetura moderna. A partir de então, sua presença foi fundamental na eclosão e consolidação da arquitetura moderna brasileira. Entre os alunos da renovada escola de arquitetura estava o então jovem Oscar Niemeyer. Em 1937, ingressou ao serviço do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), onde foi colaborador e diretor. Lúcio Costa foi responsável por várias intervenções pontuais no Rio de Janeiro e, quando venceu o concurso público para o Plano Piloto da nova capital federal, em 1957, passou a ser conhecido em todo o mundo como autor de grande parte dos edifícios públicos. Sua atuação, porém, não ficou restrita somente à sua área profissional, juntamente com os companheiros de geração. Ele possuía um pensamento livre e abrangente, pois se interessava em diversos assuntos como arte, filosofia, sociedade e política. Por causa de sua diversidade, contribuiu com a própria formação da identidade brasileira. Lúcio faleceu em junho de 1998, no Rio de Janeiro.

Foto Divulgação

16


17


TOP DESIGN Foto Divulgação

O melhor do design mundial escolhido por

Doriselma

Com mais de 12 anos de profissão a designer de ambientes formada pela Universidade Estadual de Minas Gerais vem desenvolvendo diversos projetos em Goiânia. Além de participar de oito edições da Casa Cor e das seis edições da Mostra Artefacto, a designer de interiores já recebeu vários prêmios regionais e nacionais como o prêmio Sebrae Casa Cor 2002, Meu sonho de banheiro DECA 2002, Duratex 2005 e Gave Cozinhas em 2006. Com um currículo invejável de projetos de interiores Doriselma Mariotto seleciona os melhores objetos e móveis de decoração do circuito internacional.

Mariotto Gostei desta poltrona com capitonê, uma releitura lúdica de um clássico.

Um adesivo que faz alusão a moldura de espelho ou quadro, um recurso muito criativo e econômico.

Do frame – por Martí Guixé

Foto Gerard van Hees

Foto Divulgação

Chair branca – Capsule Collection por Ziglam & Brook


Wire table lamps por Ziglam & Brook

Simples e funcionais estas luminárias têm lugar garantido em qualquer parte da casa.

Sticky lamp por Chris Kabel

Foto Divulgação

Um abajur aramado com tons vibrantes, muito bonito .

Foto Gerard van Hees

Esta cômoda é muito irreverente. Foto Gerard van Hees

Push and store cabinet por Chung-Tang Ho

19


Foto divulgação Silvia Heringer

TRAÇO

Alexandre Milhomem Contato: (63) 3421-2264 (63) 9241-8016 (62) 8179-0930 alexandremilhomem@uol.com.br


O arquiteto e designer de interiores Alexandre Milhomem atua há mais de 14 anos nos mercados de Goiás, Distrito Federal, Maranhão, Pará e Tocantins. Uma característica marcante de seus projetos é o cuidado em aliar bem-estar, requinte e aconchego. Com capacidade de transformar espaços em verdadeiras obras de arte, ele possui obras executadas nas áreas comercial, residencial e urbanismo. Seus mais recentes trabalhos podem ser apreciados nas cidades de Goiânia, na sede própria Sílvia Heringer Decorações; Palmas, no Residencial Absoluto, em frente ao Lago de Palmas; e em Imperatriz (MA), no

Umuarama Motors – Concessionária Toyota. O público goiano já teve a oportunidade de apreciar a técnica do arquiteto e designer de interiores, quando Alexandre Milhomem assinou o projeto do Restaurante da Casa Cor em 2004, a varanda da Casa Cor em 2006 e o ambiente Suíte da Noiva, apresentado na edição do ano passado da mesma mostra. Em 2010, Alexandre Milhomem assinará o lounge de chegada da Casa Cor Goiás e também marcará presença na 3ª edição da Mostra de Arquitetura do Tocantins (Mosarq), que será realizada em Palmas, entre os dias 1º a 20 de junho.

Fotos divulgação Silvia Heringer

23


Foto Babi Carvalho

TRAÇO

AndréLenza Contato: (11) 7810-4369 55*81*16896 011-3213-1065 andrelenza@hotmail.com www.andrelenza.com.br

26

Formado em Arquitetura pela Universidade Mackenzie (SP), André Lenza já conquistou seu espaço no mercado. Com atuação nos Estados da Bahia, Distrito Federal, Goiás e São Paulo, ele desenvolve projetos residenciais, comerciais e corporativos. Sua ampla experiência no exterior fez com que agregasse conhecimento e experiência. Antes de montar seu próprio espaço, Lenza trabalhou no escritório de arquitetura de Arthur Casas, em São Paulo. Para desenvolver o projeto da franquia de uma sorveteria e cafeteria, no mesmo Estado, trabalhou o conceito “flagship store”: um verdadeiro desafio, já

que elaborou um projeto com a “cara” do Cerrado no “coração paulista”. Ao criar a concepção da primeira loja-conceito da marca Frutos do Cerrado no Brasil, o local escolhido foi uma casa dos anos 40, no charmoso bairro de Moema. Na ocasião, Lenza soube tirar proveito da construção antiga, incorporando as paredes estruturais feitas de tijolos à vista, não sendo necessário escondê-los com reboco. As referências ao Cerrado estão por toda parte. Sobre a parede amarela, Lenza projetou a colagem de um adesivo com uma frase da escritora goiana Cora


Coralina. Também há uma plotagem na parede que retrata a vegetação e um mini-mercadinho para venda de doces e licores artesanais da região central do país. Com ajuda da arquiteta Isabela Ferrante e a estagiária Isabel Brasil, o arquiteto se preocupou com a sustentabilidade. Os azulejos antigos foram reutilizados, para formar um “patchwork” em tons de branco e verde (cores da marca da Frutos do Cerrado). Um bicicletário substituiu uma vaga de veículo. E o lixo tem destino certo: é separado e reciclado. Diante de tantas ideias originais, o projeto do arquiteto André Lenza foi tão bem aceito, que o mesmo modelo está sendo desenvolvido para uma loja em Brasília (DF), Salvador (BA) e, até o final do ano, também em Goiânia (GO).

Foto Babi Carvalho

27


28


29


PERFIL

SÉRGIO

PARADA Parada obrigatória para um mestre Por Kamilla Freire


Foto Octavio Cardoso

Com reconhecimento internacional, após 35 anos de experiência em Arquitetura, o curitibano Sérgio Roberto Parada reforça que a imagem do Brasil no exterior ainda está restrita aos mestres do Modernismo. Nascido em março de 1951, graduouse em 1968 no curso de Edificações pela Escola Técnica Federal do Paraná. Cinco anos mais tarde, formouse em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do mesmo Estado (UFPR).

Participou da equipe do escritório de arquitetura Elgson Ribeiro Gomes e ainda foi parceiro do arquiteto Carlos Emiliano de França, período em que desenvolveu diversos projetos. Foi professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica do Paraná e da UFPR. Em 1978 foi responsável técnico do Departamento de Arquitetura da Empresa Engevix Engenharia S/A, em Brasília (DF).

31


Foto Divulgação

Foto Haruo Mikami

Entre os anos de 1980 e 1983, cursou mestrado em Urbanismo na ‘Universidad Nacional Autónoma de México’. Durante sua estadia naquele país, foi arquiteto da ‘Secretaria de Asentamientos Humanos y Obras Públicas’, na ‘Dirección General de Desarollo Ecológico’, na capital Cidade do México. Como arquiteto, Sérgio Parada desenvolveu projetos com diversas tipologias, muitas delas publicadas em revistas, livros e periódicos nacionais e internacionais. Também participou de vários concursos públicos e privados, nacionais e internacionais, além de ter sido, ao longo de sua carreira, um profissional premiado e homena-

geado por seus inúmeros trabalhos. Responsável pelo primeiro trabalho arquitetônico brasileiro no aeroporto da China, Parada teve seu projeto inspirado em guarda-chuvas. Esta ideia inusitada e moderna promoveu ainda mais sua carreira profissional, já que na ocasião da concorrência, em terras chinesas, “desbancou” projetos de outros arquitetos renomados, como do inglês Norman Foster. Com vários trabalhos realizados no Brasil, atualmente o profissional está à frente do próprio escritório de arquitetura – o ‘Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados S/S-, que funciona desde 1997, em Brasília.


Foto Marcelo Scandaroli

Revista Di Casa – Você nasceu, foi criado e se formou em Curitiba (PR). Por que veio morar em Brasília, no início da década de 70? Sérgio Parada - Vim por oportunidade de trabalho. Era ainda um jovem arquiteto quando fui convidado para fazer parte da equipe multidisciplinar, que desenvolvia os projetos para a Usina (Hidrelétrica) de Tucuruí (maior usina hidrelétrica em potência 100% brasileira, localizada a 400 quilômetros de Belém, capital do Pará). Aceitei o convite porque aquele era um tipo de trabalho que o arquiteto não desenvolveria isoladamente em seu escritório, mas integrado a uma grande equipe de profissionais. Aprendi muito com essa experiência, principalmente no trato da diversidade de técnicos que atuam em um mesmo projeto.

Di Casa – Com seu comprovado reconhecimento internacional, graças aos prêmios e homenagens recebidos, como avalia a arquitetura que o Brasil está levando para o exterior? S.P. - Acredito que a arquitetura brasileira tem muito mais a levar para fora, por causa de sua história e vanguardismo. Pena que no exterior nossa imagem ainda está restrita aos mestres do Modernismo. Atualmente, em nosso País, há um grande número de profissionais com alta qualificação, para elaborar qualquer

tipo de proposta no exterior. Mas, para que isso ocorra, precisamos nos mostrar mais, ser mais ousados.

Di Casa - O que considera mais importante em sua profissão? S.P. - Considero fundamental a perfeita relação entre o arquiteto e a sociedade para qual vai trabalhar, entendendo seus costumes, suas necessidades e respeitando sempre o meio ambiente onde vamos intervir.

Di Casa - Dentre seus trabalhos, estão projetos comerciais, industriais, institucionais, habitacionais, de design, interiores, paisagismos e de planejamento e urbanismo. Existe algum projeto que gostaria de fazer, mas ainda não realizou? S.P. - Gostaria de realizar muitos trabalhos e espero ainda fazê-los. No entanto, sou tranquilo quanto a isso. Creio, sinceramente, que nossas oportunidades aparecem sem precisarmos forçar nada. Quero dizer que qualquer dos edifícios, que projetamos e vemos sair do papel para construção, torna-se “arquitetura” neste momento. Com isso, fico feliz. O que me amargura um pouco e, portanto, não gosto, é quando (os projetos) só ficam nas ideias, ou seja, nos desenhos (no papel).

33


Foto Daniel Mansur

Di Casa – Qual é a sua maior dificuldade com a arquitetura? S.P. - Hoje vejo uma banalização do pensamento arquitetônico. Infelizmente, isso tem repercutido em uma baixa da qualidade dos produtos da arquitetura, que são os edifícios. Nossas cidades estão perdendo aquilo que é fundamental para a boa vivência de sua população: a qualidade ambiental e espacial.

Di Casa - Dentre todos os projetos arquitetônicos existentes, qual admira mais? E qual profissional te inspira? S.P. - Existem muitos trabalhos maravilhosos espalhados por todo o mundo, que foram realizados em vários momentos de nossa história. Seria muito difícil dizer qual eu admiro mais. No entanto, em se tratando da contemporaneidade, gosto muito da arquitetura do Fórum de Tóquio (no Japão), de autoria do arquiteto Rafael Viñoly. -É uma proposta consistente, correta, que agrega ao espaço urbano de Tóquio e se apropria de uma tecnologia fantástica, de alto desenvolvimento industrial e tecnológico. Porém, existem muitas outras obras que também admiro. Quanto aos profissionais que me inspiram, também são muitos, inclusive em áreas distintas da arquitetura. Esta admiração é muitas vezes maior pela conduta de cidadão do que pela produção apresentada por eles.

Di Casa – Cite uma frase. S.P. - Se vivemos neste fantástico planeta, é para sermos felizes e nada mais. Foto Daniel Mansur


GOIÁS FECHADURAS COLOCAR O ANUNCIO QUE ESTÁ EM X4

35


36


37


DI CASA INDICA

Jardim Vertical

Surpresa de chocolate

A Cookies Chocolates traz uma deliciosa sugestão de presente: esta caixa de chocolate, uma exclusividade da loja, toda produzida com chocolate ao leite e meio amargo. O material é pintado à mão, com tinta especializada. A caixa pode ser recheada com deliciosos bombons, “pralinês” ou trufas especiais, que só uma loja, que prima pelo verdadeiro sabor extraído do cacau, pode oferecer. Uma ocasião especial merece um presente assim!

O conceito de jardim vertical é uma das alternativas de harmonização dos espaços para quem vive em condomínios verticais, principalmente em sacadas, com o uso de plantas ornamentais. Seguindo esta tendência, os paisagistas Roberto Lima e Ricardo Lima assinam o “Jardim” da mostra Casa Cor Goiás 2010. Em uma parede de 40 metros quadrados, o projeto é desenvolvido com uma nova técnica de aplicação de plantas, na forma de jardim vertical, criada por Ricado e Roberto. Araguaia Paisagismo (62) 3942-3016 Rua C-134, Qd. 274, Lt. 09, Jardim América, Goiânia. www.araguaiapaisagismo.com.br

Cookies Chocolate Rua R11, n. 870 St. Oeste. Fone: 3251-1988.

Um oásis em terras brasileiras Livre-se do caos aéreo da Europa e aproveite para desfrutar tudo que o Brasil tem de melhor. A GM Turismo prepara um pacote especial para que descubra o que o arquipélago mais charmoso do País – Fernando de Noronha - tem de especial. Visite o lugar, curtindo seu rico ecossistema e belezas naturais estonteantes. É um verdadeiro oásis, aparentemente, perdido em meio à imensidão azul. GM Viagens Fone: (63) 3215-1815 108 Sul, Av. LO-03 nº 18, Centro, Palmas TO

38


JÓIAS DO MERCADO IMOBILIÁRIO

Foto Divulgação

Rede Imobiliária MUDANÇAS ACONTECEM A TODO O MOMENTO, MESMO QUANDO MUITOS NÃO ACREDITAM NELAS Por José Humberto Carvalho

O mercado imobiliário nunca mudou tanto como nos últimos anos. Não é só no perfil de comportamento do consumidor que isso vem acontecendo, mas, principalmente, no perfil de atuação dos profissionais deste setor. O corretor de imóveis de antigamente, cuja única função prática era a de levar o “cliente” para conhecer o imóvel, mudou dando lugar a um perfil profissional muito mais elaborado. Hoje, o corretor do mercado imobiliário deve ser muito mais um consultor do que um mero “mostrador” de imóveis. Nos últimos tempos, este “novo” profissional vem sendo formado em um ambiente de mercado altamente competitivo e cada vez mais dinâmico. A prova disso são os cursos de nível superior em Gestão Imobiliária, comum em várias faculdades e universidades espalhadas por todo o País. Além disso, existe uma gama de cursos de es-

40

pecialização, mestrado e até mesmo doutorado neste segmento. A mais nova onda do mercado imobiliário nacional é a rede formada por empresas imobiliárias que trabalham em parceria, em que um grupo de empresas integrantes de uma mesma rede de negócios busca alavancar, cada vez mais, vantagens competitivas em relação às demais, que ainda não se “antenaram” para esta realidade. As redes imobiliárias existem no mercado norte-americano e europeu desde 1973, quando surgiu o primeiro modelo de gestão baseado na parceria entre profissionais desta área. Certamente, é só uma questão de tempo para que esta “velha novidade” chegue ao mercado imobiliário local. É só esperar para ver acontecer esta grande transformação. Com isso, já se sabe que quem vai ganhar com este novo modelo de gestão é o consumidor.


URBS


EARQ GOIÂNIA SEDIA ENCONTRO COM GRANDES NOMES DA ARQUITETURA NACIONAL

O mercado imobiliário de Goiânia é uma máquina que não para de crescer. A cada dia, centenas de novos projetos são definidos e novas empresas também adentram neste mercado. Para conhecer um pouco mais esse segmento de arquitetura, a cidade sediará o 1º Earq – Conhecimento e Estilo (Encontro de Arquitetura), nos dias 19 e 20 de maio, no auditório do empreendimento Park House Flamboyant. O evento, inédito em Goiás, realizado pela Di Casa trará à capital dois dos maiores nomes da arquitetura brasileira: Arthur Casas e Sidonio Porto. O Earq lançará a capital goiana no circuito nacional de arquitetura, promovendo a troca de conhecimento com profissionais de renome internacional. Durante dois dias, 250 convidados - entre eles arquitetos, designers, lojistas e formadores de opinião dos segmentos de construção, moradia e interiores do Estado - terão a oportu-

nidade de trocar conhecimentos e experiências com estes profissionais. A programação do Earq inclui, além de workshops, coquetéis, uma noite de autógrafos com Arthur Casas e o lançamento do livro “Sidonio Porto - Um Intérprete de seu Tempo” (PW Editores Associados), de autoria da professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP), Mônica Junqueira de Camargo, e organização de Vicente Wissenbach. O grande diferencial do EARQ é sua forma de participação, onde as empresas parceiras do evento que serão responsáveis por selecionar e convidar os profissionais. O evento tem a OPUS Inteligência Construtiva como patrocinadora máster e como co-patrocínadores, Artefacto, Via Condotti, Versato, Bentec, Claris, Blind Lux, Casa Mix e Soma Motors.


Arthur Casas Arthur Casas – Arquiteto graduado pela Universidade Mackenzie de São Paulo, em 1983, Arthur Casas possui escritórios em São Paulo e Nova York (EUA), além de projetos no Brasil, Nova York, Paris (França) e Tóquio (Japão). Suas obras de arquitetura e design de mobiliário são marcadas pela limpeza e organização dos espaços, materiais naturais, muita transparência e luz, aliando elegância e inteligência. Casas assina alguns dos endereços mais badalados de São Paulo, como lojas (Alexandre Herchcovitch, Sacada, Huis Clos, Reinaldo Lourenço, Zeferino e Ornare); restaurantes (Cantaloup, Charlô, Kosushi e Kaá) e o Hotel Emiliano. É autor do livro “São Paulo na Arquitetura de Arthur Casas” (Editora Décor, 2007). Ganhou o Red Dot Award 2008, prêmio alemão de excelência em design, pela linha criada para a empresa gaúcha Riva.

43


Sidonio Porto Sidonio Porto – Arquiteto graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Minas Gerais (FAU/UFMG), em 1964, Sidonio Porto explora a tecnologia do concreto pré-moldado: uma referência na maioria de seus projetos. É autor de trabalhos em mais de centenas residências de alto padrão, construídas no Brasil e no exterior. Possui obras de conjuntos industriais, hotéis e centros financeiros. Profissional premiado, ele foi o vencedor do concurso nacional de Projetos de Arquitetura para a Sede da Petrobras, em Vitória (ES), em 2005.

44


45


46


47


ESPECIAL

MILÃO Salão Internacional do Móvel Em sua 49ª edição, o maior evento de decoração do mundo, realizado em Milão, Itália, apresenta inovação, tecnologia, cultura e tendência. Por Kamilla Freire, Dayanne Lorenzetti e Israel Braga

Superando as expectativas do ano passado, o Salão Internacional do Móvel de Milão 2010 trouxe o melhor e os mais exclusivos mobiliários, com uma mescla de estilos que vão facilmente do clássico ao moderno, do étnico à fusão. A feira aconteceu de 14 a 19 de abril em Rho-Milão, na Itália, e reuniu profissionais de arquitetura, decoração e design de todo o mundo. Considerado o maior evento de decoração do planeta, o salão ficou instalado em um espaço de 210 mil metros quadrados de área de ex-


posição e contou com mais de 2,5 mil expositores. Vale mencionar que a semana de design de Milão vai além do Salão do Móvel, abrangendo outras mostras paralelas que são realizadas no mesmo lugar - como o Salão Internacional de Complemento d’Arredo, Salão Satellite, Salão Internacional do Banho e Eurocucina. Dentro do Salão Internacional foram apresentados móveis de dormitórios, salas de estar e jantar, bibliotecas, escritórios, banheiros, cocinhas, móveis para crianças, enfim, todo tipo de mobiliário e objetos com estilos e cores variados. O arquiteto Pedro Ernesto já participou do evento várias vezes. Para ele, a experiência de conhecer de perto as novidades do mundo do móvel é única. “É muito bom para nós, profissionais desta área, conhecermos tudo

Foto Divulgação Neutra

49


que acontece no exterior. Este ano, de todo o Salão, gostei mais das novidades apresentadas na Eurocucina”, revela. A arquiteta Edmara Cavalcantte também foi conferir, pela segunda vez, o que a mostra de Milão trouxe em 2010. Em sua opinião, o que mais chamou a atenção foram as questões de sustentabilidade. “A preocupação com o meio ambiente foi bem notória, refletida na busca por novas tecnologias para o reuso de água, reciclagem de materiais, entre outras. Vimos soluções diferentes, como encaixes, para dar flexibilidade a móveis como sofás-camas, poltronas”, conta Edmara.

Foto Divulgação Martini Cozinhas

50


51


Foto Divulgação Moroso por Patrícia Urquiola

Tendências

Foto Divulgação Poliform

52

Várias novidades são lançadas anualmente, no Salão Internacional do Móvel de Milão. Em 2010, a marca italiana Moroso trouxe mais cores. As coleções assinadas pela designer espanhola Patrícia Urquiola exibiram um colorido elegante. A Minotti, já consagrada pelos tons suaves, mostrou detalhes em azul petróleo. No entanto, como a mostra não vive somente de cores, a “dobradinha” preto e branco também continuou em alta. Aliás, as grandes marcas deixaram claro que essa tendência é eterna. As referidas cores foram as mais usadas em dois importantes pavilhões do Salão.


Tradicional fabricante de móveis de material plástico, a Kartell produziu mesas laterais e outros móveis em preto e branco. O cinza e o bege também foram utilizados com bastante ousadia. Mas, como crise europeia nenhuma delimita a criação dos arquitetos, decoradores e designers da mostra, a marca suíça Vitra inovou trazendo suas peças ambientadas em quadrados de Corian. Foto Divulgação Poliform

Foto Divulgação Poliform

O arquiteto Pedro Ernesto notou bem esta tendência das cores claras. “No geral, presenciei cada vez mais as linhas retas e puras. Vi móveis em tons mais claros, que utilizam bastante linho, além, é claro, de ter bastante presenciado a utilização da laca brilhante”, informa. Na semana de design de Milão, tudo teve seu espaço para ser apresentado. O que não foi apresentado no Salão foi exposto na rua. Lá, até o “brega” tem seu lugar, estilo perceptível na marca Sicis, que trouxe muito bem este conceito diferenciado. A arquiteta Edmara Cavalcantte, que também observou a tendência de cores neutras, ressaltou sua aposta. “O design moderno e o conforto do mobiliário com cores neutras foram fortes, o que também é uma tendência da moda no inverno europeu: madeiras e laminados em tons claros. Eu aposto no equilíbrio das misturas”, disse.

Foto Divulgação Moroso por Patrícia Urquiola

53


Foto Divulgação Vitra

54

Zona Tortona Durante o Salão Internacional do Móvel de Milão, a cidade respira design. Um dos movimentos mais chamativos - o “Fuori Salone” (Fora do Salão) - é a Zona Tortona, onde lojas, showrooms e ateliês, localizados em uma longa rua, costumam ficar abertos para visitação. Neste período, é estabelecida uma disputa de espaço, fora da mostra, para quem não conseguiu expor no evento.

O bairro de características industriais, com grandes galpões, reúne milhares de jovens por suas ruas de acesso. Eles sempre querem ver, em primeira mão, o que os “gigantes” do design - como Poltrona Frau, Flos, Dedon, entre outros – reservam, todos os anos, em suas coleções. Quem visita o local precisa sentar nas cadeiras, tocar o couro dos sofás, caminhar por labirintos de


som e de luz, para poder entender as criações da Zona Tortona. Na exposição do designer inglês Tom Dixon, os visitantes passearam pela linha de montagem de uma fábrica e, ao final do percurso, puderam comprar uma luminária feita por lá. “A Zona Tortona é tão badalada que, às vezes, as pessoas preferem ficar lá, em vez do próprio Salão”, diz a diretora da revista Di Casa, Dayanne Lorenzetti, que foi conferir as novidades do evento em Milão.

Foto Divulgação Caleido por Karim Rashid

55


A designer Patrícia Urquiola ladeada pelos diretores da Revista e Programa Di Casa, Israel Braga e Dayanne Lorenzetti.

Proprietária da Via Condotti, Dominique Tormin, Marcel Wanderse Bizet Castro

Andre de Assis,Tatiana de Assis e Elaine Saliba

MOMENTOSMILÃO

Dayanne Lorenzetti com o arquiteto Pedro Ernesto e a designer Leandra Castro.

Edimara Cavalcante e Hilberto Santana

Os direretores da Di Casa com Samuele Mazza

Os direretores da Di Casa com Philippe Grohe

Os empresários Odete Ribeiro e Floriano Domenici

Dayanne Lorenzetti e o designer Corey Baker.

As arquitetas paulistas Adriana Urquiza e Letícia Ruiva

Os arquitetos de Porto Alegre, Rudelger Leitzke e Regina Schuch.

O proprietário da Florence, Luciano Verdi, Adriana Sogari, Pedro Ernesto e Leandra Castro.

56


NA CASA DE...

Andrea Tormin Baiana de sangue e goiana de coração a proprietária da Artefacto, Andrea Tormin Sena é adepta a miscigenação de objetos. Com peças africanas, indígenas e étnicas sua casa apresenta um clima de aconchego, informalidade e com astral descontraído e agradável. “Minha casa é o meu ninho e representa tudo pra mim, para deixá-la bem confortável e personalizada eu procuro trazer um pouco da nossa história em cada canto, em cada objeto”, explica. É assim que a empresária abre as portas de sua casa para equipe Di Casa para mostrar um pouco desta história.

Sou muito religiosa, por isso tenho um espaço reservado para minhas orações, gosto muito desta parte da casa (referindo-se ao oratório).

58

Foto Ricardo Lima


Adoro este quadro do Empório Mauki, uma peça encomenda especialmente para mim .

Foto Ricardo Lima

A Narguilé era da minha bisavó e ainda está linda, gosto dessa mistura de artigos de várias raças .

Foto Ricardo Lima

59


Esta mandala foi criada pela artista plástica Fátima Campos de Teresina, Piauí, também é exclusiva

Foto Ricardo Lima

Comprei esta figa no Mercado Modelo de Salvador, na Bahia, e a jóia pertence à família há muitos anos .

Foto Ricardo Lima

60


61


62


63


Casa Cor Goiás 2010 MAIS FELIZ E SUSTENTÁVEL Por Kamilla Freire

Com o tema “Sua casa, sua vida: mais sustentável e feliz”, a 14ª edição da Casa Cor Goiás abre as portas para apresentar os melhores profissionais da região e provar que é possível criar ambientes originais, sofisticados, confortáveis, funcionais, de bom gosto e que, por fim, inspirem felicidade de modo sustentável. Seu objetivo é tornar a mostra em uma referência mundial em sustentabilidade, em 2012. Este ano, as organizadoras da Casa Cor, Eliane Moreira Martins e Sheila Podestá, da SE Promoções e Eventos, realizam

64

a mostra entre os dias 7 de maio e 15 de junho. Na mostra serão apresentados os trabalhos de 69 profissionais - entre arquitetos, designers, paisagistas e decoradores -, distribuídos em 3.080 metros quadrados de área. Nos 45 ambientes, o conceito adotado envolverá inovação arquitetônica, artística e sustentabilidade. O projeto já passou por 13 imóveis, todos em Goiânia, experimentando diferentes estilos de construção. Nesta edição, o homenageado da mostra será o renomado arquiteto e urbanista brasileiro Lúcio Costa.


Lounge Gourmet Designer de Interiores Genésio Maranhão

Um espaço masculino, sofisticado e pensado para os homens que gostam de cozinhar e receber pessoas. Este é o conceito do “Lounge Gourmet”, projetado pelo designer de interiores Genésio Maranhão que, pela 10ª primeira vez, marca presença na Casa Cor Goiás. Sofisticado e ao mesmo tempo simples, o ambiente tem área interna de 86 metros quadrados, varanda de 35m² e um jardim-horta também com 35m². Foto Ricardo Lima

65


Refúgio do Jovem Casal Designers de interiores Fátima Mesquita, Márcia Albieri e Regina Amaral

Boulevard Arquitetos e urbanistas Ana Paula Castro e Sanderson Porto

Foto Ricardo Lima

66

Os arquitetos e urbanistas Ana Paula Castro e Sanderson Porto, que participam da mostra pela 10ª vez, são os responsáveis pela elaboração do “Boulevard”. Com 99,93 metros quadrados, é um espaço moderno de convívio, que privilegia a descontração e valoriza os elementos da natureza. Por isso, as plantas ocupam lugar de destaque no ambiente, que conta com uma parede verde de samambaias para reforçar o conceito do jardim interno e vasos com árvores frutíferas.


As designers de interiores Fátima Mesquita, Márcia Albieri e Regina Amaral, presentes na mostra pela oitava vez, assinam o projeto “Refúgio do Jovem Casal”. Projetado para um casal que deseja um ambiente onde possam curtir a intimidade, o espaço tem 60 metros quadrados, dividido em estar, cozinha e banheiro. Integrado, prático e eclético, o ambiente possui mobiliário moderno, complementado com o clássico, presente em certos móveis e tecidos.

Foto Ricardo Lima

Presente na Casa Cor Goiás pela 10ª vez, o designer de interiores Pedro Paulo do Rêgo Luna elaborou o “Living Principal” da mostra. Moderno e com ares clássicos, o ambiente de 61 metros quadrados privilegia a beleza, praticidade e simplicidade, com uso de peças de design consagradas. O design clássico é empregado em um mix, com o que há de mais moderno em materiais e mobiliário.

Foto Ricardo Lima

Living Principal Designer de interiores Pedro Paulo do Rêgo Luna

67


Foto Ricardo Lima

Loft do Esteta Arquiteto Leo Romano

O “Loft do Esteta” é um espaço de linhas atuais. Nele, o arquiteto Leo Romano exibe um conceito de autoria característico de seus trabalhos. Quase todos os elementos do ambiente – sofá, tapete, armários, cadeira, aparador, árvores – foram desenhados pelo próprio profissional. Idealizado para uma pessoa que cultua beleza e arte, o “Loft do Esteta” integra espaço e funções, valorizando a morada do século 21.

Foto Ricardo Lima

Banho Público 2 Arquitetas Georgia Silveira e Tayná Gonçalves

Ambiente de arquitetura neoclássica, inspirado nos banheiros europeus do século 15. Este foi o conceito usado no projeto “Banho Público 2”, assinado pelas arquitetas Georgia Silveira e Tayná Gonçalves, presentes na Casa Cor Goiás pela 3ª vez. De tendências clássicas, o ambiente de 37 metros quadrados recebeu um toque moderno nos lustres e revestimentos.

68


Foto Ricardo Lima

Cozinha Arquiteto Pedro Ernesto Gualberto e Designer de interiores Leandra Castro

Área Social Designer de interiores Doriselma Mariotto

A designer de interiores Doriselma Mariotto, que participa da mostra pela 8ª vez, é a responsável pela “Área Social”. Com 125,72 metros quadrados, o esapço é formado pelos seguintes ambientes integrados: living, home, jantar, varanda gourmet, vestíbulo e lavado. Contemporâneo, limpo e, ao mesmo tempo, aconchegante, foi projetado para uma família que gosta de morar bem e receber amigos. Os materiais utilizados são nobres e atemporais.

Foto Ricardo Lima

70


A arte de receber na cozinha. Este foi o conceito norteador do projeto do arquiteto Pedro Ernesto Gualberto e da designer de interiores Leandra Castro, presentes na Casa Cor Goiás pelo 13º ano. Com 67metros quadrados, a “Cozinha” é toda planejada, com armários, nichos e espelho d’água criados especialmente para o espaço. O ambiente possui ainda um jardim vertical, com irrigação automatizada.

Juntos pela 12ª vez na mostra, a decoradora Ednara Braga e o arquiteto Flávio Paraguassu assinam o “Bar” da mostra. Inspirado na modernidade de Lúcio Costa e na boemia de Oscar Niemeyer, o ambiente de 98 metros quadrados conta com adornos, iluminação e quadros alusivos a Brasília. O mobiliário tem peças nacionais renomadas e internacionais consagradas, como a cadeira Swan e a mesa Saarinen, além de objetos de antiquário, com releitura dos próprios profissionais.

Bar Decoradora Ednara Braga e arquiteto Flávio Paraguassu Foto Ricardo Lima

71


O “Restaurante” é um ambiente que busca o conforto físico, visual e emocional. Inspirado nos sentidos que devem ser aguçados em um restaurante – visão, audição, olfato e paladar –, o espaço projetado pela designer de

interiores Maurem Françoise foi elaborado para pessoas de sensibilidade “apuradíssima”. Com 200 metros quadrados, o ambiente contemporâneo é dividido em duas partes: grande salão e área externa, onde está o bar.

Restaurante Designer de Interiores Maurem Françoise

Foto Ricardo Lima

Studio Tecnológico Arquiteto Victor Tomé

Foto Ricardo Lima

72

Com 55 metros quadrados, o “Studio Tecnológico” foi elaborado pelo arquiteto Victor Tomé, que marcará presença na Casa Cor Goiás pela 2ª vez. O ambiente é amplo e traz as obras de arte de Siron Franco, Ana Maria Pacheco e Marcelo Solá. As cores predominantes são branco, cinza e preto, em uma referência à modernidade, tecnologia e sofisticação. O ambiente traz praticidade e aconchego, aliados à tecnologia.


73


74


75


Foto Ricardo Lima

Morar Mais

2010 Por Kamilla Freire

76


O chique que cabe no bolso

Em sua terceira edição, a mostra Morar Mais retrata a brasilidade com inovações e tecnologias avançadas, inclusão social e, é claro, sustentabilidade. O evento, que começou em 7 de abril e terminará no próximo dia 15 de maio, reúne 35 ambientes com ideias criativas e acessíveis. O espaço escolhido foi uma casa de 1,6 mil metros quadrados, no tradicional “corredor de decoração” de Goiânia: a Avenida 90, Setor Sul. Para valorizar e resgatar a cultura brasileira, os estrangeirismos

- como “lounge”, “living”, “loft”, “closet” e “home-theater” – foi substituídos por expressões brasileiras, tais como: sala da família, cinema, quarto de vestir, sala de estar. Após implantarem, na prática, os conceitos da mostra com soluções sustentáveis, como a racionalização da água e de energia elétrica, os arquitetos também promovem a utilização de materiais certificados e alternativos. Tudo para reduzir, reaproveitar e reciclar peças, privilegiando sempre o conforto.

77


Foto Ricardo Lima

Cozinha Tânia Franco e Willian Hanna

Praticidade, modernidade, economia e aconchego são os ingredientes da cozinha Dellanno. Com 36 metros quadrados, o ambiente foi projetado pelos arquitetos Tânia Franco e Willian Hanna. O destaque ficou com a mesa Saarinen, em estilo Luís XV, com pendentes artesanais produzidos por artesãs mineiras.

78


79


Foto Ricardo Lima

Cinema da Família Brunno Silva Marcilene, Kely Roberta Cardoso e Rita de Castro

Foto Ricardo Lima

O quarto dos trigêmeos ficou a cargo do designer de interiores Robledo Cássio da Costa e das estudantes de Arquitetura Lara Rubia Gomides e Raquel Ribeiro Matos. O trio priorizou um trabalho voltado à ergonomia e antropometria. O espaço de 32 metros quadrados apresentou um mix entre o sofisticado, o sustentável e o funcional. O quarto é integrado em estar, brincar e descansar de forma ampla e arejada.

Quarto dos trigêmeos Robledo Cássio da Costa, Lara Rubia Gomides e Raquel Ribeiro Matos

80


O espaço “Cinema da Família” foi reformulado a partir de uma sala de auditório de 60 metros quadrados. O ambiente foi projetado por Brunno Silva Marcilene, Kely Roberta Cardoso e Rita de Castro. O destaque está à frente deste ambiente, onde foram colocado dois painéis de vidro laminado em bronze e, entre eles, um telão retrátil, além de todo o equipamento de áudio e vídeo.

O ambiente concebido pelas arquitetas Naira de Sá e Tacielly Mota une a cor, iluminação e layout. A dupla cuidou de cada detalhe ao criar o ambiente, onde predominam cores e materiais, que traduzem conforto, aconchego, sustentabilidade e sofisticação. Destaque para os bancos de madeira de demolição, que servem de apoio para revistas e livros.

Estar do Restaurante Naira de Sá e Tacielly Mota

Foto Ricardo Lima

81


Para compor os 60 metros quadrados do ambiente, o arquiteto Ivan Grande trouxe informações visuais clássicas, aliadas às composições de elementos contemporâneos minimalistas. A decoração expressa a dualidade entre os elementos estéticos da época colonial brasileira. Destaque para a pedra tipo quartzito exótico na área de piso.

Sala de estar

Foto Ricardo Lima

Ivan Grande

Quarto do casal Ana Cíntia Lopes, Patrícia Domingues e Sílvia Síris

Foto Ricardo Lima

82

Foi para sair do convencional, utilizando algumas alternativas viáveis para minimizar os custos, que as arquitetas Ana Cínthia Lopes, Patrícia Domingues e Sílvia Síris projetaram o quarto do casal. O ambiente mescla o estilo rústico com o sofisticado, aliando-o à praticidade e funcionalidade, em 43 metros quadrados. O objetivo foi aliar um pouco do estilo delas, ao ambiente, com a criação de peças exclusivas.


84


ANTIQUÁRIO FAMILIA REAL por Kezinha de Carvalho

Quadro La danse a Ville : Belíssima cópia do pintor Pierre August Renoir (1841 a 1919). Veio dos Estados Unidos para o Brasil em 2007.

Luminária romana: Linda estátua dourada de 1937, com suporte também em dourado e topo de apoio em mármore original da mesma peça.

Toucador antigo: Feito com mármore original de 1919, pertenceu a três gerações da família Souza Marques Morais.

Aparador da década de Luiz XV: Entalhado a mão, originário de Minas Gerais e com puxadores da mesma época.

Armário canadense: Feito à mão com arte muito rara, colagem de pequenas peças de madeira, artisticamente distribuídas em toda frente do móvel. É peça única no mundo, pois foi criada pelos antigos proprietários, em 1925.

Antiquario Familia Real Fone: (62) 3092-1188

86


BRASÍLIA: PATRIMÔNIO DA NAÇÃO

CARREGANDO UM LEGADO ARQUITETÔNICO RECONHECIDO EM TODAS AS PARTES DO MUNDO, A CAPITAL DO PAÍS NUNCA SAI DE MODA Por Kamilla Freire


Foto Berenice Abud

“Acabo de promoter que sim. Se for eleito, construirei a nova capital e farei a mudança da sede do governo”. Com estas palavras, o então candidato a presidente da República Juscelino Kubitschek proferiu seu primeiro discurso, durante comício realizado na cidade Jataí, Estado de Goiás. Promessa feita e cumprida, após ocupar o maior cargo político-administrativo do País. Em 4 de abril de 1955, o projeto de transferência da capital saiu da “gaveta”, conforme previsto desde a primeira Constituição brasileira (de 1891), para virar uma realidade cinco anos mais tarde. Em 2010, Brasília comemora 50 anos de existência, mostrando um pouco de sua riqueza arquitetônica. Antes disso, porém, vale lembrar que a cidade foi a única, construída no século 20, a ser agraciada com o ‘status’ de Patrimônio Cultural da Humanidade. O título foi concedido, em 1987, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco, na sigla em inglês). Neste sentido, citar Brasília, em quaisquer circunstâncias, é a mesma ‘coisa’ de falar no arquiteto Oscar Niemeyer. Isso porque o “grande mestre” brasileiro realizou um feito inédito: projetou a capital federal, que foi erguida do nada, em menos de quatro anos. Quando Kubitschek convidou o arquiteto para trabalhar na nova capital do País (antes, elas tinham sido Salvador e, por último, Rio de Janeiro), o desafio era construir um novo ‘monumentalismo’ que simbolizasse, ao mesmo tempo, uma sociedade jovem, ousada, moderna, dinâmica e de-

89


Foto Luiz Trazzi

mocrática. Desta forma, com seus traços marcantes e atraentes, Niemeyer construiu, em meio à poeira vermelha do Cerrado, os projetos que se tornariam, mais tarde, ícones da arquitetura mundial. O Palácio do Planalto, o Palácio da Alvorada, o Congresso Nacional, a Catedral, o Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Itamaraty são algumas das obras idealizadas por ele. Todas possuem desenhos chamativos, elegantes, porém simples, que até hoje flutuam no imaginário de todos que moram e/ou visitam Brasília. Seu estilo de arquitetura é admirado

por vários profissionais, desde os mais ingênuos até os mais exigentes. Isso porque Niemeyer construiu uma ponte entre suas obras e as pessoas: é inevitável não perceber tal ligação, mesmos para aqueles que se dizem indiferentes à sua genialidade arquitetônica. Inegavelmente, o arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer possui um talento nato, polido por um longo processo de formação e ampla cultura. Seus projetos impõem admiração, respeito e carinho, principalmente porque fazem parte da história do início da aventura brasiliense.

CONGRESSO NACIONAL Com um simples olhar, o Congresso Nacional pode ser reconhecido, imediatamente, por todos os brasileiros que moram e/ ou visitam Brasília.

Foto Robson Cesco


Foto Luiz Trazzi

CATEDRAL

PALÁCIO DO PLANALTO

Foto Luiz Trazzi

Oficialmente é conhecido como Palácio dos Despachos, o prédio abriga o Gabinete Presidencial, a Casa Civil, a Secretaria Geral e o Gabinete de Segurança. Localizado na Praça dos Três Poderes foi um dos primeiros edifícios construídos na capital. Sua arquitetura é marcada pela sin-

Na entrada da Catedral de Brasília foi construída uma rampa, que desce em um túnel negro. O espaço agrada aos olhos atentos pela leveza de sua estrutura, que ainda traz uma iluminação naturalmente clara.

geleza de suas linhas, com predominância dos traços horizontais. As curvas e retas combinam-se de forma a conferir ao prédio uma plasticidade marcante e requintada. As colunas conseguem o efeito desejado por Oscar Niemeyer, de serem “leves como penas pousando no chão”.


Com arquitetura complexa, o Palácio do Itamaraty foi contemplado com o paisagismo de Roberto Burle Marx e com as obras dos artistas Athos Bulcão, Bruno Giorgi, Maria Martins, dentre outros. Seus imensos espaços são estruturalmente ousados, com iluminação e ventilação naturais. Seus acabamentos deslumbrantes reúnem desde o concreto aparente até os melhores materiais. A escadaria curva da entrada, no interior do prédio, está entre as mais belas do século 20.

Foto Raimundo Alves

PALÁCIO DO ITAMARATY

PONTE JK

A Ponte Juscelino Kubitschek foi inaugurada em dezembro de 2002 e possui 1200 metros de travessia. O mais novo cartão postal de Brasília foi projetado pelo arquiteto Alexandre Chan, por este projeto recebeu em 2003 a Medalha Gustav Lindenthal, outorgada pela Sociedade dos Engenheiros do Estado da Pensilvânia, Estados Unidos. A ponte é considerada uma das mais belas do mundo,

com seus três arcos assimétricos inspirados “pelo movimento de uma pedra quicando sobre o espelho d’água”, a ponte é única no mundo comparável em forma, mas não em sistema estrutural. Sua beleza arquitetônica resultou num projeto estrutural de grande complexidade, mas é um luxuoso presente ao nível da monumentalidade com que Brasília foi projetada.

Foto Andre Bermak


SobreMESA JOGOS DE JANTAR FOGEM DAS PRATELEIRAS PARA COMPOR A SALA DE JANTAR, JUNTAMENTE COM A DECORAÇÃO Por Kamilla Freire

94

Com uma diversidade de composições, os jogos de jantar mudaram as formas e cores para atender às novidades no mercado de decoração de interiores. Sejam os tradicionais, quadrados ou ovais, eles se completam com os acessórios certos para compor um “jantar maravilhoso”. Seus utensílios podem ser distribuídos em jogos de 20, 24 e 42 peças, com necessidades que podem variar de acordo com a faixa etária do usuário. Marcia Baldan, proprietária de uma loja de utilidades para o lar, explica que, para cada etapa da vida, existe


Foto cedida por Casa Paris

uma busca diferenciada pelos utensílios. “Os jogos de jantar variam conforme a idade do usuário. Por exemplo, um casal mais jovem geralmente tem uma vida agitada. Por isso, seus utensílios devem ser mais úteis e com menos peças, ao contrário de uma família constituída, que normalmente precisa utilizar mais de um jogo de jantar”, explica. Segundo Marcia, mais uma vez as tendências apontam para as peças de porcelana em tons pastel e branco, com estampas coloridas e florais. “O clima trouxe cores alegres aos jogos, mas não deixou de trazer os mais tradicionais, em porcelana branca, com poucos detalhes para serem usados em ocasiões especiais”, ressalta. Compostos por pratos fundos, rasos e de sobremesas, xícaras e pires de chá – e alguns com xícaras e pires de café –, os jogos de jantar podem vir em porcelana, mais tradicionais, ou cerâmicas, mais rústicos. Os jogos de boa qualidade são resistentes ao forno micro-ondas e à máquina de lavar louças. Para completar a mesa, alguns itens são indispensáveis como os “sousplat”, que podem ser de rattan ou inox. O rattan é usado no dia-adia, pois possuem mais cores, são

mais rústicos e menos formais. Já os de inox, que são utilizados durante a noite e em ocasiões especiais, são peças “coringas” e não saem de moda. Outra tendência é substituir as pesadas toalhas de mesa por trilho ou jogos americanos. Estes são práticos, fáceis de lavar, valorizam a louça e, ao mesmo tempo, não escondem a mesa. Os guardanapos de tecidos compostos não passam despercebidos. Podem ser coloridos e vir acompanhados com um porta-guardanapo mais moderno e cheio de estilo, que vai desde rústico em rattan e palha ao mais trabalhado, por exemplo, em pedraria. Os talheres, por sua vez, não saem da linha e também devem ser bem escolhidos. Os de aço escovado estão em alta, pois dão um ar sofisticado e “clean”. Um bom jogo de jantar pode ter “personalidade marcante”, mostrando características próprias de seus proprietários. A decoração deve combinar facilmente com outros acessórios, mantendo sempre a graça e o toque especial na preparação da mesa. Saladeiras de Porcelana, molheiras graciosas, rechauds refratários brancos ou no vidro com inox também complementam uma bela mesa.

95


96


FERRA


AGISTA


integração

total UM NOVO CONCEITO DE LIVING VEM PROPORCIONANDO MELHOR LAZER, ATÉ MESMO PARA PEQUENOS APARTAMENTOS Por Kamilla Freire

Foto por + foto no Park House Flamboyant da OPUS Inteligência Construtiva


Na busca por um novo lar, a palavra da moda é integração. Isso porque, atualmente, as pessoas têm procurado se integrar mais ao espaço onde vivem, mesmo que seja em um pequeno ambiente. Afinal, quem não quer morar bem e ainda receber seus convidados com certo charme e requinte? Para atender ao conceito, a varanda “outliving” está presente em quase todos os novos projetos imobiliários. Segundo a arquiteta Ana Maria Miller, a ideia surgiu da necessidade de convivência. “Esta integração vem se consolidando em Goiânia, há cerca de


Foto por + foto no Maison Autentique da Brookfield Incorporações

102

cinco anos, mas com uma ressalva: antigamente apenas as residências tinham este privilégio”, conta. Com o passar do tempo, os apartamentos foram se adaptando para se integrarem ao novo conceito. Hoje, as grandes construtoras já trabalham com projetos de apartamentos que unem todos os ambientes sociais, que vão desde a sala de estar, jantar, cozinha até a varanda. Neste último caso, o diferencial fica por conta do espaço “gourmet”. Um item indispensável deste ambiente, como o próprio nome sugere, é a churrasqueira. “Na verdade, antes o espaço ‘gourmet’ era chamado somente de churrasqueira. Mas, agora, recebe o novo nome porque o morador prepara, de forma mais sofisticada, a refeição. Esta, por sua vez, é servida de maneira especial aos seus convidados”, esclarece Ana Maria Miller. Diante do novo contexto, até a área da piscina mudou. Agora, seu projeto requer mais cuidado.

“A atenção à piscina está maior, porque ela deixou de ser apenas um elemento coadjuvante da casa, passando a ser o ‘lavabo’ da área externa”, comenta a arquiteta. O projeto destas novas áreas requer um requinte especial. E esta mordomia de piscina também pode ser encontrada nas varandas mais sofisticadas dos apartamentos. Para a composição dos espaços da mesa de jantar, sofás e bancadas, móveis de madeira de demolição são itens indispensáveis para a varanda. Segundo Ana Maria Miller, atualmente a sala de estar não é tão mais importante do que a varanda. “O anfitrião da casa já não recebe mais a visita na sala de estar e, sim, na varanda”, justifica. Por isso, o conceito que proporciona maior visibilidade dos ambientes e melhor recepção aos convidados pode ser encontrado em todos os novos empreendimentos, já que é possível reunir tudo em um espaço integrado e agradável.


Foto por + foto no Maison Autentique da Brookfield Incorporações

Foto por + foto no Vanguard da GPL Engenharia


104


Foto por + foto no Park House Flamboyant da OPUS Inteligência Construtiva

Mais que um

Office BASE DE UM TRABALHO BEM REALIZADO, O ESCRITÓRIO PODE SE TORNAR UM CARTÃO DE VISITAS PARA QUEM TRABALHA OU FREQUENTA O LOCAL

Por Kamilla Freire


Foto por + foto no The Prime da Brookfield Incorporações

A decoração dos escritórios é um fator fundamental para a apresentação de um bom local de trabalho. Projetos de ambientação vêm sendo cada vez mais importantes para que fique agradável e, principalmente, dê um impacto na economia operacional de uma empresa. Atualmente, o escritório é muito representativo, permitindo que as pessoas desenvolvam seus trabalhos com mais motivação e produtividade. Seu projeto deve sempre privilegiar espaço e conforto, sem perder sua beleza e eficiência, assim como explica o arquiteto Daniel di Rezende. “A

primeira característica para um bom escritório é a funcionalidade, depois a estética. Não adianta ser um lugar bonito, mas com difícil acesso aos instrumentos de trabalho”, destaca. Neste contexto, algumas empresas optam por trabalhar com divisórias que economizam espaço e dão muito charme ao ambiente. Por meio da decoração do escritório, o perfil delas é apresentado aos clientes. O básico é apostar no moderno e “clean”, composto por elementos, conforme o próprio gosto do empresário. No momento, a tendência volta-se para o uso de materiais

109


Foto por + foto no The Prime da Brookfield Incorporações

reciclados, certificados e reaproveitados, como fibras naturais e madeiras de reflorestamento. “Aposto na modernidade aliada à ecologia para decorar um escritório. Isso está sendo bastante utilizado, trazendo um toque “retrô”. Fica muito bonito”, afirma Daniel di Rezende. A recepção é outro espaço que deve ser bem aproveitado e decorado para receber aqueles que vão esperar para serem atendidos. O ideal é usar poltronas individuais. Se não for possível, procure relacionar o fluxo de pessoas com a quantidade de móveis: tudo para proporcionar o melhor ambiente para quem visita ou trabalha em um escritório.


Foto Renato Stockler

FLEXIBILIDADE

Foto Renato Stockler


Foto Renato Stockler

112

O projeto da arquiteta paulista Betty Birger, idealizado para a Organização Odebrecht, traz a funcionalidade, a padronização de materiais e a integração entre os ambientes, criando uma linguagem sóbria para o escritório. Há 15 anos, ela desenvolve projetos de interiores para a entidade empresarial mencionada. Este, em especial, ocupa sete pavimentos de um edifício em São Paulo e atende às demandas de cada empresa do grupo. Parte do projeto foi desenvolvida para o planejamento de divisórias com forros, que compatibilizam os vãos, o que permitiu a reconfiguração de salas, sem comprometer a “paginação”, por exemplo, das luminárias. Esta modulação é a base para a flexibilidade dos espaços, que podem ser modificados sem a perda de ma-

terial. Seu “layout” está apoiado no funcionamento de divisórias basculantes, por meio do mecanismo de acumulação, permitindo que ora dividam ambientes ora os integrem em uma grande sala. Focando na necessidade de obter espaços funcionais e na padronização enxuta dos materiais, para a finalização de seu projeto, Betty Birger utilizou madeira com acabamento marfim, vidro e carpete randômico em azul escuro e detalhes em vermelho. Em mais de 10 mil metros quadrados de área privada, o destaque ficou por conta das áreas envidraçadas, principalmente das salas de recepção e dos núcleos comunitários de reuniões. O projeto, por fim, aproveitou a iluminação natural ao máximo e ainda privilegiou ângulos com vistas para alguns pontos da cidade de São Paulo.


ESPAÇO DO CHEF

Chef Ingredientes

Carla Tamyrys 1 kg de file de pintado Qb de pimenta de cheiro Qb de pimenta do reino Qb de sal Sálvia 1 maço de coentro 1 limão 200g de creme de pequi 250g de creme cheese 3 cebolas médias 300g de vinho branco seco Manteiga de leite 300g de coco de macaúba triturado

Renomada chef do Gout Buffet, Carla Tamyrys tem amor pela gastronomia, paixão que surgiu logo na infância. Todo alimento a faz pensar em uma preparação grandiosa. Conhecedora de muitos conceitos da cozinha mundial, nesta edição Carla ensina um prato ligado aos prazeres da mesa goiana, rústico e com matéria prima encontrada em várias regiões do Brasil. Uma preparação simples e muito apreciada.

Preparo Misture a pimenta de cheiro, pimenta do reino, sal, limão, 150g (metade) de vinho branco seco, coentro, cebola e sálvia. Bata no liquidificador. Coloque este tempero em um recipiente. Deixe o filé do pintado marinando por 3 horas. Depois grelhe em manteiga de leite, no fundo formado na panela. Adicione a castanha de macaúba triturada, chegando ao ponto de farofa. Escorra o óleo formado e leve ao prato. Para o Molho aveludado de pequi: Coloque em uma panela, manteiga, alho, cebola e deixe dourar. Adicione o restante do vinho branco (150g) e deixe reduzir. Adicione o creme de pequi, creme cheese e o leite. Deixe encorpar.

* Utensílios indispensáveis para esta receita: fuet, faca chef, espátula, pinça, processador, frigideira, pincel, liquidificador, placa de corte e moedor de pimentas.


ESPAÇO DI FESTA VILLA FLOR

VillaFlor A VILLA FLOR É A EMPRESA MAIS NOVA E MAIS CONHECIDA DO MERCADO DE FESTAS E EVENTOS! Por Villa Flor

Festas criativas! Festas inesquecíveis! Festas sofisticadas! Esses são alguns dos elogios que os meninos da Villa recebem: Alessandro Gemus e Rodrigo Menezes; jovens empresários de um mercado competitivo que a cada dia exigem mais dos profissionais de eventos. Se eles descobriram a fórmula do sucesso? Sim! Com certeza! Atendimento personalizado, criatividade e preço justo!

120

A Villa Flor oferece ambientações e arranjos impecáveis, onde o colorido das flores se destaca entre o movimento de cipós... e quando menos espera, algo surpreende pelo bom gosto e originalidade. O atendimento é feito com hora marcada, e a Villa elabora um projeto personalizado que se encaixa perfeitamente com as necessidades dos clientes.


A Villa Flor também elabora bouquets e arranjos diferenciados diariamente em sua sede, em que as flores são acondicionadas em câmara fria, recebendo tratamento para prolongar sua durabilidade. Os bouquets são elaborados por designers floral, e são embalados em caixas e com laços de gazar e broches de cristal. Um verdadeiro Luxo aos olhos de quem recebe! Muita estrada ainda tem pela frente, e hoje a equipe da Villa é formada por mais de 12 funcionários preparados para fazer eventos inesquecíveis! A Villa Flor se encontra na Alameda Ricardo Paranhos n. 425 – setor marista – (62) 3541-0063. www.villaflordecoracoe.com.br

121


122


123


Inauguração Loja Bentec

1

2 3

4

1-

Danilo de Freitas Chistianne Fonseca

2-

Dayanne Lorenzetti Marina Uchôa

3-

Marcus Vinícius de Faria Marcus Vinícius de Queiroz

4-

Elaine Saliba André De Assis Tatiana Borges

5-

Eliane Martins Pedro Paulo Vanessa Chaveiro

6-

Eracilda Santana Janaína Mendonça

7-

Natália Veloso Karine Espirito Santo Ana Paula Munhoz

8-

Ivan Grande Denise Oliveira

9-

Irma Leão Flávio Leão Rabelo

6 5

8 7 9

10 - Maria Célia Wanessa Clara

11

11 - Marcilio Lemos Vanessa Chaveiro

10

Nova loja Plissé

12

12 - Rosangela Dias Eriston Troncha Fátima Giaffredo 13 - Fátima Giaffredo André Brandão Márcia Varizo Rosangela Dias

14

14 - Rosangela Dias Ednara Braga Sebastião Damasceno Fátima Giaffredo

13

15 - Rosangela Dias Leandra Castro Pedro Ernesto Fátima Giaffredo Cida e Euclides Marcante

15

8 18

16

16 - Ludmila Amaral Doriselma Mariotto Fátima Giaffredo Rosangela Dias

17

17

17 - Eriston Troncha Cláudia Ducati Márcia Albieri Fátima Giaffredo Rosangela Dias Regina Amaral 18 - Eriston Troncha Rosangela Dias Sanderson Porto Fátima Giaffredo Ana Paula Nova loja Silvia Heringer

19 18 20

11

21

19 - Hellen Cologeropoulos Jorge Perillo 20 - Alexandre Milhomem 21 - Kelly Heringer Sílvia Helena Heringer Júlio Nasser Jales Heringer 22 - Marina


22

24

23

by Ricardo Lima

27

26

25

Contato: (62) 8135-4424 ricardolimafoto@hotmail.com

23 - Sílvia Heringer Ednara Braga 24 - Sílvia Heringer Alexandre Milhomem 25 - Nelsa Baiocchi Dandreia Baiocchi

28

29

26 - Raquel Lopes Vivian Valentin Camila Oliveira Evento Versato

30

27 - Horácio Carlini Márcia Simonsen Eduardo Jacinto 28 - Ana Paula Sanderson Porto

31

32

33

29 - Edmara Cavalcante Hilberto Santana 30 - Rimene Amaral Regina Amaral Ludmila Amaral 31 - Flávio Paraguassu Rayner Rich 32 - Juliana Tavares Camila Oliveira 33 - Egina Queiroz Luana Masano Adriane Conti

36

35

34

34 - Augusto Tomé Júnior Roriz Camila Braga 35 - Israel Braga Dayanne Lorenzetti Morar Mais 2010 36 - Madalena Morais Soraia Prates Sérgio Marques

40

39

37 - Carlos José Robledo Cássio 38 - Roberto Lima Vanessa Lima 39 - Tacielly Mota Náira de Sá

37

38

40 - Tânia Franco William Hanna Leila Franco 41 - Alê Kostik

41

44 42

42 - Maria Puresa Ivana Arantes Nayara Lima 43 - Eliani Ribeiro Flávio Vasco 44 - Marcelo Peixoto Luciana Oliveira

43


2

3

1

4

5

EVENTO XXXX 1 - Mariana Rios 2-

Kalino e Adayse

3-

Ana Frantz Daniela Portela

4-

Amanda e Marcelo Bravo, Camila e Pedro Roriz

5-

Alexandre e PatrĂ­cia Fregonesi

6-

Filomena Aires e Carolina Tolentino

7-

Adriane Fleury e Tiago Costa

8-

Aline Rassi

9-

Paula, Rosana Renato Bittencourt

8

7 6

11

10 - Mariele, Diordio Mariana Bandeira

10

11 - Ana Luiza Costa Laila Trinchete

9

12 - Renata, Adriana Barbosa, Marcela Honorato e Alessandra Barbosa 13 - Rid-Idem e Nicolas Machado 14 - Leandra Zaiden e Eugenio 15 - Andressa Brito

13

16 - Tereza Ibiapina Edna Agnolim 17 - Jaciara Barros

14

18 - Monaliza Lagares Roberio Rabelo

12

19 - Igor e Ariele Rose 20 - Rosana e Pedro Ivo

15

16

18

ncourt

by AndrĂŠia Bitte

andreiaviana@hotmail.com

17

19

20


Revista Di Casa Nº 10  

Revista Di Casa Nº 10

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you