Page 1

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA EDIÇÃO 41 - ANO 7 - Novembro 2015

‘‘Testemunha da história’’

63 anos


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Carta aos Leitores Circulação

Após desfrutar do enorme sucesso alcançado em nossas edições anteriores, elaborar a edição especial de Or gueira foi um grande e prazeroso desafio. Falar de Or gueira sem demonstrar reconceitos e nem crenças pessoais, esclarecendo, formando e informando, foi nossa meta ao escrever cada linha desta edição, que traz como tema principal a história deste importante município que tanto representa para o Paraná e o Brasil. Nossos agradecimentos aos colaboradores não mediram esforços para que fizéssemos um trabalho sério e competente. Agradecemos também aos nossos patrocinadores que acreditaram no sucesso da Revista Destak do Paraná. Finalizando: É com grande prazer que convido a todos para um mergulho nas páginas seguintes. Uma ó ma leitura a todos! O Editor.

Gratuita e dirigida aos empresários patrocinadores do comércio local, escolas, sindicatos, coopera vas, órgãos públicos e associações comerciais.

Expediente Diretor Geral: Paulo R. Jorge Comercial: 43 8813 1611 (Claro) | 43 9638 9020 (Tim) Editoração: Vidatech Impressão: Idealiza Revista Destak do Paraná CNPJ Nº 12.317.948/0001-54 e CMC nº 179220-2 Email: redestak@hotmail.com Rua Mato Grosso, 144 sala 201 - Londrina - PR

Agradecimentos Prefeitura Municipal de Or gueira, Depto. de Cultura, Depto. de Esportes, Depto. de Tributação, Depto. de Comércio, Industria e Turismo, Casa Paroquial (Cavanis), Biblioteca Cidadã Milton J. da Silva Ribas, Foto Novo e Vânia Mara Macedo Grilo.

As opiniões e ar gos assinados não apresentam necessariamente a opinião da revista, sendo de total responsabilidade de seus autores.

03


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

A COLONIZAÇÃO DOS CAMPOS GERAIS O Tropeirismo O Paraná foi mapeado por homens e animais entre os séculos XVI e XIX, medido passo a passo pelas tropas, seguindo o cincerro da égua madrinha e os gritos dos tropeiros que ainda ecoam na memória dos moradores mais an gos. O Estado ainda pertencia ao governo de São Paulo, quando as tropas cruzavam estas terras em direção à cidade de Sorocaba, levando os muares e o gado gaúcho para vender aos fazendeiros de café no Estado de São Paulo. Durante as viagens os tropeiros paravam para descansar e se alimentar em lugares chamados de “ranchos de pouso”, de onde foram surgindo alguns povoados que depois se transformaram em cidades como a Lapa, Castro, Jaguariaíva, São José da Boa Vista e Ponta Grossa entre outras.

Ao final do século XIX, nos Campos Gerais destacavam-se muitas fazendas organizadas para o aluguel, onde em épocas de invernada as tropas usavam para descansar o gado, para que ganhasse peso e seguir adiante em longa caminhada até a feira de Sorocaba. O tropeirismo sulino alcançou em meados do século XIX, grande prosperidade por se destacar como fator principal do desenvolvimento Monumento ao Tropeirismo - Poty Lazzarotto econômico do país. A vida tropeira deixou marcas em Ponta Grossa e suas ruas, monumentos, em sua gente, e na sua história. Somos herdeiros desses homens que desbravaram essas terras, e nos colocou na rota da história que jamais será esquecida. Fonte: Editoria local

04


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Ortigueira e suas origens De Povoado à Distrito Por volta de 1900, Adolfo Alves de Souza, Domiciano Cordeiro dos Santos e Marcílio Rodrigues de Almeida, procedentes do Distrito de Socavão, no Município de Castro/PR, instalaram-se num outeiro (morro) chamado Monjolinho, junto a uma caravana de sertanejos. Formaram ali um pequeno Povoado, em terras pertencentes ao Município de Tibagi. Na região existia um espesso taquaral seco, em uma área de aproximadamente 300 alqueires de terra. O taquaral foi queimado pelos pioneiros e a Povoação passou a ser conhecida como Queimadas. As terras eram férteis e exuberantes e

atraíram outras pessoas à nova Povoação, entre elas Isidoro da Rocha Pinto, Manoel Teixeira Guimarães, Salvador Donato e Francisco Barbosa de Macedo, completando assim o quadro de primeiros habitantes de "Queimadas". Pela Lei Estadual nº 2030, de 12 de março de 1921, foi criado o Distrito Judiciário de Queimadas, no Município de Tibagi. Ao ser elevado à categoria de Distrito Administrativo em 1943, no Município de Tibagi, Queimadas teve sua denominação alterada para Ortigueira. Isso ocorreu porque no Estado da Bahia, já havia outra localidade com o nome de Queimadas. Fonte: Site Prefeitura

05


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

FUNDAÇÃO DO MUNICÍPIO De Distrito à Cidade Em 1951, Ortigueira passou a município, com o território desmembrado de Tibagi e acrescido de parte do território do Município de Reserva.

no dia 06 de novembro de 1 952 com a disputa eleitoral entre dois candidatos, Francisco Sady de Brito e Antônio Justus. O resultado desta disputa ficou registrado na história. Sady de Brito venceu com 1 024 votos contra os 908 de Antônio Justus, figura ilustre que contribuiu demasiadamente com o progresso do recém criado município de Ortigueira, deixando o seu nome gravado na história da cidade. A instalação do município foi realizado em festa solene no dia 14 de dezembro de 1 952, com a posse dos integrantes da Câmara Municipal de Vereadores e do prefeito eleito, com toda a pompa de que dispunham àquela época.

A transformação do povoado à Distrito dos mais populosos e progressistas, despertou a intenção de lideranças políticas e da população local para a elevação do recém criado Distrito a sua Emancipação Política e Administrativa. Com o empenho das lideranças políticas da época, isso foi conseguido através do Decreto Estadual nº 790 de 14 de novembro de 1 951, com o desmembramento, parte do município de Tibagi e outra parte do município de Reserva. A primeira eleição foi realizada

Fonte: Site Prefeitura

06


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

ETIMOLOGIA

Ortigueira é uma palavra derivada do termo “urtiga” originária do latim (urtica), que designa inúmeras plantas da família urticáceas cujas folhas são cobertas de finos pelos, que produzem ardor irritante em contato com a pele, graças a ação do ácido fórmico que elas contém.

A cidade que no início se chamava Queimadas, teve o nome alterado para Ortigueira em virtude de haver outro município no Estado da Bahia com aquele nome. A mudança do nome se deu através do Decreto-Lei nº 199 de 30/12/1 943. Fonte: Site Prefeitura

07


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

A COLONIZAÇÃO ESTRANGEIRA A Primeira Grande Guerra obrigou várias famílias a abandonar os seus países de origem, em busca de novas oportunidades em novas terras. O que fez com que muitos europeus se lançassem ao mar em busca do novo mundo, para fugirem da escravidão servil que as guerras provocam. Assim sendo, povos de todos os con nentes aportaram em terras brasileiras em busca de novas oportunidades, assim o Brasil se tornou a terra das oportunidades. Várias famílias oriundas de várias partes da Europa adquiriram lotes nessas terras, em várias colônias proporcionando assim um grupo bastante grande de alemães, holandeses, russos e principalmente de ucranianos, que vieram se instalar nos limites do município. No início não foi fácil a adaptação das colônias, as dificuldades eram enormes, a temperatura adversa, o despreparo para sobreviver as

condições da mata virgem, repletas de animais selvagens, insetos e doenças silvestres, que dizimavam famílias inteiras. E para piorar o país vivia um conflito polí co como a Revolução Cons tucionalista, que dificultava o escoamento de mercadorias e dos meios de subsistência, ao ponto de ao invés de prosperar, algumas colônias sucumbiram e não prosperaram. Apesar de todas as adversidades, muitas famílias que lutaram contra as dificuldades permaneceram na terra de tantas promessas, aos poucos foram chegando outras famílias de outros países, e de outras regiões do Brasil, para juntas transformarem aquela pequena comunidade em uma cidade, que hoje é um exemplo e orgulho para o Paraná e o Brasil. Fonte: Site Prefeitura

08


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

COLôNIAS, DISTRITOS preponderante no desenvolvimento da cidade e dista à 10 Km ao sul da sede administrativa. Possui também vários Distritos Judiciários sendo: Distrito do Lageado Bonito: fundado em 1 915, era ocupado por extrativistas de diamante desde 1 900. Distrito do Monjolinho: instalado em 17/03/1 928, pelo Dec. nº 2511 Distrito do Natingui: instalado em 09/04/1 928, pelo Dec. nº 271 Distrito do Barreiro: instalado em 14/11/1 957.

O município de Ortigueira, que detém atualmente o terceiro lugar em extensão territorial do Estado do Paraná e esta localizado no segundo planalto Paranaense e possui várias colônias de assentamentos que integram o seu território: Colônia Ucraniana do Caetê uma das maiores e também a mais antiga. Ocupada pelos ucranianos, teve sua fase áurea de desenvolvimento por volta de 1 921, e esta distante 20 Km à Oeste da sede do município. Colônia Augusta Vitória colonizada pelos alemães e seus descendentes, teve fator

foto igreja caete

Capela Nsa. Sra. do Carmo - Colônia Augusta Vitória

Paróquia Nsa. Sra. do Perpétuo Socorro - Caetê

09


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

ALDEIAS INDÍGENAS CAINGANGUES (Áreas de Proteção ao Índio) A cidade de Ortigueira possui ainda duas áreas de proteção aos índios Caingangues, nativos da região, que vivem numa área de 1.774 alqueires, sobrevivendo da agricultura e da venda de artesanatos. Estão integrados à vida urbana e recebem assistência médica e orientação educacional, da

Prefeitura local e dos orgãos competentes, atendendo a todas as crianças em idade escolar. Sendo: Aldeia Mocóca; localizada a aproximadamente cinco Km dentro do perímetro urbano da cidade. Aldeia Queimadas; distante aproximadamente 50 km da sede do município.

10


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

SÍMBOLOS DO MUNICÍPIO BANDEIRA

Hino de Ortigueira Ortigueira, Ortigueira, O progresso é tua bandeira Ortigueira, Ortigueira, O progresso é tua bandeira Tens no solo uma imensa riqueza O teu povo não cansa em louvar (BIS) Tens milho, arroz e a beleza. Nesses campos do meu Paraná. Ortigueira, Ortigueira, O progresso é tua bandeira Ortigueira, Ortigueira, O progresso é tua bandeira A suinocultura é orgulho Das terras do Rio Tibagi (BIS) Do campo onde corre o Alonso Do chão que se espalha sem fim. Ortigueira, Ortigueira, O progresso é tua bandeira Ortigueira, Ortigueira, O progresso é tua bandeira Ortigueira pra sempre terás Um lugar bem guardado no peito (BIS) Desta gente de todo lugar Município progresso do centro do Paraná. Ortigueira, Ortigueira, O progresso é tua bandeira Ortigueira, Ortigueira, O progresso é tua bandeira.

BRASÃO

11


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

ASPÉCTOS GEOGRÁFICOS Características Gerais GEOGRAFIA O município de Ortigueira localiza-se na região dos Campos Gerais paranaense, sob a latitude 24°12'18"S e longitude 50°56'56"O. Sua sede municipal encontra-se a 760m de altitude, podendo chegar em bairros mais distantes à mais de 800m. Devido à sua localização (ao sul do Trópico de Capricórnio), no município de Ortigueira o clima subtropical é predominante. No verão, a instabilidade climática ocasionada pela atuação conjunta do calor e da umidade proporcionam tardes quentes, com termômetros registrando valores superiores aos 30°C, e significativa concentração de nuvens de chuva. O outono e a primavera são caracterizadas por estações de transição entre o calor do verão e o clima frio e seco do inverno; nesta época a temperatura é amena, entre 13-24°C. Já o inverno possui o frio intenso da madrugada, com céu claro, e o brilho singelo do sol nas tardes secas. Durante este período a umidade do ar é relativamente mais baixa do que em outras estações do ano; também as temperaturas ficam na casa dos 6-17°C.

12


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

ORGANIZAÇÃO POLÍTICA Indicadores

Aniversário14 de dezembro Fundação 1951 Gentílico ortigueirense Prefeito(a): Lourdes Banach (PPS) (2013–2016)

IDH-M0,620 médio PNUD/2010 PIB R$ 209 317,379 mil IBGE/2008 PIB per capita R$ 8 358,32 IBGE/2008

População estimada 2015 (1)23.418 População 201023.380 Área da unidade territorial (km²)2.429,564 Densidade demográfica (hab/km²)9,62 Código do Município4117305 Gentílicoortigueirense Prefeito LOURDES BANACH DEMOGRAFIA Dados do Censo - 2000 População total: 25.216 » Urbana: 8.363; » Rural: 16.853; » Homens: 13.098; » Mulheres: 12.118; » IDH-Municipal (IDH-M): 0,620 » IDH-Renda: 0,566 » IDH-Longevidade: 0,608 » IDH-Educação: 0,687 É banhado pelo Rio Tibagi ao leste.

13


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

GALERIA DE PREFEITOS

14


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

GALERIA DE PREFEITOS

15


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Padroeira do Município São Sebastião Ele teria chegado a Roma através de caravanas de migração lenta pelas costas do mar mediterrâneo, que na época era muito abundante de causa do mar mediterrâneo e o sahara e os dias não tão quente por causa da latitude em torno de 40°. De acordo com Actos apócrifos, atribuídos a Santo Ambrósio de Milão, Sebastião era um soldado que teria se alistado no exército romano por volta de 283 d.C. com a única intenção de afirmar o coração dos cristãos, enfraquecido diante das torturas. Era querido dos imperadores Diocleciano e Maximiano, que o queriam sempre próximo, ignorando tratar-se de um cristão e, por isso, o designaram capitão da sua guarda pessoal, a Guarda Pretoriana. Por volta de 286, a sua conduta branda para com os prisioneiros cristãos levou o imperador a julgá-lo sumariamente como traidor, tendo ordenado a sua execução por meio de flechas (que se tornaram símbolo constante na sua iconografia). Foi dado como morto e atirado no rio, porém, Sebastião não havia falecido. Encontrado e socorrido por Irene (Santa Irene), apresentou-se novamente diante de Diocleciano, que ordenou então que ele fosse espancado até a morte. Seu corpo foi jogado no esgoto público de Roma. Luciana (Santa Luciana, cujo dia é comemorado a 30 de Junho) resgatou seu corpo, limpou-o, e sepultou-o nas catacumbas

Av. Brasil, 1036 - Centro

16


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Paróquia São Sebastião

17


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

EXTIRPE ORTIGUEIRENSE NOSSAS ORIGENS

18


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

EXTIRPE ORTIGUEIRENSE NOSSAS ORIGENS

19


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

EXTIRPE ORTIGUEIRENSE NOSSAS ORIGENS

20


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

EXTIRPE ORTIGUEIRENSE NOSSAS ORIGENS

21


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

EXTIRPE ORTIGUEIRENSE NOSSAS ORIGENS

22


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

EXTIRPE ORTIGUEIRENSE NOSSAS ORIGENS

23


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Tunel do Tempo Revivendo o Passado

24


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Tunel do Tempo Revivendo o Passado

25


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Tunel do Tempo Revivendo o Passado

26


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Tunel do Tempo Revivendo o Passado

27


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Tunel do Tempo Revivendo o Passado

28


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Tunel do Tempo Revivendo o Passado

29


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

ORTIGUEIRA HOJE 63 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLITICA

30


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

ORTIGUEIRA HOJE 63 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLITICA

31


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Comércio diamantes na região, já localizou uma rica jazida de carvão antracitoso calculado para abastecer a região sul do Brasil por um período de quinze anos aproximadamente. Há também várias minas de calcário, uma delas distante apenas três quilômetros da sede do município. Sabe-se da existência de jazidas de cerâmica dura, branca e translúcida, para a produção de porcelana. Além de muitos outros tipos de minérios encontrados em seu subsolo. A Copel projetou a instalação de duas usinas hidrelétricas, usando o Rio Tibagi, sendo que uma delas já esta em operação.

A economia de Ortigueira esta baseada na agropecuária. O município possui aproximadamente 200.000 (duzentos mil) cabeças de bovinos e 12.000 (doze mil) bubalinos, sendo os dois maiores rebanhos do Paraná. Devido à qualidade do solo e aos preços do mercado internacional, a plantação de soja já e de aproximadamente dez mil alqueires em toda a sua extensão. A indústria cerâmica embora em declínio, produzem cerca de cinco milhões de tijolos de seis furos por mês, empregando em torno de 300 trabalhadores. A Mineropar que explora minas de

32


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Apicultura Apomel

Ortigueira é considerada a "Capital Paranaense do Mel". Em 2010 o IBGE divulgou dados que confirmam a vocação da apicultura no município, sendo o maior produtor de mel do Paraná e o segundo no Brasil, com aproximadamente 10% da produção estadual.

A associação utiliza tecnologia e inovação no setor apícola para agregar valor aos produtos e buscar em 2013 a Indicação Geográfica, sendo que esta poderá ser a primeira Denominação de Origem concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial INPI, para o produto mel (APIS melífera) no Brasil, pedido este, protocolado no dia 08 de maio deste ano. Esta estratégia visa resguardar as características relacionadas ao terroir da localidade, bem como as notoriedades históricas e qualitativa do setor. Consequentemente existe um alto potencial de valorização do produto e de reconhecimento da Região como referência em produção de produtos apícolas.

“Come mel, filho meu, porque é bom, e do favo do mel, que é doce ao teu paladar.”

Fonte: Apomel

Provérbios 24:13

33


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

PROJETO PUMA-KLABIN Um Salto Para o Futuro emprega mão de obra qualificada, estão sendo geradas aproximadamente 7 mil empregos diretos e indiretos com trabalhadores do município e da região. Para isso, estão sendo desenvolvidos programas de capacitação e treinamento junto aos órgãos e parceiros competentes no município. Quando estiver em operação serão criados em torno de 1.500 empregos fixos de trabalho na área industrial e florestal, causando uma revolução industrial, gerando divisas e riquezas para Ortigueira e o Paraná. Fonte: Editoria Local

PROJETO PUMA Consiste na construção da nova unidade da Klabin-Celulose, uma fábrica moderna com capacidade para produzir cerca de 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano. A nova fábrica que será auto suficiente na geração de energia elétrica, produzindo inicialmente 260 MW, o suficiente para abastecer uma cidade de 1 milhão de habitantes. O uso de modernas tecnologias fará com que seja considerada uma das mais sustentáveis do mundo. Na construção que

34


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

PROJETO PUMA-KLABIN Um Salto Para o Futuro

35


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Cultura e Lazer

36


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Turismo

37


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Esportes em Destaque

38


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Esportes em Destaque

39


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

PRODÍGIO DA BATERIA EM DESTAQUE De Ortigueira Para o Mundo Leonardo Galvão Constâncio, é uma daquelas crianças prodígio, com apenas nove anos de idade participou do concurso Mini Prodígios do Brasil, promovido pela Elian em parceria com o SBT, e conquistou merecidamente o primeiro lugar. O garoto disputou o título com outras 800 crianças de 300 diferentes cidades brasileiras, e movimentou 250 mil votos. Tudo começou quando Leonardo, filho de Leonor e Mario Constâncio, ganhou o instrumento musical de presente. De lá pra cá, ele nunca mais deixou de batucar. Percebendo o talento nato do filho, o pai resolveu o matricular em uma

escola de música. “Ele tem uma facilidade muito grande, ouve e sai tocando. Com as aulas ele deslanchou ainda mais na bateria.” Confessa o pai que até passou a curtir os gêneros musicais do filho prodígio. O garoto faz aulas de bateria duas vezes por semana, e por causa da pouca idade o pai o acompanha de perto nos ensaios e nos shows do filho com as baquetas. Algumas apresentações e demonstrações do garoto podem ser vistas e conferidas no You Tube e no seu Site: www.leoconstancio.com.br

40


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

41


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

42


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

43


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

44


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

45


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

46


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

47


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

48


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

49


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

50


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

51


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

52


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

53


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

54


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

Nossa terra Nossa Gente O MELHOR DE ORTIGUEIRA É O ORTIGUEIRENSE

55


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

EM ORTIGUEIRA O MELHOR MEL DO MUNDO RECEITA COM MEL Preparação:

PÃO DE MEL RECHEADO

Passo 1: Bate todos os ingredientes no liquidificador e por último a farinha aos poucos. Passo 2: Pegue forminhas proprias para pão de mel e unte e enfarinhe. Passo 3: Vá colocando a massa sem deixar passar da etade da forminha, porque cresce bem. Passo 4: Depois de assado por uns 20/30 minutos, espere esfriar, corte ao meio e recheie a gosto. Passo 5: Pode ser doce de leite, prestígio, brigadeiro, trufado, nozes, ameixa, damasco e por aí vai. Passo 6: Depois banhe em chocolate meio amargo para que não fique muito doce.

Ingredientes: - 400 ml de leite - 1 lata de leite condensado - 1/2 xícara de mel - 1 colher de sopa de canela - 1 colher de chá de cravo em pó - 1 colher de café de noz moscada - 1 colher de chá de bicarbonato de sódio - 1 colher de sopa de fermento em pó - 3 xícaras de farinha de trigo

Fonte:http://pt.petitchef.com

56


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

DICA DE SAÚDE BUCAL ESPECIALIDADES O que é implante Overdenture? Implante tipo Overdenture é uma prótese de simples confecção, instalada sobre três ou quatro pinos de titânio, dando condições adequadas de retenção e segurança na fixação. É uma prótese removível, de todos os dentes, que tem uma segurança maior de fixação de que uma prótese convencional (dentadura), pois é fixada sobre os pinos de implantes dando maior segurança ao paciente.

em próteses dentárias (protético). Depois de pronta a prótese, algumas consultas são necessárias para determinação da altura, tamanho e formato dos dentes, sendo sempre todas as etapas acompanhadas pelo dentista. Depois dessa etapa a prótese é fixada no pino de implante, finalizando dessa forma o seu tratamento. Quais os riscos de eu não fazer um implante Overdenture? Não realizar o tratamento de reposição de dentes perdidos com implantes provoca uma série de problemas de saúde. Alguns exemplos são:

Quais as vantagens em usar um implante Overdenture? O seu principal objetivo é a reabilitação bucal em todas as suas funções: estética, fonética e mastigação, repondo de forma eficaz os dentes ausentes ou perdidos. Como é feito o implante Overdenture? Depois de instalar os implantes, (pinos de titânio que substituem a raiz do dente), o cirurgião-dentista irá fixar a prótese sobre os implantes já cicatrizados. Este período irá variar de paciente para paciente e, dependendo de condições específicas, a prótese poderá ser instalada no mesmo procedimento (o que chamamos de implante com carga imediata)

Deficiências na mastigação e digestão. Dificuldade para higiene bucal. Interferência na fala. Perda óssea severa e de outros dentes. Além disso, pode haver reflexos psicológicos causados pela alteração do padrão estético, tornando o paciente inseguro, com baixa estima, isolamento social e possível depressão. A reabilitação da saúde bucal através de implantes é uma solução eficaz, segura, duradoura e que agrada a muitos pacientes.

É realizado o envio dos moldes para o técnico

Ligue hoje mesmo e agende uma avaliação !

57


EDIÇÃO 41 • ANO 7 • NOVEMBRO DE 2015

CRIANÇAS DESAPARECIDAS NO PARANÁ sicride

58


59


Profile for Revista Destak do Paraná

Edição 41 Ortigueira  

Revista Destak

Edição 41 Ortigueira  

Revista Destak

Advertisement