Page 1

EDIÇÃO

#47 2016

MAREL MÓVEIS:

Capricho inspirado na natureza REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

1


SE A SUA IMAGINAÇÃO NÃO TEM LIMITES, POR QUE NÓS TERÍAMOS?

Bontempo João Pessoa • R. Professora Severina Souza Souto, 207 (83) 3244.7075 • João Pessoa/PB

2

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

bontempo.com.br /moveisbontempo


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

3


Editorial EDITORIAL

Vem 2017, vem que nós queremos ainda mais! Neste ano, a D&A completou 5 anos e em busca de crescer ainda mais, nossos leitores podem esperar boas novidades para o próximo ano que já está timidamente chegando. Queremos explorar ainda mais as belezas que nosso país e o mundo produzem dentro do universo da arquitetura e decoração. As tendências, novas tecnologias, projetos de arrancar suspiros, linhas e traços inspiradores. Tudo que sempre trouxemos para nossas páginas só que agora melhor ainda. Agradecemos especialmente aos nossos colaboradores que estão conosco desde o ano I: Germano Romero, Rogério Almeida e Patrícia Lago vocês são incríveis. E esperamos trazer novos colaboradores em 2017 para somar ainda mais neste time cheio de estrelas.

EXPEDIENTE CEO Ricardo Castro Jornalista Responsável: Layse Veloso Designer Gráfico: Raiff Pimentel Supervisão Editorial: Tulio Alves/Helena Furtado Fotografias: Edson Matos Mídias digitais: VF2 - Agência de Criação Mailings: RC Comunicação

Desejamos muito sucesso aos nossos leitores e os convidamos a nos acompanhar durante todo o próximo ano, e se surpreender com nossas novidades! Boas FESTAS!

RC Comunicação: Rua Geraldo Mariz, 291 A, Tambauzinho João Pessoa-PB. Serviço de Atendimento ao leitor:

+55 (83) 3035-1039

contato@revistadea.com.br www.revistadea.com.br

Ricardo Castro PUBLISHER DA REVISTA D&A

4

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


Índice

ÍNDICE *destaques da revista

16

08

42

70 62

52

Colaboradores

COLABORADORES

Germano Romero

Rogério Almeida

Patrícia Lago

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

5


6

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

7


AMPLITUDE EM 40M² Escritório de Porto Alegre demonstra como ambientes compactos podem ser elegantes e Fotos: Edgar César confortáveis Fotos: Marcelo Donadussi

8

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


Cada vez mais os apartamentos vem diminuindo de espaço, mas isso não precisa comprometer o conforto e a elegância do ambiente. O escritório Ambidestro dos arquitetos Raquel Zaffalon e João Pedro Crescente trazem o conceito do Studio W com lindos ambientes distribuídos em apenas 40m². Integração e compartilhamento são palavras de ordem no novo século. A arquitetura e design acabam virando fortes ferramentas para expressar o pensamento da nossa época e pensando nisto os arquitetos se preocuparam com amplitude, conforto, design e elegância.Todas as soluções foram pensadas nos mínimos detalhes dentro de uma linguagem minimalista e atemporal. Cada item descoberto no espaço é uma surpresa. O layout é baseado no conceito de total integração entre os espaços, tratam-se de dois blocos multifuncionais que contornam o perímetro do espaço. O bloco branco é composto pela cozinha, eletros embutidos, bancada, churrasqueira, armários e entrada do apartamento. O bloco branco define a área social do apartamento.

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

9


10 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


As paredes brancas promovem um pano de fundo neutro para receber a vasta coleção de arte, com rodapés removidos para evitar distração. Grandes painéis de espelho de prata foram usados para estender estes espaços e refletir a iluminação, acrescentando mais luz. Todos os detalhes, incluindo acessórios, foram escolhidos para evitar confusão. Peças de mobiliário e tecidos foram selecionados para elevar o novo design e as cores das obras já existentes. Além de peças do acervo pessoal que também foram harmonizadas. Toda esse esforço em trazer luz e elegância fica evidente na escolha dos materiais e cores, incluindo branco, preto brilhante, aço inoxidável e a prata refletindo painéis de espelho que estendem o espaço além de seus limites. A atmosfera é de pura sofisticação e requinte entrelaçada com elementos de personalidade e gosto dos clientes.

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

11


12 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


Projetamos o conceito de ilha no espaço, através de um sofá de 2m que abre os dois lados, de um temos um estar confortável e do outro temos jantar apoiado com mesa oval de mármore. Brincamos, que com este layout é o único apartamento de 40 m2 que se consegue andar ao redor do setor social”, comentou João Pedro. O espaço ficou amplo e funcional através de um posicionamento de mobiliário e design diferente. O bloco de madeira define a área mais quente do apartamento, mais intimista. Engloba armários, banheiro e quarto. O mesmo painel de madeira natural sob a cama contorna o bloco dos armários e define a área de banheiro. A porta de correr de acesso ao banheiro tem o mesmo desenho das portas do armários, desta forma mimetizando no espaço. O banheiro é todo revestido pelo envelopamento das chapas de madeira natural. “Projetamos o espaço com a premissa de que poderia estar em qualquer grande capital do mundo. A tendência é compactar os espaços com qualidade e funcionalidade e investir nas áreas de uso comum dos empreendimentos”, concluiu Raquel.

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

13


14 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


AV. CORONEL LUCAS DE OLIVEIRA, 894 | AREA 51 PORTO ALEGRE | BRASIL +55 (51) 3237 8599 +55 (51) 9282 4171

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

15


DOCE SOBRIEDADE Arquiteto Fábio Morozini assina reforma de um apartamento clean e aposta emAcervo tons terrosos e muita Fotos: do Arquiteto elegância Fotos por Romulo Fialdini

16 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


O estilo sóbrio, elegante e sofisticado do arquiteto paulistano Fabio Morozini encantou, Edson e Nelson, os proprietários deste apartamento na zona sul de São Paulo. O novo projeto de decoração foi impulsionado por um desejo de mudança, que acompanhou a evolução da rotina dos moradores e também do gosto estético. Eles precisavam de mais espaço para receber a numerosa família e os amigos e de um lar com uma nova cara.

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

17


18 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


“Eles saíram de uma decoração clean para uma mais pesada e escura, porém, luxuosa e muito aconchegante. Você entra e se sente em casa”, revela o arquiteto. As mudanças foram radicais, principalmente no piso – antes revestido de ladrilho hidráulico nas cores cinza, branco e preto -, que agora ganhou tons mais escuros, vindos da madeira e do granito. Morozini os conduziu a definir um estilo que lhes agradasse e que traduzisse a nova fase e personalidade do casal. Todos detalhes foram definidos em conjunto, com total confiança nas indicações de Fábio. O aparador dourado fosco da sala de jantar, assustou um pouco no início, mas terminou tornando-se uma das peças mais queridas. O mobiliário é quase todo novo, com exceção do lustre da sala de jantar, um Taraxacum 88 imponente, criado pelo mestre italiano Achille Castiglioni. A criação de um acervo de arte também foi um dos pontos importantes dessa nova fase. “Nenhuma obra foi comprada pelo valor monetário, mas porque são bonitas e agradam”, conta Morozini, que orientou seus clientes e amigos a apostarem em alguns artistas promissores. A colombiana Adriana Duque é uma dessas apostas. Ela fotografa personagens de uma cena teatral em que tudo é meticulosamente cuidado para ter um resultado final de uma quase pintura. O empenho para a compra foi tanto, que eles viajaram para Bogotá para conhecer o trabalho da artista pessoalmente e escolher a imagem perfeita para o novo projeto. Como resultado, um apartamento permeado de histórias e personalidade, com uma decoração cosmopolita e impressionante. REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

19


20 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

21


22 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

23


24 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

25


Paisagismo

PAISAGISMO

por Patrícia Lago

JARDINS EM CASA COR

Formada pela UFPE no curso de arquitetura e urbanismo, Patrícia Lago é natural do Recife-PE e reside em João Pessoa há 8 anos , onde também atua na área de decoração e paisagismo, área da qual se especializa e desenvolve vários projetos. /PATRICIA.LAGO.125

fotos Reprodução

26 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

Nesta época que antecede as festas de final de ano, tendo como a mais expressiva, o Natal, vamos conhecer e falar um pouco sobre os Juniperus, que simbolicamente, remetem tal celebração. Algumas espécies, como Juniperus Chinensis, são extensivamente utilizadas em paisagismo, jardinagem e horticultura, pois é uma das espécies mais populares para criar bonsai, sendo considerada um símbolo de longevidade, força e fertilidade.


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

27


28 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


O gênero tem uma distribuição natural alargada pelo Hemisfério Norte, desde as costas do Ártico até à região tropical da África e às regiões montanhosas da América Central. Com seu estilo clássico, tronco robusto, madeira duradoura e em geral, excepcional longevidade este gênero, mais adaptados ao sul do país, por ser proveniente de países com temperaturas mais baixas têm sido adaptadas a região Nordeste e bastante exploradas em diversos projetos de paisagismo.

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

29


30 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

31


NATURALMENTE

MAREL Marel Móveis Planejados tem coleção inspirada em elementos naturais A Marel, fabricante de móveis planejados para residências e ambientes corporativos, tem em sua coleção a inspiração em elementos naturais. Entre as dezenas de padrões, seis foram lançados este ano, todos também disponíveis na franquia pessoense localizada na Avenida General Edson Ramalho. Foram lançados os padrões Suede, Durham, Baltic, Village, Corten e Rock que passeiam entre amadeirados, unicolores e reproduzem efeitos especiais, além de dez tonalidades de laca produzidas pela empresa. São cores versáteis, que combinam entre si, e com texturas especiais. Os novos amadeirados – Durham, Baltic e Village - estão com matizes mais marcadas e com os veios da madeira em evidência, pensados para combinar perfeitamente entre si e com os unicolores. Já o Corten, explora o efeito de oxidação do aço; e o Rock, um preto com acabamento especial que não permite marca de dedos. O unicolor Suede é uma cor clara, ideal para dar base a ambientes modernos. A incidência da luz sobre o acabamento proporciona vários níveis de luminosidade, dando sofisticação e amplitude ao ambiente. Após a ampliação da fábrica em 2 mil m² e a aquisição de máquinas da Itália, a Marel lançou recentemente uma linha de Laccato Italiano. São dez cores vibrantes, em superfícies com mais brilho, intensidade de cor, contraste e nitidez, nas opções acetinada e brilhante. As duas são opções sofisticadas, mas a brilhante recebe uma camada a mais de pintura, proporcionando maior qualidade e durabilidade, podendo ser aplicadas tanto em superfícies de madeira como de vidro.

32 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

33


34 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

35


36 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

37


38 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


Fotos: Edson Matos Av. Gen. Edson Ramalho, 1081 Manaíra, João Pessoa - PB

(83) 3246-7994

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

39


Arquitetura pelo Mundo ARQUITETURA PELO MUNDO por Germano Romero

Um monumento que brota do mar Fotos: Germano Romero

Germano Romero é arquiteto, urbanista, bacharel em música e jornalista, com larga experiência no mercado imobiliário de empreendimentos residenciais multifamiliares. Os projetos desenvolvidos em seu escritório têm pontuado o cenário urbano da Paraíba com traços marcantes e singulares do ponto de vista estético, funcional, e sobretudo atualizados com o que há de mais moderno na produção arquitetônica contemporânea. Além de carregar nas veias o sangue de seu avô, arquiteto Clodoaldo Gouveia, autor de significativas obras na capital paraibana. /GERMANOROMERO @GERMANOROMERO @GERMANOROMERO

40 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

Tudo começou à época em que eremitas viviam em um monte chamado de “Tumba”, banhado e abraçado pelas marés cheias, quando se tornava uma ilha, e lá ergueram duas capelas dedicadas aos mártires cristãos Santo Estêvão e São Symphorien.


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

41


Depois de fundarem um pequeno mosteiro, um dos monges tem um sonho no qual lhe aparece o arcanjo São Miguel pedindo para que construíssem ali, em cima do grande rochedo, uma igreja em sua homenagem. Assim, o monte terminou se chamando Saint-Michel, onde, por muitos anos, serviu a um mosteiro beneditino. A beleza do local, sua vocação religiosa despertou o interesse dos duques da Normandia que passaram a enviar muitas doações que viriam a subsidiar a construção de uma nova e maior edificação em estilo mais romântico. Após desabamentos e dois grandes incêndios, o monumento é restaurado e ampliado, complementando-se com várias outras edificações que foram se agrupando à medida que a população habitante ia crescendo, tornando-se uma pequena vila. O acesso ainda se fazia de barco, quando o mar enchia; e a pé, quando a maré secava, já que a variação entre a preamar e maré baixa atinge, naquela região, cerca de 12 metros. Em seguida, mais elementos arquitetônicos, a exemplo da torre central e outras menores, foram sendo adicionados, assim como um complexo monástico, na parte sul.

42 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

43


44 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


Sua localização estratégica e incomum beleza despertaram muita cobiça, não somente entre os próprios monges e abades, mas também entre outros países que o quiseram tomar da França, sem sucesso. Apesar de sua arquitetura conter traços dos vários períodos de sua história, percebidos desde a base, muralhas, movimentadas fachadas e torres, o estilo gótico terminou marcando o seu perfil acentuadamente. Os encantos do mundo se voltaram para este peculiar emblema da Normandia e Bretanha, e hoje são milhões de visitantes e peregrinos que para lá se dirigem, ávidos para se deliciarem com sua beleza e imponência. Por isso, foi construído um istmo que possibilita o acesso independente da variação do nível do mar. Por fim, o arquiteto Victor Petitgrand dota o monte Saint-Michel de um pináculo neo-gótico, com uma imagem do santo, ao tempo em que outros arquitetos renomados são contratados para restaurar a abadia, que hoje é um belíssimo, grandioso e monumental Patrimônio da Humanidade, visita imperdível para quem aprecia a Arquitetura pelo Mundo.

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

45


46 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

47


C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Com o Pró-Vida Saúde você e sua família podem ter atendimento médico particular por um preço reduzido! Anuidade: Apenas 5 parcelas de R$ 40 reais. Garanta o melhor convênio para a sua família. Ligue agora! 48 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


NO VO

SABOR MAIS RICO E SOFISTICADO. COM UMA SELEÇÃO MALTES RAROS. SABOR MAIS RICODE E SOFISTICADO.

APRECIE COM MODERAÇÃO

COM UMA SELEÇÃO DE MALTES RAROS.

WELCOME TO THE NEXT LEVEL

WELCOME TO THE NEXT LEVEL

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

49


RIO INDUSTRIAL O arquiteto francês Jean de Just traz para o interior de um antigo hotel carioca uma estética atual e descolada Fotos: André Nazareth. Uma bela cidade, as mais lindas praias e uma hospedagem com muita personalidade a poucos metros dos Arcos da Lapa (RJ) esta é a proposta do hotel 55/Rio, o antigo Hotel Bragança, patrimônio histórico e cultural que foi reformado. Fachadas revitalizadas, novos edifícios anexados e uma linguagem totalmente contemporânea em seu interior, assinada pelo arquiteto francês Jean de Just. Jean mistura cultura europeia com as influências e paixões brasileiras, que traduzidas em um estilo único. Para este projeto de 4.300m², foi definido o estilo industrial dialogando com os “ares da Lapa”.

50 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

51


52 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

53


Foram trocadas lajes, janelas e algumas portas reutilizadas como biombos na decoração. Também foram aproveitadas paredes de pedras e as colunas molduradas. A cor vermelha foi bastante utilizada, para um estilo mais contemporâneo, jovem e funcional. Para manter as janelas do prédio no mesmo estilo das antigas, seguindo a solicitação do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional) o arquiteto desenhou com exclusividade uma estrutura que se adequou às normas, não fugindo da estrutura anterior. Jean também desenhou a bandeira do Brasil em carretel de fios, localizada no lobby. O profissional também desenhou o carpete sob medida e em pedras portuguesas, instalados nos corredores. Além do desenho das mesas em cobogós de concreto, o balcão do bar em pedra portuguesa e a ilha de pufes de vários tamanhos e cores diferentes. Já os grafites nas áreas externas são de autoria do grafiteiro paulista Vermelho. Tudo reflete na proposta versátil de proporcionar história e sofisticação aos hóspedes, um convite a descobrir a cidade maravilhosa com ousadia e uma grande dose do que é o nosso Brasil.

54 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

55


56 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

57


58 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


www.ximenesdantas.com.br

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

59


QUANDO MUROS VIRAM TELAS fotos/fotos Layse Veloso

O grafite e a pichação levantam debates sobre suas semelhanças e diferenças e como cada um ocupa seu espaço na sociedade Viver em centros urbanos é estar exposto ao cotidiano caótico do trânsito, comércio e multidões ao qual a maioria de nós já está acostumado e entre tantas informações os grafites e as pichações estão lá, colorindo muros ou vandalizando prédios e monumentos. Muitos ainda confundem os dois, mas não há o que se discutir quando o grafite claramente compõe obras e a pichação polui visualmente as cidades. Ambos podem ser considerados como manifestações, o grafite levanta temas e debates sociais, políticos e econômico e está em muros ou paredes com consentimento público ou privado, pode-se dizer que é um alívio aos olhos e um convite ao pensar em meio as cidades de pedra. Enquanto a pichação constitui crime, normalmente agride o senso de estética e mesmo que levantando, por vezes, temas políticos ele se apropria de espaços ou mesmo vandaliza patrimônio histórico. O grafite se transformou na renda de vários artistas visuais, assim como eleva vários deles para a fama internacional a exemplo de grandes grafiteiros como Os Gêmeos, Gustavo e Otávio Pandolfo, e Eduardo Kobra que já desenharam grafites em muros, galerias e museus pelo mundo.

60 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

61


62 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

63


Para perceber como o grafite ocupa um espaço histórico importante no atual cenário artístico mundial, ele ornamenta o trecho mais longo ainda preservado do Muro de Berlim, na Alemanha, construído em 1961 para separar a Berlim Ocidental da Berlim Oriental e derrubado em 1989, que se transformou na East Side Gallery a maior galeria a céu aberto do mundo, composta de 105 pinturas de artistas de vários lugares do mundo. Recentemente, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (IPHAEP) lançou a “Carta do Lyceu Paraibano” - A Responsabilidade dos Grafiteiros perante o Sítio Histórico Urbano de João Pessoa, documento resultado de um fórum sobre a ação dos pichadores e grafiteiros no Centro Histórico. A carta é um convite a reflexão e um manual de como grafiteiros podem intervir com sua arte dentro do centro histórico da capital e um primeiro passo para um futuro documento oficial sobre o tema.

64 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

65


Viva uma nova

Experiência

/lojaperformato

66 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

67


ARTES E OFÍCIOS

ARTE SEM MOLDURAS A paulista Marina Rodrigues transforma fitas em arte por Layse Veloso | fotos divulgação

Urbana e inovadora, a artista visual e designer Marina Rodrigues expressa criatividade em fitas adesivas. A tape art ou em tradução livre “arte da fita adesiva” é um movimento ainda recente no Brasil, nasceu através do grafite nos anos 60 como uma nova forma de expressão, onde as fitas substituem o pincel ou o spray em linhas geométricas. São os mais diversos desenhos em diferentes formas e cores, em paredes, fachadas de casas, prédios abandonados, metrô, carros ou ambientes internos imprimindo muita personalidade e indo além dos limites das molduras. “Quando compreendi que minha arte poderia ser tanto minuciosa quanto observada de um prédio, meus horizontes se abriram em forma infinita de expressão!”, conta a designer.

68 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

69


70 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


Os primeiros desenhos foram criados por grupos espontâneos, no chão, no frenesi de atividade durante a noite, na década de 80, os Estados Unidos. E a partir de 1993 começou a se espalhar pelo mundo. A acessibilidade e a infinidade de possibilidades da tape art fascinaram Marina, a paulista de 28 anos, que vem se destacando como grande incentivadora do movimento no Brasil e visionária no uso das fitas em diversos tipos de superfície e materiais. Com simetria e composição, ela também cria arte freehand que entrega vida e autenticidade para os ambientes.

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

71


72 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


marinarodriguesdesigner@hotmail.com Tel: (19) 99195-7498

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

73


Luxury Travel

LUXURY TRAVEL por Rogério Almeida

La Maison d’hôtes Atlas Garden: luxo no cenário do Marrocos

Rogério Almeida é graduado em Comunicação Social, leciona na UFPB e há 24 anos atua no jornalismo de turismo. É também, entre outras atividades de destaque na área, membro atuante do Clube Gourmet da Paraíba e do Conselho Executivo Nacional da Abrajet. /ROGERIO.ALMEIDA1 @ROGERIOALMEID rogerioalmeidaturismo@yahoo.com.br

Texto Rogerio Almeida Fotos- La Maison d’hôtes Atlas

74 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

Viajar pelo Marrocos é sempre um sonho e se hospedar na Maison d’hôtes Atlas Garden uma realidade indescritível. O hotel combina beleza, tranquilidade e requinte. Distante apenas 60km de Marrakech, na cidade de Ouirgane, esta residência de luxo possui apenas 5 quartos para viajantes em busca de serenidade, paz e privacidade. São três bangalôs e duas salas de estar inteiramente decorados no estilo marroquino •


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

75


76 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


Localizado no meio de um olival de 5 hectares, a visão do horizonte aveludado realiza uma mistura sutil de sabores e cores com a sombra das oliveiras e seus troncos retorcidos, cujo silêncio é quebrado apenas pelo canto dos pássaros. A tranquilidade do lugar preserva o sono dos hóspedes que podem ainda observar o canto das aves, tendo a luz solar como despertador e um convite para um banho rústico e suave e, tendo ao fundo as montanhas do Alto Atlas do Marrocos. Os hóspedes são recepcionados com um chá de hortelã de boas-vindas no terraço com vista panorâmica. Durante o jantar todos tem a oportunidade de apreciar a cozinhar Bérbere, com sua profusão de aromas delicados, que inclui especiarias, ervas, mechéoui, tagines, kebabs, cuscuz, tudo em uma atmosfera centrada em uma área bem marroquina. O hóspede também pode participar de inúmeras atividades como uma caminhada

no Parque Nacional de Toubkal e subir até o cume (4165 m), considerado o ponto mais alto de todo o norte da África. No caminho a oportunidade de montar em uma mula e visitar diversas aldeias Bérberes com suas paisagens multicoloridas. Para quem deseja experimentar sensações mais intensas, recomenda-se um lual com show de músicas arabes. O monte nevado de Toubkal parece irreal e surpreendente. A residência possui quartos e bangalôs com valores diversos de acordo com a reserva se para um ou mais hospedes. O local no sopé da cadeia de montanhas Alto Atlas nos convida à contemplação. Descobrir a beleza deste lugar e apreciar as cores e contrastes das vilas bérberes, um verdadeiro sonho. Reservas e informações: Mr. Issam MAKHLOUKI. Atlas Garden © 2014 Marrakech Atlas Jardim tel: +212 659 730 054. REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

77


78 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


La Maison d’hôtes Atlas Garden: luxury in the Moroccan setting Traveling through Morocco is always a dream and staying at Maison d’hôtes Atlas Garden is an indescribable reality. The hotel combines beauty, tranquility and refinement. Just 60km from Marrakech in the city of Ouirgane, this luxury residence has only 5 rooms for travelers seeking serenity, peace and privacy. There are three bungalows and two living rooms entirely decorated in the Moroccan style. Located in the middle of an olive grove of 5 hectares, the view of the velvety horizon offers a subtle mixture of flavors and colors with the shade of the olive trees and their twisted trunks whose silence is broken only by the singing of the birds. The tranquility of this place preserves the sleep of the guests who can still observe the birds singing and having the sunlight as an alarm clock and an invitation for a rustic and mild bath with the background of the mountains of the High Atlas of Morocco. Upon arrival guests are welcomed with a mint tea on the terrace with panoramic views. During dinner everyone has the opportunity to enjoy the cuisine Berber, with its profusion of delicate aromas, which includes spices, herbs, mechéoui, tagines, kebabs, couscous, all in an atmosphere centered in a well decorated area in Moroccan style. The guests can also take part in many activities such as hiking in Toubkal National Park and climbing to the summit (4165 m), considered the highest point in all of North Africa. On the way, there is the opportunity to ride a mule and visit several Berber villages with their multicolored landscapes. For those who want to experience more intense sensations, it is recommended to see a show of Arabic songs and dances. The snowy mountain of Toubkal seems unreal and amazing. The residence has rooms and bungalows with different values according to the reservation if for one or more guests. The place at the foothills of the High Atlas mountains invites us to contemplation. Discover the beauty of this place and enjoy the colors and contrasts of Berber villages, a true dream.

Reservations and information: Mr. Issam MAKHLOUKI. Atlas Garden © 2014 Marrakech Atlas Garden tel: +212 659 730 054

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

79


80 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

81


Click

por Ciro Amado

82 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

@ciroamado


Bacharel em Direito, Ciro Amado, desde cedo mantém uma paixão pela fotografia. Retrata belezas em momentos únicos, surpreendendo com ângulos inesperados. Autodidata, buscou aprender melhorar a técnica fotográfica em workshops e com base nas tentativas e erros. Especializado em fotografia de paisagens, Ciro é verdadeiro “caçador” de pores do sol.

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

83


84 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

85


86 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

87


88 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

89


90 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


/eucurtosaobraz

@eucurtosaobraz

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

91


92 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


伀 䈀甀昀昀攀琀 匀愀渀琀愀 䘀愀爀爀愀 漀昀攀爀攀挀攀 漀 猀攀甀  猀攀爀瘀椀漀 挀漀洀 愀 昀椀渀愀氀椀搀愀搀攀 搀攀 猀攀爀瘀椀爀 戀攀洀  愀漀猀 搀漀渀漀猀 攀 挀漀渀瘀椀搀愀搀漀猀 搀漀猀 攀瘀攀渀琀漀猀Ⰰ  爀攀椀渀瘀攀渀琀愀渀搀漀Ⰰ 挀爀椀愀渀搀漀 攀 最愀爀椀洀瀀愀渀搀漀 漀 焀甀攀  洀攀氀栀漀爀 猀攀 愀搀攀焀甀愀 愀漀 渀漀猀猀漀 搀攀猀琀椀渀愀琀爀椀漀  昀椀渀愀氀Ⰰ 猀攀洀瀀爀攀 挀漀洀 洀甀椀琀漀 猀愀戀漀爀Ⰰ 瀀爀椀洀漀爀Ⰰ  搀攀搀椀挀愀漀 攀 攀砀挀攀氀渀挀椀愀⸀

䈀甀昀昀攀琀 簀 刀⸀ 䐀攀猀瀀漀爀琀椀猀琀愀 䄀甀爀氀椀漀 刀漀挀栀愀Ⰰ  㠀㔀㠀 ⴀ 䔀猀琀愀搀漀猀Ⰰ 䨀漀漀 倀攀猀猀漀愀 ⴀ 倀䈀Ⰰ  㔀㠀 ㌀㄀ⴀ   Ⰰ ⠀㠀㌀⤀ ㌀㈀㈀㐀ⴀ㠀㤀㠀 ⸀

⼀猀愀渀琀愀昀愀爀爀愀樀瀀 䀀猀愀渀琀愀昀愀爀爀愀樀瀀

䄀 匀愀渀琀愀 䘀愀爀爀愀 䌀漀渀昀攀椀琀愀爀椀愀 搀椀猀瀀攀 搀攀 甀洀  愀洀戀椀攀渀琀攀 攀氀攀最愀渀琀攀 攀 愀挀漀渀挀栀攀最愀渀琀攀  愀搀漀爀渀愀搀漀 愀漀 攀猀琀椀氀漀 渀攀漀挀氀猀猀椀挀漀Ⰰ 瀀漀爀洀 渀漀  昀甀最椀洀漀猀 搀愀 攀猀猀渀挀椀愀 搀攀 甀洀愀 挀漀渀昀攀椀琀愀爀椀愀㨀  猀愀氀最愀搀漀猀 攀 搀漀挀攀猀 愀瀀攀琀椀琀漀猀漀猀⸀ 䄀 渀漀猀猀愀  挀漀渀昀攀椀琀愀爀椀愀 攀猀琀 搀攀 瀀漀爀琀愀猀 愀戀攀爀琀愀猀 瀀愀爀愀  爀攀甀渀椀攀猀Ⰰ ∀焀甀攀戀爀愀爀 愀 猀攀洀愀渀愀∀ 攀 搀攀最甀猀琀愀爀  愀猀 搀攀氀挀椀愀猀 匀愀渀琀愀 䘀愀爀爀愀⸀

䌀漀渀昀攀椀琀愀爀椀愀 簀 刀⸀ 䠀攀瘀愀渀最攀氀椀渀愀 䘀爀愀渀挀椀猀挀愀  䐀椀渀椀稀Ⰰ 㘀㈀Ⰰ 䈀爀椀猀愀洀愀爀Ⰰ 䨀漀漀 倀攀猀猀漀愀ⴀ倀䈀Ⰰ  㔀㠀 ㌀㌀ⴀ   Ⰰ ⠀㠀㌀⤀ ㌀㔀 㠀ⴀ㤀㈀  ⸀

⼀猀愀渀琀愀昀愀爀爀愀樀瀀 䀀猀愀渀琀愀昀愀爀爀愀樀瀀

REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

93


94 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47


REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

95


96 REVISTA D&A - EDIÇÃO #47

Edição 17  

Marel Móveis: Capricho inspirado na natureza

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you