Page 1


Expediente

Missão

Missão Promover e proporcionar qualidade de vida aos produtores rurais e colaboradores, focados na produção sustentável, que respeita o meio ambiente e a vida, e colabora com o desenvolvimento econômico, humano e social.

Conselho Administrativo Visão

2013/2015 Diretoria Coocam Presidente: João Carlos Di Domênico Vice-presidente: Riscala Miguel Fadel Junior Secretário: Carlos Emílio Almeida

Conselho Administrativo Eloi José Zortéa José Luiz Debastiani Nelson Alves de Carvalho

Conselho Fiscal Efetivos

Fernando Henrique Rupp Oilson João Wagner Valter Antonio Rech

Suplentes

Archimedes Góis Marco Antônio Belincanta Suzana Aparecida da Rosa Carvalho

Ser reconhecida como cooperativa-referência no setor de agronegócios devido à qualidade técnica, baseada nos pilares do associativismo e do crescimento sustentável.

Valores A Coocam trabalha baseada nas seguintes premissas: • produção responsável sócio e ambientalmente; • desenvolvimento com redução de danos ao meio ambiente; • capacitação profissional e humana de seus funcionários; • criação de melhores condições de desenvolvimento a seus associados e suas famílias; • crescimento cooperado, ético e responsável; • desenvolvimento tecnológico e industrial competitivo e de credibilidade.

Setores de atuação • Armazenamento de cereais. • Produção e comercialização de sementes. • Venda de defensivos e insumos agrícolas com assessoria técnica especializada. • Produção de rações. • Transportes.

Diretoria atual

Produção - Editora Comídia revistadascooperativas@comidia.com.br Camila Bebber Gomes Assessora de Comunicação Coocam comunicacao@coocam.com.br Fotos - Arquivo Coocam e Assessoria de Comunicação Editor de arte - Teodoro Souza Filho Revisão - Renato Tapado Rua Aurino Arnoldo Meira, 162 - Real Parque 88113-455 - São José - SC (48)3258-6195 - 9645-7740 www.comidia.com.br


Editorial |

João Carlos Di Domênico

Com a palavra,

João Carlos é o presidente da Coocam deste sua fundação, em 1993, e foi reeleito para o biênio 2013-2015.

a Presidência

E lá se vão 20 anos de história, e com eles relembramos as conquistas, os percalços, os enfrentamentos e a coragem que nos vigoraram desde a criação da Cooperativa Agropecuária Camponovense – a Coocam em 21 de janeiro de 1993. Fruto do pioneirismo e do espírito empreendedor de um grupo de 50 produtores rurais que acreditavam que Campos Novos podia e merecia mais, a Coocam nasceu nesta cidade que hoje é o berço das cooperativas do Estado, e a única catarinense que figura entre as cem cidades que mais contribuem com o PIB agropecuário do País. Com o objetivo de cooperar, ou seja, de unir forças em prol do crescimento, do rendimento da produção no campo e da agregação de valores através da indústria é que a Coocam foi fundada dentro dos pilares básicos do cooperativismo e desenvolvimento sustentável, e acredito ser isso que nos mantém fortes e atuantes até hoje, como uma das cooperativas destaque no Estado de Santa Catarina. Acreditamos, investimos, nos dedicamos e crescemos, e hoje somos representativos dentro do cenário do agronegócio estadual, e galgamos caminhos sólidos que nos permitem ser sinônimo de confiança, credibilidade e trabalho sério. No entanto, conquistamos isso em conjunto. Em conjunto com a nossa diretoria, atuante e comprometida com os trabalhos, com os associados, que nos confiam os poderes para a tomada de decisões e condução do processo diário da cooperativa, em conjunto com os colaboradores, que hoje, depois de 20 anos, já somam mais de 250, e que diariamente conosco escrevem uma história de sucesso, de dinamismo e determinação. Olhar para trás e perceber a trajetória que traçamos nos orgulha e nos dá força, pois, antes de tudo, nos dá a certeza de que estamos no caminho certo e que cumprimos com o slogan a que nos apresentamos e, por isso, estamos há 20 anos semeando confiança em solos catarinense, rio-grandenses e brasileiros. Estamos há 20 anos semeando trabalho e colhendo os frutos desse labor, e que seja assim por muitos outros!

João Carlos Di Domênico Presidente da Cooperativa Agropecuária Camponovense


4

História

Uma trajetória de sucesso

Aqueles que deixaram

sua marca Em 1993, 50 produtores rurais se uniam em prol de um único objetivo: criar uma cooperativa próspera e que desse maiores condições aos produtores rurais associados. Eis que nascia a Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam na cidade de Campos Novos – SC. E foram estes os responsáveis por essa iniciativa:

Alcides Manfroi Agropastoril Zortéa Alfredo Henrique Wagner João Carlos Di Domênico Carlos Emílio Almeida Riscala Miguel Fadel Júnior Valmir Scapini Valter Lúcio Scapini e Ana Mariza Scapini Paulo Afonso Thibes Hilário Daniel Cassiano José Alves Rodrigues Romeu Parizzoto David Manfroi Luiz Carlos Manfroi Riscala Miguel Fadel Francisco Schlager José Luiz Debastiani Marcio José Chiodi – Mauri Chiodi – Selmo Spolti Ernani Luiz Zortéa Eduardo Ernesto Zortéa João Orides Debastiani Edenilson Manfroi Sílvio Manfroi Júlio César Granzotto Nelma Francisca Thibes Paulo Sérgio Manfroi

Tânia Manfroi Cassiano – Francisco Laone Manfroi – Flávio Manfroi Eva da Silva Almeida Marcos Antônio Bellincanta Antônio Sérgio Almeida Carlos Roberto Almeida Eliane Terezinha Parizzoto Olison João Wagner Márcio Ernesto Wagner Isidro Manfroi Marcos Fadel Nélson Alves de Carvalho Luiz A. de Carvalho Olga Maria Becker Di Domênico Alexandre Alvadi Di Domênico Jorge Roberto Manfroi Adauton Leonel Anacleto – Mirian Regina Manfroi – Simone Manfroi Ernani Zortéa – Elói Zortéa Madeireira Schmidt Ademar Rupp Cristiano Francisco Schlager Elisângela Maria Schlager Nery Noel Cassiano Maria Antônia Cassiano Vilmar Branco – Humberto Branco


História

5

Sede própria, um sonho realizado em apenas um ano Na data de fundação, a Coocam atuava em sede alugada, na Avenida JK, em Campos Novos. Em apenas um ano de atuação, a Cooperativa ganhou sede própria, às margens da BR-470, km 319, onde está localizada até os dias atuais. De lá para cá, a marca do crescimento foi o progresso, e hoje a Cooperativa já conta com quatro sedes, além da matriz, em Campos Novos, todas próprias, onde estão localizadas as filiais de Curitibanos, Barracão, Lebon Régis e a Fábrica de Ração.

Campos Novos

Lebon Régis

Curitibanos

Barracão


6

História

Quem fez a frente Ao longo dos 20 anos de história, diversos associados da Coocam já fizeram parte da Diretoria Administrativa e Fiscal da Cooperativa, dando as diretrizes aos trabalhos e vislumbrando sua atuação. Todas elas, no entanto, coordenadas pelo presidente da Cooperativa Agropecuária Camponovense desde a sua fundação, João Carlos Di Domênico, que há 20 anos dedica sua vida a construir, com os associados e colaboradores, a história da Cooperativa. Eis a diretoria que iniciou os trabalhos.

Presidente: João Carlos Di Domênico Vice-presidente: Luiz Carlos Manfroi Secretário: Carlos Emílio Almeida Conselho Administrativo Francisco Schlager José Alves Rodrigues Márcio Wagner David Manfroi Riscala Miguel Fadel Ernani Zortéa Conselho Fiscal Efetivo Romeu Parizoto João Orides Debastiani Mauri Chiodi Suplentes Nery Noel Cassiano Júlio César Granzotto Walter Lúcio Scapini


8

Investimentos

Em 2013, novos investimentos

Coocam inaugurou

sede própria em Lebon Régis

Nos 20 anos de comemoração da Coocam, unidade de Lebon Régis é inaugurada em sede própria

Mais de R$ 8 milhões de reais foram investidos pela Cooperativa em solos lebon-regenses, no sentido de otimizar o recebimento de cereais, bem como de aumentar a atuação da Cooperativa na região. No mês de março, a Cooperativa Agroepcuária Camponovense – Coocam inaugurou mais uma sede própria de suas filiais: dessa vez, a Filial 2, que fica na cidade de Lebon Régis. Com uma unidade moderna, projetada para receber 600 mil sacas de grãos, a filial de Lebon Régis contou

com um investimento de mais de R$ 8 milhões por parte da Cooperativa, e já está atuando deste março de 2012 no recebimento e estocagem de cereais, quando a primeira parte da obra ficou pronta. Silos pulmões, silos de carregamento, silos de armazenamento de grãos, depósitos de fertilizantes,


Investimentos defensivos e sementes, e toda a estrutura de sede administrativa podem ser vistos na Filial, que ainda possui Campo Demonstrativo próprio, que proporcionou a recepção de mais de 200 produtores rurais para o 1º Dia de Campo realizado na localidade, que permitiu ao homem do campo a visualização e o acesso in loco das tecnologias aplicadas e recomendadas pela Coocam na região. Segundo o secretário da Coocam, Carlos Emílio Almeida, a região de Lebon Régis é promissora, haja vista que muito ainda precisa ser feito no sentido de manejo de solo, rotação de culturas e implementação de tecnologia entre os produtores regionais. Mesmo assim, a filial já conta hoje com um recebimento que colabora em 20% com o total da Cooperativa.

Já o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, ressaltou que a nova unidade inicia uma fase de novos investimentos na cidade de Lebon Régis e região. “Para nós, da Coocam, é uma honra estar instalado na cidade de Lebon Régis, entregando um investimento dessa magnitude. A Coocam em Lebon Régis significa desenvolvimento, atuação constante junto ao produtor rural e, principalmente, apoio aos nossos cooperados, que sabem que podem contar com uma empresa sólida, séria e que veio para crescer ainda mais, junto com este município.” A Coocam já atua em Lebon Régis desde o ano de 2001, porém agora com sede própria, muito mais ampla e bem preparada para otimizar o recebimento dos grãos, e primar pela qualidade do armazenamento de seus cooperados.

Diretores da Cooperativa e autoridades participaram da inauguração da filial

9


10

Investimentos

Escrevendo a história A solenidade de inauguração da filial contou com a presença de diversas autoridades estaduais e regionais, como é o caso do secretário de Estado da Casa Civil, Nelson Serpa, e o deputado estadual Reno Caramori, que foram homenageados pela Coocam. Com a entrega de uma foto da inauguração da primeira sede da Coocam, em 1994, em Campos Novos, onde estavam presentes Nelson Serpa e Reno Caramori, o presidente da Cooperativa, João Carlos Di Domênico, agradeceu às lideranças pelo apoio constante diante do desenvolvimento da Coocam e de todo o setor do agronegócio de Santa Catarina. “Ficamos felizes de sermos tão bem prestigiados em tudo o que fazemos e mais, por ter o apoio das autoridades, que, assim como a Coocam, valorizam o desenvolvimento do setor agropecuário da Santa Catarina”, explicou João, que ressaltou ainda que, em muitos momentos, o que os empresários precisam não é de recursos e verbas por parte dos poderes públicos, mas sim de apoio e incentivo no sentido de ir adiante e ter o respaldo e reconhecimento das iniciativas. Emocionado, o deputado estadual Reno Caramori agradeceu a homenagem, lembrando que iniciativas

como a da Coocam, de fazer investimentos em diversas regiões do Estado no sentido de desenvolver o agronegócio, além de gerar empregos e renda, são primordiais para Santa Catarina. “Acompanho desde o início a trajetória de sucesso dessa Cooperativa por acreditar no trabalho sério que desenvolvem. A Coocam é uma cooperativa que cresceu junto com o seu produtor rural e seu cooperado, sempre de mãos dadas com ele”, finalizou. Já o secretário de Estado da Casa Civil, o camponovense Nelson Serpa, que na ocasião representava o governador do Estado, João Raimundo Colombo, agradeceu a lembrança, dizendo que foi parceiro já na inauguração da primeira unidade da Coocam, época em que a foto foi tirada, e que ele representava o governador do Estado na ocasião, Vilson Kleinubing, e que é parceiro agora, como representante do Estado, que reitera a parceria e o apoio a empresas como a Coocam, geradoras de renda, incentivadoras do agronegócio e, principalmente, audaciosas, no sentido de fomentar o desenvolvimento econômico não apenas de uma cidade, mas de uma região inteira.

Secretário de Estado Nelson Serpa e Deputado Estadual Reno Caramori são homenageados pela parceria com a Coocam


Investimentos

Dia de Campo de Lebon Régis O gerente da unidade e engenheiro agrônomo da Coocam, João Batista dos Passos, junto com demais membros do Departamento Técnico da Cooperativa receberam mais de 200 produtores rurais da região interessados nas novas tecnologias apresentadas pela Cooperativa para a safra de verão de 2013. Sete empresas parceiras participaram da primeira edição do Dia de Campo de Lebon Régis, que trouxe oportunidade de capacitação e contato com novas tecnologias para os produtores da região. Segundo o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, a intenção da Cooperativa é realizar um evento de Dia de Campo, específi-

co em cada uma das filiais da Cooperativa para que oportunize aos produtores verificar in loco o comportamento de cada uma das tecnologias apresentadas, de acordo com a realidade de cada região. “Fico satisfeito de ver o que foi feito aqui em Lebon Régis nesta primeira edição. A qualidade do campo demonstrativo é impressionante, e tenho certeza de que os produtores puderam tirar grande proveito do que viram aqui hoje. Nossa intenção é fazer um Dia de Campo em cada filial, como acontece há seis anos em Barracão, como aconteceu hoje aqui em Lebon Regis e como dentro de pouco tempo deve acontecer em Curitibanos”, finalizou.

1º edição do Dia de Campo de Lebon Régis atraiu produtores rurais da região interessados em conferir as novidades do mercado agrícola

11


12

Investimentos

Unidade de Tratamento de Sementes Industrial

faz parte da Coocam Parceria entre a Coocam e a Bayer possibilita o tratamento industrial de sementes na Cooperativa, feito através do emprego de tecnologia de ponta. Buscando alternativas que aumentem ainda mais a produtividade e o rendimento aos produtores rurais, a Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam, em parceria com a Bayer, inaugurou no dia 14 de setembro de 2013, na sede da cooperativa, em Campos Novos, uma unidade de tratamento industrial de sementes. Este é o emprego da tecnologia no aumento do potencial produtivo, dando mais comodidade e segurança ao produtor, que passa a contar com mais precisão e garantia de dosagem no tratamento de suas cultivares. De acordo com o vice-presidente da Coocam, que também é responsável pelo Departamento Técnico da Cooperativa, o engenheiro agrônomo Riscala Fadel Júnior, enquanto o tratamento de sementes no campo expõe o produtor a riscos e a imprecisão, o tratamento industrial é pontual, já que realizado de forma computadorizada. “Além de contar com tecnologia capaz de recobrir uniformemente as sementes e, portanto, dar cobertura e distribuição do produto de forma adequada, que garante segurança ao produtor que opta pela cultivar, o tratamento industrial de sementes ainda possibilita a customização, ou seja, a possibilidade de atender, de forma inteligente aos casos específicos”, explicou Júnior. Isso, porque a Coocam é focada na geração de sementes de alto potencial produtivo, e o estabelecimento de parcerias que venham ao encontro dessa proposta é o foco da cooperativa. “Focamos na qualidade física, fisiológica e genética de nosso produto, e com isso buscamos oferecer ao produtor tecnologia para que ele empregue no campo e com isso minimize os riscos de perdas de produção”, disse Riscala.

Unidade de Tratamento Industrial de Sementes é uma parceria entre Coocam e a Bayer


Investimentos A Coocam é produtora de sementes de soja, trigo, feijão e aveia, e tem 70% de sua produção destinada a vários Estados do Brasil como Paraná, Mato Grosso, Rio Grande do Sul e ainda Santa Catarina. Atenta às tendências de mercado, a Cooperativa estabelece parcerias com renomados institutos de pesquisa e empresas no ramo de agronegócios na possibilidade de melhora do produto que oferece aos produtores e seus clientes. “Cada vez mais, a semente está se tornando um item importante na implantação da lavoura, carregando tecnologias, e por isso, um componente de custo expressivo”, finalizou Júnior. Segundo informações do gerente regional da Bayer, Luiz Crudi, a unidade instalada na Coocam é a primeira de Santa Catarina, e representa a solidificação de uma parceria em prol da inovação, da qualidade e, principalmente, da produtividade dos produtores associados ou clientes da Coocam. “Buscamos sempre, em todos os setores de atuação da Coocam, inovar e trazer ao produtor o que tem de melhor no setor de agronegócios. Por isso, com apenas 20 anos de atuação, temos um nome sólido, confiança do mercado em que atuamos e soluções inovadoras”, ressaltou o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico.

As sementes tratadas Coocam garantem confiabilidade e segurança aos produtores rurais

Atuação do TSI O TSI da Coocam está voltado para o tratamento de sementes de soja, milho, trigo, feijão, aveia e canola. Em 2013, a primeira cultura plantada com o tratamento industrial de sementes foi o milho, que tem demonstrado bons resultados. Conforme o engenheiro agrônomo da Coocam, Cristiano Nascimento, através do TSI a Coocam incentiva o processo “abre e plante”, ou seja, o produtor não tem qualquer contato com a semente, já que tem apenas o trabalho de abrir o saco de semente e colocá-lo na plantadeira. “No milho, especificamente, o produtor que optar pela semente tratada não terá nenhum processo anterior ao plantio para fazer. Na soja, apenas precisa inocular a semente. Isso, além de representar uma economia de mão-de-obra ao produtor, ainda reduz o risco de contaminação ambiental e pessoal”, explicou. A relação entre o custo e o benefício do TSI também deve ser levada em conta. De acordo com Cristiano Nascimento, apesar de a semente ter o custo de tratamento agregado, ele equipara-se com o valor pago pelo produtor, se levar em conta a diminuição de mão-de-obra na fazenda, a preocupação com descarte de embalagens, a minimização de riscos de contaminação ambiental, os custos trabalhistas e ainda a precisão do tratamento e, assim, a otimização de todas as sementes. “A diferença do tratamento industrial para o convencional é que, mesmo empregando a mesma quantidade de produto por saca, o industrial garante a cobertura da semente uniforme, não tendo o risco de algumas ficarem desprotegidas e outras apresentarem fitotoxidez por excesso de produto”, finalizou.

Produtores puderam visitar as instalações do TSI e verificar o funcionamento da máquina

13


14

Linha do Tempo assim se fez a Coocam

1993

Através da vontade de um grupo de 48 produtores rurais de fazer diferente, surgiu a Coocam – Cooperativa Agropecuária Camponovense em 21 de janeiro de 1993. Motivado pela união produtiva e embasado pelo cooperativismo, este grupo criou aquela que seria uma das maiores cooperativas rurais do Estado de Santa Catarina.

Também no primeiro ano de atuação, a Coocam lançou uma confraternização que já é tradicional na região. O Michuim, uma festa exclusivamente masculina, para convidados da Coocam, regada a muito chope e carne de qualidade, e que tem como prato principal essa iguaria oriunda do Marrocos com detalhes da culinária francesa. Hoje, o Michuim reúne mais de mil convidados por edição e acontece sempre no último final de semana do mês de novembro.

1994

Com apenas um ano de fundação e atuação no ramo de agronegócios, em 19 de fevereiro de 1994, a Cooperativa Agropecuária Camponovense inaugurava a primeira fase de sua matriz, localizada na cidade de Campos Novos.

A estrutura contava com uma unidade graneleira, a sede administrativa e a unidade sementeira. A unidade tinha capacidade para receber 600 mil sacas, e já superava as expectativas recebendo mais de 350 mil sacas no primeiro ano de trabalho.

Já no primeiro ano de atuação, a Coocam passou

a produzir um item nobre no ramo alimentício e industrial – o milho Waxy. Desde então, a Coocam é a única produtora da cultura no Estado de Santa Catarina.


Linha do Tempo

2000

2002

Neste ano, a Coocam realizou a primeira edição do Dia de Campo no campo demonstrativo da cidade de Barracão – RS. Com uma dinâmica própria, através da apresentação de novidades, com a formação de vários pequenos grupos, a Coocam conquistou os produtores que participam do evento anualmente, buscando por novas tecnologias e interação com a Cooperativa.

Em fevereiro de 2002, a Coocam expandiu sua atuação, e foi inaugurada a filial 2, na cidade de Lebon Régis. Com estrutura e terreno alugado da família Gueller, a Coocam começa a escrever história em solos que não os camponovenses. Uma história de sucesso, de progresso e desenvolvimento!

2003

2005

No ano de 2003, a Coocam ampliou as suas instalações na matriz, em Campos Novos. A ampliação passou pela construção de ampliação armazém graneleiro, que aumentou a capacidade de estocagem de grãos e deu à Coocam o espaço físico que ela necessitava para continuar crescendo.

No ano de 2005, a Coocam expandiu sua atuação para o Estado vizinho: Rio Grande do Sul. Com a instalação da filial em Barracão, a Coocam passou a atender não apenas os produtores catarinenses, mas os rio-grandenses, estabelecendo com os vizinhos uma relação de confiança.

15


16

Linha do Tempo

2005

2006

A cidade de Curitibanos também abriu suas portas para a Coocam no ano de 2005. Com sede instalada na cidade vizinha de Campos Novos, a Coocam expandiu sua atuação e ainda aumentou sua capacidade de recebimento de grãos.

Com um investimento audacioso e grandioso, a Coocam, em 2006, inaugurou a sua primeira unidade industrial – a Fábrica de Rações Coocam. Mais uma fonte de negócios somada ao potencial produtivo da Cooperativa. Foram 18 milhões de reais investidos num parque fabril que é um dos mais modernos do Brasil, com capacidade de produção de até 30 mil toneladas de ração por mês.

2013

2013

Ao completar 20 anos, a Coocam iniciou seu ano de comemorações com a inauguração da sede própria no município de Lebon Régis. Com uma Buscando sempre inovação, no ano de comemoração das duas décadas de atuação, precisamente no unidade moderna e pensada para a otimização mês de setembro, a Coocam inaugurou a Unidade do recebimento de cereais, a Coocam coloca à de Tratamento de Sementes Industrial. Mais um disposição da região uma unidade com capacidade passo dado no emprego da tecnologia em prol da para a estocagem de 600 mil sacas de grãos. lucratividade e rentabilidade no campo.


Transportes

Coocam Transportes

Transportando a nossa

produção com confiança

São mais de 300 mil quilômetros rodados mensalmente para garantir a eficiência das entregas

Com a Coocam Transportes a cooperativa garante segurança desde a produção até a entrega das rações ao cooperado. Com 20 caminhões a serviço da Coocam Transportes, a empresa presta serviços à Fábrica de Rações da Coocam, no sentido de viabilizar o transporte da totalidade da produção de rações para todos os cooperados das empresas parceiras. São percorridos mensalmente mais de 300 mil quilômetros, garantindo eficiência e confiabilidade na entrega do produto em mais de 600 propriedades rurais, num raio de 250 km de distância de Campos Novos, a matriz da empresa. Com 44 colaboradores, a maioria deles motoristas, e tendo como coordenadora do Departamento

Num raio de 250km da matriz, em Campos Novos, a Coocam Transportes atende mais de 600 cooperados

uma mulher, Cleonir Kemer Lousada, sob a gerência do secretário da Coocam, Carlos Emílio Almeida, que coordena toda a parte operacional da Cooperativa, a Coocam Transportes teve toda a sua frota renovada no ano de 2013. “Trabalhamos para garantir que o trabalho seja adequado da produção à entrega. Esse é nosso objetivo. Temos frota própria, toda renovada e serviço de qualidade”, explicou Emílio, que ressaltou, ainda, que para isso os motoristas são treinados constantemente nos quesitos direção defensiva e técnicas de direção, entre outros aspectos.

17


18

Colaboradores

Nos últimos 10 anos, Coocam triplica número de colaboradores

Nós somos a

Coocam

Com um quadro funcional que chega a 300 profissionais nas épocas de safra, a Coocam demonstra, através da geração de empregos, o desenvolvimento ao longo desses 20 anos. Em apenas 20 anos de atuação, a Cooperativa Agropecuária Camponovense demonstra o seu crescimento através do aumento significativo no quadro de colaboradores. Em 1993, primeiro ano de atividades da Cooperativa, eram 14 os funcionários que prestavam serviço à Coocam. Hoje, esse número passa de 250 colaboradores diretos, no período normal de atividades, podendo chegar a 300 nas épocas de safra. Os últimos 10 anos de atuação foram responsáveis por triplicar o número de colaboradores ligados à Cooperativa. Em 2002, a Coocam contava com apenas 67 colaboradores registrados em seu quadro funcional. Esses números representam o crescimento a passos largos da Coocam, que, com a implantação das filiais nas cidades de Curitibanos, Lebon Régis e Barracão – RS, e ainda da Fábrica de Ração e da Coocam Transportes, se expandiu não apenas em investimentos e patrimônio, mas também no incremento de seu quadro funcional. E não é somente o aumento do número de colaboradores que demonstra essa expansão, mas também a qualificação de seus funcionários. Hoje, a Coocam atua quase que por com-

pleto com equipe especializada nos trabalhos que presta, dando, inclusive, apoio e incentivo para que seus colaboradores façam o Ensino Superior e cursos de capacitação e motivação em suas áreas de atuação. Diversos são os programas de crescimento pessoal aplicados aos colaboradores. Segundo o chefe de Recursos Humanos, Adavilson Teles, a Coocam investe anualmente mais de R$ 80 mil em seus funcionários, através de parcerias com o Sescoop e de programas próprios. “Esse valor é investido em cursos, capacitações e programas de treinamento em diversas áreas de atuação, no sentido de possibilitar que o colaborador da Coocam, além de se desenvolver como profissional, ainda se desenvolva como pessoa, galgando conquistas maiores e mais significativas”, explicou Adavilson. Já o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, ressaltou que o maior patrimônio da Coocam são as pessoas. “O trabalho diário da Cooperativa é feito por pessoas, que representam a Coocam nos mais diversos ramos de atuação. Por isso, acreditamos que, se a Coocam se desenvolve a passos largos, isso é fruto do resultado e dedicação dos nossos colaboradores”, disse.


Colaboradores

Baixa rotatividade e anos de empresa fazem a marca dos colaboradores da Coocam Com um quadro funcional marcado pela baixa rotatividade e pela permanência agregada ao crescimento junto à Cooperativa, os colaboradores da Coocam geralmente completam anos de trabalho prestados. Dois dos colaboradores completaram, junto com a Coocam, 20 anos de atuação em 2013. São eles o diretor administrativo da Cooperativa, Valter Zanchett,

e o operador de máquinas, José Germano. Outros 19 colaboradores, das mais diversas áreas de atuação da Cooperativa, possuem mais de 10 anos de casa. Segundo o presidente da Coocam, João Carlo Di Domênico, é gratificante saber que a história da Coocam se mistura à história de muitos de seus colaboradores. “É muito importante para nós, da Coocam, saber que diversos de nossos funcionários cresceram junto com a Cooperativa, formaram suas famílias estando aqui conosco e, através dos trabalhos prestados, puderam conquistar aquilo que tanto almejavam para suas vidas. A Coocam é assim, uma empresa de vida longa, que espera que a relação com seus colaboradores se dê dessa mesma forma”, finalizou.

Conheça os colaboradores que completaram 20 anos de casa:

Valter Zanchett Diretor administrativo 59 anos

José Germano Operador de máquinas 48 anos

19


20

Colaboradores

E ainda aqueles que possuem mais de 10 anos na Cooperativa:

Sandra de Fátima Lima Assessora financeira 19 anos de Coocam

Jean Fabrício Fornara Lemos Gerente de compras 18 anos de Coocam

Leonyr Jacomel Gerente financeiro 15 anos de Coocam

Ecléia Ottoneli Assistente financeira 18 anos de Coocam

Cleonir Gonçalves Kemer Losada Encarregada do setor de Transportes 17 anos de Coocam

Luiz Carlos Antunes Encarregado do Dep. de Informática 15 anos de Coocam

Denys Wilson Fagundes Stefanes Contador 16 anos de Coocam


Colaboradores

Ivonir dos Santos Balanceiro 15 anos de Coocam

Ilton Zanchett Movimentação de cargas 14 anos de Coocam

Geni Sales de Camargo Aux.de serviços gerais 12 anos de Coocam

Adavilson Telles Chefe de Rec. Humanos 10 anos de Coocam

Francisco de Assis Farias Operador de máquinas 15 anos de Coocam

Sebastião Ribeiro Operador de máquinas 14 anos de Coocam

Antônio da Silva Operador de máquinas 11 anos de Coocam

Paulo César da Silva Auxiliar mecânico 10 anos de Coocam

Antônio Alves da Silva Porteiro 14 anos de Coocam

Luiz Ricardo Santos Bresola Gerente comercial 13 anos de Coocam

Ilsa Cristina Bilck Engenheira agrônoma 11 anos de Coocam

Sílvio Roberto Zanon Técnico agrícola 10 anos de Coocam

21


22

Fábrica de Ração

Fábrica de Ração CoocaM

30 mil toneladas/mês de ração suína

produzidas em solos camponovenses O dia mal amanheceu, e os caminhões da Coocam Transportes, que conduzem as rações suínas produzidas na Fábrica de Ração Coocam, em Campos Novos, já estão em direção aos cooperados. São mais de 70 mil quilômetros percorridos semanalmente, por 20 caminhões, que entregam o produto que alimenta os suínos de mais de 600 propriedades rurais. A alimentação dos suínos é tratada com responsabilidade dentro dos corredores da Coocam e da Fábrica, que opera seis dias por semana, de segunda a sábado, sem qualquer intervalo, sendo a única unidade certificada na região para produção de ração suína com uso de medicamentos. Tudo, rigorosamente, em conformidade com o exigido pelas regras do Ministério de Agricultura, que no ano de 2011 concedeu o Certificado de Unidade credenciada à Fábrica. Projetada para produzir até 30 mil toneladas de ração ao mês, a Fábrica tem atuado com capacidade máxima, haja vista que atende à demanda de alimentação dos suínos da BRF das cidades que estão num raio de 250 km da sede da Fábrica – Campos Novos.


Fábrica de Ração

A Fábrica de Ração integra a Coocam desde o ano de 2006, com um investimento de mais de R$ 20 milhões de reais

23


24

Fábrica de Ração

Totalmente informatizado, o processo de fabricação da ração é todo controlado e monitorado por profissionais altamente qualificados

São mais de 41 colaboradores envolvidos no processo, sob a coordenação do gerente da Fábrica, Maurício Rifel, que acompanha tudo de perto. Isso, levando em conta que a Fábrica é toda automatizada com equipamentos de última geração, dos mais modernos do Brasil, que garantem autonomia, rapidez e qualidade na fabricação das rações Coocam. Além dos colaboradores da Fábrica, o processo passa pelas mãos de outros 44 colaboradores da Coocam Transportes, que trabalham no sentido de garantir que a entrega seja feita com segurança, no prazo previsto e com responsabilidade. Um investimento de mais de 20 milhões de reais, inaugurado no ano de 2006, e o primeiro na área industrial da Coocam, a Fábrica de Ração, neste ano, ganhará atenção especial por parte da Cooperativa:

novos investimentos e um aumento da capacidade estão sendo planejados. Conforme o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, a Fábrica de Ração é um negócio à parte dentro da Cooperativa, já que atua com especificidade no ramo de alimentação suína, prestando serviços para um das maiores

empresas do ramo alimentício da América Latina. “Este é um negócio importante para a Coocam, que firmou uma parceria forte e eficiente com a BRF. O negócio tem dado tão certo que já passa por estudos de ampliações e no próximo ano deve ganhar ainda mais visibilidade dentro da Cooperativa e em nível regional”, explicou.

A produção é distribuída para mais de 600 produtores de suínos


Fábrica de Ração Já o gerente da Unidade, Maurício Rifel, destaca que, desde sua criação, a Fábrica tem se expandido em nível de produção e qualidade, através de melhorias em equipamentos e treinamentos dos funcionários. “A Fábrica de Rações Coocam tem buscado a melhoria contínua para garantir o padrão de qualidade e segurança alimentar de nossos produtos. A integração de maquinário de ponta com mão de obra qualificada, aliada à nossa parceria com a BRF, resulta em um conceito de fábrica limpa, processo enxuto e orgulho de ser referência no setor de fabricação de rações animais”, lembrou.

Uso de tecnologia de ponta garante a produção de rações de qualidade

A Fábrica de Ração é o primeiro investimento industrial da Coocam

30 mil toneladas de ração suína são produzidas mensalmente

Demonstrando o potencial gerador de receitas e investimentos da Coocam, a Fábrica de Ração é um dos ramos de negócio dessa cooperativa, que cresce a passos largos em solos camponovenses e regionais, demonstrando que, através de ações cooperadas e de visão de mercado, é possível construir uma história sólida em curto espaço de tempo.

25


26

Atendimento

Departamento Técnico

Atendimento personalizado a serviço

do homem do campo O trabalho de assessoria do Departamento Técnico da Coocam garante acompanhamento ao produtor rural da implantação da lavoura até a colheita. Tendo o seu negócio na produção e comercialização de sementes, e focada no desenvolvimento econômico e produtivo de seus associados, cooperados e clientes, a Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam dispõe de um departamento técnico especializado e devidamente capacitado para acompanhar as escolhas e os trabalhos do homem do campo. Com isso, os produtores rurais contam com assessoria e atendimento personalizado do começo ao fim da produção, através de engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas que vão a campo diariamente, otimizando os trabalhos dos produtores e ainda norteando as ações com o objetivo de atingir maior produtividade e mais rentabilidade com as diversas culturas. Hoje, a Coocam conta com sete engenheiros agrônomos e outros três técnicos agrícolas entre a matriz em Campos Novos e as filiais nos municípios de Curitibanos, Lebon Régis e Barracão, no Rio Grande do Sul, que prestam serviço diariamente aos cooperados e clientes da cooperativa. Isso representa o emprego da tecnologia e do conhecimento em função da produção agrícola e ainda proporciona contato diário dos produtores com as inovações e os processos produtivos que estão no mercado.

Segundo o responsável pelo Departamento Técnico da Coocam, o vice-presidente e engenheiro agrônomo Riscala Miguel Fadel Júnior, a cooperativa está sempre alinhada com o cenário agronômico mundial, no sentido de identificar oportunidades e ameaças, e assim detectar o que pode ser inserido ou ainda o que pode ser melhorado nas rotinas de trabalho dos produtores integrados. “Nós, do Departamento Técnico da cooperativa, temos por hábito estar ligados no que de melhor está acontecendo com relação ao agronegócio mundial para, então, captar tecnologias e formas de fazer que podem ser utilizadas na região, ou ainda prever e minimizar impactos e perdas com a produção de nossos associados”, explicou. Focados no aumento da produção, na rentabilidade, na otimização da utilização do solo e ainda em trazer para a realidade dos produtores locais aquilo que está dando certo no cenário mundial do agronegócio, o Departamento Técnico da cooperativa está em constante reciclagem. Através da promoção de capacitações, palestras, viagens de constatação e verificação, e ainda parcerias com renomados institutos de pesquisas e academias, a Coocam coloca à disposição dos associados o que tem


Atendimento de melhor, em conformidade com o mercado agronômico atual e ainda utilizando de tecnologia adequada entre os produtores para fazer mais e melhor. É isso que tem feito da Cooperativa uma referên-

cia em inovação e busca de negócios do ramo, com as constantes implementações de técnicas e culturas que garantem ganhos maiores e mais lucratividade aos produtores cooperados.

Capacitações e dias de campo fazem parte do serviço prestado pelo departamento técnico aos produtores rurais

Interação entre Departamento Técnico e produtor rendem boas safras

O acompanhamento constante do Departamento Técnico da Coocam, aliado às boas práticas dos produtores rurais associados da Cooperativa e o manejo adotado pelos engenheiros agrônomos têm garantido bons resultados nas safras e conferido títulos aos produtores no quesito produtividade. No ano de 2010 a Coocam alcançou a marca de 215 sacas de milho por hectare em área comercial. No ano de 2011, foi a soja que alcançou a marca de 92,3 sacas por hectare.

27


28

Atendimento

Experiência e uso da tecnologia garantem prêmio a produtor da Coocam A safra de 2010 foi especial para o produtor e associado da Coocam Ademar Rupp. Isso, porque os 40 anos de experiência de produção de milho, somados ao acompanhamento estratégico do Departamento Técnico da Cooperativa, através do engenheiro agrônomo Cristiano Nascimento, e ao manejo adequado fizeram com que ele fosse o campeão do Concurso Interno de Produtividade, realizado pela Syngenta Seeds. Alcançando a marca de 215 sacas de milho por hectare em área comercial, o produtor, que planta anualmente 150 hectares da cultura, garante que o resultado se deu devido a uma soma de fatores que, junto ao acompanhamento constante do Departamento Técnico da Cooperativa fizeram com que a safra fosse além do esperado. “O aumento da produtividade em 2010 se deu principalmente devido ao emprego da tecnologia de ponta, o uso de semente de qualidade e boa procedência, o plantio feito de forma adequada, a adubação feita de forma correta e ainda ao fator clima, que naquele ano foi condizente com o que se esperava”, explicou Ademar. Para o engenheiro agrônomo Cristiano Nascimen-

Produtor Ademar Rupp com o engenheiro agrônomo Cristiano Nascimento

to , o aumento de produtividade, que se deu de 170 sacas – média colhida na propriedade anualmente – para 215 sacas demonstra como o emprego da tecnologia, o manejo adequado de solo e o uso de boas cultivares podem aumentar a rentabilidade e produtividade da área cultivada. O resultado rendeu aos dois, produtor e engenheiro agrônomo, uma viagem aos Estados Unidos, através do programa Mundo Agro, onde puderam participar de visitas técnicas aos produtores estadunidenses, conferindo maquinário e novas tecnologias, centros de pesquisa, Bolsa de Valores de Chicago, universidades e cooperativas daquela região.

nononononono Grupo de produtores rurais em frente a Universidade de Purdue, em West Lafayette - Estados Unidos


Atendimento

Alto potencial produtivo do solo e região, aliado à variedade adequada conferem a segunda colocação nacional em produtividade de soja A Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam e o produtor e associado Valter Antônio Rech ganharam destaque nacional na safra 2011–2012. Isso, porque o produtor foi o segundo colocado no Concurso Nacional de Produtividade de Soja, realizado pelo Comitê Estratégico de Soja – CESB, da Embrapa, que desafiava os produtores a testarem a região produtiva, através do potencial produtivo do solo compatível com a variedade de soja. O produtor alcançou a marca de 92,3 sacas de soja por hectare, aumentando em 31,8% a produtividade da Fazenda, que normalmente alcança a marca das 70 sacas. O primeiro colocado foi do Estado do Paraná. De acordo com o técnico agrícola da Coocam que acompanhou a produção, Sílvio Roberto Zanon o resultado foi obtido devido ao manejo adequado feito com a adubação correta, a utilização de sementes certificadas e de boa procedência, e ainda devido à forma

Produtor Valter Antonio Rech com o técnico agrícola, Silvio Roberto Zanon

de trabalho que a Coocam adota, com assistência personalizada, além do enfoque preventivo de doenças. O produtor, que anualmente planta 700 hectares, sendo 500 deles de soja, já tem experiência com a cultura, pois já planta soja há 19 anos. Como prêmio, o produtor rural e o técnico agrícola da Cooperativa foram para Brasília, onde fizeram uma visita à Embrapa e ainda participaram de ciclos de palestras e capacitações na área. “Pudemos visualizar conhecimentos para o plantio de soja, com uso de tecnologia aplicada e ainda novas culturas que estão dando certo no mercado”, explicou Valter.

A Capacitação em campo também acontece Com um modelo de dia de Campo diferenciado, a Coocam realizada duas edições anuais do evento, um voltado para as culturas de inverno e outro para as de verão, nos campos demonstrativos de Barracão – RS e Lebon Régis, nas unidades da Cooperativa. A intenção é capacitar os produtores e colocá-los em contato com o que há de mais novo no mercado para que possam acompanhar, ali mesmo no campo, as experiências feitas com esses produtos e o comportamento dos mesmos em suas regiões de atuação. Em pequenos grupos, os produtores visualizam, sempre acompanhado de um profissional do departamento técnico da Coocam, todos os espaços des-

As unidades de Lebon Régis e Barracão recebem os Dias de Campo da Coocam

tinados aos parceiros. Dessa forma, estabelecendo um contato próximo e personalizado, os produtores conseguem esclarecer dúvidas, trocar experiências e e obter o máximo de informação sobre o que está sendo exposto.

29


30

Michuim

Nem tudo é trabalho

O tradicional

Michuim da

Coocam Com 20 anos de história, o Michuim é a festa da Coocam mais aguardada pelo público masculino. São diversos quilos de carne, regados a muitos barris de chope e descontração, em um capão de mato envolvido pela música dos pampas e boa conversa. O Michuim, assim como a Coocam tem 20 anos de história

Já faz 20 anos que a Cooperativa Agropecuária Camponovense comemora seu ano agronômico com uma festa para lá de especial. São mais de mil convidados, numa festa exclusivamente masculina, regada a muito chope, boa música e descontração, envolta na especificidade do prato típico que dá nome à comemoração: o michuim. Realizada pela Cooperativa sempre no último final

de semana de novembro, o Michuim tem por objetivo reunir parceiros, fornecedores, amigos e aqueles que fazem o dia a dia da Coocam para uma comemoração e um momento de descontração, tornando o relacionamento mais humanizado. Têm presença confirmada na festa autoridades regionais, estaduais e nacionais, além de associados e parceiros de negócios da Cooperativa.


Michuim De acordo com o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, é um prazer anualmente receber os amigos da Coocam que são convidados para esta festa tão harmoniosa que é o Michuim. “A festa só é possível, porque todos os anos nossos amigos comparecem e trazem para o evento muita alegria, entusiasmo e bom humor. É disso que o Michuim é feito”, explicou. O ex-deputado federal Odacir Zonta, presença cativa no Michuim, enfatizou o espírito de confraternização que tem a festa, voltada para o associativismo e por reunir cooperativistas de todo o Brasil. “Ficamos lisonjeados de participar de uma comemoração como esta, que reúne em meio à natureza os associados e amigos da Coocam a fim de todos os anos comemorar os resultados e criar relações ainda mais estreitas”, ressaltou.

O Michuim não é grandio-

É um prazer anualmente receber os amigos da Coocam Mais de 50 cozinheiros, amigos da Coocam, assam as carnes servidas no evento

31


32

Michuim so apenas pelo número de convidados que lotam a Fazenda São João anualmente, é grandioso também pelo espírito de integração que une mais de 50 colaboradores, todos voluntários para fazer acontecer a grande festa. São empresários, comerciantes, profissionais liberais e membros de instituições financeiras que, neste dia, deixam suas funções para empregar seus dotes no recebimento dos convidados, no preparo da carne, no corte dela e no servir aos presentes com comida e bebida fartas. A festa começa a ser feita muito antes da chegada dos primeiros convidados. Por volta das 6 horas, a carne já está no fogo, e os assadores já tomam conta dela para que tudo saia como o esperado. “São essa simplicidade e a integração que fazem do Michuim uma festa tão bonita. Ela integra pessoas, apresenta aqueles que ainda não se conhecem pessoalmente e cria relações de amizade”, explica João Carlos Di Domênico.

.

A solenidade de abertura do evento marca a presença das autoridades que anualmente prestigiam o evento

Descontração e boa conversa são um dos ingredientes desta festa destinada ao público masculino

Anos de história possibilitam reencontro e novas parcerias aos frequentadores do evento

O prato principal, o Michuim, é apreciado por todos os presentes


Michuim

Curiosidade

Conheça o preparo do Michuim Os animais usados para o preparo do Michuim pesam geralmente entre 50 a 60 quilos

A fim de manter a tradição marroquina, os assadores do Michuim seguem à risca os passos para a preparação do prato. O animal tem que ser macho sempre, isso porque as fêmeas dilatam a carcaça na prenhez e não têm a mesma qualidade em sua carne. Antes mesmo de o animal ser abatido, já começa o preparo do Michuim, pois o carneiro tem que ficar dois dias em confinamento e tomando pouca água. Isso sem contar que o animal não pode ficar

estressado, senão solta um óleo chamado lanolina em toda carne e que faz cair sua qualidade. Geralmente, os animais pesam entre 50 e 60 kg e são preparados com uma mistura de temperos com ervas finas e muito conhaque.  Para o assado, são necessários 60 sacos de carvão e quase 8 horas no fogo, regado à margarina para que a carne não desmanche. Depois de pronto, é só servirse e apreciar o tradicional michuim! Quem já comeu garante que vale a pena...

Pronto para ser servido, o Michuim é o prato principal da festa

33


34

Projeto Escola no Campo

formação de agentes ambientais

10 anos de boas iniciativas em prol da sustentabilidade Uma parceira entre a Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam e a multinacional Syngenta tem rendido bons frutos nesses anos de atuação. São dez edições, realizadas em dez anos de desenvolvimento do Projeto Escola no Campo, mais de 6,5 mil crianças em idade escolar atendidas nos municípios de abrangência da Cooperativa, e mais de R$ 400 mil reais investidos em prol de um mundo melhor. O projeto Escola no Campo tem por objetivo a formação de agentes ambientais conscientes de sua responsabilidade em relação ao meio ambiente e à sustentabilidade. É um trabalho em prol da mudança de comportamento dos alunos, da escola, das famílias dos alunos e da região em que moram, haja vista que as ações propostas pela equipe de coordenação do projeto transpõem os muros escolares e chegam até as comunidades envolvidas. Segundo o presidente da Coocam, João Carlos Di

Domênico, o Escola no Campo é o carro-chefe das ações sociais promovidas pela Cooperativa. Isso, porque, além de contemplar diversas cidades por edição – em 2012, foram oito, e em 2013, cinco municípios –, ainda traz uma gama enorme de ações junto às crianças que estão em idade de formação de comportamento e personalidade. “Acreditamos que a mudança acontece a partir das crianças. Quando elas chegam em casa instruídas de como fazer e como agir, os pais acabam por modificar seu comportamento para estar


Projeto Escola no Campo

Todos os alunos participantes são formados agentes ambientais pela Coocam e Syngenta

Os alunos participantes, que geralmente somam algo em torno de 500 por edição, têm o acompanhamento da equipe de coordenação do projeto durante todo o ano.

de acordo com elas. Dessa forma, acontece o que o Projeto objetiva, a modificação de comportamento de toda uma comunidade diante do meio ambiente e da preservação ambiental”, explicou João. Além de todo material educativo, que cada um dos alunos recebe para ser trabalhado durante o ano letivo em sala de aula, confeccionado pela Editora Abrinq, o Projeto propõe atividades práticas de reciclagem e reutilização, de recuperação de espaços públicos, de separação adequada do lixo, entre outras questões.

35


36

Projeto Escola no Campo Os alunos participantes, que geralmente somam algo em torno de 500 por edição, têm o acompanhamento da equipe de coordenação do Projeto durante todo o ano, que, junto com os professores, diretores e equipe escolar, faz a checagem das ações, bem como sua pontuação no ranking de desempenho das escolas participantes. São pontuadas ações como a mudança do ambiente escolar, onde são observadas a limpeza e organização que os alunos promoveram na escola, a horta escolar, que é feita em conjunto entre alunos e professores, e, principalmente, as ações feitas com a comunidade, como campanhas de conscientização. Além disso, o encerramento do Projeto acontece

numa festa realizada no município sede da Coocam, em Campos Novos, onde todos os participantes, vestidos com figurados feitos de material reciclado, preparam apresentações sem precedentes. Danças, teatros, música e muita criatividade enchem a tarde de programação, fazendo com que o público, formado por autoridades, representantes da Coocam e da Syngenta, professores, diretores e pais, e, principalmente, os jurados, tenha dificuldade na decisão dos ganhadores. “Esta é uma grande festa que a Coocam promove juntamente com a Syngenta. É nela que os alunos demonstram as ações que fizeram, o que aprenderam e, principalmente, se divertem num dia diferente, de integração, troca e experiências e muita magia”, disse João Carlos.

Boas ideias E o desenrolar do Projeto Escola no Campo tem trazido boas surpresas para a Coocam e a Syngenta. Isso, porque, além do desenvolvimento do Projeto nas escolas, com o envolvimento dos alunos e das comunidades, os alunos e seus professores têm trazido o novo e, através de algumas iniciativas simples e outras nem tanto, têm desenvolvido ações práticas em prol da sustentabilidade e da preservação ambiental. Na onda da reciclagem e reutilização, por exemplo, os alunos da Escola Municipal Rafaella Suppi, de Celso Ramos, deram uma cara nova às caixas de fruta de recebimento da merenda escolar da escola. Com tinta e um pouco de criatividade, as caixas viraram prateleiras que garantem a organização dos objetos utilizados nas salas da Educação Infantil. Outra boa iniciativa foi constatada em Barracão, no Rio Grande do Sul. Sem ter um espaço adequado para o feitio da horta escolar, os professores e alunos projetaram a Horta Inteligente, ou seja, feita com pouco espaço, dentro de pneus, porém não menos produtiva e organizada. Além dessas, iniciativas educacionais e de orientação dos alunos também chamaram a atenção neste ano. Uma das melhores ações desenvolvidas pelo Pro-

Os alunos trazem para o encerramento os conceitos aprendidos através das danças e vestimentas

jeto, e avaliada pela equipe de coordenação do Escola no Campo, aconteceu em Lebon Régis. Lá, os alunos agiram durante todo o ano como “Colaboradores pela Preservação do Meio Ambiente”, ou seja, através desse projeto, cinco crianças diariamente usavam coletes no intervalo das aulas, dando orientações e dicas aos demais de preservação ambiental e de manutenção do ambiente escolar. Assim, de forma gostosa e descontraída, temas como a reciclagem, o uso correto das lixeiras seletivas, a necessidade de conservação do solo e das plantas eram passados de um aluno para o outro.


Projeto Escola no Campo

Melhores desenhos e frases também são premiados Em 2013 seis alunos foram premiados como nota 10

Como já é tradicional nas edições do Projeto, os 12 melhores desenhos são premiados com uma bicicleta e ainda garantem um espaço no calendário da Coocam, que é distribuído anualmente para os associados, diretores e autoridades representativas do cooperativismo de todo o País. Os desenhos, em sua maioria, demonstram paisagens criadas com a agricultura sustentável, o uso adequado das lixeiras seletivas e ainda a correta utilização dos EPIs no uso de agrotóxicos. A partir de 2012, o Projeto passou a premiar ainda as melhores frases, como uma novidade e com a finalidade de incentivar a produção de texto entres os agentes ambientais. A Coocam e a Syngenta fizeram a premiação da melhor frase por escola, com a entrega de um kit escolar aos alunos. “Com este incentivo, conseguimos obter neste ano boas frases produzidas pelos alunos. Com isso, queremos, além de incentivar a produção de texto, ainda estimular para que eles pensem sobre a importância do projeto, sua contribui-

Cada município representa o que aprendeu em forma de música e dança

ção como atividade curricular e no quesito ambiental”, explicou a responsável pelo projeto na Syngenta, Édina Marcon. Um dos exemplos felizes de boas produções foi a frase do aluno Geison dos Santos, da Escola Itinerante Estudando e Plantando, de Campos Novos, que demonstra o espírito do Projeto Escola e o que, de fato, as duas empresas organizadoras querem com ele: “Coocam, Syngenta e educação, todos unidos em nome da preservação”. São premiados ainda os alunos que alcançam a nota 10 no Voo do Conhecimento, um teste aplicado a todos os participantes. A edição de 2013 contou com seis alunos premiados por conquistar nota 10. Outros 26 alunos obtiveram nota acima de 9,0 e também foram premiados. Segundo a aluna da cidade de Barracão Eliandra Ferrari de Sousa, de 11 anos, que foi nota 10 na edição de 2013, ela encontra no Projeto um incentivo para o que ela mais quer, que é continuar a viver com a família no campo, já que os pais são agricultores e criadores de gado. “Procuro sem sempre nota 10 e eu estava confiante no que havia aprendido. O Projeto Escola ensina muito para a gente, ensina a valorizar o meio ambiente, o local onde vivemos e ainda despertou em mim a vontade de cuidar ainda mais do meio ambiente, acho que vou ser engenheira florestal quando crescer”, disse.

O ano de 2012 contou como uma novidade: a Coocam e a Syngenta fizeram a premiação da melhor frase por escola.

37


38

Projeto Escola no Campo

Honras

ao Projeto Com o Escola no Campo, aprendi muitas coisas importantes para mim e minha família. Aprendemos a reciclar o lixo, a reutilizar muitas coisas que jogávamos fora e, principalmente, a utilizarmos o EPI para passar agrotóxico na lavoura. Hoje, meus avós fazem de forma correta”. (João Carlos Moraes, aluno da 5ª série da Escola Estudando e Plantando da Vargem, ganhador de uma bicicleta por ter sido escolhido com o mais belo desenho no ano de 2010.)

“Ensinei meu avô, que é agricultor, que era necessário que ele utilizasse o EPI para que não prejudicasse a saúde dele. Mostrei como se fazia, e ele ainda ensinou tudo direitinho a seu ajudante. Hoje, os dois estão usando tudo certinho, e eu e meu irmão de 12 anos ficamos bem longe de agrotóxicos.” (Eliel de Almeida, 10 anos, estudante do 5º ano da cidade de Frei Rogério, que participou do Projeto em 2011.)

“Parabenizo a iniciativa da Coocam e da Syngenta. Este projeto oportuniza uma amostra de que todos são capazes. Ressalto a importância de podermos participar na formação destas crianças e adolescentes. A conscientização se faz com dedicação e envolvimento de todos, pois somos também os grandes responsáveis pelo futuro das nossas gerações e preservação do meio ambiente.” (Suleide Gomes, secretária de Educação de Campos Novos – SC, na gestão 2009 – 2012, que participou do projeto durante todos esses anos.)

“A iniciativa é de grande valia para os alunos, até porque os conteúdos são bem atuais e tem a ver com o dia a dia deles e de suas famílias. Com o Projeto, os alunos, além de se conscientizarem da importância do cuidado com o meio ambiente e seus espaços, ainda levam para suas casas conhecimentos que agregam no trabalho de seus pais. Em dois anos de trabalho, percebemos que até mesmo a realidade da nossa escola se modificou.” (Elaine Zanin Cordeiro, professora da Escola Elizabete Titon, de Ibiam, que participou das edições 2009 e 2010 do Escola no Campo.)


Projeto Escola no Campo “Toda nova lição, Gabriel explicava para o pai, Moisés, o que estava sendo feito de certo e errado no campo. Gabriel ensinou o pai a usar o EPI, pois antes Moisés não utilizava a máscara de proteção. Hoje, o pai já dá o exemplo aos filhos e usa o equipamento de forma correta.” (Simone Carlin Thibes, mãe de Gabriel Thibes, estudante do 6º ano do Núcleo Santa Catarina, de Lebon Régis, que participou do Projeto no ano de 2011.)

“Através da conscientização das crianças e, por consequência, dos seus pais, é possível perceber os efeitos do Projeto na organização e limpeza da cidade. Entretanto, ele sai dos muros escolares e percorre as casas dos alunos e toda a comunidade. Lindas ideias já nasceram em nossa cidade através do conhecimento passado pelo Escola no Campo, entre elas as vassouras feitas com garrafas Pet e o sabão feito do óleo de cozinha. Sem contar ainda a motivação dos próprios alunos, que não querem repetir de ano para chegarem logo à 5ª série. Isso aumenta o rendimento escolar, as notas e o desempenho de todos eles.” (Angelina Rossa Spoutz, secretária municipal de Educação do município de Lebon Régis, que há oito anos participa do projeto.)

“Ficamos felizes por que, com programas como esse, ensinamos aos alunos que uns ganham e outros perdem, e que em tudo na vida é assim. Nós somos apoiadores e queremos parceria com qualquer ação que promova modificação de atitude em nossos alunos e, com isso, a transformação da educação, e esse projeto é uma ferramenta capaz de mudar consciência e de formar cidadãos melhores.” (Marli Perim, secretária de Educação do município de Barracão – RS, que foi o município ganhador do Escola no Campo em 2011.) “A cada capítulo que eles trabalhavam na escola, minha filha chegava em casa com uma novidade para contar, já que todos lá em casa são produtores rurais. Show mesmo, ela deu quando estudou a importância do uso dos EPIs e sua correta utilização. Quer dizer, lá em casa o projeto foi além, saiu da escola e começou a fazer parte do nosso dia a dia”. (Ivanir Melo Xavier, 51 anos, mãe da aluna Adriane Xavier, da 5ª série da Escola Nossa Senhora de Lourdes, de Lebon Régis, que participou do Projeto em 2010.)

39


40

Projeto Escola no Campo

2013

BarracĂŁo foi o ganhador do Escola no Campo de 2013

2012

O municĂ­pio de Celso Ramos foi o ganhador do Projeto em 2012


Projeto Escola no Campo

2011

Barracão venceu o Escola no Campo de 2011

2010

Frei Rogério foi quem venceu o Projeto Escola em 2010

41


42

Méritos

Méritos

Coocam é Empresa Cidadã

Semeando confiança,

colhendo resultados

A Coocam foi reconhecida como empresa cidadã na Câmara de Vereadores de Campos Novos

No ano de 2010, a Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam recebeu da Câmara de Vereadores de Campos Novos o título Desempenho Comunitário Empresarial Tia Anita, e com ele o selo de Empresa Cidadã. Três projetos de cunho social e ambiental – Projeto Escola no Campo, Projeto Social Dale Carnegie e Projeto de Reflorestamento –, desenvolvidos pela coopera-

tiva, foram os responsáveis por esse reconhecimento. Todas as iniciativas são frutos dos anos de trabalho da cooperativa voltados não apenas para o crescimento econômico e a produtividade do segmento agrícola, mas também cumprindo com o propósito de produzir de forma sustentável, cuidando do meio ambiente e desenvolvendo as pessoas que estão integradas no processo.


Méritos

Méritos

Presidente da Coocam é cidadão benemérito de Campos Novos

O Presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico foi homenageado como cidadão benemérito em Campos Novos

Por seus feitos à frente da Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam e como cidadão camponovense, sempre engajado nas causas sociais e em prol do desenvolvimento social e econômico da comunidade, o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, recebeu em 2010, da Câmara de Vereadores de Campos Novos, o título de Cidadão Benemérito. A honraria foi indicada pelo vereador Adavilson Telles, PP, e teve a aprovação unânime por parte dos pares da Casa Legislativa. A homenagem aconteceu no Plenário da Câmara Municipal, e outras duas personalidades da cidade de Campos Novos foram agraciadas com este título.

Comenda do Legislativo Estadual Como reconhecimento do trabalho prestado em prol do agronegócio catarinense e de expansão do cooperativismo em 2011, o presidente da Cooperativa Agropecuária Camponovense, João Carlo Di Domênico, recebeu uma Comenda do Poder Legislativo Catarinense. A outorga da medalha aconteceu no Plenário Osni Régis, na Assembleia Legislativa, em Florianópolis, e a indicação partiu do deputado estadual do PP, Joares Ponticelli. Outras 44 pessoas foram homenageadas entre educadores, profissionais liberais, religiosos, comunicadores, funcionários públicos, profissionais liberais e instituições, porém apenas João Carlos representou o agronegócio de Santa Catarina naquele ano. Na indicação, o deputado estadual Joares Ponticelli apontou que a comenda deve ser concedida a pessoas ou instituições que atuam de forma decisiva para a história de Santa Catarina. Segundo ele, João Carlos foi indicado devido ao trabalho referência à frente da Coocam e as instituições que

João Carlos recebe comenda do legislativo

representam o agronegócio catarinense, além de sua história de vida, que demonstra uma postura correta e ética. Para o presidente da Coocam, João Carlos, o reconhecimento da Assembleia Legislativa enobrece, e nenhum dos trabalhos que realiza é feito buscando honras, mas sim o desenvolvimento do setor.

43


44

De olho no futuro

Semana do Campo Limpo Coocam

Um incentivo à arrecadação das

embalagens vazias de agrotóxicos Em apenas três edições, mais de 48 mil embalagens de agrotóxicos vazias foram retiradas do campo. Esse foi o somatório do recolhimento itinerante das Semanas do Campo Limpo da Coocam, realizadas em 2011, 2012 e 2013 pela cooperativa.

Uma semana dedicada à arrecadação das embalagens de agrotóxicos vazias dos produtores da matriz e das filiais da Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam. Esse é um dos objetivos da Semana do Campo Limpo, que acontece sempre atrelada aos eventos do Dia do Campo Limpo, promovido pelo Inpev – Instituto Nacional de Processamento de Embalagens de Agrotóxicos Vazias, em 18 de agosto, do qual a Cooperativa tem o apoio. Além das arrecadações itinerantes, os eventos ainda visam a conscientizar o produtor rural da importância da devolução das embalagens, bem como de sua participação para que este processo, regulamentado por

lei, aconteça de forma efetiva. Em 2011 foram recolhidas apenas seis mil embalagens. Em 2012, esse número quase triplicou, chegando a 17 mil, e em 2013, mais do que o somatório dos dois anos anteriores foi recolhido, chegando à marca de 25 mil embalagens. Isso demonstra o envolvimento dos produtores rurais com o projeto, que já na segunda edição superou a expectativa inicial de recebimento, de 10 mil embalagens, e na terceira edição duplicou essa marca. A Semana do Campo Limpo é realizada nos municípios de Lebon Régis, Curitibanos, Campos Novos e Barracão, no Rio Grande do Sul, onde a Coocam tem


De olho no futuro

Em três edições do evento a Coocam já retirou mais de 48 mil embalagens de agrotóxicos vazias do campo

Em 2011, foram recolhidas apenas seis mil embalagens, e em 2012 esse número quase triplicou, chegando a 17 mil. Produtores associados fazem a entrega de suas embalagens na matriz e nas filiais da Coocam

45


46

De olho no futuro instaladas suas sedes, porém se estende a todas as cidades nas quais a Cooperativa atua. Depois de recolhidas as embalagens, elas são transportadas para as Centrais de Arrecadação de Campos Novos, em Santa Catarina, e de São José do Ouro, no Rio Grande do Sul. “Ficamos satisfeitos com o envolvimento que os produtores rurais têm demonstrado com a iniciativa. Haja vista que, além de aumentarmos o número de embalagens recebidas, elas ainda se encontram em melhores condições, passando pelo processo de lavagem correto e acondicionadas de maneira adequada”, explicou a engenheira agrônoma da Coocam e coordenadora da Semana do Campo Limpo, Ilsa Cristina Bilck.

Além da entrega, os produtores ainda recebem orientações sobre a tríplice lavagem e o uso correto dos big bags

Em Campos Novos, o produtor Nélson Carvalho, associado da Coocam, entregou mais de mil embalagens de agrotóxicos na Cooperativa só no ano de 2011. Segundo Nélson, a rotina de entrega acontece anualmente, e durante todo o ano agronômico, as embalagens ficam devidamente acondicionadas na propriedade, lavadas três vezes, com tampas e rótulos separados, e dentro das caixas de papelão. “Tenho esse cuidado com as embalagens logo após a aplicação do produto. É uma rotina de trabalho que fazemos sempre, então não é difícil de manter. Além disso, não reutilizamos nada que provenha dos defensivos, nem embalagens nem papelão, nada. Tudo

As embalagens recolhidas são encaminhadas a Central de Recolhimento em Campos Novos

é entregue para a reciclagem”, explicou. Segundo o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, o número expressivo do recebimento da Semana do Campo Limpo da Coocam demonstra a preocupação dos produtores rurais em fazer sua parte para a manutenção do meio ambiente saudável. “Através dessa atitude, o produtor previne a contaminação da terra, das águas, da sua propriedade e das pessoas que trabalham nela. É o homem do campo trabalhando em parceria com o meio ambiente, demonstrando que a sustentabilidade é possível e que se pode, sim, produzir com o menor dano possível à natureza”, disse.


De olho no futuro

Alunos da rede municipal de ensino também recebem orientações sobre a necessidade do descarte adequado de embalagens

E não apenas os produtores rurais são envolvidos nesse processo de arrecadação. Em 2012, a Semana do Campo Limpo se iniciou com uma palestra aos alunos da Escola Municipal Itinerante Estudando e Plantando, em Campos Novos, onde todos os adolescentes são filhos de produtores rurais do interior do município.

Maneira encontrada pela Coocam para disseminar o conhecimento entre aqueles que podem fazer a diferença.

Alunos se engajam na Semana do Campo Limpo da Coocam

Esta foi uma das maneiras encontrada pela Coocam para disseminar o conhecimento entre aqueles que podem fazer a diferença e deixá-los inteirados de suas obrigações quanto à produção rural e à necessidade de preservação do meio ambiente. “Incluímos essa ação no calendário deste projeto, por acreditar que a mudança acontece na base, ou seja, se formamos esses adolescentes adequadamente, dentro de poucos anos teremos uma mudança de consciência por completo, pois são eles que devem assumir as lavouras e plantações de seus pais”, finalizou João Carlos.

47


48

Desenvolvimento

Segurança para quem faz

Trabalhamos todos os dias

com segurança

Entre os eventos do calendário da Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam, um deles tem destaque especial. É a Semana Interna de Prevenção de Acidentes da Coocam, que acontece anualmente, trazendo aos colaboradores motivação, capacitação e, principalmente, informações para que tenham condições de atuar com segurança no seu dia a dia.

O evento, que, geralmente, conta com programação de uma semana e adota temas específicos, reúne capacitação nas áreas de prevenção de acidentes, palestras técnicas e direcionadas a cada setor da Cooperativa, e ainda palestras motivacionais no sentido de demonstrar ao colaborador que a Coocam, assim como sua própria família, precisa dele bem cuidado e atuante. Mesmo com um baixo índice de geração de acidentes de trabalho, a Cooperativa trabalha já há 318 dias sem acidentes graves, e já chegou à marca dos 1.883 dias sem qualquer afastamento, ou seja, mais de cinco anos. Esse baixo índice de acidentes e afastamentos, de acordo com o técnico em Segurança do Trabalho da Coocam, Carlos Gilberto Besen, se dá devido ao fato de a Coocam trabalhar em conformidade com as regras de segurança, fazendo uso dos equipamentos corretos e respeitando as jornadas de trabalho estabelecidas. “Os funcionários da Cooperativa estão habituados a cumprir as normas relativas à segurança estabelecidas, e não enfrentamos grandes dificuldades para

impô-las”, finalizou. O gerente administrativo da Coocam, Valter Zanchet, explicou a importância de um programa como esse aos colaboradores. “Todos os anos, fazemos questão de levar prevenção e cuidados para nossos colaboradores, no sentido de manter a equipe mais afinada no que diz respeito à segurança, e também de relembrar conceitos que, muitas vezes, já são discutidos no dia a dia, mas que não ganham a devida importância nas ações diárias dos funcionários”, explicou Valter, que disse ainda que manter a Coocam sem acidentes graves de trabalho está entre as prioridades da Cooperativa. Segundo o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, o evento é de grande importância para a Cooperativa, já que, através dele, os funcionários são capacitados em suas funções, no sentido de ter a devida preocupação com os cuidados voltados à saúde. “A semana não se volta apenas para os interesses da Cooperativa, e sim para os interesses de cada um dos colaboradores, já que, se eles estiverem bem, suas funções fluem a contento”, finalizou.


Desenvolvimento

Outra abordagem No ano de 2012, além de as capacitações acontecerem na matriz, em Campos Novos, também foram feitas palestras itinerantes, e as unidades de Lebon Régis, Curitibanos e Barracão receberam uma fisioterapeuta especializada para tratar do tema especifico de Ginástica Laboral. “Sentimos necessidade de não apenas trazer os colaboradores para a matriz para que eles fossem capacitados, mas também de levar os palestrantes para ver as condições de trabalho in loco e, da melhor forma, adequar o conhecimento à nossa equipe”, salientou o encarregado de Recursos Humanos da Coocam, Adavilson Telles.

Treinamentos e capacitações garantem a segurança dos colaboradores Coocam

Programa visa desenvolver os colaboradores de forma plena

49


Inovação

50

CANOLA

Foco na diversificação produtiva

entre produtores da Coocam

Dois anos de produção indicam boa adaptação da cultura a região.

Colheita de Canola foi satisfatória entre os produtores da Coocam

Depois da realização de um projeto piloto, feito no ano de 2012 entre os produtores da Coocam, que constatou que a região é propícia para o cultivo da canola, a área plantada, que no ano passado foi de 100 hectares, passou para 800 hectares em 2013. As colheitas já aconteceram nos meses de outubro e novembro entre os produtores da Coope-

rativa e indicaram o sucesso da cultura, que tem demonstrado bons resultados e fácil adaptação à região. Segundo o presidente da Coocam, João Carlo Di Domênico, a canola apresentou-se como uma alternativa entre os produtores da Coocam, que queriam mais opções de cultura de inverno, devido ao baixo desempenho financeiro do trigo em


Inovação

A área plantada que foi de 100 hectares em 2012, passou para 800 hectares em 2013

2012. “Com foco na inovação e diversificação produtiva, a Coocam, única cooperativa a plantar a cultivar em Santa Catarina, tem apostado na cultura, que, devido ao bom desempenho deste ano, está ganhando novos adeptos”, enfatizou João. Conforme o engenheiro agrônomo da Coocam, Cristiano Nascimento, a canola é uma boa opção porque não compete com o trigo, e o plantio é feito antes do milho, quando a área geralmente está ociosa ou apenas com cobertura, que não é lucrativa aos produtores. “Fizemos uma tentativa de plantar canola antes do milho e, assim, gerar mais uma opção de renda aos produtores rurais que optarem por ela. Trabalhamos com objetivo da maior diversificação de cultivares possível, na

rotação de culturas economicamente viáveis, e assim, com foco no alto rendimento da área produtiva”, explicou Cristiano. Segunda dados da Embrapa, a Canola é uma espécie oleaginosa, da família das crucíferas, passível de incorporação nos sistemas de produção de grãos do Sul do Brasil. Por valer-se da estrutura de máquinas e equipamentos agrícolas já existentes nas propriedades, destaca-se como uma excelente alternativa econômica. Destinada para a produção de óleo para consumo humano, inclusive sob a indicação de nutricionistas como uma alternativa mais saudável, a canola também é utilizada para a produção de biodiesel e ainda para a formulação de rações.

51


Barracão • Campos Novos • Curitibanos • Lebon Régis w w w.c o o c a m .c o m . b r


Especial Coocam  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you