Page 7

SETEMBRO A NOVEMBRO

O

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, CIÊNCIA E VIDA

Texto Olgamir Amancia*

s princípios da Declaração Universal dos Direitos Humanos inspiram a Universidade de Brasília desde a sua criação, em 1962, como uma universidade ousada e comprometida com o desenvolvimento da ciência e a serviço dos interesses nacionais. Por isso, a campanha “UnB mais humana”, orientadora das ações institucionais durante o ano de 2018, celebra o marco histórico da Declaração e reafirma o compromisso da Universidade com a promoção e a defesa da liberdade, da igualdade e da dignidade humana. A criação do Conselho dos Direitos Humanos da Universidade de Brasília (CDH UnB) foi o maior dos gestos de compromisso institucional, ao estabelecer um espaço colegiado para a proposição de políticas e ações devotadas à promoção e defesa de direitos. A extensão universitária participa ativamente desse esforço, corroborando a afirmação de Anísio Teixeira, para quem a nossa humanização resultará “do estudo da ciência aliada ao da sua aplicação e de suas conexões com a filosofia e a vida” (2014: 261). Este entrelaçamento entre ciência e vida é uma dimensão própria da extensão, que articula de forma significativa e potencialmente transformadora o saber e o agir. Assim, a extensão — ao lado do ensino e da pesquisa — potencializa a Universidade no exercício da reflexão crítica da realidade, na produção de conhecimentos e práticas sociais com base no diálogo e no respeito à diversidade. A UnB possui centenas de ações de extensão, que promovem a educação em direitos humanos, o empoderamento de pessoas LGBT, o combate à violência contra mulheres, a defesa dos direitos das pessoas com deficiência, dos povos indígenas e das pessoas negras, de forma a combater a discriminação e o preconceito de qualquer natureza. As atividades contribuem para a superação da intolerância, realizando uma formação técnica, ética e estética de cidadãs e cidadãos para o convívio democrático e a emancipação humana. Portanto, as interações entre Universidade e sociedade, dinamizadas por essas ações extensionistas, cumprem um importante papel na promoção e defesa dos direitos humanos, enquanto expressão mais ampla da cidadania. Passados 70 anos, estamos distantes das grandes promessas de igualdade, liberdade e fraternidade enunciadas na Declaração Universal dos Direitos Humanos, mas devemos persistir na construção de experiências sociais para sua realização. A extensão na Universidade de Brasília está a serviço desse projeto, empenhada em tornar mais humanas as relações entre as pessoas, entendendo ser essa uma condição fundamental para a difusão de uma cultura de paz e a construção de um país mais justo e democrático. REFERÊNCIAS

Ilustração Camila Diniz

TEIXEIRA, Anísio. Ciência e humanismo. In: ROCHA, J.A. de L. Anísio Teixeira e a cultura: subsídios para o conhecimento da atuação de Anísio Teixeira no campo da cultura. Brasília: Editora Universidade de Brasília (EDU); Salvador: EDUFBA, 2014.

* Decana de Extensão da Universidade de Brasília

7

Darcy Nº 20  
New
Advertisement