Issuu on Google+

Turnê

M omix volta ao B rasil

1º Festival Nacional

de

Dança

Aprendendo com o Ballet Saiba mais 5 Questões dor e lesões

Entrevista

Oswald Berry, Henry Camargo e Yoko Okada

Internacional

InTime

Oportunidade através da arte DB 1


DB 2


Expediente Diretora Eleusa Lourenzoni Redação e Jornalista Responsável Ivan Grandi DRT nº035658 SP Conselho Editorial Geraldo Grandi, Eleusa Lourenzoni Comercial Damaris Rafael Arte / Designer Lourruama Moraes Contábil Kanamaro & Lucas Jurídico Maluf e Geraigire Advogados - Brasil, Escritório Jurídico Consenza, Shepard Mullin - EUA Expedição e Circulação Nilson Saranz e Luiz Vitta Atendimento Mariana Sanches Administrativo Tânia Plassa Reporter Fotográfico Colaborador Reginaldo Azevedo -São Paulo, Jorge Luís Castro - Rio de Janeiro Colaboradores Celi Barbier, Luis Arrieta, José Luis Gioia, Aline Bucco, Dr. Alexandre Barbosa, João Roberto Souza, Milene de Sousa Representante Rio de Janeiro Hélio Vasconcellos helio@dancabrasil.com.br ________________________________ Assinaturas e-mail: assinaturas@dancabrasil.com.br ou ligue para (11) 2950.4082 ________________________________ ATENDIMENTO AO LEITOR (11) 2978-2097 / sac@dancabrasil.com.br Revista DANÇABRASIL® é uma publicação mensal da DB Editora. Distribuição gratuita por intermédio de lojas de artigos de dança, eventos específicos e assinaturas. Tiragem 10.000 exemplares. Registro INPI nº 828782261 www.dancabrasil.com.br Orkut: www.orkut.com.br/aspx/dancabrasil Twitter: www.twitter.com/dancabrasil YouTube: www.youtube.com/jornaldancabrasil Facebook: www.facebook.com/dancabrasil Revista DANÇABRASIL

®

uma publicação da

Editorial

Olá amigos da dança. Nesta edição apresentamos como matéria de capa o jovem casal de bailarinos Bruna Gaglianone e Erick Swolkin, ambos formados pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Bruna e Erick foram contratados em julho para integrar a companhia profissional do Ballet Bolshoi de Moscou na Rússia. Uma história imperdível! Depois do grande sucesso em 2010, o grupo Momix volta ao Brasil para apresentar o espetáculo Botanica. No Rio de Janeiro, Tânia Ferreira lança seu terceiro livro, entitulado: Vermelho: a cor de Camem e do Flamenco, com direito a noite de autógrafo na Bienal do Livro. Pela segunda vez no Brasil, o espanhol Manuel Reyes Maya ministra um Workshop de Dança Flamenca. Neste mês, entrevistamos três grandes nomes da dança: Oswald Berry, Henry Camargo e Yoko Okada. Leia e inspire-se! Em nossas páginas, você irá encontrar diversos workshops e festivais. Programe-se e aproveite. Destancando o 1º Festival Nacional de Dança Aprendendo com o Ballet, na cidade do Samba, Gamboa, Rio de Janeiro. Vale a pena conferir! Tenham todos uma boa leitura! Vejo vocês em algum lugar deste maravilhoso mundo da dança.

Ivan Grandi

Revista Dança Brasil – a publicação oficial da dança no Brasil

Caixa Postal

Envie seu e-mail para: contato@dancabrasil.com.br

DB Editora. Não se

responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.

Os colaboradores não recebem remuneração direta do jornal. © 1991 - 2011 Todos os direitos reservados Próximo fechamento 15 de setembro de 2011

Contato da Redação (11) 2959-1589 / contato@dancabrasil.com.br Endereço para correpondência R. João Pizarro Gabizo, 21 - Santana São Paulo - SP - CEP: 02038-040 Contato da PUBLICIDADE contato@dbeditora.com.br DB Editora LTDA www.DBeditora.com.br Publicações: Revista Dança Brasil, Guia das Escolas de Dança, Dança Bairro, Dança Gospel.

Minha revista Dança Brasil acabou de chegar! Que delícia! Passar um tempinho lendo! Mayara Martins - via facebook. Ivan, Obrigada pela oportunidade de falar ao Brasil inteiro sobre a dança que faço, que me move e a qual acredito. Expor e compartilhar minha história, meus projetos e as questões que me provocam, realmente é oportunidade única. Me senti um ser “dançante”, cada vez mais comprometida com a evolução e continuidade deste grande trabalho que envolve a Dança no Brasil! Obrigada pelo respeito, carinho e reconhecimento! Abraços, Neide Garrido - Campo Grande - Mato Grosso do Sul

Caro Ivan Grandi. Ninguém melhor do que eu para saber o que significa a luta para manter uma publicação de dança circulando. Meu jornal acabou de fazer 17 anos. Dança Brasil chegar aos 20 anos é um feito glorioso, que merece todo o respeito e aplauso. Muitos ficaram pelo caminho. Aceite meus cumprimentos. Grande abraço, Milton Saldanha - Jornal Dance - editor

Nossa

capa:

Bruna Gaglianone e Erick Swolkin. Crédito: Sérgio Almeida.

DB 3


Workshop

Pela segunda vez no Brasil

Workshops de Dança Flamenca O renomado bailarino (bailaor), coreógrafo e professor de dança flamenca, Manuel Reyes Maya estará no Brasil em outubro, para ministrar workshops destinados a quem se dedica ao estudo desta arte. “O flamenco reflete momentos e vivências de toda uma cultura”, afirma o bailarino. Pela primeira vez no País, Manuel Reyes é considerado um dos mais importantes nomes do flamenco atual na Espanha. Dono de uma técnica impecável e enorme sensibilidade, ministra aulas há 15 anos na renomada escola de arte flamenca “Amor de Dios”, em Madri. Em 1994, Manuel recebeu, juntamente com seu irmão e também bailarino Antônio Reyes, o Prêmio de Coreografia da Sociedad General de Autores de Madri, e em 2007, na XVI Edição do Concurso de Coreografia no Teatro Albéniz (Madri), o prêmio de Coreografia Solo. Além de bailarino, é também músico, e já mostrou o seu talento como saxofonista em bares e tablados flamencos em Madri. Considera que “cada bailarino deve, ou deveria, levar um músico dentro de si. Na dança, a música é o mapa, a rota pela qual o bailarino se guia”. Em sua longa carreira artística, que começou quando tinha apenas sete anos de idade, Manuel Reyes atuou em importantes teatros na Espanha e no mundo. Experiente maestro, já realizou workshops e oficinas em cidades como Paris, Marselha, Copenhague, Estocolmo, México D.F., Nova Iorque, Toronto, Montreal e Tóquio. Sobre Manuel Reyes Maya Nasce em Córdoba no seio de uma família “gitana” (cigana) em 1974. Inicia seus estudos de dança em Madri aos sete anos em Amor de Dios, escola de arte flamenca de reconhecimento mundial. Desde então, passou a conDB 4

struir uma forma própria de entender a arte flamenca, convertendo-se em um “bailaor” autodidata. Dos 10 aos 22 anos estudou Dança Clássica no Ballet Nacional da Espanha. O primeiro grande reconhecimento como profissional veio aos sete anos com as participações nas obras: Medea e Los Tarantos. Colaborou em diversas produções artísticas para diferentes companhias de dança como “Pasión Gitana” de Joaquin Cortés, “Torero” de Antônio Canales e “Jugando con Bach”, “Sinfonia Española” e “Hamlet”, entre outras, de José Granero. Fez também parcerias com artistas como Concha Velasco, Blanca del Rey, Merche Esmeralda, Belén Maya e Rafalea Carrasco, entre outros. Com sua própria companhia realizou turnê mundial com dois espetáculos onde, além de bailaor, é compositor de letra e música: “Manuel Reyes en Vivo” e “Colores”. Atualmente, trabalha em sua nova produção “Ensayos y Acuerdos”. *Flamenco: Arte composta por três alicerces: o violão (guitarra flamenca), a dança (baile) e o canto (cante), o flamenco surgiu no sul da Espanha a partir do encontro das culturas andaluza, árabe, judia e cigana. Há muito, a beleza e a intensidade desta arte ultrapassou as fronteiras da Andaluzia e conquistou o mundo. AGENDA Workshop Internacional com Manuel Reyes

de

Flamenco

SÃO PAULO: de 12 a 16 de outubro.

Local: Centro de Arte e Dança Flamenca Adriana Rabello (Realização: Renata Taño)

Endereço: Alameda dos Maracatins, 1093-A, Moema PORTO ALEGRE: 17 a 19 de outubro LOCAL: Centro Español (Realização: Francine

Divulgação.

com o espanhol MANUEL REYES MAYA

AVANÇADO 2ª. 3ª. 4ª 20h: 30min – 22h Informações e Inscrições Porto Alegre: (51) 9336 75 91 francinelarubi@gmail.com.br Informações e Inscrições SP: (11) 7393.9068 manuelreyesbrasil2011@yahoo.com.br www.manuelreyesbrasil.com.br Vagas limitadas Outras Cidades: CAMPINAS: 21 a 23 de outubro. Apoio: Danza Flamenca/ Casal Flamenco/ Café Tablao/ Lastra Viagens e Turismo/ Editora As Américas/ Soleá Café Tablao/ Adriana Rabello Studio Flamenco/ Calà Del Grau/ Francine la Rubi Danza Flamenca/ Lãs Canasteras/ Centro Espanhol Porto Alegre/

La Rubi).

Rua Travessa Sul, 102. Porto Alegre INICIANTE/INTER 2ª. 3ª. 4ª 19h- 20h: 15min

Para saber mais sobre a trajetória de Manuel Reyes, acesse: www.francinelarubi.blospot.com.br www.manuelreyesflamenco.com

www.manuelreyesbrasil2011.blogspot.com


JMCOM

www.capezio.com.br

so suces no festival de dança

de Joinville

%FVTÏåFM DB 5


Saiba mais

5 questões sobre

dor e lesões no ombro Lembra aquela dorzinha nas costas que lhe perturba há tempos? Ou então aquele incômodo no ombro e no pescoço que lhe atormenta dias a fio? Você já parou para pensar que o modo como você senta, deita e para em pé podem ser os grandes vilões dessa dor que não tem fim? Ou Até mesmo excesso de trabalho, stress físico e mental bem como situações que desencadeiem ansiedade e tensão, podem também ser gatilhos para as crises de dor na região cervical e ombros. O ortopedista Alexandre Póvoa Barbosa, da clínica Orthobone ajuda na prevenção dessas dores. Uma queixa comum ouvida por clínicos e ortopedistas se refere às dores nos ombros que irradiam para os braços chegando até as mãos, independentemente da idade do paciente. “Essa realidade é mais evidente em pessoas que usam computadores por várias horas e em donas de casa que fazem atividades domésticas corriqueiras como limpar, passar e esfregar”, comenta ortopedista Alexandre Póvoa Barbosa, da Clínica Orthobone. Segundo o especialista, essas dores devem ser sempre bem avaliadas por um médico, pois a continuidade dos sintomas pode levar a um agravamento do quadro inicial, culminando com limitações mais graves e mais difíceis de tratar. “A dor pode ser causada por lesões inflamatórias nos tendões (tendinite), em virtude de movimentos repetitivos, por exemplo,” explica. A melhor dica para evitar as dores é manter a boa postura, principalmente diante de computadores e ao andar. “Desse modo, evita-se a persistência do mal que pode levar à diminuição de força e limitações de movimentos, além de demandar cirurgias maiores e mais demoradas”, ressalta o médico. DICAS PARA MANTER UMA POSTURA CORRETA •Andar sempre ereto, olhando acima do horizonte. Imagine que alguém está puxando seu cabelo para cima. •Sentar-se em assentos mais altos e firmes e não cruzar as pernas, mantendo as costas retas na posição vertical. Procure não curvar as costas. •Para dormir: deite-se de lado, com as pernas encolhidas. Use um travesseiro não muito macio na altura do ombro (que mantenha a linha da coluna em DB 6

sua curvatura normal). É aconselhável colocar um pequeno travesseiro entre as pernas ligeiramente flexionadas. Dor nos ombros é um desconforto que acomete pessoas de todas as idades. Mas nem sempre nos atentamos a este sinal, que muitas vezes pode ser indício de problema grave. Hábitos

ombros?

posturais podem provocar dor nos

Sim, os hábitos posturais são uma causa frequente de dor nos ombros. Quais

hábitos posturais levam a dor nos

ombros?

Quanto colocamos a mão acima da cabeça ou atrás da cabeça, a região da grande tuberosidade colide contra o arco coraco acromial e provoca uma isquemia ( falta de sangue) temporária na região. Caso essa posição permaneça durante muitas horas a isquemia pode provocar micro lesões no tendão. Com o passar dos meses e dos anos pode ocorrer ruptura do manguito rotador. Essa posição é muito comum na hora de dormir. Alguns pacientes tem o hábito de dormir com a mão acima ou atrás do travesseiro, ou até mesmo sob o travesseiro. Durante o trabalho também é comum hábitos posturais incorretos. Um dos principais fatores desencadeantes de dor no ombro (por problemas posturais no trabalho) está relacionado ao fato de trabalhar durante horas sem apoio para os cotovelos. Quando digitamos sem apoiar o punho e o cotovelo levamos os músculos da cintura escapular à fadiga. Os músculos fatigados são mais facilmente lesados. Com o tempo surgem dores na parte posterior do ombro (mialgia do trapézio, rombóide, etc) e posteriormente surgem os problemas dentro da articulação. Digitar sem apoio para o cotovelo pode levar também a uma sobrecarga do músculo deltóide . Esse pode se sobrepor a centralização da cabeça umeral levando a ascensão dessa que colidi contra o acrômio provocando novamente uma síndrome de impacto. O hábito de dirigir segurando na parte de cima do volante também pode levar a dor, principalmente na região posterior do ombro. Como

prevenir e tratar as dores no ombro

provocadas por hábitos posturais equivocados?


O primeiro passo é identificar os problemas posturais, a seguir devemos mudar os hábitos e em terceiro lugar devemos procurar um ortopedista para diagnosticar quais grupos musculares estão acometidos para instituir o trabalho fisioterápico ou de reforço muscular em academia e dessa maneira melhorar a dor. Hábitos

posturais também provocam dores

no esporte?

Sim, o movimento descoordenado e feito de modo incorreto provoca dores e lesões nos atletas e em praticantes de esportes. Quais

esportes e atividades estão ligados a

dores no ombro?

Praticamente em todos o esportes é possível sentir dores nos ombros, porém, é mais frequente em esportes com movimento de arremesso e com movimentação ativa das mãos acima do nível dos ombro, por exemplo vôlei, natação, beisebol, tênis, etc. Porém atletas em outras modalidades também podem apresentar dor no ombro. Exemplo Luta livre, haltefilismo, etc. As dores do ombro no atleta ligadas a problemas posturais estão relacionadas com a realização do movimento de arremesso em posição errada. Ao realizarmos o movimento de arremesso para atirar uma pedra, cortar uma bola no vôlei a arremessar uma bola no beisebol. No movimento de arremesso realizamos uma sequencia de movimentos com o tórax e com o membro superior. O tórax e o membro superior devem mover-se coordenadamente e não ficar mais à frente que o ombro. O movimento ideal do ombro é feito no plano da escápula. OUTROS CASOS A má postura é a principal causa da maioria destas lesões, pois o corpo se movimenta de forma inadequada, gerando desequilíbrios e sobrecarga em ossos, músculos, tendões e ligamentos. A maioria das pessoas que buscam tratamento para estas lesões não obtém bons resultados, pois a maioria dos tratamentos não elimina a causa do problema. Estas pessoas então aprendem a conviver diariamente com a dor ou gastam uma verdadeira fortuna em remédios e outras soluções temporárias para os sintomas. Algumas das lesões mais comuns causadas pelas alterações posturais são: Ombro Lesões no ombro são comuns devido ao impacto entre os ossos durante a movimentação do braço acima da cabeça, pinçando a bursa e os tendões presentes

nesta região. O impacto normalmente ocorre devido à alterações musculares (fraqueza e encurtamentos) gerados pela má postura, como hipercifose torácica (corcunda) e ombros deprimidos e/ou protrusos. Lombar Muitas vezes a causa da dor lombar é desconhecida, porém ela está intimamente relacionada à má postura. As alterações posturais tornam ineficientes os músculos e ligamentos que deveriam sustentar a coluna e colocam em tensão outros músculos que não estão preparados para esta função, o que resulta em espasmos musculares e muitas vezes, em desgaste articular. Joelho Muitas vezes referida como dor fêmoropatelar, é uma lesão de esforço que resulta em dores inespecíficas na parte da frente do joelho, geralmente agravada por subir ou descer escadas ou morros e levantar-se após ficar sentado por longos períodos. As alterações posturais geram fraquezas e encurtamentos dos músculos que atravessam o joelho, sobrecarregando esta articulação. Outros fatores posturais que podem contribuir para este tipo de lesão incluem: pronação excessiva dos pés e rotação interna das coxas. Pescoço Dor e rigidez nos ombros e pescoço são um problema extremamente comum, especialmente para quem passa muito tempo do dia sentado. Muitas pessoas adotam uma massagem regular como tratamento, mas a causa real tende a ser postural. Corrigir os desequilíbrios posturais através do alongamento dos músculos peitorais e rotadores internos dos ombros pode resultar em uma solução de longo prazo. Ciática A dor ciática se refere à dor na parte traseira das pernas e sua origem pode ser pela compressão do nervo na coluna lombar (hérnia de disco ou deslizamento posterior de disco), ou essa compressão pode ocorrer no ponto onde o nervo ciático passa por baixo de um músculo das nádegas (piriforme). Nos dois casos é provável que a má postura seja a causa dos sintomas. SERVIÇO: Alexandre Póvoa Barbosa Ortopedista e Médico do Esporte Clínica Orthobone Tel: (11) 21652351 www.orthobone.com.br DB 7


Workshop

Divulgação.

Chair Dance

Em setembro, acontece em Ribeirão Preto um Workshop IM-PER-DÍ-VEL sobre Chair Dance. Apaixonados por dança, arte, história e cultura burlesca, estão convidados a participar: dia 3 de setembro, no Backstage Studio. Os participantes aprenderão sobre a história da “Dança da Cadeira” tão associada aos cabarés e à sensualidade, além de ter uma aula prática exclusiva. Isso mesmo, além de conhecer a origem do Chair Dance, o participante também aprende a dançar. As vagas são limitadas para que cada aluno tenha o máximo de aproveitamento. Então corra e garanta a sua!

Divulgação.

Mas o que é Chair Dance? É uma performance com origem nos cabarés dos anos 30/40 em que a dançarina se utiliza apenas de uma cadeira para encantar a plateia. Com

DB 8

movimentos ágeis, sensuais e bastante firmes, a performance ganha mais destaque ainda quando o figurino é bem feito, lembrando as raízes burlescas da prática. O que muita gente não sabe, no entanto, é que a Chair Dance pode ser ensinada e considerada um ótimo exercício cardiovascular, ajudando a tonificar os músculos da perna e glúteos, além de alongar e dar mais flexibilidade. Quem vai ministrar o curso? O Workshop será ministrado pela nossa professora Alexandra Valença, a primeira a trazer o Pole Dance para o Brasil como modalidade fitness. Alexandra é professora de Dança de Salão e leva na bagagem experiências com balé clássico, ginástica olímpica, dança popular, circo e teatro. Se formou no curso avançado de Pole Dance em Amsterdã e é especialista em Artes Sensuais, promovendo cursos Brasil a fora de Chair Dance, Lap Dance, Striptease, entre outros. SERVIÇO Workshop de Chair Dance com Alexandra Valença Quando: 3 de setembro de 2011 Horário: das 14h às 17h Quanto: R$120 as inscrições antecipadas e R$180 no dia Onde: Backstage Studio R. Dr. João Palma Guião, 747 Alto da Boa Vista - Ribeirão Preto/SP Inscrições e Informações: (16)3620.4566


Gala “Pas de Cuba”

HOMENAGEM A ITÁLIA

Mais de 50 bailarinos na homenagem ao Momento Itália no Brasil. Crédito: Cynthia Oliveira.

A alegria da tarantela imortalizada por August Bournonville nos famosos balés de repertório: “Nápoli” e “Festival das Flores em Genzano”, deram o tom do espetáculo de encerramento do III Pas de Cuba – Curso Intensivo de Inverno, que todos os anos se realiza, na Região Metropolitana de Campinas, dentro de um intercâmbio cultural para bailarinos e professores de ballet. Os mestres do famoso Ballet Nacional de Cuba fizeram uma homenagem ao “Momento Itália no Brasil”, em duas apresentações nos dias 29 e 30 de julho, respectivamente no Auditório Municipal de Valinhos e Theatro Municipal de Paulínia, reunindo uma centena de bailarinos provenientes de várias partes do país. O vice-cônsul da Itália, Álvaro Cotomacci e a vice-consulesa Regina Cotomacci elogiaram o espetáculo, ressaltando “a beleza das palmas e pandeiros perfeitamente sincronizados à música”- comentaram. A produtora cultural, Bernadete Faria, idealizadora do evento, explica que “todos os anos fazemos uma homenagem na Gala Pas de Cuba e a cidade sede desta terceira edição, foi Valinhos, onde existe uma forte presença italiana, portanto, considero uma escolha acertada celebrarmos o “Momento Itália no Brasil, que será comemorado em todo o país até meados de 2012”. O desafio de montar um espetáculo em três semanas, mais uma vez foi coroa-

do de êxito. Segundo Bernadete, “um desafio ainda maior, pois, praticamente nenhum dos bailarinos conhecia este balé (Nápoli) e mesmo montando apenas uma suíte do terceiro ato, não foi fácil ensaiar um grande corpo de baile com mais de 50 bailarinos em cena, acompanhando a música com palmas, em uníssono”. O resultado deste intenso trabalho dirigido pelo bailarino principal do Ballet Nacional de Cuba, Félix Rodríguez, foi muito aplaudido nas duas apresentações. O III Pas de Cuba contou ainda com a presença da ex-bailarina e diretora artística do BNC Maria Del Carmen Hechavarria, assistente coreográfica de Alícia Alonso. Sahyly Presmanes, que por 15 anos integrou o corpo de baile da companhia e Miguel Pozo, mestre em pas de deux da Escola Nacional de Ballet de Cuba e do BNC.

Maria Del Carmen, Regina e Álvaro Cotomacci, Bernadete Faria, Félix Rodriguez, Sahyly Presmanes e Miguel Pozo. Crédito: Cynthia Oliveira.

DB 9


Lançamento

TÂNIA FERREIRA LANÇA LIVRO NA BIENAL DO LIVRO NO RJ Tânia Ferreira lança seu terceiro livro, Vermelho: A cor de Carmen e do Flamenco, pela All Print Editora, neste mês, na XV Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. O evento ocorrerá entre os dias 1 e 11, no dia 3, das 19h às 21h, Tânia Ferreira estará presente para uma noite de autógrafos.

Saiba mais sobre a autora Tânia Ferreira é Pedagoga pela PUCSP, Psicóloga pela Universidade São Marcos, Mestre em Educação, Arte e História da Cultura e Doutora em Letras pela Universidade Mackenzie. É formada pela Escola Municipal de Bailado de São Paulo; possui aperfeiçoamento em ballet clássico pela

Tânia Ferreira. Divulgação.

Ainda em setembro, dia 30 às 20h, Tânia fará uma noite de lançamento no Instituto Cervantes em São Paulo.

Em 2007 publicou o livro Dança Flamenca, Expressividade e Cotidiano, inédito na área da Dança Flamenca. Também em 2007, realizou sua segunda publicação com o livro Gênero, Mídia e Sociedade. Em 2009, seu livro Dança Flamenca, Expressividade e Cotidiano passou a fazer parte do acervo da Cátedra de Andaluzia, Espanha; e em 2010, do Instituto Cervantes de São Paulo. Serviço: XV Bienal do Livro do Rio de Janeiro Pavilhão Verde - Rua Q - Estande 22 Dia 3/9, das 19h às 21h Av. Salvador Allende, 6555 Barra da Tijuca – RIOCENTRO

Royal Academy of Dancing de Londres; e em Flamenco pelo Centro de Arte Flamenca Amor de Dios - Madrid/Espanha. Tania Ferreira realizou mais de 300 espetáculos temáticos e recebeu 1ºs lugares em diversos festivais em todo o Brasil. DB 10

Instituto Cervantes de São Paulo Dia 30/9, às 20h Av. Paulista, 2439 – Térreo All Print Editora www.allprinteditora.com.br Telefones: (11) 2478-3413 / 24783414 - ramal 14


Ponto de Vista

Crédito: Antonio Carlos Cardoso.

LA.coluna

DIA DOS PAIS Hoje no Brasil é o dia dos pais. Diferente do terceiro domingo de junho comemorado na Argentina. Penso no meu pai falecido em agosto de noventa e quatro. Dezessete anos. Penso nesse homem como o homem a quem mais eu tenha olhado nos olhos como perguntando algo e sem poder compreendê-lo. Lembro do seu olhar como perguntando algo e sem poder compreender-me. Passamos anos próximos e distantes. Adivinhando no silencio e nos gestos contidos a imensidão que se estendia por trás das nossas pupilas. Creio que ele poderia ter gostado tanto de mim se me tivesse conhecido. Eu sei que ele guardava intata dentro de si a criança aberta e amorosa com que todos nascemos. A dureza do mundo masculino nos confrontou como gladiadores da arena. Troce para textos e danças as imagens heróicas

e amorosas que na minha solidão sabia existirem nele. Dos seus últimos olhares guardo a aquosa mirada de compaixão e aceitação. Creio que ele também adivinhava em mim o amor paralisado e o heroísmo da luta do guerreiro que me habita. Quase na maioridade do tempo da sua ida recupero o cheiro da loção após barba na sua mão esquerda segurando meu queixo enquanto a direita penteia cuidadosamente meu topete engomado na hora de arrumar-me para o passeio. Assim, em suas mãos fortes, minha cabeça de criança inclinada para trás, olhos nos olhos, é o abraço mais profundo que recordo dele. O resto do caminho foi procurar esse encontro nas gentes e nas coisas da minha estrada. Sinto-te perto. Não te demores.

Luis Arrieta, São Paulo, 14 2011.

de agosto

de

DB 11


Festival

1º Festival Nacional de Dança

Aprendendo com o Ballet Texto e fotos Jorge Luiz Castro

Em agosto foi realizado um encontro para o anúncio do 1º Festival Nacional de Dança, Aprendendo com o Ballet, na sede da Beija-Flor de Nilópolis. O evento foi organizado pela responsável do projeto, Ghislaine Cavalcante, para homenagear um grupo de personalidades da área da Dança Clássica que apoiam a iniciativa, reunir a equipe técnica e apresentar o Festival. Estiveram presentes o Prefeito de Nilópolis, Sergio Sessim e sua esposa Sra. Sônia Sessim, dirigentes da ES Beija-Flor, Mariza Estrella, Wanda Garcia, Alda Marques, Cecília Wanstock, Vera Aragão, Celeste Lima, Washington Cardoso, professor da Escola Carlota Portella e Claudia Antonia. O projeto do Ballet Comunitário do GRES Beija-Flor será realizado neste mês, de 16 a 18 de setembro, na Cidade do Samba, Gamboa, Rio de Janeiro. Será um Festival aberto, em formato de competição, com Mostras e Oficinas. DEPOIMENTO DE GHISLAINE CAVALCANTE Diretora Geral 1º Festival Nacional de Dança Aprendendo com o Ballet Ghislaine Cavalcante é Bailarina, formada pela Escola Estadual de Danças Clássicas do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, atualmente Escola Estadual Maria Olenewa. Começou seus estudos aos 9 anos, e aos 18 fez uma audição para a Cia de Walt Disney, sendo aprovada, iniciando-se profissionalmente. Seguindo com a Cia percorreu diversas cidades na Europa, ao final do contrato, permaneceu na Espanha, trabalhando com grandes Coreógrafos numa emissora de Televisão do Estado. Regressando ao Brasil em 1975, retomou as aulas, atuando como professora e aluna com Leda Yuki e Tatiana Leskova, onde ficou durante 18 anos, apresentou-se também em Espetáculos no Scala e Hotel Nacional. DB 12

“Esse projeto na Beija-Flor de Nilópolis também é uma forma de homenagear essas pessoas que fizeram parte da minha vida, que contribuíram para que eu fosse a pessoa que sou hoje dentro da Dança” “A minha contribuição nesses 14 anos que tenho de Beija-Flor, uma oportunidade que me foi oferecida pelo Presidente de Honra, foi fazer a Comissão de Frente, com 6 títulos, vários Vices, Terceiros e Quinto lugares, conquistados com muita honra, um trabalho árduo, com diversas pessoas, esses integrantes que me completaram, e a gente vai sempre aprendendo muito, não só com o que tem, mas com o novo também. Hoje em dia eu tenho um excelente relacionamento com eles, depois de todo esse tempo, e nessa festa que nós estamos realizando, o Primeiro Festival Nacional de Dança, eles estão contribuindo com suas presenças e solidariedade. Agora, com 11 anos desse Projeto “Aprendendo com o Ballet”, vinculado às Comissões de Frente, é que eu decidi com o João Luiz Lima fazer o Festival. Na realidade é um grande desafio, ia ser na quadra da Escola, mas tivemos que mudar o local, a Cidade do Samba nos abriram as portas, a diferença no espaço físico é enorme, existe uma estrutura, um palco maravilhoso e em virtude da confiança no meu trabalho, eu tenho a obrigação de fazer bem feito, valorizando seus profissionais, valorizando as Academias, valorizando os integrantes das Escolas, os grandes Bailarinos, conquistando o respeito e o reconhecimento do público e da sociedade em geral. O Festival é uma contribuição à Dança, não é apenas mais um festival, é uma iniciativa para valorizar as pessoas envolvidas com essa Arte, abrindo novas oportunidades e perspectivas. Essa oportunidade que nós estamos tendo, não contempla apenas a Beija-Flor, está aberto às outras agremiações e esco-

las que possuem seus projetos nessa área, e que por falta de espaço nas suas comunidades, possam desenvolver um trabalho maior e com mais qualidade com a estrutura oferecida pelas instalações da Cidade do Samba, e não sómente a Dança, mas outras Artes Cênicas também podem ser cultivadas dentro desse espaço. Fico emocionada com esse trabalho, porque a Dança é a minha vida, tudo que eu fiz em termos de Dança foi com amor, com o corpo e a alma. Eu sempre me dediquei muito, é o meu nome, que sempre cuidei de valorizar, o meu trabalho, a minha família, eu valorizo muito esse chão que estou aqui pisando, tenho a convicção de que não posso falhar com essa Escola, que abriga meu sonho e a condição de desenvolver meu trabalho. Recordo das vezes que ao pisar na avenida para abrir o espetáculo com a Comissão de Frente, estava por assim dizer, abrindo as portas para a Beija-Flor, ali era o inicio, e o inicio é muito importante, tem que ser bem feito, para que a Escola possa passar de forma tranquila. Considero um presente e um incentivo, a presença dessas pessoas que vieram aqui hoje, nessa pré-estréia, são pessoas natas da Dança, possuem uma história, um acervo dentro da Dança. Todas essas pessoas fizeram e fazem muito para nós estarmos aqui desfrutando desse legado. Gostaria de fazer uma grande festa da Classe nesse encontro, celebrando e buscando mais apoio do empresariado, desejando que as Escolas valorizem mais seus Coreógrafos, proporcionando mais


tempo, como eu tive na Beija-Flor, para que eles possam desenvolver e consolidar seus trabalhos e estilos. Por fim, fico satisfeita também com as meninas do Projeto, de estarem aqui, de participarem do Festival, porque elas são o futuro, o que tentamos fazer dentro de uma Comunidade é trazer novas perspectivas, que as pessoas tenham uma outra visão, para que possam ter uma outra opção de vida, aqui elas podem ser Bailarinas, professoras, ou almejar qualquer outra atividade. Mas uma coisa é certa, vão ter sempre disciplina e postura, adquiridas por terem feito Dança Clássica. Esse Projeto da Beija-Flor de Nilópolis atende de 140 a 160 crianças com idades entre 5 a 17 anos, oferecendo aulas e formação na Dança Clássica.” Ficha Técnica da apresentação: Coreografia: Ave Maria Coreógrafo: Douglas Amaral Bailarinas: Paula Frias, Priscilla Blanc, Jennyfer Fernandes, Raísa Belo, Tassiane Albuquerque, Izabor Tamara, Ingrid Araújo e Suellen.

Prefeito de Nilópolis e Sra. (Sergio Sessim e Sonia Sessim) no centro, ao lado Ghislaine Cavalcante (Direção Geral) João Luiz Lima (Produção e Direção Artística) Douglas Amaral (Coreógrafo) e as Meninas Bailarinas do Projeto que se apresentaram: Paula, Priscilla, Jennyfer, Raísa, Tassiane, Izabor, Ingrid e Suellen.

As Senhoras homenageadas, Mariza Estrella, Wanda Garcia, Alda Marques, Cecília Wanstock, Vera Aragão, Celeste Lima

Ghislaine Cavalvante e sua equipe.

DB 13


Festival

Festival

2º FESTIVAL DE DANÇAS DO PIRANGA

PONTE NOVA EM DANÇA

A Associação das Escolas de Dança e Incentivo à Cultura – AEDIC, promoverá o Festival São José em Dança – 2° Edição, festival competitivo, com intuito de difundir a arte da dança e fomentar o trabalho de coreógrafos, diretores, e bailarinos, abrindo suas portas para sediar as apresentações de múltiplos espetáculos e colaborando com o desenvolvimento desta arte, no período de 30 de Setembro, 01 e 02 de Outubro de 2011, no Ginásio de Esportes “Adhemar Machado de Almeida” Tartarugão. Com o objetivo de valorizar a cultura por meio das artes cênicas, especificamente a dança, contribuindo para valorização da identidade artística, a criação coreográfica, a integração entre profissionais da área, oportunidade para os artistas demonstrarem seus talentos artísticos no universo da dança, promover conhecimento nas varias linguagens e incentivar a continuidade do estudo da dança e formação consciente de novos bailarinos.

O festival é de responsabilidade do STUDIO DE ARTES NÚCLEO DE DANÇAS, entidade cultural, que tem por objetivos: incentivar, desenvolver e valorizar a arte, proporcionando intercâmbio de diversas regiões desenvolvendo atividades artísticas e culturais em uma diversidade de linguagens cênicas. O Festival acontece no Ginásio Poliesportivo do Esporte Clube Palmeirense, situado na Av. Nossa Senhora das Graças – Bairro Guarapiranga em Ponte Nova (MG), no período de 09 a 11 de setembro de 2011. Será constituido em uma mostra de danças de diferentes estilos e gêneros, envolvendo grupos de danças com seguinte programação: •Mostra Competitiva de Danças, com premiações para primeiro, segundo e terceiro lugares em cada categoria; •Palco Aberto com exibições em praça pública; •Oficinas de danças; •Palestras. Os trabalhos serão avaliados por uma comissão julgadora composta por membros de expressão no meio artístico da dança, que classificará os trabalhos com nota única. As coreografias classificadas em 1ºs,

2ºs e 3ºs lugares em cada modalidade/ categoria receberão troféu. Todos os participantes receberão certificado de participação. Durante a realização da competição haverá oficinas com professores convidados. Mais informações pontenovaemdanca@hotmail.com http://ponte-novaemdanca.blospot. com

Congresso

FUNDAÇÃO TEATRO MUNICIPAL TRIANON O 2º Congresso de Dança da Fundação Teatro Municipal Trianon de Campos dos Goytacazes, acontecerá em 16,17 e 18 setembro de 2011, e terá como tema: Planeta Dança. Durante três dias estaremos em contato íntimo com as expressões mais singelas e significativas do corpo que se envolve em movimentos, só pra dançar. O 2º congresso visa reunir profissionais que atuam em dança, educação física, fisioterapeutas e todos aqueles que se DB 14

SÃO JOSÉ EM DANÇA 2011

interessam pela área da saúde. Palestras, debates e espetáculos de dança vão marcar as atividades. Márcia Cristina Lisboa Diretora de Dança Mais informações Rua Marechal Floriano, nº 211 Centro – CEP 28010.160 www.fundacaotrianon.org.br. Tel.: (22) 2726-3500

Mostra Competitiva As inscrições para Mostra Competitiva deverão ser realizadas no período de: 01 de Agosto a 16 setembro de 2011, na sede da Associação das Escolas de Dança e Incentivo à Cultura – AEDIC, situada na Rua Guilherme Tell, n° 299, Bairro Santo Antônio, CEP: 13720-000 - São José do Rio Pardo/SP. Inscrições A Ficha de Inscrição encontra-se no site www.balletperolanegra.com.br Modalidades Balé Clássico, Repertório, Dança Contemporânea, Jazz, Dança de Rua, Dança de Salão, Sapateado, Danças Folclóricas e Étnicas, Estilo Livre. Cursos Serão oferecidos cursos de dança para os participantes interessados, com renomadas personalidades da dança atual. O valor do curso é de R$ 30,00 por participante. A divulgação dos cursos, ministrantes, horários, locais estarão no site www.balletperolanegra.com.br. Mais informações: (19) 9172.4522 (Reginaldo) (19) 9143.0527 (Daniel) saojoseemdanca@hotmail.com pepetodance@bol.com.br


DB 15


Programe-se!

ENCONTRO MUNDIAL DE STREET DANCE NO RIO DE JANEIRO SDC BRASIL O SDC BRASIL é um encontro mundial de street dance que acontece no Rio de Janeiro, ponto de efervecência cultural, possibilitando o contato do público com profissionais que investigam na teoria e na prática o processo de transformação e consolidação das danças urbanas mundialmente. O evento é um ponto de partida para descobrir talentos, possibilitar a troca de idéias e experiências e, mais ainda, transformar jovens de classes sociais distintas em protagonistas comprometidos com a sociedade em que vivem. São 5 dias de atividades artísticas e educacionais variadas proporcionando o intercâmbio cultural desse movimento no RJ por meio de workshops, jam sessions, mesa redonda, performances, festa e a III Batalha Urbana – SPDRJ. Contamos com a presença de profis-

DB 16

sionais de renome internacional, dentre eles dançarinos e coreógrafos, companhias convidadas, críticos de dança, curadores de eventos, pesquisadores e apreciadores. Colaboração do Sindicato dos Profissionais da Dança do Estado do Rio de Janeiro (SPDRJ), do Grupo de Estudos das Danças Urbanas (GEDU) e também o apoio do Circo Voador. Como parceiros: escolas de dança, eventos e instituições específicas de dança. sERVIÇO De 07 a 11 de setembro de 2011 Workshops (20 aulas). CALEAF SELLERS, BUDDHA STRETCH, IRON MIKE e FLOCKEY + 12 profissionais nacionais. *Jam Sessions, Mesa Redonda, Performances, Festa, III Batalha Urbana

SPDRJ, locking – popping – house – hip hop dance. Premiações: 1º Lugar: R$ 1.500,00, 2º Lugar: R$ 600,00, 3º Lugar: R$ 300,00 www.sdcbrasil.com.br


Lançamento

Lançamento Supera Expectativas A empresa “D” de Dança lançou no mês de Julho o AIR TÊNIS, Produto que inaugura um novo conceito de conforto e absorção de impacto em tênis para dança. O AIR TÊNIS, “D” de Dança, possui um avançado sistema de micro bolhas de ar, em seu solado, que absorve e distribui por toda sua extensão o impacto de passos e saltos, tanto no calcanhar como na parte da frente dos pés. Este material, além de inovador, agrada a bailarinos e bailarinas de diversas modalidades, pois possui um desenho exclusivo em seu solado, oferecendo boa aderência e bom deslizamento quando necessário.

O lançamento do produto nos festivais Passo de Arte de Indaiatuba e Joinville obteve grande aceitação do produto pelas bailarinas, professores e coreógrafos, superaram as expectativas da empresa.

Divulgação.

O AIR TÊNIS, “D” de Dança, é o mais leve tênis para dança do Brasil, a soma destes benefícios é o resultado de grande investimento em tecnologia e design, tanto na parte visual como em seus componentes.

DB 17


em Turnê

DE VOLTA AO BRASIL EM SETEMBRO E OUTUBRO,

Após o enorme sucesso da turnê brasileira em 2010, que passou pelas cidades do Rio de Janeiro, Curitiba e Ribeirão Preto, o Momix retorna em 2011 ao Brasil para apresentar Botanica em São Paulo e no Rio de Janeiro. Criado há 30 anos pelo visionário coreógrafo Moses Pendleton, o MOMIX – grupo que mistura dança, teatro e acrobacia com imagens e efeitos visuais hipnotizantes - traz pela segunda vez ao Brasil seu aclamado espetáculo Botanica. De 24 de setembro a 9 de outubro o grupo faz 15 apresentações no Rio de Janeiro – onde a turnê 2010 teve casas lotadas e pedidos de retorno - e em São Paulo, onde o espetáculo é inédito. O jogo de luzes e sombras, a combinação de cenários, projeções e adereços, somados à pericia e à beleza dos dez bailarinos-acrobatas alcançam um ápice neste espetáculo: aqui, Moses

aprofunda sua intensa relação com o jardim e seus elementos. É um manifesto em prol do equilíbrio do ecossistema, um desdobramento dos estudos e experiências que originaram o espetáculo Sun Flower Moon inspirado na própria vida do coreógrafo, nascido e criado numa fazenda ao norte de Vermont, EUA. Além das plantas e animais, criaturas estranhas – como o esqueleto de um animal préhistórico - ganham vida e dão um tom fantástico ao espetáculo, que tem duas horas de duração. As apresentações no Rio de Janeiro serão de 24 a 26 de setembro, no Theatro Municipal, e de 30 de setembro a 9 de outubro no Teatro Alfa, em São Paulo.

Divulgação.

BOTANICA, ESPETÁCULO DO GRUPO MOMIX

SERVIÇO Ingressos: TMRJ (ingresso.com.br e Ambivium tel. (21)2568 7005) e no Teatro Alfa (ingressorapido.com.br e Ambivium tel.(11) 2063 5087). Theatro Municipal do RJ Pça Floriano, s/n - Centro (21) 2332-9005/9191 24 de set (sáb) – 21h 25 de set (dom) – 16h e 20h 26 de set (seg) – 20h Plateia/Frisa/Camarote/Balcão Nobre: R$ 220, Balcão Simples: R$ 160, Galeria: R$ 80

Divulgação.

Teatro Alfa – São Paulo Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 - Sto Amaro Tel.: (11) 5693-4000

DB 18

30 de setembro (sex) – 21h30 1 de outubro (sáb) – 17h e 21h 2 de out (dom) – 18h 4 de out (ter) – 21h 5 de out (qua) – 21h 6 de out (qui) – 21h 7 de out (sex) – 21h30 8 de out (sáb) – 17h e 21h 9 de out (dom) – 18h Plateia 1 R$ 220, Plateia 2 R$ 220, Balcão 1 R$ 160


DB 19


Este é o meu mundo, o mundo da dança. luzia@dancabrasil.com.br 01. Evelyn Baruque e Gustavo Lopes; 02. Alexandre Snoop; 03. Nossa querida leitora mirim; 04. Jurandir e Boris; 05. Marcelo Gomes e Carolina; 06. Cecília, Viviane e Cláudia; 07. Karen Cruz e Vania Mola; 08. Andrea - Boston Ballet; 09. Geraldo Grandi e Aracy de Almeida; 10. Leandra e seu pupilo; 11. Aracy, Silvana, Eleusa e Regina; 12. Eliseu; 13. Da esquerda pra direita Simone Abreu, Eleuza Lourenzoni, Nayade Abreu, Ivan Grandi e Larissa Bazan; 14. Cristina Cará; 15. Edson Guiu; 16. Zulmira e Silvia da Capezio; 17. Espaço Edith Marques; 18. Eleusa Lourenzoni e Ligia S. Landau; 19. Elen; 20. Erika Novachi e Alexandre Macedo; 21. Turma D de Dança; 22. Cid - Piauí; 23. Faísca, sempre ligado; 24. Cristina Sanches e Ivan Grandi em NY; 25. Aniversário do Dança Brasil; 26. Rui Sitta e Laura Alonso com os professores do Cuballet; 27. Professores do YAGP Brasil.

3

1 2

6

4 5

9

7 8

10

DB 20


26

25

27

23 24

19

20

21 22

18 16 15

17

13

11

12

14

DB 21


Festival

V FESTIVAL SANTA CATARINA DANÇA OCORRE EM FLORIANÓPOLIS DE 15 A 18 DE SETEMBRO Cecília Kerche e outros convidados especiais estarão presentes no evento que reúne mais de dois mil bailarinos de todo o país

Shara - Grupo convidado. Divulgação.

O V Festival Santa Catarina Dança ocorre de 15 a 18 de setembro em Florianópolis, no palco do Teatro Pedro Ivo. Este ano o evento está com várias novidades e uma delas é a oferta de R$ 25 mil em prêmios para os grupos da Mostra Competitiva. Foram convidados jurados reconhecidos na área e ainda haverá Oficinas de Dança ministradas por coreógrafos do Brasil inteiro. No ano passado, mais de dois mil bailarinos passaram pelo palco do Teatro Pedro Ivo e a expectativa da coordenadora, coreógrafa Rosângela Déa de Melo, é que a participação seja ainda maior com o acréscimo de mais um dia de Festival. O Festival é promovido pela A.D Ilha e e conta este ano com o patrocínio da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura

DB 22

e Esporte por meio do Funcultural. A primeira bailarina do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Cecília Kerche, fará uma apresentação especial no Festival Santa Catarina Dança. A convidada especial fará a abertura da noite competitiva, no dia 17. Além dela, outra atração para a noite de sábado será o dançarino Edifrank Alves. Ele possui curso superior em dança pela Universidade Federal da Bahia e Universidade do Rio de Janeiro. Como profissional participou de vários espetáculos de Ballet Clássico e Contemporâneo, integra também DC Cia de Dança, sob a direção de João Wlamir. A Companhia fez uma turnê na Europa apresentando-se na Alemanha, Áustria, Suíça e Holanda. Para a noite de abertura do Festival, dia 15, a atração ficará por conta da dupla de dançarinos Bruno Galhardo e Rúbia Frutuoso. Ele é especializado em dança de salão como professor, dançarino e coreógrafo e ela possui a formação clássica além da dança de salão. A vasta carreira profissional teve destaque recentemente na competição Se ela Dança eu Danço, onde foram finalistas. A segunda noite do V Festival Santa Catarina Dança, que ocorre de 15 a 18 de setembro em Florianópolis, terá uma atração especial. A dançarina Shara Kadosh vai mostrar no palco do Teatro Pedro Ivo um pouco do folclore árabe e da dança do ventre, já que ela possui 12 anos de experiência nestas modalidades, além da formação clássica e jazz. Shara Kadosh é portadora do Selo Excelência- Oriente Encanto e Magia ( Shalimara Mattar) e participa como jurada, ministrante de workshops e convidada especial em vários festivais de dança. No último dia – domingo (18/9), a atração será a Cia de Dança Aníbal Dance, fundada em 2002 e que tem como objetivo incentivar a arte e descobrir novos talentos em São Paulo. A Companhia tem como coreógrafo Eliseu Corrêa, professor e dançarino profissional com banca no Sindicato dos Profissionais da Dança da cidade de Sao Paulo. Participa como jurado e ministrante de wokshops em vários Festivais de Dança do Brasil.

AÇÃO SOCIAL - A quinta edição do Festival vai repetir a ação social de todos os anos, que é oportunizar a participação de grupos de projetos carentes e de necessidades especiais sem custo algum. Além disso, os alimentos adquiridos na venda de ingressos são entregues para várias creches da cidade. O evento terá a Mostra Competitiva e também a Mostra não competitiva com sessões matinês para o público infantil. Um diferencial do Festival é contar com uma equipe de recreacionistas para entreter e acalmar as bailarinas antes e depois de subirem ao palco. Todos os bailarinos recebem um porta sapatilhas. SERVIÇO Quando: de 15 a 18 de setembro Local: Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis (SC) Coordenação: Professora e coreógrafa Rosângela Déa de Melo Promoção: A.D Ilha Patrocínio: Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte por meio do Funcultural Inscrições abertas no site: www.santacatarinadanca.com.br


Mostra

Comemoração

CAXIAS EM MOVIMENTO Uma semana dedicada à dança no mês de outubro de cada ano é o que propõe o Caxias em Movimento, realizado pela Unidade de Dança da Secretaria Municipal da Cultura. A mostra, que em 2011 está em sua 2ª edição, reunirá no período de 18 a 23 de outubro, diversos artistas, grupos, companhias, escolas e profissionais da cidade e região da Serra Gaúcha em uma programação ampla voltada para a dança, que inclui apresentações, performances, workshops, mostras de vídeos, debates e bate-papos, tendo como principal objetivo a dança. O Caxias em Movimento oportuniza aos artistas uma possibilidade para demonstrar seus trabalhos e difundir o seu modo de pensar e fazer dança, uma fonte de intercâmbio entre os envolvidos e um meio de adquirir conhecimentos e oportunidade de aplicá-los. Ao público em geral, a mostra se faz um importante evento para o contato com este

segmento, numa proposta de democratização e descentralização da dança e sua diversidade como forma de expressão. É um momento de reflexão e discussão em torno desta manifestação artística. Mais informações (54) 3901.1316 - ramal 203 www.ciadedancadecaxiasdosul.wordpress.com.br twitter @unidadededanca. Serviço 2ª edição do Caxias em Movimento De 18 a 23 de outubro Promovido pela Unidade de Dança da Secretaria da Cultura O regulamento estará disponível na sede da Unidade de Dança, no Centro de Cultura Ordovás, no blog www.ciadedancadecaxiasdosul.wordpress.com.br, ou pode ser enviado por e-mail mediante solicitação (unidadededanca@caxias. rs.gov.br).

6 ANOS DO STUDIO CORPORE SANO No dia 1º de setembro é comemorado o dia da bailarina e, para comemorar esta data e também os 6 anos de fundação da escola, o Studio Corpore Sano fará uma apresentação no dia 16 de setembro, no Salão Nobre do Clube 1º de Maio, em Santo André, ás 20h. O espetáculo trará em seu elenco cerca de 90 pessoas, entre elas alunos e profissionais. O público assistirá apresentações de Ballet Clássico, Sapateado, Jazz, Street-Dance, Flamenco, Tango,Salsa, Zouk, Dança do Ventre. O evento tem direção de Mariana Ribeiro. Mais informações: R:Alvares de Azevedo, 286 – Sto André (11) 44388704 ou (11)3969 6100

Errata

NÃO SAIU!

Na edição de julho, matéria entitulada: Danças Urbanas + Glitch Art = D-Efeitos, escrita por Renan Livi, página 46, o crédito da foto é de Luah Marques.

DB 23


Onde Ap

CAPA Internacional

ESTÚDIO DE BALLET CISNE NEGRO. 50 ANOS DE TRADIÇÃO E QUALIDADE NO ENSINO DA DANÇA.

Studio Coreográfico Corpore Sano

Direção: Mariana Ribeiro ROYAL ACADEMY OF

DANCE

CISNE NEGRO

Ballet Clássico, Contemporâneo Clássico para Adultos Jazz, Yoga, Pilates e Musical (11) 3031 0930 www.estudiocisnenegro.com.br

DB 24

Sua melhor opção em Dança! R. Alvarez de Azevedo, 286 Centro Santo André/SP Tel: 3969-6100/ 4438-8704 www.studiocorporesano.com.br corporesanosa@yahoo.com.br


prender? CUMBRE

Instituto de Dança Somos um instituto de dança que tem por missão ser uma instituição educativa líder com reconhecimento nacional no campo da formação integral de artistas, docentes e investigadores no universo da dança. Atendemos desde o público infantil até o adulto, afinal não existe idade para a busca do bem-estar que a dança proporciona.

Mais informações: www.dancascumbre.com.br/cursoferias.html Instituto de Dança Cumbre Mariana Arthur site: www.dancascumbre.com.br Tel: (11)2893-8805 Rua Major Sertório, 726, sala 01 e 03 Higienópolis - São Paulo - SP

Crédito: Fábio Pagan.

Você vivenciará na teoria e na prática a preparação física, mental e espiritual, apoiadas em estruturas metodológicas reconhecidas internacionalmente com base no inovador método artístico da “Escola Cubana de Ballet”. Isaura Guzmán - Diretora Artístico Acadêmico O Cumbre oferecerá seu primeiro curso de verão 16 à 29 de janeiro de 2012, o qual pretende trazer e acrescentar novas modalidades ao ensino diferenciado que praticamos na nossa escola.

DB 25


CAPA

Oportunidade através da arte

S

er bailarino é uma opção de vida com muita dedicação, disciplina e perseverança. Não é preciso nem ser um deles para saber que a rotina é puxada para quem escolhe a dança como profissão. Para um bailarino se consolidar como profissional o caminho é longo e necessita de muita persistência. É preciso saber aproveitar as oportunidades que surgem para poder sonhar com o dia da contratação em uma grande companhia. Envolvidos por essa sensação de estar vivendo um sonho realizado é que se encontram hoje o casal de bailarinos Bruna Gaglianone e Erick Swolkin, ambos formados pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, com sede em Joinville – SC. Bruna e Erick foram contratados em julho de 2011 para integrar a companhia profissional do Ballet Bolshoi de Moscou na Rússia. Os trabalhos na companhia russa iniciam agora em setembro na temporada 2011 - 2012. O bailarino Erick Swolkin, 20 anos, nasceu na grande São Paulo – SP e ainda menino mudou-se com seus pais para a cidade da dança, em

Myrtha 2º Ato do Ballet Giselle. Bruna Gaglianone. Crédito: Nilson Bastian.

DB 26

Joinville – SC. Com seu jeito brincalhão nunca jogou bem futebol, só queria correr e pular. Um sonho de menino que nunca passou pela cabeça de Erick, ser um astro do futebol - menos ainda, ser um grande bailarino clássico. O balé foi algo que só entrou em sua vida quando participou das etapas de motivação e seleção do Bolshoi Brasil na escola agrícola de Rio Bonito, em que estudava na época. “Ser contratado foi uma enorme surpresa, penso que um dia posso servir de exemplo para outros bailarinos não desistirem de seus sonhos, trabalharem duro com dedicação sempre. Espero que a nossa contratação seja uma porta que se abre para outros bailarinos brasileiros também, lá vamos poder mostra que no Brasil não é só futebol, tem arte e tem a cultura da dança em sua essência” Erick Swolkin. A bailarina Bruna Gaglianone, 20 anos, nascida em Caxias no Maranhão, se criou e iniciou na dança em São Luís. A maranhense que sempre gostou de ginástica olímpica, não imaginava que seria uma bailarina. Cisne Negro - Bruna e Erick. Crédito: Aurea Silva.

Foi nas aulas de ginástica que conheceu a Escola Bolshoi Brasileira, por incentivo de um professor e da sua mãe, participou das seletivas da instituição, que para sua surpresa passou em primeiro lugar. Logo na segunda série do Bolshoi Brasil recebeu um prêmio que ficaria em seu currículo para sempre, estudante destaque Galina Ulanova, recebido na Rússia. “Estou ansiosa para o início da temporada na Rússia, quando recebi a notícia nem acreditei que eu e o Erick havíamos sido convidados para a companhia juntos,e lá ainda vamos trabalhar com muitos ídolos do balé, isso é algo até difícil de acreditar, é uma sensação de realização de um sonho mesmo” Bruna Gaglianone. Ambos estudaram oito anos na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, a base de seu aprendizado é o Curso Técnico da instituição. Formaram-se em 2009 e foram contratados pela Cia. Jovem. Bruna e Erick trabalham juntos desde 2010, são partners, na Cia. Jovem do Bolshoi Brasil. Não se davam bem no início dos ensaios, conseguiram destaque com dedicação e toda a Hilarion Ballet Giselle. Erick. Crédito: Nilson Bastian.


Bruna e Erick. Crédito: Sérgio Almeida.

DB 27


Águas primaveris. Crédito: Nilson Bastian.

Quebra-Nozes. Bruna e Erick. Crédito: Vanderleia Macalossi.

paixão pelo balé. Um dos frutos desse trabalho foi o convite, em outubro de 2010, por uma companhia dos Estados Unidos, para trabalhar na temporada de final de ano, no espetáculo “O Quebra-nozes”. No início do mês de julho Bruna e Erick ficaram quinze dias na Rússia para o acerto do contrato, mas já retornaram ao Brasil para aguardar o momento do embarque final. Erick e Bruna já puderam sentir um pouco do gostinho dos desafios que

essa nova fase irá trazer para suas vidas. E para aconselhar os jovens bailarinos foi necessário dicas da professora russa do Bolshoi Brasil, Galina Kravchenko, que é a grande responsável pela formação de Bruna na Escola brasileira, do Diretor Geral Pavel Kazarian e a ex-bailarina do Teatro Bolshoi de Moscou, Raquel Steglich. As conversas falavam sobre o país, a língua, cultura e a experiência de ser um bailarino na Rússia, o máximo de informações

Erick e Bruna. Crédito: Nilson Bastian.

possíveis que pudessem ajudar Bruna e Erick nessa transação inesperada e tão sonhada. Agora a realização é plena. Convidados pelo Teatro Bolshoi de Moscou os bailarinos receberam a noticia com surpresa e felicidade. Bruna e Erick são pura expectativa, enquanto aguardam a realização desse sonho, chegam cada vez mais perto de fazer parte da companhia de Ballet Bolshoi da Rússia.

Bruna . Crédito: Nilson Bastian.

DB 28


Saiba +

Piso flutuante

O que vem na cabeça de professores, bailarinos e dançarinos sobre o piso de dança, é que ele não pode escorregar, mas é apenas isso... O piso além de evitar escorregões, deve prever lesões, fissuras musculares, impacto sobre os joelhos. De forma geral parte dos professores, bailarinos e dançarinos não possuem conhecimento técnico para atestarem a qualidade de um piso flutuante, isso ocorre no mercado por falta de material de estudo e informação ampla, como publicações técnicas ou sites especializados. Quando solicitado a estes profissionais alguma informação por parte de administradores de escolas e academias sobre piso flutuante e ou linóleo, estas informações são em forma de opinião pessoal, sem embasamento técnico. Na maioria dos casos por questões de investimento

financeiro, as salas de dança no Brasil são “multiuso” sendo assim, partindo deste principio as salas contemplam todas as modalidades de dança. Nestes casos o piso ideal “multiuso”, deve ter um meio termo para abrigar as diversas modalidades de dança a serem praticadas sob este piso. A dança de salão necessita de piso mais escorregadio, o sapateado piso mais duro e o ballet clássico piso mais flexível. O Piso para salas “multiuso” é construído sob uma estrutura de madeira e amortecedores, a estrutura base é coberta com compensado, e recoberta com linóleo. Portanto, o piso “multiuso” é uma combinação de flexibilidade com rigidez, com baixo custo se comparado ao piso de tabua corrida. Para atender de forma geral as diversas modalidades de dança, existem no mercado fornecedores como a em-

DB Press.

Saiba mais sobre os cuidados com a saúde de seus alunos

presa Dança Brasil – www.pisoflutuante. com.br, que pode fornecer o piso “multiuso” entre outras opções nas diversas modalidades de dança. O que deve ficar bem claro é ter muito cuidado ao praticar dança em pisos de concreto, piso frio ou pisos laminados, afim de evitar lesões posteriores ou a longo prazo maiores complicações físicas. Ivan Grandi – é jornalista e empresário atuando na área da dança há 30 anos.

03-28 JAN

O Lago dos Cisnes

RUI SITTA Representante Oficial

ESTACIONAMENTO GRÁTIS PARA ALUNOS

VENHA PARA O MAIOR CURSO DE VERÃO DA AMÉRICA LATINA Um mês de aulas, ensaios e um mega-espetáculo, realizados com a famosa escola cubana, na estrutura completa e especializada do Espaço Eldorado. Participe! Visite cuballet.com.br e saiba mais.

SHOPPING ELDORADO Av. Rebouças, 3970 - 3° Piso

(11) 3814 8667

www.espacoeldorado.com.br

EE-CUBALLET 2012-19X13.indd 1

5/3/11 3:29:04 DB PM 29


Retrospectiva - Internacional

7º. Festival de Dança de Györ, Hungria O melhor festival de 2010 - Idealismo, coragem, qualidade

Por Celi Barbier, correspondente na Europa

Change Back - Ph(c) G. Dusa.

Sem retroceder muito desde a Idade de Bronze até nossos dias, a cidade de Györ apresenta um passado historicamente importante, com a independência do país e a fundação do Estado húngaro, no século X, e o príncipe Géza, “segundo suas ideias políticas que permitiram a integração dos húngaros na comunidade dos povos ocidentais e católicos, que devia selar a garantia da independência.” História longa, atormentada pela conquista dos otomanos no século XV. Revoluções como a de 1848, em Viena, com uma Europa descontente, e a guerra da independência, com sucessos e derrotas da cidade, continuaram o movimentado passado da cidade, levando à época do capitalismo e do comunismo, este rejeitado com uma revolta passiva. A partir da terceira parte do século XX, em 1990, após todas as imaginárias peripécias políticas, o povo de Györ pode participar de eleições livres. Hoje em dia, Györ é uma das joias da Hungria. Perto das fronteiras da Áustria, a 120 km de Budapeste, Györ se transforma em cidade de grande interesse turístico, sobretudo no verão, por sua pequena “praia” beirando o rio Rába. Butiques e cafés, restaurantes inúmeros na zona de pedestres, não deixam os turistas

DB 30

esquecerem da arquitetura de casas antigas, conservadas como monumentos históricos, igrejas barrocas, enfim, lazer, beleza, passado histórico e cultural. Além do palácio do prefeito, belíssimo, inteiramente restaurado e, claro, as atividades do Teatro Nacional fazem da cidade um “must” para quem visita a Hungria. A partir do ano 1998 não perdemos nenhum dos festivais, evento que consideramos inigualável por sua originalidade, qualidade, diversidade. Contando com o apoio da cidade, na pessoa do prefeito Zsolt Boscai, assim como da firma automobilística Audi, o Festival continua sua linha, propondo também espetáculos grátis ao ar livre, na praça do Teatro Nacional de Györ, com seus quiosques gastronômicos, começando já às 17 horas. Companhias folclóricas nacionais e internacionais, acompanhadas por orquestras ao vivo, fazem ainda a alegria das crianças, que repetem os passos dos bailarinos e, às vezes, até sobem ao palco. Um ambiente festivo dos melhores, onde não há violência, nem agressvidade, nem bêbedos, polícia ou roubos. Sensacional. “A dança em nosso país conseguiu finalmente obter uma posição de nível mundial, uma alta posição na escala de nossa cultura do dia a dia”. São palavras de Kiss Janus, incansável, brilhante, o idealista diretor artístico do Balé de Györ que organiza o Festival, a cada dois anos. Sua impressionante energia fez com que o Festival fosse descoberto pela crítica internacional e, mais importante ainda, ganhasse a confiança e interesse de coreógafos e companhias de renome internacional. E isto apesar de todas as intempéries. Justamente no ano de 2010 brindam-no com uma das piores: um corte de 50% no orçamento governamental previsto. Aqui abrimos um parênteses para ressaltar a perseverança de Janus, todavia não só dele, senão dos artistas e do povo, exemplares. O trabalho na Hungria é integrado ao cotidano, o que permite uma saudável harmonia de vida, apimentada pelo onipresente humor e invejável abertura de espírito. Enfim, uma semana antes da data prevista para a abertura do Festival não havia nada fixo. E um tour de force aconteceu.

Felicitamos Kiss Janus e todos os participantes pela garra e amor à Dança. O programa previsto não foi modificado. Assim, em seis dias, vinte espetáculos foram apresentados no Teatro Nacional, entre salão e espaços menores. Conferências sobre os teatros húngaros e um excepcional encontro com o célebre empresário dos empresários da metade do século XX até nossos dias, Paul Szilard, de origem húngara, vivendo em Nova York, encontro esse animado por Gyula Harangozó Júnior, filho do famoso coreógrafo do mesmo nome. Um filme sobre a crítica de dança na televisão figurou entre os programas paralelos propostos, todos de alto nível. Já o Gala de abertura confirma positivamente nossa expectativa, começando com Shakespeare e o prestigioso Balé de Szeged: “Sonhos de Uma Noite de Verão”, coreografia de Tamás Juronics sob uma colagem musical inédita. Tamás, coreógrafo principal do Balé de Szeged e diretor do setor de dança do Teatro Nacional de Szeged, coreografando para ópera, teatro, opereta, é uma figura cultuada na cena artística do país. Seu talento permitiu-lhe um grande sucesso, além das fronteiras húngaras. Dentre as obras mais importantes: “O Marvilhoso Mandarim” (música de B. Bartok), “Carmina Burana” (C. Orff), “ O Lago” (P.I. Tchaikovski), “O Sacre”, de I. Stravinski. Tivemos a oportunidade de vê-las e continuamos a acompanhar seu trabalho, que é excepcional, mesmo se discordamos de uma ou outra de suas fantasias. Com o tempo, seu vocabulário contemporâneo foi se lapidando. O cuidado com a dramaturgia já o salvou de muitas armadilhas, pois a maior parte de suas obras é de dificílima transcrição. “À noite, cada um sonha com desejos deveras reprimidos, sentimentos, emoções aparecem à luz do dia, relações confundem-se, espíritos humanos em desordem, os contornos da própria pessoa começam a aparecer, obscuros. O sonho coletivo, a procura coletiva dos sonhos de Shakespeare. A escolha da obra é perfeita para a fértil imaginação de Tamás, pois, em se tratando, como o título bem diz, de sonhos , de imaginação e, neste caso, de uma mitologia moderna, o coreógrafo


trica que a coreografia impõe aos 10 bailarinos (cinco pares), perfeitamente em concordância com a construção de Bach, a emoção se instala. O segundo movimento (allegro) oferece um lindo pas de trois masculino, neoclássico, fluido nos portées da bailarina aparece, a pele pálida contrastando com o negro do sóbrio costume. Puros os movimentos, também das mãos, braços e torso, no comovente pas de deux sob a famosa Aria (para Alto e Coro) da Paixão Segundo São Mateus, parecem cisnes perdidos, cisnes morrendo num eterno sofrimento. Ao final, ela se enrola no corpo dele, não se vê nada, a não ser a mão que parece desprenderse do corpo, só a mão estendida – tarde demais, tudo está perdido. Excelente companhia, intérpretes de grande sensibilidade que conseguem caminhar junto ao sublime da música de Bach, e o coreógrafo sutil, inteligente, que nos banha de luz e perguntas sem respostas. Erbarme dich Mein Gott (Piedade por mim, meu Deus).

Szeged - Sonhos de Uma Noite de Verão.

conseguiu esquiçar os personagens, através, certo, de exemplos da vida real, transportando-os pelo desenho de luz (F. Stlader) e os costumes feéricos (A. Földi) que nos guiam pelo labirinto de imagens, sons e movimentos à procura de nós mesmos. Prosseguimos, por ora, cronologicamente, com o Balé de Pecs comemorando os 50 anos de sua existência. A cidade, universitária, pátria do grande pintor Vassarely, é também reputada por seu conservatório de dança. Leo Mujc, bailarino e coreógrafo da companhia, apresentou sua nova criação para o aniversário do Ensemble: “Change Back”, música de J. S. Bach para cinco pares. “O mundo em torno de nós está em constante movimento, e gostaríamos que este fator nos influenciasse para melhor. O que não se pode constatar. Assim desejamos “change back”. Um tempo de reversão para poder decidir de uma maneira diferente e agir de una maneira mais conscienciosa para conseguirmos uma humanidade melhor e mais feliz. Apesar do rigor da construção geomé-

DB 31


Festivais

XXI Festival de Dança de Salete Dias 16,17 e 18 de Setembro de 2011 Local do Evento Cattoni - Tur Park Hotel Salete 16 de setembro: Balé Clássico Livre; (Infantil, Júnior, Sênior e Avançado)Dança de Rua; Infantil e Júnior (solos, duos, trios e grupos) Folclore de imigração; (Infantil, Júnior, Sênior e Avançado)Dança de Salão; (Júnior, Sênior e Avançado)Estilo Livre; (Solos, Duos, Trios, Grupos e 3º Idade). 17 de setembro: Solo Repertório (F); (Júnior, Sênior e Avançado)Solo Repertório (M); (Júnior, Sênior e Avançado)Solo Contemporâneo (F); (Júnior, Sênior e Avançado)Solo Contemporâneo (M); (Júnior, Sênior e Avançado)Trio Contemporâneo; (Júnior, Sênior e Avançado)Jazz Infantil; (Júnior) Dança de Rua; Sênior (solos, duos, trios e grupos). 18 de setembro: Dança Moderna Contemporânea; (Júnior, Sênior e Avançado)Jazz; (Sênior e Avançado)Sapateado; (Júnior, Sênior e Avançado)Dança de Rua; Avançado (solos, duos, trios e grupos) Todos os dias após as competições haverá mostras em todos os gêneros.

FESTIVAL ECODANÇA Dias 03 e 04 de setembro de 2011 em Assis – SP. Dias 30 de setembro, 01 e 02 de outubro em Limeira - SP. Festival de competição de dança com o intuito de divulgar a cultura ecológica através da dança propondo-se a tecer as múltiplas redes que existem no mundo contemporâneo entre a arte e a ecologia na sociedade. O ECODANÇA sugere temas coreográficos ecológicos ou os participantes podem competir com temas coreográficos livres. Todo participante recebe certificado e troféu ecologicamente corretos. O festival fornece alojamento grátis para os participantes de outras cidades. Noite de gala com convidados especiais, workshops de danças, palestras e passeios ecológicos, feira de exposição de artigos de dança e artes, entre outros. O festival esta na 5ª edição com os temas : LIXO URBANO (em Assis) AQUECIMENTO GLOBAL (em Limeira), solicite o regulamento pelo e-mail ribertojbastelli@hotmail. com.

Premiação Festival Melhor Grupo - R$ 10.000,00 Melhor Bailarina - R$ 1.000,00 Melhor bailarino - R$ 1.000,00 Melhor Coreografia - R$ 2.000,00

MODALIDADES: Balé Clássico, Balé de Repertório (Exceto categoria baby), Neo-Clássico, Moderno, Contemporâneo, Jazz, Estilo Livre, Sapateado, Dança de Salão, Dança do Ventre, Dança Teatro, Street Dance.

Mais Informações: ciadedancafabiulamorgana@hotmail.com Academia Studium Dance: (47) 3563-0723

Mais informações: (19) 3039 7159 / 9118 9873 ribertojbastelli@gmail.com alexevangelista@gmail.com www.ecodanca.blogspot.com

DB 32

Festival de Dança de Teresina O talento de jovens artistas piauienses tem encantado plateias de todo o mundo e provando que a qualidade técnica dos instrutores e escolas de dança tem se superado a cada ano. Prova disso são os bailarinos Albert Alef, que hoje mora nos EUA, a jovem Mara Barros, que segue para Kirov, Rússia, Anne Jullieth, que participará de seletiva para o YAGP-Youth America Grand Prix-, em Nova York, entre outros. E uma vitrine para esses artistas é o Festival de Dança de Teresina, que chega na 15ª edição e, todos os anos, atrai grupos de vários cantos do país. As inscrições estão abertas até o dia 30 de agosto e o evento acontece de 19 a 23 de outubro no Theatro 4 de Setembro. O Festival de Dança é realizado pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, e tem como objetivo criar e desenvolver produtos e atividades artísticos e culturais em diversas linguagens cênicas, além de ser uma vitrine para os talentos locais através de intercâmbio com grupos de todo o país. O edital e ficha de inscrição do evento estão disponíveis no site www.fcmc.pi.gov. br e, de acordo com o regulamento, os interessados devem se inscrever na sede da FCMC, na Rua Felix Pachêco 1430Centro,Cep:64001-160, Teresina-PI, pessoalmente ou pelos Correios. Poderão participar bailarinos, escolas e grupos de dança de todos os estados do Brasil. O evento está divido nas categorias: Variação; Pas de Deux; Grand Pas de Deux; Solos e Conjuntos, nas modalidades: Repertório, Clássico Livre, Contemporâneo, Danças Populares, Danças Urbanas, Estilo Livre, Jazz e Sapateado. Mais informações: PMT/FMC – Ascom – Diego Iglesias / Luana Campos / Amana Dias 9998-7657 / 88274982 / 3215-7819


Dança Brasil: Como foi o início de sua carreira? Oswald Berry: Eu era estudante de teatro e comecei a fazer Ballet Clássico como complemento e, terminei me formando na “Escuela Nacional de Danza”, em Montevidéu - Uruguai. Fiz parte do ballet oficial (Sodré) e do “Ballet de Câmara”, foi tudo relativamente rápido e mágico. DB: Qual seu contato com outros estilos de dança? OB: O fato de trabalhar para TV durante todos estes anos me fez conhecer melhor estilos diferentes de dança que não faziam parte do meu universo, conhecer e trabalhar com bailarinos e dançarinos desses estilos diferentes também foi muito importante para mim. DB: Quais suas principais influências profissionais? OB: Como bailarino clássico admirei: Ivan Naggy, Antony Dowel, Richard Cragun, Tito Barbon e, em outros estilos: Roseli Rodrigues, Tíndaro Silvano, Ivonice Satie, Fred Astaire, Bob Fosse. Graças a Deus, no mundo tivemos e temos muitos talentos que servem de inspiração para varias gerações de profissionais da dança, fica difícil só falar de alguns. DB: Como você vê a vida do profissional de dança no Brasil? OB: Não apenas no Brasil, como no mundo e como tantas outras profissões, a dança ocupa um lugar de destaque na cultura, a concorrência é grande, a demanda de trabalho não atende as necessidades dos profissionais, e tudo isso dificulta o sonho de quem quer dançar, claro que quem tem esse objetivo deve ter talento e persistência. O Brasil é um celeiro de talentos (coreógrafos, bailarinos , dançarinos). DB: Qual sua opinião sobre os festivais competitivos de dança? OB: A minha formação clássica da escola, que era muito rígida , não permitia a

Oswald Berry

participação em festivais competitivos, mas hoje eu vejo com outros olhos, acho que é saudável para as escolas, companhias, grupos, para o próprio bailarino ou dançarino, ter a possibilidade de enfrentar público, jurados, palco, para adquirir maturidade. Mas isso não pode se tornar uma obsessão. Participo dos grandes festivais como jurado e ministrando aulas, e tenho visto situações que me preocupam: falta de autocrítica, falta de censo, não saber ouvir um “não”. DB: Que você destaca na sua carreira? OB: Como bailarino tive boas oportunidades artísticas, fui escolhido várias vezes para interpretar papéis como: príncipe em “Quebra Nozes”, “Bela Adormecida”, “Pássaro de Fogo”, “Annabel Lee”, “Gaitê Parissiene”, “Sílfides”, “Sonho de uma Noite de Verão”. Uma das pessoas a quem devo essas oportunidades é Tamara Grigorieva. Mas no Brasil minha vida profissional decolou com meu trabalho com a apresentadora Xuxa Meneghel na TV Globo, mesmo tendo formação clássica fui levado a criar uma linguagem coreográfica e corporal para a apresentadora, foi um trabalho gratificante e árduo, e tive a oportunidade de trabalhar para outros artistas também, o que mudou minha linha de trabalho. DB: Como professor o que inspira em suas aulas seu processo de criação? OB: Parto do principio para quem estou falando: é criança, é adulto, é profissional , é amador, é iniciante? Logo penso na linguagem a ser usada. Gosto muito de passar as informações certas para cada caso. Há alguns anos tenho dado aulas de jazz-musical, ou seja, um estilo de dança bem específico que não é para todos os níveis. DB: O que você busca alcançar, que elementos utiliza e o que caracterizam suas

aulas? OB: Normalmente sou bem humorado

Oswald e Xuxa. DB Press.

Entrevista

e procuro levar isso para as aulas, com disciplina, mas com uma certa descontração. Gosto de ver as pessoas felizes fazendo o que gostam. Na realidade quero passar para elas meus conhecimentos para que aproveitem de alguma forma e aprendam que tudo é possível, se você quiser. DB: Qual a importância da graduação universitária em dança? OB: Acho importante desde que não fique só no teórico, já que o palco é fundamental para o artista, sem dúvidas de que uma formação acadêmica pode contribuir muito. DB: O que é a dança para você? OB: É uma forma de vida, é a possibilidade de o artista se manifestar através da dança, que faz parte de todas as culturas desde o início dos tempos. Gosto muito de conhecer outras culturas e o Brasil, na sua grandeza, é uma fonte riquíssima de inspiração. A dança me dá prazer!

DB 33


Dica

Nutrição e cuidados com os Joelhos

DB 34

los: -Repouso Articular; -Gelo; -Medicações anti-inflamatórias e analgésicas; -Fisioterapia; -Reforço Muscular e Alongamentos; -Cirurgia. Independente do tratamento escolhido, alguns alimentos vão te ajudar nesse longo processo de reabilitação inclusive agindo na prevenção de eventos degenerativos. Cálcio: encontrado principalmente no leite e derivados ele é o principal mineral presente nos ossos. 1000 a 1200 mg diários a partir de 4 copos

Divulgação.

Todos conhecem alguém que já passou por uma lesão no joelho e sabem como é difícil a recuperação. Dor, inchaço, dificuldade para andar, fisioterapia e às vezes até uma cirurgia, são alguns dos problemas que o paciente atravessa ao se envolver com uma lesão articular. Os traumas que afetam os joelhos normalmente acabam causando problemas nos Ligamentos, Meniscos, Cartilagem, Tendões ou Ossos. As fraturas atingindo o Fêmur, Tíbia ou Patela causam dor incapacitante e levam até quatro meses para cicatrizar. As lesões ligamentares e meniscais são as maiores causas de indicação cirúrgica no joelho. A cartilagem hialina é responsável pelo movimento suave das articulações e quando lesada, responde pela maioria dos sintomas crônicos no Joelho, dor, atrito, estalidos e crepitação são sintomas freqüentes secundários as fissuras condrais. O que nem todos sabem é que a nutrição pode ajudar no processo cicatricial desses tecidos tão importantes e ao mesmo tempo contribuir com nossa saúde e prevenir o envelhecimento. Para cada lesão específica o médico ortopedista vai indicar o tratamento mais adequado, que vai envolver uma combinação seqüencial desses protoco-

de leite desnatado (lembre de evitar a gordura presente no integral) ajudam a manter os ossos fortes e rejuvenesci-

dos. Componente fundamental nos eventos bioquímicos necessários a contração muscular e na transmissão de informações pelos nervos, o cálcio precisa ser reposto pois após os trinta anos seus níveis ósseos apenas diminuem em nosso organismo. Vitamina D: presente naturalmente em alguns peixes e moluscos ela funciona como o entregador de cálcio para os ossos, mantendo o equilíbrio entre armazenar e renovar o estoque de cálcio no tecido ósseo. Pessoas com baixos níveis de Vitamina D e Cálcio tem três vezes mais chances de desenvolver artrite. 400 Unidades de Vitamina D por dia é a dose recomendada para manter o aparelho locomotor saudável. A exposição ao sol contribui para a conversão cutânea da vitamina D inativa na forma ativa, mas a utilização de protetor solar bloqueia essa reação química. Desta forma o horário recomendado é antes das 10:00 h e após às 16:00 h sem protetor solar. Omega 3: encontrada no Salmão, Atum, nozes e azeite de oliva, ajuda a manter a oleosidade do liquido sinovial, responsável por lubrificar e nutrir a cartilagem hialina e meniscos. Comer peixe duas vezes por semana,


Vitamina C: lembrada normalmente durante um resfriado, estudos recentes tem demonstrado associação entre sua carência e a osteoporose e osteoartrose. Dose recomendada de 100 mg por dia.

Divulgação.

Os carboidratos são o principal combustível usado pelo organismo como energia, ao mesmo tempo são alimentos “engordativos” se consumidos sem critério. Dê preferência aos integrais,

arroz, pão e macarrão, pois mantém a saciedade por mais tempo, além de diminuir a absorção de gorduras, devido ao alto teor de fibras. As proteínas, quebradas no processo de

Muitas vezes as recomendações óbvias acabam sendo esquecidas numa consulta médica. O controle do peso excessivo é prioritário no tratamento das dores articulares. Durante um período de afastamento das atividades esportivas por uma lesão, o atleta deve controlar e diminuir a ingestão calórica, pois o consumo com exercícios físicos estará limitado. Com um balanço positivo fatalmente o atleta ganhará alguns quilos que sobrecarregarão seus Joelhos já doloridos. Lembre-se também, de não entrar em modismos e dietas de revistas sem orientação profissional, dietas como a da proteína te fazem perder peso porém podem acelerar a perda de massa óssea. O uso de suplementos como a condroitina e glicosamina tem demonstrado efeitos protetores para a cartilagem hialina e meniscos e a cada dia fazem mais parte do repertório dos ortopedistas como adjuvante no tratamento das patologias articulares.

Vários nutrientes, tanto na forma de alimentos como suplementos alimen-

Divulgação.

Divulgação.

temperar a salada diariamente com azeite de oliva, bem como fazer um lanchinho com duas a três nozes ou castanhas do Pará diminui o desconforto provocado por uma lesão meniscal.

digestão em aminoácidos, são a matéria-prima usada pelo nosso corpo para fabricar todo o tecido conjuntivo e as fibras de colágeno, presente na cartilagem, meniscos, ligamentos, músculos, tendões e ossos. Proteínas de origem animal são mais facilmente absorvidas nesse processo, então inclua uma porção de carne vermelha ou branca nas refeições. Lembrem-se dos benefícios adicionais já citados dos pescados. Para os vegetarianos, é fundamental orientação de um profissional da área para calcular e orientar a biodisponibilidade das proteínas vegetais e as formas de reposição protéica.

tares podem te ajudar a cuidar dos Joelhos evitando dores articulares, mas via de regra algumas pequenas mudanças de hábitos tanto alimentares quanto comportamentais são valiosos aliados: -Corrija a postura fortalecendo os músculos abdominais e do tronco -Melhore a resistência dos músculos das coxas, pernas, quadris e braços -Melhore a flexibilidade -Use calçados confortáveis e bem acolchoados -Perca peso -Pare de Fumar

SERVIÇO: Alexandre Póvoa Barbosa Ortopedista e Médico do Esporte Clínica Orthobone Tel: (11) 21652351 www.orthobone.com.br

DB 35


Saiba +

XV NEW FEST DANCE DE CAMPOS DO JORDÃO A R.V. Promoções realizou o XV NEW FEST DANCE DE CAMPOS DO JORDÃO, onde contemplou a cidade de Campos do Jordão, pelo fato da cidade ter em seu perfil, diversas características importantes como: Cidade voltada para artes, além de apresentar pontos turísticos agradáveis para quem a visita; espaço cênico adequado à Dança e à Música e profissionais receptivos e interessados em evoluir. Um evento focado para que os bailarinos amadores aprimorem seus movimentos, propostas coreográficas e troquem experiências com os demais participantes. No Festival, tais bailarinos ávidos por apresentarem o seu desempenho nas várias modalidades: Clássico, Moderno, Jazz, Contemporâneo, Estilo Livre, Repertório, Dança Folclórica, Sapateado, Street Dance, Dança do Ventre, Dança Gospel, Dança

DB 36

Inclusiva, Dança da 3ª Idade e Dança de Salão. O festival aconteceu de 11 a 28 de Agosto no Auditório Cláudio Santoro. Um verdadeiro show de beleza, magia e entretenimento. Os grupos com suas famosas performances desafiam a lei da gravidade, enchendo os olhos do espectador. O evento contou com profissionais de renome, como: Cia Faces Ocultas, Prima Ballerina Michelle Saramago, e os bailarinos convidados, Penka Cangarova, Thiago Oliveira e a jovem bailarina Carolina Lourenzoni, além dos solistas R.V. - Alex Akapohi e Alyne Moraes, abrindo cada noite. O corpo de jurados foi composto por profissionais renomados e respeitados na dança nacional: Yoko Okada, Eleusa Lourenzoni, Arilton Assunção, Marina Boschi, Cristiane Matallo, Vanda Garcia e Maria Clara Sales.

O XV NEW FEST DANCE DE CAMPOS DO JORDÃO recebeu grupos de São Paulo, capital, interior e litoral sul, Goiânia-GO, Uberaba e Belo HorizonteMG, Maringá/Curitiba/ Cambé–PR, Rio de Janeiro e Santa Catarina-SC. O XV NEW FEST DANCE é um dos maiores eventos de Dança do país em número de bailarinos, apresentações e coreografias. Em 2011 o evento contou em média com 500 coreografias elencadas e mais de 3000 bailarinos. Durante a premiação semanal onde foram entregues troféus aos 1º, 2º 3º lugares, os participantes foram ainda contemplados com bolsas de estudo para a IX Temporada de Ballet Russo em Janeiro de 2012. Mais informações: www.rvpromocoes.com.br Crédito: Solange Avelino Produções.


FACES OCULTAS CIA DE DANÇA - RUBRAS FACES

SOLISTA RV ALYNE MORAES - PAQUITA. ESTÚDIO MARCIA BELARMINO

CENTRO DE ARTE ELEUSA LOURENZONI CUPIDO. CAROLINA LOURENZONI

SOLISTA RV ALYNE MORAES E SEU PARTNER CRISTIANO NUNES O CORSÁRIO

SOLISTA RV ALYNE MORAES - O CORSÁRIO ESTÚDIO MARCIA BALARMIN

FACES OCULTAS CIA DE DANÇA - RUBRAS FACES

SOLISTA RV ALYNE MORAES. PAQUITA ESTÚDIO MARCIA BELARMINO

SOLISTA RV CARNAVAL EM VENEZA ALEX AKAPOHI. CENTRO DE DANÇAS

DB 37


Curso

Faculdade Inspirar lança primeiro MBA em Dança no país Curso busca aprimorar interessados na produção e gestão de espetáculos artísticos independentes

O crescimento da classe artística de dançarinos e o surgimento de novos cursos e academias de dança estão chamando a atenção em todos os cantos do Brasil. Durante o ano, diversos espetáculos de grupos independentes são lançados e apresentados, mas ainda não mostram a estrutura necessária para o público. Pensando nesse mercado em franca expansão, a Faculdade Inspirar preparou o primeiro MBA em Dança do país, com foco em produção e gestão de espetáculos. Com a coordenação do premiado coreógrafo, professor e bailarino paranaense Octávio Nassur, o curso viabiliza e apresenta de maneira teórica-prática todos os processos de desenvolvimento incluídos na produção de um espetáculo de dança. O MBA tem como público alvo os profissionais de dança, teatro e música; e, também, produtores culturais graduados. A atividade tem duração de um ano (360 horas/aula) e aborda temas como produção cultural; captação e divulgação de negócios; arte visual; composição de movimento; composição coreográfica; composição musical; produção executiva; e gestão de riscos.

Octavio Nassur. Divulgação.

O MBA em Dança terá início no dia 23 de setembro, com aulas durante um final de semana do mês, de sexta a domingo (sexta das 18h às 22h; sábado

DB 38

das 8h às 20h; e domingo das 08h às 14h). As atividades serão realizadas da sede da Faculdade Inspirar (Rua Inácio Lustosa, nº 792 - Bairro São Francisco). Mais informações pelos telefones: (41) 3019-2828 e 0800-602-2828 ou no site www.inspirar.com.br. Serviço MBA em Dança Coordenação: Octávio Nassur Data: a partir do dia 23 de setembro Local: Faculdade Inspirar (Rua Inácio Lustosa, nº 792 - Bairro São Francisco) Informações: (41) 3019-2828 e 0800602-2828 ou no site www.inspirar. com.br. SOBRE A FACULDADE INSPIRAR: A Faculdade Inspirar está sob o comando do Dr. Esperidião Elias Aquim e Dr. Marcelo Márcio Xavier. Com 15 anos no mercado, a empresa já coleciona números: 33 pós-graduações em atividade, mais de 300 cursos de extensão ofertados, e mais de 1.600 alunos cursando graduação e pós a distância. Em dezembro do ano passado, a faculdade recebeu a autorização para incluir mais um diferencial em sua lista: o primeiro curso de graduação. A empresa também vem expandindo seu território: possui uma sede em São Paulo e diversas franquias espalhadas pelo Brasil: Cascavel, Balneário Camboriú, Florianópolis, Fortaleza, Teresina, Porto Velho, Natal, Salvador, Aracajú e Blumenau. A expectativa é que até o final de 2011 sejam abertas mais dez unidades.


Dica

Hidratação e proteção intensas para mãos e pés São áreas que merecem cuidados específicos, pois é difícil realizar tratamentos rejuvenescedores e até cirurgias plásticas nessas regiões

Mãos bonitas, macias e bem hidratadas fazem parte do contexto de beleza que toda mulher almeja, porém, em muitos casos, elas ficam em segundo plano durante os cuidados diários com a pele. Os pés também precisam de cuidados específicos, mas, geralmente, ficam esquecidos por estarem menos expostos ao olhar de outras pessoas e aos agentes externos. Para a Cosmetóloga e Diretora da Medicatriz Dermocosméticos, as pessoas comentem um grande erro ao deixar de cuidar permanentemente dessas áreas do corpo. A pele das mãos é muito delicada e quase sem proteção contra os efeitos nocivos do sol, do frio, da água, de produtos químicos, dentre outros fatores que causam o envelhecimento. “O dorso das mãos tem a pele fina, delicada e com pouca quantidade de glândulas sebáceas, o que as tornam mais vulneráveis à desidratação. Ainda mais, as mãos são consideradas a parte do corpo onde é mais difícil esconder os sinais do envelhecimento e, ao contrário das outras, elas não podem receber cirurgia plástica para reverter as ações do tempo e possuem poucas opções de equipamentos em cabine”, explica. Ainda que tenham a pele mais espessa e resistente em relação a outras áreas do corpo, os pés também precisam e merecem cuidados diários. De modo geral, eles estão calçados com sapatos, botas ou sandálias que, por conseqüência, facilita o aparecimento de calos nos calcanhares e na sola dos pés, além do ressecamento e do acúmulo

de células mortas. A especialista observa que um produto adequado para essas áreas deve, sobretudo, proporcionar hidratação e sedosidade, relaxamento, proteção contra fissuras, descamações e contaminações por fungos e bactérias.

Espaço Ballet Carmem 35 Anos de Tradição Ballet Clássico – Dança Livre Baby Class (a partir dos 3 anos) Dança de Salão – Dança do Ventre Sapateado Americano – Jazz Tai-chi-chuan – Pilates – Yoga Matrículas Abertas – Vários Horários Infantil e Adulto www.balletcarmem.com espaco@balletcarmem.com Tel.: (11) 5011-8905 Av. Engº George Corbisier, 184 – 2º Andar Próximo ao Metrô Conceição

Uma opção já disponível no mercado é o Nutri Flex da empresa Medicatriz Dermocosméticos. “Por ter como principais ativos um mix de óleos naturais altamente hidratantes como, por exemplo, girassol, canola e cupuaçu, o produto pode ser utilizado, inclusive, nos pés de diabéticos”, comenta a Cosmetóloga. A especialista também lembra que o mesmo protetor solar utilizado no rosto, pode ser passado nas mãos, o que ajuda a protegê-la contras os raios ultravioleta. Para os pés, o mais indicado é o uso de meia de algodão para facilitar a respiração da pele. Produto: Nutri Flex Modo de usar: Aplicar sobre as mãos e pés, pelo menos uma vez ao dia. Por Dra. Sheila Gonçalves Diretora de Pesquisa e Desenvolvimento da Medicatriz Dermocosméticos, farmacêutica, consultora em cosmetologia, docente do curso de pós-graduação em Cosmetologia da Faculdade Oswaldo Cruz de São Paulo, foi colaboradora da primeira edição do livro “Cosmetologia Aplicada à Dermoestética” e pós-graduada no setor de cirurgia plástica da Universidade Federal de São Paulo. www.medicatriz.com.br DB 39


Entrevista

Henry Camargo

Por João Roberto de Souza

A classe artística tem visto ao longo dos anos surgirem novos talentos, e a dança tem recebido sangue novo a cada ano. Coreografar é um dom, muito mais que inspiração e transpiração e o Dança Brasil foi conversar com um jovem que tem ano após ano conseguido se impor no mercado de trabalho como um samurai em uma batalha. Seu nome é Henry Camargo, ele é de Jundiaí-SP - coreógrafo e diretor da Kahal Cia de Dança. Quem conhece o seu trabalho sabe o quanto ele consegue comunicar por meio de sua arte. Ele transita muito bem entre as danças urbanas o jazz dance e o contemporâneo, seu reconhecimento veio por meio das premiações com coreografias no 1° Lugar em Danças Urbanas (2008, 2009, 2010 e 2011) no Passo de Arte e Festival de Dança de Joinville (2009 e 2010) além de outras premiações em Jazz dance e dança contemporânea. Deteve consecutivamente a premiação de Melhor grupo no Passo de Arte (2010 e 2011), e foi Coreógrafo revelação no Festival de Dança de Joinville (2010). Vale à pena lembrar que ele ganhou com a sua Cia o Programa do SBT “Se Ela Dança Eu danço”. Dança Brasil: Como foi que você descobriu que tinha o dom para coreografar? Henry Camargo: Bom, as coisas simplesmente aconteceram. De repente as coisas começaram a aparecer e tomar um rumo, que eu nunca imaginei e as responsabilidades foram apenas crescendo. Mas não

Festival

DB: O que te inspira começar uma obra coreográfica? HC: Coisas inesperadas. Às vezes entrar na sala de aula e olhar os bailarinos se divertindo de alguma forma, ou sentados em algum lugar e imaginar, ou visualizar algo além do momento. E principalmente vendo minha irmã Taysa dançando, a movimentação dela me leva a outro nível de pensamento, ela me faz ter vontade de coreografar. DB: O que você espera de um intérprete para a sua obra? HC: Espero muita concentração, versatilidade, compromisso e domínio no estilo proposto. DB: Quais são as suas influências artísticas e intelectuais? HC: Eu amo trabalhar com corpos num palco, imaginar tudo o que o palco me oferece faz muita diferença, então eu pesquiso a forma de utilização de espaço e cena. E nas formas de dança, eu já fiz aulas de ballet, jazz, street dance em geral e dança contemporânea e sempre tento pesquisar outras danças também. DB: O que é a sua dança? HC: Minha dança sou eu mesmo, acredito que ela passa por processos, conforme passam minhas experiências, e principalmente meus sentimentos. E o que eu mais preciso na minha dança são as músicas, que me puxam intensamente.

DANÇA PARÁ Festival

Em sua 20ª edição, no período de 21 à 26 de outubro de 2011, consolida-se como um dos principais eventos de dança do País. O “DANÇA PARÁ” é uma realização da Cia. de Arte Produções (Belém-Pará), reconhecido pela Fundação Nacional da Arte - FUNARTE / Ministério da Cultura, CID – Conselho Internacional de Dança / UNESCO, contando com o apoio do Governo do Estado do Pará, Prefeitura de Belém e empresariado local; tendo a frente os profissionais Darley Quintas e Maurício Quintairos. Neste período Belém, se transforma na DB 40

faz muito tempo que percebi que esse seria meu rumo.

“Capital Brasileira da Dança”, registrando um número expressivo de profissionais e personalidades da dança nacional e internacional atingindo em média 100 companhias de dança e aproximadamente 40.000 (quarenta) mil pessoas na programação diversificada que o evento oferece, como: Mostra de Dança, Mostra Competitiva de Dança, Circuito de Dança nos Centros Culturais, Vídeo Dança, Show Desfile “Fashion Dance”, Workshops, Expo Dança, entre outras atividades. Mais informações: (91)96055360 - 99660101


Artigo

Vivenciamos um momento histórico na dança?

Por Aline Bucco

Estamos sendo mais vistos e reconhecidos por nossos talentos e produções. Sendo distinguidos como profissionais capazes de intervir na sociedade de maneira visivelmente positiva, entretanto, é necessário que bailarinos, professores, coreógrafos e todos envolvidos entendam que não basta apenas a criação e o movimento. Vivemos num “momento” em que o “mercado” oferece “conexões”, precisamos reconhecê-las e aproveitá-las, a seguir enumero algumas. Colegas da dança reflitam: - Nunca tivemos tanto espaço na mídia, na televisão principalmente, onde os concursos, sejam de famosos ou anônimos dançarinos, possibilitam não apenas as decisões de “quem é o melhor em determinada modalidade ou gênero de dança”, mas, principalmente atente ao público que não vai até o Teatro, sem acesso as grandes produções, para que tenha a oportunidade de visualizar e conhecer a dança, partindo disto desenvolver o interesse em descobrir esse mundo, seja procurando as escolas de dança para ingressar na prática ou prestigiando espetáculos e apresentações. - Através das redes sociais: Orkut, Facebook, Twitter, Youtube, Blogs e sites... Estamos facilitando o diálogo, permitindo as discussões, obtendo informações e fomentando o crescimento a todos aqueles que buscam na dança um rumo para suas vidas. - O aumento no número de Cursos Superiores de Dança nas universidades do Brasil, bem como das Especializações antes restritos ao exterior, nos mostram que a busca pela profissionalização por meio do ensino superior é uma constante. - A descentralização dos Festivais de Dança, antes restritos aos grandes centros e hoje visíveis e de qualidade em muitas cidades do interior do Brasil, favorecendo a “logística” dos grupos e escolas pequenas para “se mostrarem e serem vistos”, as trocas de experiências, os contatos com profissionais renomados e toda conhecida bagagem que vêm junto com experiências como estas tanto para bailarinos, quanto para coreógrafos e organizadores dos eventos.

- Projetos sociais, políticas públicas direcionadas a dança e os olhos do poder público voltados para a tal “cereja do bolo”. Como um exemplo, o estado do Rio Grande do Sul, que no último dia 23 de julho elegeu seus representantes no Colegiado Setorial de Dança, “numa proposta da Secretaria de Estado da Cultura, que está oportunizando as áreas artísticas formarem seus colegiados para que possam ser um instrumento de reivindicações e parceria, juntamente com a própria Secretaria, construindo políticas de estado para a dança que sejam duradouras.”(Marco Fillipin). A eleição foi encaminhada pelo IEACen (Instituto de Artes Cênicas), foram eleitos 10 representantes de diferentes regiões do estado e seus respectivos suplentes, sendo que cinco representantes da esfera governamental serão indicados pela Sedac, num total de 15 cadeiras no Colegiado de Dança, para representantes de: Grupos de Dança e Companhias consolidadas; Entidades Representativas; Festivais; Cursos livres (academias e escolas de dança no ensino informal); Cursos Formais (Educação Básica); Cursos de Graduação; Projetos Sociais e setor de Gestão e Produção em Dança. Outro exemplo deste momento, porque não citar, o visível crescimento, amadurecimento e consolidação da Revista DANÇA BRASIL. Um veículo de circulação nacional que vai muito além do ato de informar e gera um canal aberto em suas páginas para divulgação de ideias e contextos amplos e democráticos, se tornando mais uma das questões a se exaltar e parabenizar. Se hoje conseguimos “viver de dança neste país” e o melhor, viver a dança plenamente: aprendendo, refletindo e discutindo, é porque soubemos aproveitar este momento de grandes conexões. Quando oferecemos a nossos alunos, aulas e coreografias mais consistentes, ao público, produções e entretenimento de melhor qualidade, um tempo em que protagonizamos e vislumbramos um palco aberto para maiores conquistas. * Aline Bucco é coreógrafa e pesquisadora em dança.

DB 41


Novidade

“Ballet”, a coleção de esmaltes primavera verão 2011 2012 da Avon Feminilidade e cintilância são algumas das características das tonalidades Meia Ponta, Laço de fita, Sapatilha e Ballet Quem acompanhou a primeira edição do Nails Fashion Week – que ocorreu em junho na Vila dos Ipês em São Paulo - pôde conferir de antemão a nova coleção de esmaltes da Avon, a “Ballet”, inspirada no estilo clássico da dança homônima. Desde agosto disponível à venda, ela conta com 4 cores que refletem a delicadeza e feminilidade de uma bailarina, dividas entre cintilantes e cremosas.

A coleção primavera verão 2011 2012 de esmaltes da Avon, “Ballet”, tem como modelo a atriz Paola Oliveira, que também assumiu a campanha da coleção “Garota da Capa” da marca de cosméticos. Os esmaltes já estão disponíveis no site e nos catálogos da estação e serão vendidos por R$ 2,70 cada unidade. Crédito do texto: Milene Loiza de Sousa. Portais da Moda - Dicas de Saúde e Beleza.

Divulgação.

Meia ponta: a cor - equivalente a um nude cremoso e levemente cintilante – é comumente vista nos trajes de ballet, o que também reforça a leveza dos mesmos; Laço de fita: é uma das cores que apresentam cintilância, é caracterizada por um tom de rosa levemente escuro e vibrante, o pink; Sapatilha: a cor - representada por um azul clarinho - não é cintilante, mas possui uma consistência ainda mais cremosa; Ballet: também cintilante, a cor caracteriza-se por um bege, somando a cartela de cores claras e delicadas peculiares do ballet.

Divulgação.

Inseridos na linha de esmaltes da Avon Color Trend Brilho e Longa Duração, os lançamentos possuem cobertura uniforme e brilhante, secagem rápida e duração prolongada que a fórmula proporciona. Entre eles, estão as seguintes tonalidades:

DB 42


Programe-se!

II Curso de Férias de metodologia russa com professores do Bolshoi e convidados

O Curso de férias é realizado pela Mostra Dança, que não conta com montagem de espetáculo, mas sim com um intensivo de aulas, de 3 a 5 por dia. Acontecerá de 17 à 27 de Janeiro de 2012 em São Paulo com a presença do diretor artístico da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, Cesar Lima; professores da ETBB, Larissa de Araujo, Bruna Felício e Maikon Golini; além dos convidados, Denis Nevidomyy (russo), Erick Silva, Francisco Ribeiro, Rony Dias e Andressa Rodrigues. Grade

de

Aulas

do

Curso

para bailarinos:

Técnica de Ballet Clássico Masculina Técnica de Ballet Clássico Feminina Pas de deux Variação de repertório Técnica de Pontas Técnica Masculina Alongamento Dança Contemporânea Jazz Maquiagem Teatro Musical Sapateado (opcional – pago a parte, 5 aulas) Dança de Rua (opcional – pago a parte, 5 aulas) Grade de Aulas do Curso para Professores Metodologia para professores módulo I (1º a 3º ano) Metodologia para professores módulo II (4º e 5º ano) Obs.: O curso para professores será ministrado por Denis Nevidomyy, professor russo, que lecionou na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.

Pacotes para bailarinos: Pacotes Aulas Inclusas 1.Técnica de ballet clássico feminina ou masculina, Pas de Deux, Variação de Repertório, Técnica de Pontas ou Técnica Masculina, Alongamento, Dança Contemporânea, Jazz, Teatro Musical e Maquiagem 2. Técnica de ballet clássico feminina ou masculina, Pas de Deux, Variação de Repertório, Técnica de Pontas ou Técnica Masculina, Alongamento, Dança Contemporânea, Jazz, Teatro Musical e Maquiagem + Dança de Rua 3. Técnica de ballet clássico feminina ou masculina, Pas de Deux, Variação de Repertório, Técnica de Pontas ou Técnica Masculina, Alongamento, Dança Contemporânea, Jazz, Teatro Musical e Maquiagem + Sapateado 4. Técnica de ballet clássico feminina ou masculina, Pas de Deux, Variação de Repertório, Técnica de Pontas ou Técnica Masculina, Alongamento, Dança Contemporânea, Jazz e Maquiagem + Dança de Rua + Sapateado 5. Dança de Rua 6. Sapateado 7. Teatro Musical + Sapateado Pacotes para professores Pacotes Aulas Inclusas 1. Metodologia para professores MÓDULO I 2. Metodologia para professores MÓDULO II 3. Metodologia para professores MÓDULO I E II Maiores informações www.mostradanca.com mostra_danca@yahoo.com.br Facebook: Mostra Dança Telefones: (11) 2238.7360 ou (11) 3257.2133 DB 43


Preparação Física para Bailarinos

Diferenças Climáticas e Choque Térmico Por José Luiz O. Gioia O Brasil é um país de dimensões e proporções continentais. As condições climáticas são muito adversas em cada região e estado. Variando inclusive de cidade para cidade. Você me pergunta o que isto tem a ver com a preparação física para bailarinos. Então vamos lá! Durante a assessoria que dei no Festival de Dança de Joinville este ano, pude mais calmamente conversar com algumas professoras e bailarinos de todo Brasil e, fiquei analisando e até sendo questionado sobre este tema que é de fundamental relevância. Gostaria que fizessem uma pesquisa sobre artrite e artrose. Não precisa de muita coisa, mas sim para encurtar o texto e dar um pouco mais de sentido a este. Imagine que você inicia sua aula e a temperatura está em um determinado grau. Ao terminar, ela aumentou para um outro grau. Você faz aula de sapatilha, tênis, meia ou outro dentro de sua modalidade e ao final você retira este calçado, como o chamaremos para ilustrar. A temperatura de um piso frio em alguns casos chega até 10 graus de diferença da temperatura ambiente. E você simplesmente fica com os pés ali, mesmo com a sua temperatura acima do que a do piso. Isto também se aplica a linóleo, numa proporção menor. Temos também, para ajudar a ilustrar, o fato de tomarmos água gelada, que infelizmente não há como não tomá-la sem ser assim, de uma maneira metafórica, mas sabendo que isto também gera um outro tipo de choque térmico. Mas as perguntas que me levaram a escrever este artigo é em relação ao ar condicionado. Aí realmente existe um paradoxo muito grande. É possível fazer aula com um calor intenso? E se a situação for ao contrario, sendo muito frio? Procurei ouvir bem e entender o panorama destes pontos para começar a traçar um, ou algum tipo de planejamento, seguido de ação. É claro que estas situações são inviáveis, deixando ao mero acaso do tempo, onde encontramos situações adversas. Mas não as condições climáticas. E este tema tem muitas vertentes e ramificações implicantes em processos de preservação ou não do bailarino. No caso do calor, perguntei a uma professora o que era feito, como era feito e por DB 44

que deveria ser feito. Vi que houve certa relutância em responder minha pergunta, pois aquilo já era como se fosse parte da rotina de seu trabalho. Isto, em caso de calor extremo. Mas no caso do frio, era muito similar. Alguns dos maiores problemas dos choques térmicos são transferidos para tendões e articulações, dependendo do caso. Mas sim, há implicações diretas nestes e, em outros também. Um conselho que dei e que acho que pode servir para quem tem este tipo de incomodo, é que antes de terminar qualquer trabalho que esteja sendo feito ou executado, desligar o ar condicionado ao menos 10 minutos antes de se sair da sala. Ou esperar para sair da sala após 20 minutos de encerradas as atividades. Na sala ou na escola, pois o que vale neste caso é a diferença de temperatura que o bailarino irá encontrar em um ambiente que não seja aquele que já estava condicionado a uma temperatura ideal para a execução do trabalho que foi feito. Isto sempre gira em torno de 22 a 24 graus. Podendo é claro, variar de região e estado. Mesmo em Louveira, com temperaturas que não são dos tipos destas variáveis, de extremos, sempre dou bronca em quem termina a aula e já vai tirando a sapatilha e colocando os pés no piso frio, fora do linóleo. Até nele mesmo. Como disse, precisa haver um tempo de recuperação para isto. Em especial os pés onde o fluxo sangüíneo é muito maior ao final de um trabalho, em que há um aumento de temperatura até por conta deste. Volto a frisar que são muitas as implicações do choque térmico, até como trincas ou mesmo rachaduras nos dentes e outros. Mas que em nosso caso, vamos nos ater a tendões e ligamentos. Mas vocês poderão achar casos de coluna vertebral e outros. Uma leitura sobre isto seria muito boa. Pra elucidar melhor o que estamos referendando. Há sim alternativas para a preservação dos bailarinos através de simples atos. Mas que a não prevenção destes, pode acarretar problemas sérios no futuro não tão distante. José Luiz O.Gioia é diretor e preparador físico da Cia de dança GIOIA RARA. Atua como professor e Instrutor de musculação. joseluiz@dancabrasil.com.br twitter:@gioiarara


DB 45


Internacional

InTime

cor. Pál Frenák; mus. Attila Gergely Companhia Pál Frenák O coreógrafo franco-húngaro aqui apresentou com imenso sucesso InTime tanto que obteve sua obra difundida em Arte por vários mêses. A coreografia é ousada, crua, erótica triste, violenta... A solidáo é onipresente nas obras de Frenák assim como a intensidade dos propósitos, a latente tensão e o cuidado da beleza plástica. São cinco bailarinos no palco, que se perguntam, se procuram, se perdem na observação um do outro. “Como, se pudessem, poderia uma pessoa parecer real a uma outra? Poderia o desejo de um ao outro continuar intacto para sempre? Quanta mentira e falta de sinceridade existem em nossas relaçoes com o nosso corpo?”. Um sofá de couro vermelho e o imenso palco quase inteiramente coberto de rosas vermelhas. Não se trata de um plagiado de “Nelken” de Pina Bauch, mas de uma citação. O itinerário coreográfico e teatral de Frenák é outro, individual e original. Um homem aparece por traz do sofá onde dois lindos corpos femininos estão sentados. Pernas cruzadas, as cabeças viradas para traz, não as vemos! Só as pernas e o corpo contam histórias... O homem escorrega, mergulha no chão florido.

Um solo incrível pelo trabalho do torso, a fluidez dos movimentos, “soft” e felino. Contrações, distorções, levanta-se e cai, ao som ritmado e longínguo. Volta ao sofá vermelho como para exorcisa-lo. Back-out, silêncio. Sons de pequenos rápidos passos de sapatos de salto, e o “slow” hollywoodiano, ironico, permitem os gestos de coqueteria feminina. Só gestos e as mulheres sentadas (vestidos negros, curtos) e as maravilhosas pernas entrelaçadas falam de lembranças dos corpos de ontem. Black-out, silêncio. As percussões, fortes, entregam a mulher morena ao sofá. Ela se joga nêle, varias vêzes, ferindo o vermelho e suas poucas ilusões. Um quadrado de luz clara. Um homem vem a seu encontro neste canapé de tôdas as volúpias. Alucinante de rapidez, na semiobscuridade e vozes murmuradas. Piano. A mulher loura entra, com os mesmos pequenos passos sonoros, desespero, quedas, caminhadas, desesquilibros. A partir daí pensamos que o sofá já era um corpo, uma outra pele, na sua passividade, permitindo tudo a todos os corpos, (mais tarde desnudos), ativo por seus ângulos e curvas. Corpos que não demonstram um festival de músculos, nem a luxúria das gorduras. Corpos impressionantemente belos, belos e humanos. O erotismo é muito bem dosado, entrecortado pela música, ou

Por Celi Barbier, correspondente na Europa

os ruídos irritantes, o piano lanscinante, intrumentos de corda que parecem rasgadas pela perseguição animal de um corpo ao outro. Incrível a agilidade dos corpos, suas evoluções incessantes, o contrôle perfeito dos movimentos. Ousado e esplêndido. Incessante e belo. Difícilimo trabalho para os os bailarinos de uma rapidez quase extatica. Black-out, silencio. Um “blue” e piano. Um ser estrantro, coberto de lama aparece, suas contorsões sôbre o canapé são terríveismente dolorosas, uma existência carregada de existências. Como o primeiro homem, êle se expressa pelas mãos e braços. Flash. Todos estão reunidos, vestidos dos trajes dourados de uma sociedade decadente. Só, “Ele”, sentado, o rosto envelhecido entre as mãos, quando o grupo em linha frontal vem até o proscênio, olhos nos nossos olhos. Em nenhum momento desta obra execpcional, Pál Frenák caiu na armadilha do “voyeurisme” ou da luxúria. Êle soube nos encaminhar atravez do labirinto de nossas contrastadas emoções e sentimentos, pelas imagens cruas mas belas, pelo impacto da trilha sonora, que juntamente com as luzes de J. Marton, nos conduz a um estado, de reflexão emocional. Já não é uma pergunta, mas uma messagem.

InTimE. Cserkuti Szines.

DB 46


Dança Brasil: Como foi o início de sua carreira? Yoko Okada: O iníco de minha carreira foi aos 13 anos de idade com professor recém chegado do Japão, um ano e meio depois já fazia turnês no interior de São Paulo e Paraná. DB: Quais suas principais influências profissionais? YO: Minha principal influência foi o Ballet Clássico dos E.U.A. Fiz Jazz nos E.U.A., e aqui no Brasil, fui aluna de Lennie Dale (bailarino e Coreógrafo estadunidense). Fui solista e assistente de sua Companhia. DB: Como você vê a vida do profissional de dança no Brasil? YO: A vida profissional de dança aqui no Brasil é boa em todos os sentidos. Atualmente formam-se

Yoko Okada

bons bailarinos, mas se der, o ideal é ir para outros países, aprimorando sempre. DB: Qual sua opinião sobre os festivais competitivos de dança? YO: Os festivais de Dança são bons para aperfeiçoar a técnica. DB: Que você destaca na sua carreira? YO: A minha carreira está sendo muito boa, no Ballet do IV Centenário, recebi o prêmio de Revelação de 1954 no Rio de Janeiro. Fui diretora artística, coreógrafa e maitre de ballet na Cia Nacional do Paraguai, durante um ano e meio, ministrei aulas na Holanda, Japão e Portugal. Também fui maitre de ballet clássico da Sopro Cia. De Dança, durante 4 anos, e dei aulas na Cia. Jovem do Palácio das Artes de BH.

Divulgação.

Entrevista

DB: Como professor o que inspira em suas aulas seu processo de criação? YO: A minha inspiração é trabalhar com profissionais. DB: Qual a importância da graduação universitária em dança? YO: É muito bom que se tenha uma graduação sobre “dança”, isso só faz enriquecer este universo. DB: O que é a dança para você? YO: A dança para mim é o ar que respiro, tenho muito respeito.

DB 47


Espetáculo

CIA. ARTESÃOS DO CORPO APRESENTARÁ A INSTALAÇÃO COREOGRÁFICA

Divulgação.

“OLHAR URBANO”

dos sobre a proximidade”, contemplado pelo X edital de Fomento à Dança para cidade de São Paulo. A estréia desse trabalho será em 2012 junto com o documentário feito pela cineasta Coraci Ruiz do Laboratório Cisco, sobre a dança em paisagens urbanas e o espaço público na cidade de São Paulo a partir da experiência artística da Cia. Artesãos do Corpo nas ruas paulistanas.

Divulgação.

No final de agosto a Cia. Artesãos do Corpo apresentou a instalação coreográfica “Olhar Urbano” na inauguração da unidade Bom Retiro do SESC SP. Dia 4 de setembro a companhia se apresenta no festival Danse em Ville na cidade de Eupen na Bélgica. Dia 25 de setembro a companhia também participará do Festival Ballo Pubblico na Itália. Atualmente a companhia está pesquisando uma novo trabalho para palco a partir de estudos dramatúrgicos e coreográficos sobre a tríade: espaço, proximidade e fronteira, tendo como livre inspiração o conceito de “mixofobia” proposto por Z. Baumann e o universo poético-urbano de Ítalo Calvino. Essa criação faz parte do projeto “Estu-

DB 48

OLHAR URBANO: A dança está lá, mas não se vê, se pressente. O corpo dos intérpretes se deslocam ora lentamente, ora estabelecendo novos diálogos com a arquitetura local. Revelam detalhes do espaço até então despercebidas associações inimaginadas. Longe da segurança do palco o corpo cria uma coreografia onde o risco e o inesperado estão presentes, tornando cada apresentação uma construção inédita. As pessoas que assistem Olhar Urbano constroem junto conosco inúmeros significados, se identificam com a intervenção e recriam a cidade a cada novo olhar. Olhar Urbano propõe uma nova poética para o espaço/tempo cosmopolita e se configura como uma provocação, diante da supervalorização da velocidade e da desvalorização dos pequenos detalhes e depoimentos.


DB 49


RETIRE GRÁTIS DANÇA BRASIL

Aconteceu

Gala 40 Anos Especial Academia de Ballet

Em quarenta anos de atuação em São Paulo, a “Especial Academia de Ballet” plantou e colheu muitos frutos na arte da Dança e fez desta, nos seus espetáculos, a palavra que não podia falar, o espaço para a crítica, a luz para produzir beleza e poesia, o movimento para celebrar a vida e dialogar com a dor, a arte que somente o corpo é capaz de transmitir nesse campo do saber humano que deve ser o mais democrático de todas as artes. A existência e a continuidade da “Especial Academia de Ballet”, em quase meio século, chancelam o compromisso, a lealdade e competência desta instituição em manter acesa a chama da arte do movimento. No mínimo, esse fato nos delega o papel de reconhecer e homenagear Aracy de Almeida, artista que através da dança, soube tão bem interpretar, expor e transmitir, usando a arte de ensinar, a grandeza e a beleza da arte da dança em todas as suas vertentes. Para comemorar esta data aconteceu dias 20 e 21 de agosto no Theatro São Pedro, a “Gala 40 anos da Especial Academia de Ballet”, apresentando a “ Cia Brasileira de Danças Clássicas” e tendo como convidados especiais nomes que fizeram parte desta história. •Erico Montes ( Royal Ballet) •Israel Alves (Studio3 Cia de Dança) •Mirela Costa Neto ( Miami Citty Ballet) •Paula Penachio e Ed Louzardo (São Paulo Companhia de Dança) •Ronaldo Cezar (Ballet Theater Karlsruhe)

DB 50

Divulgação.

Theatro São Pedro

Especial Academia de Ballet Direção artística: Aracy e Guivalde de Almeida Direção Executiva: Regiane Mirandez Produção: Elinah Jacqueline Mais informações: (11) 2601.8025 www.especialacademia.com.br

SÃO PAULO ARARAQUARA (SP) Av. José Bonifácio, 522 Centro // BARUERI (SP) R. Campos Sales, 505 – Centro // CAMPINAS (SP) Av. Irmã serafina, 985 - Centro / R. Guilherme da Silva, 300 - Cambuí / Av. Jesuíno Marcondes Machado, 2301, cj.04 - Vl. Nova Campinas// GUARULHOS (SP) R. Timóteo Penteado, 5, loja 7 // ITAPIRA (SP) Av. Castro Alves, 360 // JUNDIAÍ (SP) R. Rangel Pestana, 1086 - Centro // MARÍLIA (SP) Rua Paes Leme, 89 - Centro // MOGI DAS CRUZES (SP) - R. Dr. Correa, 495 - Centro // OSASCO (SP) R. Primitiva Vianco, 244 - 2º piso Lj.36 - Shop. Primitiva // RIBEIRÃO PRETO (SP) R. Tibiriça, 457 - Centro // SANTO ANDRÉ (SP) Av. Lino Jardim, 580 // Rua Doutor Eduardo Monteiro, 311 - Jd. Bela Vista // SANTOS (SP) Av. Doutor Epitácio Pessoa, 320 - Aparecida / Av. Francisco Manoel, 64 - Jabaquara // SÃO BERNARDO DO CAMPO (SP) R. Reginaldo de Lima, 152 - Pq. S. Diogo // SÃO JOSÉ DO RIO PRETO (SP) R. Antônio Godoy, 3676 - Redentora // SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) Av. São João, 644 lj. 24 // SÃO PAULO (SP) R. Augusta, 2784 - Lojas 1/2 - Cerqueira César // R. Augusta, 2672 - Cerqueira César // R. João Cachoeira, 225 - Itaim // R. Joaquim Nabuco, 146 - Brooklin // R. Barão do Triunfo, 502 - Lojas nº10 - Brooklin Novo // Av. Paulista, 854 - Loja 23B - Cerqueira César // R. Agostinho Gomes, 1537 - Ipiranga // R. Moaci, 137 - Moema // Av. Leôncio de Magalhães, 627 - Jd. São Paulo // R. Capitão Avelino Carneiro, 232 - Penha // R. Coelho Lisboa, 224 - Tatuapé // R. Dr. César, 107 - Santana // R. Comendador Miguel Calfat, 209 - Itaim Bibi // Rua Paracatu, 210 - Saúde // Rua Itapura, 1529 // SÃO VICENTE (SP) Rua Frei Gaspar, 704 lj.15 - Shopping Deslumbrante - Centro // SOROCABA (SP) R. General Carneiro, 218 - Cerrado // R. da Penha, 1.135 - Centro // VINHEDO (SP) R. Nove de Julho, 291 - Centro. RIO DE JANEIRO RIO DE JANEIRO (RJ) Trav. Ferreira Borges, 20 lj 03 – Campo Grande // R. Marques de Abrantes, 168 - Loja 7 - Flamengo // R. Dias da Cruz, 188 / sb 243 - Méier // R. Barata Ribeiro, 370 - Loja 112 - Copacabana // R. Barata Ribeiro, 502 Loja 3 - Copacabana // Av. N. S. Copacabana, 769 - Conjunto 802 - Copacabana // R. 24 de Maio, 1015 ou 1011 - Engenho Novo // R. Ramalho Ortigão, 09 - Loja 8 - Centro // R. Major Avila, 455/29 - Tijuca // Estr. do Gabinal, 313 - Loja 111A - Shopping Jacarepaguá // Centro Coreográfico – Rua José Higino, 115 - Tijuca // R. Visconde de Pirajá, 207 loja 109 - Ipanema // Av. Getúlio de Moura, 1.701 loja B - Nilópolis // R. do Catete, 228 loja 310 - Catete // Rua Santa Clara, 33 - Rio de Janeiro - RJ // Rua Regente Feijó, 107 - Centro - Rio de Janeiro - RJ // NITERÓI (RJ) R. Lopes Trovão, 134 lj. 141 - Icaraí // Estrada Francisco da Cruz Nunes, 7007 lj. 202 - Itaipú // NOVA FRIBURGO (RJ) R. Maria Francelina Barroso, 83 - Cônego // NOVA IGUAÇU (RJ) Av. Marechal Floriano Peixoto, 1480 - Loja 142 – Centro // PETRÓPOLIS (RJ) Rua Dr. Nelson De Sá Earp, 232 loja 06 - Centro // CAMPOS (RJ) Av. Pelinca, 100 - Loja 49 - Parque Tamandaré // ILHA DO GOVERNADOR (RJ) R. Alberto Torres, 270 Lj. 14 - Jd. Guanabara // MINAS GERAIS BELO HORIZONTE (MG) R. Antônio de Albuquerque, 749 - Lojas 1 e 3 – Savassi // R. São Paulo, 656 loja 64 - Centro // Av. Dom Pedro II, 3.151 - Caiçara // R. Alagoas, 1.314 loja 22 A - Funcionário // JUIZ DE FORA (MG) Av. Getulio Vargas, 353 loja 138 - Centro // UBERLÂNDIA (MG) R. Machado de Assis, 501 - Lojas 7/9 - Centro // PARÁ BELÉM (PA) Trav. Francisco Caldeira Castelo Branco, 1.271 - São Brás // Av. Conselheiro Furtado, 1270 - B. Campos - Belém- PA // DISTRITO FEDERAL BRASÍLIA (DF) SCLN, 308 BL.B - Loja 7 - Asa Norte // SHCS, EQ 302/303 BL.A - nº6 Loja115 - Shop.Fashion Mall // PARANÁ CURITIBA (PR) R. Barão de Antonina, 269 // Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 603 Loja 5 // LONDRINA (PR) R. Paranaguá, 921 - loja 03 - Centro // MARINGÁ (PR) Av. Dr. Luiz Teixeira Mendes, 1050 lj.06 - Zona 04 // CEARÁ FORTALEZA (CE) Av.Dom Luis,300 - Loja 445 Shopping Aldeota Expansão // Av. Santos Dumont, 3.130 lojas 226/ 227 - Aldeota // Av Dom Luiz,300 lj 152 // GOIÁS GOIÂNIA (GO) Av. 85, nº 1853 - Sl 10 - Gal. Via Maria - Marista // Rua 07 nº 1.110 Setor Oeste // Av. Anhanguera, 7840, Qd. 99A, lj 222 - Campinas // RIO GRANDE DO NORTE NATAL (RN) R. Dr. Carlos Passos, 1.738 Morro Branco // RIO GRANDE DO SUL PORTO ALEGRE (RS) R. Mostardeiro, 120 - Loja 5 - Rio Branco - Galeria 5º Av. Center // PERNAMBUCO RECIFE (PE) Av. Herculano Bandeira, 513 - 1º andar - Sl.12 - Pina // BAHIA SALVADOR (BA) Av. Otávio Mangabeira, 815 Loja 36 - Pituba Sol Shopping // FEIRA DE SANTANA (BA) Av. Getúlio Vargas, 330 loja 8 - Centro. FLORIANÓPOLIS - SC Rua Felipe Schmidt, 249 lj: 201 - Centro Comercial ARS - Centro // Campo Grande - MS Rua Antônio Maria Coelho, 2486 - Jardim dos Estados.


DB 51


DB 52


Revista Dança Brasil - Setembro 2011