Issuu on Google+


índice

Caraguá Cidade das Artes e do Artesanato

14

Ivy Malerba “São muitos os sonhos ... Vamos realizá-los”

18 Culinária Mineira 20 Cerveja para todas as ocasiões 34 Torcedores do Peixe 37 Coluna do Jair 38 Meu combustível é o 46 Ponto Final meu ideal E mais ... 07 08 37 40 42

4

Nossa Palavra Aconteceu Gente Vida Real Casa & Decoração

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013

EXPEDIENTE Revista da Cidade - Caraguatatuba Ano Vl Número 33 - Junho / Julho 2013 Jornalista Responsável Roberto Espíndola - Mtb 6308

Departamento Comercial Luiza Garcez

Colaboradores Jordelino de Paula Bertô Curare Zéka Mario Percival Rangel

Publicação e Impressão Digital Graf Press Ltda., CNPJ 05.95.821/0001- 72, Rua Mario Valério Camargo 127 Cep: 12230-089, São José dos Campos/SP

Fotos J.C.Curtis Lú Palmeira Luis Gava Gianni D’Angelo Natasche Annunciato Arquivo Público Municipal Arte & Diagramação Fabíola Espindola Manchester - England Produção Gráfica R.Espíndola & Associados

Escritório em Caraguatatuba Tel.: 12.3882-4596

E-mail: revistacaraguatatuba@gmail.com

Edição On Line: www.issuu.com/revistadacidade/docs

Para receber uma assinatura online da Revista da Cidade Caraguatatuba mande uma mensagem para: revistacaraguatatuba@gmail.com


Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

5


6

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


nossa palavra

Obras de arte ao alcance de todos

M

eu amigo Gianni Parziale, talentoso artista plástico de renome internacional, que escolheu e adotou Caraguá como seu pedaço de chão, para viver e se inspirar na produção de suas obras, gentilmente me presenteou com um trabalho perpetuando no papel o meu semblante, da forma como me vê. São gestos como este que gratificam nosso trabalho e nossa luta para produzir uma revista, que muitas pessoas consideram a melhor da região, retratando a cidade, relatando o modo de vida de sua gente, e seu desenvolvimento num deter minado período de sua história para o conhecimento das futuras gerações. Mas Parziale com este gesto tem um objetivo maior: difundir as artes plásticas em nosso meio colocando-a ao alcance de todos. As pessoas poderão ter um trabalho igual a este, para ser colocado em sua residência ou escritório, que certamente provocará comentários e admiração, ou imagem de filhos menores, que irão lembrar um determinado momento de suas vidas ou ainda para presentear parentes ou amigos queridos de forma personalizada. Passa a ser uma opção de bom gosto no universo de “mesmices” em que vivemos. Até neste aspecto

nossa cidade é maravilhosa. Ninguém precisa se contentar com menos. Com a quantidade de artistas e artesãos que temos aqui, é fácil ter uma autêntica obra de arte, personalizada, assinada pelo autor. É apenas uma questão de opção e, como já dissemos, nesta campanha que se inicia, até no aspecto financeiro as obras estão ao alcance de todos. Vale também destacar o desenvolvimento da cultura num contexto mais amplo. As manifestações são muitas, e não apenas obras de arte estão disponíveis, como ainda espetáculos de teatro, balé, shows com cantores, bandas e orquestras, encontradas com facilidade durante o ano todo. Os que aqui nasceram e os habitantes mais antigos, surpreendem-se com o nível de desenvolvimento que Caraguá alcançou em tão pouco tempo. Vale lembrar que o ensino t r a z c o n h e c i m e n t o. Muito mais do que isso, a cultura traz sabedoria.

Roberto Espíndola

Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

7


Cidadãos Caraguatatubenses

A

conteceu

Vida da Cidade

E

m sessão solene da Câmara Municipal, receberam o título de Cidadãos Caraguatatubenses, o escritor e radialista Francisco Anísio Antunes Mauricio, popularmente conhecido como Mauricio Poeta Neto e o engenheiro Nilton de Oliveira e Silva, por seus relevantes serviços prestados ao município. A iniciativa foi do vereador Francisco Carlos Marcelino, o Carlinhos da Farmácia.

Novo Bispo

Feira de Adoção

M F

oi escolhido pelo Vaticano o novo Bispo para a Diocese. Dom José Carlos Chacorowski tomará posse dia 17 de agosto, às 10 horas, na Catedral do Divino Espírito Santo. 8

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013

ais uma vez foi realizada pelo Centro de Controle de Zoonoses a Feira de Adoção para Cães e Gatos, onde os interessados puderam adotar animais, comprometendo-se ao seu bom trato e vacinação. Mediante o pagamento de uma taxa de R$ 12,25 há a implantação de um microchip para identificação e acompanhamento do animal.


Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

9


O Aniversário de Jamile O Khalifa esteve em festa comemorando, com muita alegria, o 10º aniversário de Jamile, a caçula da família. Mais uma vez, Omar e Monica, com sua tradicional hospitalidade, reuniram os amigos para cantar o Parabéns e apagar as velinhas, claro, depois de servir muitos quibes, esfihas, homus, tabule, charutinhos, e outras delícias da culinária árabe, banqueteando os convidados. Ah! Sem esquecer os refrigerantes e as cervejas de inverno da Itaipava.

A

conteceu

Vida da Cidade

Parziale

é destaque no MACC

F

oi aberta a Mostra Antológica de Gianni Parziale, no Museu de Arte e Cultura de Caraguatatuba, que permanecerá aberta ao público até 4 de agosto. A Mostra é uma retrospectiva da trajetória do artista plástico italiano, de fama internacional, radicado em nossa cidade. 10

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


(Av. Anchieta)

Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

11


Nova Loja do Batatuba

Foi inaugurada a mais nova loja do Batatuba no Serramar Parque Shopping. A nova loja terá a mesma qualidade de seus produtos e serviços já mostrados na loja do centro nesses 4 anos.

A

conteceu

Vida da Cidade

Manifestações Populares Fotos:Leandro Korolkovas

A

exemplo do que ocorreu em todo o Brasil, várias manifestações aconteceram na cidade, em protesto não só pelo reajuste das tarifas de transporte, como por outros problemas dos serviços públicos em nível nacional, a corrupção, a impunidade, os investimentos desnecessários e a excessiva carga tributária, revelando a insatisfação popular quanto ao estado em que se encontra a administração e a classe política brasileira.

Falha Nossa

Em nossa última edição, na matéria “Uma mulher chamada Binóca” publicamos foto de 12

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013

casamento do Major Ayres, figura relevante de nossa história, como sendo o de Dona Binóca. Falha nossa.


Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

13


Em Caraguatatuba há 10 anos, a Terapeuta Ocupacional Ivy Monteiro Malerba, formada pela UNIVAP, especialista em Educação Especial, Tecnologia Assistiva e especializanda em Gerência de Cidades, é servidora pública concursada municipal e, neste período, desenvolveu consistente trabalho visando ao pleno atendimento aos alunos com necessidades educacionais especiais na rede municipal de ensino. Convidada para assumir a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e do Idoso ,criada em dezembro de 2011, de forma dinâmica, vem promovendo ações que colocam a cidade na vanguarda deste importante movimento social que visa incluir plenamente as Pessoas com Deficiência e os Idosos no seio da comunidade, garantindo seus direitos.

“SÃO MUITOS OS SONHOS E VAMOS REALIZÁ-LOS”

D

esde a pré - história, somente os fortes sobreviviam e os considerados fracos eram deixados à própria sorte. Na evolução da sociedade, pessoas com deficiência eram sacrificadas, abandonadas, destinadas a viverem escondidas, sendo considerados seres amaldiçoados ou motivo de vergonha e chacota. Desta exclusão total, passaram a desenvolverem-se em instituições que foram se organizando para oferecer cuidados, tratamento e educação, ainda protegendo-os dos olhos da sociedade. A evolução do conhecimento e da garantia de direitos, fez com que as práticas nas políticas de atendimento às pessoas com deficiência 14

REVISTA DA DA CIDADE CIDADE REVISTA

Julho 2013 Julho 2013 Junho 2011de Caraguá Os Sabores

passasse a um modo mais humano e digno. Este movimento social de luta contra todas as formas de discriminação ganhou força a partir da Declaração de Salamanca em 1994, na Espanha, movimento do qual o Brasil foi signatário. Em Caraguatatuba, esse movimento se inicia em 1998 em um setor específico dentro da secretaria municipal de Educação Neste cenário Ivy Malerba iniciou os seus trabalhos na Educação Inclusiva em 2004, onde pode desenvolver ações e projetos para sustentar a inclusão e permanência de alunos com deficiências nas escolas. Nesta entrevista, será possível conhecer melhor estas ações.


Revista da Cidade – Qual foi o maior projeto realizado quando esteve à frente da Educação Inclusiva no município? Ivy Malerba – Todos são importantes, porém a criação do Centro de Referência para Inclusão Escolar, sem dúvida foi o mais comemorado pela dimensão, inovação e custo que representa. Neste projeto podemos oferecer uma melhor investigação e atendimento às necessidades dos alunos, principalmente em assuntos importantes que não são considerados deficiências, como um transtorno de atenção e hiperatividade ou dislexia, mas que merecem uma intervenção específica. Vale lembrar que não existe iniciativa para projetos como este no governo federal ou estadual e aqui só foi possível por uma vontade política, já que representa um custo adicional. RC – Que outr as ações f or am desenvolvidas? YM – O Atendimento Educacional Especializado, atendendo toda a demanda do ensino fundamental municipal, que prevê o ensino do Braille, Libras, Tecnologia Assistiva, Comunicação Alternativa, entre outras técnicas, ofertada por professores especialistas ; o Projeto Cuidar, que direcionou mais de 100 estagiários de pedagogia e auxiliares de desenvolvimento infantil para assessorarem os alunos especiais dentro e fora da sala de aula; o Projeto Amigão que instituiu uma frota adaptada para o transporte de alunos com deficiência física e problemas de locomoção no trajeto casa/escola; o

Projeto Saúde do Escolar, que articulou ações em conjunto com a secretaria de saúde em campanhas preventivas e acompanhamento médico na saúde mental, auditiva e visual dos alunos; o Projeto Formar que visa à formação

dos Excepcionais, buscando uma maior articulação entre educação inclusiva e educação especial.

Temos o direito de ser iguais quando a nossa DIFERENÇA nos inferioriza e temos o direito de ser diferentes quando a nossa IGUALIDADE NOS DESCARACTERIZA

RC – Como tem sido este trabalho junto a APAE? YM – Sou particularmente uma defensora e admiradora desta instituição que nacionalmente garantiu o acolhimento e cuidado às crianças deficientes intelectuais que o sistema educacional regular não acolheu por anos. Desde que assumi a educação inclusiva no município, em 2009, foi inerente a busca pela aproximação com a entidade que vinha desenvolvendo um trabalho paralelo e um tanto desarticulado da Secretaria de Educação. Lutei por um aumento de repasse de verba para que a entidade pudesse se estruturar melhor e priorizar e organizar ações educacionais em detrimento do assistencialismo e cuidados básicos dos alunos. A APAE está passando por algumas dificuldades financeiras por conta da perda do convênio com o estado, e a prefeitura tem sido muito parceira no desenvolvimento das ações, chegando a um repasse mensal de 95.000 reais hoje.

constante e específica dos profissionais da educação, com curso de especialização e palestras periódicas aos professores da rede; o Projeto Escola de Pais, que realiza oficinas educativas nas escolas buscando maior aproximação entre escola e família e por fim o convênio com a APAE – Associação de Pais e Amigos

RC – Como nasceu a idéia de se criar a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e do Idoso? YM – As ações pela inclusão no sistema educacional naturalmente começaram a esbarrar em necessidades que extravasavam o campo de ação da Secretaria de Educação, como as questões relacionadas à acessibilidade arquitetônica e urbanística,

Julho Julho 2013 2013

REVISTA DA DA CIDADE CIDADE REVISTA

15 15


esporte inclusivo e paralímpico, cultura, lazer, assistência social, profissionalização e empregabilidade, assistência em saúde, enfim, demonstrando a necessidade de uma política municipal mais específica e articulada e conseqüente criação de uma secretaria específica para tratar da questão. A decisão foi do Prefeito Antônio Carlos, que sempre foi muito sensível à problemática de integrar deficientes e idosos à vida da cidade atendendo suas necessidades especiais. RC - A criação de uma Secretaria específica para Pessoas com Deficiência e Idosos não gera uma associação de que idoso é deficiente? YM – Não. A intenção do Prefeito ao unir esses dois públicos, foi pela necessidade de uma atenção específica dentro da administração municipal, mas que requerem ações individualizadas e distintas, tanto que a Secretaria é dividida desde as rubricas no orçamento até as equipes de trabalho, apesar de termos ações que vão ao encontro aos dois grupos, como as políticas para acessibilidade. São dois grupos em crescimento. No campo das deficiências, por exemplo, o número de jovens que tem adquirido deficiências tem aumentado em conseqüência de acidentes automobilísticos, mergulho e armas de fogo e no campo dos idosos, devido ao aumento da expectativa de vida e à demanda de idosos que ao aposentarem migram para o litoral em busca de qualidade de vida. 16 16

REVISTADA DACIDADE CIDADE REVISTA

Julho 2013 2013 Julho

Importante lembrar que o processo de envelhecimento tráz naturalmente a perda de capacidades, desde locomoção, a visão e audição, o que na prática faz com que muitos dos idosos apresentem deficiências. Nossa missão é desenvolver

Deficiência não está necessariamente vinculada à incapacidade

políticas para proporcionar o envelhecimento ativo, a funcionalidade da pessoa humana, buscando tornar nossa cidade mais inclusiva e acessível, garantindo os direitos desta população. RC – Em relação à acessibilidade, quais as ações já realizadas? YM – A Secretaria completou um ano de trabalho em fevereiro. Iniciamos nosso trabalho em relação à acessibilidade com um curso de capacitação envolvendo todos os profissionais das áreas de engenharia, arquitetura, obras, trânsito e urbanismo, tanto da prefeitura quanto prestadores de serviços. Afinal são estes profissionais que fiscalizam, constroem e reformam nossa cidade. Iniciamos um estudo

das adequações necessárias nos prédios públicos, dos quais muitos já receberam intervenções, sem contar no acompanhamento dos que estão sendo elaborados e construídos. Estamos trabalhando na criação de espaços inclusivos que serão interligados por rotas acessíveis, projeto em desenvolvimento que prevê o estudo das principais vias públicas em relação aos principais serviços de atendimento à população, para adequação das calçadas e ciclovias, dando maior condição de mobilidade urbana, consistindo em um percurso livre de qualquer obstáculo de um ponto ao outro. RC – O que são espaços inclusivos? YM – São espaços que permitem o acesso e participação de todos, levando em consideração as diferenças. Crescemos em uma sociedade que não adotou o conceito do desenho universal adequadamente, portanto, cadeirantes, pessoas obesas, idosas, com elevada estatura ou nanismo, por exemplo, fogem ao padrão pré-estabelecido. Alterar este conceito embutido é o grande desafio. Por isso estamos investindo na criação de projetos que além de serem acessíveis, se tornem espaços acolhedores e funcionais. Exemplo são os projetos Praia Acessível, Academia Inclusiva e a recéminaugurada Praça Sensorial “Mitsuo Kashiura”, no bairro Cidade Jardim. Todos fazem


parte de um projeto maior que é o “Programa Caraguá Acessível, construindo espaços inclusivos”, em desenvolvimento, que recebeu o prêmio federal “Selo Cidade Cidadã” em Brasília e o prêmio estadual “Ações Inclusivas”, ambos em dezembro do ano passado.

cinco equipamentos de ginástica para idosos ou outra faixa etária, três para cadeirantes e playground comum com um balanço adaptado para uso de uma criança cadeirante e uma sem deficiência, em uma área com

RC – Como é a Praça Sensorial? YM – Uma praça que oferece um espaço acessível, inclusivo, terapêutico, educativo e recreativo. Nela, os visitantes poderão caminhar por uma trilha sensorial podal que tem 23 texturas variadas ou por uma trilha manual que conta em sua extensão com 17 caixinhas de madeira, colocados na altura de 80 cm, permitindo às pessoas com cadeiras de rodas, manusearem as mesmas texturas da trilha a ser percorrida com os pés descalços. E também tocar em plantas com cheiros, sabores e cores variadas. O espaço oferece estímulos olfativos, visuais, auditivos, táteis, proprioceptivos e vestibulares para pessoas com disfunções advindas de alguma deficiência ou do envelhecimento, permitindo a convivência integrada, entre crianças, adultos e idosos, com deficiência ou não. A praça dos sentidos dispõe de duas pérgulas com sinos de vento, uma com maracujá e outra com trepadeira jade, canteiros com plantas, flores e árvores frutíferas diversificadas para atrair espécies variadas de pássaros. Possui quadra poliesportiva,

a discriminação na verdade se apresenta ou se confunde nas ações ou omissões cometidas contra idosos.

mais de 4.000m2 com toda a infra-estrutura necessária ao uso público. piso tátil; placas em Braille; mapa tátil; mesa e bancos para jogos; estacionamento com vagas preferenciais; rampas de acesso; área de atividade laboral e lazer. RC – Como a senhora avalia a discriminação contra o idoso? YM – Acredito que a discriminação na verdade se apresenta ou se confunde nas ações ou omissões cometidas contra os idosos, onde na maioria das vezes acaba

prejudicando a integridade física ou emocional da pessoa idosa, impedindo o desempenho de seu papel social e na maioria das vezes, cometida por pessoa em relação à qual existe uma expectativa de confiança. E assim sendo, acaba caracterizando-se como violência contra o idoso, podendo esta apresentar-se de várias maneiras. Um exemplo clássico é o abandono, que vai desde deixar o idoso no quartinho do fundo da casa, retirando-o do convívio e relações familiares; conduzi-lo a um asilo ou instituição ou a ausência de cuidados como dar medicamentos ou alimentação adequada. Outros exemplos de violência são negligência, abusos financeiros, abusos físicos. Abusos psicológicos, entre outras ações e omissões. É muito importante incentivar que as pessoas denunciem os casos de violência contra os idosos para que os órgãos de defesa possam atuar. RC – Em todo esse seu trabalho, quais suas expectativas para que Caraguá se transforme numa referência quanto à inclusão social de idosos e deficientes? YM - Para finalizar, acredito que nada adianta se o conceito da sociedade não mudar, afinal, de todas as barreiras, a mais intransponível tem sido as barreiras atitudinais, ou seja, o preconceito, a discriminação e crença enraizada de que idosos ou pessoas com deficiência são incapazes ou dignos apenas de compaixão. A sociedade que temos é a sociedade que queremos. E naturalmente, na teoria, todos envelheceremos. Julho 2013 Julho 2013

REVISTADA DACIDADE CIDADE REVISTA

17 17


Culinári

O Sabor d Simples, aromática, mantendo vivo os sabores característicos de seus ingredientes e temperos, em combinações que agradam ao paladar, a cozinha mineira mantémse como atração da mesa brasileira.

18

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


ia Mineira

das Tradições S imples, aromática, muito saborosa, a culinária mineira conquista os paladares pela variedade de pratos que oferece, de fácil preparo, com os ingredientes disponíveis na zona rural. A preparação em ambientes modestos exigiu criatividade, seja na mistura dos ingredientes, seja no uso de temperos, dando lugar a uma cozinha típica, muito rica e bem variada, onde predomina a carne de porco, o toucinho, a galinha (caipira), o quiabo, a couve, o milho, o feijão, a mandioca e outros produtos do “fundo de quintal”, sempre com muita fartura, onde são atração os variados tipos de lingüiça e o torresmo a pururuca. É com certeza a mais característica do Brasil, moldada pela necessidade de se comer bem com pouco tempo e recursos, remontando à época da escravatura, ligada intimamente à cultura do povo que a iniciou através das cozinhas das grandes fazendas. São receitas que foram passando de geração em geração, cuidadosamente guardadas, registrando os segredos de seu preparo. Um dos principais ingredientes da cozinha mineira é a paciência, onde as panelas de ferro agüentam horas sobre um calor brando, que confere à comida o seu melhor sabor. O tempo passou, os costumes evoluíram e a cozinha mineira manteve as suas características, ganhando destaque dentro e fora do Brasil. Os restaurantes especializados em seus pratos típicos se multiplicam em fazendas, hotéis, pousadas e nas cidades, onde as pessoas buscam resgatar o sabor das tradições.

Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

19


Cervejas

para todas as ocasiões

No Brasil, por ser um país tropical, a cerveja é tida como uma bebida para ser consumida bem gelada durante o verão, trazendo sempre alegria e animação. Mas a cerveja é uma bebida muito mais versátil, que pode ser consumida em qualquer ocasião, existindo estilos que, por suas características, combinam e são muito agradáveis no inverno. Diferentes dos tipos mais adequados ao verão, leves, refrescantes e com sabores sutis, as cervejas de inverno são encorpadas e com sabores intensos. O teor alcoólico é também mais elevado o que provoca uma agradável sensação de aquecimento. São cervejas para serem degustadas. É qualidade e não quantidade. Por serem mais fáceis de encontrar em nossa região, selecionamos alguns rótulos da Cervejaria Petrópolis. 20

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013 2013

Petra Aurum Cerveja tipo Pilsen, encorpada, leve e refinada, feita com puro malte e ingredientes importados, preparada segundo receitas da Alemanha. Apresenta coloração amarelo ouro, com sabor e amargor intenso, ideal para acompanhar receitas de carne, peixes e massas, petiscos em geral, frituras, defumados, embutidos, castanhas e também o tradicional churrasco brasileiro.Excelente acompanhamento para comidas picantes e pratos orientais.

Petra Schwarzbier Cerveja preta forte, de baixa fermentação, densa e saborosa, com notas de malte torrado, preparada segundo as receitas das tradicionais cervejas pretas da Alemanha. Combina perfeitamente com carnes suínas, massas, risoto, queijo duro e salgado, batata e até mesmo a tradicional pizza,

Petra Bock Cerveja escura tipo bock de baixa fermentação, encorpada e com maior presença de malte, preparada segundo as receitas das tradicionais cervejas bock da


Alemanha. Apresenta alta harmonização com carnes de caça, queijos, embutidos, carne suína, chucrute, carnes vermelhas leves, salmão, carnes com molho picante, vitela, fondue de queijo e massas, além de pratos com molhos barbecue e molhos com notas agri-doces.

Petra Weiss Bier Cerveja clara de trigo com espuma mais cremosa estável e pronunciada. Cerveja de alta fermentação, opaca devido a leveduras em suspensão. Harmoniza-se com peixes e frutos do mar, salsichas e pratos apimentados. Pode ser consumida com queijo chevre (cabra), frios defumados, pratos alemães, aperitivos e embutidos.

Petra Star Beer Cerveja forte tipo Pilsen, encorpada feita com puro malte e ingredientes importados. Preparada a partir das receitas tradicionais de cervejas puro malte da Alemanha. Apresenta coloração amarelo ouro, com sabor e amargor intenso, ideal para acompanhar pratos que visam não alterar o paladar. Combina com receitas de carne, peixes e massas, acompanhando petiscos em geral.

Black Princes Gold Cerveja puro malte Pilsen de baixa fermentação. Possui combinação harmônica entre a fragrância do lúpulo aromático e seus ingredientes especiais selecionados, o que proporciona uma suave sensação de frescor e um amargor mais pronunciado.

Black Princes Cerveja escura Premium de baixa fermentação com aroma marcante por ser encorpado e refrescante, é perfeita para todas as ocasiões e para os diversos pratos com que se harmoniza: desde uma feijoada a queijos finos como Pecorino. Harmoniza perfeitamente com molhos adocicados, massas, grelhados à base de carne suína e sobremesas com chocolate amargo, como fondue de chocolate e chocolate com morango.

Weltenbuger Kloster Cerveja de trigo tipo Dunkel baixa fermentação perfeita para acompanhar queijos Taleggio, Coalho e Brie. Seu sabor também se harmoniza com salmão defumado, Ceviche, confit de pato e todos os tipos de salada.

Julho Julho2013 2013

REVISTA DA CIDADE

21


Caraguá Cidade das Artes Com artistas plásticos de prestígio internacional, intensa programação cultural, espetáculos de teatro, balé e música e artesãos de talento, Caraguatatuba vai se transformando no maior centro de arte, cultura e artesanato da região 22

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


s e do Artesanato O

desenvolvimento cultural de Caraguatatuba é significativo e chama à atenção por sua rápida evolução, reunindo artistas talentosos em todas as áreas, que se revelam a cada dia. Das iniciativas pioneiras de Antonio Carelli, Gianni Parziale e Sandra Mendes, artistas plásticos de conceito internacional, e do ceramista Ben-Hur Vernizzi, que se radicaram na cidade, e da vinda posterior de outros artistas da área, assim como do trabalho de novos talentos, que foram se revelando, elaborando obras com diversos materiais, criou-se um núcleo expressivo que foi consolidando Caraguatatuba como principal cidade de desenvolvimento

cultural na região. Do trabalho desenvolvido pela Fundacc – Fundação Cultural e Educacional de Caraguatatuba desde sua criação há 20 anos, foram brotando vocações expressivas para o teatro, dança, música e manifestações folclóricas, fruto em parte de suas oficinas culturais e do despertar de sua população para a importância da arte e da cultura como meio de realização pessoal, obtido pela intensa programação cultural disponível durante todo o ano, os eventos culturais: Litoral Encena, Litoral em Dança, Paixão de Cristo, Virada Cultural, Folclore em Folia de Reis, Mapa Cultural Paulista, Coreto em Sol, Música no Museu Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

23


ao Alcance de Todos

O

Teatro Mário Covas, palco de eventos que atraem um público cada vez maior e mais exigente quanto à qualidade, é um dos melhores de São Paulo, elogiado por todos os artistas que ali se apresentam. Praticamente todas as semanas algum tipo de espetáculo é oferecido ao público, a preços compatíveis, com acesso fácil a todos. Espetáculos teatrais, de balé, shows musicais e humorísticos levam entretenimento e cultura à população e visitantes. É mais fácil e simples ir ao teatro em Caraguatatuba do que nas grandes cidades e capitais. E a qualidade dos espetáculos se equivale. Basta dizer que a Companhia de Dança de São Paulo escolheu Caraguatatuba para fazer sua estréia mundial e a partir daí vem se apresentando regularmente na cidade. Já estiveram no Teatro Mário Covas, Regina Duarte, Taumaturgo Ferreira, Ana Lúcia Torres, Débora Falabela, , Balé Stagium e companhias, somando mais de 500 espetáculos. O teatro abriga ainda a Escola de Balé e o Corpo de Baile Municipal. O Coreto da Praça Candido Mota também é palco de muitas atrações que reúnem os amantes dos espetáculos simples com bandas, grupos sertanejos, artistas itinerantes entre outras apresentações. A Praça de Eventos é palco de grandes shows onde já se exibiram artistas e bandas como Ivete Sangalo

24

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

25


Caraguá é assim

N

os grandes centros nem sempre é possível compatibilizar o interesse pela arte, pela cultura, pelo lazer com os compromissos do trabalho, da família e mesmo do estudo. É preciso “programar” uma ida ao teatro, a um show,

uma exposição ou outra atividade cultural. Em Caraguá estas atividades estão integradas ao cotidiano. Nos finais de semana não há qualquer dificuldade para comparecer ao Teatro Mário Covas, onde peças teatrais, humorísticas e espetáculos de dança estão disponíveis. Dependendo da época, na Praça de Eventos realizam-se grandes shows com artistas de sucesso, e na Praça Candido Mota, e em outras praças nos bairros, espetáculos ao ar livre estão disponíveis. No Pólo Cultural têm sempre exposições sobre os mais diversos temas. Isso sem falar nas Festas Religiosas e nos eventos gastronômicos como o Festival do Camarão e da Tainha. Tudo pertinho, com facilidade de estacionamento e sem necessidade de trajes especiais. É só comparecer

Artes Plásticas: Fator de Desenvolvimento Cutural Quando Antonio Carelli, Gianni Parziale e Sandra Mendes optaram por viver em Caraguá, deram início ao ciclo de desenvolvimento cultural da cidade

O mestre Antonio Carelli

M

ais do que um grande artista, de sólida formação acadêmica e prestígio internacional, com exposições em salões de várias cidades da Europa, Antonio Carelli é um mestre, entusiasmado, ativo e atuante que tem promovido no Litoral Norte uma série de ações que têm contribuído de forma marcante para o desenvolvimento e difusão da arte na região. Foi, juntamente com Sandra Mendes, o criador do projeto Arte Litoral Norte, movimento artístico que promoveu cursos, exposições, debates, publicações e vídeos, com a realização de exposições coletivas, durante alguns anos. É também o criador do Núcleo Desenho Vivo, que há mais de 10 anos congrega artistas que semanalmente se reúnem para trabalhar a matéria prima dos artistas – o desenho, desenvolvendo diferentes linguagens como incentivo para o aprofundamento de uma expressão individual. Carelli é um multiplicador que repassa seus conhe-

26

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

27


cimentos, sua técnica e a energia de seu estilo à nova geraçãode artistas. Tudo isso sem falar na diversidade de seus trabalhos em várias técnicas que o consagraram: mosaicos, painéis, cerâmicas, bronzes e óleos.

Trabalhos luminosos e vibrantes

A

rtista de grande talento, que em sua fase atual retrata de forma luminosa e vibrante, em acrílico e aquarela, objetos, paisagens e cenas de nossa região, e em particular da Mata Atlântica, Sandra Mendes, há 25 anos em Caraguatatuba, muito tem contribuído para o desenvolvimento das artes plásticas em nossa cidade, planejando, coordenando e promovendo ações de sucesso, visando à difusão das artes plásticas na região.

28

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


A obra de Gianni Parziale

E

xpondo com freqüência em salões de arte na Europa e em outras cidades brasileiras desde 1982, quando aqui se radicou, Gianni Parziale trabalha em seu atelier tendo como inspiração para suas obras vivas, alegres e de formas e traços marcantes, as belezas naturais que fazem parte do nosso dia-a-dia. Presente em todas as ações, visa ao desenvolvimento das artes plásticas em Caraguatatuba nos últimos anos, onde se incluem os projetos para a construção da Catedral do Divino Espírito Santo, em 1996, e a realização do concurso para a escolha do projeto original do Monumento a Santo Antonio, não utilizado na construção da obra.

Os múltiplos talentos de Sara Belz

C

uradora do Museu de Arte e Cultura de Caraguatatuba-MACC, Sandra Goldman-Belz veio somar seu conhecimento, criatividade e ação para a expansão e desenvolvimento das artes plásticas em nossa cidade. Artista de renome internacional, tendo participado de mais de 100 mostras individual e coletiva em várias cidades em todo o mundo, Sara Goldman-Belz é pintora, gravadora, desenhista, ilustradora, artista multimídia e poeta. Seu trabalho expressa todo o seu vigor e inquietação na busca de uma linguagem que possa transmitir através das imagens e das cores o seu eu interior. Sua trajetória como artista atravessou várias fases, mas, ao final, Sara se condensa na representação do mundo... o seu, de lembranças ancestrais. “Sara, tem um nome bíblico. Carrega consigo uma sólida cultura ancestral crivada de significados influentes em sua vida. Residem nela a vontade do saber e do fazer artístico.” (Rhadá Abramo – 1995). Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

29


ARTESANATO A EXPRESSÃO DO TALENTO Uma das vertentes do desenvolvimento cultural de Caraguatatuba é o seu artesanato. Peças que são verdadeiras obras de arte e criatividade, produzidas por novos artesãos que vieram se radicar na cidade ou desenvolveram seu potencial criativo dedicando-se à pesquisa e ao aprendizado transformaram a cidade num celeiro de boas obras, que atraem a atenção e despertam interesse pela qualidade.

Carla e a arte milenar do batik

C

arla Terra é uma artista artesã que trabalha com o batik, uma técnica de pintura milenar feita com cera de abelhas e pigmentos, sendo esta a sua maior atividade. Produz obras que se destacam por sua originalidade ao utilizar a técnica de forma muito pessoal aplicando conceitos artísticos contemporâneos , sem negligenciar o lado tradicional e artesanal característicos do batik.

30

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013

Em Campinas, na década de noventa, Carla fez cursos de desenho básico, desenho avançado, aerografia e ilustração, no C.L.A – Curso Latino Americano de Arte, iniciando o processo de sua formação profissional. A partir deste momento passou a trabalhar exclusivamente com a venda de obras de arte e artesanato. Versátil, realizou vários trabalhos de decoração, participou de salões de arte, trabalha também como cerâmica e escreve constantemente.


Um artista de fibras

D

esenvolvendo trabalhos com fibra de bananeiras, Ronaldo Vidal confecciona tapetes, chinelos, cestas, cachepôs e fruteiras, entre outros produtos, Seus projetos têm como objetivo o envolvimento de famílias carentes, adolescentes e idosos, que buscam qualificação profissional , visando geração de emprego e renda.

Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

31


Trabalhando os frutos do mar

M

alu – Maria Lúcia Modesto é uma baiana que se radicou em Caraguá no ano 2000, cujo trabalho causa admiração. A partir de escamas de peixe, e moluscos diversificados, é capaz de produzir arranjos florais e ornamentos de variadas formas e motivos, num trabalho meticuloso e fino que desperta admiração por suas características exclusivas. Em seu atelier-loja, apresenta uma diversidade de produtos que incluem cerâmicas, tecidos e bijuterias.

A arte da transformação

T

ransformando em arte o que antes era lixo, Maria Tereza, a partir de garrafas pet, caixinhas de leite tetra pack, retalhos de pano, entre outros descartes, produz bolsas, arranjos florais e peças decorativas que despertam admiração e compõem o visual de pessoas elegantes. Engajada, a artesã, em Caraguatatuba desde 1988, procura ensinar suas técnicas num trabalho social relevante. Pode parecer incrível que objetos descartáveis possam ser transformados em acessórios de qualidade, mas este é exatamente o diferencial do que Maria Tereza produz.

Maria Caiçara – uma estrela

F

ruto da criatividade do Grupo Arte Caiçara, a boneca Maria Caiçara conquista por sua simplicidade e expressão descontraída, que atrai não só crianças como adultos, sendo por vezes transformada em peça de decoração. O Grupo, que busca não só promover geração de renda para os interessados como também divulgar a culinária e a cultura caiçara, possui a linha de produtos “Farinha de Meia”, onde se incluem o Zé Caiçara e Aninha Caiçara. Com a identidade própria do que produzem, os artesãos buscam obter um atrativo a mais para divulgar a região e os valores de sua gente. 32

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


Um exemplo criativo

A

tivo, engajado num trabalho de valorização de nosso artesanato, incentivador de novos talentos e entusiasmado pelo que faz, Euzébio do Carmo transforma sacos de juta, fibras de pneus, bambus e arames em obras de arte, confeccionando presépios que despertam admiração. Artista plástico, em sua pintura retrata o cotidiano do caiçara em seu oficio de pesca, buscando sempre uma nova linguagem que valorize a luta do pescador em busca da sobrevivência.

A arte moldada em argila

P

ossuindo um núcleo de ceramistas, que pela qualidade e originalidade vem obtendo sucesso com obras em todo o Brasil e em algumas cidades do exterior, Caraguatatuba transformou esta atividade em atração turística criando a Rota da Cerâmica, que conta com 16 ateliers , com artistas que utilizam diferentes técnicas para expressar o seu talento, onde é possível admirar e adquirir seus trabalhos. Outra atração é a abertura de fornos, que ocorre uma vez por mês, experiência única , quando se constata a transformação do barro, após a queima, em objetos de arte e utensílios produzidos pela a mão do homem.

É só escolher...

Caraguatatuba tem muito mais

A

Banda Carlos Gomes, que mantém viva uma tradição de mossa gente, se apresenta regularmente no Coreto da Praça Candido Mota, oferecendo marcante lazer, que atrai moradores e visitantes em busca de bons momentos de descontração. A Caraguá Jazz Big Band, uma orquestra popular, integrada por músicos locais, que além de revelar talentos, contribui para a divulgação da cidade como centro cultural, ganhando espaço no cenário musical da região, dando oportunidade

para que nossos músicos tenham reconhecimento e possam viver de sua arte. O Água Viva Coral, criado em 1994, une o canto coral à poesia e à arte cênica, num trabalho artístico, cultural e social que viabiliza o fortalecimento de sua identidade, num movimento de vanguarda. Realiza projetos como o “Canto Na Quinta”, que se apresenta em escolas e outros locais de maneira itinerante. Realiza também um Concerto Anual, e participa de eventos culturais, cívicos e festivos no município.

Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

33


Os Torcedor

F

undado em 1912, o Santos Futebol Clube é uma das mais importantes agremiações do futebol brasileiro, reunindo em nossa cidade uma das maiores torcidas, que vibra e festeja suas vitórias e conquistas, que não são poucas, com muita alegria e descontração. Celeiro dos maiores talentos do futebol mundial – os Meninos da Vila, onde surgiram, entre outros, grandes ídolos como Pelé, Robinho,Ganso e agora o fabuloso Neymar que com suas jogadas mágicas leva os torcedores à loucura. O Santos Futebol Clube, em sua trajetória, obteve conquistas históricas. A primeira vitória obtida pelo clube, em 1913, foi contra o Corintians, seu grande rival nas disputas até os dias hoje. A partir daí foi 20 vezes campeão paulista, 9 vezes campeão brasileiro, 3 vezes campeão da Libertadores. No total o alvinegro praiano foi vencedor de mais de 100 campeonatos, taças e disputas internacionais, posicionando-se entre os clubes de futebol que obtiveram o maior número de troféus.

34

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


res Do Peixe

Julho Julho 2013 2013

REVISTA DA CIDADE

35


36

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


DIÁLOGO O MELHOR REMÉDIO Jair Nunes *

O Povo quer mudanças

E

stamos vivendo uma nova realidade. As manifestações populares de protesto trazem em seu bojo ensinamentos que precisam ser assimilados pela sociedade em geral e pelos políticos em particular. A democracia garante ao cidadão o direito de se manifestar livremente, respeitando a lei e a ordem, e neste ponto, as manifestações populares nos dão conta de que a população acordou de uma longa indiferença. O aumento de preço das passagens, que vem sendo utilizado para tirar o foco dos reais problemas que causam a insatisfação popular, foi a gota d’agua para iniciar um movimento sem lideranças, que mobilizou multidões em todo o Brasil, pelo trabalho e apoio de cidadãos anônimos e sem objetivos políticos, o que é um fato novo em nossa sociedade. Importante notar que esta mobilização, que se alastrou com uma rapidez incrível, por assim dizer no “boca a boca”, dispensou os meios tradicionais de comunicação, televisão, rádio e imprensa escrita, em geral comprometidos com interesses particulares. A internet revelou-se o maior canal de comunicação, capaz de difundir idéias num “piscar de olhos”, motivando as pessoas para ações concretas. É uma nova realidade a ser estudada, pensada e respeitada – o povo encontrou o meio de se fazer ouvir. E pelos excessos que infelizmente foram cometidos é possível prever que abusos administrativos, administração fraudulenta e sem planejamento, sangria do povo pelo excesso de tributos e dos cofres públicos pela corrupção, podem trazer conseqüências desastrosas. Mais do que nunca a classe política tem que ter sensibilidade para rever sua conduta. O povo esta deixando claro que deseja mudanças. Estou tranqüilo para fazer estas considerações pois, quando prefeito, sempre respeitei as manifestações e acatei a opinião dos munícipes, zelando pelo patrimônio e pelo controle de gastos públicos.

“ O povo encontrou o meio de se fazer ouvir”

Um empreendedor chamado Dé

S

eu nome de batismo é Adeodes, mas desde criança todos o conhecem simplesmente por Dé. Mineiro, retraído, de fala mansa, mas muito simpático e atencioso, sua vida é uma aventura. Veio para Caraguatatuba aos dois anos de idade e se considera mais caiçara que muitos caiçaras. Sua infância foi simples, como a de tantas outras crianças da cidade, mais um dia indo a São Sebastião viu no mar um petroleiro e ficou encantado. Estava decidida a sua sorte: resolveu ser marinheiro. Estudou, candidatou-se e, contratado pela Fronap – Frota Nacional de Petroleiros, foi ser Marinheiro de Convés. Viajou pelo mundo – Egito, China, África do Sul, Espanha, Japão e muitos outros países, sempre a serviço da marinha. Chegou a morar na Coréia do Sul, e nesta trajetória as emoções foram muitas. Mas cansou. Queria morar juto da família na sua querida Caraguatatuba. Aceitou um plano de demissão voluntária e recebeu uma boa indenização. Iria começar uma nova vida. Mas fazer o quê? Sua experiência era como marinheiro. Comprou um restaurante na Rua Santa Cruz sem conhecer nada de comércio. Não deu certo. O dinheiro sumiu. Teve que vender, perdendo muito. Recomeçou praticamente do zero, só com a sua disposição para o trabalho, focado na honestidade e humildade. Fez uma sociedade e montou uma lojinha – a Elo Informática, que cresceu, mudou para instalações mais amplas e hoje é uma das principais de seu ramo. A luta foi, e continua sendo grande, mas compensadora. Dé está sempre à frente de seus negócios. Casado com a professora Stela Maris, sua grande companheira, que no tempo disponível trabalha na loja. Mas como nada na vida é perfeito, ele é Palmeirense. Para Dé, o segredo do sucesso, é você ser bom no que faz.

* Jair Nunes, dedicou-se à vida pública, tendo sido prefeito de Caraguá de 1983 a 1988 e secretário de obras da administração municipal. É engenheiro e professor. Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

37


“ O Meu Comb Em balanço parcial e informal de seu semestre de governo, o prefeito Antonio Carlos faz previsões otimistas sobre suas realizações futuras. 38

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013

P

or ocasião das recentes manifestações ocorridas na cidade, tendo como motivo aparente os reajustes das tarifas de transporte, mas na realidade camuflando a insatisfação popular em razão dos desajustes e desmandos da administração federal e a corrupção política reinante, em entrevista, o Prefeito Antonio Carlos considerou o fato como um motor de arranque que fortalece a democracia. Cumprimentou a população mais ressaltou que precisam se organizar para separar o joio do trigo, impedindo que arruaceiros cometam excessos. Elogiou o fato de o movimento estar dissociado de partidos ou políticos, tendo sido uma manifestação realmente popular, exigindo maior transparência do governo central, menos corrupção e distorções quanto a gastos que não condizem com a nossa realidade, referindo-se aos gastos de 30 bilhões de reais para a realização da Copa do Mundo. Na seqüência fez um rápido balanço de seus primeiros seis meses de governo neste seu quarto mandato à frente do poder municipal, com informações otimistas


bustível é o Ideal” para a população. Entusiasmado, o prefeito revelou que para os próximos três anos e meio a prefeitura vai dispor de R$ 130 milhões, só de recursos próprios, para custeio e investimentos, fazendo com que Caraguatatuba se transforme numa outra cidade, sempre melhorando e se desenvolvendo, e que neste momento a Prefeitura tem 56 milhões em caixa para saldar seus compromissos com pontualidade. Antonio Carlos, que é considerado um dos melhores gestores do Brasil, falou também sobre os CIDE’s Centros Integrados de Desenvolvimento Educacional que vão dar uma nova dimensão ao ensino, o primeiro dos quais, no bairro do Tinga, será inaugurado em julho, e os demais, no Perequê Mirim e na Casa Branca, ainda no decorrer deste ano. Da construção do novo prédio da Prefeitura, em fase de início de obras, com término previsto para 2015, num investimento de 30 milhões. É impressionante o número de obras que pretende fazer: construção de Centros Comunitários em vá-

rios bairros, ciclovia ligando a Casa Branca/Olaria ao centro, pavimentação de quilômetros de ruas e avenidas, construção da Praça de Eventos e Terminal Turístico no Porto Novo, Praça do Caiçara junto ao Pólo Cultural Adaly Coelho Passos, Centro Dia do Idoso, 5.000 casas populares para a população de baixa renda, para citar apenas algumas realizações programadas. Quanto à saúde, depois de falar sobre o Centro de Especialidades Médicas e a Unidade de Pronto Atendimento, duas obras importantes de sua administração, referiu-se ao controvertido caso da Santa Casa, informando o volume de repasses que fez para a instituição, a sua visão ao propor a compra da Casa de Saúde Stella Mares pelo Governo do Estado, uma vez que, após a construção do Hospital Regional e a construção do Hospital da Unimed, a Santa Casa não terá como sobreviver. Quanto às críticas de seus adversários, declarou que elas não o afetam, já que tem o apoio popular. “O meu combustível é o ideal”, finalizou. Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

39


HISTÓRIASDAVIDAREAL

Histórias da vida real vividas por personagens que moram em Caraguatatuba. Os nomes são fictícios

Minha Mulher Me Trocou Por Outra Mulher

40 40

REVISTADA DACIDADE CIDADE REVISTA

Julho2013 2013 Julho


N

unca pensei que pudesse acontecer. Não comigo, que sempre fui um bom companheiro e um bom amante de minha mulher. Nunca notei nada de anormal em nosso relacionamento. Casado, há mais de 20 anos, tivemos duas filhas e, aparentemente, constituíamos uma família feliz. Minha situação financeira permitia que viajássemos muito. Estivemos nos Estados Unidos, na Europa e no Oriente. Tínhamos uma boa residência e uma vida confortável. Minha mulher tinha um carro só para ela. Nosso relacionamento era tranqüilo, sem desavenças ou discussões maiores. Minha mulher saía muito. Tinha muitas amigas, Por vezes, iam almoçar ou jantar em algum restaurante da cidade. Tinha também meus amigos. Sempre fui muito liberal. Confiava na minha mulher. Confiava no meu desempenho como parceiro. Conhecia muitas amigas de Paula, este era o nome de minha mulher, inclusive aquela que veio a ser sua amante. Achava-a estranha, com roupas e atitudes masculinizadas, sempre acariciando as amigas, mas nunca dei importância. Só fiquei meio cismado quando as duas passaram a estar sempre juntas, mas pelo visto já era tarde. Nada podia abalar minha confiança quanto ao nosso relacionamento conjugal. Até que um dia aconteceu. Paula, numa conversa franca e cordial, me falou sobre nossa separação. Queria viver sozinha. Propunha-me que fizéssemos um ajuste financeiro quanto

aos bens, sem brigas, sem rancores e sem escândalos. Não preciso relatar minha surpresa. Fiquei desconcertado! Ela conversou com as filhas e, simplesmente, saiu de casa, indo morar num apartamento que já havia alugado e mobiliado. No dia seguinte, fui procurado por um advogado que desejava, em nome de minha mulher, fazer um acerto financeiro. Terrível! Só depois vim saber o enredo da história por uma de suas amigas. Paula sempre sentiu atração por mulheres. Mesmo quando engravidou queria que fossem meninas. Gostava das atenções, dos carinhos, dos assuntos que conversavam. Até que um dia na internet acompanhou um relacionamento lésbico. Ficou excitada. Chegou ao orgasmo e passou a procurar outras cenas iguais. Resolveu experimentar com Fernanda, este é o nome de sua amante, que há algum tempo a vinha assediando. Os encontros se repetiram. Alugou o apartamento e resolveu assumir a sua condição de lésbica. Apesar de estabelecido, estou pensando em mudar de cidade. Não suporto mais os cochichos e até as insinuações dos mais grosseiros. Esta é a minha história. Não sou o primeiro, nem serei o último a ser trocado por uma mulher num relacionamento amoroso. Só posso dizer que não desejo esta experiência para ninguém.

Paula sempre sentiu atração por mulheres. Mesmo quando engravidou queria que fossem meninas

A vida é um palco iluminado onde os personagens desfilam com suas histórias, dramas e emoções, razão do sucesso desta nossa “Vida Real” onde os leitores procuram descobrir quem está sendo retratado. Pode ser um visinho, um parente, um amigo, um conhecido por sua projeção social ou mesmo alguém de quem já ouvimos falar. Eles existem e suas histórias

Ângelo Ernesto, 45 anos, empreendedor são verdadeiras. Muitos são os que nos perguntam de quem estamos falando. Querem nossa colaboração para identificar os personagens. Curiosos, insistem, chegam a nos oferecer algum tipo de vantagem em troca da informação. Jamais revelamos. O verdadeiro profissional de imprensa não revela suas fontes. É uma questão de Honra.

Julho2013 2013 Julho

REVISTADA DACIDADE CIDADE REVISTA

41 41


Arte & Decoração

ANTIQUES Em alta como objetos de decoração, as antiguidades valorizam e dão sofisticação aos ambientes

42

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


Arte & Decoração

A nova moda

Objetos antigos valorizam a decoração dando um charme especial aos ambientes. São peças de valor, por vezes afetivo, que guardadas ao longo dos anos perpetuam épocas e lugares dos quais temos boas lembrança ou ainda móveis, utensílios e enfeites da casa da vovó que, por assim dizer, fazem parte do acervo da família. Pessoas existem, cujo grande prazer é colecionar antiguidades, razão pela qual “garimpam” como podem aquilo que as agrada e atraem. Outros se fixam em determinados objetos como bengalas, tinteiros, pratos, canecas , por exemplo, formando sua coleção particular, Na medida em que as cidades evoluem e se sofisticam surgem lojas especializadas para a comercialização de antiguidades ou pessoas que individualmente se dedicam a esta tarefa. Em Caraguá os interessados já podem obter informações e adquirir grande variedade de peças antigas, de boa procedência, pelo telefone (12) 3887-1947 ou pelo www.facebook/espacoretro

Fotos: Prato decorativo banhado em prata; Relógio Ansonia do final do século XIX; Telefone americano Kellog; Carroça de boi; Antigo vaso indiano de latão e bronze esmaltado.

Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

43


44

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

45


Dado ao interesse da matéria, voltamos ao assunto:

USUFRUTO E

mbora o usufruto seja comumente utilizado pelo cidadão quando decide transmitir em vida seus bens imóveis a seus descendentes,através de doação com reserva de usufruto,tal direito tem particularidades que muitas vezes são desconhecidas dos leigos que o utilizam. Popularmente o usufruto é conhecido como o direito de continuar a utilizar do imóvel, mesmo após sua doação. Tecnicamente o usufruto é um direito real que recai sobre coisa alheia, de caráter temporário, inalienável e impenhorável, concedido a outrem para que este possa usar e fruir coisa alheia como se fosse própria, sem alterar sua substância e zelando pela sua integridade e conservação. O usufruto pode ser LEGAL (quando intituído por Lei). Ex. O do pai ou da mãe sobre os bens dos filhos menores; ou, CONVENCIONAL quando feito por ato entre vivos ou por testamento. É UNIVERSAL se recair sobre uma universalidade de bens (Ex. uma herança) ou PARTICULAR (singular), se recair sobre uma coisa determinada. Duas são as partes do usufruto: o nu-proprietário e o usufrutuário. O primeiro é o proprietário do bem objeto do usufruto do qual se destacam os direitos de uso e o segundo é o beneficiário que frui, que usufrui do direito de usar coisa. Por constituir ônus gravíssimo sobre o direito de propriedade, privado o nu-pro-

Bel. Jordelino Olímpio de Paula

prietário das vantagens de gozo do bem, enquanto subsistir o usufruto, tal direito deve ser exercido dentro de certos limites legais, cuja inobservância leva à nulidade ou extinção do usufruto. O direito de USUFRUTO tem caráter temporário, não se prolongando além da vida do usufrutário, e, mesmo que constituído por prazo certo, extingue-se, o mais tardar, com a morte do usufrutuário. É impenhoravel, sendo possível, entretanto, o penhor sobre seus frutos. É direito inalienável a terceiro, pois embora o usufrutuário possa usar e fuir do bem, como seu, dando ao mesmo a destinação que melhor lhe aproveite, podendo até ceder o exercício do direito de usufruto, de forma gratuita ou onerosa, não pode transmitir seu direito a outrem, mas somente ao nu-proprietário (consolidação da propriedade). O usufrutuário, no exercício de seu direito, não pode modificar substancialmente o bem, devendo cuidar do mesmo de forma zelosa, como se fosse seu, garantindo sua devolução no estado em que estava quando recebido. Por tais particularidades, é recomendável que o interessado, antes de constituir USUFRUTO, seja assessorado por um advogado de confiança ou procure orientação de um Tabelião de Notas, que é o profissional a quem o Estado delegou competência para lavrar escritura de constituição de usufruto.

O Bacharel Jordelino Olímpio de Paula é Tabelião de Notas e Anexos de Caraguatatuba tabeliao@cartoriocaragua.com - www.cartoriocaragua.com.br Av.: Presciliana de Castilho, 105, Centro - Fone 12.3886.4381 46

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


Julho 2013

REVISTA DA CIDADE

47


48

REVISTA DA CIDADE

Julho 2013


Revista da Cidade Caraguatatuba