Page 1


EXPEDIENTE Jornalista Responsável Roberto Espíndola MTB 6308 Colaboradores Bertô Curare Hugo Léo Vera Welzl Bruna Cardoso Fotos Emílio Campi Gianni DÁngelo Gustavo Grumewald Lú Palmeira J.C.Curtis Bento Costa Plínio Guimarães Diagramação & Projeto gráfico Marcelo Lara Gurgel Departamento Comercial Luiza Garcez Publicação e Impressão Gráfica e Editora Mogiana Ltda. CNPJ 04.967.598/0001-43 Rua Mogiana 102–S. José dos Campos /SP Escritório em Caraguatatuba Rua Ostiano Sandeville 180 - Centro Fone: (12) 3882-4596 Email: caraguatatubarevista@hotmail. com www. caragua.com.br/revista

Í N D I C E: no Branco 08 Preto O secretário municipal da Educação retrata o ensino em Caraguatatuba e fala de suas carências.

13

2010 – Vai começar a grande virada

Com investimentos significativos e projetos audaciosos a cidade vai retomar seu desenvolvimento acelerado.

20 ACONTECEU Fatos que marcaram a vida da cidade no ultimo trimestre

língua tupiniquim 25 Nossa Vocabulários que se incorporaram portuguesa que é falada no Brasil

VERÃO 34 AGITO Um roteiro para curtir a cidade e as atrações do Super Verão Caraguá.

idade 42 AOsmelhor integrantes do grupo da Terceira Idade, unidos, demonstram o quanto podem fazer pelo desenvolvimento de nossa sociedade.

Saúde 47Sua Como a cirurgia plástica contribui para o resgate da auto- estima.

E mais

Entrega dos Troféus Empresa Nota 10 – pág. 6 Nossa Palavra – pág. 7 Onde comer bem – pág. 24 Curiosidades do Natal – pág. 30 Gente – pág. 38

ENCONTRE AQUI !

Um roteiro para você encontrar o que procura - pág.51

04 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

a língua


Social

E

m Noite de Gala, com um Jantar Dançante, a ACE – Associação Comercial e Empresaria de Caraguatatuba, promoveu a entrega do Troféu Empresa Nota 10 às empresas eleitas em 2009.

Glaucia

Fotos Bento Costa

06 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


S

audemos 2010 com esperança e entusiasmo. Vamos colocar no ano que se inicia nossa fé e força de vontade, nossa energia positiva, para realizar com sucesso nossos projetos, por mais audaciosos que possam parecer, sabendo, entretanto, aceitar a vontade do Criador, que nem sempre coincide com a nossa vontade, mas, certamente, é o melhor para esta nossa passagem pelo Planeta Terra.

O ano de 2010 será favorável às mulheres, com muitas conquistas sociais e de reconhecimento pelos seus feitos, já que o 3 simboliza a inteligência, a comunicação e a expressão, área nas quais as mulheres são muito habilidosas.

Pela numerologia, 2010 é o ano da comunicação e quando nos comunicamos bem, nossos caminhos se abrem, nossos objetivos se tornam mais fáceis de serem alcançados, entramos em sintonia com o Cosmos, captamos as energias que sinalizam o melhor roteiro a ser seguido.

A construção da “Nova Caraguá”, na região sul do município, nos limites da Fazenda Serra Mar, onde já se encontra em execução a Base de Gás da Petrobras, está sendo discutida e planejada. Já existe o projeto do Centro Administrativo que abrigará o Paço e as secretarias municipais, a Câmara e o Fórum. Fala-se de um shopping, um hotel e vários condomínios.

Para tudo há um tempo. Para semear, para cultivar, para colher. 2010 é o tempo da prosperidade, da felicidade, das grandes realizações. É preciso estar preparado. Pela numerologia, o ano receberá a vibração do número 3 (2+0+1+0), considerado de auto-expressão, comunicação, confiança, criatividade, otimismo, e bom relacionamento social. Nos segmentos religiosos, este número carrega uma energia mística de proteção espiritual muito forte. Representa a Trindade – Pai, Filho e Espírito Santo. Na Índia, é simbolizado pelo mantra OM. Na Cabala, corresponde à esfera da energia BINAH, que significa a inteligência. Na geometria, compõe a figura do triângulo, que é perfeito. No tarô, é simbolizado pelo Arcanjo Maior, a Imperatriz, uma mulher de personalidade forte, inteligente, corajosa, protetora da família, fértil e que também é capaz de produzir importantes transformações sociais. Na Astrologia, o terceiro signo é Gêmeos, responsável por um elemento chave – a comunicação e expressão. 2010, segundo os astrólogos, será regido pelo planeta Vênus. Já para os ritos afro-brasileiros, a regência será dos orixás Oxalá e Ogum e pelo Odu Etaogundá, que acelera o acontecimento das coisas e faz com que elas ocorram de forma mais intensa. Segundo o Horóscopo Chinês, 2010 será o Ano do Tigre, o que vai acentuar a intensidade dos acontecimentos no mundo e na vida pessoal de cada um, pois o Tigre é um signo quente, que irá fortalecer a personalidade das pessoas. Se aceitarmos esta simbologia mística e espiritual, teremos indicações de como conduzir a nossa energia pessoal no ano que vai nascer.

2010 será ainda o início de uma nova década, com muitos projetos a serem iniciados, principalmente em nossa cidade, para a qual se prevêem transformações significativas.

Os planos da administração municipal são ambiciosos, com reformas e ampliações, construção de prédios públicos, casas populares, rotatórias, pavimentação de ruas, aquisição de veículos e equipamentos, instalação de laboratórios de informática, entre outros projetos, com a aplicação de investimentos que irão superar tudo que até então foi feito. Normalmente os veículos de comunicação costumam no mês de dezembro fazer uma retrospectiva. Nesta edição optamos por projetar o futuro, antecipando as ações planejadas que transformarão Caraguatatuba no grande centro de negócios da região, com oportunidades para todos. Vamos chegar lá. Esta é a mensagem que queremos transmitir. Com dedicação, trabalho, força de vontade e seriedade, podemos todos “chegar lá”, e o início de cada ano é a oportunidade para a renovação de nossos propósitos. Agradecemos aos nossos leitores que com sua atenção e incentivo nos deram forças para a empreitada a que nos propusemos. Nossos parceiros comerciais, que com seu apoio permitiram que democrática e gratuitamente pudéssemos levar a notícia e relatar a vida da cidade a todos indistintamente. Nossos votos de Feliz Natal, na plenitude do que representa esta data, e um Próspero 2010, que se prenuncia um ano de maravilhosas conquistas. Roberto Espíndola Revista da Cidade - Caraguatatuba - 07


O professor Laércio Albarici, um dos mais capacitados dirigentes da área da Educação em toda a região, é uma figura de certa forma polêmica pelas posições que adota e pela retidão com que conduz o seu trabalho, não raro, contrariando interesses e privilégios. Paulista de Santa Adélia ,é formado em Letras e Pedagogia, com pós-graduação em Didática da Língua e Literatura Portuguesa. Lecionou Português, Francês e Latim por 10 anos e iniciou sua carreira na administração escolar em 1982, como diretor da “EE Benedito Miguel Carlota” no bairro do Massaguaçu e a partir de 1983 na “EE Colônia dos Pescadores” no bairro do Indaiá, até 2008. Em 1988/89 foi Delegado de Ensino em Caraguatatuba. Em 1995, novamente Delegado de Ensino, posteriormente denominado como Dirigente Regional de Ensino, por concurso público, até 2005. Foi ainda membro do Conselho Estadual de Educação por dois anos. Desde 1º de janeiro deste ano é o Secretário Municipal da Educação.

“PRECISAMOS

MELHORAR A QUALIDADE O

Brasil vem enfrentando um dos maiores desafios de sua história: a educação e cultura de sua população, processo iniciado há pouco mais de meio século. Até então, o Brasil era tradicionalmente um país de analfabetos ou, quando muito, de semi-alfabetizados. Somente membros das famílias mais abastadas tinham acesso à educação. Neste processo muitos erros foram cometidos. Muitos interesses se sobrepujaram ao objetivo maior, não só de alfabetizar a população, mas de transmitir conhecimento e cultura de forma a que o brasileiro pudesse exercer a cidadania em sua plenitude. A qualidade do ensino em nosso país ainda deixa a desejar, mas por uma questão de justiça há de se revelar que vem melhorando a cada ano. A própria dinâmica da sociedade moderna faz com que o indivíduo passe a valorizar a aquisição do conhecimento e da cultura de um modo geral, para que possa sobreviver com dignidade. Por ser uma pequena cidade em desenvolvimento, distante dos grandes centros urbanos, que só nas últimas duas décadas vem dedicando maiores investimentos e atenção à área da educação, Caraguá reflete problemas comuns a muitos municípios e fornece um retrato do ensino no Estado de São Paulo.

08 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

DO ENSINO FUNDAMENTAL”

RC Que níveis de Ensino Básico já foram municipalizados em Caraguá e quais são as perspectivas? LA - Caraguatatuba já municipalizou todas as séries iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano); além disso, municipalizou três escolas totalmente (todo o Ensino Fundamental), na zona norte da cidade. Em 2008, seguindo outra orientação, o Governo Municipal municipalizou alunos do 6º ano sem municipalizar a escola e o docente. RC - De onde vêm os recursos do município no tocante à Educação? LA - Uma parte dos recursos para a Educação vem da arrecadação do próprio município, oriunda de taxas municipais, por exemplo. Outra parte, é originária do FUNDEB (Fundo de Desenvolvimento do Ensino Básico). Não é suficiente para a melhoria urgente que o ensino necessita. RC - Quais são as carências do município no tocante à Educação? LA:- Ainda precisamos dar atendimento a 100% da demanda para o Ensino Infantil e melhorar a qualidade do Ensino


Fundamental. A administração municipal já equacionou e está resolvendo a questão do atendimento à demanda escolar e organiza, com cuidado, ações para a melhoria da qualidade de ensino. RC O atual número de escolas municipais e estaduais é compatível com a demanda de aluno? LA - Não. A rede escolar cresceu sem sustentação na rede física. A administração municipal já está com dois convênios com o Governo do Estado para a construção de dois prédios novos, sendo um no bairro Massaguaçu e outro no Pegorelli. Está construindo com seus próprios recursos uma creche no Porto Novo e está com licitação em andamento para mais três complexos escolares, incluindo Ensino Infantil e Fundamental, sendo um no bairro Olaria-CasaBranca, um no bairro do Tinga e um no Travessão. São complexos modernos, incluindo Ginásio de Esportes, 17 salas aula, com separação total entre os níveis de ensino, auditório para 250 pessoas, entre outras instalações e modernos ambientes de trabalho pedagógico.

de Informática em 100% das escolas de Ensino Fundamental. Para tanto, a adequação da rede física e a construção dos espaços adequados está em pleno andamento. RC - Ouve-se dizer que o professor é mal remunerado e que a qualidade do ensino cai a cada ano. Até que ponto isso é verdade em Caraguatatuba? LA - A baixa qualidade de ensino normalmente é relacionada pelos especialistas aos baixos investimentos em Educação, como um todo. Na verdade, a opção da sociedade brasileira está centrada nos 25% que devem ser aplicados em Educação. Os salários pagos estão limitados a tal percentagem. Enquanto o Congresso Nacional não aprovar mais recursos, continuaremos a ser um país que aplica muito pouco no setor. Em Caraguatatuba, não podemos dizer que o nível de ensino cai a cada ano. Ao contrário, em 1997 a cidade optou por dividir com o Estado o atendimento à clientela, o que permitiu matricular 100% das crianças e adolescentes em idade escolar, tanto no Ensino Fundamental como no Médio. Só isso já representaria uma enorme diferença na medida da qualidade do ensino. Os índices do IDEB estão crescendo lentamente, mas se colocaram num patamar de subida.

“CONTINUAMOS A SER UM PAIS QUE APLICA MUITO POUCO NO SETOR DA EDUCAÇÃO”

RC - Como a Secretaria enfrenta o problema da repetência escolar? LA - Primeiramente com um projeto ambicioso de capacitação de gestores e de docentes, com preocupação básica focada na metodologia, criando, para tanto, um centro de capacitação. Para melhor diagnóstico da qualidade de ensino, a Secretaria Municipal de Educação criou o AVALIA REDE, um sistema municipal de avaliação que informou aos docentes quais os alunos com maiores dificuldades de aprendizagem. Em conseqüência, foram criadas aulas de reforço, no contraturno escolar, para trabalhar com os alunos que apresentaram dificuldades. A administração municipal investiu muitos recursos com o objetivo de evitar a repetência, melhorando a qualidade de ensino. Criou, também, incentivos à presença dos pais na escola. RC Evasão escolar: que razões levam o aluno a deixar os estudos e quais as providências para evitar que o aluno saia prematuramente da escola? LA - As providências relatadas têm o objetivo de evitar o abandono escolar por parte dos alunos que têm dificuldades de aprendizagem, um dos motivos mais importantes da evasão escolar. Contudo, a maior evasão concentra-se no Curso de Educação para Jovens e Adultos (EJA), onde as causas sociais têm mais preponderância. Para tanto, está em projeto um novo modelo de EJA que tem por objetivo profissionalizar o estudante deste curso, com a parceria com instituições da área pública e privada. RC - Quais os critérios em relação à implantação dos laboratórios de informática? LA - O Programa da Prefeitura Municipal prevê Laboratório

RC - Quais são as ações efetivas do Município para a valorização do profissional da educação e melhoria da qualidade do ensino? O que já se fez e o que está sendo preparado para esse fim? LA - É óbvio que o espaço é pequeno para registro de todos os detalhes de que esta reposta necessita. Há uma grande necessidade de criação de vagas para retomada do atendimento a 100% da demanda e, no curto prazo, incluir o Ensino Infantil a partir das creches. A melhoria da qualidade do ensino supõe toda criança na escola. Há um projeto importante em desenvolvimento de capacitação docente. Em outra frente, a administração municipal negocia com a Câmara de Vereadores e com o Sindicato um pacote de medidas importantes de valorização dos docentes e de incentivo à melhoria da produção desses docentes. RC - Também se diz com bastante freqüência que o aluno chega à faculdade e dela sai sem saber interpretar textos e escrever corretamente, sendo então chamados “analfabetos funcionais” . O que os gestores de ensino básico podem fazer para minimizar esse problema? LA - Infelizmente, nós não podemos melhorar as Universidades. Há muito tempo a maioria delas abandonou a didática e a pedagogia nos cursos de licenciatura. Chega-se mesmo a valorizar o docente que não utiliza metodologia nenhuma como recurso no processo de ensino-aprendizagem. Por outro lado, cada vez mais são necessários bons Revista da Cidade - Caraguatatuba - 09


profissionais para lidar com o ensino básico, que incorporou todas as classes menos privilegiadas da população, sem se preparar adequadamente para isso. Esta administração está transformando as escolas em ambientes confortáveis e adequados aos alunos. Todas estão sendo reformadas e também adequadas. Distribui uma merenda extremamente bem avaliada pelos escolares. Prepara um pacote de incentivos ao docente. Organiza capacitação docente e de gestores. Projeta para 2010 cem por cento das escolas com banda larga, interligadas à Secretaria, com Laboratório de Informática, cuidados por estagiários monitores. Cria centros de atendimento ao aluno incluído e busca, através de projetos bem delineados, o apoio dos pais, na administração das escolas, na participação nos Conselhos, na manutenção e proteção das escolas.

responsáveis. Vale a pena investir na idéia, já que Caraguatatuba é um dos maiores produtores de marisco. RC - Em níveis gerais, o que sua experiência de professor indica como solução ou minimização para os problemas educacionais vividos hoje, tanto no âmbito municipal, estadual, como no nacional? LA:- Primeiro, precisaríamos passar a contar com a boa vontade da imprensa, o que ajudaria para elevar a autoestima deste setor. Para isso, é preciso lembrar que a escola pública é muito jovem no Brasil. Ela não existe antes dos anos 1970. Antes, ela era gratuita, mas não pública, pois só a classe média alta tinha acesso a ela. Somente em 1998, o Brasil passou a atender toda a clientela em idade escolar. Até essa data, a luta dos intelectuais era por uma escola pública para todos. A questão da qualidade surge somente nos anos 1980 e se torna bandeira no final do século XX. Não há como se comparar uma escola que não atendia às classes populares com esta que atende a todos aqueles que têm direito a ela. Depois, é preciso cobrar uma forte mudança na Universidade, especialmente nos Cursos de Pedagogia, quase nunca preocupados com gestão. Por outro lado, as instituições e entidades precisam parar de preparar projetos para que a escola desenvolva: a escola é o lugar

RC - Que medidas estão sendo ou vão ser implantadas na área educacional diante da anunciada migração populacional?

“HÁ UMA GRANDE

LA :- Primeiramente, um trabalho em parceira com o Estado. A Prefeitura tem buscado parcerias para ampliar a quantidade de prédios escolares, com vistas à demanda. Todo o sistema estadual e municipal de atendimento já está informatizado, de tal forma que a demanda escolar é monitorada, permitindo dar respostas de acordo com os problemas que vão surgindo, com segurança.

CRIAÇÃO DE VAGAS

NECESSIDADE DE

PARA RETOMADA

DO ATENDIMENTO A

100%

DA DEMANDA”

RC - A falta reiterada dos professores ao trabalho parece não ser problema exclusivo de Caraguá. Como está sendo enfrentado o problema e que medidas foram ou serão adotadas para minimizar seus efeitos na qualidade do ensino? LA - As medidas estão sendo discutidas com a Câmara de Vereadores e com o Sindicato. RC - Quais as orientações da Secretaria de Educação para a composição e distribuição da merenda escolar? A introdução do marisco na merenda vai ser adotada? A idéia é boa? Quais as expectativas em torno desse novo alimento aos alunos? LA - Primeiramente, foi resolvida uma situação desagradável que já durava há anos: agora, a merenda para os alunos da rede estadual e da rede municipal é exatamente a mesma. Além disso, a merenda está pautada rigorosamente nas necessidades básicas diárias dos alunos, de acordo com os especialistas na área. Quanto aos mariscos, já temos a relação dos alunos que têm problemas de rejeição a este alimento, já temos a aprovação das receitas criadas pelo Chefe do Setor de Merenda Escolar, mas aguardamos a Certificação dos Produtos (os mariscos) por parte dos órgãos

10 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

onde se aprende a ler, escrever e contar, e ninguém tem o direito de esquecer isso. É preciso mudar legislações antigas que se estratificaram e, hoje, emperram muitas mudanças necessárias. É preciso contar com os pais e introduzi-los no cotidiano da escola. RC - Cota para negros nas escolas é uma solução ou problema? LA - Em relação a esta questão, sem que me posicione frontalmente contra as cotas, penso que os serviços públicos, sejam quais sejam, devam atender aos mais necessitados, com seriedade e grandeza. Prefiro que a escola púbica consiga ser um caminho útil para qualquer adolescente chegar a um emprego que lhe dê dignidade. RC - O que o senhor gostaria de dizer sobre a Educação em Caraguatatuba? LA - Se ela é jovem no país, é mais jovem ainda em Caraguatatuba. Esta rede foi criada em 1997, na primeira gestão do atual Prefeito Municipal. Muita coisa já se fez, mas muito há ainda por fazer. A Prefeitura espera contar sempre com o apoio dos gestores e dos docentes, na dura empreitada de elevar cada vez mais a qualidade do ensino público, que fará a diferença na vida das classes mais necessitadas.


2010

PREPARE-SE, VAI COMEÇAR

A GRANDE VIRADA Com um orçamento de aproximadamente um bilhão de reais em quatro anos, investimentos significativos e projetos audaciosos como o Centro Administrativo Municipal, Caraguá retoma seu desenvolvimento acelerado e se consolida como a mais importante cidade da região 2010 será um marco na história do desenvolvimento de Caraguatatuba. Inúmeros projetos audaciosos estão sendo elaborados e extra-oficialmente anunciados, fazendo prever o volume de recursos que será aplicado na cidade. O perfil do município irá se modificar, transformando Caraguá num grande centro de negócios, pólo de atração para investimentos, com destaque para o ramo imobiliário, de comércio e serviços.

Alguns analistas prevêem uma explosão populacional, que poderá dobrar o número de habitantes em menos de 10 anos, antecipando para 2020 o índice de 200 mil moradores. Esta evolução da taxa de crescimento populacional será impulsionada pela migração espontânea de famílias de outras localidades em busca de oportunidades e conforto social e pela atração e busca pelas empresas de mão-de-obra especializada em vários níveis.

Nova Prefeitura Revista da Cidade - Caraguatatuba - 13


2010 O que está por vir Fala-se em reuniões informais, e extra-oficialmente, que o Grupo Serramar vem anunciando a elaboração do projeto “Nova Caraguá”, que será implantado nos limites da Fazenda Serramar – cuja extensão é maior que a área urbana do município. A área, que já abriga a Base de Gás (em construção), será totalmente urbanizada, com shopping center, hotel para executivos e vários condomínios fechados, entre outros equipamentos urbanos.

A nova Prefeitura O projeto de construção da nova prefeitura é grandioso, visando atender às necessidades atuais e futuras do Executivo. Em uma área edificada de 13.476 m2, espaço para estacionamento, quatro elevadores para atendimento ao público, ar condicionado central, restaurante para 170 pessoas, duas agências bancárias, auditório e heliponto na cobertura, o prédio a ser construído revela a dimensão do que será a Nova Caraguá.

Novo Centro Adminisdtrativo

A prefeitura deverá construir ali o novo Paço Municipal, mas existem especulações quanto à construção de um Centro Administrativo reunindo todas as secretarias, o prédio da Câmara e do Fórum. Só este projeto irá movimentar recursos que garantirão a aceleração do desenvolvimento da cidade.

As obras da prefeitura Em sua prestação de contas, o prefeito Antonio Carlos divulgou o mais ambicioso plano de obras que se tem notícia na história de Caraguatatuba.

CASA BRANCA

Na área da Educação, além da reforma dos atuais prédios escolares, já iniciada e com investimentos de R$ 3,47 milhões, serão construídos os Centros Integrados de Desenvolvimento Educacional dos bairros da Casa Branca, Tinga e Pegorelli, com um investimento total de R$ 33,07 milhões. No Jardim dos Sindicatos, no Porto Novo, será construída uma creche com 1.800 m2, num investimento de R$ 1,79 milhão.

PEREQUÊ MIRIM - TRAVESSÃO - PEGORELLI

14 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


2010 Ruas e avenidas Além da pavimentação de ruas e avenidas, serão construídas rotatórias visando desafogar o trânsito e melhorar o acesso aos bairros. A Rotatória do Trevo 1º Centenário vai solucionar os problemas do trânsito na entrada da cidade, onde os congestionamentos são constantes. Será construída também a Rotatória da Avenida Brasil, fazendo a ligação entre o Trevo do Camaroeiro e a Avenida Frei Pacífico Wagner, facilitando a saída de quem vem de Ubatuba sentido São Paulo. A Rotatória da Avenida Brasil e a Rotatória do Campus do Módulo completarão as obras viárias destinadas a desafogar o trânsito na região central. Estão sendo projetadas as Rotatórias do Indaiá, do Jetuba e Perequê-Mirim.

Rotatória Av. Brasil

Rotatória Av. Jundiaí

Revista da Cidade - Caraguatatuba - 15


2010 A nova Secretaria da Saúde Com um investimento de R$ 3,79 milhões, e uma área construída de 2.950 m2, a nova Secretaria da Saúde contará com 80 salas e 24 consultórios para atendimento ao público. Ainda na área da Saúde, o Centro de Especialidades Médicas, Odontológicas e de Reabilitação, um investimento de R$ 4,73 milhões, com 2.810 m2, irá dispor de toda a infra-estrutura necessária para o atendimento a que se destina.

O novo Pronto-Socorro A nova Santa Casa Com projetos já em andamento, o novo Pronto-Socorro e a nova Santa Casa representam uma grande conquista da população quanto ao atendimento da saúde. A Santa Casa, com 64 leitos, 10 leitos para UTI e 12 consultórios de especialidades, três postos de enfermagem, quatro salas de curativo e sutura, 26 boxes de atendimento de emergência, duas salas de cirurgia, três salas de parto cirúrgico e normal, com berçário aquecido e moderna infra-estrutura de atendimento, coloca Caraguatatuba como principal centro médico de toda a região.

16 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


PRONTO-SOCORRO

SANTA CASA


2010 Casa própria para todos Um ambicioso programa habitacional será desenvolvido para atender a população de menor renda. A Vila Dignidade, no Jardim Jaqueira, com 20 moradias e áreas de convivência social, irá atender a população idosa. O Empreendimento “Caraguatatuba C”, no Jardim Tarumã, será constituído por um conjunto habitacional com 47 unidades, num investimento de R$ 2,5 milhões. O “Caraguatatuba D”, no Travessão, terá 145 unidades e uma creche, além do programa “Minha Casa Minha Vida”, numa parceria do Governo Federal, Prefeitura e Caixa Econômica Federal, destinado à construção de conjuntos habitacionais para famílias com renda de zero a três salários mínimos. Estes são apenas alguns dos investimentos e ações planejadas. Existe muito mais: aquisição de viaturas, computadores, implantação de geoprocessamento, reforma das Unidades Básicas de Saúde, pavimentação e repavimentação de ruas e avenidas, urbanização de bairros e praias, construção de pontes, galerias, iluminação, novos abrigos para ônibus, e ainda, é claro, a Cultura e o Turismo, alicerces de nosso desenvolvimento.

Ponto de onibus - Av. da Praia

1 BILHÃO DE REAIS Segundo o Plano Plurianual do município para o período de 2010 a 2013, já aprovado pela Câmara Municipal e estabelecido pela Lei 1708/2009, promulgada pelo prefeito, as receitas estimadas de Caraguatatuba no período somarão R$ 945.429.937,89. Se considerarmos que as previsões de receitas quase sempre acarretam arrecadação a maior, o que permite flexibilidade ao Executivo, conclui-se que facilmente ultrapassarão a casa de um bilhão de reais. Considerando-se, ainda, que as receitas do município destinam-se a investimentos em obras, educação, saúde, serviços sociais, manutenção e custeio da máquina administrativa, é possível imaginar o volume de recursos que estarão disponíveis na cidade, fazendo antever oportunidades de desenvolvimento socioeconômico para todos. É de se salientar ainda que existe previsão para a quitação de toda a dívida interna do município, com o pagamento de 100% dos compromissos assumidos, colocando a administração numa situação financeira invejável.

18 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


Revista da Cidade - Caraguatatuba - 19


Antonio Carlos representa prefeitos Caraguá – da Catástrofe ao Progresso Numa iniciativa da Litoral Virtual Produções, sob a direção de Emílio Campi, em coquetel realizado no Cine Caraguá, foi lançado neste 12 de novembro o DVD “Caraguá – da Catástrofe ao Progresso”, um documentário que focaliza o drama da cidade vivido em 67 e sua reconstrução e desenvolvimento acelerado até os dias de hoje.

Na quarta-feira 25/11, em solenidade realizada no Palácio dos Bandeirantes para o lançamento do Programa de Ação Cooperativa Estado-Município para Construções Escolares, ao qual compareceram prefeitos e representantes de todos os municípios paulistas, convidado pelo governador, Antonio Carlos representou os prefeitos do Estado na composição da mesa, discursando em nome de todos. Na oportunidade foi assinado o convênio entre a prefeitura de Caraguá e o governo de São Paulo para a construção de um novo prédio para a Escola Estadual Benedito Miguel Carlota, no bairro do Massaguaçu.

Repavimentação asfáltica Várias ruas no centro e bairros da cidade foram repavimentadas no mês de novembro. O trabalho continua.

13º Jori Movimenta a cidade Primeira dama visita Caraguá A primeira dama do Estado de São Paulo e presidente do Fundo Social, Mônica Serra, esteve em visita a Caraguatatuba para a abertura dos 13º Jogos Regionais do Idoso - Jori. Na oportunidade, as primeiras-damas de vários municípios paulistas que participaram do evento foram recepcionadas no Teatro Mário Covas para um encontro com Mônica Serra.

Com a participação de 57 delegações, 3.265 atletas, realizouse em Caraguatatuba a 13ª edição dos Jogos Regionais do Idoso de 23 a 31 de outubro, atraindo para a cidade visitantes de todo o Estado de São Paulo. Caraguatatuba, que alcançou o 18º lugar na classificação geral, foi representada por 59 atletas.

Controle de animais abandonados Desde setembro, o Centro de Controle de Zoonoses vem realizando intenso trabalho para recolhimento de animais de pequeno, médio e grande portes que estiverem nas ruas. Os proprietários terão de pagar taxas e diárias para poderem levar para casa os animais, além da instalação de um microchip. Cerca de 1200 animais já receberam o chip, que tem por finalidade evitar o seu abandono.

20 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


31ª Exposição de Orquídeas Como acontece todos os anos em Caraguá, contando com a participação de várias associações orquidófilas, foi realizada em outubro a 31ª Exposição de Orquídeas, que recebeu visitantes de várias cidades e regiões, que aproveitaram a oportunidade para expor e trocar idéias.

Floresta Legal Com a presença da coordenadora de Educação Ambiental, Malu Freire, representando o secretário estadual do Meio Ambiente, Xico Graziano, foi realizada a cerimônia de lançamento do espaço “Floresta Legal”, no Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo Caraguatatuba, dentro do projeto Criança Ecológica, destinado ao lazer e a educação ambiental para os alunos da rede municipal de ensino, contando com atividades recreativas, como trilhas e contatos com a natureza.

Caraguá presente em evento na França Comitiva formada por estudantes e professora do Ensino Fundamental esteve neste mês de novembro em Nice, na França, representando o município no prêmio Aldo Papone, que neste ano desenvolveu o projeto “Turismo Esportivo e Desportivo”. Na ocasião presentearam os outros países participantes com uma boneca “Maria Caiçara” e destacaram a estrutura que a cidade possui para a prática esportiva como mais um atrativo aos turistas.

Arborizando a cidade O programa de arborização urbana adotado para a cidade já ultrapassou o plantio de 800 mudas, além de 900 outras doadas aos moradores. O projeto prevê arborizar não só o centro como também todas as principais vias de acesso aos bairros.A população tem participado ativamente plantando e protegendo as árvores já plantadas, como manacás-da-serra, pitangueiras e quaresmeiras.


Tênis de mesa Semana da criança A Semana da Criança foi comemorada em clima de festa com eventos abertos ao público em todos os bairros. Muito esporte, recreação e diversão, além de uma Oficina Literária com a participação da escritora e poetisa Christina Fernandes, fizeram parte da programação.

Numa competição que reuniu 220 atletas, foi realizada em outubro a etapa de Caraguatatuba do Campeonato de Tênis de Mesa da Liga Vale Paraibana de Tênis de Mesa. A dupla Mitsuo Kashiura e Jair conquistou o terceiro lugar na categoria de veteranos.

Oficina da Memória

Caravana da Leitura A Caravana da Leitura, que está percorrendo todo o litoral, esteve em Caraguatatuba no dia 17 de novembro, quando foram vendidos mais de 600 livros ao preço simbólico de R$ 1,99. O objetivo foi inserir os livros no cotidiano das crianças.

Estimular a memória com atividades e exercícios que exigem atenção e concentração. Este é o objetivo da Oficina da Memória, com inscrições abertas desde outubro no Centro de Referência da Melhor Idade – Cremi.

Judocas conquistam pódios Caraguatatuba conquistou o 2º lugar da sexta e última etapa do Circuito Shihan de Judô, alcançando o 4º lugar no campeonato.

Programa Ônibus Escolar Projeto Criança Ecológica Duas mil crianças da rede municipal de ensino participaram no dia 6 de novembro do projeto “Criança Ecológica”, assistindo a duas apresentações teatrais e aprendendo de forma descontraída como preservar o planeta.

Caraguatatuba aderiu ao programa Ônibus Escolar, da secretaria estadual de Educação. Com a parceria, o governo de São Paulo vai ceder ao município, em regime de comodato, um microônibus de 31 lugares para utilização dos alunos das redes estadual e municipal.

Inclusão digital na terceira idade Navegar na internet não é mais privilégio de jovens. A Etec – Escola Técnica de Caraguatatuba, iniciou no dia 6 de novembro o curso de inclusão digital na terceira idade, com o objetivo de atender as necessidades do público idoso que tem dificuldades com as novas tecnologias.

22 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


A gastronomia em Caraguatatuba vem ganhando grande impulso. A cada semana vão surgindo novos bares, restaurantes e lanchonetes para atender a todos os paladares, desde o simples prato comercial até sofisticadas receitas a base de frutos do mar, carnes e aves, passando por comidas típicas de outros países, sem falar nos petiscos e sanduíches cada vez mais elaborados. Para acompanhar, uma bebida gelada está sempre disponível ou um vinho das melhores procedências e safras. Depois, nada como um bom sorvete, uma tradição da cidade. Aqui vão algumas sugestões.

Pizzas, Pizzas & Pizzas.

A pizza se transformou na mais brasileira das comidas italianas. É prática, saborosa, de preço acessível e pode ser servida em todas as ocasiões. Em Caraguá as opções são muitas.

Bela Vista pizzas & massas – além de

massas oferece uma grande variedade de pizzas onde se destaca a pizza frita, e aos domingos o rodízio de massas com o macarrão ao vivo.

Teca Barone – É a mais antiga de Caraguá

em pizzas e esfihas abertas. Funciona a partir das 18.00 horas e é especializada no pronto atendimento em domicílio. É só telefonar.

Officina das Pizzas – Faz entregas e tem

uma equipe especializada para fazer pizzas em domicilio. Reserva mesas para aniversários e comemorações. Tem dois endereços: no calçadão e no Capricórnio.

Lunamar – Indo pela avenida da praia fica na

entrada para o Porto Novo. Faz entregas. Tem uma clientela cativa que garante ser uma das melhores pizzas da cidade. Vale conferir, o ambiente é agradável.

Especialidades

Embora disponham de cardápio variado, algumas casas se destacam por oferecerem pratos específicos.

Bar do Julinho – Julinho é considerado o Rei da Chuleta e as carnes que serve são macias e saborosas. O caldinho também é uma especialidade da casa. O ambiente é próprio para reunir os amigos.

Restaurante Asa Delta – Onde se desfrutam os prazeres da carne. O corte capitão á famoso e o bolinho de bacalhau deixa saudades. É excelente para uma reunião com os amigos.

Akebono – Templo da comida oriental. Yakisoba, Shopp suey, frango xadrez, bolinho primavera, além de pratos a base de peixe e frutos do mar são a especialidade da casa.

Guaruçá – Referência gastronômica da cidade, o Guaruçá oferece um cardápio variado a base de frutos do mar, preparados com requinte por cozinheiras especializadas em pratos atraentes e saborosos.

Caiçaras – A paisagem única que se descortina e a cozinha caiçara, onde predominam os frutos do mar, fazem do Caiçaras, situado no bairro do Massaguaçu, um ponto de atração para os que gostam de comer bem.

Tapera Branca – Em dois endereços na Praça Candido Mota, servindo comida caseira da cozinha mineira, churrascos e grelhados pelo sistema self-service, o Tapera Branca permite a elaboração de pratos variados de acordo com o paladar do cliente.

24 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


S

omos uma nação indígena. Embora não tenhamos mantido os costumes e tradições de nossos antepassados, como ocorreu em outros países da América do Sul como a Bolívia, Peru e Paraguai, por exemplo, assumindo a cultura de nossos colonizadores europeus, e construído uma etnia formada por indígenas que aqui viviam, negros trazidos como escravos e europeus e asiáticos que para aqui se transferiram, mantivemos muito de nossas origens, principalmente na faixa litorânea, através da cultura caiçara. Embora não se dê a devida importância a este fato, pelo menos como curiosidade é bom saber que a língua portuguesa falada no Brasil é permeada de palavras e termos do tupi-guarani, principalmente quanto à designação de lugares, espécimes da flora, fauna e acidentes geográficos. Tupi-guarani, na verdade, é uma família lingüística que congrega mais de três dezenas entre línguas e dialetos. Grande parte das tribos indígenas que habitavam o litoral brasileiro, quando da chegada dos portugueses ao Brasil em 1500, falava línguas pertencentes à família tupi-guarani.

Açu é grande; mirim, pequeno; tuba significa abundância. Muitas palavras presentes no nosso dia a dia e que integraram o português falado no Brasil são de origem indígena, como abacaxi, arapuca, capim, cipó, cumbuca, cupim, jacaré, jararaca, jibóia, mandioca, mingau, paçoca, peteca, pipoca, pitanga, sucuri, taquara, toca, traíra, xará. Conheça algumas palavras e seus significados: Abaçaí: perseguidor de índios, espírito maligno que perseguia e enlouquecia os índios.

Abacaxi: fruta recendente, cheirosa. Abaetê: pessoa boa, pessoa de palavra, pessoa honrada. Abaetetuba: lugar cheio de gente boa. Abaité: gente ruim, repulsiva, estranha. Abanheém: língua de gente, a língua que as pessoas falam. Abaquar: senhor (chefe) do vôo, homem que voa. Abaré: amigo.

Revista da Cidade - Caraguatatuba - 25


Abati: milho, cabelos dourados, louro. Acag: cabeça. Acará: garça, ave branca. Acaraú: acaraí, acará, rio das garças. Açu: grande, considerável, comprido, longo. Aguapé: redondo e chato, como a vitória-régia, plantas que flutuam em águas calmas. Aimirim: formiguinha. Airequecê: lua. Aisó: formosa. Akitãi: baixo, baixa estatura. Amanajé: mensageiro. Amanara: dia chuvoso. Amanda: amana, chuva. Amandy: dia de chuva. Amerê: fumaça. Anauê: salve, olá. Andira: senhor dos agouros tristes. Andirá: morcego. Anhangüera: diabo velho. Anajé: gavião de rapina.

Amanda - O nome próprio Amanda, tão em uso em nosso

dias, é originario tupi-guarani e significa Chuva, cultuado e valorizados pelos indigenas por ser um elemento da natureza de vital importância para a vida.

Aondê: coruja. Apoena: aquele que enxerga longe. Aracema: bando de papagaios, periquitos, araras. Aram: sol. Arani: tempo furioso. Arapuca: armadilha para aves. Auá: homem, mulher, gente, índio. Babaquara: tolo, aquele que não sabe de nada. Bapo: chocalho usado em solenidades. Baquara: sabedor de coisas, esperto. Bertioga: local onde se juntam as tainhas. Biboca: moradia humilde. Caapuã: aquele ou aquilo que mora (vive) no mato. Caburé: caboclo, caipira. Caçandoca: morro com capões de mato. Cocanha: folha de planta, erva, ninho de ervas. Caçapava: picada, passagem, clareira na mata. Camburu, Camburi: rio onde corre o leite, rio do robalo. Canoa: embarcação a remo, esculpida no tronco de uma árvore. Capenga: pessoa coxa, manca. Caraguatatuba: local onde há muitos caraguatás, enseada de altos e baixos. Cari: o homem branco, a raça branca. Carioca: casa do branco. Curumim: menino (kurumí). Guará (1): iguara, ave das águas, pássaro branco de mangues

26 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

e estuários. Guará (2): aguará, aguaraçu, mamífero (lobo) dos cerrados e pampas. Guarani (1): habitante desde o Centro Oeste brasileiro até o norte da Argentina, pertencente à grande nação tupi-guarani. Guarani (2): grupo lingüístico pertencente ao grande ramo tupi-guarani, porém mais característico dos indígenas do centro da América do Sul. Guararema: madeira fétida, pau d’alho. Guaratinguetá: reunião de pássaros brancos. Guarini: guerreiro, lutador. Guaxinduba: local das vassouras, vassoural; planta de fibra muito resistente. Iba: ruim, feio, imprestável (paraíba). Ibi: terra. Ibitinga: terra branca (tinga). Ig: água. Iguaçu: água grande, lago grande, rio grande. Ipiranga: rio vermelho, água vermelha. Ita: pedra (itaúna). Itajubá: pedra amarela (ita, ajubá). Itanhaém: bacia de pedra, panela de ferro. Itatiba: muita pedra, abundância de pedras (tiba). Itaúna: pedra preta (ita, una). Ité: ruim, repulsivo, feio, repelente, estranho (abaité). Iu: (yu, ju) espinho, (jurumbeba). Jabaquara: rio do senhor do vôo. Jaçaánã: ave que possui as patas sob a forma de nadadeiras, como os patos. Jacarandá: que tem a cabeça dura, centro duro, rijo. Jacareí: rio do jacaré. Jacu: uma das espécies de aves vegetarianas silvestres, semelhantes às galinhas, perus, faisões. Jacuí: jacu pequeno. Jaguar: cão, lobo (guará). Jaraguá: senhor do vale, planta de fibra têxtil. Jeribá, Jerivá: nome de um coqueiro de pequenos frutos amarelos e de polpa doce. Jetuba: espinho, ponta aguda, farpa; espinhos em abundância. Juçara: palmeira fina e alta com um miolo branco, do qual se extrai o palmito. Juqueriquerê – planta que dorme, dormideira (erva); espinheiro que dorme, dorminhoco, que dorme à toa. Jurubatiba: lugar cheio de plantas espinhosas. Jurubeba: planta espinhosa e fruta tida como medicinal. Jururu: triste. Kaapora: aquilo ou quem vive no mato. Kamby: leite, líquido do seio. Mandioca: aipim, macaxeira, raiz que é principal alimento dos índios brasileiros. Maracá: chocalho usado em solenidades. Maranduba: novidade, notícia, informação; local onde se reuniam diferentes tribos para seus tratados, troca de mercadorias. Massaguaçu: mata grande, coisa grossa (talvez areia) Membira: filho ou filha. Mirim: pequeno, curto. Mococa: plantação, fazer roça; casa de mocó, tapume que se faz no rio para pescar. Motirõ: mutirão, reunião para fins de colheita ou construção. Nhenhenhém: falação, falar muito, tagarelice. Oca: cabana ou palhoça, casa de índio Ocara: praça ou centro de taba, terreiro da aldeia Ocaruçu: praça grande, aumentativo de ocara. Pará (1): rio Pará (2): prefixo utilizado no nome de diversas plantas Paraíba (1): rio ruim, rio que não se presta à navegação. Paraibuna: rio escuro e que não serve para navegar. Paraná: mar.


Peba: branco, branca. Pereba: pequena ferida. Perequê-Mirim: pequena entrada de peixes. Pindaíba: anzol ruim, quando não se pesca nada. Pira: peixe. Piraçununga: rondo pelo acúmulo de peixes; peixe roncando. Poti: camarão. Puçá: armadilha para peixes. Ré: amigo (usado como sufixo: abaré, araré, avaré). Rudá: deus do amor, para o qual as índias cantavam uma oração ao anoitecer. Ru: folha (jurubeba). Sununga: ronco. Taba: aldeia. Tabatinga: argila em barro branco; casa branca; Tamanduá: caçador de formigas, ladrão de formigueiro. Tamoio: o avô, o primeiro, o antepassado. Taubaté: taba por excelência, aldeia importante, povoação considerável. Tijuca: lama, charco, pântano, atoleiro. Tinga: branco, branca, alvo, claro. Tiririca: arrastando-se, alastrando-se, erva daninha que se alastra com rapidez. Tocantins: bico de tucano. Tupi (1): povo indígena que habita(va) o Norte e o Centro do Brasil, até o rio Amazonas e até o litoral. Tupinambá: descendente dos tupis; parente, descendente. Tupi (2): um dos principais troncos lingüísticos da América do Sul, pertencente à família tupi-guarani. É uma língua indígena extinta, originária do povo tupinambá, que teve sua gramática estudada pelos jesuítas, e que deu origem a dois dialetos, hoje considerados línguas independentes: a língua geral paulista, e o nheengatu, falada até hoje na Amazônia. Tupi-guarani: um das quatro grandes famílias lingüísticas da América do Sul tropical e equatorial. Uaçá: caranguejo. Uaná: vagalume (urissanê). Ubá: canoa (geralmente feita de uma só peça de madeira). Ubatuba: canoas em abundância; canavial bravo, frexal. Xará: (X-rer-á) “tirado do meu nome”. Yami: noite. Yara: deusa das águas, lenda da mulher que mora no fundo dos rios. Yasaí: açaí, fruta que chora. Yawara (tupi): jaguar, cão, cachorro, lobo, gato, onça. ybá/iuá: fruta.

Também não existem os dois “esses” (ss) em palavras de origem tupi-guarani; em seu lugar, usa-se o “c” cedilhado. Desta forma, não se escreve Assu, mas Açu; Paraguassu, mas Paraguaçu; Massaguassu, mas Massaguaçu. A rigor, Massaguaçu deveria ser grafada corretamente Maçaguaçu, conforme a Folha de S.Paulo adotava até há pouco tempo. O uso comum, entretanto, consagrou a grafia Massagaçu.


H

ouve um tempo em que montar um presépio para os festejos de Natal era um ato quase que obrigatório, e as famílias se visitavam para apreciar os presépios montados na casa dos amigos. Presépios gigantescos e até com figuras humanas eram montados em praças e logradouros públicos para a alegria e admiração, principalmente das crianças. Conta a história que a tradição começou em 1223, na cidade de Assis, na Itália, quando São Francisco, juntamente com um amigo, resolveram recriar o cenário típico do nascimento de Jesus.

30 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

Em Caraguá, há alguns anos, existiam várias exposições de presépios, com premiação para os mais originais e bonitos. Apesar de os tempos modernos terem abolido muitos dos costumes, a tradição dos presépios permanece para relembrar o nascimento de Jesus.


A

s mensagens natalinas, sinceras ou não, quase que obrigatórias no passado, a cada ano que passa se tornam mais raras.

Os cartões de Natal apareceram pela primeira vez em 1843, na Inglaterra. Querendo inovar, o comerciante Henry Cole encomendou ao artista plástico John Horsley um desenho alusivo ao nascimento de Cristo no formato de um cartão postal. O sucesso foi tanto que mil cópias foram vendidas deste primeiro cartão. Ao que se sabe, o costume de enfeitar pinheiros dentro de casa veio dos alemães. Considerado um símbolo da boa sorte e felicidade, frutas, docinhos e pequenas velas eram usadas como enfeites, colocando-se os presentes entre os galhos, surgindo daí a Árvore de Natal. A roupa característica com que Papai Noel é conhecido surgiu em 1870, num livro intitulado “A visita de São Nicolau”. Mais tarde se popularizou, começando a ser vendida nas lojas, principalmente nos Estados Unidos. Tradições diferentes existem em outros países, em lugar de Papai Noel. Na Espanha, eles acreditam que são os Reis Magos que presenteiam a todos, e na Itália uma bruxa boazinha, chamada Befona, é quem faz a festa dos baixinhos.


O

festejar o Ano-Novo é uma tradição que varia entre os povos da Terra.

A começar pelo fato de que estamos comemorando a chegada do Ano-Novo uma hora mais cedo, já que estamos em pleno horário de verão, que não vigora em alguns estados brasileiros. Assim, quando estivermos estourando a champanhe e cumprimentado nossos amigos, muitos brasileiros, que habitam o norte e o nordeste, ainda estarão aguardando a chegada do novo ano. Comunidades antigas comemoravam a chegada do Ano-Novo com rituais em que jogavam fora roupas e objetos, querendo eliminar de suas vidas tudo o que estivesse envelhecido e se banhavam em rios ou no mar para acolher boas vibrações e renovar energias. Na Escócia, um dos costumes mais tradicionais é o de homens e mulheres, que nunca se viram, se beijarem na boca. Vale até homem beijando homem e mulher beijando mulher, dependendo de quanto uísque já se bebeu.

32 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

Na Áustria as pessoas jogam chumbo derretido num copo d’água à meia-noite. As figuras que surgem quando o chumbo esfria viram um amuleto para o Ano-Novo. Na Dinamarca, quando o relógio marca meia noite, todos sobem em cadeiras e pulam para o chão. Depois brindam com champanhe. No Brasil existem muitas tradições e crendices. Não comer aves que ciscam para trás e atrasam a vida, é uma delas. Comer lentilhas e romãs, que se multiplicam com facilidade, é outra, assim como colocar algumas sementes de romã na carteira, para o dinheiro multiplicar. Para quem vive no litoral, meia-noite é a hora de entrar no mar para jogar flores e saudar Iemanjá. Mais um dos costumes que está arraigado no povo brasileiro é vestir uma peça de roupa branca na passagem do ano, possivelmente herdado das religiões africanas.


Praias

J

á é verão em Caraguá. O sol brilha mais luminoso do que nunca. A temperatura chega à marca dos 38º graus. Os turistas começam a chegar mais cedo e lotam a cidade nos fins de semana, enchendo as praias de gente bonita, revitalizando o comércio, prolongando as noites até a madrugada em papos informais regados a muita cerveja: é o agito tão esperado que nos faz antever a alegria descontraída que vai chegando.

Caraguá possui 17 praias para atender a todos os gostos. De águas tranqüilas ao mar agitado com grandes ondas. As mais freqüentadas pelos banhistas continuam sendo a Prainha e a Martim de Sá. Para tomar um sol e jogar conversa fora, a pedida é a orla a partir do rio Santo Antonio, onde as praias se sucedem e os quiosques também, que oferecem mesas com cadeiras e guarda-sol, petiscos, bebida gelada, música e muita diversão.

E a cidade oferece cada vez mais opções de lazer. Novos bares, lanchonetes e casas noturnas. Novos restaurantes ampliando as opções gastronômicas. Novos passeios, shows, animação, além da “azaração” do vai-e-vem noturno na Avenida da Praia, onde é fácil encontrar uma boa companhia para se divertir.

Cocanha A praia do momento é a Cocanha, que fica na zona norte da cidade, uma atração turística onde estão situadas as fazendas de mexilhões. A paisagem é linda, as águas tranqüilas, a freqüência é ótima com muita gente bonita pegando uma cor. E se você gosta de mariscos, então, é um prato cheio. É só procurar um dos produtores. Se você ainda não provou ou não conhece mexilhões, vale a pena experimentar: é muito gostoso e dizem que é afrodisíaco.


O morro de Santo Antonio e o Parque Estadual Outras atrações da cidade são o Morro de Santo Antonio e o Parque Estadual da Serra do Mar. No Morro de Santo Antonio foi construído no ano passado um monumento ao nosso santo padroeiro. Vale a pena visitar. De lá se descortina uma boa parte da orla marítima e uma bela vista da cidade.

No alto do Santo Antonio existem duas rampas para saltos de vôo livre e de lá saem asas delta e parapentes. Você pode contratar um salto de asa delta acompanhado de instrutor. No Parque Estadual da Serra do Mar é possível fazer passeios por trilhas em meio à Mata Atlântica, onde se encontram cachoeiras, corredeiras e nascentes que deságuam em piscinas naturais, além da biodiversidade da fauna e da flora, que é um capítulo à parte.

Revista da Cidade - Caraguatatuba - 35


Esporte para todos Na Praia do Centro existem amplos espaços para caminhadas, pistas de skate, bicicross, quadras de vôlei, tênis e de futebol, que podem ser usados pelos interessados. Nas praias, além dos passeios de escuna, as bananas-boats são uma atração. Um passeio de bicicleta também é possível pela ciclovia da Avenida da Praia ou da Martim de Sá.

SUPER VERÃO, A GRANDE ATRAÇÃO Com uma estrutura moderna e ousada, em sua terceira edição o Super Verão Caraguá, além de uma extensa programação de shows, promete apresentar muitas atrações e novidades neste nosso Verão 2010 Ocupando uma área de 10 mil metros quadrados, sua Praça de Alimentação contará com bares, lanchonetes, choperia, espaço para crianças e o Poupatempo.

Mas a grande novidade deste ano será uma Pista de Patinação no Gelo e Simuladores de Corrida de Automóveis, que sem dúvida vão “enlouquecer” os amantes da velocidade, já que durante a temporada acontecerão competições que contarão com a presença de diversos pilotos famosos.

Curtindo a cidade Caraguá tem muito a oferecer para quem gosta de viver a vida. Comércio, serviços, diversão, gastronomia. Um passeio pelo centro é tentador para quem gosta de fazer compras. E quem não gosta? À noite, bares e restaurantes convidam para momentos de descontração em companhia de amigos ou mesmo só, apreciando o movimento ou até “caçando” alguém. Isso, sem falar da “azaração” na Avenida da Praia, onde sempre é possível encontrar uma boa companhia. E até um passeio pela “feirinha” hippie, que de hippie não tem nada, para comprar uma lembrancinha para os amigos.

36 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


A arena montada para 10 mil pessoas, com arquibancadas, camarotes e área vip, receberá, a partir do dia 26 de dezembro, grandes nomes da música brasileira como Planta e Raiz, Jammil e Uma Noites, Strike, Revelação, Chimaruts, Banda Eva, Jeito Moleque, César Menotti e Fabiano, Família Lima e a dupla Victor e Léo, entre outros. Ao todo serão aproximadamente 30 shows até fevereiro.

Revista da Cidade - Caraguatatuba - 37


T

emos falado aqui desta nossa gente caraguatatubense que com fé, coragem e muito trabalho, está construindo esta cidade, que ressurgiu da tragédia de uma catástrofe para se transformar numa das mais importantes da região. Gente que aqui nasceu e nunca abandonou o seu pedaço de chão. Gente que veio ainda criança, cresceu e construiu sua vida em Caraguá. Gente que a trabalho conheceu a cidade e foi ficando, deitando raízes. Gente que como turista se encantou com as belezas do lugar e o carinho de sua gente e foi acolhida, ficou ou voltou para ficar. Enfim, gente que aqui está pelos mais variados motivos, fazendo parte do nosso dia-a-dia.

ELE NASCEU CORINTIANO Muita gente pensa que ele é palmeirense por sua origem italiana, mas Tadeu Astone nasceu corintiano, já que seu avô estava entre os dissidentes do Palestra Itália que fundaram o SC Corinthians Paulista, o que aconteceu numa barbearia da rua Sólon, no Bom Retiro – reduto da colônia italiana, de propriedade do seu Francesco Astone, o avô de Tadeu.

Ativo e empreendedor, aos 13 anos este paulistano começou trabalhando como office-boy na Abreu Tour, situada numa das áreas mais famosas da cidade de São Paulo, a esquina das ruas Ipiranga com avenida São João, já cantada em prosa e verso por seus apaixonados freqüentadores. Em sua carreira profissional, Tadeu trabalhou no setor administrativo da Sharp, onde conheceu Márcia, a grande companheira de sua vida, com quem está casado há 29 anos, tendo uma filha Regina. Foi funcionário da Telesp por cinco anos e posteriormente representante comercial das massas Adria. Em 1983 veio para Caraguatatuba, que já conhecia desde a década de 60, quando freqüentava a Colônia de Férias João Cleofas, da qual Flávio Astone, seu pai, do Sindicato dos Telefônicos, foi um dos fundadores. Mas a grande paixão de Tadeu sempre foram as cantinas, bares e restaurantes. Em São Paulo teve uma cantina e pizzaria no bairro de Moema. Como bom descendente de italianos –alegre, extrovertido e bom de conversa–, em função do futebol tornou-se amigo de Toninho Barbosa e, em meados de 1990, montou a Lanchonete Asa Delta, funcionando junto ao posto de combustível e serviços do mesmo nome. Começava ali a sua vida de comerciante em Caraguatatuba. Depois, na av. Castelo Branco montou o Futbar, ponto obrigatório para se falar de futebol. O ponto foi vendido para o Bar do Hélio e Tadeu partiu para o Restaurante Asa Delta, no Portal Santa Marina, onde se pode desfrutar dos prazeres da carne –de gado, é claro–, além de outros deliciosos pratos. Tadeu Astone, entretanto, é mais conhecido por uma outra faceta de sua carreira, a de repórter esportivo, tendo integrado a equipe de Ricardo Mazzei da Caraguá FM de1996 até 2008. Entusiasmados com o desenvolvimento da cidade, criativos e idealistas, Tadeu e Márcia se preparam para a realização de uma série de eventos gastronômicos que com certeza irão marcar a vida da cidade.

CONSTRUINDO SEU PROPRIO CAMINHO Há espaço para jovens empreendedores, nascidos ou criados em Caraguatatuba, desenvolverem seu potencial através de empreendimentos próprios? Filho de Mitsuo Kashiura, que aqui chegou em 1963 para inaugurar a primeira relojoaria da cidade, Nilson Kashiura, então com um ano de idade, cresceu, estudou e construiu sua vida em Caraguá. Ainda hoje relembra com carinho que foi aluno da professora Adolfina, no Peixinho Vermelho. Como a geração de sua época, cursou o primário no Adaly Coelho Passos e o secundário no Thomaz Ribeiro de Lima. O adolescente Nilson aos 15 anos já ajudava seu pai na loja

38 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


de artigos esportivos e poderia continuar “tocando o negócio da família”, mas preferiu trilhar o seu próprio caminho. Aos 18 anos, prestou concurso e ingressou na Eletropaulo como auxiliar administrativo. Depois, junto com o irmão Auro, assumiu a loja de artigos de pesca. Mas a meta de sua vida era outra. Apesar de várias lojas na cidade não terem obtido sucesso no ramo, montou a Papelaria Kashiura na rua Altino Arantes, desafio que venceu com a orientação de seus amigos da família Nishiyama, antigos proprietários da Papelaria Santa Cruz.

– “Quando pensei em me estabelecer como comerciante não queria lidar com turistas. Queria algo para a população da cidade, que não fosse sazonal como a maioria das lojas”, comenta Nilson. Esta filosofia de atender aos moradores da cidade motivou o seu sucesso. Sempre atento, buscou oferecer o que os consumidores necessitavam e por vezes tinham que se locomover até outras cidades para obter. Dentro de seu ramo de atividade, diversificou os produtos atendendo não só à demanda escolar como também de artigos para escritório, informática e presentes. Com o passar do tempo, tendo seu pai se aposentado, montou uma segunda loja, também na Altino Arantes, onde anteriormente funcionava a Kashiura Esportes. Mas o sucesso empresarial exigiu muita dedicação e trabalho e hoje, depois de um susto cardíaco, Nilson controla suas atividades e faz caminhadas todas as manhãs. Casado com Regina, - “uma grande companheira que me ajuda muito” comenta, Nilson é pai de dois filhos, Gabriel e Diego, e aos 47 anos se sente um homem realizado. – “Tenho um pai que para mim é modelo de honestidade, trabalho e participação na vida da sociedade e isso me valeu sempre muito, mas devo dizer que Caraguatatuba é uma terra maravilhosa, boa para se viver com qualidade de vida, dispondo de oportunidades para todos”, comentou Nilson Kashiura ao final. Revista da Cidade - Caraguatatuba - 39


Ser ou não ser arquiteto?

EIS A QUESTÃO Descobrir a própria vocação. Este foi o grande dilema de João Vasconcelos, arquiteto que desde 1995 se encontra entre nós. O menino João, todos previam, ia ser médico ou seguir uma carreira das chamadas ciências humanas. Quando pequeno, era “sangüinário”. Não tinha medo de matar galinhas ou castrar animais, ajudando os mais velhos nesta tarefa. Não se impressionava ao ver sangue e, aos 15 anos, procurou fazer um curso extracurricular de enfermagem, mas como ainda não tinha 18 anos não foi aceito. Foi a virada de sua vida, ao desenvolver a outra faceta de sua personalidade, já que também gostava muito de desenhar prédios, casas e carros. Era o seu passatempo. Nascido em São Caetano, mudou-se para Monte Aprazível, onde permaneceu até 1974. Foi então para São Paulo trabalhar numa firma de materiais para construção, período em que estudava pela manhã, trabalhava à tarde e à noite freqüentava um curso de desenho técnico em arquitetura.

Acompanhando sempre sua família, em 1978 foi morar em Penápolis e como era o único que tinha curso de desenho técnico, trabalhou para todos os engenheiros da cidade. Resolveu prestar vestibular para Engenharia Civil, área com a qual já estava familiarizado, e foi para Santos, que define como “uma cidade hospitaleira, onde fui muito bem recebido”. Não era o que queria, mas influenciado por amigos acabou aprovado no vestibular de Arquitetura da Universidade Católica de Santos. E ali se formando, iniciou uma nova etapa de sua vida: conheceu Marlu, uma colega de faculdade, com quem se casou; foi tentar a vida em São Paulo, mas acabou voltando para Penápolis para ficar junto de sua mãe; foi contratado pela prefeitura de Alto Alegre para a construção de casas populares; montou escritório em Penápolis e Marlu começou também a trabalhar na elaboração de projetos; à época, era o perito judicial da cidade. Que virada! Trabalhando em várias cidades em função de sua pro-

40 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

fissão, acabou vindo para Caraguá numa obra no Condomínio Aquarius II, no Massaguaçu. Detalhe: Marlu é uma caiçara natural de Caraguatatuba e queria voltar para a cidade a fim de ficar junto de sua mãe. A cidade estava crescendo, as perspectivas eram boas e não deu outra: vendeu tudo o que tinha e veio com a cara, a coragem e a mulher grávida, segundo comenta alegremente. A partir daí realizou uma série de trabalhos na região, passando a dedicar-se a um segmento carente de profissionais competentes – a manutenção de prédios e condomínios. A relação de suas obras é extensa, não só em Caraguatatuba, como também em Ubatuba, São Sebastião, São José dos Campos, Guaratinguetá e São Paulo. Como revela: “através de minha profissão, construí minha vida e foi pela dificuldade das pessoas na manutenção de seus imóveis que descobri o segmento a que me dedico. Então, com uma idéia e muita vontade de trabalhar, procurei atender às necessidades do mercado”, finaliza.

NOSSO QUERIDO CAPITÃO Seu nome é Evandro Ribeiro, mas poucos o conhecem pelo nome. Para identificá-lo, é preciso acrescentar sua patente: Capitão Evandro. Abre-se então o sorriso e aí, sim, é grande o número de amigos e conhecidos. Capitão Evandro é uma figura querida na cidade pelo trabalho que desempenhou à frente da Junta Militar do Litoral Norte e pelo muito que realiza até hoje. Natural de Jacareí, Evandro Ribeiro, como militar do Exército, iniciou sua carreira no 5º Batalhão de Infantaria em Lorena e posteriormente serviu no Rio de Janeiro e no QG em São Paulo. Em 1997 veio para Caraguatatuba, como 1º Tenente e chefe da Junta Militar do Litoral Norte. Foi morar num paraíso chamado bairro do Massaguaçu. Pronto. Apaixonou-se por esta terra e deitou raízes. Fez amigos, participou ativamente da vida da cidade, prestou sua colaboração sempre que necessária e... foi ficando. No ano de 2000, com a patente de Capitão, passou para a Reserva e, como já era Contador, montou a sua Contábil Capitão, onde amigos e clientes são sempre bem-vindos. Casado com Elenita, também muito querida por todos, tem uma filha, Maria Vitória, hoje com seis anos. Por sua visão de vida e convicção pessoal, desenvolve intenso trabalho social no Massaguaçu, interferindo para ajudar os que o procuram. Evandro e Elenita estão entre aqueles que vieram para ficar e fazem parte da vida da cidade.


VIVER A VIDA Assumindo um novo comportamento desinibido e participativo, o grupo da Terceira Idade adotou um convívio social intenso, com amplo programa de atividades sociais, esportivas, culturais, políticas e de lazer, revelando sua vitalidade e importância

N

a sociedade ocidental, entre todas as transformações que sofreu nos últimos 50 anos, a do comportamento dos idosos é uma das que merecem maior atenção. Até então, com uma perda de função social precoce, o ser humano que ultrapassava a faixa dos 45 anos tornava-se gradativamente marginalizado, alijado do processo produtivo, cerceado em sua liberdade afetiva, discriminado em suas atividades de lazer. Atividade de “velho” ou “velha” era cuidar dos netos, fazer tricô, prestar pequenos favores, ficar jogado num canto à espera do término da vida. Cuidar da aparência pessoal, extravasar sua alegria, desfrutar os prazeres da vida era “assanhamento”. Demonstrar publicamente sua afetividade? Nem pensar. O aumento da expectativa de vida e da população de idosos deu início a um processo de transformação irreversível. O idoso passou a lutar para conquistar o seu espaço social e vem demons -trando sua potencialidade na construção de uma nova sociedade, contribuindo com sua experiência e saber nos problemas do relacionamento humano. No Brasil, uma das iniciativas que vêm apresentando resultados significativos são os Clubes de Convivência da Terceira Idade. Em Caraguatatuba, o Clube de Convivência da Terceira Idade Estrela do Mar – CCTI Estrela do Mar é um exemplo emblemático do que os idosos podem realizar. Fundado em 1985, num trabalho de arregimentação de pessoas realizado principalmente por senhoras que, inconformadas com o papel que lhes era atribuído, vislumbravam novos horizontes para melhor viver, o Estrela do Mar é o único clube exclusivamente social da cidade. Com sede própria na Alameda dos Ciprestes, no bairro Cidade Jardim, que levou seis anos para ser construída, nota-se pela história de sua forma-

42 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

ção que o clube é uma realização coletiva, de um grupo de grande vitalidade que não dispôs de verbas oficiais ou grandes doações para se consolidar. Foram bingos, festividades, bazares, pequenas contribuições, livros de ouro, inúmeras promoções realizadas com muita criatividade para arrecadar os fundos necessários à manutenção e construção da sede. Foi também um trabalho político para obter o reconhecimento como entidade de utilidade pública, que lhe permitiu algumas isenções e doações. E exatamente por ser um trabalho coletivo estamos deixando de citar nomes. O CCTI Estrela do Mar é uma obra daqueles que alcançaram a Terceira Idade, embora alguns por sua formação e espírito empreendedor tenham se dedicado mais à empreitada. Hoje os integrantes da melhor idade em Caraguatatuba têm à disposição uma intensa atividade social, com bailes, almoços de confraternização, passeios turísticos, prática de esportes, entre outros eventos. Assim como quando de sua formação, o “Estrela do Mar” recebeu orientação e apoio de integrantes do “Alvorecer”, de Cachoeira Paulista, e “Nova Era”, de São José dos Campos, contribuiu para a formação dos Centros de Convivência “Polvo”, de São Sebastião, e “Quatro de Agosto”, de Volta Redonda, numa demonstração da capacidade dos integrantes da Terceira Idade de fazerem multiplicar projetos de interesse para a valorização social do elemento humano. Com os avanços da ciência médica, as descobertas e o conhecimento do funcionamento do corpo humano e suas necessidades, além da alta tecnologia disponível em todos os campos do conhecimento, a população dos idosos só tende a crescer. No Litoral Norte os idosos já representam mais de


8% da população, com uma renda significativamente maior (o dobro da média nacional). Em Caraguatatuba especificamente somam 10% da população, e a cada dia vão obtendo maior espaço, mantendo-se em atividade, integrados à sociedade, conquistando direitos e deveres com liberdade de ação, inclusive no campo afetivo. Convivência social, esporte e lazer é o que não falta Presidida atualmente pelo advogado e economista Roberto Egydio Bonadies, o CCTI Estrela do Mar oferece aos integrantes da Terceira Idade um amplo programa de atividades, transformando-se em pólo de atração para o convívio social, prática de esportes e lazer. Aos domingos, o almoço no clube, além da boa comida, proporciona a oportunidade de encontros que estreitam

laços, solidificando amizades com o passar do tempo. Os jantares dançantes, não só comemorativos dos aniversariantes como também temáticos com shows e vestimentas a caráter, são a grande atração para viver momentos alegres e descontraídos, em clima de grande animação. A quadra esportiva coberta para a prática de jogos adaptada à terceira idade permite atividades físicas saudáveis e lúdicas, que se transformam em terapia para um viver feliz, afastando a depressão que normalmente acomete o idoso, permitindo que as pessoas da terceira idade fujam do isolamento a que ficam confinadas quando os familiares debandam do lar ou, pior, quando não recebem a atenção afetiva de que necessitam. No

Revista da Cidade - Caraguatatuba - 43


Estrela do Mar é possível desenvolver uma vida social que permite o relacionamento com outras pessoas que comungam os mesmos problemas, experiências de vida e interesse. Enfim, no CCTI o idoso passa a integrar um grupo de iguais, que busca um viver feliz com melhor qualidade de vida. Mas, uma outra ação do Centro de Convivência, destinada a idosos carentes, merece ser destacada – o Projeto Estrela do Mar desenvolvido no Bairro do Travessão, com o propósito de estimular a inter-relação e o convívio social de idosos, bem como propiciar a interessados aulas de artesanato visando à geração de renda, colocando ao alcance de todos, independente de sua condição social, as mesmas oportunidades, buscando assim evitar a exclusão social dos que alcançaram a

44 - Revista da Cidade - Caraguatatuba

terceira idade. Vale a pena conhecer os Grupos de Convivência da Terceira Idade para constatar que, mesmo com a idade avançada, ainda há muito para contribuir para a vida. (Fotos de Plínio Guimarães em Eventos Sociais do CCTI- Estrela do Mar)


Associação dos Aposentados

C

UM POUCO DA HISTÓRIA

riada há 18 anos pelo idealismo e necessidade de defender os interesses da Terceira Idade, a Associação dos Aposentados desenvolve importante trabalho em pról da inclusão social do idoso. Com o crescente número de pessoas que decidiram fixar residência em Caraguatatuba com o propósito de curtir sua aposentadoria, surgiu a idéia de que seria necessário criar uma associação para defender os interessses desta classe. Um grupo de idealistas, muitos dos quais já exerciam atividades voluntárias em entidades esportivas e de la-

Vera Welzl

zer, iniciaram um movimento que se avolumou e culminou na fundação da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Caraguatatuba, em 23 de outubro de 1991. Coordenar, representar e sobretudo proteger os interesses dos segurados e pensionistas de qualquer orgão de seguridade social, principalmente do INSS, foi o propósito prioritário e determinante para a fundação da AAPC, sigla pela qual se tornou conhecida. As dificuldades iniciais foram superadas com muito entusiasmo e dedicação pelos abnegados sócios fundadores e simpatizantes, que se revezavam em plantões diários em local cedido graciosamente. O número crescente de associados permitiu, após algum tempo, a locação com recursos próprios de um imóvel, onde foi instalada a primeira sede, que já contava com uma biblioteca e onde as senhoras reuniam-se para as aulas de artesanato. Com a ampliação dos serviços prestados aos sócios, entre eles destacou-se a variedade sempre crescente de lazer oferecida aos associados, assim como a assistência jurídica, que recuperou muitas das perdas sofridas pelos aposentados ao longo dos anos. Surgiu então

Revista da Cidade - Caraguatatuba - 45


a necessidade de um local maior, para um atendimento mais digno e confortável. Sempre cumprindo da melhor maneira possível suas obrigações estatuárias, entre elas o atendimento ao idoso, mantendo-se alerta contra a ameaça velada ou concreta da exclusão social dos aposentados de menos recursos, a AAPC continua até hoje exercendo suas atividades em sua sede na av. Brasília, 157. É lá que os sócios recebem orientação sobre as possibilidades de revisão da aposentadoria ou pensão e outros direitos inerentes a sua condição. Uma advogada está à disposição para as primeiras orientações legais e faz o acompanhamento das ações cíveis. E é lá que a AAPC proporciona aos seus associados a oportunidade de exercer as mais diversas atividades de lazer, que favorecem a inclusão social, tão valiosa ao idoso e aposentado. São oferecidas atividades físicas como aulas de ginástica e alongamento, de yoga e da “dança sênior“, atividade prazerosa, sociabilizante apropriada para pessoas idosas de ambos os sexos, por desenvolver a interação entre os participantes, inclusive aqueles com limitações inevitáveis, mas superáveis. Oferece também tênis de mesa para os mais ativos e a biblioteca para os amantes da leitura e pesquisa. As aulas de artesanato atraem as senhoras interessadas em aprender a executar peças para decorar e presentear. A Associação, que se mantém com recursos próprios provenientes das contribuições mensais dos sócios, rendas de almoços, bingos e bazares organizados pelas sempre presentes prestimosas voluntárias; além da renda das tradicionais “domingueiras“ e do aluguel do salão para a realização de eventos familiares, também disponibiliza, graciosamente, suas instalações para grupos de ajuda como a Organização Fênix, aos portadores de transtorno mental e seus familiares e para a Abraz, Associação Brasileira de Alzheimer. Para saber mais, retire o “boletim informativo“ gratuitamente na sede da Associação dos Aposentados.

46 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


A

correção de imperfeições ou a adequação estética do corpo à expectativa pessoal ultrapassa ...os limites da cirurgia plástica com o resgate da auto-estima tão importante para o equilíbrio do viver. As intervenções adequadas neste sentido proporcionam bem-estar emocional, físico e psicológico ao paciente. Há alguns anos, a cirurgia plástica era privilégio para poucas pessoas. Com a crescente evolução das técnicas, o aperfeiçoamento cirúrgico e as facilidades que oferece, a cirurgia plástica tornou-se mais acessível e a população ganhou uma forma, não só de corrigir imperfeições estéticas, como também reverter ou minimizar as seqüelas que o tempo traz. Muitos questionam: até que ponto as cirurgias valem a pena? Segundo especialistas, as mudanças do corpo estão diretamente ligadas às mudanças da mente. A adequação do corpo aos anseios do ser humano permitem a elaboração de uma auto- imagem que transmite otimismo e confiança, determinando seus pensamentos, sentimentos e comportamentos. A auto-estima pode ser definida como o sentimento, o apreço, e a consideração que uma pessoa sente por si própria, ou seja, o quanto ela gosta de si, como ela se vê e o que pensa sobre ela mesma. Quando ajustamos nosso corpo ao ideal de nossos conceitos, melhoramos a autoimagem fortalecendo nossa auto-estima. Não podemos esquecer que em nossa sociedade o culto ao corpo pode ser acompanhado diariamente através de todos os meios de comunicação. Dentro deste contexto podemos avaliar a importância da cirurgia plástica no equilíbrio emocional de muitas pessoas. Revista da Cidade - Caraguatatuba - 47


Qual é a sua

AUTO-IMAGEM ?

C

omo você julga a sua própria aparência corporal e os detalhes que a compõe: nariz, orelhas, olhos, lábios, seios, pescoço, queixo, pele? A auto-imagem é o centro da vida subjetiva do ser humano, desenvolvendo-se em comparação com outras pessoas e determina seus pensamentos, sentimentos e comportamentos. Uma deformidade física ou malformação é capaz de desestabilizar emocionalmente qualquer pessoa, da mesma forma que a não aceitação de determinada partes de seu corpo. Ela se sente um ser diferente, “feio”, em desvantagem diante de outras pessoas, incapaz de conquistar o que almeja e, consequentemente, uma vida feliz. As deformidades podem aparecer de forma súbita ocasionadas por traumatismos, mas normalmente surgem de forma lenta e progressiva no decorrer da própria vida, como a flacidez dos seios e dos tecidos do corpo, rugas faciais, gordura localizada, passando a constituir traços fisionômicos da pessoa. São situações que levam a busca de reparação por meio da cirurgia plástica, o que não garante um resultado que atenda plenamente às expectativas da pessoa, mas que inegavelmente oferece benefícios uma vez que ajuda a melhorar a auto-estima e aprovação social. É notório que o auto-retrato que as pessoas fazem, é marcado por padrões de aparência determinados pela sociedade, pela mídia e pela própria pessoa. A conquista da aparência desejada afeta o desempenho e a autoconfiança. A cirurgia plástica possui a capacidade de alterar a aparência do indivíduo e deste modo influenciar positivamente quanto a sua auto-imagem e auto-estima. Entretanto, vale ressaltar que o rosto e o corpo são seus, e só a própria pessoa pode saber o que vai deixa-la mais feliz. (Baseado em “A Mulher Chic – Um Guia Básico de Moda e Estilo” de Glória Kalil).

INFORMAÇÃO: O Brasil, contando com alguns cirurgiões plásticos que se incluem entre os melhores do mundo, é uma referência na área e um dos países onde se realizam maior número de cirurgias plásticas 365 mil por ano. Mas, para não se correrem riscos, é importante a escolha de um profissional habilitado, cuja formação inclui seis anos de medicina, dois de cirurgia geral e três de especialização em cirurgia plástica. É indispensável que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Uma entrevista preliminar com o profissional, abordando dúvidas e expectativas, é também muito importante.

O Dr. Rogério Servidei, do Centro Oftalmológico e Cirurgia Plástica do Litoral Norte, esclarece: “As cirurgias plásticas não são apenas uma questão de vaidade ou desejo de mudança de aparência. Embora se constate que a lipoaspiração e a implantação mamária sejam as operações mais realizadas, existem muitos casos em que a cirurgia é reparatória, como na reconstrução de mamas após um câncer, traumas faciais, implantes, correções, labiais, nasais e de orelhas, defeitos ósseos pós-traumáticos, e um grande número de outros casos. Além do que, vale sempre lembrar que a aparência física está diretamente ligada com o bem-estar emocional e social, além do que, com as novas técnicas disponíveis, torna-se possível protelar o envelhecimento cronológico, com o intuito de corrigir ou minimizar as alterações trazidas pelo tempo, o que reflete sobretudo o aumento de auto-estima.

48 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


O

ser humano é gregário. Para sobreviver precisa se sentir fazendo parte de um todo. Desnecessário falar da solidão e seus efeitos sobre a psique dos pobres mortais que somos nós. Assim as pessoas se unem, embora haja tanta desunião sobre a face da terra. Unem-se em torno de ideais; para torcer por um time de futebol, para integrar à distância o elenco de uma telenovela, vivendo o drama dos personagens, opinando sobre seus comportamentos, antecipando o desfecho de situações de acordo com a sua visão de mundo.

Na sociedade moderna vivemos sob a ditadura da comunicação. Não importa o fato, importante é a versão que se dá ao fato. E para cada fato são sempre possíveis duas versões. A positiva e a negativa. A negativa destrói, aniquila, arrasa, cria mal-estar e desânimo. A positiva deixa no mínimo a esperança de que algo poderá ser feito. Preferível encarar os fatos pelo ângulo positivo para que possamos construir algo melhor. Felizmente, em Caraguá, estamos entrando novamente num período positivo. As previsões, os planejamentos, as notícias são otimistas ao extremo, fazendo antever progresso e desenvolvimento com melhoria da qualidade de vida para todos. Isto é muito bom. Vamos nos unir em torno do que de bom esta cidade oferece. Sonhar, falar, discutir sobre isso. Sobre nossas possibilidades de progresso e desenvolvimento. Sobre o estar participando de um momento histórico, em que Caraguá deixa de ser “uma curva de rio, onde só pára tranqueira”, como muitos diziam num passado não muito distante, para se transformar na mais importante cidade do Litoral Norte de São Paulo, graças ao trabalho de sua gente. Vamos “viajar”, imaginando o que vai acontecer!

O animal humano precisa ter sobre o que falar, opinar, discutir, brigar se for preciso. Quando não há sobre o que falar, inventa. Cria boatos, fantasia situações, calunia seus semelhantes, principalmente quanto a sua honestidade, fidelidade amorosa e –por que não?–, sobre sua preferência sexual. Com que prazer o bicho homem fala mal dos outros! Para dar credibilidade as suas palavras, precisa mostrar-se bem informado. Saber das coisas, de preferência como “testemunha ocular da estória”. Vamos, enfim, com orgulho e otimismo, construir uma “corrente pra frente” buscando novas conE aí entra o papel dos veículos de comuni- quistas. cação. A notícia, não importa a versão que Mas, sabemos que o animal humano gosta é de a ela seja dada, é a grande atração para falar. E, principalmente os derrotados, gostam de conquistar a audiência. Para criar prestí- falar mal. A estes vale apenas dizer: “macaco, olha gio, para unir pessoas em torno do traba- o teu rabo!” lho que desenvolve. Bertô Curare


Revista da Cidade - Caraguatatuba - 51


52 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


Revista da Cidade - Caraguatatuba - 53


54 - Revista da Cidade - Caraguatatuba


Revista da Cidade - Caraguatatuba - 55


revista da cidade caraguatatuba  

caraguatatuba, revista da cidade, praia, litoral norte, são paulo, brasil, revista editada no Natal de 2009