Page 1

O Brasil sedia pelo segundo ano mais um Grand Slam de Xadrez. A etapa inaugural do circuito foi disputada entre os dias 24 a 28 de setembro no parque Ibirapuera em São Paulo. Veja na matéria do jornalista Frederico Gazel.

A revista PLACAR de outubro chegou às bancas com uma grande polêmica envolvendo o jogador Neymar. Ele está estampado na capa em uma cruz, com o título “A Crucificação de Neymar” . Veja mais no artigo da jornalista Karine Alonso.

O consumo de produtos importados aumentou no Brasil. O jornalista Felipe de Jesus entrevistou o economista - Wilson Benício, ex-presidente do Conselho Regional de Economia (CORECON-MG). Veja na matéria, o impacto deste crescimento para a economia nacional.

Leia na página 3

Leia na página 7

Leia na página 5 Edição 8- ANO 3 - Outubro / Novembro de 2012 Publicação da Agência de Comunicação e Publicidade Correio Eletrônico (ACPCE) Todos os Direitos reservados

Revista

Star Games: Games O cliente em

1º lugar Foto: Jornalista (JP) Felipe José de Jesus

Da esquerda para a direita: Lucas e Weliomar

Leia mais:

Com mais de 20 anos no mercado, a Star Games - BH, (venda de jogos, consoles e assistência técnica ) está sob nova direção e com preços imbatíveis. Conheça um pouco mais sobre a história da loja e as expectativas para o ano de

Página

9

2013. A COOPE

Marcos Produções

io gusto e Fabríc Fernando Au le ng si imeiro lançam seu pr

Página 6

Açúcar ou Adoçante???

RATIVA E OE

MPREEND E

DOR

A partir deste mês, o administrador e consultor financeiro da ‘Coopertar Transportes e Turismo’ Jorge Lara - trará para os leitores, artigos sobre o cooperativismo em Minas Gerais e no Brasil. Acompanhe aqui na Revista Correio Eletrônico.

Muitos utilizam o adoçante em substituição ao açúcar. Várias pessoas consideram o adoçante como uma alternativa saudável para perder peso. Mas, será mesmo?. Qual dos dois é o mais indicado?. A nutricionista Laura dos Santos Pola traz para os leitores um artigo sobre o tema. Leia mais na coluna ‘Bem Estar’.

Página 8

Página 8


Editorial

2

Revista

Felipe de Jesus

Tempo de pensar

A

gora falta muito pouco para que as cidades conheçam o seu mais novo gestor (prefeito). O dia 7 de outubro de 2012 sela um novo passo para diversas cidades brasileiras, por este motivo é de extrema importância que os idosos, adultos e principalmente os jovens, participem deste processo. Não jogue esta oportunidade fora, mesmo que as opções não sejam as melhores. Lembre-se que nas próximas eleições, novas caras apareceram em seus televisores e com elas talvez a esperança de um futuro melhor para sua cidade, seja através do prefeito, quanto dos vereadores. Pense não na politicagem que é feita por pessoas que desejam somente o poder, mas pense em política em algo que pode transformar uma nação. Pense que se você não se importa, quem vai te representar talvez não se importe muito também, por isso pense na política em algo transformador e não em algo destruidor. Vamos nos unir para buscar soluções viáveis para nossas cidades. Belo Horizonte como exemplo vem sofrendo com um problema muito sério que é a mobilidade urbana. Vários meios já estão sendo criados para viabilizar para os moradores mais conforto e qualidade de vida. Algumas obras ainda estão no papel, como a do Metrô que por anos vem sendo arrastada. Talvez na próxima gestão teremos sim o transporte ligando o

Barreiro até a Gameleira, ou vice-versa, mas enquanto esta obra não vem, memorize as que estão nos planos de governo dos candidatos e se eleitos, cobre, pois este é o papel do eleitor. Vamos cobrar mais saúde, mais alimentação, mais educação para os futuros filhos do país. Pense, repense e tente fazer o melhor, o que sua consciência te indicar, pois para melhorarmos o Brasil, precisamos de muito pouco, e as eleições são um grande passo para

isto.

Fala leitor.. Este espaço é para os leitores da ‘Revista Correio Eletrônico’, deixarem seus comentários sobre as nossas matérias, artigos e capa preferida . Participe, o seu comentário pode sair na próxima edição!

Felipe de Jesus Editor Geral

Presidente e Jornalista Responsável (JP) Felipe José de Jesus - Jornalista (JP) - (DRTJP:15.263-MG - SJPMG - FENAJ) Editor e Diretor de Redação: Editor de Economia e Finanças - Diagramador (criação) Conselho Editorial RCE - Jornalistas (JP) Karine Alonso - Jornalista (JP) - (DRTJP:16.315.MG - SJPMG-FENAJ) Diretora e Editora do Imagem em Pauta Frederico Gazel - Jornalista (JP) (DRTJP:15.423-MG - SJPMG - FENAJ) Diretor - Revisão de Textos e Editor de Xadrez - (criação) Comercial (Marketing - Publicidade) Karine Alonso (JP) e Felipe de Jesus (JP) Apoio jornalístico Jornalista (JP) Geize Pires Agenciadora Apoio na captação de Eventos Fernando Roger Diretor de Distribuição Jornalista (JP) - Felipe de Jesus (JP) Fotografia: Equipe RCE e Divulgação Assinatura (anual) da revista agenciadecomunicacaocorreio@gmail.com Impressão: Gráfica IMAGE - Artes Gráficas - Belo Horizonte - Minas Gerais Uma publicação da Agência de Comunicação e Publicidade (ACP Correio Eletrônico) Contatos: (031) 8561-5255 - 8570-7347 - (BH-MG)

CNPJ: 03.379.599/0001-04 Todos os Direitos Reservados - 2012

Acreditar sempre, com uma frase assim pode parecer loucura, mas assim que descrevo a Revista do JCE. Uma equipe que numa batalha diária, tornou o que era um projeto em uma realidade de sucesso, posso dizer pois acompanho parte desta caminhada. Uma leitura leve, informativa e direta, com fotos originais, sem cansar o leitor com detalhes sem importância. A minha edição preferida por um motivo óbvio, meu gosto pessoal, a capa que traz o movimento + Rock Brasil, perfeita e bem direta. Uma citação que achei bem interessante e que a Revista sempre siga: "Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade - George Orwell" Anderson Arcebispo - Leitor


3

Xadrez

Fotos: Divulgação

Atletas da Elite Internacional estão no país para o ‘Grand Slam’ de Xadrez Capital paulista recebe etapa da fase final do circuito

Frederico Gazel

O Brasil sedia pelo segundo ano mais um Grand Slam de Xadrez. A etapa inaugural do circuito foi disputada entre os dias 24 a 28 de setembro no parque Ibirapuera em São Paulo. Os melhores atletas do ranking internacional estiveram reunidos num cubo de vidro - como no ano passado , para que a plateia pudesse observar sem maiores prejuízos aos jogadores. Com programação variada, o parque ofereceu aulas gratuitas de xadrez, simultâneas (desafio coletivo) com Grandes Mestres do Brasil, além de torneios rápidos para os aficionados. Faziam parte das “estrelas” do xadrez internacional: o atual campeão mundial, o indiano Viswanathan Anand 43, o número 1 do ranking, o norueguês Magnus Carlsen 22, o armeno Levon Aronian 30, campeão nas Olimpíadas do Xadrez disputada este ano em Istambul, o russo Sergei Karjakin

22 e o italiano Fabiano Caruana e campeão absoluto na Itália de apenas 20 anos. Os amantes do xadrez acompanharam as partidas em tempo real através do site especial do torneio em www.grandeslamdexadrez.com.br além de assitir a vídeos com comentários dos Grandes Mestres Gilberto Milos e Susan Polgar. A pontuação dos atletas foi no

mesmo sistema utilizado para o futebol em pontos corridos: 3 para o vencedor, 1 empate e zero derrota. O grande Campeão desta etapa foi o caçula da prova, Fabiano Caruana, que somou 11 pontos na dura competição. A próxima rodada do Grand Slam acontece na cidade de Bilbao na Espanha.

Assine a ‘Revista Correio Eletrônico’ Uma publicação mineira de cultura, lazer, xadrez, fotografia, eventos, finanças-economia e turismo.

Peça já a sua pelo: agenciadecomunicacaocorreio @gmai.com

Ou pelos telefones: (031) 8561-5255 (031) 8570-7347

Receba a revista em sua residência e ganhe também a assinatura digital

Apenas: R$ 45 por ano Assine!!


O norueguês Magnus Carlsen contra o Italiano Fabiano Caruana

4

'Xadrez que Liberta' é uma parceria entre a Secretaria Estadual de Justiça e a Confederação Brasileira de Xadrez, e existe desde 2008. Após as partidas, os atletas analisavam diante do público.

Frederico Gazel é jornalista (JP) Graduado em Comunicação Social pela Faculdade Estácio de Sá - BH - MG - Assessor da Federação Mineira de Xadrez (FMX) - Professor de Xadrez no Colégio Santo Antônio e no Colégio Magnum em BH– MG.

Jornal Correio Eletrônico - CNPJ:03.379.599/0001-04

Tiragem:200.000 un

Valor: R$60

O campeão, Fabiano Caruana, contra o Armênio número 2 do mundo, Levon Aronian.


5

Economia e Finanças

Fotos: Divulgação

Consumo de importados pode travar

crescimento do PIB

Preferência por produtos internacionais cresceu

24% no segundo trimestre de 2012

Felipe José de Jesus

C

elulares, notebooks, tablets e automóveis. Estes são alguns bens que vem fazendo parte do consumo ‘exagerado’ do brasileiro segundo especialistas. No entanto, este alto consumo não tem sido visto com bons olhos pelos empresários, pois a preferência dos consumidores não é pelos produtos brasileiros, mas sim pelos importados. De acordo com pesquisa da Federação das Indústrias do São Paulo (Fiesp), o consumo nacional de importados cresceu 24% no segundo trimestre de 2012 se comparado ao mesmo período de 2011, algo que pode travar a economia brasileira. Para o economista, Wilson Benício Siqueira, professor e ex-presidente do Conselho Regional de Economia (CoreconMG), o acréscimo na aquisição de importados, se deve a questão do preço e a falta de qualidade dos produtos nacionais. Fora isso, o especialista adiciona que a taxa de câmbio têm atrapalhado. “O consumo tem aumentado por uma questão muito simples: preço. Os valores dos produtos cresceram demais por causa da matéria prima e dos insumos utilizados. A taxa de câmbio que antes era de R$1,65 hoje está na casa de R$2,05, o que gera um efeito muito grande nas indústrias, pois elas perdem estímulo de produção. A qualidade e a durabilidade também mandam na hora da escolha, o consumidor às vezes opta por um carro importado, por que ele tem mais itens e dura mais. Como disse, três fatores pesam neste processo: a falta de qualidade dos produtos, a variável do câmbio e consequentemente a elevação dos preços”, completa. De acordo com o economista, a participação forte dos importados no mercado brasileiro, pode prejudicar diretamente as expectativas de crescimento do PIB. Questionado se o aumento poderá chegar à casa dos 3,5%, índice apostado para o segundo semestre de 2012, ele afirma que não. “Com certeza que não. Alego isto, pois o índice confiado pelos economistas para o PIB é de 3,5%, no entanto, eles vão ficar somente na vontade. Se fechar em 2% é muito. O que as pessoas têm que entender, é que com elevado consumo de produtos importados, menos empregos geramos no Brasil, menos produtos brasileiros são comercializados”, diz. Medidas de recuperação Para reverter à situação e colocar o Brasil mais competitivo frente às interna-

Wilson Benício: “A qualidade e a durabilidade do produto, são prioridades na hora que o consumidor vai escolher um produto”

cionais, Benício acredita que o Governo Federal precisa criar caminhos de fortalecimento do produto nacional. “Uma das propostas analisadas pelo governo é uma política de endomarketing, que visa fortalecer o consumo do produto local, É preciso conscientizá-las a dar preferência ao produto brasileiro, criar forte consumo local até por que, isso aquece a economia. O Brasil tem perdido demais com esta preferência, principalmente na questão de geração de empregos”, lembra.

Felipe José de Jesus é jornalista (JP) Graduado em Comunicação Social pela Faculdade Estácio de Sá—BH Especializações: - Extensão Universitária em Contabilidade e Finanças - Extensão Universitária em Comunicação Empresarial - Pós- graduando em Administração e Marketing Professor de Português e Filosofia Licenciado pela Secretaria de Educação- MG


Lançamento

Fotos Divulgação

6

Fernando Augusto e Fabrício lançam ‘Nova Paixão’ Música fará parte do disco de estreia da dupla

A

pós alguns meses de espera, os fãs da dupla Fernando Augusto e Fabrício poderão curtir a mais nova canção: Nova Paixão. A música fará parte do disco de estreia da dupla que está em processo de gravação. Em entrevista a Revista Correio Eletrônico, os irmãos falaram sobre o processo de composição do single. “Como já é de conhecimento de nosso público, a dupla “FernandoAugusto&Fabrício” vem de origem de som de barzinho, ou seja, uma junção do melhor de cada estilo musical atendendo todos os gostos populares. Na criação do CD, tentamos dar um toque especial de cada estilo ao ritmo sertanejo. Na criação da música “Nova Paixão” não foi diferente, fizemos a letra e a melo-

dia com uma pegada completamente universitária, enfatizando bastante o refrão, e não deixando de falar de nosso tema preferido que é o amor. A letra e a melodia foram criadas pelo Fernando Augusto”, contam Questionados se a música poderá ser o carro chefe do disco, os irmãos disseram que o destaque do álbum ainda não decidido. “ Na realidade, o carro chefe do CD ainda não foi decidido, pois somente com a obra toda pronta, iremos analisar e escolher qual será a música de trabalho e o título do CD. A música “Nova Paixão” já foi executada em dois shows, e analisando a positiva reação do público, acreditamos que esta canção irá abrilhantar bastante tanto nosso show, quanto nosso CD”. Perguntados se a música será a tocada nas rádios, eles afirmaram que após o disco pronto, eles terão uma noção maior de qual

Conheça a melhor dupla de sertanejo universitário de Minas Gerais

Contatos Assessoria de Imprensa: (031) 8561 8561--5255

‘Nova Paixão’ sairá no disco de estreia da dupla

é a mais indicada. “Esta questão é a mesma da escolha da música de trabalho. Teremos que primeiramen-

te analisar toda obra para fazer a escolha certa”, concluíram os irmãos. Escute a música no Facebook dos irmãos.

Foto: Marcos Produções

Felipe José de Jesus


7

Fotos: Divulgação PLACAR

A crucificação da Karine Alonso

A

revista PLACAR de outubro chegou às bancas com uma grande polêmica envolvendo o jogador Neymar. Estampado na capa em uma cruz, acompanhado com o título “A Crucificação de Neymar” deixou os religiosos furiosos. Mesmo com a imagem impactante, a revista garantiu que o objetivo não foi ofender e nem mencionar religião. Em resposta aos comentários ofensivos, editores da revista declararam: “Em primeiro lugar, a PLACAR pede desculpas a quem se sentiu ofendido pela imagem de capa. Em nenhum momento foi intenção da revista ferir a religiosidade de alguém. Respeitamos todas as crenças e defendemos a liberdade de praticá-las. Mas estamos falando exclusivamente de futebol. Vale esclarecer que a analogia da fotomontagem é com a crucificação como método de execução pública, praticado antigamente. Como mostra a reportagem, Neymar vem sendo “apedrejado” publicamente com a pecha de “cai-cai”. O maior jogador brasileiro, ícone da arte no esporte, virou, para muitos, o símbolo da dissimulação, da tentativa de burlar as regras do jogo. Ele cometeu e comete suas falhas, mas ficou com uma imagem de “criminoso esportivo”. Quando a reportagem estava sendo produzida, surgiu a palavra "crucificação", usada corriqueiramente hoje em dia, e daí veio a imagem da condenação e da crucificação. Acreditamos que a leitura da reportagem será ainda mais esclarecedora”, afirmam os responsáveis do veículo. Mesmo com o esclarecimento, a capa foi de uma coragem sem tamanho. No Brasil, mesmo com as divergências, a religião é tratada com tolerância entre a população. Em outros países ela é algo fundamental, com profunda devoção, causando conflitos que chegam à morte e é usada como motivo para atentados terroristas, que é o caso Irã e Iraque. Como jornalista e fotógrafa, tomo a liberdade de fazer a minha crítica. Nunca vi uma capa tão marcante nos últimos anos. Além da fotomontagem fazendo lembrança ao momento sagrado de Cristo, a chamada da matéria também entra na polêmica: “Chamado de ‘cai cai’, o craque brasileiro vira bode expiatório em um esporte onde todos jogam sujo”. Uma declaração pra lá de parcial em defesa do atleta. A frase causa impressão de que ele não é um jogador ‘cai cai’ e está sendo criticado à toa. E na verdade, quem acompanha futebol sabe que em vários jogos do Santos e da Seleção Brasileira, Neymar simulou faltas. Os profissionais da comunicação e principalmente ligados ao futebol, precisam

tomar muito cuidado com as publicações. Mexer com paixão, euforia e fanatismo é muito bom e ao mesmo tempo perigoso. No caso específico da PLACAR, a capa da edição de outubro a meu ver, foi um grande erro. Mesmo que a intenção foi uma das melhores e tecnicamente bem elaborada, a capa pode ter interpretações diversas, como por exemplo, a comparação de Neymar com Cristo. Sabemos que não foi esse o objetivo, mas desde os primeiros estudos do fotojornalismo, a imagem faz uma préleitura rápida do assunto a ser tratado. Ao bater os olhos no jogador santista na cruz, é quase impossível não lembrar pelo lado religioso. PLACAR foi ousada sim, e ainda nos traz uma reflexão: Até que ponto uma foto/imagem pode mexer com uma estrutura jornalística? É muito difícil achar uma resposta. Mas serve como experiência e, para muitos, um grande aprendizado.

Conheça o site: www.consep21bh.webnode.com Contato:3077-3233- BH-MG


Saúde e Bem Estar

Fotos Divulgação

8

Açúcar ou Adoçante??? Artigo de autoria da Nutricionista - Laura dos Santos Pola CRN: 327426/P -

H

oje vou falar sobre um assunto que desperta muitas dúvidas na população: o adoçante. Isso mesmo, aquele adoçante de mesa que muitos utilizam em substituição ao açúcar. Várias pessoas consideram o adoçante como uma alternativa saudável para perder peso. Mas, será mesmo? Em primeiro lugar, vamos definir adoçante. ADOÇANTE é um produto composto de edulcorantes que são substâncias com alta capacidade de adoçar. Geralmente são dezenas, às vezes centenas de vezes mais doces do que o açúcar. Entre os edulcorantes estão os naturais e os artificais: Artificiais: sacarina, ciclamato, aspartame, acessulfame k, sucralose, perilartina e xilitol. Naturais: steviosídeo e frutose*. Somente a frutose contém calorias. A indicação de adoçantes é realizada para pacientes com patologias que restrigem ou proibem o consumo de açúcar como hipertrigliceridemia (aumento de triglicerídeos) e diabetes, respecetivamente. Apesar disso, atualmente verificamos um elevado consumo de adoçantes e produtos diets pela população que não apresenta as patologias citadas acima. A maioria, pensando em emagrecimento e manutenção de peso. Mas será realmente efetiva a substituição do alimento convencial pelo diet neste caso? De acordo com pesquisa realizada em Indiana, na Universidade de Purdue, a sacarina, que é um edulcorante muito utilizado nos produtos diets, pode acarretar em ganho de peso, pois estimula o apetite por doces. Funciona da seguinte forma: na ingestão dessa substância nosso organismo se prepara para receber calorias do açúcar, e diante da ausência do nutriente nosso corpo passa a “solicitar” calorias através da ingestão de alimentos

altamente calóricos como sorvetes, chocolates e tortas recheadas. É aquela famosa sensação de “preciso de um docinho urgente!” A pesquisa descrita acima foi realizada dividindo os ratos em 2 grupos: o primeiro foi alimentado com iogurte adoçado com adoçante artificial (sacarina) e o segundo com açúcar. O resultado: o primeiro grupo ingeriu mais calorias do que o segundo e seu aumento de peso foi superior em 20%. E o problema não se restringe apenas a sacarina, pois segundo os pesquisadores o aspartame e o acessulfame K podem ter os mesmos efeitos de promoção de ganho de peso. Sabe-se hoje que o uso constante de adoçantes, em quantidades elevadas, pode funcionar como um agravante para diversas doenças. Os adoçantes artificiais, como o próprio nome diz, foram criados em laboratório. Dessa forma, nosso organismo não foi projetado para “decifrá-los” ou metabolizá-los, fazendo com que essas substâncias se acumulem em nossas células e promovam inflamações constantes. Vale lembrar que os adoçantes a base de ciclamato foram proibidos nos EUA, devido às diversas constatações dos prejuízos e riscos à saúde. Além disso, algumas pesquisas relacionam o aspartame com o desenvolvimento da doença de Alzheimer e de tumores cerebrais. As informações ainda não são conclusivas, pois foram realizadas somente com animais (ratos). Porém, é fato que como qualquer outro conservante, adoçante em excesso faz mal à saúde. Em contrapartida, sabemos que o consumo excessivo de açúcar refinado está relacionado com hiperatividade, inflamações, acne, lipogênese (acúmulo de gordura corporal) e risco de desenvolvimento de diabetes mellitus.

A Cooperativa e o Empreendedor Apoio: Coopertar Transportes, Fretamento e Turismo

A

legislação sobre o traba-

lho, ao contrário do que muitos supõem, não é coisa recente. É bem verdade que em um período posterior a “revolução industrial”, embora alguns esforços isolados (por isto inexpressivos) se propusessem em favor do trabalhador, procurando dar melhor posição ao “fator humano”, o mecanismo “produção”, ainda assim, o homem era entendido apenas como as “máquinas e matérias primas”. No início do século é que o homem passou a ter maiores considerações, apesar de ainda muito condicionado à “produção” que pudesse oferecer. Nesse período caracterizou-se a preocupação do rendimento máximo (racionalização e eficiência do processo produtivo) e, por isso o fator humano ainda era considerado em função de sua produtividade, mal remunerada e sem expressão de participação no cenário econômico/financeiro da empresa. A preocupação de mudanças urgentes nos modelos implantados moviam as rodas de discussões, reformas e inovações nos sistemas eram necessárias e deveriam fazer uma revolução sócio/econômica em todos os países. O modelo arcaico estava com os dias contados. Chegamos assim, ao momento atual em que o homem assumiu a responsabilidade e o risco financeiro de projetos audaciosos até então prerrogativas dos poderosos endinheirados. O homem simples, porém dotado de disciplina, hierarquia e vontade política de fazer acon-

tecer um negócio, deixa para trás os paradigmas da “santa ignorância” e, investe no mundo empreendedor e desafia o mercado com sua complexa roda de negócios e, de igual para igual, debate e disputa o seu devido lugar dentro do universo empresarial. Nasce aí o COOPERATVISMO. Organização de cunho social de responsabilidade econômica de seus associados que detém o poder de gerir os negócios e a condução política da entidade. Direitos e Deveres é a base deste Sistema Mundialmente conhecido e trabalhado, produzindo riquezas não somente na esfera financeira como acima de tudo, no “campo humano”. Aqui, faz-se necessário uma pausa e uma rápida reflexão que proponho a serem discutidos nas próximas edições. Descrever o “sistema cooperativismo brasileiro ou internacional”, não é matéria difícil, basta abrirmos os vários sites disponíveis ou simplesmente ler os anúncios e/ou reportagens das várias organizações do sistema. A pausa e reflexão que proponho vai um pouco além das noticiadas com muito glamour (diga-se de passagem). Chamo atenção para um ponto muito importante e necessário para o sucesso da Cooperativa, a participação efetiva e verdadeira do associado. Aqui está a fenda que pode levar um empreendimento a “bacarroca”

Muitos dirigentes ainda não se deram conta da tamanha responsabilidade de conduzir o processo administrativo, entendem que estão “dirigindo” um negocio “seu” ou de sua “família”, fecham as portas para os associados, isolam-os do dia-a-dia da Cooperativa, quando chegam o início do ano promovem as fantasmas assembléias (vazivas e vazias) encaminham a ata para os órgãos de registro/arquivos, pagam a anuidade devida e, se dão o falso direito de estarem cumprindo a Lei e árdua missão. Em contra partida, os cooperados por ignorância, falta de conhecimento e alguns por esperteza (falsa esperteza), fazem de conta que nada vê e ainda dizem que “... se não fosse por ele, não teria trabalho...” Temos ainda outra situação, esta chega a ser cômica, é quando por profissionalismo a Cooperativa constitui um grupo de gestores e estes se lançam incansavelmente ao trabalho e encontram um quadro social totalmente desfacelado e desinteressados com o processo administrativo. Causam conflitos e desajustes no relacionamento com os colegas e o que é pior, partem para as investidas tanto nos negócios quanto na má relação com os clientes. Situações assim, o cooperativismo vive e vem buscando minimizá-los. A formação e o treinamento são as ferramentas usadas nos dias de hoje para os ajustes de condutas, tanto para os gestores como para o quadro

social. Um dos ramos que vem crescendo no mercado é o Ramo do Transporte, daí a necessidade de uma atenção especial das autoridades do sistema cooperativista mineiro. Estamos a porta de um dos maiores eventos mundial – A COPA DE 2014 E ANTES A COPA DAS CONFEDERAÇÕES. Somos sabedores das limitações do transporte na Capital dos Mineiros e Regiões, conhecemos os hábitos dos Europeus em relação a deslocamentos, então, neste universo a COOPERTAR dá uma lição de empreendedorismo e se lança a frente nos estudos do projeto “Rumo a Copa”. Uma decisão acertada e necessária para a consolidação das Cooperativas de Transporte no competitivo mercado de trabalho. Daqui, só tenho que parabenizar o presidente José Ribeiro, sua equipe de gestores e principalmente o Quadro Social, que, juntos aceitaram este desafio. Bem, para a primeira edição espero ter atendido as expectativas, como disse acima, vamos interagir neste espaço para que os objetivos desta coluna sejam alcançados. Este é um espaço mais crítico do que informações didáticas, assim, abraços!!!!!!!!!!

Jorge Vieira Lara E-mail: lara.jgv9@yahoo.com.br Consultor – Secretário Geral Coopoesp/BH


Fotos tiradas na loja Star Games no Centro de BH Jornalista (JP) Felipe de Jesus

Capa Correio

9

Star Games: Preços imbatíveis e bom atendimento em 1º lugar Loja completa 25

anos e é uma das mais antigas no ramo de games em BH

Star

NA ESQUERDA o vendedor Lucas e a direita o administrador, Weliomar

Games Diferencial Star Games >>

Felipe José de Jesus

V

enda de consoles, jogos e assistência.

Estes são alguns dos serviços oferecidos por uma das lojas de games mais tradicionais de Belo Horizonte, a Star Games. A loja que fica localizada na Rua Rio de Janeiro 300, sala 410 acaba de completar 25 anos de serviços e é uma das mais lembradas pelos fãs de jogos, quando o assunto é qualidade. Há praticamente 6 meses, a loja está sob a direção do administrador Weliomar, que além de dono, tem uma longa experiência no ramo de vendas de jogos/ consoles e assistência técnica. Em entrevista a Revista Correio Eletrônico, Weliomar fala da tradição da loja na cidade e por que os clientes saem sempre satisfeitos de sua loja. “A Star Games tem tradição em BH. É uma loja onde sempre se encontrou de tudo. Todos os tipos de games. Comprei ela exatamente por sua tradição e hoje procuro manter o mesmo atendimento de qualidade. Os clientes saem satisfeitos pois, além do bom atendimento, temos preços imbatíveis sempre ”, conta. Perguntado se eles tem geralmente os consoles procurados pelos clientes, Lucas (vendedor) lembra que eles ficam de olho no que sai no mercado . “Ficamos de olho em tudo. Na loja o cliente vai encontrar, Playstation, PSII , PSIII, X BOX360 e outros lançamentos. Além disto trabalhamos com novos e usados”.

Questionados sobre qual é o maior diferencial da loja em relação as demais de Belo Horizonte, Weliomar, lembra que fora o bom preço, a Star Games oferece mais facilidades para o cliente. “Nós trabalhamos com as vendas, e a assistência técnica, mas o nosso maior diferencial é a compra e a venda com garantia, algo que quase nenhuma loja oferece e que dá uma tranqüilidade enorme para o cliente. Além disto, nós trabalhamos com o desbloqueio”, De acordo com Weliomar, muita gente compra consoles bloqueados e na hora de desbloquear não consegue, por isso ele lembra que a Star Games está pronta para atender. “Hoje muita gente compra os consoles ai entra na internet para tentar descobrir como desbloqueia, no entanto as vezes não consegue e fica com o game parado. A dica que eu dou é trazer aqui na Star Games, aqui o desbloqueio é rápido e bem barato. Lembrando, vamos incrementar mais ainda nosso atendimento em 2013, aguardem”. Cliente em 1º lugar >> Em relação aos jogos procurados pelos clientes, Lucas conta, que mesmo que a loja não tenha o game na hora, eles encomendam para a pessoa imediatamente. “Como disse, ficamos de olho e se o cliente não achar o que procura nós damos um jeito de arrumar para ele. Aqui o cliente nunca sai de mãos vazias, aqui ele fica em 1º lugar”, conclui. Outras informações pelos: (031) 8544-2780 ou 3274-8197. Conheça a Star Games e se surpreenda com os melhores preços de BH.

Estrutura Star Games


Cultura e Entretenimento

Fotos: Arquivo Pessoal

Jornal Correio Eletrônico completa 3 anos com novo site Novo layout trará mais facilidade para os leitores

Os jornalistas com suas paixões: Frederico (Xadrez), Felipe (Economia/Política) e Karine (Futebol e Fotografia)

Matéria especial: Karine Alonso e Frederico Gazel

E

sportes, Xadrez, Economia, Entretenimento e Política. Estes são alguns dos temas que os jornalistas do Correio Eletrônico semanalmente trarão para os leitores em seu mais novo site: www.jornalcorreioeletronico.com.br. Após 3 anos de trabalhos e com o envio de um jornal em PDF e posteriormente um blog informativo, a equipe do jornal: Felipe de Jesus, Karine Alonso e Frederico Gazel, festejam uma nova fase. Com um novo layout e ferramentas que aproximam o leitor, o site desenvolvido pela empresa ‘ConsulteWeb’, traz como os demais jornais de Minas Gerais, editorias e vídeos de reportagens especiais. Além disto, enquetes e links diretos para Redes Sociais. Hoje, o site além de fácil navegação está com o perfil proposto, que é o de levar informações objetivas e claras para o leitor. Em entrevista a Revista Correio Eletrônico, o fundador do Jornal Correio Eletrônico, Felipe de Jesus, fala da importância de trazer mais qualidade para o público que acompanha os trabalhos do jornal. “É um sonho realizado. No entanto, temos que trabalhar mais para podermos chegar ao patamar dos grandes veículos de Minas. Sem a ajuda dos meus amigos jornalistas (Karine Alonso e Frederico Gazel), não teríamos este belo resultado. O site foi uma indicação da nossa editora de esportes Karine, e que bela

indicação. Pensamos em um layout que não fugisse do blog que tínhamos, prevalecendo as cores (azul e cinza) e a nossa LOGO tradicional”, conta. Ainda de acordo com Felipe, o site não perde para os grandes, já que segundo ele, o grande diferencial é sua mão de obra. “Sim, é um site bem logístico e com matérias totalmente produzidas pelos jornalistas, o que fortalece ainda mais a profissão. De forma alguma nós temos a ideia de colocar pessoas que não sejam jornalistas para escrever, até porque, recentemente o Senado Federal, aprovou a obrigatoriedade do diploma”, relata sorridente.

Amizade eterna Perguntado se o jornal foi uma idealização dos três, Felipe diz que na verdade já passaram pelo jornal outros sócios. “Quando estava no 6º período, surgiu a ideia de criar algo que ajudasse os alunos da Estácio de Sá, que ainda não tinham a oportunidade de estagiar. Como dito na história do jornal que está no site, foi criado por mim, pelo jornalista Evandro e pelo atual diretor – Frederico Gazel. Entretanto, o Evandro saiu para tocar outros projetos. Hoje, vejo nos que ficaram comigo nesta batalha, uma amizade eterna, pois são realmente amigos que poucos podem ter, pois eles valorizam as pequenas coisas e o principal, tem um grande amor pelo jornalismo”, conclui Felipe.

Conheça os serviços:

Ligue: (031) 8632-5970

10


Geral

Fotos: Divulgação Skank

11

Skank volta às raízes e traz para os fãs

91

Samuel Rosa e sua banda. 20 anos ligados no Raggae.

Felipe José de Jesus

C

om 20 anos de carreira, 12 discos gravados, 5 DVD´S mais de cinco vezes campeão do Vídeo Music Brasil (VMB), na categoria Melhor Clipe, o Skank volta a cena musical com um presente para os fãs, o disco 91. No entanto, o álbum

não está repleto de novos hits, mas sim, traz canções eternizadas na voz de Samuel Rosa e conhecidas pelo público, como: Let Me Try Again e Cadê o Pênalti. O disco apresenta o registro do primeiro show fora de BH, realizado pelo quarteto no dia 5 de junho de 1991 em São Paulo, um ano antes da gravação do disco: Skank. Na época, Samuel Rosa e Henrique Portugal tinham acabado de sair da banda Pouso Alto, grupo de reggae. Em entrevista, Henrique Portugal, tecladista, conta por que a banda decidiu trazer

Contatos: (031) 9603-3638 (031) 9645-6144

tecladista, conta por que a banda decidiu trazer este registro, ao invés de um álbum novo, já que o último disco foi gravado há quatro anos. “Guardamos estes registros e decidimos soltar agora, próximo dos 20 anos da banda. Foram gravados numa fita cassete e logo passamos o material para uma fita DAT (Digital) pensando em preservar a qualidade. Resolvemos então, lançar esse material pelo fato do Skank ter um tipo de fã que possa se interessar em ouvi-lo em guardar este disco. Um material original com gravações inéditas em São Paulo. Ao invés de um disco novo, a ideia é mostrar como a banda era no início, ou seja, bem no início”, diz. De acordo com Samuel Rosa, vocalista, a montagem do repertório que resultou no disco 91 foi tranquila, já que o grupo na época estava totalmente focado no reggae. “O disco celebra a longevidade do quarteto. Neste trabalho, trazemos alguns clássicos, como a música, Raça, de Milton Nascimento, Shot In The Dark, de Henri Mancini e Telefone, da Gang 90. Além dessas, o material também traz as originais de Indignação, O Homem Que Sabia Demais, Salto no Asfalto e Baixada News, que fizeram parte do primeiro disco independente do Skank, gravado em 1992”. Rosa lembra que, estas músicas serviram de inspiração para outras bandas que queriam atingir sucesso através do Ska, estilo característico dos Paralamas do Sucesso. “Acredito que resolvemos bem a concessão, que era meio exclusiva dos Paralamas sabe, pois eles é que faziam este estilo. Abrimos o caminho de guitarras e metais, tanto que depois vieram outras bandas bem parecidas”, acrescenta. Para os fãs >> Questionado se o álbum pode ser considerado parte da discografia do Skank, Henrique afirma que os fãs podem considerar que sim. “É um disco para os fãs e serve também para mostrar que o início realmente não é fácil. O nosso primeiro show realmente estava vazio, fizemos vários testes antes de lançarmos o nosso primeiro álbum. Vejo-o como um incentivo para as bandas que estão começando para mostrar que elas devem acreditar no sonho”, relata. Já para Samuel, o disco não faz parte da discografia do grupo. Para ele é apenas um extra. “O Skank 91 não faz parte da discografia, apenas deixa registrado um retrato de como era o grupo nos primórdios, quando tudo começou na década de 1990. Nesta compilação, os fãs podem conferir a fidelidade do som executado à época em todas as faixas ao vivo e em estúdio. Um extra para ser guardado com carinho”, lembra. Henrique Portugal lembra que, o álbum ainda traz algumas canções não executadas nas rádios e totalmente desconhecidas pelos fãs. “Tem músicas inéditas, algumas que não foram para o primeiro disco. Destaco as músicas, A Tela, Telefone e Eu me perdi. Canções que foram compostas, interpretadas e gravadas tipo em 1990”, conclui.


Divulgação

O jornalismo se modificou, as máquinas de escrever foram trocadas pela tecnologia. Os computadores e a Internet, hoje reinam no século 21. Porém, algo ainda continua o mesmo: jornalismo sério com profissionalismo e credibilidade, poucos conseguem oferecer para os leitores. (Felipe José de Jesus)

Revista

Conheça também o site do jornal: www.jornalcorreioeletronico.com.br

Revista Correio Eletrônico 8ª edição - Out/Novembro - 2012  

Publicação mensal de entretenimento: Cultura, Xadrez, Fotografia, Economia, Geral, Lançamentos, Coberturas de Eventos,Shows

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you