Issuu on Google+

Os melhores CDs do mês • Notícias de Ozawa e Domingo Riccardo Chailly grava as nove sinfonias de Beethoven

CONCERTO Guia mensal de música clássica

Outubro 2011

CLÁSSICOS

à mineira vidas musicais Jacqueline du Pré palco Marília Vargas

Em apenas quatro anos a Filarmônica de Minas Gerais tornou-se uma das principais orquestras do país. Conheça sua temporada 2012

Atrás da pauta por Júlio Medaglia

entrevista Maestro Jamil Maluf estreia ópera e fala dos desafios de sua carreira

ISSN 1413-2052 - ANO XVII - Nº 177

RIO DE JANEIRO Bienal de Música Brasileira Contemporânea realiza 19ª edição

r$ 11,90

ROTEIRO MUSICAL LIVROS • CDs • DVDs


Prezado Leitor, A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais acaba de lançar a sua temporada 2012. Dividida em duas séries de assinaturas, a programação elaborada pelo diretor artístico Fabio Mechetti terá novamente destacados convidados interpretando um repertório que vai de Mozart a Penderecki (com o próprio compositor regendo), passando pelos brasileiros Miguez, Guarnieri, Santoro, Villa-Lobos e Marlos Nobre. Os frequentadores do Palácio das Artes de Belo Horizonte terão a oportunidade de ouvir excelentes solistas apresentando grandes obras – algumas delas verdadeiros monumentos da criação do gênio humano. Na matéria de capa desta edição da Revista CONCERTO, a jornalista Camila Frésca escreve sobre a formação da Filarmônica de Minas Gerais, sem dúvida um dos principais acontecimentos musicais de nosso país nos últimos anos (página 24). Minas Gerais, conhecida e querida por seu espírito familiar e sua hospitalidade, tem hoje uma orquestra moderna, de qualidade, cujo trabalho já repercute no debate cultural brasileiro. E, além de suas conquistas artísticas, a Filarmônica de Minas Gerais ainda demonstra ser um caso de sucesso como modelo de gestão de parceria público-privada. Oxalá inspire outras capitais da República a investir com responsabilidade em cultura. Nos últimos trinta anos, faça chuva ou faça sol, o maestro Jamil Maluf vem fiando uma linha de seriedade e qualidade junto ao Teatro Municipal de São Paulo. Diretor e regente titular da Orquestra Experimental de Repertório desde a fundação, o maestro também ocupou, durante quase cinco anos, a direção artística do próprio Teatro Municipal. No mês em que estreia mais uma ópera no palco da casa agora centenária – L’enfant et les sortilèges de Ravel –, Jamil Maluf concedeu entrevista ao nosso colaborador Leonardo Martinelli, na qual fala de sua experiência e dos novos desafios que se apresentam. Acontece no Rio de Janeiro neste mês a 19ª edição da Bienal de Música Brasileira Contemporânea, realização da Funarte, órgão do Ministério da Cultura. Em tempos especialmente difíceis para a composição erudita – neste ano nem aconteceu o tradicional Festival Música Nova –, é auspiciosa a notícia de que todas as obras que serão apresentadas são fruto de concursos ou encomendas, todas remuneradas. A Bienal apresentará um vasto painel da criação contemporânea – aberto a todas as tendências –, que contempla obras de jovens artistas a nomes consagrados, como você poderá ler no artigo do jornalista Clóvis Marques (página 16). Na seção “Palco” desta edição apresentamos a excelente soprano Marília Vargas (página 22). Com técnica apurada e voz muito especial, a cantora tem desenvolvido uma interessante carreira no Brasil e no exterior. Neste mês, Marília Vargas estará em Curitiba, onde dirigirá a I Mostra Internacional de Música Antiga. Como em todos os meses, publicamos nesta edição a seção “Gramophone” com as melhores matérias da prestigiosa publicação inglesa (página 64). Além das notícias e dos melhores álbuns lançados no mercado internacional, o grande destaque é uma extensa reportagem sobre as nove sinfonias de Beethoven – “as sinfonias de Beethoven mudaram tudo”, como escreve o autor Philip Clark –, tendo como ponto de partida uma nova gravação de Riccardo Chailly com a Orquestra Gewandhaus de Leipzig. Encontre seu programa musical entre centenas de indicações de eventos clássicos do roteiro ilustrado da Revista CONCERTO, separado em São Paulo (página 32), Rio de Janeiro (página 48) e outras cidades do Brasil (página 54). E informe-se sobre os mais recentes lançamentos de CDs, DVDs e livros sobre música (página 73). Leia ainda nesta edição os textos de nossos colunistas, o maestro Júlio Medaglia (sobre os cem anos de estreia da Petrushka de Stravinsky, página 10) e o jornalista João Marcos Coelho (sobre dois programas imperdíveis da Osesp, página 14). E confira meu relato sobre os eventos do Festival de Salzburg (página 18). Nosso Concurso CONCERTO 16 Anos foi um grande sucesso. Entre centenas de participantes, dezesseis felizardos foram sorteados e ganharam vale-presentes para trocar por livros, CDs ou DVDs da Loja CLÁSSICOS. Confira na página 77 os nomes dos premiados. Agradecemos a todos os leitores e contamos com seu entusiasmo e sua confiança por pelo menos mais outros dezesseis anos! Desejamos uma boa leitura e um ótimo mês musical.

Nelson Rubens Kunze diretor-editor 2 Outubro 2011 CONCERTO

foto: Andre Fossati

COLABORARAM NESTA EDIÇÃO Camila Frésca, jornalista e pesquisadora Clóvis Marques, jornalista e crítico musical Guilherme Leite Cunha, professor e artista plástico Irineu Franco Perpetuo, jornalista e crítico musical João Marcos Coelho, jornalista e crítico musical Júlio Medaglia, maestro Leonardo Martinelli, jornalista e compositor

ACONTECEU EM outubro Nascimentos Paul Dukas, compositor 1º de outubro de 1865 Chiquinha Gonzaga, compositora, pianista e regente 17 de outubro de 1847 Herbert Howells, compositor 17 de outubro de 1892 Karl Guhr, compositor e regente 30 de outubro de 1787 Falecimentos Frédéric François Chopin, compositor 17 de outubro de 1849 Haas Pavel, compositor 17 de outubro de 1944 Christopher Gibbons, compositor 20 de outubro de 1676 Pablo Casals, compositor e violoncelista 22 de outubro de 1973 Estreias Uma noite em Veneza de Johann Strauss 3 de outubro de 1883 em Berlim Tannhäuser e o torneio de cantores em Wartburg de Richard Wagner 19 de outubro de 1845 em Dresden O barão cigano de Johann Strauss 24 de outubro de 1885 em Viena Euryanthe de Carl Maria von Weber 25 de outubro de 1823 em Viena Tarmelano de Georg Friedrich Händel 31 de outubro de 1724 em Londres


CONCERTO

20

Outubro de 2011 nº 177

2 Carta ao Leitor

12

4 Cartas 6 Contraponto Notícias do mundo musical 10 Atrás da Pauta Coluna mensal do maestro Júlio Medaglia 12 Em Conversa Entrevista com o maestro Jamil Maluf

24

74

14 Música Viva Dupla russa é destaque das apresentações da Osesp 16 Acontece 19ª Bienal de Música Brasileira Contemporânea, por Clóvis Marques 18 Internacional Nelson Rubens Kunze visitou o Festival de Salzburg

73

20 Vidas Musicais A breve vida da grande violoncelista Jacqueline du Pré 22 Palco A soprano Marília Vargas dirige mostra de música antiga 24 Capa Em apenas quatro anos a Filarmônica de Minas Gerais tornou-se

18

uma das principais orquestras do país

30 Roteiro Musical Destaques da programação musical no Brasil 32 Roteiro Musical São Paulo

66

10

48 Roteiro Musical Rio de Janeiro 54 Roteiro Musical Outras Cidades

Uma seleção exclusiva do melhor da revista Gramophone 64 Notas Sonoras Notícias internacionais Seiji Ozawa – Plácido Domingo

65 A escolha do editor James Inverne aponta os dez melhores CDs do mês 66 Reportagem Para além de Beethoven: maestro Riccardo Chailly grava as nove sinfonias do compositor alemão

64 Gramophone Uma seleção exclusiva do melhor da revista Gramophone 73 Lançamentos de CDs e DVDs 76 Livros 77 Outros Eventos 79 Classificados 79 Scherzo O espaço de humor da Revista CONCERTO 80 Minha Música A música que inspira o poeta Gerson Valle

CONCERTO Outubro 2011 3


João Carlos Martins Bárbara a entrevista de Leonardo Martinelli (“Entre Bach e sertanejos”, página 18). Por ela pode-se ver a transparência e a riqueza de caráter de João Carlos Martins – este verdadeiro brasileiro dedicado à divulgação da música clássica a um povo pouco acostumado a ouvila. O pianista e maestro João Carlos promove o encontro do eu interior com a essência da música que rege. Isso é para poucos! Vitória Denck, crítica literária, Curitiba Ninguém tem dúvida de que o maestro João Carlos Martins é o músico brasileiro mais reconhecido em nosso país, não só pela superação, mas por aquilo que significou como pianista e hoje como maestro, levando o nome do Brasil para os palcos internacionais.

Também quero o carinho da OSB Gostaria de pleitear minha inclusão entre os músicos da Nova Orquestra da OSB (Orquestra Sinfônica Brasileira), sem necessidade de avaliação e sem presença garantida nos ensaios, pois tenho (como meus 33 futuros colegas) muitos outros afazeres. Peço também salários (e demais direitos trabalhistas) pelo mais de um ano em que não trabalhei. Por lealdade com a Fosb, aviso que pedirei demissão (imotivada!), com direito a todas as verbas a que fiz direito pelo tempo de ócio remunerado. Por fim, apenas peço ao carinhoso Fernando Bicudo que de forma alguma me ponha no colo. Alberto Ortenblad, por e-mail

Janaína Carvalho de Campos, por e-mail

Ópera no século XXI

Tréplica

Estava assistindo Benvenutto Cellini no Film&Arts e estranhei muito a ‘modernizada’ que deram no libretto, cujo ápice foi um andróide. Pode parecer uma reação reacionária de um velho conservador. Não, sou relativamente jovem, 30 anos, fã de tecnologia. Só gostaria de saber qual é, afinal, o objetivo disso e se não comprometemos a arte em favor de uma suposta modernidade. No mesmo canal assisti a um Don Giovanni bem modernizado. Será que isso atrai um público novo? Eu duvido, acho mais provável que se espante o pequeno público ainda existente. Será então que é original? Pendurar uma privada no teto da sala certamente é... Mas será que só ser original basta? Parece-me que simplesmente se valoriza o meio e se esquece o fim, invertendo-se as prioridades. Será demais pedir que na ópera não somente a música seja preservada, mas que a direção não se julgue melhor que o libretista original?

João Marcos Coelho falsifica o que ele e eu escrevemos. O que me irritou em seu texto original foi a argumentação, que incluía a balela da dissolução da tonalidade com o Tristão. Quem afirmou um nazismo em Schoenberg foi Mário de Andrade, e não eu. JMC escreveu que Schoenberg afirmara haver assegurado o domínio da música alemã por mais 100 anos; agora, ele diz que Schoenberg apenas “sonhou” ser ouvido “dali a 100 anos”. Getulio é um eterno problema para os que perderam, em 1932, a possibilidade da volta à política do café-com-leite; não deixei de assinalar as barbaridades cometidas pela polícia, no Estado Novo que começou em 1937, e não em 1930 (atenção, Julio Medaglia: foi em 37, e não em 30). Quanto ao octogenário que só agora descobriu que Villa foi um gênio, cabe, sim, criticá-lo, por haver participado, com outros professores na ECA-USP, do boicote às obras desse e de outros compositores que não entoaram a “palavra de salvação musical” de cartilha estético-ideológica. Aliás, não gosto de nenhuma cartilha. Flavio Silva, por e-mail

ERRATA É Rodrigo Morte o arranjador da Suíte Tom Jobim que será apresentada em dezembro no Festival Europalia. O nome foi grafado incorretamente na edição de setembro.

Eduardo Veloso Gomes, por e-mail

Guia mensal de música clássica www.concerto.com.br outubro 2011 Ano XVII – Número 177 Periodicidade mensal ISSN 1413-2052 Redação e Publicidade Rua João Álvares Soares, 1.404 04609-003 São Paulo, SP Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046 e-mail: concerto@concerto.com.br Realização diretor-editor Nelson Rubens Kunze (MTb-32719) editoras executivas Cornelia Rosenthal Mirian Maruyama Croce apoio editorial Leonardo Martinelli textos Biancamaria Binazzi revisão Thais Rimkus site e projetos especiais Marcos Fecchio apoio de produção Luciana Alfredo Oliveira, Priscila Martins, Vanessa Solis da Silva, Vânia Ferreira Monteiro projeto gráfico BVDA Brasil Verde editoração e produção gráfica Lume Artes Gráficas / Gilberto Duobles As datas e programações de concertos são fornecidas pelas próprias entidades promotoras, não nos cabendo responsabilidade por alterações e/ou incorreções de informações. Inserções de eventos são gratuitas e devem ser enviadas à redação até o dia 10 do mês anterior ao da edição, por fax (11) 3539-0046 ou e-mail: concerto@concerto.com.br. Artigos assinados são de respon­sa­bi­li­dade de seus autores e não refletem, neces­sariamente, a opinião da redação. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução por qualquer meio sem a prévia autorização.

Todos os textos e fotos publicados na seção “Gramophone” são de propriedade e copyright de Haymarket. www.gramophone.co.uk

e-mail: cartas@concerto.com.br Cartas para esta seção devem ser remetidas por e-mail: cartas@concerto.com.br, fax (11) 3539-0046 ou correio (Rua João Álvares Soares, 1.404 – CEP 04609-003, São Paulo, SP), com nome e telefone. Escreva para nós e dê sua opinião! A cada mês, uma correspondência será premiada com um CD de música clássica. (Em razão do espaço disponível, reservamo-nos o direito de editar as cartas.)

Operação em bancas assessoria Edicase – www.edicase.com.br distribuição exclusiva em bancas FC Comercial e Distribuidora S.A. manuseio FG Press – www.fgpress.com.br atendimento ao assinante Tel. (11) 3539-0048

Site e Revista CONCERTO A boa música mais perto de você

Atualize e complemente as informações da Revista CONCERTO em nosso site

CONCERTO é uma publicação de Clássicos Editorial Ltda.

www.concerto.com.br

th

Assinantes têm acesso integral* à agenda completa de eventos, notícias, entrevistas, podcast, seleção de filmes do YouTube, textos exclusivos e muito mais. Confira! * Se você comprou esta revista na banca, digite “outubro” no campo e-mail e “5486” no campo senha. CTP, impressão e acabamento IBEP Gráfica.

4 Outubro 2011 CONCERTO


Governo do Pará

De 8 de novembro a 3 de dezembro de 2011.

a p r e s e n t a

Belém-Pará

per a X Festival de

Fotos: Eloi Raiol e Elza Lima

do Theatro da Paz

festival de Ópera do

Puccini - Tosca: 8, 10 e 12/11 • A Dança da Ópera: 16 e 17/11 • Recitais: 22, 23 e 24/11 Orff - Carmina Burana (encenada): 26, 27 e 29/11 Grande Concerto de Encerramento ao ar livre: 3/12 Participação da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, Orquestra Jovem Vale Música, Coro Infanto-juvenil Vale Música festival de Ópera do e Coro do X Festival de Ópera do Theatro da Paz

heatro da paz theatro da paz APOIO

REALIZAÇÃO

ÓperA X festivalde

do

theatro da paz

X festival de ópera do

theatro da paz

SECULT

Secretaria Especial de Promoção Social


Notícias do mundo musical

Victor Hugo Toro assume Sinfônica de Campinas Aos 35 anos de idade, o maestro chileno Victor Hugo Toro foi anunciado em setembro como o novo regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (OSMC). Revelado em 2006 pelo Primeiro Concurso de Regência Orquestral da Osesp, que lhe rendeu o posto de regente assistente na aclamada orquestra paulista (então sob regência de John Neschling), Toro estabeleceu residência no país, onde tem regido diferentes orquestras. A Sinfônica de Campinas também anunciou o nome da nova diretora administrativa, Adriana Camargo Canguçu, que até recentemente atuou como produtora executiva dos Concertos CPFL Cultura, também em Campinas.

No início de setembro passado foi firmado um acordo para a solução da crise que, desde o início do ano, assola a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB). Os novos diretores artísticos Fernando Bicudo e Pablo Castellar e a presidente do SindMusi, Déborah Cheyne, elaboraram em conjunto um documento que prevê a reintegração imediata dos músicos demitidos à Fundação OSB (Fosb), em um novo corpo orquestral, ou a possibilidade de opção pela conversão das demissões por justa causa em demissões comuns. O acordo foi assinado na sede do sindicato pelo diretor executivo da Fosb, Sérgio Fortes, por Déborah Cheyne e por 31 dos 33 músicos demitidos. Conforme o acordo, caberá à direção artística da Fosb a gestão do novo corpo orquestral, que terá as mesmas condições de trabalho praticadas antes da crise. A Fosb pagará aos músicos reintegrados os respectivos salários retroativos às demissões ocorridas em março de 2011 até maio de 2012. Os músicos também serão dispensados de realizar avaliações de desempenho durante toda a vigência de seus contratos – as avaliações de desempenho foram a razão da crise. Ficou definido ainda que a Fosb garantirá a manutenção do novo corpo orquestral e dos contratos de trabalho de seus integrantes até agosto de 2013.

Prêmios 1 – 7º Prêmio Bravo!

divulgação

Camerata Aberta grava CD e se apresenta nos Estados Unidos e Europa Um dos mais importantes grupos musicais do país, a Camerata Aberta, que se dedica à música contemporânea, realiza este mês apresentações em Nova York e em diversas cidades da Europa, tais como Amsterdã, Bruxelas e Herzele, dentro das atrações da Europalia, uma das maiores mostras de arte do mundo. O programa das apresentações enfatiza obras para pequenas formações de diferentes gerações de compositores brasileiros, desde os já prestigiados Flo Menezes, Ayrton Escobar, Roberto Victorio e Silvio Ferraz, até jovens talentos da criação musical nacional, como Felipe Lara, Valéria Bonafé, Tatiana Catanzaro e Rodrigo Lima, entre outros. Algumas das obras apresentadas na turnê constarão do álbum gravado pelo grupo, com previsão de lançamento para o início do ano que vem.

divulgação / cia de foto

6 Outubro 2011 CONCERTO

Readmissão encerra crise da OSB

No início do mês ocorre a cerimônia de entrega do 7º Prêmio Bravo!, que entre diversas categorias, dedica uma ao melhor CD erudito do ano. Nesta edição, concorrem os álbuns A música de Gilberto Mendes, no qual diversos nomes da música contemporânea brasileira se reúnem para prestar um tributo ao compositor santista; Flausino Vale e o violino brasileiro, de Cláudio Cruz, a partir de pesquisa realizada pela jornalista e musicóloga Camila Frésca; e Juliana D’Agostini e Catalin Rotaru, que marca o encontro da jovem pianista brasileira com o experiente contrabaixista romeno em obras de Grieg, Schubert, Vieuxtemps e Villa-Lobos.

Prêmios 2 – Grammy Latino Músicos brasileiros são destaques da lista dos sete indicados ao Grammy Latino Clássico, cuja premiação ocorrerá em novembro deste ano. Concorrem a Osesp, que, regida por John Neschling e Alondra de la Parra, apresenta um CD com obras de Nelson Ayres e Francis Hime e solos do violonista Fábio Zanon; o Brazilian Guitar Quartet, com seu álbum dedicado a Villa-Lobos; e a pianista Clara Sverner e seu tributo a Chopin. Na mesma lista figura ainda a pianista Rosângela Antunes, a única brasileira do Villa-Lobos Trio, que concorre com um álbum com obras de seu patrono, além de Piazzolla e Lucio Bruno-Videla.

Sinfônica da Unicamp em nova fase A Sinfônica da Unicamp – grupo musical da Universidade Estadual de Campinas – aproxima-se do final de sua temporada 2011 consolidando um modelo de gestão ainda raro no meio acadêmico. Desde 2010, a orquestra atua no sistema de gestão partilhada, encabeçado por duas proeminentes musicistas brasileiras: a maestrina Simone Menezes, que responde pela regência da orquestra, e a compositora Denise Garcia, que assina a direção artística de suas temporadas. Nos dias 14 e 16, a orquestra apresenta o espetáculo Concertato, que reúne música erudita e cena cômica em um concerto-fantasia no Centro de Convivência Cultural de Campinas. Já nos dias 27 e 28, seu grupo de câmara homenageia o compositor Almeida Prado durante o VII Panorama de Música Brasileira no Espaço Cultural Casa do Lago, na Unicamp, e, no dia 29, volta ao Centro de Convivência Cultural de Campinas em concerto dedicado à obra de compositores contemporâneos brasileiros.


Notícias do mundo musical

Obra de Chiquinha Gonzaga ganha acervo digital gratuito Contemplados pelo programa Natura Musical em parceria com o Instituto Moreira Salles, os pianistas e pesquisadores Alexandre Dias e Wandrei Braga lançam neste mês o site do projeto Acervo Digital Chiquinha Gonzaga. Até então havia grande dificuldade de se obter partituras e documentos relacionados a esta musicista, uma das maiores personalidade de nossa música. Com exceção das operetas, o site do projeto (www.chiquinhagonzaga.com.br) pretende cobrir a totalidade da obra da compositora, disponibilizando gratuitamente suas partituras. De 15 a 22 deste mês está prevista uma série de apresentações integrando as festividades de lançamento do projeto (consulte detalhes no Roteiro Musical Rio de Janeiro).

Walter Neiva dirigiu a nova montagem da ópera Otello de Giuseppe Verdi da XVII Temporada Internacional de Ópera da Cidade de Medellin, na Colômbia. O elenco contou com Gianluca Zampieri, Gisela Zivic, Nelson Martínez e José Antonio García. O diretor musical foi o regente Miguel Ortega.

reprodução

A antiga Associação Camargo Guarnieri de Amigos da Osusp, fundada em 2005 por Carlos Moreno, foi remodelada e agora passa a se chamar Associação Camargo Guarnieri. Seu objetivo é cultivar o nome e a obra do grande compositor brasileiro, dando continuidade a seus legítimos ideais musicais. A nova associação (que tem Vera Silvia Camargo Guarnieri como presidente e entre seus membros a compositora Kilza Setti e o pesquisador Francisco Coelho) acaba de aprovar junto ao MinC o projeto para a realização do Festival de composição Camargo Guarnieri – Música infantil pelo intérprete juvenil, com a curadoria da compositora Silvia de Lucca. Mais informações podem ser obtidas em www.associacaocamargoguarnieri.com.br.

Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás faz turnê na Espanha

O polo do Projeto Guri de São José do Rio Preto recebeu mês passado os músicos da ONG norte-americana Sphinx, que tem como missão promover a música clássica junto a grupos de jovens, sobretudo negros e latinos.

Entre os dias 30 de outubro e 4 de novembro, a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, com patrocínio da multinacional hispânica Endesa, fará uma série de apresentações nas cidades espanholas de Lleida, Girona, Granada, Vilaseca e Barcelona. Com regência do maestro Eliseu Ferreira, titular desde 2002, o repertório contará com obras de compositores brasileiros e espanhóis, como Carlos Gomes, Villa-Lobos, Camargo Guarnieri, Pablo Sarasate e Pablo Casals, e terá como destaque os jovens solistas goianos Marcos Silveira Bastos (violino), Michel Silveira (tenor) e Mábia Felipe (soprano). Fundada em 2001, a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás vem realizando um importante projeto de caráter sociocultural, sob a direção de Eliseu Ferreira. O conjunto se apresenta cerca de quarenta vezes ao ano, na região metropolitana de Goiânia e em cidades do interior do estado de Goiás, com a participação de artistas como Eudóxia de Barros, Lúcia Barrenechea, Emílio de César, Mark Cedel e Albrecht Breuninger.

Faleceu em 17 agosto passado, em Buenos Aires, a violonista Adolfina Raitzin de Távora (mais conhecida no meio como Dona Monina). Importante incentivadora da arte do violão na América do Sul, Dona Monina residiu por mais de trinta anos no Rio de Janeiro, onde formou gerações de importantes instrumentistas, tais como Sérgio Abreu e os irmãos Sergio e Odair Assad.

divulgação / Ana Liao

Nelson Freire recebe título de doutor honoris causa da UFRJ Estrela maior da constelação de pianistas brasileiros, o mineiro Nelson Freire recebeu o título de doutor honoris causa da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em cerimônia ocorrida em 15 de setembro no Salão Leopoldo Miguez, Freire recebeu a honraria das mãos do diretor da instituição, André Cardoso, de Flora de Paoli (decana do Centro de Letras e Artes), Antônio Lêdo (vice-reitor), Myrian Dauelsberg (professora titular de piano) e Alexandre Rachid (chefe do Departamento de Instrumentos de Teclado e Percussão). Em seu discurso, o pianista se emocionou: “há anos ando pelo mundo. Mas é para cá que volto. A praia, o ar, as nuvens e os sabores desta cidade me alimentam como nenhuma outra”, disse. “O reconhecimento da maior instituição acadêmica de música do meu país, nessa cidade onde escolhi viver, me enche de alegria e profunda emoção.” Nelson Freire

8 Outubro 2011 CONCERTO

A maestrina Ligia Amadio dirigiu em setembro a abertura da temporada oficial 2011-12 da Orquestra Sinfônica de Jerusalém, em Israel, com obras de Ben-Haim, Guarnieri (o Concerto nº 2 com a pianista Sonia Rubinsky) e Tchaikovsky. Em seguida, Ligia voltou para a América do Sul para compromissos em Montevideo e Mendoza. O violonista Flávio Apro, que é também professor da Universidade Estadual do Maringá, acaba de voltar de uma turnê pela Alemanha, onde realizou recitais e master classes nas cidades de Munique, Würzburg e Reisbach. Durante a estada nesta cidade, Apro foi indicado representante oficial da Fundação Hermann Hauser, entidade ligada à família do famoso construtor de instrumentos. No ano que vem, o músico volta ao país para gravar um CD pela Wildner Records e irá lecionar no 41º Seminário Internacional de Violão de Reisbach, além de realizar outra turnê, passando por Munique, Landau, Giebelstadt e Wendelstein. Entre 16 e 22 de outubro, Música Barroca na Estrada, projeto itinerante de música clássica, com coro e orquestra, fará apresentações em cinco cidades brasileiras: Campo Grande, Cuiabá, Porto Velho, Cruzeiro do Sul e Manaus. Com repertório construído a partir de obras sacras de compositores brasileiros, o projeto conta também com palestras didáticas visando a alunos e professores da rede pública de ensino e escolas de música. Tanto os concertos como as palestras são gratuitos. A parte musical do Música Barroca na Estrada ficará a cargo do grupo Capela Del Rey, sob regência de Modesto Fonseca e com solos da soprano Katya Oliveira. As introduções didáticas serão realizadas pelo professor Juca Magalhães. (Consulte mais detalhes no Roteiro Musical Outras Cidades.)


Gostou do que viu? Encontre a Revista CONCERTO completa nas principais bancas do país. Ou acesse www.concerto.com.br

Revista CONCERTO.

A boa música mais perto de você.

GUIA MENSAL DE MÚSICA CLÁSSICA


CONCERTO#177