Issuu on Google+


Proporcionar uma brincadeira na educação infantil não significa deixar a criança fazer o que quer! Isto seria um abandono pedagógico .


www.cidadeviva.org

CIDADE VIVA

37


A

ndando pela cidade, não é difícil encontrar pessoas diferentes, afinal, cada uma delas tem a sua singularidade. Mas por dentro, um único desejo: ser feliz! E esse desejo também está presente dentro dos corações das crianças e adolescentes. Mas, e quando eles não têm mais este pensamento sobre a vida? E quando a solução para todo o sofrimento parece nunca chegar? Infelizmente, essa é uma realidade muito comum hoje em dia. Não é fácil observar os olhares vazios e o coração triste dessas crianças, vítimas de uma história de abandono, desprezo, agressões. E, no fundo, todas elas clamam por ajuda e por uma oportunidade de ser feliz, de ter direitos. Direito de ter uma família, de ser amada, de viver em comunidade. Por essa razão, em setembro de 2009, através de um compartilhar de sonhos, decidimos que poderíamos fazer mais. Sabíamos que a mudança não seria fácil, mas não podíamos deixar as coisas como estavam. Nossos corações choravam junto com essas crianças e compartilhávamos da sua dor. Sabíamos que a mudança não seria fácil, mas temos um Deus que pode fazer grandes coisas através de nós. E assim nasceu o Ministério Criança Viva. O Criança Viva surge dentro dessa conjuntura de contradição, com o intuito de unir esforços na promoção da convivência familiar e comunitária, através de muitos voluntários que atuam nos quatro bra-


LIVRE



Revista Cidade Viva 4 edição