Page 1

Revista

INFORMATIVO DA PARÓQUIA SANTA RITA DE CÁSSIA INFORMATIVO DA PARÓQUIA SANTA RITA DE CÁSSIA

Edição de Junho de 2014 - Ano VI - Nº 91- Sorocaba - SP

“Enquanto comiam, Jesus tomou um pão e, tendo abençoado, partiu-o, distribuindo aos discípulos, e disse: Tomai e comei, isto é o meu Corpo.” (Mt 26,26)


<editorial> Por Pe Manoel Júnior

ARQUIDIOCESE DE SOROCABA: 90 ANOS À SERVIÇO DA VIDA E DA ESPERANÇA Próxima à solenidade dos apóstolos Pedro e Paulo, duas colunas da Igreja, no dia 04 de julho de 1924, foi criada a Diocese de Sorocaba pela bula UBI PRAESULES, do Papa Pio XI, ocasião em que foi desmembrada da Diocese de Botucatu. No dia 29 de abril de 1992 foi elevada a Arquidiocese pela bula BRASILIENSIS FIDELIS, do Papa João Paulo II, sendo suas dioceses sufragâneas: Jundiaí, Itapeva, Registro e Itapetininga. Desde sua criação, governaram a Igreja de Cristo, em Sorocaba, quatro Bispos: Dom José Carlos de Aguirre (1º Bispo: 1924-1973), Dom José Melhado Campos (2º Bispo: 1973/1981) e Dom José Lambert (3º Bispo e 1º Arcebispo: 1981-2005) e, atualmente, Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues (2º Arcebispo: desde 2005). Nesses 90 anos de História, quantas graças alcançamos: a construção e instalação dos nossos seminários; a construção do Centro Arquidiocesano de Pastoral para formação e capacitação dos agentes de pastoral; a instalação do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano; a criação do Instituto de Teologia João Paulo II e do Curso Livre de Formação Teológica e Pastoral; as coordenações das pastorais em nível arquidiocesano; o surgimento de tantas novas pastorais, movimentos e associações respondendo às necessidades de cada época, tais como: Pastoral da Criança, Pastoral do Menor, Pastoral da Pessoa Idosa... Agradecemos a Deus por tanto homens e mulheres, entre os quais, bispos, sacerdotes, diáconos, religiosos (as), leigos (as) que atendendo ao mandato de Cristo, doaramse e continuando se doando à serviço do Evangelho nesta Igreja particular. Sabemos

que temos um longo caminho a percorrer. O mandato de Cristo continua a ressoar em nossos ouvidos: “Ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e, ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo” (Mt 28,1-20). Supliquemos, a cada dia, à Nossa Senhora da Ponte, padroeira de nossa Arquidiocese, que interceda por cada um de nós junto a seu Filho Jesus a fim que possamos seguir o seu exemplo de discípula e missionária a serviço da vida e da esperança. O dia do aniversário dos 90 anos da (Arqui) Diocese é sexta-feira, 04 de julho de 2014 e, por sua importância, será celebrado solenemente na Catedral Metropolitana, no domingo subsequente, dia 06 de julho às 10h00. Após teremos uma almoço festivo no Ipanema Clube com o buffet Ancona. Os convites para o almoço estão à disposição para serem adquiridos na secretaria paroquial de nossa paróquia, com o Agnaldo e Nádia ou comigo mesmo. O custo do convite é R$ 75,00 por pessoa com a bebida inclusa. É um momento marcante de nossa arquidiocese onde se reunirá os fiéis com seu clero em torno de seu arcebispo, D. Eduardo. É nossa Igreja de Sorocaba em festa! A festa é nossa! Participe!!!

Expediente - Informativo Chuva de Rosas – Uma publicação mensal da Paróquia Santa Rita de Cássia - Pároco: Manoel Cesar de Camargo Júnior Coordenadora da Pastoral da Comunicação: Deisi Leslei Jacinto - Coordenação Editorial: Deisi Leslei Jacinto, Flávia Sancho MTB: 48.829 - Contato Comercial: João Henrique Machado - Diagramação e Artes: Luciano Leal - Impressão: Gráfica e Editora Paratodos - Tiragem: 1.500 exemplares - Jornalista Responsável: Flávia Sancho. Site: www.paroquiasantarita.com.br - pascom@paroquiasantarita.com.br - Rua Bartolomeu de Gusmão, 311 - Tel: 15 3231-3304 / 3232-2300

2 | Chuva de Rosas - Junho de 2014


<evangelizando> Por Elza Lara

Milagre Eucarístico de Lanciano

Na antiga cidade de Lanciano na Itália conserva nos últimos doze séculos o primeiro e maior Milagre Eucarístico da Igreja Católica. Esse Prodígio aconteceu no oitavo século de nossa era, por causa da dúvida de um Monge basiliano sobre a presença Real de Jesus na Eucaristia. Certa manhã, celebrando a Santa Missa, mais do que nunca atormentado pela sua dúvida, após proferir as palavras da Consagração, ele viu a hóstia converter-se em Carne viva e o vinho em Sangue vivo. Sentiu-se confuso e dominado pelo temor, diante de tão espantoso milagre, permanecendo longo tempo transportado a um êxtase verdadeiramente sobrenatural. Até que, em meio a transbordante alegria, o rosto banhado em lágrimas, voltou-se para as pessoas presentes e disse: “Ó bem-aventuradas testemunhas diante de quem, para confundir a minha incredulidade, o Santo Deus quis desvendar-se neste Santíssimo Sacramento e tornar-se visível aos vossos olhos. Vinde, irmãos, e admirai o nosso Deus que se aproximou de nós. Eis aqui a Carne e o Sangue do nosso Cristo muito amado!” A estas palavras as testemunhas se precipitaram para o altar e começaram também a chorar e pedir misericórdia. Logo a notícia se espalhou por toda a pequena cidade, transformando o Monge num novo Tomé. A Hóstia-Carne, como hoje se observa muito bem, tem o tamanho da hóstia grande atualmente em uso na Igreja Latina. É ligeiramente escura e quando olhada contra a luz adquire um colorido róseo. O Sangue está coagulado em cinco glóbulos irregulares e diferentes um do outro em sua forma e tamanho tem cor de terra tendente ao ocre. Desde 1713 a Carne está conservada num artístico

Ostensório de Prata, finamente cinzelado, estilo napolitano. O Sangue está contido numa rica e antiga ampola de cristal de rocha. Aos vários reconhecimentos eclesiásticos, feitos em fins de 1574, seguem-se em 1970-1971 - e retomados em 1981 - os reconhecimentos científicos, executados pelo prof. Edoardo Luioli (livre docente em Anatomia e Istologia Patológica e em Química e Microscopia Clínica), coadjuvado pelo prof. Ruggero Berteli da (Universidade de Siena). As análises, procedidas com absoluto rigor científico e documental de uma série de fotografias ao microscópio, deram estes resultados: • A Carne é carne verdadeira. O Sangue é sangue verdadeiro. A Carne e o Sangue pertencem a espécie humana. A Carne pertence ao Coração em sua estrutura essencial. Na Carne estão presentes, em secções, o miocárdio, o endocárdio, o nervo vago e, pela expressiva espessura do miocárdio, o ventrículo cardíaco esquerdo. • A Carne e o Sangue pertencem ao mesmo grupo sanguíneo AB (mesmo tipo sangüíneo encontrado na análise do Santo Sudário de Turim). No Sangue foram encontradas as proteínas normalmente existentes e nas proporções percentuais idênticas às encontradas no sangue normal fresco. No Sangue foram encontrados também os minerais cloro, fósforo, magnésio, potássio, sódio e cálcio. A conservação da Carne e do Sangue miraculosos, deixados em estado natural durante doze séculos e expostos aos agentes físicos, atmosféricos e biológicos constitui um Fenômeno Extraordinário. Outro detalhe inexplicável: pesando-se as pedrinhas de sangue coagulado (e todos são de tamanhos diferentes) cada uma delas tem exatamente o mesmo peso das cinco pedrinhas juntas! Deus parece brincar com o peso normal dos objetos. E antes mesmo de redigirem o documento sobre o resultado das pesquisas, realizadas em Arezzo, os Doutores Linoli e Bertelli enviaram aos Frades um telegrama nos seguintes termos: “Et Verbum caro factum est” = “E o Verbo se fez Carne!” Concluindo, pode-se dizer que a Ciência, chamada a manifestar-se, deu uma resposta segura e definitiva a respeito da autenticidade do Milagre Eucarístico de Lanciano.

lEITURA Junho 2013

01/jun 02/jun 03/jun 04/jun 05/jun 06/jun 07/jun 08/jun 09/jun 10/jun 11/jun 12/jun 13/jun 14/jun 15/jun 16/jun 17/jun 18/jun 19/jun 20/jun 21/jun 22/jun 23/jun 24/jun 25/jun 26/jun 27/jun 28/jun 29/jun 30/jun

Mt 28,16-20 Jo 16,29-33 Jo 17,1-11 Jo 17,11b-19 Jo 17,20-26 Jo 21,15-19 Jo 21,20-25 Jo 20,19-23 Mt 5,1-12 Mt 5,13-16 Mt 10,7-13 Mt 5,20-26 Mt 5,27-32 Mt 5,33-37 Jo 3,16-18 Mt 5,38-42 Mt 5,43-48 Mt 6,1-6.16-18 Jo 6,51-58 Mt 6,19-23 Mt 6,24-34 Mt 10,26-33 Mt 7,1-5 Lc 1,57-66.80 Mt 7,15-20 Mt 7,21-29 Mt 11,25-30 Lc 2,41-51 Mt 16,13-19 Mt 8,18-22

Você gostaria de usar o espaço da Revista Chuva de Rosas para uma homenagem?

Entre em contato conosco! pascom@paroquiasantarita.com.br

Chuva de Rosas - Junho de 2014 | 3


<dízimo> Por Humberto e Dirce

Se todos derem o dízimo, será que não vai sobrar dinheiro na igreja? Vai sobrar se a paróquia não cumprir seu dever de evangelizar, catequizar e atender os pobres. A Igreja nunca terá o dinheiro de que necessita para atender todas as suas necessidades. A oferta dizimal que o fiel faz mensalmente à sua comunidade forma a base de sustentação financeira da vida comunitária e da expansão do Evangelho. Podemos supor que, se nossos fiéis católicos fizessem a oferta do Dízimo real à sua comunidade, se as comunidades dessem o Dízimo de suas receitas às paróquias, se as paróquias contribuíssem com o Dízimo de suas entradas para a diocese – que é, desde o Novo Testamento, conforme a teologia do Concílio Vaticano II, a porção do Povo de Deus em que se realiza toda a Igreja de Jesus Cristo – podemos supor, então, que nossas dioceses teriam condições de investir em muitos projetos modernos e ousados de evangelização: compra de rádios e canais de televisão, aquisição de terrenos e construção de templos em áreas de população crescente, envio de missionários para regiões carentes de recursos humanos e financeiros, cursos de formação de lideranças, etc. Quando, porém, o Dízimo é retido no bolso do fiel ou no caixa da comunidade ou da paróquia, e não passa adiante, fechase o canal de comunicação entre Deus providente e a obra da evangelização, e a Palavra de Deus deixa de ser anunciada.

O que é feito com o dinheiro do dízimo? O dinheiro do dízimo, que nós levamos à igreja vai para as seguintes finalidades: a) Religiosa – Manutenção da igreja, água, luz, telefone, funcionários, folhetos de missa, livros, toalhas, velas, material de escritório e secretaria, hóstias, vinho, ajuda às pastorais, etc b) Social – Auxilio aos pobres e aos doentes, promoção humana, apoio à pastoral da criança, pastoral do menor, etc. O bem que é feito com o dinheiro do dízimo é como se fora feito ao próprio Jesus. “Tive fome e me destes de comer”. (Mt 25, 35a). c) Missionária – Formação de lideranças, formação de catequistas, 4 | Chuva de Rosas - Junho de 2014

ajuda ao seminário, parcela mensal para arquidiocese de acordo com o porte da paróquia, missões populares, etc. Assim devolver o dízimo é também contribuir com a evangelização na paróquia.

FUNDAMENTAÇÃO BIBLICA A construção do tabernáculo (Ex 35,1-29); Moisés convocou toda a assembleia de Israel e disse-lhes: “Eis o que o Senhor ordenou: Trabalharás durante seis dias, mas o sétimo será um dia de descanso completo consagrado ao Senhor. Todo o que trabalhar nesse dia será morto. Não acendereis fogo em nenhuma de vossas casas nesse dia”. Moisés disse a toda a assembléia dos israelistas: “Eis o que o senhor ordenou: Separai entre vós uma oferta para o Senhor. Todo homem de coração reto trará esta oferta ao Senhor; ouro, prata, bronze, púrpura violeta e escarlate carmesim, linho fino, pele de cabra, peles de carneiro tingidas de vermelho, peles de golfinho, madeira de acácia, óleo para o candelabro, aromas para o óleo de unção e para o incenso odorífero, pedras de ônix e pedras de engaste para o efod e o peitoral. Venham todos aqueles que dentre vós que são hábeis, e executem tudo o que o Senhor ordenou; o tabernáculo, sua tenda,sua coberta, suas argolas, suas tábuas,suas travessas, suas colunas e seus pedestais; a arca e seus varais; a tampa e o véu de separação; a mesa com seus varais, todos os seus utensílios e os pães

de proposição; o candelabro e seus acessórios, suas lâmpadas e o óleo para a iluminação, o altar dos perfumes e seus varais; o óleo para a unção e o perfume para as incensações; o véu para a porta de entrada do tabernáculo; o altar dos holocaustos, sua grelha de bronze, seus varais e todos os seus acessórios; a bacia com seu pedestal; as cortinas do átrio, suas colunas, seus pedestais e a cortina da porta do átrio; as estacas do tabernáculo , as estacas do átrio com suas cordas; as vestes litúrgicas para o serviço do santuário, os ornamentos sagrados do sumo sacerdote Aarão, e as vestes de seus filhos para as funções sacerdotais.” Toda a assembléia dos israelitas retirouse diante de Moisés. E então todas as pessoas de boa vontade e de coração generoso vieram trazer as suas ofertas ao Senhor, para a construção da tenda da reunião, para o seu culto e para a confecção dos ornamentos sagrados. Homens e mulheres, todos aqueles que tinham o coração generoso trouxeram brincos, arrecadas, anéis, colares, joias de ouro de toda espécie cada um apresentando a oferta de ouro que dedicava ao Senhor. Todos os que tinham em sua casa púrpura violeta e escarlate, carmesin, linho fino, pele de cabra, peles de carneiro tintas de vermelho e peles de golfinho, os trouxeram. Todos os que puderam apresentar uma contribuição em prata ou bronze, trouxeram-na ao Senhor. Todos os que tinham em sua casa madeira de acácia útil ao serviço do culto, a trouxeram. Todas as mulheres habilidosas fiaram com as suas próprias mãos e trouxeram seu trabalho: púrpura violeta e escarlate, carmesin e linho fino. Todas as mulheres habilidosas que tinham o gosto de fiar os pelos de cabra fizeram-no. Os chefes do povo trouxeram pedras de ônix e outras pedras de engaste para o efod e o peitoral; aromas e óleo para o candelabro, óleo de unção e incenso perfumado. Todos os israelitas, homens ou mulheres, impelidos pelo seu coração a contribuir para alguma das obras que o Senhor tinha ordenado pela boca de Moisés, trouxeram espontaneamente suas ofertas ao Senhor. Continua na próxima edição


<aconteceu>

novena e festa de santa rita A Festa de Santa Rita de Cássia é uma das maiores e mais tradicionais comemorações da cidade. Foram nove dias de intensas orações de súplicas e agradecimentos pela intercessão da Santa. Cerca de 3500 pessoas participaram da Benção das Rosas que foi celebrado ao meio dia do dia 22 de Maio. No início da noite fieis caminharam pelas ruas do Bairro de Vila Santana por ocasião da procissão em honra a padroeira. Confira cobertura especial:

bênção das rosas dia de santa rita Chuva de Rosas - Junho de 2014 | 5


2º Dia da novena

Fotos: José Juarez de Sousa

1º Dia da novena

<aconteceu>

Fotógrafo José Juarez • Eventos • Batizados • Casamentos • Aniversários • Jantar Dançante • Eventos esportivos

Cel: 98143 9848 (TIM) 99612 1607 (VIVO) jose_2014ju@hotmail.com josejuarezde.sousa 6 | Chuva de Rosas - Junho de 2014

As fotos da Novena de Santa Rita estão disponíveis em DVD. Entre em contato.

Precisando de ajuda com seus impressos?

<BrainStorming7> Web & Design Criativo

< 99 174 15 25 >

Mais de de 16 anos na ncia experiê ca! fi área grá

<Arte Final> <Diagramação> <Web Design>

www.brainstorming7.com

Obs: Nós fazemos a diagramação da Revista Chuva de Rosas


<aconteceu>

Fotos: José Juarez de Sousa

3º Dia da novena 4º Dia da novena

Horti Fruti 2 Irmãos (15) 3217.6233 Chuva de Rosas - Junho de 2014 | 7


6º Dia da novena

Fotos: José Juarez de Sousa

5º Dia da novena

<aconteceu>

• TERRAPLENAGEM • DEMOLIÇÃO • ATERRO • ESCAVAÇÃO • LIMPEZA DE OBRA • QUEBRA DE CONCRETO E ROCHA • LOCAÇÃO DE MÁQUINAS

(15) 3231-7602 (15) 7834-3541 ID 129*8262 zanettiterraplenagem@ig.com.br 8 | Chuva de Rosas - Junho de 2014


<aconteceu>

Fotos: José Juarez de Sousa

7º Dia da novena 8º Dia da novena

OROPEÇAS

Contatos: Fone: (15) 3211.3103 AUTO MOTO PEÇAS ID: 235*999 / 114*91238 www.soropecas.com.br soropecas@hotmail.com Av. Arthur Bernardes, 1039 - Jd. Maria do Carmo

SERVIÇOS

AUTOMOTIVOS

R. Ubirajara, 55 • Jardim Leocádia Tel: (15) 3232-1444 Chuva de Rosas - Junho de 2014 | 9


jantar dançante

Fotos: José Juarez de Sousa

9º Dia da novena <aconteceu>

10 | Chuva de Rosas - Junho de 2014


<perfil do paroquiano> Por Flávia Sancho

Amor a igreja, família e vida Neste mês de junho, em que comemoramos o dia de Santo Antônio, Antonio Edson Corrêa é o perfil do paroquiano da edição Nascido em Sorocaba, no dia 17 de maio de 1957, Antonio Edson viveu uma infância simples, mas de grande intensidade ao lado dos pais Benedito Corrêa e Aparecida Antonia Muraro Corrêa (ambos in memoriam) e da irmã Vilma e Celso Luiz, seu irmão gêmeo. “Fui batizado e crismado na Igreja da Catedral, e minha primeira eucaristia realizei na Igreja Santa Rosália. Aos domingos, minha mãe sempre me levava às missas. Lembro-me com muito carinho dessa fase” Antonio Edson começou a trabalhar aos 14 anos. “Meus pais fizeram questão de nos ensinar logo cedo o valor do trabalho. Essa foi uma época muito especial, em que trabalhava, mas também me divertia muito indo ao cinema e jogando bola no Sesi com os amigos e meu irmão Celso, que sempre foi meu grande amigo e companheiro”. Em relação aos estudos, Antonio Edson sempre foi muito dedicado. “Na minha época tínhamos que trocar de escola a cada etapa. Por isso, estudei no Matheus Mailasky, na escola Estadual Antonio Miguel Pereira Junior, na OSE, onde cursei técnico em Contabilidade, e na atual UNISO, graduandome em Administração de Empresas. Hoje, me dedico a estudos pessoais sobre relacionamento humano, economia, filosofia e também faço dança de salão”. Antonio Edson é devoto de Nossa Senhora Aparecida. “Tenho uma fé muito grande e não me afasto da igreja e das missas por nada”. Quando estudava na OSE, ele conheceu Maria de Fátima. “Eu cursava técnico em contabilidade e ela em secretariado. Em pouco tempo, ela se tornou a minha primeira namorada, depois

minha noiva e no dia 16 de abril de 1982 nos casamos na Igreja de São Carlos Barromeu, no seminário, local onde eram realizados os casamentos nessa época. Nosso namoro foi muito bonito, logo no começo já descobrimos que iríamos nos casar e passamos a planejar o nosso casamento. E assim Deus o quis, e estamos juntos até hoje”. Quando se casaram, Antonio Edson trabalhava em São Paulo, na Editora Abril. “Eu ia e voltava todos os dias. Posso definir o começo do nosso casamento como felizes, pois foi maravilhoso. Após um ano de casados, Fatima ficou grávida de nossa filha Juliana, e após cinco anos nasceu o nosso filho Vitor, para completar a nossa família. Com o casamento pude praticar o que sempre aprendi com meus pais, como ser honesto, trabalhador e consciente das minhas obrigações para com a sociedade. Com o nascimento da Juliana, mudei a minha vida. Comecei a trabalhar mais próximo para conseguir acompanhar o dia a dia dos meus filhos e de minha esposa. Sem dúvidas me tornei uma pessoa mais família e hoje me considero um homem discreto e voltado para o ambiente familiar”. Antonio Edson sempre trabalhou na área administrativa. “Eu me especializei na área de Gestão Financeira, que foi sempre o que eu quis. Hoje, trabalho em nosso próprio negócio, na Hidráulica Santa Inês, empresa voltada para o ramo de materiais hidráulicos”. “Deus é a nossa esperança de vida e de que tudo pode dar certo. Basta acreditar, e eu acredito! Participar da Igreja é um momento mágico e importante em nossas vidas, que recomendo a todos. No início do casamento, nós frequentávamos a

Catedral, mas logo começamos a participar na Igreja Santa Rita, que fica bem próxima da nossa casa. Em 1994, nossa filha Juliana fazia catequese, e a sua catequista nos convidou para participar do Encontro de Casais com Cristo – ECC – do ano, que tinha como tema Família, Templo de Deus. Isso aconteceu há vinte anos e foi o marco da nossa participação efetiva na igreja. Nós participamos de todas as etapas, fomos Dirigentes, Festeiros, Ministros da Eucaristia, participamos de vários eventos, enfim, fizemos de tudo um pouco, até receber o convite do Padre Tadeu, pároco no momento, e do saudoso Diácono Oswaldo Bistão (in menoriam) para participar da Pastoral do Batismo, onde estamos até hoje ajudando a evangelizar pais e padrinhos”. Antonio Edson não tem nenhum sonho em especial, mas enfatiza que deseja ter uma velhice tranquila ao lado da esposa, filhos e amigos. “Vale a pena ser católico e acreditar em uma espiritualidade melhor. Vale a pena viver, apesar das diferenças que a vida possa nos apontar. Tudo o que precisamos é ser simples, ser como somos, sem medo de aparências, naturalmente nós mesmos.” Para finalizar, Antonio Edson deixa a todos os leitores do Chuva de Rosas uma mensagem de fé e esperança. “Hoje vivemos em um tempo mais construído, nos costumes modernos, onde para os que não crêem o bastante, a morte os separa da vida. Mas a vida eterna existe e está a nossa frente, e essa é uma certeza que todos nos devemos esperar. É preciso que sejamos aprendizes de Jesus Cristo, nos convertendo a cada dia, com mais vigor e esperança, em dias que, sem dúvida, serão melhores.” Chuva de Rosas - Junho de 2014 | 11


<atualidades> Por Maria Luiza Marins Holtz

O IMIGRANTE Quem é o Imigrante?

É a pessoa que decide mudar-se, com ou sem a sua família, para outro país que não é o da sua origem, com a intenção declarada de fixar residência e trabalhar.

Mas por que o Imigrante toma essa decisão?

1º. Por motivos muito pessoais... Em busca de melhores condições de vida e de trabalho, para fugir de perseguições ou discriminações religiosas ou políticas (guerras, revoluções...), de catástrofes naturais, (terremotos, tsunamis, enchentes, erupções vulcânicas ...). 2º. O grande interesse pelos incentivos que diversos governos oferecem - como o do Brasil - para atrair Imigrantes que queiram mudar para seus países, com vários objetivos... De aumentar a quantidade de mão de obra, simples ou qualificada... De ocupar, povoar e colonizar áreas vazias no seu território... De trocar experiências tecnológicas... De aumentar a qualificação da sua população... De evitar o seu desaparecimento pela diminuição de nascimentos...

O Imigrante exerce influência na vida e no povo do novo país?

O Imigrante passa a fazer parte integrante da população do novo país exercendo grande influência na sua cultura, nos usos e

12 | Chuva Chuvade deRosas Rosas--Junho Junhode de2014 2013

costumes, na economia, na formação da raça, na sua língua, no seu progresso... Foi o que aconteceu aqui no Brasil, nas suas regiões mais ricas, Sudeste e Sul, aonde Imigrantes vieram, desde 1530 incentivados pelos governos do Brasil, para povoar, colonizar e desenvolver atividades agropecuárias, trabalhar nas minas de ouro, no comércio, criar pequenas indústrias... Os Imigrantes - portugueses na sua maioria - italianos, alemães, espanhóis, franceses, holandeses, ingleses, judeus, japoneses, libaneses, coreanos, suíços... Formaram colônias no Sul e Sudeste que se tornaram grandes e prósperas cidades. Nessas colônias ficaram conhecidas novas técnicas de agricultura, pecuária e horticultura, técnicas de mineração, técnicas de conservação de alimentos, novos hábitos alimentares e culinários, habilidades comerciais, iniciativas industriais a partir do artesanato... E com a dificuldade de conseguir dos indígenas a fixação no trabalho, (pois eram nômades), houve necessidade da imigração de grande número de africanos, no inicio como escravos, para desenvolver o trabalho nas lavouras, nas minerações, nas zonas urbanas... Na nova vida aqui no Brasil (como em qualquer país) para poderem conviver e progredir, os Imigrantes foram obrigados a assimilar a cultura, os usos e costumes dos habitantes daqui, os indígenas, e

Dia 25 de Junho é o Dia do Imigrante. estes também assimilarem a cultura dos Imigrantes. Assim aconteceu com os hábitos dos indígenas de tomar banho (de rio) diariamente, de comer mandioca nas refeições, de usar cestos na lida diária, de usar palavras indígenas sobre plantas nativas, do tipo de práticas religiosas que os Imigrantes não conheciam... Também os indígenas passaram a assimilar hábitos de consumir verduras e legumes na alimentação, ao usar palavras dos idiomas dos Imigrantes, de usar vestimentas multicoloridas como os africanos... Formando assim a mestiçagem da população brasileira com a nítida influência forte dos valores portugueses, básicos da cultura brasileira.

CURIOSIDADES - Até 2012 foram registrados no Brasil, Imigrantes de 227 países do mundo, desde a China até da própria America Latina, convivendo harmoniosamente com o hospitaleiro povo brasileiro... Sem contar com os clandestinos. O imigrante não é... Um nômade que se desloca sem fixar residência... Não é um escravo, um banido, deportado ou exilado que é obrigado pelas autoridades a abandonar o seu país de origem... Não é um refugiado que se desloca temporariamente do seu país até que as tragédias cessem... Não é um expatriado que é transferido por uma empresa para trabalhar em outro país. Dia 25 de Junho... Viva aos Imigrantes nossos antepassados!


<pausa para reflexão> Por Sueli Ortega

Um coração de ouro Tudo ia muito bem quando o inspetor de alunos entrou na minha sala. Pediu licença e foi falar com Dona Cecília, minha professora. Ele apontou para mim e para a flor no copo. Depois saiu. A professora olhou para mim com tristeza. Quando terminou a aula, me chamou. - Quero falar uma coisa com você, Zezé. Nosso inspetor de alunos me contou uma coisa feia de você, Zezé. É verdade? Balancei a cabeça afirmando: - Da flor? É sim senhora. Levanto mais cedo e passo na casa do Serginho, eu entro depressa e roubo uma flor. Mas lá tem tantas que nem faz falta. - Sim, mas isso não é direito. Você não deve fazer mais isso. Isso também não é um roubo, mas já é um pequeno furto. - Não é não, Dona Cecília, O mundo não é de Deus? Tudo que tem no mundo não é de Deus? Então as flores são de Deus também. Só assim que eu podia professora. Lá em casa não tem jardim. Flor custa dinheiro e eu não queria que a mesa da senhora ficasse sempre de copo vazio. Ela engoliu seco. - De vez em quando a senhora me dá dinheiro pra comprar um sonho recheado. <cantinho da criança>

- Poderia lhe dar todos os dias, mas você some - Eu não poderia aceitar todos os dias. - Por que? - Porque tem outros meninos pobres que também não trazem merenda. Ela tirou o lenço da bolsa e passou disfarçadamente nos olhos. - A senhora não vê a Corujinha? - Quem é Corujinha?

- Aquela moreninha do meu tamanho, que a mãe dela enrola o cabelo dela em coquinhos. - Sei a Dorotéia. - É sim senhora. As outras meninas não gostam de brincar com ela porque é pobre demais, então ela fica no canto, sempre sozinha. Eu divido o sonho que a senhora me dá com ela. A senhora de vez em quando, em vez de dar para mim, poderia dar para ela. A mãe dela lava roupa para fora e tem 11 filhos pequenos, e eu divido meu sonho com ela, porque minha mãe ensinou que a gente deve dividir a pobreza da gente com que é ainda mais pobre. A professora pegou as mãos de Zezé e lhe disse: - Você tem um coração maravilhoso. De agora em diante não quero que você me traga mais flores. Só se você ganhar alguma. Promete? - Prometo sim senhora. E o copo? Vai ficar vazio? - Nunca esse copo vai ficar vazio. Quando eu olhar para ele vou sempre enxergar a flor mais linda do mundo. E vou pensar: Quem me deu essa flor foi o meu melhor aluno. Está bem? Agora pode ir. Para Refletir! “Se houver em teu meio um necessitado não endureças o coração, nem feches a mão para o irmão pobre. “(Dt 15,7). Lembre-se: “Não existe grandeza quando a simplicidade, a bondade e a verdade estão ausentes”

Leia o texto abaixo e encontre as palavras em negrito:

Jesus instituiu (criou) a Eucaristia na Quinta feira Santa. Mas, nós não podemos comemorar a festa do Corpo de Cristo nesse dia, porque estamos tristes relembrando a Paixão e Morte de Jesus. Por isso, a Igreja reservou a quinta-feira após o primeiro domingo de Pentecostes, para a solenidade da festa do Corpus Christi. A Eucaristia acontece na Missa, na hora da Consagração. A Hóstia se torna o Corpo de Cristo. A consagração se dá quando o Padre diz: “Na verdade, ó Pai, Vós sois fonte de toda Santidade, Santificai estas oferendas (o pão e o vinho), derramando sobre elas o vosso Espírito Santo, a fim de que se tornem para nós o Corpo e Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso”. Nesse momento, o pão se torna o corpo de Cristo e o vinho, o seu sangue. O Corpus Christi é uma das comemorações mais alegres do povo. Ela nos lembra o grande dom e Deus que é Eucaristia e que, nela, Jesus está vivo no meio de nós. Por isso, nós enfeitamos as ruas, para honrar Jesus que na Hóstia Consagrada está vivo no meio de nós, ao alcance de nossos corações.

H E S A N T I F I C A I U H B

E S Y H O R Ç H P O F R J Y N

P P H F P S V O J M Q B N V C

E I U C A R I S T O A V P I O

N R G O D S N T Q R S C A V R

T I I M R E H I W T X F I O P

E T O E E T O A S E D R X E O

C O P M M U J H Y G T F Ã D D

O S C O N S A G R A Ç Ã O V E

S A O R E U C A R I S T I A C

T N Y A H H J K L Ç P O I V R

E T T Ç D S A Q W E R T Y O I

W O P Õ O G D H K P Ã O I M S

C E M E R T E D E J E S U S T

X S E S Q A Z S X D C N V B O

S E C O R P U S C H R I S T I

Chuva de Rosas - Junho de 2014 | 13


<agenda>

Dia: 1, 2 e 3 Setembro

Festa de Santo Antônio De 1 a 13 de junho ás 19h

Mais informações na secretaria da paróquia: 3232-2300

Santo Antônio Missionário Fiel a Deus e a Igreja Procissão e Missa em honra a Santo Antônio dia 13. Haverá venda de Pastel e artigos religiosos nos dias 06, 07, 08 e 13.

Comunidade de Santa Edwiges Missa aos Domingos ás 8h30 Missa em honra a Sta Edwiges todos os dias 16 às 19h30.

SAGRADO CORAÇÃO Dia 27/06 às 19h Participe da missa em honra ao Sagrado Coração de Jesus. Na oportunidade membros do Apostolado da Oração irão fazer a troca de fita.

Mãe Rainha Dia 18 às19h missa em honra a Mãe Rainha

Venha rezar o Santo Rosário conosco Todas as quintas às 14h30. ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL TODAS ÀS QUARTAS-FEIRAS DAS 8H ÁS 12H

Atendimento aos sábados até às 12h

14 | Chuva de Rosas - Junho de 2014


<santo do mês> Por Carolina P. Querino

11 DE JUNHO

SÃO BARNABÉ Barnabé não fez parte dos primeiros doze apóstolos escolhidos por Jesus. Mas acompanhou o Senhor e os apóstolos naqueles primeiros dias. Quando assistiu a um milagre realizado por Jesus Cristo, que diante de seus olhos curou um paralítico, aquele bondoso judeu resolveu pedir admissão entre seus discípulos. Aceito, vendeu um campo de plantações que possuía para doar seu dinheiro aos apóstolos, como conta Lucas nos Atos. Assim era Barnabé, homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé, segundo narram as Sagradas Escrituras. Ele era da tribo de Levi e veio ao mundo na ilha de Chipre. Foi ali que estudou, na companhia de Paulo, com o célebre mestre Gamaliel, com quem aprendeu a firmeza de caráter, as ciências e as virtudes. Chamava-se José e, quando foi admitido entre os apóstolos, recebeu o nome de Barnabé, que significa “filho da consolação”, devido ao seu maravilhoso dom de acalmar e de consolar os aflitos. No quarto capítulo do Ato dos Apóstolos, Barnabé também é chamado de o “filho da exortação”. Foi pelas mãos de Barnabé que Paulo de Tarso, o terrível perseguidor dos

cristãos, ingressou nos círculos judeocristãos, sendo apresentado a Pedro, Tiago e aos fiéis de Jerusalém depois de sua conversão. Barnabé também o acompanhou em sua primeira viagem apostólica e foram parceiros na grande

obra de conversão realizada em Antioquia, onde estabeleceram e firmaram a primeira comunidade a chamar de cristãos aos fiéis seguidores de Cristo. Depois, aos dois se juntou João Marcos, e viajaram por Salamina, Patos, Chipre, Panfília, Pisídia, Icônio e Listra, pregando e realizando milagres como testemunho da presença do Espírito Santo. Todo esse trabalho foi reconhecido pelo Concílio de Jerusalém, bem como o trabalho que realizou depois de passar a pregar separado de João Marcos e de Paulo, deste último por decisão pessoal, após uma divergência. Barnabé estava em Chipre quando foi martirizado no ano 61. Segundo uma antiga tradição, Barnabé pregava na sinagoga da Salamina quando foi interrompido por uma multidão de judeus fanáticos. O apóstolo foi seqüestrado, levado para fora da cidade e apedrejado. Entretanto existe uma outra, tão antiga quanto esta, que narra Barnabé pregando em Alexandria e em Roma, e que diz, ainda, que teria sido consagrado o primeiro bispo de Milão, cidade que o tem como seu padroeiro até hoje.´

Oração de São Barnabé Ó Deus, que designastes São Barnabé, cheio de fé e do Espírito Santo, para converter as nações, fazei que a vossa Igreja anuncie por palavras e atos o Evangelho de Cristo que ele proclamou intrepidamente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Hidráulica Santa Inês A LOJA ESPECIALIZADA EM HIDRÁULICA PRODUTOS TIGRE - DECA - ELUMA

AULAS DE BALLET E KARATE na Paroquia Santa Rita

Sexta-feira 9h00 as 11h00 14h30 as 16h00 Informações: 15

3227-3932

secretaria_patriciatoledo@hotmail.com

Frios - Queijos finos Produtos para festas - Bebidas Frangos e muito mais FRIOS FATIADOS COM OS MELHORES PREÇOS DA REGIÃO Fone: (15) 3231-9849

Av. Dr. Artur Bernardes, 420 - Vila Progresso

Deca METAIS E REGISTROS

Tubos de cobre

R. HERMELINO MATARAZZO, 148 15-3232-6700 hidraines@uol.com.br

Chuva de Rosas - Junho de 2014 | 15


<motivação> Por Luis Marins

O Cristão e a Política É grande a discussão atual que traz como tema o envolvimento da religião na política e vice-versa. Muitas são as correntes que advogam a total separação entre religião e política. Muitos são os leigos que abominam a política. Têm-na como coisa imunda, mundana, corroída, sem-salvação, etc. Vamos, porém, nos deter um pouco mais neste tema, tão atual no Brasil que terá eleições presidenciais em outubro deste ano. Como diz Sully Alves de Souza “O homem vivendo em grupos, com vocação comunitária, em contraposição ao homem isolado, o ermitão, não pode dispensar o elemento de direção que se chama governo. As poucas experiências anárquicas de que se tem conhecimento não convenceram sobre a possibilidade da dispensa de uma pessoa ou de um colegiado que - tanto quanto o permita o sistema - dirija a comunidade para os fins desejados segundo os processos mais aconselháveis”. Assim, há que se compatibilizar todos os interesses individuais com as necessidades coletivas do grupo com toda a sua complexidade e diversidade. Assim, há a necessidade de “uma organização capaz não só de apreender as aspirações da comunidade como de dirigi-la”. Assim, surge a necessidade de escolha dos cidadãos ou do cidadão que irá, em nome de sua comunidade, gerir os recursos de todos. Surgem, então, os chamados processos eleitorais. Portanto, a Política, antes de ser algo feio a ser evitado é, se entendida como deve ser, de participação quase compulsória do leigo

<comemorando> Por Luiz Carlos Guazzelli

Grupo Kyrios

16 | Chuva de Rosas - Junho de 2014

atuante. Como dizia Santo Tomás de Aquino na sua Suma Teológica, “FINIS POLITICA EST URBANUM BONUM”, i .e. “A finalidade da política é o bem comum”. E como aponta Affonso Arinos de Mello Franco, mesmo para Santo Tomás de Aquino, este “bem comum” não era uma concepção exclusivamente religiosa ou filosófica: seus fundamentos hão de ser necessariamente sociais. “O bem comum, assume um sentido social correspondente ao máximo de bem estar coletivo que o Estado pode assegurar a uma sociedade nacional ou que pode ser obtido por uma sociedade que não tenha forma estatal.” Assim, considerando que a política e a busca constante do bem comum, não há o que se falar em política boa ou Política má: “O que há é Política e não-Política”, diz Affonso Arinos. “Quando o Estado não busca o bem comum, não se pode dizer que esteja fazendo Política, senão que está exercendo um tipo de poder que não o político”. E é neste sentido de compreender política: a busca constante do bem comum que vamos encontrar o ponto de convergência entre a ação apostólica do cristão leigo e sua formação política. Através da ação política consciente e não ingênua, poderá o leigo exercer plenamente seu apostolado, pois que estará em posição de buscar o bem comum e por ele trabalhar junto com seus irmãos. O Papa Francisco tem sido enfático ao

afirmar que “a política é a forma mais elevada da caridade”. É fácil criticar a corrupção, os desmandos, o locupletar individual daqueles que, como costumamos dizer: “estão na política”. O difícil é cada um de nós, leigos, decidirmos enfrentar com coragem e audácia os caminhos da política para então promovermos o saneamento e levarmos não só a mensagem cristã, mas a ação apostólica cristã ao mundo real dos poderes constituídos. A verdade é que no dia em que tivermos mais cristãos, realmente apóstolos envolvidos na militância política, teremos, ao menos idealmente, uma política com “P” maiúsculo, uma busca do bem comum dos realmente necessitados e uma visão de “bem-comum” que inclua todos os quesitos necessários ao ser humano como filho de Deus e feito à Sua imagem e semelhança, logo digno dos maiores respeitos. Só então, teremos a segurança de que o homem será lembrado antes das estradas, das máquinas e do consumo desenfreado. Só então teremos as esperanças de todos realizadas. Só quando o cristão, apóstolo, assumir, também, o espaço que lhe cabe como Político. E os documentos sociais da Igreja, exortam os homens a ingressarem com consciência cristã na busca do bem comum, ou seja, exorta os homens a assumirem papéis políticos. Deixar os governos do mundo nas mãos dos nãocristãos talvez seja um dos maiores pecados de omissão do cristão moderno. Mais que humanizar a política é preciso Cristianizá-la e para essa ação apostólica é preciso participar.

Com uma Festa do Preto e Branco, no último dia 10 de maio o Grupo Kyrios - Infância Missionária e Missão Jovem, comemorou 10 anos de trabalhos missionários e de evangelização com crianças e adolescentes em nossa paróquia. Foi um momento único de encontro e reencontro com jovens e seus familiares que passaram pelo nosso grupo, momento esse que encheu de alegria e emoção nossos corações e nossas almas.

Chuva de Rosas 91  
Chuva de Rosas 91  

Publicação mensal da Revista Chuva de Rosas.

Advertisement