Page 1

Ano I - Edição I - Jornal dos estudantes de Jornalismo da FCAD

Direto do forno

Receitas que marcam a vida Conheça a história das irmãs que conquistaram os maridos com suas gostosas receitas

3

parando um lanche especial“. Cada um dos namorados tinha seu prato favorito. “O Mário adorava rocambole de goiabada”, conta Izilda. Michael Zampa já gostava de arroz doce, preparado pela esposa Aparecida e ainda confessa: ”O Hermenegildo adorava o pudim de queijo que a Maria fazia”, fazendo referência ao marido de Maria, já falecido. Michael, aos risos, conclui declarando: “o amor que sinto pela Aparecida é enorme, mas tenho certeza que o arroz doce fez toda a diferença”. As irmãs revelam o seu segredo nos dizendo que cozinhar deve ir além da obrigação e as receitas devem ser feitas com amor: “Assim qualquer prato vai ser inesquecível, sem dúvida”, dizem. Maria finaliza dizendo que “homem se conquista pelo estômago! Com o meu marido foi assim e com as minhas filhas e netas não está sendo diferente”. Essa é a história de amor das irmãs Ramos, que mistura paixão, tradição e carinho com os sabores da culinária.

Foto por Daniela Ventura

A história teve início em Camanducaia, Minas Gerais, com as irmãs Maria Spilak de 75 anos, Aparecida Zampa de 57 e Izildinha Simão, 59. O dom da culinária foi descoberto muito cedo, como conta Maria, a primogênita: “Éramos uma família muito grande e, no início, cozinhar era uma necessidade. Eu e minhas irmãs não podíamos deixar tudo para nossa mãe, então sempre ajudávamos a preparar as refeições”, diz. Com o tempo, a obrigação virou paixão. “Sempre quando tinha visita, era servida uma receita nova”, diz Aparecida. E assim as irmãs foram se destacando: “Era um orgulho quando elogiavam nossos quitutes”, completa. As irmãs foram crescendo, conheceram seus namorados (e futuros maridos), e contam que desenvolveram mais receitas nessa época: “Antigamente, para namorar não podia sair da sala, era junto com os irmãos olhando”, lembra Maria. Izilda ainda ressalta que para fugir desta rotina o “jeito era agradar pre-

PUDIM DE QUEIJO Aproveite com Dona Maria e conquiste seu amor pelo paladar. *As medidas são feitas com pires Ingredientes 1 Copo de leite 3 Ovos (claras separadas) 2 Pires de queijo minas ralado 1 Pires de trigo 2 Pires de açúcar Modo de preparo: Separe a clara e a gema dos ovos. Bata as claras em neve e reserve. Bata o restante dos ingredientes e misture com as claras em neve por último. Cozinhe em banho-maria em fôrma caramelizada, por 50 minutos. Deixe esfriar, desenforme e sirva.

Conheçam a história de Dona Inês, uma senhora cozinheira com uma vida repleta de tempero e superação.


Especial

Foto capa por Débora Andrades

Equipe

Carta da Equipe: Nos apresentamos com reverências a vocês, leitores Esta carta geralmente é escrita por um editor, porém aqui no Chá da Tarde alguns detalhes são diferentes, a começar por nossa apresentação. Aqui não temos editor, mas sim uma equipe que trabalhou junta e que com orgulho apresenta o primeiro número deste delicioso projeto. A edição foi feita especialmente para você que está em busca de novas receitas, informação e também histórias que emocionam. Aqui foi tudo pensado nos mínimos detalhes para o seu conforto. Desde a diagramação, com texto escrito em letras maiores, até a seleção dos temas, com reportagens e imagens que farão você se identificar. Neste Chá da Tarde vamos falar de uma paixão: a culinária. Você conhecerá pessoas que viram suas vidas mudarem gra¬ças a seus quitutes, verá mais a fundo a história da famosa culinarista Palmirinha Onofre e, para completar, vai aprender uma receita de pudim de queijo que promete conquistar seu coração (e estômago). Com carinho, a equipe Chá da Tarde.

1

Minha cozinha, minha vida Com uma história tão inspiradora quanto à de Palmirinha Onofre, nós do Chá da Tarde, conversamos com Dona Inês, uma senho¬ra com uma vida repleta de tempero e superação

Stephen Hoffman

Diana Locatelli

Daniela Ventura

Carina Silveira

Jefferson Scofield

Giovana Nava

Alex Mariano

Débora Ferreira

Andressa Kaam

Alan Vianni

Casada, 56 anos, mãe de três filhos, avó cuidadosa e que cria três de seus netos, Inês começou a ganhar a vida com a culinária em Londrina, no Paraná, em 1988, com a ajuda de algumas amigas. Três anos depois, mudou para Indaiatuba, interior de São Paulo onde, sozinha, continuou com o trabalho fazendo doces e salgados aos fins de semana. Em 1997, Dona Inês começou a trabalhar como cozinheira de família e continua no cargo até hoje, o que resumiu sua vida única e exclusivamente à cozinha: “Tudo na minha vida gira em torno da comida. Todos gostam, graças a Deus”, completa. Já em 2002, o trabalho passou a ficar mais pesado. Paralelamente, montou uma equipe de sete pessoas – churrasqueira, garçonete, ajudantes de cozinha – na qual só trabalham mulheres e que atendem a festas e eventos: “É um ‘barato’ ter só mulheres na cozinha e comandando a churrasqueira”. E não para por aí, nossa “Palmirinha” do interior tem “Tudo na também o seu “Guinho”: (personagem que acompanha a culinarista Palmiri- minha vida é em nha) o neto Lucas, que ajuda e acompa- torno da comida. Todos sempre nha a avó durante todo o trabalho. O resultado de toda essa dedicação fez gostam, graças a Deus”. de Dona Inês uma vovó de sucesso, que

aliou sua habilidade e gerou uma renda extra para a família. O Brasil está repleto de vovós, que como dona Inês, estão cheias de tempero, determinação e comida fresquinha.

2

Chá da Tarde Edição I  

Essa é a primeira edição do Chá da Tarde, que hoje contém 24 páginas e está na sexta edição.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you