Page 1

CANÇÃO NOVA PORTUGAL

Pág - 1

Ano X - N.º 113 - dezembro/janeiro 2013 - Revista Bimestral ISSN 1646-9461 Preço 2,50 € [Portugal ] - 3,50 € [Europa] 4,50 € - [Resto do mundo]

PE. MARCOS ROBERTO Natal, tempo de Graça PE. DÁRIO PEDROSO Creio que Deus é coração

OPERAÇÃO NARIZ VERMELHO Projeto “Rir é o melhor Remédio?” Ações que valem sorrisos


PRENDAS QUE EVANGELIZAM Cada dia apresenta uma citação, uma reflexão e uma oração para promover a cura interior

Tel: 249534932 www.livraria.cancaonova.pt


Ficha Técnica Proprietário/Editor: Comunidade Canção Nova NPC: 505 556 391 / Estrada da Batalha, 68 AP 199 2496-908 FÁTIMA Telefone:249 530 600 - Fax:249 530 608 Fundador da Comunidade: Monsenhor Jonas Abib Diretor: Paulo Azadinho Coordenação: Pe. Marcos Roberto e Sandra Pinto Revisão Ortográfica: Paula Ferraz Redação: Telma Freire Projeto Gráfico: Débora Líra e Telma Feire E-mail: revista@cancaonova.pt Colaboram nesta edição : Sandra Pinto, Mons. Jonas Abib, Pe. Marcos Roberto, Paulo Azadinho, Cón. Senra Coelho, Operação Nariz Vermelho, Isilda Pegado, Pe. Luís Borga, Pe. Jovanete Vieira (MIC), Pe. Eduardo Novo (MIC), Pe. João de Brito, (SDB) e Pe. Dário Pedroso (SJ) Impressão: Multiponto, SA Rua da Fábrica, 260 - 4585-013 Baltar Depósito Legal N.º 237725/06 Tiragem: 10.000 exemplares Assinatura Anual: Portugal: €20-Europa:€36-Resto do mundo: €48

MISERICÓRDIA- 22 Divina Misericórdia e obdiência PASTORAL JUVENIL-24 Um segredo dito em voz alta SALESIANOS- 26 É preciso preparar o Natal ARTIGO DE OPINIÃO - 26 Pela fé caminhamos na promessa rumo a tudo o que será definitivo

EDITORIAL - 04

ARTIGO DE OPINIÃO- 20

Natal tempo

Pela fé caminhamos na promessa rumo a tudo que será definitivo

PALAVRA DO FUNDADOR - 05 Ano Novo - Tempo de revisão

PALAVRA DO COORDENADOR - 06 Natal, tempo de graça

PALAVRA DO ADMINISTRADOR - 08 Maranatha - Vem Senhor Jesus

GRELHA DE PROGRAMAÇÃO - 10 Televisão

HISTÓRIA DA IGREJA - 12 Génese Histórica da Solenidade da Epifania

TEMA PRINCIPAL - 14 Operação Nariz Vermelho Projecto “Rir é o melhor remédio?”

CLUBE DA EVANGELIZAÇÃO - 17 Mensagem de Natal para os benfeitores

CONVIDADO ESPORÁDICO - 18 O valor da família cristã na sociedade

MISERICÓRDIA - 22 Divina Misericórdia e obdiência

PASTORAL JUVENIL - 24 Um segredo dito em voz alta

SALESIANOS - 26 É preciso preparar o Natal

ESPIRITUALIDADE - 28 Creio que Deus é coração

LITURGIA - 30 Dezembro

EVENTOS - 31 dezembro

Pág Pág -- 03 3

SUMÁRIO


Pág - 04 4

Natal tempo de... Sandra Pinto Comunidade Canção Nova www.benfeitor.cancaonova.pt

Esta é uma época de grande alegria, em que toda a família se reúne, para comemorar, o nascimento de Jesus o nosso Salvador! É um tempo em que apesar do frio, os corações se encontram bem quentes, onde a solidariedade ocupa a nossa mente, onde mediante todas as dificuldades, não conseguimos deixar de dar um sorriso, pois há algo diferente no ar, há uma expectativa, há uma esperança! Desde criança que esta é uma época que deixa o meu coração dilatado! Os meus pais sempre vivenciaram o advento e o dia de natal com grande intensidade, e passaram-me essa vivência! Sempre me falaram de preparar o caminho interior, para que se pudesse reflectir no meu exterior. Esta é a altura em que somos convidados a retomar o caminho, a retirar as pedras que

nos impedem de avançar, a prepararmos o nosso interior para receber o Menino Jesus, preparando-nos também para o novo ano que se aproxima. O Natal impulsiona-nos à reconciliação, ao perdão, por isso, neste tempo de preparação, busquemos dar e pedir perdão, não fiquemos com coisas por resolver, aproveitemos este tempo para fazermos uma grande limpeza, para que os nossos rostos possam estar cheios da luz de Deus e assim possamos viver o dia de Natal com uma alegria completa! Aproveitemos e preparemos a nossa casa para a vinda do Salvador! Quero aproveitar para desejar um Santo e Feliz Natal e um prospero Ano Novo, que Jesus seja o centro das vossas vidas e dos vossos corações!


Pág - 05 5

Ano Novo - Tempo de revisão Mons.Jonas Abib Fundador da Comunidade Canção Nova

Na nossa vida nada deve ficar acumulado, não podemos terminar o nosso dia sem estar reconciliados com Deus, com nós mesmos e com os nossos irmãos. A semana tem um dia que nos ajuda a revermo-nos: o dia do Senhor, o Domingo. Não podemos transportar "entulhos" de uma semana para outra. Deus dá-nos a graça de revermos a nossa vida, rever aquilo que na nossa caminhada não foi bom durante a semana, rever as nossas dificuldades, o nosso crescimento, o nosso relacionamento com Deus e com os outros e rever em que ponto estamos na nossa vida espiritual. O ano está a encerrar-se, mais do que nunca precisamos de fazer uma auto-avaliação. Planear como vamos caminhar no novo ano. Que metas vamos definir? A revisão de vida leva-nos a uma maior

intimidade com o Senhor, acalma o nosso interior agitado, faz-nos perceber a ação da providência divina nas nossas vidas, contistui orientação para o nosso apostolado. O Concílio Vaticano II diz-nos que a Igreja está no mundo, nem fora nem separada dele, e exorta os cristãos a não se retirarem da luta do dia-a-dia, mas a discernirem os sinais dos tempos, a colaborarem com todos na construção de um mundo mais humano e a olharem o mundo com os olhos de Deus. Enfim, a revisão de vida é a reflexão cristã realizada com o fim de adquirir a visão quotidiana em sintonia com o olhar com que o Pai contempla o mundo, tendo em vista a realização do projeto de salvação d'Ele. Deus o abençoe.


Pág Pág -- 6 06 6

Natal, tempo de graça Pe. Marcos Roberto Coordenador da Comunidade Canção Nova - Portugal www.cancaonova.pt

“Jesus menino, dado a nós, nasce pobre numa manjedoura e, ensina que o extraordinário aconteceu, que Deus Se compadece do Seu povo e veio ao seu encontro numa criança frágil e necessitada.”

Queridos filhos, que a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos vós. Estamos a aproximar do Natal. Tempo maravilhoso para a nossa vida de fé e de família. No Natal, comemoramos o nascimento do Menino Deus, que veio ao nosso mundo, que Se encarnou no Seio da Virgem Maria e Se fez homem para nos salvar e mostrar o Seu grande amor pela humanidade. O Natal, por isso, é a festa do Deus humanizado que Se voltou para o homem do passado, do presente e do futuro, a feliz Boa Nova da luz que resplandeceu e brilhou sobre todos nós. Jesus é a grande prenda do Pai para nós, Seus filhos; Nele nos tornamos filhos de Deus. Jesus menino, dado a nós, nasce po-


e de direcionamento espiritual dos nossos benfeitores e de quantos nos buscam nas suas necessidades. Vamos visitar e realizar encontros com os nossos arrecadadores, renovando e incentivando a sua missão juntos como família. E muito mais o que Deus nos inspirar. Por tudo isso, só quero agradecer e dizer que 2013 será o Kairós da Canção Nova, ou seja, tempo de uma grande graça, não somente em Portugal mas em todo o mundo porque celebraremos juntos o n o s s o Reconhecimento Pontifício definitivo na Santa Sé. Faremos uma grande festa com os nossos benfeitores. Feliz e Santo Natal a toda a família Canção Nova com as bênçãos abundantes de Nosso Senhor Jesus Cristo. Obrigado pelo seu sim de cada dia, pelas orações, pela sua união connosco na missão de evangelizar. Bem-haja! Pág - 07 7

bre numa manjedoura e, ensina que o extraordinário aconteceu, que Deus Se compadeceu do Seu povo e veio ao seu encontro numa criança frágil e necessitada. Em Jesus, vemos a beleza do mistério da vida acolhida como dom de Deus que precisa ser cuidada e preservada de todo mal. Naquele Menino cumprem-se as promessas do Antigo Testamento sobre o Messias que viria libertar-nos do pecado e da morte. Peçamos à Família de Nazaré que nos ensine como viver a santidade nas pequenas coisas do dia a dia e a trilharmos o caminho para o céu. Que José e Maria com o Menino Jesus nos mostrem a sermos Igreja Doméstica onde a paz, o amor, o perdão reinem no interior e transbordem assim, para todos aqueles que se aproximam. Neste ano, celebramos muitas vitórias de Deus na Canção Nova: compra do hpa, reestruturação da TV e da rádio a nível físico e material; também a reestruturação da nossa livraria onde a cada dia aumenta a aquisição dos nossos produtos de evangelização; o aumento do número dos benfeitores; a cobertura e transmissão das relíquias de D. Bosco pela TV e internet; o aumento das missões dentro e fora do país. Entre muitas outras coisas que Deus na Sua infinita misericórdia nos proporcionou neste ano no meio de tantas dificuldades passadas a nível social e financeiro da nação. Prova que Deus é quem sustenta esta obra com a sua colaboração. Quero agradecer de coração a sua generosidade e confiança na Canção Nova! No próximo ano vamos realizar mais eventos, sobretudo encontros para casais, para jovens, expandir os nossos encontros para sítios que ande não fomos, levando a graça de Deus a todos os locais do país. Vamos investir na Casa de Maria para que seja ainda mais lugar de acolhimento, de oração

“Quero agradecer de coração a sua generosidade e confiança na Canção Nova”.


Pág Pág -- 808

Pág-08

Maranatha - Vem Senhor Jesus Paulo Azadinho Administrador da Canção Nova-Portugal www.cancaonova.pt

Meditamos no mês de Dezembro o mistério do Natal! Deus que, assumindo a nossa condição humana, revela-nos o princípio do Amor. Deus que, escolhendo a simplicidade da manjedoura, revela-nos o dom da família, seara fértil da dignidade humana. A Comunidade Canção Nova une-se como família para concretizar o Projecto Dai-me Alma – promover por meio de encontros e por meio de ferramentas de comunicação o encontro pessoal com Jesus, numa experiência diária e priori com o Espírito Santo. Tarefa desafiante, especialmente num ano marcado pelo desafio social e económico por que passa o nosso país. No entanto, o meu coração é grato a Deus pela fidelidade e pelo empenho da Família Canção Nova na missão de comunicar Jesus Vivo.

Neste Natal, convido cada membro da família a testemunhar a Fé; este mistério de amor que começa na simplicidade da Gruta de Belém. Que as nossas casas se revelam pequenos presépios vivos, preenchidos pelo Amor. Partilhemos os frutos do Evangelho comunicado todos os dias pelo nosso Sistema de Comunicação. Assim, procedendo, vamos cantar aos nossos, a Canção Nova de Jesus presente na nossa vida! Estando a terminar este ano de 2012, preciso de agradecer uma vez mais a sua generosidade e fidelidade para com esta Obra de Deus! Bem-Haja pelo sim de cada dia e pelo esforço para promover a Evangelização pelos meios de comunicação. Espera-nos um ano de 2013 com muitos desafios. Sabemos porém que, connosco, caminha Aquele que é o Senhor da Obra e que, com Ele Maria, quem tudo faz na Canção Nova! Renovemos as nossas forças na feliz expectativa de acolher o Senhor!


Pรกg - 09 Pรกg-9 9


Pág -- 10 10 Pág

Programação da SEGUNDA-FEIRA 00:00H Celebrando Pentecostes 00:30H Desenvolvendo Talentos 01:00H Nossa Missão É Evangelizar 02:00H O Amor Vencerá 03:00H Direcção Espiritual 04:00H Em Pauta 05:00H Terço Da Misericórdia 05:30H Mais Brasil 06:30H Histórias em Oração 07:00H Nossa Missão É Evangelizar 08:00H Terço Mariano 08:28H Maria Mãe – Dom Walmor 08:36H Laudes - Sintonia com Deus 08:52H Palavra de vida eterna 09:00H No Coração da Igreja 09:30H Desenvolvendo Talentos 10:00H Repórter Canção Nova 11:00H Missa Do Santuário De Fátima 12:00H Sorrindo P’rá Vida 13:15H Fazenda da Esperança 13:45H Manhã Viva 14:50H Palavra do Fundador 15:00H Terço Da Misericórdia 15:30H Pelos Caminhos da Fé 16:00H Nossa Missão É Evangelizar 17:00H O Amor Vencerá 18:00H Vitrine CN 18:30H Santo Terço Da Capelinha 19:00H Cantinho da Criança 19:30H Bem da Hora 20:00H Oitavo Dia 20:30H Caminhos de Vida 21:00H Mãos Unidas 22:00H Pergunte e Responderemos 23:00H Especial Pe. Léo

TERÇA-FEIRA 00:00H Papo Aberto CN 02:00H O Amor Vencerá 03:00H Repórter CN 03:45H Sorrindo P’rá Vida 05:00H Terço Da Misericórdia 05:30H Nossa Missão É Evangelizar 06:30H Desenvolvendo Talentos 07:00H Nossa Missão É Evangelizar 08:00H Terço Mariano 08:28H Maria Mãe – Dom Walmor 08:36H Laudes – Sintonia com Deus 08:52H Palavra de vida eterna 09:00H CN Notícias / Brasil 09:30H Mãos Unidas / Repetição 10:00H Pelos Caminhos Da Fé 11:00H Missa Do Santuário De Fátima 12:00H Sorrindo P’rá Vida 13:15H No Coração da Igreja 13:30H Projecto Dai-me Almas 13:45H Manhã Viva 14:50H Palavra do Fundador 15:00H Terço Da Misericórdia 15:30H Vitrine CN 16:00H Nossa Missão É Evangelizar 17:00H O Amor Vencerá 18:00H Igreja no Mundo 18:30H Santo Terço Da Capelinha 19:00H Cantinho da Criança 19:30H Escola da Fé 21:30H Direcção Espiritual 22:30H Trocando Ideias

de 29 de Outu QUARTA-FEIRA 00:00H PHN 02:00H O Amor Vencerá 03:00H Canção Nova Notícias 03:45H Sorrindo P’rá Vida 05:00H Terço Da Misericórdia 05:30H Nossa Missão É Evangelizar 06:30H Pelos Caminhos da Fé 07:00H Nossa Missão É Evangelizar 08:00H Terço Mariano 08:28H Maria Mãe - Dom Walmor 08:36H Laudes –Sintonia com Deus 08:52H Palavra da vida eterna 09:00H CN Notícias / Brasil 09:30H Fazenda da Esperança 10:00H Especial Pe. Léo 11:00H Missa Do Santuário De Fátima 12:00H Sorrindo P’rá Vida 13:30H Projecto Dai-me Almas 14:00H Vitrine CN 14:30H CN Hits 14:58H Palavra do Fundador 15:00H Terço Da Misericórdia 15:30H História em Oração 16:00h Nossa Missão É Evangelizar 17:00H O Amor Vencerá 18:00H Caminhos de Vida 18:30H Santo Terço Da Capelinha 19:00H Cantinho da Criança 19:30H Bem da Hora 20:00H Catequese com o Papa 20:30H Documentário Semanal 21:00H Dramaturgia “Intervenção” 21:30H Oficio da Imaculada 22:00H Santa Missa do Benfeitor


QUINTA-FEIRA 00:00H Direcção Espiritual 01:00H Revolução Jesus 02:30H Ajuda a Igreja Que Sofre 03:00H Canção Nova Notícias 03:30H Discípulos e Missionários 03:45H Sorrindo P’rá Vida 05:00H Terço Da Misericórdia 05:30H Nossa Missão É Evangelizar 06:30H Fazenda da Esperança 07:00H Nossa Missão É Evangelizar 08:00H Terço Mariano 08:28H Maria Mãe – Dom Walmor 08:36H Laudes – Sintonia com Deus 08:50H Palavra da vida eterna 09:00H CN Notícias / Brasil 09:30H Ofício da Imaculada 10:00H Em Pauta 11:00H Missa Do Santuário De Fátima 12:00H Documentário Semanal 12:30H 5ªFeira De Adoração 14:50H Palavra Fundador 15:00H Terço da Misericórdia 15:30H 5ªFeira De Adoração 17:00H Trocando Ideias 18:30H Santo Terço Da Capelinha 19:00H Cantinho da Criança 19:30H Terra Santa News 20:00H CN Hits 20:30H Em Bethânia 21:00H Pelos caminhos da fé 21:30H Dramaturgia “Intervenção” 22:00H Memórias do Líbano 22:10H Terra Santa News 22:30H Escola da Fé

SEXTA-FEIRA 00:30H Além da Noticia 01:30H CN Hits 02:00H Celebrando Pentecostes 03:00H Canção Nova Notícias 03:30H Parab. de Corações Especiais 03:45H Sorrindo P’rá Vida 05:00H Terço Da Misericórdia 05:30H Nossa Missão É Evangelizar 06:30H Mãos que evangelizam 07:00H Nossa Missão É Evangelizar 08:00H Terço Mariano 08:28H Maria Mãe – Dom Walmor 08:30H Laudes – Sintonia com Deus 08:50H Palavra da vida eterna 09:00H CN Notícias / Brasil 09:30H História Em Oração 10:00H Oitavo Dia 10:30H Caminhos de vida 11:00H Missa Do Santuário De Fátima 12:00H Sorrindo P’rá Vida 13:15H Terra Santa News 13:30H Projecto Dai-me Almas 13:45H Manhã Viva 14:50H Palavra do Fundador 15:00H Terço Da Misericórdia 15:30H Em Bethânia 16:00h Nossa Missão É Evangelizar 17:02H O Amor Vencerá 18:00H Vitrine CN 18:30H Santo Terço Da Capelinha 19:00H Cantinho da criança 19:30H Pergunte e Responderemos 20:30H Desenvolvendo Talentos 21:00H Mãos Unidas / Missa benfeitor 22:00H Igreja no mundo 22:30H Revolução Jesus

SÁBADO 00:00H Pelos Caminhos Da Fé 00:30H Em Pauta 01:30H História Em Oração 02:00H O Amor Vencerá 03:00H Canção Nova Notícias 03:30H Papo Aberto CN 05:30H Escola Da Fé 07:30H Ofício Da Imaculada 08:00H Terço Mariano 08:30H Laudes – Sintonia com Deus 08:50H O Meu Dia c/ Nss. Senhora 09:00H Ajuda a Igreja que Sofre 09:30H Preservação Ambiental 10:00H Sorrindo Pra Vida 11:00H Santa Missa das Crianças 12:15H Programação Kids 13:00H CN Hits 14:00H Juntos Somos Mais 14:30H No Coração Da Igreja 14:50H Memórias do Líbano 15:00H Mais Brasil 16:00H Trocando Ideias 17:30H Vitrine CN 18:00H Nossa Missão é Evangelizar 18:30H Revolução Jesus 20:00H Terço Mariano 20:30H Canção Nova Hits 21:00H Oitavo Dia 21:30H Em Bethânia 22:00H Direcção Espiritual 23:00H PHN

Para mais informações ligue:249 530 603

www.tv.cancaonova.pt portugal@cancaonova. com

Pág Pág -- 11 11

e Outubro de 2012 a 16 de Fevereiro de 2013


Génese Histórico

Pág Pág -- 12 12

da Solenidade da Epifania

A palavra “Epifania” tem origem no grego, “Epipháneia” e significa manifestação ou aparição. No grego helenístico, o termo era utilizado entre os autores pagãos e significava a chegada de alguém muito importante, aplicando-se também ao nascimento de um rei ou de um imperador e à entronização dum soberano. No Novo Testamento o termo Epifania começou a aplicar-se para indicar a manifestação de Jesus na Sua humanidade (Jo. 1, 14, 2, 1; 2Tm. 1, 10; Mt. 2, 1s) e na Sua parusia (1Tm. 6, 14; 2Tm. 4, 18; Tt. 2, 13). Liturgicamente, a festa da Manifestação do Senhor, a Epifania, começou a ser celebrada no Oriente, na primeira metade do século IV, fixando-se como data o dia 6 de Janeiro. As Igrejas do Oriente celebram nesta festa, o batismo de Cristo no rio Jordão. No Ocidente, entende-se por Epifania a tríplice manifestação divina de Cristo, «primícias das gentes», aquando do Seu batismo, das bodas de Caná e da adoração dos Magos.

Cón. Senra Coelho Diocese de Évora


Pág Pág- -13 13 Pág - 13

Situando-nos no contexto da História da Igreja Primitiva e da sua iconografia ocidental, descobrimos que uma das pinturas do século II, na catacumba romana de Priscila, representa Nossa Senhora vestida como dama romana e os Magos de cabeça descoberta a andar com os presentes nas mãos, sem que nada indique a nacionalidade ou o carácter real das pessoas. Nesta e noutras catacumbas, há grande variedade na representação. Umas vezes os Magos vestem túnicas curtas, outras cobrem-se com longas capas ou mantos e têm nas cabeças gorros frígios. Maria aparece no centro da cena e eles agrupam-se dos dois lados simetricamente. É frequente surgirem apresentados três Magos. S. José em geral não aparece, a não ser nas pinturas mais tardias, dos séculos IV e V. No calendário litúrgico renovado pelo concílio Vaticano II, a manifestação da divindade de Cristo acontecida no Batismo de Jesus e nas bodas de Caná, são remetidos para outras datas. A atual liturgia, só celebra na Epifania a manifestação da divindade de Cristo e os Magos, que a tradição popular apelida de “Reis”. Curiosamente, a Igreja monofisita da Arménia não celebra o Natal de Jesus Cristo a 25 de Dezembro, mas a 6 de Janeiro, conjuntamente com as manifestações da divindade de Cristo no batismo e na adoração dos Magos. Para concluir, lembramos que no Evangelho de São Mateus (Mt. 1-12), o termo “Magos” parece designar um grupo de astrólogos babilónicos, conhecedores do messianismo hebraico e que interpelados por uma estrela misteriosa, a seguiram na mira de encontrarem o Messias anunciado. O título de “Reis”, o número a sua raça e os seus nomes próprios derivam de tradições extra evangélicas.


Pág - 14

Rir é o melhor remédio? Ações que valem sorrisos Operação Nariz Vermelho www.narizvermelho.pt

A Operação Nariz Vermelho – Associação de Apoio à Criança (ONV) é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, sem vinculações políticas ou religiosas, oficialmente constituída no dia 4 de junho de 2002, que tem como missão levar alegria à criança hospitalizada, aos seus familiares e profissionais de saúde, através da arte e imagem do Doutor Palhaço, de forma regular e com uma equipa de profissionais com formação específica. Os nossos principais objetivos são: - Melhorar a qualidade de vida das crianças durante a sua permanência no hospital;


das. No início éramos 3 Doutores Palhaços, em 3 hospitais de Lisboa e hoje somos 22 Doutores Palhaços e visitamos 12 hospitais em 7 cidades do país: Lisboa, Cascais, Amadora, Almada, Porto, Coimbra e Braga. A ONV tem dedicado, desde sempre, especial atenção à qualidade e seriedade do trabalho artístico desenvolvido pelos Doutores Palhaços, apostando fortemente na formação, observação e avaliação, e mais recentemente na investigação sobre a função do palhaço na sociedade e a sua potência como agente promotor de saúde. Surge assim o projeto “Rir é o melhor remédio?” que se encontra cotado na Bolsa de Valores Sociais (BVS) e que permitiu à ONV abrir, em 2010, o programa de visitas regulares dos Doutores Palhaços no Hospital de Braga. Este projeto inclui uma parceria com o Instituto de Educação da Universidade do Minho para a realização de estudos que avaliem o impacte da intervenção do Doutor Palhaço junto da criança hospitalizada,

Pág - 15

- Estimular o lado saudável dada criança doente, transmitindo confiança, otimismo e auto-estima; - Demonstrar que o humor, o sonho e a fantasia podem continuar a fazer parte da vida da criança internada; - Contribuir para a desdramatização do ambiente hospitalar para a criança e para a sua família; - Proporcionar aos familiares e profissionais de saúde momentos de descontração, melhorando as relações. Os nossos Doutores Palhaços são artistas com formação especializada no meio hospitalar e que trabalham em estreita colaboração com os profissionais de saúde, realizando atuações adaptadas a cada criança e a cada situação, garantindo visitas semanais, durante 42 semanas por ano, aos 12 hospitais abrangidos pelo programa. Ao longo dos 10 anos de atividade os Doutores Palhaços da ONV conseguiram tocar o coração de mais de 290 mil crianças hospitaliza-


Pág - 16

seus familiares e profissionais de saúde. COMO INVESTIR NO PROJETO “RIR É O MELHOR REMÉDIO”? Acedendo ao site da BVS (www.bvs.org.pt) o investidor social pode comprar ações do projeto “Rir é o melhor remédio?”. Cada ação é cotada a 1€ e a aquisição mínima é de 10 ações sociais no valor de 10€. Confirmado o pagamento a ONV emite o respetivo recibo de donativo, que confere benefícios fiscais ao doador, de acordo com a Lei do Mecenato. Ao registar-se na BVS, o investidor social passa a ter acesso, a qualquer momento, às prestações de contas e aos relatórios do processo de implementação do projeto

de impacte social produzidos pela ONV e auditados pela Atitude. Os dados e informações dos investidores sociais recolhidos pelo site são tratados com a máxima confidencialidade, não sendo em momento algum comercializados, divulgados ou disponibilizados para terceiros.


Pág Pág -- 17 17

A Canção Nova deseja-lhe um Santo Natal e um Próspero Ano Novo. Que o seu coração se alegre, pois o Filho de Deus nosso Salvador, nasceu!!!

N.ºDE CONTA: 45200060486 MILLENIUM BCP NIB: 0033.0000.45200060486.05 IBAN PT: 50003300004520006048605 S W I F T : B C OM P T P L Email: clube@cancaonova.pt Telefone : (00351) 249 530 600

Ajude esta Obra de Deus, para que juntos possamos levar a Palavra de Deus até aos confins da Terra.


Pág Pág- 18 - 18

O valor da família cristã na sociedade Isilda Pegado Presidente da Federação Portuguesa pela Vida

“O Homem que não nega a pergunta mais radical do seu coração encontra Deus.”

A Família é um dos maiores bens da humanidade. É neste núcleo social que o homem recebe a sua primeira educação e é conduzido para a maturidade. Aqui o homem vive os gestos fundamentais e mais significativos da existência – nasce, morre, ama, e sofre. Aqui estrutura a sua personalidade. Por isso, em todas as sociedades, a família é o primeiro lugar natural de afirmação e


trução da Sociedade a partir da Família de Nazaré e, por isso, a História relata em paralelo, o que tem sido a conquista da dignidade de homens e mulheres, de progresso e de realização do Bem-Comum. O modelo de Família cristã constitui marca estruturante da nossa Civilização. Os atentados contra a vida através do aborto, da pornografia do divórcio e de outros comportamentos alheios aos valores de família cristã são hoje causa, em larga escala, da crise que vivemos. Uma sociedade desestruturada custa muito dinheiro (dos nossos impostos). Também assim, o funcionamento do mercado de trabalho não se compreende se prescindir da unidade da Família. O Estado e o mercado devem reconhecer a Família como actor social de pleno direito, com o seu próprio código de funcionamento, afirmando a conciliação da família e do trabalho para maior valor das respectivas funções. Nessa medida, os filhos não são um luxo! Os filhos são um capital social em que se investe para o futuro de toda a sociedade. A Família tem uma estrutura profunda que o Magistério da Igreja tem posto em evidência nestes 2000 anos, que entronca no direito natural, na revelação e, cujos frutos humanos importa reconhecer.

Pág - 19

de defesa da humanidade e dignidade de cada homem. A Família é protagonista na História de toda a Humanidade. Por outro lado, o homem sério para com a sua identidade, reconhece-se como um ser religioso. O homem que não nega a pergunta mais radical do seu coração encontra Deus. No limite da razão humana, está a fé. A história, mostra-nos ao longo de milénios, esta dimensão do sentido religioso do Homem. Hoje, esta dimensão religiosa beneficia da Revelação que Jesus Cristo trouxe ao Mundo e a cada um de nós. Também assim todas as dimensões do humano vida, politica, educação dos filhos, caridade etc., estão embebidas de Cristo. A família é o centro da vida humana desde as origens, e na base da família está o casamento que, com Cristo, é elevado a Sacramento. Ora, a família como pilar de toda a Sociedade pode, e deve, ser estruturada de forma a potenciar o Bem-Comum. E consciente de que é protagonista das políticas de Família assume a responsabilidade de transformar a Sociedade. A família que renova a sua essência, é semente que gera projetos sociais e propostas políticas. A família é a primeira escola de educação dos filhos. Porque, além das regras e das palavras que se possa dizer, o mais importante, para que as crianças e os jovens se sintam seguros e aprendam a distinguir o bem do mal, é o amor entre os pais e o exemplo que estes dão pelo modo como vivem. Uma sociedade assente na família baseada na relação entre um homem e uma mulher vocacionada para a geração e educação dos filhos será sempre uma comunidade de homens capazes de exercer os seus direitos e deveres, disponíveis para a solidariedade, a caridade e a felicidade. Ao longo de 20 séculos assistimos à cons-


Pág Pág -- 20 20

Pela fé caminhamos na promessa, rumo a tudo o que será definitivo! Pe. José Luís Borga Diocese de Santarém

“Quando descobrimos donde tudo vem e quem tudo pode e quer oferecer o que nós não temos sem receber...vamos crescendo em felicidade, mesmo que com lágrimas.”

Estar “super satisfeito” (expressão que é frequente na boca de muitos dos nossos jovens), humanamente falando, podendo ser até um verdadeiro registo de um estado

de alma muito agradável e festivo mas que, em si, torna-se rapidamente em algo muito pouco interessante que, ainda por cima e normalmente, não augura nada de bom. Rapidamente surgem pessoas que não se dão lá muito bem com esse estado de satisfação (se for muito evidente), que logo se empenham em colocá-lo à prova; ou pode muito bem acontecer alguma coisa que, muito facilmente, “deita logo tudo a perder”! Como somos seres que, por natureza, somos limitados e insatisfeitos... isto é tudo muito habitual. Resumindo, por regra não se está “super satisfeito” por muito tempo. A razão disto ser assim é simples de en-


da fraterna, tudo o que é sempre mais feliz e humanamente mais realizador mas que não possuímos por nós mesmos. Deus fez-nos assim, incompletos e mendigos, e essa descoberta, à luz de Cristo só nos traz felicidade! O difícil e incompreensível é existir sem saber o que pedir e nem quem nos poder dar o que tanta falta nos faz! Quando descobrimos donde tudo vem e quem tudo pode e quer oferecer o que nós não temos sem receber... vamos crescendo em felicidade, mesmo que com lágrimas. É por aqui que a ventura da fé se começa a descobrir e a experimentar. Começamos a ver e a aprender como somos chamados à Vida pela própria Vida. Que não temos vida eterna se ela, passando por nós, não for acolhida para, assim, havendo em nós, a podermos também dar a quem queremos amar eternamente, agora por nossa própria vontade e liberdade. Quem recebe o dom desta vida (pela fé!), por sua vez, está em condições para a partilhar com quem a possa e queira receber. Caso não o faça acabará por tudo perder e nada viver. Resumindo, se a fé nos faz ver e saber o lugar em que nos encontramos, o melhor que ela nos revela é a “visão” do lugar onde havemos de chegar se partirmos apoiados nas promessas, cumprindo as regras e respeitando os sinais do caminho, rumo à Pátria Celeste. Parece que estou a escutar “Vai que a tua fé te salvou!”

Pág - 21

tender. Neste mundo em que tudo está em permanente mudança, é muito mais promissor e entusiasmante tudo o que envolve um momento de partida do que tudo o que acontece quando se está em “ponto de chegada”! A felicidade está muito mais ligada à promessa que mobiliza todo o “ponto partida”, rumo a algo que está prometido, por ser realizador, embora em lugar mais longe e mais elevado do que aquele em que nos encontramos actualmente! Todo o ser humano é um ser que está “a caminho”! A felicidade mobiliza-se pela esperança, fruto da promessa num futuro bem melhor, capaz de dar vontade para se arriscar, deixando o lugar onde se está, sem lamentos e prontos para enfrentar e vencer os medos e inseguranças que tantas vezes nos paralisam. Jesus sempre foi muito atento a tudo isto e, por isso mesmo, buscou quem não caminhava (por incapacidade própria ou alheia, física ou espiritual), intervindo com a sua palavra e a sua Graça para mobilizar e tornar-nos aptos para partir. Não será por acaso que damos o nome de “parto” ao acto de um ser humano nascer, como também não será por acaso que Jesus falava do momento da sua paixão, morte e ressurreição como sendo a sua partida; “vou partir!” – dizia Ele aos seus discípulos. Se a nossa Esperança, como nos alerta o Apóstolo Paulo, está no aqui e no agora, somos os mais miseráveis e a nossa fé é vazia! Somos seres de “lá”, do mais longe e mais alto. Dessa pátria que nos chama e atrai para caminharmos já para ela, vivendo no Amor uns para com os outros, realizando uma comunhão de vida que nos faz felizes quando estamos com e pelos outros nossos irmãos! Viver na fé é buscar e suplicar, em caminha-


Pág - 22

Divina Misericórdia e obdiência Pe. Jovanete Vieira, MIC www.marianos.pt

“Enquando estamos a respirar , muitas vezes sem força para irmos em frente, devemos lutar sempre e não desistirmos nunca de procurar soluções ou respostas para os desafios que se nos deparam.”

Ao pensarmos na vivência da Misericórdia é importante não esquecer que a obediência a Deus e à sua palavra são de fundamental relevância para podermos ser instrumentos da Misericórdia divina no mundo em que vivemos. Deus por vezes põe-nos à prova em muitas situações da nossa vida. Ao contrário daquilo que temos planeado, por vezes temos que abdicar de muitas coisas para podermos realizar os projetos que Deus coloca à nossa frente. Poderá acontecer termos tudo bem planeado e de repente surgirem situações que com muito


a dar-nos a oportunidade de aprendermos, de crescermos e de ampliar a nossa capacidade de adaptação. Deus na sua misericórdia dá a capacidade ao ser humano para fazer e desenvolver muitas coisas. Uma pessoa que se encontra com alguma limitação física como por exemplo um cego, consegue desenvolver outros sentidos de uma maneira extraordinária. Enquanto estamos a respirar, muitas vezes sem forças para irmos em frente, devemos lutar sempre e não desistirmos nunca de procurar soluções ou respostas para os desafios que se nos deparam. Conhecer que temos limites, mas sobretudo conhecer que Deus na sua infinita Misericórdia, concede-nos dons e graças para nos ajudar a viver melhor os dias neste mundo. Obedecer a Deus é acolher a sua proposta de amor e Misericórdia na nossa vida. Pág Pág -- 23 23

custo, teremos de acolher com serenidade e adaptarmo-nos com confiança. Há coisas que queremos e desejamos que sejam diferentes, mas nem sempre acontece assim. A nossa atitude não poderá ser de revolta contra Deus ou de desânimo mas de obediência. Aquele que busca viver a dinâmica da Misericórdia tem condições de aceitar a mudança ou as surpresas da vida como um novo desafio e o mesmo servir como fonte de motivação para seguirmos em frente. Não temos forças para sozinhos enfrentarmos tudo, mas a graça de Deus faz-nos capazes de darmos a volta por cima. Há momentos na nossa vida em que nós não queríamos estar na situação ou no contexto em que estamos, preferíamos ter algo mais fácil, mais seguro, mais claro. Pensemos que se Deus permitiu tal situação, está

“Ao pensarmos na vivência da Misericórdia é importante não esquecer que a obediência a Deus e à sua palavra são de fundamental relevância para podermos ser instrumentos da Misericórdia divina no mundo em que vivemos.”


Pág - 24

Um segredo dito em voz alta Pe. Eduardo Novo,MIC Pastoral Juvenil www.ecclesia.pt/pjuvenil

“E necessário ter ouvido de amor para perceber os jovens.”

Evangelizar é a missão. Este Ano da Fé, do Sínodo dos Bispos sobre Nova Evangelização, e da celebração dos 50 anos do Concilio Vaticano II, é tempo de riqueza, de audácia profética, de capacidade renovada, que abre a Igreja a outro tempo de relação e de beleza. É o tempo oportuno para estar ainda mais à escuta de Jesus Cristo, para uma fé esclarecida e esclarecedora que nos impele a caminhar nos caminhos da missão. A Pastoral Juvenil e a educação e formação dos jovens constitui uma missão prioritária para a Igreja pois evangelizar os jovens hoje, é traduzir a fé em vida. O convite que a Igreja nos faz para esta nobre missão de evangelizar os jovens, exige o aprofundamento do conhecimento da fé


As questões que levam a acreditar, a aderir, são a resposta das I Jornadas Nacionais da Pastoral Juvenil que nos desafiaram a continuar, como cristãos convertidos ao Amor, a sermos mais Igreja, a ir... e a fazer discípulos! É este entusiasmo e esta Alegria de adesão que cada um de nós fez e faz para que o anúncio do Evangelho ressoe verdadeiramente como "bela notícia". Como nos dizia o Pe Ricardo Tonelli (SDB) nas jornadas: ao coxo S. Pedro fala de Jesus. Os animadores têm de falar de Jesus, apresentemo-nos a nós mesmos como testemunho pessoal. É necessário ter ouvidos de amor para perceber os jovens. É esta a proposta para o serviço da Nova Evangelização como gesto de amor no modelo correcto de comunicação, numa perspectiva de Evangelização. Emersos numa visão ampla, integral, positiva e actualizada de uma pastoral juvenil ao serviço da Vida e da Esperança, revelamos um segredo em voz alta nesta "Primavera do cristianismo”: fazem falta cristãos comprometidos; fazedores do bem que transbordam o Amor, vivendo deste modo a sua fé, para ser Santos, como o nosso Pai é Santo. Deixemo-nos contagiar, coloquemo-nos ao serviço, contribuamos para a formação dos nossos jovens. Fica este desafio de descobrir sinais, fazer uma leitura mais profunda da realidade e partilhá-la para sermos cada vez mais Firmes na Fé, Alegres na Esperança e Generosos na Caridade.Vamos fazer Discípulos!

Pág - 25

(o segundo anúncio) e, é em simultâneo, o convite permanente aos jovens a participar na vida da igreja, que só o testemunho pessoal, alegre através da fé vivida, não deixa dúvidas e explicita a novidade da beleza do encontro pessoal com Cristo. Esta descoberta da verdade e do bem recebido, este dom, só pode traduzir-se num sim ao dom da vida, um sim ao próximo, um sim à criação bela de Deus. Evangelizar e educar para a sede de infinito. Cada um de nós, Animador da Pastoral Juvenil, é pois experiência eminente de Igreja, e integra o processo de educação à fé. Educar o coração do homem como Deus o fez, atingindo o modelo pedagógico do evangelho. Propõe mergulhar na santidade, experimentar, integrar, não dar resposta sem escutar (a metodologia do caminho de Emaús, escutar, pôr-se a caminho e apresentar), deixar-se tomar pelo amor de Deus, compreender e conhecer... Fazer esta caminhada com os jovens significa anunciar, com o ardor da convicção e da experiência, a doutrina social da Igreja presente no anúncio evangelizador, é o Evangelho a iluminar a realidade concreta, em cada momento da história. Os Animadores de jovens precisam ser esta referência, com quatro atitudes fundamentais, como referia D Ilídio Leandro nas Jornadas Nacionais da Pastoral Juvenil: ser lugares de acolhimento, acompanhar os jovens e ter a coragem de orientar e cuidar da própria formação, para ser testemunhas credíveis do Evangelho.


É preciso preparar o Natal

Pág - 26

“Este frenesi de comprar,decorar, oferecer, doar, festejar, não deve fazer esquecer o essencial: celebrar o Natal é lembrar o Menino.”

Pe. João de Brito, SDB www.salesianos.pt


Importa preparar o Natal, olhando à nossa volta nestes tempos de globalização de uma crise económica onde muitos sofrem devido à ganância financeira de alguns. Preparar o Natal significa – como recomendou o padre Pascoal Chávez, superior geral dos salesianos – fazer nosso o “sonho de Deus” colaborando na humanização do mundo, evangelizando e trabalhando para promover a vida, a paz, a liberdade e a dignidade de cada ser humano. Neste sentido, e em pleno Ano da Fé, também eu faço votos, para que o Natal não seja apenas compras e prendas mas, acima de tudo, um tempo propício para contar nas nossas comunidades cristãs, a história do Deus Menino que veio montar a sua tenda no meio de nós. O melhor fruto de uma boa preparação natalícia será dar a conhecer o próprio Evangelho de Jesus Cristo que é capaz de humanizar e dignificar a cultura que nos envolve. Um Santo e Feliz Natal.

Pág - 27

Estamos no início do Advento e já recebi vários postais de Natal e Ano Novo. Com eles vêm os sentimentos mais nobres de pessoas e instituições desejando que o Natal seja muito feliz e o novo ano muito próspero. Esta mesma ideia de antecipação do Natal encontro-a presente nos estabelecimentos comerciais e nas ruas onde já cintilam as decorações natalícias numa espécie de antecipação frenética de algo que queremos que aconteça quanto antes. Não vejo nestas atitudes apenas uma mentalidade consumista mas a vontade de antecipar, para saborear durante mais tempo, um acontecimento de grande significado cultural e religioso que é o nascimento de Jesus Cristo. Este frenesi de comprar, decorar, oferecer, doar, festejar, não deve fazer esquecer o essencial: celebrar o Natal é lembrar o Menino que há mais de dois mil anos veio alterar a história, “remexendo profundamente o coração dos homens”. Ao vir à terra como Filho de Deus, estabeleceu uma nova ponte entre o humano e o divino dando a vida pela causa da salvação da humanidade. Este acontecimento é de tal forma significativo que também me apetece repetir o que escreve S. Lucas no seu evangelho: “Anuncio-vos uma grande alegria: hoje nasceu um Salvador, Jesus Cristo Senhor” (Lc 2, 10). Uma festa de aniversário como esta do nascimento de Jesus tem que ser preparada com atenção e esmero sobretudo no íntimo de cada pessoa, de tal forma que cada um de nós possa afirmar como S. Leão Magno que “não há espaço para a tristeza no dia em que nasce a vida, uma vida que destrói o medo da morte e concede a alegria das promessas eternas”. Não se trata de uma pessoa qualquer mas de alguém que, como afirma S. Paulo, “sendo rico se fez pobre por nós” (2 Cor 8,9).


Pág - 28

Creio que Deus é o coração Pe. Dário Pedroso, S.J www.padredario.cancaonova.pt

“Deus é um coração de infinito amor, de amor louco e apaixonado pelos homens, que não sabe nem pode fazer outra coisa senão amar de um modo divino, infinito, gratuito.”

Começar o ano com a certeza do amor de Deus, com a certeza que Deus é Pai, com a certeza que seu amor se debruça sobre nós e nos concede todos os dons e graças, é algo de essencial em pleno Ano da Fé. A Festa do Batismo de Jesus nos ajuda a refletir sobre esta certeza. Este artigo pretende ajudar-nos a vivê-la com mais consciência e mais encanto. Viver do Amor de Deus, viver para amar é o caminho da santidade. Falar do amor é falar do coração, pois este é considerado por todos como símbolo do amor. Usamos até expressões como estas: «amo-te de todo o meu coração», «tu és a riqueza do meu coração». E


A Bíblia apresenta-se-nos como um livro de «cardiologia». A palavra coração aparece 834 vezes e sempre para revelar as realidades mais profundas, mais íntimas, mesmo quando fala do cosmo e nos diz «o coração do mar», «o coração da terra», «o coração dos céus», «o coração dos abismos». E ao falar do homem coloca as qualidades intelectuais no coração, pois o «coração é sábio», «o coração pensa», «o coração é inteligente», «o coração é arguto», etc. E coloca no coração as qualidade morais: «coração humilde», «coração manso», «coração orgulhoso», etc. Para a linguagem bíblica, o coração é o centro de todas as actividades: geme, sofre, alegra-se, ama, angustia-se, etc. O homem é o que é o seu coração. Deus, que é Coração, revela-Se ao coração do homem. Crer em Deus significa, pois, crer no Coração que nos ama com amor infinito. E Jesus revela-nos esse Coração e esse amor em cada página do Evangelho: ternura com as crianças, cura de doentes, compaixão da multidão cansada e faminta, lágrimas que chora pela morte do amigo, perdão aos pecadores, aproximação aos marginais, instituição da Eucaristia, dom da vida na Cruz, etc. Cada página do Evangelho revela-nos o Coração do Senhor em atitude de amor, de dom, de entrega, de misericórdia, de compaixão. A nova evangelização, como a civilização do amor nascem do Coração de Cristo que, por mistério insondável do amor, continua aberto de par em par por toda a eternidade. E continua a convidar-nos a entrar no seu Coração, para encontrarmos refúgio e repouso, para nos incendiarmos no seu amor. E nós, como São Bernardo, continuaremos a dizer: «Sempre que me falte alguma coisa, vou buscá-la ao Coração de Jesus». Ele é a fonte de todo o bem, de toda a graça, de todo o amor.

Pág - 29

quando uma pessoa é boa dizemos que tem «um «coração de oiro», e quando é má que tem «um coração de pedra». Todos, dum modo particular a gente nova, usam o desenho do coração trespassado pela seta para indicar que amam, que estão apaixonados, que sentem o coração ao rubro. Usamos hoje o coração como símbolo de associações humanitárias, como símbolo de partidos ou grupos, sempre com o desejo de expressar amor, doação, partilha, fraternidade, etc. Até se usa o coração nos brincos, nas pulseiras, sempre para ter presente a realidade do amor, que implica dom, perdão, carinho, etc. Se Deus é Amor (1 Jo 4, 8), bem podemos afirmar que Deus é Coração, que Deus tem Coração, que Deus é um Coração de infinito amor, de amor louco e apaixonado pelos homens, que não sabe nem pode fazer outra coisa senão amar de um modo divino, infinito, gratuito. Esse Amor que Deus é chegou até nós de um modo particular em Jesus, o Verbo encarnado, que amou e continua a amar-nos com todo o amor divino e todo o amor humano. Jesus é um Coração que ama ou, como indica um título de um livro, é «Um amor chamado Jesus». Crer em Jesus Cristo é acreditar no seu amor, é acreditar que Ele é um Coração que nos ama. Coração amigo, disponível, atento, bondoso, magnânimo, misericordioso, delicado, etc. Seu Coração é escola de vida e de santidade. Por isso nos disse: «Aprendei de Mim, que sou manso e humilde de Coração». Ao colocar o seu Coração, símbolo de todo o seu amor, como modelo de vida e de santidade, Jesus indica-nos que devemos ter um coração semelhante ao d’Ele. Afinal, a santidade não é outra coisa senão ter um coração bom, que ama ao jeito de Jesus.


LITURGIA

Pág -- 30 30 Pág

DEZEMBRO 01 Ap 22, 1-7; Sal 94, 1-2. 4-5. 6-7; Lc 21, 34-36 02 1º Domingo de advento Jer 33, 14, 16; Sal 24, 4bc-5ab. 8-9. 10 e 14; 1 Tes 3, 12 – 4, 2;Lc 21, 25-28. 34-36 03 S. Francisco Xavier Is 2, 1-5;Sal 121,1-2.34ab.4cd-5.6-7.8-9; Mt 8, 5-11 04 Is 11, 1-10; Sal 71, 2. 7-8. 12-13.17 Lc 10, 21-24 05 Is 25, 6-10a; Sal 22, 1-3a. 3b-4. 5. 6 Mt 15, 29-37 06 S. Nicolau Is 26, 1-6; Sal 117, 1 e 8-9. 19-21. 25-27a Mt 7, 21. 24-27 07 S. Ambrósio Is 29, 17-24; Sal 26, 1. 4. 13-14; Mt 9, 27-31 08 Imaculada Conceição Virgem Santa Maria Gen 3, 9-15. 20; Sal 97, 1. 2-3ab. 3cd-4 Ef 1, 3-6. 11-12; Lc 1, 26-38 09 2º Domingo de advento Bar 5, 1-9; Sal 125, 1-2ab. 2cd-3. 4-5. 6 Filip 1, 4-6. 8-11; Lc 3, 1-6 10 Is 35, 4-7a; Sal 84, 9ab-10. 11-12. 13-14; Lc 5, 17-26 11 S. Damaso I Is 40, 1-11; Sal 95, 1-2. 3 e 10ac. 11-12. 13; Mt 18, 12-14 12 S. Joana Francisca de Chantal Is 40, 25-31; Sal 102, 1-2. 3-4. 8 e 10; Mt 11, 25-3 13 S. Luzia Is 41, 13-20; Sal 144, 1 e 9. 10-11. 12-13ab; Mt 11, 11-15 14 S. João da Cruz Is 48, 17-19; Sal 1, 1-2. 3. 4 e 6; Mt 11, 16-19

15 Sir 48, 1-4. 9-11; Sal 79, 2ac e 3b. 15-16. 18-19; Mt 17, 10-13 16 3º Domingo de advento Sof 3, 14-18a; Is 12, 2-3. 4bcd. 5-6; Filip 4, 4-7; Lc 3, 17 Gen 49, 2. 8-10; Sal 71, 2. 3-4ab. 7-8. 17 Mt 1, 1-17 18 Jer 23, 5-8; Sal 71, 2. 12-13. 18-19; Mt 1, 18-25 19 Jz 13, 2-7. 24-25a; Sal 70, 3-4a. 5-6ab. 16-17; Lc 1, 5-25 20 Is 7, 10-14; Sal 23, 1-2. 3-4ab. 5-6; Lc 1, 26-38 21 S. Pedro Canisio Cânt 2, 8-14 ou Sof 3, 14-18a; Sal 32, 2-3. 11-12. 20-21 Lc 1, 39-45 22 1 Sam 1, 24-28; Sal 1 Sam 2, 1. 4-5. 6-7. 8abcd; Lc 1, 46-56 23 4º Domingo de advento Miq 5, 1-4a; Sal 79, 2ac e 3b. 15-16. 18-19; Hebr 10, 5-10;Lc 1, 39-45 24 Vigilia Is 62, 1-5; Sal 88, 4-5. 16-17. 27 e 29; Act 13, 16-17. 22-25 Mt 1, 1-25 ou Mt 1, 18-25 25 Is 52, 7-10; Sal 97, 1. 2-3ab. 3cd-4. 5-6; Hebr 1, 1-6; Jo 1, 1-18 ou Jo 1, 1-5. 9-14 26 S. Estevão Act 6, 8-10; 7, 54-59; Sal 30, 3cd-4. 6 e 8ab. 16b-17; Mt 10, 17-22 27 S. João Apóstolo 1 Jo 1, 1-4; Sal 96, 1-2. 5-6. 11-12; Jo 20, 2-8 28 1 Jo 1, 5 – 2, 2; Sal 123, 2-3. 4-5. 7b-8; Mt 2, 13-18 29 Ap 18, 1-2. 21-23; 19, 1-3. 9a; Sal 99, 2. 3. 4. 5; Lc 21, 20-28 30 Sir 3, 3-7. 14-17a (gr. 2-6. 12-14); Sal 127, 1-2. 3. 4-5 Col 3, 12-21; Lc 2, 41-52


Eventos “A NOSSA MISSÃO É EVANGELIZAR” www.eventos.cancaonova.pt

DEZEMBRO Grupos de Oração da Canção Nova Igreja Paroquial das Meirinhas Terça-feira; 20h00 (semanal)

Igreja da Encarnação - Lisboa Quinta-feira; 21h00 (semanal) Capela Nossa Senhora da Saúde Campanhã - Quinta-feira; 21h00 (semanal) Igreja Paroquial de Loureiro - Oliveira de Azeméis Sábado; 21h00 (semanal) Encontro de Casais em Braga Data: 02 de Dezembro Horário: 09h00 Local: Quinta dos Moinhos, Rua de S. Tomé, n.º 11, Freguesia, Passos (S. Julião) - Braga Tema: A Família educadora da verdade Festa de Natal em Fátima Com a Canção Nova Data: 15 de Dezembro Horário: 09h00 Local: Capela da Morte de Jesus, Por baixo da Basílica da Santíssima Trindade – Fátima Tema: Cristo é o Salvador do homem de hoje

JANEIRO Grupos de Oração da Canção Nova Igreja Paroquial das Meirinhas Terça-feira; 20h00 (semanal) Capela de São Lázaro - Braga Terça-feira; 21h00 (semanal) Igreja da Encarnação - Lisboa Quinta-feira; 21h00 (semanal) Capela Nossa Senhora da Saúde Campanhã - Quinta-feira; 21h00 (semanal) Igreja Paroquial de Loureiro - Oliveira de Azeméis Sábado; 21h00 (semanal)

Para mais informações ligue: 249 538 868

Pág - 31

Capela de São Lázaro - Braga Terça-feira; 21h00 (semanal)


Revista Canção Nova  

Dezembro - Janeiro de 2013

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you