Page 1

Revista mensal • Ano 14 • nº 152• Maio de 2013

Pentecostes

Tempo de esvaziar os medos do coração e encher-se do Amor de Deus!


A dádiva da Eucaristia

M

aio é um mês todo especial! Mês de Maria, das Mães, da Família, de São José Operário e, se coincidir com as datas do ano litúrgico, a Igreja também nos leva a contemplar, em maio, os mistérios da Ascensão do Senhor, Pentecostes, Santíssima Trindade e a Festa do Corpo e Sangue de Cristo. Nossa Revista está repleta de conteúdo riquíssimo sobre algumas dessas importantes festas. E para bebermos um pouco mais da fonte inesgotável de bênçãos que é o Coração de nosso Deus, vamos refletir aqui sobre como a Eucaristia – o Pão da Vida – nos supre, conforta e nos mantém elevados. Pedro disse a Jesus: “Senhor, a quem iríamos? Tu tens as palavras da vida eterna!” (Jo 6,68). Podemos fazer eco a essa proclamação de fé e rendição de Pedro, acreditando que, ao buscarmos Jesus na Eucaristia, Ele irá cumprir a promessa de nos levantar, nos transformar e nos nutrir para a caminhada. Mas lembremos que Judas Iscariotes também estava com Pedro e os outros Apóstolos. Ele comeu o mesmo pão que os demais, mas não se modificou, nem a sua mente. Assim fica claro que o poder do Corpo de Cristo de nos transformar está relacionado ao modo como nos entregamos à dádiva que estamos recebendo. Apesar de ser um poderoso milagre, a Eucaristia irá nutrir muito mais aqueles que são dóceis do que aqueles que resistem ao seu poder. Por isso, busquemos o Alimento Espiritual do Céu com espírito puro e humilde, para sermos erguidos à presença de Cristo e transformados. Valorizemos a Eucaristia toda vez que a recebermos, na certeza de que estaremos, de fato, “com Jesus”, se nos abrirmos completamente ao que Ele deseja dizer e fazer em nosso coração. Querido leitor, pense por um momento: Você acredita que nada pode nos separar do amor de Deus (Rm 8,37-39)? Crê que a senda de seu coração está sempre aberta? Confia que o Espírito Santo se une a nós quando oramos, convencendo-nos de que somos filhos de Deus? Acredita que esse Espírito está em nós, mostrando-nos como amar e agradar a Jesus? Crê que Jesus permanece em nós, ajudando-nos a pensar, escolher, querer e executar de modo certo? Confiar nisso é o caminho e a forma de deixar que o precioso Alimento do Céu nos encha completamente e nos faça inteiros. Maria de Lourdes Taube Conceição Equipe de Redação JCS

Nesta edição palavra do fundador 04 cantinho de Maria 05 sócio evangelizador 06 flashes 07 comunidade 08 testemunho 09 boas notícias 10 promoção humana 11 capa 12 a voz da Igreja 14 livraria 15 especial 16 espiritualidade 17 questões de fé 18 tesouros do coração 19 pequeninos de Jesus 21

Terço dos Homens na Capela São José sempre na primeira terça feira de cada mês, às 20hs.


04 | palavra do fundador

Noite de Espiritualidade

D

16 de maio, na Capela Nossa Senhora das Graças. Você é o nosso convidado especial. Não perca!

ia 16 de maio, a Comunidade Jesus Caminho Seguro realiza, na Capela Nossa Senhora das Graças, a segunda Noite de Espiritualidade especialmente para você. Esses encontros irão acontecer uma vez ao mês, sempre na terceira quintafeira. O primeiro encontro, recheado das bênçãos de Deus, aconteceu no dia 18 de abril. Gostaríamos de contar com a presença de todos os que fazem ou já fizeram parte da família de evangelizadores Caminho Seguro, ou seja, todos aqueles que um dia estiveram conosco, mas que, por incompatibilidade de horário ou por falta de oportunidade, agora só nos acompanham à distância, pelo rádio ou revista. Juntamente com esses, convidamos os que estão próximos, que colaboram e participam de nossos eventos, programações e celebrações. Portanto,

o convite é para os próximos, para os não tão próximos e também para aqueles que sentem o desejo/chamado de conhecer mais de perto a nossa Obra de Evangelização e Comunidade. Qualquer que seja o seu talento disponibilizado a serviço da Jesus Caminho Seguro, como voluntário da revista, das capelas, dos terços, dos bazares, das promoções, como contribuinte, benfeitor, membro ou colaborador, gostaríamos que todos se sentissem convidados, porque esse será um momento de nos reunirmos em oração para agradecer a Deus pela oportunidade que Ele nos deu, colocando vocês em nosso caminho, e também para dar graças pelo dom de suas vidas e por tantos talentos dedicados a esta Obra de Evangelização. Será também uma chance de vocês se aproximarem para conhecer um pouco mais sobre o Carisma, a Espiritualidade e toda a Obra Jesus Caminho Seguro, assim como

sobre seus membros e missão. Lembrem-se, vocês são e sempre serão parte integrante desta família de evangelizadores! E nós somos imensamente gratos a Deus por sua dedicação e nítido amor pela Igreja, demonstrados através de sua colaboração e generosidade em prol da nova evangelização em nossa Comunidade. A Jesus Caminho Seguro só existe por ser fruto do amor que, incansavelmente, Deus tem dedicado a ela; só existe por ser fruto do amor sincero daqueles que se entregam ao seu serviço todos os dias; ela só existe por ser fruto do amor dos nossos amigos, que a sustentam, colaboram e a fazem acontecer. Nossa Comunidade e missão são frutos do seu amor! Zezinho Comunidade Jesus Caminho Seguro


cantinho de Maria | 05

Maio

Mês das mães da terra e da Mãe do Céu

M

aio é o mês que nos leva a ficar mais próximos de Nossa Senhora. Por ser o mês das mães, logo nos lembramos da Mãe do Céu, pois a nossa Igreja a engrandece com orações, louvores e homenagens. Quem não se lembra de Nossa Senhora nos momentos de dificuldades? Nós pedimos o seu amparo materno e a Mãe do Céu sempre nos acolhe, nos ouve e nos auxilia. Maria nunca desampara quem nela confia sinceramente! O grande apóstolo da juventude, Dom Bosco, que viveu numa época de luta entre o poder civil e o eclesiástico, a exalta com o título de Nossa Senhora Auxiliadora, adotando esta invocação para toda a Congregação

Salesiana por ele fundada. Sua obra educacional difunde Nossa Senhora Auxiliadora pelo mundo inteiro, pois ela sempre os defendeu em suas dificuldades. Podemos afirmar que Dom Bosco teve grande influência na divulgação de Maria com o título de Auxiliadora, e isso a levou a ser conhecida como a Virgem de Dom Bosco. Somos um povo cristão feliz, porque temos uma Mãe vigilante, auxiliadora, poderosa, amorosa e protetora. Sempre que estivermos em perigo, recorramos a ela, que é o Auxílio dos Cristãos. Ana Lúcia Rodrigues Alvarenga Renovação Carismática Católica Grupo de Oração da Paróquia São João Batista

Oração a Nossa Senhora Auxiliadora, Protetora do Lar Santíssima Virgem Maria a quem Deus constituiu Auxiliadora dos Cristãos,nós vos escolhemos como Senhora e Protetora desta casa. Dignai-vos mostrar aqui Vosso auxílio poderoso. Preservai esta casa de todo perigo: do incêndio, da inundação, dos raios, das tempestades, dos ladrões, dos malfeitores, da guerra e de todas as calamidades que conheceis. Abençoai, protegei, defendei, guardai como coisa Vossa as pessoas que vivem nesta casa. Sobretudo, concedei-lhes a graça mais importante, a de viverem sempre na amizade de Deus, evitando o pecado. Dai-lhes a fé que tivestes na Palavra de Deus e o amor que nutristes para com Vosso Filho Jesus e para com todos aqueles pelos quais Ele morreu na cruz. Maria, Auxílio dos Cristãos, rogai por todos os que moram nesta casa que Vos foi consagrada. Amém!


06 | sócio

Bazar de Comestíveis pratos doces e salgados

Todos os sábados,

após a missa das 8h, na Capela N. Sra. das Graças. Dê folga a você!

Compre a sobremesa, o almoço do final de semana e também o lanche da tarde.

Para contribuir através da internet utilize o

Colabore com a evangelização, doando ou comprando um dos deliciosos pratos do nosso bazar.

www.caminhoseguro.com


flashes | 07

Fique por dentro dos acontecimentos da nossa Comunidade e das paróquias locais e da região Páscoa na Escolinha de Futebol da Jesus Caminho Seguro Os 45 alunos da Escolinha de Futebol do projeto Novos Caminhos, da Comunidade Jesus Caminho Seguro, ganharam ovos de Páscoa (apoio da Prefeitura de Bebedouro). Dos coordenadores e professores, receberam o ensinamento do verdadeiro significado da data: o amor ao próximo e o amor de Jesus, que morreu na Cruz por nossos pecados.

Terço dos Homens na Capela São José Sempre na primeira terça-feira de cada mês, na Capela São José – do Residencial Bebedouro, os homens também rezam o Terço. O primeiro Terço dos Homens aconteceu no dia 02 de abril. Os próximos encontros serão nos dias 07 de maio e 04 de junho, às 20 horas.

Jesus Caminho Seguro na Festa das Entidades A Jesus Caminho Seguro foi uma das participantes da Festa das Entidades, que aconteceu de 12 a 14 de abril, na Feccib velha. A renda foi revertida ao projeto Novos Caminhos.

Retiro da RCC Pe. Leandro e a missionária Léia, do Santuário da Divina Misericórdia, de Curitiba, nos dias 13 e 14 de abril, estiveram na casa de Retiro Bom Pastor pregando o retiro organizado pela RCC. Momentos fervorosos foram testemunhados pelos presentes. Mais uma vez, a misericórdia foi anunciada em nossa Diocese com grande sucesso.


08 | comunidade

Nossas ações, missões e formações

Missão – Membros da Jesus Caminho Seguro, nos dias Ceia Judaica – A Comunidade fez a experiência de 20 e 21 de abril, estiveram em São José dos Campos, realizar a Ceia Judaica, na Semana Santa. Todos unidos ministrando formação humana para a Comunidade Missão em torno da mesa para celebrar a última refeição de Jesus, Ide. Foram dias de grandes bênçãos para todos. revivendo momentos importantes que antecederam à sua morte.

Homenagem a D. Rita

Noite de Espiritualidade – A 1ª Noite de Espiritualidade da Comunidade Jesus Caminho Seguro foi uma grande bênção para os presentes. Essa noite irá acontecer todos os meses, sempre na terceira quinta-feira, na Capela Nossa Senhora das Graças.

Há um mês, Deus chamou para junto de si uma pessoa muito especial: Rita Augusta dos Santos, mãe da Sandra, do Fernando e da Fabiana. Durante os 72 anos em que aqui viveu, semeou muitas alegrias, palavras de Deus e colheu muitas amizades. Nós, da Comunidade, e também seus amigos de todos os momentos – de alegrias e de dores – sempre a vimos com um sorriso de esperança nos lábios. Querida D. Rita, sentiremos saudades!


testemunho | 09

Uma graça da Misericórdia de Deus

Lucas caiu de 6 metros de altura, ficou 12 dias em coma e renasceu devido à Misericórdia de Deus.

H

oje, gostaria de testemunhar o grande milagre que Deus realizou na vida de meu irmão Lucas Zambuzi, por intercessão da minha querida Santa Terezinha. É um testemunho de fé na imensa misericórdia de Deus. No dia 05 de janeiro, às 8h, quatro dias após termos desejado a todos um Feliz 2013, fomos surpreendidos por uma fatalidade: o acidente do Lucas. Ele havia acabado de chegar ao serviço quando caiu de uma altura de 6 metros. Devido à queda, fraturou uma vértebra e o maxilar, os pulmões foram esmagados, houve dois traumas no rim esquerdo, teve traumatismo craniano e outras complicações. Foram muitos dias de sofrimento e

pedidos a Deus, através da intercessão de Santa Terezinha, para que Ele livrasse aquele menino de apenas 19 anos de tanto sofrimento. Os médicos diziam que o Lucas só viveria por um milagre. Tenho muita fé e sou devota fervorosa de Santa Terezinha. Assim, pedia que ela intercedesse junto a Jesus para que Ele cuidasse do meu irmão. No dia 17 de janeiro, tive um aviso. Sonhei que eu e minha mãe tínhamos ido ao hospital visitar o Lucas. Ao entrarmos na UTI, nós o vimos na cama, todo de branco e sem nenhum aparelho ligado a ele. Ao seu lado havia uma pessoa, também toda de branco, a quem eu agradecia muito por tê-lo salvo. Acordei com esse sonho às 3h da manhã e não consegui mais dormir de tão ansiosa que fiquei. Até que, na hora da visita, às 10h30, quando chegamos à UTI, que alegria, depois de 12 dias em coma, meu irmão havia acordado. Este foi o maravilhoso milagre que Deus realizou na nossa família: o renascimento do Lucas. Agradeço a Deus e a todos os irmãos da Comunidade Jesus Caminho Seguro, que estiveram conosco em oração pelo meu irmão e por minha família. Foi a oração de todos que nos manteve de pé. Este é o poder da oração! Vandréia Zambuzi Paróquia Nossa Senhora Aparecida


10 | boas notícias

Festa da Misericórdia a cada ano mais adeptos

“Na Minha festa, na Festa da Misericórdia, percorrerás o mundo inteiro e trarás as almas que desfalecem à fonte da Minha Misericórdia. Eu as curarei e fortalecerei” (D. 206)

A

Jesus Caminho Seguro, desde o seu início, há 18 anos, tem rezado o Terço da Misericórdia e, há oito, passou a celebrar a Festa da Misericórdia aqui em Bebedouro. Durante esses anos, a Comunidade percebeu que tinha a missão de difundir esta Festa. Assim, no dia 07 de abril deste ano – Domingo da Misericórdia – a Comunidade deu

suporte para que a Festa passasse a acontecer em Monte Azul Paulista, na Paróquia Senhor Bom Jesus, que tem como pároco o Pe. Sebastião Ricardo Vicente, e também em Fernando Prestes, na Paróquia Santa Luzia, com o pároco Pe. Rodrigo Baroni. Houve pregação, Terço da Misericórdia, Missa e, no final, bênção dos objetos. Nesse mesmo dia, aqui em Bebedouro, já como tradição,

a Festa da Misericórdia foi celebrada na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, com a presença do vigário, Pe. Rosinei Erasmo. A igreja estava cheia – com um número de pessoas duas vezes maior do que no ano passado. Acreditamos que nos próximos anos mais cidades poderão aderir a essa iniciativa, celebrando a Festa da Misericórdia em unidade com a Jesus Caminho Seguro. Fernando Prestes

Monte Azul Pta.

Bebedouro

Monte Azul Pta.

Bebedouro


promoção humana | 11

O que é o Autismo? Matheus Silva, que tem autismo, foi incluído em uma escola da rede pública de São Paulo.

O

autismo, também chamado de Transtorno do Espectro Autista, é um Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD) que tem influência genética e é causado por defeitos em partes do cérebro, como o cerebelo, por exemplo. No dia 02 de abril, comemoramos o Dia Mundial da Conscientização do Autismo, com o intuito de diminuir o preconceito contra pessoas com esse transtorno. Nesse dia, vários monumentos e prédios ao redor do mundo – dentre eles, o Cristo Redentor – são iluminados pela cor azul, que representa o autismo. O distúrbio se caracteriza por dificuldades significativas na comunicação e na interação social, além de alterações de comportamento, expressas principalmente na repetição de movimentos, como balançar o corpo, rodar uma caneta, apegar-se a objetos ou enfileirá-los de maneira estereotipada. Todas essas alterações costumam aparecer antes mesmo dos três anos de idade e, em sua maioria, em crianças do sexo masculino. Para o autista, o relacionamento com outras pessoas costuma não despertar interesse. O contato visual com o outro

é ausente ou pouco frequente e a fala é usada com dificuldade. Algumas frases podem ser constantemente repetidas e a comunicação acaba se dando, principalmente, por gestos. Por isso, evita-se o contato físico no relacionamento com o autista – já que o mundo, para ele, parece ameaçador. Insistir nesse tipo de contato ou promover mudanças bruscas na rotina dessas crianças pode desencadear crises de agressividade. Para minimizar essa dificuldade de convívio social, vale criar situações de interação: respeite o limite da criança autista; seja claro nos enunciados; amplie o tempo para que ele realize as atividades propostas; e sempre comunique, antecipadamente, mudanças na rotina. A paciência para lidar com essas crianças é fundamental, já que pelo menos 50% dos autistas apresentam graus variáveis de deficiência intelectual. Alguns, ao contrário, apresentam alto desempenho e desenvolvem habilidades específicas, como ter muita facilidade para memorizar números ou deter um conhecimento muito específico

sobre informática, por exemplo. Descobrir e explorar as ‘eficiências’ do autista é um bom caminho para o seu desenvolvimento.

Avanço – Damaris Gomes Pinheiro

compartilha: “Com as tecnologias atuais, é possível se ter uma idéia, ainda na gestação, da possibilidade de o bebê ter essa deficiência, o que propicia ao médico instruir os pais na questão da sociabilidade. O autismo é uma forma de a criança chamar a atenção para si, ainda mais num mundo onde a correria é grande e os pais não têm tempo para estar em família. Aí é que entra a participação do autista, voltar a família mais para o lar, dando a atenção devida aos filhos, de acordo com a personalidade de cada um”.

Direitos das Pessoas com Autismo: Cartilha disponível no

portal da Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/ inclusao/educacao-especial/na-duvidaautismo-624077.shtml


12 | capa

Pentecostes

Tempo de esvaziar os medos do coração e encher-se do Amor de Deus!

N

ão podemos ignorar al gumas informações sobre a Festa de Pentecostes: que a sua origem vem do Antigo Testamento e quer dizer Festa da Colheita – uma celebração pela colheita realizada (cf. Ex 23,14); um dia de alegria e ação de graças, quando o povo oferecia a Deus os primeiros frutos que a terra havia produzido. Mais tarde, tornou-se também a Festa da Renovação da Aliança do Sinai (cf. Ex 19,1-16). A palavra Pentecostes vem do grego – pentekosté: cinquenta dias após. E a nossa Festa é celebrada cinquenta dias após a Páscoa. No Novo Testamento, o Pentecostes está relatado no livro dos Atos dos Apóstolos 2,1-13: os Apóstolos, juntamente com Maria, a Mãe de Jesus, estavam reunidos para a Festa do Pentecostes judaico. Durante a celebração, ouviuse um ruído, “como se soprasse um vento impetuoso”, e “línguas de fogo

“Quando chegou o dia de Pentecostes, todos estavam reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho como o sopro de um forte vendaval, e encheu a casa onde eles se encontravam. Apareceram-lhes então uma espécie de línguas de fogo, que se espalharam e repousaram sobre cada um deles. Todos ficaram repletos do Espírito Santo” (At 2,1-4) pousaram sobre todos os presentes”, que “ficaram repletos do Espírito Santo e começaram a falar em diversas línguas”. Naquele momento, com a efusão do Espírito Santo sobre Maria e os Apóstolos, cumpria-se a promessa de Jesus e nascia a Igreja, dando início à continuidade de sua missão. Desta forma, Cristo continua presente na Igreja, que é a continuadora do seu plano de amor. E não seria possível imaginar a continuidade dessa missão sem a efusão do Espírito Santo. Grande exemplo disso foi o fato de os discípulos se encontrarem reunidos de portas fechadas, ou seja, com medo. Alguns estudiosos dizem que o medo é natural no ser humano, e que sem ele a humanidade não sobreviveria, pois ele nos livra de muitos males. De fato, sem o medo, não nos protegeríamos e estaríamos sempre expostos à morte. Mas o medo também pode ter o sentido

de falta de coragem, de falta de ousadia, de iniciativa... E muitas coisas que deveríamos fazer, nós não conseguimos por causa desse medo covarde e não do medo preventivo e libertador. Os Apóstolos tiveram tantas experiências com o Mestre, mas, mesmo assim, seus corações ainda eram vacilantes. Porém, ao receberem o Espírito Santo, eles perderam o medo covarde que habitava seus corações e saíram ao encontro do próximo. Podemos olhar para a nossa vida e ver que não somos diferentes daqueles discípulos de Jesus. Muitas vezes, o medo habita o nosso coração, fazendo com que deixemos de amar e ser amados, fechando-nos em nosso próprio mundo para não sermos notados. Em um mundo onde somos bombardeados por informações a todo tempo, não dá para dizer que o Evangelho de Jesus ainda não chegou até nós ou que ainda não pudemos ter


capa | 13 uma experiência com o Senhor. Porque oportunidades não nos faltam. Com toda certeza, muitos dos que estão lendo este artigo podem confirmar que já tiveram uma experiência de Pentecostes, que são batizados, que já receberam o Batismo do Espírito Santo e que, após ouvir uma boa homilia ou uma pregação do sacerdote durante a Celebração da Eucaristia, já experimentaram algo diferente jamais sentido. Diante de tantos testemunhos e experiências, não há motivos para que o medo recaia sobre o nosso coração, impedindo-nos de ser atingidos pelo Pentecostes libertador. Oremos: Senhor, Deus de amor, eu sei que eu não fui criado para o medo, por isso eu te apresento todos os meus temores (apresente aqui sua lista de medos para Deus). Assim como em Pentecostes, eu te peço, envia teu Espírito Santo e enche-me de coragem e ousadia para que eu possa dar continuidade à Tua missão. Faz de mim um apóstolo do Espírito Santo. Amém! Os Apóstolos, ao serem batizados pelo Espírito Santo, saem ao encontro do próximo e derrubam todas as barreiras, como a incredulidade, a falta de compreensão, a inimizade, a covardia e tantos outros obstáculos que impedem o diálogo entre os homens. Ao abrir o nosso coração para o Espírito Santo, somos curados, porque recebemos o Amor de Deus. E, uma vez curados, vamos também ao encontro do outro, pois a verdade revelada nos torna

libertadores uns dos outros. O Pentecostes aconteceu há mais de dois mil anos, provocando transformações e dando início à Igreja de Jesus Cristo. Os Apóstolos começaram a falar em línguas diferentes, e todos podiam entendêlos como se falassem em suas próprias línguas. Nós, muitas vezes, por sermos individualistas e por não nos abrirmos ao Espírito Santo, não conseguimos entender o que o próximo está nos dizendo, e a comunicação se perde. Um patriarca chamado Atenágoras, que viveu nos anos 70, classificou a importância do Pentecostes nas seguintes palavras: “Sem o Espírito Santo, Deus está distante; o Cristo permanece no passado; o Evangelho é uma letra morta; a Igreja, uma simples organização; a autoridade, um poder; a missão, uma propaganda; o culto, um arcaísmo; e a ação moral, uma ação de escravos”. Para o cristão batizado, o Pentecostes pode acontecer todos os dias, não sendo necessário esperar uma vez ao ano para pedir ao força do Espírito Santo. Há mais de dois mil anos, foi dado start e o efeito é e será o mesmo até o fim do mundo, pois o Espírito Santo é eterno. Você pode continuar com medo de receber a efusão e de ser impulsionado a fazer tudo na unção do Espírito, ou pode orar e pedir a Força do Alto para ter a coragem de fazer a coisa mais simples que Deus deseja: amar o próximo e se deixar amar. Leandro Souza Membro da RCC de Bebedouro


14 | a voz da Igreja

Felizes para sempre?

Sou contra a frase que diz que “os opostos se atraem”, porque, se uma pessoa é muito oposta à outra, nunca terá pontos em comum com ela

P

or isso, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher; e eles serão uma só carne. Assim já não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, não separe o homem o que Deus uniu” (Mt 19,5-6). O casamento é uma ligação permanente de dedicação entre o homem e a mulher. Mas existem muitos fatores que complicam o relacionamento entre os casais. Como padre, eu percebo que no início, logo que as pessoas se casam, é só amor, uma lua de mel, mas, muito cedo, chega a lua de fel. Sou eminentemente contra a frase que diz que “os opostos se atraem”, porque, se uma pessoa é muito oposta à outra, nunca terá pontos em comum com ela. E partilhar os mesmos objetivos, tendo o mesmo foco, ajuda a manter o matrimônio. É preciso que o casal goste das mesmas coisas, goste de passear nos mesmos lugares, pois os cônjuges não podem divergir em tudo. Perguntei a uma psicóloga qual o

principal problema dos casamentos. Ela revelou: “Os principais conflitos entre marido e mulher são a perca do direito à individualidade e, também, a falta de comunicação. A pessoa se casou, mas continua sendo um indivíduo único, com seus próprios anseios, tendo um jeito de ser só seu, mas o parceiro nem sempre percebe, não enxerga e não respeita isso. Normalmente, também falta diálogo para resolver essas questões”. É possível perdoar uma traição? Quando se fala em traição, é preciso entender que cada caso é um caso. Muitas vezes, a ajuda de um terapeuta de casais ajuda a identificar qual a gravidade do problema. A traição pode ser perdoada, desde que não seja recorrente. A pessoa que é infiel quando namora, quando noiva e quando se casa tem a compulsão do adultério. Provavelmente, esse cônjuge vai continuar traindo. Nesse caso, é possível a nulidade do casamento, porque o traidor mentiu no altar do

Senhor quando prometeu fidelidade. Já a aventura ou uma única traição é preciso julgar sob outra ótica. A pessoa traída deve enxergar de forma diferente. Muitas vezes, o orgulho ferido e a mágoa de ter sido enganada impedem o julgamento justo. Claro que, para quem foi traído, a dor é sempre a mesma, mas uma aventura costuma ter motivos mais profundos, que podem ser curados com o esforço das duas partes. Mesmo sendo voltado para os esposos, hoje, mais do que nunca, essas palavras servem para homens e mulheres: “Igualmente vós, ó maridos, comportai-vos sabiamente no vosso convívio com as vossas mulheres, dando honra à mulher, como vaso mais frágil, porque elas são herdeiras convosco da graça da vida. Tratai-as com todo respeito para que nada se oponha às vossas orações” (I Pedro 3,7). Pe. Reginaldo Manzotti Autor e também cantor e compositor


livraria | 15


16 | especial

22 de Maio

Santo Ivo

Dia de Santa Rita de Cássia Oração

Advogado dos Pobres Santo Ivo diz à família forense e a todos nós que viver o amor e a justiça é possível em Cristo Jesus

S

anto Ivo, padroeiro dos advogados, nasceu em 17 de outubro de 1253, na Bretanha, França, e faleceu em 19 de maio de 1303 – data de sua celebração litúrgica pela Igreja Católica. Filho de família nobre, recebeu apurada educação humana e cristã. Sua mãe dizia-lhe: “Meu filho, procura viver de tal maneira que venha a ser um santo”. E ele guardou as palavras de sua mãe. Aos 14 anos, foi à Paris, onde mostrou singular inteligência no estudo da Filosofia, da Teologia e do Direito. Ivo, segundo descrevem seus contemporâneos, era um jovem de porte distinto, rosto amável, olhos de um cinza azul cheio de doçura, mas com um brilho que denotava a limpeza de sua alma. Após terminar os estudos, retornou à sua terra natal e aceitou o encargo de ser Juiz do Tribunal Eclesiástico. Conquistou a estima de todos pela integridade de vida, espírito conciliador, imparcialidade de juízos e defesa intransigente dos injustiçados e necessitados. Com o decorrer dos anos, tornou-se frei franciscano, construiu um hospital, onde cuidava dos doentes com suas próprias mãos, e passou a contemplar a face de Cristo no rosto dos pobres. Consagrou toda sua vida a serviço de Deus, ajudando os humildes como magistrado, advogado e sacerdote. Não houve, enquanto viveu, homem mais honrado e estimado na Bretanha. Costumava dizer: “Jura-me que a sua causa é justa e eu a defenderei gratuitamente”. Santo Ivo é considerado pela Igreja o patrono dos advogados e de toda a classe jurídica. Santo Ivo, rogai por nós! Débora Merchan Comunidade Jesus Caminho Seguro

Ó poderosa e gloriosa Santa Rita, chamada santa dos impossíveis, advogada dos casos desesperados, auxiliadora da última hora, refúgio e abrigo da dor que arrasta para o abismo do pecado e da desesperação, com toda a confiança no vosso poder junto ao Coração Sagrado de Jesus, a vós recorro no caso difícil e imprevisto que dolorosamente oprime o meu coração. Obtende-me a graça que desejo, pois, sendo-me necessária, a quero. Apresentada por vós a minha oração e o meu pedido, por vós que sois tão amada por Deus, certamente serei atendido. Dizei a Nosso Senhor que me valerei da graça para melhorar a minha vida e os meus costumes e para cantar na terra e no céu a divina misericórdia. Rezar 1 Pai-nosso, 1 Ave-Maria e 1 Glória ao Pai.


espiritualidade | 17

Maturidade e Imaturidade na Vida Fraterna

N

a formação do indivíduo, existem dois tempos: o cronos – tempo cronológico, e o kairós, que é o tempo da graça na vida da pessoa. O aion é a mística, a vida espiritual dos santos, é o libertar-se do ego e tornar-se apaixonado por Deus. A formação pretende levar o homem a despir-se do seu ego para se parecer cada vez mais com Jesus Cristo. Existe grande diferença entre maturação e maturidade. Na maturação, nós aprendemos, mas, às vezes, não estamos maduros para mudar; não conseguimos responder ao apelo de Deus. Já na maturidade, temos condições de resposta diante das interpelações que nos são feitas. Somos totalmente capazes de fazer o bem e o mal, pois ambos estão dentro de nós. Na vida comunitária, sempre haverá situações em que o mal vai agir em nós. Para identificá-lo, é necessário nos expormos, pois, quanto mais nos abrirmos, mais condições teremos de ser ajudados. E devemos ter maturidade para aceitar a correção fraterna, sem nos

sentir vítimas do processo, mas parte dele. À luz do Espírito, devemos refletir e trazer à consciência tudo o que está em nosso inconsciente e que vem dirigindo nossas atitudes. Não nos iludamos, pois mesmo estando na Igreja e tendo vida de oração precisamos nos conhecer, senão vamos atingir o outro com o nosso conteúdo interior. Devemos sair da suposição e vir para a realidade. A conjectura nos leva a querer adivinhar o que o outro está pensando e, na maioria das vezes, criamos situações que não existem e que surgem baseadas em nossos medos. Em Gênesis, Deus fala a Abraão: “Anda na minha presença e sê inteiro”. Ser inteiro é estar integrado com seu passado, com sua história. Não importa quão dolorosa foi a vida, precisamos aceitar a nossa história e deixar que o Senhor cure as feridas que estão sangrando, senão vamos refletir no irmão as nossas frustações, vamos projetar no outro aquilo que é nosso. Quando estamos fragmentados, não

conseguimos responder ao chamado de Deus. Mas cada um tem um tempo para tornar-se inteiro e responder. É preciso ter consciência do eu inteiro e não do outro inteiro. Queremos consertar os outros sem dar a chance de o Espírito nos consertar primeiro. Cada um deve dar conta da sua resposta e não da resposta do outro. É necessário sermos dóceis no dia a dia, no corriqueiro, pois é isso que nos forma. E lembremos: o tempo cronos é diferente do tempo kairós. Para sermos formados, não podemos seguir na mesma direção do nosso ego. Devemos fazer o caminho oposto às nossas vontades, descobrindo a vontade de Deus para cada situação. O meu oposto é o meu ponto de conversão, portanto, a liderança deve sempre criar conflitos em nós, para nos ajudar a matar o nosso ego. Na vida fraterna, para o nosso bem, sempre que necessário, é preciso desconstruir para depois voltar a construir. Eliana Merchan Comunidade Jesus Caminho Seguro


18 | questões de fé

ASCENÇÃO DO SENHOR “Vou preparar-vos um lugar..., a fim de que onde eu estou estejais também vós” (Jo 14,3)

A

Ascensão do Senhor é o coroamento da sua Ressurreição; é a entrada oficial na glória que cabia ao Ressuscitado após as humilhações do Calvário; é a volta ao Pai já por Ele anunciada no dia da Páscoa: “Subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus” (Jo 20,17). Se com a Encarnação se dá início a todos os mistérios de nossa fé, assim também pela Ascensão termina a peregrinação de Cristo neste mundo. Extremamente humilde em sua Encarnação, uma vez que se submeteu a ser um como nós, Ele revelou, na Ascensão, grandiosidade e poder, para nos mostrar sua glória suprema e divina majestade. Cristo subiu aos Céus, primeiro porque seu corpo estava revestido de gloria imortal desde a Ressurreição, sendo inevitável que deixasse esta terra e retornasse à sua eterna morada. São

Tomás em sua Exposição ao Credo nos diz: “O céu era devido a Cristo por exigência da sua natureza. É, com efeito, natural que cada coisa retome à sua origem. Cristo tem sua origem em Deus, que está acima de todas as coisas, conforme Ele mesmo disse: ‘Saí do Pai e vim ao mundo; deixo agora o mundo e volto para o Pai’”. Sendo Deus, quis fazer-se homem; sendo Senhor, quis suportar a condição de escravo, fazendo-se obediente até a morte. Por isso mereceu ser exaltado até os Céus e sentar-se à direita do Pai. A humildade é, com efeito, o caminho da exaltação, como se lê em São Lucas 14,11. A caminhada de Cristo é figura da nossa caminhada, caso queiramos viver eternamente com Ele na glória celeste. Sua Ressurreição e Ascensão ao Céu demonstram o poder de sua divindade, conforme revelara aos Apóstolos:

Aquele que esteve com eles e os chamou a servir ao Reino era, de fato, Deus verdadeiro. Ao recebermos o batismo, somos chamados a participar de todo o mistério de Cristo e, portanto, também de sua glorificação, conforme nos promete: “Vou preparar-vos um lugar. E quando eu tiver ido... voltarei novamente a vós e vos tomarei comigo, a fim de que onde eu estou estejais também vós” (Jo 14,3). Nessa verdade reside toda nossa esperança: termos a firme convicção de que, como hoje o fiel participa da morte de Cristo nas tribulações da vida, também um dia participará da Sua eterna glória. Fonte: Veritatis Splendor

Paulo Francisco Tellaroli Comunidade Jesus Caminho Seguro


tesouros do coração | 19

Maio

Mês de Maria – Mês das Mães Só quem ama de verdade é capaz de compreender a grandiosidade de ser pai e mãe!

C

oroando a criação do universo, Deus criou um ser maravilhoso e perfeito à sua imagem e semelhança que, partilhando da criação, se tornaria “sócio” de Deus: o ser humano – homem e mulher. Embora maravilhoso e perfeito, é limitado, pois, se assim não fosse, seria Deus. Deus, ao criálo, o fez homem e mulher, para que se complementassem. Se observarmos atentamente o homem e a mulher, constataremos que ambos têm a mesma natureza, com características próprias e diversificadas, com objetivos comuns e capacidade física, psicológica e espiritual para proporcionar e perpetuar a espécie, no amor e na verdadeira liberdade. De fato, o ser humano é a única criatura dotada de inteligência, vontade e liberdade, capaz de amar e reconhecer Deus como Ser Supremo. No entanto, não querendo aceitar sua limitação de criatura, Eva (primeira mulher) “abusa” de sua liberdade, optando pela tentação mentirosa do demônio e menosprezando a verdade do Criador. Com isso, o projeto

maravilhoso de Deus se desmoronou e o pecado entrou no mundo. Porém, nem tudo está perdido, pois Deus escolheu, desde toda a eternidade, outra mulher, no seio da qual Ele mesmo viria para redimir a humanidade: Maria, a Imaculada Conceição, Mãe de Jesus Cristo e nossa Mãe. Manifestemos nosso carinho e gratidão a Deus e a esta criatura tão importante para a humanidade, que não só gerou o Redentor, mas a cada um de nós. Reconhecendo seu devido lugar, valorizemos esta “Mulher” que foi escolhida para ser a nossa Mãe, e em cujo útero todos nós, os filhos de Deus, fomos gerados. - Você ainda tem a felicidade de possuir consigo, em sua companhia diária, aquela que o gerou, amamentou, cuidou e se preocupou não só com a sua saúde física, mas com sua vida e futuro? - Você a valoriza, respeitando-a, dando-lhe satisfação e alegria, apoio e compreensão, amor e sustento, pelo menos por gratidão? - Infelizmente, muitos são aqueles que só vão se lembrar que têm uma mãe e

reconhecer seu trabalho, dedicação e amor quando a perdem, pela distância, pela doença, pela morte. Por que esperar tanto? - Que tristeza sentimos quando constatamos a irresponsabilidade, a leviandade e a ignorância a respeito da maternidade nos dias de hoje! Vemos jovens “brincando” com sexo, gravidez, aborto, com os sentimentos mais íntimos e profundos do ser humano. - Por que discutir, debater, lamentar “consequências” e procurar um “bode expiatório” para explicar as “aberrações animalescas” da sociedade moderna? - A que conclusão pode-se chegar satisfatoriamente? - Não seria muito mais eficiente, coerente e consequente cuidar das “causas” e não se desgastar com os “efeitos” lógicos? Para todas as mães, neste mês, parabéns! Para as jovens, que no futuro serão mamães, juízo e responsabilidade em tratar o seu corpo! Para os jovens namorados, lembrem-se: sexo e sentimento íntimo não são “brinquedos”. Cônego Pedro Paulo Scannavino Paróquia São João Batista


20 | parabĂŠns Bebedouro


Olá, pequeninos! “Rezem o Terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra!” Esse foi o pedido de Nossa Senhora de Fátima em sua aparição, no dia 13 de Maio, para as crianças Jacinta, Francisco e Lúcia. E é isso que Nossa Senhora também pede a vocês, pequeninos, não somente neste mês em que comemoramos o Dia Internacional da Família (15), mas todos os dias. Antes de dormir e ao acordar, agradeçam a Deus pela vida, por sua família, pelos amigos e por mais um dia com saúde e paz.

Atividade

Neste mês comemoramos Nossa Sra. de Fátima e Nossa Sra. Auxiliadora. Encontre no Caça Palavras abaixo alguns nomes que Nossa Senhora, que é a nossa mãezinha do céu, recebeu: APARECIDA, LOURDES, PENHA, GRAÇA, FATIMA, DESATADORA DO NOS, NAZARE e GUADALUPE.


Revista Caminho Seguro - Maio 2013  

Pentecostes Tempo de esvaziar os medos do coração e encher-se do Amor de Deus!

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you