Page 1

Revista mensal • Ano 12 • nº 141 • Maio de 2012

Mãe,

símbolo do verdadeiro amor 18 de maio

Participe de eventos no Dia Nacional de Combate à Exploração contra a Criança e o Adolescente

w w w. c a m i n h o s e g u ro. co m


expediente Revista Jesus Caminho Seguro é uma publicação mensal da Associação Jesus Caminho Seguro. CNPJ 02.857.590 /0001-07 Coordenação geral Aparecido José Campanella Coord. Depto. Comunicação Eliana Merchan Jornalista responsável Fernanda Luiz MTb 47.457 Revisão Maria de Lourdes Taube Conceição Diagramação Luciana Prado Camara Fotos Arquivo | Divulgação | sxc.hu Publicidade Maria Rita de Rosis Mazeu (Lica) (17) 9791-9721 Joseimar Gonçalves da Cunha (Pim) (17) 9745 - 6877 Tiragem 2500 exemplares Impressão Artes Gráficas Editora Circulação Bebedouro, Ibitiúva, Jaú, Matão, Monte Alto, Monte Azul Paulista, Ribeirão Preto, São Paulo, Taiaçu e Taiúva Redação e Administração Rua São João, 722 - Centro Bebedouro - SP (17) 3344-3903 www.caminhoseguro.com contato@caminhoseguro.com

Os artigos desta revista poderão ser reproduzidos, desde que se indique a fonte e se envie cópia à Redação. O conteúdo dos textos assinados é de responsabilidade dos seus autores.

Unidade que nasceu na Casa de Nazaré!

A

Igreja busca incessantemente a unidade de todos os cristãos, e está convencida de que ela se encontra intimamente relacionada à Maternidade espiritual de Maria sobre todos os homens. A Igreja – o Cristo misticamente desenvolvido e vivo entre nós – nasceu e cresceu na Casa de Nazaré junto com Ele. E Maria, por sua maternidade divina, é Mãe de toda a Igreja desde o seu início. Formamos um só Corpo, e Maria é a Mãe desse Corpo. São Bernardo dizia: “o sim dessa Mãe pronunciado na Anunciação trouxe a Salvação (o Cristo) a todos. Céus e terra, pecadores e justos, presente, passado e futuro congregam-se em Nazaré em volta de Maria”. Quando Ela deu seu consentimento, concretizou-se sua Maternidade sobre Cristo e sobre a Igreja. O pecado tinha desfeito a unidade do gênero humano, e Maria foi a criatura escolhida para se possível a Encarnação do Filho de Deus, tornando-se, com Ele, a causa da restauração de todos os vínculos entre o Céu e a terra, que alcançaria a plenitude por meio da Redenção. Pela Encarnação, Maria passou a ser Mãe da unidade da Igreja na sua mais profunda realidade, pois deu a vida a Jesus em seu seio e, com Ele, à sua Igreja. Quando os Apóstolos se reuniram no Cenáculo para receber o Espírito Santo, Nossa Senhora estava com eles. Esses formavam a primeira célula da Igreja, com Maria no centro dela, no mais íntimo, como coração que lhe dá a vida. Ela criava uma atmosfera de caridade, de solidariedade e unidade entre eles. Maria era, sem dúvida, a melhor colaboradora de Pedro e dos demais Apóstolos na organização e no governo da Igreja. Na tarde anterior à Paixão, Jesus dirigiu ao Pai uma súplica pela unidade de todos os homens: “Que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em mim e eu em ti...” (Jo 17,21). E Jesus deixou para Maria, como sua missão primordial, o cumprimento desse desejo. Portanto, recorramos a Ela, suplicando por nossa conversão: Maria, Mãe da unidade, somos imensamente agradecidos pelo seu ato de fé e de entrega. Com o seu consentimento, o Filho de Deus se uniu ao gênero humano; por sua vida, temos a Vida de Cristo em nós. Ajude-nos, Mãe, a ser “um”, a ter um só coração, a nutrir sentimentos de bondade e solidariedade. Interceda por nós para que nos tornemos verdadeiros instrumentos de unidade em meio a este mundo que caminha na escuridão. Maria de Lourdes Taube Conceição Equipe de Redação JCS

Nesta edição cantinho de Maria 04 palavra do fundador 05 boas notícias 06 sócio 07 flashes 08 tesouros do coração 10 livraria 11 capa 12 testemunhos 14 comunidade 15 promoção humana 16 especial 17 espiritualidade 18 questões de fé 19 pequeninos de Jesus 20 reflexão bíblica 21


04 | cantinho de Maria

or José Ferreira, o Portugal e Monsenh José Figuls

Aparição de Nossa Sra. de Fátima segundo uma testemunha

V

ou relatar-lhes algo da vida de meu querido pai, José Ferreira, conhecido por “Portugal”. Em 1917, ele foi testemunha das aparições de Nossa Sra., em Fátima (Portugal), embora sem nada ver ou ouvir. Hoje, não precisa mais testemunhar nada, pois já convive, no Céu, com a Mãe Santíssima que sempre amou. Ele nasceu aos 18 de agosto de 1897 e foi muito bem educado por seus pais, meus avós paternos, nos moldes de um autêntico cristão. Estava com 20 anos por ocasião da primeira aparição. Trabalhava como sapateiro, e dizia sempre com grande orgulho: “Consertei muitas vezes as sandalhinhas dos videntes (os irmãos, Francisco e Jacinta, e a prima Lúcia) e de seus familiares”.

Fátima era um vilarejo tão pequeno que os poucos habitantes formavam uma só família. Ali reinava a simplicidade de um verdadeiro povo de Deus. Algumas casas eram bem próximas umas das outras, as demais, bem dispersas. Havia o rebanho de ovelhas, de cabras e os olivais. Da lã, do leite e do azeite provinha a renda do local. Assim era a vida em Fátima. As aparições de Nossa Senhora aconteciam em local bem próximo das terras de meu avô, em uma azinheira (arvorezinha nata daquela região, com folhas ligeiramente espinhosas) agraciada pela Mãe do Céu em suas aparições aos videntes. Quando a Igreja constatou a veracidade de suas aparições, o povo destruiu a pobre arvorezinha, levando para casa galhinhos, folhas e pedaços do tronco como relíquias.

Tirando dele lascas, chegaram às raízes da pobrezinha. Até que nada mais restou. Então, passaram a cavar o local, recolhendo a terra que havia sustentado a abençoada azinheira. O que fez, então, a nossa Mãezinha naquele local? Como cavavam cada vez mais fundo, surgiu ali a Cova da Iria e, com ela, o milagre. Local árido e seco, sem nenhuma possibilidade de água, ali passou a jorrar água pura e cristalina – que permanece até os dias de hoje. Num dos encontros, Lúcia diz à Madona: “Senhora, eles não acreditam em nós. Dizem que mentimos”. Em resposta, a Mãe diz: “Eles crerão, eu prometo!”. Na penúltima aparição, aconteceu o milagre do sol. Meu pai estava lá no dia em que o sol declinou em espiral por cima de todos. O desespero foi geral. Gritavam: “Morreremos queimados, meu Deus!”. Com certeza, meu pai também experimentou esse desagradável sentimento. Ele veio para o Brasil com 21 anos. Viveu até os 95 anos, quando Deus o chamou, no dia 08 de abril de 1992. Hoje, lá no céu, ele revive, com os personagens das aparições, aquilo que outrora testemunhou. Na ocasião em que aconteceram as aparições, Lúcia tinha 12 anos, Francisco 11 e Jacinta quase 10. Ir. Maria Lúcia de Jesus morreu em Coimbra, aos 13 de fevereiro de 2005, também aos 95 anos. Que o Onipotente Deus, Todo Poderoso, e a Virgem Maria nos abençoem! “Deixai vir a mim as criancinhas (...), porque delas é o reino dos céus!” (Lc 18,16).

Luis Ferreira Comunidade Jesus Caminho Seguro


palavra do fundador | 05

Admiração: Zezinho e sua mãe Idalina

“A mulher forte é mais preciosa do que as joias!” (Pr 31,10)

Q

uando li sobre “a mulher forte”, no livro dos Provérbios, fiquei encantado com sua postura e eficiência. Muitas mulheres piedosas e notáveis aparecem em toda a Bíblia, mas gostaria de fazer um elogio todo especial a esta retratada em Provérbios 31. Mulher bela aos olhos de Deus, diferente, um exemplo de virtude, esposa e mãe, digna de confiança, organizada, amorosa e capaz de ordenar as prioridades de sua vida. Essa sábia mulher era a mãe do rei Lamuel. Ela, aos poucos, dentre tantos ensinamentos, foi também mostrando ao filho qual seria a mulher ideal para ele. De seus muitos atributos, podemos citar alguns: o marido confiava plenamente nela; ela lhe dava assistência em todos os momentos,

palavra do fundador | 05

principalmente quando ele se encontrava física e espiritualmente exausto; os filhos a elogiavam voluntariamente, e ela reconhecia a importância de preparar a geração seguinte da melhor forma possível; seu lar era um modelo de eficiência; não se acomodava; estava sempre envolvida em seus afazeres com muito zelo; contribuía para aumentar a renda familiar por meio de investimentos sábios; tudo o que era colocado sob seus cuidados se multiplicava; ela ainda encontrava tempo para ajudar os necessitados com muito amor e dedicação. Qual seria o segredo do sucesso dessa mulher? Encontraremos seu segredo no versículo 30: essa mulher, em primeiro lugar, nutria um relacionamento diário e pessoal com Deus. Por isso, seus relacionamentos e responsabilidades eram equilibrados e sábios. Antecipando-se ao tempo, ela já testemunhava o ensinamento de Jesus: “Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas as coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6,33). Neste artigo, desejo prestar uma homenagem a todas as mães pelo seu dia. Porém, enquanto relia o texto, avistava naquelas situações o exemplo de minha mãe, Idalina. De uma forma singela, quero homenageá-la, pois assim como o rei Lamuel reconhecia as qualidades e virtudes de sua mãe, também as reconheço na minha: exemplo de esposa, de mãe, de serva de Deus; mulher que exala o bom perfume de Jesus Cristo por onde passa, ajudando a todos com palavras simples e sinceras, indicando qual a vontade de Deus para suas vidas; enfim, uma mulher que faz tudo porque ama! “Amar é dar aquilo que tantas vezes não temos. Por exemplo: tempo, paciência, coragem, virtude, formação e até mesmo saúde. João Paulo II, debilitado no hospital, às vésperas de sua morte, saiu à janela para abençoar os fiéis. Seu rosto desfigurado pelo sofrimento ganhou as capas dos jornais de todo o mundo. Ele não tinha mais saúde, e nos dava aquele restinho de vida. Ele não tinha mais forças, e nos dava todo o seu esforço. Ele não tinha mais palavras, e nos dava o seu gesto... um gesto de amor” (Zenit). Mãe, na medida em que os anos se passaram, pude vivenciar toda e cada situação citada aqui. Quero lhe dizer que só Deus tem o poder para retribuir todo o bem que a senhora fez por mim e por nossa família. Aproveito ainda para pedir suas orações, pois a sua íntima relação com a Santíssima Trindade faz com que eu confie plenamente nelas. Que Maria, a “Boa Mãe”, rogue pela senhora e pelas mães do mundo inteiro! Zezinho e toda Comunidade Jesus Caminho Seguro


06 | boas notícias

Rica em graças a 7ª Festa da Divina Misericórdia

N

o Domingo da Misericórdia (2º domingo da Páscoa), dia 15 de abril, das 13h às 16h, na Matriz de N. Sra. Aparecida, com a presença de fiéis de várias paróquias locais, foi realizada a 7ª Festa da Divina Misericórdia, com o tema Cantarei a Misericórdia do Senhor! – unidade entre a Comunidade Jesus Caminho Seguro e a Paróquia de N. Sra. Aparecida.

Para Pe. Sinval da Silva Júnior, da Paróquia Senhor Bom Jesus de Taquaral, que palestrou sobre o tema De volta ao Coração Misericordioso de Jesus, a festa, atualmente celebrada no mundo inteiro, chegou até nós com muita força através da Comunidade Jesus Caminho Seguro. Ele agradeceu o convite e declarou que foi uma bênção muito especial participar desta Festa tão

Comunidade Jesus Caminho Seguro na 2ª Festa das Entidades

D

e 13 a 15 de abril, o salão de festas da Feccib velha foi palco para mais uma Festa das Entidades. Participaram mais de 30 entidades, dentre elas a Jesus Caminho Seguro, que abriga o projeto Novos Caminhos, que assiste a 60 crianças, de 7 a 14 anos, na escolinha de futebol, com treinos na Feccib nova. Membros, funcionários e amigos da Comunidade, nos três dias de festa, ficaram responsáveis pela barraca do churrasco. A parte da renda da festa que ficará com a Comunidade, inclusive o dinheiro dos bingos, será destinada ao projeto Novos Caminhos.

rica das graças de Deus. “Em Taquaral, tenho procurado vivenciá-la com a comunidade paroquial todos os anos. Cada vez mais, desejo me aprofundar nos ensinamentos de Santa Faustina, para poder difundir melhor a Misericórdia do Senhor”, ressaltou Pe. Sinval.

Testemunho

R

ecebi uma graça durante a novena da Divina Misericórdia (6 a 14/03, na capela de N. Sra. das Graças, com transmissão pela Rádio Jesus Caminho Seguro). Participei, ouvindo pela rádio. Obtive a graça no oitavo dia da novena. Pedi pela minha filha Cinthia, para que ela arrumasse um emprego. Ela recebeu o telefonema do emprego no oitavo dia e começou a trabalhar no último dia da novena. Fazia um tempo que estava desempregada, e ele chegou em boa hora, porque minha filha está atravessando um momento difícil. Deus abriu a porta e concedeu essa graça. Agradeço sempre, pois ele é infinitamente misericordioso. É preciso ter fé e confiar em sua providência! Fátima Crepaldi Paróquia São Pedro Claver


sócio | 07

Campanha Sócio Fiel

Promoção

Contribua fielmente com a Comunidade Jesus Caminho Seguro, de abril a junho, e concorra, no final de junho, em data a ser definida, ao sorteio de um anel de ouro com rubi.

Você não contribuiu em abril e não quer ficar de fora deste sorteio?

A sua contribuição pode ser retroativa.

Hummmmmm... quentinhas e deliciosas! Ajude esta Obra de evangelização, adquirindo uma caixa com 10 esfirras abertas de carne por apenas R$ 13 reais. Data da entrega: 26 de maio Horário: das 11h às 15h Comunidade Jesus Caminho Seguro Rua São João, 722 - Centro Informações: 3344-3900 / 33443904.

imagem ilustrativa

Débito automático:

maneira prática de contribuir com esta Obra sem sair de casa. Assim você participa de todas as campanhas da Jesus Caminho Seguro.

Mais um sócio fiel feliz!

Maria Cristelli, moradora do Jd. Três Marias, recebeu da funcionária da Livraria Jesus Caminho Seguro, Alessandra, a máquina digital que ganhou na Campanha Sócio Fiel, dia 19 de março – Dia de São José. Dona Maria, que contribui fielmente com esta Obra há oito anos, ficou muito feliz, já que não tinha máquina fotográfica e agora vai poder registrar todos os momentos especiais da família.


08 | flashes

Fique por dentro dos acontecimentos na Comunidade Jesus Caminho Seguro, nas paróquias locais e da nossa região

Via Sacra no comércio – A paróquia de São João Batista, em unidade com a Comunidade Jesus Caminho Seguro, realizou na sexta-feira, dia 30 de março, a Via Sacra no comércio central. O coordenador geral da Jesus Caminho Seguro, Aparecido José Campanella, o Zezinho, percorreu com a cruz de Cristo, em Via Sacra, as 14 estações (lojas), simbolizando os últimos passos de Jesus até ser crucificado e sepultado. A Via Sacra, que também contou com a presença e orações do Pe. Emerson Aparecido Lopes, foi encerrada com uma bênção na escadaria da Matriz de São João Batista.

Ato Público da Campanha da Fraternidade, no dia 31 de março, foi considerado pelas autoridades o movimento com maior número de pessoas já realizado em Bebedouro. Do ato organizado por todos os padres locais e encabeçado por Pe. Rosinei Erasmo participaram cerca de quatro mil pessoas, dentre elas, alunos de escolas públicas e privadas, igrejas e entidades dos segmentos saúde, idosos e crianças. O ato, com concentração em frente à Matriz de São João Batista e passeata pelas ruas centrais, ocorreu em vários municípios, como repúdio e, ao mesmo tempo, reivindicação de melhorias na saúde pública e um plano de saúde mais digno. A CJCS participou com a barraca de salgados e com a Livraria Jesus Caminho Seguro.

Retiro para catequistas – A Comunidade Jesus Caminho Seguro foi convidada pelo Pe. Sebastião Ricardo Vicente a ministrar uma formação mensal na cidade de Monte Azul para as catequistas (reflexão sobre o Documento de Aparecida), com início em abril e término em novembro.


Liturgia Diária

Maio 2012

Procissão do Encontro – Dia 02 de abril, a Paróquia de São João Batista e a Jesus Caminho Seguro, através da Procissão do Encontro, retrataram o sofrimento de Maria ao encontrar o Filho no caminho do Calvário. Na Procissão do Encontro doloroso, a imagem de Jesus – Senhor dos Passos – saiu da Capela Nossa Senhora das Graças (da Jesus Caminho Seguro) para se encontrar em frente à Prefeitura com a imagem de Nossa Senhora das Dores, que saiu da Capela Nossa Senhora das Graças (da Paróquia de São João Batista). Durante o trajeto até a Matriz de São João Batista, o sofrimento de Maria e de Jesus eram retratados com a encenação dos sofrimentos atuais.

Procissão de Ramos – Fiéis com ramos de oliveira durante a Procissão de Ramos no trajeto da Capela São José até a Paróquia de São Judas Tadeu.

Retiro em Piratininga – No dia 12 de abril, a Comunidade esteve presente na cidade de Piratininga para realizar um momento de Oração de Cura Interior. Na foto, o Ministério de Música da Missão Louvor e Glória junto com Eliana Merchan e Vilma Ceneviva, representantes da Comunidade Jesus Caminho Seguro.

Feliz Páscoa – Nesta Páscoa, as crianças da Escolinha de Futebol do projeto Novos Caminhos, da Comunidade Jesus Caminho Seguro, receberam chocolates, renovando a alegria e festejando a Ressurreição de Jesus.

1 – Terça – 4ª Semana da Páscoa (branco) At 11,19-26 / Sl 86(87) / Jo 10,22-30 São José Operário (branco) Gn 1,26-2,3 ou Cl 3,14-15.17.23-24 / Sl 89(90) / Mt 13,54-58 2 – Quarta – Santo Atanásio, bispo e doutor (branco) At 12,24-13,5a / Sl 66(67) / Jo 12,44-50 3 – Quinta – Santos Filipe e Tiago, apóstolos e mártires (vermelho) I Cor 15,1-8 / Sl 18A(19A) / Jo 14,6-14 4 – Sexta – (branco) Atos 13,26-33 / Sl 2 / Jo 14,1-6 5 – Sábado – (branco) Atos 13,44-52 / Sl 97(98) / Jo 14,7-14 6 – Domingo – 5ª Semana da Páscoa (branco) Atos 9,26-31 / Sl 21(22) / 1 Jo 3,18-24 / Jo 15,1-8 7 – Segunda - (branco) Atos 14,5-18 / Sl 113B(115) / Jo 14,21-26 8 – Terça - (branco) Atos 14,19-28 / Sl 144(145) / Jo 14,27-31a 9 – Quarta – (branco) Atos 15,1-6 / Sl 121(122) / Jo 15,1-8 10 – Quinta - (branco) Atos 15,7-21 / Sl 95(96) / Jo 15,9-11 11 – Sexta - (branco) Atos 15,22-31 / Sl 56(57) / Jo 15,12-17 12 – Sábado - (branco) Atos 16,1-10 / Sl 99(100) / Jo 15,18-21 13 – Domingo – 6ª Semana da Páscoa (branco) Atos 10,25-26.34-35.44-48 / Sl 97(98) / 1 Jo 4,7-10 / Jo 15,9-17 14 – Segunda – São Matias, apóstolo (vermelho) Atos 1,15-17.20-26 / Sl 112(113) / Jo 15,9-17 15 – Terça - (branco) Atos 16,22-34 / Sl 137(138) / Jo 16,5-11


Liturgia Diária

10 | tesouros do coração

Maio 2012

16 – Quarta - (branco) Atos 17,15.22-18,1 / Sl 148 / Jo 16,12-15 17 – Quinta - (branco) Atos 18,1-8 / Sl 97(98) / Jo 16,16-20 18 – Sexta - (branco) Atos 18,9-18 / Sl 46(47) / Jo 16,20-23a 19 – Sábado - (branco) Atos 18,23-28 / Sl 46(47) / Jo 16,23b-28 20 – Domingo - Ascensão do Senhor (branco) Atos 1,1-11 / Sl 46(47) / Ef 1,17-23 ou Ef 4,113 / Mc 16,15-20 21 – Segunda – (branco) Atos 19,1-8 / Sl 67(68) / Jo 16,29-33 22 – Terça – Sta. Rita de Cássia (branco) Atos 20,17-27 / Sl 67(68) / Jo 17,1-11a 23 – Quarta – (branco) Atos 20,28-38 / Sl 67(68) / Jo 17,11b-19 24 – Quinta – (branco) Atos 22,30; 23,6-11 / Sl 15(16) / Jo 17,20-26 25 – Sexta – (branco) Atos 25,13b-21 / Sl 102(103) / Jo 21,15-19 26 – Sábado – São Filipe Néri, presbítero (branco) Atos 28,16-20.30-31 / Sl 10(11) / Jo 21,20-25 27 – Domingo – Pentecostes (vermelho) Atos 2,1-11 / Sl 103(104) / I Cor 12,3b-7.1213 ou Gl 5,16-25 / Jo 20,19-23 28 – Segunda – 8ª - Tempo Comum (verde) 1 Pedro 1,3-9 / Sl 110(111) / Mc 10,17-27 29 – Terça - (verde) 1 Pedro 1,10-16 / Sl 97(98) / Mc 10,28-31 30 – Quarta - (verde) 1 Pedro 1,18-25 / 147(147b) / Mc 10,32-45 31 – Quinta – Visitação de Nossa Senhora – ofício festivo (branco) Sof 3,14-18 ou Rm 12,9-16b / (Sl) ls 12, 2-3.4bcd.5-6 / Lc 1,39-56

O valor da própria identidade

C

aro leitor, você já descobriu sua própria identidade? Esse é um questionamento fundamental para quem deseja realizar-se plenamente nesta vida. Desde a mais tenra idade, somos induzidos a viver conforme o parecer das pessoas que nos rodeiam e a acharmos isso normal. O tempo passa e vamos descobrindo e vivendo conflitos íntimos e pressões externas. Temos a tentação de procurar justificativas, nem sempre convincentes, para legitimar nossas palavras e atitudes. Isso, por certo, vai causar um grande desconforto e, não raras vezes, angústia e insatisfação. Por quê? Porque tentamos ser o que os outros desejam de nós e não o que realmente somos ou devemos ser. O que fazer, então? Parar, refletir e, decididamente, assumir o comando da própria vida. Façamos uma revisão de nossa vivência atual e busquemos espaço para resgatar antigos sonhos, pois esse é o começo da retomada da vida que se quer viver. As seguintes perguntas: O que eu gostaria de fazer? Onde, como e com quem? nos ajudam a identificar nossos anseios. Um segundo aspecto a considerar é nos

cercarmos dos instrumentos necessários à realização do nosso projeto de vida. O que é preciso para atingir o objetivo proposto? O que importa aqui é a postura humilde para reconhecer que temos deficiências e pedir ajuda a quem pode corretamente fornecê-la. É preciso, também, assumirmo-nos corajosamente, evitando culpar os outros pelo que acontece ou deixa de acontecer em nossa vida. Além disso, assumir um compromisso verdadeiro conosco mesmos, desejando viver e ter atitudes coerentes com os objetivos propostos. Esse é um passo essencial na busca da realização própria. Quando nos dispomos a cumprir nossos compromissos sem nos desviar do caminho que escolhemos, certamente nossa integridade sai fortalecida. Somos únicos. Podem existir pessoas melhores ou piores, porém, iguais a nós... ninguém! Isso não é só privilégio, mas grande responsabilidade. Se não fizermos o que nos compete fazer, ninguém poderá fazê-lo em nosso lugar.

Cônego Pedro Paulo Scannavino Paróquia de São João Batista


Eu tenho tanto pra lhe falar, mas com palavras não sei dizer... Como é grande o meu amor por você! Abençoadas sejam as mães!

Espírito Santo

Vendidos separadamente

Sagrada Família de Nazaré

Chegaram novos modelos de camisetas Maria grávida

Bíblia ilustrada da família e suporte

N.Senhora de Fátima

Livraria Jesus Caminho Seguro | Rua São João, 722 - Centro - Bebedouro - SP livraria@caminhoseguro.com | (17) 3344 3902


12 | capa

Mãe aqui e lá Seu lar é em Bebedouro, mas reside em Ribeirão nos dias úteis da semana. A referência é para uma supermãe que sabe dividir as responsabilidades na família e no trabalho

M

ês de marias. No plural sim, para simbolizar as marias, helenas, lucianas, carolinas, micheles, fernandas, ritas, julianas, flávias, sandras, sônias, teresas, luísas... Com sensibilidade à flor da pele, o sexto sentido sempre de plantão e acentuada característica de alargar e valorizar os espaços por onde passa e atua, a mulher do século 21 rompe preconceitos, administra com mestria as diferenças sociais e profissionais e vai à luta. As páginas desta edição deveriam ter a elasticidade suficiente para o registro dos nomes, senão de todas as leitoras, pelo menos das mães, tendo em vista que o segundo domingo de maio é dedicado a elas. Como não é possível, uma mãe é a escolhida como representante das demais. Que missão sublime é a de gerar filhos (ou adotá-los) e dar-lhes o sustento e a orientação para a sequência da vida e a formação de novas gerações! Dessa programação, deve constar das atividades cotidianas também a religiosidade, isto é, o apego ao que nutre o espírito que equilibra razão e emoção. As verdadeiramente mães praticam essa receita. O êxito e o bem-estar que conquistam indicam que trilham o caminho certo. A mãe que preenche essa pauta tem quatro filhas, é natural de Mirandópolis, estudou e residiu em Jaboticabal, onde se

casou com Eduardo há 31 anos e cuja família reside em Bebedouro há quase três décadas. Eles foram acolhidos pela Cidade Coração em meados de 1984, quando o marido, com cinco anos de exercício no jornalismo, veio para trabalhar na Gazeta de Bebedouro e para prestar serviços de assessoria de imprensa. A mamãe aqui referenciada é a professora Terezinha Iha. Até então, o casal com as filhas Carol e Ana Paula - estabeleceu-se em Bebedouro, onde ela passou a exercer a profissão em várias escolas estaduais, para fazer valer sua recente formatura em Educação Artística. Mas a sala de aula entrou em sua vida após alguns anos, quando as duas meninas já aceitavam a ausência da mãe por algumas horas de cada dia do ano letivo. Em 1988, vieram as gêmeas Flávia e Juliana, a forçada pausa por alguns anos e a volta ao magistério. Abnegada, dedicada, determinada a buscar a concretização de seus objetivos e sem descuidar de suas obrigações de esposa e mãe, Terezinha, 13 anos atrás, para não correr o risco de ficar sem aulas, passou a lecionar em Ribeirão Preto, onde ensina sua disciplina em duas escolas, o que a obriga a ‘distanciar-se’ da família de segunda a sexta-feira, período em que o celular é o recurso para matar a saudade, manter-se informada e participar das decisões, inclusive da

Mãe-exemplo – Terezinha Iha co conciliadora, amorosa, consciente

empresa Iha Comunicação, dirigida pelas filhas, jornalistas Carol e Juliana e o marido Eduardo. Seu maior orgulho é pertencer a uma família com formação sólida, pautada no trabalho, na honestidade de propósitos e que tem em mente agir com bom senso em todas as suas ações. Terezinha emociona-se quando se lembra da determinação do casal em formar as quatro filhas, todas no exercício de sua graduação universitária: duas jornalistas (Carol e Ju), uma administradora de empresa (Ana Paula) e uma assistente social (Flávia). Com três das quatro meninas já casadas – Carol com Rafael, Ana Paula com Júnior e Flávia com Vinícius – a casa, aos poucos, vai ficando vazia, mas está sempre cheia de amor e carinho, dedicados a todos, inclusive aos amigos. A última a trocar alianças é a caçula Juliana, namorada do jovem Fernando Lima. Eduardo Iha Jornalista


Depoimentos “Minha adorada e amada Tequinha é, sem dúvida, o ponto fundamental que equilibra razão e emoção, o que fortalece os relacionamentos, tornando-os cada vez mais duradouros.” (Eduardo)

Marcio Delgado

“Mãe, com você aprendi que é possível ser 100% mulher, esposa, mãe e profissional. Admiro sua habilidade de desempenhar com tanto amor e dedicação todos os papéis que a vida lhe apresenta. O amor, que nunca faltou em nossa casa, é fruto do exemplo constante que temos do respeito e da dedicação entre você e o pai. Te amo e te admiro muito.” (Carol)

om o marido Eduardo: guerreira, e de seu papel.

“Minha mãe é, sem dúvida, a melhor amiga. Sei que posso contar com ela em todos os momentos. É uma pessoa tudo de bom, guerreira, sábia, alegre, espontânea e muito carinhosa. Dizem que somos puxa-saco uma da outra.” “Minha mãe é a melhor pessoa que conheci até hoje. Ela é o elo de união da nossa família, o equilíbrio nas horas difíceis, a alegria do nosso lar. Faz de tudo pra sempre manter a harmonia e o amor dentro da nossa família. Quando ela chega em casa, tudo muda, até o ar fica mais leve ainda, tamanha a paz de espírito que todas nós encontramos nela. Minha mãe é a pessoa que me faz acreditar que tudo pode ser diferente, que tudo pode ser melhor, quando você reconhece que pode ser melhor.” (Juliana)

Marcio Delgado

(Ana Paula)

Casais – Da esquerda para a direita: Rafael e Carol, Fernando e Juliana, Ana Paula e Júnior e Flávia e Vinícius. Clique acionado no casamento de uma das filhas, no dia 7 de abril de 2012.

“Definir minha mãe em poucas palavras é impossível. Posso tentar resumir algumas qualidades dessa grande mulher: amorosa, fiel, comprometida, uma guerreira, minha fortaleza, minha vida.” (Flávia)


14 | testemunhos

Relatos de Sócios da Comunidade Respondo ao meu chamado de cristã batizada sendo catequista na paróquia de São João Batista. É imensa a alegria de poder estar com as crianças, transmitindo-lhes o imenso amor de Deus por todos nós. Ser catequista é fazer ecoar a vontade Deus na mente e no coração das crianças; é ser mãe de muitos filhos, porque me preocupo com cada uma delas. Coloco-as todos os dias em minhas orações e procuro plantar em seus corações a verdadeira semente do amor, para, futuramente, colherem frutos verdadeiros. Ser discípulo do Mestre é ter uma relação de amor e obediência a Deus Pai, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Salvador. Com a certeza de que a força vem do Espírito Santo, cumpro minha missão de revelar o rosto de Jesus, sendo fiel aos seus ensinamentos em minhas palavras e ações, para que eu seja uma testemunha verdadei-

Sou sócia voluntária da Comunidade Jesus Caminho Seguro – formada por pessoas abençoadas e acolhedoras que evangelizam em nome de Jesus. Através desse acolhimento e evangelização, cresci muito, tanto espiritualmente como na convivência com minha família, no meu papel de esposa, mãe e avó. Por tudo isso, a Comunidade tornou-se minha segunda casa. Busco constantemente minha conversão e de minha família através da oração diária e da perseverança, como graça concedida por Jesus Cristo. Que Deus abençoe a todos! Dirce Marques Membro voluntaria Comunidade Caminho Seguro

As pessoas deveriam se manifestar mais e cobrar mais atitudes dos governantes, porque o Brasil é um país rico, mas está sendo dominado pela corrupção. Mas o nosso Brasil pode ser mudado, não pela violência, mas pelo poder da oração. Se o povo confiar e buscar a Deus com fé, tudo poderá ser transformado. Hoje, infelizmente, só temos notícias de

ra para as crianças. Aprendemos ensinando! Ensinamos o que aprendemos! Maria um dia deu o seu Sim, e isso mudou a face da terra, porque pelo seu Sim nasceu o Senhor, e veio morar entre nós o Amor Encarnado. Eu também dei o meu sim, e isso mudou a minha vida, porque dar um “sim” é morrer para nós mesmos a fim de que Deus possa viver em nós. Maria, ensina-me a ser fiel como a Senhora, para que eu consiga viver o meu sim a cada dia. Que eu possa, no mundo, ser um sinal da sua humildade. Maria, por sua interseção e pela intercessão de Dom Bosco, acolhe e cuida das nossas crianças, levando-as todas para junto de seu Filho amado! Amém! Isabel Cristina Esteves Costa Limão Paróquia de São João Batista e membro da CJCS

drogas, ladrões, violência... Não se pode andar livremente pelas ruas, pois em tudo há perigo. A nossa casa já não é um lugar seguro, pois corremos o risco de ser roubados. Antigamente, não era assim. Estou com 75 anos, sou sócio da Comunidade Jesus Caminho Seguro e comparo a geração de agora com o tempo em que eu morava na roça, tinha emprego e tudo era mais tranquilo. Hoje, o povo veio para a cidade, os pais não sabem mais educar seus filhos. Esses filhos, sem uma educação adequada, não têm mais respeito, não ajudam os pais. Os pais colocam os filhos na escola e eles vão para outro lado. Tudo isso está sendo um problema para o país e precisa ser mudado. Estou participando do ato público da Campanha da Fraternidade e vim para me manifestar em favor da saúde. Sebastião Francisco da Cruz


comunidade | 15

Bazar da Providência completa um ano em novo endereço

Antonia Martins Brozinga, conhecida por dona Toninha, era uma pessoa humilde, de fé e oração, que não só falava e lia a Palavra de Deus, mas a vivia em seu dia a dia, carregando sua cruz. Participou de comunidades, do coral da paróquia de Nossa Senhora Aparecida e da Pastoral da Saúde. Foi uma grande animadora da música na RCC. Em todos os encontros que havia, em Bebedouro ou em outro município, lá estava dona Toninha com seu chocalho. Gostava de louvar e agradecer a Deus por tudo. Ela tinha um manancial dentro de seu coração. Sempre dizia: “Sem o Espírito Santo, nada somos!”. Tanto que, quando perdeu seus três filhos, em apenas um ano, dona Toninha não deixou que sua fé fosse abalada, não desanimou, continuou buscando o Deus vivo na Eucaristia. Foi exemplar como esposa, mãe, irmã e amiga. O que tenho a dizer com muito amor é que quem ama aqui neste mundo, onde tudo é tão difícil, sem dúvida já se encontra no infinito amor de Deus. (Maria Faria)

Parabéns Comemorou mais um ano de uma vida cheia de bênçãos e graças o fundador da Jesus Caminho Seguro, Aparecido José Campanella, o Zezinho. A ele toda felicidade, paz e saúde!

04 de maio, às 20h Tema

“Tu és minha filha, eu hoje te gerei” (cf. Salmo 2)

Presença: Comunidade Canção Nova Local: Capela de N. Sra. das Graças (Comunidade Jesus Caminho Seguro)

Sabadão Sertanejo Carlinhos Silva agora em novo horário: aos sábados, das 15h às 18h.

ofertas especiais

SHAMPOO CREME CAR - 5 L

Visite a coopercitrus e confira uma infinidade de produtos e serviços. R$ 11,20

SERRA FITA BM38

BETONEIRA 400 L C/ MOTOR - CSM

SELA AUSTRALIAN HAVANA

CHURRASQUEIRA GIRAGRILL GARDEN - 2100

CLORO HIPOCLOR - 10 KG

R$ 658,97

R$ 85,00

R$ 2.300,00

R$2.290,00

R$ 494,28

Promoção válida por 15 de Maio

Saudade de uma grande serva de Deus!

No novo endereço – Rua São João, 849 – o Bazar da Providência da Comunidade Jesus Caminho Seguro completou um ano, mas a festa e os presentes foram para os clientes. Além de 50% de desconto em qualquer produto do bazar, no dia 04 de abril, os clientes participaram do sorteio de uma cesta com produtos variados. A ganhadora foi Joyce Aparecida Pedro, do Jd. Três Marias. Para a coordenadora do Bazar, Sônia Alves, foi mais que merecido, porque Joyce é uma cliente de todos os dias: “Ela não fica um dia sem vir ao Bazar, e está vestida com as roupas daqui”, disse Sônia ao lado da contemplada, que ficou muito feliz com o presente.

Noite de louvor para mulheres


16 | promoção humana

18 de maio

Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração contra Crianças e Adolescentes

O

Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Contra Crianças e Adolescentes é lembrado em todo o país no dia 18 de maio, data em que, 29 anos atrás, uma criança de oito anos foi espancada, violentada e morta na cidade de Vitória-ES. Os culpados pelo crime, jovens de classe média alta, nunca foram punidos. Todos os dias, em todo o Brasil, acontecem crimes de violência física e moral contra crianças e adolescentes, e muitos dos criminosos continuam impunes. Em Bebedouro, infelizmente, segundo a coordenadora da Casa de Santa Clara, Lucimara Eliana Lopes, não há dados concretos para uma investigação que leve à punição de culpados. Talvez por falta de conscientização, as pessoas acabam não procurando os órgãos de proteção da criança e do adolescente para denunciar as violências ocorridas. Para o dia 18 de maio, está sendo programado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, juntamente com a Rede Criança e o Instituto de Compromisso com o Desenvolvimento Humano (ICDH), passeatas seguidas de apresentações de escolas e entidades de Bebedouro, na Concha Acústica, com o intuito de pedir mais carinho, solidariedade e respeito pelas crianças e adolescentes. Segundo Lucimara, além desse evento já tradicional na cidade, a intenção dos organizadores é que aconteçam seminários para discussões sobre a violência. “Além de ser discutida e refletida, que haja um planejamento de ações concretas dentro do município, para que possamos, como diz o slogan, ‘fazer bonito dentro de Bebedouro’ e conseguir proteger nossas crianças e adolescentes”, afirma.

Atos concretos de cuidados com a criança e o adolescente A Casa de Santa Clara recebe crianças vítimas de violência, abuso, maldade de pais e familiares. O trabalho da equipe, além de acolhê-las e devolver-lhes a dignidade, é também transformar a vida dos familiares, realizando um trabalho de qualidade com a prevenção da violência. Ainda de acordo com a coordenadora da Casa, o trabalho de prevenção realizado com a família de crianças que sofrem maus tratos e outros tipos de violência tem aumentado entre 30% a 40% ao ano. Isso significa que tem aumentado também o índice de violência e de negligência contra a criança, na maioria dos casos, em função do uso de álcool e droga por parte dos responsáveis. “Os pais e os familiares deixam de ser os cuidadores e passam a ser os agressores das crianças”, declara Lucimara. A criação do projeto Clarear está fazendo com que diminua a incidência dos casos de violência em Bebedouro. A equipe do Clarear trabalha vários dias por semana com a família das crianças e adolescentes vítimas de maus tratos, para detectar o problema e dar mais qualidade de vida àquelas famílias, fazendo com que elas adquiram capacidade para cuidar de seus filhos. Fernanda Luiz Depto. de Comunicação Comunidade Jesus Caminho Seguro


especial | 17

O Estranho

A

Passaram-se mais de cinquenta anos, desde então, mudou muita coisa

lguns anos depois que nasci, meu pai conheceu um estranho, um recém chegado à nossa pequena cidade. Desde o princípio, meu pai ficou fascinado por aquele encantador personagem. Logo em seguida, o convidou para viver conosco. O estranho aceitou e, desde então, tem estado em nossa casa. Enquanto crescia, nunca perguntei sobre seu lugar em nossa família. Mas em minha mente jovem ele já tinha um lugar muito especial. Meus pais eram apenas instrutores complementares. Minha mãe me ensinou o que era bom e o que era mau. Meu pai me ensinou a obedecer. Mas o estranho era nosso narrador, mantinha-nos enfeitiçados por horas, com aventuras, mistérios e comédias. Ele sempre tinha respostas para qualquer coisa que quiséssemos saber: política, história, ciência... Conhecia tudo do passado, do presente e até podia predizer o futuro. Levou minha família ao primeiro jogo de futebol. Fazia-nos rir e chorar. O estranho nunca parava de falar, mas meu pai não se importava. Às vezes, minha mãe se levantava cedo e calada, enquanto o resto de nós ficava escutando o que ele tinha a dizer. Mas só ela ia à cozinha para ter paz e tranquilidade. (Agora me pergunto se ela teria rezado alguma vez para que o estranho fosse embora). Meu pai dirigia nosso lar com certas convicções morais, mas o estranho nunca se sentia obrigado a honrá-las. As blasfêmias, os palavrões, por exemplo, não eram per-

mitidos em nossa casa, nem por nós, nem por nossos amigos, nem por qualquer um que nos visitasse. Entretanto, nosso visitante de longo prazo usava, sem problemas, sua linguagem inapropriada que, às vezes, queimava meus ouvidos e fazia meu pai se retorcer e minha mãe ficar ruborizada. Meu pai nunca nos deu permissão para tomar álcool, mas o estranho nos animava a tentar e a fazê-lo regularmente. Fez com que o cigarro parecesse fresco e inofensivo, e que os charutos e os cachimbos fossem distinguidos. Falava livremente (talvez demasiado) sobre sexo. Seus comentários eram, às vezes, evidentes, outras vezes, sugestivos e geralmente vergonhosos. Agora sei que meus conceitos sobre relações foram influenciados fortemente durante minha adolescência pelo estranho. Repetidas vezes o criticaram, mas ele nunca fez caso dos valores de meus pais. Mesmo assim, permaneceu em nosso lar. Passaram-se mais de cinquenta anos desde que o estranho veio morar com nossa família. Desde então, ele mudou muito e já não é tão fascinante como no princípio. Não obstante, se hoje você pudesse entrar na guarida de meus pais, ainda o encontraria sentado em seu canto, esperando por alguém que quisesse escutar suas conversas ou dedicar seu tempo livre a fazer-lhe companhia. Seu nome? Nós o chamamos Televisor. E agora ele tem uma esposa que se chama Internet e um filho que se chama Celular!

SE VOCÊ EXAMINAR BEM, SUA VIDA FINANCEIRA TEM MUITO MAIS VANTAGENS NA SICOOB CREDICITRUS.

Bolo gelado de abacaxi com coco Cobertura:

2 caixinhas de creme de leite para chantilly

Massa:

1 colher (sopa) de fermento em pó 1½ xícara (chá) de farinha de trigo 1 xícara (chá) de leite quente 1 xícara (chá) de açúcar margarina para untar 4 ovos

Recheio:

1 caixinha de creme de leite 1 lata de leite condensado 1 xícara (chá) de abacaxi fresco picado 2 xícaras (chá) de coco fresco ralado

Massa:

Bata as claras em neve, junte as gemas e o açúcar, aos poucos. Sem parar de bater, junte o leite. Acrescente delicadamente a farinha e o fermento peneirados. Coloque numa fôrma (média) redonda, untada e enfarinhada. Leve ao forno (médio) por cerca de 30 minutos. Retire e espere esfriar. Corte o bolo ao meio. Reserve.

Recheio:

Cozinhe o abacaxi com o leite condensado por 5 minutos. Junte o creme de leite, o coco ralado e deixe cozinhar por mais 5 minutos. Recheie o bolo reservado.

Cobertura:

Bata o creme de leite para chantilly conforme as instruções da embalagem. Cubra o bolo e decore com o coco ralado e pedacinhos de abacaxi. Sirva gelado O coco ralado fresco pode ser substituído por coco ralado seco.

Autor desconhecido

MÉDICOS E DENTISTAS, VENHAM ASSOCIAR-SE.

Cooperativa de Crédito

www.sicoobcredicitrus.com.br


18 | espiritualidade

Abrir-se ao novo

A

globalização cria a oportunidade de um encontro com as mais diferentes culturas e tradições e a descoberta prazerosa das diferenças. Mas é preciso estar aberto para ouvir o outro, estabelecer novas parcerias e aprender a conviver. O novo pode causar desconfiança, receio e até medo diante do diferente. A proximidade do diferente pode trazer do inconsciente, até pela nossa história de vida, velhos ódios, tensões, amarguras e preconceitos acumulados. Nos tempos antigos, os povos se protegiam daqueles que não conheciam, pois os que pensavam e falavam diferente ou tinham outro aspecto podiam ser uma ameaça e eram tidos como inimigos. E esses, para se proteger, acabavam por atacar. Faz-se urgente a hospitalidade, a mútua acolhida, a abertura generosa ao outro que pensa diferente. Quando vencermos essa barreira, poderemos até pensar em nos “sentar à mesa” para praticar a tolerância, entendendo o outro e aceitando-o, mesmo

que ele tenha ideias e objetivos diferentes. O “sentar-se” somente com quem pensa igual é alienação, é partido, é fechar-se à possibilidade de mudança. O ser humano está em constante transformação! Assim, aquele que se fecha em seus conceitos e ideias fica engessado, não se renova. A formação de séculos que recebemos nos faz acreditar que o nosso inimigo é aquele que cria a possibilidade de gerar conflitos, e que o amigo é o que concorda, que não nos critica e só tem palavras de afirmação. Na verdade, quando somos criticados por alguém, já ficamos receosos e evitamos a pessoa. Segundo o estudo de Samuel Huntngton, no livro o Choque das Civilizações, “os inimigos são essenciais para os povos que estão buscando sua identidade, pois só sabemos quem somos quando sabemos quem não somos e quando sabemos contra quem estamos”. Para estabelecer essa relação com o próximo, devemos ter como regra esta passagem: “Não façais para o outro o que não quereis que o outro vos faça!” ou: “Tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles!” (Mt 7,12). O beato João Paulo II dizia em favor da vida e da dignidade do ser humano que é possível trabalhar junto com o que pensa diferente (ou que tem outra doutrina), pois o preconceito não pode cruzar nossos braços nem permitir que vidas se apaguem. Em um jogo de futebol, todos os jogadores devem se empenhar para ganhar e, unidos, partir contra o adversário. Mas, infelizmente, muitos ficam chutando a canela dos próprios companheiros de time. Enquanto isso, o adversário marca os gols e acaba vencendo. Precisamos nos unir diante das dificuldades e focar nossas forças contra o mal. Precisamos nos aliar, ao invés de ficar olhando para as nossas diferenças. Pois enquanto defendemos nossos interesses pessoais, corremos o risco de perder vidas. Ao nos verem, as pessoas não irão falar: “Olha como eles se amam!”, mas vão dizer: “Que povo dividido!”. Enquanto as doze tribos de Israel permaneceram unidas, elas se apoiavam e se respeitavam, e nenhum inimigo conseguia derrotálas, mas quando começaram a se dividir, a se preocupar apenas com os próprios interesses, esqueceram-se de vigiar as muralhas. Assim, os inimigos de Israel entravam e massacravam a muitos. Não somos obrigados a ser iguais, mas, dentro das possibilidades, devemos nos amar e nos respeitar. Só assim cresceremos enquanto pessoas.

Eliana Merchan

Comunidade Jesus Caminho Seguro


questões de fé | 19

Concílios

E

noções gerais e Vaticano II

ste artigo visa transmitir alguns esclarecimentos a respeito dos Concílios, em especial o último realizado, o Concílio Vaticano II. - O que é um Concílio? Concílio é a assembleia de todos os bispos do mundo que, em comunhão com o Bispo de Roma e Sucessor de Pedro, procura esclarecer questões de fé, de moral ou da vida prática da Igreja. - Qual foi o primeiro Concílio e quantos já ocorreram na história da Igreja? Em certo sentido, um primeiro encontro assim se deu em Jerusalém, na época dos Apóstolos, para decidir uma grave questão: Os pagãos que se convertessem ao cristianismo precisavam ou não cumprir a Lei de Moisés e o Antigo Testamento? (cf. At 15,1-35). Ao longo da história da Igreja ocorreram, ao todo, vinte e um Concílios Ecumênicos. - O que significa Concílio Ecumênico? “Ecumênico” aqui não significa que seja uma reunião com outras religiões, mas que o Concílio vale para toda a Igreja; isso para distinguir dos Concílios regionais ou nacionais, com bispos só de uma região ou de um país. Os Concílios Ecumênicos têm autoridade sobre toda a Igreja de Cristo, pois aí está reunido o Colégio dos Bispos juntamente com o Papa, como o Colégio dos Apóstolos juntamente com Pedro. - Quais pensamentos moveram o beato João XXIII a convocar o Concílio Vaticano II? O Papa convocou o Vaticano II em 25 de dezembro de 1961, que foi solenemente aberto por ele em 11 de outubro de 1962 e encerrado por Paulo VI em 8 de dezembro

de 1965. Visava principalmente a evangelização do mundo de hoje e a renovação da Igreja Católica ante às exigências do mundo atual (1965) e como a Igreja deve se apresentar a este mundo para ser eficazmente o sacramento universal da salvação. O Sumo Pontífice considerava que estávamos entrando num período grave da história humana e nem imaginava o quanto isso iria se agravar. O Vaticano II produziu, no total, 16 documentos para a Igreja, a saber: 4 Constituições (os mais importantes): Dei Verbum (Revelação Divina); Lumen Gentium (Mistério da Igreja); Sacrosanctum Concilium (Sagrada Liturgia); Gaudium et Spes (Relação da Igreja com o mundo atual - do ano1965). 9 Decretos: Ad Gentes; Presbyterorum Ordinis; Apostolicam Actuositatem; Optatam Totius; Perfectae Caritatis; Christus Dominus; Unitatis Redintegratio; Orientalium Ecclesiarum; Inter Mirifica. 3 Declarações: Gravissimum Educationis; Nostra Aetate; Dignitatis Humanae. Fonte:www.domhenrique.com.br

Paulo Francisco Tellaroli Comunidade Jesus Caminho Seguro


20 | pequeninos de Jesus

Olá , pe qu e n in os!

C

hegamos mais uma vez ao mês de maio, mês tão lindo, que nos lembra nossa mãezinha da terra e nossa Mãezinha do Céu, Maria Santíssima. Jesus, que é nosso único e verdadeiro caminho seguro, nos ensina que devemos amar e respeitar nossa mãezinha da terra. Assim estaremos honrando ao nosso Deus Pai, que nos deu a vida através do corpo da nossa mãezinha da terra. Leia Lucas 2,41-52.

Atividades Oração a São José Operário (Necessidade: emprego) Ó meu querido Santo Trabalhador, que em vida fizeste a vontade de Deus através do trabalho, abre as portas do comércio para que eu possa conseguir um emprego. Dá-me força e coragem para não desistir no primeiro não. Que eu tenha a disposição de Santa Teresa d’Ávila, a simplicidade de Maria de Nazaré e a força de Santo Antônio. Orienta os nossos governantes para a distribuição dos bens do país. Protege as nossas famílias para que não se deixem vencer pela seca, pelo medo, pela violência, pela falta de trabalho e dá-lhes esperança no Domingo da Ressurreição. Meu São José, padroeiro dos trabalhadores, não me deixes sem o pão de cada dia e sem a perspectiva de um novo dia para minha família. Prometo, com o dinheiro do meu futuro emprego, ajudar uma instituição de caridade e divulgar essa devoção. Por Cristo, Senhor nosso, amém! Leia um texto da Bíblia: Mt 2,13-23 e reze uma Ave-Maria e um Pai Nosso.

Fonte: cancaonova.com

Izilda Ap. Muraca Comunidade Jesus Caminho Seguro


reflexão bíblica | 21

Jesus,

o maior comunicador de todos os tempos

C

inco de maio, comemorando o Dia Nacional Das Comunicações, aproveitamos para dizer que, sem dúvida, Jesus foi o maior comunicador de todos os tempos. Ele viveu num tempo em que os meios de comunicação eram limitados, não existia a abundância das tecnologias de hoje: TV, internet, celular etc. Além da palavra, a única forma de comunicação era através de alguns escritos, aos quais pouquíssimos

tinham acesso. E Jesus anunciou por apenas três anos, não deixando nenhum relato de próprio punho sobre seus ensinamentos e nem autobiografia. Assim mesmo, foi o homem que dividiu o tempo: a.C./d.C. Seus ensinamentos atravessaram culturas, povos, séculos e chegaram até aqui com a mesma intensidade de quando falou. Jesus era dotado de inúmeras qualidades, todas elas relatadas na própria Bíblia. Vejamos algumas: Suas palavras convenciam, pois eram cheias de sabedoria - “Todos os que o ouviam estavam muito admirados com a sua inteligência e as respostas que dava” (Lucas 2,47). - “Todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que lhe saíam dos lábios, e perguntavam: ‘Não é este o filho de José?’” (Lucas 4,22). - “Então, os judeus se maravilhavam e diziam: ‘Como sabe estas letras, sem ter estudado?’” (João 7,15). - “Respondeu-lhe Simão Pedro: ‘Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna’” (João 6,68). Profetizava sem medo - “Então, Pedro se lembrou da palavra que Jesus lhe dissera: ‘Antes que o galo cante, tu me negarás três vezes’. E, saindo dali, chorou amargamente” (Mateus 26,75). Tinha autoridade e poder - “Todos ficaram grandemente admirados e comentavam entre si, dizendo: ‘Que palavra é esta, pois, com autoridade e poder, ordena aos espíritos imundos, e eles saem?’” (Lucas 4,36). - “Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina; porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não

como os escribas” (Mateus 7,28-29). - “Perguntou-lhes, então, Jesus: ‘Por que sois tímidos, homens de pequena fé?’ E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande bonança” (Mateus 8,26). Usava o remo da palavra juntamente com o da cura - “Chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele, meramente com a palavra, expeliu os espíritos e curou todos os que estavam doentes” (Mateus 8,16). - “‘Vai, disse-lhe Jesus, teu filho vive.’ O homem creu na palavra de Jesus e partiu” (João 4,50). Fazia análise de seus ouvintes, conhecia o público antes de comunicar-se - “Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: ‘Por que cogitais o mal no vosso coração?’” (Mateus 9,4). - “Jesus ouviu o que eles estavam dizendo e perguntou: ‘Por que vocês estão discutindo por não terem pão?’” (Marcos 8,17). Citamos aqui algumas das qualidades de Jesus, mas sabemos que na Palavra podemos encontrar muito mais da sua pedagogia de anúncio, que tem muito a ensinar a cada um de nós. Acreditamos que Jesus está no tempo e lugar em que estamos, através da presença eucarística e do Espírito Santo que habita em nós. E a vantagem é que contamos com recursos e meios que não existiam naquele tempo. Então, mãos à obra!

Eliana Merchan Comunidade Jesus Caminho Seguro

Mês de Abril Licenciamento de veículos placa final 2


Maio 2012  

`Revista da Comunidade Jesus Caminho Seguro - Bebedouro - SP

Advertisement