Issuu on Google+

Test drive

S

E

Aprender sempre

Os caminhoneiros não querem brincar de caminhão. Querem aprender novas tecnologias e conhecer o que há de melhor no mercado.

Q

uem não gostaria de dirigir um caminhão com caixa automatizada, muitos recursos tecnológicos e praticamente zero quilômetro? É isso que os test drive promovido no 7º Santa Rosa Truck Show oferece aos caminhoneiros. “O que atrai os motoristas a fazerem o test drive é a vontade deles de aprenderem mais”, afirma Nelson de Moraes, coordenador Geral do test drive. “Os caminhões evoluíram muito tecnicamente, tem muita tecnologia embarcada, informática em grande quantidade. São fáceis de dirigir, mas o motorista tem que ter preparado para interpretar todos os sinais que o caminhão passa”. Todas as marcas têm motores eletrônicos que exigem um preparo do motorista. Fazendo o test drive com todas as marcas, é possível adquirir um pouco mais de conhecimento para quando for procurar emprego ele saber qual o caminhão que está dirigindo. Já ter dirigido aquele modelo que tem tecnologia embarcada irá facilitar a vida dele e aumentar a chance de arrumar um emprego.

Os felizardos Germano Strelin, de 52 anos e oito de profissão é proprietário de um VW 16.220, com o qual transporta carga seca para todo o Brasil, partindo de Erechim

– RS. Andou com o Mercedes-Benz Axor 2035. “Achei muito bom o caminhão”, disse Strelin. “Tem um excelente desempenho. Consegui trocar as marchas com facilidade e senti que é bem confortável e oferece uma boa visibilidade”. O que mais chamou a atenção do caminhoneiro foi o conforto do caminhão. Alex Pedroso, de 21 anos é caminhoneiro há apenas seis meses. Transporta contêiner de Navegantes para Itajaí com um Scania 111 de uma empresa. Ele dirigiu o Iveco Stralis 420. “O caminhão é muito bom, é muito confortável e tem um motor muito forte”, disse Pedroso, que ficou maravilhado com a força do motor. Roberto de Melo, de 24 anos e três de profissão, é empregado e dirige um Constellation 19.370 transportando contêiner de Palotina (PR) a São Francisco do Sul (SC). Dirigiu um VW Constellation 25.370. “Resolvi testar esse caminhão porque futuramente pretendo trabalhar com um bitrem”, antecipou Melo. “Gostei muito do conforto, da potência e do desenho da cabine que é muito bonito, chama a atenção na estrada”. Para Melo, o que mais impressionou foi o conforto. Paulo Éder Fiamoncini, de 24 anos e caminhoneiro desde os 19 anos. Atualmente é empregado transportando combustível na região de Itajaí, com um Mercedes 1620. Dirigiu um Ford Cargo

2428e. “Achei muito bom com um excelente torque, anda bem, confortável, tem um painel bem completo e de fácil visualização. Além disso, o acesso à cabine é bem fácil”, analisou Fiamoncini, a quem o torque, a “saída fácil” do modelo foi o que mais chamou sua atenção. m

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Alex Pedroso

Germano Strelin

Paulo Eder Fiamoncini

Roberto de Melo

22

Caminhoneiro ed253.indd 22

12/13/08 12:44:11 PM


253_TESTDRIVE