Page 44

ERECHINENSE Texto// Jonathan Holdorf

CORREIO

VOCÊ ESTÁ PRESO! PREPARE-SE PARA FAZER O VESTIBULAR! Uma das coisas que eu mais imagino nesse universo é “como será que a cadeia funciona?”. Sério, nunca estive em uma, e acho que deve ser uma experiência interessante, dependendo do ponto de vista. Lembro-me muito bem de assistir aquele belo programa de entretenimento chamado “Domingo Legal” e sempre era presenteado com matérias onde médiuns iam até as penitenciárias para conversar com antigos detentos que tomaram um rumo complicado nas vidas: passaram daqui para uma - provável - pior. Era engraçado isso, porque a maioria dos presos nunca se sentiu feliz em falar com outras pessoas, dar depoimentos ou deixar escapar qualquer indício de sua culpa. Eu pergunto: qual seria o sentido de eles conversarem depois de estarem mortos? Bem, cada um com a sua opinião. Anteriormente eu disse que gostaria de saber como funciona o dia a dia na cadeia, ver como realmente é a convivência entre os residentes daquela casa bacana, porém creio que não será possível tão cedo (eu acho). Portanto, resta-me imaginar: Sei que eles levantam para tomar o café da manhã. Lá, encontram alguns bolos recheados, uma ótima máquina de cappuccino e alguns jornais recentes para que possam ler enquanto desfrutam do desjejum. Após isso, voltam para a cela e ficam trancados por um bom tempo com alguns livros de biologia, história, geografia, matemática, além de todos os outros que usaram na escola. O diretor os chama para alinharem-se novamente ao meiodia e manda-os até o refeitório para que tenham

//44

o luxo de usufruir da melhor comida oferecida pelo local: miojo. Durante a tarde, os amados detentos ficam livres pelo pátio para que façam as atividades que desejarem, e ao anoitecer voltam para a confortável cama que os aguarda.

VIU SÓ? NÃO DEVE SER TÃO RUIM ASSIM. Esta descrição acima me lembrou outra coisa que me faz voltar lá para os tempos de escola e como eu adorava passar manhãs e tardes com os meus colegas em uma sala de aula com mais de cinquenta alunos. Sério, cinquenta. E isso nem é piada de um jornal fictício de Erechim. O terceiro ano do Ensino Médio foi muito divertido, apesar de eu não ter conseguido me preparar muito bem para o vestibular daquela época. A quantidade de alunos naquele cubículo fez com que os estudantes se sentissem um pouco presos e sem condições para abrirem as mentes ao belo universo do aprendizado. Assim como eu, você deve ter ouvido dos seus professores: “Esse ano é importante, porque você vai fazer vestibular logo”; “nós estamos preparando vocês para passar em uma federal”; “se você não fizer as questões complicadas, como vai querer entrar em uma boa instituição de ensino?”. Olhando para o passado, realmente aqueles avisos eram verdadeiros e todos nós, no final das contas, ficamos trancafiados naquela maldita cela chamada Vestibular. Sim, eu sei, não precisa nem perguntar. É

Revista Box - Maio 2012  
Revista Box - Maio 2012  

Terceira edição da Revista Box, uma revista com fotografias bonitas e conteúdo de qualidade, que para nós, é a tradução do que entendemos po...

Advertisement