Page 36

ESPECIAL RALLY

A PROPÓSITO... outros; pintura de toda a carroceria; colocação do chicote elétrico; montagem do painel do carro e colocação da parte mecânica do carro (quadro de suspensão, amortecedores, diferencial, semi-eixos, caixa de transferência e motor). Há outras mudanças que devem acontecer para que o carro esteja pronto para competir no rally de velocidade. Ulisses Bertholdo as explica: o carro ganha amortecedores especiais de rally; rodas especiais para o esporte; pneus específicos; blocantes especiais - dianteiro e traseiro; caixa de câmbio DOG (caixa de câmbio com dentes retos onde não se utiliza a embreagem para troca das marchas) além de trocar os freios originais por outros homologados para rally.

cada tipo de terreno (utilizamos da marca Raiger). Esse amortecedor tem em média 30 regulagens e para cada tipo de regulagem: compressão (bond), distensão (rebond) e alta velocidade (fast speed). Utilizamos também um freio de mão hidráulico que facilita muito nos pêndulos e curvas muito fechadas. Esse freio de mão se comunica com a central do diferencial central desligando a tração traseira assim que é acionado”, acrescenta Bertholdo.

//36

Os valores citados abaixo são aproximados e para carros de tração 4x4, categoria Classes 2 e 3:

Suspensão: 16 mil Euros Pneu: R$ 600 reais cada. Em uma etapa como Erechim, se gasta em média 12 pneus. Câmbio: 16 mil Euros Central eletrônica: Motor + Caixa de Transferência + Programa – 25 mil Euros

Entre os itens de segurança específicos para a competição estão bancos do tipo concha homologados, cinto de seis pontos e extintor homologado. “Na parte inferior do carro colocamse protetores (de uma liga especial de alumínio) para o motor, câmbio, tanques de combustível, tubulações de freio, diferencial traseiro e braços de suspensão”, enfatiza o piloto e preparador. A central eletrônica é trocada por uma programável (no caso da UB Rally, é da marca Motec). Troca-se também a central eletrônica do diferencial, central esta que cuida da distribuição de potência para as quatro rodas. “No nosso caso também utilizamos uma central reprogramável da Motec. O câmbio, utilizamos um DOG Ralliart onde não é necessário utilizar a embreagem para troca de marchas, facilitando muito a vida do piloto onde ganha-se preciosos segundos a cada especial (trecho cronometrado). Na suspensão trocam-se os amortecedores e molas originais por especiais de rally com inúmeros tipos de regulagem para

ALGUMAS CURIOSIDADES

Créditos: Fabrício Raimundi

FICHA TÉCNICA DE UM 4X4 Um carro de tração integral, como o Mitsubishi Lancer Evo 10 de Ulysses Bertholdo, tem alguns números impressionantes.

Velocidade final: Dependendo da relação do câmbio: Pode-se chegar a 230 km/h na estrada de chão. Torque: 60 a 70 Kgf Potência: 300 cv Créditos: Fabrício Raimundi

Tração: 4x4 permanente

Revista Box - Maio 2012  

Terceira edição da Revista Box, uma revista com fotografias bonitas e conteúdo de qualidade, que para nós, é a tradução do que entendemos po...

Advertisement