Issuu on Google+

Biomassa BR

RE VI S TA B RAS I L E I RA D E B I O M AS S A E E N E RG I A

Vol. 6 Nยบ 28 - Nov/Dez 2016

2016

Um ano positivo para o setor de Biomassa e Energias Renovรกveis

www.revistabiomassabr.com


ÍNDICE

Cláudio F. Oliveira, Douglas Garcia e Michael Curi

PÁGINA 04

Matheus Dias

PÁGINA 10

PÁGINA 18

Revista Biomassa BR 3


4 Revista Biomassa BR


6 Revista Biomassa BR


8 Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR

21


10 Revista Biomassa BR


12 Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR

13


14 Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR 15


16 Revista Biomassa BR


18 Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR

9


20 Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR

7


22 Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR

19


24 Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR 25


26 Revista Biomassa BR


EXPORTAÇÃO DE P E LLE TS C O M E Ç A A VI RAR REALI DADE

O Japão pode ser um grande parceiro a médio e longo prazo. Um pe-

dido formal vindo de uma empresa japonesa “SUMIMOTO”, foi enviado ao governo com demanda de melhorias para a exportação desta biomassa com alto valor agregado.

A ideia é facilitar a exportação de pellets produzidos a partir de biomassa de cana-de-açucar para o Japão. O mercado Japonês é um dos maiores do mundo. O problema é que pela atual classificação do produto, ele entra como resíduo, com a mudança comércio vai ficar mais favorável e lucrativo.

O bagaço e a palha da cana são usaMercado para exportação de dos como matéria-prima pela emPellets começa a presa na produção dos pellets. amadurecer no Brasil


2017: A NO PROMISSOR PA RA O SETOR DE PEL L ETIZA ÇÃO

"O mercado internacional de pellets é muito grande. O Brasil tem todas as condições de ser um dos atores quanto ao fornecimento de pellets em nível global."

Tudo indica que 201 7 será um ano importante para a geração de energia com biomassa.

A provável retomada na economia, necessidade de tecnologias limpas e renováveis na maA abundância e triz energética diversificação de para que o país possa cumbiomassas existentes no Brasil que po- brasileira, as metas assumidas na COP21 , são dem ser transformados em pellets, são prir alguns dos indicativos de que o muito maiores que qualquer outro país apenas setor vai continuar crescendo em 201 7. do mundo.


Empresa Chinesa Zhengchang é destaque do setor de Biomassa no Brasil

Empresa conta com sede própria em Curitiba e tem planos audaciosos para o mercado Brasileiro

A

Zhengchang é uma das maiores fornecedoras de equipamentos e projetos completos para fabricação de ração da China. Fundada em 1 91 8, a empresa atua em 1 05 países nos 5 continentes se tornando primeira na indústria a conseguir os certificados “China Well-Known Trademark”, ISO 9000 e o “National Enterprise of Keeping Promise & Honoring Contracts” emitido pela Secretaria Nacional de Administração para Indústria & Comércio da China. Nossos produtos também obtiveram certidões de conformidade “CE” pelas diretrizes Europeias e o certificado “GOST-R”. A Zhengchang também possui o título de empresa de alta tecnologia emitido pela Asia Famous Brands, o “National Highlight Hi-Tech Enterprise Titles”. Com tecnologia altamente desenvolvida, avançados equipamentos para produção de ração e a capacidade de entregar soluções personalizadas e rápidas para nossos clientes, a Zhengchang já forneceu mais de 8.000 Peletizadoras , conquistou 65% dos fabricantes chineses de ração animal e instalou mais de 3.000 projetos “turn-key”. Essas unidades cobriram os setores de ração para aves, bovinos , suínos, peixes e outros animais domésticos; com uma variedade de aplicações para nutrição ani30 Revista Biomassa BR

mal, tais como ração pronta, ração concentrada e premix. As fábricas contemplam também equipamentos para fertiliznates, armazenagem, peletização de biomassa e tratamento de dejetos. Com mais de 40 anos de pesquisas e desenvolvimento, a Zhengchang é líder na indústria de fabricação de equipamentos para produção de rações na China. A Zhengchang é uma das maiores companhias de projetos de engenharia e fabricação de equipamentos para armazenamento de grãos. Nosso foco é estender o período de estoque de alimentos , preservando a qualidade, prevenindo a contaminação dos mesmos e garantindo a segurança e eficácia do projeto. Os equipamentos de processamento e estocagem de grãos constam nas novas tecnologias contempladas no “Décimo Primei-

ro Plano Quinquenal” da China e conquistaram o primeiro lugar no prêmio de Progresso Nacional em Tecnologia e Ciência. Em seus 96 anos de existência a Zhengchang já entregou mais de 3.000 mil projetos “turn-key” com conjuntos de armazenagem para grãos, óleo, farinha, ração, maltaria, materiais de construção, indústria química, indústria de proteção ambiental e logística de portos, para mais de 1 .800 clientes. Nos comprometemos a manter nosso maior princípio, o de continuar a criar valor para nossos clientes. A Zhengchang continuará a entregar produtos e serviços de qualidade, liderando o desenvolvimento de toda a indústria de processamento de grãos, óleos e ração como um parceiro duradouro e confiável na China e no mundo.


VISÃO

Ser uma empresa reconhecida mundialmente no setor de engenharia e fabricação de equipamentos para processamento de grãos, óleos e ração. Sermos dedicados a melhorar os padrões de vida da população, criando valor para nossos clientes e gerando oportunidades para nossos colaboradores.

CONCEITO

A Zhengchang continuará a entregar produtos e serviços de qualidade, sendo a empresa líder no desenvolvimento de toda a indústria de processamento de grãos, óleos e ração .

HISTÓRIA DA EMPRESA

A Zhengchang é uma das maiores fabricantes de equipamentos para produção de ração, armazenagem de grãos e construtora de projetos completos da China. Focamos em um crescimento sustentável e estável, contribuindo com o desenvolvimento da indústria. 1918 - É fundada a Zhengchang , empresa focada no processamento de óleos e grãos . 1969 - A empresa é renomeada como Local State Liyang Grain and Oil Machinery Plant, focada na produção de equipamentos para o processamento de grãos e óleos. 1973 - A primeira Peletizadora da China é desenvolvida pela Zhengchang. 1977 - Começa a adotar a tecnologia de peletização no processamento de rações , tornando-se a primeira empresa na China a processar peletes. 1983 - É desenvolvido a peletizadora KYW32, com capacidade para produção

de 5 toneladas de ração por hora, trazendo uma nova expectativa para a indústria chinesa de rações. 1988 - A Peletizadora KYW32 da Zhengchang é considerado o grande avanço tecnológico em peletização de ração. 1992 - É fundada a empresa mãe do Grupo Zhengchang e passa a atuar com 6 diferentes empresas em áreas distintas: Zhengchang Maquinas para Grãos, Zhengchang Engenharia de Fábricas, Zhengchang Silos Metálicos, Zhengchang Fábrica de Peças, Instituto de Pesquisas Zhengchang e Zhengchang Processamento de Óleos . 1994 - A Zhengchang Feed Machinery com a Americana CPM criam a primeira joint-venture sino-estrangeira, a CPM Zhengchang Machinery Co., Ltd É fundado o Grupo Jiangsu Zhegnchang que passa a atuar em 4 diferentes áreas da indústria : fabricação de equipamento de produção de ração; construção de projetos; e produção de rações e exploração química de óleos. 1997 - A Jiangsu Huaiyin CP Feed Company (subsidiária do Grupo Zhengchang), com produção anual de 360 mil toneladas é convidada para uma concorrência internacional, vence e se torna primeira empresa a construir projetos completos para produção de ração. 1998 - A Zhengchang comprou a empresa CPM, que era investimento da americana Ingersoll-Rand na China. Com os avanços tecnológicos para melhorar toda a sua linha de Peletizadora, Resfriadores e Moinhos, é fundada a Zhengchang Pellet Mill Die Co., Ltd. 2000 - A Jiangsu Zhengchang Cereal Oil and Feed Machinery Co., Ltd. se aprimora como empresa mais profissional na fabri-

cação de equipamentos para produção de rações e criação de projetos completos para fábricas de rações. 2003 - O Grupo Zhengchang passa por transformações e começa a trabalhar com as maiores empresas de tecnologia da China e do mundo para melhor servir os produtores de ração. 2007 - Adotou programas de Ciências e Desenvolvimento tecnológico do "Décimo Primeiro Plano Quinquenal" da China, conduzindo pesquisas de novas tecnologias e equipamentos chave para a produção de rações, promovendo a industrialização. Isso demonstra o posicionamento tecnológico do Grupo Jiansung Zhengchang no desenvolvimento da indústria chinesa de ração. 2008 - É fundada a Shanghai Zhengchang International Mechanical Engineering Co.,Ltd. para desenvolvimento de serviços para mercados internacionais de ração. O maquinário de alta performance para produção de rações é exibido em Atlanta nos Estados Unidos e competiu com os produtos da Americana CPM e da Europeia ANDRITZ. 2009 - A empresa adota diversos programas do "Décimo Primeiro Plano Quinquenal" da China, alguns tendo sido aprovados e outros já em execução. 2010 - É inaugurado o Centro Tecnológico de Engenharia Zhengchang. O primeiro centro deste tipo na China focado no processamento de ração. 2011 - A Zhengchang desenvolve a Pelitizadora SZLH1 068 Smart Pelleting King; no mesmo ano construímos a fábrica com maior capacidade de processamento de ração da China (1 milhão de toneladas/ano).

Revista Biomassa BR 31


22

Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR

23


T M S A co n f i r m a p r e s e n ç a n a 2 ª E X P O B I O M AS S A Empresa é um dos destaques do setor de Biomassa e Energia no Brasil

Fundada em 1 966 como Tecno Moageira com capital 1 00% nacional, hoje a TMSA – Tecnologia em Movimentação é um dos principais fornecedores no Mercosul de equipamentos para terminais e movimentação de granéis sólidos em altas capacidades e longas distâncias.

perior percebido para movimentação e processamento de produtos, a partir de conjunto diferenciado de tecnologias, sistemas e colaboradores, gerando valor de forma sustentável

balho, a experiência e o talento; Inovação - soluções diferenciadas que agreguem valor às partes interessadas; Intraempreendedorismo - coragem para aceitar desafios e assumir resVISÃO ponsabilidades; Ser uma das melhores empresas para Responsabilidade social e ambiental em prol do desenvolvimento das partes interessadas.

Situada em Porto Alegre/RS e com filiais em Minas Gerais, São Paulo e Buenos Aires conta com uma equipe de engenharia com mais de setenta profissionais especializados em disciplinas como mecânica, elétrica, automação, controle ambiental e processos industriais, oferecendo um se trabalhar, ser referência no Mercoportfólio tecnológico único. sul e atuar globalmente por meio de parcerias no fornecimento de soluCom desenvolvimento próprio ou por ções customizadas e inovadoras para meio de suas alianças com grandes movimentação de granéis, bem como nomes reconhecidos globalmente, participar ativamente no setor de oferece soluções integradas de pa- Energia, mantendo desempenho drão mundial, específicas para reali- econômico superior e sustentável. dade de cada cliente. Todo projeto TMSA se destaca pela confiabilidade, VALORES segurança e durabilidade, mas vai Credibilidade - base para nossos relaalém: oferece uma visão global que cionamentos; integra as questões de custos, ambi- Comprometimento - com a perforentais, sociais e de infraestrutura. mance corporativa sustentável; Satisfazer os clientes - atendimento MISSÃO dos requisitos pactuados; Fornecer soluções mecatrônicas de Complementaridade e diversidade da baixo impacto ambiental e valor su- equipe - ambiente que valoriza o tra-

34 Revista Biomassa BR

ENERGIA

Em um cenário no qual novas energias vêm sendo exploradas, a TMSA novamente tem como foco participar desse mercado. Com seu corpo de engenharia altamente capacitado, está apta a desenvolver projetos especiais, como uma planta de energia solar ou um processo de pellets de madeira com alto poder calorífico, baixa umidade e granulometria uniforme. Estes podem substituir de maneira ecologicamente correta os combustíveis fósseis, altamente poluentes, na produção de energia térmica industrial.

Maiores informações: www.tmsa.com.br

A Feira Internacional de Biomassa & Energia ( 2ª EXPOBIOMASSA) vai reunir alguns dos principais players do setor em nível mundial. A 2ª EXPOBIOMASSA será realizada entre os dias 20 a 22 de junho de 201 7.


ABBM fecha parceria com CIBIO 2017 & 2ªEXPOBIOMASSA Revista Biomassa BR traz entrevista exclusiva com Mario coelho, Presidente da Associação Brasileira de Biogás e Metano (ABBM) Como você avalia a realização da COP21 final do ano passado em Paris, e seus resultados concretos até o final deste ano? A COP21 iniciou com a triste divulgação de que até dezembro de 201 5 não havíamos conseguido impedir a tendência do aumento da temperatura média global de 2ºC. O maior resultado da COP21 foi o do compromisso assumido pelos EUA e China com relação ao estabelecido no artigo 2, letra (a), do acordo, o de atingir um aquecimento global bem abaixo de 2 ºC, limitado a 1 ,5 ºC acima dos níveis pré-industriais. Após as eleições dos EUA esta meta ficou comprometida. O que era esperança passou a ser uma grande incerteza, pois o Presidente Trump estimulará a energia “suja” (Carvão, Gás de Xisto, Petróleo) em detrimento da “limpa”. Portanto o ano fechará com mais incertezas com relação ao aquecimento global do que quando começou.

Na sua opinião o que o Brasil precisa para cumprir as metas e compromissos assumidos no encontro de Paris? O nosso “Pré-Sal” está em nosso solo agricultável (agricultura, silvicultura), nos resíduos de nosso setor de transformação de alimentos e nos resíduos pós-consumo de

alimentos. O Pré-Sal um dia irá acabar, já o Biogás e o Biometano, destas fontes, são intermináveis. O Brasil precisa se concentrar em políticas públicas que possam desenvolver o setor de biogás e biometano. Com isso sobrarão créditos para serem negociados com Países em dificuldades para o cumprimento das metas. O Brasil deve se aproximar da China para estabelecer um mercado de crédito de carbono entre os dois Países. Nosso País é um dos poucos que podem negociar créditos sem Mauro Coelho, presidente da ABBM. que haja prejuízo na contabiliza- ABBM firmou parceria com o CIBIO ção para redução das nossas 2017 & 2ª EXPOBIOMASSA, para emissões. Outros Países podem fortalecer o setor de Biogás e incorrer facilmente no erro da Biometano no Brasil contagem em duplicidade por não possuírem alternativas sufici- do Acordo de Paris, não conhecem entes para redução das suas emis- o real potencial de contribuição sões. Uma vez que os créditos que o setor de Biogás e Biometano sejam vendidos, estes não podem pode dar para a redução das mais ser contabilizados para a na- emissões do Brasil e do mundo. O ção que os emitiu. O Brasil poderá papel da ABBM dentro deste confinanciar vários projetos se souber texto seria o de disseminar o coconduzir este processo para venda nhecimento básico, à respeito do Biogás e Biometano, nas escolas de Certificados. do ensino fundamental, o conheciComo a ABBM pretende ajudar mento técnico em escolas técnicas no desenvolvimento do setor de profissionalizantes e estimular a formação superior e a pesquisa e Biogás e Biometano no Brasil? desenvolvimento nas universidaNós percebemos que os principais des. Com isso teremos recursos responsáveis por nossos relatóri- humanos suficientes para ocupar os, enviados aos Países membros o espaço necessário dentro da cadeia de suprimentos, que obriga-

Revista Biomassa BR 35


toriamente haverá de surgir, para que tentes e as que estão sendo desenvol- ometano. Por exemplo, todo novo ino setor de biogás e biometano possa vidas em P&D à nível nacional e vestimento em frigoríficos poderiam tratar todos os seus resíduos se estabelecer em solo brasileiro. através de uma planta de bioA associação fechou uma par- "O setor está bem movimentado. gás. Além da falta de conheciceria para o CIBIO 2017 – Con- A demanda de projetos e busca mento outro fator que inibe os gresso Internacional de por financiamentos aumentou investimentos são as garantias exigidas pelos bancos. A granBiomassa. Como você avalia o muito este ano". de maioria dos agricultores e papel de um evento reconheprodutores de animais já poscido internacionalmente como o CIBIO, e como esta vitrine pode internacional, é o principal papel de suem financiamentos, que consomem toda a possibilidade destes aportarem ajudar a discutir um futuro promis- eventos como este. outras garantias para o investimento sor para estas fontes de energia? Este congresso é importantíssimo por Para os próximos anos como você em um planta de biogás. O setor precireunir pessoas de todos os setores li- avalia a real possibilidade de cres- sa urgente de uma linha exclusiva de gados à energia, para discutir alternati- cimento e inserção do biogás e Bio- financiamento para que mais investivas de geração que não contribuam metano na matriz energética mentos em Biogás e Biometano possam ocorrer. É muito confusa a oferta para agravamento dos efeitos causa- nacional? dos pelo aquecimento global. Biomas- O setor está bem movimentado. A de- de financiamento para o setor, pois sa é um tema bastante complexo, pois manda por projetos e busca por finan- sempre está atrelado à outros objetinão é responsável somente por gera- ciamentos aumentou muito este ano. vos. Financiamento com juros de 8% ção de energia, mas também pelo ar- Existe uma gama muito grande de in- a.a. e acesso ao FGI (Fundo Garantimazenamento da mesma. Além disso vestimento reprimida em função da fal- dor para o Investimento) seria o ideal contempla uma gama de oportunida- ta de conhecimento por parte dos para que 201 7 fosse considerado o des na chamada “Petroquímica Verde”. empresários à respeito das tecnologias marco inicial de investimentos maciços Divulgar todas as alternativas já exis- utilizadas para geração de Biogás e Bi- em biogás e biometano.


Revista Biomassa BR

43


44

Revista Biomassa BR


Revista Biomassa BR Ed 28