Page 22

Acústica, para quê? por M. Eduarda Pereira da Silva

Penso que todos nós já experienciámos uma ou mais situações em que comentámos “Péssimo som!”, “Que local barulhento, não te ouço bem!”, “Parece que os teus vizinhos moram cá em casa!”. Pode acontecer, e é muito provável que já lhe tenha acontecido, em todo o tipo de espaços, desde salas de concertos à casa de alguém, passando por restaurantes, salas de conferências, salas de aula, salas de cinema e até mesmo lojas ou foyers de hotel! Pois é. Quando em fase de projecto ou em obra alguém questiona sobre a importância de um projecto de acústica, creio que é possível imaginar variados exemplos em que o mesmo tem importância, quer por meio de bons exemplos quer através de maus exemplos, sendo que, me atrevo a afirmar, ainda existem menos dos primeiros do que dos segundos.

[22]

A Acústica é a ciência que estudo o comportamento do som. Numa sala de espectáculos a sua importância é talvez a mais óbvia, uma vez que vamos propositadamente para apreciar um concerto, talvez das vertentes mais belas e lúdicas do som. Num teatro e/ou sala de ópera a Acústica é igualmente unanimemente fulcral, dada a necessidade de percepção da palavra, muitas vezes sem auxílio de electroacústica (vulgo sistema de som). Assim como num auditório ou sala de conferência, de uma empresa, de uma escola, de uma faculdade, de um hotel, é também reconhecida a relevância de uma “boa acústica”.

Também nos espaços de restauração, lugares que mais comummente frequentamos, a Acústica começa a revelar o seu alcance e domínio. Actualmente, existe uma maior consciência do desconforto que a falta de condicionamento acústico dos espaços de restauração origina. Comentários como “Que restaurante ruidoso” são frequentes. A boa notícia é que este tipo de espaços também pode ser tratado e, já que falamos nisso, trata-se de uma medida regulamentada. Mas afinal de que se trata um estudo de Condicionamento Acústico? Consta da avaliação de um espaço no que concerne à sua geometria tridimensional, volume, soluções construtivas e revestimentos, face à sua densidade ocupacional, funcionalidade, ao objectivo final e à(s) fonte(s) de ruído em questão. Faz uso da teoria da onda aplicada à transmissão do som, e decorrentes fenómenos de acústica. No presente texto, abordei particularmente aspectos do Condicionamento Acústico ou Acústica Arquitectónica, apenas uma das vertentes Acústica, sem com isso menosprezar o isolamento acústico e a acústica ambiental, entre outras áreas desta vasta ciência. Convido-vos a experienciar, sentir, escutar os espaços que frequentam, numa espécie de reflexão sobre a qualidade acústica dos mesmos!... Afinal, dos cinco sentidos do ser humano, um é a audição, e porque não usufruir dele com a qualidade que merece! Tal será possível com consciência do que a Acústica é, e com exigência enquanto utente dos espaços que frequenta, a par do aspecto estético, programa funcional ou outros aspectos frequentemente alvo de avaliação. Inclua a Acústica (não exclua), celebre os 5 sentidos. Mestre em Acústica Arquitectónica e Ambiental / Eng. Civil e Consultora.

BICA 1  
BICA 1  
Advertisement