Issuu on Google+

1


2


3


EXPEDIENTE

10 A revista BEM VIVER é uma publicação quadrimestral da Construtora Pereira Alvim. Av. João Fiusa, 2777 Tel. 16 3515 5151 Ribeirão Preto-SP marketing@pereiraalvim.com.br Coordenação: Ana Maria Machado Agência: N.Case Comunicação

IRRIGANDO CORPO E MENTE

18

ALIMENTE-SE CORRETAMENTE

24

INVESTIMENTOS

28

CORES NOS AMBIENTES

34

TIRE OS PÉS DO CHÃO

46

70 ANOS DO MAIS BELO SOM

50

A AMAZONIA É NOSSA

54

PRECISAMOS DE MAIS ÁRVORES

58

UMA INFÂNCIA AGITADA

Editor/Jornalista Responsável:

Godi Júnior - MTB: 43.852/SP Jornalistas: Thell de Castro e

Daniel Smith Projeto Gráfico e Editoração Eletrônica: Rita Corrêa Produção Fotográfica:

Ana Maria Machado e Rita Corrêa Fotógrafo Responsável: Paulo Marx Impressão e Fotolito: Gráfica São

Francisco Tiragem: 4000 exemplares Agradecimentos: First Agency Models e Line Gonçalves (maquiagem)

4

EDITORIAL

CLIC EM CASA

CONVIVER

VIAGEM

NEGÓCIOS


5


editorial

OLHARES

DA V I DA

Aqui estamos com mais uma revista Bem Viver. Nesta edição, abordamos como o olhar interfere em nossa vida. Há momentos que ele não muda, porém, em muitos outros, e com o passar do tempo, ele pode ser aprimorado, ou melhor, evoluído. Pensando nisso, preparamos algumas reportagens especiais que abordam a nossa maneira de ver o mundo. Para começar, destacamos na seção Clic em Casa um dos maiores símbolos de perfeição da natureza: a arara-canindé. Uma ave que retrata todas as cores da nossa bandeira e do nosso Brasil. Seguindo nessa linha de belezas naturais, trazemos em Ecologia o paraíso verde do mundo: a Amazônia. A floresta, conhecida como o pulmão da Terra e que já foi de vida, árvores e pássaros, índios e matas, rios e plantas, está ameaçada pelo desmatamento e deve sumir em pouco tempo. O que podemos fazer? Mudar a maneira de olhar para o que é nosso, antes que a perdemos de vista. E se o assunto é perder de vista, nada melhor que balonismo, o hobby que melhor retrata essa frase. Dando seqüência nas matérias, na editoria Mercado, trazemos várias visões de especialistas sobre a crise econômica que vem abalando o mundo. No artigo Conviver, o cirurgião-plástico Dr. Gabarra fala sobre os padrões de beleza do homem e da mulher. Para ele, quando ela se faz bonita, não importa se segue um padrão, pois sua essência será transmitida; já no caso dele, o estímulo para suas ações e razões está exclusivamente na visão. Ainda nesta publicação, destacamos a cromoterapia e a influência que as cores nos proporcionam. Para equilibrar todo esse colorido, temos Tai Chi Chuan e Tui Ná. Na seção de gastronomia, levantamos os alimentos funcionais e naturais, que são verdadeiros medicamentos para o corpo, proporcionando saúde, energia e longevidade. Na editoria Cultura e Arte, destacamos a Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, pois antes de ver, é preciso saber ouvir. Para ajudar a vida de todos a ficar mais bela, uma das matérias dessa edição trata do TDAH –– Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade. Procuramos ajudá-los explicando melhor o assunto, falando do tratamento e dos gênios que foram considerados hiperativos. Como estamos na época de Natal e Ano Novo, esse período mágico, fecho esse editorial com uma frase inesquecível de Leonardo da Vinci. ““As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar””. Boa leitura. José Roberto Pereira Alvim Diretor da Construtora Pereira Alvim

6


clic em casa

DOCILIDADE QUE CANTA E ENCANTA

Envie sua foto: marketing@pereiraalvim.com.br

Esta é a Ava, uma jovem arara-canindé de três anos. Para Melissa Marchesan, dona do animal, o nome é em homenagem a Ava Gardner, atriz muito famosa em Hollywood na década de 1950, que foi uma das esposas de Frank Sinatra. A espécie, que chega a medir 80cm de comprimento, tem como uma das suas principais características conseguir falar várias frases. No caso de Ava, quando está com fome, pergunta: ““cadê a Mel””, referindo-se a sua dona; agora, quando ela está mais carinhosa, fica falando ““beijo-beijo””.

7


BELEZA MESA, De origem grega, a palavra estética significa percepção e sensação. Por meio dela, identificamos a beleza e vivenciamos as emoções que ela causa. Por outro lado, a privação desses elementos leva ao que pode ser considerado ““feio””. Para Platão, o conceito de beleza existe em si mesmo, no mundo das idéias, apartado da interferência, participação e julgamento do raciocínio humano, quanto ao que é ou não é belo. Já para Aristóteles, o belo é inerente ao homem e está relacionado ao mundo das artes, que é uma criação particularmente humana, o que em essência não contradiz Platão, uma vez que, pelas artes, o homem ‘‘explorou’’ as respostas emocionais da ‘‘beleza’’ fascinante e que está em tudo aquilo que desencadeia emoções e sentimentos, levando a um sentido para a existência e para uma verdade ainda que seja ilusão. Assim, encontramos beleza em todos os lugares: numa rosa que abre para expor seu perfume; no deserto de Atacama com sua uniformidade; no Sahara; no Everest; nos templos chineses; em um animal recém-nascido; no som de instrumentos musicais, enfim, em tudo o que a natureza nos apresenta, sendo o homem e a mulher a perfeição da criação divina e suprema beleza. O corpo da mulher contém beleza e sensualidade de uma escultura feita com todo cuidado pelas mãos de Deus, visando o mais belo presente à humanidade. As emoções nos transportam ao mundo do imaginário, onde tudo e nada significam a mesma coisa, e, após tocarmos as nossas próprias verdades, retornamos ao mundo real, diferentes de quando entramos. Portanto, a beleza é inerente ao homem, e não pode estar apartada daquilo que o sensibiliza. Ela desperta as emoções que movem o homem para a tomada de ações, sendo um estado psíquico. No cérebro, o sistema límbico processa os sentimentos e as emoções, levando à auto-estima, autoconfiança, autoconhecimento, com paralisação do raciocínio, para a vivência da beleza. Para chegar ao sistema límbico e sensibilizar, ela necessita ser captada pelos órgãos dos sentidos. Para o homem, a visão, o que ele vê, é o que mais estimula essa área do cérebro. Daí a importância da apresentação e sensualidade da mulher. Ele depende do estímulo visual para suas ações e razões. Já para a mulher, a audição, o que ela ouve, é o que mais estimula tal área. Daí a importância da cortesia, cavalheirismo e fineza ao se tratar com a mulher. A mulher necessita sentir-se desejada e protegida. A beleza feminina e a sensualidade são ótimas cartas de recomendação e têm a ver com

8


conviver

SE PÕE NA SIM o estado de espírito da mulher, auto-estima elevada e sentimentos em harmonia. São praticamente irmãs da felicidade. Estar de bem com a vida, ser independente, gostar-se e ser decidida. Quando a mulher se faz bonita, não importa se segue um padrão de beleza, sua essência transmite tal. Faz parte de nós cuidarmos do corpo, da aparência, do vestuário, do comportamento. Ele é o bem maior que possuímos e não podemos trocar. A medicina, na cirurgia corretiva modeladora (plástica), evoluiu com segurança e resultados surpreendentes para a manutenção da juventude corporal uma vez que a riqueza de emoções favorece a longevidade mental. Nossa estética, nossa moda, nossos costumes, nossas emoções, nosso dia-a-dia, praticamente tudo está voltado ao corpo, que se comunica silenciosamente, pois é o melhor dos instrumentos de comunicação disponibilizados ao ser humano. Nossa vida é nossa religião, o corpo é nosso templo, e cuidar dele é o nosso ato de fé, fundamental e o mínimo que uma pessoa pode fazer para agradecer o dom da vida. Sensualidade e emoções intensas são marcas do atual período, mas é preciso ter cuidado para não valorizar excessivamente as emoções, esquecendo-se de outros aspectos, pois a beleza não está objetivamente no objeto observado e nem em quem o observa. Está na relação entre ambos. A vivência do belo está em um tipo específico de relação que mantemos com o mundo, dialogando com os sentimentos, num ir e vir de sensações, imagens e memórias. O observar e vivenciar a beleza torna a realidade mais leve, dá novo sentido às coisas, suaviza as perspectivas da própria realidade e altera a vivência do tempo. Maravilhar-se com a vida, alegrar-se com pequenos detalhes, ter a curiosidade insaciável das crianças, sempre em busca do belo: isso é ser jovem. Tenha a mente aberta para o mundo, desprenda-se das amarras dos preconceitos, dos padrões estereotipados pela falsa moralidade, e viva a eterna juventude! ““A beleza é a única coisa preciosa na vida. É difícil encontrá-la, mas quem consegue, descobre tudo”” (Charles Chaplin). Dr. Gabarra - Cirurgião Plástico

9


10


FAZENDA

11


bem estar

EM BUSCA DO PONTO DE

EQUILÍBRIO TAI CHI CHUAN:SERENIDADE E SAÚDE PARA UM MUNDO AGITADO Arte marcial chinesa tem vários praticantes em Ribeirão Preto O Tai Chi Chuan é uma arte marcial chinesa, reconhecida também como uma forma de meditação em movimento. Possui, em sua essência, duas partes naturalmente diferentes: o Yin e o Yang, que trazem a idéia de harmonia no universo e em cada ser. Essas forças opostas, e, ao mesmo tempo, complementares, estão sempre interagindo, e proporcionam a continuidade da vida, permitindo que tudo funcione em equilíbrio. Registros históricos revelam que o criador do Tai Chi Chuan foi o mestre e monge taoísta Zhang San Feng, por volta do ano 1.300. No entanto, a origem dessa arte vem do Tai Chi Pai Lin, que em chinês significa 100 anos, e transmite a idéia de longevidade e vida saudável, mesmo após um século de vida. O Tai Chi Pai Lin é um conjunto de práticas chinesas, entre elas a alquimia interna, que durante mais de 5.000 anos foram transmitidas diretamente de mestre para discípulo.

12


O significado das palavras Tai (o maior ou o mais alto, normalmente referindo-se à parte mais alta do telhado, ou cumeeira); Chi (supremo ou absoluto), e Chuan (punho, soco ou luta à mão livre, formando algo como ““punho do limite supremo””), nos revela que a arte era usada para a defesa, inclusive pela guarda imperial e pelo exército republicano chinês. Apesar de ter suas raízes na antiga China, o Tai Chi Chuan é uma arte praticada em todo o mundo. No ocidente, é apreciado por sua relação com a meditação e

13


com a qualidade de vida, pois traz tranqüilidade e equilíbrio às pessoas que vivem uma vida agitada nas grandes cidades. No Brasil, a prática se popularizou na década de 1960 em São Paulo e no Rio de Janeiro, capitais onde há grande número de chineses. Assim como no Brasil, em Ribeirão Preto também há praticantes do Tai Chi. É o caso de Felício Bombonato Júnior, 51 anos, professor de artes marciais, que pratica Tai Chi desde 1985, época em que fez contato com o mestre Liu Pai Lin, representante da arte no país. Para ele, o praticante busca uma reintegração com a natureza, onde tudo funciona com equilíbrio e harmonia, podendo viver uma vida mais longa e feliz. Por ser discípulo do mestre Liu Pai Lin, Bombonato pratica todos os dias o Tai Chi Pai Lin, técnica desenvolvida pelo seu mestre. Como professor, ele dá várias aulas ao dia, cada uma com duração de 60 minutos e 90 minutos. O lugar ideal é o mais próximo possível da natureza, de preferência ao ar livre. ““O melhor horário é o da manhã, quando a natureza está doando energia, porém, como no Tai Chi aprendemos a ter flexibilidade, podemos praticar em um horário à tarde ou à noite, se isto for necessário””, aconselha. O professor também revela que a prática regular do Tai Chi leva o indivíduo a desenvolver um pleno estado de bem estar interior, proporcionando tranqüilidade permanente, única forma capaz de cultivar e manter a saúde dos órgãos, pois a maior parte das doenças possui suas raízes no desequilíbrio das emoções causadas pelo estresse. ““O envelhecimento do corpo está ligado diretamente ao enfraquecimento da energia ligada aos rins, que é a nossa energia sexual””, explica. A prática constante do Tai Chi pode evitar a maioria das doenças crônicas, como dores de cabeça, insônia, fibromialgia, pressão alta, bruxismo, problemas relacionados ao coração, dores na coluna, problemas relacionados com o sistema reprodutor, cólicas, miomas, fraqueza nas pernas, frigidez, impotência, estresse, ansiedade, síndrome do pânico, entre muitas outras. Os movimentos lentos e suaves proporcionam ao praticante do Tai Chi saúde vigorosa e mente serena, que, por sua vez, geram equilíbrio interior, isolam doenças e modificam o modo de encarar os problemas do cotidiano. ““A mente aflita e agitada transforma um probleminha em um problemão. Já a mente serena transforma um problemão em um probleminha””, conta o professor. Além de indicar a prática do Tai Chi, ele deixa claro que a alimentação saudável é indispensável para uma boa saúde. Adepto do vegetarianismo, afirma que todo alimento vegetal é um remédio e tem seu poder curativo. Portanto, no cardápio diário do praticante devem constar chás, de folhas e cascas, frutas, castanhas, grãos, dois a três litros de água, e os vegetais. A prática do Tai Chi é indicada principalmente para as pessoas acima dos quarenta anos, idade em que começa o período de enfraquecimento da energia vital. No entanto, quem começa antes colhe mais frutos ainda, pois aprende a cultivar sua saúde desde cedo. Para saber mais, entre em contato com o professor Felicio: taichifelicio@yahoo.com.br

TUI NÁ E OS CUIDADOS COM A SAÚDE Da mesma raiz da qual se originou a massagem japonesa Shiatsu, o Tui Ná, que significa empurrar e agarrar, chegou ao Brasil por meio do mestre Liu Pai Lin, que foi um dos introdutores da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) no país. Além de trazer a técnica de massagem chinesa, ele ajudou a difundir a prática do Tai Chi Pai Lin e da Meditação Tao Yin. As técnicas trazidas pelo mestre despertaram o interesse de inúmeros terapeutas, inclusive a ribeirão-pretana Josefina Goes Nunes, a Jô, professora de Tai Chi Chuan e terapeuta de Tui Ná. Depois de aprender a técnica com o mestre Pai Lin, em 1993, Jô especializou-se e atende pacientes de todas as idades com os mais variados tipos de sintomas. Ela utiliza a massagem chinesa e garante que é

14


possível livrar-se da maioria das dores que afligem as pessoas. Para ela, os resultados positivos não são novidade. ““Não há nenhum milagre. É só praticar a medicina tradicional chinesa e aprender a se conhecer, a entender a origem dos sintomas e se cuidar com os exercícios do Tui Ná””, explica. As queixas dos pacientes abrangem todo e qualquer desequilíbrio de saúde, desde enxaquecas severas, hipertensão, dores de coluna e nas articulações, desequilíbrio de tireóide, cansaço generalizado, entre outros. Há também pacientes com câncer, que buscam no Tui Ná uma forma de minimizar os efeitos agressivos dos tratamentos tradicionais. A terapeuta diz que a medicina chinesa promove o equilíbrio. ““Ela proporciona ajuda mútua entre os órgãos, não prejudicando um para fortalecer o outro””. Como a base do Tui Ná é o uso das mãos, que empurram, apertam e movimentam, a terapeuta garante que a qualidade dos resultados do Tui Ná está diretamente ligada à energia circulante nas mãos de quem a aplica. ““Se estiver realmente praticando a medicina milenar chinesa, o terapeuta nunca tocará um paciente com as mãos desenergizadas. Por isso, é importante conhecer as práticas para evitar que isso ocorra””, aconselha. Na medicina chinesa, os alimentos são consumidos como fonte de nutrição e prazer, e também como elementos de cura e manutenção da saúde. É recomendável não abusar e não suprimir a proteína animal, além de comer alimentos coloridos, pois há mais chances de nutrir com as cinco cores os cinco pares de órgãos internos. A MTC ensina que cada par de órgãos está associado a um sabor, uma cor e uma estação do ano. No inverno, os rins ficam mais fragilizados, por isso é importante comer feijões em geral, gergelim preto, levemente moído e suco de melancia, batido com as sementes. Deve-se evitar alimentos muito salgados, que causam dores lombares, além de prejudicar o funcionamento dos rins. Já na primavera, o sabor é o azedo, que ajuda a desbloquear a energia do fígado. Recomendase comer frutas com amora e acerolas, além de sucos de maçã, de melancia com a polpa esverdeada, e chás de ramo de amoreira e de jasmim.

Mestre Liu Pai Lin Nascido em Tianjin, na China, em 8 de dezembro de 1907, o Mestre Liu Pai Lin, além de ser um dos introdutores da Medicina Tradicional Chinesa no Brasil, ficou conhecido por ser o maior divulgador do Tai Chi Chuan taoísta em terras brasileiras, e um exemplo vivo dos benefícios da sua prática. Até o seu falecimento, em fevereiro de 2000, aos 93 anos de idade, manteve uma saúde de fazer inveja à maior parte dos jovens, e uma tremenda vitalidade. Naturalizado brasileiro, Liu Jen Yu, como foi batizado, adotou o nome Pai Lin, que em chinês significa cem anos, para expressar seu desejo de que todas as pessoas possam ter uma vida longa e saudável: ““Não é só o meu próprio nome, mas o de todos que se dediquem de coração a essas práticas””, Mestre Liu Pai Lin, em 1992.

15


16


17


18

gastronomia


DIGA-ME O QUE

VOCÊ COME ... 19


P

ara viver cada vez mais e com melhor qualidade de vida, é preciso uma boa alimentação. Estudos comprovam que muitas doenças, entre elas as que mais matam no mundo, como obesidade, infarto, derrame, diabetes, câncer de próstata, de intestino e de mama, estão diretamente associadas a uma dieta de má qualidade. No mundo capitalista, sempre estão surgindo novos medicamentos e tratamentos, mas o melhor remédio, com certeza, é uma alimentação balanceada, de preferência com alimentos naturais. Melhora a saúde, o humor, a disposição e conseqüentemente as relações pessoais. A jornalista Rachel Lopes, especialista em assuntos de saúde, ressalta que, cada vez mais, as pessoas devem consumir alimentos funcionais, ou seja, com funções úteis ao organismo. ““Os estudos comprovam que certos alimentos são excelentes fontes para redução do risco de doenças. Limonóides são encontrados em frutas cítricas, principalmente nas cascas, flavonóides (soja) previnem a osteoporose, doenças de pele, entre outros””, afirma. ““Não devemos duvidar do poder que a natureza confere à nossa alimentação. Em cada alimento, encontramos uma propriedade natural que favorece determinado ponto do nosso corpo””, completa. A nutricionista Gislaine Ansanello, de Cravinhos, ressalta que, quanto mais se estuda, mais pesquisas mostram a importância de uma melhor qualidade de vida. ““E isso implica em ter um hábito alimentar saudável, praticar esportes, enfim, se relacionar de uma maneira satisfatória com o mundo ao seu redor””, afirma. Gislaine, inclusive, dá alguns exemplos de bons alimentos: ““O mel fornece energia e fonte de vitamina B2. O arroz integral é fonte de energia e rico em fibras. Própolis é rico em flavonóides, vitamina B1, B2, B6, B12, C, D e E, ajudando na prevenção de doenças e principalmente atuando no sistema imunológico””, explica. Mas além de escolher bem os alimentos, é necessário investir em educação nutricional. ““Sempre ajuda, e quanto mais cedo chegar ao lar, melhor. Porém não será apenas alertando sobre alimentos com gorduras ruins que iremos evitar algumas doenças. Temos que providenciar meios para que uma alimentação balanceada seja possível para a população, independente de sua condição financeira. É importante lembrar que matar a fome não garante uma população bem nutrida e livre de doenças””, alerta a nutricionista. Fica a dica de Bem Viver: como dizia Hipócrates, faça do alimento o seu medicamento.

CUIDE DE SUA ALIMENTAÇÃO, VIVA MAIS E MELHOR AÇAÍ É uma fruta rica em proteínas, fibras e lipídios, que pode ser consumida de diversas formas: sucos, doces, sorvetes e geléias. É muito consumido na tigela, onde a polpa é acompanhada de fruta e até mesmo de outros alimentos. É um ótimo energético, sendo que cada 100 gramas possuem 250 calorias. Encontramos no açaí as vitaminas C, B1 e B2, além de boas quantidades de fósforo, ferro e cálcio.

20


ARROZ INTEGRAL Conta com fibras, vitaminas e minerais, é isento de glúten e de fácil digestão. Considerado um alimento básico para uma alimentação saudável. A presença das fibras ajuda no bom funcionamento do sistema intestinal, prevenindo a prisão de ventre, diabetes e alguns tipos de câncer. Existem três tipos de arroz integral (cateto, agulha e vermelho), mas seus valores nutricionais são basicamente os mesmos.

MAMÃO É calmante, digestiva e laxante, sendo bastante indicada para quem possui o estômago sensível, quer manter o peso ou está querendo emagrecer, já que possui baixas calorias. Possui alta quantidade de betacaroteno, que atua como formador de vitamina A. Mas atenção: deve ser consumido sem exagero.

MEL Considerado um fluido viscoso, aromático e doce, o mel é elaborado a partir do néctar das flores. As características do seu sabor podem ser alteradas de acordo com o tipo de flor utilizada, clima, solo, umidade, altitude, entre outros, afetando até mesmo na cor e no aroma do mesmo. Trata-se de um alimento nutritivo terapêutico. Rico em glicose, frutose, minerais, enzimas, água e partículas sólidas provenientes da colheita. Alguns tipos apresentam maior teor de sacarose que outros.

PEIXE Peixe grelhado ou cozido (não frito) reduz o risco de infarto, especialmente o salmão. A ingestão de peixe grelhado ou cozido (como atum), de uma a quatro vezes por semana, diminui em 27% o risco de infarto em pessoas acima de 65 anos. Os peixes contêm Ômega 3, que é bom para os vasos sangüíneos, pressão arterial e inflamações.

21


PRÓPOLIS Vem sendo utilizada na cura de várias doenças. Pessoas com problemas respiratórios e alérgicos são as que mais utilizam os ““poderes”” da própolis, sabendo-se que a mesma é um antibiótico natural. Possui um valor nutricional direto, pois compreendem pequenas quantidades de proteínas, aminoácidos, refrigerantes e açucares e vitaminas (A, B1, B2, B6, C e E). A Própolis está sendo usada por seres humanos como terapêutico, tendo seu quadro farmacológico entendido à grandes áreas da saúde (Cardiovascular, dentário, respiratório, anticancerígena, anti-oxidante, cicatrizante, anestésica, imunológica, entre outros). Esse produto não apresenta contra indicações em seres humanos e animais desde que ministrados em quantidade correta. São raríssimas as reações adversas para o uso da própolis que estão documentadas na literatura mundial.

DICAS PARA UMA BOA ALIMENTAÇÃO Coma a cada três horas, pois isso mantém a taxa de açúcar no nível certo e evite que se chegue à próxima refeição com muita fome e se coma mais que o necessário; Se possível, faça suas refeições todos os dias nos mesmos horários; Não trabalhar, ler ou assistir TV durante as refeições; Descansar 10 a 15 minutos após o almoço e caminhar 15 a 20 minutos após o jantar; Evitar doces, principalmente na hora do almoço e do jantar; Evitar álcool, cafeína, balas, chicletes, alimentos pesados, oleosos e refinados; Dê preferência a alimentos naturais e que contenham fibras; Evitar derivados de leite e carne vermelha à noite, pois dificultam a digestão e obstruem os canais de energia; Não ingerir líquidos durante as refeições; Tome bastante água durante o dia e coma pelo menos duas frutas por dia; Não falar enquanto mastiga. Além de falta de educação, a ingestão de ar provoca gases. Já diz o ditado chinês: tome café como um príncipe, almoce como um rei e jante como um mendigo.

22


23


mercado

QUANTO VALE SEU DINHEIRO?

24


ESPECIALISTAS TRAÇAM PERSPECTIVAS DE INVESTIMENTOS PARA CADA SETOR DA ECONOMIA A economia mundial passa por um momento bastante conturbado. Depois de atingir os Estados Unidos e Europa, agora é a vez do Japão sentir os efeitos da atual crise de confiança. Prova disso é que o segundo maior centro financeiro do mundo entrou em recessão no terceiro trimestre de 2008. O Produto Interno Bruto (PIB) japonês retrocedeu 0,1% em comparação com o segundo trimestre, e 0,4% no cálculo anual, em conseqüência da considerável redução dos gastos em capital empresarial. No Brasil, os primeiros sinais da crise na economia real começam a surgir. Na última pesquisa do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), foi revelado que a indústria paulista diminuiu suas vagas em 10 mil, uma queda de 0,41%. Até então, o setor vinha apresentando crescimento no nível de emprego. Outra baixa significativa está no setor automobilístico. Esse registrou uma retração de 12% nas vendas. Para evitarem maiores estragos no sistema econômico mundial, os líderes dos países do G20, grupo que reúne os países mais ricos e os principais emergentes, entre eles o Brasil, reuniram-se, em Washington, no final do mês de novembro, para adotarem um plano de ação contra a atual fase da economia. A próxima reunião de chefes de Estado do G-20 deverá ser realizada na GrãBretanha no final de fevereiro ou princípio de março do próximo ano. Até a definição exata de uma nova data para o encontro, as principais bolsas mundiais continuarão operando com grande oscilação, acreditam os analistas.

CONFIRA OS PRINCIPAIS TIPOS DE INVESTIMENTO E SAIBA COMO APLICAR Nos últimos anos, disparou no Brasil a quantidade de investidores interessados em buscar maior rentabilidade, tentando mudar a alocação de recursos para além dos investimentos tradicionais, como a poupança, por exemplo. Depois da descoberta da ““mina de ouro”” no mercado acionário, muita gente passou a investir em ações. Agora, porém, a crise que afeta o setor (primeira mais séria depois do ““boom”” do mercado de capitais brasileiro, em 2005) faz com que os investidores busquem outras opções mais estáveis. O próprio mercado criou diversas opções de investimento, satisfazendo desde o investidor mais cauteloso até o mais agressivo. Algumas dessas opções já existem há muitos anos, mas só agora ganham importância no cenário em que cada vez mais gente se dispõe a guardar dinheiro e planejar o futuro. Por conta das incertezas na economia, Bem Viver separou algumas opiniões de especialistas sobre o futuro de alguns segmentos.

25


Diante da forte volatilidade observada nos últimos meses no mercado de ações, muitos têm se perguntando se há motivos para comprar ouro agora. Para o banco Credit Suisse, a resposta é sim. Conforme explicado pelos seus analistas, há três cenários potenciais para o desenrolar da crise: a quebra do sistema financeiro, a impressão de dinheiro pelos bancos centrais de países desenvolvidos para conter essa quebra e a queda das taxas reais de juro abaixo de zero. E o ouro se beneficia dos três elementos. Conforme relatório divulgado pelo banco recentemente, a compra do metal aparecia entre as dez dicas de investimentos globais, com valorização de 11% em 2008.

OURO

Grande parte da alta do dólar tem sido causada por forte pressão de especuladores no mercado futuro da BM&F. O movimento e a procura pela moeda norte-americana no mercado à vista, segundo corretoras de câmbio, não justificam a forte valorização recente. ““A pressão sobre o preço do dólar decorre de razões fora do mercado físico de câmbio e envolve especulação direta””, afirma Sidnei Nehme, diretor-executivo da NGO. Segundo ele, esses especuladores vão ““perder dinheiro”” nas operações quando tiverem de liquidar a moeda comprada a futuro.

DÓLAR

BOLSA 26

Clodoir Vieira, economista-chefe da corretora Souza Barros, acredita em retomada lenta para 2009. ““O consenso de um curto prazo de terreno acidentado compromete praticamente todo o final deste ano. A esperança estende um pouco mais de médio para longo prazo. Acredito numa recuperação lenta e a partir de 2009 apenas, principalmente no segundo semestre do próximo ano. Penso que entre tantas baixas fortes, duas ou três altas seguidas irão acontecer uma hora, mas deve-se conter a euforia quando esse repique chegar. O guia do curto prazo é a cautela, não se pode esquecer””.


CONSTRUÇÃO

AGRONEGÓCIO

O presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), Cesário Ramalho da Silva, afirma que provavelmente o setor do agronegócio vai enfrentar dificuldades como efeito da crise financeira norte-americana. ““É uma das mais graves crises da história que não afetará apenas a agricultura como também outros setores vitais para o desenvolvimento da economia como a produção e venda de veículos””.

João Cláudio Robusti, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo (SindusCon), pensa que o cenário atual é animador. ““Entre 1980 e 2004, o setor imobiliário sofreu uma estagnação. Nesse período, o ritmo de crescimento desacelerou, a infra-estrutura ficou mais precária e o déficit habitacional aumentou, porém, por causa das mudanças em nossa economia, como a maior renda da população, uma cultura de crédito segura no setor dos imóveis e inflação ainda sob controle, revertemos e mudamos de fase. Esperamos que a construção civil tenha um crescimento de até 10,2% em 2008. No mercado de imóveis, por sua vez, a previsão é de alta de 20%””.

27


28


29


morar bem

HARMONIZE

SUA VIDA PAREDES PINTADAS EM TONS COLORIDOS PODEM MELHORAR E TRANSFORMAR OS AMBIENTES. DESCUBRA AS OPÇÕES QUE EXISTEM E QUE PODEM SER UTILIZADAS

30


M

uito mais do que gosto pessoal, a cor evoca um estado de espírito, criando contraste e destacando a beleza em uma imagem. Muitas vezes, um objeto não é tão belo sem a presença de uma cor um pouco mais forte. Por conta disto, é cada vez mais comum encontrarmos pessoas que se preocupam em colorir o local onde vivem, modificando as tradicionais paredes pintadas em branco, bege e marfim para tonalidades como verde, amarela, rosa, roxo... Na opinião de Márcia Coppedê Cerri, designer de interiores que presta consultoria em cores para empresas e profissionais, um ambiente colorido pode ter mais vida, desde que não se exagere nas tonalidades fortes e que não se pinte cada parede ou cada espaço de uma cor, pois exageros são perigosos. ““Na dúvida, o importante é neutralizar, deixando as de tonalidades fortes para os acessórios, porque esses podem ser trocados. Outro assunto importante é lembrar que cada ambiente não deve receber mais do que três cores, exceto em algum caso especial””, sugere. A designer de interiores informa que é possível encurtar ou alongar um espaço só modificando os tons. ““Cores quentes no fundo diminuem o tamanho de um ambiente e tendem a juntar seus elementos, já as mais claras equilibram melhor. Por exemplo, um teto pintado com cores escuras parecerá mais baixo, e vice-versa. Já um ambiente pintado com cores claras irá parecer maior, assim como paredes escuras nas laterais estreitam o local; em contrapartida, o uso disso esconde elementos arquitetônicos, podendo até encurtar um corredor caso a parede no fundo esteja pintada de forma escura””, explica. Para não ter problemas na escolha, Cerri recomenda que o importante é se conscientizar das variações possíveis, já que uma mesma cor pode mudar drasticamente a sua percepção ao ser contrastada com outras. ““Na ambientação e na arquitetura, deve-se ter o cuidado quando agente e efeito não coincidem, assim temos uma expressão discordante e irreal””, diz a especialista. Quando questionada sobre a importância das tonalidades e se o uso de mais de duas cores no mesmo local podem prejudicar o ambiente, a profissional em designer de interiores é objetiva. ““A tonalidade é muito importante sim, e não adianta escolher uma cor e aplicá-la, pois precisa ver que efeito ela terá durante o dia com a luz natural e que alterações ela vai sofrer com luminosidade artificial””, enfatiza Cerri. Outra especialista no assunto de cores em ambientes é a decoradora de interiores Rosângela Hilário. Segundo ela, caso queira fazer uso da cor preta nos ambientes internos, não é aconselhável pintá-lo completamente. ““No máximo uma parede, e, mesmo assim, com iluminação adequada e detalhes, como telas, arranjos de flores, estatuetas, móveis, almofadas, tapetes, entre outros””, destaca. Para Rosângela, não existe uma cor específica para cada ambiente. ““Como as cores despertam sentimentos e emoções, é preciso tomar muito cuidado ao aplicá-las, pois existem pessoas que não conseguem conviver com determinada tonalidade. Portanto, é preciso conhecer bem o perfil do seu cliente, bem como o projeto de ambientação e de iluminação, pois quando se trata de cor, a iluminação é de extrema importância””, destaca a profissional.

31


32


DICAS IMPORTANTES As cores agem de maneira diferente, podendo excitar, descansar, deprimir ou até mesmo enjoar. Uma tonalidade mal empregada pode comprometer a harmonia e prejudicar todo o trabalho. Dessa forma, especialistas explicam que indicar uma cor ideal para cada ambiente não é difícil, porém, devese levar em conta o perfil do cliente e saber qual é o motivo que o leva a escolher uma determinada cor e quais as suas preferências. Por conta disso, na maioria das vezes, os especialistas recomendam tons suaves nos quartos, pois são locais de descanso e onde as energias são recuperadas. Caso goste de cores fortes, é melhor utilizá-las nos detalhes e acessórios. Já cozinha e a churrasqueira pedem tons de amarelo e laranja. Em ambientes para receber visitas, tons vibrantes como vermelho e azul são bemvindos, recomendam os estudiosos. O estudo psicodinâmico das cores concluiu que cada uma possui sua expressão definida e que provoca as seguintes sensações: Amarelo: sol, vida, luz, ação, energia; Vermelho: calor, atividade, força, poder, paixão; Azul: frescor, recolhimento, descanso, tranqüilidade; Laranja: os mesmos efeitos que o vermelho, porém, mais moderados; Violeta: tristeza, aflição, profundidade, misticismo; Verde: vegetação, esperança, juventude, frescor; Roxo: dignidade, suntuosidade, melancolia; Branco: delicadeza, pureza, leveza; Preto: elegância, peso, tristeza; Cinza: distinção, neutralidade. Rosa: beleza, saúde, sensualidade e também romantismo; Bege: calma, passividade; Lilás: espiritualidade, intuição; Salmão: felicidade, harmonia; Prateado: modernismo, novidade, inovação, novas tecnologias; Dourado: riqueza, majestosidade.

33


34


35


O MESMO OLHAR PARA TODA A VIDA CONHECIDO PELOS PRATICANTES COMO O ESPORTE DE AVENTURA MAIS ROMÂNTICO QUE EXISTE, O BALONISMO DÁ AO HOMEM A LIBERDADE DE PODER VOAR E APRECIAR NOVAS PAISAGENS A CADA DIA. PARA QUEM FICA NO SOLO, A SENSAÇÃO DE ACOMPANHÁ-LO COM O OLHAR SERÁ SEMPRE A MESMA, INDEPENDENTEMENTE DA IDADE DA PESSOA 36


hobby

O

balonismo, criado há mais de dois mil anos pelo padre brasileiro Bartholomeu de Gusmão, é um hobby que realiza a eterna vontade do homem em conquistar o céu e novos horizontes. Movidos pelos ventos, os balões, que têm em média 25 metros de altura (equivalente a um prédio de oito andares), são inflados com ar quente e manobrados em velocidades de até 10 km/h. O grande diferencial desse esporte é que ele consegue emocionar não só quem está no interior do cesto, observando a paisagem e passeando com a brisa no rosto, mas também quem permanece no solo e o acompanha com o olhar. Olhar este que faz um menino ter o mesmo sonho de um adulto, e o senhor voltar a ser criança. Segundo o instrutor de balonismo Francisco Xavier Piccoloto Naccarato, mais conhecido como Kiko, este é o esporte mais romântico e mágico que existe. ““O balonismo nos proporciona sensações que nos invadem ao voar, reportando a nossa infância, ou seja, a antiga vontade de sair voando com os balões de gás e o sentimento de possuir a visão dos pássaros. Além disso, ele nos faz deslizar pelo ar em silêncio, observando a ““Mãe Terra””, a nossa natureza””, explica. Para quem nunca levantou vôo, a primeira vez é inesquecível. Quem explica isso é o instrutor. ““É como você flutuar pelo ar tendo uma plataforma de deslocamento, podendo conhecer ângulos e lugares inimagináveis e sentir o silencioso sabor dos ventos””, narra Kiko. Atualmente, existem campeonatos de balonismo por todo o mundo. No Brasil, o Primeiro Encontro Brasileiro de Balonismo aconteceu em 1986, em Casa Branca, interior de São Paulo. Com ele, iniciou a organização da atividade no País, que levou à criação da Associação Brasileira de Balonismo (ABB), no ano seguinte. Mais informações no site: www.abb.org.br.

VOLTA AO MUNDO Em 21 de março de 1999, o balonista, filósofo e psiquiatra suíço Bertrand Piccard alcançou o seu grande objetivo. A bordo do Breitling Orbiter 3, Piccard, acompanhado pelo inglês Brian Jones, realizou o primeiro vôo em balão à volta do mundo sem escalas. Foi, simultaneamente, o mais longo de sempre em termos de duração e distância. A dupla, que percorreu 45.755 quilômetros em 19 dias, 21 horas e 47 minutos, saiu da Suíça e chegou no Egito. Esta volta ao mundo em um balão foi considerada a última grande aventura do século XX. Para quem quiser apreciar a paisagem e desfrutar de uma experiência única, o suíço Bertrand Piccard acredita que a vida é um balão. ““Quando nos deparamos com ventos fortes a solução não é lutarmos contra eles, mas procurar novas atitudes novos ventos que nos levem na direção certa””, conclui.

37


COMO E QUEM PODE PRATICAR BALONISMO? O balonismo pode ser praticado por qualquer pessoa, desde que tenha os conhecimentos básicos. Pelo fato do equipamento ser caro, o esporte é restrito a um pequeno grupo. A solução encontrada para esse problema é a divisão das despesas pela equipe. Apesar de ser um esporte bastante difundido, a maioria das pessoas que o inicia vem por meio de algum conhecido que já pratica. No início, geralmente, o praticante faz parte da equipe de terra, que é composta, no mínimo, por quatro pessoas (um piloto, um navegador, um chefe de equipe e um motorista para equipe de resgate), para depois voar sozinho. Antes disso, é necessário um brevê.

ONDE PRATICAR? Os melhores locais para a prática do balonismo são as grandes planícies, com muitos pastos e áreas abertas. Dessa maneira, a decolagem, o acompanhamento da equipe de terra e o pouso se tornam mais fáceis. O Brasil, pelo seu imenso território, é muito favorável para a prática do esporte e pode ser ainda mais explorado no futuro.

COMO É FEITO UM BALÃO? O balão recreativo é constituído por três elementos essenciais: o cesto de verga, ou gôndola, o envelope de nylon, que é o balão propriamente dito e, sobre o cesto, o queimador de gás propano, que é utilizado para aquecer o ar existente dentro do balão.

DICAS FUNDAMENTAIS Na decolagem, é preciso ficar atento a intensidade do vento. Ela não pode estar superior a 15km/h; Antes de levantar vôo, é fundamental observar as condições climáticas. São elas: pouco vento, céu azul e um lugar com planície; Sempre revisar os balões, fazer manutenção dos equipamentos, ter uma boa equipe de apoio e estar atento com fios e ventos fortes; Leve uma câmera fotográfica, pois terá a oportunidade de tirar fotos que farão inveja a seus amigos; Não é necessário o uso de roupas especiais para voar.

SEGURANÇA É praticamente impossível rasgar ou furar um balão que esteja com sua vistoria anual em dia, e, mesmo que isso venha ocorrer, o balonismo é um esporte seguro, pois há possibilidade do pouso antes que aconteça o pior.

38


PRESENTE SURPRESA Passear de balão é um presente inesquecível de aniversário, bodas, natal, pedidos de reconciliação, namoro e casamento. Portanto, presenteie quem você gosta e faça a ocasião especial ser eternamente lembrada.

EQUIPAMENTOS Envelope: é a parte em tecido dos balões que é feita com nylon ““rip stop”” (à prova de fogo). Este nylon resiste a temperaturas superiores a 120ºC e oferece uma extraordinária resistência a calor, raios ultravioletas e umidade. O envelope pode ser feito em diversos formatos e cores, criando assim várias possibilidades de criações. Maçarico: é considerado o motor do balão, feito de aço inoxidável. Cilindro: normalmente, os cilindros ou botijões de um balão são de alumínio, aço inox ou titânio. É importante que sejam leves para não comprometer a relação de carga a ser levada. Normalmente, são levados quatro cilindros no interior do cesto. Quanto mais gás puder levar, mais autonomia de vôo terá. Cesto: conhecido também por ““gôndola””, é a parte do balão destinada a levar os ocupantes, cilindros e instrumentos. O material usado para se construir um cesto é o vime (junco), pois trancada alia leveza, durabilidade e beleza, além de demonstrar uma grande absorção de impactos para piloto e passageiro. Junto com vime, também são traçados cabos de aço que passam por de baixo do cesto, cuja função é sustentar todo o conjunto (cilindro e pessoa), e ainda tubos de alumínio para a colocação das bengalas (ou tarugos) de nylon que servem de sustentação do maçarico. Combustível: propane, um gás liquifeito de petróleo usado para a indústria (para a alimentação de fornos e caldeiras). Ventoinha: é utilizada para inflagem do balão com ar frio. Dispõe de quadro metálico, onde é fixado um motor de 3,5 HP a 13 HP, alimentado à gasolina. Este serve para girar uma hélice desenhada para empurrar o ar frio de maneira mais rápida e eficiente para dentro do envelope.

39


40


41


42


viagem

BUSINESS OR

VACATION? OPORTUNIDADE DE TRABALHO PARA QUEM FALA INGLÊS É CADA VEZ MAIOR. PORTANTO, INVISTA NESSA EMPRESA QUE SE CHAMA VOCÊ E VIAJE

Em um mundo globalizado, onde as barreiras culturais, étnicas e econômicas entre os países estão desaparecendo, dando lugar a uma grande comunidade, o domínio da língua inglesa pode ser a chave para uma vida bem sucedida. Adotada e ensinada como segunda língua em quase todos os países do mundo, o inglês ajuda a diminuir as diferenças entre os povos, encurta distâncias e promove desenvolvimento pessoal e profissional. É fato que o domínio da língua inglesa abre portas. Acompanhamos constantemente o êxodo de brasileiros para países como Canadá, Estados Unidos e Londres, buscando experiências, tanto pessoais como profissionais. Na maioria das vezes, o ingresso ao país se dá por ocasião de cursos de especialização na língua e de vagas de emprego, pré-definidos aqui no Brasil. Para quem quer expandir seus conhecimentos para outros países além dos tradicionais, uma opção é trabalhar em cruzeiros transatlânticos, um mercado que tem crescido anualmente e que tem o Brasil como um dos seus principais roteiros. A temporada 2009 de cruzeiros marítimos no país começa em novembro e as agências de recrutamento de mão-de-obra garantem que o perfil do jovem brasileiro tem sido o mais procurado pelas companhias. De olho nessa oportunidade, o ribeirão-pretano Daniel Ferreira se inscreveu para trabalhar em um navio de uma companhia italiana. Formado em Engenharia e Hotelaria e com domínio da língua inglesa, participou do processo seletivo em Santos e foi aprovado. Ferreira embarcou no transatlântico em Santos em novembro de 2007 e, após passar por mais de 20 países, retornou ao Brasil no final de julho de 2008. Segundo Ferreira, apesar do glamour dos grandes e luxuosos navios, o trabalho para a tripulação é pesado, porém, é possível se divertir. São realizadas festas, assim como jogos, promoções e programas de motivação. Em algumas companhias, há uma equipe formada pelos próprios tripulantes que cuida da parte social a bordo. Ferreira conheceu as cidades onde o navio atracava. ““Quando estávamos na cidade, encontrávamos amigos de trabalho e muitos passageiros, que nos convidavam a almoçar ou tomar café, fato que revela a afinidade gerada entre passageiros e a tripulação de um navio””, conta.

43


Para Ferreira, a experiência valeu a pena. Os nove meses que passou longe da família foram compensados pelas novas amizades, os lugares que sempre sonhou conhecer e pela satisfação da conclusão de um desafio. Ele diz que só consegue passar por essa experiência quem é dedicado e não tem preguiça. ““É uma rotina totalmente diferente. Um dia nunca é igual ao outro a bordo de um navio””, conclui. Além de conhecer países e culturas diversas, outra coisa que atrai nessa modalidade é a possibilidade de economizar o dinheiro ganho, já que moradia, alimentação e transporte, itens que podem comprometer mais da metade do salário de qualquer trabalhador, no navio têm custo zero. E como os contratos duram de seis a nove meses em média, com possibilidade de prolongamento por mais um ou dois meses, torna-se mais fácil economizar para depois desfrutar em terra o valor adquirido.

INTERCÂMBIO CULTURAL NAS FÉRIAS PESSOAS FAZEM INTERCÂMBIOS CULTURAIS PARA SE APRIMORAR NA LÍNGUA INGLESA A Olimpíada da China mostrou ao mundo a importância de conhecer e dominar uma língua que a maioria da população mundial entende. Dos mais de 11 mil atletas de mais de 200 países que participaram dos jogos, quase todos se comunicavam e davam entrevistas em inglês, mesmo não sendo essa a sua língua nativa. O domínio do idioma pode abrir as portas para o sucesso profissional, por isso o mercado de cursos de inglês está sempre em crescimento. Uma das maneiras mais eficientes de desenvolver o inglês é por meio dos intercâmbios culturais promovidos pelas escolas de línguas de todo o Brasil nos meses de férias escolares. Voltados para adolescentes de 14 a 18 anos, os cursos geralmente acontecem no período das férias de julho, onde é verão na Europa e na América do Norte. A preferência de alunos e professores são países como Inglaterra, Irlanda, Suíça, EUA, Canadá, Austrália e Nova Zelândia. O professor de inglês José Maurício de Arruda Meyer, que também é guia cultural de grupo de estudantes em países de língua inglesa, explica que as universidades em férias alugam suas instalações para as escolas de inglês para estrangeiros, que são contratadas por agências de intercâmbio cultural do mundo todo. São quatro semanas, sendo que três são de aula (4 a 5 horas por dia) e uma de passeio. ““Normalmente, as aulas são no período da manhã e os alunos têm

44


atividades culturais, esportivas e passeios guiados na parte da tarde. À noite, há atividades de socialização no próprio campus””, conta. Os alunos passam por um teste para avaliar seu nível de inglês e, a partir do resultado, são colocados numa sala com estudantes de várias nacionalidades com o mesmo nível de conhecimento que eles. Meyer conta que no último verão havia entre os brasileiros alunos da Espanha, Itália, França, Taiwan, China, Bulgária, Croácia, Polônia, Marrocos, Arábia Saudita, Rússia, Hungria e Grécia, o que contribui bastante para o desenvolvimento da língua. Para cada 15 alunos há um guia da escola inglesa. Para Meyer, o intercâmbio cultural é a forma mais eficaz de complementar o inglês, pois são 25 aulas por semana com professor nativo e colegas do mundo todo com os quais só se conversa em inglês. O guia diz que a experiência é uma imersão literal. ““Passeios, compras, informações, anúncios, etc, tudo em inglês. Fora o aprendizado da língua, há o aprendizado de vida, que é impagável””, garante o guia, que se diz satisfeito ao ver que seus alunos aprenderam a se virar em metrópoles como Londres e Paris. O valor do investimento é basicamente o mesmo, variando somente o preço da passagem aérea de acordo com a localização do país. Para os EUA, o destino mais em conta, o valor médio é de US$ 10 mil, com todas as despesas inclusas: bilhete aéreo, hospedagem, alimentação, curso com certificado, parte dos passeios e seguro saúde, exceto outros passeios e alimentação extra. Os alunos são acompanhados por líderes brasileiros e nativos (dois para cada 15 alunos) desde o desembarque até o retorno ao Brasil. A assistência é contínua nas conexões, nos aeroportos e nos transfers (aeroporto-universidade-aeroporto). O seguro saúde é eficiente e a assistência é imediata. Segundo o professor Meyer, que já trabalha nessa área há mais de 10 anos,”” a satisfação dos alunos e dos pais dos alunos é 100%.”” Contato: maumeyer@gmail.com

45


46


47


Foto: Catharina Broeksteeg

cultura e lazer

PATRIMテ年IO CULTURAL DA CIDADE

48


A Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, um dos patrimônios da cidade, completou 70 anos em 22 de maio de 2008. A história da segunda mais antiga orquestra sinfônica profissional em atividade no Brasil começou em 22 de maio de 1938, quando nasceu, através do sonho de Max Bartsch e músicos que se apresentavam na Rádio PRA-7 e em cafés locais. A primeira apresentação aconteceu em 22 de setembro de 1938, no Theatro Pedro II, sob a regência de Antônio Giammarusti. Mantida pela Associação Musical de Ribeirão Preto, entidade sem fins lucrativos, a OSRP atualmente é presidida pelo engenheiro Délcio Bellini Jr, que, juntamente com a Diretoria Executiva, administra a Entidade. Composta por 48 músicos, a OSRP desenvolveu e participou de importantes projetos que difundiram a música erudita, reafirmando seu papel de destaque no setor artístico e nos cenários municipal e nacional. A Orquestra teve 12 regentes ao longo de sua história. Destaque, por exemplo, para Roberto Minczuk (1995-2000), atualmente em Nova York. Desde 2002, o regente é o maestro Cláudio Cruz, um dos grandes violinistas brasileiros, com brilhante formação musical. Cruz, cuja carreira inclui vários prêmios, como o Grammy Latino de 2002, com o Quarteto Amazônia, tem realizado um excelente trabalho, reconhecido pelo público e pela crítica especializada.

CONCERTOS A Orquestra se apresenta em três séries regulares de concertos: ““Concertos Internacionais””, que tem como convidados solistas de renome nacional e internacional, o ““Juventude Tem Concerto””, um projeto de caráter didático, que visa a formação de público, e os ““Concertos Sinfônicos””, que abre espaço para solistas jovens e músicos da própria orquestra. Além disso, é realizado o projeto social ““Sociedade tem Concerto””, que visa o combate à segregação racial por meio de concertos realizados em instituições do município, principalmente em áreas carentes. Já foram feitas apresentações, por exemplo, no Cantinho do Céu, Hospital das Clínicas, Lar Vicentino, Lar do Vovô Albano, entre outros locais. ““Nós acreditamos que é obrigação de toda empresa olhar pelo lado social e educacional, contribuindo, assim, com a comunidade onde está inserida””, explica Ana Cláudia Basso Mistretta, gerente administrativa da Associação Musical. A Associação Musical conta com parcerias desenvolvidas junto às iniciativas pública e privada para a manutenção da orquestra. Atualmente, a Associação Musical conta com mais de 40 empresas que são patronos e seis empresas que são patrocinadores, além de receber contribuições de pessoas físicas e diversos apoios para seus concertos e atividades. Se alguma empresa tiver interesse em colaborar, deve entrar em contato através do telefone (16) 3610-8932.

PAIXÃO PELA MÚSICA CLÁSSICA Guus Laeven e Catharina Broeksteeg, por exemplo, são apaixonados por música clássica e pela OSRP. ““Ribeirão tem duas jóias maravilhosas: o Teatro Pedro II e a Orquestra Sinfônica””, destaca Guus, que faz parte da diretoria. Holandeses, eles vieram para o Brasil em 1999, se fixando em Ribeirão. ““Assistimos a um concerto da Orquestra no Teatro e, desde esse momento, somos fãs””, destaca Catharina, que, inclusive, é soprano no Coral Magnificat, que se apresentou três vezes junto com a OSRP em 2008. ““Graças aos esforços do maestro Cláudio Cruz e os músicos dedicados, a Orquestra nos surpreende cada vez mais. Para nós, é uma verdadeira festa assistir aos concertos. Se possível, vamos a todos. A programação tem surpresas agradáveis, e o projeto para a juventude é muito estimulante para criar o público do futuro. Eu tenho muito orgulho de fazer parte da diretoria dessa Orquestra””, conta Guus. ““Ribeirão compreendeu bem que uma vida sem cultura é vazia. Parabéns à cidade, ao teatro e, principalmente, parabéns à Orquestra””, completa Catharina.

49


SINFÔNICA X FILARMÔNICA Qual a diferença entre Orquestra Sinfônica e Orquestra Filarmônica? Segundo o site da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, a diferença não reside no repertório apresentado, na quantidade de músicos ou nos instrumentos utilizados. O que as diferencia é a natureza de suas estruturas de suporte administrativo. A denominação ““filarmônica”” poderia ser grosseiramente traduzida por ““amantes da harmonia”” e diz respeito a sociedades musicais mantidas por admiradores que subsidiam conjuntos orquestrais. A indicação ““sinfônica”” refere-se ao repertório abordado, de sinfonias, mas finda por representar os demais grupos, mantidos por governos ou grandes corporações. Nos dias de hoje, há poucas orquestras verdadeiramente filarmônicas, mas devido à tradição seus nomes de origem ainda são mantidos.

MAESTRO EDUARDO SOUTO NETTO O maestro Eduardo Souto Netto é autor, entre outras composições, do famoso ““Tema da Vitória””, que embala as conquistas dos brasileiros na Fórmula 1 desde a década de 1980. A canção ficou marcada pelas vitórias e títulos do grande Ayrton Senna. Qual a importância do Tema da Vitória para você? O grande significado para mim é que o tema, assim como o nosso Ayrton, virou sinônimo de vitória. A música encontrou o seu personagem ideal, devido ao seu talento e, principalmente, sua obsessão e obstinação em tudo que fazia. Não há nada tão gratificante como ver uma árvore, entre tantas que você plantou, se destacar, ter várias copas, flores e frutos. O que é bem viver para você? Sou um homem que quer crescer interiormente cada vez mais e que ama a vida com muita intensidade. Eu ‘‘vou fundo’’ em tudo que faço. Até para tomar um simples cafezinho... Adoro o frio da região serrana do Rio, adoro calor, mas detesto o ‘‘bafo quente’’, o clima tórrido que rola no Rio de novembro a abril. Adoro vinho tinto no frio e um chope gelado no calor. Torço, quando é possível, pelo Botafogo (RJ). Gosto muito de futebol. Amo música, estar e bater papo com meus filhos e amigos. Qual é a sua opinião sobre religião? Creio em Deus e no Amor entre as pessoas. A melhor religião, como dizia meu pai, é não fazer nem desejar mal a ninguém, não guardar ódios nem ser vingativo –– é como dar um tiro no próprio pé. Uma mensagem para nossos leitores. Procurar ajudar a quem realmente precisa. Pode ser apenas com uma palavra, um gesto ou uma simples presença. Quanto mais procurarmos sermos solidários com os outros, melhor será para todos.

50


51


52

ecologia


AMAZÔNIA : PREOCUPAÇÃO COM O NOSSO MAIOR TESOURO FLORESTA É CONHECIDA COMO O PULMÃO DO MUNDO, MAS RIQUEZA NATURAL ESTÁ AMEAÇADA PELO DESMATAMENTO 53


O

verde, a cor da esperança, está sumindo aos poucos da maior pintura a céu aberto do mundo. Isso porque, a cada dia, o quadro natural fica mais cinzento com as queimadas e destruições. A floresta, que já foi de vida, árvores e pássaros, índios e matas, rios e plantas, deve sumir em pouco tempo se as autoridades não mudarem a maneira de agir e pensar. Com isso, toda a fauna, flora, frutos e flores devem desaparecer, assim como os caboclos, lendas e mitos. Para que isso não ocorra, muitos ambientalistas chegam a travar uma verdadeira batalha, às vezes violenta, com fazendeiros, madeireiras, indústrias extrativistas, biopiratas e outros predadores. Conhecida como o pulmão do mundo, a Amazônia ocupa cerca de 2/5 do continente e mais da metade do Brasil, compreendendo 3,5 milhões de km2, o que equivale a 42,07% do país. Abrange nove estados e é responsável por 20% da água doce do planeta. A floresta regula a quantidade de gás carbônico na atmosfera e faz a distribuição de chuvas em quase metade da América Latina. No entanto, toda essa riqueza natural está ameaçada pela ganância e irresponsabilidade do homem, que a explora de forma predatória, desmata e queima. A floresta está sofrendo, pedindo socorro, chamando a atenção de todos para a ameaça de sua completa destruição. O Brasil é o quarto maior poluidor do clima no mundo, sendo que 75% das emissões vêm dos desmatamentos e queimadas, principalmente na região amazônica. O último relatório do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) revelou que o desmatamento acumulado de 1º de agosto de 2007 a 31 de julho de 2008 foi de 8.147 km2. Segundo o Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), dos cerca de quatro milhões de quilômetros quadrados de floresta amazônica, cerca de 700 mil já foram desmatados. Para o biólogo Edmur Eodair Manfrim, medidas urgentes precisam ser adotadas para diminuir os efeitos dessa devastação. ““O aumento de soldados nas fronteiras, ampliação da vigilância aérea e terrestre, fiscalização mais rígida, desenvolvimento de campos de pesquisa e, principalmente, educação ambiental, podem ajudar a minimizar os efeitos da ação predatória do homem na região amazônica””, explica. Como professor de biologia, Manfrim mostrou na

54


prática aos seus alunos como é a vida dentro da flora e da fauna brasileira. Durante 20 anos consecutivos ele viajou com os alunos para o Pantanal matogrossense e Mata Atlântica, onde, acampados, podiam observar a vida animal e vegetal nesses ambientes. ““Na prática, o contato com a natureza estimula a preocupação de todos com o meio ambiente””, conta. O biólogo participou da ECO 92, uma conferência entre vários países do mundo realizada em 1992 no Rio de Janeiro, cujo objetivo principal era buscar meios de conciliar o desenvolvimento sócio-econômico com a conservação e proteção dos ecossistemas da terra. Dessa conferência saíram documentos oficiais como a Carta da Terra; Convenções sobre Biodiversidade, Desertificação e Mudanças Climáticas; a Declaração do Rio sobre Ambiente e Desenvolvimento e a Agenda 21. Alguns desses documentos foram colocados em prática e norteiam as decisões dos órgãos ligados à preservação das riquezas naturais no Brasil, mas as agressões à região amazônica, sobretudo nos últimos 10 anos, cresceram em ritmo acelerado, provando que nem tudo o que foi acordado na conferência está, de fato, sendo cumprido. Para Manfrim, é preciso desenvolver projetos de desenvolvimento sustentável na Amazônia, conscientizando os trabalhadores de que os recursos naturais não são inesgotáveis, ou seja, retirar somente aquilo que o sistema é capaz de repor sozinho. Também é possível preservar através do manejo racional, que garante a continuidade da produção, reduz o desperdício e permite maior segurança no trabalho, tudo isso respeitando as leis ambientais. O biólogo também destaca que há empresas instaladas na Amazônia que conseguem, através de equipamentos que utilizam tecnologia de ponta, identificar o ciclo de vida das árvores e, assim, quando as mesmas estiverem próximas do fim, são retiradas. No lugar, são plantadas outras, normalmente da mesma espécie. ““Essas empresas são licenciadas e estão dando o exemplo de que é possível extrair sem agredir””, ressalta. Resumindo, podemos concluir então que os problemas da Amazônia são, em primeiro lugar, econômicos, pois movido pelo dinheiro o ser humano destrói e mata, sem se importar com as próximas gerações; e culturais, pois a passividade e a omissão do governo, a falta de patriotismo, a desarmonia com a natureza e a falta de educação ambiental facilitam o avanço das ações predatórias dos inimigos da floresta. É preciso rever tudo isso.

55


56


57


58

incentivo social


RIBEIRÃO PRECISA DE ÁRVORES A CIDADE PRECISA DE PELO MENOS 20 PARQUES, QUE TRARIAM O EQUILÍBRIO PARA O CLIMA E O BEM ESTAR DA POPULAÇÃO, E MAIS OITO METROS QUADRADOS DE ÁRVORE POR HABITANTE. VOCÊ JÁ SABE ONDE VAI PLANTAR A SUA? Apesar de ser um dos municípios mais importantes do País, Ribeirão Preto ainda não pode ser considerada uma cidade ecologicamente correta, pois é carente de ações que estimulem um comprometimento com o meio ambiente. Prova disso é que a cidade tem um dos piores índices de metro quadrado de área verde por habitante. Enquanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o mínimo de 12 m², Ribeirão Preto tem apenas 5,2 m², o que traz sérios problemas à saúde da população, principalmente em crianças e idosos, que sofrem com problemas respiratórios devido à baixa umidade do ar. A maior riqueza ambiental que o município possui está bem debaixo dos nossos pés: trata-se do Aqüífero Guarani, manancial que abastece toda a cidade e região com água de excelente qualidade. Existem muitas áreas de recarga do aqüífero espalhadas pelo município e algumas delas começam a sofrer com a ação dos moradores e empresas instaladas no local, que poluem ou constroem próximo a essas regiões. Para o biólogo e professor de biologia Edmur Eodair Manfrim, empresas e cidadãos devem se conscientizar em relação ao uso do solo. ““Muitas vezes as pessoas não respeitam o meio e acabam

59


agredindo áreas que deveriam ser preservadas com muito cuidado””, conta. Para ele, a ocupação desordenada do solo pode trazer prejuízos a toda a população em médio prazo. ““Não são somente os miseráveis que causam prejuízos ao meio ambiente. Pessoas ricas e influentes às vezes agem de forma predatória na ânsia da concretização de seus desejos de consumo. Depois não adianta fazer um jardim na frente da casa para compensar o que foi destruído antes. A obra deve ser em função do meio e não fazer uma simulação do meio na obra””, explica. As árvores desempenham um papel muito importante na cidade: purificam o ar por meio dos mecanismos fotossintéticos; melhoram o microclima, retendo a umidade do solo e do ar; geram sombra; reduzem a velocidade do vento; favorecem a infiltração da água no solo, provocando evapo-transpiração mais lenta; dão abrigo à fauna, propiciando uma variedade maior de espécies, além de amortecer os ruídos gerados pela tecnologia e diminuir a temperatura.

O QUE PLANTAR? Espécies como Ficus, Fruta-Pão, Ipê Amarelo, Mangueira e Figueira têm alto índice de transpiração, que, observandose as características de cada uma quanto ao tipo de raiz e altura dos galhos, podem ser plantadas em todas as partes da cidade. Árvores nativas como Jatobazeiro, Jacarandá, Jequitibá e Jambolão também podem ser plantadas em várias regiões, pois são altas e produzem bastante sombra. A criação de praças e parques ecológicos também pode ajudar a melhorar o índice de arborização e, conseqüentemente, a qualidade do ar de Ribeirão. Está prevista para os próximos anos a construção de vários parques em todas as regiões da cidade, entre eles o Morro de Santa Vitória, com área de 304.000 m2; o Parque Rubem Cione, com 256.000 m2; o Parque Roberto de Mello Genaro, na região central da cidade, com quase 12.000 m2; e a uma área de 145.000 m2 dentro da Pedreira da USP, na zona leste. Somados, são quase 800.000 m2 de áreas de preservação onde poderão ser plantadas novas mudas de árvores. Pela extensão demográfica, o município precisaria de pelo menos 20 parques, que trariam o equilíbrio para o clima e o bem estar da população, e mais oito metros quadrados de árvore por habitante. O Horto Florestal distribui gratuitamente mudas de árvores que chegam a menos de cinco metros de altura –– para não atingir a fiação, e dá dicas de como plantá-las e conservá-las. Portanto, o esforço agora trará bons resultados no futuro. Você já sabe onde vai plantar a sua?

60


PEREIRA ALVIM

DE VERDE

COM A VIDA A Construtora Pereira Alvim, empenhada em proporcionar uma melhor qualidade de vida aos moradores de Ribeirão Preto, tem realizado um trabalho contínuo na área de reflorestamento na cidade. Apenas no trecho que liga a avenida Maurílio Biaggi ao bairro Jardim Botânico, foram plantadas aproximadamente duas mil mudas de árvores. Destaque para as espécies frutíferas, como cajamanga, murici, mangueira, sapoti, bananeira, entre outras. Todo esse trabalho foi realizado por meio de projetos desenvolvidos por especialistas. Outra área que está em processo de preservação é a Fazenda Santa Maria, na saída de Ribeirão para Cravinhos. No local, a previsão é de que mais de 80 mil mudas sejam plantadas. Até agora, desde 2006, foram 20 mil árvores. Além de plantar, a construtora possui uma equipe de 25 profissionais para realizarem esse trabalho. Para João Roberto Figueira, responsável pelo setor de reflorestamento da Pereira Alvim, o mais importante é acompanhar o crescimento e dar continuidade ao processo. ““Além disso, estamos preservando o manancial e recuperando a APP (Área de Preservação Permanente), para protegermos os canais e córregos””, explica.

1ª , 2ª e 3ª Fotos: Fazenda Santa Maria Cafeeira 4ª Foto: Av. Maurílio Biagi, esquina com Rua Olderige Margarido

61


62


ser teen

LEVADOS DA BRECA TDAH: TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE. SAIBA MAIS SOBRE O ASSUNTO QUE TIRA O SONO DE PAIS E PROFESSORES 63


V

ocê tem em casa uma criança que parece viver no mundo da Lua? Ou então que é impulsivo, age sem pensar? Ou ainda que não pára um minuto sequer? Então você sabe do que estamos falando. O TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade) era conhecido apenas como hiperatividade, mas, atualmente, não é visto apenas dessa forma. ““Sabemos que o ponto central nesse quadro é a dificuldade de prestar atenção, e não a hiperatividade, uma vez que crianças que apresentam esse transtorno não manifestam essa característica””, explica o Dr. Marco Antônio Arruda, do Instituto Glia, especialista em TDAH e autor do livro ““Levados da Breca””, que trata do tema. O médico afirma que o quadro se caracteriza por déficit de atenção com ou sem hiperatividade e impulsividade. Dessa forma, existem três tipos de TDAH. ““O combinado, que é o mais freqüente, caracterizado pela presença dos três sintomas (déficit de atenção, hiperatividade e impulsividade); o predominantemente desatento, que geralmente ocorre em meninas; e o predominantemente hiperativo-impulsivo, quando há desatenção””, enumera. Seu filho se encaixa em alguns desses quadros? O primeiro passo para o tratamento é o diagnóstico, porém, muitos pais ainda têm preconceito e não aceitam que o filho tenha um transtorno neuropsiquiátrico como o TDAH. ““Isso atrasa o diagnóstico e o tratamento, que é fundamentalmente multiprofissional. Além do neurologista ou psiquiatra, é de extrema importância a participação dos pais, da família e da escola. É fundamental a formação de uma rede de colaboradores para o paciente””, detalha Arruda. ““Para isso, é fundamental a educação da família e dos professores no sentido de como podem ajudar a criança””, completa. Existe tratamento e cura para o TDAH. Dessa forma, segundo o neurologista, é necessário o diagnóstico e intervenções precoces por volta dos cinco ou seis anos de idade. O medicamento utilizado também sofre muitos preconceitos. ““É difícil para os pais aceitarem o uso de medicamentos controlados para a criança. Pensam que é calmante, que pode criar dependência, dopar ou mudar a personalidade. Não é verdade””, enfatiza. ““A medicação é extremamente segura, não provoca dependência e não é calmante, mas sim psicoestimulante””. Para desmistificar o assunto, Marco Antônio Arruda faz uma comparação. ““Nosso cérebro é como um carro. Temos acelerador, breque e embreagem. No TDAH, é como se o breque não funcionasse. Dessa forma, utilizamos psicoestimulantes que fazem o breque funcionar e, com isso, a criança fica menos agitada, menos impulsiva e consegue parar e prestar atenção. Essas crianças ficam mais agitadas e desatentas quando tomam calmantes, pois os mesmos fazem o breque funcionar menos ainda””, elucida. ““Além do tratamento médico, as crianças devem praticar esportes. O individual irá trazer uma maior concentração; já o coletivo vai ajudar com dificuldades sociais, estimulando-a no autocontrole””, recomenda Arruda.

64


PROBLEMAS NA ESCOLA As crianças com TDAH sofrem na escola de várias maneiras. São inteligentes, mas não conseguem se concentrar; têm dificuldades para planejamento e estratégias, dificuldades com memória de curto prazo (o famoso ‘‘branco’’ na hora da prova, por exemplo), além de outros problemas. ““As crianças com TDAH têm dificuldades de se sociabilizar. O baixo desempenho provoca queda na auto-estima e pode desencadear depressão. Não sabem esperar a sua vez, interrompem e agem sem pensar, e isso tudo faz com que os colegas se afastem, criando uma situação de isolamento social””, comenta Arruda. ““Com o tempo, passam a procurar crianças mais novas, e aí vem a infantilização, outra conseqüência negativa na vida da criança e do adolescente com TDAH””, completa. Segundo Arruda, os professores precisam ser capacitados. ““Atualmente existe um vibrante interesse de muitos educadores por capacitarem-se nessa área dos transtornos mentais da infância e adolescência. Recentemente organizamos um congresso em Ribeirão Preto onde participaram 1130 profissionais da educação e saúde de 14 estados e 193 cidades brasileiras. A procura é grande, mas ainda insuficiente. Seria necessário que os governantes colocassem esse tema na agenda de capacitação dos profissionais de educação de nosso país””, ressalta. Muitos pais não sabem, mas o TDAH é de origem genética. Foram identificados vários genes responsáveis pela disfunção química cerebral que provoca o distúrbio. ““Para você ter uma idéia da força da genética nesse caso, veja o seguinte: estatura é a característica humana de maior força genética, a herdabilidade é perto de um, o valor máximo. TDAH é de 0,7 e esquizofrenia 0,8. Depressão, transtorno do pânico e inteligência são em torno de 0,4. Quando um dos pais tem TDAH, 80% dos filhos terão””, explica Arruda. ““O quadro é muito mais freqüente em gêmeos idênticos do que não idênticos; também em familiares de crianças com TDAH em primeiro e segundo graus, do que em familiares de crianças sem o distúrbio, e assim por diante””, completa.

Recentemente, o British Journal of Psychiatry (jornal britânico de pisiquiatria) publicou uma reportagem destacando o TDAH. Segundo a publicação, crianças, adolescentes e adultos, hoje diagnosticados com esse transtorno, são freqüentemente rotulados de problemáticos, desmotivados, avoados, malcriados, indisciplinados, irresponsáveis ou, até mesmo, pouco inteligentes, ou seja, todos possuem uma conotação negativa. Porém, o jornal destacou que caso o TDAH seja tratado de forma correta é possível tirar proveito dele, transformando-o de uma maneira positiva. Do contrário, seguirá como um modelo destrutivo de viver. Portanto, para que isso não ocorra, é fundamental a ajuda de pais e amigos, professores e terapeutas. Com isso, os portadores de TDAH poderão aprender a utilizar suas capacidades de maneira efetiva e se beneficiarem de um talento ainda não aproveitado. Além disso, depois de um tratamento, de acordo com a reportagem, é possível transformar os adjetivos negativos em positivos como: criativo, trabalhador, energético, caloroso, inventivo, leal, sensível, confiante, divertido, observador e prático. Atitudes essas que estão associadas aos superdotados. Vejamos agora exemplos de pessoas que conseguiram reverter esse transtorno de maneira positiva. Thomas Edison (que inventou a lâmpada); Benjamin Franklin (que descobriu a eletricidade); Magic Johnson (jogador de basquete); Ziraldo e seu Menino Maluquinho; Whoopi Goldberg; Robin Williams; Mozart e Beethoven. *Fonte: artigo publicado no British Journal of Psychiatry

65


66


67


68


Bem Viver 5