Page 1

Estilo de Vida

ESPECIAL Casa Cor® São Paulo

ARQUITETURA

Studio Guilherme Torres

Ano 11 Nº 58 R$ 12,00


C O N S T R U Ç Ã O

A C A B A M E N T O

B R I C O

A vida acontece de verdade em uma

casa de verdade

(Central de Atendimento Leroy Merlin): Capitais 4020-5376 • Demais Regiões 0800-0205376

www.leroymerlin.com.br

SOROCABA - SP - RODOVIA RAPOSO TAVARES, KM 101, PRÓXIMO AO SHOPPING IGUATEMI ESPLANADA Segunda a sábado, das 8h às 22h. Domingos e feriados, das 10h às 20h.


L A G E M

D E C O R A Ç Ã O

J A R D I N A G E M

A LEROY MERLIN acredita em casas de verdade. Sabe que as coisas mais importantes da vida acontecem nela, e quer ajudar você a transformar cada cantinho como sempre sonhou. Por isso, tem mais de 80 mil produtos para construir, reformar e decorar com o menor preço sempre. Além de atendimento especializado e serviços diferenciados. Venha para a LEROY MERLIN.

#CasaDeVerdade

Siga-nos: fazermais.info instagram.com / leroymerlinbrasil

twitter.com / @ LeroyMerlinBRA pinterest.com / leroymerlinbr

facebook.com / LeroyMerlinBrasil youtube.com / LeroyMerlinBRA


EDITORIAL Capa: Studio Guilherme Torres

Foto: Lufe Gomes

empre Ê tempo de criatividade Podemos admitir sem medo que o Brasil não passa por seu melhor momento. Hå quem tenha segurado investimentos esperando o país retomar seu rumo. Hå tambÊm aqueles que não estão sentados esperando e seguem investindo, criando e crescendo. A Casa CorŽ SP 2017 Ê um exemplo. Abriu suas portas em maio trazendo criatividade, inovação, VXVWHQWDELOLGDGHHIpQXPSDtVUHVLOLHQWHHVREUHYLYHQWH$PELHQWHVVR¹VWLFDGRVOX[XRVRVFKDUPRVRV VXVWHQWiYHLVSUiWLFRVYHUViWHLVHVWDPRVWUDWUD]GHWXGRXPSRXFRPRVWUDQGRTXHRVERQVSUR¹VVLRQDLV não têm medo de crises econômicas ou políticas. Nesta edição, trazemos alguns dos ambientes que mais chamaram a atenção da nossa equipe. O país tambÊm segue com sua vocação artística, valorizando antigos e novos talentos. No início de junho o artista plåstico Odamar Versolatto abriu mais uma exposição de suas obras na galeria de artes Studio 689, propriedade do arquiteto Ugo Di Pace, um amante e incentivador das artes e que apresenta coleçþes inovadoras para quem quer apreciar ou investir em arte, uma boa dica para o cenårio econômico atual. TambÊm nesta edição – e em todas da história da Arq&design – temos as principais descobertas em design e decoração, grandes projetos de arquitetura, paisagismo e design de interiores e matÊrias interessantes em comportamento, saúde, beleza e moda. Na arquitetura, um dos destaques vai para Guilherme Torres, premiado em duas categorias no A’ Design Award & Competition. 0DLVXPDHGLomRSDUDVHLQIRUPDUFRQVXOWDUHFROHFLRQDU$¹QDOERDVLGHLDVVmRDWHPSRUDLV%RDOHLWXUD

Sandra Vergili

',5(725(;(&87,92 Elias Boy Sampaio &225'(1$d­2*(5$/ Anelise Santosanelise@revistaarqdesign.com.br -251$/,67$5(63216Ăˆ9(/ Sandra Vergili – MTB 23.342sandra@revistaarqdesign.com.br (',725'($57( Carlos Henrique Barrosch@revistaarqdesign.com.br &20(5&,$/ Aline Gattazaline@revistaarqdesign.com.br (15) 99700-1402 Jonathan Oliveira Sampaiojonathan@revistaarqdesign.com.br (15) 98152-7698 0Ă‹',$',*,7$/ Camila Stecca Stefancamila.sstefan@gmail.com )272*5$),$ Henrique Cunhahenrique_desifn@yahoo.com.br ),1$1&(,52 Soraia Salgadofinanceiro1@revistaarqdesign.com.br )(&+$0(172',*,7$/ Leandro Marcelo Ismerimleandro.ismerim@gmail.com ,035(66­2 GrĂĄfica Santa Edwigeswww.graficasantaedwiges.com.br

12

ARQ&DESIGN

Fica proibida a reprodução parcial ou completa do conteúdo dessa publicação sem a prÊvia autorização dos responsåveis. Somente as pessoas que constam nesse expediente estão autorizadas a falar em nome da revista. Nenhuma pessoa estå autorizada a retirar objetos para as fotos do editorial sem a apresentação de um documento da direção da revista. Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores. Redação, Publicidade e Correspondência: Rodovia Raimundo Antunes Soares, 2.270 – Km 100 Votorantim – SP – Cep: 18115-120 – Tel/Fax: (15) 3242-2574 portal@revistaarqdesign.com.br


SUMÁRIO

23 DESCOBERTAS:

16 Decoração, utilidades e tecnologia ARQUITETURA:

23 Studio Guilherme Torres em um de seus projetos premiados

29 Personalidade e estilo próprio num apartamento de 130m²

DECORAÇÃO:

39 Casa Cor SP 2017 50 Tapetes valorizam e aconchegam os ambientes 53 Design sem fronteiras, por Danilo Imperial ®

PAISAGISMO:

62 FGMF Arquitetos – jardins envidraçados envolvem ambientes internos

TURISMO:

83 Cruzando o planeta para conhecer a Austrália

39 MOTOR:

87 Novo Mini Countryman Cooper S ALL4 90 3ULQFLSDLVGHFLV}HV½QDQFHLUDVQDDTXLVLomR de um veículo

LUXO:

94 Arte, luxo ou investimento? SAÚDE:

99 O custo por trás das cirurgias plásticas 100 Quando a ansiedade nos faz adoecer MODA:

103 As tendências apresentadas no SPFW 113 Alfaiataria desconstruída, fugindo do tradicional corte clássico

83 16 14

ARQ&DESIGN


DESCOBERTAS

MAIS ESPAÇO E DESEMPENHO A Interbagno lançou o sistema Viega. Nele as caixas de descarga são HPEXWLGDVHPDOYHQDULDFRPGHVFDUJDVGHGXSORžX[RDOLDQGRVR½VWLFDomR com ótimo desempenho. Disponível em vårios modelos. www.interbagno.com.br

RĂšSTICO MODERNO O aparador Brooklyn da Galeria das Lonas conta com o design de Pedro Mendes. Ele ĂŠ ideal tanto para uso interno quanto externo e possui tampo em madeira Taeda. www.galeriadaslonas.com.br

PEÇA EXCLUSIVA Com a assinatura de Carlos Motta, a Butzke apresenta a cadeira Concha. Produzida em madeira Tauari, a novidade esteve no salão Internacional do Móvel de Milão 2017. www.butzke.com.br

FACILIDADE E BELEZA Com a linha de monocomandos Celite Colors, a Celite busca tornar mais simples e pråtico o dia-a-dia atravÊs GDELFDžH[tYHOTXHSHUPLWHPRYLPHQWDo}HVGHDWpž alÊm de duas cores diferentes. www.celite.com.br

TECNOLOGIA DE PONTA A motorização PowerViewŽ da Hunter Douglas Ê uma inovação. Ela conta com um sistema que permite acionar cortinas por meio de um controle remoto com design inovador, por smartphones ou tablets. www.hunterdouglas.com.br 16

ARQ&DESIGN


DESCOBERTAS

“MARCO AURÉLIO VITERBO INTERIORES” O designer Marco Aurélio Viterbo lança seu primeiro livro para traçar VHXVDQRVGHFDUUHLUDSUR½VVLRQDO A obra reúne uma seleção de 21 projetos assinados por ele. www.marcoviterbo.com.br

DOIS EM UM A Lorenzetti complementou a linha Acqua Ultra, criando a versão Acqua Duo. A novidade conta com ducha e chuveiro em um único SURGXWRHSRVVXLDFDEDPHQWRVR½VWLFDGR www.lorenzetti.com.br

À SUA ESCOLHA Produzida em madeira de eucalipto, a Chaise Anatomy faz parte da coleção Frame da Intervento Design. É ideal para salas de estar e dormitórios e possui diversas opções de cores e tecidos. www.formatualmoveis.com.br 18

ARQ&DESIGN

TRADICIONALIDADE Novos modelos da cafeteira Moka Express complementam a linha da tradicional marca italiana Bialetti. Destaque para versão MINI, que serve uma ou duas xícaras. www.bialetti.com

PARA O PISO A Shaw Contract acaba de lançar a tecnologia reThink, que permite a fabricação de carpete vinílico de placa através de uma superfície de tecido. A ideia une sustentabilidade com beleza. www.shawcontract.com


DESCOBERTAS

COM UM CLICK! A mesa Click, da linha Public Spaces, Ê uma criação de Alberto Meda para a Vitra. Funcional e pratica, pode ser dobrada pressionando apenas um botão. Disponível em três tamanhos, alÊm do pråtico carrinho para empilhamento de dez mesas. www.vitra.com

PARA AS COZINHAS

LINHA HOME A Cadeira Ralph Lauren Home ĂŠ uma novidade na Celina Dias. O produto possui um estilo atemporal e conta com o mais alto nĂ­vel artesanal. www.celinadias.com.br

O misturador eletrônico para cozinha da Formaris Boutique possui ajuste de temperatura HGRžX[RGHiJXDLGHDOSDUD realizar a mistura de ågua, alÊm de design moderno e exclusivo. www.formaris.com.br

NOVIDADE SINGULAR O Duty Cabideiro Ê um lançamento presente na linha Gold da Breton. Ele possui a assinatura de Adolini&Simonini e Ê composto por matÊrias-primas nobres. www.loja.breton.com.br

PRATICIDADE A panela Multi Gourmet da Oster ĂŠ ideal para as mais diversas receitas. Possui um sistema de aquecimento de alta qualidade, cozinha de maneira uniforme e avisa quando a comida estĂĄ pronta. www.oster.com.br 20

ARQ&DESIGN


ONLINE

PARA SER APRECIADA DE TODAS AS FORMAS

revistaarqdesign.com.br $UT'HVLJQ5HYLVWD#DUTGHVLJQBUHYLV#UHYLVWDDUTGHVLJQR½FLDODUTGHVLJQ

A Revista ARQ&DESIGN é distribuída gratuitamente nos condomínios horizontais e verticais de Sorocaba, Votorantim, Araçoiaba da Serra, Porto Feliz e Itu. 22

ARQ&DESIGN


Fotos: Denilson Machado

Tendo a luz como coadjuvante Na residência assinada pelo arquiteto Guilherme Torres, a luz é um dos personagens do projeto, ora revelando, ora criando sombras. Na casa construída em Curitiba, no Paraná, grandes volumes se destacam em meio à paisagem.

ARQ&DESIGN

23


Qu Quando o arquiteto Guilherme Torres co conheceu o terreno de 1.200m² localizado em Cu Curitiba que iria receber uma residĂŞncia com sua assinatura, o projeto veio imediatamente a sua cabeça. “Dois volumes perpendiculares, de concreto, vidro e aço, no meio de uma zona de preservação ambientalâ€?, lembra Guilherme. O ponto de partida foi criar espaços abertos e amplos, rodeados por um verde exuberante e ao mesmo tempo fazer emergir uma atmosfera intimista. Para atingir esse objetivo, a residĂŞncia tem vĂĄrias camadas que sĂŁo reveladas conforme a arquitetura se desdobra. O reVXOWDGRIRLXPDFDVDGHPĂŤSHQVDGD para receber e atender as necessidades GRFDVDOHVHXV½OKRV

24

ARQ&DESIGN

De acordo com a incidĂŞncia da luz, as marcas criadas pelas estruturas de concreto sobre a madeira proporcionam um efeito singular, como se a madeira se tornasse pedra. Esse efeito quase “wabiVDELÂł TXH VLJQL½FD D EHOH]D GD LPSHUIHLomR VHJXQGR D ½ORVR½D MDSRQHVD IRL explorado na escolha de todos os materiais: no mĂĄrmore do piso e na madeira que reveste as paredes e o forro. “O mais importante foi trazer todos os elementos naturais para uma essĂŞncia mais bruta, criando um sentimento acolhedor que se encaixa com o clima da cidade, mais frio do que o tĂ­pico clima tropical do paĂ­sâ€?, explica o arquiteto. No tĂŠrreo, Guilherme criou uma ampla parede de cobogĂłs – elementos tĂ­pi-


ARQ&DESIGN

25


26

ARQ&DESIGN


cos da arquitetura contemporânea brasileira, que trouxe uma primeira textura e que se misturou à paisagem composta pelo capim Texas, do projeto paisagístico assinado por Alex Hanazaki. Este elemento do paisagismo revela a profundidade do projeto, sem revelar o que hå por trås da primeira camada. O resultado Ê uma brincadeira de luzes e sombras. TALENTO À FLOR DA PELE 2017 começou bem para Guilherme Torres, que se destacou em duas categorias do prêmio A’ Design Award & Competition. Na categoria Architecture, Building and Structure Design, esse projeto residencial de Curitiba, PA HOUSE, levou o Ouro. Jå na categoria Cultural

Heritage and Culture Industry Design, Guilherme levou a Prata com o projeto de UHWUR½W da sede da empresa Melhoramentos. O Studio Guilherme Torres ĂŠ o Ăşnico escritĂłrio latino americano na Hot List Top 100 designers mundiais, uma publicação da revista Covet de 2017, curada pela Boca do Lobo, grife portuguesa referĂŞncia em design hi-end que dita o quem ĂŠ quem no design contemporâneo. AlĂŠm disso, o Studio estĂĄ inaugurando seu posto avançado em New York - sem fronteiras, como prega seu fundador. STUDIO GUILHERME TORRES Rua JoĂŁo Moura, 112 – SĂŁo Paulo – SP   www.guilhermetorres.com

ARQ&DESIGN

27


ARQUITETURA

Arquitetura minimamente masculina Fotos: Marcelo Donadussi

O maior desafio da arquiteta Bibiana Menegaz neste apartamento localizado em Porto Alegre foi conferir ao imóvel dos anos 80 uma linguagem contemporânea, adequada ao perfil do cliente, um jovem piloto que viaja muito.

28

ARQ&DESIGN


Injetar personalidade e um estilo próprio sem exageros a um apartamento de 130 m² construído na dÊcada de 1980 em Porto Alegre. Com essa proposta em mente, a arquiteta Bibiana Menegaz criou um conceito de luxo contemporâneo, uma atmosfera minimalista, com lifestyle urbano e aconchegante. O cliente Ê um jovem piloto, solteiro, bem-sucedido e que viaja muito. O desejo do cliente de ter uma

renovação total do espaço deu liberdade para a criação. A integração dos espaços era primordial para receber amigos. A primeira das alteraçþes executadas foi derrubar a parede da cozinha, que a dividia da sala, e ampliar o living com a inclusão de um dormitório. Priorizando a funcionalidade, o living, o jantar HDFR]LQKD½FDUDPVHPGLYLVyULDV tendo apenas uma ilha separando o preparo das refeiçþes dos demais

ARQ&DESIGN

29


Nos banheiros o tom de cinza do porcelanato em contraste com o branco e a madeira valoriza o HVSDoR2DFDEDPHQWRXQL±FDGRQR piso e nas paredes do box contribui para a sensação de espaço maior.

ambientes. O forro de gesso e a luminotécnica, foram responsáveis por setorizar os espaços. O design possui linhas retas e o mobiliário foi escolhido para oferecer conforto. O projeto tem decor sóbrio, tanto em relação às cores quanto às formas, monocromático em tons de preto, madeira e cinza – cor essa utilizada para colorir as paredes do living, pilares e lajes, como também o tapete e os estofados, que dão conforto e aconchego ao espaço. Acabamentos de alto padrão e a entrada de luz natural são pontos marcantes deste projeto, que é marcado por uma decoração focada em formas geométricas, que complementam a atmosfera minimalista e atemporal em todos os ambientes.

BIBIANA MENEGAZ ARQUITETURA DE ATMOSFERA Rua Dr. Florêncio Ygartua, 314/303 Bairro Moinhos de Vento Porto Alegre – RS – (51) 99237-8283

30

ARQ&DESIGN


Na parte íntima o décor salienta e uniformiza o conceito de todos os espaços: elementar, sóbrio e aconchegante.

ARQ&DESIGN

31


Fotos: Renato Elkis

ARQUITETURA

32

ARQ&DESIGN


Aberta para o horizonte “O traço vem do terreno de onde se põe e nasce o sol ou por onde circula o vento. Os poucos limites entre a casa e o verde resgatam a liberdade sufocada em dias acelerados.” Marco Portes

ARQ&DESIGN

33


Erguida em um terreno com 3 mil m², a residência tÊrrea de linhas retas e arquitetura moderna se destaca no cenårio bucólico de um condomínio fechado em Itu. Feita sob medida para um jovem casal, a casa possui ambientes amplos e claros, que se integram à natureza atravÊs do pomar, horta, jabuticabeiras e ambientes que remetem ao bem estar e tranquilidade. Assinada pelos arquitetos Marco Portes e Cida Portes, a casa tem YROXPHV EHP GH½QLGRV TXH VmR ressaltados por linhas secas e expressivas e que aproveitam ao måximo o terreno em aclive. Com grandes vãos livres e iluminação abundante, o projeto då D VHQVDomR GH TXH D FDVD žXWXD sobre o terreno. Os amplos vidros aproveitam ao måximo a luminosidade natural e enquadram a paisagem com uma pintura viva. Com a proposta de dar aos moradores a liberdade de usufruir da årea de lazer sem perder a privacidade, os arquitetos criaram acessos exclusivos para a årea de serviço e garagem, deixando o resto do espaço para o uso da casa e do lazer, incluindo sala de estar com varandas e espaço gourmet, a praça do fogo e bangalô, todos implantados no projeto como mirantes. O projeto tem como destaque a grande porta de entrada, que alcança o pÊ direito duplo.

34

ARQ&DESIGN


ARQ&DESIGN

35


Na decoração, os mĂłveis homenageiam artistas brasileiros, como a poltrona “Moleâ€? do designer SĂŠrgio Rodrigues, as cadeiras da sala de jantar inspiradas no palĂĄcio da Alvorada, bancos para balcĂŁo do gourmet de Zanine Caldas, cadeiras para mesa da varanda e mesa da copa de Carlos Motta, mesas de Jader Almeida. Os mĂłveis sob medida, foram projetados pela arquiteta e executados pela Marcenaria Artesanal.

PORTES ARQUITETURA

(11) 4191-5783 / (11) 4193-4497 www.portesarquitetura.com.br contato@portesarquitetura.com.br

Jå as obras de arte que revestem as paredes têm a assinatura de nomes como Paulo Cury, Juan Esteves e Luiz Martins. Para Marco Portes, o que vale neste projeto Ê o bom gosto e uma linha de trabalho EHP GH½QLGD ²*RVWR GH GHFRUDção de interiores e do paisagismo. Apenas apontei um caminho para arquiteta Cida Portes, que faz parte GDPLQKDHTXLSHXVDQGRD½ORVR½D do menos Ê mais�.

36

ARQ&DESIGN


Foto: RĂ´mulo Fialdini

DECORAĂ‡ĂƒO

CASA COR SP ÂŽ

Aberta o público em maio, a 31ª edição da CASA COR® São Paulo traz, como em edições anteriores, o melhor da arquiteWXUDGHFRUDomRHSDLVDJLVPR6mRDPELHQWHVGLVWULEXtGRV SHODiUHDGHPëGR-RFNH\&OXEGH6mR3DXOR Entre casas, lofts, lounges, salas, banheiros, estúdios, apartamentos e jardins o que impera é o tema da mostra deste ano, o Foco no Essencial. O objetivo é apresentar o que é mais indispensável para viver bem em espaços tão diversos TXDQWRRVSUR½VVLRQDLVHRVYLVLWDQWHVWUD]HQGRRGHVLJQPDLV próximo das pessoas. A mostra vai até o dia 23 de julho de 2017, e os ingressos são vendidos na bilheteria ou através do site Ingresso Rápido. Além de apreciar os ambientes, os visitantes poderão acompanhar palestras, cursos e outros eventos. Para acompaQKDUDSURJUDPDomREDVWDDFHVVDURVLWHR½FLDOGDPRVWUD

Os elementos da natureza serviram de inspiração para o Espaço dos Convidados projetado por DENISE BARRETTO. Living com lareira e sofås italianos, home theater, cozinha gourmet e atÊ uma pequena praça estão integrados em 218 m² do ambiente. Madeira e tijolos caramelo geram aconchego, somados ao tapete de 12 m² pendurado na vertical como obra de arte. No piso, o porcelanato foi disposto em rÊguas. ARQ&DESIGN

39


Foto: Denilson Machado

PATRIZIA GENOVESE e GUILHERME LONGO, do 6WXGLRDVVLQDPRUHVWDXUDQWHR½FLDOGD&$6$ CORŽ, o Badebec. A decoração do espaço, que tem 400 m2, faz um delicioso passeio ao passado, mais precisamente aos restaurantes franceses com dÊcor retrô-chic, estilo que marcou o período entre os anos de 1920 e 1950 na Europa. O ambiente conta ainda com peças de design, como Irmãos Campana, Versace e Louis Vuiton.

Foto: Renato Navarro

A arquiteta e decoradora Ă&#x2030;RICA SALGUERO criou a Cozinha Industrial com 53 m² para um jovem casal. O ambiente mescla os estilos industrial e rĂşstico e teve inspiração nos galpĂľes e estĂşdios de Nova <RUNGDVGpFDGDVGHH&DUDFWHUL]DGDSRU peças rĂşsticas, recicladas, metais, madeira, objetos de ferro oxidado, a cozinha recebeu teto e paredes em cimento queimado, alĂŠm de uma parede com tijolos aparentes na cor branca.

40

ARQ&DESIGN


Fotos: Kiko Massuda

A Sala de Jantar, de TONINHO NORONHA em parceria com o arquiteto Renato Andrade, traz o cinza associado a tons de azul e madeira. A mesa é o centro das atenções, tem acabamento em micro textura metalizada e é composta de duas peças separadas que formam uma mesa maior. As cadeiras de jantar estilo Art Déco são do acervo do arquiteto. Nas paredes, placas em MDF foram transformadas em painéis suspensos que revestem toda a volta do espaço.

ARQ&DESIGN

41


Foto: Marcos AntĂ´nio

Um espaço de integração e interação projetado para receber. O Living Bar, assinado pela dupla MOACIR SCHIMITT JR. e SALVIO MORAES JR., do Studio CASAdesign, exibe um local para o convívio e descontração. O espaço buscou inspiração na arquitetura característica de 1875, do estilo art-decó, com uma atmosfera cosmopolita. Cercado por elementos contemporâneos e cheios de personalidade, o espaço reúne um grande bar, VDODGHMDQWDUHVWDUHKRPHRI½FHLQWHJUDGRV

Foto: Denilson Machado

Projetar um ambiente que proporcionasse um espaço de convivência e lazer, com uma atmosfera envolvente e relaxante para receber foi o principal GHVD½RGDGHVLJQHUGHLQWHULRUHVPATR�CIA HAGOBIAN para o Lounge dos amigos. A sala de estar com ambientação para leitura, a sala de convivência e um bar compþe o projeto. O destaque vai para a estante funcional chumbo, FRPQLFKRVTXHSRVVXHPžHFKDVGHOHGSDUD os livros e objetos decorativos.

42

ARQ&DESIGN


Fotos: Renato Navarro

O arquiteto e designer LĂ&#x2030;O SHEHTMAN assina a Casa &RQWUDVWH&RPPĂŤ o espaço, dividido entre living e ĂĄrea gourmet, foi inspirado no SULQFtSLRGD½ORVR½DFKLQHVDGR Yin e Yang. Com referĂŞncia de alguns estilos, como a pop-art, o De Stijl e o clĂĄssico, o ambiente traz apenas dois tons: o preto e o branco. No living, a lareira suspensa e a poltrona â&#x20AC;&#x153;Iron Chairâ&#x20AC;?, dos irmĂŁos Campana, GmRRWRTXHGHVR½VWLFDomR

ARQ&DESIGN

43


Foto: Fran Parente

A Casa Niwa, criada pela YAMAGATA ARQUITETURA é totalmente integrada ao jardim, projetado em parceria com o paisagista Alex Hanazaki, e traz um conceito minimalista, com toques orientais. Um grande vão absorve o living, sala de jantar, cozinha e a suíte. Concreto, vidro, texturas naturais, minerais e a nobreza da madeira são características do projeto.

Foto: Denilson Machado

As arquitetas ADRIANA HELU HAWILLA, CAROLINA OLIVEIRA e MARINA TORRE LOBO, da Triplex Arquitetura assinam o Loft do Designer, que conta com quatro ambientes: living, gourmet, suíte e banheiro integrado ao closet. Com inspiração escandinava, de conceito clean, onde excessos são dispensados, a simplicidade é valorizada e há combinação entre materiais tradicionais e modernos, cores e texturas, entre eles madeira, aço e vidro.

44

ARQ&DESIGN


O quarto tem piso em madeira de demolição e elementos lúdicos que garantem a sensação de relaxamento. Um pequeno escritório atende as necessidades do casal que gostaria de fazer algum tipo de leitura, estudo ou trabalho.

Fotos: Marco Antonio

As arquitetas ANDREA TEIXEIRA e FERNANDA NEGRELLI apresentam a Casa do Mar, projetada para receber hóspedes que procuram um refúgio da agitação do dia a dia. Com inspiração em praias paradisíacas, RHVSDoRpU~VWLFRFRPWRTXHVGHVR½VWLFDomR

ARQ&DESIGN

45


Fotos: Renato Navarro

A designer de interiores MARÍLIA VEIGA assina o Estúdio do Curador de Arte, um ambiente aconchegante, convidativo. O espaço de 100 m² foi dividido entre galeria, living e curadoria e abriga a exposição da artista plástica Luciana Crepaldi. Para deixar o espaço mais acolhedor, a arquiteta inseriu móveis como o sofá Replay, em madeira maciça e frisos em aço inox envelhecido, uma peça dinâmica e versátil no sentar.

Fotos: Marco Antonio

Uma casa repleta de referências nacionais, com cores vibrantes e brisas refrescantes das praias brasileiras. A Casa da Praia Decortiles, ambiente criado pela designer MARINA LINHARES, tem como ponto de partida o azul e o branco, tonalidades que apontam SDUDRPDUHRYHUmRHTXHGH½QHP toda a paleta e a atmosfera do espaço. O Caribe e o estilo tipicamente brasileiro serviram de norte na criação do ambiente.

46

ARQ&DESIGN


Fotos: Marco Antonio

A arquiteta SANDRA MOURA assina o Estúdio do Artista, uma atmosfera que envolve arquitetura, design e botânica. Para compor o ambiente, Sandra desenvolveu o elemento de design mais simbólico no estúdio: uma grande estrutura metálica e vazada que percorre todo o espaço. Híbrido de esqueleto de coluna e viga, o elemento se transforma em estante, vitrine ou cabide, passando pelo hall, copa, quarto e reaparecendo no terraço. ARQ&DESIGN

47


Foto: Fran Parente Foto: Salvador Cordaro

O Studio 011 Arquitetura, das sócias BÁRBARA GOMES e GIULLIANA SAVIOLI, apostou em um espaço descomplicado e aconchegante para o Loft SP. No espaço, todas as paredes e forro são revestidos em madeira carvalho americana. O ambiente é marcado pelas cores neutras como o cinza, bege e preto e conta com um toque de cor na poltrona. A ideia foi utilizar poucos móveis para não comprometer o espaço, item considerado luxo nos grandes centros urbanos.

48

ARQ&DESIGN

Uma viagem à Tailândia serviu de inspiração para a arquiteta MARIANA CREGO projetar a Casa 6XVWHQWiYHO(ODRSWRXSHODPDGHLUDGHUH¾RUHVWDPHQWR e vidros, usados para dividir o módulo do quarto com a sala, mostrando que a habitação pode ser modulada. A arquiteta escolheu móveis que misturam elementos e cores como veludos, madeiras, metais, prata, azul, dourado, verde, branco, uma verdadeira viagem do clássico ao étnico.


DECORAÇÃOOPORTUNIDADESMOUTLET

Recamier em veludo (1,56m) R$ 1.690,00 Poltrona em tecido R$ 1.390,00

Banqueta marron ou preta R$ 790,00

Puff (1,10x0,90cm) R$ 990,00

Mesa em madeira (180x0,90cm) R$ 1.290,00

Aparador com bandeja em laca (1,60x0,45cm) R$ 1.490,00

Sofá Retrô (1,80m) com opções de medidas e tecidos Aparador-bar (160x0,70cm) (peça única)

M OUTLET

Avenida Américo de Carvalho, 780 – (15) 3211-9271 moutletmoveis.com.br

ARQ&DESIGN

49


DECORAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

DesmistiďŹ cando o uso dos tapetes

50

ARQ&DESIGN

Tapete com design Rajmahal, Coleção Missoni Home. www.celinadias.com.br Tapete Colour Dream, Coleção Artísticos. www.kiantapetes.com.br

Tapete Bamboo, da designer italiana Alessandra Baldereschi. Punto e Filo para A Lot Of Brasil. www.alotofbrasil.com.br

Foto: Rafael Renzo

Muito importante para uns e nem tanto para outros, os tapetes podem ser uma peça-chave na decoração e conferir ao ambiente a sensação de aconchego cumprindo diversas outras funçþes. Em quartos, cozinhas, banheiros, salas de estar e jantar e atÊ em åreas externas, as formas de utilização desse item ainda geram dúvidas. No quesito valorização dos ambientes, os tapetes atuam como delimitadores de espaços, reforçam o conforto acústico e tÊrmico e sendo de cores claras podem dar uma sensação de amplitude. Nas cozinhas, inseridos em frente ao gabinete da pia, em um tamanho que alcance atÊ o fogão, podem absorver os respingos e tambÊm esconder åreas de desgaste do piso caso existam. Para as salas de estar deve-se atentar para o tamanho. O ideal Ê que dentro das dimensþes do tapete seja possível colocar todos os móveis do ambiente como sofås, poltronas e mesas laterais. AlÊm disso, Ê importante que a largura do tapete e do estofado sejam as mesmas e que se reserve pelo menos 30 cm da peça para ser colocado embaixo do sofå, pois essa tÊcnica faz com que se crie visualmente um mesmo plano entre os dois. Para as salas de jantar a regra Ê parecida. Nela todas as cadeiras, estando elas em uso ou não, devem estar alocadas dentro do perímetro do tapete. 3DUDLVVRpUHFRPHQGDGRTXHVHUHVHUYHGHD 70 cm de cada lado para haver uma movimentação com conforto. Nos quartos o ideal Ê utilizar um modelo retangular no sentido contrårio ao da cama, fazendo com que se sobrem espaços nas laterais e na frente. Banheiros e lavabos pedem modelos de secaJHPUiSLGDHTXH½TXHPSRVLFLRQDGRVHPIUHQWHD bancada da pia. E engana-se quem pensa que åreas externas não podem receber essa peça. Algumas marcas vêm apostando nesse tipo de produto e tem produzido modelos resistentes à umidade e luz solar. $OJXQVVmRGHVHQYROYLGRVFRP½EUDVGHSROLSURSLOHQRYLQLO½EUDGHJDUUDIDSHWH39&WRUQDQGRRV mais resistentes a esses impactos. Nessa concepção, são perfeitos para serem colocados em varandas, åreas de convivência e atÊ de piscina.

Tapete clĂĄssico Jaipur Mythos, importado da Ă?ndia. www.etna.com.br


Tapete Silverstone, importado da Índia. Ambiente de Flávia Gerab - Casa Cor® 2015. www.botteh.com

Foto: Foto: Thiago Travesso

Tapete Kern, importado do Nepal. Ambiente de Olegário de Sá e Gil Cione Casa Cor®2017. www.botteh.com

Tapete para área externa, em polipropileno. Ambiente de Bruno Carvalho Casa Cor® 2017. www.botteh.com ARQ&DESIGN

51


Materiais, cores e cuidados No mercado hĂĄ diversos tipos de materiais usaados na confecção dos tapetes que conferem altuuGD UDVGLIHUHQWHVDV½EUDVHVmRLQGLFDGRVSDUDFDGD tipo de ambiente. Para as ĂĄreas internas hĂĄ diversas opçþes. es. Os mais convencionais sĂŁo os com espessura de a, cerca de 10 mm. Eles tĂŞm uma pelagem mĂŠdia, nĂŁo sendo felpudos, nem lisos e podem ser de lĂŁ eou de seda. Os de algodĂŁo cru tambĂŠm sĂŁo idede ais para esses espaços e existem em uma grande ro gama de cores. Eles possuem toque seco e duro ma e trama apertada e baixa. Os de NĂĄilon tem uma m. manutenção fĂĄcil e nĂŁo encolhem nem desbotam. JĂĄ os modelos conhecidos como â&#x20AC;&#x153;peludosâ&#x20AC;?, de nĂĄilon e lĂŁ, por exemplo, podem ser usados em espaços onde se busca conforto e aconchego como os quartos. Para quem nĂŁo gosta de muitos pelos, hĂĄ os do tipo kilim que sĂŁo feitos de lĂŁ ou seda, sĂŁo coloridos e mais acessĂ­veis. Os ambientes secos e com grande circulação GHSHVVRDVSRGHPUHFHEHURVGH½EUDVQDWXUDLV como sisal, seagrass ou mountain grass jĂĄ que neles possuem um toque mais ĂĄspero. TambĂŠm inmR GLFDGRVSDUDHVVH½PHVWmRRVGHYLQLOMiTXHVmR resistentes a alto trĂĄfego e a intempĂŠries. A altura das tramas do tapete ĂŠ indispensĂĄvel el epara a escolha do modelo que irĂĄ compor um dear terminado ambiente. No caso das salas de jantar ĂĄo ideal ĂŠ que ele tenha pelos curtos, de mais fĂĄor cil manutenção. Nos quartos e salas de estar, por exemplo, pode-se abusar dos tipos felpudos. iNo quesito cores, todas elas podem ser utiliezadas desde que estejam combinando com a teto mĂĄtica da decoração. O mix de estampas muito s. utilizado na moda, tambĂŠm vale para os tapetes. ĂŁo Desde que a cartela de cores seja semelhante nĂŁo hĂĄ restriçþes para o uso de duas peças com paaas dronagens diferentes. E os modelos com estampas geomĂŠtricas podem ser ideais para tirar a monotonia da ĂĄrea. Para manter os tapetes de ĂĄreas internas, sempre bonitos, nĂŁo se deve deixĂĄ-los expostos ao sol, pois as cores podem desbotar. Passar o aspirador com freqßência, tirando o pĂł, tambĂŠm ĂŠ importante para manter a qualidade da peça. Na hora da limpeza, cuidado com alguns tira-manchas, pois eles SRGHPGDQL½FDURV½RV$ODYDJHPSRGHVHUUHDOLzada a cada dois anos ou sempre que forem notadas cores opacas, manchas ou tramas endurecidas. 52

ARQ&DESIGN

Tapete National Geographic Tigress cinza, importado da Ă?ndia. www.etna.com.br Tapetes em PVC, para ĂĄreas externas. VĂĄrias cores e desenhos. www. galeriadaslonas.com.br

Tapete design Sapporo, BlackWhite, Coleção Missoni Home, www.celinadias.com.br

Tapete Kilim Striped Black, em lĂŁ indiana. www.kiantapetes.com.br


DECORAÇÃOENTREVISTA

Por: Danilo Corte Imperial – Designer de Interiores / Milão

A designer industrial Hagit Pincovici deixou Israel em 2009 para dirigir o evento de uma empresa de seu país, que participava do Salão Internacional de Milão. A caminho de volta para Tel Aviv, encantada com o que vivenciou naquela semana, decidiu abandonar o seu trabalho, em busca de novos estímulos e oportunidades na Itália. Hagit se formou em Jerusalém, e prosseguiu seus estudos com a pósgradução em Design Management em Milão. Nos anos seguintes colaborou com grandes empresas, e apresentou seus projetos em muitas feiras internacionais. Hoje a product designer vive em Roma, tem uma marca própria de objetos de design, dá aulas em uma universidade em Milão e viaja com frequência para Nova Iorque onde suas coleções de móveis são sempre muito requisitadas. Entre uma viagem e outra ainda consegue dar atenção aos muitos jornalistas que a procuram. Em uma exclusiva para Arq&Design, Hagit nos levou até a famosa região de Brianza, onde ½FDP DV VHGHV GDV SULQFLSDLV HPpresas de Design Made in Italy, para acompanhar os processos de produção das suas peças. Arq&Design: Em Israel a sua família possui uma empresa de objetos de design em acrílico. O que causou a sua mudança para o exterior? Hagit: Na realidade a minha primeira aventura como designer começou com a empresa da minha família.

Design sem fronteiras

Fotos: Danilo Corte Imperial

Atualmente muitas nações tem fechado suas portas para quem busca oportunidades. Se por um lado as diferenças culturais podem se tornar motivo de conflitos, para o mundo do design são consideradas um valor que faz do nomadismo uma tendência.

Designer Hagit Pincovici Quando eu era adolescente, por volta de 15 anos, decidi projetar e produzir os móveis do meu quarto. Foi uma experiência extraordinária porque isso me levou a compreender o quanto é difícil conjugar materiais e artesãos, PDVGHSRLVGHWDQWDVGL½FXOGDGHVQD realização do meu primeiro projeto, estar no quarto, rodeada por objetos feitos por mim, foi uma vitória. Ao mesmo tempo, acredito que o melhor caminho não é sempre o mais curto. Trabalhar em Israel com a empresa da minha família era fácil demais. Queria aprender com outros artesãos e ter a oportunidade de expressar a minha paixão através de outros materiais. Além do fato de Israel ainda não ser um país voltado para o design, embora esteja crescendo nesse campo, talvez isso tenha contribuído para a minha partida. A&D: Você nasceu e cresceu em Tel Aviv, mas mora e dá aulas na Itália e está sempre a trabalho em Nova Iorque. Ou seja, estilos e gostos muito diferentes entre eles. Com qual país você tem mais ligação e qual deles WHPPDLVD½QLGDGHFRPRGHVLJQTXH você propõe nos seus objetos? Hagit: Eu diria que é um misto: o DNA do meu país e também a perspectiva natural vinda de uma cultura diferente da minha original. Isso acontece quando a tradição é predominante como a cultura do design italiano, acima de tudo se você é instruído por ela. Por exemplo, a mesa

From Above foi uma inspiração de um trabalho de um artista Israelense, Gal Weinstein, vulgo “Nahalal” , mas ao mesmo tempo veio do Gio Ponti. Já do ponto de vista dos materiais e acabamentos me sinto mais próxima à cultura americana com o efeito glossy e o latão. Quando eu comecei com o laqueado em 2014, na Itália me olhavam feio, porque esse era um conceito dos móveis do passado. A&D: Conheci seu trabalho há muitos anos atrás, quando as tendências eram ainda candy colors e design nórdico. Enquanto isso você já olhava para um outro horizonte, sendo a precursora no uso de materiais que só chegaram agora no design de massa. O que te levou a seguir uma direção oposta? Hagit: Pouco tempo atrás li um artigo que dizia que o minimalismo “já era”. Agora estamos no período do “maximalismo”, que dá muita atenção aos materiais luxuosos, detalhes, e ao artesanato. É engraçado, porque para mim o maximalismo sempre esteve presente na Itália, em termos de arquitetura e de objetos. Só que era proibido, digamos, porque fazia parte do passado. O que o eu quero dizer é que não acredito nas tendências, a natureza delas é acabar. Para mim o genial mesmo é criar um objeto DWHPSRUDO RX SHOR PHQRV TXH UH¾Lta uma abordagem criativa pessoal, com um sentido lógico. Estudei por um tempo em Copenhagen e aprenARQ&DESIGN

53


Foto: Hagit Pincovici

GLTXHDSRVLomRJHRJUi½FDHRFOLPD IULRLQžXHQFLDPPXLWRRHVWLORQyUGLco. AtÊ mesmo a luz Ê diferente por lå, e por isso as soluçþes são harmonizadas para dar bem estar de acordo com o estilo de vida. Essa Ê a prova que as tendências sobrevivem somente quando elas são ligadas a um sentido mais profundo. A&D: Atualmente no design, assim como acontece hå anos na moda, a tendência è reinterpretar. Estamos vi vi-

Mesa From Above Marble da coleção Eclipse da designer Hagit Pincovici

vendo um momento histórico que me lembra um pouco o pós-modernismo. Você acha que revisitar os estilos do passado Ê uma consequência da atual instabilidade política ou simplesmente R GHVLJQ HVWi WHQGR GL½FXOGDGHV HP criar novas linguagens? Hagit: Acho que simplesmente seguimos um espiral, ou seja, existem projetos que repetem os estilos, porÊm alguns deles abrem novas estradas, elevando-nos para o alto. Mas se pensarmos na tecnologia de produção e QRVQRYRVPDWHULDLVHXGLULDTXH½]Hmos grandes avanços. A&D: Na última edição do Salão do Móvel de Milão muitas empresas decidiram passar mensagens com conteúdo social. A Moroso propôs no seu showroom a instalação do jovem artista grego Achilleas Soura, que destaca o problema dos prófugos, e outras abordaram temas ligados à mulher. Você acha certo que o design se ocupe de políticas sociais? Hagit: Acredito que seja justo que o GHVLJQ UHžLWD VREUH D UHDOLGDGH TXH estamos vivendo, porÊm, com o objetivo de melhorå-la. O design tem de criar soluçþes, caso contrårio vira 54

ARQ&DESIGN

uma simples parĂĄfrase do problema, representação e, desse modo, simplesmente arte. A&D: Segundo dados recentes, a arquitetura ĂŠ ainda hostil para com as mulheres. Alguns dias antes da Design Week de MilĂŁo, uma sĂłcia do escritĂłrio dinamarquĂŞs BIG chegou a defender a acusação de que a empresa estaria privilegiando os homens. No mundo do design vocĂŞ acredita que haja diferença entre os sexo masculino e feminino? Hagit: Se olharmos os fatos, veremos que os homens predominam no mercado de trabalho do design. Por outro lado, tomando como exemplo as salas de aulas de desenho industrial na NABA, vemos um evidente predomĂ­nio de mulheres em relação aos homens. Ă&#x2030; uma boa pergunta, nĂŁo saberia dizer se aquilo que estĂĄ entre o diploma HUDPRGDSUR½VVmRpXP½OWURRQGH acontecem as disparidades, ou se ĂŠ uma questĂŁo de escolha pessoal. A&D: VocĂŞ jĂĄ sofreu algum tipo de discriminação no setor? Hagit: NĂŁo, pelo contrĂĄrio, mas quando eu dirijo um furgĂŁo para transportar uma peça de um artesĂŁo para o outro, admito que as pessoas me olham de forma estranha. A&D: Participar do Fuorisalone na 'HVLJQ :HHN GH 0LOmR LQžXHQFLRX R seu sucesso? Hagit: A prerrogativa do Fuorisalone ĂŠ que o evento receba uma cobertura a nĂ­vel global, para mim isso proporcionou uma Ăłtima visibilidade e gerou boas oportunidades e colaboraçþes FRPHPSUHVDVLWDOLDQDVVLJQL½FDWLYDV como a CC Tapis. A&D: VocĂŞ acompanhou em primeira pessoa as contĂ­nuas evoluçþes do Fuorisalone. Para os designers independentes o avanço frequente, a criação de novos distritos e o aumento da presença de grandes empresas do setor (que atĂŠ entĂŁo expunham somente no SalĂŁo), ĂŠ positivo ou negativo? Hagit: Se imaginarmos os negĂłcios como um bolo, diria que ambos (em-

presas e designers independentes) recebem uma fatia, e por consequĂŞncia, um espaço maior para todos. Tendo participado de algumas Feiras seja na AmĂŠrica do Norte ou na Europa (Fuorisalone e London Design Week), vejo uma tendĂŞncia do mercado, privado ou nĂŁo, de observar os designers independentes. Em Londres recebi muitos pedidos para decorar espaços HVSHFt½FRVGHKRWpLVHSDUDID]HUSURjetos de residĂŞncias. A ideia de que um hotel de luxo ofereça um espaço para as peças de um designer emergente tanto quanto para peças de grandes empresas estĂĄ muito comum nos dias de hoje. Por si sĂł, a criação do Hotel Boutique ĂŠ uma prova que o mercado do design estĂĄ buscando algo novo. A&D: Um arquiteto/a, designer brasileiro/a do passado, que vocĂŞ estime e um/a atual com o/a qual gostaria de trabalhar? Tenho que destacar bem os gĂŞneros para nĂŁo ser discriminatĂłrio... Hagit: (Risos)...do passado estimo muito o Oscar Niemeyer, jĂĄ dos atuais diria os IrmĂŁos Campana dos anos 2000, o estilista da Osklen â&#x20AC;&#x201C; Oskar Metsavaht e Pedro Mendes, da Galeria Mendes Wood.

O artesão faz o acabamento na mesa da coleção Metaphysics em Brianza


DECORAÇÃOXMODA Por: Danilo Corte Imperial

Futuro House, do arquiteto Matti Suuronen, na entrada da exposição Objet Nomade da Louis Vuitton.

Design W eek ou

Fotos: Danilo C. Imperial

Fashion Show?!

Não é uma novidade que durante a Design Week de Milão os objetos vistam trajes haute-couture. A verdade é que um evento que reúne visitantes de todo o mundo (343.000 pessoas só no Salão do Móvel), é a ocasião perfeita para reforçar o conceito de versatilidade que a cada dia mais se espalha nas grifes de moda. Mas qual é a consequência da invasão do fashion system na semana dedicada ao design? Para começar, segundo o site Blogmeter, as interações no social network chegaram a 14 milhões, das quais

O balanço Coccon dos brasileiros Fernando e Humberto Campana foi o primeiro objeto desenhado pela dupla para a coleção Objet Nomade. Ao lado, o novo Sofá Bomboca dos brasileiros Fernando e Humberto Campana. ARQ&DESIGN

55


A instalação da Hermès teve jogos de sombras e de perspectiva.

Mesa de centro Aes e o jogo de porcelanas ilustrado por Philippe Mouquet, exibidos no evento da Hermès na Design Week de Milão. Um dos ambientes da Objet Nomade que destaca a rede Hammock do Atelier Oï.

56

ARQ&DESIGN

90 mil citações no Instagram só para a marca Louis Vuitton com a hashtag #objetnomades. Louis Vuitton em Milão apresentou “Objet Nomade”, uma coleção de 25 peças de design limited edition, assinada pelos designers mais renomados do mundo. Os autores dos objetos, provenientes de diferentes partes do mundo, se transformaram nos narradores da historia sobre a arte de viajar que fundaram as raízes da grife francesa. Enquanto isso, a “Casa disco voador” - Futuro House, do arquiteto Matti Suuronen -, na entrada do percurso, recebia seus visitantes sugerindo ser o meio de transporte com o qual explorar melhor o exclusivo universo Louis Vuitton. As majestosas salas do Palácio Bocconi viraram passarelas, mas ao invés de vestidos ou bolsas encontramos móveis e objetos de decoração, idealizados com os mesmos critérios dos seus acessórios: luxo, artefato e savoir-faire. A excelência dos materiais, a plasticidade com a qual esses foram trabalhados e a precisão de cada detalhe, estavam sempre ao alcance dos olhos, mesmo quando suspensos, apoiados ou ao centro de uma ilha coberta de areia. Os ambientes foram projetados e integrados com tamanha genialidade que pareciam pertencer ao edifício desde a sua origem em 1800. Os brasileiros Fernando e Humberto Campana adicionaram a segunda criação deles para a coleção Objet Nomade com o sofá “Bomboca”, repleto de curvas. Além de se con½UPDUHP FRPR TXHULGLQKRV GD Maison a dupla também ofereceu as boas vindas aos recém-chegados: os conceituados designers India Mahadavi e Tokujin Yioshioka. Jogos de luz e sombras, sobriedade e lifestyle completaram um pavilhão dedicado à linha Hermès Maison, uma estrutura inteiramen-


te branca e com pavimentação de tijolos laranja, típicos da região italiana Umbria. No fundo do corredor de entrada encontramos, pendurada na parede, uma rédea em puríssimo couro como se fosse um ornamento que, instantaneamente, nos faz entrar no espirito da grife. A linguagem se repete também no interior, para cada ambiente poucos objetos, desde um centro de mesa em carvalho desenhado por Guillaume Delvigne e Damian O’Sulivan aos banquinhos Karumi, em bambu e couro, assinados pelo arquiteto português Alvaro Siza. Para quebrar a rigidez do diálogo entre espaço essencial e objeto de desejo, se encontrava um ambiente com a mesa de centro em bronze “Aes” por Barber & Osgerby e o precioso jogo de porcelana com ilustração de Philippe Mouquet. Ambos RV REMHWRV SDUHFLDP ¾XWXDU VREUH um brilhante espelho d’agua de cor preta. O que recebeu mais destaque foram os 3 plaids em cashmere de Seulgi Lee, uma artista coreana que incorpora provérbios típicos do seu país nos seus trabalhos. Cada um deles tem como protagonista um animal e um objeto que se relaciona a uma paisagem metropolitana. $ +HUPqV VXSHURX RV FRQ½QV GD sua exposição revestindo com os seus fascinantes papéis de parede as fachadas de alguns edifícios de Brera, o bairro mais boêmio de Milão. A Maison escolheu atividades típicas italianas como um bar, uma sorveteria e uma padaria para expor as suas estampas da

Armário da linha maison da grife francesa Hermès. coleção wallpaper “Mille Jeux”, de Gianpaolo Pagni e “Le Carreux”, de Nigel Peake. Seguiu outra direção a “Playland”, instalação da grife Marni TXH ½FDYD QD UXD 8PEULD $ PDUca, conhecida no mundo da moda por suas estampas geométricas, apostou em uma abordagem lúdica para apresentar a linha de móveis em metal, madeira colorida e cordas de PVC. “Os objetos são feitos a mão em vilarejos da Colômbia por um grupo de mulheres artesãs que, através desse trabalho, conquistaram a independência e emancipa-

ção”. A coleção Playland faz parte de uma série limitada e foram concebidas para expressar um lado irônico e divertido. Já o espaço em volta foi transformado em um playground com areia super colorida, que reforçava a intenção do projeto. Entre os objetos se encontravam também alguns brinquedos tradicionais com os quais os visitantes podiam jogar, interagir e esquecer da seriedade e caos da cidade. Sem dúvida, essa foi uma das atrações mais interessantes do Fuorisalone e certamente a preferida das crianças.

O plaid “Le cheval du vieillard des faubourgs” da artista coreana Seugi Lee, em edição limitada.

Foto: Marni Oficial

A instalação Playland da grife italiana Marni.

ARQ&DESIGN

57


DECORAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

Inspiração

SUL-AFRICANA

Danilo Corte Imperial

E

Um dos ambientes da instalação SouthAfrica@Home na loja Cape Best em Milão.

m abril deste ano, com o projeto SouthAfrica@Home, o designer de interiores Danilo Imperial participou da 15° edição do Fuorisalone, um dos mais relevantes eventos do setor do design, que acontece uma vez por ano durante o SalĂŁo Internacional do MĂłvel de MilĂŁo. A oportunidade surgiu atravĂŠs do convite feito pelo designer Kurt Stapelfeldt, que foi um dos seus professores na conceituada Nuova Accademia delle Belle Arti di Milano (NABA), onde Danilo estĂĄ se formando em Design de Interiores. O projeto foi realizado sob medida para o show-room da Cape Best, uma empresa especializada na distribuição de objetos de design e vinhos sul-africanos. 2 HVSDoR ½FD QR FKDUPRVR EDLUUR GH %UHUD TXH estĂĄ entre as principais metas dos distritos da Design Week. â&#x20AC;&#x153;A nossa intenção era trazer para MilĂŁo o espĂ­rito informal do povo sul-africano, criando uma at-

58

ARQ&DESIGN

mosfera inusitadaâ&#x20AC;?, comenta Danilo. Para expressar essa idĂŠia, a dupla se inspirou nas Sheebens, uma espĂŠcie de bar secreto muito comum na ĂŠpoca do Apartheid, quando a venda de bebidas alcoĂłlicas era proibida para os negros. As casas eram transformadas em bares clandestinos, tornando-se nĂŁo somente um ponto de encontro para a população negra, mas tambĂŠm um importante centro de reuniĂľes para intelectuais e polĂ­ticos. Por esse motivo, a Sheeben se enraizou na cultura sul-africana. â&#x20AC;&#x153;Ao mesmo tempo, querĂ­amos transmitir o aspecto mais atual da Ă frica do Sul, que apĂłs ser considerada a capital do design em 2014, vem cresFHQGRDFDGDGLD3DUDLVVR½]HPRVXPDSDUFHULDFRP a marca de acessĂłrios Babatunde, da Cidade do Cabo, que nos cedeu os tecidos para revestir os mĂłveis. As estampas sĂŁo uma releitura dos desenhos e cores tĂ­picas da Ă frica, mas com um estilo bem contemporâneoâ&#x20AC;?, explica Danilo.


Fotos: Lorenzo Ferrari

No subsolo, o ambiente relembra o interior das Sheebens, mas com uma interpretação contemporânea.

Design, cultura e história Na entrada da loja, uma barraca colorida, típica dos ambulantes, chamava a atenção de quem passava pela vitrine, mas ao invés de bebidas se encontravam objetos de design. No subsolo, os designers criaram uma sala íntima e aconchegante. Ali, a deFRUDomR GDV SDUHGHV ½FRX SRU FRQWD GDV IRWRJUD½DV de Andrea Cantoni, fotógrafo e proprietário da Cape Best, que traz paisagens metropolitanas da Cidade do Cabo e outras da cidade de Milão, criando assim um diálogo entre as duas capitais do design. A atmosfera misteriosa criada pela decoração do ambiente revela mais um segredo: uma adega com preciosos vinhos sul africanos, transformando o espaço no coração do projeto. Ao contrário do que acontecia nas Shebeens, o comércio de bebidas aqui é liberado para uma exigente clientela.

Ainda na Semana do Design de Milão, Danilo participou da instalação “Rabbits in Campus”, uma iniciativa organizada por Claudio Larcher, course leader de design da NABA junto ao designer de fama internacional Stefano Giovannoni.

Danilo Imperial saiu de Sorocaba/São Paulo há 13 anos para morar na Itália, onde tem realizado alguns trabalhos. Foi também na Itália que, no ano passado, ganhou o Prêmio Menção de Honra na Maratona de Design, realizada em parceria com a multinacional americana HP (Hewlett-Packard). Hoje também colabora com ARQ&DESIGN, trazendo os acontecimentos mais interessantes da terra do design.

ARQ&DESIGN

59


Plantas para interiores

Um dos maiores empecilhos encontrados por quem mora em casas ou apartamentos pequenos é a dificuldade de cultivar plantas no seu interior ou até de criar jardins nesses espaços. Porém, há diversas espécies que se adaptam muito bem a ambientes internos e podem colorir corredores, halls de entrada, salas de estar e até escritórios. Para os que se interessam em ter algum tipo de planta dentro de casa, o docente do curso de Paisagismo do Senac Márcio Meiken, indica algumas delas. 60

ARQ&DESIGN

Foto: André Fortes

Colocados em cima de bloco cerâmico da GreenWall Projeto: EcoGreen

Colocadas em cima de bloco cerâmico da GreenWall Paisagista: Rafaela Novaes


Uma das plantas que pode ser uma boa opção em ambientes residenciais é a Cróton. Ela possui uma boa tolerância ao vento, mas não se adapta bem ao ar condicionado. Para essa espécie é necessária muita luminosidade e a rega deve ser realizada duas vezes por semana. Devido a sua fácil manutenção, a Ráfis é muito utilizada na decoração de escritórios e residências. Ela é uma planta de sombra, tolerante ao vento e que deve ser regada duas vezes por semana. As mais diversas variações de Samambaias são ideais para áreas sem vento, já que sua origem é GR LQWHULRU GDV ¾RUHVWDV R TXH DV tornou intolerantes a ele. O cuidado com essas plantas é muito simples e consiste apenas em regar duas vezes por semana. A Árvore da Felicidade é outra espécie que se desenvolve bem em ambientes internos. Mantendo-a em um lugar sem sol e fazendo regas regulares ela viverá bem. O Antúrio, já muito conhecido, possui cores e tamanhos variados. Ele é tolerante ao vento e precisa de luz difusa ou meia-sombra. Sua rega deve ser feita também duas vezes por semana. O Lírio da Paz é outra planta que não requer muitos cuidados. Tendo uma boa luz difusa, sombra e realizando a rega duas vezes na semana ele se manterá sempre bonito. Com ele deve-se apenas tomar cuidado, pois é tóxico para animais e crianças. ARQ&DESIGN

61


Fotos: Rafaela Netto

PAISAGISMO

62

ARQ&DESIGN


Valorizando os espaços vazios

O escritório FGMF Arquitetos, que tem à frente Fernando Forte, Rodrigo Marcondes Ferraz e Lourenço Gimenes, assina projeto residencial intitulado Casa do Cafezal. Projetada para um casal de publicitários, de Campinas, o nome do projeto está alinhado à proposta dos moradores, que em um primeiro momento solicitaram um projeto para área rural e depois, mudaram os planos para um terreno num condomínio fechado. ARQ&DESIGN

63


E

(P XPD iUHD GH PÍ R FGMF Arquitetos construiu uma casa tipicamente rural em uma årea urbana na cidade de Campinas. A casa Ê dividida em duas construçþes isoladas: uma destinada aos ambientes sociais, íntimos e de serviços e que possui ampla vista para a outra, que contempla as åreas de lazer composta por sauna, churrasqueira, piscina e quadra de tênis de praia. Duas características são particulares da construção principal e afetam diretamente sua espacialidade: a primeira Ê a presença dos espaços com jardins envidraçados, que envolvem alguns ambientes internos. Os jardins, que começam fora da casa e continuam dentro

64

ARQ&DESIGN


dela, causam uma ilusão sobre os limites da construção e suas relaçþes com o entorno, permitindo um ambiente integrado na casa e uma sensação de amplitude no local construído. A segunda característica Ê a presença de pequenas aberturas no forro destes jardins que, alÊm de permitir a entrada de iluminação natural, aumentam verticalmente os espaços internos e possibilitam a visualização do cÊu. A cobertura e laterais da residência foram desenvolvidas em estrutura metålica leve, com fechamentos em telhas tÊrmo-acústicas. Jå na parte interna, os arquitetos utilizaram um revestimento sustentåvel em um composto de plåstico

e madeira natural, que dialoga perfeitamente com os jardins circundantes. AlÊm disso, para o forro, vidros e estrutura metålica envelopada o escritório optou pelo uso de sistemas prÊ-fabricados, de baixíssima manutenção. Estas estruturas ainda trazem benefícios como facilidade de limpeza, maximização de luz natural, altíssimo conforto tÊrmico, aquecimento solar, bom isolamento tÊrmo-acústico, acessibilidade total na construção, segurança e salubridade.

FGMF ARQUITETOS

Rua Mourato Coelho, 923  

ARQ&DESIGN

65


O I N FE R N O m o r a a o l a d o Cachorro, som alto, risco em carros. NĂŁo hĂĄ limites para as discussĂľes em condomĂ­nios e as reuniĂľes previstas em estatuto muitas vezes se transformam em bate boca e em conďŹ&#x201A;itos. NĂŁo ĂŠ a toa que a maioria das pessoas foge desses encontros.

orar cercado de conforto e segurança tem sido a meta da maioria dos brasileiros, que tĂŞm optado por morar em condomĂ­nios fechados, verticais ou horizontais. Mas essa opção pode esbarrar em alguns obstĂĄculos. Vizinhos mal-educados, crianças e cachorros barulhentos, festas alĂŠm do horĂĄrio permitido, carros de moradores estacionados em vagas de visitantes, vazamentos, colisĂľes nas garagens e sĂ­ndicos oportunistas, fazem parte da rotina de muitos moradores. Segundo a Diretora de CondomĂ­nios da Regional Sorocaba do Secovi-SP, Cleusa Bersi, uma das maiores GL½FXOGDGHVHQFRQWUDGDSHORVVtQGLFRVHDGPLQLVWUDGRres ĂŠ a forma como abordar os moradores. â&#x20AC;&#x153;HĂĄ algum tempo nossos associados vĂŞm solicitando este tema, pois existem realmente muitas dĂşvidas sobre os cuidados necessĂĄrios para garantir a boa convivĂŞncia no condomĂ­nio, tanto dos gestores com os moradores, como entre os prĂłprios moradoresâ&#x20AC;?, ressaltou a diretora.

GESTĂ&#x192;O PROFISSIONAL 0DV FRPR DGPLQLVWUDU RV FRQžLWRV JHUDGRV QHVVD convivĂŞncia? E, como lidar com os diferentes estilos pessoais, de personalidade, crenças e valores de cada morador? Segundo a especialista em desenvolvimento humano, Mara MagalhĂŁes, para conviver em harmonia ĂŠ necessĂĄrio que o condomĂ­nio tenha uma gestĂŁo pro½VVLRQDOL]DGDQRTXHGL]UHVSHLWRjVUHODo}HVKXPDQDV â&#x20AC;&#x153;Harmonia ĂŠ um tema subjetivo. Quando a gente pensa em harmonia, o que vislumbramos sĂŁo pontos de

66

ARQ&DESIGN

integração ou de neutralidade em um mundo bastante diverso. Ă&#x2030; a gente conseguir colocar pessoas, nas suas mais variadas formas de ser e de pensar, em um mesmo espaço e que essas pessoas consigam coabitar com as diferençasâ&#x20AC;?, explica. Para ela, assim como em uma empresa, ĂŠ importante que o condomĂ­nio faça uma avaliação de clima, planejamento e plano de ação, uma vez que nĂŁo existe uma receita de bolo para uma convivĂŞncia harmoniosa, devido Ă s inĂşmeras interferĂŞncias de infraestrutura, sĂłcio econĂ´micas, climĂĄticas e culturais. A especialista elencou açþes que podem ajudar a QHXWUDOL]DUHSUHYHQLURVFRQžLWRVWDLVFRPRSURPRYHU interaçþes sociais positivas, realizar uma comunicação assertiva e cumprimento Ă  risca das regras do condomĂ­nio. â&#x20AC;&#x153;Precisamos treinar os sĂ­ndicos, subsĂ­ndicos, administradores e zeladores dos condomĂ­nios para gerir FRQžLWRVHQHXWUDOL]DURVSRQWRVGHGLYHUJrQFLD2VtQGLFRHR]HODGRUQmRSRGHPVHUXPSRQWRGHFRQžLWR eles tĂŞm que ser apartidĂĄrios e encontrar o ponto neutro SDUDDUHVROXomRGRFRQžLWRÂłFRQFOXLX0DUD Em casos mais graves, quando nĂŁo hĂĄ acordo, os moradores ou o condomĂ­nio podem entrar em uma disputa judicial, o que pode demorar anos atĂŠ se chegar a uma solução. Para Cleusa Bersi, o ideal ĂŠ que haja uma conciliação antes se chegar a esse limite, seja atravĂŠs de mediadores dentro do condomĂ­nio, seja atravĂŠs de um juiz mediador, que economiza tempo e dinheiro dos moradores.


Consulte aqui empresas e profissionais do setor da construção civil, altamente qualificados para construir, reformar ou decorar seu imóvel. Ligue para (15) 3242-2574


C H O C O L AT E Q U E N T E

Bebida típica do inverno, o chocolate quente traz aconchego, aquece e ainda sustenta. A receita é milenar e já alimentou exércitos, reis e rainhas. A Arq&Design foi atrás dessa história e garimpou algumas receitas deliciosas com base no cacau.

A Chocolat du Jour, traz o Choco Chaud, único chocolate quente com lasquinhas de chocolate. Com preparo simples, basta adicionar água quente. Sugestão: misturar uma dose de uísque e servir com uma colher coberta com o chocolate que acompanha o produto, e derrete ao mexer! ARQ&DESIGN

73


O chocolate quente, bebida doce que aquece o inverno no mundo inteiro, é unanimidade entre adultos e crianças. Seu preparo, entretanto, data de 1.500 A.C., quando a civilização Olmeca começou a aproveitar o fruto do cacaueiro. Evidências arqueológicas comprovam que depois dos Olmecas, que habitavam o Golfo do México, os Maias, Toltecas e os Astecas também começaram a usar o cacau em sua alimentação por considerá-lo fruto dos Deuses. Naquela época o cacau era usado como uma bebida que era, geralmente, ingerida por sacerdotes em rituais religiosos. Mas foi Cristovam Colombo quem deu o primeiro passo para que o cacau invadisse a Europa, quando de sua quarta viagem ao Novo Mundo, por volta de 1502. Em 1528, Cortez levou para a Espanha o cacau a as ferramentas necessárias para seu preparo. Com o passar do tempo, os espanhóis começaram a integrar o açúcar à bebida e passaram a tomar o líquido quente, caindo no gosto da elite espanhola. Ao longo dos anos, o chocolate foi se espalhando pelo resto da Europa e ganhando ingredientes como leite, vinho, cerveja, rum e especiarias. Com a chegada do frio, o consumo do chocolate quente aumenta junto com a criatividade do chefe. Algumas marcas oferecem o produto já preparado, só para ser aquecido. &RQ½UDDOJXPDVUHFHLWDVHDTXHça seu inverno.

Tia Emília

Chocolate Quente Tia Emília

Ingredientes 1 litro de leite FROKHUHVGHVRSDGH chocolate em pó 3 colheres de sopa de açúcar 1 pitada de canela 1 xícara de café de licor de chocolate Modo de preparo: Misture todos os ingredientes, menos o licor e leve ao fogo médio, até levantar fervura. Retire do fogo e acrescente o licor.

A Swiss Miss, tradicional marca de achocolatados americana, acaba de desembarcar no Brasil. Sua linha de chocolates quentes, produzida a base do verdadeiro cacau e leite, está disponível em 4 sabores: Chocolate ao leite, Marshmallow, chocolate amargo e Sem adição de açúcar.

74

ARQ&DESIGN

Cremoso

Mexa bem e sirva quente. Dica: se usar achocolatado, não coloque o açúcar.

Chocolate Quente Cremoso

Ingredientes 5 xícaras de leite 1/2 barra de chocolate ao leite 1/2 lata de creme de leite Modo de Preparo: Rale e derreta o chocolate em banho-maria ou no microondas. Aqueça o leite e misture o chocolate, depois acres-


cente o creme de leite aos poucos misturando bem para não formar bolinhas, se o leite estiver esfriado um pouco aqueça por mais alguns instantes cuidando para não ferver, pois pode talhar o creme de leite.

Chocolate quente com laranja

1/2 litro de leite 1 xícara de conhaque

Com Amarula 5 colheres de sopa de chocolate em pó 1 lata de leite condensado 1 pitada de canela 1 xícara de chá de amarula Raspas de chocolate Modo de preparo: Misture todos os ingrediente e leve ao fogo até ferver. Por último coloque o amarula e salpique raspas de chocolate.

Chocolate Quente Italiano Ingredientes 350 ml de água

5 colheres de chá de chocolate em pó 5 colheres de chá de amido de milho Açúcar a gosto Leite condensado Chantili spray Modo de Preparo: Misture todos os ingredientes, menos o leite condensado e o chantili. Leve ao fogo mexendo até engrossar. Em um copo coloque no fundo mais ou menos 1 cm de leite condensado, acrescente o chocolate quente e complete com chantili.

Com laranja Chocolate em pó a gosto Pedaços de casca de laranja Açúcar a gosto Canela em pó a gosto Modo de Preparo: Misture tudo menos o conhaque, e deixe ferver. Coloque-o um pouco antes de desligar. Antes de servir retire as cascas de laranja.

Chocolate Quente com Amarula Ingredientes 1/2 litro de leite

Italiano ARQ&DESIGN

75


GASTRONOMIA

CREPE SoďŹ sticação em forma de massa Os primeiros registros da preparação dos Crepes datam do sĂŠculo I, pelo gastrĂ´nomo romano Apicius, autor do receituĂĄrio De re coquinaria. A palavra Crepe tem origem francesa e quer dizer crespo, uma referĂŞncia Ă textura da massa apĂłs frita em frigideira ou chapa de metal. Cozidas no ferro quente, inicialmente iam Ă  mesa re-

requintados hoje, nos recheios, os crepes mantêm desde a Idade MÊdia a mesma forma simples e råpida de preparação. Existem vårias creperias, que servem pratos com reFKHLRVTXHYmRGRVPDLVVLPSOHVDRVVR½VWLFDGRVHDWp exóticos, misturando ingredientes inusitados. Algumas creperias tambÊm fazem festas, casamentos e aniversårios, que trocam os salgadinhos ou jantares por saborosos crepes feitos na hora e com os ingredientes escolhidos por cada cliente. Vale a pena experimentar!

Crepe com creme de atum e camarão Ingredientes massa: 250ml de leite 120g de farinha de trigo 1 ovo 30g de margarina derretida 1 pitada de açúcar 1/4 colher de chå de sal cheados com mel e pimenta, mas encontram-se vårios registros de que o prato Ê consumido de diferentes formas hå mais de 9 mil anos em muitas regiþes do planeta. A primeira receita de crepe que se tem notícia foi encontrada na França, por volta de 1.390 em um livro chamado Manger de Paris (Comida Parisiense). O crepe era uma iguaria tipicamente rural, que ganhou a realeza quando recebeu ingredientes exóticos e raros. Hoje, são servidos de todas as formas: salgados ou doces; simples ou recheados; abertos, enrolados ou empilhados; como sobremesa ou entrada. Apesar de

78

ARQ&DESIGN

Modo de preparo: Dissolva a farinha no leite sem deixar formar grumos. Junte o sal, o açúcar e o ovo, misturando-os muito bem. 3RU ½P DGLFLRQH D PDUJDULQD GHUUHWLGD H HQYROYD DWp obter um preparado homogêneo. Cubra com um pano e deixe descansar por 30 minutos. Aqueça uma frigideira antiaderente (18 cm de diâmetro) e coloque um pouco de margarina para derreter. Despeje uma concha de massa e rode de modo a cobrir todo o fundo. Doure dos dois lados e reserve enquanto prepara o recheio.


Ingredientes do recheio: 1 e 1/2 colher de sopa de azeite 1 dente de alho bem picado 1 colher de sopa de patê de atum 25g de margarina 250ml de leite 25g de farinha de trigo 250g de camarþes inteiros Cebolinha fresca e picada a gosto 1 pitada de pimenta branca Sal a gosto Modo de preparo: Descasque, limpe e tempere os camarþes com sal e pimenta a gosto. Aqueça o azeite e doure o alho picado. Em seguida junte os camarþes e refogue por alguns minutos atÊ que estejam rosados e cozidos, sem deixar ferver. Em outra panela derreta a margarina e junte a farinha aos poucos, mexendo bem. Junte o leite tambÊm aos poucos, mexendo sempre para não formar grumos. Adicione o patê de atum e continue mexendo atÊ o molho começar a engrossar. Tempere com sal e pimenta, e reserve. Coloque uma colher de sopa do creme no centro de cada crepe, espalhando-o um pouco no sentido do comprimento. Sobre o creme adicione os camarþes, distribuindo-os bem e polvilhe com um pouco de cebolinha picada. Dobre o crepe ao meio e repita novamente RSURFHVVRSDUDTXHHVWH½TXHHPIRUPDGHOHTXH6LUYD imediatamente. http://narwencuisine.blogspot.com.br

Crepe Suzette by licor Cointreau Ingredientes da massa: 4 colheres de sopa de manteiga (48g) 1 ovo 1/2 xícara de chå de leite integral (120ml) 1 colher de sopa de açúcar (12g) 1/2 xícara de chå de farinha de trigo peneirada (60g) casca ralada de 1/2 laranja mÊdia casca ralada de 1/2 limão mÊdio Modo de preparo: Leve ao fogo atÊ dourar 3 colheres de sopa de manWHLJD5HWLUHHWUDQV½UDDPDQWHLJDSDUDXPDWLJHOD$ seguir, junte o ovo, o leite e o açúcar e bata com um batedor manual por 1 minuto. Adicione aos poucos a fariQKDGHWULJRHEDWDRVX½FLHQWHSDUDDPDVVD½FDUOLVD Junte as cascas da laranja e do limão e misture bem.

&XEUDDWLJHODFRP½OPHSOiVWLFRHGHL[HGHVFDQVDUSRU 30 minutos na geladeira. Em seguida, pincele com parte da manteiga restante uma frigideira antiaderente, com 22 cm de diâmetro, e leve ao fogo atÊ aquecer. Espalhe um pouco de massa, inclinando a frigideira de um lado SDUDRXWURSDUDRFUHSH½FDUEHP½QR)ULWHGRVGRLVODdos atÊ dourar. Repita a operação atÊ terminar a massa, untando a frigideira a cada adição de massa. Reserve. 5HQGHFUHSHV Ingredientes da calda 1/2 laranja mÊdia 1/2 limão mÊdio 10 torrþes de açúcar ou 4 colheres de sopa de açúcar cristal 1/2 xícara de chå de suco de laranja 4 colheres de sopa de licor Cointreau 4 colheres de sopa de manteiga Modo de preparo: Lave a laranja e o limão, parta-os em 4 e retire somente DFDVFD(OLPLQHDSROSDHFRUWHDVFDVFDVHPWLUDV½QDV Coloque-as numa panela com 1 xícara de chå de ågua e leve ao fogo atÊ ferver. Retire do fogo, escorra a ågua e adicione mais 1 xícara de chå de ågua. Volte ao fogo e deixe por mais 4 minutos, ou atÊ ferver novamente. Repita a operação mais duas vezes. Escorra a ågua e reserve as tiras de laranja e de limão. Leve ao fogo uma frigideira com os torrþes de açúcar atÊ derreter. Adicione o suco de laranja e cozinhe, mexendo de vez em quando, atÊ encorpar levemente. Reduza o fogo e junte os crepes um de cada vez. Deixe cozinhar por 15 a 30 segundos de cada lado. Repita a operação atÊ terminarem os crepes. A seguir, dobre-os em 4 e distribua nos pratos. Acrescente na mesma frigideira as cascas de laranja e de limão, o licor Cointreau e a manteiga. Cozinhe, sem parar de mexer, por 2 minutos, ou atÊ ferver e obter uma calda cremosa. Retire do fogo, regue os crepes e sirva em seguida.

ARQ&DESIGN

79


Por: Nora Gonzalez Jornalista e Relações Públicas

A Ópera de Sydney desde o alto da ponte.

ruzar o planeta para conhecer a Austrália vale a pena? Vale muito a pena. É longe, muito longe, mas ao chegar lá esquecemos a distância, as horas de voo, tudo! É realmente um mundo à parte – desde os animais para lá de exóticos até as paisagens. Nem o inglês falado lá é facilmente compreensível, mas como os australianos estão sempre com um sorriso no rosto até os perrengues de uma viagem destas compensam. O país é quase tão grande quanto o Brasil, por isso limite os lugares que quer conhecer. Eu escolhi três lugares relativamente perto um da outro: Sydney, Melbourne e Cairns. Tudo é longe e para tudo se precisa de avião. As duas primeiras são cidades grandes, cosmopolitas, fervilhantes, mas com muitos parques e um ritmo menos frenético de vida. ARQ&DESIGN

83


Sobrevoar a barreira de corais é programa imperdível.

Albert Park, em Melbourne.

84

ARQ&DESIGN

Mergulho na barreira de corais.

Cairns tem praias deslumbrantes e é o paraíso de qualquer mergulhador. Sobrevoar a Grande Barreira de corais é indescritível – mais de 2.000 quilômetros de extensão! Mas ir até lá e não colocar a cara na água? Para quem não mergulha, pelo menos o snorkel é um programa imperdível não apenas pela grande quantidade de peixes, tartarugas e arraias. Os corais são em tal quantidade e variedade que vários mergulhos são pouco – daí porque vale a pena ir a cada dia a um ponto diferente da barreira. Mas em todos se encontra o peixe-palhaço ou peixe anêmona, popularizado no ½OPH 3URFXUDQGR 1HPR 3HUWR GD barreira há rios onde se encontram os gigantescos crocodilos de água salgada que, assim como os tubarões brancos, não aparecem nos locais de mergulho. Mas é sempre bom estar acompanhado. Sydney tem uma agitada vida noturna e durante o dia há muitas atividades voltadas para a água. Passeios de barco são uma ótima forma de ver por outros ângulos a Ópera de Sydney, o Darling Harbour, a ponte ou as várias ilhas a curtíssima distância do centro da


cidade. Para quem gosta de emoção, pode-se subir no topo do arco da ponte da cidade e ter uma vista deslumbrante. Dirigir duas horas até as Blue Mountains e parar na volta no parque Featherdale Wildlife para ver coalas, vombates, demônios da Tasmânia, dingos, ornitorrincos, cangurus e wallabies, entre outros bichos exóticos e que só se encontram naquele país, é um programa e tanto. Melbourne surpreende, pois, apesar de ser uma metrópole com

algumas das melhores universidades do mundo tem excelente qualidade de vida, com parques bem cuidados e uma das maiores quantidades de cafés por metro quadrado que vi na vida. E sempre cheios. Programão também é ir a Phillip Island, a duas horas de carro da cidade para ver a chegada diária de mais de 2.000 pinguins. E o caminho até lá, assim como o parque onde se encontra o ponto de encontro dos pinguins é deslumbrante. Mas cuidado, pois os cangurus e wallabies andam aos montes, soltos, e atropelar um deles não é difícil. E apesar de que são praga e facilmente encontrados nos resWDXUDQWHV R½OpGHFDQJXUXpGHOLcioso) não é algo desejável – e pode dar cadeia. E o que dizer da simpatia dos

Os símbolos de Sydney: a ópera e a ponte.

“aussies”? parece que não há mau humor nem cara feia entre os australianos. Também…com tantos lugares bonitos não há como não sorrir!

$V%OXH0RXQWDLQV½FDP a 2 horas de Sydney.

É lindo ver os pinguins em Phillip Island.

ARQ&DESIGN

85


TURISMO

Turismo colaborativo e em conta

Casar, ter ďŹ lhos, manter uma vida proďŹ ssional estĂĄvel, para muitos esses sonhos viraram balela e o ideal de vida ĂŠ conhecer o mundo, de preferĂŞncia mantendo o orçamento e gastando pouco por isso. E foi buscando viabilizar essa proposta que surgiu o Worldpackers, uma plataforma online que conecta viajantes e hospedeiros em um esquema de troca de serviços.

O ano era 2014 e lå nascia o Worldpackers, uma plataforma inovadora de turismo colaborativo. Funcionando como um sistema de trocas, atravÊs dessa startup qualquer pessoa pode usar suas habilidades em forma de trabalho ganhando como pagamento acomodaçþes situadas nos mais diversos lugares do mundo. Essa nova forma de viajar une o desejo de conhecer novos países e cidades, de alguns, com a necessidade de mão de obra de outros, resultando em experiências diferenciadas para quem se aventura nessa novidade. E a ideia surgiu a partir da experiência de seus fundadores, Riq Lima e Eric Faria. Riq Ê um economista que deixou seu emprego em um banco de investimentos para viajar por mais de 40 países, oferecendo ajuda em troca de hospedagem. Jå Eric foi de voluntårio a sócio de um Hostel na Califórnia em quatro anos e, durante esse período, utilizou 100% de voluntårios em sua operação. Foi atravÊs dessa vivência que ambos resolveram fundar o Worldpackers. FUNCIONAMENTO E BENEF�CIOS A plataforma atua de maneira muito simples. Para DFHVViODEDVWDLUDRVLWHHFULDUXPSHU½OQRHVSDoRp possível contar um pouco sobre o usuårio e suas habilidades. O próximo passo Ê buscar o lugar onde deseja se hospedar/trabalhar. Hå hostels, pousadas, ONGs, institutos e LQLFLDWLYDVHFROyJLFDVHPWRGRRPXQGRHQRSHU½OGHFDGD XP HVWmR HVSHFL½FDGDV DV KRUDV GH WUDEDOKR H[LJLGDV H quais funçþes o viajante irå executar. AlÊm disso, hå as formas de acomodação, que podem ser em quartos compartilhados ou privativos, e o que estå incluso na estadia como alimentação e serviço de lavanderia. O site cobra uma taxa de, em mÊdia, US$ 50, que Ê utilizada para reservar a estadia. Em seguida, basta seguir viagem e aproveitar! De acordo com os criadores do Worldpackers, essa ideia garante aos viajantes, alÊm da economia, a vivência como um local onde quer que estejam, gerando um verdadeiro intercâmbio cultural e colaborativo. Ainda segundo Eric e Riq, os usuårios podem realizar as mais diversas funçþes durante a sua estadia, como recepção e entretenimento de hóspedes, atividades manuais, funçþes de comunicação e marketing, ensino de OtQJXDVRXHVSRUWHVGHQWUHRXWUDVFRLVDV-iSDUDRVDQ½86

ARQ&DESIGN

triĂľes hĂĄ a possibilidade de otimizar recursos, garantindo o encontro com pessoas interessadas em colaborar com causas sociais, ambientais e culturais. EXPERIĂ&#x160;NCIA PRĂ&#x201C;PRIA Com a jornalista Isabela Garcia foi exatamente o que aconteceu. Na viagem dela, aqui mesmo no Brasil, ela foi uma espĂŠcie de â&#x20AC;&#x153;faz tudoâ&#x20AC;? em um hostel localizado em Ubatuba. â&#x20AC;&#x153;LĂĄ fui como staff e trabalhei com tudo um pouco. Atuei como recepcionista, turma da limpeza, bartender, telefonista e atĂŠ motorista! Tudo que eles precisavam, nĂłs QRVUHYH]iYDPRVSDUDID]HU7LQKDXPWXUQRGH½QLGRH½[R SDUDFDGDVWDIIHWUDEDOKiYDPRVKGLDFRPXPDIROJDSRU semana. TambĂŠm acompanhei hĂłspedes em passeios, auxiliando no idioma ou nos costumes locaisâ&#x20AC;?, conta. Para ela a aventura valeu a pena. â&#x20AC;&#x153;Minha ida foi Ăłtima. No primeiro dia achei que nĂŁo ia aguentar, mas no segundo jĂĄ estava me acostumando e no terceiro tinha novos amigos. DaĂ­ para frente a experiĂŞncia foi incrĂ­vel! Aprendi a lidar com pessoas completamente diferentes e de culturas distintas, fui â&#x20AC;&#x153;obrigadaâ&#x20AC;? a conviver com todos os hĂłspedes, conversar e conhece-los melhor. Fiz passeios maravilhosos e treinei muito meu inglĂŞs. Terminei os 20 dias me arriscando atĂŠ no espanhol.â&#x20AC;? Como pontos mais interessantes a jornalista destaca a interação com pessoas diferentes e a economia da hospedagem, como negativo o cansaço acumulado jĂĄ que acaba-se dormindo mal e pouco, pois normalmente emendase o turno com saĂ­da com a galera, com a praia e com seu turno de novo. PorĂŠm isso nĂŁo a desanimou e em breve ela partirĂĄ para a Europa viajando dessa mesma maneira.


MOTOR

Novo Mini Countryman Cooper S ALL4 Poucas mudanças, grande diferença

Esteticamente ele continua muito parecido com a versão anterior, porém o modelo atualizado do Mini Countryman Cooper S ALL4 ganhou mais espaço e novas tecnologias que chegaram para fazer a diferença. ARQ&DESIGN

87


interior do Mini Countryman Cooper S ALL4 passou por uma repaginação que foi alÊm do seu aumento de tamanho. Com dispositivos de alta tecnologia o carro agrega modernidade com funcionalidade.

D

Dando continuidade a geração dos Countryman, o o modelo Mini Countryman Cooper S ALL4 de 2017 chega ao Brasil de forma pouco repaginada exteriormente, mas muito detalhista no interior. A grande novidade no design estå nos faróis que diminuíram de tamanho e ganharam aros de leds com formato abaulado. O modelo passou a ser construído atravÊs da plataforma UKL aumentando seu WDPDQKRHJDQKDQGRFPHP seu comprimento, 3,3 cm na largura e 9,1 cm na altura. O porta-malas por sua vez passou de 350 para 450 litros e recebeu almofadas que podem ser apoiadas na soleira

88

ARQ&DESIGN

servindo de bancos para quando o carro estiver estacionado. No quesito equipamentos, o o novo Mini Countryman Cooper S ALL4 recebeu luzes diurnas de led, fechamento elÊtrico do porta-malas, central multimídia com tela sensível ao toque de 8,8 polegadas, dispositivo de recarga para celular por indução e o aplicativo Find Mate, que ajuda a localizar objetos no interior do carro via Bluetooth. O modelo conta ainda com arcondicionado bi-zone, que permite adequar a temperatura ideal tanto para o piloto quanto para o passageiro, bancos de couro elÊ-


tricos, teto solar e sensor de estacionamento. Na mecânica traz motor 2.0 de 192 cv com tração integral, câmbio automático de oito marchas, paddle shifts e suspensão adaptativa. O seletor de modos de condução é outro diferencial. Nele é possível ajustar as respostas de motor, transmissão, direção e suspensão em três modos, o econômico (Green), o urbano (Mid) ou o esportivo (Sport). Estando à venda por R$ 189.950, o carro, que deixou de ser fabricado no Brasil, vai de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos e atinge uma velocidade máxima de 222 km/h. ARQ&DESIGN

89


MOTORFINANCIAMENTO Por: Roberto Mazzer Neto

Economista/USP, EmpresĂĄrio GrĂĄďŹ co e Administrador de Empresas Num paĂ­s repleto de incertezas, roberto@gruposantaedwiges.com.br tomar a decisĂŁo de trocar o veĂ­cu-

Principais decisĂľes ďŹ nanceiras na aquisição de um veĂ­culo

90

ARQ&DESIGN

lo pode facilmente se tornar um pesadelo, caso o consumidor não faça as devidas ponderaçþes. Uma aquisição de sucesso baseia-se na estabilidade da renda familiar, que deverå suportar tanto os dispêndios da compra quanto os gastos com manutenção de seu novo bem. Viade-regra, recomenda-se que o total GH½QDQFLDPHQWRVGDIDPtOLDQmRXOtrapasse um terço da renda mensal, para que os gastos habituais não sejam comprometidos. Deve-se tambÊm levar em conta que um novo veículo gerarå um volume diferente de despesas com consumo de combustível, valor de seguro e manutençþes periódicas. 1HVWHVHQWLGRDHVFROKDGHSHU½OGR YHtFXORUHSUHVHQWDDGH½QLomRGHXP cenårio esperado de dispêndios futuros. Como hå abundância de informaçþes em revistas especializadas, o consumidor deve se lançar a elas para a escolha de seu carro. importante Ê que antes da escolha da marca, ele seja capaz de GH½QLU R SHU½O GR YHtFXOR GHVHMDdo. Assim, restringirå as opçþes de compra e, comparando entre marcas, poderå avaliar as diferenças de design, características tÊcnicas, SHU½OGHUHYHQGDYDORUGHVHJXURH manutençþes programadas. Uma vez elegido seu futuro carro, o comprador deverå tomar a última, mas não menos importante decisão: a forma de pagamento. O pagamento à vista deve ser priorizado em compras com grandes descontos, o que normalmente Ê mais factível no mercado de usados. Em concessionårias, as melhores opçþes para quem estå capitalizado VmR RV ½QDQFLDPHQWRV FRP MXURV zero, que estão condicionados a um grande percentual de entrada. Quem dispþe de atÊ 30% do valor do veículo para dar de entrada (seu SUySULR YHtFXOR SRGH VHUYLU DR ½P  HQFRQWUD RSo}HV GH ½QDQFLDPHQ-

to com taxas menores do que 1,4% a.m., seja sob a forma de leasing ou CDC. Sem entrada, esta taxa migra para mais de 1,8%, o que tende a comprometer mais a renda familiar. Vale muito à pena consultar as taxas de juros do banco da montadora e das cooperativas de crÊdito, que muitas vezes são mais vantajosas do que a dos bancos comerciais. Para quem estå com dívidas de curto prazo e não dispþe de condiçþes para se capitalizar, uma excelente opção Ê a troca com troco, situação na qual o consumidor deixa seu carro, levando um novo e mais um montante combinado em dinheiro. Nesta modalidade, o consumidor perde uma porcentagem razoåvel de seu veículo na venda, mas recupera o valor quitando as dívidas ruins com cartão de crÊdito, cheque especial ou CDC. Jå o consórcio veicular, por sua vez, Ê uma ótima opção para quem não tem pressa de efetuar a troca, pois, se vier acompanhado de taxas de administração baixas (atÊ 15%), não possui correção de juros e o valor da parcela Ê diretamente proporcional ao valor do carro. AlÊm GLVVRVHEHPDGPLQLVWUDGRDR½QDO do período, o consórcio ainda lhe reembolsa um valor residual, referente ao resultado operacional dele. No entanto, hå que se destacar que os verdadeiros ganhadores são os consorciados que tiveram a sorte de ser contemplados antes da metade do período de maturação do grupo. Em suma, são muitas as decisþes econômicas envolvidas na aquisição de um veículo. Ter o bom discernimento para tomå-las, utilizando do arsenal de informaçþes disponível, pode tornar a compra ainda mais prazerosa e evitar cargas emocionais negativas. Ser racional e organizado certamente evitarå que o consumidor se case com seu carro.


LUXO O aroma que representa o luxo no mercado de perfumes vem de um país conhecido pelo luxo, exuberância e essências marcantes. The Spirit of Dubai, uma das marcas de perfumes mais caras do mundo, produzida nos Emirados Árabes, conta a história de Dubai através de seus diferentes e marcantes perfumes.

O perfume das mil e uma noites

Primeira geração do The Spirit of Dubai, a princípio com cinco fragrâncias, incorporando mais duas em seguida.

ARQ&DESIGN

91


F

XQGDGD HP  SRU $VJKDU Adam Ali (Al Attar), a Nabeel – fabricante de perfumes –, lançou em 2015 o The Spirit of Dubai, uma linha de perfumes inspirada na cidade que abraça uma grande variedade de cenários, cativando contrastes da tradição antiga e os lu-

xos de uma sociedade cosmopolita. O The Spirit of Dubai tem 14 diferentes perfumes. A chamada primeira geração foi criada em 2015 e apresentada, a princípio, em uma embalagem com 5 fragrâncias e depois mais 2, completando as 7 desta geração. A segunda geração

em 2017, apostando sempre em fragrâncias exóticas e envolventes e em embalagens cravejadas de ouro, pedras preciosas e matérias primas raras, que renderam à marca o reconhecimento no The Luxury Packaging Awards, de Londres, premiação que reconhece as melhores e mais luxuosas embalagens do mundo. Os frascos custam de US$ 500 a US$ 5 mil, e as embalagens, feitas com uma madeira rara, custam em torno de R$ 25 mil e foram elaboradas especialmente para atender a Família Real dos Emirados Árabes. Todas as fragrâncias da marca utilizam matérias-primas adoradas por perfumistas e, consequentemente, muito caras. Entre as bases dessas fragrâncias estão almíscar, âmbar seco, ágar-ágar, incenso, rosa turca. Por conta de todos esses detalhes, ela é uma das marca de perfumes mais cara do mundo. Hoje, a The Spirit of Dubai tem loja própria no Burj Al Arab - hotel em formato de vela que é o mais famoso de Dubai; no Dubai Mall, o maior centro comercial do mundo; no Marina Mall em Abu Dhabi; e também em frente a Harrod´s, em Londres.

Segunda geração do The Spirit of Dubai, com fragrâncias exóticas e embalagens cravejadas de ouro e pedras preciosas. 92

ARQ&DESIGN


LUXO

Arte ou

investimento? Muito mais que valor financeiro, as obras de arte contam histórias, fragmentam momentos e expressam emoções. Este é o grande diferencial de peças que sobrevivem ao passar dos anos, ganhando relevância e valor. Mas quanto custa investir em arte?

94

ARQ&DESIGN


Fotos: Galeria

'HDFRUGRFRP8JR'L3DFHR6WXGLRSRGHVHUFRQVLGHUDGR um museu com obras Ăşnicas e raras.

Apesar de nĂŁo ser referĂŞncia mundial, o Brasil possui um mercado de arte vibrante, com grandes DUWLVWDVXPQ~PHURVLJQL½FDWLYRGH galerias nos grandes centros urbanos e muitos apreciadores da arte. O comĂŠrcio de arte no paĂ­s sempre teve o estereĂłtipo de produto de luxo e inalcançåvel. Nos Ăşltimos anos, entretanto, muitas galerias de arte abriram suas portas em grandes centros comerciais e shoppings centers, se aproximando mais do pĂşblico. Ă&#x2030; claro que os grandes nomes ainda carregam altos valores e sĂŁo mais que obras de apreciação, mas investimentos. O Ăłleo sobre tela â&#x20AC;&#x153;Mulher das Casas Vermelhasâ&#x20AC;?, de Di Cavalcanti, foi vendido em leilĂŁo no ano passado por quase R$ 800 mil. JĂĄ a tela â&#x20AC;&#x153;Beatriz lendoâ&#x20AC;?, de Tarcila do Amaral, pode ser comprada em leilĂľes de artes por R$ 250 mil. â&#x20AC;&#x153;O mercado de arte no Brasil, e em qualquer lugar no mundo, sem-

pre foi e serĂĄ alicerçado em trĂŞs pilares: o artista, o representante/galerista e o colecionador/investidor. Aqui temos boas coleçþes, bons investidores e muitas pessoas que compram por prazer, para decoração ou, simplesmente, por apoioâ&#x20AC;?, explica o artista plĂĄstico Odamar Versolatto, que realiza nos meses de junho e julho uma exposição inĂŠGLWDQDJDOHULDGHDUWHV6WXGLR FULDGDHPSHORDUTXLWHWR8JR Di Pace, em SĂŁo Paulo. E por acreditar nesse mercado que, aos 90 anos, Ugo Di Pace deFLGLXDEULUDVSRUWDVGR6WXGLR localizado na Rua Gabriel Monteiro da Silva, em SĂŁo Paulo. Ele foi o priPHLUR SUR½VVLRQDO D WHU HVFULWyULR na Gabriel e se tornou referĂŞncia de design no paĂ­s. A galeria estĂĄ no mesmo lugar onde funcionou seu escritĂłrio de arquitetura durante 40 anos.

ARQ&DESIGN

95


Mercado em expansĂŁo Com um acervo que conta com peças de arte romanas e atĂŠ obras atuais, o arquiteto abriu esse espaço para expor de forma rotativa seu acervo pessoal, jĂĄ que ĂŠ referĂŞncia na ĂĄrea e dono de uma grande coleção de arte. â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; bom ver que o mercado de arte estĂĄ em contĂ­nua expansĂŁo. Hoje as grandes manifestaçþes nĂŁo devem nada Ă quelas de fora do paĂ­s. Um grande nĂşmero de galerias tambĂŠm expĂľe novos talentos de qualidade e muitos antigos nomes agradam, como sempre, os olhos de colecionadoresâ&#x20AC;?, explica Ugo sobre sua nova empreitada e sobre o mercado de arte brasileiro. De acordo com a Ăşltima pesquisa divulgada pelo projeto Latitude sobre a ĂĄrea, as vendas de arte nacional para o exterior aumentaram 97,4% em 2015 em relação a 2014. Isso representa um total de 86  PLOK}HV HP REUDV GH arte vendidas para 25 paĂ­ses. â&#x20AC;&#x153;O Brasil tem um grande potencial nas artes plĂĄsticas e em todos os tipos de arte. AlĂŠm disso, existem muitos investidores de artes no Brasil. Qualquer boa galeria de arte no mundo vive de colecionadores e vendas casuais. A arte em geral ĂŠ um Ăłtimo negĂłcio, a questĂŁo ĂŠ como se vĂŞ o mercadoâ&#x20AC;?, analisa Versolatto. Mas quem nĂŁo tem US$ 200 milhĂľes (valor minimamente estimado) para comprar a tela â&#x20AC;&#x153;O Retrato do Doutor Gachetâ&#x20AC;?, uma das pinturas mais famosas de Van Gogh, nĂŁo precisa desistir de investir em artes. Basta garimpar no mercado de artes e leilĂľes e achar Ăłtimas telas com valores entre R$ 1.000,00 e R$ 30.000,00 com opçþes de parcelamento sem juros. 96

ARQ&DESIGN

A exposição de Odamar Versolatto no 6WXGLRWHP como inspiração os cartazes ilustrativos de peças de teatro e cinema e trouxe o artista de volta ao Brasil após 23 anos sem apresentaçþes no país.

678',2 $O*DEULHO0RQWHLURGD6LOYD°-DUGLP$PpULFD°6mR3DXOR°63


SAĂ&#x161;DE ADOĂ&#x2021;ANTE:

?

mocinho ou vilĂŁo

Vivemos um perĂ­odo em que se busca o peso ideal e uma das estratĂŠgias mais usadas ĂŠ a troca do açúcar UH½QDGR SHOR DGRoDQWH 0DV VHUi TXH HOH ID] EHP j saĂşde? Segundo a nutricionista Aline Quissak, especializada nas ĂĄreas de Oncologia, SĂ­ndrome MetabĂłlica, Psicologia da Nutrição e Nutrição Esportiva, ĂŠ preciso analisar pontos importantes antes de tomar a decisĂŁo. 2SULPHLURpHQWHQGHUSRUTXHRDo~FDUUH½QDGRID] mal Ă saĂşde. Segundo a especialista, existem trĂŞs motivos. O primeiro ĂŠ que se trata de uma caloria vazia, jĂĄ que o corpo nĂŁo utiliza o açúcar como energia e ele ĂŠ transformado em gordura. Ele contĂŠm compostos TXtPLFRVXWLOL]DGRVQRSURFHVVRGHUH½QDPHQWRTXH retira todos os nutrientes, vitaminas e minerais. E O ADOĂ&#x2021;ANTE? QUAL Ă&#x2030; PROBLEMA COM ELE? 2DGRoDQWHQmRWHPDo~FDUQmRpUH½QDGRHQmR WHPFDORULDVPDVDHVSHFLDOLVWDD½UPDTXHRSUREOHPDHVWiQRDGRoDQWHDUWL½FLDOTXHSRGHFDXVDUSURblemas como gases, irritação estomacal e atĂŠ câncer. JĂĄ os chamados adoçantes naturais, como stevia e xylitol, nĂŁo apresentam tais caracterĂ­sticas, mas podem enganar o cĂŠrebro. Aline Quissak explica que quando se consome um brigadeiro, o sabor doce ativa um sinal quĂ­mico, que ĂŠ enviado ao cĂŠrebro, que reconhece o sabor. Ele relaciona doce com alta caloria, enviando outro sinal para ativar o estĂ´mago dizendo: â&#x20AC;&#x153;Prepare-se para a produção de enzimas porque existem altas caloriasâ&#x20AC;?. Quando o brigadeiro chega ao estĂ´mago começa o pro-

Especialista alerta sobre os perigos do consumo desse item, que ĂŠ cada vez mais presente na vida dos brasileiros diabĂŠticos ou que estĂŁo acima do peso.

cesso de digestĂŁo e depois de absorção no instestino. Segundo ela, quando se consome um produto com adoçante o mesmo sinal quĂ­mico acontece, jĂĄ que a lĂ­ngua tambĂŠm reconhece o sabor doce. â&#x20AC;&#x153;O problema estĂĄ aĂ­. O adoçante nĂŁo tem calorias e quando chega ao estĂ´mago nĂŁo hĂĄ o que digerir e isso acaba por gerar problemas de saĂşdeâ&#x20AC;?, explica a especialista. O consumo de adoçantes pode causar gastrites e Ăşlceras, jĂĄ que sĂŁo liberados enzima e ĂĄcidos que nĂŁo sĂŁo utilizados. AlĂŠm disso, seu consumo pode desencadear uma compulsĂŁo alimentar. â&#x20AC;&#x153;Quando o estĂ´mago percebe que nĂŁo recebeu as calorias que esperava, ele retorna o sinal para o cĂŠrebro dizendo que a caloria nĂŁo veio. Isso ĂŠ traduzido como fome. Na tentativa de suprir essa necessidade, o corpo requisita energia. E qual a forma de energia rĂĄpida? Açúcar. Por isso, sentimos essa vontade exagerada de comer doces e massasâ&#x20AC;?, completa. AlĂŠm de tudo isso, o Ph do adoçante nĂŁo ĂŠ compatĂ­vel com o intestino, matando as bactĂŠrias boas, responsĂĄveis pela absorção de cĂĄlcio, ferro, produção de imunidade, hormĂ´nios do emagrecimento e geração de gases. Para Aline, ĂŠ importante estar atento ao que se consome. Reduzir calorias, pode atĂŠ emagrecer, mas traz consequĂŞncias. â&#x20AC;&#x153;A melhor maneira de cuidarmos do peso e da saĂşde ĂŠ manter uma alimentação equilibrada. O ideal ĂŠ dar preferĂŞncia ao açúcar de melhor qualidade, que trarĂĄ os nutrientes adequados ao corpo, do que simplesmente substitui-lo por algo que, a princĂ­pio, pode parecer saudĂĄvel, mas a longo prazo terĂĄ consequĂŞncias gravesâ&#x20AC;?. ARQ&DESIGN

97


SAĂ&#x161;DE

Calendårio de vacinas para mulheres Nesta Êpoca do ano começam as campanhas de vacinação devido a chegada do inverno que propicia a ocorrência de contaminaçþes. Normalmente a vacina da gripe Ê a mais divulgada, mas outras tambÊm estão em pauta, principalmente na gravidez. Por isso, estamos divulgando o ca-

lendårio de vacinação para as mulheres, em todas as idades. De um modo geral, as mulheres devem aguardar um mês para engravidar depois de tomar as vacinas para Sarampo, RubÊola, Caxumba, Varicela e Febre Amarela. A via de administração Ê sempre intramuscular e no braço.

Dr. Lister de Lima Salgueiro CRM 49383 Andrologista, Ginecologista e Especialista em Medicina Reprodutiva

HPV (Papilomavirus humano) â&#x20AC;&#x201C; Idade: HQWUHHDQRV Doses:  GRVHV  PHVHV  ° Importancia: previne contra a maioria das infecçþes e doenças HPV induzidas Gratuita nos postos: disponĂ­vel para meninas de 9 anos.

MeningocĂłcica C e MeningocĂłcica A, C, W, Y â&#x20AC;&#x201C; Idade: qualquer idade a partir da adolescĂŞncia â&#x20AC;&#x201C; Doses: 01 dose Importância: previne contra a doença, se estiver disponĂ­vel ĂŠ preferĂ­vel a quadrivalente A,C,W,Y.

InďŹ&#x201A;uenza (gripe) â&#x20AC;&#x201C; Idade: Adolescentes ou adultas de

Febre amarela â&#x20AC;&#x201C; Idade: qualquer idade a partir da adoles-

qualquer idade â&#x20AC;&#x201C; Doses: 1 dose anual â&#x20AC;&#x201C; Importância: previne contra as complicaçþes da gripe, principalmente nas idosas Gratuita nos postos:DSDUWLUGRVDQRVSRUWDGRUDVGHGRenças crĂ´nicas, gestantes e puĂŠrperas atĂŠ 45 dias.

dTpa (Difteria, TĂŠtano e Coqueluche) â&#x20AC;&#x201C; Idade: adoles-

centes ou adultas de qualquer idade â&#x20AC;&#x201C; Doses: se a vacinação contra tĂŠtano estiver completa 01 dose a cada 10 anos e se estiver incompleta, 01 dose mais 01 ou 02 da dT â&#x20AC;&#x201C; Importância: A Coqueluche pode se manifestar de forma atĂ­pica no adulto Gratuita nos postos: para gestantes de preferĂŞncia entre a 27 HVHPDQDV

dT (Difteria e TĂŠtano) â&#x20AC;&#x201C; Idade: qualquer idade a partir da

cĂŞncia â&#x20AC;&#x201C; Doses: 02 doses durante a vida â&#x20AC;&#x201C; Importância: indicada para habitantes de ĂĄreas endĂŞmicas ou viajantes internacionais â&#x20AC;&#x201C; Gratuita nos postos: atĂŠ os 49 anos de idade.

PneumocĂłcica 23 Valente e 13 Valente â&#x20AC;&#x201C; Idade: DQRV Doses: 01 dose â&#x20AC;&#x201C; Importância: previnem as formas graves da doença pneumocĂłcica â&#x20AC;&#x201C; DisponĂ­vel nos CRIES para maiores GHDQRVLQVWLWXFLRQDOL]DGRVHSRUWDGRUHVGHGRHQoDVFU{nicas. Herpes Zoster â&#x20AC;&#x201C; Idade: PDLRUHV GH  DQRV ° Doses: 01 dose â&#x20AC;&#x201C; Importância: previne a doença. NA GRAVIDEZ:

adolescĂŞncia â&#x20AC;&#x201C; Doses: 01 dose a cada 10 anos quando a dTpa nĂŁo estiver disponĂ­vel â&#x20AC;&#x201C; Importância: previne contra tĂŠtano contraĂ­do atravĂŠs de acidentes perfuro cortantes â&#x20AC;&#x201C; Gratuita nos postos: para qualquer idade ou condição.

Influenza â&#x20AC;&#x201C; PerĂ­odo: qualquer trimestre â&#x20AC;&#x201C; Doses: 01 dose Importância: as complicaçþes na gravidez sĂŁo mais graves e podem levar a morte â&#x20AC;&#x201C; Gratuita nos postos: para gestantes de qualquer idade gestacional e puĂŠrperas atĂŠ 45 dias.

Hepatite A â&#x20AC;&#x201C; Idade: qualquer idade a partir da adolescĂŞncia â&#x20AC;&#x201C; Doses: GRVHV PHVHV ° Importância: pode trazer casos graves e fulminantes, a transmissĂŁo se dĂĄ pela ĂĄgua e alimentos contaminados. Normalmente, os idosos jĂĄ tĂŞm anticorpos contra essa doença.

Hepatite B â&#x20AC;&#x201C; PerĂ­odo: qualquer trimestre â&#x20AC;&#x201C; Doses: 03 doses

Hepatite B â&#x20AC;&#x201C; Idade: qualquer idade â&#x20AC;&#x201C; Doses: 03 doses (0-01-

PHVHV °Importância: previne contra a doença que pode ser transmitida pela relação sexual, com sangue contaminado, e de mĂŁe para o feto. 100 vezes mais contagiosa do que a AIDS â&#x20AC;&#x201C; Gratuita nos postos: atĂŠ 49 anos de idade.

Hepatite A+B â&#x20AC;&#x201C; Idade: qualquer idade â&#x20AC;&#x201C; Doses: 03 doses

PHVHV °Importância: previne contra a Hepatite A e B simultaneamente.

Sarampo, Caxumba e RubĂŠola â&#x20AC;&#x201C; Idade: qualquer ida-

de a partir da adolescĂŞncia â&#x20AC;&#x201C; Doses: 02 doses durante a vida Importância: nos adultos essas doenças trazem sĂŠrias complicaçþes e nas gestantes podem causar malformação e morte fetal â&#x20AC;&#x201C; Gratuita nos postos: atĂŠ 49 anos de idade. 98

ARQ&DESIGN

PHVHV °Importância: pode ser transmitida para o feto , causando sequelas e atĂŠ a morte â&#x20AC;&#x201C; Gratuita nos postos: qualquer idade gestacional.

dTpa â&#x20AC;&#x201C; PerĂ­odo: a partir de 20 semanas, de preferĂŞncia entre H°Doses: 01 dose â&#x20AC;&#x201C; Importância: os adultos podem transmitir a coqueluche para os bebes e levĂĄ-los a morte â&#x20AC;&#x201C; as gestantes e os contatos prĂłximos ao bebe devem ser vacinados â&#x20AC;&#x201C; Gratuita nos postos:HQWUHHVHPDQDV dT â&#x20AC;&#x201C; PerĂ­odo: qualquer trimestre â&#x20AC;&#x201C; Doses: de 01 a 03 doVHV VHQGR LGHDO XPD GHODV VHU GD G7SD  PHVHV  Importância: o tĂŠtano neonatal ocorre devido a contaminação do coto umbilical por uma toxina â&#x20AC;&#x201C; Gratuita nos postos: para qualquer idade gestacional.

CLĂ?NICA FĂ&#x2030;RTILIS DE MEDICINA REPRODUTIVA Rua Marcelino Soares Leite, 33 â&#x20AC;&#x201C; Trujillo â&#x20AC;&#x201C; Sorocaba â&#x20AC;&#x201C; SP (15) 3233-0708 â&#x20AC;&#x201C; www.fertilis.com.br â&#x20AC;&#x201C; fertilis@globo.com


SAĂ&#x161;DE

Por: Dra. Fabiana da Costa Marcolini e Dra. Evandra de Moura Rabello

Os custos por trĂĄs das cirurgias plĂĄsticas

Dra. Fabiana da Costa Marcolini CRM 112883 CirurgiĂŁ PlĂĄstica ClĂ­nica Humanitas (15) 3388-0335 Dra. Evandra de Moura Rabello CRM 80034 / RQE 29.871 CirurgiĂŁ PlĂĄstica e DermatolĂłgica Instituto Prime Health (15) 3034-3545 / Re9C (15) 3031-0008

ocĂŞ tem o sonho de realizar uma cirurgia plĂĄstica, mas nĂŁo faz ideia de quanto custa? Saiba que essa dĂşvida ĂŠ muito comum, pois DOpPGHHQYROYHUVHXSODQHMDPHQWR½QDQFHLURWDPbĂŠm ĂŠ um dos principais motivos que levam muitas SHVVRDVDHVFROKHUXPGHWHUPLQDGRSUR½VVLRQDO Um dos mais relevantes custos, e talvez o maior valor ½QDQFHLURHGHLPSRUWkQFLDpRFRQKHFLPHQWRGRFLUXUgiĂŁo plĂĄstico, ou seja, o quanto ele ĂŠ experiente ou especializado no assunto. AlĂŠm do cirurgiĂŁo plĂĄstico e do valor da sua consulta, o custo total de uma cirurgia plĂĄstica envolve outros fatores muito importantes como: internação, aparato hospitalar e de centro cirĂşrgico, cirurgiĂŁo plĂĄstico e equipe mĂŠdica, anestesista, medicamentos, malha cirĂşrgica, meias de compressĂŁo, sessĂľes de drenagem, materiais especiais (drenos e implantes, por exemplo), entre outros. Fora isso, existem gastos extras como: locomoção (no dia da cirurgia e nos retornos pĂłs-operatĂłrios), auxĂ­lio de uma babĂĄ ou SUR½VVLRQDO GD OLPSH]D SRVVtYHLV LQWHUFRUUrQFLDV HPERUD UDras), entre outras. 'H DFRUGR FRP R DUWLJR Â&#x17E; GD 5HVROXomR GR &)0 QÂ&#x17E; ²FDEHDRPpGLFRDSyVRVSURFHGLPHQWRVGHGLDJnĂłsticos e indicação terapĂŞutica, estabelecer o valor e o modo de cobrança de seus honorĂĄrios, observando o contido no &yGLJRGHeWLFD0pGLFDUHIHUHQWHjUHPXQHUDomRSUR½VVLRnalâ&#x20AC;?. Ou seja, um orçamento de fato, sĂł pode ser emitido apĂłs a avaliação presencial, determinando o que serĂĄ efetivamente realizado e, portanto, qual o valor que deve ser cobrado. O que pode ser informado previamente ĂŠ uma mĂŠdia dos preços bĂĄsicos, para uma cirurgia feita com qualidade e em um hospital bem estruturado. Seguem entĂŁo os valores mĂŠdios para o Estado de SĂŁo Paulo*: Implantes de silicone mamĂĄrio:GH5D5 Redução de mamas: de R$ 8.900,00 a R$ 19.300,00 Mastopexia com implantes de silicone: de R$ 9.500,00 a R$ 18.875,00 Abdominoplastia:GH5D5 Lipoaspiração: de R$ 8.500,00 a R$ 19.750,00 Cirurgia Ă­ntima:GH5D5 Otoplastia (correção de orelhas): de R$ 4.000,00 a R$ 10.500,00 Blefaroplastia (pĂĄlpebras): de R$ 5.800,00 a R$ 8.050,00 Rinoplastia (correção de nariz): GH5D5 Lifting facial: de R$ 12.800,00 a R$ 21.000,00 Mentoplastia (implantes de queixo):GH5D5 Gluteoplastia: de R$ 10.900,00 a R$ 21.590,00 Bichectomia: de R$ 2.500,00 a R$ 7.200,00 Implante capilar: de R$ 11.000,00 a R$ 23.000,00 Dermolipectomia (lifting de braços ou coxas): de R$ 12.000,00 a 25.000,00

* Valor mÊdio de preços pesquisados com diferentes equipes mÊdicas, em diferentes cidades, em múltiplos hospitais particulares. Serviços sem custo nos hospitais SUS, que os oferecem. ARQ&DESIGN

99


SAĂ&#x161;DE

Por: Dr. Paulo Michelucci Cunha Os transtornos ansiosos sĂŁo os quadros psiquiĂĄtricos mais frequentes em todas as faixas de idade. Estima-se que 10 a 20% da população apresente alguma forma de ansiedade patolĂłgica. VivĂŞncias traumĂĄticas, estresse crĂ´nico e uso de ĂĄlcool e drogas estĂŁo frequentemente presentes nestes casos. A perspectiva mais aceita ĂŠ de que os transtornos de ansiedade observados na idade adulta podem ter seu inĂ­cio durante a infância e adolescĂŞncia, agravando ao longo da vida na medida em que nĂŁo foram tratados nas fases iniciais. A causa da doença - assim como na maioria dos transtornos mentais - ĂŠ desconhecida e multifatorial, incluindo fatores hereditĂĄrios, ambientais e psicolĂłgicos, afetando transmissĂľes quĂ­micas cerebrais e substâncias como a serotonina, a noradrenalina e o GABA - alĂŠm de alteraçþes de oxigenação sanguĂ­nea induzidas por uma respiração acelerada, que piora os sintomas. A ansiedade ĂŠ um estado emocional com reaçþes psicolĂłgicas (ex: insegurança, medo e apreensĂŁo) e fĂ­sicas (ex: dor, cansaço e taquicardia), que possui função saudĂĄvel e adaptativa, quer seja para motivar uma realização pessoal ou mesmo proteger antecipadamente de perigos e ameaças, reduzindo consequĂŞncias destrutivas, na medida em que o individuo ĂŠ advertido pelo seu organismo. A ansiedade patolĂłgica ĂŠ uma resposta inadequada e disfuncional, gerando sofrimento e perdas. Ă&#x2030; desproporcional Ă s possĂ­veis causas aparentes, persistente, recorrente e acompanhada de sintomas psicolĂłgicos e fĂ­sicos desconfortantes, que acarretam prejuĂ­zos no funcionamento normal do indivĂ­duo - pessoais, sociais e laborativos â&#x20AC;&#x201C; reduzindo a autoestima e o interesse pela vida. Existem vĂĄrias formas de manifestação da ansiedade patolĂłgica, sendo que as mais comuns serĂŁo descritas a seguir: â&#x2014;? Ansiedade Generalizada: marcada pela preocupação antecipatĂłria excessiva e irrealista frente Ă s situaçþes cotidianas da vida, que atrapalham o renGLPHQWRHREHPHVWDUKDYHQGRGL½culdade para controlar estas emoçþes, que causam alteraçþes funcionais ao 100

ARQ&DESIGN

Quando a ansiedade nos faz adoecer ORQJR GR WHPSR ° Gp½FLW GH DWHQomR irritabilidade, fadiga, alteraçþes no padrĂŁo de sono, dores musculares e psiquismo acelerado. â&#x2014;? Transtorno de Pânico: tipo de ansiedade que se tornou muito popular nos Ăşltimos anos, apresentando geralmente Ăłtima resposta ao tratamento. Ă&#x2030; caracterizada por crises intensas e frequentes de ansiedade (crises de pânico), sem causa aparente e com grande sofrimento psĂ­quico, muitas vezes levando o indivĂ­duo a procurar um hospital, com medo de estar passando por uma grave doença fĂ­sica ou psĂ­quica, devido sensação de morte iminente, medo de perder o controle, percepção alterada de si mesmo e do mundo ao seu redor, angĂşstia intensa, falta de ar, tremores e tontura. â&#x2014;? Transtorno obsessivo-compulsivo: presença de ideias, pensamentos ou imagens mentais (obsessĂľes) invaVLYDV LQžH[tYHLV H LQDSURSULDGDV TXH geram variĂĄvel grau de desconforto psĂ­quico (sofrimento), podendo gerar comportamentos secundĂĄrios ou rituais (compulsĂľes), geralmente com o objetivo de aliviar o conturbado mundo mental em que se encontram. O indi-

Dr. Paulo Michelucci Cunha Psiquiatra e Psicoterapeuta CRM 105865 Especialista em Esquizofrenia, Psicogeriatria e Psicodrama paulomcunha@terra.com.br

vĂ­duo pode passar a ocupar cada vez mais tempo de sua vida na frustrada tentativa de se controlar, comprometendo outras atividades cotidianas, que geram prejuĂ­zos pessoais, sociais e laborativos. â&#x2014;? Fobias especĂ­ficas: presença de medo irracional, excessivo e persistente relacionado a um determinado obMHWRRXVLWXDomRHVSHFt½FD2LQGLYLGXR apresenta forte reação de ansiedade quando em contato com o estĂ­mulo fĂłbico (ex: sangue, altura, elevador e aviĂŁo). â&#x2014;? Fobia social: ansiedade persistente e intensa relacionada a uma situação social, quer sejam situaçþes de desempenho em pĂşblico ou em situação de interação social, levando o indivĂ­duo a evitar muitas vezes contatos sociais para aliviar seu sofrimento antecipatĂłrio. Ă&#x2030; comum a evitação de comer, beber e escrever quando estĂĄ sendo observado. â&#x2014;? Transtorno de estresse pĂłstraumĂĄtico: ansiedade decorrente de eventos traumĂĄticos nĂŁo superados emocionalmente pelo indivĂ­duo que sofreu exposição a um acontecimento que ameaçou sua integridade ou sua vida (ex. acidentes, estupro, sequestro e abuso sexual). Nesta situação sĂŁo comuns pesadelos, reatividade emocional aumentada, pensamentos recorrentes associados Ă vivĂŞncia traumĂĄtica, reaçþes fĂ­sicas, evitação de situaçþes que lembrem o trauma, isolamento, irritabilidade e alerta constante. A prevenção e abordagem terapĂŞutica dos transtornos ansiosos incluem hĂĄbitos de vida saudĂĄvel, dieta balanceada, atividades fĂ­sicas regulares, construção e manutenção de relaçþes interpessoais satisfatĂłrias, cessação do tabagismo e drogas ilĂ­citas, alĂŠm das diversas formas de meditação e relaxamento - uma ferramenta importante e reconhecida. O tratamento medicamentoso inclui, principalmente, antidepressivos e tranquilizantes e abordagens psicolĂłgicas visam abordar as situaçþes de vida estressantes e os comportamentos disfuncionais ou mesmo tratar diretamente os sintomas, no caso da terapia cognitivo-comportamental.


SAĂ&#x161;DE

Por: Camila Stecca Stefan camila@portalsejoga.com.br Nosso sorriso ĂŠ nosso cartĂŁo de visitas. Ă&#x2030; com ele que conquistamos as pessoas ao nosso redor, seja nas relaçþes de amizade, trabalho e atĂŠ amorosas. Um sorriso pode mudar o dia de alguĂŠm! Por isso, nosso cartĂŁo de visitas merece cuidado diĂĄrio e, em alguns casos, atĂŠ mesmo algum tratamento para deixa-lo ainda mais bonito e saudĂĄvel. Dentes bem cuidados, branquinhos e alinhados podem ser obtidos com boas prĂĄticas de higiene bucal e tambĂŠm com auxilio de alguns procedimentos estĂŠticos, principalmente para pessoas que sentem algum incomodo com suas JHQJLYDV D½QDO HODV VmR SDUWH LPportantĂ­ssima da nossa saĂşde bucal e do nosso sorriso. Algumas pessoas possuem â&#x20AC;&#x153;Sorriso Gengivalâ&#x20AC;?, que ĂŠ quando a gengiva apresenta algum desalinhamento ou mau posicionamento, quebrando a harmonia do sorriso. Para isso, existe a PlĂĄstica Gengival, ou a Gengivoplastia. A Gengivoplastia ĂŠ um procedimento simples, que consiste na remoção e reconstrução cirĂşrgica do contorno da gengiva ao redor do dente. Essa cirurgia corrige defeitos gengivais, como gengivas au-

mentadas, hiperplasias decorrentes de tratamentos ortodônticos ou uso de determinados medicamentos, que podem fazer a diferença na beleza e naturalidade do sorriso. Segundo a cirurgiã dentista Dra. Marcella Duque, especialista em estÊtica orofacial, a plåstica gengival resulta em grande satis-

fação para a correção do â&#x20AC;&#x153;Sorriso Gengivalâ&#x20AC;? e assimetria da gengiva. (ODDLQGDD½UPDTXHHVWHQmRpXP tratamento doloroso, uma vez que ĂŠ realizado com anestesia local, e ĂŠ, inclusive, relativamente simples.

Feito em consultĂłrio, pode durar de 40 minutos a 2 horas dependendo da ĂĄrea a ser operada e jĂĄ ĂŠ possĂ­vel observar melhoras imediatamente apĂłs a realização da cirurgia. Dra. Marcella enfatiza que ĂŠ preciso respeitar as recomendaçþes pĂłsoperatĂłrias e a cicatrização pode se dar por completa de 7 a 10 dias, quando ĂŠ possĂ­vel obVHUYDU R UHVXOWDGR ½nal. Para submeter-se a este procedimento, o paciente necessita apresentar boa saĂşde bucal e geral. Ă&#x2030; importante salientar que, em todo procedimento cirĂşrgico deve VHU FRQVXOWDGR XP SUR½VVLRQDO GD ĂĄrea, capacitado para a realização e avaliação previa do paciente para que seja feita a escolha da melhor tĂŠcnica, uma vez que, para correçþes deste tipo, existe alĂŠm da Gengivoplastia, a tĂŠcnica da Gengivectomia, cirurgia mais invasiva onde hĂĄ remoção de ossos que dĂŁo suporte Ă s estruturas periodontais. Se vocĂŞ tambĂŠm sente algum incomodo em relação ao seu sorriso, jĂĄ sabe que essa cirurgia pode ser um excelente recurso nĂŁo sĂł estĂŠtico, mas que implica tambĂŠm na saĂşde, bem-estar e autoestima.

Celebridades como Grazi Massafera, GlĂłria Pires e Miley Cyrus, sĂŁo algumas que optaram pela gengivoplastia como ferramenta para deixa-las com o rosto e sorriso ainda mais belos.

102

ARQ&DESIGN


2017 &RQVXOWRUDGH(VWLORH,PDJHP3HVVRDO3UR½VVLRQDO contato@evelynrocha.com Intagram: @evelynrochac

A última temporada de moda SPFW FKHJRXDR½PHGHL[RXPXLWDV tendências a serem exploradas, sendo uma delas o sistema do “see now, buy now”, isto quer dizer que tudo o que você viu nas passarelas já estavam nas lojas das respectivas marcas, ou chegariam em pouquíssimo tempo. Uma das “tendências polêmicas” foi a bota branca, o calçado invernal foi hit dos corredores no SPFW; tinha pra todos os estilos e preferencias: na altura do tornozelo, no estilo Chelsea, de couro, tecido, com recortes, padronagens e texturas. É claro que a tendência deixou muita gente insegura na hora de coordena-la, mas o fato é que a moda pegou!

Fotos: Jefferson Souza

Por: Evelyn Rocha

SPFW / ELLUS 2ND FLOOR bota branca, mulher maravilha (wonder woman)

SPFW / UMA / bota branca, all white, casual chic ARQ&DESIGN

103


O CONFORTO É O NOVO LUXO

Fotos: Jefferson Souza

As roupas confortáveis se tornaram um novo desejo. Elegante sim, mas confortável também! Chique mesmo é estar com um look relax. Frases e modelagens aconchegantes, peças amplas e que permitem mobilidade foram hit nas passarelas!

SPFW PATBO

SPFW / GIULIANA ROMANNO

Fotos: Marcelo Soubhia / Fotosite

SPFW LILLY SARTI

SPFW GIULIANA ROMANNO

AD DUPLA DU UPLA MAIS ELEGANTE U Nest a edição muitas marcas apostaram na mistura do preto e Nesta EUDQ F EUDQFR$VPDUFDVGHV½ODUDPGLYHUVDVPDQHLUDVGHWUDEDOKDUDV duass cores, desde a combinação clássica camisa branca e calça preta, preta a quanto looks mais interessantes, estampados e modernos. 104

ARQ&DESIGN


OMBROS DE FORA O E Eles estĂŁo a mostra em diversas m modelagens. Os ombros foram eleitos a parte mais sexy do corpo feminino, e estĂŁo em destaque nos vestidos, ccr croppeds em versĂľes um ombro sĂł, em vvĂĄ vĂĄrios tecidos e recortes ortes ousados.

Fotos: Marcelo Soubhia / Fotosite

SPFW FABIANA MILAZZO

SPFW TIG

Foto: Marcelo Soubhia / Fotosite

Nesta temporada, o veludo molhado o se tornou uma grande aposta. Nas SDVVDUHODVXPDLQ½QLWDFDUWHODGH cores: azul, vermelho, cinza, preto, rosa e em diversos tecidos. O fato Ê TXHRPDWHULDOFKHJRXSUD½FDUVHMD D rass em peças mais elegantes ou em outras e mais casuais, o veludo molhado pode ser usado em diversas ocasiþes!

Foto: ZĂŠ Takahashi / Fotosite

AVELUDOU!

SPFW APARTAMENTO 03

SPFW / OSKLEN ARQ&DESIGN

105


MODABASTIDORES

Calçados

(15) 3418-4230

Bota Over-The-Knee FRP½YHODV cor pinhão

Bota montaria caramelo

0XOHVJUD½WH e dourado com brilho

Sandålia em camurça Marsala

Bota cano curto com ziper frontal

Bota cano curto marrom com dobra opcional em pelo TĂŞnis Slipper preto com strass

Bota OverThe-Knee preta Sapatilhas em vĂĄrias cores, com detalhes em pedras e strass

106

ARQ&DESIGN


MODA

TĂŠcnica

Free Hands de micropigmentação de sobrancelhas

Renata Barcelli

108

ARQ&DESIGN

Um procedimento executado a mĂŁo livre, atravĂŠs de pigmentos intensos e a partir de nano agulhas que permitem a FULDomRGH½RVFRPDVSHFWRQDWXUDODVsim ĂŠ a tĂŠcnica Free Hands de micropigmentação de sobrancelhas. â&#x20AC;&#x153;Trouxe essa novidade para o Brasil justamente por ela ser uma tendĂŞncia nesse ramoâ&#x20AC;?, comenta Renata Barcelli. AtravĂŠs desse procedimento ĂŠ possĂ­YHO DFRPSDQKDU D GLVSRVLomR GRV ½RV Mi existentes nas sobrancelhas e a escolha

da cor que irĂĄ compor a pigmentação ĂŠ composta de tons escuros e intensos, que SURMHWDP ½RV WUDQVO~FLGRV JUDoDV DV ODminas de 0,10 mm utilizadas. â&#x20AC;&#x153;Para a efetividade da tĂŠcnica, gerenciamos a pele para cada cliente, usando protocolos que cuidam dela e dos pelos jĂĄ existentes. Dessa forma, conseguimos uma fusĂŁo positiva com resultados jamais YLVWRVÂłH[SOLFDDSUR½VVLRQDO Ainda de acordo com Renata, a tĂŠcnica foi apresentada no EstĂŠtica In Rio e se tor-


E foram esses motivos que levaram esse pĂşblico a aderir ao procedimento Free +DQGV&RPHOHpSRVVtYHOGH½QLUPHOKRURV FRQWRUQRVFULDQGR½RVLGHLDVSDUDFREULUDV falhas de forma simĂŠtrica alcançando os resultados esperados. â&#x20AC;&#x153;O conhecimento nos condiciona a respeitar o desejo do cliente. Jamais usamos recursos estĂŠticos para descaracterizar ou fazer mudanças bruscas. Somos a favor de valorizar o que jĂĄ temos, ressaltando e YDORUL]DQGR D EHOH]D GH FDGD XPÂł ½QDOL]D Renata. RENATA BARCELLI LABORATĂ&#x201C;RIO DAS SOBRANCELHAS Rua Dr. Ruy Barbosa, 198 â&#x20AC;&#x201C; Vila HortĂŞncia Sorocaba â&#x20AC;&#x201C; SP â&#x20AC;&#x201C; (15) 3211-2050 www.renatabarcelli.com.br

nou tendĂŞncia, pois estĂĄ um passo Ă frente quando o assunto ĂŠ oferecer naturalidade. â&#x20AC;&#x153;Conseguimos atravĂŠs dela conquistar um pĂşblico feminino que opta por opçþes mais discretas e, de uma vez por todas, o pĂşblico masculino, que jĂĄ esteve um tanto quanto GHVFRQ½DGR FRP D PLFURSLJPHQWDomR GH sobrancelhasâ&#x20AC;?.

Metrossexualismo Segundo Renata Barcelli, os termos metrossexualidade ou metrossexual nasceram na dĂŠcada de 90 pela junção das palavras metropolitano e sexual, apresentando um homem urbano e excessivamente preocupado com a aparĂŞncia. E esse foi o pĂşblico que, com a tĂŠcnica Free Hands, ela conseguiu atrair. â&#x20AC;&#x153;Esses homens jĂĄ nĂŁo aceitam WHUXPD²PRQRFHOKDÂłRX½RVGHVDOLQKDGRV em suas sobrancelhas. Eles sĂŁo adeptos inclusive dos contornos e usam formas geomĂŠtricas em suas barbas cerradas que reYHODPRTXDQWRVmRYDLGRVRVÂłD½UPD

ARQ&DESIGN

109


MODABELEZA

Por: Camila Stecca Stefan

camila@portalsejoga.com.br

Batons

co oridos FORTE TENDÊNCIA NESTE INVERNO, OS BATONS COLORIDOS DIVIDEM OPINIÕES. UNS ACHAM ESTRANHO, OUTROS ADORAM E ACHAM A BOCA COLORIDA SUPER ESTILOSA! Marcas famosas de maquiagem como a M.A.C., já lançaram linhas nhas com cores diferentes dos tra tradicionais vermelhos, nudes e rosas, e apostam forte na ttendência, que pode e deve ser usada na vida real, e não só em épocas de carnaval ou em maquiagens artísticas. $LGHLDpGHVPLVWL½FDUXPSDGUmRTXHH[LVWHQRPXQdo da maquiagem, tornando-a mais criativa e mais personalizada, uma vez que existe um universo de novas cores a serem exploradas não só em sombras, como em batons. Quem disse que não podemos usar azul, verde, cinza, preto, amarelo e tantos outros tons, nos lábios também?

110

ARQ&DESIGN

A blogueira Carla Lemos, do blog Modices, testou varias cores e apostou em dois tons de verde, um mais aberto e chamativo, o Deep With Envy, e outro mais fechado e mais discreto, o Mean Green Machine, além do azul clarinho, Jean Genie, todos da coleção Colour Rucker da M.A.C., e mostrou que não é preciso p grandes produções es para sair do senso co comum nas cores de batom. m.


A maquiadora Linda Hallberg, super adepta a boca colorida, estå sempre atenta aos lançamentos e não deixou de fora o colorido nos låbios. Verde, tons acinzentados, azul, roxo, laranja e marrom, são cores que ela usa facilmente e suas makes podem noss inspirar e ajudar a inserir ass cores em nosso dia-a-dia.

O preto, se combinado com pele suave e olhos LGHP SRGH ½FDU PXLWR chique, como nessa make da Dior. O mesmo va vale ul, utilizado n para o azul, na versĂŁo metalizada pe pela a Nyongâ&#x20AC;&#x2122;o, des atriz Lupita desinda mais se tacando ainda seu le. tom de pele.

6HYRFrVHLGHQWL½FDFRPDWHQdência, tenha em mente que não hå regras! Você deve experimentar e testar as cores que mais gosta atÊ se sentir confortåvel com uma delas. Se não quiser ousar tanto, siga para a linha dos marrons e cinzas. Se deseja se jogar e causar impacto, vå direto aos azuis, verdes e roxos! Uma boa dica Ê não carregar nas cores de sombras e fazer uma pele mais delicada e não muito pesada, deixando o destaque total para a boca. ARQ&DESIGN

111


MODA

Por: Evelyn Rocha

O look monocromático é construído através de tom sobre tom, inserindo diferentes tons de uma mesma cor na parte debaixo e de cima. E para evitar a monotonia no visual, anote algumas dicas para valorizar a produção:

112

ARQ&DESIGN

APOSTE EM MODELAGENS DIFERENTES Misture comprimentos das peças, já que o tom sobre tom deixa o visual mais organizado, misture peças assimétricas, faça sobreposições. Misture modelagens justas com shapes amplos, esse mix deixa o visual personalizado e menos careta!

http://www.helenabordon.com stealthelook.com.br

Os looks monocromáticos já se tornaram coringas para muita gente. Além de elegante, a fórmula é um ótimo caminho para dias que precisamos estar com uma imagem impecável, mas sem investir muito tempo. Afinal, optar pela mesma cor no look todo, diminui a margem de erro no momento de coordenar as cores. Um dos pontos positivos do monocromático, além de ser sinônimo de sofisticação, é que ele ajuda a alongar a silhueta!

SOFISTIQUE Invista em materiais nobres com qualidade, avalie o acabamento das peças. O fato de estar ligado ao elegante, o monocromático pede atenção aos detalhes SDUD½FDUVHPSUH muito bem arrumado e apropriado para qualquer ocasião.

http://www.styleforall.com.br

tom sobre tom

http://www.guitamoda.com

A beleza do

MIX DE TEXTURAS Para deixar sua produção mais criativa e ousada, aposte no mix de texturas, materiais diferentes, como couro com seda ou renda. fashioncoolture.com.br

Consultora de Estilo e Imagem Pessoal/Profissional contato@evelynrocha.com Intagram: @evelynrochac


MODA

Por: Evelyn Rocha Consultora de Estilo e Imagem Pessoal/Profissional contato@evelynrocha.com Intagram: @evelynrochac

ALFAIATARIA DESCONSTRUÍDA

Alfaiataria Tricolor / Fonte: Blogger Thassia Naves na NYFW

Dupla Roberto Rimondi e Tommaso Aquilano / Fonte: Constanza Pascolato

A moda vive em constante mudança, e com ela as peças também se transformam JDQKDQGRQRYDVURXSDJHQVTXHVmRLQ¾XHQciadas pelo nosso cenário comportamental. Uma das tendências que dominou as ruas foi a alfaiataria desconstruída, que fugiu do tradicional corte clássico e se transformou em shapes modernos e criativos, carregando mensagem de libertação e ousadia! Os blazers, calças de cortes retos, camisas sociais, coletes e vestidos ganham formas despojadas, texturas e aplicações, permitindo uma imagem menos sóbria, rigorosa e masculina. Está liberado camisa ao contrário, decote nas costas é sexy e elegante! Fora que o consumo consciente anda lado a lado com a versatilidade, explore a criatividade para deixar a alfaiataria despojada e mais leve. Caso não esteja segura para usar o look todo desconstruído, escolha uma das peças para suavizar a produção: um shape amplo e outro mais justo!

'HV½OH MORSE NYFW/ Primavera Verão 2017

ARQ&DESIGN

113


MODABELEZA

Por: Camila Stecca Stefan

camila@portalsejoga.com.br

Vida longa ao perfume! Você jå teve a sensação de não sentir o próprio perfume ou, que o cheiro sumiu poucas horas após ter borrifado seu perfume preferido? O mercado de beleza e cosmÊticos não para de se reinventar. A novidade mais recente são os produtos que prometem aumentar a durabilidade dos perfumes na nossa pele.

A empresa Scent Invent Technologies, lançou o Linger, um primer em spray que ajuda a manter a fragrância do seu perfume favorito por mais 3 a 5 horas. Com textura ½QD H EDVH GH VLOLFRQH R SURGXWR cria uma camada invisível, que captura e mantÊm o perfume na pele por mais tempo. Outra opção Ê o primer, tambÊm em spray, Canvas&Concrete,

114

ARQ&DESIGN

que assim como o Linger, cria uma barreira de polímeros entre o perfume e a pele, evitando que o seu perfume favorito saia da sua pele devido ao suor e transpiração natural do corpo. Jå o Fragrance Lock Fragrance Finishing Spray, promete aumentar em 12 horas a duração do perfume na pele. Ele, ao contrårio dos demais, Ê para ser aplicado após o perfume, funcionando como uma película protetora, retardando o processo de evaporação do perfume.

Por enquanto as novidades sĂł podem ser encontradas fora do paĂ­s e segundo um teste realizado pela revista Allure, por experts em beleza, funcionaram bem. Agora sĂł nos resta aguardar a chegada deles no Brasil!


FOCOEVENTOS

Salete S Sa alle ete te M Muraro urrar urar arro o

M rriina Ma ina na Mu urra arro Mo ore eno n e Vi Vitória V itó tóri riia a Kr Kroeff K rro oeff oe ff Daghlawi Dag aghlaw agh hlaw hl awi

Salete S Sa alle ete te M Muraro urrra u aro e equipe ar eq e qui uipe p

EM GRANDE ESTILO!

Salete Muraro recebeu convidados para inauguração de mais uma Loja Salete Muraro Joias, no Shopping Iguatemi Esplanada. Muita gente bonita circulou por lá e pôde conferir o bom gosto nas instalações, com um La Lau urren en Mu urraro arro T Te eb be et Salete ale lete e Muraro Murar urar ur aro ro delicioso coquetel. Parabéns Salete! e Sa

JJung, Ju ung ng, Will ng, Wiill W ll Bastista Bassti tistta e Il Ilka ka L ka Latuf atuf at uf

Ca C arm men n Silv Si lvia a Bonil on nil ilh lh ha a Se Segamarchi ega gama mar ma archi rchi h

C io Ana Ca nast stasi asi Ma as Mart rtin insss,, Pa atrric icia ia Cardim, Ca C ard r im m, Pa Paulo aullo e Ma Malu M lu uC Cardim ardiim

José sé é Rob berrto Mor orreno e Sa Salete ale ete e Muraro Murar aro o

Cidinha C Ci iidi diin d nh h ha a e Fernanda Fe F ern r a an nda da Pintor Piin ntto or

Marcelo Ma M arrccelo Po Ponce P nce

Regina Re egina e Claudio Clla aud dio o Costa Cos osta a e Malu Mallu C Ca Cardim ard dim

Crris C isti t na ti D la De Delanhesi anh nhes essi

BELAS ARTES DE SÃO PAULO INAUGURA UNIDADE NO IGUATEMI BUSINESS ESPLANADA

An A na L Lu uiza izza eH Heloa He ello oa M oa Muraro Mu ura raro rro o

Ca siu Cass iuss Avven e a a,, Dr. Carm armi mine min Aven Av Avena na Ju JJunior niior or e A Alexandre le exand xand xa dre eV Vitiritto itir itir it irit it o itto

Rob Robe be erto rtto Freiita ass,, Su ue elle ei Gonçalves Go G onç nça allvve es e Ma es Maximo M axi ximo mo Antonello An ntton onello o

Fotos: Divulgação Belas Artes

Reconhecida por sua expertise nas áreas da Economia Criativa, a Belas Artes inaugurou recentemente sua primeira unidade fora da capital paulista. Com um coquetel, Paulo Cardim e Patrícia Cardim, reitor e diretora geral da instituição, receberam os convidados nas novas instalações da Belas Artes Patrriccia ia Carrdi dm na torre comercial Iguatemi e Tu T rg rgu uene ue ev Business Esplanada. R. d de eO Oliveira Ol liv iveira eiira

Vict ctoria a Kroef efff e Valentina Vale Va entina Ramp Rampini mpin ini ARQ&DESIGN

115


FOCOEVENTOS NOVA COLEÇÃO EM BREVE!

Habitat Natural/Tidelli Sorocaba reFHEHX SUR½VVLRQDLV GD DUTXLWHWXUD H decoração para um bate papo sobre as tendências e anunciou para Agosto o lançamento da nova coleção 2018. Tatiana a Ma and n elli ellllii e Carla Carl arla a Villela Villel ea

Tati Ta ati t an ana a Mo Mora ra aes es Vice Vi cent nte nte

Michela, M Mi ch hel ela, a A Ana na Maria na Ma arria a e Rafael Raffae ael d de eA Aquino qu uiin no

Flavvia F a e Ma arria a Luiz Lu L uiza aA Acce eiittu uno no

Ed E da d an Sho an hohe he er

Ma M arrcciia a Le eiiitttã ão ão

Prris isci c lla a Rib i eiiro e Ro Rosa osa sana na Laccava Laccava va a Rosana

Juli Ju l an ana a Be Bell llloti,i Mar aria a Ig gn nez e Dellu ellu el uno no e De Delm Delm lmin min ino d ino de e Souza ouza a Jun unio or

L ci Lu cian a o Fo F ns nse eca e Grra azi ziie ellli e li Ma arrriie ie

Prrisc P iissciilla la Rib ibe eiiro ro

Marc Marc rcio io Pedri Pedrico rico o

Julliia Ju an na Fi Fior orav orav avan avan anti ti eC Ciint ntiia a Ace ceiittun uno

Prriissci P cila la e Da an nil ilo o Ri Ribe beirro

EM NOVO ENDEREÇO PRI RIBEIRO LANÇA COLEÇÃO INVERNO 2017!

Mari Ma r an ana aR Ru uiv ivo e La Lar L arissa riss ssa A An ntti n tit

Soni So nia e Pr Prriis isci cila la Ribei ibe ib eiiro o 116

ARQ&DESIGN

Tradição, moda e qualidade marcam a trajetória da loja Pri Riberio, em Sorocaba. Em novo endereço, com nova identidade visual, recebeu clientes e amigos, com um delicioso coquetel, para a comemoração e lançamento da coleção Inverno 2017.

Dam ris C Dama Ca am ma arg rgo, Isabe bela Alvess, La L ri riss sssa A An ntit, Jenn Je nnifer err Oli live v ira veir irra a,, V Viviane iviane e Pere ee er eira ira a e Son onia nia ia

Ma M a ari rriian a a Ru Ruiv ivo oe Simon Si mo m one ne Berto errtoll e oll lla

Dam ama mari riss Ca am ma arg rgo o e Ro Rod drriig go Bu Burz Burz rzla rzla laff aff ff


SUBMARINER Relógio de mergulho quintessencial que incorpora os laços históricos entre a Rolex e o mundo subaquático desde 1953. Não marca apenas o tempo. Marca a História.

OYSTER PERPETUAL SUBMARINER DATE

IGUATEMI ESPLANADA: (15) 3243-9488 www.arraisjoalheria.com.br

Edição 58  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you