Issuu on Google+

Foto Shutterstock I Ilustração Fábio Biofa

Edição 2 Abril Ano 1 2011

Entrevista Grupo Sensação Eterna sensação do samba paulistano Fábio Biofa Arte urbana na zona norte

Beleza Cabelos Tratamentos à base de chocolate

Educação Comportamento Pais carentes, filhos psicólogos

Como os ovos de chocolate tornaram-se símbolos da Páscoa. Revista Apê!

1


Espaço do leitor Aqui é você quem manda Agora os leitores da Revista Apê! podem mandar sugestões de matérias, críticas, elogios, enfim o que quiserem, montamos esse espaço com essa finalidade: ouvir vocês. Ajude-nos a fazer as próximas edições, siga-nos no Twitter e participem de nossas promoções. Vejam algumas mensagens que recebemos dos nossos leitores E-mail

Twitter

Parabéns pela publicação, muito diversificada e informativa, gostei muito, espero receber sempre, vocês são a prova concreta de que nem tudo que é gratuito precisa ser ruim. Pedro Henrique Edifício Solar dos Flamboyant Rua Aluísio Azevedo

Sigam a @revista_ape super indico!!!!!!!!!!!!!!!!! @lalay_lalay

Que legal essa revistinha, adorei, achei superlegal a dica do Parque da Cantareira, moro tão pertinho e nunca tinha ido, depois que vi na revista eu fui e adorei, obrigado. Daniel Ribeiro Edifício Panorama Rua Nunes Garcia

@revista_ape tô seguindo com maior prazer . @peeuzinn

Recebi pela primeira vez essa revista em casa, e quase joguei fora, como faço com todas as propagandas que recebo.... Porém, comecei a virar as páginas até chegar na sua matéria. E foi inevitável que eu lhe escrevesse. Além de concordar com exatamente tudo o que vc escreveu, tive um momento de reflexão e despertou-me dois sentimentos: felicidade, por saber que alguém, ou algumas pessoas tb pensam como eu, que o amor é uma palavra pequena, mas de tão imenso significado, que contempla tantas pessoas e tantas situações; e tb de tristeza, por saber que, infelizmente, o amor só tem um conceito na cabeça de muitas pessoas. E que é besteira dizer a todo tempo, mas com sinceridade, àqueles que amamos, o quanto os amamos. Viu só? Senti alegria e tristeza... como vc falou, sentimentos estes que só podem existir se a pessoa tem AMOR. Parabéns, vc escreveu maravilhosamente. Sucesso e abraços, Erika Aivazoglou citando a matéria “Declaração gratuita da 1a edição, e parabenizando nosso redator Mieli Edifício Santana Life Style Rua Macaia Mirim

@revista_ape recebi as revistas, muito obrigada, adorei, ficou lindo! parabéns pela revista, é bem legal! @robertacampos

@revista_ape =D adoreeei os #conteudos! Muito diversificada e organizada ! #SHOW DE LETRA_ @Rayaaaanne

Pra quem mora na região da Zona Norte sigam >>> @ revista_ape eu indico @Lilian_Drumond

sigam a @revista_ape ... ZONA NORTE BEM REPRESENTADA ! @Renanzituo @revista_ape Ótima entrevista com a @robertacampos que como sempre muito fofa e simpática. Obrigadão mesmo. @Hamilton_Peres

O playground que se lê. 2

Março 2011


Expediente Revista Apê! Rua Doutor César, 134 - Cj. 04 02013-001 - Santana/SP Tel.: 11 2362-0647 www.revistaape.com.br fale@revistaape.com.br

A número 2 A primeira vez a gente nunca esquece, mas o show tem que continuar Pessoal, muito obrigado a todos que colaboraram com a Revista Apê!, desde nossa jornalista Natália, até nosso responsável de logística Rodrigo, sem esquecer claro da Gláucia, que muito nos apoiou na revisão. Trabalhamos bastante para essa edição e esperamos que todos gostem das matérias e entrevistas, estamos todos empenhados em levar para vocês mensalmente matérias interessantes e atuais sobre beleza, leitura, receitas, viagem diversão e muito mais, e o melhor, totalmente GRÁTIS. Queremos agradeder também a todos que nos enviaram mensagens por Twitter e e-mail, muito obrigado pelos elogios e mensagens de apoio. Pedimos licença mais uma vez para entrar no seu apê, e esperamos que gostem da publicação. Aproveite nosso espaço do leitor para criticar, sugerir e participar. Em breve, a Revista Apê! vai levar conteúdo, infomação e entretenimento, também para os bairros Tucuruvi, Mandaqui e Casa Verde.

ÍNDICE

Equipe Revista Apê!

Capa .................... 4 Entrevista ............ 6 Entrevista ............ 8 Idosos ................10 Beleza ...............11 Decoração .........12 Reciclagem .......12 Viagem..............13 Lazer ..................16 Amor .................17

Saúde ................18 Ed. Financeira ...19 Condomínio ......20 Cinema ..............22 Locadora ...........22 Livros .................23 Música ...............23 Receitas ............24 Diversão ............25 Educação ...........26

Jornalista Responsável Natália Andreotti MTB: 28.194 natalia@revistaape.com.br Redação Mieli Montaño mieli@revistaape.com.br Revisão Gláucia Quênia Agradecimentos Alexandre Venâncio Fábio Biofa Grupo Sensação Rodrigo Iglesias Silas Ferreira Edição de Arte Ailton Augusto ailton@revistaape.com.br Publicidade Patrícia Carvalho Salete Venâncio publicidade@revistaape.com.br CTP/Impressão Gráfica Hawaii Tiragem 20.000 exemplares Os artigos assinados nem sempre refletem a opinião do jornalista e são de responsabilidade do autor. O editor não se responsabiliza pela idoneidade dos anunciantes.

Revista Apê!

3


Capa

Como os ovos de chocolate tornaram-se símbolos da Páscoa. Ele já foi considerado moeda de troca, bebida sagrada e até um poderoso afrodisíaco, mas a verdade é que o chocolate, pelo seu sabor e textura únicos, tornou-se quase unanimidade em qualquer canto do planeta. Não se tem certeza ainda sobre sua verdadeira origem, mas há indícios de seu consumo como bebida, datados de centenas de séculos antes de Cristo. A mística em torno do chocolate está presente, inclusive na origem do seu nome, já que a denominação científica do cacaueiro - “Theobroma cacao” - é originária na palavra grega “Theobroma”, que significa “alimento dos deuses” e cujo padrinho é o botânico sueco Carlos Linnaeus. Hieróglifos maias mostram que o chocolate era usado no cotidiano e em cerimônias sagradas. Naquela época, era consumido sob a forma de uma bebida amarga chamada “xocoatl”, uma mistura de semente de cacau, água e pimenta. Já os astecas eram obrigados a plantar cacau e usar as sementes como pagamento de impostos. Os nobres acreditavam que a bebida proporcionava poder e vigor aos que a consumia. Por isso, os governantes e soldados tinham uma reserva especial do produto. O cacau só chegou à Europa no século XVI, quando os espanhóis aportaram no novo mundo e Colombo foi apresentado à iguaria pelos astecas, levando a

bebida à corte, que substituiu a pimenta pelo açúcar e mel. As sementes agradaram tanto que, por muito tempo, foram cultivadas em segredo na Espanha, sendo que algumas plantações ficavam escondidas nos monastérios. Mas os nobres espanhóis não conseguiram manter essa delícia escondida por muito tempo. Logo, o chocolate se espalhou pela Europa, primeiramente através do casamento, em 1615, entre a infanta de Espanha Ana da Áustria e o rei francês Luís XIII. A jovem rainha era apaixonada por chocolate e levou em sua bagagem tanto as sementes de cacau como o material necessário para sua confecção. A partir de então, o chocolate conquistou a corte francesa. Em 1657, foi aberta a primeira fábrica de chocolates inglesa e as lojas que vendiam o produto, as chamadas “casas de chocolate”, passaram a ser ponto de encontro entre os mais abastados. Mas foi só a partir de 1828, com a invenção da prensa de cacau, que os custos da produção diminuíram e o chocolate tornou-se um produto realmente popular. Apesar dos monges já fabricarem chocolates em pedaços há séculos, foi em 1847 que as barras de chocolate se popularizaram. Em 1876, o suíço Daniel Peter desenvolveu a técnica de adição de leite ao chocolate, dando origem ao produto como consumimos hoje. A popularização do chocolate também contribuiu para que o ovo, um dos mais importantes símbolos de Páscoa, passasse a ser feito com a iguaria e dado como presente, principalmente às crianças, numa referência ao nascimento e começo de uma nova vida. Os costumes ligados à Páscoa têm origem tanto nos festivais pagãos que reverenciavam a chegada da primavera como nos judaicos, que celebravam a Pessach, uma referência ao êxodo do Egito, liderado por Moisés rumo à Terra Prometida, ou seja, a passagem da escravidão para a liberdade.

4

Março 2011


A Páscoa para os Cristãos também diz respeito a uma passagem, a ressurreição de Cristo, que passou da morte para a vida. Desta forma, eles se apropriaram da imagem do ovo para festejar a data. No início, os ovos eram aqueles de galinha, pintados à mão e trocados entre as pessoas, que não os comiam. Eram apenas um presente que simbolizava a origem de uma nova vida. Mais de 800 anos deste ritual de troca se passaram para que o ovo fosse fabricado com chocolate. Pelos registros, isso aconteceu apenas no século XVII por confeiteiros franceses. A invenção deu tão certo, que hoje é quase impossível pensar na Páscoa sem os deliciosos ovos de chocolate. Natália Andreotti natalia@revistaape.com.br

Confira como são feitos os principais tipos de chocolate: Chocolate amargo: possui pelo menos 35% de massa de cacau e tem pouquíssima adição de açúcar e manteiga. É considerado o mais saudável para consumo. Chocolate ao leite: o tipo mais popular, possui cerca de 15% a 30% de massa de cacau, muito leite, açúcar e manteiga de cacau. Chocolate branco: é feito com muita manteiga de cacau e quase nenhuma massa de cacau, leite, açúcar e lecitina, podendo ser acrescido de aromas como de baunilha.

Revista Apê!

5


Foto Divulgação

Entrevista

Grupo Sensação Eterna sensação do samba paulistano Nos anos 80, a música pop internacional dominava as rádios no eixo Rio-São Paulo. Na metade da década, o rock brasileiro chegava ao seu auge ganhando muito espaço nas grandes gravadoras e nos programas de televisão. Mesmo com toda essa efervescência da cultura pop, influenciada por grandes astros da música estrangeira, na periferia paulistana o samba continuava firme no seu propósito: levar alegria na palma da mão.

O primeiro disco só foi gravado em 1992, mas de lá para cá, o Grupo Sensação emplacou vários sucessos, como “Um coral de anjos”, “Preciso desse mel” e “Apelo”. Em 1997, o LP “Pra gente se encontrar de novo” conquistou o disco de ouro e de platina, mostrando que o grupo da zona norte de São Paulo veio para ficar.

Foi no fim desta década, na quadra da Escola de Samba Camisa Verde e Branco, uma das maiores de São Paulo, um grupo de garotos teve a oportunidade de se reunir para fazer samba de qualidade. Logo, o jovem Cogumelo e sua turma foram incumbidos de garantir a alegria das tardes no “Botiquim do Camisa”.

Não é difícil entender o porquê o Grupo Sensação se destacou e caiu nas graças do grande público, seu samba é capaz de fazer refletir sobre o amor como em “Nessa Manhã”, A vida me ensinou/Vamos viver o que há de bom/Isso que é o amor; ou através da crítica social como em “Crianças do Brasil”, Chega a polícia e mete o pau/Chega o político e mete a mão/Chega fevereiro é Carnaval, Fim do sofrimento é ilusão.

“De pé no chão” os garotos ganharam entrosamento e “De malas prontas” partiram para animar as noites de São Paulo tocando em casas como ”Sambarylove”, “Projeto Radial”, “Clube da Cidade”, “Refinaria” e “Barracão de Zinco”. Assim surgiu um dos maiores grupos de samba e pagode do Brasil: o Grupo Sensação.

O Grupo Sensação já cantou com diversas personalidades do samba como Reinaldo, o príncipe do pagode, Leci Brandão e Arlindo Cruz. Aliás, estes monstros sagrados da música estiveram presentes no DVD Sensação ao Vivo gravado no Carioca Clube em São Paulo. O trabalho reuniu os 20 maiores sucessos do grupo, que foi cantado em coro pela plateia.

6

Março 2011


Nós conversamos com o grupo, que gentilmente cedeu a seguinte entrevista: Revista Apê! Além da formação, o que mais mudou no Grupo Sensação nesses 25 anos de estrada? Grupo Sensação Hoje, podemos afirmar que temos muito mais experiência, mais musicalidade e alegria por aceitar um novo desafio. Apê! Quem ou quais foram as grandes influências do Grupo Sensação? GS Os grandes mestres inspiradores do grupo Sensação são Cartola, Nelson Cavaquinho, Paulinho da Viola, Fundo de Quintal, Arlindo Cruz, além de alguns grandes nomes da MPB, como Djavan, Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso, entre outros. Apê! Qual a diferença de um grupo de pagode que nasce dentro de uma quadra de escola de samba? GS Acreditamos que dentro de uma quadra de escola de samba você já nasce com influências e com a essência de samba de quadra, enredo, partido alto, samba romântico, fora disso o trabalho fica sem diretriz. Apê! O que a Camisa Verde e Branco representa para vocês? E ainda frequentam ou fazem samba na quadra? GS A Camisa Verde e Branco representa o início, os primeiros passos do Grupo. Ainda frequentamos e continuamos com raízes dentro da escola, pois um integrante (Cogumelo) é intérprete.

Apê! Vocês têm várias músicas que falam de amor, mas também algumas músicas que discutem a questão social, como “O menino da capoeira” e “Oya (canto de oração)”. O pagode também tem a função de proporcionar reflexão às pessoas? GS Com certeza, é uma marca do Grupo Sensação, em todos os nossos álbuns, fazemos questão de falar sobre assuntos sociais, isso ajuda as pessoas a enxergarem melhor nossos problemas. Apê! Como vocês veem o samba e o pagode hoje? Está muito diferente da época que vocês começaram? GS Sim, muito diferente. Hoje as músicas estão muito descartáveis e banais, a maioria está sem conteúdo. Antigamente, a preocupação com a qualidade das letras e dos arranjos era muito grande, hoje infelizmente não. Apê! Quais novidades os fãs podem esperar do Grupo Sensação? GS Nossos fãs podem esperar um disco com seu lado romântico, político e um bom partido alto, além de um DVD contando nossa história. www.gruposensacao.com Mieli Montaño mieli@revistaape.com.br

Revista Apê!

7


Foto Divulgação

Entrevista

Fábio Biofa Arte urbana na zona norte Talvez você Já tenha topado com alguma de suas ilustrações que estão espalhadas pela cidade, principalmente na zona norte, ou visto alguns de seus trabalhos expostos em programas de televisão. Se ainda não viu, agora poderá ver os trabalhos do artista plástico Fábio Biofa, o mais novo parceiro da Revista Apê! Sempre Ligado no underground, Fábio Biofa relaciona seu trabalho com a linguagem das ruas, com personagens do skate e do movimento Hip-Hop, seja com “graffiti” ou com vídeo. O que começou como uma brincadeira, hoje se tornou trabalho sério. Misturando técnicas diversas, com spray, colagens e látex, Biofa desenvolveu um estilo único: cores fortes, traços marcantes e personagens que parecem ganhar vida.

Descolado - Filme e Instalação 8

Março 2011

Rua Doutor César

Não existe lugar ruim para o artista desenvolver suas ilustrações: paredes descascadas, casas abandonadas, vielas estreitas. Fábio Biofa sabe aproveitar toda arquitetura da cidade para produzir arte urbana, ainda mais com a ajuda da Computação Gráfica. Fábio Biofa já participou do “Projeto São Paulo Capital Graffiti”, expôs individualmente sua obra no programa “Metrópolis”, da TV Cultura, emprestou ilustrações para o “Painel de Graffiti”, da TV Bandeirantes, além de incontáveis outros trabalhos. Agora, quando você caminhar pela zona norte, observe os muros e as praças, com certeza vai encontrar alguma ilustração do nosso novo colega. Nós batemos um papo com Fábio Biofa e registramos aqui nossa conversa para que você possa conhecêlo melhor, foi assim:

Avenida Cruzeiro do Sul


Revista Apê! Quando decidiu ser ilustrador? Fábio Biofa Desenho desde criança, sempre gostei de retratar as pessoas. Na escola já fazia charges e caricaturas de alunos e professores. Minha história no universo das artes foi acontecendo naturalmente, onde fui me aperfeiçoando, até encontrar meu estilo próprio de criar. Foi quando assumi ser ilustrador. Durante minha trajetória, conheci vários outros segmentos de arte como o Graffiti, Escultura, Computação Gráfica e outras técnicas que ajudaram meu trabalho a ficar plural. Hoje meu trabalho tem uma linguagem bastante particular e me sinto cada vez mais maduro e seguro para enfrentar novos desafios. Apê! Qual seu graffiti preferido? FB Difícil citar meu preferido! Desde os mais antigos, todos fazem parte da minha história e do desenvolvimento do meu estilo. Atualmente estou produzindo uma sequência de rostos ampliados e coloridos que estou gostando bastante do resultado. Apê! Qual a diferença de graffiti e pichação? Você já sofreu preconceito com seu trabalho? FB A ferramenta para execução de ambos é a mesma (Látex e Spray), por isso confundem pixação com graffiti! Os elogios são tão superiores, que grande parte de meus contatos profissionais surgiram durante a execução de meus graffitis. Apê! Que mensagem você quer passar com sua arte? FB Gosto de pintar e revitalizar lugares esquecidos pela sociedade. Estudar o lugar, antes de executar minha arte. Colorir nossa cidade que está poluída de cinza, tanto nos muros quanto no céu. Interagir minhas criações com as pessoas. Minha mensagem é colocar minhas ideias em prática. Apê! Quais os materiais que você utiliza? FB Trabalho bastante com tintas e sprays, apesar de estar sempre experimentando novos suportes e materiais novos! Atualmente estou trabalhando muito com materiais reciclados! Reciclando minhas ideias! (risos) www.flickr.com/biofa www.myspace.com/fabio_biofa Mieli Montaño mieli@revistaape.com.br

Brasil Miscigenado - Índio, Amarelo, Negro e Branco Revista Apê!

9


Idosos

Clínicas de repouso A escolha das famílias do século 21 Existe o preconceito quanto ao idoso morar numa casa de repouso, pois passa a ideia de abandono e de esquecimento, mas isso não é de fato verdade.

da família pode ficar o dia todo com o idoso, para atendê-lo em suas necessidades. Numa clínica de repouso, ele tem cuidado 24h por dia.

O cotidiano das pessoas tem sido cada vez mais corrido e a longevidade tem ganhado mais anos. Com isso, cuidar da pessoa com mais de 60 anos fica complicado, e colocá-la numa clínica de repouso torna-se a melhor opção para algumas famílias. Em casas especializadas, o idoso acaba por ter uma melhora na qualidade de vida, vivendo mais anos.

A Vigilância Sanitária tem regras para se manter uma casa de idosos. Muitos locais, que pretendem fugir das visitas da Vigilância acabam por trabalhar na clandestinidade. Esse é um problema para a cidade e principalmente para os idosos, que vivem nesses lugares sem o mínimo de higiene e dignidade. A prefeitura tem dificuldades em encontrar esses locais, justamente pela falta de indícios para a identificação, e conta com a denúncia de familiares ou funcionários.

Numa clínica para idosos é obrigatório ter profissionais responsáveis e qualificados, dentre os quais pode-se destacar o médico geriatra, que examina e analisa a condição dos idosos pelo menos duas vezes por semana, uma equipe de enfermagem de plantão com uma enfermeira para cada dois ou três idosos, uma equipe de fisioterapeutas com visitas diárias, e um nutricionista, que realiza uma visita semanal e desenvolve um cardápio de alimentação adequada e equilibrada para cada indivíduo. Dona da Clínica de Repouso Jardim, Ladir Moreira Lemos conta que virou uma referência na área de cuidado com idosos em Santo André porque ofereceu mais que atenção e cuidado: “Nós damos respeito, carinho, boa alimentação, higiene de qualidade e temos o que chamamos de tripé, baseado em organização, disciplina e rotina. Isso traz tranquilidade, paz de espírito e segurança ao idoso”. Ladir chama a atenção sobre os cuidados que precisam ser tomados quando uma pessoa mais velha fratura alguma parte do corpo, em especial a bacia e o fêmur. Quando ocorre uma queda em casa, o idoso é levado ao hospital e volta para casa sob responsabilidade dos familiares. Um problema recorrente nesse caso é de que nem sempre alguém

10

Março 2011

Jessica Akico fale@revistaape.com.br


Beleza

Cabelos Tratamentos à base de chocolate Além de ser uma delícia, o chocolate também contribui para a beleza feminina. Várias clínicas de estética, spas e salões de beleza dos mais variados portes têm adotado cada vez mais o produto como matéria-prima para tratamentos de beleza. Entre eles, está a escova de chocolate, indicada para domar fios rebeldes e tratar os cabelos danificados. A substância usada é feita à base de queratina líquida, proteína da seda a extrato de cacau. O efeito da escova dura cerca de 60 dias (2 meses) e o tratamento leva aproximadamente duas horas para ser finalizado.

Confira como fazer a máscara em casa: • 1/3 de xícara de cacau em pó • 4 colheres de sopa de creme de leite • 1/4 xícara de mel • 3 colheres de sopa de aveia Natália Andreotti natalia@revistaape.com.br

É possível optar ainda pelo banho de imersão à base de chocolate, realizado em uma banheira ou ofurô, indicado para hidratar e revitalizar a pele ressecada. Mais simples e que também pode ser feita em casa, é a máscara facial de chocolate, que não é indicada para peles oleosas ou com acne, pois é extremamente hidratante.

Revista Apê!

11


Decoração

Faça você mesmo Adesivos de parede Antigamente, as pessoas criavam desenhos e mandavam fazer peças autocolantes. Depois, chegaram os adesivos importados. Agora, o item se popularizou, é acessível e existem modelos dos mais variados. Mudar a cara do seu apê pode ser mais simples do que você imagina. Em inúmeros formatos e cores, os adesivos de paredes vêm ganhando espaço nos lares brasileiros, um jeito rápido e econômico de mudar a decoração. Além da simplicidade no manuseio e aplicação, os adesivos podem dar um toque moderno e glamuroso à decoração do seu apê.

Dicas para aplicação do adesivo: • Antes de colar a imagem, certifique-se de que a superfície esteja limpa, lisa e seca. • Use uma espátula para eliminar bolhas ao transferir o adesivo para a parede. • Se o desenho é grande, peça ajuda. Demarcar a área desejada também é uma boa estratégia. • Ao reunir temas diferentes, opte por uma pequena variação de cor. Para acertar na composição, ensaie antes. Recorte o contorno das figuras, pregue fita crepe por trás e experimente a melhor composição. • Limpe, preferencialmente, com pano úmido. Ailton Augusto ailton@revistaape.com.br

Reciclagem

Saco é um saco Ajude o meio ambiente Nas compras para a Páscoa, você já pensou em substituir a tradicional sacolinha plástica por uma bolsa de pano ou de feira? Desde 2009, quando o Ministério do Meio Ambiente lançou a campanha Saco é um Saco, a indústria já deixou de fabricar mais de 5 bilhões de sacolas plásticas. O objetivo não é eliminar totalmente a sacolinha, mas reduzir seu consumo ano após anos. Seguindo exemplos de países europeus como Irlanda, Alemanha e Itália, que proíbem ou cobram taxas para o uso da sacolinha, a campanha tem orientado os consumidores para que façam uso consciente do produto. E a melhor dica de todas é justamente a reciclagem do lixo doméstico. Cabe ao consumidor consciente separar o material reciclável e levá-lo aos pontos de coleta, como as grandes redes de supermercados ou cooperativas de catadores. O chamado lixo seco: papéis, plásticos, vidros e metais, depois de lavados, podem ser colocados em caixas de papelão ou sacos de lixo reciclados, que são aqueles pretos e azuis. Aqueles sim são feitos com material reciclado. Já as sacolinhas de supermercado não podem ser recicladas, pois entram em contato direto com alimentos. 12

Março 2011

Reduzindo o consumo das sacolinhas, o consumidor ajuda diretamente o Meio Ambiente, pois elas contribuem, por exemplo, com o entupimento de bueiros e acúmulo da água da chuva, além de poluírem mares e rios, causando a morte de animais marinhos, que as ingerem confundindo-as com alimento. Portanto, recusando, reduzindo ou reaproveitando, faça a sua parte! Mieli Montaño mieli@revistaape.com.br


Viagem

Campos do Jordão Um pedaço da Europa no Brasil Não é à toa que Campos do Jordão é carinhosamente chamada de “A Suíça Brasileira”. Além do clima ameno, que lembra cidades europeias, ela também é conhecida pelos seus deliciosos chocolates feitos artesanalmente. Portanto, para quem deseja aproveitar um final de semana ou então o feriadão da Páscoa, a cidade é uma ótima opção de lazer e descanso. Aliás, Campos do Jordão oferece opções de hospedagem para os mais variados gostos e bolsos, de pousadas simples e aconchegantes a hotéis cinco estrelas, passando por chalezinhos rústicos, com suas lareiras charmosas. Passear pelo centrinho de Capivari é uma atração à parte, repleto de lojinhas de malhas e chocolates, é possível gastar horas andando sem destino certo. Na Páscoa, a região ganha um ar todo especial, pois é enfeitada a caráter, com coelhinhos e ovos por toda à parte. Quando a fome bater, opções de restaurantes não faltam. Aliás, o turismo gastronômico é muito forte na cidade, com receitas à base

Campos do Jordão

de frutas, pinhão, além dos obrigatórios fondues de queijo, carne e, claro, chocolate. Outro passeio imperdível é percorrer os 1.800 metros que levam ao Morro do Elefante no teleférico, que existe na cidade desde 1970. O ponto final é um Mirante que descortina uma linda vista da cidade. Conhecer Campos do Jordão através do bondinho ou ir até a vizinha Santo Antônio do Pinhal pela Estrada de Ferro também são ótimas opções de passeios. Natália Andreotti natalia@revistaape.com.br

Revista Apê!

13


14

Marรงo 2011


Revista ApĂŞ!

15


Foto André Stéfano - SPTuris

Lazer

Mercado Municipal O mercado mais visitado por turistas No almoço da sexta-feira que antecede a Páscoa não pode faltar a tradicional bacalhoada. Que tal escolher os ingredientes deste prato tão gostoso no Mercadão, local conhecido pelos ingredientes de primeira linha e os deliciosos sanduíches de mortadela e pastéis de bacalhau? Localizado no centro de São Paulo, o local foi totalmente revitalizado em 2004 e possui uma infinidade de bancas de frutas, queijos, especiarias, peixes e muito mais. Depois das compras, nada melhor do que descansar no mezanino, que conta com vários bares e restaurantes. Inaugurado em 1933, o projeto do edifício é do arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo, responsável também pelo Teatro Municipal, Palácio das Indústrias e Pinacoteca. Inspirado nos mercados e estações ferroviárias europeias, o prédio tem colunas em estilo grego, dórico e jônico e conta com 72 vitrais, que por si só já valem a visita. Elaborados pelo artista russo Conrado Sorgenicht Filho, cuja arte também pode ser apreciada na Catedral da Sé, os vitrais reproduzem o trabalho manual do colono, como o cultivo e colheita de alimentos

e o transporte de gado. Curiosamente, o Mercadão seria inaugurado em 1932, mas devido à Revolução Constitucionalista, ele acabou sendo utilizado como depósito de armas e munição, vindo a ser aberto ao público somente um ano depois. Este local tão especial e que faz parte da história da cidade conta ainda com visitas monitoradas, com três roteiros diferentes, realizados às terças, quartas e quintas, sempre às 10 horas, que passa pelo mezanino e 15 boxes de diferentes categorias, entre eles, a famosa Barraca do Juca, que ficou conhecida depois que Tony Ramos interpretou seu proprietário na novela “A Próxima Vítima”. Endereço: Rua da Cantareira, 306 Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 6h às 18h/ domingos e feriados, das 6h às 16h. As visitas monitoradas devem ser agendadas através do telefone 3313-2444, ramal 231 No feriado, o Mercadão estará fechado apenas no domingo de Páscoa. Mais informações pelo site: www.mercadomunicipal.com.br Natália Andreotti natalia@revistaape.com.br

16

Março 2011


Amor

Saudade e enternecimento

Dois sentimentos confundíveis

A saudade é um sentimento que embala poetas e move amantes, no entanto ela é tão complicada que na maioria das vezes confunde-se com outro sentimento parecido: o enternecimento. Saudade e enternecimento são separados por uma linha tênue, causando muita confusão na cabeça das pessoas. Saudade vem do latim solitátis, que expressa solidão, desamparo; já enternecimento vem do que é “terno”, do latim ternus, significa brandura, delicadeza. Portanto, saudade é a falta, o desejo de uma determinada situação ou pessoa de volta. É querer reviver experiências. Já enternecimento é o carinho, você pode lembrar de uma antiga paixão, mas não necessariamente querer tal sentimento ou experiência de volta. Muitos casais têm dificuldade em aceitar uma separação por não saber discernir os sentimentos: pensam que é saudade o que muitas vezes é enternecimento; pensam que é paixão o que muitas vezes é carinho. Assim enfrentam monstros da própria criação, como já dizia Renato Russo.

Mas e os poetas? Ah os poetas! Para eles a saudade é a mola propulsora, procuram materializar em palavras o que lhes falta no íntimo, buscam viver novamente o que não existe mais. Assim preenchem o vazio e espantam a solidão. Saudade é um desconforto entre o estômago e o coração. Enternecimento é a brisa fresca num fim de tarde quente. A saudade é ruim então? Claro que não... a saudade é o alimento que sustenta as relações amorosas! Não há sensação melhor do que contar as horas, de um longo dia, para encontrar a pessoa amada no anoitecer. Não há sensação pior do que saber que a pessoa amada não te espera mais. Então a saudade se torna grande vilã do coração. A saudade não pode ser sofrimento. Em alguns casos, é mais saudável tentar transformá-la em enternecimento. Não há nada melhor na vida do que a paz de espírito. Mieli Montaño mieli@revistaape.com.br

Revista Apê!

17


Saúde

Arteterapia Conheça-se brincando A Arteterapia é um processo terapêutico que usa a atividade artística como fonte de autoconhecimento. Atualmente, um recurso muito eficaz usado em diversos tratamentos psicológicos. A Arteterapia nasceu baseada nas ideias do antropólogo austríaco Rudolf Steiner, entre 1889 e 1896. Rudolf afirmava que o homem é um ser espiritual composto de alma e corpo vivo. Surge, então, um processo terapêutico que utiliza a expressão artística como instrumento de autoconhecimento, uma maneira alternativa que o paciente tem para externar seus sentimentos de forma divertida e espontânea. De acordo com o Family Guide to Alternative Medicine, ou Dicionário de Medicina Natural, a Arteterapia recebe qualquer pessoa que tenha problemas emocionais, psicológicos ou apenas queira saber mais sobre si. Há pessoas que sentem dificuldades de se expressar por palavras. Outras sentem dificuldades em relacionar-se. Há também os indivíduos que sofrem com o alcoolismo, anorexia, bulimia, dependência de drogas, deficiências físicas ou mentais que atrapalham e intimidam a capacidade de comunicação. Esses problemas, porém, estão tão profundamente escondidos que a pessoa normalmente não tem conhecimento deles. Dar uma forma visual a esses problemas com tintas, barro ou qualquer outro meio artístico, pode ser a primeira fase no processo de cura, pois ajuda o indivíduo a reconhecer seus problemas e a redescobrir sua capacidade criativa. Não é preciso ser artista para fazer terapia com arte, a Arteterapia está ao alcance de todos, nas sessões não se busca o belo, o certo, mas a livre expressão das emoções, o afloramento das ideias, a tomada de consciência do comportamento inconsciente, procurando a transformação. Além disso, os pacientes têm a possibilidade de resgatar as brincadeiras da infância, muitas vezes esquecidas e abandonadas à medida que crescem e se tornam adultos. Na busca de auxiliar o processo terapêutico, a Arteterapia atua como um catalisador, ou seja, promove um caminho para o indivíduo entrar em contato com seus dilemas internos, muitas vezes escondidos dentro de si, sentimentos estes bloqueados por diversas razões.

A Arteterapia desenvolve o potencial criativo do paciente, procurando aquecer a alma e estimular uma vida saudável e autônoma, ou seja, independente e capaz de tomar suas próprias decisões. Promove uma reestruturação das emoções e, consequentemente, a transformação do ser. Muitas vezes, as pessoas não conseguem falar sobre seus conflitos pessoais. Então, a Arteterapia se apresenta como ferramenta motivadora, propondo uma reflexão através dos processos no desenvolvimento dos trabalhos artísticos, aumentando a autoestima, diminuindo o estresse e buscando entender as experiências traumáticas vividas pelo paciente. A utilização de instrumentos como pincéis, tintas, papéis, argila, cola, figuras, desenhos, recortes tem como finalidade auxiliar a exposição dos sentimentos que se encontram perdidos na escuridão da alma. Tanto as técnicas quanto a utilização desses materiais não objetivam à profissionalização ou à comercialização dos trabalhos realizados, mas sim o desenvolvimento da atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e, principalmente, a linguagem. Por meio de uma obra de arte é possível perceber sentimentos como alegria, desespero, angústia e felicidade, de maneira única e pessoal, relacionadas ao estado espiritual em que se encontra o autor no momento da criação. Muitos autores classificam como Arteterapia somente as atividades terapêuticas que fazem uso das artes plásticas, ou seja, do desenho, pintura, fotografia. Desta forma, as demais linguagens como dança, teatro, música, poesia são consideradas terapias expressivas. Mieli Montaño mieli@revistaape.com.br

18

Março 2011


Educação Financeira

Finanças Pessoais Aprenda a se planejar Agora, todo mês na Revista Apê, vamos abordar um assunto muito importante nos dias atuais: o planejamento financeiro. Por meio do planejamento financeiro você pode adquirir uma ideia ampla dos seus ganhos e dos seus gastos. Desta forma, você aprende a poupar e a gastar seu dinheiro de acordo com as suas finanças e seus objetivos. O planejamento financeiro proporciona uma vida estável, equilibrada e, consequentemente, agradável socialmente. Hoje já não existe mais estabilidade no trabalho como há 30 anos, quando você entrava numa empresa com possibilidades de permanecer e se aposentar nela. Em tempos modernos, trabalhar a vida inteira para a mesma empresa não é mais regra, mas sim exceção. Portanto, todo trabalhador deve estar preparado para períodos de desemprego e dificuldade.

questão do salário ainda é delicada no Brasil, portanto uma programação que oriente para o melhor uso do dinheiro é fundamental para uma vida equilibrada, dentro da realidade do nosso país. Então, fica combinado, a partir do próximo mês voltaremos a abordar o assunto com mais profundidade, por enquanto fica uma questão: quanto você conhece sobre administrar o dinheiro da sua família? Esse texto tem como fonte de pesquisa o livro “Como fazer o orçamento” familiar, da série, sucesso profissional. Mieli Montaño mieli@revistaape.com.br

Outro fator importante que justifica o planejamento financeiro é a lentidão do crescimento dos salários. Embora a inflação, atualmente, não atinja patamares absurdos como há 20, 30 anos, e a política salarial constantemente passe por reformas, a

Revista Apê!

19


Condomínio

Crianças no Condomínio Cuidado dobrado, pois proteção nunca é demais Rede nas janelas e atenção constante a objetos caídos ao chão. Portões automáticos de veículos não combinam com adultos a pé, menos ainda com crianças circulando embaixo. No elevador, é proibido pela Prefeitura andar menores de 10 (dez) anos sem supervisão de um adulto responsável. Hoje em dia faz parte do projeto de construção de qualquer condomínio, seja ele um edifício de apartamentos, seja ele de casas residenciais, a instalação de equipamentos de lazer os quais proporcionam além do entretenimento o desenvolvimento psicossocial e físico dos frequentadores, principalmente das crianças moradoras. Na maioria das edificações encontramos playground geralmente instalado ao ar livre e composto de escorregador, trepa-trepa, balanços, gira-gira, gangorras que podem ser feitos de ferro, madeira ou plástico e cada um terá a sua durabilidade e manutenção mais ou menos exigida conforme o próprio material, isto é, o playground com peças de ferro enferruja e pode desmanchar, soltar parafusos gerando acidentes graves como quedas. O playground de madeira pode apresentar lascas e farpas ou a pintura com tintas tóxicas provocando envenenamento e ferimentos nas mãos. O playground de plástico gera energia eletrostática com o atrito do corpo da criança e, consequentemente, queimaduras, portanto em qualquer tipo de playground há sempre necessidade da supervisão de um adulto junto enquanto a criança brinca nos equipamentos prevenindo danos físicos que podem ser de leves a graves. Há um equívoco muito sério por parte dos pais em relação aos funcionários do condomínio quanto à supervisão dos pequenos moradores. Isso só existirá se um monitor for contratado especificamente para esta finalidade. Zelador/Porteiro/Faxineiro têm suas atribuições funcionais determinadas em Lei (Federal nº 2.757/56, Lei do Condomínio nº 4.591/64) e em Convenções Coletivas do Sindicato da Categoria Profissional e de modo algum inclui ou cabe diretamente a eles pajear as crianças nas áreas comuns da edificação. Nos condomínios ainda encontramos como equipamento de lazer, piscinas, quadras poliesportivas, brinquedotecas, salas de cinema, lan house e salão de ginástica, e sendo que neste último é restrita a utilização para menores de 18 (dezoito) anos. Nas piscinas o Estado exige exames médicos periódicos e um monitor 20

Março 2011

com instrução específica no salvamento de afogados, o que é exceção e não a regra nos prédios. De modo geral, mesmo nos condomínios designados como clube não há o controle efetivo das atividades aquáticas, da sujidade e da quantidade dos microorganismos nocivos, o que faz do uso da piscina um risco à saúde de todos, e mais ainda das crianças, inclusive com caso de acidentes em ralos de drenagem e aspiração da água acionados indevidamente. Nas quadras destinadas a praticas de esporte como tênis, basquete, vôlei e o mais apreciado: o futebol; cada um em um tipo de piso, sendo o mais comum o piso de cimento pintado com as demarcações próprias a cada esporte, podendo conter áreas cobertas ou ao ar livre e com fechamento lateral em alambrado. É da responsabilidade do Síndico inspecionar todas as áreas de recreação e os seus equipamentos conforme os critérios da Associação Brasileira de Normas Técnicas, por exemplo, em São Paulo temos a NRB 14.350 – Segurança de Brinquedos de Playground. Aos pais cabe o dever também de cobrar do corpo diretivo do condomínio o fiel cumprimento das normas para a segurança não só de seus filhos, mas os de todos os demais moradores com os quais poderiam se revezar no cuidado e acompanhamento das brincadeiras infantis, participando da grande satisfação que é ver a criançada se divertindo muito nos equipamentos de lazer do condomínio com a atenção devida da segurança. Rejane de Albuquerque Síndica/Administradora do Condomínio Edifício Ana Carolina


Revista ApĂŞ!

21


Cinema

Chico Xavier As mães de Chico Xavier Sinopse: As histórias das três mães, Ruth, cujo filho um jovem que enfrenta problemas com drogas, Elisa, que tenta superar a perda do filho junto com o marido, o pequeno Theo, e Lara, uma professora que enfrenta o dilema de uma gravidez não planejada, se cruzam quando recebem conforto e reencontram a esperança de vida através do médium Chico Xavier. Título: As mães de Chico Xavier Estréia: 1o/4/2011 Direção: Glauber Filho e Halder Gomes Elenco: Via Negromonte, Vanessa Gerbelli, Gabriel Pontes, Tainá Muller, Nelson Xavier, Herson Capri Gênero: Drama Faixa Etária: 18 anos

Locadora

Para ver em casa Filmes em lançamento nas locadoras

Título: A Lenda dos Guardiões Ano de Produção: 2010 Duração: 90 minutos Faixa Etária: 14 anos

22

Março 2011

Título: Um Parto de Viagem Ano de Produção: 2010 Duração: 100 minutos Faixa Etária: 14 anos

Título: Perdido Pra Cachorro 2 Ano de Produção: 2011 Duração: 84 minutos Faixa: 16 anos


Livros

Lançamentos Algumas dicas de leitura Uma Segunda Chance

Corvos

Autor: Wilson, Susan Editora: Sextante/Gmt Categoria: Literatura Estrangeira /Romance

Autor: Green, George Dawes Editora: Leya Brasil Categoria: Literatura Estrangeira/Ficção Cientifica

Música

Música Lançamentos musicais

Femme Fatale Artista: Britney Spears Gravadora: Sony Music Categoria: Pop/Rock Int.

Goodbye Lullaby Artista: Avril Lavigne Gravadora: Sony Music Categoria: Pop/Rock Int.

Bola de Cristal - Ao Vivo Artista: Fernando e Sorocaba Gravadora: Som Livre Categoria: Regional/ Sertaneja

Revista Apê!

23


Receitas

Gastronomia Torta de chocolate com sorvete Tempo de preparo: Mais de 1 hora Serve: 5 ou mais porções Ingredientes 1 xícara de farinha de trigo 1 tablete de margarina culinária (100 g) 1 gema 1 colher de sopa açúcar 1 pitada de cravo em pó 1 pitada de canela em pó 5 colheres de sopa de amido de milho 1 1/2 xícara de leite 3 colheres de sopa de açúcar 100 gramas de chocolate meio amargo ralado 1 unidade de sorvete sabor chocolate com creme A gosto para embalar: filme plástico A gosto para enfarinhar: farinha de trigo A gosto para decorar: chocolate meio amargo derretido; 10 pinhões cozidos e descascados Modo de preparo Em uma tigela coloque a farinha, a margarina, a gema, o açúcar, o cravo e a canela. Amasse delicadamente com a ponta dos dedos até que a massa solte das mãos. Embale em filme plástico e reserve na geladeira por 15 minutos.

Em uma panela média, dissolva o amido de milho no leite, junte o açúcar e cozinhe em fogo médio, mexendo sempre, por 5 minutos ou até ferver e engrossar. Adicione o chocolate e misture até derreter. Reserve até esfriar. Coloque o recheio na massa reservada e cubra com bolas do sorvete sabor carioca. Decore com fios do chocolate derretido e com o pinhão. Sirva em seguida. Variação Se preferir, misture ao recheio meia xícara (chá) de pinhão cozido, descascado e picado. Dica Derreta o chocolate em banho-maria com cuidado para não deixar entrar o vapor no chocolate. www.portalvital.com.br

Pré-aqueça o forno em temperatura média (180ºC). Enfarinhe uma superfície seca, coloque a massa e utilize um rolo para abri-la na espessura de 0,5 cm. Coloque sobre uma forma desmontável média (24 cm de diâmetro) e forre o fundo e a lateral, pressionando com os dedos.

Se você tem alguma receita e gostaria de compartilhar, envie para nós. e-mail: fale@revistaape.com.br

24

Março 2011

Foto Shutterstock

Faça furos na massa com um garfo e leve ao forno por 20 minutos ou até dourar levemente. Reserve até esfriar.


Diversão

Jogos

Respostas no site: www.revistaape.com.br

Divirta-se Caça-Palavras Na Páscoa o chocolate pode ser apresentado das seguintes maneiras:

BOMBOM CHOCOLATE BRANCO AMARGO AO LEITE COELHINHO OVO PASCOA CACAU CROCANTE TRUFADO

J Q V C O E L H I N H O E W S V S A A M

A R A M A T X K T R F G F P N S I Y Q U

L Y R M J C S R A R E R I N H A Y A F I

R C K W S C L Y O G U T U V R M J P E Y

F A S B D R H A A O P F G Y A R A A R B

U Z N O O T Q O R O Z E A M W S A O O P

L O P M S E L E C H E C U D C P M O G M

A E V B X H R N N O R A E O O A A A R Y

M T Y O R D A X D R L C A A T R I M A Z

T N M M Y R N G O Z R A M C O C M A M L

F A I F B C C R E G P L T L M X Y M A L

E C P R E A Q M Q L M A S E T N K V V L

Q O M Y N E S P E Q L M I O I U H W R H

P R L A W D F R L T M T V Q K T A Y C J

G C A O L E I T E U O C Y M M H O A A I

J E B Y B T L A S N L K N F E D I P C D

B U Q B I X A R R U I U U A N L A Y A B

N G K F I V K M O R O P X C A K N V U S

F Z V O M J R E V G B V R V O F R G U S

W P S Q K C K H O L R T U R W L W W H A

Revista Apê!

25

7 Erros Encontre os 7 erros na ilustração do nosso entrevistado Fábio Biofa.


Educação

Comportamento pais carentes, filhos psicólogos Certa ocasião, em um supermercado, um homem empurrava seu carrinho de compras com cara de poucos amigos. Dentro do carrinho, uma criança, aparentemente de uns cinco anos de idade, divertia-se com o iogurte que tomava e com o vento que batia em seu rosto, como se andasse em alta velocidade. De repente o garoto perguntou: − O que vamos comprar agora, papai? Mal-humorado, o pai respondeu: − Comprar, leite, você já viu a gente vir ao supermercado e sua avó não pedir para comprar nada? Você não conhece sua avó, como ela é, gosta de ficar pedindo as coisas? − Vai comprar, então? Perguntou inocentemente o menino. Sempre que observo algumas relações entre pais e filhos, lembro-me de “O Pequeno Príncipe”, obra clássica de Antoine de Saint-Exupéry: “As pessoas grandes não compreendem nada sozinhas, e é cansativo para as crianças, estar toda hora explicando”. Nessa simples conversa em um supermercado, podemos observar a atitude aflita de um pai e a posição de “aconselhador” do filho. A singela pergunta do garoto “vai comprar, então?” deixou implícita a proposta para uma reflexão: se não quer comprar nada para vovó, vai comprar por quê? É muito comum encontrar pais (entenda-se pais e mães) que de maneira inconsciente tratam as crianças como psicólogas; contando-lhes suas frustrações e angústias, depositando na perspicácia infantil a esperança de encontrar uma saída benevolente para seus problemas. Sendo assim, há uma inversão de valores, pois normalmente os pais devem ser a referência na relação. No caso do supermercado, o pai degrada a relação familiar falando mal da avó, ignorando a ideia de família que seu filho está formando no seu consciente. Que ele tenha diferenças com a avó do garoto é compreensível, mas não seria mais fácil resolver os problemas com a própria avó? O garoto sugere isso.

26

Março 2011

Não se propõe tratar as crianças como ingênuas, visto que elas não são nada ingênuas. No entanto, pais não deveriam expor seus problemas de adultos para as crianças, pois elas escolhem em quem confiar. Se mostrarem somente o lado ruim da família, vão aprender só o lado ruim e, futuramente, vão ensinar somente um lado também, formando um ciclo vicioso. Pais carentes e sem personalidade formarão adultos com o mesmo perfil. Mieli Montaño mieli@revistaape.com.br


Revista ApĂŞ!

27


28

Marรงo 2011


Revista Apê!