Page 22

A Lei de

MURPHY

ou a “Lei da Implicância Natural das Coisas” por Claudia Nascimento

Q

uem não tem a impressão que, em algum momento da vida, fez tudo certo e, sem explicação lógica, algo fugiu de seu controle? Possivelmente neste momento pode constatar a existência da Lei de Murphy, ou a “Lei da Implicância Natural das Coisas”. Eu sempre pensei que essa Lei fosse um tipo de piada. Quando nova eu li o livro “A Lei de Murphy e outros motivos porque tudo dá errado", de Arthur Bloch, traduzido por Millôr Fernandes, e acreditei por anos ser mais um exercício do humor de Millôr. Aliás, este grande escritor brasileiro foi marcado para ser o arauto da Lei de Murphy.

Millôr Fernandes

22

EDIÇÃO 81 [SETEMBRO 08]

p a r a m a i s . c o m . b r

Talvez muitos saibam, mas vou contar uma velha historinha. Millôr é meu “conterrâneo”, do subúrbio do Méier, no Rio de Janeiro, porém contemporâneo de meu pai. Ambos foram registrados no mesmo cartório, e pelo mesmo homem, na época em que não havia impressoras e nem eram usadas máquinas datilográficas, e os escrivões escreviam as certidões. Precisavam ter uma bela caligrafia, e esse senhor o tinha. Eu vi a certidão de nascimento de meu pai. Mas aquelas letras eram tão rebuscadas que não poucas vezes causavam problemas de leitura. Millôr não nasceu Millôr, mas sim Milton Viola Fernandes, mas a grafia fez surgir esta identidade única. Jogou o traço do “t”, arqueado, por sobre o “o”, que vinha seguido de um “n” tão trabalhado que se fez de “r”. O seu registro, que foi feito após seu nascimento, em 16 de agosto de 1923 e, como é de se esperar, também gerou um erro na data de nascimento, que oficialmente passou a ser o dia 27 de maio de 1924. Millôr se torna ímpar, não apenas por seu talento e inteligência crítica, mas também por ser um caso raro de um homem com dois nomes e dois nascimentos! Desta forma, a Lei da Implicância Natural das Coisas nunca foi uma tese realmente levada a sério por mim. Mas, graças à internet, recebi um e-mail com algumas frases que representariam a aplicação dita Lei em várias situações. Quando repassei adiante, recebi a boa provocação de descobrir a autoria das frases. A curiosidade, como madrinha das boas descobertas, me fez resgatar essa pequena, mas importante, referência da Lei de Murphy na minha vida. Sim, porque, quem me conhece pessoal e intimamente sabe que eu sou

Pará+ 81  

Olhar Amazônida

Advertisement