Revista Agropolos Expresso Institucional

Page 1


DIRETORIA Presidenta Ana Tereza Barbosa de Carvalho Diretora Técnica Sonia Souza do Nascimento Braga Diretor Administrativo-Financeiro Antonio Marcelo Araújo Bezerra PRINCIPAIS PARCEIROS Governador do Estado do Ceará Camilo Sobreira Santana Secretário do Desenvolvimento Agrário Dedé Teixeira Superintendente do Instituto de Cirilo Antonio Pimenta Lima Desenvolvimento Agrário do Ceará Secretário das Cidades Jesualdo Farias Secretário dos Recursos Hídricos Francisco José Coelho Teixeira Secretário da Infraestrutura Lúcio Ferreira Gomes REVISTA AGROEXPRESSO 15 ANOS Coordenação Editorial Cynthia Matielli Diniz Redação Hévilla Leal Revisão editorial Sonia Braga, Cynthia Matielli, Gilber Vasconcelos, Airton Cruz e Ludmilla Beliche Fotografia Tuno Vieira e Celso Oliveira Projeto Gráfico e Sime Morais Diagramação

Contato: comunicacao@institutoagropolos.org.br (85) 3101.1670


Sumário

07

COMO TUDO COMEÇOU

08

PROJETO CAMINHOS DE ISRAEL

10

TERRITÓRIOS

12

PRIORIZANDO AGRICULTURA FAMILIAR

15

PARCERIAS QUE MELHORAM A VIDA DO AGRICULTOR

Desenvolvimento sustentável e fortalecimento da agricultura familiar

16

Cadeias produtivas

18

Ceará mais desenvolvido

20

Parceria com o Projeto São José III

22

Projeto Paulo Freire contribui com a qualidade de vida do campo

24

Equipamentos do Governo do Estado administrados pelo IACe

26

O Instituto Agropolos e o Colaborador

30



Editorial Palavra da Presidenta Nós, do Instituto Agropolos do Ceará, nos preocupamos em contribuir com o desenvolvimento sustentável da sociedade, fomentando e qualificando as políticas públicas voltadas ao meio rural através de capacitações, de assessoria técnicaeducativa e de apoio a projetos referenciais estratégicos. Por isso, pretendo, ao longo da minha gestão, estreitar cada vez mais os nossos laços junto aos parceiros e colaboradores conquistando apoio, tanto financeiro quanto intelectual, para que a gente possa desempenhar um trabalho cada vez melhor.

recursos hídricos, da infraestrutura, da habitação, na garantia do fortalecimento do processo de comercialização da produção rural e, sobretudo, da agricultura familiar é compartilhado com parceiros imprescindíveis através de contratos de gestão firmados, atualmente, entre Instituto Agropolos do Ceará, a Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), a Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH), o Instituto do Desenvolvimento Agrário do Ceará (IDACE) e a Secretaria das Cidades (SCidades).

Para mim, desafios que viabilizem o desenvolvimento do Ceará, como estar a frente do Instituto Agropolos, são motivadores. Por isso estou sempre aberta ao diálogo. Pretendo ouvir, acima de tudo, e atuar de forma descentralizada garantindo suporte, principalmente, para ampliar programas que beneficiem os agricultores familiares de várias regiões do Ceará.

Na qualidade de presidenta do IACe, continuarei trabalhando na manutenção e obtenção de recursos que garantam as condições necessárias para os projetos em andamento. Além disso, precisamos viabilizar estrutura para que os nossos técnicos exerçam atividades de campo com excelência.

A gestão do Instituto Agropolos é pautada na transparência para alcançar resultados que proporcionem melhorias efetivas na organização do Instituto, no andamento dos projetos, dos produtos e dos serviços gerando mais oportunidades de renda e maior qualidade de vida para as pessoas. É importante destacar que, o êxito do Instituto Agropolos do Ceará na atuação do crescimento da industrialização da produção agrícola, da educação, dos

Ana Tereza Barbosa de Carvalho


6


Entenda como tudo começou

O

Instituto Agropolos do Ceará (IACe) foi criado em 07 de janeiro de 2002 como uma organização civil de direito privado, sem fins lucrativos, constituída sob a forma de associação de interesse público, detentor de autonomia administrativa em 14 de janeiro de 2002.

Para atender às exigências dos trabalhos desenvolvidos e às parcerias resultantes dos contratos e convênios com outras instituições, especialmente a assistência técnica aos produtores da agricultura familiar, o Instituto Agropolos mantém uma equipe multidisciplinar composta por graduados, especialistas, mestres e doutores, somando quase 600 funcionários distribuídos em Fortaleza e nos escritórios instalados pelo estado do Ceará.

Em 07 de março de 2002, o IACe passou a ser classificado como Organização Social (OS), atendendo aos requisitos da Lei Estadual Nº12.781, criada em dezembro de 1997. Posteriormente, por meio dos decretos de Nº 26.528 e Nº 29.320, emitidos pelo Governo de Estado do Ceará em 12 de junho de 2008, o Instituto conseguiu jurisdição em todo o território nacional, podendo estabelecer unidades ou escritórios de atuação e representação em qualquer localidade da Federação, ou mesmo no exterior.

Com a finalidade de contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, fomentando e qualificando as políticas públicas através da capacitação, da assessoria técnica e educativa e da execução e apoio a projetos referenciais estratégicos, o IACe contribui com o desenvolvimento sustentável das principais cadeias produtivas rurais com ações de assistência técnica adequada e direcionada, atuando, prioritariamente, junto aos agricultores familiares. Além disso, a entidade promove o desenvolvimento da industrialização da produção agrícola e o fortalecimento do processo de comercialização da produção rural, com foco na agricultura familiar e na agregação de valor, viabilizando o acesso dinâmico dos produtos ao mercado. Tudo isso acontece através de parcerias com entidades governamentais e não governamentais.

7


Recursos Irrigados O ano precursor do Projeto Caminhos de Israel

Instituto Agropolos do Ceará e a parceria com a Secretaria da Agricultura Irrigada A primeira parceria foi estabelecida pelo Instituto Agropolos do Ceará (IACe) com a extinta Secretaria de Agricultura Irrigada (SEAGRI). Em 2002, pequenos e grandes produtores do Ceará puderam contar com suporte técnico oferecido pelo IACe para o desenvolvimento de suas atividades. Os trabalhos eram demandados pela SEAGRI, com atuação nos perímetros públicos irrigados do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e com grupos de agricultores familiares de qualquer região do Estado com o apoio do Governo do Ceará. O projeto Caminhos de Israel garantia a organização, a capacitação dos agricultores e a introdução de sistemas de irrigação mais eficientes no aproveitamento da água executando perfuração de poços profundos nas regiões do Cariri, Baixo e Médio Jaguaribe, Ibiapaba, Vales do Curu Aracatiaçu e no Sertão Central. Essa parceria tinha a finalidade de prestar assistência

8

técnica e extensão rural aos projetos de irrigação desenvolvidos pelo DONCS no estado do Ceará, como Jaguaribe-Apodi e Araras Norte, dentre outros e, também, aos projetos de irrigação desenvolvidos com recursos do Estado. O trabalho também consistia em formar grupos, organizados e institucionalmente constituídos, dos pequenos agricultores envolvidos com a irrigação de suas culturas e que desenvolviam uma mesma atividade visando à prestação de uma assistência técnica mais efetiva, bem como, dotar o grupo de um maior poder de barganha por ocasião da compra de seus utensílios e insumos e da comercialização de suas produções. Dessa maneira, foram criados diversos projetos contemplando agricultores que atuavam nos perímetros irrigados do DNOCS e ainda em diversos municípios do Estado, como Quixeramobim, Mauriti, Crato e São Benedito. Os beneficiários não teriam


necessariamente que fazer parte de algum projeto institucional da área, poderiam ser grupos independentes de agricultores que praticavam ou que quisessem começar a praticar irrigação. No que se refere aos pequenos produtores, eram oferecidas assessoria técnica e administrativa dos técnicos do Instituto Agropolos para a formação da associação, treinamentos sobre os aspectos administrativos, de produção e comercialização gratuitos para que os agricultores se unissem. Dessa forma, eles fundavam associações e conseguiam realizar a barganha de itens garantindo que se tornassem fornecedores fixos de estabelecimentos comerciais. Em relação aos grandes produtores, cuja assistência técnica era de responsabilidade dos mesmos, desde o seu início, o IACe trabalhou também na atração de possíveis investidores para se estabelecerem especialmente em áreas próximas aos perímetros irrigados, e com disponibilidade de água para irrigação, visando produzir e comercializar para outros estados, como também para promover a exportação dos produtos, desde que fossem considerados de qualidade. Estudo da cadeia produtiva de Mamona no Ceará Outro trabalho realizado pelo IACe, no ano de 2003, foi o estudo da cadeia produtiva

de Mamona. A proposta, desenvolvida pelo Instituto Interamericano de Cooperación para la Agricultura (IICA), tinha por finalidade, conhecer em que condições os agricultores produziam, como e para quem vendiam e os preços, para compreender a viabilidade da cultura considerando as diversas regiões onde a oleaginosa era cultivada. Na ocasião, o trabalho do IACe foi coordenar e executar o levantamento da situação da Mamona no Ceará para elaborar um diagnóstiso da situação através de um plano de ações que pudesse viabilizar o desenvolvimento de todos os agentes que atuam área. O projeto foi desenvolvido principalmente nas regiões do Sertão Central, dos Sertões de Canindé e do Centro Sul. A parceria com a FAO e a construção das casas de mel Entre 2003 e 2004, a parceria com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) também foi estabelecida. Com a finalidade de aperfeiçoar as capacidades empreendedoras de planejamento e de gestão de micro e pequenos empreendimentos, o projeto garantiu cinco Casas de Mel, no território do Cariri, construídas e equipadas, e um entreposto de beneficiamento, para processamento e comercialização de mel e cera.

9


Fortalecimento do processo de gestĂŁo social

10


E

m 2008, o Instituto Agropolos do Ceará também foi um importante agente no processo de gestão social dos Territórios. Através de parceria estabelecida com a Caixa Econômica Federal e com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), em Inhamuns/Crateús, Sertão Central, Itapipoca, Vale do Curu/ Aracatiaçu Sobral, Sertões de Canindé, Maciço de Baturité, Vale do Jaguaribe, Litoral Extremo Oeste, Litoral Leste, Serra da Ibiapaba e Cariri, o IACe realizou oficinas para fortalecer apoio ao processo de mobilização e formação de atores territoriais para o fortalecimento da estratégia de desenvolvimento sustentável dos territórios do Ceará. As ações foram direcionadas aos pequenos produtores. Regularização de terras e cadastro de imóveis rurais No mesmo ano, o Instituto de Desenvolvimento Agrário do Ceará (IDACE) demandou, para o IACe, trabalhos relacionados ao apoio da agricultura familiar no Estado do Ceará através da execução da política fundiária que viabilizou o cadastro de imóveis rurais, a regularização das terras e a implantação do projeto piloto para a substituição dos carros pipa no suprimento de água por cisternas e caixas d’água.

11


Instituto Agropolos do Ceará Passa a priorizar agricultura familiar Conheça projetos com participação do IACe inteiramente voltados aos agricultores

A

partir de 2009, através de contratos de gestão, ordens de serviço e convênios, o Instituto Agropolos do Ceará (IACe) passa a ser inserido em políticas públicas totalmente direcionadas ao incentivo e a valorização da agricultura familiar. Parcerias foram estabelecidas com a Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), que tinha como secretário o Governador Camilo Santana, com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), com o Petróleo Brasileiro S.A. (PETROBRAS), com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), com o Petróleo Brasileiro Biocombustiveis (PBIO), com o Ministério da Pesca e Aquicultura (MDA) e com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDSCF), viabilizando diversos

projetos por todo o Ceará. Confira, abaixo, alguns em destaque: • Participação na política de desenvolvimento rural sustentável e de fortalecimento da agricultura familiar do Estado do Ceará, através da execução de projetos que atendam às demandas dos agentes produtivos e técnicos, e que possam contribuir para a manutenção e sustentabilidade do pequeno agricultor e de sua família no campo; •Elaboração dos planos de desenvolvimento territorial dos territórios rurais de identidade do Ceará; •Desenvolvimento de agroecológicas para

12 12

alternativas o manejo


sustentável de plantas forrageiras nos sistemas de criação da agricultura familiar do Estado do Ceará;

•Apoio à Assistência Extensão Pesqueira;

Técnica

e

•Apoio ao desenvolvimento de ações de continuidade do Programa de Incentivo à Produção e ao Consumo de Leite do Governo Federal no Estado do Ceará;

•Análise espacial e temporal dos impactos sócio-econômicos da variabilidade hidrológica considerando secas agrícolas e crises locais;

•Inclusão Social e Produtiva através da caprinocultura leiteira nos municípios de Tauá e Quixadá;

•Formação de atores sociais nos territórios rurais e da cidadania do Ceará; •Enriquecimento em spondias como alternativas de manejo sustentável da caatinga nos sistemas de produção da agricultura familiar do Estado do Ceará;

•Planos Territoriais de Cadeias Produtivas; •Planos de Negócios de Cadeias Produtivas; •Estrutura das Bases de Serviços de Apoio a Comercialização.

•Desenvolvimento de ações voltadas a pré-operacionalização da Central de Abastecimento do Ceará CEASA/CARIRI;

13



D

urante o ano de 2010, o Instituto

de elaboração e acompanhamento de projetos para

Agropolos

a promoção do desenvolvimento endógeno, ambos

do

Ceará

(IACe)

conseguiu integrar projetos que garantissem

desenvolvidos pela Secretaria das Cidades.

a ampliação das áreas de atuação. As parcerias proporcionaram participação na

Em 2012, pelo Banco do Nordeste do Brasil

organização do VII Congresso Brasileiro de

(BNB), foi à vez de garantir a mobilização e a

Agroecologia, realizado pela Casa Civil, e na

organização dos empreendimentos da agricultura

Geração de renda dos agricultores familiares

familiar para venda de alimentos nas escolas

do Ceará pelo incremento da produção e da

públicas dos sertões de Canindé. Todas as ações

produtividade de oleaginosas, por meio da

desenvolvidas consideraram o aperfeiçoamento na

Petrobras Biocombustível.

logística de comercialização de produtos.

No mesmo ano, o Instituto Agropolos

Além

disso,

houve

as

atividades

de

também contribuiu com projetos como:

desenvolvimento urbano e regional do Estado

Política de desenvolvimento da pesca artesanal

do

Ceará

e aquicultura do Ceará, executado pela

de

desenvolvimento

Secretaria da Pesca e Aquicultura; Programas

fortalecimento da agricultura familiar, contaram com

o

que,

fundamentadas rural

na

sustentável

política e

de

suporte do IACe na implantação do Centro de apoio em Agricultura Urbana região

Sustentável

da

Metropolitana

de Fortaleza e da introdução do selo da agricultura familiar para pequenos produtores.

15


Instituto Agropolos do Ceará contribui com desenvolvimento sustentável e fortalecimento da

AGRICULTURA FAMILIAR O

ano de 2013 foi fundamental para a continuação dos trabalhos de Assistência Técnica desenvolvidos em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para agricultores familiares em situação de extrema pobreza. Nesse período, as ações de compra e venda de grãos com a Petrobras Biocombustível também continuaram acontecendo. Além disso, parcerias com as prefeituras dos municípios de Canindé, Itapipoca e Limoeiro do Norte viabilizaram apoio financeiro para exposições e assistências técnicas.

de serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural destinada a agricultores e agricultoras familiares e aos pescadores e pescadoras artesanais. O IACe esteve inserido ainda na política de desenvolvimento rural sustentável e de fortalecimento da agricultura familiar do Estado do Ceará, executando trabalhos que atendiam às demandas dos agentes produtivos e técnicos, contribuindo para a manutenção e sustentabilidade do pequeno agricultor e da sua família no campo.

Na ocasião, houve também a participação do IACe, demandada pela Secretaria de Pesca e Aquicultura, na política de desenvolvimento da pesca artesanal e aquicultura do Estado do Ceará. Já com a Secretaria do Desenvolvimento Agrário, o projeto consistia em participar da política de desenvolvimento rural sustentável e de fortalecimento da agricultura familiar do Ceará, executando trabalhos com demandas dos agentes produtivos e dos técnicos a fim de garantir a manutenção e a sustentabilidade do pequeno agricultor e de sua família no campo.

Aconteceram também trabalhos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para mulheres e famílias de extrema pobreza nas regiões de Vale do Curu, Aracatiaçu, Sertão dos Inhamuns e Crateús todos demandados pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Com a finalidade de estimular o artesanato local e as técnicas de pesca artesanal, os trabalhos desenvolvidos consistiam em capacitações, reuniões, oficinas e incentivo à participação das colônias e das associações em feiras realizadas no Ceará.

Em 2014, em parceria com o MDA, as atividades consistiam na Prestação 16


17


Cadeias Produtivas Melhorando a vida dos

agricultores

N

o ano de 2015, por meio de parceria estabelecida com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), o Instituto Agropolos do Ceará desenvolveu projetos de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) para pescadores e aquicultores, para mulheres, para pecuária leiteira e para apicultura. A Assistência Técnica de Pesca Artesanal e Aquicultura (ATEPA) consistia na execução de ações de assistência técnica e extensão pesqueira para os aquicultores do Complexo Castanhão e pescadores do Litoral Leste e Extremo Oeste do Ceará e pescadores artesanais da Ilha Grande (PI). O projeto que contava com o trabalho de, aproximadamente, 43 técnicos, beneficiou 2.400 pescadores, 600 piscicultores e foi desenvolvido até o ano de 2016. Entre 2014 e 2016, o projeto de Assistência Técnica para Mulheres rurais assistiu a 240 beneficiárias acompanhadas por 04 técnicos. Com objetivo de promover a inclusão social produtiva e a igualdade de gênero, o trabalho de ATER, destinado para mulheres, contemplava agricultoras familiares, pescadoras artesanais, quilombolas, indígenas ou extrativistas situadas no território de Vales do Curú/Aracatiaçú.

18


Em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) para garantir o fortalecimento da cadeia produtiva da Apicultura do Ceará, o IACe acompanhou, em oito núcleos apícolas do Estado, 320 apicultores, durante um ano. Na ocasião, foram executadas capacitações de técnicos e apicultores, seleção dos participantes e visitas técnicas. O Plano Brasil sem Miséria, desenvolvido de 2013 a 2016, ofereceu acompanhamento para 13.000 agricultores familiares em situação de extrema pobreza. Auxiliando na superação dessa condição por meio da inclusão produtiva e social, o projeto contou com a colaboração de 210 técnicos distribuídos nos Sertões dos Inhamuns, no Sertão de Crateús, no Vale do Curú/Aracatiaçú e no Sertão Central. Para ser beneficiário, o trabalhador rural deveria integrar um núcleo familiar com renda per capta de

R$ 77,00, ser registrado no Cadastro Único (CadÚnico) e ter a Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP). Já o Complexo do Castanhão integra os Projetos Mandacaru, Curupati e Alagamar, que estão em execução desde 2012. O primeiro, destinado a bovinocultura leiteira, pretende beneficiar 130 famílias com o rebanho de 2.080 vacas em Jaguaribara; para isso, foram implantadas pastagem e forragem na região. O segundo trabalha com a fruticultura de goiaba, mamão e banana em Jaguaribara, favorecendo 83 famílias e o terceiro, situado em Jaguaretama, é destinado ao plantio da goiaba. Ambos os projetos contam com o suporte do subprojeto de aquisição de terra do Programa de Crédito Fundiário do estado e do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (FECOP).

19


P

or meio das parcerias estabelecidas com a Secretaria das Cidades (SCidades), com a Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), com a Secretaria da Infraestrutura (SEINFRA) e com o Instituto de Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace), o Instituto Agropolos do Ceará (IACe) integra importantes projetos que contribuem com o desenvolvimento do Estado. Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), Projeto Rio Maranguapinho, Programa Água Doce (PAD) e o Programa de Cadastro Georreferenciado são algumas iniciativas que contam com a participação do IACe. Promovido pela SCidades com o suporte do IACe, o Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), que é oferecido pelo Governo do Estado do Ceará em parceria


com o Governo Federal e conta com o financiamento da Caixa Econômica Federal, prioriza pessoas que moram em área de risco ou em locais que sofram interferência de obras estaduais. Atualmente, 18 empreendimentos em dez municípios cearenses estão sendo executados. Em Fortaleza, a meta é de que, até 2018, cerca de 58.000 moradias sejam contratadas. De 2012 a 2017, o programa já atendeu a 12.382 famílias e a previsão é de chegar a 15.687 unidades habitacionais entregues ainda este ano.

O Programa Água Doce (PAD) é uma iniciativa do Governo Federal, coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com diversas instituições federais, estaduais, municipais e civis. No Ceará, o programa é desenvolvido pela SRH em parceria com o IACe com a finalidade de viabilizar o acesso à água de qualidade para consumo humano. A atividade considera os cuidados técnicos, ambientais e sociais na implantação, recuperação e gestão de sistemas de dessalinização de águas impróprias para consumo por serem salobras e/ou salinas. Em 2011, o Programa Água Doce estabeleceu como meta aplicar, recuperar e gerir 1.200 sistemas de dessalinização até 2018, com investimentos de, aproximadamente, R$ 255 milhões. O programa está beneficiando 500 mil pessoas em todo o Semiárido.

O projeto Rio Maranguapinho, coordenado pela SCidades com auxílio do IACe, é considerado a maior obra de intervenção urbana no Ceará prevista no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal. Dividido em seis trechos nos municípios de Fortaleza, Maranguape, Maracanaú e Caucaia, a iniciativa compreende ações que correspondem ao controle e amortecimento de ondas de cheias, dragagem do rio, urbanização, saneamento, habitação popular e projeto técnico-social. São 44,4 Km de extensão de intervenções urbanas que contam com investimento do Governo Estadual e Federal no valor total de R$ 922.117.387,25. O projeto beneficiará 26.001 famílias direta e indiretamente.

Integrando o Programa de Cadastro Georreferenciado de Imóveis Rurais e Regularização Fundiária do Governo do Estado, o título de propriedade rural é o reconhecimento público de propriedade dos agricultores que possuem apenas a escritura do imóvel. Esse trabalho está sendo desenvolvido em parceria com o Governo Federal. Em andamento desde 2004, o programa foi concluído com êxito em mais de 100 municípios, dos 182 previstos para serem atendidos até 2020. Para fazer a entrega dos títulos de terra, o Governo Federal destina recursos para o Governo do Estado e, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), o Idace faz a triagem dos territórios em parceria com o IACe, que realiza o levantamento de dados topográficos junto aos agricultores, através da Secretaria do Reordenamento Agrário e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Com o objetivo de implantar um sistema de transporte de passageiros sobre trilhos, outro projeto importante executado pela Secretaria da Infraestrutura (Seinfra) com contribuição do IACe desde 2016 é o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) que, até janeiro de 2017, também teve o suporte da SCidades. O VLT já foi concluído em Sobral, na região do Cariri e na linha Leste de Fortaleza. Atualmente, a linha Parangaba-Mucuripe já conta com 10 estações e com 94,18% de conclusão totalizando 13,4 quilômetros.

21


Em busca de um futuro melhor A parceria com o Projeto São José III Instituto Agropolos contribui com fortalecimento de associações e cooperativas assistidas pelo PSJIII

O

utro projeto que o Instituto Agropolos do Ceará (IACe) desenvolve, por meio

de parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), vem auxiliando na ampliação das produções agrícolas em todo o estado. Através da elaboração de Planos de Assessoria Técnica (ATER) e de Planos de Negócios desenvolvidos para associações e cooperativas, o IACe contribui com projeto São José III, estruturado pela SDA. A coordenadora do Programa de Assistência Técnica do IACe, Ludmilla Béliche, explica de que forma os trabalhos são realizados. “Os nossos técnicos, de posse da demanda,

22


reúnem-se com as entidades para construir

fruticultura, cajucultura, ovinocaprinocultura,

de forma participativa o Plano de Negócio.

mandiocultura,

São trabalhados os anseios e objetivos da

agricultura de aporte tecnológico.

pesca,

turismo

rural

e

comunidade de acordo viabilidade do projeto. De posse das informações os técnicos elaboram

Entre 2016 e o inicio de 2017, o Instituto

o Plano de Negócio, que posteriormente

Agropolos entregou 70 Planos de Negócios

será validado pelos membros da entidade.

de associações e cooperativas que irão passar

Após a validação do plano, este e as demais

a contar com Assistência Técnica e Extensão

documentações são encaminhadas ao Projeto

Rural (Ater) e aquisição de equipamentos para

São José III, para avaliação”, explica Ludmilla.

ampliar a produção. Uma delas é a Cooperativa da Agricultura Familiar (COAF), situada

Com a finalidade de aumentar a variedade

em Itapipoca, que possui 104 cooperados

dos itens desenvolvidos e ampliar a produção,

trabalhando

as entidades podem ser beneficiadas com

complementares e tem, como foco principal,

aquisição de máquinas, implantação de área de

a produção e o abate de galinhas caipiras. As

pastagem e recuperação de áreas desmatadas.

aves são destinadas ao consumo familiar, ao

Para participar do projeto, que possui 80%

mercado local, as feiras e as políticas públicas

de financiamento pelo Banco Mundial, a

governamentais, como o Programa de Aquisição

associação deve entrar com uma contrapartida

de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de

de 20% do valor total, sendo 10% repassado

Alimentação Escolar (PNAE).

financeiramente e o restante em bens e serviços. No Ceará, as cadeias produtivas contempladas são: apicultura, avicultura, bovinocultura,

23 23

com

sistemas

produtivos


PROJETO PAULO FREIRE contribui com a

Qualidade da Vida no Campo Este ano o projeto irá beneficiar 238 comunidades do estado do Ceará O Instituto Agropolos do Ceará (IACe) renovou, no início de 2017, a parceria estabelecida com o projeto Paulo Freire. Este ano, a meta é acompanhar 238 comunidades, cada uma delas com 40 famílias, em regiões de vulnerabilidade pelo interior do Ceará. Funcionando desde 2013, o projeto, que é demandado pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), conta com investimento de 50% do Governo do Estado, financiamento de 50% do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e pretende reduzir a pobreza elevando o padrão de vida dos agricultores. Os municípios da região do Cariri, dos Sertões Inhamuns-Crateús, de Sobral e de Vales do Curu-Aracatiaçu, receberam o Paulo Freire dividido em dois componentes. O primeiro consiste no Desenvolvimento de Capacidades que, através de treinamentos e assessoria técnica, preparam os agricultores para executar os Planos de Desenvolvimento e os Planos de Investimento. Nessa etapa, acontece a formação de líderes, a capacitação de produtores e de multiplicadores comunitários, o preparo de jovens para atividades econômicas e a qualificação de assessores técnicos. Já o segundo componente considera o Desenvolvimento Produtivo e a Sustentabilidade Ambiental. As famílias que participam do projeto podem receber entre 12 e 15 mil dólares para viabilizar as produções agrícolas da região. 24


25



A

Escola de Floricultura do Ceará (Tecflores), localizada em São Benedito, na Serra da Ibiapaba, é mantida pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) e, desde 2008, gerida pelo Instituto Agropolos do Ceará. No espaço, que compreende a dimensão de 5,4 hectares, estão instaladas estruturas capazes de apoiar atividades de capacitação de pequenos produtores, com uso de tecnologia e de assistência qualificada, que contribuem para a elevação da produtividade na região.

Folhagens Ornamentais, Agricultura orgânica, Economia solidaria e Segurança do trabalho, Controle de Praga e Doenças, Uso correto de defensivos, Pós-colheita e comercialização e tem como público alvo filhos de agricultores com faixa etária entre 18 e 25 anos. De acordo com a coordenadora do projeto Patrícia Moreira, a finalidade do Curso Básico de Floricultura é fazer com que o jovem se sinta estímulado para permanecer trabalhando no campo, seja montando um negócio, matriculado em um curso técnico ou em uma graduação.

O local também promove ações de pesquisa e desenvolvimento tecnológico necessárias à ampliação do conhecimento sobre a atividade da Floricultura, Fruticultura e Horticulta. Além disso, estabelece parcerias com escolas, com o Instituto Federal do Ceará (IFCE) e com faculdades para oferecer cursos, palestras, oficinas e missões técnicas.

Infraestrutura Área total de 5,4ha; Estufa de 3.000m²; Telado de 2.000m²; Sala de pós-colheita, com câmera fria de 26m²; Biblioteca; Sala de aula para 25 alunos, equipada com material multimídia (TV, data show e vídeo). Estação meteorológica, com sensores de temperatura, umidade, radiação, vento e pluviômetro; Escritório e sala de reuniões totalizando 45m²; Área para experimentos de campo com cerca de 2ha; Equipamento de fertirrigação computarizado para o controle de pH e EC.

O Tecflores desenvolve, ainda, pesquisas de extensão, oferece intercâmbio entre universidades e escolas agrotécnicas e realiza o Curso Básico de Floricultura, que já qualificou mais de 250 jovens em 11 turmas formadas oferecendo uma grade de 180 horas que contempla disciplinas como: Introdução à Floricultura, Produção de Flores temperadas de corte, Produção de Rosas, Produção de

Culturas cultivadas

Telado:

Avencão, Aspargo, Samambaia Paulistinha, Mil-folhas, Mini-papiru, Sorvetão, Alpínia, Palma.

Estufa:

Gérbera, Gipsophila, Mini-rosa, Mini-gérbera, Rosa, Morango.

Pleno sol: Cipreste, inagreira, Tango, Amarilis, Eucalipto, Helicônias.

27


28


O

utro equipamento que pertence ao Governo do Estado e, desde 2016,

está sob gestão do IACe é a Fábrica Escola de Processamento de Cana de Açúcar do Cariri. Situada na cidade de Barbalha, Cariri, a Fábrica foi criada em 2007 com a finalidade de estimular a plantação da cana de açúcar e a produção de derivados com qualidade na região. Foram adquiridos equipamentos como uma moenda, um decantador, uma caldeira,

da cachaça. Esta primeira fase, considerada

dois tanques para diluição, três dornas para

experimental, foi executada para garantir, às

fermentação, um alambique, uma coluna

comunidades vizinhas, o aprendizado ideal

de retificação, um taxo de evaporação,

no manuseio da cultura da cana. Dessa forma,

uma enchedeira de garrafas, dois tanques

os interessados conhecem e participam de

para

para

todas as etapas, desde o cultivo da cana, até a

estrutura

confecção dos produtos, rapadura ou cachaça.

armazenamento,

envelhecimento,

treze

distribuídos

barris na

da Fábrica, e iniciado o plantio de cana de açúcar na área de 4,03 hectares e serviços de áreas demonstrativas de novas tecnologias que viabilizaram a produção da rapadura e

29


Valorizar

para fazer acontecer O Instituto Agropolos e o Colaborador

A

creditar nas pessoas, em sonhos que podem se tornar realidade e trabalhar para fazer acontecer. É assim que a diretoria do Instituto Agropolos do Ceará (IACe) constrói as suas relações. Oferecendo autonomia e suporte para que o setor de comunicação realize campanhas de endomarketing, a gestão se engaja em promover a valorização dos trabalhos realizados e o estímulo que os colaboradores precisam para continuar desempenhando suas atividades com padrão de excelência. No IACe, datas como: Carnaval, Dia da Mulher, Páscoa, Dia do Trabalho, Dia das mães, Dia dos Pais, Natal, Dia do Meio ambiente, Dia do Pescador, Dia do índio, Dia do Nordestino, entre outras, têm grande importância. “A valorização do colaborador e do nosso público-alvo é um ponto considerado fundamental pela diretoria do Instituto Agropolos do Ceará, as datas comemorativas são simbolicamente festejadas e/ou prestigiadas, seja com um cartão, um vídeo homenagem, um chocolate, uma flor, ou alguma surpresa, o importante é que eles se sintam valorizados e agradecidos pela contribuição fundamental que dedicam para o desenvolvimento do Instituto Agropolos”, afirma Cynthia Matielli Diniz, Coordenadora de Comunicação. Outra iniciativa, com o objetivo de potencializar e difundir a atuação do Instituto Agropolos do Ceará entre os colaboradores, é o

30

jornal Agroexpresso. A publicação é enviada todas às segundas-feiras, para o e-mail institucional dos quase 600 colaboradores contratados pelo IACe, em um layout fácil e atrativo e com a compilação das matérias divulgadas nas nossas mídias na semana anterior, via e-mail institucional, uma ferramenta de comunicação indispensável a todos os colaboradores contratados pelo Instituto mesmo que lotados em outros órgãos. O e-mail institucional é o canal de comunicação oficial que o colaborador poderá utilizar para ficar por dentro das normas, dos benefícios, dos documentos padrão, dos comunicados, dos eventos, entre outros. Para acessá-lo basta entrar no site do Instituto Agropolos no campo Webmail, caso não lembre seu endereço de e-mail ou senha, o setor de Tecnologia da Informação do Instituto Agropolos poderá auxiliar neste acesso inicial. Conheça as nossas mídias O IACe possui, como mídia principal, o site: www.institutoagropolos.org.br e, ainda, a página no facebook.com/ institutoagropolosdoceara, o twitter.com/ agropolosceara, o instagram @agropolosceara e o youtube Instituto Agropolos para veicular informações. A diretoria do Instituto Agropolos do Ceará, em


nome do diretor administrativo Marcelo Bezera, da Diretora Técnica Sonia Braga e da presidenta Ana Teresa, agradece e reconhece o empenho de todos e conclama a uma maior participação dos colaboradores como protagonistas em nossas pautas. Participem com notícias da sua região, indicações de filmes, restaurantes, vida saudável ou assuntos que considerem interessantes. O Agroexpresso é um espaço para todos os colaboradores do IACe! comunicação@institutoagropolos.org.br

31