Page 1

Revista Revista

da

Suinocultura PUBLICAÇÃO BIMESTRAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE SUÍNOS • ANO 3 • Nº 08 • JUL/AGO • 2013

XV SNDS

sela união inédita de todos os elos da suinocultura “A Carne Suína é 10” convoca setor para Semana Nacional. Mais de 20 países participaram de evento em Gramado


Editorial

A

cadeia discute a questão dos baixos níveis de consumo da carne suína no mercado interno há mais de duas décadas. Soluções e ações tópicas foram apresentadas e experimentadas, mas sem espelhar uma política nacional de marketing da cadeia produtiva como um todo, como feita na proposta da Semana Nacional da Carne Suína, idealizada pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), em parceira com o Grupo Pão do Açúcar. A mudança da imagem da carne suína deve ser considerada uma questão de ordem estratégica para todos os elos da cadeia, em todos os seus níveis, é essa a visão da nossa entidade para mudar de vez o paradigma de baixo consumo da carne suína em nosso país. E toda essa mobilização sentimos ao registrar mais de 400 líderes da suinocultura brasileira bradarem o slogan maior de nossa campanha “A Carne Suína é 10!”. Me emociono ao escrever esse texto recordando desse momento vivido no XV Seminário Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura, que para mim, será único. Parafraseando nosso eterno Ozires Silva, que nos saudou com palavras de incentivo ao sonho, digo “dadas às circunstâncias, acredito que este momento não se repita”. Agradeço imensamente por fazer parte da construção desse momento mágico para nossa suinocultura. Sei que não atingimos todos os membros dessa cadeia, mas afirmo que tenho a plena dimensão do que está sendo realizado pela ABCS. Convido vocês a lerem um resumo de todos os momentos inesquecíveis que vivemos em Gramado. Um evento que reuniu líderes de todos os elos da cadeia e foi, sem dúvida, o encontro mais representativo que a suinocultura realizou em 2013. Certo de que nos veremos em breve, deixo aqui o meu convite pra contar novamente com todos vocês em 2015, na celebração dos 60 anos da ABCS!

Marcelo Lopes Presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos

Expediente ABCS - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE SUÍNOS Sede Brasília / Setor de Indústrias Gráficas Quadra 01 | Lote 495 |Ed. Barão do Rio Branco Sala 118 | CEP: 70610-410 www.abcs.com.br escritoriobrasilia@abcs.com.br CONSELHEIRO PRESIDENTE

Marcelo Lopes (DF)

Conselheiro Financeiro

JORNALISTA RESPONSÁVEL

José Arnaldo Cardoso Penna/MG

Tayara Beraldi

Conselheiro Técnico

Repórter

Paulo Lucion/MT

Tauana Joice e Daniel Azevedo

Conselheiro de Relações de Mercado

PROJETO GRÁFICO

Valdecir Folador/RS

Cannes Publicidade / Duo Design

Conselheiro Administrativo

DIAGRAMAÇÃO

Paulo Hélder Braga/CE

Duo Design


Índice 6 Giro ABCS Comissão de Agricultura aprova projeto de lei da Integração / 6 Presidente da ABCS recebe Troféu Senar O Sul / 6

30 Resultados PNDS Rio grande do sul / Expointer: vitrine da carne suína tem mais uma edição de sucesso / 33

Rei do futebol apoia campanha “A carne suína é 10” / 7

Mato grosso / PNDS inicia atividades no MT e intensifica as ações no elo da produção e do varejo / 34

Preço mínimo da carne suína: demanda histórica da ABCS é aprovada na câmara dos deputados / 8

Minas Gerais / PNDS capacita profissionais em todos os elos da cadeia em Minas Gerais / 36

Goiás / SNCS chega ao CRN de Goiás e capacita mais de 350 profssionais / 38 Distrito federal / Ações de divulgação da carne suína e capacitação no setor estimulam suinocultura no DF / 39 Ceará / Vitrine da carne suína conquista consumidores no Pecnordeste / 40 Bahia / Campanha “A carne suína é 10!” marca presença na Expofeira/BA 2013 / 42

10 Capa André Pessôa vê período de rentabilidade para Suinocultura / 15 “Europa não compete por preços na Suinocultura”, diz espanhol Higuera / 16 Wilson Mello apresenta oportunidades e desafios da BRF no setor / 17 Raul Amaral mostra macrotendências do consumo no Brasil / 18 Angela Hirata detalha internacionalização dos produtos “Made in Brazil” / 19 Miyao, diretor do Pão de Açúcar, aposta no sucesso da Semana Nacional / 15

FAO estabelece metas para erradicar PSC em evento paralelo / 12 Merval Pereira detalha quadro político no Brasil e América Latina / 14

Líderes bradam “A Carne Suína é 10” no lançamento da Semana Nacional / 22 César Souza define a liderança inspiradora / 26 Ozires Silva mostra a força de sonhar e da educação / 27

44 Entre amigos Ourofino envolve seus mais de 1 mil colaboradores em Semana Naciona da Carne Suína / 44 DB inicia o povoamento de uma das mais modernas granjas do país / 44 Auster completa 5 anos no setor de nutriçnao animal / 45

46 Sabor Sublime

André Costa assume diretoria da Topigs do Brasil / 45

Ossobuco suíno com spaguetti ao sugo / 46

5 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

XV SNDS supera expectativas e inicia novo ciclo no setor / 10


Giro ABCS

Comissão de Agricultura aprova projeto de lei da Integração A

Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) aprovou no dia 29 de agosto, substitutivo ao PLS 330/2011, que estabelece regras claras para o chamado sistema de integração entre produtores rurais e indústrias. A matéria deve seguir direto para a Câmara dos Deputados, se não houver recurso para análise do Plenário. Frente Parlamentar da Suinocultura defende a aprovação da Lei Visando criar uma lei com regras claras para o chamado sistema de um substitutivo, formulado pelo de integração entre agricultor e agroinrelator, senador Acir Gurgacz (PDT-RO). dústria, a senadora Ana Amélia (PP-RS) A integração é um contrato no apresentou o PLS 330/2011. O projeto qual o produtor rural se responsabirecebeu várias emendas na Comissão liza por parte do processo produtivo, de Constituição Justiça e Cidadania como a produção de frutas ou criação (CCJ) e foi aprovado na CRA na forma de frango e suínos, repassando essa

produção à agroindústria, como matéria prima a ser processada e transformada no produto final. Ana Amélia explicou que os contratos de integração “são bem mais complexos que contratos de comercialização encontrados no Código Civil ou de parceria agrícola previstos no Estatuto da Terra”. Para a senadora, a lacuna na lei deixa exposto o produtor rural, “elo mais fraco da relação”. “Esse é o marco fundamental para a estabilidade da cadeia produtiva, trabalhamos muito forte para chegar a essa aprovação. Necessitamos dessa segurança”, comentou o presidente da ABCS, Marcelo Lopes.

Presidente da ABCS recebe Troféu Senar O Sul A premiação integra o calendário oficial da Expointer 2013 e distingue pessoas e entidades que tiveram relevância no fomento da atividade rural

O

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

6

presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, recebeu na noite deste domingo (25), em Porto Alegre, o Troféu Senar – O Sul, na categoria Suinocultura. A homenagem é carinhosamente chamada de o “Oscar” da Expointer, pela importância que representa para os seus ganhadores, que se destacam no fomento da atividade rural. Lopes agradeceu a homenagem e destacou os trabalhos da entidade em prol de uma suinocultura mais rentável e equilibrada. “Esse troféu representa o trabalho de todo o nosso sistema ABCS. Diariamente buscamos soluções para o suinocultor, seja atuando politicamente na aprovação de Leis que amparem os nossos produtores, seja

Presidente da ABCS recebe troféu Senar o Sul

trabalhando na qualificação da indústria para aprimoramos nosso produto, ou ainda, direto no varejo, buscando mais oportunidades para a carne suína brasileira. Agradeço mais uma vez essa oportunidade e reconhecimento da atuação da nossa entidade”. Nos salões da Associação Le opoldina Juvenil, lotados, as impor tantes lideranças gaúchas se

encontraram para celebrar o bom momento do agronegócio. Deputados federais e estaduais, ministros e demais autoridades prestigiaram o jantar. O troféu Senar - O Sul, na sua 11ª edição, destaca personagens que não temem os desafios para o desenvolvimento e a qualificação do agronegócio e sua cadeia produtiva no Brasil. Esse é o objetivo da premiação, uma iniciativa da Rede Pampa de Comunicação, por meio do jornal O Sul, junto com Senar/RS, Sistema Fecomércio, Sicredi e Icatu Seguros. Neste ano o Troféu Senar/O Sul abrangeu 27 categorias, entre elas criadores de animais, produtores agrícolas, aprendizagem rural, ação comunitária, lideranças setoriais e institucionais. u


Rei do futebol apoia campanha

“A Carne Suína é 10!” Pelé dá depoimento inédito sobre a ação de marketing da ABCS

Pelé incentiva a campanha “A carne suína é 10”

em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) iniciadas há alguns meses na granja de suínos da Pelé Agropecuária. Poucos sabem que além de mestre nos campos de futebol, Pelé também atua no campo do agronegócio. Atualmente a Pelé Agropecuária conta com uma granja totalmente tecnificada tendo instalações adequadas e divididas por segmentos para cada fase de criação (Gestação - Maternidade – Creche – Recria e Engorda). “Buscamos sempre atender exigências nutricionais de cada etapa para produzir animais de qualidade conforme exigência do mercado, extraindo ao máximo o potencial genético imposto pelos animais produzindo assim carne de excelente qualidade em um menor tempo”, explica João Paulo Nascimento, gerente da granja e sobrinho de Pelé. Para aprimorar a venda da carne suína produzida, a Pelé Agropecuária também investiu na capacitação no

maior parceiro nas vendas do produto: o frigorífico Frigoraes. No mês de agosto a equipe de consultores da ABCS levou conhecimento atualizado aos profissionais, que conheceram um pouco mais sobre a evolução do suíno no Brasil, as qualidades nutricionais da carne suína e ainda puderam quebrar mitos e dúvidas a respeito do produto. Além disso, os participantes contaram com curso teórico e prático onde puderam conhecer todo o potencial da carne suína através dos diversos cortes  e das diferentes formas de preparo da carne. Ao final do encontro, todos desfrutaram de um delicioso churrasco a base de carne suína.  

Consultoria em produção

A ABCS em parceira com SENAR Nacional montou uma agenda de treinamentos para toda a equipe da granja de suínos, entre gerentes e colaboradores, com o objetivo de aprimorar as técnicas de manejo e produção e padronizar os processos de gestão, com foco na eficiência dos trabalhos e dos índices zootécnicos e econômicos da atividade. S e g u n d o o c o n s u l to r R o n i ê Pinheiro, da Integrall  Consultoria em Produção Animal, que realiza o trabalho na granja, a capacitação atuou em todas as etapas da produção. “Sabemos que a suinocultura é uma atividade dinâmica com uma rapidez enorme em evolução dos seus processos, por isso, a necessidade de capacitarmos esses profissionais e proporcionar a atividade melhores condições de competir em qualidade e produtividade”, reforça.

7 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

A

s ações da campanha “A Carne Suína é 10!” chegaram ao rei do futebol. Pelé, um ícone dos recordes no esporte mais amado pelos brasileiros e fonte de inspiração da campanha criada pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) declarou seu apoio à campanha. “É incrível como estamos sempre aprendendo na vida. A Pelé Agropecuária aderindo a campanha “A Carne suína é 10”, me faz lembrar as viagens que eu fazia pela Europa com o Santos e com a Seleção Brasileira, promovendo o Brasil e levando o número 10 nas costas. Por incrível que pareça isso é uma coisa de Deus. Hoje fico muito feliz de ter na Pelé Agropecuária o incentivo e a orientação da ABCS que ajuda o Brasil a ser um grande produtor e exportador da carne suína”, disse o rei Pelé, neste final de semana ao conhecer a atuação da entidade no incentivo ao consumo do produto e assistir ao vídeo institucional da campanha feito pela ABCS que pode ser conferido clicando aqui. “É uma honra para nossa entidade estar à frente de um trabalho como esse chancelado pelo eterno rei do futebol. A ABCS não poderia está mais confiante. Agradeço ao Sebrae Nacional, Senar e CNA por acreditarem no PNDS e seus resultados”, disse o presidente da entidade, Marcelo Lopes. O trabalho da  ABCS com o rei surgiu por meio de consultorias de capacitação técnica e de gestão, oferecidos pelo Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS)


Giro ABCS

Preço Mínimo da Carne Suína:

demanda histórica da ABCS é aprovada na Câmara dos Deputados

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

8

posta do Ministério da Depois de mais de Agricultura, Pecuária e 60 anos lutando pela Abastecimento. inserção a carne suína “Esse é um momenna pauta dos produtos to de expectativa para amparados pela Política os mais de 40 mil suinode Garantia de Preços cultores desse país. SaMínimos (PGPM) a Assobemos da representação ciação Brasileira dos Criadessa política para a estadores de Suínos (ABCS) bilidade da suinocultura pode proclamar a vitória. nacional. Esse foi apenas A inserção do produto um dos passos da nossa foi definida no dia 14 Frente em prol do setor”, de agosto na Câmara comentou o Deputado dos Deputados, com a Federal Vilson Covatti, aprovação do Projeto de relator do Projeto na CCJ Lei, do Senado, 7416/10, e presidente da Frente de autoria do Senador Parlamentar Mista da SuiValdir Raupp. A definição nocultura. veio após aprovação na Para o relator do Comissão de ConstituiProjeto na Comissão de ção e Justiça e de CidadaFinanças e Tributação, Denia (CCJ). putado Jerônimo Goer“A primeira grande gen, grande aliado da vitória da Frente Parsuinocultura e defensor lamentar Mista da Suido projeto na câmara, a nocultura demandada PGPM é um mecanismo pela ABCS”, disse com importantíssimo de regu­ eufor ia o presidente lação do mercado em da entidade, Marcelo tempos de crise. “Os criaLopes. “Esse é um modores de suínos reivindimento histórico para a cam o preço mínimo dessuinocultura brasileira de a década de 50. Agora e a ABCS tem orgulho A edição de 1959 do veículo de comunicação da ABCS já registrava a demanda do setor estamos a um passo da de estar à frente desse concretização”, defendeu. produtores rurais e suas cooperativas, movimento”, conclui. A proposta, que tramita em caráter preços mínimos para determinados Segundo a política de preço conclusivo, segue para a análise do produtos das atividades agrícola, pemínimo, estabelecida pelo DecreSenado. “Nossa expectativa é que o to-Lei 79/66 e pela Lei do Senado cuária ou extrativista. Os preços são Projeto seja aprovado rapidamente”, definidos pelo Conselho Monetário 8.427/92, a União deve garantir, por encerra Covatti. Nacional (CMN), com base em promeio de subvenções econômicas a


REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013 9


Capa

XV SNDS supera expectativas e inicia novo ciclo no setor Suinocultura brasileira ratifica união por objetivos comuns durante evento

Participantes do SNDS vestem a camisa “A carne suína é 10”

O REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

10

XV SNDS (Seminário Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura) e III Congresso Ibero-americano de Suinocultura, organizado pela ABCS (Associação Brasileira dos Criadores de Suínos), superou todas as expectativas de mobilização de lideranças do setor, excelência de conteúdo e organização entre os dias 31 de julho e 2 de agosto no Hotel Serrano Resort em Gramado, RS. O evento reuniu cerca de 500 líderes de todos os elos da suinocultura nacional e impressionou até mesmo as 22 delegações estrangeiras presentes pelo conjunto formado por debates transparentes e em alto nível, organização eficiente e união do setor que, definitivamente, demonstra saber o que quer e como vai buscar seus objetivos.

Com este “peso”, o XV SNDS confirmou a tradição ao iniciar um novo ciclo de eventos na suinocultura nacional. Na véspera do encerramento do evento, o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, descreveu o ressurgimento da união da suinocultura com foco em objetivos comuns. “Há males que vêm para

bem. No auge da crise de 2012, em julho, a suinocultura mobilizou-se e passou a ser ouvida. Não só como produtores, mas como uma cadeia. É o começo de um grande caminho para o setor”, disse. O XV SNDS será entendido, no futuro, como um novo marco da evolução da suinocultura brasileira. As

Representantes do governo unem-se aos suinocultores no XV SNDS


Suinocultores de todo Brasil participaram das palestras do Seminário Nacional

e mobilizou os participantes. Além das palestras, o lançamento do Pork Day pelo diretor-executivo da ABCS, Fabiano Coser, arrancou o brado“A Carne Suína é 10!” dos mais de 400 presentes que trajavam jaquetas com as cores e o slogan da campanha. “Todos sentiram ainda mais forte a identificação com esta causa que não é apenas da ABCS mas, principalmente, de cada integrante do setor”, resumiu. Houve muito mais. Os presidentes de 13 das 15 associações estaduais filiadas à ABCS reuniram-se e alinharam prioridades e demandas para as próximas semanas e meses. Além disso, às vésperas do XV SNDS, foi realizada a Reunião Continental de Erradicação da Peste Suína Clássica nas Américas, organizada pela FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentos e Agricultura) e a ABCS de maneira inédita no Brasil, e uma assembleia geral da Oiporc (Organização Iberoamericana da Suinocultura). “Sediar o maior congresso da suinocultura brasileira e ainda ter a honra de receber 17 países para discutir a suinocultura ibero-americana em 2013 foi um grande estímulo para que as autoridades e governantes da região conheçam a força da suinocultu-

Banda holandesa recepciona os participantes do Seminário de Suinocultura

ra gaúcha e brasileira”, ressaltou o presidente da ACSURS, Valdecir Folador. Os eventos tiveram transmissão em áudio e vídeo, com trechos ao vivo, pelo canal “ABCS News” bem como cobertura em tempo real pela página web e o Facebook da associação e, também, das principais mídias especializadas do setor. Desta maneira, um público de milhares de pessoas pôde acompanhar, opinar e tirar dúvidas sobre os principais momentos das palestras e discussões desde mais de 50 países (segundo dados oficiais). O convívio e o relacionamento entre participantes, palestrantes e lideranças também foi favorecido pela estrutura do Hotel Serrano Resort, jantares e coffee breaks descontraídos e pela beleza e charme da cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul. Além disso, os participantes e seus familiares tiveram períodos livres para conhecer as atrações da cidade e da vizinha Canela, que vão desde opções culinárias ou de moda até culturais, visuais e artísticas. O XV SNDS teve patrocínio da Bayer Saúde Animal, Ourofino, Zoetis, Vaccinar, Nutribras Alimentos e BRF. Além deles, o evento também tem o apoio do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Juntos para Competir, Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul, Senar e Sebrae Nacional, além da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do Estado do Rio Grande do Sul, Organização das Cooperativas Brasileiras, Secretaria de Agricultura do Estado, Associação Brasileira das Empresas de Genética de Suínos e do Banco do Brasil, além do apoio de todas as afiliadas da ABCS nos estados.

11 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

lideranças presentes, que juntas representam 70% do rebanho nacional; a principal agroindústria do Brasil e uma das maiores do mundo, a BRF; a maior rede varejista do país, o Grupo Pão de Açúcar; as mais importantes empresas de insumos e agentes políticos de peso reforçaram os laços e reafirmaram que o setor está no caminho certo. O evento foi planejado para colocar em pauta os assuntos mais relevantes sobre economia, política, marketing, estratégia e mercado e suas interfaces com a suinocultura brasileira. Para isso, o XV SNDS contou com palestras de especialistas de altíssimo gabarito e amplo reconhecimento nacional e internacional em cada um destes temas. O conteúdo apresentado por um time de palestrantes de altíssimo nível também conquistou os participantes. Palestraram o jornalista e membro da Academia Brasileira de Letras, Merval Pereira; o fundador da Embraer e ex-ministro, Ozires Silva; o diretor do Grupo Pão de Açúcar, Leonardo Miyao; o vice-presidente da BRF, Wilson Mello; um dos palestrantes mais requisitados do Brasil, César Souza; a especialista em comércio exterior, Angela Hirata; o sócio-diretor da Agroconsult, André Pessôa; os coordenadores do estudo Brazil Foods Trends 2020, Raul Amaral Rego e Luis Madi; e o diretor da Anprogapor (Associação Espanhola de Criadores de Suínos), Miguel Higuera O painel “Mercado e marketing para a carne suína”, por exemplo, surpreendeu


Capa

FAO estabelece metas para erradicar PSC em evento paralelo E

vento inédito no Brasil, a Reunião Continental de Erradicação da Peste Suína Clássica nas Américas foi organizada pela FAO, ABCS e Oiporc para dar continuidade ao esforço continental do Plano de Erradicação da Peste Suína Clássica das Américas (PSC). Realizado nas vésperas do XV SNDS, nos dias 29 e 30 de julho, o evento internacional estreitou as relações dos serviços sanitários de 22 países e fixou metas para combate da enfermidade. O Congresso contou com a apresentação do oficial principal para desenvolvimento agropecuário da FAO, Tito Díaz, sobre os passos a serem seguidos pelos países e seus respectivos governos. “Este encontro é muito importante para fazer uma análise da situação atual e definir medidas necessárias para erradicar a Peste Suína Clássica nas Américas até 2020. Vamos apresentar modelos de controle para avaliarmos o progresso deste trabalho ao longo dos anos”, introduziu. O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, abriu as apresentações com agradecimentos pela presença dos representantes de todos estes países e destacou a importância do trabalho

Representantes de 22 países participaram da Reunião Continental de Erradicação da Peste Suína Clássica nas Américas

conjunto. “O Brasil e a ABCS estão honrados com a participação dos senhores neste Congresso e visa participar ativamente para cumprir as metas estabelecidas”, comentou. Na República Dominicana, o presidente da Oiporc, Jose Miguel Cordero, defendeu o diálogo internacional para o setor chegar a uma visão clara e estratégica para eliminar a doença que prejudica de diferentes maneiras pequenos, médios e grandes produtores. “Um debate entre todos os atores da produção suína com autoridades sa-

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

12

Nas palestras os participantes conheceram os principais desafios para combater a peste suína

nitárias de 22 países é importante para atingirmos esta meta. Erradicar a PSC beneficia todos os tipos de produtores e a sociedade em geral”, defendeu. Alguns dos pontos definidos ao final do Congresso foram o estabelecimento de um calendário de controle progressivo, a revisão dos programas em curso, a criação de uma comissão conjunta entre Oiporc-FAO-OIRSA, a verificação por especialistas das iniciativas, o programa de educação sanitária e estudos de validação de vacinas em cada país. Durante o evento, foram feitas apresentações sobre o status de controle sanitário da Peste Suína Clássica em 10 países ou regiões da América Latina bem como explicações sobre a legislação da OIE sobre o tema. Além dos 22 países representados, o evento foi acompanhado por dezenas de outros países como Sérvia, Estados Unidos, Argentina, Bolívia, República Dominicana, El Salvador, entre outros. O primeiro a palestrar foi o argentino e consultor da FAO, Jorge Miquet, que


Marcelo Lopes agradece a presença dos países participantes do Congresso

Comissão participante da Reunião Continental de Erradicação da PSC nas Américas posa para foto oficial do evento

“Uso de vacinas orais para um controle eficaz da PSC na América Latina e Caribe, casos exitosos na Europa”. Dietze também trouxe resultados do uso da vacina em países de clima quente. O representante da Porcimex, Alejandro Ramirez, apresentou o “case” mexicano sobre o controle da PSC (o país é livre da doença por auto-declaração desde 2008), bem como trouxe dados a respeito da produção e do comércio exterior mexicanos. Remirez também comentou a respeito da securitização da produção pelo governo daquele país. O representante da Oirsa (Organismo Internacional Regional de Sanidade Animal), Abelardo de Gracia, do Panamá, apresentou a palestra “Informações sobre os avanços e ações de prevenção e controle da PSC na sub-região da América Central” na qual detalhou os diferentes estágios de evolução dos programas de sanidade contra a doença no subcontinente que tem mais de 20 países, entre continentais e insulares. Na sequência, o também consultor da Oirsa, Luis Espinoza, detalhou o “case” da Guatemala que, após haver declarado estar livre, viveu um surto de PSC. Segundo o especialista, houve “um descuido” que continua gerando prejuízos até hoje. Atualmente, a Oirsa e o governo da Guatemala fazem um trabalho de vacinação e intensificação do controle sanitário para reverter o quadro. A reestruturação dos programas nacionais de PSC no Haiti, Cuba e República Dominicana, foi o tema da palestra

da cubana María Teresa Frias, consultora da CaribVet. Ela apresentou o quadro e as dificuldades dos sistemas de controle nestes países. Já a fiscal federal do Ministério da Agricultura, Adriana Cavalcanti, traçou um panorama da estratégia para combate à PSC no Brasil. Chefe do programa, ela explicou que 16 estados estão livres da PSC e há ações de controle nas regiões norte e nordeste, que não estão livres da doença. O projeto tem três fases que são a caracterização da produção, vigilância ativa e indicação de estratégias para a erradicação da PSC no Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Por sua vez, o diretor de erradicação da PSC da Porcicol (Associação Colombiana de Suinocultura) destacou suas conclusões para o êxito do trabalho contra a doença na Colômbia: união pública e privada, estratégias simples e fáceis de cumprir, auditorias permanentes e fontes de financiamento criativas. Alfredo Acosta Batallas, responsável pelo projeto de erradicação da PSC no Equador, também teve a palavra e explicou que o país trabalha em estratégias prévias para que, a partir de 2014, comece uma ampla campanha nacional. Por fim, o coordenador do programa de PSC e enfermidades dos suínos da Senacsa (Paraguai), Fernando Moisés Pérez Sanabria, resumiu o programa de controle da enfermidade no país e manifestou a disposição em realizar um trabalho conjunto com outros países.

13 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

apresentou um panorama dos serviços sanitários para suínos em vários países das Américas. Ele apontou melhoras em relação ao passado, mas frisou que há muito a avançar no continente. Representante da OIE, o argentino Martín Minassian, seguiu ao descrever as regras do órgão internacional para reconhecimento do status “livre de PSC” em um país. Como regra geral, a declaração de “Livre de PSC” exige 12 meses comprovados à OIE sem nenhum caso da doença, com ou sem vacinação. O especialista detalhou mudanças dos códigos sanitários da OIE sobre a suinocultura no mundo, as exigências documentais para o reconhecimento e outros procedimentos. Entre elas, a declaração obrigatória da Peste Suína Clássica, a diferenciação entre animais domesticados e silvestres, características dos planos de contenção, etc. Na segunda sessão do Congresso, o representante do SAG (Servicio Agrícola de Ganadero, em espanhol) do Chile, Alejandro Rivera, apresentou um estudo em que detalha cinco etapas para a erradicação da PSC em um país. Também explicou o conceito de compartimentação para “zonas livres” dentro de um país. Em seguida, o especialista da FAO, Klaas Dietze, apresentou uma palestra via web direto de Roma a respeito do


Capa

Merval Pereira detalha quadro político no Brasil e América Latina O

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

14

jornalista Merval Pereira realizou a conferência de abertura do XV Seminário Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura, no dia 31 de julho, sobre os desafios políticos e econômicos da América Latina. O palestrante, que é membro da Academia Brasileira de Letras, iniciou a apresentação com uma explanação a respeito da geopolítica na América Latina, especialmente na América do Sul. “O Brasil está, de certa maneira, preso ao Mercosul, que é contaminado por uma política bolivariana, enquanto a Aliança para o Pacífico se levanta como um rival no nosso próprio sub-continente”, introduziu. Segundo ele, este quadro pode significar a perda de oportunidades comerciais com outros blocos e países com grande potencial para importar produtos e serviços brasileiros. “Enquanto a Aliança do Pacífico aproxima-se de EUA, Ásia e mesmo da União Europeia, o Mercosul é muitas vezes visto com desconfiança por interferências políticas”, apontou. Ele manifestou preocupação com o rumo de diversos países da América do Sul, mas ainda confia nas instituições brasileiras como a Justiça, a Mídia

e o Legislativo para manter a democracia no Brasil. “A democracia está fragilizada em vários países como Venezuela, Bolívia e Equador”, indicou. O brilhante cronista político da Rede Globo também apresentou um detalhado quadro sobre os bastidores do poder em Brasília e como começaram os acordos políticos com vistas às eleições presidenciais em 2014. “Temos pelo menos quatro candidatos competitivos: Dilma, Marina Silva, Eduardo Campos e Aécio Neves. Mas ainda pode surgir o José Serra. Acredito que, pela primeira vez nos últimos 12 anos, teremos condições de debater melhor um plano de crescimento para o Brasil. Se houver segundo turno, que é o mais provável, é possível a união de toda a oposição contra Dilma e o PT”, pontuou. Para ele, o grande apoio popular recebido pelo PT está fragilizado e o modelo petista de governo será “difícil de defender” já que a taxa de crescimento de 2% ao ano da gestão Dilma é a menor dos últimos 20 anos. “Mesmo a sensação de maior renda para os mais pobres parece frágil, pois é baseada em assistencialismo. É um modelo que se esgotou. As ma-

Luiz Fernando Mainardi

secretário de Agricultura do RS

“A união de todos os elos promovida pela ABCS favorece a solução de problemas e prepara o desenvolvimento do setor. A suinocultura dá o exemplo de que pode atender o crescimento populacional com um alimento excelente”.

Merval Pereira, jornalista colunista do jornal o Globo

nifestações nas ruas são prova disso. Falta muito para a constituição de uma classe média realmente forte. É preciso reformas estruturais para tornar a melhora de renda um fato perene”, avaliou. Sobre a suinocultura, Merval observou que o setor já tem uma bancada política estabelecida no Congresso, mas também destacou a importância de divulgação das qualidades do produto. “Eu, particularmente, gosto muito. Mas, certamente, tem muita gente que não conhece estas virtudes. Neste caso a propaganda é fundamental”, sugeriu.

Olinto Arruda

suinocultor paulista “Esta sinergia do setor vai gerar uma melhoria global do nosso negócio. Hoje todos na suinocultura entenderam que os elos são fundamentais para atender o consumidor e, assim, todos devem ser remunerados”.


Painel I - “Agronegócio na Era da Volatilidade”

André Pessôa vê período de rentabilidade para suinocultura

André Pessoa, Engenheiro agrônomo pela UFV/MG e mestre em Economia Aplicada pela ESALQ/USP

exportação prevista. O abastecimento interno será confortável mesmo com a subida do dólar. Assim, a suinocultura pode ter um período de rentabilidade até a próxima safra”, citou. Pessôa, que coordena o Rally da Safra para antecipar a produção brasileira de grãos, também comentou sobre logística. “Ainda que a passos lentos, estamos tendo a conclusão de obras importantes de logística como o Porto de São Luís e a BR 163 que serão alternativas importantes para o escoamento de grãos pelo nordeste”, apontou.

Décio Bruxel

presidente DB Genética Suína

“É com alegria que vemos a suinocultura avançando com uma oferta de produtos cada vez melhores. Nossa empresa está junto do setor e apoia a ABCS em suas ações”.

Ele frisou, no entanto, que isso pode ser uma ameaça para os suinocultores do Sul e Sudeste do país que, algumas vezes, podiam aproveitar as dificuldades de exportação dos grãos e comprá-los a melhores preços. “O recomendável é haver um aumento da produção de soja e milho no Sul e Sudeste do Brasil para que possam atender à própria demanda”, aconselhou. O consultor destacou, ainda, a real possibilidade de o Brasil ao menos dobrar as exportações da suinocultura, de cerca de 600 mil toneladas para mais de 1 milhão de toneladas. “Temos todas as condições de dobrar nossas exportações de carne suína. Para isso, basta melhorarmos o status sanitário de alguns estados e atenuarmos problemas de logística”, defendeu. André explicou que um patamar de 1 milhão de toneladas de exportações começa a tornar os preços internos menos voláteis e possibilitar contratos mais longos para a compra de grãos. “Abre-se a possibilidade dos suinocultores usarem a compra antecipada de grãos, como é feito em outros países”, finalizou.

Ivan Fernandes

gerente da Zoetis

“Para a Zoetis, é responsabilidade das empresas de insumos apoiar a ABCS que representa toda a cadeia. Sempre fomos muito próximos e vemos que este trabalho já está rendendo frutos.

15 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

O

consultor e diretor da Agroconsult, André Pessôa, abriu o Painel “Agronegócio na Era da Volatilidade”, no dia 1º de agosto, com a palestra “Desafios e Perspectivas do Mercado Mundial de Milho e Soja” na qual mostrou as relações entre as safras de soja e milho, os gargalos logísticos nacionais e suinocultura brasileira. Agrônomo e mestre em Economia, Pessôa apresentou um panorama sobre a safra mundial de grãos 20132014. “Estamos iniciando uma fase com maior oferta de grãos tanto no mercado interno, com recordes de produção, como no mercado internacional. Os EUA já sinalizam com uma safra de 350 milhões de toneladas de milho e 90 milhões de soja”. Segundo o especialista, a safra dos EUA, o maior produtor mundial, permite apontar para uma cotação do milho de US$ 5 por bushel (ano passado não baixou de US$ 7) e da soja a cerca de US$ 12 (contra o mínimo de US$ 13 em 2012) no mercado global. “Este quadro influencia a oferta interna no Brasil e segura os preços até a próxima safra, mesmo com a grande


Capa

“Europa não compete por preços na suinocultura”, diz espanhol Higuera

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

16

O espanhol e especialista Miguel Higuera deu continuidade ao Painel “Agronegócio e Volatilidade”, no dia 1º de agosto, com a palestra “Transformações na Indústria da Carne – Uma visão Europeia” na qual trouxe dados e análises sobre os desafios e oportunidades do setor no Velho Continente. Diretor da Anprogapor (Associação Espanhola dos Produtores de Suínos) e vice-presidente de Sanidade e Bem-Estar Animal da Copa-Cocega, entidade representativa dos produtores europeus em Bruxelas, sede da União Europeia (UE), Higuera iniciou sua apresentação com dados sobre a redução dos rebanhos de suínos nos últimos anos. Nos 28 estados membros da UE, houve reduções no número de matrizes (-8%), no rebanho total (-3%), nos abates (-3,2%), produção total em toneladas (-6%), nas importações (-20%), nas exportações na comparação entre 2012 e 2010, mas não em preço dos leitões (+20%) ou a cada 100 kg de animal vivo (+21%). “A produção de suínos na UE está em claro retrocesso tanto em censos de rebanhos como em volume produzido, principalmente por fatores externos ao

Miguel Higuera, Diretor da Anprogapor e vice-presidente de sanidade e bem estar animal da Copa-Cocega

mercado como novas legislações. Este retrocesso não acontece em todos os países. Há países que estão se beneficiando e outros estão sendo obrigados a reestruturar sua produção”, citou. Segundo ele, a Alemanha é a principal produtora de suínos na UE, seguida da Espanha (com produção similar a do Brasil), França, Dinamarca, Polônia, Holanda, Itália, Bélgica, Reino Unido e Romênia. “Desde 1986, Alemanha e Espanha ampliaram claramente suas produções enquanto outros, como França, Dinamarca, Itália e Holanda, mantiveram volume similar ou reduziram”, constatou.

Luciano Roppa consultor

“Esta parceria de ABCS, Mapa, Sebrae e Abras levou o consumo a inéditos 15kg per capita em 2011 e seguimos de maneira sólida para os 18kg. É um trabalho impressionante da ABCS”

Esta tendência de redução deve manter-se firme em 2013 (com queda de até 5% no último trimestre do ano) e em 2014, quando será atenuada. “Entre os principais motivos está o custo de produção na UE. Os principais países produtores tem um custo que varia de 1,21 a 1,37 euros por quilo vivo enquanto que outros produtores mundiais, como Canadá, EUA e Brasil, oscilam de 0,93 a 1,02 euros”, comparou. Estes custos maiores, segundo Higuera, ocorrem em virtude da grande exigência dos consumidores europeus por sanidade, bem estar animal, respeito ao meio ambiente e outros fatores que encarecem a produção. “Apesar disso, é muito arriscado acreditar que o consumidor vá pagar mais por algo que, a priori, é o mesmo, pois o valor agregado é intangível na maioria das vezes”, explica. O especialista europeu resumiu suas conclusões em quatro pontos: o modelo europeu penaliza a eficiência produtiva; a guerra de preços está perdida para a UE; o continente tem que buscar outros diferenciais; e eventuais acordos de livre comércio com EUA ou Mercosul serão um grande desafio aos suinocultores da Europa.

Luciano Ferreira

gerente de negócios da Génétiporc

“Eu fiquei admirado com a mobilização do setor no SNDS. Estamos bem representados com a ABCS e suas ações como a Semana Nacional da Carne Suína. É fundamental que todos apoiem a ABCS, pois isso é bom para o setor por inteiro”


Wilson Mello apresenta

oportunidades e desafios da BRF no setor

O

Wilson Mello, vice-presidente de Assuntos Corporativos da BRF

temos atividades, que estão sempre bastante acima da média nacional”, enumerou. Com 113 mil colaboradores, o conglomerado opera 50 fábricas e 33 centros de distribuição em todas as regiões do Brasil. “O mercado interno tem uma grande margem para crescer, mas desafios internos como a necessidade de uma legislação específica para o sistema de integração, a definição do marco regulatório entre agroindústrias e produtores, o custo da mão de obra, da logística e da infraestrutura (como energia elétrica) atrasam isso”, apontou. Sob o ponto de vista do quinto maior player global do setor alimentício, Mello destacou importantes conquistas do setor (como a abertura dos mercados chinês e japonês) e que a estratégia da

Ernani Polo

deputado estadual do RS

“O trabalho da ABCS em articular as esferas de decisão política ajudou a superar a crise de 2012 e, agora, a aumentar o consumo. Acompanho o setor para formular políticas para combater gargalos como o custo de produção”.

empresa deve focar-se em mercados estáveis como Japão e Coreia do Sul (ainda fechado) apesar da importância de Rússia, Ucrânia e Hong Kong. “É bom vender para todos estes mercados, mas é bem melhor vender para Japão ou Coreia do Sul. Eles permitem um planejamento muito mais interessante. Ainda assim, Rússia, Ucrânia e Hong Kong representaram 68% das exportações brasileiras em 2012”, reconheceu. Segundo o executivo, a empresa visa ser uma marca internacional e manter-se como uma das maiores empresas de alimentos do mundo ao replicar em escala global o modelo de sucesso empregado no Brasil: produção competitiva de proteína animal, distribuição eficiente e capilarizada e agregação de valor por branding.

Amilton Silva

diretor comercial de aves e suínos da Ourofino

“A Ourofino investe bastante em suinocultura e estamos sempre junto em todas as ações da ABCS, desde o começo até o final. Isso, para nós, é ser parceiro”.

17 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

vice-presidente de assuntos corporativos da BRF, Wilson Mello, encerrou o painel “Agronegócio e volatilidade” com a palestra “Proteína Animal – A Indústria Brasileira Conquistando o Mundo” sobre as oportunidades para a indústria brasileira de carnes e os desafios do mercado internacional. Inicialmente, o executivo apresentou números sobre a suinocultura brasileira e a participação da BRF no setor. Em 2012, os mais de 40 mil suinocultores brasileiros produziram 3,49 milhões de toneladas, exportaram 581 mil toneladas (US$ 1,49 bilhões em divisas) para mais de 60 países, empregaram um milhão de pessoas e colocaram o país como o 4º maior produtor e exportador mundial. A BRF respondeu pelo abate de 43,5 mil cabeças por dia em seus nove abatedouros, exportou 266,3 mil toneladas (US$ 704,6 milhões) e alojou 4,2 milhões de suínos (400 mil matrizes e 3,8 milhões de animais de corte) além de haver trabalhado com 4 mil integrados. “Desta maneira, contribuiu para a crescente geração de empregos na indústria e no campo e para o expressivo aumento do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) das cidades onde


Capa Painel II – “Mercado e Marketing para a Carne Suína”

Raul Amaral mostra

macrotendências do consumo no Brasil

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

18

O diretor-geral do Ital (Instituto de Tecnologia de Alimentos), Luis Madi, iniciou o segundo Painel “Mercado e Marketing” com a introdução da palestra “Brasil Food Trends: o que o brasileiro vai consumir em 2020” e colocou o órgão, ligado ao Governo do Estado de São Paulo, à disposição do setor. A palestra, enfim, foi feita pelo coordenador técnico do Ital, Raul Amaral Rego. Ele detalhou o estudo sobre as preferências do brasileiro no futuro em cinco “macrotendências”: sensorialidade e prazer, saudabilidade e bem-estar, além de conveniência e praticidade, confiabilidade e qualidade; sustentabilidade e ética. Segundo o pesquisador, o mercado brasileiro vive um “estágio de expansão”, que está acima do “estágio inicial” e abaixo do “estágio de maturação”, quanto à renda, educação, cultura, informação e refeições fora do lar. “Neste estágio, temos um losango social e não mais uma pirâmide onde o consumo super premium ganha espaço e símbolo de prestígio”, pontuou.

Raul Rego, diretor geral e coordenador da plataforma do ITAL

O estudo, que é usado por grandes multinacionais para definir suas estratégias para o Brasil, revelou que 23% dos consumidores consideram que “o importante é que a comida seja gostosa e atraente”. “No dilema entre o mais saudável e o mais gostoso, escolhem “o mais gostoso” além de ter disposição a experimentação de novos sabores, texturas e estímulos”, explicou. Outro ponto valorizado pelos consumidores é a saudabilidade. Neste quesito, a carne suína vem sendo trabalhada para eliminar preconceitos por meio de campanhas da ABCS e melhor divulgação sobre as qualidades nutriti-

Alexandre Rosa

diretor superintendente da Agroceres PIC

“A associação é de todos os produtores e o aumento do consumo vai beneficiar toda a cadeia graças ao profissionalismo e a disposição em agregar forças da ABCS”.

vas do produto por meio dos meios de comunicação. “A principal preocupação do brasileiro com sua saúde é a diabetes, seguida do colesterol, obesidade e hipertensão”, informou. O tópico mais valorizado pelo consumidor brasileiro é a praticidade e a conveniência, com 34% dos entrevistados. “Estes consumidores levam uma vida corrida. Por isso, escolhem congelados e semiprontos e confiam na qualidade dos industrializados”, argumentou. O quesito qualidade e confiabilidade é prioritário para 23% dos participantes da pesquisa. “São consumidores fiéis. Eles estão dispostos a pagar mais pelos produtos nos quais detectam mais qualidade”, detalhou. Cerca de 21% dos consumidores valorizam a sustentabilidade e a ética na hora de comprar alimentos. “São duas tendências interligadas no Brasil e com forte potencial de crescimento. Para eles, qualidade é um ideal mais amplo, que se demonstra por selos de qualidade e informações sobre a origem e a produção dos alimentos”, expôs.

Rui Nobrega

diretor de negócios suínos MSD “Como indústria de insumos, temos o papel de apoiar as ações da ABCS nos progressos que já conquistou bem como nos que ainda vai alcançar”.


Angela Hirata detalha

internacionalização dos produtos “Made in Brazil”

Angela Hirata, Consultora e ex-diretora de comércio Exterior da São Paulo Alpargatas

A expert relatou que as Havainas viveu um ciclo de “commoditização” entre 1962 e 1994 e, a partir desta data, foi iniciado um trabalho de “resgate” da marca. “As principais estratégias foram a criação da Havaianas Top e comerciais na mídia televisiva e impressa. A partir de 2001, começamos um trabalho de internacionalização com uma equipe de muito talento que antes estava desacreditada”, destacou. O produto foi levado, inicialmente, a 60 países em cinco continentes apostando na miscigenação brasileira como conceito que carrega herança cultural de diferentes povos e culturas. “Para o desenvolvimento de mercado é importante elaborar um projeto estrutural e

Wilson Mello

vice-presidente da BRF “Precisamos do envolvimento de todos para favorecer a produção no mercado interno e também para ganhar mercados no exterior”.

não conjuntural e ter muito cuidado com o planejamento”, acrescentou. “Criamos modelos para diferentes preferências e ganhamos espaço nas principais mídias do mundo por meio de celebridades, atores e atrizes além de especialistas em moda. Assim pudemos realizar o atendimento do consumo de massa, de estilo e de luxo”, relatou. Atualmente, Angela Hirata lidera a equipe da Suriana em outros trabalhos de sucesso e conquista de mercado no exterior, como nos “cases” do vinho Miolo e da cerveja Palma Louca no Japão. “Uma empresa não deve se tornar refém de resultados já conquistados, e sim usá-los como alavanca para novos desafios”, finalizou.

Sérgio Schuler

diretor de saúde Animal da Bayer

“A ABCS está fazendo um grande trabalho em unir todos os elos da cadeia desde insumos até o consumidor final. Acredito neste trabalho para alcançar as metas de consumo per capita bem como para superá-las”.

19 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

A expert em comércio exterior, Angela Tamiko Hirata, seguiu com o painel de marketing com a palestra “Made in Brazil” na qual detalhou a estratégia de internacionalização da marca “Havaianas” e outros produtos, bem como os pontos chave para posicionamento de uma marca ou produto. Angela destacou a importância de conquistar uma posição “única e sustentável”, basear-se na necessidade dos consumidores para criar o desejo de consumo, ser diferente e inovador, gerar atividades que coloquem sua marca em situação de vantagem gerando valor e lucro e o atendimento pós-venda como pontos chave. “Nós somos fruto da miscigenação, sabemos fazer diferente. Um empreendedor é aquele que imagina, desenvolve e realiza suas visões. Quando o assunto é expansão para novos mercados, não importa o tamanho da empresa, mas sim o que deseja fazer”, frisou. Segundo ela, as pessoas buscam produtos que atendam suas necessidades e “têm pressa” para isso. “Tendo um bom conhecimento das necessidades do cliente é possível criar um desejo apoiado nas necessidades do consumidor e, assim, pode-se fidelizá-lo”, explicou.


Capa

Miyao, diretor do Pão de Açúcar, aposta no sucesso da Semana Nacional O

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

20

diretor comercial de perecíveis do Grupo Pão de Açúcar, Leonardo Miyao, fez a palestra “A Carne Suína é 10 – A Suinocultura na Maior Vitrine do Varejo Brasileiro” que apresentou dados sobre a maior rede varejista do país e as estratégias da rede para ampliar o consumo do produto no Brasil em parceria com a ABCS (Associação Brasileira dos Criadores de Suínos). O Grupo Pão de Açúcar é a maior rede varejista do Brasil com vendas de R$ 57,2 bilhões em 2012 (8,6% mais que no ano anterior) e 1,8 mil pontos de venda em 19 estados e no Distrito Federal. A carne suína representou 10,5% das vendas de carnes do GPA e 10,9% das margens na comercialização de 22 mil toneladas do produto em 2012. “A carne suína, atualmente, é a mais comprada somente por 2% dos clientes, apesar de 68% costumarem comprar”, relatou. Miyao revelou que 43% dos consumidores de carne suína acreditam que o produto não é saudável. “Aqui existe uma boa oportunidade para estimular o consumo e quebrar este preconceito. A rejeição à carne suína é maior no Rio em relação a São Paulo”, completou. Ele destacou que os sete anos de trabalho da ABCS já produziram cases de sucesso onde todos ganharam. “No mês da realização da Semana Nordestina da Carne Suína, no ano passado, houve aumentos que chegaram a 157,9 % em Pernambuco. Mas o aumento percentual das vendas se manteve desde então com índices mensais acima de 30%”, demonstrou. Este projeto piloto, segundo o executivo, serviu para testar metodologias e dar maturidade a uma Semana Nacional. “Por meio do PNDS iniciamos

Leonardo Miyao fala da parceria ABCS e Grupo Pão de Açúcar

o trabalho estadual, alcançamos a conquista de uma campanha regional e, agora, com o apoio dos parceiros, chegamos ao objetivo final que é o alcance nacional da carne suína”, contou. Assim, a ABCS, o Pão de Açúcar, o Sebrae Nacional, a Abras (Associação Brasileira de Supermercados) e o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) formaram a maior aliança já criada para o aumento do consumo de carne suína que será coroada com a Semana Nacional da Carne Suína, de 2 a 16 de outubro, em todas as lojas do Pão de Açúcar, Extra e Extra Hiper. “A campanha surge da ideia de mostrar ao brasileiro que a carne suína reúne tudo aquilo que ele mais

gosta: sabor, saúde e preço. Em tempos de Copa, nada como associá-la a mais democrática paixão nacional: o futebol, trazendo o slogan “A Carne Suína é 10!”, justificou. Por meio de treinamentos, capacitação, informação e promoção, que já chegaram a mais de 570 líderes de açougue de 440 lojas do GPA além de centenas de consumidores finais, o diretor do GPA acredita que o objetivo nacional será atingido. “Nas Semanas estaduais no Rio e em São Paulo deste ano, já tivemos, respectivamente, 45% e 38% de aumento nas vendas. A suinocultura não vai se arrepender em haver confiado no Grupo Pão de Açúcar. Maior confiança gera maiores oportunidades”, finalizou.


Benefícios para toda a vida O uso1 de Baycox® nos primeiros dias de vida do leitão resulta em: Maior ganho de peso dos leitões2 Melhor uniformidade da leitegada2 Redução nos custos de produção2 Benefícios até a engorda2

100% eficaz contra coccidiose2 O verdadeiro dose única do mercado, mesmo em situações de alto desafio.

L.BR.AH.2010-08-30.0059 abril/13

Os lucros comprovam sua eficácia.

(Dosagem: 20 mg/kg de peso vivo) Metaphylactic treatment of piglet coccidiosis with Baycox® 5%: effect on weight gain, morbidity and mortality during suckling and nursing period. Böhne et al. Bayer International Pig Symposium, Copenhagen, 15 July, 2006. Mundt et al. 2003. Pig Progress, parasites spec. 23-34 Mundt et al. 2002. Proc. 17th Congr. IPVS, June 2 – Ames, USA, 121 1 2

Consulte sempre um Médico Veterinário


Capa

Líderes bradam “A Carne Suína é 10” no lançamento da Semana Nacional

Os mais de 500 participantes do SNDS vestem a camisa e incentivam a campanha “A carne suína é 10”

U

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

22

ma imagem fala mais do que mil melhores soluções, políticos que lutam palavras... Mas esta foto do XV por avanços no setor e representantes SNDS, durante o lançamento oficial da do varejo que são a face final da suinocampanha nacional “A Carne Suína é cultura para seu elo mais importante, o 10” para a Semana Nacional da Carne consumidor final. Suína, no dia 1º de agosto, pede uma Nunca a suinocultura brasileira explicação. conseguiu reunir e mobilizar tantas Trata-se de um marco para a suilideranças em um mesmo evento e, nocultura brasileira, para as centenas mais que isso, compartilhar uma estrade milhares de pessoas integrantes do tégia comum para seu desenvolvimensetor nos quatro cantos do Brasil e para os milhões de consumidores que alimentam-se deste produto ao redor do mundo. De braços erguidos, trajando a camisa e gritando “A Carne Suína é 10” estiveram centenas de líderes de todos os elos da cadeia no Brasil: suinocultores que passam seus dias nas granjas, veterinários que pesquisam sobre como melhorar a produção, industriais que trabalham pela maior eficiência e qualidade, executivos de empresas de insu- Fabiano Coser explica a importância da mos que se dedicam a oferecer as Semana Nacional da Carne Suína para o setor

to. Juntos os participantes do encontro representam 70% do rebanho nacional, algumas das maiores e mais importantes indústrias de processamento e de insumos, a maior rede varejista do Brasil, políticos e líderes de todas as regiões do país. “A suinocultura brasileira vive um momento especial que vai conduzi-la ao nível de consumo, representatividade econômica e política que merece. Este avanço do setor tomou força com a união que conseguimos. A Semana Nacional da Carne Suína, que ocorre entre 2 e 16 de outubro, e a Campanha “A Carne Suína é 10 vão coroar isso”, comentou o presidente da ABCS, Marcelo Lopes. O diretor executivo da ABCS, Fabiano Coser, conduziu a apresentação do vídeo promocional de lançamento. “Queremos mostrar na Semana Nacional da Carne Suína que, enquanto setor, podemos e estamos fazendo mais. Entendemos


Rumo aos 18Kg, suinocultores dizem sim a campanha de incentivo ao consumo da carne suína

tou 28 mil produtores, açougueiros e consumidores além de haver sensibilizado 1,2 milhões de pessoas quanto

“O setor vive um momento especial que vai conduzi-lo ao consumo, representatividade econômica e política que merece” a saudabilidade, versatilidade e a qualidade da carne suína. O consumo per capita no período saltou de 13 kg para chegar a 15,6 kg no ano passado; aumento de 20% depois de anos de estagnação.

Luiz Roberto Baruzzi, gerente geral do Grupo Pão de Açúcar, marca presença no SNDS

Neste ano, já com o PNDS Sustentabilidade, foram capacitados mais de 570 líderes de açougue de 440 lojas do Grupo Pão de Açúcar e do Extra nos estados de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. As ações terão continuidade nos meses de agosto e setembro no Nordeste, começando pelo Ceará. Entre as ferramentas para alcançar estes resultados, estão cursos de cortes, palestras sobre a qualidade e saudabilidade do produto, oficinas gastronômicas, uma grande campanha de marketing e a fundamental união do setor. O auge deste trabalho será a Semana Nacional da Carne Suína que se tornou possível graças a parceria entre ABCS, Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Sebrae Nacional, Grupo Pão de Açúcar e Abras (Associação Brasileira de Supermercados). Assim, depois de anos de preparação de todos os elos, a carne suína receberá todas as atenções promocionais em todas as lojas do Pão de Açúcar e do Extra nos quatro cantos do país. De fato, o setor e as lideranças presentes na foto serão reapresentadas novamente ao consumidor, mas, desta vez, da maneira que a carne suína merece ser vista, um produto saudável, seguro, saboroso e prático. Como diz o slogan e bradam os líderes: “A Carne Suína é 10”!

23 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

que é a grande oportunidade de movimentar e engajar todos os elos da cadeia produtiva. A campanha não é da ABCS e sim do setor que vai beneficiar e precisa do apoio de todos”, resumiu. Não foi apenas um grito de “A Carne Suína é 10”. O diretor executivo apresentou a estratégia para o aumento do consumo interno de carne suína, aproximou os diferentes elos e aumentou a sinergia para o bem do setor. O PNDS (Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura) foi detalhado em seus objetivos (chegar a 18 kg de consumo per capita até 2015) e sobre como chegar até lá (sensibilização, capacitação e marketing). O presidente do conselho deliberativo do Sebrae Nacional, Roberto Simões, elogiou a parceria com a ABCS. “Somos um parceiro da entidade desde 2005 com projetos muito bem sucedidos. Prova disso é que mesmo antes de terminar o primeiro PNDS, já assinamos um segundo: o PNDS Sustentabilidade. A ABCS tem projetos interessantes que abrangem toda a cadeia desde o produtor, a indústria até varejo e consumidores e, desta forma, alcança bons resultados”, disse. Desde seu início, em 2010, o PNDS já realizou mais de 600 ações em cerca de 180 municípios e capaci-


Capa Painel III – “Estratégias Empresariais para um Mundo em Transformação”

César Souza define a liderança inspiradora O

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

26

palestrante César Souza abriu o terceiro e último painel do XV SNDS “Estratégias Empresariais para um Mundo em Transformação”, na manhã do dia 2 de agosto, com a palestra “Os desafios dos líderes inspiradores” na qual transmitiu suas interessantes percepções de gestor e consultor para os empreendedores presentes. O consultor, que é um dos 10 palestrantes mais requisitados do Brasil, iniciou sua apresentação destacando a “causa nobre” da suinocultura e parabenizando a ABCS pelo trabalho em todos os elos da cadeia e, também, com atenção ao consumidor. “O setor tem muitas oportunidades como a crescente demanda por proteína animal no mercado interno e externo, mas também muitos desafios como o custo de produção, de logística, cambial, tributário e financeiro em um país que deixou de ser low cost, entre outros”, iniciou. Mas, para ele, o maior desafio não é nenhum destes e, sim, “a gestão de pessoas” para haver lideranças em todos os níveis. “Realizamos uma

César Souza, especialista em desenvolvimento de líderes e estratégia empresarial

pesquisa com presidentes de grandes empresas e o maior desafio estratégico apontado por eles é a gestão de pessoas. Formar gente com espírito fazedor, comprometida e com mentalidade de dono”, definiu. A pesquisa revelou que para 71% dos entrevistados, suas empresas não possuíam líderes e gestores para executar as estratégias desejadas. “Tive cinco aprendizados sobre liderança inspiradora. Integração, ou seja construir pontes em lugar de paredes; valorizar fatores intangíveis como cultura, capital intelectual, reputação, inovação e relações; “respirar” clientes;

Caio Rocha

sec. nacional de desen. agropecuário do Mapa

“A ABCS faz um trabalho importante de mobilização e instrução do setor. Quero cumprimentar a associação, em nome do Mapa e da presidenta Dilma, por este trabalho brilhante”.

eficiência operacional; e pensar fora da caixa”, citou. Então, Souza sugeriu uma auto-avaliação a cada um dos presentes na qual fossem atribuídas notas de 1 a 5 nos quesitos integração, valorização do tangível/intangível, inovação, cliente no centro e eficiência operacional em suas respectivas empresas. “Reflitam sobre isso”, propôs o autor de vários best sellers sobre liderança e empreendedorismo. O premiado palestrante, que tem ampla experiência como executivo de grandes empresas no Brasil e no Exterior, detalhou ainda quais devem ser os focos dos líderes no ambiente corporativo atual e deixou duas sugestões aos participantes: “Temos que focar em pessoas, pessoas e pessoas”. Para César Souza, o líder deve inspirar valores e traduzir a estratégia em causa e significado. “Posso citar o Nelson Mandela como exemplo quando ele disse que criar uma sociedade livre e democrática na África do Sul era um ideal pelo qual estaria disposto a morrer”, concluiu.

Roberto Simões

presidente do Sebrae

“A ABCS é um bom parceiro desde 2009 e sempre traz resultados muito positivos porque seus projetos abrangem toda a cadeia. A parceria é produtiva especialmente para os pequenos e médios, trazendo sustentabilidade para o setor”


Ozires Silva mostra a força de sonhar e da educação visionário Ozires Silva, idealizador da Embraer, ex-presidente da Petrobrás e Varig e ex-ministro da Infraestrutura, apresentou a palestra “Nas asas de um sonho” no encerramento do XV SNDS, dia 2 de agosto, na qual relatou sua trajetória desde menino quando queria fabricar aviões até a realização de seus sonhos. “Se foi uma brincadeira fabricar aviões, ela passou dos limites. O que a Embraer atingiu hoje é muito maior do que eu qualquer dia imaOzires Silva incentiva os suinocultores a sonhar em sua palestra ginei. Digo isso para muitos jovens. “Nas asas de um sonho” Sonhem porque muitas vezes a educação. “Vejam as manchetes “Fanarealidade supera o sonho. No meu caso, tismo pela educação!” sobre a Coreia isso só foi possível, pois recebi uma do Sul e “Maior revolução educacional bolsa de estudos das forças armadas. O do mundo moderno!” na China. Enmelhor presente de minha vida”, iniciou. quanto isso, nossa região está se retarDesta maneira, formou-se engedando”, alertou. nheiro aeronáutico e coronel da AeDesta maneira, prosseguiu, poderonáutica e pôde capitanear a equipe remos exportar apenas bens básicos que produziu o avião Bandeirante em e, para toda a América Latina, é impor1968, em São José dos Campos. No ano tante vender também produtos de seguinte, promoveu a criação da Emalto valor agregado: “A prosperidade braer, hoje uma das maiores indústrias da América Latina precisa de melhores aeroespaciais do mundo. valores médios de produtos de exSilva apresentou duas reportagens do jornal americano Financial Times portação. Isso novamente passa pela para dimensionar a importância da educação, pois, de um modo geral, ela

Mario Faccin

Master Agropecuária

“Como empresário, agradeço a informação trazida pela ABCS pois a suinocultura deve estar sempre inovando, como faz a ABCS, e precisamos estar cada vez mais preparados”.

impregna as mesmas iniciativas dos países emergentes que mostram sucessos”, relata. Mas, segundo Ozires Silva, além de saber fazer, é preciso vender. “Na época, o Brasil se preocupou intensamente em fabricar o avião, mas esqueceu de vendê-lo e a dimensão comercial é fundamental. Depois que valorizamos isso a Embraer atingiu sucesso no mercado”, acrescentou. O palestrante mostrou que para vencer é preciso inovar e vencer na competição global; gerar produtos, tecnologias e marcas próprias; ganhar posições nos mercados nacional e internacional, com produtos atrativos mundialmente; qualidade na educação e interessar os alunos para áreas técnicas. “Enfim, educação, treinamento, inovação, liderança e eficiência”, resumiu. Símbolo do empreendedorismo e da capacidade do Brasil, Ozires Silva dedicou parte de sua audiência para frisar o potencial que cada um guarda em si para realizar grandes feitos e melhorar a vida dos demais. “Pensem grande. Vocês são melhores do que imaginam”, afirmou.

Rubens Valentini

ex-presidente da ABCS e suinocultor

“É muito gratificante ver que um trabalho iniciado há 8 ou 9 anos cresceu e ampliou-se. Já fomos criticados por apostar no desenvolvimento de mercado mas isso está se mostrando como um grande acerto pois é o consumo que sustenta toda a cadeia”.

27 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

O


Mural de fotos

Entre um click e um flash O XV SNDS foi repleto de momentos de confraternização, alegria e união do setor. Confira abaixo nosso mural de fotos.

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

28


REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013 29


REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

Mural de fotos

30


REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013 31


Uma nova meta Um novo objetivo Um novo caminho


Rio Grande do Sul

Expointer: vitrine da carne suína tem mais uma edição de sucesso Ação do PNDS e ACSURS em parceria com Sebrae/RS demonstra o potencial do produto

C

Participante da 36ª Expointer degustam carne suína preparada na hora

Para o presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (ACSURS) – apoiadora da vitrine da Carne Gaúcha por meio do PNDS –, Valdecir Folador, a qualidade da ação e resultados se confirma pelo sucesso de público que aumenta cada ano. “Repetir essa ação na Expoitnter é sempre garantia de muitos participantes. Os presentes se interessam pelos cortes, aprendem receitas diferentes de carne suína, das quais muitas não conhecem, e retornam satisfeitas”, comenta. Entre os pratos apresentados durante a semana estão o arroz gaudério, o yakisoba, filezinhos e iscas aceboladas, todos á base de carne suína. “São receitas

Curso de cortes suínos durante a Expointer chama a atenção dos participante da feira

fáceis de serem preparadas no dia-a-dia. Aqui, mostramos ao público que qualquer prato que antes era preparado apenas com outras carnes também pode ser preparado com a carne suína, que é saudável, gostosa e também barata”, comenta Fernanda. No ano passado, mais de 6 mil pessoas prestigiaram a Vitrine. Para Miriam de Lourdes Menezes, representante da Gerência Setorial do Agronegócio do Sebrae/RS, a oficina tem como principal objetivo desmistificar o consumo da carne suína. “Por meio dessa atividade, o público da Expointer teve a oportunidade de ver como a carne pode ser preparada de forma rápida e simples, e também provar o resultado de cada prato”, explica. A coordenadora nacional do PNDS, Lívia Machado, destaca que a ação feita pela ACSURS e Sebrae/RS, via PNDS, é um exemplo que já chegou ao Nordeste. “Esse ano a ação foi realizada no PecNordeste e reforçou que a metodologia criada pelos parceiros no sul é ideal para trabalhar a disseminação da variedade dos cortes e ensino do preparo da carne suína. Pelo expressivo número de capacitados em mais uma edição a ação corrobora para o aumento de consumo de nossa proteína”, reforça a coordenadora.

33 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

om o propósito de demonstrar o potencial da carne suína, a Vitrine da Carne Gaúcha entrou em sua quinta edição com sucesso de público, mesmo abaixo da forte de chuva que caiu todos os dias sobre o Parque de Exposições Assis Brasil durante a 36ª Expointer, realizada de 24 de agosto a 01 de setembro. A ação faz parte do estande do programa Juntos Para Competir – parceria entre Farsul, Senar/RS, Sebrae/ RS e do Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) – no Pavilhão Internacional. Em área envidraçada e refrigerada, cercada por arquibancadas, o público pode acompanhar as desossas e cortes realizados pelo consultor de carnes Marcelo Bolinha. Na mesma vitrine está a cozinha experimental, onde a chef Fernanda Moreira apresentou dicas de preparo, sugeriu receitas rápidas e ofereceu degustação aos presentes. A interação entre o consultor de cortes e a chef trouxe ao público um pouco da história da transformação do porco-banha em porco-carne e os benefícios do consumo dessa proteína.


Mato Grosso

PNDS inicia atividades no MT e intensifica as ações no elo da produção e do varejo M

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

34

otivados pelo Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) módulo Sustentabilidade, a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), realizou diferentes ações no elo da produção e do comércio no primeiro semestre de 2013. A entidade proporcionou aos suinocultores e gerentes de granjas do Mato Grosso o Programa de Qualificação Profissional em Suinocultura – treinamento modular desenvolvido pelo Senar Nacional em parceria com o PNDS –, e levará aos participantes 14 módulos até o final de 2013. Cidades como Diamantino, Tapurah, Campo Verde e Nova Mutum já receberam etapas do projeto, que é coordenado no estado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT). A estimativa é que mais 200 pessoas sejam capacitadas até dezembro, chegando a quase 500 participantes. “A aplicação desses cursos vem de encontro às necessidades que os produtores de Mato Grosso apresentam em termos de capacitação e melhorias técnicas, e demonstra também aquilo que nós do setor sempre buscamos, que é a melhoria constante da cadeia da suinocultura”, disse o diretor executivo da Acrismat, Custódio Rodrigues.

Curso de qualificação profissional Senar capacita suinocultores de Mato Grosso em parceria com o PNDS

De acordo com o analista do Senar-MT e gestor do PNDS, Wlademiro Silvano Pereira Neto o objetivo é treinar a mão de obra disponível para trabalhar em granjas suinícolas e unificar e padronizar os processos produtivos da suinocultura brasileira. A qualificação dos trabalhadores para a criação dos animais é realizada em seis módulos, que envolvem todo o processo. São 104 horas divididas em maternidade, creche, recria e terminação, fábrica de ração, manejo e produção de suínos e reprodução. Segundo a coordenadora nacional do PNDS, Lívia Machado, esse é o maior volume de colaboradores capacitados nos treinamento do Programa. “O estado de Mato Grosso surpreendeu pela previsão de capacitados até o final do ano”, conclui.

Açougueiros do supermercado Compre Mais em Mato Grosso, descobrem a versatilidade da carne suína

Cortes suínos no Supermercado Compre Mais O PNDS iniciou as suas ações no estado já atuando de forma sistêmica. Além das ações na área de produção, o varejo também foi contemplado com ações locais. A Acrismat, em parceria com a ABCS e Senar/MT desenvolveram o curso de capacitação em cortes especiais suínos na Rede de Supermercados Compre Mais Custódio Rodrigues destacou que a ação reforça a necessidade da cadeia de se unir para desenvolver o mercado da carne suína e promover a extensão do consumo por meio de mais conhecimento. Para o coordenador da rede Compre Mais, Derli Locatelli, que tem atualmente nove lojas distribuídas entre Cuiabá e Várzea Grande e quase 700 colaboradores, esse projeto agrega os serviços que já são oferecidos pela rede, “Após esse curso esperamos um aumento de 15% a 20% nas vendas de carne suína, que já são boas. Às vezes o cliente não se importa tanto com o preço, mas ele quer ter um acesso à corte diferenciado, e com esse curso poderemos proporcionar isso”, afirmou Locatelli.


Gincana à base de carne suína No mês de julho, a entidade em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de Mato Grosso (Senac-MT), premiaram os melhores chefs de cozinha na 2° Edição da Gincana “O melhor da Carne Suína Mato-grossense”, realizada na sede da Acrismat, durante a 49° Expoagro. A gincana é realizada pelo segundo ano consecutivo e visa estimular o consumo da carne suína, incentivando os chefs a criarem receitas com critérios entre sabor e criatividade. A primeira colocada foi a estudante de gastronomia da Universidade de Cuiabá (Unic), Juliana Coli, com a receita Ragu de Lombinho com Mousseline de Batata Doce.“Não tive dificuldades em trabalhar com essa carne, fiz muitos testes e meus familiares foram minhas provas finais, eles diziam o que estava bom e o que não estava. Usei o lombinho suíno, e inovei esta receita com a carne. Ficou surpreendente”, comemorou a futura chef.

Diante do sucesso da iniciativa, o Senac pretende desenvolver uma unidade específica para a carne suína. Segundo a gerente de Educação Profissional de Cuiabá, Ana Maria de Bellis, que acompanha a Gincana desde sua primeira edição, o evento está bastante alinhado.“Essa parceria desde o princípio tem dado muito certo. Ele já exerce a função de potencializar o consumo da carne suína na preparação de pratos entre os chefs da capital. Agora o próximo passo é aumentar o consumo entre os mato-grossenses a cada ano”, planejou. Nove jurados fizeram a avaliação das receitas, levando em consideração sabor e criatividade, entre outros critérios que compõem as normas no concurso. Lívia Machado, coordenadora nacional do PNDS, esteve presente no evento e disse estar surpresa pela criatividade e sabor dos pratos. “O evento foi muito criativo e organizado, Agora com o PNDS no estado reforçaremos as iniciativas da Acrismat na promoção da carne suína no Mato Grosso”, comenta.


Minas Gerais

PNDS capacita profissionais

em todos os elos da cadeia em Minas Gerais Programa de Gestão Avançada, PCT e capacitação de promotores de vendas e açougueiros atualizam conhecimentos sobre o setor

O

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

36

primeiro semestre de 2013 foi marcado por grandes capacitações em Minas Gerais. As ações no elo da produção, indústria e varejo buscaram orientar os profissionais sobre os avanços no manejo da granja e na produção de suínos; levar conhecimento atualizado sobre o setor e o mercado brasileiros com foco na indústria e ainda atualizar o varejo com técnicas de venda, qualidade da carne suína e seus diversos cortes. No mercado atual, onde o cliente está cada vez mais consciente, vender ficou mais difícil. Por isso, o conhecimento do produto é condição básica para elevar as vendas. De olho nesse direcionamento do mercado, o Frigorífico Saudali em parceria com a Associação dos Suinocultores do Vale do Piranga (ASSUVAP) e Sebrae/MG promoveu o I Encontro Nacional de Promotoras Saudali, em Ponte Nova/ MG, no mês de agosto. Os promotores de vendas de todo o Brasil passaram por uma atividade voltada para a área de gerenciamento, ministrada pelo consultor Magnus Emmendoer fer, também conheceram um pouco mais sobre o frigorifico e suas ações de incentivo ao consumo da carne suína, além de participarem de palestra sobre segurança de trabalho, ministrada por Graziela do Prado, responsável pela área no frigorífico. Em seguida a nutricionista e especialista em obesidade e síndrome metabólica, Thaliane Dias, abordou o consumo e a saudabilidade da carne suína.

Frigorífico Saudali em parceria com PNDS leva capacitação a promotores de vendas de todo país

“Foi muito interessante e gratificante participar, aprendemos muitas coisas e também podemos expor aos representantes do frigorífico todos os nossos pensamentos. Acho que deveriam ter mais encontros assim” disse Ediane Gomes, promotora do Espírito Santo. Para Weber Vaz, diretor comercial do Saudali, eventos como este fortalecem o frigorífico como um todo. “Estar próximo aos nossos promotores, ouvir o que eles têm a dizes e levar até eles informações, fazem com que o vínculo empresa e colaborador se torne mais forte” explicou o diretor.

Açougueiros conhecem os novos cortes suínos Nos meses de julho e agosto profissionais de açougue da região do Vale do Piranga em Ponte Nova/MG e em Salvador/BA participaram do Curso de Cortes Suínos. O evento foi realizado pelo frigorífico Saudali em parceria com a ASEMG, ASSUVAP e Sebrae/MG, como parte das ações do PNDS no estado.

O treinamento realizado na cidade de Ponte Nova, contou com cerca de 20 profissionais de açougue e foi ministrado pelo consultor de cortes Daniel Furtado, que ensinou aos presentes cortes suínos, técnicas de embandejamento e a melhor forma de aproveitamento da carcaça suína. “Com esta ação capacitamos pessoas que tem grande influência na hora da decisão de compra além de fortalecermos a relação do Saudali com os açougueiros e estreitar a relação com a comunidade” disse o coordenador de marketing do Saudali, César Godoi. Já o treinamento em Salvador, na sede da ABASE (Associação Brasileira de Supermercados), contou com 4 turmas de 20 pessoas. A parte teórica do treinamento foi ministrada pela gestora comercial do frigorífico do Saudali, Cibele Dias, e pela responsável pelo marketing da Assuvap, Paula Gomides. A parte prática também ficou a cargo do consultor de cortes, Daniel Furtado.


“Ficamos atentos a pouca informação a respeito da carne suína entre a maioria dos profissionais de açougue, muitos deles trabalham no ramo há mais de 15 anos com carne bovina, mas não conhecem a grande maioria dos cortes suínos” contou a gestora comercial do Saudali, Cibele Dias.

Programa de Capacitação Total Açougueiros do Vale do Piranga, Ponte Nova/MG, conhecem mais de 30 cortes da carne suína

crescentes desafios de ordem sanitária, muitos deles caracterizados como reemergentes. Os princípios e conceitos de biossegurança precisam ser revisados e implementados, visando a proteção dos rebanhos e do resultado econômico da produção”, diz. O estado receberá mais quatro módulos até o início de novembro com os temas: novos conceitos e atualização de manejo de maternidade; automatização versus maximização de mão de obra; boas práticas de fabricação e controle de fábrica de ração, além do tema controle de custos para creche e terminação.

Programa de Gestão Avançada 2013

PCT em Minas Gerais reforça os cuidados com as granjas suinícolas

Ainda com o objetivo de capacitar os profissionais responsáveis pela produção de suínos no Brasil, o PNDS realizou o Programa de Gestão Avançada, em parceria com o Sebrae/MG. O zootecnista, consultor do Sebrae/MG e mestre em Produção de Ruminantes pela Universidade Federal de Viçosa, Christiano Nascif, falou para mais de 20 participantes sobre os benefícios dessa capacitação para a gestão das propriedades e ressaltou que por meio do levantamento de indicadores o projeto permitirá ao suinocultor entender o que compõe o custo real da granja. Até dezembro serão desenvolvidos e acompanhados os seguintes índices: Produção média de carne/funcionário/mês; Gasto com ração/Receita Bruta da Atividade; Custo total/Kg de cevado; Gasto com mão de obra/Receita Bruta da Atividade; Taxa de retorno do capital investido (% A.A); Lucro por matriz e Gasto com ração/Produção anual de carne (R$/KG). Para Anny Almeida, gestora executiva nacional do PNDS, as ações realizadas em minas são sempre inovadoras. “Novos temas, dinamismo nas apresentações e consultores de alto nível, transformam uma palestra em uma grande capacitação e o Gestão Avançada e o PCT são provas de que qualificar é a melhor forma de desenvolver a suinocultura nacional”, diz.

37 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

Em junho, mais de 40 suinocultores participaram do segundo módulo do Programa de Capacitação Total (PCT), realizado pelo PNDS, em parceria com a Cooperativa dos Suinocultores de Ponte Nova (Coosuiponte), Assuvap, Sebrae/MG e as empresas Agromarket, Bretanha, Nutreminas e Zoetis. O tema “Novos desafios sanitários e suas implicações na produção, gestão e biossegurança das granjas”, ministrado pelo consultor da Integrall Glauber Machado, repassou aos participantes procedimentos necessários para a prevenção de doenças infecciosas em qualquer sítio de produção. Segundo Glauber, o PCT sobre a Sanidade Suídea alerta os suinocultores para melhorias em suas propriedades. “As granjas de suínos têm enfrentado


Goiás

SNCS chega ao CRN de Goiás e capacita mais de 350 profissionais

Mais de 300 nutricionistas conheceram a saudabilidade da carne suína e a campanha “A Carne suína é 10”

E

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

38

m parceria com a AGS (Associação Goiana de Suinocultores) e apoiadores da ação, a ABCS levou a nutricionista e consultora da entidade, Thaliane Dias, a apresentar a palestra “Carne suína, consumindo com mais sabor e saúde” para mais de 350 nutricionistas (entre profissionais e estudantes) em evento comemorativo pelo Dia do Nutricionista organizado pelo CRN (Conselho Regional de Nutrição) no auditório do SGPA (Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura). Thaliane tratou de temas como as propriedades da carne suína a partir de tabelas nutricionais, mitos e verdades da proteína e como inserir o produto em dietas saudáveis inclusive para obesos e diabéticos. A apresentação visa informar profissionais de saúde, nutricionistas, chefs, profissionais de açougue e consumidores finais sobre a qualidade, sabor e praticidade da carne suína.

A palestra integrou as comemorações pelo Dia do Nutricionista, tradicionalmente organizado pelo CRN, contou com sorteio de brindes bem como um coffee break, organizado pela ABCS e pela AGS, com pratos a base de carne suína aos convidados. “A AGS está satisfeita em liderar essa ação da Semana Nacional. Por meio do PNDS temos levado cada dia mais conhecimento sobre o nosso produto. Essa é uma alavanca concreta para o consumo de carne suína em nosso país”, comentou a gerente executiva da AGS, Crenilda Neves. A conselheira do CRN-1 (Conselho Regional de Nutrição), Gleiva Staciarini, destacou a validade da ação do PNDS Sustentabilidade para trazer informação de qualidade sobre o produto. “ Temos palestras sobre a carne suína desde 2010 em parceria com a AGS. No evento de sexta-feira, percebi que os partici-

pantes ficaram muito interessados e ainda tinham dúvidas sobre a carne suína mesmo sendo profissionais. Isso significa que há muito campo para avançar pois é um trabalho longo. Inclusive, já nos procuraram para levar a palestra para outros lugares como universidades”, revelou. A coordenadora nacional do PNDS, Lívia Machado, destacou a representatividade e ineditismo da ação, pois reuniu mais de 300 profissionais já formados na área de nutrição que atuam cotidianamente na formação de conceitos nutricionais da população do estado. “Certamente os novos conceitos e verdades aprendidas sobre a carne suína serão levados ao consumidor e gerarão o aumento de consumo direto da carne suína. Agradeço a AGS e todos os parceiros do estado, além do CRN GO pelo interesse e abertura para a realização do evento”, comentou.


Distrito Federal

Ações de divulgação da carne suína e capacitação no setor estimulam suinocultura no DF V

isando a capacitação de suinocultores da capital do Brasil e a exposição da carne suína em grandes eventos do DF, a Associação dos Criadores de Suínos do Distrito Federal (DFSUIN) em parceria com Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) e Sebrae/DF realizam ações que apresentaram os benefícios da carne suína e os métodos existentes para um melhor manejo dentro das granjas. Um dos grandes eventos que buscou expor a carne suína foi a 31ª Exposição e Encontro Centro-Oeste de Supermercados (ExpoEcos-DF) que aconteceu em julho no Pavilhão de Exposições do Distrito Federal. A DFSUIN em parceria com o Sebrae/DF levaram aos visitantes, mais informação sobre os benefícios nutritivos da carne suína além de mostrar sua versatilidade gastronômica, por meio dos cadernos de receitas com diversos pratos suínos publicados pela ABCS, distribuídos durante todo o evento.

Mais de 100 suinocultores participaram dos três módulos do PCT realizados pelo PNDS em parceria com a DFSUIN

A ação contou com apresentação e degustação de cortes suínos fornecidos pelos frigoríficos Suinoves, Sabugy, SuinoBom, Buritis, GranSabor e Bonasa. “O espaço foi uma oportunidade de negócio e visibilidade para os nossos frigoríficos, onde os visitantes puderam conhecer nossa marca e se certificarem que o nosso produto tem qualidade e o selo Dipova”, disse Cleuson Rezende, proprietário do SuínoBom.

A feira contou com mais de 100 expositores e mais de 20 mil visitantes, gerando cerca de R$ 200 milhões em negócios, durante três dias. A ExpoEcos é uma feira promovida pela Associação de Supermercados de Brasília (Asbra), em parceria com Sindicato dos Supermercados de Brasília (Sindsuper/ DF), da Federação do Comércio (Fecomércio/DF), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/DF).

Ações no elo da produção fortificam o varejo Os módulos contaram com palestras do consultor técnico comercial da Bayer, Humberto Bussada; da médica veterinária Eliana Paladino, assistente técnica da Hipra e do zootecnista e gerente de produtos suínos da Vencofarma, Fernando Blini. Segundo o professor e médico veterinário, Euripedes Lopes, as expectativas sobre o PCT foram atendidas. “Esta foi a primeira vez que participei de um PCT, foi muito proveitoso. O tema da palestra técnica foi bastante atraente, e se os produtores de suínos não estiverem atentos para estas questões, com certeza, não alcançarão sucesso no empreendimento”, diz. Serão ministrados mais 3 módulos até o final do ano, com temas que ajudem no desenvolvimento do setor e que serão escolhido segundo a necessidade das granjas.

39 REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

O trabalho de atuação sistêmico do PNDS é essencial para o equilíbrio dos elos do setor. Atuar na melhoria de capacitação para os produtores no que tange a manejo e gestão das granjas ajuda a garantir um produto de maior qualidade ao consumidor. Pensando nisso, a DFsuin em parceria com o PNDS e Sebrae/DF já realizaram três módulos do Programa de Capacitação Total (PCT), reunindo mais de 130 participantes entre produtores, gerentes e colaboradores de granjas. Já consolidado como uma das mais importantes ações da suinocultura local, o programa reúne palestrantes capacitados na área técnica e em recursos humanos, patrocinados por renomadas empresas especializadas em saúde e nutrição de suínos, além de oferecer um ambiente propício para melhor aproveitamento das apresentações, relacionamento e negócios.


Ceará

Vitrine da carne suína conquista consumidores no PecNordeste Ação inédita da ASCE reúne mais de 300 consumidores no Nordeste

S

ucesso nas ações de demonstração de cortes, a vitrine da carne suína também brilhou na PecNordeste 2013, que aconteceu de 03 a 05 de setembro em Fortaleza/CE. A ação do Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) realizada pela Associação dos Suinocultores do Ceará (ASCE) junto aos parceiros estaduais trouxe demonstração de dezenas de cortes suínos. Na oficina, ministrada pelo mestre açougueiro, Daniel Furtado, os mais de 300 participantes aprenderam técnicas para retirada dos cortes da carcaça e a variedade de preparação da carne suína. “A vitrine é essencial para mostrar na prática aos consumidores a versatilidade da carne suína e variedade de cortes”, comenta gestora executiva da ASCE, Paula Braga. Ao todo foram mais de 30 opções apresentadas ao público, que diversas vezes se surpreendeu com as possiblidades de preparo e a utilização da mesma nomenclatura dos cortes bovinos, como picanha, filé mignon, coxão mole, entre outros, desmitifican-

Líderes do setor vestem a camisa da campanha “A Carne Suína é 10!”

do assim preconceitos e ampliando as possibilidades de elevar o consumo dessa proteína no estado. Outra atração preparada pela ASCE foi o lançamento da campanha no Nordeste “A Carne Suína é 10”, que contou com a presença do presidente do Sebrae nacional, Roberto Simões, do presidente da ABCS, Marcelo Lopes, além dos presidentes das afiliadas da ABCS: Associações de Criadores de Suínos do Espirito Santo (ASES), José Pupin; Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (ACSURS), Valdecir Folador; Associação dos Sui-

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

40

Vitrine surpreende consumidores com cortes e versatilidade da carne suína

nocultores do Estado de Minas Gerais (ASEMG), Antonio Ferraz; da Associação dos Criadores de Suínos do Mato Grosso (ACRISMAT), Paulo Lucion; Associação de Suinocultores de Sergipe (SUINSE), José Evairton; e também do conselheiro financeiro da ABCS, José Arnaldo e da coordenadora nacional do PNDS, Lívia Machado. No “Boteco Suíno” os participantes degustaram salgados e petiscos à base do produto. Segundo Paula Braga, a constante participação na feira auxilia na promoção da carne suína de forma prática. “As pessoas estão muito acostumadas a ver a carne suína só no almoço ou jantar como prato principal, mas na feira elas puderam sentir o sabor suíno em salgados e petiscos diferenciados”, diz. O stand foi um espaço para receber produtores e participantes da feira para que conhecessem a qualidade e a saudabilidade da carne suína, além de levarem para casa folhetos informativos sobre o produto. Além das ações de divulgação da carne suína, o evento também contou com palestras técnicas, com o objetivo de capacitar os suinocultores e seus colaboradores no aprimoramento e tec-


nificação de suas atividades na granja. Foram realizados ainda seminários durante os três dias do evento com temas como gestão, manejo, nutrição e meio ambiente. Durante as palestras, a ASCE mobilizou os participantes quanto à importância da elevação do consumo de carne suína para o estado e, juntos, bradaram “A Carne Suína é 10!”. Entre participantes das oficinas gastronômicas, palestras técnicas e a vitrine da carne suína, realizados via PNDS durante o PecNordeste, foram capacitadas mais de 500 pessoas entre produtores e colaboradores, açougueiros, donas de casa, etc. “A feira é uma junção de entretenimento e bons negócios. Projetos assim contribuem para a geração de renda no Ceará, e para o crescimento de todo os setores agrícolas, em espacial

a suinocultura”, explica o presidente da ASCE, Paulo Helder, e acrescenta “a suinocultura é um setor em constante crescimento, por isso ações como essas oficinas gastronômicas e os o boteco suíno nos ajudam a aumentar o consumo da carne”, encerra.

Capacitação para suinocultores Com o objetivo de capacitar e atualizar o elo da produção, a ASCE por meio do PNDS em parceria com o Sebrae/CE, Sebrae Nacional, Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC) e Senar/CE levou informação aos suinocultores por meio de consultorias e PCTs realizados no estado durante os meses de junho e agosto.

A consultoria realizada nas granjas Guaiuba, Rabelo, Piroá e Tangueira buscou um diagnóstico geral para identificar os principais pontos de melhoria na unidade de produção suinícola promovendo treinamentos específicos para cada setor da granja. Segundo Paula Braga, gestora executiva da ASCE, a consultoria não só atua no crescimento da granja, mas de todo o setor. “Acreditamos que em pouco tempo as granjas participantes apresentarão resultados satisfatórios para a qualidade da produção”. Para o suinocultor Carlos Botelho, proprietário da granja Guaiuba, a consultoria foi de grande valor para sua granja. “Ficamos satisfeitos com a consultoria, ela esclareceu dúvidas e mostrou bons caminhos para o nosso crescimento”, diz.

Alimentação de maneira excelente!

Alimentação Eficiente para Gestação Coletiva A WEDA é provedora de soluções inteligentes na área de sistemas de alimentação. Destacamos o “SowComp”, um sistema de alimentação apto às necessidades individuais de matrizes em gestação coletiva. Robustas construções, de alta qualidade, brincos duráveis e um Soft- e Hardware mais moderno facilitam uma gestão com ótimos resultados.


Bahia

Campanha “A Carne Suína é 10!” marca presença na Expofeira/BA 2013 Palestra de saudabilidade quebrou mitos e paradigmas sobre a carne suína

A

Campanha “A Carne Suína é 10!” esteve presente em uma das maiores exposições agropecuárias da Bahia, a 37ª edição da Expofeira, realizada na cidade de Feira de Santana, entre os dias 4 e 11 de setembro. O evento que conta tradicionalmente com expositores dos diversos elos que integram a cadeia produtiva, reuniu nessa edição mais de 250 mil pessoas. A palestra “Carne Suína, consumindo com mais sabor e saúde”, ministrada pela nutricionista Thaliane Dias, é mais uma ação de preparação para a Semana

Nacional da Carne Suína, que ocorrerá entre 2 e 16 de outubro. A Palestra de Saudabilidade “A Carne Suína é 10” aborda os aspectos nutricionais da carne suína, seu consumo e benefícios para a saúde humana bem como sobre a praticidade do produto dada sua ampla variedade de cortes. O objetivo é derrubar preconceitos sobre a carne suína por meio de dados científicos e estabelecer um novo olhar sobre o alimento. Segundo a nutricionista, que realizou cerca de 20 palestras sobre o tema em 2012, foram apresentados dados e in-

formações sobre o desenvolvimento do processo de produção dos suínos bem como sobre a qualidade do produto. Este conteúdo foi transmitido a um público de cerca de 100 pessoas, entre nutricionistas, médicos, profissionais da saúde e estudantes, público estratégico para derrubar mitos sobre a carne suína já que são formadores de opinião. Para presidente da ABS, Marcelo Plácido, a realização de palestras em eventos como a Expofeira é essencial para o desenvolvimento da suinocultura no estado.


Entre Amigos Ourofino envolve seus mais de 1 mil colaboradores em Semana Nacional da Carne Suína Ações promovidas pela empresa se estenderão a

clientes via programa de TV e redes sociais De 7 a 11 de outubro, a Ourofino Agronegócio realizará uma programação especial com seus mais de 1 mil colaboradores para comemorar a Semana Nacional da Carne Suína idealizada pela ABCS – Associação Brasileira de Criadores de Suínos. Entre as ações para os colaboradores está o cardápio especial para os refeitórios das unidades do Grupo Ourofino com diferentes receitas com a carne suína. E para mostrar que entende do assunto, a equipe da empresa será convidada a enviar suas receitas e “segredos” para o preparo da carne,

além de testar seus conhecimentos sobre o alimento em um Quiz. O melhor prato será divulgado na página da Ourofino Agronegócio no Facebook. Durante a semana, o perfil da empresa na rede social apresentará informações sobre a suinocultura e os mitos que envolvem o consumo de sua carne. Na TV, o programa Ourofino em Campo (via

parabólica, no Canal do Boi) apresentará reportagens e entrevistas com especialistas para repercutir o assunto – informações em CanalOurofino.com. “Há muitas outras ações que envolverão colaboradores e públicos externos de nossa empresa. O objetivo é intensificar o trabalho nacional que está sendo feito pela ABCS para a valorização do trabalho dos suinocultores brasileiros. Fazemos questão de não só patrocinar como potencializar este trabalho com tudo o que podemos”, explica o diretor da Linha Aves e Suínos da Ourofino, Amilton Silva.

DB inicia o povoamento de uma das mais modernas granjas do país

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

44

A DB Genética Suína iniciou o povoamento da Granja Santa Cruz, uma das mais modernas do país. Com um elevado nível e automação a Granja Santa Cruz foi projetada para atender todas as normativas de Bem-Estar animal, vigentes nos países europeus. Construída em Varjão de Minas - Noroeste de Minas Gerais, a granja vai aumentar o potencial de melhoramento genético de linhagens puras de machos e fêmea da DB Genética Suína com status sanitário diferenciado. Os primeiros lotes  chegaram  na segunda quinzena de agosto na granja que em janeiro de 2014 vai estar com a capacidade total. O médico veterinário  e Gerente de Produção Robert Gurnet explica que a Granja Santa Cruz será uma “escola” formadora de profissionais e conhe-

cimento em manejos e instalações ligados ao bem-estar.   “Separada em dois sítios, será uma granja-núcleo de 2.300 fêmeas puras, de altíssimo nível sanitário, colocando a DB Genética Suína como empresa com o maior plantel de melhoramento genético e maior estrutura própria de produção de material genético no Brasil, totalizando 8.500 matrizes próprias de linhagens puras” destaca. As instalações  da Granja Santa Cruz tem inovações marcantes e conceitos modernos em termos de insta-

lação como gestação coletiva com   20 estações eletrônicas de alimentação, capazes de alimentar cerca de 1.200 fêmeas gestantes simultaneamente,   sistema de alimentação líquida computadorizada em toda a fase de recria e seleção de animais de reprodução, acoplada à utilização de silagem de grão úmido; entre outros diferenciais de sistemas automatizados e uma maternidade com o  piso de leitões aquecido por circuito de água quente.  A granja vai contar ainda como uma central de teste de machos reprodutores com estações eletrônicas de alimentação, para controle individual de consumo e avaliação de conversão alimentar de todos os machos reprodutores produzidos no programa de melhoramento genético.


Auster completa 5 anos no setor de nutrição animal

Já havia se passado anos de espera e planejamento quando se iniciaram as operações da Auster Nutrição Animal, em 2008. A empresa foi criada por profissionais com vasta experiência no mercado de especialidades e aditivos para nutrição animal e com a ambição de trazer para o Brasil investimentos em desenvolvimento e fabricação deste tipo de produto. Desde 2011 a empresa vem crescendo robustamente, e diversificando suas atividades, especialmente

com aditivos, enzimas e prestação de serviços, e nunca deixou de crescer. Desde este ano já havíamos iniciado uma linha de trabalho com maior envolvimento na no dia-a-dia de nossos clientes, propondo formulações e acompanhando muito mais de perto os resultados obtidos, mas faltava a perna de poder levar esses resultados mais adiante, faltava a fábrica da Auster. Já 2012 foi o ano de seus primeiros passos como indústria. Em março, a empresa iniciou suas atividades como fabricante e passou a produzir seus produtos, assim como prestar serviços a terceiros. A produção local se iniciou em Março de 2012, com parcelas da planta como um todo operando parcialmente.

Durante o ano, o projeto foi amadurecendo e já no início de 2013 as três linhas de produção estavam a todo vapor. Hoje conseguimos traduzir nossas ideias em novos produtos em algumas semanas, por nossos próprios meios. Antes da fábrica, dependíamos de empresas na Europa, e uma ideia nova demorava meses para estar disponível aqui. Hoje a empresa tem 50 funcionários, produz mais de 1800 toneladas de produtos por mês. De minha parte, tenho orgulho de todos que estão aqui, e não sei como agradecer a eles e a nossos clientes por tudo que conseguimos! ff Paulo Portilho, diretor Auster Nutrição Animal

André Costa assume diretoria da TOPIGS do Brasil

45

de produção da suinocultura. Quando o suinocultor pensar em eficiência pensará na TOPIGS do Brasil”, conclui André. Joster Macedo dirigiu a operação brasileira por dois anos e sai para se dedicar a projetos pessoais. “Foi uma experiência gratificante estar à frente da gestão da TOPIGS no Brasil. Irei me dedicar a outras atividades e deixo a diretoria da empresa em boas mãos”, afirma Jóster.

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

A partir do mês de agosto, o atual Geneticista da TOPIGS do Brasil André Costa, assumirá a Diretoria Geral da empresa no Brasil, substituindo Jóster Macedo. André possui ampla experiência na área de genética suína e assume esse novo desafio em sua carreira. André entrou na TOPIGS em 2010 e desde então é Geneticista e Gerente Técnico da empresa. Agora, com o novo cargo, espera poder contribuir ainda mais com o desenvolvimento da TOPIGS no Brasil. “Assumir a diretoria de uma empresa internacional é um desafio e uma oportunidade muito grande. Toda minha carreira profissional foi desenvolvida na área de ge-

nética suína e nestes 18 anos adquiri muito conhecimento na área técnica e comercial. Quero consolidar cada vez mais a genética da TOPIGS no mercado brasileiro”, conta o novo diretor geral. “Gostaria também de agradecer ao Jóster por sua contribuição para a TOPIGS e desejar-lhe muito sucesso nos seus novos desafios.” O novo diretor afirma ainda, que vai trabalhar em prol da eficiência. “Os produtos da TOPIGS são reconhecidos no mercado pelas características superiores de desempenho, tais como: alta prolificidade, menor mortalidade, melhor conversão alimentar e ganho de peso, melhor rendimento de carcaça e qualidade de carne. Vamos continuar fornecendo aos nossos clientes soluções em genética suína, de maneira a maximizar os resultados econômicos da cadeia


Sabor Sublime

Ossobuco suíno com spaguetti ao sugo Para se obter corretamente o ossobuco suíno é necessário congelar a peça antes de serrá-la. Caso contrário, o osso esfarinha na serra e a apresentação fica comprometida. O segredo aqui é o fogo lento, para extrair delicadamente o colágeno da carne. Um resultado delicioso!

REVISTA DA SUINOCULTURA • ago/SET 2013

46

Rendimento: • Per capita e para 10 porções.

Modo de preparo 1. Marinar o ossobuco em seus ingredientes em cubinhos (vinho, cenoura, cebola, alho, alho poró, sal e pimenta) por 12h. 2. Levar a uma assadeira coberta e assar a 150 graus por 5 h, retirar o papel alumínio e assar por mais 30min. 3. Cozinhar a massa em água e sal até o ponto al dente, jogar água fria para interromper a cocção e reservar, 4. Aquecer o azeite, dourar o alho e a cebola, acrescentar o louro e dourar mais. 5. Juntar os tomates com seu molho e deixar cozinhar por 4h. 7. Após 4h deixar reduzir, acrescentar o sal e pimenta e servir com a massa.


O mais moderno e confiável controle em Sincronização estral

Regumate®

Composto de um progestágeno sintético, o Altrenogest, que tem uma ação fisiológica análoga da progesterona.

MSD Saúde Animal

0800 70 70 512 www.msd-saude-animal.com.br

A orientação do Médico Veterinário é fundamental para o correto uso dos medicamentos. MSD Saúde Animal é a unidade global de negócios de saúde animal da Merck & CO, Inc.


Revista da Suinocultura - 9ª edição  

Revista da Suinocultura, veículo de comunicação da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS)

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you