Page 1

Revista

da

Suinocultura PUBLICAÇÃO BIMESTRAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE SUÍNOS • ANO 5 • Nº 23 • Abr/Mai • 2017

AGENDA PARLAMENTAR DA SUINOCULTURA DEFINE PRIORIDADES DO SETOR ABCS REÚNE AS PRINCIPAIS DEMANDAS DA SUINOCULTURA BRASILEIRA PARA O LEGISLATIVO

AVESUI 2017 LANÇAMENTO DE CONTEÚDO INÉDITO DE GASTRONOMIA REÚNE GRANDE PÚBLICO

XVII SNDS Edição discutirá A TRANSFORMAÇÃO DA CADEIA SUINÍCOLA BRASILEIRA Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br


VOCÊ NO

VOCÊ NO

CONTROLE

CONTROLE DAS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS DOS SUÍNOS

DAS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS DOS SUÍNOS

Antibiótico injetável a base de tildipirosina, para tratamento e prevenção das doenças respiratórias dos suínos.

AntibióticoDIAS injetável a base de tildipirosina, DE AÇÃO NOS PULMÕES para tratamento e prevenção das doenças respiratóriasIMPORTANTES dos suínos. PATÓGENOS

17 4 1

17 9

COMBATIDOS

DOSE ÚNICA 1ML/10KG DE PESO CORPORAL

DIAS DE AÇÃO NOS PULMÕES

DIAS DE CARÊNCIA APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO

4

IMPORTANTES PATÓGENOS COMBATIDOS

1

DOSE ÚNICA 1ML/10KG DE PESO CORPORAL

Trabalhe conosco, acesse o site: www.msd-saude-animal.com.br


E

EDITORIAL

Marcelo Lopes Presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos

© 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei nº 9.610/1998).

sta edição da Revista da Suinocultura traz as principais atividades da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) durante os últimos meses. Sabemos que 2017 será um ano de muitos entraves, afinal o país vive uma crise institucional que trouxe graves consequências. A instabilidade econômica e a corrupção sistêmica têm predominado nas páginas dos noticiários nacionais e até internacionais, contexto que gera descredito e afeta diretamente toda a sociedade brasileira. Os cenários são incertos e turbulentos e nos do agronegócio também estamos colhendo os frutos dessa recessão instalada no país. Com o objetivo de gerar maior sustentabilidade e melhorar a conjuntura na suinocultura brasileiras, a ABCS em 2017 irá acompanhar, ainda mais de perto, os principais Projetos de Leis do Congresso Nacional. Dessa forma, a Entidade da lançou no primeiro trimestre de 2017 a Agenda Parlamentar da Suinocultura. O material abrange temas de diversos Projetos de Lei nas áreas trabalhista, econômica, ambiental, bem-estar animal e técnica. Nesta edição a ABCS destaca os Projetos trabalhista e ambiental. Também atuamos fortemente em ações de marketing, como a realizada na Feira da Indústria Latino-Americana de Aves e Suínos 2017 (AveSui), em Florianópolis (SC). O evento Sabor e Saúde – Um Encontro da Carne Suína com a Gastronomia e a Nutrição reuniu mais 350 multiplicadores e a programação contou com a participação do chef e apresentador Carlos Bertolazzi. No evento a ABCS realizou o lançamento de vídeos e cartilhas de receitas clássicas e práticas com carne suína. O material foi desenvolvido por uma empresa especializada em consumo, que após um intenso processo de pesquisa e testes com diversos cortes suínos e preparos, criaram 30 receitas que serão sucesso nas cozinhas. Mais uma vez a ABCS surpreendeu o público presente mostrando as oportunidades que a proteína oferece. Confira também nesta edição, outras ações de marketing com o foco na gastronomia, como o Capital Meating. Boa leitura a todos!

Informações e contatos Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae Unidade de Atendimento Setorial Agronegócios SGAS 605 - Conjunto A - CEP: 70200-904 - Brasília/DF Telefone: (61) 3348-7799 www.sebrae.com.br PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO NACIONAL

Robson Braga de Andrade

DIRETOR EXECUTIVO

Sede Brasília / Setor de Indústrias Gráficas Quadra 01 | Lote 495 |Ed. Barão do Rio Branco Sala 118 | CEP: 70610-410 www.abcs.com.br escbrasilia@abcsagro.com.br

DIRETOR-PRESIDENTE DIRETORA TÉCNICA

DIRETOR DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS

Vinicius Lage

GERENTE

Augusto Togni de Almeida Abreu

CONSELHEIRO TÉCNICO CONSELHEIRO DE RELAÇÕES DE MERCADO

Valdecir Folador/RS

CONSELHEIRO ADMINISTRATIVO

Paulo Hélder Braga/CE

GESTORA TÉCNICA

UNIDADE DE COMUNICAÇÃO GERENTE

Maria Cândida Bittencourt

JORNALISTA RESPONSÁVEL

CONSELHEIRO PRESIDENTE

José Arnaldo Cardoso Penna/MG

EQUIPE TÉCNICA GESTOR NACIONAL

João Fernando Nunes de Almeida Cláudia Alves do Valle Stehling

UNIDADE DE ATENDIMENTO SETORIAL AGRONEGÓCIOS

Paulo Lucion/MT

CONSELHEIRO FINANCEIRO

Gustavo Reis Melo

Heloisa Regina Guimarães de Menezes

Nilo Chaves de Sá

Marcelo Lopes/DF

GERENTE-ADJUNTO

Guilherme Afif Domingos

Danielle Sousa Luciana Lacerda

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO

Duo Design

EXPEDIENTE


SUMÁRIO

8

C A PA AGENDA PARLAMENTAR DA SUINOCULTURA É DIRETRIZ DA ABCS JUNTO AO LEGISLATIVO

20

ABCS ENTREGA LEVANTAMENTO DE RESULTADOS DO PROTOCOLO DE INTENÇÕES COM MAPA

36

PROJETO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA SUINOCULTURA

EMPRESA AMIGA

12

14

EXPORTAÇÕES DE CARNE SUÍNA SUPERAM RESULTADO DE 2016 NO 1º QUADRIMESTRE

22 28

LANÇAMENTO DE CONTEÚDO INÉDITO DE GASTRONOMIA REÚNE GRANDE PÚBLICO NA AVESUI 2017

REDE COMPER CONFIRMA PARTICIPAÇÃO INÉDITA NA SEMANA NACIONAL DA CARNE SUÍNA

• Estudantes de nutrição da Anhanguera DF conhecem benefícios da carne suína

GOIÁS

GPA RENOVA PARCERIA COM A ABCS NA SEMANA NACIONAL DA CARNE SUÍNA DE 2017

45 MCassab

CEARÁ • ASCE realizará ações com carne suína na XXI PecNordeste

SÃO PAULO • APCS reúne produtores em comemoração dos 50 anos da entidade

45 Mig-Plus

ENTRE AMIGOS

06 ABCS participa da premiação os Melhores da Suinocultura Agriness

42 Agriness: tornando o pensamento+1 uma realidade

07 II SIMPORK em Jaboticabal (SP) discute Lei da Integração

SNDS IRÁ DISCUTIR A TRANSFORMAÇÃO DA CADEIA SUINÍCOLA BRASILEIRA

• Favesu chega a sua quarta edição

GIRO ABCS

07 ABCS participa de Seminário Técnico na AveSui 2017

32

ESPÍRITO SANTO

• Suinocultura é destaque na 2ª Expopec em Porangatu (GO)

06 ABCS discute Funrural em audiência no Congresso Nacional

30

• Ação de marketing valoriza a carne suína em pré-carnaval de Ponte Nova • Astap realiza 33ª edição do Encontro Técnico Gerentes em Ação em Patrocínio (MG)

• Tapurah (MT) recebe 4ª Festa do Leitão no Rolete com apoio da Acrismat

44 Desvet

CADECS E DO FONIAGRO SÃO TEMAS DE DEBATE DA ABCS E OUTRAS ENTIDADES

MINAS GERAIS

MATO GROSSO

44 Agriness

FEBRE AFTOSA: UMA BARREIRA QUE PRECISA SER DERRUBADA

• AGS participa de Curso Vivência de Cozinha Raiz em Pirenópolis (GO)

DISTRITO FEDERAL

16

42 Phibro: Stafac® melhora o nível nutricional do leite da porca 43 High Quality Pork Congress debate os pilares da suinocultura no mundo 43 Stefan Mihailov é o novo General Manager da Trouw Nutrition Brasil

46

LASANHA DE PERNIL


Juntas, apoiando a suinocultura brasileira.

Temos orgulho em fazer parte do dia-a-dia do produtor rural. Trabalhamos constantemente para entregar as melhores soluções em nutrição animal, empenhados na missão de Alimentar o Futuro! Conheça nossa linha completa em www.trouwnutrition.com.br


GIRO ABCS

ABCS PARTICIPA DA PREMIAÇÃO OS MELHORES DA SUINOCULTURA AGRINESS RESULTADOS COMPROVAM AUMENTO DE PRODUTIVIDADE DA SUINOCULTURA BRASILEIRA

A

Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) participou no final de abril da premiação os Melhores da Suinocultura Agriness. O evento realizado pela Agriness, uma das Empresas Amigas da Suinocultura, teve sua 9ª edição e bateu um novo recorde este ano com mais de 1300 granjas participantes, que representam um plantel de mais de 1 milhão de matrizes do Brasil e da Argentina. E entre os resultados surpreendentes, foi alcançado um novo recorde em produtividade, mensurado em número de leitões desmamados por matriz ao ano. Neta edição o campeão Leitão de Ouro foi a Granja Capivari – AG AGRO Agricultura, Suinocultura e Pecuária, localizada em Bom Despacho – MG, com 35,56 desmamados/fêmea/ano. A premiação é considerada um benchmarking da América Latina em

PRESIDENTE DA ABCS, MARCELO LOPES E COORDENADORA DE MARKETING DA ENTIDADE ,LÍVIA MACHADO JUNTO A EQUIPE DA AGRINESS NA PREMIAÇÃO.

informações de produtividade do setor. O presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, parabeniza a premiação criada pela Agriness e destaca que competição traz para a suinocultura uma referência de transparência

e confiabilidade nos índices da produção. “Com 1 milhão de matrizes envolvidas, acredito que os resultados desse ano são inspiradores para os produtores, incentivando a produtividade nas granjas e trazendo números recordes para o setor de suínos”.

ABCS DISCUTE FUNRURAL EM AUDIÊNCIA NO CONGRESSO NACIONAL

A

Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) participou no mês de maio da Audiência Pública no Congresso Nacional com o foco em debater os possíveis efeitos do recolhimento por parte do empregador rural para o Fundo de Assistência ao Trabalho (FUNRURAL). Representando a suinocultura do Rio Grande do Sul estiveram presentes os suinocultores Mauro Gobbi e

6

o Sady Acadrolli, porém mais de 500 produtores rurais de todo o Brasil vieram acompanhar a Audiência. De acordo com o Supremo Tribunal Federal, há em trâmite mais de 15.000 ações judiciais onde muitos produtores rurais acreditando na jurisprudência até então consolidada pelo Supremo Tribunal Federal obtiveram decisões judiciais reconhecendo a inconstitucionalidade

da contribuição do empregador rural pessoa física ao Funrural. Muitos dos produtores de suínos se enquadram nesta situação, mas a ABCS juntamente com outras entidades do Instituto Pensar Agropecuária (IPA) vem buscando soluções políticas e jurídicas para essa decisão com o intuito de suavizar ao máximo os efeitos para seus produtores.


GIRO ABCS

ABCS PARTICIPA DE SEMINÁRIO TÉCNICO NA AVESUI 2017

O

diretor executivo da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Nilo Chaves de Sá, participou em abril do Seminário Técnico Avesui 2017 de Gestão Coletiva de Matrizes Suínas, realizado em Florianópolis (SC). Nilo apresentou os resultados do Protocolo de Intenções entre ABCS e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O levantamento resume todas as ações e materiais produzidos em virtude da

assinatura do Protocolo e mostra que foram mais de quatro mil produtores e colaboradores capacitados ao longo dessa Parceria Público-Privada. A publicação está disponível no site www. abcs.com.br. Além da apresentação da ABCS o Seminário contou com diversos painéis, como: Cenário nacional e internacional da gestação coletiva, os Desafios do manejo reprodutivo e nutricional em gestação e os Cases de empresas de equipamentos.

II SIMPORK EM JABOTICABAL (SP) DISCUTE LEI DA INTEGRAÇÃO

O

diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá, participou em abril do II Simpósio Internacional de Produção e Sanidade de Suínos (SIMPORK), no qual ministrou a palestra “Lei da integração agroindustrial: visão e experiências do produtor”, presente na programação do Painel “Produção de suínos e relacionamento indústria e produtores no Brasil”, mediado pelo presidente da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), Valdomiro Ferreira Júnior. Também participaram do painel o consultor da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Jurandi Machado, que falou sobre os destaques na produção e exportação da carne suína brasileira, e o gerente de sustentabilidade da JBS, Marcio Potazzo, que abordou a lei da integração na visão da agroindústria.

DIRETOR EXECUTIVO DA ABCS, NILO DE SÁ MINISTRA PALESTRA SOBRE LEI DA INTEGRAÇÃO AGROINDUSTRIAL.

O II SIMPORK foi organizado pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) no campus de Jaboticabal (SP). A UNESP é uma grande pesquisadora da suinocultura e trabalha em parceria

com a APCS, que desenvolvem em conjunto pesquisas e estudos visando a melhoria contínua da suinocultura do Estado de São Paulo.

7


AGENDA PARLAMENTAR

AGENDA PARLAMENTAR DA SUINOCULTURA É DIRETRIZ DA ABCS JUNTO AO LEGISLATIVO

O MATERIAL SERÁ REFERÊNCIA PARA O TRABALHO DESENVOLVIDO JUNTO AO LEGISLATIVO E TEM COMO FOCO PROJETOS DE LEI NA ÁREA TRABALHISTA E AMBIENTAL

O

planejamento Político e Institucional da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) trouxe como foco para 2017 a Agenda Parlamentar com os principais Projetos de Leis que estão tramitando no Congresso Nacional referente aos interesses da cadeia suinícola. A Agenda é uma forma de guia, que serve tanto para as lideranças do setor acompanharem de perto o trabalho desenvolvido pela ABCS junto ao legislativo, quanto para os deputados e senadores, pois é uma forma de informá-los sobre as necessidades e entraves do setor que precisam ser deliberados. O presidente da Frente Parlamentar Mista da Suinocultura, o deputado federal Covatti Filho, ressalta a importância

8

do material para o trabalho desenvolvido nas comissões. “A agenda é uma ferramenta a mais para que possamos nos empenhar no acompanhamento dos projetos e, sempre que precisar, pressionar para ajustar ementas e beneficiar este setor que é de suma importância para o Brasil”. O diretor corporativo de agropecuária da Seara, do grupo JBS, José Antonio Ribas, destaca a ação da ABCS como exemplo do que precisa ser feito no setor e a importância de assuntos relevantes para todo o sistema de produção. “Discutir temas como as questões trabalhistas e ambientais presentes na agenda são extremamente necessários para mostrar transparência e evoluir constantemente”.

O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, comenta sobre a atual crise econômica e política do país e frisa a necessidade de união de toda a cadeia produtiva brasileira. “Precisamos caminhar unidos e mostrar ao mundo e ao consumidor brasileiro a qualidade do que produzimos aqui. A Agenda Parlamentar da Suinocultura vem em um momento oportuno para que possamos estar organizados e partir para uma agenda positiva em prol do nosso setor e todo agronegócio brasileiro”. O material abrange temas diversos como Projetos de Lei (PL) nas áreas trabalhista, econômica, ambiental e bemestar animal. Nesta matéria a ABCS destaca apenas quatro dos Projetos de Leis


AGENDA PARLAMENTAR

que são pontuados na Agenda Parlamentar: dois na área trabalhista e dois na área ambiental.

Projetos de Lei Área Trabalhista O Projeto de Lei 6787/2016 trata das normas reguladoras do trabalho rural, no qual prevê alterações na regulamentação do intervalo interjornada e horas In Itinere a fim de trazer maior segurança jurídica e dinamismo ao processo produtivo. No PL, que foi aprovado no final de abril na Câmara dos Deputados, ficou claro que os Acordos Coletivos irão prevalecer sobre a Lei no caso do intervalo interjornada, o que beneficia a suinocultura, especialmente nas integrações, quando do recebimento de ração e carregamento ou descarregamento de animais. Desta forma, após a promulgação da Lei as regiões produtivas, através de suas Associações Estaduais ou Regionais poderão procurar o sindicato dos trabalhadores e negociar estes acordos. Já, no que tange as horas In Itinere, fica claro que o percurso até o trabalho não será computado nas horas trabalhadas por não estar o trabalhador a serviço do empregador durante seu deslocamento. A ABCS defende a negociação coletiva como meio de auxiliar a adequação do processo produtivo à realidade das atividades desempenhadas, prevalecendo a saúde do trabalhador e suas garantias. É interesse da suinocultura a flexibilização do intervalo intrajornada em casos emergenciais. Na área trabalhista, também é destaque o Projeto 6442/2016, específico para as atividades desempenhadas na área rural. Dentre os principais, está o parágrafo quinto do artigo quinto que deixa claro que diante de necessidade imperiosa ou na ocorrência de situações emergenciais peculiares, ainda

que previsíveis, o período mínimo de descanso intrajornada poderá ser alterado, devendo a diferença ser compensada em período de descanso subsequente a cessação do motivo que lhe deu causa. Esse esclarecimento vem ao encontro da Reforma Trabalhista ampla, para todos os setores, a qual está sendo tratada no Projeto 6787/2016. Em conjunto, os projetos trarão maior segurança jurídica aos empreendedores rurais. O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Nilson Leitão (PSDB - MT) é autor do projeto 6442/2016 e explica que que durante décadas, a relação de trabalho rural não teve valor jurídico para ser tutelada no mesmo parâmetro da relação de trabalho urbano.

“A lei vigente, de 1973, já conta com mais de 40 anos e pouco melhora as condições de trabalho no campo. A nova norma reguladora do trabalho rural dá dinamismo ao setor, assegura a melhoria da qualidade de vida do trabalhador rural e regulariza os contratos de trabalho, considerando as características do agronegócio”. Deputado Federal, Nilson Leitã

Confira a Agenda Parlamentar completa aqui

Projetos de Lei Área Ambiental “A lei vigente, de 1973, já conta com mais de 40 anos e pouco melhora as condições de trabalho no campo. A nova lei dá dinamismo ao setor, assegura a melhoria da qualidade de vida do trabalhador rural e regulariza os contratos de trabalho, considerando as características do agronegócio”, afirma o deputado Nilson Leitão. Os Projetos de Lei da área ambiental também serão pontos fortes de trabalho dos parlamentares em 2017. A ABCS destaca as ementas do PL 3729/2004, que dispõe sobre o licenciamento ambiental no que tange aos prazos de validade das licenças. Já o PL 7143/2017, que trata da Política Nacional do Meio Ambiente e prevê procedimentos diferenciados e específicos às categorias de enquadramento dos empreendimentos e atividades, considerando sua natureza, porte e potencial poluidor. Os dois irão tramitar em conjunto na Câmara e, segundo os parlamentares, devem ser aprovados ainda no primeiro semestre de 2017. O deputado Valdir Colatto (PMDB – SC), que já foi relator do PL 3729, na Comissão de Meio Ambiente, explica que há uma grade instabilidade

9


AGENDA PARLAMENTAR

no cenário político para sua aprovação devido a visões diferentes sobre o tema dentro do próprio governo. “O PL está sendo estudado pela Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), mas ele ainda não está pronto para ir para a pauta. Hoje, o Projeto da área ambiental se encontra na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), para ser estudado e decidido daí segue para o Plenário”, explica o deputado. A intenção da bancada ruralista, contudo, é agilizar o processo de licenciamento para áreas rurais, estabelecendo que o produtor precisará de licença apenas para abrir sua área, mas não para cada uma das atividades que desempenhará lá dentro, desde que respeitados o Código Florestal e demais legislações especificas. Para a pecuária intensiva, na qual se enquadra a suinocultura, o futuro ainda é incerto devido aos resíduos gerados na produção. A tentativa será

“Esperamos que até a metade do ano, o PL da área ambiental possa caminhar e garantir que Agricultura e Pecuária não precisem de licença ambiental. No caso específico da suinocultura, pleiteamos que a renovação seja automática, quando não tiver alteração no projeto e que essa seja competência do estado, ou dos municípios para fazer as licenças ambientais”. Deputado Federal, Valdir Colatto (PMDB – SC) a de facilitar o processo de licenciamento de acordo com as tecnologias e medidas mitigadoras empregadas para reduzir os impactos ambientais dos dejetos. “Hoje o Brasil tem que se libertar de uma pressão ideológica para que as decisões sejam técnicas e cientificas e não ideológicas, pois o país precisa avançar”, frisa Colatto. Para o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, 2017 será um ano com muitos

debates no Congresso Nacional, mas assegura que o departamento Político Institucional da ABCS irá representar o setor com posicionamentos que garantam a sustentabilidade da produção de suínos no Brasil. “O país vive uma crise institucional, mas a união do setor por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura com certeza continuará trazendo resultados eficazes e que beneficiem toda a cadeia suinícola”.

LANÇAMENTO DA AGENDA PARLAMENTAR EM BRASÍLIA CONTOU COM A PRESENÇA DO SECRETÁRIO DE POLÍTICA AGRÍCOLA DO MAPA E COM DEPUTADOS E SENADORES 10


MERCADO EXPORTAÇÕES

EXPORTAÇÕES DE CARNE SUÍNA SUPERAM RESULTADO DE 2016 NO 1º QUADRIMESTRE PREÇOS NO MERCADO INTERNO CONTINUAM ESTÁVEIS, MAS EM PATAMARES MAIORES DO QUE NOS ANOS ANTERIORES

O

Brasil exportou 198 mil toneladas de carne suína in natura no primeiro quadrimestre de 2017. O resultado é ligeiramente (1% superior) ao recorde histórico de 192,6 mil toneladas atingido no ano passado. O saldo confirma a total recuperação das exportações do produto, grande preocupação do setor após a divulgação dos resultados de operação da Polícia Federal, em meados de março. O diretor executivo da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Nilo de Sá, explica que o volume exportado em abril, 44,5 mil toneladas, sofreu retração de 18,7% em relação a março. “ O motivo da redução se deu principalmente por um menor número

12

de dias úteis (23 em março contra 18 em abril). Entretanto, a média diária exportada em abril (2,47 mil ton/dia) foi superior a de março (2,38 mil ton/dia), deixando claro que a redução no volume exportado deve-se somente a questões operacionais”, esclarece de Sá. Se por um lado houve redução de volume, os preços internacionais seguem em franca recuperação. No mês de abril a carne suína foi exportada a um preço médio de U$2.714,00/ tonelada, aumento de 43,6% em relação a abril de 2016 e 7,6% comparado a março/17. “Essa valorização levou a um aumento do valor das exportações de 21% quando comparado ao mesmo mês do ano anterior, indo de 99,96 para

120,9 milhões de dólares”, frisa o diretor executivo da ABCS. A Rússia permanece como principal destino da carne suína brasileira, respondendo por 43% do volume exportado até o momento. Hong Kong (15,5%), China (10,1%), Argentina (6,6%) e Cingapura (5,4%) completam o rol dos principais clientes, que juntos são responsáveis por cerca de 80% da exportação nacional. O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, pontua que esse “bom desempenho no 1º quadrimestre mantém positiva a expectativa para o resultado anual, com possibilidade inclusive de superar o recorde de 733 mil toneladas alcançado em 2016”. Lopes ressalta


MERCADO EXPORTAÇÕES

50,00 40,00 30,00 20,00 10,00

2016

2017

DEZEMBRO

NOVEMBRO

OUTUBRO

SETEMBRO

AGOSTO

JULHO

JUNHO

MAIO

ABRIL

MARÇO

FEVEREIRO

0,00

Fonte: MDIC

EVOLUÇÃO DO PREÇO DO SUÍNO VIVO ENTRE DEZEMBRO A ABRIL DE 2008 A 2017 (BASE MG) 5,5 5 4,5 4 3,5 3 2,5 2 1,5

DEZ

JAN

FEV

MAR

2016/2017

2015/2016

2014/2015

2013/2014

2012/2013

2011/2012

1 2010/2011

O preço do suíno vivo nos principais mercados independentes, Minas e São Paulo, manteve-se praticamente estável entre abril e início do mês de maio. Embora mostrem uma redução de mais de 20% comparado a fevereiro, os preços atuais são mais de 15% superiores ao mesmo período do ano passado. “O que se tem observado em 2017 é a manutenção dos preços em patamares superiores as médias históricas, que usualmente mostram constante redução de dezembro a maio”, explica o presidente Lopes. O mercado de milho tem trazido certa tranquilidade ao setor, após ser o grande responsável pelos prejuízos sofridos em 2016. De acordo com a Conab, a safra de milho irá pela primeira vez superar as 90 milhões de toneladas. Com o real valorizado frente ao dólar, as exportações não devem acompanhar o mesmo ritmo de crescimento, sendo estimadas em 24 milhões de toneladas. A conjuntura aponta para o mercado interno bem abastecido, inclusive com estoque de passagem também atingindo um patamar recorde, de quase 20 bilhões de toneladas. O presidente da ABCS explica que o panorama deste ano para a suinocultura se mantém favorável aos produtores devido a alta das exportações, preço do suíno vivo estável e custos com tendência de queda. “Para nos produtores é o momento de recuperar as perdas sofridas no passado e voltar a investir na constante busca por uma maior eficiência, um dos pilares para suportar as crises tão recorrentes na cadeia”, destaca Marcelo Lopes.

70,00 60,00

JANEIRO

Mercado Interno

EXPORTAÇÕES MENSAIS DE CARNE SUÍNA IN NATURA EM 2016 E 2017

2009/2010

ainda que o desempenho das exportações tem sido fundamental para a sustentação dos preços no mercado interno, que ainda enfrenta dificuldades devido a recessão econômica.

Fonte: Agroceres PIC

13


ARTIGO

FEBRE AFTOSA UMA BARREIRA QUE PRECISA SER DERRUBADA POR NILO CHAVES DE SÁ, DIRETOR EXECUTIVO DA ABCS

14

D

urante o mês de maio, a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) acompanhou diversas reuniões promovidas pelo Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA para debater, com os setores interessados, a proposta inicial do Plano Estratégico do Programa Nacional de Febre Aftosa (PNEFA) que pretende tornar o Brasil um país livre da febre aftosa sem vacinação nos próximos 10 anos.


ARTIGO

Segundo o Ministério, na última década, o país se destacou no mercado mundial de produtos de origem animal devido ao melhoramento progressivo da situação sanitária do seu rebanho animal, além da inegável qualidade dos produtos exportados. Porém, para que possamos avançar neste mercado e galgar novas posições perante nossos importadores, é necessária uma mudança qualitativa no status sanitário do país para febre aftosa, que poderá ser alcançado com o reconhecimento de país livre sem vacinação. Na avaliação de membros do órgão a manutenção do status de país livre com vacinação por muitos anos sem nenhuma perspectiva de avanço neste cenário pode gerar desconfiança dos compradores de que ainda há circulação interna do vírus, a qual não possui evidências clínicas devido ao seu rebanho bovino ser imunizado anualmente com a vacina. Neste sentido, a retirada da vacina mostra a confiança no Serviço Veterinário Oficial (SVO) e a segurança do setor produtivo em seu sistema operacional e de controle de doenças. O Mapa ressalta que o Plano está alinhado com o Código Sanitário para os Animais Terrestres, da Organização Mundial de Saúde Animal - OIE, e as diretrizes do Programa Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (Phefa), em prol também da erradicação da doença na América do Sul. Neste sentido, o pioneirismo do Brasil em retirar a vacina,

PRINCIPAIS EIXOS DE AÇÃO DO PNEFA

é necessário para que países vizinhos também avancem em seus programas de controle sanitário construindo um cenário internacional mais seguro para o setor produtivo brasileiro. De acordo com o PNEFA, a retirada da vacina ocorrerá de forma regionalizada, com início em 2019 e conclusão em 2023. Para isso, foram levados em conta critérios geográficos, técnicos, estratégicos e estruturais, os quais delimitaram o território nacional em cinco blocos que avançarão gradativamente a condição de livres de febre aftosa sem vacinação. Este processo passará por etapas como a ampliação das capacidades dos Serviços Veterinários, o fortalecimento do sistema de vigilância em saúde animal e, por fim, a realização da transição de zona livre de febre aftosa com vacinação para sem vacinação no país. Todavia estes avanços, além de ensejarem mudanças no modo operacional de se monitorar casos suspeitos da doença por parte dos produtores e dos sistemas veterinários oficiais, trazendo maior responsabilidade e necessidade de cooperação entre os mesmos, provocam também uma remodelagem do sistema de financiamento atual, devendo contemplar novas alternativas de aportes financeiros, públicos e privados, a fim de trazerem a tranquilidade e a segurança da qual o setor produtivo depende para seguir implantando o Plano.

No que concerne especificamente ao mercado de suínos, a ABCS avalia o Plano como extremamente benéfico do ponto de vista mercadológico. Após o reconhecimento internacional de país livre de febre aftosa sem vacinação a tendência natural do mercado é abrir nossas exportações para novos mercados, mais exigentes e competitivos, e permitir a compra de unidades industriais com sede em todos os estados da federação e. Hoje, existem alguns mercados que restringem a importação a animais abatidos apenas em Santa Catarina, única zona livre sem vacinação do país. Do ponto de vista sanitário e operacional da produção suinícola pouco será alterado, uma vez que os suínos não são vacinados para a febre aftosa. Porém, a retirada da mesma no rebanho bovino demonstra a confiança do controle promovido pelo Serviço Veterinário Oficial, fortalecendo nossas barreiras contra nova ocorrência do vírus e trazendo maior segurança aos produtores de todas as cadeias e aos importadores. Por fim, a ABCS apoia a iniciativa do MAPA e acompanhará todo o processo evolutivo de implantação do Plano contribuindo com o que lhe couber para que este seja construído em uma base sólida e conte com o apoio e a cooperação dos produtores para operar as mudanças e avanços necessários visando o crescimento econômico da cadeia.

Interação com as partes interessadas no Programa de Prevenção da febre Aftosa;

Ampliação das capacidades dos Serviços Veterinários Oficiais, principalmente para detecção precoce e reposta rápida às emergências, alcançando todo país até 2022;

Fortalecimento do Sistema de Vigilância em Saúde Animal;

Realização da transição de zona livre de febre aftosa com vacinação para retirada da vacina no país até 2026. 15


REUNIÃO INTEGRADO

CADECS E DO FONIAGRO SÃO TEMAS

DE DEBATE DA ABCS E OUTRAS ENTIDADES REPRESENTANTES ESTIVERAM REUNIDOS POR DOIS DIAS NA SEDE DA CNA, EM BRASÍLIA

P

ara debater temas de interesse dos produtores integrados a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) participou na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) de reuniões estratégicas sobre a formalização do Fórum Nacional de Integração Agroindustrial (FONIAGRO), a implantação das Comissões de Acompanhamento, Desenvolvimento e Conciliação da Integração (CADEC) e o andamento dos contratos de integração nas diferentes regiões. A primeira reunião ordinária do Departamento Nacional de Integração da ABCS aconteceu no 1º trimestre, o qual contou com produtores de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande

16

do Sul e Santa Catarina. de integração nas diferentes regiões. Ao final da reunião determinou-se a necessidade de se implantar o FONIAGRO ainda no primeiro semestre deste ano. Para isso, foi sugerida a realização de uma reunião presidida pela CNA e ABCS com os representantes da indústria para determinar o prazo de implantação do Fórum. O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, explica que a criação do Fórum não pode mais ser postergada e por isso a necessidade de estabelecê-lo ainda no primeiro semestre deste ano. “A ABCS busca a criação do FONIAGRO por ser uma determinação da Lei de Integração, aprovada em maio de 2016, e que visa trazer o equilíbrio entre os produtores e agroindústria”.


REUNIÃO MISSÃO INTEGRADO

Também ficou alinhado que os produtores precisam garantir sua representatividade legítima nas CADECs que estão sendo formadas, ou seja, as mesmas devem contar com representantes escolhidos pelos produtores e pela associação local que os represente, devendo estes comunicar suas atividades aos demais produtores a fim de garantir a transparência no processo de gerenciamento dos contratos de integração vigentes e dos novos contratos que serão assinados. Por último, cada representante comentou sobre as atuais negociações com as integradoras a fim de trocar experiências e fortalecer a categoria. O presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul, Valdecir Luis Folador, afirmou que existe uma certa resistência por parte das integradoras, devido a experiência compartilhada por cada estado com relação a implementação das CADECs. “Esperamos que as Comissões cumpram seu papel de fazer um estudo técnico e econômico do setor, para que o produtor tenha a remuneração

mais justa dentro dos critérios estabelecidos para que a nossa produção tenha viabilidade econômica”. No segundo dia de reunião, os participantes acompanharam a reunião da Comissão Nacional de Aves e Suínos da CNA, a qual abordou estes e outros temas como Peste Suína Clássica (PSC), compartimentação da cadeia produtiva suinícola e destinação de animais mortos em estabelecimentos rurais. No que tange aos temas relativos à integração foi aprovado um modelo de regulamento para o FONIAGRO e de regimento interno para as CADECs, o qual, após validado com a indústria, será encaminhado a todas as regiões para orientar as Comissões já existentes e as que estão sendo formadas. A aprovação destes temas contou com o auxílio do corpo jurídico da CNA, que prestou diversos esclarecimentos e forneceu direcionamentos importantes aos produtores e associações presentes. Segundo o presidente da Associação Paranaense de Suinocultores, Jacir Dariva, a decisão da CNA e a da ABCS de orientarem juridicamente as negociações nas

“A ABCS busca a criação do FONIAGRO por ser uma determinação da Lei de Integração, aprovada em maio de 2016, e que visa trazer o equilíbrio entre os produtores e agroindústria”. Marcelo Lopes, presidente da ABCS CADECs é extremamente estratégica para o desempenho das atividades. “Agora as CADECs vão seguir de forma regulamentada e isso ajudará a padronizar o processo nos estados”. Outra decisão importante neste setor foi a de dar início, mesmo antes do

REUNIÃO DA COMISSÃO DE AVES E SUÍNOS DA CNA 17


REUNIÃO INTEGRADO

REPRESENTANTES DO SETOR REUNIDOS NA CNA

“É preciso avaliar a viabilidade e custos para a implantação e manutenção, mas é fato que o compartimento traz ainda mais segurança para o setor uma vez que aumenta a proteção sobre o status sanitário da cadeia e isso ajuda a preservar os mercados internacionais caso haja a ocorrência de doença”. Nilo de Sá, Diretor Executivo da ABCS

18

FONIAGRO, aos estudos para estabelecer uma metodologia de remuneração aos integrados. O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio Luiz de Lorenzi, disse que as discussões das reuniões são essenciais para padronizar o sistema de cobrança das indústrias. “Hoje não temos uma padronização dessa cobrança, os produtores acreditam que está faltando uma metodologia simplificada para que a classe possa entender melhor a rentabilidade do seu negócio, por isso a formatação do FONIAGRO vai trazer mais segurança as empresas, mais garantia para o produtor e será uma forma de resguardar a negociação”, explicou Lorenzi. Em relação aos demais temas, o consultor da CNA para sanidade, Décio Coutinho, esclareceu que será montado um grupo de trabalho entre setor privado e setor público, do qual a ABCS fará parte, para estudar a implantação de um compartimento no estado do Mato Grosso. O diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá, explicou que a comparti-

mentação permite a manutenção do status sanitário do seu rebanho caso haja um surto de alguma doença de notificação obrigatória, como PSC ou febre aftosa, no estado, zona ou país, no qual o compartimento está inserido. “É preciso avaliar a viabilidade e custos para a implantação e manutenção, mas é fato que o compartimento traz ainda mais segurança para o setor uma vez que aumenta a proteção sobre o status sanitário da cadeia e isso ajuda a preservar os mercados internacionais caso haja a ocorrência de doença”. No que tange a destinação de animais mortos o representante da EMBRAPA, Marcelo Miele, afirmou que há um grupo de trabalho envolvendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a própria EMBRAPA estudando o assunto a fim de mensurar os possíveis riscos sanitários relacionados ao aproveitamento das carcaças para a produção de farinha de carne e ossos, bem como os possíveis destinos deste produto.


CURSO DE GESTÃO PARA SUINOCULTURA. O ÚNICO PRÉ-REQUISITO É QUERER PRODUZIR MAIS.

Faça como os mais de 400 profissionais entre produtores, gerentes e técnicos que já foram capacitados no curso de Gestão para Suinocultura - Imersão no Pensamento+1 e estão obtendo melhores resultados e maior produtividade. Além dos excelentes resultados, 100% dos alunos que já fizeram este curso responderam em pesquisa que indicariam o curso para outro profissional.

TURMAS ABERTAS Confira as turmas de 2017 e inscreva-se: • Chapecó: 30 e 31 de maio • Mato Grosso: 20 e 21 de junho • Campinas: 19 e 20 de julho • Belo Horizonte: 20 e 21 de setembro • Toledo: 25 e 26 de outubro

PERFIL DOS ALUNOS QUE JÁ PARTICIPARAM DESTA FORMAÇÃO: 6% Supervisores 8% Veterinários 12% Técnicos 23% Proprietários 26% Gerente de granjas 22% Corporativo

academia.agriness.com


PROTOCOLO

ABCS ENTREGA LEVANTAMENTO DE RESULTADOS DO PROTOCOLO DE INTENÇÕES COM MAPA LEVANTAMENTO RESUME TODAS AS AÇÕES E MATERIAIS PRODUZIDOS EM VIRTUDE DA ASSINATURA DO PROTOCOLO

A

Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) desenvolveu um relatório com o levantamento dos resultados de ações realizadas nos últimos três anos por meio do Protocolo de Intenções com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O material foi entregue em abril para o secretário de Mobilidade Social, do Produtor Rural e Cooperativismo da pasta, José Dória, com o balanço de ações desenvolvidas com foco em boas práticas agropecuárias e o bem-estar animal da suinocultura. Ao todo foram capacitados 4.111 produtores e colaboradores. O resumo relata também os caminhos tomados

20

pelas entidades para sugerir a adoção de boas práticas na suinocultura de forma gradual e com amparo de linhas de crédito e de políticas públicas alinhadas as diversidades regionais do país. O secretário José Dória afirmou que as ações realizadas foram ao encontro dos projetos da Comissão de Bem-Estar Animal e do Departamento de Desenvolvimento das Cadeias Produtivas e Sustentabilidade da Secretaria de Mobilidade Social, do Produtor Rural e do Cooperativismo (SMC) do Ministério. “O resumo das atividades produzido pela ABCS por meio do Protocolo mostra a qualidade e o engajamento do trabalho realizado pela

Parceria Público-Privada. Com certeza foi uma entrega eficiente e consolidada”, disse o secretário Dória. O objetivo do protocolo é fomentar as boas práticas agropecuárias e o bem-estar animal da suinocultura por meio da capacitação e qualificação dos associados, colaboradores e fornecedores de serviços e produtos ao setor suinícola. O diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá, explicou durante a reunião a importância das ações conjuntas e o alinhamento dos discursos entre MAPA e ABCS para fomentar o desenvolvimento da atividade. “Estamos promovendo as boas práticas e a adoção do bem-estar animal, não é


PROTOCOLO

O resumo relata também os caminhos tomados pelas entidades para sugerir a adoção de boas práticas na suinocultura de forma gradual e com amparo de linhas de crédito e de políticas públicas alinhadas as diversidades regionais do país. um trabalho rápido, mas de forma harmônica vamos levando essas informações e adequando a realidade dos nossos produtores”, destacou de Sá. A parceria entre a ABCS e o MAPA terá continuidade nos próximos anos, nos quais estão previstos novas capacitações e palestras que abordem estas temáticas e divulguem o conhecimento e o material técnico produzido em torno

acesse: www.abcs.org.br. aba "Materiais ABCS" DOWNLOAD

do assunto. O MAPA e a ABCS pretendem, desta forma, auxiliar o produtor suinícola na sua adaptação às tendências de mercado, garantindo assim a sua sustentabilidade na atividade. O trabalho conjunto das duas instituições teve início em 2014 com as primeiras discussões sobre bem-estar animal e meio ambiente. A ABCS sempre levou ao órgão o posicionamento

do setor em relação a estas questões e mostrou interesse em conduzir o assunto de forma educativa e condizente com a realidade econômica e tecnológica de cada região, evitando assim legislações duras e impositivas e se preocupando com prazos longos e graduais de adaptação do setor produtivo aos anseios do mercado consumidor nacional e internacional.

“Estamos promovendo as boas práticas e a adoção do bem-estar animal. Não é um trabalho rápido, mas de forma harmônica vamos levando essas informações e adequando a realidade dos nossos produtores”. Diretor Executivo, Nilo de Sá MATERIAL ENTREGUE É RESULTADO DA PARCERIA ENTRE ABCS E MAPA 21


AVESUI

LANÇAMENTO DE CONTEÚDO

INÉDITO DE GASTRONOMIA REÚNE GRANDE PÚBLICO NA AVESUI 2017 ENCONTRO FOI MARCADO PELO LANÇAMENTO DE RECEITAS CLÁSSICAS E PRÁTICAS COM CARNE SUÍNA E POR PALESTRA DO CHEF E APRESENTADOR CARLOS BERTOLAZZI

S

audável, versátil e um excelente negócio. Assim foi apresentada a carne suína para mais de 350 multiplicadores durante o evento Sabor e Saúde – Um Encontro da Carne Suína com a Gastronomia e a Nutrição, realizado no final de abril na Feira da Indústria Latino-Americana de Aves e Suínos 2017 (AveSui), em Florianópolis (SC). A ação realizada pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) trouxe em sua programação a participação do chef e apresentador Carlos Bertolazzi e o lançamento de vídeos e cartilhas de receitas clássicas 22

e práticas com carne suína, surpreendendo o público presente com as oportunidades que a proteína oferece. Voltado para profissionais e estudantes de gastronomia e nutrição, participantes da feira e líderes da suinocultura, o encontro teve início com a palestra da nutricionista especializada em obesidade pela Universidade Federal de São Paulo, Marília Zagatto. Na oportunidade, ela falou sobre a importância do consumo de proteínas na alimentação humana e as vantagens da carne suína para a saúde, destacando os principais nutrientes


AVESUI

“A ABCS acredita na força de dialogar diretamente com os consumidores e formadores de opinião para elevar o nosso produto e dar o lugar que a carne suína merece na mesa dos brasileiros”. Marcelo Lopes, presidente ABCS

Fábrica de Casamentos, todos do SBT. Bertolazzi é um dos incentivadores da proteína suína e da sua inserção nos cardápios. “Venho intensificando meu trabalho com a carne suína e o retorno tem sido positivo. Assim como muitos chefs, tenho experimentado utilizar a diversidade de cortes em preparos diferenciados que tem surpreendido a todos”, explicou. O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, falou durante a abertura sobre a importância de diversificar a comunicação e focar ações de promoção da carne suína para profissionais e estudantes, futuros formadores de opinião, das áreas de nutrição e de gastronomia

para mostrar o potencial da carne suína e a qualidade da sua produção. “A ABCS acredita na força de dialogar diretamente com os consumidores e formadores de opinião para elevar o nosso produto e dar o lugar que ela merece na mesa dos brasileiros”. O coordenador do curso de gastronomia do Instituto Federal de Educação de Santa Catarina, Vilson Goes elogiou a ação e pontuou a importância do contato dos alunos com profissionais capacitados. “Utilizar o conteúdo aprendido é um desafio bem-vindo para os alunos se desenvolverem como chefs versáteis que o mercado exige”, pontuou.

encontrados no alimento, como as vitaminas do complexo B, ferro e zinco. Em seguida, foi a vez do chef e apresentador Carlos Bertolazzi contar um pouco da sua trajetória como chef, sua relação com a carne suína e seu trabalho como apresentador de TV em programas de gastronomia, como o Hells Kitchen - Cozinha sob Pressão, o qual ele apresentou durante três temporadas, o BBQ Brasil e atualmente o 23


AVESUI

Lançamento das cartilhas Além das palestras, o encontro foi palco de mais uma entrega do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), o lançamento de vídeos e receitas clássicas e práticas com carne suína. Inédito, o conteúdo foi desenvolvido por uma empresa especializada em consumo, que após um intenso processo de pesquisa e testes com diversos cortes suínos e preparos, chegaram a 30 receitas que são garantia de sucesso na cozinha, como a lasanha de pernil, o arroz caipira com copa-lombo e o lombo rolê. As receitas foram distribuídas em duas cartilhas, prática e clássica, e dez dessas receitas foram

adaptadas para vídeos rápidos e dinâmicos, que também foram lançados durante o evento e já disponíveis no site www. maiscarnesuina.com.br. A coordenadora de marketing da ABCS, Lívia Machado, explica que o processo permitiu desenvolver receitas práticas com combinações de ingredientes que realçam o sabor da carne suína, além de versões de receitas clássicas que já caíram no gosto do brasileiro, como escondidinho e o famoso bife a cavalo. “Em mais uma entrega inédita, nosso objetivo foi mostrar para os consumidores como a carne suína pode ser saborosa, versátil e sem abrir mão da praticidade exigida no dia a dia dos brasileiros. São receitas que poderão compor o cardápio diário, aumentando a presença da proteína nos lares”. A ação foi realizada pela ABCS, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), e em parceria com Sebrae Nacional e a Gessulli Agribusiness.

"Em mais uma entrega inédita, nosso objetivo foi mostrar para os consumidores como a carne suína pode ser saborosa, versátil e sem abrir mão da praticidade exigida no dia a dia dos brasileiros. São receitas que poderão compor o cardápio diário, aumentando a presença da proteína nos lares”. Coordenadora de Marketing da ABCS, Lívia Machado

A PALESTRA NUTRICIONAL FALOU SOBRE A IMPORTÂNCIA DA PROTEÍNA NA ALIMENTAÇÃO DIÁRIA.

24


SAÚDE CAPITAL MEATING

ABCS PROMOVE CARNE SUÍNA NO CAPITAL MEATING

EVENTO REUNIU PROFISSIONAIS E AMANTES DO CHURRASCO NA CAPITAL FEDERAL

A

carne suína foi um dos protagonistas do Capital MEATing, 1° Congresso Nacional de Carnes e Churrasco, realizado no final do mês de abril, em Brasília (DF). O evento destinado a profissionais e amantes do churrasco contou com o apoio da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e da Associação dos Criadores de Suínos do Distrito Federal (DFSuin), que promoveram um curso de cortes com foco em churrasco e colaboraram com a estação do chef Carlos Tossi, que preparou porco defumado durante o Festival de Carnes e Churrasco, no último domingo. Em sua primeira edição, o Capital MEATing contou com dois dias de aulas e palestras e um de apreciação de diversos cortes de carnes

preparados por renomados chefs, com ênfase para a carne suína, que teve destaque em parte da programação e foi o prato principal de três estações no festival. A idealizadora do evento, Isabela Oliveira, vencedora do reality show BBQ Brasil – Churrasco na Brasa do SBT, explica que o Capital MEATing tem como principal objetivo destacar a carne brasileira, a seriedade da produção e incentivar o mercado de carnes no país. De acordo com Isabela, a proteína suína teve seu espaço garantido na programação, repleta de profissionais renomados, por ter o maior potencial de aproveitamento. “Temos que valorizar a carne suína e mostrar que ela pode sim fazer parte do churrasco e ser preparada de diversas maneiras.

Sentimos a necessidade de explorar a proteína e sua variação de cortes em nossos cursos e a ABCS teve um papel importante nesse trabalho”. Um dos cursos mais aguardados foi o curso de desossa de suínos, o conceituado açougueiro inglês Steve West e com o consultor de cortes da ABCS Marcos Bisinella. West mostrou os cortes mais populares da Europa, deu dicas de preparo e falou sobre a versatilidade da carne suína. “Ela é a carne mais valiosa do mundo e tem excelente custo benefício, podemos aproveitar todo o animal e alimentar uma família durante dias”. Steve também estava curioso para aprender sobre os cortes brasileiros apresentados por Bisinella, que focou em opções de churrasco e deu diversas

25


CAPITAL MEATING

dicas para os participantes aproveitarem ao máximo a carne. “Destaquei cortes especiais como o prime rib, o porterhouse e outros com os ossos aparentes, que tem feito sucesso entre os profissionais do churrasco e proporcionando maior espaço da carne suína neste nicho”, explica Bisinella. O participante Marcio Guaranys elogiou a qualidade do conteúdo do curso e do material distribuído. “Vimos diferentes técnicas de cortes e o quanto essa variação influencia na comercialização e utilização do produto. Estou entrando no ramo e o curso e o manual de cortes que recebi serão importantes para o meu trabalho”, afirmou.

O SABOR DA CARNE SUÍNA NO FESTIVAL MEATING

A

lém do apoio na parte teórica, a ABCS levou o conceito Escolha + Carne Suína para o Festival MEATing. O evento reuniu 14 estações comandadas pelos palestrantes do congresso, que colocaram em prática todo o conhecimento repassado. Dentre as opções, três tiveram como carro chefe a carne suína, como é o caso da estação do chef Roberto Ravioli, que serviu porqueta, da chef Paula Labaki, que preparou sanduíche de copa lombo defumada e do chef Carlos Tossi, que contou com o apoio da ABCS e surpreendeu o público com um porco defumado. Tossi se define como um apaixonado por carne suína e pontuou o sabor, a facilidade de cocção e a qualidade da produção brasileira como justificativas. “Hoje com o melhoramento genético, com gente séria fazendo um trabalho sério, a gente ganha muito em qualidade. É uma carne saborosa, muito rica e que faz toda a diferença. O público procura muito por carne suína nos eventos de churrasco e é sempre um sucesso”. O Festival MEATing foi realizado à beira do Lago Paranoá e reuniu um público estimado em mil participantes. 26

“A carne suína é a mais valiosa do mundo e tem excelente custo benefício, podemos aproveitar todo o animal e alimentar uma família durante dias”. Steve West, açoqueiro inglês O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, explica a importância de incentivar e participar de ações voltadas para profissionais do churrasco e os ganhos para toda a cadeia. “A carne suína tem mostrado seu valor em diferentes nichos da gastronomia, sendo uma opção versátil e saborosa para o churrasco. Apoiar o Capital MEATing e levar informações relevantes sobre a preparação do nosso produto para profissionais e formadores de opinião trazem resultados importantes para todo setor”.


COMPER

SNCS

REDE COMPER CONFIRMA PARTICIPAÇÃO

INÉDITA NA SEMANA NACIONAL DA CARNE SUÍNA COM EXCELENTES RESULTADOS DE CRESCIMENTO EM DOIS ANOS SEGUIDOS, A BANDEIRA COMPER FIRMA PARCERIA COM ABCS PARA CAPACITAR COLABORADORES E INCREMENTAR A VENDA DE CARNE SUÍNA NA REDE

A

carne suína ganha destaque em mais uma grande rede de varejo do país. Os supermercados Comper, que fazem parte do Grupo Pereira, eleito pela Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) como a segunda rede de varejo que mais cresceu em 2016, confirmaram a participação na Semana Nacional da Carne Suína (SNCS) em setembro deste ano. O Comper também investirá em treinamentos e campanhas, junto a Associação Brasileira dos Criadores de 28

Suínos (ABCS), para a promoção e crescimento da proteína em suas 30 unidades espalhadas no Centro-Oeste. A expectativa da bandeira é que haja maior interação dos funcionários do açougue com os clientes, gerando um aumento significativo no volume de carne suína vendida. O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, considera positiva para todo o setor a parceria com a bandeira. “A SNCS é uma das maiores ações do Fundo Nacional do Desenvolvimento

da Suinocultura (FNDS) e a cada ano traz retornos significativos e diretos para toda a cadeia. A participação do Comper é uma grande conquista para o nosso setor, que este ano amplia a inserção da carne suína no varejo brasileiro”, afirma Lopes, que também pontua que o crescimento da SNCS é um excelente termômetro sobre penetração da carne suína nos lares brasileiros. “A ascensão da proteína como protagonista de uma campanha que reúne capacitação e promoção mostra que estamos


COMPER

no caminho certo para garantir nosso espaço no dia a dia dos consumidores”. Com o crescimento do espaço da carne suína na mesa do brasileiro, a rede de varejo identificou que a venda da proteína teve um incremento em volume de 20% no ano passado, quando comparado a 2015. A ascensão do consumo mostra que a carne está cada vez mais frequente no mercado e consequentemente no cardápio dos clientes. De acordo com o diretor comercial do Comper, Leonardo Myiao, a parceria com a ABCS vem em um momento oportuno para o incremento da venda da carne suína nas lojas da rede. “Nós temos um foco muito grande no desenvolvimento de perecíveis, em especial em nosso açougue e nos posicionamos bem com outras carnes. O trabalho proposto em parceria com a ABCS sem dúvida vai nos ajudar na comercialização e no crescimento da venda da carne suína em nossas lojas”. O diretor de perecíveis do Comper, Daniel Watanabe trabalha diretamente com o setor de açougue e reforça a importância de a rede participar da SNCS, evento anual da ABCS para promover a carne suína voltado para redes de varejo, principalmente no que tange a comunicação com o consumidor. “Sabemos que uma campanha estruturada como a da Semana Nacional da Carne Suína ajudará ainda

ABCS VISITA REDE COMPER

mais na comunicação dos benefícios e dos diferenciais da proteína, o que fará com que todos conquistem novos clientes que, por ventura, ainda tenham alguma restrição com relação ao consumo desse tipo de carne”.

Ações para o impulsionamento da carne suína na rede Comper A parceria entre a rede Comper e a ABCS abrange três frentes de atuação para promover a carne suína e apresentar a diversidade de cortes e vantagens nutricionais da proteína: Treinamentos de cortes suínos, palestras nutricionais e treinamento de promotoras de vendas. Para

“Nós temos um foco muito grande no desenvolvimento de perecíveis, em especial em nosso açougue e nos posicionamos bem com outras carnes. O trabalho proposto em parceria com a ABCS sem dúvida vai nos ajudar na comercialização e no crescimento da venda da carne suína em nossas lojas”. Leonardo Myiao, diretor comercial do Comper

Watanabe as ações programadas para 2017 com ABCS vão dar mais segurança aos colaboradores de perecíveis da rede, no que se refere aos treinamentos e boas práticas para que isso se reflita na apresentação do produto e na abordagem com o cliente. “É fundamental que eles tenham subsídios conceituais para falar dos diferenciais da carne suína e também para preparar melhor a exposição da carne no ponto de venda”, explica o diretor de perecíveis do Comper. As capacitações serão realizadas a partir deste primeiro semestre a fim de preparar os colaboradores do Comper para integrar as lojas da rede à Semana Nacional da Carne Suína neste ano.

Bons resultados A bandeira Comper faz parte do Grupo Pereira, que, de acordo com pesquisa divulgada pela ABRAS em março deste ano, registrou o segundo maior crescimento entre as redes de supermercados no Brasil. O faturamento do Grupo Pereira cresceu 24,63% em relação a 2015, acumulando alta de 58,38% em dois anos, na contramão da crise econômica. 29


GPA

GPA RENOVA PARCERIA COM A ABCS NA

SEMANA NACIONAL DA CARNE SUÍNA DE 2017 A REDE DE VAREJO PARTICIPA DA SNCS DESDE A PRIMEIRA EDIÇÃO, EM 2013, E COLECIONA RESULTADOS POSITIVOS

A

Semana Nacional da Carne Suína (SNCS) é considerada a maior vitrine da proteína no varejo brasileiro e em seus cinco anos de existência, vem colecionando resultados positivos junto ao GPA, que com as bandeiras Extra e Pão de Açúcar, participam da ação desde a sua criação. Com o sucesso da parceria, que alcançou em 2016 um aumento de 26% nas vendas da carne suína, o GPA confirmou a sua participação pelo quinto ano seguido. A realização da SNCS surgiu em 2013, a partir de uma iniciativa ousada da ABCS de criar uma campanha que estimulasse o consumo da carne suína. O ineditismo da ideia foi abraçado pelo GPA, por meio das redes Extra e Pão de Açúcar, e desde então o volume de vendas durante as ações não parou de crescer. Logo no primeiro ano da Semana, registrou-se aumento de 77% nas vendas. Já durante a 2ª SNCS, em 2014, houve incremento de 13% nas vendas diretas e 49,59% na comercialização pelo e-commerce. Naquele ano a ação ainda motivou 1,05 milhão de consumidores finais a comprar o produto resfriado, se consolidando como um grande sucesso para o setor. Em 2015, a campanha voltou a surpreender a cadeia, alcançando aumento de 50% na comercialização de carne suína no último trimestre de 2015, se comparado aos oito primeiros meses do ano. Em 2016, mais uma conquista. A SNCS realizada em

30

setembro trouxe como resultado um aumento de 26% nas vendas de carne suína, quando comparado ao mesmo período de 2015. O gerente comercial do GPA, David Buarque, reforça a importância da parceria com a ABCS para o alcance desses resultados e o crescimento da venda da proteína nas bandeiras Extra e Pão de Açúcar. “A ABCS trouxe inovação, informações ricas sobre a proteína, como as nutricionais, excluindo definitivamente a carne suína da marginalidade e tornando-a uma das mais consumidas no nosso dia a dia”.

Capacitação e inovações Parte do sucesso da SNCS é credi-

tada às capacitações realizadas com os colaboradores do açougue de lojas distribuídas em todo Brasil. Desde a primeira edição, a ABCS desenvolve ações educativas que vão desde cursos de corte a palestras de saudabilidade, técnicas de vendas e motivacional. Lívia Machado, coordenadora de marketing da ABCS, afirma que a busca por inovações e crescimento do setor tem sido o principal motivador para a realização da Semana. “Esta é uma parceria já consolidada com o GPA e fruto do esforço que a cadeia vem imprimindo para que a suinocultura conquiste um espaço justo no mercado brasileiro e condizente com todo seu potencial de produtividade e qualidade”, afirma.

1,05 milhão

de clientes conquistados aumento de 77% nas vendas

2013 Principais resultados da SNCS

2014

aumento de 50% nas vendas do último trimestre

2015 aumento de 26% nas vendas

2016


SNDS

XVII SNDS SEMINÁRIO NACIONAL D E D E S E NV O L V I M E N T O DA SUINOCULTURA

SNDS IRÁ DISCUTIR A TRANSFORMAÇÃO DA CADEIA SUINÍCOLA BRASILEIRA

ABCS REALIZA O XVII SEMINÁRIO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA SUINOCULTURA, O PRINCIPAL EVENTO DE LIDERANÇAS DO SETOR

O

principal evento de lideranças da suinocultura brasileira já tem data confirmada! O XVII Seminário Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (SNDS), organizado pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), irá acontecer de 28 a 30 de junho, em Atibaia -SP. Realizado em parceria com a Associação Paulista dos Criadores de Suínos (APCS) e com apoio do Sebrae Nacional, o encontro irá reunir líderes da indústria de insumos, produtores, representantes de entidades estaduais, gestores da agroindústria, executivos do varejo, no Hotel Tauá Resort Atibaia, a 60 km da capital paulista.

32

Com o tema “ Transformação: Novos Rumos para a Cadeia de Suínos Brasileira”, o evento acontece a cada dois anos e se reafirmará como principal encontro de lideranças da suinocultura brasileira. Com destaque para o debate e a troca de informações, o SNDS visa a união da cadeia buscando os objetivos comuns. Por meio de palestras, o público irá ponderar sobre a necessidades de adaptação e evolução da granja à mesa, as novas necessidades do mercado consumidor, além de tratar dos desafios e das estratégias para melhorar a rentabilidade e a lucratividade da produção.


SNDS

Programação Os painéis temáticos também já estão definidos. O evento começa na quarta-feira, dia 28 de junho, com a cerimônia de lançamento da 17° edição. O Economista, Chefe e Diretor do Rabobank, Maurício Oreng irá ministrar a Conferência Magna. Após a palestra os participantes seguem para o Jantar de Abertura. “A adaptação da suinocultura frente aos desafios de uma nova era” é o tema do primeiro painel, do dia 29, e abordará as transformações da suinocultura para atender os anseios dos consumidores por um alimento saudável, seguro e barato. Brasil alcançou o posto de 4º maior produtor e exportador mundial de carne suína, entretanto, mesmo o crescimento constante não foi capaz de manter a cadeia livre de momentos difíceis, causadas ora pelo aumento abrupto dos insumos, ora pelo bloqueio a mercados e consequente excesso de oferta no mercado interno. Para compor esse painel, estarão presentes o consultor de mercado do agronegócio, André Nassar, o presidente da Comissão Nacional de Aves e Suínos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Iuri Pinheiro Machado e a Médica Veterinária, PhD pela Universidade de Minnesota (EUA), Maria José Clavijo.

O debate continua, ainda no dia 29, no turno da tarde, com o foco no “Mercado em transformação: do campo à mesa”, o objetivo desse painel é posicionar as transformações que o Brasil vem passando junto as exigências do consumidor, por isso é preciso ter olhos atentos às novas necessidades desse público, sua forma de viver, seus desejos e as oportunidades. A proposta do SNDS nesse debate é tirar os participantes da zona de conforto, trazendo informações, tendências e proporcionando informações para a indústria e produtores, sobre o consumidor de hoje em dia. Para falar sobre o tema vão estar presentes a professora de Pós-Graduação da ESPM e consultora de marketing e varejo, Simone Terra e o Consultor em gestão de Marketing do Agronegócio, Luiz Tejon. O encerramento será realizado com o painel “O líder como agente transformador”. Tempos tão turbulentos como os de hoje exigem líderes como agentes de mudança. A mudança é a constante. Nesse cenário, uma competência em especial vem sendo solicitada aos diversos profissionais de diferentes cargos em segmentos variados: o protagonismo. O propósito deste painel é transmitir um conjunto de aspectos essenciais para alcançar o sucesso no mundo

corporativo e empreendedor, cercado por mudanças frequentes. O SNDS provocará os participantes para buscarem a liderança e para isso o painel contará com um dos maiores pensadpres da atualidade, Mário Sérigio Cortella.

Inscrições abertas O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, explica que o Seminário é uma forma de atualizar o conhecimento sobre temas essências para o setor.“Competitividade, produção sustentável, gestão e inovação são assuntos extremante relevantes e que vão estar presentes no SNDS. Nessa 17ª Edição a ABCS almeja que cada representante da cadeia suinícola se sinta preparado para enfrentar os desafios da atividade, não só da porteira para dentro”, explica Lopes. O principal evento da suinocultura conta com Patrocínio Ouro das empresas Bayer, MSD e Trouw Nutrition. Já o apoio para a organização desse grande acontecimento é do Sebrae Nacional, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e da Associação Brasileira das Empresas de Genética de Suínos (ABEGS). Para a edição de 2017, o SNDS também tem como patrocinadores as empresas Microvet e Desvet.

INSCRIÇÕES ABERTAS As inscrições para XVII SNDS já estão abertas. Todas as informações sobre o evento, como programação, localização, inscrições, valores de investimento, patrocinadores e palestrantes, podem ser encontradas no site www.snds.com.br . Outras informações e inscrições podem ser realizadas em contato com a sede da ABCS em Brasília pelo telefone (61) 3030-3200. 33


SNDS

PROGRAMAÇÃO

XVII SNDS

TURBULÊNCIA POLÍTICA E ECONÔMICA: A CONJUNTURA DE UM PAÍS EM TRANSFORMAÇÃO

SEMINÁRIO NACIONAL

CONFERÊNCIA MAGNA

D E D E S E NV O L V I M E N T O DA SUINOCULTURA

MAURICIO ORENG

28-30 JUNHO 2017

Economista chefe do Rabobank

Mais de 15 anos de experiência em pesquisa macroeconômica voltada para o mercado financeiro, o executivo foi anteriormente economista-sênior do Itaú BBA, onde se dedicou a pesquisas na área de finanças públicas no Brasil. Nos últimos anos, Mauricio foi responsável pela cobertura dos mercados de renda fixa na América Latina, atuando como estrategista de câmbio e juros para a região.

POLÍTICA AGRÍCOLA E MERCADO DE GRÃOS: FATOS, TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

ANTIBIÓTICOS: UMA ERA DE EXIGÊNCIAS E ADAPTAÇÕES

ANDRÉ NASSAR PAINEL 1

Consultor de mercado do agronegócio pela Agroicone

MARIA JOSÉ CLAVIJO

PAINEL 1

Exerceu o cargo de secretário de Política Agrícola no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), no ano de 2015 e 2016. No Ministério, foi o principal negociador dos Planos Safra 2015/16, liderando melhorias no Sistema Nacional de Crédito Rural. Atualmente é diretor da empresa Agroicone com o papel de implementar projetos com investimentos de impacto nas cadeias do agronegócio.

CULTURA E COMPORTAMENTO: UM RAIO X DO CONSUMIDOR

IURI PINHEIRO MACHADO

Presidente da Comissão Nacional de Aves e Suínos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

SIMONE TERRA PAINEL 2

Médico Veterinário com mestrado na área de reprodução de suínos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desde 2017 está na Presidência da Comissão Nacional de Aves e Suínos da CNA. Sócio da Integrall Soluções em Produção Animal e atua como consultor técnico na área de produção de suínos. Atualmente, também, preside a Comissão de Suinocultura da Federação de Agricultura e Pecuária de Goiás (FAEG).

TRANSFORMAÇÃO NO AGRO: UMA NOVA ABORDAGEM DE COMUNICAÇÃO

34

Consultoria em gestão de Marketing do Agronegócio

Assumiu as carreiras de acadêmico, consultor, conferencista e escritor. Criou a TCA International em parceria com o Studio Panzarani em Roma/Itália. É Sócio-diretor a agência de consultoria e publicidade Biomarketing. É comentarista da Rádio Jovem Pan. Conselheiro do CCAS Conselho Científico Agro Sustentável. Membro da ABMR&A - Associação Brasileira de Marketing Rural & Agronegócio.

Professora de Pós-Graduação da ESPM

Com 17 anos de experiência nas áreas de consultoria e, trade marketing, gestão comercial, varejo, merchandising, comportamento de compra e etnografia. Essa pluralidade vem da sua curiosidade em compreender como o consumidor interage e faz suas escolhas, dentro e fora do ponto de venda, seja em função de estímulos pré-estabelecidos, imediatos ou por influência cultural no comportamento de compra.

QUAL É A TUA OBRA?

JOSÉ LUIZ TEJON PAINEL 2

Médica Veterinária, PhD pela Universidade de Minnesota (EUA)

Médica Veterinária Graduada em 2003 pela Universidade Central da Venezuela e PHD pela Universidade de Minnesota em 2014. Desde 2009 atua na área de sanidade. Em 2014 passou a integrar a equipe de serviços técnicos da PIC nos estados Unidos e desde 2016 também é professor e pesquisadora na Universidade de IOWA.

PRODUÇÃO DE SUÍNOS: A FRENTE DOS DESAFIOS DE UM MERCADO COMPETITIVO E GLOBALIZADO

PAINEL 1

TAUÁ RESORT ATIBAIA SÃO PAULO BRASIL

MARIO SERGIO CORTELLA PAINEL 3

Filósofo, professor, escritor, político, palestrante e um dos maiores pensadores brasileiros da atualidade

Filósofo e escritor, com Mestrado e Doutorado em Educação, professor-titular da PUC-SP , na qual atuou por 35 anos, com docência e pesquisa na Pós-Graduação em Educação e no Departamento de Teologia e Ciências da Religião. É professor-convidado da Fundação Dom Cabral e ensinou no GVpec da FGV-SP.Foi Secretário Municipal de Educação de São Paulo entre 1991 a 1992.


BEA

TREINAMENTOS DE BEA CAPACITAM MAIS DE 700 PROFISSIONAIS EM 5 ESTADOS BRASILEIROS AÇÕES FORAM REALIZADAS EM GRANJAS E FRIGORÍFICOS DA REGIÃO SUL, MT E MG E TÊM COMO BASE AS CARTILHAS DE BEM-ESTAR ANIMAL

A

Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) continua investindo junto a associações afiliadas e parceiros na capacitação de colaboradores no tema Bem-Estar Animal. Desde o início de 2017, foram realizados 15 treinamentos com 773 participantes nos três estados da Região Sul e em Minas Gerais e Mato Grosso. Para a realização das capacitações foram utilizadas como base as Cartilhas de Bem-Estar Animal, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), e com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Embrapa, Sebrae Nacional e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Dividido em três módulos, os treinamentos compreendem os temas “Toda Granja”, “Transporte” e “Frigorífico”. Cada uma das etapas tem como público alvo os diferentes agentes do processo produtivo, como profissionais envolvidos em todo a produção das granjas, no carregamento e

transporte dos suínos para o frigorífico, e na recepção e abate dos animais. O diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá, explica que os treinamentos são importantes para atualizar os profissionais sobre os procedimentos que envolvem o Bem-Estar Animal, um assunto bastante discutido na cadeia suinícola. “A ABCS tem conseguido levar os cursos para diversos parceiros e empresas e isso mostra que temos um setor atento às práticas de bem-estar animal e às demandas dos consumidores e do mercado em relação ao tema”. A JBS foi uma das empresas que investiram nos treinamentos e realizou

os três módulos disponíveis nas unidades de Itapiranga e São Miguel do Oeste, ambas localizadas em Santa Catarina. As ações capacitaram cerca de 200 produtores integrados e colaboradores que receberam cartilhas com os conteúdos apresentados durante os cursos. A BRF levou os treinamentos para todos os estados da Região Sul, Minas Gerais e Mato Grosso. Ao todo, 528 participantes foram capacitados em oito capacitações realizadas do módulo I – Granjas. O frigorífico Friella em São Miguel do Iguaçu (PR) realizou em parceria com a ABCS o curso do módulo III – Frigorífico com 46 capacitados.

35


PNDS

PROJETO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO

DA SUINOCULTURA

Apoio:

36

O

Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) é fruto de uma parceria entre a ABCS e o Sebrae e tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da suinocultura brasileira, através da ampliação do mercado doméstico da carne suína.


PNDS

ESTUDANTES DE NUTRIÇÃO DA ANHANGUERA DF CONHECEM BENEFÍCIOS DA CARNE SUÍNA DISTRITO FEDERAL

C

erca de 40 alunos do curso de nutrição da Faculdade Anhanguera do Distrito Federal participaram da oficina gastronômica Carne Suína: Saudável e Saborosa realizada no início de maio. A ação desenvolvida pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), em parceria com a Associação dos Criadores de Suínos do Distrito Federal (DFSUIN) e Sebrae, fez parte da programação da 1ª Semana Acadêmica Integrada da Faculdade Anhanguera de Brasília. Os participantes receberam materiais informativos, tiraram dúvidas sobre a composição nutricional da

proteína e aprenderam a preparar o prato cubos de pernil ao molho de

cerveja e ervas com panachê de ervilha com cenoura e batatas rústicas.

TAPURAH (MT) RECEBE 4ª FESTA DO

LEITÃO NO ROLETE COM APOIO DA ACRISMAT MATO GROSSO

A

4ª Festa do Leitão no Rolete, ação tradicional realizada pela prefeitura de Tapurah (MT) que conta com o apoio da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat) reuniu milhares de pessoas para comemorar o dia do trabalhador e do suinocultor no dia 1º de maio. Durante a ação foram preparados mais de 150 leitões. A Acrismat colabora todo ano com a equipe que trabalha no evento, com a doação de camisetas, aventais e bandanas. A festa tem grande

importância social, com toda a renda destinada a para a Associação de Pais

e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Tapurah.

37


PNDS

SUINOCULTURA É DESTAQUE NA 2ª EXPOPEC EM PORANGATU (GO)

EVENTO CONTOU COM UMA PROGRAMAÇÃO DIVERSIFICADA E FOCADA NA SUINOCULTURA GOIÁS

A

2ª Exposição das tecnologias voltadas ao desenvolvimento da pecuária (Expopec) movimentou a cidade de Porangatu (GO) no último fim de semana de março. Com o objetivo divulgar as tecnologias voltadas ao aprimoramento da produção de carne bovina, ovina e suína no Centro-Oeste, além de discutir e apresentar o que há de mais novo no mercado nacional e internacional, o evento, realizado pela Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), pelo Sindicato Rural de Porangatu e pelo Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), em parceria com a Associação Goiana dos Suinocultores (AGS), chamou a atenção pela programação diversificada focada na suinocultura. Durante todos os dias da Expopec foi ministrado o Curso de Processamento de Carne Suína com a representante do Serviço Nacional de

AGS PARTICIPA DE CURSO VIVÊNCIA DE COZINHA RAIZ EM PIRENÓPOLIS (GO)

N

a última semana de abril, a AGS levou a carne suína para o Curso de Cozinha Raiz em Pirenópolis e contou com a participação de cinco chefs, que prepararam cerca de 50 pratos destacando o sabor da proteína em

38

Aprendizagem Rural (Senar) em Goiás Tállita Teles. O Projeto Escola Suinocultura Kids recebeu mais de 2 mil estudantes de escolas da região para apresentar a atividade e as vantagens do consumo da carne suína. Os participantes tiveram a oportunidade de participar da Vitrine da Carne Suína. A programação também contou com a participação do diretor executivo da ABCS, Nilo Chaves de Sá, que ministrou a palestra “Suinocultura: de volta aos negócios e à mesa”. Em parceria com a Associação comercial

de Porangatu (ACIAP), a AGS realizou um curso de cortes que capacitou mais de 50 açougueiros da região. Além disso, a Exposição também foi palco de treinamento de merendeiras com cerca de 70 profissionais das escolas do município. Os visitantes da Expopec também se surpreenderam com o restaurante “Sabores da Carne Suína”, que serviu um cardápio voltado exclusivamente para a proteína. Além de almoço, o local também funcionou a noite com uma seleção de comidas de boteco.

diversos preparos para cerca de 25 particpantes. O chef André Rabelo, consultor da ABCS, foi o responsável pelo preparo de receitas como Copa-lombo com quatro texturas. O curso de Cozinha Raiz é uma iniciativa do chef Gilmar Borges e faz um resgate das tradições de Goiás com foco nas receitas antigas apresentadas de forma moderna com releituras e ingredientes típicos do cerrado. Os

pratos preparados durante o curso foram servidos para 75 convidados. O chef Gilmar Borges explicou que esta edição do curso teve a maioria das suas receitas envolvendo carne suína e elogiou o envolvimento da AGS na ação. “O apoio da entidade foi essencial para aprimorar nosso trabalho com proteína junto aos chefs envolvidos, tanto no uso da carne quanto na seleção das receitas”, afirma.


PNDS

AÇÃO DE MARKETING VALORIZA A CARNE SUÍNA EM PRÉ-CARNAVAL DE PONTE NOVA

ASSUVAP E COOSUIPONTE APOIARAM O BLOCO FOLCLORE DO BILISQUETE PELO QUARTO ANO SEGUIDO MINAS GERAIS

A

Associação dos Suinocultores do Vale do Piranga (Assuvap) e a Cooperativa dos Suinocultores de Ponte Nova e Região (Coosuiponte), com apoio do Frigorífico Saudali, prepararam uma ação de marketing no pré-carnaval para o principal bloco da cidade mineira: o Folclore do Bilisquete. As entidades montaram um estande,

onde centenas de pessoas passaram, seja para conhecer mais sobre as vantagens da carne suína, ou para adquirir brindes e aproveitar o pré-carnaval. No local, também se reuniram muitas crianças, que participaram de atividade interativa, desenvolveram a criatividade e conseguiram a esperada foto com a Lilipig, mascote da Assuvap.

ASTAP REALIZA 33ª EDIÇÃO DO ENCONTRO

TÉCNICO GERENTES EM AÇÃO EM PATROCÍNIO (MG)

A

Associação dos Suinocultores do Triângulo Mineiro de Alto Paranaíba Astap/ Suinco (ASTAP) realizou a 33ª edição do Encontro Técnico “Gestores em Ação”, em Patrocínio (MG). O tradicional evento mineiro teve como objetivo colocar em discussão temas relevantes para o dia a dia da produção de Suínos e é voltado para produtores, gerentes e colaboradores de granjas. O tema central desta edição foi a importância da adoção e execução de modelo de gestão para o avanço dos índices zootécnicos e econômicos em granjas. Após a programação

técnica foi realizada uma confraternização entre os participantes. A 33ª edição do encontro contou com o patrocínio

da Agroceres PIC e com o apoio da Suinco e do Centro Universitário do Cerrado Patrocínio (Unicerp).

39


PNDS

FAVESU CHEGA A SUA QUARTA EDIÇÃO A FEIRA É RECONHECIDA COMO O PRINCIPAL PONTO DE ENCONTRO NA CADEIA PRODUTIVA DE AVES E SUÍNOS DO ESPÍRITO SANTO ESPÍRITO SANTO

E

m sua quarta edição, a Feira de Avicultura e Suinocultura Capixaba (4ª FAVESU), em 2017, vem se consolidando como principal ponto de encontro de produtores, gestores, empresários, técnicos, acadêmicos, fornecedores e demais envolvidos diretamente na cadeia produtiva de aves e suínos do Espírito Santo. O evento é realizado pela Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo (AVES), pela Associação de Suinocultores do Espírito Santo (ASES) e conta com apoio institucional da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS). Configurando-se como um dos eventos regionais mais importantes do país, a Favesu tem diferentes formas de expor os conteúdos oferecidos durante o evento, seja através de palestras técnicas, trabalhos científicos, mesa redonda e espaço gourmet. A sua diversidade acaba por agregar valores altamente significativos aos setores de aves, ovos e suínos, atraindo não somente a participação de técnicos dos segmentos, como também de estudantes e do público consumidor. “O evento tem essa dinâmica. Da mesma forma que oferece vasto conhecimento aos técnicos e especialistas atuantes na avicultura e suinocultura, principalmente no que diz respeito a inovações tecnológicas, mercado, temas técnicos atuais, entre outros, também oferece ao público participante a oportunidade de compreensão do quão importante são as duas atividades no cenário econômico

40

FAVESU CONTA COM A PARTICIPAÇÃO DE TÉCNICOS, ESTUDANTES E PÚBLICO CONSUMIDOR.

capixaba e também nacional”, afirma Nélio Hand – Diretor Executivo da Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo (AVES) e Associação de Suinocultores do Espírito Santo (ASES). Nélio, que é o Coordenador Institucional da 4ª FAVESU, destaca que através do evento é possível estreitar os laços entre produtores e consumidores, além de quebrar mitos e paradigmas que muitas vezes fazem com que as pessoas tenham dúvidas quanto à qualidade de nossos produtos. “A população está atenta as questões de segurança alimentar e se os processos de produção atendem conceitos sanitários, ambientais e de bem-estar animal” frisa.

Bem-Estar Animal na Produção de Suínos será tema de palestra na Favesu 2017 A programação tem ênfase em práticas de manejo de características

das instalações na granja e faz parte de um material produzido pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e SEBRAE Nacional, com apoio da Embrapa, SENAR e CNA que compreende as fases: Toda Granja, Frigoríficos e Transporte. Para Nilo de Sá, Diretor Executivo da ABCS, é muito importante que a entidade e suas filiadas fomentem a discussão sobre o tema. De acordo com o executivo, o Bem-Estar Animal é um tema frequente, uma tendência nova e forte no mercado mundial, e o Brasil como grande produtor e exportador de carne suína que é não pode fugir dessa discussão, entendendo quais são as dificuldades que existem para qualquer tipo de adequação em relação ao assunto. Confira mais informações da Favesu no site do evento: www.favesu.com.br


PNDS

ASCE REALIZARÁ AÇÕES COM

CARNE SUÍNA NA XXI PECNORDESTE CEARÁ

A

suinocultura vai ser um dos destaques da programação do XXI Seminário Nordestino de Pecuária (PecNordeste). O evento será realizado em Fortaleza (CE) durante os dias 6 a 8 julho, no Centro de Eventos do Ceará e é promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC), pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Ceará (SENAR/CE), pela Confederação

da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Ceará (SEBRAE) e conta com o apoio da Associação de Suinocultores do Ceará (ASCE) e da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS). A programação inclui realização de cursos de corte na Vitrine da Carne suína, oficinas gastronômicas e stand da ASCE com degustação da proteína.

Na programação técnica, os participantes poderão participar de palestras sobre inseminação artificial, uso racional da água na suinocultura, gestão de pessoas em granjas suinícolas e sustentabilidade. A programação completa pode ser acessada no link pecnordestefaec.org.br/2017

APCS REÚNE PRODUTORES EM

COMEMORAÇÃO DOS 50 ANOS DA ENTIDADE SÃO PAULO

A

Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS) deu início às comemorações dos 50 anos da entidade no início do ano em um jantar comemorativo que reuniu produtores e pioneiros da associação no Hotel Premium, em Campinas (SP). O presidente da APCS, Valdomiro Ferreira Júnior falou sobre o legado da entidade e sobre o desafio de se pensar no futuro. “Uma entidade só é possível sobreviver 50 anos se ela manter a história e enxergar história para os próximos 50 anos. Nossa responsabilidade é manter essa história para os próximos que virão”, destacou. O presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS),

Marcelo Lopes, participou da comemoração e realizou um discurso falando sobre a história da entidade, parabenizou o trabalho desenvolvido pela associação paulista em nome do

presidente Valdomiro Ferreira Júnior e homenageou todos os suinocultores entregando uma placa ao pioneiro e conselheiro da APCS, Roberto Cano Arruda. 41


ENTRE AMIGOS

AGRINESS: TORNANDO O PENSAMENTO+1 UMA REALIDADE NA GESTÃO DA GRANJA Se você acompanha as publicações sobre gestão para produção animal já deve ter ouvido falar do Pensamento+1. Mais que um método de gestão para a produção animal, o Pensamento+1 é um jeito de promover um rápido crescimento da produtividade por meio dos pilares PESSOAS e INFORMAÇÕES. Desde 2014 este método vem sendo aplicado em granjas e fomentos e apresentando bons resultados, como comenta o produtor Ricardo Coldebella, proprietário de uma granja de 500 matrizes em Santa Catarina: “Eu

vi os resultados do programa na prática, pelo aumento de leitões vendidos a cada ano. Melhoramos em mais de 4 desmamados/fêmea/ano, e foi esta metodologia que permitiu identificar as verdadeiras oportunidades”. A aceleração de produtividade acontece pelo fato de o método criar um fluxo otimizado de gestão, alinhando visões e processos, e deixando visíveis conceitos importantes como homogeneidade, entrega ideal e máximo potencial produtivo. “Promovemos a criação de uma cultura de gestão que envolve todos da granja,

tornando a definição das metas algo do grupo, o que faz com que cada um faça melhor a sua parte”, destaca Everton Gubert, sócio fundador da Agriness e um dos autores do método. Você também pode atingir o máximo do potencial produtivo da sua granja. O Pensamento+1 está disponível através do livro Suíno.Cultura, em artigos do portal da Agriness, em cursos como o Gestão para Suinocultura – Imersão no Pensamento+1 da Academia Agriness, ou ainda, pelo Programa de Aceleração da Agriness.

PHIBRO: STAFAC MELHORA O NÍVEL NUTRICIONAL DO LEITE DA PORCA E O DESEMPENHO DA LEITEGADA ®

Uma melhor condição corporal da fêmea e qualidade do leite é promovida pelo uso de Stafac®, o que resulta em aumento da produtividade expresso em leitegadas maiores ao nascimento e com maiores pesos desde o nascimento até a desmama. Aumento na demanda no tamanho das leitegadas gera porcas em um balanço energético negativo. A condição corporal está reduzindo demais e isso afeta a fertilidade. Já é conhecido que as porcas não estão produzindo leite suficiente para sustentar o crescimento máximo dos leitões. Então reunir as necessidades alimentares da porca e garantir a ingestão de alimentos durante a gestação e os períodos de lactação são fundamentais. O potencial de crescimento dos 42

leitões, nas primeiras semanas de vida, pode ser prejudicado pela baixa produção de leite das matrizes, que não satisfaz a demanda energética dos mesmos, reduzindo o peso corporal ao desmame e aumentando o tempo e a quantidade de alimentos gastos para atingir o peso padrão de mercado. Além disso, o reduzido consumo de colostro e/ou de leite materno torna os leitões vulneráveis às doenças respiratórias, entéricas e nutricionais, com reflexos significativos no índice de mortalidade e na produtividade da granja. De um lado a exigência pela porca em aumentar a produção em litros de leite, por outro o aumento no consumo de leite pela leitegada, no entanto, a capacidade de ingestão de alimento pela porca não é suficiente

para fornecer todos os nutrientes necessários para esta alta produção de leite. Portanto, a porca entra em um balanço de energia negativo. Ela tem que mobilizar gordura e até mesmo proteína dos tecidos e minerais dos ossos. Em vários experimentos com Stafac® observou-se além de melhor digestibilidade dos nutrientes da ração, uma melhora na qualidade do leite através do aumento do teor de gordura (2% acima do controle), lactose (1,28% acima), proteína (1,86% acima) e sólidos totais (2% acima), o que favorece a saúde e desempenho dos leitões. Stafac® um melhorador de desempenho a base de Virginiamicina, um produto exclusivo da Phibro, aprovado para uso em suínos nas diferentes fases produtivas.


ENTRE AMIGOS

HIGH QUALITY PORK CONGRESS DEBATE OS PILARES DA SUINOCULTURA NO MUNDO NOMES INTERNACIONAIS DO SETOR SE REUNIRAM EM EVENTO PROMOVIDO PELA MSD SAÚDE ANIMAL, EM MIAMI A MSD Saúde Animal realiza a sétima edição do tradicional congresso High Quality Pork Congress. Entre os dias 5 e 6 de abril na cidade de Miami, na Flórida (EUA), o evento reuniu representantes da suinocultura brasileira e países da América Latina. Com o tema “Antecipando o futuro da produção animal”, o congresso contou com assuntos relevantes para a suinocultura, trazendo para o debate aspectos sobre a sanidade global, inovações e tecnologias para a produção de suínos. O High Quality Pork contou com 150 participantes oriundos de toda América Latina e também Estados Unidos. Robson Gomes, Gerente de Produtos da MSD Saúde Animal, ressalta que a MSD Saúde Animal investe

na disseminação de conhecimento e acredita que a constante atualização colabora para melhorar os resultados do setor. “Investimos em pesquisas e inovamos para colaborar com a produção de alimentos saudáveis e seguros aos consumidores. Nossa equipe se mantém atualizada sobre diversos temas da suinocultura a nível mundial e levamos informações e orientações aos nossos clientes, sempre com forte embasamento científico”.

Já Rudy Claure, Diretor da Unidade Suinocultura da MSD Saúde Animal, explica que “a medida que necessitamos atender a acrescente demanda mundial de alimentos, precisamos entender toda a cadeia para abastecer os mercados consumidores”, acrescentando a importância de “eventos como esse demonstram todo o comprometimento da companhia com tecnologia e desenvolvimento sustentável da suinocultura no mundo”.

STEFAN MIHAILOV É O NOVO GENERAL MANAGER DA TROUW NUTRITION BRASIL Stefan Mihailov é o novo General Manager da Trouw Nutrition, divisão de negócios da Nutreco no Brasil, tendo assumindo a nova posição em 17 de abril deste ano. Com mais de duas décadas de experiência na indústria de nutrição e saúde animal, ele assumiu a liderança de Luciano Roppa que estava há quatro anos no cargo. Stefan Mihailov ocupou cargos de direção executiva em várias empresas

internacionais no Brasil, Estados Unidos e Europa. Em sua última posição na Phibro Animal Health Corporation, foi responsável pelas operações no Brasil e América Latina. Formou-se em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual de São Paulo. Stefan assumirá o novo papel com o desafio de acelerar o crescimento da empresa, com base na proposta de valor da Trouw Nutrition: equipes

especializadas e um portfólio completo de produtos, modelos e serviços inovadores. Luciano Roppa, que esteve à frente da Trouw Nutrition desde 2013, se aposentou. Sob sua liderança, a Trouw Nutrition expandiu sua presença no Brasil através da aquisição da Fatec, empresa do ramo de premixes e produtos de saúde animal, e da BRNova, empresa do ramo de premixes e especialidades. 43


EVERTON GUBERT DIRETOR DA AGRINESS

1. Por que investir no Programa Empresas Amigas? A Agriness costuma investir em ações que contribuam com o setor, que retroalimente a cadeia e que a deixa mais forte. O Programa Empresa Amiga é um destes casos. Somos pioneiros neste apoio porque acreditar que o trabalho estruturante desenvolvido pela ABCS contribui significativamente com a difusão das qualidades da carne suínas e, por consequência, com o aumento do consumo. Portanto, tudo o que beneficie o setor e, especialmente os produtores, estamos juntos. 2. Qual a novidade da Agriness para este semestre? A grande novidade da Agriness para este semestre é o nosso Programa de Aceleração de Granjas e Fomentos - A Aceleradora Agriness. É um serviço de Mentoria que utiliza a metodologia desenvolvida pela Agriness - Penamento +1, para impulsionar as granjas a atingirem o seu máximo potencial produtivo. É um trabalho premium, voltado àqueles que querem buscar a excelência em seus negócios. Atualmente é o que temos de melhor em termos de inovação e tecnologia. Os resultados alcançados

até agora são impressionantes e estamos extremamente satisfeito com a felicidade dos nossos clientes. O Pensamento +1 é transformador e trabalha em cima de dois pilares: pessoas e informação. 3. Por que o produtor deve escolher sua marca? Porque toda a nossa energia, todas as nossas inovações e trabalhos são voltadas para atender o propósito de impulsionar as pessoas que trabalham com o agronegócio a serem melhores todos os dias. Ou seja, a família Agriness existe para servir a família de quem produz. E a forma de materializarmos isso é através das ferramentas tecnológicas que desenvolvemos (S2, por exemplo), através da metodologia Pensamento +1, através dos diversos cursos da Academia Agriness, através do prêmio Melhores da Suinocultura, do nosso evento bianual INFO360, enfim, como eu disse, tudo o que fizemos é prol da melhoria do setor e, especialmente, do suinocultor. Trabalhamos junto e a favor do setor, nosso pensamento é no todo, em nós, por isso acredito que merecemos a confiança e a preferência dos nossos clientes.

OSMAR ZIMMER JR. DIRETOR COMERCIAL E MARKETING DA DESVET

44

1. Por que investir no Programa Empresas Amigas? A DESVET, há mais de 34 anos no mercado, sempre acreditou na suinocultura nacional. Investir no programa assegura estarmos contribuindo, sistematicamente, para o desenvolvimento do setor, por tudo o que a ABCS vem realizando e conquistando.

3. Por que o produtor deve escolher sua marca? A DESVET tem longa tradição no desenvolvimento de soluções terapêuticas e de biossegurança para a suinocultura, e valoriza, tecnicamente, o uso correto e responsável dos antimicrobianos e demais produtos como ferramentas para que o produtor possa alcançar alto desempenho.

2. Qual a novidade da Desvet para este semestre? Recentemente, disponibilizamos ao mercado a NEO-DV, uma neomicina 50% PM, em consonância com nosso foco em terapêuticos para suinocultura.

Saúde e segurança alimentar fazem parte de nossa constante busca por qualidade total.


MÁRCIO QUEVEDO GERENTE DA UNIDADE DE NEGÓCIOS SUÍNOS

1. Por que investir no Programa Empresas Amigas? A MCassab entende que o Programa é fundamental para o desenvolvimento do nosso setor, pois o trabalho que a ABCS faz é peça chave para promover ações de conscientização do consumidor final sobre os benefícios do consumo da carne suína.

ingredientes  tem como objetivo prevenir a atrofia de vilosidades intestinais durante o desmame de leitões, melhorando a digestão e absorção de nutrientes, aumentando o ganho de peso, e reduzindo a conversão alimentar, os distúrbios intestinais e a mortalidade de leitões, garantindo um ótimo desempenho na fase de creche.

2. Qual a novidade da MCassab para este semestre? A MCassab vem desenvolvendo tecnologias para a nutrição de animais jovens, especificamente para leitões na fase de maternidade e pós desmame. Estamos trabalhando com uma ração chamada Suistart Papinha que é um alimento de alta digestibilidade, contendo ingredientes de alto valor nutricional como Plasma (AP 920) e Aminogut (L –Glutamina + L-Ácido Glutâmico).  Estes

3. Por que o produtor deve escolher sua marca? A MCassab oferece aos seus clientes soluções de valor para cadeia suinícola, desde as grandes empresas agropecuárias até os pequenos e médios produtores. Possui produtos de máxima segurança alimentar, desenvolvidos com tecnologias de última geração, além de ingredientes selecionados e um rígido controle de qualidade nos processos.

FLAURI ADEMIR MIGLIAVACCA

DIRETOR TÉCNICO DA MIG-PLUS 1. Por que investir no Programa Empresas Amigas? A revista é muito focada no segmento suinocultura, sendo esta uma opção com direção certa na casa do criador de suínos e seus colaboradores.  Portanto estamos fazendo uma pequena investida neste programa e com retorno seguro.  2. Qual a novidade da Mig-Plus para este semestre?    A novidade é que estamos trabalhando muito e investindo cada vez mais em produtos de alto desempenho na criação de suínos, com a introdução de uma nova linha de produção para melhorar mais ainda a qualidade e segurança dos núcleos e rações, pois a demanda de nossos produtos não param de subir. 

3. Por que o produtor deve escolher sua marca? A Marca Mig-PLUS já é uma garantia de qualidade e agora no mês de abril, completamos mais um ano de existência no mercado, chegando aos 26 anos de vida. Isto nos fortalece cada vez mais, pois nosso crescimento em produção de rações e núcleos, somados, chegamos a cifra de 1 milhão de toneladas de rações transformadas somente no ano de 2016. Creio que este número astronômico já é um bom motivo para se escolher a marca MIG-PLUS.

45


RECEITA

LASANHA DE PERNIL RENDIMENTO: 6 porções

TEMPO DE PREPARO: 60 minutos

TEMPO DE COZIMENTO: 10 min

INGREDIENTES • • • • •

600 g de Pernil Suíno sem osso 2 colheres (sopa) de óleo 1 cebola média picada 3 dentes de alho picados 2 colheres (sopa) de tomilho e manjericão picados

• • • •

2 colheres (chá) de sal 1 embalagem de massa para lasanha (200 g) 4 xícaras (chá) de molho de tomate caseiro 200 g de queijos ralados (mix de mussarela e parmesão) • 1 colher (café) de pimenta-do-reino recém-moída

MODO DE PREPARO: 1. Corte o pernil em cubos pequenos (cerca de 2 cm). Em uma panela de pressão, aqueça o óleo, coloque os cubos de pernil e doure-os. Acrescente a cebola, o alho, as ervas e o sal e misture bem. Adicione água em quantidade suficiente para cobrir a carne. Tampe e, assim que pegar pressão, cozinhe por 20 minutos. 2. Retire a carne da panela, desfie-a com a ajuda de um garfo e reserve. Cozinhe a massa de lasanha conforme as instruções da embalagem. Monte a lasanha em um refratário quadrado médio, alternando as camadas de molho de tomate, massa e pernil desfiado.

Termine com uma camada de molho, finalize com os queijos ralados e cubra com papel-alumínio. 3. Leve ao forno quente (200 ºC), previamente aquecido, e asse por 25 minutos. 4. Retire o papel-alumínio e aumente o forno para 250 ºC (ou ligue o grill do forno), apenas para dourar a camada de queijos. Sirva em seguida. DICA: Use esse recheio como alternativa para explorar o sabor da carne suína e renovar as receitas de canelones e tortas.


Único na forma de agir. Múltiplo na entrega de benefícios. Para melhorar o desempenho na criação de suínos, Stafac® é a escolha sem igual. Seu modo de ação exclusivo garante uma série de benefícios que você não vai querer ficar sem. Aumenta o número de leitões vivos e desmamados Reduz o número de dias não produtivos Melhora a condição corporal da fêmea Aumenta o peso no nascimento Aumenta o peso no desmame

Stafac . Eficiência reprodutiva do plantel. ®


XVII SNDS SEMINÁRIO NACIONAL

D E D E S E NV O L V I M E N T O DA SUINOCULTURA

telefone: (61) 3030-3200 e-mail: cassia@abcsagro.com.br

SENAR

Revista da Suinocultura 23ª Edição