Page 1

Revista Islâmica

Rajab / Shaaban / Ramadã - julho / agosto / setembro 2010 (A.D.) - Ano 3 / Número 12 R$

Exegese

A condição humana na criação

Sentimentos Femininos

A importância da mulher

Mensageiros

O Profeta José(a.s.)

Mídia

O que é ilícito nos meios de comunicação

9,90


Em nome de Deus, o Clementíssimo, o Misericordiosíssimo Revista Islâmica

Prezado (a) Leitor (a),

T

“Em Nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso” “Enviamos os Nossos mensageiros com as evidências e enviamos, com eles, o Livro e a balança, para que os humanos observem a justiça.” Alcorão Sagrado (57:25)

Revista Islâmica Evidências

é uma publicação da Associação Beneficente Islâmica do Brasil CNPJ 43.759.802/0001-92

Rua Eliza Witacker, 17 – Brás - São Paulo - SP - CEP 03009-030

Telefones: (11) 3315-0569 e 3329-9200

Publicação Trimestral

Rajab / Shaaban / Ramadã julho / agosto / setembro 2010 (A.D.) Ano 3 / Número 12

Diretor-Presidente:

Assayyed Charif Sayyed (Teólogo e Pesquisador em Pensamento Islâmico) sayyed@revistaevidencias.org

Vice-presidente:

Abdallah R. Hammoud

MTB: 53199/SP abdallah@revistaevidencias.org

Tradução:

Samir El Hayek (Matemático e Físico pela UNISA)

odos nós sabemos que os exemplos são fundamentais em nossa vida. Desde crianças procuramos modelos que norteiem o nosso comportamento, inspirem os nossos pensamentos. Os primeiros exemplos que seguimos, sem dúvida, são nossos pais. À medida em que avançamos na vida, buscamos outros paradigmas, sejam eles professores, profissionais das mais variadas carreiras, esportistas, políticos, líderes humanistas, etc. Neste número 12 de Evidências, abordamos a importância que os modelos têm em nossas vidas. Devemos escolhê-los com parcimônia, cautela e muita atenção, para que não incorramos em exemplos errados, que em lugar de nos orientar na vida, nos levem para o caminho errado. O Islã é rico em exemplos edificantes e dignificantes, que elevam o ser humano. A começar pelo Nobre Profeta Muhammad (S), seguindo por sua Nobre Progênie – sua filha Fátima, seu marido Ali, seus filhos Hassan e Hussein e todos os demais Imames Infalíves, que a paz de Deus esteja com todos eles. Sexo, meio-ambiente, Alcorão Sagrado, a vida dos profetas, muitos são os temas que você, leitor (a), encontrará neste novo número de Evidências que chega em suas mãos. São assuntos que tratam da nossa relação com o Criador e da nossa relação com nossos irmãos, em sociedade. Pois um círculo está ligado indissoluvelmente ao outro. Agradecemos mais uma vez por seu interesse. E deixamos sempre as portas abertas para críticas, sugestões e esclarecimentos. A Revista Islâmica Evidências é sua! Boa leitura!

Jornalista responsável:

E que a paz esteja convosco!

Departamento Jurídico

O Editor

Omar Nasser Filho - MTB - 26164 Mestre em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Ricardo Trovilho (OAB/SP n° 119.760)

Projeto gráfico / Diagramação: Marcos Faccio Ferreira - (11) 9911-2513 Fale conosco:

faleconosco@revistaevidencias.org abib@mesquitadobras.org.br evidencias_islamicas@hotmail.com Assinaturas:

assinaturas@revistaevidencias.org

Os artigos publicados na “Revista Islâmica Evidências” não refletem, necessariamente, a opinião da revista. NOTA EXPLICATIVA: Ao longo dos textos de “Revista Islâmica Evidências”, o leitor encontrará algumas siglas e sinais particulares, os quais explicamos a seguir: Após a menção ao nome do Profeta Muhammad, segue-se uma letra “S” entre parênteses. Esta é a abreviatura da expressão arábe: “Salla allahu aleihi wa álihi wa sallam”, ou, traduzindo: “Deus o abençoe e lhe dê paz, bem como à sua Família”. Quando é citado o nome de um outro Profeta ou de um Ma’assum (isto é, pessoa imaculada), segue-se a sigla (A.S.), que significa: “aleihi salam” (A paz esteja com ele); “aleiha salam” (A paz esteja com ela); ou “aleihem salam” (A paz esteja com eles). Outra sigla utilizada é (R.A.), que significa “radi’allah an-hu (an-ha)”, ou “Deus esteja satisfeito com ele (ela)”.

Revista Islâmica Evidências - 1


shá;baan / rámád

haan 1431 (A.H.)

rájáb - julho / agosto

/ setembro 2010

(A.D.) - Ano 3 /

Número 12

Revista Islâmica Evidências - Ano 2 - número 12

R$

Alcorão

Os anjos e os

Mulher

Por que o uso

9,90

gênios

do veu?

Pilares

Em Nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso” “Enviamos os Nossos mensageiros com as evidências e enviamos, com eles, o Livro e a balança, para que os humanos observem a justiça.

Qual o significa do de “Jihad”?

Alcorão Sagrado (57:25)

Variedades

A cor azul

•Preces Diárias

A prede de quinta-feira

•Histórias do Alcorão

O Profeta José e o Profeta Jacó(a.s)

•Jurisprudência A Arte

•Interpretando o Alcorão parte 13

18

23 32

35

PAG.

PAG.

PAG.

Siga e seja exemplo

•Encontro com Allah

PAG.

•Educação

PAG.

14

O Amor ao mundo

Em noma de Allah, o Clemente, o Misericordioso

•Sentimento Feminino

Orgulhe-se, você é Mulher

PAG.

10

•Falando ao Coração

•Sentimentos

Os horizontes da misericordia e Ambientes da lealdade

PAG.

Por que o uso do véu no islã

04

Sexo na concepção Islâmica - Parte 2

•Boa Guia

A Grandeza do Criador na Criatura

•Contribuição do Islã

PAG.

•Comportamento

03

•Ótica do Islã

Ibn Sina (Avicena)

PAG.

Alcorão - Constituição e reforma

01

•Palavras Cruzadas

PAG.

•Lei divina

PAG.

Educar a mente entre a fé e os desafios contemporâneos

PAG.

•Personalização da Vida

PAG.

Omar Nascer

PAG.

•Cartas

PAG.

Omar Nascer

PAG.

•Caro Leitor

PAG.

13

PAG.

SUMÁRIO

Revista Islâmica

43

46

48 54

58 53

67

70

78


Cartas

Envie-nos sua opinião através de carta para: Revista Islâmica Evidências Rua Eliza Witacker, 17 Brás - São Paulo - SP - CEP 03009-030, ou pelo e-mail cartas@revistaevidencias.org

Deus, o Altíssimo, diz:“Em suas histórias há um exemplo para os sensatos” (12:111). Foi dito: “O sensato é quem aproveita a advertência dos outros, quem consulta as pessoas e participa de suas idéias.” Leitor, esta página é dedicada à sua participação: opiniões, pensamentos, críticas e sugestões. Basta enviar sua mensagem pela internet ou carta, citando sempre o seu nome, número do RG e endereço. Devido ao espaço disponível, algumas mensagens podem ser editadas. Desde já, agradecemos por sua contribuição.

Terrorismo Fiquei muito interessada em conhecer melhor a Religião Islâmica após começar a ler a Revista Evidências. Pela televisão confesso que tinha algum receio, principalmente pelas notícias envolvendo muçulmanos e terrorismo. Estou começando a perceber quem são os verdadeiros terroristas. Parabéns e Salam!

Áurea Francisco Itabirito (MG)

Orações Assalamu aleikum! Concordo em gênero, número e grau com a reportagem do número 11 da Revista Evidências que aborda a oração em congregação. Eu sinto uma energia muito maior quando vou à mesquita e faço minhas orações com os irmãos e irmãs. Parece que as forças individuais se somam e chegam mais forte em Allah. Elevado seja Deus o Senhor dos Mundos! Hassan Walid Curitiba (PR)

Exemplo Gostei da matéria sobre ser exemplo e seguir bons exemplos, publicada na edição número 11 de Evidências. Realmente, os exemplos edificantes são muito importantes em nossa vida, para que a gente tenha uma guia, uma orientação. E quando estes exemplos são divinamente inspirados, tudo fica ainda melhor. Gonçalo Almeida São Leopoldo (RS)

Semelhanças Comecei a ler o Alcorão Sagrado e estou percebendo que há muitas semelhanças entre o Islamismo e o Cristianismo. Eu pensava que o Islã e o Profeta Muhammad eram contrários e até inimigos do Cristianismo, mas estou percebendo que não é nada disso. E estou percebendo uma grande coerência nas palavras de Deus registradas no Alcorão. Parabéns pela revista! Epaminondas Grossi Florianópolis (SC)

Revista Islâmica Evidências - 3


Racionalização da vida

D

Sayyed Mohammad Hussein Fadhlallah

“Educar a Mente Entre a Fé e os Desafios Contemporâneos”

eus criou o ser humano de um punhado de terra e um sopro de Seu espírito e este sopro divino entrou na composição da mente do ser humano, para torná-lo o legatário de Deus na terra. Assim, a mente nos 4 - Revista Islâmica Evidências

racionaliza de todos os componentes da vida, no processo de crescimento, criatividade e movimento. Para que a mente se aprofunde em tudo na vida, a fim de descobrir os segredos da ciência.


Sabemos que Deus Todo-Poderoso disse à mente: “venha a Mim, abre-se a Mim, sobe ao Meu Céu, abre-se aos Meus horizontes, para dar-lhe toda a habilidade de Meu poder, a compaixão que tenho. Venha a Mim para dar-lhe a pureza e a serenidade, para se dirigir às profundezas, para descobrir a verdade. E a mente se dirigiu para o Senhor, virou-se para adquirir a inspiração do Senhor com todos os elementos para a descoberta do universo, saber como executar e racionalizar o universo”. “De pronto lhes mostraremos os Nossos sinais em todas as regiões (da terra), assim como em suas próprias pessoas, até que lhes seja esclarecido que ele (o Alcorão) é a verdade.” (Alcorão, 41:53). Assim, a mente foi ter, primeiro, com o seu Senhor, para conhecer o segredo da existência e conhecer o segredo da Divindade e da Soberania. Desta forma, o espírito passa pelo conhecimento de Deus Altíssimo, expande-se para entender tudo o que Deus criou e todas as obras realizadas por Ele. “Então, disselhe: ‘Caminhe’, e ela caminhou. Caminhe e mova-se na Minha frente para ver o equilíbrio de seus passos na linha de sua responsabilidade. Então disse a ela, dando o significado da razão à mente: “Não criei uma criatura mais cara a Mim do que você.”

Uma Narrativa constata que: “O Profeta era mente por fora e a mente era Profeta por dentro.” Este casamento entre a mente e o mensageiro torna a mensagem racional. Assim, ela não pode reunir-se com a superstição e não pode encontrar-se com o subdesenvolvimento, ou com a ignorância. A mente abrange a razão e a protege, a fim de mudar a imagem do mundo. “Ó crentes, atendei a Allah e ao Mensageiro, quando ele vos convocar à salvação.” (Alcorão, 8:24). Deus disse: “Só contigo ordeno é só contigo recompenso e só contigo penalizo.” Quando as pessoas se apresentarem ao Senhor do Universo, a mente pára e movem-se todas as mentes perante Deus para apresentar suas contas nas mãos d’Ele. Se a mente conseguiu captar sua marchar ou ela cometeu erros que não se coadunam com as normas do pensamento lógico, de que forma os corações entenderão isso?!

Deus criou o ser humano de um punhado de terra e um sopro de Seu espírito

A razão é o segredo de toda a grandeza da criação, é o valor que dá valor à pessoa. O homem é mente antes de corpo. Este tipo de comunicação entre a mente e o corpo consegue racionalizar o corpo. Mesmo o valor dos profetas e santos está em suas mentes, que absorveram os métodos da perfeição. O Profeta Mohammad (S) era razão e seu valor estava na sua racionalidade.

“Contigo recompenso e contigo penalizo.” Deus Altíssimo, dá valor aos seres humanos por meio do volume e da dinâmica de sua mente. Sabemos que Deus Altíssimo, quando olha para o ser humano, está olhando para a sua mente, porque quer que o homem se conscientize de sua responsabilidade, emoção e instinto Pois a matéria que vive dentro do instinto pode matar o ser humano quando se desvia do curso racional e natural, destruindo a sua realidade. Por isso, é necessário dar ao instinto uma dose de raciocínio, para que o instinto seja empregado em sua continuidade e vitalidade, promovendo o equilíbrio do movimento e das realidades. É necessário dar à emoção uma dose de raciocínio, para se equilibrar e se firmar, porque a pessoa pode se obstinar na sua emoção, gos-

Revista Islâmica Evidências - 5


tando sem medida e odiando sem medida. Assim, vem a mente perguntar à emoção humana quais são os elementos que nos fazem amar ao próximo ou amar as coisas? Quais são os elementos físicos? Quais são os elementos espirituais? Quais são as bases sobre as quais se fundamenta o nosso amor? Porque o amor precisa de olhos abertos, não pode ser cego. A cegueira no amor faz um homem tropeçar e cair em todos os abismos, tornando este nobre sentimento desequilibrado e caótico. Assim, quando odeia, é necessário conhecer os elementos que justificam o ódio, para que o amor e o ódio não ocorram por motivo meramente emocional. Deve ser um amor – qualquer amor - iniciado a partir do amor a Deus e do amor ao Mensageiro de Deus (S). Por intermédio desse amor se manifesta o amor para com as pessoas ao seu redor, o seu amor à vida e ao que o satisfaz, para que o amor seja o ponto de partida do estudo, de se aproximar da equação “1 + 1 = 2”, não o amor de qualquer jeito, nem a partir da perspectiva de uma emergência ou pela sensação passageira, porque o prazer passa e a sensação desaparece.

com suas raízes racionais e culturais. Não consideramos a fé superior à razão, como alguns seguidores das outras religiões consideram, mas afirmamos que a mente é o resultado da fé e que a profundidade da fé é baseada na razão. Nós acreditamos em Deus porque a razão levou-nos à Sua presença e nos levou ao Monoteísmo. Nós cremos na Sua Unicidade, porque a nossa razão descobriu a Sua Unicidade. Nós O adoramos, porque nossa inteligência descobriu a servidão e a obediência a Ele. Portanto, precisamos racionalizar a vida social, para que ela não se enquadre na linha cega do fanatismo, para que possamos agir com base em sistemas, linhas e regras, para fazer da comunidade um só corpo, com todos os seus membros se empenhando para alcançar os objetivos principais da sociedade, enfatizando as questões importantes e vitais.

A mente foi ter, primeiro, com o seu Senhor, para conhecer o segredo da existência”

Por isso, precisamos racionalizar tudo o que temos, usar corretamente o pensamento para que ele não seja o resultado de superficialidade, mas de profundidade, para que não se confunda com as superstições, que acabam sendo introduzidas na doutrina e na religião, confundindo-as, fazendo o mundo vivê-las, divinizando a superstição em nome da religião. Devemos racionalizar a nossa compreensão e imaginação quanto à religião por intermédio do esforço de compreensão, cultural equilibrado, que nos permita compreender a religião,

6 - Revista Islâmica Evidências

É imperativo racionalizar a política, para que ela não seja influenciada de maneira exagerada pelo estado de emergência e paixão, mas que seja um plano de estudo para a proposição de objetivos e meios que atendam todas as necessidades humanas, de forma racional, levando em conta os pontos fortes e fracos dos indivíduos, os lucros e as perdas, no início e no fim. Por isso, a racionalização da política exige que ela não seja dominada por pessoas com idéias corruptas, que desejem apenas ser seguidas com palmas e ovações, cegamente. A racionalização da política significa que cada pessoa que se relaciona de forma ativa com sua vida tenha pensamento político e linha política, que identifique as posições da política de dentro para fora, integrando as questões regionais às


questões internacionais, sobrepondo os interesses dos débeis aos interesses dos arrogantes. A política não deve ser uma imitação, mas deve ser produtiva e criativa. Que não nos movamos porque os outros querem que a gente se mova, mas porque queremos isso, e que os outros que possam ocupar um lugar no centro de comando ajam de forma complementar a nós. Muitas vezes observamos que não há integração entre a base e o cume da sociedade. Talvez o problema da política no Terceiro Mundo, ou no mundo árabe e muçulmano, seja a forma apaixonada e emocional com que é exercida, os políticos vivendo à busca de aplausos e movimento, sem o conhecimento do início e fim do processo político. Não há política no mundo árabe e islâmico, a não ser um pouco. O que temos são slogans, cânticos e culto à pessoa, ao partido, ao movimento e à Organização, com líderes que não deixam a base protestar, discutir e compreender. Estamos acostumados a andar sem compreender, porque, se o povo entender, cria problemas para os governantes. Queridos irmãos, é preciso também racionalizar o futuro, estudando as mudanças velozes que ocorrem no mundo. Devemos acompanhar o ritmo destas mudanças e observar o futuro, por meio das mudanças culturais, sociais, políticas e na segurança, para saber como planejar o futuro de forma racional e objetiva, para não cair no que aconteceu às outras civilizações, que imaginaram que o mundo era rígido e fixo. O mundo está mudando e temos de enfrentar todos os desafios, quer culturais, políticos, sociais ou econômicos, para saber como nos elevar ao nível desses desafios, saber como enfrentá-los e como minimizar os riscos, ou conviver com eles, de alguma forma.

morto entre os vivos. Temos que participar de todos os movimentos, positiva ou negativamente, porque se temos um caso ou apelo, precisamos articulá-los e lançar o apelo nas mentes das pessoas. Se fecharem uma porta aqui, tentamos abrir outra acolá. Não é suficiente comer as migalhas dos outros, mas devemos fazer os nossos pratos, cozinhar, crescer, plantar, fazer, usar todas as nossas energias, tornar o nosso futuro dinâmico, para não vivermos apáticos e ausentes, como disse o poeta:

“O passado já aconteceu e o futuro é incerto, A hora em que você está lhe pertence.” O passado é passado, mas devemos tirar dele lições e exemplos. O futuro é incerto e devemos descobrir o que estará dentro dele, de forma que Deus nos revele alguns de seus aspectos. Quanto à hora presente, não podemos negligenciá-la, mas carregá-la com todos os elementos de força que podem fazer o futuro. Não podemos dizer o que disse o poeta:

À luz disto, não é permitido a qualquer partido ou liderança, autoridade política, cultural ou social, permanecer neutro em um mundo. Quanto àqueles que não têm posição, estão fora do mundo, mesmo que sejam líderes, porque quem não participa do mundo, em todos os seus campos, desafios e condições, será como um Revista Islâmica Evidências - 7


“Construindo como os nossos antepassados construíram, Construímos e fazemos o que fizeram.” Construir e elevar o edifício não basta, temos de fazê-lo melhor, porque a vida é um estado de evolução. A racionalização desafia todo ser humano a racionalizar a sua existência, a racionalizar o seu movimento para a abertura a Deus, para saber como agir no sentido de abertura a Deus, ao povo e à vida, tornando o mundo racional.

ção a pensar, não a imitar. Convido você a educar seus filhos, desde o início, a ter pensamentos críticos. Ensinem as novas gerações a produzir pensamento, como ser auto-suficientes, como desenvolver suas mentes. Que os pais aprendam a não oprimir as crianças para impedi-los de pensar, dialogar e debater. Que criem uma geração que tem independência quanto à razão, à ideia e aos planos para seu futuro.

Nós acreditamos em Deus porque a razão levou-nos à Sua presença e nos levou ao Monoteísmo

Alguns dizem que o mundo não é razão, criticando o movimento, a marcha mundial. Nós dizemos que, se queremos um mundo que age, devemos torná-lo racional. Devemos apagar, por meio da razão, todas as superstições, corrigir todas as nossas tradições e costumes, todas as nossas culturas, para desenvolvê-las e aprimorá-las. Devemos utilizar a mente para planejar a nossa realidade numa linha reta. A mente pode nos preparar um excelente futuro no âmbito de força e do dinamismo. Uma das nossas tradições diz: “Pensar durante uma hora é melhor que um ano de culto”, porque esta hora ilumina o sentido da adoração, o significado da fé e o rumo de nossa vida. Queridos irmãos e irmãs, vocês devem, ao participar do planejamento educacional, desenvolver suas mentes com pensamentos, reflexões e experiências constantes, analisar cada passo para descobrir os prós e os contras. Vocês agora estão trabalhando para proporcionar à nova geração conhecimento e educação. Porém, com isso, e antes disso, tentem orientar a nova gera8 - Revista Islâmica Evidências

Esta é a grande responsabilidade, para criarmos um ser humano com sua mente, com paixão pela vida. Esse é o problema e essa é a responsabilidade de amanhã, diante de Deus, que nos questionará como fizemos este ser humano gentil, que poderá ser líder no futuro. Líder, reformador ou tirano? Por isso, comecemos a cumprir com nossa responsabilidade!


Lei Divina

Dr. Ihssan Al-Amin

Alcorão

D

eus, o Altíssimo, diz: “Em verdade, este Alcorão encaminha à senda mais reta e anuncia aos crentes benfeitores que obterão uma grande recompensa.” (Alcorão, 17:9). “Reforma” é o título da Mensagem Divina e o conteúdo dos seus objetivos. Certamente, os mensageiros e os profetas foram enviados para a reforma da sociedade, quer ao nível de fé e crença, ou ao nível do comportamento e ação. O objetivo é total: “Só desejo a reforma.” (Alcorão, 11:88). Não houve diferença no que o Profeta Shuaib falou, ou no que o neto do Profeta Mohammad, Hussein Ibn Ali (a paz esteja com ele) disse em Karbalá. É a mensagem dos profetas, dos santos e daqueles que seguem o 10 - Revista Islâmica Evidências

- Constituição e Reforma método de Allah e foram orientados pela Sua Excelsa orientação. Caso o defeito seja na crença ou de fraqueza na fé, a ênfase da Mensagem e da missão é corrigir o conceito de Unicidade, que é a origem da religião e a base da fé. Daí a recordação do temor a Deus e ao Último Dia, de modo que a fé siga o caminho do coração e se consolide, orientando o comportamento humano, tal como exigido pela sua fé e de acordo com o que é ordenado pela religião. Se o problema for moral, os esforços dos fiéis reformistas são para combater as manifestações de comportamento corrupto e consolidar os bons costumes, promover os atos excelen-


mais de um interesse e necessidade. Eles existem para adicionar, ao lado da dignidade integral do homem, a concepção de sua origem divina e outros aspectos relevantes, não acessíveis à mente Se o problema for social e a corrupção prohumana. Proporciona, assim, imunidade ao muliferar entre as pessoas, entre países e governos, çulmano, grande coesão contra a corrupção e riquezas e decretos, afetará os pilares da justiça adesão à reforma, porque a consideração ética do e da igualdade, eliminando a igualdade de sua muçulmano não é uma formalidade, uma quesconsciência. A reforma se dirige, neste caso, tão secundária, mera para o restabelecimenvisão social ou tratato da justiça, da equidamento jurídico: é uma de e assistência para as questão de princípio, pessoas, protegendo os Certamente, os mensageiros que afeta a origem da seus direitos e corrigine da segurança e os profetas foram enviados crença do as condições sociais da religião, porque a e políticas. para a reforma da sociedade corrupção se enfileira O Islã muito fez com a imoralidade e o para a reforma da sopecado. Deus, Altíssiciedade, mas o que mo, diz: “Porventura, mais objetiva com seus trataremos os crenensinamentos e decisões é a felicidade do indites, que praticam o bem, como os corruptores víduo com base na reforma das circunstâncias na terra? Ou então trataremos os tementes da sua vida social. Se a sociedade se corrompe como os imorais?” (Alcorão, 38:28). fica rodeada de miséria. A orientação e a feliciDeus é o Observador e o Prestador de Condade das pessoas ficam muito difíceis. Por isso, tas, em segredo e em público, em essência e o Islã se preocupou com a reforma do estatuto aparência, durante a noite e o dia, quer haja o social de forma incomparável. Ele se empenhou poder e a força da lei ou não. O poder da fé e o para tornar as cerimônias do culto religioso, da poder de Deus são mais fortes do que qualquer oração, do jejum e da peregrinação sociais, tanoutro impedimento à corrupção. Quanto à deto quanto possível, onde o indivíduo viva bem sobediência a Deus, ela implica no seguimento consigo próprio bem como no seu meio social. dos desejos e do diabo. O Alcorão Sagrado, a Constituição do Islã e Por isso, o crente – na verdade – é a pessoa seu método de retidão, está repleto de muitos verque menos viola a lei, está mais compromissasículos que abordam as questões da reforma, do da com a verdade e mais comprometida com a combate e tratamento da corrupção, relacionando reforma. Os outros - seguidores das paixões e as causas e os métodos para atingir estes objetivos, os hipócritas, que manifestam apenas uma reliampliando as exigências de maneira mais complegiosidade externa às pessoas – estão mais vulta que os métodos modernos, baseados principalneráveis ao desvio, porque o interesse pessoal, mente, na corrupção financeira. A corrupção que para eles, é a base. Para eles, os benefícios e o foi tratada pelo Alcorão é a ética, cultural, política prazer mundano são os objetivos. Para eles, o e econômica. Aliás, o Alcorão Sagrado aborda toinibidor da corrupção é a força da lei humana, das as corrupções, em todos os domínios sociais. cuja aplicação é falha. Na segurança da impuniA reforma inclui, também, as idéias e os objetivos, dade, eles se apressam em corromper e roubar o bem como os motivos, os meios e os mecanismos dinheiro, público e privado - a não ser de quem para atingir uma sociedade ideal. Deus tem misericórdia. O fortalecimento do fates para que a comunidade seja divina, pura e limpa, nas palavras, ações e relações com os outros.

Deve-se notar aqui que a investigação e o estudo da visão alcorânica quanto à reforma têm

tor religioso, a fé em Deus Todo-Poderoso e o seu domínio sobre o mundo, sua advertência e

Revista Islâmica Evidências - 11


punição aos criminosos e aos corruptos, proporpara ser o melhor em sua origem, longe do mal ciona uma atmosfera psicológica e um guardanas metas. chuva de proteção social, eliminando o risco de O Islã confirma a integridade do coração, muitos crimes e desvios. Especialmente se essa a segurança e a saúde da intenção apenas poreducação tem apoio do ensino formal e da senque os atos pertencem às ideias e os seus meios sibilização, para diagnosticar o bem dos outros seguem na direção dos objetivos. Isso não para e especificar as áreas de corrupção e o espaço aqui; a fé é o que se instala no coração, é corem que ela se move, promovendo a remoção das roborado pelos atos, pronunciado pela língua e máscaras. Assim, as pessoas ficam conscientes aparece nas atitudes pessoais. Por isso, a relidos seus assuntos, não sendo enganadas pelos gião se preocupa com a educação do indivíduo, sussurros de Satanás, nem sendo abatidas pelas sua disciplina e ensino, para enobrecê-lo com agonias da paixão, nem sendo enganadas pelas a excelência de caráter, a boa palavra e o bom ardilezas dos corruptos, que muitas vezes fintrabalho. Deus diz: “Allah agraciou os crengem-se de reformadotes ao fazer surgir res, adotando slogans um Mensageiro da brilhantes, nacionais sua estirpe, que lhes ou religiosos, sendo Se o problema for moral, ditou os Seus versícuaté mesmo recompenque os redimiu e os esforços dos fiéis reformistas los, sados por isso. lhes ensinou o Livro

Se a célula da core a Prudência, sensão para combater as rupção é a alma hudo que, antes disso, manifestações de mana inclinada para estavam em evideno mal, movida pela te erro.” (Alcorão, comportamento corrupto paixão interna, segue 3:164). E diz maisa: Satanás, que sussurra “Quem ambiciona a para ela. Então, apareglória, saiba que toda ce no comportamento glória pertence inhumano e sua maldade, que é transportada para tegralmente a Allah. Até a Ele ascendem as a comunidade. Por outro lado, a religião e seu puras palavras, Que exalta as nobres ações. Livro, o Alcorão Sagrado, são mais capazes do Aqueles que urdem maldades sofrerão um que os métodos e instrumentos humanos para terrível castigo e sua conspiração será inúlidar com este flagelo e combater a infecção. til.” (Alcorão, 35:10). Além disso, a fé em Deus A preocupação principal da religião, portanto, Todo-Poderoso e no Último Dia cria um equilíé a educação do ser humano, exercitá-lo a obebrio humano que evita a inclinação à corrupção. decer ao Clemente, modificar os seus gostos O crente em Deus e na servidão a todas as pese tendências, podar os seus desejos e prazeres soas, aliás, a todo o universo, vive uma situação materiais, dentro do círculo do lícito, longe de de evocação da divindade e respeito absoluto toda a corrupção. ao senhorio de Deus, Seu monitoramento e observação das ações do ser humano. Ele teme a O combate à corrupção não se restringe a desobediência ao Criador e o Seu poder, enverum lado sem o outro, como é o método não isgonha-se perante o Seu senhorio e as dádivas lâmico, baseado numa abordagem que não seja que Ele lhe concede. Assim, evita os erros e a do Alcorão. Não adianta estabelecer a rigidez as más ações. Sente, também, a sua servidão e nas leis e na educação das pessoas sem purificar responsabilidade em relação às outras pessoas. seus íntimos ou aperfeiçoar as suas intenções. Ele não as oprime, pois é seu semelhante, não A religião, orientada pelo Alcorão, começa com usurpa seus bens, por ser seu direito. Não tem a essência do ser humano e a eleva, suavizandireito sobre o seu dinheiro, pois Deus, que lho do seus sentimentos e elevando seus objetivos, concedeu, é responsável em proteger sua hon-

12 - Revista Islâmica Evidências


ra. O verdadeiro crente deve ter como objetivo servir os servos de Deus e ajudá-los, em vez de castigá-los e aborrecê-los. O crente no Último Dia sabe que nada se oculta da visão de Deus e que ele irá se deparar com os seus atos, sejam muitos ou poucos: “Quem tiver feito o bem, quer seja do peso de um átomo, vê-lo-á. E quem tiver feito o mal, quer seja do peso de um átomo, vê-lo-á.” (Alcorão, 99:7-8). Esta fé o rodeia e o protege contra o ilícito e o encoraja a fazer coisas boas e justas. O Islã, com o seu livro resguardado, o Alcorão, recitado por todos os muçulmanos, fornece um lembrete constante e aconselha com as melhores palavras e mais belos artigos, os mais completos exemplos, as mais contundentes histórias, apresentando os conceitos e refletindo as veracidades, esclarecendo as aplicações e apontando o caminho para a justiça e a reforma, longe da corrupção e da imoralidade. Mais do que fornecer outra constituição ou lei, a religião tem profundo impacto nas mentes das pessoas, na restauração dos seus bons sentimentos, estimulando a sua natureza e as constituições de suas mentes, além de outras instruções e disposições, que proíbem a obscenidade e o ilícito,

a opressão e a agressão, instituindo a justiça, a equidade, o respeito pelas pessoas, a proteção de seus direitos, e esta é a essência da bondade. Por último, o Islã não organizou o sistema social e seus diferentes assuntos para ser uma religião particular entre o homem e Deus. Estabeleceu, outrossim, as bases de uma sociedade justa e boa, promulgando a legislação necessária para isso. Ele proibiu tudo o que é imoral, maléfico e prejudicial, impondo tudo que é bom para a sociedade e as pessoas, o que é necessário para a complementação da sua fé. Os métodos do Alcorão se coadunam quanto à reforma e a orientação, com o nível do comportamento humano, na sua vida individual e social, para formar um grande sistema integrado. O sistema para isso é fornecido pelo Alcorão. O Livro Sagrado é o orientador, a senda, a Constituição da ética e o documento de reforma. Com ele o mundo se torna feliz e a Outra Vida, acolhedora. Por isso, o apego a ele e o estabelecimento de suas leis constituem o método para os reformadores e os bem-sucedidos. Deus diz: “Quanto àqueles que se apegam ao Livro e observam a oração, saibam que não frustraremos a recompensa dos conciliadores.” (Alcorão, 7:170).

Revista Islâmica Evidências - 13


Comportamento

Assayyed Charif Sayyed

Por que o Uso do Véu no Islã ?

Os Vícios da Nudez

A

liberdade total, que permite à mulher ocidental se misturar com os homens, em todos os locais, de maneira manifesta e oculta, constituiu uma conduta que gera muitos problemas. Neste ambiente de promiscuidade desvelada, sem limites e sem restrições, a prostituição e a imoralidade se transformaram em algo coincentivada a matar seus pais, em atendimento mum. A mulher vende a sua honra e sua digao convite do alegado colega, do suposto aminidade por preço ínfimo, por qualquer dinheigo, do amante enganador (1). Por causa da “forro, aos vilões da humanidade, os poluidores ça da civilização”, da intervenção e “bênção” da honra. Vende a sua da “liberdade” proporcastidade partindo dacionada pela promisquela ambiente ilícito, cuidade, a conduta das A liberdade total, que permite que permite o primeiro moças é transformada olhar, então a conver- a mistura entre homens e mulheres, e elas, perdidas nas sa, em seguida o enruas e demais lugares em todos os locais, contro que mancha o públicos, à procura da pudor e a pureza, com tranqüilidade, não a gera muitos problemas todo tipo de descaraencontram, passando a mento. viver tristes, humilhadas e sem respeito. Ela se mistura com os rapazes no escritório, na fábrica, na universidade e na rua, com a mão segurando a mão do lobo domado, permitindo, em nome da liberdade, ser conduzida por ele como a ovelha é conduzida para o matadouro, sem se importar com a vergonha e a desonra. Às vezes é até mesmo

Assim, a sociedade se desintegrou, a família enfraqueceu, proliferou a personalidade desvirtuada, o desrespeito, porque aquela moça “livre” viu na família uma algema que a prendia, projetando este sentimento nos filhos que, talvez um dia, venha a ter. Por isso, misturou-

(1) Lembre-se o leitor do caso de Suzane Von Richthoffen, que assassinou os pais em conluio com o namorado, em 31 de outubro de 2002. Ambos desaprovavam o relacionamento.

14 - Revista Islâmica Evidências


se e passou a conviver com os jovens do sexo oposto, prostituindo-se. O seu fim é quase sempre o suicídio – físico e/ou moral – que a leva a matar a sua dignidade, atingindo o Inferno, sem remorso algum. Esta é uma situação vivenciada por boa parte das jovens ocidentais, vítimas da libertinagem Ela se mistura promíscua que a levou ao desespero.

A revista britânica “The Guardian” publicou que os boletins de ocorrência americanos mostram a elevação dos crimes de estupro um ano após o outro. Apenas em Washington acontece um estupro a cada 15 minutos.

com os rapazes no escritório, na fábrica, na universidade e na rua, com a mão segurando o lobo domado

Há, também, os casos – infelizmente cada vez mais numerosos, segundo os levantamentos estatísticos – nos quais a promiscuidade entre os jovens de ambos os sexos levam a moça a ingerir bebidas inebriantes, esquecendo-se de seu Senhor, o que cria uma série de problemas mais sérios, mais graves e mais amargos. Outra jovem freqüenta as piscinas, obrigando os administradores públicos e os políticos a criar clubes, bares e piscinas mistas. O perigo avolumou-se tanto que a família ocidental foi relegada a um grau sem precedentes de desintegração, opressão e insegurança.

dade.

Na capital britânica aconteceram 2095 casos de ataque a mulheres e jovens. Isso no ano de 1970, ou seja, há 40 anos! De acordo com o jornal The Independent, em 1999 aconteciam, anualmente, cerca de 2 mil estupros na ci-

De acordo com o site HTTP://aborto.aldeia.net, o numero de abortos por ano, no mundo, gira entre 46 a 55 milhões. Por dia, são, aproximadamente,126.000. Do total, 78% são realizados em países em desenvolvimento e os restantes 22% em países desenvolvidos. Aproximadamente 97 países, com cerca de 66% da população mundial, têm leis que em essência

As estatísticas mostram que, na França, as mulheres que se desviam para a prostituição, com licença do governo, alcançam 40%, ou mais. Que dirá aquelas que a praticam sem o conhecimento das autoridades? Além disso, mais de um quarto dos recém nascidos é resultado de adultério; todo ano, quinze mil almas são mortas na hora de se dar à luz. Isso sem se falar nos abortos cometidos em segredo. Dez mil filmes pornográficos são produzidos na Inglaterra, a cada semana, a maior parte dos quais é exportada. Em Nova York há uma sociedade que reúne praticantes de desvios sexuais cujos membros, que vêm de todas as partes dos Estados Unidos, são calculados em 15 milhões. Em Roma (Itália) e na Holanda há milhares de bordéis, nos quais são exibidas milhares de prostitutas, oferecendo-se aos homens. Revista Islâmica Evidências - 15


O relatório de um juiz estadunidense de sopermitem o aborto induzido. Noventa e três pabrenome Lindsay diz que 45% das jovens estuíses, com cerca de 34% da população, proíbem o aborto ou permitem o aborto apenas em sidantes no país perdem a virgindade antes de terminar seus estudos médios. Essa porcentagem tuações especiais, como deformações do feto, aumenta durante o período de estudos superiores. violações ou risco de vida para a mãe. Todos os anos, cerca de 26 milhões de mulheres realiUma revista americana publicou um relatózam abortos legais, enquanto que 20 milhões de rio a respeito da gravidez, abortos são realizado nascimento e do abordos em países onde to nos Estados Unidos. esta prática é restrinAssim, a sociedade se desintegrou, a Está no texto: “Uma em gida ou proibida por cada dez mulheres amelei. família enfraqueceu, proliferou ricanas fica grávida antes O pesquisador do casamento. Essa situa personalidade desvirtuada, ação não provoca o maBernard Odil fez o desrespeito trimônio imediato, mas um estudo de camtransforma-se em aborto po abrangente das induzido na proporção de famílias ocidentais, 89%, em abordo natural de 5% e em nascimenviajando entre vários países europeus, aos Estos em 6% dos casos. tados Unidos e Canadá, voltando, depois para a Dinamarca com um apelo: “Salvem as famílias Num relatório de um médico da cidade de ocidentais da morte!” É o terceiro apelo que ele Baltimore (EUA), mais de mil processos foram faz no decorrer dos últimos trinta anos. O priabertos em um só ano por estupro de crianças meiro foi: “Salvem a família de ser roubada!” O abaixo de doze anos de idade. segundo: “Salvem a família de desintegração!” A União Italiana dos Psicólogos divulgou uma pesquisa de opinião na qual 70% dos homens italianos confessaram ter traído suas esposas.

Somente na Alemanha acontecem 35.000 casos de estupro por ano. Esse número representa apenas os casos registrados em boletim de ocorrência. Porém, os casos de estupro não registrados alcança, de acordo com a polícia criminal, cinco vezes mais. Não confirmam esses números e essas estatísticas o erro flagrante das pessoas que apostam na liberdade sexual total? Ou esses números e essas estatísticas representam o respeito mútuo entre homem e mulher? Esses são alguns números que indicam a que ponto chegou a desvalorização moral no Ocidente, nas últimas décadas. Certamente, a nudez, o desvelo da mulher e a corrupção superaram os limites. Eleve a voz contra a libertinagem! • Estes são alguns dos motivos pelos quais, no Ocidente, algumas mulheres tentam 16 - Revista Islâmica Evidências


à minha pessoa, respeitando o que visto.” São libertar as demais de serem usadas para a expalavras de Fabianne, uma jovem modelo franploração física, o que as torna um mero meio de cesa de dezoito anos de prazer. Na Alemanha, idade. Isso aconteceu Elis Shfauzer empunha que ela se cona bandeira de defesa Relatório diz que 45% das jovens depois verteu ao Islã e escapou dos direitos humanos daquele inferno insuda mulher contra a sua estudantes nos EUA perdem a portável. Ela se orienexploração no comérvirgindade antes de terminar tou para viver o resto cio de libertinagem, de sua vida no seio de apresentando uma lei os estudos médios uma família muçulmano parlamento alemão na. São palavras claras, para combatê-lo. que não precisam de • Andreia Durankin, socióloga estaduniexplicação. dense, escreveu um artigo sob o título “Libertinagem”, onde diz: “Por causa do estímulo ao prazer eles (isto é, os homens) nos amarram como se fôssemos pedaços de carne, penduramnos nas árvores, fotografam o estupro e exibemno nos cinemas e publicam-no nas revistas”.

• A escritora estadunidense Helen Stanburry diz: “A sociedade islâmica é uma sociedade perfeita e sã. O segredo disso é o seu apego às suas tradições e conduta moral, proibindo a promiscuidade, restringindo a ‘liberdade’ das jovens. Eles defendem o uso do véu. Isso é melhor do que a permissividade da Europa e da América.”

Estes são depoimentos sucintos colhidos entre centenas, talvez milhares de apelos contra a libertinagem, os modelos de comportamento que difamam a moral feminia, contra a nudez e a comercialização dos desejos. São lamentos, na sua maioria de intelectuais e jovens que viveram estas experiências. Você tirou alguma lição disso?

• Eis uma confissão e apelo de uma famosa modelo, uma jovem de dezoito anos. Pertence ao mundo dos perfumes, cosméticos e modas. Disse ela: “O mundo da moda transformou-me em mero ídolo móvel, com a função de divertir os corações e as mentes. Aprendi como ser fria, dura, iludida, vazia por dentro, para ser apenas um molde para vestir as roupas. Era matéria móvel e sorridente, porém, sem sentimento. Não era a única assim. Quanto mais a modelo fica despojada de sua condição humana, maior se torna o seu valor neste mundo duro e frio. Se ela contrariar qualquer ensinamento dos modelistas, fica sujeita a vários tipos de penas, psicológicas e físicas.” E acrescentou: “Viajei pelo mundo, exibindo os mais modernos modelos, promovendo a semi-nudez e a ilusão, satisfazendo as vontades de Satanás ao exibir os atrativos da mulher, sem pudor nem vergonha.” E diz, mais: “Não sentia a beleza das roupas por sobre o meu corpo, mas sentia os olhares depreciativos e o desdém Revista Islâmica Evidências - 17


Prece de Quinta-feira(1) Em nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso “Louvado seja Allah, que recolheu a noite e suas trevas com o Seu poder e trouxe o dia iluminador com Sua misericórdia, concedendo-me a sua claridade e agraciandome com Suas dádivas. Ó, Allah, como me conservaste para ele conserva-me para dias iguais a ele. Concede paz e graça ao Profeta Mohammad e aos seus familiares. Não me aflige nele nem nos outros dias e noites, pelo cometimento do ilícito e (prática) dos pecados. Concede-me o seu bem e o bem que existe nos dias depois dele. Afasta de mim seus males e os males dos outros dias. Ó, Allah, pelo amparo do Islã, rogo-Te, com a inviolabilidade do Alcorão, confio em Ti, a Mohammad, o escolhido (Allah, abençoa-o e lhe dê paz e aos seus familiares) peço a interferência perante Ti. Fica sabendo, ó, Allah, da minha disposição de atingir o meu objetivo, ó Misericordiosíssimo. Ó, Allah, concede-me na quinta-feira cinco coisas que somente a Tua generosidade consegue conceder e ninguém mais tem capacidade de fornecer além da Tua graça: Uma saúde que me fortaleça em obedecer-Te; uma adoração que me capacite merecer a Tua recompensa; um abundante e lícito sustento, que me conceda segurança em caso de medo; recolhe-me, na Tua fortaleza, das crises da aflição e preocupação; que Allah abençoe e dê paz ao Profeta Mohamamd e aos seus familiares e faça com que os meus rogos pela sua interferência, no Dia da Ressurreição, sejam atendidos. Pois Tú és o mais misericordioso dos misericordiosos.” (1) Uma das preces do Imam Áli Ibn Hussein Ibn Áli Ibn Abu Tálib, denominado de Zainil Ábdin (A paz esteja com ele).

18 - Revista Islâmica Evidências


Preces diárias

Analisando a Prece

A

manhã chegou com a sua luz e as treSenhor da aceitação. vas da noite se foram, com o poder de “Louvado seja Allah, que recolheu a noiDeus, Louvado seja por isso e pelo que te e suas trevas com o Seu poder”. A noite concede de bem aos Seus servos, em sua traninvoca sentimentos de medo e insegurança do qüilidade, em seu movimento, na constância da desconhecido. Por outro lado, permite o desluz. O meu desejo nesse novo dia é suplicar a canso e concede a tranqüilidade. O sentimento Allah que me conserve como nos outros dias, que provoca é o de sonolência, que induz o ser ao longo de minha vida: que eu não me aflija humano a dormir, provocando ausência de monele por tê-Lo desobedecido, que me concevimento, de empenho consciente, permitindo a da todo o bem que introduziu nele e nos dias recuperação da atividade e da força. Então, o depois dele, que me afaste de todo o mal que medo, que surge com a chegada da noite, pepode surgir nele e nos dias depois dele, roganrante os lampejos da alvorada, paulatinamente, do a Deus pela disposição do Islã, que é nobre desaparece. perante Ele, porque é a religião escolhida por “E trouxe o dia iluminador com Sua miEle para Seus servos. Confiando n’Ele pela nosericórdia”, para que as pessoas tratem de seus breza do Alcorão, que Ele engrandeceu, elevou assuntos e necessidades, como se concedesse e honrou. Por Mohammad (que Allah o abençoe ao mundo a força da visão. Assim, as pessoas e lhe dê paz), que Deus enviou como misericórveem tudo que ele tem e quem está nele, emdia para as criaturas, penhando-se para cona quem amou e esquistar o que desejam colheu. Essas são as conquistar, executando formas que apresenA manhã chegou seus planos, dedicandoto quanto às minhas se à vida, ao trabalho e com a sua luz e as trevas da noite necessidades de Ti. ao relacionamento com Tu és o Soberano de se foram, com o poder de Deus, o seu próximo. tudo. Portanto, peço, nesta quinta-feira, “Concedendo-me a Louvado seja cinco coisas: A saúde sua claridade”, expanfísica, para me fortadindo a luz em todas as lecer na obediência direções, fazendo-me a Ti; a adoração, que, se for aperfeiçoada, em vestir a luz e fazendo a luz me vestir, para viver seus elementos materiais e espirituais, me pera claridade em todo o meu ser, como se eu fosse mitirá obter a Tua recompensa, que me promenadar num mar da claridade. teste; uma porção de sustento lícito; a seguran“E me agraciou com Suas Dádivas”. Por ça durante o medo que me acomete na vida; e, toda a vida aparecem necessidades, que satisfinalmente, a proteção contra as aflições e defaço pelo acúmulo de dádivas e a conquista de sesperos que possam me afetar e afetar os meus benefícios de variadas naturezas. sentimentos. Então, peço-Te, ó Senhor, que me “Ó, Allah, como me conservaste para ele, conceda a intervenção de Mohammad (Allah o conserva-me para dias iguais a ele.” Em Ti, ó abençoe e lhe dê paz) e a aceite, pois Tu és o

Revista Islâmica Evidências - 19


Senhor, está o segredo da vida. Como me conservou vivo neste dia, não tire a minha alma do meu corpo. Peço-Te que me conserve vivo por dias iguais porque, pelo que colocaste em mim de desejo, amo a vida. Isto denota a ética islâmica, que confirma que o crente ama a vida e a deseja. Porém, como veremos adiante, deseja-a na obediência de Allah, porque este é o segredo e a profundeza da humanidade.

ilícito, orientação dos extraviados, auxílio aos fracos e oferta de alegria aos que estão tristes. Não me priva, Senhor meu, de Tua graça neste dia, mas concede-me, de Tua generosidade, o que destinaste dos dias seguintes.

“Afasta de mim seus males e os males dos outros dias”, porque não desejo que o mal ingresse na minha vida ou tenha influência nela, ou se alastre em suas múltiplas dimensões, interferindo nas atividades cotidianas, porque Tu odeias o mal e os Peço-Te, ó Senhor, que me conceda a seus praticantes. Eu me afastar de intervenção de Mohammad (Allah desejo tudo que causa a Tua e me afasta de Tua o abençoe e lhe dê paz) e a aceite, ira satisfação.

“Não me aflige nele nem nos outros dias e noites, pelo cometimento do ilícito e (prática) dos pecados.” Quando, ó, Senhor, peço pela vida, pelo desejo de amar, desejo-a conscientepois Tu és o Senhor da aceitação “Ó Allah, pelo mente. Mas, que seja amparo do Islã, rogouma vida distante de Te.” O Islã é a religião tudo que proibiste em que escolheste para os Teus servos, a dádiva termos de palavras, atos e pecados, que atrapaque lhes cumulaste. Ela é inviolável perante Ti. lham a prática do bem. Isso representa a aflição Portanto, permite-me rogar a Ti; por meio da inigualável, vinculada ao destino eterno, no ficrença nela, a Ti peço. nal desta vida. “Pela inviolabilidade do Alcorão, confio “Concede-me o seu bem e o bem que em Ti”, porque este é o Livro que representa a existe nos dias depois dele”, em termos de saúTua inspiração, a qual revelaste ao Teu Mensade, segurança, sustento, consciência, conhecigeiro, fazendo-o assumir a responsabilidade de mento, ciência, domínio da verdade, rejeição do transmiti-lo às pessoas, recitá-lo, para abençoálos e ensiná-los a sabedoria. Porque a Escritura é a luz que brilha nas mentes das pessoas, para elevá-las aos horizontes da satisfação espiritual, moral e vital, para consolidar a humanização do ser na nobreza da mente, do espírito e da conduta, no equilíbrio dos valores islâmicos. Confio em Ti com a inviolabilidade que infundiste no Livro, para que as pessoas o adotem, que o considerem e vivam sua vida por meio dele, em todos os seus assuntos. “A Mohammad, o escolhido (Allah o abençoe e lhe dê paz e aos seus familiares) peço a interferência perante Ti.” Peço-Te, Senhor, que permita a interferência de Teu Profeta, o Profeta da Misericórdia, o condutor da Nação (Islâmica) para a prudência e a orientação, pelo

20 - Revista Islâmica Evidências


que lhe concedeste de interseção orientadora. “Ó Allah, Tu conheces a minha consciência, pela qual desejo atingir o meu objetivo, ó Misericordiosíssimo.” Esta é a minha consciência, pela qual me dirijo a Ti usando minha língua e pensamento, não para que Tu a conheças, pois Tu conheces tudo o que está oculto e guardado em segredo, mas como testemunho, com os termos da minha crença em Tuas mãos, rogando com base no que permites que os Teus servos roguem a Ti. Tu és capaz de ser extremamente generoso comigo e com todas as pessoas. “Ó, Allah, concede-me na quinta-feira cinco coisas que somente a Tua generosidade consegue conceder e ninguém mais tem capacidade de fornecer, além de Tua graça”. Seleciono, ó, Senhor, do nome deste dia cinco pedidos que só a Tua generosidade é capaz de atender, pois ela se estende para além das necessidades humanas e só ela é capaz de atender a todas as carências do homem, em todos os seus assuntos e situações.

Sustentador Que não veda a Tua graça a ninguém. Tu és Quem concede sustento a toda criatura. Peço-Te, Senhor, que me conceda abundante sustento e que este seja lícito. Não me dedicarei a amealhá-lo por métodos ilícitos. Tu disseste em Teu Livro: “Ó crentes, não consumais reciprocamente os vossos bens, por vaidade; realizai comércio de mútuo consentimento.” (Alcorão, “Uma saúde 4:29). Estou atento para que me fortalece que o meu lucro não vePor toda a vida aparecem necessidaem obedecer-Te.” nha da usura. Tu disseste: Tu és Quem conce“Allah destituirá a usudes, que satisfaço pelo acúmulo de ra de todas as benesses de a saúde física e o bem-estar. Este, e multiplicará a recomSenhor, é o meu dádivas e a conquista de benefícios pensa aos caritativos; primeiro pedido de Ele não aprecia nenhum de variadas naturezas hoje: que me conincrédulo, pecador.” cedas saúde, porque (Alcorão, 2:276). E disela me ajuda a deseste: “Ó crentes, temei sempenhar a obediência da qual me encarregasa Allah e abandonai o que ainda vos resta da te. usura, se sois crentes! Mas, se tal não acatardes, esperai a hostilidade de Allah e do Seu “Uma adoração que me capacita a meMensageiro; porém, se vos arrependerdes, recer a Tua recompensa”. O segundo pedido reavereis apenas o vosso capital. Não façais é capacitar-me a executar a adoração conscieninjustiças e não sereis injustiçados.” (Alcote, constituída da submissão perante Ti, ficar rão, 2: 278-279). Peço-Te, também, Senhor, contrito perante a Tua Vontade para que seja, proteger-me contra os meus males e minhas copor meio desta adoração, merecedor de Tua rebiças. Não me envolvo apenas na procura do compensa. Eu sei Senhor, que a Tua recompensustento, pois assim cometo pecado sem percesa pela adoração está limitada pela extensão de ber, faço injustiça com as pessoas sem sentir. O sua aceitação pelo coração. Mensageiro de Allah (Allah o abençoe e dê paz “Um abundante sustento lícito”. Tu és o a ele e a sua família) disse: “A adoração

Revista Islâmica Evidências - 21


compõe-se de dez partes; nove delas são utilizadas à procura do que é lícito.” Em outra narrativa, lemos: “A adoração constitui de setenta partes e a melhor delas é a procura pelo que é lícito.” “Que me conceda segurança em caso de medo”. Estou na vida caminhando sob o olhar do Teu cuidado. Peço-Te, Senhor, que continue a cuidar de mim nas situações de insegurança que enfrento na vida, de dia e de noite, porque Tu concedes a segurança aos amedrontados entre os Teus servos, recolhendo-nos em Tua fortaleza, na qual as pessoas estão em segurança. “Recolhe-me na Tua fortaleza das crises da aflição e preocupação”. São as aflições presentes na minha condição psicológica, nas preocupações que confundem meus sentimentos, pesando a minha vida com dores e induzindo-a à tristeza. Peço-Te, Senhor, para aliviar minhas aflições e preocupações, para ficar sob a proteção de Tua fortaleza, na qual não há lugar para aflição e preocupação. Tu és o Zeloso contra tudo o que pode prejudicar o ser humano. “Que Allah abençoe e dê paz ao Profeta Mohamamd e aos seus familiares e faça com que os meus rogos pela sua interseção, no Dia da Ressurreição, sejam atendidos. Pois Tú és o mais misericordioso dos misericordiosos”: Rogo-Te, pois Tu és Quem permite a interseção e a interseção pertence a Ti e está conforme a Tua anuência. Esta é a ética islâmica na prece, ou seja, pedir de Allah que aceite o nosso rogo pela interseção de Muhammad, porque tudo está em Suas Mãos e Ele dirige o destino dos seres humanos.

22 - Revista Islâmica Evidências

Eu desejo me afastar de tudo que causa a Tua ira e me afasta de Tua satisfação


Histórias do Alcorão

Xeique Nasser Makarim Shirazi

O Profeta José e o Profeta Jacó (a.s) Nesta edição nº 12 de Evidências, damos continuidade à história do Profeta José (a.s.), iniciada no número 10. Submete-te, ó José! Algumas mulheres do Egito deram razão à esposa do ministro e tentaram convencer José (a.s.) a submeter-se ao amor dela. Cada uma delas se dirigiu a ele da seguinte forma: A primeira disse: “Ó, jovem, que paciência e maneiras são essas? Tenha piedade dessa apaixonada que lhe entregou seu coração! Não vê essa beleza prisioneira? Não tem coração? Não é jovem? Não se alegra com o amor e a beleza? Você é de pedra ou de madeira?”

A segunda disse: “Se você nada sabe a respeito da beleza e do amor, não percebe que a esposa do ministro tem influência e poder? Você não sabe que, se conquistar o seu coração, vai ter o que quiser e alcançar altas posições?” A terceira disse: “Se você não é atraído pela sua beleza, nem procura posição e riqueza, não percebe que ela pode se vingar de várias formas de você? Não tem medo, acaso, da prisão e das agruras de sua solidão?”

Revista Islâmica Evidências - 23


“Ó, meu Senhor, a prisão é preferível!”, disse o Profeta.

“porém, se não afastares de mim as suas conspirações, cederei a elas e serei um dos tolos.” (Alcorão 12:33). Podemos resumir a A ameaça da esposa do ministro do Egito sábia decisão do Profeta da seguinte maneira: com a prisão e a humilhação de um lado, e a “Ó, Senhor, aceito a solidão da prisão, respeitentação das três mulheres que tramaram para tando as Tuas ordens e conservando a minha José (a.s.) como traça o pregoeiro, do outro, pureza! Com a prisão, liberto o meu espírito colocaram-no numa grave crise, cercandoe purifico a minha alma! Eu reo com problemas. Porém, jeito essa liberdade uma vez que José superficial que Disse o (a.s.) tinha conaprisiona a trole de si, tiProfeta José (a.s.): minha alma nha havia enÓ, meu Senhor, a prisão é preferível! na prisão do decontrado a luz da sejo e me corrompe. fé, com castidade e temor Senhor, ajuda-me, concede-me força, no coração, tranqüilidade e constância partiaumenta-me em poder, razão, fé e temor para cular, resolveu com coragem e determinação subjugar essa tentação!” aquela situação, olhando para o céu para evocar o seu Senhor: “Disse (José): Ó Senhor meu, é preferível o cárcere ao que me incitam” (Alcorão 12:33). Como sabia que não tinha escapatória a não ser em Deus, em todas as situações, principalmente nas horas graves, colocou-se à disposição d’Ele, dizendo: 24 - Revista Islâmica Evidências

Uma vez que a promessa de Deus é verdadeira, e que Ele ajuda a quem sobrepuja a si mesmo ou ao seu inimigo, não deixou José (a.s.) sozinho. Abrigou-o na Sua misericórdia e amabilidade, como diz o Alcorão Sagrado: “E seu Senhor o atendeu e afastou dele as


conspirações delas, porque Ele é o Oniouvinte, o Sapientíssimo.” (Alcorão 12:34). Ele ouve a evocação de Seus servos, conhece os segredos e conhece o caminho da solução.

o Profeta, o inocente, por causa de sua pureza, foi introduzido na prisão. Esta não foi a primeira nem a última vez que o ser humano era introduzido na prisão por causa de sua pureza.

Ao cárcere, mesmo sendo inocente

Os acontecimentos da prisão

Entre os prisioneiros que estavam com A estranha reunião das mulheres do EgiJosé (a.s.) havia dois jovens: “Dois jovens to com José (a.s.) no palácio do ministro, geingressaram com ele na prisão.” (Alcorão rou tumulto e agitação. A notícia, certamente, 12:36). Diz-se que um deles chegou ao conhecimento do era empregado no ministro. Do conUma vez que a promessa de Deus é palácio do rei e junto daqueles verdadeira, e que Ele ajuda a quem o outro era coacontecimentos zinheiro. Por ficou claro que sobrepuja a si mesmo, não deixou causa da inveja e José (a.s.) não era José (a.s.) só da tramóia de seus inium jovem comum, mas migos, foram levados à prisão acusados puro ao ponto de nenhuma força conseguir de tentar envenenar o rei. Cada um deles teve desviá-lo e corrompê-lo. Os sinais desse feum sonho na noite anterior e que foi, para nômeno se manifestaram de várias formas. A cada um deles, algo estranho: “Um deles dissua camisa foi rasgada por trás, a sua negativa se: ‘Sonhei que estava espremendo uvas’. perante as tentações das mulheres do Egito, E eu – disse o outro – sonhei que em cima sua disposição de ingressar na prisão, não se da cabeça levava pão, o qual era picado por submeter às ameaças da mulher do ministro pássaros. Explica-nos a interpretação disde mandar prendê-lo e castigá-lo. Todos esses so, porque te consideramos entre os benfeisinais confirmam a falta de pureza da mulher tores’.” (Alcorão 12:36). do Aziz do Egito e a revelação de seu crime. Por trás da confirmação do crime, o escândalo sexual na família do ministro começou Campo de Concentração a crescer diariamente. Após várias consultas ou Asilo Educacional entre ele e seus conselheiros, concluiu-se pelo afastamento de José (a.s.) dos olhares dos deJosé (a.s.) aproveitou a consulta dos premais, para que as pessoas esquecessem o seu sos para interpretação dos sonhos. Ele não nome e a sua pessoa. O melhor caminho para deixava nenhuma oportunidade de orientar isso foi a escuridão da prisão, em primeiro lue aconselhar os presos. Com o argumento de gar, e espalhar, entre as pessoas, em segundo interpretar os sonhos, mostrava verdades imlugar, que o culpado era José (a.s.). Por isso, o portantes que lhes abriam os caminhos. FaAlcorão Sagrado disse a esse respeito: “Mas, zia isso para outras pessoas, também. Desta apesar das provas, houveram por bem maneira, chamava a atenção para a importânencarcerá-lo temporariamente.” (Alcorão cia da ciência da interpretação dos sonhos, 12:35). à qual as pessoas davam muita importância: “Respondeu-lhes: Antes da chegada de Essa resolução a respeito de José (a.s.) não qualquer alimento destinado a vós, infortinha sido tomada antes. Pode ser que pela opimar-vos-ei sobre a interpretação.” (Alcorão nião da mulher do ministro, no início. Assim, 12:37). Assim, eles os tranquilizou, dizendoRevista Islâmica Evidências - 25


lhes que encontrariam as respostas antes da chegada do alimento: “Isto é algo que me ensinou o meu Senhor.” (Alcorão 12:37) Para não se imaginasse que Deus concede essas coisas sem preço, disse: “porque renunciei ao credo daqueles que não crêem em Allah e negam a Vida Futura.” (Alcorão 12:37). O objetivo desta admoestação eram os grupos idólatras do Egito e de Canaã.

Interpretação dos sonhos dos prisioneiros

Depois que José (a.s.) orientou os seus dois companheiros de prisão e lhes mostrou e convocou para a verdade do monoteísmo, começou a interpretar os sonhos. Disse ele: “Ó, meus companheiros de prisão, um de vós servirá vinho ao seu rei e o outro será crucificado, e os pássaros picar-lhe-ão a cabeça.” (Alcorão 12:41). Apesar da semelhança de todo sonho É preciso abandonar esse tipo de crença, que José interpretava com a realidade, acaso porque contraria a pura natureza humana. O era do conhecimento de todos quem seria solProfeta José (a.s.) queria dizer: “Eu fui eduto? Quem seria crucificado? Porém, José (a.s.) cado dentro da família da revelação e quis esclarecer a interpretação ainda da profecia... E sigo o mais, principalmente credo de meus por ter uma inTodos os sinais confirmaram a falta antepassados: formação que de pureza da mulher do Aziz do Egito Abraão, Isaac gerava intrane a revelação de seu crime e Jacó.” (Alcorão quilidade. Por 12:38). Talvez fosse isso, disse: “um dos a primeira vez que José se apredois” e acrescentou, confirmansentava aos presos, para saberem que ele era do: “Já está resolvida a questão sobre a qual filho da inspiração e da profecia e que foi come consultastes.” (Alcorão 12:41). É um sinal locado na prisão mesmo inocente, como era de que a interpretação não era tranqüila, mas o caso de tantos outros prisioneiros inocentes fazia parte das notícias desconhecidas que ele por governos tiranos. aprendeu com Deus. Não era necessário repe26 - Revista Islâmica Evidências


tir ou acrescentar algo depois disso. O segundo preso que ouviu a notícia negativa, começou a mentir e dizer que José (a.s.) estava brincando com eles, pensando que o seu destino mudaria com tal retratação. José (a.s.), então, finalizou com a frase acima. Recorda-te de mim ante teu rei

‘Quem o protegeu das pedras?’ Respondeu: ‘Meu Senhor.’ Perguntou: ‘Quem o salvou do poço?’ Respondeu: ‘Meu Senhor.’ Perguntou: ‘Quem o protegeu da tramóia das mulheres?’ Respondeu: ‘Meu Senhor.’ Disse: ‘O teu Senhor diz: ‘O que o fez recorrer a uma criatura e não a Mim? Permanece na prisão alguns anos por isso.’”

Quando José (a.s.) pressentiu que os dois O sonho do rei do Egito presos se separariam em breve, e para ter a esperança de ser inocentado e solto algum José permaneceu na escura prisão como dia, aconselhou um dos detidos que ele sabia qualquer outra pessoa, esquecido. O único que seria solto que o recordasse perante o rei: trabalho era construir a sua personalidade e “E disse àquele que ele (José) sabia estar a orientar os prisioneiros, tratar dos enfermos e salvo daquilo: ‘Recorda-te de mim ante teu entreter os que tinham dor entre eles, até que rei!’” (Alcorão 12:42). Porém, a sua sorte mudou por pequeno aquele rapaz esqueacidente, nem por ceu, a exemplo isso menos feNo cárcere, José (a.s.) não deixava dos indivíduos nomenal. Esse nenhuma oportunidade de orientar e que pouco se fenômeno não aconselhar os presos recordam quando mudou apenas a alcançam uma graça. sua sorte, mas a sorte Assim, ele esqueceu completamente do povo do Egito e seus arredores. O de José (a.s.). O Alcorão mostrou isso, dizenrei do Egito (diz-se ser Al Walid Ibn Arrayan) do: “Mas Satanás o fez esquecer-se de mentendo o Aziz como ministro, teve um sonho cioná-lo ao seu rei” (Alcorão 12:42). Assim, intrigante. De manhã, chamou os interpretaJosé (a.s.) ficou no esquecimento: “permanedores dos sonhos e narrou: “Disse o rei: ‘Socendo (José), então, por vários anos no cárnhei com sete vacas gordas sendo devoracere.” (Alcorão 12:42). Na tradição do Profeta Muhammd (Deus o abençõe e a sua família lhes dê paz) disse: “É admirável o meu irmão José recorrer à ajuda da criatura e não à do Criador.” Foi narrado que ele disse: “Se não fosse a sua frase (Recorda-te de mim ante teu rei) não teria permanecido na prisão por vários anos.” Foi narrado que Abu Abdullah, o Imam Assádiq (a paz esteja com ele) disse: “Gabriel (a paz esteja com ele) apareceu e disse: ‘Ó, José, quem o tornou a melhor das pessoas?’ Respondeu: ‘Meu Senhor’. Perguntou: “Quem o tornou mais amado pelo pai do que os seus irmãos?’ Respondeu: ‘Meu Senhor.’ Perguntou: ‘Quem lhe trouxe o transporte?’ Respondeu: ‘Meu Senhor.’ Perguntou: Revista Islâmica Evidências - 27


consciência viva, de coração puro, crente, das por sete magras, e com sete espigas vercom a alma como um espelho para os acondes e outras sete secas’.” (Alcorão 12:43). tecimentos futuros. Ele conseguiu dissipar o Então perguntou-lhes o significado do sonho. véu deste intrincado soOrdenou: “Ó, chefes, innho e interpretáterpretai o meu No canto da prisão havia uma pessoa lo. A expressão sonho, se sois “enviai-me” interpretadode consciência viva, de coração puro, mostra que talres de sonhos.” crente, com a alma como um espelho vez fosse proibido (Alcorão 12:43). A contatar José (a.s.). O sercorte do rei, porém, disse: vidor da bebida queria pedir autorização do “Responderam-lhe: ‘É uma confusão de rei e dos que o cercavam para permitir que sonhos, e nós não somos interpretadores.” contatasse José (a.s.). Assim, as palavras do (Alcorão 12:44). servidor agitaram a reunião, concentrando O servidor da bebida do rei lembra-se os olhares nele. Pediram-lhe para que fosse de José (a.s.) rapidamente até José e o trouxesse. O serviNaquele instante, o servidor da bebida do dor foi até a prisão para ver o antigo comrei lembrou-se do que lhe aconteceu e ao amigo panheiro, mesmo não tendo cumprido o que na prisão, sendo ele solto, como José previra. havia prometido. Porém, talvez soubesse que a personalidade nobre de José (a.s.) o veda“E disse aquele dos dois prisioneiros, va de abrir a porta de reprovação. Olhou-o e o que foi liberto, recordando-se (de José), disse: “Ó José, ó veracíssimo, explica-me depois de algum tempo: ‘Eu vos darei a o que significam sete vacas gordas sendo verdadeira interpretação disso: Enviai-me, devoradas por sete magras, e sete espigas portanto (até José)’.” (Alcorão 12:45). verdes e outras sete secas, para que eu posNo canto da prisão havia uma pessoa de sa regressar àquela gente, a fim de que se 28 - Revista Islâmica Evidências


odos, o das dádivas e o das dificuldades, em conscientizem.” (Alcorão 12:46). José (a.s.), acréscimo que confirmou essa precisa quessem exigir condição ou pagamento pela intertão. Ou seja, o armazenamento da produção pretação, interpretou o sonho imediatamente, em suas espigas, para não apodrecerem ráde forma precisa, orientando quanto às provipido e para ser possível serem conservadas dências que deveriam ser tomadas no futuro: durante sete anos. Uma vez que o número “Respondeu-lhe: ‘Semeareis durante sete das vacas magras e das espigas secas não ulanos, segundo o costume e, do que colhertrapassou os sete anos, isso indica o final da des, deixai ficar tudo em suas espigas, exceseca e das dificuldades com o encerramento to o pouco que haveis de consumir’.” (Alcodos sete anos. Certamente, após os sete anos rão 12:47). Então, haveria sete anos seguidos citados, viria um ano de muide seca, sem chuva nem planta produção e muita tações suficientes. chuva. PortanDeveriam beneSem ser perguntada, a mulher to, era necesficiar-se com o do ministro sentiu que chegara a sário pensar que guardaram nas sementes nanos anos de fartuhora de inocentar José (a.s.) queles anos, e conservar ra: “Então, virão, depois uma parte. disso, sete (anos) estéreis, que consumirão o que tiverdes colhido para isso” (Alcorão Na realidade, José (a.s.) não era um sim12:48). Vocês devem economizar no consuples interpretador de sonhos, mas um comanmo dos alimentos: “menos o pouco que tidante planejador, mesmo estando no canto da verdes poupado (à parte).” (Alcorão 12:48). prisão, para o futuro do país. Ele apresentou Se vocês seguirem estas instruções, não haveum plano, composto de vários artigos, para rá perigo os ameaçando: “Depois disso virá quinze anos, pelo menos. Como veremos, um ano, no qual as pessoas serão favoreessa interpretação, junto com a sugestão para cidas com chuvas” (Alcorão 12:49). “Serão o futuro, agradou ao rei e sua corte e foi a favorecidas com chuvas” e terão fartura. Não causa da salvação do Egito da seca fatal, de apenas isso, mas também: “em que espreum lado, e da libertação de José da prisão, limerão (os frutos).” (Alcorão 12:49), as coberando o governo das mãos dos tiranos, do lheitas para extraírem o óleo e os frutos, para outro. beberem o seu suco, etc. Prisioneiro do Egito ou Líder planejador? Quão precisa foi a interpretação de José (a.s.), uma vez que a vaca, nas estórias antigas, representava a visão do ano! Como as vacas eram gordas, aquilo indicava a abundância das dádivas. O fato de serem magras indicava a seca e a esterilidade. O ataque das sete vacas magras às sete gordas indicava o aproveitamento das reservas anteriores. Sete espigas verdes cercadas de sete espigas secas indicavam outra confirmação dos dois períRevista Islâmica Evidências - 29


cência. Ele disse ao emissário do Faraó: “Então, disse o rei: ‘Trazei-me esse homem!’ A interpretação de José (a.s.) dada ao soMas quando o mensageiro se apresentou a nho do rei foi precisa, clara e lógica, ao ponto José, este lhe disse: ‘Volta ao teu amo e dide atrair a atenção do rei e sua corte. Ele viu ze-lhe que se inteire quanto à intenção das que um jovem estranho interpretou o mulheres que feriram as seu sonho da melhor mãos’.” (Alcorão forma, sem esA interpretação de José (a.s.) 12:50). Enperar qualquer tão, José (a.s.) recompensa ou dada ao sonho do rei foi não aceitou exigir qualquer precisa, clara e lógica que fosse tratado condição, dando ao como qualquer criminofuturo um plano estudado, tamso, ou como qualquer acusado coberto pelo bém. O rei entendeu que José (a.s.) não era perdão do rei. Desejava, primeiro, que fosse um homem que merecia a prisão, mas uma investigado o seu caso e fosse provada a sua posição mais sublime do que uma pessoa coinocência e a pureza de sua ascendência, deimum. Ele havia ingressado na prisão por cauxando a prisão de cabeça erguida. Ao mesmo sa de um acontecimento desconhecido. Por tempo, queria provar a corrupção do sistema isso, quis vê-lo. E ordenou que o rapaz fosse governamental e o que acontecia no palácio trazido até ele, como o Alcorão diz: “Então, de seu ministro. Certamente, ele se preocupou disse o rei: ‘Trazei-me esse homem!’ Mas, com a sua personalidade e sua honra ante de quando o mensageiro se apresentou a José deixar a cadeia. Esse é o método dos homens (...).” (Alcorão 12:50). José (a.s.) não concorlivres. O certo é que José (a.s.), na sua interdou em sair da prisão sem provar a sua inoA inocência de José (a.s.) de toda acusação

30 - Revista Islâmica Evidências


pretação, mostrou uma sublimidade pessoal

viado ao rei, pois não a difamou em nada. As palavras dele foram gerais e faziam referênao ponto de não estar disposto nem mesmo a cia “às mulheres do Egito”. É como se tivesse revelar o nome da mulher do ministro que foi havido uma explosão dentro dela. De repente, a causa direta de sua acusação e prisão. Ele exclamou: “Agora a verdade se evidenciou. se contentou em indicar o grupo de mulheEu tentei seduzi-lo e ele é, certamente, o res que tinha relação com o caso. Além disso, que está falando a verJosé (a.s.) acrescentou: dade.” (Alcorão “Se o povo do Vocês devem dizer a verdade. 12:51). E conEgito e o apaSerá que José (a.s.) cometeu tinuou dizenrelho governado: “Isto para mental não ficar algum crime? que (ele) saiba que sabendo a causa de minão fui falsa durante a sua ausênnha prisão, Deus tem pleno conhecimento cia.” (Alcorão 12:52) Porque fiquei sabendo, disso: “Meu Senhor é conhecedor das suas depois desse longo tempo e de experiência conspirações.” (Alcorão 12:50). adquirida: “que Allah não dirige as conspiO mensageiro retornou ao rei e o inforrações dos farsantes.” (Alcorão 12:52). Na mou a respeito do pedido de José (a.s.). Por realidade, por causa de sua confissão quanto isso, cresceu ainda mais à vista do rei. Ele se à inocência de José (a.s.) e os erros cometidos apressou em trazer as mulher à sua presencontra ele, apresentou duas provas: ça. Perguntou-lhes: “Que foi que se passou Primeiro: A sua consciência e não permiquando tentastes seduzir José?” (Alcorão tiu que ela ocultasse a verdade e traísse aque12:51). Ou seja, “Vocês devem dizer a verle jovem puro, mesmo na sua ausência. dade. Será que José cometeu algum erro ou crime?” Segundo: Ao adquirir experiência com o passar do tempo, a verdade evidenciou-se A consciência delas desperta repentinapara ela: Deus protege os piedosos e não conmente e elas respondem todas da mesma forcede sucesso aos traidores, em seus intentos. ma, testemunhando a sua pureza: “Disseram:

‘Valha-nos Allah! Não cometeu delito algum que saibamos’.” (Alcorão 12:51). A confissão de Zuleikha

Quanto à mulher do ministro, que também estava presente, ouvindo atentamente a conversa do rei com as mulheres, não pode se calar. Sem ser perguntada, sentiu que chegara a hora de inocentar José (a.s.), compensando a reprovação de sua consciência, pudor e erro testemunhando categoricamente a favor dele. Principalmente ao verificar a generosidade de José (a.s.), por intermédio do mensageiro en-

Assim, os véus começaram a ser descerrados e a assimilar a realidade da vida, principalmente com a derrota da paixão, que criou a ilusão e uma personalidade imaginária. Seus olhos se abriram para a realidade. Por isso, não se deve estranhar a sua confissão. A mulher do ministro continuou dizendo: “Porém, eu não me escuso, porquanto a alma é ordenadora do mal, exceto aquelas de quem o meu Senhor tem piedade” (Alcorão 12:53). Com a Sua proteção e ajuda ficamos protegidos. Espero que meu Senhor perdoe o meu erro: “porque o meu Senhor é Indulgente, Misericordiosíssimo.” (Alcorão 12:53)

Revista Islâmica Evidências - 31


Jurisprudência

Por Sua Eminência, Jurisconsulto Sayyed Muhammad Hussein Fadhlallah

A Arte Quando os meios de comunicação (rádio, televisão, cinema, etc.) são meios legais e quando não o são?

A

sentença legal quanto aos meios de co- os orgulhosos, é natural que sejam considerados municação difere de acordo com o con- meios ilícitos. Não há no Islã uma posição toteúdo informativo apresentado neles. Se talmente negativa em relação a esses meios nofor para servir ao Islã e vos, como não há uma elevar o nível do ser huposição totalmente pomano, realizam imporsitiva, porque a natutantes objetivos, que sareza desses meios não A natureza dos meios tisfazem a Deus na vida. representa proibição Neste caso, é natural ou permissão intrínsede comunicação não que sejam meios necesca, mudando de acordo representa proibição ou sários e obrigatórios ao com o que é acrescenserviço da boa e correta tado neles ou o que é permissão intrínseca, mas informação, orientação divulgado por eles. e convocação a Deus. É permitido que

muda de acordo com o

Mas, se contiverem que é acrescentado neles coisas ilícitas, que denotam incredulidade, ou o que é divulgado libertinagem, imoralidade, que extenuem o por eles espírito do ser humano e rebaixem a sua humanidade, ou que se mova para apoiar a injustiça e os injustos, o orgulho e do possível? 32 - Revista Islâmica Evidências

a pessoa religiosa trabalhe no meio artístico, conhecido por sua licenciosidade e imoralidade, mesmo que exerça o seu papel sem se envolver com a realidade, na medida


Revista Islâmica Evidências - 33


Há dois pontos nesta questão: O primeiro é estudar as possibilidades de ser influenciado pelo ambiente imoral, tornando-se um ser próximo do ambiente de licenciosidade, de imoralidade e corrupção. Se o indivíduo temer envolver-se nesses ambientes imorais, que oprimem seus valores morais, então não lhe é permitido trabalhar.

Não há impedimento legal para a questão apresentada, ou seja, não é proibido, como princípio. Não há texto legal que proíba a incorporação da figura de pessoas importantes religiosamente, com filmes ou desempenho teatral. Outra questão, porém, diz respeito ao tema secundário. Se o filme de pessoas santificadas ou a sua apresentação ao público geral ocorre por meio da representação que alguns intérpreO Segundo é a questão do papel que ele intes realizam, a questão que enfrentamos passa terpreta no filme ou no palco, ou em outro local. a se relacionar com aquilo que pode gerar um Se o papel for íntegro, reformador, orientador, mal. Quanto à redução não há inconveniente. do nível da santidade Se o seu papel apoia a que as pessoas desemsituação de imoralidade penham em relação a cultural, espiritual ou Se o papel interpretado estas personalidades científica, seja no filme religiosas, ou quanto à ou na peça teatral, propor um crente apoia a idoneidade do ator que movendo uma influênrepresenta determinasituação de imoralidade cia cultural e efetiva que do Profeta ou Imam, o não se coaduna com a mais relevante é o que cultural, espiritual ou linha islâmica para o ser ele deixa em termos humano, em pensamencientífica, então não é de influência no públito, ou atos, então não é co. Se for para difamar permitida a participapermitida a sua o personagem entre o ção, mesmo que o seu público, não é permipequeno papel seja poparticipação tido. sitivo nele. De acordo com o que foi dito acima, posso representar um papel que contraria a minha crença islâmica? Se o papel visa a enaltecer a Religião Islâmica, como num diálogo entre Abu Jahl (1) e o Mensageiro (S), com alguém interpretando o papel de Abu Jahl para falar com o Profeta (S), dando um quadro vivo da mensagem islâmica, não há inconveniente. Mas, se o papel de incrédulo tem lugar numa peça que visa a confirmar as fontes e o entendimento da incredulidade, então não é permitido. Podemos representar o papel dos Profetas e dos Imames (a.s.) no palco ou no cinema, principalmente se isso representa um serviço digno para o Islã e uma convocação a ele?

Em resumo, a questão não é proibida como tema principal, mas se o aparecimento da personalidade do Profeta em certo filme ou peça teatral é maléfico para o Profeta ou não. Se for, no sentido geral, de qualquer maneira, não é permitida. Se não for, pode ser permitida. Pode a moça apertar a mão de homem, se for o seu papel no filme? Isso é proibido, certamente. Se houver interesse na apresentação se cena, pode-se recorrer ao auxílio de luvas, mesmo que seja de produto transparente em que se sente o toque direto, porque o toque direto é proibido. Se o aperto de mãos acontecer sem toque direto, e não há ponderações de ordem secundária que imponham a proibição – não há inconveniente

(1)Abu Jahl, ou “Pai da Ignorância”, era epíteto de Amr ibn Hisham, um dos líderes de Quraish e um dos inimigos mais contumazes do Profeta Muhammad (S) (NE).

34 - Revista Islâmica Evidências


“(Recorda-te, ó Profeta) de quando teu Senhor disse aos anjos: ‘Vou instituir um herdeiro na terra’! Perguntaram-Lhe: ‘Estabelecerás nela quem ali fará corrupção, derramando sangue, enquanto nós celebramos Teus louvores, glorificando-Te’? Disse (o Senhor): ‘Eu sei o que vós ignorais’” (2:30).

Interpretando o Alcorão

O

versículo abordado na edição anterior de Evidências citou que Deus, Glorificado seja, criou tudo que existe na terra para o ser humano. No versículo acima, há um estabelecimento verdadeiro da herança e liderança do ser humano, bem como uma explicação de sua posição

Parte 13 moral, por causa da qual mereceu todas as dádivas existentes na Criação. Deus criou Adão (a.s.) - ou o ser humano - com as próprias mãos (1) e fez os anjos se prostrarem perante ele, ensinou-lhe os nomes de todas as coisas, criou-lhe a companheira e os fez habitar o Paraíso, advertindo-os a não se

(1) Esta expressão é meramente ilustrativa e usada para dar ao leitor em geral uma idéia do poder de Deus. No Islã, Ele não tem forma, é imaterial e, portanto, não pode ser representado figurativamente, pois isso limitaria sua Excelsa natureza, o que é um pecado (NE).

Revista Islâmica Evidências - 35


aproximarem de uma árvore específica. Satanás, porém, os seduziu e ambos comeram dos seus frutos. Por isso, Deus os fez descerem para a terra. Contudo, garantiu-lhes os meios de sobrevivência e exigiu-lhes que adorassem somente a Ele. Na verdade, Ele incentivou todas as pessoas a fazê-lo. Tornou o ser humano o Seu legatário como Mensageiro de Deus para seus filhos, tornando Adão (a.s.) o primeiro dos profetas. Antes de ingressar na explicação do versículo e no relato a respeito de Adão (a.s.), vamos apresentar um resumo quanto à importância dos relatos do Alcorão.

A importância do relato alcorânico

que toda a alma seja recompensada segundo o seu merecimento” (20:15). Segundo: Elevação do ser humano, para se distinguir dos animais, que se assemelham a ele, em alguns aspectos. Essa elevação não se concentra em um só aspecto do ser humano. É elevação espiritual, moral, psicológica sensível ao indivíduo. Em seguida, passa a ser elevação social, quando a sociedade encontra o seu objetivo, sua segurança, fugindo do extravio por seu mérito. Os relatos alcorânicos utilizam vários métodos para fazer o ser humano atingir um resultado benéfico para si e para o coletivo. Terceiro: Esses relatos tiveram um cuidado especial para mostrar as causas da perdição que pode acometer nações, grupos e indivíduos. Eles descrevem isso de forma admirável, falando de luxo, sedução, insolência, tirania, escravidão intelectual, terrorismo, exploração e humilhação, além de muitas outras realidades.

O espaço utilizado para o relato alcorânico no Livro de Deus foi amplo. Se o Alcorão é composto de 30 partes, os relatos ocupam oito partes do Livro, porque o relato alcorânico não veio para alcançar um só objetivo, mas vários, Quarto: Tudo isso é contado em estilo mabem como inúmeros motivos. Em termos geravilhoso, original em sua composição, de beleza rais, os relatos do Alcorão visam a educar o ser ímpar, ao contrário dos humano. Se quisermos relatos existentes nos mostrar alguns detaoutros livros divinos. lhes, verificamos que Deus criou Adão (a.s) Encontramos nestes lio relato alcorânico tem vros, além de informacomo propostas: e fez os anjos se prostrarem ções que contrariam as Primeiro: Aproperante ele, ensinou-lhe os nomes regras da ciência e os fundar a crença no métodos de educação, íntimo das pessoas e de todas as coisas, criou-lhe citações ignominiosas torná-la visível, fazêem relação a Deus e uma companheira e os fez la ser assimilada pela aos Seus mensageiros, mente e vivida pelo coisas que a razão rejeihabitar o Paraíso coração, trilhando, ta e repugnam a alma. para essa importantísPor exemplo, descrever sima questão, a melhor Deus como arrependiforma de satisfação e convencimento; satisfado, tendo início, dizer que ele aparece na forma ção para os sentimentos e convencimento para humana ou gera filhos. Glorificado e exaltado a mente. O relato alcorânico concentrou-se na seja Deus por tudo quanto falam d’Ele! Além, questão da Unicidade de Deus, na Sua Justiça, disso, descrevem os mensageiros como mentiroPrudência e Seu Amor aos Seus servos. sos, ébrios e adúlteros! Alguns escribas baseiamse na ilusão, outros na deturpação das verdades e No que diz respeito à Mensagem, o relato outros, ainda, desviam-se dos valores, dos exemalcorânico concentrou-se nos méritos dos proplos edificantes e dos princípios elevados. fetas, para que fossem exemplos e líderes para as pessoas. Fala, também, do Último Dia e dos acontecimentos durante este evento: “A fim de 36 - Revista Islâmica Evidências

Algumas pessoas podem pensar que há repetição nos relatos alcorânicos, porque alguns


fatos repetem-se em outras suratas. Porém, o olhar perscrutador revela que nenhum relato ou uma parte dele se repetiu de uma só forma, quanto ao destino que pode ser conduzido e a forma de se conduzir. Onde há repetição, há algo novo que anula a condição da repetição.

forma diferente de seu significado literal ou não?

Foi da anuência de Deus criar na terra um ser que fosse Seu herdeiro, portando um vislumbre de Suas características, superior aos anjos. Foi da vontade de Deus, Glorificado seja, que a terra, suas dádivas, tesouros, recursos fossem colocados a serviço do ser humano. Disse o Exaltado aos anjos: “Vou instituir um herdeiro na terra.” Qual é o significado desse diálogo que Deus teve com os anjos? Será que é um relato verdadeiro ou um método empregado para aproximar o leitor da idéia, em forma de diálogo?

ção e isso é impossível em relação a Deus. Se a questão for a título de informação do que Deus deseja fazer, como podemos explicar a oposição dos anjos, apesar de sabermos, por intermédio do Alcorão Sagrado que: “São apenas servos veneráveis (esses a quem chamam de filhos), que jamais se antecipam a Ele no falar, e que agem sob o Seu comando.” (21:2627). A natureza da questão leva à pergunta sobre o segredo da prudência nela contida: Como Deus cria um ser para ser legatário na terra ao mesmo tempo em que sua vida represente a ousadia contra Deus, envolva corrupção e derramamento de sangue? Só sabemos o que nos foi

O método racional dos entendimentos determina que os fenômenos verbais são argumentos que exigem uma prova racional. Mas, se houver uma recusa racional, deve-se levar em consideração o que se coaduna com eles, O Alcorão é um Livro de convocação, uma com base nas regras da alegoria, da alusão e do constituição, um método de vida, não um livro empréstimo, como acontece com os versículos de relatos, nem é passa-tempo ou histórico. que falam do Rosto de Deus: “Tudo pereceNa condução da convocação é que os relatos rá, exceto o Seu Rosto!” (28:88), ou que fasão apresentados, na lam da Mão de Deus: quantidade e na forma “A Mão de Deus está apropriada ao momensobre as suas mãos.” Em termos gerais, to histórico em que se (48:10), o que induz o dá e à condução, camileitor ou ouvinte meos relatos do Alcorão nhando no sentido da nos atento a inferir que verdadeira beleza artíso Altíssimo possui um visam a educar tica, que não se baseia corpo como os demais no mero adorno, mas o ser humano seres... Quanto à prova na inovação da apreracional sobre a imsentação, na força da possibilidade de Deus verdade e na beleza do ter corpo, deduzimos desempenho. que esses versículos e seus similares são emprestados para expressar a realidade do Ser SuO relato alcorânico, portanto, permanece premo, em relação ao termo “Rosto”, e quanto como a tocha que ilumina o caminho do ser huà força, na palavra “Mão”. mano, vinculando o presente ao passado, persistindo o sopro divino que ilumina a alma e Se o diálogo for verdade efetiva, será que edifica o coração. Permanece o compromisso Deus precisaria, realmente, consultar os anjos único, verdadeiro e eterno que tranquiliza o ser quanto à criação do Seu herdeiro ou desejou humano pela sua veracidade. Permanece a forapenas informá-los sobre Sua decisão? Devema correta a qual, se adotarmos, irá nos protemos rejeitar a primeira parte da pergunta, porger do negativismo da confusão, da agitação e que a consulta parte da tentativa de se obter uma da deformação. opinião mais sábia e denota ignorância da situa-

Devemos, na resposta a essa pergunta, falar da nossa posição quanto aos fenômenos alcorânicos. Devemos dispor deles e explica-los de

Revista Islâmica Evidências - 37


informado a respeito de seus aspectos no Livro de Deus. Não precisamos nos envolver em algo que não nos leva a nada. Devemos nos ater ao objetivo do relato e suas provas, como é relatado no Alcorão. O que se deseja expressar com o termo “herdeiro” não é apenas Adão, o pai da humanidade, mas todo ser humano que existiu, existe ou existirá a partir de sua descendência, em todo tempo e lugar. Em outra expressão, a intenção é referir-se à raça humana, porque Adão, como pessoa, é restrito a um período específico, que termina com o fim de sua vida.

bitavam a terra antes do ser humano. No entanto, cometeram corrupção, derramaram sangue e desapareceram. Então, surgiu o ser humano. Há outras narrativas que concedem àqueles seres anteriores a característica humana, levando-se em consideração a possibilidade da existência de milhares de “Adões” antes do Adão que conhecemos, o “Pai da humanidade”.

Segundo: Ser herdeiro de Deus e há vários versículos nesse sentido. Nas palavras do Altíssimo: “Ó Davi, em verdade, designamos-te como herdeiro na terra. Julga, pois entre os humanos com equidade” (38:26). E diz: “Reparai em como Ele vos designou sucessores Primeiro: Como pode desempenhar esse do povo de Noé.” (7:69). Nas palavras do Emir importante papel que abrange toda a terra e ser dos Crentes, Ali (a.s.): “Sim! A terra jamais foi tão amplo para toda a etapa da vida? destituída desses que mantêm a evidência de Segundo: Os anjos descreveram esse herDeus, aberta e reputadamente, ou com medo, deiro como alguém que fará corrupção na terra ocultamente, para que as justificativas e as proe derramará sangue. Essa descrição não se aplivas (da existência) de Deus não possam ser reca a Adão (a.s.), mas a alguns grupos entre a batidas. Quantos são, e onde estão? Por Deus, raça humana, no decorrer da vida. que são em número pequeno, mas são grandes Observamos, nesse âmbito, que o termo aos olhos de Deus! Por meio deles, Deus salva“herdeiro” foi utilizaguarda as Suas evidêndo nas falas de alguns cias e provas, até que as profetas e pessoas em confie a outros iguais a Há escrituras que mais de um versículo: eles e lance as semen“Ele foi Quem vos descrevem Deus como arrependido, tes (da concórdia) nos designou como hercorações daqueles que deiros na terra. Mas, lhes são semelhantendo início, dizem que quem pecar, o fará tes. O conhecimento em detrimento próos levou à verdadeira ele aparece na forma prio.” (25:39). compreensão e, assim, humana ou gerou filhos! eles se associaram ao Porém, que sentiespírito da convicção. do tem a herança que Tomam como fácil o Deus designou para o que os relapsos tomam ser humano? Pelo que o versículo indica, citacomo difícil. Vivem no mundo com seus cormos dois significados: pos, mas seus espíritos estão voltados para o Primeiro: Ser herdeiro das criaturas analto. São herdeiros de Deus aqui na terra e conteriores à criação do ser humano, porque se clamadores de Sua religião. Ah, como eu anseio entende que o herdeiro, etimologicamente, é por vê-los!” (Nahjul Balágha, pág. 333). quem substitui outro, anterior a ele em tempo e Esse é o sentido da herança de Deus, ou que será seu legatário sobre seu povo e nação, seja, a administração da terra, a sua construção ou que estabelece suas ordens em substituição. e habitação de acordo com a Vontade de Deus. Então, deve haver um responsável anterior, Talvez a segunda opinião esteja mais condizente para que haja um herdeiro. Algumas tradições com o aspecto fundamental dos versículos, porcorroboram que havia elementos vivos que ha38 - Revista Islâmica Evidências


pessoal ou sobre os anjos. Entre as indicações, que a sua forma nos leva a crer que os anjos não também, há o ensino de todos os nomes das coifizeram a sua pergunta partindo da corrupção e sas a Adão (a.s.) e a prostração dos anjos perante do derramamento de sangue que o ser humano ele. Os anjos fizeram a pergunta a fim de descoprovocaria, apenas, mas por se considerarem brir os detalhes daqueaptos para tal tarefa. A la nova criatura, por inspiração de Deus veio prudência e não por para evidenciar as partiO Alcorão é um Livro de oposição, arrogância cularidades que aquela ou inveja: “Estabelecriatura que Ele estabeconvocação, uma constituição, cerás nela quem ali leceria na terra possuiria, um método de vida, não um fará corrupção, deras quais eles – os anjos – ramando sangue, ennão teriam. Por isso o ser livro de relatos quanto nós celebrahumano se tornaria apto mos Teus louvores, a exercer o seu papel de herdeiro. A questão é o glorificando-Te?” papel que se deseja que o herdeiro desempenhe e Como, então, os anjos souberam que essa não mera criação de um novo ser, que sucederá o nova criatura iria derramar sangue e fazer coranterior. Por isso, houve o diálogo, partindo-se do rupção na terra, quando ela ainda não tinha efeito das particularidades objetivas da herança, ingressado no campo da experiência, ainda? existentes no ser humano e ausentes nas outras As palavras dos anjos revelam que tinham excriaturas. Se a questão fosse como se imagina no periência anterior na terra, ou inspiração e viprimeiro significado, não haveria nenhuma nesão que lhes revelou algo da natureza daquela cessidade para todas essas explicações. Suceder criatura, fazendo-os deduzir que ela cometeria as criaturas existentes não necessita de distinção corrupção e derramaria o sangue de seu seme-

Revista Islâmica Evidências - 39


lhante. Além disso, a natureza dos anjos faz com que só imaginem o bem absoluto e vivam para a glorificação e a celebração dos louvores a Deus. Eles, contudo, não sabiam que havia uma diferença gritante entre a adoração do ser humano, que é repleto de desejos e cercado por inúmeras tentações satânicas, e as adorações deles, desprovidas dessas influências. Como fica a adoração dessa criatura, afundada nas ondas tempestuosas do mundo, e a dos anjos, que vivem em costeiras seguras? Certamente, a herança na terra não se realiza apenas com a adoração. A ela une-se o conhecimento consciente, que distingue o ser humano dos anjos.

cia, ou difamação do Seu herdeiro. Isso não pode ser verdade, uma vez que os anjos são os secretários próximos de Deus, Seus servos dignificados, não se antecipam a Ele nas palavras e agem de acordo com Suas ordens.

A lição eficaz que devemos tirar desse diálogo entre Deus e os anjos é que o ser humano alcançou o nível de conhecimento, honorabilidade de intenção, força e autoridade sem nenhuma dúvida a respeito. Deus, Glorificado e Exaltado seja, abriu espaço para o diálogo e a conversa com os anjos, um diálogo que até pode ter a aparência de uma oposição. Eles, contudo, não se desviaram, mas tiveram um conheciEssa estranheza e dúvida que surgiram no ínmento da grandiosidade e prudência de Deus. timo dos anjos, após saberem da criação de Adão Ele, Glorificado seja, teve a amabilidade na (a.s.), é uma questão possível entre os anjos e resposta, mostrando-lhes a prova sensível e nonão depõe contra eles tória, recebendo deles porque, apesar de sua a satisfação e o conaproximação em relação vencimento, não com a Deus, sua adoração a repugnância e supeDeus salvaguarda as Ele, o que resultava na rioridade. Deus, Glogenerosidade de Allah Suas evidências e provas, rificado seja, abriu a para com eles, não pasporta do diálogo com até que as confie a outros sam de servos de Deus. Satanás, o maldito, Não se associam a Ele que protestou, dizene lance as sementes em Sua obra, não codo: “A mim me criasnhecem a Sua prudência (da concórdia) nos corações te do fogo, e a ele, do oculta, não conhecem barro.” (38:76). o desconhecido. A PruAqueles que se dência de Deus em ediacham acima dos outros, devem entender e aproficar a terra e fazê-la ser habitada e desenvolvê-la veitar a eficaz lição. Se se afastarem da resposta é-lhes desconhecida. A realização da vontade do e do pedido de conta emitido pelo Satanás, sua Criador em evoluí-la, elevá-la e reformá-la por posição crescerá perante o Poderoso e Compulintermédio das mãos do Seu herdeiro na terra, sor, numa intensidade que menos esperam. esse ser imperfeito que cometeria corrupção na terra e derramaria o sangue ocasionalmente, foiO Alcorão Sagrado fala sobre a criação de lhes comunicada pelo Onisciente, Conhecedor Adão (a.s.) em muitos lugares e várias opordo desenrolar das coisas. Ele lhes deu uma restunidades. Deus, Altíssimo, diz na Surata da posta terminante, que se manifesta nas seguintes Família de Imran “O exemplo de Jesus, ante palavras: “Eu sei o que vós ignorais”, ou seja, Deus, é idêntico ao de Adão, que Ele criou conheço o motivo da criação, o que vocês desdo pó; então lhe disse: Seja! e foi.” (3:59). Se conhecem. Haverá deles profetas, mensageiros, a criação de Jesus (a.s.) foi sem o concurso de verazes, mártires, benevolentes. Os corações dos um pai e, portanto, um milagre, a criação de anjos se tranqüilizaram e sua dúvida se dissipou Adão (a.s.) foi do pó, o que pode ser consideradepois dessa resposta orientadora, porque a sua do um milagre maior. Jesus (a.s.) foi criado sem pergunta não ocorreu como reclamação pelo ato o concurso de pai, e Adão, (a.s.) foi criado sem de Deus, nem dúvida a respeito de Sua prudêno concurso de pai e mãe. Deus, Glorificado e 40 - Revista Islâmica Evidências


Exaltado seja, “coletou da terra dura e da mole, em um lugar seguro. Então, convertemos da inofensiva e da ácida, a argila, que Ele mera gota de esperma em algo que se agarra, gulhou na água, até que ficasse pura, e a amastransformamos esse algo em feto e convertesou com aquosidade, até que se tornasse uma mos o feto em ossos; depois, revestimos os osmassa pegajosa. Dela, sos de carne; então o Ele esculpiu uma imadesenvolvemos em gem com curvas, juntas, outra criatura. BenOs anjos são os secretários membros e cartilagens. dito seja Deus, CriaEle deixou que se solidor por excelência.” próximos de Deus, Seus servos dificasse e secasse por (23:12-14). dignificados, não se antecipam um tempo fixo e uma O relato do Alcoduração determinada. rão a respeito da oria Ele nas palavras e agem Então, Ele soprou dengem do ser humano tro dela o Seu Espírito de acordo com Suas ordens e as etapas do desencom o quê ela tomou o volvimento do feto, padrão do ser humano antes do surgimento com uma mente que o da ciência embrionágovernasse, uma inteligência da qual fizesse ria, é uma prova eloquente de que esse Livro uso, membros de que se servisse, órgãos que extraordinário é uma revelação do Onipotente, mudassem a sua posição, sagacidade com que Que criou a natureza e o que há por trás dela. pudesse diferenciar entre a verdade e a falsidaA ciência moderna constatou que os elementos de, com paladar, olfato, e diferenciação entre as que formam o corpo humano, na sua variedade, cores e os objetos. Ele é uma mistura de argisão os mesmos existentes na terra e que a água las de diferentes cores, de materiais coesivos participa da formação do corpo na proporção de e de propriedades divergentes, contraditórias e 75%. Esse milagre do Alcorão antecipou-se à cidiferentes, como frio, calor, maciez e dureza.” ência moderna na seguinte evidência: “A origem (Nahjul Balágha, capítulo da Criação de Adão). material do ser humano é de água e terra. É o que Deus o denominou de Adão, vinculando o expressa a declaração: “da essência do barro.” seu nome à sua origem, que é o barro. Um químico alemão afirmou que o corpo Adão foi extraído da terra e, por isso, ama humano é formado por: a terra. A terra é a sua mãe e lar, para onde re- ferro suficiente para fabricar sete grandes pregos. tornará. Por isso, os jurisprudentes islâmicos - gordura para fabricar 5 kg de velas. dizem: “Quem morre sem ter um palmo da terra que lhe deu origem é um mártir, porque não - carvão para fabricar 65 dúzias de lápis. existe nada mais querido do que o barro, por - fósforo para fabricar 820 palitos de fósforos. ser o homem, primeiro, o resultado da mistura dele com o coágulo e, segundo, porque nasceu - acrescenta-se a isso vinte colheres pequenas na terra, alimentou-se dela e cresceu sobre ela, de sal, quinhentos tabletes de açúcar e 42 litros que irá recolhê-lo depois. Ele tem carinho por de água. ela sem limites. Deus, Altíssimo, diz: “Dela vos criamos, a ela retornareis, e dela vos faremos surgir outra vez.” (20:55). E diz: “E Deus vos “Você sabe que produziu da terra, gradualmente. Então, vos é um pequeno germe fará retornar a ela, e vos fará surgir novamente.” (71:17-18). E diz, ainda: “Criamos o Que abrange todo homem da essência do barro. Em seguida, fio imenso universo?” zemo-lo uma gota de esperma, que inserimos Revista Islâmica Evidências - 41


42 - Revista Islâmica Evidências


Ótica do Islã

Xeique Mohsen ‘Atawi

O Sexo na Concepção Islâmica

Sedução Prevenção

F

parte (2)

alamos, no número anterior, a respeito da sedução e da prevenção como: 1) fatores da formação e da maturidade sexual; e 2) estímulos de satisfação de uma necessidade humana. Falamos a respeito do risco que a busca ilimitada do atendimento a estes estímulos pode trazer ao ser humano, levando-o à prática do mal. Vamos completar o assunto neste número, discorrendo a respeito dos outros estímulos.

mesma forma que o sangue flui nas veias. O papel do Demônio é sussurrar no ouvido do ser humano, às ocultas, estimulando-o a praticar o ilícito, induzindo os seus instintos, para extraviá-lo. Ele aproveita e estimula o desejo do homem pela mulher para induzi-lo ao pecado nas suas relações. Da mesma forma, aproveita e estimula o desejo da mulher para induzi-la a se aproximar do homem e praticar o ilícito, utilizando, para isso, os diferentes e mais fantásticos meios. Para indicar isso, 2.2. O Demônio: Um dos seres que se essão suficientes as palavras de Deus: “Disse quece dono pensamento religioso, marcando (Satanás): Por Teu poder, que os seduzirei forte presença no âmbito da maldade. Se as a todos. Exceto, entre eles, os Teus servos crenças religiosas não o indicassem ao ser sinceros!” (Alcorão, humano, informando38:82-83). E as pao de sua insidiosa inlavras do Altíssimo: fluência, advertindo-o Por pertencer ao ramo dos “Disse-lhe (Deus): a seu respeito, o Degênios, o Demônio tem formação Vai-te, (Satanás)! mônio continuaria um E para aqueles que dos segredos do unimais forte e substância mais te seguirem, o inverso. Se não houvesferno será o castigo se menção a seu ressutil que a espécie humana bem merecido! Sepeito nas Escrituras, duze com a tua voz descrevendo-o como aqueles que puderes, o inimigo manifesto que deve ser conhecidentre eles; aturde-os com a tua cavalaria do e combatido, não haveria necessidade de e a tua infantaria; associa-te a eles nos bens nos informar a seu respeito. Por pertencer e nos filhos, e faze-lhes promessas! Qual! ao ramo dos gênios, ele tem formação mais Satanás nada lhes promete, além de desiluforte e substância mais sutil que a espécie sões.” (Alcorão, 17:63-64). humana. Tem poder de prejudicar o ser humano, iludindo-o por onde menos se espera. Conta-se que ele percorre o corpo humano da

De qualquer forma, não há dúvida de que o Demônio é um estimulador dos instintos se

Revista Islâmica Evidências - 43


xuais do ser humano, utilizando elementos diferentes, que abrangem as pessoas e as coisas. Não há dúvida que tem influência forte e é um inimigo declarado. Devemos estar totalmente prevenidos, utilizando, para nos proteger, os diferentes meios que Deus nos proporcionou. Os meios mais importantes são: primeiro, satisfazer o desejo sexual de forma lícita, para não deixar margem à ação do Satanás. Segundo: O temor a Deus e o pedido de refúgio contra o os malefícios do Demônio, porque Ele é o primeiro e o último refúgio. 3. O ambiente extraviado

para meninos ou meninas. Um ambiente que não misto, onde haja consideração, precisão e pudor na explicação da questão, atendo-se ao necessário. Seguindo o método jurídico islâmico, há determinações legais que estabelecem e elevam o nível de obrigação quando se ensina aos jovens, do sexo masculino e feminino, sobre os assuntos sexuais. Ele (a) aprende regras sobre impureza, a menstruação, o relacionamento entre homem e mulher. Tudo isso tem aspecto sexual no que diz respeito ao olhar, ao toque e à relação sexual. Ensinar o muçulmano essas coisas é obrigatório, porque pertencem ao cotidiano, interferindo na adoração e nas relações sociais.

Queremos fazer Quanto ao papel referência, com esta da família, ele tamexpressão, às pessoas é muito delicado, e às coisas que estão O Demônio aproveita e estimula bém tanto do ponto de visvinculadas ao ser huo desejo do homem pela mulher ta positivo quanto nemano e com as quais gativo. A relação enele se relaciona. Sem para induzi-lo ao pecado tre os pais e entre os dúvida, o ambiente, se pais e os outros adulfor são e conservador, tos, seja no seio da faquem vive nele será mília, como entre patambém são e conserrentes e amigos, se for liberal do ponto de visvador. No entanto, quem vive num ambiente ta sexual, irá influenciar na orientação sexual extraviado, liberal, será influenciado por ele. dos jovens, tornando-se um dos elementos de O meio, então, tem influência sobre o ser huestímulo ao instinto sexual. Ao mesmo temmano e sua conduta sexual. Uma vez que é po, o conservadorismo em excesso, a explium dos elementos de sedução, alguns de seus cação errada e a negligência (dos pais) nestas aspectos devem ser estudados: questões deixam péssimos vestígios, pois são a) A educação liberal: É um risco para temas que vão chamar a atenção do filho e da a integridade moral do indivíduo quando filha, de uma forma ou outra. Não responder adotada de forma irresponsável pela escola, com sinceridade e inteligência tira a confianprincipalmente no que se refere à discipliça do jovem nos pais, fazendo-o procurar as na que trata do sexo. Fica evidente o perigo respostas a esses assuntos em outras fontes gerado pela educação liberal, neste quesito. que, muitas vezes, estimulam o desvio. Mesmo que não seja contra os princípios do b) A perversão sexual: É tudo que se esIslã fornecer informações biológicas e fisiocreve a respeito do sexo e é mostrado detalhalógicas que tratam da formação do feto, desde damente, para estimular o leitor; tudo o que o ponto de vista científico, há a condição de se produz em termos de espetáculos sexuais, que isso se complete num ambiente exclusivo revelando seus detalhes com a intenção de ex44 - Revista Islâmica Evidências


citar o observador. Esse tipo de erotismo existe há tempo na literatura humana, sendo registrado em poesia e prosa, na esculturas, desenho e música, chegando ao limite na sociedade materialista contemporânea. O perigo maior desse tipo de erotismo é atingir a todos, pequenos e grandes, se não por meio da leitura, por intermédio do acesso aos aparelhos modernos de cinema, televisão, internet, revistas ilustradas. Tudo isso tornou a questão da perversão de ampla relevância e muita influência.

que a Lei Islâmica proíbe, ordenando que se os cubra, quer sejam do homem, quer sejam da mulher. É sabido que a prevenção adotada pelo Islã nessa questão é simbolizada, na mulher, pelo véu. Ou seja, a mulher deve cobrir todo o seu corpo, com exceção do rosto e das mãos, porque o Islã vê na nudez uma tentação que gera a proliferação da imoralidade e do desvio. Por outro lado, preconiza o uso do véu como uma prevenção e uma barreira à corrupção. É um constante círculo moral, conservador, cuja existência é essencial para o controle do instinto sexual.

O Islã deu vários passos para combater esse fenômeno perigosíssimo. Primeiro, proibiu explicitamente que se fale desse assunto, d) A promiscuidade: Ou seja, o encontro porque é fútil, de alto risco e, portanto, um do homem e da mulher livremente, na casa, na tema do qual o muçulmano deve se afastar; serua, na escola ou no local de trabalho, às vezes gundo, proibiu as referências claras a temas de até com uma terceira pessoa ou mais. É, na reordem sexual, que digam respeito aos órgãos alidade, considerado um pilar para representar sexuais ou à relação a libertinagem sexual sexual, considerando gerada pela educação isso palavras obsceliberal e pelo destaque Os meios para nos proteger nas, à exceção do que da nudez. Promovené falado entre o marido-se a mistura dos do Demônio são satisfazer do e a esposa, se isso dois sexos, prepara-se o desejo sexual de forma lícita estimula o ato sexual. o ambiente psicológico O Islã não proíbe o refavorável, levando-o a e buscar em Deus gistro escrito de palaum alto grau de tensão vras de cunho sexual, e carga sexual. Essa mas não permite a sua tensão chega ao auge leitura diante de quem não consegue se protecom os encontros mistos, ilegais pela Lei e ger do ilícito ou se ela for feita com o objetivo para a educação islâmica. de induzir à prática de atos ilícitos; terceiro, Com esses quatro aspectos - educação liproibiu que se olhe para os órgãos sexuais das beral, perversão sexual, nudez e promiscuidaoutras pessoas, quer sejam elas familiares ou de - mostramos os quatro elementos que conjovens impúberes, qualquer que seja o meio formam o terceiro dos atos de sedução e mosde observação: na água, por meio de fotos ou tramos os métodos de prevenção contra eles. vídeos, com exceção dos órgãos da esposa e Ficou, também, claro o importante papel do do esposo (Vamos tratar desses aspectos e de ambiente no estímulo aos instintos sexuais. O outros em detalhes, sob um aspecto jurídico, que foi exposto demonstra a necessidade de nos próximos artigos, se Deus quiser). um cuidado e responsabilidade maior com a c) A nudez: É um dos aspectos da liberdade sexual sobre o meio e os indivíduos. Visase, com ela, mostrar os órgãos sexuais, algo

questão sexual, para que o meio em que vivemos seja de respeito, servindo à felicidade e à tranqüilidade humanas.

Revista Islâmica Evidências - 45


Falando ao coração

Assayed Charif Sayyed

O

ao Mundo

“Sabei que a vida terrena é apenas jogo e diversão, pompa, mútua vanglória e rivalidade, com respeito à multiplicação de bens e filhos; é como a chuva, que compraz aos cultivadores, por vivificar a plantação; logo, vai ficando seca e a verás amarelada e transformada em feno. Na Outra Vida haverá castigos severos, a indulgência e complacência de Allah. Que é a vida terrena, senão um prazer ilusório?” (57:20).

A

vida terrena é uma exibição passageira e ilusão inútil. Não está livre dos cinco aspectos citados no versículo: brincadeira, diversão, pompa, vanglória e multiplicação de bens. Estes aspectos estão organizados de acordo com a idade do ser humano e as etapas de sua vida. Primeiro deseja brincar, enquanto criança ou adolescente. Quando cresce, passa a gostar de diversão. Ao atingir a idade adulta, passa a gostar de pompa nas vestes caras,

46 - Revista Islâmica Evidências

nos automóveis bonitos, nas casas caras, sendo atraído pela qualidade e beleza. Ao ficar mais velho, fica se vangloriando da família, antecedentes e descendentes. Ao avançar na idade, se preocupa em arrecadar cada vez mais dinheiro e filhos. Então, Allah, Glorificado seja, compara esta vida “à chuva que compraz aos cultivadores”. Então, “a verás amarelada”, quase seca, pronta para a colheita. Logo, se transforma “em


feno”. Assim, termina o ciclo de toda a vida. Esta descrição pode ser aplicada a todas as fases da vida, porque não se fixa numa situação. Faz uma analogia com os vegetais: nossa vida terrena é verde, então fica amarela, endurece, amolece, nela se dá e dela se tira. Deus dá ao ser humano tudo que ele gosta e deseja. Em seguida, tira-lhe tudo, dele mesmo e de sua família. Também serve essa descrição para o ser humano. Ele cresce, seus ossos se fortalecem, sua carne fica dura, sua cor muda, então começa a envelhecer, a carne vai definhando, os ossos vão se dissolvendo, a cor vai amarelando e a cada dia passa de um estado a outro, mais débil, até se quebrar e deteriorar. Se esta é a realidade inescapável no mundo terreno e o destino certeiro do homem, é bem melhor agir com vistas à vida eterna, onde as dádivas são permanentes e não há envelhecimento. Porém, para muitos seres humanos o mundo se tornou um objetivo, com seus jogos e diversão. Contudo, se eles forem confrontados com um objetivo valoroso, visando à Outra Vida, terão outro significado. Em outras palavras: O mundo reprovável no Livro de Allah e nas palavras de Seus profetas é o que pede os desejos e os prazeres mundanos, o jogo, a diversão, a arrogância e a presunção. O mundo, porém, que supre as necessidades de maneira definitiva, que elimina a injustiça, que é benéfico para os servos de Allah e Suas criaturas é o da Outra Vida. Quem pensar nos castigos do mundo fica prevenido. Quem tiver certeza da longa jornada, se prepara para a viagem. O Emir dos Crentes, Ali ibn Abi Tálib (a.s.), chorou de tristeza e disse: “Ó mundo, ó mundo! Some da minha vista! Por que te apresentas a mim? Será que estás ansioso por mim? Não terás a oportunidade de me impressionar. Vai enganar a outro! Nada tenho a ver contigo. Descartei-te já três vezes e não há como voltar atrás. Teu termo é curto, tua importância é pouca, e gostar de ti é humilhante. Ora! Tua provisão é restrita, teu caminho é longo, tua viagem é extenuante e tua meta é difícil de ser atingida.” Devemos examinar os nossos corações para

ver se vivemos amando a Allah, Glorificado e Exaltado seja, ou amando ao mundo. Se amamos a Allah, devemos aumentar e fortalecer o nosso amor. Se amamos ao mundo, devemos tentar nos livrar desta terrível enfermidade, dessa doença fatal, porque Allah, Glorificado seja, não reúne num só coração o amor ao mundo e o amor a Ele. Ou um, ou outro, pois o amor ao mundo é a cabeça de todo erro. O amor ao mundo é como a água do mar: quanto mais se bebe dela, mais se sente sede. O amor a Allah, Glorificado e Exaltado seja, é a base de toda perfeição e virtude, de honra e dignidade, de retidão e purificação. O amor a Allah, Glorificado seja, é o que fez aqueles mágicos dizerem ao Faraó: “Faz o que te aprouver; tu somente podes condenar-nos nesta vida terrena.” (Alcorão Sagrado, 20:72). Disseram isto porque o amor a Allah, o Altíssimo, acendeu em seus corações e lhes deu a coragem de enfrentá-lo. O mundo apareceu para Jesus (a.s.) na figura de uma mulher fulgurante. Perguntou-lhe Jesus (a.s.): “Quantas vezes casou-se?” Respondeu: “Muitas.” Perguntou: “Todos se divorciaram de você?” Respondeu: “Não, matei a todos.” Comentou: “Ai do resto de teus maridos. Como não aprenderam com os que passaram?” Devemos tomar cuidado com a enfermidade do amor ao mundo e nos empenhar em conquistar a Outra Vida. Devemos viver amando a Allah, o Altíssimo, recordar-nos da morte, porque é o melhor tratamento para a enfermidade do amor ao mundo. Não devemos viver na esperança e esquecer a morte e a Outra Vida. “Ó você, iludido pela esperança, Acaso não espera o fracasso e a morte, Não vê que a morada do mundo, É como a morada dos idos passageiros? Sua morte está vigilante e sua vida é penosa, Sua serenidade é obscura, e seus bens sucessivos! Continua chamando com esplendor os seus moradores, Não o agrada nem suavidade, nem abundância. A alma foge e a morte a persegue, E cada tropeço do homem para ela é escorregadio, A pessoa se empenha em deixar ao herdeiro, E o túmulo herda da pessoa o empenho”. Revista Islâmica Evidências - 47


Educação

Xeique Mohammad Mahdi Shamseddin

Siga e Seja Exemplo Os métodos alcorânicos: Proposições de exemplos.

O

s métodos alcorânicos utilizados pelos profetas e outros Ma’assumin (1) são exemplos de comportamento e pensamento de alto nível e ilimitados. Fora deles, as condutas são limitadas. O Profeta Noé (a.s.) é exemplo de paciência em relação à ignorância das pessoas e o seu afastamento da verdade.

O Profeta Abraão (a.s.) é um modelo de submissão, dedicação e obediência a Deus. O Profeta Moisés (a.s.) é modelo de castidade, confiança e força. O Profeta Jesus (a.s.) é exemplo de piedade, excelência e serviço às pessoas. O Profeta Mohammad (S) é exemplo ab-

(1) Ma’assumin é o plural de ma’assum, que significa “protegido”. Entre os ma’assumin, citamos a sagrada Linhagem Profética (a.s.) (NE).

48 - Revista Islâmica Evidências


soluto em tudo isso e mais ainda, pois ele é o excelente exemplo em todas as coisas, em conhecimento, eloqüência, conduta, biografia, liderança, administração, paciência nas calamidades, coragem e tolerância. Foi de excelente caráter, surgiu para completar a excelente conduta. A justificativa de sua liderança é denotada por sua personalidade inatacável.

Quraish (3) não registrar a respeito dele, nem na sua juventude, nem na sua idade adulta um só ponto negativo. Por isso, é dever dos jovens muçulmanos e das jovens muçulmanas seguir o seu excelente exemplo.

vidades de pastoreio e comércio. Foi um elevado modelo para eles no seu empenho de construir a sua personalidade devocional, em seus rituais antes de seu comissionamento, na gruta de Hirá (2). Foi exemplo para eles em cada ato que praticou, posição que assumiu, moral que adotou. Fez sempre a defesa inabalável de sua crença e missão, a ponto de

Deus estabeleceu no Alcorão muitos exemplos para os jovens: Em Abraão (a.s.), o jovem que destruiu os ídolos; em Ismael (a.s.) o jovem que se submeteu à vontade de Deus para ser degolado; em José (a.s.), o jovem que se absteve de cometer imoralidade; em Moisés (a.s.), que era casto e fiel em seu relacionamento com as mulheres.

Fátima Azzahrá (a.s.), sendo uma parte do Profeta (S) e tendo recebido dele a sua educação, que a capaComo ele foi citou a ser a “Senhoexemplo para os mura das Mulheres do O Profeta Mohammad (S) é exemplo çulmanos, homens e Universo”, tornou-se mulheres, a sua filha o exemplo sublime em conhecimento, eloqüência, Fátima Azzahrá (a.s.) de toda jovem, mué a “Senhora das Mu- conduta, liderança, administração, çulmana ou não. Ela lheres do Universo”. foi exemplo pelo resEla é exemplo não peito que tinha do e paciência, coragem e tolerância só para as mulheres, pelo seu pai, pela sua mas para os homens castidade, nobreza e também. Cada mulher retidão. Foi exemplo pode ser exemplo para os homens e as munos seus atos, que refletem sua conduta e lheres. Cada homem pode ser paradigma para sua posição. Exemplo na sua relação conjuhomens e mulheres, e cada mulher pode ser gal, empenhando-se ao máximo para alegrar exemplo tanto para o mesmo sexo como para seu marido (4) que, quando a via, tinha suas o outro sexo, principalmente quando as coipreocupações dissipadas. Exemplo na educasas comuns entre os dois sexos não colocam ção dada a sua filha, Zainab (a.s.) e seus dois limites, a não ser na formação biológica de filhos, Hassan e Hussein (a.s.) os “Senhores cada um. O exemplo, portanto, não tem sexo, dos Jovens do Paraíso”. Exemplo na sua paciquando se trata de conduta e moral. ência, debilidade e ao mesmo tempo firmeza, exemplo em seu diálogo, sua eloqüência, seu O Nobre Profeta (S) foi também um discurso, adotando como método o Alcorão e exemplo para os jovens muçulmanos durante a Sunna. É o exemplo sublime que oferecea sua juventude, destacando-se com a retidão mos às jovens muçulmanas e não-muçulmade sua conduta, sua veracidade e confiança. nas, para lerem, imitarem e se orientarem. Foi, também, exemplo para eles nas suas ati-

(2) Refere-se o autor ao evento de Mab’ath, quando o Profeta Muhammad (S) recebeu a visita do Arcanjo Gabriel, durante um retiro espiritual nas montanhas que circundam a cidade de Makkah (NE). (3) Tribo de Quraish ou “Banu Quraish”, que dominava econômica e politicamente a região de Al-Makkah e contrapôs-se à Missão de Muhammad (S) (NE). (4) O Imam Ali Bin Abi Tálib (a.s.) (NE).

Revista Islâmica Evidências - 49


Deus, também, deu dois bons exemplos às mulheres: “E Allah dá, como exemplo aos crentes, o da mulher do Faraó, a qual disse: Ó Senhor meu, constrói-me, junto a Ti, uma morada no Paraíso, e livra-me do Faraó e das suas ações, e salva-me dos injustos! E com Maria, filha de Imran, que conservou o seu pudor, e a qual alentamos com o Nosso Espírito, por ter acreditado nas palavras do seu Senhor e nos Seus Livros, e por se ter contado entre os consagrados.” (Alcorão, 6:11-12). De acordo com este texto, como podem se beneficiar as jovens e as mu-

lheres crentes, da mesma forma, destes dois excelentes exemplos? 1 – Não se iludirem com o luxo efêmero e cômodo, o mundo de conforto. Devem dar preferência ao conforto da Outra Vida, eterna. Certamente, o que está com Deus é preferível e mais duradouro. Não há vizinhança melhor, mais feliz e mais cara do que a vizinhança de Deus, o Altíssimo.

É dever dos jovens muçulmanos e das jovens muçulmanas seguir o excelente exemplo do Profeta (S)

50 - Revista Islâmica Evidências

2 – Não se envolver com a opressão e os opressores, mesmo que sejam os seus pais, irmãos, amigos, esposos. Devem rejeitar envol-


ver-se com eles, ajudá-los, nem com palavras nem com atos, nem ao calar-se quanto à sua opressão. 3 – A castidade é o embelezamento da mulher crente. Ela não permite a visão de seu corpo, a não ser ao esposo. Além disso, ela não permite que se agrida a sua castidade, não ultrapassa a lei do relacionamento dos dois sexos, porque isso acarreta ultrapassar os limites de Deus e o abandono à Sua obediência.

Deus, o Altíssimo, nos ordena a seguir o exemplo daqueles que Ele orientou, escolheu e alçou a uma posição privilegiada: “São aqueles que Allah iluminou. Toma, pois, seu exemplo.” (Alcorão, 6:90). Ele nos ordena o que é predestinado, fácil e capaz, porque estabeleceu a Si mesmo, Elevado seja, não encarregar uma alma acima de suas capacidades.

Não há vizinhança melhor, mais feliz e mais cara do que a vizinhança de Deus, o Altíssimo

4 – A crença em Deus, ser monoteísta, obedecê-Lo, aceitar Seus mensageiros e acatar seus ensinamentos, aceitar Seus livros e agir conforme Suas leis constituem o caminho do bem e da felicidade nos dois mundos: neste e no Outro. 5 – A adoração e a sinceridade são o nosso caminho, sejamos homens ou mulheres, jovens de ambos os sexos, libertando-nos da servidão e das algemas. Devemos adotar a sublimidade e a evolução, a estabilidade e a tranqüilidade, agindo de acordo com o que Deus deseja para o ser humano, ou seja, ser o Seu servo e legatário.

Não se pode, depois disso, permitir que um jovem alegue: “Estas pessoas estão acima do nível humano. Quem sou eu em comparação a Ali Ibn Abi Tálib (a.s.), a Ammar Ibn Yasser (a.s.), a Muss’ab Ibn Umair (a.s.)?”. Ele se esquece que essas pessoas se fizeram com muito empenho e educação elevada. Deus, o Altíssimo, orienta à sua senda quem se empenhar na Sua causa. Se você supõe que não é igual a eles, pelo menos imite-os, como no dizer do poeta: “Imitem-nos se não forem iguais a eles, Pois a imitação dos nobres é sucesso.”

Alguns jovens de ambos os sexos fazem uma importante pergunta a esse respeito: “Como podemos seguir o exemplo sublime, os métodos elevados, os excelentes exemplos entre os mensageiros e os profetas que o Alcorão convoca para serem seguidos?”

Se não sou como o Mensageiro de Deus (S), no nível de veracidade e lealdade, devo ser veraz mesmo que seja numa pequena proporção e agir para elevar essa proporção no decorrer dos dias. Este é o significado de se seguir o exemplo.

Para termos a resposta, há a necessidade de saber que o pedido de seguir o exemplo inclui as seguintes condições:

Se o Mensageiro de Deus (S) e Fátima Azzahrá (a.s.) são ápices humanos, podemos escalar os lados da montanha para chegarmos perto do ápice. O importante é não ficarmos na planície, porque seguir o exemplo tem níveis e graus. O nível mais alto entre os homens é o do Mensageiro de Deus (S) e o mais admirável entre as mulheres é o modelo de Fátima (a.s.), filha do Profeta Muhammad

1 – Ter acesso ao bom exemplo; 2 – A realidade do exemplo, ou seja, o de ser humano, como nós; plo.

3 – A possibilidade de seguir o seu exem-

Revista Islâmica Evidências - 51


(S). Para sermos práticos, vamos olhar para aqueles que seguiram o exemplo e foram bem sucedidos. Málik Al-Ashtar não foi profeta nem Imam, mas foi um homem crente como você e eu. Ele atingiu, com a sua imitação do Profeta (S) e seus Familiares (a.s.), o que Ali (a.s.) conquistou em relação ao Mensageiro de Deus. Se Málik conseguiu fazer isto, todo ser humano pode conseguir. Você concorda conosco neste ponto de vista? Deixamos que pense nisso...

isso, aconselhamos os jovens de ambos os sexos a não restringirem os seus modelos a métodos limitados, mas tentar alcançar o ápice. Por isso, um poeta disse: “Quem teme escalar as montanhas, Vive sempre entre as escavações.” 3 – Permanecer constante nos princípios:

O bom exemplo não é periódico, influenciável apenas em certo tempo ou em certos lugares. Ele influencia e atrai onde estiver. Os aspectos do bom exemplo: “Fez-me abençoado, onde quer que eu estePara que o exemplo seja bom, deve: ja.” (Alcorão, 31). Portanto, a constância de1 – Juntar as palavras aos atos. nota a veracidade, a paciência, o desafio, a fé profunda nos princípios que a pessoa exemO bom exemplo diz e faz o bem. Você não plar carrega, ao conencontra contrariedatrário da oscilação, da de entre suas palavras vacilação, de voltar e sua conduta. Por A crença em Deus, obedecê-Lo, atrás ou depreciar. isso, os profetas, os

imames e os infalíveis O jovem de amaceitar Seus mensageiros e acatar formam bons exembos os sexos fica seus ensinamentos, constituem plos, porque há uma oprimido perante as união e uma harmonia pressões, porém, se se o caminho do bem evidente entre o que lembrar dos constandizem e o que fazem. tes, dos sólidos e dos Isso é o que o Alcorão combatentes inabaládiz a respeito da condenação da contradição veis, fica envergonhado, suporta suas feridas por Deus: “Ó crentes, por que dizeis o que e continua na sua missão. não fazeis? É enormemente odioso, perante 4 – Agir de acordo com a natureza e sem Allah, dizerdes o que não fazeis.” (Alcorão, hipocrisia: 61:2-3). Toda vez que o exemplo age de acordo 2 – Obter capacidades e características incom uma inspiração, confiante em si e na sua fluenciáveis: fé, de acordo com a sua natureza, sem artifiPara que seja uma pessoa exemplar para cialismo nem hipocrisia, atrai as vistas para os outros, você deve distinguir em vários asele. A boa palavra do exemplo brota naturalpectos o que o seguidor não possui no todo mente, como a água da fonte espontânea e ou em parte. Deve-se empenhar para seguir o límpida. O bom ato surge dele como surge o modelo, para obter o que ele possui de capabrilho do sol e o perfume da flor. cidades e características louváveis. Se a flor quisesse se perfumar com outro Quanto mais características o modelo possui, a sua força de atração é maior. Por

52 - Revista Islâmica Evidências

perfume além do dela, aquele perfume poderia se espalhar periodicamente; não representaria, contudo, a exalação própria da flor perfumada,


mas algo acidental e introduzido nela. O mesmo acontece com o exemplo. Seus atos e ditos não são acidentais, mas inerentes a ele.

ordens, eram os primeiros a executá-la. Não proibiam nada sem que se abstivessem dele. 6 – Confessar o erro e se empenhar em corrigi-lo:

A alma humana tende, naturalmente, para a pessoa veraz consigo mesma e com os outros, O modelo vale por dois: um modelo infapara aquele que age com transparência parecilível, em suas palavras e atos, como é o caso da com a transparência da água, com o brilho dos profetas e imames (a paz esteja com eles), do sol e o perfume autêntico da flor. Este é o que alguns comparam às velas de luz pura, motivo que faz algumas pessoas ter influência que iluminam as mentes, os corações e as viem nós, mesmo sem falar conosco. A sua condas. Não é certo que haja algo escuro neles, duta é exemplo. É a própria causa que estimumesmo pequeno. lou o Imam Jaafar Assadiq (a.s.) a dizer: “Sede Há modelos falíporta-vozes sem palaveis, que podem covras, para que vejam meter erros, porém se em vós a veracidade, a Deus, o Altíssimo, apressam em tratá-lo, retidão e o temor. Isto reconhecendo-o, emé convocação”. orienta à sua senda penhando-se em não Foi confirmado continuar cometendo quem se empenhar pedagogicamente que ou de cometê-lo novaa educação direta e mente no futuro. Com na Sua causa prática é mais efetiva isso, tornam-se modedo que a educação inlo em sua sinceridade direta e oral. e transparência, no seu empenho em corrigir os seus erros. Os 5 – Ordenador e ordenados; limitadores e tementes, que são bons exemplos, cometem limitado. erros de vez em quando. Porém, distinguem Esta é correlação entre a fé e ato. Para que dos seus semelhantes. Quanto a estes, apossao exemplo cause influência, deve-se agir de se deles a soberbia, induzindo-os ao pecado. acordo com é ordenado. Quando os ordenaFicam dialogando, discutindo para ninguém dos veem a execução do ato pelo ordenador, dizer que cometeu erro. Quanto ao temente, acreditam nele e adotam as suas ordens. É nearrepende-se perante seu Senhor e retorna decessário, também, que o indivíduo exemplar pressa à sua razão. “Quanto aos tementes, abandone o que é proibido, maléfico, ilícito, quando alguma tentação satânica os acosimoral e indecente. Se as pessoas virem uma sa, recordam-se de Allah; ei-los iluminaprática contrária ao que é permitido, deixam dos.” Alcorão, 7:201). de acatar a ordem do ordenador, criticam a sua validade e depreciam o seu valor. A respeito disso, um poeta disse: “Não proíbas algo que praticas, É uma grande vergonha se o fizer.” Se você revisar os casos dos bons exemplos, irá verificar que essa condição é cristalina nas suas condutas. Quando os probos davam

O círculo de Satanás são os pensamentos imorais e maldosos que vêm à mente do ser humano. Porém, pelo poder de sua fé corregedora, o crente age para expulsar a tentação e os maus pensamentos, para retornar à sua promessa e pureza, como o rio no qual caem algumas impurezas. Porém, mais que depressa, ele recupera a sua limpidez. Por isso, a nossa necessidade, assim como dos jovens de ambos os sexos, de estudar cada vez mais Revista Islâmica Evidências - 53


Encontro com Allah

Em nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso

D

eus, Exaltado seja, diz no Seu Livro Sagrado: “Bendito seja Aquele em Cujas mãos está a Soberania, e que é Onipotente; Que criou a vida e a morte, para testar quem de vós melhor se comporta – porque é o Poderoso, o Indulgentíssimo.” (Alcorão, 67:1-2). A prova e a aflição são dois aspectos que acompanham o ser humano desde que (1) Em nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso

54 - Revista Islâmica Evidências

colocou os pés nesta terra e serão suas companheiras até o acontecimento da Hora (1). Deus, o Altíssimo, diz: “Ó, humano, em verdade, esforçar-te-ás afoitamente por compareceres ante o teu Senhor. Logo O encontrarás!” (Alcorão, 84:6). A aflição é um teste para o ser humano no caminho de sua perfeição e elevação. Os acontecimentos e os dias pelo que possuem


de cansaço, dificuldades, dureza, de descanso, alegria e facilidade, todos são pontos de teste para que o Majestoso veja se o ser humano Lhe é agradecido ou não. A prova do Jihad (2), da migração, da fome, da dispersão, do medo, do terrorismo, da guerra psicológica que os opressores e tiranos infligem, não é mais do que uma operação de escolha, teste e esclarecimento das almas, de descobrimento da identidade da pessoa, separando o veraz do mentiroso, o sincero do insincero.

Altíssimo diz: “Pretendeis, acaso, entrar no Paraíso, sem antes terdes de passar pelo que passaram os vossos antecessores? Açoitaram-nos a miséria e a adversidade, que os abalaram profundamente, até que, mesmo o Mensageiro e os crentes, que com ele estavam, disseram: Quando chegará o socorro de Allah? Acaso o socorro de Allah não está próximo?” (Alcorão, 2: 214).

Este versículo se refere a uma projeção do futuro do crente, transmitido na forma de uma possibilidade futura negativa, exortando A determinação de Deus quanto aos as pessoas quanto ao entendimento da fé e da Seus servos é que sejam provados para sesua consideração. A fé não é mera palavra, rem fortalecidos com o fortalecimento de é uma realidade responsável, uma confiança sua fé e debilitados com a sua debilidade. que precisa de preparação, um empenho que O Profeta (Deus o abençoe e a sua Família precisa de perseverança, de atitude. Não é sue lhes dê paz) disse: “As pessoas mais aflificiente que as pessogidas são os profetas, as digam: “Cremos!”. então seus semelhanPorém, muitas vezes, tes, e assim por diante. A pessoa é afligida A prova e a aflição são dois aspectos isso não significa mais que uma mera por causa de sua relique acompanham o ser humano alegação, esquecida gião. Se for firme em a partir do momensua religião, a aflição desde que colocou os pés to em que os seres é-lhe aumentada.” humanos se rendem Ele também disse: nesta terra à intriga, fixando-se “Quando Deus ama nela e saindo dela um servo, Ele o aflicom os corações apage. Se tiver paciênrentemente límpidos, cia, Ele o elege; se aceitar, Ele o escolhe.” puros, como se nada houvesse acontecido. Allah os aflige não com o rebaixamenExposto isso, perguntamos: “O que o to e a tortura. Longe estão estas realidades servo deve fazer?” Se for afligido, for exda prudência de Deus e Sua justiça. Mas posto ao teste, assaltam-no as preocupações os aflige como purificação e educação: “E e as tristezas, de todos os lados, será que se para Allah purificar os crentes e aniquiapressa em se queixar, protestar e se inquielar os incrédulos.” (Alcorão, 3:141). O ta, ou persevera e reflete. Sim, é preciso paEmir dos Crentes (a paz esteja com ele) (3) ciência, aceitação da determinação de Deus! disse: “Por Deus, vós sereis afligidos, peO Mensageiro de Allah (Deus o abençoe e neirados e purificados até que não restem de a sua Família e lhes dê paz) disse: “É admivós senão os mais extraordinários.” Deus, o (2) Cabe ressaltar que “Jihad”, na acepção islâmica, significa “empenho individual no caminho de Deus”, não “Guerra Santa”, um conceito alheio à doutrina do Islã (NE). (3) Isto é, o Imam Ali Bin Abi Tálib (a.s.) (NE). Revista Islâmica Evidências - 55


rável o caso do crente, pois tudo é bom para ele; e isto não ocorre com ninguém mais, a não ser com o crente. Se é objeto de um bem e dá graças, isto é um bem para ele; e se sofre alguma desgraça e se arma de paciência, isto também é um benefício para ele.” Conscientizemo-nos de que o que apaga o fogo de nossa desgraça é a comparação com a realidade dos outros. Olhamos à direita e não vemos mais do que sofrimento; olhamos à esquerda e só vemos lamentos. Se examinarmos o mundo, não vemos a não ser afligidos, ou pela perda de ente querido, ou por sofrer um outro revés qualquer. Quem olhar as desgraças dos outros percebe, muitas vezes, que reclama sem razão. A triste realidade de muitos deve nos confortar, preparando-nos para as futuras dificuldades que nós mesmos enfrentaremos.

mas que abrange uma questão muito delicada, qual seja, sacrificar a vida e a alma de um filho muito querido e esperado em obediência a Deus. Qual foi a posição do jovem, sendo-lhe pedido que oferecesse o pescoço para a degola, depois de atingir a puberdade?

Ele resumiu a situação com duas frases que disse ao pai, inscrevendo-o no registro dos profetas pacientes, tornando-o um exemplo para os crentes virtuosos: “Respondeu-lhe: ‘Ó, meu pai, faze o que te foi ordenado!’” (Alcorão, 37:102). “Pai, faz o que te foi ordenado”, ou seja, não precisa de minha opinião, não espera a minha consulta, mas executa o que te foi ordenado, sem vacilação nem demora. Por isso disse: “Faz o que te foi ordenado”. Não disse: “Faz de mim o que te foi ordenado”, esquecendo-se Olhemos para de si mesmo como este método elevado se a questão não disde paciência, porque sesse respeito ao seu representa a confor- Disse o Imam Ali (a.s.): ‘Por Deus, próprio pescoço e ao midade por meio da término de sua vida. vós sereis afligidos, peneirados e puobediência a Deus, Então disse: “Enem tudo que Ele nos contrar-me-ás, se rificados até que não restem de vós ordena, não importa Allah quiser, entre o que haja de perigos os perseverantes!” senão os mais extraordinários e sacrifícios por trás (Alcorão, 37:102). desta ordem divina. Ismael (a.s.) não alegou heroísmo ou enO caso de Ismael soberbeceu-se, não e Abraão (a paz esteja com eles) é um exemdeu largas ao seu poder de suportar, mas plo elevado deste método paciente de obediconfiou em Deus, apoiando-se, com sua paência total e submissão a Allah. Abraão (a.s.) ciência, em Sua autorização e desejo. Desta viu em sonho que degolava o seu filho Ismael maneira, ingressou no grupo dos pacientes. (a.s.). Uma vez que os sonhos dos poetas são

inspirações, ele viu a indicação e soube da intenção. Ele foi ter com o filho e lhe apresentou a questão, dizendo: “E quando (a criança) chegou à adolescência, seu pai lhe disse: ‘Ó filho meu, sonhei que te oferecia em sacrifício; que opinas?’” (Alcorão, 37:102). Trata-se de uma apresentação sucinta e objetiva, 56 - Revista Islâmica Evidências

E aconteceu... As palavras foram confirmadas com o ato. O pai e o filho se submeteram. O filho entregou seu pescoço ao sacrifício. O pai inclinou-o e se preparou com a faca. Neste ponto, o teste alcançou o seu objetivo e ofereceu o seu fruto sublime. Ambos, pai e filho, foram aprovados no teste, buscando a


execução da ordem de Deus, sem titubeios. assim, se submete a Mim.” Deus, o Altíssimo, Imediatamente, chegou o aviso do Céu: “Enrevelou a Davi (a.s.): “Tu desejas e Eu desejo. tão o chamamos: ‘Ó, Abraão, com efeito Porém, acontecerá o que desejo. Se se submeconfirmaste o sonho!’ Em verdade, assim ter ao que desejo, concederei o que desejas. Se recompensamos os benfeitores. Certamennão te submeter ao que desejo, dificultarei o te que esta foi a verdadeira prova. E o resque desejas, e só acontecerá o que desejo.” gatamos com outro Certa feita, o Prosacrifício importanfeta (S) perguntou a um te!” (Alcorão, 37:104de seus compaEnsinou o Nobre Profeta (S): grupo 107). nheiros: “Quem sois?” Se Deus expiou Se o crente sofre alguma desgra- Responderam: “SoIsmael com um carmos crentes, ó, Rassuneiro, o filho do ça e se arma de paciência, isto lullah!” Perguntou, enImam Hussein (4), tão, o Mensageiro (S): Ali Al-Asghar, foi também é um benefício para ele “Qual é a prova de vosassassinado perante sa crença?” Respondeele. Cada desgraça ram: “Somos pacientes que acometia o Imam nas aflições, agradeceHussein (a.s.), dono de uma alma tranqüila, mos quando temos o suficiente e aceitamos o no dia dez de Muharram, não acrescentava predestinado.” O Profeta (S) confirmou: “Sois ao seu rosto a não ser mais luz, mais autocrentes, pelo Senhor da Caaba.” confiança e mais devoção. Ele sabia que Deus observava tudo e tinha poder para afastar toda a desgraça dele. Porém, não afastou, por querê-lo, não para fazer Hussein (a.s.) sofrer, mas para elevá-lo, porque quando Deus ama um povo, coloca-o à prova. Quanto maior a desgraça, maior deve ser a paciência e quanto maior é a paciência, maior a recompensa. Por isso, quando o seu filho Ali Al-Asghar (a.s.) é assassinado diante dele, uma desgraça que abalaria as montanhas e queimaria as entranhas de um ser menos devoto, ele diz: “Facilita o que me aconteceu perante Deus.” Nas evocações de Moisés (a.s.): “Ó Senhor, quais de Tuas criaturas amas mais?” Respondeu o Excelso: “Aquele de quem tiro uma pessoa querida e, mesmo (4) Imam Hussein ibn Ali ibn Abi Tálib (a.s.), filho do Imam Ali (a.s.) e neto do Profeta Muhammad (S), martirizado nas areias de Karbalá no dia 10 do mês islâmico de Muharram (NE). Revista Islâmica Evidências - 57


Sentimento feminino

Assayyed Hádi Al-Modarressi

Orgulhe-se,

Mulher 1

…A mulher é tão importante que nenhum homem conseguiria preencher o vazio deixado por ela caso deixasse de existir, nem mesmo os homens em conjunto.

2

…Quão bela é a conquista do coração da mulher e quão abominável é a conquista do seu corpo, sem o seu coração... …Não é possível que o homem seja criado 7 3 no útero das mulheres e não as digne acima da

…A feminilidade é uma questão secundária, apesar de os homens a considerarem uma questão essencial.

dignidade dos homens...

4

…A filosofia do véu baseia-se na proteção à feminilidade da mulher, destacando o seu humanismo. Quanto à filosofia da nudez, baseiase no inverso.

5

… É melhor para a mulher que seus membros sejam quebrados sob as rodas da vida do que a sua feminilidade seja destruída sob a libertinagem dos homens.

6

fas de uma carreta.

9

…O mundo da mulher é mais vasto que o mundo do homem. O mundo do homem diz ao presente, Quão bela é a conquista do coração respeito enquanto o mundo da mulher diz respeito ao da mulher e quão abominável presente e ao futuro.

é a conquista do seu corpo, sem o seu coração

…Suficiente para o engrandecimento da mulher é ser mulher. Suficiente para o engrandecimento do homem é ser o companheiro dela na vida.

58 - Revista Islâmica Evidências

…Dar à mulher as incumbências do ho8 mem é como dar a um frágil automóvel as tare-

10

…O elemento da feminilidade está representado na força da fragilidade, enquanto o elemento da masculinidade está representado na fragilidade da força.


…A presença majestosa da mulher pre11 enche dezenas de brechas da vida, ao mesmo tempo em que o homem não consegue preencher uma delas sob nenhuma forma. …A vida sem mulher é como a mulher 12 sem vida: nelas só existe o frio da morte.

13…A diferença entre o homem e a mulher,

ao adquirir as coisas, é que o homem preenche a sua necessidade com aquilo que compra, não com o seu desejo, enquanto a mulher educa o seu desejo, não sua necessidade.

14…O homem sem lar é um problema para

a mulher, enquanto um lar sem mulher é um problema para a sociedade.

15…A metade das mulheres é muito ciu-

menta e a outra metade é muitíssimo ciumenta.

A mulher possui a mais importante distinção que o ser humano possa desfrutar na face na terra: ser mulher

22…A rosa da feminilidade não abre para nin-

guém... Esse é o segredo da paixão permanente dos homens por atacá-la.

23…Os corações dos homens são os objetivos

das mulheres e os corpos das mulheres são os objetivos dos homens. Quão enorme é a diferença entre ambos!

24…A mulher nasce como mãe. Não é neces16…A mulher possui a mais importante dis- sário, porém, que o homem nasça como pai. tinção que o ser humano possa desfrutar na face na terra: ser mulher. 25…A feminilidade é um dos segredos da e a sua atração é maior do que a atração das 17…O capital da mulher é a sua feminilida- vida mentes dos homens. de e o capital do homem é a sua razão. 18…A necessidade de um coração femini- 26…Não é possível que a mulher mostre seus

no, no qual o homem possa confiar ao mesmo tempo em que a mulher confia nele, no qual o homem esteja tranquilo enquanto ela esteja tranquila com ele, é como a necessidade que o navio sente pelo porto. O homem sem mulher é como um navio no meio do oceano, sem destino. Ambos morrem de sede, mesmo tendo o mar ao seu redor.

19…Um coração de mulher que bate por um

homem é mais caro do que todas as pedras preciosas do mundo.

20

…O ciúme do homem é por amor e o ciúme da mulher é egoísmo.

21…A primeira impressão do homem ao

abrir os olhos ao mundo feminino não se repete até a eternidade, por mais que tente com outras mulheres.

atrativos e seu equilíbrio ao mesmo tempo.

27

…Deus criou a mulher como mãe. Então, tornou-a mulher.

28

…A masculinidade é uma característica secundária nos homens, enquanto a feminilidade é uma situação permanente nas mulheres.

29

…A masculinidade do homem só é confirmada pela fêmea. A fêmea, porém, não necessita que lhe confirmem a feminilidade.

30…Se um homem tratar a sua mulher como

rainha, ela o tratará como imperador. Porém, se ele a tratar como escrava, ela o tratará como vigia.

31…Algumas mulheres são como a lua, que

é vista ao longe, projetando um astro iluminado que nos atrai. Ao nos aproximarmos delas, não vemos mais do que vestígios de vulcões inati

Revista Islâmica Evidências - 59


37…A traição é o vício do homem, enquanto

vos, rochas abandonadas e átomos de terra sem vida, nem sentimento.

as mulheres levam a fama.

dos homens e a masculinidade do homem é um meio para as mulheres.

do pomar, a mulher é a árvore e o homem é o agricultor.

…Por mais difícil que a vida seja com uma mulher, sem ela é mais difícil ainda.

…Quando a mulher morre, morre com ela a maternidade da vida.

qual o homem se apoia toda vez que tende a trair.

güenta o coração da mulher.

…O silêncio da mulher é choro e o silêncio do homem é consciência.

de perfume. Ninguém consegue desfrutar de seu cheiro a não ser que consiga abri-las.

ração a afligir o coração do homem.

ção, enquanto o homem o visualiza com o olho.

32…A feminilidade da mulher é o objetivo 38…No pomar da vida, o Senhor é o dono 33

39

34…A lealdade da mulher é uma bengala na 40…Satanás ri toda vez que o homem ensan35

41…Os corações das mulheres são garrafas

36…As lágrimas da mulher lavam o seu co- 42…A mulher visualiza o mundo com o cora-

No pomar da vida, o Senhor é o dono do pomar, a mulher é a árvore e o homem é o agricultor. 60 - Revista Islâmica Evidências


O mundo digital ao seu alcance

msn: worldview_vendas@hotmail.com www.ambarsp.com.br

Telefone: (11) 3311-9349


Sentimentos

Os Horizontes da Misericórdia e Ambientes da Lealdade - 3

A Misericórdia Humana

A

llah (SWT) (1) criou o ser humano com alguns de Seus atributos, para ser Seu legatário, apto a representáLo na terra.

Talvez o mais importante e grandioso atributo de Allah, além de “Justo”, seja “Misericordioso”. Apesar de todos os Seus atributos serem belos e grandiosos, estes dois Lhe são peculiares. Allah, Glorificado e Altíssimo seja, quis que Seus profetas e mensageiros – que são os intermediários e embaixadores entre Ele e as pessoas –possuíssem a qualidade da misericórdia. As Suas palavras para o Seu Profeta escolhido, Muhammad (Allah o abençoe e a sua Purificada Descendência) foram: “E não te enviamos, senão como misericórdia para a humanidade.” (Alcorão, 21:107). Elas são, também, aplicadas a outros profetas, ressaltando que entre eles Muhammad foi o mais nobre.

Cada um deles incorporou um dos aspectos da misericórdia divina, que os transformou numa pessoa perfeita. Assim também se passou com os Imames da Família do Profeta (a.s.). Eles também são misericórdia para a humanidade, devido ao conhecimento, a conduta e a biografia do Mensageiro de Allah (S), dos quais eles são herdeiros, agindo com sinceridade e lealdade, de acordo com o método do Islã que seu antepassado lhes legou. Os nobres companheiros do Profeta também eram misericordiosos uns com os outros, como o seu Senhor os descreveu, em Seu Livro Sagrado: “Mohammad é o Mensageiro de Allah e aqueles que estão com ele são severos para com os incrédulos, porém compassivos entre si.” (Alcorão, 48:29). Da mesma forma que eram severos com os incrédulos, incutindolhes medo, eram compassivos e gentis entre si. Quando quem não os conhecia os via, dizia de

Allah criou o ser humano com alguns de Seus atributos, para ser Seu legatário, apto a representá-Lo na terra

(1) A sigla SWT representa a expressão árabe “subhannahu wa ta’ala”, que significa “elevado e exaltado seja” (NE).

Revista Islâmica Evidências - 63


les: “Esta é a educação do Islã, a educação do Mensageiro de Allah”. Talvez estes exemplos tenham sido o motivo de sua orientação e sua atração para o Islã, fazendo-os ingressar nele. Da biografia do Profeta (S), repleta de misericórdia, da biografia dos Imames (a.s.), que espalharam a misericórdia em seu meio, da biografia dos seguidores sinceros e piedosos do Mensageiro (S),ecoou a voz da misericórdia islâmica, que atraiu quem estava distante, pertencessem os conversos aos

Povos do Livro (2), às minorias religiosas e étnicas ou até mesmo aos inimigos que caíam como seus prisioneiros.

Os Imames da Família do Profeta (a.s.) também são misericórdia para a humanidade

(2) De acordo com o Alcorão Sagrado, os cristãos e judeus (NE).

64 - Revista Islâmica Evidências

Assim, o lema do Islã se tornou: “Tem misericórdia de quem está na terra e Quem está no Céu terá misericórdia de ti.”

O vínculo entre as duas misericórdias, a divina e a humana, é forte. Porém, a misericórdia humana não passa de um sopro da misericórdia do Clemente, de Quem o ser humano misericordioso é um servo: “E os servos


do Clemente são aqueles que andam pacificamente pela terra e, quando os ignorantes lhes falam, dizem: Paz!” (Alcorão, 25:64). Vejamos a conduta do ser humano misericordioso : 1. Ter misericórdia dos pais: Se nós procurarmos o segredo da misericórdia com que tratamos nossos pais, verificaremos que, em acréscimo à misericórdia divina colocada em nosso coração, primeiro tivemos uma lição de nossos generosos pais. A nossa misericórdia nos ensinou como ser misericordioso em relação a eles e às pessoas ao seu redor. Devemos agradecer a Allah, primeiro, e a eles em segundo lugar.

asas da humildade, e dize: Ó Senhor meu, tem misericórdia de ambos, como eles tiveram misericórdia de mim, criando-me desde pequenino!” (Alcorão, 17:23-24). Devemos dizer: “Ó, Senhor meu! tenha misericórdia deles porque se preocuparam em me educar, tiveram fadiga e insônia para oferecer-me sossego e felicidade, empenharam-se para proporcionar-me o que necessito. Quão aflitos ficaram quando adoeci e viajei! Como fizeram prece por mim na minha ausência, nas horas difíceis e de necessidade, para proporcionar-me sucesso e misericórdia! Será que é suficiente pedir a misericórdia divina para eles? Certamente que não. É-nos solicitado ter misericórdia deles com palavras e atos, cuidando deles de forma justa: “A recompensa pela bondade não é, acaso, a própria bondade?” (Alcorão, 55:60). A palavra agradável, carinhosa para com os pais constitui misericórdia. A palavra de agradecimento, de louvor, de consideração e de orgulho pelo que nos proporcionaram constitui misericórdia!

A misericórdia humana não passa de um sopro da misericórdia do Clemente, de Quem o ser humano misericordioso é um servo

Nós vivemos a misericórdia de forma prática, enquanto engatinhávamos na infância, adolescência e juventude, períodos esses que foram regados com a palavra carinhosa, o bom tratamento, a piedade enorme, como é embalada a criança do seio da mãe. Quando um deles ou ambos alcançam a velhice, nós recebemos a ordem de Allah de sermos benevolentes para com eles, neste período importante de sua vida. Como nos é exigido sempre, em todas as etapas de nossa vida, devemos ser gentis e carinhosos com eles. “O decreto de teu Senhor é que não adoreis senão a Ele; que sejais indulgentes com vossos pais, mesmo que a velhice alcance um deles ou ambos, em vossa companhia; não lhes dirijais palavras de desrespeito, nem griteis com eles; outrossim, dirigi-lhes palavras honrosas. E estende sobre eles as

O tratamento educado em relação aos nossos pais é misericórdia. Suplicar a Allah para que lhes proporcione o bem, vida longa e bem-estar é misericórdia. Consultá-los, seguir os seus conselhos e sua satisfação é misericórdia. Gastar com eles e presenteá-los com o que temos em nossa mão é misericórdia. A misericórdia pela mãe e pelo pai será a causa de nossa orientação ou mudança de sua situação. Pode ser que nós tenhamos lido a respeito do caso do jovem cristão que ingressou no Islã e a mãe continuou cristã. Mesmo nesta situação, o Profeta (S) o aconselhou a ser extremamente cuidadoso com ela, ser muito carinhoso e caRevista Islâmica Evidências - 65


ritativo para com ela. Quando ela observou o comportamento gentil do filho, perguntou-lhe qual a causa, e ele a informou. Ela, então, respondeu: “A religião que educa seus seguidores a serem misericordiosos e piedosos deve ser seguida”. E, então, ela adotou o Islã, como ele.

so ou uma idosa, que têm as costas dobradas pelo peso do tempo, andando pelo caminho, apoiando-se numa bengala, ajuda-o a atingir seu destino. Se nós vemos uma pessoa idosa carregando um peso, devemos ajudála, por piedade. Se nós vemos o idoso em pé num transporte público, devemos nos levantar e dar-lhe o lugar para sentar, em piedade pela sua avançada idade e debilidade. Ao chegarmos a uma reunião, devemos darlhe um lugar para sentar, comodamente. Se nós o virmos preocupado, aflito, sentamos ao lado dele, conversamos com ele e o confortamos para dissipar o que o aflige. Se nós o vemos solitário, devemos visitá-lo, procurar suprir suas necessidades, ser benevolentes com ele, mesmo que seja com uma boa palavra, um sorriso de amizade e de reconhecimento.

É-nos exigido sempre, em todas as etapas de nossa vida, que sejamos gentis e carinhosos com nossos pais!

Acrescenta-se a isso que a misericórdia entre pais e filhos segue até depois da morte. Nós podemos praticar os rituais que eles deixaram de praticar. Podemos proporcionar-lhes recompensa por intermédio de uma peregrinação ou visita, da recitação do Alcorão, da doação de uma propriedade, de uma caridade. Ser piedoso para com eles mortos é o mesmo que ser piedoso com eles ainda vivos. Talvez a sua necessidade de nossa gentileza, depois da morte, seja maior. A Nobre Tradição diz: “Quando o servo morre, seus atos cessam, a não ser em três situações: uma delas é ter um filho virtuoso, que faça preces por ele.” 2. A misericórdia pelos idosos Os idosos - homens e mulheres - representam a pessoa que foi moldada pela experiência, sofreram as agruras da vida, ficaram com os espíritos marcados pelas aflições. Em função disso tudo, passaram a falar com sabedoria e moderação. Por isso, o relacionamento entre as gerações é da responsabilidade das gerações seguintes e anteriores, em conjunto. Da mesma forma que precisamos da capacidade de empreendimento dos jovens, precisamos da sabedoria dos idosos. O Islã se destaca em ser rígido quanto ao cuidado dos idosos, respeitando-os, aproveitando das bênçãos de suas dádivas mentais e espirituais. O jovem misericordioso, ao ver um ido66 - Revista Islâmica Evidências

A nossa misericórdia pelos idosos é um agradecimento pelo que Allah nos concedeu de discernimento e força. É uma poupança de misericórdia da qual nós necessitaremos no futuro. A nossa misericórdia atrai uma misericórdia maior de Allah, o Clemente, o Misericordioso. Por isso, a ordem: “Respeitem os seus idosos!” se transforma em obrigação e responsabilidade para todo muçulmano, homem ou mulher, para que os idosos se agraciem, eles que estão necessitando muito da gentileza, do cuidado, do sentimento e misericórdia dos mais jovens. Se nós olharmos, veremos que os idosos, no Ocidente, invejam os idosos no Oriente, em especial nos países muçulmanos, porque no Ocidente eles são enclausurados em asilos, enquanto nos países islâmicos são protegidos como velas iluminadas e bênçãos constantes para os filhos, netos e bisnetos.


Boa Guia

A Grandeza do Criador na Criatura

“Aí está a criação de Allah! Mostrai-me, então, o que criaram outros, em lugar d’Ele! Porém, os injustos estão em evidente erro.” Alcorão, 31:11).

Para saber mais sobre alguns segredos da grandeza do Criador, lemos este caso que aconteceu com o Imam Sadiq (a paz esteja com ele), que era o Imam do diálogo, como diz um de seus amigos, Muhammad ibn Ishaq: “Abdullah Al Deassani (um conhecido ateu) perguntou a

Hicham Ibn Al-Hakam - um discípulo do Imam Jaafar Sadiq (a.s.): “Você tem um Senhor?” Respondeu: “Sim.” Perguntou novamente: “Tem Ele Poder?” Respondeu: “Sim. É Poderoso e Irresistível.” Perguntou ainda: “Consegue Ele colocar o mundo inteiro num ovo sem que o ovo cresça nem o mundo diminua muito?” Hicham respondeu: “Aguarde-me, este é um problema sério.” Disse-lhe: “Dou-lhe um ano inteiro para pensar”. Em seguida, Hicham montou e foi ter

Revista Islâmica Evidências - 67


com Abu Abdullah (a.s.) (1). Pediu permissão e foi autorizado a entrar. Disse: “Ó, filho do Mensageiro de Deus, Abdullah Al Deassani me fez uma pergunta que só Deus (que me inspira) e você podem responder. Questionou-lhe Abu Abdullah (a.s.): “O que ele perguntou?” Respondeu: “Ele me perguntou tal e tal coisa.” Abu Abdullah (a.s.), disse: “Ó, Hicham, quantos sentidos você tem? Respondeu: “Cinco (ou seja, visão, audição, paladar olfato e tato).” Perguntou: “Qual é o menor deles?” Disse: “A íris (responsável pela visão). É menor do que todos os outros sentidos.” Perguntou: “Que tamanho tem a íris?” Respondeu: “O tamanho de uma lentilha ou menor.” Perguntou-lhe: “Ó, Hicham, olhe para a frente, para cima e me diz o que você vê?” Hicham respondeu: “Vejo o céu e a terra, casas e palácios, selvas, montanhas e rios”. Disse-lhe Abu Abdullah (a.s.): “Aquele Que tem poder para fazer penetrar na íris do tamanho de uma lentilha ou menor o que você vê pode colocar o mundo inteiro no ovo, sem o crescimento deste ou a redução do mundo.” Hicham se lançou na direção de Abu Abdullah, beijou-lhe as mãos, a cabeça e os pés e disse: “Você me é suficiente, ó, filho do Mensageiro de Deus”, e foi embora. Aquele homem (ou seja, Al-Deassani) partiu da idéia de que o grande não cabe no pequeno. Como exemplo aproximado, a íris faz penetrar nela todo o universo ao redor. Isto significa que nada impede que Deus crie algo pequeno e introduza nele algo grande. É evidente que não introduz no tamanho natural, mas como imagem, que capta o grande universo. É como se o Imam (a.s.) quisesse lhe dizer que, se o problema era fazer crer que Deus seria incapaz de introduzir o grande no pequeno, o exemplo dado aproximaria o interlocutor da ideia que ele tinha em mente. A introdução de toda a imensidão num ovo

não é possível, não por incapacidade de Deus, mas porque um ovo por si só não suporta o mundo. A questão pode ser simplificada na resposta dada pelo Imam (a.s.), porque Deus é capaz de tudo, mas o que foi dito não pode acontecer, ou seja, é impossível. O poder de Allah é realizado nas coisas possíveis, não nas coisas ilógicas. Se você encarregar um dos maiores engenheiros do mundo para lhe construir um arranha-céu numa área de um centímetro e ele não o fizer, você vai considerá-lo incapaz? Ele vai responder que é um grande engenheiro, mas a área de um centímetro não suporta construir um arranha-céu. A capacidade e a incapacidade são avaliadas em coisas possíveis. Quanto ao impossível, por si só, não pode ser considerado incapacidade, porque a incapacidade está no possível e não no poderoso. O Imam Sadiq (a.s.) quis lhe dizer: “Se o problema é o grande não entrar no pequeno de forma natural, eis o exemplo do olho e do universo, que entra naquele de forma impressiva”. A sua não realização por Deus Todo-Poderoso acontece por ser impossível, por si só, não por incapacidade do Criador, Deus nos livre. Tudo no universo tem aptidão de absorção e capacidade específicas, que não transcende, porque Deus os criou com esta capacidade específica. Tudo acontece de acordo com a Sua vontade e tudo responde à Sua vontade e poder. Assim Ele quis que as coisas fossem. Hicham compreendeu o problema de AlDeassani quanto à introdução do pequeno no grande e foi para casa. Na manhã seguinte, AlDeassani foi ter com ele e lhe disse: “O, Hicham, eu vim em paz e não com exigência, porque a questão é muito difícil e não pode ser resolvida tão rapidamente”. Disse-lhe, Hicham: “Se você veio com exigência, eis a resposta (e convenceu o homem de que o problema foi resolvido). Al-

(1)A alcunha – do árabe al-kuniah – do Imam Sádiq (a.s.). É costume entre os árabes chamarem ao pai não por seu nome, mas como “pai de fulano”. No caso do Imam Sádiq (a.s.), “Abu Abdullah” ou “Pai de Abdullah” (NE)

68 - Revista Islâmica Evidências


Deassani foi até a porta de Abu Abdullah (a.s.) com a ideia mudada. Pediu permissão e foi autorizado a entrar. Quando sentou, pediu: “Ó, Jaafar Ibn Mohammad, mostra-me o meu Senhor? Você diz que tenho um Senhor Que deve ser adorado. Eu não O conheço. Indica-O a mim”. Abu Abdullah perguntou-lhe: “Qual é o seu nome?” O homem foi embora sem dizer o nome. Seus companheiros lhe perguntaram: “Por que não quis lhe dizer o nome?” Ele respondeu: “Se eu lhe dissesse Abdullah, teria me dito: ‘De quem você é servo?’” (2)

rado. Continuam nas suas naturezas. Nada saiu do ovo para indicar a sua validade, nem penetrou algo corrupto nele para corrompê-lo. Não se sabe para que foi criado, se é para proporcionar um macho ou uma fêmea. Rompe-se, então, com as cores do pavão. Você acha que ele teve um planejador? Ou seja, o ovo se fez a si mesmo com essa precisão, com essa forma e essas maravilhosas cores? O homem disse: “Eu presto testemunho de que não há outra divindade além de Allah, Único, sem parceiros e que Mohammad é Seu servo e Mensageiro, que você é o Imam e o argumento da criação de Deus e me arrependo do que eu pensava”.

Nada impede que Deus, com Seu infinito poder, crie algo pequeno e introduza nele algo grande

O Imam (a.s.) quis abalar os nervos de Deassani e influenciá-lo psicologicamente, porque não foi ele que deu o nome a si mesmo, mas foi o pai e este não assumiu a responsabilidade por isso. O Imam quis derrotá-lo psicologicamente. Deassani voltou e lhe disse: “Mostra-me o meu Senhor, mas não pergunte o meu nome.” Disse-lhe Abu Abdullah: “Sente-se.” O Imam Sadiq (a paz esteja com ele) tinha um filho que estava com um ovo na mão, com o qual brincava. Disse-lhe Abu Abdullah: “Filho, dá-me o ovo.” Ele lho deu. Abu Abdullah (a.s.) disse: “Ó, Deassani, esta é uma fortaleza selada (a fortaleza é a coisa que guarda o que está dentro. Sob este aspecto, o ovo é uma fortaleza que guarda o que tem dentro totalmente selado).Tem uma casca grossa e sob a casca, uma pele fina e sob a pele fina, um líquido protegido (a gema) e um líquido derretido (a clara do ovo). Nem o líquido dourado e protegido se mistura com o prateado derretido (embora estejam conectados), nem o líquido prateado derretido se mistura com o dou-

O Imam (a paz esteja com ele) quis lhe dizer que a procura por Deus não necessita de filosofia, mas de estudo sobre qualquer um dos fenômenos da criação de Deus. Quando desvendamos seus segredos e a sua precisão, podemos concluir que os fenômenos naturais não se criam sozinhos, porque a existência não vem do nada se não houver alguém que a extraia do nada. Não há ninguém que afirme que criou e organizou a natureza. Deve haver um Preparador Prudente, com poder absoluto para criar coisas com Sua sabedoria e capacidade, conduzindo-as na direção que predispôs a elas. Com isso, o Alcorão confirma o método de persuasão da existência do Criador. Se você quiser conhecer Deus, façao através da Sua criação, não através da filosofia ou de qualquer outro meio. Além disso, estas fotos mostram a grandeza do Criador nos estágios da formação do pintinho no ovo:

(2)Abdullah, em árabe, significa “Servo de Deus” (NE).

Revista Islâmica Evidências - 69


Personalidades islâmicas Ibn Sina (Avicena): Médico, filósofo e o sábio enciclopédico (370-428 AH / 980-1036 m)

70 - Revista Islâmica Evidências


Contribuição do Islã Estes artigos visam esclarecer os mais ilustres personagens, conhecer seus currículos, os papéis de suas vidas e suas conquistas a serviço da humanidade, os campos em que se destacaram, descobriram e se sacrificaram para a obtenção de cada conquista, a fim de se beneficiar das suas experiências e das suas riquezas morais.

S

eu nome completo é Abu Ali Al Hussein Bin Abdullah Bin Al-Hussein Ibn Ali Ibn Sina, conhecido como o “Xeique Supremo”. Nasceu no mês de Safar (370 A.H. - 980 E.C.), de família de origem persa, na aldeia de Afshana, próximo de Bukhára, durante a era do Estado Samani.

Ibn Sina era conhecido por muitos títulos, entre os quais “O Argumento da Verdade”, “A Dignidade do Rei”, “O Xeique Supremo”, “O Terceiro Mestre” e “O Ministro”. Início da vida: Seu pai e irmão responderam aos apelos dos Ismaelitas (1), mas Ibn Sina não aceitou esta doutrina e a rejeitou, dizendo: “Eu podia ouvir e saber o que eles estavam dizendo, mas não aceitava aquilo.” Memorizou o Alcorão e se interessou em conhecer a gramática quando ainda tinha dez anos de idade. Ibn Sina se interessou pelo estudo da Medicina. Ele se isolou para ler livros

sobre o assunto e se destacou nesta ciência em um curto período. Confirmou isso, dizendo: “A ciência médica não é das ciências difíceis, sem dúvida que me destaquei nela em pouco tempo.” A sua idade na época era de dezesseis anos. Ele foi discípulo de Ibn Sahl Massimi, de Abul Mansur e Al-Hassan ibn Nuh Al-Qamari. O início de seus estudos filosóficos e de lógica foi com o mestre Abdulllah An Náili, que foi chamado de “filósofo amador”. Parece que não tinha conhecimento profundo. Ibn Sina se afastou dele pouco depois e começou a ler por si mesmo, mas encontrou dificuldade em seu estudo. Ele levou muito tempo para compreender ambas as disciplinas. Disse: “Então, dediquei-me à ciência e à leitura, reli todas as partes da lógica e da filosofia e neste período não dormi uma noite inteira nem me ocupei com outra coisa durante o dia.”

O gênio precoce de Ibn Sina em Medicina proporcionou-lhe tratar os pacientes por amor a Deus

Teve dificuldades de entender o livro “A Metafísica”, depois de lê-lo mesmo quarenta vezes. Esta sua dificuldade, porém, cessou ao ler o livro de Al-Farábi “No Âmbito de Metafísica”.

(1) Ismaelitas são os adeptos de uma doutrina religiosa considerada como um ramo do Xiismo. Os adeptos do Ismaelismo são também denominados como Septimâmicos, em função de apenas reconhecerem os sete primeiros imãs do Islã Xiita. Seguem Ismael, filho do Imam Jaafar Assádiq (a.s.). A escola majoritária dentro do Xiismo é a do Duodécimo. Seus integrantes seguem, a partir do falecimento do Imam Jaafar Assádiq (a.s.), o Imamato do seu filho Mussa (a.s.), até o 12º Imam, o Mehdi Esperado. (NE). Revista Islâmica Evidências - 71


Ibn Sina viveu no meio de circunstâncias difíceis, repletas de agitação e instabilidades políticas. Testemunhou o declínio do Estado Abássida, durante o califado dos “Attái’, Al Qáder e Al Qa’im, entre outros. Isso fez o país ser devastado pela ganância, perdendo muitas áreas, onde foram estabelecidos estados rivais, brigando entre si. Esta situação de enfraquecimento atingiu o centro da sucessão, com o controle de Bagdá, O califa tornou-se fantoche nas mãos dos poderosos, com a vulnerabilidade alcançando o seu ápice. Este processo culminou com a queda do Estado Albueihiya e o estabelecimento do Estado Seljuk. Ibn Sina estava confuso sobre a questão e não encontrou uma solução para ela. Dizia: “Fui à mesquita e orei e evoquei o Criador de Tudo. Ele abriu-me as portas e facilitou a situação de insolvência.”

Isso o aproximou dele, abrindo-lhe as portas de sua biblioteca, cheia de livros preciosos, manuscritos. Ele se dedicou a lê-los um após o outro.

Foi atribuído a ele o dito: “Costumava voltar à noite para minha casa, segurava a lamparina nas mãos e me ocupava na leitura e na escrita. Quando Disse Ibn Sina: o sono me vencia ou sentia fraqueza, be‘A ciência médica bia um copo de suco enquanto aguardava não é das ciências o retorno das minhas difíceis, sem dúvida forças, e então voltava à leitura.”

Em seguida, recebeu os cuidados adequados de Nuh ibn Mansur Samani, que sucedeu o pai no poder. Isso proporcionou a Ibn Sina um estado de estabilidade psicoque me destaquei lógica, que se refletiu positivamente nela em pouco tempo O gênio precoce em suas realizações. de Ibn Sina em MeEle alcançou um ludicina proporcionougar de destaque na lhe tratar os pacientes por amor a Deus e ciência, particularmente em medicina e psiem benefício da ciência, não para ganhar cologia. Acrescentou muito a esta ciência. dinheiro. As portas se abriram para ele por Escreveu em Física, Engenharia, Matemáticausa do tratamento que deu a Mansour bin ca, Química e outras disciplinas, tais como Nuh As Samáni, curando-o de uma doença “Kitab al Mukhtassar al Aussat fil Mantiq” que os médicos foram incapazes de tratar. (“O Manual do Livro Médio na Lógica”). 72 - Revista Islâmica Evidências


“Al Mabdá wal Ma’ád” (“O Princípio e a meiro a falar da infecção e da transmissão Promessa”), “Al Irssad al Falaquia” (“Obde doenças infecciosas pela água e solo, servações Astronômicas”) e “Al Qánun” principalmente a tuberculose. Foi o pri(“O Cânone”). No meiro a descrever a entanto, ocorreram meningite e mostrou alguns distúrbios que a diferença entre a o obrigaram a se esinflamação da memIbn Sina foi o primeiro conder na casa de brana que separa os cientista a falar da infecção um amigo, chamado pulmões e a inflamaIbn Ghálib al ‘Attar. ção da pleura. Dese da transmissão de doenças Ele classificou todas cobriu a lombriga e as ciências naturais a ancilostomose, aninfecciosas pela água e solo e metafísicas, toda a tecipando-se ao méFísica e Teologia, exdico italiano Robinti ceto o livro “Animal em oitocentos anos! e Vegetal”. Começou Foi o primeiro a descom “A Lógica” e escreveu parte dele. Encobrir a diferença entre a icterícia resultantão, foi preso e permaneceu encarcerado no te da dissolução de células sanguíneas e as fortaleza “Nardoan” durante quatro meses, onde escreveu “Kitab al Hidáia” (“O Livro da Orientação”). Sua personalidade era séria. Ele aceitava desafios e se aprofundava. Sob o impacto da conversa com o linguista, Abu Mansur Al Jabani, apontando-lhe as falhas na linguagem, Ibn Sina isolou-se no estudo da linguagem durante três anos, elevando o seu grau de conhecimento sobre o tema. Escreveu três poemas, incluindo neles termos estranhos do idioma. O “Xeique Supremo” trabalhou oito anos em Astronomia. Tentou nesses estudos descobrir o que Ptolomeu defendia. Escreveu “Kitab Al Inssaf fil Irssad” (“O Livro Justo em Astronomia”) em tempo recorde. Suas realizações em Medicina Ibn Sina se baseou em Medicina ao descrever o paciente de forma anatômica e fisiológica, beneficiando-se desta descrição no diagnóstico. Ibn Sina baseou-se no seu exercício da experiência médica e beneficiou-se das experiências dos seus antecessores. Foi o priRevista Islâmica Evidências - 73


lesões de icterícia resultantes de obstrução ventou uma máquina utilizada para medir biliar. Fez a primeira descrição do antraz e distâncias com precisão. o chamou de fogo sagrado. Foi primeiro a Foi o primeiro e o mais qualificado médiscorrer precisamente sobre o enfarte, ou a dico de seu tempo. Quando foram traduzichamada morte súbita. Entre as realizações dos seus livros, tornou-se um médico a nível e a criatividade de Ibn Sina há a descoberta mundial por mais de quatrocentos anos. O científica de algumas mais famoso de seus drogas que estimulam livros na Medicina, a atividade do cora“Al Qanun”, tornouA doutrina educacional ção. Detectou drogas se uma das referênque seriam dadas aos cias básicas para as de Ibn Sina se preocupa pacientes antes da universidades eucirurgia, para aliviar ropéias. Foi adotaas suas dores – atucom os ensinamentos do Islã, do nas universidaalmente chamados des “Montpellier” e “anestésicos”. especialmente o “Louvain” até o final Ibn Sina descodo século XVII. Este Alcorão e a Suna briu a injeção sublivro, junto com o licutânea, usada para vro “Al Mansouri”, introduzir medicade Razi, foram uma mentos no corpo dos referência fundapacientes. Também descreveu as infecções mental, adotados nas Universidades de Viee afecções da pele em detalhes em seu enorna e Frankfurt, durante o século XVI. me livro médico “Al Qanun fi Tibb” (“O O livro “O Cânone” reuniu distinções Cânone de Medicina”). Neste livro, Ibn Sina de investigação e pesquisa, de informação descreve as doenças sexualmente transmise coordenação. Continha os princípios básíveis e melhora o seu estudo, descreve a sicos da Medicina e suas ramificações, para febre puerperal entre as mulheres e conclui explicar os sintomas e tratamento de vários que resulta da decomposição do útero. males, bem como o fornecimento de uma Ibn Sina foi um dos primeiros estudiosos muçulmanos interessados no tratamento psicológico e acompanhamento do impacto do tratamento sobre a dor do sistema nervoso e a dor da doença do amor em particular. Ele utilizou seus descobrimentos em tratamento e aplicou em muitos pacientes. Em Física, Ibn Sina descobriu que a visão ou a luz precede o som, como o relâmpago precede o som do trovão. Vemos primeiro o relâmpago, em seguida, ouvimos o trovão. Ibn Sina falou também que existe uma relação entre a audição e a ondulação do ar. Sem isso não haveria transmissão do som, ou a possibilidade de ouvi-lo. Ibn Sina in74 - Revista Islâmica Evidências

lista de drogas e instrumentos cirúrgicos. Quando a Medicina vinculou-se à Química e às drogas e seus componentes, Ibn Sina desempenhou papel preponderante neste ramo da ciência. Ele se interessou pela Mineralogia da mesma forma que Jáber Ibn Haiyan, e seguiu o seu curso na composição dos minerais. Fabricou drogas e medicamentos. Salientou, a este respeito, um grande número de processos químicos como destilação, filtração, vaporização, extração e selagem. Tinha seus aparelhos e laboratórios químicos, como Rázi e outros célebres cientistas muçulmanos.


As opiniões educacionais de Ibn Sina As observações educacionais de Ibn Sina foram incluídas em vários de seus livros, árabes e persas. A maior parte de suas opiniões sobre o assunto são encontradas na sua obra “O Livro da Política”. O que mais caracteriza a doutrina educacional de Ibn Sina é que a educação não está limitada a uma fase, com o ingresso da criança na escola, mas incluiu a educação do indivíduo a partir do seu nascimento até o casamento e sua participação na vida social. Ela não se baseia em um aspecto ou aspectos da pessoa humana e negligencia outros aspectos, mas centra-se na unidade da personalidade humana e na integração da saúde mental, física e emocional. A doutrina educacional de Ibn Sina se preocupa com os ensinamentos do Islã, especialmente o Alcorão e a Suna, bem como com a filosofia grega e a filosofia helenística. Ibn Sina se empenhou em reforçar o raciocínio do ponto de vista psicológico. Conseguiu grande sucesso neste domínio. Acreditase que a razão disso depende, em grande escala, da sua dedicação à profissão médica. Ele não esqueceu do cuidado pela criança desde o momento do seu nascimento. Partiu de adoção de um bom nome para o bebê, devido às suas implicações na personalidade da criança. Ele destacou o papel da mãe quanto à amamentação. Quanto ao período préescolar, Ibn Sina a considerou uma etapa mental fundamental, onde planejamos a personalidade futura da criança, como uma fase propícia Revista Islâmica Evidências - 75


para adquirir todos os hábitos - bons e maus - na mesma proporção. Além disso, incentiva a educação física como necessária em todas as fases da vida e não por certo período. Por isso, a considera compatível e propícia a cada etapa. Defendia que a idade de seis anos é a idade adequada para que as crianças ingressassem na escola. Quanto ao método de ensino a ser seguido, Ibn Sina diz: “Se as articulações se tornam mais fortes na criança, e a sua língua mais firme, ela está preparada para ser ensinada, consciente para ouvir, começar a aprender o Alcorão e as formas das letras do alfabeto, ser instruída nos preceitos religiosos.” Quanto aos métodos e sistemas de ensino, Ibn Sina levou em consideração as diferenças individuais entre os alunos e incentivou o ensino coletivo. Estimulou, também, orientar os estudantes de acordo com seus interesses e talentos. Ibn Sina centrou-se nos princípios da recompensa e punição moral e não física e viu que deveria se levar em conta a natureza do aluno e o que ele fez. Deve-se, primeiro, afastá-lo, em seguida, admoestá-lo, então repreendê-lo. A pena para ele tinha de ser como orientação e correção de comportamento, com base no desejo de modificá-lo delicadamente. Zelava para que o motivo da punição não fosse vingança e ódio, mas boa educação e dedicação ao trabalho. Quanto às qualidades do professor, Ibn Sina diz: “O educador da criança deve ser perspicaz no exercício moral, preocupado em qualificar os jovens.” É dever do professor saber ensinar as mesmas coisas aos alunos, sejam crianças ou adolescentes. Ele deve ser respeitoso e sério, tendo também uma influência direta sobre os 76 - Revista Islâmica Evidências

alunos, que devrão acompanhá-lo a captar esta primeira impressão. Assim, Ibn Sina inventou um método educacional derivado dos fundamentos da religião, da realidade do seu tempo e sociedade, para atender às exigências da sua contemporaneidade e contribuir para a promoção e salvação do que é a dissolução e perda de valores. É educação social em todos os sentidos da palavra, em seus múltiplos aspectos: individual, social, ético, religioso e profissional. Isso faz do Xeique Supremo o mestre das doutrinas educacionais e pedagógicas. As doutrinas do filósofo quanto às ideias e teorias científicas torna-o merecedor de estender uma fonte inesgotável de conhecimento humano e seus ramos sobre a educação, política e reforma social, depois de ter enriquecido sobremaneira a Filosofia e Medicina.


Ibn Sina e suas realizações: Ibn Sina era um dos mais impressionantes gênios e o mais eloqüente escritor de seu tempo, apesar de seus cargos e das viagens a pontos remotas do seu país, às vezes em meio à guerra e às revoltas civis. Mesmo assim, conseguiu produzir tantos livros interessantes que apenas um deles seria suficiente para lhe conceder a glória, colocando-o entre os maiores Sábios do Oriente e do Ocidente. Ele produziu uma centena de livros, que evidenciam a sua proficuidade, mas também testemunham a sua superioridade e conhecimento nas várias ciências de seu tempo, bem como a sua dedicação ao trabalho nas condições mais críticas. A maioria de seus escritos é preservada até hoje. Muitos dos livros mais importantes, tais como o “Al-Qanun” e “Ashifá” (“A Cura”), foram traduzido para o latim e impressos várias vezes. O livro “A Cura”, uma das enciclopédias da ciência e do conhecimento, em dezoito volumes, está preservada em cópia completa na Universidade de Oxford. O livro “Annajat, Mujaz Ashifá” (“A Salvação, o Resumo da Cura” o mestre escreveu para satisfazer alguns amigos. Foi impresso no original árabe, após “O Cânone”, em Roma, em 1593. É composto de três partes: Lógica, Física e Metafísica. Não inclui a seção de esportes, mencionada por Ibn Sina na introdução do livro. Ambos os livros foram reimpressos completos por diversas vezes em latim, incluindo um pacote impresso em Veneza em 1495 incluindo: Lógica, Ciências Naturais, o céu e o mundo, o espírito, a vida animal, a influência da Filosofia de Al-Farabi, a Filosofia Primeira.

Árabe”. Quanto à Filosofia de Ibn Sina, é como a de outros seguidores de Aristóteles, sem se destacar no conteúdo, como se destacaram os outros filósofos árabes. Ibn Tufail, em seu livro “Hay Ibn Yakzhan” citou que Ibn Sina disse na introdução do livro “Ashifá” que, na sua opinião, a verdade não se enquadra nesta categoria. Quem quiser obtê-la, deve procurá-la no livro “A Sabedoria Oriental”. No entanto, este livro não chegou até nós. O Xeique Supremo nunca sentiu languidez um dia na sua vida, mas os dias tinham de passar. A doença tomou conta de seu corpo e ele ficou seriamente indisposto. Foi dito que ele ficava doente numa semana e curado na outra. Ele ingeriu muitos medicamentos, mas a sua doença piorou. Conscientizou-se, então, que o tratamento era inútil. Por isso parou de tomá-los. Banhou-se e pediu perdão a Deus. Distribuiu o que tinha de dinheiro em caridade aos pobres e libertou seus escravos, buscando o perdão de Allah.

O Livro “Nafih”, de Lógica, foi publicado, em francês, em Paris, em 1658. O intelectual Smolders publicou uma composição de Ibn Sina sobre “Grupo da Filosofia Revista Islâmica Evidências - 77


Palavras Cruzadas

Chadia Kobeissi

HORIZONTAL

VERTICAL

2. Única Surata do Alcorão Sagrado que não possui em seu início a frase: “Em nome de Deus, O Clemente, O Misericordioso”. É a Surata do.... 4. Oração muito importante feita antes do nascer do sol. 6. Muitas vezes o ser humano comete erros e volta arrependido ao seu Senhor. Deus possui muitos atributos, um deles é ser _________. 10. Faz bem para o corpo e para a alma. 11. A Ablução pode ser feita com água ou com_______. 15. Convocação depois do Azán e antes da oração. 17. “ A _______ é o pilar da religião” - Imam Ali (a.s). 18. Imam que nasceu na Caaba, lavou o corpo do Profeta Muhammad (s.a.a.s) após a sua morte e foi o primeiro a crer no Islã. 19. Literalmente significa “Apoiadores”. É o nome dado aos primeiros muçulmanos de Medina, os quais apoiaram seus irmãos em fé oriundos de Meca. 20. Um dos nomes do quarto Imam (a.s.). 21. No Islã, as _________ têm papel muito importante na vida do crente. Com elas o muçulmano fica mais perto de seu Senhor. 23. O Tafsir é a _____________ do Alcorão Sagrado. 24. Quando ocorre terremoto, eclipse ou qualquer anormalidade na natureza o muçulmano deve fazer a Oração do ___________.

1.Refere-se à primeira batalha contra os incrédulos na região de mesmo nome. 3.No calendário islâmico estamos no mês do ___________. 5.O primeiro dos cinco pilares do Islã. 7.Limpeza, higiene e ____________ devem ser essenciais na vida de um muçulmano. 8.Uma das obrigações de todo muçulmano, pelo menos uma vez na vida, se tiver saúde e condições físicas e financeiras. 9.Qualquer versículo ou surata que está mencionado no Alcorão Sagrado é um versículo... 12.Mês de profunda adoração, física e espiritual. 13.Com sua ajuda o Islã pode crescer muito e se tornar conhecido muito rapidamente. Não é um homem. 14.Religião que mais cresce no mundo. 15.Oficialmente é o título do sucessor do Profeta Mohammad (s.a.a.a.s.) e líder da nação, igualmente um título dado aos principais líderes Islâmicos, ou também ao xeique ou à pessoa que lidera a reza. 16.Profeta Muhammad (s.a.a.a.s) disse: “Aquele que dorme sabendo que seu vizinho sente fome não é um muçulmano. O Islã sempre incentiva a fazermos ______________. 22.No Islã existem varios banhos de purificação, um deles é o banho dado no _________.

78 - Revista Islâmica Evidências


Palavras Cruzadas

Chadia Kobeissi - Respostas edição 11

HORIZONTAL 4. IQAMAH—Convocação depois do Azan e antes da oração. 7. ORAÇÕES—Disse o Imam Assadeq (A.S.): “Por certo que a nossa intercessão não alcançará aquele que negligência as suas _______” Bihar al-Anwar, vol. 82, p. 236 8. JAFAR—________Attaiiar e o irmão do Imam Ali ibn abi Taleb (A.S.), o tio do Imam Al-Hassan e do Imam Al-Hussein (A.S.). 10. DOENTES—Um ato bom em todos os dias, e principalmente no dia do eid e de visitar os________. 11. FRANÇA—Jogador de futebol, famoso, convertido ao islamismo, Franck Ribery, agora Franck Bilal Ribery, de qual país é esse jogador? 15. SUPLICAR—____________ a Deus, afasta o mal, e as adversidades. 17. SALOMÃO—Profeta que entendia a linguagem dos animais. 20. ZAINAB—”... terá que responder ao Mensageiro de Deus com coerência de tudo que praticaste ao derramar o sangue de sua descendência e profanaste as mulheres de sua Casa e de sua prole, que é sangue de seu sangue e carne de sua carne e, na certeza, Deus os reunira e lhes fara justiça… Isso foi parte do discurso feito por________(a.s) 21. BARNABE—O Evangelho de ___________, tem conformidade com o ponto de vista islâmico sobre Jesus, falando de Jesus(a.s) como um Profeta, e nao como uma divindade.

VERTICAL 1.SUKAINA—Bisneta do Profeta Muhammad(s.a.a.s). Ao ver a cabeca de seu pai Imam Hussein(a.s), veio logo a falecer. Mesmo sendo uma criança, tem grandes qualidades, das quais apenas os ahlul bait tem. 2.POBRES—Complete o dito de nosso querido Profeta Muhammad(s.a.a.s): “Perguntai aos sabios, dialogai com os eruditos e associai-vos com os _________”. 3.HIJAZ—A atual Arabia Saudita. 5.FATIMA—Filha do Imam Al-Hussein (A.S.),________ Assoghra. 6.PARENTESCO—No islam os laços de ____________ são muito importante perante DEUS. 9.HUSSEIN—Imam(a.s) da familia de Profeta,no qual foi assassinado pelo filho de Muwaia, Yazid. 10.DD—Abreviação das primeiras letras de “Dama Dhelloh” (Que Deus prolongue a sua vida), um pedido de prolongação de idade de um grande líder religioso. 11.FERRO—”Sabei que a vida terrena nada é senão um divertimento e um jogo, e adornos e futil vangloria, e rivalidade entre vós à procura de mais riquezas e filhos; é como a chuva, que compras aos cultivadores, por vivificar a plantação; logo, completa-se o seu crescimento e a verás amarelada e transformada em feno. Na outra vida haverá castigos severos, indulgência e complacência de Deus. Que é vida terrena, senão um prazer ilusório?” Esse versiculo faz parte da Sura O ________. 12.CORAICHITA—Quem é da tribo de Coraich, e... 13.JEJUM—Um dos pilares do Islam 14.CHAABAN—O oitavo mês do ano islâmico 16.ABERTURA—No mes do Ramadan, e muito recomendado a suplica da _________. 18.ABAS—Irmão do Imam Hussein(a.s), filho do Imam Ali e de Fatima Bint Huzan Al-Kilabia. Ela tinha o apelido de Umm Al-Banin. Homem que foi também grande martir e o braço direito de seu irmão Imam Hussein(a.s) em todos os momentos. 19.AZAN—Convocação inicial para a oração é o

Revista Islâmica Evidências - 79


Revista Islâmica

Você conhece a História e a Cultura Islâmica? Sabe quem são os muçulmanos e no que acreditam? A partir de agora, você poderá ter acesso a estes temas, tão importantes para compreender o mundo em que vivemos. Afinal, a Religião Islâmica é considerada a que mais cresce no mundo, contando com 1,5 bilhão de seguidores em todo o planeta. A Revista Islâmica Evidências traz a você o conhecimento sobre o Alcorão Sagrado, a vida do Profeta Muhammad (S), práticas e costumes dos muçulmanos.

2 3

Estes assuntos, agora, estão à sua disposição, sem que você tenha de sair de casa. Basta assinar.

cartão de aSSINATURA Desejo adquir a assinatura da Revista Islâmica Evidências, 90 por um período de 1 ANO ou 4 edições por apenas R$ 49, Nome: Email: CPF/CNPJ:

RG / INSC. ESTD.:

Endereço:

Cidade:

UF:

CEP:

Telefone

Cel:

Fax:

A Vista Através de Cheque Nominal a favor de:

Formas de pagamento: Associação Benef. Islâmica do Brasil CNPJ 43.759.802/0001-92 Rua Eliza Witacker, 17 - Brás São Paulo - SP - CEP 03009-030

Telefones: (11)

3315-0569 e 3329-9200

Depósito Bancário Banco do Brasil Agência 3576-9 Conta 4.444-x Assoc. Benef. Islâmica do Brasil cnpj: 43.579.802/0001-92 (necessário enviar cópia do comprovante)

Para confirmar a assinatura da Revista Islâmica Evidencias, preencha este cupom e envie via fax para (0xx11) 3326-8096,

80 - Revista Islâmica Evidênciasou através do correio para o endereço da Associação Benef. Islâmica do Brasil..


Revista Evidências N12  

Exegese: A condição humana na criação Sentimentos: Femininos A importância da mulher Mensageiros: O Profeta José(a.s.) Mídia: O que é ilícit...