Page 1

Ano III - #28 - Distribuição gratuita

Deusa do pop Após retiro estratégico das telas e focando sua artilharia nos palcos de Las Vegas, Cher retorna em boa forma no filme “Burlesque”.

Turismo | Cultura | Moda | Beleza | Comportamento | Arquitetura | Tecnologia | Gastronomia | Vinhos


MAIS DO QUE UM RESORT, UM PARAÍSO ESCULPIDO PELA NATUREZA.

Informações e Reservas: Hotel T: + 55 71 3676 4000 | Toll Free: 08000 71 88 88 Escritório Comercial T: + 55 11 3813 73 66 | Toll Free: 0800 11 82 89 E: reservas.htpf@tivolihotels.com www.tivolihotels.com | www.ecoresort.com.br Consulte o seu agente de viagens 2


3


4


5


Editorial Nesse momento você deve ter em suas mãos a 28° edição da revista Estação Aeroporto. Inesperadamente, a edição ficou linda! Digo isso porque tudo é feito com muito carinho e, assim que ela sai da diagramação para a gráfica, ficamos ansiosos esperando para ver como ela vai ficar quando impressa. Os roteiros turísticos fazem com que a Estação Aeroporto tenha um colorido atraente. Temos mesmo a intenção de que você fique antenado e aproveite nossas dicas para agendar sua próxima viagem. Nessa edição desembarcamos na Costa dos Coqueiros (BA), com praias belíssimas e muito bem preservadas. A seguir visitamos Belém do Pará, uma cidade cultural, que conta um pouco da nossa história nas suas construções de arquitetura incrível. Também desembarcamos na charmosa e aconchegante Campos de Jordão, na serra paulista. Em Horizonte estampamos Rondônia, um estado com florestas, rios, cachoeiras e tantas coisas a serem contempladas. Em Turismo internacional, trazemos os Emirados Árabes Unidos, um dos países mais ricos do planeta. Para quem procura experiência em uma viagem de luxo é o roteiro ideal. Um de nossos leitores, Francisco Carlos, escolhe Bangkok para nossa seção Lugares onde andei. “Uma cidade de contrastes e que mantém antigas tradições”. Em nossa capa, a Deusa do Pop, Cher!!! A mega estrela retorna de seu retiro e encena Tess em “Burlesque”, filme que trata do poder feminino. Tess, mulher forte e protetora, é a glamourosa proprietária de um clube de artistas. Em entrevista exclusiva,

Cher fala aos leitores da revista Estação Aeroporto. Em meio ambiente, Projeto Tamar celebra 30 anos assegurando a proteção dos filhotes de tartarugas. Ana Marta também antecipa as tendências nas mais diversas áreas, a partir das indicações dos coolhunters, os caçadores de tendências. E em Aposte ela se inspira nos cabelos curtos para a estação quente do ano. Eles estão com tudo! Confira os Looks selecionados. Fevereiro, entramos em contagem regressiva para o carnaval. Finalizam os preparativos, a grande festa vai começar! Vem ai o melhor espetáculo do mundo! Rodrigo Brasil e Cristiano Anunciação entram no samba em Mais Estação, folheie lá... Ainda no carnaval, a ilha de Santa Catarina viaja para a Marques de Sapucaí, com o enredo Y-Jurerê Mirim: A encantadora Ilha das Bruxas (um conto de Cascaes) para a escola de samba Grande Rio. Enfim, mais uma edição da revista Estação Aeroporto, com várias outras dicas em cultura, teatro, música, cinema, home vídeo, artes visuais, literatura, moda, vinhos e a saborosa crônica do jornalista Raul Caldas. Tudo de forma leve, descontraída e prazerosa. Aproveite você leitor e curta a vida da mesma forma “Prazerosa”! Um beijo grande no coração! Narrimann Chede

Expediente Diretora Narriman Chede narrichede@estacaoaeroporto.com Jornalista Responsável Rodrigo Brasil rodrigobrasil@hotmail.com Editor Executivo Dani Ferrera daniferrera@estacaoaeroporto.com Direção de Arte Karin Orofino karinorofino@yahoo.com.br Jornalista de Moda e Beleza Ana Marta Flores ana.marta.moreira.flores@gmail.com Diretora de Marketing Ana Carolina Rotolo anacarolina@estacaoaeroporto.com Coordenador de Marketing Mauricio Mendonça Marketing e Relações Institucionais (31)9798-0964 mauricio.mendonca@estacaoaeroporto.com mauricio@mmmarketing.com.br Colunistas Raul Caldas contato@raulcaldasfilho.com.br

6

Edson Ubaldo ubaldo@laraecorrea.com.br Juliana Pamplona estacaodepartida@gmail.com Diretora Comercial Sonia Meireles (11) 92501273 | (48) 96161276 Rua Marins de Araujo Viana,85 São Paulo SP CEP 02420-040 soniameireles8@yahoo.com.br Grande Vale Mirla Fabiane (47) 33679996 | (47) 84516774 mirla.icone@terra.com.br Rio de Janeiro DD9 . Chroma Design (21) 2619.2099 grupodd9@gmail.com Brasília Alberto Moreira Rosa Neto (61) 33234701 betico@centralcomunicacao.com.br Goiânia Gisella Silva Oliveira (62) 99796413 Gisellla.oliveira@estacaoaeroporto.com Curitiba Mirian Lins (41) 32323466 Paraná@centralcomunicacao.com.br

Comercial Internacional Piquet Business Consulting 80 SW 8th Street 20th floor | 33130 Miami, Fld ( 305 ) 781-8823 | (786)314-0886 luiz@piquetbusiness.com taina@piquetbusiness.com Redação Rua Araújo Figueiredo,119 | sala 1002 Centro Executivo Velloso Florianópolis SC (48) 32221840 | (48) 33658191 A Revista Estação Aeroporto pertence à E Editora Ltda. Apenas as pessoas que constam no expediente tem autorização para representá-la. Os conceitos emitidos em artigos assinados são de responsabilidade de seus autores.

Redes sociais www.facebook.com/estacao.aeroporto www.twitter.com/estacao


Sumário

24 Cher

10

Mimos

30

Mais Estação

08 Horizontes 12 Lugares por onde andei 14 Beleza 16 Aposte 18 Decoração 20 Turismo Internacional 22 Habitat 28 Meio Ambiente 34 Estação do mês 36 Tendência 40 Tecnologia 42 Cultura

72

Moda

52 Desembarque 60 Estação de Partida 62 Homenagem 64 Gastronomia 65 Vinhos 66 Velocidade 68 Desfile 81 Coleção 82 Perfil 84 Estação Final 89 Crônica 90 Página Poética


Horizontes

Perto do coração selvagem

Fotos: Embratur/ Divulgação

Rondônia

Vista aérea de Porto Velho.

F

lorestas vastas, rios imponentes e uma saborosa culinária à base de pescado são alguns dos atrativos do Estado de Rondônia. Passeios de barco emocionantes podem ser realizados no rio Madeira, o maior afluente à margem direita do Amazonas, que passa às margens da Capital, Porto Velho. Também pode-se conhecer comunidades ribeirinhas e tribos indígenas - o Estado abriga 17 reservas, onde vivem 23 povos indígenas. Ponte entre a Amazônia e o Centro-Oeste brasileiro, Rondônia despertou para seu potencial turístico e econômico a partir da década de 1980, quando deixou de ser território e transformou-se em Estado. Porto Velho nasceu ao lado da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, um superprojeto idealizado por engenheiros norte-americanos e ingleses. A ferrovia começou a ser construída em 1907 e foi concluída em 1912. Deficitária, foi desativada em 1972, e hoje apenas um trecho de 7km é mantido para passeios turísticos. Seu acervo foi preservado no Museu Ferroviário, que conta a história da ferrovia e lembra o auge da exploração da borracha no Estado, que já foi farto em seringais. Para os que gostam de aventura, a 18km da Capital está a Cachoeira de Teotônio. Suas águas violentas contrastam com a calma de Teotônio, uma pacata vila

8

de pescadores. Um roteiro 100% ecológico aguarda o turista na Pérola do Mamoré, localizada entre as cidades de Porto Velho e Guajará-Mirim, na fronteira com a Bolívia. Pode-se desfrutar de passeios pelo Rio Mamoré, tomar banhos de cachoeira e caminhar por trilhas no Parque Natural Municipal dos Parecis. Situada numa das regiões mais belas do Estado de Rondônia, a cidade de Guajará-Mirim é o portal de entrada desse intrigante passeio. Sua história também está intimamente ligada à construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. A visita ao pátio ferroviário da EFMM não pode ficar de fora. Uma dica de hospedagem é o hotel de selva situado em frente ao encontro das águas dos rios Pacaás Novos e Mamoré. O rio Madeira conduz ao Lago do Cuniã, uma reserva biológica onde existe um criadouro natural de peixes de água doce, e sobre a qual há revoadas de pássaros frequentes. Pode-se observar incontáveis árvores centenárias, aves exóticas e emocionantes trechos de corredeiras. O festival folclórico de Guajará-Mirim, realizado em agosto, é outra atração imperdível. Durante três dias, os Bois Bumbás Flor do Campo e Malhadinho fazem a alegria dos visitantes, colorindo a cidade de vermelho e azul.


Arte popular inspira-se na fauna colorida. Artesanato indígena.

As Três Caixas D’águas são um dos principais pontos turísticos.

Palácio do Governo Getúlio Vargas. Reitoria da Universidade Federal de Rondônia.

Igreja Matriz de Porto Velho. Uma das muitas cachoeiras da região.

Saiba mais: Secretaria de Turismo do Estado de Rondônia: www.setur.ro.gov.br

9


Mimos Acessórios de primeira classe O inverno 2011 da Raffithy vem cheio de minimalismo e elegância nas cores e se traduz nas peças do tema First Class. Os acessórios são clássicos e em tons neutros, como o off white, taupe, cinza e mostarda, que aparecem em bolsas estruturadas, sapatos em bico fino e em diferentes modelos de oxford. As bolsas trazem detalhes diferenciados, como pele de coelho e textura croco, além de modelagens retrô e bolsas – carteiro. Preços: R$ 270,00. Saiba mais: www.rafitthy.com.br

Carmim de pulso Na onda da alta dos acessórios, a Carmim Online Store aposta em mais um item! O relógio é quase indispensável nos looks para o dia a dia e a marca traz modelos que vão dos básicos aos muito coloridos. De acordo com tendências da estação, as cores quentes, como o amarelo e vermelho, aparecem nos modelos mais requisitados. Os relógios unissex transitam perfeitamente entre os gêneros masculino e feminino. Preço: sob consulta. Saiba mais: www.carmim.com.br

Faber Castell de luxo

10

Fotos: Divulgação

A coleção ultra luxuosa da Faber Castell vem cheia de novidades em modelos que viram objetos de desejo. A caneta Madeira Coqueiro, da coleção Ambition (Roller Ball), tem o corpo exoticamente modelado na madeira de coqueiro, possuindo uma aparência excepcional em tons de preto e marrom. Todos os instrumentos Ambition da Linha Design contam com tampa e clipe de mola em metal cromado. A caneta tinteiro Classic Anello Gold, da linha Graf Von Faber Castell, vem em dourado e é puro charme. Preço: R$ 480,00 (Madeira Coqueiro) e R$ 2.760,00 (Classic Anello Gold). Saiba mais: www.faber-castell.com.br


Skins para gadgets! A I.Stick traz mais uma jeito de personalizar celulares, netbooks e todos os aparelhinhos que rodeiam o cotidiano. São adesivos feitos em vinil de alta-performance que

podem ser colados nos aparelhos. Quando descolados, não deixam cola nem danificam a superfície dos aparelhos. São mais de 40 modelos, que vão agradar homens, mulheres e crianças, além de proteger os eletrônicos. Outro diferencial dos Skins é que a continuação da estampa pode ser inserida no fundo de tela do celular. Ao comprá-lo o cliente recebe a instrução para o download, sem custo, do fundo de tela que vai acompanhar o mesmo desenho do adesivo do celular, deixando o aparelho realmente “envelopado” com o tema. Preço: R$ 25,00 (celular) e R$ 69,00 (iPad). Saiba mais: www.istickonline.com.br

Converse de couro Em 1935, o jogador de badminton e tênis profissional Jack Purcell projetou seu calçado junto à Converse. Nascia, então, um produto diferenciado de grande resistência, uma inovação para a época, que se tornou um ícone fashion e segue sendo sinônimo de design diferenciado para os mais variados estilos. Este modelo pode ser encontrado nas cores marrom, bege e preto. Preço: sob consulta. Saiba mais: www.converseallstar.com.br

Scarf for life!

Fotos: Divulgação

A coleção de alto verão 2011 da Le Lis Blanc vem cheia de tecidos leves, como o linho e o algodão, em detalhes preciosos. Uma das peças mais versáteis são as scarves, que completam qualquer visual em todas as estações. O modelo em off white e fúcsia garante charme e femininilidade para os fins de tarde à beira-mar. Preço: R$ 69,50. Saiba mais: www.lelis.com.br

11


Lugares por onde andei A

s primeiras impressões que ficam ao desembarcar em Bangkok, capital da Tailândia, são o calor, a poluição, o trânsito caótico e o sorriso sempre presente no rosto dos tailandeses, fazendo-nos lembrar de que ao mesmo tempo o antigo Reino do Sião tem muito mais a oferecer. É uma cidade de contrastes e que mantém antigas tradições, com arquitetura deslumbrante e singular, representada pelos edifícios centrais e os inúmeros templos (wats), shoppings elegantes e ruas cobertas de camelôs vendendo artigos de grife falsificados ou uma enorme variedade de insetos “comestíveis”, monges (a religião predominante é o budismo) com suas túnicas alaranjadas e, não duvide, a possibilidade de cruzar com elefantes caminhando pelas calçadas. A Tailândia é um país privilegiado no que diz respeito às belezas naturais. Partindo de Bangkok, de carro, ônibus, barco ou avião, vale a pena conhecer as fantásticas praias que embelezam o litoral, algumas bastante famosas, como Maya Bay. Bangkok é uma metrópole segura, com índices de criminalidade considerados baixos. No entanto, existe na cidade um esquema de fraudes ligadas ao mercado turístico que costuma enganar turistas desavisados que pretendem conhecer outras regiões do país. Como eu, que acabei sendo uma das vítimas, ao embarcar num dos milhares de “tuk-tuk” (espécie de táxis triciclos que transitam por todos os lados tentando furar os gigantescos engarrafamentos) e sofrer uma espécie de sequestro-relâmpago, oportunidade em que fui conduzido a uma agência clandestina e forçado a comprar um pacote turístico. Relato completo que pode ser conferido na obra “A Volta ao Mundo em Quarenta Histórias” (Editora Insular, 2010, 504 p.), onde conto minhas aventuras e dou dicas sobre Bangkok e outros 39 destinos ao redor do planeta, alguns da Tailândia, como Koh Samui, Koh Panghan e as Ilhas Phi Phi, devastadas pelo terrível tsunami de 2004, cujos efeitos devastadores pude vivenciar.

12

Por Francisco Carlos Pacheco

Fotos: Acervo pessoal.

Toda a magia de Bangkok


13

Fotos: Acervo pessoal.


Safári brasileiro Inspirada nos desejos da mulher moderna, a Fiorucci desenvolveu a Linha Instincts , com três fragrâncias que prometem despertar os sentidos. As embalagens seguem a tendência mundial do animal print: além de descoladas, têm visual tão marcante quanto as essências que estão dentro dos vidros. Sua fragrância floral frutal amadeirada encanta e faz do perfume um produto com aroma atual e chique. Notas de saída: pimenta-rosa, flores de tamarindo, uva-do-monte. Preço: R$ 42,90. Saiba mais: www.fiorucci.com.br

Tracta e Nyx, maquiagem vibrante! Os batons inspirados nas cores chiclete da Tracta são puro charme. O acabamento matte, mais opaco, vem em três cores luminosas: Coral Gum, Pink Gum e Rose Gum. O mimo vem ainda em uma caixinha ultra fofa imitando as caixinhas de chiclete antigas. As sombras da Nyx vêm compactas em várias cores, com avançada fórmula stay-put. Possui textura fina, alta pigmentação e diversos acabamentos: matte, luster, frost e satin. Preço: kit batom Tracta: R$40,00 e sombra Nyx: R$ 39,00. Saiba mais: www.tracta.com e www.nyxcosmeticos.com.br

United colors of perfume Rosso e Giallo para mulheres, Verde e Blu para homens. Os nomes estão em italiano como um tributo às origens da United Colors of Benetton, mas os sentimentos que eles inspiram são universais. Algumas dessas associações e sentimentos estão impressos no verso das caixas: poder, paixão e pétalas para Rosso; estrelas, verão, energia e ouro para Giallo; esperança, menta, futebol e natureza para Verde; jeans, liberdade, alpes e calmaria para Blu. Na frente do frasco e na embalagem, o logo icônico da Benetton emerge de um stêncil inacabado. O spray de cor simboliza um gesto espontâneo presente em todas as culturas: o momento fresco e íntimo de passar um perfume de manhã – sempre parte da personalização da identidade do indivíduo. A linha Benetton I Colori, assim como todos os perfumes Benetton, é distribuída com exclusividade pela Passion Perfumes e Cosméticos em todo o País. Preço: R$ 59,90 (30 ml) e R$ 99,90 (100 ml). Saiba mais: www.benetton.com

14

Fotos: Divulgação

Beleza


Fotos: Divulgação

Clean to Sublime Os lançamentos de maquiagem nos revelam produtos cada vez mais modernos, tecnológicos e com efeitos mais intensos, frequentemente acompanhados de uma duração cada vez mais longa. E para essa nova geração de produtos de maquiagem, a Givenchy aposta em uma revolução nos demaquilantes. O Clean to Sublime é o primeiro demaquilante com performance profissional da marca. Seu objetivo principal é propiciar a remoção ideal da maquiagem com uma ação sem precedentes no que diz respeito ao tratamento da pele. Clean to Sublime da Givenchy ainda é enriquecido com óleos de tratamento selecionados devido às suas propriedades de hidratação e nutrição. Sua textura de serum, extremamente fina, tem um caimento sublime e tenro na pele. Preço sugerido: R$ 125,00. Saiba mais: SAC Givenchy: 0800-170506

Madeixas de verão Os xampus Oyster Repair, da Mediterrani Professional, são indicados para restaurar, dar força e brilho aos cabelos danificados pelo sol, cloro das piscinas ou pela água do mar. A linha traz ainda condicionador e leave-in, com formulações que contêm o Biotechnology Complex, uma combinação de ativos na qual se destaca o Extrato de Ostra, com a função de hidratar e reconstruir profundamente todas as camadas do fio. As células da ostra possuem propriedades remineralizantes e são ricas em aminoácidos, que auxiliam a reparar a agressão causada pelos raios UVA e UVB. Preço médio: : R$ 35,00. Saiba mais: www.mediterraniprofessional.com.br

Wonder Akakia Entre os lançamentos, estão o pó facial translúcido e o blush com textura Wonder, que permitem uma aplicação uniforme, com ótima aderência e cobertura. Os dois itens possuem pó micronizado com textura ultrafina, que cobre e disfarça pequenas imperfeições e deixa um toque aveludado na pele. O pó facial e o blush, nas cores Pink e Bronze, chegam em embalagens práticas, com aplicador incorporado e de espuma bem macia, proporcionando uma aplicação delicada. O espelho na tampa facilita o retoque a qualquer hora. Absorvedores de oleosidade, os produtos são livres de óleos minerais e de parabenos (conservantes da indústria cosmética), e ainda contêm a-Bisabol, óleos vegetais de macadâmia, abacate e jojoba, proteínas da seda e arroz, colágeno e Vitamina E. Preço: Blush R$29,00 e pó facial R$ 38,00. Saiba mais: www.akakia.com.br

15


Aposte Curtíssimos

A

aposta de fevereiro da Estação Aeroporto vai para um dos cortes de cabelo que exigem mais coragem das mulheres. Deixar a nuca à mostra e investir no corte “Joãozinho” é a cara do verão para quem quer mudar radicalmente o visual. A famosa modelo da década 1970, Twiggy, foi quem popularizou o cabelo curtinho feminino e foi referência explícita para o novo corte da atriz Emma Watson, conhecida por viver a personagem Hermione no cinema, na saga Harry Potter. Em alta no mundo da moda e das celebridades, o corte conquistou nomes como a cantora Ciara, as atrizes Michelle Williams, Ginnifer Goodwin, a apresentadora brasileira Patrícia Koslinski e até mesmo a modelo Riley Keough, neta de Elvis Presley. “Cabelos curtos estão com tudo. As técnicas de corte dão mais versatilidade e ousadia às diferentes versões. Eles são ótimos para o calor, pois facilitam o penteado, dão menos trabalho, são mais rápidos para secar e fáceis de arrumar”, afirma Viktor I, hairstylist e proprietário do Vimax Art Hair Beauty, salão-boutique em São Paulo. No entanto, cortar as madeixas deve ser sempre uma decisão pensada e repensada. Muitas mulheres se empolgam com a mudança e podem acabar se arrependendo. Para que isso não aconteça, é sempre importante analisar o seu tipo de fio de cabelo ao natural, além do formato do seu rosto. Decisão tomada, é só aproveitar o ventinho fresco de verão!

16

Twiggy

Emma Watson

in r Goodw Ginnife Ciara

Riley Keo ugh MichelleWilliams


17


Decoração Flow Chair

Foto: Divulgação

Mais uma criação do francês Jean-Marie Massaud está na Montenapoleone. A Flow Chair foi projetada para atender às necessidades de diversos ambientes. A versatilidade da peça se deve à sua vasta cartela de bases: quatro patas, trenó, com um pé central, entre outras. A tecnologia é o principal diferencial da cadeira, que possui tecido com acabamento Nanosphere, garantindo impermeabilização e resistência à sujeira. A cadeira está disponível em várias opções de cores. Preço: sob consulta. Saiba mais: www.montenapoleone.com.br

Cor à mesa A coleção de utilitário Kelly, da Laris, é pintada à mão com tinta dourada e decorada com pedrarias coloridas. A jarra confeccionada em vidro resistente tem capacidade de 1,5 L. As taças Kelly também fazem conjunto com a jarra e prometem ser o centro das atenções à mesa. Preço: Jarra R$ 151,92 e taça R$ 52,72 cada (preços promocionais). Saiba mais: www.laris.com.br

Fauna africana na bandeja! As bandejas estilo Safári são as dicas da Oren para momentos descontraídos e cheios de personalidade. São ideais para decorar ambientes, ou uma ótima opção para marcar a primeira hora do dia, com um café da manhã bem descolado. As bandejas são da marca Tyft e possuem estampas que remetem à África, como zebra e girafa. São confeccionadas em madeira e revestida com material sintético. Preço: R$ 120,00. Saiba mais: www.oren.com.br

18


Decoração Revista bem guardada

Fotos: Divulgação.

Onde você guarda a suas edições da revista Estação Aeroporto? Se ainda não tem um revisteiro, a Laeder tem a opção perfeita para a sua casa! O acessório, trabalhado em couro, deixa os ambientes residenciais e comerciais muito mais atraentes. Os detalhes da alça em couro pespontado e da fivela de metal cromado dão o toque de luxo. A ideia é render uma boa leitura em qualquer cantinho e ainda complementar o visual dos ambientes. Preço: R$ 595,50. Saiba mais: www.laeder.com.br

Mesa Gelatina! Apesar do nome, a mesa gelatina é superfirme e confeccionada com resíduos de acrílico. A transparência e o jogo de cores dão a impressão de que pequenos cubos da sobremesa foram usados no móvel. Criação de Baba Vaccaro, disponível na Dpot. Preço: RS 3.230,00. Saiba mais: www.dpot.com.br

Sousplat moderninho A estilista Juliana Arantes e o artista plástico Fábio Russomanno criaram no fim do ano passado a grife Russ, em São Paulo. A marca oferece peças de decoração, acessórios e vestuário com estampas exclusivas. As estampas do sousplat têm referências urbanas e divertidas. A primeira coleção da marca privilegia cores fortes e formas geométricas. Os produtos são fabricados em acrílico transparente com impressão UV, que não agride o meio ambiente. Preço: R$ 60,00 quadrado e R$40,00 redondo. Saiba mais: www.russ.basekit.com

19


Turismo internacional Emirados Árabes Unidos

Fotos: Luís Filipe Gaspar.

Fotos: Divulgação.

Oásis high tech

D

ono da sexta maior reserva de óleo do mundo e de uma das mais desenvolvidas economias do Oriente Médio, os Emirados Árabes Unidos são, atualmente, um dos países mais ricos do planeta. Entre as estrelas do país, que a cada ano vem atraindo mais e mais turistas em busca de experiências de viagem luxuosas, estão os emirados de Abu Dhabi e Dubai. Abu Dhabi, capital e segunda maior cidade dos Emirados Árabes Unidos, é um dos mais impressionantes destinos do Oriente Médio. Além de ser o centro de atividades políticas e industriais do país, o emirado está no centro das atenções mundiais devido ao Yas Marina, um dos circuitos do Campeonato Mundial de Fórmula 1 mais notável. Sua arquitetura também é fascinante. Velhos edifícios e pequenas mesquitas se situam confortavelmente na sombra de modernos arranha-céus, luxuosos hotéis internacionais, enormes shopping centers e belos parques esverdeados. Construída em uma ilha com formato de T, Abu Dhabi ainda é o centro cultural mais importante dos Emirados Árabes Unidos e abriga a sede da Fundação Cultural, responsável por sediar diversas exposições de arte e apresentações musicais de todos os continentes. A origem da cidade reflete seu

20

verdadeiro prestígio - antes de descobrir as reservas de petróleo, vivia da indústria das pérolas. Dubai segue a mesma linha de encantamento. O emirado mais populoso da região é conhecido mundialmente por abrigar obras grandiosas, como o prédio mais alto do mundo, o Burj Khalifa, e o mais tecnológico ainda em desenvolvimento, The Pad. Terra da inovação, a cidade parece determinada a ser a metrópole que tem o poder de fazer seus sonhos se tornarem realidade. Extremamente rica, esmerou-se por transformar seus desertos em empreendimentos luxuosos, em hotéis de “infinitas” estrelas, restaurantes finíssimos, polos de compras fantásticos e uma infinidade de outras coisas do tipo que só são encontradas em Dubai. E, enquanto é considerada uma cidade high tech, construída em seus mínimos detalhes pelo homem, ela ainda transparece uma forte cultura Islâmica e exibe prédios históricos. O cenário encanta os turistas por unir o passado e o futuro nos dias de hoje. Algumas operadoras fecharam parceria com a companhia aérea Emirates e com os principais hotéis da região,entre eles Al Manzil, em Dubai, e Crowne Plaza Yas Island, em Abu Dhabi. Mais informações: www.newline.tur.br


Fotos: Divulgação.

21


Habitat U

ma estada no Hotel Monasterio leva os visitantes de volta ao cerne das civilizações inca e espanhola. O estabelecimento situa-se em Cuzco, nas alturas dos Andes, a mais de três mil metros sobre o nível do mar. Abrigado em um belo e antigo mosteiro construído em 1592, o hotel da rede Orient Express apresenta decoração esmerada, toda baseada nos estilos modernos e clássicos espanhóis. As janelas proporcionam vista dos telhados coloridos de Cuzco ou dos belos jardins internos. O hotel é um patrimônio histórico nacional preservado pelo governo. A arquitetura é de estilo barroco, e suas paredes foram pintadas por alguns dos melhores alunos da Escola Cusquenha de Artes, durante os tempos da colonização espanhola. Sua localização é perfeita. A duas quadras da Plaza de las Armas, o Monasterio fica próximo de praticamente quase todos os principais museus, monumentos históricos e restaurantes da cidade. Para diminuir as consequencias do ar rarefeito, o

Cuzco | Peru estabelecimento oferece aos hóspedes quartos enriquecidos com oxigênio. O gás é lançado 24h por dia, garantindo o bem-estar, principalmente na hora de dormir. No Deluxe Room, cada quarto possui seus próprios caprichos arquitetônicos, enquanto todas as Junior Suítes possuem dois andares com sala de estar. O Royal Suítes é a acomodação mais completa, contendo, entre outras coisas, terraço próprio e banheiro de mármore. O hotel tem dois mosteiros. O primeiro é uma sala de jantar pouco iluminada, que fica no rés-do-chão e serve cozinha internacional. O segundo, onde é servido o pequeno-almoço, é de estilo monástico, com arcos de pedra compridos, e serve cozinha local e internacional da melhor qualidade. Música monástica suave é tocada enquanto é servido o pequenoalmoço. À noite, experimente sabores locais no restaurante Illariy, que serve clássicos peruanos como o ceviche e yucca.

Vista geral dos belos jardins internos.

22

Fotos: Divulgação.

Beleza monástica


Fotos: Divulgação

Suíte presidencial com vista para o Pátio Pisonay. O Lobby Bar, em estilo clássico.

Sala de estar da Royal Suite.

Conforto da Royal Suite. Serviço:

Hotel Monasterio, Calle Palacios 136, Plazoleta Nazarenas, Cuzco, Peru The Hotel: +51 84 60 4000. Reservations: +511 610 8300. www.monasteriohotel.com

Pátio principal.

23


DEUSA DO POP

Capa

Por Dani Ferrera

Após retiro estratégico das telas e focando sua artilharia nos palcos de Las Vegas, Cher retorna em boa forma no filme “Burlesque”.

P

ara dar vitalidade a “Burlesque”, os produtores haviam imaginado uma mega estrela, e para isso perseguiram Cher sem descanso até que, por fim, a ganhadora do Oscar concordou em interromper uma pausa de sete anos e voltar às telas. Eles fizeram um pedido pessoal surpresa quando ela estava no estúdio da Sony participando do longa-metragem de animação da MGM, “The Zookeeper”. Eles acreditavam que Cher se identificaria com o papel de Tess, porque a personagem é a um só tempo familiar e contemporânea, alguém com muito a dar e em perigo de que seus sonhos lhes sejam roubados. Tess é a glamourosa e franca proprietária do clube, a atração principal do espetáculo, que contrata e converte as garotas em estrelas. Tess é uma artista e uma mulher forte, que toma conta de muitas pessoas. Ela já teve bastante sucesso, mas, no momento retratado pelo filme, está passando por um período difícil. Seu desempenho icônico como Loretta Castorini em “Feitiço da Lua” lhe valeu tanto um Oscar quanto um Globo de Ouro. Com seu trabalho em “Marcas do Destino”, venceu o prêmio de Melhor Atriz do Festival de Cinema de Cannes. O desempenho no filme “Silkwood – O Retrato de Uma Coragem”, de Mike Nichols, valeu a Cher indicações ao Globo de Ouro e ao Oscar. Seus créditos cinematográficos incluem personagens em filmes diversos, como “Minha Mãe É uma Sereia”, “As Bruxas de Eastwick”, “Sob Suspeita”, “Fiel, Mas Nem Tanto”, “Ligado em Você” e “Chá com Mussolini”. Graças à sua voz incomparável, seu característico jeito espirituoso e sua presença carismática, consagrou-se como uma artista incansável e autêntica, com um talento inestimável e uma energia incomparável. Suas contribuições para a música, a televisão, o teatro e o cinema lhe trouxeram inúmeros prêmios, homenagens e a admiração de gerações de fãs. A carreira de Cher na música começou com o single “I Got You Babe”, um sucesso instantâneo para a cantora e o marido e colaborador, Sonny Bono. Cher lançou até hoje 25 álbuns de estúdio e 76 singles, vendendo mais de 180 milhões de álbuns e 70 milhões de singles em carreira solo, totalizando 250 milhões de gravações vendidas no mundo todo. Sua voz é classificada como contralto profundo e possui alcance de

24

3,5 oitavas. Suas participações memoráveis na televisão tiveram continuidade no seriado popular estrelado ao lado de Sonny. Juntamente com Bono, Cher é considerada uma das pioneiras dos programas de variedades na televisão. Unindo a música e o humor, a dupla criou um ambiente único e encantadoramente sarcástico, que era a um só tempo original e familiar para os telespectadores. O programa foi indicado a quatro prêmios Emmy e introduziu o talento musical e cômico de Cher aos espectadores de todo os Estados Unidos. Seus figurinos inusitados, sua aparência exótica e a mistura de inocência infantil com sensualidade adulta, que explorava em ensaios fotográficos e videoclipes, fizeram dela um dos mais populares ícones trendsetters da moda na cultura hippie. Cher popularizou entre adolescentes e mulheres jovens modas como a minissaia, as unhas coloridas, a franja e a calça boca-de-sino, de criação própria, e adotou um comportamento ousado e provocativo em shows, dirigindo farpas de raciocínio rápido a seu parceiro. A dupla anunciou a separação em maio de 1974, culminando no fim de uma das maiores parcerias do show business e no cancelamento do programa de TV, até então a atração de maior rentabilidade e audiência da CBS. O que se seguiu foi um divórcio público e desagradável, finalizado em 27 de junho de 1975. Nesse ano, Cher foi manchete de capa das principais publicações dos EUA e posou cinco vezes para a capa da Vogue. Tomaram força rumores sobre a disputa da guarda de Chaz Bono, filho de Cher e Sonny Bono. Em março de 2008, aos 40 anos, ele foi submetido a uma cirurgia de mudança de sexo. A cantora foi uma das primeiras personalidades de Hollywood a se declarar publicamente ativista dos direitos LGBT, após a revelação da homossexualidade de seu filho ser duramente criticada pela imprensa. Ela acaba de encerrar Cher at the Colosseum, uma série de shows no Caesar’s Palace, de Las Vegas, em que fascinou mais de 200 mil admiradores. Nesta entrevista, Cher fala sobre sua participação em “Burlesque” e de seu entrosamento com o elenco. Ela é a personificação do poder feminino, dona de seu destino e senhora de suas vontades. E é disso que “Burlesque” se trata: do poder feminino.


25

Fotos: Andrew Macpherson.


E por que esperar 10 anos? Nunca pensei em ser atriz, e nesses últimos anos não houve nada que eu realmente quisesse fazer, com exceção de um projeto com Johnny Knoxville, para o qual não conseguimos financiamento. E o que a convenceu a aceitar o papel de Tess, a proprietária do clube? Foi Clint Culpepper quem me convenceu, depois de David Geffen ter me pedido para examinar o projeto. Clint se ajoelhou e pediu: “Você tem que fazer este filme!” Então, aceitei! Você acha que Tess é parecida com você? Muito. Tess é uma artista, uma mulher forte, e toma conta de muitas pessoas. Ela já teve bastante sucesso, mas, no momento retratado pelo filme, está passando por um período difícil. Por sorte, Tess sabe que precisa deixar outras pessoas assumirem o comando. Além disso, também achei interessante não ser a estrela do filme. Como foi trabalhar com Christina Aguilera? Foi bom, porque eu tive um parceiro durante muito tempo. Gosto de parcerias. O que você sabia da Christina Aguilera antes deste filme? Eu sabia quem ela era e que tinha uma bela voz. Como foi o encontro entre vocês? Quando conheci Christina no set de “Burlesque”, eu me lembrei do momento em que conheci Meryl Streep no set de “Silkwood”, porque ela me fez as mesmas perguntas que eu fiz a Meryl. Talvez por isso eu tenha sabido responder às perguntas que ela me fez. Conversamos muito sobre o trabalho e a vida em geral. Admiro o fato de ela ser engraçada e, ao mesmo tempo, séria e muito trabalhadora. Que conselho você daria a uma moça do interior, como a personagem que Christina interpreta? Eu diria a ela que tem que focar naquilo que deseja, sem dar ouvidos ao que os outros dizem ou pensar quais as possibilidades de dar ou não certo. Se a pessoa realmente quiser, ela tem que ir à luta! E Stanley Tucci? Eu já admirava Stanley há muito tempo, e foi fantástico trabalhar com ele. Ele faz tudo parecer tão fácil! Sempre quis vê-lo trabalhar e nunca tinha tido a oportunidade. Você estava rodeada por um grupo muito jovem de cantores, dançarinos e atores. Tenho muita energia e muitos amigos jovens. Gosto muito de estar rodeada por gente jovem e ver como todos se divertem e como são empolga-

26

Fotos: Andrew Macpherson.

Estação Aeroporto: Por que você decidiu voltar às telas do cinema, com “Burlesque”? Cher: Por que não? Eu achava que era o que eu deveria fazer.


dos e entusiasmados. É um excelente tônico! Gostei muito e me dei muito bem com todo mundo: Christina Aguilera, Kristen Bell, Stanley Tucci, Cam Gigandet, Julianne Hough. Qual é o segredo da sua eterna juventude? Acho que é genético, porque minha avó morreu aos 96 anos e ainda era muito bonita. Minha mãe tem 84 e tem uma ótima aparência. Espero que eu tenha a mesma sorte. Até agora, eu me sinto bem, apesar de ter operado o pé recentemente. É necessário estar em ótima forma para trabalhar em um filme como “Burlesque” e ter o seu próprio show em Las Vegas? Eu sempre fiz ginástica, estou acostumada a me exercitar. Eu também corro, faço musculação e danço salsa! Gosto de exercitar o meu corpo. Além disso, tenho uma alimentação balanceada e não como muito, apesar de não seguir uma dieta específica. Com toda a sua experiência, deve ser fácil interpretar. Na verdade, nunca é fácil. O processo é difícil e sempre fico nervosa quando piso no palco.

Como você se definiria? Sou uma artista e só quero fazer aquilo que sei fazer bem. Eu poderia me aposentar, mas gosto de trabalhar. Sempre fui e sempre serei uma lutadora. O que acha do início da sua carreira, quando formava a dupla Sonny e Cher? Ainda me surpreendo com aqueles tempos. E quando vejo algum documentário com Sonny morro de rir, porque ele era uma das pessoas mais engraçadas que já conheci. E, como sou um pouco infantil, em certos aspectos, gosto muito de rir! Gosto de me divertir. Você recebeu um Oscar. Imaginava que teria tanto sucesso no cinema? Nunca pensei em fazer cinema. Não fiz muitos filmes. Mas, quando aceito um papel, é porque acredito no filme. Você se considera mais cantora do que atriz? Eu canto mais, mas adoro cantar e representar. É difícil achar um bom filme, ainda mais quando se é mais velha…

27


Meio Ambiente

E

m 2010, o Projeto TAMAR/ICMBio celebrou os 30 anos de atuação. Desde o início de suas atividades, em 1980, foi assegurada a proteção de 10 milhões de filhotes de tartarugas. Esse resultado é fruto do trabalho incansável de um grupo de estudantes que cruzou o país de norte a sul para realizar um dos mais bem-sucedidos programas de conservação das tartarugas e dos ecossistemas marinhos do mundo. Pesquisa, conservação e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção, são as principais missões do Tamar, que protege cerca de 1.100km de praias, a partir de 23 bases mantidas em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e nas ilhas oceânicas, em nove Estados brasileiros. Portanto, o Projeto também comemora, nesses 30 anos de atividades, os avanços na área de pesquisa e conservação, possibilitando o rastreamento de tartarugas com satélite, em busca de rotas migratórias; a ampliação do estudo da genética para definirmos melhor as populações; e, principalmente, o início da recuperação de três das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil. O Projeto Tamar foi criado em 1980, pelo antigo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal-IBDF, que

28

mais tarde se transformou no Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente). Hoje serve de modelo de programa de conservação marinha para outros países, sobretudo porque envolve as comunidades costeiras diretamente no seu trabalho sócio-ambiental. Apesar dos avanços, as tartarugas ainda enfrentam ameaças, sobretudo devido à captura incidental pela pesca, à ocupação desordenada de praias de desova e à poluição marinha. Segundo a coordenadora técnica nacional do Tamar, oceanógrafa Neca Marcovaldi, daqui para a frente o Projeto quer dar ênfase ao monitoramento e à análise dos índices de captura de tartarugas marinhas nos diversos tipos de pescarias, bem como intensificar sua atuação nas áreas prioritárias de desova, onde a ocupação irregular gerada pelo desenvolvimento costeiro vem aumentando rapidamente. Também por isso, é cada vez mais urgente a criação de áreas marinhas protegidas. A coordenadora destaca a importância da coleta padronizada de dados e o monitoramento regular a longo prazo: “Com a análise dos dados coletados, principalmente com a contextualização das ameaças, é possível traçar a estratégia de conservação para o próximo período, incluindo as prioridades de pesquisas aplicadas”, explica.

Fotos: Karin Orofino.

Fotos: Karin Orofino.

Projeto Tamar celebra 30 anos de atividades


Mobilização pela vida

Fotos: Karin Orofino.

Fotos: Divulgação.

O Projeto Tamar está presente em nove Estados brasileiros: Bahia, Sergipe, Pernambuco (Fernando de Noronha), Rio Grande do Norte (Atol das Rocas), Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. A instituição protege cerca de 1.100 quilômetros de praias, a partir de 23 bases de pesquisa mantidas em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e nas ilhas oceânicas. Os Centros de Visitantes funcionam como núcleos de sensibilização e educação ambiental, além de oferecerem lazer, entretenimento e serviços. São 11 no total - sete deles integrantes do programa de auto-sustentação. Ficam nos Estados de Santa Catarina (Barra da Lagoa, Florianópolis), São Paulo (Ubatuba), Espírito Santo (Guriri, município de São Mateus), Bahia (Arembepe, em Camaçari, e Praia do Forte, em Mata de São João), Sergipe (Oceanário, na praia de Atalaia, em Aracaju) e Pernambuco (Fernando de Noronha). O nome Tamar foi criado a partir da combinação das sílabas iniciais das palavras tartaruga marinha, abreviação que se tornou necessária, na prática, por conta do espaço restrito para as inscrições nas pequenas placas de metal utilizadas na identificação das tartarugas marcadas para diversos estudos. Desde então, a expressão Tamar passou a designar o Programa Brasileiro de Conservação das Tartarugas Marinhas, executado pelo Centro Brasileiro de Proteção e Pesquisa das Tartarugas Marinhas-Centro Tamar, vinculado à Diretoria de Biodiversidade do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), órgão do Ministério do Meio Ambiente. A campanha permanente “Nossa Praia É a Vida” estimula os banhistas a preservarem o habitat das tartarugas marinhas e de outras espécies, que necessitam do ser humano consciente e ambientalmente ativo para sobreviver.

História Tudo começou nos últimos anos da década de 70. Até então, não havia registro de qualquer trabalho de conservação marinha no Brasil. Mas as tartarugas já integravam a lista das espécies em risco de extinção. Estavam desaparecendo rapidamente, por causa da captura incidental em atividades de pesca, da matança das fêmeas e da coleta dos ovos na praia. No sul do Brasil, um grupo de estudantes cursava os últimos anos da Faculdade de Oceanografia da Universidade Federal de Rio Grande e organizava expedições a praias desertas e distantes, de preferência onde ninguém houvesse chegado antes. O importante era desbravar, descobrir, pesquisar, conhecer o litoral do Brasil e as ilhas oceânicas. Ao mesmo tempo, o grupo fazia pesquisa dirigida, com o apoio do Museu Oceanográfico de Rio Grande. Nos dias e noites em que ficaram no Atol das Rocas, ao amanhecer encontravam rastros e muita areia remexida na praia. Mas não se davam conta de que a mudança no cenário era produzida pelas tartarugas que subiam à praia para desovar, durante a madrugada. Em uma dessas noites, os pescadores que acompanhavam os estudantes mataram onze tartarugas de uma só vez. A imagem foi chocante para os que assistiram à cena, devidamente fotografada. As expedições acabaram servindo de alerta para a necessidade urgente de proteção do ecossistema marinho. Foi assim que a Faculdade de Oceanografia, onde ainda não se falava em conservação, acabou formando uma geração pioneira de ambientalistas no país, pois todos passaram a se dedicar profissionalmente à conservação marinha.

29


Mais Estação

Folia ao som dos tambores Carnaval de pernambuco preserva as mais puras tradições da folia nordestina. Grandes blocos com artistas famosos arrastam multidões pelas ruas, ao som de ritmos regionais como o frevo, maracatu e afoxé. Tudo começa com o pré-Carnaval Virgens de Verdade Abraça Brasil, que vai reunir alguns dos músicos mais prestigiados de todo o país, no dia 20 de fevereiro. Entre as atrações, Alceu Valença, Elba Ramalho, Margareth Menezes e Calypso. O evento é gratuito. Quem quiser conferir do camarote, os preços individuais variam de R$ 60,00 a R$ 200,00. O Carnaval tem sua abertura oficial com a saída do maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada, no sábado pela manhã. A agremiação arrastou 1,5 milhão de foliões no ano passado. O tema deste ano será Voltei Recife, música de Luis Bandeira que homenageia os pernambucanos que estão longe do estado. O desfile contará com quatro carros alegóricos, que trarão estampadas fotos de grandes compositores pernambucanos, como Antônio Maria, Nelson Ferreira, Matias da Rocha, Capiba e Edgar Morais. No bairro do Recife Antigo, a festa começa à tarde com feirinhas de artesanato e apresentações de grupos percussivos. Na noite da segunda-feira, no Pátio do Terço, é realizada uma das manifestações mais emocionantes da cultura negra no nordeste, a Noite dos Tambores Silenciosos, pontualmente à meia-noite. Em Olinda, desfilam pelas ruas e ladeiras da Cidade Alta centenas de agremiações carnavalescas e tipos populares, que mantêm vivas as genuínas raízes da festa mais popular do Brasil. Clubes de frevo, troças, blocos, maracatus, caboclinhos e afoxés traduzem a mistura dos costumes e das tradições de brancos, negros e índios. Um diferencial da folia olindense são os bonecos gigantes. Todo ano são criados novos tipos, e hoje já são mais de uma centena desfilando pelas ruas e ladeiras da cidade. Na TerçaFeira Gorda, eles se reúnem e mostram toda sua graça entre os largos do Guadalupe e do Varadouro, em um encontro que se tornou tradição da folia em Olinda. Não deixe de ver o maior encontro de maracatus de Pernambuco na Cidade Tabajara, que pertence a Olinda. A alma do carnaval é ali passada de pai para filho. O Estado possui mais de 50 grupos de maracatu de baque solto. Os desfiles ocorrem geralmente na segunda-feira e na terça-feira de Carnaval. Os grupos percorrem um trajeto que sai da Casa da Rabeca, sob a tutela da família Salustiano, passa pelas ruas do povoado e culmina na praça de eventos. O festival conta a história do Brasil-Colônia, onde o sofrimento da escravidão dá lugar à alegria como manifestação geral. No interior, algumas cidades têm seus carnavais típicos, como Nazaré da Mata, com o Maracatu de Baque Solto, Bezerros, com os Papangús, Pesqueira, com o Carnaval dos Caiporas, além da folia dos Caretas, em Triunfo, no Sertão pernambucano. Mais informações:

30 30

Carnaval Multicultural de Recife: www.carnavaldorecife.com.br/2011 Carnaval de Olinda: carnaval.olinda.pe.gov.br Informações turísticas: Tel. (81) 3439-9434

Fotos: Divulgação.

O


Fotos: Divulgação.

Carnaval tradicional

O

Carnaval da cidade de Diamantina, considerado um dos melhores do Brasil, recebe a visita de foliões do país todo. Os blocos desfilam pelas ruas do Centro Histórico, em meio aos casarões antigos. Os blocos mais conhecidos da cidade são Chega Chegano, As Domésticas, Pena Branca, Sapo Seco, Chica da Silva, Xai-Xai, entre muitos outros. A animação fica por conta dos batuques e das bandas palcos instalados no centro Bandanos Restart. histórico, além das festas com DJ’s realizadas nos casarões e repúblicas estudantis. No palco instalado na praça do Mercado Velho, onde se tem a maior concentração de pessoas, revezam-se as duas maiores bandas do carnaval: a Bat Caverna e a Bartucada. Também se apresentam grupos de samba, pagode, axé, MPB e rock. A festa se estende até o raiar do dia, por entre suas estreitas ruas de pedra e seus casarões antigos. Destaque para o desfile do Bloco carnavalesco “Vai Quem Quer” e seus bonecos gigantes. “O Carnaval de Diamantina é tradicionalmente de rua, do povo. E é uma festa irreverente, criativa, alegre. Além de recebermos muita gente de fora, o diamantinense aproveita e colabora na realização deste grande evento. Por tudo isso, a programação segue sempre a mesma: blocos carnavalescos, formados por crianças, jovens e adultos da cidade, apresentação de bandas de música locais e, é claro, muito samba e batucada!”, diz o Secretário Municipal de Cultura, Turismo e Patrimônio, Walter Cardoso França Júnior.

Mais informações: Secretária de Cultura e Turismo: Tel.: (38) 3531 1636 Site da cidade: www.diamantina.com.br

31


E

xplosão geral da alegria brasileira, o Carnaval carioca reúne criatividade, plasticidade, cores, sons e muita emoção, num registro único da riqueza cultural brasileira. A partir das duas semanas anteriores ao início da festa, as ruas do Rio de Janeiro são tomadas por um grande número de blocos e bandas, que carregam dezenas de milhares de foliões e fazem da cidade um grande baile popular aberto a quem quiser chegar. Diversos bailes são realizados nos clubes da cidade. A prefeitura da cidade também realiza bailes populares, abertos ao público em determinadas áreas tradicionais do Rio, como a Cinelândia, e em bairros do subúrbio, como Madureira. Também é famoso o baile do Gala Gay, voltado à comunidade GLS, realizado na terça-feira. Apesar de começar oficialmente na sexta, o carnaval de rua carioca inicia já em janeiro, quando as

escolas de samba da cidade passam a realizar os chamados ensaios técnicos no Sambódromo. Os ensaios se estendem por todo mês de fevereiro, aos sábados e domingos, a partir das 19h. Durante o evento, a população da cidade enche as arquibancadas, torce e canta com suas escolas. Cada agremiação do Especial ensaia duas vezes e as do Grupo A, uma. A temporada vai até 27 de fevereiro, um domingo, quando a Unidos da Tijuca, campeã de 2010, faz o teste de som e iluminação da Avenida. O acesso às arquibancadas é gratuito. Os grupos Deita e Rola, Regente e Estrela Negra se revezam no tradicional Pagode da Marquês, realizados aos domingos, logo após a apresentação da última Escola, no palco montado em frente ao Setor 3. Vários nomes consagrados do samba carioca também já confirmaram a sua participação. Os desfiles acontecem nos dias 5, 6 e 7 de março. Ingressos para as arquibancadas custam de R$ 140,00 a R$ 880,00 por dia. Mais informações:

Inside Rio: www.insideriocarnaval.com.br

32

Fotos: Divulgação.

O maior espetáculo do mundo


Atrás dos triosPor Cristiano elétricos Anunciação

Fotos: Divulgação.

Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”. A frase da música de Caetano Veloso se tornou provérbio popular quando o assunto é o Carnaval de Salvador, Bahia. A maior festa de rua do mundo também é considerada a mais democrática e a que mais mistura os diferentes estilos de tribos e ritmos. Lá, o folião tem seu espaço garantido, estando com ou sem abadá! Este ano, o Carnaval de Salvador vai prestar uma homenagem à percussão. O instrumento ganhou forte projeção com o samba-reggae, gênero criado pelo músico baiano Neguinho do Samba, falecido ano passado. Com certeza, não faltará percussão entre os ritmos da festa momesca. Tudo isso unido aos outros instrumentos musicais que fazem a tradição da folia popular. A grande estrela do carnaval, o trio elétrico, foi homenageada em 2010, ano em que completou 60 anos animando os foliões nas ruas de Salvador. O caminhão adaptado com aparelhos de sonorização evoluiu bastante ao longo dessas seis décadas. Hoje, o trio é atração não só do Carnaval da Bahia, mas também de outras festas país afora. E como é de praxe na folia baiana, os artistas apostam todas as fichas em seus lançamentos, em busca de emplacar “a música do carnaval”. Dentre as mais tocadas até agora, está o hit “Liga da Justiça”, da banda Leva Noiz, com o refrão: “Foge, foge Mulher Maravilha! Foge, Foge com o Superman!”. É, de longe, a mais tocada nas rádios da Bahia e está no repertório de todos os artistas baianos. Como o Carnaval deste ano ficou mais para frente, ainda dá tempo de se planejar. São seis dias ininterruptos de folia, que só acaba na Quarta-feira de Cinzas, com o Arrastão de Carlinhos Brown, que tem participação de vários artistas baianos e atrai multidões. A festa acontece entre os dias 3 e 8 de março. Vale a pena não deixar esse trio elétrico passar sozinho!

33


Fotos: Divulgação

Estação do mês

Grande Rio homenageia Florianópolis

A

escola de samba Grande Rio, vice-campeã do Carnaval do Rio de Janeiro 2010, este ano homenageará a cidade de Florianópolis na Marquês de Sapucaí, com o enredo Y-Jurerê Mirim: A encantadora Ilha das Bruxas (um conto de Cascaes). O enredo foi inspirado no universo mágico de Franklin Joaquim Cascaes, um artista, professor e pesquisador do folclore e das tradições e lendas de Santa Catarina. A autoria é dos carnavalescos Cahê Rodrigues e Lucas Pinto. Os desfiles no sambódromo do Rio serão realizados nos dias 6 e 7 de março, domingo e segunda-feira. A Grande Rio será a quarta escola a pisar na Marquês de Sapucaí na segunda. A plateia contará com o maior público de todos os tempos - mais de dois milhões de espectadores. Em entrevista ao site da Escola, o carnavalesco Cahê Rodrigues, que fará seu terceiro carnaval pela Grande Rio, mostrou-se muito otimista e confiante no título inédito da agremiação. “O público pode esperar várias surpresas. O primeiro setor é recheado de imagens interessantes, seguido do abre-alas, que é um carro que promete um impacto visual muito grande. Nós nos preocupamos em presentear os jurados e o público com uma surpresa em cada setor, até o final do desfile”, conta Cahê. A Escola desfila este ano com quatro mil componentes, sete alegorias, sendo quatro elementos alegóricos divididos em 33 alas. A escola traz na comissão de frente 15 componentes que trazem um elemento surpresa inspirado nos contos lúdicos da ilha de Florianópolis. O tenista Guga

34

Kuerten está entre as celebridades convidadas para participar do desfile. Elas estarão no último carro, caracterizado com a iluminada Ponte Hercílio Luz, um dos símbolos da cidade. Entre outros destaques, está a rainha da bateria, a atriz Cris Vianna. O carnavalesco Cahê Rodrigues foi para Florianópolis e ficou três semanas pesquisando e recolhendo material. Depois sentou com sua equipe de criação e discutiu muito, até encontrar um caminho para levar a capital catarinense para a passarela. “O desafio foi sair de um lugar comum, e a gente conseguiu a partir de Franklin Cascaes, um grande artista da ilha, através de seus contos e lendas envolvendo bruxas e outros seguimentos da ilha. Isso possibilitou que a gente pudesse construir um enredo fantasioso, lúdico, recheado de curiosidades. Acho que isso desperta o interesse das pessoas. Quando elas começam a ler a sinopse, só no final vão descobrir que essa ilha encantadora e mística é Florianópolis”, conta o carnavalesco. A sinopse antecipa um pouco o que será o desfile: “Bruxas, feiticeiras, lobisomens, sete cuias, boitatás e mapinguaris: uma forte névoa se faz presente, e em pleno Atlântico Sul, logo abaixo ao trópico de Capricórnio, num arquipélago de visão paradisíaca encoberto de mistérios e lendas bruxólicas; entre mangues, dunas e lagoas cercadas por um intenso mar azul, repousa Y-JURERÊ MIRIM. Uma Ilha encantada de magia onde se fala o manezês”. A Grande Rio fará seu próximo ensaio técnico na Marquês de Sapucaí no dia 20 de fevereiro, às 18h.

Fotos: Divulgação.

Por Rodrigo Brasil


35


Tendência

Por Ana Marta Moreira Flores

P

rever o futuro. Entenda como o caçador de tendências consegue, por meio de muita pesquisa e técnica - e nenhuma magia -, descobrir o que iremos querer com muito tempo de antecedência. O coolhunter, nome dado ao profissional pesquisador de tendências nas mais diversas áreas, faz bem mais do que viajar e explorar possíveis correntes de novas ideias. É preciso dar conta de um complexo projeto multidisciplinar, unindo conhecimento sobre semiologia, antropologia, etnografia e pesquisa de observação. Por meio de técnicas específicas, é possível desvendar o comportamento de um grupo consumidor e detectar vontades e perfis. Conhecer a conduta de um público-alvo pode garantir a uma empresa que quer apostar em novos produtos maior chance de conquistar esse grupo, por surgir com algo que – talvez – ele ainda não saiba que deseja. Além disso, de acordo com a publicitária especializada em coolhunting, Marina Bortoluzzi, algumas empresas definem a profissão como Trend Designer. “Acho que construir uma tendência é algo mais vasto que ‘caçar o cool’. Antecipamos comportamentos ou novidades mercadológicas que podem ser moldadas para qualquer tipo de área. Na minha empresa, a Box 1824, por exemplo, trabalhamos com clientes de moda, bancos e grandes congromerados emopresariais, feira de móveis no Brasil e setor de arquitetura/design. Fortemente ligado à área de marketing, o coolhunter pode balizar seu estudo nos novos 4P’s do marketing tradicional: people (pessoas), place (local), plan (plano, ideias) e projects (projetos). Escolas e centros de pesquisa especializados em vários pontos do globo formam profissionais que podem trabalhar vinculados

36

Fotos: Divulgação.


a empresas ou independentemente. O Future Concept Lab (FCL), originalmente italiano, abriu seu primeiro escritório fora da Europa, em São Paulo. Sob o ponto de vista das tendências, somos considerados pela FCL um país do futuro. “No Brasil, é necessária a elaboração de novos paradigmas mesmo antes da realização de pesquisas para empresas e instituições através do que chamamos Lab, um verdadeiro laboratório dentro das empresas, que pode durar alguns anos. O objetivo do Future Concept Lab Brasil é usar os novos paradigmas e desenvolver o conhecimento do DNA Brasileiro e do Consumo Autoral e seguir o caminho que se iniciou com a parceria com o Senai-Cetiqt pelo Observatório de Comportamento de Consumo”, especificam em seu site. Para a designer especializada no tema, Priscila Mello, “o coolhunter é aquele que vai a campo atrás de sinais e para isso deve ser uma pessoa curiosa, observadora, ter sede de conhecimento, ser intuitiva, tolerante, ter boa capacidade de comunicação e fotográfica, afinidade com moda, arquitetura, design, sociologia, entre outras áreas”, explica. Além disso, as ferramentas utilizadas por um bom coolhunter devem envolver “fotografia, gadgets, materiais gráficos, ida a teatros, shows e galerias de arte e andar pelas ruas e locais na cidade observando movimentos, acontecimentos, produtos, projetos, pessoas”, destaca Priscila. O designer gráfico argentino Gustavo Lento Navarro acredita no diferencial de percepção das coisas e do mundo nato dos latino-americanos. Para ele, a maneira como percebemos e apreendemos nosso conhecimento se manifesta claramente nos objetos e produtos, e por meio deles é possível conhecer os desejos de um público específico. O dossiê criado pela JWT Intelligence, de Nova York, trouxe, já em dezembro do ano passado, 100 apostas a serem observadas em 2011. No report, que teve a colaboração da brasileira Marina Bortoluzzi, destacamse tendências que envolvem comportamento, lifestyle, pessoas, aplicativos e eletrônicos entre temas relacionados ao design, decoração, moda, música, entre muitos outros. No documento, o Brasil surge como líder no mundo virtual para este ano, em especial nas redes sociais na internet e consumidores de eletrônicos, como celulares e computadores, tudo viabilizado pela economia mais estável dos últimos anos. A pesquisa da JWT também revela que o mercado de luxo automobilístico vai investir comercialmente em tecnologia ecológica e de baixo impacto no meio ambiente. A rapidez, mobilidade e a incrível capacidade de mashups (criar novas linguagens ao misturar áreas e tecnologias diferentes) teve um boom óbvio com a popularização da internet. Em tempos de facilidade tecnológica, estamos cada vez mais próximos e distantes, mais locais e globais, mais consumidorautor. Marina Bortoluzzi ressalta que a cultura da internet contribui para “vermos as marcas e os movimentos se disseminarem em segundos. Esse consumo globalizado promove conexões estéticas e comportamentais com outras pessoas do mundo, principalmente os jovens. É o que chamamos de ‘Alphas Globais’ - consumidores modernos e antenados se vestindo, falando, consumindo e formando seu estilo da mesma maneira em diversas partes do mundo. Cada vez mais a diferença entre os jovens não será por suas nacionalidades, mas sim por suas características pessoais”, explica. Estamos nos comportando constantemente como paradoxo que aponta para uma fronteira das diferenças cada vez mais difusa. Nas próximas páginas, trazemos algumas das apostas da JWT. Guarde e confira no fim do ano se as apostas se confirmaram!

37


Pessoas para observar segundo o JWT

Pedro Lourenço O garoto prodígio da moda surge como um dos nomes mais promissores da moda brasileira com projeção internacional. Filho dos estilistas Reinaldo Lourenço e Gloria Coelho, Pedro já desfilou suas coleções na semana de moda parisiense com muito sucesso. O ar futurista e arquitetônico das coleções do jovem de 19 anos vai ganhar o mundo.

Neymar

2011

A atriz está gerando um burburinho e promete ser a revelação para 2011. Aos 20 anos, Jennifer foi indicada ao Globo de Ouro e ao Oscar por seu papel no filme Winter’s Bone. Vinda da TV ela já teve participação em seriados como Cold Case e Medium. Ainda este ano, a atriz estará em um filme dirigido e estrelado por Jodie Foster, The Beaver, na companhia de Mel Gibson e Anton Yelchin. Os filmes X-Men: First Class e The House at the end of the Street ainda terão Lawrence no elenco.

Cheio de atitude e polêmico, o jogador de apenas 18 anos, Neymar, vai ser foco no futebol em nível global. Já foi comparado pelo seu estilo de jogo a ídolos do futebol como Pelé e já desperta interesse de grandes clubes europeus. O garoto já estrela campanhas publicitárias e ainda vai render muito dinheiro em 2011.

Bjarke Ingels O arquiteto dinamarquês é conhecido por seu estilo cômico funcional e pelo manifesto Yes Is More além de seu vídeo popular no TED. Ingels define seu trabalho como arquitetura utópico-pragmática. A empresa criada pelo arquiteto, a Bjarke Ingels Group (BIG), recentemente abriu um escritório em Nova Iorque para gerir os projetos e a carreira dele.

Fotos: Divulgação.

Jennifer Lawrence


2011

Fique de olho em

Bambu

O bambu é provavelmente o vegetal mais versátil de todos os tempos. De tecidos a computadores, ele pode ser base de qualquer produto. É cotado para ser o material mais sustentável no mundo da construção e beleza. Haja bambu!

Beer sommeliers

Fotos: Divulgação.

As cervejas estão ganhando status cada vez mais respeitado do mundo da gastronomia. A tendência deve decolar neste ano com o aumento de variedades da bebida e os experts estarão lado a lado com os sommeliers de vinhos.

Digital downtime Brigadeiro Fever O doce mais popular das festas de aniversário no Brasil vai conquistar o mundo. Espere para ver o sucesso em novos sabores, assim como os cupcakes ganharam 2010.

Tintin 3D O personagem Tintin, repórter que viajou o mundo junto com seu cachorro Milou, vai ganhar vida em 3D no cinema. O jovem jornalista, criado pelo belga Hergé, contará com a ajuda de ninguém menos que Steven Spielberg e Peter Jackson para a animação The Adventures of Tintin: the secret of the unicorn que será o primeiro da planejada trilogia.

DeTech hour vai virar moda. Pesquisas comprovam que dar um tempo das múltiplas telas da vida digital só traz benefícios para a saúde e criatividade. Uma hora por dia longe das telas ajudará a diminuir o estresse do dia a dia.


Tecnologia A LG traz para o Brasil o seu primeiro sistema de áudio do tipo soundbar capaz de simular um envolvimento de até 4.1 canais, a partir de uma caixa em formato de barra. O HLX55W é o único com leitor de discos Blu-ray e que reproduz filmes em 3D. Com isso, basta conectá-lo a uma TV compatível para acompanhar (com óculos ativos) a reprodução das imagens em terceira dimensão. A nova soundbar é composta ainda de um subwoofer ativo sem fio, permitindo seu funcionamento em qualquer local da sala. Entre os recursos, um dock para iPod/iPhone embutido e a conectividade WiFi. Preço sugerido: R$ 2.999,00. Mais informações: www.lge.com/br

Novo iPhone 4 O iPhone 4 representa a maior revisão para o aparelho desde o lançamento do original, em 2007. O novo modelo traz câmera de 5 megapixels, o dobro de resolução de tela e permite chamadas de videoconferência. O aparelho 4 é apenas 3 gramas mais pesado do que seu antecessor, o 3GS, e também mais estreito, com 5,8cm (contra os 6,0cm do 3GS), e mais fino, com 9,3mm (em comparação com os 12,2mm do 3GS). As partes traseira e frontal agora são feitas de vidro. O iPhone 4 chega aos EUA e mais quatro países no dia 24 deste mês. Segundo a Apple Brasil, o aparelho deve chegar por aqui em setembro. Preço: não divulgado. Mais informações: www.apple.com/br/iphone

Resistente a quedas O laptop HP ProBook 4320 S conta com um sistema que protege os dados antes da queda. A tela de 13 polegadas até dá uma aparência frágil ao modelo, mas ele é robusto por dentro. Ele pode pode ser encontrado em versões com até 8 GB de RAM, HD de 250 GB e processador Intel Core i5 520-M. Preço: R$ 2.699,00. Mais informações: www.hp.com/latam/br/

40

Fotos: Divulgação

Soundbar com Blu-ray 3D


Tecnologia Fotos: Divulgação

Filmadoras em rede A Kodak anunciou os novos aparelhos Playfull e Playsport, que trazem o recurso Share, um botão que permite compartilhar facilmente fotografias e vídeos em redes sociais. Outro recurso disponível nas câmeras é capturar imagens de vídeos no próprio aparelho. As duas câmeras filmam em 1080p e podem fazer fotos com até 5 megapixels de resolução. Elas têm estabilização digital de imagem e rastreamento de rostos. Efeitos como sépia e preto e branco também estão nas câmeras, que salvam os arquivos em um cartão SD de até 32 GB. A Playfull é fina o suficiente para caber no bolso da calça jeans. A Playsport é um pouco maior. Toda emborrachada, ela é antichoque, à prova de poeira e à prova d’água. Os aparelhos chegarão às lojas em março de 2011. Preço: A Playfull custará US$ 150,00 e a Playsport sairá por US$ 180,00. Mais informações: www.kodak.com.br

Blu-ray magrinho A Samsung apresentou o Blu-ray playber BD-D7500, o mais fino do mundo, durante a CES, maior feira de eletrônicos do mundo, realizada em janeiro em Las Vegas (EUA). O aparelho tem apenas 23 milímetros, o suficiente para as interfaces de conexão e a entrada do leitor de discos. Uma placa sensível ao toque fica na parte de cima do aparelho, com os botões visíveis apenas quando ele está ligado. O player é capaz de reproduzir filmes em 2D e 3D, bem como simular os efeitos do 3D a partir de imagens 2D. Sua resolução máxima é de 1080p. Ele tem Wi-Fi embutido e pode tocar arquivos pelo protocolo DLNA. O aparelho deverá chegar às lojas dos EUA em setembro. Preço: não divulgado. Mais informações: www.samsung.com

Nova geração do VAIO O novo VAIO Série Y, apresentado na CES 2011, chega ao mercado brasileiro em fevereiro. O notebook será o primeiro do País a apresentar o novo processador Fusion AMD Dual Core E-350, que conta com tecnologia inovadora e une em um só processador o chip do computador (CPU) com a placa de vídeo (GPU). Esta tecnologia permite muito mais desempenho, qualidade de imagens e a possibilidade de realização de diversas tarefas simultâneas. O VAIO Série Y tem tela LED de 11,6 polegadas, pesa apenas 1,46 kg e permite até 5,5 horas de duração de bateria padrão. Conta com 2 GB de memória, HD de 500 GB e duas opções de cores. Preço sugerido: não divulgado. Mais informações: www.sony.com.br

41


Cultura . teatro

N

o ano em que completa 18 anos, a Sutil Companhia de Teatro se consolida como um dos mais estáveis e profícuos núcleos de criação teatral do país. Fundada em 1993 por Felipe Hirsch e Guilherme Weber, a companhia revelou – ao longo de 30 espetáculos – uma equilibrada equação entre a comunicação com a plateia, uma minuciosa pesquisa de linguagem e o constante diálogo com as artes visuais, a literatura, a música e o cinema. Três peças integram a mostra Sutil 18 anos: “Não Sobre o Amor” (2008), montagem que estreou na cidade com grande sucesso de público e crítica e recebeu o prêmio BRAVO! de melhor espetáculo de 2008, e as inéditas “Temporada de Gripe” (2003) e “Thom Pain / Lady Grey” (2007). As duas peças inéditas no Rio têm em comum o mesmo autor, Will Eno, considerado um dos mais importantes nomes do teatro americano contemporâneo. A primeira versão de “Temporada de gripe” pela Sutil é de 2003, seis meses depois da estreia mundial da peça em Londres. Will Eno esteve no Brasil para conferir a estréia e desenvolveu uma parceria com a companhia, que culminou com a produção do roteiro de “Insolação” (2009), primeiro longa metragem de Felipe Hirsch, dirigido em parceria com Daniela Thomas. “Não Sobre o Amor” marcou um retorno de Felipe Hirsch a um espetáculo de câmara, depois das bem-sucedidas montagens de “Avenida Dropsie” (2005) e “Educação Sentimental do Vampiro” (2007). A montagem é baseada na troca de correspondências entre os escritores Victor Shklovsky (Leonardo Medeiros) e Elsa Triolet (Simone Spoladore). “Temporada de Gripe” (2003) marcou o primeiro conta-

42

to da Sutil com Will Eno. No palco, dois narradores, Prólogo e Epílogo, contam, esclarecem, comentam e até confundem o romance entre um homem e uma mulher internados em um hospital psiquiátrico. “É uma peça sobre a paixão. Os doutores da peça tratam a paixão com distância: são profissionais”, resume Felipe. “Thom Pain / Lady Grey” (2006), formada por monólogos do mesmo Will Eno, mostra os dois lados de uma mesma relação amorosa, em um exercício radical de linguagem. Diretamente ligado ao tema de “Temporada de gripe”, “Thom Pain / Lady Grey” apresenta um homem que reflete sobre o fim de um amor em frente a uma plateia. A mostra contará ainda com a instalação Memória Sutil Companhia de Teatro 18 anos, na qual o visitante poderá passear por fotos e vídeos dos trabalhos do grupo. A instalação será montada no foyer do teatro Tom Jobim seguindo a linguagem da própria companhia nos palcos, com projeções do material fotográfico e fragmentos de trilhas sonoras, registros de ensaios e apresentações no Brasil e no exterior. Serviço: O que: Mostra Sutil Companhia 18 Anos. Onde: Espaço Tom Jobim (Jardim Botânico) – Rua Jardim Botânico, 1008, Rio de Janeiro (RJ). Tel.: 2274-7012. Quando: Até 28 de fevereiro. “Não Sobre o Amor” - sábados e domingos, 19h. “Temporada de Gripe” - sábados e domingos, 21h. “Thom Pain / Lady Grey” - Segundas, 21h. Instalação Memória Sutil Companhia de Teatro 18 anos - De sábado a segunda, de 18h às 21h. Quanto: R$ 50,00.

Fotos: Divulgação

Maioridade no palco


Cultura . teatro

Dinâmica da incerteza

Fotos: Divulgação

O

espetáculo-conceito “Princípio e território de incerteza”, criado pelo bailarino Asdra Martin, propõe o desenvolvimento de tecnologias compositivas elaboradas a partir da pesquisa sobre “movimento crítico” realizada por ele desde 2006. O projeto, chamado mmc & CRISE, foi um dos contemplados com o prêmio do edital Elisabete Anderle 2008/2009 da Fundação Catarinense de Cultura O termo mmc & CRISE diz respeito à organização de uma série de ações que possibilitam o acontecimento de eventos experimentais práticos e abertos. Segundo o dançarino, “movimento crítico é o movimento irreversível, espontâneo e imprevisível, pois trata-se de um movimento não idealizado, genuíno, e portanto também caótico”. O projeto ainda enfatiza a aplicação de oficinas de “movimento crítico” a outros artistas e à comunidade em geral. O chamado movimento crítico visa à pesquisa do movimento a partir do impulso não ordenado, ou seja, não coreografado, buscando assim um movimento mais legítimo e não representativo. A pesquisa compreende a prática/teste de possíveis saídas/rotas de fuga para o corpo-movimento. “Pode-se dizer, portanto, que não existe coreografia, no sentido de uma escrita – corporal ou notada – pressuposta e idealizada para a movimentação realizada. Somente o trabalho com impulsos não ordenados, mas concatenados, já gera um padrão de movimento imprevisível. Este padrão é o que chamamos de movimento crítico, e o fato de identificarmos algo como crítico também já nos informa que há uma ordem ou padrão”, afirma Asdrubal. A dramaturgia é composta para não ser lida, e as imagens geradas também constituem o próprio tema a ser criticamente decomposto, até gerar a diferença e cair em uma outra coisa: é a imprevisibilidade do caos. O percurso desenvolvido pelo bailarino em cena, por não se concretizar – pois ele não desenvolve uma trajetória linear –, abre o pensamento para uma ideia de identidade móvel, que não se materializa propriamente. A identidade é vista aqui pelo viés da instabilidade e do que é precário, do estar em um constante processo de transformação. Asdra Martin iniciou seu trabalho em 1998, passando por diversos cursos de teatro e dança em Florianópolis. Em 2002 ingressou em Artes Cênicas na Udesc e dirigiu e atuou em “WC Sub”. Em 2003, iniciou pesquisa no projeto Improvisação e Composição da Partitura Corporal. Em 2005, apresentou-se no Tubo de Ensaio: Corpo, Cena e Debate, com “Quixote”, pela Andras Cia. de Dança-Teatro. Em 2006, apresentou-se no Teatro Municipal de Ímola e no Departamento de Artes Música e Espetáculo, na Itália, onde ganhou o Prêmio DAMS. Participa atualmente da pesquisa sobre Percepção Física com Alejandro Ahmed e o grupo Cena 11 Cia. De Dança. Serviço: O que: “Princípio e território de incerteza”. Onde: Travessa Siryaco Atherino, 100, Centro, Florianopolis (SC). Tel.: (48) 3229-2200. Quando: Fevereiro (data a confirmar). Quanto: gratuito. Mais informações: www.crisemmc.blogspot.com

43


Cultura . música Bruno Mars

Álbum: Dôo- Woops & Hooligans. Artista: Bruno Mars. Quanto: R$ 30,00. Lançamento: Warner Music.

Burlesque A trilha sonora do filme “Burlesque” traz novas gravações cantadas e co-escritas por Christina Aguilera, que ao lado de Cher estrela o longa. Com 10 músicas, o CD foi produzido por Linda Perry, Ron Fair e Tricky Stewart, que ainda assina as composições junto com Sia e Claude Kelly. O álbum traz duas novas faixas apresentadas pela lendária Cher, “Welcome to Burlesque” e “You Haven’t Seen The Last Of Me”. Esta última é uma balada forte escrita por Diane Warre e produzida por Matt Serleic, que acaba de ganhar o Globo de Ouro de Melhor Canção. A trilha é composta por covers de clássicos como “Something’s Got A Hold On Me” e “Tough Lover”, de Etta James, e “A Guy What Takes His Time”, de Mae West, todas cantadas por Aguilera. Álbum: Burlesque-Original Motion Picture SoundTrack. Artista: Cher e Christina Aguilera. Quanto: R$ 35,00. Lançamento: Sony Music.

Céu O álbum transcorre suave nas curvas das 13 faixas, que ziguezagueiam em várias direções mas apontam para esquinas aconchegantes, entre as músicas brasileira e jamaicana. O disco também foi lançado nos EUA e Europa, por onde a cantora também passou com sua turnê. A edição Premium do álbum traz ainda um DVD inédito que inclui sete músicas apresentadas ao vivo no programa “Ensaio”, da TV Cultura. Apresentação na TV Holandesa, com a Orquestra Sinfônica de Amsterdam Videoclipe oficial da música “Roda”. Álbum: VAGAROSA. Artista: Céu. Quanto: R$ 45,00. Lançamento: Universal Music/ Urban Jungle Records/Ambulante Discos.

44

Fotos: Divulgação

Bruno Mars lança o seu tão esperado álbum Dôo- Woops& Hooligans, que inclui o esmagador sucesso “Just The Way You Are”. O segundo single, “Grenade”, estreou em 1° no Top Singles do iTunes e já indica o mesmo sucesso. Um marcante e carismático cantor, Mars fez sua estreia no Bowery Ballroom, em Nova York, com lotação esgotada. Bruno fez uma importante viagem promocional pela Europa para apresentar “Just The Way You Are” a fãs da França, Alemanha e Reino Unido. Além disso, Bruno se juntou recentemente com K’naan para uma apresentação lotada e muito especial no House of Blues de Hollywood.


Cultura . música Dave Matthews Band Europe 2009 Live From Lucca é um dos mais longos shows já realizados pela Dave Mathews Band. No dia 05 de julho de 2009, na Piazza Napoleone, em Lucca, Itália, o grupo interpretou um elaborado mix de clássicos e músicas novas, extraídas do recente e bem-sucedido álbum Big Whiskey and the GrooGrux Kings. Dave Matthews Band Europe 2009 inclui três CDs ao vivo, que registram o concerto da banda na Itália, além de um DVD com uma apresentação na O2 Brixton Academy, em Londres. Serve de embalagem para o DVD um livro de fotos, assinado pelo fotógrafo C. Taylor Crothers, que documenta toda a turnê europeia da banda. 60 páginas, capa dura, formato 28,5 cm por 28,5 cm, papel couché colorido. Esse produto sai em tiragem limitada e única. Não será relançado em outros formatos posteriormente. Fotos: Divulgação

Box: Dave Matthews Band Europe 2009. Artista: Dave Matthews Band. Quanto: R$ 120,00. Lançamento: ST2 Vídeo.

P!nk Greatest Hits Performer icônica e com uma poderosa voz, P!nk lança Greatest Hits… So Far!!!, uma coletânea de seus grandes sucessos junto com três novas músicas, “Heartbreak Down”, “Fuckin’ Perfect” e o single “Raise Your Glass”. Desde a sua estreia, em 2000, P!nk (Alecia Moore) vem trilhando um caminho de sucesso como uma talentosa cantora/compositora/performer. Recentemente, atingiu patamares ainda mais altos, com a incrível apresentação de seu sucesso “Glitter In The Air” no Grammy 2010. Em toda sua carreira a cantora já vendeu mais de 30 milhões de álbuns, mais de 1 milhão de DVDs e quase 20 milhões de faixas no iTunes em todo o mundo.

Álbum: P!nk Greatest Hits… So Far!!! Artista: P!nk. Quanto: R$ 28,00. Lançamento: Sony Music.

The Doors - Live in Vancouver 1970 The Doors agitaram o Canadá com este show inédito em CD e a participação especial da lenda do blues Albert King. Gravado em 06 de abril de 1970, no Pacific National Exhibition Coliseu, em Vancouver, o concerto reúne a formação clássica da banda, com Jim Morrison, John Densmore, Robby Krieger e Ray Manzarek, que abrem o show com 15 minutos do mais energético blues, incluindo ‘Roadhouse Blues”, “Alabama Song (Whisky Bar)”, “Back Door Man” e “Five to one”. Em seguida, eles voltam ao território psicodélico com os 14 minutos de “When the Music’s over. Aproximadamente no meio deste show de duas horas, Albert King se junta à banda no palco e ataca com sua inconfundível guitarra uma versão cover de “Little Red Rooster”, de Willie Dixon, para logo em seguida entrar com o clássico da Motown, “Money”, e os Standards ‘Rock me” e “Who do you Love”. Álbum: The Doors - Live in Vancouver 1970. Artista: The Doors. Quanto: R$ 60,00. Lançamento: Warner Music.

45


No Limite 127 HORAS é a história verdadeira do montanhista Aron Ralston (James Franco) e de sua incrível aventura para salvar-se depois que uma pedra solta cai sobre seu braço e o deixa preso num cânion estreito e isolado em Utah. Durante seu suplício, Ralston lembra-se de amigos, de seu amor Rana (Clémence Poésy), da família e das duas excursionistas Megan (Amber Tamblyn) e Kristi(Kate Mara), que conheceu antes do acidente. Nos cinco dias seguintes, ele luta contra os elementos naturais e seus próprios demônios, até finalmente descobrir que possui a coragem e a fortaleza para encontrar alguma forma de soltar-se, descer por uma encosta de vinte metros de altura e caminhar por mais de 12 quilômetros, até ser finalmente resgatado. Apresentado a partir de uma estrutura narrativa dinâmica, o filme é uma história visceral e emocionante que conduz o púbico a uma aventura jamais experimentada e revela do que somos capazes quando decidimos lutar pela vida. 127 HORAS tem roteiro e direção de Danny Boyle.

Santuário O thriller de ação Santuário segue uma equipe de mergulhadores em uma expedição perigosa em uma enorme caverna subaquática, com uma série de túneis, em um dos cantos mais remotos do planeta. Mas quando uma tempestade tropical obriga os integrantes a ficarem presos na profundidade das cavernas, eles precisam lutar pela sobrevivência a qualquer custo e tentar encontrar uma rota de fuga. O líder da expedição, Frank McGuire (Richard Roxburgh), é um especialista que explorou as cavernas do Pacífico Sul, durante meses. Mas quando a sua saída é cortada em uma enchente, sua equipe – incluindo o seu filho de 17 anos, Josh (Rhys Wakefield), e o financista Carl Hurley (Ioan Gruffudd) – é forçada a alterar radicalmente os planos. Sem equipamento, a tripulação precisa navegar por um labirinto debaixo d’água até encontrar uma saída. Logo eles são confrontados com a pergunta inevitável: poderão sobreviver ou estarão presos para sempre?

O Discurso do Rei Após a morte de seu pai, o rei George V, e a abdicação escandalosa do Rei Eduardo VIII, Bertie (Colin Firth), que sofreu de um problema debilitante de fala por toda a sua vida, de repente é coroado rei George VI da Inglaterra. Com o seu país na beira de uma guerra e precisando desesperadamente de um líder, sua esposa, Elizabeth (Helena Bonham Carter), manda o marido para se consultar com um excêntrico terapeuta da fala, Lionel Logue (Geoffrey Rush). Depois de um começo difícil, os dois embarcam em um tratamento pouco ortodoxo e, eventualmente, formam um vínculo inquebrável. Com o apoio de Logue, sua família, seu governo e Winston Churchill (Timothy Spall), o rei vai superar sua gagueira e proferir o seu mais importante discurso no rádio, inspirando e unindo o seu povo para a iminente batalha contra os alemães na Segunda Guerra Mundial. Baseado na história real do rei George VI, “O Discurso do Rei” segue a busca do monarca para encontrar sua voz. Firth recebeu o Globo de Ouro como melhor ator na categoria drama por sua brilhante atuação.

46

Fotos: Divulgação

Cultura . cinema


Fotos: Divulgação

Cultura . cinema Cisne Negro Suspense psicológico ambientado no mundo do balé na Big Apple, “Cisne Negro” acompanha a história de Nina Sayers (Natalie Portman), bailarina de uma companhia da cidade de Nova York, cuja vida, como a de todos em sua profissão, é completamente consumida pela dança. Ela mora com a mãe, a bailarina aposentada Erica Sayers (Barbara Hershey), que lhe apóia. Quando o diretor artístico Thomas Leroy (Vincent Cassel) decide substituir a primeira bailarina Beth Macintyre (Winona Ryder) para a produção de abertura de sua nova temporada, “O Lago dos Cines”, Nina é sua primeira escolha. Porém, Nina tem concorrente: uma nova bailarina, Lily (Mila Kunis), que também impressiona Leroy. O Lago dos Cines exige uma bailarina que possa interpretar o Cisne Branco com inocência e graça, assim como o Cisne Negro, que representa perfídia e sensualidade. Nina se adequa ao papel do Cisne Branco perfeitamente, porém Lily é a personificação do Cisne Negro. À medida que as duas transformam sua rivalidade em uma amizade conflituosa, Nina começa a ter mais contato com seu lado sombrio, com uma inconsequência que ameaça destruí-la. O diretor Darren Aronofsky nos conduz numa jornada emocionante, e às vezes assustadora, pela psique de uma jovem bailarina cujo papel se revela assustadoramente perfeito. Por sua entrega absoluta ao personagem, Natalie acaba de receber o Globo de Ouro como melhor atriz na categoria drama.

O Brilho de Burlesque Ali (Christina Aguilera), uma jovem de uma cidadezinha do interior deixando para trás as dificuldades e trocando um futuro incerto pela capital do entretenimento, Los Angeles, vai parar casualmente no Burlesque Lounge, um majestoso teatro em crise, que é palco de uma inspirada revista musical. Lá, ela conhece Tess (Cher), a glamourosa e franca proprietária do clube, a atração principal do espetáculo, que contrata e converte as garotas em estrelas. De olhos arregalados, ela absorve como uma esponja todos os mínimos detalhes dos números fascinantes do show do Burlesque: os figurinos extravagantes e a coreografia ousada hipnotizam a jovem ingênua. Porém, primeiro, ela terá de encontrar seu lugar entre as muitas relações pessoais que estabelece no teatro, tanto boas quanto problemáticas. Ela faz amizade com uma das bailarinas (Julianne Hough), encontra uma inimiga em uma artista problemática e invejosa (Kristen Bell) e conquista o afeto de Jack (Cam Gigandet), um atraente barman e músico.

47


Cultura . home video Comer, Rezar, Amar

Blu-ray: Comer, Rezar, Amar. Quanto: R$ 89,90. Lançamento: Sony Home.

A Conspiração de Gilberto Gil Entre 1996 e 2009, os cineastas Andrucha Waddington e Lula Buarque de Hollanda, da Conspiração Filmes, realizaram sete filmes com o cantor e compositor Gilberto Gil, em parceria com a Flora Gil e Gege produções: quatro documentários, dois musicais e um longa de ficção. Assim como a música de Gil, esses filmes também são parabólicos, apontam suas antenas e câmeras para lugares, cenários, assuntos e estilos tão distintos quanto o interior profundo do Brasil, a Índia, a África e a Jamaica. Gil é um dos artistas mais criativos do nosso planeta. Nestes filmes, feitos em “co-inspiração”, podemos compreender um pouco mais a sua complexidade. Box: A Conspiração de Gilberto Gil (7DVDs). Quanto: R$ 99,00. Lançamento: Warner Music.

Thelma e Louise Dirigido pelo mestre da ação Ridley Scott, a fita é uma aventura aclamada como um dos melhores filmes de todos os tempos, baseada no roteiro original vencedor de um Oscar e escrito por Callie Khouri. Susan Sarandon e Geena Davis estrelam como criminosas acidentais em um voo desesperado pelo Sudeste, depois de um trágico acidente em um bar de estrada. Em seu rastro estão um detetive determinado (Harvey Keitel), um carona de fala mansa (Brad Pitt) e uma fileira de crimes. Blu-ray: Thelma e Louise. Quanto: R$ 59,90. Lançamento: MGM/Fox Home.

NCIS: Los Angeles O Departamento de Projetos Especiais é formado por uma equipe de elite que realiza investigações com alta tecnologia e ações de grande risco para capturar criminosos que ameaçam a segurança nacional. Com habilidade de assumir qualquer identidade para se infiltrar em organizações criminosas, o agente especial “G” Callen (Chris O’Donnell) é o principal investigador da unidade – uma reputação que quase lhe custou a vida em um misterioso tiroteio. Junto com seu parceiro Sam Hanna (LL Cool J), um intrépido ex-agente da Marinha, e um grupo de especialistas altamente treinados, incluindo a expert jurídica Kensi Blye (Daniela Ruah) e a programadora Hetty Lange (Linda Hunt), eles assumem casos de assassinato, espionagem e tráfico de armas. DVD: NCIS Los Angeles. Quanto: R$ 99,90. Lançamento: Paramount Home.

Micmacs – Um Plano Complicado Uma fantasia visualmente tocante do diretor aclamado pela crítica Jean-Pierre Jeunet, que conta a história de um grupo incomum de amigos que tenta destruir os dois maiores negociantes de armas da França. Dany Boon é Bazil, um mero atendente de videolocadora que sobrevive com um projétil na cabeça após ser atingido por uma bala perdida. Ele está desempregado e sem teto, mas sua sorte melhora quando conhece um grupo de empreendedores. Encorajado pelo espírito e entusiasmo de seus novos amigos, Bazil inicia uma louca operação para aniquilar os fabricantes de armas que o feriram e mataram seu pai. Uma inventiva batalha moderna de Davi contra Golias!

48

DVD: Micmacs – Um Plano Complicado. Quanto: Apenas para locação. Lançamento: Sony Home.

Fotos: Divulgação

Acreditando que a vida é algo mais do que ter um marido, uma casa e uma carreira, Liz Gilbert (Julia Roberts) descobre um novo apetite pela a vida nesta inspiradora história verdadeira, baseada num livro de enorme sucesso de vendas. Liz deixa Nova York decidida a passar um ano viajando pela Itália, Índia e Bali em busca da descoberta pessoal, através da boa comida, da meditação e da esperança de encontrar o amor verdadeiro, numa aventura magnífica e inspiradora, regada a bom humor e emoções.


Cultura . home video Um Jantar Para Idiotas

Fotos: Divulgação

Falta pouco para que Tim (Paul Rudd), um executivo em ascensão, tenha sucesso na empresa. Seu primeiro obstáculo, porém, surge quando seu chefe Fender (Bruce Greenwood) resolve lançar um desafio inusitado, um jantar para pessoas “extraordinárias”. Disposto a colaborar com o estranho hobby do chefe, por sorte, ele conhece Barry (Steve Carell), um cara que monta famosos números musicais com ratos embalsamados. Quando a dupla aparece no jantar, a maluquice vai às alturas. É uma festa hilariante de dois improváveis amigos e um jantar ainda mais desvairado. Blu-ray: Um Jantar Para Idiotas. Quanto: R$ 89,90. Lançamento: Paramount Home.

Phil Collins Este DVD registra Phil Collins apresentando seu excelente álbum Going Back, em apresentação ao vivo. Gravado em junho de 2010, nas adjacências intimistas do famoso Roseland Ballroom, de Nova York, o DVD é uma oportunidade real de se sentir próximo a Collins enquanto ele faz uma releitura fiel dos clássicos do soul e da Motown, que amava quando era adolescente. Sua banda de 18 integrantes inclui três membros originais da banda de apoio da Motown The Funk Brothers – Bob Babbitt, no baixo, e os guitarristas Eddie Willis e Ray Monette –, assim como os companheiros Chester Thompson, na bateria, e Daryl Stuermer, nas guitarras. DVD: Phil Collins Going Back. Live At Roseland Ballroom NYC Quanto: R$ 45,00. Lançamento: ST2 Vídeo.

Robin Hood Russell Crowe estrela como a figura lendária, conhecida por gerações como Robin Hood, cujas proezas que permanecem na mitologia popular despertaram a imaginação daqueles que compartilham seu espírito de aventura e de justiça. Na Inglaterra do século XIII, Robin e seu bando de saqueadores confrontam a corrupção em um vilarejo local e lideram uma revolta contra a coroa, a qual irá alterar para sempre o equilíbrio do poder mundial. E, sendo herói ou bandido, um homem de origem humilde se tornará um símbolo eterno de liberdade para seu povo. O filme abriu o prestigiado Festival de Cannes. Blu-ray: Robin Hood. Quanto: R$ 79,90. Lançamento: Universal Pictures.

O Lobisomem O Lobisomem traz o mito do homem amaldiçoado de volta à sua origem icônica. O premiado Benicio Del Toro é Lawrence Talbot, um homem assombrado que retorna à sua terra natal depois do desaparecimento de seu irmão. Com o pai, John Talbot (Anthony Hopkins), tenta encontrar seu irmão e descobre um terrível destino para si mesmo. A infância de Lawrence Talbot terminou na noite em que sua mãe morreu e, para esquecer a perda, ele se distancia de sua família. Mas sua cunhada, Gwen Conliffe (Emily Blunt), o traz de volta para ajudar a encontrar seu irmão. Lawrence descobre que algo com uma força brutal e uma insaciável sede de sangue está matando os moradores da vila, e um misterioso detetive, Aberline (Hugo Weaving), está investigando o caso. Blu-ray: O Lobisomem. Quanto: R$79,90. Lançamento: Universal Pictures.

Meninos não choram Hilary Swank venceu o primeiro dos seus dois Oscar de melhor atriz pela sua impressionante atuação neste provocante drama da vida real. Swank é Teena Brandon, uma garota problemática que deixa Lincoln, Nebraska, mas chega a Falls City como Brandon Teena. Com um corte de cabelo curto e uma roupa de rapaz durão, Brandon se apaixona pela linda Lana (Cloë Sevigny) e começa a encontrar-se com ela, até que a ambiguidade sexual de Brandon coloca um confronto explosivo em curso. Blu-ray: Meninos não choram. Quanto: R$59,90. Lançamento: MGM/Fox Home.

49


Cultura . artes visuais C

om o patrocínio do Banco do Brasil, o Instituto Tomie Ohtake realiza a exposição Miragens, idealizada por Rodolfo Athayde e com curadoria de Ania Rodríguez. A mostra reúne 58 obras de arte contemporânea, de 19 artistas destacados no cenário internacional, que têm em comum em suas produções o universo cultural islâmico. Miragens busca confrontar, através da poética dos artistas reunidos, a imagem estereotipada que o Ocidente acabou desenvolvendo sobre o Islã e sua cultura. Com obras que utilizam de técnicas tradicionais a videoinstalação e oscilam de grandes enigmas visuais a hilariantes paródias, a exposição apresenta tanto o encantamento quase mágico da caligrafia islâmica quanto a ameaça bélica permanente e o rigor de alguns costumes. As obras vêm de coleções europeias e norte-americanas, e de acervos de Paris, Istambul e Damasco, mostrando a diversidade de perspectivas que podemos encontrar na arte realizada em países do Norte da África e Oriente Próximo, ou a partir da França, Reino Unido, Estados Unidos, Holanda e Alemanha - como partes de importantes diásporas. “Desfazer o espelhismo que nubla o conhecimento do ‘outro’, deixando as vozes dos portadores atravessarem nossas próprias certezas , é o desafio da mostra ”, afirma Ania Rodríguez. “A tradição muçulmana é muitas vezes questionada e mesmo reinventada nos trabalhos reunidos na exposição, a partir de técnicas e imagens típicas aproveitadas para estruturar discursos que dialogam com o presente ”. As fotografias de Shadi Ghadirian, por exemplo, dão conta disso; nelas, a artista se apropria do estilo “retrato de estúdio”, introduzido no Irã no final do século XIX, para propor um conjunto de anacronismos com objetos modernos importados do Ocidente: telefones, aparelhos de som,

50

aspiradores. As mesmas tensões e diálogos são encontrados na obra inédita de Mounir Fatmi “Entre linhas”, uma lâmina de serra de grande formato com inscrições em caligrafia árabe, onde a beleza e a aparência de fragilidade da filigrana contrasta com a rudeza e a violência implícita do material e com as ameaçadoras bordas dentadas; ou na obra de Sener Ozmen, onde uma espécie de superhomem interpretado pelo próprio artista dedica-se a cumprimentar Alá. A leitura política se faz presente na obra de Shirin Neshat – uma das mais conhecidas artistas da exposição –, em cuja série “Mulheres de Alá” fragmentos de corpos femininos são associados a inscrições caligráficas e armas. Destaca-se ainda o artista turco Halil Altindere, reconhecido internacionalmente, sobretudo pelo vídeo “Dengbejs”, de 2007, mostrado na última Documenta de Kassel. O artista apresentará também a sua obra mais recente, o vídeo “Oracle”, feito especialmente para a mostra. Os artistas convidados para a mostra Miragens são Shirin Neshat, Shadi Ghadirian, Bita Ghezelayagh (Irã), Khaled Hafez e Susan Hefuna, Wael Shawky (Egito), Ali Talib, Hassan Massoudy (Iraque), Halil Altindere, Sener Ozmen (Turquia), Kamel Yahioui (Argélia), Laila Shawa, Malileh Afnan, Taysir Batniji ( Palestina ), Lucia Koch (Brasil), Mounir Fatmi (Marrocos), Shezad Dawood (Inglaterra), Rachid Koraichi (Argélia) e Ramia Obaid (Síria). Serviço: O que: “Miragens” Onde: Instituto Tomie Ohtake Av. Faria Lima, 201 (Entrada pela Rua Coropés) – Pinheiros, São Paulo (SP). Tel.: (11) 2245-1900. Quando: De 10 de fevereiro até 03 de abril, de terça a domingo, das 11h às 20h. Quanto: Entrada gratuita.

Fotos: Divulgação

Miragens no Tomie Ohtake


Cultura . artes visuais

O Mundo Mágico de Escher

Fotos: Renée La Rovere Melo. Fotos: Renée La Rovere Melo.

m panorama significativo do ilusionismo gráfico do holandês M.C. Escher [1898 - 1972], com 95 gravuras originais, desenhos e instalações, pode ser visto na mostra que o CCBB RJ apresenta até 27 de março de 2011. “O mundo mágico de Escher” é o maior conjunto de obras do artista já exibido no Brasil. Todos os trabalhos pertencem ao Haags Gemeentemuseum, que mantém o Museu Escher, em Haia, Holanda. Reunir tantos trabalhos do artista não foi fácil e, provavelmente, essa será a única oportunidade de apreciar tantas obras reunidas fora do museu. O curador Pieter Tjabbes, holandês radicado em São Paulo, levou cinco anos para convencer o museu a liberar originais para itinerar pelo país. “Só existem três coleções no mundo. As gravuras são muito frágeis e o Haags Gemeentemuseum, depois desta mostra, não poderá exibi-las por mais de quatro anos”, explica Pieter Tjabbes, curador da mostra coordenada pela Art Unlimited. “O mundo mágico de Escher”, apresentada no CCBB Brasília, de outubro a dezembro de 2010, segue do Rio de Janeiro para o CCBB São Paulo, em abril de 2011. A exposição permitirá que o público passe por uma série de experiências que desvendam os efeitos óticos e de espelhamento que Escher utilizava em seus trabalhos: como olhar por uma janela de uma casa e ver tudo em ordem e, em seguida, ver tudo flutuando por outra janela, ou, ainda, assistir a um filme em 3D que possibilita um divertido passeio por dentro das obras do artista gráfico. A expografia apresentará animações de algumas de suas gravuras. Os trabalhos de Escher são um dos mais reproduzidos no planeta no século 20 - de gravatas e camisetas a tapetes artesanais dos Andes e à alta costura, através do inglês Alexander McQueen [1969-2010], na coleção de outono 2009. Suas gravuras instigantes têm formas entrecruzadas, criaturas em transformação e arquiteturas impossíveis para desafiar a percepção do espectador da realidade. As composições, sofisticadamente construídas, combinam realismo acurado com a exploração fantástica de padrões, perspectivas e espaço. Escher ficou mundialmente famoso por representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses – padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes. Sua capacidade de gerar imagens com impressionantes efeitos de ilusões de óptica, com notável qualidade técnica e estética, respeitando as regras geométricas do desenho e da perspectiva, é uma de suas principais contribuições para as artes. “Ele sempre fez questão de ressaltar que se considerava um artista gráfico. O questionamento de alguns críticos sobre sua obra ser ou não arte, para ele, era irrelevante. Escher era um gravador e desenhista com muito talento e muitos artistas já se inspiraram em suas obras ou temas“, ressalta o curador. Tudo na exposição foi pensado para que o público, de uma forma lúdica, atente para as dimensões visuais criadas por Escher. Assim como o artista adorava brincar com a percepção imediata das pessoas, apresentando um mundo dos sonhos, onde não existem direções certas, em cima ou embaixo (Outro mundo,1947 e Relatividade, 1953), a mostra também recriará essa sensação se utilizando de alguns efeitos, como o de uma imagem plotada no chão que se completa no espelho curvado, numa divertida mistura das três dimensões. “Adoramos o caos porque sentimos amor em produzir ordem“, dizia o artista.

Fotos: Renée La Rovere Melo.

Fotos: Divulgação

U

Serviço: O que: “O mundo mágico de Escher” Onde: Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro - Rua Primeiro de Março, 66 Centro, Rio de Janeiro (RJ). Tel.: 21 3808-2020 Quando: Até 27de março de 2011, de terça a domingo, das 9h às 21h. 51 Quanto: Entrada gratuita.


Cultura . literatura Helenas A poesia de Márcia Sandy revela a lucidez de um olhar plural sobre a experiência humana por meio de uma exploração rigorosa da linguagem. A interrogação sobre o sentido se coaduna com a musicalidade de uma escritura densa, que canta com precisão cirúrgica a alegria e a dor da vida. É uma obra contra o deserto, talvez por isso a invocação da água em tantas formas. Também é uma obra sobre o tempo, talvez por isso tantos silêncios. O que se afirma em beleza é a maturidade da poeta, sua persistência na fidelidade ao lirismo, que ela confessa perseguir às vezes por anos até. Helenas é fruto de uma gestação criativa de versos burilados a fio, “indo e vindo”, como a cadeira de balanço do poema “Destino”. Poesia de um eu que se exibe sem falsos pudores, atinge também, com olhar dolorido, os contrastes da nossa realidade social. Autor: Márcia Sandy. Quanto: Preço não divulgado. Editora: Com-Arte. Páginas: 80.

Ninguém me convidou O livro resulta da parceria de Allan Sieber com seu pai, Jouralbo Sieber. Os dois se uniram para recontar histórias e casos da vida de Jouralbo, desenhista da publicidade gaúcha dos anos 1940 até 1990. “Hoje, vejo claramente que, além de querer contar a(s) história(s) dele, eu queria fazer esse livro para ficar ao lado do meu pai e ouvi-las. [...] Vendo suas histórias reunidas aqui, sou obrigado a concluir que ele me influenciou muito mais do que eu imaginava”, comenta o autor. Allan Sieber é autor de quadrinhos, cartunista e animador. De 1996 a 1997, publicou a tira Bifaland no Caderno Zap, do jornal O Estado de S. Paulo. Editou e desenhou de 1993 a 1997 a revista em quadrinhos Glória, Glória, Aleluia, premiada em 1996 e 1998 com o Troféu HQ-Mix, o “Oscar” dos quadrinhos brasileiros. Em 1998 recebeu também o Troféu HQ-Mix de Desenhista Revelação. Autor: Allan Sieber e Jouralbo Sieber. Quanto: R$ 23,00. Editora: Conrad. Páginas: 112.

O efeito urano Com o olhar ácido que lhe é característico, Fernanda Young conta a história do relacionamento de Helena e Cristiana, que arriscou o casamento e uma vida confortável ao lado de um marido apaixonado para embarcar em uma aventura amorosa. A Rocco assume a reedição da obra completa da criadora do seriado Os Normais, em sofisticado projeto gráfico. O amor, muitas vezes, é um sentimento complicado, que provoca mudanças na vida de alguém. No caso de Cristiana, protagonista de O efeito urano, romance de Fernanda Young que chega agora às livrarias em novo projeto gráfico, a transformação foi radical: ao se envolver com Helena, ela arriscou o casamento e uma vida confortável ao lado de um marido apaixonado para embarcar em uma aventura. Com o olhar ácido que lhe é característico, a autora conta a história desse relacionamento e suas consequências. Autor: Fernanda Young. Quanto: R$ 24,00. Editora: Objetiva. Páginas: 176.

Oportunidade para um pequeno desespero O título sugestivo está nas páginas de O castelo quando K. encontra-se sozinho na rua com os pés afundados na neve, entre um castelo e uma aldeia desconhecidos, e pensa: “Oportunidade para um pequeno desespero”. Nikolaus Heidelbach selecionou as histórias deste livro entre os diários e textos de Franz Kafka. Suas ilustrações comentam com humor o absurdo da aparente normalidade da existência humana que Kafka expressou em sua obra. São 26 textos-parábolas brilhantemente escolhidos, que compõem por si só o ineditismo do livro, acompanhados de ilustrações com grande apelo visual, originalidade e humor. Uma oportunidade de ver Kafka como nunca se viu antes.

52

Autor: Franz Kafka. Quanto: R$ 42,00. Editora: Martins Fontes. Páginas: 118.


53


Desembarque

Oásis entre coqueiros Costa dos Coqueiros, com praias belíssimas e bem preservadas, está situada ao longo de 193km no litoral norte da Bahia. Abrange Lauro de Freitas, Costa do Sauípe, Praia do Forte e Imbassaí. Ecossistemas diversos convivem em harmonia, criando paisagens de tirar o fôlego. A fauna desse trecho do litoral também é privilegiada, com tartarugas-marinhas, baleias e pássaros raros. Um dos atrativos principais são as ruínas do único castelo medieval construído no país, o da família Garcia d’Ávila, a Casa da Torre. A construção, moldada como uma espécie de feudo, serviu de base para a colonização do litoral norte e da expansão da pecuária na Região Nordeste do Brasil. Outra atração é visitar a sede do Projeto Tamar e conhecer de perto as tartarugas marinhas, que podem chegar a mais de três metros de comprimento. A Praia do Forte, situada no município baiano de Mata de São João, a 50 km de Salvador, apresenta mais de 12 km de praias, com várias piscinas naturais formadas por arrecifes ao longo da costa e muitos coqueiros. Conhecida pela natureza exuberante, a Costa do Sau-

ípe localiza-se em área de proteção ambiental (APA). Para que os turistas conheçam as belezas naturais, são organizados passeios ecológicos na mata, nos rios e nas praias. Um dos mais bem estruturados complexos turísticos privados do Brasil, a região possui seis agradáveis pousadas e cinco grandes hotéis de alto padrão. A Vila Nova da Praia é uma atração à parte na Costa do Sauípe. Sua arquitetura reproduz os típicos vilarejos baianos nas fachadas das casas, lojas e restaurantes. Lá, todo dia é possível conhecer mais sobre o folclore e as artes baianas em shows musicais, danças, mostras de artistas plásticos e oficinas de artesanato. Mangue-Seco, pequena vila de pescadores em Jandaíra, é a última praia no extremo norte do litoral baiano. A dificuldade do acesso, exclusivamente de barco, através do Rio Real, é o que torna Mangue Seco mais atraente e a mantém naturalmente rústica. As poucas ruas são cobertas de areia fina e macia. Sua população não ultrapassa 200 habitantes. A beleza do local foi retratada na novela Tieta, inspirada no romance Tieta do Agreste, de Jorge Amado.

Região se estende por 193 km de praias belíssimas no litoral baiano.

54

Fotos: Embratur/ Divulgação

A

Costa dos Coqueiros | BA


Projeto Tamar tem sede no local.

Pode-se encontrar ali praias desertas. Vilarejo típico da Bahia.

Região possui hotéis sofisticados.

Coqueiros estão sempre presentes na paisagem.

Praia do Forte.

Mais informações: Secretaria de Turismo da Bahia: www.setur.ba.gov.br

55


Desembarque Na rota do ciclo da borracha

Belém | PA

Mercado Ver-o-Peso, que reúne duas mil barracas de camelô.

C

ultura popular riquíssima, frutas deliciosas típicas da região, construções com arquitetura incrível e traços marcantes da cultura indígena são algumas das atrações de Belém, capital do Pará. Na Cidade das Mangueiras – como é carinhosamente chamada pela população local –, parte da história brasileira pode ser vista de perto. A Cidade Velha abriga lembranças de uma época anterior ao ciclo da borracha, que estão estampadas nas ruas estreitas e nos casarões com fachadas de azulejos que datam do século XVII. Um passeio pelos arredores pode conduzir o visitante a uma viagem pelo tempo. Em Belém você também pode aproveitar o encanto da mata nativa. Inspirado no “Bois de Boulogne” (Paris), o Bosque Rodrigues Alves mostra um pouquinho da beleza da Amazônia. Há deliciosos locais para caminhadas, piqueniques ou simplesmente para desfrutar do convívio com a natureza. O maior atrativo da cidade é o Mercado Ver-o-Peso,

56

situado nas proximidades do antigo Mercado de Ferro, junto ao cais. O local tem esse nome porque, no período colonial, eram feitas ali as verificações do peso das mercadorias, que chegavam pelo porto ao lado. Foi criado em 1688, quando os portugueses resolveram cobrar imposto de tudo que entrava e saía da Amazônia. Hoje reúne duas mil barracas e camelôs por toda parte. No lugar se encontra de tudo: ervas medicinais, frutas regionais, artesanato, utilidades domésticas, carnes, peixes e temperos. A cidade preserva bem suas riquezas arquitetônicas. A Basílica de Nossa Senhora de Nazaré foi construída em 1852, exatamente no local onde a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi encontrada pelo caboclo Plácido. Apresenta uma combinação harmônica de elementos decorativos espalhados por todos os lados. Em seu interior existem 32 colunas de granito, 54 vitrais feitos na França e que contam a história do Círio, além de 38 medalhões em mosaico. O Teatro da Paz, o mais importante do Pará, ostenta e


Mais informações:

Docas em Belém.

simboliza a riqueza dos tempos áureos da borracha. Seu projeto foi elaborado no estilo neoclássico. A construção começou em 1868, mas só terminou seis anos depois, em 1874. Possui sala de espetáculos com 1.100 lugares, obedecendo ao critério teatral italiano. O Museu Emílio Goeldi, reconhecido há tempos como um dos mais importantes centros de pesquisa científica do Brasil, dedica-se ao estudo da flora e fauna Amazônica. No parque zoobotânico o visitante vai poder conhecer e admirar mais de três mil amostras de plantas da região, além de um pequeno zoológico. O Museu de Arte Sacra funciona no conjunto formado pela Igreja de Santo Alexandre e o Palácio Episcopal, no Bairro da Cidade Velha – núcleo que deu origem à cidade. Detentor de um rico acervo com mais de 300 peças de arte sacra, é um dos mais importantes do País.

Informações turísticas: +55 (91) 3212-8484 Secretaria de Turismo do Pará: www.paratur.pa.gov.br

Artesanato indígena. Teatro da Paz, inaugurado em 1874.

57


Desembarque Montanha mágica

Fotos: Werner Zotz/ Divulgação

Campos do Josrdão | SP

Arquitetura tem influência da imigração suíça.

C

ampos do Jordão é uma cidade charmosa e aconchegante, com ares de serra. Seus principais atrativos são as edificações em estilo europeu e as belezas naturais, que tomam conta dos arredores. Ali há passeios de teleférico, bondinho, trem, parques ecológicos, rios, cachoeiras, grutas, museus, igrejas e muito mais. O Mosteiro São João, das Irmãs Beneditinas (Av. Dr. Adhemar de Barros, 330 - Vila Abernéssia. Abertos a visitação todos os dias, das 9h às 11h, 13h30 às 15h e das 15h30 às 17h30. Tel.: 12 3662-4277) situa-se próximo ao centro comercial, mas num ambiente onde o silêncio e as orações se fazem sempre presente. É nesse clima que as pessoas podem conhecer os artesanatos feitos pelas irmãs, além de desfrutar de um ambiente de muito verde, procurados para fotografar. Nos finais do dia, às 17h, as irmãs ecoam os cantos gregorianos para encerrar suas atividades diárias. O Parque Amantikir (rodovia Campos do Jordão / Eugênio Lefevre, 215, bairro Gavião Gonzaga. Tel.: 12 3664 2757. Aberto das 8h às 17h) é um jardim botânico em plena harmonia com a Serra da Mantiqueira. Com natureza exuberante, abriga 800 espécies de plantas e mais de 80 espécies de pássaros.

58

No alto da Serra localiza-se a majestosa Pedra do Baú, com seus 1.950 metros de altitude. Embora pertença ao município de São Bento do Sapucaí, a Pedra do Baú faz parte do roteiro turístico de Campos do Jordão, e pode ser vista de quase todo o município. A pedra é muito procurada para a prática de esportes radicais, como escaladas e trilhas. O visitante que segue pela estrada que leva ao Pico do Imbiri, partindo de Vila Jaguaribe, se depara no alto com uma enorme gruta, cujo interior é alcançado por uma escada de pedra. O salão principal possui cerca de 200 metros quadrados, e prossegue por um emaranhado de pedras que lhe empresta um ar de mistério. Distante 13 km da Vila Capivari, o Parque Estadual ou Horto Florestal é o mais antigo do Brasil. Sua área de 8.341 hectares ocupa um terço da superfície total da Estância de Campos do Jordão. O local abriga a maior reserva de coníferas do Estado e belas cachoeiras. Os amantes de caminhadas encontrarão na entrada do Parque um mapa com informações sobre as diversas trilhas. Em julho, a cidade sedia um famoso festival de música clássica, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão.


Bondinho faz um tour pela região.

Mais informações:

Fotos: Divulgação

Prefeitura Municipal: www.camposdojordao.sp.gov.br Festival de Inverno: www.festivalcamposdojordao.org.br

Construções lembram pequenas comunidades europeias.

Arquitetura em enxainel.

Pedra do Baú, famosa entre escaladores.

Horto abriga vegetação de coníferas.

59


Estação

DE PARTIDA

Por Juliana Pamplona Jornalista, apaixonada por viagens de todos os tipos, curtas ou longas, à cidade vizinha ou ao outro lado do mundo. Carrega na bagagem um passaporte carimbado em diversos países, experiências e descobertas, que divide aqui com vocês, leitores. estacaodepartida@gmail.com

VIAJANDO SEM SAIR DE CASA O portal www.viagensimagens.com possibilita uma experiência única: uma volta ao mundo sem sair da poltrona de casa. Lá estão fotos, dicas de turismo e até vídeos das principais cidades do mundo, subdivididas em categorias como Cidades das Américas, Cidades da Europa, Lugares Especiais, Estados USA, Castelos&Palácios e Brasil. “Bora” viajar!

60

SORVETE DE PIPOCA SALGADA

ESTILIZADO

Bem pertinho da Place du Tertre, no charmoso e agitado bairro de Montmartre, em Paris, tem uma sorveteria singular. A gelateria Tutti Sensi oferece 41 sabores de sorvetes inusitados. Provei dois que jamais esquecerei: crème brulée e sorvete de pipoca. Pasmem, pipoca salgada! É a mais perfeita união, não?!

Um porta-cartões e um porta-passaporte diferente sempre chamam atenção e ficam uma graça em sua bagagem. Pois eu indico os da marca Pylones, que é divertida, colorida e de altíssima qualidade. No Brasil existem três lojas da marca francesa, cujos produtos são projetados por 12 designers: duas lojas em São Paulo, no Shopping Iguatemi e no Market Place e uma no Rio de Janeiro, no Barra Shopping.


BAGAGEM EXTRAVIADA

BAGAGEM EXTRAVIADA II

Muitas são as dúvidas a respeito do assunto. Em tópicos, vamos tentar saná-las. Sua bagagem será considerada extraviada caso não seja entregue no seu ponto de destino. Neste caso, procure o balcão da companhia aérea para reclamar. Lá você deverá preencher o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB). Se a companhia deixar de cumprir com suas obrigações, procure o Fiscal de Aviação Civil do DAC, localizado na Seção de Aviação Civil (SAC), nos principais aeroportos brasileiros. Se quiser reclamar ao DAC, basta preencher o Impresso de Sugestão e/ou Reclamação (ISR) na própria SAC ou, então, no Portal Oficial da Aviação Civil, em www.dac.gov.br. Tem ainda um telefone para ligação gratuita: 0800-725-4445.

Se sua bagagem for extraviada no exterior, existem algumas empresas aéreas que oferecem uma ajuda de custo neste caso, mas isso depende da empresa. Se a mala não for encontrada em 30 dias, em viagens internacionais, o valor estipulado para a indenização pela Convenção de Varsóvia é de U$S 20 por cada quilo de bagagem declarada. Já em vôos nacionais, de acordo com a Anac, o Código Brasileiro de Aeronáutica (CBAer), que é de 1986, estabelece que a indenização por dano ou perda de bagagem limita-se a 150 Obrigações do Tesouro Nacional (OTNs), um índice que não existe mais, mas que se fosse atualizado pela inflação daria hoje pouco mais do que R$ 1,9 mil.

BAGAGEM EXTRAVIADA III Você tem a opção de declarar os valores atribuídos a sua bagagem antes do embarque, através da Declaração Especial de Interesse, e pagar uma taxa estipulada pela empresa, uma espécie de seguro. A empresa tem o direito de conferir o conteúdo da bagagem. Neste caso, se sua bagagem for extraviada, você deverá receber o valor declarado e aceito pela empresa. Ficam de fora desta declaração objetos de valor como joias, dinheiro e papéis negociáveis, que devem ser carregados na bagagem de mão.

FILME DO MÊS Quer passear por Barcelona através da tela de sua TV? O filme Albergue Espanhol te leva à cidade espanhola de Gaudí e, de quebra, com um passeio fabuloso ao mundo de adolescentes que moram em uma república. A catedral da Sagrada Família, obra inacabada de Gaudí, e o Parque Guell, dois cartões postais da cidade, fazem parte das locações do filme, cuja direção é do francês Cédric Klapisch. Uma das personagens é a atriz queridinha da França, Audrey Tautou, a mesma do filme “O Fabuloso destino de Amélie Poulain”.

Viajar promove a independência e a responsabilidade. Amplia nossos limites. Traz alegria e novidade para o cotidiano. Reforça nossa bagagem cultural. Dá parâmetro para comparações. Martha Medeiros

61


Sua fantasia de carnaval é curtir uma gastronomia diferenciada, em ambiente aconchegante, com um visual privilegiado? Então seu lugar é aqui.

Café Riso veste

Prêmio Veja Santa Catarina Comer & Beber

Prêmio Veja Santa Catarina Comer & Beber

Café Riso Plage – Jurerê Internacional Reservas: 48 3223 8753 / 9943 5222 www.caferiso.com.br

62


Homenagem

O manezinho cosmopolita

N

os últimos meses, o personagem mais falado na Ilha, sem dúvidas, foi o Doutor Aderbal, o “Dotô” para os humildes e necessitados que dele gostavam ou a ele recorriam. Sua ligação lúdica com a Ilha fez dele uma figura cheia de misticismo e, até, um certo mistério. Sua convivência com os pescadores e os humildes, em verdade, proporcionava-lhe um certo prazer e um sentido de vida. O que deveria servir de contraste, mas, em verdade ajudava a compor o conjunto era o seu cosmopolitismo; doutor Aderbal era, como disse um dos vários cronistas que sobre ele escreveram, um homem do mundo. Conhecia os meandros da Europa como ninguém, pois vasculhou o Velho Continente durante anos. Sabia a origem dos vinhos, suas qualidades e sabores, indicando-os por região e pelo tipo da uva. Isto tudo sem exibicionismo ou pedantismo, defeitos que abominava, e nem combinavam com sua personalidade. Bem ao final de sua trajetória terrestre, sofreu o dissabor de uma infecção durante uma cirurgia de catarata, que lhe roubou muito de sua visão, mas isso nunca o fez desistir de tudo o que gostava, nem lhe tirou sua alegria, sua vontade de estar diariamente com os amigos. Chegou a instalar escritório político para atender as pessoas que com ele necessitassem falar. Neste tempo, teve uma companhia que dele cuidava, fiel e valentemente, um amigo de cor, Valdir Vidal, que enxergava por ele e, se preciso, o defenderia com a própria vida. Suas opiniões sobre a Ilha, por estas razões, também eram avançadas, e até certo ponto radicais. Foi um dos primeiros homens públicos locais, senão o primeiro, a se preocupar com água e saneamento por aqui. Era visceralmente contrário ao gigantismo da Beira-Mar, dizendo que nós estávamos conseguindo copiar o pior do Rio de Janeiro, sem saber que poderíamos estar inviabili-

zando nossa Ilha. A lei da imitação sociológica é inexorável, implacável. Ocorre a imitação do que é ruim, sempre. Aderbal foi tudo isto, político poderoso, empresário poderoso, amigo poderoso. Foi sócio majoritário da Imobiliária Jurerê, chamando para elaborar seu traçado urbanístico ninguém mais ninguém menos do que Oscar Niemeyer, amigo de seu também amigo César Ávila, um dos maiores médicos da história da medicina gaúcha, embora catarinense de nascimento. César, no início, chegou a ser sócio da empresa balneária. O detalhe é que ambos, Niemeyer e Ávila, eram comunistas. Aderbal não trazia consigo nenhum preconceito ideológico e religioso. À época não era fácil assumir estas posições destemidas e corajosas. Por que tudo isto? Devido à formação cultural, cosmopolita. Possuía biblioteca razoável, onde despontava sua preferência por livros sobre história principalmente, e biografias dos grandes líderes políticos mundiais, entre os quais Churchill, Napoleão, Disraeli, Cromwell. Nossa revista, que também é do mundo, cosmopolita, sem querer ser esnobe, quis trazer a público o lado mais desconhecido, menos falado do Doutor Aderbal, porque ele o escondia, para evitar que lhe confundissem com o que ele sempre foi, um homem simples, igual, prazeroso, bem-humorado. Que gostava de contar piadas e estórias pitorescas. Ao mesmo tempo guardava segredos, até os de polichinelo, como todo grande político que pretenda carreira longa é obrigado a respeitar e seguir. Pois o Doutor Aderbal foi um mestre para os ilhéus, para os que o conheceram e privaram de sua companhia, como foi um pai para os que dele necessitaram e foram atendidos. O seu carisma há de permanecer.

63


Gastronomia

Lugar mais charmoso da Ilha Conheça Santo Antônio de Lisboa, um dos mais tradicionais bairros de Florianópolis, a partir do que ele tem de melhor: vista paradisíaca e deliciosa comida.

H

á lugares na ilha da magia por onde o turista não pode deixar de passar. Lagoa da Conceição, centro histórico e Jurerê Internacional, por exemplo, são paradas obrigatórias para quem visita a capital catarinense. Mas não conhece Florianópolis quem não passear por Santo Antônio de Lisboa. Uma das primeiras comunidades fundadas por açorianos, na metade do século XVIII, o local preserva ainda estas características coloniais típicas, tendo se tornado um refúgio de incomparável beleza natural, encantadoras construções e uma das principais referências gastronômicas na ilha. A especialidade, claro, são os frutos do mar de produção florianopolitana. Entre as diversas opções de restaurantes no bairro, uma das mais famosas é o Bate Ponto, pela qualidade de seus pratos e a vista privilegiada que oferece, encantando mesmo os clientes nativos, que parecem não se habituar e muito menos se cansar da beleza do local. Embora tenha sido fundado em 2001, a tradição de sua culinária é antiga, oriunda do avô do proprietário Murilo Mafra Filho, Dário, um legítimo manezinho íntimo dos segredos da cozinha caseira das colônias de pescadores da ilha e dos arredores. No Bate Ponto, os pratos mais tradicionais ganham uma releitura, mais original e sofisticada. As ostras saem do lugar comum, ganhando versões na moranga e o original “arroz de ostras”. A Moqueca Mista, especialidade da casa, traz uma composição bastante farta e completa de frutos do mar, com camarão, lula, marisco, peixe, além de polvo. Mas, para quem não é adepto de frutos do mar e mesmo assim quer “bater ponto”, curtindo a maravilhosa vista e a companhia dos amigos, a casa também possui diversas opções deliciosas em carnes e saladas. Além disso, o Bate Ponto é o único restaurante de Florianópolis a possuir uma carta de azeites, trazendo o produto em sua versão chilena, grega, espanhola, italiana e portuguesa, satisfazendo, assim, mesmo aos mais criteriosos gourmets. Serviço: Endereço: Rodovia Gilson da Costa Xavier, 51 – Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis/SC Telefone: (48) 3234.2121 Horário de Funcionamento: todos os dias, das 11h45 às 23h45.

64


Vinhos Foto: Divulgação

Vinhos para o verão

U

ma das explicações mais comuns para o baixo consumo de vinho pelos brasileiros, em especial no Verão, é de que se trata de uma bebida muito forte para nosso clima tropical. Nada mais equivocado, pois se isso fosse verdade ninguém tomaria tanto uísque e caipirinha na praia. Os destilados variam de 40 a 50 graus de álcool, enquanto o vinho fica entre 10 e 14. A razão principal é outra: no Brasil se produz cachaça desde os tempos coloniais, barata e abundante. O calor fez da cerveja, também barata, a paixão nacional. O vinho era sempre importado e caro, só acessível a quem tinha bom poder aquisitivo. A produção nacional iniciou-se no Sul, com a imigração italiana, baseada em castas inadequadas de que resultavam vinhos atrozes. Somente de alguns anos para cá essa situação mudou, com a implantação de parreirais de Vitis vinifera, hoje produzindo vinhos primorosos, sobretudo no planalto catarinense, que vêm arrebatando seguidos prêmios em concursos internacionais. Nossos espumantes, que não são caros, estão entre os melhores do mundo, nada devendo aos champagnes franceses e aos cavas espanhóis. Mais um verão se aproxima e os fins de semana na praia, com a família e os amigos, continuam como programa obrigatório. As pessoas se reúnem para comer os excelentes frutos do mar e peixes de nossa abençoada costa, saborear o tradicional churrasquinho, fofocar (esporte tão apreciado quanto o futebol) e, naturalmente, beber. Os destilados, ainda que disfarçados pelos cubos de gelo, têm péssimo efeito. A cerveja “estupidamente gelada” é uma boa pedida para quem a aprecia. O vinho, porém, é imbatível, a começar pela possibilidade de sucessão de tipos e classes que podem ser degustados desde o aperitivo até a sobremesa. Aqui vão algumas sugestões. A partir das dez da manhã um espumante - branco ou rosado, não importa, pois a diferença é só a cor - desce bem com ostras cruas, ao bafo ou gratinadas. Lulas e camarões pedem um branco bem gelado - chardonnay para quem gosta de vinhos mais secos, sauvignon blanc para os que apreciam os frutados. Mas os tintos leves, em torno de 12 graus, também têm seu lugar com frutos do mar, em especial quando fritos, e com peixes preparados com molhos de gosto mais intenso, ou com as espécies gordurosas (tainha, anchova, salmão, etc.), dependendo do gosto de cada um. Bacalhau, em qualquer receita, exige sempre um tinto, neste caso mais encorpado, para harmonizar-se com o sal. Segundo os portugueses, bacalhau não é peixe, mas simplesmente bacalhau, ora pois. Leitãozinho assado, cordeiro mamão e frango casam-se bem tanto com os tintos quanto com os brancos, desde que estes sejam encorpados, como é o caso dos chardonnays elaborados ao estilo da Bourgogne, cuja fermentação se dá em barricas de carvalho. Ago-

Edson Ubaldo* ra, com o nosso velho e bom churrasco no espeto, nada suplanta um tinto possante e raçudo. Não é proibido beber o branco com aquela costela pingando gordura, mas é certo que o vinho perderá por completo o seu sabor, suplantado pelo sal e pela graxa. Além do mais, o poder digestivo dos tintos ameniza a sensação de saciedade e estômago pesado causada pelo churrasco. Outro detalhe importante: embora sempre se deva servir aos amigos um bom vinho, em qualquer ocasião, nos churrascos não é aconselhável oferecer um grand cru, pois o próprio ambiente, pela descontração dos convivas e pelo barulho gerado, não permite que um grande vinho seja apreciado como deve. Com a devida vênia, eu diria que isso é um sacrilégio. Para essas ocasiões, bastam os bons vinhos nacionais, chilenos e argentinos, das variedades merlot, cabernet sauvignon e malbec, ou cortes dessas uvas entre si ou com outras. E para rebater tanta comida e encarar a merecida sesta, indispensável se torna um cálice de Porto. Enfim, nenhuma incompatibilidade existe entre vinho e verão. Pelo contrário, o vinho é a bebida mais recomendável para essa e para todas as demais estações do ano. Comparem-se os conteúdos alcoólicos: uma garrafa de destilado (uísque, rum, vodca, tequila, cachaça) equivale a mais de três garrafas de vinho. Está certo que uma garrafa de vinho corresponde a quase três garrafas de cerveja, mas esta, segundo dizem, estufa o estômago e aumenta a barriga... * Desembargador aposentado. Autor de “Vinho Um Presente dos Deuses”

65 65


Velocidade

Compacto e luxuoso

O

aguardado Aston Martin Cygnet, minicarro desenvolvido pela britânica Aston Martin, chegará às lojas da Europa em abril. O ultracompacto será lançado em duas edições especiais, batizadas de Black e White. Como os nomes já sugerem, as cores da carroceria, em preto ou branco, com acabamento metálico, dão destaque à série. Por dentro, as variantes contam com revestimento de couro liso, com detalhes em Alcantara perfurada, e insertos cromados, entre outras demonstrações de refinamento. De brinde, a Aston Martin oferece ainda um jogo de malas especial, com cinco peças, e feito sob medida para caber no diminuto bagageiro. O luxuoso modelo será oferecido com transmissão manual de cinco marchas, mas poderá, vir equipado com um câmbio automático CVT, como item opcional. Detalhes sobre o motor que empurrará a edição

66

Aston Martin Cygnet especial do Cygnet não foram revelados. Mas sabe-se que a versão convencional do minicarro terá um 1.33 litro Dual VVT-i de 98 cv sob o capô. O pacote de itens série vem recheado com ABS, nove airbags, controle de estabilidade, espelhos retrovisores retráteis, assentos aquecidos, sistema de navegação por satélite, sistema keyless, que dispensa o uso da chave, entre outros mimos. O preço cobrado pelo Cygnet Black ou White é de 30.995 libras esterlinas – o equivalente a R$ 83.000,00. A boa notícia para os brasileiros é que Sergio Habib, presidente da SHC, grupo que detém a representação da Aston Martin no Brasil, confirmou no fim do ano passado o lançamento do Cygnet no País. O empresário não revelou quanto o ultracompacto britânico custará por aqui, mas adiantou que o preço do Cygnet não será inferior a R$ 100 mil. A chegada do modelo está prevista para o próximo mês de agosto.


67


ESPECIAL FASHION RIO

Desfile

Por Ana Marta Moreira Flores

BRITISH COLONY

PRINTING REDLEY

arco-íris

carioca

A 18ª edição do Fashion Rio trouxe muita cor para a o inverno 2011. Os tons vibrantes do arco-íris aparecem pincelados nos mais de 25 desfiles da semana carioca, trazendo mais vida aos dias cinzas de inverno. O mote do Fashion Rio se envolveu na Alma Carioca, um jeito de ser, uma qualidade própria e única. A inspiração para o evento buscou em seus principais protagonistas um processo coletivo de construção deste mindstyle a partir da moda. “O indivíduo dentro de um contexto, em um grupo, vira uma força criativa,” diz Paulo Borges, curador e diretor do evento. “Estamos mobilizando e revelando essa força que são as pessoas e o que elas realizam de forma positiva”, reforça.

68 68

Na passarela, a Alma Carioca transcende o espaço físico do Rio de Janeiro e projeta imagens e sensações carregadas com este espírito para o mundo. O minimalismo e a assimetria nos shapes vem como tendência em saias longas, casacos compridos e blusas retas. As calças aparecem ora mais ajustadas ao corpo com barra mais curta ou como pantalonas com tempero anos 1970. O couro ecológico e as peles falsas conquistaram de vez os estilistas mais antenados, como nas marcas Ausländer e British Colony. Na cartela vibrante de colorações, do vermelho ao roxo, todos os feixes de cor passam pelo Rio. O vermelho em tom mais fechado aparece tímido, mas em looks total red na coleção da Coven, Ausländer e Redley. Os tons alaranja-


PRINTING

GIULIA BORGES MARIA BONITA EXTRA

dos apareceram com destaque nos casacos da British Colony e na inspiração de Andrea Marques, Printing, Melk Z Da, Oestudio e Têca. O amarelo vem em vários tons, do mais clarinho ao super aceso amarelo-ovo, em composições ousadas e monocromáticas; o destaque canarinho vai para a British Colony, Nica Kessler e Printing. Seguindo o espectro de cores, o verde também se mostra em diferente nuances, do verde-bandeira ao verde-jade. Andrea Marques, New Order e Giulia Borges apostam no verde total e em botões tamanho XL, recortes e acessórios utilitários para dar contraste no styling. Nas coleções da Cantão, Coca-Cola Clothing, Espaço Fashion, Lucas Nascimento, Melk Z Da e Totem: muito azul. Do blue jeans à seda, pas-

sando por cabelo sintético de Melk Z Da, a cor impera em modelitos excêntricos e despojados. Fechando a cartela de cores do arco-íris fashion, o roxo aparece pouco, mas merece menção pelos vestidos estampados da Cantão e Maria Bonita Extra. As estampas aparecem pouco, em padrões abstratos, floral e xadrez. Em quase todas as coleções, muita mistura de materiais contrastantes. O couro vem como melhor amigo da renda, e o mix aparece no styling ou unido em uma mesma peça. O paetê, que dá o brilho a algumas estações, segue em apliques luminosos na Alessa, Cantão, Giulia Borges e Maria Bonita Extra. A semana de moda ainda antecipa o que vai cair aos

69


ALESSA

seus pés neste inverno: ankle boots, sapatilhas e botas de cano médio aparecem em quase todos os desfiles. O modelo oxford continua em alta para a próxima estação, acompanhado de meias de seda e organza em diferentes alturas e sobrepostas, em estilo colegial-chic. A tendência ballet aparece nas sapatilhas enfeitadas com fitas de amarrar da New Order e polainas discretinhas. No desfile da Maria Bonita Extra, as sapatilhas roubam a cena e comprovam que as cores primárias tornam tudo mais simples e estiloso. Os detalhes no acabamento high tech de Nica Kessler aparecem em vinil e em correntinhas, assim como em botões personalizados e divertidos pingentes de guarda-chuva. Os colares e brincos da semana carioca dão um show à parte. Na Têca, a louça do chá foi parar nos acessórios em maxicolares e em brincos únicos. Na Alessa, o colar de ‘mil voltas’ vem com pérolas multicoloridas dá o tom de guloseima e cupcakes da coleção. Os broches com pena e pedraria da Printing mudam (para melhor) qualquer produção minimalista. Que venha o inverno!

BRITISH COLONY

AUSLÄNDER

TÊCA

CANTÃO

MARIA BONITA EXTRA

TÊCA

ESPAÇO FASHION

ANDREA MARQUES

PRINTING

LUCAS NASCIMENTO

ESPECIAL FASHION RIO


ESPECIAL FASHION RIO Todo arco-íris só aparece depois de chuva e sol, e assim também aconteceu nos desfiles da Fashion Rio. Os tons acinzentados e escuros são típicos do inverno e permanecem como base em várias coleções para 2011. O desfile emocionante de Walter Rodrigues veio ao som de “Rosa de Hiroshima”, na voz de um coral infantil, e apresentou uma cartela de cores quase toda em preta. As formas vieram retas e simples em casacos longos e calças de bainha curta. A passarela da Acquastudio brinca com a lã e a organza estampada, em muitos looks em total black. O shape vem com pregas, espirais e formas arquitetônicas que ultrapassam o limite do previsível. Vestidos bordados com canutilhos pretos e prata dão ideia de movimento. O estilista Lucas Nascimento traz modelos de vestido e saia com ar futurista. A mistura do preto com transparência em tricô mistura fios manipulados e resulta em peças simetricamente encantadoras. As cores azul marinho e preta predominaram na coleção estilo boy meets girl da Filhas de Gaia. Muita alfaiataria, paletós e calças fluidas misturam-se à transparência. O detalhe dos colares e cintos confeccionados com gravatas dão a cara do desfile. A marca Patachou investiu em vestidos médios com maxipaetês negros, jacquard, seda, tule, cetim e renda. A Alessa também aposta no brilho dos paetês pretos e da renda na mesma cor. No inverno da Coven, o jacquard vem no mix de chenille e lurex cheio de franjas, bordados e aplicações. Os vestidos ajustados ao corpo em modelo tomara-que-caia podem ser uma opção para o inverno mais ameno do Brasil. No desfile de Melk Z Da, volumes nas mangas e modelagem mais seca com cintura marcada e ombros deslocados. Os recortes geométricos de casacos vêm em veludo, lã de camelo, tafetá, cetim, tricô, cabelo sintético (!) e tecido de tapeçaria. A Oestudio trouxe looks em preto sugerindo sobreposições em malha, em uma moda utilitária. Os tons neutros e camelo juntos com o duo preto e branco também permanecem como clássicos dos dias de frio.

the dark side NICA KESSLER

ACQUASTUDIO ALESSA

LUCAS NASCIMENTO

COVEN

WALTER RODRIGUES

PATACHOU FILHAS DE GAIA

71


Selva indoor Moda

Prepare o make agressivo e a atitude instintiva. A selva agora ganha cenário interno cheio de força, ao invadir clubs e baladas. Muita estamparia, do étnico passando pelo floral e chegando até as listras e o xadrez. Tudo se mistura em looks sem lei mas sempre no maior estilo predador, sem perder a delicadeza. A aposta das cores vem em especial no tom aceso de lima-limão ou em looks mais discretos nos vários tons de azul. Nos pés, acerte com conforto em tênis ultra esportivos para ir até altas horas dançando. Faça já o seu mix fashion e demarque território nesta selva indoor. Por Ana Marta Moreira Flores

72


T-shirt Reserva, Calça Calvin Klein, Tênis Nike. Colete Seven, Vestido Mª Garcia. Camisa Ralph Lauren, Short John John, Tênis Nike. Top Carmim, Calça Calvin Klein, Tênis Nike.

73


Blusa Mª Garcia, Vestido Carla Gaspar,Tênis Nike. Vestido Carla Gaspar, Calça Calvin Klein, Tênis Nike.

74


Vestido Carla Gaspar, TĂŞnis Adidas.


T-shirt Stone Bonker, Vestido Mª Garcia, Tênis Lacoste. T-Shirt Stone Bonker, Calça Diesel, Tênis Nike. Macaquinho JJ, Casaqueto Mª Garcia, Tênis Lacoste.

76


Vestidos Barbara Bela, TĂŞnis Lacoste.


Vestidos Gig.

78


Ficha Técnica Fotografia: Paulo Carotini. Produção de Moda: Carol Ramos e Lú Dalmas. Make Up e Cabelo: Adriano Hargan. Modelos: Rafaela Mendes, Natalia Heinzen, Bruna Jummes, Gabriel Souza. Casting: Ford Models Santa Catarina. Loja: Authentic Avenue. Agradecimentos: Shopping Iguatemi Florianópolis e Authentic Avenue.

79


80


Coleção Macassá Homewear

A

Macassá - Sonhos e Aromas é uma marca de roupas do segmento “Homewear”, que proporciona conforto e bem estar para dormir, ficar em casa, receber amigos, ou até mesmo passear. O conceito é transmitido através de roupas das linhas feminina, masculina, teen, gestante e lingerie, além de uma linha de aromatizantes para corpo, ambientes e roupas, desenvolvidos com essências francesas. O nome Macassá teve sua origem de uma erva africana levada para a França na época do Rei Luis XV, que ficou conhecida pelo seu poder calmante e atrativo. Essa erva possui um aroma marcante que aguça os sentidos mais profundos das mulheres, despertando poder e sedução. A marca Macassá inspira prazer e bem estar, na hora de deitar ou quando se está em casa, transmitindo qualidade de vida, por isso, Macassá -Sonhos e Aromas. “Para os dias frios que virão na próxima estação, a Coleção Outono Inverno 2011 da Macassá acompanha as novas tendências de moda com tecidos em listras e detalhes em renda, sem deixar de lado o estilo clássico do xadrez. Nas lingeries, a marca utilizou uma cartela de cores em tons escuros e estampas “animal print”, sendo esta a forte tendência dessa estação”, afirma Sabrina Zanini, estilista da Macassá. A proposta da Macassá é estar presente nos melhores estabelecimentos multimarcas de moda íntima do Brasil.

Serviço: Macassá Sonhos e Aromas - Rod SC 401, 8600 Corporate Park, bloco 6, sala 1 Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis (SC). www.macassa.com.br

81


Perfil

O Star Quality de

Janelle Monáe Por Dani Ferrera

E

la foi a sem dúvida a grande estrela do verão brasileiro. Embora tenha sido muito alardeada a vinda de Amy Winehouse, quem definitivamente roubou a cena foi Janelle Monáe. Seu desempenho simplesmente ofuscou a debilitada carreira de Winehouse, e seu Star Quality e energia surpreenderam plateias por onde o festival Summer Soul passou. Florianópolis, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo caíram de amores por Janelle, graças à sua performance antológica, com sequências que incluíam “Dance or Die”, “Locked Inside”, “Wondaland” e a dançante “Tightrope”. Como de praxe, todos os artistas que abrem os shows têm apenas 40 minutos para levantar o público, embora todos saibam que Janelle teria munição para mais 40. Ficou um gostinho de quero mais. Nascida no Kansas, filha de uma faxineira e um motorista de caminhão, desde criança canta em corais de igreja. Ao chegar à maioridade, foi a Nova York estudar teatro. Lá descoberta por Big Boi, do OutKast, foi convidada a participar de “Idlewild”, projeto multimídia da dupla. Bem apadrinhada, conseguiu explorar todo o seu potencial. Seu surpreendente álbum de estreia, “The ArchAndroid”, é um mix de funk, R & B, folk pastoral, rock psicodélico e jazz orquestral. “No último ano e meio, quando estávamos gravando The ArchAndroid, eu passei por um momento na minha vida que me transformou”, explica Monáe, que passou a maior parte do tempo entre os álbuns viajando em tournées mundiais. Ela se juntou aos artistas do No Doubt, Paramore e Erykah Badu em várias cidades ao redor do mundo, incluindo Istambul, Berlim, Moscou e Nova York. Ela terminou o álbum em Atlanta, na Wondaland Studios, e num estranho refúgio mal assombrado para sábios su-

82

per poderosos chamado The Palace of the Dogs. “Quanto menos for dito a respeito, melhor. No entanto, adorei o Musiquarium e tenho que agradecer ao Max Stellings por permitir que eu mostre essas gravações para o mundo”. O processo de criação foi incrivelmente intenso para todos os envolvidos. “A música simplesmente nos acordava, gravávamos melodias no celular, algumas vezes, ficávamos acordados por dias escrevendo uma música. A história e as visões que tínhamos eram tão maravilhosas que queríamos que as músicas capturassem tudo o que estávamos sentindo”. No geral, essas músicas vieram de vários cantos do mundo – da Turquia até Praga –, lugares em que estivemos durante a tournée. Enquanto gravávamos, experimentávamos diferentes tipos de som. Uma vez engolidos pelo som, todos tínhamos uma ligação emocional com o álbum. “Ele definitivamente mudou meu jeito de pensar, o modo com que eu entro no palco e, no geral, minha vida”. Com o sucesso do álbum e de suas performances ao vivo, ela foca seu talento numa versão de luxo de um álbum da graphic novel chamado The Red Book, assim como Dance Or Die, o décimo-oitavo capítulo da ArchAndroid music vídeo collection. A jornada dos últimos dois anos, ela diz, a ensinou a “abraçar as coisas que a fazem única e continuar sendo um agente de mudança maior ainda, especialmente como artista.” Sua esperança é que seus ouvintes sejam inspirados pelo álbum: “Abracem seus próprios superpoderes e tornem-se uma voz de mudança, o herói em suas próprias comunidades.” Com tamanha criatividade, acho difícil a moça passar despercebida. Pelo visto o céu é o limite para Janelle Monáe.Ninguém segura essa garota.


83


Estação Final by Narriman Chede

Pré-estreia de “Biutiful” By Ricardo Gama.

Carolina Kasting e Mauricio Grecco. Angelo Paes Leme e Anna Sophia Folk. Marina Ruy Barbosa.

Claudia Lira.

Patrícia Casé e Isabela Capeto.

Manoel Carlos e Beth Almeida.

Show Cláudia Leite Fotos by Andrew H. Walker

Angela Guedes, Margot Verrino, Angela Couto e Luiz Obregon.

Sonia Tetto, Rosilei Souza e Sandra Tetto.

Jack Gaertner e Ernani Luiz.

84

Ana Paula Sperhacke e suas filhas, Ana Carolina e Fernanda Tramontini.

Gustavo Siqueira com a musa do Axé brasileiro, Cláudia Leite.

Cláudia Leite.


Francisco Graciola e Joice Splenger.

Paella Brava Beach [Balneário Camburiú] By João Souza.

Luciana Dal Molin.

Suomi Pedrollo Lago com a filha Audrea e o marido Guilherme.

Alex Reiter e Amaury Jr.

Evandro Dal Molin, Fernanda Paes Leme, Paulo Zulu e Carlos Casagrande.

Mariana Russi e Alexandre Padilha.

VIPS na SPFW

Rita Comparato e Dudu Bertholini.

Sara Kawasaki e Clô Orozco, estilistas da Huis Clos.

Alessandra Ambrosio.

Michael Roberts, editor de moda da Vanity Fair.

Christina Aguilera.

Costanza Pascolato.

Gisele Bündchen.

Ashton Kutcher e Demi Moore.

Caroline Ribeiro.

85


Estação Final by Narriman Chede

Aniversário de Jamil Nicolau no P12 [Jurerê Internacional. Fpolis] By Ângelo Santos Fábio Sahbe e Franscine Taulois.

Letícia Birkheuer.

Leonardo Fagherazzi e Carolina Sahbe.

Débora Salvadori. Andrea, Jamil e Péricles.

Jamil e Edgar.

86

Família Nicolau.


Mônica Nicolau.

Dulce e Jorge Bornhausen.

Letícia, Jamil, Gianecchini e Mariana.

By Fabrícia Pinho.

Guimarães e Maria. Lourdes Catão.

Camila e Ricardo.

Paulo Cordeiro.

Reynaldo Gianecchini, Gilda Salônia, Letícia e seu namorado.


venha

isso

Open Bar Open Food 10h de Festa Shows DJ's Beautiful People www.feijoadadocacau2011.com.br

88


Crônica

Da Sequência às Comilanças Raul Caldas Filho

A

1

sequência (ou rodízio) de camarão é um dos pratos mais solicitados por turistas em visita à Ilha de Santa Catarina. Geralmente consta, nos cardápios atuais, com uma variação ou outra, camarão ao bafo, camarão frito, camarão à milanesa, casquinha de siri e peixe ao molho de camarão. Mas a principal atração dessa chamada sequência e a razão sine qua non de sua existência, o caldo de camarão, hoje está praticamente esquecida da grande maioria dos restaurantes. E quando ainda subsiste, não apresenta mais a categoria dos velhos tempos. Reportemos-nos aos fatos: nos idos de 1940/50/60, quem quisesse saborear um bom caldo de camarão na Lagoa da Conceição tinha também que possuir espírito aventureiro. De início, precisava enfrentar o temível morro da sete voltas, (conhecido pelos mais antigos como Morro do Padre Doutor), ainda não pavimentado, e que, além de íngreme, era todo esburacado e sem a mínima proteção. Quando chovia havia o risco de não poder se retornar. De cima, à noite, avistava-se uma fileira de luzes, parecendo uma procissão. Mas não era energia elétrica, que ainda não tinha sido instalada, e sim a iluminação das pompocas (pequenas lamparinas a querosene) dos pescadores de camarões e siris. Completada a travessia, quase uma viagem, os comensais – que iam para lá sempre em grupos – compravam os camarões (recém-saídos das águas, muitos ainda pulando nos cestos) dos próprios pescadores. Em seguida, procurava-se uma das vendas de secos e molhados existentes na chamada freguesia, que podia ser do Andrino (pai do depois vereador, prefeito e deputado), do Isaac ou do Isauro. Quando passava das nove da noite, e as vendas já estavam fechadas, o jeito era acordar um dos proprietários, que, meio sonolento, abria a porta e encarregavase de aprontar o caldo na hora. Os fregueses eram acomodados num pequeno “puxado” e ali, entre goles de cerveja meio quente e pinga de alambique (a caipirinha ainda não entrara na moda), passavam a aguardar o resultado final. Para a realização do típico caldo de camarão – herança da colonização açoriana no litoral catarinense –, utiliza-se de um panelão, onde é fervido o crustáceo com os mais variados tipos de tempero: salsa, cebolinha verde, orégano, louro, cebola, tomate, sal e a indispensável alfavaca. Daí, devido à longa espera, um dos mestres-cuca (não se sabe qual deles) teve a ideia de servir primeiro o camarão ao bafo (cozido no vapor) e depois ao alho e

olho. A partir daí, o irresistível aroma do caldo em ebulição começava a vir da cozinha e invadia o ambiente, aguçando ainda mais os apetites e as papilas gustativas. Até que chegavam as travessas fumegantes, com o caldo propriamente dito, acompanhado de farinha de mandioca, a qual, adicionada e escaldada à iguaria, gerava o pirão, que não vinha pronto. Nasceu, assim, a sequência de camarão. *** Hoje a pedida virou modismo para turistas incautos, pois foram acrescidos outros itens que não existiam na criação original, como camarão à milanesa, casquinha de siri e até iscas de peixe. O caldo – se ainda aparece na rodízio – é feito com antecedência em caldeirões cheios de colorau “pra dar cor”. Aquele caldo tradicional, que começava a ser preparado quando os clientes chegavam no restaurante, é algo inexequível nos “apressadinhos” e mercantilistas tempos atuais.

2

Um casal de meia-idade acomodou-se na mesa do restaurante Canto das Pedras, em Itaguaçu. Ele: magro, cabelos e cavanhaque grisalhos, vestindo bermudas e camiseta. Ela: gorda, loura, traje de praia e chapéu de palha. Consumiram, pela ordem: quatro caipirinhas, oito cervejas, quatro pastéis, duas porções de ostras e duas de camarão frito. E, como arremate, uma tainha recheada. Dando os trâmites por findos, tomaram dois liqueurs Drambuie. Pagaram a conta e saíram. Detalhe: durante todo o tempo em que permaneceram no restaurante não trocaram uma única palavra.

3

Já um outro casal, dessa vez uma jovem e um jovem do interior de Santa Catarina, na faixa dos vinte anos, passando a lua de mel em Floripa, bateu todos os recordes da Lindacap, de acordo com fontes fidedignas. Pediram primeiro um couvert completo, seguido de uma maionese de camarão de entrada. Prosseguindo o repasto, veio um camarão à grega e, logo após, uma picanha. Mas, ainda não satisfeitos, solicitaram, para culminar, uma costela. Observação: Todos os pratos foram servidos com os devidos acompanhamentos. Os apetites, como se percebe, estavam bastante aguçados. Raul Caldas Filho Jornalista, cronista e ficcionista. www.raulcaldasfilho.com.br contato@raulcaldasfilho.com.br

89


Samba Enredo Composição: Edispuma, Licinho Jr. Marcelinho Santos e Foca

Yjurerê mirim ... Meu paraíso ... que maravilha! Foi Deus quem fez assim Com todo encanto ... essa magia Entre contos e lendas Quanta imaginação Celebrando a natureza Rituais de gratidão Eu também sou carijó E bendito o meu lugar Rezei forte ... nesse chão Sai pra lá assombração Já peguei meu patuá Caldeirão vai ferver A Grande Rio chegou Vem trazer pra você Uma porção de amor É a receita que a bruxinha ensinou O Folclore é tradição Valorizando a cultura popular O canto ... a dança O sagrado e o profano Minha Ilha encantada Vivo te admirando Beleza ... riqueza Repousando sobre o mar Santuário pra sonhar Meu Rio te abraça ... Floripa tão bela A tua história virou carnaval Essa ponte é a luz da passarela É obra-prima ... esse cartão postal 90

Foto: Divulgação

Y-Jurerê Mirim A Encantadora Ilha das Bruxas (Um conto de Cascaes)”


Desenvolvimento com Sustentabilidade Transformando idéias para um mundo melhor A Firenze Empreendimentos atua no desenvolvimento de complexos empresariais e soluções imobiliárias inovadoras. Seus projetos priorizam tecnologia, inteligência e logística empresarial, mobilidade e acessibilidade. Tudo isso com foco no uso responsável de recursos naturais e respeito ao meio ambiente.

Projetos para a Vida.

TOPLANDS

www.firenze.com.br


92

Revista Estação Aeroporto #28  

revista fevereiro carnaval

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you