Issuu on Google+

O peso do pai na educação dos filhos

Coração forte, vida saudável Livre-se da depressão Dieta do Mediterrâneo

REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

1


2

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


editorial

2ª edição Revista da Cassems É

com uma enorme satisfação que entregamos a você, beneficiário, mais esta edição da Revista da CASSEMS, que conta com matérias jornalísticas, notas curtas e entrevista sobre saúde, com temas que atingem diretamente seu cotidiano, além de mesclar com informações referentes ao nosso plano de saúde. O objetivo desta Revista é informá-lo sobre as principais questões referentes à saúde e incentivá-lo a criar hábitos saudáveis para a manutenção de uma excelente qualidade de vida. A CASSEMS vem investindo na tônica preventiva do plano ao invés do caráter curativo, ou seja, nós nos preocupamos com a sua qualidade de vida e propomos ações e medidas que assegurem nosso objetivo principal, que é a prevenção de doenças. Ao seguirmos esta linha, proporcionamos aos nossos beneficiários melhores condições de atendimento, uma vez que trabalhar estimulando a prevenção diminui os custos em saúde. Diante disso, a Caixa de Assistência, presente em todo o Mato Grosso do Sul, estimula e favorece a vida saudável de seus associados seguindo com seus programas de prevenção, como o Programa Viva Saúde, Programa Odontologia para Bebês e o Programa de Nutrição. Beneficiário, mande-nos sugestões sobre o que você gostaria de ler na Revista e aproveite para dar a sua opinião no nosso e-mail: assessoriacassems@gmail.com.

®

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO TITULARES: Lauro Sérgio Davi Ademir Cerri Alexandre Junior Costa Felix Nazario Portela Carlos José S. dos Santos SUPLENTES: Cecília D. Jeronymo Serra Élcio Oliveira Bastos Jurandir R. de Carvalho Mara E. Carrara Silva Noestor J. Ferreira Leite CONSELHO FISCAL TITULARES: Maria das Graças Freitas Cecília Domingos Cláudio M. S. Menezes de Souza Volindomar Paimel de Queiroz Flávio Humberto Bernardinis SUPLENTES: Auxiliadora Darc B. Espíndola Geraldo Celestino de Carvalho Sirlei Izabel de Freitas Jurema Lorenzini

GESTÃO EXECUTIVA

Presidente - Lauro Sérgio Davi Diretoria de Assistência à Saúde e Rede Própria Hospitalar - Ricardo Ayache Diretoria de Assistência Odontológica - Denise Garcia Sakae Diretoria de Finanças - Maria Antônia Rodrigues Diretoria de Clientes - Jucli T. Stefanello Peruzo Diretoria Jurídica - Flávia Cristina Robert Proença Ouvidoria - Cecília D. Jeronymo Serra

GERÊNCIAS REGIONAIS

Ao desfrutar do conteúdo desta Revista e incorporar suas dicas e principais informações no seu dia a dia, levando, consequentemente, uma vida mais saudável, você terá mais um motivo para ter

Aquidauana - Valéria Lucena Matos Campo Grande - Sonilza de Souza Lima Corumbá - Rosana Lídia da Silva Pereira Coxim - Paulo Alves de Souza Dourados - Vera Lucia de Lima Jardim - Lindamar Aparecida Pereira Rocha Naviraí - João Inácio de Farias Nova Andradina - Ivone Ramos Pereira Paranaíba - Soraya Rita Eterna de Lima Ponta Porã - Aline Davi Sanches Três Lagoas - Aelton M. Amancio de Oliveira

orgulho de ser CASSEMS!

ASSESSORIA

Lauro Sérgio Davi Presidente da CASSEMS

Este impresso teve suas emissões compensadas pelo Programa Carbono Zero da Posigraf. A Posigraf monitora de acordo com as orientações do GHC Protocol e neutraliza as emissões de CO2 resultantes de seu processo produtivo, comprovando sua preocupação com o meio-ambiente.

Presidência - Sabrina da Conceição Possas Gestão de Pessoas - Samuel Rees Dias Comunicação Social - Karoline Grubert Bezerra Interior - Sonilza de Souza Lima Atuarial - Cleidemir de Paula Gestão - Margareth Flores Nunes Viana Contabilidade - AT Contábil Auditoria Independente - Ascoplan Tecnologia de Informação - AZ Informática Coordenação Geral: Karoline Grubert Bezerra Projeto Gráfico: Oceano Comunicação e Novos Negócios Jornalistas Responsáveis: Leandro Ferreira DRT/MS 668 e Larissa Rolim Redação: 67 3314-1065 Tiragem: 60 mil exemplares E-mail: assessoriacassems@gmail.com

REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

3


dicacassems Morango estimula a beleza feminina Delicioso e suculento, o morango faz sucesso entre os brasileiros. Tortas,bolos,sorvetes, enfim, são diversas as receitas que contêm a fruta como ingrediente principal. A boa notícia é que, além de deliciosa, a fruta também colabora com a beleza. O que pouca gente sabe é que esta fruta é uma das mais ricas em vitamina C e polifenóis, que são poderosas armas no combate aos radicais livres que envelhecem e destroem nossas células, inclusive afibracapilar. Os resultados podem ser percebidos na pele e nos cabelos e garantem resultados positivos. Na pele, a aplicação do morango terá uma ação desintoxicante profunda. Ele irá limpá-la dos radicais livres, estimular a circulação sanguínea, deixá-la mais clara, mais macia e muito mais viçosa. Os sais minerais e as demais vitaminas irão mantê-la bem hidratada, além de devolver o brilho perdido dos cabelos e proteger a raiz contra doenças e queda dos fios. Fonte: www.minhavida.com.br

Aproveite melhor os alimentos As opções para deixar a mesa farta, sem desperdício, são muitas. Confira, a seguir, como aproveitar ao máximo as riquezas de alguns alimentos bem conhecidos dos brasileiros:

4

Das cascas de frutas, desde que bem lavadas, podem ser feitos refrescos ou bata no liquidificador e enriqueça bolos.

Utilizando cascas, talos e hortaliças prepare refogados, sopas, bolinhos, recheios para tortas ou sanduíches, farofas, picadinho com carne, risotos, pães e outros.

Limpe e lave bem as sementes de abóbora, seque e espalhe numa assadeira, polvilhe com sal, torre no forno e sirva como aperitivo.

Aproveite a cabeça e o rabo dos peixes para fazer pirão e sopas.

Sobras de alimentos enlatados devem ser guardadas em vasilhas de plástico, vidro ou louça e colocadas na geladeira.

Aproveite as folhas de beterraba, cenoura, nabo ou rabanete, talos de couve, espinafre ou agrião.

Enriqueça os alimentos com cascas de ovos. Pré aqueça-as por 30 min, triture até virar um pó fino. Utilize-o no cozimento de feijão, no suco de frutas ou no leite.

Sirva o pepino com casca, é nela que estão guardadas as propriedades digestivas desse alimento.

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

Não guarde as sobras por muito tempo. O que sobrou do almoço deve ser aproveitado no almoço do dia seguinte.

Ossos de carne para fazer caldos. A cada 150g de ossos use 1 litro de água. Ferva por 40 min. Esfrie na geladeira. Depois já pode ser usado no preparo do arroz, sopas e molhos.


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

5


dicacassems

Os presentes são sempre bem-vindos, mas em tempos de crise fica difícil escolher a opção ideal. A dica é presentear pessoas queridas e ainda ajudá-las a ganhar saúde. Preparamos um pacote recheado de alternativas originais para quem deseja dar presentes diferentes, que agradam e, além de tudo, são muito úteis para a saúde.

4.

6

Uma visita ao dentista a cada seis meses é essencial para garantir que nenhum problema mais grave esteja presente na sua boca e acabe tendo consequências mais severas. Uma visita de rotina previne cáries, evita tratamentos de canal e, claro, protege a saúde de todo o organismo. Mas lembre-se, além da consulta é preciso pensar nos tratamentos, principalmente se o presenteado estiver fugindo do consultório há muito tempo.

2. 3.

Uma cesta de alimentos saudáveis

5.

Um tênis próprio para corrida

Um plano na academia

As desculpas para não embarcar de vez na rotina de exercícios físicos são imensas. Mas, depois de ganhar um plano (bimestral, trimestral, semestral) fica quase impossível não se render. Antes de optar pelo presente é preciso ter certeza que o escolhido está apto a desenvolver os exercícios. E não esqueça que uma companhia sempre faz bem, assim, você pode aproveitar e se matricular também.

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

Imagem meramente ilustrativa

1.

Uma visita ao dentista

Uma consulta ao médico especialista

Se o presenteado apresenta algum problema específico de saúde, você pode ajudá-lo a desvendar o que está acontecendo e a melhor maneira de tratar. O presente pode ser uma consulta com o especialista na doença apresentada.

Se a intenção é incentivar uma alimentação saudável, que tal começar presenteando com uma bela cesta recheada de alimentos e que colaboram com a saúde? Uma dica é estar por perto quando o presenteado receber, assim, você pode incentivar o consumo de cada produto.

Pode parecer futilidade, mas um tênis próprio para prática de corrida é fundamental para que as lesões não apareçam. O calçado ainda funciona como um atrativo a mais para quem deseja iniciar no esporte. Fazer atividades físicas sem dar atenção ao que se calça aumentam os riscos de lesões ou de prejudicar a performance da corrida.


6.

Monitores de saúde

Uma ótima opção para quem deseja passar mais tranquilidade para uma pessoa querida. Existem aparelhos para o monitoramento da pressão, da taxa de glicose no sangue e até os inaladores portáteis, muito úteis para quem sofre com asma ou outras alergias respiratórias.

7.

8.

Uma refeição num restaurante bacana

9.

Livros bacanas que tenham a ver com saúde

Dia de comemoração? Que tal você sugerir o local para o almoço? Escolha um restaurante que apresente um cardápio repleto de pratos saudáveis e saborosos. Esse é o primeiro passo para ajudar na reeducação alimentar de uma pessoa que você gosta.

Acessórios para o treino

Se o plano na academia não gerar resultados, aposte em acessórios para praticar em casa. Sugerimos pesinhos de ginástica, roupas e colchão para prática do yoga. Enfim, a ideia é encorajar a prática dos exercícios.

Informação é o primeiro passo para quem está procurando saúde. Os livros relacionados com o tema ajudam a entender os hábitos que podem comprometer nossa saúde, além de oferecer dicas para o dia a dia.

Fonte: www.minhavida.com.br e www.submarino.com.br

2 ótimas sugestões de livros Se você optou por presentear um livro, preparamos mais 3 sugestões que vão ajudar o seu presenteado a adquirir um estilo de vida mais saudável:

Faça do Alimento o Seu Medicamento Autor: Jocelem Mastrodi Salgado Editora: Ediouro | 208 págs

Este livro traz uma série de artigos escritos especialmente para o nosso cotidiano. A renomada cientista, com base na alimentação correta para todos os tipos de pessoas, traz soluções para o dia a dia, com sugestões práticas que podem evitar o recurso aos remédios.

Receitas Para Dormir Bem - Orientação Familiar Autor: Eduard Estivill Editora: WMF | 304 págs

Este livro tem a receita para resolver seu problema. Apoiados em anos de experiência, os autores deste manual apresentam receitas simples e eficazes para que nada lhe tire o sono. São receitas para diferentes ocasiões e etapas da vida, que vão ensinar você a prever, detectar e resolver os transtornos mais comuns, possibilitando melhorar a qualidade de seu descanso noturno. REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

7


orgulhocassems

Porque eu tenho orgulho de ser CASSEMS “Ótimo atendimento” Antônio Nabhan

Encarregado Aposentado DERSUL - Departamento de Estradas de Rodagem de MS

“Facilidade” Claudio Prado Policial Militar

“Seriedade” Juari Lopes Pinto

Professor Escola 26 de Agosto

“Atendimento de qualidade para todos” Luzia Barboza Serrano

Técnica de Recursos Humanos SEJUSP - Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública

“Plano de saúde que espelha na sua íntegra, o atendimento quepermite aconfiabilidadede seus beneficiários,garantindo o melhor para a nossa saúde. Parabéns a diretoria e aos diletos funcionários que são destaque em todo o MS” Rômulo do Amaral

Procurador Aposentado

8

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

9


orgulhocassems

O peso do pai na educação dos filhos Mudanças culturais fazem aumentar o peso das influências do pai na formação do caráter dos filhos Por Sâmia Dias

T

odo ser humano ou quase todos, nasce, cresce, se reproduz, envelhece e morre. Este é o ciclo da vida. Quando o homem se reproduz, ele se torna pai e esta pequena palavra tem um impacto imenso na vida deste homem. Antigamente a figura paterna era o de chefe da família, aquele que trabalhava e trazia dinheiro para casa, sobrando para a mulher a responsabilidade com o lar e com a educação dos filhos. Atualmente, esse tipo de pai e modelo de família é cada vez mais raro. Com a Revolução Industrial, ocorrida na segunda metade do século XVIII, as mulheres saíram de casa e foram trabalhar para ajudar no sustento da família e, desde então, a figura paterna tornou-se cada vez mais importante na criação dos filhos e no equilíbrio do lar. “Na gestação há uma ligação estreita entre a mãe e o bebê. Com o nascimento, os cuidados maternos necessários para a sobrevivência do bebê, por exemplo, a amamentação, fortalecem ainda mais esse vínculo. O bebê perante a mãe sente-se protegido, o centro do mundo e, no momento em que entra a figura paterna, a terceira pessoa nesse relacionamento, ocorre a ‘quebra’ desse laço”, explica a psicóloga, funcionária da Caixa, Adriana Xavier Suzuki. “A figura paterna ajuda o filho a aprender que no mundo há limites e disciplina, o pai atua diretamente na formação do caráter da criança e é ele quem o expõe ao mundo porque é da natureza da mãe ser protetora”, acrescenta. A figura masculina na criação do filho deve sempre existir. “Em casos em que a criança cresce sem esse referencial masculino, que pode ser representado pelo avô, tio, amigo íntimo ou padrinho, a criança pode passar por situações em que ela não reconheça as diferenças entre os gêneros masculino e feminino, uma vez que ela não tem os parâmetros para discernir os dois universos”, ressalta a psicóloga sobre a importância da participação do pai no crescimento dos filhos.

Pai de primeira viagem

A gravidez, seja ela planejada ou não, implica em uma série de mudanças na rotina tanto da futura mamãe quanto do futuro papai. O advogado Samuel Rees Dias (36) casado há 6 anos com a nutricionista, Eliana Nogueira Aguiar Dias (29), ‘teve’ uma gravidez planejada. A pequena Sara nasceu no dia 26/06/2007 e é primeira filha do casal. Para Samuel ser pai foi a maior realização da sua vida. Todas as noites em que ele

10

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

Para Samuel ser pai foi a maior realização de sua vida.

e sua esposa acordavam para atender ao chamado da filhota valeram a pena. “Todo sacrifício deixava de ser sacrifício quando eu chegava em casa e ela (Sara) ao me ver, sorria!”, gaba-se Samuel. Um dos grandes aprendizados que a paternidade trouxe ao advogado foi a de deixar de pensar em si próprio para pensar sempre no bem estar de outra pessoa, no caso o bebê. Ele acompanhou a esposa em todas as fases da gestação e consultas ao médico. Hoje é um pai que realmente participa da criação da filha, realizando tarefas como dar banho, acordar de madrugada, etc. Para ele, o papel do pai na criação do filho é o de impor limites, ser um referencial de boa conduta, apresentar valores e princípios. “Não que a mãe não tenha essa tarefa, mas é que o pai atua como o referencial, tenho que ser um exemplo para que ela se espelhe em mim e nas minhas ações”, afirma o papai de primeira viagem.

Pai Adolescente

Ser pai já é complicado em qualquer idade, mas lidar com a paternidade em plena adolescência é mais difícil ainda. O digitador Jair Ortega Dias e sua esposa Élia Lacerda passaram por esta experiência com apenas 18 anos. “Nos casamos e tivemos filhos muito cedo. Era muita responsabilidade para dois jovens. Foi um período difícil, mas amadureci bastante com a chegada do meu primeiro filho”, declara Jair. A paternidade é o momento de transição em que o homem deixa de ser somente filho e tornase PAI. Assim é com os mais de dezesseis mil pais beneficiários da CASSEMS, que vivenciam esta experiência a cada dia.


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

11


cassemsinforma

4 motivos para você dormir bem No último Congresso Mundial de Estudiosos do Sono, o SLEEP - World Association of Sleep Medicine, realizado recentemente nos Estados Unidos, foi confirmado o que muitos especialistas já sabiam: dormir, além de repor a energia, é também um antídoto contra problemas bem mais graves que as visíveis olheiras. Para eles, o sono, como descanso, não exige apenas oito horas. Ele requer regularidade e o ideal é adotar um horário para despertar e outro para se deitar. O sono também não deve ser fragmentado, ou seja, interrompido muitas vezes ao longo da noite. Esses cuidados são cruciais para que o organismo relaxe e cumpra tarefas exclusivas da madrugada. É nesse período que produzimos o hormônio do crescimento, necessário na recuperação dos músculos e dos ossos. E ainda fabricamos a melatonina, que zela pelas células e dá corda no relógio biológico. Confira agora o que a ciência tem comprovado sobre os benefícios de pregar os olhos:

1. O elixir da longa vida

Assim poderia ser definido o sono, e não há exagero nessa afirmação. Um de seus efeitos protetores foi revelado por um estudo apresentado no SLEEP. O trabalho acompanhou 5 mil americanos durante oito anos. Os indivíduos que prezaram por um bom descanso noturno tornaram-se menos vulneráveis a todo tipo de doença. “As pessoas que dormem menos de seis ou mais de nove horas correm mais risco”, conta a líder da pesquisa, Alison Laffan, da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins. Quando falamos em sono, nem sempre quantidade espelha qualidade. Ficar tempo demais debaixo das cobertas pode ser o resultado de uma noite conturbada e não reparadora. “E essa condição aumenta a pressão arterial, favorecendo males cardiovasculares”, diz a cientista.

2. Xô, diabetes!

Há alguns anos a insônia é acusada de incentivar esse mal. Um estudo da Universidade do Estado da Pensilvâ-

12

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

nia, nos Estados Unidos, encontrou uma nova prova dessa perigosa ligação: pacientes insones, que têm dificuldades para adormecer ou manter o sono, estão mais sujeitos ao diabetes tipo 2. Outro trabalho realizado em solo ianque, também discutido no SLEEP, concluiu que tanto dormir demais como de menos prepara o terreno para o transtorno. Embora nem todos os mecanismos para justificar esse elo tenham sido decifrados, os especialistas creem que a privação de sono, intencional ou patológica, atrapalhe a ação da insulina, o hormônio que leva o açúcar para dentro das células. Esse seria o primeiro passo para o desenvolvimento do mal do sangue doce.

3. Poder anticâncer

O período noturno é o momento ímpar para que as forças de defesa se organizem e estejam aptas a desarticular tumores o mais cedo possível. Quando estamos aconchegados no travesseiro, nosso corpo libera substâncias que participam direta ou indiretamente dessa missão. A melatonina, por exemplo, ativa linhas de combate contra os radicais livres que lesam o DNA. Como ela é fabricada depois que o sol se põe, é vital que não troquemos a noite pelo dia. Estudos apontam que trabalhadoras noturnas correm mais risco de desenvolver câncer de mama. O sono é responsável por corrigir falhas genéticas que culminam em doenças, retardando a evolução delas.

4. Coração forte

Os vasos sanguíneos retribuem o fato de dormirmos reduzindo as chances de sermos vitimados por infartos e derrames. O déficit de sono coloca o corpo em estado de alerta, o que dispara a produção de hormônios ligados ao estresse e eleva a pressão arterial, condições favoráveis à doença cardiovascular”, explica a bioquímica Michelle Miller, da Universidade Warwick, na Inglaterra. Madrugadas turbulentas resultam numa indesejada descarga de adrenalina na circulação, algo que corrompe a elasticidade das artérias. Perigo dobrado correm os portadores de apneia do sono. Ela já é considerada um fator de risco independente para a hipertensão. E a pressão nas alturas é o estopim para ataques cardíacos e cerebrais. Fonte: World Association of Sleep Medicine e www.minhavida.com.br


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

13


serviçocassems

Dicas para você evitar a gripe suína Se ainda não sabe tudo sobre a gripe suína, leia com atenção Por Leandro Ferreira A Influenza A (H1N1), também conhecida como Gripe Suína, chegou ao Brasil em abril de 2009 trazendo à população algumas dúvidas e incertezas quanto aos sintomas e tratamentos. A gripe não deve ser motivo de alarde, mas a população precisa tomar alguns cuidados preventivos e estar atenta a alguns sintomas para detectar o quanto antes se a pessoa está ou não com esse novo vírus. Os sintomas dessa gripe são muito similares aos de uma gripe comum. Perceber rapidamente os sintomas é um outro importante fator, pois eles são característicos dessa Gripe e se uma pessoa infectada com o vírus receber os devidos cuidados o quanto antes, ela pode ficar completamente curada desse vírus.

O que deve ser feito em caso de suspeita de gripe?

As pessoas devem procurar atendimento em uma Unidade de Saúde Pública o mais rápido possível para que seja feito logo o diagnóstico da Gripe e iniciado o tratamento de combate. O Brasil tem cadastrado em seu Sistema de Saúde Pública 68 Hospitais de referência que podem combater o vírus de forma eficaz. O Ministério da Saúde garante que o país está preparado para combater esse vírus com medicamento suficiente para todos. A distribuição desses medicamentos é feita de forma centralizada. O Ministério envia aos estados a quantidade solicitada pelas Secretarias de Saúde. Além desse tratamento, está prevista a fabricação da vacina no país, no Estado de São Paulo. A distribuição poderá ser feita à população já no próximo ano.

Quais cuidados a população deve tomar para evitar o contágio do vírus H1N1?

Lavar bem as mãos várias vezes ao dia, evitar o contato das mãos nos olhos e nariz após o contato com alguma superfície, evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal e cobrir a boca e nariz com lenço descartável ao tossir e espirrar. PS: Faça uma tabela com os cuidados preventivos que as pessoas devem ter e os procedimentos que elas devem fazer para evitar o contágio da gripe, se necessário Quem são as pessoas que fazem parte do grupo de risco? De acordo com o Ministério da Saúde, pessoas idosas, crianças menores de dois anos, gestantes, pessoas com diabetes, doença cardíaca, pulmonar ou renal crônica, deficiência imunológica (como pacientes com câncer, em tratamento para AIDS), pessoas com obesidade mórbida e também com doenças provocadas por alterações da hemoglobina, como anemia falciforme, fazem parte do Grupo de Risco. Em caso de suspeita de contágio da Influenza A, devo me auto medicar? Não deve fazer uso de qualquer tipo de remédios sem antes passar por um Posto de Saúde ou Hospital e ser consultado por um médico.

Influenza A (H1N1): mais informações

Em Mato Grosso do Sul, as pessoas que quiserem tirar suas dúvidas ou ainda obter mais informações sobre a Influenza A, basta acessar o site do Ministério da Saúde através portal do Ministério da Saúde, pelo do endereço http://portal.saude.gov.br/saude/, por e-mail contato@saude.gov.br ou ainda pelo telefone 0800-61-1997. O Hospital da Mulher (3314-9027) está apto a receber as grávidas com suspeita de gripe H1N1 e o Hospital Universitário (3345-3001), pacientes não gestantes.

14

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

15


destaquecassems

Coração forte vida saudável Abandone o sedentarismo e fortaleça o seu coração Por Larissa Rolim

T

odo mundo sabe que praticar exercícios físicos faz bem para a saúde do nosso corpo. No entanto, muitas pessoas ignoram esta realidade e seguem o estilo da vida moderna, que, em vez de se preocupar com a saúde, tem a sua atenção voltada ao tempo, à duração do dia e das coisas possíveis de serem realizadas em 24h. No estilo da vida moderna o exercício fica em último plano, o que ajuda a aumentar as estatísticas de doenças relacionadas ao sedentarismo, tornando-se motivo de preocupação para os médicos.

Sobre o sedentarismo

O sedentarismo, de acordo com a profissional de Educação Física Cyntia Xavier, “é definido como a falta ou a grande diminuição da atividade física”. Ela explica que esse conceito não é necessariamente associado à falta de uma atividade esportiva: “os estudos recentes afirmam que o sedentário é

o indivíduo que gasta poucas calorias por semana com atividades ocupacionais”. De acordo com ela, para esses indivíduos recomenda-se a adoção de novos hábitos de vida, como subir escadas em vez de pegar elevador e ir a pé ao trabalho ou ao fazer compras, por exemplo. Cyntia explica o por quê: “esse estilo de vida mais ativo aumenta o gasto energético diário, o que combate o sedentarismo”. Indo mais além, o médico cardiologista Leonardo Bertoldo informa que a vida sedentária não só contribui para o aumento de peso, como aumenta o risco de desenvolver doenças como hipertensão, diabetes e aumento do colesterol ruim (LDL). Como consequência, o coração torna-se despreparado para encarar situações de estresse físico ou emocional, aos quais somos expostos diariamente, o que aumenta o risco de sofrer infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e outras doenças cardíacas que podem levar à morte. Desde janeiro de 2008, o número de cirurgias bariátricas – de redução do estômago, realizadas pela CASSEMS é de 377 – número altíssimo que traz consigo os riscos de toda

Influências modernas

As crianças também são foco de preocupação dos profissionais da saúde. Segundo Cyntia Xavier, há uma preocupação maior com as crianças, pois elas mudaram em muito o seu estilo de vida em relação a décadas anteriores, trocando atividades como sair às ruas para correr e brincar por atitudes mais sedentárias. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2006), há 17 anos o índice de jovens que necessitavam emagrecer beirava os 8,3%, em 2006 esse percentual subiu para 25%. Segundo os especialistas, este aumentou ocorreu devido ao largo uso de recreações modernas, como videogames e computadores e também pelo consumo em massa de refeições prontas.

16 16

R E V I S TA D A C A S S E M S ▪ J U N H O ▪ 2 0 0 9

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

Crianças também precisam adotar hábitos saudáveis.


intervenção cirúrgica. Diante deste número vale a pena ressaltar a importância de cuidar da saúde e da alimentação, pois resulta em qualidade de vida e, também, no emagrecimento. Programa de Nutrição – Apesar do número elevado de cirurgias de redução do estômago realizadas, a CASSEMS, através do seu Programa de Nutrição, vem conseguindo, desde abril de 2008, que muitos de seus pacientes desistam da cirurgia, optando pelo acompanhamento nutricional. A média de perda de peso, de acordo com a nutricionista Lilian Herrera, tem sido de 1 kg por semana, sendo que em alguns casos, principalmente em homens, a perda é superior a 2 kg. De abril de 2008 aos dias atuais já foram mais de 6.000 atendimentos realizados pelo Programa de Nutrição da CASSEMS. Nesse tempo, já houve casos em que os pacientes perderam mais de 30 kg de seu peso e várias pessoas já atingiram seus objetivos – tanto de perder o peso que determinaram como ter uma alimentação saudável como hábito de vida. Todas as regionais da CASSEMS contam com atendimento nutricional, sendo que, para ser atendido, o paciente necessita ter um encaminhamento médico e agendar com a nutricionista da sua regional.

O condicionamento físico

O termo “condicionamento físico” é utilizado para mencionar a capacidade do corpo humano de realizar atividades, resultando no nível de esforço gerado. Pessoas que têm um baixo nível de condicionamento físico estão mais predispostas à incapacidade física e a doenças. Do outro lado da moeda estão os que possuem um bom nível de condicionamento físico, pois praticam exercícios, favorecem a saúde e prolongam sua longevidade. Por isso é importante salientar que a prática de exercícios físicos regulares diminui o surgimento de inúmeras doenças, como as cardiovasculares, Diabetes mellitus, hipertensão arterial, dislipidemias e alguns tipos de câncer. A prática regular de exercícios, ainda de acordo com a profissional de Educação Física, Cyntia Xavier, contribui também para a manutenção ideal do peso, para menores valores de gordura, para maiores valores de densidade óssea e para a minimização das perdas de massa muscular. Com tantos pontos favoráveis, nada de ficar parado! Mas convém lembrar que, antes de iniciar a prática de qualquer exercício físico, a pessoa deve obter um consentimento médico para o ingresso no programa, além do acompanhamento de um profissional da área da Educação Física. Cyntia lembra: “a ausência da orientação de um profissional da saúde aumenta o risco de lesões, afetando principalmente a constituição óssea, problemas de articulação do joelho e da coluna”.

parecer simples, muitas vezes passa despercebida pela nossa atenção diária – a alimentação. De acordo com o médico cardiologista Leonardo Bertoldo, bons hábitos alimentares contribuem para o bom funcionamento e desempenho do sistema cardiovascular, atuando desde o controle da pressão arterial e peso corporal até o nível de colesterol, triglicerídeos e glicose sanguínea, o que faz diminuir o risco de ocorrer infarto do miocárdio e o acidente vascular cerebral (AVC).

Alimentos amigos e inimigos

Logo, preocupar-se com a alimentação é tão importante quanto praticar exercícios físicos regulares. Os alimentos inimigos da saúde cardiovascular devem ser evitados ao máximo, como os que são ricos em sódio (sal, shoyu, alimentos em conserva) e as bebidas alcoólicas – estas devem ser consumidas com moderação, pois provocam aumento da pressão arterial. Alimentos ricos em gordura saturada (gorduras de derivados de leite, ovos, frituras, sorvetes, gorduras hidrogenadas) também devem ter seu consumo reduzido devido ao aumento do colesterol ruim. No entanto, podemos abusar dos alimentos que melhoram a saúde do nosso coração, que são os ricos em gorduras insaturadas. Temos como exemplos o azeite de oliva, o óleo de canola, as castanhas, as nozes, o amendoim e o abacate. Estes, de acordo com o cardiologista, podem contribuir para a redução do mau colesterol (LDL) e para o aumento do bom colesterol (HDL). A dieta rica em fibras, como frutas, aveia, granola, linhaça e pão integral, por exemplo, pode reduzir a absorção do colesterol, bem como provocar uma sensação de saciedade, que é fundamental para a redução do peso.

Coração saudável

A saúde do coração está diretamente ligada à prática de exercícios físicos, como mencionado anteriormente, pois, comprovadamente, provoca redução do colesterol ruim (LDL) e triglicerídeos e aumento do colesterol bom (HDL). Mas existe outra ligação direta com o coração que, apesar de

REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

17


18

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

19


mulhercassems

Livre-se da depressão Entenda como isso atinge a mulher e descubra como se livrar deste mal Por Larissa Rolim Humor deprimido, sentimento de tristeza, desânimo, irritabilidade ou choro fácil. A depressão, doença que acomete milhares de pessoas em todo o mundo, não é tão fácil de ser diagnosticada e precisa de tratamento. Na mulher, ela tem se mostrado mais frequente com o passar dos anos e influi diretamente em

20

REVISTA DA i çiãç ã o o▪ ▪ 2009 REVISTA DACASSEMS CASSEMS▪ ▪ 2 ª2 ªe d ed 2009

sua auto-estima, associando-se à ansiedade e levando, muitas vezes, à obesidade. O tema é preocupante, uma vez que o universo feminino corresponde a mais da metade dos beneficiários atendidos pela CASSEMS e, muitas vezes, suas profissões são as mais estressantes, como é o caso, dentre outros, das mulheres que trabalham na polícia, no Corpo de Bombeiros e na Educação.


Mas como distinguir a depressão de uma tristeza comum?

A psicóloga especialista em Psicologia Clínica e Saúde Pública e coordenadora do Setor de Psicologia da Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul – CASSEMS, Ana Márcia Balbino, nos explica como: “a tristeza é um fenômeno normal que faz parte da vida psicológica de todos nós, já a depressão é um estado patológico”. No entanto, existem alguns fatores que ajudam a distingui-las. A tristeza é um sentimento momentâneo que tem duração limitada, enquanto a depressão costuma afetar a pessoa por mais de 15 dias ininterruptamente. “Ficamos tristes quando alguma coisa negativa acontece em nossas vidas, mas isso não nos impede de reagir com alegria se algum estímulo agradável surgir. Mas a depressão provoca sintomas como desânimo e falta de interesse por qualquer atividade e prejudica o funcionamento psicológico, social e de trabalho”, explica a psicóloga. De acordo com a médica credenciada da Caixa, Maristela Vargas, algumas doenças cursam com sintomas de depressão, sendo necessário um diagnóstico diferencial entre esta e as outras doenças, como é o caso, por exemplo, da Síndrome Afetiva Bipolar. “A intensidade da depressão, o comprometimento da qualidade de vida e o risco de morte (suicídio) são fatores determinantes para o tratamento psicoterápico e com medicamento”, explica a médica.

Quais os sintomas da depressão?

Os principais sintomas da depressão, de acordo com o Código Internacional de Doenças – 10ª edição (CID-10) e com o Manual Diagnóstico e Estatístico em Saúde Mental (DSM-IV), da Associação Psiquiátrica Americana – 4ª edição, são os que se encontram abaixo: • Humor deprimido; • Perda de interesse e prazer nas atividades que são habitualmente agradáveis; • Energia reduzida, levando à fatigabilidade aumentada e atividade diminuída; • Visão pessimista de futuro; • Ideias de culpa e inutilidade; • Sono perturbado ou problemas com falta ou excesso de sono; • Alteração de apetite, diminuído ou aumentado; • Falta de interesse sexual; • Problemas de concentração ou de dificuldades

Vida agitada e cheia de pressões desencadeia a depressão

no pensamento; • Falta de motivação; • Pensamentos de morte ou suicídio; • Sentimento de tristeza, desânimo, irritabilidade ou choro fácil;

Atenção!

É muito importante observar que, para que o paciente seja diagnosticado com depressão, é necessário que ele apresente, no mínimo, cinco (05) dos sintomas acima listados e, além disso, os sintomas em conjunto devem ter a duração mínima de duas semanas consecutivas.

A depressão na mulher

Pesquisas revelam inúmeras razões para a prevalência da depressão no sexo feminino, de acordo com razões de ordem biológica e as de ordem psicológica e social. A psicóloga da CASSEMS, Ana Márcia, detalha: “Em relação à ordem biológica estão as oscilações nos níveis dos hormônios estrogênio e progesterona durante os ciclos menstruais, na gravidez, no pós-parto, na menopausa e climatério e na produção de cortisol – o hormônio mediador do estresse”. A atenção a algumas questões de ordem biológica, como é o caso dos hormônios e da menopausa, por exemplo, é ainda maior quando se refere ao número de mulheres com 40 anos ou mais, que na CASSEMS chega a quase 50%. Dentre os fatores de ordem psicológica e social, a psicóloga destaca o fato de muitas mulheres assumirem sozinhas os encargos da família e o aumento da jornada de trabalho, por exemplo. Também destaca a necessidade que a mulher tem de provar competência profissional a todo instante, de ser boa mãe, companheira amantíssima e dona de casa prestimosa, sem perder a forma física e a elegância impostas pelos atuais padrões de beleza. Juntamente com toda essa pressão vem a possibilidade da mulher ser invadida por um sentimento de culpa injustificável.

Qual a relação entre depressão e ansiedade?

Pesquisas revelam que, dentre os pacientes diagnosticados portadores de ansiedade, 65% apresentam sintomas francamente depressivos. Resumidamente, a psicóloga da Caixa, Ana Márcia, explica: “podemos dizer que a depressão corresponde a um sentimento de angústia (pelo temor de que algo vai acontecer), pela situação de perda, desamparo ou solidão efetiva, enquanto que a ansiedade corresponde a um temor atual produzido pela ameaça de perda ou in-

De uns tempos pra cá...

Por que a depressão tem se tornado tão frequente nos últimos tempos? A resposta está no modo de vida da sociedade moderna - cada vez mais o ser humano vem enfrentando o difícil desafio de viver nela, onde a população perde de vista o que é uma vida saudável e passa a se adaptar a uma forma de vida sedentária e estressante, uma vez que tudo é muito corrido, várias coisas acontecem ao mesmo tempo. As consequências deste modelo de cultura são medidas pelo visível desequilíbrio, pelo alto índice de frustrações, o que geram vários transtornos mentais, dentre eles, a depressão.

REVISTADA DACASSEMS CASSEMS 22ªª eeddi iççããoo 2009 REVISTA

21


segurança, caracterizado pela procura e impaciência apressada. Isto significa que os estados depressivos proporcionam grande sensação de insegurança e pode estar aí a origem da ansiedade na depressão”. A médica Maristela Vargas consente que a ansiedade é considerada doença quando passa a comprometer a qualidade de vida do ser humano. Muitas situações, fatos e circunstâncias podem significar ameaça ao deprimido, como viajar sozinho, sentir-se preso em um elevador, sentir-se avaliado pelos outros, enfim, essas situações passam a nos representar ameaças devido à nossa insegurança. “Diante de situações de ameaça, mesmo que represente ameaça apenas ao paciente deprimido, a reação será de ansiedade. E esta ansiedade será patológica, devido tanto à sua intensidade quanto à sua frequência”, informa Ana Márcia.

Depressão pós-parto

A Depressão Pós-Parto é uma depressão com todas as suas características que se inicia em até um mês após o parto. Está frequentemente associada à ansiedade intensa, ataques de pânico, choro espontâneo nos 3 a 7 primeiros dias do pós-parto, desinteresse pelo recém-nascido e insônia inicial. Sua intensidade é variável, podendo ser leve, moderada ou grave, porém, impossibilita a mulher de fazer seu trabalho no dia a dia. A maioria das mulheres sente-se culpada pelos sintomas depressivos que apresentam num momento que deveria ser de alegria e pelos pensamentos negativos em relação à criança. Pode haver ideias de suicídio, pensamentos obsessivos relacionados à violência contra a criança, falta de concentração e agitação psicomotora. O vínculo entre mãe e filho é prejudicado, podendo interferir no relacionamento futuro. Nestas situações, a psicóloga Ana Márcia alerta que a mãe não deve ser afastada do bebê, mas cuidar dele com ajuda, exceto quando há descompensação psicótica. Esse tipo de depressão é mais frequente do que se imagina e apresenta comumente um curso flutuante – que oscila para melhor ou pior, e labilidade emocional – alternância das emoções: tristeza, alegria, raiva, etc. Ela ocorre mais em casos de primeiro parto, na presença de história prévia de depressão e é uma fase onde há, além das alterações hormonais, uma variedade de mudanças emocionais. Segundo a médica Maristela Vargas, “a depressão pós-parto é resultante da grande variação nos níveis de hormônios sexuais (estrogênio e progesterona) circulantes e de uma alteração no metabolismo das catecolaminas - substâncias que conduzem informações entre as células nervosas – causando alteração no humor, o que pode contribuir para a instalação do quadro depressivo”, informação compartilhada pela psicóloga da CASSEMS, Ana Márcia,

Pílula x Depressão

Não fique com receio de tomar a sua pílula anticoncepcional – a Drª Maristela Vargas afirma que alguns medicamentos podem realmente alterar o humor da mulher, mas que não existem ligações diretas entre a pílula anticoncepcional e mudanças de humor, que podem levar à depressão. Lembre-se que é de fundamental importância procurar um médico antes de se iniciar qualquer medicamento.

22

REVISTADA DACASSEMS CASSEMS▪ ▪ 2 ª2 ªe de d ã o▪ ▪ 2009 2009 REVISTA i çiãç o

que ainda frisa a necessidade de se analisar as condições em que foi feito o parto, a presença de conflitos em relação a ser mãe e à família e sua situação social.

Como a psicologia pode ajudar?

A psicologia, através do tratamento psicológico chamado psicoterapia, caracteriza-se por atendimentos semanais que auxiliam na eliminação da desesperança, da falta de motivação, da auto-estima diminuída e da tristeza. Na psicologia, busca-se ajudar o indivíduo a encontrar prazer em atividades rotineiras, a melhorar as relações interpessoais e a aprender a lidar com dificuldades pessoais como a perda de relacionamentos, as decepções e frustrações da vida cotidiana. “As habilidades psicológicas e comportamentais são aprimoradas em busca de respostas novas e adequadas às situações de estresse, que fatalmente ocorrem na vida de qualquer um, com o objetivo de diminuir o risco de desencadeamento de novas crises depressivas”, explica a psicóloga da CASSEMS, Ana Márcia.

O combate à depressão

A psicóloga Ana Márcia Balbino orienta que o método mais adequado de combate à depressão é procurar um profissional da área de saúde (médico psiquiatra ou um psicólogo) para estabelecer o diagnóstico, pois o tratamento da depressão é estabelecido em função dos sintomas apresentados e da intensidade do quadro. Pesquisas revelam que o melhor tratamento é aquele que associa a medicação – receitada pelo médico psiquiatra – para obter um relativo rápido alívio dos sintomas, com o tratamento psicológico – psicoterapia – para aprender maneiras mais efetivas de saber lidar com os problemas da vida. Esta associação garante maior probabilidade de melhora dos sintomas da depressão, sendo que um método não exclui o outro, e a medicação é uma aliada que dá condições para que o indivíduo se engaje em sua psicoterapia. Muitas pessoas acreditam que melhorar é apenas uma questão de força de vontade. Isto é verdade nos casos em que as pessoas já encontraram as respostas de que precisam, encontrando-se, então, face ao desafio de as implementarem. Nos demais casos, explica Ana Márcia, “a insistência no poder da força de vontade é como tentar sair de uma sala escura atirando-se contra uma parede com cada vez mais força. No entanto, mais vale acender a luz, localizar a porta e sair através dela. É aí que um psicólogo e um médico podem ajudar”. A CASSEMS oferece diversos tratamentos seriados aos seus beneficiários, dentre eles o psicológico. Para ser atendido, o beneficiário deve ser encaminhado por um médico. A CASSEMS disponibiliza 10 sessões por ano.

Curiosidade: Chocolate – o prazer momentâneo

Dizem por aí que o chocolate faz bem e ajuda no combate à depressão e à Tensão Pré-Menstrual, a famosa TPM. Mas isso é, de fato, verdade? Drª Maristela Vargas explica: “a ingestão de chocolate aumenta momentaneamente a produção de serotonina, que é o neurotransmissor responsável pelo bom-humor e pela sensação de bem estar”. No entanto, ela adverte: “por ser altamente calórico, o chocolate pode levar à obesidade e a mulher acaba entrando no ciclo vicioso de depressão/ansiedade – obesidade – depressão/ansiedade”.


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

23


utilidadecassems

Verão sem dengue Autoridades sanitárias não darão trégua a dengue Para a campanha Verão 2010, o Governo do Estado deve investir pelo menos R$ 1 milhão no enfrentamento da doença. Este dinheiro será aplicado em capacitação de agentes de saúde, campanha publicitária, distribuição de larvicidas, bombas costais e compra de veículos automotores. A população precisa fazer a sua parte, combatendo os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Veja mais dicas preciosas no combate à degue:

Mantenha a caixa d´água sempre fechada e com a tampa adequada.

Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada. Não jogue lixo em terrenos baldios.

Remova galhos e folhas e tudo que possa impedir a água de correr pelas canaletas.

Encha com areia até as bordas os pratinhos dos vasos de plantas.

Não deixe a água da chuva acumulada sobre a lage.

Se possuir plantas aquáticas, troque a água e lave o vaso 1 vez por semana.

Lave semanalmente por dentro com escova e sabão os tanques utilizados para armazenar água.

Entregue seus pneus ao serviço de limpeza urbana ou guarde-os em local coberto.

Mantenha bem tampados tonéis e barrís de água.

Guarde garrafas sempre de cabeça para baixo. Fontes: www.dengue.org.br e www.portalms.com.br

24

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

25


26

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

27


atendimentocassems

Cassems estende benefício a parceiros do mesmo sexo Funcionários públicos em uniões homoafetivas já podem incluir os parceiros como dependentes Por Larissa Rolim

O

Estatuto da CASSEMS aprovado em Assembleia Geral, realizada em 23 de abril de 2009, autoriza a inclusão de Dependente Natural ao Associado Titular, inclusive o (a) companheiro (a) do mesmo sexo. Esta é mais uma conquista das pessoas homoafetivas que possuem união estável e mais um avanço da CASSEMS, que a reconhece e dá o direito de incluir o cônjuge no plano de saúde e a ter direito à licençamaternidade em caso de adoção. A Caixa já garante a seus funcionários o que nem mesmo a legislação ainda prevê. O presidente da CASSEMS, Lauro Davi, afirma: “o reconhecimento da união homoafetiva é uma tendência da sociedade e a instituição não pode parar no tempo. Temos que evoluir juntos e não deixar de atender essas pessoas”.

28

REVISTA DA DA CASSEMS CASSEMS ▪▪ 22ªª eeddiiççããoo ▪▪ 2009 2009 REVISTA

Batalha

Apesar de todos os empecilhos enfrentados por pessoas homossexuais, esta realidade vem mudando gradativamente. Alguns tribunais brasileiros, por exemplo, já firmaram jurisprudência em conceder direitos em relação à herança a uniões homoafetivas, bem como plano de saúde, pensão em caso de morte, guarda de filho e emprego. E esse é só o começo de uma luta de pessoas iguais por direitos iguais.


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

29


30

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


cuidadoscassems

Cuide da sua coluna Fique atento a algumas dicas que preparamos para que você não sofra com dores de coluna

Q

uantas vezes você ouviu seus pais falarem: “olha a postura”. Talvez mais vezes do que você gostaria de ouvir. Se você tem dificuldade em manter uma boa postura, talvez o problema não sejasuaforçade vontade de melhorá-la mas sim algumas estruturas musculares, articulares e também psico-comportamentais que afetam e não deixam você evoluir para uma postura melhor. Procure ajuda de um profissional especializado em Reeducação Postural que você terá com certeza uma orientação e a solução de seu problema. Uma boa postura é importante porque ajuda o seu corpo a funcionar na maior velocidade possível. Promove a eficiência do movimento e resistência e contribui para uma sensação de bem estar.

Boa postura é também boa prevenção. Se você tiver uma postura deficiente, seus ossos não estarão alinhados corretamente e seus músculos, juntas e ligamentos ficarão mais tensos do que o normal. A postura defeituosa pode causar-lhe a fadiga, a tensão muscular e, em uns estágios posteriores, a dor. Muitos indivíduos com dor crônica na coluna podem estender seus problemas a anos de hábitos posturais defeituosos. Além disso, a postura deficiente pode afetar a posição e a função de seus órgãos vitais, particularmente aqueles na região abdominal. A postura correta contribui também com a boa aparência: a pessoa com boa postura projeta pose, confiança e dignidade. Fonte: www.boapostura.com.br

Dicas do Especialista Mochilas

Não use uma mochila com o peso acima de 10% de seu peso corporal. Por exemplo, se você pesa 50 kg, carregue até 5 kg de peso em sua mochila. Assim você estará evitando que doenças relacionadas à postura sejam desenvolvidas em seu corpo.

Sentar

É importante que se tome cuidado também com a maneira correta de se sentar. Sentar em uma cadeira ou em um sofá de qualquer forma tam-

bém pode gerar algum tipo de doença relacionada à postura. Nesses casos, as doenças mais comuns são escoliose e cifose acentuada.

Esportes

A prática de esportes que exigem o levantamento de peso deve ser feito de forma adequada e com a orientação de um profissional. Uma pessoa na fase adolescente pode vir a sofrer lesões graves na coluna e em seus músculos. Dr. Rogério Sanfelice, ortopedista e especialista em clínica e cirurgia da coluna vertebral

REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

31


32

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

33


cuidadoscassems

5 mentiras ditas no consultório que deixam a saúde vulnerável Você fuma? Faz exercícios físicos? Usa camisinha? Essas são perguntas frequentes dentro do consultório médico. Na hora do interrogatório, é comum muita gente hesitar na resposta e contar uma mentirinha só para evitar um possível sermão. Mas o hábito, aparentemente inocente, sugere um problemão. De acordo com especialistas, pudores em frente ao médico podem ameaçar a sua saúde. O comportamento é responsável, na maioria dos casos, pelo diagnóstico tardio ou até errado e pelo uso indevido de remédios. Veja abaixo uma lista com as afirmações falsas que podem jogar contra a sua saúde:

1

Eu não fumo

Não adianta enganar. Fumar um cigarro por dia ou apenas no final de semana dá no mesmo. E o médico precisa saber. O mesmo vale para pacientes com dificuldades respiratórias ou que tomam medicações antitabagismo que costumam afirmar que largaram o cigarro, quando não é verdade. Quem fuma apresenta problemas diferentes, então os exames preventivos, como a chapa do pulmão, são costumeiros. Se o paciente diz que não fuma, esses exames não serão solicitados, deixando-o mais vulnerável.

2

Eu faço exercícios físicos regularmente

De acordo com os especialistas, essa é uma mentira bem comum, mas que eles conseguem detectar. Pessoas que mentem sobre a prática regular são facilmente pegas, pois apresentam baixo condicionamento físico, peso acima do esperado, dores pelo corpo, dificuldade para dormir e sintomas de ansiedade e depressão. Quando a mentira passa batido pode causar problemas no tratamento de diversas doenças. Se o paciente afirma que já realiza os exercícios, o médico pode até modificar os remédios e o tratamento da doença.

3

Eu não consumo bebida alcoólica

Quando são associadas a determinados remédios, as bebidas alcoólicas podem causar sérios prejuízos para saúde, ocasionando ataques cardíacos, depressão, hipertensão e até problemas mentais. Se o paciente diz que não bebe, o médico se sentirá seguro para receitar um remédio específico. Outro problema é quando surgem sintomas de uma doença, mas não havendo o hábito de beber, o médico irá procurar por outros problemas, atrasando o diagnóstico da doença, que seria óbvio se a verdade fosse dita.

4

Eu sempre uso camisinha

Essa mentirinha é perigosa e frequente. Doenças Sexualmente Transmissíveis, como gonorreia, sífilis, AIDS, Hepatite B e Hepatite C continuam a contaminar milhares de pessoas. São doenças que exigem um diagnóstico precoce para que o tratamento traga o melhor resultado. Se o paciente afirma que sempre faz sexo com preservativo, o médico não vê a necessidade de pedir exames específicos, mas que são necessários.

5

Estou tomando todos meus remédios corretamente

Não seguir à risca o que diz a receita médica e contar outra versão no consultório é uma das mentiras mais perigosas. Quando o paciente diz que está tomando o remédio de hipertensão corretamente e mesmo assim ela não abaixa, é sinal que precisamos aumentar a dose. Nesse caso, o efeito do medicamento é fazer a pressão baixar demais e provocar tontura e desmaios.

34

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

35


alimentaçãosaudável

Dieta do

Mediterrâneo Veja porque esta dieta que vem tão de longe pode mudar para melhor a sua alimentação O crescimento da obesidade entre os beneficiários CASSEMS é uma fato, refletindo os hábitos da vida moderna, em que o tempo é curto demais para uma alimentação equilibrada e saudável e exercícios físicos regulares. A CASSEMS mantém o Programa de Nutrição, dirigido pela nutricionista Lilian Keller Herrera, que oferece uma oportunidade de reeducação alimentar, além do Programa Viva Saúde, dirigido pelo diretor de assistência à saúde Ricardo Ayache, que estimula hábitos de vida saudáveis, inclusive com caminhadas monitoradas. Anote a dica para uma alimentação mais saudável e lembre-se de praticar ao menos uma caminhada de 30 minutos ao dia.

Dieta Mediterrânea - longevidade e coração saudável

O modo de alimentar-se conhecido por dieta mediterrânea é composto pelo alto consumo de frutas, hortaliças (verduras e legumes), cereais, leguminosas (grão-de-bico, lentilha), oleaginosas (amêndoas, azeitonas, nozes), peixes, leite e derivados (iogurte, queijos), vinho e azeite de oliva. O que a faz diferente em relação à alimentação das outras regiões do mundo é o baixo consumo de carnes vermelhas, gorduras de origem animal, produtos industrializados e doces (ricos em gordura e açúcar). Analisando-se os principais benefícios provenientes dos alimentos dessa dieta, temos:

Frutas e hortaliças: grande quantidade de fibras e antioxidantes (como beta-caroteno, licopeno, vitaminas E e C) previnem o câncer. Cereais: essencialmente fornecedores de energia para o organismo; mas, se forem integrais, também contribuem com vitaminas do Complexo B, vitamina E, selênio e fibras. Leguminosas: fonte de fibras e proteínas vegetais, combatem a constipação, evitam o câncer do cólon e reto (regiões do intestino grosso) e diminuem o nível do colesterol “ruim” (LDL) prevenindo o aparecimento das doenças cardiovasculares. Oleaginosas: por possuírem ácidos graxos mono e po-

36

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

linsaturados, reduzem a chance de desenvolvimento da hipercolesterolemia (colesterol alto no sangue).

Peixes: são ricos em ácidos graxos ômega - 3, atuando contra o aparecimento de uma variedade de doenças, incluindo hipertensão, aterosclerose, doenças do coração e câncer. Iogurtes: além de serem fonte de cálcio, contém lactobacilos (microorganismos vivos). O cálcio contribui para a prevenção da osteoporose e os lactobacilos beneficiam nossa flora intestinal, combatendo os microorganismos patogênicos que possam estar presentes nos intestinos. Vinho tinto: por possuir uma alta quantidade de flavonoides (antioxidantes), evita a formação de placas de gorduras na parte interna dos vasos sanguíneos (ateromas), diminuindo o risco de desenvolvimento das doenças cardiovasculares. De acordo com a cultura mediterrânea, o consumo do vinho tinto deve ocorrer durante as refeições, pois a presença de alimentos ameniza os efeitos tóxicos do álcool no organismo. Azeite de oliva: é rico em fenóis (antioxidantes) e em ácido graxo monoinsaturado, sendo que o último atua no aumento da taxa do colesterol “bom” (HDL), favorecendo nosso coração. Segundo o costume do povo mediterrâneo, o ideal é consumi-lo diariamente, para temperar as saladas, regar o peixe ou a carne que irá assar, fazer arroz... Mas não podemos esquecer que o azeite, assim como qualquer outra gordura, é calórico. Portanto, seu consumo não deve ser exagerado! Os alimentos que compõem a dieta mediterrânea são fontes de vitaminas, minerais, ácidos graxos mono e polinsaturados, fibras e antioxidantes facilmente encontrados no Brasil. A introdução da dieta mediterrânea na alimentação diária traz uma mudança de comportamento benéfica à saúde do coração, prevenindo diversas doenças. Combinada com exercícios físicos diários, a dieta é o segredo da longevidade dos povos mediterrâneos. Experimente. Fonte: Uol.


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

37


cassemsentrevista

Por Leandro Ferreira

Previna-se contra o estresse

O entrevistado desta edição é o Dr. Ricardo Ayache, cardiologista, diretor de Assistência à Saúde e Unidades Hospitalares da CASSEMS. Ele fala sobre como o estresse afeta nossas vidas e o que deve ser feito para que não soframos com este mal. Acompanhe:

Na realidade, o que é estresse? Em um conceito singular, o estresse é um mecanismo de defesa do corpo humano que visa mobilizar todas as reservas do organismo a fim de proporcionar energias extras das quais possamos a vir necessitar para enfrentar circunstâncias adversas à nossa rotina habitual. Em sua instância inicial o estresse pode ser encarado como algo benéfico no sentido de servir como um alerta para uma maior atenção na execução de tarefas, enfatizando a capacidade humana, por vezes desconhecida, de reagir a certas agressões. Contudo, quando essa atividade extra do organismo atinge um limite suportável para o indivíduo e/ou quando os estímulos que provocam o estresse tornam-se contínuos e de longa duração portam o teor negativo podendo ocasionar patologias em suas mais variadas formas. Quais são os principais fatores que levam uma pessoa a sofrer de estresse? O estresse pode ser causado por inúmeros fatores sendo eles desagradáveis ou não, por exemplo, situações traumáticas como roubos, ou fatores positivos como casar-se. A incapacidade de padronizar uma causa para o estresse deve-se ao fato de que toda e qualquer alteração no cotidiano do indivíduo impulsionando-o a adaptação de uma nova circunstância poderá provocar-lhe um esforço de defesa extra de seu organismo. Entretanto, vale ressaltar que a ocorrência do estresse está intimamente ligada com a forma que cada indivíduo responde às agressões submetidas, sendo que dois sujeitos ao serem submetidos a uma mesma tensão emitem reações diversificadas. Contudo, independentemente do fator, a perduração de qualquer circunstância não adaptada à rotina caracteriza-se como o principal fator para levar uma pessoa a sofrer de estresse. Qual ou quais os sintomas mais comuns em uma pessoa que sofre de estresse? O intenso trabalho do organismo provoca diversas reações levando o corpo a buscar o restabelecimento do equilíbrio perdido. O coração aumenta o ritmo de batimento cardíaco visando o suprimento do oxigênio e energia consumidos, a atividade cerebral aumenta cogitando infinitas situações levando o indivíduo à uma espécie de pânico. A memória é diretamente afetada, podendo ocorrer desde pequenas falhas a lapsos de esquecimentos. O humor do indivíduo reflete uma grande mudança tornando a pessoa propensa a constantes e profundas irritações. O desgaste físico é irremediável em função do intenso trabalho dos órgãos internos ocasionando em cansaço excessivo, além claro de dores musculares difusamente em várias partes do corpo. Enfim, há uma vasta série de sintomas propensos a ocorrência em casos de estresse, todavia tudo é variável de uma pessoa para outra. Importante se faz a prevenção com o cultivo de uma vida saudável e a auto-vigilância quanto aos desvios de regularidades que o nosso organismo emite. Uma pessoa que sofre de estresse pode desenvolver algum tipo de patologia? Quais? Sim, o estresse é fruto de uma vida carente de uma rotina saudável. Como exemplo, posso mencionar o coração, que é um dos órgãos mais afligidos pelo estresse elevado. Como já citei anteriormente o ritmo de batimento cardíaco aumenta com a finalidade de oxigenar o corpo, quando o coração não está preparado para suportar tamanha atividade, o que deveras é um tanto comum, tende a desenvolver em uma pessoa outrora saudável um problema cardíaco. Além de problemas gastrintestinais, enxaqueca, problemas de pele, etc.

38

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

Dr. Ricardo Ayache, cardiologista

Ainda em cima dessa questão do coração, uma pessoa estressada fica mais suscetível a sofrer um infarto ou algum outro problema? Quando se trata de um estresse contínuo há uma grande probabilidade, visto que a tensão pode ocasionar o aparecimento de placas de gordura ao longo das artérias, além do aumento da pressão arterial, e até mesmo problemas metabólicos múltiplos, como a diabetes. Esta gama de irregularidades no nosso organismo são fatores de risco para a ocorrência de infarto, angina e derrame. Dependendo dos casos, as conseqüências podem ser fatais. Quais as dicas o senhor dá para aquelas pessoas que estão se sentindo estressadas? Que medidas elas devem tomar para combater essa doença? A prevenção é sempre a melhor receita que apresento a um paciente como um “tratamento” eficaz, pois o que se percebe é que muitos tendem a se preocupar com seu ritmo de atividades quando conseqüências desastrosas acontecem. A pratica regular de esportes, a dedicação de um tempo diário para o desenvolvimento de algum hobby ou um passatempo permitem uma descarga benéfica das tensões acumuladas, ajudando nosso organismo a equilibrar-se. O estresse oriundo do trabalho é muito comum, mediante a isto é importante que uma pessoa se dedique a outras atividades que não envolvam uma satisfação material. Outro conselho é priorizar a regularidade do sono que são entre seis e oito horas diárias, visto que a falta ou a irregularidade do mesmo tende a ser prejudicial ao organismo. A CASSEMS realiza algum tipo de programa que previna esse tipo de doença? Qual? A CASSEMS sempre está preocupada em tomar atitudes preventivas quando o assunto é a saúde dos nossos beneficiários. Desde 2007 nós da CASSEMS, em parceria com o IAC (Instituto de Ação e Cidadania) desenvolvemos o projeto Viva Saúde, que tem como objetivo primordial alertar os participantes quanto à importância de levar uma vida saudável. É com esse intuito que nos dedicamos à realização de palestras e atividades esportivas que levem o servidor público do nosso Estado a ter uma vida com qualidade, com bem-estar. Isto sim é importante, é essencial que as pessoas tenham o hábito de praticar esportes, de ter uma alimentação balanceada, sem excessos, que evite os vícios como o cigarro e o consumo de álcool, enfim, que priorizem um cuidado consigo mesmo. Esse é um desafio, um desafio grande que nós estamos tentando ultrapassar com muito trabalho, dedicação e claro, informação.


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

39


mamãecassems

Alimentação balanceada garante gravidez saudável Cuidados com a alimentação repercutem no desenvolvimento da criança Por Leandro Ferreira Ter uma gestação saudável não é uma tarefa tão simples quanto parece. Durante os nove meses de gravidez é preciso se preocupar com vários fatores relacionados à sua própria saúde e à do bebê. De acordo com a nutricionista da CASSEMS, Lilian Keller Herrera, durante o período de gestação, as gestantes devem comer diariamente alimentos ricos em ferro, vitaminas A e C, iodo e cálcio e devem também suplementar essa alimentação com ácido fólico. Todos esses nutrientes podem ser encontrados nas carnes vermelhas (ferro); frutas, como laranja e acerola (vitamina C) e pêssego; cenoura; tomate; vegetais verdes; alimentos amarelos e laranjas (vitamina A); atum; bacalhau e sal iodado (iodo); leites e derivados; brócolis e espinafre (cálcio). O cálcio, em especial, é o nutriente que vai formar os ossos e os dentes do bebê. Por isso é muito importante que se tenha sempre uma alimentação rica em cálcio, contribuindo para o bebê ter ossos e dentes mais fortes. As futuras mamães devem tomar alguns outros cuidados com a alimentação. Quantidades excessivas de calorias podem prejudicar a saúde da criança. A nutricionista da CASSEMS, Lilian Keller, afirma que “esse tipo de alimentação pode causar problemas como obesidade, alto nível de colesterol e glicose e diabetes na criança”. Por isso, segundo a própria nutricionista, é importante que as mamães façam exercícios físicos durante a gestação, mas sem colocar em risco a saúde de bebê. “O exercício físico é benéfico para a mãe, tanto para

40

REVISTA DACASSEMS CASSEMS▪ ▪ 22ª ªe eddi çi çããoo▪ ▪ 2009 2009 REVISTA DA

o desenvolvimento do feto quanto para o suprimento de leite na amamentação”. Ela ainda diz que esses exercícios físicos não têm contra-indicações se a futura mamãe já possui o hábito de praticar algum tipo de atividade física. É importante salientar que o ganho de peso da futura mamãe durante o período de gestação deve ser de 9 a 12 kg. Ainda falando da alimentação para gestantes, é importante observar que grávidas devem evitar consumir alguns alimentos, tais como cafeína, refrigerantes de cola, alimentos gordurosos, bebidas alcoólicas e cigarros. Sobre os dois últimos ítens, o ginecologista, obstetra e ultrassonografista credenciado da Caixa, Orlando Monteiro Júnior, diz que “o hábito de fumar está associado a abortamentos, partos prematuros e a recémnascidos de baixo peso e o consumo de bebidas alcoólicas aumenta a mortalidade peri natal do feto e aumenta também a incidência de retardo mental e microcefalia na criança”. Durante a gestação, a mamãe deve ter cuidados também com seu corpo. Uma gravidez saudável não deve ser benéfica somente para o bebê, mas para ambos. Esses cuidados começam ainda na fase inicial da gravidez. O pré-natal deve ser feito de forma correta pois nele é possível detectar se o bebê possui algum tipo de doença ainda na barriga da mamãe. O ginecologista, obstetra e ultrassonografista Orlando Monteiro diz que “durante o pré-natal é importante que seja feito o primeiro exame de ultrassonografia no 1º trimestre de gestação, no qual se tem a oportunidade de datar a gravidez. Entre 11 e 13 semanas pode-se fazer o ultrassom morfológico, que pode detectar se o bebê possui síndromes como a de Down, no qual são avalidados entre outros dados a translucência nucal, ossonasal e ducto venoso”. Ele ainda complementa dizendo que “no 2º trimestre (entre 20 e 24 semanas) é importante que se faça outro ultrassom morfológico”. Segundo o Dr. Orlando Monteiro, é importante que a mamãe desenvolva alguns hábitos saudáveis durante a gestação, evitando o uso de produtos com excesso de química e roupas que não favoreçam sua comodidade. Ainda de acordo com o ginecologista e obstetra, os calçados devem possuir saltos baixos e a gestante deve buscar a prática de exercícios físicos como natação. Em contrapartida a todos esses hábitos saudáveis o médico Orlando Monteiro enfatiza que as mães devem tomar cuidado com alguns fatores que podem prejudicar sua gravidez. Segundo ele, é muito comum que as gestantes sintam câimbras, que atacam principalmente os membros inferiores e geralmente estão relacionadas à hipocalcemia, à compressão de raízes nervosas e às posturas que favorecem sua ocorrência. A hipertemia (febre) deve ser combatida com medidas antitérmicas. Mas é importante ressaltar que é proibida a automedicação. Durante a gravidez, a gestante deve usar somente medicamentos prescritos por médicos, evitando assim riscos maiores ao feto.


Complementando a opinião do ginecologista, também a odontopediatra da CASSEMS, Fernanda Charbel, diz ser fundamental que a mamãe evite qualquer tipo de stress, infecções e febres altas durante o período de gestação, pois esses fatores podem interferir na formação da dentição do bebê, gerando neles dentes errôneos e com defeitos. De acordo com Orlando Monteiro, “as secreções vaginais também devem ser observadas. Quando sintomáticas, devem ser valorizadas e avaliadas pelo obstetra”. Ele ainda diz que é fundamental que seja feito com a gestante o preparo psicológico para o parto.

Cuidados com os dentinhos

Todos esses cuidados que a mamãe deve ter com sua alimentação refletem de forma positiva para o bebê, influenciando na formação dos dentes durante gestação. A odontopediatra da CASSEMS, Fernanda Charbel, explica que “desde a gestação, o bebê recebe muitos nutrientes e minerais importantíssimos que serão responsáveis pela formação de todos os seus tecidos, ossos, órgãos e sistemas”. Ou seja, a dentição faz parte desses tecidos que são compostos por grande quantidade de cálcio, muito similar aos ossos do corpo humano. Após a gestação, o cuidado com a alimentação deve continuar devido à amamentação. O leite materno é o alimento mais importante para o bebê nos primeiros anos de vida. O bebê que mama durante esse período, previne as más oclusões dos seus dentinhos. A odontopediatra da CASSEMS Fernanda Charbel, diz que “além da importância afetiva e nutricional, a amamentação garante ao bebê o exercício muscular, a sucção favorece a respiração nasal e previne grande parte dos problemas de posicionamento incorreto dos dentes e das estruturas faciais”. Além disso, o aleitamento materno auxilia na prevenção da deglutição atípica (engolir com a língua em posição errada). Após o nascimento da criança, é importante que a mamãe amamente seu filho pelo período mínimo de um ano. Após esse período, a alimentação da criança deve ser balanceada para que a mesma não desenvolva algum tipo de problema em sua dentição. A odontopediatra da CASSEMS Fernanda Charbel diz que “é necessário que as crianças façam uma dieta rica em fósforo, cálcio e vitaminas A, C e D, pois lhe assegura um bom desenvolvimento da estrutura dental”.

prio pediatra, as mamães podem dar sopas que contenham carboidratos, legumes e verduras de várias cores, proteínas e lipídios (gordura). Após o período de amamentação, o pediatra Oswaldo Riveros acredita que os melhores alimentos para as crianças são os ricos em ferro. É importante ressaltar que, atualmente, várias crianças sofrem com o problema de obesidade na infância que, de maneira silenciosa, traz algumas doenças perigosas à sua saúde, como por exemplo, a hipertensão arterial, diabetes e suas complicações oculares e vasculares. Juntamente com esses problemas, surgem outros que afetam diretamente o crescimento, como os problemas ortopédicos, apneia, insônia, dificuldade de aprendizagem, alterações menstruais e puberdade precoce. Só no ano de 2009, foram realizados pela CASSEMS cerca de 29.357 consultas com pediatras através da rede credenciada. Além disso, mais de 1.500 internações pediátricas e mais 618 cirurgias pediátricas. A CASSEMS deseja que todas as futuras mamães estejam cientes dos benefícios de uma boa alimentação para uma gravidez saudável, que previne diversas doenças e garante um crescimento saudável ao seu filho.

Saúde da Criança

A alimentação também pode interferir no ganho de peso do bebê recém-nascido e na criança em fase de crescimento. O pediatra credenciado da Caixa, Oswaldo Riveros, diz que “o importante é que o bebê se alimente somente do leite materno nos primeiros meses de vida. Posteriormente, a mamãe deve introduzir outros alimentos à dieta da criança, de preferência frutas da época em forma de suco e papa de frutas amassadas com um garfo”. Depois deste período, segundo o pró-

Atendimentos Relacionados Em 2009, a CASSEMS já realizou 7.005 atendimentos relacionados à odontopediatria. Número significativo e alcançado porque a Caixa desenvolve o Projeto de Prevenção em Odontologia “Odontologia para Bebês”, sob o comando da diretora de assistência à odontologia Denise Garcia Sakae, que visa atender as crianças com idade de 0 a 5 anos e a seus pais, disseminando hábitos saudáveis para uma boa saúde bucal.

REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

41


interiordoestado

Médicos em falta no interior Desinteresse de profissionais da saúde vem dificultando expansão do atendimento a beneficiários no interior do Estado Por Larissa Rolim e Leandro Ferreira

O

credenciamento de médicos no interior do Estado é um problema que não é enfrentado apenas pela CASSEMS e por seus beneficiários. A dificuldade no credenciamento é um problema em todo o Brasil, quando se trata de levar médicos para o interior dos estados. Existe uma concentração de médicos nas cidades de grande porte, o que, consequentemente, acaba se tornando uma das maiores dificuldades enfrentadas tanto pela saúde pública quando pelas organizações de Saúde Suplementar. A dificuldade é tamanha que um plano de saúde da Bahia, também voltado aos servidores estaduais de seu Estado – assim como a CASSEMS – já fez, inclusive, campanha para ampliar e qualificar a rede de prestadores de serviços médicos no interior do estado. É o que dá pra fazer, pois a decisão de se credenciar ou não em algum plano de saúde é do médico. Não é tão simples como as pessoas pensam. Se médicos de algumas especialidades faltam no seu município, a culpa não é sempre do plano de saúde do qual você participa. O problema é, ao mesmo tempo, simples e complexo: não existem profissionais que queiram se credenciar! São muitas as questões a serem discutidas e pensadas por um médico ao se credenciar no interior. Dentre as dificuldades apontadas pela categoria, o gerente da regional CASSEMS de Coxim, Paulo Alves, destaca a mais séria: “os hospitais do interior (credenciados à CASSEMS) geralmente não oferecem equipamentos seguros para que os médicos possam realizar seus procedimentos. Eles não querem colocar o seu nome em risco, pois se algo der errado não vai ser o hospital que vai ter seu nome comprometido”. Uma série de outras dificuldades também é justificada pelos médicos, como o fato de não conseguirem acompanhar as atualizações do mercado, uma vez que a medicina é muito dinâmica e, vivendo nos municípios do interior, os médicos não podem fazer os cursos que os colegas que residem nos grandes centros fazem, então acabam sendo ultrapassados por currículos melhores. Morar no interior, para o profissional médico, também desfavorece a educação dos filhos. “É difícil conseguir formar um filho no interior, pois os municípios raramente possuem universidade e, quando a possuem, esta não dispõe de professores habilitados a ministrar aulas de medicina, direito, enfermagem, por exemplo. Os melhores cursos estão nos grandes centros”, afirma o gerente regional Paulo Alves. E os empecilhos não param por aí. Também tem a dificuldade de locomoção para a Capital e a violência do trânsito nas rodovias. Eles alegam que não compensa morar em uma cidade do interior, pois sempre precisam ir até Campo Grande e cada viagem é um risco.

tos médicos a não se credenciarem em municípios do interior, é preciso explorar – e mostrar – os lados positivos de se viver nos municípios de Mato Grosso do Sul e de assistir os beneficiários da CASSEMS. Paulo Alves, de Coxim, enumera alguns dos pontos positivos. De acordo com ele, começa com a qualidade de vida, que é bem melhor se comparada aos grandes centros. “A segurança e a tranquilidade da cidade, a receptividade dos moradores, é tudo muito melhor”, afirma. Muitos profissionais, de qualquer área, vão morar no interior justamente por esse motivo. Tem também a questão de valorização profissional. Paulo explica: “Um médico em Campo Grande é só um mais dentre tantos. Já um médico no interior é muito mais valorizado, pois ele não tem concorrência”. Prefeituras costumam pagar bem nos Programas de Saúde da Família (PSF), levando-se em conta que o custo de vida nos municípios do interior é bem menor ao das capitais. E, para finalizar com estímulo maior ainda aos médicos que estejam em dúvida sobre se credenciar ou não, o gerente regional de Coxim avisa: “o médico que chegar aqui procurando emprego nas especialidades de cardiologia, otorrinolaringologia, gastroenterologia, neurologia e para anestesista, estará empregado, pois são especialidades que aqui estão em falta”.

Reumatologia

A procura por esta especialidade é praticamente proporcional à frustração de quem precisa de atendimento e os motivos da falta de credenciados são os mesmos citados anteriormente, com um agravante: são pouquíssimos os especialistas dessa área no Estado. Em Campo Grande, por exemplo, existem em torno de 10 profissionais especializados. Com essa demanda, fica ainda mais difícil suprir as necessidades não só dos que moram no interior como também dos que residem nas capitais.

Odontologia

Também é crônica a falta de dentistas em cidades afastadas dos grandes centros no Brasil. O governo vem realizando concursos públicos que chegam a oferecer salários de até R$ 10 mil reais para que estes profissionais passem a atender no interior, mas a empreitada não vem obtendo sucesso. De acordo com a OMS, Organização Mundial da Saúde, é necessário ter um dentista para cada grupo de 1200 habitantes. A média no Brasil é de cerca de 800 habitantes para cada dentista. Em Campo Grande, a CASSEMS possui três gabinetes odontológicos em funcionamento, além de profissionais atendendo diariamente na Policlínica da Polícia Militar. Há atendimento também no Centro Odontológico da CASSEMS. O baixo número de profissionais que se dispõe a trabalhar em algumas cidades do interior do Estado vem dificultando a ampliação dessa rede. Esse é particularmente um desafio que a Caixa terá que vencer para levar mais qualidade de vida e de atendimento aos Viver melhor Agora que já são conhecidos os motivos que levam mui- seus beneficiários.

42

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

43


44

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

45


curtascassems Regional Campo Grande Clínica Carandá

Foi credenciada, para atendimento aos beneficiários CASSEMS, a Clínica Carandá. O atendimento está sendo feito aos pacientes que necessitam de tratamento psiquiátrico. A Clínica Carandá está localizada na Av. Mato Grosso, 4418. Tel.: 2107-5150

Mudança

A Regional de Campo Grande agora está funcionando na sede da CASSEMS na Av. Antonio Maria Coelho, 6065, sob a gerência de Sonilza Souza de Lima.

Forma de consignação em folha de pagamento foi alterada

O governador do Estado de Mato Grosso do Sul – Sr. André Puccinelli - no uso de seus atributos, sancionou no dia 03 de agosto de 2009 o Decreto nº 12.796, que trata das consignações em folha de pagamento dos servidores públicos civis e militares da administração direta, autarquias e empresas públicas do Poder Executivo do Estado. Esse decreto altera a forma de consignação que até então vigorava junto à CASSEMS e afeta diretamente alguns servidores públicos no que diz respeito à sua margem para consignação em relação aos seguintes benefícios oferecidos pela Caixa:

46

Por Leandro Ferreira

• Cartão de Benefícios (compras de medicamentos e pagamento de órtese e prótese); • Plano especial; • Plano agregado especial; • Benefício Póstumo; • Qualisalva; • Cabesp. Por esta razão, a CASSEMS comunica a todos os beneficiários que possuem ou fazem uso de algum desses benefícios acerca da impossibilidade provisória de utilização do Cartão. Se você possui ou utiliza algum desses benefícios, acompanhe de perto o seu contracheque, pois, caso não haja margem consignável, eles ficarão sem a devida cobertura, acarretando possíveis transtornos. Para evitá-los, é importante informar aos beneficiários que estão com algum dos serviços acima bloqueados que procurem informações detalhadas através dos telefones (67) 3314-1010 / 3314-1033 / 3314-1039 / 3314-1057.

Regional Dourados Oncomed

Foi credenciada a Oncomed, clínica especializada em oncologia. O endereço da clínica é na Rua Monte Alegre, 1807, no Jardim América. O telefone é 3421-0606.

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

Unidade de Diagnósticos por Imagem

Além desta, também foi credenciada a Unidade de Diagnósticos por Imagem de Dourados. O endereço é R. Ciro de Melo, 2059, Jd. Central. Tel.: 3020-5500.

Regional Iguatemi Oftalmologista

O oftalmologista Jorge Hitochi Kumagai passa a atender pela CASSEMS às sextas-feiras em seu consultório na Av. Gelson Andrade Moreira, 827, Centro.

Regional Chapadão do Sul Ortopedista

O ortopedista Paulo Tonelli Quaranta foi credenciado para atender aos beneficiários CASSEMS na Av. Oito, 770, Centro. Tel.: 3562-3521.

Regional Rio Negro Hospital Idimarque Paes Ferreira

O Hospital e Maternidade Idimarque Paes Ferreira foi credenciado pela CASSEMS em Rio Negro. O hospital fica na rua Boa Vista, 125, Bairro Alto, CEP 79.470-000.


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

47


endereçoscassems Onde encontrar atendimento CASSEMS em MS

48

MUNICÍPIO

RESPONSÁVEL

ENDEREÇO

Água Clara Alcinópolis Amambai Anastácio Anaurilândia Angélica Antonio João Aparecida do Taboado Aquidauana Aral Moreira Bandeirantes Bataguassu Batayporã Bela Vista Bodoquena Bonito Brasilândia Caarapó Camapuã Campo Grande Cassilândia Chapadão do Sul Corguinho Coronel Sapucaia Corumbá Costa Rica Coxim Deodápolis Dois Irmãos do Buriti Douradina Dourados Eldorado Fátima do Sul Figueirão Glória de Dourados Guia Lopes Iguatemi Inocência Itaporã Itaquiraí Ivinhema Jaraguari Jardim Jateí Juti Ladário Maracajú Miranda Mundo Novo Naviraí Nioaque Nova Alvorada do Sul Nova Andradina Paranaíba Paranhos Pedro Gomes Ponta Porã Porto Murtinho Ribas do Rio Pardo Rio Brilhante Rio Negro Rio Verde MT Rochedo Santa Rita do Pardo São Gabriel D’Oeste Selviria Sete Quedas Sidrolândia Sonora Tacuru Taquarussu Terenos Três Lagoas

Adilson Dias Onça Alessilvia Rafaela Queiroz Elza Maria Rinaldini Guidotti Sara Cristina Arruda Floriza da Silva Rodrigues Vânia Cristina Requeno Rosilene Ap. Medina Franco Zelma Valéria Ferreira de Castro Valéria Lucena de Matos Sonirlei Aparecida Ortiz Josimar Cândido Simone Magalhães da Silva Letícia de Godoy Enz Olga Amaral Rute Amorin Justino Cardoso Kelly Elaene L. dos S. Matos Denise Telles Martins Sunilda Saracho Canhete Elizete Catarino Maria Helena Nadra Jeha Jeane Darc de Souza Silva Mara Cristina Mendes Felizardo Luciana Araújo Miranda Maiko Moraes Samudio Rosana Lídia da Silva Pereira Giana Benites Pereira Paulo Alves de Souza Suellen Soares da Silva Marcela Campidelli da Silva Priscila Gabrielly Andrade Vera Lúcia de Lima Veridiana da Silva Fantin Marta Joana Souza Wanderley Gleice Oliveira da Silva Elaine Cristina Grecco Simone dos Santos Elesbão Eliane Arévalo F. da Silva Almair Lima de Grande (Simted) Cássius Struziati Rodrigues Maria Aparecida da Silva Luiz Carlos Rigonato Inácia Maria Gregório Lindamar Ap. Pereira Rocha Iracy dos Anjos Ferreira James Giorge Libert de Moraes Sonali Rosa Francelino Marcela Barbosa Barros Lindinalva de Paula Figueiredo Magali Soares da Silva João Inácio de Farias Patrícia Emerson Calvalcante da Costa Ivone Ramos Pereira Suely Cota de Jesus Denise Helena A Garcia Luana Mota Siqueira Aline Davi Sanches Carlos Rogério da Silva Poletto Michele Caroline Baziliche Lucilene da Silva Vilela Fernanda dos Santos Mendes Valdinei Fonseca de Oliveira Margareth Lara Sandra de Melo Rosemara Ap. O. de Souza Ivânia da Silva Laurinda Martins Badarô Izolda Rodrigues Báscima de Souza Garcia Hariadni Ferreira Paes Miriam Gimenez Calonga Lucas Henrique Bastos Greice Macedo Arquelho Aelton Manoel A.Oliveira

R. Idalina Guarini da Silva, 60 79680-000 R. Maria Barbosa Carneiro, 640 79530-000 R. Pedro Manvailer, 2339 79990-000 R. Padre Patricio, 1520 79210-000 Av. Brasil, 1177 79770-000 R. Antonio Basílio de Lima, 109 79785-000 R. Amantino R. dos Santos, 785 79910-000 Av. Presidente Dutra, 4011 79570-000 R. Manoel A. P. de Barros, 540 79200-000 R. 31 de Março, 920 Sl. 01 Centro 79930-000 R. Francisco A. de Souza, 2616 79430-000 Av. Coxim, 61 79780-000 Av. Brasil, 1453 79760-000 R. Duque de Caxias, 1013 79260-000 R. Yossio Okaneko, 499 79390-000 R. Senador Filinto Muller, 630 79290-000 Av. São José, 457 Centro 79670-000 Av. Duque de Caxias, 421, Sl. 07 79940-000 R. Cuiabá, 346 79420-000 R. Abrão Julio Rahe, 97 79002-200 R. Laudemiro F. de Freitas, 491 79540-000 Av. Oito, 800 Sl. 06 79560-000 R. Duque de Caxias, 127 79460-000 R. Teixeira de Freitas, 185 79995-000 R. Luiz Feitosa Rodrigues, 886 79300-000 R. José Pereira da Silva, 792 79550-000 R. Gal. Moraes, s/nº 79400-000 R. Paraná, 503, CP 190 79790-000 R. Ponta Porã, 304 79215-000 Av. Presidente Dutra, s/nº 79880-000 Av. Mato Grosso, 1470 79810-110 Av. Brasil, 986 79970-000 Av. Weimar G. Torres, 1055 A 79700-000 Av. Moisés de A.Galvão, 1012 79422-000 R. dos Colonos, 1773, Sl. 03 79730-000 R. Victor F. Bertola, 122 Centro 79230-000 Av. Jardelino Moreira, 2649 V. Rosa 79960-000 R. Duca Valadão, 881 CP 8 79580-000 Av. São José, 693 79740-000 Av. Getulio Vargas, 636 79965-000 Av. Panamá, 389 79740-000 R. José Serafim Ribeiro, 270 79440-000 R. Ten. Hernani de Gusmão, 305 79240-000 R. Miguel Lopes Falheiros, 686 79720-000 Av. Sérgio Maciel ,1245 Centro 79950-000 R. Cunha e Couto, 1197 79370-000 R. Benjamim Constant, 1030 79150-000 R. Barão do Rio Branco, 468 79380-000 Av. Juscelino Kubitschek, 883, Sl. 03 79980-000 Av. Dourado, 569 79950-000 Av. General Klinger, 2649 79220-000 R. Jair Barbosa Pinto, 699 79140-000 R. Elizabete Rubiano, s/nº 79750-000 R. Barão do Rio Branco, 1425 79500-000 R. Dr. João Ponci de Arruda, 2130 79925-000 R. Espírito Santo, 611 79410-000 R. 7 de 2ª edição, 36 Sl. 05 79900-000 R. Dr. Costa Marques, 451 79280-000 R. Carlos Anconi, 656 79180-000 R. Julio Siqueira Maia 1.632 79130-000 R. Massato Matsubara, 710 79470-000 R. Ricardo Franco, s/nº 79840-000 R. Albino Coimbra,132 79450-000 R. Nicanor Greg. Rodrigues, 941 79690-000 Av. Getúlio Vargas, 757, Sl. 107 79490-000 R. 24 de Junho, 560 79590-000 R. Monteiro Lobato,446 79935-000 R. Marechal Deodoro, 28 79179-000 R. das Pêras, 385 79415-000 R. José Carlos de C. Alexandria, 450 79975-000 R. Profª Nair R. Nogueira, 77 79765-000 R. Ary Coelho de Oliveira, 519 79190-000 R. Elmano Soares, 250

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009

CEP

FONE/FAX/CEL

(67) 3239-2431 / 9944-1584 (67) 3260-1661 (67) 3481-1422 (67) 3245-1942 (67) 3445-1629 (67) 3446-1113 (67) 3435-1986 (67) 3565-5190 (67) 3241-2469 / Fax 3241-3226 / 9974-2625 (67) 3488-1112 (67) 3261-1600 / 9984-9369 (67) 3541-2362 (67) 3443-1561 (67) 3439-4353 (67) 3268-1581 (67) 3255-2134 (67) 3546-1344 (67) 3453-3323 (67) 3286-3640 / 9647-1897 (67) 3314-2550 / 9974-2629 (67) 3596-1516 (67) 3562-1050 (67) 3250-1501 / 9636-5110 (67) 3483-2145 (67) 3231-2385 / Fax 3231-0473 / 9974-2628 (67) 3247-2205 (67) 3291-3853 / Fax 3291-1101 / 9974-2621 (67) 3448-1380 (67) 3243-1387 (67) 3412-1448 / 3412-1028 / 9657-0420 (67) 3421-1530 / Fax 3411-7536 / 9974-2630 (67) 3473-2587 (67) 3467-1403 (67) 3274-1534 (67) 3466-1177 (67) 3269-1659 / 3269-1600 (67) 3471-1822 / 3471-2093 / 9657 - 7404 (67) 3574-1377 / 3574-2214 (67) 3451-2579 / Simted 3451-1120 (67) 3476-1297 (67) 3442-1499 (67) Simted 3285-1002 / 9915-5364 (67) 3251-1811 / Fax 3251-4107 / 9974-2623 (67) 3465-1211 (67) 3463-1666 Não possui telefone fixo / (67) 9987-4604 (67) 3454-3476 (67) 3242-1777 (67) 3474-1892 (67) 3461-5153 / Fax 3461-1405 / 9974-2622 (67) 3236-2391 (67) 3456-2004 / Fax 3456-2483 / 9645-7319 (67) 3441-1415 / Fax 3441- 4506 / 9974-2619 (67) 3669-4044 / Fax 3668-2622 / 9974-2624 (67) 3480-1794 (67) 3230-1072 (67) 3431-4347 / 9974-2636 (67) 3287-1061 (67) 3238-1122 / 8123-1140 (67) 3452-7584 (67) 3278-1368 (67) 3292-2189 / 9919-7349 (67) 3289-1572 / 9951-5954 (67) 3591-1590 (67) 3295-3413 / 9655-8683 (67) 3579-1440 (67) 3479-2221 (67) 3272-1919 / 9928-7921 (67) 3254-3280 (67) 3478-1365 / 3478-1086 (67) 3444-1405 (67) 3246-7481 / Fax 3246-7366 / 8465-3393 (67) 3521-9046 / Fax 3521-3958 / 9601-020


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

49


50

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


REVISTA DA CASSEMS

2ª edição

2009

51


52

REVISTA DA CASSEMS ▪ 2 ª e d i ç ã o ▪ 2009


Revista CASSEMS - 2ª Edição