Page 1

Ano 13 - nº 73 Junho / Julho - 2012

Saiba como participar do Congresso e da Expo-Abinam'2012, que serão realizados em Florianópolis, no começo de outubro

Revista Água&Vida

ganha site e investe em mídias sociais

Vontade política levou

Santa Catarina a sediar os principais eventos do setor de águas minerais do país

Tributação excessiva

de águas envasadas contribui para aumento da escassez de água potável no país

Unicamp aponta

contaminação na água de torneira que abastece 40 milhões de brasileiros


Anuncie aqui!


editorial

Mais um grande desafio.... Em virtude da Política Nacional de Resíduos Sólidos, decorrente da nova legislação ambiental, não só o setor produtivo, mas toda a sociedade será responsável pela eliminação dos resíduos sólidos dos aterros sanitários, fazendo com que o meio ambiente tenha o menor impacto possível. Tal propósito, sem dúvida alguma, louvável e de vital importância para a sobrevivência de nosso planeta, não se trata mais de posições alternativas, mas sim de imposição da Lei a toda sociedade e de grande cunho penalizador àqueles que ignorarem ou desrespeitarem a Lei. Não diferente, o setor produtivo deverá ter eficiência na realização de tamanha tarefa, que seus dejetos sejam muito bem destinados ao reaproveitamento, através de mecanismos de reciclagem, denominados pela Lei de Logística Reversa, fazendo com que seus protudos possam ter o menor impacto ao meio ambiente como um todo, sob pena de muitas vezes inviabliziar o negócio. Neste norte, o setor da indústria de águas minerais, através de medidas orquestradas da Abinam/Sindinam, não tem poupado esforços na busca pelo melhor modelo para cumprimento da Lei. Buscando soluções sob o binômio eficiência e custo, a Abinam celebrou proposta, com o acordo coletivo, da participação do Acordo Setorial, que inclui várias outras entidades de classe de inúmeros segmentos do setor produtivo. Essa alternativa, prevista em Lei, tem se apresentado como a melhor opção para nós, já que conhecemos as dificuldades e limitações financeiras do setor no cumprimento da Lei. Assim entendemos, racionalmente, que a melhor solução é a união de diversos setores, já que todos estão no mesmo barco. Não posso deixar de noticiar nossos pares e colaboradores, que estão representando o setor de águas minerais através da Abinam/Sindinam nessa negociação. São esforços pessoais colocados para o sucesso da empreitada, que, diga-se de passagem, não é e não será fácil, uma vez que, superadas todas adversidades de interesses nessa pluralidade de setores, teremos que vencer, ainda, a aprovação da Proposta Coletiva pelo Ministério do Meio Ambiente, órgão responsável perante a Lei, da gestão e fiscalização da Logística Reversa. Trago meus agradecimenos, na representação da classe empresarial, ao nosso colega, o engenheiro Ernesto P. Rodrigues que com empenho tem colocado sua experiência empresarial e seus conhecimentos técnicos, e ao nosso advogado, doutor Carlos Pedroza de Andrade, que vem tratando do aspectos jurídicos na defesa de nossos interesses. Esses dois amigos vêm vivenciando, diariamente, esse grande desafio, na expectativa de que atingiremos a almejada meta: a celebração do Acordo Setorial, fixando-se, para cada setor, as bases para coleta seletiva, logística reversa e demais requisitos da Lei. Tenho certeza que, pela vontade e conhecimento dessas pessoas, o setor de águas minerais está muito bem representado e não pouparão esforços para o sucesso da empreitada. Assim superarão mais um grande desafio. Sem dúvida ficará registrada na história a efetiva participação da Abinam para um Brasil ecologicamente correto, para um planeta mais saudável, para a tranquilidade de nossos negócios, e, sobretudo, para a garantia a todos os brasileiros da excelente qualidade das águas minerais.

Carlos Alberto Lancia Geólogo e Presidente

Desde 1975


06 06

16

21º Congresso Brasileiro da Indústria de Águas Minerais e Expo-Abinam serão realizados no resort Costão do Santinho, entre os dias 3 e 5 de outubro

20

José Angelo M. Rambalducci Silvana Orlando Wellington Morgado

Sindinam Presidente 1º Vice-Presidente 2º Vice-Presidente Diretor Secretário Diretor Tesoureiro Diretora Social

Carlos Alberto Lancia Amílcar Augusto Lopes Jr. Wilmar José Franzner César Dib Ricardo Signorelli Olívia Augusta A. Macedo Costa

Conselho fiscal efetivo

Roberto Gentil Ferreira da Silva

Suplentes

José Angelo M. Rambalducci Paulo Ferraz Nogueira Wellington Morgado

Sucursais

Ceará Superintendente: Francisco Ferreira Sales sales@indaia.com.br

Superintendentes Regionais

Rio Grande do Sul Superintendente: Jairo Zandoná jazz@fontesarandi.com.br São José do Rio Preto (SP) Superintendente: José Carlos Gleriano riopreto.abinam@abinam.com.br Região Norte Césa José Perón – RO Fernanda de Souza e Silva – TO Francisco Gervásio Gomes Pascoal – PA Luiz Cruz – AM

18

Região Nordeste Rodrigo Lima Neto – SE Francisco Ferreira Sales – CE Djalma Barbosa da Cunha Jr. – RN Felix Oiticica Berard – AL José Carlos Cunha Lima – PB Marcos Edilton Cintra Santos – BA Região Centro-Oeste Murilo Tebet Thomé – MS Wilmar José Franzner – MT Luiz Cesar Albuquerque – GO

22

Região Sudeste José Ângelo Rambalducci – ES Robson Fortes de Araújo – MG Jocimar Coelho Lima – RJ Região Sul Augusto Mocellin Neto – PR Jairo Sarandi – RS Assessoria Científica

26

Estudo indica presença de substâncias potencialmente nocivas à saúde no sistema público que abastece 40 milhões de brasileiros Resultado foi alcançado com investimento em gargalos, moldes e equipamentos de envase mais eficientes

34

Roberto Gentil Ferreira da Silva

Três empresas de bebidas são processadas nos EUA por falsa propaganda de garrafas biodegradáveis Antiga fábrica ganhou nova unidade de envase, ao custo de R$ 4 milhões, pagos pelo governo de Minas

28

Conselho fiscal efetivo

Senador Vital do Rêgo luta para garantir e ampliar acesso da população a água mineral de qualidade Falta de saneamento básico e excesso de impostos sobre águas minerais envasadas aceleram cenário de escassez no país

24

14

Moderno e completo, novo canal online aproxima publicação oficial da Abinam de envasadores e demais profissionais da indústria brasileira de água mineral Dando prosseguimento à maratona de workshops pelo país, a Abinam expõe benefícios à saúde e promove consumo de água mineral no mais jovem estado brasileiro

Carlos Alberto Lancia César Dib Márcio Leite Carvalho Ricardo Altgauzen Ricardo Signorelli Olívia Augusta A. Macedo Costa Hamilton Luiz Guido

Suplentes

18

Santa Catarina reduz imposto da água mineral e estimula vendas

Presidente 1º Vice-Presidente 2º Vice-Presidente Diretor Secretário Diretor Tesoureiro Diretora Social Diretor Regional

Assessoria Jurídica Assessoria de Imprensa Secretaria Executiva

Petra S. Sanchez Pedroza de Andrade Advogados Márcia de Azevedo Paulo de Souza (Assessor da Diretoria) Silvia Santos (Secretária Administrativa) Rua Pedroso Alvarenga, 584 - 4º andar Cep: 04531-001 – São Paulo – SP Tel.: 11 3167-2008 | Fax: 11 3167-2542 e-mail: abinam@abinam.com.br site: www.abinam.com.br

32

IBGE avalia conta ambiental da água para verificar se o Brasil usa esse recurso de forma eficiente

26

34

Mercado

36

Coordenação Editorial Editora Sub-editor Conselho Editorial da Abinam

Colaborou nesta edição Diagramadora Assinaturas e Publicidade

www.revistaaguaevida.com.br

IMK Relações Públicas Márcia de Azevedo Leandro Haberli Carlos Alberto Lancia Carlos Pedroza de Andrade Dra. Petra S. Sanchez Ricardo Signorelli Carlos Alberto Lancia Lucimara Miyoshi Pecegueiro Juliana Prado Av. Brigadeiro Faria Lima, 2639 | 9º andar cep: 01452-000 | São Paulo | SP Tel.: 11 3813-1300 | Fax: 11 3814-2924 e-mail: imk@imk.com.br


Anuncie aqui!


congresso

Setor reunido

em Florianópolis C 21º Congresso Brasileiro da Indústria de Águas Minerais e Expo-Abinam serão realizados no resort Costão do Santinho, entre os dias 3 e 5 de outubro

6

apital do estado de Santa Catarina, o primeiro do país a incluir, ano passado, a água mineral envasada em sua cesta básica de alimentos, reduzindo a carga tributária do produto, Florianópolis foi por esse motivo - e também por sua admirável beleza natural - escolhida para sediar, entre os dias 3 e 5 de outubro, os dois maiores eventos de águas minerais do país: a Expo-Abinam'2012 e o 21º Congresso Brasileiro da Indústria de Águas Minerais. Brindados pelo clima ameno da primavera, os encontros acontecerão no Costão do Santinho, eleito por seis vezes o melhor resort de praia do país, e serão presididos pelo Dr. Neuto de Conto, ex-senador por Santa Catarina que exerceu papel fundamental na inclusão da água mineral na cesta básica do estado. Recheado de palestras, workshops e seminários apresentados por profissionais e experts do setor, incluindo pesquisadores de universidades de todo o Brasil e do exterior, o 21º Congresso está sendo pensado em todos os detalhes para permitir a troca de experiências e a atualização sobre os temas de destaque dos mercados nacional e internacional de águas envasadas, com destaque para logística, inovação e sustentabilidade.


Santur/SC

Praia dos Ingleses

Por sua vez, a Expo-Abinam'2012 contará com a participação de empresas fornecedoras de produtos e serviços, além de órgãos reguladores, que apresentarão inovações de interesse de toda a cadeia de valor de águas minerais. Em suma, será uma oportunidade para a troca de conhecimento e a propagação de experiências bem-sucedidas. Mantendo a proposta já tradicional de aliar atualização profissional a uma atmosfera de lazer e bem-estar, o Congresso e a Expo Abinam deste ano têm a seu favor as inúmeras atrações do resort Costão do Santinho. Contando com estrutura completa de golf e SPA, o empreendimento turístico é completo e fica na exuberante praia do Santinho, ao norte da Ilha de Santa Catarina, sendo permeado por dunas, costões, trilhas e sítios arqueológicos. O resort conta com 750 mil metros quadrados de Mata Atlântica preservada e mais de 200 mil metros quadrados de área construída, proporcionando aos seus hóspedes atendimento de padrão internacional, alta gastronomia e lazer diversificado. Além de SPA e campo de golfe, o Costão do Santinho conta com complexo esportivo e náutico e o maior conjunto de piscinas internas e externas aquecidas em resorts do Brasil.

“Esperamos a participação de todos, sejam congressistas ou expositores, para consolidar,mais uma vez, a grande importância do Congresso e da Expo Abinam para o setor”, ressalta Carlos Alberto Lancia, presidente da Abinam.

7


congresso

Nova logomarca para 2012 A Expo-Abinam'2012 e o 21º Congresso Brasileiro da Indústria de Águas Minerais já têm uma logomarca exclusiva. Além das informações básicas dos eventos, como data e local, a criação gráfica feita a pedido da Abinam destaca a imagem de um garrafão de água mineral e um dos cartões postais de Florianópolis, a ponte Hercílio Luz. 3

4

5 12

21

Portal da Abinam O endereço virtual www.abinam.com.br reúne todas as informações necessárias para participar do Congresso e da Expo-Abinam'2012, que ocorrerão entre os dias 3 e 5 de outubro, em Florianópolis (SC). Logo na homepage, o internauta pode clicar no link do Congresso, onde vai encontrar diferentes ícones reunindo os detalhes desse evento. No link “hotel oficial” constam informações sobre reservas para hospedagem, os tipos de apartamentos disponíveis, valores das diárias. A página da Abinam também oferece o Programa Preliminar dos congressos (veja também nas páginas 10 e 11), com detalhes de temas e datas, além de informações sobre veiculação de anúncios nas edições da revista Água&Vida que circulam antes, durante e depois do congresso. O anunciante automaticamente participa, na categoria Melhor Anúncio da Revista, do Prêmio Waldemar Junqueira Ferreira Filho (como fornecedor ou como envasador).

Ícones com info do evento

Oferece panorama completo do Congresso 2012 8


water bar Sucesso nos Congressos anteriores, o Water Bar volta este ano e o site da Abinam traz um formulário online para participação na ação, que é aberta a qualquer produto fabricado com água mineral por empresa associada à Abinam. Podem participar água mineral natural (com gás ou sem gás), preparados líquidos aromatizados, sucos e refrigerantes. O volume das embalagens deve ser entre 300ml e 600ml. O mix mínimo para participação na ação é de 5 pacotes de cada tipo. Os produtos devem ser entregues diretamente no Costão do Santinho, entre os dias 24 e 30 de setembro. O resort fica na Estrada Vereador Onildo Lemos, 2505, Praia do Santinho, 88058-700, Florianópolis, SC, a/c de Paulo de Souza, Abinam. Formulário online Participe com sua marca no Water Bar Apresentar sua água mineral no Water Bar é dar a oportunidade aos participantes do Congresso de conhecê-la e degustá-la. Os campos abaixo devem ser preenchidos para a inclusão das informações no folder. Atenção: o envio do formulário é válido até 03/09/2012. O folder será distribuído durante o Congresso no Water Bar gratuitamente. Mais informações entre em contato com Graziele pelos telefones 11 3167 2008 ou 3167 2542.

9


congresso

Programa preliminar Inovação, Logística e Sustentabilidade Dia 3 de Outubro – Quarta-feira – Manhã 8h30 Recepção/Credenciamento/Entrega de Materiais 9h00 Solenidade Oficial de Abertura Boas–Vindas Dr. Neuto De Conto, Presidente do Congresso Dr. Carlos Alberto Lancia, Presidente da ABINAM e do SINDINAM Painel de Abertura 10h00 Novo Marco Regulatório da Mineração e o Futuro das Águas Minerais nesse Contexto Palestrante: Dr. Edison Lobão (a confirmar) Ministro de Minas e Energia, Brasília | DF 10h30 Cenários das Águas Minerais no Brasil e Ações do DNPM Palestrante: Dr. Sérgio Augusto Dâmaso de Souza Diretor Geral do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Brasília | DF 11h00 Interpretando a Portaria nº 374 de 1 de Outubro de 2009 Palestrante: Dr. Walter Lins Arcoverde Diretor da Diretoria de Fiscalização da Atividade Mineraria do DNPM, Brasília | DF 11h30 Abertura Oficial da Expo’ABINAM 2012 e Bar de Águas 13h00 Almoço

Dia 3 de Outubro – Quarta-feira – Tarde Sessão 1: Logística para o Setor de Águas Minerais 14h00 Boas Práticas na Entrega de Águas Envasadas em Estabelecimentos Comerciais e Domiciliares Palestrante: Dillon Schickli (a confirmar) Chefe Executivo da DS Waters of America Inc., Estados Unidos 14h30 Inovação no Mercado Mundial e Ação das Indústrias Líderes: Logistic of Bottler Water (20 Litros) Palestrante: Richard Hall Presidente da Zenith International Ltd, Reino Unido 15h00 O PET Reciclado é tão bom quanto o PET Virgem? Palestrante: Christopher D. Dunn Gerente Geral de Qualidade de Bebidas da NSF International, Estados Unidos 15h30 Avanço Tecnológico do Gruppo M&G em Resinas com Propriedades de Barreira e BioPET Palestrante: Cécile Bourland Gerente de Marketing e Desenvolvimento de Negócios para Especialidades em Resina PET do Gruppo M&G, Itália

16h00 Perguntas e Discussões 16h30 às 18h30 Expo-Abinam’2012 e Visita ao Bar de Água

10

Dia 4 de Outubro – Quinta-feira – Manhã Sessão 2: Inovações e Logística 09h00 Água Mineral como Agente de Saúde Pública Palestrante: Dra. Nélida Amélia Fontana Sociedade Brasileira de Termalismo (SBT) 09h30 O Impacto no Mercado de Bebidas Sport em Eventos Esportivos no Brasil: Copa do Mundo e Olimpíadas Palestrante: Paulo Pazinotto Presidente Comercial da Aptar Food Beverage, Brasil 10h00 Garrafão Retornável de 20 litros Matriz SWOT (Pontos Fortes, Pontos Fracos, Oportunidades e Ameaças) Palestrante: Prof. Ricardo Pastore Professor e Coordenador de Pós-Graduação na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), São Paulo, Brasil 10h45 Embalagem de Vidro no Mercado Mundial Palestrante: (a definir) 11h15 Perguntas e Discussões 13h00 Almoço 12h às 18h30 Expo-Abinam’2012 e Visita ao Bar de Águas Jantar de Confraternização 20h00 às 24h00 Cerimônia de Homenagens e Premiações Comenda Dr. Benedictus Mário Mourão A distinção honorífica destina-se a homenagear personalidades que se destacaram na contribuição para a promoção e valorização dos vários segmentos das águas minerais, crenologia e termalismo. Prêmio Waldemar Junqueira Ferreira Filho para Envasadores e Fornecedores O prêmio é destinado a homenagear as empresas que contribuem para a promoção da Água Mineral, desenvolvendo atividades de propaganda e marketing dos seus produtos. Prêmio Fraterno Vieira de Jornalismo O prêmio, criado este ano, tem por objetivo reconhecer matérias jornalísticas que tratem sobre a água mineral em veículos impressos ou eletrônicos. Premiação de Qualidade: NSF Dia 5 de Outubro – Sexta-feira – Manhã Sessão 3: Resíduos Sólidos, Sustentabilidade e Marco Regulatório Coordenador: Dr. Carlos Alberto Lancia Presidente da ABINAM e do SINDINAM


09h30 Educação no Contexto da Política Nacional de Resíduos Sólidos Brasileira Palestrante: Profa. Dra. Petra Sanchez Sanchez Universidade Presbiteriana Mackenzie – São Paulo/SP Presidente do Comitê Científico da ABINAM 10h00 A Gestão de Resíduos Sólidos no Setor de Águas Minerais Palestrante: Ernesto Promenzio Rodrigues Presidente da Empresa Água Mogiana Ltda., São Paulo 10h30 Implicações Jurídicas da Nova Política Nacional de Resíduos Sólidos Palestrante: Dr. Carlos Pedroza de Andrade Advogado da ABINAM e do SINDINAM, São Paulo 11h00 Perguntas e Discussões 13h00 Almoço 12h00 às 18h00 Visitação à Expo-Abinam’2012 e Bar de Águas

Anuncie aqui! 11


congresso

Prêmios Prêmio Waldemar Junqueira Filho Os participantes do Congresso 2012 da Abinam vão conhecer em primeira mão os finalistas e vencedores da 11ª edição do Prêmio Waldemar Ferreira Junqueira Filho, que visa reconhecer e incentivar os investimentos em inovação feitos por envasadores e fornecedores da indústria brasileira de águas minerais. As inscrições vão até 10 de setembro.

Prêmio Fraterno Vieira de Jornalismo Para homenagear o editor da revista Água&Vida e assessor de imprensa da Abinam falecido em 2011, o Congresso 2012 marca a estreia do Prêmio Fraterno Vieira de Jornalismo, que visa reconhecer a cada ano as melhores matérias jornalísticas sobre água mineral produzidas em veículos impressos e eletrônicos. Neste ano, os vencedores serão divulgados no jantar de gala da Abinam, que será realizado durante o 21º Congresso. As inscrições para o Prêmio Fraterno Vieira de Jornalismo estão abertas a jornalistas e empresas envasadoras citadas nas reportagens. Só podem ser inscritas matérias feitas entre 31/08/2011 e 31/08/2012. A inscrição é gratuita e vai até 10 de setembro. Os interessados poderão enviar seus trabalhos para o e-mail juliana@imk.com.br, ou enviar pelo Correio para IMK Relações Públicas, Av. Brig. Faria Lima, 2639, 9º andar, 01452000, São Paulo SP, a/c da Redação da revista Água&Vida. Os trabalhos deverão conter o nome do veículo de comunicação e do jornalista que produziu a reportagem. Os critérios de avaliação das reportagens são baseados na clareza e qualidade das informações, além da coerência com os compromissos do setor, sobretudo a promoção da saúde a partir do consumo de águas minerais envasadas. Uma equipe formada por jornalistas da revista Água&Vida e da Abinam escolherá os três melhores trabalho, classificando-os em 1º, 2º e 3º lugares. Serão entregues para envasadores e jornalistas um troféu para o 1º lugar e medalhas para o 2º e 3º lugares. Participantes

Envasadores Fornecedores Jornalistas


Anuncie aqui!


Consumo

Um exemplo

a ser seguido Santa Catarina reduz imposto da รกgua mineral e estimula vendas

14


A

escolha de Santa Catarina para sediar o 21º Congresso da Abinam, que acontece em outubro, não foi à toa. Ela tem o objetivo de valorizar o exemplo pioneiro dado pelo estado ao incluir na sua cesta básica águas minerais naturais em embalagem de até 20 litros. Num setor em que a carga tributária chega a 44,5%, a medida do governo catarinense, que saiu do papel no ano passado, de reduzir a alíquota de ICMS para 7% é uma vitória importante para popularizar o consumo da água mineral. Para que esse benefício seja conquistado por outros estados, os fatos mostram que é preciso haver envolvimento da indústria, de políticos e dos governos de estado. Em Santa Catarina, por exemplo, a participação do ex-senador Neuto de Conto foi fundamental. Defensor da causa em boa parte de sua vida política, Neuto foi o negociador da inclusão da água mineral na cesta básica junto ao governo catarinense. “A água é um alimento básico e o setor está em crise por conta da carga tributária superior a 40%”, afirma Neuto, que hoje é diretor de operações do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul e também foi deputado federal três vezes por Santa Catarina. A redução da carga tributária deve estimular ainda mais o consumo de água mineral em Santa Catarina, que já vem crescendo acima da média nacional nos últimos anos. Com 45 litros/ano, o consumo per capta de água mineral no Brasil ainda está muito aquém do de países como México (232l/ano) e Itália (185l/ano). Para reverter essa situação, a demanda deve ser estimulada via redução de preços. E isso só é possível por meio da desoneração de impostos, como mostra o bom exemplo catarinense. O produto para o consumidor daquele estado ficou 15% mais barato após a inclusão na cesta básica. “Com a queda nos preços a água mineral chega à casa de pessoas que antes não podiam consumi-la”, comenta Dinar José Volkweis, diretor da catarinense Danferrana Água Mineral, responsável pelo envase de aproximadamente 285 mil litros/mês.

Nos bastidores

A conquista de Santa Catarina abre precedentes para que o benefício seja ampliado para todo o

Ex-senador Neuto de Conto diz que, se a classe política tiver interesse, a inclusão da água mineral na cesta básica pode acontecer em outros estados

mercado brasileiro. Para que isso aconteça, basta um pouco de vontade política. O ICMS é um imposto estadual e pode ser definido por meio de um decreto do governador. “A indústria de água mineral representa apenas 1% do total arrecadado pelo governo com bebidas. Se a classe política tiver interesse, a inclusão da água mineral na cesta básica pode acontecer em outros estados”, comenta Neuto. A elevada carga tributária prejudica o consumidor e afeta todo o ciclo produtivo. Levando em conta os royalties de exploração mineral cobrados pelo governo federal via CFEM (Compensação Financeira Sobre Exploração Mineral), os custos de produção, pessoal, transporte, captação, industrialização e embalagem, a tributação no setor de água mineral chega a 46% do valor final do produto. A boa notícia é que outros estados estudam seguir o mesmo caminho de Santa Catarina. Paraná e Minas Gerais discutem reduzir a alíquota para a água mineral. “Pode ser que, momentaneamente, seja salutar a água na cesta básica. Nós temos 100% de água tratada e 50% de esgoto tratado, não basta ter água tratada e não ter esgoto tratado. Cada R$ 1 investido em saneamento gera uma economia de R$ 3 a R$ 4 em saúde pública”, afirma o líder do PPS na Câmara, o paranaense Rubens Bueno. Em São Paulo, a recente criação da Subsecretaria de Mineração dá fôlego extra para negociação. “A Abinam está encampada nessa campanha para corrigir um erro cometido em 1992, quando decidiram chamar a água mineral de bebida”, garante Carlos Alberto Lancia, presidente da Abinam.

15


internet

Revista Água&Vida

estreia site

Moderno e completo, novo canal online aproxima publicação oficial da Abinam de envasadores e demais profissionais da indústria brasileira de água mineral

A

tendendo a pedidos, a revista Água&Vida, publicação oficial do setor de águas minerais no Brasil, está estreando seu site. O endereço www. revistaaguaevida.com.br traz a partir de agora um painel completo de informações úteis para os profissionais da indústria brasileira de águas minerais. Além de notícias exclusivas sobre o mercado brasileiro, o novo canal online divulgará novidades internacionais, tendências de embalagens, lançamentos e os destaques de cada edição impressa da revista. No caso do site, os espaços que poderão ser comercializados foram cuidadosamente estudados, de modo a permitir que as empresas atinjam um número maior de clientes. A intenção, portanto, não é transformar o site da Água&Vida num “album de figurinhas”, poluindo-o com dezenas de anúncios, uns colocados nos outros. O objetivo, na verdade, é contribuir para a valorização do anunciante. O site terá outras novidades. O anunciante poderá

16

incluir vídeos da sua empresa no espaço comercial, o que torna mais rápida a veiculação de informações relevantes para clientes e públicos de interesse. Além disso, no ícone “vídeo”, no cabeçalho da página, os internautas poderão assistir aos melhores comerciais de água mineral do mundo inteiro. “A internet é um canal absurdamente rápido, chegando a qualquer ponto do Mundo. A revista Água&Vida não poderia ficar de fora”, conta Márcia de Azevedo, editora da revista e diretora da IMK Relações Públicas, empresa responsável pela produção, edição, comercialização, distribuição e assinaturas da revista da Abinam. Uma das pioneiras no

A presença da internet continua a crescer em todos os mercados, já somos mais de 83 milhões de internautas!


ramo de comunicação empresarial do país, a IMK atende a Abinam há quase 15 anos. Entre as atividades desenvolvidas está a produção da revista Água&Vida, que comemora sua 61ª edição. “O lançamento do site agora em agosto fez toda

a equipe da IMK e da Abinam festejar mais uma conquista. Todos trabalharam muito e nada melhor do que vermos o resultado, que, cá entre nós, ficou muito bom”, comemora Lucimara Miyoshi Pecegueiro, coordenadora de web design da IMK.

Marcando presença também nas mídias sociais A revista Água&Vida também está explorando o Facebook e o Twitter, onde já possui perfis movimentados. A ideia é alimentar as redes sociais com informações de qualidade, deixando o internauta por dentro das principais notícias relacionadas a águas minerais. “Com o lançamento do site, queremos transformar os perfis no Facebook e no Twitter num importante canal de relacionamento com os leitores da revista”, sintetiza Juliana Prado, analista de mídias sociais da IMK. Somente no Facebook, centenas de internautas já curtiram o perfil da revista, que pode ser localizado digitando ‘Água EVida’.

A internet já é o 4º meio que mais recebe receita de publicidade

17


Agenda positiva

A vez do

Tocantins

Dando prosseguimento à maratona de workshops pelo país, a Abinam expõe benefícios à saúde e promove consumo de água mineral no mais jovem estado brasileiro

M

ostrar a importância da água mineral como fonte de saúde, incentivando seu consumo em todos os cantos do Brasil. Guiada por esses propósitos, a Abinam mantém seu cronograma de workshops e viagens pelo país. Em junho último, a entidade visitou o estado do Tocantins e as instalações da envasadora local Iguatu. Carlos Alberto Lancia, presidente da Abinam, aproveitou a viagem para fortalecer a luta pela desoneração fiscal da água mineral envasada no Brasil. Acompanhando do advogado da entidade, Carlos Pedroza de Andrade, Lancia se reuniu com o secretário da Fazenda de Tocantins, José Jamil Fernandes, a quem expôs as vantagens de incluir a água

18

mineral na cesta básica do estado. Ao reduzir a carga tributária da categoria, a inclusão da água mineral na cesta básica amplia o acesso da população à água mineral. Além de aumentar a oferta de emprego na indústria de água mineral, a medida favorece a saúde pública, já que grande parte das internações no país ocorre pelo consumo de água imprópria. Em entrevista ao CT, portal de notícias de Tocantins, Lancia informou que, ao comprar uma água mineral, o consumidor paga 46% de impostos só na embalagem. Lancia também falou da importância do projeto de Lei, cujo relator é o deputado federal Júnior Coimbra (PMDB-TO), que pede a redução de tributos no setor.


“Ter um Projeto de Lei tramitando para a redução de impostos da água mineral já é uma conquista. Esperamos prosseguimentos positivos, além da inclusão da categoria na cesta básica de todos os estados”, ressaltou o presidente, lembrando que, em 2011, Santa Catarina foi o primeiro estado do país a adotar a medida. A superintendente da Abinam no Tocantins, Fernanda Iguatu, reforçou a tese de que, com a redução da carga tributária na categoria, a população terá mais acesso a um produto essencial para sua saúde e qualidade de vida. “A redução do imposto e a inclusão da água mineral na cesta básica iriam colocar o Tocantins em um patamar diferenciado. O único estado que possui a água mineral como item da cesta básica ainda é Santa Catarina”, disse. Para Carlos Alberto Lancia, o Tocantins possui grande potencial de exportação de água mineral. “A Iguatu é uma empresa que possui uma linha moderna, uma água muito leve e saborosa. Acredito que, em um futuro não muito distante, o Tocantins terá um potencial muito grande para exportação”, disse o presidente.

Da esquerda para a direita: (sentados) dr. Carlos Pedroza de Andrade, advogado da Abinam, Carlos Alberto Lancia, presidente da Abinam; (de pé) Fernanda de Souza e Silva, superintendente da Abinam no Tocantins, João Batista de Souza, diretor presidente da Iguatu e, seu filho, Flávio Vinícius de Souza.

Anuncie aqui!


Agenda positiva

Parceiro contra o colapso hídrico Senador Vital do Rêgo luta para garantir e ampliar acesso da população a água mineral de qualidade

O

senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) tem se revelado um importante parceiro na luta pela desoneração fiscal e aumento do acesso a água mineral no Brasil. Ciente de que a água é um alimento básico essencial para a vida, no ano passado o senador foi um dos políticos que mais protestaram contra o aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a água mineral. Em torno de 15%, esse aumento é uma das medidas compensatórias previstas na Medida Provisória (MP 528/11), que corrigiu em 4,5% a tabela do Imposto de Renda para Pessoas Físicas (IRPF) para os anos de 2011 a 2014. Mostrando conhecimento de causa, o senador lembra que o consumo de água não é seletivo, como o de cerveja e refrigerante, que também tiveram seus impostos majorados. Além disso, Vital do Rêgo informa que, caso não haja inves-

senador Vital do Rêgo

20

timentos de ampliação, o abastecimento público de água no país pode entrar em colapso, conforme estudo da Agência Nacional de Águas (ANA). Tal problema, prossegue o senador, pode afetar 1.896 municípios brasileiros que já operam com sobrecarga hídrica. “Para evitar esse cenário, são necessários investimentos de urgência da monta de R$ 18 bilhões”, lembra o senador, acrescentando que o colapso pode acontecer durante a Copa do Mundo de 2014 ou a Olimpíada de 2016, que serão realizadas no Brasil. Em outra demonstração de disposição para aumentar o acesso da população à água mineral, o senador da Paraíba lembra que um garrafão de 20 litros chega a ser vendido na fonte por R$ 0,90. Mas, na ponta do varejo, custa ao consumidor quase R$ 6. Em 2011, a renúncia de receita do governo com a correção da tabela do IRPF foi de R$ 1,61 bilhão. Estima-se que essa renúncia vai aumentar para R$ 2,36 bilhões, em 2012, e para R$ 2,58 bilhões, em 2013. Como medidas compensatórias, além do aumento do imposto de bebidas engarrafadas, o governo aumentou o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incidente sobre compras com cartão de crédito no exterior de 2,38% para 6,38% sobre o valor da compra.


Anuncie aqui!

21


tributos

Apagão hídrico

foi destaque na Falta de saneamento básico e excesso de impostos sobre águas minerais envasadas aceleram cenário de escassez no país

Dois pesos, duas medidas Enquanto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tolera a presença de bactérias em 5% das amostras das companhias de abastecimento público de água para indicá-las como seguras ao consumo humano, as águas minerais envasadas têm de apresentar total ausência de micro-organismos.

22


O

encarecimento da água potável no Brasil foi alvo de debates na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), ocorrida em junho, no Rio de Janeiro. Além de abusos tributários, poluição, crescimento urbano desordenado e mudanças climáticas foram apontados como responsáveis pelo aumento de preço da água potável consumida no Brasil. No bojo da diminuição da oferta, especialistas, empresários e agentes de governo debateram os apagões hídricos previstos para as principais regiões metropolitanas do país já nesta década. A Rio+20 também destacou a discrepância tributária que atinge o setor de água mineral envasada no Brasil, que paga até 44,5% de imposto no país. Na visão de especialistas, o problema é que no Brasil a água mineral é tributada como minério, e não como alimento básico de consumo, como ocorre na maioria dos países. Em países em desenvolvimento, que estão longe de tratar 100% de seu esgoto, é muito importante desonerar a indústria de águas envasadas. No Brasil, 65% das internações hospitalares ocorrem pelo consumo de água de má qualidade. Mesmo assim, a indústria de águas minerais do país paga uma das mais altas cargas tributárias do mundo. Além da falta de investimentos em infraestrutura de saneamento básico e da alta tributação das águas minerais, eventos climáticos extremos (cheias ou estiagem) e a dificuldade cada vez maior para tratar a água captada de rios, lagos e outras fontes foram apontados como fatores para os apagões hídricos esperados para os próximos anos.

Ponto a favor Os garrafões apresentam índice virtualmente zero de perdas na produção, ao contrário dos vazamentos e roubos das redes de abastecimento no país, que levam ao desperdício médio de 37% da água tratada, além de elevar os riscos de contaminação. Enquanto o reuso de um garrafão de água mineral gasta dois litros na lavagem, a produção de um litro de refrigerante pode empregar até 30 litros de água comum.

Mudanças que oneraram o consumidor A discrepância tributária que atinge o setor de águas minerais no Brail, diminuindo o acesso da população a esse alimento básico para a vida, começou com a Constituição de 1988. Ela deu nova denominação à água mineral envasada, que passou de bem natural, para mineral não metálico. Com isso, a carga de impostos saiu da média mundial de 6,8% sobre o valor cobrado do consumidor, chegando aos atuais 44,5%. Além da denominação como mineral não metálico pela Constituição de 1988, a água mineral passou por uma mudança da classificação fiscal no começo dos anos 1990, quando deixou de ser considerada alimento, passando a ser taxada como uma bebida, no grupo de refrigerantes e cervejas. Essa alteração do Ministério da Fazenda levou o setor a recolher até o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), apesar de explorar recurso 100% natural. Na Europa, todos os impostos incidentes na água mineral somam 6% e há países, como o México, onde ela é totalmente isenta. Para desatar esse nó fiscal, a Abinam se reúne com parlamentares no Congresso para zerar a tributação sobre garrafões de 20 litros, que favorecem alternativa de abastecimento em núcleos urbanos sem acesso à água tratada e com serviços públicos precários. Em suma, desonerar a indústria de água mineral significa beneficiar a vida e a saúde.


Internacional

Gato por lebre Três empresas de bebidas são processadas nos EUA por falsa propaganda de garrafas biodegradáveis

G

arrafas PET contendo um aditivo orgânico e microbiano, que promete a biodegradação das embalagens em aterros sanitários e outros ambientes, num prazo máximo de cinco anos, estão protagonizando uma disputa jurídica na Califórnia. Kamala Harris, procuradora-geral da República do estado, está movendo ação contra três empresas de bebidas com atuação local por uso de informação falsa e rotulagem enganosa de embalagens biodegradáveis e recicláveis. Segundo a procuradora, as embalagens não cumprem o que prometem, não se degradando em nenhum ambiente. Outro problema é que as embalagens foram rotuladas como orgânicas, o que não corresponderia à realidade. Ainda segundo a procuradora, as empresas desrespeitaram uma lei da Califórnia que proíbe o uso de etiqueta em embalagem plástica de alimento ou bebida afirmando que o produto é biodegradável. Uma das marcas que geraram o processo é a AquaMantra, comercializada pela ENSO Plásticos. No rótulo os fabricantes destacaram mensagem publicitária divulgando a substância que faria o material se desintegrar em até cinco anos. Para a procurado Kamala, além de não acelerar o processo de desintegração, o aditivo dificulta a etapa de reciclagem das garrafas, em que pode ser considerado um contaminante. A Califórnia iniciou o veto aos termos “biodegradável” e “degradável” em embalagens plásticas em 2008. Alguns produtos ainda estão livres da proibição. Mas a lei deve contemplar todos os itens acondicionados em embalagens plásticas a partir de 2013.

24

Uma das marcas que geraram o processo é a AquaMantra


Anuncie aqui!


Mercado

Araxá retorna

em grande estilo Antiga fábrica ganhou nova unidade de envase, ao custo de R$ 4 milhões, pagos pelo governo de Minas

D

epois de sete anos longe dos pontos de venda, a tradicional água mineral Araxá (fonte Dona Beja) está oficialmente de volta ao mercado. Pertencente à Subsidiária Copasa Águas Minerais de Minas, criada pelo governo de Minas Gerais para promover o desenvolvimento das estâncias hidrominerais do estado. A antiga fábrica da Araxá ganhou uma nova unidade de envase na segunda quinzena de junho de 2012. A iniciativa foi do governo mineiro, que investiu R$ 4 milhões no projeto. Segundo comunicado oficial, a unidade de engarrafamento recebeu equipamentos sofisticados, permitindo o relançamento da água mineral Araxá em acordo com as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A envasadora das Águas Minerais Araxá está reiniciando a operação com 12 empregados, devendo

26

Governador mineiro Antonio Anastasia

rótulos antigos


Araxá não é única superar os 20 em breve. Inicialmente, as linhas de envase atuarão com garrafas PET de 510ml e 1,5 litro. Mas há previsão de expandir a produção para uma linha completa de garrafões. A envasadora da água Araxá foi fechada em junho de 2005, quando terminou o contrato de arrendamento com a Comig, antecessora da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Em junho de 2006, a Codemig assinou com a Copasa contrato de arrendamento dos direitos minerários, equipamentos e instalações de envasamento das águas minerais de Caxambu, Cambuquira, Lambari e Araxá. “Ficamos muito felizes com a volta da Água Mineral Araxá ao mercado brasileiro. Ela levará o nome dessa belíssima estância mineira a todo o Brasil, funcionando como cartão de visita para o turismo da cidade”, disse o governador mineiro Antonio Anastasia. Com vazão média de seis mil litros por hora, a fonte Dona Beja, sem gás, em Araxá, apresenta a melhor água naturalmente fluoretada do Brasil, segundo a Copasa. Ainda de acordo com a empresa, a água mineral Araxá é naturalmente leve e sofisticada, sendo perfeita para o consumo no dia a dia. Nos sais minerais, destaque para propriedades químicas naturais que possibilitam hidratação eficiente, além da desintoxicação do organismo.

A Copasa Águas Minerais de Minas vem realizando grandes investimentos nas estâncias hidrominerais e nas marcas tradicionais de água mineral do estado. Até 2011, foram investidos R$ 29,2 milhões em reformas de instalações prediais, equipamentos e instalações industriais. Em 2012, mais R$ 4 milhões foram investidos, totalizando R$ 33,2 milhões. Além da Araxá, a Copasa é responsável pela produção, distribuição e comercialização das águas minerais das fontes das cidades de Caxambu e Cambuquira, que já estão no mercado. Em breve, será relançada a água mineral Lambari, com marketing voltado a praticantes de esportes radicais e adeptos da vida saudável. Desde o início do processo de reativação, foram gerados 850 empregos diretos e indiretos. As quatro fábricas têm capacidade para uma vazão de 86,7 milhões de litros e um faturamento da ordem de R$ 144,7 milhões.

Grande Hotel Araxá

27


pesquisa

Água de torneira é

contaminada em 16

capitais

brasileiras, diz Unicamp Os mananciais estão contaminados por esgoto e as estações de tratamento não estão conseguindo remover este e outros compostos que chegam às torneiras das residenciais

28

Estudo indica presença de substâncias potencialmente nocivas à saúde no sistema público que abastece 40 milhões de brasileiros


A

água que sai das torneiras em 16 capitais brasileiras contém substâncias ainda não legisladas, mas que podem ser potencialmente prejudiciais à saúde. É o que demonstra Pesquisa desenvolvida pelo Instituto Nacional de Ciências e Tecnologias Analíticas Avançadas (INCTAA), que está sediado no Instituto de Química (IQ) da Unicamp, em colaboração com outras instituições. Segundo o Jornal da Unicamp (JU), os pesquisadores identificaram a presença de cafeína em todas as 49 amostras coletadas no cavalete (cano de entrada) de residências espalhadas pelas cinco regiões do país. “Esse dado é relevante, pois a cafeína funciona como uma espécie de traçador da eficiência das estações de tratamento de água. Ou seja, onde a cafeína está presente, há grande probabilidade da presença de outros contaminantes”, explicou o professor Wilson de Figueiredo Jardim, coordenador do estudo e do Laboratório de Química Ambiental (LQA) do IQ, em entrevista ao JU. Além de cafeína, os cientistas encontraram nas amostras analisadas concentrações variadas de atrazina (herbicida), fenolftaleína (laxante) e triclosan (substância presente em produtos de higiene pessoal). No caso da cafeína, as duas capitais que apresentaram maiores níveis de contaminação pela substância foram, respectivamente, Porto Alegre e São Paulo. “A liderança de Porto Alegre nesse ranking foi uma surpresa. Há uma hipótese para explicar a situação, mas ela evidentemente depende de confirmação. Segundo essa conjectura, a contaminação estaria ocorrendo porque os gaúchos são grandes consumidores de erva mate, que, por sua vez, tem grande concentração de cafeína. Independentemente da origem, a presença da cafeína na água fornecida aos porto-alegrenses e aos demais moradores das capitais consideradas no estudo demonstra que os mananciais estão contaminados por esgoto e que as estações de tratamento não estão dando conta de remover este e outros compostos do produto que chega às torneiras das residências. Ou seja, é a prova inequívoca de que estamos praticando o reúso de água há muito tempo”, explicou ao JU o docente da Unicamp. Por não serem legislados, esses contaminantes, ainda que cada vez mais presentes no ambiente,

Como foi feita a pesquisa Coordenado pela Unicamp, o trabalho de análise da água potável fornecida em 16 capitais espalhadas pelas cinco regiões do país contou com a participação de 25 pesquisadores das seguintes instituições: Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) e Universidade Federal do Paraná (UFPR). Depois de coletar as amostras de água nos cavaletes das residências, seguindo procedimentos previamente estabelecidos, os pesquisadores as enviaram à Unicamp, onde as análises químicas foram realizadas. Os métodos analíticos empregados são bastante precisos, destaca o professor Wilson Jardim, coordenador do estudo. Alguns contaminantes foram identificados em concentrações equivalentes a nanogramas por litro.

29


pesquisa

não são monitorados com frequência. Além disso, a ciência ainda não saberia ao certo o limite de proteção ao ser humano, nem os efeitos deletérios ao organismo. “Entretanto, já dispomos de estudos científicos que apontam que esses compostos têm causado sérios danos aos organismos aquáticos. Está comprovado, por exemplo, que eles podem provocar a feminização de peixes, alteração de desenvolvimento de moluscos e anfíbios e decréscimo de fertilidade de aves”, insere o professor da Unicamp. Quanto aos humanos, a reportagem do JU destaca indícios de que os contaminantes não legislados, especialmente hormônios naturais e sintéticos, como o estrógeno, podem provocar mudanças no sistema endócrino de homens e mulheres. Uma hipótese considera que esse tipo de contaminação esteja contribuindo para que a menarca (primeira menstruação) ocorra cada vez mais cedo entre as meninas.

As capitais pesquisadas

Belo Horizonte, Cuiabá, Curitiba, Distrito Federal, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Natal, Palmas, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Vitória

Contaminação pode ser causada por moléculas pouco estudadas A tendência é que novos valores de referência para a potabilidade da água sejam estabelecidos no Brasil. Porém, até países que tratam 100% do seu esgoto enfrentam problemas de contaminação da água oferecida pelo sistema público. Isso decorre de fatores como o crescimento e adensamento populacional e a chegada ao mercado de novas substâncias. Estudos indicam que 1.500 substâncias são lançadas anualmente no mundo. São moléculas novas, ainda pouco estudadas. “Além disso, o padrão de consumo da sociedade tem crescido. Antes, uma pessoa usava, em média, três produtos de higiene pessoal antes de sair de casa. Hoje, usa dez. Há alguns anos, as pessoas passavam filtro solar apenas para ir à praia e à piscina. Agora, muita gente passa diariamente para ir trabalhar, inclusive por recomendação médica”, exemplifica o professor da Unicamp.

“Estabelecer esse nexo causal é difícil. Entretanto, temos que estar atentos para problemas dessa ordem. Acredito que, com o tempo, os contaminantes emergentes também terão que ser legislados. O trabalho que estamos realizando tem por objetivo exatamente fornecer subsídios para a formulação de políticas públicas que possam assegurar à população o fornecimento de uma água potável de maior qualidade”, diz Jardim.

Próximos passos As pesquisas em torno da qualidade da água potável das capitais brasileiras terão continuidade. O INCTAA vai se dedicar ao tema por mais dois anos. Nesse período, os pesquisadores trabalharão em duas frentes. Primeiramente, as análises realizadas nas 16 primeiras cidades serão repetidas, para verificar se houve alguma alteração. Em seguida, o trabalho será estendido para as demais capitais. A ideia é traçar um panorama geral do país.

30


Anuncie aqui!


Sustentabilidade

Bioleve

reduz em 23% o peso de suas garrafas PET Resultado foi alcançado com investimento em gargalos, moldes e equipamentos de envase mais eficientes

A

Bioleve está investindo cada vez mais para mitigar o impacto ambiental de sua operação. Uma das prioridades na política de sustentabilidade da empresa é reduzir o peso de suas garrafas PET. Apostando em gargalos, moldes e equipamentos de envase mais eficientes, a Bioleve já conseguiu diminuir em 23% a quantidade de resina PET usada na produção de suas embalagens. Isso significa que 20 toneladas de resina plástica deixaram de ser consumidas por mês. Para alcançar esse resultado, que será comunicado aos consumidores através de um selo impresso nos rótulos dos produtos, a empresa investiu cerca de R$ 1,5 milhão na sua linha de envase. Mais R$ 400 mil foram destinados ao aprimoramento da área de moldes e injeção. Atuando também com sucos, bebidas isotônicas, energéticos e refrigerantes, todos feitos com água mineral, a Bioleve produz em Lindóia (SP) cerca de 500 mil garrafas PET por dia. “Já havíamos reduzido a gramatura das nossas garrafas quando mudamos o padrão de gargalo,

32

Bioleve fabrica em Lindóia (SP) cerca de 500 mil garrafas PET por dia

passando do alto para o baixo. Agora estamos investindo em novos moldes e máquinas de envase para deixar as embalagens PET ainda mais leves”, resume Sylvio Parente, diretor da Bioleve. Ainda de acordo com o executivo, a empresa também está investindo pesado em tecnologias de injeção, a fim de rodar com sucesso as garrafas de menor gramatura. As garrafas de BioEnergy, bebida energética lançada pela Bioleve no primeiro semestre de 2012, marcando sua estreia na categoria, são um bom exemplo de embalagem sustentável. Além de economia na gramatura, ela apresenta gargalo mais baixo do que o padrão de mercado, poupando em média 1 grama de resina PET por embalagem. Sintonizadas com esse apelo, redes varejistas como o Walmart Brasil já exigem o uso do padrão de gargalo mais baixo nas garrafas de água mineral. “A diminuição de peso das embalagens PET é uma tendência mundial no setor de bebidas. Não poderíamos ficar de fora”, conclui Sylvio Parente, diretor da Bioleve.


Anuncie aqui!


Recursos hídricos

Água pesa no cálculo do PIB verde

IBGE avalia conta ambiental da água para verificar se o Brasil usa esse recurso de forma eficiente

O

IBGE também está trabalhando para que a água seja o primeiro patrimônio ambiental incorporado às contas nacionais do Brasil. Os ativos serão mensurados em volume e valor, incluindo o consumo doméstico, industrial e agrícola. Será o primeiro passo para o país ter seu Produto Interno Bruto (PIB) verde. O IBGE foi autorizado a criar um grupo para calcular a conta da água, por portaria interministerial do Meio Ambiente e do Planejamento, publicada em 30 de maio de 2012 no Diário Oficial da União. Incluir nas contas nacionais o levantamento dos estoques de água e seu gasto pelos agentes econômicos, assim como seu valor correspondente, não é uma tarefa fácil. Mas ter tudo isso valorado permite fazer escolhas. Esse tipo de informação ambiental é muito importante para a formulação de políticas públicas, por exemplo. Após o cálculo da conta ambiental da água, o

34

IBGE quer medir o patrimônio das florestas e da energia do país. Outros indicadores ambientais, como a extração mineral, que inclui o petróleo, minérios e metais, ainda não constam do cronograma da instituição. “Os recursos naturais do Brasil são muito extensos, o que vai demandar muito esforço e tempo do IBGE”, diz Wasmália Bivar, presidente do IBGE. O IBGE vai ter um cronograma para divulgação dos levantamentos feitos para o cálculo da conta ambiental da água, juntamente com a divulgação anual do PIB, para que se possa saber como a questão ambiental influiu nos resultados econômicos do país. Para discutir a nova metodologia de cálculo das contas econômico-ambientais já padronizadas em nível global, o IBGE abrigou o Comitê das Nações Unidas de Especialistas em Contas Econômico-Ambientais (Unceea), ligado à divisão de estatísticas das Nações Unidas.


Anuncie aqui!


Mercado de Bebidas

Valle Azul ganha gôndolas gaúchas Captada em Almirante Tamandaré do Sul, no norte do Rio Grande do Sul, a água mineral Valle Azul começa a ser vendida nas principais cidades gaúchas em setembro de 2012. Construída com equipamentos de última geração por um grupo de empreendedores da região do planalto médio gaúcho, a indústria de envase da água Valle Azul é dirigida pelos sócios Valmir Donato e Márcio Lewe. Eles foram assessorados pelo ex-proprietário da área onde a água é captada, Pery Sommer. O nome da empresa faz alusão ao fato de a indústria de envase estar instalada no vale cortado pelos rios Turvo e Bonito. Devido a seu relevo e vegetação, reza a tradição que o local tem uma atmosfera de tons azulados. A empresa responsável pela água Valle Azul emprega diretamente 20 funcionários e está instalada em um terreno com mais de 50 mil metros quadrados de mata nativa e área total de 5 milhões de metros quadrados, que foi demarcado como área de proteção pelo Ministério de Minas e Energia. “A preservação ambiental do local é primordial para a qualidade da água”, ressalta Valmir Donato, informando que a linha Valle Azul conta com embalagens de 330ml, 510ml e 1,5 litro, além de garrafões de 5 litros.

Comercial da água britânica Drench vira hit na web Uma das maiores fabricantes de bebidas não alcoólicas do Reino Unido, a Britvic lançou na Europa uma campanha publicitária para divulgar sua marca de água mineral Drench. Com forte apelo no público infantil, os comerciais para televisão estão dando o que falar. Em um dos vídeos, que pode ser assistido no site da revista Água & Vida, hamsters dentro de uma gaiola começam a "tocar" jazz com instrumentos de sopro. No bebedouro dos bichinhos é possível ver uma garrafa da marca Drench. Ou seja, o dom musical dos roedores teria surgido após a ingestão da água distribuída pela Britvic. Vale a pena conferir.

36

Assista ao vídeo no novo site da revista Água&Vida, que está estreando em agosto


Anuncie aqui!

37


Mercado de Bebidas

Comercial sci-fi para promover água mineral Um dos mais requisitados diretores de comerciais da Europa, o sueco Johan Renck, que também já esteve atrás das câmeras em episódios das séries “The Walking Dead” e “Breaking Bad”, levou a famosa água mineral francesa Perrier para o espaço. Renck assina “The Drop”, vídeo inspirado em ficção científica da década de 1960, sobre a última esperança da Terra contra uma onda de calor mortal. Na peça publicitária televisiva, uma astronauta sexy consegue refrescar o sol com uma gota de Perrier. Os efeitos especiais são da Mikros Image, empresa francesa que trabalhou em “Asterix nos Jogos Olímpicos” (2008), “Coco Antes de Chanel” (2009) e no filme vencedor do Festival de Cannes deste ano, “Amour”.

Veja o comercial acessando www.revistaaguaevida.com.br em vídeos

Abinam investe em educação Dando continuidade a seu Programa de Educação, e ao mesmo tempo atendendo às exigências de órgãos regulamentadores como ANVISA, DNPM e CODEX ALIMENTARIUS, a Abinam promoveu no início de julho o curso de Capacitação Profissional para Industrialização e Comercialização de Água Mineral. Com carga de 40 horas, o curso aconteceu na seda da Abinam, na capital paulista, e foi oferecido em dois módulos. O objetivo era fornecer suporte teórico e treinamento técnico aos profissionais e empresários envolvidos no processo de

industrialização, comercialização e controle de qualidade de águas minerais. Além de fundamentos de microbiologia aplicados à indústria de águas minerais e de conhecimentos necessários para a implantar e/ou aprimorar conceitos de boas práticas de fabricação (BPF). O treinamento da Abinam abordou aspectos relacionados a higiene, armazenagem e transporte na indústria de águas minerais. O curso foi dado pela professora doutora Petra Sanchez Sanchez e pelo engenheiro químico Silvério Catureba da Silva Filho.

Participantes foram orientados pela professora doutora Petra Sanchez Sanchez e pelo engenheiro químico Silvério Catureba da Silva Filho

38


Anuncie aqui!

39


Mercado de Bebidas

Empregos em alta Formado por envasadores de cerveja, águas minerais e refrigerantes, o chamado setor de bebidas frias está batendo recordes de geração de emprego no Brasil. Mais de 310 mil novas vagas deverão ser criadas na área até dezembro, destacou o portal IG em reportagem de 30 de junho de 2012. Fatores como o incremento de renda da classe C e a aproximação da Olimpíada 2016 e da Copa do Mundo 2014, que serão realizadas no Brasil, ajudam a entender esse movimento. Retratado na reportagem do IG como um dos principais responsáveis pela criação de postos de trabalho, em 2011 o setor de águas minerais gerou mais de 40 mil empregos diretos. Com a vinda dos megaeventos esportivos para o Brasil, a tendência é que o setor de águas minerais continue demandando cada vez mais mão de obra, no bojo do au-

mento das vendas, lançamentos e promoções. Para consolidar esse crescimento de forma sustentável, a matéria lembra que a Abinam criou um grupo multidisciplinar formado por profissionais com diversas formações, com destaque para químicos, engenheiros ambientais, biólogos e geólogos. Entre os investimentos de destaque do mercado de bebidas frias, a matéria do IG lembra que, em 2014 deve entrar em operação uma nova fábrica da Coca-Cola em São Gonçalo (RJ), com expectativa de geração de cerca de 2,2 mil empregos diretos. A unidade terá capacidade de produção de até 1,2 bilhão de litros de bebidas por ano. O incremento na produção visa a suportar o aumento de demanda que será gerado durante a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos.

Milainox participa da Fispal Tecnologia Conhecida pela fabricação de máquinas envasadoras, seladoras e datadoras automáticas e semi-automáticas totalmente mecânicas, a Milainox participou da Fispal Tecnologia 2012, onde expôs toda sua linha voltada para envase de água mineral e bebidas. A empresa foi convidada pelos organizadores da Fispal e pelo instituto de Laticínios Candido Toste, de Minas Gerais, a instalar no evento uma máquina envasadora de copos de bebida láctea. O iogurte líquido envasado foi distribuído para o publico presente. Outro destaque da participação da Milainox na Fispal Tecnologia 2012 foi a envasadora, seladora e datadora que coloca sobre tampa em copos e potes. Único no país, o modelo conta com sistema de assepsia da embalagem e pode ser usado no mercado de água mineral, sucos e água de coco, sendo também voltado ao envase de, requeijão, manteiga, doce de leite, goiabada, iogurte, temperos, molhos e até sabão em pasta.

Mini Usina de leite

40

Stand dentro da Fispal Tecnologia

Envasadora, seladora, datadora que coloca sobre tampa em copos e potes, com sistema de assepsia da embalagem (única no Brasil )


Ampliação da Fonte Ijuí em ritmo acelerado

Águas Sarandi investe em software de gestão

Adquirida pela Vonpar, a Indústria de Água Mineral da Fonte-Ijuí, do Rio Grande do Sul, está passando por modernização e ampliação de sua capacidade produtiva. Estão sendo investidos R$ 13 milhões no projeto. O dinheiro destina-se à duplicação da fábrica, perfuração de novos poços para extração de água mineral, além da instalação de novas máquinas, equipamentos e laboratórios. Para aproveitar o aumento sazonal de vendas do verão, o plano é deixar tudo pronto até o início de dezembro deste ano. A Fonte-Ijuí pretende dobrar sua capacidade de produção. Atualmente a distribuição da empresa cobre os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A marca também está presente, via exportações, em países latino-americanos.

Fabricante de bebidas com sede na cidade de Barra Funda (RS) e atuação no sul, sudeste e centro-oeste, a Águas Minerais Sarandi adotou tecnologia da empresa Sênior para gerenciar seu departamento de recursos humanos (RH). Além de água mineral, a Sarandi atua com sucos, energéticos, refrigerantes e cervejas. Com 65 anos e mais de 450 colaboradores, a empresa conseguiu suprir a carência de informações e tornar mais estratégico o gerenciamento da área de RH. “Somente com softwares e métodos adequados as empresas podem alinhar seus processos ao objetivo do negócio”, destaca Guilherme Balestro, responsável pelo setor de TI da Sarandi. Segundo ele, o software da Sênior permite descentralizar processos burocráticos, como pagadoria, férias, rescisões e práticas de gestão.

Evian aposta em serviço de delivery de água com pedidos pela internet Captada nos alpes franceses, a água Evian está apostando no serviço de delivery de sua linha de produtos. Mas a ideia da empresa não é fazer com que os clientes percam tempo no call center tentando fazer pedidos. Em Paris e outras grandes cidades da França, a empresa oferece o serviço online Evian Chez Vous (Evian na sua casa). Tudo é feito pela internet. Basta se cadastrar no site, informar o produto preferido, além da quantidade, frequência, dia e horário das entregas. Em caso de viagem, alteração de endereço ou qualquer tipo de mudança no cronograma de entregas, basta entrar em contato pelo site que a Evian promete dar um jeito. Para promover esse novo serviço, a icônica água francesa criou um ímã de geladeira a partir do qual é possível encomendar todos os produtos da linha para entrega em domicílio. Alusivo à logomarca da empresa, que tem forma de gota, o ímã é, na verdade, um gadget que se conecta à internet (Wi-fi), permitindo que o conusmidor selecione o produto e agende a data da entrega em casa. Tudo isso em uma tela pequena e sem gráficos complexos. Assim, não é preciso nem acessar o site do serviço Evian Chez Vous para renovar o estoque de água na despensa.

Gadget é um imã de geladeira, mas se conecta à internet, ajudando a repor o estoque caseiro de água mineral


Mercado de Bebidas

Município de 14 mil habitantes situado no extremo oeste de Santa Catarina, São José do Cedro vai receber uma nova indústria de envasamento de água mineral em breve. A unidade deve ser erguida na propriedade de Rudimar Debona, com previsão de entrada em operação dentro de um ano e meio. Logo após a descoberta da fonte, iniciou-se o trabalho de análise e estudo para a perfuração do poço para captação. As análises necessárias para a perfuração já foram feitas e os alvarás necessários para essa fase inicial do projeto também foram obtidos. Por se tratar de uma área de fronteira, foi necessário pedir autorização aos órgãos de segurança nacional. O custo estimado para a construção da nova indústria será de aproximadamente R$ 2,5 milhões. A propriedade tem pouco mais de três hectares e meio e deve receber uma área construída de mais de 1.000 metros quadrados. A estimativa é de que o empreendimento gere, após concluído, mais de 30 empregos diretos.

Água Mineral Cristal Azul abre fontanário para a população Os quedenses, como são chamados os cidadãos da cidade paranaense de Quedas do Iguaçu, localizada a 300km do Paraguai e a 120km da Argentina, ganharam uma nova opção para abastecimento de água mineral. O fontanário da Cristal Azul, tradicional envasadora local, foi aberto à população. Localizada na marginal Ipê, no Bairro Santa Fé, saída para Espigão Alto do Iguaçu, a fonte pertence ao empresário Antonio Alexandre. Ele disse que foi comprovado cientificamente que a Água Mineral Cristal Azul é única, já que possuiria uma sucessão de componentes de grande importância para a saúde. “Ela é classificada como água mineral fluoretada e vanádica, possuindo um ph alcalino de 9,75 a 21º”, descreve Alexandre. Segundo o empresário, existem poucas fontes em todo o mundo com essas características. A água da Fonte Cristal Azul está com suas torneiras abertas ao público às sextas e sábados.

42

Anuncie aqui!

Nova envasadora projetada em Santa Catarina


Anuncie aqui!


Anuncie aqui!

Revista Água&Vida 73  

Revista Água&Vida 73

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you