Issuu on Google+


Sumário Capa Inês Ramos Fotografia Pedro Dias Make Up Artist Ivânia Faria Assistente Ivânia Faria

Ficha Técnica Direção Equipa 3F’s Design Gráfico Ivânia Faria Relações Públicas Alexandra Lopes Fotógrafos Pedro Dias e Ivânia Faria Colaboradores e Editoriais Alexandra Lopes, Pedro Dias, Ivânia Faria, Hugo Brito, João Ribeiro. Contacto Revista3fs@gmail.com Periodicidade Bimestral


Editorial

Índice Arquitetura

4

Dark Side

8

Pensamentos e Devaneios Produção Ivânia Faria A Nossa Escolha Portefólio Macro

Capa – Inês Ramos

Edição Impressa: Agora já podes ter a tua revista em versão impressa. Encomenda a tua pelo e-mail: revista3fs @gmail.com, com o assunto ”encomenda”. Formato A5 – 10,00 euros

7

14

22 30

36

40

3F’s nº4

Como este mês passou a correr! Incrível! A nossa equipa aos poucos tem vindo a diminuir, no entanto temos um novo elemento: João Ribeiro, podem ver os trabalhos dele na secção Macro. Ainda irá divulgar mais trabalhos e diferentes, fique atento! Outra novidade é o facto de a edição passar de mensal para bimestral. A falta de elementos, não tem ajudado e a revista não tem saído a dia 1, como seria esperado! Esta é uma alteração forçada, mas que será melhor ainda! Nesta edição podemos ver o Portefólio do fotografo Rúben Cavaco, que para além de entrar nesta edição, irá entrar nas próximas. Na nossa escolha, temos a Maria Miguel, uma das meninas que concorreu á capa de Janeiro. E ainda mais uma novidade é o novo formato da nossa revista em A5, e que agora tem a possibilidade de a pedir impressa! Em Abril voltamos com muitas novidades…


Era uma vez a arquitetura... … com aquelas janelas todas Lembro-me de visitar, estava eu ainda na faculdade, a biblioteca de Ovar. Da biblioteca, sem descredito para o projecto, compreendi a sua racionalidade, organização e no geral boa concepção, coerência... e pouco mais do que isso, lembro-me no entanto de forma muito mais presente o edifício adjacente, velho, quase decrépito e mal conservado, que no entanto algo gritava à minha imaginação. A fachada que dava para a biblioteca era inteiramente revestida a chapa ondulada, pintada de um vermelho velho e tinha janelas, muitas janelas, todas diferentes! Tinha umas 15 ou 20 janelas todas diferentes! Que histórias por detrás de cada uma delas, teriam sido todas feitas na

mesma

altura

por

um

insano

fabricante de janelas que resolveu fazer um mostruário em tamanho real ? Um ser tresloucado que


queria uma janela diferente para cada mês do ano? 12 irmãos com gostos todos diferentes? Branca de Neve e os 20 anões carpinteiros? Havia ali algo! Mas não era coerente, lógico ou mesmo economicamente “porreiro” a menos que o construtor tivesse feito um negócio de saldos fantásticos para comprar aquele sortido de janelas. A realidade é feita de justaposições, de formas, de significados e podemos compreender uma janela de muitas maneiras diferentes pois uma janela serve para muitas coisas, pode servir para trazer luz natural, som, ventilação, pode até servir para entrada de ladrões, mosquitos, moscas e outros animais irritantes!, mas, para mim, uma janela têm no projeto uma relevância especial, é com ela que podemos – e devemos

– para além da sua dimensão puramente técnica, emoldurar ou enquadrar o mundo, ou pelo menos parte dele, o melhor que sabemos, o melhor que podemos, nem todos têm vista mar ou vista serra, muitas vezes a vista têm que ser construída. Há janelas que podem dar para pátios, paredes, pequenos jardins, uma flor, um espelho de água, para outras janelas onde vislumbramos um qualquer vizinho peludo ou uma vizinha que esperamos que não seja assim tão peluda, a escolha inicial é sobretudo do arquiteto, normalmente caso não tenha um cliente direto, depois cabe a cada um utilizar a janela como melhor quiser, seja colocando uns cortinados ou uns binóculos... para apreciar a vista mar lá ao longe – entenda-se!  Hugo Brito, arquiteto


Pensamentos e Devaneios

Alma Gémea O amor quando chega, não tem um lugar, um dia, uma hora, simplesmente chega quando menos se espera e instala-se no mais sensível dos nossos órgãos.

com Alexandra Lopes mutuamente, como se de ar para respirar. Elas são a Razão e a Emoção em que um dá o seu chão e o outro o levará até à lua.

A certeza (digo eu) começa a partir do olhar, ambos intensificam-se no olhar um do outro surgindo o amor genuíno. Não se apercebem naquele momento, mas algo com muita força os unirá. Nenhum dos dois consegue uma explicação para tamanha coincidência de sentimentos e ao mesmo tempo são estranhos um para o outro. A alma gémea poderá levar o seu tempo, não será certamente num primeiro relacionamento, nem num segundo e mesmo há quem leve uma vida à procura de tentar acertar na pessoa certa. Não vale a pena…Poderá até estar na outra parte do mundo ou até mesmo ao nosso lado. A alma gémea encaixa-se na perfeição, ambas se completam e precisam-se

A alma gémea tem uma função de preencher os vazios do outro gémeo, enriquecer onde o outro tem necessidade, será um dar e receber sem mais tarde ser arrependido ou atirado em cara. Alma Gémea será o verdadeiro amor em que tudo se entrelaça e encaixa na perfeição. O resto são paixões em que passam e não deixam marcas, apenas o verdadeiro prevalecerá até ao fim dos nosso dias.


Portefólio

Rúben Cavaco nasceu e vive em Tavira, Algarve. Estudou Marketing e frequentou o curso de cinema e vídeo. Desde muito

cedo que revelou um especial interesse para o mundo das artes. Participou em vários concursos tendo ganho um 1ºlugar

no concurso dos “500 anos do Foral de Tavira” e um 2º lugar no concurso “desenhar Tavira”.


Divagou entre as artes plásticas ao cinema até que encontrou a sua paixão, fotografar. Começou a trabalhar com fotografia e vídeo há 7 anos como hobby passando mais tarde a profissão. Com muita força de vontade e motivação, abre o seu próprio estúdio fotográfico, i9PHOTO em Tavira onde desenvolve com mestria diversos temas como fotografia de crianças, objectos, grávidas e book’s sendo a sua especialidade o álbum de casamento. Possui um estilo moderno e diferente, sempre se actualizando das novas técnicas e dos novos recursos do mercado.



Edição Fevereiro 2013