Page 1

ANO II N° 12

ESPECIAL EVENTOS Unitas 2013 Batalha de Rwanda IV Operação Geronimo Pirate Hunters Lagrimas do Sol - II

Operação Cavalo de Aço - RA

Review

AIRSOFT MILSIM PAINTBAL MILSIM AIRSOF

PAINTB L MIL M AIRSOFT MILSIM PAINTBAL MILSIM


2


Mensagem do Editor

M

ais um ano se vai e nos da Revista KOMMAzDOS nos sentimos felizes por poder tido a oportunidade de participar do crescimento do esporte no país, o AIRSOFT e os PAINTBALL REAL ACTION são os esportes de ação que mais cresce que mais adquiri adeptos, prova disso é que temos mais uma revista on-line para os praticantes do AIRSOFT esperamos que surjam cada vez mais publicações comprometidas com a divulgação do esporte, também vimos esse ano a criação de mais lojas para vendas de AEGs, GBBs e equipamentos relacionados. Isso mostra a importância e o grau de interesse tanto de praticantes quanto da classe empresarial. Porém nada disso seria posto em pratica se não tivéssemos aqueles que organizam as MilSim, os eventos, os jogos, os encontros. E vários foram os eventos esse ano, tanto que a KOMMANDOS cobriu quanto apoiou. Um dos mais importantes do ano foi sem duvida a Operação OVERLORD, com cinco etapas relacionadas à 2ª Grande Guerra Mundial que fechou com chave de ouro no ultimo dia 16 de Dezembro com a Operação OMAHA inclusive contando com as intempéries do tempo como combate em baixo de chuva como acontecia na Grande Guerra, o que levou os participantes a se sentirem de forma lúdica dentro de uma situação surreal. Esse evento organizado pelo Paulo Bertoni, Alex Viana com apoio da Base Araça, da Platon Eventos e da Revista KOMMANDOS teve cinco grandes operações que deu inicio na Operação UTHA e deu continuidade nas Operações GOLD, SWORD, JUNO e término na OMAHA, cada uma delas com seu patch oficial, sem duvida para o ano de 2013 promete operações mais complexas e recheadas de emoção. Não podemos também deixar de agradecer aos nossos amigos parceiros que juntamente com a revista realizaram o sonho de nosso leitores com o sorteio de uma Faca de Combate AMZ da IMBEL, e do colete tático TACIII da A-TAC, esperamos poder contar para o ano que vem com mais parcerias para nossos amigos leitores. Com o objetivo temos como meta da revista a intenção de abrir mais o AIRSOFT no Brasil para todos e não para uma pequena classe de privilegiados, isso é o mais importante para o crescimento do esporte. Aos parceiros da KOMMANDOS, nossos apoiadores, consultores e patrocinadores e aqueles que nunca esquecemos, os nossos leitores, desejamos um Natal de Paz e Alegria e que 2013 possa ser um ano para se despejar BBs nos amigos a vontade a preços cada mais favoráveis. Ao Paintball, estamos prontos para colaborar e ajudar cadavez mais com apoi e na divulgação dos eventos e calendários. Nesta edição, a Equipe da Kommandos, preocupada com a saúde de nossos leitores. Apresentamos o nosso mais novo colunista o “Prof. WILI POLANOWSKI”, um especialista em condicionamento que vai ajudar a você nosso leitor a dar um UP em seu rendimento durante o jogo com dicas importantes para sua saúde fisica. Além de continuar sendo para vocês a revista referência no esportes MILSIM em todo o Brasil e na América Latina....

Bolívar Filho Editor Revista Kommandos

Alex Viana Coeditor Revista Kommandos


ÍNDICE Galeria de Fotos -

Pg 08

Unitas - Ruta de La Sagre - Pg 20 Battle of Rwanda -

Pg 35

Coluna do LIMA -

Pg 38

Operação Geronimo -

Pg 42

Lagrimas do Sol II -

Pg 48

Pirate Hunters -

Pg 58

WAR - III -

Pg 66

Review - SDV Dragunov -

Pg 68

Basic Suit -

Pg 75

Operação Cavalo de Aço -

Pg 76

Saude Fisica -

Pg 78


nOSSA cAPA

Expediente KOMMANDOS

REVISTA ELETRÔNICA DE DISTRIBUIÇÃO GRATUITA DISTRIBUIÇÃO BIMESTRAL COORDENNAÇÃO E EDIÇÃO BOLIVAR F. FILHO ALEX VIANA EDITORAÇÃO ALEX VIANA SUB COORDENAÇÃO GRUPO AV DE PRODUÇÃO

Nome: Romeu dos Reis Onório Idade: 29 Time: Legião Airsoft Posição: 1 Tenente ROMA Cidade: São Paulo Profissão: Consultor de Vendas Arma curta Preferida: 1911 Arma longa Preferida: M4A1 / M60

COLABORADORES REINCENAÇÃO HISTÓRICA Mauro S. Orui FICÇÃO Carlos David MATERIAS Alex Viana ToTa Cantalice II COLUNISTA AIRSOFT Leonardo S Grimaldi COLUNISTA SÁUDE E FÍSICA Prof. ESP. Douglas Wili Polanowski CREF 03740/GSP

COLABORADOR RA

Sergio Lasclota

CONTATO revistakommandos@gmail.com SITE www.revistakommandos.com BLOG revistakommandos.blogspot.com

O CONTEUDO DA REVISTA KOMMANDOS E PERMETIDO SUA COPIA DEDES QUE SEJA INFORMADO A FONTE

A revista Kommandos é uma publicação com distribuição via internet, As Matérias aqui expostas e divulgadas, bem como seus acessórios, uniformes, símbolos logos, insígnias e armas são meramente representativos a revista Kommandos bem como seus integrantes associados e colaboradores, não apoia e não faz e modo algum apologia ou incentiva, qual quer forma de regime politico, ideologia, pensamento, filosofia ou discriminação de qualquer natureza, nenhuma forma ou natureza de fanatismo ou ódio racial é tolerada sendo que quaisquer destas atitudes são repudiadas por nossos colaboradores e editores as armas aqui representadas não são armas reais e sim de brinquedos, replicas, e ou simulacros, são de uso para atividades lúdicas e representações cenográficas como as atividades relacionadas ao hobbie esportivo Airsoft e Paintball. As atividades relacionadas tem suporte baseando na PORTARIA N º 02-COLOG, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010 Nossa Missão Capacitar informar e fomentar de maneira aberta e livre a mensagem do Airsoft milsim e Paintball real action, a instruir e espalhar a informação correta; Com o objetivo de orientar a todos a boa pratica deste magnifico hobby


GALERIA DE FOTOS 2012

O que é um ano para o tempo? Foram muitas piadas, muitos jogos. Encontros e desencontros. Agora somos lembranças! Em um túnel chamado Tempo. Lembranças, que um dia retornarão como histórias. Memorias no tempo e espaço. E poderemos ouvi-las o quanto o tempo, nos permitir. “Guarda teu amigo sob a chave de tua própria vida.” William Shakespeare

SP

lo Montoya - VINGADORE

Foto: Andre Lopes, Marce

Foto: Eduard

o Areco-- An

dre leite e Ca

rlos Verardi

rero, Joel P Foto: Ronald Fo la Dorad mas del Sol - En colo


ERLANDIA-MG

PAINTBALL TEAM - UB

Foto: Rene Coda e

Vicente A. Carvalho

driano o com A ã b u S s uimarãe Foto: G ugusto. Ébano A

Scandola

e

Juego LagriKfjasdlkfjakl em rd ha ic R e ez Pá X games an H Rodriguez m er G -s. da al da C ISING ombia equipo R

9


GALERIA DE FOTOS 2012

p. Overlord

aulo na O oto: Joao P

F

a

- Base Araรง

Foto: Marcelo Coda

Foto: Wilson El Cass

10

Foto: Geilton Silva,XXXXX---CC

elli

ti, Marcela Guglielm

, , Paulo Aganet


Foto: Operaçã o Falcão Mud o em Mogi da Time Legião s Cruzes - SP com Romeu D os Reis, Emerso Ricardo Klein n Guimarães, , Russio, Alez , Sidney

sir e Edmir Reed.

Foto: Fab

iano Bouç

as

11


GALERIA DE FOTOS 2012

take

Foto: Teruo Newton Toku

ike Foto: M

Foto: Masuel

12

Oliveira

Santos - RJ

- RJ

Foto: Miguel Muñoz o ex

termidador de Acarajé (

ps Isso n


Foto: Viniciu

s A. Salim - C

Foto: Luiz Ro .A.R.D.P - R

berto Maia L

io das Pedra

ins- dia D Pe

trolina

s - SP

Foto: Ricardo Rei - Japão

Foto: Pedro Marquez - CZ - Evento Unitas 2011 Iquique - Chile

não é bulin)

13


OPERAÇÃO MADUREIRA : Felipe Mão - BW, Renata -BW, Philippe -BRAVO, Lobo - Bravo, Dieguez -BW, Menezes -BW, Aganetti -BW, Marcela -BW, Cesar Passos -BW, Andarilho - BW, Tafarelo - BW, Vita - BW, G. Ferraz - BW, Rodrigo Alves - BW, Dourado -BRAVO, Moreno -BRAVO, Santos -ASBetim, Sena -BRAVO, Jaime -BRAVO, Campos -BW, Nogueira - ASBetim, Dias - ASBetim, Zambaldi - ASBetim, Fabiana - ASBetim, Froes - BRAVO, Raft - BW FOTO: DOGS WAR AIRSOFT - Felipe Andres Torres Mora, Claudio Andres Contreras Sanchez, Gabriel Lopez Vera, Adolfo Espinoza, Claudio Quezada, Luis Alejandro Acuña Rivas e Wilson Navarrete em Calama.

FOTO: Dais (No carrinh

14

GALERIA DE FOTOS 2012

<= Foto: Sgt.And Mateus Proenca Martins, Jerri Ma Ângelo Bueno, L


FOTO: D

avi Maia

com seu

Loadout

Insurgen

te - ASF

- PE

fa Kincezki.

ulos e Ra nes Jvs Veic Ju m co ro son Seve ) ho de Assalto

derson / Equipe Close Quartes: Ricardo Costa Ribeiro, Eduardo Proenca, a, Rodrigo Souza, Edmundo Bispo, Danilo Ventura, Joselito Ribeiro, Victor asson / Equipe Cuba: Benedito J dos Santos, Cristian Roy, Mateus Cro, Local: Clube de Tiro Cubas - Cidade : Santos â&#x20AC;&#x201C; SP

15


16


GALERIA DE FOTOS 2012

Foto: Pirate Hunters — Ícaro Arienti, Cesar A. Paludo, Gabriel Jelenski e Antonio M. Xavier.

Foto: Alexandre Cardenuto e Pinha no Jogo Sol da Meia Noite - SP

Local: Ribeirão Preto - SP Evento: Missão Conjunta Conjuntas do Interior

Equipes: Waffen-BR, F.A.R.E. e G.T.E. Balaclava Nomes (da esquerda para direita, em pé depois agachados): Marcos Moretti, Rafael Buzoli, Walcris Souto, Richard Peixoto, Claudio Roselli, Gustavo Papa, Felipe Regiani, Wellington Nogueira, Matheus Sisdeli, Roger Ayrási, Luis Luca, Rogério Mariano, Warlei Miranda, Junior, Vanderlei Rossi, Gustavo Luizon, Raphael Jacintho, Guilherme Araújo, Tiago, Ícaro Peron, Eliazer Berzotti, Diego Peralta, Luan Lopes, Marcelo Lemos, Caio, Alexandre Braga, Rafael Massa, Breno, Alex, Adriano Luizon, Alexandre Xavier, Paulo, Bruno, Rafael e André Campos. Foto: Matheus Sisdeli (tripé)

17


18


19


20


21


Autor poema:Thay Rodrigues fonte: http://pensador.uol.com.br/poemas_de_aventura/3/


FOTO: UNITAS 2011 DESIERTO DE TARAPACA SECTOR DE DOLORES Acervo : Rutade la sagre

23


Hermann Rodriguez Moreno (JAZPAMPA) com a bandeira do Chile e Juan Carlos Araya (ATILA), Luiz Cortez Lillo (DARIGAZ)

K - Como nasceu o UNITAS. K -¿Cómo hicieron los UNITAS. El año 2010, conocimos a tres amigos del club FARCH de Chuy- Uruguay, Fardo Silvera, Mirito Silveira, Cono Sarge. allí nació una gran amistad y los invitamos otra vez a Chile, el 2011 nacen los Ejercicios de Airsoft UNITAS, los amigos uruguayos invitaron a cuatro brasileros de Combat Zone Community, Pedro Márquez, Cahue, Elias y The Funto quienes llegaron a chile a compartir con nosostros, en esa oportunidad se nos unieron los clubes chilenos DOGSWAR, VULCANO y CAMEL TROOPS. Fue una grata experiencia compartir con teams extranjeros y decidimos repetirlo, esta vez lo haríamos en Uruguay, país que fue el anfitrión de la jornada 2012, nuestro club RUTA DE LA SANGRE concurrió junto al team VULCANOS, estrechando aun más los lazos de amistad 24

ya creados.

PT - Em 2010,conhecemos três amigos do clube-Uruguaio, FARCH de Chuy o Fardo Silvera, Mirito Silveira e Cono Sarge. ali nasceu uma grande amizade e volta ao Chile, em 2011 nasceu o UNITAS Airsoft, os amigos uruguaios convidamos mais quatro amigos da Comunidade Brasileira o Combat Zone, Pedro Marquez, Cahue, Elias eo Funto que vieram ao Chile para compartilhar e se juntaram a nós chilenos aos clubes DOGSWAR, VULCANO e CAMEL TROOPS Foi uma grande experiência para compartilhar com equipes estrangeiras e decidimos repeti-la, desta vez, seria no Uruguai, que sediou o encontro de 2012, nosso clube RUTA DE LA SANGRE em conjunto com time Vulcanos estreitando os laços de amizade que foram criados.

K - Sabemos que no Chile o Airsoft atualmente é reconhecido como um esporte; Como são as regras estabelecidas para a pratica do Airsoft no Chile. K - Sabemos que en Chile el Airsoft es ahora reconocido como un desporto, ¿Cuáles son las reglas para la práctica del Airsoft en Chile.


Si bien el airsoft es ya un deporte en nuestro país, aun nas practicas y seguridad, los mismos lideres de team se se esta tratando de lograr una federación o asociaci- encargan de retirarlos de la cancha, para evitar problemas ón que nos cobije a todos, por lo mismo cada team o posteriores comunidad usa las normas internacionales del airsoft. PT - O airsoft já é um esporte reconhecido em nosso país, mas ainda estamos montando uma federação ou associação que abriguem todos nós, portanto, cada equipe ou comunidade utilizam-se dos padrões internacionais do airsoft.

K - Contemos um pouco como foi este processo; E como se aplica a lei em relação aos clubes e entidades para os jogadores. K - Contemos un poco ya que este proceso era, y cómo se aplica la ley en relación a los clubes y entidades para los jugadores. Esta considerado deporte amateur , así que la mínima obligación que se pide, es obtener la personalidad jurídica y pertenecer al IND (Instituto Nacional del Deporte) ya que esto nos permite como clubes independientes obtener beneficios de parte de proyectos deportivos que se puedan solicitar. PT - O esporte é considerado amador, por isso a uma exigência mínima é exigido, a documentação de entidade jurídica e pertencer ao IND (Instituto Nacional de Esportes), isso nos permite a atuar como clubes independentes e de obter beneficios e projetos esportivos que podem ser aplicadas ou solicitadas.

K - Existe algum tipo de penalidade para o para o Praticante de Airsoft que sai das regras. K - ¿Hay alguna penalización por el Practicante de Airsoft que no sigue las reglas. Todo club tiene su reglamento interno, que es muy similar entre los diferentes clubes, este apunta a la sana practica y por sobre todo a la seguridad de los jugadores, con respecto a quienes no cumplan estas normas de bue-

PT - Cada clube tem o seu regulamento interno, que é muito semelhante entre os diferentes clubes, isso aponta para uma prática saudável e acima de tudo a segurança dos jogadores; Para os que não atendem a esses padrões e as normas de segurança, os líderes de equipes são responsáveis de remover do campo este praticante,afim de evitar problemas futuros.

K - E o time como é a composição e a adesão de novatos. K - ¿Y cómo es la composición del equipo y la composición de los novatos. Nuestro club RUTA DE LA SANGRE esta conformado por 25 jugadores, los que en cancha nos repartimos en células de ataque, contención y defensa para optimizar el recurso de las replicas y la capacidad física de cada uno de los integrantes, los jugadores nuevos que se integran pasan por una entrevista personal, se le hace una charla inductiva sobre los pormenores del club y del deporte en si, quedando como aspirante durante un mes, pasado este periodo, en reunión con los jugadores se determina si sirve como jugador para nuestro club, luego pasado tres meses se le otorgan los parches del club en ceremonia que realizamos en el desierto. PT - Nosso CLUBE RUTA DE LA SANGRE é composto de 25 jogadores, que se dividem em em células de ataque e defesa, para otimizar o uso de réplicas (AEG) ea capacidade física de cada um dos membros, os novos jogadores que se juntam passam por uma entrevista pessoal, este faz um discurso sobre os detalhes do clube e sobre esporte( AIRSOFT ) , como candidato ou aspirante pelo prazo de um mês, após esse período, em uma reunião com os jogadores é determinado se ele serve como um jogador para o nosso clube, então após três meses é concedido a cerimônia do clube realizado no deserto.

FOTOS UNITAS 2011 DESIERTO DE TARAPACA SECTOR DE DOLORES / com integrantes do team Ruta de la Sagre.

25


K - Qual o loadout principal do time. K - ¿Cuál es la principal loadout del equipo La tenida principal es el ACU, y todos los chalecos tácticos y accesorios en color coyote Brown, para entrenamientos usamos la tenida Woodland, y para juegos en el desierto usamos el mimetismo desierto conocido como 3C (tres colores) también es parte de nuestro uniforme el uso de una boina negra con una piocha metálica que lleva una corona de laureles y al centro el escudo nacional de Chile PT – Nosso Loadout principal é o ACU ,colete tático e acessórios na cor Coyote Brown, para os exercícios em clima misto usamos Woodland, e jogos no deserto deserto tambem usamos a 3C (três cores) também faz parte do nosso uniforme uma boina preta com um emblema de metal vestindo uma coroa de louros e centro o emblema nacional do Chile

K - Voltado a falar do UNITAS conte-nos um pouco como é jogar no clima árido do deserto. K - Volvió a hablar de UNITAS contarnos un poco cómo se juega en el duro clima desértico Para los clubes del norte no es tan difícil ya que estamos mas aclimatados al duro sol del desierto, pero aun así, es importante la hidratación constante, tenemos temperaturas muy altas en verano con muy poca o casi nada de humedad ambiente, las noches suelen ser frías generando un contraste de día y de noche. PT - Para os clubes do norte não é tão difícil ja estamos aclimatizados ao sol quente do deserto, mas ainda importante é a hidratação constante, temos temperaturas de verão muito altas com pouca ou quase nenhuma umidade, e as noites são muitas vezes frias gerando este contraste dia e noite no Deserto.

K - O UNITAS está transformando-se em um evento importante, na América do Sul com a adesão de outros países; Existe a possibilidade do evento durar mais que dois dias no futuro e qual a perspectivas. K - El de UNITAS se está convirtiendo en un acontecimiento importante en América del Sur con el apoyo de otros países, existe la posibilidad de que el evento dura más de dos días en el futuro y cuáles son las perspectivas.

FOTOS UNITAS 2011 DESIERTO DE TARAPACA SECTOR DE DOLORES /acervo team Ruta de la Sagre.

26

Es un tema que nuestro club esta conversando para cambiar las fechas y realizarlo en algún día del año en que contemos con mas días feriados, así podemos alargar el evento, ya que nos hemos dado cuenta que invitar clubes del extranjero requiere de mas días para que puedan disfrutar en profundidad del desierto con juegos mas completos y conocer nuestra ciudad. PT - Uma questão que o nosso clube está conversando de alterar as datas e fazê-lo em um dia do ano em que temos mais feriados, para que possamos ampliar o evento, como temos verificado que convidar clubes estrangeiros necessitamos de mais dias para poderem desfrutar do deserto com jogos mais completos alem de poderem conhecer a nossa cidade.

K - Apesar do Airsoft, ser um esporte no Chile como ele é visto pelos militares existe algum apoio por parte deles. K - A pesar de Airsoft, es un deporte en Chile como lo es visto por los militares hay algún apoyo de ellos.


Los militares de chile , ven esta actividad como lo determina la ley , es decir lo ven como un deporte mas, como cualquiera que se practique en este país. PT - Os militares do Chile, ver essa atividade como determina a lei, ou seja, eles vêem isso como um esporte, como qualquer um que é praticado no país.

K - De uma dica do nível de MILSIM elaborado para o próximo UNITAS K - En una pista del nivel de MilSim preparado para los próximo UNITAS Por la cantidad de jugadores que asistirá este año, estamos haciendo un juego estándar, además de que son solo dos días que estaremos en terreno, en próximos UNITAS vamos a considerar, cambiar la modalidad del juego a un MILSIM con todas sus características. PT -

Para o número de jogadores deste ano, nós estamos fazendo um jogo normal, seram dois dias, em campo, vamos considerar para o proximo UNITAS e mudar o modo de um jogo MILSIM com todas as suas características. FOTOS UNITAS 2011 DESIERTO DE TARAPACA SECTOR DE DOLORES / com integrantes do team Ruta de la Sagre.

EVENTOS - UNITAS 2013 K - Qual a dica para o Brasil, melhorar o Airsoft lá K - ¿Cuál es la consejo para Brasil, mejorar el Airsoft Brasil tiene condiciones muy diferentes a la nuestra en terreno donde se desarrollan las partidas y por lo que vemos en las fotos de sus partidas, están en un buen nivel de equipamiento y de juegos que ustedes hacen allá. PT - O Brasil tem condições muito diferentes do nossos campos, onde os jogos são desenvolvidos eo que vemos nas fotos o jogos estão em um bom nível, de equipamentos e jogos que você tem ai.

K - Qual evento internacional que o Time gostaria de participar e por quê? K - ¿Qué acontecimiento internacional que el equipo le gustaría de participar y por qué? Por ser nuestro equipo, netamente de desierto y semi urbano, nos gustaría participar de un evento que se realizara en SELVA, para poder aprender de otros team ese tipo de juego para asi ganar experiencia . PT - Como nosso equipo,é direcionado para deserto e ambiente urbano ou semi, gostaríamos de participar de um evento a ser realizado na Selva(Mata), e aprender com outra equipe este tipo de jogo, a fim de ganhar experiência.

K - Qual a doutrina que o time prega e qual o objetivo do UNITAS para com os participantes K - ¿Qué es la doctrina que pregona el del equipo y cuál es el objetivo de UNITAS a los participantes Queremos la integración sudamericana del deporte, generar una relación de unión y amistad entre quienes practicamos esta actividad deportiva, aprender de otros club tanto nacionales como extranjeros, pero por sobre todas las cosas, crear lazos de amistad, como los que creamos con los amigos de Uruguay y Brasil en el UNITAS 2011, 2012, y que esto se haga extenso a los team de Bolivia, Argentina, Perú, y a los nacionales que concurrirán a esta cita llamada UNITAS 2013. PT - Queremos uma integração sul-americana no airsoft (esporte), gerando união e amizade entre aqueles que praticam este esporte, aprender com clube nacional e estrangeiros, mas acima de tudo, criar amizade, como a que criamos com os amigos Uruguaios e Brasileiros na UNITAS 2011, 2012, e que isto é feito para ampliar a equipe Bolíviana, Argentina, Peruana e a todos as equipes nacionais que estarão presentes no evento UNITAS 2013.

27


K - Fale-nos um pouco como vai ser a recepção aos visitantes do UNITAS 2013 K - Cuéntanos un poco cómo va a estar recibiendo visitantes UNITAS 2013

K - Para finalizar uma mensagem do time para com seus visitantes e observadores da Kommandos K - Para finalizar un mensaje al equipo con sus visitantes y los observadores del la revista Kommandos

Tenemos um equipo dispuesto para ir a buscar a los que vengan por avion , y otro para recibir a los que vendran por tierra y que puedan requerir de un hotel el que ya esta consignado para esas delegaciones, luego en caravana nos dirigiremos a la cancha que esta a 150 kilometros al norte de la ciudad de Iquique en el Desierto del Tamarugal.

Primero agradecer a la revista KOMMANDOS, por permitirnos mostrar nuestro evento UNITAS 2013 al mundo, a los team que vendran, que pasaran una buena jornada de airsoft en un terreno diferente al que estan acostumbrados, y a los lectores de esta revista que los dejamos invitados desde ya para unirse a lo que sera el UNITAS 2014...En alguna parte de sudamerica.

PT – Temos uma equipe pronta para atender e buscar aqueles que vêm de avião, e outro para aqueles que vêm por terra temos um hotel preparado para receber os viajantes que já está consignado a essas delegações e caravanas, em seguida, iremos para o local que está a 150 Km ao norte da cidade de Iquique, no Deserto Tamarugal .

FOTOS UNITAS 2011 DESIERTO DE TARAPACA SECTOR DE DOLORES /acervo team Ruta de la Sagre.

28

PT - Em primeiro lugar agradecer a revista kommandos, por nos permitir mostrar o evento UNITAS 2013 para o mundo, as equipes que estiverem presentes, terão um bom dia em um terreno diferente para o airsoft do que estão acostumados, e os leitores desta revista estão convidados a se juntar ao UNITAS 2014 ... em algum lugar na América do Sul


29


30


Especial EVENTOS

31


K - Não podemos falar de RWANDA antes sem falar um pouco do HELL, a ideia de fazer um evento no mesmo local onde já havia acontecido outro evento similar não perdeu um pouco das expectativas sobre o numero de inscritos? Cockland - De maneira alguma, até mesmo porque antes do Hell o local já havia sido palco para realização das três primeiras edições do Rwanda, na modalidade paintball, que ocorreram respectivamente nos anos 2007, 2008 e 2010. Infelizmente por determinação da prefeitura municipal (que cede autorização para realização do evento no local) não foi mais possível realizar o evento na modalidade paintball, então a quarta edição do Battle of Rwanda foi na modalidade airsoft. Sendo assim, o pessoal que migrou do paintball para o airsoft e que já havia participado das edições anteriores do Rwanda estiveram presentes no evento, assim como, obviamente os participantes que tiveram a oportunidade de conhecer o local através do Hell On Earth também fizeram questão de voltar, para participar do evento e rever os amigos. Com relação ao número de inscritos, a expectativa foi superada pela organização, já que tivemos mais de 150 inscritos, e com certeza se não tivéssemos limitado o número de inscrições, teríamos ultrapassado os 200 inscritos. K - O time migrou do paintball para o Airsoft certo? Cockland - Praticamente em sua totalidade, porém a maioria dos integrantes ainda preserva todo equipamento de paintball e tenta manter a modalidade ativa, mesmo sendo muito esporádica com relação ao airsoft. Cockland - Pleiteamos junto à prefeitura municipal a autorização para realização de um evento de paintball, mas como citamos anteriormente a mesma não foi concedida, já que durante a edição do Rwanda III o local do evento ficou completamente impregnado com tinta colorida, e houve reclamação de diversos freqüentadores do parque, mesmo com a organização tendo removido e limpado grande parte da tinta. Fotos: Acervo Cockland

32


Battle of Rwanda IV K - Nos vídeos vemos uma Kombi configurada como blindado e fenomenal o nível de elaboração e introdução de veículos em termos geral qual o maior beneficio e dinâmica agregado ao jogo? Cockland - O “blindado” já se tornou uma marca registrada do Rwanda. Nas edições anteriores do evento utilizamos outros veículos para configuração do blindado, os quais tiveram boa aceitação por parte dos participantes e promoveram um nível de ação diferenciada ao jogo. Para a quarta edição do evento decidimos investir em um veículo mais elaborado, compramos a Kombi de um ferro velho e com muito trabalho e esforço da equipe reformamos toda ela. O resultado pode ser visto em campo, aonde apresentamos um veículo com características muito parecidas com as de um blindado real. O benefício da utilização do veículo certamente é o aumento do nível de realidade do jogo, possibilidade de criação de missões diferenciadas e toda adrenalina que ele proporciona aos que estão no interior dele e aos que se vêem diante dele em ação. K - O Airsoft está bem difundido no Sul do Brasil em se tratando de futuro quais são as propostas para eventos e como o time vê a exposição na mídia em geral? Cockland - O airsoft está se tornando um esporte muito popular, não só na região sul, mas em todo Brasil. O exemplo disso são as equipes que estão se formando e a evolução das equipes já existentes, sem contar os eventos de alta qualidade que aconteceram e que estão por acontecer. A equipe pretende dar continuidade ao Battle Of Rwanda. Mesmo sendo muito difícil a organização de um evento como esse a equipe empenhou-se para o bem em comum, que é o amor pelo esporte e pela fortificação de princípios como integração e amizade entre os participantes. A exposição na mídia sempre foi e vai ser uma faca de dois gumes, já que ao mesmo tempo em que para muitos o airsoft pode representar um esporte perigoso e violento é importante divulgar o mesmo para tentar mudar essa imagem e fazer com que as pessoas conheçam e entendam a sua verdadeira realidade.

33


K - A BATALHA DE RWANDA contou com quantos participantes e houve participação de outros estados e quais estados em números de participantes participaram? Cockland - Na quarta edição do evento tivemos exatos 156 inscritos, representando os estados do RS, SC, PR, SP, RJ e MG. Os estados com maior número de participantes foram o RS com 66 inscritos, seguido de SC com 58 inscritos.

Fotos: Acervo Cockland

K - Para 2013 o time pretende elaborar mais eventos, e o que o time acha da qualidade dos eventos que estão acontecendo pelo Brasil? Cockland - Para 2013 pretendemos dar continuidade a edição V do Battle of Rwanda, já que o mesmo é detentor de grande popularidade na comunidade do paintball e agora do airsoft também. Com relação aos eventos nacionais percebe-se uma grande evolução nos quesitos organização e participação das equipes. Os praticantes do airsoft estão muito bem servidos com eventos da mais alta qualidade, que dentre outros vale lembrar o Hell on Earth, Pilot Rescue, Fênix e Lágrimas do Sol. K - Sobre as lojas nacionais o time acha que elas deveriam ser mais presentes em eventos regionais ou eventos nacionais? Cockland - Certamente, as lojas presentes nos eventos não só tornam-se um atrativo a mais para os participantes como também geram uma grande oportunidade de marketing, para divulgação de produtos, acessórios e conseqüentemente o nome da loja que se faz presente. Isso tudo sem contar a oportunidade de vendas que podem acontecer durante o período do evento. K - Fale-nos um resumo sobre o evento em sua visão particular como organizador? Cockland - A proposta do Rwanda sempre foi apresentar missões intensas, com objetivos definidos e tiroteios massivos. Os participantes foram separados em duas divisões de aproximadamente 80 participantes combatendo de lados opostos, o que muitas vezes gerava tiroteios tão intensos que dava-se a impressão de estar em meio a um combate real. As missões noturnas foram um espetáculo a parte, com direito a munição traçante, fogos de artifício e muita adrenalina. Como organizador sempre resta uma sensação de algo mais que poderíamos ter feito ou que tenhamos deixado a desejar. Sabemos que é muito difícil agradar a todos e fazer com que tudo aconteça 100% dentro do planejado. A grande recompensa depois do evento foram os cumprimentos recebidos, o aperto de mão dos amigos, o muito obrigado de pessoas que viajaram de longe para participar e sem duvida as manifestações de gratidão e elogios que colhemos de fóruns,redes sociais e emails. Isso aumenta a motivação em continuar organizando o evento e fazer cada vez melhor, para proporcionar um bom divertimento a todos que vem para prestigiar e participar.

34


K - Porque Batalha de RWANDA? Cockland - Uma alusão ao conflito que aconteceu no país africano e porque o cenário aonde ocorre o evento lembra muito os vilarejos pobres desse país. K - Sobre o time; Como se iniciou e como é formação atual? Cockland - A Cockland Team iniciou suas atividades em meados de 2004 com a prática do paintball e durante muitos anos seus integrantes permaneceram unidos, recrutando novos participantes, organizando e participando de diversos jogos e eventos. Assim se estendeu até o ano de 2010 quando surgiu a oportunidade de conhecer e praticar o airsoft. Hoje a equipe integra membros das cidades de Flores da Cunha, Caxias do Sul e conta com aproximadamente 20 integrantes.

Kombi, reconfigurada como carro de combate. Adaptado para o MILSIM, a introdução de mecanismos que motivam os participantes a interagir, mais com o ambiente do jogo.

Ilustração: Alex Revista Kommandos

35


Battle of Rwanda IV K - No Brasil o time acha que falta alguma coisa para melhorar o AIRSOFT? Cockland - O airsoft ainda está engatinhando no Brasil, por isso fica difícil identificar melhorias pontuais na prática do esporte. A preocupação com segurança é algo que já precede o esporte, assim como a preocupação que o mesmo continue sendo praticado de forma sadia. Creio que uma evolução natural vai acontecer com o passar do tempo e que eventuais problemas sejam facilmente resolvidos. Hoje questiona-se bastante a qualidade dos equipamentos disponibilizados para o mercado brasileiro e o preço praticado pelas lojas. Penso que um preço mais acessível por parte das lojas nacionais iria frear um pouco a importação de armas e assim elas teriam uma lucratividade baseada em vendas por quantidade. Obviamente essa é uma questão bem particular de cada lojista, mas seria uma alternativa que iria fortalecer o mercado do airsoft no Brasil. K - Para finalizarmos qual a visão geral sobre o Airsoft no Brasil que o time tem hoje? Cockland - Um esporte em processo de expansão, que cresce cada dia mais e desperta curiosidade por parte de muitas pessoas, dentre elas: adeptos ao militarismo, fãs de games de tiro, filmes de guerra, militares em atividade ou aposentados, colecionadores ou admiradores de armas ou simplesmente entusiastas. Para praticar airsoft você não precisa ser um atleta de alto desempenho, então é um esporte que pode facilmente ser praticado por qualquer pessoa, independente de condições físicas. Assim, por ter um nicho muito vasto de praticantes a visão para futuro e de um esporte que vai ganhar muitos adeptos. K - Uma pergunta sobre a legislação atual o que o time alteraria nela? Cockland - Nada, podemos dizer que somos de certa forma privilegiados pela legislação vigente. Temos uma portaria clara e bem definida e muito branda por assim dizer. Diferente de outros países nos quais as armas devem ser pintadas parcialmente de cores como amarelo, azul, rosa, aqui no Brasil somos privilegiados por exigirem apenas a ponta laranja nas armas, o que permite que o equipamento não perca nada em realismo e visual. O que assusta um pouco e pode colocar tudo a perder, comprometendo até mesmo toda a prática do airsoft, são as pessoas mal intencionadas, inexperientes ou simplesmente pessoas sem nenhuma ligação com o airsoft e que podem adquirir uma arma e utilizá-la para outras finalidades ou com outras intenções. K - Uma mensagem para os novatos... Cockland - Três palavras básicas: Segurança, responsabilidade e honra. Sem tais atributos a prática do airsoft torna-se praticamente inviável, colocando-se pessoas e até mesmo todo o esporte em risco. Por isso é muito importante conhecer bem o esporte antes de praticar ou adquirir qualquer tipo de equipamento. Procure conhecer e estabeleça contato com praticantes veteranos para munir-se bem de informações e esclarecer todos os tipos de dúvidas, sobre equipamentos, segurança, legislação, enfim, como dito anteriormente uma atitude equivocada por parte de uma pessoa inexperiente ou mal informada pode comprometer toda uma prática esportiva.

36


37


38


39


Por: Leonardo Grimaldi (LIMA)

O G O J E D MODOS

“EU APRENDI, A VIDA É UM JOGO cada um por si, e deus contra todos você vai morrer, e não vai pro céu é bom aprender; A VIDA É CRUEL” (Ciro Pessoa/Marcelo Fromer/Sergio Britto/Nando Reis)

No jogo da Vida em que a regra é apenas e não mais que sobreviver, Obter vantagem é um Dom, manter a vantagem obtida é uma Arte. Ganhar é apenas ganhar.

P

ara falar de Modos de Jogo é importante discutirmos primeiro sobre o que é jogo, o que significa jogar? Jogo é uma relação entre alguém, o jogador, em dinâmica e interação de disputa através de um conjunto de regras. As regras do jogo podem ser naturais ou criadas artificialmente com intenções diversas. Disputar é estabelecer uma forma de comparação e da comparação conseguir não a igualdade e muito menos a inferioridade. Toda disputa busca obter vantagem em cima de vantagem para finalmente se conquistar a superação e/ou a superioridade sobre respectivamente si mesmo e sobre o oponente, adversário. 40


Sem este espírito, este desejo de superação e vantagem o jogo se torna perdido, nulo, vencido pelo oponente antes de iniciar. Assim não há disputa e sem disputa não há jogo. As regras básicas definem os elementos presentes no estado inicial do jogo e também o final através de uma contagem de tempo levados à comparação de resultado obtido ou de o cumprimento de uma determinada ação essencial que determina o fim de uma partida. Em certo momento de minha jornada como jogador e praticante de Airsoft percebi uma carência em termos de estrutura e organização de jogos no que diz respeito ao chamado Sistema de Plotagem e Roteiro. O A.I.R.S.O.F.T¹ em si carece muito de O – Organização. Não digo que ela não existe. Mas é possível conseguir ótimos e melhores resultados e benefícios de nossos encontros para jogar se conseguirmos Integrar, Unificar e Padronizar ao máximo a organização de jogos e eventos, em nível regional, estadual e nacional. Ao fazer uma análise de como eram montados e pensados os jogos, eu descobri que podemos pensar nos jogos essencialmente de duas maneiras: Jogos com perfil leve, descompromissados de missões especiais e complexas, feitos de partidas rápidas sem múltiplos alvos e objetivos. E jogos com um perfil forte, baseados em roteiros reais ou fictícios, com períodos de maior duração que proporcionam estratégias complexas relacionadas às diferentes missões que compõem o que é comumente conhecido por Operação (conjunto de missões).

Influenciado diretamente pela indústria extremamente consagrada e competente que é a indústria dos jogos virtuais que hoje reside em multi-plataformas eletrônicas sugeri à comunidade o uso sistemático e compartilhado das classificações Core, HARD e HARDCORE como forma de Organizar os jogos e suas características. A proposta desta classificação é oferecer aos produtores de jogos, organização do evento e principalmente aos jogadores uma forma clara de gerenciar as escolhas preciosas sobre onde, quando e principalmente o quê irão jogar. O modo Core representa os jogos simples, em que não existe roteiro. Partidas de diversos tipos. Modos de treinamento, também podem se enquadrar nesta modalidade. Capturar Bandeira (Captura The Flag), Sabotage (Bomba Sonora) partidas em campo Speedy, Mata&Contrata® e assim por diante. A dinâmica de jogos Core é mais rápida, usando menores espaços e curto espaço de tempo com ação acontecendo quase simultaneamente ao início da partida.

HARD

são os Jogos que todos conhecem sob a forma de alguma Operação X da qual já puderam participar. É a modalidade em os jogos são zbaseados em um roteiro, uma história que permeia as missões, que de certa forma ‘justifica’ os objetivos e suas interconexões. O Modo HARD tem também a característica do tempo longo que permite a execução elaborada das missões brifadas² pela

Selos de Clasificação e Modos de jogo

41


Coluna do Lima produção do jogo em períodos que vão de aproximadamente quatro á seis horas diretas. É neste modo que o MilSim³ é fortemente aplicado sob a forma de táticas, formações, ações conjuntas que se assemelham mais à simulação de ações reais se apresentando sob a forma e estrutura de um jogo em que a criatividade e a fantasia andam juntas para proporcionar a diversão e a satisfação aos participantes. O modo HARDCORE é uma forma mais pesada do modo HARD, em que tudo é proporcionalmente maior e de certa forma mais complexo. Uma característica diferencial de um modo HARDCORE é que ele é o modo em os jogos (Inter)Nacionais como Lágrimas do Sol, Irene (EUA), Fênix, B.4.Ruanda e vários outros foram executados. No HARDCORE os períodos vão aproximadamente de oito à vinte e quatro horas de jogo, com ou sem intervalos. Para qualquer um dos modos de jogo, faz – se necessário um processo conhecido como Plotagem. Este processo é talvez o mais importante de todos, pois ele acontece naturalmente ou mediante à iniciativa de um ou mais sujeitos que se dispõem a pensar, elaborar, sugerir e por fim Plotar os jogos. Seja uma partida Core ou um belo HARD mensal ou é claro o esperado HARDCORE anual e Nacional. Plotar é basicamente criar toda a estrutura de regras que dão a forma específica a um jogo em especial. É caracterizar a missão, elaborar cada detalhe do que compõem estas missões, as regras que as definem. Sendo um jogo Core, é plotado sem roteiros e histórias. É apenas brifado² em relação a o que fazer e como fazer em qual período determinado. Por exemplo, capturar uma bandeira genérica que está no centro do campo e levar até seu a área de seu domínio e manter até o fim de um período de jogo. Sendo uma variação do modo é a de pegar a bandeira do inimigo no campo dele e ainda proteger a sua da mesma intenção que tem seu oponente sobre a sua bandeira em seu campo. Os modos HARD e HARDCORE já carregam uma história, várias missões, uso extenso do campo, sendo que este é um fator de extrema influência na plotagem do jogo, pois certas missões só podem ser plotadas e executadas em campos de cqb4 e outras em matas e florestas ou mesmo campos mais abertos. 42

TEORIA DOS JOGOS http://www.teoriadosjogos.net/index.asp http://pt.wikipedia.org/wiki/Jogo http://pt.wikipedia.org/wiki/Regra http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_dos_jogos http://pt.wikipedia.org/wiki/Dilema_do_prisioneiro http://pt.wikipedia.org/wiki/Dilema http://pt.wikipedia.org/wiki/Equil%C3%ADbrio_de_ Nash http://pt.wikipedia.org/wiki/ Coopera%C3%A7%C3%A3o - Relações Múltiplas de disputa por VANTAGENS - Core / Hard / Hardcore - Jogos Virtuais / Realidade Virtual - CoD / Bf - Simulação - Brincadeira - Diversão X Capacitação - Plot - Roteiro - Sobrevivência - Treinamento / Condicionamento - Desejo de ser , fazer, conseguir ¹ Amizade Integridade Respeito Segurança Organização Fairplay Táticas ² Brifar ( Briefing ) é explicar, descrever o as estrutura do jogo. ³ MilSim – Military Simulation. Simulação Militar 4 CQB – Close Quarter Combat – Combate em recinto fechado, estreito. Airsoftbrasil: MODOS DE JOGO http://www.airsoftbrasil.com/showthread.php/12707MODOS-DE-JOGO?highlight=modos PLOTAGEM DE JOGO http://www.airsoftbrasil.com/showthread.php/12708quot-PLOTAGEM-quot-DE-JOGOS?highlight=modos


Faça parte desta campanha, não queime o filme e saia legal na foto.

43


Especial EVENTOS 44


45


Operação Geronimo: G.A.T. Palmas de goias - Brasil

K - Quando surgiu a ideia de fazer um evento em Goiás o time tinha grandes expectativas sobre o numero de inscritos? G.A.T. - Na verdade fomos bem prudentes com relação à quantidade de participantes. Sabemos que GO tem cerca de uma centena de jogadores, mas apenas metade disso é plenamente operacional. Os presentes estavam dentro do planejamento, mas a repercussão superou em muito o que imaginávamos. K - A participação dos integrantes, colaborou com a conclusão do evento? G.A.T. - Muito! Sem a colaboração das equipes e da comissão organizadora não chegaríamos ao nível de organização que chegamos. O evento foi modesto no quesito participantes, mas invejável na parte estrutural. Contamos com grandes tendas, banheiros, áreas de demonstração de equipamentos, sem falar no apoio que recebemos do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. K - Como era o Airsoft em Gois antes do evento e como é agora pós-evento com a exposição do time na mídia local? G.A.T. - Confesso que me surpreendi com o resultado do evento! Antes tínhamos muita luta pra apresentar o esporte. Hoje, quando falamos de airsoft aqui em GO o pessoal já tem como referencia o G.A.T. (Guardiões Airsoft Team) e a Operação Gerônimo. Às vezes alguém fala: “Cara, vi vocês na TV! Que legal!”... e é sempre uma “deixa” pra apresentar o esporte e divulgá-lo. Tenho certeza de que vamos virar o ano de 2012 com um número bem maior de praticantes. K - A Operação Gerônimo contou com quantos participantes e houve participação de outros estados? G.A.T. - Não queríamos alimentar nosso sonho com algo que superasse cinquenta jogadores; mas ficamos muito felizes com os trinta participantes presentes. Modesto ainda, mas foi o maior encontro que Goiás já teve. Infelizmente jogadores de outros estados não compareceram, mas reunimos as principais equipes do estado, e sem dúvida o maior premio foi a repercussão do evento nas Redes Sociais e imprensa . No total local do evento recebeu, entre entusiastas da militaria, jogadores e visitantes, mais de duzentas pessoas. K - Para 2013 o time pretende elaborar mais eventos, e que o time acha da qualidade dos eventos que estão acontecendo pelo Brasil? G.A.T. - No momento em que a Operação Gerônimo acabou já discutimos o evento de 2013. Já estamos com tudo engatilhado e já entramos em contato com equipes de outros estados. Nossa meta para 2013 é um evento maior que, se Deus quiser, vai abrir o airsoft pra conhecimento nacional. Os jogos de airsoft pelo Brasil estão se tornando cada vez mais frequentes e melhores. Vemos nas redes sociais que as equipes vem investindo em campos de treino/jogos. Isso soma maior qualidade ao esporte. Particularmente acho que o esporte poderia crescer ainda mais se as equipes se unissem para o bem comum da comunidade airsofter. Espero que em 2013 consigamos isso!

46


47


Operação Geronimo: G.A.T. Palmas de goias - Brasil K - Sobre as lojas nacionais o time acha que elas deveriam ser mais presentes em eventos regionais ou eventos nacionais? G.A.T.-Comcerteza!Oesporteépoucodivulgado;masquandoexistembonseventosmuitos visitantes aparecem. Muitos deles ficam loucos para adquirir armas, perguntam “como é?”, “onde tem?”, etc. Com lojas presentes o número de praticantes poderia “explodir”. K - Denir, uma pergunta direta; Fale-nos um resumo sobre o evento em sua visão particular como organizador? G.A.T. - Fiquei muito feliz com o fair-play dos jogadores. Não tive problemas com nenhuma equipe. No fim de tudo o trabalho foi muito gratificante... e a sensação de missão cumprida foi clara para a organização. Recebemos muito apoio do governo municipal e dos militares estaduais neste evento. Isso somou pontos importantes no apoio ao esporte. Todos os jogadores presentes foram premiados com brindes. A Operação Gerônimo foi um jogo entre equipes que invadiram uma edificação para eliminar Osama Bin Laden. O evento foi disputado simultaneamente na modalidade MilSim (Military Simulation), que abrange áreas de mata e combate à longa distânica, e principalmente no corpo à corpo do CQB (Close Quarter Battle). Utilizamos as regras do airsoft, originalmente divulgadas no Portal Airsoft Brasil (www.airsoftbrasil.com). As equipes se enfrentaram indiretamente; o combate de cada equipe ocorria contra um time de terroristas pré-determinado. Ou seja, não era o “Time A” x “Time B”. O Time A enfrentava “meus” Terroristas e auferiam seus pontos. Depois, o Time B enfrentavam os mesmos Terroristas e auferiam seus pontos. Isso foi importante, pois eliminou qualquer espirito de competitividade entre as equipes; sem falar que facilitou na fiscalização dos times. Haviam 10 terroristas dentro da casa; destes, 4 estavam armados e 6 desarmados (estes 6 eram considerados os civis da casa). A equipe invadia o complexo com apenas 6 soldados. Cada combate durava 30 minutos, e prosseguia para a próxima chave a equipe que auferisse maior pontuação. Os pontos variavam de acordo com os objetivos conquistados, mas do mesmo modo haviam penalidades. Exemplo: Eliminar Osama: +100pt, Eliminar Todos os Terroristas Armados: +10pt, Destruir Helicóptero Defeituoso: +50pt, Eliminar Civis: -20pt por civil, Seal Ferido Deixado para Trás: -10pt por Seal, Morte por Fogo Amigo: -5pt por morte, etc. Foi muito legal! E muito engraçado também. Fiquei como juiz nas partidas e às vezes aconteciam cenas muito loucas. “Meus” Terroristas e civis faziam maluquices para confundir as equipes que invadiam; eles corriam pela casa gritando como árabes... outros gritavam “Olha a pamonha quentinha!”. Alguns Seals rendiam os terroristas de forma bem inusitada: “Perdeu, vagabundo! Perdeu!”. Eu ri muito disso tudo. K - Porque Operação Gerônimo? Bom, a maioria de nós viu na mídia a respeito da eliminação do terrorista internacional, Osama Bin Laden. A nossa Operação Gerônimo foi uma simulação fictícia, voltada exclusivamente para o airsoft, da missão americana que executou este líder terrorista. Osama Bin Laden foi um dos membros sauditas da família Bin Laden e líderfundador do grupo terrorista Al-Qaeda. Em 02 de Maio de 2011, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, informou em conferência à imprensa que Bin Laden havia morrido na cidade paquistanesa de Abbottabad. Segundo a versão oficial, Osama teria sido capturado e morto em um esconderijo nos arredores da cidade por forças da “CIA” em conjunto com os “Seals Team 6”. No momento em que o líder terrorista foi eliminado, houve a confirmação dos oficiais militares: “Gerônimo E.K.I.A.” (Enemy Killed in Action). Esta foi a inspiração para a criação da Operação Gerônimo.


Operação Geronimo: G.A.T.

Operação Geronimo

Palmas de goias - Brasil K - Sobre o time; Como se iniciou e como é formação atual? G.A.T. - O primeiro praticante da equipe fui eu, Denir Correia Rodrigues Júnior (sou Sócio/Diretor de uma organização contábil na cidade de Palmeiras). Minha entrada no airsoft foi em 2008, quando comprei duas AEGs. No inicio era bem difícil... juntávamos mais de oito pessoas pra fazer um 1x1, e era bacana, devo acrescentar. Depois de um certo tempo outros foram adquirindo AEGs até que bastante tempo depois, em 2010, estávamos com seis jogadores plenamente operacionais. Daí surgiu a ideia de formalizar uma equipe, e nasceu o G.A.T. - Guardiões Arisoft Team, com o lema “Sem risco não á Glória e sem Deus não há Vitória”. De lá pra cá crescemos bastante e hoje contamos com 15 jogadores plenamente operacionais. Atualmente estamos recrutando três jogadores; dois usuários de armas de contenção e um sniper. A diretoria do GAT conta com 6 membros: Presidente: Denir (Cobra. Arma: M4A1 e Pistola 1911), Vice-Presidente: Thiago (Chacal. Arma: AK47), Secretário Geral: Valdeir (D.J. . Arma: M4A1), Tesoureiro: Silvio (P3sad3lo. Arma: MP5), Secretario de Controle de Membros: Daniel (Capitão. Arma: M4A1 e Pistola Glock 18C) e Secretario de Manutenção do Patrimônio: Iury (Macio. Arma: Sniper L96 e Pistola SW40F). Os demais membros são: Edimar (Predador. Arma: FAMAS), Jean (Taurus. Arma: M4A1), Heliel (Rock. Arma: M4A1), Rafael (Matarazo. Arma: GSG526), Leonardo (Arma: M4A1), Alex (Arma: P90), Mauro (Arma: M4A1), Enzo(Arma: G36), Pedro (Arma: M4A1 e AK47) e Bruno (Delegado. Arma: M4A1). K - No Brasil o time acha que falta alguma coisa para melhorar o AIRSOFT? G.A.T. - Sim. Acho que um dos diferenciais seriam preços mais acessíveis, mas também precisamos de maior comunicabilidade entre as equipes. Sem falar, claro, numa melhoria dos aspectos legais que envolvem o airsoft e sua prática. K - Para finalizarmos qual a visão geral sobre o Airsoft no Brasil que o time tem hoje. G.A.T. - Em franco crescimento! Por onde quer que você vá existe alguém se interessando pelo esporte. Não vai tardar muito para que o airsoft seja mais valorizado e praticado. Depende de cada um de nós somar forçar aos que já trabalham em prol disso; buscando preços mais acessíveis, melhorias na legislação específica do esporte e principalmente buscando praticantes que entendam que o airsoft é um esporte que depende da HONRA, da AMIZADE e da LEALDADE.

49


Especial EVENTOS

50


51


K - Como o BIRDS vê os acontecimentos no Brasil em relação a eventos nacionais e dispersão dentro de pequenos núcleos? BIRDS - A dispersão em pequenos núcleos é normal, já que as pessoas tendem a querer jogar sempre com os mesmos companheiros. O importante é esses grupos não se fecharem e participarem de eventos nacionais com o LAII. Estamos caminhando para uma maior integração nacional, tanto de times quanto jogadores avulsos. A quantidade de eventos nacionais vem aumentando consideravelmente assim como a qualidade dos mesmos, acreditamos que futuramente teremos uma maior parceria entre os Estados e times garantindo uma integração positiva de todos além de eventos regionais estruturados e alinhados a um calendário anual. K - Como nasceu o BIRDS? BIRDS - O BIRDS surgiu em Agosto de 2011 da união de um grupo de amigos. A ideia foi não só juntar diversas pessoas para jogar airsoft, mas criar um círculo de amigos que vai muito além da paixão pelo esporte. Cansados de jogar o tradicional “mata-mata”, resolvemos nos unir e praticar o esporte da forma correta: em grupo e com teamplay. A missão do time é desenvolver técnicas e habilidades em seus operadores e difundir os princípios dos quais o airsoft se baseia: honra e honestidade. Participantes do LA II ouvindo briefing na Abertura do evento Fotos: Bill Airsoft Watcher / Revista Kommandos

52

K - Em termos de evento o Lagrimas 2 será realizado em um dos melhores locais para a praticado Airsoft no Brasil; em relação ao local do evento anterior quais serão as mudanças empregadas? BIRDS - O espaço aumentou em muito em relação ao evento anterior. Para você ter uma ideia, só o espaço do jogo noturno é três vezes maior que o utilizado no LA1. Investimos muito para conseguir iluminar uma boa parte do campo assim como a área aonde será realizado o acampamento. Aproveitamos ao máximo o espaço para elaborar missões desafiadoras e que atendessem as expectativas de nossos participantes. K - O Airsoft este bem difundido em alguns estados, em post recente no facebook o Chef Perrone fala em especifico de São Paulo, se tratando de futuro qual a visão que BIRDS tem sobre o Airsoft no estado de São Paulo em eventos e como o time vê a exposição na mídia em geral? BIRDS - O estado de São Paulo é, ao lado dos estados da região Sul e do RJ, o que possui o maior número de jogadores ativos do país, com uma grande quantidade de times e também de jogadores avulsos. O potencial do estado é enorme, porém infelizmente ainda há muita desunião. O LA1 e o LA2 deixaram a marca de São Paulo no calendário anual do Airsoft brasileiro e a tendência é que a participação do BIRDS aumente e muito no circuito interno de eventos. Além de grandes eventos temos a realização de pequenos jogos nos finais de semana que proporcionam uma experiência única para jogadores, tanto veteranos como os novos praticantes.


K - O Lagrimas2 contou com quantos participantes, houve participação de outros estados e quais estados em números de participantes... BIRDS - Tivemos 100 participantes oriundos dos estados de São Paulo (tanto Capital, Baixada Santista e Interior), Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Curitiba, Santa Catarina, Distrito Federal e até do Ceará!

Lagrimas do Sol II

K - Para 2013 o time pretende elaborar mais eventos, e que o time acha da qualidade dos eventos que estão acontecendo pelo Brasil? BIRDS - Em 2013 temos bons eventos no calendário nacional de airsoft e pretendemos participar da maioria, se não todos! Ainda é muito cedo para dizer se teremos um novo evento em 2013, o foco agora é recuperar o tempo perdido e nos preparamos para os eventos futuros. No primeiro semestre de 2013 estaremos capacitando os membros do BIRDS, tanto veteranos quanto novatos, fazendo uma passagem do mais básico até táticas avançadas. Pretendemos também fazer um curso de CQB. Paramos por quase 4 meses para elaborar o LA2, agora está na hora de correr atrás do prejuízo e deixar todos prontos para o que nos espera pela frente. K - Chef Perrone, Fale-nos um resumo sobre o evento em sua visão particular como organizador? CHEF - Estruturar um evento deste porte é muito difícil, temos que avaliar diversos pontos para que tenhamos sucesso em sua realização. O que ajudou em muito para que o Lágrimas 2 saísse do papel foi o comprometimento dos membros do BIRDS que vestiram a camisa do time e colocaram a mão na massa para seguirmos com este evento. Sem dúvida também a ajuda de nossos patrocinadores foi essencial para a organização e concretização deste evento. K - Sobre o futuro ira ocorrer um Lagrimas 3? BIRDS - O futuro a gente vê depois, agora é aproveitar o momento e colocar a casa em ordem. K - Sobre o time; Como se iniciou e como é formação atual? BIRDS - Nossa formação inicial continha apenas seis integrantes, hoje já passamos de vinte operadores. Estamos sempre a procura de pessoas comprometidas com o esporte e que dividam nossos ideais. Todos tem voz ativa e são encorajados a falar e sugerir novas ideias. Cheffe Perrone passando briefing, para participantes do LAII Fotos: Bill Airsoft Watcher / Revista Kommandos

53


K - O que o time melhoraria no Airsoft hoje no Brasil? BIRDS - Comparado com demais esportes o Airsoft ainda tem um longo caminho pela frente. O esporte está crescendo muito, mas está crescendo da forma errada. No final das contas, o esporte é representado por seus praticantes, portanto acredito que o que deve melhorar são eles e consequentemente o esporte irá melhorar junto. K - Uma pergunta sobre a legislação atual o que o time alteraria nela? BIRDS - Hoje não temos uma lei única que regula o airsoft no Brasil, temos um projeto de lei que ainda está sendo estruturado e que precisa amadurecer para atender nossas necessidades. Por conta da quantidade de Normativos que regulam nosso esporte temos ainda diversas interpretações, vide entendimentos divergentes entre Regiões Militares e a própria Diretoria de Fiscalização. Temos a esperança que futuramente tenhamos uma base legal que facilite nosso esporte e garanta a legalidade do mesmo.

K - Uma mensagem para os novatos... BIRDS - Airsoft é mais que um esporte, nele você trocará experiências com outros jogadores além de fazer novas amizades a cada jogo. Lembrem-se de que dentro do campo, independente dos times que estamos alocados, todos somos amigos. Respeitem as regras de segurança, elas estão ai para o seu próprio bem e de seus colegas. Se for adquirir uma AEG ou GBB, faça da forma correta através de lojas regularizadas junto ao EB ou via importação autorizada pela DFPC. A ilegalidade só tem a prejudicar o nosso esporte. Existem hoje modelos muito em conta nas lojas nacionais. Caso queira importar, o processo é longo e lento, mas qualquer pessoa pode fazer. K - Para finalizarmos qual a visão geral sobre o Airsoft no Brasil que o time tem hoje? BIRDS - O Airsoft no Brasil tem tudo para dar certo. Temos terreno e locais de jogo de sobra. O que precisa melhorar é a atitude dos jogadores. Honra e honestidade são essenciais para que o airsoft prospere qualidades que poucos brasileiros tem, ou então não fazem questão de mostrar. Temos muito a melhorar, com o tempo acreditamos que o Airsoft amadurecerá e será um exemplo para todos. O BIRDS luta diariamente para que esta realidade se torne possível.

54


Pagina ao Lado Paulo da Loja QG A cima Pacth do Evento Lagrimas do Sol II em Ă&#x201A;ngulo, Dante - team Gear, ao Lado Integrante do team Goat , Abaixo, Dean Aton - Balck Spads a direita integrante do team Recon Fotos: Bill Airsoft Watcher / Revista Kommandos

55


56


57


58


59


60


Especial EVENTOS

61


Pirate Hunters

62


E

voluir nem sempre é transformar-se, ou fazer diferente e sim olhar para dentro e ver novas possibilidades. Foi isso que aconteceu com o no sul do Brasil com a união dos times TAURAS, CIRA e COCKLAND, nasceu a RS, uma ordem de times que promete fazer diferente em sua região e no Airsoft brasileiro. Com a proposta de desenvolver jogos, em lugares diferenciados e a possibilidade de novos teatros e cenários a RS está ai e veio pra ficar. Em seu primeiro evento o Pirate Hunters, foi utilizado dois navios ancorados como tema e para o game o local tinha espaços confinados muitas das técnicas foram as de CQB com suporte de Snipes e suporte de rádios e lanternas para locais com baixa luminosidade. Sobre a sensação de jogar em um navio; Claramente vêm à tona as cenas de um grupo de Seal’s invadindo o convés de uma embarcação cheio de adrenalina utilizando escadas de cordas ou o que tivesse a mão para se tomar a posição e vencer o inimigo. Sim, se torna um jogo de gato e rato, com um detalhe o rato esta malocado e bem posicionado já o gato tem de dançar para desvencilhar e driblar a vigilância. Pensa que é fácil, não coloque tempo ruim o balançar das ondas neve e etc ... Esperai não e vídeo game não é Airsoft extreme elevada a máxima potencia. Vista seu macacão, coloque seu NRV, colete, radio mags extras, água, algumas granadas uma boa AEG na não e uma GBB no coldre. Seu helmet talhado, googles suba ao convés e ande por este se tiver sorte sairá vivo. Coloque um bando de Piratas (RATO) com seus Ak 47 velhos e bem usados e seus mags cheios de BB’s com sede e fome em um navio. Sua missão é tomar a ponte, mas ela esta vigiada, ai entra em ação um time de Snipers e seu fiel parceiro o spoter com disparos certeiros ao vigia se abre espaço para o time de invasão (GATO), que vare esquina a esquina porta a porta, fresta a fresta e inevitavelmente é quebrado o silencio um furação de rajadas bate a esquina; É um Pirata que sem dó e perdão descarrega seu mag em sua direção você sem pensar se aperta sobre a lateral metálica e enferrujada do navio, amarga o suor na garganta e tenta revidar. Situação complicada pior fica quando se está em um local com baixa luminosidade tudo deve ser feito com a máxima cautela e integração do time como em um ballet onde se algo sair errado você está no respaw e de lenço vermelho na cabeça. Sorte sua isto ser apenas um game na categoria milsim. Está foi um pouco da adrenalina que se passou no jogo com as equipes TAURAS, COCKLAND, CIRA, SHADOW OPS, SKULL HEADS, IRON HEADS que estiveram presentes a primeira edição do Pirate Hunters, um evento pequeno, mas cheio de adrenalina em um local diferente, muita amizade e camaradagem afinal tudo é apenas uma desculpa para que no final possamos contar boas historias e rever os amigos.

63


64


65


66


67


68


69


Senhores snipers de plantão e aficionados pela linha AK, estou com um projeto de personalização para minha SVD Dragunov preta de coronha e guarda mão de ABS, mas antes de falar na personalização, vou falar um pouco sobre esse rifle da A&K. Materia / fotos Tota Cantalice II

C

omprei o item por paixão, sabendo que possuía algumas deficiências, por ser um rifle de baixo custo (mas reza a lenda que a maioria das snipers vem precisando de upgrade). Para começar a brincadeira, após a aquisição do mesmo, providenciei uma replica do scope original da Dragunov, apesar de ter um mount e um scope Tasco de qualidade superior, admito que a peça original é sem igual em termos de praticidade e embuste. Após isso, percebi que a unidade de hopup não era das melhores e muitas vezes gerava Double feed, para isso comprei um hopup para dragunov confeccionado na Republica Tcheca e comercializado pela Airsoft-pro, após isso, investi num cano Madbull Blackpython bore 6.03mm 590mm e em um extensor de ferrolho, para puxar melhor a mola, que originalmente é muito rigida ... ai sim, a sniper começou a ficar com cara de sniper em termos funcionais.

70

Falando da personalização, sempre tive vontade de envelhecer a minha mocinha para ficar com cara usada, castigada pelo tempo, como normalmente vemos as SVDs da vida real utilizadas por insurgentes e etc. Após um ano de uso, cuidando bem da SVD, resolvi começar o projeto pois já estava cansado da cara de rifle bem cuidado dela , para tal, fiz uma ampla pesquisa e resolvi adotar um visual que não é o comumente encontrado


nas SVDs tradicionais, pois trata-se de uma versão com o grip frontal preto com frisos na parte frontal e com coronha escura, alem da exclusividade que essa combinação me permitiria, o falta de um contraste grande entre madeira clara e o metal preto me agradava, algo mais ou menos parecido com essa da foto abaixo: http://i1190.photobucket.com/albums/z442/ cantalice2/modelo.jpg De forma resumida, o primeiro passo foi começar a envelhecer o metal da mocinha com marcas de uso; o segundo foi a ideia de mergulhar parte do scope em thinner para deixar no metal como o original, o terceiro foi construir uma coronha de madeira que encomendei a um artesão olindense que restaura moveis históricos, mas vamos ver isso que nem Jack o estripador: ‘por partes’, e as consequências e mudanças no percurso:

Costumização parte 2

71


1-ENVELHECENDO O METAL: O inicio do processo de envelhecimento foi difícil, admito que em alguns momentos tentava marcar o mínimo possível, o tanto que em fins do primeiro turno de envelhecimento, a sniper ficou mais ou menos assim:

No entanto, após esse primeiro ‘turno’ de envelhecimento, vi que de perto ela estava legal, mas a certa distancia, mal se percebia que estava gasta, então resolvi ir mais a fundo. A formula foi a seguinte: detalhes em superfícies grandes e lisas feitos com lixa 1200 d’água para envelhecimento da pintura, e frisos de quina confeccionados sem pena com lixa 360, após isso, scotch Bride para fazer o acabamento geral (dica do Davi Maia).

Detalhe abaixo do guarda mato, que após o envelhecimento, enferrujou, pois é de outro metal, sendo assim, terei que retira-lo, vou fazer uma nova raspagem para tirar a ferrugem e aplicar um selante tipo zarcão incolor, para manter a cara de usado, no entanto, sem enferrujar.

2-O SCOPE

O scope foi tratado para parecer usado também, a ideia de deixa-lo na cor metálica foi abortada, inclusive pensei em mergulhar em thinner, mas a tinta emborrachada dele pareceu ser muito ruim para sair. Alem disso, para não chamar atenção nos jogos de mata foi decidido deixa-lo na cor preta somente com envelhecimento padrão, o que de fato foi bastante penoso, pois a lixa mais forte não conseguia cortar a tinta emborrachada, sendo assim, envelheci na medida do possível, mas não tanto, para simular que o mesmo possui um material mais ‘duro’ para sair. Alem disso, dei uma geral e o retículo iluminado foi consertado, pois estava funcionando somente quando queria.

72


3-A CORONHA A coronha foi a parte mais complicada, fui a oficina do artesão, conversei com ele e descobri que ele já fez varias coronhas para espingardas e rifles de competição, alem de trabalhar com restauro de moveis e altares antigos, o que me deixou mais a vontade. Nessa imagem abaixo uma amostragem da peça, em sua forma mais bruta. A peça é de madeira tipo cedro, pois é resistente e de fácil moldagem, o cedro em questão foi retirado da cidade de Caruaru-PE. O peso do cedro manteve o mesmo equilíbrio que a sniper já tinha, pois como ela não é muito mais pesada que o ABS e manteve-se praticamente o peso da coronha original. Segue fotos dela em construção, bem bruta ainda, quando o artesão estava moldando o encaixe, que deveria ser feito antes de mais nada, pois um corte errado nesse momento, e a peça iria para o lixo:

A seguir, em um dia fui lá com a SVD somente para tentar encaixar a peça perfeitamente na Dragunov, após isso feito, seguiu-se o processo artesanal de arredondamento das bordas e consequentemente retorno ao tamanho exato da coronha original. Abaixo, imagem mostrando a fixação por novos parafusos, maiores e de latão, recomendados para a madeira.

O inicio do corte dos vazados internos com a tico-tico. E o projeto anda, a coronha começa a tomar forma, o encaixe está bem firme, nesse dia realmente sai convencido que o troço ia ficar legal, o corte dela já mostrava claramente o tamanho e proporção. Comparação entre as duas, na parte de trás da coronha, o primeiro teste para o verniz, que será um tom de madeira marrom escuro. **( Veja foto Pagina Anterior ) Coronha de madeira já em casa, comparação com a original. Só está faltando o pino da bandoleira, que ainda não encontrei um idêntico. A textura meio rude solicitada foi mantida de acordo com o principio original, ainda devo passar uma cera, para conseguir um pequeno brilho, e deixar para ser castigada pelo tempo a posteriori. Se alguém tiver uma dica de algo para confeccionar esse pino, ela será muito bem vinda, pensei em alumínio de antena para o trecho móvel do pino, más os que consegui são muito grossos!!!

73


4-O GUARDA DEDO

Senhores, atualizando o processo de personalização da SVD. Como tinha dito aos senhores, a guarda mato dela por ser de um metal diferente, quando se passaram 3 semanas, ele já estava com folículos de ferrugem, e corri atrás do selante translucido para deixar no ferro e não consegui encontra-lo. Ele ficou mais ou menos assim:

Por fim o resultado na SVD, acho que ficou muito bom esse resultado, pois a ferrugem no tom diferente realmente não estava me agradando.

A solução foi fazer um processo inverso, trata-lo normalmente, para depois envelhece-lo de outra forma. Primeiro tratei de lixar novamente, tirando todo o resíduo de ferrugem, após isso, dei 3 demãos de primer universal para elementos flexíveis com muito cuidado.

Após a secagem pintei com colorgin premium preto fosco, pintei bem de longe e com bem muita calma, para deixar como se fosse um metal meio enrugado. A seguir usei uma tinta importada da Testors na cor chrome (tinta que tenho para as partes metálicas dos meus plastimodelismos), essa tinta foi levemente chamuscada em varias partes do guarda dedo, para dar ideia de ranhuras. Após isso, ela ficou muito parecida com a solução da primeira raspagem que havia feito, antes de começar a enferrujar. 74


CONCLUSÃO PARCIAL Bom, a conclusão parcial a meu ver foi muito satisfatória, gostei da pegada dela bastante, e especialmente de alguns detalhes na madeira, detalhes pequenos (alguns com até 1ou2mm) que não deixaram a coronha idêntica as industrializadas, isso fez com que o projeto se tornasse mais pessoal, a madeira mais rude e concebida como peça única, e o envelhecimento da carcaça dela parecem ter combinado bastante e conferem um ar bastante rude, usado, castigado, exatamente o desejado para uma sniper SVD de insurgente. Lembrando que o guarda mão frontal deve continuar preto, com os detalhes frisados conforme a imagem guia do inicio do post. Sendo assim, postarei essa ultima fase de personalização assim que finalizar o projeto do guarda mão, pois ainda não sei se vou mandar fazer um guarda mão de madeira, e frisa-lo, ou se vou fazer os frisos no guarda mão de ABS existente, aceitando sugestões pra isso também!!!. Valeu galera, e a seguir algumas vistas dela quase completa, quando finalizar, posto a personalização do guarda mão:

75


Hoje na seção Basic Suit não vamos falar de preço, e sim mostrar a configuração de, Christiano Henrique - do Batalhão BRAVO GERAIS Airsoft Team. Com seu Loadout composto de colete, proteção de joelhos e um suit multicam com boina Bordo.

76


77

BASIC SUIT


HISTÓRIA DO JOGO OPERAÇÃO CAVALO DE AÇO

O Assault Paintball idealizou este grande jogo no fim do ano de 2011 pela necessidade de um grande evento exclusivo da modalidade Real Action no Mato Grosso do Sul, após a criação do Assault Team (Equipe Pioneira do Real Action no MS) os jogos nesta modalidade atraiam cada vez mais adeptos, pelo estilo de jogo diferente que esta modalidade proporciona a seus praticantes, foi ficando claro que jogar com objetivos e missões que obrigam o jogador raciocinar, cumprir suas atribuições em proveito do grupo e não de si mesmo, controlar seus tiros, pois a quantidade de munição por regra é reduzida, acionar artefatos criado para simulações, sair muitas vezes de sua posição para curar um ferimento de jogo ou deixar um marcador pronto para disparar novamente, era para muitos a dose de adrenalina que faltava para completar a diversão em jogos e eventos. A Logo da Operação Cavalo de Aço foi criada por amigos do Assault Team, o soldado isolado representa a superação do homem a si mesmo, que conhecerá seus limites nesse grande jogo onde o cansaço e sono também estarão presentes nas mochilas dos participantes, nome cavalo de aço foi escolhido para lembrar a resistência do animal que também já participou de batalhas antigas e mesmo após cavalgar longas distâncias ainda buscava forças para levar o homem à vitória. O jogo terá 24hrs ininterruptas de duração, com operações continuadas dentro de uma situação geral fictícia de uma situação de combate, os times receberão as missões de diversas formas, mensagens codificadas, mensageiros, contatos etc... Com recebimento das missões cada time terá um tempo para planejamento e em seguida partirão para o cumprimento da missão dentro do tempo estipulado, ao termino de cada missão o team leader deve relatar o comando via rádio algumas informações da missão cumprida e já irá preparar seu time para o recebimento da próxima. Todas as equipes devem analisar o cenário e

78


pAINTBALL REAL ACTION

Especial Eventos principalmente no objetivo da missão: Resgatar, Capturar, Eliminar, Apreender, Sabotar etc... Para que não haja dúvidas nas tarefas a serem cumpridas, cada especialista deve conduzir o material obrigatório e aquele que ele achar necessário para o cumprimento da missão. Cada equipe terá quatro avaliadores que irão interferir apenas se a segurança dos participantes for colocada em risco, o objetivo dos avaliadores é avaliar o desempenho do time e certificar que todos tenham o flair play esperado em jogos de real action, sofrerão avaliação para fins de premiação: Team Leader, Squad Leader, Sniper, Médico, SAM, engenheiro e Etec. Cada equipe também terá uma área disponível para montagem de sua base dentro dos padrões estabelecidos pela organização do evento: Área de Barracas (cedidas pela organização), Enfermaria fixa, Paiol (deverá ser montado no local determinado), cozinha, área balizada de latrinas (será montada pela organização), toda estrutura da base será avaliada bem como todas as melhorias realizadas pelos integrantes das equipes. Este grande jogo promete muita emoção, adrenalina, espírito de equipe, superação, resistência, rusticidade, além de desenvolver a liderança nos participantes, as novas missões estão preparadas especialmente para o evento, estarão com o máximo de meios e artifícios cinematográficos de jogo para que o jogador se sinta parte da história e do combate real, em algumas missões não será permitido abandono de jogador em combate, os mortos devem ser transportados em macas entregues pela organização ou improvisadas se assim for necessário, para que o jogador seja transportado até sua base e assim receber do médico da equipe a reabilitação para o retorno as missões de combate. Os jogadores capturados serão negociados por comida, água, munição e outras condições que serão intermediadas pela organização do evento. Desejamos sorte a todos os participantes já que o azar está garantido.

79


Saúde Física WSKI

ILI POLANO

W . DOUGLAS PROF. ESP 0/GSP CREF 0374

O

A importância da preparação física (condicionamento físico) para praticantes de paintball.

80

paintball é um esporte classificado como “esporte de aventura” e, existem pessoas que o classificam como “esporte radical”, que vem crescendo muito no Brasil e no mundo. Em todas suas formas de pratica os jogadores apresentam um grau de necessidade física muito grande, no caso do cenário alguns jogadores chegam a aumentar até 10 kg de equipamento e tem de carregar estes 10kg extras por terrenos escorregadios, íngremes, acidentados, ou seja difíceis. Sempre que uma atividade que promove gasto energético extra é praticada nosso corpo sente essa alteração queimando mais combustível, essa é a famosa perda de energia ou gasto calórico. Isso é uma agressão ao corpo que tenta se recuperar o quanto antes, pois essa energia gasta pode e fará falta em algum momento. É ai que entra a importância de um bom condicionamento físico, pois um corpo bem condicionado é capaz de se recompor mais rapidamente que um não condicionado mantendo um assim uma condição de jogo, no caso do paintball, mais constante, produtiva e prazerosa. Devido a essa característica, o próprio esporte paintball já pode ser considerado uma forma de atividade física que pode promover uma melhora no condicionamento físico, entretanto, um “up grade” sempre é bem vindo, e praticantes regulares que podem realizar sessões de treinamento extra, com certeza, levarão vantagem sobre aqueles que não o fazem.


81


82


Um retrato íntimo de uma família americana durante um período turbulento. Jake Rademacher se propõe a compreender a experiência, sacrifício e motivação de seus dois irmãos que servem no Iraque. O filme mostra Jake quando ele arrisca tudo, inclusive sua vida para contar a história de seus irmãos. Muitas vezes bem-humorado, mas às vezes é completamente letal, uma jornada notável onde Jake é incorporado a quatro unidades de combate no Iraque. Um acesso sem precedentes aos soldados americanos e unidades de combate iraquianas.O filme ira levá-lo por trás da cortina defogo com tropas de reconhecimento sobre a fronteira com a Síria, em “onde se escondem” franco-atiradores no Triângulo Sunita, através da fúria das batalhas com metralhadora com o Exército iraquiano. O filme mostra, onde irmãos separados pelo risco de suas vidas o trabalho através de seus pais, irmãos, esposas e filhos. É um raro olhar para os nossos soldados na linha de frente e os efeitos profundos seu serviço tem sobre os entes queridos que deixaram para trás. Escrito por Samuel Goldwyn Films 83


84


85


A venda das camisetas será revertida para manutenção da revista Kommandos bem como de seu website. Está iniciativa tem por objetivo continuarmos com a gratuidade de download da revista.

86


87


JR-SIBINELLI

88


T

N O R F O D S CARTA

NOS ENVIE SUA SUGESTÃO OU DÚVIDA

REVISTAKOMMANDOS@GMAIL.COM

CURTA NOSSA PAGINA NO FACE BOOK

VIA facebook

VIA ISSUU

Marcelo Pontes: Obrigado! sou fã de vocês. Uma otima qualidade e um trabalho sério,aguardarei com ansiedade.

WalterJunior3 4: months ago show!! gostei muito! galera, quero montar meu grupo de paint em BH . aos mais experientes no assunto e que queiram passar uma dicas, tipo onde conseguir preços melhores ...

Tota Cantalice II: Muito bom!!! Parabens e obrigado pela oportunidade de fazer o artigo sobre o farpa !!1

AdrianRodriguez05 1: months ago Excelente todo, felicitaciones desde Uruguay.

89


90 www.imbel.gov.br

EDIÇÃO N° 12 - DEZEMBRO DE 2012 - REVISTA KOMMANDOS  
EDIÇÃO N° 12 - DEZEMBRO DE 2012 - REVISTA KOMMANDOS  

Na edição nº 12 de Dezembro de 2012, da Revista KOMMANDOS, fizemos uma edição especial de final de ano. Direcionada aos últimos eventos do a...