Page 1

revista

FUNDAMeNTAL

revistafundamental.com

ANO 06 - EDIÇÃO 28 - DEZEMBRO 2016

Novas oportunidades: seu presente para 2017

Melatonina. Você dorme bem? Procrastinação: não caia nessa! É tempo de chá gelado Sabia que teu corpo não te pertence? Reciclar é mais fácil do que você pensa


FundaMental número 28

Relembre algumas das capas da FundaMental, nestes 6 anos de circulação.

Mais um ano passou... quando nos damos conta já estamos novamente em função de final de ano, que é o encerramento de um ciclo, mas o início de uma nova etapa, cheia de possibilidades. Fique atento que as oportunidades aparecem todos os dias, só precisamos estar dispostos e abertos para percebê-las. A grande jogada é ter sabedoria e transformar as adversidades em oportunidades. O que não podemos é deixar a vida ir passando e não tomar as rédeas dela. Não se acomode. A FundaMental está caminhando para o SÉTIMO ANO de circulação. O que queremos: - Que seu dia a dia seja de realizações, que sua vida esteja equilibrada com você mesmo e com o mundo ao seu redor; - Que você valorize o simples, o essencial, que fuja do supérfluo, foque na gentileza com os outros, no que realmente faz bem. Nunca descuide da sua essência; - Divulgar assuntos comprometidos com valores verdadeiros, ir contra futilidades, banalidades, assuntos vazios; - Atenção das pessoas que se importam com as-

suntos realmente importantes. Ser solidários com ações da comunidade que visem o bem comum; - Ter a parceria daqueles que tenham ideias novas, que se importam com assuntos sobre responsabilidade social, saúde, boa alimentação, psicologia, educação para transformar, espiritualidade. Esperamos a sua companhia no próximo ano! Junte-se a nós nesta corrente do bem. Adriana Schemes Gusmão

Seja FundaMental Faça parte do nosso grupo de colaboradores. - 5.000 exemplares em pontos estratégicos; - Distribuição gratuita.

- Contato comercial: VIRTUA Gestão Comercial Fones: 3781-4038 e 8206-7777 www.virtuagestao.com.br Facebook: Virtua Gestão Comercial

Ano 06, edição 28, dezembro 2016 - Publicação Bimestral - 5.000 exemplares Contato: fundamental@sinos.net (51) 9283-4643 - Distribuição gratuita Coordenação Geral: Adriana Schemes Gusmão Comercial: Virtua Gestão Comercial - Aline Lorscheitter - fones: 3781-4038 e 8206-7777 Colaboração: Paula Schemes Gusmão, Geraldine Alves dos Santos, Daniela Henkel Blauth


Nos acompanhe diariamente:

revistafundamental.com revistafundamental @revistafundamental Leia nesta edição:

Tenha mais atitude. Nesta edição marcamos com post-its algumas ações importantes de serem realizadas. Se concordar com estas ações, vá em frente. Junte-se a nós!

Para refletir

04 - O foco está em você Kety Daudt Maus 06 - Procrastinação: não caia nessa!

Yara Picchetti 08 - Se ame, seja você mesmo Patrícia Schneider Girardi 10 - É época de fazer um balanço das ações de 2016 Suzana Leão

Mãos à obra

12 - Recicle. É simples e faz bem pra todos Ana Maria Antunes 14 - Este corpo não te pertence Suzana Kunz 16 - Há vida na cidade Patrícia Spindler 18 - Empreendedores locais Revista FundaMental

Cuide-se

20 - Melatonina. Você dorme bem?

Edna Sayuri Suyenaga 22 - Atenção no mar - Adriano Saraiva Pinto

24 - Hipertensão Luciana J.B.M.Carrion 26 - Vamos correr? Mariana Boos 28 - Vitamina D Dr. José António P. da Silva 29 - Ansiedade na terceira idade Tanani Ledur 31 - O começo de uma vida saudável Natália Fischer

Delícias

32 - É hora de chá gelado Sylvia Pérez 34 - Consuma frutas e verduras

da estação Sofia Prodanov

Um outro olhar

36 - Brinquedos e suas possibiliades Aline Roberta Saile 38 - Lar doce lar Helena Natorf Schreck 39 - Tenha atitude Mauros Werling


4

2017 chegando: o foco está em você Mais um ano terminando, um ano começando, e dessa vez é o número 2017 que se espreme entre esses dois momentos da nossa contagem de tempo cristã. Nesse período sempre temos acesso à um convite para uma avaliação interior. E esteja atento ao fato de que quem nos entrega esse convite não é o ano, não é o tempo, não é o número. É apenas a nossa mente criando prazos para que, através de calendários e conceitos, a gente possa se organizar melhor. Antes que comecem os horrorosos barulhos dos fogos de artifícios, nós costumamos nos permitir, por alguns míseros minutos, a singela lembrança de agradecer por - quase - tudo que passou. Para a maioria das pessoas a mudança de ano é muito mais do que a troca de um dígito, também significa a renovação das esperanças, dá a sensação de ganharmos mais tempo e chances de novas oportunidades, afinal, elas agem como combustível extra no motor da vontade de melhorar a vida! O novo ano sempre chega cheio de promessas simbólicas e dessa vez não será tão diferente. Nem a Mãe Natureza está nos livrando dos seus ensinamentos e

tem nos dado, talvez merecidamente, alguns eventos severos para ver se a gente muda de postura.

Responsabilidade será um tema bastante abordado neste ano que é regido por Saturno, planeta que tem o nome do Deus romano do tempo, que representa forças muito primitivas. Vamos tratar de segurar melhor as rédeas dos nossos próprios descontroles e desmandos, já que as mudanças mais radicais chegarão somente perto de 2018 ainda temos um tempinho para nos recompormos...   Durante esse período da virada a pergunta que ouço com mais frequência é se o novo ano será melhor do que o anterior. Costumo responder, de maneira nada astrológica, que isso vai depender do fato de você se tornar uma pessoa melhor do que era no ano anterior. Se os anos podem ou deveriam ser melhores, porque não as pessoas, não é mesmo? Primeiro cuidamos do que vem de dentro para fora e depois é que estamos prontos para lidar com o que vem de fora para dentro.


Como será o novo ano? Isso depende de você se tornar uma pessoa melhor do que no ano anterior. Esse é um dos principais focos de 2017: as pessoas, ou seja, nossa humanidade! Sabe aquelas ‘pequenas’ coisas que nos constituem, que nos movem em nossas escolhas e deixam marcas tão profundas nas trajetórias de cada um? É exatamente por aí que tudo vai se estruturar e ganhar sentido no novo ano, mas também é por esse viés que teremos que lidar com as consequências do que já passou. Se olharmos tão somente para o quadro geral em que está o mundo e para as personalidades dos seus atuais governantes, dá até vontade de pegar carona no trenó do Papai Noel e descer em alguma estrela por aí…Vai ser preciso trabalhar arduamente, com retidão, paciência e determinação, para colocarmos as coisas em ordem.

Será que preciso ser astróloga para dizer isso? O céu astrológico é apenas um conjunto de símbolos que representam a realidade aqui da Terra, uma correspondência. Para todos que buscam respostas objetivas, fica a dica: trate de levar a vida mais a sério.

Não há ano novo que dê jeito naquilo que a gente mesmo não ajusta. Os males do mundo não são a política, a guerra, as doenças, a pobreza. É o desequilíbrio interior da nossa atual maneira de sermos humanos. Mais amor em 2017. Kety Daudt Maus Astróloga Casa do Conhecimento


6

Procrastinação: não caia nessa! Dê o primeiro passo. Busque motivação para realizar uma atividade que realmente seja significativa. Encontre motivação suficiente e saia da inércia. Você provavelmente já ouviu falar de inércia. Na física, inércia é a propriedade que explica que um corpo mantém seu estado atual de movimento. Pois bem, algo parecido à inércia da física também acontece conosco na realização de atividades. É árduo largar o estado atual dos pequenos afazeres leves e divertidos que nos mantém na zona de conforto para tomar a mudança de rumo, como ir fazer um trabalho, executar uma tarefa importante, iniciar um novo projeto. Acabamos caindo na famosa procrastinação quando ficamos mais um pouco na frente da televisão, pegamos o celular para verificar mensagens e assim protelamos as tarefas mais difíceis.

Na física, para que um corpo saia da inércia, é preciso que uma força adicional seja aplicada sobre ele. Também este é o caso da procrastinação. Às vezes, essa força adicional é a obrigação. Porém, é uma força tão chata, que na maioria das vezes a obrigação só serve para movimentar nosso corpo no limite do prazo, fazendo com que deixemos tudo para a última hora. Há também outra força adicional, que é interna: a motivação.

Conseguir a motivação não é fácil, porque é uma força que precisa ser construída dentro de nós. Ela está atrelada ao desejo e ao sentido relacionados à tarefa a ser realizada. Um ponto interessante da inércia é que ela também mantém o movimento de um corpo que está em velocidade. Lembre-se de uma situação em que realizou uma atividade que realmente te importava. É muito provável que você tenha envolvido-se, sentido prazer ao executá-la e ficado nela por longos períodos. Neste caso, a inércia ajuda, pois mantém a situação produtiva. Ou seja, o difícil é o primeiro passo. O que vai ser decisivo é a motivação por aplicar uma força de mudança para realizar uma atividade que realmente seja significativa para você. Vamos desacomodar e encontrar a motivação suficiente para te tirar da inércia inicial? Yara de Paula Picchetti Psicóloga USP/Mestre em Educação UFRGS Clínica Pais & Filhos www.psicologianh.com


8

Se ame, seja você mesmo Vivemos em uma sociedade onde a ditadura da beleza estabelecida pela grande mídia é inatingível. Essa mídia que impõe magreza, corpo sarado, pele e cabelos perfeitos como padrões de beleza. Com isso as pessoas estão cada vez mais obcecadas pela busca de um “corpo perfeito”. A maior parte das pessoas estão cansadas desta busca, porém, continuam buscando. Mas porque continuar se estão cansados? Esta tal busca, vai muito além do corpo perfeito. Na verdade, o que essas pessoas estão buscando, em primeiro lugar, é a aceitação. Ser aceito é ótimo. Traz tranquilidade e segurança, não é? Sem dúvida. No entanto, acredito que buscar ser aceito por meio de um “corpo perfeito” não é a melhor forma, já que assim olha-se para fora ao invés de olhar para dentro. E olhar para fora e ter o outro como referência, é buscar ter o corpo que vai agradar o outro.

Nessa ânsia por ser aceito, tem início uma verdadeira guerra com o próprio corpo, ou seja, com a imagem corporal que é a representação mental que você tem do seu corpo, ou seja, como você se vê. Pare e pense: você está em guerra consigo mesmo? Você não gosta da sua aparência? Acaba sempre frustrado com as tentativas de mudança? Se você respondeu sim a essas perguntas está na hora de começar a se perceber com outros olhos. Nesse caso, com os seus olhos.

É preciso cuidar do seu corpo por amor a ele. Comece uma jornada na qual você vai buscar a consciência e a atenção no seu próprio corpo. Como fazer isso? Faça isso independente do seu peso ou dos seus objetivos com relação a ele. O corpo é seu, o único que você tem e merece todo esse autocuidado. Cuide, curta-o, mexa-se, estique-se, caminhe, dance, faça massagens, unhas, cabelo, tome um banho de espuma ou um banho demorado.


A busca vai muito além do corpo perfeito. O que se busca, em primeiro lugar, é aceitação. Fique ligado: beleza não se resume apenas a um corpo físico, não é algo meramente superficial. Pare de se criticar

Quando você diz que é feio, está expressando um pensamento negativo e criando sentimentos ruins a seu respeito. Quando se sente triste, tem grandes chances de se comportar de acordo com seus sentimentos e, assim comer demais, numa tentativa de autopunição. Pode, inclusive, evitar o convívio com outras pessoas e tornar sua vida infeliz. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, as críticas destrutivas não nos motivam a mudar e sim reforçam comportamentos desadaptativos, contribuindo para uma baixa autoestima. Reponha o tempo que você gasta criticando sua aparência com atividades positivas e satisfatórias.

Agradeça todos os dias

Agradeça todas as manhãs ao seu corpo por ter descansado e rejuvenescido. Já todas as noites, agradeça-o por ter desfrutado de mais um dia.

Pense nas qualidades de pessoas que você ama Esse exercício consiste em você pensar em algumas pessoas que você admira e escrever as qualidades delas. Após, reflita: a aparência dessas pessoas importa para você? Percebe como existem muitas coisas na vida cujo valor é maior do que um corpo dito perfeito? Não gaste tanta energia valorizando a aparência.

Só mude se você quiser

Quem decide o que é melhor para o seu corpo é você, e não as outras pessoas ou a mídia. Você pode muito bem estar feliz no seu peso acima ou abaixo do padrão e ninguém pode te tirar o direito de continuar se sentindo assim. Nunca mude por um padrão de beleza, até porque, sabemos que padrões de beleza mudam muito rápido. A mudança só deve ocorrer se partir de dentro de você, e não de fora. Você pode mudar sim, e sempre que quiser, mas só se a pessoa que mais quiser isso for você.

Beleza não se resume apenas a um corpo físico, não é algo meramente superficial. Ser uma pessoa bela reflete um todo. Aprenda a amar a pessoa que você é por dentro e por fora. Se ame, seja como você for!

Patrícia Schneider Girardi Psicóloga do NAP www.napvs.com.br


10

É época de fazer um balanço das ações de 2016 Com mudanças pequenas de comportamento, vamos transformando ansiedade em serenidade. Vamos curtir o final de ano como um momento único de fazer um balanço e, caso necessário, uma mudança de rumo? O fim do ano está se aproximando. Já são visíveis os sinais de que tudo se encaminha para um fechamento. Sempre gostei de rituais de passagem e acho o final de ano um belo exemplar. Independentemente das questões religiosas, o final de ano chega para todos. Fazer um balanço dos sucessos e fracassos que tivemos é saudável e demonstra maturidade e musculatura emocional. Admitir que nem tudo aconteceu como idealizamos ou planejamos é o primeiro passo para tentar entender as causas. Frustrações fazem parte de toda caminhada e encará-las é muito saudável. O final do ano tem um ritmo todo próprio em função de todos os encerramentos que acabam desembocando nesse período. Mas as pessoas acabam exagerando na “correria”. O que me despertava sempre muita curiosidade era perceber que o dia 02/01 era sempre igual aos outros dias do ano e que não adiantava nada tanta correria no dia 31/12... Na minha infância e adolescência sempre me questionei sobre isso. Por que essa loucura toda? Hoje sei que a sociedade de consumo é pautada pela máquina do consumo e isso gera toda uma necessidade que gera a correria.

Sei que isso movimenta a economia e não critico quem gosta de presentear. Sou uma dessas. Apenas substituí a ansiedade que não constrói por prazer que alimenta o espírito. Se posso presentear pessoas queridas, será do meu jeito, dentro das minhas condições, cabendo dentro da minha realidade.

Quando posso faço eu mesma os presentes, ou consumo dentro da minha localidade. Pois, se a roda da economia precisa se movimentar, que se movimente dentro do local onde vivo. Com mudanças pequenas de comportamento, vamos transformando ansiedade em serenidade. Vamos aprendendo a curtir o final de ano como um momento único de fazer um balanço e, caso necessário, uma mudança de rumo. Que venha o final de ano! Esse rito de passagem que nenhum de nós pode escapar por mais que corra. Suzana Leão


12

Recicle. É simples e faz bem pra todos Dados numéricos, porcentagens, aumento crescente da população mundial, crescimento da produção industrial... Tudo isso a gente está careca de saber. Não se fala de outra coisa. Somos entupidos de informação diariamente, indicando como nosso planetinha está passando por dificuldades ambientais, negar isso seria um tiro no pé. Portanto, não acumularei dados catastróficos para relembrar que é preciso sim aderir atitudes sustentáveis ao nosso dia a dia.

Uma das melhores soluções, para diminuir o impacto que causamos com a quantidade de lixo gerada todos os dias, é a boa e velha reciclagem. Aposto que você já ouviu falar. Reciclar é cuidar de você, da sua casa, do seu futuro, do futuro da sua mãe, pai, tio, tia, primo, irmão, irmã cachorro, passarinho, gato... É basicamente, reaproveitar o que ainda não perdeu utilidade completa, é dar vida nova a itens que a gente nem sabia que poderiam ganhar vida nova.

Reciclar é economizar, é se dar conta do consumismo crescente, é ajudar a reduzir a poluição do ar, das águas, do solo. Reciclar é só coisa boa! Sendo assim, é fácil perceber que precisamos começar (pra ontem) a aderir hábitos sustentáveis. Acontece que a vida é corrida, o dia a dia é corrido. A gente mal tem tempo para fazer as unhas, ver os amigos, alimentar hobbies (sei lá) e querem inventar mais uma atividade na nossa rotina, é isso mesmo? Acontece que reciclar pode ser simples assim: um passo-a-passo fácil para inserir a reciclagem no seu cotidiano.

1.Separe

uma caixa grande para acumular os itens que serão reciclados. Caixa de papelão mesmo, quanto maior, melhor!

2. Toda vez que utilizar um produto de embalagens

industrializadas como sacos de arroz, feijão, lata de


Acontece que a vida é corrida, o dia a dia é corrido. A gente mal tem tempo para fazer as unhas, ver os amigos, alimentar hobbies (sei lá) e querem inventar mais uma atividade na nossa rotina, é isso mesmo?

Faça o bem: Recicle. Em prol do planeta, mas principalmente por você mesmo. facebook.com/catavida.nh

conserva, plásticos de biscoitos, caixas de leite... (a lista é grande) guarde ou lave na hora mesmo e jogue naquela caixa de papelão que falamos antes.

3.Quando a caixa estiver cheia (normalmen-

te de 15 em 15 dias) junte seus recicláveis e leve até a Cooperativa Cata Vida, na rua Visconde de Taunay 441, Bairro Rio Branco, em NH.

4.Prontinho, tua parte tá feita. A galera gente fina de lá, cuida de todo o resto!

Mas lembra! Os recicláveis devem estar limpos. Por isso, é importante enxaguar com água os potes de iogurte, caixas de leite, latas de conserva etc. Itens como vidros de azeite podem ser apenas bem fechados, sem a necessidade de lavagem. Uma dica para produtos “melequentos” como caixinhas de leite condensado por exemplo, é colocar água dentro e deixar de molho por um tempo, facilita na hora de lavar.

Além disso, é possível acrescentar na nossa caixa de reciclagem, jornais, revistas, folhetos de propaganda, garrafas pet, garrafas de vidro... Eu falei que a lista era grande! Para resumir, tudo que estiver com cara de “posso ser reciclado” e claro, sutilmente limpo, já ganha um lugar na caixinha de papelão com destino à Cooperativa Cata Vida.

Agora que você viu como é fácil, te desafio a aderir esse hábito por um mês, depois disso fica automático e aí é só alegria. Ana Maria Antunes anamariaantunes.wixsite.com/365foradecasa


14

Este corpo não te pertence É muito fácil a gente pensar que é um corpo físico e sobre ele construir nossa identidade. Afinal é ele quem parece nos refletir no espelho. A ele fazemos referências, estamos mais magros, gordos, gripados, sonolentos, acordados. Nosso corpo físico é aquele que aparece quando vamos à público ou o enfeitamos com roupas e acessórios. Podemos dar-lhe diferentes aparências, mas o fato é que sua forma é mutável. Ele dança no tempo e, como tudo no planeta Terra, está sujeito ao Deus Cronos, senhor do tempo, aquele que nos dá a continência dos limites. Cronos avisa que o corpo físico tem data de validade. É como se fosse uma casa, um templo. Um templo bem cuidado, limpo e reparado segundo suas necessidades, pode preservar-se por anos e anos a fio. Mesmo assim, um dia terá que ser abandonado.

Nossa casa, nosso corpo, por mais resistente que seja, um dia terá que ser abandonado. Mas ninguém sabe a hora, o tempo exato que isso vai acontecer. São os mistérios de Cronos.

Sorte que existem outros deuses em nosso panteão psíquico que ensinam que somos muito mais do que um corpo físico, apesar de sua extrema importância, visto que nos possibilita viver uma experiência humana. Nos ensinam, entre vários temas, que somos seres espirituais, talvez viajantes cósmicos, ocupando suas moradas emprestadas aqui na Terra. Emprestadas por tempo determinado.

Esta consciência nos possibilita pensar em passar para outro inquilino partes do nosso corpo quando não mais poderemos utilizá-lo, pois muitas pessoas precisam de órgãos físicos para prosseguirem suas jornadas no planeta. Permite pensar também em que o momento da partida pode chegar de surpresa. E quem já viveu uma surpresa desta natureza sabe que, quando ela ocorre, o susto e a dor são enormes a ponto de abalar e desestruturar toda família que, se não tiver sido informada através de comunicação explícita e racional, nem cogitará na doação de algum órgão para quem necessita.


Nosso corpo físico tem data de validade. É como se fosse uma casa, um templo: bem cuidado, limpo e reparado segundo suas necessidades, que pode preservar-se por anos e anos a fio. Mesmo assim, um dia terá que ser abandonado. Se você é destas pessoas que sabe que, ao partir, terá que abandonar tudo na Terra e que talvez os objetos que você adquiriu sejam usufruídos por outrem, também por tempo contado, pense na possibilidade de juntar a sua coleção de comportamentos generosos a realização de um testamento bem simples:

Pense além: Doe órgãos www.abto.org.br www.adote.org.br

Avise seus familiares que você permite que eles doem os órgãos aproveitáveis do corpo que você abandonará. Não tem dinheiro que pague este seu gesto de consciência e profundo amor a vida.

Suzana Kunz Publicitária


16

Há vida na cidade Na minha infância brincar na praça era diversão garantida. Encontrar amigos, dar comida para as pombas e correr atrás delas, ver o chafariz, subir no foguete, comprar pipoca, andar de balanço, no gira gira, ralar o joelho e só aceitar ir embora quando a fome ou cansaço venciam todas as forças. Aproveitei pra caramba! O tempo foi passando e outras formas de viver foram se organizando. Deixamos de ter a convivência em comunidade nos espaços públicos e agora estamos nos dando conta de quanto prejuízo temos com isto. Não estamos satisfeitos somente com o entretenimento comercial dos shoppings centers. E nem só de viagens se compõe a qualidade de vida de uma família.

Novo Hamburgo tem feito parte de um circuito de feiras e festas urbanas que está rendendo boas experiências.

O artesanato, a gastronomia e os briques têm propiciado uma experimentação diferente dos espaços que tem se revigorado com estes eventos. A parceria público e privado tem se redimensionado para atender uma demanda da população que não quer mais ficar trancada em casa ou com opções reduzidas ao comércio indoor que deixa todo e qualquer ambiente com uma diversidade pouco perceptiva. É nas praças e nas ruas de onde moramos que queremos estar. Mas não de qualquer jeito. Não queremos só sanar necessidades básicas. Muito menos ficar inerte e passivos diante do consumismo exacerbado em que estamos inseridos. A gente quer prazer, diversão e arte. Com a proposta de festejar os costumes regionais, os talentos e os empreendedores locais que mostraram suas vidas transformadas em produtos artesanais feitos com entusiasmo, conhecimento e afeto.


É nas praças e nas ruas de onde moramos que queremos estar. Mas não de qualquer jeito. A gente quer prazer, diversão e arte. A cidade tem vida e somos nós que cultivamos aquilo que queremos mudar e transformar no mundo ao nosso redor.

Neste ano, aconteceram inúmeras ocasiões que fizeram as pessoas sair do conforto do sofá de casa para a rua. A socialização se potencializou na ocupação dos espaços públicos promovendo a valorização da simplicidade como estar numa festa de rua. Tal como um resgate das coisas boas do passado numa versão atualizada, demonstrando o que não queremos renunciar. Tudo isto não deixa de ser uma forma de nos “acordar” e lembrar que a cidade tem vida e somos nós que cultivamos aquilo que queremos mudar e transformar no mundo ao nosso redor. As praças deixaram de ser lugares abandonados que alimentavam a sensação de medo e a paranoia que vivemos ao sair de casa. 2016 foi apenas o start para oportunidades deste tipo. O estímulo para a participação coletiva, para a cidadania como outro modo de viver e se relacionar foi relançado.

Se aventurar em novas empreitadas de vida e mostrar suas habilidades como opção de sustentabilidade para promover saúde e alegria só pode derivar de quem tem satisfação com o que faz e as utiliza como expressão de vida. Todos nós ganhamos com isto! Patrícia Spindler Psicóloga/Psicoterapeuta patriciaspindler@hotmail.com

Foram muitas festas de rua que aconteceram na cidade em 2016. Esperamos mais eventos em 2017!


18

Cacau & Leite

Brigaderia A Cacau & Leite Brigaderia surgiu em 2013, por uma vontade de fazer algo a mais, ter um negocio próprio. São produtos artesanais feito com amor, ingredientes selecionados, tudo pra comer de colher! Essa iniciativa visa muito o empreendedorismo jovem e inovador. Temos a Kombi azul também, que se chama Judith, trabalhamos com ela em eventos privados e de rua.

Nossos produtos: brownie recheado, bolo de colher com brownie e brigadeiro, brigadeiro na bisnaga, no pote e na coroa. Tudo para comer de colher!

Carolina Jaeger Facebook: Cacau&Leite Brigaderia Instagram: @cacaueleitebrigaderia

SuKo

Green Juices

A vontade e necessidade de fazer um regime me levaram a ver um documentário que fala sobre o poder dos sucos, principalmente os verdes. Eu e o meu colega de trabalho (hoje sócio) começamos a tomar, os resultados começaram a aparecer e amigos e conhecidos ficaram curiosos. Tivemos a ideia de vender pra eles. Isso foi em fevereiro deste ano e de lá pra cá a SUKO Green Juices começou a tomar conta de nossas vidas de uma maneira muito especial. É muito trabalhoso, cansativo, mas o prazer que proporciona vender um produto realmente natural, que fez bem pra gente e fará bem pro cliente, é fantástico! Sandro Loeblein Facebook: sukogreenjuices Instagram: @sukogreenjuices

Pontinhos

A Pontinhos comercializa produtos artesanais feitos em feltro e tecido, desde chaveiros até almofadas. Cada peça é produzida com muito amor, procuramos sempre agradar e inovar, produzindo trabalhos personalizados para cada cliente! A marca surgiu com a nescessidade de um trabalho em casa, onde os horários poderiam ser mais flexíveis. Esse mês completamos um ano de criação e já estamos pelas ruas e internet, com um crescimento notável. Camila Fleck Instagram: @pontinhos_ Whatsapp: 51 997564464


Artesanal Pães Em busca do autoconhecimento e de novas oportunidades para empreender venho me tornando padeiro. Um padeiro artista que cria artesanalmente seu filão. São pães artesanais feitos com farinha, água, sal e fermento. Pão de verdade é assim, tem 4 ingredientes e não 35 como os industrializados. A grande descoberta pra mim é uma nova possibilidade de me relacionar com a vida e com as pessoas. Consigo mudar a dinâmica de vida “fast food” em que a nossa sociedade esta inserida. E essa idéia é que me move. Quando ofereço os meus produtos (pão e bruschettas), ofereço mais do que ingredientes misturados, vai ali um pedaço de mim, minha sensibilidade, minha dedicação. Nesta balada me junto com um pessoal que queria revitalizar uma praça linda de NH e para isso a idéia era criar um evento/festa/feira afim de que a

fotos: Caroll Scheffel

As festas de rua estimularam talentos de empreendedores locais que mostraram suas vidas transformadas em produtos artesanais feitos com entusiasmo, conhecimento e afeto. Conheça alguns destes empreendedores.

população se apropriasse do espaço. Foi feito. Esta feira foi a primeira que participei e descobri que é uma maneira muito legal de comercializar e de divulgar meus pães e bruschettas. Rafael Hoffmann Facebook: artesanalpaes Instagram: @artesanalpaes


20

Melatonina

Você dorme bem?

Recentemente foi autorizada pela ANVISA a comercialização de melatonina no Brasil. Não dorme bem há vários dias? Cuidado, porque a má qualidade de um sono reparador aumenta o risco de desenvolver ansiedade, depressão, diabetes, obesidade e problemas cardíacos, dentre outras enfermidades. O que justifica a importância do tratamento da insônia. Um dos hormônios responsáveis pela indução do sono é a melatonina, um neuro-hormônio produzido pela glândula pineal, o qual é produzido na ausência de luz. Nos Estados Unidos a melatonina sintética é comercializada como suplemento alimentar, devido ao seu efeito antioxidante. Recentemente, foi autorizada pela ANVISA a comercialização de melatonina no Brasil. Embora não aprovada pela FDA (Food and Drug Administration) como medicamento, a melatonina tem sido utilizada na sua maioria das vezes, sem orientação e prescrição médica para o tratamento de distúrbios do sono.

Estudos relatam baixa biodisponibilidade da melatonina sintética no homem, após a administração oral. Isso se deve à sua extensiva degradação hepática (efeito de primeira passagem). Apresenta como efeitos indesejáveis a hipertensão, irritabilidade, dor de cabeça e sono diurno, sendo assim, contra-indicada para pessoas com problemas cardiovasculares e ansiedade. Pesquisas em células e em animais de laboratório têm evidenciado possíveis efeitos contra câncer, enxaqueca, mal de Alzheimer. Salienta-se que não há estudos científicos em seres humanos que comprovem realmente a sua eficácia no tratamento destas doenças.

Enquanto estudos estão sendo realizados sobre os benefícios da melatonina, uma das técnicas que podem auxiliar no tratamento da insônia é a “higiene do sono”. Alguns exemplos desta regra: - Procurar deitar e levantar habitualmente nos mesmos horários; - O quarto deve conter as condições mínimas de conforto: ser silencioso e ter baixos estímulos luminosos (reduzir a quantidade de aparelhos eletrônicos com luzes de stand-by ligados); - Tomar um banho morno duas horas antes de dormir, pode auxiliar a relaxar; - Evitar praticar exercícios físicos intensos próximos ao horário de dormir; - Procurar não consumir bebidas que contêm cafeína (café, chá preto, chá verde, chimarrão, chocolate, refrigerantes a base de extratos de cola e guaraná), refeições pesadas à noite e reduzir o fumo, por causa da nicotina. Estas são algumas atitudes simples e fáceis de serem adotadas, as quais poderão ajudar você dormir e sentir-se bem disposto no dia seguinte. Profª Dr Edna Sayuri Suyenaga Farmacêutica Prof. e pesquisadora FEEVALE e UNISINOS


22

Atenção no mar Muitos brasileiros morrem todos os anos nas praias em nosso país, sendo 8 vezes mais homens, a grande maioria na faixa de 15 a 30 anos. No verão pensamos em praia, piscina, balneário e rio. As praias são áreas de lazer mais atraentes a todos nós brasileiros, mas escondem alguns perigos e o mais grave é o afogamento. Quem mais se afoga em praias são crianças, adolescentes e adultos jovens, do sexo masculino. Atenção as dicas que todos nós devemos ter: - Nade sempre perto de um posto que tenha salva-vidas e pergunte a ele o local mais seguro ao banho ou olhe as bandeiras; - Não superestime sua capacidade de nadar – 50% dos afogados em praia acham que sabem nadar (principalmente em mar); - Bóias, bolas e pranchas são grandes riscos ao afogamento, pois passam uma falsa impressão de segurança; - Tenha sempre atenção com seus filhos menores, se observar uma criança perdida, leve-as ao posto de salva-vidas imediatamente.;

- Mais de 85% dos afogamentos ocorrem em um local chamado corrente de retorno. Esta corrente de retorno é o local de maior correnteza, de água mais escura e menor número e tamanho de ondas, entre 2 bancos de areia ou perto de pedras, aparentando falsa calmaria que arrasta para alto mar. Procure sempre evitar tomar banho perto dela. Se for pego em uma dessas correntes, tenha calma, nade transversalmente a ela até conseguir escapar ou se estiver cansado deixe-se levar, e peça imediatamente socorro. Esta corrente pode ser mais rápida do que o recorde olímpico de natação, não lute contra ela;

- A grande maioria dos casos graves de afogamento deixa para pedir socorro quando não aguenta mais nem levantar o braço, e aí é tarde demais;

- Nunca tente salvar alguém se não tiver condições para fazê-lo. Muitas pessoas morrem desta forma; - Ao pescar em pedras, observe antes se a onda pode alcançá-lo; - Evite ficar paralítico para sempre. Antes de mergulhar no mar – certifique-se da profundidade; - Tome conhecimento e obedeça as sinalizações de perigo na praia; - Evite nadar: com bandeira vermelha, perto de pedras, sentido-se mal, com frio, se estava bebendo álcool ou comendo alimentos pesados, e em locais de barcos ou surfe; - Prefira sempre nadar em local raso e sempre acompanhado. Lembre-se: água no umbigo, sinal de perigo! Adriano Saraiva Pinto Enfermeiro Esp. Urgência e Emergência do Trauma Guarda Municipal em NH - Fonte: SOBRASA


Clínica Médica


24

Hipertensão:

inimiga silenciosa

Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, ela acomete uma em cada quatro pessoas no Brasil e pode estar presente em até 5% das crianças. A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica extremamente prevalente no mundo, contudo seu reconhecimento pelo indivíduo portador da patologia nem sempre é fácil. Por muitas vezes não apresentar sintomas, o seu não reconhecimento e, sobretudo o seu não tratamento, pode acarretar sérios problemas a saúde.

A hipertensão está associada ao desenvolvimento de doenças como o infarto do miocárdio, a doença renal crônica e o acidente vascular cerebral. Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, ela acomete uma em cada quatro pessoas no Brasil e pode estar presente em até 5% das crianças. Após os 60 anos de idade, estima-se que mais de 50% da população do país tenha pressão alta. Caracteriza-se por hipertensão os níveis tensionais maiores ou igual a 140 mmHg para a pressão arterial sistólica e maiores ou igual a 90 mmHg para a pressão arterial diastólica. Aproximadamente 95% dos casos de hipertensão se enquadram na hipertensão primária (essencial). De causa multifatorial, não existe um único fator causal responsável pelo seu desenvolvimento, embora fatores genéticos e ambientais estejam envolvidos.

Os outros 5% restantes são atribuídos à hipertensão secundária, cujas principais causas encontrase: doença renal crônica, estenose de artéria renal, secreção excessiva de aldosterona, feocromocitoma e apneia do sono.

O objetivo do tratamento anti-hipertensivo é o controle da patologia e dos fatores de risco cardiovasculares. Isso pode ser feito através de mudanças de hábitos de vida, orientados adequadamente por um médico e pela escolha da medicação adequada. Esta deve ser influenciada pela etnia, idade, gestação entre outras características.

Luciana J.B.M. Carrion Cardiologista/Ecocardiografista - CREMERS 29676


26

Vamos correr? A corrida é uma alternativa extremamente benéfica para o coração, pulmão, musculatura, articulações e para o bolso também! Se formos pensar em um esporte, ou mesmo exercício físico, que seja de baixo custo e de grande acesso a todos, qual você lembraria? Caminhada não é esporte, ok! Ciclismo é esporte, mas o preço de uma boa bicicleta é muito alto, mas e a corrida? A corrida é uma alternativa extremamente benéfica para o coração, pulmão, musculatura e articulações. Além disso, olha tudo o que a corrida pode nos proporcionar:

- Reduz o peso corporal; - Melhora o nível de colesterol; - Aumenta a capacidade cardiorrespiratória e a massa muscular; - Reduz a variação da pressão arterial de repouso; - Ativa a circulação sanguínea, diminuindo problemas do coração; - Melhora a qualidade do sono; - Estimula a formação de massa óssea ajudando a prevenir lesões como a osteoporose; - Melhora a auto-estima; - Proporciona sensação de bem-estar; - Diminui o estresse e melhora a depressão.;

Para iniciar a prática da corrida, como fazer? A corrida pode ser praticada por qualquer indivíduo, desde que tenha capacidade física, ou seja, que a intensidade do esforço seja compatível com sua capacidade funcional.

Para aqueles que já caminham e que possuem melhor condicionamento físico, a corrida é incluída naturalmente, pois o esforço exigido para manter a mesma frequência cardíaca no treino obriga a acelerar o passo. O que devo comer antes dos treinos? O ideal é consumir alimentos ricos em carboidratos com baixo índice glicêmico, ou seja, carboidratos que são absorvidos lentamente pelo organismo. Assim, eles serão liberados aos poucos durante a corrida, evitando-se a hipoglicemia. E a minha respiração? Quanto maior a intensidade do seu exercício, maior a quantidade de oxigênio que você precisa inspirar. Ou seja, você acaba tendo que “colocar maior quantidade de ar para os pulmões e no maior número de maneiras possíveis (pelo nariz e pela boca). Conforme o seu nível de condicionamen-


to vai melhorando, você vai conseguindo respirar mais tranquilamente, em velocidades que antes era preciso ofegar (por mais que você ache que isso nunca vai acontecer, com o tempo tudo melhora).

Importante lembrar:

- Use roupas de tecidos leves e confortáveis e tênis apropriados para corrida; - Cuide o horário que fará a sua corrida, evite os horários de rush, devido a poluição; - Se for correr a noite, use roupas com sinalizadores. - Alongamento – Sempre é bom alongar (e bem) após a corrida. Mesmo que não tenhamos muita bibliografia que nos mostre isso, é notório a melhora na musculatura após um bom alongamento. Aproveite as dicas e uma ótima corrida! Mariana Boos Educadora Física e Fisioterapeuta Esp. em Biomecânica – UFRGS Esp. em Fisio Traumato Ortopédica – UGF

Quer iniciar na corrida ou ter parceria para seus treinos? Participe do nosso Grupo: facebook/revistafundamental email: fundamental@sinos.net


28

Vitamina D esteja alerta

Depois da revelação de como a vitamina D pode ser benéfica para a saúde, saiba quais os principais sinais que podem indicar a falta ou excesso da vitamina. A deficência da vitamina D no nosso organismo aparece através de sintomas como: fadiga prolongada, dor nos ossos, tristeza ou depressão, infecções frequentes, pele mais escura, obesidade e transpiração na cabeça. Geralmente quem tende a ter falta desta vitamina são as pessoas mais velhas, quem passa menos tempo ao ar livre (seja em trabalho ou em lazer), as pessoas de pele escura, as crianças e as grávidas.

Já o excesso de vitamina D no nosso organismo pode causar intoxicação e determinar concentrações elevadas de cálcio no sangue. Os primeiros sintomas de excesso de vitamina D poderão ser a perda do apetite, náuseas e vômitos, seguidos de sede excessiva, aumento da necessidade de urinar, fraqueza, nervosismo e hipertensão arterial. A função renal também pode ser afetada. Antes de começar a tomar suplementos de vitamina D é sempre necessário consultar o seu médico. É importante ouvir as suas recomendações quanto à forma de administração destes suplementos de forma a evitar algumas situações, como a tomada excessiva dos mesmos.

Uma pessoa que exponha braços e pernas ao sol durante 20 minutos por dia, entre abril e setembro, obtém a vitamina D que precisa para o ano inteiro. Ninguém deve expor-se ao sol a ponto de ficar queimado, mas tem a possibilidade de obter a “dose simples” necessária, que pode ser assegurada, nos meses com mais sol do ano, entre as 10h e as 16h. A grande fonte desta vitamina é o sol, que transforma colesterol em vitamina D.

Dr. José António Pereira da Silva Reumatologista e Prof. da Universidade de Coimbra


Ansiedade

na terceira idade Quando se torna exagerada, pode ser um elemento causador de sofrimentos, impedimentos e angústias. A partir daí, a ansiedade toma conta dos projetos, objetivos, sonhos e desejos, levando a pessoa ao desequilíbrio emocional extremo. Assim a ansiedade com seu alto grau de aflição, insegurança, incerteza e receio, irá desencadear uma série de sintomas que farão com que o idoso passe a evitar determinadas situações nas quais ele poderia vir se manifestar. O que é ansiedade? É uma sensação de receio e de apreensão, sem causa evidente. E, seria de certa forma considerada uma “irmã” do medo, pois seria impossível separar essa relação íntima entre ideias, sentimentos e conceituações, ou seja: se um existe o outro estará presente. A ansiedade nos idosos surge de maneira sorrateira, subliminar. Ela existe, assim como o stress, para nos movimentar, nos levar adiante em nosso conviver diário com os desafios sociais, para nos colocar em alerta, mas, quando se torna exagerada, torna-se um elemento causador de dores, sofrimentos, impedimentos e angústia. Buscamos desesperadamente melhorar nossas vidas profissional, financeira, pessoal e para isso fazemos cursos, especializações, na esperança de alcançar um status social que nos conceda a capacidade de consumir mais e mais. Entretanto, diante de uma exigência cada vez mais cruel do sistema, diante da busca pela perfeição e juventude eterna, da violência, das imposições sociais, das enfermidades, o medo se estabelece e com ele vem a insegurança, incerteza, sensação de impotência, descrédito, baixa-estima, etc.

Infelizmente a maioria das pessoas só procura ajuda quando o estado ansioso se torna insuportável e desencadeia uma perturbação geral em suas responsabilidades, comprometendo a qualidade de vida.

Precisamos ter em mente que saúde na terceira idade é estar bem emocionalmente, física e socialmente. Assim que se manifestar alguns dos sintomas referidos, é preciso buscar com maior rapidez o tratamento adequado e principalmente um diagnóstico sobre o qual o transtorno possa estar se instalando, evitando dessa maneira o agravamento do problema, acelerando o processo de cura e contribuindo para uma melhor qualidade de vida, pois não existe idade para ser integralmente feliz!

Tanani Ledur Psicopedagoga

Psicoterapia para Terceira Idade

tledur@hotmail.com


30


O começo de uma vida saudável A gestante deve realizar o pré-natal odontológico para evitar o aparecimento de doenças que podem afetar a sua saúde e a do bebê. Após esse acompanhamento, os bebês e crianças iniciam em um programa de prevenção onde, de forma personalizada, são organizados seus intervalos de consultas e formas de abordagem.

A gestação é uma das fases mais belas da vida de uma mulher, e cuidar da sua saúde é o primeiro passo para um bebê saudável. Além do acompanhamento médico, a gestante deve realizar o pré-natal odontológico. Este cuidado com a saúde bucal previne infecções geradas por problemas periodontais que, em alguns casos, levam ao baixo peso do bebê ou até mesmo partos prematuros. Além disso, auxilia a controlar algumas doenças que podem acometer a gestante como o diabetes e a pré-eclâmpsia.

O pré-natal odontológico consiste em 04 etapas: - Diagnóstico inicial através de Check up Preventivo Digital (100% seguro para gestantes e sem radiação); - Prevenção de inflamações e infecções durante toda a gestação, além de orientações de dieta e higiene oral; - Informações sobre amamentação e cuidados com o recém- nascido, incluindo orientações sobre o uso ou não de chupetas e mamadeiras; - Consulta inicial após o nascimento do primeiro dentinho do bebê.

É imprescindível cuidar da saúde bucal desde a tenra idade, pois a cárie afeta as crianças de várias formas: causa dor, interferindo na alimentação e mastigação; altera a fonação quando ocorre perda precoce de elementos dentários; influencia na autoestima quando há estética prejudicada. Além disso, o hábito de usar chupeta e sugar os dedos pode afetar o crescimento da face e causar alterações de fala e posição dentária, devendo ser acompanhado por profissional especializado.

Hoje é possível incluir os pequenos na Geração Cárie Zero. Um protocolo de monitoramento da saúde oral, que utiliza técnicas inovadoras da Odontologia Moderna, em que as consultas se tornam momentos de aprendizagem e motivação contínuos e até mesmo de diversão. Investir em PREVENÇÃO é muito mais eficaz e econômico, é a chave para uma vida saudável e cheia de disposição.

Dra. Natália Fischer CRO/ RS 14683 Cirurgiã- Dentista / Especialista em Estética Membro do Grupo Nacional Qualidade em Saúde Habilitação em Check up preventivo Digital


32

É hora de chá gelado Em 1904, Richard Blechynden, proprietário de uma plantação de chá, participa de uma feira de alimentos em Saint Louis, era tal o calor que ele coloca gelo no seu chá pra convidar os curiosos ao seu estande, foi onde nasceu o ICED TEA (chá gelado). As boas ideias transcendem e se popularizam cada dia mais e nos anos de 1955 o costume de tomar chá gelado chega na Colômbia com um comerciante, que não se conhece o nome. Depois a tradição cafeteira da Colombia dissipa o chá gelado. Da Colômbia passa para o Chile onde este costume se faz muito popular no verão, é assim que a América do Sul começa a conhecer o habito saudável de beber chá gelado. Importante ressaltar que o chá é aquele que provém da Camellia Sinensis, os outros são infusões de ervas. São portanto os altos índices de polifenoles e catequinas que o chá possui que ajuda o organismo a lutar contra os radicais livres, responsável pelo envelhecimento das células.

Duas receitas para se deliciar: 1) A mais saudável, que conseguirás manter todos os nutrientes do chá: Coloca em uma jarra de 1 litro com água filtrada natural o equivalente a 5 colheres de chá ou 5 saquinhos de um bom chá (pode ser preto ou verde). Leva na geladeira e deixa repousar 8 horas, coa e depois acrescenta folhas de hortelã, rodelas de laranja ou limão, açúcar ou mel a gosto. Pode substituir as rodelas de laranjas por morango ou blue berry.

2) Coloca água a ferver e faz um chá com 5 colheres de ervas de chá ou 5 saquinhos em uma xícara de 250 ml. Deixe repousar 5 minutos, coa e depois despeja dentro de uma jarra com muito gelo, mais duas xícaras de água gelada, cubos de pêssego e folhas de sálvia, acrescenta açúcar ou mel a gosto.


Verão é época especial para um chá gelado. Saiba que o chá é aquele que provém da Camellia Sinensis, os outros são infusões de ervas. Tenho certeza que este hábito vai se popularizar em sua família e disfrutarás de uma bebida saudável, sem os pejuízos das bebidas industrializadas. Para aqueles que ainda pretendem beber seu chá mais saudável, tenta substituir o açúcar por stevia natural, tâmaras ou uvas passas. Desfrute! Sylvia Pérez Sommelier de Chá Facebook: @congresodete

Chá gelado: dica refrescante para o verão. Que tal substituir o refrigerante por algo mais saudável? Vale experimentar estas receitas!


34

Consuma as frutas e verduras da estação A melancia que compramos no verão sempre será mais doce e suculenta do que a que compramos no mercado em julho, e o tomate sempre será mais vermelho e gostoso.

Nessa edição, três receitas com legumes e verduras da estação: tomate, abobrinha, hortelã e beterraba. Receitas leves e com sabores diferentes do que estamos acostumados.

Salada de beterraba e cebola

Macarrão com tomate cereja e manjericão Essa é uma receita muito leve, rápida de ser preparada e muito saborosa. O molho não é cozido, todos os ingredientes são consumidos crus.

Ingredientes: - 500g de spaguetti;

- 2 xícaras de tomate cereja cortados ao meio (ou em 4 se forem grandes); - Aproximadamente 3 dentes de alho; - Manjericão; - Azeite de oliva.

Modo de preparo: Ingredientes: - 4 beterrabas;

- ¼ de xícara de manjericão; - 1 cebola roxa; - vinagre balsâmico; - azeite de oliva; - sal e pimenta.

Corte o alho em cubinhos bem pequenos e juntar com os tomates cerejas cortados ao meio. Cubra com bastante azeite de oliva. Acrescente o manjericão inteiro, temperar com sal e pimenta do reino e deixe a mistura descansar por 20 min antes de servir. Cozinhe a massa em água fervendo e juntar ao molho.

Modo de preparo:

Corte as beterrabas no meio e embrulhar no papel alumínio. Leve ao forno por aproximadamente 50 minutos. Fatie a cebola finamente, despeje água quente por cima e deixe por 1 minuto. Escorra a água e reserve. Depois de assadas, corte as beterrabas e junte com a cebola. Tempere com sal, pimenta, azeite de oliva, vinagre balsâmico e manjericão.

Sofia Prodanov Acadêmica de Gastronomia


Macarrão com abobrinha, ricota e hortelã Ingredientes:

- 500g de fusilli (pode ser integral); - 2 abobrinhas; - 1 xícara de ricota fresca; - ¼ de xícara de hortelã; - azeite de oliva; - sal e pimenta.

Modo de preparo:

Esfarele a ricota, tempere com sal e leve para assar em forno pré aquecido a 180 graus por 10 minutos. Rale a abobrinha no ralo grosso do ralador e esprema para sair o excesso de líquido. Pique a hortelã e reserve. Em uma frigideira refogue a abobrinha no azeite de oliva, tempere com sal e pimenta e finalize com a hortelã. Cozinhe o macarrão e junte com a abobrinha. Polvilhe a ricota em cima.

Uma coisa você pode ter certeza: as frutas e verduras da estação sempre serão melhores e mais baratas.


36

Brinquedos e suas possibilidades Com a proximidade das festas de final de ano e do período de férias das crianças, compartilho algumas reflexões sobre este importante recurso no tempo da infância - os brinquedos e as brincadeiras. Desde muito cedo, antes mesmo de brincar com objetos, o bebê já começa a brincar com o seu próprio corpo e com o corpo da mãe, que interage e se entrega nessa relação para que o bebê possa se constituir e desejar conhecer o mundo que o cerca Antes de poder segurar algo nas mãos, já brinca de abrir e fechar os olhos, fazendo o mundo aparecer e desaparecer… brincadeira que vai sendo elaborada ao longo da vida e aprimorada para o “brincar de esconder”, tão fascinante para as crianças de diferentes idades. Ao crescer, o brincar da criança se amplia no contato com os familiares e amigos e as suas experiências lúdicas de explorações, experimentações sensoriais e motoras vão agregando novos repertórios. Para a pesquisadora Barbosa (2009), as crianças aprendem a constituir a sua cultura lúdica

brincando, assim, toda cultura é processo vivo de relações, interações e transformações. Através do brinquedo e das brincadeiras as crianças tem a possibilidade de dominar angústias, vivenciar e elaborar emoções e sensações, estabelecer relações de convívio social, reproduzir cenas da vida cotidiana, podendo se “vestir” tanto de personagens da vida real, quando do mundo do faz de conta, trocando de papéis, de acordo com os desejos, necessidades e conflitos internos.

É encantador observar o quanto os brinquedos, quanto mais . desestruturados forem, mais possibilidades de criação oferecem, sendo assim, o brinquedo mais significativo é aquele que pode ser utilizado de diferentes formas É a exploração que ele oferece que vai desenvolver a capacidade criadora, habilidade fundamental para futuras aprendizagens, resolução de problemas e para o desenvolvimento das potencialidades essenciais ao longo da vida.


Através do brinquedo e das brincadeiras as crianças tem a possibilidade de dominar angústias, vivenciar e elaborar emoções e sensações. As palavras de Celso Gutfreind retratam com tom de poesia a riqueza do brincar:

Estimule as crianças a explorarem e criarem seus próprios brinquedos. Será que não serão mais valorizados do que os comprados prontos?

“Depois de brincar para sobreviver, a criança finalmente cresceu. Acedeu à bagunça da vida e está pronta para o que nunca está pronto: novos amores de gente e trabalho, aprendizagens, separações, reaprendizagens, reparações, reencontros... a vida”.

Aline Roberta Saile Psicóloga Educacional IENH Mestre em Psicologia - Infância e Adolescência


38

Lar

doce

lar

Que tal reabilitar aquela cristaleira da avó, ou a poltrona de sua mãe, criando personalizações através de estampas e texturas? “Uma casa não é apenas um espaço para estar, é um modo de vida” Frank Lloyd Wright

Não tenho a intenção, nem que subjetivamente, de tirar algum proveito desta reflexão, mas sim, trocar perspectivas que diferem a moradia de um simples abrigo, a um verdadeiro lar. Durante minhas experiências na profissão e refletindo sobre meu sentimento de pertencimento ao lugar onde habito, pude perceber que a casa tornou-se não só um lugar onde dormimos, comemos ou guardamos coisas importantes para nós, mas um espaço carregado de expressões simbólicas e emoções, com função de preservar valores pessoais, espelhando a personalidade e estado de espírito, sendo sua construção também uma forma de linguagem. Não é fácil ter consciência daquilo que necessitamos, sendo a função do designer de interiores dar idéias, fazer ponderações, traduzir personalidade e ajudá-lo a descobrir, além de investigar e compreender os locais como territórios psicológicos, satisfazendo com domínio técnico e criatividade, ao modo como são sentidos pelos seus habitantes.

Os ambientes influenciam as pessoas, desta forma eles devem estar adequados aos propósitos individuais de cada um. Ao invés de imposições, cabe ao profissional mostrar caminhos rumo ao encontro de uma experiência emocional, como por exemplo, atribuir ao ambiente objetos significativos com um valor afetivo, invocadores de lembranças de uma época, momento ou experiência, ao qual já somos familiarizados, reforçando a ideia da lembrança e não do receio de algo completamente novo. Por que não reabilitar aquela cristaleira da avó, ou a poltrona de sua mãe, criando personalizações através de estampas, cores, texturas, tecidos? À vista disto, considerar seu lar tão somente como um bem de utilidade material ou um mero elemento mercadológico, significa despersonalizá-lo, corrompendo sua real essência. Helena Natorf Schreck Designer de Interiores


Faça o que tem que ser feito Tenha atitude Estou acordado para a vida que eu quero? Se não estiver, o que falta para eu acordar de verdade? Como faço para me manter motivado e motivar quem está ao meu lado? Tenho sido mais paciente na vida para ser menos paciente num hospital?

Você certamente já ouviu esta frase? Faça o que tem que ser feito? Com certeza que sim! Mas o que exatamente ela diz a você? Eu diria: “Se você não conduzir a vida ela conduzirá você”.

Não importa quais as condições meteorológicas que você terá que enfrentar, para navegar pelo mar da sua vida. Não importa, se o mar está sob uma forte tempestade ou apenas sendo soprado por uma leve brisa, você precisa estar muito firme no leme da sua vida e definitivamente, fazer o que precisa ser feito. Seguir no rumo que você traçou para chegar ao porto dos teus sonhos. Caso contrário, você vai acabar aportando em algum lugar indesejável. Por isso durante a viagem você precisa constantemente se perguntar: Estou acordado para a vida que eu quero? Se não estiver, o que falta para eu acordar de verdade? O que falta para eu mudar minhas atitudes? Estou assumindo os riscos necessários, em busca dos meus sonhos? Tenho construído mais pontes do que muros em minha volta?

Lembre-se de algo muito importante: Mais importante que as perguntas, são as respostas que você conseguir encontrar para si mesmo. Portanto, não esqueça que não há progresso sem mudanças. Que você precisa é acreditar. Não apenas da boca para fora, que as coisas vão funcionar como deveriam, se você não fizer o que precisa ser feito.

Cuide-se para não aceitar a tendência de esperar que as coisas aconteçam do jeito que quer, sem fazer as coisas necessárias para que elas se tornem realidade. Você ganha ou perde o jogo da vida, primeiro dentro de si mesmo. E a derrota só acontece, quando falhar em dar o melhor que puder. Por isso, aja e não fique lamentando. Não se queixe, não fique arranjando desculpas sobre o que deveria fazer e não faz. Apenas saia já para a luta, independente do que você estiver fazendo, faça da melhor forma que puder e use todas suas habilidades. Saiba que nesse contexto cabe muito bem uma afirmação de Norman Vincent Peale: “O covarde nunca tenta. O fracassado nunca termina e o vencedor nunca desiste”. Pastor Mauros Werling


Revista Fundamental // Edição 28 // Dezembro 2016  

A FundaMental está caminhando para o SÉTIMO ANO de circulação. O que queremos: - Que seu dia a dia seja de realizações, que sua vida este...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you