Page 1

Edição 109 Ano 9 - Fevereiro 2017 Foto: Eu Que Ti Fotografia Distribuição gratuita e direcionada


Editorial

Olá! Um ano novinho acaba de chegar e traz, com ele, um sentimento inspirador. Novas oportunidades se abrem e nos dão passagem para que possamos trilhar e reinventar caminhos (retos ou tortuosos), sem nos esquecer de aprendizados recentes e fundamentais. Despedimo-nos de 2016 levando, em nossa bagagem, a certeza de que faremos um 2017 ainda melhor. Para começar, apresentamos a você, leitor(a), a nossa primeira edição do ano, que aporta abastecida de alegria – afinal, estamos no mês oficial da folia e da volta às aulas! Manter a criança ativa e entretida durante quase dois meses é um tanto quando desafiador, não acha? Mas curtir as férias com minha filha é sempre essencial e recompensador – descobrir mais de suas habilidades, sentir sua sensibilidade e seu desenvolvimento em tempo integral… E que gostoso é poder ver filme juntinho, fazer um bolo de chocolate, tomar banho de mar e piscina. Sorrir, gargalhar… e, claro, oferecer colo quando precisar! Os problemas, as dificuldades e tudo que envolve a responsabilidade do “mundo" adulto se tornam pequenos quando temos a possibilidade de criar um filho com amor. As férias se foram e agora é hora de focar no trabalho e nos estudos. Que todos nós (adultos e crianças) possamos desfrutar de um ano leve e feliz. Que possamos sempre agradecer pelo que temos, por tudo que conquistamos. Que possamos valorizar o tempo com nossos filhos, e agradecer, todos os dias, por tê-los conosco. Desejamos a você e à sua família um ano repleto de boas notícias, sorrisos sinceros e novas histórias! E um carnaval seguro, responsável e divertido! Boa leitura e até mais! Priscilla Koerich educar@revistaeducar.com.br

EDIÇÃO 109 • ANO 9 • FEVEREIRO 2017

EDITORA Priscilla Koerich ARTE Eduardo Carvalho Motta COLABORADORES DESTA EDIÇÃO

Auxiliadora Mesquita Carolina Fernandes Cláudia Prates Claudio Moreira Fernanda Moura Milena Luisa

REVISÃO Cláudia Prates IMPRESSÃO

As opiniões veiculadas nos artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da revista. Os artigos e os anúncios publicados são de total responsabilidade de seus autores e/ou suas empresas. Não é permitida a reprodução de qualquer conteúdo desta publicação sem prévia autorização da editora. A Revista Educar, publicação mensal da Pequeninos Revista Educativa Ltda, tem distribuição gratuita e direcionada aos pais, em inúmeros pontos comerciais e instituições de ensino de Joinville, Florianópolis e São José / SC. Para assinatura, sugestões, críticas ou elogios, envie e-mail para educar@revistaeducar.com.br ou entre em contato pelo nosso site:

www.RevistaEducar.com.br

Revista Educar @RevistaEducar ANUNCIE NA Ligue para: Tel.: (48) 9158.3342 Artur, Juçara, Milena, Priscilla e Eduardo. Abaixo: Pedro e Rafaella

Ou envie e-mail para: comercial@revistaeducar.com.br


Índice

Educar • Fevereiro/2017

Sementinha de Gente semeie ideias, cultive emoções

www.sementinhadegente.com.br

Do forno

Confira as novidades quentinhas, saindo direto do forno_______________

Matéria de Capa

Carnaval das crianças:"Só Alegria!"___

www.euqueti.com.br

06 10

Faça você mesmo

Confira o passo a passo de uma fantasia de carnaval_________________

14

Novidades

Dicas de leitura, aplicativos e bailinhos de carnaval________________

Galeria Nossa Cara

Confira as fotos do mês______________

28 32

Nossa capa Filhos do casal Milena Luisa e Ricardo Alves Filho, Pedro (4 anos), Artur (9 anos) e Mateus (6 anos) estão em nossa capa especial de Carnaval. A ideia era mostrar toda a alegria, as cores e a diversão do carnaval. O ensaio dessa edição, que aconteceu numa tarde quente e repleta de criatividade, não poderia ter sido mais feliz. Por isso, aproveitamos para agradecer a fotógrafa Juçara (@euqueti) por seu olhar cuidadoso e milimétrico - e por ter conseguido transformar esse momento em fotos incríveis. As fantasias, feitas pela caprichosa mamãe Milena (@SementinhadeGente), fizeram sucesso entre todos - o DIY das peças e a matéria completa com as fotos do ensaio você encontra nas páginas 14 e 15.

PÁG.

Educação

8

As aulas estão voltando, e agora?

PÁG.

Extra curriculares

As atividades que enriquecem a vida dos pequenos

PÁG.

PÁG.

25 Pipoca

20

O tema da nossa “mascotinha” desta edição é: “Palavrinhas mágicas”

30 Curiosidade

É indispensável que as crianças explorem e descubram sobre o mundo que as rodeia

5


Variedades

Do forno

Por Auxiliadora Mesquita

Maternidades brasileiras conseguem reduzir a taxa de cesáreas

Travesseiro de dormir (e de brincar!)

O Brasil é o campeão mundial de cesáreas, com taxas alarmantes em torno de 84%. Uma iniciativa chamada Parto Adequado reuniu 26 maternidades e vem conseguindo reverter esse quadro. O projeto trabalha com vários aspectos do problema, sendo que o aspecto mais crítico é a questão dos pagamentos envolvendo médicos, hospitais e planos de saúde. Explica-se: um parto vaginal ou uma cesárea são pagos de forma semelhante pelos planos. Mas como um parto vaginal pode demorar até 10/12 horas – e uma cesárea requer cerca de 3 horas de acompanhamento médico – a tendência era fazer a cesárea. Com o modelo do Parto Adequado, o obstetra ganha por turno e não por procedimento, o que permite o acompanhamento do ritmo de trabalho de parto de cada gestante.

A ideia já circula faz tempo na internet, mas não custa nada lembrar. É tão fácil e pode ser usada de tantas formas que já se tornou um clássico. É só costurar 4 ou 5 fronhas pelas costuras do lado maior, deixando a abertura da fronha livre para inserir os travesseiros. Mais fácil, impossível.

Cesta básica de descobertas

massacuca.com

Para brincar, é muito simples: pegue uma cesta de qualquer material e coloque objetos da casa ou do ambiente em que tiverem (praia, parque, etc). Dá para brincar de dois jeitos: ou colocando na cesta os objetos que farão o tesouro e entregando para os pequenos; ou fazendo uma lista, desenhada ou impressa, com os objetos que devem ser achados para a cesta. Se a criança for brincar com uma cesta já montada pelos pais, vai se divertir estimulando os aspectos sensoriais e a imaginação. Mas, se a ideia for uma caça ao tesouro para montar a cestinha, os pequenos podem exercitar seu pensamento lógico, juntando objetos por categorias.

As vantagens desse colchãozinho caseiro são muitas. As cores e estampas ficam por conta do freguês ao escolher as fronhas – ou usar as mais velhinhas da casa. Podem ser lavadas toda vez que for necessário. E os travesseiros podem ser escolhidos do jeito certo para sua criança.


Educar • Fevereiro/2017

Era uma vez, um giz de cera

Café da manhã caprichadinho

Giz de cera e criança combina muito! Mas e aqueles restinhos de giz, o que fazer? É claro que eles podem ser doados. Mas aqui está uma forma divertida de aumentar a vida útil desse material: você só precisa dos restos de giz de cera; recipiente de vidro que pode ir ao micro; forminhas de diversos tipos e formatos; um micro-ondas; uma faca para quebrar pedaços maiores; e um palito de picolé ou colher para misturar o giz enquanto ele “derrete”.

O café da manhã pode receber uma caprichadinha para deixá-lo mais completo para as crianças. Escolhas mais saudáveis e naturais não são tão difíceis e o efeito é poderoso. Os pequenos podem escolher entre leite, iogurte e queijos; pão, aveia ou milho, por exemplo, e com um pouco de azeite ou manteiga. Frutas picadinhas ou suco natural são o complemento ideal. E até um extrazinho, como uma geleia, está valendo. A dica é ter paciência e experimentar alternativas até encontrar um café da manhã saudável e que agrade a garotada.

Para fazer a mágica, coloque os pedacinhos no pote de vidro e ligue o micro em potência alta por 1 minuto. Vá misturando com um palito ou colher e acrescentando mais 1 minuto para que tudo derreta e se misture bem. Despeje nas forminhas que escolheu, deixe esfriar (e endurecer) completamente. E depois retire da forma. Taí, uma nova fornada de giz de cera, pronto para usar!

Uma bibliotecazinha assim Uma bibliotecazinha assim, pequenina assim… poderia ser uma canção infantil. Mas foi quase de brincadeira que surgiu a primeira “Little Library” nos Estados Unidos. O americano Todd Bol, resolveu construir um pequeno modelo de uma escola como homenagem à sua mãe, uma professora que adorava ler. Ele encheu a pequena casinha com livros e a colocou em seu jardim. Os livros podiam ser levados de empréstimo. E devolvidos para o próximo leitor. De lá pra cá, a singela homenagem com livros gratuitos à disposição se tornou uma ONG e em novembro de 2016, 50.000 bibliotecas pequeninas já estavam espalhadas pelos EUA. A ONG fornece apoio e dicas para qualquer um que queira construir e disponibilizar uma “bibliotecazinha” para espalhar a boa leitura por aí.

7


Educação

Fevereiro/2017

Ilustrações: Vilmar Oliveira

As aulas estão voltando,

e agora?

Por Priscila Cruz, presidente-executiva do Todos Pela Educação*

Em fevereiro recomeçam as aulas nas escolas de todo o País. Esse retorno costuma ser um período mais sensível para as crianças e até para os jovens. Afinal, todo recomeço é um novo começo. Os vínculos precisam se restabelecer, há novamente um esforço para se adaptar aos horários, ao espaço, aos colegas, aos professores e aos novos desafios... Até mesmo para os adultos, a retomada de uma rotina é difícil: volta aquele corre-corre de manhã, a pressa para não chegar atrasado, leva e busca, "como foi na escola hoje?" e "já fez o dever de casa?". Porém, uma coisa é certa: quando bem encaminhada, essa readaptação dá certo. Mas, para que isso aconteça, precisamos participar! Aliás, diversas pesquisas mostram que, quando os pais participam de pertinho da educação dos filhos, a aprendizagem deles é muito, muito melhor. Pensando nisso, compartilho aqui algumas coisas que aprendi ao longo desses anos, como mãe e também ativista pela Educação, sobre a volta às aulas. Converse com seu filho sobre o retorno para a escola Ajude a criança a se lembrar de que é muito importante ir para a escola e de quanta coisa gostosa ela faz por lá, quanta coisa ela aprende. Fale dos amigos, do recreio. No caso dos mais velhos, converse sobre as expectativas relativas ao novo ano, que professor vai dar a primeira aula, sobre como eles

8

acham que vai ser, o que eles gostariam de aprender e de fazer na escola nos próximos meses. Aliás, perguntas que não tenham a ver diretamente com o dia a dia da escola também são ótimas para apoiar o diálogo, no ‘100 perguntas que vão dar o que falar’ (saiba mais na página 28 desta edição), a gente faz algumas sugestões que podem apoiar esse importante momento em família. Valorize esse momento Ajude a arrumar o material, a separar o uniforme. São pequenas atitudes que fazem toda diferença! Vá com ele para a escola no primeiro dia de aula e converse com os professores, demais educadores Programe-se para levá-lo à escola no primeiro dia, não importa se ele vai fazer esse caminho sozinho ou com os amigos depois. A ida à escola não é só para ajudá-lo a relembrar o caminho, mas também para conversar um pouco com os professores e, se der, com outros educadores – do bedel à diretora. Quando você vai à escola desde o primeiro dia, já começa com o pé direito, estabelecendo uma boa relação com os educadores de seus filhos. E isso é outra coisa que as pesquisas confirmam: a aproximação entre a família e os educadores só gera resultados positivos para a aprendizagem. E vale lembrar: é melhor se envolver desde o começo –– das aulas até o final, inclusive durante as férias, feriados, fins de semana... Quando você valoriza a Educação de seu filho, ajuda a valorizar a Educação em geral. E isso é bom para todo mundo! Educação valorizada por todos = Educação de qualidade para todos!

www.5atitudes.org.br | www.tpe.org.br


Segurança e bilinguismo por meio de imersão Na Maple Bear, até os 4 anos de idade toda comunicação dos professores com as crianças é feita em inglês. A partir dos 5 anos, quando acontece a pré-alfabetização, os alunos têm o primeiro contato com o português como idioma de ensino, durante as aulas de língua portuguesa. Por todo o Ensino Fundamental, a exposição com a língua mãe passa a ser de 50%, abrangendo as disciplinas de Língua Portuguesa, História e Geografia. Na segunda língua, são ministradas as disciplinas de Língua Inglesa, Matemática e Ciências.


Capa


Educar • Fevereiro/2017 11

R I A G E L ! A Texto: Auxiliadora Mesquita Fotos: Juçara Hobold - Eu Que Ti

Produção: Milena Luisa - SementinhadeGente.com.br

Há a turma dos quietinhos. Para esses, carnaval é longe do agito, com praia ou piscina, manhã no parque e tarde na sorveteria. Quem sabe uma visita ao vovô e a vovó. Mas a ideia é sossego e descanso. Já para quem é da folia, chegou a hora de deixar a garotada se esbaldar. Crianças e carnaval combinam muito! Afinal, fantasia é com elas mesmas. E até os mais tímidos costumam dar seus passinhos, animados pela alegria geral. Mas como criança é criança, é preciso alguns cuidados até na hora da “farrinha”.


Capa

Educar • Fevereiro/2017 12

Diferente dos foliões mais convictos, carnaval de criança tem que ter hora marcada para começar e para acabar. Afinal, respeitar os limites da criança é fundamental para a diversão dar certo. Escolher o lugar também é importante. Muitas escolas promovem um “bailinho” para a criançada antes do feriado. Outras opções são matinês de clubes ou até blocos de rua só para crianças. E é claro que você pode fazer sua própria festa de carnaval e chamar colegas, parentes e vizinhos! Seja onde for, é importante não deixar que a festa se estique muito, mesmo se adultos e crianças estiverem se divertindo muito. Afinal, os pequeninos não dão conta de ficar horas na folia, mesmo que seja tão alegre quanto essa.

Alá-lá-ô, mas que calor!

Fantasia é tu-do de bom, mas é necessário escolher com cuidado. Comprada pronta, costurada em casa ou improvisada, mesmo a mais fofa das ideias tem que passar no teste do conforto e do frescor. Afinal, em pleno fevereiro, pulando e jogando confete, ninguém quer penduricalhos caindo nos olhos, roupa fazendo suar ou aquele chapeuzinho com tecido que faz a pele coçar. Quanto mais leve, melhor. Se for o caso, faça a entrada no salão (e a selfie!) com o traje completo, para mif – maior impacto de fofura! E depois, reduza para o mcg – mínimo de charme garantido! E já que estamos no quesito temperatura, manter a hidratação é a pedida. Água fresca, sucos, água de coco e até um picolé ou geladinho refrescam e mantêm seu folião e foliã prontos para a próxima marchinha.

Pulando dentro da corda

Não precisa levar seu próprio time de seguranças para o baile dos pequenos, mas é importante ficar atenta. Deixe que brinquem e dancem à vontade, mas fique de olho: sprays de espuma podem ser tóxicos; guerra de confete pode provocar engasgos; e crianças maiores podem empurrar e tropeçar nos menores, mesmo sem intenção de machucar. Para dar aquele seguro extra, faça uma pulseirinha de identificação. E se ficar cheio demais, a melhor regra é sair. Ao transitar com a criança pelo ambiente, segure-a pelo pulso.

Quarta-feira sempre chega

Pode ser que seu folião seja o último a querer sair e que vocês, adultos, se cansem antes dos pequenos. Mas se a criança começar a chorar ou a dar demonstrações clássicas de cansaço – birra, por exemplo – é hora de retirar seu bloco da rua. Em casa, um banho pode ajudar a relaxar da agitação e dormir tranquila. Oferecer alimentos leves e mais líquidos, servem para repor as energias. E para a “ressaquinha” do dia seguinte, que tal estimular sua criança a registrar a diversão com desenhos? Quem sabe aí já não começam os preparativos para o próximo carnaval...

Fotos: Juçara Hobold - Eu Que Ti

Carnaval com regulamento?


Foto: Juçara Hobold - Eu Que Ti

Faça você mesmo

Carnaval das Superfamilinhas Começo de ano, férias escolares, brincadeiras, passeios, viagens, baguncinhas em família, lista de material escolar, volta às aulas e, finalmente, carnaval... Esses são trabalhos para as superfamilinhas! O carnaval é época de curtir e aproveitar para colocar toda as cores e fantasias na rua. Então, nesta edição vou te dar ideias bem práticas para você colocar o bloco das Superfamilinhas e curtir o carnaval na rua, nas matinês da cidade ou até mesmo no bailinho da sua casa... O importante é entrar no clima.

PARA CRIAR O TRAJE, VOCÊ IRÁ PRECISAR: • Camisetas coloridas (de preferência lisas, sem estampas para dar mais destaque ao emblema). • Feltro colorido (sugiro que você compre pelo menos um pedaço de 30cm para cada um dos integrantes da Familinha e em cores diferentes para que fique colorido e divertido). • Tecido nylon fino (sugiro que você compre pelo menos um pedaço de 50 cm para cada integrante criança da Familinha ou pelo menos 80cm para cada adulto e em cores diferentes para intercalar entre as cores dos emblemas). • Pedaços de elástico ou fita para amarrar as capas e máscaras. • Cola para tecido.

CAMISETA: 1- Crie um molde de um triângulo de aprox. 30cm, em seguida corte as laterais das pontas, formando um diamante. Com esse molde escolha uma das cores do feltro e já recorte 2 vezes este elemento e reserve 1 deles para a capa. 2- Para fazer o molde das letras das iniciais dos nomes, você pode criar os moldes a mão, ou ainda imprimir letras em negrito (quanto mais grossas, melhor a visualização). Ainda com o feltro (porém em uma cor diferente da anterior), recorte 2 vezes a letra escolhida (já aproveitando para usar a segunda letra na capa). 3- Escolha a camiseta e aplique, com cola para tecido, o elemento (formato diamante) e em cima a letra com a inicial do nome.

CAPA DE HERÓI / HEROÍNA: 1- Aproveite os 50cm (no caso das crianças) ou ainda os 80cm (no caso dos adultos) do tecido e recorte um retângulo de aprox. 50cm x 100cm. Aprox. aos 40cm (da largura) de cada uma das pontas ao centro do 1m, você deverá prender a fita ou o elástico que servirá para prender a capa ao pescoço. Obs.: Você pode costurar o elástico a mão, grampear, fixar como uma joaninha (aquelas que seguravam fralda de bebê, rsrs) ou ainda colar, caso você não tenha muita habilidade com as ferramentas. 2- Aproveite os emblemas e as letras recortados anteriormente e siga os mesmos passos, aplicando com cola para tecido os emblemas e, em cima, as letras. Pronto! Camiseta e capas prontos... agora, para tornar-se um herói ou heroína de verdade só falta a máscara.


Educar • Fevereiro/2017 15

MÁSCARA: 1- Recorte retângulos de aprox. 20cm x 5cm (para as crianças) e 25cm x 7cm (para os adultos). Independentemente do tamanho, o processo para a montagem será o mesmo. Primeiro dobre o retângulo ao meio e observando o meio desta dobra (porém sem dobrar novamente) faça recorte no tecido das pontas para o centro (como você havia feito no diamante). Ao fazer isso na parte de cima e debaixo do tecido, você já vai ver a sua máscara se formando. Depois disso, é só medir o centro da máscara e recortar um pequeno círculo que vão formar os olhos da máscara. Acredite, o processo é mais simples do que parece. 2- Em seguida, meça a quantidade de elástico ou fio necessário para que a máscara fique bem presa na cabeça. Para essa peça, sugiro que você costure, grampeie ou segure com uma joaninha, pois acredito que a cola não dará conta de fixar bem.

Pronto, espero que vocês curtam estas dicas fáceis de fazer, que a criançada vai curtir participar e que tenho certeza de que vai fazer todos entrarem no clima e se divertirem muito neste carnaval das Familinhas. No site www.sementinhadegente.com.br e no Canal do YouTube têm outras dicas para te ajudar a criar o Carnaval das Familinhas mais especial de todos os anos. E se quiser compartilhar por meio das redes sociais, as fantasias das suas familinhas, não deixe de acrescentar a hashtag #SemeandoIdeias e aproveite para me seguir por lá também (@sementinhadegente).

Milena Luisa, mãe de Artur (9), Mateus (5) e Pedro (4). Sonhadora e idealizadora do Sementinha de Gente


Palavra de professor

la em traz pe u q a r a p a t Car criança la e u q a a h mãozin

o r i e m i r Op : a l u a e dia d

Ainda não sei quem você é – talvez você seja a mamãe ou o papai, a vovó ou o titio. Mas daqui de onde espero, você é o ser que tomou para si a responsabilidade e a coragem de entregar a mim essa criança que você traz pela mão. Que alegria e que aflição, hein? Talvez seja a primeira vez que essa criança vai para a escola. Talvez ele tenha estudado aqui mesmo, no ano passado. Mas isso não importa, pois as expectativas são as mesmas, e grandes! Será que vai dar tudo certo? Será que meu pequeno vai gostar da turma? E da professora, vai gostar? Estará seguro? Vai se sentir confortável? Dará conta dos desafios? Por um momento, penso a quem pertencem essas indagações – aos pais, às crianças ou a mim mesma, a professora que espera essa chegada. Pois mesmo com anos de experiência e muito amor e dedicação pelo que fazemos, a maioria de nós também tem uma certa ansiedade a cada início de ano, maior ou menor conforme a personalidade de cada uma. Isso acontece porque sabemos que, em cada criança que nos chega, há uma caixinha de surpresa sendo posta bem na nossa frente. Cada uma vem com seu tesouro particular e desconhecido para nós - seu gosto, seu jeito, suas vontades e capacidades. Suas dificuldades e seus conflitos. Sua história. Sua fragilidade e sua força. E seu futuro. Você, pessoa preocupada que nos traz pela mão essa caixinha preciosa, acredite: nós realmente queremos fazer tudo dar certo. Desejamos do fundo do coração que essa criança que nos chega agora se sinta segura, confortável e feliz. E assim, aprenda muito! Trabalhamos a cada minuto pensando em como desafiá-la sem desanimá-la. E em como transformá-la para melhor, sem deixar que ela perca o que tem de mais bonito: quem ela é. A você, que nos traz pela mãozinha esse bem tão querido, saiba que todo esforço será feito para que esse menino ou essa menina cresça, em todos os sentidos. Se esse caminho vai ser fácil? Você já sabe que não. Do seu próprio crescimento você deve se lembrar de tanta coisa, boa e ruim. E agora que você traz até nós essa criança, você precisa recordar daquele bumbum fofo de fralda segurando a beirada do móvel e querendo alcançar o enfeite na prateleira. De repente, ploft, o susto de ir ao chão. Logo veio o choro. E a risada do papai ou o socorro da vovó. Mas o bumbum se levantou, não foi mesmo? E o tal enfeite que ficasse esperto, senão já era...


Educar • Fevereiro/2017 17

Você que vai trazer para mim seu filho ou sua filha pela mão, saiba que existem dicas ótimas para esse comecinho. Mas a dica mais importante que posso te dar nessa cartinha é: confie! Confie em nós, pois estamos aqui para receber sua família. Mas pode manter seu olho aberto, viu? Faz parte e até nos ajuda. Também confie em você, pois tenho certeza de que você está fazendo o seu melhor. E, mais que tudo, confie em sua criança. Você até já sabe, mas na aflição de soltar aquela mãozinha, talvez tenha se esquecido: ele tem o que é preciso para crescer! Depois que a porta da escola se fechar, seu coração vai apertar ainda mais, eu sei. Não se acanhe de me procurar, se precisar. Eu também sei o que é isso – ao final do ano, quando aqueles pequeninos estiverem partindo para outras turmas e outras descobertas, o meu também irá se apertar. Que surpresas a vida ainda lhes trará, que dificuldades enfrentarão? Nessas horas de despedida, eu agradeço pela chance que você me deu de ajudar, um pouquinho que tenha sido, a receber essa criança como ela é e a prepará-la para tudo que ela ainda pode ser. Obrigada a você, que traz pela mão essa criança de olhos brilhantes. Ao recebê-la, nossas mãos adultas também se encontram. E é juntas que vamos atravessar mais essa jornada. Bem-vindos!

Dicas para a volta às aulas

O período mais difícil de adaptação costuma passar rápido, no máximo uma semana. Se durar mais do que isso, converse com a direção e a professora.

ANTES:

DURANTE:

Envolva os pequenos nos preparativos, como a escolha da mochila, da lancheira e do material escolar. O uniforme novo ou um sapatinho especial também devem ser bem festejados!

O choro ao chegar costuma passar logo e a professora e auxiliares estão ali para amparar a criança. Na maioria das vezes, ela logo se distrai com alguma atividade proposta.

Algumas escolas permitem que os pais acompanhem seus filhos nos primeiros dias, outras não. Procure saber antes.

Não falhe no horário de levar e buscar os pequenos na escola. É fundamental para a rotina e para a segurança emocional da criança.

Responda as dúvidas da criança, de Estimule os pequenos a falarem do maneira simples e sem mentir. dia deles na escola falando do seu também. E aproveite toda oportuVisite a escola com a criança. Faminidade para incentivar a “ideia” de liaridade com o ambiente ajuda. aprendizado, seu e das crianças.

Auxiliadora Mesquita Pedagoga


Atividades extra curriculares

EXTRA CURRICULARES As atividades que enriquecem a vida dos pequenos Vocês escolheram uma escola adequada para seus filhos e estão satisfeitos com o andamento de seu aprendizado. Mas vocês querem uma educação mais completa e é hora de pensar “fora do currículo”. É claro que as crianças aprendem o tempo todo, na convivência com a família e com o mundo ao redor. Mas atividades estruturadas fora da escola podem trazer muitos ganhos, agora e no futuro. Por: Auxiliadora Mesquita - Pedagoga

Presente e Futuro

Aprender um hobby, esporte ou língua estrangeira pode ajudar no futuro da criança, tanto em sua maneira de estar no mundo como até em seu futuro emprego. Mas as atividades extras são ótimas para a criança, aqui e agora. Elas ajudam os pequenos a conhecer mais sobre si mesmos, a lidar com círculos sociais mais amplos, a enfrentar novos desafios e a perseverar em suas escolhas.

Por falar em escolhas, é importante sempre manter a perspectiva da criança e de cada faixa etária. Para os muito pequenos, a iniciação em qualquer atividade deve ser sempre lúdica, sem foco nos resultados. À medida que a criança cresce, a diversão e o prazer devem continuar, mas é possível focar em questões de disciplina e rotina. Já para pré-adolescentes e adolescentes, buscar objetivos concretos pode ser uma boa ideia, desde que a criança esteja interessada na atividade, é claro!


Educar • Fevereiro/2017 21

São tantas opções! A chave da escolha bem feita é pensar para além das necessidades “do mundo” e ver as inclinações de cada um. Depois dos básicos (inglês e natação, quem não precisa deles?) um vasto mundo se abre. Esportes tão diversos, como judô e equitação, tênis e futebol. E até surf e skate já têm suas escolinhas. Dança, teatro, pintura e fotografia são aprendizados muito enriquecedores. E outras línguas também podem ser aprendidas, seguindo uma tradição de família ou simples curiosidade. Ainda tem a música, paixão para muitos gostos e instrumentos. Ou quem sabe novas áreas, como história em quadrinhos, games ou computadores. Como as opções são muitas, a melhor forma de escolher é observando e conversando. Do que sua criança gosta? Com o que se entusiasma? Para o quê parece ter aptidão? Se houver uma chance de experimentar em sua cidade, vale a pena levá-la para descobrir mais. E se a primeira escolha não funcionar, continuem testando.

Diversão com desafios

Experimentar é ótimo. Mas é preciso ficar atento se a desistência a cada nova escolha é só medo dos desafios. Afinal, mesmo sendo divertido, todo aprendizado pede empenho. E algumas vezes, a atividade mais difícil para aquela criança é a que trará mais benefícios. Uma atividade coletiva pode ajudar o tímido a sair da casca. As artes marciais, cheias de disciplina, podem ser a pedida certa para os mais desregrados. E os inseguros podem ganhar confiança em ambientes diferentes, como a água. Ou o ar – já pensou em escaladas? De toda forma, não se pode perder o horizonte mais amplo: na agenda com atividades escolares e compromissos com atividades extras, é preciso sobrar tempo para a vida de criança! Comer, dormir, conviver em família, brincar livremente. E ficar “sem fazer nada”. Viver, no seu ritmo, é o caminho para a saúde, o crescimento e o aprendizado de qualquer criança. Então, mãos à obra – ou hobby! Sem sobrecarregar nossos pequenos, é possível descobrir aquela atividade especial que irá encantar e estimular a criança em novas e incríveis direções.


Informe publicitário

MAPLE BEAR FLORIANÓPOLIS VOLTA ÀS AULAS COM REESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO E TREINAMENTO DE PROFESSORAS A Maple Bear Canadian School de Florianópolis - escola canadense bilíngue - recebeu com muito carinho e novidades, no dia 9 de fevereiro, novos e antigos alunos de volta às aulas. Além de fazer uma reestruturação do espaço físico, com a construção de mais uma sala de aula e implantação de elevador para promover a acessibilidade, professoras e assistentes participam de

treinamentos que visam aprimorar a qualificação dos profissionais. Entre os dias 18 e 27 de janeiro, aconteceu a 3ª Semana Pedagógica. Na agenda, palestras motivacionais, psicologia positiva, integração da equipe e até mesmo a dinâmica dos professores em relação aos alunos e aos centros de aprendizagem que fazem parte da metodologia canadense de ensino.


Educar • Fevereiro/2017 23

De acordo com a coordenadora pedagógica da Maple Bear Florianópolis, Fabiane Silveira, tratou-se de um momento de auto avaliação e desenvolvimento profissional muito importante. "Foi um treinamento no qual nós, da equipe pedagógica, professores, auxiliares, setor administrativo e funcionários em geral, tivemos a oportunidade de alinhar os valores da instituição para trabalharmos como equipe e falarmos uma mesma linguagem. Reforçamos ensinamentos previamente obtidos e recebemos orientação de profissionais externos, que contribuiram imensamente para o nosso entendimento de infância e aprendizagem e para a nossa prática pedagógica". As professoras de Língua Inglesa, Ludmila Gonçalves e Graziella Bridi, estiveram na Maple Bear Brasil, em São Paulo, durante uma semana, onde também receberam treinamento para a Educação Infantil e Ensino Fundamental. Nos dois últimos dias da Semana Pedagógica, as duas professoras dividiram com os demais profissionais da Maple Bear Florianópolis a experiência e o aprendizado que receberam no curso de qualificação em São Paulo.

Para encerrar os treinamentos promovidos antes do início do ano letivo de 2017, a educadora canadense Terril Butterworth, da Maple Bear Global, esteve em Florianópolis para passar sua experiência em Educação Infantil e Ensino Fundamental para as professoras e acompanhar os primeiros dias de aula. Terril é especialista em Educação Infantil, Ensino Fundamental 1, Matemática e Ciências. "As crianças são o nosso recurso mais importante. Devem ser tratadas com respeito e merecem excelência na educação". Por meio da Maple Bear Global, a educadora já teve oportunidade de realizar treinamentos em escolas do Brasil, China, México, Marrocos e Estados Unidos. O acompanhamento de educadores canadenses é uma exigência da Maple Bear Global, visando manter o padrão de qualidade internacional de ensino, conforme a metodologia desenvolvida no Canadá.

Carolina Tancredo Damiani Assessora de Imprensa Maple Bear - Escola Canadense

• O tratamento não deve causar dor e é executado sem extração de dentes. • Na OFM são utilizados aparelhos do tipo removível, objetivando reeducar a língua, ajudar no equilíbrio oclusal, incentivar a respiração pelo nariz e re-orientar a direção do crescimento dos maxilares corretamente. • E exatamente por trabalhar não somente dentes, mas principalmente bases ósseas e músculos, a OFM é especialmente indicada para crianças e adolescentes, pois estão em pleno crescimento. • Invista no acompanhamento integral do seu filho. Em caso de necessidade, incentive-o a usar aparelhos também, quando adulto ele irá lhe agradecer, certamente!


Interação entre pais e filhos

Educar • Fevereiro/2017 25

A mascotinha da Revista Educar

Tema desta edição:

As palavrinhas mágicas Conteúdo Auxiliadora Mesquita | Arte Cláudia Prates

Gentileza gera gentileza, diz o ditado. E o efeito de ser gentil e bem educado costuma se espalhar em todas as direções: quanto mais gentis conseguimos ser, mais fazemos com que essa gentileza se multiplique ao nosso redor e acabe retornando para nós também. É verdade que gentileza e bons modos não é tudo, nem o mais importante. O filósofo francês André Comte-Sponville escreveu em seu livro, “Pequeno Tratado das Grandes Virtudes”, que a polidez não chega a ser uma virtude. Afinal, podemos ser desonestos, sem caráter ou até maus - ainda assim continuarmos refinados e gentis. Mas ele afirma que a polidez é como uma preparação para a virtude verdadeira. E que, nas crianças, ela é apenas imitação – mas uma simulação que mostra a direção certa das escolhas morais que faremos quando adultos. Por isso, se enganem sobre a importância que essa simples imitação tem na educação das crianças. Ao dizer, por hábito – “por favor”, “obrigada”, “com licença”, “desculpe-me” – elas estão aprendendo, pouco a pouco, o significado maior da convivência, do respeito, da amizade, da tolerância e do amor. Como diz o mesmo filósofo, é imitando as virtudes que nos tornamos virtuosos. E essa é a verdadeira magia das palavrinhas mágicas: deixar que o melhor em nós surja para que o mundo também melhore.

OPÇÃO DE


Interação entre pais e filhos

Achei para você Mágicas Palavras (de Jótah Paulinas Editora) Esse é um livro interativo para crianças entre 4 e 8 anos, com uma proposta lúdica que mostra a importância das palavrinhas mágicas na convivência de todos.

Laptop As palavras mágicas são chamadas assim pois fazem com que a vida fique melhor, mais tranquila e feliz para todo mundo.

Com licença - Dizemos “Com licença” quando precisamos passar por algum lugar onde está alguém ou se precisamos pegar uma coisa que está perto de outra pessoa. Também podemos usar para pedir que alguém nos dê atenção e ouça o que queremos dizer. E se você precisar fazer alguma coisa e tiver que deixar alguém esperando um pouquinho, pode dizer “com licença” também. Por Favor - é usado quando queremos pedir alguma coisa para outra

pessoa. Pode ser um lápis emprestado do colega, um copo de água para a mamãe ou muitas outras coisas. O importante é que, quando pedimos “por favor”, mostramos para os outros que precisamos da ajuda deles.

Desculpe - Para usar “Desculpe” é preciso ter coragem, pois essa O mundinho das boas atitudes (de Ingrid Bellinghausen - Editora DCL) Esse livro é mais um dos “mundinhos” criados pela autora e artista plástica. Com muita criatividade e em linguagem simples e acessível para crianças pequenas, o livro vem com ilustrações originais e a ideia de mostrar para as crianças como as palavras mágicas ajudam a garantir a boa convivência entre as pessoas.

palavra mágica é para quando erramos. Se estragamos o brinquedo do coleguinha? Dizemos “Desculpe-me”. Se gritamos com o papai só porque ele não fez o que a gente queria? Dizemos “Desculpe-me”. Falar ou fazer coisas que magoam as outras pessoas pode deixar tudo tão triste... Mas se dizemos “Desculpe”, de verdade, estamos dizendo que nos arrependemos do que aconteceu. E que queremos consertar o erro que fizemos.

Obrigado

- Essa é uma linda e poderosa palavra mágica. Com ela, agradecemos as coisas que acontecem na nossa vida e que nos ajudam a viver melhor. Sabe o lanche que a mamãe fez pra você? Obrigado, mamãe! E o carrinho que o papai consertou? Obrigado, Papai! Seu colega chamou você para o aniversário dele? Obrigado, coleguinha, que bom que você me chamou! “Obrigado” é uma palavra que deixa contente quem fala e quem ouve também!

Lembre-se sempre: às vezes não estamos com muita vontade de falar as palavras mágicas. Se estamos chateados ou com raiva, muitas vezes nos esquecemos dessas palavras. Mas experimente: se mesmo triste ou bravo você conseguir falar as palavras mágicas, vai ver que elas deixam tudo mais fácil de resolver. É por isso que elas são mágicas!


Educar • Fevereiro/2017 27

em: “As palavras mágicas” PIPOCA ACORDOU MUITO ANIMADA, POIS ERA DOMINGO, DIA DE PASSEAR NO PARQUE. DISPAROU, CORRENDO PELA CASA E, TCHBÓIM... PULOU EM CIMA DA CAMA DE PEDRO. MAS ELE AINDA ESTAVA DORMINDO!

“AH, JÁ ME LEMBREI”, DISSE PIPOCA. E ENTÃO ELA DISSE AO PEDRO: “DESCULPE AMIGO, EU NÃO QUERIA TE CHATEAR.” DEPOIS, BATEU A PATINHA, DE LEVE, NA CAMA. ERA PARA DIZER “COM LICENÇA”. E ENTÃO, ELA FALOU: “POR FAVOR, VAMOS PASSEAR?”

PEDRO FICOU CHATEADO COM A AMIGA. “PUXA, PIPOCA, VOCÊ PRECISA USAR AS PALAVRINHAS MÁGICAS!”, DISSE ELE. PIPOCA SE LEMBROU DE QUE JÁ TINHA APRENDIDO ISSO. MAS QUAIS ERAM MESMO AS PALAVRAS MÁGICAS? ABRACADABRA? PIRLIM-PIM-PIM?

E OS DOIS FORAM PASSEAR NO PARQUE. NA VOLTA, PEDRO COLOCOU ÁGUA PARA PIPOCA BEBER. QUANDO ACABOU, ELA SE LEMBROU DA MAIS LINDA DAS PALAVRAS MÁGICAS. E DISSE, FELIZ: “QUE DELÍCIA DE ÁGUA, PEDRO. MUITO OBRIGADA!”


Dicas e novidades

Para ler Dona Letra do Alfabeto e Silva (por Rita de Cássia Guimarães Heinzen - Editora Insular) A Autora, Rita de Cássia Guimarães Heinzen, nasceu em Anitápolis, Santa Catarina. É pedagoga e professora de Séries Iniciais. Aposentada da Rede Pública Estadual, atualmente atua como professora do 1º Ano do Colégio Santa Rita de Cássia, em Florianópolis. É professora desde 03/03/1976. Uma obra didática e pedagogicamente muito bem elaborada que oferece uma contribuição extremamente significativa para colegas do magistério que trabalham com crianças que frequentam o final da educação infantil e o primeiro ano do ensino fundamental.

100 perguntas que vão dar o que falar (Todos Pela Educação) Qual foi o dia mais feliz da sua vida? O que você mais gosta de fazer na escola? Do que você mais gosta de brincar? Que tal fazer estas e muitas outras perguntas aos filhos ou crianças com os quais você convive, registrar as respostas e compará-las ao longo dos anos? Essa é a ideia do caderno 100 perguntas que vão dar o que falar, uma iniciativa do movimento Todos Pela Educação, disponível gratuitamente para download em formato digital em www.todospelaeducacao.org.br.

Para baixar Primeiras palavras do bebê (Android /IOS) O aplicativo apresentará alguns animais, cores, partes do corpo humano, objetos e muito mais. São mais de 100 palavras associadas a jogos divertidos, em português. Toca Kitchen 2 (Android /IOS) É um jogo em que você deixa a imaginação correr livre na cozinha. Tem uma geladeira cheia de ingredientes e um punhado de itens de cozinha, e com eles a criança pode cozinhar o que quiser. É simples e divertido. Duolingo (Android /IOS) Duolingo permite aprender outras línguas, como o inglês. Está cheio de desafios e é possível avançar de nível. Mistura educação, divertimento e desafio.


Educar • Fevereiro/2017 29

Bailinhos de Carnaval Baile Infantil de carnaval do Lira Tênis Clube O quê: no domingo, o baile contará com um concurso de fantasias e animação da Banda Alternativa. Na terça-feira, as crianças poderão conferir a Bateria Show da Acadêmicos do Sul da Ilha e novamente a Banda Alternativa Quando: domingo (26) e terça-feira (28), a partir das 16h Onde: Lira Tênis Clube (Rua Felipe Schmidt, 636, Centro, Florianópolis) Quanto: R$ 25 por pessoa (crianças até dois anos não pagam), à venda na Secretaria do Clube. Tel: (48) 3225-3500

Baile infantil de carnaval - LIC O quê: a programação conta com brincadeiras, recreação, desfile de fantasias e muita animação ao som da Banda Stylus Quando: domingo (26,) às 16h Onde: Lagoa Iate Clube (Largo Hippólito do Valle Pereira, 620, Lagoa da Conceição, Florianópolis) Quanto: R$ 20, à venda na secretaria do Clube. Desconto de 50% para o sócio do Clube do Assinante, na compra do ingresso antecipado, na secretaria do LIC. Tel: (48) 3232-0088

Os momentos mais especiais têm algo em comum: eles não se repetem. Isso inspirou o Clube do Confete a transformar tais momentos em lembranças apaixonantes, porque o coração é o lar de tudo que dura para sempre, e nele habita o inesquecível. O Clube do Confete é mais do que um espaço premium para festas. Somos um grupo de pessoas genuinamente apaixonadas pelo que fazemos. Cuidamos de cada detalhe com perfeccionismo e atenção, ao cliente e seus convidados. Uma grande festa é feita de pessoas felizes, e felicidade é a nossa especialidade.

Baile infantil de carnaval - Pensando e Construindo Nosso Mundo O quê: No dia 25, show ao vivo com a Banda Carrinho Bate Bate + Camarim infantil, concurso de fantasias. No dia 27, marchinhas e músicas infantis com DJ Sandro, recreação e concurso de fantasias. Quando: sábado (25) e segunda-feira (27) a partir das 15h Onde: Pensando e Construindo Nosso Mundo (Rua Papa João XXIII, 121 Coqueiros.) Quanto: Ingressos antecipados: Até 14/02 - R$ 15,00. Até 24/02 - R$ 25,00 Passaporte para os dois bailes Até 14/02 - R$ 25,00. Até 24/02 - R$ 30,00 Maiores informações: www.pcnossomundo.com.br ou floripinhas.com.br Tel.: (48) 3209-6700 / (48) 99694-4000

e n r o T squecível

Ine

SC 401, Km 7 - 7135 - Santo Antônio de Lisboa - Florianópolis/SC

(48) 3238-4661 | (48) 8865-3522

Horário de Atendimento: 2ª a 6ª das 9h às 12:30 e das 13:30 as 18:00 Sábados das 9h às 13h mediante agendamento prévio.

www.clubedoconfete.com.br


Relação familiar

Fevereiro/2016

Curiosidade

O verão está aí! O ideal é aproveitar esses momentos de calor para levar as crianças para brincar e se movimentar ao ar livre. Locais como parques, praias, parquinhos, clubes são uma ótima pedida para ajudá-las a colocar toda energia que têm para fora de seus corpinhos.

As crianças têm bastante energia e precisam gastá-la para que consigam, ao final do dia, descansar apropriadamente. Fazer atividades paradas, em grande parte do dia, pode entediar as crianças, que não sabem compreender esse sentimento e, muitas vezes, ficam de mau humor ou podem até ter acessos de raiva ou fazer birras. Gastar energia não é o único motivo pelo qual as crianças precisam se movimentar. É indispensável que elas explorem e descubram sobre o mundo que as rodeia e sobre os objetos que fazem parte do seu dia a dia. Essa necessidade não pode ser entendida como uma curiosidade vazia. Na realidade, as crianças nascem em um ambiente socializado, no qual não conhecem muita coisa. Por isso, sua necessidade de conhecer é tão evidente. Elas precisam compreender como as relações sociais acontecem, como a linguagem funciona, como manipular inúmeros instrumentos, entre outros incontáveis conceitos construídos pelo homem durante toda a sua história. Essa tarefa é necessária ao seu desenvolvimento, pois só assim a criança vai conseguir se sentir parte integrante da sociedade em que está inserida. Compreender como as coisas funcionam requer das crianças observação e experimentação, para que, só en-

tão aconteça a apropriação dos objetos e conteúdos estudados. Isso porque aprender é um trabalho mental que pressupõe o entendimento das características e propriedades de determinado objeto ou conteúdo. Estas atividades mentais precisam do uso da visão, do tato, da linguagem, do cheiro para que ocorram. Por isso, o movimento é tão importante para o seu desenvolvimento. À medida que adquire novas informações, a criança elabora diversas hipóteses e estabelece relações com os conceitos que já possui. Muitas vezes, as informações vão se contradizer e então ela precisará reformular suas hipóteses iniciais até chegar a uma elaboração que não contradiga uma informação com a outra. Todo esse processo exige da criança uma atividade mental intensa. Por isso, é importante que ela possa ter tempo para brincar e para se movimentar. Enquanto brinca e se movimenta, ela explora o mundo que a rodeia e incorpora, dia a dia, conceitos sociais. Além disso, ela também aprende a usar o seu corpo nas mais diversas situações, como por exemplo, andar, pegar, jogar, desenhar, abraçar, etc., o que a ajuda a desenvolver a sua autonomia. Aos poucos, a criança vai se tornando cada vez mais independente do adulto e vai aprendendo a se movimentar no espaço em que vive. Isso a faz se sentir confiante, à medida que consegue fazer por si. Oportunizar as crianças situações nas quais possam descobrir mais sobre o mundo em que vivem é permitir que elas usem o seu corpo como instrumento para a aprendizagem. Elas utilizam todas as suas habilidades corporais para entender e compreender. Por isso, ao observar uma criança brincando, dê valor a este ato tão complexo e importante para o seu crescimento e desenvolvimento. Enquanto brinca e se movimenta, ela não está “só passando o tempo”, está estudando e aprendendo!

Fernanda Mello de Moura Pedagoga

30


RESPIRAÇÃO ORAL Nascemos respirando pelo nariz, estrutura que

de apetite, alterações gástricas, sede constate, engas-

filtra, umidifica e aquece o ar, proporcionando que

gos, perda de peso com menor desenvolvimento físi-

chegue sem impurezas nos pulmões. Quando a res-

co ou obesidade;

piração passa a ser realizada pela boca temos a RES-

• Dificuldades de atenção, concentração e pro-

PIRAÇÃO ORAL, que tem como principais causas a

blemas de memória decorrentes de noites mal dor-

rinite alérgica, sinusite, bronquite, aumento de ade-

midas, gerando dificuldades escolares e de aprendi-

noide e amígdalas, tumores, fraturas e fraqueza dos

zagem bem como comportamentais tipo agitação,

músculos da face.

ansiedade, impaciência, impulsividade e desanimo;

Algumas características ajudam a identificar a

• Pode haver episódios de perda auditiva temporá-

pessoa que respira pela boca, como nariz sempre

ria como consequência do histórico frequente de gri-

trancado, boca aberta, lábios ressecados, língua vo-

pes, resfriados e infecções das vias aéreas superiores;

lumosa e voltada para frente, presença de olheiras, bochechas caídas, respiração pesada e ronco. A RESPIRAÇÃO ORAL pode acarretar muitos prejuízos: • Mastigação se torna ineficiente e realizada com dificuldade; • Deglutição (forma de engolir) com língua projetada para frente, levando a alterações na posição dos dentes; • Fala pode estar imprecisa e com distorções, articulação travada, acúmulo de saliva e interposição da língua entre os dentes superiores e inferiores durante a produção dos fonemas /s/ e /z/; • Sono agitado, com presença de ronco e baba, sede ao acordar, sonolência pela manhã, diminuição de oxigenação e até apneia obstrutiva do sono (paradas respiratórias); • Alimentação também pode estar prejudicada pela diminuição do paladar ou olfato, havendo falta

• Voz pode assumir um padrão de rouquidão por causa do ressecamento causado pela boca constantemente aberta; • Postura fica alterada pelas adaptações que são necessárias como a hiperextensão de cabeça, ombros geralmente rodados para frente, músculos do abdômen fracos e distendidos e assimetria no posicionamento dos olhos. O tratamento geralmente é multidisciplinar, podendo envolver pediatra, otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, psicólogo, odontopediatria e/ou ortodontista. Respirar pela boca não é brincadeira, converse com um especialista.

Dra. Sibeli Daenecke CRFa. 6781/SC Graduada em Fonoaudiólogia Especialista em Motricidade Orofacial


Galeria Nossa Cara

Fevereiro/2016

Rhyan Kaymon

Você também!

Quer ver seu filho nas páginas da Educar? É simples, basta usar a hashtag #revistaeducar nas redes sociais. Ou envie a foto dele para: nossacara@revistaeducar.com.br Na mensagem, escreva o nome completo e idade da criança + cidade e nomes completos dos pais.

As irmãs Sophie e An nie

Matheus

Camile Vieira

Rovina Victoria Kock

boni Júlia Trevisan Am

32


Galeria Nossa Cara

Fevereiro/2016

Gabriel com seus pais, André

e Lucimara

Paulo Victor

ke Souza Giovanna Butz

ateus e Os irmãos M

Artur

Os primos Lucas e Rafaella

Você também!

Quer ver seu filho nas páginas da Educar? É simples, basta usar a hashtag #revistaeducar nas redes sociais. Ou envie a foto dele para: nossacara@revistaeducar.com.br Na mensagem, escreva o nome completo e idade da criança + cidade e nomes completos dos pais.

Os irmãos Lucas e Art hur com a mamãe e o

Pateta

34


MEGA LIQUIDAÇÃO

* á vi

sta

E D A T E MPREÇO

DO

la e p o Tud

S A D O T EM

S A P U O R AS

* Exceto roupas com preços promocionais

SOMENTE EM FEVEREIRO

Aproveite!!

as melhores marcas

Rua Princesa Izabel, 365, Centro • (47) 3433.9508 turmadacuca@turmadacuca.com.br • Joinville / SC Localização central • Estacionamento gratuito frente a loja


Profile for Revista Educar

Educar 109 Fevereiro 2017  

Carnaval das Crianças: "SÓ ALEGRIA!"

Educar 109 Fevereiro 2017  

Carnaval das Crianças: "SÓ ALEGRIA!"

Advertisement