Issuu on Google+

Informação útil para todos!

Suyanne Quevedo e Edmilson Ortiz Compartilhando os mesmos valores na telinha e na vida

Sem medo de educar

Fazendo seu papel de pai e de mãe

Obesidade infantil

A maior epidemia da história

www.revistaeducar.com.br

Edição 62 • Ano 6 • Fevereiro 2013 Distribuição gratuita e direcionada Foto: Graciela Lindner • Impressão: Impressul


Editorial Como fazer parte da solução?

eDIÇÃO 62 ANO 6 FEVEREIRO 2013

Um dos textos desta edição traz o desabafo de um pai que se preocupa com a forma que o mundo está tomando. Mario Gonsales Ishikawa, editor do blog Diário dos Papais, está aqui pela segunda vez e compartilha conosco sua visão acerca da violência nos dias de hoje. No dicionário, a definição da palavra violência é muito clara: ato de desrespeitar, contrário ao direito, à justiça. E é bem isso que acontece. Enquanto escrevo este editorial, centenas de pais de Santa Maria, Rio Grande do Sul, choram a morte de seus filhos, vítimas de um incêndio numa boate da cidade. Boate que, segundo o noticiário, não tinha licença para funcionar. Sabemos que ninguém está livre de nada, que basta um simples descuido para algo ruim acontecer. Mas é triste constatar que acidentes desse tipo poderiam ser facilmente evitados, bastando a interdição de lugares que não respeitam as normas de segurança. Que visam, antes de tudo, o lucro. E se esquecem da importância de seguir as regras. Há algo que se possa fazer para evitar que pessoas continuem agindo de forma irresponsável e matando ou colocando em risco tantas vidas? Denunciar seria suficiente? Sair nas ruas batendo panela surtiria algum efeito? Tornar as leis mais rígidas seria uma opção? Que medidas são necessárias para fazer com que esse “jeitinho corrupto de ser” de nosso povo se modifique? Será que a solução de problemas desse tipo poderá ser encontrada somente no futuro longínquo? Essa questão vai, provavelmente, requerer a adoção de diferentes e variados enfoques. De qualquer forma, quanto mais cedo encararmos a questão, maior a probabilidade de entendê-la e de se estar mais bem preparados para administrá-la. Esta é, definitivamente, uma tarefa para muitos.

Cláudia Prates educar@revistaeducar.com.br Cláudia Prates (Educar)

EDITORA Cláudia S. Prates JORNALISTA RESPONSÁVEL Lúcio Flávio Filho (MTB 21.441) ARTE Cláudia S. Prates Rique Dantas COLABORADORES desta edição Auxiliadora Mesquita / Gabriela Queiroz Aline Magagnin / Diana Demarchi / Mario Gonsales Ishikawa REVISÃO Vânia Dantas Pinto CONTATO COMERCIAL: 48 8845.7346 comercial@revistaeducar.com.br IMPRESSÃO 47 9143.4416 (Fábia) ou 47 9181.4223 (Andrei)

www.impressul.com.br

•As opiniões veiculadas nos artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da revista. Os artigos e os anúncios publicados são de total responsabilidade de seus autores e/ou suas empresas. •Não é permitida a reprodução de qualquer conteúdo desta publicação sem prévia autorização da editora. •A Revista Educar, publicação mensal da Pequeninos Revista Educativa Ltda, tem tiragem atual de 9.000 exemplares e é distribuída gratuitamente em diversos pontos de Joinville, Florianópolis e São José. •Para assinatura, sugestões, críticas ou elogios, envie e-mail para: educar@revistaeducar.com.br ou entre em contato pelo nosso site www.revistaeducar.com.br

Nossa Capa Foram algumas horas de poses, abraços e sorrisos sinceros. O ensaio para a capa desta edição não poderia ter sido mais feliz - Suyanne Quevedo, Edmilson Ortiz, Vitor e Leonardo nos proporcionaram momentos inspirados e merecem nosso eterno agradecimento. Valeu, pessoal! Fotos: Graciela Lindner Figurino: Malwee / Enfim / Carinhoso Local: AABB Coqueiros, Florianópolis

www.gracielalindner.com


Seu filho já está pronto para mais uma temporada de aprendizado?

Cores e modelos podem variar de acordo com o estoque

mochilas

copos lancheiras

garrafas

Rua XV de Novembro, 1693, América Todays BABY Center JOINVILLE / todaysbaby@terra.com.br (047) 3422.1737


Artesanato

Maos criativas tem nome: Acredito em uma educação na qual a participação dos pais é fundamental para o desenvolvimento emocional e intelectual da criança. Aqui em casa nós dedicamos muitos momentos do dia a dia para brincar e, ao mesmo tempo, ensinar nosso filho. Nessas brincadeiras, procuramos juntar elementos educativos como a reciclagem e a importância do trabalho em equipe com aspectos lúdicos voltados para sua realidade, enfatizando sempre a imaginação. Foi durante as férias, depois de uma pequena crise de tédio, que surgiu a ideia do blog “Feras em Férias!”. Nossa primeira aventura foi a criação de dedoches de feltro. Os personagens foram escolhidos por meu filho, e fazem parte de seu interesse atual.

na outra - não se esqueça de deixar um pequeno orifício para o dedo passar. Depois de secos, é só deixar a imaginação tomar conta e preparar-se para grandes espetáculos protagonizados por fofas mãos infantis. Esses momentos servem não só para entreter uma criança durante as férias ou o feriadão, mas também para aproximar pais e filhos em um cotidiano tão corrido como o que vivemos! .

O trabalho com feltro me atrai por ser versátil e ter um custo baixo. Preparei tudo de forma que ele pudesse participar o máximo possível da produção e execução. Fotos Arquivo Pessoal

Gostou da ideia? Então mãos à obra! Para esses dedoches, você vai precisar de: -Feltro na cor dos personagens escolhidos, cola para tecido, tesoura, canetinhas para alguns detalhes e moldes (os de Angry Birds estão disponíveis para download em www. inventare.com.br)

Como fazer: Depois de tudo preparado, basta passar a imagem dos moldes para o feltro. Em seguida, recorte e cole os pequenos detalhes como os olhos, a boca, o nariz e/ou as roupas, dependendo do personagem. Para finalizar, cole uma parte

Diana Demarchi adora a casa com cheiro de bolo, a mesa cheia de crianças e a vida repleta de risadas. Escreve no blog www.inventare.com.br as aventuras que divide com o filho Bernardo e em breve com Natália também.


Linguagem

Violência

Nos últimos dias, infelizmente, as mídias nacional e internacional têm transmitido demonstrações de violência que envolvem crianças. Pais, é importante que vocês tenham a iniciativa de conversar sobre o assunto com os pequenos. É um tema difícil, árido, mas fundamental de ser abordado no processo educacional e que certamente contribuirá para o amadurecimento do seu filho. Sempre, claro, tenha cuidado com a linguagem, o vocabulário, que será usado para dar a mensagem.

Gratidão

O início de janeiro, dia 6 especificamente, é dedicado à gratidão. A máxima de que gentileza gera gentileza e que agradecer as pessoas por terem tido um bom comportamento ou por terem agido bem com você não é moda, mas, sim, uma atitude essencial nas boas relações. Ser grato não depende de hierarquia, idade, raça, cor, sexo, etc. É um hábito “antiquado” mas, nada é capaz de substituir esta palavra educada: “obrigada/o!”. Além de soar bem, gera belíssimos resultados nas relações sociais. Incentive esse hábito na garotada. Faz bem!

Exageros

Nem mais, nem menos. O ideal é sempre buscar o equilíbrio. Isso vale também para críticas e elogios, para dizer sim e não, para aceitar ou recriminar. Ou seja: na educação, na conversa, no dia a dia, papais e mamães, cuidem para não

Educar • Fev/2013

pecar pelo excesso. Prejudica em todos os sentidos, a vocês e aos pequenos. Uma linha tênue separa esses parâmetros de “mais” ou “menos”, mas é uma tarefa bem interessante. E, mais que isso, é um exercício diário de compreensão e amor.

Timidez

Comunicar-se é uma habilidade fundamental na vida do ser humano e acompanha o crescimento e o amadurecimento. Seja pelos gestos, pela fala ou através do silêncio, os pequenos sempre encontrarão um jeitinho de dar o seu recado, inclusive a partir do silêncio, que pode prevalecer. Nesse caso, atente-se a personalidade do seu filho. Ele pode estar dando sinais de que é tímido. Isso não representa necessariamente um problema. É uma oportunidade que aparece para você compreender uma maneira diferente de expressão que, como as outras, precisa ser respeitada. Tudo tem seu tempo.

Opinião

Se você tem dúvidas ou sugestões sobre a comunicação na educação do seu filho ou aluno, participe da Comunica! Entre em contato comigo (gabrielaqueiroz.jornalista@gmail.com). Sua participação é sempre muito bem-vinda! Gabriela Queiroz

Jornalista

5


Educação


Educar • Fev/2013

Na família patriarcal, o poder era claro e forte: pertencia ao pai e somente a ele. Todos da casa obedeciam sem pestanejar. Muitas mudanças ocorreram no mundo e essa história de superpoderes foi abandonada. Em seu lugar, surgiram pais mais tolerantes. E no lugar do mando e do medo, a chance de afeto genuíno. As mães também tiveram que descobrir um novo lugar, combinado com suas funções no mercado de trabalho. Essas mudanças (tão boas!) parecem dar lugar às vezes a uma grande “bagunça” de papéis, com resultados nada animadores para o desenvolvimento das crianças. No lugar do pai ditando regras, algumas crianças parecem viver em completo desregramento. Ou tomam o poder para si. Seus desejos e vontades são uma ordem . E ai de quem disser o contrário... Tem gente que acha que não há nada de errado com isso. Afinal, seriam só crianças agindo como crianças. Mas a maioria dos estudiosos sobre educação infantil concorda que limites são fundamentais para a criança se sentir segura e feliz. E para conseguir superar as etapas de seu crescimento de maneira produtiva e saudável. Se os pais têm dificuldade em assumir seus papéis de pais, a criança ficará “sem pai nem mãe”. Essa dificuldade em agir como pai ou mãe pode vir de muitos fatores. A imaturidade pode levar alguns a imaginar que frustrando os filhos perderá o amor deles. O cansaço em meio a tantas exigências do mundo do trabalho e de nosso estilo de vida atual pode fazer com que os pais simplesmente “deixem para lá”. A falta de experiência em observar ou ajudar a cuidar de crianças gera insegurança e pode fazer alguns se sentirem “perdidos”. E até mesmo traumas com sua própria educação

autoritária podem fazer com que os pais se vejam incapazes de dizer não ou privar os filhos de algum desejo. Junte a isso o bombardeamento constante sobre o que está certo ou errado ao lidar com crianças. E ainda tem a legislação, que faz com que os pais temam ser tachados de negligentes ou cruéis. Pais e mães se veem obrigados a fazer a coisa certa, na idade certa e nas condições certas para garantir que seu filho se torne um adulto perfeito. De volta ao mundo dos humanos, precisamos colocar os pés no chão! Crianças são seres vulneráveis, mas não incapazes. E o estilo de educação varia de família para família, baseado em valores e ideias dos pais e até na própria personalidade de cada criança. Não existe um jeito único de educar que seja válido para todas as famílias e todas as crianças. O que não dá é fingir que não se é pai ou mãe. Pais não são “amiguinhos”. E se é poético dizer que as crianças “é que sabem das coisas”, o adulto é, sim, a pessoa mais capacitada a tomar decisões. Não que você seja infalível, mas alguns anos a mais de estrada devem ter mostrado a você alguma coisa sobre o mundo, não? Por isso, se não sabe o que fazer ou como, procure ajuda com colegas, parentes, profissionais ou bons livros sobre o assunto. E lembre-se: crianças da espécie humana não se educam sozinhas. Fomos mais longe do que qualquer outro animal já existente só porque temos por perto alguém que nos corrige quando estamos errados e nos incentiva quando acertamos. Nessa história de milhares de anos, chegou sua vez de fazer sua parte. Capriche!

Auxiliadora Mesquita Pedagoga

7


Informação útil para todos

Apresenta

Vivendo melhor com o lixo. Lixo em todo lugar. Por Auxiliadora Mesquita

Lixo é parte da vida – agora mesmo enquanto você lê este texto, processos sem fim dentro de seu corpo estão separando o que é útil para suas células. O que não for útil vai ser descartado. E quando bate a vontade do descarte, você sabe que não vai conseguir adiar para sempre, certo? Lixo é isso: o que sobra de processos naturais ou artificiais.

Aí é que entram os famosos 3Rs: REDUZIR, REUTILIZAR e RECICLAR. Muitas indústrias já descobriram maneiras inteligentes de dar novo destino a restos de sua produção. Aparas de fralda viram tapetes, pontas de tubos se transformam em telhas e outras sobras podem gerar energia. Essas inovações ainda aumentam a renda!

Em nossa vida produzimos bem mais do que o “número 1” e o “número 2”. Nossos processos de produção e consumo são complexos, variados e numerosos. E somos bilhões compartilhando o planeta. Alguns de nós produzem mais lixo, outros menos, conforme nossos hábitos e condição econômica.

Já nosso lixo doméstico – que no Brasil corresponde a pouco mais da metade das mais de 200 mil toneladas que produzimos todos os dias - ainda vai quase todo para um aterro ou lixão. Não é tão complicado enfrentar nosso lixo quando a família se prepara e o gesto vira hábito.

O que não muda é o problema que nosso lixo gigantesco é para nosso mundo. Muito do que produzimos demora anos para se decompor. E enquanto isso acontece, outro lixo surge dessa decomposição, poluindo solo e água, contaminando plantas, animais e nos deixando doentes.

Com informação e organização, podemos REDUZIR, REUTILIZAR e RECICLAR materiais que usamos em nosso dia a dia. Veja as sugestões:

VIDRO

PAPEL

METAIS

PLÁSTICOS

ORGÂNICOS

ELETRÔNICOS

Comprar só o necessário; utilizar refis e retornáveis

Comprar ou solicitar/imprimir só o necessário

Comprar só o necessário; utilizar refis

Comprar só o necessário; utilizar refis

Comprar só o necessário; utilizar tudo o que comprar

Avaliar a necessidade de substituição

Conservar outros alimentos, usar como objeto de adorno, embalar presentes, etc

Fazer blocos de rascunho, capas de livros e cadernos, forrar gavetas, proteger objetos em transporte, fazer enfeites e brinquedos, papel machê, etc

Organizar outros objetos na casa, transportar objetos e conservar produtos. Fazer enfeites e brinquedos

Organizar outras coisas na casa, transportar objetos e conservar outros produtos. Enfeites e brinquedos.

Doar roupas e calçados. Utilizar tecido para fazer capa de almofada, bolsa, colcha ou revestir objetos. Usar como pano de limpeza.

RECICLAR (coleta seletiva) Existem indústrias que utilizam esses materiais?

Garrafas de bebida, frascos em geral, potes de alimentos, copos

Papel de escritório, caixas em geral, papelão, jornal, revista, livro, lista telefônica, cadernos, papel cartão, cartolina, embalagem longa vida

Latas de alumínio, latas de alimentos, tampas de garrafa.

Sacos e sacolas, cds, disquetes, embalagens de produtos de limpeza, garrafas PET, canos e tubos, plásticos em geral

LIXO Ainda não sabemos o que fazer com esses: que pena!

Espelhos, cristais, vidro de janela, vidro de automóvel, lâmpadas, ampolas de medicamentos, cerâmica, porcelana, tubos de tv e de computadores

Carbono, papel vegetal, termofax, celofane, papel encerado ou plastificado, papel higiênico, lenço de papel, guardanapo, fotografia, fita e etiquetas adesivas

Clipes, grampos, esponja de aço, tachinhas, pregos e canos.

Plásticos termofixos de eletroeletrônicos e letrodomésticosplástico metalizado (embalagem de salgadinho)

REDUZIR Preciso disso?

REUTILIZAR Posso usar para alguma coisa?

Esse tipo de lixo sempre deve ser descartado em postos apropriados.

Destino e tratamento adequado pelos órgãos públicos da cidade!

Esse tipo de lixo não deve ser colocado no lixo comum. Leve a algum posto de coleta apropriado.


DVD e SORTEIO

Educar • Fev/2013

Conheça a trupe Em forma de animação 3D, essa é a mais nova turminha animada, feita com muito carinho e dedicação por uma equipe extremamente comprometida com o bemestar dos pequerruchos. As músicas têm como cenário histórias divertidas e educativas, e são interpretadas pela turminha mais fofa que você já viu. “Os Pequerruchos” é entretenimento para toda a família, ele foi feito para garantir a diversão tanto dos pequerruchos, quanto dos papais, titios e avós.

O projeto O principal objetivo do projeto é resgatar e promover as canções infantis populares brasileiras. As animações contam com uma turma de personagens, que acompanham e interpretam as músicas seguindo um enredo preparado com elementos visuais lúdicos e didáticos para a audiência infantil. Também é possível saber mais

sobre o projeto no site que é animado e interativo, nele é possível conhecer toda a turminha, assistir vídeos, baixar conteúdos exclusivos como papéis de parede e seguir a turminha pelas redes sociais, para ficar por dentro das novidades, lançamentos e promoções. www.ospequerruchos.com.br www.facebook.com/ospequerruchos www.youtube.com/ospequerruchos

Sorteio Vamos sortear 5 DVDs dos Pequerruchos! Para participar, basta enviar um e-mail até o dia 4 de março de 2013 para promocao@revistaeducar.com.br. Não se esqueça de escrever no assunto: Educar & Pequerruchos. Informe também seu nome completo, seu telefone e a cidade onde mora.

9


Saúde bucal

Crianca pode usar

aparelho ortodontico? É comum pais ouvirem de dentistas que seus filhos têm a mordida cruzada ou aberta. E que esse problema é decorrente de hábitos como a respiração bucal, sucção de dedo e/ou chupeta. Para corrigir esse tipo de problema, a indicação é o uso de aparelhos móveis ou fixos. Quando isso é adiado, outras questões podem surgir, como os problemas na articulação temporomandibular, istockphoto na fonação, na mastigação e na estética, podendo levar a criança a sofrer bullying, na escola. O tratamento deve ser realizado no momento adequado – e é aí que entram a Ortodontia e a Ortopedia Facial dos Maxilares, que atuam de maneira precisa e rápida, solucionando esse tipo de problema e devolvendo, à criança, a função de fala adequada e a melhora estética. Os pais devem ficar atentos e levar seus filhos ao ortodontista com frequência, para que seja realizada uma análise enquanto a criança estiver trocando os dentes, e não quando já tiver todos os dentes definitivos. Posteriormente, consultas frequentes deverão ser realizadas para controle. A idade ideal para a primeira consulta ao ortodontista é por volta dos 7 anos de idade. A criança será avaliada em vários aspectos: respiração, fonação, mastigação, hábitos, problemas genéticos, trocas dentárias. Exames radiográficos podem vir a ser solicitados para complementar o diagnóstico.

Hoje em dia há uma gama de aparelhos ortodônticos que não causam dor nem desconforto. E são esteticamente bonitos. O conceito de que tratamento ortodôntico é dolorido e desconfortável está ultrapassado. A consulta costuma ser agradável e rápida. Usando materiais de qualidade, o resultado é ótimo. Há também uma nova técnica sendo utilizada por nós, ortodontistas, que faz com que o aparelho fique quase que imperceptível aos olhos de todos - o Invisalign, usado tanto em crianças como em adultos, é praticamente invisível. Elaborado por computador e técnicas de última geração, é um tratamento muito preciso e eficiente, sem causar qualquer desconforto, sendo possível ser retirado para a alimentação e a higienização. . Cynthia Napoli é mãe e ortodontista (CRO 4536). Ela atende adultos, crianças e adolescentes em seu consultório, na Av. Rio Branco, 847, sala 303, centro, Florianópolis / (48) 3322-2222


Moda

Educar • Fev/2013 11

Mami Canguru

essenciais: material lavável por dentro e por fora, trocador portátil e bolso para mamadeiras.

Fique por dentro das novidades do mundo infantil

Mommy bags Quem tem bebê sabe que sair de casa é uma tarefa que requer organização. As “mommy bags” estão renovadas e fazem bonito em qualquer lugar. Escolha uma com o seu estilo, mas atente-se a detalhes

All Star

Engana-se quem pensa que a febre dos relógios que trocam pulseiras já acabou. A indústria nacional continua inovando, e agora já há opções em parceria com os criadores de animações infantis. São kits que vêm com pulseiras ora temáticas, ora lisas. Para ninguém perder a hora nesta volta às aulas!

Tênis tradicionais são a escolha dos pais para a volta às aulas O ano finalmente começa de verdade a partir de fevereiro. É hora de voltar à rotina, comprar uniforme, material escolar, calçados que durem, durem... pelo menos por seis meses, não é mesmo? Fiz uma pesquisa rápida entre os pais, e a maioria me relatou que, quando o assunto é calçado para o colégio, opta por modelos tradicionais e resistentes. Com biqueira de borracha, eles duram mais. Dica anotada?

Aline Magagnin é mãe, advogada

Lilica Ripilica

e responsável pelo site Mami Canguru, que aborda assuntos infantis: moda, brinquedos, festas e novidades em geral.

Grife italiana em Florianópolis A grife italiana Monnalisa, que tem como seu público alvo meninas que vestem entre 0 e 16 anos, está com uma loja linda na travessa Stodieck, próxima ao Beiramar Shopping. Presente em mais de 50 países, a marca é vendida em suas flagships localizadas em Milão, Florença, Roma, Catania, Nova Iorque, Sidney e Baku e em corner shops e lojas de departamento mais exclusivas do mundo.

Fotos divulgação

Mariner

Relógios que trocam pulseira continuam em alta para os pequenos

Monnalisa Floripa Travessa Stodiek, 21 Telefone: (48) 3333.1140


Eventos para os papais

Diversao nos palcos de Floripa Cris Pereira ponto Show é um espetáculo de humor composto por seis personagens hilários criados e interpretados pelo ator, e que tem como ponto forte o retorno aos palcos do fenômeno da internet “Jorge da Borracharia”. Seis criaturas delicadamente selecionadas para este projeto que promete levar o público às mais sinceras e prazerosas gargalhadas.

Melhores do Mundo em NOTÍCIAS POPULARES

Fotos divulgação

Cris Pereira ponto Show

Teatro Ademir Rosa - CIC Quinta-feira, 21 de Fevereiro, às 21h. A comédia, como consta no texto postado no site do grupo, reúne “alguns dos mais emblemáticos quadros da cia. e ganhou amplo reconhecimento nacional quando Joseph Klimber saltou de uma entrevista do ‘Programa do Jô’ para se tornar um dos maiores virais da Internet”. Teatro Ademir Rosa - CIC, 02 e 03 de março (Sábado às 21h30 e Domingo às 20h)

Andrew Bird O americano Andrew Bird é um aclamado compositor e multi-instrumentista, violinista desde os 4 anos de idade e muito influenciado pelo folk e pelo blues do interior dos EUA. Em 2012, lançou dois discos: “Break It Yourself” no início do ano e “Hands of Glory”, sétimo de sua carreira solo e totalmente acústico. Teatro Pedro Ivo, 22 de fevereiro, às 21h

Ingressos para estes três eventos estão disponíveis na bilheteria do CIC / PEDRO IVO, no quiosque Blueticket Shopping Beiramar e no site www.blueticket.com.br. Realização Orth Produções www.orthproducoes.com

ey Vem aí Nsso! o Matogr


Interação entre pais e filhos

Educar • Fev/2013

A mascotinha da Revista Educar

Tema desta edição: Conteúdo Auxiliadora Mesquita Arte Rique Dantas / Cláudia Prates

Fotografia

Deve ser impossível achar em nosso mundo ocidental alguém que nunca posou para uma foto. E nossas crianças então? Certamente estão entre nossos “modelos” favoritos! A fotografia é tão presente em nossas vidas que nem nos lembramos de que é um processo técnico. E para alguns é até uma arte profunda. Para a maioria de nós, ela é o registro afetuoso e bem humorado de momentos que nos tocaram e queremos preservar. Além disso, a fotografia tem a capacidade de nos fazer “olhar” as coisas e pessoas que nos rodeiam de uma maneira especial.

Para as crianças é uma chance única de conhecerem seu próprio olhar sobre as coisas. Pois quando ela escolhe o que fotografar, está mostrando o que acha bonito, interessante ou importante para ela. Que tal deixar seus pequenos experimentarem essa maneira divertida (e fácil!) de conhecer o mundo e a si mesmos?


Hist贸ria infantil

O Album de fotos da Pipoca


Curiosidades e sugestões

Educar • Fev/2013

Voce sabia? ●Fotografia é uma palavra formada por duas palavras da língua grega: foto (que quer dizer luz) e grafia (que quer dizer desenho). Fotografar é desenhar com a luz! Para fotografar é preciso deixar que a luz entre por um orifício (um buraquinho) numa câmera escura. A luz passa pelas lentes, ficando guardada lá dentro da máquina a imagem do que foi fotografado.

necessário copiar as fotos num papel especial também. Era demorado, mas divertido – e tinha que ser feito tudo no escuro, pois a luz poderia estragar todas as fotos! ●Com as máquinas digitais não dá para estragar as fotos (ainda bem!). Você fotografa e vê se quer ficar com a foto ou não. Depois, é só passar para o computador. Também pode mandar imprimir as fotos em papel. E se divertir mostrando para os amigos ou até olhando sozinho! Fotografar é sempre uma aventura. Que tal experimentar?

●O difícil era deixar essa imagem fotografada registrada para sempre. Muitas pessoas experimentaram com substâncias e materiais diferentes até descobrir um jeito de funcionar. Nas máquinas antigas, um rolo de material especial (o filme) ficava dentro da máquina guardando as imagens. Depois de tirar as fotos, era preciso dar banhos nesse filme com produtos químicos – era a “revelação”. E ainda era

Achei pra voce! PaperCam Pinhole

www.banana

D iv u

lgação

É uma câmera fotográfica de papel para montar! Utiliza rolo de filme de 35mm e faz fotos pelo processo de pinhole – um buraquinho na frente deixa a luz passar. Para esse tipo de foto é preciso uma longa exposição, mas a máquina vem com as explicações necessárias. Só é preciso cola, régua e lápis para montar. Não vem com o filme e depois você terá que mandar revelar. Mas em nossa era digital, com resultados visíveis imediatamente, é uma experiência diferente para crianças e adultos.

Câmera digital infantil DotCom

●Voltando das férias, você vai ter muitas novidades para contar a seus colegas. E vai ouvir muitas histórias novas também.

fot

o .c

om

Livro Ei, vamos tirar uma foto?

Texto e ilustrações de Mariana Haddad. Editora Autêntica.

Um menino e uma menina querem tirar fotos dos animais do sítio da vovó. Para isso, vão chamando os animais, um a um, pelo som que normalmente os reconhecemos: pocotó, pocotó; miau; muuuu e assim por diante. Só com a foto pronta é que os animais recebem seus nomes verdadeiros! Diversão garantida para os pequeninos.

Câmera digital com recursos básicos e fácil de manusear, além de vir com personagens queridos da garotada! Do mesmo fabricante, também existem versões Toy Story e Princesas para minicâmeras digitais.


BERÇÁRIO - EDUCAÇÃO INFANTIL - ENSINO FUNDAMENTAL

a r a p o d a r a p e r p o Seu filh s e d a d i n u t r o p o um mundo de 1

06/01/10

10:38

AN SCH

C

M

OL

AM

C I R

O

E

Logo_final.pdf

Y

CM

MY

CY

CMY

FL

O

anópolis

Ames Flori

RI

IS

K

ANÓ

PO

L

Na Ames o inglês e o portu guês se combinam para fo rmar alunos cidadãos do mundo , cientes de sua responsabi lidade, líderes de comunidade, ec ologicamente responsáve is e conhecedores de divers as culturas internacionais.

UNIDADE CENTRO Rua Crispim Mira, 351 (048) 3025.1231

UNIDADE JURERÊ INTERNACIONAL Av. das Raias, 308 (048) 3284.8985 / 3284.8996


Palavra de Pai

Nos últimos meses, a violência tem tido maior destaque na mídia. Santa Catarina, mesmo com sua qualidade de vida acima da média nacional, não ficou de fora. Estamos acostumados a ouvir sobre ataques violentos em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, mas quando acontece do nosso lado, tão perto, colocamo-nos a refletir sobre o mundo em que vivemos e criamos nossos filhos. No entanto, mesmo com o problema ao nosso lado, ainda nos distanciamos. Desejamos que não aconteça com ninguém conhecido, e que a polícia resolva.

MAS O QUE NÓS, CIDADÃOS COMUNS, PODEMOS FAZER PARA AJUDAR A RESOLVER? Sabemos da corrupção da política no Brasil - há pouco tempo apareceu uma manchete em que a FIFA afirma que somos um país de corruptos. Também em um estudo de 2006 foi levantado o número de multas dos diplomatas em serviço na ONU em Nova York para correlacionar com a corrupção. À época os veículos eram multados, porém o pagamento não era obrigatório e não havia consequências. Países como Canadá e Japão não tiveram nenhuma multa enquanto o Brasil registrou uma média de 30 multas por diplomata a cada ano.

Podemos mudar agindo com educação e gentileza, mas cabe também ao governo garantir a segurança e a fiscalização. Em Nova York foi implantada, na gestão de Rudolph Giuliani, a politica de tolerância zero contra crimes considerados

Educar • Dez/2012 17

pequenos, aplicando a chamada Teoria das Janelas Quebradas. A teoria diz que, se um prédio possui algumas janelas quebradas que não são reparadas, a tendência é que vândalos partam mais janelas. Posteriormente poderão invadir o edifício ou incendiá-lo. Giuliani queria modificar a impressão pública de que Nova York era uma cidade muito grande para ser gerenciável. O combate foi forte contra crimes leves e fáceis de resolver, tais como pichar muros e viajar de metrô sem pagar. A reação inicial foi negativa, porém observou-se, de imediato, uma diminuição nos crimes, tanto leves quanto graves, e um declínio constante dos índices por dez anos seguidos. O povo passou a ter um sentimento de justiça, e Nova York tornou-se a cidade grande mais segura dos EUA. Enquanto colocamos nossos filhos nas melhores escolas e nos preocupamos com a violência que está do nosso lado, não podemos, ao mesmo tempo, fechar os olhos para os “pequenos” problemas da nossa sociedade, tais como estacionamento irregular em vaga para idosos e sonegação de impostos. Ao permitir ou praticar tais atos, estamos, como pais, perpetuando valores ocultos através da forma mais eficaz de ensino - o nosso exemplo. Mario Gonsales Ishikawa

Editor do blog Diário dos Papais www.diariodospapais.com.br mario@ishikawa.com.br @diariodospapais


Educação

Os Super-Herois

da Educacao

Educar é um processo lento e gradual. Cada pessoa aprende e se comunica de maneira diferente. Não existe um modelo ou técnica de educação que sempre dá certo, uma fórmula secreta. A educação é um ser vivo, assim como nós, os educadores, e as crianças, os educandos, que sofrem ações e reagem, cada um a seu modo. Orientar a nossa prática com base no respeito e no amor é a melhor diretriz que se pode tomar ao educar uma criança, a que nos permite ter mais controle do processo educativo. Por isso, tomar atitudes baseadas em dedicação, coerência, escuta, rotina e limite - os super-heróis da educação -, ajuda e muito na hora da dúvida e da incerteza.


Educar • Fev/2013 19

Dedicacao

Um educador dedicado vai conseguir focar seu olhar, respirar fundo e tomar atitudes racionais, mesmo nos momentos de cansaço, irritação e relaxamento. Ele não vai deixar as suas vontades e necessidades falarem mais alto. Priorizar a educação é fundamental.

Coerencia

Limite

A criança sem limite pensa que pode fazer tudo o que quer. Quando, na realidade, não pode. Não dar limite a uma criança é postergar um aprendizado que ela terá que assimilar mais cedo ou mais tarde. E quanto mais tarde, mais difícil será para quem ensina, mas, principalmente, para quem aprende. Ensinar o que é certo e errado é essencial.

Se as ações educativas forem coerentes, a criança vai entender e respeitá-las com mais facilidade. Mesmo as crianças pequenas questionam as regras. Por isso, ser claro e coerente vai ajudá-las a aceitar as normas, mesmo que não concordem ou não tenham maturidade para compreendê-las.

Os super-heróis da educação não nos dizem “tim-tim por tim-tim” o que fazer, mas nos fazem pensar se nossas atitudes estão a favor ou contra a educação. Refletir, dia a dia, no que estamos passando e ensinando às crianças nos dá mais segurança para relaxar, curtir e aprender com os pequenos.

Escuta

Afinal, educar exige comprometimento, mas é uma delícia e vale todo o esforço!

Não é porque somos adultos que sabemos tudo, podemos aprender e muito com as crianças. Assim como os pequenos, somos seres humanos em constante evolução. Por isso, parar e ouvir o que eles têm a dizer pode ser muito produtivo, tanto para a educação, quanto para nosso desenvolvimento pessoal.

Humildade

Ter humildade para pedir desculpas ou mudar de atitude, sempre que necessário, é uma ótima maneira de dar o exemplo do que fazer quando erramos, afinal somos humanos, não acertamos sempre.

Rotina

Criança precisa de rotina para se alimentar, dormir, brincar e estudar. Uma criança sem rotina é, geralmente, mais ansiosa, inquieta e, provavelmente, vai ter mais dificuldades em seguir as regras justamente porque nunca sabe o que vem a seguir. Não sabe o que esperam dela e, dessa forma, como deve se comportar.

Fernanda M. de Moura Pedagoga e responsável pela Escola Infantil Espaço Crescer (Florianópolis). contato@espacocrescerfloripa.com.br


Nutrição e Saúde

Obesidade

Infantil: a maior epidemia da historia

As estatísticas demonstram que a obesidade infantil está crescendo rapidamente no Brasil. Dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (2008-2009) confirmam que uma em cada três crianças entre 5 e 9 anos está acima do peso. Em cerca de 30 anos, o excesso de peso passou de 3,7% para 21,7% em meninos de 10 a 19 anos e, de 7,6% para 19,4% em meninas da mesma faixa etária. A pesquisa também aponta que o excesso de peso e a obesidade são encontrados com grande frequência, a partir dos 5 anos, em todos os grupos de renda e regiões brasileiras. Os principais fatores que levam ao aumento de peso na infância são as mudanças nos padrões alimentares das famílias e a redução da prática de atividade física. Para ilustrar, acompanhe o dia a dia de uma criança: ela se alimenta basicamente de produtos industrializados ricos em gorduras, açúcares, sódio e aditivos químicos; frutas e verduras raramente estão presentes na sua alimentação; passa horas e horas sentada à frente do computador; e, geralmente, faz as refeições assistindo à televisão.


Educar • Fev/2013 21

Algumas das acoes sao:

1 em cada 3

criancas esta acima do peso Esse cenário comumente encontrado nos lares brasileiros favorece o aumento da obesidade infantil, hoje tratada como uma epidemia. O excesso de peso durante a infância é uma das principais causas da obesidade na vida adulta, além de estar associado ao aumento do risco de doenças crônicas (diabetes, cardiopatias, etc) e do comprometimento do crescimento e do desenvolvimento infantil. Diante disso, o poder público elaborou um plano de ações com o objetivo de reverter esse cenário.

Acordo com a indústria para reduzir o percentual de sódio e de açúcar dos produtos, implantação de cantinas saudáveis e prática de atividade física no contraturno escolar. Mas, é necessária a conscientização das famílias, das escolas e de toda a sociedade para obtermos resultados positivos. O primeiro passo a ser dado é informar a população dos malefícios da obesidade, destacando que suas complicações vão além de problemas estéticos. As famílias precisam de orientação em relação ao que comprar e preparar para as crianças, precisam saber ler os rótulos dos alimentos. Hoje, o acesso à informação, principalmente para as crianças, está facilitado. Porém, que tipo de informação elas estão recebendo? E que discernimento têm para fazer suas próprias escolhas? Busque informações sobre como alimentar seu filho de maneira saudável (nós iremos auxiliá-lo através das nossas publicações. Mas, fique sempre à vontade para nos contatar). A partir do momento em que você se apropriar desses conhecimentos, as mudanças de hábitos irão acontecer.

Manoela Menegazzo (CRN 10 1410) e Daniela Muniz (CRN 10 1595) Nutricionistas e proprietárias da Doce Vida - Assessoria em Nutrição


Valores da Vida

Suyanne Quevedo

e Edmilson Ortiz:

compartilhando os mesmos valores na telinha e na vida Por Auxiliadora Mesquita

Você provavelmente conhece os dois há tanto tempo que eles já são “de casa” - Suyanne Quevedo apresenta o bloco catarinense do “Globo Esporte” desde 1999. E Edmilson Ortiz foi repórter do mesmo programa durante vários anos. Hoje é coordenador de reportagem da RBS TV e ainda apresenta o Vício Motor na TVCOM. Em comum, muito além da profissão e da empresa em que trabalham. Casados e pais de Vitor, de 9 anos, e de Leonardo, de 4, eles dividem a paixão pela carreira e o amor pela família de maneira equilibrada e tranquila. Suyanne começou na Rede SC em Florianópolis e também trabalhou na RBS em Criciúma, até chegar ao Globo Esporte. Edmilson foi repórter na imprensa gaúcha, seguindo depois para a TV. O destino – e muito trabalho – os uniu em Florianópolis, cidade que adoram por causa da presença da família e da qualidade de vida. Gostam tanto de Floripa que até combinaram de não deixar que a profissão os leve para longe. E o combinado tem dado certo, em todos os sentidos! Profissionalmente, a escolha da cidade não impediu nem mesmo que Edmilson cobrisse uma Copa do Mundo, sonho antigo do repórter apaixonado por futebol. E Suyannne, junto com o colega Giovani Martinello, dá o ar de sua graça diariamente em nossa telinha, com profissionalismo e descontração.


Educar • Fev/2013 23

A paixão pelo que fazem é verdadeira e está no trabalho e no dia a dia. Suyanne já disse acreditar que o esporte pode tornar a vida das pessoas mais prazerosa e até mudar a vida de muitos. E admite: “Sempre me interessei e acompanhei as notícias da área, principalmente no futebol!”. Já Edmilson é “boleiro” confesso, não perdendo o jogo com os colegas no fim de semana. Os dois também treinam em academia e correm regularmente com seus personal trainers.

a família. Também tem o Vovô Pedro e a Vovó Lena, sempre dispostos a buscar as crianças na escola. E até os “especialistas” em ajudar Suyanne e Edmilson na hora dos dois namorarem um pouquinho. “Temos sorte! Podemos sair sozinhos também e os pequenos ficam protegidos com a vovó Marlene, a tia Zelia, a tia Lulu ou os dindos Lico e Lelê, que se mudam pra nossa casa quando viajamos. É realmente uma equipe feita de muito amor!”.

Suyanne e Edmilson se conheceram no trabalho há doze anos, mas o romance demorou um pouquinho. E só aconteceu depois de uma brincadeira de amigo secreto! Brincadeira que se transformou numa linda família, unida e afetuosa. E que faz suas escolhas sempre pensando no bem estar de todos.

O trabalho e a agenda da família ainda deixam espaço para aproveitar bem a cidade. Os programas do quarteto incluem muita praia, uma ida ao parque de Coqueiros ou um bom cineminha. E, é claro, uma visitinha aos avós - “Acho um presente a gente poder conviver em família, com primos, tios, avós...”, diz Suyanne.

Esse afeto e união tornam o cotidiano mais tranquilo, mesmo com tantas obrigações. Edmilson pode fazer os próprios horários e Suyanne adora - “Ele consegue ficar bastante com a gente!”. Para Suyanne, trabalhar pela manhã, quando as crianças estão na escola, permite acompanhar os guris em tudo – natação, futsal, inglês e o que mais acontecer. Além disso, Suyanne confessa contar com anjos da guarda da melhor qualidade! Tem a Pati, que está há dez anos auxiliando

E nós também achamos um presente compartilhar um pouco da história desses dois com os leitores da EDUCAR. Mais do que profissionais competentes, são pessoas da melhor qualidade, que acreditam que a cooperação e a solidariedade são os valores certos para o trabalho, a família e a vida. Roupas: Malwee/Enfim/Carinhoso Fotos: Graciela Lindner


Variedades

Do forno..

Por Auxiliadora Mesquita

Pega na mentira!

Nenhum pai ou mãe gosta de ver seus filhos mentindo. Mas acredite: é um marco do desenvolvimento mental! A partir dos 4 anos as crianças vão aprendendo a mentir cada vez melhor, o que mostra que estão organizando as informações na sua mente de maneira nova e mais complexa. E desenvolver essa capacidade não quer dizer que sua criança vai se tornar um adulto mentiroso. Mas nem por isso você vai deixar seu pequeno se entusiasmar com seus novos poderes, certo? Algumas dicas para manter um ambiente propício à verdade em casa: ●Evite reações nervosas ou violentas quando a criança fizer alguma coisa errada – ela pode querer esconder de você o próximo erro.

Não corra. Ande!

Especialistas garantem: nosso jeito de falar com as crianças pode fazer toda a diferença entre sermos obedecidos ou solenemente ignorados. Segundo os estudiosos, uma das formas de se dirigir às crianças que menos funciona é a repetição de “nãos”. As crianças ouvem essa palavra tantas vezes (não faça/ não pode/ agora não) que passa a ignorar as ordens com a tal palavrinha. Solução? Pode estar na troca da negativa por uma firme afirmação, dizem os experts. Pense no que você quer que seja feito e então dê a informação como uma afirmativa. Ao invés de “Não corra!”, tente dizer “Ande devagar”. No lugar de “não coma depressa”, que tal “dê 10 (ou 20) mastigadas”. Experimente e veja se funciona com sua criança.

●Não pergunte aquilo que você já sabe que está errado pergunte como a criança vai fazer o certo! Ao invés de perguntar “Você já arrumou seu quarto?”, tente “Quando você vai arrumar seu quarto para eu dar uma olhada depois?” ●Reconheça para a criança que dizer a verdade é difícil e que é preciso coragem. Isso pode incentivá-la.


Educar • Fev/2013 25

Não é o coco, é o cocô mesmo – importantíssimo para saber se está tudo bem com seu bebê ou criança. Por isso, é fundamental para mamães e papais ficarem de olho na frequência, consistência e características da evacuação de seus pequenos. Bebês costumam evacuar em torno de 7 vezes ao dia, diminuindo aos poucos à medida que crescem. É importante lembrar que cada criança tem seu próprio ritmo de evacuação e, portanto, isso também deve ser respeitado. O importante é ver se algo sai fora do padrão – se começar a fazer menos ou mais do que normal é preciso descobrir porquê. Se o bebê está com fezes muito líquidas, fraquinho e prostrado ou evacuando fezes duras e pequenas também é sinal de alerta. E fezes com sangue ou muco ou com consistência gelatinosa exigem providências médicas urgentes.

Museu não é coisa de gente velha Visitar os museus da cidade é um programa diferente e divertido para fazer com as crianças. Além disso, a visita frequente aumenta as chances de que seu filho ou filha cresçam curiosos para conhecer outros museus, em viagens e até na internet. Em nosso Estado, duas boas opções que costumam encantar as crianças são o Museu de Ecologia Fritz Müller, em Blumenau, e o Museu Nacional do Mar em São Francisco do Sul. O Museu de Ecologia Fritz Müller expõe fósseis, animais taxidermizados, insetos e objetos utilizados por esse cientista, chamado por Darwin de “o príncipe dos

observadores”. Já o Museu Nacional do Mar mostra para as crianças vários tipos de embarcações e onde e como são utilizadas, com cenários e até esquetes teatrais. Imperdíveis! Museu de Ecologia Fritz Müller – Rua Itajaí, 2195, Vorstadt, Blumenau. Tel: (47) 3222-3189 Museu Nacional do Mar – Rua Manoel Lourenço de Andrade, s/nº, São Francisco do Sul. Tel: (47) 3444- 1868

Essa garota é uma princesa!

Todo mundo já sabe que Kate Middleton está grávida. Mas a Rainha Elizabeth decretou formalmente em janeiro que, se o bebê for uma menina, será oficialmente chamada pelo título de “Princesa”. Sob as regras do Rei George V, que perduravam até hoje, se o primogênito fosse um menino, recebia o título de príncipe e deveria ser tratado como “Sua Alteza Real”. Mas se fosse uma menina, seria apenas uma... “lady”. E só herda o trono quem é príncipe ou princesa, daí que a sucessão não se daria através da filha menina. Realidade distante de nosso dia a dia, esse é um passo grande na realeza britânica. Indica uma modificação nas regras da linha de sucessão ao trono. E só um detalhe: Kate já comentou que se vier uma menina, se chamará Diana.

Imagens Istockphoto

Olha o cocô aí, gente!


Carinho e conforto para seu filho

Adicione a MeuBebĂŞ Joinville e fique por dentro das novidades!

Rua XV de Novembro, 740, Centro Joinville - 047 3433.1624 / 3029.1624 ESTACIONAMENTO PARA CLIENTES AO LADO DA LOJA


Júlia

Larissa

Manuela

Maria Júlia

Leôni

Gabriel

Maio

Bernardo

Vitória

Alyssa

Davi

Nossa Cara

Você tem filhos e quer que eles participem desta seção? Envie foto(s) de boa qualidade para nossacara@ revistaeducar.com.br com as seguintes informações: nome completo e idade da criança, cidade, telefone, escola e nomes completos dos pais. Bruna

Murilo e Heitor

Você está preparado para ver seu filho brilhar?

Ambiente adaptado para crianças Acessibilidade e qualidade no ensino Segurança para os alunos Professores qualificados Essas e outras qualidades você encontra na unidade infantil da Arte Maior.

JOINVILLE

Matriz Unidade Infantil Rua Orestes Guimarães, Rua Lages, 59a, Centro 104, Centro 047 3433-8807 047 3028-8814



Revista Educar Fevereiro 2013