Page 1

Edição 103 • Ano 8 • Julho 2016 Distribuição gratuita e direcionada Impressão: Impressul Foto: Beta Bernardo Fotografia

www.revistaeducar.com.br


Educar • Julho/2016

EDIÇÃO 103 • ANO 8 • JULHO 2016

EDITORAS Cláudia Prates Priscilla Koerich

Editorial

Novos tempos

JORNALISTA RESPONSÁVEL Lúcio Flávio Filho (MTB 21.441)

“A mudança mais significante na vida de uma pessoa é uma mudança de atitude. Atitudes corretas produzem ações corretas.” Willian J. Johnson

ARTE Cláudia Prates Eduardo C. Motta

É nesse clima de transformação que eu me apresento a você, querido(a) leitor(a). Sou a mãe da Rafaella, esposa do Eduardo, psicóloga, educadora e apaixonada pelas pessoas e suas singularidades. Sempre acreditei que um mundo mais justo se faz com bons cidadãos, ótimos valores, honestidade e respeito às diferenças. Baseada em questões nas quais acredito, procuro criar minha filha para ser uma cidadã feliz, comprometida com as pessoas, com laços verdadeiros de amor e entrega. Quando nos tornamos mães e pais, não imaginamos o quão desafiador é criar um ser humano. Precisamos, ao longo de todo o caminho, de muita ajuda, muitas informações, bastante resiliência e estímulos.

COLABORADORES DESTA EDIÇÃO

Auxiliadora Mesquita Fernanda Moura Claudio Moreira Milena Luisa Adriani Borowsky

REVISÃO Cláudia Prates IMPRESSÃO www.impressul.com.br As opiniões veiculadas nos artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da revista. Os artigos e os anúncios publicados são de total responsabilidade de seus autores e/ou suas empresas. Não é permitida a reprodução de qualquer conteúdo desta publicação sem prévia autorização da editora. A Revista Educar, publicação mensal da Pequeninos Revista Educativa Ltda, tem distribuição gratuita e direcionada aos pais em inúmeros pontos comerciais e instituições de ensino de Joinville, Florianópolis e São José / SC. Para assinatura, sugestões, críticas ou elogios, envie e-mail para educar@revistaeducar.com.br ou entre em contato pelo nosso site www.revistaeducar.com.br.

PARA ANUNCIAR:

(48) 8845.7346 - (48) 9158.3342 comercial@revistaeducar.com.br

A Revista Educar entrou em minha vida para somar ainda mais – e posso afirmar que vai continuar a ser uma eficiente ferramenta no que diz respeito à árdua e maravilhosa tarefa de educar uma criança. Vou me empenhar, junto com meu marido, o melhor pai e profissional que conheço, e continuar a levar informações úteis, produtos e serviços de qualidade a cada um que nos acompanha. Vamos em frente com você e com todos os nossos parceiros que fazem com que tudo seja possível. Há 9 anos a Educar vem sendo comandada, com muita dedicação, pela Claudia Prates, a pessoa mais espetacular que já conheci. E posso afirmar que vamos dar continuidade às próximas edições com o mesmo amor e zelo. A você, minha amiga Claudia, meu muito obrigada pela confiança e pelo apoio. Continuaremos contando com você em edições futuras e desejamos à sua família, ao Caco e ao Bruno uma caminhada cheia de vitórias e descobertas! Que você continue a mudar a vida de tantos… assim como você mudou a nossa! Seja FELIZ! “Uma visão sem ação não passa de um sonho. Ação sem visão é só um passatempo. Mas uma visão com ação pode mudar o mundo.” Joel Backer Priscilla Koerich educar@revistaeducar.com.br

Revista Educar @RevistaEducar www.RevistaEducar.com.br

Claudia e Priscilla com os queridos Igor e Aline

Foto de capa: Beta Bernardo Fotografia

3


Índice

Faça você mesmo

O arraiá da familinha________________

Comportamento

Pais mimadores, filhos mimados______

Pipoca

Interação entre pais e filhos__________ Fotos: Beta Bernardo Fotografia

www.betabernardo.com

Fomos ao encontro de Igor Rickli, Aline Wirley e Antônio na casa onde moram, no Rio de Janeiro. Não cogitamos preparar uma superprodução para este dia – achávamos que os três, juntinhos, já dariam um ensaio fotográfico impecável. E não deu outra: as fotos, por si só, mostram a química incrível e o amor que essa família tem. E a matéria, igualmente linda, você encontra nas páginas 14 e 15 dessa edição. Esperamos que goste!

O segredo do jardim do futuro_______

PÁG.

Pipoca

14

PÁG.

Perfil

18

Empatia

Relação familiar

Carinho e amor em doses excessivas__

Galeria Nossa Cara

Confira as fotos mais que especiais___

PÁG.

Empatia

13 14

Perfil

Entrevista exclusiva com Igor Rickli e Aline Wirley______________

Nossa capa

08

20

PÁG.

Família

22

18 20 22 26


Variedades

Educar • Julho/2016

Por Auxiliadora Mesquita

Fonte: NY Times

O velho manuscrito…

Com as novas tecnologias ficou mais fácil e rápido escrever tudo – e muitas vezes, nem usamos o alfabeto, com emojis fofos por todos os lados. Mas será que a escrita à mão vai sumir definitivamente de nossas vidas? E será que isso importa? Há controvérsias, mas parece que escrever de próprio punho pode ter mais importância para nossa atividade cerebral do que supõem nossos teclados maravilhosos. Pesquisadores na França e nos Estados Unidos descobriram que crianças que aprendem a escrever à mão não só aprendem a escrever mais rápido como também parecem permanecer com uma habilidade maior de gerar novas ideias e reter informações. Os pesquisadores sugerem que o próprio fato de a escrita à mão não ser tão perfeita e “certinha” é o que contribui para que o cérebro tenha de trabalhar de maneira mais complexa.

Um quarto montessoriano Maria Montessori foi uma médica e educadora italiana que estudou o desenvolvimento infantil no começo do século passado e criou um método único de aprendizagem baseado em suas descobertas. Uma de suas principais ideias é a auto-educação, pois ela acreditava que bebês e crianças aprendem em contato com o espaço e o ambiente. Seus princípios são adotados em várias escolas no mundo inteiro e agora surgiu uma nova aplicação: quartos infantis seguindo esses princípios. E como seria o quarto montessoriano? Móveis e objetos têm que ficar ao alcance do pequeno, de acordo com sua faixa etária. Assim, o colchão fica no chão e os brinquedos podem ser alcançados de forma independente. O armário de roupas também deve ficar ao alcance para que a criança escolha sua própria vestimenta. Tapetes, espelho e barras na parede para ajudar a levantar e caminhar sozinhos completam a decoração.

Foto: Andrea Marques//Divulgação NaToca

Do forno

5


Variedades

Por Auxiliadora Mesquita

Nem só de historinhas vivem os pequenos!

Que tal uma garrafinha sensorial?

Fonte: www.greatschools.org

Todos sabemos que os pequenos adoram histórias cheias de imaginação e invenções. O mundo da fantasia dos livros infantis é uma riqueza que as crianças levarão para toda a vida. Mas e os livros sobre fatos, pessoas e coisas reais? Será que as crianças devem esperar uma idade “certa” para ler sobre eles? Muitos educadores garantem que apresentar aos miúdos, desde cedo, livros de não-ficção traz benefícios também. O melhor é começar por algo que interesse à criança: bichos, balé, bonecas, dinossauros, a lista é quase infinita. O funcionamento do corpo também costuma ser fascinante para todas as idades. O importante é que a criança se familiarize com esse tipo de leitura desde cedo, aumentando sua capacidade de interpretação e crítica de conceitos e ideias e iniciando os pequenos na trilha de leituras mais complexas.

Brasileiros de outros tempos curavam muitos males com garrafas cheias de ervas e raízes. Mas parece que as crianças também podem se beneficiar de “garrafadas” especiais para acalmar, descobrir e se entreter. São as garrafas sensoriais, brinquedo simples de fazer e muito gostoso de brincar. A ideia é muito simples: uma garrafa de plástico resistente, com tampa (melhor se a boca for mais larga). Água e alguma outra substância que deixe o movimento dos objetos mais lento – pode ser xarope de milho, óleo ou gel para cabelo, por exemplo. E objetos para colocar lá dentro, que vão ao gosto do freguês, de preferência bem coloridos e atraentes para sua criança. Misturados e se movendo dentro da garrafa, você vai se surpreender com o sucesso dessa garrafinha mágica.

Fonte: catraquinha.catracalivre.com.br

Do forno


Educar • Julho/2016

Fonte: http://www.dailymail.co.uk

O que você faria se a escola de seu filho confiscasse a merenda que você colocou para ele? Aconteceu no Reino Unido e a iniciativa tem gerado polêmica, apesar de ter sido apoiada pelo Ministério da Educação de lá, que desenvolveu um protocolo especial para a inspeção das merendas. O objetivo é eliminar do lanche das crianças alimentos gordurosos e açúcares em excesso. Muitos pais reclamaram que, apesar do “confisco”, as próprias escolas continuam servindo opções gordurosas e açucaradas para os alunos. Mas como no Reino Unido cerca de 20% das crianças de 4 a 5 anos já estão obesas, o assunto ainda vai render muitos prós e contras.

Fonte: www.parenting.com

Confisco de merenda

Salvando a espécie, um quadro por vez Uma menininha de 9 anos está fazendo a sua parte para salvar espécies de animais ameaçadas de extinção. Desenhando desde os 4 anos, a americana Bria Neff desenha e pinta seus animais e depois vende seus quadros, doando o dinheiro para organizações de conservação de animais. Até hoje, Bria já vendeu mais de 80 quadros e não planeja parar tão cedo. Para uma das organizações, Bria já conseguiu doar $1.600 dólares! Mas ela avisa: até o final do ano, quer chegar nos 3 mil dólares arrecadados.

7


E quem falou que o “arraiá” da sua familinha tem que ser apenas junino? Julho ainda é um mês perfeito para realizar uma festa tão colorida e alegre como esta.

Fotos: Milena Luisa

Faça você mesmo


Educar • Julho/2016

Quer montar um “arraiá” em casa mesmo? A minha sugestão é que você aproveite o quintal de casa, onde as crianças possam brincar e correr sem se preocupar. E que misture comidinhas bem caseiras, como bolo de milho, canjica e pipoca com as guloseimas tradicionais como paçoca, pé de moleque...

PARA CRIAR ESSA DECORAÇÃO VOCÊ VAI PRECISAR DE:

• Papéis coloridos para fazer as flores, as bandeirinhas, as lanternas e as mandalas de coração. Você pode criar esta decoração do tamanho e estilo que você mais gostar. • Papel crepom para fazer as tiras que decoram o portal de entrada do seu “arraiá” e você ainda pode aproveitar para espalhar mais cor pelo quintal. • Papel microondulado para montar a fogueira. Assim as crianças podem correr e pular sem medo de se queimar. • Pistola de cola quente e muito bastão de silicone. No site www.sementinhadegente.com.br e no Canal do YouTube tem alguns arquivos bem especiais para você baixar e imprimir como as lanternas juninas, as mandalas de coração e algumas plaquinhas divertidas para te ajudar nesta decoração, além de outras sugestões de atividade que podem ser feitos em família. E se quiser compartilhar por meio das redes sociais, os mimos feitos por vocês, não deixe de acrescentar a hastag #SemeandoIdeias - e aproveite para me seguir por lá também (@sementinhadegente).

Agora corra lá no nosso site www.sementinhadegente.com.br e veja os detalhes e passo a passo para esses itens de decoração!

Milena Luisa, mãe de Artur (8), Mateus (5) e Pedro (4). Sonhadora e idealizadora do Sementinha de Gente

9


Mãe elástica

MÃE SÓ TEM UMA.

Será?

Só temos uma mãe, é verdade. Mas ela dificilmente é uma só. Para começar, as mães têm uma incrível capacidade de se desdobrarem em muitos papéis e habilidades.


Educar • Julho/2016 11

Não é à toa que a mãe da família do filme Os Incríveis é a Mulher Elástica, não é mesmo? Mas além de serem muitas numa só, as mães também são muito diferentes entre si. E se em outros tempos isso seria motivo para vergonha e isolamento, hoje as mães podem, cada vez mais, serem mães do seu jeito. Esse jeito vai depender sempre de uma mistura de personalidade, vontades e circunstâncias. Afinal, fazemos escolhas, mas também vivemos na realidade. E para cada mãe a realidade é diferente. É possível que a maternidade venha de acordo com o figurino, no tempo e no espaço – casamento na hora escolhida, filho planejado, vida segura. É possível que essa mesma mãe também tenha a chance de optar entre acompanhar seus filhos em tempo integral ou dar a atenção e o amor necessários enquanto se dedica a uma carreira.

TUDO É POSSÍVEL!

Mas também é possível que nada disso aconteça. Mães que gostariam de ficar com os filhos, mas precisam trabalhar. Outras que gostariam de ter esperado mais tempo, mas a maternidade chegou assim, de surpresa. Têm aquelas para quem tudo estava em seu lugar e, de repente, o destino virou uma página. E ainda tem quem veio com toda a vontade do mundo de ser mãe, mas descobriu que teria de sê-lo por outros caminhos. São todas mães, cada uma do seu jeito. E é bom que, finalmente, possa ser assim. Pois circunstâncias mudam,

necessidades surgem e nossas capacidades são únicas. Contrariar a vida ou fingir que não temos vontades, só para seguir uma cartilha de “mãe”, pode causar mais males do que bem. Afinal, quem é essa mãe “perfeita” – uma pessoa ou uma ideia? E de onde veio essa ideia? Certamente, não foi de um coração de mãe, que sabe que a perfeição está longe de ser alcançada numa tarefa tão enorme, tão constante e tão sem fim como a dela. Para uma mãe, é mais importante saber qual é o seu jeito, e não o perfeito. É mais útil botar o amor para funcionar, como se sabe e da maneira que se pode, do que se cansar com a culpa e com uma lista de exigências que não foi escrita por ela mesma. Críticas porque resolveu se dedicar ao lar e “não trabalha”? Críticas porque trabalha muito e gosta demais de sua carreira? E essas crianças que só tomam suco verde?! Mas e essas crianças que só comem batata frita?! O fato é que, exceto nos casos de negligência óbvia e maus tratos, a grande maioria das mães está sempre fazendo o melhor para seus filhos dentro do que é possível em suas vidas. E isso inclui serem elas mesmas! Porque o melhor para um filho é ter uma mãe, de verdade, para chamar de sua. Auxiliadora Mesquita Pedagoga


Comportamento

Educar • Julho/2016 13

PAIS MIMADORES, FILHOS MIMADOS

Os “efeitos colaterais” da educação sem limites Nenhuma criança nasce mimada, pois não se trata de uma característica inata, genética, nem de um transtorno no seu desenvolvimento - trata-se, sim, do resultado da educação que está recebendo de seus pais, a forma como seus pais se relacionam com ela e como lhe apresentam o mundo. Crianças “mimadas” são o resultado de seus pais “mimadores”. A ausência de limites e a falta de firmeza são atitudes de pais que, sem querer, acabam “falhando” na educação de seus filhos. Por sentirem-se culpados ou para compensar alguma falta, acabam cometendo excessos, como a alta permissividade e os estímulos ao consumismo. No consultório, é comum ouvir relatos de pais do tipo: “não consigo dizer não quando meu filho me pede um doce fora de hora”; “não consigo convencê-lo a sair do tablet”; “quando minha filha quer algo que suas amigas estão usando, não sossega enquanto eu não compro”; “quando meu filho tem problemas de relacionamento com algum coleguinha na escola, logo vou lá resolver isso para ele”. Pais mimadores têm dificuldade em deixar que seus filhos se frustrem, pois isso frustraria a eles próprios. Mimar os filhos pode parecer, para esses pais, uma prova de amor, e também uma forma de manter um laço de dependência entre eles.

Cada uma das fases do desenvolvimento dos filhos exige dos pais atitudes firmes, afetuosas e de limites bem definidos, do contrário correm o sério risco de terem um filho mimado, birrento, antissocial, incapaz de lidar com as frustrações e pouco preparado para lidar com a vida. A criança mimada se torna inflexível, intolerante, pois foi criada como uma pequena “dona do mundo”. Acostumou-se a ter seus desejos realizados e passa a exigir isso de todos, mas sabemos que o mundo não vai ceder a seus caprichos. Começam então as queixas, reclamações em suas relações sociais, e essa criança passa então a ser confrontada, frustrada, mas como ela não está preparada para isso, os conflitos ocorrem, e transtornos de comportamento tendem a se instalar. Os pais devem observar os motivos que tornam tão difícil para eles impor limites aos filhos. É preciso observar se não estão sendo permissivos demais apenas para obterem sossego, ou se mimam ao invés de educar, por ser mais fácil... As crianças precisam frustrar-se e entediar-se algumas vezes - faz parte de um desenvolvimento saudável. Os pais não devem sentir-se culpados por isso, cabe a eles ajudá-las a aprender a lidar com essas situações,e incentivá-las a usar outros recursos para superar as dificuldades que vão surgir pelo caminho. O otimismo,

bom humor e a flexibilidade são recursos positivos. A criatividade e empatia na criança devem ser incentivadas pelos pais e será por meio do diálogo e do exemplo que a criança aprenderá formas saudáveis de como agir diante dos conflitos. A criança é naturalmente egocêntrica e deve ser incentivada a viver a solidariedade e empatia. Ela deve saber tanto dar, como receber, aprender a respeitar o outro e esperar que o outro também a respeite, desenvolver amor próprio e autoestima. Quando se trata da educação dos filhos, muitas inseguranças e dúvidas surgem, por isso muitas vezes os pais precisam recorrer a orientação de um profissional para auxiliá-los. Um psicólogo poderá ajudá-los, orientando-os sobre os conflitos e dificuldades encontradas nas diversas fases do desenvolvimento da criança. Nenhuma criança deve ser mimada, toda criança precisa ser amada - e nada pode ser melhor do que receber o amor de seus pais.

Adriani Borowsky Cunha,

Psicóloga e Psicopedagoga Clínica - CRP 02195 SC psicologiaonlineabc@gmail.com (47) 9904.8473


Interação entre pais e filhos

Educar • Julho/2016 15

Tema desta edição:

A mascotinha da Revista Educar

Conteúdo Auxiliadora Mesquita Arte Cláudia Prates

Festival de Dança de Joinville Entre os dias 20 e 30 de Julho de 2016 teremos a 34ª edição do Festival de Dança de Joinville. Evento já tradicional e sempre bemvindo no calendário de dançarinos do Brasil todo, o festival também é uma ótima oportunidade de levar nossos pequenos para conhecer e apreciar essa fantástica forma de arte, a dança. Abrindo palcos e espaços na cidade de Joinville, o Festival oferece a oportunidade única de ver, num só lugar, opções variadas e estimulantes de dança clássica, neoclássica e contemporânea, com balés profissionais de todo o país se apresentando na Mostra Competitiva. Uma atração especial para os pequenos é assistir outras crianças e adolescentes se apresentando na mostra Meia Ponta. E os já aficionados por dança podem se deliciar na Feira da Sapatilha, com as últimas novidades para a prática da dança (além de uma praça de alimentação para manter bailarinos e público prontos para a ação!). O Festival de Dança de Joinville tem ainda muita coisa a oferecer além dos espetáculos. Suas oficinas, palestras e seminários são fundamentais para colocar em dia técnica e arte, história e conceitos. Para nós, público em geral, fica a chance única de apreciar, em cada espetáculo, o poder da beleza e da disciplina. Uma lição maravilhosa e imperdível, para grandes e pequenos. Saiba mais: www.festivaldedanca.com.br


Interação entre pais e filhos

Pipoca em: “1,2,3...Jeté”


Educar • Julho/2016 17

Achei para você Se eu pudesse Dançar (Tiziana e John Bendall-Brunello) Ed. Girassol Um pinguim desajeitado tenta fazer uns passos de dança e acaba inventand o um jeito divertido e animado de dançar. Ideal para crianças pequeninas, mostra que dançar pode ter suas regras – mas dançar livremente também é uma ótima pedida.

Balé: uma introdução para crianças (Laura Lee) Editora Panda Books Nesse livro, a criança que já gosta de balé vai encontrar tudo que sua curiosidade perguntar: como surgiu o balé, os nomes dos passos, como são feitos os movimentos, as principais histórias contadas no balé de repertório e muito mais!

Informe Publicitário - Aldeia CEB A Aldeia CEB conta com árvores frutíferas, sistema de reaproveitamento da água da chuva, energia fotovoltaica, casa na árvore, horta e muito mais O tema sustentabilidade faz parte dos valores do colégio Educacional de Barreiros (CEB). Para valorizar e demonstrar na prática essa metodologia, o colégio criou um espaço sustentável, onde os alunos podem ficar mais perto da natureza. É a Aldeia CEB, que conta com diversos recursos que auxiliam os professores no ensino diário e os alunos no aprendizado. A vice-diretora da escola, Mariane Correia, explica que todos os espaços foram pedagogicamente pensados e planejados para que funcionassem em meio a natureza. “É um projeto que permite o aprofundamento de diversos conteúdos educativos e principalmente

ampliação do contato dos estudantes com a natureza. Assim, as aulas na Aldeia acabam sendo mais produtivas e a agenda do espaço está sempre lotada”, afirma a vice-diretora. Para a professora Deise Malischevksi, os benefícios da Aldeia CEB são para toda a comunidade escolar. “As crianças ganham em matéria de aprendizado e de diversão, uma vez que aprendem brincando. É possível atrair a atenção deles com muito conteúdo pedagógico num espaço que parece lazer, mas na verdade é uma aula diferente”, conclui. O colégio CEB fica na Rua da Independência, 2, Areias, São José. www.colegioceb.com.br


Perfil

Igor Rickli e Aline Wirley:

A VIDA É MAIS DOCE COM ANTÔNIO! Entrevista: Priscilla Koerich | Texto: Auxiliadora Mesquita | Fotos: Beta Bernardo Fotografia

Você conhece os olhos misteriosos do Igor e o sorriso encantador da Aline. Essa combinação só podia dar coisa boa. E deu: o doce e sorridente Antônio, carinhosamente apelidado de Caramelo. E se na vida desse casal tem muita batalha e trabalho, também não falta espaço para a alegria de viver e de celebrar a vida.

Igor Rickli é paranaense e deu seus primeiros passos como ator ainda criança, na igreja em que frequentava. E ele garante: “Ser ator sempre foi minha primeira opção”. Enquanto trabalhava como modelo, começou a correr atrás do seu sonho mudando-se para o Rio de Janeiro. Sua persistência e talento venceram e seus papéis na TV já incluíram um vilão e um divertido e poderoso sheik, além do arrebatador Bolívar, na série O tempo e o Vento. Mas ele não fica só por aí: já participou de musicais e foi até Jesus, por duas temporadas seguidas, na Paixão de Cristo encenada ao ar livre em Pernambuco. Aline Wirley deu o ar de sua graça, beleza e voz na girlband Rouge, no começo dos anos 2000. Com a banda, fez 4 cds de muito sucesso – “Tenho um carinho e gratidão imensa por ter vivido isso”, lembra Aline. Quando o grupo se desfez, continuou exercendo sua paixão pela música e pelos palcos atuando em musicais como Hairspray, Tim Maia, Vale tudo e muitos outros. Aliás, foi num musical que esses dois se conheceram: na montagem de Hair, em 2010, o amor chegou e veio para ficar. Juntos desde então, eles praticamente reconstruíram uma casa no meio da floresta carioca. E é nela que acordam, sonham, fazem planos e projetos para o futuro. E criam Antônio, nascido em 2014. “Somos muito barulhentos”, confessa Igor. “O tempo todo falando, cantando, inventando alguma arte em casa. Mas o barato do momento agora é ficar no jardim com o Antônio e os cachorros na parte da manhã. À tarde ele já vai pra escola e quando volta tá cheio de sono. Aí é só alguma historinha ou livro e fim.” Essa rotina gostosa mostra como a chegada do pequeno Caramelo veio complementar o alto astral desses dois. “Foi realmente uma grande descoberta”, lembra Igor. “Sou completamente apaixonado pelo meu filho. É uma explosão de sentimentos. E cada dia fica melhor.” E Aline garante: “Me sinto mais forte, plena, a maternidade é transformadora.”


Educar • Julho/2016 19

ALINE WIRLEY Para ser mãe é preciso...

Entrega Um almoço perfeito... Por causa do nascimento de Antônio, Aline estava afastada dos palcos. Agora ela está pronta para voltar. “Estou me preparando para o lançamento da minha carreira solo, que deve acontecer agora no segundo semestre. É um trabalho que acompanha meu amadurecimento pessoal e artístico”, conta Aline. E Igor acaba de estrear mais um personagem bíblico, dessa vez na nova novela da Rede Record, A Terra Prometida. Enquanto não vemos os dois nos palcos e na telinha, vale acompanhar esse casal de sorriso franco em suas aventuras com Antônio e os amigos por aí. “Antônio é um bebê muito alegre, divertido, espontâneo, doce, independente... Ele gosta de viver!!!”, se diverte Aline. E é isso que ela gostaria que ele levasse para a vida, sempre. “Somos muito ligados à verdade e espiritualidade. Nenhuma religião em específico, mas sempre em contato com a alma, a natureza, a alegria e o respeito”, lembra Igor. “É isso que gostaria que o Antônio levasse como base. Depois ele escolhe seu próprio caminho.” A seguir, descubra mais sobre essa família iluminada no nosso jogo rápido de perguntas com eles. E se delicie com a fofura de Antônio, esse doce Caramelo!

Com a minha família Antônio é, para mim...

A melhor coisa dessa vida! Meu dia fica melhor com...

Um bom dia do Antônio pela manhã Minha paixão quando criança era...

Um disco do Jairzinho e da Simony... Eu amava as músicas desse disco. Quando acordo, eu...

Agradeço pela vida e encho meus amores de beijos de bom dia. IGOR RICKLI Para ser pai é preciso ...

Ter fôlego Domingo perfeito é ...

Em casa Minha família é ...

Minha alegria Meu dia fica melhor com ...

Amigos e vinho Quando acordo penso que ...

Tenho que ter paciência Quando durmo me lembro de

... Que tenho muita sorte


Empatia

CULTIVANDO A

EMPATIA NAS CRIANÇAS: O segredo do jardim do futuro

Um olhar apressado à nossa volta pode dar a impressão de que, para garantir o sucesso de nossos filhos e filhas, a principal arma seria torná-los mais competitivos para sobreviver a tempos difíceis. Mas uma educadora e psicóloga americana acha que o segredo é exatamente “desarmar” nossas crianças e cultivar a empatia desde pequeno. Michele Borba lançou, há pouco tempo, o livro “Unselfie: Why Empathetic Kids Succeed in Our All-About-Me World” – ou “por que as crianças com empatia têm sucesso em nosso mundo onde “tudo é sobre mim”, em tradução livre.

QUAIS PROBLEMAS ORTODÔNTICOS QUE TODOS OS PAIS DEVEM FICAR ATENTOS AOS 6 ANOS DE IDADE? Por volta dos 6 anos de idade muitos problemas ortodônticos começam a se manifestar. Se tratados a tempo e precocemente, evitam problemas mais sérios que podem levar anos para corrigir. Os pais podem observar se os dentes da frente não se tocam ou estão para fora, ou os dentes posteriores estão cruzados, se os dentes de leite caem e os permanentes demoram a nascer, ou se os dentes que estão nascendo já estão tortos. Uma visita ao ortodontista é extremamente importante, pois nela pode-se diagnosticar com antecedência estes problemas. Muitas vezes uma conduta bastante simples podem evitar problemas sérios no futuro!


Educar • Julho/2016 21

A empatia é definida pelo dicionário como a consciência dos sentimentos e emoções de outras pessoas. O termo foi utilizado pela primeira vez pelo psicólogo E.B. Titchener, que traduziu um termo alemão para “empathy” em inglês. Hoje, a empatia vem sendo cada vez mais estudada e apontada como habilidade fundamental para o sucesso e a felicidade autêntica. Ser capaz de compreender de maneira profunda os sentimentos de outras pessoas não parece ser uma prioridade no mundo de hoje, onde cada um parece estar envolvido apenas com seus próprios problemas. Mas os especialistas estão cada vez mais convencidos de que a empatia é a habilidade fundamental que permite a conexão social e, em última instância, nossa civilização. Elemento chave da inteligência emocional, a empatia vem sendo pesquisada até no mundo dos negócios. E a conclusão é de que a capacidade de liderança está intimamente ligada a ela, proporcionando um aumento do crescimento, da produtividade e dos ganhos numa empresa. Outros estudos apontam que a empatia pode ser um antídoto eficaz contra a agressão, o racismo e o bullying. E ela seria capaz de promover mais saúde, mais satisfação nas relações e uma maior capacidade de superar adversidades.

O melhor é saber que a empatia não é uma habilidade inata. Pode ser aprendida, ensinada e aperfeiçoada. Para cultivar a empatia, o livro de Michele Borba traz mais de 300 sugestões. E algumas podem ser implementadas sem muita complicação. Ela sugere gestos simples, para começar: conversar com as crianças sempre olho no olho, ensinando-as a fazer o mesmo, e escutando e validando seus sentimentos. Ajudá-los a desenvolver um “vocabulário” emocional também é passo importante. Outra sugestão é mostrar como a família valoriza a empatia. Afinal, se temos fotos do sucesso acadêmico ou esportivo de nossas crianças, por que não deixar registrado aqueles momentos em que estão fazendo o bem, uma gentileza ou um cuidado? Cultivada com gosto e alegria, a empatia tem tudo para florescer e frutificar em cada criança. E de flor em flor, já imaginou que jardim multicolorido pode crescer mundo afora?

Auxiliadora Mesquita Pedagoga

Michele Borba “Unselfie: Why Empathetic Kids Succeed in Our AllAbout-Me World”


Relação familiar

O carinho pode fazer muito bem e até ajudar no desenvolvimento da criança – faz o coração desacelerar, a cabeça relaxar e trazer o sorriso. O toque e afeto dos pais estimula também as conexões cerebrais dos pequenos e pode ajudar a melhorar uma série de fatores, como a atenção e o aprendizado, por exemplo.


Educar • Julho/2016 23

Quando uma criança está para nascer e começamos a pensar em tudo o que ela vai precisar até o fim de sua dependência física e material da família, a lista parece não ter fim: fraldas, berço, escola, plano de saúde, roupas, comida, atenção, cuidados. E o que vai determinar as necessidades de cada criança são as prioridades e o estilo de vida de sua família. No entanto, para crescer feliz, uma criança precisa de poucas coisas. E duas das mais importantes são a atenção e o carinho dos pais.

Cada pessoa tem seu jeito de mostrar seu amor. Uns fazem comida, outros gostam de brincar juntos ou de conversar. Devemos valorizar a forma como cada familiar consegue e gosta de se doar aos pequenos. Eles são bem sensíveis e entendem o valor e o jeito de cada pessoa. O importante é construir um vínculo afetivo forte com a criança e conhecê-la bem. E isso fará com que ela se sinta à vontade e tranquila em relação ao amor que sentem por ela.

COMO VENCER A FALTA DE TEMPO?

CORRIGIR É IMPORTANTE

Sim, é preciso trabalhar para conseguir sustentá-la, mas ter uma rotina de dedicação, no que diz respeito ao tempo de qualidade que se passa com a criança e não só ao tempo que se passa longe dela para conseguir coisas para ela, é muito mais importante. Não é preciso parar de trabalhar para deixar uma criança feliz, mas focar nela quando estiverem juntos. Interessar-se pelo seu dia a dia, por seus gostos, por suas ideias. Mesmo que elas pareçam bobas, podem ter bastante importância para o pequeno nessa fase da vida. E o mais importante de tudo é ter os pais participando e vivendo cada fase junto com ele. Dar beijos, abraços, dizer que o ama nunca é demais. As crianças, à medida que vão crescendo, costumam ficar encabuladas ou até dizem que não gostam desse tipo de demonstração de amor. Mas quando elas se tornarem adultas, provavelmente vão dar valor ao carinho da família.

Educar e dar limites também são formas de demonstrar carinho. Dá muito trabalho e, às vezes, é mais fácil fingir que não viu ou que não é tão importante assim, mas as crianças se sentem amadas quando mostramos a elas o que é certo e o que é errado. Ter paciência e persistência nessas horas, apesar de ser difícil, é mais uma forma de demonstrar amor. Não há dúvidas de que as crianças precisam de dinheiro para sobreviver, mas é preciso tomar cuidado para não esquecer do outro lado, dar carinho e acalanto. Pois, muito mais do que coisas materiais, os pequenos precisam de pessoas amorosas e dispostas a doarem (o que hoje em dia é raro e difícil), e tempo de qualidade com foco e atenção. Fernanda Mello de Moura Pedagoga


A primeira visita ao dentista

Quando devo levar meu filho? A primeira consulta do bebê no Odontope-

sível, assim que nascer o primeiro dente, para

diatra deve ser feita antes do nascimento dos

que a criança se acostume com bons hábitos

primeiros dentes, ou mesmo durante a gestação, aproveitando o momento de motivação

de higiene. Para evitar que a cárie dental ocor-

dos pais para que o profissional desde então

consumo de alimentos doces, principalmente

possa orientar e acompanhar o desenvolvi-

entre as principais refeições.

mento bucal, prevenindo possíveis problemas.

Na infância, acidentes envolvendo batidas na região da boca são muito comuns. É preciso

O Odontopediatra acompanha o desenvolvimento das dentições e fornece informações importantes e adequadas para cada faixa etária. A visita ao dentista é importante também para que a criança se habitue ao ambiente e com o profissional, o que facilitará sua relação futura. O tratamento odontológico, principalmente de bebês e crianças, necessita de um cuidado especial, utilizando técnicas de psicologia, para que a visita ao dentista se assemelhe a uma brincadeira - que o ambiente torne-se atraente, ajudando a criança a se sentir confiante e descontraída. Embora os dentes de leite sejam temporários, são extremamente importantes para o correto desenvolvimento da dentição permanente, pois servem como guia para a erupção dos dentes definitivos, além de proporcionar uma adequada mastigação e deglutição, e consequentemente uma melhor digestão dos alimentos pelas crianças. Se houver algum problema na dentição de leite, poderá haver risco de comprometer o dente permanente. Sendo assim, é essencial que a escovação e o uso do fio dental comecem o mais cedo pos-

ra, também, deve-se reduzir a frequência do

que os pais fiquem atentos aos traumatismos bucais, pois eles podem ter diversos níveis de gravidade. Neste caso, é ideal que se procure um Odontopediatra o mais rápido possível. Desde cedo, é imprescindível que haja preocupação com a formação da futura arcada para o estabelecimento da dentição permanente. Vários hábitos bucais podem causar problemas na posição dos dentes ou no crescimento ósseo, afetando a estética, mastigação e a fala. Sendo assim, o quanto antes esses hábitos forem observados e corrigidos, melhor será o desenvolvimento facial da criança. Assim, observa-se que a prevenção, por meio do cuidado diário desde a mais tenra idade e a busca por informações de confiança, fará toda a diferença para a obtenção de um sorriso saudável na infância.

Carla Miranda Santana (Odontopediatra da Vitaclass)


Cinema, livros infantis e eventos

Educar • Julho/2016 25

GIRASSOL A editora Girassol Brasil acaba de lançar uma coleção com clássicos ilustrados da Turma da Mônica. Cada um dos 14 livros da coleção traz um conto clássico como, por exemplo, Cinderela, representado pelos personagens da Mônica, e assinado por Mauricio de Sousa.

A ERA DO GELO - O BIG BANG Quem acha que há 20 mil anos, quando o planeta vivia na era do gelo, tudo era frio e sem graça, está muito enganado. Bem frio era mesmo, mas sem graça jamais. Sid, uma falante e engraçada preguiça, Manfred um mamute ranzinza e Diego, um furioso tigre dente-de-sabre embarcam em uma aventura diferente e pra lá de hilária. Eles ficam incumbidos de devolver um bebê humano perdido para sua tribo. Será que esses animais tão diferentes vão conseguir se dar bem? Previsão de estreia: 07/07

COLÔNIA DE FÉRIAS DE INVERNO No período das férias escolares e do contraturno, a diversão será garantida na Colônia de Férias do Nosso Mundo, que sempre traz um tema específico para oficinas, atividades e brincadeiras desenvolvidas. Para essa colônia de férias, as crianças vão se divertir e aprender com o tema Conhecendo as Maravilhas do Nosso Brasil! De 04 a 29 de julho, das 7h às 13h (turno matutino) e das 13h às 19h (turno vespertino). Com opção de período integral, das 7h às 19h. Valores no site: www.pcnossomundo.com.br

CARROSSEL 2 - O sumiço de Maria Joaquina Famosas por conta do sucesso do clipe de PanáPaná na internet, as crianças chamam a atenção de uma estrela da música brasileira, que decide convidar toda a galera da escola Mundial para um de seus shows. No entanto, o que tinha tudo para ser uma ótima excursão ganha ares de filme de terror quando os vilões Gonzales e Gonzalito, recém-saídos da prisão, decidem sequestrar Maria Joaquina. Previsão de estreia: 14/07

Venha confererir as grifes Fruto da Imaginação Ninali e Pituchinhus com até

30

%

de desconto

Rua Princesa Izabel, 365, Centro • (47) 3433.9508 turmadacuca@turmadacuca.com.br • Joinville / SC Localização central • Estacionamento gratuito frente a loja


Galeria Nossa Cara

Educar • Julho/2016 26

Nara, Geovana e a ma mãe Tati

Izabela

Marcelo

Os irmãos Otávio e Vitor

Você também!

Envie foto de seu filho para nossacara@ revistaeducar.com.br Na mensagem, escreva o nome completo e idade da criança + cidade e nomes completos dos pais. Beatriz, Rafaella, Paulo, Ant ônio

Stephan

Victoria

e Tiago

Dayana, Johnny, Daniel e Emily

Flávia com seu filho Pe dro

Stella


Profile for Revista Educar

Educar 103 Julho 2016  

Educar julho 2016 Edição 103 crianças, família, pais, paisefilhos, educacao, criancas, familia, kids, children, family, parents, parentsandc...

Educar 103 Julho 2016  

Educar julho 2016 Edição 103 crianças, família, pais, paisefilhos, educacao, criancas, familia, kids, children, family, parents, parentsandc...

Advertisement