Page 1

Edição 572 | Dezembro 2017

Ano XXXVIII | www.cdlniteroi.com.br

Eleição CDL Vendas de Natal

Confira a entrevista com a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti

Faça seus eventos na CDL Conheça a estrutura da entidade para cursos, seminários, palestras e confraternizações

Luiz Vieira e Manoel Alves Junior são eleitos para o triênio 2018/2020

NITEROI

O LOJISTA


De Utilidade Pública: Estadual, Lei no 5579/65 / Municipal, deliberação no 2539/65

EDITORIAL

CONSELHO SUPERIOR Presidente: Joaquim Manuel de Sequeira Pinto Vice-presidente: Ademir Antunes Carvalho MEMBROS DO CONSELHO SUPERIOR Antonio Carlos Costa Pires, Domingos de Carvalho Rodrigue, Elida Gervásio Gouvêa, Ithamar Torres Mancen, José Dornas Maciel, Lúcio Ferreira de Azevedo, Manoel Alves Junior, Orlando Cerveira Francisco, Roberto Mauricio Rocha, Salomão Guerchon. Suplentes: Gentil Moreira de Sousa e Marina Espósito Haddad. DIRETORIA ADMINISTRATIVA Presidente: Fabiano Gonçalves Vice-presidente: Luiz Vieira Diretores: Fausto Regis de Oliveira Reis, Graciele Davince Pereira, Jorge Gentile, Mauricio Nassib Moita Zarife, Oswaldo Rodrigues Vieira, Rogerio Rosetti Mendes, Ruan Carlos Teixeira de Oliveira, Sidney Moyses Vianna Freire Suplentes: Alberto Guilherme Magalhães Ducan e Felipe Reis de Almeida Gerente: Ermano Santiago CONSELHO EDITORIAL Fabiano Gonçalves e Joaquim Pinto

O LOJISTA

NITEROI

SERVIÇOS DA CDL Serviço de Proteção ao Crédito, Serviço de Relações com Usuários, Central de Informações, Central de Cadastro, Central de Processamento de Dados, Assessoria Técnica, Consultoria Jurídica, Serviço de Documentação e Divulgação e Serviço de Administração

Coordenação: Kelly Goldoni - MTE: 34527/RJ Redação: Goldoni Comunicação Diagramação e Arte: Alyne Gama Jornalistas: Íris Marini, Paula Valviesse e Suzana Moura Edição: Priscila Oliveira Fotos: Divulgação CDL Niterói Foto de capa: Evelen Gouvêa

Publicação dirigida da CÂMARA DE DIRIGENTES LOJISTAS DE NITERÓI, contendo legislação, índices econômicos e condensado de notícias e informações de interesses do comércio lojista. Distribuição: Câmaras de Dirigentes Lojistas, Associações Comerciais, Federações do Comércio, Sindicatos e demais entidades de classe do País, identificadas com as atividades do comércio, bem como empresários e executivos especialmente cadastrados. O LOJISTA utiliza as seguintes fontes para editar o condensado de notícias: O Globo, Jornal do Commercio, A Tribuna, O Fluminense e Diários Oficiais. Os índices, estatísticas e projeções são cuidadosamente compilados, de acordo com os últimos dados disponíveis no fechamento da edição. O uso dessas informações para fins comerciais e de investimentos é de exclusiva responsabilidade e risco dos seus usuários. IMPORTANTE: As matérias assinadas são de respnsabilidade de seus autores. ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA Rua General Andrade Neves, 31, Centro, Niterói, RJ CEP: 24210-000 / Tel.Fax: (21) 2621-9919

Comemorações e despedida

Em dezembro encerram-se as minhas atividades como presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói. E é com muito orgulho que relembro essa trajetória de sete anos. Foram muitas lutas, conquistas e também diversos momentos de confraternização, de união. Em janeiro acontece a posse da nova Diretoria Administrativa e do Conselho Superior, e fico feliz em ser sucedido pelo meu amigo e vice-presidente, Luiz Vieira, da mesma forma que pude substituir o presidente Joaquim Pinto. Despeço-me da presidência, mas não dos meus deveres com os lojistas. Aproveito a oportunidade para agradecer a todos que confiaram no meu potencial e colaboraram com o trabalho desenvolvido ao longo desses anos na entidade. Continuarei a minha caminhada como conselheiro na CDL e, com a reeleição esse ano, como vice-presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado do Rio de Janeiro (FCDL). E já que o ano está acabando, vamos falar do período mais importante de vendas para o comércio: o Natal. Nesta edição da revista O Lojista trazemos uma entrevista com a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, que fala sobre as expectativas para o período, os hábitos dos consumidores e dá dicas para alavancar os negócios. Outro assunto importante para os empresários é a capacitação realizada pelo Sistema Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), na sede da CDL, que teve a participação de mais de 70 pessoas. Reunimos aqui a proposta do curso, que visa orientar os gestores de pequenos negócios sobre o tratamento diferenciado, previsto em lei, para a realização de compras públicas e fomentar a participação desses empreendimentos nas licitações. Vale a leitura! Vamos em frente! E Boas Festas!

Fabiano Gonçalves

Presidente

Impressão Gráfica Primil (21) 3078-4300 Circulação Mensal Nacional | Tiragem: 5.000 exemplares CDL NITERÓI 3


EDIÇÃO 572

ÍNDICE CAFÉ

08

EMPRESARIAL Substituição tributária é o tema do mês do Café Empresarial da CDL

07

CDL JOVEM

09

CDL para você

16

CAPA

06

Curtas

10

Natal

Jurídica Evento

13

12 18

Capacitação Consultor digital Final do ano Política 4 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

24

26

21


CURTAS

CDLs fazem manifestações na Alerj

R

jeto de Lei 2.265/2016, que altera a forma como é feita a notificação do consumidor para a inclusão do seu nome nos registros de inadimplentes. O presidente da CDL de Niterói, Fabiano Gonçalves, e seu vice, Luiz Viera, participaram ativamente das manifestações. Segundo o vice-presidente da entidade, o projeto vai contra os interesses dos empresários e dos consumidores. Para Luiz, a participação da entidade nas audiências e votações é uma forma de mostrar a importância do setor varejista se mobilizar pela cobrança da derrubada da emenda que prevê a notificação dos consumiRepresentantes de CDLs do Estado estiveram na dores através de Aviso de RecebiAlerj para acompanhar a tramitação do projeto mento (AR). epresentantes de várias Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDLs) estiveram na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) por três vezes, em novembro, na tentativa de cobrar dos parlamentares o veto ao Pro-

Fabiano Gonçalves marca presença no congresso RH-LF

O

presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói, Fabiano Gonçalves, foi um dos palestrantes convidados do XII Congresso do Instituto de Recursos Humanos do Leste Fluminense (RH-LF), realizado no mês de novembro, no auditório da Câmara, no Centro. Com o tema “Celebration: 15 anos fazendo acontecer”, a instituição reuniu membros e parceiros para comemorar o seu aniversário. Fabiano apresentou o tema “Celebração das conquistas alcançadas; planejamento para o futuro”, sobre o qual destacou a importância das experiências vividas para o aprendizado e o planejamento de novas ações, além do benefício de se comemorar cada conquista, seja ela grande ou pequena.

6 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

Fabiano Gonçalves com a presidente do RH-LF Edmara Uchôa “Quando a pessoa é contratada para a sua empresa, nesse momento de chegada é fundamental ajudar, treinar, não podemos esperar que ela já comece executando o serviço sozinha. Erramos ao querer contratar a pessoa pronta, precisamos seguir junto com esse profissional, crescer com ele e celebrar essas conquistas. Uma trajetória vitoriosa, uma debutância, como no caso do RH-LF, começa com a celebração das pequenas conquistas. É o conjunto dessas vitórias que permitirá o alcance das grandes metas”, destacou o presidente da CDL.

Conheça os novos associados da CDL Niterói a a a

Sociedade Atacadista Ind. Carnes Gêneros Lobo Motta Comércio Alimentos Ltda Hair Derm Comércio de Cosméticos Ltda M

Crianças do projeto Forças do Esporte se apresentam na CDL

A

s crianças do projeto Forças do Esporte, implantado no município, no segundo semestre deste ano, com o apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói, fizeram uma participação especial no tradicional Café Empresarial da entidade. Elas entoaram o Hino Nacional na abertura do evento e também fizeram uma pequena apresentação musical para os presentes. O projeto Forças do Esporte oferece práticas esportivas a crianças, adolescentes e jovens do sexo masculino. A iniciativa é fruto de uma parceria entre os Ministérios da Defesa, do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à fome, e faz parte do Programa Segundo Tempo. Em Niterói, a ação está sendo realizado na Fortaleza de Santa Cruz da Barra, em Jurujuba, com a participação de 60 crianças.

FCDL e CDL Niterói são representadas em Brasília

O

presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói, Fabiano Gonçalves, esteve em Brasília, junto com o presidente da Federação da Câmara de Dirigentes Lojistas (FCDL), Marcelo Mérida, para o III Fórum Nacional do Comércio. Eles aproveitaram a ida à capital para participar da reunião no Ministério de Indústria, Comércio Exterior e Serviços, com o ministro Marcos Pereira, o senador Eduardo Lopes (PRB/RJ) e a deputada federal Rosangela Gomes (PRB/RJ). Na ocasião, eles entregaram um documento, em nome da federação, com a proposta de se pensar em um programa de refinanciamento para as empresas optantes pelo Simples Nacional, para ser analisado pelo ministro Marcos Pereira.


CAfÉ empresarial

André Pinelli foi o palestrante convidado para o evento na Região Oceânica

Substituição tributária é o tema do mês do Café Empresarial da CDL

A

s edições do Café Empresarial da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói, do mês de novembro, tiveram como destaque a palestra “Recuperação de Crédito de ICMS para Lojistas”, ministrada pelos advogados da Pinelli Sociedade de Advogados: André Pinelli, na Região Oceânica, e Igor Leão, na sede da entidade. André Pinelli foi o primeiro a apresentar o assunto no evento realizado no dia 7, em Itaipu. O advogado iniciou sua apresentação explicando aos presentes sobre o que significa a substituição tributária (ST), para quais setores ela é prevista e que a ação atende tanto a empresas de lucro presumido, quanto às optantes pelo Simples Nacional. “Quando um produto sai da indústria é recolhido o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) até a sua venda para o consumidor final, mas esse valor presumido, tabelado para a base de cálculo do imposto,

Diretoria da CDL acompanhou a apresentação sobre recuperação de crédito

pode não corresponder ao recolhimento final, e essa diferença entra da substituição tributária”, disse André. O advogado ainda justificou os motivos pelo recolhimento ser feito antes da venda final dos produtos: “Como é difícil fiscalizar todas as empresas de varejo, o ICMS é recolhido na indústria primária – fonte de produção – e depois reembolsado, assim como realizados os reajustes reais. Então para não cometer erros, é preciso que o varejista esteja atento às alíquotas, que variam de acordo com o tipo de produto, uma vez que existem margens e índices estabelecidos por estudos para calcular o percentual de imposto cobrado”, explicou o advogado, que aproveitou a participação para tirar dúvidas pontuais dos empresários presentes. Na edição do Centro, o palestrante convidado foi Igor Leão, que iniciou a palestra explicando o que é o ICMS. “O ICMS é um valor de referência que incide sobre a circulação de mercadorias e serviços. Quando um lojista compra um produto e o item é tributado desde o produtor, como forma de controle do recolhimento desse imposto, pode acontecer de o valor cobrado ser diferente do valor real de venda, sendo possível a substituição tributária (ST)”, explicou Igor. De acordo com ele, desde outubro de 2016, está previsto por lei que todo lojista que paga ICMS ST tem direito à restituição, assim como o governo tem a possibilidade de recalcular o imposto cobrado, em caso de vendas feitas acima do preço de tabela. Para isso, é preciso que o empresário calcule os custos reais de compra da mercadoria e de venda para o consumidor final, através da tabela atualizada quinzenalmente pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). CDL NITERÓI 7


CDL JOVEM

Empresário: fonte de motivação e desenvolvimento de seu negócio Juliano Gentile Diretor da CDL Jovem Niterói

S

er empresário por si só não é uma tarefa fácil. Independente de ser no Brasil ou em qualquer lugar do mundo, sabe-se que é uma tarefa árdua, difícil e constante, se você quiser prosperar e ver seu negócio fazer história. Mas para isso acontecer, apesar de todos os contratempos e dificuldades, existe um item básico, um componente energético interior dentro de todo empresário que busca superar as dificuldades do dia e a dia e progredir em busca da vitória, trata-se da motivação. A motivação é uma capacidade intensa e milagrosa que faz com que indivíduos deem o melhor de si e façam todo o possível (a partir de conceitos éticos e corretos) para conquistar aquilo que almejam. Todo

8 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

empresário no desenvolver de suas atividades diárias precisa fazer florescer essa característica básica, pois a motivação gerada por ele interagirá com todo o contexto e espoco do seu negócio. Não apenas gerando ideias e soluções, como também incentivando pessoas, manifestando nelas características positivas, fazendo com que se tornem serem humanos melhores, onde tudo isso influenciará no êxito diário de cada um e, por consequência, no sucesso da empresa.

Diante disso, é possível, inclusive, afirmar que é “proibido” ao empreendedor pensar negativo ou ser pessimista. Todo empresário que almeja o sucesso precisa ser otimista, ou melhor, é obrigatório desenvolver dentro de si características positivas e motivacionais, energizando-se com isso sempre. Dessa forma conseguirá realizar um pensamento racional, consciente e próspero, que interagirá não apenas com o seu negócio e seus colaboradores, como também em toda a sua vida.

Empresário, lembre-se disso, você é a força motriz do seu empreendimento. Não se abale pelos problemas e as dificuldades, motive-se, c rie essa força, se energize com ela e tenha certeza de uma coisa: você irá vencer!


CDL PARA VOCÊ

CDL oferece estrutura para realização de cursos, seminários, palestras e confraternizações

F

inal de ano se aproximando e com ele a vontade de confraternizar com amigos e familiares só aumenta. Porém, no ambiente de trabalho, também é importante e muito saudável este movimento de aproximação entre os companheiros. Usual em quase todas as empresas de diferentes segmentos, a reunião dos amigos de trabalho nesta época do ano aumenta mais. Visando oferecer um ambiente de descontração, conforto e com ótima localização, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói possui a melhor estrutura da cidade para cursos, seminários, palestras e confraternizações. Este momento de celebração entre a empresa e o funcionário deve ser planejado com o objetivo de trazer benefícios como promover integração e reconhecimento do trabalho. A CDL dispõe de espaços variados para realizar também encontros e reuniões com os mais diversos formatos. A instituição possui um auditório, salões refrigerados, salas de treinamentos e estruturas de copa-cozinha completa. Além disso, todos os locais possuem acessibilidade para cadeirantes e portadores de necessidades especiais.

Do auditório às salas, todas as dependências possuem ar condicionado, internet Wi-Fi, telão e data show, além da facilidade de diversas opções de estacionamento próximo ao prédio. O gerente-geral da CDL, Ermano Santiago, explica que o principal objetivo é apoiar os lojistas em suas necessidades e também oferecer uma

oportunidade para ampliar a rede de relacionamentos de pessoas, ativar o networking e se aproximar dos colegas de outras áreas. Promotora de relacionamento na DeMillus há mais de seis anos, Ivonete da Silveira conta que faz reuniões com as revendedoras da marca a cada 15 dias na CDL, há cerca de dois anos e que o espaço atende muito bem às suas necessidades. “São 17 reuniões por ano, e além do local ser amplo e totalmente equipado com tudo que preciso, a organização é sensacional. Atualmente, não consigo imaginar outro espaço que me atenda tão bem e com boa localização como as salas da CDL”, diz. Seja para realizar confraternizações, cursos ou palestras, vale lembrar que a interação é fundamental para um ambiente de trabalho saudável e para recarregar as energias para um novo ciclo entre os funcionários de uma empresa.

Auditório Salão de convenções tem espaço para receber até 200 convidados

Moderno e confortável, possui acomodações para até 170 pessoas, sonorização independente, hall de entrada e salão anexo para realização de coffee break e coquetéis.

Salas

A CDL dispõe de salas mobiliadas que acomodam até 60 pessoas, ideais para cursos, seminários, workshops e treinamentos.

Salão de Convenções e Salão Anexo

Auditório comporta até 170 pessoas e possui toda a estrutura necessária para eventos

Localizado no 3º andar, tem capacidade para até 200 pessoas e conta com estrutura copa-cozinha completa.

CDL NITERÓI 9


NATAL

Expectativa de boas vendas de Natal em tempos de crise Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, fala sobre a importância da data para o comércio

O

Natal é considerado a melhor época do ano para vendas, e a boa notícia é que os empresários estão animados, pois as vendas devem ser as melhores dos últimos três anos. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - Pnad Contínua, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, o mercado de trabalho brasileiro movimentou cerca de R$ 188,1 bilhões em salários no terceiro trimestre deste ano. O resultado representa quase R$ 7 bilhões a mais em circulação na economia no período de um ano, impulsionando a expectativa de venda para o próximo Natal.

10 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, destaca que o comércio está numa fase ascendente, mas que ainda não saiu do problema e que qualquer crescimento nas vendas é relevante para o segmento. A especialista ressalta que, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED, foram geradas 106.411 mil vagas formais no país até agosto, e que a renda média também ficou maior, com alta de 2,4%, passando para R$ 2.115. Em relação ao trimestre anterior, houve uma alta de 0,3% no rendimento médio. Qual a importância do Natal para o comércio, levando em consideração a atual situação econômica do país? Temos a expectativa de um Natal melhor em relação ao ano


NATAL

passado, mas isso ainda não se traduziu em compras. No dia das crianças, por exemplo, houve um aumento de 3% nas vendas, uma melhora significativa, visto que em relação ao mesmo período no ano passado, as vendas caíram. Estamos passando por um momento de crise, mas já com uma luz no final do túnel. Segundo pesquisas, 38% dos empresários confiam que as vendas serão melhores que em 2016.

Uma equipe bem treinada, recebendo e atendendo bem o cliente, é mais uma tática para atrair um número maior de consumidores

Como o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) influencia na expectativa de vendas? O PIB é a soma de tudo o que é produzido pela economia de um país, e o crescimento dele influencia positivamente, pois as notícias positivas influenciam as vendas. No PIB, misturam-se financeiramente a renda, os lucros, os gastos e os investimentos de todos os trabalhadores, empresas e do governo de um país. Quando as pessoas dispõem de mais dinheiro, elas podem comprar mais, principalmente aqueles itens que são cortados da lista quando o orçamento está mais apertado. Posso dizer que estamos começando a perceber uma melhora nas vendas, como se estivéssemos começando a sair da crise. Além disso, o consumidor aprendeu a dosar nas compras, adquirindo itens similares ao que gostariam e pagando um preço mais baixo.

E quanto aos hábitos dos consumidores, o que influencia na hora da compra? Os hábitos dos consumidores não mudam, eles vão continuar comprando em datas comemorativas, o que acontece é que eles adaptam o valor gasto na sua rotina de compra, por exemplo. A compra é sempre realizada, porém, com maior cautela. Para o consumidor, o hábito da compra ainda é muito importante e faz parte da sua cultura. Presentear no Natal, nem que seja com uma lembrancinha, é praxe.

Quais as dicas que você daria para um empresário vender melhor neste Natal? O consumidor que está indo às lojas para as compras de Natal ainda está com o orçamento apertado, mas, como já mencionei, o hábito de compra ainda é muito presente em sua rotina. Com isso, o comerciante precisa estar atento, pois o cliente vai gastar menos. Arrumar a loja de maneira estratégica é uma boa opção, por exemplo. Uma loja bem organizada, onde o cliente encontra o que procura de forma rápida, tem como resultado um gasto maior nas compras. Além disso, uma equipe bem treinada, recebendo e atendendo bem o cliente, é mais uma tática para atrair um número maior de consumidores. São pequenas atitudes que podem ajudar os empresários a vender mais em momentos de crise.

CDL NITERÓI 11


JURÍDICA

Dispensa discriminatória, já ouviu falar nisso? Por Alexandre Andrade Assessor Jurídico CDL Niterói www.pereiradeandrade.adv.br

A

pergunta que dá título a essa matéria na verdade é uma provocação. Todos nós, de forma direta ou não, já ouvimos falar de alguma modalidade de dispensa discriminatória. De uma empregada grávida, uma mulher que voltou da licença maternidade, alguém que passou por longo período de afastamento por doença, um paciente recém-diagnosticado com o vírus HIV, entre tantas outras possibilidades. Realidade cruel, mas realidade. Mas o que me chamou a atenção para escrever sobre essa coluna foi uma situação fora desses modelos comuns. Um bancário teve reconhecida como discriminatória a sua dispensa ocorrida um dia depois de ter sofrido um mal súbito numa das agências do banco. Entendi como curiosa essa decisão porque associou-se o mal súbito à pressão que o trabalhador disse vir sofrendo desde sua admissão. No processo, ele afirmou que contratado após um rigoroso processo de seleção e, contrariamente ao que foi prometido, desde o primeiro dia seu superior hierárquico passou a exigir o cumprimento de metas, com cobranças diárias e palavras árduas, ofensivas e humilhantes. Esse processo, segundo ele, acabou desencadeando um quadro depressivo que o levou a procurar tratamento psiquiátrico e psicoterapêutico. Depois de certo tempo em tratamento e ao retomar suas atividades, sentiu-se mal com sintomas que pareciam de enfarte. Levado a um centro médico, foi medicado com calmantes fortes e liberado. No dia seguinte, ao voltar ao trabalho, foi dispensado. Por entender que a dispensa foi discriminatória e abusiva, pediu a condenação do banco por dano moral.

12 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

O banco, em sua defesa, sustentou que a doença não tinha relação com o trabalho, e que o estresse deveria ter sido causado por problemas familiares. Segundo a argumentação, desde a contratação o bancário sabia que teria que cumprir metas, e o que ocorreu foi falta de adaptação ao serviço. Já na primeira instância, a demissão foi declarada discriminatória, e, observando que o bancário não passou pelo exame médico demissional, o juiz singular também concluiu que no dia da dispensa o empregado estaria doente. A segunda instância não entendeu da mesma forma e achou por bem acatar a tese do banco,reformou a decisão, entendendo não haver prova de que a enfermidade ou o mal súbito tivessem realmente se originado do trabalho. Assim, a dispensa não poderia ser considerada discriminatória. No Tribunal Superior do Trabalho, o ministro Cláudio Brandão, chegou à conclusão de que tudo que foi colhido nos autos do processo levava a crer que houve sim preconceito e discriminação por ocasião da dispensa do empregado. Segundo o ministro, o exercício da atividade econômica está condicionado à observância dos princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana e da função social da propriedade, aliados àqueles que fundamentam o Estado Democrático de Direito, como os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa. Não acho que essa decisão tenha que ser encarada com certo alarmismo pelos empregadores, ao contrário disso, aqueles que têm bom senso saberão exatamente a distinção e o limite entre o poder do empregador, de admitir e dispensar os seus empregados segundos seus critérios e interesses, e a necessidade desses trabalhadores em receber, daqueles a quem dispensa sua força de trabalho, todo o cuidado que precisam num momento de fragilidade. Os fortes entenderão.


EVENTO

E

III Fórum Nacional do Comércio aborda projeções para o varejo

mpresários de todo o Brasil se reuniram no III Fórum Nacional do Comércio, evento promovido pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pela Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal, nos dias 24 e 25 de outubro, no Royal Tulip, em Brasília, para discutir as perspectivas e inovações para o varejo em 2018, as avaliações sobre o sistema financeiro e a retomada do crescimento econômico do país. Para o presidente da CNDL, Honório Pinheiro, o encontro com empresários, políticos e lideranças do setor é uma oportunidade para discutir os novos rumos do varejo. “A retomada gradativa da economia e o crescimento do varejo andam juntos no Brasil. Por isso é tão importante traçar estratégias e alinhar expectativas para o futuro”, destacou. O presidente Michel Temer esteve presente na abertura do evento que, além dos painéis “O papel da UNECS (União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços) na melhoria do ambiente de negócios e comércio”, “O sistema financeiro e o desenvolvimento do varejo”, “Crescendo com a inovação”, e “O setor de comércio e serviço e a retomada do crescimento econômico”, contou ainda com discursos dos ministros do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, e do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, e a palestra de encerramento foi realizada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. No quesito inovação, a cultura digital foi apontada como elemento essencial na transformação do varejo, sendo destacado pelo fundador da Varese Retail, Alberto Serrentino, que “o mundo digital faz com que as empresas varejistas repensem seus modelos de negócios”. Os ministros do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e do Desenvolvimento Social discursaram sobre a importância do varejo para a economia nacional. Segundo Dyogo Oliveira, é preciso incentivar a atividade do empresário no

Honório Pinheiro recebeu lideranças do movimento lojista, entre eles Fabiano Gonçalves e Marcelo Mérida Brasil: “A estratégia de retomada do crescimento econômico do governo atual tem como bases principais as reformas estruturantes, a melhoria no ambiente regulatório, a modernização da gestão pública e a eficiência de gastos”. Outro ponto alto do fórum foi a participação dos relatores da reforma da previdência, o deputado Arthur Maia (PPS/BA); da reforma tributária, Luiz Carlos Hauly (PSDB/PR); e da modernização, Rogério Marinho. No encerramento do fórum, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles fez uma análise dos aspectos que impulsionaram o início da retomada da economia neste ano e destacou o papel do varejo nesse reaquecimento. “Temos na economia brasileira um ponto nevrálgico entre produção e consumo, que é exatamente o comércio. Não há dúvida de que é um setor fundamental para a economia”, afirmou o ministro. Ainda em seu discurso, Meirelles destacou que “o varejo foi novamente um setor fundamental nessa retomada, já que está no positivo na geração de novos empregos e apresenta um crescimento sólido”.

CDL NITERÓI 13


CAPA

14 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017


CAPA

CDL NITERÓI 15


CAPA

A

CDL Niterói elege nova diretoria e conselho

Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói elegeu, no dia 23 de novembro, a nova Diretoria Administrativa e o novo Conselho Superior da entidade para o triênio 2018/2020. O atual presidente Fabiano Gonçalves, que após sete anos à frente da instituição passará a fazer parte do conselho na próxima administração, abriu o pleito com a leitura do requerimento contendo as assinaturas dos associados com direito a voto. E através da chapa única “Inova CDL”, Luiz Vieira foi escolhido como novo presidente, tendo como vice o empresário Manoel Alves Junior. A eleição foi realizada por meio da Assembleia Geral Ordinária, seguindo o estatuto da entidade, que prevê a apresentação das chapas concorrentes e a escolha através de voto dos as-

16 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

Fundador da CDL Niterói, Salomão Guerchon acompanhou toda a eleição

sociados efetivos – cujas empresas sejam vinculadas à Câmara por mais de dois anos, estejam em dia com as suas contribuições e tenham sido admitidos mediante proposta da diretoria. Como apenas uma chapa se apresentou para o pleito, a votação foi formalizada com a assinatura dos cerca de 70 associados na ata da assembleia, e também no livro de registros da entidade. Luiz Vieira, que esteve como vice-presidente da instituição nos últimos três anos, comemorou o resultado e agradeceu a confiança dos cedelistas: “Em janeiro inicio o meu mandato com a certeza de fazer parte de uma instituição que, ao longo dos seus 59 anos, se consolidou como representante do comércio. Na nova administração, vamos trabalhar para fortalecer essa posição e os avanços que tivemos até


CAPA

Fabiano Gonçalves se dedicará a abertura de novas CDLs no Estado

Joaquim Pinto continua como presidente do Conselho Superior aqui, além de trazer novas propostas para a valorização do comércio e o crescimento da economia local”. Já o vice-presidente, Manoel Alves, lembrou a sua historia dentro da entidade e disse se sentir honrado em ter sido escolhido para uma posição tão importante: “A CDL é como se fosse a minha casa, meu pai fez parte dessa história, inclusive o novo prédio no Centro foi nomeado em homenagem a ele. Agora sigo seus passos e vou trabalhar bastante pelos nossos lojistas, especialmente nesse momento tão delicado da economia, fomentando o

que a entidade tem de mais importante, a união, porque juntos somos mais fortes”. Presente em mais uma eleição, o fundador e ex-presidente da CDL, Salomão Guerchon, disse estar orgulhoso em fazer parte desse novo capítulo da instituição: “Fico feliz em acompanhar a trajetória do Luiz e do Manoel dentro da entidade, de estar presente na eleição de dois grandes amigos. A participação dos jovens é de grande importância para a entidade continuar desenvolvendo o seu trabalho em prol do comércio”.

Conselho Superior

Presidente: Joaquim Pinto. Vice-presidente: Ademir Antunes Carvalho. Conselheiros: Fabiano Gonçalves, Salomão Guerchon, Ithamar Mancen, Domingos de Carvalho, Roberto Rocha, Antonio Carlos Pires, Orlando Cerveira Francisco, Oswaldo Rodrigues Viera e Ruan Carlos Teixeira de Oliveira.

Diretoria Administrativa

Presidente: Luiz Vieira Vice-presidente: Manoel Alves Junior. Diretor financeiro: Sidney Moyses Vianna Freire. Diretores: Jorge Gentile, Rogério Rosetti, Claudio Fonte Boa Pereira, Jorge Luiz Amorim Carvalho, Omario Marcelino Neiva Filho, Jorge Ivan Campos da Silva e Luiz Guilherme Cortez Guedes. Suplentes: Joaquim Ferreira Dias e Luiz Vasconcelos de Lima.

Duas vezes presidente, tendo ingressado no cargo em 2011, Fabiano Gonçalves se despede da CDL de Niterói, deixando um grande legado. Grato pela confiança dos associados da instituição, ele avalia seus planos para os próximos anos, como conselheiro da entidade do município e vice-presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado do Rio de Janeiro (FCDL). Além disso, ele destaca a sua confiança na nova diretoria, apostando na experiência e na força de vontade dos novos eleitos.

"São muitas vitórias que me deixam orgulhoso por fazer parte da família CDL",

Fabiano Gonçalves

“Durante os meus mandatos realizamos eventos importantes, como a Convenção Estadual do Comércio Lojista, em 2012, implantamos projetos, cursos, treinamentos e ações sociais. Produzimos muito conteúdo com o CDL Entrevista, a revista O Lojista e o programa Direto ao Ponto. E também promovemos sorteios com o Natal Premiado. Ampliamos o nosso Café Empresarial, com a concepção do evento na Região Oceânica, e participamos ativamente na defesa do comércio em todas as esferas públicas. São muitas vitórias que me deixam orgulhoso por fazer parte da família CDL. Deixo a presidência nas mãos de pessoas de confiança, competentes e com experiência para dar o seu melhor pelos lojistas, e sigo em frente com o objetivo de, através da FCDL, ampliar o número de Câmaras no nosso Estado”.

CDL NITERÓI 17


CAPACITAÇÃO

Curso foi ministrado pelo consultor de Políticas Públicas do Sebrae, Altair Márcio Pereira de Souza

Empresários participam de capacitação sobre compras públicas na CDL

18 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

A

Capacitação de Fornecedores para a Administração Pública, realizada pela prefeitura de Niterói, através da Secretaria de Administração, em novembro, na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), teve a participação de 79 empresários da cidade. As orientações fazem parte do curso de compras do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que está sendo aplicado em 11 municípios, por meio do Programa Cidades Empreendedoras, do qual Niterói e outros dez municípios do Estado fazem parte. O curso, com o objetivo de orientar os gestores de pequenos negócios sobre o tratamento diferenciado previsto em lei para a realização de compras públicas, que amplia


CAPACITAÇÃO

a possibilidade desses empresários fazerem parte do quadro de fornecedores de órgãos públicos, faz parte do programa “Compra Mais 2” e foi ministrado pelo consultor de Políticas Públicas, Altair Márcio Pereira de Souza. A capacitação faz parte do planejamento da Secretaria de Administração para ampliar a participação das micro e pequenas empresas e dos Microempreendedores Individuais (MEI) nas licitações do município. Segundo o vice-presidente da CDL e vice-secretário de Administração, Luiz Vieira, além da capacitação, existem outros projetos sendo desenvolvidos pela pasta, como o decreto que será colocado em votação, cujo texto tem como base promover maior agilidade no pagamento dos pequenos negócios que fornecem para a prefeitura. “É preciso desmistificar a ideia dos pequenos empresários de que participar de licitação é complicado, e acabar de vez com as especulações de que o processo é comprado. Como vice-secretário, estou trabalhando para criar oportunidades, inclusive com modificações na lei que permitam uma maior participação dos pequenos negócios. Reformamos recentemente o auditório da prefeitura, e nenhuma empresa da cidade apresentou preço nas cotações ou projeto para fazer parte da licitação, mesmo tendo tantos negócios em nosso município”, observou Luiz Vieira na abertura do evento. Entende-se como pequenos negócios os agricultores familiares, os produtores rurais (pessoa física), os microempreendedores individuais, as micro empresas e as empresas de pequeno porte, os empresários individuais e as cooperativas equiparadas. Para esse grupo, existe uma legislação específica, que regula e traz facilidades na participação de licitações. A base da capacitação é levar ao empresário o conhecimento da Lei Complementar número 123, de 14 de dezembro de 2006, também chamada de Novo Estatuto das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte, assim como dos complementos feitos pela Lei número 147, de agosto de 2014. As leis estabelecem as normas de tratamento diferenciado a

Capacitação tem como objetivo motivar a participação dos pequenos empresários nas licitações públicas ser dispensado aos pequenos negócios no âmbito Federal, Estadual e Municipal. Durante o curso, o consultor do Sebrae explorou com os participantes as leis e sistemas que regem as compras públicas, como a Lei 8.666/93, de contratos e licitações; a Lei 10.520/02, que rege os pregões presenciais e eletrônicos; o Sistema de Registro de Preços (SRP); o Regime Diferenciado de Contratação (RDC); as jurisprudências; a Lei de Responsabilidade Fiscal; e as ações que norteiam o orçamento público: Plano Prurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e Lei Orçamentária Anual (LOA). Entre os facilitadores estão: a regularidade fiscal tardia; a possibilidade de apresentação de nova proposta no caso de empate com empresas de grande porte (empate ficto); a exclusividade de participação de pequenos negócios nas licitações de até R$ 80 mil; a possibilidade de subcontratação e as licitações de bens de natureza divisível com cota de até 25% para pequenas empresas. “Nenhuma lei pode determinar que uma licitação deve ser exclusiva para determinadas empresas ou que apenas os empreendimentos locais participem dos processos publicados pelo município, mas a aplicação das leis que garantem o tratamento diferenciado para os pequenos negócios acaba convergindo para uma maior participação desse nicho de negócios. Para isso, é importante que os empresários conheçam seus direitos e cobrem a aplicação desses facilitadores por parte dos gestores municipais”, explicou Altair.

CDL NITERÓI 19


20 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017


CONSULTOR DIGITAL

Receba o “Não” e entregue mais do que o “Sim” Por Antonio Carlos Barragan Advogado Contador; consultor empresarial; professor de Direito Digital, Direito Tributário, Direito Financeiro e Perícia Contábil; mestre em Direito Econômico e Desenvolvimento; especialista em Direito Digital e pós-graduado em Direito Público.

É

de amplo conhecimento que o mundo empresarial é competitivo, não importando o ramo de atuação de sua empresa, ressaltando a existência de setores submersos em competições mais acirradas que outros. Naquela cotidiana luta, as empresas se articulam, reinventam-se e, algumas (talvez muitas) vezes, encerram seus ciclos. Nesta percepção, destaca-se que um dos grandes males que o empreendedor iniciante sofre é a “Síndrome do Não”. Muitos indivíduos decidem se aventurar como empreendedores (o que é extremamente sadio), mas sem a necessária preparação psicológica para receber o “Não” como resposta aos seus projetos. Diversos grandes empreendedores, mundialmente conhecidos, como Steve Jobs, Larry Page, Bill Gates, Jeff Bezos, Fred Smith, entre outros, já receberam diversos “Nãos” em suas vidas profissionais antes de decolarem para o êxito. Entretanto, a diferença é que souberam absorver aquelas respostas e seguir com foco na busca pela resposta positiva: o “Sim”. Conscientize-se de que, em regra, recebemos mais respostas negativas que positivas para as ideias e projetos. Portanto, é normal você receber um “Não” como resposta. Logo, se pensa realmente em empreender, saiba que a cada resposta negativa que recebe, você estará mais perto da resposta positiva almejada. Nesta linha, a persistência é uma importante e constante aliada do empreendedor de sucesso, pelo que é preciso tê-la de modo inseparável do empre-

endedor. É de bom grado lembrar que o objetivo maior como empreendedor não deve se encerrar ao receber o “Sim”, pois que, aquela resposta apenas superou uma etapa de uma grande jornada empreendedora que nunca deve ter fim para aquele que decide ingressar no mundo do empreendedorismo. Se o cliente lhe contrata ou adquire o seu produto ou mercadoria, é importante prosseguir garantindo-lhe a sobrevida da relação empresarial estabelecida nos momentos posteriores àquela contratação ou aquisição. Neste plano, temos a outra ponta da relação empreendedora que é a entrega do “Sim”. Para se tornar um empreendedor nato, como os grandes nomes já citados, além da inteligência emocional (recomendo a leitura do livro “Inteligência Emocional – A teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente”, de Daniel Goleman) para receber o “Não” diante de seus projetos e ideias, também é indispensável ser um empreendedor que entregue mais do que o “Sim”. Por entregar o “Sim”, entende-se a entrega do resultado esperado por aqueles que o contratam. Neste contexto, para os projetos que terceiros acreditem que você possa entregar o resultado por eles esperado, a entrega do produto final daquelas propostas não lhes causará surpresa. Então, aquele “Sim” para os clientes nada mais será do que o atendimento à expectativa deles, o que poderia ser feito por outra empresa que atue na mesma atividade. Por isso, para revelar quanto valor inovador sua empresa

pode agregar àquele cliente, é preciso se superar em seu output para surpreender o cliente, ultrapassando o provável e o levando ao inesperado com a entrega daquilo que seja mais do que o “Sim”. Logo, para que a sua entrega seja de qualidade, tornam-se imprescindíveis o planejamento, a disciplina, a organização, o capital humano e a atenção aos prazos. Logo, uma empresa sem foco, com apenas um objetivo imediato e sem objetivo mediato, sem planejamento, indisciplinada e desorganizada, com capital humano de baixa qualidade ou pouco capital humano e que não atende, regularmente, aos prazos, está fadada ao fracasso. Nesta seara, uma empresa com aquelas características irá se juntar a tantas outras que não conseguiram se estabilizar e expandir em, no máximo, dois anos de sua criação. Por concluir, se o seu intuito é empreender de modo competente e consistente, não importando o ramo de atuação do negócio que pretende criar ou que do negócio que já possua, é preciso se tranquilizar e compreender que muitos “Nãos” virão e que o seu tempo deve ser dedicado a prosseguir acreditando no “Sim” para os seus projetos e ideias, e no mais do que o “Sim” para as suas entregas. O equilíbrio nessa relação de entradas e saídas de informações em sua mente fará com que a sua empresa se torne estável e sustentável. Acredite, tranquilize-se e foque em seus resultados para serem surpreendentes! CDL NITERÓI 21


VESTIBULAR 2017

FAÇA SUA MATRÍCULA COM

BOLSAS DE ESTUDO DURANTE

TODO CURSO

VÁLIDO TAMBÉM PARA TRANSFERÊNCIA EXTERNA E EX-ALUNOS QUE NÃO CONCLUÍRAM SEUS ESTUDOS

*Oferta válida apenas para evadidos a mais de um ano e apenas para os alunos que se matricularem nos cursos da modalidade presencial a partir do dia 10/0 de 2017.2 (agosto e setembro) serão exigíveis, a partir do mês imediatamente subsequente a conclusão do curso (prazo regular de conclusão do Curso) matrícula). Caso o aluno tranque, cancele, abandone ou desista do curso antes da conclusão, ocorrerá imediatamente o vencimento antecipado das mensalida as mensalidades de julho, agosto e setembro de 2017 (dependendo do mês em que for feita a matrícula). Para as demais mensalidades do curso a partir do m bolsa de estudos no percentual de 40% (quarenta por cento) para o curso de Odontologia e 60% (sessenta por cento) para os demais cursos, exceto o Cu Medicina. Após aplicação do percentual de desconto da bolsa, se o valor líquido da mensalidade for inferior a R$ 300,00 (trezentos reais), o beneficiado de unidade. As mensalidades não contempladas por essa oferta deverão ser quitadas, mensalmente, conforme datas previstas no Contrato de Prestação de educacionais. Consulte as condições da oferta no momento da contratação. A oferta não é válida para o curso de Medicina. A oferta não é cumulativa com o sujeitos a disponibilidade de vagas 22 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017 e a formação de turmas, conforme descrito no edital do processo seletivo. Estas condições podem ser alteradas sem avis


CONSULTOR DIGITAL

As mensalidades de julho e agosto você paga só depois de formado. UNIDADE NITERÓI: (21) 3803-0664 Rua Visconde do Rio Branco, 123, Centro - Niterói

08/2017 até 15/09/2017, para cursar o segundo semestre de 2017 (2017.2). As mensalidades, de julho de 2017 até o mês em que for efetuada a matrícula ) acrescidas de correção monetária anual pelo IPCA, desde a data de vencimento da respectiva parcela ( julho, agosto e setembro, dependendo do mês de ades proteladas, devendo o aluno quitá-las no prazo máximo de 30 dias, contados da ocorrência de um destes eventos. Esta oferta abrangerá exclusivamente mês subsequente em que a matrícula for realizada no 2º semestre de 2017, será aplicada sobre o preço bruto das mensalidades, durante todo o curso, uma urso de Medicina. Para as unidades de Jequié/BA e Bom Jesus da Lapa/BA o percentual de bolsa é de 25% (vinte e cinco por cento), exceto para o curso de everá pagar o valor mínimo de R$ 300,00 (trezentos reais), nunca menos que esse valor. O candidato deve verificar a quantidade de bolsas disponíveis na e Serviços Educacionais, aplicável a cada semestre letivo. O valor da mensalidade sofrerá reajuste anual nos termos do contrato de prestação de serviços outras bolsas, descontos, ofertas ou financiamentos estudantis públicos ou privados, exceto bolsa para Ex alunos e Transferência Externa. Os cursos estão so prévio. CDL NITERÓI 23


FINAL DO ANO

Comércio se prepara para a alta temporada

F

im de ano é tradicionalmente É o caso do restaurante À Mineira, um período de maior deman- no bairro de São Francisco, que eleva da de clientes para hotéis, em média 30% o volume de mercadolojas, restaurantes e para o rias, enquanto o número de freguecomércio em geral em todo o Brasil. ses cresce em até 40% no fim do ano. Além de ser temporada das festas de “São 20 anos de experiência, já estaNatal e Réveillon, férias e maior fluxo mos acostumados com o grande mode turistas, é também o momento vimento nesse período, sem precisar em que muitos brasileiros recebem o contratar mais funcionários. Em no13º salário. De acordo com o Dieese vembro, temos uma alta de visitantes (Departamento Intersindical de de 10% e, em dezembro, recebemos Estatística e Estudos Socio40% a mais de pessoas, em méeconômicos), este ano, o dia”, conta Walter Boccaletti, rendimento extra injesócio-gerente do À Mineitará R$ 200,5 bilhões ra, de 52 anos. na economia e será O período também pago a 83,3 milhões é marcado por diversos pessoas. Em Niterói, eventos de confraternios estabelecimentos zação, seja no ambiente já estão se organizanfamiliar, no trabalho e tamdo e a expectativa é que, bém em escolas e faculdades. mesmo em um cenário de recuperação, por "Em dezembro recebemos, conta da crise,as vendas em média, 40% a mais de pessoas" deste ano superem as Walter Boccaletti, sócio-gerente do de 2016, neste mesmo restaurante À Mineira período.

24 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

Essas reuniões acabam movimentando não apenas bares e restaurantes, mas também o comércio em geral, em função das trocas de presentes. “Novembro e dezembro são meses de procura por reservas de mesas para eventos coorporativos, confraternizações familiares ou de colégios. Nós decoramos o ambiente com enfeites natalinos e acrescentamos pratos natalinos ao cardápio. O trivial se mantém”, complementa Walter. De olho na alta frequência da clientela, Adalberto Caveari, presidente do Polo Gastronômico do Jardim Icaraí, tem como proposta a reformulação dos menus e a criação de uma programação diferenciada. “Teremos o Rock Noel na primeira semana de dezembro, com oito cervejas de Niterói e sanduíches gourmet com produtos da tradicional ceia natalina, semelhante à Oktoberfest. Ou-


Divulgação Prefeitura de Niterói

FINAL DO ANO

tra atração será o Sambinha do Noel, para o dia 10, assim como música ao vivo para os dias 24 e 31, até 18h”, adianta Caveari. De acordo com ele, esperam-se de 10% a 15% a mais de clientes no período de dezembro. A visitação do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC) também aumenta nesta época, segundo a administração do local. Em cartaz até 18 de fevereiro, haverá as exposições:

Com programação especial, o Museu de Arte Contemporânea de Niterói se prepara para receber o público “Oxalá que dê bom tempo”, de Regina Vater; “Versão oficial”, de Bruno Faria; e “Don’t you (forget about me)”, de Rafael Alonso. Curadoria de Pablo León de la Barra e Raphael Fonseca.O MAC funciona de terça a domingo, das 10h às 18h. O pátio fica aberto até as 19h. Já o H Niterói tem expectativa de 45% de ocupação para o fim de 2017. Festas que foram sucesso no verão passado serão mantidas na alta temporada, como o Sertanejo e o Samba nas Alturas. Outra que se repete em 2018 é o Palco H, com músicas diferen-

tes toda semana, aproveitando o pôr do sol e o clima. Para a virada do ano, cresce a busca por reservas de quartos para ter uma bela vista dos fogos de Niterói e do Rio. “A festa de Réveillon do H Niterói Hotel vai para o seu quarto ano e já se tornou tradicional na cidade. Ocorre no Terraço H e terá DJ e banda ao vivo. Além disso, oferecemos ceia de Natal para hóspedes e para o público externo no restaurante Don Juan Contemporâneo, localizado no 1º piso”, informa Rodrigo Alvite, diretor do hotel.

Hotel H Niterói mantém festas que foram sucesso e espera uma ocupação d e 45% para o fim de 2017

CDL NITERÓI 25


POLÍTICA

Natal consciente Por Claudia Cataldi Cientista Política Imortal da Academia Fluminense de Letras

E

ntão é Natal. Ainda que faltem algumas horas, dias ou meses para a ceia, o clima Natalino já transborda nas ruas e, assim como todo ano, transforma nossas vidas em tempo de esperança e celebração. Esperança pelos dias que estão por vir e celebração pela graça dos dias que se foram. E, mesmo 2017 tendo sido um ano muito difícil, com turbulências políticas, jurídicas, administrativas, nacionais e até internacionais, chegamos a mais um final de ano. Com crise ou não, é bom celebrar mesmo, porque chegamos até aqui, concluímos um ciclo, rompemos barreiras e superamos desafios, contrariando muitos especialistas que fizeram prognósticos horríveis e pessimistas. Nossa região tem sido abençoada por Deus com royalties do petróleo que, ainda que estejam em alto mar, na Bacia de Santos, os famosos paralelos prometem que nossa ceia será farta, senão hoje, quem sabe no ciclo que se inicia. Se não concorda comigo e acha que perdeu algo em 2017, lembre-se que o importante não é a chegada, mas a experiência adquirida, ou ainda, que nem toda perda é verdadeiramente ruim, algumas são péssimas mesmo, mas outras são livramentos. Então vamos entrar no clima festivo e pensar positivo. O Natal aquece os corações e também a economia, gera emprego, aumenta as vendas e assim vai.

26 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

O Natal simboliza o renascimento de Jesus e remete aos dias atuais, onde fomos forçados a nos reinventar. Palavras como reengenharia, redimensionamento, reestruturação, revisão de conceitos, dos negócios e, arrisco até a dizer, o renascimento no modo de fazer gestão são exemplos disso. Tudo muito lindo, né? Mas coelho não bota ovos e Papai Noel não empresta saco, muito menos o cartão de crédito, então vamos aproveitar o momento, arregaçar as mangas, e buscar fazer bons negócios. Hotéis bem decorados, restaurantes bem transados, pacotes com “barba, cabelo e bigode” podem ser a válvula de escape para quem acabou de superar a “crise das crises”. Por isso meu conselho é: INOVE. Por fim, parabenizo aqueles que chegaram até aqui. Muitos ficaram pelo caminho, e, independente de ganhar ou perder, o importante é SOBREVIVER.


28 O LOJISTA n DEZEMBRO 2017

O lojista dezembro  
O lojista dezembro  
Advertisement